Issuu on Google+

BRAZILIAN NEWSPAPER T H E

B R A Z I L I A N

N E W S P A P E R

ANO I - Nº47 | www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006

SONHO SEM VALOR A desvalorização do dólar faz com que imigrantes revejam contas e planos. Brasileiros que sustentam suas famílias com remessas regulares pedem aos parentes que reduzam as despesas para que o dinheiro continue rendendo. Em muitos casos, rever os projetos pessoais e arrumar serviços paralelos é a saída para sustentar o sonho americano. Dinheiro 37

Punição para os coiotes

Hora da verdade

O Senado brasileiro aprovou, em primeiro turno, a proposta que altera o Código Penal e criminaliza o tráfico internacional de pessoas. Com a mudança, os facilitadores poderão ser condenados por ajudar um brasileiro a entrar ilegalmente em território estrangeiro. Autoridades comemoram a medida e consideram que isso poderá reduzir a ação de organizações criminosas. Emigração Brasil 29

Na próxima semana, os legisladores americanos começam a discutir a reforma da imigração. O primeiro projeto de lei a ser considerado é o que criminaliza a imigração ilegal. Se aprovada, a proposta tornará impossível a vida dos estimados 11 milhões de indocumentados. A esperança dos estrangeiros que vivem no País está depositada no projeto do senador John McCain, que oferece um visto de trabalho temporário, com possibilidade de solicitação do Green Card. Conheça as outras propostas que serão analisadas pelo Senado em Imigração 26

Eleições à vista

Em outubro deste ano, o povo brasileiro vai às urnas mais uma vez escolher seus representantes. Os brasileiros que vivem no exterior têm a obrigação de votar para presidente e vice-presidente da República. Para exercer o dever perante à justiça eleitoral, os emigrantes devem fazer um cadastramento no consulado mais próximo. Saiba como em Comunidade 25

Cadê os trabalhadores?

O poder da música

Brasileira desaparecida

Não basta ter dinheiro e disposição para construir ou reformar na região de Governador Valadares. O mais difícil é encontrar um trabalhador da construção civil. Quem está disponível no mercado e presta serviço de qualidade está com a agenda cheia. Quem está livre, cobra preços que muitas vezes inviabilizam a execução de uma obra. Emigração - Brasil 28

Cada vez mais, brasileiros freqüentam aulas de música em escolas particulares. Filhos de imigrantes despertam para o aprendizado nas escolas americanas, e adultos se desligam das preocupações do cotidiano com a prática de um instrumento. Os benefícios são inúmeros. Para os pequenos, a música desenvolve a concentração, a disciplina e a coordenação motora. Educação 32

O FBI está investigando o desaparecimento da brasileira Carla Vicentini. Desde o dia 9 de fevereiro, a estudante de 22 anos não entra em contato com a família e amigos. Estados Unidos 8


2 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


OPINIÃO

ÍNDICE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 |3

EDITORIAL

BRAZILIAN NEWSPAPER T H E

04 ............. PONTO DE VISTA 06 ............. BRASIL 07 ............. MUNDO 08 ............. ESTADOS UNIDOS 13 ............. COZINHA SAUDÁVEL 14 ............. COMPORTAMENTO 16 e 17...... BASTIDORES 18 ............. AGENDA 20 ............. AMÉRICA EM FOCO 25 ............. COMUNIDADADE 26 e 27 .... IMIGRAÇÃO 28 e 29 ...... EMIGRAÇÃO / BRASIL 30 e 31 ..... ESPORTE 32 ............. EDUCAÇÃO 37 ............. DINHEIRO 38 e 39...... GUIA DE IMÓVEIS 40 ............. GUIA DE NEGÓCIOS 41 ............. CLASSIFICADOS 42 ............. TURMA DA MONICA

CHARGE

Será que vamos aprender um dia? Um dos grandes problemas dos brasileiros que chegam aos Estados Unidos é saber o limite legal e ético das instituições americanas. Consequentemente, muitos dos nossos patrícios sofrem na carne o desconhecimento da língua, das leis, dos costumes e poucos buscam se inteirar disto, cometendo, às vezes, transgressões que poderiam ser facilmente evitadas. É notório e sabido que no Brasil, principalmente nas grandes cidades, não se para no sinal vermelho, principalmente à noite, por medo de ser assaltado. Também não se respeita as placas de PARE, tampouco os pedestres, mesmo que eles atravessem na faixa, quanto mais aqueles que abusam tentando atravessar fora dela. Hidrante? Liga-se o pisca alerta e pouco se importa se ali é proibido parar. Limites de velocidade? Eles servem para ser ignorados. Com isto em mente alguns brasileiros chegam nos Estados Unidos e pensam que podem fazer o mesmo aqui. Só que as coisas são muito diferentes. Parar no sinal vermelho é obrigação de qualquer motorista, mesmo que seja às três da manhã e chova muito, do mesmo modo que o STOP deve ser respeitado, tal qual o pedestre que atravessa na faixa ou fora dela. Parar na frente do hidrante? Nem pensar. E não adianta ligar o pisca alerta, sem contar que os limites de velocidade devem necessariamente ser respeitados sob pena de se multado, e como

WWW.CHARGEDODIA.COM.BR

consequência ver os pontos na carteira de motorista subir junto com o seguro. Sem contar que a sociedade americana tem algumas convenções sociais que necessariamente tem de ser respeitadas; convenções que muitos brasileiros teimam em desrespeitar e com isto as prováveis consequências tendem a recair sobre toda a comunidade. Dois brasileiros foram presos em Hyannis, em Massachusetts, por serem suspeitos de urinar e cuspir no café de clientes do local onde trabalhavam. Já imaginou se este e outros lugares vão tornar a admitir brasileiros tão cedo? Mesmo que não se comprove nada, vai ficar a dúvida se eventualmente outros brasileiros praticam a mesma coisa. Não se sabe o que passou na cabeça dos dois brasileiros, mas a realidade é que com esta atitude eles denigrem e comprometem profundamente outros milhares de brasileiros trabalhadores, honestos e íntegros, mas que são infelizmente expostos por causa da irresponsabilidade de duas pessoas. Se estavam descontentes com os clientes da loja, porque não foram embora? Se não gostavam da atitude do empregador, que lhes fez um favor ao dar emprego, porque não procuraram outro trabalho? Se estão infelizes no País, porque não voltam para o Brasil? A nossa gente tem que se conscientizar de que estamos em terra estranha, que precisa ser decifrada, que há coisas que precisamos aprender com urgência – educação é uma delas, respeito é outra. Que precisam de nós aqui, é inquestionável, mas tudo, absolutamente tudo tem um limite. Para não ficarmos somente com o exemplo de Massachusetts, há alguns anos atrás era possível tirar carteira de motorista, mesmo sem o social security. Mas, os nossos patrícios mentiram e aprontaram tanto, que o privilégio foi tirado e por mais que se lute para reavê-lo as portas estão fechadas. Como se não bastasse a falta de educação e os maus modos, tem a mentira também. Massachusetts é um dos estados que ainda concede free care para tratamento e atendimento médico hospitalar para quem mora lá. Isto atrai brasileiros de outros estados, que para obter o benefício mentem dizendo que moram no estado. Não vai demorar o dia em que este privilégio será tirado também por causa do abuso extremo. Quem vai pagar por isto? Nós mesmos. Infelizmente.

B R A Z I L I A N

N E W S P A P E R

DIRETORES Pablo Melo Beatriz Leitzke EDITORES Carlos Viana Karine Porcel JORNALISTAS Juliana Melo Jehozadak Pereira DIAGRAMADOR Carlos Renato Rodrigues ARTE Danilo Lisboa ILUSTRAÇÃO Laércio EQUIPE COMERCIAL Florida Artur Rodrigues Nídia Saba Mario Júnior Massachusetts Edson Zanetti Julio Bernardes New Jersey Alessandra Poletti Jaqueline Santos Pennsylvania Ronaldo Clementino Georgia Paulo Pinheiro Juliana Pinheiro FOTOS INTERNACIONAIS Reuters Associated Press FOTOS NACIONAIS Agência Estado e Parceiros SERVIÇO DE NOTÍCIAS DO BRASIL Com autorização da Agência Estado National The Brazilian Newspaper is published by BR MEDIA LLC 720 Anderson Ave Cliffside Park - 07010 New Jersey (973) 755-1555 Toll Free 1-866-80-27272 Florida (305) 735-3943 Massachusetts (508) 532-0693 NY - CT - PA e outros estados (973) 954-2340

SUGESTÕES E PAUTAS: news@brmedia.net


PONTO DE VISTA

4 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Tortura nunca mais Por Jehozadak Pereira

Soldados torturadores derrubam a imagem das democracias, especialmente do presidente George W. Bush e do primeiro ministro Tony Blair. Há algumas semanas as imagens de garotos sendo espancados por soldados britânicos, causou constrangimento evidente ao primeiro ministro inglês que participava de uma cerimônia na Austrália. A elas veio se juntar outras imagens chocantes de presos torturados. As imagens são incontestes e não deixam a menor margem para qualquer dúvida. Prisioneiros iraquianos de pé em latas, ligados supostamente em fios elétricos, encapuzados ou amarrados. Outros despidos e empilhados na clara intenção de humilhar e dar a impressão de que eles estão totalmente subjugados e à mercê dos seus captores. A tortura a que foram submetidos os prisioneiros de Abu Ghraib correram o mundo em fotos tiradas pelos próprios americanos. A imagem que mais se destacou entre todas elas foi a da soldado Lynndie England, sorrindo em todas as imagens, fosse puxando por uma coleira de cachorro um despido prisioneiro, como se estivesse nos corredores de uma universidade americana qualquer, tamanha a naturalidade com que agia. Imediatamente, uma multidão de analistas se pôs a explicar, ou melhor, a tentar achar uma justificativa qualquer para os atos dos carcereiros. O presidente George W. Bush, de imediato, discursou dizendo que aqueles americanos torturadores não representam todo o povo americano. E não representam mesmo. O estrago devastador imposto pelas imagens fez com que as autoridades os trazessem de volta para os EUA e os colocassem sob custódia para julgamento – alguns dos soldados foram ameaçados até com corte marcial, o que deu uma satisfação para a opinião pública. Mas o que leva pesso-

as aparentemente normais a partir para obscuridade da tortura contra prisioneiros comuns e já, há muito, subjugados e humilhados? Numa satisfação à opinião pública, Lynndie England foi condenada a três anos de prisão. Muita gente considerou pouco para as barbaridades que ela cometeu. A questão é muito mais ampla e profunda do que se possa imaginar. Quando a Al Qaeda botou abaixo os edifícios do World Trade Center em 11 de setembro de 2001, atacou o que de mais valor há para o mundo civilizado – o capitalismo. Quando as torres ruíram, junto veio a economia americana e a mundial. Os efeitos daquele atentado até hoje são sentidos em muitos bolsos e contas bancárias. A mente maquiavélica que projetou aquilo sabia que mais que as vidas, os valores seriam atingidos nos seus pontos nevrálgicos. Poderia se dizer que agora, guardadas as devidas proporções, o que

se buscou atingir no episódio da prisão de Abu Ghraib e, recentemente, com mais imagens de torturas, foi aquilo que o islamismo tem como tabu – o homossexualismo e a nudez. É desonroso para o árabe qualquer tipo de nudez. Ao colocar os prisioneiros nus diante dos seus companheiros de infortúnio, os torturadores quiseram passar a mensagem e o recado igual ao que foi dado em setembro de 2001. Se vocês nos atingiram naquilo que era importante e vital para nós, estamos agora fazendo com vocês tal e qual. Ao fazer a pirâmide de prisioneiros nus, o contato sexual ocorreu e, embora não houvesse aparentemente nenhum ato sexual consumado, só a simples menção dele é o suficiente para impor àqueles homens marcas psicológicas para o resto da vida deles. Tal como a Al Qaeda agiu, os americanos agem agora na prisão que era o sím-

bolo do terror com Saddam Hussein. Outras modalidades de tortura vieram à tona recentemente. Espancamentos, choques, os cachorros que eram açulados contra os prisioneiros, mas nenhuma delas é tão grave para os iraquianos e islâmicos quanto a nudez e a simulação sexual. Nunca se saberá ao certo se os soldados agiram por conta e risco próprios ou se receberam ordens superiores. Fotografar parte das torturas e liberá-las para o mundo, seria a fase seguinte do recado aos agressores islâmicos – já que não podemos pegá-los, nós fazemos isto e isto com seus irmãos de fé. Por isso é difícil crer que os soldados agiam por suas próprias vontades, pois o que vemos agora são as táticas usadas na guerra fria – a propaganda como arma de desmoralização e humilhação. Só não contavam com a reação da opinião pública, especialmente da americana que reagiu com indignação às torturas praticadas em cárceres iraquianos. Outros dizem que tal teoria conspiratória é mais uma explicação que não há sobre o assunto. O certo é que ao torturar soldados e combatentes que estão desmoralizados pela derrota imposta, os americanos trazem de volta situações constrangedoras e traumáticas para muita gente que já passou por isto. No período que o Brasil foi governado pelos militares, os porões acobertavam torturas e humilhações que jamais serão esquecidas. Igualmente na Argentina, torturadores faziam o que bem entendiam com prisioneiros, e os próprios iraquianos ficaram anos à mercê da família Hussein e dos seus maus humores, que quando aflorados, torturavam pessoalmente seus desafetos. Em pleno século 21, vê-se de volta o pesadelo dos maus tratos e da insanidade total e absoluta. Pergunta-se forçosamente – até quando?

Expectativas e incertezas Por Pablo Melo

Às vezes as pessoas me classificam como otimista demais e me fazem refletir sobre a maneira que devemos tratar o que está por vir. Para alguns, Green Card é algo tão distante que nem sequer é sonhado. Nenhuma conquista é obtida sem que antes tenha luta e, diariamente, todos aqueles que ainda estão dependendo de uma legalização, têm batalhado para vencer o desânimo, o medo e a incerteza do futuro. Algumas pessoas conseguem se desligar da realidade e imaginam uma América perfeita para o imigrante, com várias oportunidades e uma vida melhor. Outras vivem a cada instante com medo de que sua carteira de motorista seja cancelada e não tenha mais como dirigir para trabalhar, ou, pior, que a imigração bata à porta. Os Estados Unidos, a partir do momento em que você se adapta, é um país muito bom para se viver. E

para essa adaptação é necessário estar com os documentos em ordem, saber bem o inglês e conhecer a cultura americana. Um estudo feito por uma associação de imigrantes no estado de Washington indica que quando os imigrantes alcançam a legalização e aprendem a língua, contribuem muito mais para a sociedade – nem precisaria falar que esse estudo está sendo bastante criticado por quem é anti-imigrantes. Mesmo para os mais pessimistas, há uma boa notícia: os EUA não vão expulsar os milhões de imigrantes que vivem e trabalham no país. O governo sofre pressão de grupos anti-imigrantes, como o Minutemen, mas também são pressionados pelos empresários e seus representantes. Já os otimistas têm que saber que, embora em breve estarão mais próximos de seus sonhos, muitos obstáculos estarão no caminho do Green Card.

