Page 1

DIÁLOGO METROPOLITANO

RIO DE JANEIRO

» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014 | ANO 1 | NÚMERO 18 | ALPHA PRIME: 60 ANOS DE JORNALISMO

CIDADES

Réveillon 2014 encantou milhões de pessoas O Réveillon de Copacabana, considerado a maior festa do planeta, mais uma vez surpreendeu e encantou cariocas e turistas que lotaram as areias, ruas e prédios do bairro na noite de terça-feira (31/12). Cerca de 2 milhões de pessoas sendo 767 mil turistas - cantaram, dançaram e emocionaramse com o espetáculo de cores, luzes e desenhos de beijos, corações, borboletas e flores que enfeitaram o céu durante 16 minutos e marcaram o início de 2014. Um momento especial de confraternização entre o público, batizado de beijaço, reproduziu o som de beijo estalado e formou 100 corações de fogos no céu, estimulando uma grande manifestação de carinho entre as pessoas que se beijavam, abraçavam e pediam bênçãos para o novo ano. O espetáculo trouxe o tema “Réveillon mais animado do que nunca”, baseado no filme de animação Rio 2, dirigido por Carlos Saldanha, que será lançado em 28 de março de 2014. PAG 2

Em 2014, temas polêmicos não devem avançar no Congresso Com carnaval em março, Copa do Mundo no Brasil e eleições, 2014 não deve ser um ano de votações de temas muito polêmicos no Congresso. Apesar do ceticismo de muitos parlamentares, o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), disse que entre as prioridades para a retomada dos trabalhos em fevereiro está a votação da reforma política também defendida pelo colega do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). PAG 4

CULTURA

ESPORTES

ECONOMIA

Arlete Salles contou detalhes Meninas do Handebol estão Infraestrutura é o principal desafio de sua carreira ao Viva confiantes para 2016 para o agronegócio em 2014

Arlete Salles é dama na arte e na vida. Pernambucana, iniciou a carreira no humor e ganhou os palcos e telas ao fazer o público rir e chorar. O “Damas da TV”, do canal Viva, exibido no último dia 8, apresentou um lado nem tão conhecido da veterana, que considera a profissão como o alimento de sua alma. PAG 5

A Seleção Brasileira Feminina de Handebol venceu no dia 22 de dezembro o time da Sérvia, em Belgrado, capital do país, por 22 a 20, e conquistou a inédita medalha de ouro no Campeonato Mundial Feminino de Handebol. O time brasileiro terminou a competição invicto. Anteriormente, a melhor posição da equipe havia sido o quinto lugar no Mundial. PAG 6

Influenciada pelo elevado volume de emissão de títulos públicos prefixados, a Dívida Pública Federal (DPF) cresceu em outubro e voltou a ultrapassar a barreira de R$ 2 trilhões. De acordo com dados divulgados pela Secretaria do Tesouro Nacional, a DPF fechou o mês passado em R$ 2,022 trilhões, com alta de R$ 33,6 bilhões em relação ao estoque registrado em setembro. PAG 3

E MAIS...

Como aliviar o calor e economizar energia?

Preço da cesta básica aumenta em 18 capitais do país

Consumidor enfrenta dificuldades no descarte

Turistas de baixa renda e mais ricos vão viajar mais

ECONOMIA PAG 3

ECONOMIA PAG 3

DANIELLE DENNY PAG 4

BRASIL E MUNDO PAG 4

Terceira temporada de Homeland no FX

Boxe e erotismo movimentam cinemas neste começo de ano

Ressaca a tortura do dia seguinte

Especialistas recomendam cuidados com a saúde no verão

THELL DE CASTRO PAG 5

HAMILTON ROSA JÚNIOR PAG 5

DRA. LIVIA GENNARI PAG 7

SAÚDE PAG 7

Rio Total: A beleza de Maria Fernanda Cândido PAG 8

» ESTA EDIÇÃO 8 PÁGINAS | CONFIRA A EDIÇÃO DIGITAL NO SITE www.dialogometropolitano.com.br OU NOS NOSSOS APLICATIVOS


2

DIÁLOGO METROPOLITANO

» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014

RIO DE JANEIRO

CIDADES

Réveillon 2014 encantou milhões de pessoas em Copacabana

O Réveillon de Copacabana, considerado a maior festa do planeta, mais uma vez surpreendeu e encantou cariocas e turistas que lotaram as areias, ruas e prédios do bairro na noite de terça-feira (31/12). Cerca de 2 milhões de pessoas sendo 767 mil turistas - cantaram, dançaram e emocionaram-se com o espetáculo de cores, luzes e desenhos de beijos, corações, borboletas e flores que enfeitaram o céu durante 16 minutos e marcaram o início de 2014. Um momento especial de confraternização entre o público, batizado de beijaço, reproduziu o som de beijo estalado e formou 100 corações de fogos no céu, estimulando uma grande manifestação de carinho entre as pessoas que se beijavam, abraçavam e pediam bênçãos para o novo ano. O espetáculo trouxe o

tema “Réveillon mais animado do que nunca”, baseado no filme de animação Rio 2, dirigido por Carlos Saldanha, que será lançado em 28 de março de 2014. O show contou com seis fases multicoloridas (Voo Azul, Floresta de Cores, Natureza Exuberante, Aquarela Carioca, Paz e Luz e Bemvindo 2014) e desenhos lúdicos inspirados no filme. Além disso, uma trilha sonora cinematográfica, assinada pelo compositor John Powell, responsável pelas trilhas de superproduções americanas, como o próprio ‘Rio’, ‘Kung Fu Panda’, ‘Ultimato Bourne’ e ‘Shrek’, tocou simultaneamente à queima de fogos e embalou a multidão. - A festa mais uma vez foi incrível, provando que o Rio de Janeiro tem o maior Réveillon a céu aberto do planeta. Um dos momentos mais emocionantes fi-

cou por conta do beijaço e seus 100 corações no ar que contagiaram toda a orla de Copacabana. A queima de fogos foi um verdadeiro show de imagens com símbolos da natureza desejando a todos um 2014 “azul”. Nos outros palcos espalhados por toda a cidade, o que se viu foi muita emoção e energia positiva para celebrar a chegada do novo ano - afirmou o secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello. Além do tradicional espetáculo na Praia de Copacabana, aqueles que quiseram aproveitar os últimos minutos de 2013 ao ar livre e com muita animação também puderam curtir diversas atrações em mais oito pontos da cidade: Ilha do Governador (Praia da Bica), Paquetá (Praia da Moreninha), Sepetiba (Praia do Recôncavo), Parque Madu-

reira, Piscinão de Ramos, Penha (IAPI da Penha), Guaratiba (Rua Barros de Alarcão) e Flamengo (Praia do Flamengo). Em Copacabana, o evento começou oficialmente às 18h, com apresentações de cerca de 20 atrações musicais, entre artistas e DJs, divididos em três palcos montados ao longo da orla. Grupos e artistas como Carlinhos Brown, Lulu Santos, Nando Reis, Beth Carvalho, Sylvinho Blau Blau, as escolas de samba Unidos de Vila Isabel, Beija-Flor e da Tijuca, ficaram encarregados de animar ainda mais a festa. À meia-noite, momento mais esperado por todos, foram queimadas 24 toneladas de fogos de artifício - distribuídas em 11 balsas, dispostas a 400 metros da orla. Uma equipe de 85 profissionais especializados, entre produtores e pirotécnicos, trabalhou para

