Issuu on Google+

Setembro de 2008

V. 2 | N.7

BJ In English | Everett goes green with new recycling program

O RACISMO EM ALTA

Brasileiro espancado em NY, gays agredidos em Boston, americanos brancos rejeitam Obama...

Esportes

Brasileiros desanimados com a Seleção

Caras & Nomes

Festa verde e amarela em Boston e NY


Direto da Redação A The Brazilian Journal Magazine traz uma reportagem especial nesta edição sobre o racismo que ainda impera nos Estados Unidos, mas não apenas entre os americanos. Negros, brancos, gays, imigrantes, ninguém escapa a repulsa humana. O que a psicologia, a lei e líder religioso explicam sobre isso? Em matéria de Esportes, o brasileiro não está muito animado com a nossa Seleção canarinho, e a repórter Manoela Granja foi saber o moMarcony Almeida & Mark Puleo

tivo. E se você perdeu ou aproveitou as festas verde e amarelas da Independência em Boston e Nova York, a Caras & Nomes traz fotos exclusivas dos eventos. Vale a pena checar! E na coluna Pergunte ao Advogado, leitores mandam suas dúvidas, e advogados especializados respondem. A triste notícia é o resultado da investigação da morte do brasileiro André Martins. A The Brazilian Journal Magazine traz ainda uma coluna especial do doutor brasileiro Marconi Abreu que, em Fall River, ajuda compatriotas no tratamento da diabete e outros problemas de saúde. Em Palavras de Mulher, Zenita Almeida

Expediente Editores-chefes Marcony Almeida Mark Puleo

traz sua reflexão no amor próprio. Tem muito e muito mais! Aproveite a BJ Magazine e participe! Esta é a versão impressa. Acesse também on line: www.brazilianjournal.net. Uma boa leitura!

Repórter Correspondente em NY e NJ Manoela Maia T. Granja

Para falar com a redação: 617-388-2865 ou 617-417-6587 Para publicidade e anúncio: 617-388-2865 ou 617-417-6587

Setembro, 2008

6 - Coluna: Dúvida? Pergunte ao advogado 7 - Fique Informado 9 - Local Advogado justifica morte de brasileiro 10 - Esportes Brasileiro está descontente com a Seleção Seus Direitos e Responsabilidades: O sério problema da morte de brasileiros no trabalho 12 - Palavras de Mulher Já pensou no amor próprio? É bom saber...: Nem a vida dos dinossauros foi eterna

14 e 15 - Caras & Nomes

OPINE A The Brazilian Journal Magazine quer muito saber sua opinião. Envie comentários com nome completo e pelo menos duas formas de contato (telefone, e-mail, endereço) para The Brazilian Journal, 185 Squire Rd, suite 1, Revere, MA 02151.

DIRETÓRIO BJ Magazine

4 e 5 - Especial A psicologia do racismo

13 - Artes & Estilo de Vida A festa verde e amarela em NY e Boston

Direção de Arte Rodrigues (Symbol Comunicação)

Ou envie e-mail para: info@brazilianjournal.net BJ On line: www.brazilianjournal.net

Nesta edição

16 - Frases do Mês

Cartas à Redação Sucesso Muito obrigado pela resposta a minha pergunta e desejo ao The Brazilian Journal muito sucesso... Rondon Simoes, Revere, MA

19 - Variedades Emprego, aluguel, horóscopo, sudoko, piada 20 e 21 - BJ in English Everett goes green with new recycling program 22 - Saúde Monitore sua saúde e aprenda com a diabete The Brazilian Journal Magazine | 3


Especial

Manoela Maia Granja & Marcony Almeida

Brasileiro espancado em NY, gays atacados em Boston, americanos rejeitam Obama... O racismo ainda permanece vivo na américa

E

statísticas demonstram que a maior parte das vítimas de crimes raciais nos Estados Unidos não são perpetrados contra negros. A maioria das pessoas sofre o chamado “hate crimes”, ou seja crimes de ódio. Entre eles jovens, brancos, pobres, e moradores de subúrbios. Há quem afirme que preconceito é coisa do passado, principalmente depois de anos de lutas raciais contra a discriminação e a criação de leis severas para punir aqueles que discriminam. Mas, mesmo com leis severas, fatos e estatísticas comprovam que discriminações ainda permanecem em alta no cotidiano humano. O brasileiro Fábio Brandão, 29, residente de Framingham, MA, foi acusado de fazer parte de um grupo de quatro homens que espancaram um grupo de jovens homossexuais que caminhavam pela Columbus Avenue, centro de Boston, há um mês. Ele declarou ser inocente durante a audiencia realizada na Corte Municipal de Boston, mas segundo documentos policiais, o carro utilizado pelos agressores está no nome de Brandão. A rede de televisão americana CNN divulgou recentemente uma pesquisa eleitoral para a corrida à Casa Branca. Na pes-

quisa, 25% dos cerca de dois mil entrevistados afirmam que não votarão em Barack Obama só porque ele é negro. A mesma emissora aponta que uma das maiores preocupações dos eleitores é a presença do grande número de imigrantes nos Estados Unidos. Recentemente Denise Nappi, brasileira de 26 anos estava passeando pelo bairro onde mora em Nova York, East Harlem, quando sofreu discriminação racial. Ela ouviu de uma mulher negra xingamentos só porque é branca. “Eu estava indo para a lavanderia com uma amiga minha, que também é branca. Era um domingo de manhã. A rua estava bem movimentada. A mulher se aproximou de mim e disse: saiam daqui seus brancos miseráveis. Vocês estão invadindo o nosso espaço. Os aluguéis estão subindo por causa de vocês. Voltem para o lugar de vocês. Na hora fiquei indignada, mas não tinha o que ser feito. Como ela saiu gritando pela rua, não dava pra dizer ao certo com quem era. Porque se ela tivesse parado na minha frente e gritado, com certeza eu teria chamado um policial”, conta ela. Ao chegar em casa, Denise contou ao marido o que havia sofrido. Henry Bugalho, brasileiro nascido no Paraná, ficou surpreso, mas não acreditava que o racismo em Nova York pudesse pas-

sar de algumas palavras de baixo calão. Eram 4h da tarde de uma segunda-feira. Henry voltava do trabalho. Já estava na esquina de casa quando viu um grupo de uns 20 adolescentes negros. Percebendo a bagunça que eles estavam fazendo, Henry decidiu atravessar a rua e foi quando ouviu: get the white guy, get the white guy (pega o cara branco). Ele diz que só se lembra da rasteira que levou e que fez com que ele caísse no chão. Quando acordou já estava dentro da ambulância. “Foi tudo muito rápido. Eu até agora não acredito que isso aconteceu comigo. Um dos motivos de ter saído do Brasil foi a violência, fui vítima de sequestro relâmpago em Curitiba. Aí depois de morar anos em Nova York sofro um ato selvagem desses. Esse tipo de atitude é primitiva”, afirma o paranaense. A esposa conta que foram os piores momentos de sua vida. “Eu estava saindo do metrô quando recebi a ligação falando que ele estava dentro da ambulância. Não sentia as pernas, comecei a tremer. Fui correndo ao encontro dele e foi horrível vê-lo naquele estado simplesmente porque ele é branco. O Henry é uma pessoa muito tranquila. Não faz mal a uma mosca. A pessoa mais civilizada e educada que conheço na vida. Estou chocada com o que aconteceu e com muito medo de sair na rua agora. Já estamos procurando apartamento para sair desse bairro racista”, revela Denise.

