Page 1

F Francisco Orelha à beira O dde passar o testemunho pág. 6

Leonel e André: Matemática é com eles

Este VALE

€1,20

pág. 12

Veja como na página 25

na Postos BP Beja

SEXTA-FEIRA, 15 MARÇO 2013 | Diretor: Paulo Barriga Ano LXXXI, N.o 1612 (II Série) | Preço: € 0,90

Câmara já adjudicou obras mas aguarda verbas do IHRU

Bairros sociais de Beja a precisar de requalificação urgente JOSÉ SERRANO

págs. 16/17

Museu dos Sabores vai nascer em Mértola pág. 9

Pomarão: de olhos postos no Guadiana

Igrejas com novas funções em Moura e Ferreira do Alentejo pág. 10

EDIA com condições legais para gerir rede de rega pág. 11

Volta ao Alentejo em Bicicleta na estrada a partir de quarta-feira pág. 20

Embora não mostre o fulgor de outros tempos, o rio Guadiana continua a ter um papel preponderante na vida da população da pequena aldeia de Pomarão, na freguesia de Santana de Cambas. É no rio que alguns habitantes ainda encontram parte do seu sustento. É pelo rio que chegam alguns dos turistas que durante todo o ano vão dando “movimento” à aldeia. págs. 4/5 PUB


Diário do Alentejo 15 março 2013

02

Editorial Água

Vice-versa “Não vai haver privatização da água. A gestão da água continuará a ser pública. O Estado continuará a ser detentor deste domínio” e a “exploração deste negócio” será “essencialmente municipal”. “Eventualmente” poderão “entrar privados” na exploração da água, mas “a nível da subconcessão”. Manuel Frexes, administrador da Águas de Portugal, in “Público”, 13 de fevereiro de 2012

Paulo Barriga

A Assembleia Municipal de Beja [deliberou] I. Assumir a defesa da titularidade e gestão exclusivamente pública dos serviços de abastecimento de água, saneamento e recolha de resíduos sólidos urbanos, atendendo ao carácter de Direito à Água e ao Saneamento. II. Manifestar o seu inequívoco desacordo com a proposta de Lei n.º 123/XII/2.º

H

á vários anos a esta parte que os grandes pensadores da guerra preveem que os próximos conflitos regionais e mundiais decorram em torno da posse e do uso da água. O Homem, na sua esquizofrénica duplicidade de ser pensante e irracional, ao mesmo tempo, gosta de fazer a guerra. Já se fizeram guerras terríveis pela posse da terra, por má vizinhança, em nome de Deus, em nome da raça, pelos recursos energéticos, por dá cá aquela palha. Mas as guerras do futuro serão em nome da água. Nunca se pensou que num planeta cuja superfície é coberta por água em 71 por cento do seu perímetro, a própria água pudesse vir a gerar sarilhos dos grandes. Profundos. Mas vai. A água para consumo humano e para as práticas agrícolas é cada vez mais escassa, mais cara, mais concorrida. Virá o dia, como aconteceu com a pimenta do Oriente, com o ouro das Índias Ocidentais, com o petróleo do deserto, em que a água apenas correrá nas torneiras dos ricos. Não é à toa que um dos grandes negócios das potências glaciares seja já hoje a venda de água potável aos países de sequeiro. Não é à toa que os governos estejam tão interessados em centralizar a água. Tê-la é poder vendê-la. Não é à toa que, aqui tão perto, o Governo da nação queira manter na sua esfera a água do Alqueva. Não a cedendo para gestão aos consumidores. Aos agricultores. Aos regantes. Como prevê a lei. Como acontece em todos os outros perímetros agrícolas regados. O lema desta guerra de proximidade, a História tem destas ironias, parece já não ser a terra a quem a trabalha, mas antes a água a quem rega. Por mim, que estou farto da água, declaro apenas guerra a este inverno. Que parece não querer acabar nunca.

Moção apresentada pelo BE, aprovada por maioria, com 14 abstenções, pela Assembleia Municipal de Beja

Fotonotícia Marca Alentejo além fronteiras. O encontro teve como objetivo discorrer acerca das potencialidades da região do Alentejo enquanto produto turístico de excelência. As estratégias de divulgação e reconhecimento internacional da marca Alentejo foi o ponto nuclear de uma reunião que decorreu na passada quarta-feira, dia 13 em Beja, na sede da Associação de Municípios do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral (Ambaal). E que reuniu um destacado grupo de individualidades, ligadas direta ou indiretamente ao setor turístico. Para que em conjunto se acertem planos e se projetem objetivos. A bem da região. JS Foto de José Ferrolho

Voz do povo Conhece os direitos do consumidor?

Maria Francisca 58 anos, ex-comerciante

Sei que tenho o direito de reclamar. Ainda há pouco tempo fiz uma reclamação à DECO. E também escrevi a razão do meu protesto no livro amarelo. Já lá vão quatro meses e até hoje ainda não obtive resposta nenhuma. Costumo tomar atenção ao que compro. À validade e origem dos produtos que adquiro. Sejam produtos alimentares ou outros. Procuro sempre fabrico e origem nacionais.

Lénia Santos 33 anos, técnica de animação sócio-cultural

Alguns. Mas admito que, como a maior parte das pessoas, devo estar mal informada. Normalmente informo-me acerca das características dos produtos ou serviços que quero adquirir. Em relação à garantia e assistência só procuro essa informação quando há alguma avaria. Pondero cada vez mais aquilo que compro. E antes de comprar, comparo as opções disponíveis.

Inquérito de José Serrano

Alexandra Graça 46 anos, educadora de infância

Angelina Rocha 20 anos, estudante

Tenho o direito de reclamar quando não sou bem atendida. Quando me vendem alguma coisa e não são honestos comigo. Já me aconteceram várias situações em que estes direitos não me foram garantidos. O meu marido reclama sem qualquer problema. Quando acha que o estão a enganar. Eu reclamo muito menos. Não vale a pena o tempo e o dinheiro que se perdem. Sem nada resolver.

Tenho o direito de ser bem atendida. A reclamar se não o for. Vejo a validade dos produtos que compro. E se são adequados para aquilo que eu pretendo. Informo-me sobre condições de troca e garantias. É raro comprar por impulso. Nunca utilizei o livro de reclamações. Mas já tive vontade de o fazer. Às vezes age-se sem regras. Sem o bom senso de tratar bem os clientes.


Rede social

Semana passada QUINTA-FEIRA, DIA 7 OURIQUE APROVADAS 27 BOLSAS DE ESTUDO A Câmara Municipal de Ourique aprovou a atribuição de bolsas de estudo a 27 alunos do concelho. O apoio da autarquia contempla alunos de licenciatura e mestrado integrado, e representa um valor de 80 euros mensais, durante os 10 meses do período letivo, num total de cerca de 22 mil euros. De acordo com a Câmara Municipal de Ourique, “apesar das dificuldades financeiras do País e que o município atravessa, não obstante o esforço bem sucedido de consolidação das contas da autarquia, a Câmara de Ourique considera fundamental o apoio aos alunos”.

SEXTA-FEIRA, DIA 8 ODEMIRA HOMEM DE 48 ANOS MORRE ATROPELADO Um homem de 48 anos morreu atropelado quando tentava evitar que a carrinha que conduzia deslizasse, após a ter parado num terreno inclinado, no concelho de Odemira. O acidente ocorreu no Monte das Eirinhas Novas, na freguesia de Santa Clara-a-Velha, indicou fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja. Segundo a fonte da GNR, o homem, que andava a vender peixe na zona, estava a fazer uma manobra com a carrinha num terreno inclinado quando uma mulher o avisou de que teria uma roda da viatura “no ar”. Após o aviso, o homem parou, saiu do interior e dirigiu-se para as traseiras do veículo para verificar o que se passava, explicou a fonte da GNR. “Entretanto, a carrinha começou a deslizar e o instinto natural do homem terá sido o de a tentar segurar”, o que não conseguiu, sendo atropelado mortalmente e ficando debaixo da viatura, explicou.

DOMINGO, DIA 10 GRÂNDOLA CAÇA AO TESOURO PARA PROMOVER TURISMO DE NATUREZA Uma espécie de caça ao tesouro levou cerca de 50 pessoas à Serra de Grândola. A organização encontrou-se a cargo da câmara local, com o objetivo de promover o turismo de natureza no concelho. O jogo, denominado “geocaching”, combina o desporto e a aventura, consistindo em caminhar ou pedalar em BTT pelo percurso pré-definido à procura de “caches” (os “tesouros”), que tanto podem estar escondidas debaixo de água, como junto a um monumento. Dos inscritos, 10 eram de Grândola e praticaram a atividade pela primeira vez, mas os restantes eram “forasteiros” e já experientes nestas “andanças”, indicou à Lusa José Pedro Pires, técnico de turismo do município. O responsável sublinhou a importância do evento para a hotelaria, a restauração e o comércio.

SEGUNDA-FEIRA, DIA 11 BEJA MISSÃO SORRISO APOIA DOIS PROJETOS A Missão Sorriso anunciou que vai apoiar projetos de duas instituições do distrito de Beja, doando um total de 51 439 euros para a implementação de projetos na área do envelhecimento ativo. As duas instituições premiadas são a Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo de Beja e a Associação Humanitária da 3.ª Idade D.ª Ana Pacheco de Saboia. A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo vai receber 25 000 euros para a implementação do projeto “Baleizão – Aldeia Amiga das pessoas Idosas”, com o objetivo de estimular o envelhecimento ativo. A Associação Humanitária da 3.ª Idade D.ª Ana Pacheco, por sua vez, vai receber 26 439 euros para implementação do projeto “Montes de Sorrisos”, com o objetivo de melhorar as condições de vida e de saúde dos idosos isolados no concelho de Odemira.

QUARTA-FEIRA, DIA 13 VIDIGUEIRA AÇÃO DE FORMAÇÃO “A COPO” A Câmara Municipal de Vidigueira organizou uma ação de formação da campanha “A Copo”, em parceria com a Viniportugal. A ação, que se realizou no âmbito da iniciativa Vidigueira – Cidade do Vinho 2013, pretendeu incentivar, promover, divulgar e comunicar o consumo de vinho a copo e foi dirigida a profissionais ativos do setor da restauração e similares. “Pretendeu-se ainda transmitir técnicas de venda, conhecimentos práticos e teóricos de prova de vinhos (vocabulário, defeitos, harmonizações), assim como conhecimentos de serviço de vinhos”, entre outras temáticas, referiu a organização.

3 perguntas a João Margalha Câmara Municipal de Beja

Em que consiste o Centro de Informação Autárquico ao Consumidor?

O Serviço de Informação e Apoio ao Consumidor (SIAC) é uma iniciativa da Câmara de Beja, que tem como principal função acolher e informar os consumidores dos seus direitos e dos seus deveres, contribuindo, assim, para uma nova atitude perante os hábitos de consumo. Neste sentido, em parceria com a Direção-Geral do Consumidor e outras entidades de apoio ao consumidor, o SIAC pretende ser uma solução de proximidade, onde os consumidores têm a possibilidade de obter informação e aconselhamento sobre os procedimentos mais adequados na prevenção dos conflitos de consumo e, no caso de litígio, uma intervenção de mediação na resolução de conflitos. Paralelamente à tentativa de resolução extrajudicial dos conflitos de consumo, a competência do serviço assenta igualmente na formação e informação ao consumidor, através da realização de ações de sensibilização, como aliás temos vindo a desenvolver. São muitos os que recorrem aos seus serviços?

Desde a reabertura do espaço, a 8 de novembro, e, até ao presente momento, o SIAC já apoiou aproximadamente 60 consumidores. A grande área de conflitos registada são as telecomunicações, mais concretamente o incumprimento dos contratos no que respeita aos períodos de fidelização.

Nuno Markl desenhou ao vivo no Pax Julia A falta de jeito do humorista para desenhar “mulheres, motas e cavalos” serviu de mote para a comédia apresentada aos bejenses no sábado, 9. Desenho em tempo real e música ao vivo, por Miguel Araújo, num espetáculo em que o público também participou.

Zona Azul pôs Beja a dançar Os jovens ginastas da conhecida associação recreativa tiveram, há uma semana, todo um palco, o do auditório do Pax Julia, para mostrar os seus dotes. No VIII Pax Dance, espetáculo de dança aberto a toda a população, houve destreza, flexibilidade, elegância e graça.

A caminhar se celebrou o Dia da Mulher em Sines Além de um farto lanche e de uma revigorante aula de yoga, as mulheres de Sines tiveram também direito a uma caminhada no dia mundial a elas dedicado. De fato de treino e sapatilhas, também por lá andaram homens, solidários com a suas mais-que-tudo.

Celebra-se hoje, sexta-feira, o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor...

A primeira Lei de Defesa do Consumidor – Lei n.º 29/81, de 22 de agosto – aprovada em Portugal, tem pouco mais de 30 anos e, desde então, muitos foram os avanços verificados em matéria de defesa dos consumidores e na dignificação das dimensões ética e económica do relacionamento entre empresas e consumidores. Daí a importância desta data, não só para comemorar essas evoluções, como também para continuar a agir no que respeita aos direitos dos consumidores. A adesão de Portugal à agora União Europeia, a evolução dos mercados, cada vez mais globalizados e mediatizados, os novos perigos de endividamento excessivo, a iliteracia financeira de algumas camadas da nossa população e as dificuldades inerentes ao conhecimento das características de produtos e serviços diversificados e sofisticados, justificam uma intervenção junto e pelos consumidores. Bruna Soares

Estudantes de Beja no tradicional desfile académico Batinas negras, “pinturas de guerra” e os tradicionais dizeres académicos, projetados a plenos pulmões. Assim se fez, a 7, o useiro desfile académico dos estudantes do Instituto Politécnico de Beja, aqui apanhado a chegar às Portas de Mértola.

Um 8 de Março em cheio no Centro Social do Lidador Com tudo a que uma mulher tem direito – unhas pintadas, roupas vistosas – as utentes do Centro Social do Lidador passaram um dia em cheio, a 8 de março. Aqui ficou registada uma passagem de modelos, com uma manequim bem elegante a deslizar na passerelle.

Diário do Alentejo 15 março 2013

03


Diário do Alentejo 15 março 2013

04

Pomarão

Festival do Peixe do Rio regressa nos próximos dias 23 e 24

Com os olhos postos no Guadiana Embora não mostre o fulgor de outros tempos, o rio Guadiana continua a ter um papel preponderante na vida da população da pequena aldeia de

O

cupando uma parte significativa da praça do Mineral da pequena aldeia de Pomarão, numa das margens do Guadiana, uma tenda de generosas dimensões lembra que está para breve a realização de mais uma edição do Festival do Peixe do Rio. Na mesma praça onde são esperados alguns milhares de visitantes nos dias 23 e 24 para degustarem os sabores do rio, ainda resiste parte de um cais de embarque, onde, a partir de meados do século XIX, atracavam os navios mineraleiros que subiam o Guadiana desde a foz e que depois partiam em sentido inverso carregados de minério extraído da Mina de São Domingos, que tinha como destino Inglaterra e Alemanha, entre outros países. A povoação de Pomarão deve a sua origem à empresa francesa La Sabina, a mesma que criou de raiz a Mina de São Domingos, em tempos considerado o mais importante complexo industrial mineiro alentejano (segunda metade do século XIX até à década de 1930). “Havia outro cais igual a este, só que os sucateiros para levarem o ferro [após o fim da extração mineira] desmontaram tudo, entretanto alguém opôs-se e evitou que se desmontasse também este, que ficou como lembrança”, diz António João Lourenço, 67 anos, um apaixonado pela história da sua terra natal e conhecedor de inúmeras estórias que lhe foram sendo transmitidas pelos mais idosos e que de bom agrado conta a quem, de visita à aldeia, solicita informações. “Muita gente desconhece o que é que se passou aqui. Aqui chegavam muitos barcos de várias nacionalidades, alemães, ingleses, marroquinos, para carregarem o minério. Os marinheiros muitas vezes embebedavam-se e depois provocavam as pessoas, e às vezes havia pancadaria. São tudo estórias”. António João saiu de Pomarão aos 13 anos de idade rumo a Alcochete para trabalhar numa taberna. Nos anos que se seguiram, e até ingressar no serviço militar e partir para o norte de Angola, ainda trabalhou em “cafés e restaurantes”. Regressado do Ultramar, permaneceu nas imediações da capital até se reformar. “Voltei ao Pomarão há seis, sete anos, em definitivo, porque sempre gostei muito disto. Os meus pais deixaram-me aqui uma casinha que depois comprei à La Sabina”, diz o ex-chefe de turno numa fábrica de produtos químicos, que divide agora os dias entre “a hortita”, situada na outra margem do rio, no “porto da Mesquita”, e o pequeno barco que utiliza “para pescar à cana”.

Pomarão, na freguesia de Santana de Cambas (Mértola). É no rio que alguns habitantes ainda encontram parte do seu sustento. É pelo rio que chegam alguns dos turistas que durante todo o ano vão dando “movimento” à aldeia. Nos próximos dias 23 e 24 Pomarão volta a ser palco de mais uma edição do Festival do Peixe do Rio, um evento que visa “promover o rio, os recursos nele existentes, as atividades a ele ligadas, mas, sobretudo, as comunidades que dele dependem”. Texto Nélia Pedrosa Fotos José Serrano

Nos seus tempos de “gaiato”, em meados dos anos cinquenta do século passado, recorda, a aldeia “era um meio muito movimentado”: “Todos os dias havia aqui gente. Nas margens do rio estava tudo cultivado e tudo era vendido, porque moravam aqui 300 pessoas, fora aquela gente toda que vinha trabalhar à espera que chegasse um barco para descarregar carvão, que era utilizado nas locomotivas. Depois quando fizeram o depósito a gasóleo também começaram a descarregar gasóleo. Havia uma agricultura junto às margens do rio até bastante intensa. Agora só se cultivam hortas para consumo próprio”. Nas margens onde até meados do século passado paravam os navios mineraleiros, agora atracam “iates e outros barcos”, na sua maioria “holandeses, ingleses, dinamarqueses e alguns alemães”. Mais na primavera e no verão do que no inverno, diz António João. “Neste tempo de inverno, quando chove, o rio ganha logo volume e eles [proprietários dos barcos] fogem do Pomarão, mas durante a primavera e o verão sobem o rio e ficam aqui alguns dias e não ficam mais tempo porque não há acesso à Internet” para poderem comunicar com a família. Desde que foi inaugurada a Ponte Internacional do Baixo Guadiana, sobre o rio Chança, que veio reduzir substancialmente a distância por estrada à povoação espanhola de El Granado, “também chega muita gente” vinda do país vizinho, principalmente ao fim de semana. E durante os festivais do Peixe do Rio “a aldeia também costuma encher”, continua António João, salientando, no entanto, que este ano, “devido à crise, não se sabe como é que vai correr”: “As pessoas evitam gastar dinheiro e a Espanha também não está bem. Mas falando ainda sobre o turismo acho que a aldeia tem muitas potencialidades, não há é investimento. As pessoas às vezes perguntam-me por que é que não há aqui infraestruturas que as possam servir. Agora já abriu o café [do Cais], mas até então só havia a Sociedade Recreativa. As pessoas queriam comer e não tinham onde”. O Café do Cais reabriu há pouco mais de um ano pelas mãos de Carla Rosa, 45 anos, natural de Carcavelos, e da prima Maria, de Algés. A ideia de reabrirem o espaço surgiu numa das visitas de ambas à aldeia, onde os pais de Maria têm uma casa. “Foi uma aposta, um risco, também para dar a conhecer outro tipo de gastronomia porque, normalmente, nestas zonas é tudo mais comida


Diário do Alentejo 15 março 2013

05

típica e nós quisemos apostar numa casa de petiscos, com um pouquinho de cada coisa”. E o balanço até ao momento, diz, é “bastante positivo”. “Acho que o que todos queremos é chegar a um sítio e ter uma coisinha para estar, para usufruir, não só da natureza mas também das pequenas comidas. No inverno o café está um bocadinho mais parado, mas ao fim de semana vêm os espanhóis. No verão há sempre muito movimento, são espanhóis, ingleses, holandeses, imensos portugueses. Há muitos barcos que vêm de Alcoutim, estrangeiros, que atracam aqui e também pequenos barcos de recreio que vêm passar o dia”. O mais complicado, admite, foi a adaptação a um meio pequeno, onde a população não chega às quatro dezenas de habitantes e onde “as mulheres continuam a ter que estar em casa”: “Não é fácil, mas temos que nos adaptar, mas também mostrar às pessoas da nossa idade que neste momento todos temos os mesmos direitos”, diz. Não muito longe do café das primas Carla e Maria, a escassos metros da ponte internacional, vive um dos pouquíssimos pescadores da aldeia que atualmente se dedica à faina a tempo inteiro. “Quem se dedica à pesca aqui no Pomarão, praticamente sou eu e o meu irmão gémeo, o Sebastião. Também há outros que pescam, mas que têm o seu trabalho”, diz António Reis, de 72 anos. Reformado há quase duas décadas da Guarda Fiscal, a pesca acaba por ser um complemento ao seu orçamento familiar, uma forma de compensar a reforma que “é pouca”. Mas a venda do peixe do rio já teve melhores dias, adianta o pescador, que em tempos chegou a vender peixe “a uns homens que o vinham aqui carregar” e que depois percorriam “a Mina de São Domingos, Serpa, Mértola e esses montes por aí perto”. Com a crescente disponibilização do serviço de apoio ao domicílio, diz, o negócio acabou por registar uma quebra significativa: “Agora pouco se vende. Nós íamos a um monte desses e vendíamos uma caixa de 20, 30 quilos, no espaço de duas horas. Agora não há pessoas e às poucas que existem vão-lhes levar o almoço a casa”. A melhor época de pesca, esclarece António Reis, decorre entre os meses de dezembro e março, “mas é preciso que o Alqueva não abra no máximo [as comportas]”. Se assim for, “a força da água” não permite colocar as redes. O mau tempo que se fez sentir nos últimos dias também tem levantado alguns problemas ao ex-guarda fiscal, que se viu obrigado a retirar as redes que tinha “[da ribeira] do Vascão para baixo”, perto de Alcoutim, só podendo voltar a colocá-las quando “o tempo baixar”. “Vamos ver se vem mais alguma lampreia, que é o tempo delas”, diz o pescador, que também já forneceu peixe para várias edições do Festival do Peixe do Rio, mas este ano, “porque é preciso passar faturas”, revela, não o fará: “Temos que gastar dinheiro em faturas, depois vendendo o peixe a dois euros já arranjado, o que é que a gente vai ganhar?”.

Lampreia, enguias e muge no Festival do Peixe do Rio Pomarão recebe nos próximo dias 23 e 24 a 11.ª edição do Festival do Peixe do Rio, um evento da responsabilidade da Câmara Municipal de Mértola e da Merturis – Empresa Municipal de Turismo e que tem como objetivos “promover o rio, os recursos nele existentes, as atividades a ele ligadas, mas, sobretudo, as comunidades que dele dependem”. A ementa, como é habitual, refere a organização, “aposta nos sabores do Guadiana, com destaque para a lampreia, as enguias e o muge”, mas também será possível “provar outros produtos tradicionais do concelho”. Do programa musical, destaque para as atuações, no primeiro dia de certame, dos grupos de música tradicional Artesãos da Música e Terra bela, do grupo folclórico e etnográfico Amigos de Montenegro, de Faro, e de Quina Barreiros. O dia terminará com um fogo-de-artifício “pyromusical” e com baile a cargo do Duo Inovação. No domingo, os stands e tasquinhas serão animados por Fernando Amores, estando ainda previstos espetáculos com o grupo português Terra e com os espanhóis Orquestra Qdance. O programa deste ano inclui ainda um concurso de pesca desportiva, passeios pedestres, todo o terreno e no rio. O festival conta com a colaboração das associações do concelho, Junta de Freguesia de Santana de Cambas, Ayuntamiento del Granado, Escola Profisisonal Alsud e Pureland – Animação Turística.

Associação Recreativa Pomarense vai mudar de instalações Fundada 1 de maio de 1911, a Associação Recreativa Pomarense, antiga Sociedade Recreativa Pomarão, prepara-se para deixar as atuais instalações – emprestadas pela empresa La Sabina e entretanto vendidas – e instalar-se no edifício do Centro de Interpretação do Pomarão. Para além do espaço de café, onde também é possível apreciar os petiscos tradicionais, a associação dispõe de uma sala de jogos em cujas paredes estão expostas inúmeras fotografias “que retratam a vida do Pomarão”, sem esquecer as “cheias”, a última delas em 1997, explica Noémia Pinto, 54 anos, presidente da direção da associação e há mais de uma década responsável pela exploração do bar (no último ano em regime de voluntariado). A coletividade, que é frequentada por pessoas da aldeia mas também “por pessoas que vêm de fora”, conta atualmente com 350 associados.


Diário do Alentejo 15 março 2013

06

Tem havido sempre da parte dos governos, de todos eles, alguma resistência e algum combate ao poder local democrático e à autonomia do poder local. Basta ver que em todas as revisões da Lei das Finanças Locais houve sempre um decréscimo e houve sempre formas de tentar esvaziar o poder local seja financeiramente, seja a nível de competências.

Autárquicas2013

Francisco Orelha abandona a Câmara de Cuba ao fim de quatro mandatos

“Nenhum autarca pode dormir descansado” É um dos autarcas alentejanos que está abrangido pela lei de limitação se deveu tanto ao candidato comunista, mas antes à implosão do próde mandatos. Ao fim de 16 anos, Francisco Orelha irá passar o testemu- prio Partido Socialista. Em vésperas de tornar à vida empresarial, Orelha nho da Câmara de Cuba numa eleição que promete ser bastante comba- deixa um sério aviso à navegação: a autonomia do poder local democrátiva. Nas últimas Autárquicas, a CDU ficou a escassas dezenas de votos tico está em risco. de conquistar o município ao PS. Mas Francisco Orelha refere que tal não Caso a lei o permitisse estaria disponível para se tornar a candidatar à Câmara de Cuba?

Gostaria de continuar, não por uma questão de poder, mas mais por uma questão de ocupação. Foram 16 anos que dediquei parte da minha vida à autarquia, ao serviço público, e ficam também aqui certamente pedaços da minha vida. Foi uma experiência nova, uma experiência única que vivi. Apoia a candidatura do PS à Câmara de Cuba? Vai envolver-se pessoalmente nessa eleição?

Irei apoiar a candidata à Câmara de Cuba e irei empenhar-me na eleição, porque há um trabalho que deve ter continuidade. Evidentemente que quem vier não irá seguir as mesmas pegadas que segui, mas certamente acho que o tranuidade. balho e o registo que fica deve ter continuidade. A candidatura de Raquel Soudo o é de continuidade?

Não será uma candidatura na continuidade, uidade, erá uma porque a pessoa que vier certamente terá ha. Mas forma de trabalhar diferente da minha. tem de se aproveitar o bom do trabalho que fica. A não ser que não me peçam o apoio, mas eu datura a estou disponível para apoiar esta candidatura 100 por cento. Acha que esta é uma candidata sufificientemente forte para defrontar João o Português, que na última eleição ficou à beirinha de conquistar a Câmara de Cuba?

Penso que esta candidatura tem todas as condições para ganhar. A candidata tem dado muito à nossa comunidade nas atividades que tem vindo a desenvolver. Isso vai ser reconhecido. Não vejo que João Português, da CDU, seja um bom candidato, ou que seja uma mais-valia. Se já perdeu três vezes é porque a população não se reconhece nesse candidato. Mas na última eleição ficaram quase empatados…

O que não se deveu a uma conquista de votos

Texto Paulo Barriga Fotos José Ferrolho

por parte desse candidato. Foi antes um problema que existiu no PS, que explodiu por dentro e favoreceu o PCP. Não se deveu ao candidato em si.

Não, pelo meu partido nunca cheguei a ser convidado.

Como é que está o PS em Cuba depois dessa crise, que levou até à retirada de pelouros de vereadores na câmara?

