Page 1

BRAZILIAN NEWSPAPER T H E

B R A Z I L I A N

N E W S P A P E R

ANO I - Nº41 | www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006

“FORA IMIGRANTES” A imprensa americana considerou um fracasso o protesto nacional organizado pelo Minutemem, a patrulha de voluntários civis criada para vigiar a fronteira com o México. Nas cidades onde os manifestantes se reuniram, faixas e gritos de protesto pediam mais ação do Governo contra os ilegais. O “Pare a Invasão” que deveria acontecer em 20 estados, não se confirmou, mas para os analistas e entidades que lutam pelos imigrantes, mesmo em pequeno número, a ação dos conservadores pode contribuir na decisão de se votar mudanças na legislação federal. Imigração 24 - 25

Trabalho sem lucro Ficar muitas horas na empresa, levar trabalho para casa e não ter momentos de lazer e descanso são os ingredientes perfeitos para uma crise de estresse. Para os trabalhadores compulsivos, o alerta de perigo pode chegar por meio de um simples torcicolo ou gerar problemas graves como um Derrame Cerebral. Reduzir o ritmo pode prolongar a vida e garantir mais lucro para o corpo. Saúde 13

Imigrante não é criminoso Padres, advogados e intelectuais não acreditam que o Senado americano irá aprovar a proposta que pode transformar imigrantes ilegais em criminosos. As entidades que defendem os indocumentados também não acreditam que a proposta irá ser colocada em prática. Enquanto uma resposta definitiva não che-

ga conheça todos os detalhes do “HR4437 – The Border Protection, Antiterrorism, and Illegal Immigration Control Act of 2005”. Para os trabalhadores que vivem nos Estados Unidos sem autorização, a aprovação da medida tornaria praticamente impossível a vida na ilegalidade. Imigração 21

Justiça e liberdade Longe do

Ao lado de tantos protestos contra os imigrantes, no próximo dia 16, os americanos vão relembrar os 38 anos da morte de um dos militantes mais importantes na luta contra o preconceito racial. Em 1968, Martin Luther King foi assassinado com um tiro no rosto. Pastor Batista, King defendia a não violência contra os opositores. Sua vida marcou para sempre a história dos Estados Unidos. História 15

símbolo sexual

Onde trabalhar nos EUA?

O estereótipo de um país onde as mulheres são “liberadas” na vida sexual se transforma em problema para as brasileiras que escolhem viver em outro país. Há muitos anos, o Brasil é destaque no mundo apenas com fotos de mulatas quase nuas no Carnaval ou mulheres de biquínis nas praias tropicais. A imagem distorcida é um desafio a mais para ser vencido. Leia em Comportamento 14

Quem decide viver como imigrante nos Estados Unidos logo aprende uma verdade. A vida no Brasil tem de ser deixada para trás e uma nova história começa. Trabalhar na mesma profissão brasileira é um privilégio para poucos. Para ganhar os sonhados dólares, o negócio é arregaçar as mangas e aceitar o que vier pela frente. Com simplicidade e inteligência, muitos transformam o que seria “humilhação” em um grande negócio. Vale até, maquilagem em defunto! Cotidiano 14


2 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


OPINIÃO

ÍNDICE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 |3

EDITORIAL

BRAZILIAN NEWSPAPER T H E

03 .......... OPINIÃO 04 e 05 . BRASIL 06 .......... ESTADOS UNIDOS 07 .......... MUNDO 08 .......... RADAR NATIONAL 12 .......... COZINHA SAUDÁVEL 13 .......... SAÚDE 14 .......... COMPORTAMENTO 15 .......... HISTÓRIA 16 e 17 BASTIDORES 18 .......... AGENDA 19 .......... LAZER 20 .......... AMÉRICA EM FOCO 21 a 25 . IMIGRAÇÃO 26 a 28 . ESPORTE 29 .......... COTIDIANO 30 .......... ECONOMIA 31 .......... NEGOCIOS 32 e 33 ARTIGOS 37 a 39 GUIA DE IMÓVEIS 40 .......... GUIA DE NEGÓCIOS 41 .......... CLASSIFICADOS 42 .......... TURMA DA MÔNICA

CHARGE

Dois homens e seus ideais Ariel Sharon está a beira da morte e as expectativas para a sua ausência são as piores possíveis, pois ele é um dos fiadores da paz e das negociações com os palestinos. Embora seja considerado por muitos um herói de guerra, guardião do Estado de Israel e um soldado disposto a tudo pela defesa da sua terra e da sua gente, é tido também como um assassino cruel que não mede esforços para infligir ao inimigo a mesma dor que ele sente. Guardadas as devidas ressalvas e reservas, Ariel Sharon é um homem do seu tempo, com fortes convicções nacionalistas e morais, que deixou a farda de general para militar no campo da política, onde nem sempre a diplomacia é a melhor arma. Analistas internacionais estimam que a lacuna da sua ausência não será tão cedo preenchida por ninguém com o carisma dele. Mesmo o presidente palestino Mahmoud Abbas reconhece que o primeiro-ministro israelense é um duro, porém leal negociador. Somente alguém como Sharon poderia contrariar a sua gente e mandar desocupar os territórios na Faixa de Gaza, onde os israelenses es-

www.chargedodia.com.br

tavam desde 1967, simplesmente porque ele havia combinado isso nas sempre tensas negociações de paz com os palestinos. E como nunca os judeus espernearam, saíram todos, pois era deste modo que deveria ser. Sharon, como ninguém, viveu pelas armas e sabe como poucos que as armas é que garantem a sobrevivência física do seu país, num dos lugares mais hostís do planeta. Ele fez disso o seu ideal, sendo herói e vilão ao mesmo tempo. Como cada tempo tem os seus homens de destaque, independente dos métodos que utilizam para obter os seus objetivos, não é possível esquecer de Martin Luther King, que é retratado em matéria especial nesta edição e lembrado no próximo dia 16, principalmente nos Estados Unidos, como um campeão da paz, que usou as palavras como meio de persuasão. Martin Luther King, que era pastor batista em Montgomery, Alabama, sabia que a única forma de conseguir a liberdade definitiva dos negros era falando para o mundo das profundas desigualdades a que o seu povo era submetido no País. Foi falando que ele conquistou amigos, seguidores e correligionários, ao mesmo tempo que colecionou desafetos que queriam – e conseguiriam – matá-lo, embora a sua mensagem fosse pacifista. Impassível, mesmo diante de inimigos poderosos, que o pressionavam o tempo todo, King sabia que uma palavra ou gesto seu poderia incendiar literalmente o Sul dos Estados Unidos, a exemplo dos que colocaram fogo na sua casa. Ao optar por uma mensagem pacifista e bater sempre na mesma tecla – a das liberdades civis – ele tinha a perfeita noção de que cedo ou tarde o outro lado cederia, pois uma vez exposto, já não mais poderia discriminar, perseguir, maltratar e matar negros impunemente. Ele seria – e foi – a voz que incentivaria os protestos dos moderados e acalmaria os nervos dos radicais. King oube como ninguém cumprir o seu papel num frágil sistema que não tolerava a diversidade racial. É por esse motivo que estes dois homens são tão parecidos nos ideais e antagônicos nas atitudes e fins que motivaram as suas idéias. Tanto um – King, quanto outro – Sharon, marcaram época no tempo. King, deixou saudades. Se Sharon vai deixar, só o tempo dirá.

B R A Z I L I A N

N E W S P A P E R

DIRETORES Pablo Melo Beatriz Leitzke EDITORES Carlos Viana Karine Porcel JORNALISTAS Juliana Melo Jehozadak Pereira DIAGRAMADOR Carlos Renato Rodrigues ARTE Danilo Lisboa ILUSTRAÇÃO Laércio EQUIPE COMERCIAL Florida Artur Rodrigues Nídia Saba Mario Júnior Massachusetts Edson Zanetti Julio Bernardes New Jersey Alessandra Poletti Jaqueline Santos Pennsylvania Ronaldo Clementino Georgia Paulo Pinheiro Juliana Pinheiro FOTOS INTERNACIONAIS Reuters Associated Press FOTOS NACIONAIS Agência Estado e Parceiros SERVIÇO DE NOTÍCIAS DO BRASIL Com autorização da Agência Estado National The Brazilian Newspaper is published by BR MEDIA LLC 720 Anderson Ave Cliffside Park - 07010 New Jersey (973) 755-1555 Toll Free 1-866-80-27272 Florida (305) 735-3943 Massachusetts (508) 532-0693 NY - CT - PA e outros estados (973) 954-2340

SUGESTÕES E PAUTAS: news@brmedia.net


BRASIL

4 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Diretor do FMI elogia Brasil e acredita em crescimento de 4% WILSON DIAS/ABR

Ele lembrou que, há cerca de três anos, o País passava por uma grande crise de confiança, e muitos achavam que o País declararia uma nova moratória. “Três anos depois, que diferença!”, constatou. Por Fredy Krause

O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional, Rodrigo de Rato, previu que, em 2006, o Brasil, beneficiando-se da conjuntura internacional favorável, poderá alcançar um crescimento de 4% de sua economia, aumentar o emprego e reduzir a taxa de juros. Esta perspectiva de crescimento é menor do que a previsão anunciada no final do ano passado pelo presidente Lula, de “5% ou mais”. Entretanto, segundo ele, o Brasil pode fazer ainda mais. Lembrando que o País deixou para trás um longo período de instabilidade, ele disse que não haverá mais

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cumprimenta Palocci durante encontro com o diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Rodrigo de Rato.

pacotes e recomendou que o Brasil continue seguindo a política traçada pelo governo, lembrando que muitos brasileiros ainda vivem na pobreza. Ele recomendou ao País continuar no compromisso do governo Lula de reduzir a dívida pública e de alongar o seu perfil, bem como que continue a baixar as taxas de juros. Segundo Rato, isso é

necessário para que o país enfrente os seus desafios: a consolidação da estabilidade na economia e o aumento da poupança para aumentar o nível de emprego e do crescimento produtivo. Por outro lado, opinou que seria bom dar mais autonomia operacional ao Banco Central na condução da política monetária. Em seu pronunciamento, de Rato lembrou que, há cerca de três anos, o País passava por uma grande crise de confiança, e muitos achavam que o País declararia uma nova moratória. “Três anos depois, que diferença!”, constatou, lembrando que o País conseguiu, “de forma significativa, uma situação extraordinária”, elevando os níveis de confiança e reduzindo o risco a um dos níveis mais baixos de sua história.

O diretor do FMI lembrou que as exportações do País dobraram desde 2002 e as reservas externas estão num patamar mais confortável, o que permitiu ao País quitar sua dívida restante de cerca de US$ 15 bilhões com o FMI com dois anos de antecedência. O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, disse que o pagamento antecipado da dívida de cerca de US$ 15,5 bilhões do Brasil com o FMI foi uma decisão madura, sustentada em fundamentos sólidos da economia, e não pode ser interpretada como uma possibilidade de mudança da política econômica. Palocci ressaltou que o Brasil deve melhorar o perfil de sua dívida externa e a qualidade dos investimentos públicos em infraestrutura. Esses investimentos, na opinião de Palocci, garantirão um crescimento maior para a economia.

Pessimistas estavam errados, diz Lula

O presidente Lula disse que o Brasil mostrou que os pessimistas estavam errados em suas avaliações sobre o futuro do País. Ele afirmou que os países membros do Fundo estavam certos ao apostar no Brasil e celebrar um acordo com o País em 2002 em momento de dificuldade econômica. Segundo o presidente, os resultados da política implementada pelo governo são palpáveis para a população mais pobre, tanto da cidade quanto do campo.

Mais uma conta de Duda no exterior Agência Estado

A Polícia Federal confirmou a existência de uma segunda conta no exterior em nome do publicitário Duda Mendonça, ex-marqueteiro do Palácio do Planalto. A notícia foi transmitida oficialmente pelo Ministério Público dos Estado Unidos ao procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, que pediu à PF para convocar o publicitário para prestar novo depoimento, tão logo cheguem dados mais detalhados sobre a conta e seus abastecedores. Também será convocada para depor a filha do publicitário, Eduarda, que teria tentado sacar os recursos na agência bancária de um banco em Miami, no ano passado. A PF quer saber a origem do dinheiro e, se ficar constatado que a fonte é o mesmo caixa 2 operado pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza para

pagar contas do PT, chamado “valerioduto”, pedirá pela segunda vez a prisão preventiva de Duda. Operações suspeitas A descoberta dessa segunda conta no exterior pode ser o destino de parte da movimentação bancária de Duda. O jornal O Estado de S. Paulo revelou na semana passada que a CPI dos Correios rastreou R$ 377 milhões em operações “suspeitas” na conta de uma das empresas do publicitário. Essas operações começaram em agosto de 2003, quando Duda assinou contrato de publicidade com o Palácio do Planalto. Os valores individuais das transferências são impressionantes. O levantamento revela que 104 operações envolveram mais de R$ 1 milhão. Os dados bancários mostram que a Duda Mendonça Associados transferiu R$ 12,7 milhões para um beneficiário não identificado via “payments”.


BRASIL

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 5

General diz que missão no Haiti será cumprida ROOSEWELT PINHEIRO/ABR

Por Carolina Pimentel

Na cerimônia em homenagem ao general Urano Bacellar na Base Aérea de Brasília, o comandante do Exército, general Francisco Albuquerque, garantiu que a Missão de Paz das Nações Unidas no Haiti, liderada pelo Brasil, será cumprida. De acordo com Albuquerque, os soldados brasileiros não vão desanimar por causa da morte do general Bacellar, que comandava as tropas militares da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah) desde setembro de 2005. O militar foi encontrado morto no último sábado no hotel onde morava em Porto Príncipe, ca- O presidente Lula e o vice José Alencar participaram da cerimônia em homenagem ao general Urano Teixeira da Matta Bacellar. pital haitiana. “A missão será cumprida A Organização das Nações Unidas como todas as que nos foram impostas. Não cito. E acrescentou: “Temos a certeza de que nos abateremos. Pelo contrário, sentimo-nos essa perda tão sentida há de estimular ainda (ONU) pediu que o governo brasileiro infortalecidos em nossa vocação de guerrei- mais a fé e a vontade de continuar bem, dicasse dois nomes para substituir o general Bacellar. ros da paz”, afirmou o comandante do Exér- cumprindo essa missão desafiadora”.

Para Aécio, candidato do PSDB deve ser nome de consenso

O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, defendeu que deve ser consenso no partido o nome do candidato que irá disputar a Presidência da República. Para ele, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o prefeito de São Paulo, José Serra são qualificados para vencer as eleições. “É preciso que os candidatos estejam preparados para disputar, mas nesse momento, devem estar preparados para abrir mão, para ceder, no caso de não ser o indicado pela maioria do partido”. O governador de Minas considerou como “previsível” a decisão de Alckmin de anunciar antecipadamente sua intenção de se desincompatibilizar do cargo de governador para disputar a candidatura do partido à presidência. “Qualquer um que queira disputar as eleições presidenciais, que não seja o presidente da República e ocupe mandato eletivo, tem que se desincompatibilizar até o dia 30 de março”, lembrou. O governador mineiro declarou que ainda não decidiu se irá disputar a reeleição no Estado e que, por enquanto, continuará “observando o quadro”.


6 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

MUNDO

América Latina pede aos EUA mais respeito pelos imigrantes Num documento assinado na última segunda-feira, os ministros das relações exteriores de dez países da América Latina pediram aos Estados Unidos que faça a reforma imigratória, respeitando os imigrantes, que “não são nem devem ser tratados como criminosos”. No texto, os chanceleres apontam como “um elemento essencial para obter processos migratórios legais, seguros, ordenados e respeitosos com os direitos humanos” é “o estabelecimento de sistemas de trabalhadores temporários”. Também consideraram “indispensável” a atenção ao status migratório das pessoas que se encontram nos países receptores em situação ilegal, razão pela qual pediram que seja considerada sua regularização. Na declaração, reafirmaram também que a todo imigrante, “independentemente de sua condição migratória”, deve ser dada

O chanceler mexicano, Luis Ernesto Derbez, assegurou que as nações da América Latina estarão prestando atenção na reforma de imigração nos EUA.

a “a proteção plena de seus direitos humanos” e “a observância plena das leis trabalhistas aplicadas”. O documento reconhece que a imigração acontece em grande parte por que as pessoas não encontram, em seu próprio país, condições econômicas e sociais que permitam “seu pleno desenvolvimento e bem-estar”, e que as condições para emigrar continuarão a existir enquanto houver “a demanda por trabalhadores”. O chanceler mexicano, Luis Ernesto Derbez, que recebeu os nove ministros, assegurou, representando todos os presentes, que essas nações “jamais” pouparão esforços “na defesa de seus concidadãos”. Os chanceleres decidiram criar um grupo de trabalho sobre migração para promover políticas conjuntas diante das reformas preparadas pelos EUA.