Henry Bugalho foi

Segundo um dos vizinhos, a espancado por gangue só parou de bater quan- 20 adolescentes do Henry desmaiou. Assustados, negros eles sairam gritando que tinham matado o cara branco. Foram nove pontos no rosto e vários ferimentos pelo corpo. Ele deu queixa na polícia e pretende entrar com um processo contra o Estado. Os compromissos semanais foram cancelados porque Henry precisa de repouso e ainda sente muitas dores no corpo inteiro. Com isso, além do prejuízo físico e psicológico, o casal vai sentir o peso do lamentável fato quando precisar pagar as contas do mês. “Além dele não poder trabalhar, nós vamos pagar uma fortuna de hospital. Ainda não sabemos quanto vai dar porque a conta chega em casa. Mas com certeza não será menos de US$ 3 mil”, afirma Denise. A Psicóloga brasileira Ludimilla Cunha diz que sob o “enfoque psicológico, classicamente e conforme nos aponta estudos, o preconceito pode ser entendido como uma característica psicológica do indivíduo: uma frustração reprimida e deslocada para grupos mais fracos; o desenvolvimento de um tipo de personalidade autoritária; a pouca disposição à abertura mental; a falta de contatos com membros de grupos minoritários.”

Preconceito baseado em raça, cor, preferência sexual e nacionalidade é violação de lei federal nos Estados Unidos. A pena pode variar de pagamento de multas a prisão. Brandão foi sentenciado a pagar US$ 10 mil de fiança e deverá comparecer à próxima corte, agendada para o dia 10 de outubro. Relatórios policiais apontam que existem evidências suficientes para a prisão dele. Em Massachusetts, o governo do estado tem uma divisão especial para punir atos discriminatórios. O Massachusetts Commission Against Discrimination funciona em Boston, Worcester e Springfield e defende vítimas de discriminação independente de situação imigratória nos Estados Unidos. “Enquanto a humanidade não conhecer-se a si mesmo, reconhecendo que somos diferentes, e não uns melhores do que outros, atos discriminatórios continuarão a acontecer. É a negação de si mesmo que faz com que um ser humano discrimine o outro”, afima o líder religioso Divaldo Franco.

Serviço:

Para fazer reclamações sobre discriminação em Massachusetts, procure o Massachusetts Commission Against Discrimination, através do website: http://www.mass.gov/mcad/

Todo o corpo sofreu ferimentos

4 | The Brazilian Journal Magazine

Setembro, 2008

Setembro, 2008

The Brazilian Journal Magazine | 5


Pergunte ao Advogado!

Fique Informado Fausto

Você perguntou e a The Brazilian Journal Magazine foi em busca da orientação legal para suas dúvidas, sem custo nenhum!

M

inha filha iniciou um curso para assistente de médico, ficou durante algum tempo no Instituto, mas depois abandonou os estudos. Como faltavam alguns meses para terminar o referido curso, tive que saldar os custos do mesmo, sem que ela frequentasse as aulas. O colégio pressionou e não tive saída, concordei em pagar o restante em 12 pagamentos. Com muito custo consegui saldar a dívida. Mas, depois de algum tempo, recebi o comunicado que tinha um débito (tuition) que seria enviado para uma corretora chamada Sallie Mae. Neste momento estavamos com processo migratório, e ficamos com receio que tudo isto viesse a interferir no pedido do Green Card. Agora, já de posse do referido Green Card, e já tendo pago inúmeras prestações para a Sallie Mae, pergunto: Será que está certo uma pessoa não terminar os estudos, e ter que pagar durante 10 anos ou mais uma prestação do serviço que não recebeu? Gostaria dentro das possibilidades de receber alguma resposta. S.H., Massachusetts Prezado(a) leitor(a),

O pagamento de mensalidades escolares obedece ao contrato assinado entre a escola e o estudante ou responsável. Necessitamos ver seu contrato para responder com mais detalhes sua pergunta. Geralmente, quando o aluno abandona o curso, não é necessário a continuação do pagamento. Se o seu débito já foi pago, talvez, está sendo errado e desnecessário o pagamento que você está fazendo. Entre em contato com nossa “Hotline” para sabermos mais detalhes do seu caso, e assim podermos ajudá-la(o). Nosso telefone é 617-727-8400 e funcionamos de Segunda-feira a Quinta-feira de 10:00 a.m. às 4:00 p.m. Você, também, pode fazer uma reclamação via internet através do site: http://www.mass.gov/?pageID=c agohomepage&L=1&L0=Home&sid=Cago Atenciosamente,

Office of the Attorney General Martha Coakley Consumer Complaint Division

G

ostaria de saber se é possível a legalização através de um casamento com brasileiro cidadão americano. No entanto, a minha entrada nesse país foi com documento constando outro nome, sem visto. Mas, não uso o nome que entrei no país e, sim, meu nome verdadeiro. Nesse caso, eu teria que voltar ao Brasil para esperar o green card? Em quanto tempo eu poderia obter o green card? Ao dar entrada no processo com o nome verdadeiro, eu correria o risco de ser presa por ter entrado nos EUA com outro nome? Muito obrigado por sua atenção! E.P.P. Prezado(a) leitor(a),

O caso referido requer uma análise profunda para determinar as possibilidades de sucesso. Entrar nos EUA com documentação falsa é crime. Nesse caso, igualmente aqueles que entram no país sem visto, a lei de imigração não permite a legalização através de casamento com cidadão americano. O que pode ser feito é o pedido de perdão às autoridades imigratórias. Caso seja concedido o perdão, aí sim, há a possibilidade de iniciar seu processo de legalização. Você necessitará de advogados especializados nas áreas criminais e imigração. Atenciosamente,

Advogada de Imigração Kristina Rost, PC

U

ma pessoa que vive aqui há sete anos, trabalhando no mesmo emprego, declarando todos os anos os impostos Estadual e Federal, mas que infelizmente veio pelo México. No entanto, esta pessoa não foi detida pela Polícia ou Serviço de Imigração. Se este imigrante se casar aqui neste pais, qual a chance de ser legalizado? Agradeço desde já aguardo resposta Prezado(a) leitor(a),

Entrar sem visto nos Estados Unidos não permite a legalização através do casamento com cidadão americano, mesmo pagando impostos e trabalhando no mesmo emprego. Mas, existem algumas exceções. Caso você esteja casada ou casará com um cidadão ame-

Rocha

ricano, procure um advogado especializado em imigração e família para o caso ser analisado e, assim, determinar se você pode se enquadrar em uma das exceções. Atenciosamente,

Advogada de Imigração Kristina Rost, PC

C

omo cidadão americano, qual o tempo máximo que poderei ficar no Brasil? E como fica a situação do imposto de renda? No mais, muito obrigado. Simões, Massachusetts Prezado leitor,

Como cidadão americano, não existe tempo determinado para a sua permanência no Brasil. O senhor está livre para ficar no Brasil o tempo que desejar, ilimitado. Apenas aqueles que têm greend card devem permanecer nos Estados Unidos, e não podem se ausentar por mais de seis meses. Quanto ao imposto de renda, caso o senhor seja aposentado, seu contador pode fazer eletronicamente. Ou, uma outra opção, é o senhor vir aos Estados Unidos na época de pagamento de imposto de renda. Se contador poderá orientá-lo como fazê-lo.

