Page 1

QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

DIÁRIO DA MANHÃ diariodamanha.com

CARA ZINHO

DESDE 1935 NOSSO COMPROMISSO DIÁRIO É COM VOCÊ

R$ 2,50

CASO BERNARDO

“Nego veementemente”, diz Leandro Boldrini Pai do menino morto, e acusado de participação no crime, prestou depoimento no terceiro dia de julgamento em Três Passos. Pág 3

Foto: Daniel Rohrig | Diário

O AGRONEGÓCIO É A LINGUAGEM UNIVERSAL Pavilhão Internacional da Expodireto Cotrijal reúne empresários de 71 países, que negociam a compra e venda de carnes, aves e grãos. Coordenação do espaço já projeta crescimento na movimentação financeira neste ano. Especial Expodireto

Concessionárias projetam crescimento nas vendas

Startups são ferramenta para otimizar gestão

CONTRA O GOLPE DO BILHETE

Atiradores matam alunos e funcionários em escola

Operação já confiscou mais de R$ 50 mi em bens

Polícia apurou que um dos criminosos era ex-aluno da instituição. Pág 7

Quarta fase foi deflagrada pela Polícia Civil nessa quarta-feira. Investigado e seu grupo continuou a praticar estelionatos e ‘lavar’ o dinheiro originado da prática do golpe do bilhete premiado, aponta a polícia. Pág 7

Camaro apreendido será usado pela Polícia Civil

Foto divulgação PC

CHACINA EM SP


2

conexão PASSO FUNDO - CARAZINHO

por REDAÇÃO DM redacao@diariodamanha.com

DIÁRIO DA MANHÃ , QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

Se você tem um smartphone e um aplicativo de QR Code instalado, posicione o leitor desta imagem e tenha acesso direto ao nosso site!

Segue a gente no instagram :)

@diariodamanhapf

Gasolina aumentará com reajuste na base de cobrança do ICMS

SENAC

Curso de Planejamento e Inteligência em Vendas de Alta Performance no

Anunciada para o próximo sábado, atualização na cobrança do imposto impactará também no óleo diesel por CAETANO BARRETO caetano@diariodamanha.com

A

partir do dia 16 de março, entram em vigor no estado os novos preços de combustíveis para fins de tributação do ICMS. Os valores, obtidos por meio de pesquisa realizada pela Receita Estadual, sofreram alterações. A pesquisa foi feita em postos de combustíveis de 490 municípios gaúchos, com base nas notas fiscais eletrônicas emitidas a consumidores finais. O novo preço a ser utilizado para tributação da gasolina será atualizado de R$ 4,2742 para R$ 4,3491 (aumento de 1,75%). Já para o diesel, o aumento é de 1,62%. O gás de cozinha (GLP), contudo, teve o preço de referência reduzido em -0,55%, passando para R$ 5,5991. “Em termos tributários, esse reajuste está dentro da nossa realidade. Até porque, quando a gente fala em tributação, existe na constituição federal os princípios tributários, aos quais todo governo deve se adequar. Se falarmos

em termos econômicos, é diferente”, explica Rodrigo Marciano da Luz, mestre em ciências contábeis e professor da Faculdade de Ciências Econômicas, Administrativas e Contábeis da Universidade de Passo Fundo (FEAC/UPF). “O ICMS é um imposto sobre circulação de mercadorias e serviços, então ele incide sobre a venda de toda mercadoria. Além disso, ele é um tributo com a alíquota seletiva. Quanto mais essencial for, menor a alíquota, e vice-versa. Embora hoje se entenda que o combustível é essencial, perante o fisco ele não é considerado de subsistência como, por exemplo, a cesta básica. Então, como não essencial, a sua alíquota é uma das maiores, junto com as bebidas”, aponta. Segundo o contador, o reajuste na gasolina não é um aumento de arrecadação, e sim uma correção de valores. “Isso se trata de um repasse. Embora se diga que não há inflação, ela existe. E esse reajuste é oriundo da inflação. É o efeito cascata, em que alguém terá de pagar a conta”, ilustra o professor da FEAC.

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Os combustíveis são tributados pelo regime de Substituição Tributária, sistemática em que os contribuintes que estão no início da cadeia de circulação dos combustíveis (refinarias ou distribuidoras) são os responsáveis pelo recolhimento do ICMS dos demais pagantes que se interpõem entre eles e os consumidores finais. “A substituição tributária é uma antecipação do ICMS. O tributo normalmente é tributado na fábrica, não cumulativo, e dentro do comércio ele vai ser repassado. Na substituição tributária, quando se compra de uma fábrica, ela destaca o seu ICMS normalmente, e também o tributo que deveria ser recolhido na venda, pelo consumidor final”, detalha Rodrigo da Luz. “Vários produtos têm substituição tributária, e nós temos uma alteração na legislação que prevê o recolhimento da diferença, que está impactando diretamente nas empresas”, comenta o professor de Ciências Contábeis. Ele ressalta, porém, que a substituição tributária altera apenas o vencimento do tributo. “Ela não influencia no preço. Apenas serve para o Estado arrecadar antes”.

FUNDADOR Jornalista Túlio Fontoura (1935 1979) PRESIDENTES-EMÉRITOS Dyógenes Auildo Martins Pinto (1972 1998) Vinícius Martins Pinto (1997 2003)

O mercado vive constantes mudanças e com vários concorrentes competindo entre si, cresce a importância de capacitar profissionais para conduzir as ações de venda com qualidade e eficácia, imprimindo sua marca pessoal, visando a fidelização de clientes. Se analisarmos qualquer empresa, seja ela de serviços, indústria ou varejo, essa terá a necessidade de um profissional de vendas para escoar sua produção ou vender seus serviços. A profissão de vendas exige do profissional uma atualização constante, devido ao grande número de informações diárias que são processadas no mercado. Pensando nisso o Senac Carazinho está com matrículas abertas para o curso de Planejamento e Inteligência

em Vendas de Alta Performance, com o renomado docente Cesar Pancinha, de Porto Alegre. As aulas irão acontecer nos dias 23,24 e 25 de abril, das 19h às 23h. Com carga horária de 12 horas, a capacitação aborda temas como neurovendas; abordagem moderna de vendas; neurociência aplicada ao consumo; inteligência de vendas voltada ao resultado; exercícios práticos de vendas de alto impacto. Matrículas devem ser feitas no Senac Carazinho, localizado na Av. Flores da Cunha, 2821. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3329-5851 ou através do site www.senacrs.com.br/carazinho. Vagas Limitadas!

NO PASSO FUNDO SHOPPING

Palestra gratuita sobre transtornos do sono

A qualidade do sono será o tema central do evento “Debate sobre sinais e sintomas dos Transtornos de Sono mais prevalentes”, que acontecerá nesta sexta-feira (15), das 18h30min às 21h, no Passo Fundo Shopping. O bate-papo será no Piso 1, em frente à loja Riachuelo e é uma oportunidade gratuita para o público ampliar o seu conhecimento sobre o tema. O debate contará com a presença dos especialistas: Dr. Alan Frohlich, CD. Paula Frohlich e Dr. Tiago Simon. Além de debater o assunto, eles levarão ao evento a sua experiência e conversarão com o público sobre os principais transtornos do sono. Estudo recente, realizado

pela Academia Americana de Neurologia, associa a falta de sono ao aumento de chance de desenvolver doenças degenerativas, como Alzheimer e Parkinson. O Passo Fundo Shopping é apoiador do evento, promovido pela SNN Neurologia e Neurocirurgia e Clínica do Pulmão, e organizado pela 3graus. A ação integra a Semana do Sono, campanha anual de conscientização sobre a importância da qualidade e quantidade do sono para a saúde humana, promovido pela Associação Brasileira do Sono (ABS), da Associação Brasileira de Medicina do Sono (ABMS) e da Associação Brasileira de Odontologia do Sono (Abros).

