Page 1

Rui Vieira Nery demitiu-se da presidência do Conselho Científico do Cante a Património da Humanidade, o que deixou a Câmara de Serpa, principal promotora da candidatura, mais arreliada do que quando se acabam as imperiais no “Lebrinha”. Contudo, a Comissão de Candidatura do Cante recusa-se a baixar os braços e já foi em busca de um novo presidente na Loja Social de Beja: “Estamos fartos de gastar dinheiro que não temos com a candidatura… Isto assim leva-nos à bancarrota! Que moenga! O que nós queremos é apenas um musicólogo a baixo custo e de preferência em segunda mão, que é para não ter manias de grandeza. A única condição obrigatória é que use papillon...”.

31 Diário do Alentejo 2 março 2012

rui nery demissÃo de a candidatur comissÃo de ar nta arranj e t e t n a c o d ente novo presid ial de beja na loja soc

facebook.com/naoconfirmonemdesminto

Advogado de mulher presa com estupefacientes afirma que a detenção da sua cliente é ilegal pois não eram “bolotas de haxixe” mas sim “boletas de haxixe”

Estudo que revela que o Alentejo está menos barulhento vence prémio “Duh, que novidade!” da revista “Cotonete do Novo Milénio” Um estudo recente revelou que os níveis de ruído no Alentejo estão mais baixos, mas, segundo apurámos, ainda está por descobrir o porquê de tal fenómeno: é por o pessoal estar surdo ou por ter abalado daqui? Falámos com um dos orientadores do projeto, que nos confidenciou em tom exultante após saber que tinha ganho o conceituado prémio “Duh, que novidade!” da revista “Cotonete do Novo Milénio”: “Os resultados do estudo não podiam ser melhores… A qualidade de vida no Alentejo está sempre a subir: o vinho está cada vez melhor, o queijo tem mais qualidade, a paparoca é de comer e chorar por mais, e agora isto… Há muito menos pessoas a queixarem-se do ruído. É verdade que o barulho provocado pelos automóveis baixou drasticamente desde que os combustíveis estão tão caros que sai mais barato abastecer os carros com plutónio, mas o grande ganho está nos idosos, que são menos afetados pelo ruído porque ouvem cada vez pior… Muitos têm a capacidade auditiva de um calhau da Mina de São Domingos ou, na melhor das hipóteses, de um portão num monte”.

Problemas de liquidez na Câmara de Beja atrasam pagamento dos prémios da 17.ª Galeria Aberta e de um prémio de poesia ganho por D. Dinis A Câmara Municipal de Beja ainda não pagou o prémio de 1 600 euros ao vencedor da 17.ª Galeria Aberta. Pulido Valente já afirmou que resolverá esta questão em breve. Contudo, uma investigação conjunta Não confirmo, nem desminto/Antena 2/Júlio Dinis descobriu que não se trata de um caso isolado, já que a autarquia também não terá pago um prémio de poesia ganho por D. Dinis. Consta que D. Dinis estaria envolvido num escândalo relacionado com o seu curso de técnicas trovadorescas, o qual foi concluído num domingo, na Universidade de Salamanca, pondo em causa a credibilidade do galardão. O prémio seria um banho de imersão com água fervida e um feitiço que permitiria chegar aos 25 anos, contrariando a esperança média de vida situada nos 21.

