Page 1

Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019 Nensuria / Freepik

Dezembro abre corrida para matrículas em 2020

Batista terá cultura ‘maker’ do Ensino Fundamental ao Médio Página 6

UNIFAA expande ensino à distância para seis cidades Página 10

UniFOA destaca trabalhos de alunos e professores Página 7

Educação Física é inserida como proposta pedagógica Página 8


2 DIÁRIO DO VALE 

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

Carteira de estudante na palma das mãos Carteira virtual dá direito a benefícios como meia-entrada em eventos culturais e esportivos Abr

Aluno deve baixar o aplicativo ID Estudantil no celular e fazer o cadastro pessoal O Ministério da Educação lançou o aplicativo ID Estudantil, carteira de estudante virtual que, a exemplo da fornecida pelas entidades representativas dos alunos, dá direito a benefícios como meia-entrada em eventos culturais e esportivos. Para obter o documento é necessário, antes de tudo, que a instituição de ensino à qual o estudante está vinculado insira os dados dele no Sistema Educacional Brasileiro (SEB), do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Caso a instituição já tenha feito o cadastramento, caberá ao aluno baixar o aplicativo ID Estudantil no

celular e fazer seu cadastro pessoal. “Os alunos que não conseguirem se cadastrar devem procurar suas instituições de ensino e pedir que elas se cadastrem junto ao MEC”, disse o presidente do Inep, Alexandre Ribeiro Lopes, durante a cerimônia de lançamento do ID Estudantil. De acordo com o ministro da Educação, Abraham Weintraub, o custo do documento será de R$ 0,15 por unidade para o governo, mas será gratuito para o estudante. “Não cobraremos porque a estruturação dessa cobrança sairia mais cara do que o custo por unidade”, disse o ministro. Já foi autorizada a abertu-

ra para que outras entidades – além da União Nacional

A fim de prevenir fraudes, o Ministério da Educação informou que fará cruzamento dos dados dos Estudantes (UNE), da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) – emitam esse tipo de docu-

mento. A fim de prevenir fraudes, o MEC informou que fará cruzamento dos dados fornecidos por meio de aplicativos com as informações da Carteira Nacional de Habilitação e, no caso de estudantes que não têm CNH, com os dados fornecidos para o documento de identidade (RG). “Inclusive a foto [inserida no cadastro via aplicativo] passará por uma checagem junto ao banco de dados do Denatran [Departamento Nacional de Trânsito]. Quem não tem CNH terá de tirar uma foto do RG, frente e verso. Um algoritmo então vai comparar as fotos, de forma a dificultar fraudes”, explicou o

diretor de Tecnologia da Informação do MEC, Daniel Rogério. “Pensamos também nos empresários: para eles, criamos o aplicativo ID Validade, que averiguará se o aluno está apto para receber os benefícios”, acrescentou. O MEC alerta que, no caso de estudantes menores de idade, será necessária a autorização de um responsável legal, que deverá instalar o ID Estudantil no celular para, então, fazer o cadastro no qual informa os dados do menor. Ainda de acordo com o MEC, eventuais dúvidas sobre os aplicativos podem ser elucidadas por meio do site wwwidestudantil. mec.gov.br.


QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

DIÁRIO DO VALE  3

Calendário de matrículas: corrida para a renovação e adesão de novos alunos Foto pública

Franciele Bueno O mês de dezembro é o encerramento do ano letivo, mas também é o momento de renovar a matrícula e se programar para novos desafios: como se matricular em um curso técnico profissionalizante. Em Volta Redonda, o Colégio do Instituto Batista Americano (CIBA) está oferecendo desconto de 10% a 30%, até o dia 30 de dezembro (segunda-feira), para novas matrículas e renovação. O Colégio oferece as seguintes modalidades: Educação Infantil; Ensino Fundamental I; Ensino Fundamental II e Ensino Médio/ Técnico: Análises Clínicas; Automação Industrial; Edificações; Eletrônica; Informática para Internet e Publicidade. E ainda Pós-Médio: Automação Industrial; Edificações; Eletrônica; Mecânica e Normal (Formação de Professores). A diretora do CIBA, Roberta Barros, comentou que os descontos beneficiam desde a creche até o Ensino Médio. - As matrículas seguem abertas e com desconto que variam de 10% a 30% até o dia 30 deste mês, o desconto abrange também o material pedagógico. A nossa creche é a partir dos 04 meses e temos também o contraturno pedagógico manhã e tarde – disse. O Colégio Batista ainda possui convênios com as seguintes instituições: Ordem dos Advogados do Brasil (OAB); Polícia Militar (PM); Associação Comercial Industrial e Agropastoril de Volta Redonda

Estudantes já se preparam para as aulas no próximo ano (Aciap); Sindicato da Construção Civil Montagem e Construção Pesada de Volta Redonda e Região (STICCMMP); Drogaria Moderna; Olímpica Academia; Companhia Siderúrgica Nacional (CSN); Sindicato dos Bancários do Sul Fluminense; Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda (AAP-VR) e outros.