PRESIDENTE Janesca Maria Martins Pinto

DIRETORA COMERCIAL: Eliane Maria De Bortoli

VICE-PRESIDENTE Ilânia Pretto Martins Pinto

EDITOR: Édson Coltz - RP 17.059

DIRETOR EXECUTIVO Túlio Pretto Martins Pinto

EDITORA GERAL: Nadja Hartmann www.diariodamanha.com


conexão 3

DIÁRIO DA MANHÃ , QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

PASSO FUNDO - CARAZINHO

CASO BERNARDO

‘Nego veementemente’, diz Leandro Boldrini sobre participação no crime Pai da criança prestou depoimento durante a tarde e a noite do terceiro dia de julgamento POR VINICIUS COIMBRA VINICIUS@DIARIODAMANHA.COM

O

terceiro dia de julgamento do Caso Bernardo teve o depoimento do pai da criança, Leandro Boldrini. Ele foi ouvido pelo júri durante a tarde e noite. A juíza Sucilene Engler disse a Leandro que ele tinha a opção de ficar em silêncio; mas o desejo do réu era o de falar. “Nego veementemente”, respondeu Leandro à pergunta da juíza se ele teria participado da morte do filho. “Sempre quis ser julgado em Três Passos. Jamais eu ia fazer uma monstruosidade dessas, que é tirar a vida do meu filho”, completou Boldrini em outro momento. No depoimento, ele disse que talvez fosse um pai mais provedor do que presente. “O trabalho afetava”, resumiu. Sobre o desaparecimento do menino, ele relatou que, ao sair do hospital no qual trabalhava, percorreu lugares atrás de Bernardo e começou uma maratona de ligações. Revelou

ter sentido um arrepio quando a polícia informou trabalhar apenas com hipótese de assassinato quando Bernardo estava desaparecido. Ele disse que a criança “era um integrante da família e não era um estorvo”. O advogado de defesa orientou Leandro a não responder às perguntas do promotor Ederson Vieira. A defesa alegou que a acusação faltou com educação. No entanto, as questões foram feitas e o réu ficou em silêncio. Os defensores de Leandro formulavam perguntas ao réu. “Espero a justiça”, finalizou o depoimento que durou cerca de quatro horas.

OUTRAS TESTEMUNHAS OUVIDAS NO DIA

O primeiro a depor na quarta-feira foi a testemunha de defesa Luiz Omar Gomes Pinto, que trabalhava para o réu Leandro Boldrini em uma propriedade rural. A segunda pessoa a ser ouvida no dia foi Maria Lúcia Cremonese, professora e testemunha de defesa de Leandro. Ela relatou momentos da infância do réu e da convi-

vência dele com os pais, na infância. Luiz Gabriel Costa Passos, perito particular, foi a última das testemunhas de defesa a prestar depoimento. Ele foi contratado pela defesa de Leandro para fazer a análise grafotécnica da assinatura na receita do medicamento Midazolan, entregue por Edelvânia à atendente da farmácia. A juíza Sucilene Engler precisou fazer duas pausas. Na primeira, uma discussão entre a primeira testemunha e o advogado de Edelvânia interrompeu o julgamento por cinco minutos, e, em seguida, uma testemunha se sentiu mal. A defesa de Leandro abriu mão de três testemunhas. Após o intervalo, foi a vez do depoimento de Leandro Boldrini.

RELEMBRE O CASO

Bernardo Uglione Boldrini, de 11 anos, desapareceu em abril de 2014, em Três Passos. Seu corpo foi encontrado na noite de 14 do mesmo mês, dentro de um saco plástico e enterrado às margens de um rio em Frederico Westphalen. Edelvânia Wirganovicz,

amiga da madrasta Graciele Ugulini, admitiu o crime e apontou o local onde a criança foi enterrada. Respondem ao processo criminal o pai de Bernardo, Leandro Boldrini, a madrasta do menino, Graciele Ugulini, e os irmãos Edelvânia e Evandro Wirganovicz. Eles estão sendo julgados pelo Conselho de Sentença do Tribunal do Júri, onde os jurados decidirão se são culpados ou inocentes dos

crimes de homicídio quadruplamente qualificado (Leandro e Graciele), triplamente qualificado (Edelvânia) e duplamente qualificado (Evandro), além de ocultação de cadáver. Leandro Boldrini também responderá pelo crime de falsidade ideológica.


4

DIÁRIO DA MANHÃ , QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019


DIÁRIO DA MANHÃ , QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

5


6 imobiliário

DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO,, DIÁRIO DA MANHÃ QUINTA-FEIRA, QUINTA-FEIRA,14 14 DE DE MARÇO MARÇO DE DE 2019 2019


DIÁRIO DA MANHÃ , QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

por VINICIUS COIMBRA vinicius@diariodamanha.com

segurança conexão 7 PASSO FUNDO - CARAZINHO

SÃO PAULO

Atiradores matam oito pessoas dentro de escola Dupla identificada como ex-alunos da instituição de Suzano cometeu suicídio após o crime Criminosos mataram a tiros oito pessoas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano, na grande São Paulo, na manhã de quarta-feira (13). Os dois foram identificados como Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25, ambos ex-alunos. A motivação para o crime ainda não foi divulgada. Guilherme Henrique estudou no colégio até o ano passado. Os dois atiradores chegaram à escola por volta das 9h30 da

manhã de hoje, durante o intervalo de aulas, e atiraram contra funcionários e estudantes. Cinco crianças e um funcionário morreram no local. Os dois atiradores se mataram. De acordo com último balanço divulgado pela polícia, 10 pessoas ficaram feridas e 10 pessoas morreram, incluindo os dois atiradores. Dentre os que morreram, duas eram funcionárias da escola, Eliane Regina de Oliveira Xavier e Marilena Vieira Umezo. Cinco

eram alunos do ensino médio: Pablo Henrique Rodrigues, Clayton Antônio Ribeiro, Caio Oliveira, Samuel Melquiades Silva de Oliveira e João Vitor Ramos Lemos, que morreu no deslocamento para o hospital. Vinte e três pessoas foram levadas ao hospital, entre elas, pessoas que passaram mal após o ataque. Antes de chegarem à escola, eles atiraram no dono de uma locadora de carros, Jorge Antônio Moraes, que também morreu.

