Page 26

Polônia: a maior plantação de biomassa prevista da Europa A empresa papeleira International Paper (IP), maior produtora de papel do mundo, e a Greenwood Resources (GWR), ambas com sede nos Estados Unidos, anunciaram, em março de 2012, um acordo para estabelecer na Polônia a maior plantação de árvores de ciclo curto para biomassa da Europa.52 A biomassa será utilizada para substituir o carvão mineral nas caldeiras existentes de energia e vapor na fábrica da IP em Kwidzyn, Polônia. Em seu comunicado, as empresas indicam que “os atuais suprimentos de biomassa na Polônia não são suficientes para suportar a crescente demanda da indústria devido aos objetivos da política energética da UE, enquanto a política atual do Estado polonês limita a quantidade de fibra das florestas que se pode utilizar para biomassa.” O acordo tem duração de doze anos. Ambas as empresas já executaram um projeto-piloto naquele país, com um híbrido de álamo de rápido crescimento plantado em um ciclo curto para a produção de biomassa. Segundo os planos, essa plantação de uma superfície total de 10.000 hectares se estabelecerá na região da Pomerânia. Está prevista a colheita de 300.000 toneladas de biomassa verde por ano. As terras para a “plantação de energia” serão arrendadas de agricultores locais com um ciclo de crescimento de três a quatro anos.

Finlândia: o país da indústria de madeira A Finlândia talvez seja o país no mundo com a economia mais baseada no “manejo sustentável de florestas” e na indústria de produtos de madeira, tanto dentro do país, com, por exemplo, muitas fábricas de celulose, quanto fora, através de empresas multinacionais como a Stora-Enso, a segunda maior empresa de papel do mundo, e a Poyry, uma gigante no trabalho de “consultoria”, principalmente em países do Sul. A Finlândia dispõe de um grande “reservatório” de madeira de florestas e plantações em grande parte de seu território, e vem utilizando madeira para fins energéticos há muito tempo. Mas agora, ambiciona aumentar em muito este uso. Para 2020, pretende usar 38% de energia renovável, grande parte de madeira, principalmente resíduos, para o consumo de energia, além de 20% de uso de madeira, principalmente cavacos, através de biorrefinarias, para o setor de transporte.53 Apesar de os cálculos indicarem que a Finlândia deveria chegar a essas metas até 2020, há sérias dúvidas sobre se, a partir daí, o país terá essa mesma capacidade, e também para abastecer outros países da Europa com demanda de madeira para fins energéticos. Além disso, a colheita de madeira para fins energéticos e suas características especificas, como a remoção do tronco e a intensificação de práticas de silvicultura, incluindo a remoção de madeira morta e resíduos de madeira, bem como o uso de áreas antes não exploradas, tem o risco de agravar a já decrescente biodiversidade das florestas finlandesas. Vale destacar também que, para abastecer as biorrefinarias, a lei que estabelece a meta de 20% de uso de energia renovável admite que se necessitará inicialmente importar óleo de dendê.54

52 International Paper & GreenWood Resources to Develop Europe’s Biggest Biomass Plantation (http://www.internationalpaper.com/documents/EN/Media/EMEAPL_BiomassPlanta.pdf) and Poland: US investors to develop Europe´s largest biomass plantation http://www.news2biz.com/article/2012/4/23/poland_us_investors_to_develop_europe_s_largest_biomass_plantation) 53 Eräjää, Sini, 2012 54 Eräjää, Sini, 2012 26 Plantações de árvores no Sul para gerar energia no Norte

Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Advertisement