Issuu on Google+

Diário

de Petrópolis

E-mail: redacao@diariodepetropolis.com.br

Site: www.diariodepetropolis.com.br

57 anos

Preço do exemplar: R$ 1,20

Nº 16.046 - Quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

vale do cuiabá

Um ano após tragédia, moradores voltam a se preocupar com chuvas

Fotos: Alan Alonso

2011: a localidade Buraco do Sapo, no Vale do Cuiabá, foi uma das mais atingidas pela enxurrada

2012: algumas casas foram reconstruídas pelos próprios moradores no local, mas há insegurança

Há um ano, Petrópolis sofria com a maior tragédia da Região Serrana do Rio, onde mais de 900 pessoas morreram em consequência das chuvas. Só no município foram 73 óbitos. O Vale do Cuiabá foi um dos locais mais castigados pela enxurrada. O governo federal disponibilizou verbas para que a região fosse reconstruída. De acordo com a prefeitura de Petrópolis, estão em andamento a construção de casas na Posse (144 unidades), Mosela (140 unidades) e Cuiabá (61 unidades em parceria com a Firjan). (Página 7) agenda Hoje, às 19h, tem mais uma edição do projeto “Petrópolis em Serenata”, com uma homenagem ao cantor Jorge Neves Bastos (Jorge Goulart). Os seresteiros de “Petrópolis em Serenata” percorrerão as ruas da Vila Velha da Estrela. Quem está interessado em fazer o mestrado em Educação na UCP tem até o dia 31 deste mês para fazer sua matrícula (Página 9)

Moradores indignados com coleta irregular da Locanty Em vários bairros da cidade é possível ver caçambas abarrotadas com lixo acumulado desde o ano passado que não foram recolhidos pela Locanty, empresa responsável pelo serviço em Petrópolis. Os moradores estão indignados com a situação, principalmente porque, apesar das constantes reclamações, a empresa não toma nenhuma providência. A Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) informou que se reuniu com a Locanty para que a coleta seja normalizada o mais breve possível.

Esportes O Imperial fará dois amistosos na próxima semana entrando na reta final da preparação da equipe para a estreia no Campeonato Carioca da Série B. No dia 18 de janeiro enfrenta o Artsul, que disputa a Segundona do estadual, às 10h em Austim, Nova Iguaçu. O segundo jogos será dia 21, às 16h contra o Barcelona, da Série C, no Estádio Osório Júnior, em Cascatinha. (Página 10)

bairros Exposição sobre a tragédia do Cuiabá será aberta hoje na UCP (Página 9)

(Página 3)

CPTrans tenta reverter liminar que autoriza estacionamento na Rua Teresa A caçamba na Ponte de Ferro está com lixo acumulado desde o Natal. Moradores estão revoltados

(Página 5)

Perdas na agricultura são normais nesta época do ano Neste início de ano as plantações não sofreram tanto como nos anteriores e os produtores rurais do município contabilizam um prejuízo em torno de 30% e 40%, considerado normal para esta época de chuvas. Os agricultores dizem que o solo molhado fez com houvesse um atraso no crescimento das verduras e inutilizasse parte da colheita. (Página 5)

Ministério das Cidades libera R$ 1 milhão para Petrópolis (Página 3)

Claudemir de Oliveira disse que neste ano as perdas na produção agrícola foram menores

Anuncie no Classidiário. É grátis até 12 palavras n Escreva cada letra ou sinal de pontuação nos quadradinhos n Entre uma palavra e outra, deixe um quadradinho em branco n Preencha com letra de forma bem legível e entregue na sede do Diário

Nome:........................................................................................................................................... Identidade:................................................................................................................................... Endereço:.....................................................................................................................................


2

57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

A fina equação do crescimento no longo prazo

Prescrição da memória

n Bruno

Lima Rocha n Ruy Fabiano

A

primeira denúncia do ano – a de que o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, privilegiou seu estado, Pernambuco, governado por seu partido, o PSB, com verbas contra catástrofes, em detrimento de outros, mais necessitados – é mais grave pelo que oculta que pelo que revela. Revela uma anomalia antiga, o critério partidário-eleitoral no uso do Estado. E oculta uma das maiores dores de cabeça da presidente Dilma: a luta fratricida em sua base de apoio. Enquanto o PSB se empenha em blindar o ministro, o PT, de olho na reforma ministerial, o expõe nos bastidores. O PSB cresce em prestígio, graças, sobretudo, a seu presidente, o governador pernambucano Eduardo Campos, uma das maiores lideranças do Nordeste, região em que o PT garantiu triunfo nas três últimas eleições presidenciais. É natural que os petistas temam essa expansão, ainda que em uma força aliada. Vê-se por aí o liame frágil que forma as coalizões no Brasil, mesmo quando entre parceiros ideológicos. Campos é um presidenciável de grande potencial. Pode não ter ainda dimensão nacional, mas, numa campanha presidencial, tiraria votos do PT em sua principal base de apoio popular. Com as eleições de outubro, a guerra entre as duas legendas deve crescer no Nordeste, com repercussões negativas para a solidez da base federal do governo. O ano começa com a velha rotina das catástrofes climáticas, que se misturam com as políticas (os escândalos), que marcaram o ano findo. Sendo ano de eleição, é de se prever uma exploração ainda mais exacerbada dos malfeitos (para usar a linguagem eufemística da presidente, diante dos escândalos de corrupção). Há ainda a crise econômica mundial, que já começa a dar sinais de seus efeitos internos, para compor um cenário delicado – e só não o é mais por uma razão prosaica: o país não tem oposição. Mesmo somando todas as dificuldades e contradições do governo, a oposição ainda as supera. Basta ver que o principal adversário, o PSDB, briga mais consigo mesmo que com o rival PT. Minas e São Paulo, estados que concentram a parte mais substantiva do PIB brasileiro, e são governados pelos tucanos, anulam-se politicamente, com o duelo entre suas principais lideranças, o senador Aécio Neves e o ex-governador José Serra. Lutam pela hegemonia partidária e pela sucessão de 2014, sem se deter no fato de que, a permanecer a desdita, não chegarão até lá. No campo mais conservador, onde despontam o DEM e o PSD, a luta é ainda mais autofágica. O PSD nasceu do DEM, mas rapidamente agregou gente de quase todos os partidos, inclusive governistas. O DEM tentou bloqueálo na justiça. Perdeu. Ressentido, avisou que jamais apoiará iniciativas suas, o que faz prever que muito menos aceitará coligações eleitorais, a começar pelas de outubro próximo. Tudo isso facilita a vida do governo, que conseguiu perder sete ministros – seis por corrupção – e mesmo assim livrar-se de todas as tentativas de CPI no Congresso. É inimaginável que o mesmo se desse com o PT na oposição. Esse, na verdade, é o grande trunfo político de Dilma: não ter adversários – a não ser, claro, os de dentro. Não é pouco; em certas situações, são os piores, porque imperceptíveis. A grande incógnita é o mensalão, previsto para ser julgado ainda este semestre. Segundo, porém, o ministro Ricardo Lewandowski, relator revisor do processo no Supremo Tribunal Federal, ele pode simplesmente prescrever, dado o seu volume, o que será um escândalo tão grande quanto o que deveria ser julgado. Mas se a oposição não soube fazer uso do escândalo quando acontecia, permitindo que o PT reelegesse Lula meses depois, como supor que faria algo melhor agora? E, afinal, escândalo tornou-se rotina no país: o do dia faz esquecer o da véspera – e o Mensalão, nesses termos, é coisa de um passado pré-diluviano, num país em que a própria memória é coisa prescrita. n Jornalista

A

qui encerro a trilogia a respeito do crescimento econômico brasileiro na última década, tecendo uma crítica por esquerda através de preceitos da economia política. Terminei o último artigo afirmando o óbvio: o abismo social ainda supera a capacidade de gerar riqueza e distribuí-la, dentro de uma sociedade capitalista. Teríamos dois desafios quase consensuais no país. Um deles é a erradicação da extrema pobreza. Outro é a garantia da mobilidade social e o ingresso de milhões no sistema de amparo legal e produção econômica. O primeiro é mais simples, ao menos de visuali-

zá-lo. As políticas de renda mínima, inauguradas pelo primeiro governo social-democrata da Suécia (ainda nos anos ’30 do século XX), como um combate ao pauperismo que atravessava aquela sociedade, costumam ser efetivas. Os dados do Brasil nos últimos dez anos comprovam a eficiência de distribuir o mínimo e assegurar um compromisso de manter os dependentes dentro da rede do Estado de assistência mínima. Seria um absurdo negar esta realização do atual governo (continuidade de oito anos com Lula) e os benefícios advindos para o Brasil como um todo. Ao mesmo tempo, constata-se que a assistência é o passo de largada, e não de chegada para outro patamar de vida.

Ao contrário do que aparenta a educação formal também não assegura necessariamente um posto de trabalho no mundo da produção. Basta observar o desespero dos jovens árabes antes de sua Primavera, quanto tinham governos corruptos, ditatoriais e pró-Israel, ao mesmo tempo em que o bom nível escolar mal dava para o subemprego. O espaço no mundo da produção está correlacionado com duas variáveis. A primeira implica nas escolhas e estratégias de crescimento macro-econômico de um país, e também de sua política monetária. E, como conseqüência, a necessária educação formal, iniciando com um aumento da capacidade de aprendizado e cognição mediana da população até chegarmos

às ciências de base, fonte inesgotável para o avanço científico (e deste para o tecnológico). Nada disso é novidade, bastando uma leitura atenta de Celso Furtado para melhor interpretar a questão. Esta fina equação entre decisões de Estado, e políticas públicas com projeção de efeitos de agora a vinte anos, deveria pautar a agenda nacional. Ao contrário do que afirmam os mandamentos de economistas neoclássicos, este não é um problema de demanda perfeita e sim de relações de poder sobre uma estrutura social-produtiva. Como toda disputa em sociedade, sua solução é política. n Cientista político e Jornalista www.estrategiaeanalise.com.br/ blimarocha@gmail.com

Dentaduras eleitorais

D

n Mary Zaidan

uas cenas antagônicas – uma de punição e outra de ostensiva cara de pau – inauguraram 2012. De um lado, o TSE negou liminar ao prefeito de Ribeira do Piauí, Jorge de Araújo da Costa (PTB), cassado em outubro sob acusação de compra de votos. De outro, a descarada compra de votos em curso no estado de Pernambuco, sob o patrocínio do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra (PSB). A história de Araújo Costa e de seu vice, Justino João da Costa, dá vida à folclórica troca de votos por dentaduras. Além do presente aos desdentados, teriam usado cestas básicas para obter a preferência dos eleitores do municí-

pio, situado a 380 quilômetros de Teresina. De acordo com o último Censo do IBGE, Ribeira abriga 4.263 habitantes, a maioria na miséria quase absoluta. O rolo de Fernando Bezerra é mais elaborado. Mereceria punição antecipada. Além do delito de aplicar 90% dos recursos reservados para a prevenção de danos com enchentes no seu estado natal, onde pretende ser candidato a governador em 2014, Bezerra teve o desplante de dizer que o fazia porque Pernambuco não poderia ser “discriminado” por ser a terra do ministro. Substituiu privilégio por discriminação e pronto. Não bastasse a desfaçatez da explicação que nada explica, Bezerra foi pego com a mão na botija de novo: em

uma manobra na surdina, tentou transferir recursos da transposição do Rio São Francisco – obra abandonada e que exigirá pelo menos mais R$ 1,6 bi para ser concluída - para a barragem de Serro Azul, também em Pernambuco. E não parou por aí. O Ministério, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), presidida por Clementino de Souza Coelho, irmão do ministro, destinou para Petrolina quase 23 mil das 60 mil cisternas de plástico que comprou para todo o semiárido. Bezerra foi por três vezes prefeito da cidade, e um de seus filhos, o deputado Fernando Bezerra Coelho, é candidato ao cargo nas eleições de outubro. Petrolina precisa de cisternas, mas não está

no topo da lista, lugar que pertence a cidades da Bahia, do Ceará e de Minas. Pelo menos é o que diz o Plano Brasil sem Miséria, menina dos olhos da presidente Dilma Rousseff. Ainda assim, as baianas Juazeiro e Bom Jesus da Lapa vão receber só 11 mil cisternas, menos da metade das do berço político do ministro. Pelo que se sabe, Bezerra não chegou a distribuir dentaduras. Mas, assim como o prefeito da paupérrima Ribeira do Piauí, explora a miséria em benefício próprio. Seus dentes mordem nacos de dinheiro público para o seu curral eleitoral. Aos eleitores caberá lhe permitir ou não o sorriso. n Jornalista, Há cinco anos coordena o atendimento da área pública da agência 'Lu Fernandes Comunicação e Imprensa,

