Issuu on Google+

SINTRA TAMBÉM É

TUA!

SINTRA - PORTUGAL (2011-2016)

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2011

1º ANO DE IMPLEMENTAÇÃO DA ESTRATÉGIA “SINTRA TAMBÉM É TUA!”


Editorial Publicado em Novembro de 2012, pela Dínamo www.dinamo.pt | info@dinamo.pt Texto e Coordenação: Sérgio Xavier Apoio à Coordenação: Sara Fumega Design gráfico: Íris Santos (irisdesignsantos@gmail.com) Fotografias: Arquivo Dínamo. Publicação exclusiva em linha no endereço: http://dinamo.pt/downloads/relatorio_dinamo_2011.pdf

Esta publicação foi possível graças ao apoio da Fundação Calouste Gulbenkian.

Este trabalho foi licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Não Adaptada. Para ver uma cópia desta licença, visitar http://creativecommons.org/ licenses/by/3.0/

2

Dínamo 2011


Índice 5 6

O que é que aconteceu?

8

Eixo 1

9

1.0 - Intercâmbio “Interacto”

10 1.01 - Sessão de Teatro-Fórum “O Bullying não é um Jogo” 10 1.1 - Workshop duplo "Aprendizagem e Diálogo Intercultural" 11 1.2 - Tapada em Festa - II Encontro Cultural 2011 12 1.3 - Vista prévia de planeamento do “TOXChange” 12 1.4 - Intercâmbio “TOxChange - A Theatre of the Oppressed and social inclusion project” 13 14 1.6 - Intercâmbio “Interaj”

16

Eixo 2

17 18

20

Eixo 3

21 22 23 3.2 - Encontro de Preparação "Training of Trainers 24 25 26 27 28 29

32 33

Execução Financeira

36 37

Avaliação e Aprendizagens

41 42

Agradecimentos

Sintra Também É Tua!

3


2011 Cláudia Meireles O que é que eu apre ndi com a Dínamo? “Com a Dínamo apren di que há experiências que acendem luzes dentro das pess oas e assim iluminam o espa ço humano à volta.”

4

Dínamo 2011


Âmbito e objectivos do relatório O presente documento visa relatar o processo de implementação da estratégia “Sintra também é Tua!” no ano de 2011. Para além de ser uma forma de comunicar o trabalho da Dínamo em 2011, este relatório pretende ainda ser uma ferramenta de aprendizagem e avaliação no processo do “Sintra também é Tua!” servindo, desta forma, finalidades ‘externas’ e ‘internas’.

Introdução e contextualização do primeiro ano A situação que o País actualmente atravessa, nomeadamente a gradual constatação da sua insustentabilidade socio-económica, trouxe um desafio acrescido à implementação da estratégia “Sintra também é Tua!”, sob a forma de imprevistos e de constantes ajustamentos. É por essa razão que descrevemos o 2011 da Dínamo como um ano de flexibilidade e de aprendizagem. Para além do aprender a responder ao espírito do tempo, a Dínamo também desenvolveu o seu conhecimento e experiência relativamente às políticas de juventude e à sua (in)eficiência, quer a nível local, como a nível nacional. Esta aprendizagem foi, é e será um dos principais motores da “Sintra também é Tua!”, numa perspectiva de transformação e melhoramento das respostas sociais às necessidades dos jovens, nomeadamente em Sintra. A inevitável e constante adaptação da estratégia “Sintra também é Tua!” a estas variáveis não o comprometeu, pelo contrário, evidenciou a sua legitimidade e importância - a Dínamo encontra na “crise” um pretexto para fazer mais e melhor do seu trabalho que, se acontecesse num contexto mais facilitado, provavelmente não seria tão necessário nem teria tanto potencial transformador. Foi com este espírito de entrega e de missão que encarámos os desafios de 2011, espírito esse que tencionamos manter em 2012, ainda mais enriquecidos - pelos sonhos dos jovens e pela ressonância que estes têm encontrado nos sonhos do “Sintra também é Tua!”.

Sintra Também É Tua!

5


O que é que aconteceu? O conhecido modelo do ciclo da aprendizagem experiencial de David A. Kolb estabelece que, para se aprender após uma experiência, é necessário que exista uma reflexão retrospectiva sobre o que é que aconteceu. É essa proposta que seguiremos, tendo por base a experiência de implementação do “Sintra também é Tua!” em 2011. A Ilustração 1 apresenta uma linha de tempo relativa ao “Sintra também é Tua!” em 2011, onde se pode observar todas as actividades executadas no ano de 2011. O “Sintra também é Tua!” teve início em Janeiro pelo que todas as actividades que aconteceram antes desta garantia, estão igualmente contempladas neste relatório, numa lógica de tornar mais perceptível o encadeamento do projecto.

As actividades estão sinalizadas com 3 cores diferentes, correspondendo aos 3 eixos do “Sintra também é Tua!”: Eixo

1 Empoderamento de jovens e desenvolvimento comunitário local – visa-se desenvolver actividades e dar apoio ao desenvolvimento de actividades que promovam o empoderamento de jovens, nomeadamente através de intercâmbios, iniciativas comunitárias e outras actividades educativas.

Eixo

2 Promoção de mecanismos e condições necessárias para a participação juvenil – visa-se promover a criação (ou manutenção/ melhoramento) de mecanismos para a participação juvenil no Concelho de Sintra aumentando, ao mesmo tempo, a sensibilidade pública à importância da participação dos jovens na sociedade civil e às condições necessárias para que a mesma possa acontecer.

Eixo

3 Capacitação para o trabalho socio-educativo com jovens - visa-se capacitar trabalhadores socio-educativos que trabalhem ou desejem trabalhar com jovens, através de formações seguindo os princípios da educação não-Formal, potenciando a qualidade do seu trabalho e potenciando a multiplicação de boas práticas, nomeadamente nos domínios da participação juvenil e dos Direitos Humanos.

Indicações detalhadas para leitura da linha de tempo:

Em prefixo do nome de cada actividade da coluna do lado esquerdo está o número que faz corresponder a actividade planeada à planificação patente na solicitação feita à Fundação Calouste Gulbenkian em Março de 2011. Em prefixo do nome da cada actividade da coluna do lado direito está o número correspondente à actividade implementada. A título de exemplo, “2.1” significa que a actividade diz respeito ao eixo 2 e que foi a primeira actividade listada na planificação patente no documento de solicitação de apoio apresentado em Março à Fundação Gulbenkian. No caso do prefixo ter um “0” significa que a actividade em questão já está contextualizada na “Sintra também é Tua!” mas foi planeada fora do contexto do apoio solicitado à Fundação Gulbenkian.

6

Dínamo 2011


Ilustração 1 - Linha de tempo “Sintra também é Tua!” em 2011

2011 Abril Maio Junho

Eixo

Eixo

2

1

1.0 - Intercâmbio “Interacto”

1.3 - Visita prévia de planeamento do “TOXChange”

3

3.2

3.0 - Oficinas de Formação “Teatro do Oprimido”

1.01 - Sessão de Teatro-Fórum “O Bullying não é um Jogo”

1.1 - Workshop duplo "Aprendizagem e Diálogo Intercultural"

Eixo

3.2 - Encontro de Preparação "Training of Trainers 1.2 - Tapada em Festa - II Encontro Cultural 2011

3.1

2.1

Julho Agosto Setembro Outubro

3.4 - Participação em Formação “Non Formal Education for Local Action”

1.4

1.4 - Intercâmbio “TOxChange - A Theatre of the Oppressed and social inclusion project” 2.a

1.5 - Oficina "Participação e diagnósticos participativos"

Novembro Dezembro

3.5 - Participação em Sessão de Estudo “Next Step: Taking youth participation and intercultural dialogue to the next level” 3.7 - Participação em Formação Coach me if you can”

1.6 - Intercâmbio “Interaj”

2.0 - Criação de espaço administrativo e de encontro Dínamo

2.1 - Regional Networks for meaningful Youth Participation

3.3 - "Training of Trainers dealing with multicultural youth work in the field of youth participation at local/regional level" 3.6 - Participação na Formação “Recognition of non-formal learning in youth work” 3.8 - Participação na formação "Euro–Arab long term training course for cooperation youth projects through non formal learning" 3.1 - Formação de Formadores para a Participação Juvenil

Legenda Actividade realizada no determinado mês Actividade realizada ao longo do período de tempo apontado

Seguidamente, serão apresentadas e contextualizadas todas as actividades levadas a cabo pela Dínamo em 2011, com os seus principais resultados. Estes estão organizados com base em cada Eixo de actividades. Sintra Também É Tua!

7


EIXO 1 Legenda Participantes no projecto Espectadores do projecto Entidades envolvidas Actividades de seguimento Fundos usados no projecto

8

â‚Ź

DĂ­namo 2011


1.0 Abril

16

3

3

90

Intercâmbio “Interacto”

“O workshop da Dínamo durante a Tapada em Festa respondeu à necessidade de diálogo intercultural e devia realizar-se mais vezes e ser mais divulgado.” Testemunho de um participante, no momento da avaliação da Tapada em Festa 2011 com a comunidade.

Enquadramento: Depois do sucesso do intercâmbio “Teatro de Rua e Comunidade Local” que teve lugar em Viseu em 2010, a Dínamo e o Lar de Infância e Juventude “Convívio Jovem” (Santa-Casa da Misericórdia de Viseu) apostaram numa nova edição em 2011, com um enfoque no Teatro-Fórum. Este intercâmbio foi dirigido marioritariamente a jovens que nunca tinham tido contacto com Educação não-Formal ou actividades em formato residencial. A maioria dos jovens envolvidos estavam considerados “em risco” pelas autoridades competentes.

Ilustração 2 - Sessão durante o Intercâmbio “Interacto”. Dínamo | Santa-Casa da Misericórdia em Viseu | Associação “Propaganda”

Acção: Intercâmbio sobre teatro e comunidade e Teatro do Oprimido. Finalidade/metas: •Potenciar a participação activa juvenil nos Concelhos de Sintra e de Tondela através do teatro

e das suas vertentes sociais. •Estimular a capacidade de multiplicar as perspectivas em relação ao papel dos jovens na sociedade. •Encorajar a mudança de mentalidades através da educação não-formal.

Objectivos:

•Criar momentos que facilitem a discussão e a reflexão sobre a intervenção dos jovens na sua comunidade local. •Criar a oportunidade de experimentar o Teatro do Oprimido. •Criar a oportunidade de envolver a comunidade local no exercício do Teatro Fórum. •Criar a oportunidade de partilhar experiências. •Criar a oportunidade de criar uma cultura de grupo único entre os dois grupos. •Criar a oportunidade de conhecer pessoas novas. •Possibilitar a existência de momentos de descontracção. •Criar um ambiente propício ao espírito de grupo e ao trabalho colectivo autónomo. •Criar oportunidade de lidar com desafios. •Criar a oportunidade para que os jovens assumam papéis responsáveis perante o compromisso com o grupo e com o programa do intercâmbio. •Criar um ambiente favorável à participação activa.

RESULTADOS Cooperação e partilha de boas práticas entre os dois parceiros, nomeadamente

a nível do trabalho com jovens em risco e na educação não-formal; O grupo produziu duas peças de teatro-fórum replicáveis; O grupo apresentou duas peças de teatro-fórum à comunidade; Impacte na comunidade a nível da percepção dos jovens do “Convívio Jovem”, no sentido da desconstrução de estereótipos; Coordenado por uma equipa de 6 facilitadores, 3 deles sem experiência prévia; Esta actividade foi impulsionada e gerida por jovens, de forma voluntária.

