Issuu on Google+

Diálogo Metropolitano

Rio Total: a bela Vanessa Giácomo PAG 8

Rio DE JANEiRo

» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013 | ANO 1 | NÚMERO 7 | ALPHA PRIME: 60 ANOS DE JORNALISMO

ENEM 2013: governo promete mais segurança e rigor com os erros Visando reconquistar a credibilidade abalada pela tolerância com diversos erros cometidos em redações no ano passado, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), promovido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação, passou por significativas mudanças a fim de ter mais rigor nas correções. As inscrições para a prova deste ano, que será aplicada nos dias 26 e 27 de outubro em todos os estados e no Distrito Federal, vão até o dia 27 de maio. E o interesse já é bastante expressivo. PAG 4

SAÚDE

ECONOMIA

Sem cura, mas tratável, asma atinge 300 milhões no mundo A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, afecção muito comum que pode afetar tanto crianças como adultos. Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), a asma atinge 300 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, 20 milhões de brasileiros convivem com a doença, que leva a óbito cerca de 3 mil pacientes todo ano. PAg 7

CULTURA

Falta de investimentos, taxas e burocracia são os vilões do Brasil Banco Internacional do Desenvolvimento lista o Brasil como o país que mais arrecada impostos na América Latina. PAG 3

NOSSOS COLUNISTAS

Rádio MEC FM comemorou seu 30º aniversário em 2013 Música erudita tocando no rádio? Em estação FM, ainda por cima? Pois é, essa rádio não só existe como está localizada no Rio de Janeiro. Estamos falando da MEC FM, que neste mês de maio comemorou 30 anos de existência. A MEC FM é sucessora da primeira emissora de rádio do Brasil, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada em 1923 por Edgard Roquette Pinto. Em 1932, a estação pioneira do país foi doada ao governo com a condição de que a programação da mesma se restringisse a um conteúdo educativo e cultural. PAg 5

ESPORTES

Angelina Jolie: lição de uma estrela

Lembranças dos tempos de excelência da Varig

DÉBORAH FONSECA PAg 2

HAMILTON VASCONCELLOS PAg 3

Despoluição dos rios, será que agora vai?

Vale do Café ganha Guia Ilustrado

DANIELLE DENNY PAg 4

RENATA PALMIER PAg 4

Redford mostra desencanto político no suspense

A não convocação de Ronaldinho Gaúcho

HAMILTON ROSA JÚNIOR PAg 5

JOSÉ CARLOS CICARELLI PAg 6

A polêmica sobre os médicos importados

O município de Resende é um local privilegiado

DRA. LÍVIA MARIA GENNARI PAg 7

REINALDO COSTA PAg 8

Maratona do Rio

Os atletas começavam a correr pelo Leme em direção à Praia do Botafogo e Aterro do Flamengo, passando por Ipanema, Leblon e retornando ao Leme. Esse foi o cenário da primeira Maratona da Cidade do Rio de Janeiro, realizada em 1979. 34 anos depois e com mais reconhecimento, o Rio recebe mais uma vez a maratona considerada pelos amantes da distância como a mais encantadora. A prova reunirá mais de 20 mil corredores no dia 7 de julho e as inscrições podem ser feitas até o dia 20 de junho. As corridas de rua caíram no gosto do brasileiro. PAg 6

DIÃLOGOS

“o Rio de Janeiro praticamente se tornou o centro do mundo” Vinícius Assumpção é botafoguense roxo, ou melhor, alvinegro. Ao entrar em seu escritório, é fácil perceber qual o seu time do coração pelas bandeirinhas espalhadas pela mesa. Na hora em que o cafezinho chega, a única xícara diferente – com o escudo do clube – é a de Vinícius. “Aqui não entra ninguém de vermelho e preto”, brinca. Aos 50 anos de idade, Vinícius já atuou na vice-presidência do Botafogo e hoje é membro do Conselho Deliberativo do clube. Bancário desde 1985, presidiu o Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro. PAg 2

» ESTA EDIÇÃO 8 PÁGINAS | CONFIRA A EDIÇÃO DIGITAL NO SITE www.dialogometropolitano.com.br OU NOS NOSSOS APLICATIVOS


2

Diálogo Metropolitano

» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013

Rio DE JANEiRo

DIÁLOGOS

VINÍCIUS ASSUMPÇÃO

“o Rio de Janeiro praticamente se tornou o centro do mundo” RAUL RAMOS

Vinícius Assumpção é botafoguense roxo, ou melhor, alvinegro. Ao entrar em seu escritório, é fácil perceber qual o seu time do coração pelas bandeirinhas espalhadas pela mesa. Na hora em que o cafezinho chega, a única xícara diferente – com o escudo do clube – é a de Vinícius. “Aqui não entra ninguém de vermelho e preto”, brinca. Aos 50 anos de idade, Vinícius já atuou na vice-presidência do Botafogo e hoje é membro do Conselho Deliberativo do clube. Bancário desde 1985, presidiu o Sindicato dos Bancários do Rio de Janeiro nas gestões 2003/2006 e 2006/2009. Vinícius é formado em Administração de Empresas, qualificação que o torna a pessoa ideal para comandar a Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico Solidário (SEDES) da Prefeitura do Rio de Janeiro. A Secretaria iniciou suas atividades em janeiro de 2009, com o objetivo de elaborar projetos de desenvolvimento local e economia solidária, pautados no associativismo e no coletivismo, na auto-gestão e em redes produtivas. Em pouco mais de quatro anos, os resultados alcançados são bastante significativos, como conta o Secretário Vinícius Assumpção em entrevista ao Diálogo Metropolitano. Como funciona o traba-

lho da Secretaria Especial de Desenvolvimento Econômico Solidário? A Secretaria é nova aqui no município, tem apenas quatro anos de existência. Nós trabalhamos, basicamente, com foco na economia solidária, cujo principal objetivo é entrar nos territórios da região e da cidade, fazer um recorte do tecido sócio-produtivo dessas localidades, estudar esse tecido e ali aplicar ações que possam integrar esses empreendimentos numa rede. Basicamente, a gente procura pegar tanto os empresários como os pequenos empreendedores dentro da comunidade e traze-los para trabalhar em rede, de forma coletiva. Com isso, o processo econômico deles é potencializado, gerando mais emprego e renda para a cidade do Rio de Janeiro. Como vocês incentivam o empreendedorismo comunitário? A gente tem alguns projetos da própria secretaria, que tem como principal objetivo entrar nesses territórios, pegar esses empreendimentos e dar uma formação mais geral na área de economia solidária, tentando integrar esses empreendimentos, de forma que se criem redes e eles possam se ajudar. A gente trabalha para que eles possam ter uma autogestão de seus empreendimentos, mas,

Vinícius Assumpção

para isso, eles precisam ter uma formação. E é isso que a secretaria faz, dá toda uma formação para que eles possam gerar emprego e renda, tocar o seu negócio e prosperar. Nesses quatro anos que vocês estão trabalhando, quais foram as principais ações feitas, quais os principais projetos? Nós tivemos algumas ações muito bacanas na cidade. Criamos, por exemplo, o primeiro banco comunitário do Rio de Janeiro, na Cidade de Deus. Esse banco criou uma moeda social, assim o empreendedor tem crédito para o consumo e crédito produtivo. O crédito para o consumo é obtido através da moeda social que foi criada e se chama CDD (sigla da Cidade de Deus). Nós entramos lá e percebemos que eles tinham uma arrecadação bruta em torno de R$ 70 milhões e 80% dela era gasta

