Issuu on Google+

A ARRANCADA DO IPVA IPVA paulista registra arrecadação recorde de R$ 423,7 milhões em agosto, 13,3% a mais em relação ao mesmo mês do ano passado. A mágica: concessionárias colocaram para rodar 420 mil carros novos, vendas puxadas pela redução do IPI. Pág. 13 Ano 87 - Nº 23.717

Código Florestal volta ao Planalto Dilma pode assinar, vetar partes ou todo o texto aprovado. Pág. 6

Página 4

Conclusão: 23h45

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Pedro Ladeira/Frame/AE

FATOR ZAVASCKI A sabatina do ministro Teori Zavascki (foto), indicado pela presidente Dilma para o STF, também foi fatiada. Começou ontem, foi interrompida pela votação do Código Florestal e só deverá ser retomada após o primeiro turno das eleições. Até lá, uma pergunta ficará no ar: Zavascki vai ou não participar do julgamento do Mensalão? Aos senadores da Comissão de Constituição e Justiça, ele disse que "cabe à Corte decidir quando um julgamento está em curso". Pág. 5

Mike Segar/Reuters

Juanjo Martín/EFE

Dilma faz ONU esperar A Assembleia queria debater Oriente Médio, mas, ao abrir o encontro, presidente gastou boa parte do tempo cutucando os expansionistas países desenvolvidos e negando protecionismo no Brasil. Pág. 9

BATALHA DA AUSTERIDADE

Serra, candidato 17% José do PSDB à Prefeitura de

'EUA farão o que têm de fazer' contra Ahmadinejad nuclear Obama falou logo após Dilma. Pediu diplomacia, mas deixou claro que não admitirá armas nucleares no Irã nem a continuidade de Assad na Síria. Pág. 9

São Paulo, 'encolheu' dois pontos porcentuais em pesquisa do Ibope divulgada ontem, quando esteve no Sapopemba (foto). ISSN 1679-2688

23717

9 771679 268008

Haddad 18% Fernando cresceu três pontos

Ale Vianna/AE

Danilo Verpa/Folhapress

Tiago Queiroz/AE

Espanhóis enfrentam a polícia em Madri em protesto contra mais cortes do orçamento. Pág. 18

Russomanno 34% Celso (PRB), o líder, perdeu um ponto. Ontem, foi ao Círculo de Trabalhadores Cristãos da Vila Prudente.

porcentuais. Embora os números indiquem empate técnico, é a primeira vez que o petista, que ontem fez campanha no Itaim Paulista (foto), supera o tucano Serra em pesquisa eleitoral. Pág. 7


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Ele é o único que não tem cara, jeito ou compromisso de governista. José Márcio Mendonça

pinião

Uma nova velha politicagem Juliana Knobel/AE

R

ios de tinta, horas de tempo no rádio e na televisão, bits em profusão, já foram consumidos – e mais ainda o serão até o fim desses tempos – para tentar explicar as razões do surgimento do principal fenômeno destas eleições municipais no Brasil – a propensão do eleitor da maior, mais rica, mais culta e também em números absolutos mais miserável cidade brasileira a votar em Celso Russomanno, em tudo por tudo um pária no sistema político brasileiro. A tendência pode mudar, mas o fato já merece estudos profundos e reavaliação do dito establishment político paulistano, paulista e nacional. E talvez seja mais simples de entender do que suspeita a nossa vã filosofia. É cruel admitir isto – e tão cruel que a maioria das teorias até agora expostas fogem dessa contestação, mas o voto que está se dirigindo majoritariamente para o candidato do PRB incensado pelas cores da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é um voto tipicamente oposicionista. Uma demonstração da insatisfação da sociedade, para usar um linguajar já abandonado pelo PT, "contra tudo que está aí". De todos os candidatos que estão na liça paulistana, levados em alguma consideração, ele é o único que não tem cara,

Pelo contrário, entra ano sai ano ela fica cada vez mais complicada, difícil, atribulada. Para boas camadas da população, está no limite do suportável. Ora, é acaciano dizer: quando se chega nesse ponto, a tendência é culpar os governantes de turno.

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA Nos braços do povo: Russomanno parece personificar a insatisfação de parte do eleitorado. jeito ou compromisso, pelo menos muito visíveis, de governista em qualquer das esferas da administração pública – federal, estadual ou municipal. José Serra tem vínculos com o governo estadual e a prefeitura; Fernando Haddad é federal, assim como Gabriel Chalita com o seu PMDB e até Paulinho da Força do PDT. É difícil entender porque o eleitor pensa assim, mas o eleitor tem olhos que às vezes quem procura entendê-lo não vê. A verdade é que sopra em São Paulo, como às vezes só acontece no Brasil, como se

brotasse do nada, um forte vento oposicionista. Que pode varrer outras plagas e deixar as cabeças coroadas da política cheias de minhoca para

2014. Com um certo exagero, o ministro dos Assuntos Estratégicos, Wellington Moreira Franco, político experiente e que também é sociólogo, está

Ou os partidos tradicionais mudam de atitude ou poderão ter desagradáveis surpresas nas eleições para os governos estaduais daqui a dois anos.

vendo certas semelhanças no momento atual com o que ocorreu no País em 1974. Para quem não viveu aquela época ou não se lembra, foi o ano em que o velho e bom MDB, depois de quase chegar à extinção, deu um baita susto no general Ernesto Geisel, militar então de plantão na Presidência da República. É certo que depois o MDB, com um P na frente do nome, degenerou, mas esta é outra história. Olhando-se para São Paulo, as razões desse "oposicionismo" que está batendo os maiores partidos nacionais são fáceis de entender. A cidade tem bolsões de qualidade inegáveis, porém, nenhuma pessoa dona de suas faculdades mentais pode dizer que a vida na cidade é fácil.

SOMOS TODOS S

participantes. Um deles saca do bolso o celular e começa a pedir o sorriso das pessoas. O outro sócio aproveita para fazer pose. Lúcia gostou da brincadeira e, na reunião seguinte, não hesitou em levar seu celular e começar a fotografar. Percebeu que era fácil. Pediu à amiga que tirasse fotos do novo corte de cabelo dela, e se posicionou em uma mesa de trabalho, diante do computador, no setor de vendas.

N

o dia seguinte, Lúcia foi à empresa pela manhã, estendeu sua visita e acabou sendo convidada por Suzana para almoçar. No refeitório em que os cerca de 80 funcionários almoçam, Lúcia tirou mais uma foto, desta vez até estudou o ângulo. Fotos de celular ficam sem definição no papel. Suzana, então, postou na rede social da qual faz parte. Era tudo o que ela precisava para entrar com uma ação trabalhista contra a empresa na qual ela nunca trabalhou. Alegou trabalho sem vínculo empregatício ou contrato; ela mesma inventou o tempo em que

prestou serviços – dois anos – e usou as fotos como prova. A empresa recorreu, contou com testemunhos de funcionários e outros amigos de faculdade de Suzane, revertendo a situação.

O

fato chama a atenção para esses tempos em que há olhos e ouvidos em todos os lugares. Na verdade, por ser recorrente a existência de patrões que burlam a lei, facilitar aos trabalhadores os meios de obter provas é importante. Até porque, há anos, trabalhadores realizam suas atividades sob os olhares críticos e eletrônicos de câmeras, às vezes escondidas e não declaradas. Uma gravação realizada por um celular de um diálogo entre chefe e subalterno é considerada "prova lícita" em um processo trabalhista, mesmo que a gravação seja feita sem a anuência de quem está sendo gravado. Mas

daí a forjar provas, a distância é bem grande. Bom, pelo menos para os que agem de boa fé. Um delito não justifica outro. Já por isso, as provas são classificadas em lícitas e ilícitas. Há inúmeros exemplos de provas ilícitas, mas cito um, bem simples: uma foto que é clicada em um ambiente íntimo sem que se perceba a presença do fotógrafo é

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

SXC

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

IVONE ZEGER

PAPARAZZI e "uma imagem vale mais do que mil palavras", como dita a famosa frase, para a lei interessa saber como a imagem foi conseguida e, mais do que isso, se a informação contida nela é verdadeira. Na atualidade, em que se vive a tirania da imagem e a tecnologia empresta olhos e ouvidos a qualquer um e a qualquer hora, jamais se dispensa testemunhos de pessoas "reais", digamos assim. Vejamos o caso a seguir. O cenário é uma empresa de pequeno porte, cujos sócios são cunhados. Parentes e amigos transitam pelos corredores sem muitas dificuldades. A filha mais velha de um dos sócios, Suzana, está terminando a faculdade de administração, quer trabalhar na empresa do pai e por isso acompanha todas as reuniões de negócios. Mas nunca está só: a amiga de faculdade, Lúcia, aproveita a oportunidade para "aprender". Nas reuniões, os sócios são avessos a climas tensos, por isso inventam uma brincadeira para relaxar os

S

eria para o prefeito. Mas para o eleitor médio, mais desinformado, nem sempre é fácil distinguir as competências e as responsabilidades de cada um por suas agruras. Porque essas competências se confundem às vezes e porque os próprios políticos, na ânsia de prometer e agradar, estimulam tal confusão. Todos falam de segurança, de educação, de saúde, de saneamento... Na hora da insatisfação pagam todos os que têm ligação com o poder. Esse desgosto é mais estimulado ainda pela velha politicagem que cerca a campanha paulista até agora. Está dando nesta tristeza: a ascensão de uma nova velha politicagem. Ou os partidos tradicionais mudam de atitude em vez de trocar apenas de roupa ou poderão ter outras desagradáveis surpresas nas eleições para os governos estaduais daqui a dois anos. A continuar este mais do mesmo...

ilícita, pois pressupõem invasão de privacidade.

N

o direito de família, embora o ideal seja sempre resolver as situações em comum acordo, fotos clicadas discretamente – sem que haja invasão de privacidade – podem ser usadas. Posso dar mais um exemplo: tive um cliente cuja pensão cobria todos os gastos da ex-mulher e dos dois filhos. Entretanto, ele estava sempre às voltas com pedidos de revisão de pensão. Concedeu aumento dos valores por duas vezes. Na terceira, começou a questionar o destino que era dado ao dinheiro. Ele já tinha desconfiado do vício da ex-esposa com os jogos de azar. Flagrou-a em um bingo clandestino, clicou-a em plena mesa de jogo. Sua decisão foi inserir uma cláusula ao divórcio em que destinou parte do valor da pensão para tratamento da compulsividade. A ex-esposa não teve outra saída senão acatar. Fotos em redes sociais têm sido fartamente utilizadas. Inclusive, podem ser usadas como prova mesmo aquelas

fotos publicadas com reservas, só para amigos mais chegados ou família. Nesses casos, para além de salvar o material em pen-drive, o ideal é que um notário seja chamado a notificar a existência do material eletrônico, fazendo constar data de publicação e demais informações relevantes.

N

ão é difícil perceber que, como já citei, na atualidade, vivemos sob a tirania da tecnologia e das imagens. São recursos poderosos, que devem ser aliados na busca do aprimoramento da sociedade. No ambiente jurídico, especialmente documentos eletrônicos e fotos devem ser usados com critério, especialmente quando se trata de incriminar pessoas. IVONE ZEGER É ADVOGADA ESPECIALISTA EM DIREITO DE FAMÍLIA E

SUCESSÃO. MEMBRO EFETIVO DA COMISSÃO DE DIREITO DE FAMÍLIA DA OAB/SP, É AUTORA DOS LIVROS "HERANÇA: PERGUNTAS E RESPOSTAS" E "FAMÍLIA: PERGUNTAS E RESPOSTAS", DA MESCLA EDITORIAL WWW.IVONEZEGER.COM.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edito r-Ch efe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas @dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke, Ricardo Osman, Tsuli Narimatsu Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), .Repórteres: André de Almeida, Fátima Lourenço, Guilherme Calderazzo, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, , Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 , Fax 3180-3355 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela Oesp Gráfica.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

o

pinião

3

VANTAGENS COMPETITIVAS NÃO RESOLVEM O PROBLEMA DA FALTA DE C OM P ET I TI VI D AD E

JOGANDO BÚZIOS

A

lguns meses atrás, o Ministro da Fazenda, Guido Mantega, classificou de "piada" a estimativa do crescimento do PIB para 2012, feita por um grande banco de investimento estrangeiro. Na ocasião, o banco estimou que a economia brasileira cresceria apenas 1,5% neste ano. Foi o bastante para a reação do ministro, que aproveitou para fincar o pé na sua crença de que nossa economia cresceria 4% no ano em curso. Na visão dos analistas da instituição estrangeira, naquele momento já existiam claros sinais de desaquecimento internos e externos para sustentar a previsão para nossa economia. Os economistas de nosso governo não enxergavam a mesma coisa ou jogavam búzios diferentes... Ou pior, fingiam-se de cegos para não enxergar os mesmos sinais! Pois bem, a piada (sem graça, claro!) foi confirmada no último dia 14 de setembro pelo Boletim Focus, do Banco Central. O boletim, que capta as opiniões de mais de uma centena de instituições financeiras, trouxe a estimativa de que o PIB brasileiro deverá crescer 1,57% neste ano. Não dá para culpar os búzios pela desmoralização da piada! A comunicação do governo, especialmente nesse ano eleitoral, tenta imprimir um ritmo que não encontra eco na realidade. A expansão da economia por meio do consumo tem um teto. A intervenção cambial para estimular exportações também. Sem reformas estruturais, a economia não deslanchou nem tampouco reagiu bem aos gritos usados para baixar a taxa de juros. Já no grande jogo global de capitais voláteis, o Brasil está se comportando de maneira cada vez mais previsível, ou

Paulo Pampolin/Hype

MANUELITO P. MAGALHÃES JÚNIOR saudável e vem sempre em boa hora, pois diminuem custos de produção e provocam (ou deveriam provocar) queda nos preços.

M Tabuleiro: governo e instituições financeiras parecem consultar dados distintos na hora de prever desempenho da economia. seja, deixando claro para todos os p lay er s os seus movimentos, tornando-se presa fácil para a especulação, uma vez que todos já sabem como será a reação brasileira. Por exemplo: se o FED (o equivalente ao Banco Central dos EUA) decide por colocar mais dólares na economia internacional, o Brasil anuncia que defenderá o real com novas compras de dólares para engordar nossas reservas e novos aumentos da alíquota de IOF para operações cambiais. No front interno, a cada sinal de que a economia continua morna, recorremos a medidas protecionistas e repetimos anúncios de margens competitivas para as compras de produtos nacionais realizadas pelo governo, além de reprisar-

mos injeções de capital na Caixa Econômica Federal e no Banco do Brasil para oferecer mais crédito para financiamento de bens duráveis. Como já dissemos neste espaço: é sempre mais do mesmo... E até podem ser ações necessárias, mas carregam distorções para dentro da nossa própria economia. Exemplo

disso são as tais vantagens competitivas, que protegem a indústria nacional, mas não atacam o problema central de falta de competitividade. É como tentar resolver um problema criando outro, pois, em vez de estimular a competitividade das nossas empresas, premiamos a ineficiência! Outro exemplo. O excesso

É como tentar resolver um problema criando outro, pois, em vez de estimular a competitividade das nossas empresas, premiamos a ineficiência!

de burocracia foi apontado como um dos grandes vilões a impedir a competitividade da indústria, segundo recente pesquisa anunciada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para 92% das mais de 2 mil empresas pesquisadas, a burocracia prejudica a competitividade da indústria nacional e 85% delas considera que há também um excesso de leis. De fato, nossa produção é realmente atingida por esses dois males. Há controles, papéis e obrigações em excesso. A pesquisa parece ter sido feita sob medida para o pacotinho que o governo anunciou dias depois, com o corte de impostos para 25 setores da economia. Cortar impostos e reduzir o paquiderme burocrático é

as é preciso ir além. Resolver os gargalos de logística, promover uma reforma tributária digna do nome, atacar os altos custos de insumos estratégicos como a energia, bem como atuar para reduzir os tributos incidentes sobre a contratação de mão de obra no Brasil e, sobretudo, desonerar os investimentos em infraestrutura. O governo federal já deu sinais de que entende a necessidade desses movimentos, o que é uma boa notícia, pois, como sabemos, o pior cego é aquele que não quer enxergar! Oremos para que os búzios do governo acertem desta vez... MANUELITO P. MAGALHÃES JÚNIOR É ECONOMISTA, DIRETOR DA COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO (SABESP). FOI PRESIDENTE DA EMPRESA PAULISTA DE PLANEJAMENTO METROPOLITANO (EMPLASA) E SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO DA CIDADE DE SÃO PAULO.

A VERDADE EM XEQUE A

verdade está em julgamento no País. De um lado, a mais alta corte nacional, o Supremo Tribunal Federal, e de outro, políticos, governantes, empresários (maus) dirigentes públicos e partidários, que – antes supostamente e agora declaradamente – se valeram do dinheiro público de modo fraudulento para benefício igualmente irregular pessoal e ou partidário. A verdade está em xeque. Simplesmente porque o chamado Mensalão ("salário" pago em dinheiro escuso para parlamentares da base governista votarem a favor de projetos do governo Lula) sempre negado, está condenando os envolvidos de maneira irrefutável no STF. E chegou aos escaninhos do governo Lula de forma devastadora. Suspeita-se, agora, até do envolvimento do ex-presidente da República como chefe supremo do esquema. Não é novidade o jus sperniandi que petistas ligados a Lula promovem ao ver o cerco se fechar sobre José Dirceu, chamado no processo de "chefe da quadrilha", o que vai envolvendo Lula e pode carimbar definitivamente o ex-metalúrgico como o

PAULO SAAB santas perfeitos que não cometem pecados. A verdade está em xeque, mas saindo vencedora. Punam-se os culpados. Inocentem-se os não culpados. comandante do maior escândalo de corrupção da história brasileira. Ao menos, revelado, julgado e condenado. No bojo de todo o processo vem o xeque-mate à verdade. Negado, desmentido, mistificado, camuflado, o mesmo Mensalão provoca agora notas de petistas e aliados com conteúdo desesperadamente fora da realidade, com chamamento à militância petista para uma mobilização geral em defesa dos envolvidos e do próprio ex-presidente, como se de fato houvesse na apuração da verdade algo mais além da própria constatação do que foi feito, malfeito. O uso da falácia é hábito

antigo de "democratas" fajutos. Pegos com a mão na botija conspiram, eles sim, contra as liberdades democráticas ao questionar a validade de um procedimento conduzido pelo STF, dentro do qual a maioria dos ministros julgadores foi indicada pelo próprio Lula. Mais verdadeiro impossível. De certa forma, nesse julgamento, o País, como

diria Boris Casoy, está sendo passado a limpo. Algo que deveria ocorrer em larga e justa escala. Para os petistas e aliados, a moeda não tem duas faces. Onde mandam, controlam, impõem, tudo é válido. Onde são questionados, tudo é conspiração. Assim é fácil. Como vinha sendo até aqui, conduzir o domínio do poder usando de artifícios e

Somente a condenação de quem malversou recursos públicos pode acabar de vez com a pecha da impunidade até agora vigente no País

propaganda ilusória de manipulação das massas com algumas migalhas de anestesia, enquanto o pano de fundo é o poder perpétuo e a transformação da verdade numa verdade particular, protetora, para quem afronta a lei e desrespeita os cidadãos.

T

oda generalização é perigosa. Assim, não se deve considerar que tudo o que o governo Lula fez (e o governo Dilma faz) não é bom para o País. Mas também não se pode criar cortinas de fumaça para encobrir quem fez mau uso do poder e dos cofres públicos, generalizando os mesmos governos como se fossem feitos de santos e

E

crie-se de vez no País uma linha divisória entre a verdade e a mentira, os bons e os maus. E, ao contrário do que desejam os donos da "verdade", que a verdade deles não triunfe em favor da dominação, em nome da liberdade. Somente a condenação, a punição de quem malversou recursos públicos – prejudicando a necessitada população brasileira – estabelecerá os limites, as advertências aos maus intencionados, buscando-se acabar de vez com a pecha da impunidade até agora vigente no País. Assino e dou fé. PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

GibaUm

3 Enquanto anuncia uma

associação com o Cirque du Soleil, Eike Batista não vai mais fechar o capital da LLX.

gibaum@gibaum.com.br

k Eu queria fazer um curso de piano. E meu pai me botou numa escola de datilografia. Sou datilógrafo, com diploma e tudo.

MICHEL TEMER // vice-presidente da República, lembrando tempos de adolescente. Foto: Tom Munro

3 MAIS: contudo, deverá vender 49% da LUX, de Luxemburgo (mina de ouro), para um fundo de Qatar. Negócio de US$ 2 bilhões.