Sintra Também É Tua!

9


1.01

Sessão de TeatroFórum “O Bullying não é um Jogo”

10

20

4

1

95

Março-Abril

Enquadramento: Em resposta ao crescente interesse no Teatro do Oprimido por parte dos seus associados, a Dínamo, em colaboração com o Programa Escolhas “+Próximo” (Cruz Vermelha Portuguesa, Faro), implementou uma sessão de teatrofórum desenvolvida por jovens. Grande parte do público presente foram jovens que se encontravam a estudar na Escola Básica 2+3 Visconde de Juromenha, Tapada das Mercês, para quem o tema (Bullying) se revelou ser bastante pertinente.

Ilustração 3 – Imagem de apresentação da sessão de TeatroFórum “O Bullying não é um jogo”. Dínamo | Cruz Vermelha Portuguesa | Junta de Freguesia de Algueirão Mem-Martins | Casa da Juventude da Câmara Municipal de Sintra.

RESULTADOS Partilha de boas práticas entre os dois parceiros, nomeadamente a nível do trabalho

com jovens baseado em Teatro do Oprimido; Impacte nos jovens espectatores a nível da sua abordagem ao “Bullying”.

1.1

Workshop duplo “Aprendizagem e Diálogo Intercultural”

20

7

3

0

Junho

Enquadramento: No contexto do seu trabalho desenvolvido no (i)nova Tapada, e com o enquadramento da “Tapada em Festa 2011” a Dínamo levou a cabo duas oficinas de formação sobre Interculturalidade, dirigidas à comunidade da Tapada das Mercês no geral, território onde se encontram habitantes oriundos de 23 países diferentes. Esta foi a primeira proposta educativa em dois anos de “Tapada em Festa”.

Ilustração 4 - Sessão durante a oficina de formação “Aprendizagem Intercultural”. Dínamo | Associação Comunidade Islâmica da Tapada das Mercês | Câmara Municipal de Sintra | Comissão de Moradores da Tapada das Mercês | Grupo informal de Pais “Girassol” | Grupo Informal Aldy Foti | Escoteiros de Mem-Martins

Meta: fomentar uma atitude pro-diálogo, pro-interacção e colaborativa em habitantes da Tapada das Mercês com diferentes ‘backgrounds’ culturais.

Objectivos de aprendizagem: •Entender o valor acrescido da ambiguidade e diversidade de opiniões/valores, nomeadamente para a aprendizagem; •Entender a individualidade dos valores e a sua ligação inevitável à identidade; •Entender o mecanismo do ‘julgamento’ interpessoal, associado aos estereótipos e preconceitos; •Entender as dificuldades e soluções que o diálogo entre ‘culturas diferentes’ poderá abarcar; •Entender a importância do diálogo para o entendimento e colaboração mútua para uma meta comum.

10

Dínamo 2011


RESULTADOS Cooperação e partilha de boas práticas entre os dois parceiros, nomeadamente a

nível do trabalho com jovens em risco e na educação não-formal; O grupo produziu duas peças de teatro-fórum replicáveis; O grupo apresentou duas peças de teatro-fórum à comunidade; Impacte na comunidade a nível da percepção dos jovens do “Convívio Jovem”, no sentido da desconstrução de estereótipos; Coordenado por uma equipa de 6 facilitadores, 3 deles sem experiência prévia; Esta actividade foi impulsionada e gerida por jovens, de forma voluntária.

1.2

60

4000

22

12

Tapada em Festa - II Encontro Cultural 2011 Junho

“...é mais fácil mandar ‘bitaites’ poque somos mais velhos, mas estar na situação é outra história.” Partilha de espectatora no final da sessão de teatro-fórum sobre discriminação étnica (entre jovens).

Enquadramento: Depois do sucesso da primeira edição da “Tapada em Festa” em 2010, o Grupo (i) nova TAPADA, que a Dínamo integra, promoveu a segunda edição em 2011, tentando desenvolver a participação da comunidade desde a fase de preparação. Para além das oficinas sobre Interculturalidade já apresentadas neste relatório, considerou-se oportuna a apresentação da peça que foi construída por ocasião da Formação em Teatro do Oprimido (Março-Abril). A Dínamo também teve um stand no recinto e levou a cabo actividades dirigidas aos mais jovens.

Ilustração 5 - Sessão de teatro-fórum com a comunidade durante a “Tapada em Festa 2011”. Dínamo | Associação Comunidade Islâmica da Tapada das Mercês | Câmara Municipal de Sintra | Programa K’CIDADE (Fundação Aga Khan) | Associação de Moradores da Tapada das Mercês | Centro Comunitário de Algueirão Mem-Martins | Simples Partilha - Loja Solidária | Ponto de Troca/Ass A.T.L da Escola EB 1 J.I. “Bandeirinhas” | Grupo Informal “Clude das Mulheres” | Grupo informal de Pais “Girassol” | Grupo Informal Aldy Foti | ACAS - Associação Lusocaboverdiana de Sintra | Agrupamento de Escolas Visconde Juromenha | Os Caças - projecto “Escolhas” | Pé-de-meia - cooperativa de mulheres empreendedoras | Associação Empresarial de Sintra | Polícia de Segurança Pública de Algueirão Mem-Martins | Farmácia da Tapada das Mercês | Bombeiros Voluntários de Algueirão MemMartins | Comissão Social de Freguesia de Algueirão Mem-Martins | Junta de Freguesia de Algueirão Mem-Martins | Centro Comercial “Floresta Center” (Tapada das Mercês)

Descrição: Esta iniciativa tem como objectivo a valorização do Território da Tapada das Mercês. Pretende-se, desta forma, divulgar e celebrar a diversidade presente na Tapada das Mercês através da participação activa da população no desafio de descobrir e partilhar a sua riqueza cultural. Na Tapada das Mercês estão presentes 23 nacionalidades distintas, sendo certamente uma das comunidades com maior diversidade cultural da área metropolitana de Lisboa.

RESULTADOS Cerca de 27 espectáculos promovidos por entidades e artistas da Tapada das Mercês e arredores.

Em seguimento, o grupo de desenvolvimento comunitário TAPADA (Comissão Social de Freguesia de Algueirão Mem-Martins) re-definiu as suas prioridades para atingir as suas metas no domínio da interculturalidade e coesão comunitária. Está actualmente a ser estudado o seguimento mais adequado, sendo que, o próprio processo de construção deste seguimento é inovador no Grupo TAPADA, envolvendo a comunidade na elaboração de uma estratégia para potenciar a participação no território. Sintra Também É Tua!

11


1.3

8

0

Visita Prévia de Planeamento do intercâmbio “TOxChange - A Theatre of the Oppressed and social inclusion project” Junho

Enquadramento: A equipa de facilitadores/líderes deste intercâmbio e alguns representantes dos grupos de participantes dos 3 países envolvidos (Portugal, Roménia e Itália) encontraram-se para se conhecer melhor e dar andamento à preparação da actividade que iria acontecer em Agosto. Este foi também um projecto piloto para o intercâmbio “TOxChange”, que viria a acontecer em Agosto.

Ilustração 6 – Imagem de apresentação do “TOxChange”.

Dínamo | Cooperativa Artemide (Itália) | Associação Épsilon 3 (Roménia) | Programa Juventude em Acção | Fundação Calouste Gulbenkian | Fertagus| Movijovem | Comboios de Portugal

RESULTADOS Foi revisto o programa do intercâmbio. Foram discutidos e estabelecidos as metas e objectivos de cada sessão. Foram discutidos métodos a adoptar nas sessões. Fomou-se conhecimento do local onde o intercâmbio iria acontecer. Foi alinhado um calendário para os próximos passos.

1.4

Intercâmbio “TOxChange - A Theatre of the Oppressed and social inclusion project”

39

7

1

20.804

Agosto-Setembro

“Agora sinto-me realmente ‘empoderada’.” Partilha de uma participante durante grupo de reflexão no “TOxChange”.

Enquadramento: Depois da experiência do “OUTxChange” (Polónia, 2010) alguns dos participantes quiseram fazer o seu próprio intercâmbio Europeu. Assim nasceu o “TOxChange - A Theatre of the Oppressed and social inclusion project”, feito por, com e para jovens. Este foi a primeira actividade da Dínamo em que os jovens assumiram igualmente a responsabilidade de gerir e executar inteiramente o seu orçamento, superior a 20.000€.

12

Ilustração 7 - Apresentação dos resultados em exterior do intercâmbio “ TOxChange - A Theatre of the Oppressed and social inclusion project” (Almada)

Dínamo | Cooperativa Artemide (Itália) | Associação Épsilon 3 (Roménia) | Programa Juventude em Acção | Fundação Calouste Gulbenkian | Fertagus| Movijovem | Comboios de Portugal | Instituto Português da Juventude

Dínamo 2011


Apresentação: O “TOxChange” consiste num intercâmbio de jovens no qual serão exploradas as técnicas de teatro de oprimido visando uma maior sensibilização para a inclusão social através das artes. O projecto, apoiado pelo programa “Juventude em Acção” da União Europeia, tem como objectivos sensibilizar, oferecer e elaborar ferramentas para que os jovens possam actuar civicamente nas suas comunidades locais através do teatro. Este projecto está contextualizado de acordo com duas das principais prioridades anuais definidas pela União Europeia para 2010, o Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social e alguns dos Desafios Globais (Objectivos do Milénio e Migrações). Através da arte e da cultura, pretende-se desenvolver a sensibilidade para com a tolerância entre diferentes estatutos sociais, géneros ou etnias, bem como promover o espírito de iniciativa e de pro-activismo dos jovens na sociedade, a começar pelas comunidades locais. Com recurso à educação não-formal serão facilitados, durante 10 dias, jogos, debates, brainstormings, simulações, workshops e intervenções de teatro do oprimido num ambiente intercultural. A participação de jovens de países distintos (Portugal, Roménia, Itália) enriquecerá o projecto não só pela sua interculturalidade, mas também pela oportunidade de trabalharem em conjunto em prol de um bem maior, que é o entendimento, a comunicação, a participação activa, a inclusão social e o desenvolvimento das artes como ferramenta de intervenção na sociedade.

RESULTADOS Envolvimento de jovens de três países diferentes (Portugal, Roménia e Itália). Cooperação e partilha de boas práticas entre os três parceiros, nomeadamente a nível da educação não-formal e do Teatro do Oprimido. Grupo produziu uma peças de teatro-imagem replicável. Grupo apresentou uma peças de teatro-imagem à comunidade. Coordenado por uma equipa intercultural de 6 facilitadores. Esta actividade foi impulsionada e gerida por jovens, de forma voluntária.

1.5

Oficina “Participação e diagnósticos participativos”

14

12

1

0

Junho

“Levei muito sumo daqui para uma formação na Jordânia e consegui pôr instituições governamentais, ONG’s e membros da comunidade a participar e a aprender uns com os outros. Eles adoraram e eu também. Obrigada!” Partilha de técnica de desenvolvimento comunitário depois de ter multiplicado boas prácticas retiradas desta oficina.

Enquadramento: O Grupo TAPADA constatou a necessidade de se promover um workshop no domínio da participação que se destinasse, não só aos seus constituintes, mas também a membros da comunidade interessados. Esta constatação resultou de um inquérito realizado na comunidade e também do exercício de avaliação de alguns processos de avaliação de intervenções do Tapada no território. O grupo desenvolveu competências e iniciou uma estratégia para potenciar e melhorar a qualidade da participação nas iniciativas na Tapada das Mercês. Sintra Também É Tua!