REFlEXÕES Déborah Fonseca | Jornalista lição de uma estrela

Acredito que qualquer pessoa que tenha acompanhado de perto o calvário de um parente próximo e muito querido diagnosticado com câncer e submetido a exaustivas sessões de quimio e radioterapia para, depois, ser vencido pela doença, ficaria, no mínimo, muito perturbada com a notícia de que suas chances de desenvolver o mesmo

mal ultrapassa a casa dos 80%. Por isso, nesse sentido, a notícia de que a atriz Angelina Jolie se submeteu a uma mastectomia dupla preventiva para evitar que fosse acometida pelo mesmo problema de sua mãe não chegou a me surpreender. O que me levou à reflexão foi o fato de uma mulher que é tida como um ícone de beleza, benevolência, com uma personalidade contro-

vertida e casada com um dos homens mais cobiçados do planeta, revelou de forma tão contundente um problema que põe em xeque a sua própria humanidade. Sem pudores, ela mostrou ao mundo o seu medo de desenvolver a doença, ainda que seus argumentos sejam nobres, como a preocupação com os filhos, e a mutilação de um dos símbolos de sua feminilidade, mesmo que estes tenham sido reconstituídos pelo Michelangelo da cirurgia plástica restauradora. Enfim, mostrou que até mesmo uma estrela de Hollywood padece com os mesmos problemas que qualquer outro mortal. Angelina se despiu do mito. A fama, o dinheiro, o reconhecimento, a beleza, não são antídotos. Angelina, como qualquer outra mulher, enfrenta problemas em seu cotidiano, paga um preço pelo que representa e possui. Vai envelhecer, adoecer, sofre, tem medos, dificuldades. Nesse momento, quem deseja ser Angelina?

fora da comunidade. Então, a moeda social tem como grande objetivo internalizar essa riqueza que existe dentro da comunidade. Isso é um processo gradual, que leva algum tempo para se concretizar, mas o banco já existe há um ano e meio e vem crescendo a cada mês, consolidando-se dentro da Cidade de Deus. E o objetivo é prender a riqueza dentro da própria comunidade para que possa gerar mais emprego e renda. Como funciona o programa Polos do Rio de Janeiro? Hoje existem 24 polos gastronômicos, comerciais e turísticos dentro desse programa, onde a gente entra com toda a formação. Temos uma governança com seis entidades que trabalham e estão coordenando esse processo em conjunto com a Prefeitura. Temos, por exemplo, um polo na Praça XV, que é um polo gastronômico e cultural. Temos o polo da Intendente Magalhães, que é o polo das empresas de oficinas e vendas de carros – polo automotivo. Temos o polo gastronômico da Barra de Guaratiba, o polo gastronômico de Botafogo e assim por diante, em toda a cidade. Os empresários da região se reúnem, começam a discutir coletivamente e nós, do poder público, junto com as outras entidades que fazem parte da governança, procuramos dar apoio a esses empresários para que eles possam dar um atendimento melhor ao carioca e ao turista e possam gerar mais emprego e renda para a cidade do Rio de Janeiro. E o Projeto geração Cons-

ciente, como funciona? Nós entramos em três comunidades – Maré, Manguinhos e Canta Galo – com o principal objetivo de formar agentes e formar uma agência comunitária de comunicação. É um projeto muito legal. Inclusive foi criada a campanha chamada Pense Direito, que é um projeto da prefeitura do Rio de Janeiro junto à Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor. Estamos criando três agências comunitárias de comunicação dentro dessas comunidades. E a Campanha Pense Direito, ligada diretamente à defesa do consumidor, será lançada no dia 08 de junho no Museu de Arte do Rio (MAR). A Secretaria tem mais projetos em andamento? Sim. Nós temos o projeto de economia solidária chamado RIOECOSOL e entramos em quatro comunidades – Santa Marta, Manguinhos, Alemão e Cidade de Deus – onde nós trabalhamos a essência da Secretaria, que é essa questão de juntar os empreendimentos em rede, dar formação na área de economia solidária para que esses empreendimentos possam produzir e seguir adiante sozinhos, com mais capacidade e com produtos com qualidade melhor. É isso o que a gente vem procurando fazer. Vocês também desenvolveram o Circuito Carioca de Feiras orgânicas. Como ele funciona? Esse Circuito tem o objetivo de trazer o produtor e os produtos semi-orgânicos para a mesa do carioca. Nós já temos seis feiras no município e o prefeito Eduardo Paes vai ampliar o Circuito, pois a população tem sido bastante receptiva. O mais importante é que é levado à população um produto de qualidade, com um preço mais acessível, porque nós tiramos o atravessador, é o produtor direto com o consumidor. Como é a parceria da Secretaria com os governos estadual e federal? A melhor possível. A Secretaria atua o tempo todo

em parceria. Por exemplo, nós temos o projeto Rio Economia Solidária, que é uma parceria do Governo Federal com a Prefeitura do Rio de Janeiro via Ministério do Trabalho e Secretaria Nacional de Economia Solidária. Temos agora o projeto Geração Consciente, que é via Ministério da Justiça e Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor. Temos o Circuito de Feiras Orgânicas, onde estamos firmando convênio com a Secretaria Estadual de Ambiente. Então, procuramos o tempo todo criar essas parcerias com as três esferas do governo para que a gente possa potencializar nossas ações dentro da cidade do Rio de Janeiro. Como a Secretaria observa os grandes eventos que o Rio de Janeiro vai receber a partir deste ano? Eu tenho falado o tempo todo que nós temos agora uma grande oportunidade, pois temos diversos eventos. A cidade do Rio de Janeiro se tornou o centro do mundo, praticamente. Teremos aqui Copa do Mundo, Olimpíada, Paraolimpíada que vem logo após as Olimpíadas - e Jornada Mundial da Juventude. Vamos ter agora também, através de uma parceria entre Prefeitura e Governo Federal com várias entidades internacionais, a Semana Mundial do Comércio Justo, que será na cidade do Rio de Janeiro. Então, a cidade vem passando por uma série de transformações estruturais – grandes vias sendo abertas, região do porto sendo toda remodelada – quer dizer, uma nova cidade vem surgindo, e a nossa Secretaria tem que aproveitar essas oportunidades para que possamos ter uma ação mais estruturante e que esses eventos possam dar condições de melhoria de qualidade de vida e geração de emprego e renda. A Prefeitura tem tido esse cuidado de olhar esses eventos para que a gente possa - assim que eles terminarem – ter uma nova cidade e melhor qualidade de vida para a população.

DIÁLOGO Metropolitano PUBliCADo PElA AlPHA PRiME EDiToRA E JoRNAliSMo lTDA. ALPHA PRIME: 60 ANOS DE JORNALISMO

DiREToRA Mônika Santos Ferreira DiREToRA DE REDAÇÃo Déborah Fonseca Jornalista Responsável

ColUNiSTAS Danielle Denny, Déborah Fonseca, Hamilton Rosa Jr., Hamilton Vasconcellos, José Carlos Blat, José Carlos Cicarelli, Liliane Ventura, Lívia Gennari, Reinaldo Costa, Renata Palmier e Thell de Castro.

EDiToR CHEFE Jônatas Mesquita | MTb 63370 jonatas@dialogometropolitano.com.br

PROJETO GRÁFICO E EDITORIAL News Prime Comunicação & Web www.newsprime.com.br contato@newsprime.com.br

REDAÇÃo Jonas Gonçalves Raul Ramos contato@dialogometropolitano.com.br

REDAÇÃO Avenida das Américas, 3.500 Bloco 05 | Sala 313 | Rio de Janeiro | RJ

REViSÃo Bianca Montagnana DiAgRAMAÇÃo Roberta Furukawa Bartholomeu

IMPRESSÃO Gráfica Lance os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não refletindo, necessariamente, a opinião do jornal


» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013

Diálogo Metropolitano

RIO DE JANEIRO

3

ECONOMIA

Falta de investimentos, taxas e burocracia são os vilões do Brasil

Paulo Pampolin/Hype

RAUL RAMOS

Marcel Domingos Solimeo

Cai percentual de cheques devolvidos em abril O percentual de cheques devolvidos em abril ficou em 2,09% do total de documentos compensados em todo o país. O percentual foi menor do que os 2,36% registrados em março, de acordo com o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos. Na comparação com abril do ano passado (2,08%), o resultado ficou praticamente estável. Quando avaliados o acumulado de janeiro a abril deste ano, houve 2,09% de devoluções, contra 2,05% no mesmo período de 2012. Quando analisadas as regiões, o Norte apresentou 4,48% de cheques devol-

vidos, enquanto em março deste ano esse percentual foi 5% e, em abril de 2012, 4,5. Já no Nordeste, a devolução de cheques em abril chegou a um índice de 4,21% do total de cheques compensados, menor que os 4,73% registrados em março. Em abril do ano passado, o Nordeste teve 3,67% dos cheques devolvidos. Na Região Sudeste, a proporção ficou em 1,64% em abril, ante 1,84% em março de 2013 e 1,67% em abril do ano passado. No Sul, o percentual de cheques devolvidos chegou a 1,98% em abril, inferior ao

registrado no mês anterior (2,30%), mas superior ao de abril de 2012 (de 1,93%). De acordo com os economistas da Serasa Experian, historicamente o mês de abril registra quedas na quantidade de devoluções de cheques. Na comparação entre abril de 2013 e o mesmo mês de 2012 e entre os primeiros quadrimestres dos dois anos, o aumento ocorreu devido ao impacto da inflação no salário, ao alto comprometimento da renda com dívidas, ao crédito mais seletivo e à elevação dos juros. (Flávia Albuquerque/Agência Brasil)

de renda do trabalhador e, além de muito elevada, é pouco racional. Nós tributamos investimentos, poupança e o próprio crédito que essa poupança irá conceder, o que faz com que os juros sejam altos e se reduza o poder de consumo”, explica Solimeo. Para o superintendente, a má gestão da aplicação desses impostos gera uma desconfiança generalizada. “Temos um sistema de distorções, que arrecada muito e gasta muito com ele mesmo. O que ele devolve para a sociedade, em proporção com o que é arrecadado, é menor, sem contar a qualidade dos serviços. É uma situação muito difícil e que tem muito a ver com o nosso desenvolvi-

mento. Essa má gestão é um freio para o Brasil”, conclui. Impostômetro Conhecido por calcular em tempo real o valor que o brasileiro pagou em impostos até o momento, o impostômetro fica localizado na sede da Associação Comercial de São Paulo e se transformou em referência para os altos valores que o governo arrecada. Inaugurado em abril de 2005 pela ACSP, em parceria com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), o painel eletrônico atingiu no começo de maio a cifra de R$ 600 bilhões em impostos federais, estaduais e municipais pagos

pelos brasileiros desde o 1º dia do ano. Em 2012, esse valor só foi alcançado no dia 22 de maio, ou seja, 16 dias mais tarde na comparação entre os dois períodos. Rogério Amato, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), acredita que a falta de compreensão sobre os impostos é prejudicial a todos. “A superposição de impostos, a falta de clareza das regras e a complexidade da legislação geram uma parafernália burocrática que acarreta pesados custos para as empresas e gera grande insegurança e riscos”, afirma Rogério. Newton Santos/Hype

A Receita Federal divulgou no início do ano que o valor arrecadado em 2012 com taxas e contribuições federais foi de 1,029 trilhão de reais, um recorde em comparação aos anos anteriores. De acordo com o BID (Banco Internacional de Desenvolvimento), somos o país que mais arrecada impostos em toda a América Latina e, em termos mundiais, ultrapassamos inclusive países como Estados Unidos e Japão. Para entender de maneira simples como a carga tributária influencia no cotidiano do contribuinte, é como se ele trabalhasse cinco meses do ano apenas para pagar taxas e impostos. Em números, isso representa, em média, 40% do salário do brasileiro. Outro grande problema que atrapalha o crescimento, segundo o BID, é a burocracia. No Brasil, as empresas trabalham em média 2,6 mil horas por ano (108 dias) apenas para preencher documentos, encaminhar e recolher os tributos. A média mundial é de 11 dias e meio. Para Marcel Domingos Solimeo, Superintendente do Instituto de Economia da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a carga de impostos brasileira é um dos fatores que mais impede o crescimento do país. “Nossa carga tributária é muito alta para o nível

Impostômetro da ACSP

TURISMO EM AÇÃO Hamilton Vasconcellos | Advogado Lembranças dos tempos de excelência da Varig Lembro a época que a VARIG era a imagem do Brasil no exterior. As lojas da VARIG espalhadas pelo Mundo eram uma “embaixada” brasileira. Claro, o Rio de Janeiro era cantado e exposto em fotos, imagens e vídeos da companhia aérea. Todos sabem o que aconteceu com a VARIG. Infelizmente, nenhuma companhia aérea assumiu esse posto. A TAM, do Comandante Rolim, seria a substituta natural, mas o triste acidente aéreo em 2001 impediu. A TAM deixou de ser a companhia aérea brasileira. E qual foi o destino mais prejudicado? Sem dúvida, o Rio de Janeiro. Colocar a culpa no Galeão ou no Santos Dumont é uma cortina de fumaça. Os aeroportos de Guarulhos e Congonhas possuem os mesmos problemas. Então, por que a transferência de inúmeros voos para São Paulo? Simples. O binômio carga – passageiro é que sustenta a aviação comercial

moderna. Uma carga embarcada em Paris com destino a Recife é transportada até o aeroporto de Guarulhos e de lá transferida para um voo com destino a Recife. Vamos pensar! Seria possível levar esta carga em um voo de Paris para o Galeão? Sim, mas se do Rio para Recife só existem voos do Santos Dumont, como levar esta carga até o Santos Dumont? Qual o preço deste transporte? Por isto e por causa da paralisação de voos, a TAM, a principal companhia aérea do país, transformou São Paulo no principal portão de entrada do país. Para completar, a TAM suspendeu os voos do Rio para Frankfurt, Paris e Orlando. Por que suspender? Esses voos davam prejuízo? Desafio a TAM a dizer que sim. O voo TAM Rio-Orlando, segundo a Embratur, colaborou com a expansão de 18,52% da malha aérea do

Brasil-EUA no último ano. Então por que este voo foi suspenso em abril de 2013? Também em 2012, a Alemanha se tornou o 3º maior emissor de turistas para o Brasil. Por que suspender o voo TAM RioFrankfurt? O Rio Convention & Visitors Bureau, entidade privada responsável pela captação de eventos para o Rio de Janeiro, acredita que a decisão da TAM prejudica o Rio em relação a São Paulo nas disputas para sediar eventos e congressos. Neste segmento, a França é o 3º maior grupo de turistas no Rio: 32,6% vêm para negócios ou congressos. Porque suspender o voo TAM Rio -Paris? A perda de congressos e eventos e de outros setores do turismo acarretam em diminuição de lucros e, possivelmente, em demissões. Depois de tudo isso, será que o carioca ainda vai voar de TAM?


4

Diálogo Metropolitano

» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013

RIO DE JANEIRO

BRASIL E MUNDO

ENEM 2013: governo promete mais segurança e rigor com os erros JONAS GONÇALVES Visando reconquistar a credibilidade abalada pela tolerância com diversos erros cometidos em redações no ano passado, o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), promovido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação, passou por significativas mudanças a fim de ter mais rigor nas correções. As inscrições para a prova deste ano, que será aplicada nos dias 26 e 27 de outubro em todos os estados e no Distrito Federal, vão até o dia 27 de maio. E o interesse já é bastante expressivo. Somente no primeiro dia (13 de maio), cerca de 473 mil inscrições foram realizadas. Os interessados deverão se inscrever pela internet, no endereço http://sistemasenem2.inep.gov.br/inscricaoENEM. Voltado para aqueles que já concluíram ou vão concluir o Ensino Médio até o final de 2013, o exame também pode ser feito por aqueles que desejarem treinar para fazer a prova. O desempenho é uma importante referência para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferece vagas em universidades públicas, para os programas Universidade para Todos (ProUni) e Ciência sem Fronteiras, e também para o recebimento do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O ENEM é composto por uma redação e quatro provas objetivas, cada uma

com 45 questões de múltipla escolha. No primeiro dia, os inscritos farão provas de ciências humanas e da natureza, com duração de 4h30. No segundo dia, as provas aplicadas serão de linguagens e códigos, matemática e redação, com duração de 5h30. Uma das principais preocupações do Governo Federal é com a abstenção, que foi expressiva em 2012. A importância de comparecer às provas foi ressaltada pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, ao anunciar o edital do ENEM 2013. “Apelo para aqueles que se inscreverem para que realmente façam o ENEM. Os custos levam em conta os inscritos e temos tido uma diferença importante”. No ano passado, foram 5,8 milhões de inscritos, dos quais somente 4,3 milhões fizeram a prova. Rigidez e precauções Uma das medidas adotadas pelo Ministério da Educação para fazer com que o exame seja, de fato, uma avaliação dos conhecimentos dos estudantes é a intolerância com textos de redação que contenham trechos inadequados ou incoerentes. Quem cometer erros desse tipo terá a prova zerada, ao contrário do que ocorreu em alguns casos no ano passado. Além disso, serão aceitos apenas desvios gramaticais excepcionais e que não se repitam na redação. O mi-

