Page 1

Página 12

Agosto / 2012

Roncador

JORNAL

SERVINDO Mini Congressos na diocese Pág. 3

Igreja matriz

Padroeiro: São Pedro Localização: Av. São Pedro, 313 Cx. P. 15 Telefone/Fax: (44) 3575-1215 87320-000 Roncador, PR

Pe. José Gonçalves de Almeida, pároco

Imagem do padroeiro São Pedro

No dia 15 de agosto de 1961, pelos Decretos 85/86 de dom Elizeu Simões Mendes, bispo diocesano de Campo Mourão, foi criada a paróquia São Pedro, desmembrada da paróquia Histórico Segundo informação de morado- Santa Rosa de Lima de Iretama. DesE-mail/MSN: paroquiasaopedroron- res pioneiros de Roncador, na década de a criação da paróquia os padres cador@hotmail.com de 50 os padres vinham a cavalo, de que atuaram foram os seguintes: Luiz Depaoli (1961), Bruno FraNúmero de capelas: 21 Campo Mourão ou Guarapuava, para celebrar missas na capela São Pedro. esel (1962), Libino Estefel, SJ, FloNormalmente permaneciam na cida- ro Vodomis, Vicente de Paula Vieira Data de criação: 15/08/1961 Pároco: Pe. José Gonçalves de Al- de por cerca de três dias, onde faziam (1963), Jair Resende (1964), Zygmunt Supieta (1964-1968), Nelson meida, 47 anos de idade e 6 de orde- os atendimentos. Prendin, Isaltino Gobbi, Marino Elorz, Fernando Brito, Paulo Jubel, João Viecel, Primeira igreja de Roncador, construída na década de 1960 Bovis José Kocik, José Sauer (19681972), José Stratmann (1972-1973), Francisco Xavier Lesniowski (1973-1979/19861991), Luiz Dotto (1979-1981), Antonio Bajek (1981-1985), Ademar Oliveira Lins (1992-1995), Adelinação sacerdotal Secretária paroquial: Rita de Cássia Montilho

Tradicional fogueira

no Gonçalves, Helio Jose da Costa (1996-2000), Rogelio Aparecido Destefani (2000-2001), Reginaldo Nascimento de Souza (2002), Paulo Roberto de Lima (2002), Sebastião Ramos da Costa (2003-2004), Carlos Alberto Rodrigues da Silva (2005-2011), Jose Aparecido Alves Ferreira, João Batista, João da Silva, Pedro Marques e Durvalino Rodrigues de Oliveira. Dia do Padroeiro Após a novena em honra a São Pedro, foi celebrado o dia do padroeiro, 29 de junho, com carreata, bênção dos motoristas e dos veículos e a missa presidida pelo Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva, da quase-paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Campo Mourão, e concelebrada pelo pároco Pe. José Gonçalves de Almeida. No dia 30 de junho, teve a queima da fogueira, que é uma das maiores da região, e show pirotécnico. A 68ª edição da festa do padroeiro foi realizada no dia 1º de julho (domingo).

Pe. José Gonçalves de Almeida e Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva

Entrevista: Pe. José Kalsing Pág. 10

Pedra fundamental, com presença do bispo

Igreja matriz, antes da reforma

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 24 - Agosto / 2012 / Nº 239

Formação e informação a serviço da diocese

5ª JDJ em Terra Boa Pág. 7


Página 02

Agosto / 2012

Palavra do Bispo Queridos e amados diocesanos e diocesanas! A paz e o amor de Deus estejam com cada um de vocês! Em meu artigo anterior, publicado na edição de julho do Jornal Servindo, refletia sobre o “Ano da Fé”, convidando a todos para participar dos eventos que nossa Igreja diocesana irá programar. Seguindo essa mesma intenção, no dia 1º de julho, durante celebração eucarística na Catedral São José, foi lançada a Carta Pastoral “Caritas Dei”, sobre o “Ano da Fé”. Agora, gostaria de partilhar com cada um de vocês, com muito carinho e simplicidade, o conteúdo desta Carta, a começar pela primeira parte. Ela está dividida da seguinte forma: 1. O Ano da Fé – considerações introdutórias, nas quais, são apontadas as razões e os objetivos que motivam a celebração do Ano da Fé e a presente Carta Pastoral. 2. Nas pegadas do Jubileu Diocesano – recordação da experiência feliz vivida pela Diocese de Campo Mourão por ocasião do seu Jubileu de Ouro (2009-2010). O Ano da Fé vem confirmar as propostas e perspectivas legadas pelas celebrações e iniciativas jubilares. 3. No dom da Fé, Deus decide dirigir-se ao Ser Humano – fé apresentada como Dom divino dirigido ao Ser Humano, cuja plenitude está no Mistério de Cristo. 4. O Dom se converte em encontro – o desejo de Deus em sair de si mesmo e revelar-se gera unidade (encontro), vencendo o intimismo egoísta. Da relação entre Deus e o Ser Humano brota a unidade dos homens entre si, na Igreja. 5. O encontro se faz resposta – ênfase no dever do cristão em responder a Deus que se revela. São ressaltadas ações concretas e quatro princípios-chave a ser considerados pela Diocese durante o Ano da Fé: 5.1 Animação bíblica da pastoral. 5.2 Catecismo da Igreja Católica. 5.3 19º Plano Diocesano da Ação Evangelizadora. 5.4 Observar os sinais dos tempos. 6. A resposta abre perspectivas – considerações conclusivas e algumas sugestões para a celebração do Ano da Fé na Diocese de Campo Mourão. 7. Ao clero – palavra de ânimo e exor-

Expediente Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colunistas: • Pe. Luiz Antônio Belini • Maria Joana Titton Calderari • Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto • Amani Spachinski de Oliveira

tação aos padres e diáconos, a fim de que se empenhem com criatividade generosa na celebração deste Ano de Graça. 1. O Ano da Fé “O amor de Deus” (Rm 5,5) é que nos abre a porta da fé (At 14,27) e renova nossa mentalidade, a fim de que possamos discernir o que é bom, agradável e perfeito (cf. Rm 12,2). Nesta certeza, acolhendo o pedido do Santo Padre Bento XVI em seu desejo de celebrar um Ano da Fé, dirijo-me a vós, irmãos e irmãs, Igreja peregrina na Diocese de Campo Mourão. O Ano da Fé estender-se-á de 11 de outubro, de 2012, até 24 de novembro de 2013, solenidade de Jesus Cristo, rei do universo. Por isso, em comunhão com o Vigário de Cristo, e seguindo suas sábias indicações, queremos “redescobrir o caminho da fé para fazer brilhar, com evidência sempre maior, a alegria e o renovado entusiasmo do encontro com Cristo” (PF, 2). Com efeito, na Carta Apostólica Porta Fidei, mediante a qual se proclama o Ano da Fé, Bento XVI empregou por seis vezes os verbos descobrir/ redescobrir referindo-se à postura que os cristãos do nosso tempo são convocados a assumir diante de sua fé. O Ano da Fé é, igualmente, um ano comemorativo. No dia 11 de outubro, celebramos respectivamente o 50º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II, pelo Beato João XXIII, bem como o 20º aniversário da promulgação do Catecismo da Igreja Católica, sob o pontificado do Beato João Paulo II. É necessário considerar que, são dois acontecimentos intimamente relacionados, e de importância fundamental para a caminhada da Igreja, ciente da complexidade do tempo presente e atenta aos desafios que o porvir a prepara. Diante disso, estou convencido que adentramos num tempo de graça que abre perspectivas de esperança e confirma nossa vocação cristã. A presente Carta Pastoral quer ser oportunidade de partilha e enriquecimento. Partilha, porque seu conteúdo manifesta os sentimentos mais profundos, sobre os quais se erguem minha fé e nela, o ministério episcopal que por graça de Deus fui chamado a desempenhar. Enriquecimento, pois é ocasião para recordar, esclarecer e exortar acerca de dimensões importantes, ao reto e frutuoso

desenvolvimento de nossa caminhada eclesial diocesana. Desde tempos muito antigos os bispos costumaram endereçar cartas a suas comunidades. A origem desta prática se encontra na própria ação dos Apóstolos, cujas epístolas integram o cânon do Novo Testamento. O bispo, sucessor dos Apóstolos junto a sua Diocese, escreve na qualidade de Pastor, exercendo a missão de primeiro catequista e transmissor da fé cristã. Daí a denominação “Carta Pastoral”. Além disso, a Congregação para a Doutrina da Fé, nas Orientações pastorais para o Ano da Fé, sugeriu que cada bispo redigisse uma carta pastoral sobre o tema, destinando-a aos diocesanos. Repetindo essa antiga e venerável pedagogia cristã, em comunhão com a Igreja presente no mundo inteiro e seguindo fielmente a paterna proposta do Bispo de Roma, convido a todos, para que descubramos o encanto e experiência originais que envolvem o ser humano no encontro com Jesus Cristo. Com a “ternura de Cristo Jesus” (Fl 1,8), exorto, para que acolhamos o dom da fé, o experimentemos no encontro com o “Príncipe da vida” (At 3,15) e respondamos a seus apelos com coração sincero, “na pureza e na verdade” (1Cor 15,8). Impulsionado por este sentimento, desejo refletir convosco algumas idéias e indicações que serão úteis na vivência deste tempo de graça. Nas próximas edições seguiremos publicando as demais partes da Carta, a fim de que, conhecendo seu conteúdo, possamos nos preparar bem para a celebração de tão importante acontecimento. Pedindo a Deus e a Nossa Senhora sua constante proteção, abençoo-vos com amor paternal e amigo.

Página 12

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

Roncador

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3222-6280 / 9145-1499 / 9915-3400 Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte. Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte.

Editorial O leitor do Jornal Servindo terá acesso à Carta Pastoral “Caritas Dei”, lançada dia 1º de julho, durante uma celebração eucarística, presidida por dom Javier, na catedral São José. A primeira parte da carta está nesta página, no espaço “Palavra do Bispo”. A segunda parte será publicada na edição do próximo mês. Nesta edição, o Pe. Luiz Antonio Belini dá continuidade ao assunto “O Concílio e como a Igreja se imagina”. O Pe. Roberto Cesar faz uma reflexão sobre a Família, que é uma das prioridades do 19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora e tem a sua Semana Nacional celebrada em agosto. Na página 12, conheceremos um pouco mais sobre a paróquia São Pedro de Roncador; na seção “Entrevista do Mês”, o Pe. José Kalsing conta passagens interessantes de seu trabalho, que iam além das atividades costumeiras dos sacerdotes. Boa leitura!

Participação da diocese no 6º Encontro Intereclesial das CEBs

Participantes da diocese Trinta e quatro pessoas da diocese de Campo Mourão se juntaram a 680 delegados de 14 dioceses do Paraná na sexta edição do Encontro Intereclesial das CEBs, realizado de 28 a 30 de abril, em Jacarezinho, PR.  O encontro teve como tema “Justiça e Profecia a serviço da Vida” e reafirmou que as CEBs continuam sendo um sinal de vitalidade da Igreja. “Oxalá que este modo de ser Igreja vá se tornando, sempre mais, fermento de renovação em nossa sociedade”, declarou a Ir. Helena Makiyama, coordenadora diocesana das CEBs.

JORNAL

Pág. 3

Pe. José Gonçalves de Almeida, pároco

Imagem do padroeiro São Pedro

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 24 - Agosto / 2012 / Nº 239

SERVINDO Mini Congressos na diocese

Igreja matriz

CALENDÁRIO – AGOSTO - 2012

Capa Agosto / 2012

Formação e informação a serviço da diocese

5ª JDJ em Terra Boa Pág. 7

Tradicional fogueira

A intenção geral é para que os presos sejam tratados com justiça e seja respeitada a sua dignidade. Padroeiro: São Pedro Localização: Av. São Pedro, 313 Cx. P. 15 Telefone/Fax: (44) 3575-1215 87320-000 Roncador, PR

No dia 15 de agosto de 1961, pelos Decretos 85/86 de dom Elizeu Simões Mendes, bispo diocesano de Campo Mourão, foi criada a paróquia São Pedro, desmembrada da paróquia Histórico Segundo informação de morado- Santa Rosa de Lima de Iretama. DesE-mail/MSN: paroquiasaopedroron- res pioneiros de Roncador, na década de a criação da paróquia os padres de 50 os padres vinham a cavalo, de que atuaram foram os seguintes: cador@hotmail.com Luiz Depaoli (1961), Bruno FraCampo Mourão ou Guarapuava, para Número de capelas: 21 celebrar missas na capela São Pedro. esel (1962), Libino Estefel, SJ, FloNormalmente permaneciam na cida- ro Vodomis, Vicente de Paula Vieira Data de criação: 15/08/1961 Pároco: Pe. José Gonçalves de Al- de por cerca de três dias, onde faziam (1963), Jair Resende (1964), Zygmunt Supieta (1964-1968), Nelson meida, 47 anos de idade e 6 de orde- os atendimentos. Prendin, Isaltino Gobbi, Marino Elorz, Fernando Brito, Paulo Jubel, João Viecel, Primeira igreja de Roncador, construída na década de 1960 Bovis José Kocik, José Sauer (19681972), José Stratmann (1972-1973), Francisco Xavier Lesniowski (1973-1979/19861991), Luiz Dotto (1979-1981), Antonio Bajek (1981-1985), Ademar Oliveira Lins (1992-1995), Adelinação sacerdotal Secretária paroquial: Rita de Cássia Montilho

no Gonçalves, Helio Jose da Costa (1996-2000), Rogelio Aparecido Destefani (2000-2001), Reginaldo Nascimento de Souza (2002), Paulo Roberto de Lima (2002), Sebastião Ramos da Costa (2003-2004), Carlos Alberto Rodrigues da Silva (2005-2011), Jose Aparecido Alves Ferreira, João Batista, João da Silva, Pedro Marques e Durvalino Rodrigues de Oliveira. Dia do Padroeiro Após a novena em honra a São Pedro, foi celebrado o dia do padroeiro, 29 de junho, com carreata, bênção dos motoristas e dos veículos e a missa presidida pelo Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva, da quase-paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Campo Mourão, e concelebrada pelo pároco Pe. José Gonçalves de Almeida. No dia 30 de junho, teve a queima da fogueira, que é uma das maiores da região, e show pirotécnico. A 68ª edição da festa do padroeiro foi realizada no dia 1º de julho (domingo).

Intenção missionária: Para que os jovens, chamados ao seguimento de Cristo, se disponham a proclamar e testemunhar o Evangelho até aos confins da terra.

Pe. José Gonçalves de Almeida e Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva

As assinaturas do Jornal Servindo podem ser feitas nas secretarias paroquiais

Informações pelo e-mail/MSN: jornalservindo@hotmail.com

Pedra fundamental, com presença do bispo

Página 11

Agosto / 2012

Entrevista: Pe. José Kalsing Pág. 10

Igreja matriz, antes da reforma

Agosto, mês das vocações: a importância da escolha certa.

Imagem: sacrificiovivoesanto.wordpress.com

Balancete Junho / 2012

DIA

HORA

QUEM

O QUE

PARA QUEM

ONDE

2

08:30

CLERO

Confraternização

Padres e Diáconos

A DEFINIR

3A5

08:30

COMIPRO

Assembleia da IAM

Equipes do COMIDI

Londrina

3a5

18:00

CURSILHO

Adulto Masculino

Convidados

CDF – Lar Paraná

4

08:30

COMIPRO

Reunião Provincial

Equipes dos COMIDIs

Paranavaí

4

08:30 11:30

CEBs

Reunião Diocesana

Coordenadores Paroquiais

Centro Catequético

4e5

17:00

PJB

Of. Música e Teatro – Etapa 3

Coordenações Paroquiais – Pólo B

A definir

4e5

08:00 17:00

DIÁCONOS

Escola Diaconal

Aspirantes ao Diaconato Permanente

Seminário São José

6 a 11

 

PJB

SEMANA DO ESTUDANTE

Todas as Paróquias

Toda a Diocese

9

09:00

C. PRESBITERAL

Reunião

Membros do Conselho

Casa do Bispo

11 e 12

17:00

PJB

Of. Música e Teatro – Etapa 3

Coordenações Paroquiais – Pólo B

A definir

12 a 18

 

P. FAMILIAR

Semana Nacional da Família

Famílias

Todas as Paróquias

13

20:00

RCC

Oficina de Intercessão

Decanato de Campo Mourão

Colégio Monteiro Lobato – C.M.

15

14:00

FORMADORES

Reunião

Bispo e Formadores

A DEFINIR

19

 

CATEQUESE

Formação 4º Módulo

Decanato de Iretama

Iretama

19

 

P. COMUNICAÇÃO

Reunião

Comunicadores Paroquiais

CDF – Lar Paraná

19

 

RCC

Assembleia Diocesana

Coordenadores Paroquiais

A DEFINIR.

24 e 25

 

CEBs

Reunião Regional

Coordenadores e Assessores Diocesanos

CDF – Lar Paraná

25

 

CATEQUESE

Formação 4º Módulo

Decanato de Eng. Beltrão

Eng. Beltrão

26

 

MECEs

Retiro decanal

Decanato de Campo Mourão

Paróquia São Francisco

26

09:00

MARIANOS

Reunião Delegados

Congregados Marianos

A DEFINIR

26

08:00

COMIPRO

Congresso Missionário Tema: COMLA IX; CAM IV

COMIDIs e COMIPAs

Maringá

26

 

RCC

Oficina de Intercessão

Decanato de Juranda

Juranda

27

20:00

RCC

Oficina de Intercessão

Decanato de Campo Mourão

Colégio Monteiro Lobato – C.M.

