Issuu on Google+

REVISTA DA COMUNIDADE

1


Editorial

Índice

O mês de setembro resgata um dos aspectos mais históricos de nosso país: a Independência. Às margens do riacho Ipiranga, em São Paulo, no dia 7 de setembro de 1822, D. Pedro bradou: ‘Independência ou Morte’. Era o marco inicial de nossa emancipação política, econômica e social em relação ao reino de Portugal. Passados 188 anos, as melhorias no país são indiscutíveis. A independência foi mais do que necessária. Entretanto, do ponto de vista espiritual, desde o pecado de Adão – marco inicial da “emancipação” do homem em relação ao seu Criador, como se isso fosse possível – as coisas pioraram muito. Mas a esperança insiste e permanece. Lá no Calvário, diferente do Ipiranga, o brado foi de dependência e rendição: ‘Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito’. Jesus mostrou aos homens do mundo todo que a melhor vida a ser vivida depende exclusivamente de Deus. Nesse caso, Independência é Morte! Wagner Fernandes, pastor

Museu do Ipiranga/foto - Jairo Ferreira

04 06 08 10 12 16 17 18 24 26 27 29 34

Visão Liderança Deus Agindo Eles andaram com Jesus Fundação CG Arte e Cultura Aconteceu Capa Saúde Ano do Clamor Curiosidade Anunciantes Classificados

Expediente Produção: Comunidade da Graça Sede Pastor Presidente: Carlos Alberto de Quadros Bezerra Pastor Responsável: Wagner Fernandes Jornalista Responsável: Fabiana Lima - MTB 58739

Os anúncios contidos nessa edição são de única e exclusiva responsabilidade dos anunciantes, não tendo a Igreja Comunidade da Graça nenhuma responsabilidade sobre o conteúdo e veracidade dos mesmos.

Coordenação e Revisão: Paulo Sartori Redação: Elisabete Mazi Projeto Gráfico e Editoração: André Rinaldi Assistente de Criação: Gustavo Jitsuchaku Contato Publicitário: Gabriela Rosaneli Tiragem: 10.000 exemplares

Interessados em anúnciar na próxima edição, entre em contato: midia@comuna.com.br | 11 3588 0575


Visão

O Brasil no por Carlos Alberto Antunes, pr.

N

este mês em que comemoramos a independência do Brasil, precisamos fazer uma análise do nosso país, para então definirmos algumas atitudes que precisamos tomar para interferir neste contexto. Deus, em sua Palavra, várias vezes se refere às nações como famílias, pois Ele, em seu amor, assim as enxerga de forma muito carinhosa. Então, para entendermos de maneira bem prática a situação atual do Brasil, vamos compará-lo a uma família, segundo o padrão médio de vida do brasileiro.

Como vive a família no Brasil? Esta família está ganhando mais dinheiro, pois desde o plano Real, com o fim da inflação e o crescimento da economia, os salários passaram a representar ganhos verdadeiros e o crédito se tornou mais fácil. Por isto, a família Brasil está muito feliz, pois conseguiu comprar um imóvel próprio, já que o sistema habitacional conta agora com mais recursos para financiamento com juros mais baixos. Além disto, devido a estes mesmos fatores, a maioria dos membros adultos da família Brasil já adquiriu seu carro, ainda que pagando em 60 vezes ou mais. Mais dinheiro, casa própria e carro... parece que tudo está muito bem para a família Brasil! Mas, há outras circunstâncias que trazem pesadas nuvens nesse universo aparentemente tão límpido. A família Brasil está gastando mal o seu rico dinheirinho, pois está se endividando mais, investindo pouco e consumindo além do que pode. 4

REVISTA DA COMUNIDADE

A coisa se torna mais dolorosa quando constatamos que a família Brasil não tem segurança. A violência, a impunidade, o tráfico de drogas e o crime organizado estão sempre ceifando vidas de crianças e jovens, trazendo o desespero e a tragédia para dentro da a família.


Além disto, a saúde da família Brasil não vai bem, pois faltam bons hospitais públicos e os planos de saúde são caros. A educação dos membros dessa família vai mal – as escolas oferecem um ensino de baixa qualidade, com professores mal preparados e mal remunerados. Sobram empregos numa economia modernizada e competitiva, mas faltam trabalhadores qualificados. A coisa se torna mais dolorosa quando constatamos que a família Brasil não tem segurança. A violência, a impunidade, o tráfico de drogas e o crime organizado estão sempre ceifando vidas de crianças e jovens, trazendo o desespero e a tragédia para dentro da família. Agora quando esta família precisa se locomover para o trabalho, escola e lazer, ela experimenta muita perda de tempo, estresse e riscos de morte, pois a nossa infra-estrutura de transportes está toda prejudicada: congestionamentos, escassez de transporte público, estradas esburacadas, aeroportos e portos totalmente defasados. Por fim, a família Brasil está vivendo num meio ambiente cada vez mais degradado pelos desmatamentos e poluição. Mas, o pior que acontece com a família Brasil é que ela está sendo atacada nos seus valores cristãos, pois cada vez mais mergulha numa terrível decadência ética, gerando uma moralidade cada vez mais complacente com a corrupção, devido à impunidade generalizada que começa na liderança política da nação, a partir dos seus principais governantes. Neste quadro tão deprimente, que o crescimento econômico da família Brasil não consegue esconder, o que ainda é mais preocupante é a situação da igreja que ela freqüenta. De um modo geral as lideranças mais “visíveis” estão comprometidas com a corrupção, o amor ao dinheiro, pregando um evangelho distorcido e totalmente calado diante do pecado.