Irã retoma programa nuclear e preocupa EUA e Europa Hashemi Rafsanjani, uma das figuras políticas mais influentes do país, insistiu que seu país tem direito a desenvolver energia nuclear e advertiu contra as tentativas de freá-lo. “O arrogante (EUA) e seus aliados se arrependerão se obstruírem o acesso da nação iraniana à tecnologia mais avançada”, pois “não abanRafsanjani, ex-presidente iraniano, disse que “o arrogante donaremos nossos direitos”, disse (EUA) e seus aliados se arrependerão se obstruírem o Rafsanjani durante o acesso da nação iraniana à tecnologia mais avançada”. sermão, na UniversiAgências Internacionais dade de Teerã por ocasião da festa O Irã retirou os lacres de proteção do muçulmana do Sacrifício. centro de pesquisas nucleares de Natanz Rafsanjani, que governou o país ene tornou-se motivo de preocupação de tre 1989 e 1997 e agora dirige o poderonações da América do Norte e da Euroso Conselho de Determinação, um dos pa. A Agência Internacional de Energia órgãos mais influentes do país, rebateu Atômica (AIEA) afirma que Teerã preos protestos e ameaças da comunidade tende conduzir um programa de enriqueinternacional. “É uma propaganda dura cimento de urânio em pequena escala, mas e sem precedentes. Nos tempos da deo governo americano diz ter certeza o País mocracia, o direito natural de qualquer tem pretensões militares, e propõe levar o país que queira aproveitar os últimos caso ao Conselho de Segurança da ONU. avanços da ciência, é objeto de ataques por parte de outros”, acrescentou. O ex-presidente iraniano Ali Akbar


MUNDO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 7

Quanto mais difícil, mais caro Para especialistas mexicanos, imigração ilegal poderá se tornar um negócio mais lucrativo para os coiotes. O investigador mexicano Mauro Fernández, em entrevista à agência internacional EFE, disse que “a construção de mais Para especialistas mexicanos, medidas para muros e a criminalização dos ile- controlar a imigração farão com que os coiotes gais não conseguirá frear nem dis- lucrem mais com a travessia ilegal. suadir sua entrada, mas tornará mais lucrativo o negócio dos traficantes de timas para conseguirem o seu objetivo, e que cada vez cobram mais por isso”, pessoas (‘coiotes’)”. Especialista em assuntos fronteiriços, disse o pesquisador. Com mais dificuldades, os coiotes Fernández acredita que a imigração ilegal não acabará, mesmo se as medidas anunci- poderão também cobrar mais caro pela adas pelos Estados Unidos forem aprova- travessia. Hoje, os ilegais pagam aos das. As redes de criminosos tendem a lu- atravessadores de US$1 a US$3 mil para crar ainda mais com o tráfico de pessoas, a entrar nos Estados Unidos através da exemplo do contrabando de drogas, que fronteira com o México. Para o analista apesar de ser fortemente combatido, conti- Juan Pablo Morales, os facilitadores nua a existir e a desafiar as autoridades po- agem livremente na fronteira e obtêm liciais. “Os únicos a se beneficiarem com cada vez mais lucro. estas medidas serão os coiotes”, afirmou. “Acho que é preciso enfrentar o problema migratório com um enfoque inteDe acordo com a reportagem da agêngral de desenvolvimento sócio-econômicia, a construção de um muro próximo à co e cooperação política, e não tanto com zona fronteiriça dos EUA, próximo às ciação policial, porque estará condenada dades mexicanas de Mexicali e Tijuana, ao fracasso, assim como no combate ao no estado da Baja Califórnia, levou os tranarcotráfico”, afirmou Morales. ficantes a buscarem rotas alternativas e métodos ainda mais sofisticados para conDentre as muitas rotas utilizadas peduzirem os imigrantes ilegais ao país vi- los coiotes, estão passagens pelo mar, zinho. “Sabemos que os ‘coiotes’ pagam montanhas perigosas e locais desérticos, subornos, cavam túneis e apelam para pela colina de Tijuana e o deserto de porta-malas de automóveis e rotas marí- Mexicali.

Kadima sobe nas pesquisas, Sharon recupera-se De acordo com as mais recentes pesquisas, o novo partido de Ariel Sharon, o Kadima, conseguiria uma vitória folgada se as eleições gerais em Israel fossem realizadas hoje. O levantamento do jornal israelense Haaretz, mostra que o Kadima teria 44 deputados, quatro a mais que quando Sharon ainda exercia o cargo e o comando do partido. Os seus dois adversários imediatos, o

Sharon apresentou sinais de melhora nos últimos dias

Partido Trabalhista e o Likud, conseguiriam 16 e 13 cadeiras, respectivamente. Na última terça-feira, os médicos que atendem Sharon, internado há uma semana devido a uma hemorragia cerebral, anunciaram uma ligeira melhora no estado clínico do premier. Foi anunciado, inclusive, que Sharon tinha movimentado a mão esquerda, um dado de extrema importância, pois ele sofreu a hemorragia no hemisfério direito do cérebro. O neurologista Félix Umansky disse que Sharon não está ciente das circunstâncias que o rodeiam nem da presença de pessoas a seu lado. Os médicos pretendem reduzir gradativamente as doses de sedativos que o mantêm em coma induzido, após terem começado a diminuir as quantidades de medicamento na segunda-feira. No entanto, os médicos afirmam que somente depois de 36 ou 48 horas será possível despertá-lo e fazer uma avaliação de seu estado cognitivo, já que só então Sharon terá eliminado os resquícios dos sedativos.


8 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Mais agentes na Fronteira

Nova York teve recorde de turistas em 2005

A Comissão Nacional de Direitos Humanos (CNDH) do México alertou sobre o aumento do número de agentes fronteiriços que não estão bem treinados para a função. Segundo a ONG, um agente supostamente matou um mexicano que tentava entrar em território americano na semana passada, de acordo com depoimentos de testemunhas e um relatório provisório da Polícia de San Diego. A CNDH assinala que o contingente da Patrulha da Fronteira aumentará até alcançar mais de 12.000 policiais, por isso “aumentarão os riscos para os imigrantes que entram ilegalmente nos EUA”.

Correspondências vindas do exterior serão inspecionadas Mais uma medida contra o terrorismo foi adotada pelo governo americano no combate ao terrorismo. Correspondências vindas do exterior poderão ser inspecionadas por autoridades americanas. A divulgação da prática foi feita depois da revelação de que o governo americano aprovou a investigação de e-mails e correspondências de cidadãos sem ordem judicial, depois do 11 de Setembro. “A Alfândega tem a incumbência de garantir que terroristas e armas terroristas não entrem no país” — afirmou Suzanne, funcionária da Alfândega. “Respeitamos a privacidade, mas nosso trabalho é garantir a segurança dos americanos” – concluiu.

RADAR NATIONAL

Pílula brasileira sob suspeita nos EUA Pílulas para emagrecer conhecidas como “brazilian diet pills “têm causado alvoroço em Miami, nos Estados Unidos. Fabricadas e exportadas por empresas brasileiras, elas estão na mira do Food and Drugs Administration (FDA), o órgão americano que regula medicamentos. De acordo com reportagem do jornal Miami Herald, testes feitos em laboratório indicaram que algumas marcas de comprimidos fabricadas com ervas no Brasil contêm anfetaminas e tranqüilizantes. Elas podem ter causado um distúrbio conhecido como cetoacidose diabética, que provoca hiperglicemia (o aumento da glicose no sangue) em alguns pacientes.

A cidade de Nova York recebeu, em 2005, 41 milhões de visitantes, dos quais 34,4 milhões eram americanos e 6,6 milhões estrangeiros, O prefeito Michael Bloomberg, que em primeiro de janeiro iniciou seu segundo mandato de quatro anos à frente da prefeitura, ressaltou em entrevista coletiva que nos últimos dois meses de 2005 chegaram à cidade 8,2 milhões de visitantes. ‘’As previsões para 2006 se apresentam inclusive mais brilhantes’’, ressaltou o prefeito. Ele lembrou que este ano será inaugurado um moderno terminal no Brooklyn para cruzeiros, e se ampliará o centro de convenções Javits Center. Durante os próximos dois anos se prevê ainda acrescentar cerca de cinco mil quartos à oferta atual de alojamento, de mais ou menos 70.000.


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 9


10 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 11


COLUNA

12 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

A Língua e Eu – Quem domina quem? Quando colocamos freios na boca dos cavalos para que eles nos obedeçam, podemos controlar o animal todo. A língua é um pequeno órgão do corpo, mas se vangloria de grandes coisas. Assim também, a língua é um fogo; é um mundo de iniquidade. Tiago 3:3,6 Todo o capítulo 3 da carta de Tiago (na Bíblia) é realmente interessante. Tem dias que percebo claramente que a língua está me controlando – bem mais do que eu possa controlá-la. Aliás, se analisarmos friamente nossa maneira de ser, agir ou falar chegaremos à conclusão que, de todos os membros e órgãos do nosso corpo, a língua certamente é a que mais precisa ser freada e controlada. Desde pequena, tive uma mente bem criativa, pensativa e bastante argumentativa, porém, também sempre gostei de dizer o que vinha à minha mente.

Na verdade, gostava de argumentar pelo simples prazer de fazê-lo. Ainda pequena, comecei a gaguejar, mas nem por isso este pequeno fator me impediu de ter amigos ou de dizer o que realmente pensava. Não posso negar que este órgão , “a língua”, vem sendo um desafio para mim. Antes mesmo de seguir os preceitos bíblicos, eu já era ciente do veneno que a língua carrega, da capacidade que este órgão tem em ferir as pessoas, de criar mágoas, de amaldiçoar não somente o próximo como a nós mesmos, de nos colocar para baixo, de nos deprimir, de nos separar das pessoas e de criar situações irremediáveis. A Bíblia diz: “Acaso podem sair água doce e água amarga da mesma fonte”? Meus irmãos, pode uma figueira produzir azeitonas ou uma videira, figos? A língua não somente deve ser con-

trolada no ambiente familiar mas também no ambiente de trabalho, pois quando falamos sem pensar ou não medimos nossas palavras acabamos falando besteira, magoando alguém ou falando de um para o outro. Por exemplo, o meu restaurante é relativamente pequeno e a intimidade com os empregados acaba sendo inevitável. Algumas vezes no passado, acabei falando para um empregado sobre a minha insatisfação com um outro empregado. E, imediatamente, me arrependi. Porém, era impossível apagar o que já havia dito. Dois anos atrás, decidi que colocaria “freios” na minha boca principalmente no ambiente de trabalho; procuro falar de coisas boas e fazer brincadeiras sadias. Hoje em dia, falo sobre Deus e, quanto às minhas insatisfações com certos empregados, guardo para mim mesma e pro-

curo, imediatamente, conversar com a pessoa para não criar em mim um “bad feelings”. Procure frear sua língua, disciplinar as coisas que você fala, pois saiba que as palavras podem edificar uma pessoa ou destruí-la. Muitas das palavras que hoje estão alojadas na nossa mente foram ditas no passado por nossos familiares. Se você chamar seu filho de inteligente e bonito ele lembrará dessas palavras no curso da vida dele. Porém, se você lançar palavras destrutivas (mesmo na hora da raiva) ele também lembrará dessas palavras, pois ficarão alojadas na mente da criança. Que possamos policiar a nossa língua, contando com a ajuda de Deus para assim dominarmos este pequeno órgão e não sermos dominados por ele. Graça e Paz!

Lasanha Vegetariana Por muitos anos, as únicas lasanhas que conhecia eram aquelas feitas com carne e queijo. Meu marido não combina queijo com carne (quando comemos carne com queijo, sofremos de uma indigestão - falarei sobre isso num outro artigo). Sendo assim, não tive muita escolha, a não ser desenvolver algumas receitas próprias de “lasanhas vegetarianas” deliciosas e altamente nutritivas.

Beringela, abobrinhas e espinafre Corte a beringela em círculos relativamente finos e salpique um pouco de sal por cima. Depois de uns 20 minutos, sairá da beringela um pouco de água (isto é normal e necessário!) . Fatie também alguns “Yellow Squash” - tipo umas abobrinhas amarelas. Salpique sal por cima da mesma forma que a beringela. Em uma frigideira com azeite de oliva, frite um pouco de cebola, alho e refogue bastante espinafre cortadinho com sal. Adicione um pouco de água (se for preciso) para não queimar o espinafre. Tenha “heavy cream” à mão e um creme de tomate feito de tomates sem pele (em lata) passado no liquidificador. Frite um pouco de alho, cebola e o creme de tomate em uma panelinha e por último adicione um punhadinho de basil.

Queijo fatiado (por favor jamais queijo americano!). Eu uso queijo orgânico Havarti, cortado em fatias que se vende no supermercado. Separe também tomates frescos e um pouco de basil fresco cortadinho. E, logicamente, massa para lasanha.

Modo de fazer Cozinhe a massa para a lasanha e tire da água antes do tempo marcado no pacote - digamos que o tempo de cozinhar é 5 min, cozinhe por 3 ou 4 minutos no máximo. Coloque um pouco de azeite de oliva para não grudar cada folha da massa. Em um pirex ideal para o forno, você criará as camadas. Primeiro um pouco de heavy cream, massa de lasagna suficiente para cobrir o prato, depois a beringela. A beringela precisa ser frita com umas duas colheres de azeite de oliva. Não use muito

óleo. Isto é fundamental! A beringela ficará com um sabor maravilhoso se você sauteed e não fritar com muito óleo É imperativo cumprir este detalhe, pois as beringelas gostam de beber o óleo, por isso devemos salpicar com o sal, esperar e depois em uma frigideira bem quente fritá-las com um pouquinho de óleo em uma panela “non stick”. Faça o mesmo com o yellow squash. Coloque uma camada de beringela e yellow squash, coloque o creme de tomate por cima e algumas gotas do creme de leite, uma camada de massa, creme de leite, queijo e bastante espinafre, algumas folhas de basil, uma de massa e beringela e vá intercalando o basil nas camadas. Um dica interessante: eu prefiro usar a beringela com o molho de tomate, e o queijo e espinafre com o creme de leite. A última camada deve ser de queijo, um pouco de creme de leite e umas rodelas de tomate fresco. Cubra com papel alumínio e coloque no forno por uns 20 minutos, a 350 graus. Retire o papel alumínio nos últimos 5 minutos para dourar um pouco por cima e sirva imediatamente. Não esqueça da salada! Alface tipo Boston com tomates cortados e pepinos seria o ideal! Bom apetite! * A reprodução das receitas sem autorização é ilegal

*Comentários, sugestões e dúvidas para a colunista Luciane Gilan através do e-mail: cozinhasaudavel@yahoo.com

Dica da semana Panelas – As panelas são fundamentais em sua cozinha. Creio que em um dos meus primeiros artigos, falei sobre a importância das panelas. Compre aos poucos algumas panelas de aço inoxidáveis, apesar do preço ser alto, essas panelas retém o calor e o sabor da comida sem fazer mal à saúde. Eu somente conheço um lugar que vende tais panelas. Mas vale a pena e você terá panelas para a vida toda! Outro detalhe importante: Heavy cream não pode ser considerado como “creme de leite”. Por favor não tente substituir pois o sabor não é igual apesar da tradução ser a mesma.


SAÚDE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 13

Não se estresse!

Trabalhando demais? Sem tempo para lazer? Cuidado! Você pode se tornar mais uma vítima do estresse. Por Juliana Melo

Você levanta, mal toma café da manhã, sai correndo para pegar o ônibus, chega no escritório, trabalha, trabalha, trabalha, volta tarde pra casa, janta correndo, dorme poucas horas e no outro dia, começa tudo de novo. Essa é a rotina da sua vida? Então prepare-se: você é um forte A sensação de estar carregando o mundo nas costas candidato a receber a visita do é comum entre pessoas estressadas. Pressão estresse, um mal aparentemen- psicológica deixa a aparente impressão de que o dia te inofensivo que poderá te obri- é pequeno para tantos problemas. gar a reduzir o ritmo de vida. Foi o que aconteceu com o administra- tas tarefas. Sobrecarregados com as codor de empresas Antonio Francisco, 55, no branças, se estressam e correm sério risco final de 2004. Apesar da família recomen- de comprometer seu desempenho profisdar que ele diminuísse o volume de traba- sional e desenvolver problemas de saúde. lho, nada o fazia mudar a rotina estressante em que só cabiam três horas de sono por Imigrantes e estresse dia. Por muito pouco, ele se irritava e brigaOs imigrantes têm o perfil ideal para va com suas filhas e esposa. Um dia, indo para o trabalho, sentiu fortes dores na cabe- desenvolver o estresse. A rotina puxada ça e foi levado às pressas a um hospital. O de trabalho, associada ao desgaste emodiagnóstico: um acidente vascular cerebral cional de viver longe da família e convi(AVC) de pequenas proporções, causado ver com os problemas dos dois Países, contribuem para gerar transtornos psicopelo ritmo intenso de vida. lógicos e físicos. Por orientação do médico, o adminisA fisioterapeuta Andreza entrou numa trador teve que rever sua vida e organizar “roda-viva” quando se mudou para Nova melhor seu tempo. Foi obrigado a coloYork no início de 2003: muito trabalho e car o “pé no freio”, redefinir prioridades quase nenhum tempo para o lazer. “Como no trabalho, encontrar tempo para o lazer todo imigrante, conciliava três empregos e cuidar de sua saúde. diferentes na mesma semana. O tempo O estresse, segundo seu médico, foi o que sobrava era para dormir. Só pensava responsável pelo problema que poderia em dinheiro”, conta. ter sido fatal. “Meu corpo respondeu ao Apesar de estar no auge da mocidade, excesso de atribuições e preocupações aos 26 anos, Andreza não agüentou o ritcom crises de hipertensão que eu negli- mo puxado. Depois de oito meses, cogenciei por muito tempo. O derrame foi meçou a apresentar sinais de desgaste fío ponto alto desse momento intenso que sico e emocional. “Chorava à toa, me ireu estava vivendo e um sinal vermelho ritava facilmente e sentia uma angústia para que eu parasse e mudasse o estilo de que não acabava nunca”, lembra. vida”, avalia. “Tive sorte. O AVC não deixou seqüelas. Por isso, acho que recebi um sinal, um alerta para que eu VOCÊ ESTÁ ESTRESSADO? priorizasse minha vida, não o trabalho”. Hoje, Francisco tem uma rotina com Os sintomas do estresse são muitos e vahorários para trabalhar, dormir e descanriam de pessoa para pessoa. Quando evolui sar. Antes de ir para a empresa, faz camipara a fase de esgotamento, apresentam alnhadas e toma um café da manhã reforçaguns sinais que servem de alerta. Confira se do, lendo o jornal. “Nunca me imaginei você está estressado e procure um médico fazendo isso. Mas tinha duas opções: ou caso perceba que essas alterações são muito expressivas em sua vida: mudava ou era vitimado por doenças provocadas pelo estresse”, fala.  Perda de concentração mental, esquecimento De acordo com um estudo encomendado nos Estados Unidos pelo “Families  Fadiga fácil, fraqueza, mal-estar, esgotamento físico, apatia, desmotivação And Work Institute”, o excesso de trabalho é o principal responsável pelas doen Instabilidade, descontrole, agressividade, ças que acometem as pessoas que vivem tendência a discussões em grandes cidades. Os entrevistados que  Depressão, angústia participaram da pesquisa relataram que  Palpitações cardíacas sentem dificuldades para dar conta de tan-

Vítima de um mal-estar intenso, a jovem procurou um médico e descobriu dois problemas de uma só vez: inflamação na tireóide e hipertensão. “Trabalhei tanto, economizei tanto dinheiro e de repente estava ali, numa clínica americana, gastando dinheiro com médicos e depois com remédios. Percebi que algumas coisas não valem a pena”, analisa.