30

09:00

CLERO

Afetividade e Espiritualidade

Padres do Decanato de Campo Mourão

A DEFINIR

Aniversários - AGOSTO / 2012 Padres e diáconos 1 - Monsenhor Jorge Wostal - Nascimento 8 - Pe. Jorge Pereira da Silva - Nascimento 10 - Pe. José Edwin Kalsing - Ordenação 13 - Monsenhor Antônio Bajek - Nascimento 20 - Pe. Valdomiro Pinto Rosa - Nascimento 25 - Pe. Genivaldo Barbosa - Nascimento 26 - Pe. Apolinário João da Silva - Nascimento Religiosas 7 - Irmã Luci Aparecida da Silva - Nascimento 10 - Irmã Clara - Profissão 13 - Irmã Maristela - Nascimento 17 - Irmã Joana da Ressurreição - Nascimento 17 - Irmã Maria dos Anjos Bezerra Nascimento 18 - Irmã Dayane Cristine de Carvalho - Nascimento 18 - Irmã Lizandra Inês Both - Nascimento

Pe. Jorge, Nadir e Pe. Aédio

MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS Sanepar, Copel, Oi! e Correio................................1.623,42 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ...........373,51 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS+IRRF..........13.780,26 Combustível............................................................1.757,17 Fundo de Reserva................................................17.953,50 Côngruas/Salários/Férias.....................................34.004,45 Adiantamento 13º Salário ......................................9.207,00 Plano de Saúde......................................................2.520,00 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli........................627,88 Mensalidade do Prever................................................37,00 M S Guaiume Segurança Monitorada.........................80,00 Despesas com Cartório.............................................108,20 Materiais de Escritório...............................................348,00 Théos Informática-Prog. SGCP...................................68,50 Despesas Mat. Limpeza/Cafézinho (Cúria) .............232,17 Parc. 07/60 Ref. 2 Terrenos Jd Botânico II ............2.680,05 Reforma da Cúria.................................................39.868,99 Advocacia Andrade & Rodrigues ...........................2.953,00 Form. Hum.-IATES (Pe.Aédio/Gerson/Ricardo/Valdecir) .... ...................................................................................3.440,00 Pós-Grad. Dir. Can. Matrimonial Parc 06/18 (Jackeline)...... ......................................................................................280,00 Mestrado Direito Canônico Pe. Clauber/Lussamir).1.653,12 Tribunal Eclesiástico Junho.......................................622,00 Repasse Escola Diaconal Maio..............................1.244,00 Honorários Acessoria Canônica Jurídica................1.000,00 Viagem/Estadia - Pós-Grad.Dir. Canônico (Jackeline)......... ...................................................................................4.340,00 Despesas Reunião Clero...........................................177,90 Despesas com Farmácia...........................................299,91 Despesas com Veículos.........................................1.332,98 Despesas Com Viagens .............................................17,40 Manutenção e Conservação........................................97,00 Jornal de Opinião-Fundação Cultural João Paulo II....80,00 Artes Gráficas Ivaí Ltda (Folders SAV)......................300,00 Empório das Águas.....................................................73,00 AmoLivros-Comércio de Livros Ltda...........................50,00 ............................................................................143.230,41 RESIDÊNCIA EPISCOPAL Oi!, Copel e Sanepar..............................................1.039,51 Salários...................................................................1.894,60 Adiantamento 13º Salário..........................................955,00 Alimentação............................................................1.294,72 Manutenção e Conservação de Imóveis...................522,57 Materiais de uso e consumo......................................127,20 Assinatura Uol............................................................. 11,90 Embratel Tvsat Telecomunicações S/A.....................134,89 ................................................................................5.980,39 OUTROS (Água, luz, telefone, manutenção, etc) Seminário São José - Campo Mourão...................1.222,52 Centro Past. Dom Virgílio de Pauli............................602,95 Centro Past. Dom Eliseu........................................6.583,21 ................................................................................8.408,68 OUTROS (Repasse da Cúria) Semin. Proped. São José - Campo Mourão...........8.000,00 Semin. de Teologia Dom Virgílio - Cambé............16.740,00 Semin. de Filosofia N. S. Guadalupe - Maringá...12.555,00 ..............................................................................37.295,00 RESUMO GERAL Saldo em 30/06/12..............................................44.933,63

Paróquia São Francisco realiza missa de envio

A missa de envio dos guias das Oficinas de Oração e Vida, na paróquia São Francisco de Assis, na Vila Teixeira, Campo Mourão, aconteceu no dia 4 de julho. A presidência foi do Pe. Gerson de Araújo Costa e concelebrada pelo Pe. Aédio Odilon Pego, vigário geral da diocese. No rito do envio os guias receberam um exemplar do Manual das Oficinas de Oração e Vida que foram entregues pela coordenadora diocesana Nadir Anália Gamba Hundsdorffer. Foram enviados os guias: -Paróquia São Francisco de Assis: Arlei Silva Vitória e Cibele Lemos Vitória -Catedral São José: Ana Paula Goldoni -Paróquia São João Batista (Peabiru): José Mario Pinto e Rozana S.Pinto

Entradas Contribuição das Paróquias...............................135.576,00 Contribuição Ref. 13º Salário............................... 11.311,00 Crisma....................................................................3.192,00 Reembolso Encargos-Pis/Secraso/Senalba...........2.309,66 Reembolso Correio/Labore.......................................168,20 Reembolso Almoço do Clero/ Secretárias.................565,00 Resg. Fundo de Reserva(Obra)/Prest. Terreno....42.549,04 ............................................................................195.670,90 Saldo anterior (31/05/12) + entradas...................257.454,71 Saídas Manutenção da Cúria e Imóveis.........................143.230,41 Residência Episcopal.............................................5.980,39 Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli.......................602,95 Centro de Pastoral Dom Eliseu..............................6.583,21 Seminário São José...............................................1.222,52 Seminário Propedêutico São José C. Mourão ......8.000,00 Seminário Filosofia N. Sra. Guadalupe - Mgá......12.555,00 Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé.......16.740,00 ............................................................................194.914,48


Página 10

Agosto / 2012

A hierarquia das vocações Estamos no mês vocacional. É tempo de refletir sobre dois aspectos, muito importantes, dessa celebração, cujo objetivo é conclamar o povo católico para a responsabilidade em relação aos diferentes serviços prestados na Igreja e no Mundo. Primeiro, qual o significado do chamado Divino em relação ao Homem; Segundo, em que consiste e como deve ser a resposta do homem. Podemos ouvir de maneira clara a Voz de Deus que nos chama. Ouvir de maneira obscura ou deixar de ouvi-la. Também, podemos respondê-la de forma clara, obscura ou simplesmente não responder. Ainda, podemos responder claramente, com qualidade na resposta e na ação. Responder sem muito interesse e qualidade. Ou podemos não responder de nenhuma forma. Nossa atitude, em relação à forma como respondermos ao chamamento Divino, não mudará em nada a existência real do chamado. O fenômeno é real. Deus chama indistintamente o homem para ajudá-lo na criação, na preservação e no aperfeiçoamento do Homem como filho seu. O “serviço”, que Deus quer que façamos para Ele,

tem uma hierarquia funcional de embasamento em relação à pessoa do vocacionado e uma subdivisão em relação à sua prática. A primeira base é a Fé, que é uma virtude, ou força interior que o faz acreditar na Voz de Deus que o chama. A segunda é a disponibilidade, que também, é um estado interior que o impulsiona a agir prontamente em resposta ao chamado. E a terceira é o amor, movimento interior, que se caracteriza como ação de caridade e de serviço a Deus, a si mesmo e ao Mundo. Essa fundamentação hierárquica da vocação humana desemboca, por projeto divino e resposta humana, na prática do serviço subdividido por utilidade e necessidade do povo, como também, por empatia ou afinidade do vocacionado com o serviço que escolher. É nesse sentido que a Igreja celebra as vocações no mês de agosto e nos convida a meditar sobre a disponibilidade de nossos talentos e serviço ao Reino de Deus. No Brasil há mais de trinta anos se comemora o mês vocacional, dando início em quatro de agosto com festa de São João Maria Vianey, Cura D’Ars, e concluindo na última semana, com o serviço de

pessoas não ordenadas ou consagradas. A Igreja procura em sua liturgia dominical, contemplar durante quatro semanas as quatro formas de serviço evangelizador e social. No primeiro domingo comemora-se a vocação sacerdotal. Serviço extremamente essencial, indispensável e necessário para a existência, a continuidade, a organização, o desempenho e a realização da própria vocação da Igreja, como Instituição criada verdadeiramente por Jesus. O homem, para responder satisfatoriamente a esse chamado, precisa fazer uma opção especial, total e exclusiva ao exercício ministerial, sem abrir mão de todas as exigências que o serviço impõe. A segunda semana a Igreja dedica à vida familiar. A família é uma necessidade que sem a qual a sociedade se desintegra. As pessoas não vivem sem família e esta tem a responsabilidade sobre cada um de seus membros, determinado sua integração ou sua marginalização social. Cabe aos pais responderem claramente sua vocação a serviço da família. Na terceira semana medita-se sobre a vida religiosa e missionária. Os religiosos e as religiosas são pessoas especiais, que encaram um serviço especial dentro da Igreja e da sociedade, realizando-se na diver-

ENTREVISTA DO MÊS Pe. José Edwin Kalsing é o entrevistado da edição de agosto do Jornal Servindo. O sacerdote gentilmente concedeu a entrevista no Seminário São José, local onde reside. Atualmente com 83 anos de idade, Pe. José nasceu no dia 29 de novembro de 1928, em Porto União, SC. Filho de Jose Leopoldo e Maria Luiz Kalsing. Até os 14 anos de idade viveu na casa de seus pais, na área rural, a 24 km da sede do município de Porto União. Na época, ajudava seus pais no trabalho agrícola. Formação Aos 14 anos de idade, ingressou no seminário em Irati, PR. Ele também estudou em Santa Bárbara, MG; Petrópolis, RJ; São Leopoldo e Viamão, no Rio Grande do Sul. Até 1955, três anos antes de sua ordenação presbiteral, o Pe. José pertenceu à Congregação da Missão (Lazaristas). A partir dessa data, passou a ser diocesano. Sua ordenação diaconal foi no ano de 1958. A ordenação presbiteral foi no dia 10 de agosto, do mesmo ano, em Porto Alegre, RS.

Pe. José Edwin Kalsing

Trabalho Após a ordenação, trabalhou em Piritiba, Abdon Batista, Ponte Alta do Sul, Piratuba e Lages, todas no estado de Santa Catarina. Na diocese de Campo Mourão, o Pe. José Edwin Kalsing trabalhou na paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis, durante 8 anos, e auxiliou na catedral São José. Durante alguns anos também trabalhou nas dioceses de Maringá, 4 anos, e Paranavaí, 6 anos. Em Lages, o Pe. Kalsing se dedicou mais ao magistério. Lecionou e foi

diretor de colégio. Também trabalhou na orientação educacional de Santa Catarina, atividade que exigia viagens para diversas partes do estado. O sacerdote tem várias recordações dos 10 anos que permaneceu em Abdon Batista, SC, como a instalação de um hospital que funcionava na casa paroquial, feito com material conseguido, junto à comunidade. O carro da igreja buscava o médico uma vez por semana. Trabalhou na organização de cooperativa e, na área da educação, trouxe uma congregação de irmãs religiosas,

sidade de serviços e no compromisso da missão que lhes é destinada, numa consagração total, como resposta concreta à sua vocação. Na última semana a Igreja nos pede que reflitamos sobre a vocação das pessoas, que sem se ordenarem sacerdotes ou consagrarem-se na vida religiosa dedicam-se de forma especial e através de serviços distintos à evangelização, construção do Reino de Deus no Mundo e aos diferentes serviços pastorais realizando as funções sociais da Igreja. Assim, de sua maneira e conforme seu estado de vida, as pessoas podem responder ao Chamado Divino e tornarem-se agradáveis a Deus em uma vida de dedicação total e de santidade.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

com formação para lecionar em um colégio para 200 alunos, construído no distrito de Abdon Batista. O padre lembra ter passado a noite, transportando doentes para a sede do município, que ficava a 50 km do distrito, através de estradas precárias. Às vezes procuravam o padre, no meio da noite, para ir até bares resolver problemas de brigas, pois não havia policiais no distrito. Sobre a vocação, Pe. Kalsing disse que, quando criança e adolescente, sempre admirou a vida de padre. “Ser padre é um trabalho de pastoral, um trabalho religioso, para ajudar as pessoas a alcançar o Reino de Deus”, disse o Pe. José, que acrescentou que é uma maneira interessante de valorizar a vida, pois o trabalho é mais espiritual. “Como padre, trabalhei em vários setores, como na renovação catequética, em Lages, percorrendo o território onde atualmente há 4 dioceses”, explicou. Ao longo de sua vida também trabalhou com Cursilhos de Cristandade, Renovação Carismática Católica e outros. “Nunca trabalhei sozinho. Sempre havia padres, freiras, missionários e leigos que trabalhavam comigo”, concluiu o Pe. José Kalsing.

Página 03

Agosto / 2012

Primeiro Mini Congresso é realizado no decanato de Juranda A

diocese de Campo Mourão realizou o primeiro Mini Congresso no dia 15 de julho, no decanato de Juranda, com participação das paróquias de Ubiratã, Boa Esperança, Mamborê e da anfitriã, Juranda. No dia 22 de julho, haverá Mini Congressos nos decanatos de Iretama e Engenheiro Beltrão; dia 29 de julho, nos decanatos de Campo Mourão e Goioerê. O objetivo dos Mini Congressos é refletir e celebrar a caminhada missionária de todas as pastorais, movimentos e serviços da diocese. Eles acontecem em sintonia com o 3° Congresso Missionário Nacional, realizado em Palmas, Tocantins, de 12 a 15 de julho, a Após a mensagem de boas vindas, feita pelo Pe. Gessi de Matos, da paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus de Juranda, houve um momento de oração, conduzido pelos integrantes da equipe da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê. Houve espaço para informações sobre o Comla9 - Congresso Missionário Latino Americano 9 e o CAM4

Mini Congresso no decanato de Juranda

- Congresso Americano Missionário, que acontecerão em 2013, em Maracaibo, na Venezuela. O resultado das discussões durante as etapas do Mini Congresso Diocesano, será levado ao Congresso Missionário da Província de Maringá, que acontecerá no dia 26 de agosto, em Paranavaí. As paróquias presentes realizaram apresentações teatrais e de danças, ligadas ao assunto. O encerramento foi com uma celebração eucarística de envio dos missionários.

“A gente começou realmente a se sentir parte integrante da Igreja, a partir do Concílio Vaticano II”, disse Clementina de Souza Dias, citando o início do Ano da Fé, em outubro, e a celebração dos 50 anos do Vaticano II, como um dos três grandes acontecimentos da Igreja missionária, no momento. Os outros eventos, citados por ela, são a JMJ - Jornada Mundial da Juventude 2013, no Rio de Janeiro; e o Comla9 e CAM4, na Venezuela, em 2013.

Encenação durante o Mini Congresso

Encerramento de novena de Nossa Senhora do Carmo AGOSTO/ 2012 DIA DIA

Pe. Ricardo e dom Francisco Javier

Dom Francisco Javier presidiu a missa de encerramento da novena de Nossa Senhora do Carmo, dia 16 de julho, no Mosteiro Nossa Senhora do Carmo, em Campo Mourão. Concelebraram, o Pe. Ricardo Arica Ferreira, Pe. Rômullo Ramos Gonçalves e Pe. Valdecir Liss. Esta festa devocional é celebra-

da no dia em que, segundo a tradição carmelita, Nossa Senhora, numa visão, entregou o escapulário do Carmelo a São Simão Stock, primeiro geral da ordem. O título recorda a herança espiritual do profeta Elias, contemplativo e incansável defensor do único Deus de Israel.

Paróquia de Engenheiro Beltrão abrirá ano jubilar A paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão abrirá a celebração do seu jubileu de ouro, no mês de setembro. Haverá novena em preparação à festa da padroeira, de 30 de agosto a 7 de setembro. Em cada dia da novena, as missas serão presididas por padres que já trabalharam na paróquia, ao longo dos 50 anos. Haverá, também, missas presididas por dom Anuar Bat-

tisti, arcebispo de Maringá, e dom José Maria Maimone, bispo emérito da diocese de Umuarama. No dia 8 de setembro, a missa será presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes. Durante a celebração, acontecerá a abertura do ano jubilar; a dedicação da igreja, após a reforma; e a sagração do altar.

