Page 1

EXPERIMENTANDO LITERATURA E ARTE Ano VI, 2019, 16ª edição


Nesta época de Natal, quando lembramos o nascimento de Cristo, comemoramos também a união da família, a sua presença em nossa casa, nossos amigos, agradecendo os bens recebidos nesse ano e participação de mais um Natal. Que nossos votos de união e sinceridade, amor e fraternidade, sejam renovados, lembrados e cumpridos até o novo Natal; que estejamos juntos em 2020, que o amor de Deus permaneça conosco, dando-nos saúde e paz, prosperidade e conforto, que o bem, a beleza e a ordem que fazem parte da natureza divina, permaneçam como um guia pelos caminhos de nossa vida. Nossos caminhos sejam os Teus caminhos, Senhor, e nossos dias os Teus dias! Feliz Natal a todos e um novo ano cheio das bênçãos prometidas pelo Deus que acreditamos! Amém.

Coordenadora Responsável e Editora Chefe: Dinah Ribeiro de Amorim www.dinah-amorim1943.webs.com http://dinahribeiroamorim.blogspot.com Seleção Literária: Dinah Ribeiro de Amorim Revisão e Mediação: May Parreira e Ferreira <may@oficiodaspalavras.com.br> www.oficiodaspalavras.com.br (Editora) Assistência Jurídica: Dra Denise Miranda de Barros dmiranda@sabesp.com.br Diagramação e Digitação: Martha Sciulli msciulli@hotmail.com

Abraço amigo,

Fotos/Fontes: Internet Capa: Natal no Itaim

Dinah Ribeiro de Amorim dinahamorim@outlook.com

Seja anunciante: R$ 150,00 por ano Revista Trimestral, cel: 995697142 (Dinah)

Conheça a O.N.G. + IDENTIDADE: Como colocar um sorriso no rosto deformado de alguém. Devolver a esperança e a dignidade com correções cirúrgicas a muita gente. Reabilitação bucal e facial, mantendo acesa a chama da vida. Site: +identidade.org Facebook: mais identidade. (apoio UNIP)

Cada texto é da responsabilidade do autor. Nota: Consultar a sinopse de cada evento para evitar constrangimentos. Venda Proibida! Entre em contato conosco. dinahamorim@outlook.com Agradecimento

Ao Papiro em Revista, Instituição Literária de Santos, pela minha premiação em Crônicas: “A Mulher do Retrato”. Sensibilizada pela consideração e carinho mostrados sempre comigo, desejo que essa revista continue cada vez mais interessante e de grande conteúdo poético, enaltecendo a Literatura Brasileira. Digo sempre, quando sou premiada, à Presidente Neide Velarde e associadas: “Escrevo em São Paulo, mas recebo premiação em Santos”. Beijos a todas, que continuemos sempre juntas. Dinah (11/12/2019)


SUMÁRIO 4. EXCURSÃO DA TURMA DO C.E.C.O.N.I. 5. CURIOSIDADE: ORIGEM DA GUIRLANDA E USO DE VELAS NO NATAL 6/7. VI E GOSTEI: EXPOSIÇÃO ENTRE MEADAS-SESC VILA MARIANA E MAGIA DO NATAL EM BLUMENAU 8/9. PANORAMA CULTURAL: A CIDADE DE BLUMENAU E SUAS ATIVIDADES 10/11. COMENTÁRIO: 20 DE NOVEMBRO DE 2019 12. ACONTECEU E ACONTECE EM SÃO PAULO: O QUE FAZER NO MOMENTO 13. HOMENAGEM: UMA ARTISTA QUE BORDA O COSMOS: MARGARET NAZON 14. VIVER COM ARTE: IDEIAS CRIATIVAS PARA O SEU NATAL 15/16. SAIBA MAIS: HISTÓRIAS DE NATAL 17. TEMA ATUAL: REFLEXÃO 18/19. SAÚDE: ERVAS E CHÁS PARA ALIVIAR O INCHAÇO ABDOMINAL 20. PATROCINADORES

