Issuu on Google+

atarsis

INTRODUÇÃO GERAL

Um pouco de filosofia à guisa de... ( onde se marca nossa ostranye )


001 A atuação artística no mundo sempre foi um ato que compreendeu: a- a percepção das linhas de fôrça de um tempo e de seus problemas sociais elementares. Assim, os gregos do século V aC concentraram-se, em cênicas, no ataque às fôrça do destino, pois eram causas de sofrimento; e à representação do vigor do corpo humano, como contrapartida plástica. b- a construção de um universo imaginário que servisse como linhas de fôrça maiores, para superar as contingências do próprio tempo. 002 O universo em que estamos inseridos comporta às margens de seu fluxo urbano: a violência das ruas, a prostituição infantil, a rede distruibuidora do narco-tráfico o sexo inseguro diante da aids; fora alguns problemas mais antigos mas em plena vigência como: o abandono da velhice, os custos dos tratamentos de saúde, a falta de espaços urbanos para realização pessoal ( quase reduzidos hoje à casa de família e ao posterior escritório...), o abandono da infância pobre nas ruas... Todos com tres características comuns: o sofrimento (pathos), a falta de tempo para se pensar neles e a falta de um teto-braço-colo onde abrigá-lo e enfrentá-lo. 003 Se propusermos uma intervenção artística moderna claramente terapêutica, integrando em nossa estética o utilíssimo conceito de katarsis e aliarmos tal concepção a de outras áreas que tratam os mesmos problemas como os de alienação, marginalização, formação lacaniana do Eu enquanto Sujeito sígnico e tentarmos junto com essa reflexão, partirmos para sua operacionalização técnicoprática, estaremos dentro daquilo que nomeamos aqui como "espaço urbano contemporâneo". Isso é: estaremos trabalhando sob as duas linhas que indicamos para a arte universal: a- lendo o universo que nos rodeia b- interferindo imaginal e catarticamente nele. 004 Pois talvez já seja tempo das filosofias pararem de explicar o mundo para começar finalmente a modificá-lo. Nosso objetivo maior é o de enfrentar o sofrimento ( pathos) e tentar reduzí-lo. Nossa área é a SAÚDE MENTAL PÚBLICA. Nosso lema: corpo são só em mente sã.


01

011 OBJETIVO GERAL

Produzir um espaço teórico e prático onde possam se desenvolver projetos de arte orientados segundo uma estética do urbano e do sub-urbano , para intervenção em suas áreas mais críticas.. 012 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 0121 Katarsis se subdividde em dois sub-projetos, um da área de Plásticas & outro de Cënicas. Cumpre informar que isso nem é mais necessário na era moderna, depois que o conceito de “performance ” foi criado. Nós o fazemos porém dado o retardo cultural ainda existente nos locais (topoi) aonde será deenvolvido nosso projeto. 01211- PROJETO PLÁSTICO: Criar GALERA Isso é: desenvolver projetos coletivos de criação de obras plásticas, com finalidade de intervenção em nosso espaço urbano. Não mais Galerias, de artes mercantís não mais Vanguardas & Brigadas, pois não temos estrutura militar, mas Galeras: Grupos de Ação & Leitura Radical em Artes. 01212- PROJETO CËNICO Criar CIRCO Isso é: desenvolver projetos, individuais e coletivos, de criação em artes cênicas de grupos de teatro de repertório, com finalidade de intervenção cultural. CIRCO: Coletivo de Intervenção Radical Cênica... ( Ou Circe, para quem leu Homero) Ou Coletivo de Intervenção, em Rua, Cênica.... Portanto teatrão nunca mais, pois comprometido com o palco italiano e com a distäncia física.


013 PARADIGMAS HISTÓRICOS A visibilidade do Projeto aponta para áreas de proteção e maternagem tais como Galpão de Andy Wharol em NY, o galpão do Berliner Ensemble de Brecht, o Cricot II de T.Kantor em Varsóvia, o Galpão das Bouffes Parisiennes de Peter Brooks, o Galpão da Cartoucherie de Vincennes de Mnouchkine etc... 014 ORIGINALIDADE: ampliação do espaço artístico, para áreas-limite, áreas de katástrofe (desenlace). 015 OPERACIONALIDADE Estrutural 0151 Estrutura acadëmica Sua estrutura acadêmica segue o modêlo do PET, realizando-se pois através de atividades de pesquisa * orientadas por professores * realizadas por alunos, mantidos por bolsas PET e acompanhados através dos processos de avaliação desse projeto e de certificados de participação em Extensão universitária . 0152 Cada Sub-Projeto dividir-se-á em Eventos, Cursos ou outras modalidades específicas de Extensão e segundo as normas próprias desta área. 0153 Está em fase de estudos o uso desse projeto pelo Núcleo de Saúde Pública, através do Convënio existente entre a UFPe e a JICA ( Japan International Cooperation Agency )


0154 Estão previstos os seguintes Eventos CIRCO 015341 IBURA IV 01542 MACAPARANA 01543 BREJO da M de Deus

Trabalho com idosos/ Dança etc.. Erradicação da Esquistossomose Educação no uso de agro-tóxicos

GALERA 01544 PINTANDO O SETE

155

Trabalho de reciclagem, carpina & restauração de material usado da UFPe para as escolas das redes Municipal e Estadual de Ensino.

