Issuu on Google+


Sobre o símbolo do Curso de Graduação em Gerontologia da UFSCar. O Curso de Graduação em Gerontologia da UFSCar é novo... Está iniciando em 2009. O logotipo, semelhante na sua forma ao logotipo da UFSCar, representa a implantação desta área nesta universidade. A ampulheta do lado esquerdo, no inicio da curva, se refere a um curso e uma profissão que estão surgindo no Brasil. O Curso de Graduação em Gerontologia da UFSCar é o primeiro dentre as Instituições Federais de Ensino Superior e o segundo dentre as universidades públicas. Ampulheta é uma palavra que deriva do latim ¨ampulha¨, que significa redoma. Segundo o artigo ¨A ampulheta e o tempo¨ publicado pelo Prof. Dr. Wilson Jacob Filho, da Universidade de São Paulo na Folha de São Paulo no dia 15 de janeiro de 2009, a ampulheta foi inventada provavelmente no século 8 por um monge de Chartres, cidade que abriga a maior catedral gótica da Europa. Foi mais utilizada nos séculos 13 e 14, principalmente como instrumento de navegação. Atualmente, a ampulheta é usada como símbolo da longevidade porque representa a passagem do tempo. Segundo este mesmo autor, a ampulheta constitui-se de dois frascos cônicos, interligados por uma passagem estreita, por onde passa a areia. A areia se movimenta de um frasco para outro, provocando alteração no seu nível de forma complementar, em um e em outro frasco. Apontando o que há de comum entre a ampulheta e o curso de vida, Jacob Filho explica, ¨à semelhança da areia nos frascos, em nenhum período de nossas vidas, sejam dias, meses, ou anos, aquilo que se esvai ou que se acrescenta tem a mesma forma do passado. Igualmente é falsa a idéia de que o tempo corre mais lento ou mais rápido em diferentes fases da vida... O passar do tempo sempre determina ganhos e perdas concomitantes, que não se compensam, mas sempre se equivalem em algum momento¨. (Folha Equilíbrio, 15/01/2009)


Sumário 1

Apresentação

7

2

Bem-vindo(a) à cidade de São Carlos

11

3

Bem vindo(a) à Universidade Federal de São Carlos

13

4

Bem vindo(a) ao curso de Gerontologia da UFSCar

15

Perfil profissional  15 Habilidades e competências do(a) gerontólogo(a)  16 Áreas de atuação do gerontólogo  17 Estrutura do Curso  18 Processos de formação do aluno  21 Cenários de aprendizagem  22 O processo de avaliação  26 5

Grade curricular

29

6

Bibliografia

45

disciplinas, ementas, requisitos e departamentos envolvidos


1 APRESENTAÇÃO Em 2007, o governo federal propôs um Programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Brasileiras, chamado de REUNI, com o objetivo de aumentar a oferta de vagas nas universidades públicas federais. A UFSCar recebeu de sua comunidade várias propostas de novos cursos que foram discutidas, sendo o Curso de Graduação em Gerontologia uma delas. Por que um Curso de Graduação em Gerontologia? A criação de um Curso de Graduação em Gerontologia é uma iniciativa nova no Brasil. Já contamos com esforços novos em áreas profissionais já estabelecidas, especialmente na área de saúde, que estão levando ao desenvolvimento de práticas especializadas para atender problemas relacionados à velhice. Em conjunto com estes esforços, que tendem a abordar problemas mais focados, é preciso contar com profissionais com conhecimentos amplos sobre as diferentes dimensões da velhice, que são preparados para responder às necessidades da população idosa de forma mais global e integrado, com destaque para pessoas que também são capacitadas para criar e gerenciar serviços para a população idosa, nos âmbitos público e privado. Pavarini et al (2005) ressaltam que esforços têm sido feitos, especialmente com relação à inserção de conteúdos de Geriatria e Gerontologia nos currículos de graduação dos profissionais da área de saúde. Estas iniciativas, segundo os autores, ocorrem ainda de forma isolada e são em número muito reduzido se comparado à necessidade de participação cada vez maior de profissionais em cursos de especialização em Gerontolo-

7

gia. Tudo isso, no entanto, está muito aquém de atender a uma necessidade que se torna

Graduação em Gerontologia - UFSCar

formação de profissionais na área. Temos assistido a um aumento significativo e uma

cada vez mais premente: profissionais com uma adequada formação gerontológica. O cenário que desponta é a urgência de nos prepararmos para o que está por vir. Teremos, em um futuro próximo, uma necessidade que não poderá ser suprida pela gama de profissionais atualmente disponíveis, resultando, caso o atual cenário não seja modificado, num atendimento precário e ineficiente. As demandas que requerem profissionais formados em Gerontologia vem sendo atendidas, em muitos casos, por profissionais


sem a adequada qualificação, ou por graduados em outras áreas que são obrigados a recorrer a cursos de especialização, nem sempre satisfatórios, para a complementação de sua formação. Todo o sistema de saúde e, em especial, o da rede pública, precisa de profissionais plenamente capacitados para atender à população idosa, que cresce a cada dia e que representa uma parcela significativa dos usuários desses serviços. As universidades brasileiras estão, então, com base na REUNI, oferecendo alternativas novas na formação de profissionais habilitados a lidar com diferentes demandas sociais, incluindo aquelas associadas com o envelhecimento populacional, uma vez que é preciso abordar não só as demandas que estão presentes hoje, mas especialmente as que ainda vão surgir. Um profissional na área de Gerontologia pode colaborar com e complementar os esforços que estão sendo feitos dentro de campos tradicionais de atuação. Nas últimas décadas, profissionais de diversas áreas vêm desenvolvendo conhecimentos e oferecendo serviços específicos para idosos, dentro de seu campo de atuação. Acredita-se que profissionais com conhecimentos de diversas áreas, com uma formação interdisciplinar, podem ter melhores condições para lidar com a integração das demandas desta população atuando em conjunto com os profissionais de áreas específicas. O grande aumento do número de idosos e da longevidade, a prevalência das condições crônicas e os novos arranjos familiares geram desafios que o Gerontólogo irá enfrentar, buscando soluções que associem a excelência do cuidado e a manutenção da qualidade de vida ao gerenciamento adequado dos recursos humanos e financeiros. O primeiro curso de Graduação em Gerontologia foi implantado no Brasil em 2004 pela Universidade de São Paulo-USP. A criação deste curso abriu um importante caminho para a formação desse profissional em outras instituições de ensino (Duarte, 2007). Graduação em Gerontologia - UFSCar

8

A Gerontologia é a ciência que estuda o processo de envelhecimento em suas mais diversas dimensões. Um curso de Graduação em Gerontologia vem, numa perspectiva inovadora, criar uma nova categoria profissional, com formação interdisciplinar e multiprofissional. Não se trata de “juntar” um pouco de cada profissão, mas de formar um novo profissional capaz de compreender o processo de envelhecimento e atender esta população pautado nos conhecimentos das ciências biológicas e humanas. Assim, convictos de que a criação de cursos de Graduação em Gerontologia no Brasil constitui um caminho importante e necessário para responder ao impacto do envelhe-


cimento populacional, foi criado o Curso de Graduação em Gerontologia na UFSCar. A criação deste curso, em linhas gerais tem por finalidade: ◉◉

Contribuir para o aumento de vagas na universidade pública federal;

◉◉ Proporcionar a formação de um profissional pautado no paradigma da interdisciplinaridade e da multiprofissionalidade; ◉◉ Formar um profissional habilitado para atuar no sistema de saúde e em outros serviços da comunidade de atendimento ao idoso; ◉◉

Contribuir para um atendimento mais adequado à população idosa, frente às transformações no perfil demográfico da população brasileira e, portanto, no quadro epidemiológico da saúde;

◉◉ Ter um impacto positivo na qualidade da assistência do serviço de saúde, especialmente, no Sistema Único de Saúde (SUS); ◉◉ Disponibilizar ao mercado de trabalho, a curto prazo, profissionais graduados para compreender e atuar com a gama de necessidades da população idosa, uma área especialmente carente; ◉◉ Ter condições de ser rapidamente incluído na força de trabalho, uma vez que as formas de atendimento aos idosos estão sendo ampliadas e novas formas deverão ser criadas. Você, aluno(a) deste curso, dará vida a esta proposta! Seja bem-vindo(a) a essa história!!!

