Issuu on Google+


DieGO abRahão + Diego Abrahão Modesto Design gráfico São Paulo, Brasil + Designer gráfico, webdesigner e fotógrafo. Formado na Universidade Anhembi Morumbi. Com experiência há 10 anos na área.

2

+ Contato Diego Abrahão cel [11] 98108 9791 diego.abr@me.com


+ + Indíce + Portfólio:

1. Sobre o Diego

2. Projetos de design acadêmicos e profissionais. 3. Trabalhos experimentais e fotográficos. 4. Currículo.

+ Laboratório + Entreterimento + Universidade

Interdisciplinares 1° semestre 2° semestre 3° semestre 4° semestre 5° semestre 6° semestre 7° semestre TCC + File e Iniciação Científica + Trabalhos profissionais + Fotográfia + Experimentos e ilustrações + Currículo

3


LAborat贸rio

4


Aqui é onde as ideias são executadas [o abstrato vira concreto], mas não é a fonte vital do designer. Viajar, ler, exercitar os sentidos (gastronomia, fotografia), conhecer as realidades sociais, são fontes intelectuais inesgotáveis para um designer sustentar seu trabalho. É da vida que se tira os códigos necessários até o nascimento de um conceito, uma ideia, ou uma perspectiva. As vezes o novo é apenas a mudança de um ponto de vista que já existe.

5


É difícil ser designer sem ter um conhecimento cultural mínimo. Isso engloba saber o que acontece em nossa realidade tanto ambiental, cultural, política e econômica. Atualmente o mundo passa por uma crise turbulenta, não só econômica, mas ambiental e principalmente social. O designer, não é um ser alheio a essa realidade, entender o que acontece é uma das ferramentas que o designer possui.

6

• O mundo em queda livre • A Economias das Crises • O Petróleo - uma história de ganância, dinheiro e poder


O QUE É SER CRIATIVO?

DOM CONHECIMENTO INSPIRAÇÃO TRABALHO 7


Influências 8

Se os gringos tem Steven Heller nos temos Claudio Ferlauto [Professor, diretor de arte, jornalista, crítico, autor e editor especializado em temas relacionados a design]. Com uma personalidade no melhor estilo “Dr. House”, Ferlauto é dos grandes nomes do design brasileiro. Ele é um dos colaboradores “criadores” do blog abaixo. Junto com Eduardo Braga, Marilia Vianna, Enéas Guerra , Valéria Guerra, Mércia Assis e outros. Olhar Gráfico é uma coluna de Claudio Ferlauto na revista Abigraf, que fala sobre design e mais algumas coisas, e agora virou blog. Sem ser chato e acadêmico o blog é uma ótima leitura não só para designers, mas para todos que querem ter mais informações consistentes sobre a cultura do design.


s CLAU DIO FER LAUTO

Ferlauto foi um dos grandes mestres que tive o prvilĂŠgio de trabalhar.

9


Entretenimento

10


filmes

seriados

N茫o de design vive s贸 o designer. 11


Música • AC-DC • Nirvana • Aerosmith • Alice In Chains • The Animals • Cocteau Twins • Dire Straits • Portishead • The Smiths • The Who • The Beatles

‡ Trilha sonora • Blade Runner • Amadeus • Ghost in the Shell • O Informante • O melhor do Bang Bang Itáliano • Philip Glass - • Qatsi Trylogi • Supernatural • Waltz with Bashir

12

‡ Clássica • Beethoven • Gustav Mahler • Mozart • Sergei Prokofiev • Stravinsky • Villa Lobos • Wagner


Quadrinhos • Akira • Abara • Vagabond • Berserk

13 Berserk

Akira

V de vingança

Palestina

Vagabond

Gen pés descalso

Abara


Universidade

14


A vida acadêmica pode ser um pouco chata, na maior parte do tempo é. Mas em algumas coisas da para ser mais “feliz” e ter um trabalho mais criativo, pelo menos em design.

Participei do Primeiro Fórum de Fotografia da Universidade Anhembi Morumbi expondo alguns dos meu trabalhos de Iniciação Científica, que tinha como tema A influência Urbana no Design e na Fotografia (vou falar melhor deste trabalho mais para adiante).