garantir precisão, beleza e segurança ao espetáculo e à população. No palco principal, em frente ao Hotel Copacabana Palace, Nando Reis apresentou sucessos como “Relicário” e “Sei” e manteve o entusiasmo e fez todos cantarem. Em seguida, o Dream Team do Passinho chamou a atenção com uma coreografia exclusiva. Após a apresentação do Nando Reis, Lulu fechou o ano em clima de alegria. O mestre de cerimônia foi o ator Otaviano Costa, que deu início a contagem regressiva, animando ainda mais a chegada de 2014. Após a queima de fogos, Carlinhos Brown entrou em cena com diversas canções, inclusive de Tim Maia e Herbert Viana, mas não resistiu e desceu do palco principal montado na Praia de Copacabana para cantar perto do público. Ele tam-

bém foi responsável por ciceronear a arara azul Blu e seus companheiros Pedro (pássaro ruivo) e Nico (canário amarelo), que saudaram a todos. Depois, foi a vez da escola de samba Vila Isabel entrar e colocar o povo pra sambar. Para oferecer conforto ao público, a Prefeitura do Rio também disponibilizou 300 banheiros químicos espalhados por toda a orla e a Guarda Municipal distribuiu 10 mil pulseiras de identificação para crianças. Além disso, a estrutura municipal contou ainda com cinco postos médicos, com 226 profissionais de saúde, sendo 87 médicos, trabalhando durante todo o evento. As unidades contaram com 56 leitos – com 10 de suporte avançado, e, para os casos de remoção, estiveram de prontidão 35 ambulâncias de suporte avançado e 13 de suporte básico.

DIÁLOGO METROPOLITANO PUBLICADO PELA ALPHA PRIME EDITORA E JORNALISMO LTDA. ALPHA PRIME: 60 ANOS DE JORNALISMO DIRETORA Mônika Santos Ferreira EDITOR CHEFE Jônatas Mesquita | MTb 63370 jonatas@dialogometropolitano.com.br REDAÇÃO Raul Ramos contato@dialogometropolitano.com.br

COLUNISTAS Danielle Denny, Hamilton Rosa Jr., Hamilton Vasconcellos, Igor Quirino, Lívia Gennari, Reinaldo Costa, Renata Palmier e Thell de Castro. PROJETO GRÁFICO E EDITORIAL News Prime Comunicação & Web www.newsprime.com.br contato@newsprime.com.br

REVISÃO Bianca Montagnana

REDAÇÃO Avenida das Américas, 3.500 Bloco 05 | Sala 313 | Rio de Janeiro | RJ

DIAGRAMAÇÃO Roberta Furukawa Bartholomeu

IMPRESSÃO Gráfica Lance

Os artigos assinados são de responsabilidade de seus autores, não refletindo, necessariamente, a opinião do jornal


» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014

DIÁLOGO METROPOLITANO

RIO DE JANEIRO

3

ECONOMIA

Infraestrutura é o principal desafio para o agronegócio em 2014 RAUL RAMOS O grande desafio para o agronegócio em 2014 é a infraestrutura logística, disse à Agência Brasil a economista Daniela Rocha, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas. “A produção tem aumentado por causa dos avanços tecnológicos, mas a gente está com dificuldade de escoar”, disse Daniela. O Brasil apresentou produtividade elevada em todos os produtos no ano passado, e a melhoria vai continuar este ano em quantidade - não em ternos de área plantada, mas devido aos avanços tecnológicos implantados. Os problemas de infraestrutura impedem que o país tenha condições adequadas para escoar a produção. Daniela admitiu que os leilões de concessões na área de infraestrutura de transportes são a única alternativa para melhorar o escoamento da produção. Ela avaliou que o governo federal deu o pontapé inicial para solucionar a questão com as concessões de portos, rodovias, aeroportos e ferrovias, mas indicou que os resultados dos primeiros leilões só deverão ser notados “daqui a três ou quatro anos”. A economista destacou que em vez de os investimentos serem direcionados de forma maciça para rodovias, o governo deveria dar prioridade a combi-

nações entre os diversos meios de transporte da produção, como rodovia/hidrovia ou hidrovia/ferrovia, por exemplo. Daniela Rocha explicou que o planejamento do transporte no Brasil foi voltado para o setor rodoviário. “Você pode começar a diminuir isso, a partir de melhorias nos portos”. Acrescentou que se houver condições de algumas hidrovias serem utilizadas, como as do Rio Madeira, em Rondônia, e do Rio Tocantins, no Tocantins, pode-

rão ser feitas combinações na área logística de transportes. “Não pode ser só rodovia, porque tem a questão da quilometragem. O ideal é fazer combinações, senão o custo do frete vai sair elevadíssimo”, observou. Ela acredita, entretanto, que o Brasil está no caminho certo. O presidente da Sociedade Nacional de Agricultura, Antônio Alvarenga, compartilha a opinião. Ele disse à Agência Brasil que a infraestrutura de transporte “é um desafio bastante grande”

Como aliviar o calor e economizar energia? O verão chegou, e os termômetros registram diversas vezes temperaturas acima dos 30°. Para aliviar o desconforto causado pelo calor, muitas pessoas têm optado pelos ventiladores. Na Loja Elétrica, por exemplo, a venda desse equipamento chega a triplicar durantes os meses de verão em relação ao inverno, e a expectativa é aumentar ainda mais em 2014. Segundo João Flávio Mattos, diretor da Loja Elétrica, esse aparelho é muito procurado pelo baixo custo, economia de energia e sustentabilidade, principalmente se comparado ar condicionado, o gasto de

energia elétrica pode chegar a 1500 watts, contra 70 watts de um ventilador de teto. Mattos explica que, ao comprar um ventilador, o consumidor deve ficar atento às características do produto. “Na hora de escolher, muitas vezes a pessoa se coloca abaixo do ventilador e sente diretamente o vento gerado. Mas, se não tiver atenção, ela não consegue perceber que o importante é que o ar se movimente por todo o ambiente e não forme apenas uma corrente para baixo”, alerta o diretor. Para ele, motores mais possantes permitem a utilização de pás maiores e com maior inclinação, para mover grandes quantidades de ar. Isto só é possível se o motor tiver sido projetado e construído especificamente para ventiladores de teto. “Ventiladores de teto comuns, do tipo popular, possuem motores de uso geral, ou seja, que são utilizados por vários tipos de aparelhos. Por isso, não movimentam bem todo o ar do ambiente, mas apenas o ar abaixo de suas pás, além de consumirem o dobro da energia dos motores proje-

tados só para ventiladores de teto”, afirma João Flávio Mattos. Economia de energia O diretor da Loja Elétrica também dá algumas dicas para economizar energia nesse período do ano, em que o número de banhos aumenta e a utilização de aparelhos para refrescar o ambiente se torna mais frequente. Ele recomenda: - Reduzir a potência do chuveiro elétrico, pois ele é responsável por até 30% do consumo de energia em uma casa; - Evitar abrir a geladeira muitas vezes ao dia e verificar a borracha de vedação das portas. Para fazer isso, basta colocar uma folha de papel entre a geladeira e a porta, fechar a porta e puxar. Caso a folha saia com facilidade, é preciso levar o equipamento para a manutenção; - Não deixar aparelhos eletrônicos ligados no modo stand by e utilizar lâmpadas e eletrodomésticos que trazem selos de eficiência energética, também pode ajudar a diminuir a conta de luz no final do mês.

para o desenvolvimento do agronegócio brasileiro, “porque à medida que a safra vai tendo sucesso, o gargalo vai ficando cada vez maior”. A solução do problema passa também pela armazenagem, apontou. “Já tem um programa do governo de financiamento com juros subsidiados”. Isso sinaliza para o aumento do número de armazéns, fazendo com que o escoamento da safra não ocorra de uma só vez. “Ela tem que escoar gradualmente e não imediatamente após a colheita. A arma-

zenagem serve para haver escoamento mais tranquilo”. Alvarenga enfatizou que outro problema que inibe o desenvolvimento do agronegócio é a demarcação de terras indígenas, principalmente no Mato Grosso do Sul e na Amazônia. “A gente vai continuar tendo os conflitos até que o governo tome a decisão de interromper o frenesi da Fundação Nacional do Índio de demarcar terras indígenas”. Segundo ele, existe “demarcação exagerada” de terras indígenas.

