Issuu on Google+

Fotolivro Olhares Trabalho Final da oficina Foto documentรกrio Turma A abril 2009

o


Fotolivro Olhares

O Fotolivro aborda cinco temas que foram trabalhados durante a Oficina de foto documentário e memória, são eles: Meio ambiente, Trabalho formal, Criança, Lazer e Trabalho informal. A opção em realizar as fotografias em preto e branco e uma tentativa de acentuar a poesia dramática existente em cada imagem, os contrastes amenos do cinza ao branco e o foco no tema abordado. O meio ambiente e o ser humano, é o primeiro tema e foca o lixo nas ruas, nos rios e córregos e a possibilidade O Trabalho Informal é o segundo tema, que traz vendedores ambulantes, artesãos e catadores de reciclado na dura realidade da economia informal.de ambiência harmoniosa nas práticas sustentáveis.


Fotolivro Olhares

O terceiro tema, o Trabalho Formal foca os trabalhadores contratados que em meio a resíduos sólidos, soldas e clientes dos pequenos comércios buscam o sustento para as suas familias. O Lazer é o quarto tema, onde buscamos identificar algumas práticas realizadas pelas pessoas nos espaços públicos, como as ruas, parques e clube da comunidade. O quinto tema traz a Crianca e a sua forma singular de estar no mundo e na Incansável capacidade de recriar a realidade em sua volta. A partir do olhar de cada participante os temas foram fotografados, revelando as subjetividades e objetividades das várias paisagens de São Miguel.


Meio Ambiente

Foto Bianca Souza

Parque Chico Mendes, Vila curuça, SP, maio 2009

Prevenir o dano ao ambiente como o melhor método de proteção ambiental e, quando o conhecimento for limitado, assumir uma postura de precaução. “ Impedir a poluição de qualquer parte do meio ambiente e não permitir o aumento de substâncias radioativas, tóxicas ou outras substâncias perigosas”. Carta Terra: Princípios para uma vida sustentável Cap. II.- item 6 letra d


Foto Carlos Negrulho

Foto Ulisses Frutuoso

Marginal do Itaqueruna, Jardim São Vicente, SP, maio 2009 O depósito de lixo as margens do rio que há até pouco tempo teve episódios de enchentes, ja teve como saldo prejuízos e doenças para os moradores da região. As áreas públicas se ressentem de maior cuidado por parte do Estado e ao mesmo tempo da conscientização da população que não percebe o público como sendo parte de todos.

Rio Itaqueruna, Jardim São Vicente, SP, maio 2009 Nesta imagem o paradoxo da intervenção humana, onde hoje e asfalto, ha pouco tempo atras era a margem do rio que foi engolido pelo crescimento desordenado do bairro. Por outro lado o rio segue o seu rumo em direção ao Rio Tiete .


Foto Ulisses Frutuoso

Foto Bianca Souza

Parque Chico Mendes, Vila Curuçá, SP, Maio 2009 Entre árvores muito bem cuidadas, um pato me chamou a atenção enquanto caminhava para saida do parque, parecia ate que queria ser fotografado.

Rio Itaqueruna ( sentido centro), Vila Curuçá, SP- maio 2009 Objetos de rituais de candomblé são deixados nas calçadas e dificultam a passagem dos pedestres, podendo causar acidentes e atropelamentos. Esse cenario contribui para o aspecto de abandono e ao mesmo tempo reforçando preconceitos contra as religiões de matriz africana.


Foto Daniel Andrade

Foto Bianca Souza

Animais são abandonados nas ruas, as calçadas intransitáveis e o entulho favorece o aumento das pragas urbanas como insetos de toda ordem, levando doenças e outros males aos moradores do entorno.

Parque Chico Mendes, Vila Curuçá, SP, maio 2009 Caminhando pelas áreas verdes do parque, me deparei com uma cena de muita paz, um jovem lendo um livro de forma solitária, procurei enquandrá-lo de forma horizontal entre as árvores criando maior profundidade de campo. Margens do Rio Itaqueruna que nao foi canalizado.