Graduação em Gerontologia - UFSCar

9


2 BEM-VINDO(A) À CIDADE DE SÃO CARLOS1 São Carlos, município fundado em 4 de novembro de 1857, localiza-se na Região Central do Estado de São Paulo. A região começou a ser povoada no final do século XVIII, com a abertura de uma trilha que levava às minas de ouro de Cuiabá e Goiás. A história de São Carlos teve início em 1831, com a demarcação da Sesmaria do Pinhal. Na época da fundação, a povoação era composta por algumas pequenas casas ao redor da capela e seus moradores eram, em sua maior parte, herdeiros dos primeiros proprietários das terras da Sesmaria do Pinhal. Impulsionada pela agricultura, a economia da cidade diversificou-se a partir do início do século XX. Com os lucros obtidos na cafeicultura, foram constituídas várias empresas em São Carlos: bancos, companhias de luz elétrica, de bondes, telefones, sistemas de água e esgoto, teatro, hospitais e escolas, fortalecendo a infra-estrutura e criando condições para a industrialização. Com os conhecimentos dos imigrantes e com a chegada de migrantes de outros centros urbanos nas décadas de 30 e 40, a indústria consolidou-se como a principal atividade econômica de São Carlos, que chegou à década de 50 como centro manufatureiro diferenciado, com relevante expressão industrial entre as cidades do interior do Estado de São Paulo. Nas décadas de 50 e 60 a indústria solidificou-se com a instalação de fábricas de geladeiras, compressores e tratores e uma grande quantidade de empresas pequenas e médias, fornecedoras de produtos e serviços. Segundo o IBGE (2007), São Carlos possui uma população estimada de 212.956 habitantes. A renda per capita do Município é de 3,02 salários mínimos, com PIB estimado em R$ 2.612.102,00. A maior oferta de trabalho formal compreende os setores da indústria e de aproximadamente R$ 1.054,78 (julho de 2000). As receitas orçamentárias realizadas em 2005 foram de aproximadamente 223 milhões de reais. O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de São Carlos, segundo dados de 2000, é de 0,841, o que coloca a cidade na 17.a posição no Estado de São Paulo. O analfabetismo na cidade é de 5,64%. A cidade evoluiu para um centro de pesquisa científica, iniciado pela implantação 1 Extraído do Caderno do Curso de Medicina. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Coordenação da Graduação em Medicina – São Carlos: UFSCar, 2007, 114 p.

11 Graduação em Gerontologia - UFSCar

de serviços (76,9%) sendo o rendimento médio das pessoas responsáveis pelos domicílios


da Escola de Engenharia de São Carlos, em 1953, embrião do campus da USP na cidade, e da Universidade Federal de São Carlos, em 1970. O vigor acadêmico, tecnológico e industrial conferiu à cidade o título de Capital da Tecnologia. Suas universidades e centros de pesquisa são reconhecidos pela excelência e diversidade. Há uma grande concentração de cientistas e pesquisadores: um pesquisador doutor para cada 230 habitantes e um pesquisador para cada 42 habitantes. A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a Universidade de São Paulo (USP) oferecem ensino gratuito, público e de qualidade. Além dessas há ainda duas instituições de Ensino Superior Privadas: o Centro Universitário Central Paulista (Unicep) e a Faculdades Integradas de São Carlos (Fadisc). Reforçando o caráter de pólo de desenvolvimento científico e tecnológico, a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) mantém dois centros de atividades em São Carlos que produzem tecnologia de ponta nas áreas de melhoramento genético bovino e desenvolvimento de equipamentos agropecuários. A Fundação ParqTec, organização não-governamental sem fins lucrativos, gerencia e promove o desenvolvimento do Pólo Tecnológico de São Carlos, a partir da transferência de tecnologia das universidades e centros de pesquisas para as empresas. A atividade industrial é marcada pela presença de grandes indústrias de motores, compressores, material educacional, geladeiras e fogões, além de empresas têxteis, de embalagens, de máquinas, tintas, lavadoras, equipamentos ópticos e diversas indústrias de médio e pequeno porte. Destacam-se as empresas de base tecnológica, resultantes da capacidade científica e tecnológica instalada na cidade, e o Centro Tecnológico Aeronáutico da TAM Linhas Aéreas, localizado no distrito de Santa Eudóxia, que também presta serviços de manutenção de aeronaves a companhias aéreas de outros países. 12

viços de diversos segmentos. O setor agropecuário destaca-se na produção de leite, cana,

Graduação em Gerontologia - UFSCar

O comércio atende às necessidades da cidade e da região, oferecendo produtos e serlaranja, frango, carne bovina e milho. São Carlos também é servida por excelentes estradas que permitem o deslocamento com segurança e rapidez à capital de São Paulo (cerca de 240 Km) e às principais cidades do Estado. Por estes motivos, São Carlos está entre os mais 300 municípios mais dinâmicos do Brasil. Em pesquisa encomendada pela Gazeta Mercantil, a cidade ocupa a 16.a colocação, estando acima da média nacional, ao lado de capitais como Brasília e Florianópolis. Entre os pontos avaliados, pesam o desempenho econômico, a evolução da situação das famílias e o IDH.


3 BEM-VINDO(A) À UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS A Universidade Federal de São Carlos – UFSCar é uma instituição pública federal de ensino superior, vinculada ao Ministério de Educação – MEC. Foi criada em 1968 e suas atividades letivas tiveram início em 1970. Atualmente se destaca pela alta qualificação de seu corpo docente que conta com 99,86% de doutores ou mestres e com 98,42% dos seus professores trabalhando em regime de dedicação exclusiva. A Universidade oferece 57 cursos de graduação e 54 cursos de pós-graduação, sob a responsabilidade de 32 departamentos vinculados a quatro centros acadêmicos: Educação e Ciências Humanas – CECH; Ciências Exatas e Tecnológicas – CCET; Ciências Biológicas e da Saúde – CCBS e Ciências Agrárias – CCA. A Universidade conta com 3 campi com bosques, áreas de reserva, lagos e vias caracterizadas pela diversidade de árvores e flores. O campus de São Carlos tem 6,45 milhões de m2 de extensão, sendo 150 mil metros quadrados de área construída, contando com instalações históricas, da antiga fazenda Trancham e prédios de arquitetura moderna. O campus de Araras distante 94 km de São Carlos, ocupa uma área física total de 2,3 milhões de m2, sendo 25,5mil m2 em área construída, no qual está instalado o Centro de Ciências Agrárias. O novo campus em Sorocaba possui 700 mil m2 de área total e 4,8 mil m2 de área construída. Os campi contam atualmente com mais de 250 laboratórios, 3 bibliotecas, 4 ambulatórios, 2 teatros, 1 sala de cinema, 1 editora (EdUFSCar), 3 anfiteatros, 3 auditórios, 2 ginásios de esportes, um parque esportivo com 8 quadras, 2 campi de futebol, 2 piscinas, pista de atletismo e Pista da Saúde, 3 restaurantes universitários, 5 lanchonetes, mais de 86 salas de aula, gráfica, agencias e postos bancários. projeto pioneiro que atende, além dos estudantes e professores da Universidade, a comunidade de São Carlos e região e, particularmente, alunos de ensino Fundamental e Médio. Na área esportiva, a UFSCar mantém um parque poliesportivo, com ginásios, quadras, piscinas, campo de futebol, pista de atletismo e a Pista de Saúde, localizada em um bosque pelo qual passam mais de mil usuários, diariamente. A UFSCar também coloca à disposição de alunos e servidores docentes e técnico-administrativos serviços como

13 Graduação em Gerontologia - UFSCar

A Biblioteca Comunitária da UFSCar, localizada no campus de São Carlos, é um


os de atendimento médico e odontológico, assistência social e pré-escolar, limpeza e segurança. Na área cultural, a Universidade desenvolve diversas atividades, como: Orquestra Experimental e Pequena Orquestra da UFSCar, Madrigal UFSCar, Projeto Música na Cidade, Projeto Fórum de Debates e Grupo de Cultura Afro-Brasileira. A oferta de ensino público, gratuito e de qualidade da UFSCar está pautada nos seguintes princípios: ◉◉

compromisso com a sociedade;

◉◉

promoção de valores democráticos e da cidadania;

◉◉

ensino público de graduação e pós-graduação stricto sensu;

◉◉

indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão;

◉◉

excelência acadêmica;

◉◉

livre acesso ao conhecimento;

◉◉

universidade ambientalmente responsável e sustentável;

◉◉

gestão democrática, participativa e transparente;

◉◉ valorização da dedicação integral ao ensino, pesquisa e extensão e ◉◉

integração da universidade no sistema nacional de ensino.

A universidade busca formar seus alunos num ambiente em que ocorre de modo

integrado o ensino, a produção de conhecimento e a interação com a comunidade, promovendo a interdisciplinaridade, a multidisciplinaridade e a transdisciplinaridade em todos os níveis de formação. Ao mesmo tempo, busca garantir flexibilidade e agilidade na resposta a novos contextos, demandas e desafios, promovendo processos de sustentabilidade ambiental e atividades voltadas para uma sociedade sustentável.