LEITURA 1ª1ªLEITURA

SALMO SALMO

LEITURA 2ª2ªLEITURA

EVANGELHO EVANGELHO

1

Jr 15,10.16-21

Sl 59

Mt 13,44-46

2

Jr 18,1-6

Sl 146

Mt 13,47-53

3

Jr 26,1-9

Sl 69,1-17

Mt 13,54-58

4

Jr 26,11-16.24

Sl 69,15-34

5

Ex 16,2-4.12-15

Sl 78

Ef 4,17.20-24

Jo 6,24-35

6

Dn 7,9-10,13-14

Sl 97

2Pd 1,16-19

Mc 9,2-20

7

Jr 30,1-2.12-15.18-22

Sl 102

Mt 14,22-36

8

Jr 31,1-7

Jr 31,10-13

Mt 15,21-28

9

Jr 31,31-34

Sl 51

Mt 16,13-23

10

2Cor 9,6-10

Sl 112

Jo 12,24-26

11

Hab 1,12-2,4

Sl 9

Mt 17,14-20

12

1Rs 19,4-8

Sl 34

13

Ez 1,2-5.24-28a

Sl 149

Mt 17,22-27

14

Ez 2,8-3,4

Sl 119,14-131

Mt 18,1-5.10.12-14

15

Ez 9,1-7.10,18-22

Sl 113

Mt 18,15-20

16

Ez 12,1-12

Sl 78,56-62

Mt 18,21-19,1

17

Ez 16,1-15.60.63

Is 12,2-6

Mt 19,3-12

18

Ez 18,1-13.30-32

Sl 51

Mt 19,13-15

Mt 14,1-12

Ef 4,40-5,2

1Cor 15,20-27a

Jo 6,41-51

19

Ap 11,19a . 13,1.3-6a.10ab

Sl 44

20

Ez 24,15-24

Dt 32,18-21

Mt 19,16-22

21

Ez 28,1-10

Dt 32,26-36

Mt 19,23-30

22

Is 9,1-6

Sl 1112

Lc 1,26-38

23

2Cor 10,17-11,2

Sl 15

Mt 13,44-46

24

Ap 21,9b-14

Sl 145

Jo 1,45-51

25

Ez 43,1-7a

Sl 85

Mt 23,1-12

26

Js 24,1-2.15-18

Sl 34

27

2Ts 1,1-5.11-12

Sl 96

Mt 23,13-22 Mt 23,23-26

Ef 5,21-32

Lc 1,39-56

Jo 6,60-69

28

2Ts 2,1-3a.14-17

Sl 96

29

Jr 1,17-19

Sl 71

Mc 6,17-29

30

1Cor 1,1-9

Sl 145

Mt 24,42-51

31

1Cor 1,17-25

Sl 33

Mt 25,1-13

COR COR


Página 04

Agosto / 2012

Página 09

Agosto / 2012

Atividades da Pascom diocesana O início da contagem regressiva oficial para a JMJ - Jornada Mundial da Juventude - Rio 2013, acontecerá durante um evento no Rio de Janeiro, de 27 e 29 de julho. Fonte: a12.com Presidente Prudente, SP foi sede do XX Congresso Nacional do ECC - Encontro de Casais com Cristo, de 13 a 15 de julho. Participaram 3 arcebispos, 20 bispos, 213 padres, 40 religiosos e 310 casais, de 255 dioceses no Brasil. Na equipe de trabalho, 1085 casais se doaram para a realização do evento. Fonte: diocesepresidenteprudente.com.br

Participantes do curso de oratória

A

Pascom - Pastoral da Comunicação da diocese de Campo Mourão, que foi reativada em novembro de 2011, realizou uma reunião no dia 9 de julho, no Centro Catequético, em Campo Mourão. Em pauta, uma avaliação das últimas atividades e planejamento dos próximos passos. A oficina de oratória litúrgica, realizada dia 17 de junho, com presença de 79 participantes de várias paróquias da diocese, foi avaliada como positiva e que deverá ser repetida, talvez dividida em etapas. O professor Amani Spachinski de Oliveira, que ministrou a oficina, também compareceu na reunião. Os membros da coordenação da Pascom diocesana participaram de um retiro nos dias 21 e 22 de julho. Um livro da Dra. Joana Terezinha

Pastoral da Sobriedade promove Passeio Ciclístico

O cardeal dom João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica (Vaticano) participará da Solenidade de Nossa Senhora da Glória em Maringá, PR, no dia 15 de agosto.  Dom João foi o terceiro arcebispo de Maringá (2002 a 2004). Fonte: arquimaringa.org.br Coordenação reunida

Puntel foi utilizado como subsídio para a reflexão. No dia 19 de agosto haverá um simpósio de comunicação e, dia 18

de novembro, oficinas sobre algumas áreas da comunicação. Os detalhes destes eventos serão definidos nas próximas reuniões.

Novo altar da catedral é consagrado

Fazendo parte da Semana Nacional de Antidrogas, a Pastoral da Sobriedade diocesana realizou a 1ª Pedalada Ciclística, dia 23 de junho, em Campo Mourão. Houve sorteio de brindes e escolha da bicicleta mais enfeitada.

Consagração do altar

Camisa do evento

O novo altar da Catedral São José, todo construído segundo as normas litúrgicas e sentido teológico, foi consagrado durante uma celebração eucarística no dia 15 de julho. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes e concelebrada pelo Pe. Jurandir Coronado Aguilar, Pe. Sidinei Teixeira Gomes, Pe. Clauber Magela Freire Krie-

ck e monsenhor Aédio Odilon Pego. O rito da consagração do novo altar começou com a deposição das relíquias dos santos mártires Clara e Próspero, seguida pela unção do altar com o óleo do crisma; incensação do altar e da igreja, recordando o mistério da oração e do sacrifício espiritual dos cristãos; revestimento do altar e, por último, a iluminação do altar e da igreja.

Ruben Moyano, coordenador da Rota da Fé, com o Pe. Omar, pároco da paróquia Cristo Redentor do Rio de Janeiro, na Expocatólica 2012. A exposição aconteceu de 5 a 8 de julho, em São Paulo. O Pe. Omar quer implementar a metodologia da Rota da Fé no seu estado O coordenador estadual da Pastoral da Sobriedade do Paraná, José Augusto Soavinski, ministrou a palestra de encerramento da Semana Municipal de Antidrogas, realizado pela Pastoral da Sobriedade da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê e Aramam. A palestra foi no dia 14 de junho

O 3º Encontro Nacional da Pascom - Pastoral da Comunicação foi realizado no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, SP, de 19 a 22 de julho. Fonte: Canção Nova Os atletas católicos poderão participar de uma missa no início dos Jogos Olímpicos de Londres. A missa para os atletas é no dia 28 de julho, na catedral de Westminster. Fonte: Rádio Vaticano O 3º Congresso Missionário Nacional do Brasil foi realizado de 12 a 15 de julho em Palmas, TO. Os 4 dias foram marcados por discursos, palestras, testemunhos e declarações de representantes dos Conselhos missionários, de instituições e organizações ligadas ao mundo missionário da CNBB e das POM - Pontifícias Obras Missionárias. Fonte: Agência Fides Em torno de 40 bispos da região Amazônica se reuniram de 2 a 6 de julho, em Santarém, PA, no 10º Encontro dos Bispos da Amazônia. A mensagem do Papa Paulo VI, em 1972, “Cristo aponta para a Amazônia”, continua ecoando ainda hoje. Fonte: Rede Vida

Houve uma missa no estilo sertanejo na igreja matriz da paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis, dia 23 de junho. Na ocasião, foi inaugurado o novo presbitério

Semana Nacional da Família

E

stamos vivenciando o mês de Agosto e como se tornou tradicional em nosso país, vamos celebrar mais uma Semana Nacional da Família. Esta semana especial voltada para a família e para a reflexão sobre valores e dimensões que dão sentido ao “ser família” está inserido no mês vocacional, lembrando-nos, em primeiro lugar, que viver em família é viver segundo o chamado que Deus faz a cada um de nós: é a vocação primeira do homem e da mulher, criados para serem e viverem à imagem e semelhança do seu Criador, e na Nova e Eterna Aliança de seu Filho, consagrarem a sua vida matrimonial. Este ano, em sintonia com o VII En-

O Movimento de Cursilho da Cristandade realizou V Encontro Misto de Jovens, de 22 a 24 de junho, no CDF - Centro Diocesano de Formação, no Lar Paraná. Em torno de 100 jovens, de várias paróquias, participaram

O SAV - Serviço de Animação Vocacional da província esteve reunido dia 24 de junho na paróquia São Francisco de Assis, na Vila Teixeira, Campo Mourão. Representantes de 4 dioceses da província de Maringá compareceram

Houve a apresentação das capelinhas de Maria, em uma missa no Santuário Nossa Senhora Aparecida, na Vila Urupês, Campo Mourão, foi no dia 8 de julho

Os símbolos da 5ª JDJ - Jornada Diocesana da Juventude estiveram na paróquia São Judas Tadeu de Quinta do Sol, dia 10 de junho

CDAE - Coordenação Diocesana da Ação Evangelizadora reunida com representantes das prioridades: Família, Juventude e Catequese, avaliaram o primeiro ano do 19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora, em uma reunião dia 3 de julho, no Centro Catequético, em Campo Mourão

contro Mundial das Famílias, realizado em Milão, Itália, de 30 de maio a 3 de junho de 2012, a Semana da Família tem como tema “A Família: o trabalho e a festa”, como pode ser estudado no subsídio da Pastoral Familiar “Hora da Família”. De certa forma, pode ser sintetizado neste trecho da homilia proferida pelo Sumo Pontífice Bento XVI, por ocasião do encerramento deste encontro mundial: “Família, trabalho, festa: três dons de Deus, três dimensões da nossa vida que se devem encontrar num equilíbrio harmonioso. Harmonizar os horários do trabalho e as exigências da família, a profissão e a paternidade e maternidade, o trabalho e a festa é importante para construir sociedades com um rosto humano. Nisto, privilegiai sempre a

lógica do ser sobre a do ter: a primeira constrói, a segunda acaba por destruir. É preciso educar-se para crer, em primeiro lugar na família, no amor autêntico: o amor que vem de Deus e nos une a Ele e, por isso mesmo, «nos transforma em um Nós, que supera as nossas divisões e nos faz ser um só, até que, no fim, Deus seja ‘tudo em todos’ (1Cor 15,28)».” Além das reflexões propostas, desejamos, como Pastoral Familiar Diocesana, que esta Semana da Família traga alguns frutos concretos para nossa diocese: em primeiro lugar, ajudar a acontecer na prática os projetos propostos pelo 19º PDAE, sobretudo a implantação e o fortalecimento da Pastoral Familiar em nossas paróquias; que valores sejam resgatados e vividos em nossas

Dom Javier, bispo da diocese de Campo Mourão, se reuniu com o clero no dia 5 de julho, no CDF - Centro Diocesano de Formação, no Lar Paraná, Campo Mourão. Em pauta, a carta pastoral “Caritas Dei”, lançada recentemente.

A paróquia São José de Rancho Alegre d’Oeste realizou a Semana da Juventude, de 9 a 13 de julho, com missas temáticas todos os dias. No encerramento, dia 14, houve missa, shows católicos com a cantora Gracieli e banda Pampa Celeste, bem como festa julina

Jovens da paróquia São Gabriel Arcanjo e São Sebastião de Ivailândia recepcionaram os símbolos da 5ª JDJ, dia 17 de junho famílias, especialmente o diálogo em nossos lares; a presença da Igreja junto às famílias que passam por dificuldades de qualquer natureza e/ou se encontram afastadas da comunidade eclesial; a tomada de consciência de que a família é berço de todas as vocações. Enfim, que Deus nos ajude a entender que o trabalho é fonte de vida e dignidade para as famílias e que estas não sejam destruídas por colocarem o trabalho em primeiro lugar. E que a Festa, sobretudo no Dia do Senhor, seja um momento de encontro e de vida em família e em comunidade e seja um direito sempre respeitado em nossa sociedade. Pe. Roberto Cesar de Oliveira, assessor diocesano da Pastoral Familiar


Página 08

Agosto / 2012

Página 05

Agosto / 2012

Cenáculo de Maria realiza 5° Reencontro O Pe. Rômullo Ramos Gonçalves foi empossado administrador paroquial da paróquia São Pedro de Paraná d’Oeste, distrito de Moreira Sales, durante uma missa presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier, no dia 29 de junho.

Encontro de formação de MECEs, conduzido pelo Pe. Nilson Reis Gonçalves, nos dias 14 e 15 de julho

A paróquia Divino Espírito Santo do Jardim Aeroporto, Campo Mourão, realizou um retiro de jovens no dia 22 de julho. O tema do retiro foi “O Pai e eu”, tendo como lema “Eu e o Pai somos um” (Jo 10,30). Acontece um estágio vocacional, de 27 a 29 de julho, no Seminário São José em Campo Mourão. Trinta casais da paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz participaram do ECC - Encontro de Casais com Cristo, de 13 a 15 de julho.

MCC - Movimento de Cursilho de Cristandade da paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança unindo forças em um evento da comunidade realizado em maio

Haverá um Acampamento de Cura e Libertação, nos dias 25 e 26 de julho, no Seminário São José, em Campo Mourão. A realização é da Fraternidade O Caminho. Representantes de 8 paróquias do decanato de Campo Mourão participaram de uma reunião das CEBs, dia 16 de junho, com o objetivo de formar e/ou fortalecer as coordenações paroquiais

Ruben O. Moyano, coordenador técnico da Pastoral do Turismo do Brasil; Darcy Piana, presidente da FECOMERCIO e Pe. Carlos Chiquim, coordenador nacional da Pastoral do Turismo, no Festival de Turismo das Cataratas, em Foz do Iguaçu, de 13 a 15 de junho

Nono dia da novena em honra a São João Batista, padroeiro da paróquia de Moreira Sales. A missa, no estilo sertanejo, foi presidida pelo pároco Pe. Gaspar Gonçalves da Silva

Fazendo parte da missão dos seminaristas da diocese, estes desenvolveram diversas atividades no Santuário Nossa Senhora Aparecida, da Vila Urupês, de 23 a 30 de junho

Formação do 4º módulo de Catequese no decanato de Juranda, realizado na paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança, dia 30 de junho

Missa de encerramento, na igreja matriz de Mamborê Novena em honra a Nossa Senhora do Carmo, cuja festa é no dia 16 de julho. A missa do dia 10 de julho, no Mosteiro Nossa Senhora do Carmo, foi presidida pelo Pe. Paulo Roberto de Lima

O bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes lançou a carta pastoral “Caritas Dei”, no dia 1° de julho, durante uma celebração na catedral São José. A carta, que é sobre o “Ano da Fé”, é destinada ao clero, religiosos, religiosas e a todos os diocesanos. A primeira parte desta carta pode ser vista na Palavra do Bispo (página 2, desta edição do Jornal Servindo)

Missa no estilo sertanejo na paróquia São José de Rancho Alegre d’Oeste, no dia 16 de junho. Após a celebração foi levantado o mastro com os 3 santos celebrados em junho

Missa no estilo sertanejo na paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança, dia 23 de junho

Confraternização do MCC - Movimento de Cursilho de Cristandade da paróquia Nossa Senhora de Fátima de Nova Cantu, dia 9 de julho

Jovens da paróquia Santo Antonio de Araruna, recepcionando os símbolos da 5ª JDJ - Jornada Diocesana da Juventude, dia 24 de junho

A paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Goioerê recebeu catequistas do decanato de Goioerê, no dia 16 de junho, para o 3° Módulo da Escola Diocesana Bíblico-Catequética “Água Viva”

Imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida na paróquia São Francisco de Assis, da Vila Teixeira, nos dias 22 e 23 de junho. A imagem esteve em outras paróquias, também, onde há o ECC - Encontro de Casais com Cristo, pois é uma preparação para XX Congresso Nacional do ECC, realizado em julho, em Presidente Prudente, SP

Aproximadamente 100 pessoas, entre participantes e voluntários, da diocese de Campo Mourão, participaram do Congresso Nacional da RCC e Encontro Mundial de Jovens, em Foz do Iguaçu, de 10 a 15 de julho. Em torno de 10 mil pessoas participaram do evento

C

om participação de 135 cenantes, o Movimento Cenáculo de Maria da área de Mamborê realizou o 5° Reencontro, de 13 a 15 de julho, no salão paroquial da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê. Participam do “reencontro” apenas pessoas que já fizeram o Cenáculo, pois o objetivo deste é proporcionar um reavivamento de tudo o que foi vivido durante o encontro. Os participantes do 5° Reencontro são de paróquias de Campo Mourão, Fênix, Quinta do Sol, Barbosa Ferraz, Campina da Lagoa, Ubiratã e Mamborê, além de cenantes de outra diocese, como da paróquia de São João do Ivaí e Astorga. De Montenegro, RS, vieram 40 integrantes do Cenáculo.

Diocese participa da Assembleia Anual da OSIB em Francisco Beltrão Tendo como tema “A formação dos futuros presbíteros na realidade urbana”, foi realizada a Assembleia Anual da OSIB - Organização dos Seminários e Institutos do Brasil, na Casa de Formação Divino Mestre, em Francisco Beltrão, PR. A Assembleia foi de 9 a 12 de julho, com assessoria do Pe. Alexandre Pe. Ricardo A. Ferreira, Dean Fábio, Awi de Mello, doutor em Teologia Pe. Alexandre Awi e Wesley de Almeida Pastoral. Neste encontro estiveram Mourão também se fez presente, presentes vários formadores do tendo como representantes, o reitor Regional Sul II e formandos do Seminário Propedêutico São das várias etapas da formação José, Pe. Ricardo Arica Ferreira, presbiteral. A diocese de Campo e os seminaristas: Dean Fábio e

Wesley de Almeida do Seminário Maior de Filosofia Nossa Senhora de Guadalupe, de Maringá. A Assembleia foi direcionada para a discussão do espírito de missionariedade dos novos presbíteros em anunciar a boa nova da misericórdia divina. “A caminhada da OSIB, no entanto, tem como propósito discutir os vários desafios que temos no campo da formação, para os novos formadores, e na descoberta de novos ares que a Evangelização trás para nós hoje”, declarou o seminarista Wesley.

O Concílio e como a Igreja se imagina! - Parte 2

fermento, de dentro, contribuam para a santificação do mundo. E assim manifestam Cristo aos outros, especialmente pelo testemunho de sua vida resplandecente em fé, esperança e caridade” (LG 31). O Concílio, portanto, aproxima a Igreja do mundo de hoje. Envolve todos seus membros em seu seio e em sua missão. Quer realmente ser sinal e instrumento de unidade e de salvação para toda a humanidade, respeitando a liberdade, consciência e vocação de cada um.