Pe. Eduardo assume a Comunidade Católica de Maynard A Comunidade de Maynard agora contará com o carisma do Pe. José Eduardo Marques que estará expandindo sua missão pastoral também a essa Comunidade. Pe. Eduardo também é o responsável pela Comunidade de Allston/Brighton e continuará exercendo suas atividades normalmente. A Comunidade de Maynard, que está sob o patrocínio de Nossa Senhora Aparecida, se reúne na Igreja de Santa Brígida - Saint Bridget Church , situada à One Percival St, em Maynard, MA, 01754. As Celebrações Eucarísticas acontecem aos sábados, às 7h da noite.

Atencisamente,

Envie um e-mail para a The Brazilian Journal Magazine com pergunta nas áreas de imigração, trabalho, saúde, negócios, direito ou consumo. Nós perguntaremos a um Advogado por você! Sua resposta será enviada por e-mail ou pelo correio e, em seguida, nós publicaremos em nossa revista impressa e nosso website. Dúvidas? Confidencialidade? Entre em contato com a gente!

A Procuradoria Geral de Massachusetts informa que a empresa Olympic Painting and Roofing Co., Inc. (Olympic), concordou em pagar US$ 60 mil em restituição por violações trabalhistas. Foram 69 trabalhadores afetados pelas violações, inclusive diversos brasileiros. A empresa foi acusada de mentir para o estado, alegando que seus funcionários eram trabalhadores autônomos, para fugir das obrigações trabalhistas.

Problema Trabalhista? O Centro do Imigrante Brasileiro continua com suas clínicas trabalhistas semanais. Compareça ao CIB às quartasfeiras para consultar com um advogado sobre problemas trabalhistas. Informações 617-783-8001. O CIB fica na 14 Harvard Av, Allston, MA 02134.

Carro, moto, rock and roll... e Bíblia! Ser apaixonado por tudo isto, é possível, “graças a Deus”, é o que afirma o Pastor Marcelo Pereira, da Igreja Tabernáculo da Adoração, em Brockton. “Tenho paixão por música, sou um roqueiro nato. A paixão que Deus me deu pela música é o veículo que eu uso pra expressar minha paixão por Deus”, diz. O Pastor Marcelo Pereira hoje tem 47 anos, é casado com a Pastora Letícia Pereira e pai de três filhos. Morador de Framingham, ele informa que o CD “Ao Som da Harpa” poderá ser aquirido diretamente com ele, e em algumas lojas brasileiras.

Envie seu e-mail agora! info@brazilianjournal.net www.brazilianjournal.net

A Cooeprativa de Mulheres Vida Verde vai fazer novo treinamento sobre os produtos de limpeza naturais no sábado, dia 27 de setembro. O treinamento será das 12:30h às 5h da tarde, na sede do Grupo Mulher Brasileira, 569 Cambridge Street, em Allston, e inteiramente grátis. As inscrições desta vez não serão feitas com antecedência mas apenas 30 minutos antes do início da classe. Para informações, telefone para Monica Chianelli, 617-787-0557 ramal 14 ou mande email para monica@verdeamarelo.org. Setembro, 2008

Acordo trabalhista em Peabody

Marcelo Pereira lança CD

Advogada de Imigração Kristina Rost, PC

Cooperativa Vida Verde promove treinamento

6 | The Brazilian Journal Magazine

da

Setembro, 2008

É hora de parar! A Conferência Católica dos Bispos dos Estados Unidos enviou recentemente documento ao presidente Bush e ao secretário de segurança nacional, Michael Chertoff, exigindo o fim das “batidas de imigração” e a revisão geral das condutas praticadas pelos agentes. Os Bispos alegam que há violações de direitos humanos durante as buscas por imigrantes indocumentados. The Brazilian Journal Magazine | 7


Advogado diz que morte de André Martins é justificável Brasileiro recebeu tiros de policial

O District Attorney (Advogado Distrital) da região de Cape Cod, Michael O’Keefe, disse que as investigações sobre a morte do brasileiro André Luiz de Castro Martins estão concluídas e que o policial Christopher Van Ness, que atirou e matou o brasileiro, agiu em legítima defesa. O’Keefe disse que o policial não vai ser processado e o caso será fechado. Andre Martins, 25, foi morto no dia 27 de julho, em West Yarmouth, Cape Cod, após fugir de uma blitz policial. Ele estava no carro com a namorada Camila Campos e foi atingido por três tiros. O’Keefe disse que o policial corria o risco de ser morto porque Martins dirigiu em direção a Van Ness. “Van Ness poderia ter sido atingido pelo carro de André, por isso atirou em legítima defesa”, disse O’Keefe para justificar a morte. Martins estava desarmado e foi atingido por três tiros. O’Keefe disse que após o primeiro tiro, o carro passou próximo a Van Ness. Mesmo assim, o policial ainda atirou mais duas vezes. Segundo a versão da polícia local, Martins, que trabalhava como

pintor, estava em alta velocidade em uma zona residencial e teria tentado manobrar para furar um bloqueio feito por dois policiais e jogado o carro em direção a um policial, e acabou sendo morto com três tiros. A perseguição durou 90 segundos e terminou no gramado de uma casa. Camila Campos estava ao lado de Martins e saiu do carro gritando, mas não se feriu. A suspeita da polícia de que Martins tinha drogas no momento em que foi baleado não justifica a ação que levou a sua morte, segundo o pai dele, Luiz Carlos Martins, policial militar da reserva. O pai recebeu o telefone de O’Keefe no Brasil para ser avisado do resultado da investigação. O Consulado Geral do Brasil em Boston acompanhou o caso de perto. A morte causou revolta e medo na população brasileira em Cape Cod. A presidente do Grupo Mulher Brasileira, Heloísa Galvão, disse que não há justificativa para a morte de André Martins e espera que providências sejam tomadas contra essa “investigação injustificável e inconclusiva”.