Inimiga da perfeição As exigências do mercado impõem a muitos profissionais um ritmo de vida acelerado. A competição para se manter no emprego, a necessidade de ganhar dinheiro e o grande volume de trabalho fazem com

 Suores frios, tonturas, vertigens  Dores generalizadas  Queixas físicas sem constatação médica  Respiração alterada, ofegante e curta  Extremidades (mãos e pés) frias e suadas  Musculatura tensa e dolorida  Indigestão, gastrite, mudança de apetite  Insônia  Dermatoses, alergias, queda de cabelo  Tiques nervosos  Isolamento e introspecção  Alterações do sono  Abuso de substâncias (Fonte: http://www.psiqweb.med.br/cursos/stress5.html)

que a “pressa” faça parte do dia-a-dia de quase todos os trabalhadores. No entanto, ter pressa pode ser sinônimo de ter problemas. De acordo com estudos realizados em centros acadêmicos americanos, aquela conhecida sensação de falta de tempo atrapalha a execução das tarefas cotidianas e prejudica a capacidade de memorizar compromissos e outras informações que seriam facilmente assimiladas se a pessoa estivesse em condições normais. Além disso, os apressados têm maior tendência à hipertensão, problemas gastrointestinais, dores musculares e insônias. Para quem não tem tempo sequer para tomar café da manhã ou almoçar com tranqüilidade, fica difícil cobrar uma mudança de comportamento. O principal argumento dos médicos é que alterando a rotina, a pessoa estará também melhorando sua qualidade de vida e ganhando mais saúde. Uma boa maneira de começar a mudança é organizar o trabalho, de modo produtivo, destinando horários para começar as tarefas, cumprir uma a uma e terminar sem precisar passar a noite trabalhando. Especialistas recomendam também que as atividades de lazer e de descanso estejam previstas na agenda. Ter um horário exclusivo para as refeições completa a lista de recomendações para quem quer viver bem, longe do estresse.


14 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

COMPORTAMENTO

Imagem fragilizada Conflito cultural

Sensuais, bonitas e liberais. Essa é a imagem que muitos estrangeiros têm das brasileiras. Desfazer estereótipos também faz parte da vida de quem deixou o Brasil em busca de uma vida melhor em outro País.

Por Juliana Melo

Se para muitos brasileiros é difícil pensar no Brasil sem lembrar das praias, carnaval e belas mulheres, imagine para um estrangeiro. É justamente esse estereótipo que confunde a imagem que se têm das brasileiras. Erotismo, sensualidade e pouca roupa, infelizmente estão no imaginário de muitos homens que conhecem pouco do nosso País de origem. O americano Jacques Thompson, professor de inglês, é casado com uma brasileira há 13 anos. Vive em São Paulo e conta que enfrentou preconceito de sua família quando deixou os EUA para se casar com Rose. “Foram necessários apenas cinco minutos de conversa para que fosse desfeita toda aquela idéia que eu tinha das brasileiras. Mas não vou mentir, imaginava que no Brasil, as mulheres eram super liberais, bem-resolvidas, livres de todo conservadorismo que marca as sociedades tradicionais”, afirma. Assim como Jacques, muitos estrangeiros abandonam os preconceitos depois que conhecem as imigrantes que deixaram família no Brasil para conquistar uma vida melhor. Mas até chegar a esse estágio, às vezes, a discriminação acontece. Lidar com os olhares desconfiados de homens e mulheres de outras nacionalidades, nem sempre é uma tarefa fácil.

Mitos que atrapalham

A baby-sitter Laís Pires, 25, conta que enfrentou momentos difíceis quando começou a trabalhar na residência de um casal americano há dois anos. “Fui indicada por uma senhora brasileira que havia trabalhado para essa família por seis anos como housecleaner”. A jovem só conseguiu o emprego porque tinha boas referências; apesar disso, a americana não fazia a menor questão de ter uma relação amigável com a nova contratada. “Ela me tratava com extremo rigor e deixou claro mais de uma vez que eu não deveria me dirigir ao seu marido; sempre deveria falar apenas com ela”. Laís acredita que isso aconteceu porque a dona da casa tinha ciúmes dela. “Infelizmente, muitas americanas têm uma idéia errada de nós, brasileiras. Acredito que ela me considerava um risco por eu ser jovem”, opina. “Às vezes essa patroa chegava a ser grosseira, sem ter motivos”. A baby-sitter lembra que tentava ser o mais discreta possível, usando roupas adequadas, brincos pequenos e se comportando de forma exemplar. Ainda as-

sim, a relação não prosperou. “Fiquei apenas quatro meses nessa casa; mais tarde soube que a dona da casa contratou uma senhora portuguesa de 50 anos em meu lugar”.

Comportamento de risco Para diversas imigrantes, no entanto, o comportamento de algumas mulheres contribui para a consolidação desse conceito errado. “Temos que nos adaptar à cultura do novo País. Por mais que no Brasil seja comum darmos risada alto em lugares públicos, usar roupas ousadas ou ter uma postura mais amigável, abraçando e beijando todo mundo, isso não é tão comum nos Estados Unidos. É óbvio que se você chegar dessa forma, será alvo de críticas e comentários preconceituosos”, opina Sônia Marquesani. Margarete Santos, que mora em Massachusetts, acha que “esse papo de preconceito contra brasileiras é coisa de brasileiro”. “O brasileiro adora rótulos e o engraçado é que é super comum um falando mal do outro, observando e criticando”. Ela, que já viveu em países europeus, como Itália e Suécia antes de se mudar para os Estados Unidos, diz que nunca foi alvo de preconceito. “Sempre me respeitaram. Tem uma velha máxima que diz tudo: a sua liberdade acaba onde a dos outros começa, então é só uma questão de bom senso; não invadir o espaço dos outros com condutas que

pra eles são inaceitáveis”. Uma moradora de Danbury, que preferiu não se identificar, têm uma opinião diferente. “A gente sempre ouve dizer que falam isso ou aquilo das mulheres brasileiras. Fico chateada com esses comentários. Outro dia ouvi de um amigo americano que as brasileiras têm fama de serem ótimas amantes e também de serem caçadoras de greencard; acho isso deprimente”, ressalta.

De acordo com o professor de antropologia Antônio Lira, as impressões erradas dos estrangeiros em relação às brasileiras estão relacionadas, principalmente, ao conflito cultural, comum nos relacionamentos entre pessoas de nacionalidades diferentes. “Assim como temos uma idéia pré-concebida do árabe, do inglês e do alemão, os estrangeiros também imaginam como nós somos e agimos. Às vezes, algumas pessoas demoram para quebrar esse estereótipo e chegam até a resistir àquela imagem que ele formou, baseado na mídia, nas propagandas ou no que ele conhece do País em questão”, explica. Segundo ele, a cultura brasileira tem aspectos muito positivos e outros nem tanto. Isso colabora para a consolidação da imagem desfavorável das brasileiras no exterior. “É difícil impedir que os estrangeiros pensem tudo isso. Nosso País valoriza em demasia a erotização do corpo, as músicas quentes e as danças sensuais. Essa forma livre de lidar com a sexualidade pode gerar mal-entendidos e resultar em generalizações, colaborando para a solidificação do preconceito”. E há como mudar isso? O antropólogo garante que sim. Para Lira, ao mostrar para um estrangeiro que o Brasil não é o que ele imagina, as imigrantes estão contribuindo para a construção de uma nova imagem. “A mulher brasileira tem muito mais a mostrar do que um belo corpo ou uma atitude que beira a promiscuidade. Temos uma quantidade enorme de mulheres que conciliam marido, filhos, tarefas domésticas e projetos profissionais com uma habilidade ímpar. São amorosas, felizes e fazem tantas coisas com prazer. Isso sim é uma característica que devemos divulgar”, finaliza.

“Hot girls” Na semana passada, a denúncia de que oficiais britânicos trocavam visto por sexo com imigrantes brasileiras reacendeu a discussão sobre a imagem da mulher brasileira no exterior. No final de dezembro, o jornalista Fernando Moreira, do portal Globo Online publicou uma matéria na qual abordou essa questão. A partir da notícia do assassinato de Ana Elisa Toledo, 24, que participava do Au Pair no Estado do Colorado, ele divulgou algumas impressões das imigrantes em relação à imagem da brasileira no exterior. A reportagem mostra que o assédio é grande. Para uma das jovens entrevistadas, as brasileiras passam a idéia de “mulheres fáceis” e “hot girls”, em decorrência da associação

que se faz do País com o Carnaval. Por trás disso tudo, há ainda uma questão mais séria que contribuiu para fortalecer a imagem negativa: o turismo sexual. Muitas propagandas que “vendem” o Brasil contém fotos de mulheres belas e sensuais, colaborando para o crescente número de visitantes que viajam em busca de diversão e sexo. Para alguns especialistas no assunto, a idéia de que as brasileiras são mais bonitas e mais fáceis de conquistar está arraigada no pensamento de outros povos. Reverter essa impressão é uma tarefa que leva tempo. Diversas campanhas de divulgação do País no exterior estão sendo realizadas para desfazer estereótipos dessa natureza.


HISTÓRIA

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 15

Eu tenho um sonho – a história de Martin Luther King Por Jehozadak Pereira

1 de dezembro de 1955, Montgomery, Alabama, Sul dos Estados Unidos. Rosa Parks dá sinal e embarca no ônibus que a levaria para casa depois de um dia exaustivo de trabalho. Como na parte de trás havia muita gente, Rosa sentou-se num dos bancos da frente do ônibus. Por causa disso, o motorista pediu que ela se levantasse, embora ali houvesse muitos assentos vagos. Rosa recusou-se a levantar e o motorista chamou a polícia que a levou presa. A negra Rosa Parks era mais uma das vítimas da lei de segregação racial que vigorava no Alabama. Por conta da prisão de Rosa houve em Montgomery um boicote à companhia de transportes que durou mais de um ano e que pôs fim à discriminação nos transportes públicos. A frente dos protestos estava Martin Luther King Júnior, que pregava a não-violência como forma de protesto e modo de alcançar o que se desejava. Martin Luther King Junior era o pastor da Igreja Batista da Avenida Dexter, em Montgomery, Alabama. Lá iniciou a sua cruzada pelos direitos civis das minorias que esteve além do seu tempo e foi um batalhador incansável pela causa da integração racial e dos direitos dos negros nos Estados Unidos. Seu desejo era ver uma sociedade americana justa e livre de preconceitos raciais. A militância em favor dos negros tinha um preço e King passou a ser perseguido por brancos que se tornaram seus inimigos e o pressionavam de todas a formas e modos. Por causa disso, em 1956 sua casa foi explodida por uma bomba. Uma multidão de negros enfurecidos formou-se em frente à casa, querendo fazer justiça com as próprias mãos aos que injustamente os perseguiam. King, usando sempre da sua política de não-violência, pediu que depusessem as armas e voltassem para suas casas, dizendo o que seria o seu lema: “Devemos responder ao ódio com amor”. Por conta do seu ativismo e da sua liderança, King foi preso mais de dez vezes, algumas por motivos fúteis como excesso de velocidade, mas na realidade tudo era mero pretexto para o pressionar e fazer calar a sua voz. Além de ser aprisionado, King era ameaçado de morte em cada lugar que ia, e dizia que se tivesse de morrer pela causa dos direitos civis, morreria. Em 1963, na celébre Marcha sobre Washington proferiu o discurso “Eu Tenho um Sonho” que serviria de marco definitivo para que os negros americanos conseguissem os seus direitos que eram tolhidos por leis segregacionistas e racistas. Ao optar por não atacar pessoas e sim preceitos e preconceitos segregacionistas e raciais, King mostrou ao mundo que a igualdade era possível, ainda que instigada por ódios incompreensíveis e repugnantes.

I have a dream*

Entre todos os prêmios e lauréis que ganhou, o mais importante deles foi o prêmio Nobel da Paz, em 1965. Celebrado e respeitado por muitos e odiado por outros - "vergonha para todo o mundo" foi a expressão utilizada por racistas do Sul dos Estados Unidos na ocasião. Sua cruzada em busca da igualdade foi interrompida em 4 de abril de 1968, com um tiro no rosto dado por James Earl Ray um branco, na cidade de Memphis no Tennessee. Posteriormente, Earl Ray assumiu a autoria do assassinato e foi condenado a 99 anos de prisão. O silêncio da cerimônia fúnebre de King trouxe uma profunda reflexão ao povo americano e impôs ao mundo uma nova ordem na área dos direitos civis. Não se podia matar impunemente – por mais dura que fosse a pena, a morte de King não seria reparada – quem buscava direitos iguais para iguais, ainda que diferentes por causa da cor da sua pele e não se podiam transformar um embate num combate. Martin Luther King é daquelas personalidades que se tornam mitos depois da morte e, em vez de cairem no esquecimento, a cada ano que passa ganham a admiração de um número maior de pessoas ao redor do mundo. Não se podia conter ou exterminar uma busca pacífica de igualdade com balas letais, pancadaria e intimidação. Martin Luther King Junior deixou um legado de respeito e de admiração que é seguido por muitos. Na sua sepultura estão gravadas as palavras que ele pronunciou na Marcha sobre Washington: “FREE AT LAST, FREE AT LAST; THANK GOD ALMIGHTY I’M FREE AT LAST!” “Enfim livre, enfim livre! Graças a Deus Todo-Poderoso sou finalmente livre!”

(trechos do famoso discurso de Martin Luther King Junior) Há cem anos passados, um grande americano, sob cuja simbólica sombra nos encontramos, assinava a Proclamação da Emancipação. Esse momentoso decreto foi como um raio de luz de esperança para milhões de escravos negros que tinham sido marcados a ferro nas chamas de vergonhosa injustiça. Veio como uma aurora feliz para terminar a longa noite do cativeiro. Não desconheço que alguns de vocês vieram aqui após muitas dificuldades e tribulações. Alguns de vocês recém saíram de diminutas celas de prisão. Alguns de vocês vieram de áreas onde sua busca pela liberdade deixou em vocês marcas das tempestades de perseguição e fê-los tremerem pelos ventos da brutalidade policial. Vocês são veteranos do sofrimento criativo. Continuem a trabalhar com a fé de que um sofrimento imerecido é redentor. Voltem ao Mississipi, voltem ao Alabama, voltem à Carolina do Sul, voltem à Geórgia, voltem à Louisiana, voltem às favelas e aos guetos de nossas modernas cidades, sabendo que, de alguma forma, esta situação pode e será alterada. Não vamos nos esconder no vale do desespero. Digo-lhes, hoje, meus amigos, que apesar das dificuldades e frustrações do momento, ainda tenho um sonho. É um sonho profundamente enraizado no sonho americano. Tenho um sonho que algum dia esta nação levantar-se-á e viverá o verdadeiro significado de sua crença. “Afirmamos que estas verdades são evidentes; todos os homens foram criados iguais”. Tenho um sonho que algum dia nas montanhas rubras da Geórgia os filhos de antigos escravos e os filhos de antigos donos de escravos poderão sentar-se à mesa da fraternidade. Tenho um sonho que algum dia o estado do Mississipi, um estado deserto sufocado pelo calor da injustiça e opressão, será transformado num oásis de liberdade e justiça. Tenho um sonho que meus quatro pequenos filhos viverão um dia em uma nação onde não serão julgados pela cor de sua pele, mas pelo conteúdo de seu caráter.

Tenho um sonho, hoje. Tenho um sonho que algum dia o estado de Alabama, cujos lábios do governador atualmente pronunciam palavras de interposição e nulificação, seja transformado para uma condição onde pequenos meninos negros, e meninas negras, possam dar-se as mãos com outros pequenos meninos brancos, e meninas brancas, caminhando juntos, lado a lado, como irmãos e irmãs. Tenho um sonho, hoje. Tenho um sonho que algum dia todo vale será exaltado, toda montanha e encosta será nivelada, os lugares ásperos tornar-se-ão lisos, e os lugares tortuosos serão direcionados, e a glória do Senhor será revelada, e todos os seres a verão, juntamente. E se a América for destinada a ser uma grande nação isto deve se tornar realidade. Que a liberdade ressoe destes prodigiosos planaltos de New Hampshire. Que a liberdade ressoe destas poderosas montanhas de New York. Que a liberdade ressoe dos elevados Alleghenies da Pensilvânia! Que a liberdade ressoe dos nevados cumes das montanhas Rockies do Colorado! Que a liberdade ressoe dos picos curvos da Califórnia! Não somente isso; que a liberdade ressoe da Montanha de Pedra da Geórgia! Que a liberdade ressoe da Montanha Lookout do Tennessee! Que a liberdade ressoe de cada Montanha e de cada pequena elevação do Mississipi. De cada rincão e montanha, que a liberdade ressoe. Quando permitirmos que a liberdade ressoe, quando a deixarmos ressoar de cada vila e cada aldeia, de cada estado e de cada cidade, seremos capazes de apressar o dia quando todos os filhos de Deus, negros e brancos, judeus e gentios, protestantes e católicos, com certeza poderão dar-se as mãos e cantar nas palavras da antiga canção negra: “Liberdade afinal! Liberdade afinal! Louvado seja Deus, todo-misericordioso, estamos livres, finalmente!” * Leia a integra do discurso no http:// brazil365.com/


BASTIDORES

16 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Schwarzenegger sofre acidente de moto Por causa de um acidente de moto, ocorrido na noite do último domingo, 8, em Los Angeles, o ator e governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, teve de levar 15 pontos no lábio. Na ocasião, Arnold estava dirigindo uma moto Harley Davidson com o filho Patrick na garupa, quando foi atingido por um carro. De acordo com o assessor do governador, ele e o filho estavam usando capacete. O jovem sofreu ferimentos leves.