15


16


17


18


19


E ° SEMSTR ° 5° 6 1° 2° 3° 4

. As semestre e os a d a c e plexo qu o final d ntados nra bem mais comdo, não era só e s e r p a ti e meses, e amados lho, que nesse sen cada seiss para esse trabaes. O problema, cesso, ou ego inflo desafio a s o it a s s eram fe tórios, e orientad io do pro a seis me ciplinare maioria, todas ini-TCC a cad a ruptura no me sempre satisfa is d r te in a m m um s era m, n lhos . Um Os traba s disciplinas era o se você tivessenação da equipeado dos trabalho m te e lt o n d u c e r s r re oo s. E dife mas de c lmente o s comun trabalho lema de criação erder. Mas fina um probcolocar tudo a p poderia is empolgante. era o ma

20


1° SEMSTRE O tema do primeiro trabalho interdisciplinar era sobre a violência urbana. Antes do trabalho prático, foram feitos diversos estudos. Caminhada pela cidade, depoimentos, estudo de livros que tinham como assunto a violência. Os primeiros estudos, como podem ser vistos do lado esquerdo, marcam pela obviedade, uma São Paulo como cadáver e outra presa entre grades. O objetivo era uma interpretação diferente dessa violência, optamos então pela poesia misturada com as imagens da cidade. A violência era a própria vida do paulistano, principalmente os mais pobres. Tentamos mostrar um pouco desse tipo de violência em uma poesia (autoral) que fala do cotidiano de alguém “qualquer” que sofre a rotina da cidade. Utilizei esse mesmo cartaz para o trabalho de iniciação científica, com um estudo mais aprofundado das imagens e estéticas do meio urbano.

21


2° SEMSTRE

22

O trabalho interdisciplinar desse semestre teve como tema, escolhido pelo grupo, a tipografia Brasilêro, criado pelo tipografo e design Crystian Cruz. Escolhemos essa tipografia, primeiro por ser brasileira e segundo pelos recursos usados na sua criação que usavam a tipografia vernacular (a escrita do povo) como referência. A brasilêro mostra um gesto espontâneo do homem simples brasileiro. Sem formação escolar e condições sociais precárias, ele usa o que sabe para poder sobreviver, ou para manter seu negócio ou simplesmente para passar uma mensagem. Os meios geralmente são um bar na beira da estrada, uma placa para venda ou aluguel de um imóvel ou mesmo frases religiosas ou filosóficas de uma vida sofrida e desigual. A BRASILÊRO é uma tipografia gestual criada e adaptada para os meios digitais, quando usado a caixa-baixa e caixaalta ela muda os caracteres, como por exemplo o S que pode ser assim S ou assim s. A brasilêro é uma das tipografias de maior sucesso no Brasil, e sua força está na simplicidade e espontaneidade.


laria fotos e pape

23

ELEMENTOS DA CULTURA POPULAR FORAM USADOS PARA AFIRMAR A PRÓPRIA TIPOGRAFIA


3째 SEMSTRE

24


Com o tema ARTE E DESIGN E SUAS RELAÇÕES, fomos buscar duas referências que influíram e deram base ao projeto. Uma dessas referências foi o pintor Michelangelo Merisi da CARAVAGGIO, precursor do Barroco e um revolucionário das formas e dos conceitos de pintura. Caravaggio pintava pessoas comuns, pobres e moradores de ruas para representar os personagens bíblicos, um escândalo para época. Outra característica da sua arte era o seu domínio do contraste entre Luz e Sombra (chiaroscuro), e a forma realista que os personagens eram pintados. As duas técnicas davam uma dramaticidade aos seus quadros até então não vista em obras de pintores anteriores. Outra fonte para o projeto foram os cinco sentidos (visão, paladar, audição, olfato e tacto), que está diretamente relacionado com a sensibilidade do artista e também do design. O trabalho tenta mostrar que os recursos criativos que um designer necessita não fica apenas no plano visual, é necessário ter uma sensibilidade mais aprimorada nos outros sentidos, para trabalhos mais expressivos.

25


e

4째 SEM STRE

26


Artesanato e design O tema deste trabalho são os bonecões de São Luiz do Paraitinga, feitos artesanalmente e que fazem parte do folclore da cidade. Ao visitar a cidade para fazer entrevistas com os artistas e conhecer a cultura local, ficamos bastante admirados. Deparamo-nos com casas pequenas e coloridas, com moradores muito afáveis, que, para quem não conhece a cidade e vive no Estado de São Paulo, é uma boa surpresa. Entrevistamos três artesões de bonecos, Benito, Cinira e Ju preto, cada um com um estilo, técnica e história diferentes, e eles muito nos ensinaram do que poderíamos trazer do artesanato para o design. Fica também uma homenagem a cidade, que alguns anos depois, em 2010, fora arrasada pelas enchentes, e hoje está sendo reconstruída. [As fotos, que ilustraram esse trabalho estarão em outra cessão.]

