Page 1

REGIÃO

Caderno Eleições: candidatos respondem sobre habitação, enchentes e emprego • Páginas 9, 10, 11 e 12

• Ano 9 • Sábado, 18 de agosto de 2012

• Edição 428 • E-mail: redacao@jpnarede.com.br

• Fundado em 13 de março de 2004

Notícias

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

VENDA PROIBIDA

O jornal que chega até você ATIBAIA

Quatro anos após execução de rapaz, Prefeitura tem mais uma derrota na Justiça Guarda Municipal alega legítima defesa, mas nova sentença do TJ diz que não havia arma na mão da vítima • Página 5

Trabalhadores questionam salários e qualidade do emprego em Bragança

ATIBAIA

Dedel tem mandato cassado por TRE Com estreia na terça, horário eleitoral gratuito traz as coligações de Bragança • Página 15

Fotos: Fernanda Domingues

• Página 6

PIRACAIA

Minha Casa, Minha Vida tem novos contemplados • Página 17 BRAGANÇA Divulgação Bragantino

O volante Acleisson foi suspenso por duas partidas

STJD cria mais um desfalque para o técnico Roberto Cavalo • Página 16

VARIEDADES

Confira horóscopo, dicas de cinema e culinária

• Página 20

Aposentada, Rosário quer voltar a trabalhar, mas preconceito não deixa

• Página 13

Atleta de Piracaia conquista 1º lugar em campeonato de Jiu-jitsu nos EUA • Página 18

Bragantina informa Enchentes em desligamento Atibaia se tornam programado jogo político de energia • Página 14 • Página 4


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

2 opinião Editorial Direitos do cidadão ofuscados por jogo político A edição 428 do JP Notícias traz com exclusividade a condenação da Prefeitura de Atibaia pela execução, em 2008, de um rapaz. O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) indeferiu o recurso apresentado pelo Poder Executivo e pela Guarda Municipal, ambas responsabilizadas por crime de violação aos Direitos Humanos. Enfática, a sentença desmonta a série de argumentos infundados apresentados pela defesa e desmente as provas forjadas em favor dos executores. A família da vítima ganhou a causa e deverá ser indenizada. Cabe ao prefeito repassar o valor estipulado pela Justiça para pagamento aos agentes da GM e não permitir que a indenização seja paga por quem também é vítima: o cidadão que paga impostos e clama por segurança efetiva, sem discriminação e abusos. A condenação abre ainda margens para uma ação criminal junto ao Ministério Público (MP). Também em Atibaia, enchentes se transformaram em jogo político. Sob pressão, mais uma audiência do Curma foi cancelada, desta vez, porém, o tumulto pode ter sido armado justamente por quem deveria ser cobrado. Protesto contra os candidatos a prefeito Saulo e Professor Wanderley isentaram o Partido Verde e os candidatos da situação diretamente ligados ao projeto de lei 003/12, que pode tornar irregular as áreas atingidas pelas cheias provocadas não pela chuva, mas, sim, pelo acordo firmado entre Beto Tricoli, Dr. Denig e o Consórcio do Centro Empresarial, que tocou de à Usina de maneira questionável. Em Bragança, uma das maiores ansiedades está na busca por oportunidade no mercado de trabalho. Além do número de vagas não ser suficiente para toda a população, que acaba indo para outros municípios em busca de emprego, há poucas empresas que ofereçam postos com qualidade, onde o funcionário se sinta satisfeito com as condições. A reclamação recorrente do trabalhador da cidade é o piso salarial. Salários baixos fazem com que os munícipes optem por cidades como Extrema, Itatiba, Atibaia, Jundiaí, São Bernardo, São José dos Campos, Mairiporã e São Paulo. O salário é visto por eles como primeiro sinal de valorização, tema da semana também para o Caderno Especial Eleições 2012, que chega à terceira edição, embalado pela colaboração dos candidatos em atender aos questionamentos da população nas três cidades. A partir da próxima terça-feira, dia 21, estreia a propaganda eleitoral em TV e rádio por toda a cidade. Os candidatos que já adiantaram como será a programação, enviaram as prévias ao JP Notícias nesta semana. Na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Bom Jesus, os problemas e a falta de atendimento continuam. Moradores se revoltaram mais uma vez com as longas horas na espera por atendimento. Quem chega de manhã, só consegue atenção no fim da tarde. Quem se atrasa, volta para a casa doente, sem o parecer médico merecido. Também dialogando com o caderno especial está a cidade de Piracaia, que luta por condições melhores de moradia. O rótulo de ‘cidade turística’, encareceu aluguéis e dificultou a vida dos moradores, sem que lhes oferecesse condições de trabalho e geração de renda dentro da cidade. Para quem não possui casa própria, morar custa caro. Também nesta edição, o JP Notícias traz os contemplados com o programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. Boa leitura.

JP Notícias Circula em: Bragança Paulista, Atibaia, Piracaia e Bom Jesus dos Perdões Rua Clóvis Soares, 659 - Alvinópolis, Atibaia/SP CEP 12.942-560 - Tel.: (11) 4411 3232 comercial@jpnarede.com.br contato@jpnarede.com.br www.jpnarede.com.br Jornal Pioneiro Notícias Ltda/ME - CNPJ 04.224.993/0001-36 • Editor e Jornalista Responsável: Moriti Neto MTB Nº 57-855 Reportagem: Robson Morais • Diretor Administrativo: Anderson Gama • Chargista: Moisés Bezerra • Editor de Arte: Alexsandro Santos Goes • Colaboradores: Odair (Pancho), Angelito Neto, Paulo Gama, Cesar Zecchin, Gustavo Watanabe e Fernanda Domingues • Colunistas: Roberto Santiago, Osvaldo Zago, Claudia F. Rosès, Luiz Carlos Dib, Marcia Haubrich e Cris Siqueira • Gráfica: Atlântica - Tel.: (11) 4615 4680

No Twitter

@JPnaRede JP Região

Região em Brasília Roberto Santiago Deputado Federal (PSD-SP) - e-mail: dep.robertosantiago@camara.gov.br

Desafio aos candidatos: debater as distorções nos municípios No Brasil, criamos muitos municípios que não sobrevivem. Isso, por conta do modelo da repartição da renda pelo número de municípios. Quem deu início a isso foi Magalhães Pinto, na década de 60, que governava o estado de Minas Gerais. Ele dobrou o número de municípios ao perceber que poderia aumentar a arrecadação/participação do estado. Mas criou municípios sub-representados e que não se sustentam. E a moda pegou. Com isso, surgiu uma nova casta de prefeitos, vereadores, funcionários. Gastos que fazem com que a arrecadação do município, muitas vezes, não pague o custo da administração. Foi criado o sistema de remuneração parlamentar para municípios muito pequenos, o que acabou virando, muitas vezes, um cabide de empregos e não uma representação popular de verdade, um problema politico a ser resolvido. Distorções na arrecadação Existe um tema muito importante para a Federação que deve ser tratado em uma Constituinte exclusiva. Quando votamos, em 1988, o Fundo de Participação de Estados e Municípios, votamos o critério da repartição dos impostos. Até então não se falava muito em tributos (imposto + contribuição), porque a participação das taxas de contribuição era irrelevante no montante da arrecadação. As contribuições estavam destinadas à regulação de política econômica, portanto, não seriam tributos permanentes e divisíveis. Mas com o tempo ocorreu uma distorção. Os governos que se seguiram partiram para fazer o ajuste fiscal,

após o regime inflacionário, utilizando o critério de criação de novas contribuições que já não guardavam nenhuma relação com política econômica e, sim, arrecadatória. Em 1988, as contribuições representavam 18% do total do montante arrecadado e os impostos representavam 82%. Hoje, estamos praticamente no meio a meio: os impostos representam 52% e as contribuições, 48% das arrecadações, que não são divisíveis com estados e municípios. Então, temos esta imensa distorção: a União fica com 60% da arrecadação, os estados ficam com 25% e os municípios, com 15%. Entretanto, a demanda de atendimento dos serviços fundamentais votados na Constituição, como educação, saúde e segurança, são funções de estados e municípios, que ficam muito perto do problema, mas muito longe dos recursos. Esse é o ponto que tem que ser atacado urgentemente. Que se participe na distribuição, orientados para estas prioridades, os recursos das contribuições arrecadadas hoje como forma de impostos. Momento mais propício Em tempos de eleição municipal, seria de causar estranheza a falta de debate sobre a participação politica e econômica das cidades no País. Infelizmente, o sentimento prevalece , já que são raríssimos os candidatos a prefeito e vereador que se interessam por discutir tema tão relevante. No palco das eleições de 2012, lanço um desafio às candidaturas da região: lançar luz a esse tema demasiadamente relegado por grande parte da classe politica brasileira. Até a próxima semana.

Acompanhe meu trabalho no Congresso Nacional no endereço eletrônico www.robertosantiago.com.br

Conheça seus direitos OSVALDO LUIS ZAGO Advogado

Empresa é condenada a indenizar por controlar idas ao banheiro Tenho procurado trazer, aos caros leitores, decisões recentes e interessantes, dos mais diversos tribunais do País, com o objetivo de informar, conscientizar, gerar comentários e reflexões. Sem dúvida, a evolução das decisões judiciais contribui, e muito, para o aperfeiçoamento cultural e para a mudança de hábitos. Hoje trarei à tona curioso processo de indenização decorrente do cerceamento do uso de banheiro. O Tribunal Superior do Trabalho (TST - Brasília), decidiu que o controle de idas ao banheiro por parte do empregador, em detrimento da satisfação das necessidades fisiológicas do empregado, pode configurar prejuízo à integridade. Referido tribunal deu ganho de causa a uma operadora de telemarketing, que era advertida caso ultrapasse o limite de cinco minutos para utilização do banheiro durante o expediente. Com a decisão, condenou a empresa a pagar R$ 20 mil a título de indenização por danos morais. Em primeira instância, a 1ª Vara do Trabalho de Curitiba (PR) havia concluído que o controle de idas ao banheiro por parte dos supervisores causou lesão à integridade da empregada, que era advertida sempre que extrapolava o limite de cinco minutos imposto pela empresa. Inconformada com a condenação, a empresa re-

correu à segunda instância, ou seja, ao Tribunal Regional do Trabalho, que excluiu a indenização por dano moral, pois entendeu que a restrição do uso do banheiro está inserida no poder diretivo do empregador. O regional concluiu que os cinco minutos impostos eram tempo razoável para a utilização do banheiro, não havendo, portanto, ofensa à moral da empregada. A funcionária recorreu ao TST (terceira instância), alegando que o procedimento do empregador excedeu o limite do poder diretivo, violando, assim, o princípio da dignidade da pessoa. Teve sucesso no recurso, porquanto o TST decidiu, com base em precedentes anteriores, que "a restrição de uso de banheiros por parte do empregador, em detrimento da satisfação das necessidades fisiológicas do empregado, pode configurar lesão à sua integridade". Para a ministra relatora do processo, houve violação ao artigo 5º, incisos V e X da Constituição Federal, pois a conduta da empresa para com os funcionários configurou prejuízo à integridade, o que "enseja indenização por dano moral", concluiu. Fonte: Processo RR-1544900-39.2008.5.09.0001


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

opinião 3

Empresas & Ideias

CLAUDIA FONSECA ROSÈS, Administradora Professora universitária, Diretora Administrativa da FR Treinamento e Consultoria. empresaseideias@uol.com.br

Gestão de Feedback Empresarial: a ferramenta EFM Lendo essa matéria no administradores.com.br resolvi compartilhar com vocês pelo fato de que é uma novidade interessante. Trata-se de uma ferramenta que não conhecia e que parece muito boa para o que se propõe. Segue, portanto, o texto na íntegra para os meus caríssimos leitores do JP. Manter a estratégia das empresas atualizada em tempo real. Esse é o objetivo do EFM, sigla para Enterprise Feedback Management ou sistema de Gestão de Feedback Empresarial. A solução passa por todos os processos de tomada de decisão de compra – inclusive os de desistência – para oferecer aos executivos informações que ainda não se tornaram obsoletas e que podem contribuir para os resultados do negócio. Ao contrário das pesquisas tradicionais, que analisam números e experiências passadas, o EFM registra o cenário atual e de forma instantânea para maximizar os lucros de empresas como TAM, Oi e Cultura Inglesa, que já utilizam a ferramenta. "A pesquisa de mercado tradicional tem uma característica reativa. Ela vê como o mercado está reagindo à estratégia, mas tirando uma fotografia do que já aconteceu", diz Guilherme Cerqueira, diretor de Marketing e Vendas da QuestManager, em entrevista ao Mundo do Marketing. Em 2010, a empresa trouxe o conceito de EFM para o Brasil e desenvolveu uma metodologia própria, de acordo com as necessidades locais, para superar a dificuldade que as companhias têm de prever o futuro. "Ao invés de tirar uma fotografia, a proposta do EFM é tentar montar um filme sobre o que acontecerá", explica Cerqueira. O objetivo é antecipar e interferir para melhorar o desempenho das empresas. Para isso, a ferramenta atua na fonte dos processos que geram resultado financeiro: a constante interação entre as pessoas. A ideia é diminuir a distância que faz com que os conhecimentos e informações

adquiridos diariamente não cheguem aos responsáveis pela estratégia. O resultado das empresas é um somatório dos resultados individuais de cada profissional, que passa pelo ciclo de receber um estímulo, pensar e agir. Por isso, a importância de atuar tão próximo das equipes de venda para melhorar o desempenho do negócio como um todo. "Sabe quando você faz um test-drive e comenta sobre o carro com o vendedor? Essa é uma informação totalmente atualizada, mas que não chega ao responsável pelo desenvolvimento da estratégia. E isso ocorre centenas de vezes em centenas de concessionárias. São muitas informações que andam debaixo do nariz das pessoas o tempo inteiro", ressalta o executivo da QuestManager. No quesito retenção de clientes, a notícia também é boa. Reunindo, centralizando e gerenciando as informações, é possível otimizar a estratégia de Marketing. Foi o que fez a Cultura Inglesa. A rede de idiomas – que atende 55 mil estudantes em 49 filiais – utilizou a metodologia da QuestManager com o apoio da consultoria Copernicus Marketing para aumentar o índice de satisfação dos alunos novos e reduzir a evasão no início do curso. Um mês após o início das aulas, os alunos novos recebiam convite para participar de uma pesquisa online. Assim que o questionário era respondido, o sistema consolidava indicadores de feedback positivos e negativos, que eram recebidos pelos gerentes das unidades por e-mail, permitindo que os profissionais agissem imediatamente para tratar os problemas e garantir a permanência do aluno na escola. Antes da implementação do EFM, as pesquisas de satisfação na Cultura Inglesa eram aplicadas anualmente. Com a mudança, os resultados foram expressivos. O primeiro questionário gerou 720 respostas e 146 alertas para

Espaço alternativo

os gerentes das filiais. O índice de cancelamento dos estudantes que responderam a pesquisa foi de apenas 2%, enquanto o grau de desistência daqueles que não participaram foi de 7%. Assim como a Cultura Inglesa, marcas como Oi, Estácio de Sá, ClubMed e Inmetro apostam no EFM para monitorar e melhorar a realização de processos. Com um plano de expansão agressivo e planejando chegar a 200 pontos de venda até o fim de 2011, a TAM Viagens também optou pela tecnologia para garantir que o aumento no número de lojas não interfira na qualidade do atendimento realizado em todas as unidades. Outra vantagem do EFM é o caráter motivacional da ferramenta. Quando um problema é apontado várias vezes, o funcionário recebe um alerta assinado por um diretor informando que ele está deixando de cumprir alguma fase importante do atendimento. Quando o profissional apresenta um desempenho acima da média, no entanto, um alerta também é enviado, mas dessa vez elogiando e reconhecendo a qualidade do trabalho realizado. Ao contrário do CRM, outra sigla famosa quando o assunto é relacionamento, o EFM dá voz aos outros públicos de interesse, reconhecendo que nem sempre o cliente é a verdade absoluta, e minimizando as distâncias em uma organização. "As empresas estão cada vez mais preocupadas em atender bem, fidelizar, criar produtos de nicho. Mas muitas vezes elas são tão grandes como navios e o que acontece lá embaixo é muito distante", conta Cerqueira, da QuestManager. Sucesso! Fonte: www.administradores.com.br – 16/08/2012 Por Sylvia de Sá, Mundo do Marketing