Aparelho Ortodôntico com Dentes Brancos (Único no Mundo). . Curso de 6 horas . Horário a combinar . Aulas individuais ou duplas . Investimento: R$ 500,00 (facilitados) Dr. Mario Ribeiro dos Santos (USP) Especialista em Ortodontia F.M. FONES: 5055-7027 / CEL: 97110-7112

3 | Revista EXPER


EXCURSÃO DA TURMA DO C.E.C.O.N.I. De 30 de novembro a 03 de dezembro estivemos em Santa Catarina, Blumenau, Pomerode, Camboriu, a passeio e também para conhecer a Magia do Natal, um desfile alegórico. Foi gostoso, instrutivo, alegre e curioso. Ficamos conhecendo um pouco sobre a colonização alemã no Brasil. C.E.C.O.N.I., Centro de Convivência da Nova Idade, onde senhoras aprendem ginástica, música, dança, inglês, exercícios orientais, situado na Rua Armando Barreto, 275, Vila Sônia. Chamou-nos atenção a delicada cidade de Pomerode, sua cultura, museus, artesanato, limpeza e ordem, não esquecendo o famoso chopp.

4 | Revista EXPER


CURIOSIDADE ORIGEM DA GUIRLANDA E VELAS NO NATAL.

(Guirlanda vem do espanhol guerlanda, sinônimo de grinalda, enfeite de cabeça das noivas.) A guirlanda é utilizada como enfeite de porta durante o período natalino, sendo um círculo feito de galhos secos, folhagens, flores e pedrarias. Podem aparecer com diversos adornos como: fitas, frutas, ciprestes, bolas, ramos de pinheiro, todos os símbolos que representam o nascimento de Jesus. A tradição de usar as guirlandas surgiu em Roma, pois os romanos acreditam que presentear com ramo de planta traz saúde, motivo pelo qual passaram a enrolar os mesmos em coroas para desejar saúde a todos da família. A época do solstício de inverno significava as várias etapas da história da salvação, a luz profética que ilumina as trevas até a chegada do sol. As guirlandas também são conhecidas como coroas do advento, tempo da Igreja Católica, período de quatro semanas que antecede o Natal. A cada domingo desse período, deve-se também acender uma vela, tendo cada uma um significado diferente. Alguns elementos tornam a coroa como um símbolo cheio de significados. Seu formato em círculo significa perfeição, sem começo e fim, mas rico em harmonia. O universo tem a forma circular e nele encontramos o ciclo do tempo do ano. O verde dos ramos enrolados na coroa, traz esperança pois faz brotar aquilo que parece estar morto. Anuncia vida nova.

A luz das velas simboliza a luz de Deus que surge para encher a vida de bênçãos. A ideia de acender velas surgiu em virtude do inverno na Europa, quando a luz do sol quase não aparece. Existe um ritual para se acender as velas. No primeiro domingo, a vela roxa leva os fiéis ao tempo de vigília; no segundo domingo, outra vela da mesma cor leva à preparação; no terceiro domingo, deve-se usar uma vela rosa que simboliza a espera, a alegria pela chegada do Messias. A última vela deve ser branca, acesa na noite de Natal, que lembra o nascimento de Jesus. Na Alemanha, por volta do século XIX, os colonos comemoravam a chegada do Natal acendendo grandes fogueiras. O costume foi sendo difundido, levado para dentro das casas, em miniatura, surgindo as guirlandas e as velas. A Igreja Católica adotou o costume do advento no início do século XX; no Brasil o uso chegou com os missionários vindos da Alemanha ou brasileiros vindos da Europa. Em nosso país, o costume de acender velas não está ligado aos significados. Para a nossa cultura, o que importa é a luz que o fogo traz. Com a influência dos índios e dos negros, o nosso país começou a utilizar velas coloridas.

FONTE: MUNDO DA EDUCAÇÃO. (INTERNET)

5 | Revista EXPER


VI E GOSTEI ENTRE MEADAS: SESC VILA MARIANA Produção de artesãs paulistas que se dedicam às linhas, aos fios e às fibras como meios de autoexpressão, de afirmação de sua própria identidade e geração de renda. Abertura da exposição em 15/10/2019. Visitação até 09/02/2020. Rua Pelotas, 141, Vila Mariana.