Ilustração 8 - Grupo de participantes durante sessão sobre o modelo “CLEAR” da Participação na oficina “Participação e Diagnósticos Participativos” Dínamo | Grupo Tapada | Fundação Calouste Gulbenkian | K’Cidade| Associação Comunidade Islâmica da Tapada das Mercês

13


Meta: Melhorar a qualidade das oportunidades e iniciativas participativas na Tapada das Mercês. Objectivos de aprendizagem:

•Identificar e compreender as condições fundamentais para a participação; •Desenvolver o entendimento de diferentes níveis de participação comunitária; •Tomar conhecimento de diferentes ferramentas úteis para a realização de diagnósticos participativos; •Desenvolver o entendimento de diferentes níveis de participação comunitária; •Tomar conhecimento de diferentes ferramentas úteis para a realização de diagnósticos participativos; •Explorar os principais desafios à participação na comunidade da Tapada das Mercês; •Desenvolver uma estratégia cooperativa para potenciar e qualificar a participação na Tapada.

RESULTADOS Importante ímpeto para cooperação entre as entidades/organizações envolvidas no

domínio da Participação na Tapada das Mercês. Impacte no território a nível do reconhecimento da educação não-formal. Foi observada uma actividade onde uma participante multiplicous boas práticas promovidas neste workshop – formação especializada “Participatory Approaches & Community Involvement”, Jordânia.

1.6

Dezembro

15

Intercâmbio “Interaj”

4

1

217

Enquadramento: Durante uma das fases da “Formação de Formadores para a Participação Juvenil”, os participantes implementaram os seus próprios projectos juvenis que viriam depois a avaliar na última fase do processo. Este intercâmbio foi um destes projectos, levado a cabo por um grupo de participantes e que propôs uma abordagem inovadora aos intercâmbios da Dínamo, onde as organizações envolvidas são activas no Concelho de Sintra (Dínamo e Solami).

Ilustração 9 - Sessão durante o Intercâmbio “Interaj”. Dínamo | Solami | Câmara Municipal de Sintra | Junta de Freguesia de Rio de Mouro

Finalidade: Fomentar uma atitude de comunicação assertiva entre jovens oriundos de realidades sociais distintas. Objectivos:

• Realizar um intercâmbio juvenil com 15 elementos provenientes de realidades sociais distintas; • Promover a partilha de experiências através da Educação Não-Formal; • Desenvolver novas aprendizagens no âmbito da aceitação da diferença; • Promover formas de interacção e participação juvenis; • Proporcionar uma atmosfera de confiança e coesão entre os elementos do grupo; • Espera-se que pelo menos um jovem de cada grupo consiga/queira assumir uma atitude mais positiva perante a diferença e que leve essa mesma atitude/conhecimentos ao seu grupo de pares.

RESULTADOS Cooperação e partilha de boas práticas entre os dois parceiros, nomeadamente

a nível do trabalho socio-educativo com jovens e na educação não-formal. Coordenado por uma equipa de 4 facilitadores, 3 deles sem experiência prévia; Esta actividade foi impulsionada e gerida por jovens, de forma voluntária. 14

Dínamo 2011


2011 Tânia Lopes Acerca da 1.3 da Rede “Eu não me lembro de nenhum período da minha vida onde eu tenha aprendido mais em tão pou co tempo desde que estou a trabalh ar com Dínamo e no seu projecto Juventude em Acção. Agora per cebo que a minha contribuição tem um impacto e que eu posso ser um a parte de uma mudança positiva na nossa sociedade. “

Sintra Também É Tua!

15


EIXO 2 Legenda Participantes no projecto Entidades envolvidas Actividades de seguimento

â‚Ź 16

Fundos usados no projecto

DĂ­namo 2011


2.0

Criação de espaço administrativo e de encontro da Dínamo

4

0

Outubro-Dezembro

“Aleluia.” Expressão mais usada nos mails e nos comentários das redes sociais em resposta à notícia da instalação da Dínamo neste espaço.

Enquadramento: Apesar deste marco não ser uma “actividade”, a sua implementação exigiu uma considerável dedicação e, por isso, ele é aqui também apresentado. Depois de 5 anos sem um espaço de encontro, e de centenas de reuniões em mesas de café, a Dínamo conseguiu garantir um espaço de encontro de carácter provisório, mas com localização estratégica junto da Associação Islâmica da Tapada das Mercês. Para além de assegurar uma infraestrutura sempre disponível em que os jovens poderão desenvolver as suas actividades e projectos, este é também o espaço que acolhe a equipa administrativa da Dínamo, ao momento, composta por 3 elementos. Entretanto, a Câmara Municipal de Sintra está a dar andamento ao processo de cedência de um espaço à Dínamo, que possa, ao mesmo tempo, abrigar um centro de formação, totalmente dedicado à educação não-formal.

Ilustração 10 - Grupo de participantes da actividade “Rede Participação Juvenil de Sintra” durante um dos encontros de preparação no espaço administrativo e de encontro da Dínamo.

Dínamo | Fundação Calouste Gulbenkian | Programa “Juventude em Acção”| Associação Comunidade Islâmica da Tapada das Mercês

RESULTADOS Este espaço é fundamental para providenciar as condições necessárias ao desenvolvimento de

inúmeras actividades como a “Rede Participação Juvenil de Sintra”, ou para o acompanhamento de iniciativas e projectos de jovens como o “ToxChange”; Aumento da visibilidade da Dínamo no território; Criação de 3 postos de trabalho e aumento das oportunidades de voluntariado; Disponibilização de recursos e publicações especializadas ao público (pequena biblioteca); Maior proximidade com parceiros e com a comunidade onde a Dínamo trabalha; Melhoramento das condições para o desenvolvimento de cooperação Euro-Árabe a nível local.

Sintra Também É Tua!

17


2.1

Regional Networks for meaningful Youth Participation

50

8

7.331

Junho-Dezembro

“Com o projecto da “Rede Participação Juvenil de Sintra” aprendi que não preciso fazer parte de um órgão do poder para ser responsável por uma mudança positiva. Ter vontade e estar informada já significa estar numa posição de poder. Ser jovem e inexperiente não deve ser visto como uma limitação, mas sim como uma motivação para querer aprender mais. Hoje sou um pouco menos inexperiente e muito mais curiosa em relação a temas sobre a juventude.” Contributo de participante membro do Grupo Impulsionador da Rede Participação Juvenil de Sintra

Enquadramento: Perante a escassez e falta de investimento na qualidade de mecanismos que garantam as condições necessárias para a participação dos jovens na vida local/regional, a Dínamo encontra-se a acompanhar um grupo de jovens que estão a criar uma rede para a participação juvenil em Sintra, visando criar um espaço e sinergias comuns entre os actores activos no domínio da juventude no Concelho. Este projecto é de dimensão Europeia (existe um grupo em Itália a implementar um processo muito semelhante) e irá terminar em meados de 2012.

Ilustração 11 - Momento de avaliação com o grupo no final do 1º encontro da Rede Participação Juvenil de Sintra. Fundação Calouste Gulbenkian | Associação Comunidade Islâmica da Tapada das Mercês | Programa “Juventude em Acção” | Câmara Municipal de Sintra | Escola Secundária de Leal da Câmara | VIP Inn Miramonte | Dínamo | Rede Participação Juvenil de Sintra

Apresentação: A Rede Juvenil de Sintra é um projecto que pretende melhorar a comunicação e a informação entre actores no domínio da juventude activos no Concelho. Financiado pelo Programa “Juventude em Acção”, da Comissão Europeia, este projecto tem uma abordagem inovadora e está a ser implementado em Sintra por um grupo de 8 jovens com um interesse em comum: contribuir para melhorar a(s) sua(s) comunidade(s). O grupo está ser apoiado pela Dínamo durante todo processo, ao longo de 12 meses. O principal resultado concreto que este projecto trará é a implementação de uma Rede Juvenil em Sintra que será de uma grande utilidade a longo prazo para: • Os jovens encontrarem informação relativa a actividades e/ou acontecimentos; • As organizações/entidades divulgarem as suas actividades; • ‘Ponto de encontro’ e espaço de cooperação de todos os actores activos no território no domínio da juventude; • Plataforma de discussão e de participação juvenil em Sintra.

Meta: Potenciar a participação juvenil na vida local/regional de Sintra, fomentando o envolvimento em actividades voluntárias e facilitando a comunicação e cooperação entre organizações juvenis, trabalhadores socio-educativos em prol dos jovens, e grupos informais no território, nomeadamente jovens migrantes.

Objectivos: • Criar um lista actualizada das organizações juvenis activas, trabalhadores socio-educativos em prol dos jovens e grupos informais (OJATSEGI) com actividade em Sintra; • Publicar um relatório das situações actuais da rede existente em Sintra e analizá-la;

18

Dínamo 2011


• Reunir OJATSEGI existentes em Sintra para discutir o estabelecimento da rede; • Estabelecer oficialmente a rede, baseada nas conclusões alcançadas nos encontros gerais de OJATSEGI; • Produzir uma carta de recomendações para a participaç��o juvenil, focada nos jovens que geralmente estão ‘de fora’ dos círculos de participação, nomeadamente jovens migrantes, dirigida a decisores políticos e outras partes activas no domínio da juventude; • Criar uma plataforma web de suporte à rede; • Publicar um relatório final do projecto; • Produzir e partilhar um guia prático com passos para o estabelecimento de uma rede juvenil local/ regional para a participação juvenil; • Criar oportunidades de serviço voluntário ao longo do processo.

RESULTADOS O grupo de participantes está envolvido num processo de participação (e de

aprendizagem) único e sem precedentes em Sintra; 1º encontro entre a comunidade juvenil de Sintra, envolvendo 50 participantes; • Jovens; • Representantes de organizações juvenis ou activas no domínio da Juventude; • Trabalhadores socio-educativos em prol dos jovens (youth workers); • Representantes de grupos informais de jovens; • Representantes de instituições/entidades activas no domínio da Juventude. Criação de base de dados dos actores activos no domínio da Juventude em Sintra; Importante marco para a participação dos jovens Sintrenses na sua vida local; Importante ímpeto para cooperação entre as entidades/organizações envolvidas no domínio da Juventude em Sintra; Impacte no território a nível do reconhecimento da educação não-formal e das suas boas práticas (grande parte das sessões aconteceram dentro de uma escola secundária); Impacte no território a nível da disseminação de boas prácticas para a participação juvenil, nomeadamente no recurso aos princípios da educação não-formal nos processos de tomada de decisão; Diagnósticos relativamente a: • Obstáculos e possíveis soluções à/para a participação juvenil em Sintra; • Expectativas da comunidade juvenil de Sintra relativamente à Rede Participação Juvenil de Sintra; • Expectativas e sugestões para a plataforma online que servirá de apoio à actividade e desenvolvimento da Rede Participação Juvenil de Sintra. Primeira experiência de educação não-formal para grande parte dos participantes envolvidos no 1º encontro; Partilha de boas práticas entre as organizações envolvidas em Portugal e em Itália; Grandes níveis de participação poder de decisão dos jovens envolvidos no grupo impulsionador.

Sintra Também É Tua!