Fui contactado, digamos assim, pela concelhia de Alvito, na possibilidade de não haver ali um candidato. Depois, como é do conhecimento público, o secretário-geral do PS decidiu não apoiar recandidaturas de autarcas que completem os três mandatos. E a ideia caiu pela base.

Teve esse efeito de desgaste nas eleições anteriores, disso não tenho dúvidas nenhumas. Mas, neste caso concreto, a candidata não tem nada a ver com esse passado. Nesse aspeto não podemos pôr as coisas no mesmo prato da balança. Alguma vez foi convidado pelo seu partido para ser candidato a outro município aqui na região?

Circularam rumores sobre uma possível candidatura em Alvito…

movimentam. E as populações só quando um dia perderem esta proximidade é que vão ver a falta que lhes faz terem alguém próximo, que as ajude a resolver os seus problemas. Como é que estão as finanças da Câmara de Cuba?

A situação é diferente. É um candidato que tem dois mandatos na câmara de Mértola e depois interrompeu e tem um mandato na Câmara de Beja. É diferente do que ter três mandatos consecutivos num mesmo município.

As finanças da Câmara de Cuba estão equilibradas. Não posso dizer que estão numa situação confortável e que possa dormir descansado, não é o caso. Mas as dívidas que temos são dívidas a longo prazo e que foram contraídas para fazer face à comparticipação nacional referente aos projetos que a câmara concluiu. E não são assim tão poucos. São visíveis e estão no terreno. E não temos uma situação melhor porque o Governo também já nos tirou algumas verbas, se não fosse isso poderíamos dormir, então, descansados.

Que le leitura faz da lei de limitação de mandatos?

Neste momento não pode dormir descansado?

Não co concordo em absoluto com esta lei, por variadíss riadíssimas razões. Primeiro, é contrária aos princíp princípios do sistema democrático. Acho que o povo é que tem de decidir. Depois, não é justo que esta lei atinja os autarcas e não atinja os deputados. No meu entender, a haver lei tinha de ser na base do que acontece com a eleição do Presidente da República. Rep São dois mandatos de cinco anos para todos. to Assim, apesar de não concordar com a lei, aainda a aceitava. Porquê limitar apenas os aut autarcas? É a pergunta que fica.

Neste momento nenhum autarca pode dormir descansado.

Há uma autarca da região, o de Beja, que vai já para o quarto mandato consecutivo…

Qual é a sua resposta à pergunta que nos deixa?

Tem havido sempre da parte dos governos, de todos eles, alguma resistência e algum combate ao poder local democrático e à autonomia do poder local. B Basta ver que em todas as revisões da Lei das Fin Finanças Locais houve sempre um decréscimo e houve sempre formas de tentar esvaziar o poder local, seja financeiramente, seja a nível de compe competências.

Como classificaria os seus quatro mandatos consecutivos à frente da Câmara de Cuba?

Hoje, o concelho de Cuba está apetrechado de todas as infraestruturas consideradas básicas e essenciais. Desde a biblioteca, ao pavilhão gimnodesportivo, às piscinas, ao túnel da linha férrea, que foi uma obra bastante importante, à nova escola, enfim… Na área social também fizemos um trabalho excelente. E agora temos uma obra que, para mim, será um emblema, que é o parque empresarial. Neste momento fizemos um investimento de dois milhões de euros no parque empresarial, adquirimos também mais um terreno e temos cerca de 18 hectares como área de expansão empresarial. O que pensa fazer depois de sair da autarquia?

Não vou ficar sentado no banco do jardim. Irei, certamente, criar um novo projeto. O futuro a Deus pertence. Se não houver um novo projeto político haverá um novo projeto empresarial.

Está co com um discurso muito próximo do PCP.

Esta é a verdade. E acho que as populações têm estado sonolentas e adormecidas, porque não se

Que projeto político poderia ser esse?

Isso já não depende muito de mim.


Concorda com a candidatura de autarcas com mais de três mandados, ainda que a municípios diferentes?

Diário do Alentejo 15 março 2013

07

Bisca Lambida

Não, não concordo

Uma lacuna na lei

João Espinho

João Machado

B

em, esta merece que guarde alguns trunfos e não me apresse em destrunfar os adversários. À pergunta deveria responder imediata e diretamente Sim ou Não. Evitar bluff e ser assertivo e tinha esta mão ganha. Mas não sei como é que os restantes à volta da mesa se vão comportar num tema tão delicado, preciso de me acautelar. Como estamos a tratar de matéria autárquica, o que mais conta, dizem, são as pessoas, ficando a lógica partidária um pouco afastada das contendas. A realidade, porém, temnos mostrado que as direções partidárias não vacilam em fazer cumprir as suas estratégias, ignorando as vontades das chamadas bases que, também elas, aceitam sem pestanejar as diretivas das comissões políticas, dos secretários-gerais, dos comités distritais e concelhios, enfim, onde se devia deixar espaço aos cidadãos, estrangula-se ainda mais a Democracia e quem não estiver de acordo… paciência. E se são, portanto, os Partidos quem mais ordena, então sou favorável à criação de primárias para a escolha dos cabeças de lista das diversas candidaturas, o que poderia tornar o processo mais transparente e mais democrático. Obviamente que as primárias não iriam acabar com as jogadas de bastidores e com certos cozinhados que, como se sabe, fazem parte do filme que é fazer listas para concorrer a eleições. Também sou favorável a que os mandatos autárquicos tenham a duração de cinco anos em vez dos atuais quatro. Isto não evitaria as habituais trocas concelhias onde se assiste ao perpetuar de autarcas no poder, apesar de em territórios distintos. Há edis que de tão dinossauer jardim das ros já não cabem em qualquer m. Assim, localidades a que concorrem. mbleia da deveria o legislador (Assembleia m articuRepública) prever na Lei um nças entre lado que evitasse estas danças uem mais municípios. Mas o Povo é quem ue se ordena e é nas eleições que fica a saber se o Povo gosta da dança que atrás referi. Pelo que escrevi, julgo que a resposta à questão é clara: Não, não concordo.

A

minha opinião em relação às candidaturas de autarcas com mais de três mandatos é bem clara e traduz o que está escrito na lei 46/2005: Art.º1.º, n.º1 – O presidente de câmara municipal e o presidente de junta de freguesia só podem ser eleitos para três mandatos consecutivos, salvo se no momento da entrada em vigor da presente lei tiverem cumprido ou estiverem a cumprir, pelo menos, o 3.º mandato consecutivo, circunstância em que poderão ser eleitos para mais um mandato consecutivo. Contudo existe do meu ponto de vista uma lacuna nesta lei que não restringe o âmbito territorial da mesma, tornando perniciosa a sua aplicação. Neste sentido, existem diversas formas de contornar a lei e vou dar um exemplo: O presidente da câmara X não se pode candidatar porque perfaz o limite de mandatos previstos, contudo pode ser vereador nessa mesma câmara! Na prática poderá colocar um “testa de ferro” como presidente e liderar a câmara na sombra, o que traduz uma perversidade e uma forma singular de ver e de fazer política. Em termos abstratos concordo com a lei, mas entendo que é demasiado simples, levantando problemas complexos, como os que referi anteriormente. Esta lei deveria servir para um rejuvenescimento dos políticos em Portugal e não para que se encontrem artifícios para candidaturas em locais diferentes. Contudo isso não implica que o presidente da câmara X não possa fazer um excelente mandato na câmara Y. Muitas vezes, o que as pessoas não poderão entender, é a razão pela qual são sempre os mesmos políticos a desempenhar os cargos. A questão que coloco é a seguinte: não

existirão pessoas válidas, fora desse mesmo espectro, sem necessidade de recorrer a estes artifícios?

Clarifiquem-me, porra! Sérgio Fernandes

T

udo começa com uma lei cujos fundamentos políticos mais não são do que um juízo moral que conclui da propensão dos eleitos para os cargos de presidente de (da) câmara e de (da) junta de freguesia - todos eles e apenas estes (!?) – desenvolverem no exercício das suas funções comportamentos ética e legalmente sancionáveis. Uma perigosa cedência à demagogia populista dos cada vez mais frequentes discursos antipoder e anti-instituições. Passaram-se, entretanto, oito anos, repito: oito anos!, sobre a aprovação da dita lei, ao longo dos quais se multiplicaram as interpretações sobre o seu conteúdo, tantas quantos os interesses partidários e pessoais em jogo. Aqui chegados, a oito meses das autárquicas, somos surpreendidos pela revelação de duas redações da mesma lei, uma ratificada, a outra retificada. A primeira pelo Presidente da República no exercício dos seus poderes constitucionais, a segunda pelos serviços da Imprensa Nacional - Casa da Moeda, no exercício dos seus poderes de revisão ortográfica. E desenganem-se aqueles que consideram que dificilmente a trapalhada poderia ser maior, porque pode! Ai pode, pode! Basta para tanto que os responsáveis políticos persistam nesta atitude leviana de assobiar para o lado, como se nada fosse, enquanto esperam que os diferentes tribunais venham a pronunciar-se isoladamente sobre a legalidade das candidaturas em causa, o que a acontecer, importa recordar, ocorrerá, nos termos da lei, a escassas

semanas do ato eleitoral. Dito isto, não posso deixar de aqui revisitar esse grito de alma tão nosso e que por tempo demasiado foi expressão da justa indignação de toda uma região: Clarifiquem-me, porra!, e feita a clarificação cumpra-se a lei, como é próprio de um estado de direito democrático. É sem qualquer hesitação que corto esta vaza com a manilha de espadas!

“Quem vier por bem...” Luís Miguel Ricardo

“Q

uem vier por bem, venha venha também, não importa seja quem for …” É com esta estrofe extraída de uma canção de Marco Paulo do início dos anos 80, que começo a segunda partida da “bisca lambida”. Se os autarcas com mais de três mandatos numa autarquia se candidatarem a outro município, e se o móbil dessa candidatura for altruísta, concordo plenamente. Pois são pessoas com mais de dez anos de experiência na área (competências e contactos estratégicos) e que podem constituir uma mais-valia para o concelho a que se candidatam. Porém, se o motivo da candidatura resultar de motivações pessoais, ambições singulares e, sobretudo, vício de poder e escassez de competências noutras valências da sociedade, então, necessariamente, a minha opinião metamorfoseia-se no aposto, pois nenhum munícipe, com sentido crítico, gostaria de entregar as rédeas do seu concelho a uma pessoa com tal perfil. Se não existissem máscaras e manobras lúdicas de “ser” e “parecer”, a escolha dos eleitores seria óbvia. Porém, à subjetividade individual (candidato) junta-se a persuasão coletiva (partidos) e o jogo das escolhas complexifica-se. Ainda assim, ass e comparando um recandidato com um candidato “virgem”, o primeiro, aos olhos do eeleitorado, é mais transparente do que o segundo, segundo pois tem passado autárquico, tem obra feita e ob obra que deixou por fazer, tem virtudes quantifica quantificadas e defeitos identificados. Para as pr próximas eleições autárquicas, e de acordo com o que vai profetizando o povo e a comun comunicação social, três ou quatro candida didatos com passado autárquico noutro tros municípios são apontados à câm mara bejense. Vamos dar um voto de confiança a esses candidatos, acreditar no seu altruísmo e no seu amor pelo concelho de Beja. “Quem vier por bem, venha venha também, não importa seja quem for …” “Q “Quem és tanto faz, se nos trazes paz e aamor …” Ca Carta a atribuir: um rei – por acreditar na mais-valia que pode constituir ppara o concelho a presença de candidat didatos com experiência autárquica comp comprovada.


PUB

Diário do Alentejo 15 março 2013

08

Infografia

O “Diário do Alentejo” errou

N

a última edição do “Diário do Alentejo” publicámos uma infografia que supostamente tecia a evolução da dívida total dos municípios do Baixo Alentejo, entre os anos de 2009 e 2011. Em virtude de um lamentável lapso de edição e de revisão, acabámos por publicitar apenas os valores referentes ao ano de 2009. Em virtude deste erro, a direção editorial do “Diário do Alentejo” apresenta aos seus leitores e a todos os autarcas um pedido de desculpas. E, para reparar toda e qualquer injustiça que possa ter advindo desta situação, o “DA” está a preparar um quadro completo da dívida dos municípios, já com os dados

referentes a 31 de dezembro de 2012. Dados esses que ainda não estão disponíveis para consulta na Direção-Geral das Autarquias Locais, mas que nos estão a ser gentilmente cedidos por cada uma das autarquias da região. Nesse trabalho de fundo iremos dar conta não apenas da “dívida bruta”, mas também da dívida bancária, da dívida a fornecedores, do valor do serviço da dívida para o ano de 2013, do prazo de pagamento a fornecedores e do orçamento aprovado para 2013. Esperando assim repor a verdade dos números, num ano em que eles também são importantes para as decisões eleitorais que serão feitas no próximo outono.

Mértola

Jorge Rosa recandidata-se

E

m reunião da Comissão Política Concelhia de Mértola do PS, que tinha como ponto único a escolha do candidato a presidente do município, foi aprovada, por unanimidade, a proposta de recandidatura do atual presidente da câmara, Jorge Rosa. Segundo a Comissão Política de Mértola do PS, “a recandidatura dá a garantia da continuidade de um bom

trabalho, em prol do desenvolvimento do concelho, apesar das dificuldades que se enfrentam, fruto dos tempos difíceis que se vivem”. Para os socialistas, “a recandidatura do atual presidente é também motivo de orgulho porque o candidato colocou em primeiro lugar o seu concelho, sacrificando os seus interesses pessoais, profissionais e familiares”.

Santiago do Cacém

Álvaro Beijinha avança pela CDU

O

175 000 É o número de pessoas alcançadas pelo Facebook do “Diário do Alentejo” durante a última semana. A nossa página eletrónica tem mais de um milhão de visitas. A edição impressa continua a ser líder de audiências com 76 por cento dos leitores de jornais regionais no Baixo Alentejo.

www.diariodoalentejo.pt facebook.com/diariodoalentejo

vereador Álvaro Beijinha, independente eleito pela CDU na Câmara de Santiago do Cacém, é o candidato da coligação à presidência daquele município alentejano nas eleições autárquicas deste ano, revelou o PCP. A candidatura de Álvaro Beijinha, de 36 anos, foi aprovada na quinta-feira passada, “por unanimidade”, pela Comissão Concelhia de Santiago do Cacém do PCP, informou esta estrutura par-

tidária em comunicado. O candidato, advogado e vereador no executivo camarário desde 2005, foi apresentado publicamente, ontem, quinta-feira, no auditório António Chainho, em Santiago do Cacém. O município de Santiago do Cacém é dirigido, desde 2002, pelo comunista Vítor Proença, que está a cumprir o seu terceiro e último mandato, não se podendo recandidatar devido à lei de limitação de mandatos.

Beja

Movimento quer travar Rocha

O

Movimento Revolução Branca (MRB) anunciou que interpôs uma providência cautelar para tentar impedir a candidatura à Câmara de Beja, pela CDU, do “histórico” autarca de Serpa, João Rocha, abrangido pela limitação de mandatos. Através da ação, interposta no Tribunal Judicial de Beja, contra o PCP e o Partido Ecologista “Os Verdes”, que formam a CDU, e João Rocha, o

MRB pretende que o autarca seja declarado “legalmente impedido” de se apresentar como candidato à presidência da Câmara de Beja, nas eleições autárquicas deste ano. João Rocha liderou a Câmara de Serpa entre 1979, ano em que foi eleito pela primeira vez, e final de outubro de 2012, quando cumpria o nono mandato consecutivo e suspendeu o cargo, por razões pessoais.


A Organização Regional de Beja do PCP anunciou, na semana passada, as comemorações do centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, sob o lema “Vida, pensamento e luta: exemplo que se projeta na atualidade e no futuro”. Segundo o PCP, “as comemorações vão percorrer todo o distrito com diferentes atividades e intervenções” e estão já agendadas mais de duas dezenas de iniciativas, sendo que a primeira se realizará no dia 7 de abril, em Ervidel, concelho de Aljustrel. No conjunto de ações

que decorrerão em cada local, destaca-se uma exposição alusiva à vida, pensamento e luta de Álvaro Cunhal. Outro dos aspetos centrais, segundo o PCP, passa pela “divulgação e valorização da vasta e rica obra literária de Álvaro Cunhal”. A romagem a Catarina Eufémia, em Baleizão, no dia 19 de maio, será outro dos momentos altos. É ainda de realçar o espetáculo previsto para o dia 15 de junho, em Beja, por iniciativa da Casa do Alentejo, da Associação Povo Alentejano e da Cooperativa Cultural Alentejana.

09 Diário do Alentejo 15 março 2013

PCP comemora centenário do nascimento de Álvaro Cunhal

Atual

Campo Arqueológico tem novo projeto

Ferreira distingue presidentes

Museu dos Sabores vai nascer em Mértola

Os presidentes de câmara de Ferreira do Alentejo do após 25 de Abril, bem como o presidente da Comissão Administrativa de 1974/1976, exceto o atual presidente, vão ser homenageados. A Assembleia Municipal de Ferreira do Alentejo aprovou, por unanimidade, distinguir com medalha de mérito.

O Campo Arqueológico de Mértola adiantou ao “Diário do Alentejo” que quer dar continuidade às obras de recuperação do velho palácio da Vila Museu e criar o Museu dos Sabores. O projeto poderá arrancar na primavera. Um espaço dedicado aos sabores do mundo islâmico e mediterrânico, e com vista privilegiada para o Guadiana.

Mário Simões, deputado do PSD, visitou o concelho de Mértola e lamenta o facto “de o Clube Náutico perder um contrato com a federação russa, de um milhão de euros/ /ano, por quatro anos, porque a legislação é muito restritiva e arcaica, impedindo a utilização de barcos a motor”.

A

inda está no papel, mas o Museu dos Sabores, em Mértola, pode começara a criar forma já partir do fim da primavera. Trata-se, segundo explicou ao “Diário do Alentejo” Cláudio Torres, do Campo Arqueológico de Beja, “de dar continuidade às obras de recuperação do velho palácio dos séculos XVIII e XIX, na vila velha, onde já funciona a Biblioteca José Matoso”. O projeto aponta para que numa zona do edifício, com vista sobre o Guadiana,

surja um espaço dedicado aos sabores do mundo islâmico e mediterrânico, com duas componentes: uma expositiva para apresentação de alfaias ligadas à culinária, e uma outra de restauração e lazer, onde se poderão degustar “gostos antigos” e produzidos no forno que irá ser recuperado, e adaptado às normas de segurança e higiene exigidas por lei atualmente. No espaço nascerá também uma pequena adega, para guardar os vinhos que acompanharão a ementa onde não faltarão referências ao pão e ao azeite. O custo total do projeto ainda não está calculado, mas parte já se encontra financiada. Claúdio Torres adiantou ainda ao “Diário do Alentejo” que a gestão do espaço será entregue a privados, que poderão contar com o apoio científico dos técnicos do Campo Arqueológico de Beja para a elaboração dos seus menus.

PUB

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE MÉRTOLA

CONVOCATÓRIA Em conformidade com o disposto no n.°1 do art° 41 dos Estatutos da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Mértola, CONVOCO, todos os Associados no pleno gozo dos seus direitos a reunirem-se em Assembleia Geral Ordinária no próximo dia 27 de Março de 2013, pelas 20:30 horas, na Sede da Associação com a seguinte: ORDEM DE TRABALHOS 1. Informação; 2. Apreciação, discussão e votação do Relatório e Contas da Gerência do ano de 2012 e do parecer do Conselho Fiscal; 3. Outros assuntos de interesse colectivo; Se, à hora marcada não se verificar o número de presenças previstas nos Estatutos, a Assembleia Geral poderá deliberar 30 minutos depois da hora inicial, com qualquer número de presenças, desde que não inferior a três associados efectivos. Mértola, 12 de Março de 2013. O Presidente da Assembleia Geral Manuel Romba Ruas

Simões contra restrições

Vereadores da CDU questionam Os vereadores da CDU de Beja querem saber “o montante dos prejuízos para a autarquia da diminuição do cofinanciamento do jardim e parque de estacionamento da Mouraria”.

PS questiona gestão da rega O PS quer esclarecer como, por quem e quanto custa a gestão da rede secundária de rega, quando não é entregue à gestão dos

beneficiários. Vários deputados do PS, onde se inclui Luís Pita Ameixa, questionaram, neste sentido, a ministra da Agricultura.

Machado Caetano na Ulsba Por sugestão e proposta do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (Ulsba), o ministro da Saúde, Paulo Macedo, nomeou presidente do conselho consultivo da Ulsba Joaquim António Machado Caetano, nascido na freguesia de Vale de Vargo, concelho de Serpa.

Fixar médicos na região O conselho distrital de Beja da Ordem dos Médicos reuniu-se com o presidente da Câmara Municipal de Beja. Em debate “a dificuldade de fixação de quatros médicos na região”. Foram ainda analisadas as áreas de possível intervenção por ambas as entidades, no sentido de minimizar as dificuldades.

Embaixador em Sines O embaixador dos Emirados Árabes Unidos em Portugal, Saqer Nasser Ahmed AlRaisi, visita, hoje, sexta-feira, 15, Sines. Segundo a câmara local, “para conhecer a cidade, o seu complexo portuário, industrial e logístico e as suas múltiplas potencialidades para novos investimentos”.


Diário do Alentejo 15 março 2013

10

Igreja do Convento do Espírito Santo (Moura)

Ermida de São Sebastião (Ferreira)

Ermida de São Sebastião (Ferreira) já abriu portas como polo do museu municipal

Igrejas ressurgem com novas funções Esvaziadas da sua vocação religiosa, vítimas de abandono, de roubo e até de usos pouco dignos, as igrejas da região estão a ressurgir, por iniciativa municipal, como novos espaços de visita e de fruição cultural. São os casos da ermida de São Sebastião, em Ferreira do Alentejo, já inaugurada como polo do museu municipal, e da igreja do Convento do Espírito Santo, em Moura, que, lá para o verão, há de ser a nova galeria de exposições da cidade. Texto Carla Ferreira

N

o passado dia 6 de março, foi reaberta ao público, após obras de requalificação, a ermida de São Sebastião, em Ferreira do Alentejo. Edifício do século XVI, erguido junto à ribeira que hoje se conhece pelo nome de Vale d’Ouro, junto ao parque de exposições e feiras, a ermida surge agora como o mais recente polo do museu municipal, depois de um processo “atribulado”, como já referiu o presidente do município, Aníbal Reis Costa. Por vários anos, a autarquia teve que negociar a aquisição do edifício que, por “erro”, foi incorporado no património do Estado. A compra, à Direção Geral do Tesouro e Finanças, acabaria por concretizar-se em 2012, ano em que imediatamente é dado o arranque para as obras de reabilitação, concluídas em fevereiro último. Seis meses de trabalhos no terreno que consistiram na “recuperação do altar da ermida, que se encontrava completamente destruído, na co-

locação de telhado e reabilitação do resto das paredes da ermida”, como resume Maria João Pina, chefe da divisão de Cultura e Desporto. As obras foram financiadas pelo Inalentejo, no âmbito do projeto de Reabilitação Urbana de Ferreira do Alentejo (RUFA). A ermida, que “não detinha qualquer espólio sacro e era uma verdadeira ruína” – foi alvo, inclusivamente, do roubo de um sino, de um cipo cupiforme da fachada principal e ainda da cruz e da pia de água benta – ganha agora nova vida, passando a “integrar o discurso expositivo municipal”, de que já fazem parte o núcleo sede, o arquivo, a galeria de arte da capela de Santo António, o espaço Artesão, a estação arqueológica do Monte da Chaminé e a igreja da Misericórdia, que irá acolher o núcleo de Arte Sacra, enumera a responsável. Com a criação de uma “nova rota” pelas igrejas, ermidas e capelas de Ferreira do Alentejo, o museu municipal pretende, não só “dar maior visibilidade e valorizar este tipo de imóveis”, como também, neste caso particular, “que se volte a conhecer a história do culto e importância de São Sebastião e deste tipo de ermida neste concelho”. Prevê-se, neste sentido, a programação de visitas das escolas do concelho, através das quais os alunos, acompanhados dos serviços educativos do museu, ficarão a saber quem foi São Sebastião, quando foi construída a ermida, e por que se situava na periferia da povoação, entre outras curiosidades. Uma informação que será disponibilizada “via folheto”, concebido para estas faixas etárias, em complemento

com “oito painéis que contam a história em imagens da vida do santo”, que foi mártir e protetor contra a fome, pestes e epidemias, adianta Maria João Pina. Prevê-se também que, sempre que estiver a decorrer algum evento no parque de exposições e feiras, se inaugure uma nova exposição na ermida. Assim, nos finais de junho próximo, a pretexto da Feira Nacional da Água e do Regadio, será inaugurada uma mostra, “que versará sobre iluminação e religiosidade”, bem como, em setembro, por ocasião da feira anual de Ferreira, abrir-se-á portas a uma nova exposição, desta feita de fotografia e sobre as questões da tradição. O culto religioso, função que a ermida já não cumpria “há muitos anos”, foi assim substituído pela nobre missão de ser mais um contributo para “valorizar o discurso museológico municipal”, conclui a técnica. Moura vai ter nova galeria de exposições Lá

para o final do verão, Moura ganhará, igualmente, um novo espaço de fruição cultural, mais concretamente uma galeria de exposições a funcionar na atual igreja do Convento do Espírito Santo. A obra de “reabilitação e de consolidação”, a cargo da câmara municipal local, teve início em janeiro, com um prazo de execução de sete meses, e consiste sobretudo em “trabalhos de restauro, de renovação da cobertura e de recuperação e valorização dos frescos, designadamente dos da capela-mor”, informa Santiago Macias, vereador responsável. No exterior, será ainda construída uma pequena área

de receção, ficando o corpo da igreja, propriamente dito, reservado para exposições. A ideia de recuperação da igreja, que foi projetada no princípio do século XVII pelo mestre João de Morais e que, durante décadas, chegou a servir de depósito de madeira, começou a ser esboçada em 2007, por vários motivos. “Por um lado, a cidade precisa de uma galeria de exposições. Em segundo lugar, era uma pena ‘esquecer’ um edifício com tanta qualidade. Finalmente, a recuperação desta igrejinha trará mais vida e movimento a uma zona de Moura que fica um pouco fora do centro. Apesar de, fisicamente, estar perto da praça principal”, elenca Santiago Macias. De pequena dimensão, mas de “grande beleza e equilíbrio formal”, a igreja do Convento do Espírito Santo será preservada ao máximo no contexto do projeto de arquitetura. É que, segundo o seu autor, arquiteto Vítor Mestre, “o edifício já tem arquitetura de sobra”, lembra o vereador, sublinhando que não há memória de quando a igreja terá deixado de ser usada para o culto religioso. A partir do verão, passará assim a ter uma função mais consentânea com a dignidade do imóvel e dos frescos que alberga. E que, segundo especialistas em História de Arte como Joaquim Oliveira Caetano e Vítor Serrão, poderão ter sido pintados na primeira metade do século XVII pelo artista Francisco Lopes, natural de Beja mas radicado em Moura desde muito jovem. A intervenção, com um custo estimado de 279 mil euros euros, é financiada pelo Inalentejo (85 por cento) e pela Câmara Municipal de Moura (15 por cento).

PUB

Rua Afonso III, 43 - Apt.340 * 7801-904 Beja * Geral: 284 326 111 * Peças: 284 312 312 * Serviço: 284 312 313


A Associação de Defesa do Património de Mértola (ADPM) organiza um ciclo de encontros sobre agricultura, em Mértola, e o primeiro acontece já na quarta-feira, 20. Em debate vai estar “Remuneração do sequestro de carbono pelo controlo de matos sem mobilização do solo”, que terá Helena Martins, da Terraprima, como preletora. No mesmo dia discute-se ainda “Compostagem na exploração agrícola”, que contará com a presença de João Penacho, da Escola Superior Agrária de Beja.