6 | Revista EXPER 6 | Revista EXPER


VI E GOSTEI A MAGIA DO NATAL-BLUMENAU Acontece em 14 de novembro a 30 de dezembro no parque Vila Germânica, centro da cidade. É um desfile de crianças e jovens com fantasias, carros alegóricos e músicas especiais de Natal. Espaços encantados fazem parte dessa magia como lojas de brinquedos, enfeites, lanchonetes e restaurantes típicos, brincadeiras com Papai Noel, enfim tudo que agrada às crianças, seus papais e vovós à espera dessa época. Patrocínios: Prefeitura, Ministério da Cultura, Havan, Atacadão, Caixa, entre outros. Realização ABLUTEC. www.ablutec.com.br

FONTE: Visitas ao local e turismoblumenau.com.br

7 | Revista EXPER


PANORAMA CULTURAL BLUMENAU E ROTEIRO HISTÓRICO

Praça da Paz Fundada em 1850, Blumenau relembra suas origens em cada canto da cidade: nas casas, nos parques e nos monumentos. Somente a Rua XV de novembro concentra mais de quarenta atrativos turísticos cheios de história que compõem a trajetória dos primeiros imigrantes da região. Um roteiro completo para mergulhar no passado marcante de uma cidade que encanta em todos os sentidos.

Prefeitura Municipal

Ponte Aldo Pereira de Andrade

Mausoléu Dr. Blumenau

Teatro Carlos Gomes

Rua XV de novembro 8 | Revista EXPER


PANORAMA CULTURAL

Igreja Evangélica Luterana do Espírito Santo

Praça Dr. Blumenau

Catedral São Paulo Apóstolo Parque Horto-Botânico Edith Gaerther

Museu da Família Colonial Fundação Cultural de Blumenau Cemitério dos gatos

Museu da Cerveja Capital da cerveja

FONTE: Prefeitura Municipal

9 | Revista EXPER


COMENTÁRIO 20 DE NOVEMBRO 20 de novembro, quando nos conscientizamos da influência e dos problemas sofridos pela raça negra, entre nós. Importante essa reflexão? Sim. Não só da raça negra como do preconceito sofrido por todas as raças existentes entre nós. Cada uma com seus costumes, diferenças e tradições, quer aceitemos ou não. Todo ser humano merece respeito, sua religião, raça, opinião, cor, desde que não prejudique o próximo. O perigoso é o ser que instiga e propaga o mal, sendo na maioria das vezes pessoas consideradas do bem, aos olhos da sociedade. Os donos da verdade, no mundo. Será? Geralmente os que falam mentiras, praticam injustiças, são os que deveriam sofrer preconceitos e banidos da humanidade. Pessoas infelizes, desprovidas de amor próprio, espelham suas imperfeições. Tomemos cuidado com certas pessoas quando fazem diagnósticos descabidos, influenciados pelo maligno. Sim, acredito que existem, na Terra, influências malignas. Só pode haver. Quanto à raça negra, sentimos até hoje a influência que trouxe à nossa civilização e lamentamos profundamente que os povos denominados superiores, no mundo antigo, tenham se utilizado da escravidão de outros, para serem escravos dos chamados civilizados. É a ferida não cicatrizada da história. Será sempre lembrada. Separar famílias, capturar seres humanos, colocá-los em navios, trazê-los como animais e vendê -los em mercados aos senhores de terras. Ser humano contra ser humano. Tirá-los do próprio meio e trazêlos a terras estranhas. Que crime! Benditas leis que pessoas inteligentes introduziram a favor da abolição, até a última, Lei Áurea, da nossa Princesa Isabel, em nosso país. Dizem até que ao ser proclamada, uma voz inteligente, declamou na multidão: “Raiou a aurora da liberdade, e a sombra negra da escravidão, escondeu-se atrás do imenso horizonte do passado!” Autor desconhecido que sofreu isso. O Brasil, na sua colonização e crescimento, teve influência da raça negra escravizada. Na arte, misturada à indígena e à europeia, deu origem a uma arte de grande diversidade cultural. Na música, com os ritmos africanos: capoeira, batuques, pagodes, o coco de roda, o jongo e o lundu, surgiu o samba, tradicional música brasileira, no início do século XX. Influiram na religião do brasileiro, sendo o candomblé e a umbanda duas religiões afro-brasileiras, que apreciadas ou não, conseguiram muitos seguidores. Adaptaram-se aos rituais do catolicismo e do espiritismo Kardecista, 10 | Revista EXPER