Foto Carlos Negrulho

Foto Daniel Andrade

Final de tarde e o sol está no poente, as águas do rio seguem o seu curso de forma tranqüila, no entanto quando ocorrem as chuvas na cabeceira do rio, ele se transforma e passa a cobrar o seu espaço, deixando o recado de que está vivo mesmo que concreto nas suas margens deem a idéia que ele está controlado.

Parque Chico Mendes, Vila Curuçá, SP, maio 2009 Uma imagem simples, mas tocante, me remeteu a infância que a historia dos três patinhos na lagoa, nesta foto usei câmera na horizontal e quadro aberto.

Rio Itaqueruna, Jardim São. Vicente, SP,maio 2009


Foto Daniel Andrade

Foto Bianca Souza

Parque Chico Mendes, Vila Curuçá, SP, maio 2009 A preservação de áreas verdes de forma sustentável devolve o ser humano ao seu estado natural, perfeito para o encontro consigo e com o outro. Casal de namorados foge da rotina agitada da cidade e se refugiam no parque Chico Mendes, avistando a natureza e a pureza de pequenas coisas como um simples beijo a beira do lago.

Parque Chico Mendes, Vila Curuçá, SP, maio 2009 Na saída do parque Chico Mendes,deparei com uma cena bem intrigante, que a foto fala por si só.


Fotografos Carlos Negrulho e Bianca Souza

Uma cena pouco comum que reúne no mesmo quadro a chaminé da Cia Nitro Química, símbolo do processo de industrialização no bairro, a passagem do trem da variante Calmon Viana sobre o Rio Itaqueruna que recebe uma retroescavadeira que realiza o serviço de dessassoriamento do rio, denotando o poder de intervenção do homem no meio ambiente.


Trabalho Informal

Foto Bianca Souza

Marginal do Rio Itaqueruna, Jaradim São Vicente, SP, maio 2009

“Toda pessoa que trabalhe tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como à sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social”. Declaração Universal dos Direito Humanos - artigo Artigo XXIII parágrafo 3 “ Reconhecer os ignorados, proteger os vulneráveis, servir àqueles que sofrem, e permitir-lhes desenvolver suas capacidades e alcançar suas aspirações”. Carta da terra - Cap. II- linha 9 - letra C


Foto Carlos Negrulho Foto Bianca Souza

Rua Mario Dallari, São Miguel Paulista, SP - maio 2009 Casa em fase de construção nas proximidades do CDC Tide Setubal, já conta com um mês do início da obra e sem data para a conclusão. A obra esta a cargo dos pedreiros José e Sebastião. Av. Ibrahin Mohamad Saleg, São Miguel Paulista, maio 2009 Os semáforos se transformaram em espaço de comércio livre e a cada dia mais sofisticado. Por tras desse comércio ambulante existem problemas sociais gravíssimo como desemprego, indiferença social e a poluição a que estão expostos os vendedores.


Foto Ulisses Frutuoso

Foto Carlos Negrulho

Os trabalhadores na coleta de lixo reciclável, desempenham papel importante na sociedade atual. Isso em virtude da necessidade de reaproveitarmos melhor o potencial dos resíduos sólidos que podem ser transformados em novos produtos. Mesmo assim, essas pessoas são tratadas como seres invisíveis por parte da sociedade e dos governantes que não regularizam essa atividade.

Marginal do rio Itaqueruna, São Miguel Paulista - Maio 2009

A tradicional tapioca feita por dona Maria (nome fictício) na região central de São Miguel, demonstra outra de forma de trabalho informal que resiste ao tempo. Ela chega a vender em média de 30 tapiocas por dia e tem no preparo da massa de polvilho o seu diferencial. Rua Amadeu Gamberini, São Miguel Paulista, maio 2009


A artesã Cleide com mais de 10 anos de atuação neste segmento cumpre a sua jornada diária de trabalho que alia paciência, habilidade manual e muita dedicação. Ela faz parte de um seleto grupo que retira o seu sustento do seu trabalho manual.