Ligação direta entre Sines e África do Sul A Mediterranean Shipping Company (MSC), grupo armador suíço, inicia este mês um serviço direto com escalas semanais regulares a partir de Sines para os portos da Cidade do Cabo, Coega e Durban, na África do Sul. A companhia de navegação realiza,

sul-africana, passa a ser de 13 dias, sendo de 16 e 18 dias para os portos de Coega e Durban, respetivamente. A nova ligação para o país do sul de África permitirá também uma redução dos tempos de trânsito para os portos moçambicanos de Maputo, Beira e Nacala, servidos a partir de Sines por este serviço da MSC.

Agricultores do Baixo Alentejo com posições distintas

Diploma do Governo

EDIA preenche requisitos legais para gerir rede de rega

Smartshops encerram

O Governo informou que a empresa do Alqueva preenche os requisitos legais para gerir aproveitamentos hidroagrícolas, como a rede secundária do projeto, considerando que a decisão de lhe atribuir a concessão da infraestrutura é a melhor atualmente.

A

Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA) preenche os requisitos previstos no regime jurídico de constituição e gestão dos aproveitamentos de fins múltiplos, aprovado por decreto-lei de 2007, refere a Secretaria de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, em comunicado. A Secretaria de Estado reafirma a convicção do Governo de que a decisão de concessionar a rede secundária de rega do Alqueva à EDIA até 2020 é a que, atualmente, melhor defende o interesse do País e dos regantes, ou seja, concluir o projeto até 2015 e garantir o fornecimento de água aos seus utilizadores com qualidade e a preço compatível com o desenvolvimento do regadio. A informação do Governo surge após a PUB

atualmente, um serviço semanal com partida do porto de Sines em direção à África do Sul com transbordo em Las Palmas (Canárias), o qual irá passar a ser direto a partir de dia 20 deste mês. Com a reformulação deste serviço o tempo de trânsito entre o porto alentejano e a Cidade do Cabo, capital legislativa

11 Diário do Alentejo 15 março 2013

ADPM organiza ciclo de encontros de agricultura

Federação Nacional de Regantes de Portugal (Fenareg) e a Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (Faaba) terem anunciado a intenção de processar o Estado para impedir a concessão da rede secundária do Alqueva à EDIA, o que consideram ilegal. Segundo as federações, a gestão pela EDIA é ilegal, porque a lei atribui às organizações de agricultores a gestão dos blocos de rega da rede secundária do Alqueva, que é constituída pelas infraestruturas de captação, adução e distribuição de água entre as albufeiras do sistema global de rega e a entrada das explorações agrícolas situadas nos perímetros de rega. A Associação de Agricultores do Baixo Alentejo (AABA) congratulou-se, no entanto, com a concessão da rede secundária do Alqueva à empresa gestora do projeto até 2020, porque defende a gestão global do empreendimento “por uma única entidade”. “A AABA regozija-se com a decisão do Governo de conceder a gestão da rede secundária de rega” do projeto à Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do

Alqueva (EDIA), disse à Lusa o presidente da associação, Francisco Palma. Segundo o responsável, a AABA, que representa “mais de 40 mil hectares de regadio de pequenos e grandes agricultores beneficiados pelo Alqueva”, “sempre defendeu a gestão global do empreendimento do Alqueva por uma única entidade”. “A EDIA, pelo excelente trabalho que tem vindo a desenvolver na conceção, na construção, na exploração e na rentabilização do projeto Alqueva, merece a concessão”, disse. A rede secundária do Alqueva é composta pelas infraestruturas de distribuição de água entre as albufeiras do sistema global de rega e a entrada das explorações agrícolas situadas nos perímetros de rega. A decisão do Governo “rompe com o modelo institucionalizado de gestão dos aproveitamentos hidroagrícolas por associações de regantes”, que foi idealizado no “século passado”, quando “os perímetros de rega nada tinham a ver com os atuais, muito menos com os do Alqueva”, e tem sido “muito pouco eficiente e altamente dependente do erário público”, disse.

O

Governo aprovou um diploma que define as “novas substâncias psicoativas”, considerando-as uma ameaça para a saúde pública, proibe “qualquer atividade” com elas relacionada e determina o “encerramento dos locais utilizados para esses fins”. As novas substâncias contempladas no diploma, refere o comunicado do Conselho de Ministros divulgado, são substâncias que “em estado puro ou numa preparação podem constituir uma ameaça para a saúde pública comparável às substâncias já enumeradas em legislação”. “Fica proibida toda e qualquer atividade, continuada ou isolada, de produção, importação, exportação, publicidade, distribuição, detenção, venda ou simples dispensa das novas substâncias psicoativas. Determina-se ainda o encerramento dos locais utilizados para esses fins”, lê-se no comunicado divulgado no final da reunião do Governo. A nova legislação estende ainda às novas substâncias psicoativas “o âmbito dos programas e estruturas de prevenção, redução de riscos e minimização de danos, de reinserção social e de tratamento do consumo de substâncias psicoativas, dos comportamentos aditivos e das dependências”.


Seminário no IPBeja evidencia raças locais

Diário do Alentejo 15 março 2013

12 PUB

No âmbito do projeto A2 Transfer – Transferência de Novas Tecnologias na Indústria Agroalimentar Andaluzia – Alentejo realiza-se, hoje, sexta-feira, no auditório da Escola Superior Agrária do IPBeja, o seminário “Raças Locais – Marketing e Comercialização”. O evento contará com a presença de peritos na área da produção, comercialização e marketing no setor pecuário das raças locais, bem com a presença de interlocutores do lado da comercialização e marketing.

Odemira apresentou Cartão Jovem Municipal O Município de Odemira apresentou, ontem, aos jovens do concelho o Cartão Jovem Municipal. Segundo a Câmara de Odemira, “com o Cartão Jovem Municipal pretende-se motivar os jovens para o consumo no comércio local e para a participação em atividades sociais, culturais e desportivas”. Destina-se aos jovens

com idades entre os 12 e os 35 anos, residentes no concelho de Odemira há mais de 1 ano. Com a adesão ao Cartão Jovem, poderão beneficiar de um conjunto de isenções e reduções nos serviços municipais e de vantagens e/ou descontos no comércio local ou em entidades exteriores ao concelho. As parcerias com o comércio local e outras entidades serão estabelecidas.

JOSÉ CÂNDIDO CHÍCHARO & FILHO, LDA. Rua D. Afonso III, Ed. Toyota, Apart 76 7800-050 Beja Tel. 351284311410/12 Fax 351 284 311 419 jcctoyota@mail.telepac.pt FRANCISCO FERNANDES (chefe de vendas) Telemóvel +351 961 338 937

André Santana e Leonel Quinta Queimada

Craques da Matemática Leonel Quinta Queimada e André Santana destacaram-se no Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, trazendo para a Escola Secundária D. Manuel I, em Beja, um primeiro e um segundo prémio. Dois craques ao serviço do conhecimento, da aprendizagem e da ciência. E aqui tão perto. Texto Bruna Soares Foto José Serrano

L

eonel Quinta Queimada, 18 anos, e André Santana, 17 anos, são alunos da Escola Secundária D. Manuel I de Beja e têm ainda em comum o gosto pela Matemática e o facto de terem sido premiados no Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, que decorreu em Évora, no primeiro dia do mês. Leonel, que frequenta o 12.º ano, arrecadou o primeiro prémio no jogo “Avanço”. André, por sua vez, que frequenta o 11.º ano, sagrou-se vice-campeão no jogo “HEX”. Neste campeonato, na verdade, disputaram-se seis jogos em que participaram alunos dos três ciclos do ensino básico e do ensino secundário. E entenda-se por jogo matemático “aquele que não possui qualquer mecanismo de sorte ou azar, nem informação escondida”. Recorde-se ainda que estes jogos contaram com a participação de centenas de escolas e de milhares de alunos, conseguindo Leonel e André trazer dois prémios para a Escola Secundária D. Manuel

I e, consequentemente, para Beja e para a região. “Uma honra”, dizem os colegas e professores. O segredo? Só o gosto e o prazer em estudar Matemática. “Esta é mesmo a minha disciplina preferida”, diz André. Enquanto Leonel reforça: “Desde que me lembro que gosto de Matemática”. E contra factos não há argumentos. André concorre aos jogos desde o 5.º ano e já arrecadou um 1.º prémio, três terceiros prémios e um segundo prémio. Leonel conta agora com este primeiro prémio, embora já some outros, mas relacionados com outras disciplinas. “Neste momento tenho 19 valores a Matemática, é uma disciplina que requer mais compreensão do que estudo. Há outras disciplinas que com alguma dedicação facilmente conseguimos acompanhar a matéria. Com a Matemática é diferente. É importante perceber. É um desafio”, considera André. Leonel concorda e reforça: “É uma disciplina que requer muita compreensão e pouca memorização. Gosto do raciocínio matemático e dá-me prazer realizar exercícios e muitas vezes faço-os só porque me apetece e assim também vou treinando”. No primeiro período conseguiu 19 valores a Matemática, mas traz, do 10.º e 11.º, 20 valores. Já têm alguns planos para o futuro, embora ainda não sejam certezas absolutas. André gostaria de seguir Matemática Aplicada e Computação. Leonel está inclinado, embora muitas pessoas lhe digam para seguir Medicina, para optar pela

Física Tecnológica. Ambos, tanto Leonel como André, referem que “o apoio dos professores tem sido fundamental”. Mas estes recusam qualquer tipo de protagonismo, especialmente no que diz respeito ao concurso que os alunos venceram, e garantem: “O mérito é todo deles”. “São dois excelentes alunos, especialmente a Matemática. Adoram e gostam de desafios e têm gosto em ser os melhores. No que diz respeito à prova prepararam-se muito bem e conseguiram alcançar excelentes resultados”, refere Manuel Covas Lima, professor. E considera: “Apenas tentamos dar o nosso melhor diariamente, cumprir com aquilo que nos é solicitado e manter sempre critérios de exigência bem definidos e, neste caso, elevados”. A Escola D. Manuel I de Beja já participa neste campeonato há algum tempo e, segundo Ana Antunes, professora, “não é a primeira vez que alcança bons resultados, mas é a primeira vez que há dois bons prémios”. E relembra: “No Clube da Matemática da escola, por exemplo, para além destes jogos, quando é possível, também realizamos outro tipo de atividades, relacionada com a resolução de problemas e participação em outras ações, tentando sempre incutir o gosto pela disciplina. Na nossa escola também temos a preocupação de desenvolver projetos internacionais para dar uma perspetiva diferente da Matemática e da ciência em geral, onde os alunos têm a oportunidade de, em conjunto com colegas de outras nacionalidades, realizarem trabalhos”.


13 Diรกrio do Alentejo 15 marรงo 2013 PUB


Diário do Alentejo 15 março 2013

14

“O acto de renúncia de Bento XVI, o seu exemplo, quase só possível vindo de um Cardeal com origem alemã, creio que não permitirá que não se aproveite este momento histórico para um rejuvenescer de uma instituição fundamental no equilíbrio do mundo”. João Paulo Ramôa, “Rádio Pax”, 11 de março de 2013

Ã

LEONEL QUINTA QUEIMADA e ANDRÉ SANTANA. Matemática é com eles e quando os números nos afligem tanto, os da dívida, os dos cortes, entre tantos outros, é bom saber que ainda há contas que vale a pena fazer. É que a soma destes dois alunos, que brilharam no Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos, é hoje a contagem do nosso orgulho. Um primeiro e um segundo prémio. Dois, para Beja, para a região. BS

Opinião

TV Rural e Cinema de Animação Bruno Ferreira Humorista

A

maioria parlamentar PSD/ /CDS-PP quer o regresso do mítico programa “TV Rural”. Dizem que é uma forma da RTP cumprir o serviço público. A intenção parece agradar sobretudo ao CDS de Paulo Portas porque, por um lado, significa a promoção da sua tão amada lavoura e, por outro, possibilita-lhe ainda o relançamento da boina de agricultor e dos casacos oleados verde azeitona aos losangos como peças de moda. PCP e BE já vieram criticar a proposta governamental dizendo que se regressar o “TV Rural” terá, também, de retornar o “Cinema de Animação”, espaço dedicado aos desenhos aminados apresentado por Vasco Granja, e durante muitos anos contemporâneo do “TV Rural”. Comunistas e bloquistas consideram que também são serviço público as produções marxisto-experimentalistas importadas por Granja dos países de leste de então, como Polónia, Jugoslávia ou Checoslováquia. Veloso e Granja eram dois nomes incontornáveis da TV portuguesa nos anos setenta e oitenta. Vedetas que hoje em dia seriam chamados de famosos. Se Sousa Veloso terminava o seu programa com um simpático “despeço-me com amizade até ao próximo programa”, Vasco Granja iniciava o seu com um não menos caloroso “olá, amiguinhos”. Excetuando a piscadela de olho do José Rodrigues dos Santos, hoje em dia já não existe esta lisura na televisão portuguesa. Isto apesar de, na altura, as crianças como eu ansiarem desesperadamente pelo fim do “TV Rural” porque ainda era preciso gramar o “70x7” antes de podermos finalmente por o olho no “Tempo dos Mais Novos”. E nesse momento só já era preciso rezar para que o Vasco Granja não trouxesse nenhuma animação do polaco Zaczarowany Olowek. Mas também há coisas boas. Se o “TV Rural” regressar aos ecrãs, podemos ver em versão atual a famosa gafe do engenheiro, quando fazia uma locução em direto na Feira de Agricultura de Santarém, e disse “Reparem senhores espectadores neste avantajado bovino de raça charolesa”. Acontece que nas imagens estava o Presidente da República Américo Thomaz. Se hoje em dia, e na mesma situação, Miguel Relvas estivesse a visitar a feira, Sousa Veloso poderia proferir rigorosamente as mesmas palavras. A gafe só seria uma gafe se nas imagens estivesse o bovino. Voltando aos desenhos animados, já muitos dos leitores com filhos pequenos certamente viram o DVD “O Doce do Mickey” quando, durante uma brincadeira com máscaras de Carnaval, o Mickey profere a pueril exclamação: “O Pluto cagou-se!” Lembro-me de ficar entorpecido, e de ver e rever aquela parte do filme vezes sem conta, embora o meu filho mais velho, na altura com quatro anos, continuasse a ouvir as palavras do Mickey como se de um trecho de uma fábula de La Fontaine se tratasse. Não conhecia o palavrão. Porque os meus filhos são muito bem-educados. Mas certamente teria dado por alguma coisa se fosse cliente da operadora de cabo brasileira Claro TV. É que no mês passado houve uma troca de emissões entre dois canais. O Canal Disney interrompeu a sua emissão e, durante oito segundos, foram emitidas cenas de sexo explícito do

canal Sexy Hot. Ora isto levanta várias questões. Em primeiro lugar, saber quem se queixou primeiro à operadora. Se os pais das crianças que estavam a ver a “Casa do Mickey”, se os espectadores que assistiam à película “O Rabinho dos Bosques” quando viram os seu ecrãs invadidos pelo Pateta e companhia. Mais: e se por acaso o excerto que surgiu a meio do filme porno foi aquele em que o Mickey afirma “O Pluto cagou-se!”? Este facto, por si só, já dá origem a duas queixas: uma pela interrupção do filme, outra por utilização de linguagem desapropriada e atentado ao pudor, por parte do Mickey. E a reação dos filhos que assistiam ao Canal Disney? Sem suspeitarem que daqui a vinte anos irão pagar justamente por aquilo que viram de borla durante oito segundos, muitos deles terão certamente reclamado com os pais. Mas pela interrupção ter sido apenas de oito segundos. Seguramente não lhes passará pela cabeça que esse tempo costuma ser mais do que suficiente para o pai, lá em casa. O que diria Vasco Granja desta história de desenhos animados? O que vale é que em televisão tudo é efémero e rapidamente se esquece. Aliás, quase tudo. Porque o “TV Rural” ainda anda nas bocas do mundo. E por falar nisso despeço-me com amizade, até à próxima crónica.

As ruas

a casa os que no seu anonimato se escondem ligados ao mundo pela televisão e por redes sociais, que os mediando os fazem reféns sem o saberem de si próprios. As mesmas frestas dessas grades mediáticas que antes os impeliram para a Rua, aconchegam-nos da invernia que lá fora prosseguia. Acalmando os versos da canção esta morre. Nada podemos contra os números que nos regem, identificam, vigiam e nos faturam a vida, se de gente numerosa nas ruas apenas quisermos ser. Mas podemos ser a Rua. E desfilar à segunda, à terça, em minha casa e na tua, se mais do que gente numerosa formos gente que quer fazer da fraternidade aquilo que a Grândola pede. Tomar as ruas pelas nossas mãos, para, entre a ajuda mútua e a solidariedade em mil e um aspetos que podemos já hoje pensar e praticar, ajudar a resolver o fim do mês de cada um e de cada vez mais de todos. E aí sim, nas Ruas, a primavera sucede à invernia.

Obrigado papa Bento XVI Manuel António Guerreiro do Rosário Padre

O N

Filipe Nunes Arqueólogo

umerosos vieram para as ruas. Os do costume, mas muitos mais. Entre os novos e os cada vez mais velhos, as ruas transbordaram de rostos, que mais do que a urgência, traduziam a expressão de quem mais nada pode fazer senão do que sair à Rua. Ensinados uma vida inteira, em maior ou menor medida a aguentar, que a aguentar a gente vai lá, submissos e sem levantar o olhar, deparara-se a cada um, mais rápido do que esperavam, a chegada daquele fim do mês sem uma luz ao fundo. Sem saber como pagar, mais do que a ilusão do que já não se tem, o sustento dos filhos e netos. Sobre como viver. Sobreviver. E a rua fez-se de gente numerosa. Nesta corrente o lastro de uma resignada segunda pele dos portugueses teima porém sobre os ombros. Esse fatalismo que paira na cabeça de cada um interpõe-se no caminho de quem decidido sai à rua, por si mesmo e sem cor na lapela. Na precisa altura em que cada um dera a si próprio largas à revolta, ainda que por vezes somente expressa num cartão onde não há limites para resgatar e escrever a (im)possibilidade de (sobre)viver. Em muitos deles utópica, radical, destruindo para construir. Mas a marcha afastava esses ecos, e numerosos desfilaram num passo cada vez mais mudo, abafando essa riqueza assim expressa pelo compasso ensaiado de uma única reivindicação e solução única, de um governo que cai e outro mais que quer entrar. A esperança que nasce nas ruas sem fim à vista desembocava no beco dos costumes e dos costumeiros onde a invenção de um mundo novo não cabe. E o compasso nas ruas fez-se numeroso, mas onde se queria indomável, serenou embalado em versos que não se fizeram para se estar quietos. A semana seguinte acordou revolta no tempo. Invernil e ventoso. Abanava árvores como quem abana gente, convidando desta vez a tormenta a agitar os ares. Recolheram

anúncio da renúncia do papa Bento XVI, feito na primeira pessoa, surpreendeu muitos, entre defensores e detratores, e tornou-se assunto de primeira página em grande parte da comunicação social. Apesar desta possibilidade constar no Código de Direito Canónico, poucos imaginariam que ela fosse posta em prática, e logo por este papa. Na verdade, a falta de objetividade de tantas notícias, associada a outras razões e interesses, mais ou menos velados, transmitiu deste homem uma imagem pouco positiva, que o tempo e alguns gestos ao longo do seu pontificado foram redimensionando, revelando-se então o verdadeiro rosto deste homem tímido e humilde, mas firme e decidido de timoneiro da “barca de Pedro”. Os Homens são todos diferentes e os papas não fogem à regra. Entre Bento XVI e João Paulo II havia muitas diferenças, mas unia-os o grande amor pela Igreja e pela Humanidade, e o desejo de uma profunda renovação da Igreja, para poder cumprir com autenticidade a sua missão de ser sinal do amor de Deus por nós seres humanos. Uma outra tónica comum foi o compromisso de trabalharmos juntos para tornar mais humano, justo e fraterno o Mundo em que vivemos. Apesar da brevidade deste pontificado (menos de oito anos), ele deixa marcas profundas que a história, se no presente lhe não for feita justiça, confirmará: a aposta no diálogo com crentes e não crentes; a confiança na razão e no diálogo entre esta e a fé; a renovação das estruturas da Igreja e a firmeza no combate aos erros e desvios, etc. Em pouco tempo este digno sucessor de Pedro fez muito, sem nunca se deixar deslumbrar pela tentação do poder, antes reconhecendo e afirmando sempre a sua condição de servo, que veio para servir, pelo que, sentindo ser ingente a renovação da Igreja e poucas as forças para tão hercúlea missão, com humildade e grandeza de alma, entendeu ter chegado a hora de passar o testemunho. Obrigado papa Bento XVI pela sua ousadia e clarividência.


FERREIRA DO ALENTEJO e MOURA estão a reabilitar o seu património. Uma ermida e uma igreja, com novos usos e de portas abertas à população. Ao serviço da arte. Utilidade? Uma galeria e um museu. Uma ermida e uma igreja. Reabilitadas, conservadas e, sobretudo, preservadas, para que a memória, a identidade e o património, o rico património, não se perca. BS

Há 50 anos Aquilino “expulsou-se” do Seminário de Beja...

“P

or iniciativa de um grupo de amigos e admiradores, a que logo ofereceu a sua preciosa adesão a Sociedade Portuguesa de Escritores, começa hoje a festejar-se, com o descerramento do retrato a óleo do escritor, na sede daquele organismo, o cinquentenário da vida literária do eminente e consagrado homem de Letras que é Mestre Aquilino Ribeiro.” Assim começava a Nota do Dia, intitulada “Homenagem a um grande escritor”, não assinada, que abria a primeira página da edição de 9 de março de 1963 do “Diário do Alentejo”. O autor do texto não poupava elogios ao escritor: “Homenagem justíssima a um dos mais brilhantes cultores da Língua Pátria, esta que, em boa hora, foi projectada ao autor de ‘Quando os lobos uivam’. Homenagem que, envolvendo o mais vernáculo dos escritores portugueses, não pode deixar de dar o braço à admiração que a todos merece o homem ‘que não tem cedido uma polegada da sua integridade moral e intelectual a conveniências e oportunismos’. Trata-se, até, de uma verdadeira consagração de amplitude nacional ao grande mestre ‘escultor’ da literatura portuguesa.” O artigo narrava depois um episódio menos conhecido: “A cidade de Beja está estreitamente ligada à adolescência de Aquilino Ribeiro, pois aqui tomou a sua vida uma directriz diferente daquela que familiares e parentes lhe pretendiam imprimir”. E cita um excerto do, na altura inédito, livro “Um escritor confessa-se”, onde Aquilino revela a pretensão que teve de seguir a carreira jornalística: “– Então, quer ser jornalista? É um ofício como outro qualquer, mas não é tão fácil como parece. E poderemos perguntar-lhe com que títulos se abona? – Nenhuns. – Nenhuns, é boa! Não tem o curso do liceu, ou de qualquer escola? – Acabo de sair do seminário. Andava no 2.º ano de Teologia... – Ah! Ah! Saiu então do seminário? Por falta de vocação...? – Sim senhor, não tinha vocação absolutamente nenhuma. – Mandaram-no embora? – Quer V. Ex.ª dizer, expulsaram-se? A bem dizer, expulsei-me eu...” O articulista do vespertino revelava então: “Pois bem. O seminário que Aquilino referia era o de Beja. Transferido de idêntico estabelecimento de ensino de uma cidade do Norte, para aqui veio, em 1902, e aqui, por um acto de irreverência, interrompia para sempre os seus estudos eclesiásticos.” É caso, hoje, para concluir que o Seminário de Beja perdeu uma vocação mas Portugal ganhou um grande escritor... Carlos Lopes Pereira

Â

O Governo decretou o encerramento das SMARTSHOPS. Em Beja tem-se multiplicado o número de casos de adolescentes que, depois de consumirem substâncias psicoativas, se sentem mal, tendo ido alguns, inclusive, para o hospital. Uma ameaça para a saúde pública, já se sabia. A decisão só peca por tardia. BS

15 Diário do Alentejo 15 março 2013

Ã

Para esta lei, é repugnante que um autarca se mantenha num cargo para além de um determinado período, a menos que se mova democraticamente uns quilómetros para o lado. De acordo com a lei que diz “de”, um autarca pode deter o cargo de presidente de câmara por três mandatos – ou seja, durante 12 anos. A lei que diz “da” limita os mandatos autárquicos a três por município. Como há 308 municípios em Portugal, um autarca fica limitado a 924 mandatos. Uma vez que cada mandato dura quatro anos, em teoria um autarca só consegue manter-se no poder durante 3 696 anos seguidos, findos os quais terá de ir procurar emprego na sociedade civil. Ricardo Araújo Pereira, “Visão”, 7 de março de 2013

Cartas ao diretor O padre Fatela merecia mais Manuel Aires Beja

No dia 24 de maio de 2012 faleceu o padre Joaquim Fatela, em Ferreira do Alentejo, num pobre asilo de velhos, gerido por uma instituição da Igreja Católica, liderado pelo padre Moreira, que tem outras valências em Santa Clara do Louredo (Boavista), Albernoa e ainda noutros sítios espalhados pelo País. Nunca a cidade de Beja se apercebeu da grandeza do padre Joaquim Fatela, um homem da Beira Baixa, que chegou ao Alentejo no ano de 1953, de onde nunca mais saiu, tendo criado, desenvolvido e deixado uma grande obra de assistência e solidariedade humana, que acabou por se auto destruir em virtude de circunstâncias várias que agora, e por enquanto, não vêm aqui à coação, mas as mais significativas residem naqueles que beneficiaram do seu amparo e que não souberam, ou pior, não quiseram honrar a instituição Casa do Estudante e o seu fundador que morreu de forma anónima, depois de passar os últimos anos de vida naquele asilo, onde o visitei por várias vezes e saía de lágrimas nos olhos, tal o desconforto em que o via e sentia contrariado. A velhice e a doença é aquilo que o Homem tem como recompensa por não findar muito cedo, e a morte como “prémio” por ter vivido, independentemente da sua condição material, profissional, política e social. Quando o padre Fatela começou a apresentar sinais de doença e avanço na idade, ele tinha condições mais que suficientes para ter um tratamento de excelência dentro da sua instituição Casa do Estudante/Quinta da Saúde, e não ser chutado para um asilo de velhos que não tinha o mínimo de condições para cuidar de um sacerdote da envergadura intelectual e moral do padre Fatela, que foi colega de estudos numa universidade de Colónia, na Alemanha, do cardeal Ratsinger, atual papa Bento XVI, que acaba de resignar, não estando na disposição de aturar, compreender e perdoar tantos escândalos do clero, nobreza e povo dos comungantes da doutrina cristã nos mais distantes países do Planeta, onde a Igreja Católica “reina” há mais de 20 séculos, mas que dá sinais de implodir, devido aos inimigos internos, como disse Bento XVI. Quando vou ao cemitério de Beja – que, diga-se, está mal tratado, sobretudo a zona norte, a mais antiga – à campa da minha mulher acender uma vela e colocar um cravo vermelho, por vezes passo pelo lugar onde está sepultado o padre Fatela, que parece irreconhecível, representado por uma fotografia, vestido com o roupão do asilo dos velhos, enquanto devia estar com o seu trage de sacerdote, de batina e cabeção que

qualificam uma Igreja Católica, Apostólica Romana a quem tanto deu, sem nada pedir em troca, apesar de o senhor bispo de Beja D. Vitalino Dantas ter liderado as exéquias finais. A história do padre Joaquim Fatela está por fazer, mas o seu grande espólio da Casa do Estudante, que é um bem público, tem de ser criteriosamente salvaguardado, avaliado, investigado e posto ao serviço da cidade de Beja, cujas autoridades civis, eclesiásticas, sociais e judiciais não podem simplesmente lavar as mãos e deixar que tudo se degrade, desapareça e caia no esquecimento, que pode servir a alguns, mas não dignifica a memória do padre Fatela.