para ficarem mais populares. Influiram também na nossa linguagem e literatura. Os termos: bunda, caçula, cachaça, cochilar e outras palavras mineiras e baianas, surgiram com os africanos. A diferença da nossa língua portuguesa com a de Portugal, deve-se ao processo de africanização. Romances como Sinhá Moça, da escritora Maria Dezonne Pacheco Fernandes e a Cabana do Pai Tomás, de Harriet Beecher Stowe, retratam bem suas histórias, no Brasil e fora dele. Grande influência africana tivemos na nossa culinária que passou a usar muito a pimenta vermelha, o azeite de dendê e o quiabo. Pratos como: vatapá, sarapatel, moqueca, bobó e acarajé, são de influência africana na Bahia. Dizem que a feijoada paulista também. Certos termos como criado-mudo, pertencente ao móvel do lado da cama, veio da triste origem do escravo tornado mudo para servir ao seu dono e senhor. Pouca gente sabe. O que mais me comove são os hábitos das mulheres negras, grávidas ou com filhos pequenos, que para alegrá-los, rasgavam suas vestes e faziam pequenos nós, que viravam bonecas, as “abayomis” que significa “encontro precioso” e representam felicidade. Tentavam alegrar os filhos em cativeiro, banidos de seus lares. Dolorido saber que ainda existem povos sofrendo escravidão, culturas que escravizam crianças, mulheres e homens necessitados, a seu serviço. Domínio do mais forte sobre os mais fracos, através da força. Que leis severas sujam para acabar com isso. A cultura negra foi uma luta pela sobrevivência: o cativeiro, a violência no tronco, a separação física dos familiares e a proibição da prática dos seus costumes. Libertos, lutam até hoje pela manutenção dos seus valores e oportunidades, embora muitos sejam reconhecidos pela inteligência, sabedoria, capacidade de trabalho e honestidade. Temos que agradecer à influência da raça negra em nossa formação e valorizar a sua existência no Brasil. Todos unidos em prol de um bem maior, a felicidade do povo brasileiro.

Fonte: Dinah Ribeiro de Amorim


COMENTÁRIO

11| Revista EXPER


ACONTECEU E ACONTECE EM SÃO PAULO 8. Parque do Ibirapuera: Churrasco e Chopp

NOVIDADES EM FINAL DE ANO 1. Concerto de Natal com Coral Paulistano no Teatro Municipal. Escadarias internas. Coral Paulistano Concertos de Natal/Maira Ferreira, regência Delphin Rezende, órgão Gratuito Programa Giovanni Gabrieli Jubilate Deo O Magnum Mysterium Francis Poulenc 4 Motets Pour Le Temps de Nöel Benjamim Britten Missa Breve Tradicional Francês Arranjo: Stephen Jackson Nöel Nouvelet Tradicional Alemão Arranjo: W. L. Westbrook In Dulci Jubilo Adolphe C. Adam Arranjo: John Rutter O Holy Night Klécius Caldas e Armando Cavalcanti Noite Azul Tradicional Inglês Arranjo: John Rutter O Primeiro Natal Franz Gruber Noite Feliz

9. Vinho dos Mortos, em São Roque 10. Exposição Tomie Ottake: Murakami por Murakami 11. Contemporâneo, sempre: Coleção Santander Brasil, Farol Santander 12. Teatro Alfa: Ballet Quebra Nozes, em dezembro 13. Mãos Limpas, Teatro Renaissance, com Juca de Oliveira 14. Comédia ao Vivo, toda sexta, no Teatro Renaissance Fonte: O BaresSP

Bares 1. A Noite Toda! Quarta: chopp Heineken, “caneca R$ 7,00” 2. Estraga a Ceia com Bloco Casa Comigo 3. Pólvora Rock no Willie Bar 4. Ton Ton Jazz 5. Quintal do Espeto, Tatuapé Ibirapuera 2019 6. Quintal do Espeto, Alto da Lapa 7. CEAGESP: Pescado e frutos do mar 12 | Revista EXPER


