Page 1

A notícia mais importante! diariocatolico.com.br twitter.com/diariocatolico Edição nº 044/2010

Rua Piauí, 191, sala 50, Edif. Centro Comercial - Fone (43) 3029-3330 - CEP 86010-906 - Londrina. E-mail: comercial@diariocatolico.com.br

famvin encerra ano Jubilar

“Você já viu a festa de encerramento dos Jogos Olímpicos?” Com esta pergunta a adolescente Maria Alice de Souza, participante da Juventude Marial Vicentina (JMV), um dos principais ramos da Família Vicentina Internacional (Famvin) em atividade no Paraná, definiu como foi, em Curitiba, no dia 26 de setembro, domingo à tarde, o encerramento das comemorações alusivas ao Jubileu dos 350 anos das mortes de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac. Mesmo com a realização, no mesmo dia e horário, da mesma festa em outras cidades, o evento em Curitiba foi um sucesso de público: as instalações do Ginásio de Esportes do Instituto Nossa Senhora das Mercês, com capacidade para até 600 pessoas sentadas, esteve quase completamente lotadas. O evento teve início a partir das 14 horas, com a equipe da acolhida distribuindo brindes de lembrança (garrafas de água portáteis com o símbolo do Jubileu), marcadores de página enfeitados com balas, além dos folhetos de cânticos em papel especial. No interior do Ginásio o padre

As Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo, Província de Curitiba, sob o comando da irmã Paula Pereira Alves (tocando sanfona), apresentam o hino da Congregação

Marco Aurélio Soares da Costa, CM, assessor da Família Vicentina, cuidava da animação juntamente com outros músicos. Depois chegaram os integrantes do coral, devidamente uniformizados. Uma procissão de entrada conduziu as relíquias de São Vicente de Paulo: um pedaço da batina e da estola, até a lateral esquerda do palco. A abertura do Momento

Cultural Vicentino coube ao padre Odair Miguel Gonsalves dos Santos, Diretor Provincial das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo. Na sequência se apresentaram diversos grupos de teatro, música e dança, formados por integrantes das Filhas da Caridade, Congregação da Missão, Juventude Marial Vicentina, Associação da Medalha Milagrosa, Asso-

ciação Internacional de Caridades e Sociedade de São Vicente de Paulo, além de alguns participantes convidados, como por exemplo o grupo de teatro da Melhor Idade de Araucária. Todos receberam muitos aplausos. Por volta das 16 horas todos se prepararam para a celebração eucarística, também conduzida pelo padre Odair Miguel e mais seis

sacerdotes, um deles, o padre Aleixo que representou o arcebispo de São José dos Pinhais, Dom Ladislau Biernask. Finalizando, antes da bênção final, teve uma procissão de entrada da vela do Jubileu que antes de ser apagada, acendeu outras seis velas que foram entregues aos representantes dos ramos vicentinos que atuam em Curitiba. Momento emocionante foi reservado para o final: o lançamento do selo comemorativo do Jubileu, pela Empresa Brasileira de Correios, através do representante Diogo Machado que homenageou com uma placa a irmã Paula Pereira Alves, visitadora das Filhas da Caridade, Província de Curitiba. De Londrina esteve presente, representando a Associação dos Benfeitores de São Vicente de Paulo (Abenvip), o casal Deize Martins e Wanderley Jorge Marlière, co-fundadores desse novo ramo que nasceu inspirado nas atividades da Associação da Medalha Milagrosa (AMM). Leia na página 3, o artigo “Impulsionados pelo amor de Deus”, do padre Odair Miguel, sobre os frutos do Ano Jubilar no Brasil e no mundo.


Página 2

Edição 44/2010

FORMAÇÃO: “Se alguém disser: ‘Amo a Deus’, mas odeia seu irmão, é mentiroso”. (I João 4, 20a)

Os cinco enfoques do amor fraterno

Promover o outro e sentir satisfação pelo bem-estar é sinal oblativo e benevolente que quer realizar a elevação dos outros até ao esquecimento de si. O amor dá sentido a nossa existência e confere energia a tudo. O amor é a verdade da existência humana, verdade sem medidas porque salva o mundo, constrói a sociedade, prepara a eternidade. O amor é exigente e se expressa por meio da presença, do serviço e dos gestos fraternos. O amor não se cansa e é mais forte que a morte. Vejamos então os cinco enfoques do amor fraterno: 1. Sair de si. É a lei do êxodo, da descida, do desapego. Estar fora de si e centrado no outro, ser excêntrico, porque central é o outro, a alteridade, eis um enfoque essencial do amor, portanto, trata-se do esquecimento de si e elevação do outro. Quanto mais saímos de nós mesmos, para estar no outro e em Deus, ali nos encontramos. O esvaziamento de si, cria espaço para abrigar o próximo. O amor nos manda

