Page 1

CURIOSIDADES – PLANETARIUM


Sumário 05 07 09 11

Composição do Sistema Solar

Planetas terrestres e gasosos Formação da Lua

Diferenciação da Terra e campo magnético

13

Como o oxigênio surgiu na Terra?

15

Maior extinção em massa na Terra

17

Extinção dos dinossauros

19

Os buracos negros

21

Estrelas cadentes

23

O Sol tem uma data de validade?

25

Explosão Solar

27

Rotação e translação de Vênus

29

Júpiter tem o maior oceano de todo Sistema Solar


ChrisGorgio/iStock

C

omposição do

Sistema Solar

O Sistema Solar, no qual se encontra a Terra, é composto pelo Sol, que governa, com relação à gravidade, oito planetas: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Além de ser o mais próximo do Sol, Mercúrio também é o menor planeta do Sistema Solar, e Vênus, apesar de não ser o mais próximo ao Sol, é o mais quente, sua superfície pode atingir 460 °C.

<< Sumário


forplayday/iStock

P

lanetas terrestres e gasosos

Apesar de seu nome, a Terra não é o único planeta considerado terrestre. Essa classificação em planetas gasosos e terrestres leva em consideração a estrutura e a composição dos planetas. É considerado terrestre todo planeta composto por rochas, núcleo metálico, superfície sólida e ausência de anéis. Assim, Mercúrio, Vênus, Terra e Marte são considerados planetas terrestres.

Clique para ler mais texto

F << Sumário


RomoloTavani/iStock

F

ormação da

Lua

Após a explosão do Big Bang, há 4,6 bilhões de anos, a poeira cósmica, por força da gravidade, começou a se juntar e a formar os primeiros fragmentos dos atuais planetas do Sistema Solar. Esses fragmentos são conhecidos como planetesimais. No processo de formação da Terra, ao final da junção dos planetesimais, o planeta sofreu um impacto de um bólido que desfragmentou parte de seu material formador. Assim, por força da gravidade, novamente, os fragmentos se aglomeraram formando a Terra e a Lua. Em outras palavras, a Lua é composta por fragmentos da Terra e do bólido (e a Terra também).

Clique para ler mais texto

F CLIQUE E ASSITA AO VÍDEO

<< Sumário


WikiImages/pixabay

D

iferenciação da

Terra e campo

magnético No processo de formação da Terra, após a colisão com o bólido que ajudou a formar a Lua, a Terra era uma bola de fogo. Com o tempo, ocorreu um processo conhecido como diferenciação, em que o material mais pesado, ferro e níquel, desceu para o centro do planeta, formando seus núcleos interno e externo. Os materiais mais leves, por sua vez, subiram à superfície, resfriaram-se e formaram as primeiras crostas terrestres. Atualmente, acredita-se que o atrito entre os núcleos interno e externo gera um campo eletromagnético na Terra, responsável pela sua proteção em relação à radiação solar mais nociva.

<< Sumário


Engin_Akyurt/pixabay

C

omo o oxigênio surgiu na

Terra?

Há 2,5 bilhões de anos, a atmosfera e os oceanos da Terra eram completamente tomados por dióxido de carbono e ferro, respectivamente. Foram as primeiras bactérias (cuja aglomeração é conhecida hoje como estromatólito) que, ao utilizar do dióxido carbono, realizaram fotossíntese, limpando a atmosfera com oxigênio e precipitando o ferro no fundo dos oceanos. Atualmente, o ferro precipitado compõe as grandes jazidas de minério de ferro do mundo, localizadas no Brasil e na Austrália.

Clique para ler mais texto

F << Sumário


quimono/pixabay

M

aior extinção em massa na

Terra

A maior extinção em massa não foi a dos dinossauros, e sim dos micro-organismos que viveram na Terra há 700 milhões de anos. Essa extinção foi provocada porque a posição do supercontinente Rodínia bloqueava as correntes marítimas quentes que migravam da região do Equador em direção aos polos. Assim, o gelo polar avançou por todo o planeta, congelando-o e matando 95% das espécies existentes.