Nova fase da Operação Pólis é deflagrada em Passo Fundo A Delegacia de Polícia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) de Passo Fundo deflagrou, entre a terça e quarta-feira (13), a quarta fase da Operação Pólis. Batizada de “Azedou”, a fase resultou na prisão preventiva de um homem de 38 anos e no cumprimento de seis mandados de busca e apreensão e quatro ordens judiciais de sequestro de bens imóveis e veículos. A polícia realizou a análise das quebras de sigilo fiscal, financeiro e bancário dos investigados, nas quais foram apurados mais de 10 atos de lavagem de dinheiro dos investigados; foram identificados os ‘laranjas’; e foi aferiu o patrimônio oriundo da lavagem de dinheiro, proveniente dos estelionatos praticados pelos investigados. Os dois principais suspeitos que aplicavam o conto do bilhete - e mais 11 pessoas, que auxiliavam na lavagem de dinheiro, foram denunciados pelo Ministério Público (MP) pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. QUARTA FASE Sob coordenação do delegado Diogo Ferreira, na quarta fase, o alvo principal é um homem de 38 anos, que, mesmo após a deflagração da primeira fase no ano passado, continuou a praticar diversos estelionatos e ‘lavar’ o dinheiro originado da prática. Além desses fatos, com todos os elementos colhidos na

investigação, embasaram a representação pela prisão preventiva dos investigados. De acordo com a Draco, entre 2013 e 2018, os investigados movimentaram mais de R$ 1 milhão, a maioria depósitos, transferências de valores oriundos de estelionatos do conto do bilhete. No entanto, segundo a PC, o valor movimentado pelo grupo criminoso é, no mínimo, cinco vezes maior. Isso porque, em parte dos golpes aplicados, os investigados recebiam os valores em dinheiro e não ocorria a movimentação bancária. VEÍCULOS São cinco veículos alvos de sequestro, avaliados em mais de R$ 800 mil; e também três imóveis, avaliados em mais de R$ 800 mil, pertencentes aos dois principais investigados. Um dos carros é um Camaro amarelo apreendido na primeira fase, que a justiça decidiu pelo uso provisório para a Draco. “Estamos avaliando se vamos pedir autorização para envelopar

o veículo e usar como veículo oficial ou deixar do jeito que está”, disse o delegado Diogo Ferreira. O titular da Draco afirma que trâmites internos serão realizados para a utilização do veículo, o que deve demorar um mês. Entre móveis e imóveis, foram apreendidos e sequestrados mais R$ 1,5 milhão, que, após o término do processo, com condenação dos suspeitos, serão leiloados e as vítimas receberão os valores que foram lesadas na época; o restante será revertido a Polícia Civil. Além da prisão, foram apreendidos um Land Rover Evoque, R$ 29,6 mil em dinheiro, um Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa utilizada pelo preso e documentos. Em todas as quatro fases, a Operação Pólis resultou em mais de R$ 50 milhões bloqueados/sequestrados entre imóveis e veículos, e mais de 150 pessoas investigadas pelos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa. As investigações prosseguem.

Jovem morta não era alvo de atirador, aponta investigação A Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil identificou o suspeito de matar uma jovem e balear o namorado dela. O caso aconteceu na Avenida Giavarina, no bairro São Luiz Gonzaga, em Passo Fundo, na noite de terça-feira (12). De acordo com informações da Polícia Civil, Alieska Elisabete da Luz Ferreira, de 17 anos, e Everton Venâncio da Rosa, de 26, caminhavam na via no início da noite. Naquele momento, um veículo de cor escura parou na rua e um homem que vestia bermuda e moletom vermelho com capuz desceu do carro. O indivíduo efetuou diversos disparos de arma de fogo em direção à dupla. Os tiros atingiram ambos: a jovem foi ferida no pescoço e o homem no tórax, por três disparos. A jovem ficou gravemente ferida e foi levada pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

(Samu) ao Hospital de Clínicas de Passo Fundo (HCPF), onde chegou já sem vida. O namorado dela foi levado por testemunhas para o mesmo hospital. O homem disse à Brigada Militar que era apenado do Instituto Penal de Passo Fundo (IPPF) e seguia para lá quando ocorreu o crime. Ele está internado em estado estável de saúde. Conforme a DHPP, o suspeito é um jovem de 18 anos, que tem diversos antecedentes criminais, inclusive por tentativa de homicídio, ainda quando era adolescente. Foi apurado também que a motivação do crime está relacionada a desavenças entre vítima e autor, que envolve tráfico de drogas e relacionamentos amorosos, informou a polícia. Desse modo, o alvo não era a jovem, e sim Everton Venâncio da Rosa. Esse foi o sexto homicídio do ano em Passo Fundo. As investigações continuam.


FRASE DA EDIÇÃO

A Expodireto é uma faculdade ambulante do agronegócio Vergílio Perius

presidente do Sistema Ocergs-Sescoop

www.diariodamanha.com

PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019 Foto Caetano Barreto/ Diário

IMPOSTOS

Preço dos combustíveis tende a subir Anunciada para o próximo sábado, atualização no valor de referência para cobrança de ICMS no estado impactará na gasolina e no óleo diesel. Pág 2

PREVISÃO DO TEMPO

PASSO FUNDO

CARAZINHO

PORTO ALEGRE

16°C

17°C

19°C

Mínima

diariodamanha.com

26°C

Máxima

Mínima

/redediariodamanha

26°C

Máxima

Mínima

32°C

Máxima

@diariodamanhapf

LUAS Nova

06-03

54

Crescente

14-03

9 9957 7864

Cheia

20-03

54

Minguante

28-03

3316 4800


CADENO ESPECIAL

DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

Daniel Rohrig | Diário

O agronegócio é a linguagem universal Pavilhão Internacional da Expodireto Cotrijal reúne empresários de 71 países, que negociam a compra e venda de carnes, aves e grãos

U

ma das principais tecnologias que o presidente da Associação dos Produtores de Tomate da Nigéria, Oyeleke Bola, procura na 20ª Expodireto Cotrijal está atrelada às sementes. Ele foi um dos estrangeiros presentes no Pavilhão Internacional da feira, que desde 2004 recebe investidores de todo o mundo. Em 2019, são 71 países presentes no evento, representados por dezenas de delegações. Pela primeira vez no Brasil, Oyeleke se diz impressionado com a dimensão da Expodireto. “Minha primeira vez aqui está sendo uma excelente experiência. Esta feira é ótima porque podemos ter este contato com as tecnologias, com os investidores. Podemos levar todas essas impressões para a Nigéria e estamos muito felizes com isso. Estamos fazendo contatos para investimentos futuros também”, conta. Durante a negociação, Oyeleke explicou aos empresários que a principal tecnologia que procura está relacionada com a produção de alimentos, já que cerca de 70% da agricultura nigeriana é direcionada para o consumo interno do país africano. Por conta disso, a delegação procura por tecnologias e soluções para dinamizar a produção agrícola com alternativas que podem ser encontradas na Expodireto. “Nosso

Podemos levar todas essas impressões para a Nigéria e estamos muito felizes com isso. Estamos fazendo contatos para investimentos futuros também