Agora, baseados nesta análise prática e objetiva da situação deste país, quais as atitudes que devemos tomar, com base na Palavra de Deus, para mudar todo este panorama gravíssimo?

1. Orar e jejuar. Para mudar essas coisas precisamos fazer guerra espiritual contra principados e potestades que imperam e manipulam as lideranças desta nação, para que todo seu projeto maligno seja totalmente destruído (2 Crônicas 7.14, Ester 4.16 e Efésios 6.10-12).

2. Evangelizar e fazer discípulos Para que as pessoas experimentem o novo nascimento e ganhem um caráter santo e reto, que as tornará imunes ao pecado e à corrupção (Mateus 28.28-20).

3. Denunciar A mentira, o pecado e as injustiças, como verdadeiros profetas do Senhor (Miquéias 3.8).

4. Mudar as leis As leis representam os valores, os princípios éticos e morais, contra o mal, a injustiça e a impunidade. Por isto, é imperioso que nas próximas eleições votemos somente em homens que tenham “ficha limpa”, comprometidos com a justiça e com o bem público, que sejam como os “intocáveis” na luta contra a corrupção para resgatar a família Brasil da desgraça e da destruição (Ester 8.3). Vamos nos levantar e atuar no mundo espiritual, mas também no mundo político, social e econômico, para que tenhamos um Brasil realmente livre, não somente do domínio colonial, mas livre acima de tudo de homens perversos que atuam para satisfazer os interesses do inferno.


Liderança

CORAGEM

A SEXTA QUALIDADE DE UM LÍDER “Coragem é a qualidade que garante todas as outras.” Winston Churchill “Coragem é o medo entregue em orações.” Karl Barth, teólogo suíço por John C. Maxwell

E

6

ddie Rickenbacker teve o maior número de vitórias em combates aéreos contra alemães na 2ª Guerra; sobreviveu a um acidente aéreo e passou 22 dias num bote no Oceano Pacífico. Seu pai morreu quando ele tinha doze anos. Vendeu jornais, ovos e leite. Trabalhou em diversas fábricas e na adolescência foi trabalhar como mecânico de carros de corrida. Aos 22 anos começou a competir e dois anos depois estabeleceu o recorde de velocidade. Sobreviveu a 134 confrontos aéreos na guerra, somando 26 mortes e ganhando diversas condecorações. Perguntado sobre sua coragem em combate, ele respondeu: “Claro que sinto medo. Mas coragem é fazer o que se tem medo de fazer. Não pode haver coragem senão quando se tem medo”. Ele dirigiu uma empresa aérea por 30 anos e aposentou-se aos 73 anos. Quando morreu aos 83 anos, seu filho William escreveu: “Seu lema era: Vou lutar como uma fera”. A coragem deve estar presente nas empresas, no governo e nas igrejas. A posição de liderança não dá coragem a alguém, mas a coragem pode dar-lhe uma posição de liderança. O que caracteriza um líder altamente eficiente é a disposição de arriscar. 6

REVISTA DA COMUNIDADE


“Todas as batalhas significativas são travadas dentro do ser.” Sheldon Kopp. A coragem não é ausência de medo, mas fazer o que se tem medo de fazer. É ter o poder de sair do terreno conhecido e progredir em um novo território.

CORAGEM É FAZER AS COISAS DIREITO. “A capacidade máxima de um homem não se mede nos momentos de conforto e conveniência, mas nos tempos de desafio e controvérsia.” Martin Luther King Jr.

A CORAGEM INSPIRA O COMPROMETIMENTO DOS SEGUIDORES. A coragem é contagiosa. “Quando um homem corajoso assume uma posição, os demais se aprumam.” Billy Graham

SUA VIDA SE EXPANDE NA PROPORÇÃO DE SUA CORAGEM. O medo restringe um líder. “O desejo de segurança coloca-se contra todo o empreendimento grande e nobre.” Tácito. A coragem tem efeito contrário; ela abre portas. “Não tenha medo de que sua vida chegue ao fim, mas sim de que ela nunca tenha um início.” John H. Newman. A coragem não só lhe oferece um bom início, mas também um futuro promissor. “Você ganha força, coragem e confiança em toda experiência em que enfrenta resolutamente o medo. É capaz de dizer a si mesmo: ‘Sobrevivi a esse horror. Posso enfrentar o que está por vir.’ Você precisa fazer aquilo que não se considera capaz de fazer.” Eleanor Roosevelt

Texto extraído do livro As 21 indispensáveis qualidades de um líder, de John Maxwell - Adaptado por Wagner Fernandes À venda na livraria da Comunidade Sede - Rua Eponina 390 Vila Carrão/SP - Fone (011)2090.1814

PARA AUMENTAR SUA CORAGEM

<<

A CORAGEM COMEÇA COM UMA BATALHA INTERIOR.