Por Fernando Evangelista

A Galeria dos Medíocres No penúltimo bloco do debate, sem expectativa de surpresas ou novas polêmicas, o candidato de gel no cabelo, postura ereta e voz grossa, sentenciou: “o mal desta cidade reside na má qualidade da merenda escolar”. A afirmação, originalíssima, não mereceu mais do que alguns cochichos da plateia. Nem o mediador, nem os outros candidatos a prefeito, deram sequência ao raciocínio. Embora isso tenha acontecido há muitos anos, não me esqueci do comentário nem do debate – só não me lembro do nome do candidato. Eu acabara de voltar de uma temporada em Cuba e tinha ouvido, pelo rádio, Fidel Castro profetizar: “Os homens passam, os povos ficam; os homens passam, as ideias ficam”. Não sei se a frase foi apropriada porque Fidel, naquela época e desde sempre, dava toda a pinta de que ficaria eternamente no poder, mesmo com suas ideias ficando cada vez mais fora de moda. De qualquer modo, Fidel tem razão. As ideias ficam e ficam também os problemas, quando as ideias não são das melhores. Esta parece ser a raiz das nossas aporrinhações cotidianas: a ausência de boas ideias. No fundo, e cada vez mais, o grande mal da cidade e do país é a mediocridade. Basta erguer os olhos para ver: os medíocres tomaram conta não só da política, mas de todas as áreas, sem exceção. Se você procurar com atenção, vai descobrir um medíocre ao seu lado, bem pertinho – pode apostar. Medíocre é o mediano, é aquele que não é bom nem mau, nem grande nem pequeno, nem grego nem troiano. O mediano, quando chega a algum lugar, ninguém

percebe e, quando sai, ninguém se importa. O mediano não fede nem cheira, é o famoso “sem sal”. Por isso, causa impressão quando aparecem pessoas ou grupos capazes de se desvencilhar da média e fazer coisas inéditas e espetaculares. A campanha do Figueirense, único time de Santa Catarina na Série A do Campeonato Brasileiro, é um exemplo. Assim como o anfíbio Michael Phepls e o tricampeão olímpico José Roberto Guimarães, o Figueirense produz números nunca antes computados. Até sábado passado, quando ganhou do Sport por um a zero, o time acumulava 14 rodadas sem vitória. Como diz a minha centenária avó, “14 rodadas não são 14 dias”. O Figueirense, também conhecido como “Furacão do Estreito”, não vencia desde 19 de maio. Mais do que isso: colecionava sete derrotas consecutivas. Derrotas exemplares, diga-se, porque passou cinco jogos sem fazer um único gol. Não é qualquer time que consegue jogar 450 minutos sem balançar a rede do adversário. É preciso muito esforço. Se o mundo fosse justo e o esporte correto, o time mereceria um galardão, porque está fazendo história. Nunca, antes, na era dos pontos corridos, um time havia conseguido ir tão mal. Li em algum lugar que “diante de tão desastrosa fase, se o Figueirense fosse um circo, até os anões cresceriam”. Além de frases, o Furacão suscita bate-bocas, análises, mandingas, piadas e todo o tipo de paixão. Ora, não é isso o melhor do esporte? Não é isso que nos fascina? O Figueirense cansou de ser mediano, de ficar confortavel-

mente no meio da tabela, sem ser notado. Merece o nosso mais efusivo elogio. Será uma tremenda injustiça, portanto, se o Furacão for rebaixado para a Série B. Quem deveria ser rebaixado são os times do meio da tabela. Esses não dão ibope, não causam emoção, não dão espetáculo. Num intervalo de um jogo em que o Figueirense perdia pela enésima vez, um torcedor alvinegro disse a uma rádio local que o péssimo desempenho da equipe teria origem na alimentação dos jogadores. Todos fizerem ouvidos moucos e a bola continuou murcha. Porém, veja você, talvez a chave do mistério esteja mesmo na papinha dos atletas. O povo pode não sabe votar, mas sabe o que diz. Não afirmo, não desminto, mas suspeito que a comida dos jogadores do Figueira seja a mesma das merendas das creches municipais, assunto levantado há alguns anos por um visionário candidato a prefeito e olimpicamente ignorado pela mídia. Algum mal-humorado poderá argumentar que esta crônica, escrita por um torcedor do Avaí, rival do Figueirense, é imprecisa e desprovida de lógica ao juntar políticos, merendas escolares e partidas de futebol – que aparentemente nada tem em comum. Mas tem. Os políticos, as merendas e as partidas de futebol existem por causa das promessas. O político promete o paraíso, a merenda promete saúde e o futebol promete fortes emoções. O único que não promete nada é o Figueirense. Nem precisa. Já fez história, saindo da galeria dos medianos. Parece pouco, mas não é.


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

4 atibaia

Tel.: 4411 3232

No Twitter

@JPnaRede JP Região

Enchentes em Atibaia se tornam jogo político Tumulto orquestrado cancela mais uma audiência do Curma Por Robson Morais

E

BANCA DO JAJA Em frente ao Extra com recargas: Nextel, Vivo, Oi e Tim, bomboniere e xerox colorida, e outros. 97059777 - 6673-9838.

• Residencial • Comercial • Industrial Site: www.guardian24horas.com.br

BANCA 3 IRMÃ OS

ATIBAIA Sr. Martins. Tel.: 7475-2502 7462-9389 - Orelhão: 4413-9661. Na avenida Atibaia em frente ao Ginásio Atibaia Jardim

E-mail:: guardian@guardian24horas.com.br

Al. Lucas Nogueira Guarcêz, 3825 - Vila Léa - Atibaia/SP

Tel.Fax: (11)

4413-1888

m Atibaia, enchente virou politicagem. Quem sofreu com as cheias de 2009 e 2010 ainda não viu solução, mas, para parte dos candidatos que disputam a Prefeitura, o assunto serviu de prato cheio. O tumulto orquestrado marcou a audiência pública que ocorreu no último dia 13, que discutiria a votação ou não do projeto de lei 003/12, sobre o Código de Urbanismo e Meio Ambiente (Curma). Se aprovado, o documento torna irregulares os bairros mais prejudicados pelas chuvas. Assim como na primeira audiência pública realizada em junho, não houve progresso, e a sessão da Câmara teve de ser cancelada na base da pressão. Nesta semana, cartazes de protesto contra os candidatos Professor Wanderley (DEM) e Saulo Pedroso (PSD) tomaram o espaço do Fórum de Cidadania. “A sessão será encerrada antes da finalização de todos os trabalhos, por tumulto, sem apreciação do plenário”, disse o presidente da Câmara nesta semana, com base no Artigo 157 do Regimento Interno do Legislativo. Curiosamente, nenhum dos “manifestantes” portava cartaz contra o Partido Verde (PV) ou contra os candidatos da situação nestas eleições. Vale lembrar que foi na gestão PV de Beto Trícoli e Dr. Denig que as chuvas atingiram 22 bairros em Atibaia. Foi também este governo que firmou o acordo com o empresário Wagner Borín, dono do Consórcio Empresarial e responsável pelo início da pequena central hidrelétrica (PCH), usina com irregularidades e entre os principais responsáveis pelos alagamentos de 2010 e 2011, segundo estudo feito por Julio Cesar Cerqueira Neto, especialista da Universidade de São Paulo (USP), ignorado, até então, pelo Poder Público. Trícoli, Denig e Borin são alvo de uma investigação do Ministério Público, estacionada após a saída do promotor Fabiano Augusto Petean, em maio deste ano. Só até 2010, R$ 8 milhões foram gastos com os abrigos improvisados que até hoje servem de moradia no campo do bairro Santa Clara. A mesma Prefeitura que há três anos gasta e não resolve, propõe, no PL 003/12, indenizar os moradores das áreas tidas como irregulares apenas sob o valor da terra nua, independente do que foi construído. “Quem mora de casa própria nos bairros sai perdendo muito. A verba da Prefeitura não cobre o prejuízo. Os que enchem nosso quintal de santinho são os mesmos que querem tornar nossa propriedade irregular”, conta um morador. Imunes ao protesto popular na audiência pública do dia 13, Luiz Fernando Pugliesi (PV) e Professora Gina (PDT) também estão envolvidos com o PL 003/12. O primeiro presidiu a Câmara dos Vereadores, em 2008, e discutiu a

Vereadores dão início à sessão da Câmara do último dia 13. Audiência do Curma foi cancelado por tumulto implantação do Curma. Gina é relatora da complementação 003/12. Depois de sentir o peso negativo que o projeto pode causar numa campanha eleitoral, a candidata a vice-prefeita passou a torcer pelo engavetamento, o que pode ocorrer nos próximos dias devido a perda do prazo previsto da Legislação, que exige a realização de audiências públicas. O prazo para a audiência, assim como o para a votação, expirou no último dia 16. Na sessão do próximo dia 20, é possível que o projeto já não esteja em pauta. Medo no bairro Enquanto o PL 003/12 segue incerto, moradores se dizem preocupados com o que pode ocorrer caso chova no fim do ano. Nenhum candidato até o momento se pronunciou sobre a questão das enchentes, mas tem usado o tema como potencial puxador de voto nas eleições. “Andei vendo por aí candidatos usando fotos das enchentes aqui no bairro para fazer campanha, dizendo que sabe da situação e que vai tomar providência. São os mesmos que, há dois anos, ficavam de longe, pra não pôr o pé na água que invadiu minha casa”, revela Ermínia de Freitas, há cinco moradora do Parque das Nações. Sem conhecimento sobre as audiências ou sobre o PL 003/12, ela se queixa, ainda, da omissão por parte dos próprios representantes do bairro. “Ninguém nunca esteve aqui para falar de audiência pública ou de um projeto que poderia complicar ainda mais nossa situação. O que tem acontecido na Câmara é oportunismo, é pura eleição. Muitos moradores não estão sabendo de nada”. Maria Parecida de Oliveira também mora no bairro. A queixa é a mesma: “Já morei em duas casas diferentes neste bairro. Nunca vi representante de bairro nem candidato aqui dizendo que lutaria pelo bairro. Nunca ouvi falar deste projeto de lei. Nem Prefeitura, nem Defesa Civil, ninguém veio falar comigo”, diz. “Tenho medo do que pode acontecer, ainda mais sabendo só agora de um projeto de lei como este (o PL 003/12)”. E se chover? Via assessoria, a Prefeitura de Atibaia diz que vem trabalhando no desassoreamento do rio Atibaia, prevendo o fim das enchentes. “A Prefeitura iniciou o desassoreamento do rio Atibaia em fe-

vereiro deste ano, após autorização da Justiça. Os serviços estavam sendo realizados por meio de dragas instaladas no Parque das Nações, Terceiro Centenário, Vila Mira e Usina. Três delas foram fornecidas por uma empresa contratada, sendo a quarta draga construída pela própria Prefeitura. Atualmente, está sendo realizada licitação para contratação de empresa para dar continuidade aos serviços”. Ermínia de Freitas discorda: “a draga que deveria trabalhar no rio, na verdade, estava parada na Prefeitura e disseram que ela estava quebrada”. Jardim Brasil, Defesa Civil e CDHU No bairro Jardim Brasil, a Prefeitura informa que implantou, em novembro de 2011, um novo sistema de drenagem. Segundo ela, “em virtude da localização geográfica, o bairro recebia boa parte das águas de chuva da região central da cidade”. “Com o novo sistema de dutos construído, instalados na rua Rui Barbosa, reduziu-se pela metade a quantidade de água que chega ao sistema de drenagem do bairro. Um mês antes dessa obra, em abril daquele ano, a Prefeitura havia realizado a primeira intervenção no Jardim Brasil, com a correção da tubulação de drenagem do bairro”. Há uma verba de R$ 600 mil da Defesa Civil de São Paulo para as obras no bairro que só será liberada após o período eleitoral. Desde as chuvas, funcionários têm recebido treinamento para atuar na Defesa Civil, hoje com sede no centro, responsável por monitorar o nível das represas que fazem parte do Sistema Cantareira. Para dar continuidade aos serviços de desassoreamento, somente depois das eleições será confirmada a contratação de uma nova empresa responsável, após o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) e a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) se isentarem do trabalho. Sobre o CDHU, a previsão para término das obras se estende até março de 2013, com a finalização das ligações de esgoto e acabamento do projeto. Em 2010, quando se deu o início da obra, o prazo era de seis meses. Na época, a obra parou e moradores desabrigados ocuparam o espaço, perdendo o direito ao auxílio moradia.


redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

atibaia 5

Quatro anos após execução de rapaz, Prefeitura tem mais uma derrota na Justiça Guarda Municipal alega legítima defesa,mas nova sentença do TJ diz que não havia arma na mão da vítima

A

manhã, dia 19 de agosto, Olinda Rodrigues Lourenço terá lembranças tristes. Serão completados quatro anos da morte de Márcio Rodrigues Lourenço, filho da diarista, moradora de Atibaia. Contudo, ao menos, ela pode comemorar decisão que fará alguma justiça em situação que, incialmente, foi ignorada por Poder Público e mídia locais. Márcio morreu aos 25 anos, na tarde de 19 de agosto de 2008, executado por tiros da Guarda Municipal, subordinada à Secretaria de Segurança Pública. Confirmando decisões da Comarca de Atibaia e do próprio Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), a desembargadora/ relatora do TJ-SP, Luciana Bresciani, impôs nova derrota à Prefeitura. No último dia 3 de agosto, foi publicada sentença que negou dois recursos à Administração Municipal, um extraordinário e outro especial, impedindo-os, inclusive, de subir ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília. Para tanto, Luciana salienta a falta de fundamento na defesa dos guardas e destaca o incontestável excesso de força dos agentes. “Inconteste o nexo causal entre a ação dos guardas municipais e a morte do filho da autora. O excesso é manifesto, quer considerando a atuação da Guarda Municipal, ultrapassando os limites da prevenção de crimes, quer porque, de qualquer forma, não se admite transformar policial em executor”, ressalta. Além disso, a relatora aponta provas definitivas de que Márcio não reagiu à agressão. Apesar das testemunhas da ré terem afirmado que a vítima estava armada, não há nos autos do processo qualquer prova nesse sentido. A arma a que fazem referência os guardas nem sequer foi encontrada. “Se existente, poderia ter sido utilizada pela vítima, o que também não restou claro nos autos”, indica Luciana. Outro aspecto é que não houve qualquer menção ao porte de armas no inquérito policial e nenhum trabalho pericial foi elaborado para verificar a presença de resíduos de

ANUNCIE AQUI! A sua empresa merece esse destaque! Tel.: (11) 4411 3232

nos furtos em casas inabitadas e construções. Nas duas vezes em que foi preso, não portava armas. Também não possuía nenhum registro de violência.

Ilustração: Carlos Latuff

Por Moriti Neto

pólvora nas mãos da vítima, cujo resultado evidenciaria presença ou ausência de arma nas mãos de Márcio. Todas as testemunhas – com exceção dos guardas municipais e funcionários da Secretaria de Segurança Pública – declararam que o rapaz estava correndo, o que contraria o teor das razões da apelação do município. Também um laudo mostra que a trajetória do projétil dá a ideia de que a vítima não estava em posição de confronto, já que a bala atingiu Márcio quando estava de lado para os guardas e não de frente. No final da sentença, Luciana Bresciani enfatiza a responsabilidade da Prefeitura e confirma a indenização por dano moral, no valor de cem salários mínimos mais correção, juros legais desde a citação e custas judiciais, à mãe da vítima: “Nada justifica a conduta dos guardas em face da fuga do filho da autora. O nexo causal entre o dano e o fato está devidamente evidenciado, razão pela

qual a reparação do dano moral é devida”. Em 2011, o Tribunal de Justiça já havia discordado da versão dos guardas municipais, que alegaram legítima defesa para efetuar os disparos, e manteve sentença da Comarca de Atibaia, de 2010, contra o Poder Executivo, por violação de direitos humanos. A decisão confirmava a execução e apontava que o boletim de ocorrência foi forjado, pois o processo judicial desmente que o rapaz teria sido morto após trocar tiros com os agentes. Para não esquecer No dia 19 de agosto de 2008, Márcio Rodrigues Lourenço, negro, e outro rapaz, Denis Sousa, invadiram um imóvel vazio no bairro Estância Lince, de classe média alta, em Atibaia. No local, antes de soar o alarme, furtaram torneiras metálicas. Cercados pela polícia, tentaram fugir pelos fundos da casa, que

dava num matagal. Agentes da Guarda Municipal estavam de tocaia numa rua próxima e surpreenderam os rapazes à bala. Segundo relatos, os dois tentaram a rendição. Atingido por um tiro nas costas quando tentou subir um muro na fuga, Márcio morreu na Santa Casa da cidade. Denis conseguiu fugir e, posteriormente, se apresentou à polícia. Nascido no Paraná, Márcio tinha mãe, irmãos e namorada. Trabalhava como pedreiro e jardineiro. E o fim de sua história trágica tem a ver com a dependência de crack, iniciada em 2005. Em 2006, foi preso por furtar fios de cobre para comprar a droga e cumpriu pena em Hortolândia, na região de Campinas. No ano seguinte, voltou para Atibaia e, dois anos depois, foi executado pelo Poder Público, como aponta a Justiça. Para sustentar a dependência da pedra, Márcio praticava peque-

Alívio, mas a luta segue Olinda conta o motivo de pedir indenização. “O Márcio tinha defeitos. Não digo que não furtou as torneiras, mas ele nunca andou armado, não era o criminoso que disseram”, desabafa. “Estava esperando essa decisão. Finalmente saiu”, completa. Com a decisão na esfera cível, é possível, com atraso de quatro anos, a instauração de ação administrativa regressiva para que a Prefeitura apure internamente a responsabilidade dos agentes e exija deles o pagamento da indenização. Cabe ao prefeito Dr. Denig (PV) a atitude de cobrar os autores do crime e tirar o peso dos cofres públicos. Em 2008, quando da ocorrência da morte de Márcio, o prefeito era o atual deputado estadual Beto Trícoli (PV). NA gestão dele, a apuração não progrediu. Além disso, a reabertura do processo criminal foi solicitada pela organização não governamental Centro Nacional de Denúncias (CND-BR), ao Ministério Público, que arquivou o inquérito justificando não haver provas que constatassem infração por parte da Guarda Municipal. A nova decisão do TJ-SP pode fortalecer o pedido da entidade. Marcos Rodrigues Lourenço, irmão de Márcio, avalia que a sentença, independentemente do valor da indenização, motiva a continuação da luta para punir os responsáveis. “Nós, da família, nem estamos preocupados com o valor. Essa decisão nos fortalece para pedir justiça, para que os responsáveis tenham a culpa investigada pela Prefeitura e para que respondam criminalmente. Tenho os jornais da época pintando meu irmão como um bandido perigoso, que atirava em guardas, matérias que expuseram a imagem dele sem a nossa autorização. O Márcio não era nada do que disseram. Tinha uma dependência, estava falando em se internar, mas não deu tempo”, afirma.