Oyeleke Bola

investidor nigeriano

Investidores de 71 países marcam presença na 20ª Expodireto Cotrijal

foco são os fazendeiros locais”, priorizou o nigeriano. Na segunda e na terça-feira, o local se deteve à promoção de rodadas de investimento com o intuito de aproximar empresários brasileiros e estrangeiros, tendo na mira investimentos e trocas comerciais. O restante da semana será focado no diálogo com representantes do Oriente Médio, Europa, Ásia, África e América do Norte com as tradicionais Rodadas de Negócio. “A partir de 2019, nós vamos retomar as missões internacionais com a ‘Cotrijal On The Way’. Vamos ter um calendário de missões internacionais, indo para países para divulgar nossas potencialidades, divulgar o que tem de melhor da feira e do agronegócio gaúcho e brasileiro”, explica um dos coordenadores do espaço, Evaldo Silva Júnior. Ainda que os números oficiais de negócios fechados no Pavilhão Internacional só sejam divulgados nesta sexta-feira (15), último dia de feira, Silva Júnior já projeta crescimento nos negócios fechados, visto que por mais que o número de países não teve grande alteração, o destaque de participação fica com o aumento das delegações. “Temos esta expectativa já porque a participação

estrangeira aumentou. Um exemplo disso são duas delegações bastante representativas que vieram, a da África do Sul com 38 integrantes e da Nigéria com 30”, estima. Protagonista das negociações

Na edição passada da Expodireto, o Pavilhão Internacional foi o grande responsável pela evolução nos negócios, quando apresentou um crescimento de 722% na comparação com o ano de 2017. O montante apresentado em 2018, mais de R$ 328 milhões, representou vendas de commodities (soja e farelo de soja) e atração de investimentos. Dois negócios foram os mais significativos na ocasião. Curiosidades

A equipe de tradutores que acompanha as rodadas de negócios entre estrangeiros e brasileiros é unânime em afirmar que as “línguas oficiais” do Pavilhão Internacional são o inglês (55%), espanhol (25%) e alemão (10%). São dez tradutores que trabalham no local para auxiliar nas negociações.

Com a trégua da chuva e a chegada do sol, o parque da Expodireto Cotrijal registrou mais um recorde de público. Somente nos três primeiros dias, 156.900 visitantes passaram pelo parque, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira (13), para conferir as novidades e a programação. Nos negócios, o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder, destacou que a movimentação já é intensa e espera que até o final da feira a marca projetada durante o lançamento, de aumento de aproximadamente R$ 500 milhões na comercialização, seja confirmada. Ressaltando esse otimismo, o Sicredi aprovou nesta quarta-feira um financiamento através do BNDES em quatro horas e trinta minutos para um produtor rural que desejava comprar uma colheitadeira na linha Moderfrota.

Fotos: Daniel Rohrig | Diário

Expodireto supera a marca de 156 mil visitantes em três dias

Casal de produtores rurais de Panambi passou o dia no parque em busca de novidades para a propriedade

Opinião de quem visitou O agricultor Cláudio Theoblado Blum, 34 anos, veio de Panambi para visitar o Expodireto nesta quarta-feira, dia que teve 75 mil pessoas passando pelo parque. O produtor rural buscava novidades para a propriedade rural. “A feira está muito boa, muitos lançamentos novos. Sementes novas que a gente não conhecia e que nós olhando por aí, podemos levar para a propriedade. Trabalhamos mais com o milho e viemos aqui em busca de variedades novas”, pontuou. A esposa, Márcia Blum, 35 anos, se disse impressionada com os maquinários e o setor de artesanato do Parque. “A gente fica surpresa com tudo isso. É uma feira grande, diferente. Lá em Panambi, por exemplo, até existem feiras, porém, são pequenas. Esta aqui atrai milhares de pessoas e eu estou gostando muito daqui”, ressaltou a agricultora.


DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

2

Frases do dia

Foto Rodolfo Sgorla da Silva | Diário

Chegou a hora do Brasil defender o seu produtor rural

Luis Antônio Covatti Filho

Secretário de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Estado

Se a lavoura fosse um carro, o plantio direto seria o chassi

FOTO DO DIA No estande da Stara, as máquinas estão expostas e abertas ao público, para que conheçam detalhadamente o interior de cada uma. As crianças são presença frequente, junto com os responsáveis, tirando fotos e registrando os momentos. Arte sobre foto: Isabella Westphalen | Diário

Gelson Lima

Superintendente de Produção Agropecuária da Cotrijal

Visitas Casa Diário na #Expodireto2019

Dia C O painel de ontem (13) na programação da Diário AM 780 trouxe autoridades para debater sobre “o agronegócio e as expectativas quanto ao governo Bolsonaro”. O secretário de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do Estado, Luis Antônio Covatti Filho, a professora de Gestão do Agronegócio da UPF, Andreia Celia, o secretário-geral da FetagRS, Pedrinho Signori e o coordenador do pavilhão internacional da Expodireto Cotrijal, Evaldo Silva, comentaram sobre os desafios da nova geração no agronegócio, sucessão familiar, relações do governo federal com outros países e pautas importantes a serem discutidas, como a Lei Khandir e o Funrural.

O ex-ministro e agora conselheiro da Itaipu Binacional, Carlos Marun, e o vice-presidente da Cotrijal, Enio Schroeder, participaram de um bate papo no Plantão Diário, na Rádio Diário AM, no fim da tarde de terça-feira (12). eles fizeram um balanço do segundo dia de Expodireto e também sobre assuntos nacionais, como os encaminhamentos feitos pelo governo, o funcionamento da Itaipu, o aumento gradual da energia no campo, entre outros assuntos.

Cliques na Feira

O Sistema Ocergs-Sescoop/RS realizou o Dia C nesta quarta-feira (13) na Expodireto Cotrijal. O “C” é uma referência a cooperativismo e o evento apresentou projetos de cunho social realizados por cooperativas gaúchas. “Queremos incentivar a todas as instituições para que permanentemente realizem ações em prol de nossa sociedade”, frisou Vergílio Perius, presidente do Sistema Ocergs-Sescoop/RS.

Programação Quinta-feira 14/03 Auditório Central 9h às 12h – 12ª Fórum Florestal do RS Painel setorial sobre erva-mate, com o tema: Desenvolvimento e unificação do setor 13h30 às 16h30 – Fórum Soja Brasil Tema: O futuro da soja e as políticas do Mercosul

O presidente da Cotrijal, Nei César Mânica, como já é tradicional no café para a imprensa na Casa da Família Cotrijal, tirou a primeira foto dos profissionais presentes, em um momento de descontração.

Alguns estandes têm atrações especiais, chamando a atenção do público, que por vezes para e tira fotos.

Fundador Jornalista Túlio Fontoura (1935 1979) PresidenteS-EméritoS Dyógenes Auildo Martins Pinto (1972 1998) Vinícius Martins Pinto (1997 2003)

Presidente Janesca Maria Martins Pinto Vice-Presidente Ilânia Pretto Martins Pinto DIRETOR EXECUTIVO Túlio Pretto Martins Pinto

17h15 – Lançamento oficial do 5º Congresso Sul-Americano de Agricultura de Precisão e Máquinas Precisas – APSul América e coletiva de imprensa Auditório da Produção 13h às 15h – Reunião Emater Diretora Comercial PF: Eliane Maria De Bortoli

Diagramação: Henrique Peter; Jeferson Couto;

Diretor Comercial CZO: Carlos Munhoz

rEPORTAGENS: Alessandro Tavares; Ana Cláudia Capellari; Daniel Rohrig, Isabella Westphalen;