nistro Aloizio Mercadante afirmou que caberá à banca considerar se um erro gramatical é uma exceção. “A regra é clara, mas a interpretação do juiz nem sempre é um consenso. Tem um grau que compete à banca, não tem como prever o grau que será aceito ou não. O que podemos dizer é que será mais rigoroso”, enfatizou. A expectativa para este ano é de uma correção mais criteriosa, que poderá ter em alguns casos um terceiro avaliador. Essa alternativa só será utilizada quando houver uma diferença superior a 100 pontos entre as notas dos dois primeiros corretores. Em 2012, a discrepância tolerada era de 200 pontos. Os corretores terão mais horas de capacitação e serão acompanhados e avaliados. Eles poderão ser dispensados inclusive durante o processo de análise das provas. Além disso, tanto para a nota máxima na redação, que é mil, quanto para erros gramaticais considerados como exceções, os avaliadores deverão apresentar justificativas. A segurança das provas também é tratada como prioridade. O presidente do Inep, Luiz Cláudio Costa, declarou que a instituição estuda a possibilidade de colocar lacres eletrônicos em todos os malotes de transporte de provas do ENEM. Esses lacres registram o horário do fechamento do malote na gráfica e o horário em que foi aberto no

local de aplicação da prova, aumentando assim a segurança no processo. “Os resultados são extremamente positivos e nos dão muita segurança sobre a hora exata em que os malotes são abertos”, disse Costa ao participar de audiência pública sobre a correção de provas do ENEM na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. No ENEM de 2012, os lacres eletrônicos foram usados para fechar dez mil malotes de provas, aproximadamente 25% do total. Os lacres podem ser usados em até seis exames. Como se inscrever Para fazer a inscrição, o candidato deve ter em mãos os números do Cadastro de Pessoa Física (CPF) e do documento de identidade. Será cobrada uma taxa de R$ 35, que deve ser paga até o dia 29 de maio. Estudantes que concluírem o ensino médio em escolas públicas no ano de 2013 e participantes com renda mensal per capita de até um salário mínimo e meio estão isentos da taxa de inscrição. Aqueles que solicitarem a isenção deverão dispor dos documentos que comprovem a renda. O participante que precisa de atendimento diferenciado ou específico deverá informar a necessidade no ato da inscrição. O atendimento diferenciado é prestado a pessoas com deficiência visual, auditiva, física

e mental, dislexia, déficit de atenção, autismo ou outra necessidade especial. O atendimento específico é oferecido a gestantes, lactantes, idosos, estudantes em classe hospitalar e aos sabatistas que, por motivo religioso, não podem ter atividades aos sábados, no período diurno. Os estudantes maiores de 18 anos que ainda não obtiveram a certificação do ensino médio podem fazê-lo por meio do ENEM. Eles devem pedir, na inscrição, que o resultado do exame seja usado para a certificação. Também devem indicar uma das instituições certificadoras que constam no edital do exame. Ao finalizar a inscrição, o participante deve verificar se ela foi concluída com sucesso e guardar o número e a senha. É com essas informações que o candidato poderá acompanhar o processo de inscrição e, além disso, consultar e imprimir o cartão de confirmação. Caso esqueça ou perca a senha,

o candidato poderá recuperá-la pelo endereço http:// sistemasenem2.inep.gov.br/ inscricaoENEM. Alterações nos dados cadastrais, na cidade de provas e na opção de língua estrangeira são permitidas apenas até o fim do período de inscrição. Só depois que o aluno fizer o pagamento a inscrição será confirmada. No caso de isenção, isso ocorrerá após comprovados os dados fornecidos. Depois dessa etapa, o participante receberá em casa o cartão de confirmação de inscrição, que terá um número, assim como a data, hora, o local de realização das provas, a opção de língua estrangeira e outras informações específicas. Uma novidade para este ano é a divulgação no cartão de inscrição de um telefone pelo qual candidatos com alguma condição especial (gestantes, pessoas com deficiência) serão orientados. Essa edição trará também dois modelos de prova com letras maiores.

ECONOMIA VERDE

NOSSA CULTURA

Danielle Denny | Advogada Será que agora vai?

Renata Palmier | Relações Públicas Vale do Café ganha Guia Ilustrado O Vale do Café acaba de ganhar um guia ilustrado e abrangente. A região do sul fluminense é, nos dias de hoje, polo turístico repleto de atrativos

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin lançou, em parceria com a organização de empresários Movimento Brasil Competitivo, um plano de despoluição para os rios da Região Metropolitana de São Paulo que pretende despoluir no Sistema Tietê-Pinheiros até 2019. Mas, para o sucesso da iniciativa, o Estado de São Paulo precisará ter 100% de esgoto tratado, uma eficaz gestão de resíduos e fomento para a descontaminação de terrenos. Segundo a meta do governo, a universalização do tratamento de esgoto nas cidades do interior do Estado será em 2014;

nos municípios do litoral, em 2016 e, em 2019, na região metropolitana de São Paulo. “A universalização do tratamento do esgoto é uma questão de saúde pública. Vai afastar o esgoto de perto das casas das pessoas e propiciar a recuperação dos rios”, reconhece Alckmin. A limpeza dos rios Tietê e Pinheiros precisa ser feita do interior para a capital, pois, se os rios menores que os alimentam continuarem poluídos, comprometem todo o esforço feito na capital, conforme ensina Rodolfo Costa e Silva, coordenador do Comitê de Requalificação Urbana e Social das Marginais. Além do saneamento, o

desafio pressupõe o gerenciamento dos demais resíduos de forma eficiente. Situações como depósitos de entulhos nas margens dos rios precisam ser fiscalizadas e os responsáveis devem ser penalizados de maneira exemplar. E, dado o histórico de industrialização que a cidade possui, diversas áreas que eram fábricas ainda contêm contaminantes, que podem ser carregados pelas chuvas e contribuir para o aumento dos níveis de poluição dos rios. Tomara que o governo paulista consiga cumprir sua meta, mas o desafio é amplo e transdisciplinar.

culturais, e está retratada em detalhes no Guia Cultural do Vale do Café, que tem apoio institucional da Secretaria de Estado de Cultura e foi lançado pela Editora Cidade Viva.

Os oito mil exemplares do livro serão distribuídos gratuitamente em todo o estado, nas secretarias de turismo da região. As 168 páginas trazem 114 verbetes fartamente ilustrados com dados sobre espaços culturais e expressões artísticas, artesanato e produtos típicos, fazendas históricas e hospedagem, cafés, bares e restaurantes temáticos, além de personagens e outros atrativos de uma das quatro regiões do Vale do Café. A obra divide as áreas do Vale em quatro regiões: a primeira abrange os municípios de Resende, Barra Mansa e Volta Redonda. As cidades de Barra do Piraí, Pinheiral, Piraí e Rio Claro integram a 2ª região; a 3ª inclui Vassouras, Paty do Alferes, Miguel Pereira, Engº Paulo de Frontin, Paracambi, Mendes e Paraíba do Sul, Valença e Rio das Flores integram a última região. A obra é ilustrada e traz um calendário que informa as principais festas e eventos da região. Exemplares gratuitos podem ser solicitados pelo telefone (21) 2233-3690.


» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013

Diálogo Metropolitano

RIO DE JANEIRO

5

CULTURA

Rádio MEC FM comemorou seu 30º aniversário em 2013 Raul Ramos Música erudita tocando no rádio? Em estação FM, ainda por cima? Pois é, essa rádio não só existe como está localizada no Rio de Janeiro. Estamos falando da MEC FM, que neste mês de maio comemorou 30 anos de existência. A MEC FM é sucessora da primeira emissora de rádio do Brasil, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada em 1923 por Edgard Roquette Pinto. Em 1932, a estação pioneira do país foi doada ao governo com a condição de que a programação da mesma se restringisse a um conteúdo educativo e cultural e não fosse instrumento de proselitismo algum, fosse comercial, político ou religioso. Incorporada ao Ministério da Educação, que deu o nome à rádio – que mais tarde viria a se chamar Rá-

dio MEC (Música, Educação e Cultura) – a estação se especializou em reproduzir músicas clássicas, cedendo espaço a músicos e compositores. Quando a banda FM surgiu, em 10 de maio de 1983, os mesmos preceitos foram adotados e, inclusive, durante as primeiras transmissões, a programação foi a mesma da onda AM. Com o slogan “A rádio de música clássica do Brasil”, a MEC FM consolidou seu perfil no rádio nacional com uma programação ampla e diversificada. Além de exibir todo o universo da chamada música de concerto – que corresponde a 85% da grade – a rádio também reproduz ritmos como jazz, instrumental popular brasileiro, bossa nova e trilhas sonoras de cinema. “Buscamos refletir na grade de

programação todo o espectro da música clássica, que é imenso, vai do período medieval aos dias de hoje”, explica o coordenador da MEC FM, Marcelo Brissac, em entrevista à Agência Brasil. De acordo com Lauro Gomes, que trabalha há 40 anos na Rádio MEC e acompanhou todo o processo de implantação do sistema FM, foram necessários três anos para a definição de uma grade completa. “Paulatinamente, a programação foi se diferenciando, até que ficou decidido que a AM ficaria com a música popular e os programas educativos e a FM com a música clássica, a música de concerto”, disse em entrevista à Agência Brasil. Para comemorar a data especial, a Rádio MEC elaborou uma programação

Fernanda Montenegro participa de programa da rádio

diferenciada e um concerto de gala realizado no dia 10 de maio. Ao todo, 26 músicos participaram do evento, entre eles o clarinetista José Botelho e as pianistas Maria Josephina Mignone, Maria Teresa Madeira e Clara Sverner. Hoje instalada nas dependências da TV Brasil, na Avenida Gomes Freire, a Rádio MEC também opera com dois canais AM, um no Rio e outro em Brasília. A emissora conta com uma estrutura composta por diversos estúdios, pianos de cauda, além de ter um acervo valioso, tesouro inestimável, com centenas de programas educativos / culturais e gravações musicais exclusivas. Programação A MEC FM toma cuidado para organizar as músicas dentro da sua programação, uma vez que o repertório de música erudita contemporânea enfrenta

Apresentação do Trio Aquarius

THELL VÊ TV

» O programa acompanha histórias de personagens da vida real por todo o país. Pessoas estigmatizadas por carregarem consigo verdades, muitas vezes inacreditáveis aos olhos da sociedade, expõem suas vidas em mais uma produção nacional do canal. » Ao todo, são oito epi-

sódios com os mais variados temas (mudança de sexo, prostituição, cadáveres, tratamentos polêmicos, fanatismo, cirurgia plástica, nudismo e compulsão) e com a participação de três personagens reais em cada um deles, além de especialistas analisando estes tabus. » “Na primeira temporada, foram três episódios. Nesta segunda temporada, resolvemos trazer mais episódios, acrescentando outros assuntos de interesse do público. Temas que trazem conflitos e questionamentos aos telespectadores, escolhidos por serem tabus em nossa cultura. A propos-

À noite, das 20h às 22h, o horário da emissora é ocupado por uma programação “de harmonia”, com cada dia da semana dedicado a um conceito diferente da música clássica: compositores brasileiros, música do século 20, música antiga. A partir das 22h, são transmitidos programas para os quais a rádio conta com produção de terceiros. “São pessoas que tanto podem ser da casa quanto de fora, mas que produzem programas variados: música clássica, jazz, choro, música popular brasileira, tanto instrumental quanto cantada”, explica o coordenador. Ao longo desses 30 anos dedicados à música clássica, uma certeza é evidente: A Rádio MEC FM pode não ser a única emissora especializada em música clássica no país, mas sua tradição, qualidade sonora e conteúdo diferenciado a tornam uma das maiores, senão a maior, rádio erudita do Brasil.

NA TELONA Hamilton Rosa Júnior | Jornalista e Crítico de Cinema Redford mostra desencanto político no suspense Sem Proteção

Thell de Castro | Jornalista » No dia 05 de junho, às 22h15, estreia a segunda temporada de “Tabu Brasil” no canal Nat Geo. Nesse dia, serão exibidos dois episódios inéditos, sobre mudança de sexo e cadáveres.

dificuldade de aceitação por parte do público. “Para compreender a música contemporânea, a pessoa tem que ter um ouvido mais aberto, mais desprendido de preconceito contra os sons dissonantes”, diz Brissac. Procurando escolher as músicas corretas para executar em horários específicos do dia, a MEC FM apresenta, de segunda a sexta-feira, das 06 às 22h (e nos sábados até meiodia), programação musical ao vivo, do estúdio, comandada por seus locutores e apresentadores. Essa programação segue a ordem cronológica da história da música, começando pela manhã com os períodos medieval e barroco, seguida pelos clássicos do romantismo e chegando, ao final da tarde, às correntes mais modernas. “Nós não tocamos, por exemplo, Schoenberg e música eletroacústica às 8h da manhã”, afirma Brissac.

ta do formato é gerar a dúvida no telespectador sobre o que é certo e o que é errado - se é que dá para haver julgamento dentro dos assuntos escolhidos”, afirma Paulo Franco, vice-presidente de Programação e Conteúdo da Fox International Channels Brasil. » “De maneira dinâmica e inteligente, Tabu Brasil busca trazer à tona tabus do cotidiano brasileiro ou comuns a outras culturas convidando o telespectador a conhecê-los, adentrando um universo evitado, escondido ou renegado. A série não toma partido e não julga. Apenas coloca luz onde antes se vivia na penumbra, mostrando os dois lados”, conta o diretor-geral da série, Kiko Ribeiro. » Para concretizar este projeto, o Nat Geo conta, mais uma vez, com a parceria da BossaNovaFilms, responsável pela produção dos episódios.

Num momento delicado como o atual, em que o terrorismo parece ser encarado pelos Estados Unidos como a maior ameaça estrangeira, Robert Redford chega com um filme onde ele próprio é um ex-terrorista. No thriller Sem Proteção, uma facção de ativistas anti-Vietnã some depois de um assalto a banco, que provocou a morte de um guarda. Trinta anos depois, uma das integrantes, vivida por Susan Sarandon, é capturada. Todos os envolvidos deram um jeito de se esconder, mas um jovem jornalista, vivido por Shia Labouf, o garoto-herói de Transformers, move uma investigação paralela e, vejam só, desmascara o líder Redford, que estava vivendo tranquilamente com a filha numa cidade do interior. Claro que Redford está um tanto velho para as cenas de perseguição, mas o fato é que não é bem na caçada que Redford, como diretor, está interessado. Quer sim

mostrar a história dos ativistas e como cada um foi perdendo a paixão, deixando de acreditar numa causa, e foram partindo para o desencanto da clandesti-

nidade. Conta para isso com um elenco de peso, com ótimas atuações de Brendan Gleeson, Sam Elliot, Nick Nolte e Julie Christie.