Um desses obstáculos é que em algumas regiões do país, os negros americanos são contra os imigrantes ilegais, em vez de serem contra o governo Bush, que não tem uma política imigratória justa e clara. Outra coisa é que em muitas regiões, alguns imigrantes estão contribuindo para aumentar a violência e a desordem e sempre no final a maioria paga pelos erros da minoria. Em breve, vamos ver um país diferente e melhor. Embora seja difícil pensar positivo em todos os momentos, vale a pena tentar. *Eu sou Pablo Melo, brasileiro, e não suporto desigualdade. Que estas palavras um dia possam ser lidas por outros e que, no futuro, os milhões que hoje têm medo, possam respirar o ar da liberdade. Uma liberdade com letras azuis e vermelhas, que possa tremular em suas janelas, causando orgulho a todos.


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 5


BRASIL

6 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Pesquisa: Lula venceria Serra no 1º e no 2º turnos RICARDO STUCKERT/PR.

É a primeira vez desde agosto de 2005 que Lula supera Serra no 2º turno Pesquisa Datafolha, divulgada na edição de quarta-feira, 23, da Folha de S. Paulo, mostra que presidente Luiz Inácio Lula da Silva retomou o favoritismo para a eleição de outubro. Se o pleito fosse hoje, segundo a pesquisa, Lula venceria o candidato do PSDB, fosse José Serra ou Geraldo Alckmin. É a primeira vez desde agosto de 2005 que Lula aparece na frente de Serra no 2º turno. Lula vence Alckmin no segundo turno por 53% a 35% e derrota Serra por 48% a 43%. Lula aparece no primeiro turno com 39%, Serra 31% e Garotinho 08%. Em outro cenário, Lula tem 43%, Alckmin aparece com 17% e Garotinho com 11%. Na pesquisa de intenção de voto espontânea, na qual não são apresentados os nomes dos candidatos ao eleitor entrevistado, Lula subiu de 23% das preferências para 30%, contra 11% de Serra (que tinha 9%) e 4% de Alckmin (que ficou na mesma).

Um homem público faz campanha 365 dias por ano Lula vem rebatendo críticas da oposição de que está em campanha eleitoral. “Um homem público não precisa de época

Fundos de pensão podem ter ligação com valerioduto O sub-relator dos fundos de pensão da CPI dos Correios, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (PFL-BA) apresentou estudos que apontam que 12 fundos de pensão investiram maciçamente no BMG e no Banco Rural, em 2003 e 2004. Segundo o deputado, há uma coincidência entre a ampliação dos investimentos dos fundos de pensão no BMG e no Rural com os saques feitos nas duas instituições pelo esquema operado pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O sub-relator advertiu que é difícil apurar quanto os bancos ganharam com as operações, mas, segundo ele, uma análise preliminar com a média dos investimentos do mercado financeiro aponta uma margem de R$ 70 milhões de lucro possível aos dois bancos. A análise ainda está em aberto e poderá ser revista.

bém São Paulo. “O Estado de São Paulo, que é o mais rico do País, só de programas de transferência de renda recebe R$ 2 bilhões por ano para cuidar dos pobres”, afirmou Lula. Ele reclamou de que muitos “espertos”, no Brasil, que recebem dinheiro do governo federal, fazem propaganda na televisão sem citar o governo federal. Lula disse que, “com os amigos que

tem, ele vai vencer e governar o País”, sem, no entanto, assumir abertamente a candidatura. Ele voltou a dizer que quem planta deve ter paciência para colher e que o governo está colhendo, agora, os frutos plantados nos dois primeiros anos de seu governo, quando ele “comeu silenciosamente o pão que o diabo amassou”.

Wall Street acompanha eleições no Brasil

Presidente Lula diz que um homem público faz campanha todos os dias.

de eleição para fazer campanha”, afirmou. “Ele faz campanha da hora em que acorda à hora em que dorme, 365 dias por ano. Se ele não fizer, os adversários dele farão”. Lula disse que os adversários estão incomodados porque o governo está fazendo as coisas certas. Ele ressaltou os programas do governo e disse que os de transferência de renda atendem não só Estados pobres como o Piauí, mas tam-

Os analistas de Wall Street acompanham com tranqüilidade as próximas eleições presidenciais no Brasil, confiantes de que o aparente bom desempenho econômico do país e o consenso político sobre a forma de conduzir a economia conseguirão evitar maiores turbulências. Em um seminário organizado na quarta-feira em Nova York pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, o secretário do Tesouro do Brasil, Joaquim Levy, fez um resumo do bom momento econômico pelo qual, em sua opinião, atravessa o Brasil. O secretário destacou a queda nos níveis de endividamento, o aumento do superávit fiscal primário e o fato de que,

mesmo em um ano eleitoral, a despesa pública não aumentou. “É claro que, em um ano eleitoral, a despesa pode ser antecipada”, indicou Levy, que disse que isto se deve ao fato de, à medida que se aproximam as eleições, a legislação impede uma série de desembolsos nos cofres públicos, apesar de a despesa total anual não necessariamente aumentar. Adam Weiner, analista de Oppenheimer Funds, disse que, embora haja dúvidas sobre quem vencerá as eleições, não há incerteza no mercado. Para Weiner, os possíveis riscos para o mercado do pleito de outubro poderiam surgir da aparição de outro candidato com possibilidades de vitória.

PF faz operação contra pedofilia em 11 Estados Vannildo Mendes

A Polícia Federal realizou no início desta semana buscas em São Paulo e mais dez Estados para desmantelar uma poderosa rede internacional de pedofilia (exploração sexual de crianças) pela internet, um dos crimes que mais crescem no Brasil e no mundo. A operação, batizada de Azahar, foi realizada simultaneamente em outros 24 países e os resultados serão divulgados depois de amanhã pelo governo espanhol, que comandou as ações, com a ajuda da Interpol e dos demais governos. Dado pelos espanhóis, o nome Azahar significa, em árabe, flor de laranjeira, que na cultura muçulmana simboliza a pureza da virgem. Nenhum país relacionado na prática de pedofilia é de domínio muçul-

mano. Em contrapartida, sobram nações ocidentais, sobretudo da Europa e das Américas. Somente nos Estados Unidos, onde funciona uma das maiores redes de pedofilia do mundo, e na América do Sul, sobretudo Brasil e Argentina, a operação atingiu 130 alvos suspeitos de exploração sexual de crianças e adolescentes pela internet. No Brasil, a pedofilia foi gravemente amplificada com a facilidade de difusão impune via internet. A situação chegou a tal ponto que tornou-se problema de segurança pública e preocupação estratégica da PF, que está estruturando uma divisão de crimes cibernéticos, com foco na prostituição infanto-juvenil. Esta já é a terceira grande operação realizada por esta divisão da desde o ano passado e até agora mais de cem pessoas foram presas, indiciadas ou investigadas. Os vídeos, filmes e materiais apreendidos envolvem na maior parte menores aliciados para a prática de sexo pervertido. “São cenas abjetas, indescritíveis.

Fico com o estômago embrulhado toda vez que vejo essas imagens”, disse o delegado Adauto Almeida Martins, que comanda a divisão de crimes cibernéticos da PF. Chama a atenção também a amplitude do problema e a diversidade de perfil dos criminosos. “A pedofilia cresce assustadoramente em todas as classes sociais do País, sem distinção de gênero, cor ou religião”, constatou Adauto, que defende uma tomada de posição urgente das instituições e autoridades constituídas do País. As leis são frágeis e insuficientes e a capacidade de fiscalização do Estado é muito fraca. As investigações começaram em 2005, depois que a polícia espanhola notificou as autoridades brasileiras sobre a existência de um grupo de pessoas que trocam imagens pornográficas de menores, um crime previsto no Estado da Criança e do Adolescente. Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal no Rio de Janeiro.


MUNDO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 7

Mesquitas são atacadas no Iraque Indignados, habitantes de Samarra protestam contra atentado a templo xiita. Dezenas de mesquitas espalhadas pelo Iraque foram atacadas por manifestantes sunitas, em retaliação a um atentado a bomba contra um dos templos xiitas mais importantes do país. Ao menos 60 templos foram queimados ou tomados por militantes, de acordo com o Partido Islâmico Iraquiano. A maioria dos alvos estão em Bagdá e nas províncias de maioria xiita, no sul do País. As mesquitas foram atacadas por homens armados com rifles auto-

máticos e lançadores de granadas. De acordo com os responsáveis pelos ataques, o clérigo radical xiita Muqtada al-Sadr, quatro de seus seguidores foram mortos e dezenas ficaram feridos em uma série de confrontos com os guardas das mesquitas sunitas. A violência começou depois que duas bombas danificaram o domo dourado da mesquita de Askariya, na cidade de Samarra. Uma grande explosão destruiu a cúpula dourada de um dos mais famosos templos do Iraque. Este foi o terceiro grande ataque contra alvos xiitas dos últimos dias. Segundo informações da polícia, al-

gumas pessoas podem estar soterradas após a explosão na mesquita de Askariya. O templo contém os túmulos de dois reverenciados líderes religiosos, ambos descendentes do profeta Maomé. Moradores de Samarra ficaram indignados e saíram às ruas para condenar o atentado. Gritavam palavras de ordem contra o terrorismo, assim como contra as tropas americanas e o governo iraquiano, aos quais acusaram de não proteger os santuários. Vários objetivos xiitas foram alvo de ataques, atribuídos por líderes políticos e religiosos dessa comunidade a grupos terroristas sunitas.

Brasileiros não são nomeados cardeais O Papa Bento 16 anunciou a lista dos 15 novos cardeais da igreja católica. Para surpresa de todos, dois brasileiros que eram vistos como possíveis candidatos não foram nomeados. O arcebispo de Brasília, João Braz de Aviz, e o arcebispo de Aparecida, Raymundo Damasceno Assis, não foram lembrados pelo Vaticano. Dentre os nomes,

Ratzinger nomeou 12 cardeais com menos de 80 anos, portanto com direito de voto durante um eventual conclave, a assembléia que elege o papa. Outros 3 cardeais, com mais de 80 anos, foram nomeados por sua “fidelidade exemplar e admirável dedicação” a Igreja, nas palavras do pontífice. Na relação dos novos purpurados há somente um

latino-americano, o arcebispo de Caracas, Jorge Liberato Urosa Savino. Há também um espanhol, o arcebispo de Toledo, Antonio Canizares, o americano Sean Patrick O´Malley, arcebispo de Boston, e o francês Jean-Pierre Ricard, arcebispo de Bordeaux. Três dos novos cardeais são asiáticos. Segundo observadores do Vaticano, estas nomeações são a novidade mais interessante e confirmam o interesse do papa em incentivar a evangelização e o diálogo naquela região.

Mineiros mexicanos podem não estar vivos Em meio às dificuldades enfrentadas pelas equipes de resgate locais, é cada vez menor a possibilidade de que sejam retirados com vida os 65 mineiros soterrados em uma mina de carvão no norte do México. Entre os principais obstáculos que os socorristas tentam superar estão o intenso frio e o acúmulo de gás metano no local, que poderia causar uma nova explosão. Os mineiros estão presos desde domingo, 19, quando uma explosão causou o desabamento de um túnel que dá acesso à mina. Segundo as autoridades, os mineiros estão em um ponto a 150 metros de profundidade. Responsáveis pela empresa que explora a mina afirmam que há grande possibilidade de que haja bolsões de ar em algumas câmaras, o que pode permitir a sobrevivência dos mineiros. Até agora, as equipes de resgate não conseguiram estabelecer nenhum contato com os mineiros presos.


8 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

FBI investiga caso de brasileira desaparecida Da redação com agências

informou ainda que uma fita de vídeo feita pelas câmeras do A brasileira Carla restaurante em que Vicentini, estudante de Carla teria se encon22 anos, continua detrado com o americasaparecida desde o dia no antes de desapare9 de fevereiro. Moracer foram entregues na dora de Newark, em quarta-feira, 22, à poNew Jersey, ela foi vislícia. No entanto, amita pela última vez sagos de Tânia que estiindo de um restauranveram na sede da pote da cidade acompalícia disseram que em nhada de um americanenhum momento no desconhecido. A qualquer um dos dois família da jovem, que aparece na fita. “Pode mora em Goiêre, cidater sido retirada essa de próxima à Curitiba, parte. Afinal, o restauno Paraná, não tem inrante tem câmeras de formação sobre o pa- Carla Vicentini está desaparecida todos os ângulos e miradeiro dela. Segundo desde o dia 9 de fevereiro. A nha filha não é invisía mãe da moça, Tânia estudante foi vista pela última vez vel”, acredita a mãe. Maria Vicentini, o FBI na companhia de uma americano Carla estava curestá investigando o desconhecido. sando Engenharia caso. Têxtil na sua cidade “Estão trabalhando natal, quando decidiu ir para os Estados sem descanso. Deixaram a vida deles para Unidos fazer um intercâmbio. Entrou em buscar a minha filha como se fosse decontato com a empresa World Study, que les”, disse Tânia à Agência Estado. Ela

faz intercâmbios, e embarcou no dia 19 de janeiro em direção a Dover, em New Jersey. No início deste mês, ela se mudou para Newark para morar com a amiga Maria Eduarda Ribeiro e trabalhar em um restaurante português. As informações que chegaram à família são de que Carla teria deixado seu emprego na noite de sexta-feira, no restaurante português, e passado no restaurante onde estava a amiga para pegar a chave do apartamento. Após tomar um banho, retornou ao restaurante, onde teria ficado conversando com o americano até por volta das 4 horas. Depois teria aceitado uma carona até o apartamento dela, a cerca de quatro quadras, e não foi mais vista. Tânia disse que após o desaparecimento da filha conversou uma vez com Maria Eduarda. “Ela disse que foi à polícia fazer o retrato falado, mas meus amigos que estão acompanhando o caso nos Estados Unidos disseram que não tem nenhum retrato falado”, afirmou. Para o pai de Carla, Orlando, é possível que a moça esteja com medo de falar tudo o que sabe. Ele pretendia ir aos Estados Unidos acompanhar as investigações de perto, mas foi desencorajado pela família, que preferiu passar a World Study a tarefa de fazer os contatos com a polícia. O gestor estratégico da World Study em Curitiba, André Vieira, disse ter entrado em contato com a sargento Carpenter, da Unidade de Missão Especial de Newark. Ela afirmou que está com todos os investigadores envolvidos nesse caso. Panfletos com a foto da moça foram espalhados por toda a cidade. O Ministério das Relações Exteriores do Brasil informou na terça-feira, 21 que solicitou à polícia americana de Nova York mais informações a respeito do desaparecimento de Carla. De acordo com Tânia, o Consulado do Brasil em Nova York tem entrado em contato continuamente com a família. O pai de Carla não consegue esconder o desespero. “Não é nem sonho nem pesadelo. Parece que não estou vivendo. Estou no extremo, nem lágrima cai mais, disse.

