Page 7

Itapetininga, 11 de Fevereiro de 2.014

ESCOLAS PRIVADAS VÃO AO MP CONTRA O ENEM

T

odo dia vejo na TV/TEM propaganda de uma excelente escola particular de Itapetininga, destacando o fato de ter sido a melhor ranqueada no ENEM 2013 em nossa região. No ano passado escrevi um artigo com o título “O PERIGO DO USO DO ENEM COMO RANKING”, publicado no jornal eletrônico do jornalista Helio Rubens Arruda de Miranda, “Roll on Line”. No ano de 2012 o Colégio Objetivo Integrado saltou de 22.º para 3.º colocado na lista, após pedir vista da média da nota de redação. No ranking paulistano, o colégio chegou ao primeiro lugar daquele ano após revisão do Inep. Essa primeira colocação foi divulgada, em forma de publicidade, quase que durante o ano todo em página inteira dos jornais Estadão e Folha. Pela segunda vez em dois anos, o Colégio Objetivo Integrado, de São Paulo, conseguiu, com justiça diga-se, por recurso, após não constar na lista inicial, ficar em primeiro lugar nacional pela nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2013. O fato é divulgado diariamente, pelos jornais e pela TV Globo, em rede nacional. A nova líder é alvo de críticas de educadores e outras escolas por colocar somente os melhores alunos em uma unidade separada e usar a boa posição no ranking como propaganda. O Grupo Objetivo, com 12 escolas na Grande São Paulo, tem 9 mil alunos, mas apenas 200 estudam na unidade campeã. De acordo com o diretor do Objetivo Integrado, João Carlos Di Genio, a unidade foi criada há quatro anos por causa do interesse de um grupo de alunos de ter aulas em tempo integral e se aprofundar em algumas disciplinas.“São os que gostam de pesquisa e de participar de olimpíadas.” Ele nega que a unidade exista só para ficar entre os melhores do País. O ENEM é um instrumento criado pelo MEC já alguns anos, hoje utilizado com múltiplos objetivos, inclusive como base do SISU, uma democrática forma de acesso de jovens as diversas universidades públicas de todo país, permitindo, por exemplo, que um estudante do Rio Grande do Sul concorra virtualmente com uma vaga no Ceará. A escola pública é a escola que recebe todos que a procuram, alunos de todas as classes sociais, inclusive os excluídos das escolas particulares. Nas escolas públicas onde ocorre a seleção

Reinaldo Luiz Vieira reluvieira@terra.com.br

de alunos, normalmente as escolas técnicas, os resultados são equivalentes aos das melhores particulares. Outro aspecto, é que a inscrição para o ENEM é do aluno, individual, e não da escola. Sempre achei desleal a forma que jornais regionais sempre trataram “os rankings locais”. Pergunto: é justo comparar resultados dos colégios mais caros do país, que gastam milhões só em publicidade, com qualquer outra escola pública, onde o acesso é amplamente democrático e não está sujeito a nenhuma seleção? Pois bem, eu achava que era um dos poucos indignados e hoje vejo que esse meu pensar está compartilhado por muitos, inclusive por escolas particulares. A Federação Nacional de Escolas Particulares (Fenep) protocolou no Ministério Público Federal (MPF) pedido para que se investigue a divulgação de notas de instituições no ENEM, A Fenep reclama da forma como os resultados foram divulgados, que permite a criação de ranking. Alega a presidente do Fenep, que representa os colégios particulares do país, que o “INEP, que organiza o ENEM, além de incentivar o ranqueamente das escolas de forma equivocada, o que não traz benefícios para educação, a divulgação foi seguida de correções”. Após a divulgação, 31 instituições que estavam fora da lista conseguiram, com recursos, ser incluídas. O ENEM é um instrumento criado pelo MEC já alguns anos, hoje utilizado com múltiplos objetivos, inclusive como base do SISU, uma democrática forma de acesso de jovens as diversas universidades públicas de todo país. É o maior exame do Brasil e o segundo maior do mundo, atrás somente do vestibular da China, e conta com mais de 7 milhões de inscritos divididos em 1.661 cidades do país. É um exame para avaliar o indivíduo, o aluno e não a instituição. É um único instrumento de avaliação aplicado a todos os inscritos das instituições de ensino do país (particulares, estaduais, indígenas, especiais, municipais, etc...) ou a qualquer pessoa que queira participar para fins de certificação de ensino médio, razão pela qual a leitura dos resultados deve ser feita com bom senso e responsabilidade. Coisas diferentes medidas com a mesma régua, naturalmente resultam em distorções que pessoas despreparadas ou mal intencionadas poderão fazer uso pouco conveniente.

7

Diário de Itapetininga / Edição 5 / 11.02.2014  

Edição número 5 do jornal Diário de Itapetininga publicado no dia 11 de Fevereiro de 2014

Diário de Itapetininga / Edição 5 / 11.02.2014  

Edição número 5 do jornal Diário de Itapetininga publicado no dia 11 de Fevereiro de 2014

Advertisement