Graduação em Gerontologia - UFSCar

14


4 BEM-VINDO(A) AO CURSO DE GERONTOLOGIA DA UFSCar O Curso de Graduação em Gerontologia da UFSCar teve início em 2009 e está inserido no Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Seu projeto político pedagógico foi elaborado de acordo com as Diretrizes Curriculares da Área da Saúde (Resolução CNE-CES, no. 4, de 07 de novembro de 2001) e em concordância com o Plano de Desenvolvimento Institucional- PDI da UFSCar. Os princípios gerais que norteiam o Curso de Graduação em Gerontologia são: ◉◉

Oferecer fundamentação teórico-metodológica sólida e conhecimentos básicos em gerontologia.

◉◉ Promover o desenvolvimento de habilidades de gestão e pesquisa na velhice saudável e fragilizada no contexto da interdisciplinaridade e multiprofissionalidade. ◉◉ Promover uma postura profissional fundamentada na ética, no respeito aos direitos humanos e na consciência de cidadania, respaldada na responsabilidade social e ambiental. ◉◉ Desenvolver o sentido de Universidade, contemplando a indissociabilidade entre os processos de produção de conhecimento e os processos para torna-lo acessível (pesquisa, ensino e extensão). A habilitação que este curso confere ao formando é Bacharel em Gerontologia e o(a) profissional formado(a) neste curso denomina-se gerontólogo(a). Com 40 vagas anuais, o curso é oferecido no período diurno, integral, em regime semestral, com duração mínima de quatro anos e máxima de 7 anos e com carga horácomplementares e 120 horas de disciplinas optativas Perfil profissional O Bacharel em Gerontologia pela UFSCar apresenta uma formação generalista na área de gerontologia, humanista, crítico e reflexivo. É preparado para atuar na gestão da velhice saudável e na gestão da velhice fragilizada pautando-se em princípios éticos

15 Graduação em Gerontologia - UFSCar

ria de 3300 horas, sendo 3000 horas de disciplinas obrigatórias, 180 horas de atividades


e científicos da atenção à saúde do idoso. É capaz de atuar em contextos multiprofissionais e interdisciplinares na perspectiva da gestão de diferentes questões que surgem individual e coletivamente na velhice. Diante das demandas de cuidado, o profissional é capaz de compreender, criar, gerir, desenvolver e avaliar formas de apoio ao idoso e seus cuidadores familiares e profissionais, considerando questões biológicas, psicológicas e sociais da velhice. O profissional é capaz de contribuir para que as demandas sejam melhor atendidas, de forma que os idosos tenham melhor qualidade de vida, dentro das possibilidades existentes em cada contexto. Sua ação nortea-se pelo senso de responsabilidade social e ambiental, compromisso com a cidadania e com o sistema de saúde. É capaz de produzir conhecimento em gerontologia e torná-lo acessível à população. Habilidades e competências do(a) gerontólogo(a) O(a) gerontólogo(a) formado pela UFSCar, deverá desenvolver as seguintes habilidades e competências: ◉◉

Considerar em sua atuação as dimensões física, emocional e sócio-cultural que integram a vida das pessoas e afetam o curso de vida.

◉◉ Pautar sua atuação na compreensão do envelhecimento como um processo de mudanças singular, universal, seqüencial, irreversível, heterogêneo que se desenvolve num determinado contexto sócio-histórico. ◉◉

Contribuir para que se desenvolva um envelhecimento com o maior nível possível de saúde, oferecendo diferentes formas de cuidado e apoio, e assegurando a participação ativa do idoso nesse processo. Contribuir para o desenvolvimento de ações de prevenção, promoção, proteção

16

e reabilitação na gestão de aspectos individuais e coletivos da velhice saudável e

Graduação em Gerontologia - UFSCar

◉◉

fragilizada. ◉◉ Desenvolver sua prática de forma integrada, comprometida e contínua com as instâncias do sistema de saúde. ◉◉

Ser capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da velhice saudável e fragilizada e de buscar soluções para os mesmos.

◉◉ Desenvolver suas ações com base nos princípios éticos e científicos e de autonomia profissional.


◉◉ Desenvolver suas atribuições com compromisso e responsabilidade social e política. ◉◉

Coordenar o planejamento de ações de atenção à saúde do idoso.

◉◉ Assessorar órgãos, empresas e instituições no planejamento de ações de saúde ao idoso, nos projetos de assistência, planejamento e criação de novas tecnologias. ◉◉ Participar das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde. ◉◉ Integrar-se a equipes multiprofissionais atuando nas questões da velhice saudável e da velhice fragilizada. ◉◉ Promover a aquisição de conhecimento e desenvolvimento de atuação interdisciplinar. ◉◉

Contribuir para a produção do conhecimento na área.

◉◉ Planejar, implementar e participar dos programas de formação e qualificação de recursos humanos em gerontologia. ◉◉ Identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde do idoso, seus condicionantes e determinantes. ◉◉ Avaliar, propor, sistematizar e gerir as condutas adequadas de cuidado ao idoso, baseando-se em evidências científicas. ◉◉ Articular observações clínicas, conhecimento científico e técnico na tomada de decisões. ◉◉ Atuar de forma a preservar e promover a autonomia do idoso. ◉◉ Pautar sua atuação na compreensão da gerontologia como uma área inserida no contexto das práticas de saúde, articulada às políticas de saúde. ◉◉

Garantir ao idoso e sua família o acesso às informações sobre os direitos dos idosos com a finalidade de promover e preservar sua autonomia.

◉◉

te desse processo.

17

Conhecer e respeitar os princípios éticos, legais e humanísticos que regem as

Graduação em Gerontologia - UFSCar

◉◉ Intervir na dinâmica do trabalho na área da saúde, reconhecendo-se como agen-

ações dos profissionais da saúde. Áreas de atuação do gerontólogo Os gerontólogos poderão atuar em gestão e pesquisa, em diferentes contextos, incluindo tanto o setor público como o privado, contribuindo no planejamento de polí-


ticas, gerenciamento de serviços e criação de produtos voltados para a população idosa, atendendo também demandas ainda não supridas. Poderão atuar como gestores, consultores e integrantes de equipes de saúde nos diferentes serviços em empresas e instituições: hospitais, ambulatórios, serviços de assistência domiciliar (“home-care”), instituições de média e longa permanência, clínicas geriátricas, centros-dia e administrações públicas. O gerontólogo contribuirá para a formação de profissionais e para orientação e acompanhamento de cuidadores de idosos. Nestes mesmos contextos, também atuarão em pesquisa, na identificação de demandas emergentes e na produção de conhecimento na área de Gerontologia. Poderão realizar desde a pesquisa básica na área, até estudos relacionados às dimensões biológicas, psicológicas, sociais, culturais e históricas da velhice abordando a heterogeneidade do processo de envelhecimento. Trata-se da construção de uma nova profissão cuja demanda deverá ser crescente, em função da necessidade desse profissional no mercado de trabalho. Estrutura do Curso O curso terá dois eixos estruturantes um vertical e um horizontal apresentados na Figura 1. O eixo vertical é constituído por três núcleos, distribuídos ao longo dos oito períodos do curso. No primeiro ano serão consideradas as habilidades de fundamentação básica para o exercício da profissão. O segundo e terceiro ano serão consideradas as habilidades específicas para a gestão da velhice, sendo que no segundo ano serão as habilidades de menor complexidade e que se referem à velhice saudável e a do terceiro as habilidades mais complexas que serão relacionadas à gestão da velhice fragilizada. A 18

os períodos do curso. No último ano o aluno é preparado para lidar com as demandas

Graduação em Gerontologia - UFSCar

gestão e a pesquisa constituem-se nos eixos horizontais uma vez que perpassam todos do mercado de trabalho e atuação profissional.


Figura 1  Estrutura do Curso de Graduação em Gerontologia ao longo dos quatro anos e seus eixos integradores. UFSCar. 2009.


O currículo seguirá uma abordagem gradual das competências, habilidades e conhecimentos necessários ao exercício profissional, devendo haver uma integração entre eles. Pautados na interdisciplinaridade e na necessidade de articulação entre teoria e prática, realizamos recortes no conhecimento científico necessário à formação específica no perfil estabelecido, aglutinando-os em três núcleos voltados para o desenvolvimento de ações do gerontólogo. Na constituição do primeiro núcleo concentram-se as disciplinas de fundamentação da prática do gerontólogo. O conhecimento do processo de envelhecimento nas suas dimensões biológica, psicológica e social dentro de um contexto ambiental e cultural específico, transforma-se na base fundamental para a prática da gestão do cuidado da velhice. O segundo núcleo refere-se à Gestão da Velhice Saudável. O aluno terá oportunidade de conhecer instrumentos específicos de avaliação gerontológica e refletir sobre as dimensões do envelhecimento saudável. O aluno terá, a partir do segundo ano, oportunidade de entrar em contato com a realidade social-ambiental e de saúde dos idosos em serviços específicos de promoção da saúde e de prevenção de doenças. Por meio de observações, entrevistas e levantamento de dados junto a idosos e famílias em diferentes locais como Unidades de Saúde da Família (USF), Centros Comunitários e Universidade Aberta da Terceira Idade o aluno terá possibilidade de identificar as variáveis relacionadas à gestão desses serviços no atendimento aos idosos. Nesse sentido, a instrumentalização do aluno para a avaliação das condições de saúde do idoso, respaldando-se, primordialmente, no saber clínico, sustentando-se em conhecimentos da biologia e da patologia na busca de indicadores de um envelhecimento saudável faz parte deste núcleo. Os alunos terão a oportunidade de desenvolver atividades práticas em laboratórios e em serviços de atendimento a idosos não fragilizados. Graduação em Gerontologia - UFSCar