Lindsay e DiCaprio podem estar juntos

Autora conta por que Harry Potter é órfão As aventuras de Harry Potter nasceram no momento em que a mãe de JK Rowling morreu em 1990 após uma luta de dez anos contra a esclerose múltipla. “Escrevia Harry Potter no momento em que minha mãe (Anne) morreu. Nunca falei a ela sobre Harry Potter”, afirmou Rowling em entrevista à revista Tatler. Ela contou também que a morte da mãe fez com que Harry Potter fosse um menino órfão. Aos 40 anos, ela revela que o impacto da perda da mãe fez com que ela escolhesse a morte como tema através da série. “Meus livros são baseados na morte”, disse. “A série começa com a morte dos pais de Harry. Há a obsessão de Voldemort em conquistar a morte e a busca pela imortalidade a qualquer preço.

Lindsay Lohan pode estar namorando Leonardo DiCaprio. O casal comemorou a passagem do ano com um longo beijo à meia-noite, depois de se encontrar em uma festa de réveillon que Lohan apresentou em um clube de Miami.Lohan foi hospitalizada no dia seguinte, depois de ter uma forte crise de asma. E, segundo fontes, o ator de Titanic foi visitá-la todas as noites. Leonardo se separou de Gisele Bündchen em novembro de 2005, depois de uma série de brigas por causa da personalidade festeira do ator e sua relutância em querer se casar.

Rolling Stones já agitam o Brasil Nem desembarcaram no Brasil e os Rolling Stones já mobilizam várias pessoas, que preparam algumas das regalias para o grupo, enquanto estiver em solo brasileiro. Segundo o Jornal Diário de S. Paulo, será montada uma passarela de 83 metros sobre a Avenida Atlântica, no Rio, especialmente para o show dos Rolling Stones que acontece na Praia de Copacabana, no sábado, dia 18 de fevereiro. A construção servirá para ligar o camarim do grupo, que fica no Hotel Copacabana Palace, ao palco, onde os Rolling Stones prometem sacudir o público por horas. Além da passarela, o grupo exigiu uma mesa de bilhar no camarim e um pequeno restaurante japonês, na área do show.

Cláudia Raia passa por cirurgia Cláudia Raia, que atualmente vive Safira na novela Belíssima, da Globo, será submetida a uma cirurgia no pé. A assessora da atriz falou sobre o problema: “ela (Cláudia) é bailarina há muitos anos, faz muita atividade física. Por isso, precisará fazer uma artroscopia no pé, não sei se no direito ou esquerdo. A cirurgia é simples e está prevista para acontecer na semana que vem”. Artroscopia é um tipo de cirurgia realizada em uma articulação, sem que seja necessário abrir o local onde será feito o procedimento.

Luciana Gimenez quer emagrecer Apesar da boa forma invejável, a apresentadora Luciana Gimenez está disposta a mudar a silhueta. Capa da revista Dieta Já deste mês, a morena de 61,5 quilos diz que quer emagrecer. “Meu sonho sempre foi atingir 53 quilos. Quando era modelo, pesava 57. Só subo na balança quando estou ok”, disse à publicação. De férias com o filho, Lucas, em Nova York, a apresentadora retorna ao Brasil no fim de semana para voltar a comandar seu programa ao vivo.

Cicarelli: De novo solteira A modelo e apresentadora, Daniella Cicarelli, que estava namorando o estudante Marcelo Valente, volta a ficar solteira. O affair de Cicarelli com o ex da cantora Ivete Sangalo não vingou, segundo informações do jornal O Dia, RJ. Mas, ao que tudo indica, e ao contrário do término conturbado com Ronaldo, a apresentadora e o estudante de Administração continuam bons amigos.


BASTIDORES

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 17

Silvio Santos passa férias nos EUA Silvio Santos desembarcou nos Estados Unidos no último final de semana, onde permanece até o dia 27. O Homem do Baú curte a sua casa em Celebration, cidade vizinha a Orlando, na Flórida. É lá que o apresentador e empresário mais conhecido do Brasil consegue circular praticamente anônimo pelas ruas, podendo até fazer compras no supermercado. Silvio fica em Orlando até o dia 24, quando ruma para Las Vegas, onde participa, mais uma vez, da Natpe, a maior feira internacional de compra e venda de programas para televisão, que ele costuma visitar todos os anos em busca de produtos para a programação do SBT.

A partir da próxima semana, os capítulos de Prova de Amor, na Record, vão se engajar ainda mais na campanha contra as quadrilhas de tráfico de órgãos. Segundo reportagem do jornal O Dia, RJ, isso vai ajudar oito mães que continuam em busca de suas filhas, desaparecidas entre 2001 e 2005. Além de fazer um apelo às autoridades, elas vão falar da rotina de dor, desde o desaparecimento, e da esperança do reencontro. Os depoimentos serão gravados por iniciativa do autor de Prova de Amor, Tiago Santiago. O dramaturgo também foi homenageado pelas mães, por causa da iniciativa da novela.

carro de Bia sair da estrada e cair num precipício. O carro de Pascoal é parado por um policial. Vitória sai correndo e tenta fugir, mas os policiais a alcançam. Katina passa o dia inteiro fora de casa e chega muito perturbada. Nikos e Taís se escondem num bar para escapar dos bandidos. Júlia é obrigada a reconhecer o corpo da avó. O corpo está completamente carbonizado, mas Júlia reconhece que as jóias que estavam nele eram mesmo as de Bia. A polícia conta a Júlia que havia uma bomba-relógio no carro de Bia e que a morte dela não foi um acidente.

T

aís pede que o pistoleiro lhe conte a história da morte de Pedro. Ela grava a conversa. Vitória garante a Sabina que jamais faria mal a Pedro. A garota fica envergonhada por ter desconfiado da mãe. Cemil vai ao hospital tentar conversar com Mônica. Alberto afirma a Cemil que Mônica não quer saber dele. Taís entrega a gravação da conversa para Nikos. Ele se prepara para ouvir , mas alguém o golpeia e rouba o gravador. Rebeca começa a dar aulas para Pascoal e tenta ensiná-lo a falar corretamente. Vitória explica para Júlia que não pode mais morar na mesma casa que Bia. Regina da Glória percebe que Murat está abatido e acha que é por causa de Mustafá. Djulian diz a Vitória que ela precisará depor de novo. Ela, histérica, diz que não vai. Nikos conta a Vitória que o mandante do crime foi um homem chamado Medeiros. Safira fala para Alberto que vai contar tudo o que sabe sobre ele para Giovana, caso ele não se afaste de Mônica. Alberto afirma que falará para a filha o que Safira estava fazendo na noite em que Valdete foi assassinada. Ela fica sem ação. Bia mostra a André todas as informações que conseguiu sobre ele e o pai. Júlia pega o celular de Bia e vê várias ligações para um advogado chamado Fernando Medeiros. Ela mostra para Bia o que encontrou. Pascoal encontra um local para Vitória se esconder. Júlia percebe que

“Prova de Amor” faz campanha contra tráfico de órgãos

Bia é assassinada

Érica está dando em cima de André. Bia fala para André que não contará a Júlia o que descobriu sobre ele, mas ele terá de fazer algo por ela. Ele fica chocado com o que Bia lhe pede. Taís descobre que os donos da boate roubaram a gravação. Nikos é atacado por um dos bandidos. Matilde conta a Bia que Vitória está planejando fugir com Pascoal. André mostra a Aquilino todas as informações que Bia levantou sobre eles. Cemil beija Mônica. Murat conta a Narciso que teve um caso com Bia e avisa que Katina não pode saber. Bia fala para Sabina que sabe que Vitória vai levá-la para longe e pede a ela que lhe diga para onde vai. A menina conta. Bia passa a informação para Medeiros. Pascoal leva Vitória, Tadeu e Sabina para o esconderijo. Bia conta a Júlia que Vitória fugiu e avisa que vai atrás dela. Djulian conta a Júlia que Vitória não apareceu para depor e afirma que o promotor vai acionar a polícia. Júlia percebe que Bia preparou uma armadilha para Vitória. Júlia vai de helicóptero atrás de Bia. Começa a cair uma tempestade. Júlia, do helicóptero, vê o

grita que quer sua filha de volta. Ela avisa a Júlio que seqüestraram sua filha e explica na frente de Pati, Janice, Beatriz e Vitor que Lopo pagou para sua filha dizer que se chamava Nininha. Janice chama Lopo de assassino. Beatriz deixa recado no celular de Clarice contando sobre a farsa. Clarice afirma que vai devolver a menina. Felipe pensa em vender as fotos do casamento para a imprensa. Beatriz está convencida de que Lopo é um canalha. Diana e Júlio se beijam no carro. Barroso atira contra o casal, mas Diana e Júlio conseguem escapar. Joana leva Joãozinho ao psicólogo. Lopo conta a Gerião que o plano era sedar Clarice e levá-la para a lua-de-mel. Dr. Marco diz que Joãozinho vai precisar de terapia.

D

aniel fala com Clarice por telefone. Ele avisa que o helicóptero estará pronto para a hora da fuga e diz que ficará disfarçado na cerimônia. A noiva está ansiosa para saber se sua filha está no local. Gerião arruma uma menina loirinha para enganar Clarice. Janice encontra Daniel disfarçado e confessa que sentiu saudade. Pestana tem uma idéia para encontrar Joãozinho. Eleonora confessa a Alexandre que não teve boas impressões da casa de Elza. Lopo avisa que só mostra Nininha depois que Clarice estiver no altar. Diana avisa a Daniel que Júlio quer prendê-lo. O helicóptero pousa no gramado. Lopo fica surpreso. Clarice pega a menina e tenta fugir. Gerião luta com Rafa. Clarice foge no helicóptero com Daniel e a falsa Nininha. Uma mulher se aproxima de Lopo e

Clarice abandona Lopo no altar


AGENDA

18 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

 Boates

 Carnaval

Brazilian City@Gallery Data: Quintas-feiras Música e show com DJ Fábio Soul Local: Gallery Lounge, Gershwin Hotel Endereço: 7 East 27th Street, New York Informações: (212) 8689102 / (718) 932-7169 Site: www.newyorkbrazil.com

II Carnaval Brasileiro em Tampa Pelo segundo ano Tampa Bay terá um tradicional carnaval brasileiro. Diversão garantida!!! Data: 18 de fevereiro Horário: 9Pm às 3Am Local: Cuban Club Endereço: Ybor City Telefone: 727-507-7494 Carnabisado 2006 Abertura oficial do carnaval de Boston Data: 19 de fevereiro Informações: (617) 3082004

Noite Brasileira no Café Wha Data: Segundas-feiras Endereço: 115 Mc Douglas Street, New York Informações: (212) 8689102 Site: www.cafewha.com Rio 100 Data: Sextas-feiras Local: Globe Bar & Grill Endereço: 1879 Palmer Ave, Larchmont, New York Entrada: Grátis Informações: (914) 833-8600 S.O.B.’s - Sábado de Samba Endereço: 204 Varick Street & West Houston, New York Horário: a partir das 7pm Informações (212) 243-4940 Site: www.sobs.com Cláudia Rodrigues “A Diarista” se apresentará em 12 estados

Brazilian Carnaval Vem aí pelo nono ano, O Brazilian Carnaval, com banda ao vivo, show de samba com a Escola de Samba Unidos da Flórida, shows de dança do Swing Brasil, Nação Capoeira e DJ Fred. Data: 25 de fevereiro Horário: 10pm Telefone: 305-949-4830

 Dança Dancing from the heart A Companhia de Dança “Perpetual Motion Dance Company” de Meg Segreto exibirá seu estilo sofisticado de dança juntamente com os artistas convidados do Thomas Dance Studio, do James Dance Center e da escola de dança Edwin Holland School of Dance.

Data: 15 de Janeiro Horário: 3Pm Local: Broward Center Teatro Amaturo Endereço: 201 SW Fifth Avenue - Fort Lauderdale - FL Ingresso: $75 Telefone: 954-462-0222

 Exposiçõers Hélio Oiticica na Exposição “Spectrum” Data: Até 28 de Janeiro Local: Galerie Lelong Endereço: 528 West 26th Street, New York City Informações: (212) 3150470 Site: www.galerielelong.com

 Humor Comedy Club 2006 – Cláudia Rodrigues “A Diarista” Abrindo com chave de ouro o primeiro de uma série de shows com grandes humoristas brasileiros, Cláudia Rodrigues, a “Diarista” se apresenta em 12 estados: Georgia, South Caroline, Massachusetts, Florida, Nevada, Pennsylvania, New Jersey, Washington D.C., connecticut e Califórnia Data: 06 a 18 de janeiro Informações: www.braziliancomedyclub.com Uma Noite com Whoopi Goldberg Whoopi Goldberg, granhadora de prêmios Emmy, Oscar, Golden Globe e Peoples Choice, iniciou sua carreira em um programa infantil aos oito anos e tornouse uma das atrizes/comediantes mais conhecidas da história. Data: 20 de Janeiro Horário: 8PM Local: Broward Center - AuRene Theater Endereço: 201 SW Fifth Avenue - Fort Lauderdale – FL Telefone: 954-462-0222 Addicted...Uma comédia de substância Chocolate, café, a Internet, sexo, drogas e álcool compõem a extensa lista de vícios que Mark Lundholm enfrentou. Addiction é a história inspiradora, divertida e perturbadora de sua recuperação. Esse show de um artista só, revela também alguns

Gilberto Gil estará no Broward Center for the Performing Arts

outros vícios mais comuns da vida: trabalho, dinheiro, dormir, fazer compras e até golf. Data: 22 à 25 de fevereiro Local: Broward Center Teatro Amaturo Endereço: 201 SW Fifth Avenue - Fort Lauderdale Ingresso: $29 - $32 Telefone: 954-462-0222 Site: www.browardcenter.org

 Festas Noite da Saudade O Estação 40, comunidade criada para reunir brasileiros com mais de 40, está promovendo uma noite para as gerações que morrem de saudade dos anos 70/80. Data: 20 de Janeiro Horário: 8pm Local: Portal Bar & Grill Endereço: 88 W Lincoln Ave – Mount Vernon – NY Ingressos: $10.00 Informações: www.estacao40.mus.br Feijoada Anual da Câmara do Comércio Deliciosa feijoada, caipirinhas e música ao vivo. Compareça e traga sua família. Data: 28 de Janeiro Horário: 12pm Informações: (305) 579-9030 Site: www.brazilchamber.org Canada Fest 2006 Entretenimento gratuito para toda a família. Arte Canadense e americana, comidas típicas e várias atrações. Uma atividade diferente para toda a família!!! Data: 28 de Janeiro

Local: Hollywood Beach Broadwalk – FL Telefone: 954-924-9705

 Palestra Fórum em favor da difusão da cultura brasileira e palestra com o Ministro Gilberto Gil A Câmara de Comércio Brasil-USA da Flórida convida para um almoço com o Ministro da Cultura, Gilberto Gil. Após o almoço haverá um fórum cultural. É necessário fazer reserva para o almoço. Data: 16 de janeiro Horario: 11:30 am Local: Broward Center for the Performing Arts Endereço: 201 SW Fifth Avenue - Fort Lauderdale - FL - USA Convite: Almoço com palestra: $40. Fórum: grátis Informações: 305-579-9030 email p/contato: info@brazilchamber.org

 Rodeio Rodeio Brasil x USA Segura peão!!! Rodeio Profissional Completo: Montaria em Touro, Prova de 3 Tambores, Laço de Bezerro, Laço em Dupla, Buldog. Data: 14 de Janeiro Horário: a partir de 4pm Local: Arena de Davie Endereço: I-595 West, saída Davie Road South, Davie, FL Ingresso: antecipado $13, na hora $15. Crianças de 3 a 11 anos pagam $8 Informações: (754) 244-7111