4. Doar-se. É a entrega sair de nós mesmos, sair do tradicionalismo, sair do ego, de si, a generosidade, a grasair das memórias que acor- tuidade, o amor ágape, que se rentam, sair dos preconcei- sacrifica, é capaz de dar a vida. tos, sair do pedestal, sair das Isso requer a morte do ego e a fantasias, deixar pai e mãe e compaixão pelo outro. Amar é entrar na realidade, aceitar dizer: não quero que tu moro diferente, dar um passo à ras, mas eu dou minha vida frente. O amor faz o outro im- por ti. Amar é dar a vida, ensinou Jesus. O amor joga fora portante. 2. Compreender. Amar é o temor, é mais forte que a compreender. Quem compre- morte. O amor jamais acabará. ende perdoa. ''Senhor fazei A única coisa que não se pode que eu saiba mais compreen- tirar de nós é o que doamos. 5. Ser fiel. O amor requer der que ser compreendido'', rezava São Francisco. Compre- fidelidade e não suporta indiender é ver o ponto de vista ferença, mentira, desconfiando outro, desejar o desejo do ça. Fidelidade é compromisso, outro, aceitar a verdade do ou- aliança, pacto, juramento. O tro com suas sombras, defei- amor é um desejo de aliança, um sentimentos, limitações. “O amor é um to de pertença, Compreender uma atitude de é aceitar a verdesejo de filiação, uma dade do outro e dizer-lhe a aliança, ..., uma experiência de eternidade. No verdade com experiência de amor não se autenticidade. sente o tempo Compreender eternidade.” leva a confiar, passar. Fidea perdoar, a confidenciar. lidade é comunhão, unidade, 3. Cuidar. Cuidado é reciprocidade, mútua entrega, atenção ao desejo do outro, estar inteiro com o outro, sem ao seu bem, sua promoção, medo de rejeição, sem ciúmes. seus interesses. Cuidar é zelar, Fidelidade é respeitar a verdaenvolver-se, estar atento, me- de. Quando o amor nos habilhor, é um estado de atenção, é ta nos tornamos verdadeiros. uma recordação constante do Hoje a facilidade e a felicidade amado: ''Vivo pensando nele''. levam a esquecer a fidelidade. Cuidado é ter percepção da re- Parece que a fidelidade está alidade alheia, assumir atitu- fora de casa. Sem fidelidade de de envolvimento, atenção, tudo se espatifa, pior, a infidedesvelo, zelo. O cuidado se lidade gera doenças até a indesdobra em dedicação, soli- sanidade mental. A fidelidade citude, bom trato, responsabi- não é um jugo, é proteção de lidade, diligência. Ter cuidado valores, é o preço do amor. DOM ORLANDO BRANDES, é deixar-se afetar, envolver-se, arcebispo de Londrina criar laços. Cuidar é amar.

ANTES DE LIGAR A TV SINTONIZE DEUS

A Palavra de Deus em 1º lugar LEITURA DIÁRIA

SEGUNDA-FEIRA (11/10/2010): Dia de São Jaime, Padroeiro dos Pintores de Vitrais e dia dos santos: Emiliano, Quirino e Zenaide. Dia dos Correios. Primeira Leitura: Gálatas 4,22-24.26-27.31-5,1; Salmo Responsorial 112; Evangelho: Lucas 11, 29-32. TERÇA-FEIRA (12/10/2010): Dia de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Padroeira do Brasil, Padroeira dos Motociclistas, Patrona dos Rodeios e Padroeira dos Caubóis e Peões nos Rodeios do Brasil. Dia dos santos Aparecida, Cipriano e Serafim. Dia do Descobrimento das Américas (1492); Dia Mundial do Atletismo, Dia do Banco do Brasil, dia do Basquete, Dia da Cirurgia Infantil, Dia Continental do Corretor de Seguros, Dia da Criança, Dia do Engenheiro Agrônomo, Dia Internacional da Evangelização, Dia da Hispanidade e Dia do Mar. Primeira Leitura: Ester 5, 1b-2; 7,2b3; Salmo Responsorial 44(45); Segunda Leitura:- Apocalípse 12,1.5.13a.15-16ª; Evangelho: João 2,1-11. QUARTA-FEIRA (13/10/2010): Dia dos santos: Celidônia, Serafim de Montegranaro e Teófilo.Dia do Terapeuta Ocupacional e dia da Vida. Primeira Leitura: Gálatas 5,18-25; Salmo Responsorial 1,1-2. 3. 4.6 (R. Cf. Jo 8,12); Evangelho - Lucas 11,42-46.

QUINTA-FEIRA (14/10/2010): Dia dos santos Bernardo, Fortunata e Calisto I, Papa, Padroeiro dos Trabalhadores em Cemitérios. Primeira Leitura: Efésios 1,1-10; Salmo 97 (98); Evangelho: Lucas 11, 47-54. SEXTA-FEIRA (15/10/2010): Dia de Santa Teresa de Jesus, Virgem e Doutora da Igreja. Dia dos santos Bruno, Amélia e Teresa d’Ávila. Dia do Professor e dia da Normalista. Primeira Leitura: Efésios 1,11-14; Salmo - Sl 32,1-2. 4-5. 12-13 (R. 12b); Evangelho: Lucas 12,1-7. SÁBADO (16/10/2010): Dia dos santos: Geraldo Magela, Edwiges e Margarida Maria Alacoque. Dia da Ciência, dia da Tecnologia e dia Mundial da Alimentação. Primeira Leitura: Efésios 1,15-23; Salmo 8,2-3a. 4-5. 6-7; Evangelho: Lucas 12, 8-12.