Foto Carlos Negrulho

F o to D ani el Andra de Avenida Marechal Tito, São Miguel Paulista, maio 2009 Um drama da sociedade moderna, pessoas são levadas a realização de atividades insalubres sem nenhuma seguridade social e o pior dependentes das ondas de crescimento econômico da qual não fazem parte. Esses são alguns dos aspectos que enfrentam os carroceiros da cidade.

Vila curuça, são Paulo , maio 2009


Foto Bianca Souza

Avenida Marechal Tito, São Miguel Paulista, maio 2009 Há 20 anos trabalhando no centro de São Miguel vendendo roupas, meias e sapatos, Dona Clélia, é uma das mais antigas ambulantes da região, pois iniciou no local quando tinha 14 ano, e tira da barraca o sustento para a filha de dez anos que fica em casa

F o t o D a n i e l Andrade

Rua Mario Dallari -Jardim São Vicente, São Miguel Pta, maio 2009 Ao sair do CPDOC pra atividade fotográfica, nos deparamos com um pedreiro solitário na construção de uma casa, e pude observar uma bonita profissão que pouco damos valor.


Foto Daniel Andrade

Av Ibrahin Mohamad Saleg,São Miguel Paulista, maio 2009 Há caminho do Parque Chico Mendes, encontramos dona M.(nome fictício) que nos contou a história da sua vida repleta de dramas e sofrimentos. Mas se reergueu com o trabalho de catadora de papel e retira do oficio o sustento para toda família e se diz uma pessoa feliz. Após a conversa acompanhei a sua jornada em meio a carros e faróis .


Trabalho formal

Foto Daniel Andrade

Serralharia do Jardim São Vicente, São Miguel Paulista, maio 2009

“Toda pessoa tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego”. “Toda pessoa, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual Trabalho”. Declaração Universal dos Direito Humanos - artigo Artigo XXIII parágrafos 1 e 2


Foto Daniel Andrade Saindo do Parque Chico Mendes passamos em frente uma cooperativa de reciclagem de garrafas pet, me embrenhei no meio delas e acompanhei os trabalho de três mulheres que faziam a separação das garrafas.

Foto Bianca Souza

Cooperativa da Vila Curuçá, São Paulo , maio 2009

Os pequenos comércios têm importância não só econômica, mas também histórica para o bairro, este é o caso das sapatarias em São Miguel, que outrora recebiam pedidos de pessoas famosas e moradores do bairro e emprega a mao de obra local. Av. Marechal Tito, São Miguel Paulista, Maio 2009


Foto Bianca Souza

Foto Carlos Negrulho

Personagens facilmente encontrados nas ruas de maior circulação, os “homens placas” transitam pelas ruas empunhados os seus estandartes “caçando os clientes”. Esse trabalho geralmente é realizado por aposentado que buscam na atividade uma forma de aumentar a sua renda. A fotografia sugere uma leitura curiosa entre o que comunica a placa e o homem a sua frente.

Oficina de motos na Vila Curuça, SP, maio 2009 Com o crescente aumento da prestação de serviços de motoboys pela cidade, as oficinas de motocicletas permanecem constantemente lotadas. Os serviços de manutenção passam a receber maior atenção dos usuários em função da fiscalização mais intensa por parte do governo. Avenida Marechal Tito,São Miguel Paulista, maio 2009


Uma grande quantidade de trabalhadores não utiliza o transporte coletivo para se deslocarem de casa até o local de trabalho. A bicicleta é uma opção interessante de locomocão numa cidade de pouca oferta de servicos de transportes baixo custo.

Foto Carlos Negrulho

Foto Daniel Andrade

Rua Mario Dallari, Jardim São Vicente -São Miguel Pta Maio 2009 Nas proximidades do CDC, visitei uma serralheria, e vi vários tipos de trabalhos, la tinha um lixador, que com sua maquina produzia fagulhas que pareciam criar vida. Cooperativa na Av. Cembira, Vila Curuçá, SP, maio 2009


Foto Carlos Negrulho

Marginal do rio Itaqueruna, São Miguel Paulista, SP, maio 2009 Numa cidade cada vez mais apinhada de veículos sobre rodas, as borracharias fazem parte do cenário urbano por ser tratar de um tipo de serviço especializado, não pela tecnologia empregada mas sim pelas ferramentas utilizadas normalmente são executadas por homens que na sua grande maioria herdam dos pais o oficio.