IPE oferece Ensino Infantil (creche), Fundamental e Ensino Médio com foco

IPE

na preparação do estudante para vestibulares e Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A diretora pedagógica Fernanda Gerônimo comentou que o

O Instituto Presbiteriano de Educação (IPE) está com as matrículas abertas até o final de dezembro. O

Pais e estudantes se preparam para renovação de matrículas para o ano que vem

IPE está oferecendo a promoção “Eu Mais Um”. - Se matriculando na escola e levando mais um amigo, o aluno que levou ganha desconto nas mensalidades de fevereiro a dezembro de 2020. As matrículas são feitas presencialmente – disse.

Documentação Para a matrícula é necessário os seguintes documentos: Identidade e CPF, do responsável e do aluno; três fotos (3x4); comprovante de residência; caderneta de vacina-

ção atualizada; documento de transferência (caso o aluno venha de outra escola) e certidão de nascimento para os menores de 18 anos. O novo ensino médio do IPE estreou em 2018, desde então, a escola oferece uma formação integral do adolescente baseada em princípios éticos, morais e cristãos. Preparando o estudante para a vida acadêmica e profissional, e também para as oportunidades do futuro, como por exemplo, ter sucesso no Enem e vestibulares.


4 DIÁRIO DO VALE 

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

Análise de dados pode ajudar na Educação Especialista afirma que desafio atualmente é decidir como informações capitadas serão usadas Marcelo Casal JR – Abr

A coleta e a análise de dados se tornaram uma realidade não somente na economia, mas em diversas áreas. Para especialistas, também na educação, esse tipo de prática pode contribuir para identificar problemas e orientar a ação de gestores, profissionais e governantes tanto na administração escolar quanto na elaboração de políticas públicas. A professora de administração da Universidade de São Paulo (USP) Alessandra Montini destacou que, atualmente, há muitos dados disponíveis e o desafio é extrair deles valor para instituições e benefícios para a sociedade. “A questão é como fazer para captar essa quantidade de informação. O número de dispositivos aumenta, o carro está conectado, até a TV desligada está conectada. Isso é possível porque há muito processamento. Hoje, nosso smartphone é muito mais poderoso do que o computador que levou homem para a lua. O desafio é como eu vou usar essa informação para tomada de decisão”, ressaltou a docente. Na avaliação do gerente de políticas do movimento Todos pela Educação, Gabriel Corrêa, o trabalho orientado por dados pode ajudar de diversas formas no setor. A primeira é reconhecendo o que funciona. Entre 2007 e 2017, por exemplo, os percentuais de alunos do 5o ano com aprendizagem satisfatória em língua portuguesa e matemática mais que dobraram, saindo, respectiva-

Prática pode contribuir para identificar problemas e orientar ações mente, de 28% para 60,7% e de 23,7% para 48,9%. Outro exemplo é o acesso à escola. Na década de 1970, o índice estava na casa dos 48%. Atualmente, os jovens em idade obrigatória (4-17 anos) matriculados nos ensinos fundamental e médio chegam a 96,8%. “Um montante de dados, quando bem utilizado, pode virar política pública e impactar a vida dos professores e alunos brasileiros”, sugeriu Gabriel Corrêa.

Por outro lado, a análise de registros sobre serviços educacionais também permite mapear problemas. No ensino médio, por exemplo, 28% dos jovens estão dois ou mais anos atrasados, enquanto 60% dos alunos que concluem o ensino fundamental não têm o aprendizado considerado adequado. Outra forma de atuação apoiada em dados no setor é o acompanhamento de alunos.

Privacidade A advogada Elaine Kel-

ler alertou que, embora o uso da tecnologia traga facilidades, ele também envolve ameaças, como à privacidade. Recentemente, o Brasil aprovou sua Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018), prevista para entrar em vigor em agosto do próximo ano. Em um cenário em que plataformas sabem mais sobre as pessoas do que elas mesmas, continuou a advogada, normas protegendo os dados dos indivíduos são fundamentais – e isso inclui a

coleta de dados também na área da educação. “A gente joga ao vento nossos dados e não sabemos qual será o uso, por quanto tempo e onde será armazenado. Isso abre a janela da privacidade e pode ter efeitos maléficos. Pessoas podem usar isso contra os usuários. Por isso, a lei é tão importante, pois obriga que empresas informem a finalidade, como será o armazenado e até quando será usado. É preciso ter proteção à privacidade e à ética”, defendeu Keller.


QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

CADERNO

DIÁRIO DO VALE  5

DE EDUCAÇÃO

Ensino bilíngue como diferencial Professora diz que modalidade vai além do estudo de idioma básico e prepara alunos para vestibular Divulgação

Pollyanna Moura De um lado pais ávidos em preparar filhos para o mercado de trabalho. Do outro, escolas prontas para inovar e atrair as atenções de estudantes. Pensando nisso, as unidades de ensino não têm medido esforços para se tornar atrativas. Duas delas, em Volta Redonda, vêm ganhando as atenções do público por ofertarem o ensino bilíngue, inserido na grade curricular dos alunos. A modalidade, segundo Marcela Santos, supervisora de bilinguismo do Colégio Anglo-Americano, vai além do estudo de idioma básico. E melhor: prepara os alunos para domínio do idioma a ser utilizado tanto no vestibular, quanto em demais provas para inclusão em cursos. - Antigamente, as escolas tradicionais, ensinavam o inglês de uma forma diferente, apenas com o verbo to be. O nosso objetivo é fazer com que o aluno saiba além – ressaltou a educadora, lembrando que a educação infantil, até os cinco anos de idade, é trabalhada em todas as áreas como ciência, tecnologia, engenharia, arte e música. “Tudo isso através do idioma escolhido pelos alunos”, disse. Esta fase, lembra a professora, é imprescindível para que o aluno amplie o vocabulário. Já para os maiores, no ensino fundamental e médio, a metodologia utilizada prevê linguagem integradas e aprendizado. O aluno passa a vivenciar vocabulário necessário para ser aprovado pelo Enem e demais vestibulares. - Ter o domínio de uma segunda língua é, além de um diferencial, essencial na vida de qualquer pessoa. Estudar um novo idioma desde cedo em um ambiente escolar facilita a vida do aluno, reduz custos e acelera o aprendizado – disse a educadora.

Estudar um novo idioma desde cedo em um ambiente escolar facilita a vida do aluno, diz professora

Intenso Joyce Virote Laureano, moradora do bairro Vila Rica Tiradentes, tem um filho que estuda no Colégio Anglo Americano: Thales Virote Ponciano, de 11 anos, está no sexto ano do ensino fundamental e, segundo a mãe, já demonstra ótimo desempenho dentro e fora da sala de aula. Ela ressalta que, um dos pontos positivos do ensino, é que o filho e seus amigos aprendem a língua estrangeira diariamente, e não somente com aulas de inglês; e com a ajuda de músicas e games, por exemplo. - Meu filho estuda no Colégio Anglo desde 2012. O tipo de ensino aplicado na instituição é muito bom. Os professores incentivam os alunos a todo instante. O Thales tem demonstrado ter facilidade

com o idioma, isso porque os professores aplicam em sala de aula, o bilinguismo e, com isso, as crianças acabam tendo mais contato com a língua inglesa. Tenho uma sobrinha que já passou por essa experiência e, ao viajar para fora do país, conseguiu aplicar o idioma muito bem e a expectativa é que meu filho também tenha essa experiência - disse. Joyce explica que Thales demonstra em casa, que o investimento aplicado em sua educação, tem dado resultados. - Meu filho tem tido ótimas experiências com essa metodologia. Ele chega da escola sempre animado e me conta o que fez durante as aulas. Sempre converso com ele, sobre a importância de sabermos um segundo idioma. Isso vai ajudá-lo no futuro, no mercado de trabalho. Isso é um diferencial - finalizou.

Outro colégio Para 2020, o Colégio Garra, no bairro Aterrado, também pretende adotar o ensino bilíngue nas turmas do Ensino Fundamental. Segundo Ana Júlia Cury, diretora pedagógica da instituição, alunos do Ensino Médio só terão essas aulas, em 2021. De acordo com a diretora, uma equipe pedagógica, além da diretoria da instituição, visitaram algumas cidades do país, para acompanharem de perto, a utilização de um novo método de ensino e trazê-lo para Volta Redonda. Além das visitas, a diretora fez questão de ressaltar que todos os professores do colégio passam por um processo seletivo para fazerem parte do projeto. De acordo com Ana Júlia Cury, os alunos já estão cientes sobre a nova grade curricular na instituição.

- Fizemos uma reunião de pais. Uma representante da Inter natiocal School veio à escola e passou em todas as salas. Eles já têm três aulas de inglês no currículo e isso fez uma diferença enorme. Conversando com alguns alunos, eles me disseram que o fato de termos aumentado as aulas de inglês fez uma diferença enorme para eles - disse. Paula Mendonça, coordenadora pedagógica do programa bilíngue do Colégio Garra, diz que o método utilizado pela instituição é diferente dos utilizados em cursos particulares. A coordenadora reforça que os alunos do Colégio Garra praticam diariamente o uso da língua estrangeira durante aulas de outras disciplinas e que em todos os ambientes da unidade escolar existem ‘lembretes’ para que os alunos sempre tenham contato com a língua inglesa.