Uma mudança metodológica na estrutura desse documento, quando comparado com o instrumento de trabalho rejeitado e mesmo com os documentos anteriores, evidencia a profunda transformação na mentalidade dos padres conciliares do que é ser Igreja: ao invés de começar falando da hierarquia, ou seja, do sacerdócio ordenado, aquilo que distingue esses membros dentro da Igreja, começa por falar daquilo que é comum a todos. A Igreja é, e deverá sempre ser, o povo de Deus, cuja cabeça é Cristo (LG 9). Antes de mencionar o que pode nos distinguir dentro dela, em função da missão, menciona o que é comum a todos: o “sacerdócio comum”: Cristo Senhor fez de seu povo “um reino e sacerdotes para Deus Pai” (Ap 1,6; cf. 5,9-10; LG 10). “Deus convocou e constituiu a Igreja – comunidade

congregada daqueles que, crendo, voltam seu olhar a Jesus, autor da salvação e princípio da unidade e da paz – a fim de que ela seja para todos e para cada um o sacramento visível desta salutífera unidade” (LG 9). Somente após ter apresentado aquilo que todos temos em comum, o Concílio trabalha o que nos distingue, apresentando a constituição hierárquica da Igreja e, em especial, o episcopado. E mesmo aqui a apresentação tem uma motivação nova: “Para apascentar e aumentar sempre o Povo de Deus, Cristo Senhor instituiu na Sua Igreja uma variedade de ministérios que tendem ao bem de todo o Corpo. Pois os ministros do sagrado poder servem a seus irmãos para que todos os que formam o Povo de Deus e, portanto, gozam da verdadeira dignidade cristã, aspirando livre e ordenadamente ao

mesmo fim, cheguem à salvação” (LG 18). Os leigos, sempre pouco lembrados em documentos desse tipo até então, ocupam na LG um espaço considerável, “a seu modo feitos partícipes do múnus sacerdotal profético e régio de Cristo, pelo que exercem sua parte na missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo” (LG 31). São caracterizados pela índole secular: “É, porém, específico dos leigos, por sua própria vocação, procurar o Reino de Deus exercendo funções temporais e ordenando-as segundo Deus. Vivem no século, isto é, em todos e em cada um dos ofícios e trabalhos do mundo. Vivem nas condições ordinárias da vida familiar e social, pelas quais sua existência é como que tecida. Lá são chamados por Deus para que, exercendo seu próprio ofício guiados pelo espírito evangélico, a modo de

Pe. Luiz Antonio Belini, pároco de Quinta do Sol


Página 06

Agosto / 2012

Pia União das Irmãs da Copiosa Redenção Quem adora ama, quem adora serve, quem adora acolhe e recolhe. Quem adora morre para si e vive para Deus, quem adora se cristifica e se torna Hóstia - Oferta (Pe. Wilton Moraes Lopes) Histórico da congregação Aos 33 anos de idade Pe. Wilton Moraes Lopes, sacerdote redentorista, recebeu de Deus a inspiração de fundar uma congregação religiosa. No ano de 1987, Pe. Wilton conduziu um retiro em Vitória, ES, onde no momento de oração diante do Santíssimo Sacramento viu uma jovem depositar sobre o altar um pacote de drogas. Neste momento, foi iluminado pelo Espírito Santo. Este seria o carisma da nova Congregação: Adoração e Recuperação de dependentes químicos. Para iniciar a obra Pe. Wilton fundou o Instituto Secular da Copiosa Redenção formado por algumas mulheres da sociedade curitibana. Depois disto convidou três senhoras Ruth, Maria e Ione, para juntas darem início a uma congregação religiosa propriamente dita. No ano de 1989, Pe. Wilton foi transferido para Ponta Grossa, fato decisivo para o início da congregação. Dom Geraldo Pellanda, então bispo da diocese de Ponta Grossa, acolheu Pe.Wilton, dando autorização para

Presença na diocese de Campo Mourão

fundar a Pia União. No entanto, pediu que a futura congregação religiosa levasse o nome da padroeira da diocese. Assim, no dia 8 de dezembro de 1989, na capela particular da casa episcopal da diocese de Ponta Grossa, fundou-se a Pia União das Irmãs de Maria Mãe da Divina Graça. Carisma e Apostolado O carisma é Adoração Perpétua ao Santíssimo Sacramento. Desta forma, Jesus é adorado 24 horas por dia, sendo as horas alternadas entre os membros da fraternidade. Adorar é trazer diante do Cristo, na Eucaristia, os dependentes de álcool e drogas, e todos aqueles a quem Deus confiar à congregação. Apostolado: prevenção, recuperação

e reinserção social de dependentes de álcool e drogas, nas Casas de Oração e nas Comunidades Terapêuticas. Este apostolado é uma resposta a um aspecto de uma realidade humana, de dor e sofrimento, vivida por milhares de pessoas em processo de profunda autodestruição. Vive-se para adorar Jesus no Santíssimo Sacramento e para trabalhar na recuperação dos dependentes, em submissão a uma regra de vida própria da fraternidade e na vivência dos conselhos evangélicos: obediência, pobreza e castidade. Presença na diocese Deu-se início no dia 21 de janeiro de 2000, a convite de dom Mauro Aparecido dos Santos, para administrar o Lar do Menor Dom Bosco. No ano de 2003/2004, deuse início a Comunidade Terapêutica Feminina que até o momento presente, está sob administração da Copiosa Redenção. Contato Lar Dom Bosco Comunidade Terapêutica Feminina. Fone-Fax: (44) 3523-8582 e (42) 9911-2881 Rodovia BR 369, Km 2, saída para Cascavel - Caixa postal 288 CEP 87.300-970 - Campo Mourão, PR Email: lardombosco@yahoo.com.br Site: www.copiosaredencao.org

João Maria Vianney, o Santo Cura D’ars No Brasil, agosto é o mês dedicado às vocações. Por isso, no dia 4 costumamos comemorar o “dia do padre” em razão da memória litúrgica do Santo Cura d’Ars, padroeiro dos párocos. João Maria Batista Vianney nasceu em 8 de maio de 1786, no povoado de Dardilly, ao norte de Lyon, França. Seus pais, Mateus e Maria, tiveram sete filhos, ele foi o quarto. Notável é, que desde a infância João manifestara o desejo de ser sacerdote. Vianney só foi para a escola na adolescência, quando abriram uma na sua aldeia, escola que frequentou por dois anos apenas, porque tinha de trabalhar no campo. Foi quando aprendeu a ler e falar francês, pois em sua casa se falava um dialeto regional. Para seguir a vida religiosa, enfrentou tenaz oposição de seu pai. Mas com a ajuda do pároco, aos vinte anos de idade foi para o Semi-

nário de Écully. Lá os obstáculos foram muitos, particularmente em decorrência de sua falta de instrução. Para os professores e superiores, era considerado um rude camponês, que não tinha inteligência suficiente para acompanhar os companheiros nos estudos, especialmente de filosofia e teologia. Em contrapartida, contemplavam nele verdadeiro exemplo de obediência, caridade, piedade e perseverança na fé cristã. Em 1815, João Maria Vianney foi ordenado sacerdote, sob a condição de não ser confessor, pois era considerado incapaz de guiar as consciências. Porém, sua doçura diante da graça de Deus, transformou-o num dos luminares entre os confessores que a Igreja já possuiu. Posteriormente foi designado vigário na cidade de Ars-sur-Formans. Nenhum sacerdote aceitava aquela paróquia do norte de Lyon, já que possuía apenas

duzentos e trinta habitantes, todos não-praticantes e afamados pela violência. Em consequência, qual era o cenário de Ars? Igreja vazia e tabernas lotadas! Na vida paroquial, fazia de tudo, inclusive os serviços domésticos. Permanecia em constante oração, se alimentava sobriamente e dormia cerca de três horas por dia, dedicando-se maximamente ao serviço dos pobres. Até mesmo o dinheiro herdado com a morte do pai gastou em favor deles. Deste modo, a fama de seus dons e de sua extraordinária santidade percorreu rapidamente diversas partes da Europa. Até Ars acorriam multidões com o único objetivo de ver o pároco e, acima de tudo, confessar-se com ele. Na simplicade e indigência, ainda em vida João Maria Vianney viu a pequena cidade se converter em um centro de peregrinações.

Seminaristas recebem Ministérios de Leitorato e Acolitato

Página 07

Agosto / 2012

Jornada Diocesana da Juventude é realizada em Terra Boa 1º Seminário Regional de Catequese

Dom Javier a alguns dos seminaristas

Seis seminaristas: Dirceu Aparecido Sabino, Wagner Amaro Branco, Sidinei Rodrigues Ferreira, André Aparecido Jerônimo, Luciano Wanderley Sant’Anna e Paulo Sousa Xavier receberam os Ministérios de Leitorato, Acolitato e Rito de Admissão às Ordens Sacras. A missa, presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier, foi na paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Mamborê, no dia 1º de julho. Os seminaristas que receberam o Ministério do Acolitato, passam a ser responsáveis pelo serviço no altar, auxiliando mais de perto sacerdotes e diáconos nos serviços litúrgicos. Além disso, também podem distribuir a Eucaristia durante as celebrações, levar a comunhão aos doentes e expor o Santíssimo Sacramento. Com o Ministério de Leitorato, os seminaristas passam a ser leitores oficiais da Igreja. O Rito de Admissão às Ordens Sacras, consiste numa oficialização do candidato ao presbiterado, sendo, portanto, os primeiros passos à vida sacerdotal. Sua morte ocorreu na noite de 4 de agosto de 1859, aos setenta e três anos de idade e, muito antes de ser canonizado pelo papa Pio XI, em 1925, já era venerado como santo. Em 2009, tendo em vista os festejos comemorativos pelos 150 anos de seu falecimento, o Papa Bento XVI proclamou o “Ano Sacerdotal”, vivenciado fervorosamente pela Igreja do mundo inteiro. Sob a intercessão do Santo Cura d’Ars rezemos, a fim de que os sacerdotes vivam cada vez mais produnda e generosamente sua vocação.

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 4º ano de Teologia

Jovens em Terra Boa

Missa presidida pelo Pe. Aédio Odilon Pego e concelebrada por vários padres

pós uma longa preparação, com os símbolos da 5ª JDJ - Jornada Diocesana da Juventude percorrendo todas as paróquias da diocese, o evento aconteceu na paróquia São Judas Tadeu de Terra Boa, dia 1° de julho. A realização foi do Setor Jovem da diocese de Campo Mourão. Cerca de dois mil jovens participaram da 5ª JDJ, que teve como tema “Alegrai-vos sempre no Senhor”. A cruz da juventude (que lembra a cruz do primeiro local de culto de Campo Mourão, contendo a logomarca da JMJ - Jornada Mundial da Juventude e o símbolo do 19º PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora), o Ícone de Nossa Senhora e a foto da padroeira da Jornada Diocesana, a Beata Chiara Luce Badano, permaneceram no palco durante todo o dia. Houve momentos de catequese, adoração eucarística, contato com outras realidades juvenis, música e sacerdotes

ouvindo confissões. Gustavo Curty Huguenin, designer gráfico que criou o símbolo oficial da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, conduziu a primeira catequese do dia. Gustavo é do estado do Rio de Janeiro. Para Fabio Sexugi, coordenador diocesano do Setor Juventude, o momento mais impactante do dia, certamente, foi o da Adoração Eucarística. “Sob o sol forte do meio-dia e em praça pública, toda a juventude se prostrou diante de Jesus na Eucaristia. Uma profunda reverência e uma verdadeira comunhão fraterna marcaram este momento, cujas dificuldades os jovens foram desafiados a superar”, disse Sexugi. A 5ª Jornada Diocesana da Juventude marcou para a Diocese de Campo Mourão o início das atividades em vista da grande Jornada Mundial da Juventude Rio 2013.

A

Assunta ao céu! O dogma daAssunção de Nossa Senhora foi proclamado pelo Papa Pio XII apenas em 1950 através da Constituição Apostólica Munificentissimus Deus: “A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso da vida terrestre foi assunta em corpo e alma à glória celestial.” “Assunção de Nossa Senhora ao Céu”, significa que o Senhor reconheceu e recompensou com antecipada glorificação todos os méritos da Mãe, principalmente alcançados em meio às aceitações e oferecimentos das dores. Entretanto, desde tempos remotíssimos os cristãos, tanto para a Igreja do Oriente como para o Ocidente, celebravam a suave morte de Maria chamando “Dormição”, numa fé universal de que Maria ressuscitou, como Jesus, pois sua alma imortal uniu-se ao corpo antes da corrupção tocar naquela carne virginal, que nunca tinha experimentado o pecado. Ressuscitou, mas não ficou na terra e sim imediatamente foi levantada ou tomada pelos anjos e colocada ao lado do Filho no Céu. Não subiu ao Céu, como fez Jesus, com a sua própria virtude e poder, mas foi erguida por graça e privilégio, que Deus lhe concedeu como a Mãe de Deus. Acredita-se que Maria contava com 50(47?) anos quando Jesus subiu ao Céu. Tinha sofrido muito, muitas espadas transpassaram sua alma, como profetizou

Simeão: as dúvidas do seu esposo, o abandono e pobreza de Belém, o desterro do Egito, a perda prematura do Filho, a separação no princípio do ministério público de Jesus, o ódio e perseguição das autoridades, a Paixão, o Calvário, a morte do Filho Amado...   É provável, e hoje bastante comum, a crença de a Santíssima Virgem ter morrido antes que se realizasse a dispersão dos Apóstolos e a perseguição de Herodes Agripa, no ano 42 ou 44. Teria então uns 60 anos de idade. A tradição antiga, tanto escrita como arqueológica, localiza a sua morte no Monte Sião, na mesma casa em que seu Filho celebrara os mistérios da Eucaristia e, em seguida, tinha descido o Espírito Santo sobre os Apóstolos.  Contam as antigas tradições da Igreja que Nosso Senhor quis dar esta suprema consolação à sua Mãe Santíssima e aos seus apóstolos e discípulos que assistiram a sua “dormição”. Diversos Santos Padres da Igreja contam que os Apóstolos foram milagrosamente levados para Jerusalém na noite que precedera o desenlace da Bem-aventurada Virgem Maria. S. João Damasceno, um dos mais ilustres doutores da Igreja Oriental, refere que os fiéis de Jerusalém, ao terem notícia do falecimento de sua Mãe querida, como a chamavam, vieram em multidão prestar-lhe as últimas homenagens e que logo se multiplicaram os milagres em redor da

A diocese de Campo Mourão participou do 1º Seminário de Catequese em Curitiba, PR, de 6 a 8 de julho. Este teve como tema: “O Despertar da Fé, a partir de si mesmo”. Para que a catequese seja de Iniciação Cristã, de Inspiração Catecumenal, precisa ser orante, celebrativa, bíblica, envolvente, acolhedora, transformadora e vivencial. Existem muitas indagações, inquietações na sociedade atual em relação à fé, à religião e à religiosidade. A respeito da fé, afirma o Novo Catecismo da Igreja Católica: “A fé é um ato pessoal: a resposta livre do homem à iniciativa de Deus que se revela. Ela não é, porém, um ato isolado. Ninguém pode crer sozinho, assim como ninguém pode viver sozinho... Não posso crer sem ser carregado pela fé dos outros, e pela minha fé contribuo para carregar a fé dos outros” (CIC nº 166). Indagar sobre o despertar da fé de uma pessoa é ter como resposta o seu processo de autoconsciência, de descoberta de sua verdadeira identidade. A pessoa, entrando no mistério de Deus, vai se deparar com seu próprio mistério. À medida que se encontra consigo mesma, vai encontrando-se com Deus e vice-versa. Para responder a esta realidade é preciso fazer um processo de iniciação crisrelíquia sagrada de seu corpo. S. Tomé chegou três dias depois e pediu para ver o corpo de Nossa Senhora. Quando retiraram a pedra, o corpo já não mais se encontrava. Do túmulo se exalava um perfume de suavidade celestial!Como o seu Filho e pela virtude de seu Filho, a Virgem Santa ressuscitara ao terceiro dia. Os anjos retiraram o seu corpo imaculado e o transportaram ao céu, onde ele goza de uma glória inefável. Nada é mais autêntico do que estas antigas tradições da Igreja sobre o mistério da Assunção da Mãe de Deus, encontradas nos escritos dos Santos Padres e Doutores da Igreja, dos primeiros séculos, e relatadas no Concílio geral de Calcedônia, em 451. Se a Virgem Imaculada recebeu outrora o Salvador Jesus Cristo, é justo que o Salvador, por sua vez, a receba. Não tendo Nosso Senhor se negado descer ao seu seio puríssimo, deve elevá-la agora, para partilhar com Ela a sua glória. Cristo recebeu sua vida terrena das mãos de Maria Santíssima. Natural é que Ela receba a Vida Eterna das mãos de seu divino Filho. Além de conservar a harmonia em sua própria obra, Deus devia continuar favorecendo a Virgem Imaculada, como Ele o fez, desde a predestinação até a hora de sua morte. Ora, podendo preservar da corrupção do túmulo a sua santa Mãe, tendo poder

Participação da diocese no evento tã que leve o ser humano a encontrar-se pessoalmente com Deus através dessa experiência, fazendo o itinerário: - Despertar para Jesus; - Despertar para si; - Despertar para o outro; - Ter atitudes mais cristãs; - Ter uma visão de um Deus real; - Se comprometer com o Reino de Deus; - Entrar em comunhão profunda com Deus e chegar na maturidade Humana e Cristã. Para isso o Regional Sul II, neste seminário, proporcionou os seguintes temas: O despertar da fé com o Pe. Luís G. Knupp Ensinando a crer - uma experiência catecumenal da Arquidiocese de Curitiba Revendo Conceitos: inspiração catecumenal, catequese querigmática e mistagógica com o Pe. Roberto Nentwig da Arquidiocese de Curitiba. Crer e ensinar a crer: Eu creio, tu crês, nós cremos com o Padre Leomar Brustolin. para fazê-la ressuscitar e para levá-la ao céu em corpo e alma, Deus devia fazê-lo, pois Ele devia coroar na glória aquela que já coroara na terra… Dessa forma, a Santíssima Mãe de Deus continuava a ser na glória eterna, o que já fora na terra: “a mãe de Deus e a mãe dos homens“. Lembremos de Maria “Sentada à direita de seu Filho querido” (3 Reis, 2, 19), “revestida do sol” (Apoc 12, 1), cercada de glória “como a glória do Filho único de Deus” (Jo 1, 14), mas acima de tudo como Mãe suave e terna sorrindo para seu Filho, estendendo-nos os braços, num convite amoroso, para que vamos a Ela e possamos um dia partilhar de sua bem-aventurança!