Em bom alentejano: “carraspana” ou “camada”? A Não confirmo, nem desminto inaugura u m seg mento que pretende ajud a r os seus leitores a expressar-se corretamente “Em bom alentejano”. O objetivo é evitar desentendimentos e mostrar a riqueza deste dialeto. Analisemos, então, o primeiro caso. O que dizer quando vemos um bêbado? Que “está com uma carraspana” ou “está com uma camada”. Os dois termos, geralmente, são sinónimos de bebedeira, de alguém que se encontra sob o efeito de bebidas espirituosas, como o vinho ou o café de cevada. “Carraspana” é um termo dúbio, já que também pode significar “gripe”, e, nessa medida, pode considerar-se uma bebedeira de segunda. Já “camada” é um termo claro e objetivo, o que lhe confere outra dimensão – é o equivalente a uma bebedeira fina. Outra possibilidade para se referir a alguém que está num estado ébrio, é dizer que essa pessoa está com “um pau nas ventas”. Contudo, esta expressão só se utiliza em zonas do Alentejo equatorial e para nos referirmos a pessoas de quem não gostamos ou que, quando bebem, ficam mais chatas do que um arrumador a ressacar. Assim nos expressamos “Em bom alentejano”.

O Tribunal de Beja mandou prender, por suspeita de tráfico de droga, uma mulher de 56 anos que teria no seu organismo bolotas de haxixe. Todavia, o advogado da alegada traficante declarou que vai pedir a libertação imediata da sua cliente, já que ela teria, não bolotas de haxixe, mas sim “boletas de haxixe”, produto tipicamente alentejano e que goza de legalidade jurídica, como nos explicou: “Há sobreiros em Barrancos que só produzem boletas de haxixe e ninguém vai lá apreender a árvore. Portanto, não faz sentido fazerem isto à minha cliente. É um produto inofensivo e típico da região. Quem come aquilo fica com alucinações que envolvem ninjas a cantar Whitney Houston, mas tirando isso está tudo bem, como se pode comprovar no estudo académico “As implicações do haxixe no canal retal e restante organismo”. As 125 “boletas de haxixe” expulsas do corpo da suspeita estão expostas na PSP de Beja, numa mesinha, em degradé, da mais pequena para a maior, e já bateu o recorde do Guiness de maior quantidade de droga transportada num corpo, ultrapassando o homem que foi apanhado em Alcácer do Sal com 78 pinhas de cocaína.

Inquérito Vai participar no casting de modelos para o catálogo “Mértola está na moda”? FRANCELINA OUTONO/INVERNO, 44 ANOS Mulher que acha que o lilás é o novo preto

OFÉLIA PRIMAVERA/VERÃO, 125 ANOS Vencedora do concurso miss t-shirt molhada de 5 de Outubro de 1910

FULGÊNCIO PASSERELLE, 26 ANOS Modelo com o sex-appeal de uma caixa de parafusos

Estou a fazer todos os esforços. Comecei a vomitar depois de todas as refeições para caber no vestido de noiva com que me casei. Já perdi três quilos em dois dias. Agora, só peso 135 quilos. Ninguém fica mais sexy do que eu debaixo do Pulo do Lobo, só com um negligé cor de laranja fluorescente. Sim, vê-se tudo, mas o que é bom é para se ver. Mulher quer-se com chicha e não como aquelas magricelas que para espirrar têm que se agarrar a um poste.

Já mandei fotos em biquíni, mas parece que um dos membros do júri até desmaiou de emoção. Olhem que, apesar da idade, estou tão bem conservada como a Betty Grafestein com a vantagem de estar viva. Eu podia ter tido uma grande carreira no mundo da moda. Não me aceitam por ter mais de 65 anos. Não tenho culpa de ter estado presente no momento em que se usou a primeira máquina fotográfica em Mértola. Tomara muitas pindéricas de 95 anos terem as curvas que eu ainda conservo.

Não só vou participar, como vou fazer parte do catálogo. Se Deus quiser será a rampa de lançamento para voos mais altos. O meu sonho é fazer parte do catálogo da “La Redoute” ou, se Deus quiser, da “D-Mail”: tenho o carisma ideal para vender produtos como uma “pinça para saquetas de chá” ou um “galheteiro em spray”. Já dizia a minha tia em “ambas as três vezes” que fiz a quarta classe: “Fulgêncio, tu ‘nascestes’ para a moda!”

Ediçao Nº 1558  

Diario do Alentejo

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you