HOMENAGEM UMA ARTISTA QUE BORDA O COSMOS Os céus estrelados inspiraram gerações de artistas. Demonstra isso a artista Margaret Nazon, pertencente ao povo da pequena comunidade das Primeiras Nações de Gwich’in, às margens do Rio Mackenzie, ao noroeste do Canadá, com rica tradição artesenal. Começou sua carreira como costureira e depois formou-se como artista têxtil. Foi sempre interessada em tecidos, atraída pelas cores e texturas e começou a criar roupas e arte únicas. Usa contas de vidro de vários tamanhos e desenhos para capturar a beleza cintilante da Aurora Boreal e as imagens inspiradas no Telescópio Espacial Hubble. As costas são costuradas em veludo preto ou lona. Suas cores favoritas são o amarelo e o azul. Amarelo representa felicidade; o azul representa a beleza e todos nós poderíamos usar felicidade e beleza em nossa vida. Trabalhos extravagantes e bonitos, artísticos e abstratos sempre despertam interesse em nosso Universo, nas diferenças entre uma galáxia e outra, uma nebulosa brilhante ou uma estrela que morre. Vamos apreciar essa beleza!

3. Estrelas do céu

4. Nebulosa da Tarântula

1. Via Láctea em noite estrelada 5. Garimpando na Galáxia

2. Saturno

Margaret Nazon Fonte: www.tudoporemail.com.br

13 | Revista EXPER


VIVER COM ARTE IDEIAS PARA ENFEITAR SEU NATAL

1. Tronco de pau de canela, árvore triangular de espuma ou algodão coberta com feltro verde e laços de corda, sizal ou palha. Modifique com sua criatividade. 4. Enfeite de porta em crochê e bolas coloridas.

2. Monte uma árvore com fotos de sua família ou amigos. Pode uní-las com fio de nylon, formando um móbile ou colando as fotos sobre um suporte.

3. Árvore de galho seco, dourado ou prateado, enfeitado com bolas coloridas. Pode ser também ao natural.

5. Deixe sua mesa mais charmosa, com esse lindo porta talheres e guardanapo feito com feltro.

6. Anjo feito de páginas de revistas, listas telefônicas usadas, etc... Basta dobrá-las ao meio em forma de cone. Colocar e enfeitar com isopor e fitas. Usar sua criatividade! Bom Natal!

FONTE: INTERNET

14 | Revista EXPER


SAIBA MAIS REFLEXÕES DE NATAL Prof. Marcio José dos Santos Desde que eu era criança, quando o Natal vai chegando, parece-me que existe algo diferente no ar. E não é pelos presentes, lá na minha casa, família de oito filhos, não havia presentes, mas havia uma alegria especial, enchendo o meu coração. Sim, às vésperas do Natal as pessoas sempre me pareceram mais alegres de alguma forma, mais aceitação, mais compreensão e também mais indulgência. Todas essas coisas devemos colocar na vida. Primeiro, em nossa própria vida, depois na vida de outro. Quando se compreende as pessoas é porque já se compreendeu um pouco melhor. Mas, para a maioria de nós é quase impossível dar a nós mesmos o que mais queremos receber: perdão, compaixão, tolerância, misericórdia, paz, aceitação e amor. No entanto, porque não somos totalmente cegos para o que é bom e digno no mundo, muitas vezes somos capazes de ver essas coisas nos outros. Esse é o Espírito de Natal! Muitas vezes podemos ver a Divindade nos outros e mesmo a perfeição na imperfeição dos outros. E assim podemos dar aos outros perdão, compaixão, tolerância, misericórdia, paz, aceitação e amor. Saber que podemos contribuir no engrandecimento do todo ajuda a nos aceitarmos e também aceitar o outro e, a partir daí, agimos cheios de gratidão e confiança. Então, o que é que nos acontece no final de dezembro que nos transforma em seres humanos incrivelmente calorosos? Aceitação, compreensão e indulgência, efeitos mágicos do Natal, impulsionados pela alegria. Para mim, alegria pode ser o outro lado de Deus. Ela empondera as pessoas para alcançarem aquilo que elas desejam: o maior desejo, serem felizes. Mesmo aqueles que professam outra fé que não a cristã ou que não professam fé alguma, ficam contagiados. Então, o efeito maravilhoso do Natal em grande parte da humanidade não é porque comemoramos o nascimento do Salvador, mas é porque ele traz aos nossos corações o desejo e a paz que nos unem, e aos nossos pensamentos a única ideia que pode salvar a humanidade: Paz na Terra, aos homens de boa vontade!

