Issuu on Google+

ADE

M E S

L A AN

EM R

❏ Leia as colunas de

Tiragem desta edição

Sebastião Nery, Luciano Demetrius, Tizziana Oliveira e Rafael Dias

5.000 exemplares

A

ID

ST

Oeste

AC

Veja classificação das escolas na Olimpíada Intercolegial na pág. 11

❏A

AGENDA DA CIDADE EST˘ NA P˘GINA 9

I EV

Ano I ❑ Nº 18 ❑ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

Preço do exemplar em banca

R$ 1,00

Cidade cobra ação contra a violência Amedrontada com ondas de assaltos e arrombamentos, sociedade exige mais segurança das autoridades policiais. Páginas 3, 4, 5 e 6

``

RAUL MARQUES

Lugar de polícia não é no quartel. É nas ruas. Isso intimidaria a bandidagem, que aproveita a falta de homens da lei nas ruas para agir

``

JUIZ CLAUDEMIR DA SILVA PEREIRA TITULAR DA VARA CRIMINAL DE LUÍS EDUARDO MAGALHÃES

MEDO RONDA A CIDADE. Rua Rondônia, no Centro, 22 horas de terça-feira. Duas quadras e apenas dois postes. A escuridão aumenta a insegurança e pedestres evitam passar por ali à noite.


2 INFORMAÇÃO

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

E OPINIÃO

PREZADO LEITOR Prorrogada a linha BNDES PSI E

mpresários que estavam preocupados com a não renovação da linha de financiamento do Programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES PSI), para aquisição de máquinas e equipamentos, ônibus e caminhões podem se tranquilizar. As operações vão continuar. Com juros entre 4% e 10% ao ano, os empresários têm até o dia 31 de dezembro para solicitar o crédito por intermédio da Desenbahia.

Osmar Dias defende pagamento obrigatório de seguro rural O vice-presidente de Agronegócio e de Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil, Osmar Dias, defendeu, em entrevista ao repórter Danilo AGÊNCIA SENADO Macedo, da Agência Brasil, o pagamento obrigatório do seguro rural para a agricultura empresarial, assim como já existe nas linhas destinadas, com subvenção, à agricultura familiar. Segundo ele, se todos os agricultores que acessassem as linhas de crédito OSMAR DIAS do Plano Agrícola e Pecuário do governo, com juros reduzidos, tivessem que fazer seguro, o valor ficaria bem menor e haveria ganhos ao produtor e ao restante da sociedade. A ideia do seguro obrigatório, segundo o ex-senador Osmar Dias, já foi apresentada por ele aos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e da Agricultura, Wagner Rossi, e foi bem recebida. É preciso, no entanto, mais estudos para o aval do Tesouro Nacional, que subvencionaria parte do seguro. “A esperança que temos é que o Seguro Faturamento seja o seguro que todos terão”, disse Dias. O Seguro Faturamento é uma nova modalidade de seguro rural disponibilizada a partir da safra 2010/2011, que se inicia, e, além de cobrir perdas por eventos climáticos, garantirá o ressarcimento ao produtor da redução de receitas causada pela queda de preço de seu produto no mercado. Dias disse que, se o seguro já fosse obrigatório há algumas safras, seria desnecessária toda discussão sobre renegociação de

Publicação da Oeste Comunicação Integrada Ltda. Rua Jorge Amado, 1.327 – Jardim Paraíso – CEP 47.850-000 – Luís Eduardo Magalhães/BA Inscrição municipal 007132/10 CNPJ 12.835.627/0001-41 - Telefone (77) 3628-0686

oestesemanal@diariodooeste.com.br

dívidas rurais. O Seguro Faturamento lançado agora abrange apenas a cultura da soja e tem isenção de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e subsídio federal, em média, de 50% do valor do prêmio, podendo ser cumulativo com subvenções estaduais, caso existam. A expectativa do Banco do Brasil é que sejam segurados cerca de R$ 500 milhões em produção. “A grande novidade do banco para esta safra é o Seguro Faturamento com a cultura da soja, que esperamos ver ampliado para todas as culturas”, disse Dias.

Caixas-fantasmas A falta de dinheiro em caixas eletrônicos parece problema insolúvel em Luís Eduardo Magalhães. Na segunda-feira, 4, entre 8h e 8h30 da manhã, leitor do jornal tentou sacar na agência do Banco do Brasil da Rua Rondônia e só conseguiu a mensagem “operação indisponível” nos dois caixas. Foi à agência da Rua Piauí e só encontrou dinheiro no último dos sete caixas testados.

Esse Dnit... A cúpula do Ministério dos Transportes caiu toda, na esteira das denúncias da revista Veja sobre a cobrança de propina e inchaço de preços em obras públicas. No domingo, 3, perderam cargos Mauro Barbosa da Silva, chefe de gabinete do ministro; Luís Tito Bonvini, assessor do gabinete do ministro; Luís Antônio Pagot, diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit); e José Francisco das Neves, diretor-presidente da Valec. Na quarta-feira, 6, foi a vez do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento. Pediu demissão e foi substituído interinamente pelo economista Paulo Sérgio de Oliveira, baiano de Muriti, até agora secretário-executivo do ministério. A área dos Transportes era capitania do

ADM e Cabrera nfrentam divórcio litigioso Deu praga nos canaviais da gigante norte-americana Archer Daniel Midland (ADM) no Brasil. O litígio com o antigo sócio no país, o ex-ministro da Agricultura, Antonio Cabrera, está se espalhando feito uma nuvem de gafanhotos. O pedido de arbitragem à Câmara de Comércio BrasilCanadá (CCBC) para a definição do valor de venda dos 51% de Cabrera na usina Limeira do Oeste, em Minas Gerais, é apenas a ponta do iceberg. Outros fatores prometem derramar hectolitros de álcool no inflamável contencioso. Mesmo com a venda de sua participação na usina, Cabrera estaria disposto a entrar com um pedido de indenização contra a ADM. A alegação é que os norte-americanos teriam agido com o deliberado intuito de depreciar o valor do ativo e, consequentemente, comprar as ações do ex-ministro na bacia das almas. A multinacional teria propositadamente postergado investimentos na usina Limeira do Oeste, postura que acabou sendo determinante para a execução incompleta do projeto. O plano original previa o início da produção de açúcar no ano passado, mas, sem os recursos dos norte-americanos, apenas a unidade de etanol saiu do papel. Além disso, em meio aos desentendimentos com Cabrera, a ADM abriu negociações com candidatos à compra de sua participação na usina mineira à revelia do então sócio. A Cosan e a indiana Shree Renuka estariam entre as empresas que mantiveram contatos com o grupo na ocasião. Para o ex-ministro da Agricultura, os norteamericanos teriam agido desta maneira apenas com a finalidade de reduzir o valor da fábrica de Limeira do Oeste, aceitando ofertas bem abaixo do real preço de mercado. Por trás desta ardilosa manobra, a ADM

Coalhada O presidente da Itambé, Jacques Gontijo, está quase jogando a toalha no projeto de criação de uma grande empresa nacional de laticínios. Além da dificuldade de encontrar candidatos à fusão, Gontijo enfrenta a resistência de alguns dos principais associados da cooperativa, que temem perder poder com a chegada de novos acionistas.

Copyright Relatório Reservado, publicação diária especializada em inside information editada pela Insight Comunicação. www.relatorioreservado.com.br

PR, o Partido da República.

Novo destino

A Valec é responsável pela construção da Ferrovia Oeste-Leste.   

Daniel Carvalho, que fundou a Translem/Olcatrans com Josias de Oliveira Cruz, desfaz a parceria de três anos e junta-se a Celso Cerrato, na Transcerrado.

Esse Dnit não tem mesmo jeito, como diria se vivo o cacique Antonio Carlos Magalhães.

SÓCIOS-DIRETORES Antonio Calegari / Pedro Callegari

CIRCULAÇÃO Aroldo Vasco de Souza

REDAÇÃO João Penido (editor), Antonio Calegari, Luciano Demetrius Leite, Raul Beiriz Marques, Rafael Dias, Sebastião Nery, Tizziana Oliveira, Henrique Cabelo (fotógrafo e diagramação), Paulo Cezar Goivães (projeto gráfico)

IMPRESSÃO Gráfica F. Câmara Csg 09 – LOTE 03 – GALPÃO 03 – Taguatinga Sul – Distrito Federal – Fone (61) 3356-7654

PUBLICIDADE Juliana Cadore

usaria as propostas recebidas como instrumento de pressão para comprar a participação de Cabrera a cifras bem magrinhas. No fim do ano passado, os norte-americanos chegaram a apresentar uma oferta avaliada com base na capacidade de refino da usina. O preço giraria em torno de US$ 120 por tonelada. Poucas semanas, no entanto, a ADM voltou atrás e teria aparecido com um preço bastante inferior, baseando-se nas ofertas que supostamente recebeu por sua participação. Outra questão que deverá elevar ainda mais a fervura no litígio entre a ADM e Antonio Cabrera é o projeto de construção da usina de Jataí (GO), que sequer saiu da prancheta. O acordo original entre as partes previa a instalação de uma unidade com capacidade para moer 3,5 milhões de toneladas de cana por ano. No entanto, os norteamericanos também empurraram o investimento com a barriga e já sinalizaram que não querem ficar com o empreendimento. Mais uma vez, Cabrera deve entrar com um pedido de indenização. O ex-ministro tirou recursos do próprio bolso para custear os estudos de viabilidade para a construção da usina em Goiás. Também chegou a se empenhar pessoalmente com produtores locais para garantir o fornecimento de cana, o que lhe valeu um enorme desgaste por conta da suspensão do projeto.

TIRAGEM* 5 mil exemplares *Tiragem jurada pela editora, comprovável quando da

impressão do jornal, na Gráfica F. Câmara, a par tir das 23 horas das sextas-feiras e quando do início da distribuição das edições, na Rua Jorge Amado, 1.327 – Jardim Paraíso – Luís Eduardo Magalhães, a par tir das 7 horas da manhã dos sábados. Os veículos da Oeste Comunicação – Oeste Semanal e DiariodoOeste.com.br - não publicam matérias redacionais pagas sem caracterizá-las como Informe Publicitário. A Oeste Comunicação também edita o site online DiariodoOeste.com.br.


CIDADE3

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

FOTOS HENRIQUE CABELO

Cidade cobra ação contra a violência Falta de policiamento, omissão do Governo e benevolência das leis são apontados como causas das ondas de arrombamentos e assaltos

CABO Carlos: “Não se vê policiamento”.

RAFAEL Campos: “Todo cuidado é pouco”.

VANILDO Lemos agora fica mais em casa

JOÃO Simões cobra melhor iluminação

tenho medo de sair do banco com o meu salário”, disse, pedindo anonimato. Ela acrescentou que se sente beneficiada por receber no dia 4, em razão do número de assaltos ser maior nos dias 5 de cada mês, quando a maior parte das empresas paga os salários. A senhora disse que já tentaram levar sua bolsa, com a qual anda agarrada ao corpo.

“É triste ver isso acontecer aqui”, disse. Simões entende que a causa do aumento da violência é a expansão do município. “Todos os meses desembarcam 500 pessoas na cidade, vindas de diferentes cantos do País. Outras 300 saem e não voltam mais. É preciso haver um controle sobre quem entra e quem sai de Luís Eduardo”, disse, sugerindo que abordagens policiais fossem realizadas na rodoviária da cidade para controlar o entra e sai. “Tem lugar mais às moscas nesta cidade do que a Rodoviária? Não há nenhum policiamento ali”, disse Simões. Outro ponto abordado por Simões como causa da maior violência, no caso, contra pedestres, é a baixa iluminação das ruas do Centro. “Tenho que passar todos os dias pelas ruas Piauí, Paraíba e Clériston Andrade, que são muito escuras à noite. Se está muito tarde, só saio daqui de carro”, disse Simões, que trabalha no Centro.

RAUL MARQUES Da Oeste Comunicação

E

nquanto as ondas de arrombamentos e de assaltos crescem na Cidade, quem sai às ruas em Luís Eduardo Magalhães tem que tomar cuidado redobrado ao ir ao trabalho, ao voltar para casa à noite, ao sacar dinheiro no banco e até ao ir para o colégio. Há um medo velado na cara das pessoas. É como se a violência fosse algo pronto a explodir na vida de cada um. Quem já foi assaltado ou teve a casa arrombada evita tocar no assunto; quem não foi, parece aguardar a hora de isso acontecer e se tornar mais um número na estatística da violência na Cidade. Cidadãos criticam a forma como a cidade é policiada, e cobram uma ação efetiva das polícias para conter as ondas de assaltos e arrombamentos. Estes últimos chegam a quase uma centena, desde que este jornal começou a acompanhar diariamente os casos registrados na Delegacia de Polícia, em 30 de abril passado. Quanto aos assaltos, chegaram a ocorrer nove em sete dias, entre 18 e 24 de junho, dentro eles dois com sequestros relâmpagos. De lá para cá, ocorreu um terceiro assalto com seqüestro relâmpago, no domingo, 3 de julho. Os arrombamentos de casas, lojas e até colégios, para furto de aparelhos eletrônicos e mesmo de pequenos objetos de uso pessoal, escondem algo maior e mais grave: o consumo de drogas. A falta de uma ação eficaz por parte da Polícia, que até agora só conseguiu prender dois suspeitos de arrombamentos, dá lugar a questionamentos. O presidente da Câmara de Vereadores de Luís Eduardo Magalhães, Domingos Carlos Alves dos Santos, o Cabo Carlos, elege a falta de policiamento, sem a devida rigidez dos comandantes das polícias, como a grande culpada pela onda de arrombamentos na Cidade. “Não se vê policiamento nas ruas de Luís Eduardo. Este crescimento da onda de arrombamentos prova a insuficiência de homens da polícia na cidade para patrulhar as ruas. A cidade está se tornando um criadouro de vagabundos e vadios por ser um lugar em desenvolvimento, em crescimento, em expansão e sem policiamento adequado”, disse. O vereador cobra mais presença da polícia nas ruas, inclusive em patrulhas noturnas, praticamente inexistentes. “É preciso haver abordagens à noite em todos os locais da cidade”, disse. Com serviços prestados à Polícia Militar, Cabo Carlos destaca que não adianta o secretário de Segurança Pública do Estado da Bahia, Maurício Barbosa, vir à cidade, acompanhado da cúpula das polícias, como fez em 4 de maio passado, prometer mais carros, mais armas, mais policiais. “Isso o governo do Estado já faz há 12 anos na região. É necessário que tais promessas se realizem”, disse, acrescentando que vai reunir uma comissão de vereadores e cobrar do Governo do Estado “a razão para tanta omissão”.

