Page 1

Mascote da Copa de 2014 Ontem à noite (04/10/2012) houve protesto no centro de Porto Alegre. O tatubola, mascote da Copa de 2014, foi derrubado. Ele estava exposto no centro da cidade, em um dos locais com grande circulação de pessoas e, talvez, o de maior destaque como patrimônio público-cultural da Capital, o Largo Glênio Peres. Os manifestantes fazem parte do grupo conhecido como Defesa Pública da Alegria, organizado por entidades culturais e ambientais e composto por professores e universitários. O objetivo era expor opiniões e criticar as políticas públicas desenvolvidas pela prefeitura. Mas o que de fato ocorreu no manifesto para que desencadeasse a violência de ambas as partes? Não sabemos ao certo, mas as imagens dizem muito. Ambos erraram. Houve pessoas contra a exposição do boneco em um local público, sendo ele patrocinado pela Coca-Cola. Muitas disseram que a atual administração municipal privatizou este espaço. Porém, todos devem entender que existem as PPPs (Parcerias Público-Privadas), que são de grande ajuda para a melhoria de alguns locais. As empresas privadas que fazem parte dessa parceria podem expor a marca nesses pontos. Porém, temos de pensar, também, que o desenvolvimento desses ambientes é responsabilidade do poder público. Uma coisa é certa: protesto com destruição de patrimônio público não é protesto, é vandalismo! Todos os elementos expostos devem ser preservados, principalmente pelo investimento realizado. Não existe justificativa para atacar o boneco. Independente se a atual prefeitura removeu famílias para a construção de obras voltadas para a Copa de 2014 - o que é um absurdo! Porém, infelizmente, coisas assim ocorrem, mas, talvez, não da forma que foi feita aqui. Também não existe fundamento para a Brigada Militar ter agido com tanta violência. O estado deve dar condições de acompanhamento psicológico, de educação e de cidadania, para que não ocorram essas afrontas por parte de quem tem a responsabilidade de nos proteger. Concordo que a BM deveria intervir no manifesto, mas não pode haver abuso de autoridade. Em um estado laico e democrático, os cidadãos têm o direito de reivindicar se não estão de acordo com a forma de administração. Dentre os feridos, pelo menos três jornalistas devidamente identificados. Estavam ali para registro do fato e foram agredidos.


E o resto da cidade estava protegido como o mascote? Esta semana uma médica foi baleada perto da redenção e até um estupro ocorreu no Campus do Vale. Sabemos que aquele que possui autoridade superior, tem maior culpa. Pois é, as prioridades estão invertidas! Enquanto isso, os cidadãos deixam seu sangue nas ruas da cidade. E já que estamos em época de eleição e ontem teve debate dos candidatos, vale lembrar um jingle que diz: melhorou e vai melhorar. Será? Pense bem!

Opinião mascote copa 2014 opinião  

Uma crítica ao protesto ocorrido no dia 04/10/2012, no Largo Glênio Peres.