27


5° SEMEST

RE

Rogerioscaos foi um trabalho baseado no designer gráfico, e também poeta, músico e escritor, Rogério Duarte, um prolifico artista dos anos de 1960. Mais conhecido pela criação do cartaz Deus e o Diabo na Terra do Sol, filme de Glauber Rocha. Partindo do estudo do designer Rogério Duarte, estudamos seu contexto histórico e quais eram as influências da época que presentes em seu trabalho, como:

28

A Tropicália; Ditadura Militar; Conflitos políticos; Maio de 68 na França; Os conflitos raciais nos EUA; E a guerra do Vietnã; Psicodelismo; E a Pop Art.


O Trabalho consistia em uma hipermídia, e o desafio era mostrar todos esses fatos que marcaram os anos de 1960. Misturamos elementos visuais de alguns estilos que marcaram a época como o psicodelismo, as cores da tropicália e a Pop Art. Sem deixar de dar uma identidade visual própria. Rogeriocaos, resumindo, virou um personagem que reflete sua época tanto de forma política quanto cultural. E para entendê-lo proporcionamos ao navegante da hipermídia uma viajem cheia de interações aos anos de 1960. Esse trabalho foi escolhido para ser apresentado na exposição do FILE 2008 [Festival Internacional de Linguagem Eletrônica].

29


6° SEMESTRE

ONOVOHO M Neste seme EMVELHO s poesia de V tre o tema escolhido fo LADIMIR M ia AIA A Extraordin ária Aventu KOVSKI: Vladimir Ma ra vivida po r iakovski no Verão na D atcha.

30

dele, quisar o momento histórico Escolhido o tema, fomos pes poderíamos usar para o design. os e quais os elementos estétic mesma época do construtivismo da é sia poe a que os Descobrim Etapa es artísticas do século XX. russo, uma das maiores fas drásticas, e da própria eclosão da íticas que marca mudanças pol revolução Russa. ça radical significava aquela mudan Para tentar mostrar o que sta muito arti um vivendo, buscamos que as pessoas estavam gráfico, El ign des do es dor cia s influen prolífero e um dos maiore fica de eci esp a obr tramos em uma er todo Lessitzky. No caso nos cen end ent cil difí ia Ser M. ME HO os Lessitzky chamada O NOVO ític pol s fato os levar em cota nte o significado dessa obra sem izo hor no am rav pai ças mudan e históricos da época, as M era a realidade. O NOVO HOME e estavam se tornando um , um ção olu rev da de lida nta a me io de o fruto da mudança, da nov che tivo cria e , justo, solidário homem técnico, inteligente história. da o íod per o nov um a as par novas ideias e novas form HO. criamos O NOVOHOMEMVEL Inspirado nesse contexto

A interface do projeto “ONOVOHOMEMVELHO” será composta por elementos de linguagens diversas, tais como: vídeo, música e fotografia. Essa multiplicidade contextualizará o ambiente no qual estarão inseridos os temas relacionados à discussão proposta. O geometrismo empregado nas formas que utilizaremos para concretizar o ambiente será estabelecido com propriedades tridimensionais e com características caóticas, para que seja formalizada na primeira etapa do processo narrativo, o qual necessariamente compreende o questionamento dos aspectos do ambiente que vivemos, dos quais estamos suscetíveis a influência e que tanto contribuem formação de nossos valores, consciência e comportamento.

Utilizaremos uma tipografia para o título do trabalho “O NOVOHOMEMVELHO” e outra para o corpo dos textos e subtítulos. No caso do título do projeto foram usadas duas fontes, [Chaparral pro e a Haettenschweller], uma serifada e outra bastonada, que sobrepostas criaram uma tipografia híbrida e diferente. A experimentação e novas formas de provocar a leitura são detalhes que estão ligados à abstração geométrica e o rompimento do sentido tradicional das tipografias usadas.


