Page 1

Informativo semanal do site www.diariocatolico.com.br (em construção) Nº 002

CAMPANHA CONTRA A MASSIFICAÇÃO: LEIA A BÍBLIA

A Bíblia é uma carta de amor

Setembro é o mês da Bíblia para que a Palavra de Deus se torne o livro de cada dia. Não basta amar uma pessoa. Ela precisa saber que é amada. A Bíblia nos diz o que Deus pensa, sente, quer e deseja. As Escrituras nos tornam mais sábios que nossos mestres, mais prudentes que nossos inimigos e mais sensatos que os anciãos. Eis nosso lema: “Bíblia na mão e no coração e os pés no chão para a missão”. Participemos do dia da Palavra em nossa Arquidiocese. Chegou a hora de transformar o catolicismo devocional e sacramentalizador em catolicismo bíblico. Olhemos mais para a Bíblia que para o espelho, o computador e a televisão. Saiba e creia que você é amado (a) lendo e vivenciando as Escrituras. Dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina


Página 2

Edição 002

CATEQUESE MISSIONÁRIA

Por que a diferença entre Bí

A Bíblia protestante não tem os seguintes livros: Tobias, Judite, algumas partes de Daniel e Ester, Sabedoria, Eclesiástico, Baruc, Carta de Jeremias e os dois livros dos Macabeus. Esta diferença vem de longe e tem uma longa história. Aproximadamente 300 ou 400 anos antes do nascimento de Jesus, houve muita gente que imigrou da Palestina para o Egito, assim como houve italianos que vieram morar no Brasil, os primeiros que vieram para cá ainda falavam o italiano, mas os filhos dos italianos começaram a falar português, e os netos já não entendem mais o italiano, assim aconteceu com os judeus que saíram da Palestina para morar no Egito. Na Palestina falavam o aramaico, que é muito semelhante ao hebraico. A primeira e a segunda gerações ainda entendiam o hebraico, mas a terceira não entendia mais nada, porque era uma língua que eles não falavam. Então se sentiu a necessidade de fazer uma tradução da Bíblia. Esta tradução foi feita aos poucos e levou muito tempo. Começou em torno do ano 250 antes de Cristo e levou quase 100 anos até ficar pronta. Assim eles acabaram ficando com duas Bíblias: uma em língua hebraica para os judeus da Palestina, e outra em língua grega para os judeus que viviam fora da Palestina, lá no Egito. O tempo foi passando. Os judeus que

moravam no Egito foram escrevendo mais alguns livros em grego, e a Bíblia deles ficou maior. Então os judeus da Palestina quiseram confrontar as duas Bíblias, e fizeram uma lista dos livros que para eles eram Sagrados. Deixaram fora da lista os livros que os judeus do Egito tinham escrito a mais em grego. Quando o pessoal do Egito soube disso, não ligou muito, e continuou deixando sua lista aberta. Assim, na Bíblia grega dos judeus, foram acrescentados sete livros a mais: Eclesiástico, Sabedoria, os dois dos Macabeus, Tobias, Judite e Baruc. Além disso, uns trechos de Daniel e Ester e uma Carta de Jeremias. Sendo assim a Bíblia deles ficou sendo mais comprida. Como podemos notar, a Bíblia dos protestantes segue a lista da Bíblia Hebraica dos judeus da Palestina; a Bíblia dos católicos segue a lista da Bíblia Grega dos judeus do Egito. Esta Bíblia Grega se espalhou pelo mundo todo daquele tempo, pois a língua do mundo era o grego. Os primeiros cristãos, como já vimos, eram de Jerusalém, e, portanto usavam a Bíblia em língua hebraica, aquela mais curta. Mas quando vieram as perseguições, os cristãos começaram a se espalhar para outros países, onde a língua falada era o grego. Eles passaram então a usar a Bíblia escrita em língua grega. Tudo ficou tranqüilo até que os judeus

– Órgão Oficial da Associação dos Benfeitores de São Vicente de Paulo, editado pelo Grupo Dom Geraldo Fernandes da Catedral Metropolitana de Londrina. Jornalista responsável: Wanderley J. Marlier. E-mail: abenvip@pop.com.br


4/09 a 10/09/2006

Página 3

íblia Católica e Protestante? da Palestina, para se defender contra os cristãos, começaram a dizer: "Tá vendo! A Bíblia deles está errada. Tem livros demais".Aí fizeram uma reunião no ano 97, e disseram: "Para nós a Sagrada Escritura é esta aqui, a lista pequena". Mais uma vez, os cristãos não ligaram muito e ficaram com a lista mais comprida, que eles consideravam toda Palavra de Deus, inspirada por Ele. Por volta do ano 400 o Papa Dâmaso pede a Jerônimo, biblista, que traduza a Bíblia para o latim, pois naquele tempo não se falava mais nem o hebraico e nem o grego, mas o latim. Precisava então de alguém que fizesse uma nova tradução, para que todo mundo pudesse entender. Jerônimo concordou e começou a trabalhar. Havia, porém um problema. Jerônimo não conhecia o hebraico. Procurou então um velho rabino judeu de Belém para ter aula com ele. Devido às aulas, os dois acabaram ficando muito amigos. Trocavam idéias sobre a Bíblia, até que Jerônimo ficou influenciado pelo rabino e começou a pensar que a verdadeira Bíblia era aquela mais curta, aquela dos judeus. Jerônimo, porém, sabia que a Igreja não pensava como ele, então traduziu tudo, mas disse que os sete livros que não estavam na Bíblia hebraica eram "deuterocanônicos". "Dêutero" que dizer segundo; "cânon" significa lista ou categoria. São livros da segunda lista, de segunda categoria. A opinião de Jerônimo tinha muito peso na Igreja. Aí a briga começou de novo. Antes