Seus Direitos e Responsabilidades Marcony Almeida

Dólares não seguem com você para a outra vida

A morte do eletricista brasileiro, Romulo Santos, de 47 anos, eletrocutado enquanto trabalhava traz à tona aquilo que continua preocupando as autoridades da área de saúde ocupacional, mesmo que a notícia não seja novidade: morte de brasileiro no ambiente de trabalho. Falta de segurança no trabalho já é costume entre tantos pintores, carpinteiros, faxineiros e, agora, eletricistas. Por um lado, os trabalhadores imigrantes pensam em ganhar dinheiro, e não estão muito preocupados com segurança. Por outro, patrões inescrupulosos também querem a maior fatia do bolo, e provar equipamento de segurança para seus funcionários pode representar um tempo maior para que eles fiquem ricos. Você já viu muitos patrões na construção civil que querem esperar para enrriquecer? O médico e professor da Universidade de Massachusetts em Lowell, Eduardo Siqueira, já vem há anos alertando brasileiros sobre o perigo, aconselhando e ensinando a como se proteger. “Na verdade eu não costumo dizer que morrem tantos brasileiros no trabalho em Massachusetts. Digo que morrem poucos brasileiros, felizmente, por causas que quase sempre são totalmente preveníveis. Em termos epidemiológicos ou estatísticos talvez se possa dizer que há um excesso de mortes de trabalhadores brasileiros na construção ou em geral, mas infelizmente não temos dados de boa qualidade para confirmar esta suspeita. Isto é, não sabemos ao certo quantos brasileiros trabalham por exemplo na construção civil em Massachusetts. Portanto, só sabemos com razoável certeza quantos morrem por causas relacionadas ao trabalho, mas não sabemos que percentagem estes representam em relação ao conjunto dos trabalhadores brasileiros na construção civil no estado. Enfatizo o setor da construção civil porque este parece é o setor da economia onde mais mortes de trabalhadores brasileiros ocorreram nos últimos 20 anos, o que aliás não deve surpreender a ninguém porque a construção civil é um dos setores mais perigosos para os trabalhadores em todo o mundo”, analisa Siqueira. E o médico prossegue, “acho que a culpa tem que ser dividida entre vários fatores, que tem que ser investigados em cada caso concreto. Por exemplo, baseados nas investigações sobre fatalidades que o Projeto Parceria fez ao longo dos últimos cinco anos, podemos listar alguns deles. Na maioria dos casos uma combinação deles é que explica a causa da morte: falta de condições de trabalho saudáveis e seguras, que o empregador tem por obrigação fornecer, de acordo com a lei dos Estados Unidos. Em muitos casos o empregador não cumpre a lei e o trabalhador paga o pato. A falta de fiscalização para que os regulamentos sejam cumpridos facilita que trabalhadores, em particular, imigrantes, trabalhem em más condições de trabalho. Aliás, os trabalhadores imigrantes costumam trabalhar em setores ou subsetores da economia onde existem uma espécie de salve-se quem puder, onde tudo pode acontecer. Há muita insegurança sobre quando haverá trabalho. Existe muita concorrência para empregos, que estão cada vez mais difíceis com a crise econômica que estamos enfrentando. Muitas vezes os trabalhadores brasileiros nem sabem quem é o patrão em um determinado serviço. Para compreender melhor o panorama, é preciso conhecer com mais detalhe como funciona o mercado de trabalho na construção civil, especialmente para os pequenos empregadores, que trabalham sob contrato para empresas maiores”, disse. Existem tantos outros fatores que o médico e professor Siqueira observa, mas está mais do que na hora de acontecer uma consciência dupla: patrões que empregam e trabalhadores que aceitam. Se você é patrão, acredite que oferecer segurança a seus funcionários não vai atrasar o enchimento de sua conta bancária. Se você é empregado, pense na sua segurança e sua vida. Lembre-se, os dólares não seguem com a gente para a próxima vida.

Marcony Almeida é jornalista e diretor de advocacia da MIRA Coalition

10 | The Brazilian Journal Magazine

Esportes Manoela Maia Granja

Seleção brasileira deixa dúvidas para a Copa

O empate por 0 x 0 com a Bolívia, no último dia 10, fez a seleção manter a marca negativa nas eliminatórias para a Copa do Mundo. Desde que foram conquistados os pontos no torneio sul-americano, o Brasil não tinha tido um começo tão ruim. No próximo dia 25, o técnico Dunga convocará os 22 jogadores para os dois próximos jogos da seleção brasileira nas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010. O futebol brasileiro já não é mais os mesmo para os aficionados pelo esporte. Brasileiros inconformados com a situação, avaliam a capacidade do técnico da seleção brasileira e falam o que poderia ser melhorado. Alexandre Tenenbaum, de 27 anos diz que a seleção canarinho perdeu o seu brilho. “Por que o Dunga não olha aqui pro futebol brasileiro? E quando convoca por que não

esteja em risco, passam os quatro primeiros e o quinto ainda pode ser repescado. Não acredito que em um grupo com dez times o Brasil acabe em sexto classificado. É triste ver a selção que tem mais vitórias em copas passar pelas vergonhas que tem passado. Estamos deixando um rastro de mau futebol. Acho que isso já é suficiente para acender as luzes de alerta do futebol brasileiro, não basta parecer bom, é preciso ser bom mesmo”, declara Alexandre. Já Willian Costa pensa diferente. Ele comenta que os brasileiros estão acostumados com a vitória, mas que é preciso dar mais uma chance. “Apesar da falta de entrosamento dos jogadores, acho que ainda podemos melhorar. O dunga estava indo muito bem. Agora ele está passando por uma fase ruim, mas acho que ele merece o

os escala? Será que o Thiago Silva, Alexandre: Thiago Neves, Hernanes, Léo Moura Tenenbaum diz não têm lugar nesse time? Não tem que a canarinho futebol para vestirem a camisa da se- perdeu seu brilho leção”, indaga o brasileiro. Em um dos últimos jogos da Seleção Brasileira contra a Seleção Boliviana, os nossos jogadores bem que tentaram, mas não conseguiram escapar da forte marcação e ficou no empate por 0 x 0 em partida válida para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 2010. “E nesse último jogo contra a Bolívia a partida foi bastante truncada, com a seleção boliviana inteira no campo de defesa. Sem espaço para tocar a bola e com Ronaldinho e Robinho marcados, poucas chances foram criadas. O Brasil ainda ficou com um homem a mais, mas a defesa boliviana continuou com o todo gás, não deu espaço e arrancou o empate sem gol dos brasileiros”, reclama Alexandre. Ele diz que os jogadores da seleção parecem que estão em um treino, e que jogam sem coração. “Não que a qualificação para a Copa

nosso voto de confiança. Mas para FUTEBOL: Costa diz isso ele precisa dar uma mexida no que os brasileiros time. Contratar gente boa e colocar se acostumaram a outros no banco”, ressalta Willian. E vitória fala ainda que o favoristismo sempre atrapalhou a seleção brasileira. “Em todas as copas nós vamos com muita sede de vitória, e isso é ruim. Em 1994 quando ninguém achava que íamos conseguir, nós conseguimos. E isso foi resultado de muita união, força e humildade”, destaca. E quando o assunto é sobre o técnico, Alexandre é enfático. “Na minha opinião a hora de Dunga já passou. Precisamos de um técnico experiente como Wanderlei Luxemburgo ou Felipão, mas esse último infelizmente já se acertou com o Chelsea”, diz ele. Ainda existem apostas em outros nomes para ocupar a vaga de técnico da seleção verde e amarela. “Outra alternativa seria o Renato Gaúcho, que já mostrou que não é cavalo paraguaio”, se diverte Alexandre. Setembro, 2008