O caos instalou-se na freguesia de Ervidel Manuel Raposo, Ervidel

Quem circula habitualmente pela Estrada Municipal 527 entre São João de Negrilhos e Ervidel não consegue ficar indiferente ao movimento anormal de carros pesados e ao catastrófico estado em que se encontra esta via; quem por lá passa imagina-se num qualquer país do terceiro mundo e não num país que se diz desenvolvido. Uma via que há poucos anos foi totalmente recuperada pelo município de Aljustrel encontra-se totalmente irreconhecível em vários troços do percurso. A sinalização vertical e horizontal desapareceu. Valetas, bermas e aquedutos destruídos. Quando chove abundantemente assiste-se à formação de bolsas e lençóis de água, como também chega a estar coberta de lama. Os responsáveis são os trabalhos na freguesia de Ervidel relativos ao Plano de Rega do Alqueva, obra a cargo da EDIA. Como se não bastasse a EM 527, a Estrada Nacional 2 entre Ferreira do Alentejo e Ervidel também já se encontra, em alguns troços, em avançado estado de degradação, no entanto, até à data ainda não decorreu qualquer reparação. Se as estradas alcatroadas se encontram neste estado, o leitor não consegue sequer imaginar o estado em que se encontram os caminhos rurais, inteiramente degradados pela passagem constante de máquinas de grande envergadura, muitas vezes impossibilitando os agricultores de terem acesso às suas parcelas. Os responsáveis são os mesmos. Também aqui ainda não existiu vontade de realizar um único melhoramento. No terreno o desrespeito é uma constante, os soterramentos das culturas que estão fora das áreas indemnizadas são diários pelos manobradores de máquinas. Os veículos ligeiros ligados à obra têm por hábito não respeitar os itinerários estabelecidos pelas indemnizações temporárias, abrindo novos caminhos por onde lhes der mais jeito, danificando as

culturas no terreno. É o caos. As reposições dos níveis de terra vegetal (fértil) nas áreas que foram escavadas para a colocação das condutas deixam muito a desejar; em algumas zonas, onde existia terra fértil, passaram a existir pedras. As reposições são sempre tardias, impossibilitando a sua preparação para as novas campanhas. Para nós, pequenos agricultores da freguesia de Ervidel, Alqueva não nos foi proposto mas foi-nos imposto, não nos trouxe nem nos irá trazer, a curto prazo, qualquer benefício. Alguns de nós foram alvo de vergonhosas expropriações, ficando, de futuro, sujeitos ao pagamento de um novo imposto, denominado de taxas de conservação. Incompetência é a palavra adequada para definir os trabalhos na freguesia de Ervidel relativos ao Plano de Rega do Alqueva, a cargo da EDIA. Incompetência da parte de quem gere e de quem executa a obra. O inferno instalou-se definitivamente na freguesia de Ervidel.

Direito de resposta Martins e Bailão Luís de Sousa Barriga Advogado

Arnal Construtora Imobiliária, SA (CAE 43992 – R3), com o NIF 502271787, NISS 20004395707, com sede na av. Miguel Fernandes, n.ºs 17/18, em Beja, por ter sido publicada, na edição de 08/03/2013, pág. 11, no topo da página, a toda a sua largura, uma notícia, com o título “Martins e Bailão surpreende trabalhadores com insolvência”, que contém algumas inexatidões e imprecisões, vem, ao abrigo da Lei de Imprensa, Lei n.º 2 /99, de 13 de janeiro, art.º 24.º e ss, no exercício do direito de resposta e de retificação, requer a publicação, nos termos disciplinados no n.º 3 do art.º 26.º da referida Lei, do seguinte: “Martins e Bailão surpreende trabalhadores com insolvência” Por ter sido publicada notícia com este título, no passado dia 08/03/2012, com algumas imprecisões e inexatidões, esclarece-se: 1. A sociedade comercial Arnal Construtora Imobiliária, SA, com o NIF 502271787, com sede na av. Miguel Fernandes, n.ºs 17/18, em Beja, encontra-se em atividade, prosseguindo a sua atividade comercial; 2. Esta empresa não foi declarada insolvente, nem correm contra si quaisquer outros processos judiciais; 3. Nunca se encontraram nenhuns trabalhadores seus concentrados à porta das instalações na av. Miguel Fernandes, em Beja; 4. Arnal Construtora Imobiliária, SA é pessoa coletiva distinta de Martins e Bailão, Lda, (CAE 43992 – R3), com o NIF 500186952. Com os melhores cumprimentos.


Diário do Alentejo 15 março 2013

16

Reportagem

Município de Beja é, desde 2003, o gestor patrimonial dos edificados

Um inverno “molhado” nos bairros sociais de Beja O tempo passa e é inclemente com as construções dos

D

ulce senta-se na cadeira, ainda esbaforida, de faces rosadas e galochas calçadas. Acaba de ir acudir a uma “emergência”. Acudir é como quem diz. Chega de um prédio com 12 habitações, onde há “água por todos os lados”, por conta do cano de alimentação geral, que deu de si. Como todos ali no Beja II, vulgarmente conhecido por “Bairro Social”, este completa agora 35 anos e o tempo não perdoa. Dulce Ciríaco, funcionária da Associação de Condomínios dos Agrupamentos Habitacionais Beja I e Beja II, foi na verdade inteirar-se da situação, porque não há muito que se possa fazer sem dinheiro. “Estou num grande dilema”, desabafa, reconhecendo que “só a Câmara de Beja é que pode resolver o problema, porque de hoje para amanhã as pessoas não vão arranjar dinheiro para pôr uma coluna nova de alimentação, um investimento que vai para mais de 10 mil euros”. Recorde-se que o município de Beja é, desde 2003, o gestor social e patrimonial dos edificados, dantes pertencentes ao Instituto de Gestão e Alienação do Património Habitacional do Estado (Igaphe). Entre os dois bairros sociais, so-

bairros Beja I e Beja II, a completar 30 e 35 anos, respetivamente. Coberturas sujeitas a infiltrações, pinturas desgastadas e canalizações que dão de si. São muitas e diárias as queixas que chegam à associação de condomínios dos vulgarmente conhecidos como “Texas” e “Bairro Social”, que pouco mais pode fazer do que reencaminhar para a Câmara de Beja, a proprietária, os pedidos de intervenção. Problemas, de ordem física, a que vêm juntar-se outros, de natureza social. Entre reformas miseráveis, desemprego, e alguma marginalidade que mancha, e ofende, o bom nome da maioria. Texto Carla Ferreira Fotos José Ferrolho

mam-se 55 edifícios, num universo de 398 frações habitacionais, como indicam os registos oficiais da autarquia. Destas, 170 mantêm-se propriedade da câmara municipal, tendo as restantes sido adquiridas por particulares. Da experiência que acumulou na associação criada há quatro anos, como uma espécie de “gabinete de

proximidade”, Dulce não pode deixar de notar que esta transferência de património habitacional não é mais do que “um presente envenenado”, considerando que as câmaras “não têm financeiramente condições para fazer um grande acompanhamento”. E assim tem sido. As queixas sucedem-se diariamente e revelam as necessidades mais

prementes: coberturas, pinturas e canalizações, além de outras intervenções de mais pequena monta. A funcionária recorda que, ainda na vigência do Igaphe, foram retiradas as coberturas devido à presença de amianto e aos seus malefícios para a saúde humana. Uma decisão que tem “mais de 15 anos” e que deixou à vista, no topo dos edifícios, uma placa débil que entretanto foi criando musgo e abrindo fissuras, originando infiltrações que afetam sobretudo os moradores dos andares cimeiros. “Há aí casos lastimáveis, muito mesmo. Pessoas que não estão descansadas em sua casa, ao longo do inverno; veem-se obrigadas a pôr baldes ou sacos de plástico para se proteger da água”, conta. Na rua, os “casos” ganham rosto. Atravessando as “traseiras” do bairro, uma espécie de terreno baldio onde a associação juvenil Arruaça – que ali desenvolveu trabalho de intervenção social ao longo de cinco anos – chegou a improvisar um campo de futebol, chegamos à rua principal, a Pablo Neruda, onde se alinham as associações, cada uma com o seu café. Na Dadores de Sangue de Beja, cinco homens entretêm-se a jogar rami ao início da tarde, aproveitando o aconchego da esplanada

coberta. José Candeias Canena, com 80 anos e uma reforma de 332 euros, lembra a promessa de coberturas novas e de uma pintura geral, feita já lá vão “três anos”. Também ele sofre com a humidade entranhada em todas as divisões da casa, que habita desde o ano inaugural, 1978. E queixa-se das “constipações e outro tipo de doenças que isso traz, sobretudo às pessoas já de uma certa idade”, que são muitas. Ao lado, João Barbeiro, de 43 anos, faz uma pausa no jogo para vincar o que considera ser “um dos grandes problemas do bairro”. João, cuja esposa explora o bar da associação desde há cinco anos, não é morador mas passou a ser presença frequente no bairro e denuncia o que vê. “Nesta rua em frente às associações os carros passam com excesso de velocidade. Há crianças a brincar nos passeios porque não têm espaços próprios para isso, e qualquer dia alguma ainda é atropelada ao atravessar. Não há passadeiras, nem bandas para que os carros abrandem”, lamenta. Os colegas de cartas assentem. E José Canena acrescenta a falta de “espaços verdes”, dando o exemplo do campo de futebol que, se arranjado, “podia ser um sítio


Diário do Alentejo 15 março 2013

17

Requalificação no Bairro Social já está adjudicada para as crianças se entreterem”. Na entrada traseira do n.º15 da Pablo Neruda, várias mulheres gozam a tarde de sol, sentadas nos degraus da escadaria ou em cadeiras de plástico levadas de casa. Um convívio a fazer lembrar o ambiente de aldeia, não fosse a arquitetura suburbana que lhes serve de cenário. Em vez de valetes e damas, preferem trocar impressões sobre o dia, exorcizar contrariedades, atualizar novidades. Ana Rubio, 56 anos, acaba de regressar do café que explora no centro da cidade, onde labuta desde as sete da manhã. O que a espera em casa não é, de todo, simpático, e talvez por isso não demonstra grande pressa de deixar o convívio das vizinhas. Desde há dois meses que a casa de banho da vizinha de cima desagua literalmente no teto da sua, disseminando-se pelas paredes. “Se vou usar a sanita ou tomar banho, tenho que arranjar um guarda-chuva, porque a água cai-me em cima”. É uma “situação completamente descontrolada”, lamenta-se, fazendo notar que já informou “os engenheiros da câmara” mas que nenhuma resolução foi tomada entretanto. A vizinha de cima é proprietária do imóvel, mas não se mostrou disposta a custear a obra; Ana Rubio é arrendatária, e vive com o marido doente, que tem de rendimento uma reforma de 290 euros, e um filho desempregado. Não tem, decididamente, meios para fazer face ao investimento. A situação de Maria Leonor Sobral é ainda mais grave. Há dois anos que está impedida de tomar duche na própria casa de banho – usa a casa da filha e a piscina municipal, nos dias em que tem natação – e não poupa críticas

à câmara municipal, que acusa de discriminação. “Para uns têm materiais, para outros não têm”, denuncia, indignada, notando que lhe fizeram arranjos na cozinha para lhe “taparem a boca” e que considera ofensiva a alternativa que lhe terá sido sugerida pelos serviços municipais: que usasse os balneários públicos. No rol de queixosas do n.º 15, aparece também Inesia Catita, que ocupa o rés-do-chão do prédio há menos de um ano. Mudou-se de um terceiro piso, no mesmo bairro, para dar mais mobilidade ao marido, a quem foram amputadas ambas as pernas. Mas as poucas escadas que se interpõem entre a entrada principal do edifício e a porta de casa continuam a ser uma barreira intransponível para o casal, de idade avançada. “Precisávamos de uma rampa”, pede Inesia, chorosa, lamentando a “prisão” do marido, que “não pode sair de casa”. “Texas”: mais fama que proveito

Mais pequeno e mais novo cinco anos (foi construído em 1983) o bairro Beja I, que os bejenses conhecem por “Texas”, ganha em aspeto ao vizinho Bairro Social – as fachadas e os espaços públicos não denotam tanta degradação – mas falta-lhe a “vida” que vai pulsando nas associações, nos cafés, nos encontros de rua entre vizinhos. Os blocos sucedem-se, de traseiras viradas para uma espécie de praceta, onde foram plantadas umas árvores espinhosas e erguidos pequenos muros azuis que formam degraus. Mas não há vivalma que ali se sente, e não é pelo dia feio, que ameaça com temporal. “Seria bom se fizessem, por exemplo, um quiosque aqui no meio. Até as

A

s obras de requalificação de edifícios no Beja II (vulgo Bairro Social) “aguardam apenas a disponibilização das verbas previstas na candidatura aprovada pelo Instituto da Habitação e da Reabilitação Urbana (IHRU) há mais de um ano”. É o que fez saber publicamente a Câmara de Beja, ainda em fevereiro, reagindo a uma informação veiculada pelo deputado do PCP eleito por Beja, segundo a qual o IHRU, através do seu presidente, teria dado a entender que a referida candidatura não tinha sequer sido apresentada. A informação municipal vai mais longe e refere mesmo que “todo o processo de adjudicação está concluído” e que “a empresa que irá realizar as obras já foi, por isso, selecionada”. Ao “Diário do Alentejo”, o presidente do executivo, Jorge Pulido Valente, explicou que já teve ocasião de esclarecer o “malentendido” com o presidente do IHRU, confirmando a aprovação da candidatura “no início de 2012” e informando sobre as novas regras do processo que entretanto lhe foram transmitidas. “Era uma candidatura para verbas a fundo perdido e passa a ser um empréstimo, o que tem encargos para a câmara e não tem nada a ver com o contrato inicial”, lamenta. A intervenção, que “rondará os 300 mil euros”, consiste na “recuperação das coberturas em seis blocos de apartamentos, pinturas de fachadas e colocação de estendais”, especifica o presidente da Câmara de Beja, que dá conta de várias obras por “administração direta” que entretanto têm vindo a ser feitas, entre substituições de tubagens e renovações de cozinhas e casas de banho. O problema que se coloca, conclui, “é que são muitas casas, com muitos problemas, de construção antiga e de pouca qualidade, o que nos obriga a ter, permanentemente, equipas nestes bairros a fazer obra e mesmo assim não conseguimos dar conta de tudo”. CF

pessoas saíam de casa e vinham para aqui. Assim, metem-se no prédio e fecham a porta. É cada um na sua casa e pronto”, sugere Luís Silva, de 37 anos e a residir no bairro desde os 15. Enquanto nos serve de “guia”, ouvem-se vozes lá do outro lado. São miúdos e parecem estar a provocá-lo, talvez tentando chamar a atenção das “visitas”. Luís ignora. Houve coisas que mudaram. Deu-se um clique quando lhe morreu o pai, há dois anos. “Abri a cabeça, tenho outro pensar, tive que abrir os olhos”, confessa. E admite,

orgulhoso, que se desenvencilhou das garras da droga “há bastante tempo” e que “nem pensa em tal”. Tanto mais que está radiante com o seu novo projeto de vida. Há três meses atrás, assinou o seu “primeiro contrato de trabalho” com a Santa Casa da Misericórdia de Beja, através de um protocolo com o Instituto da Droga e da Toxicodependência. Está a dinamizar a horta da instituição, primeiro para autoabastecimento e, num segundo passo, com o intuito de distribuir os excedentes por famílias carenciadas. “Este projeto

caiu-me do céu, parece que foi Deus que me chamou”, diz, admitindo que “há bastantes problemas” no bairro, “conflitos por coisas estúpidas”, mas que prefere manter-se fora disso. Gosta de ali viver, “não mudaria”. E para que tudo fosse perfeito, só faltava mesmo “pintar os prédios e arranjar os esgotos, que de vez em quando entopem”. Dulce Ciríaco, que lida diariamente com os problemas dos moradores na associação de condomínios de ambos os bairros sociais, é também moradora no Beja I. Sabe que o rótulo de “Texas” não é inocente mas considera que é mais a fama do que o proveito. “As pessoas falam mais do que aquilo que realmente acontece. Inicialmente, houve problemas entre as famílias que vieram do bairro da Esperança. Ouvia-se falar em tiros, em facadas. Mas isso depois passou, eles começaram a entender-se. O resto sempre foi um bairro calmo; todos se falam, todos se conhecem, quando alguém tem um problema toda a gente ajuda, se puder”, argumenta. Mas os casos pontuais de alguma cultura de marginalidade mantêm-se. Nomeadamente o fenómeno da criação de cães perigosos, avisa Dulce, lembrando a morte recente de uma criança, sobre a qual tudo ou quase tudo já foi dito. E a verdade é que, não só não se tratou de um caso isolado, como nem sequer se pode alegar que foi surpresa, conclui a funcionária: “É do conhecimento da PSP e é do conhecimento da câmara municipal que no Beja I há cães destes, ensinados para morder. Eles sabem onde é que estão, quais são as casas, porque vínhamos já há algum tempo alertando para isso”.


Torneio Sub/16 Feminino em Beja

Diário do Alentejo 15 março 2013

18

A Seleção Sub/16 feminina da AF Beja vai participar no Torneio Interassociações de Futebol de 7 que se realizará em Castelo Branco, entre os dias 18 e 22 de março. A seleção bejense jogará com Viseu (19/3) e Aveiro (20/3) na primeira fase da prova.

Desporto

Futebol juvenil Campeonato Distrital de Iniciados (19.ª jornada): Ourique-Serpa, 2-1; Amarelejense-Milfontes, 1-2; Odemirense-Moura, 3-0; Despertar-Guadiana, 5-0; Rio de Moinhos-Sporting Cuba, 5-0. Folgaram Vasco da Gama e Bairro da Conceição. Líder: Moura, 44 pontos. Próxima jornada (17/3): Serpa-Vasco da Gama; Milfontes-Ourique; Moura-Amarelejense; Guadiana-Bairro Conceição; Sporting Cuba-Despertar. Folgam o Rio de Moinhos e o Odemirense.

Dia Internacional da Mulher A Juventude Desportiva das Neves, através da sua secção de Marcha P’ra Saúde, promove, na manhã do próximo domingo, a 3.ª Caminhada do Dia Internacional da Mulher (12 quilómetros). As inscrições são gratuitas e as atividades iniciam-se às 8 e 30 horas.

Taça Distrito de Beja em Juniores (final): Despertar-Vasco da Gama Vidigueira, 3-1.

Aljustrelense acompanha Castrense na despromoção

Campeonato Distrital de Seniores Femininos (3.ª volta/16.ª jornada): Vasco da Gama-Serpa, 1-6; CB Almodôvar-Ourique, 0-19. Folgaram Odemirense e CB Castro Verde. Líder: CB Castro Verde, 34 pontos. Próxima jornada (16/3): Odemirense-CB Castro Verde; Serpa-Almodôvar. Folgam Vasco da Gama e Ourique.

O Vasco da Gama já fez história...

Campeonato Distrital de Futsal (18.ª jornada): Desportivo Beja-IPBeja, 6-1; Ferreirense-Vasco da Gama, 2-3; Luzerna-NS Moura, 5-8; Safara-Vila Ruiva, 6-8; Barrancos-ADVNSão Bento, 5-5; Almodovarense-Alcoforado, 3-2. Folgou o Baronia. Líder: Baronia, 44 pontos. Próxima jornada (15/3): Vasco da Gama-Luzerna; NS Moura-Safara; Vila Ruiva-Barrancos; ADVNSão Bento-Almodovarense; Alcoforado-Baronia; IPBeja Ferreirense. Folga o Desportivo de Beja

O Moura e o Vasco da Gama da Vidigueira seguem em frente para a fase de apuramento do campeão e qualificação para o novo campeonato nacional de seniores, mas, qualquer deles, ainda corre risco de descida.

Campeonato Nacional de Iniciados (2.ª fase 7.ª jornada): Lagos-Desportivo de Beja, 2-2. Folgou o Despertar. Líder: Louletano, 47 pontos; 2º Despertar, 39. 7º Desportivo Beja, 8. Próxima jornada (17/3): Louletano-Desportivo Beja; Despertar-Lusitano Vila Real.

Texto e foto Firmino Paixão

T

erminada a primeira fase do Nacional da 3.ª Divisão, o momento é para se fazerem as contas finais. Faltava apurar uma equipa para completar o lote dos seis primeiros classificados. Sesimbra, Vasco da Gama e Aljustrelense estavam em condições de garantir esse lugar, assim se conjugassem as combinações favoráveis a cada um deles. Conhecida, desde muito cedo, a desvantagem do Sesimbra, em Vila Real de Santo António, e com Vasco da Gama empatado, em Moura, era o Aljustrelense (a ganhar em Castro Verde desde os 46’ de jogo) a equipa qualificada. Mas um golo do Castrense, no quarto dos seis minutos de compensação dados pelo árbitro, repôs a igualdade no marcador e a equipa de Aljustrel foi atirada para a segunda metade da tabela, apurando-se o Vasco da Gama da Vidigueira. Circunstâncias penalizadoras do futebol, ou melhor, de quem abdica de certos princípios de jogo, em detrimento do antijogo. A consequência mais visível é a despromoção do Aljustrelense, que se junta ao Sesimbra, Vila Real, Castrense, Monte Trigo e Lagoa, classificados entre o 7.º e o 12.º lugar. Na metade oposta, liderada pelo União de Montemor, e composta ainda pelo Moura, Reguengos,

Campeonato Nacional de Juvenis (2.ª fase 6.ª jornada): Oeiras-Despertar, 6-0; Louletano-Odemirense, 4-0. Líder: Oeiras, 45 pontos. 7º Despertar, 16. 8º Odemirense, 12. Próxima jornada (7/4): Odemirense-C. Piedade; Despertar-Louletano. Campeonato Nacional de Juniores (2.ª fase 5.ª jornada): Farense-Moura, 4-1. Líder: Farense, 44 pontos. 8º Moura, 8. Próxima jornada (17/3): Louletano-Moura.

3.ª divisão O Aljustrelense teve o pássaro na mão e deixou-o escapar

Lagos, Juventude e Vasco da Gama, vão definir-se as equipas (os dois primeiros de cada uma das sete séries, e os cinco melhores terceiros das séries continentais) que ascenderão ao novo escalão. Os restantes juntam-se às equipas já despromovidas. Para as etapas que se seguem, as equipas transportam metade dos pontos conseguidos na primeira fase. Neste quadro importa sublinhar que o Vasco da Gama da Vidigueira, estreante na competição por via de convite administrativo, enquanto terceiro classificado do distrital da época passada, acaba de escrever uma gloriosa página na sua história, independentemente do que lhe vier a acontecer no resto da competição.

Campeonato Distrital de Benjamins 2.ª fase/1.ª jornada (16/3): Odemirense-Despertar; NS Beja-Castrense; Ferreirense-Santo Aleixo.

3.ª Divisão – Série F 22.ª jornada Lusitano VRSA-Sesimbra ..................................................3-0 Monte Trigo-Esp.Lagos.....................................................3-1 Lagoa-Atl Reguengos ...................................................... 0-0 Moura-Vasco da Gama ..................................................... 0-0 Castrense-Aljustrelense ................................................... 1-1 Descanso: Juv Evora-U.Montemor U.Montemor Moura Esp.Lagos Atl Reguengos Juv Evora Sesimbra Aljustrelense Vasco da Gama Monte Trigo Lusitano VRSA Castrense Lagoa

J

V

E

D

21 21 21 21 20 20 21 21 21 22 21 22

14 11 10 10 8 7 6 5 5 5 5 1

6 9 8 7 7 6 7 8 5 5 5 5

1 1 3 4 5 7 8 8 11 12 11 16

G

43-14 42-13 32-18 27-15 27-23 23-27 17-18 23-28 21-35 21-32 21-36 18-56

P

48 42 38 37 31 27 25 23 20 20 20 8

Piense e Rosairense qualificados para a final da Taça Distrito

Rosairense outra vez na final 1.ª Divisão – AF Beja 20.ª jornada

Almodôvar Odemirense Praia Milfontes Serpa Piense Rosairense Aldenovense Sp. Cuba Cabeça Gorda São Marcos Desp. Beja Bairro da Conceição Guadiana Amarelejense

J

V

E

D

20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20

15 13 13 11 9 8 8 7 5 5 2 3 4 3

4 4 3 7 6 6 6 6 7 3 8 5 1 2

1 3 4 2 5 6 6 7 8 12 10 12 15 15

G

48-20 36-19 45-20 42-22 34-21 32-26 35-24 23-19 34-28 16-45 19-34 15-39 18-44 16-52

P

49 43 42 40 33 30 30 27 22 18 14 14 13 11

Próxima jornada (17/3/2013): Odemirense-Praia Milfontes, Serpa-Rosairense, Aldenovense-São Marcos, Amarelejense -Bairro da Conceição, Desp. Beja-Guadiana, Almodôvar-Cabeça Gorda, Sp. Cuba-Piense.

Campeonato Distrital de Juvenis (10.ª jornada): Despertar-Castrense, 2-2; Aljustrelense-Serpa, 3-0; Moura-Almodôvar, 1-0. Folgou o Desportivo de Beja. Líder: Desportivo Beja, 22 pontos. Próxima jornada (17/3): Serpa-Despertar; Castrense-Desportivo Beja; Moura-Aljustrelense. Folga o Almodôvar.

Os dois finalistas da Taça Distrito de Beja, em seniores, Piense e Rosairense, foram encontrados através da marcação de grandes penalidades. Texto Firmino Paixão

C

om as equipas que vão marcando a agenda competitiva do campeonato distrital fora da Taça Distrito, na refrega das meias-finais compareceram quatro formações com tradição na prova. O Aldenovense, um histórico, recebeu o Piense, a quem a prova não é de todo estranha, e, numa latitude mais ao sul, o Rosairense que, pelo terceiro ano consecu-

tivo, tem a via verde para a final. Recebeu o místico “Ferróbico”. As partidas terminaram empatadas (2/2 em Vila Nova e 1/1 no Rosário), sendo os finalistas encontrados através de marcação de grandes penalidades (4-5 para o Piense, 4-3 para o Rosairense). A final realiza-se no dia 5 de maio na cidade de Beja (se a tradição ainda se mantiver). No próximo domingo regressa o campeonato, com a realização da 21.ª jornada, com o seguinte quadro de jogos dos quais se destaca a dérbi do Rio Mira: Odemirense-Milfontes, Serpa-Rosairense, Aldenovense-São Marcos, Amarelejense-Bairro da Conceição, Almodôvar-Cabeça Gorda e Sporting de Cuba-Piense.

Campeonato Distrital de Infantis 2.ª fase/1.ª jornada (16/3): Alvito-Amarelejense; Despertar B-Despertar A; Almodôvar-Odemirense. Taça Joaquim Branco – Benjamins 1.ª jornada (16/3) Série A: Vasco Gama-Ferreirense; Sporting Cuba-Alvito; Moura-Serpa; Desportivo Beja A-Piense. Série B: Aljustrelense-Desportivo Beja B; Ourique-Almodôvar; Milfontes-Renascente; CB Beja-Despertar B. Taça Dr. Covas Lima – Infantis 1.ª jornada (16/3) Série A: Piense-CB Beja; Aldenovense-Sporting Cuba; B.º Conceição-Desportivo Beja; Moura-Serpa; Vasco Gama-Ferreirense. Série B: Alvorada-NS Beja; Renascente-Milfontes; Castrense B-Castrense A; Guadiana-Aljustrelense.

Andebol em Beja Zona Azul e Oriental jogam amanhã (17 horas), no Pavilhão de Santa Maria, em Beja, a partida correspondente à 1.ª jornada da 2.ª fase do Campeonato Nacional da 3.ª Divisão Seniores Masculinos. O Redondo, a segunda equipa alentejana em competição, desloca-se a Lagoa.

Um golo de Ana Capeta no triunfo de Portugal A selecção nacional sub/19 feminina bateu a Suíça por 4/1 em jogo particular disputado na passada terça-feira no Estádio Municipal de Castro Verde. Um dos golos da equipa nacional foi apontado pela aljustrelense Ana Capeta, jogadora da Casa do Benfica de Castro Verde. As duas selecções voltaram a encontrar-se no dia de ontem na cidade de Beja.


Hoje palpito eu...

