Issuu on Google+

%HermesFileInfo:A-1:20100724:

JULIO MESQUITA 1891 - 1927

24 DE JULHO DE 2010 R$ 2,50* ANO 131. Nº 42648

RUY MESQUITA Diretor

EDIÇÃO DE 0H15

estadão.com.br

SÁBADO Metrópole

Sabático

C2+música

Boulevard. Pinças ilustradas, dica de compra fashion. Pág. C8

Holanda tropical Evaldo Cabral de Mello explica o Brasil de Nassau

‘Estou livre’ Aos 27 anos, a cantora Sandy rompe com o show biz

WERTHER SANTANA/AE

SERGIO NEVES/AE

EUA querem que acusação da Colômbia seja apurada

CBF queria Muricy, mas fica com Mano Teixeira havia convidado o técnico do Fluminense, mas o clube impediu sua saída ZECA RESENDES/GILLETTE GOLF CUP

Lula pede que mediação da crise com Venezuela seja da Unasul, bloco que os americanos não integram O governo dos EUA manifestou apoio à proposta colombiana de criar comissãointernacional parainvestigarapresença de guerrilheiros das Farc na Venezuela. A acusação levou o presidente venezuelano, Hugo Chávez, a romper relações com Bogotá. O presidente Lula quer que a União das Nações Sul-americanas (Unasul) atue como mediadora da crise. Os americanos, aliados da Colômbia, não integram a

Unasul. O secretário-geral do bloco, Néstor Kirchner,acompanhado do assessor do Planalto para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, embarcam para Caracas no dia 5. O Brasilquerqueanegociação comaColômbia comece só depois da posse do novo presidente, Juan Manuel Santos, no dia 7. Antes da crise, Santos expressara interesse em se reaproximar de Caracas. INTERNACIONAL / PÁG. A14

Bogotá quer ação em tribunal internacional

venezuelano ao Tribunal Penal Internacional. Segundo o procurador-geral da Colômbia, Guillermo Mendoza, o objeto da ação seriam “autoridades venezuelanas” coniventes com os guerrilheiros, incluindo o próprio presidente Hugo Chávez. INTERNACIONAL / PÁG. A11

● O governo colombiano informou que

estuda enviar o caso da presença de guerrilheiros das Farc em território

Negociação. Muricy (esq.) sai de reunião com Ricardo Teixeira (dir.), na qual foi convidado a assumir a seleção O novo técnico da seleção brasileira é Mano Menezes, do Corinthians. Ele aceitou convite de Ricardo Teixeira feito ao final de um dia conturbado para a CBF. Pela manhã, Teixeira convidou MuricyRamalho, doFluminense.O téc-

nicodisse queaceitaria,desdequeo Fluminenseoliberasse. O clube,porém,recusou. “Manda a CBF chamar o Mano Menezes”, disse o presidente do Fluminense, Roberto Horcades, desafeto de Teixeira. ESPORTES / PÁGS. E1 a E3

ANTERO GRECO

Episódios constrangedores ESPORTES / PÁG. E2

CELSO JUNIOR/AE

Sudeste tem 94 deputados milionários

Plano nega pedidos de 70% dos ortopedistas VIDA / PÁG. A17

BP desligou alarme de plataforma que explodiu

Dos 264 deputados estaduais de São Paulo, Rio, Minas e Espírito Santo que serão candidatos em outubro, 94 informaram à Justiça Eleitoral um patrimônio superior a R$ 1 milhão. A soma das fortunas chega a R$ 433,8 milhões. Segundo os dados entregues ao Tribunal Superior Eleitoral, 75 parlamentares conseguiram mais que dobrar seu patrimônio em quatro anos. Minas tem o maior número de milionários. NACIONAL / PÁG. A4

Novo serviço

CELSO MING Teste de estresse O problema principal da União Europeia não é a solidez patrimonial dos bancos. É a situação fiscal de um punhado de países.

GILBERTO MENDES Memórias afetivas e musicais Encontrei o maestro Roberto Martins no restaurante Almeida, em Santos. Lembramos dos notáveis que passavam por lá após o Música Nova.

VISÃO GLOBAL Decepção na ONU Mal-estar é geral na ONU com a gestão de Ban Ki-moon, escreve Ewen Macaskill.

ECONOMIA / PÁG. B2

C2+MÚSICA / PÁG. D7

INTERNACIONAL / PÁG. A16

7 8 9 10 11 12

VIDA / PÁG. A21

Brasil fica em 3º em índice de desigualdade ECONOMIA / PÁG. B8

Passageiro é atendido no Juizado Especial do aeroporto de Brasília: baixa procura no primeiro dia do serviço no País. METRÓPOLE / PÁG. C1

Índia quer vender iPad genérico por US$ 35 ECONOMIA / PÁG. B13

Tempo na capital 23˚ Máx. Temperatura diminui e 14˚ Mín. chove 124 PÁGINAS (34 DE CLASSIFICADOS) * VER TABELA NA PÁGINA A3

ESTADO SOB CENSURA HÁ 358 DIAS. PÁG. A8

UE faz teste com bancos e reprova sete Sete instituições bancárias de Alemanha, Espanha e Grécia foram reprovadas ontem pelo maior teste de estresse do sistema financeiro já realizado pela União Europeia. O resultado fica dentro dos prognósticos esperados pela maior parte dos analistas, que estimavam em 10% o número de fracassos, pouco acima dos 7,6% registrados. O teste mostrou, por outro lado, que os grandes bancos passaram sem sobressaltos. ECONOMIA / PÁGS. B1, B3 e B4

NOTAS & INFORMAÇÕES

A nova bravata de Chávez O rompimento com a Colômbia é o velho truque da transmutação do agressor em vítima. PÁG. A3


A2 Espaço aberto %HermesFileInfo:A-2:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

PUBLICAÇÃO DA S.A. O ESTADO DE S. PAULO

Fundado em 1875

Av. Eng. Caetano Álvares, 55 - CEP 02598-900 São Paulo - SP Caixa Postal 2439 CEP 01060-970-SP . Tel. 3856-2122 (PABX) Fax Nº (011) 3856-2940

Julio Mesquita (1891-1927) Julio de Mesquita Filho (1927-1969) Francisco Mesquita (1927-1969) Luiz Carlos Mesquita (1952-1970)

A internet e as eleições ✽ ●

GABRIEL ROSSI E ALDO FORNAZIERI s eleições presidenciais deste ano parecemestarsendo marcadas por algumasespecificidades, destacando-se: 1) A forte polarização entre candidatos, 2) o presidente Lulacomo umde seusprincipais protagonistas e 3) a presença da internet como um dos mais importantes meios de campanha. Comaascensãode umaimensa classe média no Brasil, que agora tem acesso ao computador, é inevitável supor que a internet deverá ser um fator diferencial nesta campanha. Ainda mais se tomarmos como horizonte a campanha de Barack Obama para a Casa Branca e a popularização – tipicamente brasileira – das redes sociais, como Twitter, Facebook, Orkut e blogs de todos os gêneros. Mas a largada desta campanha se demonstra, até aqui, bastanteestérileimatura.Umaanálise feita durante um período de dois meses nos possibilitou aferir, por exemplo, a quantidade e a qualidade das citações de determinadas marcas e nomes – no caso, dos candidatos – nas redes sociais. Já foi possível constatar a falta de qualificação do debate e dos conteúdos políticos e os ataques gratuitos que vicejam na web. Partedestecenáriodesanimador pode, sim, ser imputado aos próprioscandidatos,que, senão exortamseuseleitores aessabatalha cibernética insana, também não inibem tal comportamento. Os comandos estratégicos das campanhas, afinal, são responsáveis pela qualidade ou pelafaltadelanodebatepolíticoeleitoral. Há por trás disso tudo uma estratégiacaóticadeguerraemcurso,naqualosdoisprincipaiscandidatos parecem valer-se do que no mundo da internet é chamadode“missionáriosdigitais”.Esta expressão, criada para designar os profissionais que dispõem de tempo para promover as empresas na web e que é um bom exemplo de estratégia digital nos EUA, desvirtuou-se por aqui. Nessa lógica, é possível ver militantesnainternettrabalhando para convencer indecisos, acusando adversários e rebatendo críticas no pior exemplo da desqualificação política. As etiquetas básicas das mídias sociais são na maioria das vezes esquecidas e um debate de surdos flui surpreendentemente. Parece não se perceber que a internet é um instrumento singulare poderoso de mediação de conteúdos e que a eficácia de umacampanhadependedacom-

A

binação da potência do meio com a qualidade do conteúdo. Umolharmaispróximodablogosfera mostra que boa parte de seus influenciadores tem algum tipo de ligação com a grande imprensa ou são celebridades. A transmissãodaspropostasdegoverno dos principais candidatos está ainda confusa e isso atrapalhaovínculoentreacomunidade web e a qualificação do debate. Asestratégias adotadas nasredessociaiscomprovamapercepção de que os presidenciáveis ou os responsáveis por suas campanhas não enxergaram ainda a necessidade de responder a algumas perguntas básicas. Onde meu eleitor está? Quem ele influencia? Por quem é influenciado? Como ele usa as tecnologias, do ponto de vista da política? Ele apenasassisteaconteúdos,compartilha com os outros, comen-

Há por trás do cenário desanimador na web uma estratégia caótica de guerra em curso

José Vieira de Carvalho Mesquita (1959-1988) Julio de Mesquita Neto (1969-1996) Luiz Vieira de Carvalho Mesquita (1959-1997)

Américo de Campos (1875-1884) Nestor Rangel Pestana (1927-1933) Plínio Barreto (1927-1958)

Apoios e problemas Os jovens mais escolarizados são grandes influenciadores na sociedade.Elestêmnaredemundialumafonteinesgotáveldepesquisa e informação e nesta eleição esse processo não será diferente. Indiretamente, a internet tornar-se-á um veículo de comunicação política para pais, familiares, colegas de classe, amigos, entre outros. A dica é seguir o comportamento destes jovens, em vez de seguir a tecnologia de forma obstinada e sem critérios. Os jovens importam-se com o que pessoas da mesma idade e comunidadepensam,eobomdebatepolíticoterámaisespaçoentre eles do que com qualquer outro público internauta. Como nenhuma outra, esta eleiçãotemum caráterdeexperimentação por causa da popularização da internet nos últimos anos. Erros serão normais, mas o inadmissível será a perda do pudor,dasboasmaneirasedainteligência. Talvez a maior contribuiçãodestefenômenosejaainevitável introdução da escuta estratégica doeleitorado, que,com o advento da web social, passou a fornecer pistas e informações vitais na condução de uma campanha e de projetos políticos. Mudanças de rota, antes, levariam dias para ocorrer, mas a internet levará segundosparamostraranecessidade da adoção de táticas diversas e eficazes.Perderáquemnãoperceber que o online também constitui o real. Até mesmo na política.

✽ ●

MARCO AURÉLIO NOGUEIRA compreensível o empenho do presidente Lula para fazer de Dilma Rousseff a próxima governante do País. Deveria haver menos calor moralizantenasacusaçõesqueaele se fazem. Afinal, não há ocupante de cargo de comando que não queira ver em seu lugar, na impossibilidade de nele continuar, alguém que lhe suceda de modo positivo, isto é, como continuidade, sem ajustes de contas e com os devidos encômios. Quem está prestes a sair de um cargose move pela pretensãode projetarneleumasombra,senteseresponsávelpeloquevirá.Faz isso mesmo sabendo que depois, passados os primeiros meses do novo governo, o sucessor dele se distanciará, ou para alçar voo próprio, ou para corresponder às mudanças de conjuntura ou de correlação de forças. Todogovernanteenfrentaessedilema quando se aproxima o desfecho de seu mandato. Para ajudá-lo a não cair em tentação os Estados republicanos se valemde mecanismos de controle e moderação – no caso brasileiro, os tribunais eleitorais, por exemplo –, bem como da disseminação, na população e especialmente na classe política, de uma cultura específica e de uma ética pública, imune a invasões espúrias ou particularistas. Certos aspectos da conduta de Lula estão associados a essa relaçãodogovernantecomoEstado. Não são de ordem moral.

É

ta,criaoumoderacomunidades? Que tipo de açõesespecíficas deveriam ser usadas para cada grupo? Como responder a acusações infundadas? Como propagar minhas ideias de forma eficiente e sintética? Um breve comparativo entre as tags José Serra, Dilma Rousseff e Marina Silva na blogosfera, numperíodo de30dias (até14 de julho), mostra que a primeira foi ✽ responsável por 44,5% das men- RESPECTIVAMENTE, ESTRATEGISTA ções, a segunda, por 39,33% e a DE MARKETING NA INTERNET E SÓterceira, por 16,2%. Em 30 de ju- CIO-FUNDADOR DA GABRIEL ROSSI nho,aexpressãoJoséSerraalcan- CONSULTORIA; DIRETOR ACADÊMIçou mais de 3 mil menções no CO DA FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOTwitter. O anúncio do vice Índio LOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO daCostafoibastanteresponsávelporessebuzz.Jánacomparação entre as expressões SINAIS PARTICULARES José Serra, Dilma Rousseff e Marina Silva na twittosfera, numperíodode30dias(tambématé14dejulho),aprimeira é responsável por 46,4% das menções, a segunda, por 21,9% e a terceira, por 31,8%, com 27.509, 12.984 e 18.854, respectivamente. Um pouco menosdeumquartodascitações sobre Dilma Rousseff no Twitter é relacionado ao presidente Lula. AlémdosEUA,maisrecentemente Inglaterra e Colômbiavivenciaramintensacampanha política pela internet. Nesses países foi possível verificar que muitas vezes a internetpautouodebate,transbordandoadiscussãoparabares, escolas e casas, algo que até agora não vem ocorrendo no Brasil. Parece que será mais bem-sucedida a campanha que souber escrever este roteiroequemapostarprincipalmentenos jovens, quesão Em terra de Muricy cada qual cuida de si os mais conectados.