Newton e São Tomé n Elton Simoes

O

mundo segundo a física de Isaac Newton seria simples, simétrico e lógico. Tudo seguiria um número pequeno de regras universais. Estas regras permitiriam descrever, explicar, prever e controlar todos os fenômenos. Este mundo imaginário é confortável. É natural que seja assim. Dá prazer achar que o futuro está sempre sob nosso controle. Gostamos de certezas. As certezas nos confortam. Infelizmente, este não é o mundo em que vivemos. A vida é complicada. Ela segue o principio da incerteza e a teoria do caos. O número de variáveis é infinito e, portanto, não permite calcular

o futuro com precisão. Não é possível descrever tudo. As variáveis são complexas e numerosas. Não temos explicação para tudo. Controle absoluto é apenas um desejo. O ato de observar influencia e modifica aquilo que é observado. É impossível determinar com exatidão todas as consequências das nossas ações. Vivemos no mundo da dúvida. É compreensível que se prefira a certeza à dúvida. A certeza traz a sensação, ainda que falsa, de segurança. A dúvida elimina a sensação de segurança oferecendo nada em troca, exceto a necessidade de buscar novas certezas e explorar novas realidades. A dúvida assusta e inquieta. Traz medo, promove insegurança. A dúvida, por outro lado,

Diretor-Presidente e Jornalista responsável: Paulo Antônio Carneiro Dias Editora: Jaqueline Gomes

D

motiva a curiosidade e, com a curiosidade, vêm a exploração e a descoberta. A dúvida parece ser a curiosidade latente. Curiosidade é a dúvida em ação. Estar certo e ter certeza são coisas diferentes. É bom estar certo. Entretanto, estar certo é transitório, instável e passageiro. É impossível ser certo. Só é possível estar certo. E, para estar certo mais vezes, a gente precisa duvidar e ter curiosidade. Para estarem certas, as certezas devem ser sempre desafiadas e testadas. Por isso, a diversidade de pensamento e opinião é tão importante. Talvez ai esteja a grande vantagem da democracia. A democracia não é somente o governo da maioria. Ela representa a possiblidade de que as

iário de Petrópolis 57 anos

Uma publicação da PJ Editora e Gráfica e Jornalística Ltda

Preço do Exemplar 3ª a sábado R$ 1,20 Domingo R$ 1,80 Atrasado R$ 2,50

Assinatura Trimestral Petrópolis R$ 80,00 Rio e outros R$ 160,00

Assinatura Mensal Petrópolis R$ 28,00 Rio e outros R$ 56,00

Assinatura Semestral Petrópolis R$ 152,00 Rio e outros R$ 304,00

crenças, decisões e certezas de hoje sejam testadas constantemente e, se necessário, modificadas ou substituídas por novas crenças, decisões e certezas. É do eterno questionamento e debate entre ideias diferentes que se extraem as melhores decisões. Novas realidades requerem novas certezas. A ausência de debate traz cegueira coletiva. O pensamento único e uniforme acaba com a curiosidade e limita a evolução. Talvez, como disse Nelson Rodrigues, a unanimidade seja realmente burra. A democracia não segue Newton, mas acredita em São Tomé. n Formado em Direito (PUC);

Administração de Empresas (FGV); MBA (INSEAD), com Mestrado em Resolução de Conflitos (University of Victoria). Site: www.diariodepetropolis.com.br

E-mail: redacao@diariodepetropolis.com.br

Diretoria 2246-3807 Assinatura 2246-3807 Publicidade 2237-7849 Classificado 2246-3807 Redação 2235-7165

Rua Joaquim Moreira 106 Centro - Petrópolis - RJ Cep 25.600-000 CNPJ 02.424.864/0001-66

ABRAJORI - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS JORNAIS DO INTERIOR

As opiniões emitidas em artigos assinados não representam, necessariamente, o pensamento do jornal e são de inteira responsabilidade de seus autores. Da mesma forma, as informações e opiniões nas colunas são de responsabilidade de seus titulares.


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

3

cidade

Problemas na coleta acumulam lixo nas ruas n  João Victor Carvalho Especial para o Diário

Moradores de várias comunidades em Petrópolis estão indignados com a deficiência do serviço de coleta de lixo na cidade. Nossa reportagem percorreu alguns bairros e pôde flagrar o descaso dos responsáveis pela coleta. Descaso que muitas vezes obriga aos moradores a terem que se locomover no meio do lixo. No Quissamã, lixeiras e tambores superlotados, fazendo com que parte dos dejetos ficasse espalhado pela rua. Na localidade conhecida como Morro da Oficina, a caçamba de lixo também estava cheia, mas não tanto quanto o canteiro, coberto por sacos plásticos. A situação mais grave foi verificada no Bairro Bela Vista. Segundo o presidente da associação de moradores, Roberto Carlos Antunes, de 45 anos, existem pontos na comunidade em que o lixo não é coletado há cerca de 10 dias. As reclamações feitas por ele e por moradores do local parecem não impactar a empresa responsável pela coleta na cidade. - Ligamos quase todo dia para a Locanty, eles sempre dizem que estão vindo, estão vindo, mas nunca vêm. É uma falta de respeito com a população - reclamou o líder comunitário, que conta que já houve esse problema, mas nunca de forma tão crítica como agora. – E aí fica essa imundície que vocês e todo mundo podem ver. Esses dias um caminhão esteve aqui, eu perguntei se eles iriam recolher o lixo, mas os funcionários

deram meia-volta e foram embora. Se existe alguma dificuldade para o caminhão subir até o fim da comunidade, eles deveriam utilizar carros menores. A partir do momento em que uma empresa ganha a concessão para realizar esse tipo de serviço, tem que ter conhecimento das características da cidade e se adaptar- argumentou Roberto, lembrando que não só o acumulo de sujeira incomoda por si só, como também pelo fato de se tornar um local para atração de animais, principalmente ratos. Pelo menos cinco caçambas de lixo, completamente lotadas, podiam retratar a denúncia. Em frente a uma mercearia, logo no início do bairro, quase não se vê as estruturas da lixeira. No local foi formado um verdadeiro paredão de sacos de lixo. A situação incomoda aos comerciantes. - Com todo esse lixo, pode acabar acontecendo de entrar algum rato aqui. Fora que o pessoal vê o descaso e acaba jogando entulhos também- lembrou uma funcionária da mercearia, Gabriela Lage, de 22 anos. A falta do serviço de coleta também causa transtornos aos moradores do Bingen. De acordo com o vice-presidente da associação de moradores da Comunidade Vitória, Fioravante Luiz Carvalho, de 52 anos, o serviço, que era para ser feito semanalmente, há aproximadamente 15 dias não é realizado. - Não adianta ligar para empresa, porque eles não atendem aos pedidos das comunidades. As duas lixeiras estão completamente lotadas, o lixo já está espalhando no

Produtores rurais têm perdas menores este ano Mesmo os produtores rurais afirmando que as perdas nas plantações este ano não se compararam com as do ano passado e que também são menores do que em anos anteriores, o prejuízo já está em torno de 30% e 40%. Embora a chuva tenha sido em algumas regiões e espaçadas, os agricultores afirmam que o solo molhado fez com houvesse um atraso no crescimento das verduras e inutilizasse parte da colheita. Essa situação reduziu a produção, fazendo com que a categoria aumentasse o valor de venda para os distribuidores que repassam essa alta para os consumidores. - Tivemos uma perda, como acontece em todos os verões, até porque já sabemos que esse período vai de dezembro até março, mas este ano está menor, até pela chuva ter sido pulverizada – declarou o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Petrópolis, Henrique Mesquita. No município, como o perfil é a plantação de folhagens e temperos, as mais sensíveis foram as que os produtores tiveram maior perda. - Perto de outros anos, está tudo dentro do normal. Alguns perdemos mais, como alface e cheiro verde, que não aguentam muito. E a produção vai para diversas cidades, como Três Rios, Volta Redonda – disse o produtor do Bonfim, Robson Silva. - Uma verdura que demora de 40 a 45 dias, acabamos tendo que esperar 60. No ano passado, a chuva levou muito lote, esse ano, graças a Deus, está melhor. Não teve tanta perda, mas cai a qualidade nessa época porque mesmo a chuva que deu lavou a terra. Rúcula, alfaces, mostarda são as que perdemos mais, já couve e agrião resistem bem – disse o trabalhador rural do Caxambu, Claudemir de Oliveira. - A chuva acabou um

pouco com a verdura, mas por enquanto está sendo menos do que em anos anteriores. Agrião, bertália e cebolinha resistem mais, já alface, espinafre e rúcula ficam bem prejudicadas, aí eu uso estufa– disse o agricultor rural do Caxambu, Claudemir de Oliveira. De acordo com o secretário de Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento e Agricultura, Robson Cardinelli, o clima é preponderante para a produção. - No verão chova muito. No ano passado foi crítico que ocasionou grandes problemas, sem acesso para escoar a produção e a partir da parceria do Estado, com o projeto Estradas da Produção, entrou com as máquinas e materiais para executar o trabalho de recuperação ao longo de 2011 e ainda continua. Este ano as chuvas têm sido localizadas. O pessoal do Brejal teve uma dificuldade, mas foi resolvido. É natural o aumento dos preços nessa época até porque outros municípios foram muito devastados e as outras regiões acabam tendo que compensar com seus produtos – disse. Como parte da produção vai para fora do município e depois volta, seja na feira pelas compras feitas no Ceasa ou pelos supermercados, mercados e hortifrútis, o consumidor acaba pagando mais caro pelos produtos, até pelo percurso que é feito até voltar para o município. - Forneço para Três Rio até Congonhas, em Minas – disse Robson Silva. – Nossa grade produção vai para os grandes supermercados do Rio, que tem estabelecimentos aqui. Esperamos que dê tudo certo na produção porque nossa perda foi bem menor, mas ainda estamos passando por um período complicado que vai até março – disse a produtora Iracelma da Costa Silva, cuja família está no setor há mais de 50 anos.

chão e eles não vem fazer a coleta. Já estão aparecendo muitos ratos e baratas e isso é perigoso porque traz doenças. Não falo só como líder comunitário, mas como morador. Um ser humano não merece viver numa sujeira dessas reclamou, acrescentando que a comunidade sofre também com ruas esburacadas e falta de iluminação pública. Os problemas com o serviço prestado da Locanty também foram relatados em outros bairros e distritos, como Cascatinha, Mosela, 24 de Maio, São Sebastião, Corrêas e Nogueira. Nossa reportagem não conseguiu encontrar nenhum responsável pela empresa para comentar o assunto. A Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) informou que a coleta de lixo foi normalizada no bairro Caxambu e também no Morro da Oficina na última terçafeira, dia 10. Já nos bairros Quissamã, Cascatinha, Boa Vista e na Ponte de Ferro, a coleta foi realizada ontem. A Companhia acrescentou que o serviço é feito normalmente todos os dias na Rua Teresa e salientou que o volume de lixo coletado teve grande aumento devido ao período de festas, o que demanda mais viagens ao aterro. Por isso, “a companhia já se reuniu com a Locanty, empresa responsável pelo serviço, a fim de que a coleta seja normalizada o mais breve possível. Além disso, a Locanty está em processo de seleção e contratação de novos funcionários, com o objetivo de suprir esta demanda”, afirmou a Comdep em nota.

Alan Alonso

Moradores do Bela Vista afirmam que coleta não é feita há mais de dez dias em alguns pontos

Comdep: 300 toneladas recolhidas por dia A partir de contrato, a Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) terceiriza o serviço de coleta de lixo, realizado pela Locanty, que vem sendo alvo de reclamações de moradores de diversas localidades. De acordo com a Comdep, o critério de pagamento à Locanty se baseia no número de caminhões empregados para o serviço. A produção diária de resíduos sólidos para Petrópolis foi de 268,88 toneladas em 2009, com uma redução para 254,60 em 2010, segundo

estimativa do IBGE, a partir do Censo 2010 publicado este ano e dos dados do Índice Final de Conservação Ambiental da Secretaria do Ambiente e do Instituto Estadual do Ambiente, que considerou 0,86kg/habitantes. Embora os números sejam bem aproximados, a companhia afirmou que os números divulgados pelo IBGE não procedem e que a média é de 300 toneladas por dia no município. De acordo com o IBGE, Petrópolis tinha 96.350 domicílios particulares ocu-

pados em 2009 e caiu para 96.319 em 2010, considerando as áreas urbana e rural. Os números referentes a 2010, divulgados pelo censo, mostram que em 47.343 domicílios o lixo é coletado diretamente por serviço de limpeza e que 48.132 a partir de caçambas. Já 843 são apresentados como outros e, destes, 731 domicílios descartam o lixo de forma inadequada – 481 moradores afirmaram queimar o material no próprio terreno, 155 colocam em terreno baldio ou encosta e 95 jogam no rio.