Outro exército O presidente do Senado, José Sarney, vem sendo pressionado para preencher, via concurso, antes de deixar o posto, 132 vagas na chamada Polícia Legislativa. Para quem não sabe: o Senado tem 81 parlamentares e conta, atualmente, com uma tropa de 248 homens. Se Sarney atender às pressões, a Casa passaria a ter nada menos do que 380 agentes. Mais: no Senado, há projetos para a aquisição até de metralhadoras para esses policiais, maletas para grampo e depósito de munição. Ou seja: vira tudo um outro exército . 333

PROCURA-SE O novo programa de Luciana Gimenez na Rede TV! deverá ter características de talk-show, com inspiração em Ellen DeGeneres e o nome será Luciana by Night. Poderá estrear já no mês que vem e o cenário sendo construído, na mesma área onde acontecia o programa de Hebe e deverá ter platéia. Só que o maior problema já começou a aparecer: difícil arrumar grandes convidados. A emissora tem uma lista de proibidos e do lado de fora, tem outra lista de pessoas que preferem distância da Rede TV! 333

Carroçasdeluxo 333 Depois de dois anos de negociações com o governo brasileiro, a Jaguar Land Rover, empresa britânica controlada pelo grupo indiano Tata, poderá anunciar, no mês que vem, a instalação de uma fábrica em Minas Gerais. Enquanto isso, proprietários brasileiros dos jipes da Land Rover se movimentam para formar até uma associação para levar a montadora aos tribunais, tamanho o volume de defeitos apresentados pelos carros (em média, custam R$ 200 mil entre nós), sem que as revendas tomem quaisquer providências. Entre os problemas, luz amarela acesa no painel, acelerador que para de funcionar, cinto de segurança que solta, pane no sistema de GPS e por aí vai. Se precisar de uma peça, pode demorar meses.

“Para me conquistar, o homem tem que tomar as rédeas”. Isabeli Fontana, 29 anos, mãe de dois filhos, paranaense e super-modelo, falava de seu rompimento com Rohan Marley. Agora, sob as lentes do fotógrafo Tom Munro, reaparece na Allure, exibindo sua versatilidade num editorial que mistura cabelos, maquiagem, esmalte de unhas, acessórios, grandes botas, vestido Bottega Veneta semi-aberto, tatuagem com o nome do filho, até terceiro olho indiano e uma abelha em um de seus dedos. 333

Rédeas sonhadas

Quando o empreiteiro Wilder Moraes (DEM-GO), suplente do exsenador Demóstenes Torres, assumiu sua cadeira no Senado, desembarcou disposto a tentar cumprir o mandato com muita discrição. Chegou a procurar os caciques do Congresso, propondo uma trégua e uma certa blindagem na CPI mista de Cachoeira. Tentou até utilizar de sua posição de marido que perdeu a mulher para o bicheiro . Só que as semanas foram passando e agora Wilder está começando a ficar assustado com o futuro porque, como dono de empresa de terraplanagem, sua companhia apareceu no meio do laranjal da Delta. Está achando que, na volta da CPI, sua cabeça poderá ficar a prêmio – e muito rapidamente.

Ex-marido assustado

333

ENCALHADA A advogada e exfuncionáriadoSenado,Denise Rocha, que é capa e recheio de Playboy deste mês, malgrado seus 500 ml de silicone de cada ladodopeito,acabousendouma decepção em venda nas bancas. O chamado Furação da CPI encalhou e poderá nem mesmo alcançar 150 mil exemplares. Ela ainda não recebeu seu cachê (receberá no final de setembro), está gostando de seus quinze minutos de fama, como diria Andy Wharol e está “enchendo o cofrinho”. Já posou para uma grife de acessórios e está pedindo R$ 20 mil para comparecer (e ficar por duas horas) a qualquer evento. Por enquanto, ninguém pagou. 333

Os números são da consultoria GS&MD – Gouvêa de Souza e foram apresentados no Forum Pet Brasil 2012, em São Paulo: passando longe de crises, o setor de pet shops deverá encerrar o ano com um faturamento de R$ 12,7 bilhões contra R$ 11,3 bilhões do ano passado. É um serviço que passa longe de mundo virtual: dos 800 estabelecimentos pesquisados em todo o Brasil, 74% não tem website, 68% não participam de redes sociais e 87% e 76%, respectivamente, não vendem e não compram pela internet. 333

À BRASILEIRA 333 O tradicional Calendário Pirelli terá sua edição 2013 lançada, dia 27 de novembro, no Rio de Janeiro, com jantar de gala no Píer Mauá. A cidade serviu de cenário para muitas fotos feitas pelo americano Steve McCurry com as modelos Isabeli Fontana, Adriana Lima, Petra Nemcova, Liya Kebebe, Kyleigh Kuhn e muitas mais. O presidente da Pirelli Brasil, Paolo Dal Pino, diz que “o novo calendário celebra o Brasil como protagonista mundial através de sua transformação econômica e social”.

A REVISTA inglesa Monocle, publica uma entrevista com Antonio Patriota, ministro das Relações Exteriores, que fala de seu trabalho como chanceler e sua carreira na diplomacia. À certa altura, Patriota revela sua paixão pela música: é pianista – e dos bons. Se bem que nunca foi convocado para acompanhar a presidente Dilma Rousseff, que adora cantar clássicos do gênero samba canção, especialmente se compostos pelo gaúcho Lupiscínio Rodrigues. 333

A CPI mista de Cachoeira acaba de receber relatório da Polícia Federal com dados da movimentação financeira e evolução patrimonial do empresário goiano Marcelo Henrique Limirio Gonçalves. Até agora, ele não teria conseguido explicar a origem de R$ 227 milhões de sua evolução patrimonial. Ficou conhecido depois que a CPI descobriu suas ligações com Carlinhos Cachoeira e Demóstenes Torres. Limirio, hoje, é dono do Hotel Nacional, no Rio.

333

Nos tempos das pornochanchadas da boca de lixo em São Paulo, Nicole Puzzi era uma de suas musas: fez mais de 20 filmes, nos anos 70 e 80 (no destaque, em Ariela) , apareceu sem roupa na tela e nas revistas masculinas, participou de 13 novelas (a última foi Amor e Revolução, no SBT, no ano passado) e ressurge agora num ensaio assinado por Gina Stocco. A fotografa prepara um livro sobre famosas mais maduras e nem por isso menos sensuais e Nicole Puzzi, no vigor de seus 54 anos, defende seu lado em grande forma. 333

Eterna musa

Adeus aos 30% Para contratar Hebe Camargo, o SBT quer que seu sobrinho (e empresário) Cláudio Pessutti fique longe da emissora (no passado, criou uma série de problemas e na Rede TV! é considerado uma pessoa que excede limites). Ainda no SBT, Pessutti também ficará de fora dos 30% de ganhos em quaisquer contratos de merchandising da apresentadora (caso queira dar, Hebe deverá usar seus próprios recursos). Até agora, ele vinha levando esse percentual de todos os contratos publicitários. O sobrinho mora ao lado da tia, numa casa que era de Marcelo, filho de Hebe e também muitas amigas se queixam de não conseguir falar com a apresentadora: ele interceptaria ligações.

333

h IN

Caveiras nas camisetas.

h

Vida de cachorro

MISTURA FINA

OUT

Bichos nas camisetas.

Dilma está escapando 333 A anunciada entrada de Marta Suplicy, agora ministra da Cultura, na campanha de Fernando Haddad em São Paulo, não aconteceu, Luiza Erundina foi convocada para reforçar e a presidente Dilma Rousseff, até agora, tem escapado dos eventos. Estava em São Paulo, na semana passada, quando Lula ofereceu um almoço-festa para seu pupilo e não deu as caras. Depois, antecipou ida a Nova York e petistas fazem pressão para que ela discurse no comício final em São Paulo, dia 29. Só que o Planalto já deu sinais de que, se Haddad estiver muito atrás de Serra, ela arrumará mais uma desculpa – e não irá mesmo.

333 CARLOS Arthur Nuzman, presidente quase vitalício do COB – Comitê Olímpico Brasileiro – quer promover uma exposição itinerante, com parte do acervo do Museu Olímpico de Lausanne, começando por São Paulo e Rio, para aproximar brasileiros do atletismo e prepará-los para os Jogos Olímpicos de 2016. A mostra deverá ter também um projeto educativo, voltado para jovens.

O MINISTÉRIO da Fazenda estuda a possibilidade de uma mudança legal em relação ao Imposto de Renda: hoje, se um contribuinte descobre um câncer, recebe isenção. Contudo, se a doença ocorre com um dependente do contribuinte – pessoa sem renda própria – o beneficio é negado. E é isso que pode mudar.

333

333 HELICÓPTEROS russos, iguais aos usados no Afeganistão, deverão chegar ao Brasil. Serão três aeronaves, encomendadas pelo governo federal ainda no período de Lula e serão usadas no combate ao tráfico, operações especiais na Amazônia e também em casos de conflitos urbanos.

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

quarta-feira, 26 de setembro de 2012


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

5 ATÉ A ELEIÇÃO Oposição só quer ouvir falar de Mensalão. E adia indicação ao STF.

olítica

EM NOME DO PAI Pertence não teria conseguido indicar o filho para o TSE e deixa comissão.

Senado adia a nomeação de Zavascki

Eu não tenho ideia do que terei que decidir, se for decidir. Então, eu não acho que possa ou deva me pronunciar.

Oposição temia que ele pudesse julgar o Mensalão. Sabatina ficou para depois das eleições.

Acho que o Congresso não funciona antes do dia 7 de outubro. Eu mesmo tenho dois comícios. EUNÍCIO OLIVEIRA

Pedro Ladeira/Frame/AE

A

inda não era oficial a informação de que a sabatina do ministro Teori Zavascki, indicado pela presidente Dilma Rousseff para o Supremo Tribunal Federal (STF), fosse retomada somente depois das eleições municipais e o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) comemorava pelo Twitter. "Fato consumado", postou, garantindo que o nome não seria submetido ao plenário antes de outubro. E não será, como confirmou depois o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). "De que adianta fazer a sabatina na comissão se não poderemos votar a indicação no plenário", afirmou, numa referência de que não há novas sessões convocadas. "Acho que o Congresso não funciona antes do dia 7 de outubro. Eu mesmo tenho dois comícios para comparecer do meu ex-coordenador de campanha", disse. Mensalão – A sabatina teve início ontem à tarde, mas foi suspensa quando começou a votação da Medida Provisória do Código Florestal. Pelo regimento do Senado, as comis-

TEORI ZAVASCKI

Teori Zavascki: pressionado pela oposição, não respondeu sobre Mensalão. Disse que o assunto o deixava "muito desconfortável". sões não podem realizar sabatinas ou votações paralelamente às votações plenárias. Por isso, só cinco dos 25 senadores inscritos conseguiram fazer perguntas para Zavascki. E o que os parlamentares da oposição mais queriam saber, o futuro ministro não respondeu – a sua participação no julgamento do Mensalão. "Achei a resposta enigmática", afirmou o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), também pela rede. Zavascki deixou a decisão para o plenário do STF. Segun-

do ele, cabe à Corte decidir quando um julgamento está em curso. "Quem decide é o órgão colegiado do qual ele vai fazer parte", afirmou. Ele ressaltou ainda que quando um juiz se manifesta previamente a respeito de uma ação, ele fica impedido de atuar no processo, numa sinalização de que não descarta entrar no julgamento do Mensalão. Vista do processo – Zavascki disse que sobre o caso em andamento que não tinha ideia do que terá que decidir, se for decidir. "Então, eu não acho

que possa ou deva me pronunciar", observou. O futuro ministro adiantou que se for aprovado pelo Senado não vai pedir vista do processo por considerar ser "incoerente" estar habilitado para julgar e pedir tempo para analisar o processo. "Dar-se por habilitado significa estar em condições de votar imediatamente. Significa dizer que há uma contradição darse por habilitado e pedir vista", explicou. O procuradorgeral da República, Roberto Gurgel, também concordou

com a tese. "Não seria compatível pedir vista para participar do julgamento", explicou. Zavascki entende ainda que o seu voto não iria alterar o resultado do julgamento em favor dos réus se ele terminar empatado. "A agregação de um voto a mais no julgamento de um processo criminal com dez membros é absolutamente irrelevante. Ou vai produzir resultado 7 a 4 ou 6 a 5. O resultado final será absolutamente igual. Se houver empate de 5 a 5, tendo o presidente votado, o 11º voto jamais pode benefi-

ciar o acusado". Durante a sabatina, Zavascki ressaltou que o questionamento sobre o Mensalão tem lhe deixado "muito desconfortável", já que a primeira pergunta que recebeu foi sobre o assunto e partiu do tucano Dias. O ministro afirmou que a Lei Orgânica da Magistratura impõe limites em casos que estão em julgamento. Comparação – E fez uma comparação com o regime interno do Superior Tribunal de Justiça (STJ), no qual atua e que tem redação semelhante ao do STF. Segundo ele, no STJ juiz que não ouviu o relatório e não participou dos debates, não participa do julgamento. "Parece que a regra é correta em nome do princípio da ampla defesa", observou. "Mas tem um ressalva: salvo se o juiz se der por habilitado. Darse por habilitado significa estar em condições de votar". Foi essa resposta que o senador Aloysio Nunes Ferreira classificou de "enigmática". Por isso, a oposição comemorou quando EunÍcio Oliveira anunciou que não havia pressão para a sabatina, que ficaria para depois das eleições. Zavascki fez um breve pronunciamento na abertura da sabatina, no qual classificou o controle do Judiciário pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de "revolucionário" e destacou que a lentidão do Judiciário é "questão ainda não resolvida". E sugeriu que é preciso o Judiciário definir melhor o seu papel em relação aos demais poderes, principalmente a "judicialização do Judiciário". (Agências)

Alan Marques/Folhapress – 16.8.12

Depois de renunciar, Pertence elogia a Comissão de Ética.

Gilmar Mendes, do STF: em defesa do relator do Mensalão e negando politização do julgamento. "Politização? Parece que não", reagiu.

Mudança coincide com a informação de que ele queria nomear o filho para o TSE

U

m dia depois de ter renunciado ao cargo de presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, Sepúlveda Pertence, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), negou ontem esvaziamento do colegiado e reafirmou que a "postura de independência" será mantida pelo sucessor Américo Lacombe e pelos atuais e futuros integrantes da comissão. Pertence evitou comentar sobre suposta interferência da presidente Dilma Rousseff nos trabalhos do colegiado, sobretudo com relação à decisão de investigar o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, pela suspeita de tráfico de influência nas consultorias que teria feito em 2009 e 2010. "Não quero comentar o caso concreto porque ainda está submetido à comissão",

disse Pertence, antes de acompanhar a sabatina no Senado do ministro Teori Zavascki, de quem se disse amigo. Sucessor – O ex-presidente também descartou qualquer esvaziamento com a sua saída. "Entreguei o cargo a Américo Lacombe, que é um homem com serviços à República, com uma tradição de independência que lhe custou a cassação como magistrado", lembrou, numa referência ao período do regime militar, quando juízes que não compactuavam com o modelo, como Lacombe, eram cassados. É por isso, afirmou Pertence que ele está confiante de que Lacombe, bem como os novos integrantes, "manterão a postura de independência que não só eu, mas sobretudo os conselheiros que subiram comigo, souberam manter". Só que o ex-presidente pre-

cisou rebater outra informação, de que teria renunciado para demonstrar a sua insatisfação com o fato de a presidente Dilma ter preterido seu filho para a vaga do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "Isso é dessas notas que atribuem a amigos meus e eu não sei que amigos serão", justificou. Jamais – O ex-presidente da Comissão de Ética garantiu que "jamais" interferiu para favorecer a um filho. Segundo a nota, Pertence saiu porque nem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nem Dilma nomearam o filho Evandro Pertence para o TSE. Lula indicou Joelson Dias, que foi sócio de Erenice Guerra, e Dilma optou por Luciana Lóssio, advogada de sua campanha, em 2010. Pertence, o pai, integrava a comissão desde 2007. Pertence, o filho, pleiteava a vaga desde 2009. (Agências)

Ed Ferreira/AE

Sepúlveda Pertence negou que está magoado com Lula e com Dilma, por terem preterido a nomeação do seu filho Evandro.

Mendes critica Dilma e nota dos aliados do governo

O

ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou ontem a nota de resposta da presidente Dilma Rousseff sobre a citação do seu nome pelo relator Joaquim Barbosa durante o julgamento do Mensalão. Para ele, a citação "foi um acidente" na análise do caso. "Isso é um incidente nesse processo, não tem o menor significado no contexto geral", justificou. Ele minimizou o uso do depoimento de Dilma no processo. "Vale tanto quanto todos os outros. Não é assim que se diz na República". Ao tratar de parte sobre a compra de apoio político no Congresso, Barbosa utilizou depoimento da presidente para indicar que a atuação de réus do processo pode ter interferido em votações nos primeiros anos do governo Lula, como no caso do marco

regulatório do setor elétrico. Um dia depois, Dilma divulgou nota apontando que a citação foi "equivocada e fora de contexto". Barbosa não respondeu, mas teria dito a a interlocutores que não havia sido procurado pelo Palácio do Planalto e que não poderia ignorar a fala da presidente sobre o caso. Partidos – Mendes também reagiu à acusação de politização do julgamento. 'Vocês viram alguma politização ou partidarização? Parece que não. Basta ver as referências a dados históricos para verificar que aparentemente

as pessoas que fizeram a nota estão distantes da realidade". O ministro se referiu ao texto divulgado pelo PT e partidos aliados, na semana passada, acusando o STF de marcar o Mensalão para coincidir com as eleições. Os partidos acusaram a oposição de "golpismo" ao usar politicamente o julgamento, numa tentativa de "golpear a democracia e reverter as conquistas" que marcaram a gestão de Lula. O conteúdo também foi visto como uma critica indireta ao tribunal, que não teria se preocupado com as eleições. (Folhapress)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Quem desmatou será beneficiado duas vezes: pode plantar fruta em APPs e faturar com a venda. André Lima, do Ipam.

olítica

Senado aprova MP que altera o Código Florestal Ed Ferreira/AE

E

Luiz Henrique e Kátia Abreu comemoram: "Como produtora, posso ter ressalvas. Como cidadã, acredito que é um grande avanço", diz ela.

Kátia Abreu, satisfeita 'como cidadã'. Senadora comemora mas ressalta que, apesar de o texto ter sido aprovado, não é um documento imutável.

A

presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu, disse que está satisfeita como cidadã com o resultado do Código Florestal que foi votado ontem em Brasília. "Como produtora, eu posso ter minhas ressalvas em relação ao código, mas como cidadã acredito que esse documento é um grande avanço para as discussões entre agricultura e meio ambiente no Brasil". Ela ressalta também que o fato de o Código Florestal ter sido votado não significa que

seja um documento imutável. "Novas pesquisas serão feitas, novos estudos serão realizados sobre agricultura e novas modificações terão que ser feitas para adaptar o Código à nova realidade agrícola do Brasil no futuro". A senadora afirmou ainda que não teme que a presidente Dilma vete o código. "Existe uma maioria expressiva a favor e não vejo no código nenhum motivo para o veto da presidente". Senado aprova – Na votação de ontem no Senado, foram mantidas regras que já haviam sido rejeitadas pela presidente Dilma Rousseff.

A expectativa do relator, senador Jorge Viana (PT-AC), é de que esses pontos, "ressuscitados" pela comissão mista que examinou a matéria, sejam novamente vetados pela presidente. O senador se disse "seguro" em afirmar que a presidente Dilma Rousseff pode, sim, aperfeiçoar o texto com algumas modificações benéficas ao meio ambiente. "Ela pode sancionar a lei e ao mesmo tempo fazer alguns reparos, alguns pequenos mas significativos ajustes". Para o líder, a presidente deve recorrer aos

vetos, dizendo que não há acordo com os senadores para manter na íntegra o texto que eles aprovaram. Confirmando-se o veto, Dilma pode recorrer a três mecanismos para preencher as brechas deixadas pela supressão do texto: o uso novamente de uma MP, o que teria de aguardar o início da próxima legislatura, em fevereiro; o envio de um projeto de lei ao Congresso, o que estenderia o "buraco negro" por mais tempo, até ser aprovado nas duas Casas; e um decreto, retomando os pontos vetados na forma desejada pelo governo. (AE)

Barros Munhoz vira réu em ação penal Presidente da Assembleia é acusado de desviar R$ 3,5 mi por meio de empresa fantasma quando foi prefeito de Itapira

O

Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) abriu ação penal contra o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Barros Munhoz (PSDB), acusado de promover licitação supostamente fraudulenta quando prefei-

O texto aprovado ontem é o mesmo que foi enviado pela Câmara na semana passada e que foi elaborado em comissão mista do Congresso. O documento que, de forma geral, reduz o tamanho do reflorestamento, segue agora para sanção da presidente Dilma.

to de Itapira (SP), em 2003. Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual, Munhoz contratou obras e serviços de engenharia de empresa fantasma e teria desviado cerca de R$ 3,5 milhões, em valores atualizados. Ele nega todas as acusações.