Armadilhas. O presidente da Câmara dos Vereadores citou algumas armadilhas para a população, como as “feiras” que se formam na porta dos bancos, com vendedores de CDs e DVDs piratas aproveitando-se das filas longas, ciganas oferecendo seus préstimos de

quiromancia e desocupados “de tocaia, prontos a assaltar quem vai sacar dinheiro”. Um morador de Luís Eduardo, que não quis se identificar, diz já ter percebido uma dessas armadilhas. “Você vê um monte de gente na porta do banco e, aparentemente, sente-se seguro. Mas não está. Tem muita gente ali fora que está observando você para te assaltar”. O profissional de segurança privada Rafael Campos conhece muito bem as duas situações de violência: os arrombamentos e os assaltos. “É preciso muito cuidado quando você está em meio a tanta incerteza”, disse

Aflição constante. O balconista Vanildo Lemos tem outras preocupações. Morador no Mimoso 2, ele teme sair de casa e deixar suas filhas desprotegidas. “Você vive em constante aflição. Não sabe o que pode acontecer quando você não está por perto”, disse. Vanildo faz questão de almoçar em casa para evitar que a residência fique desprotegida. “Tento ficar o máximo do tempo que posso em casa”, disse. Outro que age assim é o representante de vendas da Mobil em Luís Eduardo, Mauro José CABO CARLOS Resmini. Ele disse já ter percebido que a violência na cidade vem Rafael, enquanto estava na fila do caixa no crescendo e que, por isso, sai pouco de casa. Bradesco. Ele mesmo reconhece que a onda Mauro contou que um amigo seu, dono de de arrombamentos aumentou a demanda um restaurante no Jardim das Acácias, gaspelos serviços da empresa para a qual traba- tou mais de R$ 2 mil gradeando seu estabelelha. “Todo cuidado é pouco”, disse Rafael. cimento por não suportar mais a onda de Fora dali, na fila dos caixas eletrônicos, que arrombamentos. “E é sempre coisa pequena. se prolongava até a rua, por volta das 11 horas Objetos baratos, que não servem para nada. de segunda-feira, 4, uma senhora mostrava-se Exceto para fazer dinheiro para comprar apreensiva com o fato de ter que sacar toda drogas”, diz. sua pensão do banco e ser assaltada. “Você Vai e vem. O administrador João Simões não pode deixar dinheiro no banco, que eles descontam tudo que pode e não pode. Sou já teve uma funcionária assaltada recenteobrigada a sacar todo o meu dinheiro, mas mente e outra com a residência arrombada.

``

A cidade está se tornando um criadouro de vagabundos e vadios

``


4 CIDADE

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

RAUL MARQUES

Descaso do Estado, falta de policiamento e legislação são causas da violência, afirma juiz RAUL MARQUES Da Oeste Comunicação O descaso do Estado da Bahia, a falta de policiamento nas ruas e a benevolência da legislação em vigor são as causas do aumento da violência na região de Luís Eduardo Magalhães, na opinião do juiz titular da Vara Criminal da comarca, Claudemir da Silva Pereira, que refuta qualquer falta de rigidez por parte do Poder Judiciário na punição aos bandidos presos pela Polícia na cidade. “Não há presídio no Oeste da Bahia. Não há uma casa especializada para detenção de menor de idade infrator. Se alguém é condenado, tem que ser levado para a prisão mais próxima, que fica em Feira de Santana, bem distante daqui. Se o menor recebe uma punição, tem que ser encaminhado para Salvador. Se não há um lugar especial para o infrator menor ficar, ele tem que ser solto. É o que manda a lei”, disse Claudemir Pereira. “Isso, sem falar dos habeas corpus emitidos pelo Tribunal de Justiça, que não partem daqui”, disse. O juiz também se sente abandonado pelo Governo estadual para cumprir com a sua obrigação como magistrado. “Há uma série de dificuldades”, disse. Ele cita como exem-

gada destas viaturas à cidade”, disse. Participante do Conselho Comunitário de Apoio à Segurança, o magistrado não entende o motivo da demora na aprovação da ampliação da delegacia da cidade pelo Governo do Estado, uma vez que não vai haver qualquer despesa. “São R$ 450 mil para serem usados nesta ampliação. Você conhece a delegacia lá? É um espaço mínimo, repleto de presos, com gente de bem sendo atendida perto dos presos. É um espaço mínimo para uma cidade tão grande como Luís Eduardo”, disse.

plo o fato de haver toda sorte de problemas para levar um preso condenado a Feira de Santana. “É preciso esperar transporte, homens da Polícia Militar, enfim, uma série de providências que não competem ao município e, sim, ao Estado. Sem falar que lugar de preso condenado é na prisão. Não é função da Polícia Civil tomar conta de presos. Ela tem que investigar”, disse.

Poucos funcionários. Para exemplificar o abandono do Estado da Bahia com a região Oeste, Claudemir Pereira citou como exemplo a quantidade de funcionários estaduais que atuam no Forum de Luís Eduardo Magalhães. “Aqui, no Forum, só existem quatro funcionários públicos estaduais. Eu e mais três. Os demais 25 são cedidos pela Prefeitura ou pela Câmara Municipal”, disse. Claudemir Pereira também criticou o fato da cidade não ter um cartório para protesto de títulos e registro de imóveis. O que funciona na cidade tem a titularidade em Barreiras. Outro exemplo que o magistrado citou diz respeito à quantidade de comarcas sem juízes na Região Oeste Baiana: “São 20 comarcas sem representante do RAUL MARQUES

JUIZ Claudemir Pereira: decepção com o Estado

Judiciário”, informou. O juiz Claudemir Pereira destaca, ainda, que a cidade carece urgente da ampliação da delegacia e das quatro viaturas prometidas pelo secretário de Segurança Pública, Maurício Barroso, quando esteve em Luís Eduardo, no último dia 4 de maio. Claudemir Pereira defende também o policiamento ostensivo na cidade, com a chegada de novas viaturas. “Lugar de polícia não é no quartel. É nas ruas. Isso intimidaria a bandidagem, que aproveita a falta de homens da lei nas ruas para agir. É muito importante a che-

RAUL MARQUES

Reforma urgente. Ao referir-se ao problema da delegacia, o juiz disse que a reforma precisa ser feita com urgência, em face das várias fugas registradas, sempre envolvendo presos de maior periculosidade. Sem esconder sua decepção com o apoio recebido pelo Governo estadual, o magistrado acredita que a sociedade local devia pressionar, por meio dos vereadores, empresas, cidadãos, imprensa e Executivo para que o Governo do Estado cumpra suas promessas e acabe com a omissão ao município e à região. Otimista e entusiasta da participação da sociedade na solução dos problemas de arrombamentos e da violência em geral, o juiz Claudemir Pereira convoca a todos que participem das reuniões do Conseg-Lem, realizadas no Hotel Paranoá ou no Espaço Cristal, no Jardim Imperial, sempre às quintas-feiras, às 19 horas. “Tenho certeza de que vamos vencer estes problemas. O mal nunca triunfa sobre o bem. É muito importante a união de todos”, disse.

HENRIQUE CABELO

População crê que guardas municipais são policiais Os estudantes que saem das escolas do Centro e vão passear na praça da Igreja Matriz sentiram na pele o problema da insegurança. Um garoto de 14 anos teve sua bicicleta roubada por outro jovem, de camisa rosa, em plena luz do dia. Foi avisar os guardas municipais que estavam em frente à sede da Associação de Moradores do Mimoso do Oeste (AMMO). Estes tentaram encontrar o ladrão e a bicicleta, sem sucesso, embora essa não fosse a sua função. Um dos guardas chegou a comentar a polêmica que existe na cidade de que a Guarda Municipal está exercendo papel de polícia, quando deve se ater a defender o patrimônio público. “Policiar não é função nossa. É a população que nos procura para sentir maior segurança”, disse. O presidente do Sindicato dos Guardas

VENDE-SE Loja pronta de cosméticos

(77) 3628-6174 (77) 9933-8164

ONDUMAR Marabá: drogas levam aos furtos

JOÃO Batista: vítimas nos procuram

MADELENE Mariussi: poucos se conhecem.

Municipais de Luís Eduardo Magalhães, João Batista Alves França Filho, informou que a maior parte das pessoas que sofre problema nas ruas com a violência procura a Guarda Municipal. Informou, ainda, que chegou a sugerir que fossem feitas patrulhas mistas, com integrantes da Polícia Militar nas viaturas da Guarda Municipal, proposta que, segundo ele, foi rechaçada pela PM. “Mas a população continua nos procurando quando acontece algo”, disse. Sobre esta proposta, o vereador Cabo Carlos faz ressalvas. Lembra que isso só poderia acontecer após haver o devido treinamento dos guardas municipais, mesmo assim, sob a supervisão de um militar experiente. “Não se pode armar os guardas municipais sem que seja feito um treinamento adequado”, disse. O menino de 14 anos que teve sua bicicleta roubada cometeu o mesmo erro de boa parte dos entrevistados. A maioria quer mais guardas municipais nas ruas para sentir maior proteção. Ao serem informados de que a

Guarda Municipal não tem função de polícia, ficaram decepcionados.

comércio aumenta”, disse. Uma preocupação especial de Marabá é com os jovens. A seu ver, a maior parte dos arrombamentos e assaltos é praticada por jovens ávidos por comprar drogas ou aumentar o faturamento de traficantes, para que eles comprem drogas e armas.

Receptadores. O vereador Ondumar Marabá é outro que associa a proliferação do consumo de drogas na cidade ao crescimento da onda de arrombamentos e da maior violência. No entanto, Marabá faz um alerta: “Só roubam porque há quem compre. Precisávamos de uma lei que obrigasse as lojas que vendem produtos usados a ter a procedência do material”, disse. Marabá acaba de passar por um trauma gerado pela onda de assaltos na cidade. Um dos seus filhos, Ernanes Souza Borges, havia sido assaltado juntamente com a namorada. O casal passou por um seqüestro relâmpago e foi abandonado no Distrito Industrial, em local ermo. “Deveria haver um controle, uma lei que exigisse a identificação de quem vende estes produtos, para evitar que os ladrões os vendam às lojas. Como não há, você encontra de tudo e o total de roubos às residências e ao

Novo instituto. Ondumar Marabá defende a criação do Instituto Crer, gerido pela própria sociedade, que cuidaria de retirar os menores infratores das ruas. “Estamos em contato com o empresariado e outros segmentos da sociedade para deslancharmos com o projeto. Cada 10 jovens que abrigarmos neste instituto melhorará a sociedade”, disse. A criação do Instituto Crer também pode ser encarada como uma crítica velada a uma parcela da população que quer manter-se isolada, no entendimento de Marabá, dos problemas sociais da cidade. “Em vez de ajudar o jovem a se recuperar, a sociedade o estigmatiza, evitando qualquer chance de inseri-lo outra vez no convívio social”, disse.


CIDADE5

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011 RAUL MARQUES

HENRIQUE CABELO

RAUL MARQUES

Comércio quer sistema que monitora lojas 24 horas/dia Setor visado pelos arrombamentos nos últimos dias em Luís Eduardo, o comércio já está providenciando suas formas de combater o problema. O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Luís Eduardo Magalhães (Acelem), Carlinhos Antonio Pierozan, informou que as empresas da associação já estão contactando uma empresa de software para instalar um sistema de monitoramento 24 horas por dia. Sem poupar críticas ao policiamento da cidade, Pierozan entende ser um absurdo a forma como o governo estadual abandonou a região. Ele diz que os comerciantes da cidade pagam várias vezes para ter segurança e evitar arrombamentos e assaltos. “Além dos impostos, os comerciantes, junto com sociedade, através do Conselho de Segurança, ainda têm que aparelhar a polícia. Isso é inadmissível. O estado é omisso”, disse. Carlinhos Pierozan considera que as promessas de aparelhamento da polícia local feitas pelo secretário de Segurança do estado, Maurício Barbosa, não devem passar mesmo de promessas. “Se eles não resolvem os problemas na capital, Salvador, onde a criminalidade é uma das maiores do Brasil, como vou acreditar que vão resolver o problema em Luís Eduardo?”, perguntou Carlinhos. O presidente da Acelem é mais um que atribui boa parte do crescimento da violência à expansão da cidade.

Escolas. A secretária municipal de Educação, Madalene Mariussi, tem uma preocupação especial, já que lida com crianças e jovens. A seu ver, o Estado da Bahia trata Luís Eduardo Magalhães como cidade pequena, quando “a cidade é grande e está em franco crescimento”. “A expansão da cidade é clara, bem como a constante mudança de pessoas. Está estampada na quantidade de transferência que temos de alunos para outras cidades. Mas é maior o ingresso de estudantes vindos de outros lugares”, disse. Esse é um dos motivos, que a seu ver, aumenta o potencial de crescimento da criminalidade na cidade. “Luís Eduardo tem uma população diferente, onde poucas pessoas se conhecem. Ninguém sabe quem é quem. E isso é preocupante em termos de segurança”, disse. Sobre a segurança nas escolas, Madalene Mariussi garantiu que cada escola é vigiada por um guarda municipal, pelo menos, o que proporciona maior sensação de segurança aos alunos e aos pais. Reconhecendo o crescimento de violência na cidade, Madalene Mariussi informou que o problema que houve na Escola Ivo Hering, que sofreu uma invasão, já foi resolvido. “Havia um buraco na grade que foi fechado”, disse. A secretária acrescentou que todos os professores estão instruídos a orientar seus alunos sobre os problemas existentes nas ruas da cidade e auxiliá-los na prevenção de problemas. Polícia Militar. O comandante da 5ª Companhia da Polícia Militar, capitão Cristiano Gama, discorda do que falam da polícia. “É muito fácil culpar a polícia quando não se completa o ciclo da Justiça. Prendemos mais de 500 pessoas só por furto em dois anos. Elas chegam à delegacia e são soltas pela Justiça. Isso é que é ruim. Tem gente que já foi presa mais de uma vez”, disse, destacando também as mais de 50 armas de fogo apreendidas. O Capitão Gama refere-se ao fato de mui-

CAPITÃO Gama: “É fácil culpar a Polícia”

JULIO Mattos: “O Estado nos abandonou”.