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

6 atibaia

Projeto cria Unidade de Vigilância em Zoonoses no município Estão tramitando na Câmara Municipal dois projetos de lei complementares encaminhados pela Prefeitura referentes à população animal do município. O primeiro propõe a criação da Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ); o segundo dispõe sobre normas e ações da Política de Proteção e Bem Estar aos Animais. Pela proposta, a Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ), órgão sanitário vinculado à Secretaria Municipal de Saúde, terá como objetivo prevenir, reduzir e eliminar a morbidade e a mortalidade causadas pelas zoonoses, além de preservar a saúde da população, protegendo-a contra zoonoses e agressões de animais, mediante o emprego de conhecimentos especializados e experiências em Saúde Pública. Entende-se por zoonoses a infecção ou doença infecciosa transmissível, sob condições naturais, de animais a homens e vice-versa. O documento destaca que

“o desenvolvimento econômico, social e cultural do município proporcionou o crescimento populacional de animais de companhia (cães e gatos) e propiciou mudanças na forma de criação, tratamento e manutenção dos animais, fazendo-se necessária a atualização da legislação pertinente a esta criação”. O segundo projeto de lei complementar encaminhado pelo Executivo à Câmara Municipal dispõe sobre normas e ações da Política de Proteção e Bem Estar aos Animais no município. Ficará a cargo do Poder Público Municipal e da coletividade local combater a crueldade contra os animais existentes no município, defendendo-os do extermínio, da exploração abusiva, do sofrimento e da morte desnecessária e de todas as práticas que coloquem em risco sua função ecológica ou provoquem a extinção das espécies. Imprensa da Câmara

Amanhã tem eleição dos novos conselheiros tutelares Amanhã, domingo, dia 19, ocorre a eleição dos novos conselheiros tutelares de Atibaia, na escola Major Juvenal Alvim, das 8h às 16h. Para votar, o eleitor deverá apresentar documento de identidade com foto. É importante a participação da população na votação: os futuros conselheiros serão os responsáveis por fiscalizar se os direitos previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) estão sendo cumpridos, ou seja, irão trabalhar para fazer valer esses direitos e providenciar os encaminhamentos necessários para a

resolução dos problemas referentes à infância e adolescência. Ao Conselho Tutelar são encaminhados casos de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão que tenham como vítimas crianças ou adolescentes. Caso as requisições não sejam cumpridas, o Conselho Tutelar encaminhará a situação ao Ministério Público para que sejam tomadas providências jurídicas. A solenidade de posse dos novos conselheiros tutelares de Atibaia será realizada no dia 24, às 19h, no auditório do Fórum Cidadania.

Dedel tem mandato cassado pelo TRE Infidelidade partidária tira vereador da Câmara e expõe conflito entre PV e DEM Foto: Imprensa da Câmara

Dedel perde mandato, mas segue na disputa eleitoral

Por Robson Morais O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo cassou, nesta sexta-feira, dia 17, o mandato de vereador de Josué Luiz de Oliveira, o Dedel (DEM). O vereador foi denunciado por infidelidade partidária pela Procuradoria Regional Eleitoral. Quem assume a vaga agora é Edson Beleza (PV). Dedel, porém, permanece apto à nova candidatura em 2012.

Em 2011, Dedel trocou o PV pelo DEM. Por sete votos a favor da cassação e nenhum contra, os desembargadores que julgaram o pedido consideraram a troca de partido injustificável. A Dedel, não cabe recurso. Até a próxima segunda-feira, dia 20, a sentença deve estar disponível no site do TRE e Beleza deve assumir o cargo em dez dias. Com a sentença, Dedel perde o mandato atual, o que não influi na

Projeto sobre a criação de poços artesianos no município tramita na Câmara Foi apresentado na sessão desta segunda-feira, dia 13 de agosto, um projeto de lei que dispõe sobre a criação de poços artesianos em determinadas localidades do município. A iniciativa, de autoria dos vereadores Josué Luiz de Oliveira, Dedel, (DEM) e Wanderley Silva de Souza (DEM) tem como objetivo diminuir os índices de contaminação dos lençóis d'água subterrâneos. Pela proposta, a Prefeitura poderá fazer uma parceria com os moradores para a implantação do poço artesiano. A vila ou o bairro deverá ter mais de 30 casas e um laudo técnico d'água deverá apontar que a fossa, existente no local, está prejudicando o poço “caipira” das residências. Caso a Prefeitura não tenha

um terreno na localidade, o proprietário de um dos lotes poderá fazer a doação de 5 metros quadrados para a Administração Municipal, em um ponto indicado pelo doador. “O poço artesiano será feito embaixo da caixa d'água comunitária, onde a rede será distribuída a todos os moradores. Além disso, o relógio de controle do consumo poderá ser compartilhado ou cada residência terá o seu relógio individualmente”, explicam os vereadores. E complementam: “o SAAE terá o controle e a responsabilidade do consumo”. O projeto de lei é analisado pelas comissões internas da Câmara para a elaboração dos pareceres. Após, irá para votação em plenário.

candidatura às eleições da Câmara do próximo ano. O Partido Verde é o principal interessado na denúncia, tanto por quem assume a vaga quanto pela disputa política que segue acirrada entre os já tradicionais grupos dos deputados estaduais Beto Trícoli (PV) e Edmir Chedid (DEM). Resta saber se o fato do candidato deixar a tribuna do Legislativo vai gerar prejuízos ou render mais tempo de rua à campanha.

Morre o professor Guilherme Contesini

Faleceu na última terça-feira, dia 14, aos 89 anos, o professor Guilherme Pileggi Contesini. O enterro ocorreu no Cemitério São João Batista, no centro. O JP Notícias lamenta a perda de tão importante educador que deu enorme contribuição ao ensino de Atibaia. À família, nossas condolências.


redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

atibaia 7

Por tumulto, Saulo O Hermano Cubano encerrou a sessão “Si hay “mal” desta semana gobierno yo soy A próxima sessão será na segunda-feira, 20 de agosto, às 10h

O

presidente da Câmara, Saulo Pedroso de Souza, encerrou a sessão, realizada na última segunda-feira, 13 de agosto, por tumulto no auditório do Fórum Cidadania. As manifestações tiveram início assim que o primeiro secretário, Dr. José Paulo Teixeira (PSL) começou a leitura da justificativa do promotor de Justiça Arthur Migliari Junior pela declinação do uso da tribuna livre, previamente requerido e autorizado pela presidência. "Peço encarecidamente aos presentes que colaborem para que possamos dar continuidade aos trabalhos", pediu Saulo aos manifestantes. Por fim, citando o regulamento da Casa de Leis, ele entendeu que deveria encerrar a sessão. Por diversas vezes, o presidente solicitou aos presentes, com base no regimento do Legislativo, que colaborassem, mantendo o silêncio e a ordem.

Houve gritos e palavras de protesto contra o chefe do Legislativo. Saulo, então, anunciou o encerramento dos trabalhos. Parte dos manifestantes portava faixas com dizeres contra o presidente e contra o vereador Wanderley Silva de Souza (Prof. Wanderley). A sessão estava na fase de requerimentos. Pelo artigo 157 do Regimento Interno, o presidente da Câmara pode encerrar a sessão antes da finalização dos trabalhos, por falta de quórum (número de vereadores), em caráter excepcional (por motivo de luto e outras situações) e por tumulto, sem apreciação do plenário (ou seja, sem votação dos demais vereadores). Requerimentos, indicações, moções e projetos na pauta, que ficaram sem leitura, discussão e votação, foram encaminhados para a próxima sessão ordinária, a ser realizada na segunda-feira, 20 de agosto, a partir das 10h, no Fórum Cidadania.

Câmara analisa novo projeto do CURMA Na qualidade de presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação, a vereadora Georgina Pitocco Piniano (Profª Gina) solicitou, em ofício à Prefeitura, em 7 de agosto, a retirada do regime de urgência para o projeto de lei complementar 009/12, que trata da regularização de condomínios, em virtude da escassez de tempo para realização das três audiências públicas previstas em lei. Em 9 de agosto, o prefeito Dr. Denig respondeu o ofício, solicitando a retirada de regime de urgência, o que foi anexado ao projeto. Em audiência realizada em 20 de junho, no Fórum Cidadania, sobre o projeto de lei complementar 003/2012, após registro de abaixo-assinado com 1500 assinaturas solicitando cancelamento, a sessão foi suspensa por tumulto. A população presente começou a tocar buzinas, apitos e a gritar pelo cancelamento da audiência. Na sessão desta segunda-feira, 13 de agosto, a Câmara tinha, na pauta da ordem do dia, o mesmo projeto 003, com emendas dos vereadores Profª Gina e Oswaldo Mendes Sobrinho e do prefeito, alterando dispositivos do Código de Urbanismo e Meio Ambiente da Estância de Atibaia (CURMA), dispondo sobre a regularização de edificações e instalações existentes ou em construção executadas irregular ou clandestinamente. Com o encerramento dos trabalhos pelo presidente, não houve votação do projeto. Nesta semana, a Câmara registrou a entrada de novo projeto de lei complementar, de iniciativa do Executivo, que altera artigos e anexos do CURMA, revoga a lei complementar nº 610, de 11

de junho de 2010, e a lei complementar nº 642, de 20 de janeiro de 2012. Os artigos alterados da lei complementar nº 580, que instituiu o código, são: 20, 21, 22, 23, 24, 29, 58, 68, 73 e 83. Os anexos alterados são 01, 02, 03, 03, 05, 06, 07, 08, 09, 13, 15, 16, 19, 21, 22, 23 e 24. O projeto foi distribuído às comissões de Justiça, Planejamento, Obras e Finanças. No artigo 1º, que altera os artigos 58 e 59, o objetivo é regulamentar a incorporação de regulamentos particulares de empreendimentos como supletivos da legislação de ordenação do uso e ocupação do solo e a regularização de empreendimentos junto ao Cartório de Registro de Imóveis de Atibaia. No anexo 16, o ajuste está voltado à implantação de condomínios comerciais e industriais - conjunto vila, vila jardim, edifícios e grupos de edifícios de apartamentos, considerando ainda o número de vagas de estacionamento. No anexo 24, foram ajustadas as exigências de documentos para o licenciamento de empreendimentos e atividades. Outras alterações teriam a função de atender demandas de associações de moradores, refinando-se a delimitação de áreas urbanas e rurais e de zoneamento. Em outros anexos, foram efetuados reenquadramentos de uso, abrindo a possibilidade de usos comerciais e de serviços em zonas mistas, a possibilidade de verticalização, reenquadramentos de vias, adequação e simplificação da documentação exigida para os diferentes licenciamentos. Imprensa da Câmara

contra” Hermano acordou descabelado e prometeu afinar a viola antes de dar início a mais esta coluna. Pensou na canção certa para embalar a série de confusões que ao longo daa semana chegaram quentes na Central Cubana. Sem escutas modernas desta vez, Hermano se pôs apenas a conversar com os conterrâneos preocupados com o futuro da cidade nessas eleições. Preocupada também deve estar a situação, que torce por barraco só pra ofuscar campanha que não decola. Aos cochichos, já tem gente pedindo fim de audiência pública depois que o tiro saiu pela culatra. E a imprensa? “Ah, para essa tenho um recado muy hermoso” disse com voz de veludo. Mal sabia que Hermano-cara-pelada também estava de olho. Danou-se! Confusão por confusão Já no início da semana, Hermano se pôs a acompanhar de perto a sessão na Câmara dos Vereadores. Estranhou a movimentação de quem esperava ansiosamente pela definição do projeto que Gina insiste que vinga sobre o Curma. No fundo da sala, mudo feito rato, prestou atenção no clima de tensão preparado especialmente para a ocasião. Turma da enchente de um lado e turma que não foi convidada de outro. “Cheiro de coisa boa, não tem” pensou, coçando o ouvido com a ponta da barba. Confusão por confusão 2 Ilustres vereadores a postos, cadeiras devidamente ocupadas. Saulo deu início à sessão. Vereador dorminhoco guardou a lista de moções quando sentiu o clima tenso, soltou o bocejo e se fingiu de atento. Outro deixou o rojão no pé da mesa e se pôs a esperar o momento certo de fazer barulho. Enquanto isso, a imprensa bem informada da cidade jogava o confete. Confusão por confusão 3 Projeto vai, projeto vem. Saulo tentava conter os ânimos com cara de bom moço e pedido educado. “Encarecidamente”clamava por auto-controle dos presentes que seguravam cartazes de “protesto” contra o ilustre. Professor Wanderley também se mostrou preocupado quando viu que ali no meio um cartaz dizia seu nome. “Epa, ta faltando protesto aí” se assustou Hermano-cara-pelada, quando percebeu que Gina passava por desapercebido na sessão. Confusão por confusão 4 A discrição, porém, não durou muito. Quem acompanhava a sessão preocupado só com enchente tratou de vaiar a candidata a vice. O tormento deu início quando o projeto mais esperado do dia começou a ser discutido. No embalo, a manifestação oportunista pegou carona e sentou na janela. Tumulto de mais, projeto de menos. Tudo o que a situação queria. “Tomara que cancelem a audiência” foi o cochicho entre dois ilustres ve-

readores na Casa. Hermano jura que ouviu, mas não pode dizer quem disse porque tem medo de cara feia de quem reclama de barriga cheia. “Mas que ouvi, ouvi” disse, já batendo na mesa para conter o bullying na Central Cubana. Confusão por confusão 4 No mesmo embalo, Arthur Migliari saiu de fininho. Desistiu de se pronunciar como cidadão sobre a aprovação do projeto defendido por Gina. Preferiu evitar “dissabores futuros”. Candidato da situação que promoveu churrasco em troca de voto gostou da ideia. Depois que vereador enfim ascendeu o rojão, a sessão precisou ser cancelada. Mas o barraco seguiu. Confusão por confusão 5 Funcionário da imprensa bem informada vestiu carapuça e correu pra briga contra cidadão que já não aguenta mais água de chuva dentro de casa. Representante da situação, que regia a orquestra da manifestação, tratou de esbravejar contra outro morador cansado de pescar lambari de cima do guarda-roupa. “Cada um defende o seu. Afinal, Camarão que dorme, a onda leva” concluiu Hermano, que depois da frase nunca mais foi visto na Central Cubana. Imprensa bem informada Hermano fofoqueiro deixou escapar por cima do muro: “andaram dizendo por aí que Saulo estava na pior. Deu leito de hospital e vai entrar no pau”. A Central Cubana ficou antenada na veracidade de denúncia publicada em jornal de “primeira linha”, mas o caso não deu em nada e juiz nem ao menos acatou o ocorrido. Manchete tirada de Facebook hoje em dia vale furo. Já na próxima semana, a Central Cubana promete aprender mais sobre a arte do jornalismo moderno. Ou não. Pesquisa eleitoral Curto e grosso: A primeira pesquisa eleitoral oficial de Atibaia, registrada no Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo, deve ser divulgada hoje. Hermano promete comentar o documento na próxima semana. Hermano agradece Hermano encerra a coluna desta semana agradecendo ao leitor que preferiu anonimato, mas conseguiu o telefone secreto da Central Cubana e fez questão de elogiar a Sessão Chilique, contada na edição passada. “Hasta, companero!”


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

8 região

Tel.: 4411 3232

No Twitter

@JPnaRede JP Região

Agora com salada de frutas e açaí

Pátio do Mercado Municipal

JP Notícias 4411 3232

JP: CNPJ: 04.224.993/0001-36

Tel.: (11) 4036-7328 / (11) 4036-7656 / (11) 7226-2604 Arte: Alexsandro/JP Notícias

4402 2926


Tel.: 4411 3232

redacao@jpnarede.com.br

Eleições 2012

JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

9

A eleição vai até você

Desta vez, candidatos atentos Na terceira edição do Caderno Especial Eleições 2012, os candidatos a prefeito de Atibaia, Bragança Paulista e Piracaia se saíram bem, cumpriram a missão dada pelo JP Notícias e atenderam aos questionamentos levantados por moradores sobre os temas mais debatidos ao longo da semana. Houve respeito ao prazo estipulado e os conteúdos atenderam a demanda da população. Ponto positivo dos dois lados da urna. Em Atibaia, a questão das enchentes, até então esquecida pelos candidatos, foi enfim abordada. O assunto se arrastava desde 2008, com muitos capítulos e pouca solução. Herança deixada para o novo prefeito e um dos principais focos para a futura gestão, o desassoreamento do rio Atibaia e medidas urgentes em favor dos que perderam casas deverão, segundo

os candidatos, entrar em pauta a partir de 1º de janeiro do próximo ano. Ao povo, cabe cobrar cada promessa. Na cidade de Bragança, o problema é emprego. A geração de trabalho digno e atenção especial a quem hoje luta por uma vaga no mercado foram a principal exigência dos moradores entrevistados nas ruas. Salário justo e capacitação precisam ser priorizados na próxima gestão, seja por meio de parcerias com empresas e entidades, ou até mesmo com a ampliação de cursos oferecidos pela Prefeitura, que atuem de forma efetiva na qualificação profissional e deem ao trabalhador a oportunidade competir por uma vaga. Aos candidatos de Piracaia: atenção à situação em que se encontram muitos dos bairros na cidade, bem como ao acesso à

moradia. Pagar aluguel, segundo os relatos dos cidadãos, custa mais caro que em outras cidades da região. Não existem casas populares nem programas habitacionais. O termo ‘cidade turística’ encareceu a cidade sem que alavancasse a qualidade de vida do morador. Hoje, a população sofre, não há geração de emprego nem renda que consiga se manter ante o abuso cobrado de quem merece um lar. Moradia digna é direito do cidadão e dever do candidato. Até a próxima semana, o eleitor poderá conferir aqui o que o cada candidato tem a dizer. O debate impresso promovido pelo JP Notícias abre as portas para o que as frases prontas de campanha ofuscam. Obrigado candidatos, leitores e eleitores. Agradecemos a cada um dos que lutam pela transparência.