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: PREGÃO ELETRÔNICO 355/2012-SMS.G, processo 2012-0.202.767-5, destinado ao registro de preço para o fornecimento de RECALCIFICANTE, ANTI - HISTAMÍNICO E ADRENÉRGICO, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 11 horas do dia 9 de outubro de 2012, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. REABERTURA - PREGÃO ELETRÔNICO 320/2012-SMS.G, processo 2012-0.029.271-1, destinado ao registro de preço para o fornecimento de MEDICAMENTOS EXTRA-REMUME I, para a Divisão Técnica de Suprimentos SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 9h30min do dia 8 de outubro de 2012, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 5ª Comissão Permanente de Licitações p da Saúde. da Secretaria Municipal PREGÃO ELETRÔNICO 358/2012-SMS.G, processo 2012-0.090.971-9, destinado ao registro de preço para o fornecimento de VESTIMENTA DE SEGURANÇA COM TRATAMENTO HIDRORREPELENTE, para a Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA/Gerência de Centro de Controle de Zoonoses GCCZ, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 11 horas do dia 11 de outubro de 2012, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 366/2012-SMS.G, processo 2012-0.224.361-0, destinado ao registro de preço para o fornecimento de ESPAÇADOR VALVULADO COM MÁSCARA, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 9 horas do dia 8 de novembro 2012, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 368/2012-SMS.G, processo 2012-0.226.996-2, destinado ao registro de preço para o fornecimento de ESPELHO BUCAL, CAMURÇA E CUNHA CERVICAL, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Odontologia, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 9 horas do dia 9 de novembro de 2012, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS Os editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando pregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.

O Órgão Especial reúne 25 desembargadores: 12 mais antigos, 12 eleitos e o presidente do tribunal. Por 18 votos a 1, o colegiado decretou abertura da ação e, por unanimidade, determinou o fim do segredo de Justiça que blindava os autos e a investigação do MP. Se condenado, pode pegar pena de 2 a 12 anos de reclusão, perda do cargo e inabilitação, por 5 anos, para o exercício de função pública, eletiva ou de nomeação, sem prejuízo da reparação civil do dano ao patrimônio público.

Os autos chegaram ao meu gabinete em 27 de junho de 2012. Portanto, o feito já se encontrava prescrito. LUÍS SOARES DE MELLO

Demora – O TJ-SP levou mais de 4 anos para decidir pela abertura do processo contra o presidente da Assembleia. Além de Munhoz, mais 9 pessoas – entre empresários e servidores municipais – são citados na ação. Só o deputado tem foro privilegiado perante a segunda instância. "Não se enxerga qualquer mácula ou nulidade constante da denúncia", adverte o desembargador Luís Soares de Mello, revisor do processo. Ao abordar a prescrição de alguns crimes, ele foi categórico. "Ocorre que mais de 8 anos se passaram entre a data dos fatos (janeiro a junho de 2003, além de maio de 2004) e a presente data", explicou o desembargador. "Os autos chegaram ao meu gabinete em 27 de junho de 2012. Portanto, o feito já se encontrava prescrito. Daí que irremediavelmente prescrita, abstratamente, a pretensão punitiva estatal com relação a estes delitos". (AE)

Ernesto Rodrigues/AE - 20.03.22

Munhoz: queixas de que se trata de "perseguição política".

m votação simbólica, garantir o retorno da proteção o plenário do Senado a rios não perenes– medida aprovou ontem a Me- que havia sido retirada por dida Provisória do Có- emenda dos ruralistas. digo Florestal (MP 571/2012), Alterações – Entre as alterao que conclui sua tramitação ções orquestradas pela bancada ruralista na proposta orino Congresso. A matéria agora retorna ao ginal está a que trata da reExecutivo para que a presi- composição da vegetação à dente Dilma Rousseff decida beira-rio. O texto aprovado, de se sanciona o texto modifica- uma forma geral, reduz o tado, ou se vai vetá-lo no todo ou manho do tamanho do refloem parte. Manifestaram-se restamento. A proposta original previa contra a medida os senadores Randolfe Rodrigues (PSol-PA), que, em propriedades méRoberto Requião (PMDB-PR) e dias, o reflorestamento seria de 20 metros na beira de rios Lindbergh Farias (PT-RJ). O texto que volta à presi- com até 10 metros de largura. dente é o mesmo que foi en- No texto aprovado ontem, esviado pela Câmara na semana sa metragem de recomposipassada e que foi elaborado ção passou a ser aceita até paem comissão mista do Con- ra grandes propriedades. Essa gresso. É menos exigente, mudança deverá ser vetada por Dilma. quanto à proA ideia do teção de flogoverno é evirestas e matar novas dertas nativas, o rotas. Por isso, que tem motiO novo Código as lacunas juvado reação não é o dos meus rídicas deixanegativa dos das pelos noa m b i e n t a l i ssonhos, mas é vos vetos potas e provocarealista. A lei é tão dem ocorrer do uma série rígida quanto antes, por meio de de manifestauma referência decretos, porções de autopara o mundo. tarias e instruridades do goções normativerno em faJORGE VIANA. vas, que não vor das regras passam pelo previstas inicrivo dos congressistas. cialmente na MP. Re al is ta – "O novo Código O projeto de lei do Código, por exemplo, não trata das Florestal não é o dos meus soAPPs urbanas, ou seja, não nhos, mas é um código realismenciona a recomposição de ta", constata o senador Jorge mata ciliar de rios urbanos, Viana (PT-AC). Para o senador, além de não englobar arbori- o novo Código não abre espazação das cidades com espé- ço para desmatamento e "a cies nativas. O documento discussão e eventuais diverpassa a atribuição de recom- gências se referem à recompor faixas marginais desses posição do que foi desmatado rios para os municípios, que ilegalmente. A lei votada agodevem delimitar o uso do solo ra é tão rígida quanto antes, segue sendo referência para o nos seus planos diretores. Entre polêmica e negocia- mundo", defende Viana. Já André Lima, assessor pações, a MP tramitou por quase 80 dias na comissão mista, na ra políticas públicas do Instituqual a bancada ruralista de- to de Pesquisa Ambiental da tém maioria de votos, seme- Amazônia (Ipam), pondera lhante à correlação de forças que "todo aquele que não desmatou será injustiçado. (...) no plenário da Câmara. O i m p a s s e f o i s u p e r a d o Essa nova regra obriga a requando parlamentares que compor quem manteve a flodefendem maior proteção ao resta em pé, sem criar benefímeio ambiente cederam para cios". (Agências)

Teorias que podem dificultar a prática

C

om o processo de elaboração dessa nova lei ambiental brasileira chegando na reta final, o portal G1 consultou representantes dos setores agropecuário e ambiental para apontar os principais gargalos que podem dificultar o funcionamento dessa legislação. Entre os principais itens, estão: E sc ad in ha – Por motivos diferentes, ambientalistas e ruralistas consideram injusta a criação de 'escala' para recuperar as matas às margens de rios conforme o tamanho da propriedade, criada pela MP e modificada na comissão. De acordo com Fábio Meirelles, presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (Faesp), a recomposição imposta ao pequeno produtor, por seguir um padrão nacional, "não atende as peculiaridades do País". Além disso, pode "custar caro" demais aos agricultores devido à falta de financiamento. Rios efêmeros – Apesar do acordo entre o Congresso e governo para ampliar a proteção aos rios temporários, deixam de ser APP os rios efêmeros – os cursos d´água superficiais que dependem de chuvas para

existirem, sem se alimentarem do lençol freático. Segundo Tasso Azevedo, exdiretor geral do Serviço Florestal Brasileiro, essas áreas não poderiam deixar de ser contempladas pela lei: podem abrir precedentes para novos desmates. Topos de morro – A modificação da regra de que são APPs apenas topos de morros que tenham no mínimo 100 m de altura (a contar da planície) faz com que 80% dos morros de estados como São Paulo, Bahia e Santa Catarina fiquem, em teoria, passíveis de desmatamentos, segundo Tasso Azevedo. "Apenas 20% dos morros se enquadram na característica do novo código". Essa alteração dá brecha para desmates legalizados. Replantio com espécies frutíferas – Outro ponto polêmico é a possibilidade optar por espécies frutíferas – e não só pelas nativas – para recompor áreas desmatadas. Isso cria o risco de impacto, principalmente à beira-rio, devido ao uso de agrotóxicos. "Quem desmatou será beneficiado duas vezes: poderá plantar, por exemplo, laranjais em APPs e ainda faturar com a venda das frutas", diz André Lima, do Ipam. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

7

e Ibope: Haddad passa Serra e está em 2º conomia

Petista agora teria 18% das intenções de voto, contra 17% do tucano, o que configura ainda empate técnico. Russomanno cai um ponto mas está isolado com 34%.

P

esquisa Ibope divulgada nesta terça mostra que o candidato do P R B , C e l s o R u s s omanno, continua na liderança isolada na corrida pela Prefeitura de São Paulo com 34% das intenções de voto. Na disputa pelo segundo lugar, o candidato do PT, Fernando Haddad, registrou 18% e o candidato do PSDB, José Serra, registrou 17%, ou seja, ambos continuam empatados tecnicamente, mas nessa mostra o petista ultrapassou o tucano em um ponto porcentual. Na mostra anterior, do dia 13 de setembro, Russomanno registrava 35%, Haddad 15% e Serra 19%. A pesquisa, que tem margem de erro de três pontos porcentuais para mais ou para menos, ouviu 1.204 eleitores da Capital e está registrada no TRE/SP sob nº 001138/2012. Nessa mostra, o candidato Gabriel Chalita (PMDB) registrou 7%, Soninha Francine (PPS) pontuou 4% e Paulinho da Força (PDT) e Carlos Giannazi (PSol) registraram 1% das intenções de voto cada. Os outros concorrentes não pontuaram. O Ibope perguntou aos eleitores em quem eles não votariam, o que dá o índice de rejeição. José Serra registrou o mais elevado índice da mostra com 40%, seguido de Soninha com 17%, Fernando Haddad com 16%, Russomanno com 14% e Chalita com 7%.

Fabio Martins/Futura Press/AE

Nas simulações de segundo turno, se a disputa for entre Russomanno e Serra, o candidato do PRB vence a disputa contra o tucano com 51% contra 23%. Na disputa entre Russomanno e Haddad, o candidato do PRB vence o petista por 48% a 24%. Se a disputa for entre Haddad e Serra, o petista vence o pleito com 39% das intenções de voto contra 29% do tucano. A pesquisa foi feita entre os dias 22 a 24 deste mês.

Entendo que o procedimento adotado pela oposição é completamente irresponsável. FERNANDO HADDAD, SOBRE O PEDIDO DE INVESTIGAÇÃO DO EX-PRESIDENTE LULA.

Confronto – Sob risco de ficar de fora do segundo turno, Haddad partiu para o confronto com Russomanno no debate de ontem da TV Gazeta, enquanto Serra evitou atacar o líder da corrida para Prefeitura de São Paulo. Em sua primeira participação, quando poderia escolher qualquer candidato para responder a suas pergun-

tas, Serra se dirigiu a Paulinho, candidato do PDT, que teve 1% das intenções de voto na última pesquisa Datafolha. No debate na noite de ontem na TV Gazeta, o petista afirmou que a oposição está sendo "golpista" ao avaliar um pedido de investigação contra o ex-presidente Lula por envolvimento no Mensalão. "Entendo que o procedimento adotado pela oposição é completamente irresponsável", reclamou o petista. A ação seria baseada em reportagem da revista Veja com declarações atribuídas ao empresário Marcos Valério, considerado na denúncia como o operador do Mensalão. Segundo a revista, após ser condenado no STF, Valério tem dito a pessoas próximas que Lula era o "chefe" do esquema. "Desespero" – Na nota, assinada pelos presidentes dos partidos Rui Falcão (PT), Eduardo Campos (PSB), Valdir Raupp (PMDB), Renato Rabelo (PC do B), Carlos Lupi (PDT) e Marcos Pereira (PRB), os dirigentes atribuem a iniciativa da oposição apenas ao "desespero eleitoral". "As forças conservadoras revelam-se dispostas a qualquer aventura. Não hesitam em recorrer a práticas golpistas, à calúnia e à difamação, à denúncia sem prova", acusa o documento. Questionado pela candidata Soninha Francine (PPS), Haddad defendeu a nota e disse que a oposição "tem atacado sistematicamente o governo Lula e o governo Dilma". Na sua resposta, o petista atacou também Soninha, lembrando ela foi subprefeita da gestão Gilberto Kassab. "Você fala como se não tivesse participado da gestão Kassab". Em seguida, citou casos de secretários da atual gestão que respondem por irregularidades na Justiça. Crítica habitual de Haddad, Soninha disse que votará nele em eventual 2º turno do PT contra o PRB. (Agências)

Quase 300 cidades pedem tropas federais para eleição Ideia é reforçar segurança local e evitar problemas no dia 7 de outubro

A

té agora 294 cidades de dez estados (5,2% dos 5.564 municípios brasileiros) solicitaram à Justiça o envio de tropas federais com a finalidade de reforçar a segurança pública no dia da eleição (7 de outubro), segundo informou o Tribunal Superior Eleitoral. O balanço, publicado ontem pelo portal G1 tem como base os pedidos enviados até a última sexta, ao TSE. As 294 cidades ficam nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Maranhão, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Sergipe e Tocantins. Dos municípios que já pleitearam reforços, 78 tiveram os pedidos aprovados. Os demais 216 aguardam aprovação – segundo o TSE, todos os pedidos serão analisados em menos de duas semanas, a tempo do envio das tropas para o dia da eleição. Na última eleição municipal, em 2008, 135 cidades de 13 estados tiveram apoio de tropas federais. Muitas cidades pedem reforços em razão da presença de tribos indígenas, segundo o

próprio TSE. Alguns índios entendem que, em razão de terem direitos regulados por leis federais, não devem se submeter às forças estaduais de segurança, como Polícia Civil e Polícia Militar. É o caso de diversas cidades do Pará, como Altamira (PA), que abrigará a Hidrelétrica de Belo Monte, e Oiapoque, no Amapá. Há ainda casos de cidades em que o "acirramento" da disputa é o principal motivo, como em municípios do Rio Grande do Norte, segundo o TRE local. O estado tem o maior número de cidades que solicitaram reforço (112). A prevenção da violência também foi a razão para o TRE do Rio de Janeiro pedir reforços para a região metropolitana. Também pedem auxílio, os municípios de Campos, Magé, São Gonçalo, Macaé e Cabo Frio. No Recife (PE) e em Curitiba (PR), ontem, funcionários da Justiça Eleitoral passaram o dia catalogando urnas eletrônicas. Elas foram lacradas e separadas para seguirem às zonas eleitorais dos estados. (Agências)

Rodolfo Buhrer/Fotoarena/AE

Inspeção final: funcionários da Justiça Federal em Curitiba lacram urnas eleitorais do estado.

Fernando Haddad: petista teria subido três pontos porcentuais, segundo a pesquisa. Danilo Verpa/Folhapress

José Serra: em queda, tucano agora estaria com 17%, de acordo com o levantamento.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Criamos o precedente. Agora, todos podem realmente seguir essa linha. Foi um ponto altamente positivo. Claudio Fonteles, da Comissão Nacional da Verdade.

olítica

Dida Sampaio/AE

Londres-2012: furto de dados é inaceitável, diz Aldo. Ministro do Esporte classifica o caso como "lamentável" e aplaude demissões

O

ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse ser "inaceitável" o furto de arquivos de computadores do comitê organizador da Olimpíada de Londres por funcionários do comitê Rio-2016, e ainda classificou o episódio como um fato "lamentável". O caso foi descoberto logo após a Olimpíada de Londres, cujo encerramento foi no dia 12 de agosto, e dez funcionários brasileiros foram demitidos logo depois que voltaram ao País, informou o comitê Rio-2016. "Trata-se de um incidente lamentável, envolvendo duas entidades privadas – os comitês organizadores dos Jogos de Londres 2012 e Rio 2016", disse Aldo, em nota divulgada na noite de segunda-feira no site do Ministério do Esporte. O episódio veio à tona na semana passada e os comentários de Aldo são a primeira reação do governo brasileiro sobre o incidente. Para o ministro, o comitê local agiu "corretamente" na punição dos funcionários envolvidos. "O comportamento dessas pessoas foi inaceitável e não expressa a atitude de confiança e harmonia que tem marcado a cooperação dos dois países na preparação dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos sob sua responsabilidade". Os funcionários envolvidos

no caso prestavam serviços ao Comitê Organizador dos Jogos Londres 2012 (Locog), em razão de parceria entre as duas organizações, segundo o comitê Rio-2016. Cerca de 200 representantes do Rio2016 acompanharam a realização em Londres dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

O comportamento dessas pessoas não expressa a confiança e harmonia na cooperação dos dois países. ALDO REBELO Consultoria – Recém-demitido do Palmeiras depois que o time perdeu para o Corinthians e está ameaçado de novo rebaixamento para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, o treinador Luiz Felipe Scolari já não está mais desempregado: será consultor informal do Ministério do Esporte ajudando a pasta no âmbito do programa Segundo Tempo e na divulgação da Copa do Mundo de 2014. O convite foi feito ontem à tarde por Aldo Rebelo em reunião dos dois em Brasília. Felipão disse acreditar que conti-

nuará sem dirigir nenhum clube ou seleção até o final do ano. Ele fez ainda elogios ao novo técnico palmeirense, Gilson Kleina, que estreou com vitória sobre o Figueirense no último final de semana. "Aceitei naturalmente o convite do Aldo para divulgar e participar do projeto Segundo Tempo. Fiz uma ressalva que aceitaria desde que mantivesse contato com o ministério para acertar as datas. É mais normal que até o fim do ano eu possa, mas depois vou trabalhar em alguma equipe ou seleção, não sei em que país ou lugar do mundo, mas espero que eu possa me manter ajudando no projeto", afirmou o técnico. Segundo o ministro, Felipão vai realizar palestras para crianças no programa além de divulgar o futebol pelo País visando a Copa. Foi no Segundo Tempo que no ano passado foram constatadas diversas irregularidades em ações realizadas por ONGs, o que levou à queda de Orlando Silva da pasta. Aldo implantou uma nova metodologia em que os convênios são feitos apenas com entidades públicas. Felipão disse que sua saída do clube deu-se no "momento certo" e fez elogios a Kleina. “A chegada do Gilson Kleina foi muito boa. Na minha primeira opinião, espetacular. Era o momento certo". (Agências)

SECRETARIA DE COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS SUBPREFEITURA DO JABAQUARA NOTIFICAÇÃO O Subprefeito, da Subprefeitura do Jabaquara, Roberto Ney Campanhã Marciano, no uso das atribuições que lhe são conferidas por lei e, em conformidade com o Decreto nº 51.832, de 1º de outubro de 2010, que dispõe sobre o depósito e a venda de veículos apreendidos e removidos pelas Subprefeituras, em razão de seu abandono nas vias públicas ou de sua utilização para a prática de comércio ilegal, face o disposto na Lei nº 13.478, de 30 de dezembro de 2002, no que tange a organização do sistema de limpeza do Município de São Paulo, NOTIFICA, os senhores proprietários de veículos apreendidos por abandono em via pública, conforme abaixo relacionados, PARA NO PRAZO DE 20 (VINTE) DIAS, nos termos do artigo 3º, do Decreto citado, contados desta notificação, efetuar o pagamento dos débitos existentes relativamente à estadia e remoção do bem e promover a sua retirada, apresentando na ocasião o respectivo (CRLV) do veículo objeto, a fim de comprovar sua regularidade. Caso em que decorridos 90 (noventa) dias da data da apreensão sem que o legítimo proprietário ou seu representante legalmente constituído providencie a sua retirada, o referido bem será levado a leilão, a ser realizado por esta Municipalidade por meio de comissão especialmente designada para esse fim, (artigo 6º, do Decreto nº 51.832/2010). A multa nos termos da lei nº 13.478/02, deverá ter o seu pagamento comprovado por ocasião do pedido de liberação que deverá ser por escrito acompanhado de cópias dos seguintes documentos: - CRLV, IPVA, e Seguro Obrigatório pagos, RG, CPF e comprovante de residência. RELAÇÃO DOS VEÍCULOS APREENDIDOS (LEI Nº 13.478/02)

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51

PLACA AIF 7732 BGV 6359 BLL 7093 BNP 8378 BOE 5341 BOH 6885 BOM 0601 BRA 7812 BRM 4719 BRM 5058 BRO 5016 BTK 5283 BVM 1829 BVO 5588 BVR 9899 BYO 0724 BZW 2905 CAI 4453 CCO 1644 CFI 4469 CFS 2916 CFW 5883 CHA 5261 CJJ 8557 CMF 9005 CMM 1848 CNG 7902 CPB 3515 CRE 0382 CRH 2918 CRS 3932 CSJ 5029 CTS 1515 DAM 0087 DLP 4726 DOG 8262 DON 6274 ELE 1063 GGG 1202 IIN 7454 KFM 7505 MG 4483 MUJ 4208 SEM PLACA SEM PLACA SEM PLACA SEM PLACA SEM PLACA SEM PLACA SEM PLACA SEM PLACA

