Page 3

SÁBADO, 26 DE FEVEREIRO DE 2011

56 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

3

CIDADE

Mustrangi ouve reclamações de comerciantes Divulgação

O prefeito Paulo Mustrangi esteve reunido na tarde desta sexta-feira (25) na sede da subprefeitura com diversos comerciantes e representantes da Associação de Moradores e Amigos de Pedro do Rio (Amaper). O objetivo da reunião ficou focado na resolução de alguns problemas que ocorrem no quarto distrito. A principal questão é o trânsito pesado que ocorre na ponte que corta o centro comercial da localidade, além do pedido de obras de recuperação e melhoria da mesma.

Outros assuntos também foram abordados, como a criação de um espaço destinado à carga e descarga, colocação de limitadores de velocidade (pardais) em frente ao Esporte Clube Pedro do Rio e no Centro Educacional Celina de Oliveira Barbosa. Outro pedido reivindicado pelos comerciantes foi à volta da passagem das linhas de ônibus de Fagundes e Secretário por dentro do distrito e o asfaltamento da Rua Monsenhor João de Deus Rodrigues para que o ônibus da linha Vila

O prefeito debateu ontem com os comerciantes de Pedro do Rio questões como o trânsito pesado no bairro

Após mudança na CPTrans, governo mantém prazo da licitação de ônibus Arquivo

Vinicius Henter viniciushenter@diariodepetropolis.com.br

A saída de Orlindo Pozzato da presidência da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) não será um empecilho para a licitação que definirá as novas empresas de ônibus que operarão na cidade. Segundo o secretário de Fazenda, Hélio Volgari, o comando da companhia e a licitação são duas questões distintas, já que a reformulação do transporte coletivo em Petrópolis é um “projeto do governo”, independentemente de que quem estiver presidindo a CPTrans. Por isso, Volgari garante que os prazos dados pelo governo no ano passado para a licitação estão mantidos. Assim, já em março será publicado o edital. O secretário afirmou que o processo licitatório demorará 30 ou 60 dias. Com isso, as novas viações estarão escolhidas até, no máximo, maio. Volgari afirma ser possível que em abril a licitação já tenha terminado, assim como o procurador Geral do município, Henry Grazinoli, garantiu em setembro do ano passado no dia em que foi anunciada a extinção dos contratos de permissão das viações sob intervenção. Na ocasião, Grazinoli explicou que todo o processo demoraria entre quatro e seis meses. Mesmo antes da publica-

Passageiros no Terminal de Integração do Centro: licitação em abril

ção do edital, a avaliação do governo é que o transporte público já melhorou muito, devido à intervenção em abril de 2010 nas viações Autobus, Esperança e Petrópolis. “Não estou falando que a situação está ideal, mas melhorou muito. Os ônibus já não estão quebrando tanto”, disse. Ele também defendeu o aluguel de ônibus pela prefeitura para as empresas sob intervenção. “Com os aluguéis, passamos a gastar menos com manutenção e ainda oferecemos um serviço melhor para a população”, disse. Preocupação com projetos do Pozzato Além da licitação do transporte coletivo, a exoneração de Orlindo Pozzato da CPTrans despertou outras preocupações em relação ao

trânsito e ao transporte da cidade. Durante sessão da Câmara, o vereador Thiago Damaceno (PV) reivindicou a continuidade do projeto Faixa Livre, “que foi um dos bons projetos de sua gestão, talvez o único”. No entanto, o vereador se mostrou crítico ao ex-presidente da companhia. “Tem projetos técnicos que precisam ser mantidos”, disse o vereador. Quando ainda comandava a CPTrans, Pozzato havia prometido a criação da Faixa Livre na Rua Paulo Barbosa, no Centro, com o estacionamento na via passando a ser paralelo à calçada, fazendo com que a rua tenha mais uma pista para o trânsito. Há ainda a dúvida em relação a outros projetos prometidos por Pozzato para o Centro, como a implantação da mão dupla na Rua Silva Jardim.