Eu estou pensando em você hoje porque é Natal, e eu lhe desejo felicidade. E amanhã, porque será o dia seguinte ao Natal, Eu ainda lhe desejarei felicidade. Eu posso não ser capaz de lhe falar sobre isto diariamente, Porque eu posso estar ausente, ou nós podemos estar muito ocupados. Mas isso não faz diferença. Meus pensamentos e meus desejos estarão com você da mesma forma. Qualquer alegria ou sucesso que você tenha, me fará feliz. Me iluminará por todo ano. Eu desejo a você o Espírito do Natal.

Van Dike ***

Sugestões de presentes para o Natal. Para seu inimigo, perdão. Para um oponente, tolerância. Para um amigo, seu coração. Para um cliente, serviço. Para tudo, caridade. Para toda criança, um exemplo bom. Para você, respeito.

Oren Arnold 15 | Revista EXPER


SAIBA MAIS PRESENTE DE NATAL Dinah Ribeiro de Amorim Era uma vez um menino triste. Vivia num barraco pobre, sem janelas, cortinas de papelão que escondem o frio da madrugada e a claridade da manhã. À beira de estrada, o convívio era movimento de carros, barulho, muita fumaça e lixo que se espalham pelo asfalto. Sem espaço para brincar, diverte-se com bolinhas de gude, coloridas, jogando-as nos buraquinhos do chão. São momentos prediletos que o distraem, o brilho dos vidros que rolam e se misturam, embaralham as cores, verdadeiro arco-íris, semelhante ao que aparece em cima da cidade. Esquecia um pouco a pobreza e a curiosidade nos prédios iluminados que avistava, ao entardecer. Às vezes, um odor fétido invadia o ambiente, nos dias quentes, vindo das águas sujas de um rio, abaixo do viaduto, perto de casa. Nem a vontade de se jogar na água o atraía, o normal, em menino. Uma noite, com o olhar melancólico, perdido, a curiosidade aumenta quando percebe uma iluminação diferente, os prédios, casas e lojas, enfeitados, cheios de bolas coloridas, semelhantes às dele. De brilho intenso, anunciam uma festa ou acontecimento. Com grande esforço, percebe nas janelas, galhos verdes, fitas azuis, estrelas e velas. Um boneco grande, vermelho, aparece em quase todas as portas. O parque de diversões, distante, tem mais movimento e claridade que o normal, quando o avista. De repente, um carro para na estrada, perto dele, para trocar um pneu. O menino pergunta: - Moço, que acontece na cidade? Por que tanto enfeite? - É o Natal, responde o homem. Época de ganhar presentes do Papai Noel. Comemoramos o nascimento de Jesus. - Natal, Jesus, Papai Noel? Aqui, nos barracos, a gente não sabe disso, não, responde ele. O moço o olha, pensativo, examina suas roupas, os barracos à beira da estrada, imagina como vive. Acaba de trocar o pneu e, ao sair, guarda bem aquele local, dizendo-lhe: “Papai Noel não se esquece de ninguém!” Papai Noel, presente, Natal, palavras martelam a cabecinha infantil que não entende o que nunca ouviu. Chega 25 de dezembro, dia que o povo comemora o Natal. Ao anoitecer, o menino olha pensativo, ao longe, como sempre, lembrando-se daquele homem e o que lhe disse: “Papai Noel não se esquece de nin16 | Revista EXPER