PROCESSO 2012-0.272.044-3 2012-0.261.555-0 2012-0.251.898-9 2012-0.250.484-8 2012-0.259.701-3 2012-0.253.302-3 2012-0.261.550-0 2012-0.267.633-9 2012-0.259.690-4 2012-0.267.596-0 2012-0.271.957-7 2012-0.250.545-3 2012-0.261.559-3 2012-0.261.562-3 2012-0.256.898-6 2012-0.270.318-2 2012-0.253.320-1 2012-0.252.134-3 2012-0.252.153-0 2012-0.258.328-4 2012-0.259.677-7 2012-0.270.301-8 2012-0.256.896-0 2012-0.258.364-0 2012-0.255.355-5 2012-0.252.144-0 2012-0.258.354-3 2012-0.250.497-0 2012-0.253.309-0 2012-0.250.556-9 2012-0.250.428-7 2012-0.253.317-1 2012-0.250.513-5 2012-0.258.344-6 2012-0.270.308-5 2012-0.251.876-8 2012-0.252.148-3 2012-0.252.138-6 2012-0.250.531-3 2012-0.250.471-6 2012-0.253.298-1 2012-0.270.314-0 2012-0.255.379-2 2012-0.250.451-1 2012-0.251.870-9 2012-0.253.312-0 2012-0.255.337-7 2012-0.259.714-5 2012-0.264.372-4 2012-0.264.403-8 2012-0.270.325-5

MODELO VW FUSCA FORD ESCORT SANTANA GURGEL FIAT TEMPRA FIAT PREMIO FIAT TEMPRA KOMBI FORD ESCORT FIAT TIPO FIAT TIPO BRASILIA VW FUSCA FIAT TEMPRA FIAT TEMPRA GM CORSA FIAT UNO CHEVETTE CORSA GM CHEVETTE VW FUSCA SANTANA MONZA VW FUSCA CITROËN ESCORT VW FUSCA CHEVETTE VW VARIANT KOMBI SANTANA VW QUANTUN TEMPRA FORD DEL REY PALIO WEEKEND CITROËN PEUGEOT IPANEMA CITROËN PEUGEOT MONZA GM CARAVAN PEUGEOT FIORINO PEUGEOT ESCORT FIAT 147 HONDA FIT VW FUSCA CITROËN VW BRASILIA

OBS. BJ691402

BF375905

ZFA160000

7341196 OBJETO DE SINISTRO

9BD146000A8013566 CARCAÇA 98FBXXLBAKBS13221 147A0009384 CARCAÇA BS304688 VF7X14400S5446608

DATA DE APREENSÃO 14/9/2012 6/9/2012 29/8/2012 24/8/2012 5/9/2012 30/8/2012 6/9/2012 14/9/2012 5/9/2012 13/9/2012 14/9/2012 27/8/2012 6/9/2012 6/9/2012 3/9/2012 17/9/2012 28/8/2012 29/8/2012 24/8/2012 4/9/2012 5/9/2012 14/9/2012 3/9/2012 4/9/2012 31/8/2012 29/8/2012 4/9/2012 27/8/2012 30/8/2012 27/8/2012 17/8/2012 30/8/2012 27/8/2012 4/9/2012 14/9/2012 28/8/2012 15/3/2012 29/8/2012 27/8/2012 17/8/2012 30/8/2012 14/9/2012 31/8/2012 17/8/2012 20/3/2012 30/8/2012 31/8/2012 5/9/2012 11/9/2012 12/9/2012 17/9/2012

Reforço? Ministro Aldo Rebelo anuncia contratação de Felipe Scolari como consultor para a Copa.

Justiça manda alterar Atestado de Óbito de Herzog Agora, em vez de suicídio por enforcamento, constará "maus tratos pelo DOI-Codi".

O

juiz Márcio Martins Bonilha Filho, da 2ª Vara de Registros Públicos do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), determinou anteontem a retificação do atestado de óbito do jornalista Vladimir Herzog, que morreu em 1975 na capital paulista. O atestado, emitido no período do regime militar, indicava que sua morte foi consequência de suicídio. Porém, por ordem da Justiça o atestado de óbito informará que a morte "decorreu de lesões e maus-tratos sofridos em dependência do 2º Exército em São Paulo (DOI-Codi)". O DOI-Codi era a sigla conhecida do Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna subordinado ao Exército, que atuava como órgão de inteligência e repressão do governo. A retificação foi um pedido da Comissão Nacional da Verdade, representada pelo coordenador, ministro Gilson Dipp. A solicitação foi encaminhada a pedido da viúva Clarice Herzog. Na decisão, o juiz Bonillha Filho elogiou a atuação da comissão. "A comissão conta com respaldo legal para exercer diversos poderes administrativos e praticar atos compatíveis com suas atribuições legais, entre as quais recomendações de 'adoção de medidas destinadas à efetiva reconciliação na-

cional, promovendo a reconstrução da história'", disse o magistrado na sua decisão. Nascido na Croácia, Vlado Herzog passou a assinar Vladimir por considerar seu nome exótico. Naturalizado brasileiro, ele se tornou um dos destaques do movimento pela restauração da democracia no Brasil, depois do golpe militar de 1964. Era militante do Partido Comunista e sofreu torturas em São Paulo.

Lamentavelmente, nosso País estimula a impunidade. Sustento que crimes graves não deveriam prescrever nunca. CLÁUDIO FONTELES Em 25 de outubro, Vladimir foi encontrado morto. Segundo informações fornecidas na época, o jornalista foi localizado enforcado com o cinto que usava. Porém, a família e os amigos jamais aceitaram essa versão sobre a morte dele. Nas fotos divulgadas, o jornalista estava com as pernas dobradas e no pescoço havia duas marcas de enforcamento, indicando estrangulamento. Durante o regime militar, eram comuns as versões de

Tasso Marcelo/AE

morte associadas a suicídio. Precedente – A decisão judicial que determinou a mudança na certidão de óbito de Herzog servirá de referência para que parentes de outras vítimas do período militar façam o mesmo, disse nesta terça o ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles, um dos membros da Comissão Nacional da Verdade. "Criamos o precedente. Agora, todos podem realmente seguir essa linha. Foi um ponto altamente positivo", disse Fonteles durante a audiência pública Memória e Verdade, convocada pelo Ministério Público Federal no Rio. Prescrição – O laudo de 1975, que apontava morte "por asfixia mecânica", foi assinado pelo médico legista Harry Shibata. "Criminalmente, a falsa perícia está prescrita", disse Fonteles. "Ele tem mais de 70 anos, a prescrição conta pela metade. Lamentavelmente, nosso País ainda estimula muito a impunidade. Sustento que crimes graves não deveriam prescrever nunca". O representante da comissão disse que não há um levantamento exato de quantas famílias poderiam seguir o pedido da viúva de Herzog. "Isso depende muito dos próprios familiares, que devem procurar a comissão". Fonteles acrescentou que a Comissão Nacional da Verdade no momento está trabalhando no levantamento de empresários que financiavam o regime militar. "Já temos documentos. Por ora, posso dizer só isso. Vamos montar um quadro até o fim do ano". (Agências)

Cláudio Fonteles: pedido de alteração encaminhado a partir de solicitação da viúva do jornalista, Clarice Herzog.

Um grupo para investigar a Operação Condor

A

Comissão da Verdade anunciou ontem a criação de um grupo de trabalho para atuar em conjunto com os órgãos de contrainformação dos países da América Latina que estiveram envolvidas na Operação Condor, sistema de repressão, sequestro e mortes montados pelos governos militares do Brasil, da Argentina, da Bolívia, do Chile, do Paraguai e do Uruguai do fim dos anos 60 ao início dos anos 80. De acordo com a Comissão, as

circunstâncias da morte do ex-presidente João Goulart vão ser investigadas pelo grupo de trabalho. Oficialmente, Jango, deposto pelo golpe militar de 1964, morreu de ataque cardíaco em Mercedes, município argentino da província (Estado) de Corrientes, em 6 de dezembro de 1976. Mas existem suspeitas dos familiares de que Jango foi assassinado por agentes da Operação Condor. Em 2008, o ex-agente uruguaio Mario Neira Barreira, em entrevista, contou que

Jango foi envenenado por ordem do então delegado Sérgio Paranhos Fleury, do Departamento de Ordem Política e Social (Dops) de São Paulo. Fleury morreu afogado, em maio de 1979, em circunstâncias estranhas, pois era tido como bom nadador. O objetivo é "esclarecer fatos, circunstâncias e autorias de casos graves de violação de direitos humanos, como morte, torturas, desaparecimentos forçados e ocultação de cadáver. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

9 Reuters

Cada um tem o direito de ter uma posição. Obama tem a posição dele e eu tenho a minha. Presidente Dilma Rousseff

nternacional Roberto Stuckert Filho/PR

Arrependido, Ahmadinejad tenta apagar o fogo. Após declarar que Israel deveria ser 'eliminado', o líder iraniano passa a defender o fim da ocupação dos territórios palestinos.

Em troca de cumprimentos nos bastidores da Assembleia Geral da ONU, Dilma e Obama fizeram perguntas sobre as respectivas famílias.

Dilma pede diálogo...

...Obama conta o tempo.

Ao inaugurar a Assembleia Geral da ONU, a presidente defende conversas na Síria e condena a islamofobia.

Em meio a pedidos de tolerância, o líder defende o fim do regime sírio e alerta que não permitirá um Irã atômico.

D

O

iante de um plenário à espera do debate sobre as tensões no Oriente Médio, a presidente Dilma Rousseff fez críticas às intervenções militares e logísticas dos países desenvolvidos na região, repudiou a islamofobia e assegurou que a solução para o conflito na Síria não passa por nenhuma vertente militar. Ao abrir a 67ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, ela criticou tanto o regime de Damasco como a oposição pela violência na Síria, onde mais de 20 mil pessoas já morreram desde o início dos conflitos em março de 2011. "Não há solução militar para a crise síria. A diplomacia e o diálogo são, não só a melhor, mas a única opção", disse. A presidente pediu o fim da violência no país árabe, lembrou que o governo sírio tem "a maior parte da responsabilidade pelo ciclo de violência", embora também tenha reconhecido "as responsabilidades dos grupos armados da oposição", que recebem "cada vez mais ajuda externa". Islamofobia - Dilma ainda repudiou a "escalada" do preconceito contra a comunidade islâmica em decorrência de atos extremistas, assim como o ataque à missão diplomática dos Estados Unidos que resultou na morte do em-

baixador norte-americano na Líbia. O episódio foi classificado pela presidente como "ato de terrorismo". A presidente se referiu a um filme que satiriza o profeta Maomé, que gerou uma onda de manifestações contra missões diplomáticas dos EUA no mundo muçulmano. "Como presidente de um país no qual vivem milhares e milhares de brasileiros de confissão islâmica, registro neste plenário nosso mais veemente repúdio à escalada de preconceito islamofóbico em países ocidentais", afirmou. Nesses dois momentos, a presidente recebeu aplausos da plateia. Reforma - Sobre a possibilidade de uma intervenção militar sem a autorização do Conselho de Segurança da ONU, a presidente disse que se trataria de um movimento "ilegal, e essa não é uma opção aceitável". Diante da inércia do principal órgão internacional de segurança sobre a crise síria, ela ressaltou que serve como exemplo da "urgente necessidade" de reformar o Conselho de Segurança. Assim como fez em seu discurso à Assembleia Geral no ano passado, Dilma defendeu o reconhecimento da Palestina como membro pleno das Nações Unidas e o fim do embargo dos Estados Unidos contra Cuba. (Agências)

presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conclamou ontem a comunidade internacional a confrontar as raízes da turbulência no Oriente Médio e pediu aos líderes mundiais que acabem com a intolerância e o extremismo. Em seu discurso na abertura na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), o mandatário condenou a violência, mas ao mesmo tempo mandou um duro recado para a Síria e o Irã: ele defendeu o fim do regime de Bashar al-Assad em Damasco e advertiu que fará "o que deve fazer" para evitar que Irã obtenha uma arma nuclear. O presidente, que disputa um novo mandato dentro de seis semanas, começou e encerrou seu discurso evocando o embaixador Christopher Stevens, morto com três outros funcionários neste mês durante um ataque ao consulado norte-americano em Benghazi, na Líbia, realizado por uma multidão indignada com um filme anti-islâmico feito nos EUA. "Hoje, devemos afirmar que nosso futuro será determinado por gente como Chris Stevens, e não por seus assassinos", disse. "Hoje, devemos declarar que essa violência e essa intolerância não têm lugar entre as nossas Nações Unidas."

Obama subiu ao púlpito da ONU logo depois do discurso da presidente Dilma Rousseff. Por tradição, cabe ao chefe de Estado brasileiro o discurso inaugural da Assembleia Geral da ONU. Síria - Em relação ao governo de Damasco, ele declarou que "se há uma causa que reivindica que se proteste hoje no mundo é um regime que tortura crianças e dispara foguetes contra edifícios de apartamentos". Irã - O mandatário norteamericano ainda fez um alerta ao Irã, ao dizer que prefere resolver a questão nuclear "por meio da diplomacia" e que há "tempo e espaço" para fazê-lo, mas que esse tempo não é "ilimitado". "Os Estados Unidos farão o que precisam fazer para impedir o Irã de obter uma arma nuclear", disse ele, sem entrar em detalhes. Brasil - Obama citou duas vezes o Brasil em sua fala. Primeiro, ao falar que Brasil, Turquia e Indonésia são exemplos de países que conseguiram avançar processos de democratização e crescimento econômico ao mesmo tempo, com suas populações convivendo em sociedades pluralistas. E ainda citou "os jovens das favelas no Rio e das escolas de Mumbai (na Índia), cujos olhos brilham com seu potencial". (Agências)

Ela alfineta os EUA...

...ele prefere ignorar.

P

E

ara umaassembleiaque aguardava com ansiedade o debate sobre a crise no Oriente Médio, a presidente Dilma Rousseff gastou boa parte dos 24 minutos de seu discurso na ONU para criticar a política expansionista dos países desenvolvidos e rebater as acusações de que o Brasil estaria adotando medidas protecionistas. "Os bancos centrais dos países desenvolvidos persistem em uma política monetária expansionista, que desequilibra as taxas de câmbio",

disse. "Os países emergentes perdem mercado, devido à valorização artificial das moedas, o que agrava ainda mais o quadro recessivo global." Ao mesmo tempo, ela defendeu medidas de "defesa comercial", retomando a discussão desta semana com os EUA, que acusaram o Brasil de protecionismo. "Não podemos aceitar que iniciativas legítimas de defesa comercial dos países em desenvolvimento sejam injustamente classificadas como protecionismo", afirmou. (Agências)

nquanto a presidente Dilma Rousseff criticou na ONU as medidas de austeridade e as políticas fiscais "ortodoxas" dos países desenvolvidos, o colega norte-americano, Barack Obama, destacou a parceria com países emergentes para enfrentar a crise econômica. "Em um momento de desafio econômico, o mundo se uniu para ampliar a prosperidade", afirmou o presidente, em seu discurso de aproximadamente 30 minutos. "Através do G-20, temos

uma parceria com os países emergentes para manter o mundo no caminho da recuperação", acrescentou. Em destaque, Obama citou os avanços obtidos na África. "Os EUA buscam uma agenda de desenvolvimento que estimula o crescimento e interrompe a dependência, e trabalham com líderes africanos para ajudá-los a alimentar as suas nações", disse. "Novas parcerias foram forjadas para combater a corrupção e promover um governo aberto e transparente." (Agências)

O

aguardado discurso do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) deve ocorrer somente hoje, mas a sua simples presença em Nova York provoca intensas reações. Jornalistas disputam no tapa as declarações mais polêmicas, enquanto manifestantes montam acampamento em frente ao hotel do líder iraniano. Diante da comoção, Ahmadinejad buscou minimizar as declarações incendiárias ontem. Em seu primeiro discurso em Nova York, na segundafeira, Ahmadinejad negou o direito de Israel à existência e afirmou que o Estado judaico será "eliminado". Ontem, ele voltou atrás e assegurou em entrevista à rede CN N que o que deve acabar é a ocupação dos territórios palestinos. "O que deve ser erradicado é a ocupação, a busca da guerra e a morte de mulheres e crianças (na Palestina)", afirmou o líder, acrescentando que seu governo propõe "uma via que reconheça o direito dos palestinos ao autogoverno, para que o povo palestino possa tomar decisões sobre seu próprio futuro", entre elas uma solução que reconheça a convivência de um Estado palestino com Israel. Em 2005, o presidente iraniano disse que Israel deveria ser riscado do mapa. No

ano passado, na Assembleia Geral da ONU, ele colocou em dúvida a existência do Holocausto judeu. Na entrevista à CNN, A hmadinejad disse que "não tem um julgamento formado sobre o Holocausto" e duvidou das verdadeiras razões por trás dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos. Ahmadinejad também declarou que o Irã tem direito a se defender e fará isso caso seja atacado por Israel, que garante que o programa nuclear de Teerã tem fins armamentistas. Na sua opinião, os "sionistas estão buscando fabricar acusações" para "ameaçar um país rico e de profundas raízes históricas como o Irã". Silêncio - Os líderes israelenses não fizeram comentários ontem sobre a mais recente explosão do presidente iraniano, mantendo quase silêncio total à medida que o país fechou-se para o dia mais sagrado do ano judaico, o Yom Kippur. O Dia do Perdão começou no final da tarde de ontem e terminará após o pôr-do-sol de hoje. Devido ao feriado, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, não acompanhará o discurso de Ahmadinejad na ONU hoje. Ele viajará a Nova York quando o Yom Kippur terminar e vai discursar na Assembleia Geral somente nesta quintafeira. (Agências)

Fotos: Andrew Kelly/Reuters

Manifestantes protestam contra os presidentes iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, e sírio, Bashar al-Assad, diante do hotel Warwick, em Nova York. Uma diária no luxuoso hotel onde Ahmadinejad está hospedado pode custar até US$ 1,6 mil.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

SEGURANÇA Em nota, a CET informou que serão realizados ajustes para melhorar as condições de segurança e acessibilidade dos usuários.

idades

Há um poste no meio da ciclovia

Renato Cerqueira/AE

Circuito turístico alternativo à Ciclofaixa do Centro, inaugurada no último fim de semana, vai ter problemas de traçado corrigidos. Fotos de L.C.Leite/Luz

Ivan Ventura

P

arece até coisa de desenho animado, mas é real. Quem optar por andar com sua bike pelo Circuito Cultural do Centro Histórico (traçado ciclístico alternativo, que nos fins de semana integra a Ciclofaixa do Centro) vai se deparar com um poste bem no meio do caminho. Por descuido ou outro motivo qualquer quem pintou as faixas vermelhas que delimitam o circuito achou mais fácil "abraçar" um poste de luz, em vez de tangenciá-lo. Esse toque engraçado (mas potencialmente perigoso) pode ser conferido na Praça Antônio Prado, ao lado dos edifícios Altino Arantes (o antigo prédio do Banespa) e Martinelli, no Centro. E essa é apenas uma das curiosidades observadas ontem, ao longo dos limites do Circuito Cultural do Centro Histórico. De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a pintura desse corredor alternativo para bicicletas foi feita em agosto, na cor vermelha. Em pouco mais de um mês, porém, a tinta já apresenta coloração opaca ou simplesmente sumiu em alguns pontos. Bom humor - Há um ano, o engraxate Fábio Luiz dos Anjos Calister, de 32 anos, que trabalha no quiosque da Praça Antônio Prado, adotou a bicicleta como meio de transporte. Bem humorado, ele se pergunta o que teria levado a Prefeitura a pintar o corredor sem desviá-lo do poste. Mas há outros problemas. Os mais comuns são os buracos e bueiros localizados ao longo do circuito. Um exemplo é visível na rua Álvares Penteado: bem no caminho do ciclista há uma dessas grandes placas de aço utilizadas por empresas concessionárias de serviços públicos para cobrir provisoriamente os buracos abertos para a execução de seus trabalhos. Desalinhada em relação ao piso da rua, a placa obriga o ciclista a fazer uma manobra radical para permanecer em seu rumo. A outra alternativa é desviar-se da rota. Harmonizar - "Em São Paulo fala-se muito em melhorar o convívio das

Tempo esfria em São Paulo

Termômetros podem marcar 9°C amanhã

A

De repente, um poste no meio do traçado destinado a ciclistas no Centro Histórico de São Paulo: rota alternativa com pontos turísticos.

Segundo a CET, a faixa funciona apenas como um indicativo aos ciclistas.