Para Daniela Rocha, a perspectiva é de aumento da safra este ano, “principalmente porque 2013 não foi tão bom em termos de preços”. Números da Companhia Nacional de Abastecimento estimam crescimento em torno de 10% para a soja e 5% para grãos em geral, em 2014. Para o milho, a projeção é recuo de 3% para as duas safras. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística prevê expansão de 9% para a produção de soja e queda de 7,1% para o milho primeira safra. Para a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas, que englobam algodão, amendoim, arroz, feijão, milho e soja, o instituto estima aumento de 4,7%, informou Daniela Rocha. Antônio Alvarenga avaliou que os preços das commodities (produtos agrícolas e minerais comercializados no mercado internacional) deverão mostrar um pequeno declínio, tendendo para uma acomodação nos preços dos grãos. Isso será parcialmente compensado pelo dólar mais alto, indicou. “Muito provavelmente, o dólar no final do ano de 2014 estará na faixa de R$ 2 a R$ 2,50. Isso significa um valor bem melhor do que foi a comercialização da safra no ano passado. Ou seja, cai um pouco o preço das commodities, mas melhora a cotação do dólar”. (Alana Gandra / Agência Brasil)

Preço da cesta básica aumenta em 18 capitais do país O valor da cesta básica aumentou, em 2013, nas 18 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica, divulgada mensalmente, nove localidades tiveram oscilação acima de 10%, com as maiores elevações registradas em Salvador (16,74%), Natal (14,07%) e Campo Grande (12,38%). As menores variações ocorreram em Goiânia (4,37%) e Brasília (4,99%). De acordo com a pesquisa, no mês de dezembro, a cesta básica aumentou em 15 cidades, sendo que as maiores altas foram registradas em Goiânia (7,95%), Florianópolis (7,86%), no Recife (2,37%), em Salvador (2%) e Campo Grande (1,84%). No sentido contrário, aparecem Aracaju (-0,88%) e Rio de Janeiro (-0,43%), as duas únicas cidades onde foi registrada variação negativa. Porto Alegre foi a cidade que apresentou o maior valor para a cesta básica

(R$ 329,18), mesmo sendo a terceira menor variação positiva (0,14%). Na sequência, estão São Paulo (R$ 327,24) e Vitória (R$ 321,39). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 216,78), João Pessoa (R$ 258,81) e Salvador (R$ 265,13). No acumulado do ano, o leite, a farinha de trigo, a banana, o pão francês e a batata tiveram aumento em todas as regiões em que foram pesquisados. O leite mostrou variações entre 6,18% (Manaus) e 28,24% (Belém). Em todas as localidades as taxas foram maiores do que 13%, menos no Amazonas. Em dezembro, a maior parte das cidades teve redução nos

preços, com os aumentos ocorrendo em Florianópolis (6,96%), Natal (3,82%), Aracaju (3,09%) e Brasília (2,02%). Em 2013, a farinha de trigo teve variações que chegaram a 67,06% em Florianópolis, 55,56% em Campo Grande, 46,24% em Goiânia, 37,96% em Porto Alegre, 33,47% em Curitiba, 31,25% em Brasília e 30,72% em São Paulo. Em dezembro, Florianópolis registrou variação de (20,68%), Campo Grande (6,87%), Goiânia (3,03%) e Belo Horizonte (1,66%). A principal queda ocorreu em Brasília (-5,57%). Já o pão francês subiu, em 2013, em todas as regiões pesquisadas, com variações que oscilaram entre 2,13% em Aracaju e 24,17% em Campo Grande. No mês de dezembro, houve estabilidade em Brasília e aumento em Campo Grande (6,08%), Florianópolis (5,48%), Goiânia (3,58%), João Pessoa (1,73%), Salvador (1,20%), Vitória (0,60%), Belo Horizonte (0,35%), São Paulo (0,32%), Belém (0,25%) e Porto Alegre (0,14%).


4

DIÁLOGO METROPOLITANO

» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014

RIO DE JANEIRO

BRASIL E MUNDO

Em 2014, temas polêmicos não devem avançar no Congresso RAUL RAMOS

Com carnaval em março, Copa do Mundo no Brasil e eleições, 2014 não deve ser um ano de votações de temas muito polêmicos no Congresso. Apesar do ceticismo de muitos parlamentares, o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), disse que entre as prioridades para a retomada dos trabalhos em fevereiro está a votação da reforma política também defendida pelo colega do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). O senador alagoano, defende a proposta da presidenta Dilma Rousseff de realizar a reforma com base em uma consulta

popular, já que, segundo ele, está claro que o Poder Legislativo não é capaz de avançar sozinho nesta questão. Além da reforma política, Henrique Alves mencionou outros projetos importantes para o ano que vem como o Código de Mineração e o Marco Civil da Internet, este último tramita em regime de urgência constitucional e tranca a pauta de votações da Casa. “São três temas que vão agitar, do ponto de vista positivo, o Parlamento, sacudir o Parlamento para definição de uma decisão em favor do País e do povo

brasileiro”, afirmou. Outra proposta importante que, segundo ele, deve estar entre as prioridades do primeiro semestre de 2014 é a regulamentação da Emenda Constitucional nº 72 que assegurou direitos trabalhistas e sociais de empregados domésticos. A maior pressão na Câmara no entanto, deve ser em torno do avanço de propostas ligadas à chamada pauta das ruas. São matérias que já foram aprovadas pelo Senado e agora dependem da votação dos deputados para saírem do papel. Entre os principais projetos estão, por exem-

ECONOMIA VERDE Danielle Denny | Advogada Consumidor enfrenta dificuldades no descarte da linha branca

O consumo de eletrodomésticos do final de 2013 foi estimulado por diversas iniciativas promocionais nas redes varejistas, como Pernambucanas, Casas Bahia e Ponto Frio. Contudo, muito pouco foi feito com relação à logística reversa dos produtos substituídos. Quem compra tem de procurar alternativas para se livrar do elefante branco, que pode chegar a 70 kg. O comércio não está preparado para receber produtos usados e a indústria não oferece uma alternativa para o consumidor descartá-los de maneira adequada. Com os incentivos à compra e o alto custo para consertar, cada vez mais as pessoas se desfazem

de aparelhos para substituí -los por novos. Mas, segundo a Política Nacional de Resíduos Sólidos, deve haver estímulo à reutilização e à reciclagem, e a responsabilidade sobre isso é compartilhada. Assim, governo, fabricantes e varejo precisam fechar acordo, estabelecendo a tarefa e os custos que recaem sobre cada um. O maior gargalo está no varejo, que tem preparo para vender e entregar, mas não para receber de volta. Os entregadores, na maioria terceirizados, às vezes aceitam retirar o produto antigo para depois revender para o ferro velho e algumas prefeituras possuem o serviço de recolhimento de grandes volumes, o “cata-treco”, porém falta oficializar um processo e informar isso no ato da compra ou nas embalagens dos produtos. Essa sistematização só será implementada quando concluir e for submetido à consulta pública o acordo setorial dos produtos eletroeletrônicos. O desafio de conciliar os diferentes interesses é grande. Além dos diversos elos da cadeia produtiva, o descarte de um

refrigerador tem características totalmente diferentes do descarte de um celular por exemplo. Os equipamentos eletroeletrônicos têm diversas especificidades e são classificados em quatro grandes grupos. A linha marrom corresponde aos televisores, monitores, DVD/VHS, produtos de áudio; a verde inclui desktops, notebooks, impressoras, aparelhos celulares; a azul, batedeiras, liquidificadores, ferros elétricos e furadeiras; e a branca, geladeiras, refrigeradores, congeladores, fogões, lava-roupas, arcondicionado. A indústria, comércio e distribuidores elaborou uma proposta única a ser submetida ao Ministério do Meio Ambiente que será analisada pelo Comitê Orientador, coordenado pelo MMA e integrado por outros quatro ministérios (Fazenda, Saúde, Agricultura e Desenvolvimento Indústria e Comércio Exterior) para depois ser submetidas à consulta pública. Tomara que este ano novo traga avanços!