DOMINGO (17/10/2010): 29º Domingo do Tempo Comum. Dia do Bem-Aventurado Contardo Ferrini, Patrono das Universidades e dia dos santos: Inácio de Antioquia, Mariano e Vitor. Primeira Leitura: Êxodo 17, 8-13; Salmo 120; Segunda Leitura: 2Timóteo 3, 14 - 4, 2; Evangelho: Lucas 18, 1-8.

REGRAS PARA OBTER PROSPERIDADE 1 – Dar o primeiro lugar à Palavra de Deus; 2 – Meditar a Palavra de Deus; 3 – Praticar a Palavra de Deus e 4 – Obedecer a VOZ DO ESPÍRITO. Porque “O espírito do homem é a lâmpada do Senhor...” (Provérbios 20, 27) “Não cesses de falar deste livro da lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo a tudo quanto nele está escrito; então farás prosperar o teu caminho e serás bem sucedido”. (Josué 1,8) Órgão Oficial da Associação dos Benfeitores de São Vicente de Paulo - ABENVIP. Diretor de marketing: Saulo Martins Marlier. Conselho Editorial: Waltercides Roberto Torácio, Caroline Maria Calliari e Rogério Martins Marlier. Colaboradores: Padres Lourenço Mika, CM e Giovanni Mezzadri, SX. Editor Responsável: Wanderley J. Marlière.


Edição 44/2010

Página 3

OPINIÃO: Padre Odair Miguel Gonsalves dos Santos

Impulsionados pelo amor de Deus Envolvidos pelo encanto desafiador da espiritualidade de São Vicente e de Santa Luísa, não podemos negar, apesar do secularismo presente em nossa realidade, que Deus continua sendo a luz e a força para o homem que busca o verdadeiro sentido da vida Para desfrutarmos os frutos do Jubileu dos 350 anos da morte de São Vicente de Paulo e Santa Luísa de Marillac, é imprescindível o cultivo do ardor do mesmo espírito que animou Vicente e Luísa na missão: a caridade. O ardor missionário impulsionou os gigantes da caridade a ir ao encontro dos mais empobrecidos da sociedade. O acolhimento a Jesus Cristo transformou o pensar e o agir de Vicente e Luísa. Transformados por Cristo, viveram a radicalidade do Evangelho, na evangelização e no serviço aos pobres. Comprometidos com o Reino de Deus, Vicente e Luísa perceberam que a missão não seria fácil. Desfrutaram da fé em Jesus Cristo, preparando um caminho de serviço e acolhida para seus discípulos; isso devido à experiência trinitária em suas vidas. MISSÃO Quando vivemos impulsionados pelo amor de Deus, percebemos que a missão a nós confiada, só pode ser realizada dentro da dimensão trinitária. Os trabalhos passam a serem realizados com alegria e determinação,

manifestando que estamos enraizados em Jesus Cristo e na caridade. É importante celebrar. Nossas atitudes revelam o comprometimento ou não, com o Ano Jubilar. É na simplicidade do nosso agir que vivemos este momento festivo. É no acolhimento e na escuta do outro que compreenderemos as reais necessidades; a partir deste contato pessoal percebemos os anseios e as angústias que movem o nosso ser. O Ano Jubilar nos oportuniza momentos de encontro com os jubilandos e seu Carisma, como também favorece o cultivo de uma amizade que se faz à margem de um mesmo ideal. Este momento celebrativo nos conduz ao acolhimento das abundantes graças que nos são oferecidas. Cada pessoa que desfruta do Carisma de São Vicente e Santa Luísa vive dentro deste dinamismo de vida, de alegria em poder servir e sentir-se útil. ESPIRITUALIDADE Participantes deste Carisma, envolvidos pelo encanto desafiador da espiritualidade de São Vi-

cente e de Santa Luísa, não podemos negar, apesar do secularismo presente em nossa realidade, que Deus continua sendo a luz e a força para o homem que busca o verdadeiro sentido da vida. São Vicente sentiu e “reconheceu que Deus é a necessidade do homem”. Mais uma vez é bom lembrar que a espiritualidade de Vicente de Paulo segue o curso da Encarnação, sendo cristocêntrica. Cristo é que impulsiona o agir humano para o próximo e para o bem. A nossa ação diária deveria fundamentar-se em Jesus Cristo e no amor trinitário, para fazermos tudo bem. Santa Luísa, sensível e

emotiva, cultiva uma espiritualidade do “amor puro, de um amor purificado de todo resíduo humano”, assim como nos é apresentado na segunda ficha de reflexão para a Família Vicentina. ENGAJAMENTO Envolvida pelo dinamismo da caridade, Santa Luísa tinha presente que o serviço dos pobres não estava reservado somente para si. São Vicente de Paulo logo percebeu em Luísa “uma mulher forte, dotada de dons excepcionais, capazes de fazer dela uma líder, que ele buscava para colaborar com ele em suas obras de caridade” (ficha de reflexão nº 4). Sendo uma mulher astuta, temente e confiante em Deus, convidou jovens camponesas “construindo uma ponte sobre o abismo que separava os ricos e poderosos dos camponeses e dos pobres. Com São Vicente de Paulo e as primeiras Filhas da Caridade, criou uma vasta rede de caridade que não excluía ninguém” (ficha de reflexão nº 4). Muitos vieram, ao longo

destes anos, apaixonar-se por este mesmo trabalho de Vicente e Luísa, tornando-se membros da Família Vicentina. Este momento jubilar ocasiona um maior fortalecimento do que já está sendo realizado no serviço aos pobres, como também nos faz ver e sentir que é preciso dar continuidade a esta grande missão: servir para desfrutar com alegria as graças deste Jubileu. Pe. Odair Miguel Gonsalves dos Santos, CM Diretor Provincial das Filhas da Caridade de São Vicente de Paulo EDITAL DE CONVOCAÇÃO