LAZER

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 19

Um espaço só para “quarentões” Por Karine Porcel

viços como vagas de emprego, apartamentos para alugar e, lóPara muitos brasigico, opções de lazer, que na opileiros, fazer novos aminião de Andrea, são poucas. gos nos Estados Uni“Muitos brasileiros enfrentam a dos não é nada fácil. barreira da língua e não se avenPouco domínio da línturam em lugares americanos. Há gua, falta de tempo para também a questão financeira, leo lazer, desconhecimenvando-se em conta que a maioto da cultura local, tudo ria dos lugares americanos não leva a um certo são acessíveis ao bolso do imiisolacionismo, que muigrante, cuja preocupação princitas vezes beira a solidão. pal é poupar”. Soma-se a isso, a idade Sendo o ponto forte da comujá não tão jovem, num nidade tirar os brasileiros da ropaís dominado pela jutina diária e da monotonia que ventude e a diferença de se torna a vida de muitos deles, gostos entre duas geraas criadores do Estação 40, deções tão distantes polítiMaria José Moreira e Andrea Barbosa querem tirar os brasileiros de 40 cidiram levar os encontros das ca e culturalmente. anos da rotina diária e da monotonia que é a vida de muitos deles telas do computador para as pisReunindo todos es- nos Estados Unidos. tas de dança da cidade. No próses fatores, os brasileiximo dia 20, sexta-feira, o bar ros de 40 anos (incluíonline – para formar amigos com os mesPortal Bar&Grill, em Mount Vernon, NY, se aqueles com um pouquinho mais ou mos interesses, gostos e idades. “Toda vez será palco do primeiro encontro entre os um pouquinho menos) sentem-se verdaque queria sair para ouvir e dançar uma participantes do grupo. deiros peixes fora d’água nos Estados Unidos quando o assunto é amizade e di- boa música, em um ambiente agradável Dinalva Afonso, 55 anos, housekeeper e com gente da minha idade, só encontra- há um ano nos Estados Unidos é memversão. Para suprir uma carência própria e va aqueles lugares com música eletrôni- bro do Estação e aposta no sucesso da também a de vários compatriotas, duas ca e gente com metade da minha idade” festa e da comunidade. “Acho que vai bombar (risos). Foi uma idéia supimpa. “quarentonas” que vivem em Nova York, – conta Andrea. O Estação 40, além de reunir esses Estamos numa terra estrangeira e estamos Andrea Barbosa e Maria José Moreira, criaram uma comunidade – inicialmente brasileiros mais deslocados, oferece ser- muito só. O Estação vai reunir pessoas

que frequentemente têm os mesmos gostos. Será bom para bater papo e conhecer gente” – acredita. A baby sitter Andrea Scalzo, 40 anos e 5 nos Estados Unidos, também está animada para os encontros do grupo. “Lá no Brasil a gente ia em discotecas com os amigos e encontrava pessoas da mesma idade e música do nosso tempo. Aqui, quando temos tempo para sair, só encontramos jovens” – reclama. Andrea Scalzo acha que o estilo de vida corrido do País também atrapalha um pouco na hora de fazer novas amizades. “Aqui não temos tempo para curtir e sair com os amigos. No inverno trabalhamos até nos finais de semana. Com os encontros, podemos reservar um tempinho. A gente precisa desse tempo. Lazer é importante para saírmos da correria do diaa-dia” – afirma. Apesar do nome, o Estação 40 está aberto a todos que compartilham dos mesmos interesses do grupo. A comunidade não limita a entrada das pessoas por idade ou estado civil. Quem tem mais de 30 anos pode entrar. Solteiros e casados também são bem-vindos. Quem quiser fazer parte do grupo ou conhecer melhor o Estação 40, pode acessar o site: www.estacao40.mus.br


AMERICA EM FOCO

20 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

AMERICA EM FOCO

Depois de uma passagem pela Disney, a cantora Marina Elali, que fez sucesso com “Você”, tema dos personagens Sol e Tião em América, aproveita para curtir o frio novaiorquino. Ao seu lado, o seu agente, Francisco das Chagas.

Natália Moreira (à direita) foi eleita rainha do Rodeio Brasil X USA, que acontecerá na Flórida, e Quenia Castro, a princesa.

Flávio, Joana Bueno, da BRCA, organizadora do Rodeio, Andres e Robson Bueno.

Cristiane Almeida, homenageada como Madrinha do Rodeio e Dr. Neri Franzão, convidado de honra da festa que acontecerá nos dias 14 e 15 de Janeiro, na Flórida.

A cubana Iris Afonso ficou em terceiro lugar no concurso que escolheu a rainha e princesas do Rodeio Brasil X USA.


IMIGRAÇÃO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 21

Projeto de lei anti–imigrante assusta a comunidade

Conheça os principais pontos da legislação que vem causando polêmica e será votada pelo Senado americano no próximo mês. Por Karine Porcel

Em dezembro passado, os deputados americanos aprovaram um projeto de lei que pode transformar a vida dos imigrantes indocumentados em caos, se aprovado no Senado e assinado pelo presidente George W. Bush. O HR4437 – The Border Protection, Antiterrorism, and Illegal Immigration Control Act of 2005 – é uma proposta de reforma do sistema imigratório pouco realista na opinião de várias lideranças e defensores dos direitos dos imigrantes. Entre diversas questões, a legislação sugere tornar os imigrantes indocumentados criminosos, estando eles sujeitos a penas superiores a um ano em regime fechado. Apoiar a imigração ilegal também será considerado crime. Por isso, organizações não-governamentais, centros comunitários e igrejas, que oferecem assistência aos ilegais, podem se tornar alvo das autoridades americanas. Na opinião da advogada, Norka M. Schell, esse ato causará mais danos do que

A construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México é uma das questões do projeto de lei HR 4437 com chances de ser aprovada no Senado.

benefícios ao País. “Temos 11 milhões de pessoas que serão consideradas criminosas. Essas pessoas estarão impedidas de entrar em qualquer programa de legalização, inclusive no Guest Worker, se aprovado” – afirma. A advogada acha que o Senado não aprovará o projeto. “Acredito e espero que esssas propostas não se

PONTOS POLÊMICOS DO PROJETO DE LEI HR 4437  Imigrantes serão considerados criminosos – Sob a atual lei, permanecer nos Estados Unidos sem ter um status válido é considerado uma violação civil, não um ato criminal. O HR 4437 poderá tornar a presença ilegal de pessoas um crime federal com pena de um ano ou superior a um ano.  Instituições, organizações e

pessoas físicas que auxiliam os indocumentados serão considerados criminosos – O HR 4437 aponta como criminosos todos aqueles que auxiliarem a entrada de imigrantes ou apoiarem a permanência ilegal dos mesmos no País.  Policiais estaduais ganharão poder de agentes federais – o projeto garante aos policiais locais a autoridade para investigar, identificar, deter e prender todos os imigrantes ilegais que forem detidos nas suas respectivas cidades.  Fim da saída voluntária – as leis atuais de imigração permitem a saída voluntária de alguns imigrantes que forem pegos entrando ilegalmente no País ou sem documentos adequados. Além de reduzirem os custos com

deportação – a pessoa volta para casa com seu próprio dinheiro –, as leis permitem o retorno do imigrante num futuro próximo. Sob o HR 4437, a saída voluntária não será concedida a ninguém.  Fim da loteria do Green Card – É

uma forma de reduzir também a imigração legal. O programa, criado em 1990 pelo senador Kennedy (Ma), a cada ano, concede 50 mil green cards a estrangeiros, que terão direito à cidadania americana. O projeto de lei HR 4437 aponta falhas no programa, argumentando a possibilidade de concessão de vistos de permanêncica a terroristas.  Empregadores serão obrigados a

verificar dados dos seus futuros funcionários num sistema eletrônico nacional – o HR 4437 sugere a criação de um eficiente sistema de verificação para impedir a contratação de imigrantes sem documentos.  Construção de um muro na

fronteira entre México e EUA – o projeto apóia a criação de um longo muro nos setores com maior número de mortes, tráfico de seres humanos e drogas.

tornem lei. Existe uma necessidade de reforma da imigração e proteção das fronteiras, mas esse projeto é um absurdo den-

tro de um país de imigrantes” – completa. Padre Ézio Antunes concorda com a advogada e acredita que o projeto de lei não será aprovado. “Tudo leva a crer que ela (a lei) não será inclusive inserida no projeto final para aprovação. Mas caso ela seja aprovada, assim como está, irá mexer não somente com os indocumentados, como também com os perfeitamente “documentados”, seja residentes permanentes ou cidadãos americanos”. Como representante da Igreja católica, Padre Ézio afirma que a instituição vê com apreensão essa lei. “Para nós, padres católicos, essa lei trará consequências graves. Ora, batizar indocumentados será crime? Celebrar missa ou culto será crime? Dar comida a quem tem fome será crime? Dar uma carona até um ponto de ônibus será crime? E os donos de restaurantes, supermercados, padarias, mercearias etc., que venderem a indocumentados, estarão cometendo crimes? E como ficarão as escolas públicas que honesta e humanamente dão guarida a tantas crianças e jovens indocumentados? E nos hospitais? Poderão os médicos se recusarem a atender um indocumentado?” - questiona.


22 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 23


24 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

IMIGRAÇÃO

Fracassa protesto nacional contra imigrantes ilegais Por Carlos Viana, com agências

O protesto organizado pelos simpatizantes do Minutemen no último dia 7, o chamado “Pare a invasão”, pode ser considerado um fracasso em todo o País. De acordo com a imprensa americana, o maior número de pessoas se reuniu em Glendale, na Califórnia, onde 150 manifestantes carregaram cartazes e faixas pedindo mais controle sobre a imigração ilegal. Para chamar a atenção sobre o assunto, os organizadores decidiram realizar as passeatas em frente às grandes lojas que vendem material de construção como a Home Depot. De acordo com Jim Gilchrist, fundador do Minutemen, a proposta do dia nacional de protesto era denunciar a fragilidade em que se encontra a fronteira com o México, onde milhares de estrangeiros conseguem passar todos os anos em direção às cidades americanas. Cercado por cerca de 50 simpatizantes, Gilchrist foi vaiado e chamado de nazista por um grupo contrário ao movimento organizado pelos Minutemen. “É uma questão de perder a segurança e acabar de vez com as regras do governo para a imigração. Nós

O “Pare a Invasão” reuniu menos gente do que o esperado. Mesmo assim vem preocupando grupos de defesa dos imigrantes, que temem o aumento da discriminação contra os ilegais.

estamos sendo literalmente invadidos e colonizados”, disse Jim, aos repórteres que estavam acompanhando a passeata. Enquanto era entrevistado, uma mulher carregando uma suástica nazista gri-

tava que Gilchrist envergonhava os Estados Unidos por dividir as pessoas por cor ou por problemas econômicos. “Essa proposta era a mesma dos nazistas”, dizia Sharon Tipton, da cidade de Trabuco Canyon, no Arizona. De acordo com os organizadores do protesto contra os imigrantes, a expectativa era de que acontecessem movimentos em pelo menos 19 estados americanos. Mas de acordo com fontes oficiais, foram registradas manifestações de rua em apenas dez estados. Em alguns, americanos saíram às ruas em mais de uma cidade. Ainda segundo os organizadores, pelo menos 37 grupos que apóiam medidas mais firmes contra a imigração teriam participado do movimento.

Poucas prisões e muito bate-boca Ainda de acordo com fontes oficiais, os protestos organizados pelos Minutemen atraíram, em média, cem pessoas por localidade onde a marcha foi registrada. Pelo menos duas pessoas foram presas quando grupos contrários se encontraram nas ruas. Jornalistas que cobriram o evento relataram que os momentos mais tensos foram registrados quan-

do dois grupos começaram a se agredir verbalmente. Em uma das reportagens, o jornalista chegou a comparar os encontros como semelhantes a “partidas de tênis”, ao explicar que os insultos eram respondidos com outros insultos. Exatamente como uma partida de tênis. Em Framingham, próximo a Boston, os manifestantes chegaram a ficar cercados por grupos contrários ao Minutemen, mas não foi preciso a intervenção da polícia. Apenas duas pessoas teriam sido detidas nos locais de manifestação. “O que eles estão fazendo é contra tudo aquilo que este País defendeu em sua história de liberdade”, disse o pastor Manuel Oliveira, da Igreja Presbiteriana New Life. Oliveira, se juntou aos fiéis latinos na marcha a favor da imigração. Para justificar o desejo de que o governo restrinja a entrada dos ilegais, alguns manifestantes carregavam cartazes dizendo que em Massachusetts “os estrangeiros estão tomando os empregos dos americanos”. Em Danbury, outra cidade com grande número de imigrantes brasileiros, perto de 50 pessoas que se diziam “Cidadãos de Connecticut para o Controle da Imigração” marcharam por quase duas horas carregando cartazes e gritando para que o governo tomasse novas providências para controlar a entrada de estrangeiros indocumentados. “Nós estamos de fato sendo invadidos”, disse Bill Duncan, diretor do Museu Militar de Danbury. “Todos os que ajudam imigrantes ilegais a viver e trabalhar se juntam a eles no desrespeito à lei”, completou o ex-militar. Ao mesmo tempo em que o diretor do museu fazia as declarações públicas, o promotor Philip Berns, da cidade de Stanford, se manifestava contra as palavras e as manifestações. “Nós somos uma sociedade que aceita os imigrantes para lavar nossos pratos, servir nossa comida, cuidar de nossas crianças e idosos vulneráveis e agora assistimos a isso”, disse. “O que precisamos é mudar o sistema de imigração que está ultrapassado”, completou o promotor.

Mesmo pequeno, protesto preocupa comunidades Apesar de não ter atingido a proporção desejada pelos organizadores, o “Pare a Invasão” deixou os defensores dos direitos dos imigrantes em alerta. A preocupação é de que as manifestações ajudem a aumentar o sentimento contrário aos imigrantes. “Nós existimos para defender o mesmo sentimento e as mesmas leis que ajuda-

ram milhares dos antepassados destas pessoas que estão protestando agora”, disse Coty Rodriguez, da Lulac-Texas. “Precisamos ficar atentos porque se permitirmos, eles podem mudar a legislação para prejudicar os que desejam apenas viver e trabalhar pacificamente nos Estados Unidos”, completou Rodriguez.


IMIGRAÇÃO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 25

Mobilização contra a ignorância

Em frente a padaria Brazilian Bakery, em Framingham, brasileiros e pessoas de diversas origens enfretaram o frio para dizer “não à discriminação”. Por Glênio Bongiolo, de Massachusetts

Nem mesmo o frio que fazia no último sábado pela manhã foi capaz de esfriar os ânimos no centro da cidade de Framingham. Em ambas as calçadas da Concord Street, dois grupos carregavam placas e protestavam. De um lado, americanos preocupados com o alto índice de imigrantes ilegais carregavam faixas com dizeres como “Abaixo a invasão”, ou “Imigrantes trazem doenças”. Do outro, em número muito superior, várias entidades pró-imigrantes e moradores sustentavam placas pedindo justiça no trabalho e o fim da ignorância e da xenofobia. O evento, originalmente organizado por entidades anti-imigrantes ilegais, ocorreu em todo o país. Em Framingham, no entanto, a comunidade brasileira se organizou rapidamente em um contra protesto, que acabou atraíndo muito mais gente do que o esperado inicialmente. Mais de 100 pessoas participaram do lado dos imigrantes indocumentados, incluindo diversas agências não-governamentais. Joe Rizoli é um dos críticos mais ferrenhos a presença dos brasileiros no país. Carregando um placa onde se lia que Framingham ajuda e auxilia os imigrantes ilegais, ele foi o organizador do protesto na frente da padaria brasileira Brazilian Bakery. Segundo ele, tanto a cidade de Framingham como todos os Estados Unidos estão sofrendo uma invasão por parte dos ilegais. “Estas pessoas estão tomando o trabalho dos cidadões americanos, eles não pagam impostos e além de tudo podem estar trazendo doenças para o nosso país.” afirma. Rizoli é membro da CCFIILE (Concerned Citizens and Friends of Illegal

Immigration Law Enforcement), uma organização que tem como objetivo acabar com os imigrantes ilegais no país. Ele também participou do projeto Minuteman, nas fronteira com o México. Quando perguntado qual a solução para o problema, afirma que a saída é a deportação. Segundo ele, não é uma questão de racismo, e sim de cumprimento da lei. “Eu não tenho nada contra os brasileiros pessoalmente, mas se eles querem vir morar aqui, devem cumprir as regras do jogo.”.

sales taxes quando fazem compras e eles também têm desconto na folha de pagamento como todo mundo, a diferença é que eles não podem usufruir dos benefícios. O próprio Allan Greenspan (ex-secretário do tesouro americano) afirmou que a seguridade social dos USA está sendo sustentada pelos imigrantes ilegais.”.

Contra Ofensiva Em frente a padaria, do lado dos imigrantes, o clima era de descontração. Uma multidão de pessoas enfrentava o frio para fazer valer sua opinião: não à discriminação e pró- reforma imigratória. O grupo, bastante heterogênio, contava com a presença de brasileiros, latinos, americanos, judeus, africanos, pastores, padres e várias instituições não-governamentais. Segundo a americana Kim Foltz, que faz parte das instituições North American Alliance for Fair Employment e da Global Action, a questão dos imigrantes não pode ser simplificada: “Os imigrantes ilegais são resultado das políticas injustas que os USA aplica ao redor do mundo, são um reflexo da globalização que obriga que trabalhadores a deixarem seus países de orígem, em busca de melhores condições.”. A instituição trouxe 15 manifestantes do estado de Rhode Island para participar da demonstração. Uma das organizadoras do lado brasileiro, Ana Amaral do Jobs & Justice, conta que a mobilização é a arma que os imigrantes possuem para conseguirem que seus direitos sejam preservados e

Movimentação Política

A americana Kim Foltz luta em favor de empregos e justiça.

conquistados. “Manisfestações como esta são a forma de mostrar que existe suporte ao imigrante. É preciso combater o sentimento anti-imigratório que vêm aflorando no país, principalmente de instituições como a dos Minuteman.”. Também aponta que a última reforma imigratória ocorreu há vinte anos, e que a situação está insustentável. O judeu de descendência irlandesa Isaak Hodes, que veio da cidade de Lynn para participar do protesto, contesta o argumento de que os imigrantes ilegais não pagam impostos: “Os imigrantes pagam

As manifestações continuaram até o horário do almoço, transcorrendo sem incidentes e pacificamente. Para a comunidade brasileira, foi uma demonstração de união e de força. Um dos selectman da cidade afirmou que primeiro os brasileiros revitalizaram o comércio, agora estão reacendendo a chama política na cidade. Sem dúvida, o fantasma da xenofobia existe, mostrando sua cara em afirmações ignorantes como a de que os imigrantes transmitem doenças. No entanto, é estimulante perceber a capacidade de mobilização que a comunidade vem desenvolvendo no estado de Massachussets. É preciso agora focar estas energias e convertêlas em força política, principalmente em um importante ano de eleições como o de 2006.