RIVALDO Luz: Fiança, agora, é direito do réu

tos indivíduos estarem cometendo um ato ilícito considerado de baixa periculosidade e não cumprirem nem uma semana de prisão. “A Polícia Militar prende, a polícia civil faz o flagrante e a Justiça solta. Se fechasse o círculo, isso não aconteceria”, disse. Sobre a falta de policiamento, o capitão Gama também não concorda com a reclamação de todos. “A polícia faz o que tem a obrigação de fazer. Prevenir e agir. Não é por falta de apare-lhamento. Se colocássemos um homem em cada esquina e prendessemos três vezes mais, a Justiça não daria conta. O indivíduo cai no crime porque sabe que vai ser solto em curto espaço de tempo cometendo estes pequenos delitos”, afirma. Sobre as mudanças no Código de Processo Penal, o capitão Gama diz que a possibilidade de pagar fiança só vai aumentar as chances dos presos por arrombamento voltarem às ruas. “Estas alterações permitem até que um comparsa pague a fiança do detido com dinheiro da própria pessoa que foi roubada”, disse. Em relação à onda de arrombamentos, Gama destaca que está ligada ao vício com drogas. Sobre as promessas feitas pelo secretário de segurança, Maurício Barroso, quando esteve aqui no início de maio, Gama afirma que não compete à sua companhia cobrar promessas da administração estadual. “Estado não cobra Estado. Isso é função da sociedade local”, disse.

assim como o vereador Ondumar Marabá, lembra que mais de 50% dos arrombamentos são cometidos por menores. Estes, acrescentou, chegam a cometer crimes graves, como um esfaqueamento feito em um assalto. “Tem o caso de um menor que foi preso, anda armado, tem alta periculosidade e foi solto pela Justiça. Foi preso de novo e solto outra vez. Tem até assassinato nas costas, mas é menor de idade. Este não tem recuperação. Trabalhar desta forma, prender para a Justiça soltar é desanimador”, disse. Rivaldo Luz deixou claro que suas críticas não se referem a uma determinada pessoa, mas ao sistema jurídico em geral, que permite que tais fatos ocorram. O delegado lembrou que Luís Eduardo é uma cidade cujo índice de criminalidade tem que ser analisado isoladamente. “É uma cidade em franco desenvolvimento, menor que Barreiras, por exemplo, mas com alto índice de crimes. Tenho colegas delegados em cidades com cerca

Julio Mattos lembrou da proposta do ConsegLem de reformar e aumentar a Delegacia da cidade. “Veio o secretário (de Segurança Pública, Maurício Barroso), que disse aceitar a proposta e ela não foi autorizada. Está parada na capital. O Governo nem tomou conhecimento. Enquanto isso, há delegados trabalhando em corredores, com a cela entupida de presos esperando julgamento”, disse. Julio Mattos esclareceu que parte da reforma já está sendo executada, mas não entende a demora da aprovação da ampliação da delegacia, cuja verba, na faixa de R$ 450 mil, é rateada entre os integrantes do Conseg-Lem.

``

Prendemos mais de 500 pessoas por furto em 2 anos. Elas são soltas pela Justiça

Polícia Civil. O delegado de Polícia Civil de Luís Eduardo Magalhães, Rivaldo Luz, entende que o problema na cidade não é um fato isolado. Praticamente, concorda com o capitão Cristiano Gama, de que a atuação do Judiciário não corresponde à atuação da polícia, que prende, mas não vê resultados satisfatórios na prisão dos acusados. “Não sei se estou errado, mas Luís Eduardo Magalhães nunca mandou um preso para Salvador”, disse, em alusão ao baixo índice de condenação registrado na comarca. Sobre as mudanças perpetuadas pelo novo Código de Processo Penal, Rivaldo Luz lembra que as alterações, como a arbitragem de fiança para liberação de quem comete crimes com penas inferiores a quatro anos engessa a ação da polícia. “Estão falando errado. Não é uma decisão minha, como delegado. Se alguém entra em uma casa, sem fazer uso de força, sem causar dano, para subtrair algo, eu tenho que arbitrar fiança sob pena de estar cometendo abuso de poder. É um direito do réu”, disse. Rivaldo Luz reconhece que há uma onda de arrombamentos e de roubos na cidade e promete novidades para os próximos dias, no que concerne às investigações e prisões. Mas,

CAPIT‹O GAMA

``

de 50 mil habitantes, onde há um inquérito por mês. Aqui, são mais de 40”, informou.

Conseg. O presidente do Conselho Comunitário de Apoio à Segurança de Luís Eduardo Magalhães (Conseg-Lem), o empresário Julio Mattos, faz uma proposta desafiadora para que a cidade tente reduzir a criminalidade. “Desafio os integrantes dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário da cidade a sentarem à mesa junto com os representantes do Conseg para chegarmos a um ponto comum para a redução da criminalidade na cidade. É uma reunião assim que está faltando, para unirmos forças e pararmos de sobrepor culpas neste ou naquele agente da vida civil”, disse. Julio Mattos disse que nenhum comerciante suporta mais pagar por algo que deveria ser fornecido gratuitamente pelo estado: segurança. “Todo o mês a sociedade civil gasta R$ 14 mil para manter a segurança na cidade. O Estado nos abandonou. Falta Governo na Bahia”, disse. Este dinheiro é fornecido por participantes do Conseg-Lem para manutenção de toda a estrutura da polícia local, incluindo desde a manutenção dos veículos até o pagamento de contas de luz, água ou outros serviços. “É como se fosse mais um tributo, mais um encargo a ser pago pelo morador de Luís Eduardo Magalhães para ter mais segurança. Isso é inadmissível”, disse Julio Mattos. Como exemplo de que tudo esbarra no problema de abandono do governo estadual,

Desenvolvimento. Julio Mattos também atribui os problemas de criminalidade na cidade ao desenvolvimento descontrolado da região. “Não há qualquer controle sobre quem entra e quem sai da cidade. Estamos à deriva. Completamente abandonados pelo governo do Estado”, disse. Sobre o policiamento, Julio Mattos fez uma conta interessante. “Temos 90 homens na PM. Você tem que dividir por quatro, porque são estes os turnos na cidade. Chegamos a 22,5 homens, que trabalham em pares. Ou seja, são 11 grupos de policiais para tomar conta de uma cidade que tem o crime em crescimento”. A participação de menores nos arrombamentos também preocupa Julio Mattos, mais um a reclamar da falta de coordenação entre os poderes da cidade. “A criminalidade entre os jovens menores de idade só vai diminuiu quando algum deles for parar em Salvador, em um reformatório. Enquanto o pai está dando um duro danado, trabalhando, o filho está fazendo besteira na rua”, disse. Mattos também cobra maior participação da sociedade nas decisões e lembra que as reuniões do Conseg-Lem acontecem todas as quintas-feiras, às 19 horas, no Hotel Paranoá. Para encerrar, Mattos disse, “de brincadeira”, que se o estado não tomar conta da segurança, qualquer dia desstes os cidadãos tomarão o poder. “Só pode se dizer dono quem toma conta”.

jaumat.const@hotmail.com

PROMOÇÃO PISO PORCELANATO COM 25% DESCONTO


6

CIDADE

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011 RAUL MARQUES

Polícias farão ação conjunta para combater criminalidade

Outra coisa que aborrece o capitão Gama é a forma como é tratado em Barreiras, cidade que tem mais de 400 policiais e número de ocorrências quase equivalente ao de Luís Eduardo. “O pessoal de Barreiras chega a fazer brincadeiras de mau gosto em relação ao fato de nossa corporação ser de Luís Eduardo, uma cidade considerada rica. Eles não têm a menor noção do que seja trabalhar com a estrutura que temos”, disse. O capitão Gama lembrou, mais um vez, que não adianta aumentar o número de homens, o de guarnições, o de armas, se não houver o desejo do Estado e da população de ajudar no combate à violência. “Todos têm que usar o 190 como a maior arma no combate à criminalidade”, disse.

RAUL MARQUES Da Oeste Comunicação Uma ação conjunta das polícias Militar, Civil e Cipe-Cerrado e a formação de uma comissão de integrantes do Judiciário e do Conselho Comunitário de Apoio à Segurança (ConsegLem) para ir a Salvador cobrar ações prometidas pelo Governo do Estado foram as duas propostas nascidas na reunião do Conseg-Lem, realizada na noite da última quinta-feira, 7, no Espaço Cristal, no Jardim Imperial. Entre as ações prometidas pelo secretário estadual de Segurança, Mauricio Barroso, quando esteve em Luís Eduardo, em 4 de maio passado, está a ampliação da delegacia, construída com dinheiro do município. O presidente do Conseg-Lem, Julio Mattos, convidou o juiz da Vara Criminal da cidade, Claudemir da Silva Pereira, e o promotor do Ministério Público, André Bandeira de Mello Queiroz, a irem até Salvador cobrar do governo uma ação efetiva no combate à criminalidade. Pela proposta de ação conjunta, as três polícias que atuam na cidade formariam um grupo de ação integrado, para atuar com maior austeridade, evitando blitz e policiamento em lugares comuns. Bastante cauteloso em suas declarações e ciente da situação delicada da cidade, o promotor André Bandeira fez um lembrete: “Não se faz segurança pública em processo judicial. Segurança pública se faz com ações da sociedade”, disse. O promotor fez questão de abrir as

Arrombamentos e assaltos não param LUCIANO DEMETRIUS Da Oeste Comunicação Em seis dias, de sábado, 2, a quinta-feira, 7 de julho, Luís Eduardo Magalhães teve oito arrombamentos registrados na delegacia de polícia, sendo sete deles de casos ocorridos entre 2 e 6 de julho e um referente ao dia 30 de junho. Em 69 dias, entre 30 de abril e 7 de julho, já foram registrados 91 casos de arrombamentos na Cidade. No sábado, 2, o proprietário de uma oficina mecânica, na avenida Paraíba, no Mimoso I, foi surpreendido ao chegar ao seu estabelecimento, por volta das 7h30, e encontrar arrombado um dos quartos para guardar ferramentas. Do local foram levados uma lixadeira, três baterias de clientes e R$ 113 em dinheiro. No mesmo dia, às 21h45, Wagner Messias Gois chegou às 21h45 à sua casa, na rua Bahia, no Mimoso II, e a encontrou arrombada pela janela lateral. Do local foram furtados perfumes, roupas, calçados, um par de óculos, duas caixas de som, jóias, um telefone sem fio, um ferro de passar roupas e uma câmera fotográfica digital. No domingo, 3, o funcionário público Nilvan Martins de Oliveira, 48 anos, chegou ao galpão da Prefeitura Municipal, situado na rua Enedino Alves da Paixão, no bairro Santa Cruz, por volta das 7h, e encontrou estourado o cadeado da porta. Ao entrar no depósito, ele

diminuiria a sensação de impunidade. Novo na cidade – com três semanas, apenas-, André Bandeira diz não entender porque a cidade tem três polícias atuantes – Civil, Militar e Cipe-Cerrado – e não consegue reduzir a criminalidade. O capitão Fernando Cardoso, da CipeCerrado, neste ponto, lembrou que sua companhia encolheu nestes oitos anos, enquanto o serviço aumentou. “Éramos 138 homens; hoje, somos 90. Mesmo sendo a CipeCerrado uma corporação criada para dar segurança à região do Oeste baiano, precisamos cobrar do Estado maior participação na segurança local”, disse. O capitão Cristiano Gama, comandante do 5° Batalhão da Polícia Militar, fez um aparte e lembrou das condições sub-humanas aos quais os seus homens estão submetidos em instalações precárias na cidade. “Se alguém quer descansar, tem que deitar no chão. Há poucos banheiros e o alojamento é precário”, disse.

Delegacia. O delegado de Polícia Civil, Rivaldo Luz, é outro que enfrenta condições precárias de instalações e de pessoal. Informou que envia de 30 a 40 inquéritos para a Justiça por semana, número equivalente ao de municípios maiores, tendo pouco pessoal para trabalhar e atendendo à população em um espaço reduzidíssimo. Ao final da reunião, foi anunciada pelo conselheiro Fernando Murata a doação de mais uma motocicleta à Polícia Militar. A PM e a Cipe-Cerrado prometeram aumentar o patrulhamento nas ruas, embora o capitão Cardoso tenha lembrado que “muita gente na cidade sente-se no direito de dirigir um carro sem carteira e sem documentação adequada só porque é conhecido. Segurança não se faz assim”, disse, destacando o constrangimento que muitos sentem ao serem abordados pela polícia, quando deveriam entender que isso é um sinal de que a segurança da cidade está sendo cuidada. Enquanto acontecia a reunião do ConsegLem, o capitão Gama e o juiz Claudemir Pereira receberam a notícia de um assalto a uma residência no Tropical Ville. A próxima reunião do Conseg-Lem será realizada no próximo dia 21, no salão de convenções do Hotel Paranoá.

figurou seqüestro relâmpago. O estudante Hugo Silva Carvalho foi assaltado por dois homens, às 20h30 de sexta-feira, 1º, em frente ao Colégio Constantino Catarino de Souza, no bairro Santa Cruz. Um dos ladrões estava armado com revólver e obrigou o rapaz a entregar seu aparelho celular. No domingo, 3, o filho do vereador Ondumar Borges, Ernanes Souza Borges, foi vítima de sequestro relâmpago juntamente com a sua namorada Luana Capelesso. Por volta das 21h55, Borges estacionou seu Siena Prata placa JLK 3091, em frente à sua casa, na rua São Francisco, no Mimoso II, e antes de abrir o portão foi abordado por dois homens armados. Os assaltantes tinham a cobertura de dois comparsas em um carro preto, que não foi identificado pelas vítimas. Os dois desconhecidos mandaram Borges retornar ao seu carro e levaram o casal até o setor industrial. Os dois foram abandonados no local e os ladrões levaram o veículo. Na terça-feira, 5, seis homens encapuzados, sendo três deles armados, invadiram a residência da cabeleireira Leunir Matana, 58 anos, na rua Glauber Rocha, no Jardim Paraíso, por volta das 23 horas. Leunir estava em casa com duas filhas e um genro. Quatro dos bandidos ficaram com a cabeleireira, uma das filhas e o genro na sala, enquanto outros reviravam a casa à procura de bens de valor. Uma das filhas de Leunir, que é deficiente visual e auditiva, ficou na cozinha. Os ladrões ficaram assustados com o barulho da sirene de uma viatura da Polícia Militar que passava pelo local e fugiram pela porta dos fundos, pulando o muro que dá acesso a um lote vazio. Foram levados aparelhos eletrônicos, jóias e perfumes. Na manhã de quinta-feira, 7, Lenice Rodrigues de Oliveira seguia para o trabalho quando foi surpreendida por dois jovens, entre