São éticos e políticos. Um deles é o da transgressão dalegislação eleitoral, que veta o uso da máquina pública (e, portanto, da palavra, dos atos e do gestual do presidente) para promover e favorecer candidaturas ou coalizões eleitorais. Indiferente aos rigores e às penas da lei, Lula tem sido recorrente na violação das regras e dos limites legais. Foi advertido e multado, pediudesculpas,mas nãose abalou. Sua campanha em favor de Dilma ultrapassou a dimensão republicana que se espera seja consideradaporqualquerexecutivo público. Esseéumitemjábastantedestacado pela crônica política. Não é o caso de explorá-lo ainda maisou de submeter o presidente a um tribunal. Mas dele derivam duas consequências principais, que precisam, no mínimo,

Lula dá péssimo exemplo e a pressão presidencial a favor de Dilma distorce a democracia eleitoral

ser consideradas. A primeira é a banalização da lei, a disseminação de uma imagem de que a lei só vale para os outros, de que sempre se pode dar um jeito de escapar de suas restrições. Lula dá um péssimo exemplo ao País, que fica ainda pior por vir do alto, de uma liderançaquegozadeextraordinário prestígio e popularidade. Ele, a rigor, não precisaria se dar a tais exageros. Poderia preservar-se e comissotransferirmaisvalorparanossaRepública.Seriaaplaudido por todos. Como se costuma dizer, é de cima que devem vir os melhoresexemplos.Ou,naspalavrasdeMarinaSilva,candidata do PV, “quanto mais amigo do rei, mais alta é a forca”. Lula tem-se incomodado LOREDANO com o que julga ser um cerco à sua liberdade de opinião e ação, uma tentativa de inibilo para que “finja não conhecer” sua candidata. “Há uma premeditação para me tiraremdacampanhaparaimpedir que eu ajude a Dilma”, disse ele dias atrás. Parece não levar na devida conta certas obrigações do cargo que ocupa. A segunda consequência é afragilizaçãoda candidatura Dilma.Elavemganhandoimpulso sem se desvencilhar da acusação de que não consegue andar com as próprias pernas–dequeéumamarionete do presidente ou mera criação de marketing, alguém cercado de dúvidas e indefinições. A recente frase da candidata a esse respeito só faz pôr mais lenha na fogueira: “Sou produto feito pelo governo do presidente Lula, um dos maiores gover-

nos que este país já teve.” Pode-se ponderar o quanto for,masafragilidadedacandidata de Lula é real e subsistirá enquanto ela não revelar seus próprios recursos, em suma, mostrar-se de corpo inteiro, sem suportes externos ou maquiagem. Não é difícil imaginar quantos governantes foram eleitos, aqui enomundo,comapoiosostensivos de líderes prestigiosos. Apesar disso, nem sempre conseguiram fazer bons governos. Muitos foram fracos, confusos, anódinos, como se se ressentissem da saída de cena daqueles que lhes deram vida. Talvez não tenham causado maiores estragos em suas sociedades. Mas certamente contribuíram negativamente tanto para a instituição governo quanto para a própria governança. Fizeram com que seus países ficassem girando em círculos, sem resolver seus problemas e sem definir um rumo para o futuro. Não se pode dizer que Dilma Rousseff, se eleita, venha a ser umapresidentefraca.Nãoháelementoscabaisqueatestemousugiram isso. Mas também não há nada,atéagora,quedigaocontrário,ou seja, quecomprove suaindependência, sua capacidade e sua liderança. O fato de ter por trás dela o apoio dedicado de LulaedoPTnãolheconcedenenhuma virtude adicional. Esta ela terá de mostrar na prática, quer dizer, indo à luta com os próprios recursos. O discurso continuísta éconfortável,masinsuficiente.E apressão presidencialaseufavor distorce a democracia eleitoral. Aboaprática deum governante não começa somente quando se inicia seu governo. Começa antes: na sua biografia política, nos apoios que é capaz de agregar, em seu preparo técnico e também no modo como conduz a campanha que o levará ao cargo. Não se trata de exibir “experiência administrativa”, mas de fixar uma imagem de autonomia, coerência e consistência. A democracia, aliás, espera que todos os candidatos a postos executivos demonstrem ter ideias próprias, capacidade pessoal de liderar o sistema político e de interpelar a sociedade, força magnética para articular apoios e imprimir novos rumos ao país, determinação para fazerfrenteaosinteressespoderosos que tentam retirar soberania do Estado. É essa exigência democrática que continua a dar aos governantes condições de governar com os olhos no conjunto da população e especialmente naqueles que são mantidosemníveisindignosdesubsistência e exploração. ✽ PROFESSOR TITULAR DE TEORIA POLÍTICA DA UNESP. E-MAIL: M.A.NOGUEIRA@GLOBO.COM

Fórum dos Leitores MARADONA E CHÁVEZ Tabelinha

BNDES Ministro?

POLÍTICA Provérbios

O técnico Diego Maradona jurando fidelidade até a morte ao ditador Hugo Chávez é, no mínimo, algo ridículo. Em verdade, a foto no Estado de ontem (A1) retrata dois dos maiores incompetentes sul-americanos. O primeiro como técnico de futebol e o segundo como governante/ditador e péssimo diplomata.

Nelson Motta traz esclarecimentos da má política tupiniquim ante outras nações, conscientes das liberdades da democracia (23/7, A12). Calcado em consagrados adágios populares, desanca de forma picaresca o desgoverno de Lula e as posições políticas do PT em seu comunismo retrógrado. Lição para nós, cidadãos eleitores. Nota 10 com louvor ao admirável cronista do Estadão.

Nem precisa consultar o vidente Paul, pois, sendo Maradona o técnico, Chávez perderá a peleja contra Álvaro Uribe, mesmo tendo o “cara” rosnando na torcida!

Guido Mantega agrediu ex-ministros da sua área, dizendo não aceitar críticas e que “eles” quebraram o Brasil, em outras épocas. Ora, Mantega quebrou o BNDES, por ser político e obediente ao rei Lulla. O Tesouro vai emprestar R$ 800 milhões ao BNDES, mas o Tesouro somos nós, brasileiros. O BNDES empresta a países da África, a Cuba, para urbanização de Havana, à Venezuela, para o metrô de Caracas, ao Evo cocaleiro, etc., e ficamos sem dinheiro para a saúde e a segurança pública. Além de dívidas antigas que esses países tinham com o Brasil e o sr. Lulla anistiou, estão renovando empréstimos. Mas pequenas empresas brasileiras não são contempladas.

ANTONIO WUO wuo.antonio@gmail.com Mogi das Cruzes

CELSO DE CARVALHO MELLO celsosaopauloadv@uol.com.br São Paulo

JOSÉ PIACSEK NETO bubapiacsek@yahoo.com.br Avanhandava

FERNANDO AVERBACH reginalili@yahoo.com São Paulo

Bater e apanhar

O lema é bater duro, sem dó ou coerência, e não admitir levar o troco. Foi assim que os petistas e Lula sempre fizeram por mais de duas décadas contra todos os de-

mais governos. Até que enfim encontraram um Índio pelo caminho que os enfrenta sem medo e, o que é muito importante, dizendo verdades que todos já sabiam, mas não falavam. Esperamos as explicações de Dilma sobre as ligações do PT com as Farc, estamos todos ansiosos para conferir até onde vai a impudência dessa “turminha”. Dora Kramer, em Ladeira abaixo (23/7, A6), escreveu o que todos nós sentimos há muito tempo sobre esse assunto. LEILA E. LEITÃO São Paulo

CUMPRIMENTOS 9 de Julho

O Conselho Cívico e Cultural da Associação Comercial de São Paulo cumprimenta o Estado pela publicação das matérias que marcaram a data cívica de 9 de julho de 2010, trabalho jornalístico que não só fortalece os ideais de-

mocráticos em nosso país, como também fomenta no seio do povo sentimentos em prol da cultura cívica e histórica sobre a luta armada havida no ano de 1932 por uma Constituição para o País, durante a ditadura de Getúlio Vargas. FRANCISCO GIANNOCCARO, coordenador São Paulo

ONGS Ambientalistas

Denis Rosenfield (Fazendas lá, ambientalistas aqui, 19/7, A2) acusa organizações ambientalistas de renome, com equívocos grosseiros, de defenderem os interesses da agropecuária estadunidense. Seu artigo é repleto de erros, tais como o de que a National Wildlife Federation (NWF) seria “seção americana da WWF”. Na realidade, a NWF e a WWF são duas organizações separadas. A

NWF é a maior entidade ambientalista nos EUA, já a WWF é uma organização internacional baseada na Suíça. A NWF não recebe recursos do Ibope, Natura, Embaixada dos Países Baixos ou outros mencionadas no artigo, a maior parte de seu financiamento vem de seus membros e de doações de milhões de pessoas físicas, assim como de fundações filantrópicas. A pesquisa do autor foi negligente. BARBARA BRAMBLE, NWF Bramble@nwf.org Washington, DC (EUA)

COPA 2014 Aeroportos

Em relação à matéria Aeroportos da Copa estão sem os projetos básicos e com prazos fictícios (22/7, B1), a Infraero esclarece que desconhece o documento mencionado pela reportagem, que não informa a fonte do material com as


%HermesFileInfo:A-3:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Conselho de Administração Presidente

Membros

Aurélio de Almeida Prado Cidade

Fernão Lara Mesquita, Francisco Mesquita Neto, Júlio César Mesquita, Patricia Maria Mesquita e Roberto C. Mesquita

Notas e Informações A3

Opinião

Informação

Administração e Negócios

Diretor de Opinião: Ruy Mesquita Editor Responsável: Antonio Carlos Pereira

Diretor de Conteúdo: Ricardo Gandour Editor-Chefe Responsável: Roberto Gazzi

Diretor Presidente: Silvio Genesini Diretor de Mercado Leitor: João Carlos Rosas Diretor Financeiro: Ricardo do Valle Dellape Diretora Jurídica: Mariana Uemura Sampaio

estadão.com.br A versão na Internet de O Estado de S. Paulo

Notas & Informações

A nova bravata de Chávez Diante das evidências contundentes sobre a presença de 1.500 guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território venezuelano, apresentadas à Organização dos Estados Americanos (OEA), o presidente Hugo Chávez reagiu na sua típica maneira destemperada: invocando a “dignidade” nacional, rompeu relações diplomáticas com o governo de Bogotá e ordenou às Forças Armadas que entrassem em “alerta máximo” na fronteira entre os dois países. A dignidade da Venezuela estaria mais bem servida se, em primeiro lugar, tivesse um dirigente que não se comportasse como um histrião. Mas Chávez armou o cenário para o anúncio da ruptura com a participação, que acabou sendo ridícula, de seu

“correligionário” argentino Diego Maradona, que com ar estuporado ouviu a catadupa de impropérios que dirigiu ao presidente colombiano Álvaro Uribe. Essa foi a resposta às provas exibidas na OEA de que continua dando guarida ao bando de narcotraficantes em que se transformaram as antigas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, que desgraçaram a nação vizinha antes de serem acuadas pela tenaz política de segurança adotada por Uribe. “A Venezuela deveria romper relações com as gangues que sequestram, matam e traficam drogas, e não com um governo legalmente constituído”, comentou o embaixador colombiano na OEA, Luis Alfonso Hoyos. Foi na sede da OEA, em Washington, que os representantes colombianos exibiram vídeos, mapas e fotos aéreas indicando a localização dos acampamentos das Farc e do Exército de Libertação

Nacional (ELN). “São ao menos 87 estruturas completamente armadas em território venezuelano”, descreveu Hoyos. Os acampamentos “continuam se consolidando”. Nas regiões do país onde se instalaram, geralmente em locais fronteiriços, os farquistas não se conduzem como se estivessem batendo em retirada ou apenas se reagrupando. Controlam com mão de ferro as desafortunadas populações, a ponto de lhes impor o toque de recolher a cada dia. Foi essa realidade que a Colômbia buscou descortinar na reunião de emergência da OEA, convocada a seu pedido. Além disso, representantes de Bogotá exortaram Chávez a permitir que observadores estrangeiros visitassem as áreas onde se situam os santuários das Farc. Para surpresa de ninguém, a Venezuela se recusou a fazê-lo, o que dá a devida dimensão a suas tentativas de desmentir fatos

Saneamento e renda pesar do avanço do saneamento básico nos últimos anos, estimase que 114 milhões de brasileiros ainda não dispõem de sistema de coleta de esgotos. Doenças decorrentes da falta de saneamento básico, como diarreia, estão entre as principais causas das mortes de crianças no País. Só isso já seria mais do que suficiente para levar os governos brasileiros a investir bem mais do que vêm investindo em saneamento básico, para o País atingir com mais rapidez a meta de universalização, isto é, o atendimento de toda a população com esse serviço. Mas, além dos prejuízos à saúde da população, a falta de saneamento básico tem também efeitos econômicos nocivos que justificariam até financeiramente a aceleração dos programas de extensão das redes de água e dos sistemas de coleta e tratamento de esgotos. É o que mostra a pesquisa Benefícios econômicos da expansão do saneamento brasileiro elaborada pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo e pelo Instituto Trata Brasil, uma organização criada para mostrar a urgência da universalização do saneamento básico. Com base em estatísticas conhecidas e em comparações de dados de regiões onde os serviços de saneamento básico já atingem quase toda a população e daquelas em que a maioria dos habitantes carece desses serviços, o estudo conclui que a falta de água tratada e de redes públicas de coleta de es-