Clique para ler mais texto

F << Sumário


para827/iStock

E

xtinção dos dinossauros

Há aproximadamente 65 milhões de anos, um meteorito colidiu com o planeta Terra. O local desse impacto foi a região do Golfo do México, onde os cientistas acreditam que havia águas rasas, o que teria contribuído com a liberação de volumes muito grandes de enxofre. Nesse sentido, o local atingido pelo meteoro possuía características que favoreceram, devido ao gás lançado, a maior extensão do período de inverno global posterior ao choque.

Clique para ler mais texto

F

CLIQUE E ASSITA AO VÍDEO

<< Sumário


WikiImages/Pixabay

O

s buracos negros

Um dos componentes fascinantes do Universo são os buracos negros. Eles intrigam os astrônomos, pois sua estrutura física não faz parte da nossa realidade. São corpos cuja gravidade é tão forte que nada pode escapar deles. O mais próximo de nosso planeta está a 1.600 anos-luz de distância. Isso significa que, dentro de uma espaçonave viajando na velocidade da luz, levaríamos 1.600 anos para chegar até ele.

<< Sumário


OpenCipart-Vectors/pixabay

E

strelas cadentes

Quando vemos uma estrela cadente, além de deslumbrar um belo espetáculo, costumamos fazer pedidos, certo? Entretanto, o que estamos vislumbrando, na verdade, são meteoritos entrando na superfície da Terra. Um dos maiores meteoritos identificados no Brasil, em 1784, caiu no território baiano com cerca de 5.360 kg. Ao entrar na atmosfera terrestre, a massa desses corpos é queimada devido à sua alta velocidade (cerca de 70 quilômetros por segundo) e ao atrito de suas moléculas, causado pela camada de ar que envolve nosso planeta. Esse processo é chamado pelos astrônomos de ablação.

<< Sumário


quimono/pixabay

OS

ol tem uma data de validade?

Segundo cientistas, o Sol está em sua meia-idade. Composto, principalmente, por hidrogênio e hélio, em cerca dos seus 4,6 bilhões de anos, ele já queimou metade de seu estoque de hidrogênio, restando apenas a outra metade, que durará cerca de 5 bilhões de anos. Quando o hidrogênio for queimado, o Sol vai continuar por cerca de 130 milhões de anos queimando hélio. Durante esse tempo, ele poderá crescer e engolir Mercúrio, Vênus e a Terra, quando se tornará um gigante vermelho. Após isso ele poderá desaparecer.

<< Sumário


suman bhaumik/iStock

E

xplosão

Solar

Composto de hidrogênio e hélio, o Sol é considerado uma verdadeira bomba atômica. De tempos em tempos, ele tem explosões catastróficas, conhecidas como máxima solar. Em 1859, uma explosão tornou a noite dia e incendiou redes de telégrafo. Atualmente, uma explosão solar seria capaz de “derrubar” satélites e aumentar as chances de câncer em astronautas que estivessem na estação espacial e até em passageiros de aviões.

<< Sumário


WikiImages/pixabay

R

otação e translação de

Vênus

Além de ser o planeta mais quente do sistema solar, Vênus é o único planeta que gira no sentido horário, não se sabe a razão disso. Enquanto a maior parte dos planetas possui uma órbita elíptica, a de Vênus é mais próxima de uma forma circular. Além disso, o tempo que Vênus leva para dar a volta em torno do Sol (translação) é de 224 dias terrestres e, para girar em torno de seu próprio eixo (rotação), ele demora 243 dias terrestres, em outras palavras, o ano é menor que o dia.

<< Sumário


martin_adams2000/iStock

J

úpiter tem o maior oceano de todo

Sistema Solar

O planeta Júpiter é composto basicamente por hidrogênio e hélio. Por meio da modelagem astronômica, os cientistas descobriram que Júpiter tem o maior oceano do Sistema Solar, cuja profundidade pode alcançar 40 mil quilômetros.

<< Sumário

diagramação ebook  

criação layout + diagramação ebook

diagramação ebook  

criação layout + diagramação ebook

Advertisement