ESTADOS UNIDOS

Sentença de morte de hispânico é cancelada A execução do hispânico Michael Morales, que estava prevista para a última terça-feira foi cancelada por causa da desistência dos dois anestesistas designados para acompanhar o processo, que negaram sua participação alegando razões de ética médica. Morales é acusado de estuprar, torturar e assassinar uma garota de 17 anos. A nova execusão só poderá ser marcada para daqui a dois meses. Os médicos se negaram a cumprir a ordem do juiz Jeremy Fogel do tribunal federal do distrito, que previa a possível intervenção dos anestesistas caso o réu sentisse dor ou recuperasse a consciência durante o processo de execução. Os anestesistas se defenderam dizendo que “qualquer intervenção médica no procedimento de uma execução vai contra a ética e o juramento de Hipócrates”. Uma passagem do juramento diz que o médico deve “aplicar os tratamentos para ajudar os doentes conforme sua habilidade e sua capacidade, e jamais usá-los para causar dano ou malefício.” O procedimento normal é dar ao condenado três doses de químicos: a primeira relaxa o prisioneiro, a segunda paralisa e a terceira faz o coração parar. No caso de Morales, no entanto, o juiz Jeremy Fogel determinou que uma dose de pentotal sódico, um forte barbitúrico anestésico, deveria ser usada antes que uma única dose da combinação mortal fosse aplicada no condenado. Como a ordem de execução tem uma vigência de apenas 24 horas, devido ao atraso somente em maio será possível marcar uma nova execução, até lá Morales aguardará em sua cela.

Suprema Corte poderá vetar acesso ao aborto Membros da Suprema Corte norte-americana disseram, na terça-feira, 21, que podem restabelecer um boicote federal ao procedimento conhecido como aborto de “nascimento parcial”, levando o assunto novamente à corte superior e ao conservador juiz Samuel Alito. O parecer de Alito pode ser decisivo na votação que irá decidir se médicos serão ou não proibidos de fazer abortos.

“Esta é a linha de frente do caso aborto no país”, disse Jay Sekulow, conselheiro chefe do Centro Americano para Lei e Justiça, que representa membros conservadores do congresso no caso. Já entidades pró-aborto estão horrorizadas com a possibilidade de que a nova Corte torne mais fácil aos legisladores limitarem às mulheres o acesso ao aborto.


BRASIL

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 9


10 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 11


12 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


COLUNA

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 13

Receita para continuar: força e coragem! “Seja forte e corajoso, porque você conduzirá este povo para herdar a terra que prometi sob juramento aos seus antepassados. Somente seja forte e muito corajoso! Tenha o cuidado de obedecer a toda a lei que o meu servo Moisés lhe ordenou; não se desvie dela, nem para a direita nem para a esquerda, para que você seja bem sucedido por ande quer que andar”. Josué 1:6 Identifico-me com este verso bíblico desde a primeira vez que o li. Percebi que sem coragem e força nada podemos ainda mais como mulher! Afinal, quem pode trabalhar, gerar filhos, cuidar da casa, do marido, dos filhos, de alimentar nossos próprios sonhos, andar de acordo com a vontade de Deus, ter ânimo, não poder ficar doente, não desanimar, ser amável, ter criatividade para cozinhar, limpar, organizar, ir às reuniões de escola, passear, fazer pic-nic, lembrar dos pais e de várias datas de aniversário dentre tantas outras coisas?

Sem contar as três vezes que tive de amamentar meus filhos, permanecer acordada várias noites, tentar compreender psicologicamente cada ser humano, cuidar das compras, das necessidades físicas, espirituais e emocionais tanto minhas como dos meus filhos e marido e, ainda assim, contribuir para o pagamento das despesas da casa. Sim ! É preciso ser forte. Confesso que muitas vezes pensei em desistir, largar tudo e cultivar uma vida sem problemas. Sonhava em mudar para uma praia deserta e viver da pesca, árvores frutífe-

ras e talvez alugar um quartinho para os turistas a fim de fazer o mínimo de dinheiro para sobreviver. Outras vezes sonhava em dormir todos os dias até quase ao meio dia, pois minha rotina exige que eu esteja de pé às 6:30 da manhã. Na verdade, quase sempre acabo me deparando com a mesma coisa. Preciso ser forte para continuar. Qual é a graça ou qual é o motivo de tudo isso? Esta era um das perguntas que eu fazia a mim mesma. Incialmente, poderia dizer que lutava para fazer um bom dinheiro e, depois que se “faz dinheiro”, o que acontece? Criamos outros objetivos, outras preocupações. Meu marido até hoje me diz que tenho mania de criar projetos em cima de projetos e depois reclamar que tenho muitas responsabilidades. Ele brinca dizendo que até mesmo vivendo numa ilha paradisíaca eu teria “formiga nos pés” buscando me preocupar com alguma coisa. Realmente gosto de projetos novos. Mas,

Salada como única refeição Nos Estados Unidos, aprendi a comer saladas que são realmente chamadas de “refeição”. Saladas grandes, com variedades de ingredientes e muitas vezes com carne, frango ou até mesmo peixe. Uma salada famosa, francesa e bem antiga é a salada “Niçoise”. Interessante que através de uma salada bem nutritiva e com vários ingredientes alcançamos dois objetivos: 1) uma alimentação saudável, rica em vitaminas e proteínas; 2) com certeza perdemos alguns quilinhos indesejáveis. Sem contar o visual muito bonito que quase sempre essas saladas possuem e a praticidade do prato. Niçoise - Existem várias receitas para esta salada. A minha é:  alface Boston  vagem cozida e cortada em círculos  2 ovos cozidos e cortados de uma maneira que saiam 4 pedaços de cada um.  tomates secos (cortados) - coloque água quente nos tomates secos por uns 6 minutos e depois jogue água fria. Você pode substituir tomate seco por tomate cherry.  cebolinha verde cortadinha  batata cozida e cortada em cubos  azeitonas, salsinha e temperinho verde  um pedaço de atum fresco - O atum se chama Tuna em inglês e pode ser encontrado em qualquer supermercado.Nada de adquirir lata de atum, please!!! .

a verdade, é que todos esses anos venho lutando para encontrar forças para continuar e ter coragem. Porém, só depois que me encontrei realmente com Deus é que pude entender a magnitude das palavras do Senhor para com Josué. Ele disse: ”tenha o cuidado de não se desviar de meus mandamentos para que você seja bem sucedido”. Sim! Pode parecer fácil encontrar forças para ir adiante, porém, forças sem paz e a bênção de Deus é como uma vasilha furada: podemos até enchê-la mas ela se esvaziará rapidamente por causa dos furinhos. Assim também é a vida sem os ensinamentos bíblicos, “cheia de furinhos”. Precisamos ser fortes e corajosos não tão somente para continuar, mas para também reconhecer que todos esses outros “deuses da vida” não conseguirão nos dar a paz que tanto buscamos. Somente através de Jesus chegaremos à Verdade com ânimo, força e coragem. Graça e paz!

Bananas fritas

A maneira de montar a salada é bem simples: Em um bowl junte a batata, vagem, tomates, azeitonas, cebolinha e os temperinhos. Coloque um pouco do “dressing” por cima desta mistura e, em um prato grande raso, coloque alface boston, o atum no meio e, em volta, a mistura do bowl. Deixe os ovos por último e coloque-os ao redor. O “dressing” deve ser feito de azeite de oliva, mostarda “dijon”, sal, vinagre vermelho e um pouquinho de suco de limão. Tempere o atum com sal, pimentinha preta e um pouquinho de suco de limão e azeite de oliva. Cozinhe o atum no “broil”. O peixe cozinha bem rápido! Os franceses comem meio cru sem cozinhar por completo. Mas, para cozinhá-lo bem, levará pouco mais de 7 minutos.

*Comentários, sugestões e dúvidas para a colunista Luciane Gilan através do e-mail: cozinhasaudavel@yahoo.com

Desenvolvi muitas maneiras de fritar bananas. Porém, para a minha surpresa, a mais gostosa acabou sendo a mais fácil de fazer! Corte na diagonal uma banana madura (não tão madura para que não se desmanche no cozinhar). Em uma frigideira relativamente quente, coloque uma colher cheia de manteiga. Assim que a manteiga começar a derreter, coloque as bananas. Frite-as dos dois lados procurando atingir um ponto “dourado”. Salpique açúcar pouco antes de virar para fritar do outro lado e pronto! Em Cuba, se come muitas bananas fritas com a comida salgada. Realmente fica uma delícia e vai muito bem com o tradicional arroz e feijão.


14 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

COMPORTAMENTO

Trabalhar menos, ganhando mais:

Sonho de todo imigrante Por Jehozadak Pereira

O sonho dourado de todo brasileiro que desembarca nos Estados Unidos é ganhar, ganhar e ganhar um salário digno, e logo se aprende a conjugar ganhos multiplicados. No Brasil José Carlos dos Santos, ganhava R$ 680 por mês, que divididos pelo dólar dá algo em torno de US$ 300, dependendo da cotação diária. Tão logo chegou, José Carlos que era servente na construção civil em Goiânia, foi trabalhar com instalação de carpetes ganhando US$ 12 por hora, com uma carga horária semanal de 60 horas, que lhe rendia US$ 720. Só que era pouco, considerando as despesas de José Carlos. Aluguel, prestação e seguro do carro, pagamento da viagem pelo México, dinheiro que mandava para seus pais no Brasil e alimentação. Logo ele viu que havia a necessidade de arrumar um part time e de trabalhar mais, para, consequentemente, ganhar mais. Um dos seus colegas, com quem dividia a casa onde morava, arrumou para ele trabalhar num restaurante como lavador de pratos. Dois anos depois, José Carlos era cozinheiro, e com a transferência do cozinheiro chefe para outro estado, ele assumiu o lugar, com um salário que beirava os US$ 35 por hora. Com a tranqüilidade que um bom salário traz, com as contas todas equilibradas,

José Carlos mudou o seu padrão de vida. Mora sozinho num apartamento amplo e espaçoso, pode viajar e já não faz mais questão de trabalhar mais do que 40 horas semanais, mesmo que para isto tenha que enfrentar a cara feia do seu manager, que torce o nariz toda vez que o seu principal cozinheiro folga a cada quinze dias no domingo. Em janeiro de 2007, José Carlos vai deixar este emprego e vai trabalhar para uma

família muito rica que tem casas em diversos estados americanos, por um salário que ele não conta para ninguém. Um dos motivos dele trocar de emprego depois de alguns anos é a vontade de trabalhar somente de segunda a sexta-feira, por um salário que compense condições que os futuros empregadores aceitaram de bom grado, e com quem vai assinar um contrato de trabalho. Atitudes como a de José Carlos são cada vez mais comuns com quem já tem o minímo de estabilidade financeira e que abre mão de trabalhar em jornadas semanais que beiram a insanidade. Algumas empresas e companhias, pouco se importam com a situação e o status legal de quem contrata para trabalhar e muitas vezes fazem vistas grossas aos documentos apresentados, pois sabem que o imigrante é uma mão de obra que não irá se saturar tão cedo e por isso impõe longas jornadas de trabalho. Muitos trabalhadores imigrantes se submetem as longas jornadas por não ter outra opção de trabalho. Logo vão trabalhar com empregadores brasileiros, com os quais, em tese, não precisam falar inglês e, mesmo que não recebam em dia, aceitam trabalhar porque acabam se acomodando. Rita de Cássia, trabalhou durante cinco anos com limpeza de casa com diferentes

patroas brasileiras. Com algumas delas recebia rigorosamente em dia, com outras trabalhava e recebia sempre com atraso, até que saiu seu green card. No último emprego, ela recebia cerca de US$ 13 por hora, e tão logo pegou o seu documento, preferiu ir trabalhar numa grande rede de farmácias ganhando US$ 7,50 por hora e num part time numa rede de fast food, ganhando o mesmo salário por hora. Com isto, quem sofre são as empresas e companhias que buscam desesperadamente por mão de obra de reposição e não encontram. Muitas companhias oferecem recompensa aos funcionários que indicarem um parente, amigo ou colega para trabalhar. Os motivos são na sua maioria de pessoas que se cansaram de trabalhar jornadas intermináveis e que de algum modo se estabilizaram e preferem trabalhar menos e ter uma melhor qualidade de vida do que trabalhar bastante e muitas vezes receber com atraso, ou simplesmente não receber. São muitos os setores que têm vagas e posições em aberto. Gráficas, restaurantes, pizzarias, construção civil, pintura, oficinas, salões de beleza, lanchonetes, transporte, e uma série de outras companhias perdem funcionários a cada dia sem conseguir repor, o que sobrecarrega quem fica trabalhando, até que se cansem e resolvam tirar por conta própria merecidas folgas.


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 15


BASTIDORES

16 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

U2 faz multidão vibrar

Show de Rock Rolling Stones no Rio, U2 em São Paulo. Os fãs do rock não têm do que reclamar. Foram duas noites para relembrar clássicos e cantar os novos refrões de duas das mais famosas bandas de rock dos últimos tempos. No sabádo,18, a praia de Copacabana foi palco de um dos maiores concertos da história do rock. Os Rolling Stones cantaram para mais de um milhão de pessoas, num espetáculo gratuito que abriu os festejos do Carnaval do Rio de Janeiro. Brasileiros e turistas deliraram ao som da banda, que saudou o público em português. No dia seguinte ao show, o líder do grupo, o vocalista Mick Jagger, não embarcou para Argentina, onde a banda continuou a turnê internacional. Jagger agitou a tarde de uma escola bilíngue em São Paulo, onde estuda seu filho Lucas, de 6 anos, com a apresentadora Luciana Gimenez. Segundo as crianças, Jagger foi visitar Lucas, mas não ficou muito tempo ali. “Foi uma bagunça na hora que ele saiu daqui, muita gente em volta do carro. Todo mundo queria vê-lo, mas ele só acenou. Sinceramente, eu acho que ele é gente como a gente e muito feio”, disse Marcelo Kassab.