20

O terceiro núcleo refere-se à Gestão da Velhice Fragilizada. O aluno terá oportunidade de conhecer os processos patológicos e as tecnologias de cuidado para idosos dependentes e frágeis. Desenvolverá atividades práticas em laboratórios e em serviços de atendimento a idosos fragilizados como hospitais, Instituições de Longa Permanência, Centros de Reabilitação, Unidades Especializadas como a Unidade Saúde Escola da UFSCar entre outros. No último ano o aluno deverá realizar o Estágio Profissional, onde se objetiva a consolidação do processo de formação do profissional gerontólogo e está voltado para o


exercício das atividades profissionais de forma integrada e mais autônoma do que nos núcleos anteriores. Por meio do estágio supervisionado, da análise crítica do exercício profissional e da elaboração de um projeto indicando possibilidades de financiamento, o aluno terá condições de consolidar as competências necessárias para o exercício da profissão e dar continuidade ao seu processo de educação ao longo da sua vida profissional. O aluno desenvolverá o estágio supervisionado na área de interesse e de acordo com as vagas de orientação dos docentes. A escolha dessa área de interesse para o estágio oferecerá ao aluno a oportunidade de direcionar o seu processo de formação profissional de acordo com as suas necessidades e perspectivas, caracterizando experiência de flexibilização curricular no interior dos módulos obrigatórios da formação específica. Para operacionalização do curso, os núcleos foram divididos em disciplinas. A busca da articulação entre as disciplinas dos núcleos será reforçada por meio das disciplinas Núcleo de Estudos Integrados I, II, III e IV. Estas disciplinas ocorrerão no decorrer do primeiro semestre letivo de cada ano do curso e terão papel fundamental na análise conjunta com os alunos sobre os objetivos de cada núcleo, as interações entre os conteúdos, a sua operacionalização e sua relação com as competências a serem desenvolvidas no processo de formação profissional. Para cada Núcleo será definido um coordenador, docente do Departamento de Gerontologia, que terá a responsabilidade de reunir os docentes envolvidos nas disciplinas do núcleo correspondente para que conheçam e discutam as relações interdisciplinares de seus conteúdos. Processo de formação do aluno Visando à aproximação entre teoria e prática, o aluno terá desde o início do seu nhecimento aprendido e, da mesma forma, buscará conhecimentos para solucionar

21

questões advindas da prática.

Graduação em Gerontologia - UFSCar

processo de formação a oportunidade de desenvolver ações nas quais aplicará o co-

Aprender fazendo, aprender a aprender e aprender a solucionar problemas são os princípios básicos de aprendizagem que nortearão a formação do gerontólogo. O processo de formação profissional terá como eixo a participação do aluno no processo de construção do saber, apoiado no professor como facilitador e mediador do processo ensino-aprendizagem. Basear-se-á no ensino crítico, reflexivo, e criativo no desenvolvimento das disciplinas. Deverá buscar a formação integral e interdisciplinar do aluno,


através da integração entre ensino, pesquisa e extensão. Deverá ter como meta a aprendizagem de aptidões para defrontar-se com as situações que existirão no futuro. O ensino será desenvolvido articulando a teoria com a prática real e simulada do exercício profissional. O conhecimento será construído pela vivência de cada aluno e do grupo. Ao invés de assimilar o conteúdo passivamente, o aluno participará ativamente do processo de construção do saber. A aprendizagem será construída mediante processo do aluno com seu ambiente sócio-cultural e com orientação dos docentes. No que tange às práticas pedagógicas, o Conselho de Curso e a Coordenação envidarão esforços para que os docentes das disciplinas adotem estratégias pedagógicas que priorizem o uso de metodologias ativas de aprendizagem. Algumas experiências como a integração de algumas disciplinas que serão desenvolvidas articuladamente e com o critério de co-requisito serão avaliadas nesta perspectiva. A formação complementar e a formação livre fornecerão a oportunidade ao aluno de completar o seu processo de formação profissional com atividades extracurriculares, concretizando a flexibilização curricular incluída neste projeto pedagógico. Será incentivada também a participação do aluno em programas de mobilidade acadêmica tanto nacional quanto internacional. No Brasil, a mobilidade estudantil será possibilitada pela implantação do Curso de Gerontologia pela Universidade Federal de Minas Gerais a partir de 2010. Cenários de aprendizagem Os cenários de aprendizagem compreendem situações reais e simuladas. As situações simuladas têm por objetivo a proteção dos idosos, a exploração das capacidades 22

dizagem antes de se depararem com contextos reais. Estas situações devem ocorrer em

Graduação em Gerontologia - UFSCar

prévias dos estudantes e a sistematização e o acompanhamento das trajetórias de aprenambientes protegidos e cuidadosamente planejados. Serão utilizados manequins, filmes, dramatizações, situações-problema de papéis e atendimentos simulados pela equipe, do idoso e sua família em diferentes contextos de cuidado. Nas situações simuladas os conhecimentos e habilidades desenvolvidos nos núcleos de fundamentos da gerontologia e dos núcleos de gestão da velhice saudável e fragilizada deverão ser integrados. Serão espaços privilegiados de aprendizagem na utilização das situações simuladas os Laboratórios de Práticas Gerontológicas, a Unidade Saúde Escola e o Centro de Simulação


da Prática na UFSCar. Nas situações reais, os alunos do curso desenvolverão suas práticas inicialmente nos programas e ações disponíveis para idosos no município de São Carlos e realizarão visitas orientadas em outros municípios. Também será estimulado o Programa de Mobilidade, especialmente com a Universidade Federal de Minas Gerais onde um curso semelhante está sendo implantado. A mobilidade em países da América Latina e Europa também será igualmente estimulada. A atenção à saúde prestada pelo setor público em São Carlos é de responsabilidade da Secretaria Municipal de Saúde que é o gestor pleno do Sistema Municipal de Saúde. A rede de serviços integrantes do Sistema Único de Saúde (SUS) é composta por unidades ambulatoriais e hospitalares que prestam assistência à saúde nos diferentes níveis de complexidade: atenção básica, atenção de média e alta complexidade. Farão parte do cenário de aprendizagem dos alunos todas as unidades nos três níveis de complexidade. Em 2003, ocorreu em São Carlos o processo de territorialização, sendo o município dividido em cinco grandes regiões de saúde denominadas de Administração Regional de Saúde (ARES). A rede de atenção básica é constituída atualmente por 12 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e 12 equipes de Saúde da Família distribuídas nas 11 Unidades de Programa de Saúde da Família existentes (USF). A atenção ambulatorial de média complexidade fica sob a responsabilidade dos seguintes serviços: Centro Municipal de Especialidades (CEME), Laboratório de Patologia Clínica, Centro Oncológico de São Carlos, Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos (filantrópico), a Unidade Saúde Escola da UFSCar (USE) e o Hospital Municipal de Ensino, assim como outros serviços privados de apoio diagnóstico contratados. A USE, construída para atuar de forma interdisciplinar, é um espaço da UFSCar ção e a pesquisa acontecem de forma articulada com assistência aos usuários do SUS

23

e por meio de capacitação de recursos humanos. Os atendimentos são realizados por

Graduação em Gerontologia - UFSCar

para o desenvolvimento do ensino, pesquisa e extensão na área da saúde. A educa-

docentes, profissionais técnicos de diferentes áreas e alunos dos cursos da saúde como Enfermagem, Educação Física, Fisioterapia, Psicologia, Medicina e Terapia Ocupacional. O atendimento na USE se dá, preferencialmente, na forma de Programas e um desses programas é o Programa do Idoso, que será um espaço fundamental para a formação do gerontólogo. Quanto à atenção em saúde mental, a Secretaria Municipal de Saúde vem construin-


do, desde 2001, conforme os preceitos que norteiam a reforma psiquiátrica no país, uma rede de atendimento em saúde mental. Esta, atualmente, é composta por: um Centro de Atenção Psicossocial II (CAPS) que atende à demanda de adultos com transtorno mental severo em regime de atendimento intensivo (o usuário permanece o dia no serviço) e semi-intensivo (comparece para atendimento em um período do dia); quatro equipes mínimas (compostas por psiquiatra e psicólogo) em quatro UBS que atendem adultos com transtorno mental leve em regime ambulatorial; um CAPS AD para o atendimento à criança e ao adolescente usuário de droga sendo o atendimento aos demais quadros de sofrimento psíquico nessa faixa etária realizado por equipe especializada no Ambulatório de Psiquiatria Infantil que atende no CEME. Os quadros graves de sofrimento psíquico que necessitam de atenção integral ainda são encaminhados para internação em Hospital Psiquiátrico da rede privada localizado no município de Araraquara. Ainda conta com equipe especializada em Terapia Comunitária cujos encontros são realizados em todas as unidades de saúde do município, escolas, igrejas e nos Centros Comunitários. Os serviços de atenção ambulatorial de alta complexidade também são referência para a micro-região e são prestados pela Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos (filantrópico), pelo Instituto Radiológico de São Carlos (privado) e Centro de Medicina Nuclear (privado). A Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, hospital geral integrante do SUS na área de abrangência do município possui 301 leitos hospitalares, dos quais 176 destinados ao SUS. O setor privado conta com mais 75 leitos no Hospital Casa de Saúde e Maternidade São Carlos. Recentemente foi inaugurada uma parte do Hospital Escola Municipal com capacidade inicial para aproximadamente 200 leitos. Ações na área do idoso também são desenvolvidas por outras secretarias munici24