A

críticas à empresa. Quanto aos “prazos fictícios”, a Infraero rejeita essa afirmação e reforça seu compromisso de entregar as obras planejadas dentro do cronograma estabelecido, para atender à demanda projetada para 2014, incluindo o volume de passageiros que surgirá com a realização da Copa do Mundo. Sobre o atraso nas obras do Galeão, “registrado em relatório do Tribunal de Contas da União”, a empresa reforça que os serviços estão em plena execução e os prazos de conclusão da reforma do Terminal 1 e de finalização do Terminal 2 serão cumpridos em setembro de 2012 e abril de 2011, respectivamente. Quanto às afirmações de que obras como as dos aeroportos internacionais de Guarulhos e Brasília ficarão prontas “integralmente somente após a Copa”, a Infraero destaca que as fases dos empreendimentos atenderão à demanda e os investimentos permanecerão sendo fei-

goto reduz a produtividade do trabalhador e, assim, reduz sua renda média. Além disso, a falta de saneamento impõe custos adicionais ao sistema nacional de saúde, impede a valorização do principal bem de muitas famílias de baixa renda (que é sua moradia) e condena à estagnação regiões com alto potencial para o turismo e que poderiam gerar muito mais emprego e renda. É fato notório que a falta de coleta de esgotos provoca doenças infecciosas que levam ao afastamento das pessoas doentes do trabalho. As pessoas infectadas que permane-

Saneamento, além de benéfico para a saúde, promove eficiente distribuição de renda cem trabalhando têm desempenho inferior ao de seus companheiros, ou seja, têm menor produtividade, pois estão com a saúde abalada. Essa deficiência tem um custo econômico que pode ser avaliado de diversas formas. Segundo a FGV, o prejuízo das empresas com as horas pagas, mas não trabalhadas – por afastamento do trabalhador para tratamento de doenças infecciosas em geral provocadas por más condições de saneamento nos locais onde vive –, pode chegar a R$ 547 milhões por ano. Trabalhadores que vivem em cidades nas quais os serviços de saneamento atendem a praticamente toda a população ganham, em média, 13,3% mais do que os que vivem em locais

tos para atender ao crescimento da demanda de passageiros. LÉA CAVALLERO, superintendente de Marketing e Comunicação Social da Infraero imprensa@infraero.gov.br Brasília

N. R. – O documento que a Infraero afirma desconhecer chama-se Investimentos nos aeroportos para a Copa do Mundo de 2014, tem data do mês passado e todas as páginas estão em papel timbrado da estatal. Foi encaminhado pela estatal ao TCU. Com relação ao atraso apontado pelo TCU no Galeão, a informação está disponível no site www.fiscopa2014.gov.br, basta abrir o link da cidade-sede Rio de Janeiro. Quanto ao termo “fictício”, é o que se pode dizer de uma obra cujo cronograma prevê apenas seis meses entre o início da confecção do projeto básico e o início da obra, com uma indispensável licitação no meio do caminho, para um negócio de mais de R$ 1 bilhão.

que constituem uma clara violação das normas da Carta da OEA sobre a convivência pacífica dos países do Hemisfério. A bravata do rompimento vem sendo, em geral, interpretada como a reencenação do velho truque da transmutação do agressor em vítima. A plateia a que o caudilho se dirige é a população venezuelana. Já se apontou neste espaço a urgência de Chávez em fabricar inimigos internos (a imprensa, a Igreja, o empresariado) e externos (o “Império” e a Colômbia) para mascarar o estado pré-falimentar a que as suas políticas “bolivarianas” reduziram a economia nacional, em recessão pelo segundo ano consecutivo. Ele teme o troco do povo nas eleições legislativas de setembro. Se os motivos de Chávez são claros, os de Uribe suscitam controvérsias. Segundo uma versão, ele teria resolvido levar o venezuelano ao pelourinho a duas semanas da transmissão

do poder ao sucessor Juan Manoel Santos, o ex-ministro a quem apoiou na campanha, para sabotar a sua anunciada política de distensão com a Venezuela. Mais convincente, talvez, parece ser a hipótese de que, tendo só agora reunido as condições para denunciar a proteção chavista às Farc, Uribe quis fechar um ciclo no contencioso bilateral e deixar o campo livre para Santos fazer nova política na matéria. De seu lado, o governo brasileiro, que até há pouco preferia se envolver nos conflitos do Oriente Médio em vez de se voltar para tensões na vizinhança, mais do que depressa anunciou a intenção de agir como mediador entre Colômbia e Venezuela. Antes tarde do que nunca, seria o caso de dizer, se a oferta já não estivesse contaminada pelas manifestas simpatias do presidente Lula e do seu entorno pelo autocrata venezuelano.

Recursos novos para imóveis sem coleta de esgoto. Tendo esse diferencial como base e levando em conta a renda média dos brasileiros e o número de trabalhadores que não dispõem de serviços adequados de saneamento básico, a FGV calculou que, se o País alcançasse a universalização desses serviços, a massa salarial, de R$ 1,1 trilhão, poderia aumentar R$ 41,5 bilhões. Eis aí um programa de renda democrático e apolítico, que não escolhe pessoas ou famílias beneficiadas, pois não exige inscrição prévia em órgãos públicos. Curiosamente, o ganho de renda “é praticamente o custo da universalização do sistema de coleta e tratamento de esgoto no Brasil, estimado em R$ 49,8 bilhões”, observam os autores do estudo. E o programa teria ainda outros benefícios para as finanças públicas, entre eles a redução dosgastoscominternaçõeshospitalares em razão de infecções intestinais causadas por más condições de saneamento. Do ponto de vista social, reduziria em 65% o índice de mortalidade entre os pacientes internados com infecções gastrointestinais, o que significa que 1.277 vidas seriam salvas anualmente. Para as famílias de baixa rendaquehojevivememmáscondições de higiene, a universalizaçãodosaneamentobásicopoderia significar a valorização de até 18% de sua moradia, que é seu principal ativo econômico. Para as regiões com potencial turístico reprimido por falta de saneamentobásico,auniversalização traria investimentos, empregos e mais renda.

“O ministro Guido Mantega é um Robin Hood às avessas, pois tira dos pobres para dar aos ricos” LUIZ HENRIQUE FREIRE CESAR PESTANA / SÃO PAULO, SOBRE ATUAÇÃO DO BNDES cpestanadv@aasp.org.br

“Quando não há argumentos, a melhor defesa ainda é o ataque” MARIA DO CARMO ZAFFALON LEME CARDOSO / BAURU, SOBRE O EDITORIAL ‘O DESTEMPERO DO MINISTRO’ (23/7, A23) mdokrmo@hotmail.com

“Nada de novo, Mantega é apenas mais um petista” ARIOVALDO BATISTA / SÃO BERNARDO DO CAMPO, IDEM arioba06@hotmail.com

egundo o vice-presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Jorge Hereda, já em 2013 faltarão recursos para atender à demanda do crédito imobiliário. Advertência semelhante foi feita, na semana passada, pelos bancos privados, prevendo que até fins de 2012 a procura de financiamento superará a oferta em R$ 100 bilhões. Cerca de 450 mil unidades deverão ser financiadas, neste ano, pelos agentes do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), que operam com recursos das cadernetas de poupança. O montante dos créditos deverá superar R$ 50 bilhões – 50% a mais do que os R$ 34 bilhões financiados no ano passado. O principal agente financeiro do crédito imobiliário é a CEF, cujo balanço, no primeiro semestre, registrou um volume recorde de empréstimos de R$ 34,1 bilhões, incluindo os recursos do FGTS. Na segunda-feira, o governo anunciou o aumento de R$ 60 mil para R$ 75 mil do valor máximo dos imóveis construídos com base no Regime Especial de Tributação da Construção Civil (RET), em que é reduzida de 7% para 1% a tributação sobre as construtoras. Serão viabilizados mais empreendimentos destinados à população de baixa renda (até R$ 2.790,00 por mês), que poderão ser financiados pelo programa Minha Casa Minha Vida. O valor total dos subsídios diretos chega a R$ 23 mil por mutuário. No curto prazo, o objetivo do SBPE é atender à demanda:

S

entre 2001 e 2010, o número de imóveis financiados anualmente cresceu 10 vezes, de 35 mil para 350 mil unidades. Na CEF, o objetivo é aumentar a oferta de habitações populares – 542 mil contratos do programa Minha Casa Minha Vida foram feitos em 2009 e 2010, um número expressivo, embora abaixo da meta oficial de 1 milhão de moradias. No longo prazo, o propósito é aumentar a relação entre o crédito à casa própria e o PIB, de cerca de 3%, atualmente, para mais de 10% do PIB até 2015. Tanto os agentes privados como o governo consideram que

O volume de crédito imobiliário cresce mais rapidamente do que a captação das cadernetas a meta é alcançável, levando em conta que porcentuais ainda maiores são verificados em outros países – no México, a relação é de 11%, e na Espanha, 60% –, ainda abaixo dos 100% do PIB, como nos EUA. Os recursos das cadernetas de poupança serão insuficientes, pois crescem em ritmo inferior aos dos empréstimos – neste ano, até maio, os depósitos cresceram 4,5% e os empréstimos, 23%. No FGTS, cujas disponibilidades declaradas pela CEF são de R$ 100 bilhões, também não haverá recursos ilimitados para financiar a habitação popular, com forte subsídio, pois outras áreas, como a infraestrutura, também recebem créditos. Para atender à demanda pre-

vista de financiamento imobiliário, os bancos terão de lançar novos títulos no mercado – caso das Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e dos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs). No plano legal, está pronto o caminho para a securitização dos créditos imobiliários – ou seja, empréstimos de longo prazo lastreando títulos de médio prazo. Mas esse mercado ainda é muito limitado. São poucos os títulos emitidos pelas companhias securitizadoras, que adquirem os créditos dos bancos para, com base na garantia dos imóveis financiados, emitirem os CRIs. Os bancos preferem manter as operações em carteira, obrigados a cumprir as regras de direcionamentodoBancoCentral (no mínimo65%dacaptaçãodascadernetastemdeseraplicadaemcrédito imobiliário). Os CRIs, além disso, são papéis de valor elevado (R$ 300 mil), não servindo para a captação massificada. Há, afinal, um problema ainda maior – a taxa de juros brasileira, muito superior à vigente no exterior. Juros altos limitam o acesso de mutuários e podem estimular a inadimplência, se a economia perder força. O crédito imobiliário ainda pode crescer, com prudência, sem metas exageradas que ponham em risco o equilíbrio que tem marcado esse mercado no Brasil.Masessecrescimentopode ser comprometido no médio prazo pela falta de recursos. Nãoéassunto quepossaser simplesmente empurrado para mais tarde, sob pena de ameaçar a continuidade de um ciclo muito favorável à habitação.

Avenida Engenheiro Caetano Álvares, 55 6º andar, CEP 02598-900 Fax: (11) 3856-2920 E-mail: forum@grupoestado.com.br

VOCÊ NO ESTADÃO.COM.BR TEMA DO DIA

TOTAL DE COMENTÁRIOS NO PORTAL:

Mortas nas Ilhas Faroe mais de 120 baleias

1.982

Todos os anos, as baleias-piloto passam pela costa e são alvo de caça na província dinamarquesa ● “Os nórdicos estão entre os principais ambientalistas. Quando se trata do quintal alheio, são extremamente críticos.” JAIME CACILDO DE ARAÚJO

● “Há baleias que não estão em extinção e as autoridades regulam o abate. Para quem vive disso, extingui-las não é negócio.” ALEXANDRE MARTIN FRAGUGLIA

● “É simples desejar o fim dos faroenses por matarem bondosas baleias fofinhas. Mas ninguém nega um bom churrasco.” FERNANDO SOARES

As cartas devem ser enviadas com assinatura, identificação, endereço e telefone do remetente e poderão ser resumidas. O Estado se reserva o direito de selecioná-la para publicação. Correspondência sem identificação completa será desconsiderada. Central de atendimento ao leitor: 3856-5400 – falecom.estado@grupoestado.com.br Central de atendimento ao assinante Capital: 3959-8500 Demais localidades: 0800-014-77-20 www.assinante.estadao.com.br Classificados por telefone: 3855-2001 Vendas de assinaturas: Capital: 3950-9000 Demais localidades: 0800-014-9000 Central de atendimentos às agências de publicidade: 3856-2531 – cia@estado.com.br Preços venda avulsa: SP: R$ 2,50 (segunda a sábado) e R$ 4,00 (domingo). RJ, MG, PR, SC e DF: R$ 3,00 (segunda a sábado) e R$ 5,00 (domingo). ES, RS, GO, MT e MS: R$ 5,00 (segunda a sábado) e R$ 6,50 (domingo). BA, SE, PE, TO e AL: R$ 6,00 (segunda a sábado) e R$ 7,50 (domingo). AM, RR, CE, MA, PI, RN, PA, PB, AC e RO: R$ 6,50 (segunda a sábado) e R$ 8,00 (domingo) Preços assinaturas: De segunda a domingo – SP e Grande São Paulo – R$ 64,90/mês. Demais localidades e condições sob consulta.