19


EIXO 3 Legenda Participantes no projecto Entidades envolvidas Actividades de seguimento

â‚Ź 20

Fundos usados no projecto

DĂ­namo 2011


3.0

Oficinas de Formação em Teatro do Oprimido

14

5

7

0

Março-Abril

Enquadramento: No final de 2010 foi efectuado um levantamento de necessidades junto dos associados da Dínamo. Uma das principais conclusões foi que havia um substancial interesse em desenvolver competências no domínio do Teatro do Oprimido. Estas formações procuraram responder a esta necessidade e foram dirigidas a participantes que pudessem, depois, dar seguimento à aprendizagem através da sua aplicação em contextos de trabalho sócio-educativo ou através das suas iniciativas.

Ilustração 12 - Sessão durante a oficina “Teatro-Fórum: da peça ao fórum”. Dínamo | Clube das Mulheres (Tapada das Mercês) | Par | Inducar | Escola Superior de Educação de Lisboa

Oficina 1 - Ensaiar a realidade - Introdução ao Teatro-Fórum Descrição: Nesta oficina conheceremos, através de diferentes exercícios, o método do Teatro do Oprimido e as suas principais ferramentas. Exploraremos os jogos de activação sensorial e, a partir da partilha de histórias, construiremos uma peça de teatro-fórum. Haverá também momentos para a reflexão sobre os princípios e a utilização do teatro do Oprimido em diferentes contextos.

Conteúdos:

• O arsenal do Teatro do Oprimido: teatro invisível, teatro imagem, teatro fórum, teatro legislativo, arco-íris do desejo; • Jogos de desmecanização do corpo; • Exercícios de teatro-imagem; • Teatro-fórum: como construir uma peça a partir das nossas histórias de opressão; • Ensaio do anti-modelo. Construção de personagens; • Utilizações possíveis do Teatro do Oprimido no trabalho educativo, social e no activismo.

Oficina 2 - Teatro-Fórum: da peça ao fórum - oficina avançada de Teatro-Fórum e curingagem Descrição: Nesta oficina exploraremos, a partir de diferentes exercícios, as principais vertentes do Teatro do oprimido, concentrando-nos sobre o ofício do curinga enquanto dinamizador deste tipo de trabalho. Reflectiremos sobre a utilização do método e as responsabilidades dos curingas. A partir de algumas cenas de teatro-fórum, serão exploradas técnicas de condução de uma sessão de fórum, com a possibilidade dos participantes de experimentarem curingar essas peças e com discussão sobre as situações difíceis da curingagem.

Conteúdos:

• O ofício do curinga enquanto dinamizador do trabalho com Teatro do Oprimido: como articular as diferentes técnicas; os passos de uma oficina de TO; • Como construir um bom anti-modelo de teatro-fórum: a história, a escolha do problema, as personagens, opressores e oprimidos, aliados, improvisação; • O trabalho do curinga na dinamização de sessões de teatro fórum. O pré-forum. Como responder às situações difíceis durante a sessão? • Partilha de experiências.

Sintra Também É Tua!

21


RESULTADOS O grupo produziu uma peça de teatro-fórum replicável sobre discriminação étnica;

1º encontro entre a comunidade juvenil de Sintra, envolvendo 50 participantes; Apoio do centro comercial ‘Floresta Center’, na Tapada das Mercês, com a cedência de uma sala para acolher a formação. Esta cooperação veio a ter um seguimento mais tarde com a “Tapada em Festa - II Encontro Cultural 2011”; Envolvimento de um formador pioneiro no teatro legislativo (“Estudantes por Empréstimo”) em Portugal (José Soeiro); Esta actividade foi impulsionada e gerida inteiramente por jovens, de forma voluntária.

3.1

15

12

6

2.157

Formação de Formadores para a Participação Juvenil Maio-Dezembro

“... foi um processo de aprendizagem que me mudou a vários níveis: pessoalmente, na escola, no teatro... mudou-me a vida em termos de rumo.” Feedback de um participante no seu formulário de avaliação final.

Enquadramento: Num território onde a educação não-formal encontra-se pouco desenvolvida e reconhecida, a Dínamo promoveu uma formação dirigida a potenciais multiplicadores de boas práticas, quer a nível do trabalho sócio-educativo com jovens, como a nível da participação juvenil. Esta formação estendeu-se durante 8 meses e foi um piloto com uma estrutura inovadora, muito diferente do que estamos habituados a ver numa formação de formadores convencional, incluindo seminários residenciais e uma fase de implementação de projectos dos participantes. Como seguimento estratégico, será criada a Bolsa de Formadores da Dínamo em 2012, como ferramenta de resposta a necessidades do território no domínio do trabalho socio-educativo em prol dos jovens e da Educação não-Formal.

Ilustração 13 - Grupo de participantes durante sessão de avaliação de um dos fins-de-semana residenciais da “Formação de Formadores para a Participação Juvenil” Dínamo | Associação Islâmica da Tapada das Mercês | Associação Pais Escola E B 1 Jardim de Infância da Tapada das Mercês | GAIA Grupo de Acção e Intervenção Ambiental | Associação Estrela da Lusofonia (Escolhas) | SOLAMI | Câmara Municipal de Sintra | Centro Norte-Sul do Conselho da Europa | Tapafuros | Academia APAMM | Agrupamento de Escolas de Rio de Mouro - Padre Alberto Neto (Projecto TEIP - Território Educativo de Intervenção Prioritária) | Agrupamento de Escolas de Algueirão Mem-Martins - Visconde Juromenha (Projecto TEIP - Território Educativo de Intervenção Prioritária)

Meta: potenciar a participação juvenil no Concelho de Sintra, através da aquisição e desenvolvimento das competências de trabalhadores sócio-educativos activos no território, com recurso à Educação não-Formal.

Principais objectivos: • Providenciar uma formação de formadores em Educação não-Formal, destinada a trabalhadores sócioeducativos activos no Concelho de Sintra, envolvendo entidades que já desenvolvam trabalho com jovens no terreno. • Apoiar a implementação de projectos no domínio da participação juvenil em Sintra, por meio de uma plataforma online e acompanhamento presencial. • Avaliar, num espaço de partilha presencial em grupo, os resultados dos projectos implementados e aferir as competências desenvolvidas e a desenvolver. 22

Dínamo 2011


Conteúdos Programáticos: Trabalho em Equipa, Aprendizagem, Aprendizagem Cooperativa, Educação não-

Formal, Competências, Capacidades de Comunicação/Apresentação, Transformação de Conflito, Facilitação, Liderança, Dinâmica de Grupos, Participação Activa, Participação Juvenil, Gestão de Projecto/Projecto Educativo, Metodologia e Métodos, Programas de Apoio Financeiro, Planeamento de Sessões, Avaliação de Processos Educativos.

Resumo do processo: Esta formação de longo-prazo decorreu em modo misto de aprendizagem e envolveu 3 fases: • 1ª fase - 17 sessões (54 horas) de formação presencial em grupo; • 2ª fase - desenvolvimento e/ou implementação de projectos da autoria dos participantes; • 3ª fase - avaliação da formação, das aprendizagens e dos projectos. Ao longo de todo o processo houve 3 seminários residenciais (6 dias, 36 horas de sessões) e apoio de uma plataforma online.

RESULTADOS

6 Participantes implementaram efectivamente projectos educativos da sua autoria. Importante ímpeto para cooperação entre as entidades/organizações envolvidas no domínio da Juventude em Sintra. Impacte no território a nível do reconhecimento da educação não-formal e das suas boas práticas (grande parte das sessões aconteceram dentro de uma escola secundária). Coordenado por uma equipa de 3 formadores, envolvidos em organizações/entidades diversas (Bolsa de Formadores do Conselho Nacional de Juventude, associação juvenil Rota Jovem, Bolsa de formadores do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, Bolsa de formadores da Agência Nacional para a gestão do Programa “Juventude em Acção”, Bolsa de Formadores do Fórum Europeu de Juventude, Dínamo).

3.2

24

5

0

Encontro de preparação “Training of Trainers dealing with multicultural youth work in the field of youth participation at local/regional level” Abril-Maio

Enquadramento: A equipa de 4 formadores desta formação residencial pan-Europeia encontrou-se para se conhecer melhor e dar andamento à preparação da actividade que iria acontecer em Setembro.

RESULTADOS

Ilustração 14 - Equipa da Formação “Training of Trainers dealing with multicultural Youth Work in the field of Youth Participation at local/regional level” Dínamo | Clube das Mulheres (Tapada das Mercês) | Par | Inducar | Escola Superior de Educação de Lisboa

Foi revisto o programa da formação; Foram discutidos e estabelecidos as metas e objectivos de cada sessão; Foram discutidos métodos a adoptar nas sessões; Foi estruturado o ‘pack informativo’ a enviar para os participantes; Foi alinhado um calendário para os próximos passos.

Sintra Também É Tua!

23


3.3

Formação pan-Europeia “Training of Trainers dealing with multicultural youth work in the field of youth participation at local/regional level”

24

27

4

22.739

Setembro

“(a formação) deixou-me sem palavras! Com toda a certeza posso dizer que aprendi muito e muitas coisas que me serão muito úteis.” Registo de um participante no formulário de avaliação final.

Enquadramento: O trabalho sócio-educativo em prol dos jovens no domínio da participação juvenil debate-se actualmente com muitos desafios e com uma grande diversidade de experiências. O extraordinário potencial dos jovens para participar é frequentemente excluído dos processos de tomada de decisão, devido à inexistência de condições essenciais ou até a preconceitos institucionais. A falta de investimento na participação juvenil tem determinado um quadro onde os jovens se sentem impotentemente excluídos, e onde não só a Europa está a perder o seu principal potencial recurso para a transformação social positiva a nível local e regional. Esta foi a primeira formação pan-Europeia sobre Juventude que aconteceu no Concelho de Sintra. O grupo de 24 participantes e 5 membros da equipa educativa veio dos seguintes 22 países: Portugal, Bélgica, Azerbaijão, Rússia, Austria, Holanda, Croácia, Arménia, Hungria, Suíça, Bósnia, Grécia, Islândia, Alemanha, Macedónia, Sérvia, Itália, Montenegro, Eslováquia, Ucrânia, França e Moldávia. A abordagem educativa seguiu os princípios da Educação não-Formal.