FALE COM AQUELA PESSOA

Faça alguma coisa que envolve certo grau de tensão apenas para incrementar sua coragem (salto de para-quedas, fale em público, participe de uma peça teatral, de um esporte radical etc.). Que seja algo que o leve a enfrentar um medo real.

DÊ UM PASSO GIGANTESCO Pode ser que você esteja com medo de dar um passo em sua carreira. Se intimamente você já sabe que deveria ter mudado de emprego ou iniciado aquele novo negócio, chegou o momento de enfrentar isso com coragem. Dedique algum tempo para refletir nisso, de fato. Converse com seu cônjuge, seu mentor, um ou dois amigos confiáveis. Se for realmente a coisa certa a fazer, então faça.

AÇÃO DIÁRIA Peter Cartwright, um pregador itinerante do século XIX, preparava-se para fazer um sermão dominical quando o avisaram que o presidente Andrew Jackson estaria presente. Em vista disso, pediram-lhe que não fizesse declarações ofensivas. Durante aquela mensagem, ele incluiu a seguinte declaração: “Disseram-me que Andrew Jackson estaria presente nesta congregação. Pediram-me para que eu vigiasse minhas palavras. O que tenho a dizer é que Andrew Jackson irá para o inferno, se não se arrepender de seus pecados”. Depois do sermão, o presidente Jackson aproximouse rapidamente de Cartwright e disse-lhe: “Se eu tivesse uma tropa de homens como o senhor, poderia conquistar o mundo”. Um ato de coragem muitas vezes pode trazer resultados positivos até então inesperados. REVISTA DA COMUNIDADE

7


Deus Agindo O ministério interdenominacional Mulheres Intercessoras, criado pela pastora Suely Bezerra em 1997, é fruto primeiramente da sua experiência e legado familiar na área da oração e depois como uma resposta aos anseios e lutas de tantas mulheres que ela atendia. >

"

Oração é um valor que me foi passado desde a infância e amadurecido ao longo do tempo.

Cada situação difícil que eu passava descobria o que os homens não podem fazer, e o que Deus pode.

"

Não existe nada que resista ao poder da oração.

13 8

por Suely Bezerra, pra.

ANOS DE MULHERES INTERCESSORAS

REVISTA DA COMUNIDADE


Assim, a pastora Suely foi sendo preparada e despertada para a necessidade de um ministério específico com mulheres voltado para a área da intercessão. Um ministério que socorresse estas mulheres em suas necessidades espirituais, emocionais e até mesmo físicas. Mas a visão não se limitou a apenas isso. Iniciou-se uma mobilização de mulheres cristãs de todas as denominações, com o objetivo de estabelecer uma

Revista da Comunidade – Como foram os primeiros anos de Mulheres Intercessoras? Suely Bezerra – Na época da semeadura não se vê nada além do solo nu. É época de investimento, trabalho e espera, por isso não foi fácil. Mas Deus havia incendiado o meu coração com esta visão, de modo que logo as dificuldades foram trocadas por possibilidades. E o resultado aí está. RC – A senhora imaginava que este ministério seria o que ele é hoje? SB – Em partes eu sabia que a oração não é algo cativante, algo que atraia e envolva muitas pessoas, como música e outros programas que a igreja normalmente oferece. Mas, embora este ministério possa crescer e se tornar mais abrangente, ele já tem me surpreendido pelo seu alcance. RC – Quais foram as maiores dificuldades superadas ao longo destes 13 anos? SB – Um dos maiores desafios foi ajudar as pessoas a entenderem e praticarem a visão que Deus estava nos dando. O que para mim era simples, para outros ainda não era. Então trabalhamos para firmar o valor da oração como um exercício de intimidade e comunhão com Deus.

intercessão contínua pela nação brasileira, incluindo o governo, a política, a economia, a educação, a segurança, as famílias, crianças, adolescentes, jovens, pastores e a igreja brasileira. E já há 13 anos o ministério Mulheres Intercessoras tem cumprido seu propósito: abençoar as famílias da Terra. Para sabermos mais sobre este projeto, a Revista da Comunidade entrevistou a pastora Suely Bezerra.

RC – E quais foram as maiores conquistas e vitórias? SB – Sem dúvida alguma, a maior alegria para mim é ver os frutos deste ministério. Hoje, passados 13 anos, a realidade mudou. Tem um grupo expressivo de mulheres que entenderam a prioridade de se ter intimidade com Deus na sua vida pessoal e coletiva. RC – Qual a sua expectativa para as comemorações de aniversário de Mulheres Intercessores este ano? SB – As minhas expectativas são as melhores. Estes encontros anuais são muito especiais e marcantes na vida das mulheres que participam dele. Muitas sonham com este dia e contagiam outras tantas a participarem desta grande celebração. RC – Existem ainda novos desafios e projetos para o futuro? SB – Sim, muitos! Veja bem: a oração toca o coração do Pai, e Ele então reparte conosco seus sonhos e nos faz ver mais adiante. Por isso, os projetos e desafios para o futuro não param. “Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam.” 1 Coríntios 2.9