CADERNO ESPECIAL Edição: Nadja Hartmann SUPORTE DIGITAL: Manoella Fortes Fiebig

Matheus Moraes; Rodolfo Silva; ww.diariodamanha.com


DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

3

Quem são os novos agricultores no interior do RS

Tradição Um pouco mais jovem, o engenheiro agrônomo e agricultor César Augusto Guareschi, 24, morador de Colorado, conta que a família está no ramo da agricultura desde o tempo de seu bisavô, Guerino Guareschi, que seguiu para seu avô e seu pai. A família cultiva culturas anuais, como soja e milho no verão, aveia

de tecnologias de composição e formulação inseridas neles”, reforçou o agrônomo, que ainda afirma que ele, em sua posição de formação, também como formador de opinião, tem responsabilidade em falar sobre isso. “Temos papel fundamental na conscientização da utilização dos produtos e serviços de forma correta, para que não ocorram danos ao meio ambiente”, complementou Guareschi. Arquivo pessoal

Cabe somente a nós, que trabalhamos nesse meio, ter a consciência de que devemos produzir de forma economicamente viável, socialmente justa e ambientalmente correta

U

ma nova geração de agricultores e agricultoras começa a dar as caras e mostrar seu modo de “tocar” a propriedade rural. O desafio, daqui para a frente, é entender como seguir reinventando o agronegócio e qual a melhor forma de produzir para alimentar o mundo. Para o agricultor Rafael César Nienow, 32, a agricultura tem que ser autossustentável. “Gerar lucro, pois o custo das culturas é alto e a cada ano é diferente e temos que estar preparados, pois certamente anos mais difíceis virão”, relatou Nienow. Desde que tinha 15 anos de idade, Nienow, que mora em Chapada, no distrito de Tesouras, ajuda na lavoura. Desde os 18 é agricultor e afirma que em sua propriedade plantam soja, milho, trigo e aveia e que para conseguir manter a propriedade familiar e a boa produtividade é preciso estar sempre em busca de informações, participando de feiras, palestras e reuniões. “É preciso analisar as novas tecnologias, novas cultivares, fazendo os processos com capricho e na hora certa, pois um erro que aconteça no processo de produção pode até ser corrigido, mas com certeza terá seu custo”, salientou o agricultor. Para Nienow, a agricultura está muito moderna, com diversas tecnologias, porém, sem dispensar a expertise do produtor, que é quem faz o trabalho acontecer. “É o produtor que faz os processos de maneira correta e no tempo certo. Os desafios são o tempo todo, pois é uma indústria a céu aberto”, relatou o agricultor.

Arquivo pessoal

Jovens que vêm assumindo as propriedades rurais familiares, a nova geração de agricultores terá grandes responsabilidades em seguir reinventando o agronegócio. O tema também será discutido amanhã, no Fórum do Jovem Cooperativista

César Augusto Guareschi

engenheiro agrônomo

para cobertura e pastagens no inverno. Como Nienow, Guareschi também afirma que o agricultor possui uma empresa a céu aberto, sujeito a intempéries climáticas durante todo o ciclo das culturas. “Nossa produção, produtividade e rentabilidade dependem de diversos fatores. Fatores bióticos e abióticos também podem comprometer uma safra, como, por exemplo, um ataque de pragas ou pressão de doenças”, explicou o agrônomo. Ele relata também que é investido um grande montante para que se proporcione à lavoura um desenvolvimento sadio e sem deficiências nutricionais. “O fator econômico também interfere diretamente no sucesso ou insucesso da produção agrícola, afinal cada vez mais o preço pago pelos insumos utilizados para a produção de grãos é cada vez maior e em contrapartida o preço pago pelo produto (grãos) não acompanha essa elevação gradativa do preço dos insumos”, criticou Guareschi. Sobre a tradição familiar que carrega, o agrônomo afirma que muitas coisas mudaram, inclusive a maneira de pensar, principalmente

quando o assunto é tecnologia. “Com adição de novas e modernas tecnologias, máquias e defensivos agrícolas, a constante atualização por parte do agricultor é imprescindível para se produzir cada vez mais. Informação também é insumo, temos que usar isso a favor da nossa produção agrícola”, relatou Guareschi. Missão Sobre a missão de alimentar o mundo, Guareschi afirma que se trata de algo ímpar, afinal, a população mundial cresce exponencialmente a cada ano. “Isso tudo em uma área agricultável limitada, ressaltando ainda mais a necessidade de aumentarmos cada vez mais a nossa produção”, enfatizou o agrônomo, que reforça que produzir de forma correta e sustentável é um dos pilares para a continuidade do sistema produtivo. Inclusive, a quantidade de tecnologias inseridas nos produtos e serviços que são ofertados ao agricultor, segundo Guareschi, torna a atividade mais sustentável. “Produtos químicos estão cada vez mais seletivos e menos nocivos ao meio ambiente, através

O agricultor acredita que é preciso produzir com responsabilidade e estar preparado para as adversidades

Amanhã, sexta-feira (15), às 9h, acontece o Fórum do Jovem Cooperativista no Auditório Central do Parque da Expodireto Cotrijal e dentre os assuntos a serem comentados está a questão da sucessão familiar e os desafios da nova geração que assume as propriedades rurais. O evento é uma realização do Grupo Diário da Manhã, Cotrijal e UPF e os convites são restritos. Programação: 8h30 – Cadastramento 9h – Abertura 9h30 – Prêmio de Sucessão Rural e apresentação do short movie do case premiado 10h15 – Palestra show com Elzinga sobre o tema “Oportunidades digitais: como um jovem do interior gaúcho conseguiu construir uma carreira na internet”

Patrocínio Ouro

Venha para a feira que há 20 anos, faz do nosso

Patrocínio Prata

Patrocínio Bronze

O agronegócio consolidou-se com importantes resultados, fortalecendo o Brasil para o futuro. Em 2019, temos um compromisso, um encontro marcado com você e com o futuro do nosso agronegócio.

RS 142, Km 24 • Não-Me-Toque, RS, Brasil Caixa Postal 02-99.470-000 • Telefone (54) 3332.2200 Pa ra sab e r m a i s, ace sse : w w w.e x p o di re to.co t ri jal.co m.b r face b o o k .co m /E x p o di re to O f i c i al


DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

4

Concessionárias projetam crescimento de vendas de veículos Novidades no mercado automotivo, boas condições de pagamento e descontos nas revendas despertam atenção do público da Expodireto Cotrijal, que movimentou os estandes nesta quarta-feira (13)

Foto Matheus Moraes | Diário

vendidos no segmento. A Ford do Brasil sempre proporciona muitas novidades, bons descontos na feira”, declarou Paulo Martins. Experiência na hora Desde o ano passado, a Augustin oferece a pista Test-drive off road no Parque. De acordo com Paulo Martins, a atração é uma das mais movimentadas do Parque. “Nós queremos proporcionar ao cliente uma experiência diferente, para ele sentir a extremidade da caminhonete no uso diário. A pista é para o público”, completa. Não há custo para realizar o test drive da Ford.