plo, o que torna corrupção crime hediondo (PLS 204/2011), ficha limpa para servidores públicos (PEC 6/2012), além do que reduz de dois para um o número de suplentes de senador (PEC 11/20030) e o Plano Nacional de Educação (PL 8.035/10). Já no Senado, a expectativa é avançar na proposta do passe livre nacional para estudantes (PLS 248/2013) e na que acaba com o foro privilegiado para crimes comuns (PEC 10/2013). Os senadores também devem se debruçar nos esforços concentrados que serão programados ao longo do ano, nos projetos que aguardam modernização, como a dos Códigos Penal, Comercial e de Defesa do Consumidor. Na avaliação do diretor de documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), Antônio Augusto de Queiroz como orçamento da União foi votado em dezembro, o governo vai depender pouco do Congresso no ano que vem. Tomando como base 2013, quando o Planalto, segundo levantamento do Diap editou 27 medidas provisórias, cerca de duas por mês, Queiroz não acredita que 2014 será um ano em que a pauta do Congresso vai ser dominada por este instrumento. Para evitar desgaste po-

lítico em ano eleitoral o diretor do Diap, também, não acredita no avanço de temas polêmicos na pauta. “O governo deve mais segurar que fazer andar votações e só vai se empenhar naquilo que não implicar em aumento de despesas”, espera. (Karine Melo/Agência Brasil) Reforma política O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) disse que pretende votar a proposta de reforma política em março. Segundo o relator da proposta, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), o texto mantém em quatro anos o tempo de mandato para cargos majoritários, como presidente, governador e prefeito, e propõe o fim da reeleição para cargos do Executivo. Para cargos do Legislativo a reeleição foi mantida com quatro anos de mandato. A proposta também acaba com as coligações partidárias nas eleições proporcionais (para deputados, vereadores e senadores). Em seu lugar propõe a criação de uma federação nacional de partidos que funcionará por quatro anos. “Se boa parte deste trabalho for aprovada, nós vamos reduzir os custos da eleição em 70%, vamos coibir abusos econômicos e vamos criar um sistema

eleitoral muito mais democrático porque o candidato estará muito mais perto do cidadão e o eleito estará mais perto do eleitor, tanto para ser cobrado quanto para receber as sugestões para o início do seu mandato”, disse. O texto foi criticado pelo deputado Henrique Fontana (PT-SP), relator da proposta nos últimos dois anos e meio. Para Fontana, o GT não enfrentou o principal problema do sistema político brasileiro que é a força do poder econômico no processo eleitoral. “Eu acho que ela [a proposta de reforma política] é bastante negativa porque não altera o problema central da política brasileira que é o abuso do poder econômico, eleições caras e o financiamento das campanhas por empresas”, disse. Fontana defendeu novamente a adoção do financiamento público de campanhas e a limitação das doações de pessoas físicas. “A mudança principal que nós precisamos é a proibição do financiamento de empresas que tem muita relação com privilégios e corrupção e a limitação do financiamento de pessoas físicas com tetos de gastos, assim teremos campanhas mais baratas e isto não é mexido”, disse. (Luciano Nascimento / Agência Brasil)

Turistas de baixa renda e mais ricos vão viajar mais Um estudo do Ministério do Turismo revela que os brasileiros com renda até R$ 2.100 aumentaram sua intenção de viagem de 8,8% para 17,9% no último ano. A elevação também aconteceu entre os que ganham mais de R$ 9.600 mensais: de 53,3% para 61,4%. Os dados consideram dezembro de 2012 e dezembro de 2013 e mede a intenção dos brasileiros de viajar pelos próximos seis meses, por destinos nacionais e internacionais. O aumento foi menor entre as duas faixas de renda intermediárias: entre os viajantes com renda entre R$ 2.101 a R$ 4.800 passou de 25,2% para 26,2%; e entre os que ganham R$ 4.801 e R$ 9.600, de 39,7% para 41,9%. A intenção de viagem do

brasileiro em dezembro foi recorde no ano: Mais de 37% dos entrevistados nas sete maiores capitais do país pretendem viajar nos próximos seis meses pelo Brasil e exterior. “Isso revela que o ano de 2014 será promissor para o turismo brasileiro e que o nosso país vai se beneficiar desses deslocamentos”, disse o ministro do Turismo, Gastão Vieira. O percentual de pessoas interessadas em visitar destinos nacionais também foi recorde anual: 76,2% frente aos 22% que devem desembarcar em outros países. Entre as paisagens brasileiras mais requisitadas, a região Nordeste continua imbatível como objeto de desejo. É a preferida de 40,1% dos turistas que pretendem viajar. Os estados do Sul aparecem em

segundo lugar, com 23,3% das preferências, seguidos do Sudeste, com 21,7%. A pesquisa, realizada em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, mostra também que 53,2% dos entrevistados pretendem viajar de avião. Em dezembro de 2012 eram 43,7%. O segundo meio de transporte mais utilizado será o automóvel, com 35%, e o ônibus, com 7,8%. A maioria dos entrevistados (48%) pretende hospedar-se em hotéis e pousadas e uma parcela menor (39,8%) afirma preferir casa de parentes e amigos. A Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, é realizada mensalmente em Brasília, Salvador, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Belo Horizonte.


» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014

DIÁLOGO METROPOLITANO

RIO DE JANEIRO

5

CULTURA

Arlette Salles contou detalhes de sua trajetória ao canal Viva Arlete Salles é dama na arte e na vida. Pernambucana, iniciou a carreira no humor e ganhou os palcos e telas ao fazer o público rir e chorar. O “Damas da TV”, do canal Viva, exibido no último dia 8, apresentou um lado nem tão conhecido da veterana, que considera a profissão como o alimento de sua alma. “Não fui muito feliz nos meus casamentos. Vou terminar minha vida, provavelmente, sozinha. O que permaneceu sempre ao meu lado, o meu porto seguro, e o que me faz viver, é minha profissão”, declarou. A atriz lembrou que não sabia como se virar depois que se divorciou do ator e humorista Lúcio Mauro, com quem ficou casada por 12 anos. A parceria com Janete Clair foi muito importante nessa fase de sua vida. “Ela escreveu a Laura (de “Selva de Pedra”, 1972) para mim com muito carinho. Foi o que segurou minha onda. Foi uma amiga muito querida, era mãezona. Foi uma grande perda”. Arlete também foi casada com Tony Tornado. “Tive uma boa iniciação profissional em Recife”, ressalta, ao contar sobre o começo da carreira, quando foi tentar a sorte em uma emissora de rádio. “Sempre fui muito impulsiva, quando vi já estava lá. Fui sem o menor conhecimento de nada, sem o pre-