Palavras de Mulher Zenita Almeida

Ame-se profundamente

O que você tem feito com a sua auto-estima nesse tempo moderno tão complexo, principalmente para quem assume tanta responsabilidade como: conciliar trabalho, filhos, obrigações domésticas e companheiros? Os consultórios terapêuticos têm sido bastante freqüentado por pessoas que procuram tratamentos por se sentir depressivo e sem auto-estima, incapaz de perceber ou enxergar seus valores ricos em suas qualidades. A grande causa da falta da auto-estima é o hábito insuflado pela sociedade de criar desejos muito distantes da nossa realidade, estimulado por uma corrente social que nos desafia, cobra e sufoca. É importante ter muito claro em mente a diferença de amor por si próprio a um obsessivo desejo de querer ser o que é irreal, influenciado por imposições de outrem que só vai lhe trazer conflitos e frustrações. Alguém cronicamente acometido de baixa estima é uma pessoa que caminha pela vida com sensação de que não consegue agüentar as frustrações, costuma se punir subestimando suas qualidades, passando a ter como parceira constante a insegurança. Paixão, entusiasmo, alegria, esperança e tantas outras emoções positivas são combustíveis para uma vida plena de satisfação, energia magnífica que pode nos levar a um estado de felicidade plena, até mesmo em períodos mais difíceis impostos pela vida. Estudos científicos comprovam a cada dia que as doenças físicas e mentais estão associados a fatores biológicos, psicológicos e sociais. Para evitar isso é bom aprender a cada dia a se conectar com o novo, se atualizando sempre no seu desejo constante de se sentir absorvida com a realidade do mundo que nos cerca, aceitando e praticando o ato de mudança daquilo mais próximo do que nos é possível para a nossa felicidade. Os nossos órgãos sensoriais são mensagens de prazer que entram em nossas vidas, estimulando o desejo da nossa auto-estima, porque felicidade é estar bem consigo mesmo. Reconhecer o nosso próprio desejo e satisfazê-lo é o alimento que a alma precisa para dar estrutura ao EGO suportando os reveses da vida sem sermos atingidos por eles. Usar a visão para olhar o que é belo, ouvir uma música com o coração e a memória, saborear um bolo de chocolate sem culpa, acariciar e abraçar para se arrepiar e dessa forma abrir nossos próprios canais de conexão com o mundo e com nossos próprios desejos. Assumir nosso prazer e necessidades entendendo e aceitando a diversidade em todos os sentidos com respeito pela própria natureza e pela dos outros. Nos sentir inteira a cada dia se reconhecendo e se validando, hoje o gozo, amanhã choro, acerto e erro, tendo coragem e medo. Luz e sombra fazem o todo e aceitar-se assim e se permitir sentir e viver todos os nossos desejos e se encontrar com o nosso próprio EU, aquele que muitas vezes escondemos de nós mesmos por conta das nossas obrigações e responsabilidades. Zenita Almeida Jornalista e Consultora em Cerimonial e Eventos E-mail: zenitaalmeida@gmail.com

12 | The Brazilian Journal Magazine

Artes & Estilo e Vida

É Bom Saber... Elisa Garibaldi

Manoela Maia Granja

O Brazilian Day toma conta da Big Apple e Boston

Nem a vida dos dinossauros foi eterna...

Num momento em que as atenções se voltam para a campanha eleitoral dos Estados Unidos, em que se discute a presença da mulher numa das chapas concorrentes e a eficiência “assustadora” de um homem “de cor”, vemos claramente que o assunto do racismo e discriminação continuam sendo parte do prato do dia-a-dia. Mesmo neste país, considerado o berço da democracia e de manifestações históricas, notamos que o racismo, às vezes velado, muitas vezes totalmente direto, acaba atraindo o foco das atenções e mais uma vez prova que o ser humano ainda tem muito que aprender e crescer. A cor da pele, o sexo biológico, a preferência sexual acabam sendo fatores definidores de muitos atos e de escolhas, colocando-se em segundo plano a capacidade profissional, o bom senso e as verdadeiras intenções das pessoas. A discriminação não fica somente agarrada às questões políticas, mas sim como forma geral de busca do poder. No movimento trabalhista, por exemplo, onde a mulher tem buscado o seu lugar ao sol, ainda é grande a pressão a elas exercidas, e infelizmente vemos que muitas, além de não saberem de seus direitos, ficam submissas à manipulação de seus superiores, Elas, também, ficam escravas de um sistema em que a competição é grande e a quantidade acaba sempre superando a qualidade. Na verdade, isto se aplica a ambos os sexos! Falando em escravidão, parece que nada mudou! Tantos movimentos foram feitos, sangue derramado, saliva gasta e o que vemos? O processo se repete com o grande número de trabalhadores, a grande maioria imigrantes vivendo horas e mais horas de trabalho contínuo, sem “insalubridade”, condições indignas e arriscadas, tornando-se mais desinformados e apenas mãos-de-obra barata. E tem ainda alguns que se dizem humanos, cristãos ou patriotas e que exigem a expulsão de milhares de indocu-

mentados, não raciocinando que qualquer estrutura precisa de vigas fortes e que cada trabalhador, documentado ou não, faz parte da base desta sociedade. Sociedade esta, que agora tem a sua beleza externa totalmente desequilibrada e afetada, em parte devido a remoção de muitas de suas vigas de sustentação. Se pararmos para analisar cada ponto da vida rotineira e todas as situações as quais estamos expostos, vemos que é uma constante luta em que o racismo e a discriminação tornaram-se fatores preponderantes na evolução da raça humana e principalmente na “teoria-realidade” da sobrevivência do mais forte. Os instintos ficam aguçados e onde as presas mais fáceis ou, quem sabe mais ameaçadoras, são vigiadas, caçadas e se possível exterminadas. Olha o caso do “boa noite, cinderela” onde a grande maioria das vitimas dopadas, roubadas e até abusadas sexualmente consiste de homossexuais, mulheres e adolescentes, os quais com medo da exposição, da vergonha e desvalorização pelo outro, cala, sofre e acaba consentido, não denunciando, deixando o espaço aberto para que se atinjam mais vítimas. Quer exemplo mais claro de discriminação? Você já discrimina muitas vezes só com o olhar, com o desrespeito, com a incompreensão, com falta de iniciativa, com a acomodação. Você julga com a não união das raças, não podendo trabalhar em equipe, quando comentas a vida alheia ou achas que aquilo pode acontecer com quem está ao seu lado e nunca com você. Voltam-se os olhos do mundo para aqui, a briga das minorias, um “negro” e um que apresenta uma “mulher’ como parte da estratégia. E aí, como parte do espetáculo humano, se fazem apostas.Vença o melhor ou talvez o mais esperto. Mas não se esqueçam que mesmo os grandes e fortes perecem e que a vida dos dinossauros não foi eterna.

Elisa Garibaldi é cirurgiã-pediatra e coordenadora do Grupo Ponto de Partida-USA

Setembro, 2008

A

sexta avenida em Nova York ficou verde e amarela no útimo dia 31 de agosto. Mais de um milhão de brasileiros compareceram ao dia dedicado exclusivamente a eles, o Brazilian Day. Muitos chegaram cedo para garantir o lugar perto do palco e matar as saudades da terra natal. Jorge Ben Jor abriu a festa. Em seguida milhares de vozes acompanharam as músicas do ícone da música pop Lulu Santos. Mas quem fez a cidade tremer foi a atração mais esperada do dia, Saulo Fernandes da banda Eva. O baiano relembrou canções como pequena eva e levou a galera ao delírio. Fernanda Lima e André Marques fizeram a apresentação da 24ª edição do evento. Outros globais marcaram presença vip como Alinne Moraes, Flávia Alessandra, Lazáro Ramos, Serginho Groisman e Nívea Stelman. Para deixar o dia ainda mais brasileiro não podia faltar as barracas de comidas típicas. Havia opções para todos os gostos. Acarajé, vatapá, feijoada, pastel e outras delícias do nosso país tropical. E quem pensa que o dia é só de brasileiros, se engana. A americana Devon Strotel, de 27 anos é fã do Brasil. Ela morou no país por um ano, fala português e ainda diz que pretende voltar em breve. “Eu tenho muitas saudades do Brasil e um evento como este dá muito mais saudades. Morei lá em 1999. Depois disso nunca mais voltei. Hoje estou feliz porque estou me sentindo perto do Brasil. Eu nunca tinha vindo ver essa animação de perto. Estou adorando e pretendo voltar ano que vem. Além ter vindo para comer a comida boa, vim ver a banda Eva. Sou fã. Tenho o cd deles”, explica Devon. E nada melhor do que uma argentina para comprovar que o evento é um verdadeiro sucesso. Marina Alperro, de 26 anos, nasceu na argentina, mas a mãe é baiana. “Eu adoro o Brasil. Visito todos os anos. Apesar de não ter nascido no Brasil, eu me sinto um pouco baiana. Tenho orgulho de ter o coração metade verde e amarelo”. Marina mostra que tem a bahia no sangue ao dançar e cantar as músicas da banda Eva. A festa é tão esperada que veio até caravana do Canadá. A paulista Luana platzer, de 29 anos trouxe mais de 50 brasileiros que vivem em Montreal. Ela mora no canadá há 7 anos e pela primeira vez participou da folia. “Organizei a caravana em cima da hora, mas mesmo assim consegui trazer bastante gente. Com certeza ano que vem estarei aqui de novo e pretendo começar a reunir o pessoal uns três meses antes. Assim, quem sabe não trago mais gente. Já Jonas Júnior, mineiro de Governador Valadares, que mora em Boston, prestigia o evento há cinco anos. E dessa vez ele caprichou no figurino com uma peruca