Apesar de provisória, placa de aço no chão foi integrada à rota. bicicletas com os automóveis. Mas acho que antes seria interessante harmonizar a relação dos pedestres com os ciclistas aqui no calçadão do Centro Histórico. Do contrário, em breve, teremos atropelamentos por aqui", disse o empresário e cicloativista Egnaldo

Figueiredo, de 60 anos. Embora esteja pintada como uma rota para bicicletas e pareça uma rota para bicicletas, a CET, em nota, informou que o corredor não é exatamente uma rota para bicicletas. Segundo a nota, a pintura é um mero direcionamento aos ciclistas e leva a pontos turísticos e

Buracos e cavaletes interferem no traçado da ciclofaixa alternativa culturais do Centro, em qualquer dia da semana. Opção - Ao mesmo tempo, a nota afirma que a faixa assume um outro papel aos domingos e feriados. Nesses dias, ela se torna uma opção de traçado à Ciclo Faixa do Centro, inaugurada no último fim de semana. Por fim, sobre os

obstáculos (e isso inclui o poste no meio do corredor), a CET informou que serão realizados ajustes para melhorar as condições de segurança e acessibilidade dos usuários. "Faixa ou não, rota ou não, não pode ter um poste no meio do caminho. Está errado", disse o empresário Figueiredo.

entrada de uma frente fria na capital paulista promete diminuir as temperaturas nos próximos dias. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), da Prefeitura de São Paulo, a previsão é que os termômetros marquem até 9°C amanhã, não ultrapassando os 18°C ao longo do dia. Ontem o dia amanheceu com aumento de nuvens e com temperaturas em torno dos 18°C em São Paulo. Hoje, o vento frio e úmido que vem do Oceano Atlântico deve favorecer a formação de nuvens baixas. Com isso, o tempo deve continuar fechado e com garoa ocasional na região da Grande São Paulo. Os termômetros devem oscilar entre 10°C e 17°C. Amanhã, a mínima deve cair na madrugada e no início da manhã. As primeiras horas do dia devem apresentar céu nublado e névoa úmida. O sol deve aparecer entre nuvens no decorrer do dia, mas as temperaturas permanecem baixas. A previsão é que o vento aumente a sensação de frio, especialmente no início e no final do dia. Granizo – Uma forte chuva de granizo, que caiu na madrugada de ontem, provocou o destelhamento de quase 700 casas no interior do Paraná. De acordo com a Defesa Civil, imóveis de oito municípios, espalhados pelas regiões sul, norte e oeste do Estado, foram atingidos. Não houve feridos. A cidade mais afetada foi São Tomé, no noroeste do Paraná, a 520 km de Curitiba. Lá, 300 famílias tiveram suas casas danificadas. As pedras de granizo eram do tamanho de uma bola de pingue-pongue. De acordo com o Simepar (órgão meteorológico do Paraná), não deve mais chover no Estado e as temperaturas irão cair na região. (Agências)

Jovem autista é 'esquecido' na escola Aluno autista foi encontrado, segunda-feira à noite, dentro do Centro de Reabilitação Social de Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Prefeitura investiga o caso.

U

m adolescente autista de 17 anos foi encontrado esquecido, no final da noite de segunda-feira, no interior do Centro de Reabilitação Social (CRS) de Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Ele ficou mais de cinco horas trancado e no escuro na unidade. A Secretaria de Assistência Social de Taboão informou, em nota, ontem à tarde, que instaurou sindicância interna para apurar o ocorrido no CRS. No comunicado, assinado pelo secretário de comunicação da prefeitura, José Ribeiro Júnior, a secretaria esclarece que este foi um "fato pontual e que foge do padrão de

Eduardo Anizelli/Folhapress

excelência com que os deficientes são atendidos há mais de 4 anos nesta unidade. As circunstâncias em que aconteceu o incidente estão sendo apuradas com rigor para que os responsáveis sejam identificados e se tomem as devidas providências", diz. "O CRS atende hoje 126 jovens e adultos em dois turnos, manhã e tarde, e foi criado pela Prefeitura com a finalidade de proporcionar reintegração dos deficientes de Taboão da Serra ao convívio social", completa a nota. Fechado – Segundo a família do garoto, às 17h os funcionários da instituição entraram em contato e disseram que a

Adolescente foi encontrado por guardas municipais dentro da escola van que faz o transporte dos pacientes para casa estava quebrada e que seria necessário buscá-lo no local. Ao chegar

à unidade, que atende pessoas com necessidades especiais, o lugar estava fechado e os familiares do adolescente

consideraram que outro veículo teria feito o transporte. Como não encontraram o rapaz em casa, os parentes foram à delegacia prestar queixa de desaparecimento. Segundo o guarda municipal Marcelo Blanco, que ajudou a encontrar o rapaz, o delegado recusou-se a registrar o boletim de ocorrência de desaparecimento porque o tempo necessário para caracterizar a situação não havia passado. Os parentes do jovem pediram auxílio à Guarda. Desconfiados de que o adolescente pudesse ainda estar dentro do centro de reabilitação, dois agentes pularam o muro da unidade."Nós iluminamos a ja-

nela da secretaria, o rapaz puxou a cortina e pudemos vê-lo. Ele estava muito agitado e tinha espalhado tudo lá dentro", disse Blanco. Agi tado – Eram cerca de 23h quando o jovem foi encontrado. A família contou que o adolescente estava muito nervoso, com fome e, por conta do incidente, não tomou os medicamentos controlados no horário correto. Ariane, irmã do rapaz, registrou o boletim de ocorrência na delegacia central de Taboão da Serra. Selma Basílio, diretora do CRS, foi à delegacia falar sobre o caso, mas não foi localizada pela reportagem. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

3

11

º

MAIORIA Na primeira turma de engraxates 60% dos alunos eram mulheres.

setor

SITE Para saber sobre novas turmas acesse o site www.ung.org.br.

Fotos: Divulgação

As mulheres são maioria nas aulas do projeto Engraxate Cidadão. Acima, os recém formados trabalhando. Abaixo, formatura da primeira turma.

O brilho do Engraxate Cidadão Os engraxates formados por projeto da Universidade de Guarulhos aprendem também sobre marketing e finanças pessoais e atendimento ao cliente. Kelly Ferreira

Oportunidade – "Acompanhei os passos da primeira turma que se formou em março projeto social En- deste ano e vi que o projeto é graxate Cidadão, uma grande oportunidade de d a U n i v e r s i d a d e crescimento profissional e d e G u a r u l h o s pessoal", disse a aposentada. (UnG), saiu do papel, depois Segundo Giselda, que é apode quatro anos de espera, e já sentada, foi uma grande aleestá mudando a vida de muita gria quando a universidade ligente, principalmente de mu- gou avisando que havia sido lheres, que foram maioria na contemplada com a vaga. A agora estudante Giselda turma que se formou neste mês. No curso, que dura em disse que cederá a bolsa de esmédia 30 dias, os alunos não tudos de 100%, à qual teria diaprendem apenas a engraxar reito pelo projeto, para a filha, que quer essapatos. Retudar Psicolocebem tamgia. A bolsa de bém noções 100% para fade marketing Eles aprendem zer um curso e finanças a importância de graduação pessoais, na universiatendimento da cortesia e a dade é outro ao cliente, cativar quem benefício paética e cidabusca o serviço. ra quem faz dania e admiLISLEI FREITAS, parte do pronistração fiCOORDENADORA DO PROJETO jeto. Além da nanceira. ENGRAXATE CIDADÃO bolsa, os alu" N a p r in o s j á g ameira turma nham um postivemos a presença de 60 alunos, sen- to fixo para colocar em prática o do que 60% deles eram mu- que aprenderam. Isto é possílheres. Na segunda turma, vel graças a parcerias com coque está em andamento, dos mércio de rua, shoppings cen20 alunos que participam, ters e hotéis na região de Guaapenas três são homens", rulhos e em São Paulo. Brilho – As aulas práticas, contou Lislei Freitas, a coordenadora do projeto. Uma segundo os alunos, fazem a delas é Giselda Nogueira Ri- diferença no curso: um produvera, de 64 anos, que não to daqui, uma cera de lá e alpensou duas vezes para se gumas 'escovadas' com bascandidatar assim que leu no tante entusiasmo: o resultajornal a notícia sobre a aber- do são sapatos com muito britura das inscrições para a se- lho. Afinal, para o ofício de gunda turma do Engraxate engraxate, esta é a primeira

Projeto Guri chega a Santo André

O

O

aspiração, à qual está atrelada a satisfação do cliente. "Durante mais de um mês, os participantes se dedicam a aprender os macetes da profissão, como a importância da cortesia e a capacidade de cativar quem busca o serviço. Também recebem orientações sobre como manter uma dieta equilibrada e uma postura que não cause prejuízos à saúde”, explica Lislei Freitas. No primeiro mês de trabalho, os alunos passam por um processo de vivência com os profissionais que já atuam como engraxates. A coordenação do projeto negocia agora parceria para instalação de cadeiras na Câmara Municipal e no Shopping Bonsucesso.

Renda – O objetivo do projeto é dar oportunidade de geração de renda, atuação e ascensão profissional a pessoas que estão fora do mercado de trabalho e em situação de vulnerabilidade social. Cerca de 70% do lucro como engraxate é destinado à renda familiar desses trabalhadores. Os outros 30% são reinvestidos para ampliação do projeto. "Há muito tempo queria ver esse projeto acontecendo. Precisamos oferecer oportunidades, empregar e possibilitar a ascensão social e profissional. Um dia, depois de trabalhar como engraxate, recebi uma oportunidade. Uma porta me foi aberta e foi fundamental para as minhas

conquistas. Hoje devo abrir a minha porta para quem queira trabalhar, oferecendo u m a o p o r t u n i d a d e s e m elhante”, disse Antonio Veronezi, chanceler da UnG e idealizador do projeto. Inscrição - Para participar do projeto é preciso ser maior de 18 anos, ter renda de, no máximo, 1,5 salário mínimo, não estar trabalhando ou ter 20 horas semanais disponíveis. A abertura de novas turmas deve ser acompanhada pelo site www.ung.org.br. Para se tornar um parceiro do projeto – não há custos para a empresa – basta entrar em contato com a coordenação da universidade, no telefone 2064-1720.

Vagas para deficientes no Sebrae

O

Sebrae-SP abriu processo seletivo para preencher 42 vagas exclusivas para pessoas com deficiência. As oportunidades são para consultor e analista em diversas áreas de formação: Administração, Marketing, Financeiro, Tecnologia da Informação, Sustentabilidade, Atendimento, Agronegócios e Projetos. As vagas se destinam à capital paulista e cidades do interior do Estado. "Mais do que o cumprimento de uma

obrigação legal, trata-se de cidadania e responsabilidade social, temas prioritários para o Sebrae de São Paulo", diz Bruno Caetano, diretorsuperintendente do SebraeSP. O período de inscrições é diferente para cada vaga, é preciso acessar o comunicado no portal do Sebrae-SP para mais informações. Os interessados têm três formas de se candidatar: acessar o portal no sebr.ae/sp/22860 e clicar na aba Inscrições Abertas ou

enviar um currículo para curriculum.net@sebraesp. com.br ou para rua Vergueiro, 1117, Paraíso (CEP: 01504001) aos cuidados de UGP/Atração de Talentos. No ato da inscrição é preciso informar o código da vaga. Acessível – Recentemente, o Sebrae-SP e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência fecharam uma parceria para levar orientação especializada de empreendedorismo para pessoas com deficiência. O protocolo de intenções entre

as entidades foi assinado em agosto e prevê ações de inclusão da pessoa com deficiência nos postos de trabalhos gerados pela pequena empresa, além de preparar a entidade para melhor atender os empreendedores com deficiência que buscam orientação. O público-alvo do projeto, chamado Sebrae Mais Acessível, são os empresários, com ou sem deficiência, e futuros empreendedores de

pequenos negócios que já trabalham na informalidade. Outra ação não área foi a disponibilização do serviço de Intérprete de Libras nos eventos presenciais do Sebrae-SP. A solicitação do serviço deve ser comunicada no ato da inscrição e com antecedência de cinco dias úteis à data do evento. O cliente, ou seu representante, pode se inscrever pessoalmente nos Escritórios Regionais pelo portal www.sebraesp.com.br) ou pelo telefone 0800 570 0800.

Projeto Guri começou suas atividades em Santo André, segunda-feira, graças a uma parceria entre o Fundo Social de Solidariedade do município e o Governo do Estado. Os interessados em participar dos cursos de música gratuitos poderão se inscrever no Cesa Cata Preta (estrada Cata Preta, 810). As aulas terão início em 15 de outubro, as segundas e sextas-feiras. São 244 vagas e os cursos são destinados a crianças e jovens de seis a 18 anos. São dois módulos: iniciação e sequencial. As oficinas de iniciação de Prática Rítmico-Melódica e Prática Vocal são dirigidas para crianças de seis a nove anos. O módulo sequencial, para ensino de violão, guitarra, contrabaixo elétrico, instrumentos metálicos, órgãos de madeira e teorias musicais é voltado para alunos com mais de dez anos. Os interessados devem comparecer ao Cesa, entre 9h e 18h30, com cópias de documento de identidade, comprovante de endereço e certidão de nascimento (original também) e duas fotos 3x4. Menores de 18 anos deve estar acompanhados pelos pais. Os interessados devem cursar a partir do ensino fundamental. Os materiais, instrumentos e equipamentos são oferecidos pelo Projeto Guri e o município fornece a estrutura para as aulas. O programa também disponibiliza atendimento social para os alunos. O Projeto Guri, criado em 1956, tem por objetivo criar oportunidades de crescimento cultural e inclusão. Na região metropolitana é coordenado pela Santa Marcelina Organização Social de Cultura. Mais informações no telefone 4453-4233.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Robôs dançantes

O fim dos insetos

Com seu sucesso Gangnam Style, o rapper coreano Psy se tornou o primeiro artista de seu país a chegar à lista de artistas com músicas mais baixadas no iTunes. Ele prometeu apresentar a música sem blusa se chegar ao primeiro lugar.

Aspirador em forma de tamanduá para acabar com insetos em casa. http://bit.ly/SQib4a

Brendan McDermid/Reuters

Mais de 100 equipes participaram em Pequim de um desafio: criar um robô que dançasse Thriller como Michael Jackson. No site do jornal The Guardian, você confere um vídeo com algumas performances.

No topo do mundo

http://bit.ly/OVPL7I

Logo Logo www.dcomercio.com.br

Memórias sempre à mão Ideia escandinava: um pendrive em formato de pulseira, para não esquecer – nem perder – nenhuma informação. Com fecho de prata ou ouro. http://bit.ly/UPVWzU

T ECNOLOGIA P HOTOSHOP

Exército de programadores

A

Celebridades carecas O site Worth1000 desafiou pessoas com habilidade em manipulação de imagem a deixar uma celebridade careca. George Clooney, Brad Pitt e Paul McCartney ficaram assim. Mais no site. http://bit.ly/UtFtOT

E SPORTE

Felipão, voluntário do Ministério. O técnico Luiz Felipe Scolari, aceitou ontem convite para se tornar consultor informal e voluntário do Ministério do Esporte. "(Vou conciliar porque) provavelmente vou trabalhar numa equipe",

disse Felipão, ontem. O objetivo do ministério com a colaboração do treinador é a valorização e a promoção do futebol. Perguntado sobre a possibilidade substituir Mano Menezes na seleção, Felipão desconversou.

fundação estoniana Tiger Leap lançou neste mês um projeto que prevê ensinar aos alunos do ensino fundamental como programar computadores, produzir sites e criar aplicativos para celulares e tablets. Na fase inicial do programa, chamado ProgeTiiger, apenas algumas escolas oferecerão as aulas. E já no próximo ano, alunos de todas as escolas públicas do país receberão cursos de programação. Segundo a fundação, o projeto foi criado porque as empresas têm dificuldade em encontrar bons programadores no mercado de trabalho do país. Detalhe: a Estônia é o país onde foi criado o aplicativo Skype, depois vendido para a Microsoft pelo valor de US$ 8,5 bilhões.

Ints Kalnins/Reuters

Intenção é transformar crianças em amantes e conhecedores avançados de tecnologia

David Mdzinarishvili/Reuters

I NTERNET

Facebook terá de indenizar brasileira O Facebook do Brasil indenizará em R$ 3 mil, corrigidos, uma usuária que teve um perfil falso criado em seu nome por terceiros. A usuária disse que, apesar de denunciar o perfil à empresa, nenhuma providência foi tomada. Advogados do Facebook alegaram que o conteúdo do site é gerenciado pela matriz, mas a defesa não foi aceita pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT).

D ISPUTA Reuters

P ROMOÇÃO

M ÚSICA

E M

L

L

Barcos pesqueiros taiwaneses entraram ontem nas águas territoriais das ilhas Senkaku/Diaoyu, objeto de disputa entre Japão e China e que também são reivindicadas por Taiwan. Após advertências que foram ignoradas, autoridades japonesas dispararam canhões de água contra os taiwaneses.

SEM FOTOS - Jornalistas protestam contra medidas que impedem a mídia de fotografar livremente as zonas eleitorais na Geórgia. As fotos só podem ser feitas em áreas designadas por autoridades e por apenas 10 minutos.

C A R T A Z

M ODA Benoît Tessier/Reuters

Charles Platiau/Reuters

Leilões têm peças de Clapton e Wood Antiguidades, peças artísticas e artigos pessoais de Ronnie Wood, guitarrista dos Rolling Stones, serão leiloados em 27 de outubro na casa Julien's Auctions, de Los Angeles. O leilão é um dos três que colocarão no mercado itens cobiçados por fãs de música nos próximos meses. Em 12 de novembro, na Christie's de Genebra, na Suíça, o músico britânico Eric Clapton leiloará um relógio de sua coleção avaliado em US$ 4,2 milhões. O leilão mais inusitado, entretanto, é o de um clarinete do cineasta – e também músico de jazz – Woody Allen na 14ª edição da Feira Internacional do Disco de Barcelona, entre os dias 5 e 7 de outubro.

DC leva leitores à Elvis Experience A Promoção Elvis Experience, realizada pelo Diário do Comércio, está encerrada. Os códigos dos ganhadores de pares de ingressos são: DMI8HR2T, ZI5J75A5, T6VC4AZU, 843248T3, E2FXQX7T, HXE6ZIK9, XUY2LS3Y, DQFAW73B, 6A9N7Q06, 8X67Q7XH. Todos devem comparecer à entrada do evento munidos de RG de segunda a sexta-feira até o dia 5 de outubro. L OTERIAS Concurso 1110 da DUPLA SENA

Primavera em Paris

VISUAIS

Mostra 'Histórias às Margens' traz 42 trabalhos de Adriana Varejão. Museu de Arte Moderna de São Paulo. Parque do Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, portão 3, tel.: 5085-1300.

Modelos desfilam biquíni da estilista portuguesa Fátima Lopes e vestido do designer belga Jean-Paul Lespagnardas durante apresentações das coleções da temporada Primavera/Verão da semana de moda de Paris.

Primeiro sorteio 03

07

10

13

46

48

24

39

49

Segundo sorteio 05

16

23

Concurso 3004 da QUINA 33

36

55

68

80


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

e

13 EMPREGO Construção civil cria 12,7 mil vagas em agosto, apura Sinduscon.

conomia

IMÓVEIS Aluguéis comerciais em SP sobem 24%, outro recorde.

André Susin/AE

Redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) contribuiu para o crescimento de 13,3% da receita do tributo paulista.