Assistência Social é responsável pela implementação da política de cidadania e assistên-

Graduação em Gerontologia - UFSCar

pais, além da Secretaria Municipal de Saúde. A Secretaria Municipal de Cidadania e cia social do município voltada ao atendimento dos interesses sociais e aspirações da população em situação de risco social. Esta secretaria executa programas de amparo à família, à mulher, ao idoso, às pessoas com necessidades especiais e de combate à discriminação e ao racismo; desenvolve o programa de assistência jurídica à população e ainda é responsável pelo Fundo Municipal de Assistência Social. O município de São Carlos possui doze Centros Comunitários e um Centro de Referência ao Idoso. Os Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e os Centros


Comunitários são locais privilegiados de execução direta das ações de proteção social básica da assistência social, cujo objetivo é prevenir situações de risco por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, e do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. Em 2005, a partir de orientações fornecidas pelo Sistema Único de Assistência Social (SUAS), deu-se início à implantação de quatro CRAS no município de São Carlos. Atualmente, a Política Municipal de Assistência Social está descentralizada em cinco regiões, seguindo a delimitação territorial da Secretaria Municipal de Saúde. Os Centros Comunitários existentes em cada região passaram a ser unidades de apoio de cada unidade do CRAS. O Centro de Referência do Idoso funciona no Centro Vera Lúcia Pila. São Carlos conta também com seu Conselho Municipal do Idoso desde 1998, quando foi instituído pela Lei Municipal 11.870. Trata-se de um órgão colegiado formado por 14 conselheiros titulares. Vinculado à Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social, o Conselho é o responsável por formular e avaliar as condições de atendimento e proteção ao idoso na cidade. A Secretaria Municipal de Educação e Cultura atua na educação de jovens e adultos e é bastante expressiva a participação dos idosos nos Programas de Alfabetização de Adultos (EJA e MOVA). O município conta também com a Universidade Aberta á Terceira Idade. O programa educacional Universidade Aberta da Terceira Idade (UATI) tem por objetivo a inclusão social de pessoas adultas e idosas, por meio de processos formativos nas áreas de saúde, cultura, esportes, lazer e cidadania e trabalho. O curso regular tem duração de 2 anos (módulos 1 e 2), com carga horária semanal de 6 horas-aula, distribuídas em 3 dias letivos com oferta nos turnos matutino e vespertino, composto por 12 disciplinas anuais. Como atividades complementares, são oferecidas aulas de hidrogide Teatro e nos projetos Tertúlia Literária, História dos Bairros e FraternaIdade, além

25

de vivências, visitações, excursões e promoção de eventos artístico-culturais, segundo

Graduação em Gerontologia - UFSCar

nástica e participação no Coral, no Grupo de Seresta, no Grupo de Dança, no Grupo

opções dos alunos. Além dos espaços vinculados a Prefeitura Municipal, os alunos contarão também com as Instituições de Longa Permanência filantrópicas e particulares existentes no município. Algumas delas inclusive são utilizadas como campos de prática pelo Curso de Enfermagem.


O processo de avaliação A avaliação é um processo contínuo de ação reflexiva que tem por objetivo o redirecionamento da prática pedagógica. Deve englobar a avaliação do curso e do currículo, a avaliação do docente e a avaliação do aluno. Durante todo o processo de formação do gerontólogo, deve ser assegurado que alunos, docentes e os profissionais dos cenários de prática conheçam os pressupostos da avaliação e os objetivos educacionais propostos pelo currículo do Curso de Gerontologia. A avaliação formal do curso será realizada semestralmente, em data a ser pactuada e inserida no cronograma de atividades do curso. Deverá ser feita por escrito pelos alunos, docentes e profissionais dos cenários de práticas, em instrumento previamente elaborado. O resultado da avaliação será apresentado e debatido em assembléias com os envolvidos e com o Conselho de Coordenação de Curso e servirão para apoiar a revisão e reformulação do curso. Os docentes serão avaliados pelos alunos ao final de cada disciplina, preenchendo um instrumento próprio e os resultados também serão debatidos no âmbito do Conselho de Coordenação de Curso. Além da avaliação formal no final da disciplina, espera-se que docentes e alunos busquem momentos de reflexão e de avaliações contínuas sobre o desempenho do docente e o processo de aprendizagem ao longo da disciplina. Para a avaliação dos alunos, adotaremos como pressupostos a sistemática de avaliação da própria universidade, tendo a concepção de avaliação como um processo contínuo de acompanhamento do desempenho dos alunos, cujo objetivo é identificar e compreender as dificuldades encontradas no processo ensino-aprendizagem prevendo formas alternativas de superá-las. A avaliação se insere em um novo paradigma que 26

tivo de reflexão e um conjunto de oportunidades de aprendizagem, onde critérios são

Graduação em Gerontologia - UFSCar

não é a devolutiva do professor para o aluno, mas na dinâmica de um processo somapactuados, instrumentos são diversificados e aspectos cognitivos, afetivos e psicomotor são considerados. A utilização de diferentes formas de avaliação deve propiciar o crescimento do aluno também quanto a atitudes e valores, contribuindo para a formação de uma postura crítica e criativa e de compromisso social e ambiental. Considerando-se as especificidades da avaliação do aluno do curso de gerontologia, partimos dos pressupostos de que esta deverá permear qualquer atividade do aluno, em todas as suas fases, ou seja, deve ser contínua, orientando-o e aperfeiçoando-o durante


seu desenvolvimento. Deve ter como objetivo final a formação do gerontólogo para a gestão da velhice saudável e da velhice fragilizada.

Graduação em Gerontologia - UFSCar

27


5 Grade curricular: disciplinas, ementas, requisitos e departamentos envolvidos A seguir será apresentada a grade curricular, com as disciplinas que formam cada ciclo. O Quadro 1 apresenta as disciplinas com os seus respectivos créditos que compõem o ciclo Fundamentos da Gerontologia. O aluno cursará sete disciplinas no primeiro semestre, totalizando 26 créditos e seis disciplinas no segundo semestre totalizando 28 créditos. Quadro 1  Disciplinas com respectivos créditos do Ciclo Fundamentos da Gerontologia. UFSCar. 2009. Disciplinas do primeiro período Total de Créditos: 26 Estudos Integrados sobre o núcleo Fundamentos da Gerontologia •  Créditos: 2 (2T) •  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Ementas O Plano de Desenvolvimento Institucional da UFSCar. O Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Gerontologia. Elementos integradores dos conhecimentos do Núcleo Fundamentos da Gerontologia. Expectativas do aluno em relação ao curso e a sua trajetória dentro da UFSCar. Atividades de ensino, pesquisa e extensão na UFSCar. Integração do Curso de Graduação em Gerontologia da UFSCar com outras áreas e cursos.

Introdução à Gerontologia

Principais conceitos gerontológicos.

•  Créditos: 4 (4T)

A gerontologia como campo interdisciplinar e multiprofissional.

•  Requisitos: Não há

Relações entre mercado de trabalho e área de atuação profissional.

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

•  Créditos: 4 (4T) •  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Teorias biológicas do envelhecimento Teorias psicológicas do envelhecimento Teorias sócio-culturais do envelhecimento

Graduação em Gerontologia - UFSCar

Fundamentos biopsicossociais da gerontologia

29


Introdução à Sociologia Geral

Introdução geral a formação do pensamento sociológico

•  Créditos: 4 (4T)

O suicídio de Emile Durkheim

•  Requisitos: Não há

Normalidade e patologia

•  Departamento: SOCIOLOGIA

Estigma, preconceito e discriminação

Introdução à pesquisa em gerontologia

A pesquisa como forma de produção de conhecimento.

•  Créditos: 2 (2T)

Principais etapas de um trabalho científico.

•  Requisitos: Não há

Princípios e protocolos éticos da pesquisa.