Deputado Hugo Leal anuncia liberação de verba de R$ 1 mi O deputado federal Hugo Leal (PSC/RJ) anunciou que o Ministério das Cidades liberou recursos da ordem de R$ 1 milhão para medidas de prevenção a catástrofes climáticas em Petrópolis. De acordo com o deputado, deste total R$ 805 mil são destinados à elaboração de projetos para estabilização de encostas e R$ 250 mil são voltados para revisão do plano municipal de redução de risco na cidade. - O poder público precisa se antecipar para não deixar mais que novas tragédias ocorram em Petrópolis. Neste sentido, tenho mantido contato direto com o secretário nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades, Norman Oliveira, para tratar da liberação de recursos para a cidade, para medidas de prevenção - disse o deputado. O prefeito Paulo Mustrangi tem se esforçado para executar estas emendas que estão em andamento. Na abertura do ano legislativo de 2012, Hugo Leal vai pedir urgência na

votação de projetos elaborados pela Comissão Especial de Prevenção a Catástrofes Climáticas, da qual fez parte. Preocupado com a situaçãodos municípios que ficam refém das fortes chuvas de verão, o deputado defende, em Brasília, que é preciso investir em sistemas de prevenção para evitar novas tragédias causadas pelas chuvas nos municípios da Região Serrana. - Esta é uma questão emergencial. Pedimos ao presidente da Câmara que insira as propostas da comissão especial na agenda de prioridades da Casa e ele se comprometeu a encaminhá-las ao Plenário. Precisamos investir em sistemas de prevenção o quanto antes - alertou Hugo Leal. Os deputados da comissão apresentaram em meados de dezembro ao presidente da Câmara, Marco Maia, o relatório final com três propostas: uma de emenda à Constituição (PEC) que destina recursos dos impostos para o Fundo Nacional de Proteção Civil,

n  Charline Fonseca

nição do Sistema Integrado de Metas da Secretaria de Segurança, que premia as unidades policiais com melhor desempenho, apresentaram o resultado mais positivo para o período desde 2000. Outra boa notícia foi o aumento dos índices que mostram a intensificação do trabalho de segurança, como prisões (17,5%) e apreensão de drogas (16,3%). – Estes números positivos podem ser explicados pela política estabelecida pela Secretaria de Segurança,

Arquivo

Leal: verba é para prevenção

um projeto de lei que institui o Estatuto da Proteção Civil e indicações ao Poder Executivo, como o apoio técnico e financeiro aos estados para que criem seus respectivos centros de operações de desastres, a criação da carreira de agente de proteção civil e a criação de equipes especializadas em gestão ambiental e em gestão de risco de desastre no âmbito de cada ministério. Há ainda uma indicação ao Poder Executivo para promover o fortalecimento do Sistema Nacional de Defesa Civil.

Governo liberou R$ 331,6 milhões Em novembro de 2011, o Ministério das Cidades já havia liberado R$ 331,6 milhões, em caráter extraordinário, para execução de obras de macrodrenagem e contenção de encostas nos municípios de Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo. Como o deputado Hugo Leal anunciou à época, estavam previstas para Petrópolis intervenções nos rios Santo Antônio, Cuiabá e Carvão, incluindo execução de serviços de terraplanagem, obras hidráulicas, recomposição vegetal e parque fluvial. - Precisamos trabalhar com prevenção. Temos que evitar que essas tragédias se repitam - disse Hugo Leal, que tem mantido contato permanente com o secretário nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades, Norman Oliveira, para tratar da liberação de recursos para os municípios da Região Serrana.

Indicadores da Segurança mostram o melhor resultado desde 2000

Os índices de criminalidade continuam em queda no Rio de Janeiro. Dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), referentes ao período de janeiro a outubro de 2011, mostram que os números de letalidade violenta caíram 13,7%; houve redução de 9,2% em roubo de veículo e 15% menos roubos de rua, em comparação ao mesmo período de 2010. Os três indicadores estratégicos, usados na defi-

a instalação de Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) nas maiores comunidades da capital e a integração com órgãos da prefeitura, com o intuito de combater a criminalidade – disse o diretor do ISP, coronel Paulo Augusto Teixeira. Meta é reduzir letalidade violenta em 6,83% Compostos por quatro índices somados (homicídio doloso, lesão corporal seguida de morte, latrocínio e auto de resistência), os números de

letalidade violenta caíram de 4.869, em 2010, para 4.202 em 2011. Roubos de veículos registraram 15.584 ocorrências no ano passado, contra 17.159 incidências em 2010. Já o roubo de rua, que congrega roubo a transeunte, a coletivo e de aparelho celular, diminuiu de 66.840 em 2010 para 56.843 no último ano. Para o segundo semestre de 2011, a meta é reduzir em 6,83% os números de letalidade violenta, 5,07% dos roubos de veículos e os roubos de rua em 4,44%.


4

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

57 anos

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

CIDADE enquete Qual sua avaliação sobre a coleta de lixo feita na cidade? Fotos: Alan Alonso

Elza Ribeiro, dona de casa de 51 anos. Apesar da lixeira hoje estar bem cheia, nunca percebi problemas com a coleta de lixo. Aqui funciona bem.

Jayme Reis, engenheiro ,63 anos. “Dentro do possível, o serviço de coleta vem sendo satisfatório. O problema é que muitas vezes a população deixa entulhos e isso acaba prejudicando. t

Grupo Maranhense antecipa o Carnaval A folia vai tomar conta da Praça D. Pedro neste sábado (14/01), a partir das 18h. O grupo carnavalesco BichoTerra promete contagiar petropolitanos e turistas através das danças e ritmos tradicionais do carnaval maranhense destacando-se a batucada dos blocos de índio, baralho, blocos de sujos, blocos tradicionais, marchinhas e outras manifestações carnavalescas maranhenses. O grupo carnavalesco Bicho-Terra compõe a Companhia Barrica do Maranhão, instituição artística com 27 anos de permanente atividade cultural. É um dos principais grupos criadores da revitalização das folias de rua maranhenses ocorrida na década de 90. Já representou o Brasil em diversos eventos internacionais como na

Divulgação

Os figurinos bem coloridos do grupo são inspirados na natureza

França, Alemanha, Coréia do Sul, México, Japão e mais recentemente da EXPO Xangai 2010, na China, ao lado de grandes nomes da cultura brasileira. O Bicho-Terra inspira-se na natureza com seus

personagens trajando figurinos artesanais representando os reinos: animal, vegetal e mineral em permanente luta com o bicho-homem na busca do equilíbrio e vida do nosso planeta. Imperdível!

FOTO DO DIA Luís Henrique Dias, mestre de obras de 40 anos. “Classifico o serviço como precário. Existe um grande atraso na coleta, que na minha rua era feita constantemente.”

Aldecir Zerbinato, aposentado de 50 anos. “Até o fim de ano a coleta de lixo foi feita de forma razoável. Nesse começo de 2012 é que está deixando a desejar". O serviço piorou muito”

Odair Jorge da Cruz Pereira, comerciante de 45 anos. “O que vemos é que não está tendo a coleta de lixo. Existe uma alta taxa desse serviço mas não vemos nada sendo feito. A cidade tem aspecto de sujeira.”

Um barril de lixo está fazendo parte da paisagem do rio da Rua da Imperatriz, no Centro, desde o último sábado

Direitos Autorais Registro de Músicas Livros Eventos Culturais Agente: Domingos Capistrano Operando no Mercado a 32 anos

Tels.: (24) 2237-3210 (24) 9832-0327 Petrópolis - RJ (22) 9907-4947 Cabo Frio - RJ


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

5

cidade

Rua Teresa: CPTrans busca reverter liminar Arquivo

Roberto Naval, presidente da CPTrans busca reverter decisão

A Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) voltará, nos próximos dias, a um assunto que tem afetado a rotina de quem transita pela Rua Teresa e adjacências: a autorização de estacionamento nas ruas Chile e Teresa, que trouxe de volta as retenções ao local. O estacionamento do lado direito destas vias teve sua proibição reforçada pela companhia no dia 5 de dezembro, quando as ruas foram si-

nalizadas a partir da altura do Hipershopping à Rua Chile. No entanto, uma liminar judicial determinou a permissão do estacionamento ao longo do lado direito da via, o que voltou a sobrecarregar o trânsito no local, especialmente em horários de pico. Apesar do aumento no fluxo de pessoas e veículos devido ao período de festas e dos resultados positivos vistos já nos primeiros dias após a mudança, a liminar favorável

aos comerciantes locais que solicitavam a autorização para o estacionamento dos dois lados da via foi mantida. Visando reverter a decisão, a CPTrans entrará com pedido de revogação da liminar ao Tribunal de Justiça. - Estamos recebendo várias queixas de moradores do Morin e outros bairros adjacentes, o que comprova que houve piora. Queremos melhorar o trânsito na Rua Teresa e arredores já pen-

sando no período de volta às aulas, quando há um aumento significativo no número de pessoas circulando - explicou o presidente da Companhia, Roberto Naval. O agravo da liminar feito pela CPTrans aguarda decisão do juiz relator, que pode ratificar a decisão anterior ou autorizar a proibição do estacionamento no local, voltando a abrir espaço para a circulação de veículos no sentido bairro.

Açougues registram baixa venda Homem é preso tentando assaltar de carne de frango em Petrópolis posto de gasolina no Samambaia Pesquisa feita pela União Brasileira de Avicultura (Ubabef) revela que os brasileiros consumiram mais carne de frango e suína no ano passado em relação a 2010, com crescimento de 7,5% e 7% respectivamente, chegando a superar a dos Estados Unidos em 6%. Essa alta no consumo de carne de frango e de suínos no país, que superou os EUA não se reflete em Petrópolis. Açougues da cidade afirmam que não houve crescimento na venda em 2011 em comparação a 2010. Segundo os comerciantes houve picos de venda em certas épocas, mas a média anual se manteve inalterada. - No período do Dia das Mães e fim de ano a comercialização de carne de frango e suína vendeu bem, mas não houve diferença para 2010. Nesse começo de ano o movimento anda bastante fraco – disse o balconista do Mercado de Carne Vitrine, Marcos

Fotos: Alan Alonso

Os comerciantes reclamaram da venda de frango nos açougues

da Silva. De acordo com a Ubabef, o mercado interno nacional reteve cerca de 70% da produção de frango do país, que é de 13 milhões de toneladas. O crescimento de 7% do consumo de carne suína deve-se também a alta de sua produção que chegou aos 4,9%. Como o aproveitamento do produto do mercado externo caiu em

4,4%, o excedente foi aproveitado para a consumação interna. - A linguiça se tornou um concorrente muito forte. Já está inserida nos hábitos de consumo e disputa espaço com a carne de boi – disse o presidente da Associação Brasileira dos produtores e Exportadores de Suínos, Pedro Camargo Neto a Folha de São Paulo.

R$ 500 mil para reforçar a Defesa Civil O prefeito de Petrópolis, Paulo Mustrangi, receberá em audiência nesta quintafeira (12.01) o deputado federal Edson Santos (PT-

RJ). Na pauta, a emenda aprovada pelo deputado que destina R$ 500 mil para o reaparelhamento da Defesa Civil municipal por meio

do Ministério da Integração Nacional. A audiência terá início às 13h na Prefeitura de Petrópolis.

Vereadores afirmam que falta empenho para recuperar Cuiabá Um ano depois, apenas um terreno definido para a construção de 144 apartamentos, 879 famílias dependendo de aluguel social - um gasto de R$ 5.274.000, por ano - apenas duas famílias indenizadas por suas casas perdidas e falta de fiscalização de serviços emergenciais com verbas enviadas pelo governo federal. Duas comissões instaladas na Câmara de Vereadores já anteciparam um balanço parcial de seu trabalho e o sentimentos dos vereadores Wagner da Silva (PPS) e Silmar Fortes (PMDB) é de falta de empenho do poder público. As comissões são acompanhadas de perto pelo presidente da Câmara, Paulo Igor (PMDB) e são complementares aos trabalhos da CPI das Chuvas, presidida pelo vereador João Tobias (PPS). - O relatório da CPI das Chuvas, um documento que aponta 43 ações principais, focadas em preservação, principalmente, foi encaminhado ao Ministério Público e a todos os órgãos governamentais competentes. As duas comissões em curso são um avanço no sentido de cobramos, efetivamente, as providências que devem ser tomadas - explica Paulo Igor (PMDB). Presidida pelo vereador Silmar Fortes, a comissão que tem a finalidade de acompanhar e fiscalizar as determinações apontadas na CPI das chuvas, concluiu após ouvir representantes do Estado, do Município e moradores da comunidade que as ações executadas ficaram muito aquém do necessário para dar resposta aos atingidos pelas chuvas. Exemplo disso é que um ano