Notícias

Começa nesta terça-feira o horário eleitoral gratuito Na próxima terça-feira, dia 21, começa o horário eleitoral gratuito no rádio e na TV para o 1º turno das eleições 2012. Prefeitos e vereadores passam a ter 45 dias para divulgar campanhas em 60 minutos diários, de segunda a sábado. Haverá ainda inserções de 30 minutos diários de até 60 segundos, veiculadas entre 8h e 0h, também aos domingos, destinadas à campanha dos candidatos a prefeito e vice. A ordem de veiculação sofre um

rodízio: o partido ou coligação que foi veiculado por último passa a ser o primeiro no horário do dia seguinte. O horário eleitoral gratuito vai até 4 de outubro. Não é permitida a propaganda de candidatos a eleições majoritárias em horário destinado à propaganda de candidaturas proporcionais, e vice-versa. Gravações externas, computação gráfica ou efeitos especiais não são permitidos nas inserções veiculadas durante os intervalos comerciais.

Veja como será dividido o horário eleitoral gratuito: 1º turno

Rádio

TV

Início: 21 de agosto Término: 4 de outubro

7h às 7h30 12h às 12h30

13h às 13h30 20h30 às 21h

Prefeito: 2ª, 4ª e 6ª

7h às 7h30 12h às 12h30

13h às 13h30 20h30 às 21h

Vereador: 3ª, 5ª e sábado

7h às 7h30 12h às 12h30

13h às 13h30 20h30 às 21h

Total em bloco: 1h + 30’ em inserções

Total em bloco: 1h + 30’ em inserções


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

10

moriti@jpnarede.com.br

Eleições 2012 A eleição vai até você

Notícias

CANDIDATO E VOCÊ

Tel.: 4411 3232

PIRACAIA

“O que os candidatos farão para solucionar o problema de quem não pode pagar por um aluguel?”, Edvaldo José

de Souza, pedreiro, morador do Jardim das Paineiras. Professor Wanderley (DEM) propõe aluguel social para população de baixa renda

Julio Badari (PV) quer pleno emprego para conquista de moradia

Edvaldo e leitores do JP: quem conhece Piracaia, sabe do que ela precisa. Eleito prefeito, de imediato será oferecido o aluguel social para a população de baixa renda e, por meio do Sebrae, cursos profissionalizantes para geração de renda e emprego. Como vereador, consegui junto da Secretaria de Habitação, a instalação de 70 casas populares no município que, em breve, terão as obras iniciadas. Eleito, irei buscar, junto aos governos Estadual e Federal e programas: CDHU e Minha Casa Minha Vida, a instalação e construção de mais casas populares, tanto na zona urbana como na zona rural. Também fazem parte de minhas metas: calçar ruas, viabilizar iluminação,

Caro Edvaldo, obrigado pela pergunta. Morei de aluguel e sei como é difícil fazer essa conta: tenho que reservar 10, 20, ou 30 reais por dia para pagar o aluguel da casa que moro. Meu amigo, nós iremos, juntos, buscar a solução para o problema que aflige grande parte de nossa população. Hoje, de imediato, nós temos dois programas relacionados a habitação, o programa Minha Casa Minha Vida, que sorteou 20 unidades e o programa do CDHU, que irá abrir inscrições este ano para 72 casas (números muito reduzidos para nossas necessidades). Acredito que moradia é questão fundamental para que possamos construir estrutura familiar equilibrada e saudável, pois é muito triste para pai ou mãe de família viver o mês

saneamento, paisagismo, conservação de terrenos e praças, bem como regularizar loteamentos e oferecer mais locais para instalação de moradias populares, inclusive para as pessoas que estão em áreas de risco. Outra ação necessária é a prevenção contra enchentes, por ações e serviços públicos. Aprimorar o Plano Diretor e garantir o Estatuto da Cidade também seram meus compromissos e, assim, conseguiremos mais empreendimentos industriais e comerciais, assim como fortalecer os já existentes. Isso é geração de renda e emprego. Edvaldo, quero ser o prefeito do emprego, da moradia e da justiça social. Conto com seu apoio, de sua família e de seus amigos. Em breve, passarei em seu bairro, vamos conversar melhor. Desejo a você e aos leitores do JP uma excelente semana e recebam meu abraço.

Terezinha, do PSDB, reforça importância da regularização de projetos habitacionais Como todos sabem, minha candidatura surgiu para que possa dar continuidade a tantos projetos e trabalhos iniciados em minha administração e, que, infelizmente, foram estacionados. Piracaia é uma cidade em expansão, onde muitas famílias não possuem casa própria e sempre fui sensibilizada com essa situação. Prova disso, foi que minha administração (2005-2008) deixou dois terrenos adquiridos para a construção de casas populares: um na Vila Teodoro – onde seriam construídas vinte casas, e outro no Jardim Sudô – onde seriam construídas mais noventa casas. Eleita, darei continuidade a esses

trabalhos que solucionarão parte dos problemas de moradia em Piracaia. Tudo isso será feito de forma planejada e organizada, para que não aja injustiça. Não posso deixar de afirmar que também darei continuidade aos processos de regularização dos inúmeros loteamentos irregulares no município. Na época, estávamos firmando, com o Governo do Estado, um convênio com o Graprohab, órgão que visa centralizar e agilizar os procedimentos administrativos de aprovação do Estado, para implantação e regularização de empreendimentos de parcelamento de solo para fins residenciais. Por isso, mais uma vez, afirmo: muitos trabalhos e projetos precisam ser continuados e é por isso que Piracaia precisa estar em boas mãos, nas mãos de pessoas sérias, experientes, determinadas e que saibam lutar com garra por uma cidade melhor.

todo sob a pressão do despejo dos filhos. É deprimente. Para aqueles que têm condições de pagar em dia o aluguel, é ótimo, mas perceba que é um dinheiro que vai e você não conseguiu construir. Vamos construir casas juntos, pois a Prefeitura tem obrigação de buscar programas que visem moradia. Vivemos num País que está entre as maiores economias do mundo. Vamos corrigir a grande demanda que existe por moradias. Garanto a vocês que irei empreender todos os esforços necessários para trazer para nossa cidade novos programas, porém acredito que o melhor programa será aquele que vai lhe dar condições de construir a própria casa e isso só conseguiremos oferecendo emprego pleno para a população. Se você, pai ou mãe de família, tiver emprego com garantia de receber o sagrado e justo salário mensal, tenho certeza que, em pouco tempo, terá condições de comprar o terreno e construir sem pedir favor a ninguém. Não se esqueça de me convidar para a inauguração.

Edmílson Armellei diz que trabalho garantirá pagamento de aluguéis Nossa proposta de governo consiste, principalmente, na geração de desenvolvimento no município. Primeiramente, com a implantação de um parque industrial na região de Batatuba e, também, com a fomentação do turismo, transformando Piracaia na "Capital da Truta".

Com essas ações implementadas, conseguiremos gerar empregos e melhor renda aos munícipes. Consequentemente, as pessoas trabalhando, certamente, terão dinheiro para pagamento de aluguéis. Agora, quando a questão for de situação emergencial (saúde, desemprego, etc.), propomos o pagamento de um benefício assistencial transitório. No mais, a cidade necessita de programas habitacionais a fim de suprir a demanda de pessoas que não possuem moradia própria.


redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

Eleições 2012

JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

11

A eleição vai até você

Notícias

ATIBAIA

“O que os candidatos farão para combater novas enchentes? O que pensam em fazer pelos moradores, não só os do meu bairro, caso as enchentes voltem no próximo ano?”, Fátima Donizete Tejes, empregada doméstica, moradora do Jardim Brasil, vítima das enchentes em 2010.

O T A D I D N A C E VOCÊ

Desassorear, revitalizar rios e construir Plano de drenagem e equipe exclusiva de manutenção são metas de Saulo piscinões são as soluções de Migliari Bem, a resposta à sua pergunta está colocada no item número 13 do meu Plano de Governo, registrado no TRE-SP, que reproduzo, na íntegra: "13. Fim das enchentes em Atibaia: “O desassoreamento dos rios que cortam a cidade e dos lagos municipais, com a revitalização destes, é medida urgente, o que fará com que os usuários das suas cercanias se sintam seguros e aptos a sua utilização. Resolverá o problema das enchentes

de Atibaia de uma maneira muito simples e bem elaborada: construções de piscinões ao longo das margens do rio Atibaia, exatamente onde há condições de suportar a maior vazão das águas do rio”. Como você pode perceber, tive o cuidado em elaborar um plano de governo de maneira que seja possível realizar ações que visem o bem-estar da população. Morei ao lado do rio Sorocaba, em Sorocaba, e também sofria muito na época das cheias. Foi com disposição e força de vontade que as sucessivas administrações resolveram o problema que era crônico: a construção de piscinões em lugares que é possível receber as águas das cheias do rio. Farei o mesmo em Atibaia.

Para o combate às enchentes no município, a primeira medida a ser tomada é a elaboração de um plano macro de drenagem para as regiões afetadas pelos alagamentos dos últimos anos, garantindo o aumento da vazão da água das chuvas. A partir disso, pelo programa de setorização dos serviços públicos, iremos disponibilizar uma equipe exclusiva de manutenção para cada região, garantindo, além da manutenção diária das vias dos bairros, a limpeza constante dos córregos da cidade e do rio Atibaia. Entre as ações previstas no nosso plano de governo está também a elaboração de um plano macro de desapropriação

para as áreas indiscutivelmente comprometidas, pagando aos moradores o valor real dos imóveis. Além disso, é fundamental o controle da vazão de água na Pequena Central Hidrelétrica (Usina) – apontada por especialista como uma das causas das enchentes ocorridas nos últimos anos em nosso município. Para abrigar as famílias, implantaremos um plano de habitação em parceria com o Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, que oferece moradias de melhor qualidade que a CDHU, do Governo do Estado, com entregas mais rápidas e valores mais baixos para a população ter acesso. Pelo convênio, a Prefeitura doa o terreno, reduzindo o custo total do empreendimento e barateando o valor final do imóvel para o munícipe, que quitará o pagamento em parcelas mensais de baixo valor.

Luiz Fernando Pugliesi fala em “obras Professor Wanderley, do DEM, garante prioridade no combater às enchentes arrojadas” para resolver enchentes Quero responder diretamente a senhora, Fátima Donizete Tejes, moradora do Jardim Brasil. Resolver a questão das enchentes de Atibaia será um grande desafio que vamos enfrentar com coragem. Temos que intensificar o desassoreamento de trechos urbanos do rio Atibaia, fazer obras de macro e micro drenagem (aumentar tubulações, altear pontes), limpar constantemente tubulações, córregos e lagos e iniciar obras arrojadas, como piscinões e diques com qualidade urbanística. Também devemos ressarcir as famílias dos prejuízos causados e que estão cadastradas na Prefeitura. Propor indenizações com valores justos para aquelas famílias cujas moradias estão em situação de risco. Com relação especificamente ao Jardim Brasil, as informações da Prefeitura

são de que alguns serviços urgentes foram realizados, mas entendo que é necessário desapropriar uma faixa ao lado da rua Gaspar Camargo para aumentarmos a drenagem de escoamento (implantando tubulação complementar à existente), bem como corrigir os pontos e bueiros de captação da água de chuva. Estamos cientes de que há recursos do Estado que ainda não chegaram para obras no bairro. A Prefeitura tem que fazer a parte dela, fornecendo documentos necessários à Defesa Civil do Estado o quanto antes. E, após o período eleitoral, iniciar as obras imediatamente. É importante que a senhora saiba que os vereadores que hoje são candidatos não aprovaram uma lei que poderia destinar 1% do orçamento do município (aproximadamente R$ 3 milhões) para obras de combate às enchentes na cidade, inclusive para Jardim Brasil. O projeto não aprovado destinava recursos próprios para a finalidade. Não precisaríamos depender de verbas do Estado ou da União.

Uma prioridade em meu governo, sem dúvida, serão ações planejadas para o combate às enchentes e alagamentos com a consolidação das soluções adotadas e em curso para atendimento a essas áreas (prevenção de novas ocorrências). Vamos desenvolver estudos prospectivos para determinação de locais aptos, junto ao sistema de macro drenagem da cidade, para a implantação de reservatórios de contenção de enchentes, os chamados “piscinões”, a fim de mitigar a ocorrência de inundações e impactos na cidade quando do período de altas precipitações pluviométricas. Os moradores do Jardim Brasil, em especial, têm reclamado de uma verba

destinada pelo Governo do Estado de São Paulo, da Defesa Civil, de R$ 600 mil para obras no bairro, mas que nunca chegou ao município, com isso, nada foi feito por eles. Acredito que, apesar das dificuldades, há como resolver o problema do bairro. É preciso que haja obras de escoamento de água do bairro para o rio Atibaia. É necessária também uma obra que evite a entrada de água no bairro, vinda da avenida Carvalho Pinto e imediações. Na posição de vereador, mantive contato direto com os problemas do bairro. Agora, rumo à Prefeitura, nesta disputa eleitoral, afirmo que as questões não foram esquecidas por mim. E tenho certeza que também não foram esquecidas pela população, como muitos políticos acreditam, em época de eleição. Quando a população sofre por descaso de uma administração, as lembranças não são apagadas com o tempo.


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

12

moriti@jpnarede.com.br

Eleições 2012 A eleição vai até você

Notícias

CANDIDATO E VOCÊ

BRAGANÇA

“Quais as propostas para trazer empresas de grande porte até Bragança, principalmente à zona norte, para que o tempo de deslocamento do trabalhador seja menor?”, Renato Oliveira de Lima, desempregado, Parque dos Estados.

Por contrapartidas ao trabalhador, Fred Zenorini quer mais do que “só trazer empresas” Renato, nós, da Frente de Esquerda, defendemos um governo para os trabalhadores. Acreditamos que, só trazer empresas, sem a adoção de critérios que beneficiem os trabalhadores, não irá resolver. A medida poderá beneficiar apenas as grandes empresas. Não basta reduzir impostos e doar terrenos. Exemplo é a cidade de São José dos Campos. Lá existe um polo industrial. A Prefeitura, em parceria com o Governo Federal, tem sido generosa com empresas (redução de IPI e de IPTU). Isso deveria aumentar a quantidade de empregos na cidade. A realidade é

Tel.: 4411 3232

outra: as empresas, que cada vez mais têm aumentado lucros, vêm reduzindo o quadro de funcionários. A GM anunciou que iria demitir cerca de 2000 trabalhadores e só voltou atrás após muita pressão do sindicato. Isso tem relação com Bragança, afinal, as empresas daqui foram beneficiadas com um pacote de bondades por parte da Prefeitura, que não foi capaz de exigir contrapartida em beneficio dos trabalhadores. Em 2009, empresas como a Tyco e a Santher demitiram e a Prefeitura, que deu tantas isenções, nada fez. Nossa proposta é de que empresas tragam contrapartidas ao trabalhador. Isso significa que se houver doação de terreno ou isenção de IPTU, nada mais justo do que exigir número mínimo de contratações e estabilidade dos trabalhadores ou mesmo construção de creches para trabalhadoras com filhos pequenos.