paro. Claro que não passei no teste de atriz. Me aproveitaram como locutora, mas ficava com os olhos lá no rádio teatro!”, revela. Nesta época, conheceu Lúcio e casou-se. Depois, ainda no Recife, passou pelo teatro, até chegar à TV. “Mas o espaço ficou pequeno, e resolvemos vir para o “centro” do país, onde nosso trabalho pudesse repercutir”, lembra. Com a mudança para o Rio de Janeiro, ingressou na TV Tupi, onde fez programas de humor. Com o fim da emissora, a atriz não pensou duas vezes: “Peguei minha bolsa e fui rapidinho pedir ajuda ao José Bonifácio de Oliveira Sobrinho (Boni), falei que eu e Lucio estávamos desempregados”, lembra. Arlete começou na TV Globo em 1967, no elenco de “Sangue e Areia”, que também marcou a estreia de Tarcísio Meira e Glória Menezes na emissora. A atriz comentou ainda que, quando conseguiu ser escalada para novela, não tinha mais personagens de sua idade. “Eu tinha 23 anos e interpretei a Mercedes, mãe de Myriam Pérsia na trama, que tinha a mesma idade. Mas, era televisão preto e branco. Então, tudo era possível”, brinca. Sobre os papéis em novelas (aproximadamente 40), ela considerou que alguns personagens che-

gam prontos, enquanto outros precisam ser elaborados: “Tem que estudar muito. Quando mais você lê, mais o entende e busca sua alma”. Mas, em todos, Arlete recorreu ao humor. “Sempre, sem querer, dou uma puxadinha para a comédia. Mesmo as vilãs, que têm traços fortes de crueldade, podem se tornar engraçadas em algum momento. Gosto de divertir o público, de ser reconhecida como comediante”, afirma. Entre seus consagrados personagens, a convidada destaca Kika Jordão, de “Lua Cheia de Amor (1990), Augusta Eugênia, de “Porto dos Milagres” (2001), e Carmosina, de “Tieta” (1989), em que interpretou uma nordestina. “Foi gostoso de fazer, pude liberar meu sotaque”, lembra. Já em “Pedra Sobre Pedra” (1992), Arlete teve que aprender a andar de vespa para viver a delegada Francisquinha. “Nunca tinha andado de bicicleta quando criança! Fiz umas aulas e, um dia, o freio não funcionou e bati em um ônibus que estava parado. Abri a boca, fez um corte grande, mas prossegui com a aula, mesmo sangrando. Se eu parasse, nunca mais teria coragem de sentar numa vespa. Quando acabou, fui correndo para uma clínica”. Mesmo com tanta experiência, Arlete confessou que

a autocrítica permeia a sua carreira. “Nunca acho que estou muito bem. Sempre penso que preciso melhorar, isso me ajudou muito. Nunca cheguei em casa e

falei: ‘Eu arrasei’”, revelou. Arlete também avaliou que seu otimismo a faz seguir em frente: “Tenho alegria de viver, nasci com as ferramentas para vida, coisa

que algumas pessoas não têm”. Sobre os defeitos, ela preferiu não comentar. “Tenho meu lado sombrio também, mas vou livrar minha cara”, brincou.

THELL VÊ TV

NA TELONA

Thell de Castro | Jornalista Terceira temporada de Homeland no FX

Hamilton Rosa Júnior | Jornalista e Crítico de Cinema Boxe e erotismo movimentam cinemas neste começo de ano

A terceira temporada da série Homeland estreia no canal FX neste domingo, dia 12, às 23h. A premiada série estrelada por Claire Danes e Damian Lewis segue ganhando novos fãs a cada temporada e neste retorno todos podem esperar mais ação, drama, suspense e adrenalina.

Depois de um final chocante, em que Nicholas Brody (Lewis) foge após a explosão de uma bomba no funeral do vice-presidente Walden, a nova temporada começa alguns dias depois do ataque, que resultou na perseguição mundial ao terrorista mais procurado do mundo, Brody.

Enquanto isso, Carrie (Danes) e Saul (Mandy Patinkin) tentam reconstruir suas vidas, tanto profissional, quanto pessoal, depois de ficarem imersos nos transtornos causados pelo ataque terrorista e a busca sem precedentes a Brody. Danilo Gentili no SBT O apresentador e comediante Danilo Gentili, o repórter-comediante Léo Lins e a banda Ultraje a Rigor assinaram contrato com o SBT no final de dezembro. A assinatura aconteceu na sede da emissora, junto ao diretor de Planejamento Artístico, Fernando Pelegio e o diretor de Produção, Leon Abravanel. Danilo Gentili irá comandar um talk-show diário na grade da emissora em 2014. “Apresentar um talk-show na emissora que lançou esse gênero no Brasil é uma honra e um sonho realizado”, comemora Danilo Gentili.

Sylvester Stallone e Robert de Niro nunca foram pesos pesados do boxe, mas, no cinema, ganharam o Oscar vivendo boxeadores, Stallone como Rocky Balboa e De Niro, como o Touro Indomável. É com esse espírito que os dois se encontram no ringue na comédia “Ajuste de Contas”. No filme, Stallone é Henry Razor e De Niro, o boxeador Billy the Kid. Os dois só lutaram em duas ocasiões, numa Razor venceu, na outra foi o Kid, e a mídia arma o circo para eles tirarem as diferenças. Acontece que ambos estão velhos, fora de forma, se bem que Stallone está melhor, casou com a belezura da Kim Basinger, enquanto De Niro está tão gordo que quase dá pra usar sutiã. Mas o detalhe é que ambos precisam de dinheiro e é em nome dissoque a trama vai sendo armada. Como cinema, esse “Ajuste de Contas” não vai muito longe, mas há situações cômicas bem trabalhadas e, sobretudo, engraçadas para o espectador que

conhece os filmes antigos da dupla de astros. No fundo, é uma reunião para matar as saudades. Outro grande lançamento é o provocante “Ninfomaníaca”, uma jornada corrosiva do diretor Lars Von Trier sobre sexualidade na era atual, chega causando impacto pelas cenas de entrega quase explícita dos atores. Charlotte Gainsbourg faz a cinquentona que repassa sua vida depravada para um desconhecido. Não há amor, porque ela se nega ao envolvimento, existe apenas a obsessão doentia pelo ato, e a câmera de Von Trier não deixa escapar detalhes que, obviamente, são cabeludos demais. Aliás, a maneira como a francesa Charlotte Gainsbourg, a americana Stacy Martin e o garoto Shia Labouf se desconstroem é corajosa. Não tem nada de comedi-

do, o único acordo foi que nas cenas de penetração, fossem substituídos por atores pornôs. Claro que esse detalhe vem ajudando na promoção de “Ninfomaníaca”, mas o filme tem bem mais a oferecer. Trier mostra como os valores da sociedade atual estão se tornando mais anacrônicos, e, como as pessoas estão cada vez mais se fechando em casulos, inibindo suas relações, deixando orbitar apenas suas vontades mais primitivas. Neste jogo, o sexo vence e o amor se torna obsoleto, vira nostalgia para os antigos. E esse é só o primeiro volume da jornada, em março, Von Trier promete nos levar a um segundo círculo do inferno, com “Ninfomaníaca Volume 2. É esperar pra ver.