Maria Joana Titton Calderari membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia FECILCAM e Ensino ReligiosoPUC- majocalderari@yahoo.com.br


Página 06

Agosto / 2012

Pia União das Irmãs da Copiosa Redenção Quem adora ama, quem adora serve, quem adora acolhe e recolhe. Quem adora morre para si e vive para Deus, quem adora se cristifica e se torna Hóstia - Oferta (Pe. Wilton Moraes Lopes) Histórico da congregação Aos 33 anos de idade Pe. Wilton Moraes Lopes, sacerdote redentorista, recebeu de Deus a inspiração de fundar uma congregação religiosa. No ano de 1987, Pe. Wilton conduziu um retiro em Vitória, ES, onde no momento de oração diante do Santíssimo Sacramento viu uma jovem depositar sobre o altar um pacote de drogas. Neste momento, foi iluminado pelo Espírito Santo. Este seria o carisma da nova Congregação: Adoração e Recuperação de dependentes químicos. Para iniciar a obra Pe. Wilton fundou o Instituto Secular da Copiosa Redenção formado por algumas mulheres da sociedade curitibana. Depois disto convidou três senhoras Ruth, Maria e Ione, para juntas darem início a uma congregação religiosa propriamente dita. No ano de 1989, Pe. Wilton foi transferido para Ponta Grossa, fato decisivo para o início da congregação. Dom Geraldo Pellanda, então bispo da diocese de Ponta Grossa, acolheu Pe.Wilton, dando autorização para

Presença na diocese de Campo Mourão

fundar a Pia União. No entanto, pediu que a futura congregação religiosa levasse o nome da padroeira da diocese. Assim, no dia 8 de dezembro de 1989, na capela particular da casa episcopal da diocese de Ponta Grossa, fundou-se a Pia União das Irmãs de Maria Mãe da Divina Graça. Carisma e Apostolado O carisma é Adoração Perpétua ao Santíssimo Sacramento. Desta forma, Jesus é adorado 24 horas por dia, sendo as horas alternadas entre os membros da fraternidade. Adorar é trazer diante do Cristo, na Eucaristia, os dependentes de álcool e drogas, e todos aqueles a quem Deus confiar à congregação. Apostolado: prevenção, recuperação

e reinserção social de dependentes de álcool e drogas, nas Casas de Oração e nas Comunidades Terapêuticas. Este apostolado é uma resposta a um aspecto de uma realidade humana, de dor e sofrimento, vivida por milhares de pessoas em processo de profunda autodestruição. Vive-se para adorar Jesus no Santíssimo Sacramento e para trabalhar na recuperação dos dependentes, em submissão a uma regra de vida própria da fraternidade e na vivência dos conselhos evangélicos: obediência, pobreza e castidade. Presença na diocese Deu-se início no dia 21 de janeiro de 2000, a convite de dom Mauro Aparecido dos Santos, para administrar o Lar do Menor Dom Bosco. No ano de 2003/2004, deuse início a Comunidade Terapêutica Feminina que até o momento presente, está sob administração da Copiosa Redenção. Contato Lar Dom Bosco Comunidade Terapêutica Feminina. Fone-Fax: (44) 3523-8582 e (42) 9911-2881 Rodovia BR 369, Km 2, saída para Cascavel - Caixa postal 288 CEP 87.300-970 - Campo Mourão, PR Email: lardombosco@yahoo.com.br Site: www.copiosaredencao.org

João Maria Vianney, o Santo Cura D’ars No Brasil, agosto é o mês dedicado às vocações. Por isso, no dia 4 costumamos comemorar o “dia do padre” em razão da memória litúrgica do Santo Cura d’Ars, padroeiro dos párocos. João Maria Batista Vianney nasceu em 8 de maio de 1786, no povoado de Dardilly, ao norte de Lyon, França. Seus pais, Mateus e Maria, tiveram sete filhos, ele foi o quarto. Notável é, que desde a infância João manifestara o desejo de ser sacerdote. Vianney só foi para a escola na adolescência, quando abriram uma na sua aldeia, escola que frequentou por dois anos apenas, porque tinha de trabalhar no campo. Foi quando aprendeu a ler e falar francês, pois em sua casa se falava um dialeto regional. Para seguir a vida religiosa, enfrentou tenaz oposição de seu pai. Mas com a ajuda do pároco, aos vinte anos de idade foi para o Semi-

nário de Écully. Lá os obstáculos foram muitos, particularmente em decorrência de sua falta de instrução. Para os professores e superiores, era considerado um rude camponês, que não tinha inteligência suficiente para acompanhar os companheiros nos estudos, especialmente de filosofia e teologia. Em contrapartida, contemplavam nele verdadeiro exemplo de obediência, caridade, piedade e perseverança na fé cristã. Em 1815, João Maria Vianney foi ordenado sacerdote, sob a condição de não ser confessor, pois era considerado incapaz de guiar as consciências. Porém, sua doçura diante da graça de Deus, transformou-o num dos luminares entre os confessores que a Igreja já possuiu. Posteriormente foi designado vigário na cidade de Ars-sur-Formans. Nenhum sacerdote aceitava aquela paróquia do norte de Lyon, já que possuía apenas

duzentos e trinta habitantes, todos não-praticantes e afamados pela violência. Em consequência, qual era o cenário de Ars? Igreja vazia e tabernas lotadas! Na vida paroquial, fazia de tudo, inclusive os serviços domésticos. Permanecia em constante oração, se alimentava sobriamente e dormia cerca de três horas por dia, dedicando-se maximamente ao serviço dos pobres. Até mesmo o dinheiro herdado com a morte do pai gastou em favor deles. Deste modo, a fama de seus dons e de sua extraordinária santidade percorreu rapidamente diversas partes da Europa. Até Ars acorriam multidões com o único objetivo de ver o pároco e, acima de tudo, confessar-se com ele. Na simplicade e indigência, ainda em vida João Maria Vianney viu a pequena cidade se converter em um centro de peregrinações.

Seminaristas recebem Ministérios de Leitorato e Acolitato

Página 07

Agosto / 2012

Jornada Diocesana da Juventude é realizada em Terra Boa 1º Seminário Regional de Catequese

Dom Javier a alguns dos seminaristas

Seis seminaristas: Dirceu Aparecido Sabino, Wagner Amaro Branco, Sidinei Rodrigues Ferreira, André Aparecido Jerônimo, Luciano Wanderley Sant’Anna e Paulo Sousa Xavier receberam os Ministérios de Leitorato, Acolitato e Rito de Admissão às Ordens Sacras. A missa, presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier, foi na paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição, em Mamborê, no dia 1º de julho. Os seminaristas que receberam o Ministério do Acolitato, passam a ser responsáveis pelo serviço no altar, auxiliando mais de perto sacerdotes e diáconos nos serviços litúrgicos. Além disso, também podem distribuir a Eucaristia durante as celebrações, levar a comunhão aos doentes e expor o Santíssimo Sacramento. Com o Ministério de Leitorato, os seminaristas passam a ser leitores oficiais da Igreja. O Rito de Admissão às Ordens Sacras, consiste numa oficialização do candidato ao presbiterado, sendo, portanto, os primeiros passos à vida sacerdotal. Sua morte ocorreu na noite de 4 de agosto de 1859, aos setenta e três anos de idade e, muito antes de ser canonizado pelo papa Pio XI, em 1925, já era venerado como santo. Em 2009, tendo em vista os festejos comemorativos pelos 150 anos de seu falecimento, o Papa Bento XVI proclamou o “Ano Sacerdotal”, vivenciado fervorosamente pela Igreja do mundo inteiro. Sob a intercessão do Santo Cura d’Ars rezemos, a fim de que os sacerdotes vivam cada vez mais produnda e generosamente sua vocação.

Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto, 4º ano de Teologia

Jovens em Terra Boa

Missa presidida pelo Pe. Aédio Odilon Pego e concelebrada por vários padres

pós uma longa preparação, com os símbolos da 5ª JDJ - Jornada Diocesana da Juventude percorrendo todas as paróquias da diocese, o evento aconteceu na paróquia São Judas Tadeu de Terra Boa, dia 1° de julho. A realização foi do Setor Jovem da diocese de Campo Mourão. Cerca de dois mil jovens participaram da 5ª JDJ, que teve como tema “Alegrai-vos sempre no Senhor”. A cruz da juventude (que lembra a cruz do primeiro local de culto de Campo Mourão, contendo a logomarca da JMJ - Jornada Mundial da Juventude e o símbolo do 19º PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora), o Ícone de Nossa Senhora e a foto da padroeira da Jornada Diocesana, a Beata Chiara Luce Badano, permaneceram no palco durante todo o dia. Houve momentos de catequese, adoração eucarística, contato com outras realidades juvenis, música e sacerdotes

ouvindo confissões. Gustavo Curty Huguenin, designer gráfico que criou o símbolo oficial da Jornada Mundial da Juventude Rio 2013, conduziu a primeira catequese do dia. Gustavo é do estado do Rio de Janeiro. Para Fabio Sexugi, coordenador diocesano do Setor Juventude, o momento mais impactante do dia, certamente, foi o da Adoração Eucarística. “Sob o sol forte do meio-dia e em praça pública, toda a juventude se prostrou diante de Jesus na Eucaristia. Uma profunda reverência e uma verdadeira comunhão fraterna marcaram este momento, cujas dificuldades os jovens foram desafiados a superar”, disse Sexugi. A 5ª Jornada Diocesana da Juventude marcou para a Diocese de Campo Mourão o início das atividades em vista da grande Jornada Mundial da Juventude Rio 2013.

A

Assunta ao céu! O dogma daAssunção de Nossa Senhora foi proclamado pelo Papa Pio XII apenas em 1950 através da Constituição Apostólica Munificentissimus Deus: “A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso da vida terrestre foi assunta em corpo e alma à glória celestial.” “Assunção de Nossa Senhora ao Céu”, significa que o Senhor reconheceu e recompensou com antecipada glorificação todos os méritos da Mãe, principalmente alcançados em meio às aceitações e oferecimentos das dores. Entretanto, desde tempos remotíssimos os cristãos, tanto para a Igreja do Oriente como para o Ocidente, celebravam a suave morte de Maria chamando “Dormição”, numa fé universal de que Maria ressuscitou, como Jesus, pois sua alma imortal uniu-se ao corpo antes da corrupção tocar naquela carne virginal, que nunca tinha experimentado o pecado. Ressuscitou, mas não ficou na terra e sim imediatamente foi levantada ou tomada pelos anjos e colocada ao lado do Filho no Céu. Não subiu ao Céu, como fez Jesus, com a sua própria virtude e poder, mas foi erguida por graça e privilégio, que Deus lhe concedeu como a Mãe de Deus. Acredita-se que Maria contava com 50(47?) anos quando Jesus subiu ao Céu. Tinha sofrido muito, muitas espadas transpassaram sua alma, como profetizou

Simeão: as dúvidas do seu esposo, o abandono e pobreza de Belém, o desterro do Egito, a perda prematura do Filho, a separação no princípio do ministério público de Jesus, o ódio e perseguição das autoridades, a Paixão, o Calvário, a morte do Filho Amado...   É provável, e hoje bastante comum, a crença de a Santíssima Virgem ter morrido antes que se realizasse a dispersão dos Apóstolos e a perseguição de Herodes Agripa, no ano 42 ou 44. Teria então uns 60 anos de idade. A tradição antiga, tanto escrita como arqueológica, localiza a sua morte no Monte Sião, na mesma casa em que seu Filho celebrara os mistérios da Eucaristia e, em seguida, tinha descido o Espírito Santo sobre os Apóstolos.  Contam as antigas tradições da Igreja que Nosso Senhor quis dar esta suprema consolação à sua Mãe Santíssima e aos seus apóstolos e discípulos que assistiram a sua “dormição”. Diversos Santos Padres da Igreja contam que os Apóstolos foram milagrosamente levados para Jerusalém na noite que precedera o desenlace da Bem-aventurada Virgem Maria. S. João Damasceno, um dos mais ilustres doutores da Igreja Oriental, refere que os fiéis de Jerusalém, ao terem notícia do falecimento de sua Mãe querida, como a chamavam, vieram em multidão prestar-lhe as últimas homenagens e que logo se multiplicaram os milagres em redor da

A diocese de Campo Mourão participou do 1º Seminário de Catequese em Curitiba, PR, de 6 a 8 de julho. Este teve como tema: “O Despertar da Fé, a partir de si mesmo”. Para que a catequese seja de Iniciação Cristã, de Inspiração Catecumenal, precisa ser orante, celebrativa, bíblica, envolvente, acolhedora, transformadora e vivencial. Existem muitas indagações, inquietações na sociedade atual em relação à fé, à religião e à religiosidade. A respeito da fé, afirma o Novo Catecismo da Igreja Católica: “A fé é um ato pessoal: a resposta livre do homem à iniciativa de Deus que se revela. Ela não é, porém, um ato isolado. Ninguém pode crer sozinho, assim como ninguém pode viver sozinho... Não posso crer sem ser carregado pela fé dos outros, e pela minha fé contribuo para carregar a fé dos outros” (CIC nº 166). Indagar sobre o despertar da fé de uma pessoa é ter como resposta o seu processo de autoconsciência, de descoberta de sua verdadeira identidade. A pessoa, entrando no mistério de Deus, vai se deparar com seu próprio mistério. À medida que se encontra consigo mesma, vai encontrando-se com Deus e vice-versa. Para responder a esta realidade é preciso fazer um processo de iniciação crisrelíquia sagrada de seu corpo. S. Tomé chegou três dias depois e pediu para ver o corpo de Nossa Senhora. Quando retiraram a pedra, o corpo já não mais se encontrava. Do túmulo se exalava um perfume de suavidade celestial!Como o seu Filho e pela virtude de seu Filho, a Virgem Santa ressuscitara ao terceiro dia. Os anjos retiraram o seu corpo imaculado e o transportaram ao céu, onde ele goza de uma glória inefável. Nada é mais autêntico do que estas antigas tradições da Igreja sobre o mistério da Assunção da Mãe de Deus, encontradas nos escritos dos Santos Padres e Doutores da Igreja, dos primeiros séculos, e relatadas no Concílio geral de Calcedônia, em 451. Se a Virgem Imaculada recebeu outrora o Salvador Jesus Cristo, é justo que o Salvador, por sua vez, a receba. Não tendo Nosso Senhor se negado descer ao seu seio puríssimo, deve elevá-la agora, para partilhar com Ela a sua glória. Cristo recebeu sua vida terrena das mãos de Maria Santíssima. Natural é que Ela receba a Vida Eterna das mãos de seu divino Filho. Além de conservar a harmonia em sua própria obra, Deus devia continuar favorecendo a Virgem Imaculada, como Ele o fez, desde a predestinação até a hora de sua morte. Ora, podendo preservar da corrupção do túmulo a sua santa Mãe, tendo poder

Participação da diocese no evento tã que leve o ser humano a encontrar-se pessoalmente com Deus através dessa experiência, fazendo o itinerário: - Despertar para Jesus; - Despertar para si; - Despertar para o outro; - Ter atitudes mais cristãs; - Ter uma visão de um Deus real; - Se comprometer com o Reino de Deus; - Entrar em comunhão profunda com Deus e chegar na maturidade Humana e Cristã. Para isso o Regional Sul II, neste seminário, proporcionou os seguintes temas: O despertar da fé com o Pe. Luís G. Knupp Ensinando a crer - uma experiência catecumenal da Arquidiocese de Curitiba Revendo Conceitos: inspiração catecumenal, catequese querigmática e mistagógica com o Pe. Roberto Nentwig da Arquidiocese de Curitiba. Crer e ensinar a crer: Eu creio, tu crês, nós cremos com o Padre Leomar Brustolin. para fazê-la ressuscitar e para levá-la ao céu em corpo e alma, Deus devia fazê-lo, pois Ele devia coroar na glória aquela que já coroara na terra… Dessa forma, a Santíssima Mãe de Deus continuava a ser na glória eterna, o que já fora na terra: “a mãe de Deus e a mãe dos homens“. Lembremos de Maria “Sentada à direita de seu Filho querido” (3 Reis, 2, 19), “revestida do sol” (Apoc 12, 1), cercada de glória “como a glória do Filho único de Deus” (Jo 1, 14), mas acima de tudo como Mãe suave e terna sorrindo para seu Filho, estendendo-nos os braços, num convite amoroso, para que vamos a Ela e possamos um dia partilhar de sua bem-aventurança!

Maria Joana Titton Calderari membro da Academia Mourãoense de Letras, graduada Letras UFPR, especialização Filosofia FECILCAM e Ensino ReligiosoPUC- majocalderari@yahoo.com.br


Página 08

Agosto / 2012

Página 05

Agosto / 2012

Cenáculo de Maria realiza 5° Reencontro O Pe. Rômullo Ramos Gonçalves foi empossado administrador paroquial da paróquia São Pedro de Paraná d’Oeste, distrito de Moreira Sales, durante uma missa presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier, no dia 29 de junho.

Encontro de formação de MECEs, conduzido pelo Pe. Nilson Reis Gonçalves, nos dias 14 e 15 de julho

A paróquia Divino Espírito Santo do Jardim Aeroporto, Campo Mourão, realizou um retiro de jovens no dia 22 de julho. O tema do retiro foi “O Pai e eu”, tendo como lema “Eu e o Pai somos um” (Jo 10,30). Acontece um estágio vocacional, de 27 a 29 de julho, no Seminário São José em Campo Mourão. Trinta casais da paróquia Nossa Senhora das Graças de Barbosa Ferraz participaram do ECC - Encontro de Casais com Cristo, de 13 a 15 de julho.