Fernão Dias (PT) projeta distrito industrial na zona norte e valorização do comércio de Bragança Renato, a coligação Você Pode Mudar Bragança tem várias propostas em seu plano de governo para a geração do desenvolvimento, emprego e renda para a população de Bragança. Entre elas, está a criação do quinto distrito industrial na zona norte ou em local próximo para, justamente, beneficiar a região mais populosa de nossa cidade. Estamos fazendo estudos para localizar uma área ideal para esse distrito. Vamos investir ainda na valorização do comércio local, outra

fonte de geração de empregos e renda. Mas acreditamos que desenvolvimento e melhora das condições de vida na região dependem também de outras medidas. Por isso, uma das propostas de nosso programa de governo é trazer o CEU para a zona norte. A experiência, que começou em São Paulo, é importante por ser um espaço privilegiado para a educação, mas que também muda a vida das pessoas ao trazer teatro, cinema e opções esportivas, melhorando a qualidade de vida de todos no entorno. Essas são algumas medidas pontuais, mas o importante é que a zona norte será uma das principais prioridades de nossa administração. Conheça mais visitando nosso site www.fernaodias13.com.br

João Carlos Carvalho vê qualificação como centro da geração de empregos Tr a b a l h a r para gerar emprego e renda é o compromisso que tenho com o cidadão bragantino há muito tempo. Prova é que, como presidente da Câmara Municipal e líder do PSDB, votei pela aprovação,

nos últimos sete anos, da doação de 35 terrenos para indústrias e também para a Fatec, Senai e Sesi. De nada adianta atrair empresas para o município sem qualificar a população para que possa ocupar as vagas disponíveis. Para atrair grandes indústrias, implantarei a nova lei de incentivo fiscal e criarei dois novos distritos industriais, além de ampliar os distritos existentes. Criarei

Novo programa é principal proposta de Renato Frangini Nosso programa de governo tem o melhor projeto para atrair mais indústrias e para ampliar a oferta de empregos. A intenção é criar o Pró-Indústria, o maior programa industrial da história de Bragança Paulista para atender empreendimentos econômicos que optarem pelo município, além da ampliação dos que já existem, implantando um sistema inovador de incentivo fiscal a partir da isenção parcial ou total de impostos, da expedição de alvarás,

da aprovação de projetos e do ressarcimento limitado de ICMS relativo à aquisição de terreno e à aquisição de prédios. Também iremos construir condomínios e loteamentos empresariais com total infraestrutura, visando à redução de custos operacionais para incentivar a iniciativa privada em diversos segmentos, com a capacitação e a frente de trabalho. Queremos aprimorar o relacionamento com as instituições de ensino USF, Fesb, Fatec, IFSP e o Senai para consolidar Bragança Paulista como importante polo de pesquisa e de formação. Tudo isso transformará a cidade num polo de industrialização, que acabará, de vez, com a falta de trabalho na cidade.

uma incubadora de empresas, implantarei os projetos “Jovem Estagiário” e “Primeiro Emprego para Indústria e Comércio” e criarei o Espaço de Capacitação Profissional (ECAP). Também vou atuar junto ao comércio e incentivar a ampliação da estrutura hoteleira do município, afinal Bragança Paulista tem potencial turístico que precisa ser

desenvolvido e esta é uma área que também pode gerar vários empregos. Lutarei ainda, junto ao Governo do Estado, para ampliação de cursos da FATEC no município, bem como a implantação de uma ETEC, e buscarei com as lideranças políticas que nos apoiam força para a implantação de uma unidade do SENAC em Bragança Paulista.

Sartori ressalta indústria como mola propulsora da economia Tendo em vista que a indústria é a mola propulsora do desenvolvimento econômico, será prioridade a instalação de novas empresas, tendo como objetivo o desenvolvimento econômico e social e a geração de novos empregos, fortalecendo, assim, a economia, realizando uma melhor distribuição de renda, melhorando a qualidade de vida, sempre baseados na sustentabilidade ambiental do município. Com a geração de novos empregos existirão também cursos de capacitação para os funcionários, para que os mesmos possam

progredir dentro da empresa. Para que haja viabilidade de tal proposta, é necessária disposição política para uma revisão do atual plano diretor do município, documento que pode ou não ampliar a densidade de onde se pode instalar indústrias, sempre contando com o auxílio da Secretaria de Meio Ambiente, que observará se o espaço é viável e não prejudicará o desenvolvimento sustentável. É de grande interesse a instalação de indústrias na zona norte, não só para diminuir o tempo de deslocamento dos trabalhadores que ali residem, mas porque nosso governo se preocupará com a questão da mobilidade urbana, que é fator econômico importante às famílias. O desenvolvimento dessa área gerará um ciclo de prosperidade para o município.


redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

bragança 13

No Twitter

@JPnaRede JP Região

Trabalhadores questionam salários e qualidade do emprego em Bragança Por Fernanda Domingues

U

ma das maiores ansiedades dos bragantinos está no mercado de trabalho. Além do número de vagas não ser suficiente para toda a população, que acaba indo para outros municípios em busca de empregos, há poucas empresas que oferecem postos com qualidade, onde o funcionário se sinta satisfeito com as condições. A maior reclamação do trabalhador da cidade é o piso salarial. Salários baixos fazem com que os munícipes optem por cidades como Extrema, Itatiba, Atibaia, Jundiaí, São Bernardo, São José dos Campos, Mairiporã e São Paulo. O salário é visto por eles como primeiro sinal de valorização. Ismael Cordeiro da Silva, de 38 anos, é morador do bairro Uberaba e está desempregado há um mês e meio. Ele afirma que a população bragantina está insatisfeita com o piso salarial e que isso não deveria ocorrer em uma cidade central da região. “A insatisfação salarial em Bragança é grande, os salários são baixos. Por ser cidade central da região bragantina, isso não deveria ocorrer. A oportunidade de emprego é difícil, pois não há muitas empresas de grande porte, que comportem 600 ou 800 funcionários, a maioria é de 100 funcionários pra baixo”, diz. Morador do bairro Atibaianos, Fábio Júnior da Silva, está desempregado há um mês. Ele trabalhou em uma metalúrgica, onde permaneceu por dez anos. A sociedade da empresa se separou e todos os funcionários foram mandados embora. Segundo ele, “aquele foi o melhor lugar que trabalhei até hoje, pois nunca atrasava salário e eles davam valor pra gente. Vai ser difícil arrumar outro emprego

Rosário: “Os idosos são muito descriminados, têm pessoas que até nos ofendem quando vamos procurar serviço”

assim. Hoje, as pessoas estudam bastante e, quando chegam ao mercado de trabalho, o salário não é compatível. Também que não são todas as empresas que dão benefícios”. José Ricardo Fagundes mora no bairro Planejada II. Trabalha faz três anos como motorista na empresa de ônibus Expresso Fênix, que fica em Itatiba (a 35 Km de Bragança). “O meu emprego é ótimo, o ambiente de trabalho é muito bom. Em Bragança, emprego para motorista é um caos, não tem comparação com Itatiba. As empresas de ônibus de Bragança só pagam o salário, que é baixo, não dão benefícios e não pagam horas extras. Em Itatiba, eles pagam muito bem, tem benefícios, como cesta básica, cartão alimentação e pagam horas extras. Ganho o dobro do que ganharia em Bragança”, relata. Jefferson Aparecido Pires Pimentel, de 21 anos, optou por fazer estágio de arquitetura no condomínio Quinta da Baroneza, que fica entre os municípios de Bragança e Itatiba. Ele mora no Parque dos Estados, na zona norte, e percorre a distância de 40 km de casa até o trabalho, gastando, aproximadamente, R$ 400 de gasolina por mês. Jefferson conta que, “ir trabalhar de carro é um transtorno, pois, quando o veículo quebra, fica complicado ir trabalhar e sabemos que quanto mais andamos com o carro, maiores são as chances de quebrar, mas de transporte público demora muito mais. Segundo o estagiário, a opção pelo trabalho distante da cidade se dá porque os estágios oferecidos em Bragança são mal remunerados. “No condomínio, o salário é bom e a empresa é bem flexível com os horários, não atrapalhando os trabalhos da faculdade”, salienta. O secretário de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura de Bragança, Alfredo Soares Leme, afirma que o município paga mais que o piso estipulado. De acordo com ele, “a população reclama de uma coisa que não existe. A empresa não paga um salário para Bragança e outro para outra cidade. Bragança é o segundo polo de ferramentaria do país, isso não é pouco, é muito. Porém isso não é divulgado, porque a administração é muito mais pichada que elogiada. Se uma cidade pagar mais que a outra é a lei da oferta e da procura . Não posso dizer para a empresa pagar tal quantia ao funcionário dela. A Prefeitura e secretaria não podem fazer nada, vivemos em um país democrático e não em um país comunista. A gente não pode obrigar. Como também a pessoa tem o direito de não trabalhar se acha que o salário não é compatível”.

Fotos: Fernanda Domingues

Piso salarial baixo é maior reclamação dos bragantinos, mas falta de plano de carreira e cursos também geram insatisfação

Felipe questiona a falta de diversidade de vagas no mercado de trabalho

Vagas A população também reclama da quantidade de vagas oferecidas. Fernando Oliveira, de 25 anos, morador do bairro Vila Aparecida, conta que, em Bragança, as vagas das agências são voltadas a uma única empresa: a Arcor. “É uma empresa com uma rotatividade muito alta, por não valorizar os funcionários”, explica. Felipe Amaro de Oliveira, que mora no Jardim Cevilla, e é formado em design de moda, aponta para a falta de diversidade de vagas. “Estou querendo ir para São Paulo para trabalhar na minha área, porque gosto de revista de moda e esse campo não é aberto na cidade. São poucas vagas aqui, geralmente, para o comércio ou indústrias, não se tem muita opção”, declara. O secretário Alfredo Soares destaca que há vagas de emprego no Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT). São, em média, 15 pessoas por dia solicitando seguro desemprego. Sobre as vagas oferecidas pelas agências, Alfredo fala que elas trabalham totalmente isoladas e não passam dados para a Prefeitura. Qualidade Além da falta de vagas, os trabalhadores apontam para a baixa quantidade de empresas que se preocupam com a qualidade de emprego dos bragantinos. A reclamação deles é de que não há valorização das empresas, fazendo com que trabalhem insatisfeitos, por necessidade. Para Fernando, “na parte do comércio não há qualidade de emprego e valorização, mas em algumas indústrias há uma remuneração boa e eles motivam os funcionários. Mas é somente o caso da OSG e Santer. Só que essas

indústrias exigem qualificação, como cursos do Senai”. Segundo o secretário, “existe emprego com qualidade em Bragança. Não posso falar de todas as empresas porque não conheço a estrutura delas. Mas a Santer e a Tyco têm emprego de qualidade. Não fazemos uma pesquisa para obter esse tipo de informação”. Para Fernando Oliveira, as empresas deveriam motivar os funcionários, principalmente com cursos e planos de carreira. “Motivar os funcionários é sempre bom. Elas devem fazer com que o funcionário se sinta melhor, mostrar que é alguém dentro da empresa. Ultimamente, as empresas estão vendo as pessoas como números e não como pessoas, tem que trocar esse valor, ter esse tipo de atitude desmotiva muito”. “A maioria das empresas não liga se o funcionário está satisfeito, elas pensam que se não está bom pra gente, outra pessoa vai querer. Então não se trabalha contente.”, relata Felipe Amaro, sobre a atitude da maioria das empresas de Bragança. Rosário José Toledo, de 60 anos, mora no bairro Planejada I e reclama sobre a descriminação que as empresas têm com pessoas mais velhas. “Ninguém me dá emprego por causa da idade, mesmo tendo bastante registro em carteira. Somos muito descriminados, têm pessoas que até nos ofendem quando vamos procurar serviço. Estipulam a idade, geralmente é até 45 anos”, relata. Ela conta também que está arrumando os papéis da aposentadoria, porém, mesmo assim, quer um emprego. De acordo com Rosário, “às vezes, a pessoa idosa tem idade, mas tem capacidade para trabalhar. Tinha um comércio, no entanto, perdi tudo com a enchente. Quero trabalhar porque a aposentadoria é mixaria, não dá para sobreviver com um salário mínimo, meu marido também está desempregado e a gente precisa complementar a renda com outro serviço”. Cursos Os trabalhadores questionam a falta de cursos profissionalizantes gratuitos para qualificar a mão de obra. “Não adianta ter uma empresa de qualidade e um funcionário sem, está faltando um investimento na qualificação dos profissionais. Esse investimento na construção do profissional é muito importante, porque se uma empresa de grande porte vier, e não houver profissionais capacitados, os cargos de chefia ficarão com pessoas de fora, por terem mais qualificação”, declara Felipe. Fernando também pede que a Prefeitura ofereça mais cursos des-

tinados a pessoas que não tenham condições de pagar por estarem desempregadas. Segundo Fernando, “por mais que o curso seja barato, o desempregado não tem remuneração para tal. Ou a Prefeitura deve fazer uma parceria com os trabalhadores, ela paga uma parte e o aluno outra. Sem isso, não nos qualificamos e, consequentemente, perdemos as oportunidades de trabalho”. Alfredo Soares afirma que o município tem 55 cursos gratuitos, distribuídos em 102 turmas, em diversos bairros da cidade. A divulgação desses cursos é feita no PAT e no site da Prefeitura. “São cursos curtos da Via Rápida do Estado de São Paulo. Eles são ministrados dentro do Senai, da Casa de Geração de Renda, na Secretaria de Agronegócios. Na Casa de Geração II tem sala de computação, cozinha industrial, sala de costura, de maquiagem, de manicure, são salas montadas e adaptadas para os cursos”, garante. Empresas de grande porte Outra pontual reclamação dos trabalhadores é a falta de empresas de grande porte. A vinda delas para a cidade empregaria muitas pessoas e também possibilitaria melhor qualidade nos empregos. “A Prefeitura deveria fazer convênios com mais empresas. Extrema, no sul de Minas, que é um munício bem menor que Bragança, tem muitas empresas, que eram para vir para Bragança e foram pra lá. O prefeito se preocupa com instalação de radares e construção de loteamentos e não é bem por ai”, declara Fernando, que acredita ser esse também um dos motivos para muitas pessoas trabalharem em outras cidades. Felipe aponta que Bragança tem que abrir as portas para o mercado de fora. Segundo ele, a população cresce, já o comércio e a indústria da cidade ficam para trás. “A cidade tem pouco a oferecer aos trabalhadores, cadê o dinheiro que a gente paga de imposto?”, questiona. O secretário de Desenvolvimento Econômico complementa dizendo que o município não tem estrutura para receber empresas de grande porte. “E a empresa que vai atrás do município”, afirma. Alfredo diz o Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de Minas Gerais é menor que o de São Paulo e o município não pode fazer nada em relação a isso, por ser um imposto estadual. “Os únicos impostos municipais são IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto Sobre Serviço). Não posso fazer nada”, declara.


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

14 bragança

ClassificadoS VENDO FUSCA

1600 ano 84 Impecável com trava stopvel, som, pneus novos, documentação ok, sem multas. R$ 6500,00. Estudo contra-proposta. Não aceito troca. (11) 99218-9480. Valéria.

SENHORA INDEPENDENTE Com referências e qualificações, oferece-se para trabalhar como: cuidadora de idosos, professora para reforço escolar do ensino fundamental, monitora para creche, recepcionista e atendente. Contato: 99668 7894.

CONSULTAS COM BARALHO Cigano e Tarô de Marselha atendimentos com hora marcada. Cursos de baralho com certificado e apostila. Centro de Bragança - Largo das Pedras Tels.: (11) 99440 4686 ou (11) 2277 3687 (Rosana mística & taróloga).

ALUGA-SE EM ATIBAIA/SP Ótima casa para comércio com 5 salas, 2 wcs, copa, 5 vagas (2 cobertas) à 25m da Alameda Lucas, alt. do n° 2240 (rua em frente à Drog. SP) Contato: (11) 97635 2546.

VENDO PROPRIEDADE 21.000M2 Vendo propriedade de 21.000 metros quadrados com casa construida, ou troco por casa na cidade. R$ 250.000 bairro da Cachoeira - Atibaia/SP. Tel.: (11) 4402 - 4162 - Clarisse.

NOVO VISUAL CABELEIREIROS UNISEX VERA DIOMAR (11) 98972-1771 (11) 99857-3193 Rua Manoel Maria, 100 Bairro Planejada II

ALUGO SALA

Em clínica odontológica para fonoaudiólogo, fisioterapeuta e etc. End. Praça Bento Paes nº 84 ao lado do Museu Municipal - Atibaia/SP. Tel.: (11) 2427 3899 - Tr. com Camila

CANTINHO ESPIRITUAL

Consultas com cartas, búzios e com vovó. Trabalhos para todos os fins. Tenha orientação necessária em uma só consulta. Telefones para marcar: tel: (11) 4036-3062 e cel: (11) 97422-9333.

VENDO CELULAR 3D

Smart fone Optimus 3D, o único aparelho com 3D passivo (não precisa de óculos). Imagens fantásticas. Novo, na caixa e com assessórios. Excelente preço. Interessado ligar (11) 999454030. VENDO OU TROCO POR CASA NO ALVINÓPOLIS

Chácara com casa com 20 mil m2 no bairro Cachoeira (Atibaia). R$ 250 mil. Tratar no tel.: 4402-4162

CHÁCARA PARA LOCAÇÃO

Linda em Jarinú, vista panoramica, piscina 11 x 6, churrasqueira, salão de festas/jogos. Tel.: (11) 98630 1701 - Lúcio.

SAPATARIA ARTESANAL Novo ponto - Consertos de calçados rápido. R. Barão de Juqueri, 279. Tel.: (11) 99578-4811. Cláudio.

SERVIÇOS E MANUTENÇÕES Tel.: (11) 99765 4710. Falar com Kléber A. Sodré. email: klebersodre@gmail. com

VENDE-SE TERRENO

No Jardim Paulista, 310m2, próximo do asfalto. Tel.: (11) 97524 3808

ÓTICAS ÍRIS Nas Óticas Íris é assim: Você ganha mesmo! Na compra de um óculos de grau (armação + lente) de qualquer valor e ganha um solar da marca Iron. www.oticasiris.com.br Rua Coronel Teófilo Leme, 1440 Centro - Tel.: 4033-0864

COMPRO ACORDEON

Tel.: (11) 4411 5116. Tratar com Nelson.