Márcio Scoz, gerente da Salwipa

Últimos dias de grandes negócios

A

Ofertas de veículos estão atrativas para o consumidor

movimentação nos estandes das concessionárias de veículos nos primeiros três dias da 20ª Expodireto Cotrijal revela que o mercado voltado para os veículos voltou a ser aquecido. Pelos estandes da feira, é praticamente unânime que a feira do agronegócio é o “termômetro” da temporada no ramo. Assim como no setor de maquinário agrícola, as grandes marcas buscam oferecer aos clientes as melhores ofertas, novidades, tecnologia de ponta, aliado ao bom atendimento e a preocupação com o bem estar do cliente. Para o gerente da Salwipa (concessionária Volkswagen), Márcio Scoz, a expectativa deste ano é de um crescimento em torno de 17% a 20% em relação à Expodireto de 2018. Segundo o gerente, a feira baliza o ano da concessionária. “Nos preparamos bastante para a Expodireto. Na verdade, o evento é balizador de um ano bom ou de um ano ruim. São grandes investimentos realizados, acordos importantes

Paulo Augusto Martins, gerente de vendas da Augustin

com as montadoras para conseguir oferecer produtos diferenciados e com o melhor preço aos nossos clientes”, declara Scoz. O cliente que se deslocar até ao estande da Salwipa poderá conferir algumas das principais ofertas, como a Amarok Comfortline, com um desconto de até 24%. Outro carro-chefe oferecido na Expodireto é a Saveiro Robust, com desconto máximo de 23,5%. Na prática, o desconto da Amarok chega a R$ 35 mil reais, enquanto o da Saveiro alcança até R$ 15 mil. Apesar da chuva nos dois primeiros dias de feira, o movimento foi satisfatório na Salwipa. “Estamos surpreendidos pelo movimento, pela qualidade do fechamento de negócios. Hoje, pelo mercado estar aquecido, os clientes estão acreditando no país. Mesmo com as chuvas nas primeiras 48 horas, atendemos nossos objetivos de atendimento e de venda. Pensamos em superar a Expo do ano passado de 17% a 20% nas vendas”, completa Scoz. Apresentar novidades e colocar o cliente dentro da experiência sobre quatro rodas são nortes da concessionária Augustin Veículos, que participa da feira desde a sua primeira edição, em 2000. De acordo com o gerente de vendas da Augustin, Paulo Augusto Martins, a feira é a oportunidade de oferecer boas condições de pagamentos, além das novidades do mercado automotivo. “Neste ano, mais do que nunca, trouxemos ótimas condições de pagamento, o plano sazonal, que é o que o cliente do agronegócio busca. Para nós, é sempre gratificante participar da Expodireto e fazer bons negócios”, afirma. Para este ano, o carro-chefe da Augustin é a caminhonete Ford Ranger, em três versões: a XLS, XLT e a Limited. “São os três catálogos mais

A quarta-feira (13) foi movimentada pelos estandes da Expodireto Cotrijal com as rodadas de negócios. Se antes da feira a projeção era superar os R$ 2,2 bilhões da última edição para os R$ 2,7 bilhões nesta, o caminho para alcançar a perspectiva deve ser trilhado nesta quinta e sexta-feira, últimos dois dias de evento, de acordo com o presidente da Expodireto, Nei César Mânica. - Avaliando o cenário, os recursos disponíveis e as empresas, além do bom clima do país e da demanda do produtor, temos tudo para ter a possibilidade de passar os 2,2 bilhões. A partir desta quinta-feira começa a aparecer os grandes resultados. Nos próximos dias, os expositores farão grandes investimentos - declarou em entrevista à Diário AM 780.

Pneu Casa do

Aro Aro Aro Aro Aro

13 - R$ 139,00 14 - R$ 160,00 15 - A partir de R$ 169,00 16 - A partir de R$ 199,00 17 - R$ 220,00

Com 6 meses de garantia! Pneu 100% ecológico, com borracha Vipal! 54

99160.7851

AV FLORES DA CUNHA, 666 CARAZINHO-RS


DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

5

Startups são ferramenta para otimizar processos nas propriedades

A startup deve ser focada na solução Amure Pinho

presidente da AbStartups

Fotos Divulgação

da agricultura em outros produtos como energia e fibras deve ser crescente. Isso tudo sem falar nos custos de produção, que aumentam constantemente. Assim, a agricultura deve fazer cada vez mais, com mais eficiência e menos impacto. Para isso, as empresas vêm investindo em ferramentas que aumentem a precisão dos processos, diminuindo perdas que geram impactos desnecessários – explica Thais Fernanda Stella de Freitas, responsável pela gerência setorial do agronegócio do Sebrae/RS. Para Amure Pinho, presidente da AbStartups, as startups podem ter um papel importante para auxiliar a agricultura a atender suas demandas. “O grande desafio da agricultura é continuar sendo a principal fonte de alimentação das pessoas. Alguns dados apontam que até 2050 a produção agrícola vai crescer 70%. Em 1970, as pessoas consumiam 2 mil calorias por dia. A previsão é de que em 2050 o consumo seja de 3 mil a 3,3 mil. Tem que ter um acréscimo na produção de alimentos e a forma como a agricultura vem se preparando para isso é a agricultura inteligente, fazendas inteligentes, adicionado tecnologia e economia de recursos e aumentando a produtividade de forma sustentável”, pontua. E a necessidade cada vez maior de desenvolver ideias e produtos que satisfaçam os anseios do agro também aumenta a velocidade com a qual os processos acontecem. “Mentes inquietas com visões diferentes em um contexto

ontexto econômico complexo e dinâmico, novidades tecnológicas borbulhando a todo o momento e um projeto inovador na mente. Esta é boa parte do cenário em que empresas conhecidas como startups, nome que caracteriza empreendimentos carregados de inovações em seus DNA’s, nascem e se desenvolvem. Mola propulsora da economia brasileira, o agronegócio é um dos palcos em que é possível ver desfilar inúmeros exemplos dessa natureza. E o setor rural, que deve cada vez mais aumentar sua produtividade, tecnificar-se constantemente e não esquecer da sustentabilidade, tem inúmeras necessidades a serem atendidas. Essas demandas tornamse o catalisador do desenvolvimento das startups do agro. - São diversos desafios. Com a crescente pressão da sociedade e de órgãos do governo, a agricultura deve utilizar os recursos ambientais de forma eficiente e sustentável, sem comprometer a qualidade do solo, do ar e dos mananciais hídricos. Além disso, deve atender às mais diversas demandas da sociedade, que hoje busca por alimentos diferenciados, como os orgânicos, por exemplo. E, afora a produção de alimentos, a participação

O que vemos agora é uma heterogenia muito grande no foco de atuação das startups do agronegócio, variando desde inteligência artificial em pequenos componentes eletrônicos até construção de estruturas de armazenamento

C

Empresas focadas em tecnologia e inovação são um dos caminhos para aumentar a precisão e diminuir perdas

Thais Fernanda Stella de Freitas

responsável pela gerência setorial do agronegócio do Sebrae/RS

dinâmico. Este é o universo das startups hoje em dia e é justamente por isso que elas terão, na verdade já vem tendo, uma contribuição muito grande no processo de desenvolvimento tecnológico do agronegócio. Se antes se tinha cinco ou 10 grandes companhias liderando os processos de pesquisa e desenvolvimento, hoje temos inúmeras empresas de diferentes tamanhos, muitas delas startups, que estão borbulhando ideias e acelerando o processo de criação, desenvolvimento e prototipação de soluções a uma velocidade não imaginada até então”, complementa Thais. O caminho para as startups Para conseguir o sucesso em um ambiente totalmente mutável, as startups podem seguir alguns caminhos. “O primeiro passo é que o produto ou serviço desenvolvido pela startup tenha clara a percepção de valor em dois sentidos: valor aos olhos da sociedade, como algo nobre e que esteja em harmonia com os anseios da sociedade moderna, e valor de mercado, que seja algo que o mercado absorva, podendo ser uma inovação

de processo, produto ou serviço ou alguma tecnologia inédita que tenha a capacidade de, a partir daí, gerar demanda”, relata a especialista. Pinho salienta que as startups precisam atender as necessidades de seus clientes. “As startups são hoje provavelmente o melhor mecanismo de inovação para dentro das grandes empresas de alimentos. Por serem menores e mais focadas do que grandes empresas, as startups conseguem enxergar um problema e focar todos os esforços e investimentos para resolver isso de forma muito eficiente. Então as startups são um agente de inovação. Se uma empresa fosse investir para criar uma superinovação na resolução de problemas ela perderia o foco e muito dinheiro. Elas são uma forma muito eficiente de incorporar tecnologia em um negócio, por isso que elas são tão relevantes hoje no mundo. A startup deve ser focada na solução, vestindo a camiseta do cliente e com discurso que convença o tomador de decisão. Ao final do expediente, a startup tem que criar alguma coisa que as pessoas queiram”, ressalta o presidente da AbStartups.

