Page 9

Bioenergia a partir de biomassa de madeira Cada vez mais se produz bioenergia à base de madeira, resíduos de madeira, cavacos (chips) e granulados (pellets) de madeira, com o objetivo de gerar eletricidade e calor para a indústria e residências. A madeira procede de florestas naturais, mas, cada vez mais, de chamadas “florestas secundárias” em diferentes escalas, como na Europa, e também de grandes monocultivos industriais de árvores. Empresas europeias de energia estão trabalhando ativamente junto a produtores de granulados de madeira e consultores para criar -e dominar- um novo mercado global em granulados de madeira,8 que antes eram produzidos em pequena escala e comercializados no próprio país ou em nível de UE. 1.3 Por que se está promovendo a bioenergia? A economia globalizada ainda está baseada na energia fóssil; que depende de petróleo, do carvão mineral e do gás natural para a maior parte do seu consumo de energia. Estima-se que, nos últimos anos, o abastecimento de petróleo “fácil de explorar” tenha entrado em declínio, enquanto novas jazidas de petróleo e gás têm se tornado acessíveis, aplicando tecnologias novas que possibilitam a extração dessas reservas. O medo em relação a “segurança energética”, em especial, o acesso a petróleo “fácil”, tem proporcionado, sobretudo na UE e nos EUA, apoio a metas e incentivos para o uso de bioenergia, a qual, portanto, tem se tornado relevante para as principais empresas de energia. Ao mesmo tempo, a energia fóssil também é a principal causa do aquecimento global, provocado pela mudança climática resultante das excessivas emissões de dióxido de carbono desde a revolução industrial, principalmente nos países do Norte. Diante dessa situação, governos e empresas das maiores economias do mundo se associaram, supostamente para enfrentar o amplamente anunciado fim da era da energia fóssil com energias alternativas que eles dizem reduzir as emissões de dióxido de carbono. Por agora, a maior parte do financiamento estatal e apoio na forma de políticas no Norte global fomenta as chamadas energias renováveis, como a bioenergia (de biomassa), a eólica ou a solar. No entanto, a energia gerada assim, em grande parte, é produção adicional e não substitui o uso de combustíveis fósseis. Além disso, estudos científicos mostram que os impactos sobre o clima da bioenergia industrial, incluindo agrocombustíveis e bioenergia baseada em árvores inteiras, podem ser piores do que os dos combustíveis fósseis que essas energias substituem.

8

http://www.laborelec.be/ENG/initiative-wood-pellet-buyers-iwpb/

Uma nova ameaça para comunidades e florestas

9

Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Advertisement