A Associação Cultural do Rock de Londrina convoca os associados, membros do conselho fiscal e administrativo para a Assembléia Geral Extraordinária que ocorrerá no dia 16/10/2010 às 15 horas, em primeira convocação e em segunda convocação meia hora após, com qualquer número de associados, sendo que o encerramento está previsto para as 17 horas. A pauta da reunião é o encerramento das atividades da associação. Londrina, 16 de Setembro de 2010


Página 4

Edição 44/2010

JUBILEU DE OURO

Centro Comercial agora tem a Revistaria do Tito na loja 63

A Galeria do Centro Comercial em Londrina, que está completando 50 anos de existência, ganhou no dia 16 de agosto a Revistaria do Tito (v. foto). Instalada na loja 63, numa área de 40 m2, a revistaria vem

sendo considerada a maior e mais completa da região central. Além de jornais, apostilas e revistas, oferece também os últimos lançamentos em livros das principais editoras. No balcão da loja ficam expostos cartões telefônicos e vários tipos de doces. Tito agora também vende sorvetes de ótima qualidade. “Estou feliz com a loja, pois antes eu trabalhava em pouquíssimo espaço na banca que foi extinta ao lado da Concha Acústica” – revela José Tito de Souza. Tito, baiano de Ibiquera, atua no ramo de jornais e revistas desde 1973. Com essa atividade conquistou muitos clientes e formou, com dona Neusa, uma família de dois filhos que já estão casados e que também são empreendedores, a exemplo do pai.

Confecção e Consertos de Roupas

Ternos, Calças, Blasers, Camisas sociais e pólos, etc. Masculino, feminino e infantil.

Ovídio & Sueli garantem qualidade e ótimo preço. Faça uma visita. Fones (43) 3367-2428 e 9907-2946 Rua Piauí, 167, sala 7, Centro Comercial - Londrina


Edição 44/2010

Página 5

Segredos da Beata Chiara Luce Badano

ROMA, (CNNotícias/ Servizio Informazione Focolari) - Foram necessários apenas 25 minutos para que a jovem Chiara "Luce" (Luz) Badano desse um "sim" definitivo e irrevogável a Jesus. A postura decidida da jovem alcançou um de seus frutos mais importantes no dia 25 de setembro de 2010. Foi nesse dia que a Igreja proclamou oficialmente a italiana como Beata, a primeira integrante do Movimento dos Focolares a alcançar esse reconhecimento – a jovem era extremamente ativa no Gen (Geração Nova), setor juvenil do Movimento. Milhares de pessoas, de mais de 40 países dos cinco continentes, participaram do evento. A vida de Chiara "Luce" Badano foi um sim repetido a Jesus até a doença e a morte. Apresentamos uma entrevista com seus pais sobre os maravilhosos 18 anos vividos juntos. Passados mais de 20 anos de sua morte, a lembrança de Chiara, uma jovem vivaz, alegre, esportiva, conserva-se mais viva do que nunca nos acontecimentos e episódios contados por seus pais, Maria Teresa e Ru-

ggero Badano. Dizia a bem-aventurada Madre Teresa de Calcutá: "Se os membros da família permanecerem unidos se amarão reciprocamente como Deus os ama individualmente". Foi o que viveu Chiara, a jovem de Sassello (Ligúria - Itália), que no dia 25 de setembro, foi proclamada Bem-aventurada no Santuário do Divino Amor, em Roma. Faleceu vítima de um câncer e a sua experiência parece encontrar suas raízes no testemunho evangélico vivido, antes de tudo, no núcleo familiar.

Sabemos que vocês desejavam muito um filho. Como viveram a chegada de Chiara em sua família? MARIA TERESA BADANO: Nós nos casamos com 26 anos e o nosso maior desejo era ter filhos, mas tivemos que esperar 11 anos. Com o nascimento de Chiara foi como se tivéssemos compreendido melhor a graça do sacramento do matrimônio, porque completava a nossa união. Chiara começou a crescer, linda e sadia, e nos dava muita alegria. Mas percebemos logo que não era filha apenas nossa, era, antes de tudo, filha de Deus, e como tal a devíamos educar, respeitando a sua liberdade. Algum fato interessante da infância de Chiara? MARIA TERESA BADANO: Um dia, voltando da escola infantil, Chiara me pediu para ficar na casa da nossa vizinha, Gianna. Depois de mais ou menos uma

hora ela chegou em casa com uma linda maçã vermelha e amarela na mão. Perguntei como a tinha ganho e ela me respondeu que tinha pegado na casa da vizinha, mas pude entender que fora sem a sua permissão. Então expliquei que ela deveria devolver e pedir desculpas. Vi que ela ficou muito preocupada, estava envergonhada, mas eu prometi que a seguiria com o olhar, do terraço de casa. Então ela tomou coragem, voltou à casa da vizinha e contou o que tinha acontecido. Depois de quinze minutos Gianna lhe trouxe uma cestinha de maçãs. "Agora você pode merendar com sua mãe, porque hoje ela lhe ensinou uma coisa importantíssima". Como a filha de vocês conheceu o Movimento dos Focolares? RUGGERO BADANO:

Ruggero, Chiara e Maria Teresa Badano

Com nove anos e meio, graças a uma gen (Geração Nova, os jovens do Movimento), que se chamava Chicca. Foi um momento fundamental para a vida de Chiara. Ela pegava um ônibus em Sassello para ir a Albisola, onde a sua nova amiga morava. Os meus pais ficavam um pouco preocupados que ela fosse sozinha, mas nós tínhamos confiança. Como ainda não conhecíamos o Movimento dos Focolares quando voltava quase sempre lhe fazíamos algumas perguntas. Mas ela dava respostas vagas, se limitava a dizer que brincavam e liam o Evangelho. Mas Chiara mesma notava algo diferente na sua amizade com Chicca. Ela dizia: "Sabe mamãe, eu acho que essa minha nova amiga é diferente daquelas com quem brinco sempre aqui". Como era Chiara quando adolescente? MARIA TERESA BADANO: Era uma menina cheia de vida: ela gostava de rir, cantar e dançar. Era uma jovem maravilhosa. Naquela época não havia muitos divertimentos em Sassello, no verão em geral os jovens se reuniam no bar, para tomar sorvete. E nós gostamos de pensar em Chiara como uma pessoa esportiva por excelência, mas não no sentido competitivo. Praticava patinação e tênis, gostava muito das montanhas, mas era no mar que ela "explodia!". Antes da sua doença ela viveu algum momento

Maria Teresa Badano e Ruggero Badano

difícil, na adolescência? MARIA TERESA BADANO: Diria que sim. O início da escola média foi um momento de desorientação para Chiara. Primeiramente, porque tínhamos nos mudado de Sassello para Savona. Muitas vezes ela dizia: “Mas mamãe, muitos estudantes viajam de ônibus. Por que temos que ir morar em Savona?”. A isso se acrescentou a incompreensão de um professor. Ele se comportava assim quase com toda a classe, mas com Chiara a situação era um pouco mais pesada. Ela procurava estudar, dava tudo de si, não com o objetivo de ser a primeira da turma, mas para poder dizer, diante de Deus: faço toda a minha parte. De fato, esse foi o seu primeiro grande sofrimento. Como Chiara percebeu que a doença estava chegando e como a viveu? MARIA TERESA BADANO: Com 17 anos, enquanto jogava tênis. Eu vi que ela voltou para casa pálida. (Continua na página 6)


Página 6

Chiara interrompe a quimioterapia (Continuação da página 5) “Senti uma dor muito forte no ombro – ela me disse – tão forte que a raquete caiu da minha mão”. Um médico de Sassello, primo de Ruggero, nos sugeriu que a levássemos a Santa Corona. Lá recebeu os raios infravermelhos e nos garantiram que se tratava de uma distensão, que teria sarado em vinte dias, imobilizando. Mas a dor continuou, Chiara começou a fazer infiltrações nas costas, mas sem nenhuma melhora. Não ia mais jogar e mesmo quando podia ir dar um passeio com as amigas preferia ficar deitada no sofá. Durante as férias de Natal ela decidiu ligar pessoalmente para o médico e pedir para fazer outros exames. No dia seguinte, já estava no hospital e se dedicava às pessoas que estavam perto dela. De modo especial a uma jovem, no quarto ao lado, que devia desintoxicar-se das drogas. Chiara lavava os cabelos dela e sempre lhe fazia companhia. Vendo que estava se cansando nós lhe pedimos que se resguardasse, mas ela nos calou com um seco: “Vou ter tempo para descansar”. Com uma TAC (tomografia axial computadorizada) soubemos o que ela tinha: um osteosarcoma. Naquele momento, tive a impressão de morrer. Nós nos abraçamos, eu e Ruggero, e nos dissemos: “Somente Jesus pode nos ajudar a dar o nosso sim” e pedimos, com força, que Maria tomasse as

mãos de Chiara nesse novo caminho.