MCC - Movimento de Cursilho de Cristandade da paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança unindo forças em um evento da comunidade realizado em maio

Haverá um Acampamento de Cura e Libertação, nos dias 25 e 26 de julho, no Seminário São José, em Campo Mourão. A realização é da Fraternidade O Caminho. Representantes de 8 paróquias do decanato de Campo Mourão participaram de uma reunião das CEBs, dia 16 de junho, com o objetivo de formar e/ou fortalecer as coordenações paroquiais

Ruben O. Moyano, coordenador técnico da Pastoral do Turismo do Brasil; Darcy Piana, presidente da FECOMERCIO e Pe. Carlos Chiquim, coordenador nacional da Pastoral do Turismo, no Festival de Turismo das Cataratas, em Foz do Iguaçu, de 13 a 15 de junho

Nono dia da novena em honra a São João Batista, padroeiro da paróquia de Moreira Sales. A missa, no estilo sertanejo, foi presidida pelo pároco Pe. Gaspar Gonçalves da Silva

Fazendo parte da missão dos seminaristas da diocese, estes desenvolveram diversas atividades no Santuário Nossa Senhora Aparecida, da Vila Urupês, de 23 a 30 de junho

Formação do 4º módulo de Catequese no decanato de Juranda, realizado na paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança, dia 30 de junho

Missa de encerramento, na igreja matriz de Mamborê Novena em honra a Nossa Senhora do Carmo, cuja festa é no dia 16 de julho. A missa do dia 10 de julho, no Mosteiro Nossa Senhora do Carmo, foi presidida pelo Pe. Paulo Roberto de Lima

O bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes lançou a carta pastoral “Caritas Dei”, no dia 1° de julho, durante uma celebração na catedral São José. A carta, que é sobre o “Ano da Fé”, é destinada ao clero, religiosos, religiosas e a todos os diocesanos. A primeira parte desta carta pode ser vista na Palavra do Bispo (página 2, desta edição do Jornal Servindo)

Missa no estilo sertanejo na paróquia São José de Rancho Alegre d’Oeste, no dia 16 de junho. Após a celebração foi levantado o mastro com os 3 santos celebrados em junho

Missa no estilo sertanejo na paróquia Nossa Senhora da Guia de Boa Esperança, dia 23 de junho

Confraternização do MCC - Movimento de Cursilho de Cristandade da paróquia Nossa Senhora de Fátima de Nova Cantu, dia 9 de julho

Jovens da paróquia Santo Antonio de Araruna, recepcionando os símbolos da 5ª JDJ - Jornada Diocesana da Juventude, dia 24 de junho

A paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Goioerê recebeu catequistas do decanato de Goioerê, no dia 16 de junho, para o 3° Módulo da Escola Diocesana Bíblico-Catequética “Água Viva”

Imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida na paróquia São Francisco de Assis, da Vila Teixeira, nos dias 22 e 23 de junho. A imagem esteve em outras paróquias, também, onde há o ECC - Encontro de Casais com Cristo, pois é uma preparação para XX Congresso Nacional do ECC, realizado em julho, em Presidente Prudente, SP

Aproximadamente 100 pessoas, entre participantes e voluntários, da diocese de Campo Mourão, participaram do Congresso Nacional da RCC e Encontro Mundial de Jovens, em Foz do Iguaçu, de 10 a 15 de julho. Em torno de 10 mil pessoas participaram do evento

C

om participação de 135 cenantes, o Movimento Cenáculo de Maria da área de Mamborê realizou o 5° Reencontro, de 13 a 15 de julho, no salão paroquial da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê. Participam do “reencontro” apenas pessoas que já fizeram o Cenáculo, pois o objetivo deste é proporcionar um reavivamento de tudo o que foi vivido durante o encontro. Os participantes do 5° Reencontro são de paróquias de Campo Mourão, Fênix, Quinta do Sol, Barbosa Ferraz, Campina da Lagoa, Ubiratã e Mamborê, além de cenantes de outra diocese, como da paróquia de São João do Ivaí e Astorga. De Montenegro, RS, vieram 40 integrantes do Cenáculo.

Diocese participa da Assembleia Anual da OSIB em Francisco Beltrão Tendo como tema “A formação dos futuros presbíteros na realidade urbana”, foi realizada a Assembleia Anual da OSIB - Organização dos Seminários e Institutos do Brasil, na Casa de Formação Divino Mestre, em Francisco Beltrão, PR. A Assembleia foi de 9 a 12 de julho, com assessoria do Pe. Alexandre Pe. Ricardo A. Ferreira, Dean Fábio, Awi de Mello, doutor em Teologia Pe. Alexandre Awi e Wesley de Almeida Pastoral. Neste encontro estiveram Mourão também se fez presente, presentes vários formadores do tendo como representantes, o reitor Regional Sul II e formandos do Seminário Propedêutico São das várias etapas da formação José, Pe. Ricardo Arica Ferreira, presbiteral. A diocese de Campo e os seminaristas: Dean Fábio e

Wesley de Almeida do Seminário Maior de Filosofia Nossa Senhora de Guadalupe, de Maringá. A Assembleia foi direcionada para a discussão do espírito de missionariedade dos novos presbíteros em anunciar a boa nova da misericórdia divina. “A caminhada da OSIB, no entanto, tem como propósito discutir os vários desafios que temos no campo da formação, para os novos formadores, e na descoberta de novos ares que a Evangelização trás para nós hoje”, declarou o seminarista Wesley.

O Concílio e como a Igreja se imagina! - Parte 2

fermento, de dentro, contribuam para a santificação do mundo. E assim manifestam Cristo aos outros, especialmente pelo testemunho de sua vida resplandecente em fé, esperança e caridade” (LG 31). O Concílio, portanto, aproxima a Igreja do mundo de hoje. Envolve todos seus membros em seu seio e em sua missão. Quer realmente ser sinal e instrumento de unidade e de salvação para toda a humanidade, respeitando a liberdade, consciência e vocação de cada um.

Uma mudança metodológica na estrutura desse documento, quando comparado com o instrumento de trabalho rejeitado e mesmo com os documentos anteriores, evidencia a profunda transformação na mentalidade dos padres conciliares do que é ser Igreja: ao invés de começar falando da hierarquia, ou seja, do sacerdócio ordenado, aquilo que distingue esses membros dentro da Igreja, começa por falar daquilo que é comum a todos. A Igreja é, e deverá sempre ser, o povo de Deus, cuja cabeça é Cristo (LG 9). Antes de mencionar o que pode nos distinguir dentro dela, em função da missão, menciona o que é comum a todos: o “sacerdócio comum”: Cristo Senhor fez de seu povo “um reino e sacerdotes para Deus Pai” (Ap 1,6; cf. 5,9-10; LG 10). “Deus convocou e constituiu a Igreja – comunidade

congregada daqueles que, crendo, voltam seu olhar a Jesus, autor da salvação e princípio da unidade e da paz – a fim de que ela seja para todos e para cada um o sacramento visível desta salutífera unidade” (LG 9). Somente após ter apresentado aquilo que todos temos em comum, o Concílio trabalha o que nos distingue, apresentando a constituição hierárquica da Igreja e, em especial, o episcopado. E mesmo aqui a apresentação tem uma motivação nova: “Para apascentar e aumentar sempre o Povo de Deus, Cristo Senhor instituiu na Sua Igreja uma variedade de ministérios que tendem ao bem de todo o Corpo. Pois os ministros do sagrado poder servem a seus irmãos para que todos os que formam o Povo de Deus e, portanto, gozam da verdadeira dignidade cristã, aspirando livre e ordenadamente ao

mesmo fim, cheguem à salvação” (LG 18). Os leigos, sempre pouco lembrados em documentos desse tipo até então, ocupam na LG um espaço considerável, “a seu modo feitos partícipes do múnus sacerdotal profético e régio de Cristo, pelo que exercem sua parte na missão de todo o povo cristão na Igreja e no mundo” (LG 31). São caracterizados pela índole secular: “É, porém, específico dos leigos, por sua própria vocação, procurar o Reino de Deus exercendo funções temporais e ordenando-as segundo Deus. Vivem no século, isto é, em todos e em cada um dos ofícios e trabalhos do mundo. Vivem nas condições ordinárias da vida familiar e social, pelas quais sua existência é como que tecida. Lá são chamados por Deus para que, exercendo seu próprio ofício guiados pelo espírito evangélico, a modo de

Pe. Luiz Antonio Belini, pároco de Quinta do Sol


Página 04

Agosto / 2012

Página 09

Agosto / 2012

Atividades da Pascom diocesana O início da contagem regressiva oficial para a JMJ - Jornada Mundial da Juventude - Rio 2013, acontecerá durante um evento no Rio de Janeiro, de 27 e 29 de julho. Fonte: a12.com Presidente Prudente, SP foi sede do XX Congresso Nacional do ECC - Encontro de Casais com Cristo, de 13 a 15 de julho. Participaram 3 arcebispos, 20 bispos, 213 padres, 40 religiosos e 310 casais, de 255 dioceses no Brasil. Na equipe de trabalho, 1085 casais se doaram para a realização do evento. Fonte: diocesepresidenteprudente.com.br

Participantes do curso de oratória

A

Pascom - Pastoral da Comunicação da diocese de Campo Mourão, que foi reativada em novembro de 2011, realizou uma reunião no dia 9 de julho, no Centro Catequético, em Campo Mourão. Em pauta, uma avaliação das últimas atividades e planejamento dos próximos passos. A oficina de oratória litúrgica, realizada dia 17 de junho, com presença de 79 participantes de várias paróquias da diocese, foi avaliada como positiva e que deverá ser repetida, talvez dividida em etapas. O professor Amani Spachinski de Oliveira, que ministrou a oficina, também compareceu na reunião. Os membros da coordenação da Pascom diocesana participaram de um retiro nos dias 21 e 22 de julho. Um livro da Dra. Joana Terezinha

Pastoral da Sobriedade promove Passeio Ciclístico

O cardeal dom João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica (Vaticano) participará da Solenidade de Nossa Senhora da Glória em Maringá, PR, no dia 15 de agosto.  Dom João foi o terceiro arcebispo de Maringá (2002 a 2004). Fonte: arquimaringa.org.br Coordenação reunida

Puntel foi utilizado como subsídio para a reflexão. No dia 19 de agosto haverá um simpósio de comunicação e, dia 18

de novembro, oficinas sobre algumas áreas da comunicação. Os detalhes destes eventos serão definidos nas próximas reuniões.

Novo altar da catedral é consagrado

Fazendo parte da Semana Nacional de Antidrogas, a Pastoral da Sobriedade diocesana realizou a 1ª Pedalada Ciclística, dia 23 de junho, em Campo Mourão. Houve sorteio de brindes e escolha da bicicleta mais enfeitada.

Consagração do altar

Camisa do evento

O novo altar da Catedral São José, todo construído segundo as normas litúrgicas e sentido teológico, foi consagrado durante uma celebração eucarística no dia 15 de julho. A missa foi presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes e concelebrada pelo Pe. Jurandir Coronado Aguilar, Pe. Sidinei Teixeira Gomes, Pe. Clauber Magela Freire Krie-

ck e monsenhor Aédio Odilon Pego. O rito da consagração do novo altar começou com a deposição das relíquias dos santos mártires Clara e Próspero, seguida pela unção do altar com o óleo do crisma; incensação do altar e da igreja, recordando o mistério da oração e do sacrifício espiritual dos cristãos; revestimento do altar e, por último, a iluminação do altar e da igreja.

Ruben Moyano, coordenador da Rota da Fé, com o Pe. Omar, pároco da paróquia Cristo Redentor do Rio de Janeiro, na Expocatólica 2012. A exposição aconteceu de 5 a 8 de julho, em São Paulo. O Pe. Omar quer implementar a metodologia da Rota da Fé no seu estado O coordenador estadual da Pastoral da Sobriedade do Paraná, José Augusto Soavinski, ministrou a palestra de encerramento da Semana Municipal de Antidrogas, realizado pela Pastoral da Sobriedade da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê e Aramam. A palestra foi no dia 14 de junho

O 3º Encontro Nacional da Pascom - Pastoral da Comunicação foi realizado no Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, em Aparecida, SP, de 19 a 22 de julho. Fonte: Canção Nova Os atletas católicos poderão participar de uma missa no início dos Jogos Olímpicos de Londres. A missa para os atletas é no dia 28 de julho, na catedral de Westminster. Fonte: Rádio Vaticano O 3º Congresso Missionário Nacional do Brasil foi realizado de 12 a 15 de julho em Palmas, TO. Os 4 dias foram marcados por discursos, palestras, testemunhos e declarações de representantes dos Conselhos missionários, de instituições e organizações ligadas ao mundo missionário da CNBB e das POM - Pontifícias Obras Missionárias. Fonte: Agência Fides Em torno de 40 bispos da região Amazônica se reuniram de 2 a 6 de julho, em Santarém, PA, no 10º Encontro dos Bispos da Amazônia. A mensagem do Papa Paulo VI, em 1972, “Cristo aponta para a Amazônia”, continua ecoando ainda hoje. Fonte: Rede Vida

Houve uma missa no estilo sertanejo na igreja matriz da paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis, dia 23 de junho. Na ocasião, foi inaugurado o novo presbitério

Semana Nacional da Família

E

stamos vivenciando o mês de Agosto e como se tornou tradicional em nosso país, vamos celebrar mais uma Semana Nacional da Família. Esta semana especial voltada para a família e para a reflexão sobre valores e dimensões que dão sentido ao “ser família” está inserido no mês vocacional, lembrando-nos, em primeiro lugar, que viver em família é viver segundo o chamado que Deus faz a cada um de nós: é a vocação primeira do homem e da mulher, criados para serem e viverem à imagem e semelhança do seu Criador, e na Nova e Eterna Aliança de seu Filho, consagrarem a sua vida matrimonial. Este ano, em sintonia com o VII En-

O Movimento de Cursilho da Cristandade realizou V Encontro Misto de Jovens, de 22 a 24 de junho, no CDF - Centro Diocesano de Formação, no Lar Paraná. Em torno de 100 jovens, de várias paróquias, participaram

O SAV - Serviço de Animação Vocacional da província esteve reunido dia 24 de junho na paróquia São Francisco de Assis, na Vila Teixeira, Campo Mourão. Representantes de 4 dioceses da província de Maringá compareceram

Houve a apresentação das capelinhas de Maria, em uma missa no Santuário Nossa Senhora Aparecida, na Vila Urupês, Campo Mourão, foi no dia 8 de julho

Os símbolos da 5ª JDJ - Jornada Diocesana da Juventude estiveram na paróquia São Judas Tadeu de Quinta do Sol, dia 10 de junho

CDAE - Coordenação Diocesana da Ação Evangelizadora reunida com representantes das prioridades: Família, Juventude e Catequese, avaliaram o primeiro ano do 19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora, em uma reunião dia 3 de julho, no Centro Catequético, em Campo Mourão

contro Mundial das Famílias, realizado em Milão, Itália, de 30 de maio a 3 de junho de 2012, a Semana da Família tem como tema “A Família: o trabalho e a festa”, como pode ser estudado no subsídio da Pastoral Familiar “Hora da Família”. De certa forma, pode ser sintetizado neste trecho da homilia proferida pelo Sumo Pontífice Bento XVI, por ocasião do encerramento deste encontro mundial: “Família, trabalho, festa: três dons de Deus, três dimensões da nossa vida que se devem encontrar num equilíbrio harmonioso. Harmonizar os horários do trabalho e as exigências da família, a profissão e a paternidade e maternidade, o trabalho e a festa é importante para construir sociedades com um rosto humano. Nisto, privilegiai sempre a

lógica do ser sobre a do ter: a primeira constrói, a segunda acaba por destruir. É preciso educar-se para crer, em primeiro lugar na família, no amor autêntico: o amor que vem de Deus e nos une a Ele e, por isso mesmo, «nos transforma em um Nós, que supera as nossas divisões e nos faz ser um só, até que, no fim, Deus seja ‘tudo em todos’ (1Cor 15,28)».” Além das reflexões propostas, desejamos, como Pastoral Familiar Diocesana, que esta Semana da Família traga alguns frutos concretos para nossa diocese: em primeiro lugar, ajudar a acontecer na prática os projetos propostos pelo 19º PDAE, sobretudo a implantação e o fortalecimento da Pastoral Familiar em nossas paróquias; que valores sejam resgatados e vividos em nossas

Dom Javier, bispo da diocese de Campo Mourão, se reuniu com o clero no dia 5 de julho, no CDF - Centro Diocesano de Formação, no Lar Paraná, Campo Mourão. Em pauta, a carta pastoral “Caritas Dei”, lançada recentemente.

A paróquia São José de Rancho Alegre d’Oeste realizou a Semana da Juventude, de 9 a 13 de julho, com missas temáticas todos os dias. No encerramento, dia 14, houve missa, shows católicos com a cantora Gracieli e banda Pampa Celeste, bem como festa julina

Jovens da paróquia São Gabriel Arcanjo e São Sebastião de Ivailândia recepcionaram os símbolos da 5ª JDJ, dia 17 de junho famílias, especialmente o diálogo em nossos lares; a presença da Igreja junto às famílias que passam por dificuldades de qualquer natureza e/ou se encontram afastadas da comunidade eclesial; a tomada de consciência de que a família é berço de todas as vocações. Enfim, que Deus nos ajude a entender que o trabalho é fonte de vida e dignidade para as famílias e que estas não sejam destruídas por colocarem o trabalho em primeiro lugar. E que a Festa, sobretudo no Dia do Senhor, seja um momento de encontro e de vida em família e em comunidade e seja um direito sempre respeitado em nossa sociedade. Pe. Roberto Cesar de Oliveira, assessor diocesano da Pastoral Familiar


Página 10

Agosto / 2012

A hierarquia das vocações Estamos no mês vocacional. É tempo de refletir sobre dois aspectos, muito importantes, dessa celebração, cujo objetivo é conclamar o povo católico para a responsabilidade em relação aos diferentes serviços prestados na Igreja e no Mundo. Primeiro, qual o significado do chamado Divino em relação ao Homem; Segundo, em que consiste e como deve ser a resposta do homem. Podemos ouvir de maneira clara a Voz de Deus que nos chama. Ouvir de maneira obscura ou deixar de ouvi-la. Também, podemos respondê-la de forma clara, obscura ou simplesmente não responder. Ainda, podemos responder claramente, com qualidade na resposta e na ação. Responder sem muito interesse e qualidade. Ou podemos não responder de nenhuma forma. Nossa atitude, em relação à forma como respondermos ao chamamento Divino, não mudará em nada a existência real do chamado. O fenômeno é real. Deus chama indistintamente o homem para ajudá-lo na criação, na preservação e no aperfeiçoamento do Homem como filho seu. O “serviço”, que Deus quer que façamos para Ele,

tem uma hierarquia funcional de embasamento em relação à pessoa do vocacionado e uma subdivisão em relação à sua prática. A primeira base é a Fé, que é uma virtude, ou força interior que o faz acreditar na Voz de Deus que o chama. A segunda é a disponibilidade, que também, é um estado interior que o impulsiona a agir prontamente em resposta ao chamado. E a terceira é o amor, movimento interior, que se caracteriza como ação de caridade e de serviço a Deus, a si mesmo e ao Mundo. Essa fundamentação hierárquica da vocação humana desemboca, por projeto divino e resposta humana, na prática do serviço subdividido por utilidade e necessidade do povo, como também, por empatia ou afinidade do vocacionado com o serviço que escolher. É nesse sentido que a Igreja celebra as vocações no mês de agosto e nos convida a meditar sobre a disponibilidade de nossos talentos e serviço ao Reino de Deus. No Brasil há mais de trinta anos se comemora o mês vocacional, dando início em quatro de agosto com festa de São João Maria Vianey, Cura D’Ars, e concluindo na última semana, com o serviço de

pessoas não ordenadas ou consagradas. A Igreja procura em sua liturgia dominical, contemplar durante quatro semanas as quatro formas de serviço evangelizador e social. No primeiro domingo comemora-se a vocação sacerdotal. Serviço extremamente essencial, indispensável e necessário para a existência, a continuidade, a organização, o desempenho e a realização da própria vocação da Igreja, como Instituição criada verdadeiramente por Jesus. O homem, para responder satisfatoriamente a esse chamado, precisa fazer uma opção especial, total e exclusiva ao exercício ministerial, sem abrir mão de todas as exigências que o serviço impõe. A segunda semana a Igreja dedica à vida familiar. A família é uma necessidade que sem a qual a sociedade se desintegra. As pessoas não vivem sem família e esta tem a responsabilidade sobre cada um de seus membros, determinado sua integração ou sua marginalização social. Cabe aos pais responderem claramente sua vocação a serviço da família. Na terceira semana medita-se sobre a vida religiosa e missionária. Os religiosos e as religiosas são pessoas especiais, que encaram um serviço especial dentro da Igreja e da sociedade, realizando-se na diver-

ENTREVISTA DO MÊS Pe. José Edwin Kalsing é o entrevistado da edição de agosto do Jornal Servindo. O sacerdote gentilmente concedeu a entrevista no Seminário São José, local onde reside. Atualmente com 83 anos de idade, Pe. José nasceu no dia 29 de novembro de 1928, em Porto União, SC. Filho de Jose Leopoldo e Maria Luiz Kalsing. Até os 14 anos de idade viveu na casa de seus pais, na área rural, a 24 km da sede do município de Porto União. Na época, ajudava seus pais no trabalho agrícola. Formação Aos 14 anos de idade, ingressou no seminário em Irati, PR. Ele também estudou em Santa Bárbara, MG; Petrópolis, RJ; São Leopoldo e Viamão, no Rio Grande do Sul. Até 1955, três anos antes de sua ordenação presbiteral, o Pe. José pertenceu à Congregação da Missão (Lazaristas). A partir dessa data, passou a ser diocesano. Sua ordenação diaconal foi no ano de 1958. A ordenação presbiteral foi no dia 10 de agosto, do mesmo ano, em Porto Alegre, RS.