6

Diálogo Metropolitano

» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013

RIO DE JANEIRO

ESPORTES

Maratona do RJ é exemplo de sucesso das corridas de rua no Brasil RAUL RAMOS Os atletas começavam a correr pelo Leme em direção à Praia do Botafogo e Aterro do Flamengo, passando por Ipanema, Leblon e retornando ao Leme. Esse foi o cenário da primeira Maratona da Cidade do Rio de Janeiro, realizada em 1979. 34 anos depois e com mais reconhecimento, o Rio recebe mais uma vez a maratona considerada pelos amantes da distância como a mais encantadora. A prova reunirá mais de 20 mil corredores no dia 7 de julho e as inscrições podem ser feitas até 20 de junho. As corridas de rua caíram no gosto do brasileiro, que cada vez mais participam desse estilo. Em 2012, a Maratona do Rio de Janeiro levou 21 mil pessoas para as ruas da capital fluminense, sendo que cerca de metade era de turistas, o que é uma prova da consolidação do esporte no país. Nesta edição, serão distribuídos R$ 220 mil em prêmios: R$ 60 mil entre os dez primeiros, além de bonificação de R$ 5 mil para os melhores brasileiros nas categorias masculina e feminina. Além disso, há prêmio em dinheiro para os cinco melhores técnicos, os três primeiros das categorias especiais e os três mais rápidos de cada faixa etária. A maratona terá largada na Praça do Pontal do Tim Maia, no Recreio dos Bandeirantes, passando pelas

praias do Recreio, Reserva, Barra da Tijuca, São Conrado, Leblon, Ipanema, Copacabana, Botafogo e chegando ao Aterro do Flamengo. A Meia Maratona Internacional do Rio terá dois percursos além da Maratona: Meia Maratona, com 21km, e Olympikus Family Run, com 6km. “Para este ano, como em todos os outros, queremos implementar novidades que agreguem coisas boas à prova, que

ajudem os corredores a melhorar seu desempenho ou simplesmente aproveitar ao máximo o momento mágico que a Maratona pode proporcionar. Aos amantes das corridas de rua, digo que teremos boas surpresas em 2013”, revela Duda Magalhães, da Dream Factory, uma das realizadoras do evento. Corrida da Ponte Outra corrida tradicional

José Carlos Cicarelli | Cronista esportivo

» Confirmado. Na Copa das Confederações a FIFA contará com equipamento dotado de tecnologia de última geração para detectar se a bola ultrapassou ou não a linha de gol. As imagens são processadas em tempo real e no momen-

to em que a bola ultrapassar inteiramente a linha, um sinal de rádio é enviado imediatamente ao árbitro. O sistema denominado “goal control” será alugado pela FIFA. O valor do aluguel por jogo está estimado em R$ 10 mil. » O São Paulo poderia ter cinco convocados para a seleção, mas a diretoria do clube, muito criticada atualmente pela sua torcida, acabou perdendo quatro deles por diferentes motivos. Só restou Jadson. Jean foi para o Fluminense e hoje figura entre os seus mais destacados jogadores. Oscar, hoje no Chelsea, entrou em litígio com o clube na Justiça e deixou o departamento jurídico do tricolor um tanto desprestigiado. Hernanes foi

no início da década de 90. O vencedor deste ano foi o brasileiro Giovani dos Santos, enquanto a queniana Dorcas Jepchirchir Kiptarus foi a melhor colocada entre as mulheres. O importante é competir 500 mil. Essa é a estimativa de corredores existentes no país, considerando corredor como quem faz pelo menos uma corrida por ano, seja ela de qual-

quer distância. Porém, o crescimento do número de provas e participantes não reflete no aumento do nível de competição do Brasil em provas internacionais. Se antigamente a preocupação era com resultados e tempo, hoje isso não é mais a prioridade, já que a maioria calça o tênis buscando qualidade de vida e um novo meio de interagir com os amigos. Para Adriano Pelegrino, diretor técnico da Corpore, uma clínica especializada em treinamento de atletas, é importante o corredor se preparar bem antes de uma prova. “O primeiro cuidado que o atleta tem que ter antes de correr uma Maratona é passar pelo médico cardiologista e fazer uma bateria de exames. O segundo cuidado é conhecer seu histórico de corridas, pois, antes de fazer uma maratona, devemos ganhar experiência com meias maratonas (21km). O terceiro cuidado é entender, conhecer e respeitar os seus limites, sem querer dar uma de herói”, afirma. Adriano ainda cita a importância da alimentação para o atleta: “o importante é procurar um nutricionista para que ele prepare um plano alimentar específico para os treinamentos, e nunca, no dia anterior ou durante a prova, experimentar alguma comida diferente, pois isso pode colocar a prova em risco”, conclui.

TABELA DO BRASILEIRÃO 2013

PASSA A BOLA... » A não convocação de Ronaldinho Gaúcho constituiu-se em grande surpresa para a maioria dos jornalistas que especulavam a lista de Felipão para a Copa das Confederações. Agora, alguns entendem que o motivo para o fato inclui a baixa produtividade do jogador com a camisa da seleção, além de ter uma postura um tanto rebelde para os conceitos do treinador. Entretanto, depois das grandes exibições do craque jogando pelo Galo Mineiro, esperávamos que ele, apesar disso, acabasse sendo convocado, o que não aconteceu. Os atleticanos ficaram frustrados. Dizem também que a questão comportamental tirou o volante Ramires da lista de Felipão.

no Rio de Janeiro é a Corrida da Ponte, que leva esse nome por ter seu percurso interligado através da ponte Rio-Niterói. Em 2013, a prova contou com a participação de 8 mil atletas, que percorreram um total de 21 quilômetros do Caminho Niemeyer até o Museu de Arte Moderna (MAM), no Aterro do Flamengo. Disputada pela primeira vez em 1981, ela voltou ao calendário esportivo em 2011, depois de ter sido suspensa

vendido a Lazio, da Itália, sem proporcionar nenhuma “fortuna” ao clube. O único jogador que o time do Morumbi não pôde mesmo manter foi Lucas, pois o PSG fez uma proposta irrecusável para as partes envolvidas: mais de R$ 100 milhões. Aí não dá mesmo para segurar. Mas, nos outros casos, entendemos que faltou ousadia e bom senso. Concordam? » Vamos aguardar quanto vai durar essa briguinha entre o secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, aquele mesmo que disse que “o Brasil precisaria levar um chute no traseiro”, e o Corinthians, sobre as obras do Itaquerão. Valcke disse que não aceitará atraso nas obras, insistindo em que tudo deve estar pronto até o final do ano. O ex-presidente do clube e responsável pelo andamento das obras, Andrés Sanches, respondeu que não está preocupado com isso. “Se quiserem mudar o local de abertura da Copa, fiquem à vontade”, declarou Sanches. Agora o jeito é esperar para sabermos quem pode mais.


» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013

Diálogo Metropolitano

RIO DE JANEIRO

7

SAÚDE

Sem cura, mas tratável, asma atinge 300 milhões no mundo A asma é uma doença inflamatória crônica das vias aéreas, afecção muito comum que pode afetar tanto crianças como adultos. Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), a asma atinge 300 milhões de pessoas em todo o mundo. No Brasil, 20 milhões de brasileiros convivem com a doença, que leva a óbito cerca de 3 mil pacientes todo ano. Sem cura, a asma é uma doença que, na maioria das vezes, tem origem alérgica familiar. “Ela está fortemente associada a componentes genéticos, ou seja, se um dos pais tem asma ou doença atópica em geral (rinite alérgica, dermatite atópica) o risco de a criança desenvolver a doença é muito grande”, afirma a pneumologista infantil Dra. Flávia Gennari. Mesmo sendo mais comum em crianças, pessoas de qualquer idade podem desenvolver a doença. “A asma resulta da interação entre a carga genética, exposição ambiental a alérgenos e substâncias irritantes das vias aéreas”, diz a alergista Dra. Laila Sabino Garro, em entrevista ao Max Press Net. De acordo com dados de pesquisa divulgada em abril de 2012 pela Revista Saúde Pública, a asma tem crescido entre crianças de 0 e 9 anos e adolescentes

entre 10 e 19 anos. Outros dados do Ministério da Saúde apontam que só em 2011 a doença foi responsável por 174.500 hospitalizações e, entre 2005 e 2009, levou a óbito 11.576 pessoas. “É uma problema mundial de saúde”, afirma Dra. Flávia. Problema esse que poderia ser evitado com a adesão dos pacientes aos tratamentos, inclusive os disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). E foi pensando em conscientizar a população através de informações e esclarecimentos sobre a doença que a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) fez uma campanha na primeira semana do mês de maio. O objetivo foi alertar a população sobre os riscos da doença, responsável por seis mortes diárias no país. Também objetivando a propagação de informações sobre a doença, será celebrado no próximo dia 21 de junho o Dia Nacional de Controle da Asma. Sintomas Dentre os sintomas da asma estão tosse seca persistente, chiado no peito e dificuldades para respirar. A pessoa com suspeita da doença ou o familiar devem ficar atentos se o indivíduo acordar por tossir demais

tratadas”, afirma Dra. Flávia. “Todos os sintomas e a frequência devem ser relatados ao pediatra e ele saberá se é necessária uma melhor investigação ou se deve ser iniciado o tratamento para asma brônquica”, completa. Para o asmático, o inverno pode ser um vilão. É preciso redobrar os cuidados com a doença, devido às baixas temperaturas e ao ar seco predominantes nessa época. No inverno também é comum que viroses se proliferem entre a população, o que pode gerar crises para o asmático. Tratamento

ou por falta de ar, e se as tosses e os chiados no peito são frequentes após atividade física ou exposição a alérgenos como mofo, poeira domiciliar ou animais. De acordo com a Dra. Flávia, é difícil identificar a doença em crianças menores de dois anos. “Quando elas chiam, é muito difícil predizer se este chiado é asma ou apenas um evento respiratório isolado em resposta a uma infecção viral”, diz. De acordo com a médica, a grande maioria dos lactentes que chiam não são asmáticos, mas alguns fatores, quando presen-