A4 %HermesFileInfo:A-4:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Nacional Blog Radar Político @

Eleições

Ouça o jingle da campanha de Marta Suplicy que omite Aloizio Mercadante (estadao.com.br/e/jinglemarta) JOSÉ PATRICIO/AE

estadão.com.br

Sucessão. Levantamento com base em dados da Justiça Eleitoral de São Paulo, Minas, Rio e Espírito Santo mostra que dos 264 integrantes das Assembleias Estaduais que disputam as eleições deste ano 94 declararam patrimônio acima de R$ 1 milhão

Um terço dos deputados estaduais da Região Sudeste é milionário Alfredo Junqueira / RIO

Um terço dos deputados estaduais da Região Sudeste se declarou milionário à Justiça Eleitoral. Dos 264 parlamentares das Assembleias Legislativas de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo que neste ano vão mais uma vez disputar as eleições, 94 informaram que têm patrimônio superior a R$ 1 milhão. O levantamento feito pelo Estado em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra queafortunadosdeputadosintegrantesdoclubedo milhãosoma R$ 433,8 milhões. Alémdemilionários,asAssembleias do Sudeste também abrigam parlamentareseficientes na gestão de seus bens pessoais. Ainda de acordo com os dados entregues ao TSE, 75 deputados estaduais conseguiram mais que dobrar seu patrimônio num intervalo de quatro anos. Outros 18 deputados haviam apresentadocertidão debens zeradano registro de suas candidaturas em 2006eagoraapareceramcomvalores que oscilam entre R$ 43 mil e R$ 1,3 milhão. A Assembleia de Minas Gerais é a que tem o maior número de deputados milionários. Dos 77 que exercem mandato no Legislativo mineiro atualmente, 42 registraram patrimônio acima de R$ 1 milhão – 54,5% da bancada. São Paulo vem logo em seguida. A bancada dos milionários da Assembleia paulista conta com 35 integrantes. O número representa 37,2% do total de deputados. O Rio de Janeiro, com 14 de seus 70 parlamentares estaduais, e o Espírito Santo, com trêsdos seus30deputados, completam a lista de integrantes do clube do milhão. Entre os partidos, o PSDB é o que aparece com o maior número de representantes milionários. Os tucanos têm 22 deputadosestaduaisnoclube.Emseguida,vemo DEM,com 12representantes. O PMDB comparece com

BENS DECLARADOS l Deputados estaduais da Região Sudeste com patrimônio milionário

Número de parlamentos estaduais

4

Número de deputados estaduais

Total do patrimônio de todos os deputados estaduais da Região Sudeste

271

R$ 507,4 milhões

Brás Henrique ESPECIAL PARA O ESTADO BEBEDOURO

O candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, Geraldo Alckmin,fez uma caminhada inusitada ontem à tarde pelas rua do centro de Bebedouro, na região de Ribeirão Preto. Por cerca de meia hora ele entrou em lojas e cumprimentou eleitores tendo ao lado, entre aliados de sua coligação, dois candidatos a deputado estadual cujos nomes constam na primei-

Deputados

Antônio Genaro (PSC-MG)*

35

Tenta a reeleição

94

Milionários (37,2%)

R$ 88.687.736,02 *A assessoria do deputado alega que houve um erro de digitação e que seu patrimônio real é de R$ 2.159.405,49

Jayro Lessa (DEM-MG)

R$ 40.063.716,66 R$ 433,8 milhões

Tenta a reeleição

MINAS GERAIS

77

Deputados

42

Total da fortuna dos deputados que formam o grupo dos milionários

Milionários (54,5%)

Djalma Diniz (PPS-MG)

R$ 22.759.588,37 Tenta a reeleição

4º RIO DE JANEIRO

Antonio Salim Curiati (PP-SP)

R$ 19.191.250,18 Tenta a reeleição

70

Deputados

14

Milionários (20%)

94

ESPÍRITO SANTO

30

Deputados

3

Milionários (10%)

Disputa como 1º suplente ao Senado na chapa do Aécio Neves

6º Jorge Picciani (PMDB-RJ) 7º Braulio Braz (PTB-MG) 8º Sávio S. Cruz (PMDB-MG) 9º Graça Pereira (DEM-RJ) 10º Campos Machado (PTB-SP)

FONTE: TSE

11 milionários e o PV com 8. A lista é eclética. Quase todos os maiores partidos estão representados.AtéoPartidodoTrabalhadores(PT),oPartidoSocialista Brasileiro (PSB) e o Partido Popular Socialista (PPS) têm seus milionários. São quatro de-

● Pedágio

GERALDO ALCKMIN CANDIDATO AO GOVERNO DE SP

“O PT dizia isso lá no Rio Grande do Sul (que iria diminuir o preço dos pedágios), mas depois que ganhou a eleição não houve nenhuma redução”

ra lista da Lei da Ficha Limpa divulgadapelaProcuradoriaRegional Eleitoral: Uebe Rezeck (PMDB), de sua coligação, e Hélio Bastos (PDT), da chapa que apoia Aloizio Mercadante (PT). Ao ser questionado sobre a Leido FichaLimpa, Alckmindisse,numprimeiromomento,concordar. “Sou favorável, acho que é muito importante melhorar a política, assim como sou favorá-

Elmiro Nascimento (DEM-MG)

R$ 15.955.406,75

Número de parlamentares milionários (34,7%)

Fichas-sujas se juntam a Alckmin em caminhada Os candidatos a deputado estadual Uebe Rezeck (PMDB) e Hélio Bastos (PDT) constam em lista da Lei da Ficha Limpa

Líderes do ranking

SÃO PAULO

R$ 11.266.444,37 R$ 9.910.444,98 R$ 7.756.609,36 R$ 7.524.155,93 R$ 6.444.894,11 INFOGRÁFICO/AE

putadosestaduaispetistasregistrados no clube – segundo o TSE. O PSB também conta com quatro representantes e o PPS, com seis. Ranking. São de Minas Gerais os três deputados que lideram o

vel à reforma política, com voto distrital”, afirmou. Na saída para Avaré, porém, ao ser indagado sobre os dois candidatos fichas-sujas em sua comitiva, esquivou-se: “Isso é umtemaqueaJustiçavaiesclarecer, é questão de semanas.” Minutos depois, ao sair de um café, o, Bastos se aproximou e o cumprimentou, com Rezeck ao lado. Ex-prefeitode Barretos,Rezeckconcorreà reeleiçãoparaaAssembleia. Bastos foi três vezes prefeito de Bebedouro e tenta agora a Assembleia. “O Geraldo é meu amigo pessoal”, disse, justificando sua presença ali, já que está com Mercadante. Outro estranho no ninho era o prefeitoda cidade, João Batista Bianchini (PV), suspeito de contrataçõesirregulares pelaPrefeitura e que pode ser cassado pela Câmara. Orestes Quércia (PMDB), candidato ao Senado, também estava na comitiva. Sobreacampanha nacional de José Serra, Alckmin mostrou-se otimista. “Está indo bem. É disputado, mas o Serra está com conteúdo”, afirmou, acrescentando: “O Lula não é candidato, é uma grande diferença, e vamos chegar lá.”

ranking no clube do milhão. AntônioGenaro(PSC)éoqueapresenta o maior patrimônio entre todos os parlamentares estaduais do Sudeste – de acordo com o TSE. Sua declaração de bens soma R$ 88,7 milhões. Em seguida, vem Jayro Lessa

(DEM), com R$ 40 milhões, e Djalma Diniz (PPS), com R$ 22,7 milhões. Em suas fichas cadastradas no TSE, Lessa e Diniz informam que são empresários. Genaro se registrou como deputado. A assessoria do parlamentar

que lidera o ranking do clube do milhão alegou que houve um erro de digitação de valores na ficha do deputado. De acordo com Rubens Almeida Junior, que é assessor de gabinete de Genaro, o partido foi o responsávelpelo“preenchimentoequivocado”da fichadoparlamentar. Segundo ele, o valor total dos bens do deputado é de R$ 2,16 milhões. Na avaliação de Roberto Romano,professordeÉticaePolíticado Departamento de Filosofia da Universidade de Campinas (Unicamp), é preciso avaliar cada caso, mas muitas vezes a evolução patrimonial é evidência de corrupção. “Emmuitoscasos,osintegrantes dessa lista não são servidores da sociedade e do Estado. Mas se servem da sociedade e do Estado. É claro que é preciso ver cada caso, para não ser injusto”, afirmou Romano. “Você tem banqueiros,médicos,industriais,entre outros, que já têm condição de estabelecer patrimônio independente da atividade política. Mas é preciso ter um olhar atento para aqueles casos de pessoas queenriquecemapartirdapolítica. Quando a política serve como uma escada de elevação social é bem provável que haja corrupção.” Mais pobres. O levantamento

ainda mostra casos interessantesdepolíticosque“empobreceram” nos últimos quatro anos. Os dados do TSE mostram que 49 deputados estaduais da RegiãoSudesteapresentaramredução de patrimônio na comparação entre as certidões entregues em 2006 e as deste ano. Os casos mais críticos são de dois deputados do Rio de Janeiro. Anabal (PHS) caiu de R$ 818,67 mil de patrimônio em 2006 para zero este ano. Geraldo Moreira (PTN) também informou à Justiça Eleitoral que não tem mais bens. Em 2006, o parlamentar havia apresentado certidão com R$ 394,9 mil de patrimônio.

Jingle de Duda para Marta ignora estratégia do PT e abre crise Peça cita Lula e Dilma, omite Mercadante e convida eleitor a votar na ex-prefeita ‘seja qual for seu lado’ Malu Delgado

Convidado a comandar a área de marketing da campanha de Marta Suplicy (PT) ao Senado, o publicitário Duda Mendonça produziu um jingle para a disputa eleitoral que provocou a irritação em segmentos do partido e abriu uma crise política. No jingle, o eleitor é convidado a votar em Marta “seja qual for seu lado” e “seja qual for a razão”. Para dirigentes petistas, a estratégia aniquila o discurso plebiscitário que o PT sustenta nacionalmente e em especial em São Paulo, com objetivo de contrapor o projeto de Lula ao dos

tucanos para o Estado e o País. Além disso, a letra do jingle associa a imagem da ex-prefeita ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva e à candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, omitindo a candidatura de Aloizio Mercadante (PT) ao governo. O jingle foi postado nesta semana na página de Marta Suplicy e é feito em parceria com Peri, que já produziu com o marqueteiro jingles da campanha presidencial de Lula em 2002. Apesar da polêmica política, a qualidadetécnicadapeçafoibastante elogiada por petistas. Uma das partes polêmicas do jingle é a que cita as estrelas nacionais petistas: “Com Lula, com Dilma, e Marta no Senado, os três jogando juntos, todos os três do mesmo lado. São Paulo mais forte, é isso que a gente quer. Agora, no Senado, quero a voz de uma mulher.” A escolha de Duda para inte-

grar a campanha partiu da própria Marta. As peças publicitárias da campanha de Mercadante e do também candidato ao Senado Netinho de Paula (PC do B) estão sendo coordenadas por Augusto Fonseca, que já havia feitoacampanhavitoriosa dapetista à Prefeitura de São Paulo em2000. A campanha de Mercadante alertou Marta sobre riscos de haver diferenças de linguagem entre os programas de TV. Hábil, Duda trabalha subliminarmente para minimizar o alto índicede rejeição de Martaetenta ampliar o teto eleitoral da petista. Isso, segundo dirigentes do partido, explicaria a tentativa depedirvotosparaoeleitorindependentemente “do seu lado”. Empesquisasjápublicadas sobre a disputa ao Senado em São Paulo, Marta lidera a disputa. Nesta semana, Mercadante voltou a afirmar que “esgotou o período do PSDB” em São Paulo.


%HermesFileInfo:A-5:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

Sテ。ADO, 24 DE JULHO DE 2010

Nacional A5


A6 Nacional %HermesFileInfo:A-6:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Eleições

}

“Sérgio Cabral recusa debates e põe o Rio na lanterna da democracia”

TECNOLOGIA

1 milhão

Fernando Gabeira (PV) CANDIDATO AO GOVERNO DO RIO, SOBRE O ATUAL TITULAR

de eleitores serão identificados pela impressão digital nas eleições de outubro

DO CARGO, QUE TENTA A REELEIÇÃO E LIDERA AS PESQUISAS MARCOS DE PAULA/AE

Marina critica rivais por recusa a debate Para candidata do PV, Serra e Dilma ajudam a promover ‘empobrecimento da democracia’ ao desistir de confronto previsto para segunda TIAGO QUEIROZ/AE

Roldão Arruda

A senadora Marina Silva, candidata do PV à Presidência, criticou os concorrentes José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) por terem se recusado a participar do primeiro debate online entre os presidenciáveis, que ocorreria na segundafeira. Segundo Marina, a desistência dos dois empobrece a democracia. “A recusa ao confronto de ideias é promover o empobrecimento da democracia pela qual tanto lutamos, inclusive Dilma e Serra”, atacou a senadora, em nota distribuída por sua assessoria logo após ela ter sido informada do cancelamento do debate, na quinta-feira à noite. “Como se não bastasse terem reduzido o leque das candidaturas e das propostas com a exclusão de Ciro Gomes do processo eleitoral, agora querem inibir o próprio eleitor de conhecer, por meio dos debates, as visões, as propostas e as trajetórias dos candidatos à Presidência da República”, prosseguiu a candidata do PV. “Querem criar no Brasil o anonimato eleitoral, em queo anônimo passa a ser o cidadão brasileiro, privado de ter acesso sobre o que cada candidato pensa para o País.” Disposição. Ao fim da nota, a senadora disse que, em respeito ao eleitor, está disposta a participar de todos os fóruns que ajudem a esclarecê-lo sobre os candidatos e suas propostas. Tam-

● Rouquidão

AGENDA ●

Com frequentes problemas de rouquidão e perda da voz, Marina Silva passou a frequentar, duas vezes por semana, quando está em São Paulo, o consultório de uma fonoaudióloga.