ESPORTE

26 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Tevez se nega a jogar no domingo

Por Cosme Rímoli

Logo na primeira partida do ano, o técnico Antônio Lopes teve de enfrentar uma crise. E o prejuízo pode ser muito maior do que a derrota por 1 a 0 para o Noroeste na abertura do Campeonato Paulista. Ao forçar Tevez a jogar os 90 minutos e enfrentar uma temperatura de 37 graus com apenas cinco dias de treinamento, o técnico provocou a revolta do argentino. “Eu não jogo de jeito nenhum no domingo contra a Portuguesa Santista. Estou seguro disso. Nem se o técnico pedir, não jogo”, desabafou Tevez. O descontentamento do argentino foi demonstrado desde a entrada em campo. Ao sentir o calor no gramado, Tevez balançou a cabeça, contrariado. O preparador físico Fábio Mahseredjian o procurou para conversar, saber se queria água. O atacante foi até o centro do gramado. Não queria conversa. Foi com a aprovação do preparador físico que Lopes impôs a Carlitos sua escalação na quarta-feira. “Eu havia avisado que precisava ter treinado muito mais antes de entrar em campo. Minha preparação na Argentina sempre foi de 20 a 30 dias. Com cinco dias apenas de treino, eu senti muito. Não produzi o que sei que posso produzir. Mas

sumiu, surpreso, Nilmar. “Eu também não sabia que o Carlitos não vai jogar contra a Portuguesa. Nem tinha idéia. Achei que todo o time tivesse de entrar em campo no domingo”, deixou escapar Marcelo Mattos. No time corintiano ninguém tinha a menor noção de que o argentino, capitão da equipe, estava liberado para não atuar no domingo. Todos tinham a certeza de que não haveria dispensa para ninguém. Pelo menos esse havia sido o discurso da Comissão Técnica antes da derrota de quarta-feira. Tevez saiu de campo revoltado por ter sido obrigado a jogar a partida entre Corinthians e Noroeste.

tenho certeza de uma coisa: não vou entrar em campo domingo no Pacaembu. Não vou entrar”, avisou. Nos últimos 30 minutos, quando percebeu que não seria substituído, Tevez andou em campo. Com a camisa para fora do calção, não era nem sombra do melhor jogador da América do Sul nos últimos três anos. E não tinha a menor intenção de disfarçar sua indisposição. Ao contrário. “Se o Tevez está cansado, eu também estou. Todos nós treinamos pouco demais para entrar em campo contra o Noroeste. Mas se o Carlitos diz que não vai jogar, o problema é dele. Ele sabe o que faz”, re-

Antônio Lopes

A reação do técnico Antônio Lopes diante da atitude de Tevez foi rápida. Ele tentou amenizar, deixar claro que não houve nenhum ato de revolta do argentino. Se o jogador impôs o seu descanso, o técnico disfarçou. “O Carlitos me disse que tem problemas particulares e eu o liberei. Ele vai à Argentina e voltará aos treinamentos no domingo. Já estava combinado. Não há problema algum. Não há problema algum”, repetia o treinador.

Prejudicado, Corinthians perde na estréia O Corinthians estreou no Campeonato Paulista com derrota para o Noroeste,na quarta-feira, por 1 a 0, em Bauru. E deixou o campo reclamando bastante da arbitragem. Com razão, apesar da fraca atuação. A equipe de Antônio Lopes poderia ter conseguido resultado melhor se o juiz Paulo César de Oliveira tivesse validado gol de Marcelo Mattos no primeiro tempo – a bola entrou, mas Oliveira não viu – e anotado pênalti em Tevez.

Sobre a péssima partida que o Corinthians fez em Bauru, o técnico Lopes buscou explicações óbvias. “Nós treinamos muito pouco tempo. Jogamos nesse horário absurdo de 15h30, com um sol que na verdade é de 14h30. Estava muito calor. Quando nós poderemos voltar a jogar bem como estávamos fazendo no Campeonato Brasileiro? Vamos treinar, mas não tenho a menor idéia.”


ESPORTE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 27

Santos contrata o meia Rodrigo Tabata Destaque do Goiás no último Campeonato Brasileiro, o meia Rodrigo Tabata é o 14º reforço do Santos para a temporada 2006. O clube anunciou na quarta-feira que comprou 50% dos direitos federativos do jogador, que já assinou contrato por 3 anos. Rodrigo Tabata chegou a ser apontado como reforço do Corinthians, mas foi o Santos quem levou o jogador de 25 anos. A sua apresentação oficial ainda não foi marcada, pois depende da realização dos exames médicos. Antes de fazer sucesso no Goiás, Rodrigo Tabata passou por vários clubes brasileiros. Ele esteve no Paulista, São Bento, Santo André, Ferroviária, Inter de Limeira, Treze-PB, Grêmio-PB, Ceará-PB, XV de Piracicaba, Campinense-PB e América-RN. Com a chegada de Rodrigo Tabata, o Santos já soma 14 reforços para 2006. Antes dele, chegaram: dois goleiros (Fábio Costa e Roger), um lateral-direito (Neto), dois zagueiros (Manzur e Ronaldo), dois volantes (Maldonado e Fabinho), dois meias (Cléber e Magnum) e quatro atacantes (Jonas, Galvão, Reinaldo e Gilmar).

O futebol como a grande esperança em 2006 Por Fábio Amaro

Rodrigo Tabata assinou contrato de 3 anos com o Santos

2006 terá dois eventos que marcarão, bastante, a vida dos brasileiros. Primeiro, a Copa do Mundo de futebol, que inicia em junho, na Alemanha. Depois, no segundo semestre, as eleições para Presidente da República. Ambos acontecimentos voltados para a massa, para o povo, milhões e milhões de cidadãos que clamam, a cada dia, por uma vida melhor, por mais felicidade, por mais dinheiro no bolso, por mais empregos, por menos corrupção política, por menos sofrimento, por menos violência, num país que beira a miséria. Incrivelmente, o Brasil depende muito desses dois eventos. Em ambos, apostam-se as esperanças. Muitas. Mas, com a lama que percorreu todo o país, em 2005, vide os escândalos políticos, o brasileiro certamente colocará os seus votos na Copa do Mundo de futebol, e não nas eleições. Afinal, até o momento, a motivação inexiste, para ir às urnas. Afinal, será que salta, atualmente, algum nome político que desperte uma ponta de esperança? Ou alguém que

não esteja envolvido em corrupção? Será que o brasileiro ainda deve acreditar e confiar em algum candidato? Diferente, bem diferente dos políticos brasileiros está a seleção dos nossos craques de futebol. Essa sim, merece o nosso voto. Pelo menos em 2006, temos a Copa do Mundo para torcer, para acreditar, para manter a esperança acesa. Motivos não faltam. Temos o melhor time, os melhores jogadores, talentosos, habilidosos, respeitados no mundo inteiro. Bem diferente da atuação e habilidade exibidas pelos nossos políticos. Que nada sabem. Pois se soubessem, fariam. Daí que o brasileiro deve, naturalmente, se apegar mais ainda à Copa, neste ano. As circunstâncias pedem, e o emocional do nosso povo precisa respirar, precisa de mais afago para continuar vivendo, precisa renovar as motivações. E não é a política que vai animar o brasileiro. Está nos pés dos nossos craques, o voto de felicidade para 2006. Fábio Amaro é jornalista e escritor, autor do livro “Capas da Copa”.


28 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Amoroso viaja para acertar com o Milan Agência estado

O atacante Amoroso e seu procurador, o fisioterapeuta Nivaldo Baldo, embarcaram para a Itália para definir nos próximos dias o contrato de um ano e meio com o Milan. O acordo já está fechado e depende agora dos exames médicos pelos quais será submetido o jogador em seu novo clube. “O presidente do São Paulo (Marcelo Portugal Gouvêa) ficou com o contrato do Amoroso por uma semana na gaveta. Agora pedimos o prazo de uma semana para que o jogador possa resolver sua vida”, confirmou Nivaldo Baldo em sua concorrida clínica na cidade de Campinas. Segundo Nivaldo, na segunda-feira à tarde ele encaminhou “uma carta muito educada” à presidência do São Paulo comunicando o “pedido de licença” para que Amoroso possa definir seu futuro, que deve ser mesmo sua volta ao futebol italiano, onde já defendeu a Udinese e o Parma. Antes mesmo do acordo verbal com o São Paulo, o procurador de Amoroso já tinha desistido da ida do atacante para o FC Tokyo, do Japão, para continuar no Morumbi. “Não se pode forçar uma pessoa a casar com uma mulher feia. Ele deve ter o direito de escolha”, compara Nivaldo. Coincidentemente, o interesse do

Amoroso é um sonho antigo do Milan.

Milan por Amoroso começou há duas semanas, no casamento de Kaká, em São Paulo. Na ocasião, com a presença de vários dirigentes da equipe milanesa, foram iniciados os contatos. Tudo dependia, porém, da saída de Vieri para o Monaco, da França, confirmado no último final de semana. A contratação de Amoroso é um sonho antigo do Milan, desde a época em

que ele saiu da Udinese e foi para o Parma. Depois, o atacante defendeu o Borussia Dortmund, da Alemanha, onde há quatro anos saiu brigado com interferência direta de Nivaldo Baldo. “Lá, houve problema de racismo”, afirma Baldo, que também sonhava em recolocar o seu xodó de volta num grande clube europeu. O novo casamento já está marcado.

ESPORTE

Atlético-PR contrata técnico alemão O ex-capitão da seleção da Alemanha, Lothar Matthäus, confirmou, na quarta-feira, que já assinou contrato para ser o treinador do Atlético-PR nesta temporada. A informação foi divulgada inicialmente pela imprensa alemã e, depois, confirmada no site oficial da Stellar Group, investidora inglesa que administra a carreira do técnico. Essa será a primeira vez que um alemão dirigirá uma equipe do futebol brasileiro. “É um grande desafio para mim. Mas é um prazer enorme assumí-lo. Estava procurando um trabalho no Brasil e tem muita coisa que estou animado: o país, o clube, os jogadores, trabalhar numa liga nova com táticas de jogo diferentes”, disse Matthäus, em um comunicado oficial no site da Stellar Group. O clube paranaense, no entanto, ainda não confirma a contratação do campeão mundial em 1990. A chegada de Matthäus ao Brasil deverá acontecer no próximo dia 26. O contrato com o Atlético-PR, com nove meses de duração, será dividido em duas fases de 4 meses e meio cada, já que Lothar Matthäus já tem um acordo com uma televisão alemã para comentar os jogos da Copa do Mundo, entre os meses de junho e julho.

Robinho diz que está chegando ao máximo O atacante Robinho sabe que ainda não apresentou seu melhor futebol no Real Madrid, mas manda um aviso aos torcedores do clube espanhol. “Falta muito pouco para chegar a meu máximo”, revelou o jogador brasileiro. Contratado no início da temporada, junto ao Santos, Robinho revelou que está recuperando a confiança e, aos poucos, seu verdadeiro futebol está aparecendo. Além disso, Robinho contou que torce para Ronaldo se recuperar de sua quinta lesão na temporada. “É um atacante ótimo, que faz a diferença quando está bem”, afirmou. O treinador do Real, López Caro, também foi elogiado pelo atacante brasileiro. “Ele trabalha a velocidade e fatores importantes no jogo”, disse Robinho. Com as novas contratações do Real (o atacante italiano Antonio Cassano e o lateral-direito brasileiro Cicinho), Robinho espera que o time possa engrenar e alcançar o líder Barcelona, que está 13 pontos de vantagem.

Robinho promete mostrar o seu verdadeiro futebol aos espanhóis.


COTIDIANO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 29

Trabalhos incomuns, difíceis e lucrativos Por Jehozadak Pereira

Onde ou em que trabalhar quando se chega nos Estados Unidos? Alguns vêm para cá sem a menor idéia do que vão encontrar. Em determinadas regiões, o trabalho é farto o ano todo. Em outras, pode ser bem mais dificil. Alguns se sujeitam a trabalhar em lugares onde podem aprender a língua, mas sem perder a dignidade. Outros, pouco se importam com o trabalho, e o importante é ganhar, desde que nenhum preceito moral seja infringido. Este é o caso de dois brasileiros, com boa condição financeira e social no Brasil, que deixaram de lado alguns pudores em troca dos seus objetivos. Júlio, o Jimmy, como é chamado pelos americanos, veio de Cáceres no Mato Grosso, onde o seu pai é dono de uma madereira e de outros negócios, como restaurantes e postos de gasolina. Ele tinha, portanto, uma privilegiada situação financeira, que lhe permitiu estudar e formar-se em direito, como queria seu pai. Só que movido por um espírito aventureiro e para dar um tempo em algumas questões, Jimmy convenceu o pai e principalmente a mãe de que um curso na área jurídica nos Estados Unidos seria o ideal para a assumir a carreira de advogado e cuidar dos interesses da família. Conseguiu o que queria. Ganhou uma “folga” da família e fez o curso em Nova York. Lá conheceu Isabella, que morava em Massachusetts. Como tinha um período de carência para permanecer no País, Jimmy, para não depender do dinheiro do pai, resolveu arrumar um emprego para garantir o seu sustento. Um primo de Isabella que trabalhava numa casa funerária e estava indo embora para a Flórida ofereceu o seu lugar a Jimmy que na mesma hora aceitou. Lavar, trocar roupas e até fazer as famosas maquiagens em cadáveres passou a ser coisa comum para ele. Mesmo tendo a oportunidade de trabalhar em outros lugares, ele nunca quis sair do emprego. Sufoco mesmo foi quando a sua mãe resolveu vir passar as férias para conhecer Isabella e quis saber onde ele trabalhava. Foi um mês de desculpas e mais desculpas para evitar que a mulher descobrisse o que ele fazia. Se ela sequer pensasse que era aquele tipo de trabalho, faria com que ele voltasse no mesmo instante para o Brasil. Mesmo tendo 27 anos ele teria de obedecer, pois a educação recebida não permitia que ele contrariasse a mãe.

comodava com a situação. Ele aprendeu a gostar dos velhinhos e se apegou a eles de tal modo que a cada aniversário, páscoa, ação de graças e Natal, ele ganhava muitos presentes e dinheiro. Ganhou também o coração de Joyce – sobrinha de Bob. Histórias como as de Jimmy e Juliano mostram que os trabalhos que eles exerceram são importantes e nem um pouco constrangedores. Ao voltar para o Brasil, Jimmy deixou o trabalho para Carlos, um amigo venezuelano. Já Juliano foi promovido a manager até se mudar para o Texas para cuidar do pai de Joyce, depois da morte de Bob. Na sua despedida, ele ganhou muitos presentes. Um deles chamou a atenção. Um valioso relógio de bolso deixado para ele por Steve, um dos seus melhores amigos e com quem havia aprendido as mais sujas piadas e palavrões em inglês que ele evitava contar, mas que era diversão garantida. Por mais mórbido que possa parecer, trabalhos como esse são muito comuns entre os imigrantes que fazem aquilo que definitivamente os americanos natos não querem fazer. Além de ser uma forma de ter um emprego onde a concorrência não é tão grande, em algumas funções, os imigrantes têm a chance de aprender o inglês rapidamente. Foi com esse objetivo que Juliano Pires foi trabalhar num asilo. Ele descobriu que conversar com os velhinhos era um modo prático e eficiente – e sem gastar nada – de falar o idioma. Sorridente e boa-praça, Juliano fez amizade com quase todos os idosos e em pouco tempo se divertia com eles, fazendo alguns truques de mágicas que havia aprendido no Brasil, com o namorado da sua mãe. Seu par constante era o texano Bob, considerado pela direção do asilo um ranzinza reclamão por causa de tudo e de todos. Bob fora missionário no Brasil e ao ficar viúvo e dependente de cuidados especiais, os filhos o internaram no asilo. Com a chegada de Juliano, encontrou o companheiro ideal para as suas caminhadas diárias e longas conversas. No começo, Juliano tinha um segundo trabalho que teve de deixar quando alguns dos velhinhos se cotizaram e passaram a pagar o valor equivalente ao seu part time semanal para que ele ficasse exclusivamente à disposição deles. Em pouco menos de um ano, Juliano já falava inglês. Embora tivesse que trocar alguns idosos homens, além das camas, pois muitos deles não conseguiam chegar ao banheiro para fazer as suas necessidades fisiológicas, ele não se in-


ECONOMIA

30 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

Brasil perde com contrabando de pedras preciosas Por Carlos Viana, com agências

A história que você vai ler agora é incrível. Parece tirada de algum livro policial escrito para contar a história de mafiosos ou contrabandistas internacionais. Mas aconteceu mesmo em Minas Gerais, um dos estados brasileiros mais ricos em pedras preciosas. Em 1999, os empresários do garimpo, Gilmar e Geraldo Campos, foram procurados por um garimpeiro da cidade de Abaeté. Nas mãos, o homem tinha uma das pedras mais valorizadas do mundo: um diamante cor-de-rosa. Experientes na profissão, os irmãos ofereceram pouco menos de R$30 mil pela pedra que não poderia ser exportada sem a autorização do governo brasileiro. Ao fecharem o negócio, Gilmar e Geraldo Campos sabiam que naquele momento tinham feito o maior negócio de suas vidas porque a pedra em estado bruto valia nada mais, nada menos, que US$12 milhões, ou aproximadamente R$27 milhões. Lapidado, o diamante rosa chegaria tranqüilamente a US$30 milhões no mercado internacional. O próximo passo era tirá-lo do Brasil. Para chegar aos compradores internacionais, os irmãos usaram um artifício criativo. Colocaram o diamante que pesava 16 gramas dentro de um maço de cigarros e embarcaram para os Estados Unidos. Sem dificuldade alguma, conseguiram passar pela alfândega americana e

logo em seguida fizeram contato com um grupo de compradores judeus de diamantes em Nova York que tentaram desvalorizar o material. A intenção era conseguir baixar o preço. No final, o diamante cor-de-rosa acabou sendo vendido para um comerciante de Hong Kong pelo preço certo: US$12 milhões.