Pe. José Edwin Kalsing

Trabalho Após a ordenação, trabalhou em Piritiba, Abdon Batista, Ponte Alta do Sul, Piratuba e Lages, todas no estado de Santa Catarina. Na diocese de Campo Mourão, o Pe. José Edwin Kalsing trabalhou na paróquia Nossa Senhora Aparecida de Janiópolis, durante 8 anos, e auxiliou na catedral São José. Durante alguns anos também trabalhou nas dioceses de Maringá, 4 anos, e Paranavaí, 6 anos. Em Lages, o Pe. Kalsing se dedicou mais ao magistério. Lecionou e foi

diretor de colégio. Também trabalhou na orientação educacional de Santa Catarina, atividade que exigia viagens para diversas partes do estado. O sacerdote tem várias recordações dos 10 anos que permaneceu em Abdon Batista, SC, como a instalação de um hospital que funcionava na casa paroquial, feito com material conseguido, junto à comunidade. O carro da igreja buscava o médico uma vez por semana. Trabalhou na organização de cooperativa e, na área da educação, trouxe uma congregação de irmãs religiosas,

sidade de serviços e no compromisso da missão que lhes é destinada, numa consagração total, como resposta concreta à sua vocação. Na última semana a Igreja nos pede que reflitamos sobre a vocação das pessoas, que sem se ordenarem sacerdotes ou consagrarem-se na vida religiosa dedicam-se de forma especial e através de serviços distintos à evangelização, construção do Reino de Deus no Mundo e aos diferentes serviços pastorais realizando as funções sociais da Igreja. Assim, de sua maneira e conforme seu estado de vida, as pessoas podem responder ao Chamado Divino e tornarem-se agradáveis a Deus em uma vida de dedicação total e de santidade.

Amani Spachinski de Oliveira é professor, escritor, poeta e contista. Membro da Academia Mourãoense de Letras e Associação Mourãoense de Escritores. E-mail: amanispachinski@yahoo.com.br

com formação para lecionar em um colégio para 200 alunos, construído no distrito de Abdon Batista. O padre lembra ter passado a noite, transportando doentes para a sede do município, que ficava a 50 km do distrito, através de estradas precárias. Às vezes procuravam o padre, no meio da noite, para ir até bares resolver problemas de brigas, pois não havia policiais no distrito. Sobre a vocação, Pe. Kalsing disse que, quando criança e adolescente, sempre admirou a vida de padre. “Ser padre é um trabalho de pastoral, um trabalho religioso, para ajudar as pessoas a alcançar o Reino de Deus”, disse o Pe. José, que acrescentou que é uma maneira interessante de valorizar a vida, pois o trabalho é mais espiritual. “Como padre, trabalhei em vários setores, como na renovação catequética, em Lages, percorrendo o território onde atualmente há 4 dioceses”, explicou. Ao longo de sua vida também trabalhou com Cursilhos de Cristandade, Renovação Carismática Católica e outros. “Nunca trabalhei sozinho. Sempre havia padres, freiras, missionários e leigos que trabalhavam comigo”, concluiu o Pe. José Kalsing.

Página 03

Agosto / 2012

Primeiro Mini Congresso é realizado no decanato de Juranda A

diocese de Campo Mourão realizou o primeiro Mini Congresso no dia 15 de julho, no decanato de Juranda, com participação das paróquias de Ubiratã, Boa Esperança, Mamborê e da anfitriã, Juranda. No dia 22 de julho, haverá Mini Congressos nos decanatos de Iretama e Engenheiro Beltrão; dia 29 de julho, nos decanatos de Campo Mourão e Goioerê. O objetivo dos Mini Congressos é refletir e celebrar a caminhada missionária de todas as pastorais, movimentos e serviços da diocese. Eles acontecem em sintonia com o 3° Congresso Missionário Nacional, realizado em Palmas, Tocantins, de 12 a 15 de julho, a Após a mensagem de boas vindas, feita pelo Pe. Gessi de Matos, da paróquia Nossa Senhora Mãe de Deus de Juranda, houve um momento de oração, conduzido pelos integrantes da equipe da paróquia Nossa Senhora Imaculada Conceição de Mamborê. Houve espaço para informações sobre o Comla9 - Congresso Missionário Latino Americano 9 e o CAM4

Mini Congresso no decanato de Juranda

- Congresso Americano Missionário, que acontecerão em 2013, em Maracaibo, na Venezuela. O resultado das discussões durante as etapas do Mini Congresso Diocesano, será levado ao Congresso Missionário da Província de Maringá, que acontecerá no dia 26 de agosto, em Paranavaí. As paróquias presentes realizaram apresentações teatrais e de danças, ligadas ao assunto. O encerramento foi com uma celebração eucarística de envio dos missionários.

“A gente começou realmente a se sentir parte integrante da Igreja, a partir do Concílio Vaticano II”, disse Clementina de Souza Dias, citando o início do Ano da Fé, em outubro, e a celebração dos 50 anos do Vaticano II, como um dos três grandes acontecimentos da Igreja missionária, no momento. Os outros eventos, citados por ela, são a JMJ - Jornada Mundial da Juventude 2013, no Rio de Janeiro; e o Comla9 e CAM4, na Venezuela, em 2013.

Encenação durante o Mini Congresso

Encerramento de novena de Nossa Senhora do Carmo AGOSTO/ 2012 DIA DIA

Pe. Ricardo e dom Francisco Javier

Dom Francisco Javier presidiu a missa de encerramento da novena de Nossa Senhora do Carmo, dia 16 de julho, no Mosteiro Nossa Senhora do Carmo, em Campo Mourão. Concelebraram, o Pe. Ricardo Arica Ferreira, Pe. Rômullo Ramos Gonçalves e Pe. Valdecir Liss. Esta festa devocional é celebra-

da no dia em que, segundo a tradição carmelita, Nossa Senhora, numa visão, entregou o escapulário do Carmelo a São Simão Stock, primeiro geral da ordem. O título recorda a herança espiritual do profeta Elias, contemplativo e incansável defensor do único Deus de Israel.

Paróquia de Engenheiro Beltrão abrirá ano jubilar A paróquia Nossa Senhora das Graças de Engenheiro Beltrão abrirá a celebração do seu jubileu de ouro, no mês de setembro. Haverá novena em preparação à festa da padroeira, de 30 de agosto a 7 de setembro. Em cada dia da novena, as missas serão presididas por padres que já trabalharam na paróquia, ao longo dos 50 anos. Haverá, também, missas presididas por dom Anuar Bat-

tisti, arcebispo de Maringá, e dom José Maria Maimone, bispo emérito da diocese de Umuarama. No dia 8 de setembro, a missa será presidida pelo bispo diocesano dom Francisco Javier Delvalle Paredes. Durante a celebração, acontecerá a abertura do ano jubilar; a dedicação da igreja, após a reforma; e a sagração do altar.

LEITURA 1ª1ªLEITURA

SALMO SALMO

LEITURA 2ª2ªLEITURA

EVANGELHO EVANGELHO

1

Jr 15,10.16-21

Sl 59

Mt 13,44-46

2

Jr 18,1-6

Sl 146

Mt 13,47-53

3

Jr 26,1-9

Sl 69,1-17

Mt 13,54-58

4

Jr 26,11-16.24

Sl 69,15-34

5

Ex 16,2-4.12-15

Sl 78

Ef 4,17.20-24

Jo 6,24-35

6

Dn 7,9-10,13-14

Sl 97

2Pd 1,16-19

Mc 9,2-20

7

Jr 30,1-2.12-15.18-22

Sl 102

Mt 14,22-36

8

Jr 31,1-7

Jr 31,10-13

Mt 15,21-28

9

Jr 31,31-34

Sl 51

Mt 16,13-23

10

2Cor 9,6-10

Sl 112

Jo 12,24-26

11

Hab 1,12-2,4

Sl 9

Mt 17,14-20

12

1Rs 19,4-8

Sl 34

13

Ez 1,2-5.24-28a

Sl 149

Mt 17,22-27

14

Ez 2,8-3,4

Sl 119,14-131

Mt 18,1-5.10.12-14

15

Ez 9,1-7.10,18-22

Sl 113

Mt 18,15-20

16

Ez 12,1-12

Sl 78,56-62

Mt 18,21-19,1

17

Ez 16,1-15.60.63

Is 12,2-6

Mt 19,3-12

18

Ez 18,1-13.30-32

Sl 51

Mt 19,13-15

Mt 14,1-12

Ef 4,40-5,2

1Cor 15,20-27a

Jo 6,41-51

19

Ap 11,19a . 13,1.3-6a.10ab

Sl 44

20

Ez 24,15-24

Dt 32,18-21

Mt 19,16-22

21

Ez 28,1-10

Dt 32,26-36

Mt 19,23-30

22

Is 9,1-6

Sl 1112

Lc 1,26-38

23

2Cor 10,17-11,2

Sl 15

Mt 13,44-46

24

Ap 21,9b-14

Sl 145

Jo 1,45-51

25

Ez 43,1-7a

Sl 85

Mt 23,1-12

26

Js 24,1-2.15-18

Sl 34

27

2Ts 1,1-5.11-12

Sl 96

Mt 23,13-22 Mt 23,23-26

Ef 5,21-32

Lc 1,39-56

Jo 6,60-69

28

2Ts 2,1-3a.14-17

Sl 96

29

Jr 1,17-19

Sl 71

Mc 6,17-29

30

1Cor 1,1-9

Sl 145

Mt 24,42-51

31

1Cor 1,17-25

Sl 33

Mt 25,1-13

COR COR


Página 02

Agosto / 2012

Palavra do Bispo Queridos e amados diocesanos e diocesanas! A paz e o amor de Deus estejam com cada um de vocês! Em meu artigo anterior, publicado na edição de julho do Jornal Servindo, refletia sobre o “Ano da Fé”, convidando a todos para participar dos eventos que nossa Igreja diocesana irá programar. Seguindo essa mesma intenção, no dia 1º de julho, durante celebração eucarística na Catedral São José, foi lançada a Carta Pastoral “Caritas Dei”, sobre o “Ano da Fé”. Agora, gostaria de partilhar com cada um de vocês, com muito carinho e simplicidade, o conteúdo desta Carta, a começar pela primeira parte. Ela está dividida da seguinte forma: 1. O Ano da Fé – considerações introdutórias, nas quais, são apontadas as razões e os objetivos que motivam a celebração do Ano da Fé e a presente Carta Pastoral. 2. Nas pegadas do Jubileu Diocesano – recordação da experiência feliz vivida pela Diocese de Campo Mourão por ocasião do seu Jubileu de Ouro (2009-2010). O Ano da Fé vem confirmar as propostas e perspectivas legadas pelas celebrações e iniciativas jubilares. 3. No dom da Fé, Deus decide dirigir-se ao Ser Humano – fé apresentada como Dom divino dirigido ao Ser Humano, cuja plenitude está no Mistério de Cristo. 4. O Dom se converte em encontro – o desejo de Deus em sair de si mesmo e revelar-se gera unidade (encontro), vencendo o intimismo egoísta. Da relação entre Deus e o Ser Humano brota a unidade dos homens entre si, na Igreja. 5. O encontro se faz resposta – ênfase no dever do cristão em responder a Deus que se revela. São ressaltadas ações concretas e quatro princípios-chave a ser considerados pela Diocese durante o Ano da Fé: 5.1 Animação bíblica da pastoral. 5.2 Catecismo da Igreja Católica. 5.3 19º Plano Diocesano da Ação Evangelizadora. 5.4 Observar os sinais dos tempos. 6. A resposta abre perspectivas – considerações conclusivas e algumas sugestões para a celebração do Ano da Fé na Diocese de Campo Mourão. 7. Ao clero – palavra de ânimo e exor-

Expediente Diretor: Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Assessor: Pe. Sidinei Teixeira Gomes Coordenador: Vilson Olipa (44) 9958-9797 Colunistas: • Pe. Luiz Antônio Belini • Maria Joana Titton Calderari • Seminarista Alfredo Rafael Belinato Barreto • Amani Spachinski de Oliveira

tação aos padres e diáconos, a fim de que se empenhem com criatividade generosa na celebração deste Ano de Graça. 1. O Ano da Fé “O amor de Deus” (Rm 5,5) é que nos abre a porta da fé (At 14,27) e renova nossa mentalidade, a fim de que possamos discernir o que é bom, agradável e perfeito (cf. Rm 12,2). Nesta certeza, acolhendo o pedido do Santo Padre Bento XVI em seu desejo de celebrar um Ano da Fé, dirijo-me a vós, irmãos e irmãs, Igreja peregrina na Diocese de Campo Mourão. O Ano da Fé estender-se-á de 11 de outubro, de 2012, até 24 de novembro de 2013, solenidade de Jesus Cristo, rei do universo. Por isso, em comunhão com o Vigário de Cristo, e seguindo suas sábias indicações, queremos “redescobrir o caminho da fé para fazer brilhar, com evidência sempre maior, a alegria e o renovado entusiasmo do encontro com Cristo” (PF, 2). Com efeito, na Carta Apostólica Porta Fidei, mediante a qual se proclama o Ano da Fé, Bento XVI empregou por seis vezes os verbos descobrir/ redescobrir referindo-se à postura que os cristãos do nosso tempo são convocados a assumir diante de sua fé. O Ano da Fé é, igualmente, um ano comemorativo. No dia 11 de outubro, celebramos respectivamente o 50º aniversário da abertura do Concílio Vaticano II, pelo Beato João XXIII, bem como o 20º aniversário da promulgação do Catecismo da Igreja Católica, sob o pontificado do Beato João Paulo II. É necessário considerar que, são dois acontecimentos intimamente relacionados, e de importância fundamental para a caminhada da Igreja, ciente da complexidade do tempo presente e atenta aos desafios que o porvir a prepara. Diante disso, estou convencido que adentramos num tempo de graça que abre perspectivas de esperança e confirma nossa vocação cristã. A presente Carta Pastoral quer ser oportunidade de partilha e enriquecimento. Partilha, porque seu conteúdo manifesta os sentimentos mais profundos, sobre os quais se erguem minha fé e nela, o ministério episcopal que por graça de Deus fui chamado a desempenhar. Enriquecimento, pois é ocasião para recordar, esclarecer e exortar acerca de dimensões importantes, ao reto e frutuoso

desenvolvimento de nossa caminhada eclesial diocesana. Desde tempos muito antigos os bispos costumaram endereçar cartas a suas comunidades. A origem desta prática se encontra na própria ação dos Apóstolos, cujas epístolas integram o cânon do Novo Testamento. O bispo, sucessor dos Apóstolos junto a sua Diocese, escreve na qualidade de Pastor, exercendo a missão de primeiro catequista e transmissor da fé cristã. Daí a denominação “Carta Pastoral”. Além disso, a Congregação para a Doutrina da Fé, nas Orientações pastorais para o Ano da Fé, sugeriu que cada bispo redigisse uma carta pastoral sobre o tema, destinando-a aos diocesanos. Repetindo essa antiga e venerável pedagogia cristã, em comunhão com a Igreja presente no mundo inteiro e seguindo fielmente a paterna proposta do Bispo de Roma, convido a todos, para que descubramos o encanto e experiência originais que envolvem o ser humano no encontro com Jesus Cristo. Com a “ternura de Cristo Jesus” (Fl 1,8), exorto, para que acolhamos o dom da fé, o experimentemos no encontro com o “Príncipe da vida” (At 3,15) e respondamos a seus apelos com coração sincero, “na pureza e na verdade” (1Cor 15,8). Impulsionado por este sentimento, desejo refletir convosco algumas idéias e indicações que serão úteis na vivência deste tempo de graça. Nas próximas edições seguiremos publicando as demais partes da Carta, a fim de que, conhecendo seu conteúdo, possamos nos preparar bem para a celebração de tão importante acontecimento. Pedindo a Deus e a Nossa Senhora sua constante proteção, abençoo-vos com amor paternal e amigo.