Arquivo

Paulo Igor, presidente da Casa

após a tragédia, de seis terrenos apontados pelo município que comportariam a construção de 728 casas para as vítimas, apenas o da Mosela – conjunto com 144 apartamentos - está definido. Três deles - com capacidade para 248 unidades habitacionais - estão em fase de desapropriação e dois ainda estão sendo negociados. Instaurada em setembro, a Comissão Especial para Acompanhamento das Determinações da CPI das Chuvas convocou representantes de todos os órgãos envolvidos, do Estado e do Município: Casa Civil, Inea, Defesa Civil, Setrac e demais órgãos. Foram cobradas soluções não só quanto a habitação, mas também em relação ao andamento de obras, sistemas de alerta para a população e indenização de moradores. - Nossa intenção é dar agilidade a este processo, mobilizar estes agentes para conseguir resultados práticos. Vamos acompanhar este trabalho até que as ações sejam concretizadas e os problemas sanados - frisa Silmar Fortes. Já a comissão presidida

pelo vereador Wagner Silva (PPS), que fiscaliza a aplicação dos recursos estaduais e federais enviados durante o período de calamidade pública, está cobrando ao município informações sobre a aplicação de R$ 9 milhões remetidos pelo Estado. Instaurada no início de fevereiro, a comissão que fiscaliza a aplicação de recursos vem fazendo uma análise criteriosa sobre toda documentação referente às despesas com a chuva. Entre verbas federais e estaduais, Petrópolis recebeu em janeiro R$ 16.562.547,39. A análise da documentação referente à contratação de empresas para a execução de serviços, por exemplo, gerou um relatório parcial que apontou a inexistência de fiscalização por parte do Município. A comissão se mostrou preocupada à medida que os serviços executados se constituem de retirada de barreiras, escombros, entulhos e lama, o que torna bastante difícil a verificação posterior do quantitativo efetivamente executado pelas empresas contratadas. O presidente da Câmara frisa que dentro das suas atribuições específicas, ambas as comissões estão atentas aos investimentos em dragagem de rios, estabilização de encostas, reflorestamento e construção de casas populares. - O destino das famílias desabrigadas é uma preocupação de todos os vereadores. Isso ficou claro com as três propostas de emendas ao orçamento para remanejamento de R$ 4,3 milhões em verbas para a habitação - finaliza.

nenhum dinheiro. Os frentistas correram até a delegacia e comunicaram o fato a uma viatura que fazia patrulhamento pela região. De acordo com o registro, os policiais seguiram ao local, mas o assaltante já havia ido embora. Os agentes então seguiram a um posto vizinho, há cerca de 50 metros. Lá foram informados pelos frentistas que o homem tentou assaltar o estabelecimento, mas que fugiu sem levar nada. Na continuação da diligência, os

PMs chegaram até um posto em frente a Ponte Branca, no Samambaia, onde avistaram o criminoso ameaçando dois frentistas com uma barra de ferro. Segundo depoimento dos policiais, o homem estava muito alterado no momento em que foi detido e a placa traseira do automóvel estava coberta com um saco plástico. Ele foi conduzido à delegacia onde foi autuado por tentativa de roubo a estabelecimento comercial. Ele se resguardou ao direito de depor somente em juízo.

Um homem de 39 anos, morador do bairro Carangola, foi preso em flagrante na noite da última terça-feira, quando tentava assaltar um posto de gasolina na altura da Ponte Branca, no Samambaia. Quando localizado pela Polícia Militar, o homem estava com uma barra de ferro nas mãos, ameaçando os dois frentistas. Minutos antes de ser preso, ele já havia tentado praticar o crime em dois postos na Rua Hermogênio Silva, a poucos metros da 105ª DP (Retiro). Justamente por conta dessas duas primeiras tentativas que ele foi encontrado. Isso porque dois frentistas do Auto Posto Cidade das Hortênsias, no início da rua citada, comunicaram a PM o ocorrido, por volta das 22h. Segundo relato das vítimas, o criminoso chegou ao local em um Volkswagen Gol, preto, desembarcou e, empunhando uma faca e uma barra de ferro, anunciou o assalto. O homem vasculhou os caixas do estabelecimento, onde não havia

Homem chegou ao posto e ameaçou frentistas com barra de ferro

Um homem de 22 anos foi alvo de uma tentativa de homicídio, na madrugada de ontem, em Corrêas. João Paulo Tazeli Castro foi atingido no rosto por um tiro e, até a tarde de ontem, permanecia em observação no Hospital Alcides Carneiro. Ele deu entrada na unidade por volta de 1h. A Polícia Militar (PM) foi chamada ao local e, segundo relato da vítima aos agentes, ele caminhava pela Rua Carvalho Júnior, retornando para casa, quando um carro passou e uma pessoa efetuou um disparo contra ele. Sozinho, o jovem foi ao hospital. De acordo com o dele-

gado titular da 105ª DP Retiro, Marcello Braga Maia, as informações prestadas pela vítima acrescentaram pouco às investigações, uma vez que o jovem não soube precisar o carro utilizado por seu agressor, tampouco as características físicas do mesmo. – A investigação já está sendo feita e vamos checar se existem câmeras de segurança no entorno do local para ver se existe alguma imagem que ajude na identificação do autor - esclareceu o delegado. Ocorrências envolvendo armas de fogo vêm chamando a atenção nesse início do ano

Homem é baleado em Corrêas na cidade. Na manhã da última terça-feira, o marceneiro Maurício de Oliveira Peters, de 45 anos, foi executado com pelo menos 13 tiros de pistola calibre 380 em Araras. Dois homens chegaram até o local em que ele trabalhava e efetuaram vários disparos. O irmão de Maurício também acabou atingido e passaria por cirurgia para retirar uma bala alojada em seu braço. Na última sexta-feira (6), o pedreiro Leandro da Costa Teixeira, de 30 anos, foi assassinado com quatro tiros dentro de um bar na localidade conhecida como Chapa 4, no Valparaíso.

Trabalho na Comunidade no bairro Duques A quinta edição do programa Trabalho na Comunidade chega ao Duques. Hoje, entre 9h e 15h, as tendas da Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania

(Setrac) estarão próximas à associação dos moradores do bairro. Quatro barracas oferecerão aos moradores da localidade e redondezas cadastro

no balcão de empregos e em cursos profissionalizantes, emissão de carteiras de trabalho, divulgação do Crédito Cidadão e oficinas de artesanato.

Nada melhor do que um telefone para quem, atŽ bem pouco tempo atr‡s, s— podia colocar a boca no trombone.

Seu canal direto para fazer denœncias. www.alerj.rj.gov.br


57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Agenda Cultural

marciosalerno@diariodepetropolis.com.br

Na cidade

Dia em que poderá prosperar pela influência do cônjuge e ter sucesso nas pesquisas e em tudo que está relacionado com o ocultismo. Evite a precipitação e tome cuidado com seu dinheiro. Haja com mais responsabilidade.

Câncer - (21/06 a 22/07)

Indicações de um bom dia para você, que estará em bom período para o convívio íntimo. As oportunidades de progresso nesse sentido, ajudarão você a encontrar uma pessoa muito especial, que irá lhe completar em todos os sentidos.

Leão - (23/07 a 22/08)

Se puder vá ao cinema ou teatro e terá oportunidade de aprender alguma coisa boa enquanto se diverte em companhia das pessoas que estima. Contudo, evite revelar seus segredos ou assuntos pessoais porque será prejudicado.

Virgem - (23/08 a 22/09)

Amigos lhe darão alguns desgostos e a pessoa amada poderá ressentir-se de falta de atenção. Fluxo astral muito benéfico para os negócios, para a família e aos meios de transmissão de ideias. Sorte nos jogos.

Libra - (23/09 a 22/10)

Muito bom fluxo astral para as transações relacionadas com terras, propriedades, mudanças e a compra e venda de metais, joias e pedras preciosas. Contudo não descuide de seus familiares e seja mais arrojado.

 Escorpião - (23/10 a 21/11) Dia em que haverá disputas, dificuldades, que só serão vencidas com muita força de vontade. Evite os perigos de acidentes de trânsito, a precipitação nos negócios e discussões, no campo profissional.

Sagitário - (22/11 a 21/12)

Pode solicitar a colaboração alheia, que será prontamente atendido. Enfrente os problemas difíceis com tranquilidade e confiança em si. E o otimismo, deverá ser a melhor das suas companhias.

 Capricórnio - (22/12 a 20/01) Pessoas benquistas socialmente, muito deverão contribuir para a sua elevação geral neste dia. Contudo, não se mostre demasiadamente orgulhoso e dê mais atenção às pessoas queridas. Os astros prometem um dia cheio de novidades para você.

Aquário - (21/01 a 19/02)

Hoje é um dia que terá, certamente, algumas perturbações, inclusive o cônjuge estará descontente com você. Tome cuidado se realizar negócios e se lidar com fogo e eletricidade. Amanhã será um dia melhor.

 Peixes - (20/02 a 20/03) Se ainda não tem a sua casa própria, saiba que esta é a fase mais favorável para consegui-la. Aproveite. Por outro lado, terá sucesso no comércio, na indústria e nos negócios relacionados com terras. Dificuldades familiares.

O Meio da Serra recebe a visita da Serenata Imperial hoje

Literatura

A estória do escritório de Deus em uma narrativa bem humorada De seu escritório, Deus acompanha todas as nossas histórias, recheadas de buscas, dúvidas, súplicas e medos. “Basta em certos momentos desligar a mente e deixar a essência conduzilos, e quando amar for tão instintivo como respirar, eles terão chegados ao estágio que Eu almejo”. Esse é o tema do livro “Deus me Acuda!”, que está sendo lançado este mês. Sem doutrinação, catequese, mas de forma leve, bem humorada e ao mesmo tempo séria e com conteúdo, o autor Renato Castanhari Jr. criou o seu romance em duas narrativas: a do plano terreno e do espiritual. A narrativa se divide em dois ambientes, o superior, onde Deus e seu assistente direto Enéas conversam sobre di-

Deus, os seres humanos e suas angústias são tema de livro

versos assuntos, a criação do mundo, o atual estágio dos seres humanos, futebol,

amor, cinema, entre outros temas contemporâneos. O outro ambiente é o dos homens, suas angústias, dificuldades, medos, diferenças, críticas e apelos ao Criador. Essas duas narrativas, que se interligam nas 308 páginas do livro em basicamente três núcleos de personagens, são diferenciadas visualmente pela tipografia dos textos, uma para cada ambiente. A maior mensagem dessa narrativa contada nos bastidores do Céu é a de demonstrar que os pedidos, orações, queixas, feitas por cristãos, mulçumanos, judeus e demais personagens do livro acabam por chegar no escritório de Deus, independente da linha religiosa. Mais informações no blog http://deusmeacuda. wordpress.com

Especial

Um evento ‘zen’ acontece neste sábado na Serra Neste sábado o Solar Fazenda do Cedro receberá uma equipe de profissionais do corpo e da mente para cuidar do lado ‘zen’ de seus hóspedes e do público externo em geral. O objetivo é fazer com que as pessoas recarreguem suas energias para iniciar bem 2012. Para participar destas atividades, basta fazer uma avaliação corporal e doar um brinquedo, além de pagar uma taxa simbólica no valor de R$ 60 (não hóspedes). Os participantes serão acompanhados por fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, professores de Educação Física e de Terapia Holística. Eles também poderão fazer, simultanea-

SALA 1 OPERAÇÃO PRESENTE – Censura livre – Horários: 14h e 18h30

ALVIM E OS ESQUILOS 3 – Censura livre – Horários: 14h30, 16h30, 18h30 e 20h30 TOP CINE HIPERSHOPPING MERCADO ESTAÇÃO Rua Paulo Barbosa, 310 / 1º piso Centro - Petrópolis Cine Fone: (24) 2249-9900 www.cinemaxx.com.br SALA 1

A SAGA CREPÚSCULO AMANHECER PARTE 1 – Censura 14 anos – com Robert Pattinson – Horários: 16h15 e 20h30

IMORTAIS – Censura 14 anos – Horários: 14h30, 16h40, 18h50 e 21h

SALA 2 AS AVENTURAS DE AGAMENON, O REPÓRTER – Censura 14 anos – com Luana Piovani – Horários: 14h20, 16h, 17h40, 19h20 e 21h

MISSÃO IMPOSSÍVEL: Protocolo Fantasma – Censura 12 anos – com Tom Cruise - Horários: 15h50, 18h20 e 20h50

Preços: Segunda é dia de cinema. Ingressos a R$ 3 em todas as sessões. Terça a quinta (exceto feriados): Sessões iniciadas até 15h59min Inteira: R$ 10 (meia: R$ 5). Após 16h inteira: R$ 12 (meia: R$ 6). Sexta

SALA 2

SALA 3 GATO DE BOTAS – Censura livre – Horários: 14h20 e 18h40 COMPRAMOS UM ZOOLÓGICO – Censura livre – Horários: 16h20 e 20h40

Filmes na TV AS CRÔNICAS DE SPIDERWICK – GLOBO - 15H50 – COM DAVID STRATHAIRN Após a separação dos pais, dois garotos gêmeos, Jared e Simon e sua irmã Mallory se mudam com a mãe para uma casa em ruínas. Por meio de um livro mágico, eles se veem transportados para um mundo de fantásticas criaturas. Baseado na série de livros homônima de Tony Diterlizzi e Holly Black. PALAVRAS CRUZADAS DIRETAS

www.coquetel.com.br Sintoma da dengue hemorrágica O negócio bemsucedido Casal

© Revistas COQUETEL 2012

Animalsímbolo Multa por do Flamen- atraso no go (fut.) pagamento

Encontrar

A ti (Gram.)