ninguém tinha dúvidas, mas depois que Jerônimo veio com esta de "deuterocanônicos", a discussão voltou a ser forte e a briga continuou por muitos e muitos anos. Com o passar dos séculos, o negócio foi ficando tão sério que os bispos resolveram pronunciar-se oficialmente. Fizeram isto numa Carta escrita durante o Concílio Ecumênico de Florença, no ano de 1430. Nesta Carta diziam que para a Igreja Católica faziam parte da Sagrada Escritura todos os Livros da lista comprida. Tudo parecia em paz, quando o assunto voltou à tona por causa de Lutero. Tendo deixado, por protesto, a Igreja Católica, Lutero tinha começado a Igreja Protestante. A primeira preocupação dele foi traduzir a Bíblia do latim para o alemão. Este foi um trabalho muito bom porque, como Lutero dizia: "O povo tem que poder ler a Bíblia, com sua cabeça e com seus olhos". A Bíblia que Lutero traduziu, porém, foi a Bíblia pequena, aquela dos Hebreus. Com ela reabriu-se a discussão dentro da Igreja. Então, no Concílio de Trento, os Bispos definiram a coisa e, encerraram a discussão: "A Bíblia que a Igreja Católica aceita como inspirada por Deus é aquela comprida." Os católicos ficaram com a Bíblia comprida e os protestantes com a curta, como Lutero tinha traduzido. E esta diferença existe ainda hoje. Hoje em dia já tem Bíblias protestantes que trazem os outros Livros, porque muitos deles sabem que são Livros antiqüíssimos e de grande valor. Pe. Lucas de Paula Almeida, CM


CAMPANHA PERMANENTE CONTRA A MASSIFICAÇÃO

ANTES DE LIGAR A TV SINTONIZE DEUS A Palavra de Deus em 1º lugar

LEITURAS DA SEMANA

SEGUNDA-FEIRA (04/09/2006): Primeira Leitura: 1º Coríntios 2, 1-5; Salmo Responsorial (119/118); Evangelho: Lucas 4, 16-30. TERÇA-FEIRA (05/09/2006): Bem-Aventurada Teresa de Calcutá. Primeira Leitura: 1º Coríntios 2, 10-16; Salmo Responsorial (145/144); Evangelho: Lucas 4, 31-37. QUARTA-FEIRA (06/09/2006): Dia do Barbeiro, Cabeleireiro e Alfaiate. Primeira Leitura: 1º Coríntios 3, 1-9; Salmo Responsorial (33/32); Evangelho: Lucas 4, 38-44. QUINTA-FEIRA (07/09/2006): Dia da Pátria e Independência do Brasil. Primeira Leitura: 1º Coríntios 3, 18-23; Salmo Responsorial (24/23); Evangelho: Lucas 5, 1-11. SEXTA-FEIRA (08/09/2006): Natividade de Nossa Senhora, Dia Mundial da Alfabetização, dia Nacional de Luta por Medicamentos. Primeira Leitura: Miquéias 5, 1-4; Salmo Responsorial (71/70; 13/12); Evangelho: Mateus 1, 1-16.18-23. SÁBADO (09/09/2006): Dia do Veterinário e dia do Administrador de Empresas. Primeira Leitura: 1º Coríntios 4, 6-15; Salmo Responsorial (145/144); Evangelho: Lucas 6, 1-5. DOMINGO (10/09/2006): Dia da Imprensa. Primeira Leitura: Isaías 35, 4-7; Salmo Responsorial (146/145); Segunda Leitura: Tiago 2, 1-5. Evangelho: Marcos 7, 31-37. REGRAS PARA OBTER PROSPERIDADE 1 – Dar o primeiro lugar à Palavra de Deus; 2 – Meditar a Palavra de Deus; 3 – Praticar a Palavra de Deus e 4 – Obedecer a VOZ DO ESPÍRITO. Porque “O espírito do homem é a lâmpada do Senhor...” (Provérbios 20, 27) “Não cesses de falar deste livro da lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer segundo a tudo quanto nele está escrito; então farás prosperar o teu caminho e serás bem sucedido”. (Josué 1,8)

INICIATIVA:

AB E N VI P

Associação dos Benfeitores de São Vicente de Paulo Grupo Dom Geraldo Fernandes

Travessa Pe. Eugênio Herter, 33 – Fone (43) 3324-5255 – CEP 86010-120 – Londrina.

Diário Católico  

Edição 02 do Jornal Diário Católico

Diário Católico  

Edição 02 do Jornal Diário Católico

Advertisement