Setembro, 2008

A festa cobriu Nova York de verde e amarelo

verde chamando a atenção das câmeras. “O Brazilian Day é a melhor coisa do mundo. Aqui não tem confusão. É um dia de festa e muita curtição. Pelo menos por um dia no ano, me sinto no

Brasil”, diz Jonas. Amauri Soares, diretor de projetos especiais da Rede Globo e organizador do evento diz que este foi o melhor Brazilian Day de todos os anos. “Esse ano foi sensacional, foi o melhor que a gente já fez. Mas esse resultado deixa uma tremenda responsabilidade para o ano que vem. Já estamos pensando em 2009 e vamos trazer muitas surpresas para a festa ser melhor ou igual a esta. Mas o importante é que Brazilian Day cresce a cada ano. Fica

maior, mais complexo, mais forte. E além disso ele não tem perdido a alma brasileira. Isso aqui é a maior festa de brasileiro fora do Brasil. Uma festa de brasileiro para o mundo”, comemora Amauri. Boston Em Boston, a comissão organizadora mereceu os aplausos dos participantes. O parque da Soldier’s Field Road ficou bonito e lotado num domingo de muito sol e calor, coisa rara em Boston. Foi quase uma semana de comemorações, culminando com o hasteamento da bandeira brasileira na prefeitura de Boston e o festival ao ar livre, exatamente no domingo dia 7 de Setembro. Fotos exclusivas da fessta na coluna Caras & Nomes. The Brazilian Journal Magazine | 13


Caras & Nomes

14 | The Brazilian Journal Magazine

Lotação geral na Festa da Independência do Brasil em Nova York

Não faltou a irreverência do brasileiro em NY

O pessoal do Midwest Grill trouxe o delicioso churrasco brasileiro para a Festa da Independência do Brasil, em Boston

A amiga Jaqueline, da Comissão Organizadora do 7 de Setembro em Boston, sempre com seu sorriso aos amigos

A beleza da mulher brasileira encantou Nova York

A repórter-correspondente da The Brazilian Journal Magazine, Manoela Maia Granja, durante a entrevista com o vocalista da Banda Eva, Saulo Fernandes

José Júnior e Júlio Braga aproveitando a festa do Brasil em Boston

Muita música com gente da terra no 7 de Setembro em Boston

Americanas e brasileiras e uniram na festa verde e amarela

3.081 imigrantes se tornaram cidadãos americanos em festa especial no Fenway Park, em Boston. Entre eles, 156 brasileiros. Parabéns! A MIRA Coalition e a MAPS estavam na cerimônia registrando os novos cidadãos para votar

A escritora Beti Rozen acabou de voltar do Brasil. Ela esteve em São Paulo, participando da Bienal do Livro. Ela lançará no Brasil o livro: “Annabelle: a Child on the Way” (Annabelle: uma Criança a Caminho).

A Ujena Jam Photo Shoot Bikini Contest levou a beleza da mulher brasileira aos palcos de Boston. O desfile foi promovido pela Social Elite Promotion, dirigida por Meiresmar Lane

Setembro, 2008

Setembro, 2008

The Brazilian Journal Magazine | 15


Frases do Mês

Saúde

“Fico cinco dias sem lavar o cabelo. Para o efeito surfista é melhor assim.”

O perigo do

Carolina Dieckmann, atriz que viverá a surfista Suzana em “Três Irmãs”, ao jornal carioca “O Dia”.

A dengue só existe no Brasil, mas há algo parecido em Massachusetts Novos mosquitos portadores da EEE achados na região sudeste do estado O Departamento de Saúde Pública de Massachusetts (DPH) anunciou que se acharam mosquitos portadores da encefalomielite eqüina do leste (EEE, em inglês) na cidade de Berkley e Caver. O DPH também informou que várias fontes positivas do vírus do Nilo ocidental (WNV, em inglês) têm sido detectadas. As amostras de mosquitos para as análises recolheram-se nas cidades de Boston, Clinton, Foxborough, New Bedford, Newton, Northampton, Norton, Wayland, Westport e Westwood. Além de ter sido achado em mosquitos, o WNV também foi detectado em corvos de Barnstable, Edgartown, East Longmeadow, Longmeadow, Norfolk, North Andover, e Hatfield, e em gaios azuis (blue jays, em inglês) nas cidades de Barnstable, Carlisle, Hampden, Scituate, e Watertown. “Apesar da maioria das pessoas sentir que o feriado de Labor Day seja o fim do verão, os mosquitos estarão conosco até cair uma boa geada”, disse o epidemiologista do estado, Al DeMaria. “Ainda estamos vendo

“Os cães são fiéis, eu sou leal.” Werner Schüneman, ator, falando à revista “Caras” sobre seu relacionamento de 16 anos.

Fotos: Divulgação

“Não adianta querer ter uma baby face se você não é mais baby. É até meio ridículo, né?.” Christiane Torloni, atriz, falando à revista “IstoÉ Gente” sobre sua boa forma aos 50 anos.

mosquito

uma grande quantidade do vírus no ambiente – em todas as regiões do estado. Em breve as crianças começarão a fazer atividades extracurriculares durante a parte do dia em que os mosquitos estão mais ativos, por isso pedimos a pais e funcionários de escolas que ajudem a proteger as crianças lembrando–lhes que usem roupa que cubra bem a pele e repelente para insetos”. Apesar de não terem sido reportados casos humanos da EEE em 2007, houve 13 casos - dos quais seis resultaram em mortes - em 2006. Em 2007 houve seis casos de pessoas infectadas com o WNV. A EEE, assim como o WNV, é contagiada ao ser humano através da picada de um mosquito portador do vírus. Apesar do WNV afetar pessoas de todas as idades, as pessoas maiores de 50 anos correm maior risco de ficarem graves se contraírem o vírus. A EEE já é uma doença mais séria em qualquer idade e pode, inclusive, causar a morte.

As pessoas têm um papel importante na proteção pessoal e a dos seres queridos contra doenças causadas por mosquitos. Como evitar as picadas de mosquito: saiba a que horas do dia há mais mosquitos. As horas entre o pôr do sol e o amanhecer são as horas de mais mosquitos. Considere mudar o horário das atividades que você faz ao ar livre durante a manhã e o crepúsculo. A roupa pode ajudar a reduzir as picadas de mosquito. Vestir calças compridas, camisa de mangas compridas e meias ajudará a manter os mosquitos longe de sua pele. Use repelente de insetos quando estiver ao ar livre. Mantenha os mosquitos longe de sua casa, elimine a água parada, instale ou conserte as telas. Mantenha os mosquitos fora da sua casa com telas bem presas em todas as portas e janelas. Se achar uma ave morta, comunique-se com o DPH. Para maiores informações visite a página na internet da DPH: www.mass.gov/dph/wnv/ wnv1.htm.