17 e 20 anos, em plena região central de Luís Eduardo Magalhães. Por volta das 8h, ela foi abordada pelos dois rapazes, na avenida São Francisco, cada um em uma bicicleta; um deles a ameaçou com arma de fogo de cano longo. Eles levaram uma bolsa com dois aparelhos de telefone celular e documentos de Lenice. No mesmo dia, por volta das 19h, dois homens em uma motocicleta preta assaltaram o Posto Paraíso, no Jardim Paraíso. Um deles foi diretamente à loja de conveniências. Ele aproveitou a distração da atendente de caixa e aplicou uma gravata nela. Com o revólver apontado contra a funcionária, exigiu que ela entregasse todo o dinheiro disponível. A atendente entregou o dinheiro e o assaltante retirou-se, sem que ação fosse percebida por clientes que estavam sentados a uma mesa do lado de fora da loja. Em pouco menos de quatro meses, este foi o terceiro assalto ao posto, todos eles praticados por bandidos em motocicleta. Na noite do mesmo dia, por volta das 22h, dois homens armados entraram na residência de Rafael Schotzemberger, no loteamento residencial Tropical Ville. O morador estava em casa com a família. Segundo Schotzemberger, os dois assaltantes aparentavam estar drogados; um deles chegou a efetuar um disparo no interior da casa, mas o tiro não acertou ninguém. Os bandidos roubaram um notebook, três celulares, um DVD, um anel de brilhante, um playstation-3 e uma mochila. Na fuga, os assaltantes esqueceram um revólver calibre 32 com dois cartuchos intactos e um deflagrado. A Polícia Militar foi acionada e os policiais que atenderam a ocorrência chegaram a tempo de avistar os assaltantes, que pularam a extensa cerca que divide o bairro Vereda Tropical do Tropical Ville e conseguiram escapar.

PROMOTOR André Bandeira e o capitão Fernando Cardoso: preocupação com a segurança portas do Ministério Público para todos os cidadãos de Luís Eduardo que tiverem uma reivindicação a fazer em relação a algum problema maior da cidade, como a questão da segurança pública. “Não sou promotor de ficar em gabinete trancado. Agir é fundamental”, disse.

Mais juízes. André Bandeira também defende, como o juiz Claudemir da Silva Pereira, a expansão das instalações do Judiciário na cidade, com a vinda de mais um promotor, mais juízes e um defensor público para equilibrar a atuação de todos os integrantes da cadeia de segurança da cidade. Alguns pontos importantes foram lembrados pelo promotor. Um deles foi a falta de uma Casa de Passagem, local para detenção de menores infratores, uma preocupação de todos os participantes da reunião do Conseg. A Casa de Passagem evitaria que os menores, por falta de local adequado, fossem soltos após cometerem uma ação criminosa, o que constatou que foram levadas uma roçadeira manual e duas enxadas. No mesmo dia, Francisco Mozini, morador da rua 13 de maio, no Jardim Paríso, encontrou a janela da frente de sua casa arrombada ao retornar de um passeio, por volta das 16h. Foram levados um notebook, um computador, uma câmera filmadora, uma pulseira, quatro anéis de ouro, dois brincos e documentos pessoais. Na segunda-feira, 4, a auxiliar de serviços gerais Adriana Santana de Jesus Silva, 29, chegou a sua casa na segunda-feira, 4, por volta das 16h30, na rua Dubaru, no Santa Cruz, e percebeu que a janela da frente estava arrombada. Do local foi levado um videogame. Na terça-feira, 5, Osvailton Pereira da Silva morador da rua Candeias, no Santa Cruz, chegou do trabalho às 16h e deparou-se com a porta dos fundos arrombada. Foram levadas roupas e um telefone celular. No mesmo dia, por volta das 21h, Gilvan de Araújo Lima, 32, chegou a sua residência na rua Caravelas, no bairro Santa Cruz, e constatou que sua casa havia sido arrombada pela porta dos fundos. Foram levados um DVD, uma bicicleta, uma prancha de cabelo e um jogo de panelas. Na quarta-feira, 6, a faxineira que presta serviços à Igreja Adventista do Sétimo Dia, na rua Manoel Novaes, no Mimoso II, encontrou a igreja arrombada por uma das portas laterais. oram levados um amplificador de 1500 watts, um aparelho de DVD, uma mesa de som de oito canais, dois microfones sem fio e outro com fio, dois alto-falantes e dois rolos de cabos de cinco metros cada.

Assaltos. Entre 1º e 7 de julho, seis casos foram registrados na Cidade. Dois deles a pedestres, dois a residências, um a posto de gasolina e outro a um casal que estava num carro e foi levado para outro local, o que con-


C I D A D E7

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

Preocupação com contratos ABAPA

Presidente da Abapa diz que desconfiança não deve comprometer total de vendas de algodão a futuro Anton Roos Assessor de Imprensa da Abapa A presidente da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Isabel da Cunha, acredita que o clima de desconfiança que tem rondado as relações entre os cotonicultores e a indústria têxtil brasileira não vá comprometer a totalidade dos contratos já firmados e com vencimento para o início da colheita. “Essas oscilações no mercado do algodão preocupam, e devemos ficar atentos quanto aos contratos que já foram firmados entre as partes”, disse a presidente, ressaltando que a Abapa está pronta para auxiliar o produtor associado. Na quarta-feira, 29, a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão e seus Derivados, representada pela Associação Brasileira dos Produtores de Algodão

( A b r a p a ) , Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), Associação Nacional dos Exportadores de Algodão (Anea) e Bolsa Brasileira de Mercadorias/Junta de Corretores ISABEL DA CUNHA (BBM) emitiu um comunicado em que reforça a importância de todos os elos da cadeia produtiva manterem o negócio acertado na assinatura do contrato.

o equivalente a 63% da produção de algodão. “De um total de aproximadamente 630 mil toneladas, já foram negociadas 400 mil, com um preço inferior a R$ 40 a arroba” esclarece Isabel. A contar pelos primeiros dias de colheita, a presidente acredita que a tendência é que o preço do algodão se mantenha próxima ou inferior à casa dos R$ 2,00 libra peso. Segundo dados da Câmara Setorial da Cadeira Produtiva do Algodão, na safra passada cerca de 70% da produção brasileira de algodão já haviam sido vendidos no mercado futuro antes mesmo de a colheita ter início.

Atualmente, a expectativa para a safra 2010/2011 é de uma produção de 1,9 milhão de toneladas de algodão, das quais pouco menos de metade (cerca de 500 mil ou 600 mil toneladas) ainda estão com os produtores. Todo o restante já foi vendido antecipadamente. Nesta sexta-feira, 8, os preços do algodão voltaram a cair. Fecharam a 175,97 centavos de reais por libra peso, segundo a Esalq, em queda de 2,43% no dia. Neste mês, acumula baixa de 8,22%. No ano, a queda chega a 39,49%.

Momento delicado. “Temos consciência que este é um momento delicado, que deve ser encarado com preocupação, mas sem precipitação”, disse Isabel. “Representamos hoje o segundo estado com maior produção de algodão do país, referência internacional de qualidade de fibra de algodão, sabemos de nossas responsabilidades e principalmente do nosso potencial neste mercado”, reforça. Para a safra deste ano os cotonicultores baianos negociaram, de maneira antecipada,

5.000 exemplares ADE

M E S

L A AN A

ID

ST

Oeste

AC

e o melhor conteúdo EM REV

I

Aqui, seu

anúncio vende mais A tiragem de Oeste Semanal pode ser conferida aos sábados, entre 7 e 8 horas da manhã, na Rua Jorge Amado, 1.327


8 AGRONEGÓCIO

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

Duas cultivares de algodão são lançadas em Luís Eduardo Da Redação, com informações de Edna Santos, da Embrapa Embrapa Algodão e a Fundação Bahia lançam duas cultivares de algodão, durante encontro técnico, neste sábado, 9, em Luís Eduardo Magalhães, no auditório da Fundação Bahia. As cultivares desenvolvidas pelas duas entidades são a BRS 335 e a BRS 336. A primeira se destaca pela alta produtividade, porte e ciclo médios; a segunda, pela qualidade da fibra. A BRS 335 é indicada para cultivo no Estado da Bahia e a BRS 336 para os biomas do Cerrado e Semiárido brasileiros. Segundo o pesquisador da Embrapa Algodão, Camilo de Lelis Morello, um dos responsáveis pela obtenção das cultivares, a BRS 335 possui ciclo e porte médios, com elevada produtividade de fibra e resistência à mancha angular – doença de grande importância econômica no país, pois não é controlada por produtos químicos; seu controle depende da utilização de sementes sadias e resistentes. “Além da boa produtividade, as características tecnológicas das fibras da BRS 335 estão de acordo com as exigências do mercado consumidor interno e externo”, afirmou Morello. A produtividade de algodão em

A

pluma é de aproximadamente 2.070 quilos por hectare e a colheita é prevista para de 150 a 170 dias após a emergência das plantas. A cultivar é recomendada para o Cerrado do Estado da Bahia. Já a principal característica da BRS 336 é a alta qualidade da fibra, cujo comprimento pode variar de 32 a 34 mm. Também se destaca a resistência (entre 31 a 34 gf/tex), outra característica exigida pela indústria têxtil. A produtividade de algodão em pluma é cerca de 1.530 quilos por hectare. A colheita é estimada para 170 a 180 dias após a emergência das plantas. As plantas são de porte médio a alto. A BRS 336 também é resistente à mancha angular e medianamente resistente à doença azul – uma virose do algodoeiro transmitida pelo pulgão, que pode causar muitos prejuízos à cultura. A cultivar é indicada para os estados da Bahia, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Maranhão, Piauí e Rondônia. Segundo Morello, a principal vantagem da BRS 336 é o fato dela ter fibra mais longa, de alta qualidade, sem apresentar os problemas das cultivares que produzem fios especiais, como suscetibilidade à mancha angular, além de ciclo tardio e porte muito alto, características que não se adequam ao sistema produtivo do Cerrado e à colheita mecanizada.

Manejo. “Em decorrência da suscetibilidade à ramulose e mediana suscetibilidade à doença azul, a BRS 335 deve ser cultivada em áreas sem histórico de ramulose e o manejo do pulgão, praga vetora da virose doença azul, deve ser em níveis entre 20% a 30% de presença de colônias. Já a BRS 336 não deve ser cultivada em áreas com elevada infestação de fusarium e nematóide das galhas”, orienta o pesquisador da Embrapa Algodão. Para ambas as cultivares, ele recomenda que o espaçamento entre as linhas seja de 76 a 90 cm e a densidade de 7 a 8 plantas por metro. A época de plantio da BRS 335 é de 1º a 30 de dezembro e da BRS 336 vai de 15 de novembro a 30 de dezembro, no Cerrado. As novas cultivares são apresentadas por Morello e Murilo Barros Pedrosa, da Fundação Bahia, às 8h40 deste sábado, em palestra na Fundação Bahia. Segue-se, das 10 às 10h30, a palestra “Manejo do solo para o controle do mofo branco na cultura algodoeira”, por Fernando Mendes Lama, da Embrapa Agropecuária Oeste, e Luiz Gonzaga Chitarra, da Embrapa Algodão. Das 11 às 11h30, palestra e mesa redonda sobre análise técnica da atual safra, a cargo da Agrolem Consultores de Algodão. FOTOS ABAPA

DESTRUIÇÃO de soqueiras em fazenda da região Oeste da Bahia

EXEMPLO de área onde as soqueiras foram destruídas corretamente

Manejo adequado na destruição de soqueiras e tigueras Da Assessoria de Imprensa da Abapa

no que se refere à legislação e aos métodos de manejo adequado da lavoura, para interromA Associação Baiana dos Produtores de per a proliferação do bicudo (Anthonomus Algodão (Abapa), através do Programa de grandis), praga com elevado potencial de Monitoramento e Controle do Bicudo, em destruição, do início ao final da cultura do parceria com a ADAB e empresas de consul- algodão, e que, por esta razão é motivo de toria agrícola, realiza neste sábado, 9, semi- preocupação constante para os produtores nário sobre o manejo adequado na destrui- das regiões Oeste e Sudoeste da Bahia. ção de soqueiras e tigueras de algodão. A orientação é que as soqueiras sejam elimiA ação visa orientar o produtor de algodão, nadas imediatamente após a colheita. Esta medida tem por objetivo evitar que o bicudo continue a se reproduzir e com isso mantenha um nível populacional capaz de provocar danos à lavoura de algodão no ano seguinte. “Se as soqueiras forem destruíEDSON TRESSINO das corretamente, você estará se prevenindo Av. Clériston Andrade, N° 1900 - Lot. Rio Grande contra a praga”, explica Barreiras - BA - CEP: 47801-250 - Caixa postal 220 José Lima Barros, coordenador do Programa Fone/fax: (77) 3611-3927 Cel: (77) 9971-2305 do Bicudo da Abapa. Email: tratomec.ltda@hotmail.com Segundo o coorde-

nador, o trabalho preventivo realizado junto aos produtores da região fez com que houvesse uma diminuição do nível de infestação do bicudo. “Na safra 2009/2010 com 60 a 70 dias após a emergência a cultura já apresentava ataque do bicudo. Na safra atual a infestação inicial passou para 110 a 130 dias após a emergência da cultura”, conta, lembrando que o trabalho preventivo de controle do bicudo e outras pragas do algodão, realizado pela Abapa com apoio do Fundeagro, nas regiões Oeste e Sudoeste da Bahia, é feito por uma equipe de técnicos agrícolas que realizam visitas sistemáticas a todas as áreas de algodão, algodoeiras, áreas de rotação e estradas da região. Neste monitoramento, os produtores recebem orientação sobre as melhores estratégias para o controle do bicudo, além de informações sobre prazos para plantio, destruição de soqueira, tigueras e transporte correto de algodão e carroço. Durante o seminário, além da apresentação do programa de monitoramento do bicudo, haverá espaço para debates sobre a legislação fitossanitária, a condução e manejo das lavouras, a destruição e manejo das soqueiras e tigueras.