Página 12

Dom Francisco Javier Delvalle Paredes Bispo diocesano de Campo Mourão

Roncador

Editoração Eletrônica: Jonas Rodrigues. - 44 3222-6280 / 9145-1499 / 9915-3400 Tiragem: 11 mil exemplares. Impressão: Grafinorte. Site: www.diocesecampomourao.com.br Permite-se a reprodução total ou parcial do material veiculado no Jornal Servindo, desde que citada a fonte.

Editorial O leitor do Jornal Servindo terá acesso à Carta Pastoral “Caritas Dei”, lançada dia 1º de julho, durante uma celebração eucarística, presidida por dom Javier, na catedral São José. A primeira parte da carta está nesta página, no espaço “Palavra do Bispo”. A segunda parte será publicada na edição do próximo mês. Nesta edição, o Pe. Luiz Antonio Belini dá continuidade ao assunto “O Concílio e como a Igreja se imagina”. O Pe. Roberto Cesar faz uma reflexão sobre a Família, que é uma das prioridades do 19° PDAE - Plano Diocesano da Ação Evangelizadora e tem a sua Semana Nacional celebrada em agosto. Na página 12, conheceremos um pouco mais sobre a paróquia São Pedro de Roncador; na seção “Entrevista do Mês”, o Pe. José Kalsing conta passagens interessantes de seu trabalho, que iam além das atividades costumeiras dos sacerdotes. Boa leitura!

Participação da diocese no 6º Encontro Intereclesial das CEBs

Participantes da diocese Trinta e quatro pessoas da diocese de Campo Mourão se juntaram a 680 delegados de 14 dioceses do Paraná na sexta edição do Encontro Intereclesial das CEBs, realizado de 28 a 30 de abril, em Jacarezinho, PR.  O encontro teve como tema “Justiça e Profecia a serviço da Vida” e reafirmou que as CEBs continuam sendo um sinal de vitalidade da Igreja. “Oxalá que este modo de ser Igreja vá se tornando, sempre mais, fermento de renovação em nossa sociedade”, declarou a Ir. Helena Makiyama, coordenadora diocesana das CEBs.

JORNAL

Pág. 3

Pe. José Gonçalves de Almeida, pároco

Imagem do padroeiro São Pedro

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 24 - Agosto / 2012 / Nº 239

SERVINDO Mini Congressos na diocese

Igreja matriz

CALENDÁRIO – AGOSTO - 2012

Capa Agosto / 2012

Formação e informação a serviço da diocese

5ª JDJ em Terra Boa Pág. 7

Tradicional fogueira

A intenção geral é para que os presos sejam tratados com justiça e seja respeitada a sua dignidade. Padroeiro: São Pedro Localização: Av. São Pedro, 313 Cx. P. 15 Telefone/Fax: (44) 3575-1215 87320-000 Roncador, PR

No dia 15 de agosto de 1961, pelos Decretos 85/86 de dom Elizeu Simões Mendes, bispo diocesano de Campo Mourão, foi criada a paróquia São Pedro, desmembrada da paróquia Histórico Segundo informação de morado- Santa Rosa de Lima de Iretama. DesE-mail/MSN: paroquiasaopedroron- res pioneiros de Roncador, na década de a criação da paróquia os padres de 50 os padres vinham a cavalo, de que atuaram foram os seguintes: cador@hotmail.com Luiz Depaoli (1961), Bruno FraCampo Mourão ou Guarapuava, para Número de capelas: 21 celebrar missas na capela São Pedro. esel (1962), Libino Estefel, SJ, FloNormalmente permaneciam na cida- ro Vodomis, Vicente de Paula Vieira Data de criação: 15/08/1961 Pároco: Pe. José Gonçalves de Al- de por cerca de três dias, onde faziam (1963), Jair Resende (1964), Zygmunt Supieta (1964-1968), Nelson meida, 47 anos de idade e 6 de orde- os atendimentos. Prendin, Isaltino Gobbi, Marino Elorz, Fernando Brito, Paulo Jubel, João Viecel, Primeira igreja de Roncador, construída na década de 1960 Bovis José Kocik, José Sauer (19681972), José Stratmann (1972-1973), Francisco Xavier Lesniowski (1973-1979/19861991), Luiz Dotto (1979-1981), Antonio Bajek (1981-1985), Ademar Oliveira Lins (1992-1995), Adelinação sacerdotal Secretária paroquial: Rita de Cássia Montilho

no Gonçalves, Helio Jose da Costa (1996-2000), Rogelio Aparecido Destefani (2000-2001), Reginaldo Nascimento de Souza (2002), Paulo Roberto de Lima (2002), Sebastião Ramos da Costa (2003-2004), Carlos Alberto Rodrigues da Silva (2005-2011), Jose Aparecido Alves Ferreira, João Batista, João da Silva, Pedro Marques e Durvalino Rodrigues de Oliveira. Dia do Padroeiro Após a novena em honra a São Pedro, foi celebrado o dia do padroeiro, 29 de junho, com carreata, bênção dos motoristas e dos veículos e a missa presidida pelo Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva, da quase-paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Campo Mourão, e concelebrada pelo pároco Pe. José Gonçalves de Almeida. No dia 30 de junho, teve a queima da fogueira, que é uma das maiores da região, e show pirotécnico. A 68ª edição da festa do padroeiro foi realizada no dia 1º de julho (domingo).

Intenção missionária: Para que os jovens, chamados ao seguimento de Cristo, se disponham a proclamar e testemunhar o Evangelho até aos confins da terra.

Pe. José Gonçalves de Almeida e Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva

As assinaturas do Jornal Servindo podem ser feitas nas secretarias paroquiais

Informações pelo e-mail/MSN: jornalservindo@hotmail.com

Pedra fundamental, com presença do bispo

Página 11

Agosto / 2012

Entrevista: Pe. José Kalsing Pág. 10

Igreja matriz, antes da reforma

Agosto, mês das vocações: a importância da escolha certa.

Imagem: sacrificiovivoesanto.wordpress.com

Balancete Junho / 2012

DIA

HORA

QUEM

O QUE

PARA QUEM

ONDE

2

08:30

CLERO

Confraternização

Padres e Diáconos

A DEFINIR

3A5

08:30

COMIPRO

Assembleia da IAM

Equipes do COMIDI

Londrina

3a5

18:00

CURSILHO

Adulto Masculino

Convidados

CDF – Lar Paraná

4

08:30

COMIPRO

Reunião Provincial

Equipes dos COMIDIs

Paranavaí

4

08:30 11:30

CEBs

Reunião Diocesana

Coordenadores Paroquiais

Centro Catequético

4e5

17:00

PJB

Of. Música e Teatro – Etapa 3

Coordenações Paroquiais – Pólo B

A definir

4e5

08:00 17:00

DIÁCONOS

Escola Diaconal

Aspirantes ao Diaconato Permanente

Seminário São José

6 a 11

 

PJB

SEMANA DO ESTUDANTE

Todas as Paróquias

Toda a Diocese

9

09:00

C. PRESBITERAL

Reunião

Membros do Conselho

Casa do Bispo

11 e 12

17:00

PJB

Of. Música e Teatro – Etapa 3

Coordenações Paroquiais – Pólo B

A definir

12 a 18

 

P. FAMILIAR

Semana Nacional da Família

Famílias

Todas as Paróquias

13

20:00

RCC

Oficina de Intercessão

Decanato de Campo Mourão

Colégio Monteiro Lobato – C.M.

15

14:00

FORMADORES

Reunião

Bispo e Formadores

A DEFINIR

19

 

CATEQUESE

Formação 4º Módulo

Decanato de Iretama

Iretama

19

 

P. COMUNICAÇÃO

Reunião

Comunicadores Paroquiais

CDF – Lar Paraná

19

 

RCC

Assembleia Diocesana

Coordenadores Paroquiais

A DEFINIR.

24 e 25

 

CEBs

Reunião Regional

Coordenadores e Assessores Diocesanos

CDF – Lar Paraná

25

 

CATEQUESE

Formação 4º Módulo

Decanato de Eng. Beltrão

Eng. Beltrão

26

 

MECEs

Retiro decanal

Decanato de Campo Mourão

Paróquia São Francisco

26

09:00

MARIANOS

Reunião Delegados

Congregados Marianos

A DEFINIR

26

08:00

COMIPRO

Congresso Missionário Tema: COMLA IX; CAM IV

COMIDIs e COMIPAs

Maringá

26

 

RCC

Oficina de Intercessão

Decanato de Juranda

Juranda

27

20:00

RCC

Oficina de Intercessão

Decanato de Campo Mourão

Colégio Monteiro Lobato – C.M.

30

09:00

CLERO

Afetividade e Espiritualidade

Padres do Decanato de Campo Mourão

A DEFINIR

Aniversários - AGOSTO / 2012 Padres e diáconos 1 - Monsenhor Jorge Wostal - Nascimento 8 - Pe. Jorge Pereira da Silva - Nascimento 10 - Pe. José Edwin Kalsing - Ordenação 13 - Monsenhor Antônio Bajek - Nascimento 20 - Pe. Valdomiro Pinto Rosa - Nascimento 25 - Pe. Genivaldo Barbosa - Nascimento 26 - Pe. Apolinário João da Silva - Nascimento Religiosas 7 - Irmã Luci Aparecida da Silva - Nascimento 10 - Irmã Clara - Profissão 13 - Irmã Maristela - Nascimento 17 - Irmã Joana da Ressurreição - Nascimento 17 - Irmã Maria dos Anjos Bezerra Nascimento 18 - Irmã Dayane Cristine de Carvalho - Nascimento 18 - Irmã Lizandra Inês Both - Nascimento

Pe. Jorge, Nadir e Pe. Aédio

MANUTENÇÃO DA CÚRIA E IMÓVEIS Sanepar, Copel, Oi! e Correio................................1.623,42 Locação Sistema Contabilidade/Folha Pagto ...........373,51 Encargos Sociais: INSS+FGTS+PIS+IRRF..........13.780,26 Combustível............................................................1.757,17 Fundo de Reserva................................................17.953,50 Côngruas/Salários/Férias.....................................34.004,45 Adiantamento 13º Salário ......................................9.207,00 Plano de Saúde......................................................2.520,00 Capela Santa Paula Elisabete Cerioli........................627,88 Mensalidade do Prever................................................37,00 M S Guaiume Segurança Monitorada.........................80,00 Despesas com Cartório.............................................108,20 Materiais de Escritório...............................................348,00 Théos Informática-Prog. SGCP...................................68,50 Despesas Mat. Limpeza/Cafézinho (Cúria) .............232,17 Parc. 07/60 Ref. 2 Terrenos Jd Botânico II ............2.680,05 Reforma da Cúria.................................................39.868,99 Advocacia Andrade & Rodrigues ...........................2.953,00 Form. Hum.-IATES (Pe.Aédio/Gerson/Ricardo/Valdecir) .... ...................................................................................3.440,00 Pós-Grad. Dir. Can. Matrimonial Parc 06/18 (Jackeline)...... ......................................................................................280,00 Mestrado Direito Canônico Pe. Clauber/Lussamir).1.653,12 Tribunal Eclesiástico Junho.......................................622,00 Repasse Escola Diaconal Maio..............................1.244,00 Honorários Acessoria Canônica Jurídica................1.000,00 Viagem/Estadia - Pós-Grad.Dir. Canônico (Jackeline)......... ...................................................................................4.340,00 Despesas Reunião Clero...........................................177,90 Despesas com Farmácia...........................................299,91 Despesas com Veículos.........................................1.332,98 Despesas Com Viagens .............................................17,40 Manutenção e Conservação........................................97,00 Jornal de Opinião-Fundação Cultural João Paulo II....80,00 Artes Gráficas Ivaí Ltda (Folders SAV)......................300,00 Empório das Águas.....................................................73,00 AmoLivros-Comércio de Livros Ltda...........................50,00 ............................................................................143.230,41 RESIDÊNCIA EPISCOPAL Oi!, Copel e Sanepar..............................................1.039,51 Salários...................................................................1.894,60 Adiantamento 13º Salário..........................................955,00 Alimentação............................................................1.294,72 Manutenção e Conservação de Imóveis...................522,57 Materiais de uso e consumo......................................127,20 Assinatura Uol............................................................. 11,90 Embratel Tvsat Telecomunicações S/A.....................134,89 ................................................................................5.980,39 OUTROS (Água, luz, telefone, manutenção, etc) Seminário São José - Campo Mourão...................1.222,52 Centro Past. Dom Virgílio de Pauli............................602,95 Centro Past. Dom Eliseu........................................6.583,21 ................................................................................8.408,68 OUTROS (Repasse da Cúria) Semin. Proped. São José - Campo Mourão...........8.000,00 Semin. de Teologia Dom Virgílio - Cambé............16.740,00 Semin. de Filosofia N. S. Guadalupe - Maringá...12.555,00 ..............................................................................37.295,00 RESUMO GERAL Saldo em 30/06/12..............................................44.933,63

Paróquia São Francisco realiza missa de envio

A missa de envio dos guias das Oficinas de Oração e Vida, na paróquia São Francisco de Assis, na Vila Teixeira, Campo Mourão, aconteceu no dia 4 de julho. A presidência foi do Pe. Gerson de Araújo Costa e concelebrada pelo Pe. Aédio Odilon Pego, vigário geral da diocese. No rito do envio os guias receberam um exemplar do Manual das Oficinas de Oração e Vida que foram entregues pela coordenadora diocesana Nadir Anália Gamba Hundsdorffer. Foram enviados os guias: -Paróquia São Francisco de Assis: Arlei Silva Vitória e Cibele Lemos Vitória -Catedral São José: Ana Paula Goldoni -Paróquia São João Batista (Peabiru): José Mario Pinto e Rozana S.Pinto

Entradas Contribuição das Paróquias...............................135.576,00 Contribuição Ref. 13º Salário............................... 11.311,00 Crisma....................................................................3.192,00 Reembolso Encargos-Pis/Secraso/Senalba...........2.309,66 Reembolso Correio/Labore.......................................168,20 Reembolso Almoço do Clero/ Secretárias.................565,00 Resg. Fundo de Reserva(Obra)/Prest. Terreno....42.549,04 ............................................................................195.670,90 Saldo anterior (31/05/12) + entradas...................257.454,71 Saídas Manutenção da Cúria e Imóveis.........................143.230,41 Residência Episcopal.............................................5.980,39 Centro Pastoral Dom Virgílio de Pauli.......................602,95 Centro de Pastoral Dom Eliseu..............................6.583,21 Seminário São José...............................................1.222,52 Seminário Propedêutico São José C. Mourão ......8.000,00 Seminário Filosofia N. Sra. Guadalupe - Mgá......12.555,00 Seminário de Teologia Dom Virgílio - Cambé.......16.740,00 ............................................................................194.914,48


Página 12

Agosto / 2012

Roncador

JORNAL

SERVINDO Mini Congressos na diocese Pág. 3

Igreja matriz

Padroeiro: São Pedro Localização: Av. São Pedro, 313 Cx. P. 15 Telefone/Fax: (44) 3575-1215 87320-000 Roncador, PR

Pe. José Gonçalves de Almeida, pároco

Imagem do padroeiro São Pedro

No dia 15 de agosto de 1961, pelos Decretos 85/86 de dom Elizeu Simões Mendes, bispo diocesano de Campo Mourão, foi criada a paróquia São Pedro, desmembrada da paróquia Histórico Segundo informação de morado- Santa Rosa de Lima de Iretama. DesE-mail/MSN: paroquiasaopedroron- res pioneiros de Roncador, na década de a criação da paróquia os padres cador@hotmail.com de 50 os padres vinham a cavalo, de que atuaram foram os seguintes: Luiz Depaoli (1961), Bruno FraNúmero de capelas: 21 Campo Mourão ou Guarapuava, para celebrar missas na capela São Pedro. esel (1962), Libino Estefel, SJ, FloNormalmente permaneciam na cida- ro Vodomis, Vicente de Paula Vieira Data de criação: 15/08/1961 Pároco: Pe. José Gonçalves de Al- de por cerca de três dias, onde faziam (1963), Jair Resende (1964), Zygmunt Supieta (1964-1968), Nelson meida, 47 anos de idade e 6 de orde- os atendimentos. Prendin, Isaltino Gobbi, Marino Elorz, Fernando Brito, Paulo Jubel, João Viecel, Primeira igreja de Roncador, construída na década de 1960 Bovis José Kocik, José Sauer (19681972), José Stratmann (1972-1973), Francisco Xavier Lesniowski (1973-1979/19861991), Luiz Dotto (1979-1981), Antonio Bajek (1981-1985), Ademar Oliveira Lins (1992-1995), Adelinação sacerdotal Secretária paroquial: Rita de Cássia Montilho

Tradicional fogueira

no Gonçalves, Helio Jose da Costa (1996-2000), Rogelio Aparecido Destefani (2000-2001), Reginaldo Nascimento de Souza (2002), Paulo Roberto de Lima (2002), Sebastião Ramos da Costa (2003-2004), Carlos Alberto Rodrigues da Silva (2005-2011), Jose Aparecido Alves Ferreira, João Batista, João da Silva, Pedro Marques e Durvalino Rodrigues de Oliveira. Dia do Padroeiro Após a novena em honra a São Pedro, foi celebrado o dia do padroeiro, 29 de junho, com carreata, bênção dos motoristas e dos veículos e a missa presidida pelo Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva, da quase-paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro de Campo Mourão, e concelebrada pelo pároco Pe. José Gonçalves de Almeida. No dia 30 de junho, teve a queima da fogueira, que é uma das maiores da região, e show pirotécnico. A 68ª edição da festa do padroeiro foi realizada no dia 1º de julho (domingo).

Pe. José Gonçalves de Almeida e Pe. Carlos Alberto Rodrigues da Silva

Entrevista: Pe. José Kalsing Pág. 10

Pedra fundamental, com presença do bispo

Igreja matriz, antes da reforma

Diocese de Campo Mourão - Paraná Ano 24 - Agosto / 2012 / Nº 239

Formação e informação a serviço da diocese

5ª JDJ em Terra Boa Pág. 7


Jornal Servindo - Agosto de 2012  

Jornal Servindo - Diocese de Campo Mourao, PR - Agosto de 2012

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you