“Agora quero fazer novelas sem camisa para mostrar que sou forte.”

Paulo Betti, ator que vive um “coroa de programa” no filme “Casa da Mãe Joana”, de Hugo Carvana, durante o lançamento do longa.

“Falo que vivo em outro mundo porque tenho uma vida tão normal que parece que estou indo ao escritório despachar documento.” Thiago Rodrigues, ator, falando em entrevista à revista “TPM” que não se deslumbra com o glamour que envolve sua profissão. 16 | The Brazilian Journal Magazine

“Dizem que o prefeito tem a chave da cidade. E digo que Boston não tem chave porque aqui todos são bem-vindos, independente de que país você veio.” Thomas M. Menino, prefeito de Boston, em cerimônia de naturalização de mais de 3 mil imigrantes Setembro, 2008

Setembro, 2008

The Brazilian Journal Magazine | 17


Horóscopo Áries - 21/03 a 20/04 Setembro começa com a necessidade de refinar escolhas e estabelecer prioridades. A baliza será o que funciona e o que pode tornar efetivos seus esforços para melhorar sua habilidade de lidar com o cotidiano. Touro: 21/04 a 20/05 Com o Sol em Virgem você conta com uma dose extra de energia, pique e concentração, permitindo que se foque nos temas mais concretos e importantes de seu presente. Gêmeos: 21/05 a 20/06 Setembro abre para você com o desafio de somar habilidade prática com constância e visão ampla com capacidade de abdicar de algo passageiro agora para, mais tarde, alcançar um bem maior. Experiência de vida ajuda a driblar esse delicado de mês. Câncer: 21/06 a 21/07 Júpiter expande suas chances de relacionamento com pessoas influentes e poderosas que poderão levar você adiante. Leão: 22/07 a 22/08 Aquele lado alegre, sociável e divertido que você costuma desfilar por aí e que faz total sucesso estará um pouco abalado por causa de preocupações mais intensas com a vida diária na primeira semana, mas volta pra valer depois. Virgem: 23/08 a 22/09 Vitalidade, foco, sorte e esperança para tornar sua vida mais rica e interessante são os estímulos poderosos que o Sol, Júpiter e Vênus enviam a você desde o início de setembro. Libra: 23/09 a 22/10 Você começa o mês inspirado, cheio de perguntas e poderá se Setembro, 2008

Variedades

Piadas

Manoel Inglês

valer de fácil comunicação e expressão, o que conta bastante para quem está vivendo uma fase de revisão rigorosa de vida. Nos planos afetivo, profissional e espiritual, setembro impõe atitudes reflexivas, observadoras e analíticas. Escorpião: 23/10 a 21/11 Mês para se conectar com os amigos, engatar projetos com eles, participar mais da comunidade e interagir com pessoas de fora de seu círculo. Sagitário: 22/11 a 21/12 Este é o mês em que a fé nos alvos que deseja atingir no presente se tornará forte estímulo e razão de ser, a ponto de fazer com que aprimore muitos aspectos de sua personalidade e se critique com mais profundidade, como tem agido para conquistar o que anseia. Capricórnio: 22/12 a 20/01 Consolidar sua reputação, somar crença realista a trabalho intenso, senso de dever, sensibilidade para responder a desafios novos e ajuda de pessoas que estão em posição de destaque social são os grandes pontos de apoio para você este mês. Aquário: 21/01 a 19/02 Setembro será um mergulho nos aspectos sombrios que você tem, o que o auxiliará a descobrir novas riquezas e dizer adeus a medos e obsessões mentais, algo que às vezes o acomete quando se sente ameaçado. Peixes: 20/02 a 20/03 Setembro não será, para você, um mês de idealizações, sonhos e abstrações. Com o Sol e Saturno em Virgem, o foco e a consciência nascem das relações e por causa delas. Nem tudo serão flores, obviamente. Seus sonhos encontrarão eco nas pessoas, ou pelo menos você deve tentar isso.

Manoel no Aeroporto para embarcar para o Estados Unidos, na fila o funcionário do Aeroporto pergunta para um dos passageiros: - What’s your name? E o passageiro responde: - My name is Bond, James Bond. E com isso ele ganha livre acesso. Chegando o português, o funcionário do Aeroporto pergunta: - What’s your name? E o português responde: - My name is Oel, Manoel...

O gênio sacana

Após alguns dias caminhando pelo deserto a procura de comida o homem encontrou uma lâmpada e a esfregou. Saiu um gênio que lhe disse: Como me libertou da lâmpada vou te conceder um pedido. Vamos peça de uma vez: Eu quero que tu construa uma estrada cheia de água e restaurantes de graça até a minha casa. Oh, não, este é muito dificil. Peça outra... Então já que vou morrer aqui no deserto eu quero que o meu time do coração seja campeão do mundo nos próximos dois anos. Tá bom, mas qual é o seu time? Flamengo. Só me diz uma coisa, aquela estrada que você queria era com uma ou duas vias? Fonte: www.piadas.com.br

Sudoku 5

1

8

4

8

3

7

1

7

2 8

7 3

7 6

8

4

8 1

1

8

6 3

9

4 5

8

9

8

3 8

4

4

7

Emprego

Gerente de Vendas Publicitárias

Empresa de comunicação dinâmica contrata Gerente de Vendas Publicitárias. Emprego Full ou Part Time para início imediato. Necessário ter carro, falar Inglês básico, e experiência comprovada em vendas. Envie currículo para info@brazilianjournal.net ou The Brazilian Journal, 185 Squire Rd, suite 1, Revere, MA 02151. Comissão acima do mercado.

ALUGUEL

Alugo apart. em Wakefield de 2 quartos, sala, cozinha, banheiro grande, garagem para 2 carros, próximo de mercados, ponto de ônibus, estação de trêm, e das rotas 1, 93 e 95. Ótima localização. US$ 1,375 (tudo incluído). Ligue (781) 218-4049 ou (781) 207-1499. The Brazilian Journal Magazine | 19


BJ In English Mark Puleo

Taking out the

Everett goes green with new recycling program P

rogressive communities may embrace recycling as their civic duty, but what to legislators do when they represent an area with a 3 percent rate of the population separating their cardboard and plastic from the rest of their junk? Give them a reward. Everett, a community not typically known for environmental activism, is one of the first communities in Massachusetts to embrace the new program. The concept is simple, users place everything into one large bin while the retrieving company separates the material at its facility and the more you recycle, the more “points” you get. The incentive-based nature of the program is the key to changing the hearts and minds of reluctant recyclers. Each Everett recycling bin contains a computer chip registered to 20 | The Brazilian Journal Magazine

a residence. At pick-up time, the bins are weighed and for each pound of material recycled, residents receive program “points,” redeemable for discounts at participating stores. Users can log onto the program’s website, managed by RecycleBank, a Philadelphia-based company that administers the entire program. Everett is not known to embrace change easily: it’s the only community in the United States with both a Common Council and Board of Alderman, an anachronism abandoned by most communities almost 100 years ago. It first elected an Italian-American mayor in 1997 – almost a half century after spaghetti and garlic were no longer exotic menu items in the city. So it was no surprise to learn that before single-stream recycling, Everett had one of the