Dilma Rousseff

Reúne-se em Brasília com líderes de cultos evangélicos. Receberá o apoio do chefe da Assembleia de Deus. Da reunião participarão também representantes do Sara Nossa Terra e da Universal, entre outros. ●

José Serra

Faz carreatas, caminhadas e reuniões com eleitores em Paranavaí, Alto Paraná, Nova Esperança e Maringá, ao lado do candidato ao governo paranaense, Beto Richa. ●

Marina Silva

Às 9 horas toma café da manhã com Pedro Pongelupe, idealizador do movimento realizado neste semana no twitter com o intuito de aumentar o número de seguidores da candidata. O encontro ocorre na Praça Benedito Calixto, no bairro de Pinheiros, em São Paulo. Em seguida participa de caminhada pela feira que acontece na praça aos sábados. À tarde participa de gravações para TV. No ataque. Marina: ‘Querem criar no Brasil o anonimato eleitoral, em que o anônimo passa a ser o cidadão’ bém afirmou que se submeteria a uma sabatina na segunda-feira, caso os organizadores do evento desejassem. O debate, organizado pelos portais iG, MSN, Terra e Yahoo!, foi cancelado na noite de quinta-feira, após Serra ter anunciado que não participaria.

Foi a segunda desistência: Dilma já havia anunciado na terçafeira que não iria. Segundo os organizadores, tanto Serra quanto Dilma haviam concordado anteriormente em participar. A assessoria da candidata do PT disse que ela desistiu após a data do debate

ter sido mudada sem nenhuma consulta ao comitê de campanha. Ontem, em Florianópolis, Serra afirmou que sua decisão foi motivada por um “problema sério”. A única que se manteve interessada no debate foi Marina, que está situada em terceiro lu-

gar nas pesquisas eleitorais, com menos de 10% das intenções de voto e bem atrás dos adversários Dilma e Serra. Estratégia. A candidata do PV tem defendido a realização de debates desde o início da movimentação eleitoral. Essa dispo-

sição está ligada ao tempo de TV de que ela dispõe no horário da propaganda gratuita que começa no dia 17. É pouco mais de um minuto, contra 10 minutos de Dilma e 7 de Serra. A vantagem dos debates é que os três sempre têm o mesmo tempo para falar.


%HermesFileInfo:A-7:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

Eleições

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

}

Nacional A7

Discurso afinado @

Hélio Costa (PMDB)

Candidatos cuidam da voz para enfrentar a maratona eleitoral (estadao.com.br/e/cuidados)

O candidato ao governo de Minas sugeriu que o Estado participe de forma mais ativa na guerra fiscal CELSO JUNIOR/AE

GUTO KUERTEN/AG RBS

PT se vale de avanços que combateu, diz Serra Tucano lembra que petistas foram contra Plano Real, contra a Lei Fiscal, contra o Proer, mas governaram com esses instrumentos Evandro Fadel ENVIADO ESPECIAL/ BLUMENAU

Júlio Castro ESPECIAL PARA O ESTADO FLORIANÓPOLIS

O candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, disse ontem, em Blumenau, que o PT foi contrário a muitos dos avanços ocorridos nos últimos 25 anos no País, mas aproveitou-se eleitoralmente deles e governou com os benefícios que se seguiram. De acordo com o tucano, a alternância no poder, embora não seja necessária dentro da democracia, neste momento se torna importante no governo federal. “Para revitalizar a ação do poder público, para criar ‘bala’ que sustenteocrescimentoeodesenvolvimento, para eliminar este loteamento na máquina pública e para avançar na saúde, na segurança e na educação”, acentuou. Serra destacou que os avanços no Brasil começaram com a elei-

ção de Tancredo Neves e seguiuse na nova Constituição, que “ajudou a desenvolver a democracia de massa”. O presidenciável ressaltou também a mudança tributária e falou da criação do Sistema ÚnicodeSaúde(SUS),“queéimportanteesódependedebomgovernoparafuncionarbem”.Deacordo com ele, também foi importantes no processo a estabilizaçãoda inflação eaLei de Responsabilidade Fiscal. Ao Programa de Recuperação do Sistema Financeiro (Proer) ele dedicou palavras à parte. “Na época foi impopular, depois foi promovido como exemplo para ● Duplicação

da BR-470

José Serra seguiu para Blumenau, onde fez caminhada no centro da cidade e prometeu duplicar a BR-470. “A duplicação da BR-470 não é uma promessa, é um anúncio oficial”, afirmou.

PSDB pede apuração sobre reunião entre Dilma e Lina Vieira BRASÍLIA

O PSDB anunciou ontem ter pedidoàProcuradoria-GeraldaRe-

pública que apure informação de um ex-funcionário do Palácio do Planalto segundo quem, em 2008, a então ministra da Casa

o mundo pelo Lula”, afirmou. Segundo Serra, o Proer impediu a quebradeira bancária e salvou o Brasil de uma crise feia, “Eles (governo federal) não votaramnoTancredo,nãohomologaram,porassimdizer,aConstituição, foram contra o Plano Real, contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, contra o Fundef, contra o Proer, mas chegaram ao governo e governaram com esses instrumentos.” Falando para uma plateia exclusivamentede militantestucanos, Serra conclamou-os ao trabalho comparando a campanha ao vento. “Tem que soprar na campanha para criar a ventania da vitória”, pediu.. Antesdoencontrocomosmilitantes,ocandidatofezumacaminhada no centro de Blumenau e, depois, visitou a 17.ª Festa ItalianadeSantaCatarina,naVilaGermânica.

Pescado. Serra observa peixe em box do Mercado Público de Florianópolis: endereço popular

Produção. Durante encontro com cerca de 500 empresários

na sede da Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc), nacapitalcatarinense,ocandidato tucano criticou o “apagão na infraestrutura” e reafirmou que, se eleito, vai focar seu governo na produção para fortalecer a economia. Para ele, os “indicativos da desindustrialização precisarão ser combatidoscom políticadevalorização dos produtos e mercado e na definição de uma nova ordem tributária. “O Brasil precisa ser nivelado por cima. É o país que tem a menor taxa de investimento gover-

namentalevempecandopelafalta de prioridade de investimentos,mostrando-seincapazdetrazer o setor público privado para o desenvolvimento de sua estrutura”, afirmou. Sobre uma reforma tributária, dissequesetratadeumanecessidade e que ela não necessariamente precisará ser feita como um “carroção”. O candidato disseainda queoatualgovernonunca teve um projeto e que as mudanças na legislação tributária precisarão ser feitas. “Vamos adotar a tática da guerra. Atacar o inimigo aos poucos. Atuar com

a razão, pois nada se resolve como um rolo compressor.” Serra atacou as deficiências em infraestrutura citando como exemplo a situação dos portos. Acrescentou que as condições dos aeroportos, cada vez mais congestionados,pioramcomfalta de estrutura. Depois da Fiesc, o tucano seguiu para o centro da cidade, onde caminhou nas imediações do Mercado Público, um dos pontosmaispopularesde Florianópolis. De lá foi participar de um painel de debates promovido pelo Grupo RBS.

Civil Dilma Rousseff teria se reunido com a secretária da Receita Federal Lina Vieira. Segundo o PSDB, no encontro teria sido discutida uma investigação da Receita sobre a família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Lina disse no passado que foi pressionada

para acabar com as apurações. Mas Dilma afirmou que o encontro não ocorreu. Em entrevista recente à revista Veja, o técnico de informática Demétrius Felinto disse que há imagensquecomprovariamoencontro,comdata, horaelocal. De acordocomele,oGabinetedeSe-

gurança Institucional teria escondido as imagens. Na representação, o partido pede que sejam apurados “eventuais atos de improbidade administrativa a envolver a Presidência”.“Semfalar no envolvimento da ex-ministra Dilma Rousseff no episódio de interferência de

naturezafiscal”,ressaltouopartido na representação. Paraesclarecerosfatos,segundo a representação, o Ministério Público deve requisitar os procedimentos adotados pelo GSI, bemcomodocumentoscomprovando a “suposta destruição das imagens”. / MARIÂNGELA GALLUCCI


A8 Nacional %HermesFileInfo:A-8:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Eleições

}

Mato Grosso

“Todos os candidatos da base estarão no palanque de Dilma”

O comerciante Juarez Leandro da Silva, candidato a deputado estadual, terá de comprovar que é alfabetizado. Em sua candidatura registrada no TRE consta que ele é analfabeto. Segundo ele, houve um erro no registro

Deputada Fátima Bezerra (PT-RN) COORDENADORA DA CAMPANHA PETISTA, SOBRE OS 12 PARTIDOS DA BASE ALIADA NO ESTADO BETO BARATA/AE-9/4/2007 PAULO LIEBERT/AE

Lula: ‘Nem Serra acredita na ligação do PT com Farc’ Em Caetés, presidente diz lamentar que tucano, ‘que já foi vítima de mentiras e leviandades’, use esse instrumento para atacar partido Angela Lacerda ENVIADA ESPECIAL / CAETÉS

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que nem o candidato José Serra (PSDB) acredita na ligação do PT com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). “É bobagem”, afirmou Lula, durante visita a Caetés (PE), sua cidade natal. “As pessoas podem não gostar do PT, ter divergências com o PT, mas achar que o PT tem ligação com as Farc é não conhecer sequer a história do Foro de São Paulo, que coordenamos por mais de dez anos e as Farc nunca tiveram participação.” O presidente fez referência ao foro criado em1990 por iniciativa do próprio Lula, após um encontro com o então presidente cubano Fidel Castro, que falou da necessidade de promover encontros departidose organizações deesquerda na América Latina. Lula afirmou que lamenta as declarações de Serra. “Lamento. Um homem que tem o passado que Serra tem e que foi muitas

Dilma é punida pelo TSE com mais uma multa ● Mais uma multa foi aplicada

ontem pelo TSE à candidata Dilma Rousseff. Desta vez ela divide o valor de R$ 2 mil com o candidato a vice, Michel Temer, e a coligação que a apoia. O motivo foi um painel de 575 metros quadrados em via pública com a imagem dela e do presidente Lula e o no-

Pronta. ‘Dilma está no ponto’, afirmou Lula, referindo-se à candidata petista à sua sucessão vezesvítimadementiraseleviandades esteja utilizando instrumento de que já foi vítima para atacar o PT.” Ao falar da sucessão presidencial, Lula disse a candidata do PT, a ex-ministra Dilma Rousseff, “está muito mais preparada”. “Dilma está no ponto”, afirmou. Localizada a 252 km de Recife (PE), Caetés tem 26 mil habitantes. A moradora Marina Vieira Pereira da Silva refere-se ao pre-

Igrejas evangélicas anunciam hoje apoio à candidata do PT João Domingos / BRASÍLIA

Confiantes de que qualquer decisão sobre a legalização do aborto e do casamento de pessoas do mesmo sexo só será tomada pelo Congresso – conforme promessa feita por coordenadores da campanha de Dilma

Rousseff – dirigentes de 15 igrejas evangélicas anunciam hoje apoio à candidatura da petista. À frente do movimento está o deputado Manuel Francisco (PR), que é bispo e também presidente da Convenção Nacional da Assembleia de Deus do Ministério Madureira e presidente do

Vox Populi dá 8 pontos de vantagem a Dilma sobre Serra Pesquisa indica que candidata petista conta com 41% das intenções de voto, tucano tem 33% e Marina Silva, 8% Daniel Bramatti

A petista Dilma Rousseff lidera a corrida presidencial com oito pontos de vantagem sobre o tucano José Serra, segundo pesquisa do instituto Vox Populi divulgada ontem pelo Jornal da Band e pelo portal de internet iG. Dilma tem 41% das intenções de voto, e Serra, 33%. Marina Sil-

me da coligação. A procuradoriageral eleitoral alegou que o painel viola a Lei Eleitoral, que proíbe a veiculação de propaganda por meio de faixas, placas, pinturas ou inscrições que excedam a 4 metros quadrados. O ministro do TSE Joelson Dias disse que o espírito da lei é inequívoco ao proibir propaganda em tamanho acima do permitido. A defesa justificou que o painel era móvel e transitório. Mas a lei, disse o ministro, não faz distinção sobre o tipo de painel. / ROSANA DE CASSIA

va, do PV, aparece com 8%. José Maria Eymael, do PSDC, foi o único“nanico”apontuar napesquisa, com 1% das menções dos entrevistados. Com isso, os adversários da petista, somados, têm 42% das preferências dos eleitores. Para que um candidato vença já no primeiro turno, precisa ter mais votos do que a soma dos concorrentes. Em relação ao levantamento anterior do Vox Populi, divulgado no fim de junho, Dilma oscilouum pontoporcentualparacima,eSerra, dois pontos parabaixo. Marina se manteve estável. Confronto direto. Em um even-

sidente como “pai Lula”. “Para a gente,Lulaétudo”,ressaltouMaria Vicente Ferreira, de 76 anos. “Aqui estamos com Dilma.” O presidente foi ovacionado quandodissequeadotou“ocritério Lula” para incluir Caetés no programa “um computador por aluno”. Foi a primeira vez que ele foi a o município do agreste pernambucano desde que assumiu a Presidência, em janeiro de 2003.Aúltimavisitahaviaocorri-

do em novembro de 2002 como presidente eleito. Lula e o ministro da Educação, Fernando Haddad, fizeram a entrega simbólica de 20 computadores para quatro escolas públicas de Caetés. O projeto prevê a entrega de 150 mil computadores para 300 cidades brasileiras. O presidente ficou emocionado durante discurso de uma aluna beneficiada pelo programa. DamiresRaquelLopesdissequeLu-