Ministério Público descobriu o caso O caso do diamante rosa teria sido mais um entre milhares de pedras contrabandeadas se não fosse por uma investigação do Ministério Público Federal. Ao verificarem os registros do doleiro carioca, Dario Messer, acusado de lavar quase US$2 bilhões, os promotores se depararam com as remessas feitas via cabo dos Estados Unidos para as contas dos irmãos garimpeiros de Minas. Do total de US$12 milhões, eles receberam em reais perto de 7 milhões. O restante, de acordo com o MP, teria ficado em uma conta bancária em Nova York.

ONDE ESTÁ O OURO NO BRASIL? Pará ............................................................... 43,6% Minas Gerais .................................................. 37,6% Goiás ............................................................... 8,1% Bahia ............................................................... 4,5% Mato Grosso .................................................... 3,6% Outros estados ................................................ 2,6%

Principais compradores de Pedras Preciosas e Ouro Estados Unidos, Alemanha, Taiwan, China, Tailândia, Índia, Itália e França Fonte: Departamento Nacional de Produção Mineral

Salim (também nome fictício) compra as pedras brutas, lapida em uma empresa própria e embarca o material para a Alemanha e para o Líbano. “Hoje em dia faço tudo com documentação oficial porque o governo percebeu que era bobagem impedir a exportação das pedras, como no passado”, diz Salim. Ao comprar um lote de material, o empresário geralmente paga 1/3 do valor de mercado para o garimpeiro. O restante vai ser ganho de acordo com a lapidação e o uso final. Ao explicar porque só “hoje em dia” as exportações são feitas com documentos oficiais, Salim explica que há cinco anos foi preso quando desembarcava em Frankfurt. “Fui denunciado por um concorrente que não conseguiu as pedras de um fornecedor de minha confiança. Fiquei vários meses detido até ser libeO diamante cor-de-rosa, rado pela justiça alemã e obrigauma das pedras mais do a pagar uma multa milionária”, valorizadas do mundo, afirma o comerciante. Perguntado vale US$12 milhões. como levava as pedras para o exterior, Salim disse que acomodava o material lapidado dentro de uma bolsa pequena, colocava no bolso do paletó e embarcava na primeira classe de um avião com destino à Europa. “Quem tem bilhete de primeira desembarca primeiro e recebe tratamento melhor”, disse sorrindo. Atualmente, explica Salim, “tudo é feito por na hora de fechar os negócios é o inglês, mas meio de uma empresa especializada e que nas conversas em particular se escutam diá- não aceita remessas sem documentos por logos em francês, alemão e principalmente causa do seguro”. Perguntado se o conárabe. Ao perceber que estão sendo observa- trabando das pedras ainda continua forte dos, os estrangeiros reduzem ainda mais o no setor, o negociante foi bem claro: “para tom de voz para não serem ouvidos os deta- cada gema exportada, pelo menos outras lhes da conversa. “Minha clientela não gosta três saem sem que o governo brasileiro de falar sobre o assunto das pedras”, diz tenha conhecimento”, finalizou. Caleb. Para explicar a resistência em conceUma vez no exterior, as gemas brasider entrevistas, o empresário explica que as leiras se transformam em jóias vendidas negociações envolvem muito dinheiro e o a clientes milionários que pagam muito medo da violência existe entre todos. “Quan- dinheiro pela cor das pedras e pelo trabado um estrangeiro chega aqui, todo mundo lho dos ourives. Quanto mais raras, mais já sabe que ele veio para comprar pedras pre- caras. Em 2004, as Joalherias foram os ciosas. Para se manter seguro, o negociador principais compradores de pedras e ouro em geralmente não sai do hotel e faz os contatos todo o mundo. De acordo com os dados do em salas aqui dentro mesmo”, explica Caleb. WorldGold Council, o setor adquiriu 78,3% “Na hora de ir embora, o estrangeiro sai dire- da oferta global. Por to do hotel para dentro de um carro. Tudo mais estranho que parepara evitar um assalto ou um seqüestro”, fi- ça, o setor odontológico naliza o dono do hotel. também compra muito Comerciante de pedras preciosas há pelo ouro, sendo responsável menos 40 anos, outra fonte ouvida por nos- pela compra de 2,1% da sa reportagem explicou com clareza como produção mundial no mesmo ano. funciona o contrabando das gemas.

Brasil está entre os mais ricos em pedras Desde os tempos do descobrimento pelos portugueses, as pedras brasileiras atraem a atenção de comerciantes do mundo inteiro. Em torno dos garimpos de diamantes e ouro nasceram cidades importantes como Diamantina, Ouro Preto e Mariana. Mesmo depois de tantos séculos de exploração, atualmente o Brasil é responsável por um terço de toda a produção mundial de gemas feitas – com exceções para os diamantes, rubis e safiras, encontrados em maior quantidade em outras regiões. A produção internacional de ouro também está entre as primeiras no mundo. Em 2004, as empresas mineradoras brasileiras exportaram 42 toneladas, o que equivale à décima terceira posição internacional. O primeiro lugar pertence à África do Sul que detém 40% das reservas globais do metal amarelo. Os dados são do Departamento Nacional de Produção Mineral. Responsável por 350 mil empregos diretos e um faturamento de US$1,97 bilhão em 2004, o setor de jóias e gemas do Brasil poderia ser pelo menos 50% maior em faturamento se o contrabando fosse com-

batido e eliminado do país. Uma possibilidade quase impossível de acontecer por causa da precariedade dos meios de fiscalização e o tamanho das peças produzidas. Assim como o diamante rosa, quase a totalidade das pedras preciosas são retiradas da natureza em pequenas peças, fáceis de serem transportadas ou escondidas pelos viajantes. “Para sair do Brasil é preciso que o exportador tenha uma autorização do DNPM para o garimpo. Mas isso não impede que se use o registro de um local para exportar a pedra retirada em outro que está ilegal”, afirmou um comerciante de pedras preciosas que pediu para não ser identificado por nossa reportagem. De origem libanesa, Caleb (nome fictício) chegou ao Brasil ainda jovem e abriu um hotel destinado a hospedar garimpeiros em uma região tradicional de garimpos de Minas Gerais. Além dos quartos onde passam as noites, os vendedores de pedras usam o local para receber os compradores de todo o mundo. Na mesa de café da manhã e almoço ouve-se pelo menos três tipos de idiomas diferentes. O mais comum


NEGÓCIOS

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 31

Em marcha lenta este período de desaquecimento. Para ela, um dos problemas mais sérios são os imigrantes que estão nos Estados Unidos para trabalhar, mas encontram poucas ofertas nessas primeiras semanas de janeiro. “Muitas pessoas me procuram pedindo indicação de emprego e outras orientações desse tipo; nessa época, algumas pessoas ficam numa situação realmente delicada”, avalia. Muitos imigrantes ficam apreensivos com esse período. Em alguns casos, não há trabalho. Em outros, há trabalho, mas o clima não ajuda. E para quem está nos Estados Unidos com prazo para voltar pra casa, não há nada pior do que ficar parado, em casa, esperando o tempo melhorar para ganhar algum rendimento. É o caso de Jefferson Cintra, que trabalha no setor da construção civil. “Em serviços externos, é impossível trabalhar quando as temperaturas atingem índices muito baixos”, conta. Ele diz que nessas horas bate um desespero e ele sai em busca de novas atividades. “Na verdade, a gente tem que buscar atividades paralelas, ou então, fica difícil pagar as despesas e sustentar o sonho de viver longe de casa, num País estranho”.

Desaceleração da economia no início do ano faz com que comerciantes e prestadores de serviços busquem alternativas para continuar lucrando. Por Juliana Melo

As primeiras semanas do ano exigem que comerciantes e prestadores de serviços tenham alta dose de criatividade para continuar garantindo lucros e pagando as despesas em dia. Além de ser uma época em que os consumidores brecam novas compras para organizar e saldar as contas feitas no mês de dezembro, os estabelecimentos do norte do País contam ainda com o problema do frio que afasta alguns consumidores das lojas. Passar por esse período sem comprometer o orçamento da empresa é, sem dúvida, um dos maiores desafios. “Aqui não há uma retração significativa na economia, como acontece no Brasil, em que os negócios só voltam a prosperar depois do carnaval. Mesmo assim, janeiro é um período crítico porque todos investem menos”, analisa Lúcio Souza Jr., consultor financeiro. Segundo Souza, quem se organizou o ano todo, prevendo esse desaquecimento, sai na frente. “Adversidades fazem parte de qualquer negócio, mas se o empresário faz um planejamento, essas oscilações não o afetarão tanto quanto àquele que é pego de surpreso por um momento mais parado”. O consultor alerta que o verbo “planejar” deve fazer parte do dia-a-dia do empresário brasileiro. “Há uma forma simples de conduzir um negócio de maneira eficaz: minha recomendação é que se pegue um papel e anote todos os pontos fortes da empresa, os pontos fracos, os períodos bons, os ruins, e se organize um plano de ações para ser desenvolvido durante o ano todo. A lista de estratégias e o cronograma de projetos têm que ser colocados num local visível. Todos os dias o empresário deve olhar, observar se está cumprindo os planos traçados e revisar as metas. O planejamento fará com que um período ótimo compense aquele que é mais devagar”, orienta.

Criatividade e “limpa-estoque” Os empresários do comércio, já habituados com esse período menos movimentado, têm uma estratégia simples para garantir vendas no início do ano: as chamadas operações “limpa-estoque”. São liquidações que, a exemplo das grandes redes de varejo, se repetem em lojas pequenas e médias, ansiosas para tirar das prateleiras as peças que não foram vendidas no Natal. Para os consumidores, é a chance de comprar produtos com até 50% de desconto. E para os comerciantes, lucro garantido. A proprietária da Brazilian Fashion,

A mil por hora

Comerciantes apostam em liquidações para atrair consumidores e manter as vendas aquecidas nas primeiras semanas de janeiro.

Lindamar Martins, vai além das liquidações que marcam o período. Ela também aproveita essa época para planejar o ano, repôr o estoque com novas peças e pensar em novas campanhas para atrair clientes. “Quem trabalha com comércio já começa o ano pensando nas promoções para vender as peças que sobraram do fim de ano; mas confesso que já estou com a cabeça no Dia dos Namorados, no próximo mês de fevereiro, quando teremos um período novamente quente de vendas”, anima-se. Ela comenta que sua principal meta é organizar a empresa para que não existam períodos ruins, com vendas em baixa. “Meu principal objetivo é ter um negócio estável, que não oscile conforme o mercado. Para isso, estou investindo em planejamento”, afirma. De acordo com a empresária, o planejamento consiste em levantar os períodos mais proveitosos para o comércio e trabalhar essas datas importantes. Uma de suas estratégias é realizar sorteios que, além de fidelizar clientes, atraiam novos consumidores. No final do ano passado, a Brazilian Fashion sorteou um carro zero. Este ano, pretende lançar promoções semelhantes. “A campanha foi um sucesso

e neste ano repetiremos a iniciativa, com ações em datas especiais, como Dia das Mães. Afinal, quem não quer ganhar um carro novinho, não é mesmo?”, completa Lindamar.

Mercado mais difícil Enquanto o comércio tem como alternativa fazer grandes liquidações, algumas outras áreas não podem recorrer à mesma estratégia. Os prestadores de serviços, por exemplo, têm que se desdobrar para convencer os clientes a continuarem investindo nesse período. “Em janeiro, a economia continua a mil, mas muitas pessoas estão organizando as contas e preferem não investir em nada. Parece que todo mundo põe o pé no freio”, comenta João Carlos, representante comercial. Para ele, o período é ideal para repensar o negócio e as finanças. “Cada vez tenho mais certeza de que o melhor é trabalhar o ano inteiro para compensar essas semanas iniciais do ano que ficam mais paradas, afinal, as contas não páram, continuam vencendo”, brinca. Regina Barbosa, proprietária da Barbtour, acha que a maioria dos comerciantes brasileiros já estão preparados para

Enquanto para muitos comércios e alguns prestadores de serviços esse período está difícil, em outros setores da economia não há crise. Os restaurantes, por exemplo, não páram nunca. Nessa época do ano, as coisas ficam melhores ainda. Em Nova York, onde o movimento turístico é grande, há trabalho de sobra para garçons, cozinheiros e administradores. “Além dos turistas, que ajudam a movimentar o negócio, os restaurantes têm um ponto a seu favor: nesse frio que atinge os Estados localizados ao norte do País, muitas pessoas ficam sem coragem para sair de casa. Saem apenas para fazer passeios tranqüilos, como ir a um restaurante, pegar um cinema ou um teatro”, opina o gerente de um dos estabelecimentos consultados por nossa reportagem. Aquecer o bolso com trabalhos sazonais também é uma boa alternativa para quem quer “fazer um dinheirinho” e não ficar parado em janeiro. Alguns parques e resorts oferecem empregos para estudantes estrangeiros em diversas áreas, que podem atuar na recepção, bilheteria, limpeza, cozinha, e até como instrutores em atividades recreativas. Há diversas opções e vagas. Para quem quer trabalhar, há caminhos e áreas promissoras, independente do período do ano.


32 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PONTO DE VISTA

Tapando buracos e passando vergonha Por Jehozadak Pereira

Ainda bem que a Globo e a Record não são assistidas no mundo todo e muito menos pelos americanos. Dá pena ver o quanto o nosso país é maltratado pelos seus governantes, que não estão nem aí para o que acontece além do Planalto Central, para onde Juscelino Kubitschek levou a Capital Federal. Além disso, abriu estradas, fomentou progresso, implantou a indústria automobilística no Brasil e distribuiu riquezas a custa do endividamento da nação. Acostumados aos seus interesses pessoais, a classe política brasileira é a mesma desde sempre, basta ver dois nomes – José Sarney e Antonio Carlos Magalhães – que estão na vida pública há décadas. Há de se ressaltar que os políticos brasileiros não são desonestos no seu todo, mas sempre há um ou outro mais interessado no seu bem-estar do que o do povo. Há também os escândalos que mancham a nossa reputação mundo afora. Quando não são crianças indígenas morrendo de fome e de inanição, são os aposentados sendo submetidos a maus-tratos

nas filas dos bancos quando vão receber os seus trocados no final de cada mês. Dias destes mesmo o Jornal Nacional mostrava médicos fazendo perícias em doentes e acidentados dentro de carros em Maringá, no Paraná. O que se via na reportagem eram pessoas humilhadas na sua dignidade de gente honesta e trabalhadora, e pior – sem ter a quem reclamar. É só ver a questão da seca no NorteNordeste brasileiro para entender a extrema dependência do povo em cima do poder público ou do governo central. E o que não falta é dependência do governo. Para tudo é vale. Vale-gás, Bolsa-escola, Bolsa-família, e mais uma série de supostos benefícios que tornam o governo extremamente clientelista fazen-

do com que a população espere cada vez mais dinheiro. O ideal seria fomentar – principalmente – no Norte-Nordeste meios de acabar com a seca e criar pólos de produção de frutas para exportação. O Japão, por exemplo, é um dos que mais compra as frutas produzidas naquela região. O melão brasileiro é semelhante ao produzido em Israel – que é considerado o melhor do mundo por causa do clima e do solo semi-árido onde é plantado. Os custos brasileiros ainda são infinitamentes menores do que os de Israel, e nem assim, o Brasil sabe tirar proveito disto. Mas voltando aos buracos nas estradas brasileiras, quem anda pelas rodovias americanas pode comparar umas com as outras e ver que um dos problemas que existem nas estradas aqui é o limite de velocidade que não é compatível com a qualidade das pistas. Basta andar um pouquinho mais e sabe-se-lá-de-onde sai um policial para aplicar uma multa. E a segurança? Com tanto policiamento, os assaltos e roubos são muito pequenos, pois a maioria dos caminhões é munido de aparelhos localizadores e uma central detecta em minutos se há desvio de rota ou qualquer tipo de problema. Nos Estados Unidos, quase tudo é transportado em caminhões, tal como no Brasil. E olha, que os pedágios aqui nem se comparam aos das estradas brasileiras,

muito mais caros e onipresentes. Tem estradas brasileiras que estão com a capa de asfalto da época de Juscelino. Estão de tal modo esburacadas que somente um trabalho novo resolveria a história toda. Mas cadê o interesse em fazer isso? Principalmente em ano político e com tanto dinheiro em jogo. Não devemos nos esquecer de que um dos maiores escândalos de 2005 foi por causa de dinheiro de caixa dois. E parece que ainda assim não aprenderam a lição. Resta então ao governo providenciar uma situação de emergência – que custa muito mais caro – para tentar resolver o problema. Só que especialistas dizem que o problema desse modo jamais será resolvido. Por que? Porque o tratamento é inadequado e na primeira chuva que cair, tudo o que foi colocado nos buracos vai embora com a enxurrada, e daí o problema vai continuar existindo para desgosto e aborrecimento de quem paga impostos e depende do que transporta para viver. Por causa disso tudo é que às vezes temos de dar graças a Deus pela nossa miséria não estar sendo exposta diretamente ao mundo todos os dias. Já imaginou a vergonha que todos nós passaríamos a ter de explicar aos Estados Unidos e ao mundo porque tapamos os buracos pelo preço que construíriamos novas estradas? Seria vergonhoso…