Ilustração 15 - Grupo de participantes durante actividade exterior na Formação “Training of Trainers dealing with multicultural Youth Work in the field of Youth Participation at local/regional level” Transparency-Azerbaijan (Azerbaijão) | Monitorul Civic (Moldávia) | Associação Pavel Satev (Macedónia) | Association des Etats Généraux des Etudiants de l’ Europe (Bélgica) | IGLYO - International Lesbian, Gay, Bisexual, Transgender, and Queer Youth and Student Organisation (Bélgica) | Volunteers Centre Zagreb (Croácia) | Zdravo da ste - “Hi neighbour”(Bósnia e Herzegovina) | Ufa Falcon (Russia) | NGO “Eco-movement of Bijelo Polje (Montenegro) | Implacement Projecten BV (Holanda) | Volunteers centre of Vojvodina/SCI Serbia (Sérvia) | Institute for Development of Knowledge Society (Eslováquia) | Euforia (Suíça) | AFS Interkulturelle Begegnungen e.V. (Holanda) | Sveitarfélagið Skagafjörður - Hús Frítímans (Islândia) | International Center of Youth Development and Integration (Arménia) | Santa Casa da Misericórdia do Vale de Besteiros- Lar de Infância e Juventude Convívio Jovem (Portugal) | Dínamo (Portugal) | Útilapu Nemzetközi Építőtábor Hálózat - SCI Hungary (Hungria) | Young Rukh (Ucrânia) | Youthnet Hellas (Grécia) | Sfera (Russia) | Forum EYE (Macedónia) | Rede Internacional Youth for Exchange and Understanding | Câmara Municipal de Sintra | Junta de Freguesia de S. Pedro de Penaferrim | Hotel VIP Inn Miramonte

Meta: Qualificar formadores no domínio da participação juvenil a nível local/regional, através do desenvolvimento de suas competências num contexto multicultural, motivando-os a contribuir activamente para transformações sociais positivas nas suas comunidades e com o seu trabalho. Principais objectivos: • Providenciar aos participantes bases teóricas, capacidades e ferramentas para desenhar, implementar e avaliar programas educacionais eficazes, a fim de gerar melhores resultados de aprendizagem e melhor desempenho. •Partilhar experiências, práticas, opiniões, ferramentas e materiais educativos relacionados com a participação juvenil. •Desenvolver a compreensão dos participantes sobre a importância da participação juvenil nas suas diferentes dimensões: processos de tomada de decisão, ‘lóbis’ de políticas de juventude, programas e actividades de organizações, liderança transformacional e sociedade civil em geral, como um Direito Humano. 24

Dínamo 2011


•Explorar os obstáculos à participação juvenil e problemas comuns, formulando as correspondentes - e eventualmente inovadoras - soluções no quadro do trabalho sócio-educativo em prol dos jovens e da educação não-formal. •Experienciar dificuldades típicas de um ambiente de trabalho multicultural, desenvolvendo as competências interculturais dos participantes e a sua abordagem positiva relativamente à diversidade. •Proporcionar uma oportunidade para que os participantes criem um projeto educativo no domínio da participação juvenil e desenvolver uma ferramenta educacional, consolidando a rede das organizações envolvidas. •Introduzir recursos e oportunidades de financiamento que poderão ser úteis para a implementação dos projetos dos participantes, incluindo os programas do Conselho da Europa e da Fundação Europeia da Juventude.

RESULTADOS Importante ímpeto para cooperação entre as entidades/organizações envolvidas no

domínio da Juventude a nível internacional e em Sintra; Impacte no território a nível do reconhecimento do trabalho socio-educativo em prol dos jovens (‘youth work’) e da educação não-formal; Os participantes produziram 5 workshops multiplicáveis sobre participação juvenil; Coordenado por uma equipa de 4 formadores, envolvidos em organizações/entidades diversas e oriundos de regiões diversas (Rússia, Austria, Macedónia e Portugal).

3.4

Participação na Formação Europeia “Non Formal Education for Local Action

4

3

2

0

Agosto

“Experimentar fazer Teatro do Oprimido com um público diferente e num contexto intercultural foi fundamental para depois implementar o TOxChange.” Testemunho de participante que fez facilitação posteriormente no intercâmbio juvenil “TOxChange”.

Enquadramento: A quase inexistente oferta de actividades de Educação não-Formal em Portugal resulta, entre outras consequências, na necessidade dos trabalhadores sócio-educativos em prol dos jovens (‘Youth Workers’) em deslocarem-se para fora do seu País para poderem partilhar boas práticas e desenvolver competências. A Dínamo enviou 4 participantes para a formação “Non-Formal Education for Local Action” (‘Educação não-Formal para Acção Local’) para uma partilha de boas práticas no domínio da Educação não-formal e para desenvolverem competências em como cruzar essas boas práticas com a sua actividade a nível local, perspectivanto a transformação social.

Ilustrações 16 e 17 - Momentos de exterior da formação Europeia “Non Formal Education for Local Action”, Wroclaw, Polónia. Dínamo | Programa “Juventude em Acção” | Towarzystwo im. Edyty Stein

Conteúdos Programáticos: Trabalho em Equipa, Educação não-Formal, Facilitação, Feedback, Boas Práticas, Gestão de Projecto.

Sintra Também É Tua!

25


RESULTADOS As boas práticas no domínio do Teatro do Oprimido foram desenvolvidas em ambas

as organizações de envio; Primeira experiência de educação não-formal em contexto residencial e intercultural, para um dos participantes; As organizações envolvidas foram introduzidas à boa prática “Built Environment”.

3.5

Participação na Sessão de Estudo “Next Step: Taking youth participation and intercultural dialogue to the next level”

40

18

0

Outubro

Enquadramento: As Sessões de Estudo (‘Study Sessions’) são promovidas pelo Conselho da Europa em cooperação com organizações Europeias de Juventude. Os participantes são oriundos de diferentes países Europeus e partilham as suas experiências e boas práticas, estabelecendo também sinergias de cooperação. A Dínamo enviou uma participante para esta actividade pela pertinência dos seus tópicos (Participação Juvenil e Diálogo Intercultural) para o seu trabalho em Sintra.

Ilustração 18 - Grupo em visita ao edifício do Conselho da Europa em Estrasburgo durante a Sessão de Estudo “Next Step: Taking youth participation and intercultural dialogue to the next level”, França. Dínamo | Conselho da Europa | Fundação Calouste Gulbenkian | European Fellowship | Fimcap | Outras 18 organizações de 17 países diferentes ((Finlândia, Estónia, Ucrânia, Inglaterra, País de Gales, Irlanda do Norte, Dinamarca, Portugal, Hungria, Biolorrúsia, Eslovénia, Malta, Islândia, Roménia, Itália, Lituânia, Espanha)

Meta: Capacitar os participantes para envolvimento na liderança de projectos multiculturais nas suas organizações de juventude, com foco específico em projectos interculturais que promovem a participação juvenil no desenvolvimento da organização e do trabalho socio-educativo em prol dos jovens.

Principais objectivos: • Capacitar os participantes para promoverem a participação ativa em organizações de juventude e no trabalho com jovens em geral, através da transmissão de conhecimentos e da compreensão de métodos para a participação juvenil; • Providenciar ferramentas e métodos aos participantes que potenciem a sua influência através do desenvolvimento trabalho socio-educativo em prol dos jovens nas suas organizações e através da participação juvenil. • Desenvolver competências de gestão de projetos como uma ferramenta para o desenvolvimento das organizações envolvidas e para que se tornem cidadãos ativos contribuindo para a sociedade civil. • Praticar a comunicação construtiva e o diálogo interactivo em contexto de trabalho socio educativo multicultural e diversificado. • Providenciar ferramentas aos participantes para o entendimento de como a comunicação (caraa-cara ou ‘media’) reflete valores e perspectivas no diálogo intercultural. • Garantir que os participantes possam identificar e construir oportunidades de trabalho socio educativo com jovens num ambiente intercultural. • Desenvolver as capacidades e competências dos participantes relativamente à sua participação participar e /ou na liderança de equipas multiculturais. • Permitir o crescimento da rede de participantes Europeus, promovendo um o diálogo interculturale a cooperação internacional. 26

Dínamo 2011


RESULTADOS Envolvimento de 1 participante Português (Dínamo).

A participante envolvida teve oportunidade de conhecer um dos Centros Europeus de Juventude e as instalações do Conselho da Europa em Estrasburgo; Partilha de boas práticas no domínio da Participação Juvenil e Diálogo Intercultural entre as organizações envolvidas.

3.6

50

Participação na Formação Europeia “Recognition of non-formal learning in youth work”

42

2

0

Outubro

“Não há caminho mais curto para o reconhecimento público senão a prática constante da excelência no nosso trabalho.” Conclusão de um participante em plenário.

Enquadramento: O reconhecimento do ‘youth work’ em Portugal é de substancial complexidade devido ao facto sórdido de não existir uma tradução adequada (e um conceito) para esta actividade. Se traduzirmos para “trabalho juvenil” associa-se a “mãode-obra”, conota-se quase com “trabalho infantil”; Se traduzirmos para “trabalho com jovens” obtemos uma definição demasiado lata que não descreve, de todo, aquilo que é o “youth work”. O Conselho Nacional da Juventude tem vindo a propôr a expressão “trabalho socio-educativo em prol dos jovens (‘youth work’)” com no documento “20 propostas jovens para Portugal” (Setembro, 2009) ou, em outras ocasiões como no XII Encontro Nacional de Juventude (Outubro, 2011), só “Youth Work”.

Ilustração 19 - Grupo de participantes durante uma actividade na formação Europeia de longa duração “Recognition of non-formal learning in youth work”, Varsóvia, Polónia.

Dínamo | Fundação Calouste Gulbenkian | Progama “Juventude Em Acção” | SALTO Participation | SALTO EECA | SALTO SEE | SALTO Cultural Diversity | SALTO Youthpass

Esta problemática está intimamente ligada ao reconhecimento da aprendizagem não-formal, pois esta é uma das grande ferramentas ao serviço dos “youth workers” para ajudarem os jovens a “delinearem os seus próprios futuros” . Devido ao registo (e legado) da Educação Formal em Portugal, ainda é difícil entender (e explicar) o que é a aprendizagem não-formal, pois não existem referências a nível individual para facilitar esta compreensão - seria muito mais fácil de se entender se houvesse um acesso generalizado a este tipo de processos no País, juntamente com profissionais (e as respectivas escolas) com as competências necessárias (também elas diferentes das que estão presentemente a ser desenvolvidas nas escolas mais próximas do “youth Work”). Ao contrário da maioria dos países a Norte da Europa, da Comissão Europeia e do Conselho da Europa, Portugal ainda parece longe de priorizar este tipo de trabalho e de boas práticas, e é precisamente esta uma das principais agendas do reconhecimento implícitas nesta formação: promover o reconhecimento das boas práticas do youth work e da aprendizagem não-formal nos países envolvidos. O processo de formação durou cerca de 12 meses e um dos principais produtos para a Dínamo foi a “Formação de Formadores para a Participação Juvenil” (Maio-Dezembro 2011). Uma das participantes desta última teve oportunidade de ir ao seminário final de avaliação internacional, que aconteceu em Outubro na Polónia, num grupo de cerca de 60 participantes.

Sintra Também É Tua!

27


Meta: Desenvolver competências de “youth workers” e “youth leaders” para aumentar o reconhecimento da aprendizagem não-formal no “youth work”. O processo teve o seu seminário inicial em Novembro de 2010, foi intercalado com uma fase de implementação de um projecto de reconhecimento da autoria dos participantes e terminou com o seminário final de avaliação em Outubro de 2011.

RESULTADOS Envolvimento de 2 participantes Portugueses (Dínamo), que estiveram envolvidos

em actividades concretas de seguimento; Envolvimento de 50 participantes de 42 organizações de 27 países diferentes; Partilha de boas práticas no domínio do Reconhecimento da Aprendizagem não-Formal no ‘Youth Work’, Participação Democrática dos jovens e Educação para a Paz.

3.7

Participação na Formação Europeia “Coach me if you can”

33

23

2

0

Novembro

“Mudar atitude não é fácil (ah pois não!), mas através da educação não formal, da confiança que o grupo tinha em si mesmo e da equipa de formadores, conseguimos abordar este tema e, quem sabe, mudar a nossa postura frente a alguns dilemas de todos os dias.” Testemunho de participante em relato após a formação.

Enquadramento: No domínio do trabalho socioeducativo em prol dos jovens, o ‘Coaching’ é o processo de acompanhamento de um grupo de jovens com uma finalidade comum, seja implementar projectos, desenvolver aprendizagens, alcançar resultados específicos, etc. A Dínamo enviou um participante para esta formação para desenvolver competências numa àrea em que se prevê a intensificação do trabalho da organização nos próximos anos.