Em pouco tempo, nos transferimos para Rovegliasco, próximo a Turim, porque ela devia começar a quimioterapia. Naquele dia eu não podia acompanhá-la, porque estava com flebite e o médico tinha me proibido qualquer movimento. Depois de duas horas intermináveis Ruggero e Chiara voltaram. Ela vinha na frente, caminhando lentamente, vestida com a sua jaqueta verde. Tinha o rosto sombrio e olhava para o chão. Perguntei como tinha sido e ela, sem me olhar, respondeu: “Não diga nada agora”, e se jogou na cama com os olhos fechados. Aquele silêncio era terrível, mas eu tinha que respeitá-lo. Eu olhava para ela e pela expressão de seu rosto via toda a luta que estava travando interiormente para dizer o seu ‘sim’ a Jesus. Passaram 25 minutos. De repente ela se girou na minha direção, com o sorriso de sempre, dizendo: “Agora você pode falar”. Naquele momento eu me perguntei quantas vezes ela iria ter que repetir o seu sim, no sofrimento. Mas Chiara precisou, como eu já disse, de 25 minutos, e desde então nunca mais voltou atrás. Estava se aproximando o seu aniversário de 18 anos. Ela mesma telefonou ao doutor Madon pedindo que se interrompesse a quimioterapia, porque já não surtia nenhum efeito. A partir daque-

le momento começou a sua corrida para o seu Esposo, Jesus, e ela nos dava também alguns encargos, como o de preparar a sua “festa de núpcias”. Era uma coisa linda, porque ela estava alegre... uma verdadeira maravilha. A última saudação de Chiara, antes de ir para o Céu. MARIA TERESA BADANO: As suas últimas palavras – que não foram o seu último ato de amor, porque este foi a doação das suas córneas a dois jovens – quando se despediu, foram: “Tchau mamãe! Esteja feliz, porque eu estou feliz”. ALGUMAS PALAVRAS DE CHIARA LUCE BADANO

Tenho uma avó paralítica e é dever de uma neta ir visitá-la de vez em quando. Mas entendi que, se eu quero ser uma gen verdadeira, devo fazer alguma coisa a mais. Por isso decidi ir vários dias de seguida, para lhe fazer companhia. O fato de ter lido a frase do Evangelho: “Qualquer coisa que tiverdes feito a um destes pequeninos...”, foi para mim um trampolim. Depois da escola fui para casa. Subindo a escada sentia-me um pouco irritada por ter que perder assim tanto tempo, mas disse o meu “sim”. Quando descia a escada, voltando para casa, sentia uma alegria fortíssima!» Albissola, 15 de Fevereiro de 1983

Edição 44/2010 ALIMENTAÇÃO & SAÚDE Caroline M. Calliari

As funções básicas dos alimentos

Deus disponibilizou todo o necessário na natureza para a nossa perfeita nutrição e saúde. No reino vegetal e no animal estão disponíveis os nutrientes de que precisamos para a manutenção da saúde física e mental. Constitui prova de amor para consigo e para com a própria família a atitude de buscar uma alimentação natural, consciente e equilibrada. Os alimentos estão divididos em três grupos, de acordo com suas funções básicas: CONSTRUTORES São aqueles que apresentam alto teor de proteínas. Estes conservam os tecidos do organismo, regulam o crescimento e contribuem para o desenvolvimento dos músculos, do cérebro, do fígado, etc. Entre as fontes destes compostos reguladores estão alimentos de origem animal e vegetal. O leite e derivados, os ovos, a carne devem ser consumidos em proporção inferior em relação aos vegetais, pois apresentam o inconveniente do colesterol e carregam em si certas toxinas. Os vegetais como as leguminosas (feijões, grão-de-bico, ervilha, soja, lentilha) e frutas oleaginosas (amendoim, nozes, castanhas, amêndoas, avelãs) apresentam teores de proteína mais elevados do que os alimentos de origem animal e no caso dos vegetais, a absorção das proteínas contidas é muito maior (por ser menos complexa) pelo organismo.

ENERGÉTICOS Mantêm o calor interno do corpo e fornecem energia para o trabalho muscular, o esforço físico, a respiração, os batimentos cardíacos, a circulação sangüínea, etc. Se utilizados em excesso, prejudicam mais do que ajudam. São alimentos ricos em carboidratos (açúcares) e gorduras. Alguns alimentos energéticos: melado, rapadura, mel, arroz, milho, trigo, batata, mandioca, farinhas em geral, frutas muito doces, etc. REGULADORES Contribuem com as funções anteriores, regulam e ajustam o bom funcionamento do organismo, principalmente os aparelhos digestivo e nervoso, sendo base protetora contra infecções. Desse grupo fazem parte as frutas, legumes, raízes e tubérculos fibrosos. Quanto às necessidades específicas sabe-se que crianças e adolescentes exigem mais alimentos construtores e energéticos. Atletas necessitam mais de alimentos construtores e energéticos; idosos exigem mais alimentos reguladores. Conscientes das funções básicas de cada grupo de alimentos, é preciso cultivar o respeito em relação ao alimento – cuidar muito bem da higiene da cozinha e dos utensílios: lavar exaustivamente os alimentos e as mãos antes de preparar ou ingerir algum alimento; tornar o local e o momento da refeição agradáveis, são atitudes que certamente contribuem para a saúde e harmonia de toda a família. É preciso lembrar que todos esses cuidados são de responsabilidade dos que habitam um lar, a fim de proporcionar uma qualidade de vida cada vez melhor. (Caroline Maria Calliari, Doutora em Ciência de Alimentos pela UEL)


Edição 44/2010

Página 7

ESPECIAL: NELSON TANUMA

Ser é mais importante do que ter Para uma vida próspera, livre-se da “Sindrome de Peter Pan” e pratique: o que vem em primeiro lugar é SER, em seguida FAZER, para depois TER