Conselho Nacional dos Pastores do Brasil. A Assembleia de Deus é a igreja da candidata Marina Silva, do PV, mas Manuel Francisco optou por apoiar a petista. A ala do Ministério Madureira tem cerca de 2 milhões de fiéis. Dilma recebe o apoio das lideranças evangélicas num momento em que está envolvida numa polêmica com a Igreja Católica. O bispo de Guarulhos, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, publi-

cou na página virtual da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) um pedido de boicote à candidata, sob o argumento de que ela seria favorável à descriminalização do aborto. Entre as igrejas que anunciarão apoio a Dilma estão ainda a Universal do Reino de Deus (do bispoEdir Macedo)e a Sara Nossa Terra (do jogador Kaká e dos bispos Estevam e Sônia Hernandes, presos nos Estados Unidos em 2007).

presentantes do PT e do PSDB, a ex-ministra da Casa Civil venceria com 46% a 38%. Em junho, ela aparecia com quatro pontos de vantagem na simulação de confronto direto. Napesquisaespontânea,aquelaemqueos entrevistadosmanifestam sua preferência antes de ler a lista de candidatos, Dilma também está à frente de Serra, com 28% a 21%. Apesar de não ser candidato, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi citado espontaneamente por 4% dos entrevistados. O levantamento do Vox Populi é o primeiro a indicar a liderança da presidenciável petista entre as mulheres. Nesse segmen-

to, ela tem 38%, contra 32% de Serra. Entre o eleitorado masculino, a vantagem de Dilma é maior: 43% a 34%.

● Dados técnicos

O Vox Populi ouviu 3 mil eleitores entre os dias 17 e 20 de julho. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o número 19.920/10

tual segundo turno entre os re-

QUESTÃO AGRÁRIA

PARAÍBA

Sem-terra ocupam sede do Incra no Ceará Entidade terá de pagar indenização a juiz para cobrar pagamento de professores A Associação dos Magistrados O prédio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), de Fortaleza, foi invadido ontem por cerca de 500 integrantes do Movimento dos Sem-Terra (MST). Eles cobram a liberação do pagamento dos professores do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). Esta é a terceira vez que a sede cearense do Incra é ocupada pelo MST. Segundo a coordenadora do MST

no Ceará, Maria de Jesus dos Santos, o prédio ficará ocupado até que a pauta de reivindicação seja atendida. “Há mais de 11 meses, os educadores estão sem receber pagamento”, afirmou. O Pronera é um projeto do governo que tem por objetivo ampliar os níveis de escolarização formal dos trabalhadores rurais assentados. No Ceará, segundo o MST, são 40 educadores que estão sem receber.

da Paraíba foi condenada a indenizar em R$ 15 mil o desembargador do Tribunal de Justiça Márcio Murilo da Cunha Ramos. A 1.ª Câmara Cível do TJ concluiu que Ramos sofreu dano moral pela divulgação, no site da entidade, de notícia incorreta. A reportagem, publicada em um jornal paraibano, dizia que Ramos havia sido afastado de suas funções pelo Conselho Nacional de Justiça.

Cruzamentos. Na divisão geo-

gráfica,o Nordestevoltaaaparecer como o principal reduto da candidata: ela vence o tucano por 54% a 24% na região. No Sul, o ex-governador de São Paulo está na frente, com 39% contra 35%, mas sua vantagem caiu de 11 para 4 pontos porcentuais desde o fim de junho. Na Região Sudeste, Serra tem 36%eDilma34%,oquecaracteriza um empate técnico – situação já havia sido captada pelo Vox Populi na pesquisa anterior (37% a 34%). O representante do PSDB na disputa presidencial tem o maior índice de rejeição entre os principais candidatos: 24% dos eleitoresdeclararamque nãovotariam nele de jeito nenhum. Em relação à candidata do PT. 17% dos entrevistados deram a mesma resposta.

SÃO PAULO

Greve na Justiça atinge 30%, diz OAB A OAB-SP calcula que, em média, 30% dos funcionários da Justiça do Estado aderiram à greve do Judiciário. O apoio é maior, segundo a OAB, em Dracena, onde os grevistas chegam a 90%. Em Piracicaba, a taxa de adesão chega a 70%. Santos aparece com 40% dos servidores afastados do trabalho. No Fórum João Mendes, em São Paulo, o total de faltosos não chega a 20% do pessoal.

la era um exemplo vivo e a prova de que ela conseguiria ir além de seus limites. Lula reuniu-se com 50 parentes que moram na região. O encontro foi animado pelo cantador Mourinha do Forró, que tocou a música O Menino que Virou Presidente, de sua autoria. Caravanas. Antes da escala em

Pernambuco, Lula visitou pela manhã Feira de Santana (BA), onde disse ter vontade de retomar as caravanas pelo do Brasil e de expandir as viagens à África e à América Latina. “Vou deixar a Presidência daqui acinco meses, mas vou continuar viajando pelo País,voucontinuarfazendocaravana”, afirmou. “Também quero passar o que aprendemos aqui para o continente africano, porque devemos muito à África.” Lula destacou a necessidade de ajudar também a América Latina a se desenvolver. “Quero levar os ensinamentos que aprendi para outras pessoas mais ca-

rentes que a gente”, declarou. Lula discursou para cerca de 3.500 pessoas, na abertura do 2º Congresso da Agricultura Familiar, promovido pela Federação Nacional dos Trabalhadores e TrabalhadorasnaAgriculturaFamiliar do Brasil (Fetraf-Brasil/ CUT). No evento, prometeu que até o fim do mandato o País vai ter acumulado 14,5 milhões de novos empregados com carteira assinada em seu governo. Opresidenteparticipou daentrega de 440 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida no bairro periférico de Conceição. Ali, garantiu que seu governo vai cumprir a promessa de contratar a construção de 1 milhão de casas do projeto até o fim do ano. E assegurou que o programa Minha Casa, Minha Vida 2 abrangerá 2 milhões de imóveis. De Feira de Santana, Lula voltou, de helicóptero, para Salvador, de onde embarcou para Garanhuns (PE). / COLABOROU TIAGO DÉCIMO

PT entrega resposta para divulgação em site tucano Denise Madueño BRASÍLIA

No direitoderesposta quedivulgará por dez dias no site “MobilizaPSDB”, oPT vaidizer que condena o terrorismo e rejeita a violência contra qualquer cidadão, no Brasil ou fora do País”. O partido tentará entregar o texto hoje ao PSDB, para que apareça na primeira página do site. O direito de resposta foi autorizado pelo TSE após as declarações do deputado Índio da Costa (DEM), candidato a vice de José Serra, segundo as quais o PT seria ligado às Forças Armadas Revolucionárias (Farc) e ao narcotráfico. “Não tenho dúvida disso”, acrescentou ele. “O PT condena o terrorismo e rejeita a violência política contra

‘Estado’ está sob censura há 358 dias Desdeo dia 29 de janeiro, o Estado aguarda uma definição judicialsobre o processo que o impede de divulgar informações a respeito da Operação Boi Barrica, pela qual a Polícia Federal investigou a atuação do empresário Fernando Sarney. A pedido do empresário, que é filho do presidente do Senado, José Sar-

qualquercidadão,noBrasilouforadopaís. OPT,por meiodesuas administrações municipais, governosestaduais e, especialmente, na Presidência da República, combate com firmeza a violência, o tráfico de drogas e o crime organizado, onde quer que ele se manifeste”, diz o texto do PT. O direito de resposta não cita o nome da candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff – coisa que ocorreu em uma primeira versão, que o ministro Henrique Neves vetou. O advogado do PT, Márcio Silva, reconheceu que a referência à candidata sobrava no texto e o partidooalterou.Otextoaprovado ontem diz ainda que “em nenhumoutrogovernoaPolíciaFederal atuou com tanta eficácia contra o crime organizado”.

ney (PMDB-AP), o jornal foi proibido pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ-DF) em 31 de julho do ano passado de noticiar fatos relativos à operação da Polícia Federal. No dia 18 de dezembro, Fernando Sarney entrou com pedido de desistência da ação contra o Estado. Mas o jornal não aceitou o arquivamento do caso. No dia 29 de janeiro, o advogado Manuel Alceu Affonso Ferreira apresentou ao TJ-DF manifestação em que sustenta a preferência do jornal pelo prosseguimento da ação, para que o mérito seja julgado.


%HermesFileInfo:A-9:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

Eleições

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

}

Estrutura

MULHERES NA DISPUTA

21%

dos 21.672 candidaturas registradas no Tribunal Superior Eleitoral são de mulheres

2.900

candidatas vão concorrer a uma vaga nas Assembleias Legislativas dos Estados

18

Nacional A9

dos 168 candidatos que concorrem ao cargo de governador são mulheres

O TSE autorizou crédito extra de R$ 10,9 milhões para os TREs realizarem as eleições gerais

Analista do Fisco pode depor na Câmara Deputado pede convocação de Antônia para falar na Comissão de Segurança Pública sobre motivação para violação dos dados de tucano Vannildo Mendes Renato Andrade BRASÍLIA.

O deputado federal Raul Jungmann (PPS-PE) pediu ontem a convocação da analista Antônia Aparecida Rodrigues dos Santos Neves Silva, lotada na Delegacia da Receita Federal em Mauá, no ABC paulista, paradepor na ComissãodeSegurança Pública da Câmara, sobre a motivação para a suposta violação dos dados fiscais do dirigente tucano. Antoniafoiidentificada,eminvestigação preliminar da Receita, como a funcionária que acessou irregularmente os dados fiscais do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge Caldas – depoisrepassados àequipe decampanhadacandidatadoPTàPresidência, Dilma Rousseff. O vice-presidente tucano entrou também ontem, na Justiça Federal, com mandado de segurança,compedidodeliminar,para ter acesso imediato à investigaçãoemqueaReceitaapura responsabilidades pela violação do seu sigilo fiscal. Na petição, protocolada pela advogada Ana Luísa Rabelo Pereira, Eduardo Jorge alega que, além de permitir o vazamento dos seus dados fiscais, a Receita estaria cerceando seus direitos enquanto vítima e maior interessado no caso. Demora. Eduardo Jorge disse ter pedido explicações pelas vias administrativas normais, desde 28 de junho, mas teve seus pedi-

dos negados. “Como vítima, eu tenho direito a pleno conhecimentodessainvestigação”, argumentou. SindicânciadaReceita,realizadaem junho,apurouque seusdadosfiscais foram alvo de “cincoa seis acessos” em 2008 e 2009 – um deles “imotivado”, isto é, sem justificativa. Um processo administrativo, aberto em 1˚ de julho pela corregedoria da instituição, apura as responsabilidades. A investigação aponta que o acesso partiu da senha de Antonia.Elaétambémaprincipalsuspeita pelo vazamento dos dados para a equipe de Dilma. Os acessos, conforme apurou a sindicância, partiram das senhas de três pessoas da Receita: um auditor, que cumpria apuração de rotina, a analista Antônia e a própria corregedoria, que acessou os dados depois de a denúncia do vazamento ter vindo a público, em junho. Antônia foi afastada do cargo em julho, pouco depois da instauração do processo administrativo.

TASSO MARCELO/AE

Principal interessado. ‘Como vítima, eu tenho direito a pleno conhecimento dessa investigação’, argumenta Eduardo Jorge

Vulnerabilidade. Os mecanis-

mosde controle daReceita sobre o acesso ao banco de dados dos contribuintes garantem identificação imediata da informação consultada e do responsável. Mas o grau de detalhamento é complexo, o que permite a grande número grande de servidores aliberdade de fazer consultas sobre um mesmo grupo de dados. Ousodesenhapessoalecertificação digital é obrigatório para todos os funcionários da Receita.