Na segunda-feira, no Estádio do Morumbi, a banda irlandesa U2 cantou clássicos e os sucessos do novo CD, Vertigo, mostrando que a banda soube se adequar à era moderna. O vocalista Bono Vox interagiu o tempo todo com o público, pronunciando palavras em português e perguntando aos fãs brasileiros: “Copa do Mundo. Vamos buscar o hexa?” O povo vibrou. “U2 é irlandês, Deus é brasileiro”, completou, agradecendo a presença de pessoas vindas de todos os estados para o show. Os organizadores do evento foram rigorosos quanto à entrada de celulares que tiram fotos e câmeras fotográficas, para a infelicidade de muitos fãs. Mas sempre há os sortudos que conseguem se aproximar do ídolo. Foi o caso da jovem Katilce Miranda que foi escolhida por Bono para subir ao palco. Ela dançou e cantou junto com o vocalista e chegou a dar um beijo no cantor. O encontro de Bono Vox e Lula, na Granja do Torto, em Brasília, no último domingo, 19, rendeu bons frutos ao projeto do presidente, o Fome Zero. O vocalista doou uma guitarra para o projeto de Lula.

Folia para todo o globo Foliões brasileiros distantes de casa poderão acompanhar a mais popular das festas do País ao vivo pela TV Globo Internacional. O canal prepara uma cobertura especial para o carnaval deste ano, que inclui as transmissões dos desfiles das escolas de samba do Rio e de São Paulo, os cinco dias de festa na Bahia e o Galo da Madrugada, no Recife. Serão mais de 15 horas diárias de folia para os telespectadores.

Cláudia Rodrigues vira comentarista A Globo traz uma divertida novidade no Carnaval carioca deste ano. Para integrar a equipe de narradores oficiais do desfile das escolas de samba da emissora foi escalada a humorista Cláudia Rodrigues. Segundo o Jornal da Tarde, ela irá estrear na avenida como comentarista, representando sua personagem mais conhecida, a Marinete, do seriado A Diarista. A emissora pretende dar um toque de humor à famosa festa carioca, em meio a tanto colorido e beleza.

Musa do camorote Ellen Jabour, modelo e namorada do ator Rodrigo Santoro, foi convidada para ser a musa do camarote da Nova Schin, no Sambódromo carioca. O local foi todo decorado pelo arquiteto e designer, Marcelo Rosenbaum, e, segundo seus organizadores, misturou bom gosto e inovação, homenageando o talento do povo brasileiro. Nos intervalos dos desfiles, entre uma escola de samba e outra, os foliões ficarão por conta do som do DJ Marcelo Janot, que comandará as pick-ups num carrinho de ambulante de praia, criado por Rosenbaum.

Esbanjando sensualidade A fantasia que Susana Vieira usará à frente da bateria da Grande Rio, escola de samba do Rio de Janeiro, dará a impressão de que a atriz estará nua, segundo o jornal Globo. O vestuário de Susana custará R$ 45 mil e trata-se de uma segunda pele toda bordada com cristais Swarovski. A Grande Rio é a penúltima escola a desfilar na Marquês de Sapucaí, no domingo, 26. Seu enredo é: Amazonas, O Eldorado É Aqui, de Roberto Szanieck e Susana virá representando uma índia.

Carnaval de Salvador Um dos momentos mais tradicionais e emocionantes do Carnaval de Salvador caiu no esquecimento, e não vem se realizando mais. O encontro de trios elétricos na Praça Castro Alves, localizado no circuito Osmar, foi substituído por uma apresentação na Barra. Para tentar recuperar a tradição, Caetano Veloso, Netinho, a cantora Gil, Saulo Fernandes (banda Eva) e Tomate (Rapazzola) prometem sacudir a praça na manhã da quarta-feira de Cinzas, dia 1º de março. Já na Barra, Daniela Mercury, Ivete Sangalo e Carlinhos Brown agitam os foliões, praticamente no mesmo horário.


BASTIDORES

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 17

A

ndré confessa a Júlia que ele e Érica não estão juntos. André afirma que a maior besteira que fez na vida foi trair Júlia. Vitória diz a Júlia que Nikos a ama e que ela deveria dar uma chance a ele. Júlia garante que gosta de Nikos, mas está insegura. Pascoal diz a Safira que eles não poderão mais se encontrar, pois ele vai se casar com Vitória. Nikos se declara para Júlia e pede que eles fiquem juntos. Safira pede a Pascoal que se case com ela. Nikos fala para Katina sobre o seu amor por Júlia. Murat não gosta de ver os dois juntos. Tadeu fica dividido entre Soraya e Taís. Érica diz a André que vai entregar o dossiê aos jornais e que o processo da morte de Valdete pode ser reaberto. O investigador diz a Júlia que André é suspeito da morte de Bia. Vitória acha que André pode ser culpado pela morte de Bia. André marca encontro com Érica. Cemil insiste para Nikos ir ao seu casamento. Júlia pede a Dijulian para ler o processo da morte de Valdete. Júlia descobre que não estava com André na noite em que Valdete foi morta. Ela tem certeza de que seu marido matou Valdete e Bia. Narciso convida Taís para jantar. Mary

P André deixa Júlia sem nada desmaia quando Guida entrega o testamento a ela. Djulian confirma que o carro de Júlia foi registrado no motel. Júlia teme pela vida de Érica e decide defendê-la. Edmilson chama Fladson para a briga. André chega à casa de Júlia. Ela diz que André a confundiu para que ela fosse seu álibi. André jura que não matou Valdete, mas usou Júlia, pois era a única maneira de se safar. Ornela estranha a felicidade de Alberto, justo no dia do casamento de Mônica. Aquilino falsifica um passaporte para André. Mônica recebe as fotos de Cemil com Yvete. Mônica começa a chorar. Alberto consola Mônica. André embarca para Nova York. Cemil exige que Yvete conte toda a verdade a Mônica. Os auditores dizem a Júlia que ela não tem mais nada, pois tudo pertence a André.

adilha avisa a Lopo que ele terá de as sumir a paternidade do filho de Lúcia. Dr. Leandro dá alta a Júlio. Vitor beija Beatriz achando que é Cacilda. O helicóptero de Lopo pousa em Angra. Daniel está dormindo no hotel quando Lopo entra com Gerião e Murilo. Daniel é ameaçado com um revólver. Lopo amarra Daniel em uma cadeira. Gerião, Murilo e Lopo estão com as armas apontadas para ele. Lopo dá um soco no estômago de Daniel e liga para Clarice do celular de Daniel e fala para ela ir a Angra. Rafael pergunta para Pati se ela quer casar com ele. Joana pede a Marco para ir à casa dela, pois precisa de ajuda. Lopo diz a Clarice que ela é traidora, pois chamou a polícia. Ela afirma que é capaz de qualquer coisa para salvar Daniel. Alexandre pergunta para o Velho Gui sobre seu passado. Daniel está na mata com Lopo, Gerião e Murilo. Dr. Marco receita antidepressivo para Joana. Lopo liga para Clarice e dá as instruções do novo encontro. Elza afirma a Pestana que vai se separar dele. Joana mostra o laudo do dentista para Hélio e avisa que vai pedir anulação do atestado de óbito. Daniel consegue romper a corda que amarra suas mãos e escapa. Ele dá de cara com Gerião e Lopo.

Lopo e Gerião procuram por Daniel, que está escondido. Daniel fica cara a cara com Lopo. Os dois lutam. Joana tem uma crise de choro ao lado de Dr. Marco. Pestana diz que vai entregar Elza. Lopo fica furioso, pois Daniel consegue escaper. Daniel está perdido na mata, mas encontra uma casa e pede para usar o telefone. Vitor tenta agarrar Eduarda. Pati entra no quarto nesse momento. Dudu pensa em colocar fogo nos vestidos de Elza para que bombeiros venham salvá-los. Clarice vai ao encontro com Lopo.

Pestana quer denunciar Elza


AGENDA

18 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

 Boates Noite Brasileira no Café Wha Data: Segundas-feiras Endereço: 115 Mc Douglas Street, New York Informações: (212) 8689102 Site: www.cafewha.com Rio 100 Data: Sextas-feiras Local: Globe Bar & Grill Endereço: 1879 Palmer Ave, Larchmont, New York Entrada: Grátis Informações: (914) 8338600 S.O.B.’s - Sábado de Samba Horário: 7pm Endereço: 204 Varick Street & West Houston, New York Informações (212) 243-4940 Site: www.sobs.com Brazilian Vibe – Kión Dining & Lounge O melhor da música brasileira com show de mulatas Data: sábados Local: Kión Endereço: 509 East 6th street Ingresso: damas até meia noite, grátis. Homens, $10 Informações: (718) 932-7169 Site: www.newyorkbrazil.com

Domingo de forró Data: domingos Horário: 6pm Local: SOB’S Endereço: 204 Varick Street / West Houston – New York City – NY Informações: (212) 243-4940 Site: www.sobs.com

 Carnaval Carnafolia Banda Delírio do Samba, show de mulatas e D.J Bruno Goiano Data: 24 de fevereiro Horário: a partir de 9PM Local: O’Manel Restaurante Endereço: 1909 Main Street – Bridgeport – CT Ingresso: $10 (antecipado) Informações: (203) 667-1527 Carnaval oficial do Brasil 2006 Com 7 bandas e 8 DJs - Data: 24 de fevereiro Local: Clube Lido Endereço: Revere- Ma - Data: 25 de fevereiro Local: Tabu Ingresso: U$ 20 ( na portaria) Informações: (781) 727-8192 Carnaval Brasileiro Festa de Carnaval Brasileiro animada pela banda Mangu e organizada por Paulo Giovanni e Zé Olinto Data: 25 de Fevereiro

Horário: à partir das 21:30h Local: La Fortuna Endereço: 430 Kamena Street – Fairview – NJ Informações: (201) 313-0047 Brazilian Carnaval Vem aí pelo nono ano, O Brazilian Carnaval, com banda ao vivo, show de samba com a Escola de Samba Unidos da Flórida, shows de dança do Swing Brasil, Nação Capoeira e DJ Fred. Data: 25 de fevereiro Horário: 10pm Informações: (305) 949-4830 Carnaval Brasileiro de 2006 NY Festa de carnaval com música ao vivo e show de samba num dos lugares mais famosos de Nova York. Data: 25 de fevereiro Local: Bed New York Endereço: 530 West 27th Street – 6th floor Ingresso: U$40 (antecipado) Informações: (718) 932-7169 Site p/contato: www.newyorkbrazil.com ou www.bedny.com Carnaval e Feijoada Domingo de Carnaval. De 4:30 às 7pm será servida uma deliciosa feijoada no restaurante. De 7:30pm às 2 am baile de carnaval. Transmissão direta dos desfiles das escolas de samba do Brasil

Data: 26 de fevereiro Local: Kybom Restaurante e Bar Endereço: 2031 E. Sample Road - Pompano Beach - FL Convite: camiseta $20 (uso obrigatório) Informações: 954-709-5223 email p/contato: brparty@hotmail.com Brazilian Carnaval Banda Rapazolla, direto da Bahia - Brasil, e mulatas da Escola de Samba Unidos da Flórida irão animar a festa. Data: 3 de março Horario: 8pm às 2am Local: Club Cinema Endereço: 3251 N. Federal Hwy - Pompano Beach - FL Informações: (954)784-0909 / (305)949-4830 Mardi Gras - Miami Parade 2006 Carros-alegóricos de vários países desfilarão. Pelo 4º ano consecutivo o Brasil estará representado pela Escola de Samba Unidos da Flórida, com as mulatas de Paulo Gualano. Blocos carnavalescos (adulto e/ou mirim) são bemvindos. Evento gratuito. Data: 4 de março Horario: 2pm Local: Em frente ao Hotel Inter*Continental Endereço: 100 Chopin Plaza Miami - FL Informações: (954)450-1772 CarnaZueira 2006 Pelo 2º ano consecutivo a Zueira Productions realiza o Carnazueira, festa de carnaval que foi sensação no ano de 2005 em Broward. Uma festa de ressaca ao estilo baiano, com abadás exclusivos, vindos diretamente do Brasil. Data: 5 de março Horario: 2pm Local: Joseph’s and Joeys Restaurant Endereço: 5900 NW 24 way West Cypress Creek Road - Fort Lauderdale – FL Informações: 754-246-0641 email p/contato: vanuzaramos@acheiusa.com

 Dança Regina Nejman e Companhia Apresenta “The Velocity of Things”. A companhia ganhou o prêmio de Melhor Coreografia “Fringe NYC 2005”. Coreografia de Regina Nejman. Música; Mio Morales & Brazilian pop.

Data: 23 a 26 de Fevereiro Local: Joyce Soho Endereço: 155 Mercer Street New York City - NY Informações: (212) 334-7479

 Boates Show do Grupo Tradição Data: 24 de fevereiro Horario: 10pm Local: Club Cinema Endereço: 3251 N. Federal Hwy - Pompano Beach Florida Informações: (954) 421 8810 email p/contato: www.feijaocomarrozrestaurante.com Reginaldo Rossi O verdadeiro Rei do Brega

Data: 10 de março Local: Club Lido Endereço: Revere – Ma Informações: (201) 0133 / (781) 603-2910

Rio Negro e Solimões Data: 17 de março Horário: 11:30pm Local: Club Lido Endereço: Revere – Ma Informações: (508) 624-5529 Grupo Revelação - Data: 16 de março Local: Club Cinema Endereço: 3251 North Federal Hwy - Pompano Beach - FL Horário: 10Pm Informações: (954) 421-8810 - Data: 19 de março Local: Club Lido Endereço: Revere – Ma Informações: (617) 438-5907 Zezé de Camargo e Luciano - Data: 31 de março Local: Club Cinema Endereço: 3251 North Federal Hwy. Pompano Beach FL Telefone: (954) 784-0909 - Data: 02 de abril Local: Clube Lido Endereço: Revere – Ma Informações: (617) 438-5907 / (508) 620-0161


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 19


AMERICA EM FOCO

AMERICA EM FOCO

20 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Alex Kapetan e o irmão Gust Kapetan também estão deixando a Flórida para uma pequena temporada no Brasil. O intinerário dos irmãos inclui as melhores cidades do nordeste e, é claro, a cidade maravilhosa, Rio de Janeiro.

