Page 11

A bioenergia fomenta setores importantes da economia, como o florestal, o agrícola e o energético, por exemplo, promovendo os monocultivos de matéria-prima ou criando toda a infraestrutura e a tecnologia necessárias para colheita, transporte, armazenagem e conversão de biomassa em bioenergia. Isso está levando a novas e poderosas alianças, por exemplo, entre empresas do agronegócio, biotecnologia e petrolíferas, para agrocombustíveis, e empresas de energia e que utilizam madeira, para biomassa baseado nesse material. E sobretudo, isso incentiva uma nova concentração de terras e recursos. A biomassa pode resultar em produtos com potencial para ser transformados em commodities, como etanol de cana-deaçúcar, ou pellets de madeira, a ser transportados e vendidos globalmente como acontece hoje com o petróleo, o carvão mineral e o gás. Dessa forma, podem-se criar mercados globais de bioenergia para investidores e empresas transnacionais, com grandes possibilidades de negócio s- muito bem-vindos em um momento de crise econômico-financeira mundial, sobretudo no Norte global. Além do mais, a bioenergia, considerada de forma mais ampla, abre outras possibilidades de negócio, por exemplo, a conversão de biomassa não apenas em bioenergia, mas também em produtos industriais como os chamados bioplásticos ou biofertilizantes, através de processos químicos e de biotecnologia, de grande interesse por parte das corporações e por quem elabora políticas. Por último, trata-se de um dos pilares da promessa de uma “economia verde” ou “bioeconomia”, que é apresentada pelo grande capital como a resposta ideal para continuar fazendo negócios e lucrando com a promessa de um mundo futuro sustentável.

Plantação nova de dendezeiro. Autor: EIA/ Telapak

Uma nova ameaça para comunidades e florestas

11

Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Uma nova ameaça para comunidades e florestas  
Advertisement