19

João Mansinhos

Diário do Alentejo 15 março 2013

O

Vencedores da Taça Distrito procuram ganhar a Supertaça

Não há duas, sem três... Uma semana depois de conquistar o título distrital de juniores, o Despertar Sporting Clube ganhou a Taça Distrito de Beja, e amanhã lutará pela conquista da Supertaça. Texto e foto Firmino Paixão

O

Despertar Sporting Clube conquistou a Taça Distrito de Beja na categoria de juniores, batendo a formação do Vasco da Gana da Vidigueira (3/1) na final realizada no Estádio dr. Amado de Aguilar, em Cuba. A equipa bejense, liderada por João Mansinhos, disputa amanhã, em Ferreira do Alentejo, de novo com o Vasco da Gama (segundo classificado do campeonato), a Supertaça da categoria e, ganhando, iguala a proeza do Moura Atlético Clube na época anterior, cuja equipa de junio-

res conquistou os três troféus. Luís Mestre, presidente do Despertar, reconheceu: “Foi uma boa época, começámos mal, mas terminámos da melhor forma, penso que esta é a 12.ª vitória consecutiva, ainda temos a oportunidade de ganhar a Supertaça, obviamente que queremos juntar mais um troféu ao currículo desta equipa, para concluirmos a temporada da melhor forma”. Perspetivando o futuro destes jogadores o líder do Despertar lembrou: “Esta equipa é muito promissora, terminámos o jogo apenas com dois jogadores de segundo ano em campo, os restantes eram de primeiro ano e alguns juvenis. Isto deixa-nos boas perspetivas para o próximo campeonato nacional de juniores. Estamos com uma boa fornada de atletas, temos que aproveitar este plantel recheado de bons jogadores para conseguirmos uma boa prestação no campeonato nacional”.

Luís Mestre avaliou positivamente o trabalho do emblema bejense na área da formação e revelou: “Estou pela sexta época no clube, já fiz contas aos campeonatos distritais que ganhámos, fora taças e outros troféus, e este foi o 16.º campeonato que conquistámos nesse período e nos vários escalões de formação, e a época ainda não terminou, estamos ainda em condições de vencer mais este ano. O clube tem feito um trabalho brilhante”. O Despertar tem assegurada a manutenção dos iniciados no escalão nacional, nos juvenis ainda se luta por esse desígnio e, ao nível dos escalões mais novos, tem três equipas nas fases finais dos respetivos campeonatos. Na próxima temporada espera-se então um campeonato promissor na segunda divisão nacional e na temporada de 2014/2015 anuncia-se o regresso do futebol sénior.“Essa é a nossa ideia”, assegurou o presidente do Despertar.

Louredense, Ficalho e Saboia na frente só com vitórias

Candeia que vai na frente... Jogou-se a segunda jornada da Taça Fundação Inatel e, naturalmente, que será um pouco cedo para projeções, mais ou menos, especulativas, mas três dos líderes já têm o pleno dos pontos. Texto Firmino Paixão

A

s afirmações de Louredense, Ficalho, Saboia e Aldeia de Fernandes comandam as respetivas séries da segunda fase da Taça Fundação Inatel, todas invictas, mostrando já alguma supremacia sobre os restantes opositores. O Troféu Agência também cumpriu a segunda ronda e, à semelhança da competição anterior, o Brinches, o Sanjoanense e o Santa Clara-a-Nova venceram nas duas jornadas, mas o Naveredondense e o Pedrógão também ainda não perderam. TAÇA FUNDAÇÃO INATEL – 2.ª FASE (2.ª JORNADA) Grupo A: Relíquias-Vale d’Oca, 1-2; Fernandes-Amoreiras

Gare, 2-0. Folgou o Luso Serpense. Líder: Fernandes, 4 pontos. Próxima jornada (16/3): Luso Serpense-Fernandes; Amoreiras Gare-Relíquias. Folga o Vale d’Oca. Grupo B: Louredense-Luzianes Gare, 2-1; Jungeiros-Milfontes, 2-0. Folgou o Penedo Gordo. Líder: Louredense, 6 pontos. Próxima jornada (16/3): Penedo Gordo-Jungeiros; Milfontes-Luzianes Gare. Folga o Louredense. Grupo C: Malavado-Saboia, 0-2; Albernoense-Santa Vitória, 2-0. Folgou o Serrano. Líder: Saboia, 6 pontos. Próxima jornada (16/3): Serrano-Albernoense; Santa Vitória-Malavado. Folga o Saboia. Grupo D: Santaclarense-Beringelense, 4-0; Ficalho-Salvadense, 3-0. Folgou o Trindade. Líder: Ficalho, 6 pontos. Próxima jornada (16/3): Trindade-Ficalho; Salvadense-Santaclarense. TROFÉU AGÊNCIA DE BEJA – 1.ª FASE (2.ª JORNADA): Grupo E: São Matias-Mombeja, 0-3; Brinches-Quintos, 2-1. Folgou o AC Cuba. Líder: Brinches, 6 pontos. Próxima jornada (16/3): AC Cuba-Brinches;

Quintos-São Matias. Folga o Mombeja. Grupo F: Faro do Alentejo-Figueirense, 2-2; Pedrógão-Neves, 2-0. Folgou o Alvorada. Líder: Pedrógão, 4 pontos. Próxima jornada (16/3): Alvorada-Pedrógão; Neves-Faro Alentejo. Folga o Figueirense. Grupo G: Boavista Pinheiros-Alcariense, 0-1; Sanjoanense-Soneguense, 5-3. Folgou o Santa Luzia. Líder: Sanjoanense, 6 pontos. Próxima jornada (16/3): Santa Luzia-Sanjoanense; Soneguense-Boavista Pinheiros. Folga o Alcariense. Grupo H: Almodovarense-Pereirense, 2-0; Santa Clara-a-Nova-Cercalense, 3-0. Folgou o Cavaleiro. Líder: Santa Clara-a-Nova, 6 pontos. Próxima jornada (16/3): Cavaleiro-Santa Clara-a-Nova; Cercalense-Almodovarense. Folga o Pereirense. Grupo I: Colos-Naveredondense, 3-3; Sete -Campo Redondo, 3-1. Folgou o Bemposta. Líder: Naveredondense, 4 pontos. Próxima jornada (16/3): Bemposta-Sete; Campo Redondo-Colos. Folga o Naveredondense.

convidado de hoje, nesta rubrica, é oriundo de uma família cujo apelido se associa facilmente ao futebol, tal a notoriedade que atingiram alguns dos praticantes. Recordamos, apenas, Eduardo Mansinhos, figura incontornável do futebol bejense, com uma enorme paixão clubista pelo Despertar Sporting Clube. Mas o João fez-se jogador no Desportivo de Beja e na Zona Azul. Já como atleta sénior voltou a vestir a camisola do Desportivo, antes de fazer um périplo por diversos clubes da região, que lhe enriquece o currículo, senão vejamos: representou o Despertar, Cabeça Gorda, Alvorada de Ervidel, Sporting de Cuba (clube pelo qual confessa sentir especial simpatia), Beringelense, Desportivo das Neves, Vasco da Gama da Vidigueira e o Bairro da Conceição. Quando enveredou pela carreira de treinador estreou-se no banco do Bairro da Conceição, mas ainda orientou o Neves, Penedo Gordo, Sporting de Cuba, Desportivo de Beja, Barrancos e o Despertar. Atualmente, com 51 anos, o João Mansinhos treina a equipa de juniores do Despertar Sporting Clube que, já esta época, levou à conquista do título distrital e da Taça Distrito de Beja. E amanhã tem mais uma final, a Supertaça. Um treinador com carisma!

(1) ODEMIRENSE/MILFONTES Trata-se de um dérbi do concelho de Odemira com implicações nos primeiros lugares da tabela. O fator casa será determinante. (1) SERPA/ROSAIRENSE Um jogo entre duas formações muito competitivas, em que a maior experiência da equipa da casa vai prevalecer. (1) ALDENOVENSE/SÃO MARCOS São equipas de recursos diferentes. O Aldenovense é mais forte e vencerá com alguma facilidade. (X) AMARELEJENSE/B.DA CONCEIÇÃO Uma partida entre duas equipas que estão em posições muito difíceis na tabela e ambas procurarão pontuar. (1) DESPORTIVO DE BEJA/GUADIANA O Desportivo de Beja precisa de vencer este jogo para ganhar alguma tranquilidade. Torço pela vitória dos bejenses. (1) ALMODÔVAR/CABEÇA GORDA O líder não terá uma tarefa fácil, mas não vai facilitar. É favorito. (1) SPORTING DE CUBA/PIENSE O Sporting de Cuba é um clube de que gosto muito, além de pensar que a equipa têm qualidade para chegar à vitória.


Grande Prémio Carlos Gradiz em Cuba

Diário do Alentejo 15 março 2013

20

Realiza-se, na tarde de amanhã, na vila de Cuba o “11.º Grande Prémio de Atletismo Carlos Gradiz”, prova que homenageia o antigo atleta e dinamizador da modalidade no concelho. A competição, organizada pelo município de Cuba, disputa-se a partir das 15 horas, com partida no largo Cristóvão Cólon.

LISTA DE EQUIPAS PARTICIPANTES Carmim/Tavira; Rádio Popular/Onda LA Alumínios/Antarte Efapel/Glassdrive Louletano/Dunas Douradas Cartaxo/C.C. JM Nicolau Anicolor

Liberty Seguros/S.M.Feira/KTM Maia/Bicicletas Andrade OFM/Quinta da Lixa Bontrager Cycling Team (USA) Team Optum (USA) Cycling Team The Rijke/Shanks (HOL)

Rabobank Development Team (HOL) Bank BGZ Team (POL) Alpha Baltic/UnityMarathons (LTV) Etixx/Ihned (CZE) Lokosphinx (RUS); Zappi’s Pro Cycling Team (GBR)

19 equipas e 130 ciclistas

Todas as voltas da Alentejana A 31.ª edição da Volta ao Alentejo em Bicicleta vai para a estrada na próxima quarta--feira. O pelotão, que integra 10 equipas nacionais e nove estrangeiras, terá cerca de 130 ciclistas.

clismo no Alentejo começa em Castelo de Vide e termina em Santiago do Cacém. Pelo meio terá 15 Metas Volantes e oito contagens para o Prémio de Montanha. A tirada mais extensa será a ligação entre Vidigueira e Mértola (174,6 quilómetros), e a mais curta liga um circuito entre Santo André e Santiago do Cacém (135,4 quilómetros). Fecha o certame e glorifica os vencedores das diversas classificações (geral individual, classificação por pontos, prémio da montanha, juventude e equipas).

E porque os anteriores vencedores da prova já rareiam no atual pelotão (Sérgio Ribeiro, vencedor em 2006, pode ser a exceção), é de crer que a prova manterá a sua singularidade de um vencedor diferente em cada edição. A Volta ao Alentejo é uma organização da Lagos Sports/ PAD e da Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (Cimac), apoiada p e l a s aut a rq u i a s d o Alentejo. O roteiro da prova fica aqui já disponível para os amantes da modalidade.

1.ª Etapa (20/3) Castelo de Vide/Marvão 167 quilómetros

2.ª Etapa (21/3) Sousel/Portel 172,1 quilómetros

3.ª Etapa (22/3) Vidigueira/Mértola 174,6 quilómetros

4.ª Etapa (23/3) Ourique/Odemira 153,3 quilómetros

5.ª Etapa (24/3) Santo André/Santiago do Cacém 135,4 quilómetros

Partida simbólica da praça D. Pedro V (11 e 20 horas), Alpalhão (11 e 49), Crato – Meta Volante (12 e 10), Alter do Chão (12 e 28), Cabeço de Vide (12 e 43), Vaiamonte (12 e 58), Monforte – Meta Volante (11 e 10), barragem do Caia (13 e 52), Degolados – Meta Volante (14 e 52), Arronches (14 e 34), Portalegre (15 e 04), Monte Paleiros – PM 3.ª Cat. (15 e 21), Alvarrões, (15 e 25), São Salvador da Aramenha (15 e 30), Portagem (15 e 32), Jardim (15 e 34), Marvão – PM 2.ª Cat. (15 e 40).

Partida simbólica junto ao complexo desportivo municipal (11 e 20), Vanda da Porca (11 e 42), Borba (12 e 13), Vila Viçosa – Meta Volante (12 e 21), Bencatel (12 e 27), Redondo – Meta Volante (12 e 49), Falcoeiras (13 e 19), Caridade (13 e 25), Reguengos de Monsaraz – Meta Volante (13 e 31), Monsaraz – PM 3.ª Cat.(13 e 55), cruzamento Mourão/Luz (14 e 17), Póvoa de São Miguel (14 e 43), Barragem do Alqueva (15 e 12), Portel Meta da rua da Vidigueira (15 e 48).

Partida simbólica junto ao terminal rodoviário (11 e 20 horas), Cuba (11 e 54), Vila de Frades (12 e 7), Vidigueira – Meta Volante (12 e 11), Pedrógão (12 e 38), Mina da Orada (12 e 48), Serpa – Meta Volante (13 e 19), Santa Iria (13 e 28), Vale dos Mortos (13 e 49), Vale do Poço (13 e 56), Mina de São Domingos (14 e 11), Moreanes (14 e 22), Mértola – Meta Volante (14 e 37), Penilhos (15 e 22), São João dos Caldeireiros (15 e 32), Mértola Meta na avenida dos Bombeiros (15 e 51).

Partida simbólica da avenida 25 de Abril (11 e 20 horas), Castro Verde – Meta Volante (11e 48), Aljustrel – Meta Volante (12 e 22), Alvalade (12 e 54), Furnalhas Novas (13 e 13), Bicos (13 e 20), Silveiras (13 e 35) Espadanal (13 e 42), Cercal (13 e 43), Brunheiras (14), Longueira (14 e 18), Almograve (14 e 21), Cavaleiro (14 e 31), Porto das Barcas (14 e 45), Zambujeira do Mar – Meta Volante (14 e 49), Portas de Transval (15 e 14), Odemira Meta na estrada da circunvalação (15 e 19).

Partida simbólica na avenida de Sines/ parque central (11 e 50 horas), Aldeia Nova Santo André (12), Escatelares (12 e 7), Santiago do Cacém, PM 4.ª Cat.(12 e 11), Santa Cruz (12 e 16), cruzamento Deixa-o-Resto (12 e 20), Brescos (12 e 33), Vila Nova Santo André/Avenida de Sines (12 e 49), Escatelares (12 e 46), Santiago do Cacém – PM 4.ª Cat. 2.ª pass. Meta (13), Vila Nova Santo André/avenida de Sines - Meta Volante (13 e 33), Santiago do Cacém PM 4.ª Cat. 3ª pass. Meta (13 e 44), Vila Nova Santo André/ avenida de Sines – Meta Volante (15 e 6), Santiago do Cacém PM 4.ª Cat.(15 e 23).

Texto Firmino Paixão

C

inco etapas, mais de 800 quilómetros para percorrer em cinco dias, num percurso exigente e desenhado entre o nordeste e o litoral alentejano. A grande festa do ciAS VOLTAS DA VOLTA

23 e 24 de março

PUB

6.ª Volta a Almodôvar em Bicicleta

A

6.ª Volta ao Concelho de Almodôvar em Bicicleta, prova organizada pela Câmara de Almodôvar e pela Casa do Benfica local, realiza-se a 23 e 24 de março, com três etapas, duas em linha e um crono escalada. A tirada inaugural tem partida em Almodôvar, passagem por Aldeia dos Fernandes, A-doNeves, Almodôvar, Dogueno MV, Corte Figueira, Atalaia-PM/ Prémio Montanha, Pico do Mú-PM, Fontes Ferrenhas, Curvatos, Almodôvar, Santa Clara-a-Nova e Santinha-PM. No dia seguinte, domingo, correm-se duas etapas, logo pela manhã a crono escalada, com início na sede do concelho e passagem pela estrada de São Sebastião, Azinhaga do Poço de Ourique e chegada a Santo Amaro. À tarde cumpre-se um circuito de 10 voltas entre a variante do Poço de Ourique e Santo Amaro, com o final previsto para as 17 e 20 horas. A corrida é destinada a ciclistas com a categoria de masters.

Opiniões desportivas José Saúde

Há quase três décadas, primeiro no jornal “O ÁS” depois no “Diário do Alentejo”, ressalvando pontuais circunstâncias em que o meu contributo não foi possível, que semanalmente subscrevo opiniões desportivas, sublinho, opiniões, que resvalam para temáticas onde o fenómeno é tratado com capital dignidade. No espólio dos conteúdos esmiuçados de um velho baú, sobressai a lei da verdade literalmente explícita. Na longa maratona como jornalista, sempre primei pela dignidade de uma informação isenta e direcionada para um público generalista que faz o favor de obsequiar-me com singelas referências. Uma opinião é somente uma narrativa individual que visa, claramente, transmitir ao leitor detalhes de um mundo onde proliferam variadíssimas compreensões. Não se trata de uma explanação sucinta do acontecimento visualizado, mas a sua generalização. A universalidade do jornalismo é uma paixão ardente, saliento. Porém, jamais me deixei absorver em pressupostas tentações desvirtuando o sentido nato da realidade. Reconheço que o clubismo ofusco de certa gente leva o dirigente, quiçá supremo, em distorcer a infalibilidade relatada. Mistura a árvore com a floresta, baralha-se, incomoda-se, concluindo da sumária opinião uma guerra aberta, dele, claro, trazendo à tona da sua presumível destreza uma arma aguçada que tende apoquentar um dos já poucos resistentes do jornalismo desportivo regional bejense. Engana-se o casual aventureiro. Na parte que me toca, sempre soube erguer a bandeira da liberdade. O meu passado e presente é sobejamente reconhecido. Não me apresento como vendilhão de um templo perdido. Respeito e sou respeitado. Ainda assim, há sempre um inteligente na orla de um adensado mato que deturpa o raciocínio da prosa e toca a zurzir no cogitado inimigo. Amigos destes, dispenso. Estes inteligentes, eruditos de saberes imaginariamente ancestrais, são personagens que jamais farão parte das minhas opiniões desportivas. Ponto final.


institucional diversos Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

21 Diário do Alentejo 15 março 2013

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

CENTRO DE PARALISIA CEREBRAL DE BEJA

ACOS ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES SUL

ASSEMBLEIA-GERAL ORDINÁRIA Nos termos estatutários, convoco a AssembleiaGeral da ACOS - Associação de Agricultores Sul para uma reunião ordinária a ter lugar pelas 14.30 horas do dia 28 de Março do corrente ano, no auditório da Expobeja, com a seguinte ordem de trabalhos: Apreciação e votação do Relatório de Contas da Direcção e Parecer do Conselho Fiscal, relativos ao Exercício de 2012; Eleição dos Cor pos Sociais para o triénio 2013/2015; Beja, 12 de Março de 2013 NOTA: Se à hora marcada para a primeira convocatória se não verificar o “quorum” suficiente para o funcionamento da Assembleia, fica desde já convocada a Assembleia para funcionar em segunda convocatória pelas 15.00 horas, qualquer que seja o número de associados presentes.

CONVOCATÓRIA Nos termos da lei e dos Estatutos, convoca-se a Assembleia Geral Ordinária do Centro de Paralisia Cerebral de Beja, para o próximo dia 28-03-2013, pelas 17h00 (dezassete horas), na sede do Centro de Paralisia Cerebral de Beja, na Rua Cidade de S. Paulo, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Aprovação do Relatório e Contas do ano 2012 Se às 17h00 (dezassete horas) não estiver presente a maioria dos sócios a Assembleia Geral fica desde já convocada para as 18h00 (dezoito horas) do mesmo dia 28-03-2013, e no mesmo local, funcionando e deliberando com os sócios presentes conforme estabelecido nos estatutos. Beja, 12 de Março de 2013. A Presidente da Assembleia Geral Ana Rosa Soeiro Fernandez da Silva

O Presidente da Mesa da Assembleia-Geral Dr. Rui Manuel Veríssimo da Conceição Conduto Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

ASSOCIAÇÃO HUMANITÁRIA DOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS VIDIGUEIRA

FARPIBE / MURPI

ASSEMBLEIA-GERAL ORDINÁRIA EDITAL Conforme estabelecido na alínea c) do nº 2 do art. 41 dos Estatutos, convoco a reunião da Assembleia Geral Ordinária, para o dia 25 de Março de 2013, SegundaFeira, pelas 20H30m na sede da Associação, na estrada da Circunvalação, nesta vila, com a seguinte ORDEM DE TRABALHOS: 1. Leitura,discussão e aprovação da Acta da Reunião anterior. 2. Apresentação e votação do relatório e Contas de Gerência respeitantes ao ano 2012, e do parecer do Conselho Fiscal. 3. Outros assuntos de interesse da Associação. Nota – Não estando presentes, o número legal de sócios à hora marcada, a Assembleia funcionará com qualquer número de sócios, MEIA HORA depois, como determina o nº 1 do artº 43 dos Estatutos. Vidigueira, 5 de Março de 2013.

FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE REFORMADOS, PENSIONISTAS E IDOSOS DO DISTRITO DE BEJA

CONVOCATÓRIA

VENDE-SE Nossa Senhora das Neves Casa térrea a precisar de obras, com 80 m2 de construção e 198 m2 área descoberta. Bom preço. Contactar tms. 96278650 ou 967318516

Convoca-se os associados da Federação das Associações de Reformados, Pensionistas e Idosos do Distrito de Beja, para a Assembleia Geral e Eleitoral a realizar na Casa da Cultura, em Beja, no próximo dia 9 de Abril, pelas 10h30, com a seguinte Ordem de Trabalhos: 1. Apresentação, discussão e votação do Plano de Actividades e Orçamento para 2013; 2. Apresentação, discussão e votação do Relatório de Actividades e Contas de 2012; 3. Eleição dos Órgãos Sociais para o triénio 2013/2015 Nota: Caso não esteja presente o número legal de sócios à hora marcada, a Assembleia funcionará meia hora mais tarde, com qualquer número de presenças. Beja, 9 de Março de 2013. O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Francisco Manuel Chícharo Baptista Garcia

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Nuno Alfredo Cordeiro Pelúcia

VENDE-SE Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

Camião em bom estado, marca Mercedes Benz, 153 000km, equipado com tesoura tribasculante, travão eléctrico e conjunto de taipais duplos. Contactar tm. 919379873

SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE VILA ALVA CERCIBEJA

CONVOCATÓRIA Nos termos do artigo 45º, do ponto 2 do Código Cooperativo, convocam-se todos os Sócios efectivos da CERCIBEJA para uma Assembleia Geral Ordinária no dia 27 de Março de 2013, pelas 16:00 horas nas Instalações da CERCIBEJA, sito na Quinta dos Britos, com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto único: Apresentação e votação do relatório de contas e atividades da Cercibeja de 2012. Se à hora marcada não estiver o número de sócios legalmente estabelecido para o seu funcionamento, a Assembleia, começará uma hora depois (17:00) com qualquer número de presentes. Beja, 12 de Março de 2013. O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Paula Pinto Mendes

CONVOCATÓRIA Convocam-se todos os membros da Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Vila Alva, para uma Assembleia Geral Ordinária, a realizar no próximo dia 28 de Março de 2013, pelas 20 horas, no edifício do Centro Cultural de Vila Alva, com a seguinte ordem de trabalhos: Período antes da ordem do dia: 1. Apresentação e discussão do Relatório e Contas do ano de 2012 seguido de votação: 2. Outros assuntos do interesse para a Misericórdia; Se à hora marcada não estiverem presentes mais de metade dos irmãos, a Assembleia reunirá meia hora depois, em segunda convocatória desde que estejam presentes pelo menos um quarto dos irmãos. Vila Alva, 01 de Março de 2013. O Presidente da Mesa da Assembleia Geral lzalindo João Corchado Marques


saúde

22 Diário do Alentejo 15 março 2013

Análises Clínicas

Medicina dentária

Psicologia

Dr.ª Heloisa Alves Proença Médica Dentista

Dr. Fernando H. Fernandes Dr. Armindo Miguel R. Gonçalves

Exclusividade em Ortodontia (Aparelhos) Master em Dental Science (Áustria) Investigadora Cientifica - Kanagawa Dental School – Japão Investigadora no Centro de Medicina Forense (Portugal)

Cardiologia

Vários Acordos

Fisioterapia

(Diplomada pela Escola Superior de Medicina Dentária de Lisboa)

Consultas de 2ª a 6ª

Rua Bernardo Santareno, nº 10 Telef. 284326965 BEJA

DR. JOSÉ BELARMINO Clínica Geral e Medicina Familiar (Fac. C.M. Lisboa) Implantologia Oral e Prótese sobre Implantes (Universidade de San Pablo-Céu, Madrid)

CONSULTAS EM BEJA 2ª, 4ª e 5ª feira das 14 às 20 horas

Drª Elsa Silvestre

Fisioterapia

Drª M. Carmo Gonçalves

Tratamentos de Fisioterapia Classes de Mobilidade Classes para Incontinência

Marcações de consultas de 2ª a 6ª feira, entre as 15 e as 18 horas Rua Dr. Aresta Branco, nº 47 7800-310 BEJA Tel. 284326728 Tm. 969320100

Urinária Reeducação do Pavimento

Reabilitação Pós Mastectomia

EM BERINGEL Telef 284998261 6ª e sábado das 14 às 20 horas

meio aquático

Estomatologista (OM) Ortodontia

ALI IBRAHIM

Seguros/Acidentes

Psiquiatra no Hospital de Beja

Marcações pelo 284322446;

Consultas às 6ªs feiras a partir das 8:30 horas na Policlínica de S. Paulo Rua Cidade S. Paulo, 29 Marcações pelo tel. 284328023 BEJA

Fax 284326341

CLÍNICA MÉDICA ISABEL REINA, LDA.

Assistente graduado de Ginecologia e Obstetrícia

R. 25 de Abril, 11 cave esq. – 7800 BEJA

Obstetrícia, Ginecologia, Ecografia

DR. MAURO FREITAS VALE

Marcações pelo tel.

CONSULTAS 2ªs, 3ªs e 5ªs feiras

Prótese/Ortodontia

284323028

Luís Payne Pereira

Praça Diogo Fernandes, nº11 – 2º Tel. 284329975

Hospital de Beja Doenças de Rins e Vias Urinárias

BEJA

Terapia da Fala

Terapeuta da Fala VERA LÚCIA BAIÃO Consultas em Beja CLINIBEJA – 2.ª a 6.ª feira Rua António Sardinha, 25, r/c esq.

Rua António Sardinha, 3 1º G 7800 BEJA

Urologia

Dr. José Loff

Médico Dentista Consultas em Beja Clínica do Jardim

Consultas às 6ªs feiras na Policlínica de S. Paulo Rua Cidade S. Paulo, 29

FRANCISCO FINO CORREIA

MÉDICO

MÉDICO UROLOGISTA RINS E VIAS URINÁRIAS

Consultório Rua Capitão João Francisco Sousa 56-A 1º esqº 7800-451 BEJA Tel. 284320749

Clínica Dentária

UROLOGISTA

FERNANDO AREAL Consultor de Psiquiatria

AURÉLIO SILVA

Marcações pelo telefone 284321693 ou no local

Rua Zeca Afonso, nº 16 F Tel. 284325833

Psiquiatria

Medicina dentária

MÉDICO DENTISTA

Consultas segundas, quartas, quintas e sextas

Cirurgia Maxilo-facial

7800- 544 - BEJA

(Edifício do Instituto do Coração, frente ao Continente)

Marcações pelo telef. 284328023 Estomatologia

Ginecologia Obstetrícia Assistente Hospitalar

Rua Manuel António de Brito nº 4 1ºFte

Urgências Prótese fixa e removível Estética dentária Cirurgia oral/ Implantologia Aparelhos fixos e removíveis VÁRIOS ACORDOS

Multicare, Allianze,

de trabalho, A.D.M., S.A.M.S.