Patricia Carneiro, da Tropical One Realty e o namorado Tim tiraram uma folguinha dos negócios na Flórida para curtir o carnaval no Brasil

Thais, da Record International, o marido Ayrton e o enteado Norman saborearam um delicioso churrasco em comemoração ao aniversário do amigo Artur Rodrigues (segundo, da esquerda para a direita), no último sábado, 18.

Os Pastores Waldyr e Iracema Nascimento, da Church of All Nations, em Boca Raton, na Flórida, curtindo um dia de sol, no quente inverno da Flórida, no aniversário do amigo Artur Rodrigues.

O

DJ’s Richard e Ferrugem Casal Scalzo, Dona Ana, Cristiane e Marcos

Estação 40, comunidade online que reúne os brasileiros com mais de 40 anos, promoveu mais um encontro na sexta-feira, 17. A festa, para comemorar o Valentine’s Day, foi realizada no Portal Bar & Grill, em Mount Vernon, NY, que não teve a casa cheia, como no mês passado, por causa de uma denúncia anônima. Segundo a organizadora do evento, Andréa Barbosa, o Corpo de Bombeiros da cidade fez uma visita ao local por causa de uma denúncia e interditou a casa por duas semanas justificando que o local tinha menos saídas de emergência do que o exigido. O episódio espantou um pouco os brasileiros. “Surgiram boatos de que havia menores bebendo lá dentro. Isso não é verdade. O proprietário da casa é extremamente cuidadoso com essa questão e não admite que menores frequentem sozinhos o local. O Estação 40 estará no Portal novamente no mês de março”, avisa Andréa.


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 21


22 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 23


24 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


COMUNIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 25

High School: desafio para os adolescentes brasileiros

Enquanto alguns brasileiros se adaptam facilmente ao sistema, a maioria dos adolescentes imigrantes não conclui satisfatoriamente o curso. Desatenção dos pais é um dos fatores que leva à desistência dos jovens estudantes.

Por Karine Porcel

Boa parte do adolescentes brasileiros que chegam aos Estados Unidos para cursar o High School (ensino médio no Brasil) não conseguem concluí-lo. A dificuldade para aprenderem uma nova língua e para integrarem-se num ambiente desfavorável são os principais motivos que levam os jovens a desistirem no meio do caminho. Somado a isso, ainda há a desatenção de pais que trabalham muito e pouco tempo têm para os filhos e um governo pouco preocupado com os problemas do ensino médio americano. Em meio a tantos fatores adversos, uma brasileira destacou-se no High School de Mount Vernon, cidade novaiorquina que abriga uma das maiores comunidades de brasileiras do Estado. Glauce Garcia, 18 anos, é a primeira aluna do curso deste ano. Entre cerca de 500 graduandos americanos e estrangeiros, a poços-caldense ficou em primeiro lugar na soma das notas mais altas dos três primeiros anos do High School. “Eu sempre estudei muito, mas nunca

Remessas com taxa de envio a U$ 3 Uma campanha promocional do bcpbank, “Paixão pelo Brasil: $3 todos os dias” oferece taxa de envio de remessas para o Brasil de apenas U$3 até o mês de abril. Não importa a quantia emitida ou a forma de envio – internet, telefone, ATM ou pela agência – o cliente do banco paga sempra a taxa de $3. A parceria com a Caixa Economica Federal tem possibilitado ao banco português atuar no mercado brasileiro com taxas muito competitivas e, com isso, conquistar um número cada vez maior de clientes brasileiros. No final de 2005, 14% dos novos clientes do bcp eram brasileiros.

A estudante Glauce Garcia faz parte de uma minoria de jovens brasileiros que consegue ter um bom desempenho no high school, tendo chegado já adolescentes nos Estados Unidos.

pesando em tirar 9 ou 10, para ser a primeira aluna. Acho que o primeiro lugar é uma consequência da minha dedicação” – diz Glauce, surpresa com a classificação. A elaboração do ranking, tradição nas escolas americanas, é baseada na média das notas de todas as cadeiras cursadas durante os três primeiros anos do High School. Além de Glauce, outros quatros brasileiros foram classificados entre os dez primeiros. Todos pertenciam a uma turma especial, a Honor Class. “Apenas nós cinco pertencemos a Honor Class durante os três anos do curso. Eu acho muito pouco, em vista do número de brasi-

leiros matriculados”, opina Glauce, afirmando não se importar ao ser chamada de “nerd” pelos outros alunos. “A maioria dos brasileiros, ao entrar para o High School, acaba se misturando a alunos que não querem nada e saem muito prejudicados”, complementa. Segundo Ricardo Braxtor, professor do Departamento de Educação de Nova York, Glauce faz parte de um pequeno grupo de jovens brasileiros que consegue concluir de forma satisfatória o High School, tendo chegado aqui já adolescentes. “O problema da educação dos jovens imigrantes aparece quando eles chegam aqui para cursar o High School. Os que chegam para cursar o Elementary School, frequentemente, têm um bom desempenho na escola, pois são mais controlados por pais e professores, dedicamse mais a aprender a língua e recebem todo apoio de um governo que investe muito no ensino fundamental” – afirma Ricardo. De acordo com ele, os adolescentes brasileiros têm dificuldade para adaptarem-se ao novo ambiente escolar, e assim se juntam a outros brasileiros, formando pequenos grupos isolados. A liberdade concedida pela escola – são eles quem escolhem as aulas e horários a serem cursados e as faltas e atrasos não são controlados por professores – lhes dá a certeza de que são donos do próprio nariz, e com isso acabam fazendo as opções erradas. “Na concepção do sistema educacional americano, o High School tem o dever de preparar para a vida. Por isso, os jovens devem aprender a tomar decisões. Só que esses adolescentes são crianças ainda. Precisam ser direcionados, mas nem a esco-

la, nem os pais fazem isso” – analisa Ricardo. Os pais normalmente trabalham muitas horas por dia e não sabem falar inglês, o que dificulta a relação com a escola dos filhos. Na opinião de Ricardo, uma das soluções para o problema da desistência dos jovens brasileiros é a mobilização dos pais para exigir do governo uma escola mais bem estruturada e mais dedicada aos seus filhos imigrantes. Ao lado da desatenção dos pais e do governo, os imigrantes são desestimulados pela pequena chance de frequentar uma universidade ao término do High School. Pelas leis atuais de diversos estados, os imigrantes indocumentados não têm direito a in-state tuiton, uma mensalidade mais barata e acessível ao bolso da classe trabalhadora. Tendo que pagar anuidades carissímas nas universidades americanas, muitos jovens bem sucedidos no ensino médio, como Glauce, não conseguem ingressar no superior. “Só agora estou vendo como é dificil viver ilegalmente neste País. Antes eu só ia para a escola e essa situação não me afetava. Agora quero estudar numa boa universidade, mas, como vou ter que arcar com todas as despesas, não posso escolher muito. ‘Apliquei’ somente para as escolas que vou poder pagar” – lamenta Glauce, que mesmo sendo a primeira aluna do High School de sua cidade não recebeu nenhum tipo de ajuda para seguir com a sua educação. “Me sinto desmotivada. Poderia ir para escolas melhores, mas não adianta fazer uma coisa que eu sei que não vai dar” – finaliza.

Imigrantes devem votar nas próximas eleições Da redação

Este ano o povo brasileiro vai às urnas mais uma vez escolher seus representantes. As eleições para presidente e vice-presidente da República, governadores e vice-governadores, senadores e deputados federais, estaduais e distritais serão realizadas em 1º de outubro (primeiro turno) e 29 de outubro (segundo turno) de 2006. Todos os brasileiros com mais de 18 anos, inclusive os que residem no exterior, devem votar. Para participar das eleições, os cidadãos que vivem no exterior e que já possuem Título de Eleitor deverão requerer a transferência do seu domicílio eleitoral para o País onde se encontram. Aqueles que tiveram seu título cancelado ou que ainda não se alistaram perante a Justiça Eleitoral, devem comparecer ao Consulado Brasileiro mais próximo de sua residência para fazer um cadastramento. Os documentos necessários para o cadastramento eleitoral são cópia do documento de identidade brasileiro (Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho, Passaporte, Certidão de Nascimen-

to, Certidão de Casamento, Certificado de Alistamento Militar) e de um comprovante de residência (conta de luz, conta de telefone etc). Eleitores do sexo masculino, além dos documentos indicados, devem apresentar cópia do certificado de quitação com o serviço militar. Estar em dia com as obrigações eleitorais é requesito obrigatório para tirar ou renovar o passaporte nas embaixadas ou consulados brasileiros, bem como se inscrever junto à Receita Federal. Apenas o voto para presidente e vice-presidente é obrigatório para os brasileiros que moram no exterior. A data limite para o recadastramento dos eleitores é 3 de maio de 2006. Serviços como emissão de certidão de quitação eleitoral e verificação de sua situação perante a Justiça Eleitoral, podem ser obtidas diretamente no Tribunal Superior Eleitoral –TSE acessando o site http://www.tse.gov.br. Maiores esclarecimentos poderão ser obtidos pelo telefone +55 (61) 334-89440, através do e-mail exteriorbrasil@tre-df.gov.br ou no consulado mais próximo.

SERVIÇO Consulado Geral do Brasil em Boston, MA Tel: (617) 542-4000 www.consulatebrazil.org Consulado Geral do Brasil em New York, NY Tel: (917) 777-7777 http://pt.brazilny.org Consulado Geral do Brasil em Houston, TX Tel: (713) 961-3063 www.brazilhouston,org Consulado-Geral do Brasil em São Francisco, CA Tel: (415) 981 8170 www.brazilsf.org Consulado Geral do Brasil em Los Angeles, CA Tel: (323) 651-2664 http://brazilian-consulate.org Consulado Geral do Brasil em Chicago, IL Tel.: (312) 464-0244/464-0245 e-mail - cgchgo@ix.netcom.com Consulado Geral do Brasil em Miami, FL Tel.: (305) 285 6200 www.brasilmiami.org


IMIGRAÇÃO

26 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Reforma da imigração começa a ser discutida no Senado

Analistas prevêem que medidas contra a imigração sejam aprovadas Por Karine Porcel com agências internacionais

Para alegria ou desespero total dos imigrantes, o Congresso americano começa a discutir a reforma da imigração a partir da próxima semana. O Comitê Judiciário do Senado prometeu votar na quinta-feira, 2, o projeto de lei HR_4437, aprovado pela Câmara dos Representantes em dezembro do ano passado, que torna crime a imigração ilegal. O líder do Senado, Bill Frist, tem informado os legisladores que a casa vai começar a analisar os projetos de reforma da imigração no dia 27 de março. A alegria de milhares de imigrantes indocumentados pode vir com a aprovação de algum projeto de legalização. Por enquanto há duas propostas possíveis de serem aprovadas. O “Guest Worker Program”, formulado pelo presidente George W. Bush e o projeto de lei S.1033, introduzido pelo senadores John McCain e Edward Kennedy. Ambas as propostas

O desespero dos ilegais pode vir com a aprovação do projeto de lei HR_4437 ou, pelo menos, de parte dele. Introduzido pelo republicano James Sensenbrenner, a proposta contém medidas que visam impossibilitar a vida dos indocumentados no País. Três delas serão seriamente analisadas: a criminalização da imigração ilegal, a exigência de verificação do status migratório dos funcionários a serem contratados por empresas e a construção de um muro na fronteira dos Estados Unidos com o México. O senador John McCain vem fazendo De acordo com analistas, O Seconferências para incentivar a aprovação da sua proposta de reforma da imigração, que visa nado americano parece propenso a legalizar milhões de trabalhadores ilegais. adotar algumas medidas de mão dura contra a imigração ilegal, mas oferecem um visto de trabalho temporá- é provável também que considerem a nerio aos imigrantes ilegais, mediante pa- cessidade de legalizar os que aqui já resigamento de uma multa. A diferença entre dem e trabalham. O dilema enfrentado elas é que a dos senadores permite aos es- pelos legisladores é como garantir o flutrangeiros solicitar o visto de permanência xo de mão-de-obra imigrante e responno País – Green Card – após um determi- der ao mesmo tempo à ansiedade de muinado período. Bush prefere que os imigran- tos cidadãos americanos que vêem no extes retornem aos seus países depois de seis terior, especialmente nos latino-americaanos trabalhando nos Estados Unidos. nos, uma ameaça a seu trabalho, sua cultura e sua forma de vida.

McCain: Bush deve fazer mais O senador John McCain disse na última terça-feira, 21, que o presidente Bush precisa fazer mais para estimular a apro-

vação do “Guest Worker Program” pelo Congresso. Segundo ele, o presidente tem credibilidade para falar sobre a questão porque foi governador do Texas, estado que possui a maior fronteira em extensão com o México. “Se eu gostaria que ele fizesse mais? Provavelmente”, disse McCain em coletiva à imprensa, após realizar duas conferências para incentivar a reforma da imigração, uma na quinta-feira, 16, em Miami e outra em Nova York, na segunda-feira, 20. George W. Bush, que desde 2000, quando ainda era candidato, vem promovendo o programa de trabalho temporário para estrangeiros, tem mudado o tom da conversa nos últimos meses. Já chegou a dizer que o objetivo do seu governo é deportar toda pessoa que entrar ilegalmente no país, “sem exceções”. Em sua proposta orçamentária para 2007, a Casa Branca pediu, por exemplo, mais de US$ 130 milhões para estabelecer um sistema que verifique se um candidato a um emprego tem licença de trabalho, precisamente o que foi exigido pela Câmara dos Representantes. A imigração se transformou, muito gradualmente, em um assunto importante para as eleições legislativas de novembro deste ano. Dessa forma, os congressistas que arriscam sua cadeira sentem a pressão por fazer algo sobre o tema antes de então. Segundo as previsões de McCain, a reforma da imigração não será aprovada pelo Senado antes de abril.