Um dia nos campos de algodão RAUL MARQUES Da Oeste Comunicação HENRIQUE CABELO

Cerca de cem produtores e participantes da cadeia produtiva de algodão estiveram no sábado, 2, no 4º Cotton Tour da Círculo Verde, em Luís Eduardo Magalhães, perto da Bunge.Naocasião,profissionais técnicos de seis diferentes empresas mostraram o que NILTON FILHO está sendo pesquisado em termos de novidades tecnológicas para o setor, especialmente na área de biotecnologoia. As empresas dividiram-se em seis estandes, incluindo o da promotora do evento, a Círculo Verde, e apresentaram seus produtos em curtas palestras, de no máximo 20 minutos. Após cada palestra, o participante era encaminhado ao estande de outra empresa expositora. Em cada estande, acessado por caminhos entre diferentes plantações de algodão, eram oferecidos folhetos ilustrativos e dadas explicações detalhadas de cada produto.

Basf. Entre as empresas participantes, a Basf The Chemical Company apresentou o defensivo agrícola Opera Ultra, indicado para diversos tipos de lavouras, entre as quais a de algodão. A proposta do defensivo é ser uma opção para o controle de fungos, sem apresentar caráter fitotóxico às culturas. No estande do Instituto Mato-grossense do Algodão (IMA-MT), a estrela foi a linha de defensivos Liberty, entre os quais destaca-se o IMACD 6001 LL. O produto, segundo o técnico, apesar de apresentar restrições aos nematóides, gera excelentes resultados em áreas com problemas de plantas daninhas resistentes. Resistência aos nematóides e à ramularia dos algodoeiros foi a principal característica apresentada no estande da Syngenta , na exposição sobre o FMT 705 e FMT 707. Segundo material fornecido pela empresa, o cultivo destas variedades possibilita reduzir o número de aplicações de fungicidas. A preocupação dos produtores em aumentar a média de produção de arroba de pluma por hectare também foi destacada na palestra do pessoal da Syngenta. Eventos. O representante técnico de vendas da Monsanto, Nilton Souza Filho, disse que eventos deste tipo atraem cada vez mais participantes, interessados em obter o maior volume possível de informações sobre os lançamentos de produtos e sua biotecnologia. “É a solução mais econômica e inteligente para alavancar a produção”, disse. No estande da Círculo Verde, os palestrantes Pedro Brugnera e Cleiton Barbosa apresentaram os resultados de Pesquisa no Algodão, com dados comparativos, inclusive, dos efeitos de cada defensivo sobre o plantio e suas consequências sobre cada tipo de semente. A Bayer Crop Science apresentou o polêmico Liberty Link, algodão transgênico, que, segundo os técnicos, chegou para revolucionar o controle de plantas daninhas, na obtenção de uma fibra de mais qualidade. De acordo com os técnicos da empresa, o algodão LibertyLink permite o uso seletivo de herbicida à base de glufosinato de amônio para o controle de plantas daninhas, que compromete a qualidade de pluma e a produtividade da lavoura por competir com a planta de algodão por espaço, luz, água e nutrientes.


C I D A D E9

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

ACONTECEU

Prefeito consegue R$ 693 mil em verbas DA REDAÇ‹O O prefeito Humberto Santa Cruz obteve, em Brasília, na quarta-feira, 6, e quinta-feira, 7, a liberação de R$ 693 mil junto a dois ministérios. R$ 408 mil vêm do Ministério da Justiça para a Guarda Municipal adquirir dois veículos, duas motos, equipamentos e instalação de data show, capacitação de componentes da corporação, além da preparação de cem jovens para o mercado de trabalho. Do Ministério da Integração Nacional foram liberados R$ 208 mil para cobertura de área de 600 metros quadrados do

Mercado Municipal do Jardim das Acácias, que hoje funciona a céu aberto. “Fomos em busca de novos recursos para os projetos de Luís Eduardo Magalhães”, disse Santa Cruz. Em sua estada em Brasília, o prefeito Humberto Santa Cruz participou, na quartafeira, da comemoração do aniversário do ministro das Cidades, Mário Negromonte, juntamente com o deputado estadual Mário Negromonte Júnior, o deputado federal e secretário da Casa Civil da Prefeitura de Salvador, João Leão, e o secretário da Agricultura da Bahia, Eduardo Salles.

Equipamentos para a UPA Em aproximadamente 45 dias os equipamentos da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) deverão estar em Luís Eduardo Magalhães, segundo informou o prefeito Humberto Santa Cruz, durante a IV Conferência Municipal de Saúde, na sextafeira, 8. Os recursos são da ordem de R$ 450 mil. O prédio da UPA foi concluído recentemente e custou R$ 1,35 milhão.

O prefeito anunciou também a obtenção de recursos junto ao Governo do Estado para a construção de mais duas salas de cirurgia no centro de saúde Gileno de Sá. Santa Cruz disse que a Prefeitura investe em saúde 25% do orçamento, e que de março, quando começaram, até agora, já foram realizadas quase 300 cirurgias eletivas no Gileno de Sá, com recursos do Município.

EM PROL DA IGREJA DE S‹O FRANCISCO

HENRIQUE CABELO

Cerca de 800 pessoas par ticiparam, neste sábado, 2, da festa julina da comunidade da Igreja São Francisco, na praça onde está sendo construída a igreja católica do Jardim Paraíso. A festa foi animada com a apresentação da banda Moleque Travesso e do conjunto folclórico Grupo Jovem, do bairro Conquista. Barracas ser viram quitutes e bebidas a preço único: R$ 2,50. A arrecadação da festa foi rever tida para a obra da igreja.

AS CIGANAS DA CIDADE

No abrigo de ônibus da Praça da Matriz, há três cartazes afixados. Um deles é o próprio aviso da Prefeitura: “Proibido colar cartazes. Sujeito a multa”. O aviso já está descolando. O segundo, que também está descolando, é um cartaz institucional da Prefeitura, que não devia colar cartazes onde é proibido. O terceiro cartaz informa o horário dos ônibus.

Aniversário e arraial no Assentamento Rio de Ondas Nestes sábado, 9, e domingo, 10, a partir das 20h, 15º aniversário e arraial do assentamento Rio de Ondas. Na Praça 12 de Julho, na Vila 2. Apresentação das bandas Forró nu Talo e Baião de 2 (sábado) e Fuzuê (domingo). No dia 9, Corrida de Argolinhas com prêmio de R$ 600 aos três primeiros colocados. No dia 10, Torneio de Futebol com prêmio de R$ 1.500 aos quatro melhores classificados.

Intensivão premia dançarinos O projeto Intensivão das Danças acontece nestes sábados, 9 e domingo, 10, comandado pelo professor Wscicleiton de Castro. No sábado, na Academia Bella Forma, no Jardim Paraíso, cursos teóricos e práticos de ritmos baianos e brasileiros, com o professor Zé Carlos Paim, de Salvador. No domingo, a partir das 17h30, na Praça Sérgio Alvim Mota, acontece o Domingão Dançante, com apresentação de grupos de dança e de kangoo jumps. No encerramento, haverá premiação de R$ 1 mil até R$ 3 mil aos melhores dançarinos.

Posse no Rotary Club Neste sábado, 9, será empossada a nova diretoria do Rotary Club de Luís Eduardo Magalhães para o ano Rotário 2011/2012, tendo como presidente Vanda Marli Besen Sulzbach. A partir das 20h, no Olavo Nascimento Bistrot, na rua Burle Marx, 161, no Jardim Paraíso.

Aquecimento para Pro Beer Neste domingo, 10, haverá o Aquecimento Pro Beer 2011 no Estação G. Show com a banda Tomaki. Show de abertura com a Banda Ki Tal Aí. O Estação G fica na avenida Ayrton Senna em frente à praça, quadra 19, lote 17. Informações pelo telefone 3628-0054.

Inscrições para o Senai HENRIQUE CABELO

Elas ficam rodando pelas ruas de Luís Eduardo Magalhães todas as manhãs, de segunda a sextafeira. Devem descansar nos finais de semana. São as ciganas, que sempre abordam pessoas, a pretexto de lerem a sorte estampada nas mãos. Elas não gostam de fotos. Reclamam da vida e sempre pedem uma colaboração para sobreviverem. São assíduas frequentadores das imediações da agência do Bradesco, no horário em que a fila está maior.

FAÇA O QUE EU DIGO, N‹O FAÇA O QUE EU FAÇO

AGENDA

Está aberto o processo seletivo para os cursos gratuitos de qualificação para almoxarife e auxiliar de refrigeração, promovidos pelo Senai de Luís Eduardo Magalhães. As inscrições para Almoxarife vão até 10 de julho e, para Auxiliar de Refrigeração, até 30 de julho. As inscrições são limitadas e podem ser feitas pelo site

www.cursosgratuitossenai.fieb.org.br.

Palestra motivacional “Motivando todos para a excelência pessoal, profissional e empresarial” é o tema da palestra do empresário Alfredo Rocha, no dia 18, às 19h30, no Centro de Eventos Quatro Estações. Mais informações pelo telefone 9978-8817.

E MAIS: ● Festa julina na escola Ottomar Schwengber, no sábado, 9, a partir das 18h. Rua Pernambuco, Centro. ● Festa julina na Escola Municipal São Francisco, na vila Buriti, neste sábado, 9, a partir das 19h. Haverá ônibus gratuito com saída em frente ao Mercado Municipal do Santa Cruz e com paradas na rua São Francisco (em frente à farmácia Vida Farma), colégio Ottomar, posto de saúde do Jardim das Acácias e mercado Jardim das Oliveiras. Retorno do ônibus às 2h de domingo, 10. ● Pré-congresso anual da Congregação da ADLEM (Assembleia de Deus) Florais Léa. A partir das 18h. No sábado, 9, e domingo, 10. Informações pelos telefones 3628-1988 e 8122-2895. ● No dia 12, a Unopar realiza o vestibular virtual para cursos superiores de tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Gestão Ambiental, Gestão de Recursos Humanos, Gestão Hospitalar e Processos Gerenciais. A seleção englobará também os cursos de Administração, Ciências contábeis, História, Letras, Pedagogia e Serviço Social. ● Na quinta-feira, 14, às 13h30, encontro do gupo Unido dos Gerais, no Centro de Eventos Nossa Senhora Aparecida, na Cidade Universitária. ● No dia 15, às 20h, 1ª Noite Gaúcha do Restaurante Cupim Mania. Na rua Clériston Andrade, em frente à maternidade. ● De sexta-feira, 15, a domingo, 17, pré-congresso do Grupo de Senhoras da ADLEM – Congregação Novo Paraná. A partir das 18h30. ● Dia 16, Balada Feminina no Huba Strike, a partir das 22h30. ● Haverá apresentação da Elletra Vocal Live e dos DJs Kaline e Bruna Vieira. Até as 23h30 as mulheres poderão tomar champanhe gratuitamente. ● Dia 23, noEstação G, show do cantor sertanejo Cristiano Araújo. ● Também no dia 23, Arraial da revista Orange, na chácara Neiva Sehn, em Luís Eduardo Magalhães.

Informações para esta seção: oestesemanal@diariodooeste.com.br

EDITAL DE CONVOCAÇÃO HENRIQUE CABELO

A Diretoria da União dos Municípios do Oeste da Bahia - UMOB convoca seus associados, na forma do artigo 18, e do artigo 24, ambos do Estatuto em vigor, para a Assembléia Geral Extraordinária que promovera deliberação sobre o valor da contribuição mensal e o que ocorrer, com data agendada para o dia 11/07/2011, às 9:00 horas, no auditório do Banco do Nordeste no Município de Barreiras, Estado da Bahia. Barreiras, 07 de Julho de 2011. Manoel Afonso Araújo Presidente da UMOB Prefeito de Formosa do Rio Preto


10

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

SEBASTIÃO NERY Adeus a Itamar

Senador AGÊNCIA BRASIL

JUIZ DE FORA – Ele sempre foi Forrest Gump. Mesmo quando fazia errado, dava certo. Mineiro de Juiz de Fora, mas nasceu em Salvador, na Bahia, em 28 de junho de 1931, chegando de navio. Chamava-se Itamar Augusto Cautieiro Franco, não se sabe se “pedra (ita) no mar” ou “navio (ita) no mar”. Pela estrela, devia ser navio. Pedra afunda. Presidente do Diretório Acadêmico da Escola de Engenharia de Juiz de Fora, comandava seis votos (dois da Engenharia, dois da Enfermagem, dois da Assistência ITAMAR FRANCO Social) e era um sufoco arrancar a decisão dele antes de cada eleição da nossa UEE, União Estadual dos Estudantes (eleição indireta, dois votos por Faculdade). Até nos prendia. Em 1953, Peralva Miranda Delgado, líder na Faculdade de Direito de Juiz de Fora, vereador do PTB eleito pelos comunistas (depois vice-reitor da Universidade Gama Filho, no Rio), iria com Itamar pegar-me na estação para discutirmos a eleição da UEE. Peralva não foi, nem Itamar. Desci sozinho e um investigador de Belo Horizonte, que estava no trem e me conhecia do “Jornal do Povo”, do Partido Comunista, levou-me para o xadrez. Cadeia siberiana. Um frio de lascar, a noite inteira sentado em um banquinho. Até que Peralva e Itamar me descobriram no dia seguinte. Mas Itamar não falhava conosco. Votava sempre com a esquerda.