6 DIÁRIO DO VALE 

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

Batista implantará cultura ‘maker’ Alunos terão acesso a oficinas colocando a ‘mão na massa’, através do projeto ‘Noé Arca do Futuro’ Paulo Dimas

Franciele Bueno O Colégio do Instituto Batista Americano (CIBA) pretende inovar com a metodologia de ensino que já é uma realidade nos Estados Unidos: a cultura maker. A implantação do projeto será no próximo ano letivo de 2020. Os alunos do ensino infantil ao fundamental terão acesso a diversas oficinas que serão realizadas em um laboratório especializado. De acordo com a professora Juliana Baroni Azzi, a cultura maker é uma tendência na educação, por isso, o Colégio Batista abraçou a ideia e deu o nome de ‘Noé Arca do Futuro’ devido aos preceitos bíblicos. O projeto já foi apresentado aos professores da instituição. Os alunos através da iniciativa vão desenvolver projetos de robótica, impressão de material gráfico, criação de sites, blogs, entre outros conteúdos. Juliana ainda destacou que o projeto será conduzido pela pro-

fessora Ana Paula Batista, especialista em informática aplicada à Educação. - A ideia do projeto foi da professora Ana Paula e veio em um momento oportuno, já que a cultura maker é uma tendência na atualidade. A princípio cada turma vai trabalhar com uma oficina com um tipo de produção. Os alunos irão colocar literalmente a mão na massa. O projeto foi batizado com o nome ‘Noé’, que foi um dos primeiros construtores, de acordo com a versão bíblica, e esse título coube bem à situação, já que iremos apresentar as crianças e os adolescentes, iniciativas inovadoras e tecnológicas nesse processo. Eles serão os construtores do futuro – disse Juliana.

Oficinas e atendimento especializado A professora à frente do projeto, Ana Paula Batista, mencionou as oficinas que serão aplicadas, confira: Introdução à ro-

bótica; rádio escolar; jornal escolar; edição de vídeos; edição de áudios; podcast; realidade aumentada; desenho vetorial e quadrinhos. As oficinas serão semestrais e divididas nos anos de escolaridade. Além disso, a metodologia de ensino será inclusiva também ao atendimento individualizado e especializado ao aluno com deficiência. - A oficina multifuncional será o local e o atendimento apropriado para o aluno aprender a utilização das ferramentas de tecnologia assistiva, tendo em vista o desenvolvimento da autonomia – explicou Ana Paula. A expectativa para o projeto é alta, a professora comentou um pouco sobre as experiências que os alunos irão vivenciar. - Neste ambiente onde os alunos terão acesso a diversas oficinas, farão parte da cultura maker, fazedores, ou melhor, dizendo ‘Mão na Massa’. Acreditamos que ao criar um ambi-

Projeto será no Batista Americano no próximo ano letivo de 2020 criar seus próprios objetos. Esse movimento começou a tomar forma no final dos anos 1960, absorvendo um pouco do conceito de ausência de regras e independência individual da cultura punk. Com a revolução digital e a facilidade de acesso aos reO que é cultura maker? cursos tecnológicos, essa Considerado uma exten- ideia vem tomando conta de são da filosofia “Do It Your- um grande número de pessoself !”, o movimento da cultu- as interessadas em criar e ra maker apresenta a ideia compartilhar projetos pautade que qualquer pessoa con- dos pela tecnologia. *Extraído do blog Lyceum segue construir, consertar ou

ente na escola voltado ao aprendizado mão na massa. Além da sala de aula realizando experiências e criando coisas no mundo real para o mundo real, iremos preparar nosso aluno para os desafios do dia a dia – falou.


QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

DIÁRIO DO VALE  7

Reconhecimento e comemoração UniFOA realiza mais uma edição do prêmio ‘Destaques: reconhecimento de Mérito Acadêmico’ Divulgação

O UniFOA realizou mais uma edição do prêmio “Destaques: reconhecimento de Mérito Acadêmico”. Participaram da solenidade alunos e professores que, de alguma forma, tiveram notoriedade em seus trabalhos no ano de 2019. O prêmio foi criado com objetivo de reconhecer aqueles que foram destaque em eventos nacionais e internacionais, levando e elevando o nome da FOA/UniFOA em seus trabalhos, contemplando os vieses da pesquisa, ensino e extensão, somados à veia artística, cultural e esportiva de cada acadêmico ou docente. O expressivo número de 270 premiados ratifica o trabalho que vem sendo feito pelo UniFOA. Tal desenvolvimento acadêmico impacta diretamente na produção de conhecimento e

outras conquistas, como é o caso dos alunos que, mesmo antes de concluírem o curso de Direito, já foram aprovados no exame da Ordem do Advogados do Brasil, OAB. -Não é fácil chegar aqui, ainda mais para receber uma certificação por ter sido aprovado na Ordem. O evento é muito especial, tanto para nós, quanto nossos familiares. Pudemos ver aqui o reconhecimento de cinco anos de dedicação e muito estudo - destacou o aluno do décimo período do curso de Direito, Guilherme Marassi. As cinco engenharias também foram destaques neste evento. Os alunos levaram o nome da instituição para o Desafio Sampe Brazil e o Prêmio CREA-RJ de Trabalhos Científicos e