Foto Ulisses Frutuoso

Deposito de papelão.Vila Curuçá, SP, maio 2009 As empresas que atuam no entorno do Centro Reciclagem na Avenida Cembira, compõem uma cadeia produtiva em torno do papel e papelão e que de forma lenta passa a receber mais atenção do poder público, no caso especifico com a criação da câmara de desenvolvimento da Zona Leste.


Foto Ulisses Frutuoso

Entre as várias atividades econômicas existentes no bairro, a prestação de serviços de oficina mecânica para motocicleta tem aumentado. O fotografo procura demonstrar a quantidade expressiva de chaves de fendas e outras ferramentas que compoem o cenário da oficina.

Foto Bianca Souza

Oficina de motos na Avenida Coca, Vila Curuca, SP, maio 2009

A cooperativa de coleta de materiais recicláveis instalada na Rua Cembira emprega 18 pessoas sendo quatro mulheres, a cooperativa funciona a dez anos prensando garrafas pet que são separadas por cor e latas de alumínio. Segundo os trabalhadores de lá, ultimamente a cooperativa tem sido muito prejudicada com a crise mundial, pois esta diminuindo o rendimento dos trabalhadores.

Cooperativa de reciclagem na Vila Curuçá, SP, maio 2009


Lazer

Foto Bianca Souza

Parque Chico Mendes, Vila curuça, SP, maio 2009

“A criança e o adolescente têm direito a informação, cultura, lazer, esportes, diversões, espetáculos e produtos e serviços que respeitem sua condição peculiar de pessoa em desenvolvimento”. Estatuto da Criança e do Adolescente - Título III -Da Prevenção -Capítulo I - Disposições Gerais art.71


Foto Daniel Andrade

Foto Ulisses Frutuoso

Ao ver uma criança brincando com a sua mãe no balancinho com uma felicidade incomum, fui alertado pelo colega de curso Ulisses sobre um ângulo diferente, olhando pelo tubo que é utilizado como túnel pelas crianças, foi possível captar essa imagem singular.

Curso de pintura no parque Chico Mendes, aberto principalmente ao público idoso e pessoas da comunidade em geral. A câmera é posicionada no alto em plano médio na diagonal. Além de mostrar todos os alunos, procurei destacar a concentração da senhora no primeiro plano, a maneira com que ela se entrega na pintura.


Foto Bianca Souza

Foto Carlos Negrulho

A atividade de pintura no Parque Chico Mendes, tem o intuito de oferecer uma forma de lazer e qualidade vida, fortalecendo a auto estima dos participantes e ainda gerar uma receita extra. Posicionei-me acima das alunas fotografadas aproximando-me ao maximo delas em closes e enquadramento fechado, mostrando o que elas fazem.

Tradicional praça de São Miguel proximo a delegacia do bairro, o local e utilizado como cenário para retratos de casamento e também e o lugar preferido dos jovens casais de namorados que transformam o ambiente da praça em lugar romântico.


Foto Ulisses Frutuoso

No Parque Chico Mendes, avistei dois rapazes que estão indo embora após jogarem bola em uma das quadras existentes no local, porem o primeiro com uma só chuteira na mão volta para buscar a outra, o segundo pára pra beber água.

Foto Daniel Andrade

Sai um dia pensando em fazer fotos noturnas de skate, na Praça Jaguamitanga na Vila Curuça, onde tem uma área de lazer muito grande, com playgrounds, quadras e pista de A Cooper. A área e frequentada por muitos jovens e crianças nos fins de semana


Foto Carlos Negrulho

Foto Bianca Souza

Parque Chico Mendes, Vila Curuça, SP, maio 2009

Parque Chico Mendes,Vila Curuça, SP, maio 2009

Quanto mais uma atividade exige atenção maior deve ser a concentração e isso que essa menina desenvolve nessa atividade de pintura. A divisão dos planos chamou atenção em demonstrar como o enquadramento permite captar essa intenção.