Prefeito Em 1954, 23 anos, antes da formatura, candidato a vereador pelo PTB, perdeu. Em 58, candidato a vice-prefeito, sempre pelo PTB, perdeu novamente. Veio o golpe de 1964 e cassou o PTB inteiro de Juiz de Fora, a começar por Clodismith Riani, presidente Nacional da CGT. Menos Itamar. Era amigo do governador Magalhães Pinto, que o protegeu. O comando da UDN de Juiz de Fora era de

Pedro Aleixo. Através de José Aparecido, amigo de Itamar, Magalhães fazia política em Juiz de Fora aliado ao PTB, que o apoiou contra Tancredo Neves em 60. Em 1966, fundador do MDB, era o único petebista importante de Juiz de Fora não cassado. Disputou a prefeitura e ganhou com 75% dos votos. Em 1972, voltou à prefeitura. Em 74, Tancredo, o candidato natural, não acreditou na eleição para senador. Matando os assessores de angústia, Itamar deixou a prefeitura no derradeiro minuto. Saiu para ganhar.

Candidato da ARENA, José Augusto, expresidente da Assembléia, instituição do PSD, desafiado por Itamar para um debate, não aceitou. Esperou Itamar viajar para o interior, pôs uma cadeira vazia no programa da ARENA na televisão e dizia que o estava esperando para o debate. Itamar voltou sem dizer nada, entrou no estúdio (os programas eram ao vivo), sentou na cadeira e desafiou: “Cadê o Zé Augusto? Chamou e correu”. O velho jantava em um restaurante próximo, pegou um porrete, foi para a televisão e entrou no estúdio para quebrar Itamar. Os câmeras não deixaram. Minas inteira viu, foi um escândalo. Itamar ganhou.

Collor Presidente da Comissão de Corrupção do governo Sarney no Senado, em 89, Itamar pensava em ser vice de Brizola. Disse-me que ele ia ganhar. Hélio Garcia, governador, também queria ser vice de Brizola. Brizola sabia e nunca ligou para nenhum dos dois. Dizia que mineiro iria conspirar contra ele. A paranóia de Brizola achava que ele era Getúlio e ganharia sozinho. Itamar foi vice de Collor. Apesar do empenho dos amigos Hélio Costa, Renan Calheiros, eu e outros, só decidiu mesmo numa quase madrugada, no gabinete do Ministério da Cultura, depois de horas de discussão com José Aparecido, que o convenceu assim (vi e ouvi): - Se você se eleger vice de Brizola, não muda nada na política de Minas. Brizola não entra em Minas. E, se perder, fica mal. Mas

se você se eleger vice de Collor, você comanda Minas. E, se perder, não perde nada. A entrada de Itamar no PRN e o registro da candidatura no cartório de Juiz de Fora, no último minuto, foi uma operação de desespero.

A estrela Dias depois, Itamar foi pela primeira vez a Minas com Fernando Collor, para um debate na Federação das Indústrias. Quando descemos no aeroporto da Pampulha, estava lá, aflito, o jornalista Odin Andrade, querido companheiro de velhos tempos da imprensa mineira: - Nery, o Collor não pode cometer a loucura de ter o Itamar como vice. O Itamar tem uma estrela maior do que a do nascimento de Jesus Cristo. Se ele for o vice, Collor não acaba o mandato e ele vai ser o presidente. Diz ao Collor para tirar o Itamar e pôr outro. Ele é um raio. Na volta para Brasília (Itamar ficou em Belo Horizonte), contei a conversa a Collor. Deu uma gargalhada. Riu da verdade. E deu no que deu.

„A Nuvem‰ Em 2 de dezembro, fui lançar “A Nuvem” em Brasília. Itamar ligou : - Nery, não vou poder ir ao lançamento de seu livro. Estou indo a Juiz de Fora. É uma pena. Nossa geração mineira de 1930 (ele de 31, eu de 32), de Zé de Castro a Zé Aparecido, está indo embora. Sucesso e se cuide. Domingo, aqui em Juiz de Fora,vi mais uma vez quanto Minas o queria.

Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras será reestruturado

Conferência sobre Defesa Agropecuária é lançada na Bahia

RAUL MARQUES Da Oeste Comunicação

Difundir o conceito de defesa agropecuária, divulgar seu caráter estratégico e promover a integração do conhecimento, unindo as áreas científica, social e de produção. Esses são objetivos da III Conferência Nacional sobre Defesa Agropecuária lançada na terça-feira, 5, no auditório da Secretaria da Agricultura (Seagri), no Centro Administrativo da Bahia. O evento será realizado em Salvador, no período de 23 a 27 de abril de 2012, com o tema “Responsabilidade Compartilhada”. O secretário da Agricultura do Estado, Eduardo Salles, disse que nos próximos dez anos a necessidade de alimentos no mundo deverá crescer cerca de 20%, e nesse contexto o Brasil terá que aumentar em 40% a produção de grãos. De acordo com o secretário, o Brasil é celeiro do mundo. “Defesa agropecuária é estratégica para a Bahia, para o Brasil e para o mundo”, afirmou.

Reestruturar o Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras (SPRB). Este é o principal objetivo da nova diretoria do sindicato, que tomou posse na quinta-feira, 7, no estande da entidade, durante a 29ª Exposição Agropecuária de Barreiras. O novo presidente, Antonio Balbino de Carvalho Neto, entende que a representação legal dos produtores rurais é muito importante para fortalecer a categoria, especialmente nas questões técnicas. “A diretoria que tomou posse é toda formada por profissionais que atuam no ramo. É técnica e vai se dedicar ao máximo a este projeto de reestruturação do sindicato”, disseBalbino, que já está fazendo um levantamento das principais demandas do setor. Uma destas demandas está relacionada diretamente aos cursos profissionalizantes oferecidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar). “Seria muito

interessante mudar o perfil destes cursos para que não sejam somente sociais. Queremos cursos mais modernos, mais voltados para a profissionalização da mão-deobra que atua na região”. Sobre as dificuldades dos produtores para adequar a atividade rural às exigências ambientais, Balbino Neto disse que este é um dos maiores entraves para o crescimento da produção. “Não temos um plano traçado, ainda, mas vamos prestar todo o auxílio e socorro ao associado que tiver problemas para executar dentro de legislação seu plantio, sua cultura. Temos que unir forças e lutar pelo crescimento de região”, disse.

Sinais de aquecimento. Otimista, mas cauteloso quanto à expansão do agronegócio na safra 2011/2012, Antônio Balbino Neto lembra que há sinais de aquecimento no mercado. “A maior demanda por adubo e calcário significa que deve haver expansão da produção ou crescimento da área de plantio. Mas muita

coisa pode acontecer para que façamos projeções muito otimistas para a próxima safra”. A posse da nova diretoria do sindicato contou com as presenças do secretário de Agricultura do Estado da Bahia, Eduardo Salles, e do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), João Martins da Silva Junior, entre outras autoridades. Os integrantes da nova diretoria empossada, além de Antonio Balbino de Carvalho Neto, são: diretor vice presidente, Moisés Almeida Schmidt; diretor primeiro secretário, Hermes Domingos Leite Simões; diretor segundo secretário, Carlos Cesar Fernandes Borges; primeiro tesoureiro, Ildo João Rambo; e segundo Tesoureiro, Luiz Simião do Amaral Loureiro. No Conbselho Fiscal, foram empossados os diretores Hélio Hopp, Valter Gatto e Wagner Barbosa Pamplona. São suplentes Francisco das Chagas Queiroga Pordeus, João José de Santana, e Ricardo Simões Barata.

DA REDAÇ‹O


Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

ESPORTES

Portelinha e Juventus na final do Seletivo

Os campeões da XI Olimpíada Intercolegial

DA REDAÇ‹O

DA REDAÇ‹O

Portelinha e Juventus estão na final do Seletivo Amador 2011 a ser realizada no domingo, 17, às 15h30, no Campo da Bunge. No sábado, 16, haverá a disputa do terceiro lugar entre Vento em Popa e União. Portelinha e Juventus chegaram à final após eliminarem Vento em Popa e União, respectivamente. O Portelinha foi a primeira equipe a garantir seu lugar na decisão ao surpreender o favorito Vento em Popa, na disputa por pênaltis, por 5 a 3, no sábado, 2, após empate por 1 a 1 no tempo normal. Já o Juventus não teve dificuldades para confirmar presença na decisão ao golear o União, no domingo, 3, por 4 a 0. Os dois jogos foram realizados no Campo da Bunge.

as 12 modalidades disputadas na primeira fase da XI Oilem (Olimpíadas Intercolegiais de Luís Eduardo Magalhães), entre 14 de junho e 3 de julho, oito delas (basquete, capoeira, ginástica rítmica acrobática, handebol, jiu-jitsu, judô, natação e vôlei) já têm seu campeão geral. Outras quatro modalidades (atletismo, futsal, tênis de mesa e xadrez) têm sua classificação parcial, uma vez que a segunda fase será disputada a partir de 22 de agosto. O Colégio Mimoso do Oeste (CMO) conquistou o primeiro lugar no vôlei e na natação e tem a chance de aumentar seu número de conquistas, pois lidera no tênis de mesa e no xadrez. Outras duas escolas foram campeãs em duas modalidades: a Monteiro Lobato foi melhor no handebol e no judô e a Municipal José Cardoso teve melhor pontuação na classificação geral em ginástica rítmica acrobática e no jiu-jitsu. Depois aparecem Cemo (basquete) e Cezer Pelissari (capoeira). As escolas São Paulo e Ottomar Schwengber lideram parcialmente no atletismo e no futsal, respectivamente. Na soma dos esportes coletivos, nas categorias A (para atletas nascidos entre 1994 e 1996) e B (nascidos entre 1997 e 1999), masculino e feminino, a

Portelinha. A classificação do Portelinha, como sempre na competição, aconteceu com dificuldades. No tempo normal, Maurício, aos 19 minutos de jogo, deixou o Portelinha em vantagem ao cobrar com perfeição uma falta próxima da meia-lua da grande área. A bola foi sem muita força no canto direito do gol de Rangel. Ainda no primeiro tempo, aos 28 minutos, Viola empatou para o Vento em Popa. Ele recebeu cruzamento de Ninho e chutou de fora da área. A bola desviou na zaga e enganou o goleiro Caio. As duas equipes mantiveram equilíbrio nas oportunidades desperdiçadas. Cada lado chutou uma vez contra o travessão do adversário, ainda no primeiro tempo. No segundo tempo, os atacantes Pança (Portelinha) e Radinho (Vento em Popa) desperdiçaram as melhores oportunidades para seus times. Na disputa por pênaltis, Maurício, Ernandes, Ademilson, Niltinho e Galego converteram todas as cobranças a favor do Portelinha. Pelo Juventus, Erivelton, Perigo e Patrício marcaram, enquanto Ninho desperdiçou ao ter sua cobrança defendida por Caio. Juventus. Foram precisos apenas 45 minutos para o Juventus garantir sua vaga na decisão do Seletivo Amador. No domingo, 3, a vitória por 4 a 0 diante do União já era desenhada com três gols na primeira etapa. Logo aos sete minutos, Tenório cruzou da esquerda para a área. Buiu subiu e não alcançou a bola, mas Natanael estava na sobra para cabecear e deixar o Juventus na frente do placar. Pouco antes do intervalo, aos 38 minutos, Tenório participou desta vez deixando a sua marca. Ele recebeu já próximo da pequena área, fugiu da marcação e tocou na saída do goleiro John. A bola espirrou em um adversário, mas o árbitro Glauter Figueiredo confirmou o gol para Tenório. Aos 42 minutos, pênalti a favor do Juventus, após Buiu ter sido derrubado na área. Natanael cobrou no canto esquerdo do goleiro, que pulou no lado certo, mas não alcançou a bola. No segundo tempo, restou ao Juventus administrar o resultado e aguardar o União, que se lançou ao ataque e deixou a defesa desguarnecida. As investidas do União não ameaçaram a defensiva do Juventus. Aos 28 minutos, o gol que fechou a goleada. Natanael, que marcou seu terceiro gol no jogo, chutou cruzado da direita e a bola ainda tocou na trave antes de ir ao fundo das redes de Asafe, que havia entrado no lugar de Caio.

D

Escola Monteiro Lobato venceu em quatro delas: no handebol (feminino-A e B) e no vôlei (feminino-B e masculino-B). A escola Ottomar Schwenber foi campeã geral no futebol society (masculino-A) e é líder do futsal (feminino-B e masculino-A e B). O Colégio Constantino ficou em primeiro lugar no vôlei de praia (feminino-A e masculino-A) e é o melhor, parcialmente, no futsal (feminino-A). Nos esportes individuais, a Escola Municipal José Cardoso foi campeã geral em duas modalidades: ginástica rítmica acrobática e jiu-jitsu. O CMO foi melhor na natação; a Monteiro Lobato, no judô; e a Cezer Pelissari, na capoeira. Por enquanto, a escola São Paulo está na frente no atletismo. Curiosidades. No vôlei de areia, as equipes masculina e feminina, categoria A, do Colégio Constantino, e a masculina categoria B, da Escola Municipal Ângelo Bosa nem precisaram jogar para tornaram-se campeãs. Seu adversário, a Escola Monteiro Lobato, inscrita nas três categorias, não compareceu para jogar. Na ginástica rítmica acrobática, três escolas terminaram com a mesma pontuação e foi necessário usar a nota final dos jurados para o desempate. A Escola José Cardoso ficou em primeiro, com nota 97,5; depois aparecem Escola Ivo Hering (93,0) e Escola Monteiro Lobato (92,25). LUCIANO DEMETRIUS

11

OILEM CLASSIFICAÇÃO FINAL BASQUETE PONTOS 1º CEMO 13 2º Monteiro Lobato 9 3º CMO 7 4º CEMAC 5 5º Ângelo Bosa 4 CAPOEIRA 1º Cezer Pelisari 13 2º APAE 9 3º Vânia Aparecida 7 GINÁSTICA RÍTMICA ACROBÁTICA 1º José Cardoso (nota 97,5)13 2º Ivo Hering (nota 93,0)13 3º Monteiro Lobato (92,25)13 4º Ottomar Schwengber 9 5º Amélio Gatto 7 Handebol 1º Monteiro Lobato 26 2º São Paulo 22 3º CEMO 9 4º Ottomar Schwengber 9 5º Cezer Pelissari 7 JIU-JITSU 1º José Cardoso 39 2º Onero Costa 39 3º Ângelo Bosa 29 4º Ottomar Schwengber 13 5º Monteiro Lobato 13 JUDÔ 1º Monteiro Lobato 126 2º Espaço Livre 92 3º CMO 81 4º José Cardoso 22 5º CEMO 13 6º Pequeninos 9 NATAÇÃO 1º CMO 272 2º Monteiro Lobato 106 3º Espaço Livre 40 4º José Cardoso 35 5º CEMAC 29 6º Mundo da Escrita 5 VÔLEI 1º CMO 44 2º Monteiro Lobato 42 3º José Cardoso 16 4º CEMAC 16 5º CEMO 10 6º Constantino 8 7º Ângelo Bosa 8 8º Henrique de Freitas 4