A Exército, primeira Marinha e letra de Aeronáuum nome tica

Fazer gestos de despedida Região da Áustria

Pronome relativo

O caminho do Zen subirá a Serra no sábado

mente, tratamentos de “quick massage”, RPG, massagem relaxante e drenagem facial. Estes tratamentos terão que ser agendados previamente.

O endereço é Estrada BR 040 (Rio – Juiz de Fora) - Km 45 - Pedro do Rio. Mais informações: www.fazendadocedro.com.br.

As crônicas de uma família que vive no reino mágico terior dos EUA, única herança de família que lhes restou. Entretanto, apesar de achar que a vida, dali por diante, seria um tédio só, alguns acontecimentos estranhos passam a ocorrer, em especial com um dos gêmeos. Ele descobre um livro de um Spiderwick antepassado seu, que desapareceu no início do século XX, sem deixar vestígios. A única pista que restou de sua pessoa foi sua filha, agora uma senhora, que está internada em um asilo

para velhos. Abrindo o livro, ele percebe que é possível passar de sua realidade para outra, mais mágica. Só que a mansão está cercada por monstros terríveis, que vão fazer de tudo para impedir que o menino encontre a chave para solucionar o mistério do desparecimento de seu antepassado. O filme tem boas atuações, com destaque para David Strathairn, que faz o Spiderwick desaparecido. Boa diversão.

Tonelada (símbolo)

Cêcedilha

3ª vogal

Passados

Força; vigor (fig.)

Na TV

Tem um filme bem ‘legal’ anunciado para a sessão da tarde da Globo, hoje. Trata-se de “As Crônicas de Spiderwick”, uma obra original de Tony DiTerlizzi e Holly Black, em cinco livros, que foi transformada neste filme. Claro que os livros são bem mais aprofundados, mas o filme diverte. Uma mãe separada do marido e seus três filhos, uma adolescente e dois meninos gêmeos, acabam indo parar em uma velha mansão no in-

CINE BAUHAUS R. Dr. Nelson de Sá Earp, 89 Shopping Center Bauhaus Centro

SALA 2

Amarrar

Medo, em inglês

Meio de propagação do som

Causa sofrimento (?) Vegas, cidade

Coisa sem valor; insignificância

Giovanna (?), atriz brasileira Resina fóssil de cor amarela usada em joias

Estabelecer um vínculo

Etapa do Brasileirão (fut.) Figura importante (fig.)

A pessoa que muda de lado facilmente

(?) Gore, político norteamericano

O nauta como Cristóvão Colombo (?) a discórdia: incitar o caos

Animal como o Níquel porquinho- (símbolo) da-índia

BANCO

(?) Campos, atriz Prejudica Nova (?), capital indiana Parcela

Ainda; também Diz-se do piloto de grande habilidade 21

Solução

O

Gêmeos - (21/05 a 20/06)

AS AVENTURAS DE AGAMENON, O REPÓRTER – Censura 14 anos – com Luana Piovani – Horários: 15h, 17h, 19h e 21h

M

Ingressos: terças e quartas ingresso promocional a R$ 6 para todos (exceto feriados). Preço de ingressos as quintas e sextas - inteira R$ 14 e meia R$ 7. Preço de ingressos aos sábados e domingos - inteira R$ 16 e meia R$ 8.

A C H A R

Melhora sensível de saúde e condições gerais, deverão se apresentar hoje. A vida familiar será bastante harmoniosa e as chances de sucesso pessoal, profissional e financeiro, deverão surgir. Neutro no amor.

SALA 1

F O R Ç A S M I L I T A R E S

Touro - (21/04 a 20/05)

GATO DE BOTAS – Censura livre – Horários: 15h e 17h, terça a domingo

TOP CINE HIPERSHOPPING ABC Rua Teresa, 1415 / 2º piso Alto da Serra – Petrópolis Cine Fone: (24) 2249-9900 www.cinemaxx.com.br

T I V E N A I N C I I DO F A E L L A A R R S O L E D S A C A D O A T A

Hoje, às 19h, tem mais uma edição do projeto “Petrópolis em Serenata”, com uma homenagem ao cantor Jorge Neves Bastos (Jorge Goulart). Os seresteiros de “Petrópolis em Serenata” percorrerão as ruas da Vila Velha da Estrela. (Meio da Serra) Início – Estrada Velha da Estrela, altura do nº 267. Em caso de chuva será realizada no pátrio da Igreja São Sebastião. Censura livre, entrada franca. Quem está interessado em fazer o mestrado em Educação na UCP tem até o dia 31 deste mês para fazer sua matrícula, uma vez que as inscrições foram prorrogadas.

MISSÃO: IMPOSSIVEL 4 - PROTOCOLO FANTASMA – Censura 12 anos – com Tom Cruise – Horários: 18h50, terça a domingo – Sessão extra sexta e sábado, 21h40

R

Você estará repassando todos os seus sentimentos e tudo o que lhe vai à imaginação, para as pessoas mais próximas e que lhe são mais caras. Mente com ideias claras influenciarão de modo benéfico este seu dia. Dedique-se mais a leitura ou a algum passatempo.

CINE ITAIPAVA Est. União & Indústria, 11.000 Itaipava

N I N H A R I A

Áries - (21/03 a 20/04)

Serenata no Meio da Serra e prorrogação na UCP

C R A E S T I A R T O A L R I A C L O N M E

HORÓSCOPO

a domingo e feriados: Sessões iniciadas até 15h59min inteira: R$ 12 (meia R$ 6) Após 16h inteira: R$ 14 (meia R$ 7). Lembrando que estamos com uma promoção de terça a domingo: todas as pessoas pagam meia entrada.

4/fear . 5/tirol — urubu. 10/explorador.

INSTITUTO OMAR CARDOSO

P L U P A R Q U S U B E U T A N S A B A M A E V I R E X P A S E

6


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

7

CIDADE

Tragédia no Vale do Cuiabá completa um ano

Fotos: Alan Alonso

n Roberta Müller robertamuller@diariodepetropolis. com.br

Todos os dias, assim que acordava, a caseira Ana Maria Ioras saía na varanda e logo via a grande movimentação dos vizinhos. Só no entorno de sua casa eram cerca de 50, a maioria nascido e criado ali, nos arredores do ponto final do ônibus, no Vale do Cuiabá, em Itaipava. Exatamente um ano após a tragédia com as chuvas, que matou 73 pessoas naquela mesma região, ela se vê isolada em um bairro deserto. Só de sua janela é possível ver terrenos vazios onde casas inteiras foram arrastadas com a força das águas e o que restou de outras que foram destruídas. Não sobrou ninguém morando lá além da família dela e outra – que já está de mudança. Dos vizinhos, que também eram amigos, 22 morreram. Os que sobreviveram tiveram que sair do bairro. A realidade é praticamente a mesma para o restante de moradores que permanece no Vale do Cuiabá após aquela madrugada de 12 de janeiro de 2011. Entre quem conseguiu sobreviver à enxurrada, mas perdeu parentes, a maioria já não mora mais no local. Para os que ficaram, além das marcas deixadas pela tragédia na memória, eles são obrigados a viver em meio à destroços das casas, lama, pontes precisando ser reconstruídas e um rio ainda assoreado. O cenário poderia ser de 2011, mas é de 12 meses depois. Quem percorre o bairro só consegue acreditar que um ano já se passou depois da enchente quando vê os sítios, as pousadas de luxo e as mansões reconstruídas, com grama verde nos terrenos e cercas pintadas. Nas residências de quem não conseguiu retomar a vida, as marcas da água e da lama ainda estão nas paredes. Aos poucos, eles trabalham para comprar móveis e eletrodomésticos. - Essa virada do ano foi a pior de todas. No ano passado, de 2010 para 2011, nós passamos o réveillon juntos, reunimos os vizinhos. Parecia até que estávamos adivinhando. Eles não eram só vizinhos, eram amigos de uma vida inteira. Moro na mesma casa há 20 anos e no mesmo bairro desde que nasci, há 48. É uma tristeza olhar todo dia para essas casas destruídas, a rua vazia. Às vezes a gente está feliz e do nada fica triste, volta aquele sentimento de vazio, de saudade, de medo. Isso vai ficar no peito pro resto da vida. Desde que a chuva começou de novo não consigo mais dormir – explicou a caseira. Para ela, o sofrimento seria amenizado se pelo menos as prometidas casas populares fossem construídas no bairro, o que traria novamente alguns moradores para o local. De acordo com a prefeitura de Petrópolis, estão em andamento a construção de casas na Posse (144 unidades), Mosela (140 unidades) e Cuiabá (61 unidades em parceria com a Firjan). Um dos maiores problemas enfrentados pelo município para o início das obras está sendo o desinteresse das construtoras. A prefeitura alega que conseguiu junto ao governo federal o aumento do valor das unidades habitacionais do “Minha Casa, Minha Vida” para os desabrigados, que passou de R$ 55 mil para R$ 63 mil. A medida deverá atrair as empreiteiras para comprarem os editais de construção das casas. Mas, os moradores não estão preocupados com as promessas, eles se sentem abandonados. Um ano depois das fortes chuvas que atingiram a região, elas voltam a causar transtornos em Petrópolis. Segundo uma leitora do Diário de Petrópolis, em nota enviada para a redação, “apesar dos constantes pedidos e

Dois momentos do mesmo trecho no Vale do Cuiabá. Na esquerda os moradores perdidos em meio aos destroço em 2011 e na direita o local hoje já limpo

Outros dois momentos do mesmo trecho. Na esquerda, a casa ainda de pé onde dois idosos morreram. Na direita, hoje só sobrou um pedaço da parede e muito mato

Verba para reconstrução

Ana e Sidnei ainda estão preocupados com futuro do bairro

alertas feitos pela população junto ao poder público, durante todo o ano de 2011”, a região continua sofrendo. “Muitas das obras ainda não foram realizadas, entre elas a reconstrução das pontes que foram levadas pela enxurrada, muito importantes para a locomoção dos moradores do Vale do Cuiabá e de outros bairros próximos”. O principal ponto de protesto por parte dos moradores é a falta de atenção dada pelo poder público aos problemas de infraestrutura gerados com as chuvas de janeiro de 2011. - A temporada de chuvas de verão ainda está no início, por isso, para a população é de extrema urgência a necessidade de obras com infraestrutura duradoura e de qualidade, que garantam a tranquilidade e a segurança aos moradores da região – diz a nota. Números da tragédia Mais de 900 pessoas morreram com a tragédia na Região Serrana. Só em Petrópolis foram 73. De acordo com a prefeitura, na cidade 2.357 famílias foram atingidas, mas nem todas perderam suas casas. Atualmente nenhuma família continua desabrigada ou desalojada por consequência das chuvas de janeiro do ano passado. 904 pessoas estão recebendo o aluguel social repassado pelo governo do estado. Mais de 643 toneladas de donativos foram entregues as famílias, entre alimentos, refeições prontas, colchões, kits de cama, mesa e banho, kits de limpeza, água potável e roupas. Até setembro, o município manteve a distribuição de donativos para mais de 2.350 famílias no Vale do Cuiabá, Gentio, Benfica, Madame Machado, Vale da Boa Esperança

e adjacências. Foram feitas mais de 6.390 visitas domiciliares com entregas de donativos e as famílias continuam a ser assistidas pela Setrac. Foram utilizadas 69 máquinas e 139 veículos nas operações de limpeza do Vale do Cuiabá e demais localidades afetadas. Até agora, foram recuperados em Petrópolis 20 km de asfalto em ruas danificadas; foi feita a limpeza e desobstrução de 80 km de vias principais e secundárias, com remoção de 18.500 caminhões de entulho; recuperação integral de quatro escolas atingidas, entre outras ações. - Tudo que eles fizeram até agora foi limpar, tá tudo limpinho, agora vai ver se eles estão ajudando algum morador daqui de alguma forma. Isso já foi abandonado. Uma coisa é limpar a rua, outra é trabalhar em benefício da população. Até hoje não consegui me restabelecer. Perdi tudo o que tinha, não sobrou nada. Aqui, caiu barreia e entrou água. Tinha um bar na frente de casa que também foi destruído, até hoje não consegui abrir de novo. Muita gente aqui sofreu para receber o aluguel social. Alguns tiveram que entrar na justiça – desabafou um morador, o pedreiro Sidnei Pereira, que mora no bairro desde que nasceu, há 45 anos. A Região Serrana é o mais importante polo de produção agrícola do estado do Rio. Com a destruição, estimase que 17 mil famílias que se sustentavam da atividade agropecuária tenham sido afetadas. No comércio, 84% dos empresários foram afetados e os prejuízos estimados pela Fecomércio são de R$ 469 milhões. Na indústria, do total de 278 empresas do Sistema Firjan, 68% foram afetadas, a maioria em Nova Friburgo. Os prejuízos estimados pela Firjan foram de R$ 153 milhões.