Ilustração 20 - Grupo de participantes durante uma actividade na formação Europeia “Coach me if you can”, Portugal.

Dínamo | Fundação Calouste Gulbenkian | Youth Express Network | Outras 23 organizações de 15 países diferentes

Principais objectivos: • Providenciar competencias relacionadas com o ‘coaching’ (capacidades, conhecimentos e atitudes) a 33 trabalhadores socio-educativos em prol dos jovens, ou líderes de Juventude, ou trabalhadores sociais com jovens; • Partilhar experiências relativas ao ‘coaching’ pela Europa; • Contribuir para as políticas Europeias relativas ao emprego jovem; • Desenvolver o entendimento do papel do ‘coaching’ no processo de empoderamento dos jovens; • Promover o ‘coaching’ como um método para combater o desemprego juvenil; • Identificar formas de implementar as competências desenvolvidas nas comunidades locais.

RESULTADOS Envolvimento de 1 participante Português (Dínamo) que esteve depois envolvido em

2 actividades de seguimento; Envolvimento de 33 participantes de 23 organizações de 15 países diferentes; Partilha de boas práticas no domínio do ‘coaching’. 28

Dínamo 2011


3.8

Participação na Formação internacional “Euro-Arab long term training course for cooperation youth projects through non formal learning”

31

21

3

0

Dezembro

“...nos países Árabes, tem vindo a existir uma afirmação popular pela conquista de uma identidade e (...) no ‘Ocidente’, tem vindo a existir uma manifestação popular num momento de crise de identidade - o que virá a seguir à Democracia que temos?” Reflexão de participante em relato após a formação.

Enquadramento: Esta foi uma iniciativa pioneira de cooperação entre o Conselho da Europa e a Liga dos Estados Árabes que envolveu 31 participantes oriundos de diferentes estados-membro das duas instituições. Um dos principais desafios em projectos educativos de cooperação transnacional EuroÁrabe é o seu potencial intercultural, começando pelas diferenças no entendimento e práctica da educação não-formal (ENF). Foi em desafios como este que esta formação este focada ao longo de 12 meses.

Ilustração 21 - Grupo de participantes durante uma actividade na formação internacional de longa duração “Euro-Arab long term training course for cooperation youth projects through non formal learning”, Dubai, Emirados Árabes Unidos.

Dínamo | Conselho da Europa | Fundação Calouste Gulbenkian | Liga dos Estados Árabes

Meta: Apoiar a cooperação juvenil euro-árabe, desenvolvendo competências de 30 líderes de organizações juvenis de estados do Conselho da Europa e da Liga Árabe, bem como dar apoio ao desenvolvimento e implementação de projetos inovadores de desenvolvimento de políticas para a juventude, de participação juvenil e de diálogo intercultural através da aprendizagem não-formal.

Principais objectivos: • Treinar 30 jovens líderes da Europa e da região árabe nos domínios da educação não-formal, do trabalho socio-educativo em prol dos jovens e da participação juvenil e da cooperação Euro-Árabe; • Desenvolver o entendimento dos participantes sobre conceitos como a educação não-formal, o diálogo intercultural, a educação para os Direitos Humanos, participação juvenil e políticas de juventude; • Providenciar ferramentas para compreender os (e fazer face aos desafios) que os jovens da Europa e da região Árabe enfrentam em termos de participação política e social, exclusão e pobreza, xenofobia, discriminação, racismo e marginalização; • Realçar os valores subjacentes à cooperação Euro-Árabe e refletir como podem estes ser valores promovidos de uma melhor forma em projetos juvenis no futuro; • Apoiar o desenvolvimento de competências dos participantes nas áreas de liderança democrática e participação juvenil, desenvolvimento e gestão de projetos, comunicação intercultural, advocacia e capacitação organizacional; • Iniciar, apoiar, implementar e avaliar projetos juvenis inovadores e sustentáveis com efeitos multiplicadores na Europa e região Árabe; • Apoiar o desenvolvimento de redes de organizações juvenis na região Árabe e na Europa; • Compreender melhor as realidades atuais da juventude na Europa e na região Árabe, bem como a relação entre políticas e estruturas dos sectores da juventude do Conselho da Europa e da Liga Árabe. • Continuar a trabalhar para o desenvolvimento de uma política para a juventude baseada nas suas

Sintra Também É Tua!

29


RESULTADOS Envolvimento de 1 participante Português (Dínamo) que esteve depois envolvido em

3 actividades de seguimento; - Contacto directo com a região do Golfo e com a realidade da Juventude dos Emirados Árabes Unidos; Contacto directo com o trabalho da fundação Anna Lindh; Partilha de boas práticas no domínio da educação não-formal, do diálogo intercultural, da educação para os Direitos Humanos, da participação juvenil e das políticas de juventude; Desenvolvimento da cooperação Euro-Árabe a nível local, nomeadamente a existente entre a Dínamo e a Associação Islâmica da Tapada das Mercês.

30

Dínamo 2011


2011 Cláud ia Meireles O que é q ue eu apre ndi com a Dínamo? Aprendi qu e cada um de nós é motivação motor de para os ou tr o s, e como sponsável pela manu tal retenção de que possib u m ilite um de ambiente senvolvimen e saudável. to próspero Pessoas co m os mes tivos e forç mos objea de vonta d e, tornam-s Existem pro e família. jetos tão im portantes p quais não erante os se pode fic ar indiferen que o “con te . Aprendi flito” també m é uma tural e iden questão cu titári ldele ou reje a. Não basta ter con sciência itá-lo, torna -se necess mover a p ário proaz para qu ebrar o se u ciclo.

Sintra Também É Tua!

31


A estratégia “Sintra também é Tua!” não são só actividades Apesar do território em que a Dínamo trabalha proporcionar uma série de oportunidades de trabalho sócio-educativo em prol dos jovens pertinente, essas oportunidades não são suficientes para a Dínamo desenvolver o seu trabalho. É por isso que a Dínamo também investe em estabelecer sinergias que facilitem este trabalho e que o tornem mais eficiente, com mais impacte e com melhores resultados. A Dínamo está a desenvolver o seu novo site, cujo lançamento está previsto para o primeiro trimestre de 2012. O novo site pretende reorganizar e actualizar toda a informação, melhorar a interacção com os visitantes e melhorar a atractividade e navegação. Está também em desenvolvimento a plataforma online da Rede Participação Juvenil de Sintra, que visa ser a principal ferramenta de comunicação da Rede. O seu lançamento está previsto para 3 de Março de 2012. Em 2011 a Dínamo aderiu à rede internacional Youth for Exchange and Understanding, de onde já estão a resultar oportunidades de aprendizagem e mobilidade para jovens e trabalhadores sócio-educativos. Está a ser estudada a adesão à rede internacional Youth Express Network, no seguimento da parceria actual no projecto multi-medidas “You(th) are the Champions” que irá terminar no final de 2012. A Dínamo tem vindo a investir também no desenvolvimento da cooperação local em várias vertentes: • com a Câmara Municipal de Sintra (CMS) – para além do processo em curso de cedência de um espaço municipal à Dínamo para a instalação de um centro de formação, existe um investimento em outras sinergias na lógica de promover uma maior proximidade entre as entidades, quer pela promoção de actividades nas infraestruturas tuteladas pala CMS, como pela tentativa de envolvimento da CMS como parceira em projectos, como através da criação de oferta de oportunidades de “Job Shadowing” destinadas a técnicos da CMS; • o constante involvimento no grupo de desenvolvimento comunitário (i)Nova Tapada – permite a cooperação com parceiros locais e uma acção concertada para e com a comunidade; • um dos parceiros locais mais significativos para a Dínamo é a Associação Islâmica da Tapada das Mercês (ACITMMM) – a sede administrativa da Dínamo está instalada no edifício da ACITMMM e a cooperação entre as duas organizações está a intensificar-se. No seguimento da participação da Dínamo numa formação internacional de longo-prazo em Cooperação Euro-Árabe, foi efectuada a proposta de adesão à rede da no sentido de criar mais oportunidades e acesso a recursos para cooperação local. Está também em curso uma candidatura a um projecto internacional de parcerias de aprendizagem focado na cooperação e participação local. • a Dínamo esteve reunida com o gabinete da Presidência da República – no sentido de dar a conhecer a proposta da “Sintra também é Tua!”. A Presidência da Républica está agora a companhar de perto o projecto. 32

Dínamo 2011


Execução Financeira Apresenta-se de seguida a execução financeira relativa a todos os gastos da Dínamo em 2011. As despesas encontram-se enquadradas nas respectivas actividades, juntamente com as entidades que as cofinanciaram. As activididades estão distribuídas pelos 3 eixos da estratégia “Sintra também é Tua!”.

Eixo Empoderamento de jovens e

1

desenvolvimento comunitário local

[€ 21.219]

Atividades 1.0 – Intercâmbio “InterActo”

[€ 90]

Atividade 1.01 – Sessão de Teatro Fórum “O Bullying não é um jogo”

[€95]

Atividades 1.1 – Workshop Duplo “Aprendizagem e Diálogo Intercultural”

[€0]

Atividades 1.2 – Tapada em Festa – II Encontro Cultural 2011

[€ 12]

Atividades 1.3 – Intercâmbio “TOxCHANGE – A Theatre of the Oppressed and Social Inclusion Programa “Juventude Em Acção” [€18.227] Participantes [ €2.455] ( Contributos em espécie [€122] (

(88%) 11%) 1%)

Atividade 1.4 –

[€ 20.804]

[€0]

Participativos” Atividades 1.5 – Intercâmbio “Interaj”

Junta de Freguesia Rio de Mouro [€130] ( Participantes [ €82] ( Dínamo [ €5] (

60%) 38%) 2%)

[€ 217]

TOTAL EIXO 1 -2011 Programa “Juventude Em Acção” [ Participantes [ Junta de Freguesia Rio de Mouro Contributos em espécie Junta de Freguesia de Algueirão-Mem Martins Dínamo [

Sintra Também É Tua!