RESULTADOS PARCIAIS

EQUIPE feminina de vôlei do CMO, campeã da categoria A; a CMO conquistou o titulo geral da modalidade

ATLETISMO 1º São Paulo 2º Monteiro Lobato 3º Onero Costa 4º Ottomar 5º APAE 6º Cezer Pelissari 7º IvoHering 8º Henrique de Freitas 9º Mundo da Escrita 10º Angelo Bosa 11º Aldori Tolazzi 12º José Cardoso 13º Amélio Gatto 14º Amabílio Vieira 15º Fabio Johner 16º São Francisco 17º CEMO FUTSAL 1º Ottomar 2º José Cardoso 3º Constantino 4º Angelo Bosa 5º Cezer Pelissari 6º São Paulo 7º Fábio Johner 8º CEMO 9º Aldori Tolazzi 10º Onero Costa 11º Monteiro Lobato 12º Ivo Hering 13º CMO 14º CEMAC 15º Henrique de Freitas 16º São Francisco TÊNIS DE MESA 1º CMO 2º Monteiro Lobato 3º São Paulo 4º CEMO 5º CEMAC XADREZ 1º CMO 2º São Paulo 3º CEMO 4º Monteiro Lobato 5º CEMAC 6º José Cardoso 7º Angelo Bosa 8º Onero Costa 9º Cezer Pelissari 10º Colégio Constantino

133 98 90 66 61 60 56 55 31 22 20 20 20 20 17 17 14 46 22 15 15 14 11 9 8 7 7 6 3 3 2 2 1 74 54 18 12 2 62 34 28 17 10 9 8 4 3 1


12

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

SOCIEDADE TIZZIANA OLIVEIRA tizzianaoliveira@diariodooeste.com.br

Sob pétalas de rosas

Casamento II Cristiane Porto de Oliveira e João Malaquias Franca Neto casam-se neste sábado, 9. A cerimônia religiosa acontece no Hotel Solar Rio de Pedras, às 19h. Os noivos recepcionam amigos e familiares no mesmo local.

PING-PONG MARGARETH FERNANDES Empresária

Curtindo o frio O casal Rute e Sidnei Muller e seus filhos, Arthur Muller, de 6 anos, e Betina Muller, de 9 meses, e o casal de amigos Andréa e Marcio Bortolotto viajaram quinta-feira, 7. Eles foram curtir o frio de Carazinho (RS) e irão aproveitar para batizar a pequena Betina. Eles retornam a Luís Eduardo em 10 dias.

Baile do Chopp ALINE BRASSANINI E DIEGO LAUCK

Neste sábado, 9, a partir das 22h, acontecerá o tradicional grande Baile do Chopp no Centro de Eventos Nossa Senhora Aparecida. A banda Musical Universom animará o evento.

iego Lauck, gerente do Hotel Saint Louis, e Aline Brassanini, médica, ficaram noivos no domingo, 3. O noivado aconteceu na chácara da família, onde reuniram-se parentes e amigos. A noiva recebeu uma homenagem especial do romântico noivo na hora do pedido: um avião jogou pétalas de rosas sobre o lugar.

Móveis rústicos

D

Princesa Laura ● Leticia Dela Líbera, advogada, e Mauro Souza, engenheiro agrônomo, recém chegados de Eunápolis, comemoraram na sextafeira, 1º, o aniversário de sua filha Laura. A avó Ozanir, veio de Eunápolis especialmente para comemorar a festa da neta. Laura completou 3 anos e o tema da sua festa foi “Princesas”. ● Outros aniversariantes: Rodrigo Ferreira de Souza, na terça-feira, 5; Dayane Holnik, na segunda, 4; Suzana Schwengber Espinoza, neste domingo, 10; e Lara Novaes, nesta segunda, 11.

curso nacional reunindo os 27 estados do país. A família da Miss ajudou-a e ofereceu total apoio. Débora conseguiu a quinta colocação.

Os empresários Alex Machado e Minaura Barbosa inauguraram recentemente a loja Casa Itália Decor, que traz móveis egípcios, italianos e rústicos. Do

Casamento I Os noivos Vanessa Gomes e Dayvison Tiago Caires Rodrigues casam-se na sextafeira, 16. A cerimônia religiosa será realizada na Igreja Nossa Senhora Aparecida, às 17h30. Eles receberão os amigos e familiares no Espaço Quatro Estações para os cumprimentos e celebrarão o grande dia com muita festa e alegria.

MAURO Souza, Laura e Leticia Dela Líbera

Por que Luís Eduardo Magalhães? Uma cidade progresso. Saudade: Meu irmão.  Sonho: Um mundo sem drogas.  Inspiração: Tendências de moda.  Profissão: Minha paixão. Filhos: Meus Tesouros.  Livro: Mergulhando no Espírito (Eber Rodrigues).  Lugar: Minha casa.  Viagem inesquecível: Costa do Sauípe.   Medo: Pessoas invejosas.  Comida: Frango caipira goiano.  Pessoa: Minha mãe e meu marido.  Arrependimento: Não ter me formado em moda.  Não Vive Sem: Jesus.  Tecnologia: Essencial. Futuro: Cumprir os planos de Deus.

clássico ao contemporâneo, a loja cria ambientes aconchegantes e peças com valores atrativos e competitivos. A loja está situada na Rua Castro Alves, próxima à Embasa. 

Miss Brasil Top 2011

A chegada de Edgar

No sábado, 25, foi realizado o Miss Brasil Top Model 2011 na cidade de Camboriú (SC). O estado da Bahia foi representado pela modelo Débora Berkenbrock, de Luís Eduardo Magalhães. Com muita determinação e confiança, ela realizou o sonho de participar de um con-

Carla Bravin e Hugo Fabiano Alves Souza esperam a chegada de Edgar Bravin Souza. Radiante, grávida de nove meses de gestação, ela espera a chegada do primeiro herdeiro. Ela contou detalhes da gravidez falando da expectativa de ver o rostinho de Edgar. Carla fez um ensaio de fotos com a fotógrafa Kika. A avó Suely está ansiosa com a chegada do primeiro neto.

ROBERTA Bilhar Ferreira, Rodrigo Filho e Rodrigo Ferreira de Souza.

CARLA BRAVIN

EM FOCO. Tatiana Freitas, fisioterapeuta e maquiadora, posa para ensaio fotográfico, no Studio Z.


E S P O R T E S 13

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

FOTOS DE HENRIQUE CABELO

Barra a um empate do título DA REDAÇ‹O Basta não perder o jogo de volta para Paratinga neste domingo, 10, para a seleção de Barra tornar-se campeã do Intermunicipal de Seleções do Oeste. No jogo marcado para o estádio Waldemiro Cruz, em Paratinga, às 17h, Barra leva a vantagem por ter vencido o confronto de ida, por 1 a 0, e precisar apenas de um empate para levar o título. No domingo, 3, jogando diante de sua torcida no estádio Antônio Carlos Magalhães, em Barra, a equipe da casa venceu com gol de Fafá, aos 26 minutos do segundo tempo. Para reverter a vantagem do adversário, Paratinga precisa vencer por um gol de diferença e provocar a disputa do título na cobrança de pênaltis. Caso vença por dois gols de vantagem ou mais, Paratinga conquista o campeonato. Barra já está garantida no Campeonato Intermunicipal de Futebol Amador 2011, Paratinga, que também teria direito à vaga, desistiu de participar alegando problemas financeiros. As outras três representantes da região Oeste na competição são Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e São Desidério.

NO AUTOCROSS, Diogo Freitas venceu nas duas baterias

ANDRÉ Veiga liderou de ponta a ponta nas duas baterias do Kartcross

TIAGO Laufer e André Veiga, o campeão na categoria kartcross

DIOGO Freitas recebe a premiação pela vitória no autocross

Campeões de velocidade Diogo Freitas (autocross) e André Veiga (kartcross) vencem a II Etapa da Copa Regional LUCIANO DEMETRIUS Da Oeste Comunicação

Teles (38); Kenni Henke (32); Ademir Aruela (18); Getúlio Fraga (16); e Guga (zero).

s pilotos Diogo Freitas, pela categoria tubular (autocross), e André Veiga, na mini tubular (kartcross) venceram as duas etapas de suas respectivas categorias da II Etapa do Campeonato Regional de Velocidade em Terra, disputado no domingo, 3, no autódromo Júnior Poletto, em Luís Eduardo Magalhães. Na pista, a categoria que abriu e fechou o dia de provas foi a tubular (autocross). Na primeira bateria, Diogo Freitas chegou em primeiro lugar, seguido de Romeu Franciosi e Ricardo Neves. Em quarto ficou Juliano Teles, seguido por Ricardo Basso, Kenni Henke e Getúlio Fraga. Conforme o regulamento, na segunda bateria os carros largam de maneira inversa à ordem de chegada em relação à primeira prova. Assim, o sétimo colocado (Getúlio Fraga) saiu na frente, seguido por Kenni Henke até chegar ao campeão da prova anterior, Diogo Freitas, que largou em último. Na segunda bateria, nova vitória de Diogo Freitas, que recuperou posições nas primeiras voltas e manteve-se à frente até o final da corrida. Desta vez, o segundo lugar ficou para Ricardo Neves e em terceiro Ricardo Basso, piloto que teve a maior evolução, ganhando duas posições em relação à bateria anterior. Em quarto chegou Romeu Franciosi, em quinto Kenni Henke e, em sexto, Getúlio Fraga. O piloto Juliano Teles precisou abandonar a segunda bateria na última volta, a poucos metros da linha de chegada, por problemas no motor de seu carro. Na classificação geral Diogo Freitas soma 83 pontos; Ricardo Basso (68); Romeu Franciosi (58); Ricardo Neves (57); Juliano

Kartcross. Quem venceu as duas baterias da mini-tubular foi André Veiga. Na primeira bateria, ele liderou de ponta a ponta, sempre seguido por Júnior Gauchinho, que fez o segundo melhor tempo nos treinos e manteve sua posição na prova. Em terceiro chegou Francisco Júnior (que havia largado em quarto). Em seguida cruzaram a linha de chegada Victor Closs, que surpreendeu após largar em último, Augusto Montani, Sidnei Mueller e Oniro “Retalhado”. Na segunda bateria, André Veiga largou em último por causa da inversão de posições prevista no regulamento. Mesmo assim, na segunda volta ele já liderava e não abandonou o primeiro lugar até o final da prova. Júnior Gauchinho também manteve sua colocação, mas precisou de sete das 12 voltas para se recuperar. Oniro “Retalhado” foi o destaque desta bateria ao conquistar quatro posições em relação à primeira parte da etapa, chegando em terceiro lugar. Depois chegaram Augusto Montani, Sidnei Mueller e Francisco Júnior. Victor Closs nem chegou a correr pela segunda bateria, pois seu carro apresentou problemas quando já se preparava para largar. A classificação geral do kartcross foi a seguinte: André Veiga, com 50 pontos; Júnior Gauchinho (36); Augusto Montani (22), Francisco Júnior (21) e Oniro “Retalhado” (21); Sidnei Mueller (18) e Victor Closs (12).

O

Mecânicos premiados. Além dos pilotos melhores colocados nas duas baterias, em cada uma das categorias, a organização da II Etapa do Campeonato Regional de

Velocidade em Terra também premiou os mecânicos que se destacaram. No autocross, o melhor foi Antelmo Poletto. No kartcross, o destaque foi Alisson Cleriston França de Moura. Fora das pistas, a descontração do público e a criatividade de alguns espectadores despertavam a atenção de quem foi acompanhar as provas. A arquibancada quase vazia não significava ausência de público. Carros, caminhonetes e até um caminhão, estacionados no alambrado à beira da pista serviram de “camarote” para alguns torcedores. O motorista Marcos Rogério Marques, de Porecatu (PR), estava com sua esposa assistindo à primeira bateria das duas categorias diretamente da cabine de seu veículo. “Cheguei à cidade no sábado para carregar, mas a carga não foi liberada. O serviço foi transferido para segunda-feira e aproveitei para curtir o domingo aqui no autódromo”, disse. A técnica em enfermagem Silvana dos Santos, mulher de Marques, disse que para o casal a experiência é divertida. “Temos nosso próprio camarote aqui de cima da cabine”, disse. Um grupo de jovens fez da carroceria de uma caminhonete uma pista improvisada de dança. Entre uma bateria e outra, o som do veículo era ligado em hits sertanejos (que contrastavam com o som pesado das músicas de rock do sistema de som da empresa contratada pela organização do evento). Um dos jovens que se agitava em cima do carro, disse: “Aqui ninguém liga, na verdade, para o tipo de música. É só para descontrair enquanto a outra prova não começa”. Uma estudante que também estava na caminhonete disse que estava ali mais para se divertir do que para acompanhar as corridas. “Gosto de ver os carrinhos de kart passarem. Já os grandes (autocross) são divertidos porque levantam muita poeira”, disse.


14

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

GENTE JOVEM RAFAEL DIAS rafaeldias@diariodooeste.com.br

recesso, os pilotos voltaram esse ano e animaram o fim de semana dos aficionados por automobilismo de Luís Eduardo. Nas etapas que ocorrem na cidade, o púbico é sempre bom. No último domingo, 3, não foi diferente. Nas arquibancadas, havia muita gente bonita e animada, como Luís Henrique e Maria Carolina Raffler, Icaro Novais, João Marcelo, Ailton de Paula, Guilherme Poyer, Verinha Stresser e Anny Barreto. Eles também estive-ram no local no dia de treinamentos (sábado, 2).

Goiânia NO SHOW COVER DOS ROLLING STONES, Joana Cunha, Thalita Figueiredo, Carolina Hoppe e Maria Luisa Montechiezi ...