Comemoração do 13o Aniversário de Mulheres Intercessoras Dia 18 de Setembro de 2010, no Espaço Philips - Guarulhos Rua João Cavalari, 133 - Guarulhos/SP Fácil acesso pela Rodovia Pres. Dutra (alt. do Shopping Internacional de Guarulhos). REVISTA DA COMUNIDADE

9


Eles andaram com Jesus

Watchman Nee por Paulo Alexandre Sartori

Um dos mais influentes líderes e pensadores na história do Cristianismo chinês, foi martirizado pelo Partido Comunista de seu país

A

pós um período em que o Evangelho foi pregado na China por missionários estrangeiros, surgiu no início do século XX, o desejo de uma igreja nativa, que estivesse contextualizada com o modo de vida do povo chinês. Neste cenário nasceu Nee Shu-Tsu, em 1903. Mais tarde ele adotaria o nome de Watchman Nee que em inglês significa ‘sentinela’. Nee converteu-se ao Cristianismo aos 17 anos de idade quando era aluno universitário, preferindo ser evangelista a seguir uma carreira profissional. Ele e outros estudantes que tinham um zelo comum pela propagação do Evangelho uniram-se em oração e estudo da Bíblia. Além disso, eles se engajaram num vigoroso evangelismo de rua. Nee foi um instrumento no reavivamento espiritual entre os estudantes nesse período. Com este treinamento prático e muita leitura cristã como preparo, Nee começou já em 1923 uma congregação em Xangai. Ela logo cresceu chegando a ter 3.000 membros, obrigando-o a multiplicá-la em grupos familiares. Apelidado de “Pequeno Rebanho”, cada grupo familiar estava centrado no evangelismo e na edificação dos crentes. O movimento se espalhou por toda a China, pois Nee enfatizava que todo crente era um trabalhador vocacionado na obra de Deus. À medida que as pessoas se convertiam, seus lares se tornavam núcleos cristãos. Nee dizia que: “Se numa igreja somente uma minoria está servindo, há algo errado dentro dessa igreja; ela ainda é fraca.” Mas em 1949 os comunistas tomaram o poder na China. A partir daí, as igrejas foram fechadas pelo Estado e os cristãos forçados a se conformarem à doutrina do Partido. Aqueles que 10

REVISTA DA COMUNIDADE

“Cristo é o Filho de Deus que morreu pela redenção dos pecadores e ressuscitou depois de três dias. Esta é a maior verdade do universo. Eu morro por causa da minha crença em Cristo.” Watchman Nee desobedeciam eram perseguidos ou fugiam. Durante esse tempo os grupos familiares resistiram bravamente, e as igrejas passaram a realizar reuniões secretas. Em 1952 Watchman Nee foi preso por professar sua fé em Cristo. Os comunistas prometeram libertá-lo se ele concordasse em não voltar a pregar. Nee não aceitou e foi transferido para outra prisão onde acabou morrendo em 1972. Mesmo em meio a tantos sofrimentos, Nee escreveu mais de 40 livros e seus ensinos continuam a abençoar cristãos em todo o mundo.

Como saber mais sobre Watchman Nee? Há o devocional ‘Uma Mesa no Deserto’ da Editora dos Clássicos (veja em nossa Livraria), além de inúmeros outros livros de várias editoras cristãs.


REVISTA DA COMUNIDADE

11


Fundação Comunidade da Graça

Pedido de liberdade A cada 15 segundos uma mulher sofre violência física no Brasil; muitas sofrem caladas, mas no íntimo estão gritando por ajuda. A Casa Abrigo está disposta a ouvir esse chamado, como de Denise*, que quase foi assassinada pelos seu marido.

* nome fictício

Foto - campanha "family violence"Alberta

12

REVISTA DA COMUNIDADE


N

o ano de 2009, a Fundação Comunidade da Graça implantou o Programa ‘Casa Abrigo’ destinado a mulheres e seus filhos, vítimas de violência doméstica. O Programa tem como objetivo afastar essas mulheres de uma situação de risco e garantir sua integridade física, bem como a de seus filhos. Propicia também condições para reconstruírem suas vidas com segurança, autonomia e dignidade, rompendo assim o ciclo da violência. A Casa Abrigo atende 20 pessoas (mães acompanhadas ou não de filhos menores), que permanecem em situação de abrigamento por um período máximo de 180 dias. Na casa recebem assistência social e acompanhamento psicológico. Geralmente, a violência doméstica contra a mulher não começa de um dia para o outro. Ela é gradativa e vai se impondo muitas vezes sem que a mulher perceba. Foi isso que aconteceu com Denise (nome fictício), que foi a segunda mulher a ser atendida pela Casa Abrigo. Depois de 14 anos de um casamento agradável, seu marido, com quem tem três filhos, começou a ter atitudes brutas. Primeiro com palavras ofensivas, depois foram empurrões, tapas, pontapés até que um dia ele disparou uma arma na sua casa, que quase acertou um dos filhos. “Ele cobrava coisas de mim e eu achava injusto. Ele falava que eu não fazia nada, que ele fazia tudo e isso começou a me incomodar. Com o tempo eu mudei minha forma de agir e gerei nele atitudes diferentes”, relatou Denise. Mesmo sofrendo agressões do seu marido, o que a impedia de sair de casa, era o medo de não ter como sobreviver: “Para onde eu iria com três filhos? Ele me colocava como uma pessoa inútil, que se eu me separasse dele nunca iria arrumar um trabalho, nunca mais eu iria ter alguém, que ficaria sozinha para o resto da vida, que eu estava ficando feia”. Mesmo