Tecnológicos. Além deles, diversos alunos de todos os demais cursos também receberam certificados como forma de agradecimento pelos esforços feitos dentro e fora de sala de aula. -Foi uma oportunidade ímpar de dizer que aqui na instituição fazemos muito mais que educação. Nós não formamos apenas engenheiros, nutricionistas, jornalistas, médicos, formamos pessoas e essas pessoas demonstraram uma capacidade, uma qualidade técnica e um dom que merecem reconhecimento - enfatizou o reitor do UniFOA, Carlos José Pacheco.

Egressos O evento contou com um momento especial para reconhecer os egressos que hoje têm atuação importante no

Participaram da solenidade alunos e professores que tiveram notoriedade em seus trabalhos no ano de 2019 meio empresarial, comprovando a qualidade do ensino ofertado pela instituição. -Construímos uma trajetória enquanto acadêmicos e hoje somos atuantes no mercado de trabalho. Contribuí-

mos, cada um na sua área, com tudo que aprendemos no UniFOA. Retornar, rever professores e ainda ser reconhecido é uma emoção grande – disse a ex-aluna, Júlia Figueiredo.


8 DIÁRIO DO VALE

CADERNO



DE EDUCAÇÃO

QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

‘Mente sã, corpo são’ Disciplina passa a ser trabalhada em proposta pedagógica de escolas Fotos: Divulgação

Disciplina ganha espaço na vida escolar e em todas as etapas da educação básica

Lílian Silva A Educação Física na vida escolar vai muito além da cultura da “mente sã, corpo são”. Na verdade, a prática de atividade física foi inserida e entendida ao longo dos anos, como fundamental para o desenvolvimento da cultura corporal do aluno. E mais: a disciplina passou a ser trabalhada na proposta pedagógica da escola, revelando que os benefícios não se limitam a fatores fisiológicos. - A Educação Física contribui, enormemente, na formação do educando, sobretudo numa perspectiva integral do ser humano, evitando a dicotomia corpo e mente – ressaltou o mestrando em Educação pela Universidade Católica de Petrópolis, Gus-

tavo Arantes e Silva, lembrando que a Educação Física é entendida como uma área da linguagem e trata de um conteúdo próprio, a cultura corporal. Sendo assim, a disciplina vem ganhando espaço na vida escolar e em todas as etapas da educação básica. Embora seja uma prática facultativa ao aluno, em alguns casos muito específicos, o professor lembra que a matéria e tão importante quanto a matemática ou o português.

Adolescentes Para atrair as atenções dos adolescentes, que segundo Gustavo, geralmente perdem o interesse pela Educação Física, nesta faixa etária, as aulas devem ser pla-

nejadas e mais atraentes, com estratégias para a participação de todos. A ideia, na opinião do educador, é mostrar meios para levar o aluno a uma boa relação com o próprio corpo e com as diversas possibilidades de práticas de exercícios físicos, aumentando as chances de se tornarem pessoas fisicamente mais ativas. - Contudo, não será propriamente nas aulas de educação física que o aluno terá os benefícios fisiológicos dos exercícios físicos, sendo necessário complementar as atividades fora da escola – garante Gustavo, acrescentando que nem sempre estes exercícios precisam ser feitos dentro de academias de ginástica. Espaços públicos também

Jovens são incentivados a praticarem atividades físicas e fugirem do sedentarismo podem ser bem utilizados para prática de atividade física como para corrida, pistas de skate, academias populares, quadras poliesportiva e outros. O importante, diz o educador, é que esse jovem seja incentivado a praticar atividades físicas e fugir da tentação das tecnologias que o levam ao sedentarismo. “Isso pode fazer toda a diferença no Enem”, completou o professor, acrescentando que a atividade física e o entendimento do corpo evitam ainda atitudes maléficas à saúde por conta dos resultados estéticos. - A atividade física deve estar relacionada ao prazer. É comum e saudável, em especial nos jovens, certa inconstância no período de férias concluiu.