Crianças brincam numa quarta-feira no parque Chico Mendes na area destinada ao playground e se arriscam ao subir nas árvores. Os dias ensolarados transformam as áreas verdes em local preferido das crianças para prática de atividades esportivas.


Criança

Foto Bianca Souza

Rua Clodomiro Paschoal, Jardim São Vicente, SP, maio 2009

“É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária”. Estatuto da Criança e do Adolescente - Título I - Das Disposições Preliminares - art. 4


Foto Bianca Souza

Rua Mario Dallari, CDC Tide Setubal, maio 2009 Menino corre apressado para o treinamento de futebol e como num passe de mágica o congelamento da imagem o faz levitar e os seus passos se tornam leves e soltos para levá-lo o mais rápido possível até o campo. Me posiciono á frente dele em um instante único registro a imagem num plano horizontal .

Foto Ulisses Frutuoso

Vila Nitro Operária, São Miguel Paulista, maio 2009 O fotógrafo posiciona a câmera em plano médio, mostrando as crianças na horizontal jogando bola em uma rua próxima ao terminal São Miguel. O garoto da frente corre pra pegar a bola após ter marcado o gol. Eles correm descalços e despreocupados numa região onde espaços de lazer são raros.


Foto Bianca Souza Um retrato da infância das grandes cidades, ao fundo as chaminés da Nitro Química, mais a frente o terminal de ônibus e ao lado Rio Itaqueruna e um trecho de rua sem asfaltamento com aspecto de abandono, ainda assim a criança caminha com passos decididos para seu objetivo. . Foto tirada em plano geral mostrando o rio, o meio ambiente e o menino

Foto Daniel Andrade

Trecho incompleto da marginal do Rio Itaqueruna,SP, maio 2009

Em um playground, três irmãos brincam juntamente com colega de subir e descer, olhando atentamente o irmãozinho em baixo manifesta vontade de subir. No momento estava passando fiz a foto com a câmera no plano médio horizontal. CDC Tide Setubal, Jardim São .Vicente. SP, maio 2009


Foto Carlos Negrulho

Foto Ulisses Frutuoso

Vila Nitro Operária, São Miguel Paulista, maio 2009

Vila Nitro Operária, São Miguel Paulista, maio 2009

São Miguel Paulista é um dos maiores bairros da zona leste de São Paulo, porém com poucas opções de lazer. fazendo com que o cenário urbano seja sempre modificado, para isso basta uma bola e um grupo de crianças..

A necessidade de praticarem atividades coletivas transformam as crianças em hábeis organizadores de espaços e com isso transformam o local, como a rua de asfalto em campo de futebol.


Foto Carlos Negrulho

Nesta foto fiquei observando os irmãos brincando, enquanto os dois mais velhos enchiam o pé do menor de areia. A foto foi feito no ângulo baixo que privilegia a interação dos meninos

Foto D anie l Andrad e

CDC Tide Setubal, São Miguel Paulista, maio 2009 Parque Chico Mendes, São Miguel Paulista, maio 2009 Crianças jogando futebol dentro de um pequeno coreto no parque Chico Mendes. O fotografo busca registrar a movimentação dos pés correndo atrás da bola. O clique foi feito em momento que a bola veio em direção à câmera, destaque para o a menina que chuta a bola.


“Eu estudo a fotografia há 2 anos e era a mesma coisa tudo igual, já a foto documental é diferente, mais profundo e acredito ter melhorado a escrita” Bianca Souza é estudante secundarista, mora no bairro de Guaianases, zona leste.

Turma A

“O curso serviu de base para olhar de forma critica a arte, a politica e o meio ambiente. O curso foi prático mesmo durante a parte teórica, é como se eu estivesse fazendo um estágio” Carlos Negrulho, é estudante de Jornalismo da Universidade Cruzeiro do Sul, e DJ na noite paulistana. “O curso me deu uma base política, como ajudar o mundo, a valorização do trabalho de alguém por meio da fotografia” Ulisses Frutuoso, é estudante de Rádio e TV na Unisantana, morador da Vila Carrão, Zona leste.