INSCRIÇÕES

ABERTAS www.upf.br/especializacao

ESPECIALIZAÇÃO

MBA


DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

6

Nadja Hartmann Banrisul Protagonismo

Poderia ser apenas pela coincidência de datas, já que a Expodireto geralmente acontece próxima ao Dia Internacional da Mulher, o que já justificaria as homenagens e eventos voltados às mulheres no Parque...Porém, é mais do que isso...Já há alguns anos, é visível que a presença delas pelos corredores e estandes vem crescendo, o que comprova os dados que revelam um aumento de 8,3% no número de mulheres atuando no agro entre 2004 e 2015. Prova disso é que no início da feira, há 20 anos, a proporção do público era de 70% homens e 30% mulheres. Hoje, a proporção é de 50%. Tanto que a própria estrutura do Parque teve que ser adaptada, com a ampliação dos banheiros femininos, por exemplo...Também nos estandes das empresas, o marketing deixou de focar apenas o público masculino, e até mesmo na programação dos Fóruns e Seminários, há cada vez mais mulheres entre os palestrantes...

Contraste

Fotos Divulgação | Cotrijal

Mas o setor do agro que acordou primeiro para o protagonismo feminino foi o cooperativismo. O sistema Ocergs-

Sescoop foi pioneiro em promover eventos voltados à mulher cooperativista no Parque da Expodireto. Na terça-feira, o Encontro das Mulheres que Cooperam, realizado em parceria com a Cotrijal e Câmara de Vereadores de Não-Me-Toque, reuniu mais de 200 mulheres e a palavra de ordem do evento foi “Mulheres que cooperam podem tudo”...Porém, apesar de todos esses avanços do protagonismo feminino visíveis na Expodireto, por outro lado é mais do que visível que as mulheres ainda tem muito o que avançar nos principais espaços de poder...Basta ver a mesa oficial de abertura da feira, que contou com a presença de apenas uma mulher entre as autoridades, a ministra da Agricultura Tereza Cristina, que segundo o vice-presidente Hamilton Mourão, “é uma mulher que vale por dez”, parafraseando o presidente Bolsonaro, que usou desse argumento para justificar a presença de apenas duas mulheres no seu ministério...A tentativa até foi válida, mas o argumento não...Cada mulher vale por uma mulher e não por dez ou vinte...Se existe apenas uma mulher em uma mesa oficial de autoridades é porquê todos os outros espaços estão ocupados por homens... Qualquer tentativa de negar essa realidade e “dourar a pílula” é inútil...

Presença das mulheres no cooperativismo é visível em todos os espaços

Já no cenário que retrata espaços de poder, mulheres são quase invisíveis

agiliza liberação de crédito na feira Instituição financeira está reforçando sua atuação junto ao segmento do agronegócio

Fotos Rodolfo Sgorla da Silva | Diário

nadja@diariodamanha.com

Nesta quarta-feira (13), terceiro dia de Expodireto Cotrijal, 120 servidores do Banrisul participaram de um encontro no auditório da produção

C

om mais de nove décadas de atuação em solo gaúcho, o Banrisul é uma das instituições financeiras presentes na Expodireto Cotrijal. E a presença do banco na edição de 2019 da feira tem inovações. Uma das novidades é quanto à agilidade na liberação de crédito. “Temos aqui na Expodireto um novo método de liberação de crédito, mais ágil. Selecionamos 30 mil clientes que têm limite pré-aprovado. Eles podem fazer visitas a empresas expositoras pela manhã e já à tarde, por exemplo, assinar o contrato”, comenta Oberdan Celestino de Almeida, diretor de crédito do Banrisul. De acordo com ele, o novo formato tem agradado quem está na feira. “Essa novidade tem agradado às empresas expositoras e também aos nossos clientes. Esse novo formato traz conforto e agilidade”, complementa Almeida. Com mais de 50 profissionais atuando na feira neste ano, o Banrisul marca sua presença na Expodireto Cotrijal com linhas de crédito como Moderfrota e para investimentos em energia fotovoltaica. Para além da feira, o Banrisul também tem como meta ampliar sua atuação junto ao segmento do agronegócio. “O banco vai focar pesado no agro, inclusive é uma

missão dada pelo governador Eduardo Leite, afinal de contas o setor rural é responsável por 42% do Produto Interno Bruto (PIB) do estado”, comenta. Nesta quarta-feira (13), terceiro dia de Expodireto Cotrijal, 120 servidores do banco participaram de um encontro no auditório da produção que abordou a atuação da instituição. “Nossas agências trabalham com Pronaf, Pronamp, Moderfrota, temos recursos para investimento e custeio, enfim, um portfolio completo para o setor rural”, finaliza o diretor de crédito do Banrisul.

Oberdan Celestino de Almeida, diretor de crédito do Banrisul


DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

7

A pesquisa e a tecnologia como potencializadores da produção leiteira

A

gumas facilidades. Dentro disso, está a precisão, a inteligência, no sentido de informação, que faz com que o produtor tenha melhores condições de gerir a sua propriedade, tendo melhor custo de produção, melhor qualidade e, portanto, uma melhor remuneração. Com a possibilidade de ‘máquina falar com máquina’, na era da inteligência artificial, o futuro do jovem poderá ser como gestor do campo em frente ao computador”, afirma. Com a ferramenta disponibilizada entre as máquinas, quem ganhará será o produtor, que poderá ter maior rendimento sobre as informações compartilhadas entre o maquinário. “O que falta é trazer a tecnologia, que chamamos de 4.0, para colocar dentro da propriedade o computador, a automação. Isso fará a revolução. Vai gerar ao produtor a possibilidade de ter a condição menos penosa na atividade. O leite é uma atividade complicada porque exige decisões múltiplas. Com a máquina em serviço, ela fará algo que o homem faz. É um atalho para aumentar sua produtividade”, completa Dr. Paulo Martins.