31


mais Hoje vivemos em uma época diferente daquela, talvez amos inspir ainda assim o mesm mas do, incerta do que no passa suas com m home o é HO, MVEL HOME NOVO O nça. o novo, a muda força a si em ga carre que questões, medos, perguntas, dúvidas e da mudança. mas Não estamos na mesma época, que a de El Lessitizk,

32

acontecer, arriscamos a mostrar que as mudanças sempre vão caótico, mais é o mund o Hoje nte. talvez apenas de forma difere sociais nças difere e ação inform mais muito cinza, poluído e com cação provo ainda mais gritantes. O NOVOHOMEMVELHO é uma der o passado, apelando para o homem olhar a sua história, enten futuro. novo um de ÃO TRUÇ questionar o presente para CONS


33


34


7° e 8° SEMESTRE

O

s trabalhos interdisciplinares, até aqui, foram uma exercício para o TCC (Trabalho de conclusão de curso). Dentro de algumas regras, o tema do TCC era livre e acabamos por escolher a GUERRA DE CANUDOS.

Nossa idéia, desde o começo, não era nós restringirmos ao grande acontecimento histórico do Brasil. Gostaríamos de dar um sentido mais amplo para ele, mostrar que certos fatos que marcaram aquela época, mais de cem anos atrás, ainda acontecem hoje em dia. O passado, como um espelho, refletiria o próprio presente através das analogias que asseguram que a antiga, mas atual luta das classes pobres contra a classe dos ricos ainda perdura. Condições subhumanas de vida, repressão, exclusão e falta de projeção para o futuro.

35


36


37


38


A primeira fase do TCC foi o PD (projeto de design). Nele foram introduzidos os elementos com os quais trabalharíamos tanto a iconografia que marcou a época de Canudos como as que marcam a nossa época. Protestos, confrontos, cartazes políticos, fotografia, logotipo, textos para fundamentação das argumentações que justifiquem o trabalho. Os elementos que direcionavam o projeto foram levantados nessa fase. Mesmo que várias mudanças tenham sido feitas, a base que norteava estava lá. Na próxima página alguns exemplos do o projeto gráfico final. Descrevê-los aqui fragmentaria as informações usadas para que o próprio leitor perceba suas sutilezas e contradições. Para que quiser ver o trabalho completo é só acessar o site: wwww.diegoabr.com.br

39


CANUDOS NÃO SE RENDEU

Exemplo único em toda a história, resistiu até o esgotamento completo. Expugnado palmo a palmo, na precisão integral do termo, caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, que todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente cinco mil soldados. 40

Euclides da Cunha


41


File & IniCIAÇãO cientifica

42


Christoph Korn

24/05/2011

Alemanha

waldstueck

FILE no Mapa Mundial Mídia Artes no Mapa Mundial Prêmio Japão "Oups!" no Festival Japan Media Arts

Daniel Duda

Brasil

do pixel ao pixel

Daniel Kobayashi

Brasil

A Casa Dentro da Porta

FILE Game em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre FILE Game

David Clark

Canadá

88 Constellations for Wittgenstein

FILE na Itália FILE Game

Diego Abrahão

Brasil

Rogério Caos

BRGAMES Lançamento

Brasil

Caleidoscópio Felliniano: 8 1/2

ZAXEL criou um servidor de vídeo escalonável em 4K

FILE | Rogério Caos | Diego Abrahão

Diogo Misiti

Diego Abrahão

Thais Galvez, Josias

Agence TOPO. Project Canadá Silva, Nilson Benis, directed by Elene Tremblay, with artists , Vinicius

Mes / My contacts

Eliane Weizmann Ruano Junior e Brasil

Story teller

Vasconcelos, Wilson Marcela Moreira Brasil

Fabian Antunes Silva

Fabio FON

ABSTRACT

BIOGRAPHY

Destacar e analisar elementos visuais característicos da linguagem utilizada pelo designer.

Estudantes do 3º semestre de Design Digital da Universidade Anhembi Henry Gwiazda Morumbi, que já atuam como designers no

Rogério Caos Off Line

Fernando Aquino

Brasil Brasil

FILE2007 São Paulo Programa: File Mídia Arte, Instalações, Games, Participantes, Performances, Symposium e Cinema Documenta

HIPERSONICA apresenta LÚMEN Fluxo luminoso. O artista recria o seu corpo. Em Freakpedia - A verdadeira Participação e exposição do trabalho Rogériocaospróprio no FILE ambiente totalmente livre (Festivalenciclopédia Internacional de Linguagem Eletrônica). escuro o seu movimento deixa um rastro de Pousada Recanto Abaetuba