Vivemos hoje em um mundo extremamente competitivo onde as pessoas buscam desesperadamente e a todo custo, acumular bens materiais, ter corpo perfeito, ter mais tempo, status e poder, e assim, vivemos dentro de um contexto de vida estressante, narcisista e insaciável. Muitas vezes nos esquecemos de que, não obstante a fugacidade da vida, o que vem em primeiro lugar é SER, em seguida FAZER, para depois vir a TER. Se você busca tornar-se um profissional e um ser humano melhor, e vem executando seu trabalho com amor e dedicação, o resultado financeiro positivo será inevitável e uma mera consequência de seus pensamentos e atitudes. Certa vez ouvi uma definição de status que guardei na memória por ter considerado interessante e hilariante, motivo pelo qual transcrevo a seguir: “Status é comprar o que você não precisa, com o dinheiro que você não tem, para mostrar para aqueles que você não gosta, aquilo que você não é”. Penso que existe uma grande verdade inserida nessa frase. Na medida em que a pessoa amadurece, ela tende a preocupar-se menos com a busca pelo status e passa a procurar mais sua auto-realização. Entretanto, existem pessoas que não conseguem libertar-se da chamada "Síndrome de Peter Pan": recusam-se a amadurecer, apesar da idade. SAÚDE E RIQUEZA É importante ter saúde

sim, e não vale a pena perder a saúde e acumular riquezas, para num futuro breve ter que gastar toda fortuna para tentar reaver a saúde perdida. Embora essa atitude seja uma absoluta falta de inteligência, muitas pessoas hoje em dia se preocupam exatamente com isso. A vida é uma bela viagem, e importa mais aproveitar bem a viagem do que preocupar-se apenas com o destino final. É essencial investir na sua estrutura pessoal e profissional, tendo um objetivo em mente que esteja relacionado aos seus valores pessoais, e em seguida, partir para a ação. O importante não é apenas o objetivo em si, mas sim, o que o objetivo faz conosco, como ele nos afeta e mexe com nossas emoções. É isso que nos dá motivação para acordarmos felizes pela manhã e nos faz sentirmos motivados para mais um dia de vida. MUDANÇA Tenha sonhos grandiosos, trace metas. Se você tem uma direção, faz sentido organizar sua agenda. O importante não é o que acontece conosco, e sim, o significado que damos para aquilo que acontece em nossas vidas. Saiba que o fracasso não existe, o que existe são resultados que consideramos satisfatórios ou não. É importante que estejamos aprendendo a cada instante dentro de nossa organização ou de nosso negócio próprio. Se não estamos aprendendo e crescendo é porque chegou a hora de mudar. Mude você ou mude-se. Sabemos que mudar não é fácil, é tão difícil mudar que pesquisas demonstram que o ser humano tem menos medo da morte do que da mudança. A mudança nos deixa incomodados e ansiosos, justamente porque nos tira da chamada zona de conforto. É preciso renovar-se a cada dia. A medicina nos ensina que, fisica-

mente não somos mais a mesma pessoa que fomos há sete anos, já que nesse intervalo de tempo, todas as células do nosso corpo se renovaram. Precisamos nos conscientizar de que tudo mudou, muda e mudará. CORAGEM É preciso ter criatividade e coragem para mudar, crescer e desenvolver-se a cada dia. Ser louco é fazer sempre a mesma coisa, da mesma maneira, e querer obter resultado diferente. Entretanto, diariamente observamos a insanidade comandar a rotina paralisante na vida de muitas pessoas. É preciso estar aberto às mudanças; é preciso desbloquear e dar vazão ao fluxo da vida. Busque um sentido para sua vida e a direção a seguir ficará mais clara e visível para você. Se você tem uma meta, um sonho grandioso, tudo começa a fazer sentido para você que passa a amar-se cada vez mais. Administre bem o seu tempo, pois, tempo é um bem insubstituível, enquanto que os bens materiais são substituíveis. Se você não tomar conta da sua vida, certamente alguém irá tomar conta por você. O dia a dia de toda pessoa é bem parecido, o que faz a diferença são os pequenos detalhes. É bem verdade que o hábito faz o monge. Cuide-se! Pois o tempo não para, não volta mais, o dinheiro é algo muito importante quando bem utilizado, entretanto, saiba que dinheiro algum será capaz de nos fazer recuperar o tempo perdido e mal utilizado. Portanto, divirta-se mais, ame mais e perdoe mais a si mesmo e aos outros, e utilize com sabedoria seu dinheiro e seu tempo! (Nelson Tanuma é diretor da empresa VITA - Educação Empresarial, especialista pós-graduado em Desenvolvimento do Potencial Humano nas Organizações pela Faculdade de Psi-

cologia da PUC, ministra cursos e palestras pelo CIESP/FIESP, SEBRAE-SP, Fundação Bradesco, UMC, Universidade Corporativa

da ACMC e Organizações diversas). Publicado com autorização. Fonte: www.nelsontanuma.com.br

