Issuu on Google+

Horizontes César Leal

Dormes no meu sono! Sobrancelhas. Pó! Incêndio nos pulsos, Nas poças o Sol.

Argila!Águas,árvores, Orvalho,asas,gptas, rodas de relógio, movem-se as ondas.

Lágrimas do copo Caindo no bronze. Abre-se a luz no ar: Gotas, pedras, nomes.

Girassol! Os arcos mistérios do sono, meu corpo uma vaga por teu mar de longo.

Olhos! Luzes! Garras! Vinho , Sol, Abelhas. Céu. Corpo. Diamantes. Pântanos de seda.



Horizontes