OMS A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza um tempo mínimo de 150 minutos de atividades físicas moderadas por semana para se alcançar benefícios à saúde. Não é muito, algo em torno de 20 min diários. No período de férias os jovens costumam dançar, frequentar quadras esportivas, fazer caminhadas em grupo, e isso também se enquadra em atividade física. A dica do professor Gustavo é não esquecer os alongamentos, pequenas caminhadas em boa companhia, dança e esportes coletivos. O importante é encontrar prazer em movimentar o corpo. Experimente, vale à pena!


QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

DIÁRIO DO VALE  9

Por mais história, por mais educação Por Raphael Haussman Somos fascinados pelo futuro e, muitas vezes, saudosos pelo passado. O ser humano é fascinado pelo tempo. Ele está nas mais diversas expressões artísticas, com suas diferentes concepções, como poemas, músicas, filmes, telas, nas obras surrealistas, futuristas, como a poesia de Álvaro Campos, heterônomo de Fernando Pessoa, o qual caracterizava o tempo moderno, em que todos estão ocupados. Alguma semelhança com nossos dias atuais? Tudo é rápido, o presente é que importa. Contudo, Bauman, sociólogo polonês, relata que isso gera a sociedade líquida, caracterizada pelo consumismo e o individualismo. O tempo relativo é perigoso, pois pode levar o homem e uma cruzada filosófica sem fim, com risco de perder sentido na vida, como o filósofo Sartre evidencia em suas obras. O tempo histórico, estudado por todos em algum momento na escola, é uma ferramenta fundamental para o desenvolvimento humano. Vale destacar, sob esse prisma, que todo esse desenvolvimento e todas essas percepções são fundamentadas por meio do desenvolvimento educacional. É por meio da educação e da comunicação que o homem chegou aonde chegou. A história permite que a sociedade olhe para o passado, reflita e evolua. A educação complementa e ferramenta o ser humano a entender, aprender, ensinar e a se desenvolver. Há, nesse processo, a aprendizagem com os erros, de forma que não aconteçam mais; dessa maneira, pode-se ensinar aos mais novos as consequências das guerras, dos preconceitos, das opressões, da intolerância, mas também é uma oportunidade para mostrar como progredimos como seres racionais, como Sócrates, Aristóteles, da Vinci, Shakespeare, o iluminismo, Gandhi, descobertas de curas e de leis da natureza e o quanto ainda podemos fazer. Conforme Edmund Burke, político e filósofo inglês, “aqueles que não conhecem a história estão fadados a repetila”. Podemos criar a nossa ou-

tra frase, aqueles que não se educam não aprendem, nem com a história. Ademais, o estudo do tempo histórico permite que se estude a própria evolução, como se percebe nos livros de biologia. Desse modo, compreende-se mais sobre nossa estrutura e abre-se mais caminhos para pesquisas que melhorem a qualidade de vida do homem. Outrossim, quando se tem o conhecimento do passado, torna-se mais fácil e produtivo projetar o futuro. Se observarmos o quanto o ser humano se desenvolveu e o quanto dessa grandeza se encontra nas exposições, nos livros, nas artes. Toda a diferença da humanidade em relação aos outros animais se encontra na capacidade de ensinarmos o que aprendemos às próximas gerações. Olhar para trás, aprender, ensinar e projetar nosso futuro é elemento fundamental para explicar o nosso desenvolvimento. O escritor Yuval Harari nos convida a olhar para trás, entender o passado e propõe as nossas efetivas necessidades para este século. A proposta é simples, por isso extraordinária, aprender com o passado e educar para o futuro. Harari é historiador. Entender, portanto, a importância da história é de grande relevância para a humanidade. Logo, cabe à sociedade, nós todos, refletir sobre nossa história, para que consigamos um futuro melhor. É necessário que saibamos que a nossa maior força se encontra em nossa humanidade e em nossa capacidade de educar. Quando digo educação eu não me refiro a novas tecnologias e nem a diplomas conceituadíssimos no mercado de trabalho. Refirome à capacidade que temos de ensinar a quem quer que seja, a capacidade se aprender com o semelhante e a capacidade se colocar no lugar do outro, pois somente assim, nossa historia será melhor contada. Por mais educação. Raphael Haussman é professor, coach, consultor e apaixonado por educação e desenvolvimento humano