A VIDA É FRÁGIL. VIVA COM SAÚDE

tes, falam a favor do risco de asma, que são: chiado quando não está resfriado; pai ou mãe asmático; criança com sintomas de rinite alérgica (coçar o nariz, nariz escorrendo constantemente, obstrução nasal, roncos); assintomático entre as crises de chiado e diagnóstico médico de dermatite atópica. Embora a presença desses fatores aumente a chance da criança ser asmática, é importante alertar os pais que nem todo chiado é asma. “Existem inúmeras doenças que cursam com chiado no peito e devem ser investigadas e

A asma, por ser uma doença inflamatória crônica, não tem cura, mas tem tratamento. “A doença tem picos de piora de acordo com a idade”, diz a Dra. Flávia Gennari. “Crianças em idade pré-escolar e escolar e gestantes são as mais acometidas”, completa. De acordo com a pneumologista, somente uma pequena porcentagem das crianças asmáticas terá sintomas na idade adulta. “É importante realizar um diagnóstico precoce para melhorar a qualidade de vida dos pacientes”, afirma a médica. O tratamento varia caso a caso, dependendo da gravidade da doença. Na asma

intermitente, onde os sintomas são esporádicos, não há despertar noturno nem limitação às atividades físicas, por isso o tratamento é apenas para crises. O principal tratamento consiste no uso contínuo de corticoides por via inalatória, que diminuem a inflamação alérgica e promovem estabilização e controle da doença, diminuindo as crises e os sintomas. O tempo de tratamento pode variar de acordo com cada caso, mas deve ser mantido até que se obtenha um controle total da doença. “Já para pacientes com sintomas mais persistentes, indicamos a introdução de corticoide inalatório diário até o controle da doença.”, diz Flávia. “Quando bem controlado, o tratamento é reduzido até a mínima dose eficaz para manter o paciente fora da crise”, completa. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, um asmático pode ter uma vida completamente normal. É necessário apenas que a doença esteja sendo corretamente tratada. “Se realizado tratamento correto, geralmente com corticoides inalatórios, o processo inflamatório crônico ficará controlado, diminuindo o risco de desenvolver crises quando em contato com desencadeantes”, finaliza Dra. Flávia.

ANS lança guia com regras para planos de saúde

Dra. Lívia Maria Gennari | Médica Médicos importados? Existem no Brasil 200 faculdades de medicina formando em média 20.000 novos médicos todo ano. Sabemos que as regiões metropolitanas costumam atrair o maior número desses profissionais, já que, após no mínimo 6 anos de estudos em tempo integral, longe de casa, os novos doutores querem exercer sua profissão com o mínimo de dignidade. Consultórios apertados, pouco ventilados e quentes, falta de

higiene e assepsia de materiais, impossibilidade de realizar mesmo o mais simples exame de sangue para auxiliar no diagnóstico. São essas coisas que afastam os médicos do interior. A “importação” de 6.000 médicos estrangeiros anunciada pelo Governo preocupa, pois os mesmos não conhecem nada do perfil epidemiológico da saúde nacional, não fazem ideia de como funciona o SUS. Não pretendo discutir a capacidade técnico-científica dos profissionais, porém

a língua materna certamente é uma barreira na relação médico-paciente, tão importante para um diagnóstico e tratamento adequados. Após o juramento que fazemos no dia da formatura, é muito angustiante para um profissional deparar-se com um doente que necessita de um tratamento simples e não poder ajudá-lo por falta de recursos. Pergunto agora: o que farão os médicos cubanos, espanhóis, portugueses quando encontrarem as condições descritas? Colocarão sua segurança profissional em jogo? Correrão os riscos intrínsecos de um processo legal, aceitarão calados a morte de um paciente por falta de leitos de internação? Não faltam médicos, faltam condições mínimas de trabalho. Falta saneamento, falta água potável, falta alimento de qualidade, faltam políticas públicas que, ao invés de mascararem a realidade, comprometam-se em mudá-la.

Para facilitar as negociações entre os planos de saúde e os prestadores de serviço, como hospitais, laboratórios e médicos, a Agência Nacional de Saúde (ANS) lançou o Guia Prático da Contratualização. A publicação traz orientações para regular os contratos e evitar problemas no atendimento ao usuário. O guia é resultado de uma auditoria da agência em 60% dos planos de saúde do país, das 100 maiores empresas do setor, entre 2009 e 2011. Durante o trabalho, foram constatadas irregularidades que podem chegar a R$ 300 milhões em multas. Para garantir que os planos de saúde cumpram as regras, a ANS também propôs um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC). “A agência obriga que os planos de saúde tenha contratos com esses agentes e esses contratos têm regras claras, baseadas em resoluções. No entanto, notamos um grande desconhecimento dos prestadores de serviço com relação a resoluções da ANS e com relação aos itens que devem constar no contrato”, explicou o diretor de Desenvolvimento

Setorial da agência reguladora, Bruno Sobral de Carvalho. A cartilha tem caráter educativo e foi feita baseada nos problemas identificados na auditoria, como os reajustes de preços pelos serviços prestados. “Quando isso acontece, há sempre um conflito entre a operadora e o hospital ou o médico”, disse Carvalho. Para tentar facilitar a negociação, o diretor explica que constam do guia informações sobre recente instrução normativa. “O que essa instrução diz é que são necessárias regras claras para esse reajuste. Tem que ser baseado na livre negociação – sempre - mas que também deve

conter cláusulas de reserva - caso essa negociação não frutifique - como índices ou percentual pré-fixados”, explicou Carvalho, acrescentando que essa opção é melhor para o consumidor do que a indexação do aumento. Outro item que precisa ser de fácil entendimento no contrato é a prioridade no atendimento de urgência e de emergência, a gestantes, a idosos e lactantes. Orientações para o faturamento, como organizar os atos e procedimento que precisa de autorização do plano, como internações, também constam da cartilha, disponível na internet. (Isabela Vieira/ Agência Brasil)


8

Diálogo Metropolitano

» SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2013

Rio DE JANEiRo

RIO TOTAL

EDIÇÃO: THELL DE CASTRO

TRANSPoRTE PÚBliCo

A Prefeitura deu mais um passo no trabalho de reordenamento do sistema de transportes coletivos no Município do Rio de Janeiro e realizou no dia 17 de maio a cerimônia de assinatura dos contratos do primeiro lote licitado no Sistema de Transporte Público Local (STPL), que vai atender os bairros da Rocinha e Vidigal, na Zona Sul. Essas são as primeiras localidades a receber a nova estrutura do sistema de transportes, com veículos padronizados e integrados ao Bilhete Único Carioca. As duas primeiras linhas deste novo serviço farão o percurso São Conrado – Jardim de Alah, com duas rotas circulares, uma via Rocinha e outra via Avenida Niemeyer.

TRANSPoRTE PÚBliCo ii

O evento foi realizado no Palácio da Cidade, em Botafogo, e contou com a presença do secretário municipal de Transportes, Carlos Roberto Osorio, do coordenador especial de Transporte Complementar da Prefeitura do Rio, delegado Cláudio Ferraz, e dos 66 novos permissionários, que já começaram a operar no dia 18. Na ocasião, foram apresentados os novos veículos e os permissionários receberam um Código Disciplinar com novas regras, direitos e deveres da categoria.