6

DIÁLOGO METROPOLITANO

» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014

RIO DE JANEIRO

ESPORTES

Após título inédito, meninas do handebol estão confiantes para 2016

A Seleção Brasileira Feminina de Handebol venceu no dia 22 de dezembro o time da Sérvia, em Belgrado, capital do país, por 22 a 20, e conquistou a inédita medalha de ouro no Campeonato Mundial Feminino de Handebol. O time brasileiro terminou a competição invicto. Anteriormente, a melhor posição da equipe havia sido o quinto lugar no Mundial disputado no Brasil, em 2011. Além disso, a seleção garantiu a sexta colocação nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Dirigido pelo dinamarquês Morten Soubak, o Brasil chegou a essa final com vitórias sobre a Argélia, China, Dinamarca, o Japão e a Sérvia, na primeira fase, Holanda, nas

oitavas de final, Hungria nas quartas de final, e novamente sobre a Dinamarca nas semifinais. Os destaques do time durante a competição foram a ponta direita Alexandra Nascimento e a goleira Bárbara Arenhart. A presidenta Dilma Roussff manifestou sua torcida pelo time brasileiro. No Twitter, ela destacou a conquista da vaga na final pelas brasileiras. “É a primeira vez que as brasileiras chegam tão longe. Elas mereceram nossa torcida e nosso aplauso”, escreveu na mensagem. A presidenta também ressaltou que “quem assistiu às meninas do handebol nas Olimpíadas de Londres já havia se apaixonado pela sua garra e categoria”.

Otimismo

a ponta direita Alexandra Nascimento terminou como segunda maior artilheira do campeonato, com 54 gols – a primeira foi a alemã Susann Müller, que balançou a rede 62 vezes. Para 2016, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, Dara está otimista. “É muito mais difícil chegar a um pódio no Mundial do que em uma olimpíada. Nas Olimpíadas, são duas equipes e dois grupos. No Mundial foram 24 equipes e quatro grupos. A dificuldade é bem maior, os cruzamentos bem mais difíceis, e conseguimos”, enfatizou. “O fato de ter uma olimpíada em nosso país, com grande

chance de medalha e não só de brigar por um título olímpico – não quero nem pensar, porque a responsabilidade é muito grande. E a chance de conseguir é muito grande também”. A também pivô Elaine Barbosa, uma das três atletas da seleção que jogam em times brasileiros – ela é da equipe Força Atlética, de Goiânia – destacou a importância do reconhecimento. “Para nós, é mais que sonho. Querendo ou não, cheguei agora. Esse grupo já vem lutando há muito tempo. E hoje o nosso handebol está na boca do povo, que é o que a gente sempre quis. A gente sabe o

quanto é difícil lutar e não ser reconhecido”, diz. “O nosso esporte é um dos mais praticados no Brasil. Nas escolas, nos clubes, mas ninguém reconhecia essa importância. Agora estamos onde deveríamos estar há muito tempo”. De acordo com o governo, o Ministério do Esporte investiu R$ 5,4 milhões na seleção de handebol para a preparação para os Jogos Olímpicos de Londres. Para os Jogos do Rio as seleções feminina e masculina contam com R$ 3 milhões do ministério, R$ 4,4 milhões do Banco do Brasil e R$ 2 milhões dos Correios. (Thaís Antônio / Agência Brasil)

Depois de brilhar nas quadras da Sérvia, as meninas trouxeram na bagagem, além do título, a ansiedade de dividir as alegrias com parentes, amigos e torcedores, já que disputaram a final na casa das adversárias, enfrentando os gritos da torcida sérvia. Enquanto arrumava as malas, a pivô e capitã da equipe, Fabiana Diniz, a Dara, falou sobre o sentimento que a seleção está vivendo depois da vitória. “É uma sensação de missão cumprida e de que começa uma nova era para o handebol brasileiro”, disse Dara. A armadora Duda e a goleira Babi foram eleitas as melhores em sua posição,

Queniano Edwin Kipsang conquistou o bi na Corrida de São Silvestre Os atletas do Quênia voltaram a vencer a tradicional Corrida Internacional de São Silvestre. No masculino, o queniano Edwin Kipsang conquistou o bicampeonato este ano com o tempo de 43 minutos e 47 segundos. O corredor brasileiro Giovani dos Santos conquistou a quarta colocação. Entre as mulheres, a vitória foi de Nancy Kipron, com a marca de 51 minutos e 58 segundos. Sueli Pereira Silva, sexta colocada, ficou com a melhor posição entre as brasileiras.

Kipsang avalia que o fato de estar mais familiarizado com o percurso fez com que conseguisse melhorar ainda mais o seu tempo na prova. “No ano passado, entrei meio às cegas e foi mais difícil. Agora foi mais tranquilo”, declarou. Em 2012, ele havia conseguido a marca de 44 minutos e quatro segundos. O queniano disse ainda que o treino conjunto e a prova em parceria ajudam a explicar a hegemonia do país na corrida de São Silvestre. “A gente vai cor-

rendo, conversando e controlando o ritmo. Sabemos realmente qual estratégia vamos seguir a partir daí”, completou. O brasileiro Giovani dos Santos comemorou a colocação conquistada, com o tempo de 44 minutos e 49 segundos. “Consegui estar junto [dos quenianos] quase o tempo todo. Não consegui vencer ainda o Kipsang, mas uma hora a gente vai chegar.” Ele avalia que, no km 11 e no km 12 da prova, os atletas do Quênia

começaram a forçar mais a corrida, porque perceberam a sua aproximação. “Se estivesse com eles na subida da [Avenida] Brigadeiro [Luiz Antônio], estaria melhor”, apontou. Giovani relatou ter sentido dores na panturrilha direita, o que prejudicou o seu desempenho. O pódio masculino foi completado por mais dois quenianos. Mark Korir, que conquistou a terceira colocação no ano passado, avançou uma posição e ficou em segundo neste ano. Ele fez o tempo de 44 minutos e oito segundos. O progresso de Stanley Koech foi ainda maior. Ele saltou da décima primeira posição em 2012 para a terceira colocação, com uma marca de 44 minutos e 29 segundos. O quinto lugar na premiação ficou com o marroquino Abderrahime Elasri. No feminino, a segunda colocação ficou com a atleta etíope Netsanet Gudeta Kebede, que fez o tempo de 52 minutos e oito segundos. A terceira posição foi conquistada pela tanzaniana Jacklie Juma Sakilu. Também do Quênia, a atleta Sara Ramadhani Makera, quarta colocada, passou

mal logo após finalizar a prova. Depois de ser atendida pelo serviço médico, recuperou-se a tempo de participar do pódio. A queniana Delvine Relin Meringor completou o time de premiadas com a quinta posição. A brasileira Sueli Pereira da Silva, sétima no ano passado, ficou satisfeita com o avanço para a sexta colocação neste ano. “Corri bem melhor, mas não deu

pra correr como planejei, de igual para igual com as quenianas”, avaliou. Ela acredita que o treinamento das atletas brasileiras deve se intensificar para que o nível se iguale ao das africanas. “Temos que competir menos e treinar mais, assim como elas. No segundo, terceiro quilômetros [da prova] já tinha poucas brasileiras”, lamentou. (Camila Maciel / Agência Brasil)


» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014

DIÁLOGO METROPOLITANO

RIO DE JANEIRO

7

SAÚDE

Especialistas recomendam cuidados com a saúde durante o verão Em tempo de calor intenso, com sensação térmica, em alguns dias, por volta dos 50 graus Celsius (°C), como tem feito no Rio de Janeiro, todo cuidado é pouco para evitar doenças típicas do verão. Os especialistas recomendam beber água, evitar exposição ao sol no período entre 10h e 16h, quando o sol é mais forte, e usar de protetor solar. O vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio, Nelson Nahon, disse que o maior perigo na temporada de verão, além do excesso do sol, é a desidratação. Ele alertou para os cuidados com a alimentação. “Tem muita gente que se alimenta na rua. É preciso prestar atenção na qualidade, e, nas praias, tem que ver se os ambulantes estão com os alimentos expostos por muito tempo”, disse. Para o médico, há muita gente que comete abusos, como é o caso das pessoas que ficam durante um período longo nas praias. “O pessoal fica, às vezes, o dia inteiro sob o sol intenso e ainda leva crianças com menos de seis meses para a praia. Isso não é indicado”, analisou. Segundo o médico, a principal consequência da exposição excessiva ao sol é a desidratação que, dependendo da intensidade, pode provocar diarreia e vômito. “No caso mais acentuado,

se a pessoa passar mal, tem que ir para um hospital e tomar soro. A desidratação pode ser uma coisa perigosa, principalmente em pessoas mais idosas e mais novas”, informou. Nelson Nahon aconselhou que diante de vômitos e tonturas a pessoa procure uma unidade de saúde para uma consulta. “O vômito é um sinal, junto com o sol forte e a falta de hidratação. Isso é um alerta”, disse. Para quem não tem hábito de fazer exercícios e pretende mudar de vida neste começo de ano, o cardiologista e médico da Seleção Brasileira, Serafim Borges, recomendou que o interessado comece o projeto de vida saudável ao ar livre, logo nas primeiras horas da manhã ou no fim da tarde. “Tem que fazer exercício antes das 9h ou depois das 17h. Se não for assim é melhor deixar para começar a fazer os exercícios em outra época do ano. Lamentavelmente, muitas pessoas começam porque desejam seguir a velha história de que, quando chega o verão, é preciso fazer exercício e emagrecer, e não toma cuidado”, disse. O médico sugeriu alimentação rica em carboidrato e livre de gordura animal, uso de roupa clara ventilada e leve; e forte hidratação. “A melhor hidratação nos 30 minutos iniciais de uma cor-

rida ou de uma caminhada é a água. Após os 30 minutos pode ser uma água de coco sempre bem gelada”, recomendou. (Cristina Indio do Brasil / Agência Brasil) Ar-condicionado: ou inimigo?

herói

No dia a dia, muitos recorrem aos sistemas condicionadores de ar, seja no trabalho, no carro ou até mesmo em casa. O ambiente fica fresco e agradável, porém, diversas complicações podem surgir, caso certas precauções para o uso adequado não sejam devidamente tomadas. Um alerta relevante vem do Dr. Ricardo Milinavicius, diretor da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT). Ele explica que o ar-condicionado faz com que importantes regiões do pulmão fiquem ressecadas: “A mucosa nasal é revestida por cílios vibrantes, responsáveis por expulsar bactérias, fungos e vírus que adentram em nosso organismo pelo ar que respiramos. Como há o ressecamento da região, a chance de se contrair infecções aumenta”. O filtro dos ares-condicionados não consegue reter todas as impurezas existentes, que se acumulam nos ductos e fazem com que a circulação de ar prejudique a saúde de quem está exposto ao aparelho.

A VIDA É FRÁGIL. VIVA COM SAÚDE Dra. Lívia Maria Gennari | Médica CRM-SP 132267 Ressaca - A tortura do dia seguinte Os sintomas são inconfundíveis: a cabeça pesa e dói, especialmente na nuca, nas têmporas e na testa. A luz do dia fere os olhos e qualquer barulho retumba dentro do cérebro. Na boca, um gosto amargo. Não queremos fazer nada, apenas fechar os olhos, quietos, deixando o tempo passar. É a ressaca - um mal-estar generalizado provocado pelo excesso de bebida alcoólica. Como qualquer outra bebida ou alimento, o álcool é metabolizado e distribuído pela corrente sanguínea para todas as células do corpo. A sensação de embriaguez e relaxamento ocorre quando ele chega ao cérebro. O fígado é o órgão mais sobrecarregado, já que é o responsável por produzir as enzimas que absorvem o etanol. Quando o álcool do corpo já foi metabolizado, a concentração dessas enzimas ainda é alta, o que gera um desequilí-

brio, que, por sua vez, desorganiza todo o metabolismo. O sistema nervoso, que também se adequou ao ritmo intoxicado do corpo, acompanha a crise de abstinência. O resultado geral é dor de cabeça, desidratação, enjoo, diarreia e extremo cansaço. A ressaca nem sempre é provocada por uma grande quantidade de álcool, pois é o corpo que determina os limites. Para quem nunca bebe, o excesso pode ser apenas uma única dose. As pessoas habituadas a beber são mais resistentes. A melhor maneira de evitar os sintomas é respeitar seus limites. Aumente a tolerância fazendo o álcool entrar mais lentamente na corrente sanguínea, o ideal é comer bem

antes e enquanto estiver bebendo. Outra dica importantíssima é a ingestão de água. O etanol tem um alto poder diurético: ele leva os nossos rins a produzir muita urina. Como vamos inúmeras vezes ao banheiro, perdemos uma grande quantidade de água do corpo, que fica desidratado. A desidratação chega aos tecidos e às mucosas e faz com que o corpo clame por água. E no dia seguinte? Se você exagerou e já está sofrendo com os sintomas, saiba que nessa hora os líquidos também são essenciaise uma alimentação leve, composta de carboidratos e doces, ajuda muito, já que a bebida reduz o açúcar do sangue. Comprimidos que contenham anti-histamínicos, antiinflamatórios e analgésicos podem ajudar a minimizar os sintomas. Lembre-se desses cuidados e aproveite os bons momentos, evitando os torturantes sintomas da ressaca.

Assim, é extremamente necessário que o ar-condicionado seja higienizado e seu filtro trocado periodicamente. “Este é o principal desencadeador de doenças respiratórias: a falta de limpeza. Para pessoas que já apresentam quadros de bronquite, asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica, a DPOC, os riscos são ainda maiores, podendo levar a casos de sinusite, amidalite e até mesmo pneumonia”. O ideal é evitar ao máximo a longa permanência em locais com grandes conglomerados de pessoas, onde existe uma enorme troca de infecções virais. Quando não há jeito, a melhor forma de se prevenir é através de hidratação. É essencial beber muita água e umidificar bem as vias aéreas nasais com soro fisiológico, que lava e higieniza completamente. A depender do caso, uma medida mais extrema ainda pode ser tomada. “Para alguns pacientes, como portadores de asma ou DPOC que estão sujeitos a passar por uma crise a qualquer momento, é indicada a aplicação de vacina contra pneumonia para aumentar a imunidade, principalmente em pessoas com mais de 50 anos”, comenta o Dr. Ricardo. Conforme o especialista, não só o filtro do ar-condicionado deve ser higieniza-

do, mas também os ductos internos, pois é lá que bactérias e resquícios de água ficam alojados. A limpeza é normalmente realizada a cada três meses e, a cada seis, deve-se trocá-lo. O mesmo serve para o ar-condicionado de carros, porém, o parâmetro para troca é de 5 mil a 10 mil qui-

lômetros rodados, o que dá aproximadamente um ano. “É preciso ressaltar a real necessidade de uma manutenção frequente desses aparelhos, pois normalmente as pessoas se esquecem de fazê-lo ou deixam para depois, o que resulta em um desconforto geral e constante”.