SAVEIRO 1990

Azul metálica, nova totalmente reformada. Tr.: 96767-4773 com Josmar.

VENDE-SE MOTO

De cross RM 80cc, Suzuki, Amarela, ano 98 - Nota Fiscal. Aceito outras propostas. R$ 3800, tratar com Gustavo ou Caio. Tel.: para contato: (11) 4411-5199 Nextel: (11) 77818876 - Cel.: (11) 97781-8083 - ID 126*83811 - Email: gustavowrm@gmail.com

PRECISA-SE DE PESSOA

Para entregar folhetos. Tratar: 4412-3458.

VENDO CASA

Em Atibaia no bairro Jardim Cerejeiras no valor de R$ 250.000,00. Casa com 2 quartos, sala, cozinha, banheiro, lavanderia, quintal grande com uma churrasqueira coberta nos fundos e garagem coberta para 3 carros. Tratar com Marisa - 99936-2604.

VENDO CASA EM ATIBAIA No Jardim Lago. Dois quartos, sendo uma suíte, banheiro social, cozinha, living, ampla sala de estar, área de serviço, garagem com vagas para dois carros e amplo jardim. 300m2 de terreno e 120m2 de área construída. Contato pelo telefone (11) 97524 3808.

SALÃO DE CABELEIREIRO STEVAN Cortes, química em geral, manicure e pedicure. Salão 1: Av. Fernando Campos Machado,300 - Bairro Fraternidade - Bragança Pta. Tel.: 97223-3470. Salão 2: R. Prof. Gilberto Venturini, 81 - Cidade Planejada II - Bragança Pta.

VENDO MÁQUINA DE COSTURA Singer, ótimo estado, funcionando. Preço R$ 120. Tratar (11) 4402 7473

Bragantina informa desligamento programado de energia Empresa alega melhorias no atendimento. Desligamento vai até 03/09

P

ara possibilitar a execução de serviços indispensáveis à melhoria e manutenção das redes de distribuição, torna-se necessário interromper o fornecimento de energia elétrica nos seguintes dias, locais e horários: Bragança Paulista • Dia 22/08/2012 (quarta-feira) das 12h às 16h, atingindo os consumidores do Bairro Atibaiano. • Dia 23/08/2012 (quinta-feira) das 8h às 9h30, atingindo os consumidores do Bairro Torózinho. • Dia 28/08/2012 (terça-feira) das 8h às 12h, atingindo os consumidores do Condomínio Residencial Euroville. • Dia 29/08/2012 (quarta-feira) das 8h às 10h, atingindo os consumidores do Bairro Vila Dominicci.

• Dia 29/08/2012 (quarta-feira) das 12h às 16h, atingindo os consumidores do Bairro Hípica Jaguari. • Dia 30/08/2012 (quinta-feira) das 13h às 15h, atingindo os consumidores do Bairro Rural Ponte Alta. • Dia 31/08/2012 (sexta-feira) das 14h às 16h, atingindo os consumidores do Bairro Núcleo Residencial Padre Aldo Boline e Vila Batista. • Dia 31/08/2012 (sexta-feira) das 8h às 12h30, atingindo os consumidores das Ruas Reverendo José Ferraz, do n° 111 a 241; Capitão Basílio Vieira da Silva, do n° 61 a 188; Rua Professor Placidia da Rosa, do n° 15 a 141,e imediações. Fonte: Bragantina Rede Energia

Parabéns, Solar Amigo! É com imensa satisfação que faço esta pequena mensagem ao completar o 14º aniversario do Solar Amigo, o qual foi fundado pelo saudoso Alberto Diniz, em 18 de agosto de 1978, personagem que era muito amável e o mais perfeito cavalheiro da alta sociedade bragantina. A Terceira Idade lhe deve muito, serviu como marco para a classe e uma nova fase em plena atividade. Quero comunicar aos leitores do JP, que o Solar Amigo, localizado no Jardim Público de Bragança

Paulista, fará, neste domingo, das 14h às 18h, haverá o encontro dos participantes da já tradicional domingueira dançante. Nesta data, também quero parabenizar a presidente Odila Aparecida Gomes Mosford, Lourdes Staboli, primeira secretaria, Irias Gomes Fernandes, primeiro tesoureiro e demais membros da diretoria e colaboradores, além de Murilo Pimenta, nosso maestro. (Mensagem enviada pelo nosso amigo Pancho, colaborador do JP Noticias).

Novo telefone do JP Notícias (11) 4411 3232


redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

bragança 15

Com estreia na terça, horário eleitoral gratuito traz as cinco coligações de Bragança A partir de 21 de agosto, candidatos a prefeito e vereador terão espaço em TV e rádio Fernão Dias investe na apresentação de propostas para resolver os problemas da cidade O programa eleitoral da coligação Você Pode Mudar Bragança apresentará propostas concretas para resolver os problemas da cidade nas diversas áreas como saúde, educação, segurança, desenvolvimento econômico e emprego. Uma dessas propostas será transformar Bragança na cidade mais segura do Estado, com fortes investimentos em educação, programas sociais, desenvolvimento econômico e segurança pública. Num primeiro momento, investirá ainda na apresentação de Fernão Dias, que, por disputar a primeira eleição, é o menos conhecido entre os principais candidatos que disputam o cargo de prefeito. “Nossa estratégia é discutir problemas e soluções concretas para resolver os problemas da maioria da população, afirma Jr. Pereira, um dos responsáveis pelo marketing do candidato.

Temos o desafio de apresentar o outro lado do Fernão Dias, o de gestor competente e funcionário público exemplar em todos os cargos por que passou”, conclui. A candidata a vice, professora Huguette, também terá destaque no programa pela experiência no serviço público, principalmente na área da educação. “Huguette é uma das pessoas mais preparadas nessa área por ter assessorado diversos secretários de educação do Estado”, ressalta Pereira. Serviço Programa eleitoral da Coligação Você Pode Mudar Bragança Candidato a prefeito: Fernão Dias Candidata a vice: Professora Huguette Tempo de TV e rádio: 6”36 para a eleição majoritária 5"26 para as eleições de vereadores

Fred Zenorini destacará “a vida como ela é” O programa eleitoral da coligação da Frente de Esquerda (PSTU-PSOL) do candidato a prefeito Fred Zenorini propõe trazer “a vida como ela é”. “Tentaremos mostrar as necessidades e o dia-dia do povo trabalhador e da juventude. Nossas filmagens foram feitas em várias localidades da cidade, onde fomos acompanhar os problemas. Vale frisar que toda a produção foi feita por voluntariado de nossa militância, ou seja, não gastamos milhões para a produção de pro-

grama de TV”, explica Zenorini. Embora com tempo mais curto entre as candidaturas, 2 minutos e 7 segundos diários, a coligação focará as propostas do plano de governo, como redução em no mínimo 50% dos cargos de confiança, redução de salários de prefeito, vice e vereadores, criação de conselhos populares, a revisão do contrato com as empresas de ônibus, lixo, água e esgoto, por exemplo. Fred Zenorini coloca à disposição o celular (11) 7298 4149.

João Carlos Carvalho terá cinco minutos O programa eleitoral gratuito da Coligação Bragança com Qualidade de Vida, formada pelos partidos PSDB, PDT e PTC, tem duração de cinco minutos. Durante os programas que irão ao ar, pelas emissoras locais de rádio e TV, do dia 21 de agosto até o dia 4 de outubro, o candidato a prefeito João Carlos Carvalho (PSDB) irá apresentar as propostas de governo do grupo.

Outras informações sobre a campanha de João Carlos Carvalho podem ser encontradas no site www.joacarloscarvalho45. com.br ou no www.facebook/ joãocarloscarvalho45. (Todas as coligações foram notificadas de que este espaço seria destinado a um resumo sobre a estreia do horário eleitoral, no entanto, apenas três enviaram material).

Fernão Dias... ... Em entrevista à Rádio FM, disse que, se for para ter votos de traficantes, bandidos e outros marginais, prefere perder a eleição mesmo que seja de lavada. Uma das metas dele é transformar Bragança Paulista na cidade mais segura do Brasil. Afirmou também que está afinado com o ex-presidente Lula (PT) que, pelo menos uma vez por mês, passa por Bragança, pois tem uma chácara em Monte Alegre do Sul. Há grandes possibilidades da presença dele em nossa cidade até o final da campanha eleitoral. Julgado apto O candidato a vice-prefeito Antônio Ricardo foi julgado apto a ser candidato a vice prefeito da coligação “Bragança Junto de você”, de Gustavo Sartori (PSB), na tarde da última quinta-feira. Mais uma novela que chega ao final. Eleito segundo vice-presidente da Câmara Nelson Koki (PMDB) que assumiu cargo de vereador na cadeira dispensada por Maria de Lima (PTB), vaga que foi ocupada por três vereadores. Nem bem foi empossado, já é escolhido por unanimidade como segundo vice-presidente. Com isso, têm a vaga de estacionamento reservada em frente a porta do prédio da Câmara Municipal. Parabéns a ele. Espero que na próxima semana, junto com os demais, de prosseguimento a CEI da ONG Viva a Vila, que está paralisada há várias semanas. 403 candidatos para 19 vagas Esse é o número de candidatos a vereadores em nossa cidade. Um verdadeiro concurso público em que os 19 vencedores terão emprego por quatro anos, com um custo mensal, cada um, de mais de R$ 12 mil ao nosso município. Na realidade, só mesmo 40 deles têm reais condições de se eleger. Os demais, mal passaram de 300 votos. É até divertido ver os personagens que se candidataram, tem para todos os gostos. O lixão continua Quase um mês depois que denunciei aqui a imundice, a falta de respeito com o dinheiro público, a falta de respeito com os moradores das proximidades do barracão da escola de samba da Vila Aparecida, tudo continua na mesma. Um morador das proximidades me relatou que é comum ver ratazanas, aranhas e escorpiões no local. Falei com o presidente da Liga das Escolas, Paulinho do Barril, que respondeu este o descaso perdura por anos. No próximo ano, o novo prefeito deveria vincular a liberação de verbas para o Carnaval às escolas que cumprissem determinadas normas. Agora, a pergunta que não quer calar: será que na casa da diretoria desta escola também reina esta bagunça? É a conclusão que chego. Estou cansado de receber telefonemas de moradores das proximidades que estão indignadas com isso. Sem cabeça A estátua da Justiça que fica na rotatória em frente ao Fórum de nossa cidade está com a cabeça quebrada. Ninguém da Prefeitura viu ou, se viu, fez de conta que não. Que vergonha. Não restou nem uma Das quatro estátuas que havia na rotatória que fica na avenida Antônio Pires Pimentel, em frente a rodoviária urbana, não sobrou nada. As peças, simbolizando as quatro estações do ano, foram depredadas, arrancadas e, com certeza, devem estar no lixo

da garagem da Prefeitura, exatamente como tudo que quebra e fica esquecido. João Carlos Carvalho... ... Na entrevista que deu a rádio FM 102.1, disse que, por várias vezes, só faltou sair no braço com o prefeito Jango (PSDB). Disse, também, que faltou apoio e colaboração do vice-prefeito, Gonzaga Mathias. Eu gostaria de saber do vereador João Carlos como o vice-prefeito iria colaborar se quem mandava e manda na Prefeitura é a primeira-dama. O candidato tucano comentou que há um candidato a prefeito em nossa cidade que vende secretarias de governo para obter dinheiro com o objetivo de custear a campanha política. Mas não disse quem era esse candidato, garantindo que irá fazê-lo em seu programa eleitoral. Até sei de quem ele está falando, mas não digo nem sobre tortura chinesa. Vamos aguardar o dia 21 próximo, quando começam as propagandas eleitorais gratuitas. Quase no final da entrevista, ele deu nota oito a essa administração e, minutos depois, corrigiu para nota sete. Acredito que, mesmo reduzindo a nota, ele exagerou, pois 80% de nossa população, na certa, daria no máximo dois. E olha lá. A novela da CEI... ... Que deverá apurar as irregularidades na ONG Viva Vila, está paralisada. Com isso, prejudicando a ONG que vive de verbas da Prefeitura. Enquanto não terminar, tudo ficará parado. Pelo que sei, a entidade está passando por dificuldades financeiras e, pelo visto, a novela deverá se estender até o final do ano. Não existe interesse em prosseguir com a CEI no período de campanha eleitoral, pois temem perder votos junto à população que usufruiu dos benefícios desta ONG. Novo REFFIS à vista Com uma grande queda na arrecadação de impostos e taxas da Prefeitura, se comenta a possibilidade de um novo REFFIS. Só que a Prefeitura deveria fazer novas modalidades de parcelamento seguindo os mesmos modelos dos REFFIS federais que possibilitam ao contribuinte parcelar em muito mais parcelas. Aqueles que não conseguiram cumprir os anteriores podem parcelar novamente, desde que quitem, de início, um mínimo de 10% do total remanescente dos débitos. Tudo vai depender do projeto que for enviado à Câmara de Vereadores. Como hoje o Poder Executivo não tem aliados no Legislativo, acredito que não será aprovado como for enviado. Jango está praticamente sem vereador. Ninguém assume apoiá-lo com medo de perder votos. Propostas de governo Não minha opinião, não passa de palhaçada para ludibriar eleitores desavisados, pois todos sabem que jamais serão cumpridas à risca. Como dizem por aí, “papel aceita tudo” e, portanto, não acredite em nada do que apresentarem ou falarem. Na hora de votar, analisem o caráter, o currículo e a vida de cada um deles. Pense bem nisso Trabalhando arduamente 8 horas por dia você poderá, um dia, se tornar dono do próprio negócio e, assim, passar a trabalhar 16 horas por dia ganhando metade do que ganha atualmente. Frase da semana Chato é aquele cara que você diz por educação: aparece lá em casa. E ele aparece!


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

16 bragança

Divulgação Bragantino

Após julgamento realizado no Rio de Janeiro (RJ), o volante Acleisson foi suspenso por duas partidas e cumpre a segunda contra o Ceará. O técnico Roberto Cavalo ganhou mais um desfalque para a partida contra o Ceará (CE), neste sábado, às 16h20, no Nabizão, pela 18ª rodada da Série B Nacional. O volante Acleisson foi julgado na noite de quinta-feira pela expulsão contra o Avaí (SC) e foi suspenso por dois jogos. Como já cumpriu a automática, cumpre a segunda contra o time cearense. No julgamento realizado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, (STJD), no Rio de Janeiro (RJ), Acleisson foi denunciado por infração ao artigo 250 do CBJD, por “praticar ato desleal ou hostil durante a partida”, que previa uma suspensão de uma a três partidas. Por ser reincidente, Acleisson já havia sido julgado por uma expulsão contra o Guarani, pegou dois jogos de gancho. O advogado do Bragantino,

O volante Acleisson foi suspenso por duas partidas e cumpre a segunda contra o Ceará

Dr. Paulo Rubens, defendeu o atleta no tribunal e pediu absolvição de Acleisson. “A infração é típica do segundo cartão amarelo e o jogador já cumpriu a pena, ficando fora da partida seguinte. Dessa forma, peço absolvição”, falou o advogado. Após a defesa iniciou-se a votação e o relator Márcio Amaral votou pela suspensão de duas partidas, também acompanhado pela maioria dos auditores, enquanto apenas um deles entendeu que o atleta devia ser absolvido.

Projeto da Sabesp será debatido em audiência pública Em audiência pública, a Câmara Municipal coloca em debate projeto que pretende reafirmar o contrato da Prefeitura com a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP). O projeto visa celebrar convênio de cooperação entre o Estado e o Município para a continuidade de prestação de serviços públicos de abastecimento de água e esgotamento sanitário através da Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (ARSESP). A reunião, aberta a participação popular, acontece terça-feira (28), a partir das 18h no Legislativo

e será coordenada pelo vereador Marcus Valle. As realizações das audiências públicas são previstas pelo Regimento Interno do Legislativo. O objetivo é ouvir os interessados e também abrir oportunidade a população para que emita opiniões e sugestões sobre os projetos em pauta, antes de sua votação em Plenário. A reunião será transmida, ao vivo, através do endereço eletrônico www.camarabp.sp.gov.br. Fonte: Assessoria de comunicação da Câmara dos Vereadores

Pédico, É com pesar que faço esta homenagem ao falecido amigo Armando Pédico. Seu falecimento causou grande tristeza à legião de amigos que o rodeavam. Tivemos uma amizade que se solidificou ao longo dos anos. Como é bom fazer amigos, trocar ideias, ouvir opiniões e, acima de tudo, ter amizade verdadeira. À família enlutada, meus sinceros sentimentos. Amigo Pédico, descanse em paz. Pancho

Transtorno no atendimento segue na UPA Bom Jesus Paciente flagrou morosidade de funcionários; GM foi acionada Por Angelito Neto

N

a última quarta-feira, dia 15, usuários do sistema municipal de saúde se revoltaram após longas horas de espera por atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Bom Jesus, no bairro Hípica Jaguari. A maioria das pessoas chegou ao local por volta das 8h30, no entanto, até 16h, muitas ainda não tinham sido atendidas. Inconformado com a situação, por volta das 13h, o paciente João Carlos de Souza entrou na sala dos médicos e flagrou vários funcionários conversando enquanto as pessoas se aglomeravam na espera. Depois disso, a Guarda Municipal foi acionada. “Cheguei aqui às 9h e, até agora, ninguém me atendeu, apenas fizeram minha ficha”, declarou Regina Silveira. Outra reclamação é sobre a rapidez e superficialidade no atendimento médico. “Estou aqui desde as 10h e fui atendida em menos de cinco minutos. Ainda me receitaram somente dipirona”, disse uma indignada Nilza Silva.

