Page 15

Doze por cento de toda a energia consumida pela UE em 202024 deverá ser bioenergia, ou seja, proceder de biomassa,25 comparados com 5,4% em 2005, o que significa, pelo menos, duplicar a produção, e a meta da UE para energia renovável será sobretudo alcançada a partir da bioenergia. A biomassa de madeira é queimada cada vez mais em grandes usinas de energia - seja através de co-combustão com carvão mineral (e, cada vez mais. através da conversão de usinas de energia de carvão mineral para biomassa) e em usinas específicas de energia de biomassa. Alguns países, como a Alemanha, também promovem o uso em larga escala de madeira através de usinas, tanto para calor quanto para energia. Os países-membros da UE implementam a Diretiva de Energias Renováveis da Europa em ritmos diferentes.26 Porém, o consumo de pellets de madeira já aumentou em 43,5% entre 2008 e 2010, chegando a 11,4 milhões de toneladas em 2010, quase 85% da demanda global. Os incentivos estatais, acima de tudo, estimularam a demanda geral pelo uso de biomassa de madeira na Holanda, na Bélgica, na Dinamarca e, recentemente, também no Reino Unido.27 Quadro 3. Óleo de dendê para transporte, geração de eletricidade e calor Para o tráfico rodoviário, a UE estabelece o objetivo de misturar obrigatoriamente os combustíveis fósseis com agrocombustíveis; para 2020, pelo menos 10% devem vir de fontes renováveis. Na prática, este objetivo se cumpre com agrocombustíveis porque não existem outras fontes de energia renováveis suficientemente desenvolvidas que possam aspirar a cobrir a demanda atual. E tampouco existirão, em um prazo de alguns anos. A redução da demanda por combustíveis fósseis em 10% não está sendo considerada no conjunto de alternativas. Também se podem queimar agrocombustíveis para gerar calor e eletricidade se os governos optarem por subsidiar esse uso. O óleo de dendê é a principal matéria-prima porque, de longe, é o óleo vegetal mais barato e disponível em grandes quantidades. Nos últimos anos, quantidades muito significativas desse óleo foram queimadas em usinas energéticas na Holanda e Alemanha. Em função de campanhas de protesto de organizações ambientalistas contra os impactos sociais e ambientais da produção de óleo de dendê no Sul global, ambos os governos decidiram terminar gradativamente os subsídios para gerar calor e eletricidade a partir de agrocombustíveis. Isso eliminou a queima de agrocombustíveis nesse setor na Holanda e a reduziu para uma pequena fração do que era usado na Alemanha. É sabido que quantidades significativas de óleo de dendê continuam sendo queimadas em usinas energéticas na Itália (subsidiadas através de “créditos de energia verde”), apesar de não haver dados atualizados disponíveis. O governo do

24 Atanasiu, 2010 25 A Diretiva Europeia sobre Energias Renováveis define biomassa como a “fração biodegradável dos produtos, restos e resíduos de origem biológica, procedentes da agricultura (incluídas as substâncias de origem vegetal e de origem animal), da silvicultura e das indústrias conexas, incluídas a pesca e a aquicultura, assim como a fração biodegradável dos resíduos industriais e municipais.” 26 National renewable energy action plan data from member states (http://www.eea.europa.eu/data-and-maps/figures/nationalrenewable-energy-action-plan) y http://eur-lex.europa.eu/LexUriServ/LexUriServ.do?uri=CELEX:52010DC0639:EN:HTML:NOT 27 Overbeek et al, 2012 Uma nova ameaça para comunidades e florestas

15

Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Advertisement