Brasil

UAI-Justiça

Estados Unidos

claudia and paul

luz. Luzes coloridas piscam HIPERSONICA apresenta LABORG O coletivo Laborg

43


Iniciação ional de gráfico, c a N o ss ngre esign NIC (Co rito ncia no d sto na CO Paulo e sua influêndo elemento irrestpara o p x e e o o a d ã ir a te S v v n a e a ro d b ss p a a e c re ea ca, inte idad ão científi o é a estética da c as, o caos da cidad “caos” apesar de das e jogadas por ic de iniciaç lh a u Trabalho ). O tema do traba m as formas simétrpensada, pois o se s pessoas abandon Cientifica entos que extrapolaem si também é a infra estrutura, a com elemilidades. A cidade ra a insuficiência d isso? de possib s gráficos, demonst ode trabalhar com elemento e como o design p toda a part

44


45


46

TrAbalHoS


Nas prรณximas pรกginas estรฃo expostos alguns dos meus trabalhos profissionais.

47


48

No escritório de Design QU4TRO-Arquitetos meus principais trabalhos são na área editorial com diagramação de livros da Editora Rosari, especialista e design. Outra conta importante do escritório era a Universidade Anhembi Morumbi. Nas próximas páginas alguns dos meus trabalhos desenvolvidos para Universidade.


Colet창nea de alguns dos meus trabalhos na QU4TRO expostos na Universidade Anhembi Morumbi.

49


50

Cartaz para o D.A (Diret贸rio Acad锚mico) e chamada para o processo seletivo do MESTRADO EM DESIGN, da Anhembi Morumbi.


51

Cartazes para eventos da universidade.


52

Criação de logotipo e comunicação visual do 1º Fórum de Fotografia da Universidade Anhembi-Morumbi.


53


54

Comunicação Visual para exposição “Animações Móveis o Design Digital no Celular” da Universidade Anhembi Morumbi.


55


56


Informa Group Coleta de briefing e desenvolvimento de campanhas internas para diversos produtos da empresa. Controle e Organização de demandas gráficas da área de Marketing. Desenvolvimento de folders, cartazes, banners, e-mail marketing, banners eletrônicos, anúncios para mídia impressa, cadernos, catálogos, layout para telas de sistemas, peças diferenciadas para público interno, sinalização interna de unidades, etc. Comunicação Visual para feiras internacionais nos pavilhões Anhembi e Expo Center Norte.

57


58


59


60


PCO e CCBP Trabalhos elaborados para diversas campanhas, culturais e políticas. Diagramação e Comunicação Visual do Centro Cultural Benjamin Péret. Direção de Arte Jr. e Diagramação do Jornal Causa Operária. Na página anterior três páginas diagramadas do caderno cultural do jornal.

61


62


Na página anterior, banners para os eventos do CCBP. Nesta página, convite (frente e verso) e Banner de divulgação do espaço.

63


64

Campanha nacional para Jornal Causa Operรกria


65


66


67


Fotografia

68


Participação e exposição do trabalho Rogériocaos no FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica). Aliquiatem facest ipsaperit que est ped ut maximil maion cumque eatisto voluptas as andam, quodigentur? Imus, sum liquamusa aut liqui vendi andigen delisci consenis aut plit, que nulparitio omnis as eum sam aut antumque estrum et fugiam sit, ipissum remquuntium aut ped estiae res venda ium ut persperibus, si bera endam evenihi cienihicim et explit officii squidi solorione inimi, autem eni re con etur, apit, invenem lam am, nimpern atibus etur abo. Unti nes et labo. Itatet ulparcil ilibuscienis estiumendem. Lum nos doluptas dicae plibus dollorepuda net, cum landis imenis atatur samusdae pore culparuptias explatius delit pa inciand estrum quia prorem ut omnit occus exerum quias id ma vene nonet asped maiosse rsperuptae. Corum, tem inissus re eat. Tem apediti bearum unt labo. Epro molor autae pla num necernatur atque quam isi simus dolenem re explita consequas mollab il il et doluptat. Sunti conem ut qui bla volupit ium que net ad

69


70


71


72


73


74


75


76


77


78


79


80


81


82


83


84


85


86


87


88


89


90


91


“Experimentos” & ilustrações

92


93


94


95


96


97


98


99


CurrĂ­culo

100


Formação acadêmica Instituição: Universidade Anhembi Morumbi Curso: Superior em Design Digital e Gráfico Informa Group Latin America e BTS Informa • Desenvolvimento de campanhas para produtos internos. • Controle e Organização de demandas gráficas da área de Marketing. • Desenvolvimento de folders, cartazes, banners, e-mail marketing, banners eletrônicos, anúncios para mídia impressa, cadernos, catálogos, layout para telas de sistemas, peças diferenciadas para público interno, sinalização, etc. • Comunicação Visual para feiras de padrão internacionais nos pavilhões Anhembi e Expo Center Norte.