Fundos

Já que todos sabemos bem das carëncias da Universidade Brasileira, nada impede a intervenção da iniciativa privada, para suprir fundos necessários aos eventos, através de processos de adoção e apadrinhamento de projetos, como já é feito com praças, monumentos públicos etc.... 0156 Coordenação Geral Os Projetos fundadores, GALERA e CIRCO, serão Coordenados pelo criador do espaço, como forma de direito autoral de projeto, durante os 8 primeiros anos de seu processo de consolidação: P. Michelotto endereços:

ptam@elogica.com.br www.elogica.com.br/users/ptam 081 - 469.1541 081 - 9975. 5756 ( favor jamais usar 081- 271.8309 )


1211

012111

O Projeto Galera visa a criação de grupos de reflexão e ação cultural de artes plásticas, em áreas limítrofes do sistema.

012112

Cada grupo composto de no máximo 12 pesquisadores orientados por um ou uma equipe interdisciplinar de professores.

012113

Mantidos pelo PET, Coca Cola, Tintas Coral, Sharp, Indústrias farmacêuticas ou outros projetos de ajuda financeira. .

012114

Com intenção de ação em áreas marginais do sistema ( catastróficas) tais como: escolas públicas, hospitais, consultórios médicos, ruas, feiras, feirinhas, morros, palafitas, acampamentos de sem-terra, sitting de grevistas, engarrafamentos de trânsito, inundações etc

012115

Dando corpo ao texto com estética, materiais e programas de atuação da mais antiga à mais moderna tecnologia, Do rabisco ao grifo. Dos Grafittis aos Grafos computadorizados ( internet ) , Da pancada & corte patológicos ao risco fundamental ( grundriss), Arranhão & rabisco catárticos. Da tinta xadrez ao óleo italiano. Do pedaço de pau ao chip. Da horta à aorta. Da jardinagem ao Zen. Do tópico ao utrópico.

012116

Em barro, pau, pedra, metal, tela, vídeo, cinema, computador, luz, livro, poema, romance, letra & música.

012117

Em Τεχνη visual, gráfica, sonora, manual, e de qualquer outro sentido que se apresente e justifique sua intervenção..


01212

012121

O Projeto Circo visa a criação de grupos de reflexão e ação cultural de artes cênicas, em áreas limítrofes do sistema.

012122

Cada grupo composto de no máximo 12 pesquisadores orientados por um ou uma equipe interdisciplinar de professores.

012123

Mantidos pelo PET, Coca Cola, Sharp, Indústrias farmacêuticas ou outros projetos de ajuda financeira. .

012124

Com intenção de ação em áreas marginais do sistema ( catastróficas) tais como: escolas públicas, hospitais, consultórios médicos, ruas, feiras, feirinhas, morros, palafitas, acampamentos de sem-terra, sitting de grevistas, engarrafamentos de trânsito, inundações etc

012125

Dando texto ao corpo com estética, materiais e programas de atuação da mais antiga à mais moderna tecnologia cênica.

012126

Dando tempo ao tempo & vez à voz,

chateando papeando praguejando papagueando fazendo cena

> conversa à distância > em palco, em chat , > criar proximidade > sussurro, pé de orelha, confidência > desafiando deuses&destino >desreprimindo, soltando a voz, > gastando tempo, ganhando tempo. > pranteando, gargalhando > criando um novo espaço de circulação, se mascarando > ( criar espaços internos, ressonâncias, alcance visual ) cantando > ( modulando, moldando, criando moldes ) karaocando > ( paródia= cantar num outro lugar ou no lugar de ...). zombando >( farsa, far-si , ironia ) se deslocando >( mesmo corpo, espaço diferente ), se en-corporando >( mesmo espaço, corpo de outro ), se en-corporando >em pau, pano, corda (mamulengo/ joruri > corpo objeto ). se en-corporando> no espaço cênico >corpo ator, se en-corporando > como ator oriental >em ritual kabuki ou Nô. se en-corporando > como ator concelebrante >em festas, ritos, liturgias . Dançando >"Dans ça". >Dentro disso e daquilo..


012127

Em pano, pau, corpo, luz, & letra & música.

012128

Através de artes cênicas dança, teatro, circo, ópera, mamulengo de pano, vara, Da mais antiga contação de histórias à mais moderna performance.

02 anexos históricos 21

KATARSIS em Artes Cënicas já existe pelo mundo inteiro, Estando em cartaz um filme com Robin Willians “criando” o projeto... No Recife existe pelo menos um grupo que desenvolve bem esse trabalho. ( reportagens anexas ) Todo discurso de “originalidade” nesta área de saúde é mera perda de tempo. Quanto à ligação entre saúde e teatro relembro ainda o saudoso Waldemar de Oliveira, médico, fundador do moderno teatro pernambucano ( quiçá, brasileiro). Que o criou com funções catárticas!!!! O que acrescentamos isso? a- A possibilidade de trabalho e pesquisa acadëmica. b- Diferente dos Doutores da Alegria, nossa idéia básica é que o melhor médico é o que cuida da saúde do corpo, e que deixe a parte da saúde mental para psicólogos e nós. Afinal, os palhaços somos nós. c- A re-orientação da arte-educação para perspectivas sociais mais amplas e não só a atual, voltada apenas para o ensino de 1 e 2 graus.

22

De grupos organizados institucionalmente para atuação plástica não temos conhecimento. Daí a dificuldade própria do Projeto Pintando o Sete, que pretende estabelecer que um menino que estuda assentado numa cadeira que ele mesmo pintou, provavelmente terá melhor saúde mental que o que luta para estudar assentado no chão (= realidade parecendo “insolúvel” em Pernambuco). O primeiro conviverá com a idéia de que é respeitado, ao contrário do segundo!

23

Sem ligação institucional, alguma inúmeras pessoas já fazem esse trabalho catártico de saúde mental pública. Nada aqui é novo ou original. Só o enfoque.....


1KATARSIS projeto