sendo formada em Informática, ela tinha receio de que todas as insinuações de seu marido fossem verdade. Ela estava desatualizada em relação à sua profissão e temia não conseguir um emprego. Para evitar uma tragédia, Denise foi buscar ajuda. Depois de três boletins de ocorrências contra as agressões do marido, um escrivão explicou sobre a lei Maria da Penha e disse que ela tinha o direito de ir para um abrigo. Foi a partir disso que ela buscou ajuda na cidade de São Paulo, porque onde morava, não havia ajuda para o caso dela. O primeiro pedido de socorro foi na creche que o filho menor ficava. Então, as assistentes sociais a encaminharam para a Casa Abrigo da Fundação Comunidade da Graça. “Foi muito difícil o primeiro dia no abrigo, é uma sensação muito ruim. Mas graças a Deus fui para lá, pois pelo o que eu escutei de outras mulheres, que estiveram abrigadas em outros lugares, esse abrigo deve ser um dos poucos que você tem civilidade. Tem alguns que são um aglomerado de gente e com mulheres usuárias de drogas”. Denise emociona-se quando fala da Casa Abrigo: “A Casa faz você aprender a se valorizar, saber que é capaz, ver as coisas acontecendo por si mesma. Hoje eu vejo que não dependo de alguém para ser feliz. Eu preciso estar bem comigo para ser uma pessoa realizada. Muita coisa aconteceu de errado porque eu esperava tudo do meu marido”. A Casa trabalha para fortalecer a mulher como pessoa, para ela se valorizar, agir diferente e não deixar que aconteça novamente uma agressão quer seja física ou moral. Hoje, depois de quase um ano fora do abrigo, Denise está trabalhando com vendas. Mora de aluguel com seus filhos, mantém a sua casa e ainda tem uma renda extra sendo manicure, um dos cursos que aprendeu na Casa Abrigo. Hoje, ela define a sua vida em duas palavras: Transformação e renascimento. “Foi um ano que eu vivi, um ano de vida. Eu poderia estar morta!”.> REVISTA DA COMUNIDADE

13


14

REVISTA DA COMUNIDADE


REVISTA DA COMUNIDADE

15


Arte e Cultura

a arte da adoração por Murilo Scarpellini Vieira

r de que tem o pode ém da teologia al te ar a ic te ún nho Lu ro “A música é a mônio.” Marti de o r ta en ug af ae acalmar a alm ravés dos séculos adoração a Deus at na al sic mu o sã es to sobre a expr Um breve pensamen

P

or vezes, quando ouvimos a expressão Louvor & Adoração, não temos a real noção do quanto isso é importante na história da Igreja e na tradição cristã. Portanto, vamos aqui conhecer um pouco sobre esse valor ministerial que, aliás, durará para sempre nos céus, onde passaremos a eternidade adorando a Deus (Apocalipse 15.3-4). No princípio Deus criou tudo para o louvor da sua glória. A Bíblia relata, antes mesmo do dilúvio, a primeira manifestação musical em Gênesis 4.21: "O nome de seu irmão era Jubal; este foi o pai de todos os que tocam harpa e flauta". Jubal era descendente direto de Adão e foi o criador da música instrumental com cordas (saltério e harpa) e sopro (flauta e buzina). Quando os israelitas saem do Egito e atravessam o mar Vermelho, Miriã e todas as mulheres celebraram com música ao som de tamborins (Êxodo 15.20). A adoração a Deus contava agora também com instrumentos de percussão (tamborim e pandeiro). Mais tarde vamos encontrar o jovem Davi ministrando paz ao rei Saul através do seu dom como músico (1 Samuel 16.23). Esse fato mostra outra dimensão da música – o serviço aos homens. É inegável, portanto, a importância da música na vida religiosa do povo de Israel, tanto na adoração a Deus quanto na celebração coletiva. 16

REVISTA DA COMUNIDADE

O livro de Salmos na Bíblia é basicamente um hinário do povo judeu. Podemos ver nos títulos de cada salmo um direcionamento do autor para o tipo de melodia musical, de regente e de cantor para a execução do “cântico”. Existem salmos de júbilo, de contrição, de clamor e de louvor. Dentre os autores temos Davi, Salomão, Asafe e até Moisés. O Cântico dos Cânticos, escrito por Salomão, é uma obra de amor que podemos dizer tratar-se até de uma precursora de Sinfonias modernas, com uma complexidade sublime de cantos e respostas, como se as personagens se intercalassem num lirismo maravilhosamente poético. No Novo Testamento vemos Cristo e seus discípulos cantando um hino ao final da ceia e antes de saírem para o Monte das Oliveiras (Mateus 26.30). Como deveria ser belo cantar diretamente para o alvo da nossa adoração eterna – Jesus! A Bíblia, enfim, está repleta de música, do Cântico de Moisés em Êxodo 15 ao Cântico de Maria em Lucas 1. Por isso, a prática do canto congregacional não está baseada na tradição humana, mas é instituição divina: “Todo ser que respira louve ao Senhor. Aleluia!” Salmo 150.6 (Continua na próxima edição)