Nosso dicionário * Surrealismo - Surrealismo foi um movimento artístico e literário de origem francesa, caracterizado pela expressão do pensamento de maneira espontânea e automática, regrada apenas pelos impulsos do subconsciente, desprezando a lógica e renegando os padrões estabelecidos de ordem moral e social. * Futurismo - Futurismo é um movimento artístico moderno que surgiu nos primeiros anos do século XX, e que defendia o fim do moralismo, negando o passado e ovacionando a revolução tecnológica e industrial. * Álvaro Campos - Álvaro de Campos é um dos heterônimos do poeta português Fernando Pessoa, que foi vários poetas ao mesmo tempo. * Fernando Pessoa Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de junho de 1888 — Lisboa, 30 de novembro de 1935) é um dos mais importantes escritores portugueses do modernismo e poetas de língua portuguesa. Destacouse na poesia, com a criação de seus heterônimos sendo considerado uma figura multifacetada * Bauman - Zygmunt Bauman (Pozna?, Polônia, 19 de novembro de 1925 – Leeds, Reino Unido, 9 de janeiro de 2017) foi um sociólogo e filósofo polonês, professor emérito de sociologia das universidades de Leeds e Varsóvia. * Sociedade líquida – De acordo com Bauman, nos tempos atuais, as relações entre os indivíduos nas sociedades tendem a ser menos frequentes e menos duradouras. Uma de suas frases poderia ser traduzida,

na língua portuguesa, por “as relações escorrem pelo vão dos dedos”. * Consumismo - O consumismo é uma compulsão que leva o indivíduo a comprar de forma ilimitada e sem necessidade bens, mercadorias ou serviços. * Individualismo - individualismo consiste no pensamento e na ação independentes, sem depender dos outros ou sem se sujeitar às normas gerais. Como tendência filosófica, o individualismo defende a supremacia dos direitos individuais face aos direitos da sociedade e à autoridade do Estado. * Sartre - Jean-Paul Charles Aymard Sartre (Paris, 21 de junho de 1905 — Paris, 15 de abril de 1980) foi um filósofo, escritor e crítico francês, conhecido como representante do existencialismo. Acreditava que os intelectuais têm de desempenhar um papel ativo na sociedade. * Sócrates - Sócrates (469 a.C. - Atenas, 399 a.C.) foi um filósofo ateniense do período clássico da Grécia Antiga creditado como um dos fundadores da filosofia ocidental.

poeta e músico. * Shakespeare - William Shakespeare (Stratfordupon-Avon, 26 de abril de 1564 — Stratford-uponAvon, 23 de abril de 1616) foi um poeta, dramaturgo e ator inglês, reconhecido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. * Iluminismo - Iluminismo é um movimento cultural que se desenvolveu na Inglaterra, Holanda e França, nos séculos XVII e XVIII. Nessa época, o desenvolvimento intelectual, que vinha ocorrendo desde o Renascimento, deu origem a ideias de liberdade política e econômica, defendidas pela burguesia. * Gandhi - Mohandas Karamchand Gandhi (Porbandar, 2 de outubro de 1869 — Nova Déli, 30 de janeiro de 1948), mais conhecido como Mahatma Gandhi (A Grande Alma) foi o idealizador e fundador do moderno Estado indiano e o maior defensor do princípio da não agressão, forma não violenta de protesto como um meio de revolução.

* Aristóteles - Aristóteles (Estagira, 384 a.C. — Atenas, 322 a.C.) foi um filósofo grego, estudioso de diversos assuntos, como a física, a metafísica, as leis da poesia e do drama, a música, a lógica, a retórica, o governo, a ética, a biologia, a linguística, a economia e a zoologia.

* Edmund Burke - Edmund Burke (Dublin, 12 de janeiro de 1729 — Beaconsfield, 9 de julho de 1797) foi um Conservador filósofo, teórico político e orador irlandês, membro do parlamento londrino pelo Partido Whig.

* da Vinci - Leonardo di Ser Piero da Vinci (Anchiano, 15 de abril de 1452 — Amboise, 2 de maio de 1519), foi uma das figuras mais importantes do Alto Renascimento, que se destacou como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico,

* Yuval Harari - Yuval Noah Harari (Haifa, 24 de fevereiro de 1976) é um professor israelense de História e autor do best-seller internacional Sapiens: Uma breve história da humanidade e também do Homo Deus – Uma Breve História do Amanhã.


10 DIÁRIO DO VALE 

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

UNIFAA expande ensino à distância e chega a seis novas cidades da região Barra do Piraí, Barra Mansa, Petrópolis, Resende, Três Rios e Volta Redonda agora possuem polos da instituição Divulgação

Agora ficou ainda mais fácil estudar no melhor Centro Universitário do Estado do Rio de Janeiro. O UNIFAA expandiu seu número de polos e cursos de Ensino à Distância. São seis novas unidades e mais de 20 cursos de graduação. A instituição está presente em oito cidades, levando uma educação transformadora e de qualidade a um número ainda maior de pessoas. Moradores de Barra do Piraí, Barra Mansa, Petrópolis, Resende, Três Rios e Volta Redonda agora têm a instituição ainda mais próxima. Além delas, Valença e Paty do Alferes continuam com polos do UNIFAA. A expansão do número de unidades e de cursos ofertados do UNIFAA mostra que a instituição está determinada a continuar transformando vidas através da educação, prezando pela qualidade no ensino oferecido aos estudantes.