Caio Oliveira e Caio Stipanich estiveram em Goiânia no último fim de semana. Só para descontrair, saindo da rotina da cidade, e badalar em lugar diferente.

O ressurgimento do rock

Novidade

a quinta-feira, 7, houve mais uma noite de rock´n roll em Luís Eduardo. O king´s Pub recebeu cerca de 300 admiradores do estilo musical. A banda Rolling Stones Cover, do Distrito Federal, veio para tocar músicas da banda de Mick Jagger, mas com a animação do público acabou tocando também sucessos de outras bandas, entre elas Black Sabbath, Deep Purple e Creedence Clearwater Revival. A cena do rock´n roll vai voltando aos poucos à cidade, e bandas vão ressurgindo. Noites como essa vão se tornando mais frequentes e os roqueiros da cidade aproveitam. A cidade respira rock, mas o ar ainda não é suficiente para todos os fãs do estilo. 

N

● Comemoraram mais um ano de vida Patricia Bentran e Beth Maciel, no King´s Pub. Patrícia comemorou na sexta-feira, 1, e Beth na terça, 5. Ambas reuniram amigos, tornando a comemoração digna da data. ● Também aniversariaram: na segundafeira, 4, Layene Peres; na terça-feira, 5, Beth Maciel, Karla Saunders e Marcelo Favaro Garcia Junior; na quarta, 6, Ida Barcelos; na quinta, 7, Camila Oliveira e Jaime Taniguti; na sexta, 8, Silvani Campos. Neste sábado, 9, é a vez de Andrio Souza; no domingo, 10, Alécio Dias, Paula Junqueira Ferraz e Walmor Stresser.

Revoada

Vestibular ... JEFERSON Resende e Stephanie Rosin

... FELIPE Breunig e Mônica Luiza

Domingueira Vip

família dela foi Búzios, no Rio de Janeiro. A viagem tem todos os itens para ser perfeita.

Época de férias não é somente para relaxar. Pelo menos para Greico Henrique, que está em Maringá, onde irá prestar vestibular para a UEM. Boa sorte a todos que têm esse duro processo pela frente.

Autocross

Acabando

A tradição do Autocross em Luís Eduardo é grande. Desde os tempos em que a pista era localizada na Chácara do Alcides e não contava com a estrutura da nova pista, localizada na saída para Barreiras. Depois de uns anos em

Os amantes dos festejos juninos estão ficando tristes. As últimas festas juninas da cidade estão ocorrendo. Na última sexta, 1, ocorreu o Arraiá do Cemac. A banda Farol de Fusca fez o povo dançar bastante. Houve

ELIZETE Lopes Santos, Luana Santos e Vilson Diogenes Santos

ROGÉRIO Brandão e Vitória Rossi

Férias I Isabela Castelo Branco e Vitória Sopran passam férias tranquilas. As duas estão em Fortaleza, curtindo uma boa praia e fazendo muita festa. Elas partiram no último final de semana e ainda não têm data prevista para a volta.

Férias II Quem também está curtindo férias é Isadora Martel. O destino escolhido pela

Mais um ano

No último sábado, 2, Lincon Junior, sócioproprietário da Spresso Coffe, organizou a Spresso Acústico. Duda Barbosa, que tocou vários estilos, animou o público presente. Na ocasião, também foi lançado o novo cardápio, com maior variedade de petiscos e drinks, além de novas promoções. 

A revoada continua. Jovens de Luís Eduardo, que estudam em outras cidades, começam a retornar à cidade para passar as férias. De Mato Grosso, chega Thaynara Oliveira, universitária da UFMT. De Brasília, Luiza Cechelle, universitária da Unb. De Goiânia, Loran e Rhuanna Tondato, universitários da PUC-GO.

A Domingueira Vip é cada vez mais tradição em Luís Eduardo. Intercalando domingos, a domingueira reúne cada vez mais gente bonita e descontraída no King’s Pub. Organizada por Rogério Honório, a última edição da domingueira aconteceu no domingo, 3. Sempre animado pela banda Muleke Travesso, essa domingueira reuniu o público mais cedo, devido ao jogo da seleção brasileira pela Copa América. Após o jogo, a banda soltou o som e levou a festa até altas horas.

apresentações de quadrilhas, entre elas a “Virou, Mexeu”, vencedora do Festival de Quadrilhas de Luís Eduardo. Com música e gente bonita, o arraiá foi um sucesso.  

SILVANI CAMPOS

BETH MACIEL

15 anos Luana Santos completou 15 anos em grande estilo, com uma festa bem organizada e muitos amigos e parentes animados. Os pais, Elizete Ines Lopes Santos e Vilson Diogenes Santos, ficaram muito emocionados. A festança ocorreu no espaço Cristal, na sexta-feira, 2. 

SWU Na terça-feira, 28, a organização do SWU (Start with you) anunciou alguns detalhes e bandas do festival de música que ocorrerá no mês de outubro. A princípio, os shows anunciados são: Megadeth, Snoop Dogg, Damian Marley, Black Eyed Peas e Peter Gabriel. Neil Young será a principal atração do Fórum de Palestras, mas ainda não teve um possível show confirmado. Até o dia do evento serão anunciadas mais 65 atrações. A Área do SWU 2011 será quatro vezes maior que a da edição do ano passado. A área do camping único terá capacidade para 10 mil pessoas. O evento não será mais em Itú como no ano anterior. O local escolhido para este ano é Arena Brasil 500, situada na cidade de Paulínia, estado de São Paulo. A Arena está situada a 120 Km de São Paulo, 18 km de Campinas e 36 km do aeroporto de Viracopos. Outras bandas especuladas para o festival são: Alice in Chains, Pearl Jam, Radiohead, Soundgarden, Bob Dylan, Marilyn Manson e  Arctic Monkeys. Os ingressos serão disponibilizados ao público a partir da segunda-feira, 11.


15

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011

L I N H A S D E ATA Q U E LUCIANO DEMETRIUS lucianodemetrius@diariodooeste.com.br

HENRIQUE CABELO

BATE-BOLA LUCIANO DEMETRIUS

A SAVEIRO e o Passat são preparados para a segunda etapa do campeonato de arrancadas

Arrancadão está de volta ma semana após as competições de velocidade em terra (com as baterias de autocross e kartcross), a prova de arrancada toma espaço na agenda de Luís Eduardo Magalhães. Neste sábado, 9, e no domingo, 10, será realizada a II Etapa do Campeonato Regional de Arrancadas. A pista é a extensão da avenida Kichiro Murata, no Jardim Imperial, local também da primeira etapa, disputada em 15 de maio. Nesta segunda edição a novidade é a inclusão da categoria Original, com os carros de rua. As outras sete categorias são as disputadas anteriormente: Dianteira Super (DS), Traseira Super (TS), Força Livre Dianteira (FLD), Força Livre Traseira (FLT), Standard Light Traseira (STL), Standard Light Dianteira (STD), Super Tração Traseira (STT). Segundo a organização do evento, em torno de 30 pilotos vão colocar as máquinas para acelerar nesta etapa do campeonato. Estão confirmados competidores da região Oeste, de Brasília e Goiânia. “A cada edição conseguimos atrair pilotos de outros locais, o que reforça a importância do evento e também chama a atenção do público”, afirma Walmor Stresser, um dos responsáveis pelas provas de velocidade e arrancada em Luís Eduardo. Os treinos livres ocorrem neste sábado, 9, das 14h às 16h. O treino classificatório e a competição, neste domingo, 10, entre 9h e 18h.

U

Rebate

... ouve o que não quer!

Diante da queixa de uma integrante da comissão de arbitragem da XI Oilem, de que equipes de algumas escolas não entraram em quadra na competição por não apresentar a devida documentação, o professor Pietro Duarte (comissão organizadora da Olimpíada) rebate: “Algumas equipes não compareceram porque estavam sem o número mínimo de atletas para disputar os jogos. Ninguém deixou de jogar por falhas na documentação”.

Fabiano dos Santos não perdeu a piada: “Tudo bem, você (Galego) é muito bom, tanto é que está na seleção. Vocês não ganham o jogo e ainda vêm culpar a arbitragem?”. Na disputa por pênaltis, Portelinha venceu e as lamentações se transformaram em euforia.

Nota vermelha Independentemente do motivo, perder por WO (por não comparecer para jogar) é o mesmo que o aluno ser reprovado por se ausentar no dia de prova.

Quem diz o que quer... Ao final do jogo entre Portelinha e Vento em Popa, o zagueiro Galego (Portelinha) foi até a mesa de arbitragem e disparou contra o auxiliar Fabiano dos Santos:“Você (Fabiano) marcou oito faltas para o lado de lá (Vento em Popa), mas não viu nenhuma a nosso favor. Isso é uma vergonha”.

Chega de pênaltis!

A professora Francielly Silva chegou a Luís Eduardo Magalhães vinda de Toledo (PR), em 2009, movida pelo convite para coordenar um projeto ligado à natação. O programa não vingou à época, mas ela não deixou de lado as atividades aquáticas. Deu aulas de natação e hidroginástica em academias e particulares. “Sempre estive ligada com atividades aquáticas. Meu propósito desde que me formei foi o de focar na natação”, diz. Em 2010, a ideia do projeto foi retomada, mas foi colocada em prática somente em março de 2011, com o Semeando o Futuro. Em junho, nova pausa: o contrato com o clube em cuja piscina eram realizadas as aulas foi rescindido. A expectativa é que no retorno às aulas, no segundo semestre, as atividades sejam retomadas, agora numa academia. Apesar do pouco tempo, Francielly contabiliza como positivo o resultado da modalidade no projeto. “Não teve um dia que não tivemos uma nova inscrição. Era tanta procura que foi preciso criar uma lista de espera”. Natação sempre foi o seu foco? Desde quando fiz meu primeiro estágio no curso de Educação Física. Ali eu percebi que seria professora, mas de natação e não da disciplina de educação física em escolas. Fiz deste esporte o meu objetivo, de ensinar a nadar, de treinar aqueles que gostariam de aprender e também competir. A prática da natação no Semeando o Futuro é recente. Qual a avaliação que pode ser feita, mesmo que num curto período? Sou suspeita para falar, mas os números comprovam meu otimismo. Tivemos 400 pessoas inscritas, sendo em torno de 300 alunos das redes pública e particular. Os outros 100 eram os adultos que participavam tanto da natação como da hidromassagem. Não teve um dia sem uma nova inscrição. Era tanta procura que foi preciso criar uma lista de espera. Qual era o perfil dos alunos que participavam da natação? Por que eles optavam pela modalidade? A maioria deles sequer conhecia uma piscina. Aqueles que já haviam nadado, fora apenas em rios da região. Para eles, só o fato de estar na piscina já era o máximo. Eles tinham alguma referência do esporte? Sim, pelo que eles acompanhavam com-

petições pela televisão e eu aproveitava para ensinar conforme o conhecimento deles. Quando alguém nadava de qualquer jeito, eu perguntava se alguém havia visto o César Ciello (nadador FRANCIELLY SILVA brasileiro medalha de ouro e de bronze nos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008) nadando com a cabeça para fora d’água (risos). Você aproxima o aluno do esporte com o conhecimento que ele tem sobre o assunto. Em meio a estas aulas, você já estabeleceu um plano para montar uma equipe? Pretendo treinar os que têm mais habilidade e selecioná-los para uma equipe de treinamento para disputar campeonatos. A previsão é de que haja uma equipe local já para 2012. A natação carece de espaços em Luís Eduardo Magalhães. Como difundir o esporte sem piscinas públicas? Primeiramente, é com o próprio Semeando o Futuro, onde o aluno que não tem acesso ao esporte pode praticá-lo. Depois, sim, vem a continuidade desse processo, que é a disponibilidade de espaços, não pode faltar a piscina. Falta piscina pública na Cidade, eu já fiz esse pedido várias vezes. E precisa ser uma piscina com as condições mínimas para a prática da natação. A falta de um local específico compromete tanto a evolução do trabalho como da intenção de se montar uma equipe, certo? Não pode faltar a piscina, porque aquele empenho inicial vai perdendo o valor. No próprio projeto, uma vez por semana não era o suficiente para haver evolução notória do aluno. E o que você tem a dizer sobre a natação aos que ainda não se iniciaram nela? É um esporte que trabalha todo o corpo, ao mesmo tempo. Como certa vez disse o filósofo grego Platão, ‘“todo homem culto deve saber ler, escrever e nadar”. O esporte que traz segurança.

“Agora é pensar novamente na seleção

BRASILEIRÃO 2011 SÉRIE B 10ª RODADA 5/7 TERÇA-FEIRA Criciúma 2 x 0 Goiás Duque de Caxias 2 x 3 Grêmio Barueri 8/7 – SEXTA-FEIRA *Portuguesa x Salgueiro *Vila Nova-GO x São Caetano *Vitória x Bragantino 9/7 – SÁBADO 21h ASA x Paraná Clube 21h Sport x Ponte Preta 21h Icasa x Náutico 21h Americana x Boa 9/7 – SÁBADO 11h Guarani x ABC *Não encerrado até o fechamento desta edição

(de Luís Eduardo), no Intermunicipal Baiano. Mas sem disputa de pênaltis, por favor!”, disse, em tom de brincadeira, o atacante Patrício, do Vento em Popa. Faz sen-

tido: Em menos de um mês, ele foi eliminado com a seleção diante de Barreiras e com o Vento em Popa frente ao Portelinha, ambas na cobrança de penalidades.

BRASILEIRÃO 2011 SÉRIE A - 9ª RODADA - 9/7 18h30 18h30 21h

Vasco SãoPaulo Atlético-PR

16h 16h 16h 16h 16h 18h30 18h30

Grêmio Figueirense Atlético-GO Bahia Fluminense Palmeiras Atlético-MG

x Internacional x Cruzeiro x Avaí 9ª RODADA -DOMINGO – 10/7 x Coritiba x Ceará x Corinthians x Botafogo x Flamengo x Santos x América-MG

São Januário Morumbi Arena da Baixada Olímpico Monumental Orlando Scarpelli Serra Dourada Pituaçu Engenhão Pacaembu Arena do Jacaré


16

Oeste Semanal ❒ Luís Eduardo Magalhães, 9 a 15 de julho de 2011


Oeste Semanal Edição 18