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Sociedade em rede. Fontes de informação. Estratégias de busca.

Saúde coletiva e envelhecimento: políticas Sistema de Atenção à Saúde: políticas de saúde; gestão de serviços de de saúde, epidemiologia e vigilância à saúde saúde; saúde e cidadania. •  Créditos: 6 (4T e 2P) •  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Graduação em Gerontologia - UFSCar

30

Saúde de Populações: conceitos e instrumentos da epidemiologia; determinação e distribuição dos agravos à saúde. Vigilância à Saúde: Vigilância ambiental (relação entre saúde e meio ambiente, resíduos sólidos e serviços de saúde); Vigilância sanitária (definição, objeto e atividades); Vigilância Epidemiológica (definição, objetivos e usos, sistemas de informação e indicadores de saúde).

Teoria das Organizações

Teorias administrativas

•  Créditos: 4 (4T)

Conceitos básicos sobre sistemas de informações gerenciais

•  Requisitos: Não há

Modelos de Estrutura Organizacional e análise estruturada de sistemas

•  Departamento: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Modelos organizacionais em saúde Aprendizagem e desenvolvimento das organizações


Disciplinas do segundo período

Ementas

Total de Créditos: 28 Bases biológicas do envelhecimento •  Créditos: 6 (2T e 4P) •  Requisitos: Fundamentos biopsicossociais da gerontologia

Conceitos básicos de biomedicina, conjugando os conteúdos das áreas de anatomia, morfologia, histologia, fisiologia, bioquímica, genética e imunologia articulados entre si no cenário dos grandes sistemas funcionais do organismo humano. Funcionamento normal do organismo humano e no organismo envelhecido.

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Aplicações desses conceitos na prática profissional de gerontologia do ponto de vista biológico, psicológico e social.

Bioestatística

Levantamento e apuração dos dados

•  Créditos: 4 (4T)

Descrição de dados amostrais

•  Requisitos: Introdução a pesquisa em gerontologia

Probabilidade

•  Departamento: ESTATÍSTICA

Estatística Vital A questão do método: indutivo e dedutivo. Tipos e formas de dados. Formas de coletas de dados. Formas de tratamento e análise de dados/informações. Estatística descritiva. Princípios do Excell, Epiinfo e SPSS

Políticas de atenção ao idoso

Políticas sociais e de saúde do idoso.

•  Créditos: 4 (4T)

Estatuto do Idoso

•  Requisitos: Não há

Política Nacional de Atenção a Saúde do Idoso

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Qualidade de vida na velhice Indicadores de qualidade de vida na velhice Instrumentos de avaliação de qualidade de vida

Graduação em Gerontologia - UFSCar

31


Bioética e envelhecimento

Conceitos básicos de ética em gerontologia

•  Créditos: 2 (2T) •  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Bases farmacológicas em gerontologia

Introdução à farmacologia.

•  Créditos: 4 (4T)

Conceitos de Farmacocinética e farmacodinâmica no idoso

•  Requisitos: Não há

Conceitos de Farmacologia do sistema nervoso: Farmacologia cardiovascular;Farmacologia dos quimioterápicos e antibióticos

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Farmacologia da inflamação; Farmacologia renal; Farmacologia dos anestésicos; Farmacologia da dor; Mediadores químicos do processo inflamatório; Anti-inflamatórios não esteroidais e Corticosteróides.

Nutrição e envelhecimento •  Créditos: 2 (2T) •  Requisitos: Não há •  Departamento: ENFERMAGEM

Compreensão de conceitos, princípios e estratégias para uma alimentação saudável e melhor qualidade de vida. Reflexão sobre o Direito Humano à Alimentação (DHAA) Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável (SANS) Discussão sobre práticas alimentares e transição nutricional no Brasil Conhecimento dos métodos de avaliação nutricional e das recomendações nutricionais voltadas aos idosos. Identificação dos problemas alimentares e nutricionais prevalentes no processo de envelhecimento saudável ou fragilizado e dos cuidados alimentares e nutricionais aplicados à promoção, prevenção, tratamento e reabilitação da saúde de idosos.

Graduação em Gerontologia - UFSCar

32

Políticas Públicas e Gerontologia

Noção de planejamento e gestão de políticas públicas.

•  Créditos: 4 (4T)

Conceitos de políticas públicas com base na experiência contemporânea do Estado de Bem-Estar Social.

•  Requisitos: Saúde Coletiva e envelhecimento: políticas de saúde, epidemiologia Papel das políticas públicas em relação ao processo de formação da e vigilância à saúde cidadania democrática. •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Principais tendências de tratamento do tema quanto às questões da decisão, do papel dos atores políticos, da implementação e da avaliação das políticas públicas. Relação entre políticas públicas e o contexto gerontológico


Instituições, serviços e equipamentos para idosos

•  Créditos: 2 (2T)

Modalidades assistenciais para idosos

•  Requisitos: Teoria das Organizações

Organizações governamentais e não governamentais que atuam com idosos

•  Departamento: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

33 Graduação em Gerontologia - UFSCar

Modelos organizacionais para idosos


O Quadro 2 apresenta as disciplinas com os seus respectivos créditos que compõem o Ciclo Gestão da Velhice Saudável. No terceiro período do curso o aluno deverá cursar oito disciplinas (28 créditos) e no quarto período seis disciplinas, totalizando 26 créditos. Cabe ressaltar que o aluno desenvolverá as atividades praticas nas Unidades de Saúde da Família, na Universidade da Terceira Idade, nos Centros Comunitários e na Prefeitura Municipal durante todo o segundo ano. Quadro 2  Disciplinas com respectivos créditos/requisitos do Ciclo Gestão da Velhice Bem-sucedida. UFSCar. 2009. Disciplinas do terceiro período

Ementas

Total de créditos: 28 Estudos integrados sobre o núcleo gestão da velhice saudável

Elementos integradores dos conhecimentos do Núcleo Gestão da Velhice saudável

•  Créditos: 2 (2T)

Expectativas do aluno em relação ao núcleo

•  Requisitos: Não há

Opções de atividades de ensino, pesquisa e extensão na UFSCar

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Possibilidades de integração com outras áreas e cursos de graduação na UFSCar

Pesquisa em gerontologia 1

Pergunta de pesquisa ou tema de investigação

•  Créditos: 4 (4T)

Busca bibliográfica.

•  Requisitos: Introdução à pesquisa

Estado da arte

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Tópicos em geriatria 1

Classificação Internacional das Doenças

•  Créditos: 4 (4T)

Processos patológicos comuns na velhice

•  Requisitos: Introdução a gerontologia

Graduação em Gerontologia - UFSCar

34

•  Co-requisito: Avaliação gerontológica e Estagio curricular: o processo de cuidar na velhice saudável •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA


Estágio curricular integrado 1: O processo de cuidar na velhice saudável •  Créditos: 6 (2T e 4P) •  Requisitos: Introdução a gerontologia •  Co-requisito: Tópicos em Geriatria 1 e Avaliação gerontológica •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

O cuidado gerontológico do ponto de vista biospicossocial Padrões internacionais das ações cuidativas em saúde do idoso Cuidado gerontológico em diferentes contextos brasileiros Educação permanente em saúde como estratégia de gestão do coletivo no processo de cuidar da velhice saudável Diagnóstico gerontológico (individuo e coletividade nos aspectos biopsico-social Reflexão da prática profissional Relação idoso-família

Avaliação gerontológica

Classificação Internacional de Funcionalidade e gerontologia

•  Créditos: 2 (2 T)

Principais instrumentos de avaliação gerontológica global.

•  Requisitos: Introdução à gerontologia

Aspectos semiotécnicos da avaliação do idoso

•  Co-requisito: Tópicos em Geriatria 1 e Estagio curricular: o processo de cuidar na velhice saudável 1

Avaliação global do idoso: estado de saúde, funcionalidade, status cognitivo, situação psicossocial, condições ambientais e sociais. Avaliação dos recursos pessoais, da rede familiar e social ampliada e disponível ao idoso. Avaliação dos recursos disponíveis (públicos e privados) de atenção ao idoso.

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Indicadores Sociais

O significado dos indicadores sociais

•  Créditos: 4 (2 T e 2 P)

Qualidade de vida de uma população

•  Requisitos: Não há

Indicadores de desenvolvimento econômico e social

•  Departamento responsável: SOCIOLOGIA Estatísticas vitais Estado social da nação Construção de saberes e práticas em saúde

•  Créditos: 4 (2 T e 2 P)

Educação popular e saúde

•  Requisitos: Estagio curricular integrado 2: o processo de cuidar na velhice saudável

Serviços de saúde e comunidades como espaços educativos

•  Departamento: METODOLOGIA DE ENSINO

Participação e humanização na educação em saúde Planejamento, implementação e avaliação de ações educativas participativas em comunidades.

