Page 28

Contudo, empresas dos Estados Unidos também estão buscando matéria-prima fora de seu país, como se mostra no Capítulo 3. 2.5 Impactos e resistência no Norte Há crescente oposição às usinas de energia de biomassa, especialmente no Reino Unido, nos Estados Unidos e na Austrália. No Reino Unido, a oposição é liderada por grupos comunitários preocupados principalmente com os graves impactos da combustão de biomassa sobre a saúde pública. Usinas de energia de biomassa causam níveis muito altos de poluição, parecidos com usinas a carvão mineral, e várias são planejadas muito próximo a áreas residenciais. Em muitos casos, grupos comunitários têm tomado consciência também dos sérios impactos sobre florestas, terras e mudança climática, e têm se articulado com outros grupos de campanha nacionais e locais. A oposição comunitária tem contribuído para que várias solicitações nos Estados Unidos e no Reino Unido sejam retiradas ou rejeitadas.61 A agência dos Estados Unidos para a proteção ao meio ambiente estima que a queima de energia “limpa” de madeira emita 79 produtos contaminantes, relacionados a enfermidades respiratórias, cardíacas e ao câncer,62 sendo que o risco aumenta com resíduos de madeira quimicamente tratados, enquanto também existem riscos com madeira de plantações de monocultivos que são manejadas com agroquímicos. Uma investigação de 2009 no Reino Unido, elaborada a pedido do governo, advertiu que entre 340 e 1750 mil anos de vida podem ser perdidos se os “ambiciosos” planos de expansão das usinas de biomassa de madeira forem implementados até 2020. O governo argumenta que as políticas ambientais em curso vão proteger a população, mas a Biofuelwatch e outros grupos advertem que essas políticas são bastante insuficientes, pondo em risco a saúde da população.63

61 Carbon Trade Watch, 2012 62 Ernsting, 2012 63 Ernsting, 2012 28 Plantações de árvores no Sul para gerar energia no Norte

Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Advertisement