AVC: uma a cada seis pessoas do mundo são vítimas A cada ano, cerca de seis milhões de pessoas morrem de acidente vascular cerebral (AVC). No Brasil, essa é a primeira causa de morte e incapacidade. “De acordo com estudos, uma a cada seis pessoas no mundo terá um AVC durante a sua vida, mas isso pode ser prevenido através da informação.”, explica o Dr. Rubens José Gagliardi, vice-presidente da ABN. Conforme a Dra. Sheila Martins, coordenadora do Departamento Científico de Doenças Cerebrovasculares, Neurologia Intervencionista e Terapia Intensiva em Neurologia da ABN, o número de casos de AVC pode diminuir amplamente caso sejam controlados os fatores de risco. Outra forma de minimizar as ocorrências de morte por AVC é garantir que os centros hospitalares sejam especializados e organizados, dispondo de equipe médica ágil e bem treinada, com neurologistas disponíveis para o atendimento aos pacientes. O tratamento trombolítico, utilizado em casos de AVC isquêmico – o tipo mais comum, ocasionado pela falta de fluxo sanguíneo cerebral –, antes à criação da portaria era disponibilizado através do setor privado e de poucos hospitais públicos universitá-

rios e algumas secretarias de saúde; agora, também é acessível pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo Dra. Sheila, os dois primeiros hospitais públicos no Brasil habilitados pelo Ministério da Saúde para o tratamento do AVC foram o Hospital de Clínicas de Porto Alegre e o Hospital Geral de Fortaleza. “Essa medicação é utilizada apenas em casos de AVC isquêmico e quando aplicada em até aproximadamente quatro horas consegue abrir a circulação fazendo com que o fluxo volte ao normal, diminuindo as chances de sequelas”. A portaria foi assinada na abertura do Congresso Mundial de AVC – em outubro de 2012 em Brasília – e, a partir de então, outros hospitais passaram a fornecer atendimento a casos de AVC com tudo pago pelo SUS. “De outubro para cá, temos mais 20 novas unidades especializadas”, conta Dra. Sheila. Novidades Ao longo dos últimos 20 anos, surgiu uma série de novidades em prevenção do AVC e hoje em dia já é possível precaver aproximadamente 90% dos casos. Dra. Sheila alerta que o mais

importante é controlar os fatores de risco, como hipertensão, diabetes, colesterol elevado, tabagismo e fibrilação atrial. “Descobrimos que a aspirina diminui o risco de AVC isquêmico em 20%. Quem já teve um AVC deve usar de forma contínua o medicamento pra evitar que outro acidente eventualmente aconteça”. Já a pressão alta, fator de risco mais comum, tanto para o AVC isquêmico quanto para o hemorrágico - menos frequente, que ocorre pela ruptura de um vaso sanguíneo intracraniano -, quando tratada, diminui em mais de 50% a probabilidade do acidente. “Quanto ao colesterol alto, muitos dizem que para reduzi-lo basta a prática de exercício físico, quando na verdade é uma indicação equivocada. Sabe-se hoje que o colesterol alto durante muito tempo acaba lesando a parede do vaso sanguíneo, o que pode causar uma obstrução da circulação ao longo da vida, no coração ou no cérebro”, alerta. Evitar frituras, reduzir a ingestão de carne vermelha e substituir molhos calóricos, como maionese e cremes são dicas para o combate do colesterol alto.


8

DIÁLOGO METROPOLITANO

» SÁBADO, 11 DE JANEIRO DE 2014

RIO DE JANEIRO

RIO TOTAL

EDIÇÃO: THELL DE CASTRO

A atriz Maria Fernanda Cândido posou para a capa da revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes de dezembro. Aos 39 anos, ela parece ter encontrado o equilíbrio entre a profissão e a família, a fama e os momentos de anonimato, a beleza e a chegada das primeiras marcas do tempo. As fotos são de Victor Affaro.

INSCRIÇÕES

Autor de marcas que até hoje fazem parte do dia-a-dia dos brasileiros, o desenhista gráfico pernambucano Aloísio Magalhães (1927-1982) deixou como um de seus principais legados o símbolo da comemoração do IV Centenário do Rio de Janeiro. Passados 50 anos, a Prefeitura do Rio, por meio do Comitê Rio450 e do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade, convida a comunidade de designers de todo o Brasil a desenvolver um símbolo que traduza os 450 anos do Rio de Janeiro.

INSCRIÇÕES II

As inscrições para o concurso, cujo edital está disponível em rio450anos.com.br, vão até o dia 3 de fevereiro. Os cinco finalistas receberão R$ 15 mil pela criação de dois projetos de marca. O designer vencedor ganhará um prêmio total de R$ 125 mil.

CASAS

As primeiras 300 unidades habitacionais, que integram o conjunto de 1.180 moradias que está sendo construído no Complexo do Alemão, têm previsão de entrega para junho deste ano. As casas serão ocupadas por famílias do próprio complexo e de Manguinhos, que foram removidas de áreas de risco ou para execução de obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O empreendimento é uma parceria do Estado e do governo federal, por meio do programa Minha Casa Minha Vida. As intervenções contam com investimento de R$ 31 milhões.

CASAS II

As unidades estão situadas em dois terrenos da Avenida Itaóca, que foram desapropriados. No número 1.174, está sendo erguido o Condomínio Jardim Canário, com 100 unidades, destinados a moradores da área da Conab, em Manguinhos. O Condomínio Jardim Beija-Flor, com 200 apartamentos, para realocação de famílias do Alemão, fica no número 2.015.

INVESTIMENTO

A empresa japonesa Nissan anunciou a instalação de uma fábrica de motores, que ficará no mesmo complexo onde está sendo construída a unidade para montagem de veículos, em Resende, na região do Médio Paraíba Fluminense. O empreendimento contará com investimento de R$ 140 milhões, valor já incluído no pacote de R$ 2,6 bilhões que será aplicado em todo complexo. A previsão é a geração de 200 empregos diretos. O anúncio reforça a consolidação do polo automotivo do Estado do Rio, que está sendo implantado na região.

INVESTIMENTO II

Os investimentos no polo automotivo já apresentam impactos positivos. Entre 2007 e 2012, a receita total do Médio Paraíba aumentou 53,2%, enquanto em todo o estado a alta foi de 45%. Em Porto Real, sede da PSA Peugeot Citroen, a receita total chegou a R$ 187 milhões em 2012, o dobro do registrado em 2007. Já Resende, que além da Nissan também conta com a Man Latin America, teve um salto de 60%, chegando a R$ 354 milhões de receita total em 2012.

INVESTIMENTO III

A fábrica deverá ser inaugurada este ano, junto com a unidade de montagem de veículos, e terá capacidade de produção de 200 mil automóveis por ano. Segundo a multinacional, 1,5 mil funcionários estão em treinamento. Metade dos componentes dos motores será nacional.

BANDAS

Estão abertas as inscrições para o concurso de bandas carnavalescas que se apresentarão nos bailes populares programados para o Carnaval 2014. De acordo com o regulamento, fica proibida a participação de qualquer servidor público ou pessoa que ocupa cargo dentro da estrutura do município do Rio de Janeiro. As Inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 24 de janeiro, na Praça Pio X, 119, 12º andar, Centro, entre 10h e 17h.

BANDAS II

As bandas inscritas irão se apresentar na Cidade do Samba. Elas serão selecionadas por uma comissão julgadora composta por cinco membros indicados pela diretoria de operações da Riotur, com notável especialização na área musical. Os jurados levarão em conta os quesitos ritmo, harmonia, interpretação, afinação e conjunto.

DENGUE

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alcançou em 2013 a marca histórica de 8,375 milhões de visitas de inspeção para prevenção da dengue na cidade. O número superou o recorde do ano anterior, de 7,6 milhões de visitas. Além disso, 2013 registrou outro resultado inédito, o menor índice de infestação do mosquito desde 2005. Ao todo, mais de 1,161 milhão de depósitos foram eliminados e 3,803 milhões tratados. A expectativa da SMS é expandir esses números, objetivando a prevenção e o controle dos vetores.


Dialogometropolitano 18  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you