Reforma da imigração Os legisladores americanos vão concentrar o debate da reforma americana em seis propostas. Uma delas foi aprovada pela Câmara dos representantes em dezembro do ano passado e vai ser analisada pelo Senado na próxima semana. Conheça os projetos a serem discutidos.  H.R. 4437 – Introduzido pelo republicano James Sensenbrenner. Torna crime a imigração ilegal, impossibilitando os indocumentados de trabalhar; obriga os empregadores a verificarem o status migratório do futuro funcionário, estabelecendo multas aos que descumprirem; propõe a construção de um muro em toda a fronteira dos Estados Unidos com o México.  S.1033 –Introduzido pelos senadores John McCain e Edward Kennedy. Oferece uma permissão de trabalho temporário aos ilegais que pagarem um multa de U$1,500. Após seis anos trabalhando no País, os imigrantes poderão solicitar o Green Card.  S.1438 – Introduzidos pelos senadores republicanos John Cornyn

e Jon Kyl. Apóia a proposta do presidente Bush de emitir vistos de trabalho temporários, mas exige que os imigrantes deixem os Estados Unidos após seis anos para solicitar o Green Card de seus países de origem.  S.1919 – Introduzido pelo senador republicano Chuck Hagel. Propõe a emissão de Green Cards para todos os imigrantes que atenderem a requesitos rigorosos.  S.2075 – Introduzido pelo Senador democrata Richard Durbin. É conhecida como DREAM ACT. Oferece residência permanente aos filhos dos imigrantes ilegais para que possam frequentar uma faculdade e trabalhar no País.  The Frist Bill – O Líder do Senado está trabalhando em um projeto ainda não divulgado. Fontes próximas dizem que a proposta está concentrada no endurecimento das leis de imigração e maior controle das fronteiras


IMIGRAÇÃO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 27

Cortes de imigração – sorte ou azar?

Nem sempre comparecer às audiências nas cortes de imigração é garantia de sucesso

Por Fran Diogo

Não há mágica alguma ou mesmo solução milagrosa que permita a quem não compareceu à audiência em cortes de imigração, conseguir a sua permanência e consequentemente a legalização. A contratação e assessoria de um advogado, é imprenscindível e vital para entender e achar as brechas possíveis no intrincado e emaranhado sistema das leis imigratórias dos Estados Unidos. As leis de imigração mudam todos os dias, sendo que depois de setembro de 2001, as coisas tornaram-se ainda mais complicadas, principalmente para quem atravessa a fronteira do País com o México e é preso, deixando de comparecer às audiências nas cortes de imigração. Também nada garante que quem comparece em qualquer das audiências possa ser detido na corte, e sempre há o risco de que isto aconteça, advertem os advogados. Quem atravessa pelo México atualmente tem chances mínimas de legalização, mesmo que se case com cidadãos americanos. Isto é o reflexo dos novos

A advogada Genilde Guerra afirma que toda pessoa deve e tem o direito de se defender numa corte de imigração.

posicionamentos das leis de imigração. Ao deixar de ir a qualquer audiência, a pessoa tem emitida contra sí uma ordem de deportação automaticamente. Como cada caso é um caso, o de Josias de Araújo é bem típico de como pensam e agem os legisladores e magistrados nas cortes de imigração.

Josias comprou um caminhão para trabalhar e viajava por todos os estados americanos e um dia, no Texas, foi parado numa blitz feita por oficiais da imigração, que lhe pediram os documentos que ele não tinha para mostrar. Na época ficou preso num centro de detenção para imigrantes ilegais e ao ser solto mediante o pagamento de fiança, foi avisado de que teria de comparecer às audiências na corte. Durante um ano e meio foi a todas elas, até que o juiz determinou que ele fosse deportado, mesmo tendo feito anteriormente os procedimentos para a obtenção do green card, como ter tirado fotos e impressões digitais. Mesmo acessorado por um bom e conceituado escritório de advocacia, ele foi mandado embora um ano depois quando optou pela saída voluntária. O motivo ele descobriu tardiamente. Em 2001, ele teve o seu processo patrocinado por uma igreja evangélica, e tinha como advogado Javier Lopera, um boliviano naturalizado brasileiro, que foi preso e condenado por fraudar processos de legalização. Como consequência, os processos representados por ele foram todos revisados, e Josias, cujo processo estava correto, pagou pelo que não fez. O juiz, mesmo tendo autorizado que

Josias fizesse os procedimentos para a obtenção do green card, voltou atrás e determinou que ele fosse deportado. Entrevistado pelo National The Brazilian Newspaper, ele afirmou que se tivesse idéia de que gastaria muito dinheiro, para no fim do processo ser mandado de volta, não teria feito nada daquilo. Amargamente, disse que faria como tantos outros que passam a vida inteira nos Estados Unidos ignorando solenemente todas as audiências na corte, entendendo que fez mal ao se defender. Faz planos de um dia voltar aos Estados Unidos, tão logo passe o prazo de cinco anos que lhe foi imposto pelo juiz. A advogada Genilde Guerra, de Miami, afirma que toda e qualquer pessoa com problemas imigratórios deve e tem o direito de se defender, tentando uma alternativa que atenda os seus interesses. Por isso, deve sim comparecer a qualquer audiência marcada. Para isto é importante que se informe e busque um profissional que diga ao interessado quais são as suas chances de obter êxito no processo, que às vezes podem levar anos e sem ser favoráveis, como foi o caso de Josias de Araújo, que gastou cerca de US$ 15 mil. Genilde Guerra finaliza, dizendo que as audiências nas cortes de imigração devem ser respeitadas e que o comparecimento é importante.


EMIGRAÇÃO / BRASIL

28 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Faltam profissionais da construção civil em Valadares

É difícil encontrar mão de obra qualificada no setor da construção civil em Valadares. Profissionais disponíveis cobram caro e estão com a agenda cheia. Por Juliana Melo

Construir ou reformar uma casa é tarefa difícil para quem vive na região do Vale do Rio Doce, em Minas Gerais. Não basta ter dinheiro e disposição para executar a obra; complicado é encontrar um profissional da construção civil com tempo livre e qualificação. O presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio de Governador Valadares, Sideni Rodrigues de Castro, sentiu na pele este fenômeno. Pouco tempo atrás, ele estava à procura de um pedreiro. Pesquisou, pesquisou e ao encontrar uma pessoa que pudesse realizar o serviço, esbarrou num outro problema: o profissional está tão disputado, que só tem agenda livre no ano que vem. “Os trabalhadores que ficaram no Brasil estão cheios de compromissos, e quem tem tempo livre nem sempre têm boas referências e qualificação”, afirma. A escassa oferta de profissionais e a grande procura dos proprietários é responsável por um desequilíbrio que reflete no bolso de quem vive ou investe na região. Já que é difícil encontrar mão de obra de qualidade, quem desempenha bem suas funções no mercado pode até escolher o serviço que prefere fazer e que rende mais. Para completar, os trabalhadores aproveitam o fato das famílias serem sustentadas por remessas externas para encarecer seus custos. Muitos pedreiros e ajudantes chegam a cobrar valor semelhante ao que se cobra nos Estados Unidos. De acordo com Paulo Guimarães Rodrigues, presidente do Sinduscon Sindicato das Indústrias da Construção Civil de GV, o custo do profissional supervalorizado resulta em um acréscimo que pode chegar a 5% no valor final da obra. “A mão de obra responde por 50% dos gastos na construção de uma casa. Nessa região, os empreendedores gastam bem mais em função da baixa oferta de trabalhadores”.

Alta rotatividade A emigração não é responsável apenas pela atração de bons profissionais para outros países. O sonho de trabalhar no exterior e fazer “um pé de meia” faz com que o setor da construção civil de Valadares e cidades vizinhas sofra com a alta rotatividade de trabalhadores. Imprevistos como pedreiros e ajudantes abandonarem a obra inacabada, sem

Encontrar bons profissionais da construção civil, na região de Valadares, é uma das principais dificuldades dos empreendedores.

dar explicações é um fato comum. “O ajudante que está trabalhando hoje, pode receber uma proposta para emigrar amanhã e, de repente, ele deixa o serviço sem avisar ninguém”, enfatiza o presidente do Sinduscon. O arquiteto Luiz Carlos Pinheiro, que atua há 25 anos na região, comenta que assumir o compromisso de entregar uma obra no prazo combinado com o cliente só é possível com o aval do mestre-de-obras. “É ele quem se responsabiliza pela equipe e pelas possíveis substituições. Infelizmente, é comum que o jovem comece como ajudante, se torne pedreiro e, em seguida, na primeira oportunidade que aparecer, deixe o trabalho e parta para o exterior”. Pinheiro ressalta ainda que o mercado experimenta dois reflexos da emigração: o trabalhador que optou ficar na região, tem qualificação, é disputado e por isso custa caro; e também o emigrante retornado que muitas vezes volta com dívidas e sem nenhum diferencial do restante dos trabalhadores braçais – pois as técnicas executadas no exterior na maioria das vezes não servem no mercado brasileiro. “Esses são bons profissionais, que acreditaram que a emigração iria mudar suas vidas, mas voltam com necessidade de trabalhar, e aí, pegam qualquer serviço, cobrando o mesmo valor que um concorrente local”. Esse último caso, segundo Pinheiro, é difícil de ser encontrado. Para aqueles que têm sorte, é um achado.

Soluções para os valadarenses Para Paulo Rodrigues, presidente do Sinduscon, a solução para o problema da falta de mão de obra nos municípios da região de Valadares são os cursos de qualificação. Ele comenta que há muitas pessoas à procura de uma oportunidade de trabalho sem treinamento para disputar um espaço no mercado.| Segundo ele, não há grande oferta de cursos para pedreiros, ajudantes e outros trabalhadores braçais. A maioria aprende o ofício no dia-a-dia. E é na prática que surgem as conversas sobre as oportunidades nos Estados Unidos, os ganhos e as chances de melhorar de vida fora do País. O economista Flávio Augusto Guilherme Jr., da Faculdade de Administração de Governador Valadares, acha que a região não oferece condições para que as pessoas busquem qualificação e se interessem pelas oportunidades. “No caso específico de

Valadares, a idéia da emigração é cultural. As pessoas não vêem perspectivas de ganhar dinheiro e se fixar na cidade, por isso, preferem partir para outro País, na esperança de melhorar de vida”, avalia. O economista enfatiza que a baixa remuneração, associada à falta de oportunidades, estimula a emigração. Ele cita uma pesquisa recente, apontando que 74% dos moradores da cidade têm renda familiar de zero a cinco salários mínimos. “A baixa escolaridade, a baixa remuneração e as políticas econômicas nacionais dificultam a colocação no mercado. Isso faz com que vários setores sofram com a carência de mão de obra, afinal, muitos preferem trabalhar num local onde ganharão mais e terão mais oportunidades. Essa realidade precisa ser mudada, ou então, o mercado local ficará sempre à mercê da economia dos Estados Unidos”, opina. A Prefeitura de Governador Valadares informa que alguns programas serão

implementados com esse objetivo. Dirley Henriques, sociólogo do Programa Emigrante Cidadão (PEC), diz que estão em andamento projetos para minimizar os problemas enfrentados pelos valadarenses. “Como exemplo, estamos estruturando uma proposta para requalificar o emigrante de retorno, dando chance para que esse profissional, que conheceu técnicas diferentes no exterior, possa oferecer um produto novo na região. As técnicas de construção americanas poderiam, por exemplo, ser readequadas e com isso facilitaríamos a reinserção deles no mercado, com um diferencial forte”. Os membros do PEC antecipam que também pretendem investir em capacitação para diversos níveis profissionais.


EMIGRAÇÃO / BRASIL

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 29

Mudança no Código Penal pune emigração ilegal Projeto que entrou em discussão essa semana no Senado Brasileiro criminaliza o tráfico internacional de pessoas e poderá diminuir a ação de organizações que facilitam a emigração ilegal. Por Juliana Melo com Agência Senado

O Plenário do Senado brasileiro aprovou na quarta-feira, 22, em primeiro turno de votação, o PLS 15/06, de iniciativa da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da Emigração Ilegal, que altera o Código Penal para definir o crime de tráfico internacional de pessoas para fins de emigração. A iniciativa vai permitir que aqueles que auxiliam a entrada ilegal de brasileiros no exterior, como os coiotes, por exemplo, respondam criminalmente pela atividade. Por ter sido apresentado por uma comissão mista, o projeto voltará para um segundo turno de votação. O texto insere o tráfico de pessoas entre os crimes antecedentes da lavagem de dinheiro. A proposta da comissão resultou da preocupação com o fato de que, no ano passado, 25 mil brasileiros foram presos tentando atravessar ilegalmente a fronteira do México com os Estados Unidos. Os parlamentares entenderam que esse número revela a existência no Brasil de uma verdadeira “indústria da emigração ilegal”. A pena prevista no projeto é de dois a seis anos de reclusão e multa. Essa pena poderá ser aumentada se o crime for praticado por quadrilha ou bando, mediante fraude ou por funcionário público no exercício de suas funções.

Brecha na lei Na legislação atual, as organizações e agenciadores que facilitam a entrada ilegal de brasileiros nos Estados Unidos não estão cometendo crime. Por isso, os órgãos oficiais não podem reprimir diretamente essa atividade. Para que as autoridades

consigam punir os facilitadores, é necessário juntar provas que configurem crimes periféricos, como falsificação de documentos, evasão de divisas, entre outros. Essa brecha na lei constitui o principal entrave para as autoridades que trabalham no combate à emigração ilegal. “Hoje, o Código Penal prevê apenas o aliciamento de trabalhadores para fins de emigração. A expressão ‘trabalhador´ exige que haja uma relação de trabalho estabelecida entre a vítima e o aliciador. Facilitar a entrada de qualquer cidadão ilegalmente em território estrangeiro não está previsto na lei brasileira. Em função dessa construção, os criminosos que levam brasileiros para os Estados Unidos e ganham milhões de dólares ficam impunes”, explica Rui Antônio da Silva, Delegado da Polícia Federal em Governador Valadares, em entrevista ao NATIONAL. O PLS em discussão no Senado determina que havendo ou não relação de trabalho, quem promover, facilitar, intermediar ou financiar a entrada irregular de pessoas em território estrangeiro com o fim de lucro responderá pelo crime. Segundo Dr. Rui, a criminalização dos facilitadores é necessária porque eles causam constrangimento a pessoas que são seduzidas pela promessa de uma vida melhor, e contraem dívidas altas que nem sempre conseguem pagar. “A partir do momento em que o Código Penal tornar essa conduta um crime, vamos amenizar o problema social que a emigração ilegal causa e reduziremos a ação das organizações criminosas”, afirma. O delegado da PF esclarece que apesar de contratar os grupos que desafiam a lei, os emigrantes não respondem criminalmente. “A mudança prevê apenas a criminalização do facilitador. O brasileiro que segue ilegalmente para os Estados Unidos é vítima do esquema”, conclui.

Coiotes abusam das vítimas Na segunda-feira, 20, a polícia prendeu dois suspeitos de extorquir dinheiro de um casal, em Coronel Fabriciano, Minas Gerais. Segundo informações das autoridades, o casal estava pagando a dívida de um amigo que mora ilegalmente nos Estados Unidos. O emigrante deixou 20 cheques e uma moto

para pagar a viagem, mas os coiotes queriam mais dinheiro. O marido foi espancado por não ter atendido a exigência dos criminosos. Os dois suspeitos serão indiciados por extorsão e podem pegar de quatro a oito anos de cadeia, se forem condenados.