IPVA paulista avança fora de hora Arrecadação recorde de R$ 423,7 milhões em agosto é resultado de vendas de veículos em consequência da redução da alíquota do IPI Sílvia Pimentel

O

recorde histórico das vendas de veículos novos em agosto (420 mil unidades), impulsionado pela redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), já foi incorporado aos cofres do governo paulista. A arrecadação do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) em agos-

to foi a maior de toda a história e atingiu R$ 423,7 milhões, o que representa expansão de 13,3% sobre igual mês do ano passado e de 10% na comparação com julho. Dentre os impostos estaduais, o IPVA foi o que apresentou a segunda maior taxa de crescimento, com expansão de dois dígitos, atrás do Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), que cresceu 48,8% ante agosto de 2011. A análise da receita tributá-

ria divulgada pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz-SP) aponta alta de 31,8% nas vendas de veículos novos na comparação com agosto de 2011, o que contribuiu para o bom resultado da receita do IPVA. "Esse desempenho recorde está relacionado às medidas de incentivo do governo federal, concedidas em maio, abrangendo o corte do IPI sobre automóveis e utilitários e a redução da alíquota de Imposto sobre Operações

Cai projeção para tributos federais

S

em dar ainda sinais de recuperação, a arrecadação da Receita Federal diminuiu pelo terceiro mês consecutivo e fechou agosto em R$ 77,07 bilhões, com queda real (descontada a inflação medida pelo IPCA) de 1,84% sobre agosto de 2011. O pagamento de tributos federais vem perdendo fôlego desde abril, quando ficou mais evidente o impacto da desaceleração econômica no lucro das empresas. No acumulado do ano, a arrecadação soma R$ 673,576 bilhões, alta real de 1,45% em relação a igual período de 2011. Os dados mostram que a arrecadação em agosto caiu 12,72% ante julho deste ano. O fraco desempenho deve continuar até o final do ano, o que levou a Receita a reduzir

de 3,5% para entre 1,5% e 2% a projeção de alta da arrecadação em 2012, o pior desempenho desde 2009. Confirmado esse cenário, o tombo será de pelo menos oito pontos percentuais, pois o expansão no ano passado foi de 10,1%. Esse quadro desfavorável alimentou avaliações de que o governo não conseguirá cumprir a meta fiscal deste ano, como vem prometendo, em sua estratégia para garantir a queda da taxa de juros pelo Banco Central. Ao longo deste ano, a Receita já contabiliza uma perda de R$ 9,19 bilhões com o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), em boa parte porque as empresas suspenderam o pagamento desses tributos. A lei

permite isso às empresas que recolhem tributos pelo regime de lucro real, como forma de ajustar os pagamentos mensais, feitos por estimativa, à projeção de ganhos no ano. As desonerações tributárias, concedidas neste ano para estimular o aumento do Produto Interno Bruto (PIB), reduziram as receitas em mais R$ 4,95 bilhões entre janeiro e agosto. Além disso, o governo teve, em 2011, duas receitas atípicas de R$ 9 bilhões que não se repetiram neste ano. Pelos cálculos da Receita, esses fatores já renderam ao menos R$ 23,5 bilhões nos oito primeiros meses do ano em relação a igual período de 2011, uma queda de 24,3%. No ano, a arrecadação somou R$ 673,57 bilhões e apresenta crescimento de 1,45%. Carros – Os dados da Receita Federal apontam queda de 77,57% na arrecadação de IPIautomóveis em agosto ante agosto de 2011, também em função da redução da alíquota do imposto. (AE)

Financeiras (IOF) para a tomada de crédito". Segundo o economista Amir Khair, especialista em finanças públicas, os incentivos concedidos pelo governo federal à produção e venda de automóveis, via redução do IPI, vão favorecer as finanças de todos os estados, sobretudo aqueles localizados nas regiões Sul e Sudeste, em que o ICMS representa uma grande fonte de receita. No acumulado do ano, a ar-

recadação com o IPVA apresentou alta, para R$ 10,35 bilhões, 5,3% mais ante igual período do ano passado. No mesmo período, o tributo representou 12,3% da receita total do estado, ficando atrás apenas do ICMS, que teve uma participação de 82,8%. ICMS – No mês de agosto, a receita total tributária do Estado de São Paulo totalizou R$ 10,07 bilhões, 2,9% acima do valor arrecadado em agosto e 5% mais sobre o mês de ju-

lho. O ICMS contribuiu com R$ 9,02 bilhões, já descontada a receita extraordinária do Programa de Parcelamento Incentivado (PPI). De acordo com dados da Sefaz, o comércio varejista e atacadista registraram os crescimentos mais expressivos, respectivamente de 8,6% e 5,4%, bem acima da expansão média da arrecadação do imposto, de 1,9%. Já os recolhimentos da indústria cresceram apenas 0,8%.

Yuriko Nakao/Reuters

A projeção para os investimentos estrangeiros diretos (IED) no Brasil subiu para US$ 60 bilhões

BC eleva previsão de entrada de investimento estrangeiro

O

Banco Central (BC) elevou em 50% a previsão de ingresso de investimentos estrangeiros no País em 2012 em relação à estimativa feita há três meses. De acordo com a instituição, os investidores continuaram confiantes no País, apesar da crise, no que se refere a projetos de longo prazo. O BC espera US$ 82 bilhões em investimentos no País em 2012. A projeção para os investimentos estrangeiros diretos (IED) em empresas brasileiras, por exemplo, subiu 20%, para US$ 60 bilhões. Com essa nova previsão, o Brasil terá agora recursos para cobrir com folga, pelo quinto ano seguido, o resultado negativo do País nas suas transações de bens e serviços com o

exterior, que foi revisto para baixo pela instituição, para US$ 53 bilhões. "A avaliação sobre o Brasil continua positiva, e o melhor indicador sobre isso são os fluxos de IED, que não tiveram uma mudança de comportamento, a despeito das adversidades", afirmou o chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Tulio Maciel. Na avaliação do economista sênior do BES Investimento do Brasil, Flávio Serrano, o BC parece ter se convencido de que a crise internacional não será tão prejudicial aos investimentos como se pensava. "Talvez o BC tenha sido conservador em suas projeções anteriores, pois a crise externa indicava contração dos investimentos", disse. "Mas

os dados foram mostrando uma dinâmica mais consistente e forte que o obrigou à revisão para cima." Já a estimativa para entrada de empréstimos externos acima de um ano, também classificada pelo BC como investimento, passou de US$ 100 milhões para US$ 9,1 bilhões. Em junho, o governo zerou o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para captações entre dois e cincos anos, que estava em 6% desde março. "Estamos considerando um quadro de ampliação da liquidez externa", disse Maciel. Em relação às viagens internacionais, a previsão do BC ficou estável, pois os gastos de brasileiros fora do País tem se mantido neste ano próximos dos verificados em 2011. (AE)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

e

15 Nossa política de incentivo ao uso do parcelamento tem dado resultado. Márcio Schettini, vice-presidente de Crédito ao Consumidor do Itaú Unibanco

conomia

Itaú lança cartão de crédito 2.0 Itaucard 2.0 terá 40 dias de crédito sem juros. Só que no caso do não pagamento o banco cobrará uma taxa de 5,99% ao mês relativos a todo o período. Paulo Giandala/ AE

Rejane Aguiar

O

Itaú Unibanco decidiu mudar seu modelo preferencial de cartão como forma de diminuir os encargos, passando a adotar o que o banco batizou de "Itaucard 2.0". O cliente continua tendo o benefício de até 40 dias sem juros do dia da compra à data de fechamento da fatura. Mas, agora, caso não haja o paga-

Banco investe R$ 10,4 bi

O

Itaú Unibanco anunciou ontem investimentos de R$ 10,4 bilhões em tecnologia e inovação até 2015. Desse total, R$ 4,6 bilhões irão para o desenvolvimento de sistemas, R$ 2,7 bilhões vão para a renovação da infreaestrutura de telecomunicações e outros R$ 2,3 bilhões para um centro de processamento de dados na região de Campinas. Também haverá R$ 800 milhões para adquirir softwares. "Esses investimentos devem garantir mais agilidade para as operações e maior flexibilidade para a criação de produtos financeiros", disse o presidente executivo do Itaú Unibanco, Roberto Setubal. O novo centro de processamento de dados que está sendo construído em Mogi Mirim vai ampliar em pelo menos dez vezes o potencial de processamento de operações do banco. (RA)

mento integral, o cliente pagará juros de apenas 5,99% ao mês relativos a todo o período. "Esse é o modelo que escolhemos. Já em outubro o cartão 2.0 estará disponível também na versão múltipla, com funções de débito e crédito", anunciou ontem o presidente executivo do Itaú Unibanco, Roberto Setubal. O anúncio foi feito um dia depois de o Bradesco ter anunciado redução de até 54% nas taxas máximas dos financiamentos no cartão de crédito. O Itaú Unibanco, maior banco privado do País, informou ainda que até o fim deste ano nenhum cartão de sua base terá juros superiores a 9,99% ao mês (o equivalente a 213,5% ao ano). E, assim como o concorrente, o Itaú Unibanco ressaltou que a estratégia não resulta da pressão do governo sobre os bancos para cortarem juros ao consumidor. "Já reduzimos taxas nos cartões desde o ano passado, bem antes de esse assunto ganhar repercussão", afirmou Setubal. "Nesse período, incentivamos os clientes a trocar o rotativo pelo parcelamento da fatura, que tem encargos menores, de no máximo 5,9% ao mês." Essa taxa equivale a 98,95% ao ano. Com os primeiros passos dados por Bradesco e Itaú Unibanco, outros grandes bancos privados, como Santander e HSBC, informaram que também avaliam a redução dos juros nos cartões de crédito – que continuam na lista de modalidades de financiamento com as taxas mais elevadas do mercado. Em agosto, o juro médio estava em 10,69% ao mês (o correspondente a 238,30% anuais), de acordo com a Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). A taxa básica de juros (Selic) é de 7,50% anuais. Parcelamento – Segundo o vice-presidente da área de Crédito ao Consumidor do Itaú Unibanco, Márcio Schettini,

Caixa amplia benefícios do Construcard

A

Caixa Econômica Federal anunciou nesta ontem novas condições para o Construcard, cartão destinado à aquisição de materiais de construção. Os ajustes no produto são válidos para clientes com renda individual mensal de até R$ 1, 6 mil. Após recentes modificações feitas no cartão, que teve prazo ampliado de 60 para 96 meses e taxas de juros reduzidas, a Caixa criou agora nova faixa de taxa para o produto. As novas condições permitem juros de 0,90% ao mês + TR e prazo de até 72 meses para pagar, atendendo à parcela da população com menor renda. A taxa passa a valer a partir de 1º de outubro. Com mais de 65 mil lojas credenciadas, o Construcard já beneficiou cerca de 1,2 milhão de famílias nos últimos cinco anos, financiando um total de R$ 15 bilhões nesse período. Moveiscard – A Caixa também divulgou a criação do Moveiscard, um cartão para

financiamento de móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos. A comercialização será a partir do dia 1º de outubro nas agências e poderá ser utilizado somente em lojas credenciadas. O vice-presidente de Pessoa Física da Caixa, Fábio Lenza, explicou que o cartão foi criado para atender às necessidades daqueles que querem mobiliar suas casas, e em especial dos clientes do Programa Minha Casa Minha Vida (PMCMV). "A expectativa é que o Moveiscard atenda 1,6 milhão de famílias até o final de 2013", comentou. O cartão financia até 100% do bem, com prazo de até 60 meses, sendo dois meses de utilização e 58 meses de amortização, com taxas de juros que variam de 0,90% a 1,80% a.m. A menor taxa é destinada aos clientes com renda familiar de até R$ 1, 6 mil. Para ter acesso, o interessado deve se dirigir a uma agência da Caixa e apresentar RG, CPF, comprovante de renda e endereço. (AE)

Redecard se mantém independente

A

credenciadora de cartões Redecard deve continuar operando como empresa independente, informou ontem o presidente executivo do Itaú Unibanco, Roberto Setubal. Na última segunda-feira, o banco concluiu a compra das ações da empresa que estavam em circulação no mercado, em uma operação de R$ 11 bilhões. Agora, o grupo tem praticamente 100% do capital da Redecard. Segundo Setubal, a integração das operações não deve exigir grandes investimentos, porque a credenciadora já opera em uma plataforma comum do grupo. A intenção do Itaú Unibanco é ampliar a presença de seus produtos e serviços financeiros entre os lojistas que têm contratos com a credenciadora, sejam eles clientes do Itaú Unibanco ou não. "Queremos que a Redecard se transforme em uma grande plataforma de serviços de pagamentos e recebimentos. E será, para o banco, um importante canal de distribuição de produtos", afirmou. (RA) Roberto Setubal, presidente do Itaú Unibanco, explica modelo que diminui os encargos. entre os clientes que usam os financiamentos com cartão, 60% optam pelo parcelamento da fatura e os 40% restantes ficam no rotativo, que tem juros mais elevados. "Nossa política de incentivo ao uso do parcelamento tem dado resultado. No primeiro semestre deste ano, aumentou 40% o volume de financiamentos nessa modalidade em relação a igual período do ano

passado, enquanto o uso do rotativo caiu 3% nessa comparação", destacou Schettini, informando que a taxa média no parcelamento é de 5,5% mensais (90,12% ao ano). Os juros dos cartões de financeiras administrados pelo Itaú Unibanco, hoje, estão próximos de 13% mensais. Sem juros – Os executivos também comentaram a possibilidade de fim ou restrição

dos parcelamentos sem juros nos cartões de crédito, vistos como o fator responsável pelas altas taxas das outras formas de financiamento com cartão. "É inevitável um redesenho dessa modalidade no Brasil, mas esse processo deve envolver o sistema financeiro, o comércio e o órgão regulador. A mudança deve ser gradual", defendeu Schettini.

Segundo ele, os custos elevados para manter uma carteira longa de recebíveis sem juros acabam influenciando as taxas. "Além disso, o lojista repassa para os preços os custos que têm para antecipar esses recebíveis", explicou. O diretor executivo do Bradesco, Marcelo Noronha, já disse que discorda. "Basta coibir os excessos nos prazos", disse na segunda-feira.

Greves estão longe do fim Luiz Tito/AE

N

ão há sinais de que as greves dos bancários e nos Correios acabem até o meio desta semana. Enquanto os Correios tentam na Justiça garantir o dissídio coletivo para seus funcionários, como fez em 2011, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), sindicato que representa as instituições financeiras, se nega a sentar para negociar com os grevistas e apresentar nova proposta. Bancários – A greve dos bancários, que começou na terçafeira passada (18), ganhou força ao longo da semana. Enquanto a adesão foi de 5.132 agências e centros administrativos (24% das 21.713 localidades em todo o País) no primeiro dia de paralisação, esse número cresceu 77% e chegou 9.092 locais (42%) no 4º dia de greve, segundo o sindicato da categoria. O comando nacional orientou os representantes dos sindicatos de todo o País a intensificarem a mobilização nas bases para forçar a Fenaban a romper o silêncio e retomar as negociações com a categoria. Correios – Terminou sem acordo a segunda rodada de negociação entre representantes dos Correios e dos trabalhadores da estatal em greve, realizada ontem, em Brasília, e que contou com a mediação do Tribunal Superior do Trabalho (TST). A manutenção do impasse levou ao julgamento da questão pelo TST. A sessão que vai tratar do dissídio coletivo está

Dissídio coletivo dos funcionários dos Correios será julgado pelo TST na próxima quinta-feira marcada para a próxima quinta-feira, em sessão extraordinária do tribunal. O movimento grevista teve início no dia 11 de setembro e conta com a adesão de parte dos empregados. A estatal manteve a oferta de reajuste de 5,2%, alíquota que cobriria a inflação dos últimos 12 meses (sem aumento real) e que valeria tanto para o salário quanto para os benefícios pagos aos funcionários, como vale-refeição, cesta básica e auxílio-creche. A Fentect, federação sindical que representa os funcionários dos Correios, rejeitou a oferta. A demanda inicial é por reajuste de 43,7%, além de aumento linear de R$ 200, tíquete-alimentação de R$ 35 e a contratação de 30 mil trabalhadores. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Por meio do contrato, no valor de R$ 1, a Equatorial energia se comprometeu a adquirir 39,179 milhões de ações de emissão da Celpa.

conomia Lucas Lacaz Ruiz/AE

BNDES financia investimento da CPFL Seis distribuidoras da concessionária de energia elétrica receberão R$ 1,3 bilhão

A

diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou ontem financiamentos no valor de R$ 1,3 bilhão para seis distribuidoras do grupo CPFL Energia. O maior deles, de R$ 790 milhões, para a Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), destina-se ao plano de investimento da empresa nos anos 2012/2013. Os demais financiamentos são para a distribuidora Rio Grande Energia, no valor de R$ 275 milhões, e Companhia Piratininga de Força e Luz, de R$ 220 milhões. Os recursos incluem apoio a programas sociais das empresas, com foco em ações nas comunidades carentes em sua área de atuação. Nas três operações, parte dos recursos será repassada por dois agentes financeiros, o Itaú BBA e o Banco do Brasil. Os desembolsos para as outras três aprovações – Companhia Luz e Força Santa Cruz (R$ 25,5 milhões), Companhia Sul Paulista de Energia (R$ 14,9 milhões) e Compa-

nhia Leste Paulista de Energia (R$ 12,3 milhões) – serão liberados diretamente pelo BNDES, sem intermediação de agentes financeiros. Na prática, o BNDES financiará 64,1% do plano de investimentos da CPFL de 2012 a 2013, no valor de R$ 1,2 bilhão, cujo objetivo é adequar o sistema elétrico à expansão do mercado e aos níveis de qualidade e confiabilidade. O plano abrange os municípios de Campinas, Ribeirão Preto, Bauru e São José do Rio Preto. Para a Rio Grande Energia, o objetivo é financiar a automação das redes elétricas de distribuição, de modo a tornar mais ágil o restabelecimento do fornecimento de energia durante as manutenções programadas. Quanto à Companhia Piratininga de Força e Luz, os investimentos serão realizados nas redes de distribuição e nas subestações. Para a Companhia Sul Paulista de Energia, Companhia Luz e Força Santa Cruz e Companhia Leste Paulista de Energia o objetivo é atender à expansão do mercado. (Agências)

Os recursos oficiais serão usados principalmente para ampliar a rede de distribuição e aprimorar a qualidade e a confiabilidade dos serviços.

Equatorial Energia fecha contrato com a Celpa

A

Equatorial Energia celebrou ontem contrato de compra e venda de ações com a Centrais Elétricas do Pará (Celpa). Por meio do contrato, no valor de R$ 1, ela se comprometeu a adquirir 39,179 milhões de ações de emissão da Celpa, sendo 38,717 milhões de ordinárias e 461.917 preferenciais. Isso

corresponde a uma participação de 65,18% do capital votante e 61,37% do capital social total da Celpa. O preço total de aquisição se deve ao fato de a Celpa encontrar-se em processo de recuperação judicial. O plano de recuperação da empresa foi aprovado em assembleia geral de credores realizada em 1º

de setembro e homologado na mesma data. O plano contempla uma proposta para equacionamento do passivo operacional e financeiro da Celpa, bem como a aquisição, por um investidor, do controle da companhia. A conclusão da operação está sujeita a certas condições, incluindo a aprovação pela Agência

Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e pelo Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência (Cade). Com a conclusão do negócio, a Equatorial aumentará sua atuação no setor de distribuição de energia elétrica, expandindo sua participação no setor energético para a Região Norte. (AE)

Eike faz sociedade com o Cirque du Soleil

D

epois de comprar parte do Rock in Rio, obter os direitos do Ultimate Fighting Championship (UFC) e assinar contrato para assessorar o jogador Neymar, a IMX – empresa de esportes e entretenimento de Eike Batista em sociedade com a IMG Worldwide – associou-se agora ao Cirque du Soleil. A joint venture, em que cada empresa deterá fatia de 50%, vai ter sede no Rio de Janeiro e explorará as apresentações do grupo canadense em toda a América do Sul. O anúncio não caiu bem para os acionistas da concorrente Time for Fun (T4F), que vendia os espetáculos do grupo no País até agora. Os papéis da concorrente entraram em leilão duas vezes e despencaram mais de 16% nesta terça-feira na BM&FBovespa. A IMX, por sua vez, não nega que seu plano é ir para a Bolsa, mas não revela quando a estreia no mercado de ações deve acontecer. "Existe essa possibilidade e sempre foi considerada. Não há prazo, mas há essa ideia", declarou o presidente da IMX, Alan Adler, durante o lançamento da subsidiária em parceria com o Cirque du Soleil, que recebeu o nome de IMX Arts. O evento foi realizado no Mr. Lam, restaurante de alto padrão que Eike mantém no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio. Sobre o fim da parceria com a T4F, o presidente do Cirque du Soleil, Daniel Lamarre, disse

Wilton Junior/AE

IMX, empresa de entretenimento de Eike Batista, associa-se ao grupo canadense, depois de comprar parte do Rock in Rio e de fazer contrato para assessorar Neymar.

que o contrato existente será respeitado. Segundo ele, a T4F terá direito a fazer mais um tour do Cirque na América do Sul no ano que vem. Isso não impede que outros projetos sejam tocados paralelamente por meio da IMX Arts a partir de 2013, conforme planejado. "Não estamos aqui para fazer um espetáculo durante algumas semanas", disse. "Estamos aqui para fazer uma companhia forte no Brasil, com Adler e Eike". Segundo os executivos, a empresa desenvolverá produtos específicos para o mercado

local e explorará a marca Cirque du Soleil de diversas formas, incluindo licenciamento de produtos. As empresas não revelaram os valores envolvidos na criação da empresa. Na seara esportiva, a IMX está de olho no Maracanã e fechou recentemente com a Odebrecht um acordo para fazer a venda de camarotes no Arena Pernambuco, em Recife. Adler não descarta entrar na construção de estádios no futuro. "Está no nosso objetivo. Pode acontecer. Ninguém duvida que são necessárias arenas no Brasil", declarou. (AE)

Compra do Independência pelo JBS

O

presidente da JBS, Wesley Batista, disse ontem que o processo de compra do frigorífico Independência deve estar concluído até o final do ano. Segundo ele, a companhia fechou acordo com credores e detentores de títulos de dívida (bonds) da empresa. "Estamos em fase de formalização de todo o processo", afirmou em São Paulo. A compra dos ativos do Inde-

pendência, que está em processo de recuperação judicial, permitirá à JBS ampliar as operações de bovinos em áreas com grande oferta para o abate. A proposta para a aquisição é de R$ 268 milhões. A JBS deve ficar com quatro unidades frigoríficas no Mato Grosso do Sul e Rondônia; dois curtumes em Rondônia; dois centros de distribuição e armazéns em São Paulo; e as

marcas do Independência. Já no segmento de frangos, Batista não avalia aquisições, apesar de o momento ser favorável para compras. A disparada dos preços dos grãos, principal insumo para a produção de carne de frango, deixou muitas empresas médias em dificuldades. "Estamos mais preocupados em tornar a Frangosul eficiente como queremos, disse. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

e

17

Os responsáveis pela formulação da política energética atuam, muitas vezes, em direções opostas. Sérgio Bandeira de Mello, presidente do Sindigás

conomia

Preço inibe uso de gás na indústria Combustível custa US$ 14 por milhão de BTU para a indústria nacional, e US$ 20 para o comércio. Nos Estados Unidos, sai por US$ 3. Lucas Lacaz Ruiz/ AE

Paula Cunha

Até 2020, produção deve quintuplicar.