TERESA ESTANISLAU CORREIA

e.mail:

PARADELA OLIVEIRA

Medis, Advance Care,

clinidermatecorreia@ gmail.com

Urologia Acordos com A.D.S.E., CGD,

DR. JAIME LENCASTRE

FAUSTO BARATA

Psiquiatria

Dermatologia

Consultas às 4ª feiras tarde e sábado MARCAÇÃO DE CONSULTAS: Diariamente, dias úteis: Tel: 218481447 Lisboa 4ª feiras: 14h30 – 19h Tel: 284329134 Beja

Oftalmologista pelo Instituto Dr. Gama Pinto – Lisboa Assistente graduada do serviço de oftalmologia do Hospital José Joaquim Fernandes – Beja

Rua Capitão João Francisco de Sousa, 56-A – Sala 8 Marcações pelo tm. 919788155

MÉDICA DERMATOLOGISTA

CÉLIA CAVACO

Psicologia Clínica

Hidroterapia/Classes no

Ginecologia/Obstetrícia

Rua António Sardinha,

Acordos com: ACS, CTT, EDP, CGD, SAMS. Marcações pelo telef. 284325059 Rua do Canal, nº 4 7800 BEJA

Psicologia Educacional

JOSÉ BELARMINO, LDA.

Cardiologistas

25r/c dtº Beja

Oftalmologia

Médico Especialista pela Ordem dos Médicos

Generalista

Clinipax Rua Zeca Afonso, nº 6-1º B – BEJA

Drª Ana Teresa Gaspar

DR. A. FIGUEIREDO

e Ministério da Saúde

Dr. Carlos Machado

CLÍNICA MÉDICA DENTÁRIA

LUZ

Médico oftalmologista

Marcações a partir das 14 horas Tel. 284322503

Pélvico

Especialistas pela Ordem dos Médicos e pelo Hospital de Santa Marta Assistentes de Cardiologia no Hospital de Beja Consultas em Beja Policlínica de S. Paulo Rua Cidade de S. Paulo, 29 Marcações: telef. 284328023 - BEJA

JOÃO HROTKO

Obesidade

CONSULTAS DE OBESIDADE

MÉDICO ESPECIALISTA EM CLÍNICA GERAL/ MEDICINA FAMILIAR

Fisiatria

- Assistente de Cardiologia do Hospital SAMS

Chefe de Serviço de Oftalmologia do Hospital de Beja

GASPAR CANO

Centro de Fisioterapia S. João Batista

Rua General Morais Sarmento. nº 18, r/chão Telef. 284326841 7800-064 BEJA

RUI MIGUEL CONDUTO Cardiologista

MARIA JOSÉ BENTO SOUSA e LUÍS MOURA DUARTE

Clínica Geral

Técnica de Prótese Dentária

Oftalmologia

Especialista pela Ordem dos Médicos

CONSULTAS às 3ªs e 4ªs feiras, a partir das 15 horas MARCAÇÕES pelos telfs.284322387/919911232 Rua Tenente Valadim, 44 7800-073 BEJA

FERNANDA FAUSTINO

CONSULTAS 5ªs feiras CARDIOLUXOR Clínica Cardiológica Av. República, 101, 2ºA-C-D Edifício Luxor, 1050-190 Lisboa Tel. 217993338 www.cardioluxor.com Sábados R. Heróis de Dadrá, nº 5 Telef. 284/327175 – BEJA MARCAÇÕES das 17 às 19.30 horas pelo tel. 284322973 ou tm. 914874486

DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO

Rua Manuel Antó António de Brito n.º n.º 6 – 1.º 1.º frente. 78007800-522 Beja tel. 284 328 100 / fax. 284 328 106

Horários das 8 às 18 horas; Acordo com beneficiários da Previdência/ARS; ADSE; SAMS; CGD; MIN. JUSTIÇA; GNR; ADM; PSP; Multicare; Advance Care; Médis FAZEM-SE DOMICÍLIOS Rua de Mértola, 86, 1º Rua Sousa Porto, 35-B Telefs. 284324157/ 284325175 Fax 284326470 7800 BEJA

HELIODORO SANGUESSUGA

Directora Clínica da novaclinica

Laboratório de Análises Clínicas de Beja, Lda.

Neurologia

Marcações de 2.ª a 6.ª feira a partir das 14 horas Rua Capitão João Francisco de Sousa, n.º 20 7800-451 BEJA Tel. 284324690

Tm. 962557043

Consultas: de segunda a sexta-feira, das 9 e 30 às 19 horas Rua de Mértola, nº 43 – 1º esq. Tel. 284 321 304 Tm. 925651190 7800-475 BEJA

Cirurgia Vascular

HELENA MANSO CIRURGIA VASCULAR TRATAMENTO DE VARIZES Convenções com PT-ACS CONSULTÓRIOS: Beja Praça António Raposo Tavares, 12, 7800-426 BEJA Tel. 284 313 270 Évora CDI – Praça Dr. Rosado da Fonseca, 8, Urb. Horta dos Telhais, 7000 Évora Tel. 266749740

Otorrinolaringologia

DR. J. S. GALHOZ Ouvidos,Nariz, Garganta Exames da audição Consultas a partir das 14 horas Praça Diogo Fernandes, 23 - 1º F (Jardim do Bacalhau) Telef. 284322527 BEJA


saúde

Manuel Matias – Isabel Lima – Miguel Oliveira e Castro – Jaime Cruz Maurício Ecografia | Eco-Doppler Cor | Radiologia Digital Mamografia Digital | TAC | Uro-TC | Dental Scan Densitometria Óssea Nova valência: Colonoscopia Virtual Acordos: ADSE; PT-ACS; CGD; Medis, Multicare; SAMS; SAMS-quadros; Allianz; WDA; Humana; Mondial Assistance. Graça Santos Janeiro: Ecografia Obstétrica Marcações: Telefone: 284 313 330; Fax: 284 313 339; Web: www.crb.pt Rua Afonso de Albuquerque, 7 r/c – 7800-442 Beja e-mail: cradiologiabeja@mail.telepac.pt

CENTRO DE IMAGIOLOGIA DO BAIXO ALENTEJO ECOGRAFIA – Geral, Endocavitária, Osteoarticular, Ecodoppler TAC – Corpo, Neuroradiologia, Osteoarticular, Dentalscan Mamografia e Ecografia Mamária Ortopantomografia

António Lopes – Aurora Alves – Helena Martelo – Montes Palma – Maria João Hrotko – Médicos Radiologistas – Convenções: ADSE, ACS-PT, SAD-GNR, CGD, MEDIS, SSMJ, SAD-PSP, SAMS, SAMS QUADROS, ADMS, MULTICARE, ADVANCE CARE Horário: de 2ª a 6ª feira, das 8 às 19 horas e aos sábados, das 8 às 13 horas Av. Fialho de Almeida, nº 2 7800 BEJA

Telef. 284318490 Tms. 960284030 ou 915529387

Dr. Sidónio de Souza – Pneumologia/Alergologia/ Desabituação tabágica – H. Pulido Valente Dr. Fernando Pimentel – Reumatologia – Medicina Desportiva – Instituto Português de Reumatologia de Lisboa Dr.ª Verónica Túbal – Nutricionismo – H. de Beja Dr.ª Sandra Martins – Terapia da Fala – H. de Beja Dr. Francisco Barrocas – Psicologia Clínica/Terapia Familiar – Centro Hospitalar do Baixo Alentejo. Dr. Rogério Guerreiro – Medicina preventiva – Tratamento inovador para deixar de fumar Dr. Gaspar Cano – Clínica Geral/ Medicina Familiar Dr.ª Nídia Amorim – Psicomotricidade/Educação Especial e Reabilitação Dr. Sérgio Barroso – Especialista em Oncologia – H. de Beja Drª Margarida Loureiro – Endocrinologia/Diabetes/ Obesidade – Instituto Português de Oncologia de Lisboa Dr. Francisco Fino Correia – Urologia – Rins e Vias Urinárias – H. Beja Dr. Daniel Barrocas – Psiquiatria – Hospital de Évora Dr.ª Lucília Bravo – Psiquiatria H.Beja , Centro Hospitalar de Lisboa (H.Júlio de Matos). Dr. Carlos Monteverde – Medicina Interna, doenças de estômago, fígado, rins, endoscopia digestiva. Dr.ª Ana Cristina Duarte – Pneumologia/ Alergologia Respiratória/Apneia do Sono Dr.ª Isabel Santos – Psiquiatria de Infância e Adolescência/Terapeuta familiar – Centro Hospitalar do Baixo Alentejo Dr.ª Paula Rodrigues – Psicologia Clínica – Hospital de Beja Dr.ª Luísa Guerreiro – Ginecologia/Obstetrícia Dr. Luís Mestre – Senologia (doenças da mama) – Hospital da Cuf – Infante Santo Dr. Jorge Araújo – Ecografias Obstétricas Dr.ª Ana Montalvão – Hematologia Clínica /Doenças do Sangue – Hospital de Beja Dr.ª Ana Cristina Charraz – Psicologia Clínica – Hospital de Beja Dr. Diogo Matos – Dermatologia – Hospital Garcia da Orta. Dr.ª Madalena Espinho – Psicologia da Educação/ Orientação Vocacional Dr.ª Ana Margarida Soares – Terapia da Fala Dr.ª Maria João Dores – Psicomotricidade/Educação Especial e Reabilitação Enfermeira Maria José Espanhol – Enfermeira especialista em saúde materna/Cuidados de enfermagem na clínica e ao domicílio/Preparação pré e pós parto/amamentação e cuidados ao recémnascido/Imagem corporal da mãe – H. de Beja Marcações diárias pelos tels. 284 322 503 Tm. 91 7716528 | Tm. 916203481 Rua Zeca Afonso, nº 6, 1º B, 7800-522 Beja Clinipaxmail@gmail.com www.clinipax.pt

Clínica Médico-Dentária de S. FRANCISCO, LDA. Gerência de Fernanda Faustino Acordos: SAMS, ADMG, PSP, A.D.M.E., Portugal Telecom e Advancecare

Rua General Morais Sarmento, nº 18, r/chão; TEL. 284327260 7800-064 BEJA

23 Diário do Alentejo 15 março 2013


necrologia diversos

24 Diário do Alentejo 15 março 2013

Luísa da Conceição Neves de Mira Carocinho 26º Ano de Eterna Saudade

Manuel Luís de Mira Martins 19/03/2013 29 Anos de Profunda Saudade Querido filhinho do meu coração, mas que grande saudade, com apenas 22 anos de idade, amor, foste para a eternidade. Quando nos despedimos de ti, meu filhinho, faz 29 anos meu amor, se pensaste alguns segundos nos paizinhos, naquela hora cruel que o destino te marcou e os pais ficaram no mundo sem te poderem salvar, mas se fosse possível meu filhinho os pais corriam os dois e não te deixavam abalar. O mundo escureceu para nós, parece que enlouquecíamos, já não tínhamos o nosso filhinho querido, que nos deu tanto amor, os pais ainda cá ficaram a sofrer tão grande dor. Tuas palavrinhas não esqueço, tuas roupas e pertenças guardo, que ilusão, todas as noites sonho contigo, mas tudo é recordação. Quando sonho contigo, meu filhinho, parece que te estou a ver, mas depois quando acordo e entro na realidade, fico tão triste, por ver que não é verdade. Quando olho para os teus retratos, levo os dias a chorar, foi o que me deixaste filhinho, para eu poder abraçar. Tenho o cérebro tão cansado que penso não aguentar mais, já me vão faltando as forças de tanto chorar e sofrer, é uma dor tão custosa que mais vale a gente morrer. Que Deus te guarde no Céu, é esta a nossa oração, como bom filhinho que foste te guardamos no coração. Que recordações tão lindas nos deixaste meu amor, desde que nasceste até morrer, chorando por elas meu filhinho, é assim que temos de viver. Os pais querem agradecer, do fundo do coração, a todas as pessoas que nos têm acompanhado neste desgosto tão grande e tamanha solidão. A Mãe escreve o que sofre, a dor é no coração, perder-te meu querido filhinho, é viver na escuridão. Nas minhas orações peço a minha Eternidade, que era ir para junto de ti matar tantas saudades. Peço a Deus Nosso Senhor, te dê o descanso Eterno, como bom que foste nesta vida e para os paizinhos, foste o nosso maior amor. Que a tua alma descanse em paz. Um Adeus cheio de saudade, dos paizinhos, familiares e amigos.

Rua da Cadeia Velha, 16-22 - 7800-143 BEJA Telefone: 284311300 * Telefax: 284311309 www.funerariapaxjulia.pt E-mail: geral@funerariapaxjulia.pt Funerais – Cremações – Trasladações Exumações – Artigos Religiosos

BEJA

BEJA / VILA NOVA DA BARONIA

BEJA

PENEDO GORDO

†. Faleceu o Exmo. Senhor MANUEL JOSÉ PIRES SILVEIRA, de 67 anos, natural de Vila Nova da Baronia - Alvito, casado com a Exma. Sra. D. Joana Maria Nunes Carvalho Silveira. O funeral a cargo desta Agência, realizou-se no passado dia 09, da Casa Mortuária de Vila Nova da Baronia, para o cemitério local.

†. Faleceu a Exma. Senhora D.

†. Faleceu o Exmo. Senhor SR.

VITÓRIA AUGUSTA LOPES, de 91 anos, natural de Santa Vitória - Beja, viúva. O funeral a cargo desta Agência, realizouse no passado dia 09, das Casas Mortuárias de Beja, para o cemitério desta cidade.

JOSÉ ANTÓNIO ALEXANDRINO, de 82 anos, natural de Santiago Maior Beja, casado com a Exma. Sra. D. Maria Ernestina Batista Serafim. O funeral a cargo desta Agência realizou-se no passado dia 14, da Casa Mortuária de Penedo Gordo, para o cemitério local.

BEJA

NOSSA SENHORA DAS NEVES

BEJA

BEJA

†. Faleceu o Exmo. Senhor CARLOS AUGUSTO AFONSO, de 59 anos, natural de Vilar Seco de Lomba - Vinhais, casado com a Exma. Sra. D. Maria Rita Carraxis Duarte. O funeral a cargo desta Agência, realizou-se no passado dia 10, das Casas Mortuárias de Beja, para o cemitério desta cidade.

†. Faleceu o Exmo. Senhor JOAQUIM MANUEL BURRICA, de 91 anos, natural de Nossa Senhora das Neves - Beja, viúvo. O funeral a cargo desta Agência, realizou-se no passado dia 11, da Casa Mortuária de Nossa Senhora das Neves, para o cemitério local.

†. Faleceu a Exma. Senhora D.

†. Faleceu a Exma. Senhora D.

VIRGÍNIA AMÁLIA COELHO, de 81 anos, natural de Santiago Maior - Beja, viúva. O funeral a cargo desta Agência, realizouse no passado dia 12, das Casas Mortuárias de Beja, para o cemitério desta cidade.

MARIA EUGÉNIA JORGE MADEIRA CIRÍACO RAPOSO, de 80 anos, natural de Albernôa - Beja, viúva. O funeral a cargo desta Agência realizou-se no passado dia 14, das Casas Mortuárias de Beja, para o cemitério desta cidade.

†. Faleceu a Exma. Senhora D. ADELAIDE MARIA, de 80 anos, natural de Santa Maria dos Olivais - Tomar, solteira. O funeral a cargo desta Agência, realizou-se no passado dia 07, do Hospital de Beja, para o cemitério desta cidade.

Às famílias enlutadas apresentamos as nossas mais sinceras condolências. Consulte esta secção em www.funerariapax-julia.pt ou siga-nos em www.facebook.com/funepaxjulia

Eterna saudade de seu filho, nora, netinha e restante família. Querida mãe, faz 26 anos que te despediste do teu filho, que tu tanto amavas e adoravas na vida, pois essa data para mim jamais será esquecida, nem um só momento. Mas recordo--te com muitas saudades, com muitos beijinhos de todos nós. Adeus e que a tua alma descanse em paz.

Vidigueira AGRADECIMENTO

Odemira - Lisboa PARTICIPAÇÃO E AGRADECIMENTO

Domingos José Pinto Ramalho

José Salgado Silvestre

Nasceu a 25.07.1923 Faleceu a 08.03.2013 Sua família, na impossibilidade de o fazer pessoalmente, agradece por este meio a todas as pessoas que o acompanharam à sua última morada ou que de outro modo manifestaram o seu pesar. AGÊNCIA FUNERÁRIA ESPÍRITO SANTO, LDA . Tm.963044570 – Tel. 284441108 Rua Das Graciosas, 7 7960-444 Vila de Frades/Vidigueira

N: 19.05.1924 em Odemira F: 24.02.2013 em Lisboa Esposa e filho cumprem o doloroso dever de participar o falecimento do seu ente querido e, na impossibilidade de o fazerem pessoalmente, agradecem por este meio a todas as pessoas que os acompanharam no seu funeral para o cemitério de Odemira, conforme seu desejo, os ajudaram e apoiaram neste momento de dor ou que de outra forma manifestaram o seu pesar. Que descanse em paz!

MISSA

Pedrogão do Alentejo PARTICIPAÇÃO, AGRADECIMENTO E MISSA 30º DIA

PARTICIPAÇÃO E AGRADECIMENTO

José Manuel Vieira da Silva Pavia

Maria José Pato 1.º Mês de Eterna Saudade Marido, filhas, genros e netos cumprem o doloroso dever de participar o falecimento da sua ente querida ocorrido no dia 15/02/2013 e, na impossibilidade de o fazerem pessoalmente, vêm por este meio agradecer a todas as pessoas que a acompanharam à sua última morada ou que de outra forma manifestaram o seu pesar. Mais participam que será celebrada missa pelo seu eter no descanso no dia 17/03/2013, domingo, às 17 horas, na Igreja de Pedrogão do Alentejo, agradecendo desde já a todos os que se dignarem comparecer ao ato religioso.

MISSA

Evangelista Leuquício Marques 1.º Ano de Eterna Saudade Sua esposa, filhas e genros participam a todas as pessoas de suas relações e amizade que será celebrada missa pelo seu eterno descanso no dia 16/03/2013, sábado, às 18 e 30 horas, na Igreja do Carmo, em Beja, agradecendo desde já a todos os que se dignarem comparecer.

Sua mulher, filhos e restante família comunicam que será celebrada missa pelo 9.º ano do seu falecimento no dia 20/03/2013, quarta-feira, às 18 e 30 horas, na Igreja do Carmo, em Beja.

ALUGA-SE 1.º andar em Beja, no centro da cidade com 2 quartos com 3 camas, sala, cozinha, casa de banho e saguão. Preço: 200 euros. Contactar pelo tm. 967117272

Vitória Augusta Lopes Filhos, noras, genro e netos cumprem o doloroso dever de participar o falecimento da sua ente querida ocorrido no dia 08/03/2013, e manifestam publicamente o seu agradecimento a todas as pessoas que a acompanharam à sua última morada ou que de outra forma manifestaram o seu pesar. Expressam também o seu profundo reconhecimento a todo o pessoal do Lar do Salvador, em Beja, pelo carinho, dedicação, apoio, disponibilidade e ajuda prestados durante a sua estadia na instituição.


institucional diversos

25 Diário do Alentejo 15 março 2013

 Vale €1,20 em abastecimentos superiores a 20 litros

Todas as semanas os leitores do “Diário do Alentejo” vão ter descontos.

descontos atÉ

Os anúncios desta secção pretendem, por um lado, dar um impulso à economia local e, por outro, ajudar os consumidores neste tempo de crise. Aproveite as oportunidades.

1. Válido nos Postos BP Beja Luzias, BP Beja Variante e BP Beja Castilho; 2. Este vale só poderá ser descontado no ato de pagamento de abastecimentos iguais ou supe-

6 cÊnt.

riores a 20 lts., até um máximo de 3 vales por abastecimento (60 lts); 3. Este vale não é acumulável com outras campanhas desconto a decorrer no Posto de Abas-

por litro

tecimento; 4. Este vale só é válido para abastecimentos

desconto em combustÍvel

com cartões: Routex, Azul e de Sócio ACP; 5. Nenhuma

em combustíveis cujos pagamentos não sejam efetuados responsabilidade será aceite nos seguintes casos: perda, roubo ou danificação do vale quer tenha sido utilizado ou não; 6. Este vale não pode ser trocado por dinheiro; 7.

atÉ 30 de abril

Válido até 30 de abril de 2013.

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

ASSOCIAÇÃO DE BENEFICÊNCIA DE PEDRÓGÃO DO ALENTEJO

EDITAL ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA CONVOCATÓRIA Ao abrigo e no cumprimento do disposto nos artigos 12º n.º1, 13º nºs 1 e 2, convoca-se a Assembleia Geral desta Associação, e todos os seus associados no pleno gozo dos seus direitos, para comparecerem na sede social – Associação de Beneficência de Pedrógão do Alentejo, no dia 30 de Março de 2013, (Sábado) pelas 09 horas com a seguinte ordem de trabalhos: Período antes da ordem do dia: Assuntos relacionados com o funcionamento da ABPA -Diversos Ordem do Dia: PONTO UM: Apreciação e aprovação do Relatório de Contas do ano de 2012; Nota: Se há hora marcada não estiverem presentes a maioria dos sócios a assembleiageral iniciar-se-á às 10 horas. Pedrógão do Alentejo, 11 de Março de 2013. O Presidente da mesa da Assembleia Geral josé mâncio rosa soeiro

VENDE-SE

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

2 Semeadores, grade de discos, espalhador, moinho

CÂMARA MUNICIPAL DE BEJA de cereais, caixa de tractor, charrua, vibron, 4 motores de rega e um de betoneira.

EDITAL Jorge Pulido Valente, Presidente da Câmara Municipal de Beja, em cumprimento do artigo 4.º, da Lei n.º 26/94, de 19 de Agosto, faz publicar a relação das doações efectuadas pelo Município de Beja, no 2.º semestre de 2012:

Contactar pelo tm. 967746663

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

COOPERATIVA AGRÍCOLA DE VIDIGUEIRA, CRL.

CONVOCATÓRlA Nos termos do artigo 23.°, parágrafo 2.° dos Estatutos, convoco a Assembleia Geral desta Cooperativa, para reunir em sessão ordinária, na sede desta Cooperativa, sita no Bairro Industrial, para o dia 27 de Março de 2013, pelas 17.30 horas, com a seguinte ordem de trabalhos: 1. Apreciar, discutir e votar o Relatório e Contas da Direcção e o Parecer do Conselho Fiscal referentes ao exercício de 2012; 2. Outros assuntos de interesse para a Cooperativa. Vidigueira, 04 de Março de 2013. O Presidente da Mesa da Assembleia-Geral José António Batuca Pereira NOTA: Art.° 26.°, n.° 2 – Se à hora marcada para a reunião, não estiverem presentes a maioria dos cooperadores, a assembleia reunirá, com qualquer número, uma hora depois da indicada.

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

CASA DO ALENTEJO

CONVOCATÓRIA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA

Conforme o disposto no artigo 20° - 1 dos Estatutos da Casa do Alentejo, convoco a Assembleia Geral Ordinária, para o dia 26 de Março de 2013, pelas 17:30 horas com a seguinte de ordem de trabalhos: 1. Discussão e aprovação do Relatório e Contas de 2012 2. Informações sobre actividades para 2013 3. Diversos Se nos termos do Art.° 20 – 2 dos Estatutos não comparecer o número suficiente de Sócios, a Assembleia reunirá em segunda convocatória, com qualquer número de Sócios presentes, uma hora depois da designada pela primeira convocatória. Lisboa, 07 de Março de 2013. O Presidente da Mesa da Assembleia Geral Manuel Macaísta Malheiros

Beja, 25 de fevereiro de 2013. O Presidente da Câmara Municipal de Beja Jorge Pulido Valente


institucional diversos

26 Diário do Alentejo 15 março 2013

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

CÂMARA MUNICIPAL DE BEJA Relação de subsídios e outros benefícios transferidos pelo município de Beja, nos termos e para os efeitos da lei nº 26/94 de 19 de Agosto

2.º SEMESTRE 2012 BENEFICIÁRIO AERO CLUBE DE BEJA AKABE – ACADEMIA DE BEJA AGRUPAMENTO Nº2 MÁRIO BEIRÃO AGRUPAMENTO Nº3 SANTIAGO MAIOR

AGRUPAMENTONº1-ESC.EB2,3 STªMARIA

ARRUAÇA-ASSOCIAÇÃO JUVENIL ASSOC.COLUMBÓFILA DIST.BEJA ASSOCIAÇÃO JOVENS DA SALVADA ASSOCIAÇÃO ALENTEJO XXI ASSOCIAÇÃO ATLETISMO DE BEJA ASSOCIAÇÃO CICLOTURISMO BERINGEL ASSOC. SOLIDARIEDADE AMIGOS TRIGACHES ASSOC. ESTUDANTES ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE BEJA ASSOC.APOIO FAMILIAR MILITARES E CIVIS DA BA-11 ASSOC.P/ENSINO BENTO JESUS CARAÇA ASSOCIAÇÃO CULT.REC.ZONA AZUL ASS. HUMANITÁRIA BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS BEJA ASS.P/DEFESA ESTUDO PATRIMÓNIO CULTURAL REG.BEJA ASSOC.DESENV.REGIONAL PORTAS DO TERRITÓRIO ASSOCIAÇÃO JUVENIL PAGAIA SUL ASSOC.MODELISTAS BEJA ASSOC.NAC.MUNICIPIOS PORTUGUESES ASSOC.MUSICOS DE BEJA-ZARCOS ASSOC.DE PAIS E ENC.EDUC. DA EB1,2 E JARDIM DE INFÂNCIA DE BERINGEL ASSOCIAÇÃO PEGADA NO FUTURO ASSOC.HUMANITÁRIA DADORES DE SANGUE ASSOC. JOVENS CARPE DIEM NA ALDEIA

BEJA ATLETICO CLUBE CERCIBEJA CEBAL CAIXA SOCIAL E CULT.PESSOAL DA C.M.B.