30 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Rogério Ceni e Gomes são convocados por Parreira

Ronaldo tem portas abertas no Milan O presidente do Milan,Adriano Galliani, declarou na quarta-feira, 22, que o brasileiro Ronaldo, do Real Madrid, tem portas abertas para jogar pelo clube, caso o jogador decida abandonar o futebol espanhol. “Ronaldo é um atacante muito bom e se decidir deixar o Real Madrid encontrará, sem dificuldades, equipes que o recebam. As portas do Milan estão abertas para ele”, revelou Galliani ao jornal italiano Gazzetta dello Sport. Em entrevista coletiva na última segunda-feira, Ronaldo declarou que estava descontente com a atitude dos torcedores do Real Madrid. “Não consigo entender a atitude da nossa torcida que vem ao estádio, porque os torcedores que me encontram na rua me tratam muito bem. Nunca me senti em casa jogando no Bernabéu, nunca me trataram com carinho”, disse o brasileiro, que não teve boa atuação na derrota do time para o Arsenal, pela Liga dos Campeões.

Imprensa espanhola chama Ronaldo de egoísta A insatisfação de Ronaldo com a torcida do Real Madrid amanheceu na capa de todos os jornais espanhóis e foi o princi-

Ronaldo está desapontado com as vaias da torcida e manifestou vontade de sair do Real Madrid.

pal tema de discussão nos programas de TV e rádio matinais, justamente no dia em que a equipe enfrentaria o Arsenal pelas oitavasde-final da Liga dos Campeões da Europa. Em todos os comentários na imprensa, o mal-estar e tensão estavam presentes. O jogador foi chamado de “egoísta”, “inoportuno” e “mal agradecido” por todos os lados. “Em um exercício de egoísmo sem qualificação, Ronaldo quis ser mais importante que a partida de hoje”, declarou com indignação Manuel Saucedo, um dos principais articulistas esportivos da Espanha.

ESPORTES

“Ronaldo resolveu falar de si mesmo no momento mais inoportuno, exatamente quando mais danos esse tipo de declaração poderia causar à equipe”, completou Saucedo em sua coluna, que abre diariamente o jornal esportivo Marca, um dos mais importantes do país. As declarações de Ronaldo de que gostaria de deixar o Real Madrid e que não se sentia amado pela torcida foram consideradas inoportunas, não só pelo momento importante, mas também porque o Real Madrid estava em lua-de-mel com sua torcida, após a recuperação da equipe com a saída do técnico Wanderlei Luxemburgo. Com o novo treinador, Juan Ramón Lopez Caro, o Real Madrid reencontrou o caminho das vitórias e jogadores importantes para o clube, como Robinho, Beckham e Zidane, reencontraram também o seu melhor futebol. Mas devido à uma série de contusões, Ronaldo ficou de fora dessa recuperação da equipe e, de volta ao time há três rodadas, ainda não apresentou o futebol que todos esperam de um atacante do seu nível, eleito três vezes melhor jogador do mundo pela Fifa.

O técnico da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, anunciou na quarta-feira, 22, o corte de seus dois goleiros para a disputa do amistoso contra a Rússia, no próximo dia 1º de março, em Moscou. Lesionados, Dida, do Milan, e Júlio César, da Inter de Milão, foram desconvocados pelo treinador. Para o lugar dos dois jogadores, Parreira enfim ouviu o pedido de grande parte da torcida brasileira - sobretudo os sãopaulinos - e chamou o goleiro Rogério Ceni. Além do camisa um do Tricolor do Morumbi, também foi chamado Gomes, do PSV Eindhoven, da Holanda. A última vez que Rogério Ceni esteve na Seleção Brasileira foi no ano passado, no amistoso contra a Guatemala, na despedida do atacante Romário da equipe pentacampeã do mundo. O jogador não era prioridade de Parreira na seleção, mas teve que ser chamado depois das lesões de Dida, Júlio César e de Marcos, as três principais opções do técnico. A convocação de Rogério, no entanto, cria um problema para o São Paulo. No mesmo dia 1º de março, o Tricolor do Morumbi estréia na Copa Libertadores, contra o Caracas, na Venezuela.

Croácia sonha repetir campanha da Copa de 1998 Por Fábio Amaro

No dia dia 13 de junho, a seleção brasileira enfrenta a Croácia, no Olympiastadion, em Berlim, pelo Grupo F da Copa do Mundo de futebol. Poucos talvez recordem, mas o time croata fez história em 1998, na Copa realizada na França, vencendo a decisão pelo terceiro lugar, batendo a Holanda. Antes, havia vencido a Alemanha nas quartas-de-final. O jogador Davor Suker levou a ‘Chuteira de Ouro’ após marcar seis gols na competição. A campeã foi a França, após vitória arrasadora contra o Brasil, 3 a 0. Mas, nos torneios seguintes, a Croácia não brilhou tanto. Na Copa de 2002 e na Eurocopa de 2004, não conseguiu passar nem da primeira fase. Hoje, mesmo sem ter a força que tinha há oito anos, ainda assim conseguiu ótima campanha nas Eliminatórias Européias, vencendo oito dos dez jogos que disputou. Não sofreu gols em ao menos seis deles, e encerrou a sua par-

ticipação de forma invicta, terminando à frente de seleções tradicionais, como Suécia, Hungria e Bulgária. Ou seja, o time da Croácia é bom, e a meta para o mundial, segundo o técnico Zlatko Kranjcar, é alcançar as quartas-de-final. Para isso, a seleção aposta na habilidade de jogadores como Weder Bremen e Ivan Klasnic. O destaque é o atacante Dado Prso, que joga pelo Glasgow Rangers, da Escócia. Na opinião da mídia daquele país, os croatas são reconhecidamente donos de boa técnica e domínio de bola. No entanto, o ponto forte é o sistema defensivo, que conta com jogadores experientes, como Robert Kovac, da Juventus de Turim. Em agosto do ano passado, os croatas enfrentaram a seleção brasileira, em amistoso na cidade de Split, na Croácia, e o resultado foi o empate em 1 a 1. O gol do Brasil foi marcado por Ricardinho. Para junho próximo, talvez, Croácia e Brasil façam a partida mais equilibrada do grupo F. Fábio Amaro é jornalista e escritor, autor do livro “Capas da Copa”


ESPORTES

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 31

Marcelinho depende da MSI para jogar no Corinthians Agência Estado

Após o anúncio da assinatura de contrato entre Marcelinho Carioca e Corinthians, o presidente da MSI, Kia Joorabchian, contrário ao acerto, preferiu não se pronunciar sobre o assunto. Segue em conversas com os investidores do fundo de investimentos em Londres, onde também está o presidente corintiano, Alberto Dualib. Especialistas em direito esportivo ouvidos pela Agência Estado garantem que, de acordo com o contrato de parceria, assinado no fim de 2004, desde que não entre na operação dinheiro da MSI, há sim a possibilidade de o Corinthians contratar um atleta. Kia, no entanto, tem total direito de impedi-lo de jogar na equipe ou até mesmo proibir sua participação nos treinamentos. “Se o Dualib resolve trazer um funcionário qualquer, não há o menor problema, mas esse funcionário só poderá ser utilizado no futebol com a

Marcelinho foi contratado pelo Corinthians mesmo sem autorização da MSI.

anuência do Kia”, comentou o advogado Marcílio Krieger. No cláusula 4.3 do contrato, o texto é direto: “A MSI Licenciamentos e Administração Ltda. estará autorizada a administrar e gerenciar, com exclusividade, o

Departamento de Futebol, sendo exclusivamente responsável pelos seus atos.” Krieger acrescenta: “Repare que eles são donos do Futebol, mas não do Departamento Financeiro. Portanto, há a brecha para o clube fazer um acordo com um jogador, nada o impede. Se ele vai jogar ou não, é outra história”.O advogado Domingos Zainaghi lembra que a inscrição de um jogador só pode ser feita pelo clube. “A Confederação não reconhece a MSI, mas sim o Corinthians”, afirmou. Se Kia não resolver admitir a derrota, poderá buscar ainda o rompimento do contrato de parceria. “Mas não vejo que seja esse o caso. Não houve uma quebra do acordo, ao meu ver”, disse Zainaghi.Até o fim da tarde de quarta-feira, 22, a MSI ainda não havia sido comunicada oficialmente sobre o reforço. Divulgou apenas um comunicado oficial: “Em nenhum momento, a empresa, o Departamento de Futebol ou a comissão técnica foram informados sobre a contratação.”

REDAR ESPORTIVO

São Paulo na liderança Durou três horas a liderança do Palmeiras no Campeonato Paulista. O São Paulo assumiu a ponta da classificação do Estadual ao derrotar o Mogi Mirim na noite de quarta-feira, 22 por 3 a 0. Sob chuva, a equipe se empenhou apenas no segundo tempo e conseguiu a vitória sem passar por grandes sustos.

Botafogo vira no Maracanã O Botafogo goleou, de virada, o Operário-MS, por 5 a 1, na noite de quarta-feira, 22 no Maracanã, e se classificou à segunda fase da Copa do Brasil. Por ter vencido a primeira partida por 2 a 1, o time carioca poderia até ter perdido por 1 a 0

Vasco goleia e Romário mais perto dos mil gols Em uma partida onde o Vasco esbanjou determinação e aplicação em busca da vitória, o time carioca se classificou à próxima fase da Copa do Brasil ao golear o frágil Botafogo-PB, por 7 a 0, na noite de quarta-feira, em São Januário. O bom desempenho dos vascaínos, com direito a três gols de Romário, surpreendeu sua torcida, já que há um mês a equipe carioca não vencia por causa das sucessivas más atuações. Para tentar modificar o desempenho da equipe, o técnico do Vasco, Renato Gaúcho, barrou durante a semana três jogadores do setor defensivo. Além disso, o presidente do clube Eurico Miranda reuniu o elenco e cobrou de todos melhores exibições. Parece que as cobranças deram resutado.

Palmeiras derrota Juventus O Palmeiras levou um sufoco, mas derrotou o Juventus por 4 a 3, na quarta-feira, 22, no Estádio Palestra Itália. Com a complicada vitória, a equipe tem 23 pontos. O Palmeiras chegou aos mesmos 10 jogos que as demais equipes do campeonato. O São Paulo, líder, tem 11 partidas jogadas.

Corinthians fica no empate O Corinthians tropeçou pela Copa Libertadores ao empatar por 2 a 2 com o Universidad Católica na quarta-feira, 22, em pleno Estádio do Pacaembu. Com o ponto conquistado, o time do técnico Antônio Lopes chega aos quatro pontos, empatado com o próprio adversário chileno.

Santos se classifica O Santos se classificou para a segunda fase da Copa do Brasil ao derrotar o fraco Sergipe por 3 a 0 na noite de quarta-feira, 22, na Vila Belmiro. Na próxima fase, a equipe enfrenta o URT, de Minas.

Luxemburgo veta carnaval no Santos Agência Estado Vanderlei Luxemburgo já avisou seus jogadores no Santos: este ano, não terão carnaval. “Vamos ficar mais concentrados do que extrato de tomate”, disse ele, lembrando que o time vai ter vários jogos em casa e precisa aproveitar essa fase para consolidar a liderança do Paulistão. “Se alguém quer ganhar alguma coisa em sua vida, tem que se sacrificar”, comentou. “Eu também gosto de samba, gosto de desfilar mas, infelizmente, não vai dar, pois não dá para brincar carnaval e pensar em ganhar campeonato; ou se pensa numa coisa, ou em outra”. O jogo contra o São Caetano será na quarta-feira de Cinzas e no domingo haverá o clássico contra o Palmeiras. “É um momento importante esse e os jogadores vão ter que cancelar o carnaval. Nós somos profissionais e essa é uma realidade de futebol”. Se Luxemburgo exige o máximo de seus jogadores, quer o mesmo dos torcedores. O clube decidiu fazer uma promoção para o jogo de amanhã, com ingresso a R$ 5 e o treinador comentou. “Convoco o torcedor porque é a passagem para a fase seguinte ou não”. Para o técnico, “depois que o jogo terminar, o torcedor tem todo o direito de vaiar, criticar e de cobrar, mas dentro dos 90 minutos, tem de acompanhar e correr junto com a equipe.”


EDUCAÇÃO

32 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Música no dia-a-dia Aprendizado musical é oportunidade de promover cultura e benefícios para a saúde do corpo e da mente. É crescente o número de imigrantes que se matriculam em escolas particulares. Por Juliana Melo

Quando a recepcionista Lúcia Helena Santos matriculou sua filha Júlia, de nove anos, numa escola na cidade onde mora, em Massachusetts, ela temia que a garota não se adaptasse ao modelo de ensino americano. Para sua sorte, enganou-se. Júlia se enturmou rapidamente e demonstrou grande interesse pelas aulas de música, ministradas em turma. O prazer exibido pela garota ao contar sobre as aulas, estimulou Andréa a procurar uma escola particular. Apesar da pouca idade, Júlia escolheu aprender violino e já sabe o que quer ser quando crescer: quer fazer parte de uma orquestra. Andréa imigrou para os Estados Unidos há quatro anos e não teve a mesma oportunidade de sua filha. Tem poucos conhecimentos musicais e nunca se inte-

ressou em aprender a tocar um instrumento, no entanto, considera que a música é um fator importante para inserir Júlia na cultura americana. “Diferentemente do Brasil, aqui há professores que despertam as crianças para a musicalidade e estimulam os pais a buscarem uma escola”, fala. A brasileira faz parte de um grupo crescente de pais imigrantes que se preocupam com a formação das crianças e as matriculam em escolas particulares. Mesmo sem saber ao certo quais os benefícios que o aprendizado musical promove, gostam da postura de seus filhos de “levar as aulas a sério”. Em muitos casos, a música serve também como um incentivo para que crianças e jovens participem da vida religiosa. “Meus dois filhos adolescentes, de 13 e 15 anos participam da banda que toca na igreja da qual faço parte. Sempre os incentivei a aprender a tocar e não meço esforços para que eles participem, afinal, é melhor tê-los por perto, fazendo o que gostam, num ambiente saudável, Aprendizado musical integra crianças brasileiras à do que perdê-los para amizades cultura americana e traz inúmeros benefícios. não muito confiáveis”, afirma Lourdes Pereira, de Connecticut. Lourdes não é a única. Segundo Mateus Elique de Souza, professor do Paganini Institute, 70% dos alunos da escola são evangélicos. Mas para ele, a religião não é o único fator que leva tantos jovens a procurarem pela formação musical: a condição financeira das famílias nos Estados Unidos colabora muito. Sua opinião também é defendida pelo professor de piano Sérgio Chiacchio. “No Brasil, as aulas particulares de música são para as classes mais privilegiadas, já aqui, as pessoas têm mais condições. O ensino musical é valorizado pela cultura americana e pelos imigrantes”, opina.