Mais de 20 cursos de graduação Os interessados em possuir uma formação superior de qualidade, no Centro Universitário que é nota máxima no MEC, têm à disposição mais de 20 cursos de Graduação. São eles: Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Ciências Contábeis, Empreendedorismo, Gestão Comercial, Gestão de Qualidade, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Financeira, Gestão Hospitalar, Gestão

UNIFAA expandiu número de polos e cursos de Ensino à Distância Pública, História, Letras, Logística, Marketing, Matemática, Pedagogia, Pedagogia para 2ª Licenciatura, Pedagogia para não licenciados, Processos Gerenciais, Redes de Computadores, Serviço Social e Sistemas de Informações.

O ensino à distância O EaD é a modalidade de ensino que ampliou as oportunidades de conquistar um diploma. Através desta modalidade, pessoas

que, por conta do trabalho ou distância, não conseguiam ter acesso ao ensino superior, agora podem realizar o sonho de se graduar. De acordo com o censo da educação superior, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), um a cada cinco estudantes matriculados no ensino superior no Brasil, estudam na modalidade à distância. São quase dois milhões de

alunos que podem estudar com a flexibilidade que ela permite.

Inscrições para o vestibular 2020 As inscrições para ingressar no início de 2020 já estão abertas. Para este Vestibular, o Centro Universitário de Valença está com promoção no valor da primeira mensalidade e o aluno pagará apenas R$ 39,90. As provas agendadas já poderão ser rea-

lizadas nos novos polos. Elas acontecerão de hora em hora, das 9h às 20h, de segunda a sexta-feira. Também poderão ser feitas aos sábados, das 8h às 12h. Os interessados podem se inscrever e agendar sua prova gratuitamente através do site www. unifaa.edu.br. Mais informações podem ser obtidas pela Central do Candidato, no telefone (24) 24530728, que possui um atendimento exclusivo.


QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

DIÁRIO DO VALE  11

Em busca de criação e inovação UGB/FERP participou do Fórum de Inovação e Tecnologia das Instituições de Ensino do Sul Fluminense Divulgação

O Centro Universitário Geraldo Di Biase - UGB/ FERP participou do Fórum de Inovação e Tecnologia das Instituições de Ensino do Sul Fluminense. O fórum aconteceu na terça-feira, 03, no teatro Gacemss II, e teve como objetivo abrir espaço para que as IES pudessem apresentar suas práticas inovadoras através do Centro Tecnológico que reúne empresas, instituições de ensino e entidades em busca de soluções criativas demandadas pelas indústrias locais. Com o avanço das transformações tecnológicas, o mercado busca cada vez mais profissionais que sejam criativos e inovadores, formados por instituições de ensino que desenvolvam nestes profissionais cada

vez mais essas habilidades. Os trabalhos apresentados foram o ECKOBRICS Uso de resíduos de escória de aciaria para produção de tijolos ecológicos e SMART LOGOUT, um kit de motorização para cadeirantes com valor acessível. Os projetos foram desenvolvidos por diversos alunos dos cursos de engenharia do UGB/FERP e orientados pelos professores Anderson de Oliveira Ribeiro, Ithamar Ribeiro Rangel, Joao Henrique Brandenburger Hoppe e Janaina da Costa Pereira Torres de Oliveira.

Medalha Tiradentes O professor Roberto Pi-

menta da Cruz recebeu no dia 06 de dezembro de 2019, no auditório II do Campus do UGB Volta Redonda a Medalha Tiradentes, uma honraria destinada a premiar pessoas que prestaram relevantes serviços à causa pública do Estado do Rio de Janeiro. A medalha foi instituída pela Resolução Nº 359 de 1989, em 08 de agosto de 1989, e sua entrega é realizada apenas uma vez por ano, sendo a mais alta condecoração concedida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Egresso do Curso de Arquitetura da Faculdade de Arquitetura de Barra do Piraí, Roberto Pimenta é professor emérito do Curso desde 1981. É autor

Fórum aconteceu no Teatro Gacemss II, em Volta Redonda de várias obras importantes em Volta Redonda, com destaque para os expressivos monumentos da Cidade, tendo construído carreira brilhante como

funcionário e Secretário de Obras na Prefeitura Municipal de Volta Redonda e também como Professor do Ensino Técnico e Superior.


12 DIÁRIO DO VALE 

CADERNO

DE EDUCAÇÃO

QUINTA-FEIRA, 12 DE DEZEMBRO DE 2019

Profile for Diário do Vale

9259 - Caderno de Educação - Quinta-feira - 12.12.2019  

9259 - Caderno de Educação - Quinta-feira - 12.12.2019

9259 - Caderno de Educação - Quinta-feira - 12.12.2019  

9259 - Caderno de Educação - Quinta-feira - 12.12.2019

Advertisement