Sindicato de analistas tributários quer Receita sob controle externo OSindiReceita,SindicatoNacional da Carreira de Auditoria da Receita,defendeuontemcontrole externo para a Receita. “A sequência de escândalose as novas suspeitasdecrimes,comooacesso imotivado a dados de contri-

buintes e o vazamento de informações fiscais e de procedimentos administrativos disciplinares, reforçam a necessidade de adoção de um mecanismo de controle externo para a Receita”, declarou Hélio Bernardes,

presidente da entidade. Bernardes afirma que nos últimos anos a Receita “passou a dar sinais seguidos de descontrole administrativo,perda deeficiência”. Ele põe em dúvida a capacidade de apuração no caso do vazamentodonomedaanalistaAntonia Aparecida Neves, suspeita de violar o sigilo fiscal de Eduardo Jorge. “Para uma apuração dessenívelénecessário apartici-

pação deum órgão técnico como a Polícia Federal.” “Ovazamentodo nomedaservidora configura desvio de conduta”, diz o sindicalista. “É melhor tornar público todo o processo de apuração, inclusive com a divulgação dos nomes dos outrossuspeitoseodetalhamentodosacessosmotivadoseimotivados aos dados de Eduardo Jorge.” / FAUSTO MACEDO


A10 Nacional %HermesFileInfo:A-10:20100724:

Eleições

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

}

“O governador só pensa na área econômica, mas esquece das políticas públicas sociais”

Twitter Marina Silva vai se encontrar hoje com organizador do seu tuitaço (@politica_estado)

Ronaldo Lessa (PDT) CANDIDATO AO GOVERNO DE ALAGOAS CRITICANDO O ADVERSÁRIO TUCANO, CANDIDATO À REELEIÇÃO, TEOTÔNIO VILELA FILHO DIDA SAMPAIO/AE VALDENIR REZENDE/CORREIO DO ESTADO – 22/7/2010

Em B.O., eleitor passa de agredido a agressor Rapaz que levou tapa do governador recorre à OAB contra pressão sofrida na delegacia João Naves de Oliveira

● Coerção

ESPECIAL PARA O ESTADO CAMPO GRANDE

A vida do montador de acessórios de automóveis Rodrigo Campos Roque, de 23 anos, ficou “muito complicada” depois de ter sido agredido pelo governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), na quarta-feira. Puccinellidistribuía panfletos durantecaminhada,acompanhado de assessores, quando deu um tapa de mão aberta no rosto do rapaz. Rodrigo teria dito saberpelosjornais que“o governador é ladrão”. “Fuilevadopara a delegaciade pronto atendimento comunitário e obrigado a assinar um boletimdeocorrência policialpor injúria real contra o governador”, conta. Ele diz ter chegado ao local por volta das 20 horas e só ter sido liberado após assinar o documento, às 2 horas da manhã de quinta. Ontem, ainda com os si-

RODRIGO CAMPOS ROQUE MONTADOR DE ACESSÓRIOS

“Fui levado para a delegacia de pronto atendimento comunitário e obrigado a assinar um boletim de ocorrência policial por injúria real contra o governador.”

nais de algemas nos pulsos, o rapaz foi fazer exame de corpo de delito no Instituto de Medicina e Odontologia Legal. A iniciativa faz parte da luta que está travandopara registraraocorrênciacomovítima.“Ninguémestáconseguindo reverter o B.O.”, afirma. “Para a polícia eu sou um infrator e acabou.” Rodrigo passou o dia de ontem percorrendo gabinetes de autoridades policiais, ao lado de membros do Centro de Defesa dos Direitos Humano (CDHU). Foi atendido na OAB-MS, cujo

Em campanha. Governador Puccinelli durante a caminhada: “Vocês veem aí que os jornais só falam bem de mim.” presidente, Leonardo Duarte, achou “absurda” sua situação. No CDHU, o rapaz detalhou o episódio.Afirmouqueogovernadorlhedeuumpapeledisse:“Vocês veem aí que os jornais só falam bem de mim.” Rodrigo replicou: “Alguns jornais falam que o senhor rouba também.” Duarte enviou ofício à direção da Polícia Civil pedindo esclarecimentos. Assim que possível, vai acionar o Ministério Público Estadual para avaliar a questão. Rodrigoafirmaterváriastestemunhas de que apenas tentou se livrar da agressão. “Ele colocou uma das mãos sobre meu ombro direito e apertou muito. Senti umadormuitoforte,eogovernador me deu um tapão na cara.”

TRE mineiro manda PRB ficar com Hélio Costa ● O Tribunal Regional Eleitoral

(TRE) decidiu que o PRB do vicepresidente José Alencar ficará na coligação que tem o senador Hélio Costa (PMDB) como candidato ao governo de Minas. O PRB havia sido incluído nas coligações lideradas pelo PMDB/ PT e também pelo PSDB, do governador Antonio Anastasia, candidato à reeleição. A Executiva Nacional da legen-

da precisou intervir no diretório mineiro e determinou apoio à chapa encabeçada por Costa. Na convenção do diretório mineiro, no dia 27 de junho, a decisão fora pelo apoio a Anastasia. A intervenção causou racha no partido e a saída do presidente da legenda, Rogério Colombini. Os tucanos ignoraram a decisão da cúpula do PRB e, de posse da ata da reunião da Executiva Estadual, incluíram o PRB no registro da coligação no TRE. Minutos depois, os peemedebistas protocolaram outro documento, declarando a intervenção da Executiva Nacional e também incluindo o

partido na coligação. Ao analisar o caso, o juiz Ricardo Rabelo considerou que “restou inequívoca a vontade” do PRB de integrar a coligação Todos por Minas. Os advogados da coligação liderada pelo PSDB já informaram aque vão recorrer da decisão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Anastasia criticou a intervenção no diretório mineiro do PRB, o, que impediu o apoio do paartido à sua candidatura “Essas intervenções eu acho que acabam ferindo um pouco o espírito montanhês mineiro de liberdade e de autonomia.” / EDUARDO KATTAH

ONGs ajudam eleitor a ver quem financia candidato Principal dificuldade é que sistema só permite saber quem financiou campanhas após eleições, diz Gil Castelo Branco Moacir Assunção

Saber quem financiou a campanha de seu candidato pode ajudar a revelar muito do caráter e da atuação parlamentar dele. Com as campanhas caríssimas no Brasil, pretendentes a cargos públicosemtodososníveisprecisamdemuitosrecursose,muitas vezes, ficam nas mãos de “patrocinadores”aparentementedesinteressados, que – após o eleito o candidato – cobrarão a fatura do apoio na forma de obras e vitórias em licitações dirigidas. Algumas ONGs como a Contas Abertas (www.contasabertas.org.br) e a Transparência Brasil no site www.asclaras.org.br permitem fiscalizar quem financia os parti-

dos e candidatos, de acordo com dadosobrigatoriamenteregistrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e nos TREs. A principal fragilidade do processo, na opinião do coordenadordoContasAbertas,GilCastelo Branco, é que o sistema só permite descobrir quem financiou as campanhas após as eleições, o que dificulta bastante a fiscalização da sociedade. “O ideal seria que os partidos prestassem contas em tempo real dos patrocíniosegastosaindaduranteoprocessoeleitoral.Saberquemfinancia a campanha do candidato é uma informação absolutamente relevante para o eleitor”, afirmou. Castelo Branco defende a transparênciaabsolutaealimitaçãodegastosdecampanhas,definidaemlei,paragarantirumprocesso mais claro de fiscalização de contas eleitorais. Claudio Weber Abramo, que preside a Transparência Brasil, concorda que só a transparência possibilitaráqueasociedadepossasaberexatamentequemfinan-

cia quem durante as campanhas. “É importante para o eleitor ter consciência dos interesses que estão em jogo. Na verdade, esse é um dado fundamental para o voto consciente.” Pela legislação atual, os partidos têm um prazo deseis meses paraprestarcontas dos valores arrecadados e gastos durante o processo eleitoral. Segundo Castelo Branco, estudo do professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)BrunoSpeckrevelouqueo ciclo eleitoral brasileiro (gastos totais com eleições incluindo a isençãofiscalparaTVsapresentarem campanha política e programasdepartidos)giraemtornode R$ 8,5 bilhões no período, em números de 2006. “Não é um valor alto para o tamanho da eleição no País,masototalgastonoperíodo, quandosecomputamdoaçõesregulares e ocultas, pode chegar a dezvezesessedinheiro”,disse.Issodemonstra,paraele,queaseleiçõesestãomuitocaras,oqueestimulaaformação do chamadocaixa 2 com recursos não-contabili-

Palanque Um giro pelas campanhas eleitorais BRASIL1

BRASIL2

Empate desejado

Lula na TV

Um integrante do núcleo da cam- O presidente Lula vai apresenpanha de José Serra diz que um tar Dilma Rousseff, contando empate do candidato com Dilma detalhes da vida da ex-ministra, Rousseff nas pesquisas seria um nos primeiros programas de TV “bom cenário” para o início da da candidata. Para as propaganpropaganda eleitoral na TV, em das estaduais, o critério de parti17 de agosto, pois começacipação de Lula será o seriam em condição de guinte: onde houver igualdade a “campaapenas um candidanha para valer”. Os to governista, a pretucanos duvidam sença é certa. QuanBRASILEIROS dos resultados que do tiver mais de VOTAM NO apontam Dilma na um aliado na dispuEXTERIOR frente de Serra, cota, Lula vai obsermo da pesquisa Vox var o comportamenPopuli divulgada onto dos não-petistas. tem, e têm expectativa de Quem não estiver de fato manutenção do empate técnico empenhado por Dilma não terá em outros levantamentos. depoimento do presidente.

Ex-prefeito diz que não pode ser punido pela Ficha Limpa ● Alvo da Procuradoria Eleitoral,

que usou a Ficha Limpa para pedir impugnação de sua candidatura a deputado estadual, o ex-prefeito de Atibaia Beto Trícoli (PV) reagiu ontem e afirmou que não se enquadra nos critérios da lei que barra políticos condenados por colegiado. “Meu patrimônio é o mesmo, tenho 30 anos de filiação e fui prefeito duas vezes. Houve condenação em segunda instância em ação civil, mas não por

zados. “A questão eleitoral é, sem dúvida, uma das maiores fontes de corrupção do Brasil.” Rateio. Neste ano, para aumentar um pouco o controle social dosgastos,oTSEeditouumanor-

enriquecimento ilícito ou danos ao erário, e jamais fui condenado por crime”, explicou Trícoli. Ele está contestando a ação da procuradoria no Tribunal Regional Eleitoral. Adversários o fustigaram com três pedidos de impugnação baseados em suposta contratação irregular de empresa de transporte coletivo. “Quando assumi a prefeitura já havia contratação emergencial. Propus mudança do edital que entendi carimbado. Fui bombardeado, mas os resultados foram excepcionais para os cofres públicos porque a contratada pagou R$ 4,5 milhões de concessão onerosa. Eu tenho consciência limpa.” F.M.

masegundoaqualospartidosdevemdiscriminarorateiodaschamadas doações ocultas – que seguemdiretodasempresasdoadoras para a legenda distribuir aos candidatos. Em caso de doações que ultrapassem os limites legais

(de 2% do faturamento das empresas e 10 % do rendimento das pessoas físicas)o tribunal informará ao Ministério Público para tomar as medidas cabíveis. ParaAbramo,aúnicapossibilidade de aumentar a transparênciaéestimularadoaçãodepequenosvaloresdepessoasfísicas,em vez de grandes contribuições de empresas e corporações. “É assim que ocorre em países como Alemanha e EUA. Também ajuda aestimularaparticipaçãodoeleitor que passará a financiar seus candidatos preferidos. Nesses países, para cada real investido, o governopõeigualvalor,deforma que as campanhas têm valores menores e mais transparentes.” No Brasil atualmente, segundo Abramo, os cidadãos em geral contribuem com cerca de 2,7% do total gasto na eleição. “Ainda assim, embora baixo, esse número mascara o fato de que há ricos que financiam seus candidatos e casos de autofinanciamento em quepretendentes endinheirados se financiam.”

Luciana Nunes Leal MARCOS DE PAULA/AE-21/7/2010

BRASIL3

PT faz as contas

EXPEDIENTE

Petistas justificam com números as concessões feitas a aliados nos Estados. A atual coligação, de dez legendas, é a maior feita pelo PT em eleições presidenciais. Em 1989, a aliança tinha três partidos. Em 1994, seis. Nas demais disputas, cinco.

“Estou no horário de almoço e posso falar mais abertamente. É uma loucura, mas falar sobre política quase virou crime.” EDUARDO PAES

200 mil

PARANÁ RIO

Em cima da hora A caminhada de José Serra na Taquara (zona oeste), quartafeira passada, foi decidida na

tarde daquele mesmo dia, quando o candidato visitava o Comitê Olímpico Brasileiro. Os deputados Otávio Leite e Índio da Costa, candidato a vice, saíram correndo para preparar material e reunir cabos eleitorais.

PREFEITO DO RIO (PMDB)

Linha dura O PPS cobrou empenho das lideranças municipais nas campanhas dos tucanos Beto Richa e José Serra. Os dissidentes correm o risco de não ter legenda para se candidatar em 2012.

COLABORAÇÃO: EVANDRO FADEL


%HermesFileInfo:A-11:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Internacional

A11

estadão.com.br Vídeo. Roberto Godoy fala sobre a crise entre Bogotá e Caracas estadão.com.br/internacional

A mediação da vizinhança. Pág. A14 }

ALTA TENSÃO. Recurso colombiano

Bogotá tenta provar crimes cometidos pela guerrilha com a conivência de autoridades venezuelanas, que poderiam ser julgadas em Haia; anúncio foi feito após rompimento das relações diplomáticas entre os dois países, anunciado por Chávez na quinta-feira

Colômbia considera levar Venezuela a corte internacional por abrigo às Farc BOGOTÁ

O governo colombiano disse que estuda enviar o caso da presença de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) em território venezuelano ao Tribunal Penal Internacional (TPI). A Corte, com sede em Haia, julga casos contra indivíduos acusados de crimes de guerra, crimes contra a humanidade ou genocídio. Segundo o procurador-geral daColômbia,GuillermoMendoza,oobjetodaaçãoseriam“autoridades venezuelanas” coniventescom osguerrilheiros,incluindoo própriopresidente daVenezuela, Hugo Chávez. O anúncio foi feito na noite de quinta-feira feito por Mendoza após reunião com o presidente colombiano, Álvaro Uribe. O processo em Haia é uma das primeiras respostas da Colômbia à decisão de Caracas de romper relações diplomáticas com Bogotá,anunciada naquinta-feira. Chávez optou pelo rompimentodepoisqueorepresentante colombiano na Organização dos Estados Americanos (OEA)

PARA ENTENDER

PRESENÇA INCÔMODA EFE

Quatro acampamentos das Farc

Zulia

2

OCEANO ATLÂNTICO

Chichiriviche Caracas

Grupo também atua no Brasil e no Equador

1 Veredas de Sotaima

VENEZUELA

COLÔMBIA

BRASIL N 0 km

1 Guerrilheiro Jesús Santrich prepara leitão em acampamento

venezuelano a 23 km da fronteira com a Colômbia

250

EFE

2 “Pablito” em praia

supostamente venezuelana

A presença de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) não está restrita à Venezuela. Há indícios da atuação da guerrilha em outros países vizinhos. Em 2008, os colombianos atacaram um acampamento do grupo no Equador. Em maio, uma base das Farc foi desarticulada em Manaus. Na ocasião, o Estado revelou que a guerrilha mantinha uma extensa rede para vender droga e lavar dinheiro no País.