ARTIGO

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 33

Operários da América Por Pablo Melo

Onde estão os 11 milhões de imigrantes ilegais? Faça a conta: cada indocumentado tem contato diariamente com pelo menos cinco cidadãos americanos. São 55 milhões de residentes legais, mais 11 milhões de ilegais. No total, 66 milhões de pessoas conhecem de perto os problemas dos ilegais e suas reais contribuições para a economia americana. Se há uma população de pelo menos 66 milhões de pessoas ligadas aos imigrantes ilegais (sem contar os filhos que já nascem cidadãos, por enquanto), o governo não estaria cometendo um erro ao agir contra tanta gente? As leis não estariam na contramão dos interesses dessas pessoas? Muito mais do que algumas empresas inescrupulosas interessadas em mais lucros, os maiores beneficiados com a imigração ilegal são os cidadãos americanos de classe média. Esses cidadãos poupam dinheiro em diversos serviços, contra-

tando ilegais para reformar a casa, pintar, limpar, etc. Abraham Lincoln se opôs à anexação do Estado do Texas aos EUA e também colocou seu nome na história com a 13ª emenda: “nenhuma pessoa pode ser submetida a escravidão ou a servidão involuntária, exceto como punição a um crime que tenha sido condenado”. O que eu acho engraçado é que, até então, escravidão era uma coisa perfeitamente legal. Era perfeitamente legal obrigar uma pessoa, no caso uma pessoa de raça negra, a fazer o que bem entendesse. Tratados como objetos até a 13ª emenda, os negros continuam a sofrer preconceito até hoje, em alguns lugares do país. Assim como foi difícil para muitas pessoas entenderem o fim da escravidão, será complicado também reconhecer o valor da imigração na sociedade dos Estados Unidos. Toda evolução pede mudança e gera medo do futuro desconhecido. O “status quo” é defendido com visão noturna, aviões robôs, sensores de

movimento, helicópteros, muitas armas e o pior, um muro. Dias piores virão e infelizmente eles estão cada vez mais perto. Temos que temer que a falta de noção da realidade dê a direção para o país que um dia já foi o paraíso dos direitos civis, da liberdade e das oportunidades iguais para todos. Vamos esperar o surgimento de um Abraham Lincoln. Um líder para mudar a história do país e ser lembrado como aquele que reconheceu que os imigrantes fazem dessa terra uma nação ainda mais rica e forte. *Eu sou Pablo Melo, brasileiro, e não suporto desigualdade. Que estas palavras um dia possam ser lidas por outros e que, no futuro, os milhões que hoje têm medo, possam respirar o ar da liberdade. Uma liberdade com letras azuis e vermelhas, que possa tremular em suas janelas, causando orgulho a todos.


34 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 35


36 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE


GUIA

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 37

Garantia de boa compra Contratar uma companhia de inspeção para avaliar o imóvel que será comprado é uma medida de segurança que evita problemas e gastos imprevistos. Por Juliana Melo

Na hora de comprar uma casa é difícil deixar a empolgação de lado e observar apenas os aspectos formais da negociação. Mas é um desses procedimentos comuns que pode evitar futuras dores de cabeça. A inspeção imobiliária é obrigatória em todas as transações. Poucos, no entanto, atentam para sua importância: é essa avaliação que relatará ao comprador as reais condições do imóvel. Foi uma dessas inspeções que impediu Rosilene Dorville de fechar um negócio que poderia lhe trazer muitos problemas. Ela estava prestes a comprar uma casa quando chegou na etapa da inspeção. “O corretor que me atendeu indicou uma companhia, mas fui orientada por minha cunhada a contratar uma em-

Os inspetores avaliam todos os cantinhos do imóvel e apontam os defeitos. Ao final, um relatório mostra os reparos que precisam ser feitos e o custo da obra.

presa por conta própria, alguém que não tivesse vínculo algum com a agência para que fizesse uma avaliação realmente verdadeira, sem interesses”, conta. Ela contratou um “home inspector” de New Jersey por US$500 e passou duas horas acompanhando-o pela residência. “Ao se apresentar, ele fez questão de me dizer que estava ali para defender meus interesses, não os interesses da imobiliária ou do proprietário do imóvel”, lembra. Segundo ela, que havia visitado o imóvel anteriormente e o achado perfeito, o inspetor vasculhou cada cantinho e apontou os problemas. “Logo de início ele mostrou que havia focos de cupim, problemas no telhado, vazamentos e outras coisas que necessitavam de reparo”, afirma. Ao final da avaliação, o inspetor orçou a reforma em aproximadamente US$8 mil. “Agendei uma reunião com o realtor para tentar chegar a um acordo sobre os problemas; infelizmente, o proprietário não aceitou executar as obras de reparo e eu preferi desfazer o negócio”. Apesar de ver frustrada a compra de

uma casa que tinha lhe agradado bastante, Rosilene acha que investir na contratação de uma companhia de inspeção foi um bom negócio. “Correria o risco de me arrepender, caso comprasse sem saber dos problemas. Afinal, não existe nada pior do que fechar um negócio e depois perceber que será necessário gastar alguns mil dólares com obras de reforma”. A atitude da compradora é considerada ideal para os especialistas no ramo. Encantadas com a aparente condição do imóvel, muitas pessoas se deixam seduzir pela disposição dos cômodos, localização e não atentam para os problemas estruturais do imóvel. Depois que o negócio está fechado, é difícil brigar pelos direitos. Pesar o valor do investimento no ato da compra é a melhor forma de se convencer da importância de contratar um inspetor idôneo que avalie minuciosamente as condições do imóvel. Nessas horas, a melhor recomendação é esquecer o preço e se preocupar com a qualidade dos serviços, afinal, comprar uma casa não é algo que se faz todo dia.


38 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

GUIA


GUIA

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 39


40 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

GUIA


CLASSIFICADOS

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 41

LIMPEZA DE SUPERMERCADOS Precisa-se de pessoas c/ experiencia, carro, carteira de motorista e autorização de trabalho, para trabalhar no Estado de Vermont - Tel: (518) 569-60-98 - Falar c/ Adan.

PRÉDIO V.BRETAS 3 Aptos. cada um. 1st, 3qt, 2sl, cz, Valor total R$470.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE75

03 casas de 2 qtos Lote 520m2 AÇUCAREIRA - SANTOS DUMONT R$150.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ40

PREDIO V. BRETAS Com duas moradas, tipo Kitinet com gr, 1 andar 2qt sendo um com varanda, sl, cz, .bh social, terraço, cz, disp, um bh, churrasqueira R$140.000,00. Ligue: 1877-223-2990 CDE76

Casa 4 qtos 4 qtos(2 suítes) dem. Dep. Lote 480m2 - CENTRO R$600.000,00. Ligue: 1877-223-2990 CDJ25

Aptº 3 qtos 3 qtos(suíte). Aceita fin Caixa AÇUCAREIRA - SANTOS DUMONT R$85.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ41

Casa de luxo C/3 suítes - CENTRO R$750.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ27

Aptº 2 qtos Ótimo local - BAIRRO SÃO PAULO PARTE ALTA R$85.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDJ48 Aptº de cobertura Luxo, vaga p/3 carros - CENTRO. R$650.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ29 Aptº cobertura 4 suítes - CENTRO R$220.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ30

FAÇO POR ENCOMENDA COMIDA E DOCES BAIANOS: Acarajé, Bobó de Camarão, Vatapá, Moqueca, Caruru, Xixim. Atendo a área de New Jersey. Tel: (973) 522-11-24. ROMA’S WIRELESS - Dealer Autorizado: Sprint, T-Mobile, Cingular, Verizon, Nextel, Atell, Liberty. Temos o celular da sua escolha e muitos telefones disponíveis. Para maiores informações, falar com Roma. E-mail: info@wirelesscellphonesales ou emuloroma@yahoo.com.

VENDE-SE LOJA BRASILEIRA EM ASHLAND - MA. Nome da Loja: BRASIL AMERICA. Vendemos produtos brasileiros, fazemos remessas de dinheiro e pagamento de contas. Motivo da venda: mudança. Falar com Angela - Tel: (781) 727-71-35.

IMÓVEIS NA REGIÃO DE GOVERNADOR VALADARES

APARTAMENTO KITINET GRÃ DUQUESA R$50.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDE53 KITINET Acamp. vale. Próx shopping R$55.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE54 APTO. ILHA DOS ARAUJOS 3st + 1qt + 1bhsocial, sl/cp com 80 mts, garagem 3 carros, piscina, dce R$400.000,00. Ligue: 1-877223-2990 CDE55 APTO. ILHA DOS ARAUJOS 3qt, sl, cp, cz, dce, gr R$70.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE56 APTO. SÃO PEDRO 3 quartos, bh social, sl, cz, gr R$70.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE57 APTO. GRÃ DUQUESA 1st, 2qt, sl/ cp, cz R$80.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE58 APTO. M. VALE 1st, 2qt, sl, cp, czgrande, gr2 carros R$90.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE59 APTO. ESPLANADINHA 1st + 2qt, sl, cp, cz, gr R$140.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE60 APTO. ESPLANADA 1st com hidro, 2qt,sl com granito, cp, cz, grelev R$210.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE61

Aptº 2 qtos 2 qtos(suíte) novo acabamento de primeira qualidade próximo Coelho Diniz GRÃ DUQUESA R$85.000,00. Ligue: 1-877223-2990 CDJ20 Tipo todo em granito 3 qtos(suíte) c/armários lindos, garagem - GRÃ DUQUESA R$180.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ21 Apto Cobertura Possibilidade de transformalo em triplex c/3 qtos(2 suítes) armários, vista maravilhosa p/Ibituruna - ILHA DOS ARAUJOS. R$160.000,00. Ligue: 1-877-2232990 CDJ12 Apto Novo 3 qtos(suíte) - ILHA DOS ARAUJOS R$110.000,00. Ligue: 1-877-2232990 CDJ13 Apto BNH 2 qtos 2 qtos (1 c/armário espelhado) reformado - ILHA DOS ARAUJOS R$65.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ14 Apartamento cobertura Cem condomínio 3 qtos (suíte) - SANTO AGOSTINHO R$135.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ46 Aptº 2 qtos 2 qtos(suíte) sala-copa ampla, garagem - UNIVERSITÁRIO R$60.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ18

CASA CASA V. BRETAS 2qts, sl, cp, cz, gr 4 car, luxo tem 250 mts de construção R$160.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE62 CASA SÃO PEDRO 1st com hidro , 2qt, 2sl, cp, cz, gr2 carros, qtl, terraço, da fin. caixa econ R$110.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE63 CASA ILHA DOS ARAUJOS 1 suíte, 4qt, sl, cp, cz, pisc R$150.000,00 Ligue: 1-877-2232990 CDE64

Casa rua D. Pedro II 5 qtos (suíte) - CENTRO R$230.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ26

Casa Lote 400m2 próx. Democrata - CENTRO R$360.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ28 Casa 4 qtos (2 suítes) lote 776m2 c/aquecedor solar. Aceita aptos na troca - ESPERANÇA R$220.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDJ32

Mansão c/ 4 qtos 4 qtos (2 suítes), piscina. Lote grande - ESPLANADA R$800.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ31 Casa 4 qtos 4 qtos(suíte), gar. 2 carros - GRÃ DUQUESA R$250.000,00. Ligue: 1-877-2232990 CDJ19 Casa em 2 lotes sobre pilotis 4 qtos (2 suítes), sala tv. Sala estar, lavabo, copa, cozinha, piscina, jardim, garagem p/6 carros, portas e janelas blindex - ILHA DOS ARAUJOS R$350.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ6 Casa excelente 3 qtos 3 qtos (2 suítes c/armários) 2 andares ,próxima igreja católica com acabamento excelente - ILHA DOS ARAUJOS R$250.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ7 Casa 4 qtos(suíte) próxima ao Garfo - ILHA DOS ARAUJOS R$ 200.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDJ8 Casa excelente 2 pav. 4 qtos(suite), gar. 4 carros, fachada moderna e muito bonita - ILHA DOS ARAUJOS R$260.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDJ9 Casa 5 qtos, terraço, varandas, piscina - ILHA DOS ARAUJOS R$150.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDJ10 Casa excelente 3 andares 4 qtos(2 suítes c/ banheira hidromassagem), piscina, fogão lenha. (Aceita aptºs menor valor no negócio) ILHA DOS ARAUJOS R$250.000,00 Ligue: 1877-223-2990 CDJ11 Casa 3 qtos 3 qtos (suíte), dem. dep - MARIA EUGÊNIA R$110.000,00 Ligue: 1-877-2232990 CDJ38 Casa 3 qtos 3 qtos (suíte), início bairro. Parte alta - SANTA RITA R$135.000,00. Ligue: 1877-223-2990 CDJ33

Casa 3 qtos 3 qtos (suíte) - SANTA RITA R$95.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ34

CASA ILHA DOS ARAUJOS 3 qtos, bh social, sl, cp, cz, gr + um qto com bh R$88.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDE65

Casa laje 2 qtos próxima João Melo - SANTA RITA R$75.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ35

CASA GRÃ DUQUESA Duas moradas, sl, 2qt, bh social R$120.000,00Ligue: 1-877-223-2990 CDE66

Casa 2 pav. 3 qtos(suíte) em construção, parcela pagamento - SANTO AGOSTINHO R$115.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDJ44

BARRACÃO GRÃ DUQUESA Lote 10 por 30 de fundo, casa velha 3qt, sl, cz, bh social, fin. Caixa EconR$80.000,00. Ligue: 1-877-2232990 CDE67

Casa 3 qtos 3 qtos(suíte), esquadria blindex e alumínio - SANTO AGOSTINHO R$100.000,00Ligue: 1-877-223-2990 CDJ45

CASA B. LURDES Com 3 suites, sala, cp, cz, gr1 R$120.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE68 CASA B. BETEL 1st, 2qt, sl, cp, cz, slcp, cz, garagem 3 carros R$90.000,00. Ligue: 1-877223-2990 CDE69 CASA V. IMPERIO 3qt, sl, cp, cz, bh social, grR$68.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE70 CASA M. EUGENIA 2 ste, +1qto, sl, cp, cz, 2gr, terraço R$80.000,00. Ligue: 1-877-2232990 CDE71 CASA V. VERDE 3 qt, bh, sl, cp, czR$100.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDE72 CASA M.VALE 3qt, bh, sl, cz, qtl, gr 1 carro. Financ. Caixa R$110.000,00Ligue: 1-877-2232990 CDE73 CASA MORADA DO VALE 3 2 quartos, sl, mais dois barracões, escritórios R$85.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDE74 CASA MARIA EUGÊNIA 2 suites, +1 quarto, sl, cp, cz R$82.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE119 Casa inacabada C/telhado - AÇUCAREIRA SANTOS DUMONT R$85.000,00. Ligue: 1877-223-2990 CDJ39

COMERCIAL SALA - CENTRO Edfício Fabíola em Minas Gerais com b eliodora R$25.000,00 Ligue: 1877-223-2990 CDE50

Sala Edificio fabiola Entre Minas Gerais e Barbara Eliodora R$26.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDE120 Loja Av. JK. Próx Coelho Diniz. 406 mts R$350.000,00 Ligue: 1-877-223-2990 CDE121 Loja 2 portas 130m2 (alugada) - AV. JK – S. CRISTÓVÃO R$100.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDJ37 Comercial Av JK. Próx. Coelho Diniz, 14 por 29 fundos,3 lojinhas, ap2 qtos - GOV. VALADARES R$350.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDE52 Loja alugada Valor do aluguel R$150,00 - ILHA DOS ARAUJOS R$20.000,00 Ligue: 1-877223-2990 CDJ17 PRÉDIO ÁREA COMERCIAL Av JK. com 2 lojas, alugadas R$758,00, 3 gr ,qtal , um qto, um bn. 1 andar apart com 4 qtos, sendo duas suítes, bh social, sala com três ambtes, sacada av. jk com fino acabto. no granito e tábua corrida + lavabo, cozinha, churrasqueira, salão amplo, dceempre. - VILA BRETAS R$480.000,00. Ligue: 1-877-223-2990 CDE77


PARA LER AS HISTORINHAS DA TURMA DA MÔNICA Você pode visitar o WEBSITE

www.monica.com.br

8 2006 Mauricio de Sousa Produções Ltda. Todos os direitos reservados. www.monica.com.br

e clicar em QUADRINHOS E para fazer uma assinatura internacional clique em REVISTAS

www.monica.com.br www.monica4kids.com O WEBSITE DA MÔNICA, EM PORTUGUÊS E INGLÊS, É INTEIRAMENTE GRÁTIS

ONDE VOCÊ ENCONTRA A TURMINHA QUANDO VISITA O BRASIL SÃO PAULO - SHOPPING ELDORADO Tel: (11) 3093-7766 10 mil metros quadrados de área coberta e climatizada

PRODUTOS DA MÔNICA NOS ESTADOS UNIDOS Envie seu e-mail para PlanoInfalivel@aol.com

ESPAÇO RESERVADO PARA O JORNAL NATIONAL


PUBLICIDADE

www.nationaltbn.com | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | 12 DE JANEIRO DE 2006 | 43


44 | 12 DE JANEIRO DE 2006 | NATIONAL THE BRAZILIAN NEWSPAPER | www.nationaltbn.com

PUBLICIDADE

041  

Onde trabalhar nos EUA? símbolo sexual Ao lado de tantos protestos con- tra os imigrantes, no próximo dia 16, os americanos vão relembrar os...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you