O

Brasil produz 110 milhões de m³ de gás combustível diariamente e conta com uma oferta aproximada de 50 milhões de m³ no mercado interno. A perspectiva é de que esta disponibilidade atinja 200 milhões em 2020. Apesar do crescimento da sua utilização por parte da indústria nos últimos anos, esta disparidade ainda não diminuiu. Ela é, na opinião de especialistas, um dos grandes desafios do País, pois o crescimento do seu uso poderá contribuir para a expansão de diversos setores, e oferecer ganhos ambientais, pois o gás é menos nocivo que outras matrizes energéticas, caso do petróleo. Esta é uma das conclusões do seminário sobre abastecimento e rumos do setor desta matriz energética no Brasil realizado ontem na Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Luiz Gonzaga Bertelli, coordenador do Conselho de Infraestrutura da entidade, ressaltou que o gás combustível é uma fonte nobre de energia porque é limpa e atualmente as indústrias o estão utilizando cada vez mais. Alencar Burti, presidente do Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) de São Paulo, representou no evento o presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Rogério Amato. Burti, que também é membro do Conselho Superior da ACSP, reforçou a importância da discussão do tema, já que o País necessita de todos os tipos de fontes de energia para

L. C.Leite/LUZ

O L. C. leite/ LUZ

Acima, Gasoduto Campinas Rio de Janeiro, localizado em Taubaté, no Vale do Paraíba, abastece os mercados do Rio e de São Paulo. Ao lado, Alencar Burti (Sebrae/ACSP), Luiz Gonzaga Bertelli (ACSP) e Adriano Pires (CBIE).

garantir o seu desenvolvimento a médio e longo prazos. "A realização de eventos como este é importante para dimensionar o segmento tanto nacional quanto internacionalmente", afirmou. O debate foi coordenado por Petro A. Krepel, membro do Conselho de Infraestrutura, que lembrou que há 345 campos de produção de gás combustível no País, todos sob o controle da Petrobras, mas há outros braços do segmento, como o transporte e comercia-

Silmag Brasil Produtos Médicos Ltda EPP CNPJ 08.633.431/0001-05 NIRE 35221088562 Edital de Convocação Ficam convocados os sócios da SILMAG BRASIL PRODUTOS MÉDICOS LTDA EPP., com sede na Rua Tapiraí, 39, 51 e 63, São Paulo, SP, inscrita no CPNJ sob o nº 08.633.431/0001-05, com fundamento nos artigos 1.071, inciso I, 1.072, 1.073, inciso I, 1.078, todos do Código Civil e na cláusula oitava e seu parágrafo primeiro do contrato social, a comparecer em reunião de sócios a realizar-se no próximo dia 04 de outubro de 2012, na sede da Sociedade, às 14h30 horas, com o objetivo de tomar as contas dos exercícios encerrados em 31 de dezembro de 2010 e 31 de dezembro de 2011 e deliberar sobre as respectivas documentações, podendo ainda ser tratados outros assuntos de interesse dos sócios e da Sociedade. Carlos Andrés Magrini - Sócio. 22,25,26/09/2012

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 25 de setembro de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Reqte: Alexandre Rodrigues - Reqdo: Soletrol Industria e Comércio Ltda. - Av. dos Bandeirantes, 5103 - Planalto Paulista - Reqdo: Hidraushop Materiais Hidráulicos e Aquecedores Ltda. - Av dos Bandeirantes, 5.103 - Planalto Paulista - 1ª V. Falências Reqte: Famaza Fomento Mercantil Ltda. - Reqdo: Piroquímica Comercial Ltda. - Av. Prof. Alceu Maynard Araujo, 1.21 - 2º andar - Vila Cruzeiro - 2ª V. Falências Reqte: Plasinco Ltda. - Reqdo: Condutores Elétricos Terrau Ltda.-EPP - R. Eli, 865 - Vila Maria - 1ª V. Falências

lização, administrados em parceria com a iniciativa privada. Na opinião dele, isso contribuiu para a maturidade do segmento. Entretanto, Krepel acredita que o mercado consumidor só avançará se tiver preços mais atraentes. Hoje, o preço do gás para a indústria brasileira é de US$ 14 por milhão de BTU (unidade de volume), e para o comércio chega a US$ 20. Nos Estados Unidos, sai por US$ 3. Na opinião de Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de

Infraestrutura (CBIE), falta ao governo federal uma visão estratégica para o segmento. Ele disse que o gás está se transformando numa commodity no mercado internacional, devido ao crescimento da produção e do aperfeiçoamento das tecnologias de extração e armazenamento. Por isso, ele acredita que o governo deveria criar uma legislação específica para estimular o segmento e elaborar um pacote de incentivos através de leilões.

estado paulista conta com um potencial de uso de gás canalizado expressivo, na avaliação de Silvia Maria Calou, presidente da Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp). Produz 10 milhões de m³ por dia, mas com o pré-sal a projeção é de atingir os 50 milhões em 2020. Hoje, há três empresas paulistas que distribuem e comercializam 15,5 milhões de m³ diários de gás (3% do consumo nacional) produzidos aqui e em outros estados. A presidente da Arsesp citou os números da Secretaria de Energia do Estado de São Paulo que apontam para um aumento expressivo a médio e longo prazos no consumo residencial, comercial e industrial do gás natural . No primeiro, a previsão é de crescer 56,8% de 2011 a 2020. Para o comércio, a estimativa é de avanço de 14,8% no período, e as indústrias poderão registrar alta de 20,6%. O presidente do Sindigás, Sérgio Bandeira de Mello, mostrou-se menos otimista. "Os agentes oficiais responsáveis pela

Silvia Maria Calou, da Arsesp. formulação da política energética atuam, muitas vezes, em direções opostas, pois quanto mais gás natural é oferecido ao mercado, mais gás liquefeito de petróleo é comercializado, o que aumenta a concorrência sem beneficiar o setor produtivo", afirmou. Já Angélica Garcia Cobas Laureano, gerente executiva de Marketing e Comercialização de Gás&Energia da Petrobras, disse que há grandes reservas de gás em todo o mundo, e por isso não há previsões de escassez a longo prazo. Para ela, os preços tiveram oscilações no mercado mundial em razão do terremoto no Japão e os fatos políticos no Oriente Médio, que fizeram subir o preço do petróleo. (PC)


DIà RIO DO COMÉRCIO

18

e ViolĂŞncia em protesto em Madri contra o governo

A manifestação foi organizada sob o slogan "Ocupe o Congresso"

conomia

Andrea Comas/Reuters

Milhares de manifestantes cercaram ontem carros da polícia nos arredores do Parlmamento espanhol, em Madri. O protesto Ê contra as medidas de austeridade anunciadas pelo primeiro-ministro Mariano Rajoy. No confronto com a polícia, vårios manifestantes ficaram feridos. No momento, a taxa de desemprego na Espanha Ê de 25% da população economicamente ativa.

Manifestação contra medidas de austeridade de Mariano Rajoy termina com 64 feridos e 26 detidos

M

ilhares de manifestantes tomaram avenidas do centro de Madri ontem, em protesto contra as medidas de austeridade do governo. Os manifestantes chegaram perto do Parlamento, protegido por mais de mil guardas da tropa de choque. A polícia forçou os manifestantes a se agruparem na praça Netuno, próxima ao Parlamento, e usou cassetetes para conter alguns mais exaltados que lideravam a marcha. Segundo o jornal El País pelo menos 64 pessoas ficaram feridas, entre elas quatro policiais. A polícia deteve 26 pessoas. A manifestação foi organizada sob o slogan "Ocupe o Congresso" e levou às ruas milhares de pessoas cansadas com os nove meses de medidas de austeridade implantadas pelo primeiro-ministro es-

panhol Mariano Rajoy. C o ng r e s so – O governo regional de Madri estima que seis mil pessoas participaram do protesto de ontem, que partiu da estação de trens Atocha e da praça Espanha em direção ao Congresso. A polícia tentou impedir a golpes de cassetetes que os manifestantes parassem o trânsito e chegassem perto demais do Parlamento. Furiosos, eles pediam a demissão imediata dos parlamentares. A manifestação contou com a participação de vårios funcionårios públicos, temerosos com as novas medidas de austeridade que Rajoy poderå anunciar nesta semana. "A única solução Ê colocar cada um dos parlamentares nas ruas para que eles vejam como estão as coisas" disse uma das manifestantes, a funcionåria pública María López

%KVCnlQ  2TC\Q  FKCU  2TQE   PÂ? QTFGO  1 &T 5KFPG[ FC 5KNXC $TCIC ,WK\ FG &KTGKVQ FC Â&#x153; 8CTC %sXGN (C\ 5CDGT C <QW %JGPINQPI %2(  SWG *5$% $CPM $TCUKN 5#  $CPEQ /}NVKRNQ CLWK\QW WOC #nlQ EQO 2TQEGFKOGPVQ 1TFKPhTKQ QDLGVKXCPFQ EQPFGPCT Q ToW CQ RCICOGPVQ FG 4    TGH CQU EQPVTCVQU FG %QPVC %QTTGPVG G %ToFKVQ 2CTEGNCFQ PÂ?U    G  CETGUEKFQ FG EWUVCU JQPQThTKQU G FGOCKU EQOKPCn|GU 'UVCPFQ Q TGSFQ GO NWICT KIPQTCFQ HQK FGHGTKFC C EKVCnlQ RQT GFKVCN RCTC SWG GO  FKCU C HNWKT CRxU QU  FKCU UWRTC EQPVGUVG UQD RGPC FG RTGUWOKTGOUG CEGKVQU QU HCVQU 5GTh Q RTGUGPVG GFKVCN RQT GZVTCVQ CHKZCFQ G RWDNKECFQ PC HQTOC FC NGK

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Juango Martin/EFE

Pilar. Ela teme que o governo Rajoy aumente a idade da aposentadoria dos 65 para 70 anos. O desemprego no paĂ­s atinge 25% da força de trabalho espanhola. RecessĂŁo â&#x20AC;&#x201C; A Espanha sofre a segunda recessĂŁo em trĂŞs anos. O paĂ­s agora estĂĄ sob pressĂŁo para pedir um pacote de auxĂ­lio ao Banco Central Europeu (BCE), para reduzir seus custos de financiamento. Rajoy ainda nĂŁo disse se o paĂ­s pedirĂĄ ajuda. O governo deverĂĄ anunciar novos cortes no orçamento amanhĂŁ, como parte do orçamento planejado para 2013. Na sexta-feira, um auditor independente publicarĂĄ um relatĂłrio sobre a situação dos bancos espanhĂłis. (AE) %KVCnlQ  2TC\Q  FKCU  2TQE   PÂ? FG QTFGO  1 &T %*4+5612*'4 #.':#0&'4 41+5+0 ,WK\ FG &KTGKVQ FC Â&#x153; 8CTC %sXGN (C\ 5CDGT C /CTKC FQ %CTOQ (NGPKM SWG VCODoO CUUKPC /CTKC FQ %CTOQ (CTKC SWG #PIGNQ 8KNNCTFQ 0GVQ CLWK\QW WOC #nlQ /QPKVxTKC QDLGVKXCPFQ Q TGEGDKOGPVQ FG 4    CETGUEKFQU FG LWTQU G EQTTGnlQ OQPGVhTKC 'UVCPFQ C TGSFC GO NWICT KIPQTCFQ HQK FGHGTKFC C EKVCnlQ RQT GFKVCN RCTC SWG PQ RTC\Q FG  FKCU C HNWKT CRxU QU  FKCU UWRTC RCIWG Q XCNQT UWRTC FGXKFCOGPVG EQTTKIKFQ SWG C VQTPCTh KUGPVC FCU EWUVCU G JQPQThTKQU CFXQECVsEKQU QW PQ OGUOQ RTC\Q QHGTGnC GODCTIQU UQD RGPC FG EQPXGTUlQ FQ OCPFCFQ FG EKVCnlQ GO OCPFCFQ FG GZGEWnlQ 5GTh Q RTGUGPVG GFKVCN RQT GZVTCVQ CHKZCFQ G RWDNKECFQ PC HQTOC FC NGK

37+06# 8#4# &# (#<'0&# 27$.+%# ° 37+061 1(+%+1 &# (#<'0&# 27$.+%# '&+6#. 2#4# %10*'%+/'061 &' 6'4%'+415 +06'4'55#&15 %1/ 24#<1 &' 

&'< &+#5 GZRGFKFQ PQU CWVQU FQ 241% 0Â?  1 # &QWVQT C %TKUVKCPG 8KGKTC // ,WK\ C FG &KTGKVQ FC Â&#x153; 8CTC FG (C\GPFC 2}DNKEC FQ 'UVCFQ FG 5lQ 2CWNQ PC HQTOC FC .GK GVE (#< 5#$'4 # 6'4%'+415 +06'4'55#&15 0# .+&' SWG Q C %QORCPJKC FQ /GVTQRQNKVCPQ FG 5lQ 2CWNQ  /GVTz OQXG WOC #nlQ FG &GUCRTQRTKCnlQ RQT WVKNKFCFG R}DNKEC EQPVTC ,QlQ 'PQSWG 4KDGKTQ )WKOCTlGU G 8#0&# &' 1.+8'+4# #.8'5 )7+/#4ÂŹ'5 QDLGVKXCPFQ Q KOxXGN UKVQ PC 4WC %CNKHxTPKC PÂ?  %CUC  $TQQMNKP PGUVC %CRKVCN G TGURGEVKXQ VGTTGPQ SWG OGFG OĂŻ EQPVTKDWKPVG PÂ?  FGENCTCFQU FG WVKNKFCFG R}DNKEC EQPHQTOG &GETGVQ 'UVCFWCN PÂ?  FCVCFQ FG  2CTC Q NGXCPVCOGPVQ FQU FGRxUKVQU GHGVWCFQU HQK FGVGTOKPCFC C GZRGFKnlQ FG GFKVCN EQO Q RTC\Q FG  FG\ FKCU C EQPVCT FC RWDNKECnlQ PQ Ă&#x17D;TIlQ 1HKEKCN PQU VGTOQU G RCTC QU HKPU FQ &GE .GK PÂ?  Q SWCN RQT GZVTCVQ UGTh CHKZCFQ G RWDNKECFQ PC HQTOC FC NGK

3ÂŞ VARA CĂ?VEL REGIONAL DO IPIRANGA - EDITAL DE CITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O, COM PRAZO DE 30 DIAS. Proc. 0110908-56.2007 C.1649/07.O DOUTOR Carlos Antonio da Costa, MM. JUIZ DE DIREITO DA 3ÂŞ Vara CĂ­vel, DO ESTADO DE SĂ&#x192;O PAULO, NA FORMA DA LEI, FAZ SABER a Isaura Camillo, CPF 074.620.278-44 e a Silvio Fernandes de Carvalho, CPF: 952.921.608-49 que o Banco Bmd S/A, lhe ajuizou uma ação MONITĂ&#x201C;RIA, objetivando a cobrança da quantia de R$9.483,80, decorrente do Contrato de Abertura de CrĂŠdito em Conta Corrente Cheque Especial, de 28/07/1995. Encontrando-se os mesmos em lugar ignorado, foi deferida a intimação por edital, para que em quinze dias, a fluir apĂłs o prazo de trinta dias contados a partir da publicação deste edital, ofereça embargos monitĂłrios ou pague a importância supra, ficando ciente, outrossim, de que neste Ăşltimo caso ficarĂĄ isento de custas e honorĂĄrios advocatĂ­cios e de que na hipĂłtese de nĂŁo oferecimento de embargos, serĂĄ iniciada a execução, conforme previsto no Livro II, TĂ­tulo II, capĂ­tulos II e IV. O presente serĂĄ afixado e publicado na forma da lei.

EDITAL DE CITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - PRAZO DE 20 DIAS - PROCESSO nÂş 0019135-72.2012.8.26.0100 - Pedido de FalĂŞncia. O Doutor Caio Marcelo Mendes de Oliveira, MM. Juiz de Direito da 2ÂŞ Vara de FalĂŞncias e Recuperaçþes Judiciais, do Foro Central CĂ­vel, da Comarca de SĂŁo Paulo, do Estado de SĂŁo Paulo, na forma da Lei, etc. FAZ SABER a Off The Field Empreendimentos Esportivos Ltda, CNPJ/MF nÂş 13.861.677/0001-66, que YpĂŞ Locaçþes Ltda. ajuizou um Pedido de FalĂŞncia por ser credor da quantia de R$ 160.698,24, representada por cheques, devidamente protestados. Estando a rĂŠ em lugar ignorado, foi deferida a citação por edital, para que em 10 dias, a fluir apĂłs os 20 dias supra, apresente defesa, podendo, nos termos do art. 98, parĂĄgrafo Ăşnico da Lei 11.101/2005 - depositar a quantia correspondente ao total do crĂŠdito reclamado, acrescida de juros, correção monetĂĄria, custas, despesas processuais e honorĂĄrios advocatĂ­cios fixados em 10% do dĂŠbito sob pena de decretação da falĂŞncia. SerĂĄ o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei, sendo este FĂłrum localizado na Praça JoĂŁo Mendes s/nÂş, 16Âş andar salas 1618/1624, Centro - CEP 01501-900, Fone: 2171-6506. SĂŁo Paulo, 31 de agosto de 2012.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

19

MIXCAMP EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CNPJ/MF Nº 10.230.289/0001-99 – NIRE 35.300.358.848