CASA DO BENFICA CASA DO POVO SÃO MATIAS CASA DO POVO DO PENEDO GORDO CASA DO POVO DE Nª SRª DAS NEVES CENTRO APOIO SOCIAL DO CONC.BEJA CENTRO CULT.E DESPORTIVO TRINDADE CENTRO CULTURA DESP SANTA VITÓRIA CENTRO DE CULTURA E DESPORTO DE Bº DA CONCEIÇÃO

OBJECTIVO Rali Cidade de Beja Atividade Regular 2012 Subsidio Carnaval 2012 Apoio desp.utilização Pavilhão Subsidio Carnaval 2011 Subsidio Carnaval 2012 Desp.uitlização Pavilhão 2012 Subsidio Carnaval 2012 Desp.utilização Pavilhão 2010 Desp.utilização Pavilhão 2011 Desp.utilização Pavilhão 2011 Desp.utilização Pavilhão 2011 Plano Nacional Leitura 2011 Apoio ao Investimento Atividade Regular 2012 Apoio a Obras na Sede Atividade Regular 2012 Protocolo de Parceria Apoio Universidade Sénior Meeting Jovem Cidade Beja Atividade Regular 2012 Passeio BTT-Bejapramad Apoio Aquisição Viatura

MONTANTE

DATA DA DECISÃO

2.500,00 € 1.947,00 € 705,00 € 1.000,00 € 1.039,50 € 429,00 € 1.000,00 € 646,50 € 1.826,11 € 5.392,54 € 3.000,00 € 1.500,00 € 3.800,00 € 6.000,00 € 1.000,00 € 1.200,00 € 750,00 € 4.868,08 € 5.000,00 € 200,00 € 384,00 € 300,00 € 3.000,00 €

21-12-2012 24-10-2012 16-02-2012 10-10-2012 16-03-2011 16-02-2012 10-10-2012 16-02-2012 02-03-2011 10-10-2012 20-07-2011 24-10-2011 02-02-2011 04-05-2011 06-12-2012 29-12-2011 06-12-2012 21-12-2011 06-12-2012 07-12-2011 24-10-2012 07-11-2011 04-05-2011

Atividade Regular 2012

750,00 €

06-12-2012

Subsidio Carnaval 2012

60,00 €

16-02-2012

Subsidio de Carnaval 2011 Subsidio de Carnaval 2012 Atividade Regular 2012 Sarau Actividades Gimnicas Atividade Regular 2012

21,00 € 49,50 € 17.711,00 € 300,00 € 52.500,00 €

16-03-2011 16-02-2012 24-10-2012 07-12-2011 04-04-2012

Atividade Regular 2012 1ª Ediç.Palavras Andarilhas Apoio Proj.Abertura Igreja dos Prazeres Atividade Regular 2012 Torneio Int.Kaiak Polo Atividade Regular 2012 Apoio reabilitação Mercado Baucau Atividade Regular 2012 Projeto Animação

250,00 € 2.500,00 € 3.893,32 €

06-12-2012 22-08-2012 21-06-2010

1.497,00 € 200,00 € 250,00 € 1.250,00 € 250,00 € 22.419,20 €

24-10-2012 07-12-2011 06-12-2012 02-02-2010 06-12-2012 07-12-2011

Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2011

750,00 € 1.500,00 €

06-12-2012 04-05-2011

Atividade Regular 2012 Atividades c/Crianças 1ºCiclo VII Semana Cultural Atividade Regular 2012 Prémio Pista 25 Abril-Bejapramad Festival Taurino Apoio ao Investimento Assistentes Sala Assistentes Sala Encontro Pesca Inter-Autarquias Atividade Regular Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Apoio a Obras Atividade Regular 2012 Apoio Aquisição de Viatura Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012

750,00 € 9.600,00 € 750,00 € 3.210,00 € 200,00 € 250,00 € 18.100,00 € 1.154,00 € 1.694,00 € 300,00 € 2.336,00 € 1.071,00 € 417,00 € 3.000,00 € 700,00 € 3.000,00 € 725,00 € 700,00 € 470,00 € 8.817,00 €

06-12-2012 07-12-2011 21-12-2011 24-10-2012 07-11-2011 10-10-2012 07-05-2010 05-09-2012 19-09-2012 07-12-2011 19-09-2012 24-10-2012 24-10-2011 06-07-2011 06-12-2012 04-05-2011 24-10-2012 06-12-2012 24-10-2012 24-10-2012

CENTRO SOC.CULT. E RECREAT. DO Bº DA ESPERANÇA CENTRO INFANTIL CORONEL SOUSA TAVARES

Apoio a Obras na Sede Subsidio Carnaval 2012

5.000,00 € 37,50 €

05-08-2011 16-02-2012

Subsidio Carnaval 2012

240,00 €

16-02-2012

CENTRO SOCIAL E PAROQUIAL DO SALVADOR

Subsidio Carnaval 2012

210,00 €

16-02-2012

CENTRO PARALISIA CEREBRAL DE BEJA

Subsidio Carnaval 2012

75,00 €

16-02-2012

CENTRO DESP. CULT. RECREIO PESS. CTT CLUBE CINÓFILO DO ALENTEJO CLUBE DESPORTIVO E RECREATIVO SALVADENSE CLUBE ATLÉTICO OPERÁRIO CLUBE BTT SEMPRE A'ABRIR

Atividade Regular 2012 Canibeja 2011 Atividade Regular 2012

500,00 € 1.500,00 € 839,00 €

06-12-2012 15-06-2011 24-10-2012

Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Subsidio "Pelos Trilhos do Pisão" Apoio Investimento Bejapramad Atividade Regular 2012 Prémio Cidade de Beja Atividade Regular 2012 Festival Patinagem Artistica Atividade Regular 2012 Encont.Veterano Horácio Alves

482,00 € 134,00 € 150,00 € 3.350,00 € 747,00 € 150,00 € 5.869,00 € 200,00 € 6.468,00 € 150,00 €

24-10-2012 24-10-2012 07-11-2012 03-08-2011 24-10-2012 07-12-2011 24-10-2012 07-12-2011 24-10-2012 07-11-2011

CLUBE BEJENSE AMADORES PESCA DESPORTIVA CLUBE DE PATINAGEM DE BEJA CLUBE DESPORTIVO DE BEJA

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA ESCOLA SECUNDÁRIA C/3° CICLO D. MANUEL I – BEJA

VIAGEM DE FINALISTAS A Direcção da Escola Secundária com 3.° Ciclo D. Manuel I informa toda a comunidade educativa que não se responsabiliza pela organização da viagem de finalistas da sua Escola. Beja, 13 de Março de 2013. A Directora, Maria José de Jesus Santos Chagas

CLUBE CAÇADORES BAIXO ALENTEJO CLUBE DE NATAÇÃO DE BEJA CLUBE RECR.E DESP.CAB.GORDA CONSERVATÓRIO REG.BAIXO ALENTEJO CORO DE CÂMARA CORO DO CARMO DE BEJA DESPERTAR SPORTING CLUBE ESCOLA ABERTA ESCOLA SEC.D.MANUEL I

Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Subs.pontual "Por Terras do Mato" Comparticipação/Actividade Regular Atividade Regular 2012 Prémio Cidade de Beja Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Subs.pontual"IV Raid Cidade Beja" Subsidio Carnaval 2012 Apoio desp.utilização Pavilhão

1.494,00 € 7.649,00 € 3.565,00 € 300,00 € 66.350,75 € 4.000,00 € 3.000,00 € 1.500,00 € 16.439,00 € 200,00 € 112,50 € 1.000,00 €

24-10-2012 24-10-2012 24-10-2012 07-12-2011 12-04-2012 06-12-2012 29-12-2011 06-12-2012 24-10-2012 07-12-2011 16-02-2012 20-07-2011

Subsidio Carnaval 2012 Auxilios Económicos

75,00 €

16-02-2012

10.110,00 €

10-10-2012

ESCOLA SEC.C/3ºCICLO DIOGO GOUVEIA FAMILIAS CARENCIADAS DE ACORDO COM REGULAMENTO FREGUESIA DE ALBERNOA

Proj.Leitura em Meio Rural

400,00 €

05-07-2011

FREGUESIA DA SALVADA FUNDAÇÃO JOAQUIM HONÓRIO RAPOSO

Proj.Leitura em Meio Rural Subsidio Carnaval 2012

400,00 € 57,00 €

05-07-2011 16-12-2012

FUTEBOL CLUBE ALBERNOENSE GRUPO CORAL DE BALEIZÃO (masculino) GRUPO CORAL DE BALEIZÃO (feminino)

Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2011 Atividade Regular 2012 Apoio a Obras na Sede Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Apoio a Obras na Sede Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012

1.296,00 € 700,00 € 750,00 € 700,00 € 2.000,00 € 700,00 € 800,00 € 2.000,00 € 600,00 € 700,00 €

24-10-2012 06-12-2012 24-10-2011 06-12-2012 27-12-2011 06-12-2012 06-12-2012 29-12-2011 06-12-2012 06-12-2012

1.000,00 € 417,00 € 1.012,00 € 200,00 € 600,00 € 608,00 € 500,00 € 580,00 € 3.122,00 € 300,00 € 3.369,00 € 200,00 € 1.000,00 € 5.000,00 € 963,00 € 2.009,00 € 2.302,00 € 200,00 € 500,00 € 87,00 € 224,00 € 671,00 € 4.250,00 € 180,00 €

06-12-2012 24-10-2012 24-10-2012 07-12-2011 06-12-2012 24-10-2012 06-10-2011 24-10-2012 24-10-2012 07-11-2011 24-10-2012 07-12-2011 29-12-2011 06-07-2011 24-10-2012 24-10-2012 24-10-2012 07-12-2011 06-12-2012 16-12-2012 24-10-2012 24-10-2012 06-12-2012 02-11-2011

ADRIANA JESUS DA CRUZ MESTRE ANA MARGARIDA LIMA DOURADO ANA RITA MARTINS PALMA ANDREIA ALEXANDRA MORAIS DUARTE ANDREIA FILIPA HORTA RODRIGUES

Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Sub. BTT Pelos Trilhos Mombeja Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 FestivaL Gastronómico do Grão Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Taça Cruz Martins Atividade Regular 2012 Grd Prémio Atletismo XIII Cultuneves Apoio a Obras Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Torneio Futebol Juvenil Atividade Regular 2012 Subsidio Carnaval 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Apoio Representação Seleção NacionalProva de Dança em Paris Atividade Regular 2012 IX Terras do Cante Atividade Regular 2012 Atividade Regular 2012 Torneio Futebol 7 Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo

600,00 € 900,00 € 700,00 € 3.474,00 € 150,00 € 1.620,00 € 1.620,00 € 972,00 € 1.620,00 € 1.620,00 €

06-12-2012 30-11-2011 06-12-2012 24-10-2012 07-12-2011 27-06-2012 27-06-2012 02-05-2012 27-06-2012 27-06-2012

ANDRÉ MIGUEL SIMÕES FILIPE CATARINA ISABEL SEVERINO RAMIRES CECILIA TORRES VALENTE DOMITILIA MªREIS PINTO ANJOS AMARO DORA FILIPA TEIXEIRA BORRALHO EDNA MARIA REBOCHO CASCALHEIRA HELENA ISABEL PEREIRA MORGADO HÉLIA ADELAIDE B. SALVADOR NOBRE HUGO MIGUEL SANTOS ANDRÉ

Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo

1.620,00 € 972,00 € 972,00 € 1.620,00 € 1.620,00 € 972,00 € 972,00 € 972,00 € 972,00 €

27-06-2012 02-05-2012 02-05-2012 27-06-2012 27-06-2012 02-05-2012 02-05-2012 02-05-2012 02-05-2012

INÊS ISABEL DA SILVA GONÇALVES JOSÉ MªBRITO LANÇA F.MONTEIRO JOSÉ MIGUEL PEREIRA BAIÃO LUIS PAULO BRANCO BERNARDINO LUIS MIGUEL AFONSO NAVALHAS MIHAI CRISTINEL POPESCU NUNO ANDRÉ CASCALHEIRA PINTO PATRICIA ALEXANDRA G.CORREIA

Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo Bolsa de Estudo

972,00 € 1.620,00 € 972,00 € 972,00 € 972,00 € 1.620,00 € 1.620,00 € 972,00 € 1.620,00 € 1.620,00 € 972,00 € 972,00 € 1.620,00 € 972,00 € 972,00 € 972,00 €

02-05-2012 27-06-2012 02-05-2012 02-05-2012 02-05-2012 27-06-2012 27-06-2012 02-05-2012 27-06-2012 27-06-2012 02-05-2012 02-05-2012 27-06-2012 02-05-2012 02-05-2012 02-05-2012

GRUPO CORAL CASA DO POVO DA SALVADA GRUPO CORAL FREG. CABEÇA GORDA GRUPO CORAL FEMININO DE MOMBEJA GRUPO CORAL "SERÕES DE ALDEIA" DA TRINDADE GRUPO DE TEATRO JODICUS GRUPO DESP.CULTURAL DAS NEVES GRUPO DESP.CULTURAL DE MOMBEJA GRUPO DESP.CULTURAL ALCOFORADO

GRUPO DESPORT. CASA POVO QUINTOS JUDO CLUBE DE BEJA JUVENTUDE DESPORTIVA DAS NEVES LAR E CENTRO DIA NOBRE FREIRE LOUREDENSE FUTEBOL CLUBE MADDOGS BEJA BASKET CLUBE NUCLEO SPORTINGUISTA DE BEJA QUERCUS ASSOC.NAC.CONS.NATUREZA SANTA CASA DA MISERICORDIA SOC.COLUMBÓFILA ASAS ALENTEJANAS SOC.COLUMBÓFILA ASAS DE BEJA SOC. FILARMONICA CAPRICHO BEJENSE

T.U.B.-ASS.TROVADORES DE BEJA TUB-Gr.Coral "OS BUBEDANAS" UNIÃO DESPORTIVA BERINGELENSE

PEDRO MIGUEL LOPES RAMALHO RAFAEL DA SILVEIRA SANDRA ISABEL PRATAS PEREIRA SILVIA ISABEL PINTO BEIÇUDO SILVIA MARGARIDA EUSÉBIO MOUZINHO TERESA CRISTINA DE ALMEIDA LOPES VANESSA FILIPA CARVALHO SOTA ANGELA MARIA MESTRE CRISTÓVÃO

Beja, 25 de fevereiro de 2013. O Presidente da Câmara Municipal de Beja Jorge Pulido Valente

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

Diário do Alentejo n.º 1612 de 15/03/2013 Única Publicação

COOPERATIVA CONSUMO MARMELAR C.R.L.

COOPERATIVA CONSUMO MARMELAR C.R.L.

CONVOCATÓRIA

CONVOCATÓRIA

Nos termos do n° 2, do artigo 21°, dos Estatutos, convoco a Assembleia Geral da Cooperativa de Consumo de Marmelar, C.R.L, em sessão extraordinária, no próximo dia 02 de Abril de 2013, pelas 21h30m, na sua sede, com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto único: Eleição dos Corpos Sociais para o triénio 2013/2015. Se à hora marcada não estiverem presentes mais de metade dos associados com direito a voto, a Assembleia reunirá 1 hora depois com qualquer número de presentes.

Nos termos do n.º 1, do artigo 21°, dos Estatutos, convoco a Assembleia Geral da Cooperativa de Consumo de Marmelar, Crl, em sessão ordinária, no próximo dia 02 de Abril de 2013, pelas 20h30m, na sua sede, com a seguinte ordem de trabalhos: Ponto Único: Apreciação e aprovação das contas do exercício 2012, bem como o parecer do Conselho Fiscal. Se à hora marcada não estiverem presentes mais de metade dos associados com direito a voto, a Assembleia reunirá 1 hora depois com qualquer número de associados. Marmelar, 12 de Março de 2013.

Marmelar, 12 de Março de 2013. O Presidente da Mesa da Assembleia Geral, José Joaquim Negas Baetas

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral, José Joaquim Negas Baetas


Sábado e domingo, pelas 16 horas, o espaço Os Infantes, em Beja, vai transformar-se na “Floresta das Maravilhas do Capuchinho Vermelho”. A Lendias d’Encantar leva à cena, durante 40 minutos, uma estória em que o capuchinho se vai cruzar com personagens de outras estórias e ajudá-las a resolver os seus problemas. No final reconcilia-se com o Lobo Mau, “num momento de ternura”, do qual ressalta a importância da amizade.

27 Diário do Alentejo 15 março 2013

Capuchinho Vermelho no espaço Os Infantes

A páginas tantas... O Livro Vermelho, da autoria da americana Barbara Lehman, editado pela Gatafunho, é uma das muitas apostas desta editora nos livros sem palavras. Nem precisam. Os leitores são desafiados a reinventar múltiplas histórias através das pistas que lhe são dadas. Tudo começa quando uma criança encontra um livro vermelho caído na neve. Uma viagem que vai ao encontro de uma outra criança que encontra um livro vermelho caído sobre a areia da praia. Como se fosse uma janela, cada um consegue espreitar o outro, até que acabam por se encontrar dentro do livro. Este voltará a ficar caído no chão da cidade, até que o encontrem de novo. O Livro Vermelho está classificado com um dos 50 melhores livros ilustrados, sem texto, de todo o mundo.

Dica da semana Esta semana escolhemos o blogue da artista checa Jana Kloucková Kudrnová’s, que, além de ter umas fotografias lindíssimas, ainda está cheio de ideias que mantêm os mais pequenos entretidos, sobretudo nestes dias que só tem chovido. Deliciem-se em http://zlesa.blogspot.fr/

Pais Colocámos a comida um pouco de lado e decidimos dar aos pais dicas para brinquedos intemporais, que juntam os pequenos aos crescidos. Story Cubes é formado por nove dados, 50 imagens diferentes e mais de 10 milhões de combinações. Ao lançar os dados uma história visual é criada, mas cabe à imaginação do narrador o enredo e o desfecho de cada uma. Existe ainda um tamanho XL e podem ser facilmente encontrados on line.

À solta Um passo a passo para transformar um simples ovo cozido numa obra de arte apetecível à vista e a bocas exigentes.


28 Diário do Alentejo 15 março 2013

A Anne é uma linda cadela com uma história triste. Foi encontrada há uns meses atrás, sem pelo e cheia de crostas, num estado de subnutrição extrema. Demorou muito tempo a recuperar, mas agora está linda e só precisa de uma família que lhe dê o carinho que precisa. É muito meiga com as pessoas e outros animais. Será vacinada e esterilizada antes da adoção. Venham conhecê-la ao Cantinho dos Animais de Beja. Contactos: 962432844 sofiagoncalves.769@hotmail.com

Boa vida Comer Frango frito com alho e piripiri Ingredientes para 4 pessoas: 1 frango normal; 6 dentes de alho; q.b. de farinha de trigo; 2 dl. de banha de porco alentejano; q.b. de piripiri; q.b. de sal; q.b. de pimenta branca; q.b. de vinagre de vinho branco. Confeção: Corte o frango em pedaços pequenos e tempere com sal, alhos picados e pimenta moída. Passe o frango pela farinha de trigo e aperte bem com as mãos de modo a farinha ficar o máximo agarrada à carne. Numa frigideira coloque a banha e quando estiver quente frite os pedaços de frango. Vá virando-os até ficarem dourados de todos os lados. Quando estiver pronto, adicione piripiri a seu gosto e borrife com um pouco de vinagre no momento de servir e bom apetite… NOTA: Sirva como petisco ou, se desejar, como refeição principal, acompanhando com salada, batatas fritas, arroz, esparguete… Pode substituir o frango por coelho ou por codornizes.

António Nobre Chefe executivo de cozinha – Hotéis M’AR De AR, Évora

Jazz Ben Stapp… And The Zozimos “Return From Panapolis”

T

ubista e compositor, Ben Stapp é conhecido dos jazzófilos portugueses mais atentos por ter residido no nosso país entre 2005 e 2007. Apesar da sua juventude, ficará então bem claro que estávamos perante alguém cujos evidentes predicados lhe permitiriam empreender outros voos. A viver em Nova Iorque e depois de uma auspiciosa estreia em trio com “Ecstasis” (onde teve como cúmplices o saxofonista Tony Malaby e o multipercussionista Satoshi Takeishi), Stapp regressa aos discos com o coletivo Zozimos, formação mais alargada que já conheceu diversas configurações instrumentais e que tem apresentado as várias dimensões da sua música. Zósimo foi um alquimista e místico gnóstico nascido por volta do ano 300 d.C. num lugar no sul do Egito conhecido na antiguidade por Panópolis (atual Akhmim). Stapp relaciona a alquimia com a maximização do potencial de cada peça musical, a qual, refere nas notas que acompanham o disco, também necessita de um elemento do desconhecido, presente na química medieval. Para além de cotado instrumentista, ganha relevo a sua arte enquanto compositor exigente e de múlBen Stapp… and the tiplos recursos. Assinando todas as peZozimos – “Return ças de “Return from Panapolis”, escritas from Panapolis” entre 2008 e 2011, Ben Stapp apura uma Ben Stapp (tuba), poção musical que tem como ingredienDavid Smith (trompete), Justin tes essenciais as equações matemáticas Wood (saxofones alto da sua teoria harmónica “Tonalidade e tenor), Sebastian Micro-Funcional”, isorritmos, improNoelle (guitarra), Danny visação, elementos derivados do rock, Fischer (bateria) + eletrónicas e… outros componentes de Alex Terrier (saxofone soprano), Curtis difícil definição. As diferenças em reStewart (violino), Andy lação à estreia são evidentes: as formas Hunter (trombone), que engendra são mais longas, há uma Amanda Brasher mais ampla diversidade tímbrica, uma (voz), Isaac Darche maior incorporação de material escrito (guitarra) e Martin Vejarano (cajon). e harmonias mais consistentes. As peças Editora: Uqbar Music apresentadas são férteis em detalhes e Ano: 2012 mudanças de direção que surpreendem positivamente o ouvinte, concedendo importante espaço à improvisação. Essa hábil gestão do confronto entre as partes compostas e improvisadas volta a ser uma das características centrais da sua abordagem. Enquanto instrumentista, Stapp ora assume as rédeas da pulsação rítmica ora um papel central no desenvolvimento das harmonias e melodias (a este propósito, escute-se “Song of Elias”). O disco abre com a energia intensa de “Little Creatures Attack”, com guitarra em distorção e sopros garridos. Os edifícios do arquiteto Frank Gehry inspiraram a complexidade rítmica de “Gehry, Indiana”. A nova leitura de “Painted Sharks” (peça que já havia sido incluída no disco de estreia) ganha com o luxo tímbrico do qual emanam luminosos solos de Alex Terrier no saxofone soprano e de Andy Hunter no trombone. Da atmosfera enigmática de “Chia Visits the Moon” avulta o trompete assertivo de David Smith. Com a sua estrutura mais formal, “Schultz the Painter” é baseada num motivo rítmico inspirado em Messiaen e conta com nova prestação conseguida de Terrier. A fechar, “Sincerely, Planet Mom” é a peça que mais se afasta do denominador comum do disco, adquirindo tons quase folk-rock, com violino e voz. Um disco vibrante, diversificado e pejado de motivos de interesse, que ganham diferentes nuances com repetidas audições. António Branco

Letras

Um homem de partes

“A

história dos minhas relações com as mulheres é sobretudo uma história de cobiça, disparates e de grandes expectativas”. Foi HG Wells quem o escreveu, num postscript a Experiment in autobiography, de 1934, tendo deixado instruções expressas que o mesmo só viesse a ser publicado quando um intervalo de tempo significativo – cinquenta anos – tivésse passado sobre a sua morte. Wells, o autor de A ilha do Doutor Moreau, acrescentou que o seu ponto de vista sobre o desencontro dos desejos masculinos e femininos era uma história que merecia ser contada. David Lodge levou a recomendação a sério e o resultado são quase 600 páginas de uma biografia em que o autor aborda a vida do escritor sem a separar – muito pelo contrário – do seu percurso como amante. Um homem de partes começa pelo fim. A II Guerra Mundial caminha para o fim mas ainda não se sabe quem a vencerá. Wells, que se recusou a abandonar a sua casa em Regents Park, perde, subitamente, a energia até para as visitas rotineiras ao roseiral do parque e a visita de Rebecca – a amante de quem teve um filho – que teima em chamar-lhe Jaguar, devolvendo-o ao tempo em que ele lhe chamava a ela, Pantera, é o pretexto para o flash back. A infância triste e pobre, que o fez crescer como um homem sempre doente, o primeiro casamento – totalmente falhado –, o segundo casamento, aberto, as aventuras e paixões subsequentes... Wells era baixo, gorducho, cheio de ideias e opiniões. A atração que exerceu sobre as mulheres decorreu da sua fama, das suas opiniões fortes, do caráter? Lodge evoca as memórias do cheiro – a mel, a avelãs – das amantes e também a surpresa da primeira prostituta – ou não fosse Wells “homem de partes” – com a qual se deitou. Entre debates literários seduziu mulheres e somou amores. Nesta biografia, Lodge não descura uns para limitar-se à abordagem de outros. O livro, muito bem estruturado e ainda melhor escrito, tem a qualidade de despertar no leitor a vontade de voltar às fontes primárias, para saber mais e conhecer melhor. Não é pouco. Maria do Carmo Piçarra

David Lodge Asa 592 págs. 18,90 euros

Toiros Francisco Cano, um alentejano de Cascais

F

rancisco Mateus Gomes Cano nasceu em Beja, a 9 de fevereiro de 1943, pelo que cumpriu recentemente 70 anos de idade. O seu gosto pelos toiros vem de criança, mas foi na sua juventude que começou a acompanhar o seu irmão Manuel Cano, que era então cabo do Grupo de Forcados Académicos de Beja. Foi nesse grupo, com o irmão, que começou a pegar os primeiros toiros. Posteriormente, por convite dos seus amigos José Maltes, António Maltez e Joaquim Fialho, ingressou no Grupo de Évora, decorria o ano 1967, e era João Nunes Patinhas o cabo. Chico Cano, como é carinhosamente tratado por todos, pegou o seu primeiro toiro pelos Amadores de Évora na praça de Reguengos, uma pega dura, onde mostrou logo aí todo o seu valor ao cabo Patinhas. Ao fim de três temporadas e 30 toiros pegados, ruma para o grupo do Colégio Nuno Álvares de Tomar, onde teve como colegas João Caixinha, Fernando Hilário, Manuel Serra e Manuel Brito “Corta Rabos”, entre outros valorosos nomes da forcadagem. Em 1975, a convite de João Caixinha, integra a primeira formação do Amadores de Beja. Em 1981, a convite de sua esposa, dona Ilda Cano, e de algumas personalidades de Cascais, reativa o Grupo de Forcados Amadores de Cascais, que tinha sido fundado em 1963 e se encontrava inativo desde meados da década de 70, grupo que rapidamente conquista um grande prestígio, pegando por podo o País, e também além-fronteiras, com o destaque para diversas atuações no sul de França e outra na Califórnia. Passados 20 anos, no ano 2000, passa a chefia do seu grupo de Cascais a José Luís Zambujeira. Ao longo da sua carreira pegou para cima de 100 toiros e elege como as melhores pegas uma realizada em Alcácer do Sal, em 1968, envergando a jaqueta de Évora, pega, essa, brindada a Gonçalves Rapazote, ministro do governo, a um toiro Núncio, à terceira tentativa. Outra pega que guarda na memória foi na praça de Beja, em 1977, pelo grupo de Beja, também à terceira tentativa, a um toiro Passanha, com Luís Miguel Nunes Ribeiro, como primeira ajuda, a sair gravemente lesionado. Francisco Cano pegou sete toiros no Campo Pequeno e, por curiosidade, todos à primeira tentativa. Na praça de Beja bateu as palmas a nove toiros, mas foi na desaparecida Monumental de Cascais que mais vezes pegou, com 11 pegas realizadas. Vítor Morais Besugo


Ana Maria Baptista – Beja Taróloga – Método Maya Gabinete aberto (jardim do Bacalhau) Contacto para marcação de consultas: 968117086

Carneiro

Características dos nativos de Os arianos são líderes e pioneiros natos. Demasiado otimistas, agem por impulso e preferem dar instruções a recebê-las. São independentes, ambiciosos, intelectuais, honestos e donos de uma energia inesgotável, que os leva, por vezes, à agressividade, teimosia e orgulho. Amam com paixão.

Previsões – Semana de 15 a 21 de março

g

Carneiro – (21/3 - 20/4) Neste momento, dê um espaço importante às descobertas. O tempo dedicado à família, para além de auspicioso, será apreciado com reconhecimento. No aspeto profissional, questões técnicas podem apresentar obstáculos. Confie numa pessoa que estará preparada e desejosa para prestar auxilio. Não permita que ciúmes ou um mal-entendido afete uma relação importante. O passado é passado.