O município recebeu a verba emergencial de R$ 7 milhões provenientes da União. O dinheiro foi gasto, segundo informações da prefeitura, com materiais de consumo (alimentação dos abrigos e voluntários, gás, madeira, calhas, manilhas, brita, entre outros), um total de R$ 813.743,30. Já com contratação de pessoas físicas (psicólogos, assistentes sociais) o gasto foi de R$ 118.889,98. Para a contratação de pessoas jurídicas, onde

são incluídos os gastos com máquinas, veículos e equipamentos, desobstrução de vias, limpeza de servidões, calçamento, drenagem, remoção de entulho, foram alocados R$5.910.157,72. Na aquisição de material permanente (radiotransmissores e rolo compressores, etc.), o gasto foi de R$ 157.031,00. No total foram consumidos R$ 6.999.822,00 e houve a devolução de R$ 178,00 à União. Os recursos provenientes das doações (R$ 1.872.598,24) deverão ser usados em benefício dos moradores das áreas afetadas.

Prejuízos: Comércio: 43 lojas Empregos: 269 – Prejuízo: R$ 5.922.500,00 Serviço: 19 Empregos: 58 – Prejuízo: R$ 1.546.000,00 Indústria: 8 Empregos: 569 – Prejuízo: R$ 11.840.000,00 Hotelaria:04 Empregos: 88 – Prejuízo: R$ 3.220.000,00 Igreja: 02 Prejuízo: R$ 140.000,00

Ainda há desaparecidos Um ano após a tragédia, 13 pessoas continuam desaparecidas em Petrópolis. Na cidade, assim como em Teresópolis e Nova Friburgo, famílias inteiras foram soterradas ou morreram afogadas na enxurrada e em deslizamentos. Muitos estavam dormindo quando foram pegos de surpresa pela pressão da água. A maioria dos que sobreviveram se abrigou nos telhados

das casas para se salvar. Estradas e pontes foram destruídas. No Vale do Cuiabá, o socorro em algumas áreas só chegou no dia seguinte. Muitas comunidades ficaram sem acesso, sem luz, telefone. No bairro, a água não fez distinção, atingiu casas luxuosas e humildes na mesma proporção. O drama da família Conolly foi um dos que mais chocou. Com um

alto poder aquisitivo a família estava hospedada em uma mansão no Vale no dia 12 de janeiro. A estilista e designer Daniela Conolly, morreu afogada na casa, assim como seu pai, sua mãe, seu marido e o filho, de 2 anos; a babá; e três sobrinhos, filhos do economista Erick Conolly, seu irmão, diretor da holding do Icatu, que estava no Rio trabalhando.

Acima, a vila de casas que foi soterrada na foto tirada em 2011. Abaixo ,o local atualmente


8

57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

ECONOMIA

AVISOS E EDITAIS

Cartório de 3º Ofício de Petropolis

12/01/2012

Terceiro Ofício - Petropolis - RJ

Pag: 1

R. do Imperador, 1021 - Centro

Relação do Edital dia 12/01/2012 Acham-se afixados neste cartório, conforme a lei 9492/97, art. 15 $1 - Processo 89.877/99 CGJ/RJ, para serem protestados os títulos de responsabilidade de: Protestar em 13/01/2012

011483786000161

ETR UNIAO INDUSTRIA, 11000 - LOJA 56/B

Número: 00018021600

DUPLICATA MERCANTIL

Emissão:20/11/2011

Vencto: 20/12/2011 Cheque Administrativo

Custas

Valor:

AUTOMATOS TECNOLOGIA DE INFORMACAO LTDA

Custas

Valor:

AUTOMATOS TECNOLOGIA DE INFORMACAO LTDA

Custas

Valor:

134,07 Total

R THEREZA 1197

Número: 0000554306 Emissão:14/03/2011

Vencto: 30/12/2011 Cheque Administrativo

Custas

Valor:

RUA BERNARDO VASCONCELOS, 480 -CASCATINH

Custas

Protestar em 13/01/2012

Valor:

14,72 Total

Portador/ Cedente / Sacador

Protocolo 500

SHS AGENCIAMENTO DE SOFTWARE LTDA

10/01/2012

SHS AGENCIAMENTO DE SOFTWARE LTDA

134,07 Cpmf

0,00 Tarifa

14,72 Total

8.800,29

Portador/ Cedente / Sacador

Protocolo

001 - BANCO DO BRASIL SA

588

SUN SPECIAL COMERCIO E REPRESENTACAO LTD

10/01/2012

SUN SPECIAL COMERCIO E REPRESENTACAO LTD

122,23 Cpmf

0,00 Tarifa

14,72 Total

980,95

Portador/ Cedente / Sacador

Protocolo

001 - BANCO DO BRASIL SA

612

VALDECIR DOS SANTOS & CIA LTDA ME

10/01/2012

1977,33 128,15 Cpmf

0,00 Tarifa

14,72 Total

Cartório de 3º Ofício de Portador/ Petropolis Cedente / Sacador CNPJ / CPF

CASTOR MATERIAIS DE CONSTRUCAO LTDA

8.800,29

237 - BANCO BRADESCO S A

2.105,48 ou Dinheiro Custas

128,15 Total

0,00 Tarifa

Terceiro Ofício - Petropolis - RJ 013291032000135 001 - BANCO DO BRASIL SA

2.120,20 12/01/2012

Protocolo

621

RUA BERNARDO VASCONCELOS, 480 -CASCATINH

R. do Imperador, 1021 VALDECIR - Centro DOS SANTOS & CIA LTDA ME

DUPLICATA MERCANTIL

Número: 859-B

Pag: 2 10/01/2012

PAINEL PLAC INDUSTRIA LTDA

Relação do Edital dia 12/01/2012

4615,09 Emissão:01/11/2011 Valor: Vencto: 31/12/2011 Acham-se afixados neste cartório, conforme a lei 9492/97, art. 15 $1 - Processo 89.877/99 CGJ/RJ, para serem Cheque Administrativo Custas 128,15 Total 128,15 Cpmf 14,72 Total 4.743,24 ou Dinheiro Custas 4.757,96 0,00 Tarifa protestados os títulos de responsabilidade de:

Protestar em 13/01/2012

003365956000185

RUA TEREZA, 1515 LJ.87

Emissão:01/12/2011

Vencto: 30/12/2011

Custas

Valor:

Protestar em 13/01/2012 RUA TERESA, 1794

Número: 33120-07 Emissão:25/04/2011

Custas

Valor:

MARCOBRUN IND.COM.E COM.DE ROUPAS LTD

Custas

Valor:

128,15 Total

MARCOBRUN IND.COM.E COM.DE ROUPAS LTD

Cheque Administrativo

Custas

Valor:

Número: 120811/,/04

Cheque Administrativo

Custas

Protestar em 13/01/2012 SERGIO CAMILO BATISTA

Valor:

14,72 Total

562,57

Portador/ Cedente / Sacador

Protocolo 593

MARTINS TEXTIL LTDA - ME

10/01/2012

MARTINS TEXTIL LTDA - ME

128,15 Cpmf

0,00 Tarifa

14,72 Total

1.164,68

Portador/ Cedente / Sacador

Protocolo

001 - BANCO DO BRASIL SA

613

MARTINS TEXTIL LTDA - ME

10/01/2012

128,15 Cpmf

0,00 Tarifa

14,72 Total

Portador/ Cedente / Sacador

Protocolo 548

M R SUPRIMENTOS AUTOMACAO DE PIABETA LTD

10/01/2012

M R SUPRIMENTOS AUTOMACAO DE PIABETA LTD

120,00 107,43 Cpmf

0,00 Tarifa

14,72 Total

56527632720 237 - BANCO BRADESCO S A Terceiro Ofício - Petropolis - RJ

ELIZA REUTHER SILVA 364

SAFRA S/A R. do Imperador, 1021 BANCO - Centro

DUPLICATA MERCANTIL

Número: 409406767

242,15 12/01/2012

Protocolo

504 Pag: 3 10/01/2012

ITAPNEUS E ACESSORIOS LTDA

Relação do Edital dia 12/01/2012

Valor: Vencto: 26/12/2011 Acham-se afixados neste cartório, conforme a lei 9492/97, art. 15 $1 - Processo 89.877/99 CGJ/RJ, para serem Cheque Administrativo Custas 107,43 Total ou Dinheiro Custas 107,43 Cpmf 14,72 Total 276,15 0,00 Tarifa protestados os títulos de responsabilidade261,43 de: Protestar em 13/01/2012 SERVATUS SOLUCOES INDUSTRIAIS

154,00

Portador/ Cedente / Sacador

CNPJ / CPF

527

RUA TERESA, 608 LOJA 26 - ESCRITORIO

WEIDMULLER CONEXEL BR C E LTDA

10/01/2012

DUPLICATA MERCANTIL

WEIDMULLER CONEXEL BRASIL CON.

Cheque Administrativo

011921579000141

Protocolo

341 - BANCO ITAU SA

Vencto: 25/12/2011

Número: 0080584 01 Emissão:25/11/2011

Custas

122,23 Total

Valor:

828,00

950,23 ou Dinheiro Custas

122,23 Cpmf

0,00 Tarifa

14,72 Total

964,95

Intimo-os a pagarem ( através de cheque administrativo ou dinheiro com guia de pagamento a ser retirada neste tabelionato ), ou no caso da falta de aceite, comparecer para aceita-lo, ou dar-me as razões por que não o faz. Ficando assim já intimado do respectivo protesto no prazo estipulado na forma da lei.

Petropolis, 12/01/2012 João Correia Lima Neto - Escrevente

Investimentos na indústria de transformação do Rio n ImprensaRJ

O Estado do Rio de Janeiro tem interesse em atrair investimentos na indústria de transformação, em especial na área chamada de Linha Branca, que abrange geladeiras, fogões e máquinas de lavar. Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços do Rio de Janeiro, Julio Bueno, a atração destes investimentos para o estado pode ser considerada uma das metas para 2012. – A gente tem um problema na indústria de transformação dentro da economia do Rio de Janeiro. O ciclo de decadência econômica que se abateu sobre o Rio ao longo de alguns anos se refletiu fortemente na indústria de transformação. Observe, por exemplo, que existem pouquíssimas empresas da linha branca no Rio – comentou o secretário, destacando que desde o início do governo Cabral esta curva foi revertida. Ele ressaltou que a primeira indústria de transformação importante a vir para o Estado foi a indústria automobilísti-

o Diário de Petrópolis

( 2235-7165

Júlio Bueno quer repetir os bons resultados obtidos em 2011

ca. A outra, segundo ele, que interessa muito ao estado é a indústria de transformação da linha branca. – Nós gostaríamos muito de atrair estes investimentos e vamos nos esforçar muito para isso este ano – disse. Julio Bueno também afirmou que outro dos objetivos para 2012 é consolidar o forte potencial do estado no setor automobilístico. Ele voltou a afirmar que o Rio de Janeiro está na

disputa por unidades industriais de todas as montadoras de automóveis que já anunciaram se instalar no Brasil. – Nós tivemos um ano de 2011 muito importante, com investimentos importantíssimos no Rio de Janeiro. Se tivermos um ciclo semelhante ao do ano passado, se a gente tiver o mesmo nível de investimentos, principalmente na indústria de transformação, nós vamos ficar muito felizes – concluiu.

SEPULTAMENTO

Há 30 anos era publicado

CEMITÉRIO MUNICIPAL

Em sua edição número 2.389, de 12 de janeiro de 1982, uma terça-feira, o DIÁRIO publicou os seguintes destaques:

QUARTA-FEIRA 11-01-2012 Ana Muniz Esteves, 85 anos, Centro, 11h Ernande Herculano da Silva, 83 anos, Carangola, 14h Nike Johnson Pires da Silva, 18 anos, Quitandinha, 9h Aristacho Peixoto Pires, 80 anos, Retiro, 14h Irene Adélia da Silva, 80 anos, Piabetá-RJ, 11h30 Dorcelina Medeiros Neves Vianna, 49 anos, Santa Cruz da Serra-RJ, 14h30 Álvaro João Maia, 79 anos, Bingen, 15h CEMITÉRIO DE ITAIPAVA

Leia e assine

de Janeiro – CDL-Rio. Segundo o presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves, o ano passado, o efeito calendário influenciou positivamente o comércio e a economia como um todo. - Mas este ano os 14 feriados, entre nacionais, estaduais e municipais, que podem propiciar vários “enforcamentos” de dias de trabalho, certamente vai penalizar muito o comércio lojista que vem se empenhando para melhorar cada vez mais o atendimento e oferecer ao cliente produtos de qualidade por um preço justo - diz Aldo.