PCO - criação, propaganda e fotografia • Criação de peças gráficas, banners, cartazes e editoração de Jornal.Layout de sites e hotsites para eventos culturais 
 • Criação, programação e acompanhamento estatístico de email marketing.
 • Coordenação de eventos culturais
 • Fotografia de eventos e campanhas políticas
 QU4TRO arquitetos • Criação de peças gráficas para clientes como: Cinex e Universidade Anhembi Morumbi
Editoração de livros para editora Rosari especializada em design. • Participação no projeto gráfico de livros de arte premiados: “Vieira da Silva no Brasil” e do concretista “Anatol Wladyslaw Naftali”.

• Projeto Gráfico do livro “A forma sólida da linguagem” de Robert Bringhurst. • Comunicação visual interna de eventos da Universidade Anhembi Morumbi Sérgio Saraiva e Domingues Freitas • Fotografo assistente • Mídias: Vip, Boa Forma, Bons Fluidos e Metrópole Corel Corporation • Criação de tutoriais dos softwares da Corel para feiras como a Condex e Fenasoft • Assistência na criação de peças gráficas • Assessoria de imprensa na divulgação de novos produtos, lançamentos e novidades para o mercado gráfico. • Treinamentos dos softwares para vendedores

101


+ EXPERIÊNCIA CIA DE DESENHO | 1998 | Primeiro emprego na área | Auxilio na diagramação de livros didáticos COREL | 1998/2000 | Treinamento do software Corel Draw e Corel Photo Paint para lojas e feras especializadas como Fenasoft e Condex. GIA COMUNICAÇÃO | 2000/2002 | Criação de peças gráficas Clientes Atendidos: Guess Watches | Timex | Unicsul | Louis Vuitton - Bic Banco Sérgio Saraiva e Domingues Freitas | 2002/2004 | Assistente em Fotografia Clientes Atendidos: Revista Boa Forma | Revista Vip | Bones Fluidos | Fashion Week HZ Studio | 2004/2005 | Criação de Catálogos e peças gráficas QUATRO ARQUITETOS | 2006/2008 | Criação de peças gráficas, Animações em Flash e Diagramação e Criação de capas de livros Clientes Atendidos: Editora Rosari | Cinex | Universidade Anhembi Morumbi | Salão Design

102

PCO/CCBP | 2008/2011 | Criação de peças gráficas, Layout de sites, DIagramação de Jornal, Campanhas para o CCBP (Centro Cultural Benjamin Péret), Gerenciamento de Rede Sociais e Fotojornalismo


+ CURSOS Produção Gráfica

Impressão Meio Oficial Impressor Offset em Máquina monocolor

Curso ministrado pelo Professor Claudio Silva na PANCRON. Aprendizado dos tipos de impressão, tinta, dobra e corte e todo o sistema gráfico. Estudo das cores e conhecimento técnico das tabelas de cores como a PANTONE.

Curso profissionalizante no SENAI Meio oficial impressor offset em máquina monocolor. Habilidade de impressão, regulagem, manutenção, aplicação de tinta e limpeza da máquina.

Universidade Anhembi Morumbi Superior Completo Curso de Design Digital • Design de Hipermídia; • Design de Informação; • Design de Interface; • Design de Interação; • Design de Navegação; • Design de Som; • Design de Animação; • Design de Mobilidade; • Design para TVDi (Televisão Digital Interativa);

• Design de Ambientes • Tridimensionais e • Interativos; • Computação Gráfica; • Editoração Eletrônica/ Desktop Publishing; • Foto Digital; • Vídeo Digital; • Dentre outros conteúdos.

Oficina Tipográfica “Apresentar o sistema e a linguagem da composição manual e da impressão tipográfica como recurso formal no design gráfico. Introduzir o pensamento projetual tipográfico, caracterizado pela materialidade de seus componentes e pelo rigor métrico.” (Oficina Tipográfica)

103


+ Softwares e Plataformas Grรกfico com o uso dos softwares mais usados e os respectivos trabalhos.

Plataformas Pacote Adobe Cs5


diego.abr@me.com | [11] 98108 9791 | www.diegoabr.com.br


Portifólio - Diego Abrahão