Filatelia Congresso da FPF é dia 23

N

o próximo dia 23 (sábado) a Federação Portuguesa de Filatelia – APD realiza o seu congresso ordinário, no qual vai submeter à apreciação dos clubes federados o que foi o seu trabalho no ano passado, e o que pretende fazer este ano. O congresso terá lugar na sede da FPF e será antecedido por um almoço entre os congressistas. Na documentação enviada às associações federadas, a FPF realça os aspetos mais importantes do trabalho realizado. No documento lê-se que a FPF fez-se representar no congresso da FEPA – Federação Europeia das Associações Filatélicas, que se realizou em Paris, e no qual foram apresentadas propostas que, segundo a opinião aí manifestada pela delegação portuguesa, eram prejudiciais ao incremento da filatelia. Por não reunirem o consenso de 66 por cento dos congressistas, estas propostas não foram aprovadas. Na mesma ocasião, a FPF manifestou a sua total discordância com as atuais taxas cobradas a cada expositor nas exposições FIP, 75,00 euros por quadro (face), valor demasiado elevado e que impossibilita, logo à partida, a não participação de muitas dezenas ou centenas de expositores. A posição de Portugal é também a de muitos outros países. Como as coleções que participam em exposições FIP têm pelo menos oito ou nove quadros, veja-se em quanto fica só a inscrição! Como a esta importância há ainda que juntar a do seguro da coleção e a do seu transporte para o local da exposição, são muitos os milhares de euros que um só certame internacional pode custar ao expositor. Este elevado custo já se fez sentir na exposição mundial realizada, em junho, em Jacarta, e durante a qual se realizou, no dia 24, o 72.º congresso da FIP – Federação Internacional de Filatelia. Por não haver expositores portugueses, e devido ao elevado custo do envio de uma delegação ao congresso, Portugal fez-se representar pelo Brasil. Apesar desta ausência na Indonésia, Portugal esteve presente nas exposições internacionais Salon du Timbre, Maribor 2012 e Iphla 2012. No Salon du Timbre foi comissário o filatelista Marcial Passos e na Maribor foi Raul Leitão. Para a Iphla a FPF não nomeou comissário.

h

Facto importante, que a FPF destaca, foi a realização na Casa da Moeda, em Lisboa, de uma reunião entre os Impressores Mundiais de Selos de Correio, na qual o presidente da FPF também participou. Pelo seu trabalho em prol da filatelia, a FPF atribuiu a Medalha de Serviços Inestimáveis e a Ordem de Mérito Filatélico a diversas entidades, que com a sua ação contribuíram para a divulgação e engrandecimento da filatelia. Esta última distinção, a maior da filatelia portuguesa, distinguiu o filatelista português Jorge Fernandes e diversas entidades estrangeiras. A primeira foi atribuída ao filatelista João Moura e a Jorge Coelho, que, em 2012, deixou a cargo de vice-presidente dos correios. Na Maribor 2012, que d e c or re u n a Eslovénia, participaram, em seis classes filatélicas, onze expositores nacionais. No conjunto trouxeram para Portugal quatro medalhas de ouro módulo grande (OG), uma de ouro, uma de prata dourada grande (PDG), duas de prata dourada (PD), duas de prata e uma de bronze. As medalhas de OG foram atribuídas a Carimbos Nominativos não datados no período adesivo de Pedro Vaz Pereira, Essa Gesta Gloriosa de Júlio Maia, Portugal na 1.ª Grande Guerra de Eduardo Barreiros e O Automóvel de Eduardo Sousa. Para além da medalha OG, às duas primeiras foi também atribuído um prémio especial, pela excelência do material apresentado. A medalha de ouro distinguiu Khéops et Sminx, son fidéle Gardien de Bento Grossinho Dias. A Faina Maior de Manuel Senos Matias obteve a medalha de PDG e as duas medalhas de prata foram atribuídas a duas participações de Literatura Filatélica, as revistas “Filatelia Lusitana”e “Selos e Moedas”, respetivamente da FPF e da Secção Filatélica e Numismática do Clube dos Galitos. Os Artigos Filatélicos de Américo Rebelo foram agraciados com medalha de bronze. Ilustração: Bilhete-Postal comemorativo do 120.º aniversário do Museu Nacional de Arqueologia, que entrou em circulação no dia 20 de fevereiro. O verso mostra-nos a cabeça de uma jovem, provavelmente a imperatriz Júlia (séc. I/II), recolhida nas ruínas de Milreu (Faro). Geada de Sousa

Touro – (21/4 – 21/5) Persiga energicamente e com determinação as suas ambições, que, neste momento, devem ser claras e alcançaveis. Explore novas facetas da sua criatividade com entusiasmo. Intervenha num equívoco entre amigos e salve a amizade, propondo-lhes uma solução francamente amigável. Reflita devidamente todas as suas atitudes, pese e considere todas as consequências possíveis antes de qualquer ato.

i

Gémeos – (21/5 – 21/6) Nesta semana de março abrande finalmente o ritmo de trabalho e dedique o tempo necessário aos detalhes e às pessoas que lhe merecem apreço. Cuide de cada um destes aspetos com a ternura e o carinho que tem para dar. Tranquilo e sem tensões, não se deixe manipular em discussões complicadas. Entenda simplesmente o outro ponto de vista. Dê sentido à liberdade e enfrente de ânimo leve uma fase de menor estabilidade causada por motivos alheios à sua vontade.

j

Caranguejo – (22/6 – 22/7) Mude de estratégia e renuncie ao que provou ser ineficaz. O tempo para atingir determinado objetivo esgota-se, não perdoa a escolha errada. Impõe-se a moderação, tática mais prometedora, enfrentará conflitos incontornáveis. Contudo, se repensar a sua maneira de agir, conquistará maior respeito e consideração de quem é importante para si.

k

Leão – (23/7 – 23/8) Resguarde-se e, sobretudo, previna-se quanto a promessas do foro financeiro que poderão parecer de sucesso fácil e garantido. Prefira os ambientes de trabalho calmos, harmoniosos e construtivos. Por ser demasiado exigente consigo, não poderá esperar que os outros sejam perfeitos. Procure dar aos amigos um pouco de abertura e verificará uma melhoria nos relacionamentos.

l

Virgem – (24/8 – 23/9) Os seus planos e objetivos para o futuro revestem-se agora de grande importância. Adotar uma atitude otimista e positiva trará mudanças benéficas e imediatas no seu meio envolvente. Não se deixe seduzir por palavras de reconhecimento e elogios, aguarde e prefira que traduzam esses cumprimentos em ações concretas. No seio familiar, tomará decisões em clima de instabilidade.

PUB

a

Balança – (24/9 – 23/10) Poderá deparar-se com uma competição dura numa situação relacionada com as suas economias. Não vacile porque a sorte estará do seu lado. Use a sua diplomacia para conseguir o que quer, em vez de se tornar implacável. Porém, não se sinta obrigado a ser sociável. As influências desta fase trazem-lhe tranquilidade, o que permitirá gerir os seus compromissos sem tensões.

b

Escorpião – (24/10 – 22/11) Uma nova oportunidade profissional deverá ser considerada, porque trará benefícios a todos os níveis. As mudanças no seio familiar serão lentas e difíceis de gerir até conseguir adaptar-se. Mantenha-se firme nos seus propósitos e não interfira em situações alheias. Adote uma postura descontraída na vida social.

c

Sagitário – (23/11 – 21/12) A resposta que aguardava para um impasse a nível financeiro estará ao seu alcance. Para solucionar este assunto terá de estar disposto a discuti-lo com alguém mais preparado e experiente. Peça conselho em sede credenciada. Certifique-se sobre as pessoas em quem confia e sobre o que lhes confia. Tire partido da vida social e do convívio entre amigos.

d

Capricórnio – (22/12 – 20/01) No aspeto profissional, com o seu espírito criativo e empreendedor, conseguirá estabelecer um bom acordo, mas deverá manter-se concentrado nos seus objetivos, sem distrações. Quando confrontado com uma escolha que tem de fazer e não tem a certeza sobre a opção a tomar, por serem ambas vantajosas, tome em consideração a personalidade das pessoas envolvidas. Ocupe-se de tarefas domésticas, sobretudo as ligadas aos seus espaços pessoais.

e

Aquário – (21/1 – 19/2) Sem tarefas de caráter rotineiro, terá agora espaço para se enquadrar num cenário estruturalmente maior e considerar novas responsabilidades, na vida profissional. Terá consigo todas as capacidades para o fazer. A relação familiar trará o conforto e a segurança que necessitar, porque, neste aspeto, saberá com o que pode contar. Nesta fase, ocupe-se também consigo e realize desejos pessoais.

f

Peixes – (20/2 – 20/3) Sem tarefas de caráter rotineiro, terá agora espaço para se enquadrar num cenário estruturalmente maior e considerar novas responsabilidades, na vida profissional. Terá consigo todas as capacidades para o fazer. A relação familiar trará o conforto e a segurança que necessitar, porque, neste aspeto, saberá com o que pode contar. Nesta fase, ocupe-se também consigo e realize desejos pessoais.

Diário do Alentejo 15 março 2013

29


Diário do Alentejo 15 março 2013

30

Trio Algodão (Pacman) atua em Grândola

Carlos Nobre, ou Pacman, como ficou conhecido enquanto rosto e voz dos Da Weasel, lidera um novo projeto musical que vai ser apresentado hoje, sexta-feira, no Cine Granadeiro Auditório Municipal de Grândola, pelas 22 horas. Com dois discos no currículo (“Uma falaciosa noção de intimidade” e “A gramática da paixão dramática”), Algodão reúne também os músicos Gil Pulido, no piano e sintetizadores, e Nelson Correia, à guitarra e nos coros. Neste concerto, intimista, o trio promete apresentar temas dos dois álbuns.

Fim de semana Fotografia e poesia no Cineteatro de Serpa

Mês da Árvore e da Poesia prossegue em Beja

Abre portas pelas 11 horas domingo, dia 17, no Cineteatro Municipal de Serpa, a exposição de fotografia e poesia “Encantamentos & A vida é feita de pequenos nadas”, dos autores Carlos Cascalheira, “O Maltês”, e Ana Vieira. A mostra mantém-se patente até 17 de abril e contará, na inauguração, com um momento musical a cargo do Grupo Coral Misto da Academia Sénior de Serpa.

Um fim de semana para admirar as árvores

Março Horrível até abril na Bedeteca Continua até abril, na Bedeteca de Beja, o ciclo Março Horrível, com várias exposições sob o signo do terror. A saber: “Alfredo, o Vampiro”, de Emerson Lopes; “Frankenstein”, de Bernie Wrightson; “Monstros”, de Nuno Rodrigues; e “Mucha”, de David Soares (argumento), Osvaldo Medina (desenho) e Mário Freitas (arte-final). Também na Bedeteca, e a pretexto do Dia Mundial da Árvore e da Floresta, pode ser vista, até ao próximo dia 29, a mostra “Gigantes de Madeira”, com pranchas de Aidans, Auclair, Boucq, Cosey, Craig Thompson, p , Derib,, Edgar g Pierre JJacobs,, François Bourgeon, Hergé, Hermann, Loisel, Russ Maning, Servais e Uderzo.

M

arço é celebrado em Beja como o Mês da Árvore e da Poesia e o próximo fim de semana oferece já algumas atividades alusivas. Hoje ainda, entre as 10 e as 12 horas, decorre no Viveiro Municipal a ação de sensibilização “Conhecer as árvores” e amanhã, sábado, no âmbito do ciclo Passeios de Beja, é proposto um percurso pelas “Árvores da minha cidade”. Às 15 horas marca-se encontro no castelo e daí arranca-se, na companhia de Fátima Cruz, para as ruas da velha Pax Julia, numa perspetiva nova sobre estes “seres vivos” que estão longe de ter apenas uma função decorativa “ou estética das zonas urbanas”, como desvenda a sinopse da iniciativa. As árvores urbanas são, antes, “um património botânico, histórico e cultural das cidades”, com “inúmeras vantagens” em prol da qualidade de vida de quem vive entre prédios. Nos próximos dias 21 e 22, respetivamente Dia Mundial da Árvore e Dia Mundial da Água, vão ser plantadas algumas árvores na cidade, em arruamentos, parques de estacionamento e caldeiras. Ao longo do mês, espera-se que ganhem raízes 243 novas árvores em solo bejense. E no que toca à poesia, ela vai andar pelas mesas dos restaurantes e pelos quartos das unidades hoteleiras, num mês de “poesia para comer e para dormir”, proposto pela Biblioteca Municipal José Saramago. No serão de dia 21, também Dia Mundial da Poesia, Para que servem a poesia e o romance”, romance , com a palavra é celebrada através da conversa “Para início pelas 21 e 30 horas e dinamizada pelos escritores Rui Zink, Rita Taborda Duarte e António Carlos Cortez.

Cerâmica de Isabel Sousa Carvalho em Aljustrel “Reencontro” é a exposição com que a ceramista Isabel Sousa Carvalho, nascida em Faro, regressa “à sua memória de menina” e à terra onde cresceu, Aljustrel. A mostra encontra-se patente no espaço Oficinas de Formação e Animação Cultural, na Vila Mineira, até ao próximo dia 30, disponibilizando também visitas guiadas, sob marcação prévia, todas as quartas-feiras. Este trabalho em concreto distingue-se pelo “uso de novos materiais aliados à cerâmica, como tecido, papel e redes metálicas”, nota a autora.

Manuel Ferraz Trio encerra ciclo em Castro É com uma proposta de jazz que encerra hoje à noite, no Cinetreatro Municipal de Castro Verde, o ciclo Pequenos Concertos de Inverno, onde “artistas e público partilham o palco”. Com concerto agendado para as 21 e 30 horas, o Manuel Ferraz Trio é composto por Renato Madeira, no contrabaixo, José Soares, na bateria, e pelo guitarrista que lhe dá o nome e que iniciou a sua formação musical no Conservatório Regional do Baixo Alentejo, tendo feito estudos de jazz na Universidade de Évora.


31 Diário do Alentejo 15 março 2013

Combate ao doping na Volta ao Alentejo em Bicicleta: autoridades irão desconfiar de ciclistas que cheguem a Alvito antes do comboio regional. Queda do poder de compra leva muitos alentejanos a concluir que sai mais barato comprar um pai novo do que uma prenda no Dia do Pai. facebook.com/naoconfirmonemdesminto

Escola Mário Beirão sem leite há 15 dias: alunos obrigados a mungir vacas Segundo informação que veio a público, os alunos da Mário Beirão (Beja) estão sem leite escolar há mais de 15 dias, e o desepero já tomou conta dos pais de algumas crianças que não conseguem passar sem a sua dose diária de cálcio, como nos explicou uma auxiliar de ação educativa: “Os meninos andam na última! Não sei se é da falta de açúcar no sangue, mas se não comem qualquer coisa ficam impossíveis. O Tó Jó do 8.º ano andava tão passado que virou o carro da professora de Francês e depois arrancou o para-choques à dentada. Ainda a semana passada apanhei outro aluno tão necessitado de comer que estava a tentar extrair leite de um esquilo que encontrou no recreio! O leite não só alimentava os miúdos, como estimulava a sua imaginação – havia quem conseguisse fazer um pequeno engenho explosivo como o MacGyver: com um pacote de leite, um elástico e um transferidor. Era sempre a arrebentar, coitadinhos!”. O Ministério da Educação já veio desdramatizar a situação: “Estamos a fazer todos os esforços para que este impasse seja ultrapassado… E os alunos poderão mungir as suas próprias vacas enquanto não chega o novo leite que encomendámos ao Bangladesh: trata-se de um leite mais barato, enriquecido com cálcio, vitaminas, minerais, pedaços de computadores Magalhães e vestígios de Isabel Alçada”.

Antigo banqueiro que integra Movimento dos Reformados Indignados chocado com o facto de já não poder acender um charuto cubano com uma nota de 50 euros Filipe Pinhal, ex-presidente do BCP, lidera o Movimento dos Reformados Indignados, que é contra a CES (Contribuição Extraordinária de Solidariedade). Pinhal que, ao que consta, ganha uns míseros 14 mil euros por mês após aplicação da contribuição, explicou-nos os motivos da sua revolta: “É uma vergonha, já não posso fazer aquelas coisas normais do dia a dia como vocês, os mortais, fazem. Agora só posso acender um habanero com uma nota de 20 euros a arder, quando no ano passado usava notas de 50. Tive de despedir a senhora que me depilava os joelhos e mastigava a comida. Até me falaram de que teria de usar aquela coisa... ah... como é que se chama? Transportes públicos? O que é isso? Come-se com caviar? O quê? Tenho de andar nos mesmos meios de locomoção das outras pessoas? Mas o que é isto? Sou algum animal selvagem?” Para saber mais sobre este movimento, visite o site aiaguentaaguenta.org – se lhe pedir uma password para entrar, introduza a palavra “ganância”.

Inquérito Estudo revela que os pessimistas vivem mais tempo e têm mais saúde. Acha que é mesmo assim?

HENRIQUE MEDINA CARREIRA, 81 ANOS Amigo da Judite de Sousa Oh filho, isso é uma coisa que não vale a pena discutir. Vocês, os jornalistas, passam a vida a dar importância a coisas que não interessam ao Menino Jesus. Isso é por me considerarem pessimista? A bota não tem a ver com a perdigota! Não se trata de ser pessimista, mas sim realista… Os números não mentem: a continuar assim, na melhor das hipóteses, vamos todos acabar a viver num carrinho de compras do Pingo Doce e na noite de Natal vamos comer caricas e beber água da chuva. Aliás, como se pode ver neste gráfico...

Silêncio do Presidente da República: Cavaco encontrado em retiro espiritual no Pulo do Lobo Perante a situação de crise económica e social que o nosso país atravessa, é cada vez maior o número de portugueses que clama por uma intervenção do PR. Mas Cavaco Silva tem-se remetido ao silêncio, havendo até quem questione se o Chefe de Estado estará mesmo em Belém ou em parte incerta. Querendo responder a esta questão, e à boa maneira do melhor jornalismo de investigação que se faz na região, a “Não confirmo, nem desminto” decidiu empreender uma averiguação com contornos jamais vistos, e, após variados subornos em Belém com caldos de beldroegas e pães de rala, finalmente conseguiu. Descobrimos o paradeiro de Cavaco! E prepare-se, senhor leitor, pois ele está mais perto do que imagina… De facto, o PR tem gozado um retiro espiritual no Pulo do Lobo, local que gosta de visitar sempre que as coisas aquecem em Lisboa. Segundo consta, Cavaco Silva já terá alinhado os seus tabus e nadado no rio alentejano com braçadeiras de chumbo oferecidas por Sócrates, tendo Fernando Lima como seu conselheiro/nadador salvador permanente, e agora apenas aproveita para meditar sobre a queda de água e aprender a dobrar a má moeda com a força da mente. Fonte próxima do mesmo garantiu-nos também que o presidente pretende mesmo regressar a Lisboa: “Os cidadãos não têm de se preocupar, pois ele pensa fazê-lo em breve. Até porque só lhe falta mais uma prova espiritual para poder regressar… Só lhe falta aprender a cozinhar um folar típico daqui da região, com alguns ingredientes tradicionais, como o mel, a erva-doce, ações do BPN e uma madeixa de cabelo de Santana Lopes. Quão difícil é que isso poderá ser?”

TOMÉ BOM FEELING, 26 ANOS Apreciador de lasanha com vestígios de carne de doninha Começo a achar que é assim. Bem tento ser otimista, mas as coisas não correm bem em Portugal, e eu sofro fisicamente e tudo! Uma pessoa pensa que as coisas melhoram e é só chatices: aumentam os impostos, as pessoas passam fome e, o pior de tudo, Justin Bieber veio tocar a Portugal! Já não sofremos o suficiente? Ainda por cima parece que ele deu um grande espetáculo: há artistas assim, quando estão menstruadas são capazes de qualquer coisa…

HENRIQUE MEDINA CARREIRA, 81 ANOS Crítico da gestão financeira do coelho da Páscoa Já posso mostrar o gráfico que demonstra que não há qualquer relação entre o pessimismo e a esperança de vida? É que é só para acabar com esta mania que vocês, os jornalistas, têm de gastar montes de tempo com coisas do arco-da-velha. Eu, por exemplo, sou muito mais novo do que pensam porque tenho cuidado comigo desde que sigo um conselho que o Marquês de Pombal me deu pessoalmente: evitar fritos, terramotos e passeios ao pé de Belém, que as correntes de ar são do piorio...


Nº 1612 (II Série) | 15 março 2013

9 771646 923008

01612

PUB

FUNDADO A 1/6/1932 POR CARLOS DAS DORES MARQUES E MANUEL ANTÓNIO ENGANA PROPRIEDADE DA AMBAAL – ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO BAIXO ALENTEJO E ALENTEJO LITORAL | Presidente do Conselho Directivo José Maria Pós-de-Mina | Praceta Rainha D. Leonor, 1 – 7800-431 BEJA | Publicidade e assinaturas TEL 284 310 164 FAX 284 240 881 E-mail comercial@diariodoalentejo.pt | Direcção e redacção TEL 284 310 165 FAX 284 240 881 E-mail jornal@diariodoalentejo.pt Assinaturas País € 28,62 (anual) € 19,08 (semestral) Estrangeiro € 30,32 (anual) € 20,21 (semestral) | Director Paulo Barriga (CP2092) | Redacção Bruna Soares (CP 8083), Carla Ferreira (CP4010), Nélia Pedrosa (CP3586) | Fotografia José Ferrolho, José Serrano | Cartoons e Ilustração Paulo Monteiro, Susa Monteiro Colaboradores da Redacção Aníbal Fernandes, Firmino Paixão | Colunistas António Almodôvar, António Branco, António Nobre, Carlos Lopes Pereira, Francisco Pratas, Geada de Sousa, José Saúde, Rute Reimão Opinião Ana Paula Figueira, Beja Santos, Bruno Ferreira, Cristina Taquelim, Daniel Mantinhas, Domitília Soares, Filipe Pombeiro, Filipe Nunes, Francisco Marques, João Machado, João Madeira, João Mário Caldeira, José Manuel Basso, Luís Covas Lima, Manuel António do Rosário, Marcos Aguiar, Maria Graça Carvalho, Martinho Marques, Nuno Figueiredo, Ruy Ventura, Viriato Teles | Publicidade e assinaturas Ana Neves e Dina Rato | Departamento Comercial Sandra Sanches e Edgar Gaspar | Paginação Antónia Bernardo, Aurora Correia, Cláudia Serafim | DTP/Informática Miguel Medalha | Projecto Gráfico Alémtudo, Design e Comunicação (alemtudo@sapo.pt) Depósito Legal Nº 29 738/89 | Nº de Registo do título 100 585 | ISSN 1646-9232 | Nº de Pessoa Colectiva 501 144 587 | Tiragem semanal 6000 Exemplares Impressão Empresa Gráfica Funchalense, SA | Distribuição VASP

www.diariodoalentejo.pt

quadro de honra O grupo de teatro Jodicus completou em janeiro último 35 anos de existência. Três décadas e meia que, “apesar dos vários constrangimentos”, têm “valido a pena”, segundo afirma um dos responsáveis pelo grupo, Rogério Fialho. Para assinalar a data, foi delineado um programa que decorrerá até ao longo do ano e que incluirá, entre outras propostas, peças de teatro, exposições, o lançamento de um selo e a criação de uma fanfarra. Para breve poderá estar também o regresso da Bienal Internacional de Teatro para a Infância e Juventude, interrompida em 2011. “Se não for em Beja, será noutra cidade ou vila que a queira receber, e já vai havendo interessados”, revela Rogério Fialho.

O céu deverá apresentar-se hoje, sexta-feira, com períodos de muito nublado. Para amanhã, sábado, e domingo, prevê-se chuva moderada e um aumento das temperaturas mínima e máxima.

¸ ¸ ¸¸

Grupo de teatro Jodicus comemora 35 anos de existência

“Partimos quase do zero para 2013” O grupo Jodicus completou em janeiro 35 anos de existência. Qual é o balanço que faz do trabalho desenvolvido ao longo destas três décadas e meia?

Apesar dos vários constrangimentos com que o grupo se debateu ao longo destes 35 anos, a verdade é que tem valido a pena. Durante estes anos o grupo encenou 30 espetáculos de teatro para a infância, juventude e adultos. Iniciou e foi responsável pela realização e programação da Semana Cultural da Salvada durante 10 anos; organizou a Bienal Internacional de Teatro para a Infância e Juventude durante nove edições seguidas. Enfim, foram 35 anos de uma vida preenchida, quer para milhares de espetadores que têm assistido às nossas peças, quer para cada um dos elementos que foi passando pelo grupo. Em 2011 o grupo foi obrigado a anular a Bienal Internacional de Teatro para a Infância e Juventude (Bitij), que já ia na sua 9.º edição, devido a atrasos, por parte da Câmara de Beja, no pagamento de subsídios. Para quando o regresso da bienal?

A Bitij/11 não se realizou não por atrasos do subsídio da câmara, mas sim por falta de cobertura do subsídio da câmara, por falta de “disponibilidade de tesouraria”. Houve outras opções culturais. Mas lamentamos que o único festival de teatro para a infância e juventude que se realiza a sul do Tejo tenha acabado, ou melhor, tenha sido interrompido, porque a capital de distrito não conseguiu disponibilizar uma verba de cerca de 5 000 euros para a realização deste evento uma vez de dois em dois anos. Pensamos que mais cedo do que tarde o evento vai ter de se realizar. Se não for em Beja, será noutra cidade ou vila que o queira receber, e já vai havendo interessados. PUB

Rogério Fialho 50 anos, natural de Salvada (Beja) Está no grupo Jodicus desde “o primeiro momento”, antes mesmo da sua constituição enquanto associação. Ao longo destes 35 anos tem estado “sempre na linha da frente” das atividades culturais desenvolvidas pelo grupo, quer na área do teatro, quer na área da magia, em que adota o nome de “Mágico Roger”. Para além da exposição “de bonecos e marionetas do grupo que nos últimos anos tem deslumbrando os mais pequenos e os graúdos”, que está patente até ao dia 22, que outras iniciativas estão agendadas para assinalar o aniversário do Jodicus?

A exposição é apenas o começo das comemorações, além disso o mais

importante serão as cerca de 500 crianças previstas, em 15 sessões, que irão assistir aos espetáculos até ao dia 22 de março, na Loja ponto JA no IPDJ, em Beja. Para além do teatro que mantemos em cena – três espetáculos para crianças e três para jovens e adultos –, este ano iremos criar um de teatro-cabaretcirco, com todas as pessoas interessadas em fazer teatro. Temos, paralelamente, mais atividades culturais previstas, nomeadamente o lançamento de um selo comemorativo, diversas exposições ao longo do ano, marchas populares, criação de uma fanfarra, intercâmbios nacionais e internacionais e a colaboração, sempre em termos de logística, com as diversas associações da freguesia de Cabeça Gorda. Que futuro antevê para o grupo, tendo em conta o atual contexto de crise económica?

O grupo está neste momento a passar por uma readaptação funcional, uma vez que o seu encenador, e também ator, João Góis, por motivos familiares e profissionais, foi morar e trabalhar para o Algarve. Assim, todo o trabalho tem de ser melhor estruturado, melhor planificado e mais aproveitado. Contudo, pensamos que a única forma de vencer esta crise será com a mesma disposição com que já enfrentámos outras anteriores, continuar a trabalhar. Afirmarmo-nos como o grupo mais antigo da região e com um passado e um trabalho que falam por si e que fizeram, aliás, com que fôssemos distinguidos com a medalha de mérito cultural do concelho de Beja. Quanto aos cortes de subsídios diremos: se em 1978 começámos do zero, após 35 anos regressamos às origens. Do quase zero partimos para 2013. Mas atenção, lá diz o velho ditado “Mais faz quem quer do que quem pode!” . Nélia Pedrosa

5.º Festival de Teatro Escolar em Castro Verde O 5.º Festival de Teatro Escolar de Castro Verde está a decorrer, desde segunda-feira, com a apresentação de cinco peças, no cineteatro municipal da vila, para alunos do pré-escolar e escolas do concelho. O festival, promovido pela Junta de Freguesia de Castro Verde, arrancou com a peça “Em Inglês nos Entendemos”, da Companhia A Voz das Ideias – Teatro Azul, para alunos dos 2.º e 3.ºciclos do ensino básico. A peça infantil “Tobias… O duende da Floresta”, pela Companhia In Anima, e os espetáculos “O Principezinho”, do mesmo grupo teatral, e “Minha Pátria é a Língua Portuguesa”, da Companhia Voz das Ideias – Teatro Azul, foram outras das propostas. O festival termina hoje, sexta-feira, com a apresentação da peça “Auto da Barca do Inferno”, da Companhia Teatro Arte d’Encantar, para alunos do 3.º ciclo do ensino básico.

Feira Ibérica da Indústria Mineira em Aljustrel Aljustrel acolhe, entre os dias 29 e 31 de maio, a 1.ª Feira Ibérica da Indústria Mineira. O certame contará com a participação de empresas relacionadas, direta ou indiretamente, com o setor (representantes de marca, fabricantes, prestadores de serviços e empresas mineiras, entre outros). O objetivo é exporem os seus bens e serviços, com o intuito de fomentar o negócio. O evento, contudo, contará também com diversos seminários temáticos, na perspetiva de partilhar conhecimentos e valorizar o setor, nomeadamente sobre resgate mineiro, atividades complementares de apoio à mineração e explosivos.

A questão social em agenda no IPBeja O auditório do IPBeja recebe, no dia 2 de abril, o debate “A questão social em agenda”, que conta com duas conferências: “Um balanço do estado do bem-estar social” e “Panorama atual do serviço social no Brasil”. A sessão de abertura encontra-se agendada para as 10 e 30 horas.

Ediçao N.º 1612  

Diario do Alentejo