guém”. Seria verdade? Pergunta ao pai se sabe de alguma coisa. O pai, cansado e fraco, dá um sorriso para a mulher e responde: - Bobagem filho, frescura de granfino, melhor continuar a jogar bolinhas. O menino volta ao seu pequeno espaço, cheio de buracos, apanha as bolinhas no bolso e joga, distraído. Nem olha mais para o brilho da cidade. Fica quieto, com movimentos mecânicos, mais triste que de costume. Sente estranha dor no peito, vontade de acreditar no homem, mas, o pai, sempre tem razão... Com eles, essas festas não existem... No meio do barulho, sujeira e escuridão, um carro para e deposita perto dele, pequeno embrulho vermelho, semelhante aos das lojas. Corre a abri-lo. Rasga, rápido, o papel, chamando o pai e a mãe. - Vejam, Papai Noel existe mesmo! Os pais olham espantados, mas logo se entristecem, ao perceberem que é um livro. O que fariam com um livro, na noite de Natal? O menino folheia, calmamente, examina as figuras, sente diante daquele livro uma sensação diferente, sem saber a razão. Sua curiosidade pelo mundo, lá fora, some. Perde o interesse pelas bolinhas de gude. O vazio do seu coração infantil passou, preenchido pela surpresa e encantamento diante das “revelações de um livro.” (23/03/1998)


TEMA ATUAL UMA REFLEXÃO 25 de dezembro de um ano qualquer, tempo futuro. Planeta Terra, escuro, traz vestígios do que foi um dia. Regiões áridas, ausência de vegetação e água. Ar carregado, difícil de respirar. Habitantes esquálidos, seminus, procuram comida. Guerras atômicas, usinas nucleares, excessivo conhecimento científico, mal empregado. Países ricos, de ouro negro no solo, ambicionam ser donos do que resta. Guerreiam entre si. Chuvas químicas após o uso de armas poderosas, afugentam pessoas para túneis ou grutas, como animais. Bicho homem contra o próprio homem. Final dos tempos? Caos. E os ensinamentos do Mestre do passado? Tantas previsões... Sepultadas. De repente, uma estrela. A menor, a mais brilhante. A mais linda, talvez... Aproxima-se lentamente, ilumina as partes do planeta judiado e pobre. Um ser estranho, que irradia pureza e luz, escorrega por um raio e atinge o solo. Caminha espantado e triste junto às pessoas que não o veem. Para em local verde, com restos de vida. Uma jovem, solitária e magoada, pensa algo importante. Gera um novo ser e toma uma decisão, não o deixar nascer. O visitante estrelar percebe num relance. Precisa salvar a Terra, fazer algo, urgente. O homem não acabará com ele mesmo. Sua vinda não é em vão. Faz um sinal e a pequena estrela obedece. Ilumina tudo e todos com luz poderosa porque vem do bem. Quem a percebe, sensibiliza-se, torna-se mais lúcido e forte. Transmitirá à Terra novas ideias de vida, salvando-a e frutificando o pouco que ainda resta. Alguns se levantam, sentem essa estranha luz, saem dos seus esconderijos. Espantam-se quando olham a barriga da jovem, iluminada. Ela a acaricia suavemente e pensa: “Ele irá viver, alguém o ajudará.” Dinah Ribeiro de Amorim (02/12/1992)

17 | Revista EXPER


SAÚDE ERVAS E CHÁS PARA ALIVIAR O INCHAÇO ABDOMINAL Um inchaço na barriga pode estragar o dia de qualquer pessoa. Sintoma comum em até 30% da população. Muitos remédios naturais e chá de ervas são usados para isso durante milênios. Atualmente a pesquisa científica escolheu oito ervas que podem ser usadas em casa. 1. Camomila (chamomillae romanae)

ciada a drinks e para decorar jardins. Há muitos anos é usada para preparar um chá amargo contra indigestão. Libera os sucos digestivos e ajuda nos inchaços. Possui propriedades antiparasitárias. Evitar durante a gravidez porque possui um composto chamado Tujona que pode gerar contrações uterinas. O uso deve ser moderado: 1 colher de chá para 1 xícara de água quente.