35 Graduação em Gerontologia - UFSCar

Educação e saúde em gerontologia


Disciplinas do quarto período

Ementas

Total de Créditos: 26 Aspectos jurídicos relacionados ao envelhecimento •  Créditos: 4 (4T)

Estatuto do Idoso Conceitos de bioética

Eutanásia •  Requisitos: Políticas de atenção ao idoso e Bioética A capacidade jurídica e a de trabalhar. •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Os direitos pessoais. As instituições tutelares: a tutela dos incapacitados. A informação e o consentimento informado Maus tratos, violência e negligência. O segredo profissional Os testamentos vitais ou diretrizes antecipadas Aspectos éticos relacionados com o envelhecimento

Estágio curricular integrado 2: O processo de cuidar na velhice saudável

Elaboração, desenvolvimento e avaliação do plano de gestão da velhice saudável, baseado na avaliação gerontológica e nos recursos disponíveis.

•  Créditos: 6 (2T e 4P)

Diagnóstico da situação da velhice

•  Requisitos: Estágio curricular integrado 1: o processo de cuidar na velhice saudável

Reflexão da prática profissional

•  Co-requisito: Educação em saúde e gerontologia •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Graduação em Gerontologia - UFSCar

36

Finanças em Gerontologia

Noções de economia política: macro e microeconomia

•  Créditos: 4 (4T)

Matemática financeira;

•  Requisitos: Não há

Análise de viabilidade econômica;

•  Departamento: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Bases do sistema contábil; Contabilidade gerencial; Análise de demonstrações financeiras; Administração financeira; Sistemas de custeio gerenciais Noções de elaboração de projeto


Fragilidade na velhice

Definições de fragilidade

•  Créditos: 2 (2T)

Conceitos de dependência, independência e autonomia

•  Requisitos: Estágio curricular integrado 2 Instrumentos de avaliação de dependência e fragilidade •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

•  Créditos: 4 (4T ) •  Requisitos: Pesquisa em gerontologia 1 •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Métodos e técnicas da pesquisa: definindo a metodologia e preparando a coleta dos dados Ética em pesquisa com seres humanos Atividade dirigida em pesquisa

Gestão de pessoas em gerontologia

A Gestão de pessoas: objetivos, políticas e estratégias

•  Créditos: 4 (2T 2P)

Apanhado Histórico de Gestão de Pessoal e das Relações de Trabalho Trabalho em equipe do multi ao interdisciplinar A Gestão Estratégica de pessoas

•  Requisitos: Teoria das organizações e Modelos Organizacionais para idosos •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

A Gestão de pessoas por competências A Atração de Competências para as Organizações Recrutando e Selecionando Pessoas Formação Profissional e Desenvolvimento de Pessoas Gestão de Pessoas: Qualidade de Vida

37 Graduação em Gerontologia - UFSCar

Pesquisa em gerontologia 2


O Quadro 3 apresenta as disciplinas com os seus respectivos créditos que compõem o Ciclo Gestão da Velhice Fragilizada. No quinto período do curso o aluno deverá cursar seis disciplinas (24 créditos) e no sexto período seis disciplinas, totalizando 24 créditos. Cabe ressaltar que o aluno desenvolverá as atividades praticas nos Hospitais, Instituições de Longa Permanência, Centros Dia e Centros de Referencia e na Unidade Saúde Escola durante todo o terceiro ano. Quadro 3  Disciplinas com respectivos créditos do Ciclo Gestão da Velhice Fragilizada. UFSCar. 2009. Disciplinas do quinto período Total de Créditos: 24

Ementas

Estudos integrados sobre o núcleo Gestão da Velhice Fragilizada

Elementos integradores dos conhecimentos do Núcleo Gestão da Velhice Fragilizada

•  Créditos: 2T

Expectativas do aluno em relação núcleo

•  Requisitos: Não há

Opções de atividades de ensino, pesquisa e extensão na UFSCAR: construindo a participação em atividades complementares

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Possibilidades de integração com outras áreas e cursos de graduação na UFSCAR. Estágio curricular integrado 3. O processo de cuidar na fragilidade da velhice •  Créditos: 6 (2T E 4P)

Compreender o cuidado gerontológico ao idoso frágil Conhecer os padrões internacionais das ações cuidativas em saúde do idoso frágil

•  Requisitos: Estágio curricular integrado 2. o processo Conhecer o cuidado gerontológico em diferentes contextos do idoso frágil de cuidar na velhice •  Co-requisito: Tópicos em geriatria 2 e Saúde Mental •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Realizar avaliação gerontológica de idosos em contextos de velhice fragilizada (Instituição de longa permanência, hospitais, unidades especializadas) Educação permanente em saúde como estratégia de gestão de coletivo no processo de cuidar da velhice fragilizada. Diagnóstico gerontológico (indivíduo e coletividade nos aspectos bio-psico-social

Graduação em Gerontologia - UFSCar

38

Reflexão da prática profissional Tópicos em geriatria 2 •  Créditos: 6 ( 4T 2P) •  Co-requisito: Saúde Mental e Envelhecimento e Estágio curricular integrado 3. O processo de cuidar na fragilidade da velhice •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Processos patológicos comuns da velhice


Saúde mental e envelhecimento •  Créditos: 6 (2T 4P)

Saúde mental e noções de psicopatologia: conceitos e noções históricas

Princípios da neuropsiquiatria geriátrica •  Requisitos: Estágio curricular integrado 1: o processo Transtornos mentais prevalentes no idoso: demência e de cuidar na velhice bem sucedida depressão •  Co-requisito: Tópicos em Geriatria 2 e Estágio curri- Critérios diagnósticos internacionais contidos no DSM-IV e o cular integrado 3: o processo de cuidar na fragilidade CID-10. da velhice Intervenções farmacológicas e psicossociais junto aos idosos •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA com transtornos mentais e de seus familiares. Pesquisa em Gerontologia 3

Contato com os sujeitos de pesquisa

•  Créditos: 2 (2P)

Coleta de dados

•  Requisitos: Pesquisa em Gerontologia 2

Preparo para a análise dos dados

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Finitude e morte

A morte e o morrer: componentes da experiência

•  Créditos: 2 (2T)

Conceito de morte - Processo de morte

•  Requisitos: Não há

A bioética e a morte - Modelos de intervenção no contexto da morte

Educação ambiental em gerontologia •  Créditos: 4 (2T2P) •  Requisitos: Não há •  Departamento:HIDROBIOLOGIA

Reflexão sobre os conceitos de meio ambiente, saúde e educação. Fundamentação das diferentes abordagens de educação ambiental: convencional e crítica. Caracterização da evolução da crise ambiental e do movimento ambientalista no Brasil e no mundo. Aplicação de estratégias e técnicas de coleta de dados/produção de conhecimento/resgate cultural via pesquisa-ação, com a aplicação de: depoimentos, histórias de vida, entrevistas, grupos focais. Elaboração de ‘linha do tempo’ e diagnósticos socioambientais. Reflexão sobre as interrelações entre saúde, segurança alimentar, qualidade de vida, meio ambiente. Desenvolvimento em equipes de uma pesquisa ou ação voltada ao tema Educação Ambiental e Qualidade de vida da/o Idosa/o.

39 Graduação em Gerontologia - UFSCar

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA


Disciplinas do sexto período

Ementas

Total de Créditos: 24 Estágio curricular integrado 4. O processo de cuidar na fragilidade da velhice •  Créditos: 6 (2T 4 P)

Elaboração, desenvolvimento e avaliação do plano de gestão da velhice fragilizada, baseado na avaliação gerontológica e nos recursos disponíveis.

Diagnóstico gerontológico (indivíduo e coletividade nos •  Requisitos: Estágio curricular integrado 3: o processo aspectos bio-psico-social) de cuidar na fragilidade da velhice •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Trabalho e envelhecimento

Saúde do trabalhador

•  Créditos: 4 (2T 2P)

Trabalhador em envelhecimento

•  Requisitos: Não há

Avaliação da capacidade para o trabalho

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Aposentadoria: legislação

Pesquisa em gerontologia 4

Análise dos dados

•  Créditos: 4 (4P) •  Requisitos: Pesquisa em gerontologia 3 •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Arquitetura dos espaços e tecnologias assistivas •  Créditos: 4 (2T 2P) •  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Compreensão dos elementos constitutivos do espaço construído Incapacidade, deficiência e funcionalidade Avaliação e dimensionamento funcional da habitação, tendo como variáveis os fatores antropométricos, ergonômicos, culturais, sociais e geométricos dos ambientes da habitação para idosos. Espaços urbanos e acessibilidade Inflluência da arquitetura no cotidiano dos idosos Conceito de tecnologia assistivas

Graduação em Gerontologia - UFSCar

40

Principais modelos de adaptação


Controle de resíduos em gerontologia

Caracterização dos resíduos e de fontes geradoras

•  Créditos: 2 (2T)