Aconteceu

O poder da Graça Orquestra e coral como presente ao pastor Carlos Alberto Igreja repleta e gestos de amor e carinho marcaram o culto “O poder da Graça”, realizado no dia 01 de agosto, em comemoração ao aniversário do Pastor Carlos Alberto Bezerra, presidente da Comunidade da Graça. A ministração foi feita pelo pastor Joel Suhett, de Teresópolis no Rio de Janeiro, que veio especialmente para homenagear o pastor. “Bem-aventurado sou eu por ter a oportunidade e o privilegio de estar aqui”, agradeceu o pastor Joel. Um dos momentos mais emocionantes foi a exibição do vídeo contendo expressões de amor de familiares, amigos, membros e funcionários de todas as vertentes da Comunidade da Graça ao Pr. Carlos Alberto.

Em um misto de gratidão e felicidade, a Pra. Suely orou pela vida do pastor, que de joelhos e com lágrimas nos olhos recebeu as bênçãos do Senhor.

Um presente especial Ter um coral e uma orquestra tocando nos cultos: este sempre foi o sonho do Pr. Carlos Alberto. E para realizá-lo, os membros da Comunidade da Graça Sede se mobilizaram para ensaiar e cumprir esse sonho. Hoje esses membros compõem a nova orquestra e coral da CG Sede, que continuará se aperfeiçoando, e se apresentará em todos os cultos mensais de Ceia. Marcio Scarpellini, formado em piano clássico e regência, foi o maestro e continuará à frente da orquestra e coral.


Capa


por Carlos Alberto Bezerra, pr.


exata compreensão dos ideais e propósitos de Deus para o homem, só é possível quando voltamos ao Gênesis – o princípio de tudo – o primeiro livro da Bíblia escrito por Moisés. Homem nenhum, por mais inspirado que fosse, conseguiria relatar a origem de todas as coisas sem uma inspiração vinda do alto – do Espírito Santo. A Bíblia não deixa dúvida. Deus, o Grande Arquiteto do universo, nos criou à sua imagem e semelhança, dando-nos autorização e poder para governar a terra em parceria com Ele. O Velho Testamento não apresenta Deus como pai. Tal relação só seria revelada muito tempo depois, no Novo Testamento, com a vinda de Jesus na terra. No entanto, é impossível estudar Gênesis e não ver Deus na figura de um pai amoroso e consciente de suas boas intenções. Um pai disposto a dividir tudo que é e tudo que tem com seus filhos. A expressão “andava no jardim pela viração do dia” (Gênesis 3.8) mostra o interesse e amor de Deus pelo homem. 20

REVISTA DA COMUNIDADE


Poderíamos até imaginar que foi daí que veio a máxima: “não basta ser pai; tem que participar”. Os capítulos 1 e 2 de Gênesis são como um tela artística onde traços e cores combinam perfeitamente entre si; tons harmônicos e beleza exuberante. Os cuidados do Criador e a dependência do ser criado apontavam para a perfeição de toda a criação – a obra do Grande Artista. Mas – e é exatamente com a palavra mas que o capítulo 3 de Gênesis é apresentado – a cena de harmonia é interrompida pela tragédia do pecado.

Longe de qualquer aprofundamento teológico, que não é o objetivo deste artigo, é claro e fácil concluir que independência em relação a Deus é a síntese do pecado. Considerando que “o salário do pecado é a morte” (Romanos 6.23), concluímos que independência é morte; e morte espiritual, separação eterna de Deus. Por causa do pecado, Deus teve que expulsar Adão e Eva do paraíso – do lugar da comunhão e da dependência plena. Deus é Santo e não pode conviver com o pecado.

“Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça.” Isaías 59.1-2 Independente por natureza pecaminosa, o homem passou a escolher seus próprios caminhos e a construir seus próprios reinos. E todos nós sabemos aonde essa independência tem levado a humanidade: guerras, violência, corrupção, assassinatos, roubos, miséria... E essa lista não teria mais fim. Mas que pai, em sã consciência, desistiria do filho rebelde? Nenhum! Com Deus não é diferente. Desde Noé até o profeta Malaquias, por todo o Velho Testamento, a mensagem foi uma só: “Voltem-se para mim” – um clamor divino, a dor de um pai ferido que se calaria por 400 anos (intervalo do silêncio do Deus entre o Velho e o Novo Testamento). No início da era cristã, o Criador começa a falar novamente através de João Batista. “Em verdade vos digo: entre os nascidos de mulher, ninguém apareceu maior do que João Batista.” Mateus 11.11 (palavras de Jesus). Homem simples e de mensagem objetiva, sua pregação era corajosa: “Arrependei-vos, porque está próximo o REVISTA DA COMUNIDADE

21


reino dos céus.” Mateus 3.2. De dentro do rio Jordão, João batizava os arrependidos e dispostos a abandonarem seus falsos reinos pessoais. Era o recomeço! A volta dos filhos para a casa e dependência do pai. Nesse ambiente novo e de novas oportunidades, vem Jesus, o próprio Filho de Deus, chamando de volta o homem independente. Sua mensagem também era simples: “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido.” Lucas 19.10. A vinda de Jesus foi a expressão máxima do amor do Pai. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem nele crê não é julgado; o que não crê já está julgado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.” João 3.16-18 A obra perfeita de Jesus foi realizada na cruz. O homem egoísta e independente foi atraído no corpo dele para uma morte definitiva. Como o salário do pecado é a morte e Jesus não teve pecados, logo descobrimos

que os pecados eram nossos; e que a morte também era nossa. “E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo. Isto dizia, significando de que gênero de morte estava para morrer.” João 12.32-33 E na plenitude dos tempos, provando que Deus tem o controle de todas as coisas, o apóstolo Paulo revelou-nos o grande mistério da era cristã: “Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” 2 Coríntios 5.14-15 Independência de Deus é, de fato, morte.