€18.227] €2.627] ( [€130] ( [€122] ( [€95] ( €17] (

85,9%) 12,4%) 0,6%) 0,6%) 0,4%)

[€ 21.219]

0,1%)

33


Eixo Promoção de mecanismos e condições 2 necessárias para a participação juvenil Atividades 2.1 – Regional Network for meaningful Youth Participation

Fundação Calouste Gulbenkian [€498] ( Programa “Juventude Em Acção” [ €2.667] ( Contributos em espécie [€3.052] ( IEFP [ €1.114] (

7%) 36%) 42%) 15%)

Atividade 2.2 – Criação do espaço administrativo e de encontro Dínamo

[€ 7.331]

[€ 7.331]

[€0]

TOTAL EIXO 2 -2011 Fundação Caloute Gulbenkian [ €498] ( Programa “Juventude Em Acção” [€2.667] ( Contributos em espécie [€3.052] ( IEFP [ €1.114] (

7%) 36%) 42%) 15%)

Eixo Capacitação para o trabalho sócio-

3

educativos com jovens

Atividades 3.0 –

[€ 7.331]

[€ 24.894] [€ 0]

Atividade 3.1 – Formação de Formadores para a Participação Juvenil Fundação Calouste Gulbenkian [€57] Participantes [€2100]

[€2.157]

(2,6%) (97,4%)

Atividades 3.2 – Encontro de preparação “Training of Trainers dealing with multicultural youth

[€0]

local/regional level” Atividades 3.3 – Training of Trainers dealing with multiculparticipation at local/regional levelProject” Conselho da Europa Câmara Municipal de Sintra Participantes IEFP Dínamo

[€13.000] [€6.000] [€3.472] [€224] [€42]

(57,2%) (26,4%) (15,2%) (1%) (0,2%)

Atividade 3.a – Participação na Formação “Non Formal Education for Local Action” 34

Atividades 3.b – Participação na Sessão de Estudo “Next step: Taking Youth Participation and

[€ 22.739]

[€0]

[€0]

Dínamo 2011


IEFP Dínamo

[€224] [€42]

(1%) (0,2%)

Atividade 3.a – Participação na Formação “Non Formal Education for Local Action”

[€0]

Atividades 3.b – Participação na Sessão de Estudo “Next step: Taking Youth Participation and Intercultural Dialogue to the next level”

[€0]

Atividades 3.c – Participação na Formação “Recognition of non-Formal Learning in Youth Work”

[€0]

Atividades 3.d – Participação na Formação “Coach me if you can”

[€0]

Atividades 3.e – Participação na Formação “Euro-Arab long term training course for Cooperation in Youth Projects through non-Formal Learning”

[€0]

TOTAL EIXO 3 -2011 Fundação Calouste Gulbenkian Conselho da Europa Câmara Municipal de Sintra Participantes IEFP Dínamo

[€57] [€13.000 [€6.000] [€5.572] [€224] [€42]

(0,2%) (52,2%) (24,1%) (22,4%) (0,9%) (0,2%)

[€ 53.446]

TOTAL 2011 Fundação Calouste Gulbenkian

(1%)

[€ 555]

Programa “Juventude Em Acção”

(39,1%)

[€20.894]

Conselho da Europa

(24,4%)

[€ 13.000]

Câmara Municipal de Sintra

(11,2%)

[€6.000]

(6%)

[€ 3.174]

IEFP

(2,5%)

[€1.338]

Junta de Freguesia de Rio de Mouro

(0,3%)

[€ 130]

Junta de Freguesia de AlgueirãoMem Martins

(0,2%)

[€95]

Dínamo

(0,1%)

[€59]

Contributos em espécie

Sintra Também É Tua!

[€ 24.894]

35


Análise e síntese gráfica 0 Dínamo 0,1% JF Rio de Mouro 0,2% JF Algueirão Mem Martins 0,2% Gulbenkian 1% IEFP 3% Contributos em espécie 6% CMS Participantes/Dínamo 12% EYF Grant CE 15%

24%

25

39%

50

Financiamento Nacional

Financiamento Privado

24.787 €

11.351 € Financiamento Externo

42.093 €

Financiamento Público

28.657 €

Constatação 1: A execução financeira do apoio da Gulbenkian foi a que sofreu maior inibição perante o facto da Dínamo não ter ainda o Centro de Formação, como previsto. Não obstante, o apoio concedido (financeiro e institucional) foi determinante para a Dínamo conseguir implementar todas as actividades programadas. Observaram-se também importantes desenvolvimentos na cooperação com a Câmara Municipal de Sintra, nomeadamente a nível da cedência do espaço em questão.

Constatação 2: Cada 1€ investido na Dínamo em financiamento nacional trouxe um retorno de 370% (3,7€) em investimento externo em actividades para a Juventude.

Constatação 3: com estes números, e considerando a ineficiência de garantir o financiamento adicional nacional como previsto no orçamento inicial da Dínamo para 2011 (com o valor preocupante de € 56.005,28) o país deixou “escapar” € 207.219,54 de possível financiamento externo em projectos juvenis a beneficiar jovens portugueses e também o seu Produto Interno Bruto.

36

Dínamo 2011


Avaliação e Aprendizagens “O que dá o verdadeiro sentido ao encontro é a busca e que é preciso andar muito para alcançar o que está perto.” In Todos os Nomes, José Saramago

A implementação de um projecto de dois anos pressupõe também um significativo processo de aprendizagem organizacional. Entre as principais aprendizagens que a Dínamo desenvolveu em 2011 encontram-se: a) A actual política de Juventude Nacional privilegia as organizações nacionais e federativas, em prejuízo das organizações locais e que desenvolvem trabalho no terreno – a Dínamo solicitou co-financiamento do seu projecto “Formação de Formadores para a Participação Juvenil” (duração de oito meses) recomendado oficialmente pelo Conselho da Europa e promovido no âmbito de duas formações de longa duração de dimensão internacional (Comissão Europeia, Conselho da Europa + Liga dos Estados Árabes). A resposta recebida foi a atribuição de cerca de 300€ (equivalente a 7% do solicitado inicialmente) e, a atribuição do apoio implicava a execução financeira de 100% do valor orçamentado (cerca de 20.000 euros) para além de dois relatórios (um intercalar e um final). Estes factos demontraram à Dínamo que é muito difícil contemplar apoios oriundos das actuais políticas de Juventude nacionais, independentemente da qualidade, impacte e pertinência dos projectos (seja a nível local ou Nacional). A Dínamo está porém expectante quanto ao actual processo de consulta “Livro Branco da Juventude” promovido pela Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto e tem dado conta aos diversos actores sociais das dificuldades, limitações e incongruências sentidas a nível do associativismo juvenil local em Portugal. b) A Câmara Municipal de Sintra é um organismo complexo e que nem sempre funciona de forma expedita e/ou em tempo útil – apesar de ser ainda difícil de identificar os recursos do Município que estão à disposição dos cidadãos (e organizações) e a forma de lhes ter acesso, a Câmara Municipal de Sintra conseguiu apoiar a Dínamo cedendo autocarros (e respectivos motoristas) do Concelho em duas ocasiões ao longo de 2011. A Dínamo sabe agora exactamente como solicitar autocarros à CMS e que poderá fazê-lo com sucesso Sintra Também É Tua!

2012 Jozé Sabugo Acerca da 1.3 da Re de

“Um dínam o de corrente é uma máquina g e mis, «força contínua. Do grego radora ». É essa dýnade querer “c um mundo orrente-contínua” e aproveita melhor, m n tude para do a “ força” da ju otivando o v princípio, q mbrear iniciativas p ena u de dinamiz e a Dínamo, assoc ra esse ia ação cultu plo e uma ral, é um ção e xema p rendizagem os que se p a ra to in dos teressam humildade das pesso pelo valor e a idade que a tiverem. So s, tenham elas a u testemun ho.” com cerca de um mês de antecedência. Estamos a encontrar especiais dificuldades em formalizar parcerias em projectos de interesse para o Concelho (como o levantamento de necessidades dos jovens em Sintra que está programado para 2012). Nesta lógica, a Dínamo agora considera irrealista apresentar uma proposta de parceria à CMS para um projecto internacional, com um prazo de resposta inferior a 3 meses. A demora no andamento do processo de atribuição do espaço municipal à Dínamo também tem sido uma grande aprendizagem e evidencia as dificuldades existentes a nível da burocracia interna da CMS, visto que o processo já passou por inúmeras divisões, decisores políticos, secretários, assessores e funcionários. A Dínamo tem agora maior conhecimento da dinâmica de decisão interna da CMS e procura, através de comunicações regulares, ajudar nessa dinâmica da forma que lhe é possível. Neste momento, não é clara a política de Juventude da CMS, nem as dotações orçamentais dos apoios ao associativismo juvenil do concelho. A Dínamo está agora mais consciente da importância que tem a definição de uma política de Juventude em contacto próximo com os jovens e com as organizações de Juventude activas no território. A Dínamo não foi convidada e informada a integrar o Conselho Municipal de Juventude de Sintra, apesar de, em diversos momentos ter manifestado um grande interesse em envolver-se no mesmo A Dínamo está agora mais atenta à forma como a CMS encara a participação Juvenil em Sintra e, nomeadamente, a nível dos seus mecanismos de participação. A Dínamo promoveu duas actividades na Casa da Juventude da CMS. A Dínamo sabe agora como fazer a solicitação do espaço da Casa da Juventude e que o deverá fazer pelo menos com um mês de antecedência. 37


c) A Junta de Freguesia de Rio de Mouro funciona numa lógica de prestabilidade e permeabilidade – em virtude do apoio concedido ao intercâmbio “Interaj”, a Dínamo sabe agora como trabalhar com o Programa de Apoio ao Associativismo da Junta de Freguesia de Rio de Mouro. d) A Junta de Freguesia de Algueirão Mem-Martins tem uma significativa dedicação em garantir respostas locais – tendo facilitado o apoio a duas actividades que envolveram jovens da freguesia. Agora a Dínamo sabe como solicitar pequenos apoios à Junta de Freguesia de Algueirão Mem-Martins para projectos juvenis. e) O Conselho da Europa é a organização de referência para a Educação em Direitos Humanos na Europa – facilitando o acesso a recursos para projectos juvenis que promovam a participação dos jovens a diferentes níveis, nomeadamente através do programa de apoio da Fundação Europeia da Juventude, que nos permitiu implementar a nossa primeira actividade internacional residencial em Sintra. O Conselho da Europa é ainda uma organização de referência na sua boa prática de co-gestão, o que lhe confere uma maior permeabilidade, mesmo sendo uma entidade internacional. Um dos resultados deste mecanismo é a recomendação oficial da Direcção da Juventude e do Desporto do Conselho da Europa ao “Sintra também é Tua!”; f) A Comissão Europeia (CE) providencia oportunidades aos jovens e às organizações juvenis que não têm paralelo no espaço Europeu. Seja na mobilidade, na educação, no desenvolvimento local ou na cooperação internacional, a CE pode ser um dos principais financiadores de organizações juvenis, sendo esse o caso da Dínamo. O Programa da CE “Juventude em Acção” representa 39% (20.894€) do financiamento da Dínamo em 2011. A Dínamo está a alargar os seus horizontes nas oportunidades providenciadas pela CE, nomeadamente através de candidaturas que efectuou a outros Programas, como o “Aprendizagem ao Longo da Vida” ou o “DAPHNE”; g) A cooperação entre entidades públicas, entidades privadas e comunidade não é simples, nomeadamente na área da Participação. Os mecanismos de participação são criados para ‘desafiar’ o que está instituído/em vigor. A falta de oportunidades para a aprendizagem de Cidadania Democrática em Portugal tem aqui uma importante consequência: por um lado, os cidadãos portugueses não são capacitados no seu processo escolar 38

para participar de forma construtiva; por ou outro, as organizações locais de carácter privado raramente tem capacidade para conservar a sua isenção do sector público e, muitas vezes, comprometem a sua coerência não-governamental; por outro lado, as instituições públicas seguem uma lógica de estabilidade e não de mudança, garantindo pouca responsabilidade democrática (‘accountability’) à participação cidadã e, portanto, sendo pouco permeáveis à transformação, seja interna, seja externamente (nos poderes que lhes competem). Estruturalmente, é pouco realista conceber um mecanismo de participação democrática que não compreenda cooperação entre o sector público e o privado – não é coerente ter o sector público a liderar/coordenar processos privados de participação, até porque, os objectivos destes processos, deveriam ser precisamente desafiar e transformar o sector público. Por outro lado, também não é razoável que processos privados de participação não contemplem cooperação o sector público, porque, apesar de tudo, o sector público é o sistema representativo dos cidadãos e a transformação social será sempre sectorial (e ineficiente) se o sector público não fizer parte dessa transformação. Dínamo 2011


da participação juvenil. A recente Carta de Recomendações da Rede Participação Juvenil de Sintra, de 3 de Março de 2012, aponta alguns caminhos para Sintra:

Partindo destas constatações, a Dínamo está a desenvolver um projecto internacional de parcerias de aprendizagem (Programa Grundtvig) que envolve parceiros privados e públicos num processo de partilha de boas práticas sobre participação e cooperação ao longo de dois anos (2012-2014). Caso seja aprovado, o projecto levará a um documento de boas práticas em cooperação local que será disseminado por entidades públicas e privadas por toda a Europa. Para além disto a Dínamo está a promover a Formação de Formadores em Participação Juvenil 2012, desta vez uma actividade nacional, com o apoio do Conselho da Europa onde a Carta sobre Educação para a Cidadania Democrática e Educação para os Direitos Humanos terá um grande destaque e ajudará a promover esta agenda em Portugal.

h)

A participação juvenil é um conceito ainda muito verde em Portugal, especialmente nos processos de tomada de decisão ou nos mecanismos de cooperação local (e.g. co-gestão de políticas, programas, infraestruturas, orçamentos), que com certeza merecerão um especial enfoque do trabalho da Dínamo, como organização dedicada à promoção Sintra Também É Tua!