Aspectos ambientais relacionados ao resíduos, inclusive domiciliares

•  Requisitos: Saúde Coletiva e envelhecimento: políticas de saúde, epidemiologia e vigilância à saúde •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Controle preventivo dos resíduos Tratamento dos resíduos Disposição final dos resíduos em gerontologia Aspectos legais e institucionais relacionados aos resíduos

•  Créditos: 4 (4T) •  Requisitos: Não há •  Departamento: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Principais enfoques em gestão da qualidade do cuidado e dos serviços em gerontologia; Modelos de referência para a Gestão da qualidade dos serviços e do cuidado em gerontologia Inspeção da qualidade dos serviços e do cuidado em gerontologia. Gestão dos serviços

41 Graduação em Gerontologia - UFSCar

Gestão da qualidade em gerontologia


O Quadro 4 apresenta as disciplinas com os seus respectivos créditos que compõem o Ciclo Estágio Profissional. O aluno passará durante o ultimo ano realizando o Estágio Profissional em sua área de Interesse e concluindo sua pesquisa. No sétimo semestre cursará quatro disciplinas (22 créditos) e no oitavo cursará duas disciplinas (20 créditos). Quadro 4  Disciplinas com respectivos créditos do Ciclo Gestão da Velhice Fragilizada. UFSCar. 2009. Disciplinas do sétimo período

Ementas

Total de Créditos: 22 Estudos integrados

Finalizando a formação profissional

•  Créditos: 2 T

Em busca de emprego

•  Requisitos: Não há

Preparando currículo para o mercado de trabalho

•  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Identificando possibilidades de atuação profissional

Pesquisa em gerontologia 5

Escolha de um periódico para publicação.

•  Créditos: 4 (4P)

Redação do artigo científico de acordo com as normas.

•  Requisitos: Pesquisa em gerontologia 4 •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Estágio profissional em área de interesse 1 •  Créditos: 12 (12P) •  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Graduação em Gerontologia - UFSCar

42

Planejamento de um plano de gestão identificando e descrevendo necessidades gerontológicas, transformando observações assistemáticas em informações; integrando informações sobre necessidades gerontológicas; identificando conhecimento necessário para lidar com necessidades gerontológicas profissionalmente; examinando necessidades em relação a aspectos diversos; decidindo se e como intervir profissionalmente como modo de lidar com as necessidades gerontológicas. Planejar organização: respondendo questões como que objetivos, quais atividades, quais condições, como inserir idosos, como divulgar pactuando o plano de gestão

Mercado de trabalho e atuação profissional

Lidar com as questões da busca de emprego

•  Créditos: 4P (2T 2P)

Busca de novas soluções para atuação profissional como pesquisador e gestor

•  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA


Disciplinas do oitavo período

Ementas

Total de Créditos: 20 Estágio Profissional em área de interesse 2

Execução e avaliação de um plano de gestão para o serviço

•  Créditos: 12 (12P)

Proposição de uma política publica na área

•  Requisitos: Estagio profissional em área de interesse 1 •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA Elaboração de Projeto e financiamento para instituições em gerontologia •  Créditos: 8 (8 P)

Elaboração de um projeto para buscar recursos Órgãos financiadores

•  Requisitos: Não há •  Departamento: CCBS/GERONTOLOGIA

Além das disciplinas listadas nos Quadros de 2 a 5, os alunos também poderão cursar disciplinas Optativas (8 créditos. 120 horas). Disciplinas optativas são atividades de complementação e aprofundamento, escolhidas pelos alunos, a partir do rol semestral de ofertas apresentadas por docentes de diferentes departamentos, sendo garantido, assim, perspectivas variadas sobre diferentes temáticas. A cada inicio de ano, na disciplina Núcleo de Estudos Integrados os alunos serão orientados sobre as ofertas de disciplinas optativas e atividades complementares que poderão compor a formação dos alunos. Conforme documento da UFSCar sobre Normas para definição e gerenciamento das Atividades Complementares, caberá ao Conselho de Coordenação do Curso de Gerontologia estabelecer critérios para regulamentação da creditação das atividades, incluindo as disciplinas de caráter optativo. Serão consideradas atividades complementares a participação em congressos, eventos, cursos, atividades culturais, projetos de extensão, iniciação científica, representação estudantil, publicações, ACIEPEs- Ativipelo aluno ao longo de sua permanência na Universidade. O aluno deverá cursar 12 créditos de atividades complementares (180 horas). Tanto as disciplinas optativas quanto as atividades complementares não poderão exceder 40% dos créditos conforme as normas estabelecidas para este fim.

43 Graduação em Gerontologia - UFSCar

dade Curricular Integrada Ensino Pesquisa e Extensão e uma gama de outras realizadas


6 BIBLIOGRAFIA ALVES, R. Entre a ciência e a sapiência - o dilema da educação. São Paulo: Loyola, 1999. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da Pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde, 1999. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da Pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde, 2002. BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção a Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da Pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde, 2007. BARRETO, M.L. et al. Saúde da população brasileira: mudanças, superposição de padrões e desigualdade. In: FLEURY, S. (Org.) Saúde e democracia: a luta do CEBES. São Paulo: Lemos Editorial, 1997. p. 45-60. BOTOMÉ, S.P. Diretrizes para o ensino de graduação: o projeto pedagógico da PUC do Paraná. Curitiba - PR. 2000. DEMO, P. Desafios modernos da educação. Editora Vozes: RJ, 1995. 3a ed. DUARTE, Y.A.O.; DIOGO, M.J.D. Atendimento domiciliar: um enfoque gerontológico. São Paulo: Atheneu, 2000. FREITAS, E.V. et al. Tratado de Gerontologia. Editora Guanabara Koogan: RJ, 2006. 2ª edição. LUECKENOTTE, A. Avaliação em gerontologia. Reichmann&Affonso Editores: RJ 2002. MORAES, M.C. O paradigma educacional emergente. Campinas, SP: Papirus, 1997. NERI, A.L. Psicologia do envelhecimento: temas selecionados na perspectiva de curso de vida, Campinas, SP: Papirus, 1995.

NERI, A.L. Desenvolvimento e envelhecimento. Campinas, SP. PAPIRUS, 2001.

45

ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Divisão de desenvolvimento dos Sistemas e

Graduação em Gerontologia - UFSCar

NERI, A.L. Palavras-chave em Gerontologia. Campinas, SP. ALÍNEA, 2005, 2a ed..

Serviços de Saúde. Programa de Organização e Gestão dos Sistemas e Serviços de Saúde. O perfil do sistema de serviços de saúde. Brasil, 2º ed., 2001. 42p. [disponível em: www.opas.org.br/servico/ Arquivos/perfil2000]. PAPALÉO NETTO, M.. Gerontologia. Rio de Janeiro: Atheneu, 1999. PAVARINI, S.C.I. et al. Idoso, direito e cidadania no Brasil: que história é essa? In: N. Felicidade.


Caminhos da cidadania: um percurso universitário em prol dos direitos humanos. São Carlos, SP. EDUFSCar. 2001. PAVARINI, S.C.I. et al. A arte de cuidar do idoso: gerontologia como profissão? Revista Texto e Contexto de Enfermagem, Florianópolis-SC v 14 (3), p 398-402, 2005. PARECER CEPE/UFSCAR 776/2001, de 30 de março de 2001. Perfil do profissional a ser formado na UFSCar. 2ª Edição. 2008. PORTARIA GR 522/06 UFSCAR, de novembro de 2006. Sistemática de Avaliação do desempenho do estudante e procedimentos correspondentes. PORTARIA GR 771/04. UFSCar, de julho de 2004. Normas e procedimentos referentes as atribuições de currículo, criações, reformulações e adequações curriculares dos cursos de graduação da UFSCar. PORTARIA GR 461/06 UFSCar, de agosto de 2006. Normas de definição e gerenciamento das atividades complementares nos cursos de graduação e procedimentos correspondentes. RESOLUÇÃO CNE/CES Diretrizes Curriculares da área da saúde: 7 de novembro de 2001. Ministério da Educação. REBELATTO, J.R.; MORELLI, J.G.S. (orgs.) Fisioterapia geriátrica: a prática da assistência ao idoso. Barueri-SP: Manole. 2004. SÃO CARLOS. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Plano Municipal de Saúde São Carlos, 2001. SÃO CARLOS. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Hospital Público Municipal de São CarlosSP. São Carlos, 2003. SÃO CARLOS. SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Hospital Público Municipal de São CarlosSP. São Carlos, 2008.

Graduação em Gerontologia - UFSCar

46

SHIGUNOV NETO, A.; DENCKER, A.F.M.; CAMPOS, L.M.F. Dicionário de Administração e Turismo. Rio de Janeiro, RJ: Editora Cidade Moderna, 2006. UFSCar. PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL DA UFSCAR. PDI. UFSCar. Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Enfermagem. UFSCar. Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Psicologia. UFSCar. Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Medicina. UFSCar. Projeto Político Pedagógico do Curso de Graduação em Terapia Ocupacional.


Apostila Gerontologia