BolÍViA

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, foi até Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, fechar os últimos detalhes para visita da delegação boliviana ao Brasil. A proposta é que integrantes do governo da Bolívia venham ao Brasil até o final deste mês para conhecer a experiência de combate ao tráfico de armas e drogas nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) no Rio de Janeiro.

iNTERNET CoMUNiTáRiA

A vontade de entender melhor o ‘mundo da informática’ fez com que a ex -auxiliar de cozinha Maria dos Anjos de Jesus, de 66 anos, procurasse um dos Centros de Internet Comunitária (CIC) coordenados pelo Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado (Proderj). A aposentada integra o grupo de pessoas que participam dos cursos de inclusão digital oferecidos nos 77 telecentros no estado. Mais 13 unidades devem ser instaladas até o fim de 2014.

iNTERNET CoMUNiTáRiA ii

O programa de inclusão digital do Governo do Estado - que oferece aulas de informática e acesso gratuito à internet - tem atendido, desde 2007, a quase 8 mil pessoas entre jovens, adultos e idosos. A iniciativa já registrou também mais de 2 milhões de acessos livres no período. No total, 17 telecentros atendem à comunidade na Capital. Outros 60 núcleos beneficiam moradores do interior fluminense.

PESQUiSA

Projetos de 232 pesquisadores receberam seus termos de outorga da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), em cerimônia re-

alizada no dia 20 de maio, no Palácio Guanabara. A fundação lançou sete editais, com cerca de R$ 34 milhões de investimentos que serão destinados a desenvolvimento de programas científicos e bolsas de estudos.

EXPoSiÇÃo

A vida e a obra da cantora Marlene estão em exposição no Centro Municipal de Referência da Música Carioca Artur da Távola, na Rua Conde de Bonfim, na Tijuca, Zona Norte do Rio. A mostra comemora os 90 anos da artista, com imagens de arquivo, entrevistas e depoimentos. Interessados em conhecer a obra da cantora podem visitar a exposição de terça a domingo, entre 10h e 18h.

MUSiCAl

Até o dia 2 de junho, o Teatro Fashion Mall recebe o musical “A Floresta Mágica”. As apresentações ocorrem aos sábados e domingos, às 17h. A peça traz Mia, uma garota que ganha no seu aniversário um livro de contos de fadas. Em um primeiro momento, ela não se interessa pela leitura, mas depois, movida pela curiosidade, resolve ler algumas páginas. Assim, ela é transportada para uma floresta mágica. No mundo encantado da leitura, ela conhece seus verdadeiros amigos.

BolSA FAMÍliA

As informações desencontradas sobre o pagamento do Programa Bolsa Família divulgadas no domingo (19) continuaram a provocar uma corrida às agências da Caixa na segunda (20), principalmente em municípios da Baixada Fluminense. Apesar dos comunicados afixados pelo banco em suas agências, explicando que somente haveria pagamentos do benefício programados, muitas pessoas formaram filas em frente aos caixas eletrônicos para checar se o dinheiro estava sendo pago.

BolSA FAMÍliA ii

Após o boato sobre o fim do Bolsa Família, a Caixa Econômica Federal registrou 920 mil saques de beneficiários do programa somente no final de semana. Foram sacados R$ 152 milhões.

BolSA FAMÍliA iii

Um dos destaques do elenco feminino da novela “Amor à Vida”, que estreou no último dia 20 na Rede Globo, é Vanessa Giácomo. Na trama, ela vive Aline Noronha, bela e fiel secretária de César (Antônio Fagundes).

A presidenta Dilma Rousseff criticou o boato e assegurou o compromisso do seu governo com o programa. Ela fez um apelo aos brasileiros para que não acreditem nos pessimistas, “porque os boatos no país às vezes ocorrem de forma surpreendente”.

PoR DENTRo DA NoTÍCiA Reinaldo Costa | Jornalista O Município de Resende é um local privilegiado pela mãe natureza. Está situado na região do vale do médio Paraíba, que é considerado o principal eixo macroeconômico do País. O seu polo industrial está fadado a se tornar um dos mais importantes do Estado do Rio de Janeiro e, em recente reportagem, uma revista de grande circulação estampou que Resende está sendo chamada de “Detroit brasileira”, devido à qualidade, tecnologia e vanguarda no setor automotivo. Podemos citar o estupendo investimento que a montadora Nissan está realizando na cidade e que irá gerar mais de dois mil empregos diretos. É muito alardeada a sua vocação para o progresso, tendo em conta a parceria mantida entre os governos estadual e municipal, que contribui para a geração de mais empregos, renda e qualidade de vida. Insta salientar que, como toda cidade que se preze, Resende também possui algumas demandas que tiram o sono das pessoas de bem. Como não podia deixar de ser, a mais premente é a que diz respeito ao uso indevido de substâncias entorpecentes, principalmente o “crack”, que tem revelado um poder enorme na desagregação de inúmeras famílias. Lamentavelmente, o “crack” é extremamente democrático e não escolhe idade ou sexo para ser consumido e, invariavelmente, a droga leva à degradação da figura humana. Não se pretende, neste momento, discutir se o usuário é ou não responsável pela manutenção do tráfico de drogas. O que se espera alcançar é, tão somente, a abertura de um espaço de meditação e proposição de ideias que venham contribuir para minorar a situação de milhares de seres humanos que se tornam farrapos ou sombras, face o

estrago que o uso do “crack” ocasiona. Eis um breve relato de uma iniciativa que, pelos personagens envolvidos, gerou perplexidade em muitas pessoas, que não estavam preparadas para tal fato. Logo que assumi a titularidade da delegacia policial do município de Resende, percebi que não seria mais uma tarefa de natureza meramente policial. Pareceume que havia algo mais a ser realizado. Explico o porquê daquela sensação: o comandante do batalhão da Policia Militar sediado em Resende havia sido meu contemporâneo durante a realização do Curso Superior de Polícia Integrado. Durante o ano letivo, havíamos compartilhado muitos trabalhos e viajamos no mesmo grupo para a Europa, para complementação dos estudos. Esse fato deu azo a um entrosamento que, no momento certo, deu frutos. Quando comecei a analisar os dados relativos às apreensões de adolescentes e prisões de pessoas envolvidas com drogas, cheguei à conclusão de que muitos deles tinham mais características de usuários. Ora, modernamente, entende-se que o usuário é uma pessoa doente. A própria legislação traz em seu bojo a preocupação com a prevenção e com o tratamento do usuário. Durante uma reunião de trabalho, o tenente coronel Rogério de Figueiredo, comandante do batalhão de Resende, relatou sua preocupação e externou a ideia de fazer algum tipo de ação voltada ao acolhimento de usuários de drogas. O município de Resende possui uma rede de atendimento social bem aparelhada e, diante dessa realidade, esboçamos uma proposta que, dada sua natureza, somente contaria com atuação policial se fosse extremamente necessário. Inicialmente, apresentamos o projeto ao chefe do Poder Executivo Municipal, que concordou sem pestanejar. Em seguida, demos conhe-

cimento aos magistrados e aos representantes do Ministério Público sobre a iniciativa. É importante lembrar que o juiz pode determinar que o Poder Público coloque à disposição do infrator - leia-se “usuário de drogas”gratuitamente um estabelecimento de saúde, preferencialmente ambulatorial, para tratamento especializado. Diante do quadro existente, o nosso entendimento foi direcionado no sentido de desencadear ações de acolhimento de pessoas que estavam perambulando durante a madrugada naqueles locais previamente selecionados. Em seguida, as referidas pessoas foram encaminhadas a um estabelecimento de ensino municipal, onde estavam profissionais das áreas de saúde, psicólogos, assistentes sociais etc. Constatou-se que alguns dos acolhidos já haviam sido abordados pelos profissionais que ali estavam. A síntese da proposta é, simplesmente, servir de elo entre o usuário de drogas (pessoa doente) e o profissional especializado, seja da área de saúde, assistência social ou psicológica. Conforme mencionado no início, a oferta de emprego é superior à demanda e, para aqueles que externaram vontade, houve encaminhamento ao balcão de empregos. As críticas foram recebidas como incentivo a novas ações, e tivemos a oportunidade de demonstrar que a atuação policial, de maneira integrada com os segmentos sociais, entidades de classe, Poder Executivo Municipal, Judiciário e Ministério Público, contribuiu para restaurar algumas vidas que já eram dadas como perdidas para o flagelo das drogas.


Diálogo Metropolitano – Edição 7 – 24/05/2013