Foto: Angelito Neto

STJD cria mais um desfalque para o técnico Roberto Cavalo

Espera por atendimento chegou a mais de sete horas

Durante a permanência da reportagem do JP no local, os atendentes intensificaram os trabalhos. Funcionários da UPA justificaram o atraso. Segundo eles, um dos médicos havia passado mal e, por isso, os atendimentos se acumularam. No período da tarde, outra médica foi chamada. Ainda assim, os procedimentos ainda estavam em ritmo lento. Histórico de reclamações Essa não é a primeira vez que

nossa equipe registra a situação do mau atendimento na UPA Bom Jesus. No final do mês passado, ocorreram vários incidentes ocasionados pela demora. De acordo com a direção da unidade, um dos motivos da demora e das reclamações está nos atendimentos que deveriam ser feitos em postos de saúde. Muitas vezes, as pessoas são orientadas e ir a UPA, o que sobrecarrega os consultórios do local.

No trânsito, Bragança está com cara de cidade grande Há pelo menos 20 dias, os motoristas de Bragança Paulista enfrentam os problemas de trânsito vividos em cidades de grande porte. Isso ocorre, principalmente, na avenida dos Imigrantes, com a falta de orientação de agentes de trânsito. Pelo menos na altura da rotatória que dá acesso ao Jardim Europa até a outra do Fórum, o motorista encontra problemas, chegando a perder 15 minutos em um trecho de apenas 800 metros. No local, a equipe do JP constatou que são vários os motivos para a lentidão no tráfego de veículos leves e pesados. Algumas obras da Sabesp são realizadas na avenida dos Imigrantes. Em outro trecho, a Secretaria de Trânsito fechou um cruzamento sem necessidade. Mais um motivo são as obras de pavimentação da avenida Alberto Diniz, que obriga os motoristas que chegam de Itatiba e bairros rurais próximos a rodo-

Foto: Angelito Neto

Interdições da Sabesp e Prefeitura são as responsáveis por lentidão

via Alkindar Monteiro Junqueira a entrar pelo bairro de Santa Luzia, levando todo o tráfego ao cruzamento interditado, o que obriga o motoristas que desejam ir ao centro da cidade a enfrentar o trânsito pesado na avenida dos Imigrantes para procurar retorno

para concluir o roteiro. Segundo a Sabesp, na avenida dos Imigrantes, as obras estão na fase final e, dentro de cinco dias, deverão ser concluídas. Já na avenida Alberto Diniz, a Prefeitura não informou o prazo de término das obras de recapeamento.


redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

piracaia 17

No Twitter

@JPnaRede JP Região

Minha Casa, Minha Vida tem novos contemplados Em parceria com Governo Federal, Piracaia garante 2º novas unidades

A

expectativa marcou o sorteio dos contemplados para o programa habitacional “Minha Casa, Minha Vida”, em Piracaia, no dia 9 de agosto. Mais de cem pessoas acompanharam ansiosamente cada número que era retirado das urnas – por crianças convidadas – no Centro Esportivo Municipal. Ao todo, serão construídas 20 novas moradias populares com recursos do Governo Federal para integrantes do Cadastro Único Geral (CadÚnico), em parceria da Prefeitura, que já disponibilizou terreno. Além dos inscritos, também acompanharam o sorteio a prefeita Fabiane Santiago (PV), a coordenadora social Magali Basile e como fiscais do ato, o vereador Toninho da Rádio, o radialista e chefe de Gabinete do Legislativo de Piracaia Luiz Ailton Moreira (Zinho), o jornalista Fernando Nasser e alguns moradores, além dos profissionais da

Assistência Social – que trabalharam desde o cadastro ao sorteio. Além dos 20 contemplados, foram sorteados mais seis suplentes, já que a documentação passa agora por pesquisa no Ministério das Cidades e, caso haja impedimento de um ou outro comtemplado, os suplentes, dentro da ordem de sorteio, poderão ser habilitados no programa (desde que estejam, também, dentro das normas e parâmetros para obtenção da unidade). Quem foi contemplado e não estava presente será comunicado pela Assistência Social e não perde o direito. “Informamos ao Ministério Público que realizaríamos o sorteio, comunicamos a Polícia Militar e a Magali convidou os vereadores. Prezamos pela seriedade e transparência com a utilização de urnas em acrílico transparente, convidamos alguns inscritos para serem fiscais. As crianças

realizaram a retirada dos números das urnas, os quais, sobre fiscalização, foram recortados no ato inicial dos sorteios. Cada número representava um inscrito”, explica a prefeita Fabiane Santiago. No término do sorteio, a ata foi lavrada e o livro assinado pelos que estiveram presentes trabalhando, fiscalizando, bem como pelos contemplados. “Isso foi feito para se seguir as normas padrão e para reforçar a transparência dos atos”, diz Magali Basile. Os inscritos no programa, não sorteados, terão os cadastros disponibilizados ao programa da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo (CDHU), já em andamento em Piracaia. Importante lembrar que os critérios da CDHU são diferentes do programa Minha Casa, Minha Vida via CadÚnico.

Piracaia encerra participação na 13ª Gincana da Solidariedade TV Vanguarda O encontro dos integrantes da chave I, escolas que representaram os municípios de Piracaia, Bragança Paulista, Atibaia e Jacareí, ocorreu no dia 11 de agosto, no Ginásio Educamais em Jacareí (SP). A participação dos alunos, professores e direção da Escola Alziro Brandão – situada no bairro Santo Antonio em Piracaia – foi mais uma experiência agradável e envolvida de muita alegria. O município marcou presença com a participação dos alunos, seja na apresentação musical, nas provas de caráter lúdico e na gincana cultural, respondendo a perguntas de conhecimento geral.

JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

Os estudantes Jonathan Félix da Silva e Letícia Mendes Ferreira, ambos matriculados no 5º ano da escola e alunos da professora Maria Lúcia Maiolli, demonstraram muita segurança e competência ao responder perguntas de conhecimento geral, acertando todas as questões. A torcida participou com muito entusiasmo e vibrou com as apresentações musicais, tais como: Banda Bate Lata – coreografada e ensaiada pela professora Ana Regina Rodrigues. Outra apresentação, que também chamou a atenção do público, envolveu cerca de 30 alunos matriculados no 2º, 3º, 4º e 5º anos.

A arrecadação de 2674 kg de arroz colocou Piracaia no quarto lugar da classificação geral. O município não segue para a próxima etapa. Para os organizadores, a vitória foi mobilizar vários segmentos da sociedade, escolas da rede municipal, empresas, famílias, estabelecendo uma produtiva parceria em benefício dos mais necessitados. A arrecadação será distribuida às entidades assistenciais do município, em evento que será organizado, em breve, e onde também ocorrerá a entrega dos prêmios para os vencedores do concurso cultural “Competição Solidária”. Dentre os prêmios, estão as bolsas de estudo da Escola Prepara.

Piso Social Estadual poderá ser repassado ao município ainda este mês Piracaia esteve representada pela coordenadora social Magali Basile, no primeiro dia de agosto, na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social. Em reunião com o secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Rodrigo Garcia, a coordenadora social da Prefeitura de Piracaia, Magali Basile, no dia 1 de agosto, na Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social, discutiu diversos assuntos, como a prestação de contas, atrasos nos pagamentos de recursos, a falta de apoio para os casos de acolhimento e, principalmente, a questão do Piso Social São Paulo, concedi-

do em 29 de fevereiro deste ano pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) e que ainda não foi repassado aos municípios. “A reunião foi muito proveitosa e o secretário disse que o valor do Piso São Paulo deverá ser pago ainda neste mês de agosto”, informou Magali. O Piso Social Paulista é somado aos recursos do Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS), que as cidades recebem ao longo do ano. Esse valor é empregado no atendimento direto à população, nos serviços preventivos da Proteção Social Básica e protetivos da Proteção Social Especial.

Vagas de emprego no CERET • Técnico de Segurança do Trabalho - 1 ano de experiência; • Químico – com experiência em indústria de alimentos; • Estagiário em contabilidade; • Comprador Pleno – com experiência - irá trabalhar na compra de calçados femininos de modelo popular; • Comprador Júnior – com experiência - irá trabalhar na compra de calçados masculinos de todos os modelos; • Assistente de laboratório – com experiência em controle de qualidade de produtos químicos, experiência em formulação de cosméticos; • Caseiro - experiência e referência do último serviço; • Servente de pedreiros – com experiência; • Ajudante geral - experiência em olaria e ou fábrica de cimento; • Conferente de mercadoria – com experiência comprovada. Venha renovar o currículo para futuras vagas! O CERET está localizado à rua Dirce Fiorellini Badari, 49 – centro. 022/08.2012

JORNAL

JP Notícias www.pioneironoticias.com.br

ANUNCIE

(11)

4411 9704

Desenvolvimento se faz com saúde e educação PV/PT/PCdoB ELEIÇÃO 2012 JULIO CESAR BADARI PREFEITO 16.531.294/0001-18 CNPJ: 04.224.993/0001-36 - R$ 250,00

Mostre seus produtos e serviços para seu público ELEIÇÃO 2012 WANDERLEY DE OLIVEIRA PREFEITO - Democratas DEM (25) CNPJ 16.318.556/0001-60 JP: CNPJ 04.224.993/0001-36 Valor R$250,00


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

18 piracaia

Foto: Walter Moraes

Atleta de Piracaia conquista 1º lugar em campeonato de Jiu-jitsu nos EUA

Crea-SP firma compromisso para fortalecimento de entidades de classe Associação de Piracaia e região é uma das primeiras a receber benfeitorias

O

Vencedor nos EUA, Tiago diz “falta patrocínio contínuo”

Por Walter Moraes Não é a primeira vez que atletas de Piracaia se destacam em campeonatos de artes marciais e o lugar mais alto do pódio, no campeonato LAS VEGAS OPEN JIU-JITSU CHAMPIONSHIP, realizado em 11 de agosto na cidade de Las Vegas – Estado de Nevada (EUA) – foi ocupado pelo piracaiense Tiago Souza. Lutando na categoria Adulto Super Pesado, Tiago provou que o Jiu-jitsu brasileiro é referência nos tatames de outros países e se superou ao vencer os ameri-

canos Benino Gurrola, Mathew Lowry e Spencer Dohm. Tiago e outros atletas estão agora em busca de patrocínio. “É difícil a corrida para conquistar nossos objetivos, principalmente pela falta de patrocínio contínuo. Muitos atletas brasileiros sofrem com a falta de apoio, ou com o pouco apoio, para se manterem e assim chegar ao ponto de representar, com louvor, o próprio país. Cheguei até aqui, fiz a minha parte”, conclui Tiago, que a continua nos EUA para disputar o Boston Open, no próximo dia 25.

Crea-SP assinou nos dias 9 e 10 deste mês convênio com associações de profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia das cidades de Andradina, Araras, Avaré, Barra Bonita, Botucatu, Conchal, Dracena, Ibitinga, Itanhaém, Itápolis, Laranjal Paulista, Monte Alto, Ourinhos, Piracaia, Praia Grande, São José do Rio Pardo e Valinhos, para execução de reforma e construção de uma Unidade de Gestão de Inspetoria (UGI), Unidades Operacionais (UOPs) e Postos de Serviço (UPS) do Conselho nessas localidades, além da construção de anfiteatros junto às instalações das Entidades de Classe locais. As obras e benfeitorias vão ser iniciadas em 2013 e as providências para cumprimento do cronograma já começaram a ser tomadas. No caso da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Piracaia e Região, a entidade está cedendo espaço para a instalação de um UPS do Crea-SP. O presidente da entidade, José Eduardo Picarelli Gonçalves, que é inspetor especial do Crea-SP, ressaltou, por ocasião da assinatura do convênio, a rapidez com que a associação foi atendida. Como parte do mesmo conjunto de ações, no dia 4 de agosto, o Crea-SP já havia lançado na cidade de Adamantina, no oeste paulista, a

pedra fundamental da nova Unidade Operacional (UOP). A edificação será levantada em terreno de aproximadamente 1.000m², doado pela Prefeitura local em área nobre do município. Assim como vem estabelecendo um padrão de atendimento e de fiscalização em todo o Estado, respeitando as particularidades, características e demandas de cada localidade, o Crea-SP definirá uma padronização visual para as unidades, conferindo-lhes identidade e a devida visibilidade pelas comunidades locais. O projeto que o Crea-SP começa a por em prática inclui a criação de espaços office para uso dos profissionais em trânsito e auditórios para aperfeiçoamento técnico dos profissionais e outros tipos de eventos para a população, como palestras, cursos e treinamentos, com infraestrutura de primeira linha. Terrenos doados pelas prefeituras O Crea-SP informa que, no caso das construções, elas serão realizadas em terrenos doados pelas prefeituras locais. Após a regularização documental dos primeiros 18 casos de doação, o conselho partirá para novas providências. O primeiro passo foi dado na semana passada, quando a diretoria recebeu os presidentes das

associações das cidades já beneficiadas pelas doações, assinando os despachos para execução dos projetos de reformas e construções e oficializando compromisso . “Após a regularização de toda a documentação necessária, contrataremos empresa para a elaboração de um manual de padronização das obras, que englobará critérios de comunicação visual, especificação de materiais para as reformas e construções, padronização de layout e demais procedimentos de identidade” – informa o superintendente de Fiscalização do Crea-SP, Luiz Roberto Sega. No caso das associações que mantêm antigos regimes de comodato com o Crea-SP, o conselho analisa cada situação dentro de características e necessidades de reforma. Conforme levantamento do Crea-SP, muitas delas precisam ser adequadas em termos de acessibilidade, sustentabilidade e outros itens que permitam uma revitalização compatível com cada caso. Além das ações visando à modernização e o fortalecimento das atividades do conselho no Interior e litoral paulista, o Crea também está incrementando serviços de informatização, como é o caso da implantação do novo sistema de ART e cadastro de profissionais e empresas, o CREANet.

Lista de pontos de distribuição do JP Notícias Atibaia Padaria Yannuzi - Portão Agulha e Cia - Portão Banca Auto Posto Pedra Grande - Recreio Estoril Bar do Chico Beraldo - Caetetuba Posto Ultramarino - rodovia Fernão Dias Padaria Cristal - Lucas Nogueira Garcez Banca Magalhães (em frente ao Colégio Espaço) - Lucas Nogueira Garcez Banca do Convém - Lucas Nogueira Garcez Padaria da Mama - Lucas Nogueira Garcez Vídeo Trip - Estância - Alvinópolis Padaria Cristal - Jardim Brasil Avícola Ovos de Ouro - Alvinópolis Padaria Nazaré (avenida Dona Gertrudes) - Alvinópolis Padaria e Confeitaria - Jardim Alvinópolis Banca do Jajá (em frente ao Extra) - Jardim Brasil Padaria Nice - Centro Papelaria Barqueta - Centro Tecidos e Aviamentos - José Lucas (Centro) Posto Hungry Tiger - Centro Padaria Legé - Centro Padaria Kekos - Centro Bar do Chico (Calçadão) - Centro Mercadão (Bar Royal) - Centro Mercadão (Corredor) - Centro Mercadão (Trailer do Pátio - Sucos Naturais) Centro Posto Águia - Rede Tukas (Centro) - José Bin Padaria Loanda - Loanda Mercadinho Fênix - Jardim dos Pinheiros FAAT - Brogotá

Panificadora Estrela da Manhã - Bairro da Ponte Droga Beltrame - Bairro da Ponte Vídeo Trip - Ponto 1 (Conveniências) - Alvinópolis Concessionária Luchini (Chevrolet) - Alvinópolis Padaria Esquina do Pão - Alvinópolis Concessionária FIAT - Centro Concessionária Mercantil (Volkswagen) - Centro Câmara de Atibaia - Centro Banca 3 Irmãos - avenida Atibaia Bragança Paulista Banca do Baião - Planejada II Padaria e Supermercado Mille - Jardim do Lago Banca da Estância - Jardim do Lago Banca Popular - Jardim do Lago Padaria 9 de Julho - Taboão Posto Shell Tasquinha - Taboão Loja e Banca Morango Verde - Centro Posto do Vale - Taboão Auto Posto Biquinha Banca Estância - Centro Banca do Birdão - Centro Banca do Pardal - Centro Padaria das Pedras - Jacinto Domingues Banca da Praça - Jacinto Domingues Padaria Bem Bolado - Centro Padaria da Mamãe - Centro Estacionamento do Mercadão - Centro Banca de Frutas Mercadão - Centro Posto PP - Centro