Ata da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária realizada em 30 de abril de 2012 1. Data, hora e local: Em 30 de abril de 2012, às 08:00 horas, na sede social da Companhia, localizada na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Nações Unidas, 4.777, Edifício Villa Lobos, 1º andar, parte, Alto de Pinheiros, CEP 05477-000. 2. Convocação e presença: Dispensada a publicação de editais de convocação, nos termos do art. 124, § 4º, da Lei nº 6.404/76, conforme alterada (“Lei das S.A.”), tendo em vista a presença de acionistas representando a totalidade do capital social da Companhia, conforme assinaturas constantes do Livro de Presença dos Acionistas. Em observância ao artigo 133 da Lei das S.A., foi efetuada a publicação do relatório da Administração, balanço patrimonial e demais demonstrações financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011 nos jornais “Diário do Comércio” e “Diário Oficial Empresarial do Estado de São Paulo”, ambos em edi­ ção de 28 de abril de 2012. 3. Mesa: Assumiu a presidência dos trabalhos o Sr. Paulo Ricardo Baqueiro de Melo, que convidou a Sra. Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer para secretariá-lo. 4. Ordem do dia: Reuniram-se os acionistas da Companhia para deliberar a respeito da seguinte ordem do dia: I. Em Assembleia Geral Ordinária: (i) apreciação do relatório da Administração, exame, discussão e votação das demonstrações financeiras referentes ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2011; (ii) destinação do resultado apurado no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011; (iii) destituição e eleição de membros da Diretoria; e (iv) fixação da remuneração global da Diretoria para o corrente exercício; e II. Em Assembleia Geral Extraordinária: aumento de capital mediante capitalização de Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital – AFAC e a consequente alteração do artigo 4º do Estatuto Social. 5. Deliberações: Instalada a Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, os acionistas presen­ tes deliberaram, por unanimidade de votos e sem quaisquer ressalvas ou restrições: I. Em Assembleia Geral Ordinária: 5.1. Aprovar o relatório da Administração, o balanço patrimonial e demais demonstrações financeiras referentes ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2011, conforme publicadas nos termos do item 2 acima. 5.2. Fazer constar que a Companhia apurou prejuízo no montante de R$ 14.344,32 (quatorze mil, trezentos e quarenta e quatro reais e trinta e dois centavos) no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, conforme consta das demonstrações financeiras, sendo esse valor destinado à conta de prejuízos acumulados da Companhia. 5.3. Aprovar a destituição do Sr. Paulo Aridan Soares Mingione, brasileiro, divorciado, engenheiro civil, portador da Cédula de Identidade RG nº 10.526.716-8 SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob o nº 100.434.258-60, do cargo de Diretor da Companhia, para o qual foi eleito por ocasião da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária de 30.04.2011, consignando os agradecimentos ao referido Diretor pela diligência com que exerceu o cargo até a presente data. 5.3.1. A Companhia e o Diretor ora destituído outorgam-se a mais ampla, geral, plena, irrevogável e irretratável quitação de todas e quaisquer obrigações que porventura existam ou venham a existir, decorrentes do vínculo ora terminado, declarando nada terem a reclamar um do outro a esse título a qualquer tempo. 5.4. Eleger como Diretor da Companhia, o Sr. Cláudio Luiz Zafiro, brasileiro, casado, engenheiro civil, portador da Cédula de Identidade RG nº 11.795.647-8 e inscrito no CPF/MF sob o nº 084.159.338-86, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Avenida das Nações Unidas, 4.777, 1º andar, parte, Alto de Pinheiros, Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 05477-000, todos com mandato até a realização da Assembleia Geral que apreciar as contas do exercício social que se encerrar em 31 de dezembro de 2013. 5.4.1. O Diretor aceita o cargo para o qual foi eleito, declarando conhecer plenamente a legislação, preencher todos os requisitos legais para o exercício do cargo e não estar impedido de exercer a administração da Companhia (a) por lei especial, em virtude de condenação criminal ou por se encontrar sob os efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou (b) por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, a fé pública ou a propriedade. 5.5. Face à deliberação tomada nos itens 5.3 e 5.4 acima, fazer constar que a Diretoria da Companhia é composta pelos seguintes membros, todos com mandato até a realização da Assembleia Geral que apreciar as contas do exercício social que se encerrar em 31 de dezembro de 2013: Paulo Ricardo Baqueiro de Melo, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 4.228.493 SSP/BA e inscrito no CPF/MF sob o nº 647.272.975­15; Cláudio Luiz Zafiro, brasileiro, casado, engenheiro civil, portador da Cédula de Identidade RG nº 11.795.647-8 e inscrito no CPF/MF sob o nº 084.159.338-86, ambos residentes e domiciliados na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo; e Luiz Eduardo Nogueira Porto, brasileiro, engenheiro civil, portador da Cédula de Identidade RG nº 4.386.690-6 SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob o nº 721.006.138-04, residente e domiciliado na Cidade de Campinas, Estado de São Paulo, todos com endereço comercial na Avenida das Nações Unidas, 4.777, 1º andar, parte, Alto de Pinheiros, Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 05477-000. 5.4. Aprovar a verba global de até R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais) para a remuneração dos membros da Diretoria para o corrente exercício social. II. Em Assembleia Geral Extraordinária: 5.6. Aprovar o aumento do capital social da Companhia, dos atuais R$ 2.116.330,00 (dois milhões, cento e dezesseis mil, trezentos e trinta reais) para R$ 2.550.074,00 (dois milhões, quinhentos e cinquenta mil e setenta e quatro reais), sendo esse aumento no valor de R$ 433.744,00 (quatrocentos e trinta e três mil, setecentos e quarenta e quatro reais), mediante a emissão de 433.744 (quatrocentos e trinta e três mil, setecentos e quarenta e quatro) novas ações ordinárias nominativas, pelo preço de emissão de R$ 1,00 (um real) cada uma, determinado de acordo com o previsto no artigo 170, § 1º, da Lei das S.A., todas subscritas pelos acionistas e integralizadas na forma dos respectivos boletins de subscrição anexos à presente ata como Anexos I e II e conforme disposto abaixo: (i) a acionista Odebrecht Realizações Imobiliárias S.A., neste ato, subscreve 390.370 (trezentos e noventa mil, trezentos e setenta) novas ações ordinárias nominativas, das quais integraliza 273.500 (duzentos e setenta e três mil e quinhentas) ações mediante a capitalização dos recursos por ela conferidos à Companhia a título de Adiantamento para Futuro Aumento de Capital – AFAC, no montante de R$ 273.500,00 (duzentos e setenta e três mil e quinhentos reais), permanecendo as 116.870 (cento e dezesseis mil, oitocentas e setenta) ações restantes, ora subscritas, a serem integralizadas em até 180 (cento e oitenta) dias contados da data da presente Assembleia; e (ii) a acionista Realize Empreendimentos Imobiliários Ltda., neste ato, subscreve 43.374 (quarenta e três mil, trezentas e setenta e quatro) novas ações ordinárias nominativas, e as integraliza mediante a capitalização de recursos por ela conferidos à Companhia a título de Adiantamento para Futuro Aumento de Capital – AFAC, no montante de R$ 43.374,00 (quarenta e três mil, trezentos e setenta e quatro reais). 5.7. Em consequência da deliberação tomada no item 5.6 acima, aprovar a alteração do artigo 4º do Estatuto Social da Companhia, que passa a vigorar com a seguinte redação: “Artigo 4º – O capital social é de R$ 2.550.074,00 (dois milhões, quinhentos e cinquenta mil e setenta e quatro reais), dividido em 2.550.074 (dois milhões, quinhentas e cinquenta mil e setenta e quatro) ações ordinárias nominativas e sem valor nominal.” 6. Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado, o Sr. Presidente deu por encerrada a Assembleia, da qual se lavrou a presente ata que, lida e achada conforme, foi assinada por todos. São Paulo, 30 de abril de 2012. (aa) Mesa: Paulo Ricardo Baqueiro de Melo – Presidente; Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer – Secretária. Acionistas: Odebrecht Realizações Imobiliárias S.A. e Realize Empreendimentos Imobiliários Ltda. Confere com a original lavrada em livro próprio. Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer – Secretária.  Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o número 340.331/12-4 em 02.08.12. Gisela Simiema Ceschin, Secretária Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 36/00225/12/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE MULTÍMETRO DIGITAL A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: AQUISIÇÃO DE MULTÍMETRO DIGITAL. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 26/09/2012, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 09/10/2012, às 09:30 horas e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 26/09/ 2012, até o momento anterior ao início da sessão pública. ÁLVARO ROGÉRIO VEIGA GARCIA Respondendo pela Presidência Portaria FDE nº 122/2012

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

Brasmotor S.A

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA ERRATA CONCORRÊNCIA Nº 10/00002/12/01 OBJETO: Registro de Preços para a execução de serviços de manutenção, conservação, reformas e pequenos serviços de engenharia nos prédios administrativos e escolares vinculados à rede pública de ensino do estado de São Paulo e à Fundação para o Desenvolvimento da Educação, com fornecimento de materiais e mão de obra. No Anexo X - Relação de Lotes e Quantitativos de Intervenções Onde se lê: Diretoria Capital/Região Metropolitana Nº de Intervenção mensal 15 Sul 3 (108) 108 Leia-se: Diretoria Capital/Região Metropolitana Nº de Intervenção mensal 15 Sul 3 (108) 69 Atenciosamente Comissão Especial de Julgamento de Licitações.

Brasmotor S.A. CNPJ/MF nº 61.084.984/0001-20 – NIRE 35.300.026.667 Ata da Reunião do Conselho de Administração de 20 de abril de 2012 Data: 20/04/2012, às 11:00 hs. Local: Sede social da Cia., na Av. das Nações Unidas, nº 12.995, 32º andar, sala 03, São Paulo-SP. Presença: Totalidade dos membros do Conselho de Administração. Mesa: João Carlos Costa Brega, Presidente; Sra. Nádia Ricas Xavier, Secretária. Ordem do Dia: Eleição do Presidente e do Vice-Presidente do Conselho de Administração. Deliberação: Nos termos do Art. 7º do Estatuto Social, foi designado para o cargo de Presidente do Conselho de Administração o Sr. João Carlos Costa Brega, portador do RG nº 9.185.345 – SSP/SP e do CPF/ MF sob o nº 048.506.488-00, e para o cargo de Vice-Presidente do Conselho de Administração o Sr. Armando Ennes do Valle Junior, portador do RG nº 6.171.415/SSP-SP e do CPF/MF sob o nº 007.043.118-36. Encerramento e Lavratura: Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente que, depois de lida e aprovada, foi por todos os presentes assinada. São Paulo, 20/04/2012. Conselheiros: João Carlos Costa Brega, Armando Ennes do Valle Junior e Antonio Mendes. Mesa: João Carlos Costa Brega, Presidente e Nádia Ricas Xavier, Secretária. (ass.) Nádia Ricas Xavier – Secretária. Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 399.379/12-5 em 14/09/2012. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

CNPJ /MF nº 61 .084.984/0001-20 – NIRE nº 35300026667 Ata da Assembléia Geral Ordinária realizada em 20 de abril de 2012. Data: 20/04/2012, às 09:30 hs. Local: Sede Social, na Av. das Nações Unidas, 12.995, 32º andar, sala 03, São Paulo, SP. Presença: Os acionistas da Cia. representando mais de 95% do capital votante, bem como representantes da administração e dos auditores independentes, em atendimento ao disposto no Art. 134, § 1º da Lei nº 6.404/76. Convocação: Editais de Convocação publicados nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo” e “Diário do Comércio” nos dias 02, 03 e 04/04/2012. Mesa: Sr. João Carlos Costa Brega, Presidente e Sra. Nádia Ricas Xavier, Secretária. Ordem do Dia: (I) Aprovar o Relatório Anual da Administração, as Demonstrações Financeiras Consolidadas e da Controladora e o Parecer dos Auditores Independentes relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2011; (II) Ratificar a deliberação do Conselho de Administração ocorrida em 05/12/2011, que aprovou a distribuição e pagamento de dividendos; (III) Deliberar sobre a proposta de destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2011; (IV) Re-eleger os membros do Conselho de Administração e (V) Aprovar a remuneração global dos administradores. Deliberações: (l) Após exame, foram integralmente aprovados, sem qualquer ressalva, o Relatório Anual da Administração, as Demonstrações Financeiras Consolidadas e da Controladora e o Parecer dos Auditores Independentes relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2011; (II) Foi ratificada a deliberação do Conselho de Administração em reunião ocorrida no dia 05/12/2011, relativa à distribuição de dividendos intermediários, para todas as ações integrantes do capital social, da seguinte forma: 1. (a) R$ 0,03565 por ação, para todas as ações ordinárias; e (b) R$ 0,03921 por ação, para todas as ações preferenciais, conforme disposto no inciso II do § 1º do Art. 17, da Lei nº 6.404/76, relativos aos lucros disponíveis em Reservas de Lucros, conforme balanço levantado em 30/06/2011; (III) Foi aprovada a proposta de destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2011, apresentada pelo Conselho de Administração, em reunião realizada em 02/04/2012, da seguinte forma: a) 5%, no montante R$ 8.229.764,57 para a Reserva Legal; b).ratificação da distribuição de dividendos já pagos durante o exercício de 2011, no montante de R$ 39.345.800,02, correspondente a 25,16%; c) o remanescente de 74,84%, no montante de R$ 117.019.726,86, para a Reserva Estatutária, denominada Reserva de Investimentos. (IV) Foram reeleitos para integrar o Conselho de Administração, os Srs. João Carlos Costa Brega, portador do RG nº 9.185.345 – SSP/SP, e do CPF/MF nº 048.506.488-00, Armando Ennes do Valle Junior, portador do RG nº 6.171.415/SSP-SP, e do CPF/MF nº 007.043.118-36, e Antonio Mendes, portador do RG nº 3.533.123-SSP/SP, e do CPF/MF nº 037.998.408-34, todos com mandato até a Assembleia Geral Ordinária que examinará as demonstrações financeiras referentes ao exercício social a se encerrar em 31/12/2014; e (V) Foi aprovado que a remuneração dos membros do Conselho de Administração e da Diretoria será realizada exclusivamente por sua coligada Whirlpool S.A. Aprovação: Todas as deliberações foram tomadas por unanimidade de votos, tendo sido aprovada, inclusive, autorização para que a ata desta Assembleia Geral seja publicada com omissão das assinaturas dos Senhores Acionistas, conforme faculta o Art. 130, § 2º da Lei nº 6.404/76. As publicações da Ata desta Assembleia serão efetuadas nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo” e “Diário do Comércio’’. Encerramento e Lavratura: Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente que foi por todos os presentes assinada. São Paulo, 20/04/2012. Mesa: João Carlos Costa Brega, Presidente e Nádia Ricas Xavier, Secretária. Acionistas:Whirlpool do Brasil Ltda.p.p. Adriana Duarte de Carvalho, Whirlpool Comercial Ltda. p.p. Adriana Duarte de Carvalho, Whirlpool Canada Holding Co. p.p. Adriana Duarte de Carvalho e Hugo Miguel Etchenique. Conselheiros Presentes: Armando Ennes do Valle Junior e João Carlos Costa Brega. Auditores: Ernst & Young Auditores Independentes S.S. Julio Braga Pinto. (ass.) Nádia Ricas Xavier – Secretária. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 399.381/12-0 em 14/09/2012. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

O Brasil alcançou a menor desigualdade social de sua história desde 1960.

conomia L.C.Leite/LUZ

Comércio popular da Rua 25 Março, no Centro: o crescimento dos salários nos últimos anos explica a redução da desigualdade social no País.

Uma década que não foi perdida Estudo do Ipea revela os avanços da inclusão social no Brasil entre 2001 e 2011. A renda entre os mais pobres da população subiu 550%, acima dos mais ricos. Rejane Tamoto

N

o ano passado o Brasil alcançou a menor desigualdade social de sua história desde 1960. Foi um processo que ocorreu na última década, segundo a pequisa "A Década Inclusiva (2001 - 2011): Desigualdade, Pobreza e Políticas de Renda", do presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Marcelo Côrtes Neri. De acordo com o estudo, em dez anos, a renda dos 10% mais pobres cresceu 550%, acima da dos 10% mais ricos. Com dados da Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios

(PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a pesquisa revela que a renda de negros, analfabetos, crianças, nordestinos e moradores do campo foi a que mais cresceu. Em famílias chefiadas por analfabetos o incremento foi de 88,6%. No Nordeste, a alta na renda foi de 72,8% contra 45,8% do Sudeste. Segundo dados da pesquisa, a renda cresceu mais nas áreas rurais pobres (85,5%) do que nas metrópoles (40,5%) e demais cidades (57,5%). Entre os que se identificam como pretos e pardos a renda subiu 66,3% e 85,5%, respectivamente, contra a alta de 47,6% dos brancos. " N o s ú l t im o s 1 2 m eses terminados em junho de 2012, captamos o mesm o m o v imento pela PME (Pe s q u isa Mensal de Emprego do IBG E), perfazendo 11 anos conse-

cutivos de quedas do índice de Gini", afirma Neri. O coeficiente de Gini é uma medida de concentração de renda que varia de zero a um. Neste método, os pobres valem mais. Quanto mais próximo de zero estiver o índice Gini, mais as rendas são consideradas iguais. Se for mais próximo do número 1, o coeficiente indica que a renda de todos se concentra em uma só pessoa, e assim é desigual. Segundo o estudo, após 30 anos de alta desigualdade, o índice Gini brasileiro começou a cair em 2001, passando de 0,594 a 0,527 em 2011. "O Brasil não é apenas a foto, mas também o filme do mundo na alvorada do novo milênio. A saga dos chineses e indianos rumo a melhores condições de vida é similar a de analfabetos, negros e nordestinos", afirma Neri, em seu estudo. Ainda assim, o pesquisador faz uma ressalva: o atual Gini de 0,527 está mais próximo do máximo do que do mínimo da desigualdade. Ele diz, ainda, que levaria 20 anos no atual ritmo de crescimento para o Brasil atingir níveis norte-americanos.

Europeus – Mesmo com a diminuição, a desigualdade social no Brasil ainda está entre as 12 mais altas do mundo. Se o coeficiente está em queda no Brasil, ele cresce nos demais países. "Em todos os países europeus da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) a desigualdade aumenta desde 1985, com exceção da França e da Bélgica. Nos países nórdicos conhecidos como os mais igualitários do mundo, como a Suécia e Finlândia, foi onde a desigualdade aumentou mais. A desigualdade norteamericana segue em trajetória ascendente, mas é maior naquelas que focam mais no topo da distribuição de renda", afirma. O pesquisador diz que os Ginis de China (0,48) e Índia (0,52) se aproximam do brasileiro. O crescimento dos salários explica a redução de 58% da desigualdade no Brasil, seguido por benefícios previdenciários (que contribuem com 19% para a queda), e pelo Bolsa Família (com 13%). As transferências de Benefício de Prestação Continuada (BPC) e outras rendas representam os

10% restantes. Segundo o O Brasil não é estudo, as apenas a foto, mas o t r a n s f e r ê nfilme do mundo na cias públicas alvorada do novo como BPC, milênio. A saga de Bolsa Família e Previdência chineses e indianos c o r r e s p o né similar à dos dem a recuranalfabetos. sos saídos MARCELO CÔRTES NERI, DO IPEA. dos cofres federais e é possível avaliar a efetividade relativa em termos do impacto de cada real aplicado na queda de desigualdade obtida. "Cada ponto percentual de redução de desigualdade na década custou 129,4% mais pelas vias dos aumentos da previdência social do que do BPC. A relação custo fiscal/benefício distributivo do Bolsa Família, no período 2001 a 2010, implicaria efeitos dobrados se fosse o canal utilizado e a performance relativa mantida. Os investimentos do Bolsa Família produziriam impactos 362,7% maiores que no caso da previdência social se a mesma relação técnica ao longo da década pudesse ser mantida", diz Neri.

Leonardo Rodrigues/e-SIM

Cresce emprego na construção Criação de vagas de trabalho no setor, em todo o País, atingiu 12,7 mil em agosto, crescimento de 0,37%.

A

criação de vagas de trabalho (contratações menos demissões) na construção civil em todo o País atingiu 12,7 mil em agosto, um crescimento de 0,37% em relação a julho. Os números mostram que o nível de emprego no setor continua avançando, mas em um ritmo menor. Em julho, a alta havia sido de 1,27%, de acordo com a pesquisa divulgada ontem pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Nos primeiros oito meses de 2012, a criação de postos no Brasil aumentou 7,38%, com a contratação de mais 234,2 mil trabalhadores. O resultado foi menor do que o registrado em igual período de 2011, quando o emprego cresceu 9,44%, com 267 mil contratações. "A desaceleração no ritmo de criação de vagas mostra que a expansão da atividade da construção continua, em-

bora em um Outra reclaritmo mais m a ç ã o é s om o d e ra d o " , bre o baixo níafirmou em vel de investinota o presimentos no dente do SinPaís, que gira mil trabalhadores duscon-SP, em torno de foram contratados na Sergio Wata1 8 % d o P r onabe. "Em duto Interno construção civil nos pequena parBruto (PIB). primeiros oito meses te, esse ritmo Com as nod e c r e s c ivas contratadeste ano, segundo mento mais ções, a conspesquisa contido tamtrução brasidivulgada ontem. bém resulta leira emprede incremengava até o to na produtifinal de agosvidade, fruto de investimen- to 3,408 milhões de trabalhatos em treinamento." dores com carteira assinada. Watanabe disse que o ritmo D e s t e s , a l g o e m t o r n o d e de recuperação da economia 1,719 milhão estava no Subrasileira é lento e preocupan- deste; 721,5 mil no Nordeste; te, afetando negativamente o 477,7 mil no Sul; 276,7 mil no setor da construção. Na oca- Centro-Oeste e 213,6 mil no sião, ele também lembrou que Norte. Em agosto, o emprego o Sinduscon-SP já diminuiu na construção cresceu em resuas projeções de crescimen- lação a julho em todas as reto do setor de 5% para 4% nes- giões do País, com destaque te ano em função da desacele- para o Centro-Oeste (0,48%), ração da economia, que tem Norte (0,45%) e Nordeste mostrado muita instabilidade. (0,39%).

234,2

Em São Paulo, o número de contratações na construção cresceu 0,14% em agosto, com o registro de 1,2 mil novos trabalhadores. No acumulado de janeiro a agosto, foram contratados mais 46,2 mil, alta 5,6% no setor. O Índice Nacional de Custos da Construção - Mercado (INCC-M) registrou variação positiva de 0,21% em setembro, abaixo do patamar registrado no mês passado, quando marcou alta de 0,32%, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o resultado deste mês, o índice acumula altas de 6,43% no ano e de 7,55% nos últimos 12 meses. O grupo Materiais, Equipamentos e Serviços apresentou aceleração ao sair de alta de 0,36% em agosto para 0,42% em setembro. O índice relativo a Materiais e Equipamentos passou de variação positiva de 0,37% para um avanço de 0,42%, enquanto o de Serviços variou de 0,32% em agosto para 0,43%. (AE)

Obra em São Paulo: número de contratações cresceu 0,14%.


DC 26/09/2012