lowest recycling participation rates in the state, in some neighborhoods, as low as 3%. “In the first month, we saw a massive jump in recycling participation – in some neighborhoods approaching 58% participation overall,” explained Everett Recycling Coordinator Jon Norton. “People are excited about participating in this program and love earning points. You don’t know how many people tell me that they’ve reduced what they throw away as conventional trash to one bag – sometimes one bag every other week.” The program stands in stark contrast to those in other communities that have embraced a pay-as-you-go system for conventional trash disposal – a user fee designed to encourage greater recycling. Malden, a community that neighbors Everett, Setembro, 2008

charges for each additional trash bag placed on the curb for pick up. The method in Everett, however, makes recycling more closely resemble conventional trash disposal by having residents place all recyclable material in one large bin. I tested out the new bins in a recent move across town, easily loading up my three-foot deep recycling bin with empty boxes, packing paper and other items I would have never had the patience to recycle. Previously, I lived in an Setembro, 2008

apartment building where it was impossible to keep a bin, but Norton indicates that Everett is working to ensure that multi-unit buildings are tied into the program. Even the public school system may register, potentially receiving discounts on school supplies and books. By providing consumer incentives to increase participation – and making recycling resemble traditional trash disposal - Everett may have solved a vexing problem in changing costly garbage habits. At the moment, Everett is one of only a handful of communities – the others are small towns in Central and Western Massachusetts – that participate in this new approach to recycling. If a community with a poor historical recycling record can turn itself around, imagine

the trash disposal savings and environmental benefits if this system were embraced statewide?

The Brazilian Journal Magazine | 21


Saúde

M arconi A breu , MD*

Monitore sua saúde e aprenda com a diabete

D

iabetes é quando nosso corpo não consegue utilizar devidamente a energia da nossa dieta por não conseguir colocar esse alimento dentro das células. No corpo humano existem células no pâncreas chamadas de células Betas, cuja função é produzir e secretar insulina em resposta a uma refeição. A insulina é o hormônio responsável por facilitar a entrada dos açucares da nossa dieta nas células do músculo e gordura. Quando não conseguimos colocar a glicose (açucar) dentro das células, ele acumula no sangue e dizemos que a pessoa tem diabetes. Um individuo pode ter um dos dois tipos diferentes de diabetes: Diabetes Tipo - 1 é quando o organismo tem uma destruição pelo próprio organismo das células Beta do pâncreas, produtoras de insulina, obtendo uma deficiência total da produção da mesma. O diabetes tipo 2 é quando o pâncreas ainda produz insulina mas em quantidades inadequadas e também o nosso corpo não consegue utilizar adequadamente essa insulina produzida. Quando um individuo normal, sem diabetes, come o alimento seu pâncreas secreta rapidamente uma enorme quantidade de insulina em resposta a ingesta do alimento. Isso previne, que o acúçar no sangue suba pois a insulina rapidamente bombeia a glicose dentro das células

do músculo e gordura. Quando o paciente diabético come, o organismo, não consegue colocar o açúcar dentro das células e os níveis de açúcar no sangue aumenta. Isso explica porque individuos normais podem comer açúcar à vontade sem ter problemas e diabéticos têm que ter todo cuidado com a menor quantidade de açúcar na sua dieta. Como as células dos diabéticos estão “famintas” já que não têm o alimento necessário elas mandam mensagens (hormônios) para o cérebro para comer mais, e para o figado produzir acúçar. Por essa razão o diabético pode dormir com o açúcar normal e mesmo após 12 horas de jejum acordar com o açúcar elevado. Isso quer dizer que apenas pacientes com uma predisposição genética podem desenvolver diabetes e diabetes não é desenvolvido porque o individuo come muito açúcar como muitos pacientes acreditam. No entanto na grande maioria das vezes, o individuo com predisposição somente desenvolve diabetes se engordar. A obesidade coloca um excesso de carga nas células dos pâncreas produtoras de insulina até que elas não resistem a pressão e o paciente se torna diabético. Esse conhecimento nos ajuda a entender porque uma dieta saudável, a manutenção do peso ideal e o exercício fisico são fortes aliados tanto na prevenção como no tratamento do diabetes.

Tatiana Moreno se diverte com o filho Marcelo

Alguns diabéticos podem apresentar os seguintes sintomas levando a procurar um médico: Fraqueza devido a falta de energia dentro das células, muita sede, fome constante, e a necessidade de urinar constantemente. Às vezes alguns diabéticos ainda conseguem notar formigas perto do vaso sanitário. A explicação desses sintomas e que a medida que a glicose (açúcar) aumenta no sangue ele vai acabar parando na urina fazendo o individuo urinar constantemente uma urina rica em açúcar. Essa perda constante de fluidos pelo organismo será responsável pela constante sede. A verdade no entanto é que mais que 95% dos diabéticos têm absolutamente nenhum sintoma. Então a única forma de saber ou não se tem diabetes é fazendo visitas regulares preventivas ao seu médico e fazendo exames de rotina na tentativa de diagnosticar a doença ainda nos estados iniciais ao invés de esperar para ter uma complição da mesma. Em termos práticos, a razão pela qual você, paciente, deve se preocupar se tem ou não tem diabetes é que, se não tratado, o diabetes aumenta 2-4 vezes sua chance de ter um enfarte ou derrame. Ela também é a número 1 responsável por cegueira, amputação (perda dos dedos, pés ou perna), e a falência dos rins necessitando diálises. Para se viver. Esse problema é ainda pior em minorias como a brasileira, portuguesa, e hispânica que devido a um acesso menor ao sitema de saúde e multiplas crendices populares fazem com que essa doença que é tratável, seja diagnosticada em um estágio mais tardio normalmente associado a uma das complicações acima citadas. O tratamento do diabetes é complexo e envolve dieta, exercício e medicação oral e/ou insulina. Um explicação mais detalhada sobre tratamento vai além da proposta desse artigo. Mas na minha opinião a grande razão, mais do que acesso ao sistema de saúde, que essas minorias têm um controle inferior e um índice de complicação superior é a taxa de não aderência aos tratamentos propostos pelo seu médico. As mais diversas crendices populares somente atrapalham como “tenho açúcar alto, não tenho diabetes”, “tenho diabetes, mas eu trato com dieta e chá”, Quando meu açúcar está alto eu sinto logo e aí evito açúcar e ele abaixa”. A pior delas é o medo dos comprimidos e especialmente da insulina. O paciente precisa se concientizar que o médico “não quer te encher de medicamento”. Ele quer prevenir e tratar sua doença e prevenir as complicações associadas a ela. Ele quer te educar sobre seu problema, e com certeza pode ser seu maior aliado. Uma simples mudança dessa postura levaria as minorias procurarem o médico mais frequente, façam exames de routina, diagnostique os problemas mais cedo, levando a uma melhor qualidade de vida e prevenindo que um dia você morra aos 50 anos de idade de enfarte ou tenha sua perna amputada. A resistência a medicação especialmente por brasileiros e portugueses é na minha opinião a grande barreira que ainda precisa ser quebrada antes de se conseguir melhorar a qualidade da atenção médica dessa população.

*Médico brasileiro no Saint Anne’s Hospital, em Fall River, Massachusetts

22 | The Brazilian Journal Magazine

Setembro, 2008


BRAZILIAN+JOURNAL+SET+2008