4. Raiz Angélica (angélica archangelica) Feito de flores secas da Camomila preparadas com água quente. Essa planta pertence à família das Margaridas. Usada para tratar doenças digestivas como: Gases, diarreia, náusea, indigestão, vômitos e úlceras. Tem propriedades antibacterianas e flavonoides antioxidantes. 2. Erva-cidreira (melissa officinalis) Relacionada ao salsão, é usada na medicina chinesa sob o nome de “Dong Quai”. Na Aústria, é usada para tratar muitas doenças do trato gastro intestinal. Alivia a prisão de ventre e o inchaço. Tem um sabor amargo e pode-se adicionar em um copo de água por cinco minutos para preparar o chá. Esta planta pode ser confundida com hortelã mas é diferente porque tem suave sabor e aroma de limão. É muito boa para aliviar gases e inchaço bem como outros problemas digestivos. 3. Absinto (artemisia absinthium) É utilizada pelos seres humanos embora seja asso18| Revista EXPER

5. Raiz de Genciana (gentiana lutea) Menos conhecida, cresce mais na Europa. Usa-se para inchaço, gases e similares. Contém plantas amargas como iridoides e flavonoides. Tem potencial antioxidante que estimula digestão e alivia o inchaço. Bastante amargo, é adicionado a mel.


SAÚDE! 8. Erva-doce (foeniculum vulgare)

6. Gengibre (zingiber officinale) As raízes grossas da planta do gengibre são muito usadas na medicina tradicional para tratar problemas estomacais. Pode aliviar náuseas, ajuda na digestão, cólicas intestinais, inchaço e gases. Este milagreiro pode ser preparado sozinho ou com limão, mel e outras ervas. Se usar gengibre seco, apenas 1/4 ou 1/2 colher de chá será suficiente para uma xícara de água quente. Deixar em infusão na água 5 minutos. Se usar gengibre fresco, cerca de 1 colher da raíz finamente fatiada para 1 xícara de água quente. Tenha em mente que o gengibre fresco demora mais tempo para fermentar, uns 10 minutos.

O funcho, ou erva doce, é um ingrediente muito popular na culinária, com as sementes e as raízes da planta sendo usadas para diferentes propósitos. Muito aromática, tem sabor agradável e faz bem. São usadas para combater a dor abdominal, a prisão de ventre, inchaço e gases. Um estudo realizado em pacientes idosos, com constipação intestinal crônica, concluiu que o chá de erva doce usado diariamente aumentou para quatro movimentos intestinais em 28 dias. A constipação é uma das principais causas do inchaço e gases e melhorando esta condição, desaparecem. Outro estudo mostrou que o funcho pode prevenir úlceras, que é outro fator de risco para o inchaço crônico. Além de seu valor medicinal, o chá de erva-doce é bastante agradável ao paladar. Para preparar, use uma ou duas colheres de chá das sementes moídas e coloque por 10 a 15 minutos em um copo de água quente.

7. Hortelã-pimenta (Mentha piperita) Essa erva não precisa de introdução pois nós conhecemos o seu cheiro e sabor refrescante. Além de ser usada em goma, mojitos e chocolates, a hortelã pimenta é um tratamento reconhecido de doenças digestivas na medicina tradicional. É capaz de relaxar espasmos no intestino, alivia inchaço e dor abdominal. Contém flavonoides que reduzem o inchaço. Para fazer, o chá pode-se fazer a variedade preembalada. Use 1 colher de sopa das folhas secas ou 3 colheres de sopa das folhas frescas para fazer 1 xícara de água quente. Deixe em infusão por 10 minutos.

FONTE: www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=13768

19 | Revista EXPER


PATROCÍNIOS CIRURGIÃ BUCOMAXILOFACIAL DRA. ÂNGELA ALVES DE AGUIAR GOTO

*******

Profile for Dinah Ribeiro

REVISTA EXPER EXPERIMENTANDO LITERATURA E ARTE 16ª EDIÇÃO DEZ/2019  

Especial de Natal: comentários, contos, relato de viagens sobre a magia do Natal. Um pouco de arte relacionada ao assunto com fotos e ensina...

REVISTA EXPER EXPERIMENTANDO LITERATURA E ARTE 16ª EDIÇÃO DEZ/2019  

Especial de Natal: comentários, contos, relato de viagens sobre a magia do Natal. Um pouco de arte relacionada ao assunto com fotos e ensina...

Advertisement