ONG doa utensílios de cozinha e material escolar para desabrigados Vinicius Henter

A ONG inglesa Humanity First (humanidade em primeiro lugar), baseada em 33 países, doou 65 kits de utensílios de cozinha para as famílias que ficaram desabrigadas com as chuvas do dia 12 de janeiro no Vale do Cuiabá. Para as crianças, foram entregues kits de material escolar e cestas de doces e salgados. A ONG, apesar de criada pela Associação Ahmadia do Islã, é independente daquela religião, que é um ramo pacífico do islamismo. “Nós não devemos ligar essa ajuda com religião, porque fica difícil dar a ajuda ao mesmo tempo em que se fala de religião. A ONG não tem nada a ver com religião, é independente”, disse o presidente da Associação Ahmadia do Islã no Brasil, Wasim Ahmad Zafar. No último dia 9, Wasim e o paquistanês Basharat Ahmad, representante da sede do Canadá da ONG, realizaram a entrega pessoalmente dos kits, acompanhados pelo secretário de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac), Luís Eduardo Peixoto. O que sobrou foi entregue na última segunda-feira (21), também com a presença de Peixoto,

Wasim, Peixoto e Basharat conversam no Centro de Treinamento dos Correios

no Centro de Treinamento dos Correios, onde estão abrigadas vítimas das chuvas de janeiro. Como explicou Wasim, a ONG atua nos locais onde houve desastres ou emergências, já tendo participado de ações no Haiti, após o terremoto que devastou o país. A ajuda vem de membros do mundo todo. Além de não falar de religião, a ONG tem como norma entregar os kits pessoalmente e não doar dinheiro aos atendidos. “Foi a primeira experiência da Humanity First no Brasil, e foi muito boa. As pessoas precisam daquelas

doações, porque a tragédia foi muito grave no Vale do Cuiabá, mas elas gostam também de visita lá, trocar idéias. Com as crianças, parecia uma festa”, disse Wasim. Entre as doações, estão panelas, toalhas, baldes, jogos de talher, pratos, copos, jarras, peneiras, potes, conjuntos de lápis de cor, cadernos, cuecas e calcinhas. Wasim explicou que o tipo de doação foi escolhido após uma consulta ao secretário Peixoto, que respondeu que não havia mais a necessidade de doações de alimentos, devido à falta um lugar para depósito.

Rica possa passar pela via e acessar o centro de Pedro do Rio. “Nosso governo sempre se pautou no diálogo aberto e franco com todas as comunidades da cidade. Vamos estudar a viabilidade para atender as reivindicações. Vou encaminhar as demandas aos secretários responsáveis e tenho certeza que muito em breve estaremos com as respostas para a comunidade de Pedro do Rio e assim, atendermos na medida do possível todos os pedidos”, disse Mustrangi.

Rodoviários voltam a reivindicar reajuste salarial no próximo mês Como o explicou o vereador, o salário do motorista é de R$ 1,2 mil, o trocador recebe R$ 690, e o fiscal, R$ 800.

Vinicius Henter

O mês de março é a database dos rodoviários, por isso o reajuste salarial voltará a ser discutido pela categoria. Durante a semana, o vereador Marcelo Motorista (PDT) demonstrou preocupação com o assunto, e afirmou que os trabalhadores deverão pedir aumento de 15%, admitindo que “pode ser que chegue a isso, pode ser que não”. No ano passado, após intensas negociações, o Sindicato das Empresas de Transportes Rodoviários de Petrópolis (Setranspetro) concedeu, em abril, aumento de 7%. Os rodoviários pediam 13%. No início, os empresários recusavam qualquer reajuste. Em seguida, ofereceram 3%, para depois concordar com os 7%.

Vereador Marcelo Motorista

“Peço que o sindicato se manifeste a favor da categoria. Os rodoviários merecem o aumento, porque o transporte que o motorista faz não é de pedras, nem de areia, é de pessoas. São vidas humanas, então a responsabilidade é muito grande”, disse.

Gravata e calça Marcelo também afirmou que a categoria deve ter outras reivindicações, não só a salarial. Ele citou as condições de trabalho de motoristas e cobradores, principalmente no verão, já que o sol, o motor ao lado do motorista e a grande quantidade de passageiros fazem com que fique “altíssima” a temperatura dentro do ônibus. “É preciso que os rodoviários possam trabalhar sem a gravata e de bermuda, porque já faria muita diferença. Tem local no estado do Rio e no de São Paulo que isso já foi acordado”, disse.

Diario de Petropolis  

Artigos, Colunistas, Cidade, Esportes

Advertisement