2.237,23

001 - BANCO DO BRASIL SA

Cartório de 3º Ofício de Portador/ Petropolis Cedente / Sacador CNPJ / CPF

Emissão:27/09/2011

a possibilidade de três prolongamentos) serão os meses mais prejudicados. Cada dia parado representa uma perda média de cerca de R$ 218 milhões para o comércio do Estado do Rio, que multiplicados pelos 14 feriados somados aos seus prolongamentos correspondem uma perda total de aproximadamente R$ 3,9 bilhões. No caso específico da Cidade do Rio de Janeiro, a perda bruta diária pode chegar a R$ 142 milhões e o total do ano a R$ 2,5 bilhões. Os dados são do Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio

AVISOS E EDITAIS

227,43 ou Dinheiro Custas

107,43 Total

O excesso de feriados em 2012 (dez nacionais e quatro estaduais/municipais) que caem em dias de semana com possibilidade de prolongamento vai influenciar sensivelmente o desempenho do comércio varejista Cidade do Rio de Janeiro, que pode perder cerca de R$ 3,9 bilhões em receitas de vendas. Com os feriados o ano ficou com apenas 296 dias comercialmente úteis. Fevereiro (2,5 dias parados por causa do Carnaval), Abril (com dois feriados e um prolongamento) e Novembro (com dois feriados e

2094,36

PRC DOM PEDRO II,18

Emissão:12/08/2011

0,00 Tarifa

MARTINS TEXTIL LTDA - ME

002024910000130

DUPLICATA MERCANTIL

113,35 Cpmf

001 - BANCO DO BRASIL SA

CNPJ / CPF

MAX SAN LANCHES PETROPOLIS LTDA

Vencto:

10/01/2012

JACOSTURA COM MAQ ACESS LTDA

2.222,51 ou Dinheiro Custas

128,15 Total

Protestar em 13/01/2012

18/12/2011

JACOSTURA COM MAQ ACESS LTDA

CNPJ / CPF 001174560000125

Número: 1363/03 Emissão:13/10/2011

Vencto: 01/01/2012

Protocolo

1021,81

RUA ROCKFEELER 332 DUPLICATA MERCANTIL

2.643,57

522

1.149,96 ou Dinheiro Custas

Protestar em 13/01/2012

14,72 Total

Portador/ Cedente / Sacador

CNPJ / CPF 001174560000125

Número: 001289/04 Emissão:23/09/2011

Vencto: 02/01/2012

0,00 Tarifa

434,50

RUA ROCKFEELER 332 DUPLICATA MERCANTIL

128,15 Cpmf

341 - BANCO ITAU SA

547,85 ou Dinheiro Custas

113,35 Total

Protestar em 13/01/2012

Cheque Administrativo

10/01/2012

2500,70

010884224000167

DUPLICATA MERCANTIL

Cheque Administrativo

TODOLIVRO DISTRIBUIDORA LTDA

CNPJ / CPF

IF IND E COM DE MALHAS LTDA ME

Vencto: 25/12/2011

615

2.628,85 ou Dinheiro Custas

128,15 Total

Protocolo

001 - BANCO DO BRASIL SA TODOLIVRO DISTRIBUIDORA LTDA

Número: 20853/1

DUPLICATA MERCANTIL

Cheque Administrativo

Portador/ Cedente / Sacador

CNPJ / CPF

F.P ALMADA - DE A a Z LIVRARIA

Feriados em 2012 podem causar perdas ao comércio

PAINEL PLAC INDUSTRIA LTDA

Número: 859-2 Emissão:01/11/2011

134,07 Cpmf

844,00

013291032000135

DUPLICATA MERCANTIL

Cheque Administrativo

10/01/2012

SHS AGENCIAMENTO DE SOFTWARE LTDA

CNPJ / CPF

CASTOR MATERIAIS DE CONSTRUCAO LTDA

Vencto: 31/12/2011

SHS AGENCIAMENTO DE SOFTWARE LTDA

966,23 ou Dinheiro Custas

122,23 Total

Protestar em 13/01/2012

Protocolo

8651,50

006814212000199

DUPLICATA MERCANTIL

581,22

499

CNPJ / CPF

CASA DAS AGULHAS D ALTO DA SERRA LT

14,72 Total

Portador/ Cedente / Sacador

8.785,57 ou Dinheiro Custas

Protestar em 13/01/2012

0,00 Tarifa

237 - BANCO BRADESCO S A

CNPJ / CPF 002632835000190

Número: 036129C Emissão:30/06/2011

113,35 Cpmf

8651,50

R. BERNARDO COUTINHO, 2241

DUPLICATA MERCANTIL

Vencto: 30/09/2011

10/01/2012

ANTILHAS EMBALAGENS EDITORA E GRAFICA S

8.785,57 ou Dinheiro Custas

134,07 Total

Protestar em 13/01/2012

Cheque Administrativo

ANTILHAS EMBALAGENS EDITORA E GRAFICA S

CNPJ / CPF 002632835000190

Número: 036129D Emissão:30/06/2011

Vencto: 30/10/2011

545

453,15

R. BERNARDO COUTINHO, 2241

DUPLICATA MERCANTIL

Protocolo

033 - BANCO SANTANDER S.A.

566,50 ou Dinheiro Custas

113,35 Total

Protestar em 13/01/2012

Cheque Administrativo

Portador/ Cedente / Sacador

CNPJ / CPF

AROMA DA SERRA COMERCIO DE PERFUMES

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Cartório 6º Ofício ARTESP PRODUÇÃO E PROMOÇÕES DE EVENTOS ARTÍSTICOS & ESPORTIVOS LTDA. ( ALTERAÇÃO ) INSTRUMENTO PARTICULAR DE ALTERAÇÃO DA ARTESP PRODUÇÃO E PROMOÇÕES DE EVENTOS ARTÍSTICOS & ESPORTIVOS LTDA. Sede: Rua 16 de Março nº 80, Sala 208, Centro, Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. Sócios: Vânia Maria Vieira e Gustavo de Carvalho Meres. Prazo: Indeterminado. Objeto: Atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em geral. Capital Social: R$=10.000,00 ( dez mil reais ), dividido em 10.000 ( dez mil ) quotas no valor nominal de R$=1,00 ( um real ) cada uma. Petrópolis 10 de Janeiro de 2012.

Maurício de Oliveira Peters, 45 anos, Araras, 11h OBS. AS INFORMAÇÕES ACIMA SÃO FORNECIDAS AO DIÁRIO POR FUNCIONÁRIOS DAS SECRETARIAS DOS CEMITÉRIOS,

ASSOCIAÇÃO - Foi eleita uma comissão provisória, presidida por Carlos Augusto da Silva, para constituir e organizar a Associação de Moradores do Bataillard, numa primeira reunião realizada no último domingo, às 15h. Na reunião foi feita uma avaliação dos problemas daquele bairro e marcado um segundo encontro onde, caso a participação dos moradores for significativa, serão marcadas eleições para a instituição da organização. UCP DÁ LISTÃO - Diretores de vários cursos em Petrópolis acreditam que o resultado do concurso vestibular isolado da UCP seja divulgado nesta quinta-feira, dia 14. A coordenação da UCP, no entanto, sob a chefia de Luiz Henrique, substituto de Getúlio Cehab, não anunciou ainda a data em que sairá o listão dos classificados. MENOS HORÁRIO - Várias pessoas ficaram retidas ontem no Rio, aproximadamente por duas horas, devido ao corte repentino de três ou quatro horários da linha MadureiraPetrópolis, que foi feito sem nenhum aviso prévio. Segundo um usuário, as pessoas que pegariam o ônibus das 17h ficaram esperando até 18h30.

MANUTENÇÃO E MELHORIA NA REDE COM INTERRUPÇÃO NO FORNECIMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA Visando prestar um serviço de melhor qualidade, a AMPLA comunica a seus clientes que interromperá o fornecimento de energia elétrica, para possibilitar a execução de obras e melhoramentos da rede, no município de Petrópolis nas seguintes localidades: s 15/01/2012, das 09:30h às 15:00h, Cascatinha: Ruas Ana Nery, M. Fagundes nº 298, Vereador Guilherme Daumas Nunes, BR 040 e adjacências. Das 09:30h às 15:00h, Saudade: Estrada da Saudade s/nº e adjacências. Cliente Especial: PMP - Complexo Escola Ata. O restabelecimento de energia poderá voltar antes do horário previsto.


SÃO SEBASTIÃO Hoje é dia de Santo Antonio Maria Pucci e dia do empresário de contabilidade. A secretaria da Igreja de São Sebastião funciona de terça a sexta feira de 15h às 18h. As capelas de São José, na Rua Olavo Bilac e Nossa Senhora de Fátima, no Siméria, compõem a paróquia.

D

iário nos

B

airros

diarionosbairros@diariodepetropolis.com.br

Luzes e Sombras na UCP hoje

Frente Pró-Petrópolis promove encontro de lideranças e vítimas da tragédia da região do Vale do Cuiabá em 12 de janeiro passado

Ao completar hoje um ano da tragédia que abalou as localidades do Vale do Cuiabá, Madame Machado e Gentio, com o transbordamento do Rio Santo Antonio, em Itaipava, a Frente Pró-Petrópolis promove durante o dia de hoje o evento Luzes e Sombras. Ele começa às 9h e vai até às 18h no campus Benjamin Constant, da Universidade Católica de Petrópolis – UCP.

Durante todo o dia haverá exibição de vídeos e projeção de fotos da tragédia. Também ficarão expostos painéis com fotografias das enchentes divulgadas nos jornais de cidade, as notícias mensais de vítimas fatais e o desaparecimento de pessoas levadas pelas águas do Rio Santo Antonio que até hoje não foram encontradas. Relatórios e debates vão

acontecer durante o evento que terá representantes do governo do Estado, Prefeitura e Câmara Municipal de Petrópolis, Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, Comitê Emergência do Município, classes produtoras da região, associações de moradores e organizações não governamentais. A Frente Pró-Petrópolis absorve 47 entidades e vem

debatendo há um ano a tragédia da região do Vale do Cuiabá. Lideranças comunitárias locais lamentam que até hoje as autoridades não tenham tomado providências em resolver o problema das vítimas das enchentes e informam que apenas a família Gouvêa Vieira é que está construindo 60 casas que serão ofertadas aos vitimados. As residências já estão em fase de acabamento.

Líder comunitária lamenta falta de aluguel social para morador Ao lembrar do “aniversário” de um ano hoje da enchente que também a desabrigou, a vice presidente Sueli de Azevedo Gomes, a Tita, da Associação de Moradores e Amigos do Gentio – AMAG – lamentou que não está recebendo o aluguel social. Ela também informou que a vizinha Marlene Moratori Lopes de Azevedo, da Estrada do Gentio, como alguns outros, apesar de ter a casa interditada, não está tendo o benefício. - Á água entrou dois metros dentro da minha casa e perdi muitos utensílios – lembrou. – Mesmo sendo vítima eu e minha fa-

57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

mília procuramos ajudar as pessoas no mesmo dia 12 de janeiro do ano passado e até hoje estamos à frente da luta pelo atendimento ao público. As autoridades dizem que “está tudo bem”, mas é tudo mentira. Tita informou que as autoridades municipais responsáveis pelo aluguel social desconversam quando ela reivindica o atendimento. A vizinha Marlene Moratori que também ainda não conseguiu o benefício está sem moradia e como documento, tem apenas o laudo de interdição. Ambas criticaram políticos que “só se lembram das pessoas na hora de pedir votos”.

9

ALCOÓLICOS ANÔNIMOS Hoje 19h: Nogueira, Rua Princesa Leopoldina, 596. 19h30: Bairro Castrioto, Rua Santa Rita de Cássia, 30; Castelânea, Praça Pasteur, 79; Araras, Estrada Bernardo Coutinho, 1.626; e Fazenda Inglesa, Estrada da Fazenda Inglesa, 4.583. No Centro, Rua Paulo Barbosa, 180, 17h e 19h30.

Moradores de Cuiabá vestem camisa preta hoje em evento Lideranças comunitárias e moradores da região do Vale do Cuiabá vão fazer um manifesto silencioso hoje no evento Luzes e Sombras que será realizado na Universidade Católica de Petrópolis – UCP. A decisão foi tomada em reunião realizada na noite de anteontem na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, na Estrada Ministro Salgado Filho. Os líderes confirmaram que vão participar do evento vestindo

camisetas pretas em protesto ao não atendimento as reivindicações das vítimas junto às autoridades. No encontro de anteontem participaram moradores que perderam parentes na enchente do dia 12 de janeiro do ano passado e protestaram sobre nada ter sido feito até agora, informou o presidente Emerson de Carvalho Souza, da Associação de Moradores de Madame Machado – AMOMM.

Leitor lembra que Cuiabá virou comunidade esquecida No e-mail enviado no dia 12 de dezembro passado, o leitor Augusto de Oliveira Cabral, lembrou que o Vale do Cuiabá virou uma localidade esquecida. Procurado ontem para comentar a respeito de a tragédia estar completando um ano hoje, ele referiuse as autoridades como responsáveis pela falta de recuperação do lugar.