Banca do Roberto - Matadouro Posto Sorriso - Lavapés Posto Midas - Centro Chaveiro Ventania - Centro Posto Brasil - Centro Padaria Bom Pão - Centro Farma Fácil - Centro Posto Sabella - Matadouro Bar do Negrão - Cruzeiro Padaria Aldo Bolini - Cruzeiro Posto Galeão - Centro Posto Selecta - Matadouro Posto Europa – Jardim Europa Restaurante da Roseira - Matadouro Posto Capivarão - Taboão Base de Apoio Auto Pista Fernão Dias - Rodovia Fernão Dias Posto BR Frango Assado - Rodovia Fernão Dias Distribuição Itinerante - Zona Norte Distribuição Itinerante - Centro e Clube de Regatas Posto Comercial Imigrantes - Matadouro Bem Bolado - Jardim Europa Piracaia Goyos Supermercado - Batatuba Posto BR - Centro Goyos Supermercado - Centro Supermercado Hakuo - Centro Padaria da Praça - Centro Casa de Pães Santo Antônio - Centro Banca da Praça - Centro Café da Dana - Centro

Marcajó - Centro Prefeitura - Centro Posto Labamba - Centro Loja Botafogo - Centro Casa de Pesca - Centro Leitão - Centro Padaria Sonho Verde - Centro Auto Peças Avenida - Centro Supermercado Pouso Alegre - Pouso Alegre Supermercado Hakuo – Atrás da Rodoviária Fábrica de Calçados Supermercado Jair Machado – Jardim Capuava Casa de Pesca O Campeão - Centro Auto elétrica Recife - Centro Sabesp - Centro Condomínio Boa Vista Posto da Polícia Militar Conveniência do Posto - Point One Material de Construção Morro Grande - Morro Grande Supermercado Oliveira Material de Construção Custa Menos Supermercado Água Cumprida - Água Cumprida Distribuidora de Gás - Água Cumprida Bom Jesus dos Perdões Auto Posto Happy - Jardim Santos Dumont Sacolão JP - Jardim Santos Dumont Auto Posto Bom Jesus - Jardim Santos Dumont Banca da Darumã - Centro Supermercado Souza Bueno - Vila Operária Auto Posto Comboio - Vila São José


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

redacao@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

região 19

Paralisação de Belo Monte atingirá também condicionantes, diz Norte Energia A Justiça determinou, no início da semana, a paralisação das obras de Belo Monte Por Pedro Peduzzi, repórter da Agência Brasil

A

s condicionantes previstas para compensar os impactos negativos causados pela construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte também deverão ser paralisadas a partir do momento em que a Norte Energia, empresa responsável pela obra e operação da usina, for notificada oficialmente da decisão da Justiça. Este é o entendimento da empresa, segundo o presidente, Duílio Diniz de Figueiredo. De acordo com ele, a situação é “preocupante”, já que para a obra ser retomada será necessário, além de ações do Legislativo, a aprovação da plenária do Supremo Tribunal Federal (STF), que está envolvido, pelo menos até meados de setembro, com o julgamento do mensalão. “Ainda não fomos notificados pela Justiça, mas pelo colocado,

a paralisação [da obra] não é parcial, e abrangerá também as condicionantes que estão sendo cumpridas”, disse Figueiredo. Segundo ele, para cumprir o que foi determinado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1) – e não ter de pagar os R$ 500 mil de multa diária, caso a obra não seja paralisada – a empresa não poderá dar sequência às obras de infraestrutura, como o lixão que está sendo construído em Altamira (PA) e as obras de saneamento na cidade. “Além disso, teremos de fechar os refeitórios onde entre 12 e 13 mil funcionários se alimentam. O problema é que Altamira não terá a menor condição de receber esse pessoal”, disse o presidente da empresa. “Essa decisão do TRF1 não é contra a Norte Energia, mas contra a Eletrobras, Eletronorte, Funai [Fundação Nacional do Índio] e Ibama [ Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis]. É o reflexo

dela que recai sobre a Norte Energia”, acrescentou. A empresa não tem, até o momento, nenhuma estimativa sobre o prejuízo diário provocado pela paralisação. “O que podemos dizer é que cada dia paralisado representará um dia a menos de energia para 27 empresas em 17 estados, mas até o momento estamos dentro do cronograma previsto.” Segundo ele, não há ainda uma definição sobre a quem caberá arcar com o prejuízo – se será a própria Norte Energia, o Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM) ou qualquer parte que, por ventura, venha a ser considerada a causadora do prejuízo. “Aguardamos a notificação e os documentos para, em um segundo momento, fazermos um plano de desmobilização, que detalhará o tamanho do prejuízo, e, então, estabelecer nossa estratégia [jurídica]. Há, sim, a possibilidade de jogarmos o prejuízo para

aquele que o causou.” Figueiredo garante que, ao contrário do que foi argumentado pelo TRF1, a empresa cumpriu todos os requisitos para dar início às obras. “Estamos legais, constitucionais e fazendo tudo o que se estabelece dentro da legislação brasileira. Durante dois anos, fizemos 38 reuniões com índios de 24 terras indígenas. Foram feitas, ainda, quatro audiências públicas [nas cidades paraenses de Belém, Altamira, Brasil Novo e Vitória do Xingu] que ouviram 8 mil pessoas. Só em Altamira participaram 5 mil pessoas. Entre elas, 200 lideranças indígenas”, argumentou o presidente da empresa. “O problema é que esse é um projeto que tem uma aura bonita [atraente] para algumas organizações não governamentais que acabam plantando notícias na imprensa. Até hoje, elas insistem que a obra vai atingir terras indígenas. Isso é falso. Já deixamos

Coluna Vertebral

bem claro que, ao contrário do que é divulgado por essas entidades, o empreendimento não afetará sequer 1 metro quadrado de terra indígena.” Figueiredo, no entanto, admite que o embarramento da usina causará impactos negativos para a mobilidade dos índios no Rio Xingu. “Por isso, estamos dando atenção especial à questão da transposição de embarcações [já que a vazão do rio será diminuída com a obra]. Esse problema será solucionado com um sistema de elevação de pequenos e médios barcos, de até 30 passageiros, que é o tipo de embarcação que circula por lá, uma vez que o Rio Xingu não é um rio 100% navegável.” A Quinta Turma do TRF1 determinou, no início da semana, a paralisação das obras de Belo Monte, ao identificar ilegalidades em duas etapas do processo de autorização da obra, uma no STF e outra no Congresso Nacional.

LUIZ CARLOS DIB DE ARAÚJO Odontólogo. E-mail dibdibaraujo@hotmail.com

Intolerância à politicose, mentirose… Não bastassem nossos problemas com saúde física, tendo que suportar e tratar os problemas que nos afligem, como a “intolerância à lactose”, “intolerância à glicose” e tantas outras “intolerâncias químicas”, agora, pasmem, estamos sendo atingidos no âmbito político-social, pela “intolerância moral”, “intolerância ética”, sendo que, essas duas últimas, atingem os órgãos que mais doem em nosso corpo: o cérebro e o coração. Não suportamos mais a “cara de pau” dos nossos políticos, que, acompanhados e instruídos por defensores, muitos dos quais oriundos do próprio governo, conseguem produzir um discurso carregado de mentiras, hipocrisias, falso testemunho e sarcasmo. Você tem assistido o julgamento do mensalão? Pois, o Ministério da Saúde adverte: assistir, ler ou ouvir a respeito do julgamento do mensalão, provoca “psicose, aumento da glicose, dores na lordose, na escoliose, na artrose e talvez a osteoporose”. Pois é, minha gente, graças a Deus nossa intolerância com o Collor deu resultado, tiramos o “bichão” do palácio pelas falcatruas por ele produzidas, mas, por que não ocorreu o mesmo com essa turma toda que vem horrorizando a todos nós, há vários anos, com desmandos, desvios de dinheiro público, corrupção ativa, corrupção passiva e uso de “dinheiro não contabilizado” (caixa 2, né?). Ah! Mais degradante ainda, confessado pelo Delúbio em pleno depoimento ao STJ. Pode? Phode! No Brasil, pode...

O jeito é mudar nossos hábitos e passarmos a ler os escritos e frases produzidas pelos grandes pensadores como o que segue abaixo, escrito por Voltaire há quase 250 anos, mas você vai perceber que ele ainda é atual: “Traité sur la tolérance” – M.DCC.LXIII. O célebre “Tratado sobre a tolerância”- (1763), defendia o direito de todo homem expressar livremente suas opiniões e crenças. “Não é mais aos homens que me dirijo. É a Você, Deus de todos os seres, de todos os mundos e de todos os tempos: que os erros agarrados à nossa natureza não sejam motivo de nossas calamidades. Você não nos deu coração para nos odiarmos, nem mãos para nos enforcarmos. Faça com que nos ajudemos mutuamente a suportar o fardo de uma vida penosa e passageira. Que as pequenas diferenças entre as vestimentas que cobre os nossos corpos, entre nossos costumes ridículos, entre nossas opiniões insensatas e nossas leis imperfeitas, não sejam sinais de ódio e perseguição. Que aqueles que acendem velas em pleno dia para Te celebrar, suportem os que se contentam com a luz do Sol. Que aqueles que cobrem suas roupas com um manto branco para dizer que é preciso Te amar, não detestem os que dizem a mesma coisa sob um manto negro. Que aqueles que dominam uma pequena parte desse mundo, e que possuem algum dinheiro, desfrutem sem

orgulho do que chamam poder e riqueza e que os outros não os vejam com inveja, mesmo porque, Você sabe que não há nessas vaidades, nem o que invejar, nem o que se orgulhar. Que eles tenham horror à tirania exercida sobre as almas, como também execrem os que exploram a força do trabalho. Se os flagelos das guerras são inevitáveis, não nos violentemos em nome da paz. Que possam todos os homens lembrar que são irmãos!”. Frases de Voltaire: “A primeira lei da natureza é a tolerância, já que temos todos, uma porção de erros e fraquezas.” “Pense por si mesmo e dê as outras pessoas, o direito de fazer o mesmo.” “Eu discordo do que você diz, mas defenderei até a morte o seu direito de dizê-lo.” “A ignorância afirma ou nega veementemente; a ciência duvida.” “Julgue-se um homem mais pelas suas perguntas, do que pelas suas respostas.” Em tempo: O texto, Tratado sobre a tolerância, como as frases de Voltaire, entendemos que, não quer aqui anular o texto intolerância à politicose, mentirose... e muito menos deixar de punir quem quer que seja. Tolerância, Justiça, amor, sim. Democracia sempre. Mas sempre acompanhada do cumprimento das leis.


JP NOTÍCIAS - SÁBADO, 18 DE AGOSTO DE 2012

moriti@jpnarede.com.br

Tel.: 4411 3232

20 variedades

No Twitter

@JPnaRede JP Região

Horóscopo

Marcia Haubrich

Por Cris Siqueira

360

Cinema

Dirigido por: Fernando Meirelles Com: Anthony Hopkins, Jude Law, Rachel Weisz Gênero: Drama, Romance Nacionalidade: Reino Unido, Áustria, Brasil Sinopse Inspirado em "La Ronde”, clássica peça de Arthur Schnitzler, 360 é uma reunião de histórias dinâmicas e modernas, passadas em diversas partes do mundo. Dirigido por Fernando Meirelles, filme começa em Veneza e passa por Paris, Londres, Rio de Janeiro, Bratislava, Denver e Phoenix. O elenco conta com as presenças de

Rachel Weisz, Anthony Hopkins, Maria Flor, Jude Law e Ben Foster.

Locadora

Codinome Cassius 7

Dirigido por: Michael Brandt Com: Richard Gere, Topher Grace, Stephen Moyer Gênero: Suspense, Policial Nacionalidade: EUA

Sinopse Paul Shepherdson (Richard Gere) é um ex-agente da CIA contratado para encontrar um perigoso ex-parceiro denominado Cassius, que ninguém conhece como é verdadeiramente. Um senador foi cruelmente assassinado Para ajudá-lo na difícil missão, superiores orientam que ele conte com a ajuda de Ben Geary (Topher Grace) especialista nas ações do perigoso agente. Mas Paul insiste com todos que já tinha o eliminado no passado e que esse crime não pode ser de sua autoria. Enquanto isso, o novo parceiro avança nas investigações, mas Paul quer ele fora da jogada, nem que para isso tenha que convencer Natalie (Odette Yustman), esposa de Ben, de que eles correm muito perigo.

Teatro

Amigas pero no mucho Com Elias Andreato e as ‘novas amigas’: Norival Rizzo, Nilton Bicudo e Alex Gruli Com direção de José Possi Neto, composição musical de Miguel Briamonte, Jonatan Harold no piano e participação especial em áudio de Denise Fraga, Amigas, pero no mucho, faz história no cenário da comédia brasileira pelo encontro de quatro amigas em uma tarde de sábado, onde todas – ou quase todas - roupas sujas são lavadas por elas. Com humor cáustico, ironia e irreverência, elas falam sobre dissimulações, devaneios e loucuras. Quatro mulheres bem-sucedidas, ou não, comuns e sofisticadas que numa única tarde fazem revelações que as surpreendem e surpreendem o público que tem lotado todos os teatros por onde passam. Mulheres que se amam e se odeiam ao mesmo tempo. Amigas...

áries 21/03 a 20/04

touro 21/04 a 20/05

gêmeos 21/05 a 20/06

Não recuse convites ou compromissos que ficarão sob sua responsabilidade. A competência esta à altura e você saberá adequar o tempo. Caso as coisas não saiam do jeito que imaginava, controle o nervosismo e tudo ficará bem. No amor: ternura e surpresas boas.

Não espere por nada nem por ninguém. A semana começa cheia de boas novas e você assumirá que pode ser feliz sem sentir culpa. Cada um colhe o que planta. Os astros podem mandar entes queridos ao seu encontro. No amor: novas experiências trazem alegrias.

Os astros trazem ambiente ideal para você ter momentos felizes com familiares. Aproveite a semana para se envolver mais com pais e irmãos. Na profissão, realize tarefas com eficiência e colherá bons frutos. No amor: valorize os momentos simples e viagens curtas.

câncer 21/06 a 21/07

leão 22/07 a 22/08

virgem 23/08 a 22/09

Não invente ideias sensacionais para resolver problemas. O sucesso dependerá se você agir com simplicidade e foco. Se não se controlar, pode soltar a língua e falar o que não deve. No amor: grandes alegrias, prazer e tranquilidade. Troca de boas ideias com quem gosta.

Os astros beneficiam as finanças. Tudo indica que, se souber aplicar bem o dinheiro, terá muitos lucros ate o final do ano. Procure seguir sua intuição e cuidado ao fazer o que não queira ou pode se dar mal. No amor: sua historia de tem tudo para evoluir.

Sentirá tranquilidade profunda, mas tome cuidado com pessoas maledicentes ou questões bobas do cotidiano para não se aborrecer. Os astros indicam que precisa se integrar mais com as pessoas do trabalho. No amor: não se magoe à toa com palavras vãs de seu par.

libra 23/09 a 22/10

escorpião 23/10 a 21/11

sagitário 22/11 a 21/12

Momento para se entregar de corpo e alma ao trabalho. As ações de agora garantem o futuro. Pode ser elogiado por superiores e galgar a recompensa que tanto deseja. No amor: aproveite o clima favorável e aposte na relação e nos planos para o futuro.

Esperar que os outros tomem atitudes a seu favor não o levam a nada. Se quer mesmo progredir na profissão, coloque a preguiça de lado e vá à luta. Sua estrela vai brilhar. No amor: irá se preocupar com seu par e fazer de tudo para agradá-lo. Sensação de estabilidade.

Seu humor não será dos melhores esta semana. Portanto, é bom levar as pessoas menos a sério. Para evitar brigas em família, o ideal é sair de casa se o clima esquentar. Um passeio pode acalmar os ânimos. No amor: curta os momentos, as festas e os passeios.

capricórnio 22/12 a 20/01

aquário 21/01 a 19/02

peixes 20/02 a 20/03

Começa a semana a mil por hora! Tanto pique fará você render muito no trabalho e nas novas frentes que se abrirão. Mantenha os olhos abertos e perceba as oportunidades. Não estoure de nervoso nesta hora. No amor: declare o quanto você precisa de seu par.

Pode se sentir cansado de fazer sempre as mesmas coisas ou lidar sempre com os mesmos assuntos. Buscará mudanças imediatas, mas vá com calma e não atropele as pessoas para não se arrepender depois. No amor: muita diversão e romantismo com seu par.

Terá boas ideias, que precisam ser colocadas em prática o mais rápido possível. Evite fazer coisas que não estão ao seu alcance ou que não sabe fazer. Cuide melhor da saúde. Tente controlar a ansiedade. No amor: dê mais atenção a seu par. Vença o orgulho.

Suco de morango com granola Ingredientes • 300 g de morangos lavados, sem o cabinho • 250 ml de leite de soja ou outro leite vegetal • 4 colheres (sopa) de granola, sem adição de açúcar Preparo No liquidificador, bata os ingredientes (reserve metade da granola para depois), somente até ficarem cremosos. Distribua em 2 copos e sirva com a granola por cima.

Amigas, pero no mucho, enfim. Serviço: Teatro Shopping Frei Caneca Rua Frei Caneca, 569 - 6º Andar. Informações: (11) 3472 2229 e 3472 2230 Terças-feiras, às 21h Temporada: estreou no dia 7 de agosto. Até 6 de novembro.

Culinária

Rendimento: 2 porções

Edição 428 JP Notícias  

Edição 428 do JP Notícias de 18 de Agosto de 2012.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you