Peça seu Kit Campanha. Ligue: 2269-5588 Acesse o site: www.bezerra45321.com.br

Coligação Unidos por São Paulo PSDB/DEM/PMDB/PPS/PSC/PHS/PMN

Como?

DEPUTADO ESTADUAL CNPJ 12.155.890/0001-90

Valor: R$ 270,00

Coligação Unidos por São Paulo PSDB/DEM/PMDB/PPS/PSC/PHS/PMN

“O Julio é o criador do Poupatempo e, em Brasília, apoiará os projetos sociais da nossa Fundação. Ele é o meu candidato a deputado federal.” Carlos Bezerra Jr.

CNPJ 12.155.890/0001-90

Valor: R$ 270,00

REVISTA DA COMUNIDADE

23


Saúde

Atividade Física na promoção da Saúde

por Timóteo Leandro de Araújo - Prof. de Educação Física

A atividade física como fator determinante na saúde humana

V

ocê já fez sua atividade física de hoje? Se sua resposta foi “não”, você precisa ler esse artigo antes de começar a fazer.

A forma que a mensagem sobre a prática da atividade física tem sido divulgada pelos meios de comunicação e até acadêmicos, tem contribuído de forma negativa no entendimento da mensagem. Mas se à mesma pergunta você respondeu “sim”, será que foi na quantidade que os guias têm mostrado que são suficientes? Atividade física é qualquer movimento corporal realizado de forma voluntária e que resulte num gasto energético acima do repouso (por exemplo, andar até a padaria). E isso deve ser feito todos os dias da semana, com a duração de pelo menos 30 minutos que ainda podem ser feitos de forma contínua ou acumulada: 3 x 10 minutos (10 minutos pela manhã até a padaria + 10 minutos à tarde indo ao supermercado caminhando + 10 minutos à noite com a saída do cachorro). 24

REVISTA DA COMUNIDADE

Atividade Física e Exercício é a mesma coisa? É preciso desmistificar a ‘atividade física’ e diferenciála de ‘exercício’ que é uma atividade física realizada de forma sistemática, repetitiva, com objetivo de manutenção e/ou melhora das variáveis de aptidão física como: composição corporal (peso e adiposidade), consumo máximo de oxigênio (condicionamento aeróbico) e força muscular. Portanto, qualquer pessoa pode realizar atividades físicas de modo a obter uma vida mais saudável. E uma coisa importante: Dados reforçam que pessoas ativas na infância têm maior probabilidade de se manterem ativas nas idades ‘adulta jovem’ e ‘adulta velha’. Além disso, pensando em manter a saúde com a vida mais ativa, reforçamos que não há necessidade de fazer atividade física em grupos separados por sexo. Assim, chame os amigos e as amigas e vamos caminhar!


Você precisa estar matriculado numa academia para obter saúde? Caso tenha recursos disponíveis e fique próximo da sua rotina de deslocamento a resposta é “sim”. Caso contrário, comece com a caminhada + atividades de fortalecimento muscular utilizando-se do próprio peso corporal. A atual recomendação sugere que sejam realizados 10 exercícios, com ênfase nos grandes músculos, em 12 repetições e sessões intercaladas com 1 dia de descanso. Temos hoje à disposição outra forma de controlar a quantidade de atividade física aeróbica. A atual recomendação é que devemos acumular 10.000 passos por dia, e para isso existem equipamentos que podem colaborar nesse caminho, os pedômetros ou contadores de passos. A adoção de um estilo de vida mais ativo está associada com benefícios fisiológicos e psicológicos: •

Melhor controle do peso corporal

Melhora da intolerância à glicose

Aumento da auto-estima

Melhor controle do estresse

Devemos lembrar que a falta da atividade física aumenta o risco de surgimento precoce de doenças: •

Diabetes

Hipertensão

Hipercolesterolemia

Obesidade

Considerações finais Não esqueça que a prática de atividade física deve ser acompanhada de uma alimentação saudável, rica em frutas, legumes, verduras e fibras. Prefira o consumo de carnes grelhadas ou preparadas com pouca gordura. Evite o consumo excessivo de doces, comidas congeladas e lanches. E beba muito líquido, de preferência água e sucos naturais. Segundo pesquisas, o sedentarismo tem atingido 70% da população brasileira e isso tem causado muitos males, principalmente na terceira idade. Precisamos então investir no futuro. As pessoas devem buscar formas de se tornarem mais ativas no seu dia-a-dia, como subir escadas, caminhar, praticar atividades como jardinagem, lavagem do carro, passeios no parque. A palavra de ordem é MOVIMENTO. REVISTA DA COMUNIDADE