- Começar pelo levantamento de necessidades dos jovens – “perguntar antes de fazer”; - Efectivar apoio financeiro aos jovens e às organizações juvenis – “não basta só ter políticas de juventude no papel”; - Estimular a cooperação local e a nível municipal entre entidades públicas e privadas; - Melhorar e adaptar a informação relativa à Juventude no concelho; - Promover o reconhecimento da Educação não-Formal e do trabalho socioeducativo em prol dos jovens; - Desenvolver mecanismos e processos de co-gestão, nomeadamente a nível das infraestruturas do concelho; - Capacitar e disponibilizar técnicos que possam ser facilitadores de processos de participação dos jovens (‘coaching’); - Investir na Educação para a Cidadania Democrática dirigida a jovens; - Promover o voluntariado jovem a nível local; - Promover o reconhecimento da aprendizagem decorrente do voluntariado, através de um sistema de certificação e validação de competências; - Criação de oportunidade de formação em participação juvenil, dirigidas a técnicos de instituições e a dirigentes associativos; - Promover a transparência dos recursos municipais e respectivos procedimentos para a sua utilização; - Promover uma maior permeabilidade institucional à participação dos jovens na vida local; - Assertar a transparência, a viabilização e a abertura social do Conselho Municipal de Juventude. i) A Educação não-Formal está ainda pouco desenvolvida no País, havendo apenas duas bolsas de formadores (cerca de 30 pessoas no total) que têm dado resposta profissional às necessidades nacionais (e internacionais). A Dínamo tem o privilégio de ter um membro nestas Bolsas de Formadores (Conselho Nacional da Juventude e Agência Nacional do Programa Juventude em Acção). A Dínamo espera melhorar a sua resposta a este facto através da abertura do seu Centro de Formação, que será inteiramente dedicado á Educação não-Formal; 39


j) O trabalho socioeducativo em prol dos jovens em Portugal ainda carece de reconhecimento a diversos níveis e de ‘mainstreaming’ nos programas de apoio e políticas públicas. A autonomia não nasce com os jovens, tem que ser construída e, no domínio da participação, a figura do trabalhor socioeducativo é fundamental para se atingir esse objectivo;

k) A cooperação Euro-Árabe não é ainda uma agenda política expressiva quer a nível nacional ou internacional, no entanto existem esforços do Conselho da Europa e da Liga dos Estados Árabes para a promover e até apoiar financeiramente. A Dínamo está também a preparar-se para efectuar uma candidatura à Fundação Anna Lindh (Egipto) no sentido de desenvolver estas sinergias; l) A independência é um factor funda mental e determinante numa organização nãogovernamental – no sentido de garantir o espaço necessário para poder inovar e contribuir para a transformação social; m) Ter uma equipa administrativa é fundamental para o bom funcionamento de uma organização juvenil como a Dínamo, nomeadamente a nível da gestão de projectos e financeira;

Lopes ” 2011 Tânia .3 da Rede 1 a m o c i nd “O que apre

ipação “Rede Partic a d to c je preCom o pro i que não d n re p a ” a r Sintr o do pode ã rg Juvenil de ó m u nça parte de uma muda ciso fazer r o p l e v á s spon ada já para ser re estar inform e e d ta n o r. v r o de pode ã positiva. Te iç s o p a m ser tar nu não deve significa es te n e ri e p x e e in sim Ser jovem ção, mas ita lim a m u prenra querer a visto como a p o ã ç a tiv mo enos como uma m pouco m u u o s je o H a em der mais. mais curios ito u m e . te inexperien a juventude re b o s s a tem relação a

40

Dínamo 2011


Conclusão e Seguimento, expectativas para 2012 Pelo menos 200 pessoas estiveram directamente envolvidas em actividades da Dínamo ao longo de 2011. Pelo menos 82 organizações e instituições beneficiaram também directamente destas actividades. Estes números são indicadores da pertinência que o trabalho da Dínamo está a ter no território (e fora dele). A ancorar esta pertinência encontra-se o apoio fundamental da Fundação Calouste Gulbenkian, juntamente com o apoio do Conselho da Europa. Outros apoios financeiros de grande importância e que permitiram à Dínamo alcançar os resultados de 2011 são oriundos da Comissão Europeia e da Câmara Municipal de Sintra. Com esta diversidade de apoios, a Dínamo mantém um saudável posicionamento de independência relativamente aos seus financiadores. Não obstante, a Dínamo encontra-se empenhada a procurar diversificar ainda mais este leque numa perspectiva de sustentabilidade e de autonomia. Em 2012, a Dínamo pretende iniciar o seu trabalho com 3 novos Programas internacionais e uma nova linha de financiamento de um Programa com que já trabalha. A cooperação com entidades e programas públicos foi o principal desafio (e aprendizagem) em 2011, que assertou um considerável exercício de flexibilidade e adaptação à Dínamo e à sua equipa administrativa. A Dínamo foi acreditada para entidade de acolhimento/envio/coordenação do Serviço Voluntário Europeu , sendo, ao momento, a única organização em Sintra acreditada para o efeito. Esta nova agenda será uma das prioridades da Dínamo para 2012, numa lógica de capacitação e ‘empowerment’ de jovens a longo-prazo. Entre os planos para 2012, a Dínamo tem previsto a abertura do seu Centro de Formação em Educação não-Formal, a criação da sua Bolsa Local de formadores, 3 grandes formações residenciais, um processo de levantamento de necessidades dos jovens a nível do concelho de Sintra, uma parceria de aprendizagem e a abertura de uma agenda mais estruturada de ‘advocacy’. Prevê-se um ano de grande intensidade, como aconteceu em 2011 e, ao horizonte, uma Sintra cada vez mais (também) dos jovens.

Sintra Também É Tua!

41


Adelaide Bernardo | Alessandra Devitofrancesco | Alexandre Fonseca | Amina Sulemane | Ana Alves | Ana Crăciun | Ana Délcia | Ana Dinis | Ana Machado | Ana Patrícia Carvalho | Ana Patricia Pereira | Ana Paula | Ana Pessoa | Ana Ramalho | Ana Sofia Fernandes | Ana Vitorino | Anca Rudoricu | Andreia Henriques | Andreia Marques | Andreia Ribeiro | Ângelo Pereira | Anna Charitaki | Anna Honigh | Antonia Ortmann | António Braga | Armen Anmeghikyan | Barbara Carlos | Barbara Colombo | Beatriz Darame | Bruno Correia | Bruno Lobo | Caramo Cissé | Carla Dias | Carlos da Silva | Carlos Nogueira | Catarina Ernesto | Catarina Rasquinho | Cecília Navio | Cecília Santos | Clara Pedro | Cláudia Almeida | Cláudia Canhoto | Cláudia Meireles | Dailene Flor | Dani Garcias | Dânia Cruz | Daniel PatríPinto | Daniela Simões | David Pereira | Dean Reš | Diana David | Diana Neves | Diana Semões | Diogo Garcia | Diogo Rodrigues cia | Brás Carvalho | Dora Dobrica | Edite Pereira | Eduard Oganyan | Elena | Patrícia Barros | Patrícia Carolina Haita | Elena Coman | Elena Delupis | Elisaete Borges Carvalho | Patrícia Fernandes | Paulo | Eliza Donescu | Emanuel Coimbra | Emanuel Reis | Emma Zhan | Paulo Costa | Paulo Gaspar | Pedro Cârnu | Eurico Freixo | Fábio Fonseca | Fabio Mendes | Manaças | Raquel Antunes | Raquel Pedro | Fábio Ventura | Fernando Cardozo | Filipa Afonso Regina Tavares | Ricardo Marques | Ricardo Varela | Flávia Barão | Florence Franks | Gabriel Gincia | Gea Polimeni | Georgiana Ciapă | Giordano Giovannini | Giulia | Rita Romão | Rita Boto | Rita Matias | Rita Moreno Frattini | Gonçalo Antunes | | Rita Pedro | Rosiandra Costa | Ruben Coimbra | Rui Horácio Pinto | Hugo Neto | Inês Frias | Inês Magalhães | Inês Silva | Ion Nichita | Pinto | Sandra Poença | Sara Fumega | Sérgio Xavier Iracelma Simão | Íris Santos | Isa Borges | Isabel Santos | | Silvânia Lopes | Sofia Barrinha | Sofia Fernandes Ivano Tasin | Jamila Mansour | Jenifer Borges | Jessica | Sofia Santos | Soraia Teixeira | Sorina Bacheş | Pedro | Jiovani Pinheiro | Joana Silva | João Marguilho Stefan Graça | Susana Gaspar | Susana Pereira | João Oliveira | João Vicente | Jordan Long | José Sousa | José Soeiro | Jovana Vuković | Jovita Santos | Jozé Sabugo | Tânia Lopes | Tânia Pires | Teresa Villas | Kader Castro | Katalin Somlai | Katerina Bogdanova | Laura | Tiago Xavier | Vera Barbosa de Witte | Laura Ernesto | Laura Marques | Layla Bruno | Lea Gaz| Wilson Silva | Yusif zurra | Leysan Abdullina | Liana Voinea | Liliana Ramos | Lisandra Borges | Ljubomir Kuzmanov | lnês Frias Moreira | Lucas Pedro | Lucian Branea | Ludwig Becker | Luisa Leote | lvan Panicci | Malam Seidi | Mamadu Bah | Manuel Pires | Marco Almeida | Marco Martin | Marco Silvestre | Maria da Conceição Barbosa| Maria Inês Sousa | Maria João Aleixo | Maria João Dornelas | Maria lnês Sousa | Mariana Carlos | Marisa Cardoso | Marisa Mateus | Matia Losego | Mattia Serranti | Michael Pachlatko | Michele Cuboni | Miguel Figueiredo | Miguel Silva | Miguel Tomás | Milton Paiva | Mutaro Djaura | Nazaré Malungo | Nélson Alves | Nemo Tavares | Nikola Cabarkapa | Norberto Nascimento | Nuno Azevedo | Nuno Duarte | Nuno Moreno | Nuno Oliveira | Olavo Silva | Olga Glumac | Olga Parashchuk | Oxana Pairele | Patrícia Brás Carvalho

OBRIGADO!

42

Dínamo 2011


Descubra os nossos novos projectos!

Visite-nos em:

www.dinamo.pt Ou em:

Praceta Francisco Ramos da Costa nº 13 A 2725-579 Tapada das Mercês - Sintra

Estamos à sua espera!

Sintra Também É Tua!

43


DINAMO_relatorio2011M