Augusto disse que mesmo morando no Retiro juntou-se aos voluntários na ocasião da tragédia em 12 de janeiro do ano passado. Lembrou que as autoridades na ocasião, começaram a anunciar a construção de casas para serem distribuídas as vítimas, porém, passado um ano da enchente até hoje nada foi feito em benefício das pessoas.

Um mês depois da tragédia lideranças se manifestavam

Marlene exibe o laudo de interdição de sua casa no Gentio

No final do mês de fevereiro a comunidade de Itaipava já começava a se manifestar contra a falta de empenho das autoridades no sentido de atender as vítimas das enchentes de 12 de janeiro. Desabrigado e morando com a família na casa de parentes na Posse, o pedreiro Vicente Barbosa reclamou quando soube que o aluguel social ainda não havia

saído para ninguém. - Preciso ser atendido, pois perdi tudo – disse, na ocasião. Lideranças comunitárias já começavam a se organizar e promover manifestos públicos e internos com a promoção de encontros. Daí surgiu a Frente Pró-Petrópolis que promove hoje o evento Luzes e Sombras para lembrar um ano da enchente na região do Vale do Cuiabá.

CIDADE

Criada comissão para a Conferência de Cultura O jovem maestro Leonardo Randolfo tomou posse e já está implementando sua dinâmica de trabalho no Conselho Municipal de Cultura. Com ele foram empossados também o vice-presidente Pedro Troyack, além de Maria Luisa Rocha Melo como 1ª secretária e Sandra Vissoto como 2ª secretária. Fazendo menção aos presidentes anteriores, Randolfo destacou a criação dos instrumentos do Sistema Municipal de Cultura, como sendo sua plena utilização o desafio imediato de sua gestão. Já na primeira reunião criou a comissão para formatação e realização da Conferência Municipal de Cultura -- um grande instrumento de participação popular na política cultural do município. Cobrou maior participação e mais pontualidade dos conselheiros e dentro de suas metas de estabelecer parcerias com os poderes público e privado, já pautou para a próxima reunião a discussão sobre as estratégias neste sentido. Leonardo também frisou que será criterioso quanto aos prazos estabelecidos, participação dos conselheiros e aceleração da priorização de projetos.

Tranqüilidade

para a sua empresa

Contabilidade de última geração, sistema avançado de informática Escrita Fiscal – Rotinas Trabalhistas e Folha de Pagamento Sistemática Departamento Jurídico – Direito Cível – Direito Trabalhista Projetos Econômicos – Análise de viabilidade e capacidade de sua empresa – Administração de Bens e Serviços – Corretagem e Administração de Imóveis – Equipe com treinamento especializado Direção Técnica: Márcio Tesch Economista – Corecon 10582 Advogado – OAB/RJ 59.566 Tec. Contab. – CRC/RJ 25.384-0

Rua do Imperador, 772 – Gr 105/106 – Centro Petrópolis – RJ. Tel/Fax: (024) 2231-6212 / 2231-3322

Leia e assine o Diário de Petrópolis Tel.: 2246-3807

Isabela Lisboa

Maria Luisa Melo, Leonardo , Pedro Troyack e Sandra Vissoto

Foi criada a comissão de projetos culturais, com vistas à formatação de projetos e confecção de editais que, segundo o presidente, serão lançados em fevereiro. Quanto ao projeto Ciranda das Artes nas comunidades foi feito um encaminhamento de estudo e possíveis melhorias, a fim de que o mesmo seja reformulado. Leonardo Randolfo Pires iniciou seus estudos de música aos seis anos de idade no Instituto dos Meninos Cantores de Petrópolis e aos 12 já dava aulas de música

na escola municipal S. Judas Tadeu.Ingressou no bacharelado em música na Escola de Música da UFRJ em 2007 e desde 2009 é regente do Coral Mirim do Colégio Bom Jesus Canarinhos. Recentemente na Alemanha, teve aulas de regência com o maestro Winfried Toll para aprimorar seus conhecimentos. Atualmente é também coordenador do Programa “Canta Petrópolis”, da Secretaria de Educação e membro da Comissão Julgadora do Prêmio Maestro GuerraPeixe de Cultura.

Pão francês - R$ 5,99kg (somente no balcão) Entrega em domicílios

Rua Epitácio Pessoa, 100 (atrás dos Correios) Centro - Petrópolis - RJ Tel. 2231-2160


10

57 anos

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

ESPORTES

esportedp@gmail.com Fotos: Ari Gomes

O técnico Gilson Maciel, quer manter seu time em constante movimento e para isso determinou aos diretores do Imperial a marcação de amistosos contra equipes que disputam as séries B e C

Imperial fará 2 amistosos semana que vem O Imperial fará dois amistosos na próxima semana entrando na reta final da preparação da equipe para a estreia no Campeonato Carioca da Série B. No dia 18 de janeiro a equipe enfrenta o Artsul, equipe que disputa a Segundona do estadual, às

10h em Austim, Nova Iguaçu. A segunda partida será no dia 21, às 16h contra o Barcelona, da Série C, no Estádio Osório Júnior, em Petrópolis. O treinador do time Gilson Maciel irá utilizar essas partidas para observar o time em campo, ver como se porta

e fazer alguns ajustes. - Os amistosos são importantes para o time entrar no ritmo de jogo e colocar em prática o que estamos trabalhando. Também vamos observar como o time se comporta, ver alguns possíveis erros para trabalhar nos treinamentos - explicou o

técnico Gilson Maciel. A partida no estádio do Cascatinha foi um pedido do treinador para que o time se acostume com o campo onde mandará seus jogos. - Temos que jogar na nossa casa para os jogadores se acostumarem com o estádio. O

gramado, as dimensões são diferentes do Corrêas, onde nós treinamos, então temos que estar habituados com o local onde mandaremos os nossos jogos. Agora é a fase final da nossa preparação - destacou. O Imperial ainda deverá disputar mais dois amistosos na

semana que antecede a estreia, a ideia da comissão técnica é enfrentar um time de primeira divisão como um teste maior para a equipe. O primeiro jogo do Imperial na série B será no dia quatro de fevereiro, contra a Portuguesa da Ilha, às 16, no Estádio Osório Júnior

Meia Edilson volta a ser destaque no Corinthians Agência Corinthians Sob os olhares atentos do presidente licenciado Andrés Sanchez que estava presente no Estádio Alfredo Chiavegatto, o Corinthians ganhou do Juventus (SP) nesta terça-feira à tarde. Com gols de Denner, Anderson e Douglas, o Timão fez 3 a 0 e garantiu sua classificação para a próxima fase como primeiro colocado do Grupo M. O petropolitano Edilson Tavares joga na equipe paulista. O jogo começou equilibrado, porém a marcação do Juventus estava determinada a dificultar a vida corinthiana. O Timãozinho tentou, chutou a gol algumas vezes, mas a bola não balançou a rede adversária. Aos 34 min. o técnico Narciso tirou Wesley do jogo e colocou o atacante Paulinho em seu lugar. O Corinthians foi melhor, mas o 1º tempo terminou empatado e sem gols.

A reação O Corinthians voltou para o 2º tempo mostrando que, mesmo classificado para a próxima fase, brigaria pela primeira colocação do grupo M. E logo no primeiro minuto ela veio! Paulinho foi derrubado por Mancini dentro da área, o juiz marcou pênalti e Denner converteu a cobrança, abrindo o placar em Jaguariúna. Em sua comemoração, levantou o punho em homenagem ao eterno ídolo da Fiel, Dr. Sócrates. A posse de bola era maior para o lado Alvinegro, que não foi ameaçado pelo rival. Aos 14 min., Anderson bateu forte de fora da área e estufou a rede de Rafael. O placar não demorou a se movimentar novamente. Trinta segundos depois do segundo gol, Clayton cruzou a bola na área e Douglas, de cabeça, fez o terceiro do Timão. O técnico alvinegro mexeu de novo aos 23 min. e substitui Giovanni por Edilson. A chance de maior pe-

rigo do Juventus veio três minutos depois com um lance individual de Tauã, que tentou marcar duas vezes, mas parou no zagueirão Antônio Carlos. Os jogadores corinthianos não tiraram o pé e continuaram indo para cima. Pouco antes da substituição de Anderson por Ualefi, aos 40 min., Edilson chegou na cara do gol, mas mandou a bola para fora. Ainda tiveram algumas tentativas alvinegras, mas o placar terminou em 3 a 0. Com a vitória, o Corinthians foi o “campeão” do Grupo M e tem uma das melhores campanhas da competição, com 14 gols marcados e nenhum sofrido. O adversário do primeiro jogo da segunda fase será o melhor time do Grupo N. O local e a data da partida ainda não foram definidos. Gols: Denner, Anderson e Douglas Substituições: Paulinho (Wesley), Edilson (Giovanni) e Ualefi (Aderson).

Fotos: Arquivo

Edilson, com a camisa 19, destaque da equipe de futsal do Petrô, comandada por Zé Ricardo

Nesta foto o craque corinthiano posa ao lado do goleiro Igor quando atuava no time de campo Divulgação

THIAGO ALVES CONQUISTA O BI EM SÃO PAULO - Parece que o tenista brasileiro Thiago Alves, deixou para trás definitivamente as dores e a má fase de 2011 para trás, conquistando neste final de semana o bicampeonato no Torneio Aberto de São Paulo. Venceu um jogo bastante duro e equilibrado ao português Gastão Elias 172 do mundo, por dois sets a zero, com parciais de 6/4 e 6/4 em cerca de 1 hora de confronto. Vale lembrar que o tenista de Portugal é treinado pelo brasileiro Jaiminnho Oncins. Thiago Alves, atual 340 do mundo, que deve subir boas posições com os 80 pontos conquistados na competição, teve também uma boa vitória na semifinal, contra o também brasileiro Rogério Dutra Silva, 124 do planeta. Thiago que com problemas de coluna no ano passado viu seu ranking despencar para perto de 500, está novamente animado e disse que espera terminar a temporada pelo menos entre os 120 tenistas do planeta. PAULÃO ALVES EM ALTA - Parece realmente que os Alves estão em alta no início da temporada de 2012 nas quadras de tênis, aqui em Petrópolis, nosso Paulão Alves que continua em grande forma

espera repetir a performance de 2012, pelo jogão que teve com o professor Antonio do Valparaíso podemos chegar a essa conclusão apesar da derrota por dois sets a hum, com parciais de 6/0-3/6 e 3/6, Paulo mostrou seu excelente preparo chegando em bolas impossíveis e mostrando um preparo físico realmente invejável. Paulão que ao lado do Claudão vem fazendo história em tantos e tantos desafios na quadra coberta, também teve um ano fantástico nas simples com placares como 16-18, com dois empates contra o Tibiriçá e boas vitórias em jogos disputadíssimos com o querido professor e Christian Lacerda.... Garotinho dos cabelos longos promete dar muito, mas muito trabalho mesmo aos adversários em 2012...Valeu... FRATURA POR STRESS - Arnaldo Rippel em franca recuperação de sua fratura por stress no joelho direito, acredita que me duas semanas fiquem sem muletas e inicie a preparação para voltar as quadras. Quem está fora do Australian Open, também por uma fratura por stress da coluna lombar é a tenista alemã, décima do ranking mundial, que após referir dores intensas e abandonar seu jogo no Aberto de Sydney teve constatada

em uma ressonância nuclear magnética, uma fratura por stress na coluna Lombar. Com certeza a tenista terá de ficar afastada das quadras por seis a oito semanas para melhor recuperação. E haja dor e haja tratamento. CONSELHO DELIBERATIVO DO PETRÔ - Nessa sexta-feira teremos um dia fundamental na história centenária do glorioso Petropolitano Foot-Ball Club, quando teremos a posse do novo conselho deliberativo que certamente implementará uma nova dinâmica ao alvinegro. Amanhã também teremos a eleição da DIRETORIA DESSE NOVO CONSELHO, que certamente trabalhará e muito com a diretoria e os associados alvinegros para que tudo flua da melhor maneira possível para o alvinegro....Animadíssimos estão Édson Herzog, Paulo Areas, dr. Milton Lopes, Arnaldo Rippel, Serginho MATUQUE, Luis Enéas Arrochellas , Nelsinho Loureiro e tantos e tantos outros associados e conselheiros do Petrô da melhor estirpe.......Que sejam três anos iluminados para esse novo conselho do Petrô... Grande abraço para todos, fiquem com DEUS e até sábado, com mais Notícias do Tênis....

O nível de arbitragem durante a temporada 2011 foi considerado excelente pelo assessor Marcelo Coelho. De acordo com ele poucos dirigentes reclamaram da arbitragem, como os diretores do Posse e do Petropolitano. Na foto equipe de árbitros que atuou na partida entre Petropolitano e Posse válida pelo Campeonato Municipal de Futebol de Campo Sub-17.


diariodepetropolis