25


Ano do Clamor

SETEMBRO Clamor pelo Reino de Deus

O

governo de Deus está ao nosso alcance! Esta é a mensagem central das Escrituras, pois Deus, nosso Pai, está empenhado em estabelecer Seu reinado, aqui e agora, na vida de cada um de nós. “... Porque o reino de Deus está dentro de vós.” Lucas 17.21. Vivemos a época do cumprimento da Palavra profética de Deus, a qual tem manifestado Seu governo, e estabelecido o Seu reino visível entre os homens, através da experiência daqueles que têm provado a plenitude da Sua graça – nós, os que cremos. Esta é a única esperança para o homem e o mundo dos nossos dias: “... o Deus do céu estabelecerá um reino que permanecerá eternamente...” Daniel 2.44

26

REVISTA DA COMUNIDADE

Os governos humanos têm provado que são inadequados e os seus líderes falhos, independente dos regimes ou ideologias que defendem. Nestas bases, é impossível produzir uma sociedade plenamente justa e sadia. Por isso precisamos imitar o ministério de João Batista e anunciar insistentemente aos homens que se arrependam, “porque é chegado o reino dos céus.” Mateus 3.2 Vamos clamar! Neste mês de setembro, nossas orações serão pela implantação do governo de Deus nesta Terra. “Mas buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça...” Mateus 6.33


Curiosidade

Você Sabia O que as pessoas não sabem sobre a Bíblia

?

Que o desejo de Deus é formar a imagem e a natureza de Jesus em nós, ou seja, formar o caráter de Cristo em nós? “Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem (o caráter) de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” Romanos 8.29

Que devemos administrar, guardar e cuidar daquilo que é deixado sob nossa responsabilidade, sejam bens materiais ou imateriais? “O Senhor Deus colocou o homem no jardim do Éden para cuidar dele e cultivá-lo.” Gênesis 2.15

Que precisamos saber controlar nosso comportamento e atitudes em casa, com o cônjuge, filhos, pais, irmãos, no trabalho, na escola, na igreja, com os amigos etc? “Como a cidade com seus muros derrubados, assim é quem não sabe dominar-se”. Provérbios 25.28

Que cada atitude nossa, palavra ou gesto, é uma semente, e de cada uma dessas sementes, vamos receber os frutos correspondentes? “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.” Gálatas 6.7

Que apesar de sermos diferentes e únicos para Deus, precisamos aprender a conviver com os outros, respeitando as diferenças? “Assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros e esses membros não exercem todos a mesma função, assim também em Cristo nós, que somos muitos, formamos um corpo, e cada membro está ligado a todos os outros. Temos diferentes dons, de acordo com a graça que nos foi dada.” Romanos 12.4-6 REVISTA DA COMUNIDADE

27


28

REVISTA DA COMUNIDADE


Anunciantes

REVISTA DA COMUNIDADE

29


Anunciantes

30

REVISTA DA COMUNIDADE


Anunciantes

REVISTA DA COMUNIDADE

31


Anunciantes

32

REVISTA DA COMUNIDADE


Anunciantes

REVISTA DA COMUNIDADE

33


Anunciantes

Classificados NATURA Produtos Natura pronta entrega. Consultoria de beleza. Atendimento personalizado. Várias opções de presentes. Ligue: (11) 3542-1618 9245 4181 ANDRÉA

NATHALIA DA PAZ SANTOS Advogada - Cível/ Tributário nathaliapaz.adv@gmail. com 8376.7923/ 3803.8855 Rua Aimberê, 2113, Sumaré - São Paulo

34

REVISTA DA COMUNIDADE

ROBERTO AIELO SPROVIERI ADVOGADO Cível, Família, Contratos Imobiliários, SPC/ SERASA – Indenizações Consultoria Empresarial Tels. 11. 7211-7793 11. 7743-0502 - ID 100*23280

AULAS DE INGLÊS Personalizadas, em sua residência ou trabalho, individuais ou pequenos grupos, dias e horários de sua preferência. Silvana 9757-6437 3542-8116

ESTAMPARIA LÍRIO DOS VALES

JEAN TOCANTINS

Estampamos em geral. Fabricamos mesa corrida. e flash cure 21543669 80419310 David ou Laís estampariarteslv@hotmail. com

Jean Tocantins Advogado Família, Cível, Trabalhista Consultoria Imobiliária Praça da Sé 411, 3ª andar, sala 4 Centro, SP 3101-1226 - 81503825 80209015

ADVOGADO

CASA CONDOMÍNIO

Irineu Uebara OAB/SP 163871 Civil, Trabalhista, Familiar Direito a serviço daJustiça 11 20812613 Rua Pimenta Bueno, 232 Belenzinho uebaraadvogados@ hotmail.com

Jardin Têxtil semi mobiliado 3 suítes, 3 salas, jardim inverno, 2 vagas fino acabamento R$ 455 mil ac. financ. Bancário. 82029393 Renata


36

REVISTA DA COMUNIDADE


Revista da Comunidade numero 7 - Setembro/2010