Muito mais que cultura Para os adultos, música quase sempre é sinônimo de lazer e relaxamento. Mas para as crianças têm benefícios que vão além da questão cultural. “A educação musical favorece a disciplina, a concentração, a coordenação motora e desenvolve os sentidos”, diz Chiacchio. Segundo Mateus Elique de Souza, o aprendizado musical faz com que a criança melhore sua forma de falar e entender o significado de cada palavra, favorecendo uma alfabetização mais rápida. “A música favorece a concentração e melhora a capacidade de aprendizagem em matemática, por exemplo”, diz. Ele ressalta que o Paganini Institute possui um curso de musicalização infantil, para crianças a partir de 2 anos de idade. A Musicalização Infantil, de dois a cinco anos, visa despertar e desenvolver o gosto musical, através da construção do conhecimento musical, contribuindo na formação global da criança. “O “fazer musical” tem que ser prazeroso, mas exige disciplina. Leva ao desenvolvimento da atenção e da concentração, melhorando o desempenho em outros setores, como no aprendizado de novos idiomas, habilidade com números e cálculos (raciocínio lógico), além da destreza manual (como no caso dos cirurgiões que estudam um instrumento musical para desenvolver a imprescindível motricidade fina). É o que chamamos de inteligências múltiplas”, explica. De acordo com Walter Howard, autor de “A música e a criança”, educar é despertar. E os resultados dos estudos apontam que crianças “despertadas” mais cedo apresentam aumento da destreza manual, tornando-se observadoras, rítmicas e falantes. “Quanto mais cedo a criança é exposta ao meio musical, mais cedo capta o sentido da música. É como uma criança que aprende dois idiomas ao mesmo tempo”.

Para todas as idades Engana-se quem pensa que há idade certa para aprender a tocar um instrumento musical. “Uma criança vai assimilar mais fácil porque tem menos informações e preocupações, além de poder exercitar mais. Entretanto, não importa a idade, os adultos também têm condições de aprender e sentirão diversas coisas boas com a prática musical”, avalia Sérgio Chiacchio. A professora Elisa Garcia separou algumas horas de sua concorrida agenda semanal para se dedicar às aulas de teclado com um professor particular. “Comecei a estudar há dois anos. Tem sido muito importante para relaxar”, fala. Elisa procurou o aprendizado para desviar sua atenção de problemas que estava vivendo no dia-a-dia. “Estava passando por um período complicado, em que minha família passava por problemas no Brasil, en-

tão procurei uma atividade que fizesse minha cabeça desligar daquilo tudo. Me apaixonei e nunca mais parei de tocar”. Quem olha o enfermeiro Alex Barros não imagina que ele é baterista de um grupo de rock nas poucas horas vagas que lhe sobram. O paulista retornou ao Brasil no ano passado, depois de viver sete anos em Nova York. Nos Estados Unidos, foi incentivado por amigos e formou uma banda, por puro entretenimento. “A maioria dos meus amigos americanos sabiam tocar algum instrumento. Me animei com a idéia de extravasar a energia nas horas de folga com a música e aprendi a tocar bateria. Hoje, isso faz parte da minha vida”, conta.


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 33


34 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 35


36 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


DINHEIRO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 37

Dólar em queda atrapalha planos dos imigrantes Desvalorização da moeda faz com que brasileiros adiem planos de retorno e tenham que se desdobrar para aumentar as remessas aos familiares. Por Juliana Melo

A notícia divulgada no início desta semana de que o dólar poderá chegar a R$ 1,80 assustou os imigrantes. A variação cambial é A queda dólar fez com que o casal Willian Rodrigues e motivo de preocupação sua esposa adiassem o retorno para o Brasil. para muitos brasileiros que foram obrigados a rever seus planos e re- com a depreciação. Por enquanto, diz o jovem, está valendo a pena permanecer messas desde o final do ano passado. O representante comercial Edson nos Estados Unidos. “Pretendo voltar Zanetti faz parte desse grupo. Ele faz re- dentro de um ano. Só anteciparia meu messas regulares para o Brasil, onde sus- retorno se a moeda ficasse um por um. tenta sua esposa e dois filhos. Com a des- Mesmo com a variação cambial, com a valorização da moeda norte-americana, elevação do custo de vida e com outros pediu ao seu filho que trancasse o curso reflexos da economia, continua valendo de direito numa faculdade particular e está a pena”, completa. contando com a colaboração da família Investimentos seguros na contenção de despesas. “Não posso trabalhar mais, porque não há tempo; enHá poucos meses, Willian Rodrigues tão, a saída é reduzir as despesas no Bra- mandou um volume grande de dólares sil para que o dinheiro que remeto conti- para que seus familiares fizessem uma nue rendendo”, afirma. aplicação bancária. Fez a escolha certa. O motivo de tanta preocupação é jusDe acordo com o economista Flávio tamente esse: a maioria dos imigrantes Augusto Guilherme Jr., em tempos de preenche todos os horários com diversos desvalorização cambial, investimentos no trabalhos. Se há alguns meses, as famíli- mercado financeiro são as alternativas as recebiam US$ 1 mil e tinham R$ 2.700 mais seguras para garantir um rendimenem mãos, hoje esses mesmos dólares va- to mensal. “Dentre os produtos oferecilem pouco mais que R$ 2.100. A desva- dos pelos bancos brasileiros, o CDB prélorização de R$ 600 quase sempre reflete fixado é um dos que tem taxas mais atraem contas atrasadas, novos parcelamentos tivas para quem não quer perder dinheie adiamento de projetos pessoais. ro. Guardar dólares pode ser um mau neO mineiro Willian Rodrigues veio para gócio. O melhor a fazer é aplicar o diNova York com sua esposa para ganhar nheiro em poupança, CDB e até na bolsa dinheiro, pagar dívidas contraídas no Bra- de valores, sempre observando as taxas, sil, estruturar um empreendimento próprio remuneração e riscos”, opina. que deixou no País e fazer novos investiO dólar em baixa não afeta apenas o mentos. Com a desvalorização cambial orçamento pessoal dos imigrantes. As está vendo os projetos de retorno serem construtoras que vendem imóveis em ciprotelados. “Nossa idéia era ficar uns dois dades onde há parentes de brasileiros que anos e voltar. No entanto, esse projeto está vivem no exterior também estão sentinsendo adiado. À medida que a moeda cai, do a desvalorização. Na região leste de ficamos apreensivos e vamos segurando Minas foram lançados 10 empreendimenas reservas, esperando que o dólar se valo- tos no ano de 2004 contra apenas quatro rize em relação ao real. Se nada acontecer, no ano passado. O culpado, segundo os o jeito vai ser investir, antes que a gente analistas, é o dólar. “A depreciação da perca mais dinheiro”, analisa. moeda trava setores da economia que Willian tem algumas despesas men- dependem de remessas de dólares. Cada sais no Brasil e sentiu no bolso a queda vez que acontece isso, cidades inteiras no do dólar. “Tive que mandar mais dólares interior do Brasil sentem a desaceleração para pagar essas contas”, diz. Para sua econômica”, ressalta o economista. sorte, na mesma época em que a moeda Para as empresas que fazem remescomeçou a desvalorizar, ele conseguiu um sas, o período é excelente para os negócinovo emprego no período noturno. Isso os. “Começamos a sentir que os imigranestá compensando o prejuízo que teve tes aumentaram o valor remetido aos seus

familiares no início do ano. Com a queda, a tendência é que muitas pessoas compensem a desvalorização, enviando mais dólares para o Brasil”, disse a atendente de uma loja em Massachusetts, que preferiu não se identificar.

Variação e oportunidades Empresas com negócios em território americano e funcionários no Brasil também sentiram a desvalorização do dólar. Quem paga em real teve que rever alguns custos para equalizar as contas. O diretor de vendas da Bravo!Ip Telefonia, Isaac Santos, comenta que apesar de ter negócios no Brasil, a queda da moeda não afetou as operações da empresa. “90% das nossas despesas estão no Brasil, mas a maior parte da nossa receita também vêm dos clientes de lá”, comenta. Apesar disso, Isaac considera que quem trabalha com duas moedas deve ter um bom planejamento para não so-

frer com as variações, ou aproveitar as oportunidades que a oscilação pode proporcionar. É o que fez o professor de inglês e empresário Luciano Gouveia. Depois de viver três anos nos Estados Unidos e juntar alguns mil dólares, ele deixou o País num momento em que o real estava bastante desvalorizado. Voltou para São Paulo e abriu a franquia de uma escola de inglês. “Foi a melhor coisa que fiz. Realizei o sonho de me tornar um empresário e apliquei muito bem o dinheiro poupado com muito esforço”, lembra. Os especialistas recomendam cautela nesse momento. Para quem faz remessas regulares, o melhor é procurar uma agência que tenha taxas fixas. Outra recomendação é planejar os gastos e conversar com a família que recebe dinheiro no Brasil. Se não é possível aumentar a receita, reduzir as despesas é palavra de ordem para quem se preocupa com a saúde das finanças.


38 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

GUIA DE IMÓVEIS

Construção de casas supera as expectativas Da Redação

O mercado imobiliário americano está experimentando um dos melhores momentos das últimas décadas. A atividade de construção de casas cresceu 14,5% no mês de janeiro, subindo mais do que o esperado nos últimos 33 anos. O índice foi o maior incremento desde março de 1973 e o ganho percentual mais expressivo em quase 12 anos. Os números contrariam as expectativas de que o setor de construção civil estaria em desaceleração. Os dados apontam que em janeiro a construção de casas novas chegou ao patamar de 2,276 milhões de unidades, em termos anualizados, de acordo com o Departamento de Comércio norte-americano. O aumento percentual refletiu não só a força do negócio imobiliário, mas também um mês de inverno moderado que permitiu os trabalhos de construção. Analistas haviam estimado um avanço ligeiro da construção para 202 mil milhões, mas

maioria dos especialistas do setor calculavam que chegaria a 2,02 milhões em janeiro. A construção foi 4% maior neste ano, em relação ao mesmo período de 2005. Segundo o Departamento do Comércio, as permissões para construção cresceram 6,8%, para uma taxa anual ajustada de 2,217 milhões. Essas concessões indicam a atividade futura na indústria e aumentaram 3,8% em reOs bons índices registrados pelo mercado imobiliário em janeiro são lação a janeiro de 2005. Para investidores, os resultado do inverno ameno e da atividade econômica americana. números são indicadores os números saíram melhores do que as previ- de que a desaceleração imobiliária será menos sões. No final do ano passado, o início de intensa do que se comenta. Analistas prevêem, obras residenciais teve um ritmo anual de no entanto, que o mercado imobiliário sofrerá 1,988 milhão de unidades. Nesse cenário, a oscilações ao longo do ano.

Vendas de novos e usados Não é apenas no setor de construção que o mercado norte-americano tem apresentado bons resultados. A venda de imóveis novos e usados registram recordes por cinco anos consecutivos, como efeito das baixas taxas das hipotecas. Mas o aumento de juros efetuado pelo Banco Central Americano poderá fazer com que as taxas sofram elevação, interferindo no mercado. Os analistas temem que caso a demanda caia, os preços despenquem, causando o estouro da bolha especulativa formada nos últimos anos. O efeito poderia ser uma recessão no país. O presidente do Fed, Ben Bernanke, afirmou que o mercado imobiliário deve registrar um “pouso suave”, e não uma queda brusca neste ano. A construção de casas é um indicador importante de forma indireta, já que um ritmo elevado de construção significa mais postos de trabalho e maior procura de ferramentas e materiais de construção e para o lar.


GUIA

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 39


40 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

GUIA


CLASSIFICADOS

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 41

PRECISA-SE DE AJUDANTE C/ CARTEIRA P/ TRABALHAR COM REPAROS DE PISCINAS NA REGIAO DE KEARNY - NJ Tratar c/ Nivaldo Tel: (201) 246-80-07. PRECISA-SE de balconista e delivery para trabalhar em NEWARK - NJ - TEL: (973) 589-00-11 PROCURA-SE SENHORA P/ CUIDAR DE 2 CRIANÇAS E para morar no emprego em Philadelphia - PA. As interessadas devem ligar p/ Tel: (856) 979-22-44. COMPANHIA DE CARPET EM SOMERVILLE PRECISA: Ajudante para instalação de floorings, exige-se drive licence de Massachusetts Contato Cell: (781) 443-50-56

PRECISA-SE DE 2 BRASILEIROS PARA TRABALHAR EM VENDAS NA ÁREA DE MANHATTAN. Interessados ligar para: (212) 302-00-54.

PROCURO POR UMA AMIGA QUE MORA EM NEW JERSEY Romilde Santina. Agradeceria se tivesse alguma noticia. Telefone : (51)3368-4906 -E-mail: hellensimon@hotmail.com

VENDE-SE 2 LOTES CONJUGADOS EM GOVERNADOR VALADARES - MG No Bairro Cidade Nova, localizado de frente para a cidade. Interessados ligar para: (954) 336-94-93 ou no Brasil: 011 (55) 33 - 3277-7732.

IMÓVEIS NA REGIÃO DE GOVERNADOR VALADARES

APARTAMENTO Aptº 2 qtos Ótimo local - BAIRRO SÃO PAULO PARTE ALTA R$85.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDJ48 Aptº de cobertura Luxo, vaga p/3 carros CENTRO. R$650.000,00. Ligue: 1-877223-2990 CDJ29 Aptº cobertura 4 suítes - CENTRO R$220.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ30

ALUGA-SE QUARTO EM SOMERVILLE - MA. Para uma ou duas pessoas na Highland Avenue em Somerville - MA Tel: (617) 504-74-62 ou (617) 776-48-15.

Aptº 2 qtos 2 qtos(suíte) novo acabamento de primeira qualidade próximo Coelho Diniz - GRÃ DUQUESA R$85.000,00. Ligue: 1877-223-2990 CDJ20 KITINET GRÃ DUQUESA R$50.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDE53 KITINET Acamp. vale. Próx shopping R$55.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE54


42 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

TURMA DA Mテ年ICA


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | 43


44 | 23 DE FEVEREIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


047