“O fotografo passa a visão dele pela foto e quer que o mundo veja, e percebi a importância do texto. Eu não gostava de escrever, mas aprendi”. Daniel Andrade, realiza trabalhos com a cantora Pitty e revistas segmentadas do universo de moda e cultura jovem.


Participantes da Oficina de Foto Documentario Abril a Junho 2009 Turma A Bianca Souza Carlos Negrulho Daniel Andrade Ulisses Frutuoso

Agradecimentos Marcelo e equipe do CDC Tide Setubal Coordenadores dos projetos da Fundação Trabalhadores e empresários do bairro de São Miguel Paulista


Cpdoc - Centro de Pesquisa e Documentação São Miguel Paulista Coordenação Mauro Bonfim Estagiários Diego Albino Figueiredo Camila Tavares Brazão Patricia Diniz da Silva Projeto Observatório da Imagem Fotolivro Olhares Publicação digital em PDF Diagramação e Edição final Mauro Bonfim Assistente de produção Diego Figueiredo


O QUE É A DECLARAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS Os Direitos Humanos, segundo alguns autores, têm origens nas remotas democracias gregas, com os Direitos da Cidadania. Assim, os primeiros direitos humanos teriam sido os direitos civis e políticos. Após o surgimento de algumas cartas que objetivam garantir direitos individuais como a Declaração de Independência (1776) dos estados Unidos da América e a declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão (1789) da Assembléia Constituinte Francesa, cujo tinham como características o cunho individualista (primeira geração), a partir do século XIX surge a vertente social dos direitos humanos (segunda geração), juntamente com a industrialização. Em 6 de janeiro de 1941, foram proclamadas, na Carta do Atlântico, as quatro liberdades consideradas essenciais: a liberdade do pensamento, liberdade de não ter medo, liberdade de imprensa e liberdade de religião. Em 10 de dezembro de 1948, proclamou-se em São Francisco da Califórnia, na assembléia Geral das Nações Unidas, a Declaração Universal dos Direitos Humanos(DUDH), que no caráter abrangente dos seus trinta artigos visam garantir não somente os direitos civis, mas também os direitos sociais. Tais declarações, que objetivam limitar o arbítrio, não apenas entre indivíduo e indivíduo, mas sobretudo, entre indivíduo e o Estado, estão fundamentadas na doutrina do direito natural. O QUE É A CARTA DA TERRA A Carta da Terra é uma declaração de princípios éticos fundamentais para a construção, no século 21, de uma sociedade global justa, sustentável e pacífica. Busca inspirar todos os povos a um novo sentido de interdependência global e responsabilidade compartilhada voltado para o bem-estar de toda a família humana, da grande comunidade da vida e das futuras gerações. É uma visão de esperança e um chamado à ação. Carta da Terra é resultado de uma década de diálogo intercultural, em torno de objetivos comuns e valores compartilhados. O projeto da Carta da Terra começou como uma iniciativa das Nações Unidas, mas se desenvolveu e finalizou como uma iniciativa global da sociedade civil. Em 2000 a Comissão da Carta da Terra, uma entidade internacional independente, concluiu e divulgou o documento como a carta dos povos. O QUE É O ECA O Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA - é um conjunto de normas do ordenamento jurídico brasileiro que tem o objetiva a proteção integral da criança e do adolescente, aplicando medidas, e expedindo encaminhamentos. O ECA foi instituído pela Lei 8.069 no dia 13 de julho de 1990 ela regulamenta os direitos das crianças e dos adolescentes inspirado pelas diretrizes fornecidas pela Constituição Federal de 1988, internalizando uma série de normativas internacionais.


o

CPDOC S達o Miguel Paulista Rua Mario Dallari, 170 S達o Miguel Paulista E-mail cpdoc@ftas.org.br cpdocsaomiguelpaulista.blogspot.com


Fotolivro Olhares