Exame apresentado pela UPF detecta prenhez bovina Mas antes da aplicação da tecnologia para gerar resultados lá na frente, o processo da produção leiteira passa por muito estudo, anáAlessandra Pasinato | UPF

teoria da pesquisa alinhada à utilização da tecnologia é um ponto que contribui para que a produtividade e o abastecimento da produção leiteira gaúcha permaneçam fortalecidos. Com visão no avanço e no aumento da produtividade e dos ganhos ao produtor, o 15o Fórum Nacional do Leite trouxe temas importantes para o setor voltados para o futuro e as suas aplicações para a competitividade brasileira. Os painéis, realizados nesta quarta-feira (13) durante a Expodireto, abordaram o consumo de lácteos no Brasil, com a coordenadora do Programa #bebamaisleite, Flávia Fontes, além das lições de aplicação para a competitividade no leite brasileiro, com o economista da Embrapa Gado de Leite, Dr. Glauco Carvalho, e o Agro 4.0 e a contribuição para o futuro do leite, com o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Dr. Paulo do Carmo Martins. Um dos pontos principais do Fórum Nacional de Leite foi a apresentação do agro 4.0, que se trata, acima de tudo, da revolução tecnológica que potencializa a produção do campo e que deve segurar o jovem no meio agrícola, de acordo com o chefe-geral da Embrapa Gado de Leite, Dr. Paulo do Carmo Martins. “Parecia algo muito distante, mas hoje já chegou no leite. Nós temos um conjunto de jovens que oferecem ao produtor al-

Exame do Saler propõe antecipar o diagnóstico para 28 dias de gestação utilizando amostras de leite

Matheus Moraes | Diário

15º Fórum Nacional do Leite discute avanços e aplicação de tecnologia no sistema de gestão. Por outro lado, exame do Serviço de Análise de Rebanhos Leiteiros (Sarle) da UPF, apresentado na feira, desperta atenção para a produtividade do leite

Dr. Paulo do Carmo Martins mediou uma das palestras do Fórum Nacional do Leite nesta edição

lise e pesquisas. É numa dessas atividades que Universidade de Passo Fundo (UPF) apresenta em seu estande na Expodireto Cotrijal, por meio do Serviço de Análise de Rebanhos Leiteiros (Sarle), um exame que detecta a prenhez bovina. O exame permite que seja diagnosticado o período de gestação bovina. Atualmente, a grande dificuldade do produtor é conseguir com que a vaca consiga repetir um parto a cada ano. “O tempo transcorrido entre o parto e o início de uma nova gestação deve ser, em média, de 80 dias”, declarou o Dr. Carlos Bondan, coordenador do Sarle. Atualmente, o processo funciona por meio de um exame ultrassonográfico, realizada pelo médico-veterinário, ou por meio da palpação transretal, aos 60 dias de gestação. Na prática, o exame é prático: ele usa o leite que pode ser coletado durante a ordenha e dispensa manejos adicionais do rebanho. O objetivo do novo exame apresentado pela UPF é agilizar todo esse processo. - Estamos propondo antecipar o diagnóstico para 28 dias de gestação utilizando amos-

tras de leite, que podem ser coletadas pelo próprio fazendeiro. A iniciativa é pioneira no Rio Grande do Sul. Somos o primeiro laboratório do estado a oferecer esse serviço. Com ele, pretendemos agilizar os processos e, assim, as vacas que não estão gestantes poderão ser avaliadas por um veterinário, receber cuidados especiais, muitas vezes terapêutico, para que concebem o mais breve possível a gestação - aponta Bondan.

Benefícios do diagnóstico O benefício do diagnóstico precoce de gestação, conforme o Dr. Bondan, é identificar vacas não gestantes e imediatamente realizar avaliação veterinária para tomar medidas cabíveis no intuito de minimizar perdas econômicas. “Vacas que permanecem muito tempo sem produzir leite devido a problemas reprodutivos são responsáveis pelo aumento dos custos de manutenção nesses animais, como exemplo, custos alimentares, diminuindo a lucratividade dos rebanhos”, avalia.


DIÁRIO DA MANHÃ - PASSO FUNDO E CARAZINHO, QUINTA-FEIRA, 14 DE MARÇO DE 2019

8

Trabalho em família que gera resultados e comida a bebida, passando para artesanato. O pavilhão da agricultura familiar da Expodireto Cotrijal tem produtos para todos os gostos dos visitantes. O espaço, que é coordenado pela Secretaria estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), neste ano tem 182 bancas e 186 empreendimentos de 116 municípios do Rio Grande do Sul. Sucos, queijos, doces, vinhos, cachaças, biscoitos, plantas e flores podem ser adquiridos pelos consumidores até a próxima sexta-feira (15). Dentre esses 186 empreendimentos está o de Flávio Augusto Franz, de Santa Clara do Sul, interior gaúcho. O produtor de aipim e batata doce, que comanda a Franz Alimentos, está na sua terceira Expodireto. Ele conta que o convite para participar do pavilhão surgiu da Federação dos Traba-

lhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag) e da Emater e que o principal no evento é divulgar os produtos. “A nossa farinha de batata doce não tem mercado, é inovador, e me anima muito vir na Expodireto e ver as pessoas que compraram em outros anos virem de novo. Isso é gratificante”, ressalta. Na pequena cidade do interior, seu Franz, de 64 anos, planta a matéria-prima dos seus produtos desde 2014. Antes, praticava a atividade de gado leiteiro, mas, por analisar que não estava mais rendendo tanto, optou por abandonar essa prática. Os ‘chips’ de batata doce, aipim, sabor pizza a farinha de batata doce, que pode ser consumida com carnes e – até mesmo com banana – são produtos que em média demoram seis dias para serem feitos na propriedade de seu Franz. De acordo com

Vilson, que foi bancário por 20 anos, vê na produção de cachaça uma forma de homenagear o avô

Fotos: Ana Cláudia Capellari | Diário

D

Produtores familiares buscam no pavilhão da Expodireto mais visibilidade e aumento dos negócios

De Santa Clara do Sul a Não-Me-Toque, Flávio busca atrair mais consumidores para seu negócio.

o produtor, as vendas são boas e a divulgação dos produtos é a oportunidade ideal para crescimento do negócio. Essa também é a expectativa da Seapdr, que prevê crescimento nas vendas do pavilhão. Em 2018, por exemplo, o pavilhão da agricultura familiar movimentou R$ 1,089 milhão, o que representou aumento de 4% em relação à edição de 2017, que foi de R$ 1,045 milhão. No segundo ano no pavilhão, Vilson Schneider, de Poço das Antas, cidade do Vale do Taquari, leva aos visitantes um produto bastante conhecido: a cachaça. A produção dessa bebida, uma das mais tradicionais iguarias brasileiras, começou no final de 2014 início de 2015, após ele deixar a profissão de bancário. O hoje produtor de cana-de-açúcar conta que o nome do negócio familiar, ‘Cachaça

Wille’, foi inspirado no sobrenome do avô. “Em questão de um mês após apresentar o projeto do negócio para a prefeitura de Poço das Antas e Emater, começamos a produção de cachaça. Começamos do zero, até mesmo a plantação de cana”, relata. Para ele, estar na Expodireto é uma vitrine de negócios que impulsiona as vendas e ajuda a divulgar a marca Wille. Junto no empreendimento, Vilson conta com a parceria do primo Tiago Flach, de 25 anos. PAVILHÃO O produtor que deseja estar como Flávio e Vilson para o ano que vem precisa estar regularizado no Programa Estadual de Agroindústria Familiar (Peaf). Após a inclusão, o empreendimento está habilitado para solicitar a autorização de uso do selo Sabor Gaúcho em seus produtos.

Profile for Diario da Manha

Carazinho  

14/03/2019

Carazinho  

14/03/2019

Advertisement