BEM-AVENTURADO GUIDO MARIA CONfORTI

Dom Guido Maria Conforti nasceu em Ravadese, província de Parma, na Itália, aos 30 de março de 1865. Seus primeiros estudos começam junto aos Irmãos das Escolas Cristãs. No breve caminho rumo à escola, o pequeno Guido para frequentemente numa igrejinha para olhar o crucifixo que domina o altar. Aos pés daquele crucifixo brota a vocação missionária. Entra no seminário ainda menino. Lá, após ler a biografia de São Francisco Xavier, foi a vez de Guido abraçar um sonho: ir para a China, continuar a missão do Santo. Aos dezessete anos de idade enfrentou dificuldades de saúde, era o mal da epilepsia, que quase o impediu de continuar. Rezou para Nossa Senhora com muita fé e obteve a grande graça de ser curado da doença. Em 1888 recebeu a ordenação sacerdotal. Mas foi designado para professor do seminário e depois nomeado vice-reitor. O que fez o sonho das missões no Oriente permanecer adormecido no seu coração. Em meados 1895, o então Pe. Guido, com apenas 30 anos de idade, sente que Deus o chama a uma grande missão de fundar uma congregação missionária para que esses missionários dêem continuidade ao sonho de São Francisco Xavier de evangelizar a China; e assim nasce os xaverianos. Logo no inicio reúne um grupo de 17 seminaristas. Ocorreu também que o carisma do Instituto atendia plenamente os anseios da Igreja, que nesse período estava instalando a Prefeitura Apostólica na China. Foi então que a Santa Sé confiou essa administração ao Instituto Xaveriano, em 1906. Desde então pequenos grupos de missionários xaverianos começaram a seguir para o Oriente. Qual foi sua surpresa quando em 1902, é nomeado arcebispo de Ravenna e logo depois, bispo de Parma. Dom Conforti torna-se pastor de dois rebanhos: a diocese e a congregação xaveriana. Ele é um guia exemplar e incansável de sua igreja, mas nunca esquece de ser bispo para o mundo todo. Dedica-se com todas as forças à formação de seus missionários, ao envio deles para a China alegria estampava o rosto do fundador, quando em 1912, na condição de Bispo de Parma ele consagrou nessa Catedral o primeiro Bispo xaveriano, Luigi Calza, nomeado bispo para China. Dom Guido Conforti viajou só uma vez para a China, em 1928, para visitar e encorajar os seus filhos xaverianos. Depois de algum tempo, ele morreu, com apenas sessenta e seis anos, no dia 05 de novembro de 1931. No ano 1996, o Papa João Paulo II o proclama bem-aventurado. Colaboração: Everson Luiz Kloster, seminarista Xaveriano em Londrina


Página 8

Edição 44/2010

INfORMATIVO JURÍDICO

Revisão do Auxílio-acidente

Recentemente o Supremo Tribunal Federal – STF alterou o entendimento sobre o pagamento das verbas referentes ao auxílio-acidente, até então limitadas a 50% do salário de contribuição mensal. Na prática, antes dessa decisão, quase a totalidade dos beneficiários do auxílio acidente recebiam valores menores que o salário mínimo nacional. Analisando o caso, o STF entendeu que nenhum benefício previdenciário pode ser estabelecido em valor inferior ao mínimo nacional. Como fundamento para referida decisão, a Corte Suprema observou o disposto na Constituição Federal, mais pre-

cisamente o que dispõe o art. 201 em seu parágrafo segundo que expressamente determina: “Nenhum benefício que substitua o salário de contribuição ou o rendimento do trabalho do segurado terá valor mensal inferior ao salário mínimo” Importa ainda esclarecer que, de acordo com alguns requisitos legais, a Justiça tem deferido o pagamento cumulado do benefício aposentadoria com o pagamento do benefício auxílio-acidente, ainda que pela atual legislação previdenciária esta cumulação seja vedada. A base para tal possibilidade de cumulação de benefícios é a própria lei a ser aplicada ao caso concreto. Os beneficiários que se sentirem lesados podem recorrer ao Poder Judiciário, requerendo a correção do valor recebido e também as diferenças de pagamentos a menor referentes aos últimos cinco anos, com juros e correção monetária. Marly Aparecida Pereira Fagundes Advogada

Oração para mudança de estruturas Nós vos louvamos e vos agradecemos, ó Deus, Criador do Universo. Fizestes boas todas as coisas e nos destes a terra para que a cultivássemos. Fazei que saibamos usar sempre agradecidamente as coisas criadas e partilhalas generosamente com todos os necessitados. Dai-nos criatividade ao ajudar os Pobres em suas necessidades humanas básicas.

Abri nossas mentes e nossos corações para que possamos ficar ao lado deles e ajuda-los a mudar as estruturas injustas que os mantém na pobreza. Fazei que sejamos irmãos e irmãs para com eles, amigos que caminham com eles em suas lutas pelos direitos humanos fundamentais. Nós vo-lo pedimos por Jesus Cristo Nosso Senhor. Amém!

TrAbALhE CONOsCO

Venha fazer parte do Diário Católico. Envie seu currículo pelo site www.diariocatolico.com.br ou e-mail: comercial@diariocatolico.com.br

Diário Católico  

Edição 44 do Jornal Diário Católico

Diário Católico  

Edição 44 do Jornal Diário Católico

Advertisement