INFOGRÁFICO/AE

apresentou supostas provas de que líderes das Farc se escondem na Venezuela. Após o rompimento, Caracas deu 72 horas para que todos os diplomatascolombianosdeixas-

semo país e pôs em alerta as ForçasArmadas naregiãodafronteira.Ontem,oministrovenezuelano da Defesa, Carlos Mata, disse que as tropas do país estão prontas para rechaçar qualquer ata-

que da Colômbia. “O povo venezuelano e o governo colombiano devemsaberqueasForçasArmadas Bolivarianas Nacionais responderão firmemente se qualquerforçaestrangeiratentar vio-

lar nosso solo sagrado”, disse. Segundo os militares e a imprensa venezuelanos, a situação na fronteira entre a Venezuela e aColômbia étranquila. Aspassagens de veículos e de pedestres

permaneceram abertas ontem nas duas pontes internacionais em Táchira (mais informações na página A14). As relações entre os dois países começaram a se deteriorar em 2004, após Rodrigo Granda, o “chanceler das Farc”, ter sido sequestrado em Caracas e, dias depois, aparecido sob custódia de autoridades colombianas. A situação se agravou em março de 2008, quando a Colômbia bombardeou um acampamento das Farc no Equador e matou Raúl Reyes. o número 2 do grupo. Em 2009, Chávez congelou asrelaçõescom aColômbia após o anúncio de que Bogotá cederia bases militares para os EUA. Apesar dos atritos constantes, o rompimento de laços diplomáticasnãoocorriadesde1906,cinco anos após a única guerra entre os dois vizinhos. O conflito entre Chávez e Uribe ocorre às vésperasdapossedopresidenteeleito da Colômbia, Juan Manuel Santos, no dia 7. Ontem, Chávez declarou que a guerrilha deveria “reconsiderarsuaestratégia”paranãocontinuarsendo“adesculpa” dos EUA para entrar na Colômbia. / REUTERS, AP E AFP


A14 Internacional %HermesFileInfo:A-14:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

ALTA TENSÃO. Esforço de mediação CARLOS GARCIA RAWLINS/REUTERS

EUA apoiam apuração na Venezuela Governo brasileiro diz buscar ‘solução negociada’ e evitar atritos entre OEA e Unasul Denise Chrispim Marin CORRESPONDENTE / WASHINGTON

Vera Rosa BRASÍLIA

O porta-voz do Departamento de Estado, J. P. Crowley, declarou ontem que os EUA apoiam a proposta da Colômbia de criar uma comissão internacional para investigar a presença de 1.500 guerrilheiros colombianos na Venezuela.“Cremos que seriaútil a participação internacional nesta investigação, que pode fazerse por várias vias”, disse Crowley. “A OEA é uma via. A Unasul seria outra.” “Deve haver uma investigação.AcreditamosqueaVenezuela tem a responsabilidade de responder com rapidez à importante informação apresentada ontem pela Colômbia”, acrescentou o porta-voz. Quase ao mesmo tempo, em Brasília, o governo brasileiro defendia uma “solução negociada” para a crise. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a auxiliares que o Brasil não deve confrontar OEA e está confiante num acordo depois da posse do novo presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, no dia 7. Natentativa deacalmarosânimos,oassessorparaAssuntosInternacionais do Planalto, Marco Aurélio Garcia, embarcará para Caracas no dia 5, acompanhado do secretário-geral da União das

Nações Sul-Americanas (Unasul), Néstor Kirchner. Os dois conversarão com o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, que também se reunirá com Lula no dia seguinte. De lá, a comitiva segue para a posse de Santos, em Bogotá. Uma reunião de chanceleres da entidade sul-americana deve ocorrer na próxima semana, em atendimento a um pedido da Venezuela, para dar início às gestões de mediação. Embora seja mais interessante para o Brasil que o impasse entre a Venezuela e a Colômbia se mantenha no âmbito da Una-

Controle. Soldado venezuelano inspeciona veículos a poucos metros da Ponte Simon Bolívar, divisa com o território colombiano sul,Marco Aurélionegou queLula vá bater nessa tecla. Ao menos por enquanto, não é essa a intenção do Planalto. Na prática, o governo pretende encontrar uma saída diplomática que evite melindres entre os países em atrito. “Nós não queremos transformar isso num conflito entre a Unasul e a OEA”, afirmou ao Es-

FÓRUNS INTERNACIONAIS ● OEA Criada em 1948, a Organização dos Estados Americanos tem como objetivo promover paz e democracia no continente. Possui 35 Estados-membros. Cuba está fora desde os anos 60 e Honduras foi suspensa no ano passado. Com sede em Washington, sofre forte influência do governo dos EUA. Foi nesse fórum que a Colômbia denunciou a presença de 1,5 mil guerrilheiros das Farc na Venezuela. Até ontem à noite, a Colômbia – com o apoio dos EUA – defendia a instalação de uma investigação no âmbito da entidade

● Unasul Projeto de integração dos dois blocos do continente, Mercosul e Comunidade Andina, mais o Chile, é um fórum de discussão sobre política e segurança. O Brasil foi o principal patrocinador da criação da União de Nações Sul-Americanas, entidade alternativa à OEA. Desvinculada da interferência dos EUA, tem 12 países signatários e, apesar da adesão colombiana, Bogotá está isolada no organismo – no qual Hugo Chávez tem um grande protagonismo. A Unasul investigou o ataque colombiano de 2008 no Equador.

Apesar do estado de alerta, situação na fronteira é normal Trânsito entre Colômbia e Venezuela segue inalterado e não há relatos de envio de tropas ou incidentes na região CARACAS

O comando militar venezuelano prometeu “apoio incondicional” à decisão do presidente Hugo Chávezderomperrelaçõescoma Colômbia e garantiu que qualquer invasão estrangeira despertará “uma reação contundente”. Mas durante todo dia de ontem a situação na fronteira entre os dois países permaneceu “normal”, de acordo com os governos da Venezuela e da Colômbia. Além de revogar todos os laços diplomáticos com Bogotá, Chávez anunciou na quinta-feira “estado de alerta máximo” na

tado o assessor do presidente. “Queremos uma solução negociada, no sentido de buscar o equilíbrio, e achamos que isso pode ser obtido a partir de agora, quando se aproxima a posse do novo governo da Colômbia.” O Planalto acredita que o diálogo será “mais factível” com Santos, uma vez que a relação entre Chá-

região da fronteira. Mas o fluxo de pessoas e veículos nos principais pontos de passagem segue inalterado, segundo autoridades locais. Nenhum incidente violento na regiãofoinoticiado.Aúnicaanormalidade relatada foi a suspensão do serviço de aduana em alguns locais do lado venezuelano da fronteira. Apesar da calmaria, o ministro da Defesa da Venezuela, general Carlos Mata Figueroa, anunciou, ao lado do alto-comando militar, que o “estado de alerta” não foi suspenso. Segundo Figueroa, os soldados venezuelanos estão “dispostos a obedecer a qualquer momento” às ordens de Chávez. À TV venezuelana, o vice-presidente Elías Jaua declarou que aspatrulhasna região defronteira “continuam normalmente, mas obviamente em estado de alerta”.

A procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega, afirmou que asegurançanos“Estadosfronteiriços com a Colômbia” já havia sidoreforçadaparaevitaraentradade“drogasesoldadosirregulares”. No entanto, segundo o jornalElUniversal,deCaracas,apresença militar venezuelana na fronteira não aumentou entre o anúncio de ruptura de relações, na tarde de quinta-feira, e o fim do dia de ontem. Estima-se que 20milmilitaresvenezuelanosestejam posicionados ao longo dos 2 mil quilômetros dedivisa com a Colômbia.

● TPI O Tribunal Penal Internacional da ONU tem competência para julgar crimes de genocídio, de guerra, contra a humanidade e de agressão. Responsabiliza indivíduos por violações do direito humanitário ● CIJ Corte Internacional de Justiça é o principal organismo judicial da ONU. Tem competência para julgar disputas submetidas por Estados e os responsabiliza – e não indivíduos – por violações do direito humanitário internacional

vez e o atual presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, está muito desgastada. “Nós não estamos preocupados em buscar um bode expiatório”, disse Marco Aurélio. “Estamos preocupados porque isso enfraquece a América do Sul, que tem como trunfo ser uma região de paz e não queremos que nada contribua para tisnar essa imagem.” Principal interlocutor deLulacompaíses latino-americanos, Marco Aurélio insistiu em que não há disposição do governo,nemde Kirchner, dedesafiar a OEA para emplacar a Unasul. “Não queremos favorecer a Venezuela e desfavorecer a Colômbia. Buscamos o acordo e, se tivermos possibilidade de obter a distensão antes da posse de Santos, será ótimo”, argumentou ele. Em Caetés (PE), onde participava de um evento do governo, Lula confirmou que pretende “encontrar uma forma de conversar” com Santos. “O que me parece mais estranho é que faltam muitos poucos dias para o companheiroUribedeixeapresidência da Colômbia”, declarou o presidente.

Cenário: Roberto Lameirinhas

Uma crise com dia e hora para acabar

A

crise diplomática entre Venezuela e Colômbia deve se encerrar na manhã do dia 7, quando o presidente colombiano eleito em 20 de junho, Juan Manuel Santos, receber a faixa presidencial das mãos de Álvaro Uribe. Santos, ex-ministro da Defesa de Uribe, coordenou o ataque ao território equatoriano de março de 2008 que causou a morte do número 2 das Farc, Raúl Reyes, e quase causou uma guerra com o país vizinho. Mas, apesar da reputação de “falcão”, o presidente eleitovinhafazendo acenosnadireçãodereconciliar-se com a Venezuela.

Elo do PT com Farc atrapalha atuação brasileira, diz Serra ● O candidato do PSDB à Presi-

dência da República, José Serra, afirmou ontem que a “ligação do PT com as Farc” impede que o Brasil exerça a mediação da crise entre Venezuela e Colômbia. “Há um elemento que atrapalha esse papel mediador, que é a ligação do PT com as Farc. É preciso deixar essa coisa de lado e ter um papel efetivo nessa pacificação”, disse Serra, em Blumenau. “Nem o próprio Serra acredita nisso, é uma bobagem”, rebateu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na semana passada, o vice na chapa de Serra, Índio da Costa, havia denunciado supostos vínculos do PT com a guerrilha colombiana e o narcotráfico. As candidatas do PT, Dilma Rousseff, e do PV, Marina Silva, não falaram sobre a crise Caracas-Bogotá. / EVANDRO FADEL, ENVIADO ESPECIAL A BLUMENAU

As relações diplomáticas entre os dois países tinham sido reduzidas ao nível mínimo desde agosto de 2009, quando se revelou um acordo militar entre Colômbia e EUA, que permitiu aos americanos utilizar bases em território colombiano para combater o narcotráfico. Após ser eleito, porém, Santos declarou que a prioridadedesua políticaexternaera anormalização das relações com a Venezuela, segunda principal parceira comercial do país. Até o congelamento das relações, a Colômbia exportava US$ 6 bilhões para o país vizinho. Hoje, esse valor não passa de US$ 1,5 bilhão. O aparente esforço de Santos para distender as relações teve eco em Caracas, onde Chávez chegouaanunciarqueavaliava oconvite dopresidente eleito para que participasse da cerimôniade possedo dia 7. Depois da decisão deUribe de denunciar a Venezuela na OEA, Santos adotou a política de silenciar-se, ao mesmo tempo que Chávez tem declarado “esperar” que, com o fim do governo Uribe, o sucessor dele baixe o tom da disputa.

Prejuízo. Do lado colombiano,

a situação parecia ser semelhante. “Aqui, a fronteira está aberta”, disse o governador do Departamento do Norte de Santander, William Villamizar. EmUreña,cidadeporondepassaboa partedocomércio entre os

vizinhos, a aduana foi suspensa, informou Isidoro Teres, presidente da Câmara de Comércio da cidade. Ele criticou o “estado de incerteza” sobre o controle fiscal por parte das autoridades venezuelanas. “Mas o trânsito de pes-

soas e veículos continua normalmente”, completou Teres. Companhias aéreas também operavam ontem normalmente seus voos entre Venezuela e Colômbia. O comércio bilateral entre os

países já vem sofrendo nos últimos anos. Segundo projeções da revista colombiana La Semana, transações entre Colômbia e Venezuela devem recuar neste ano paraos níveisde 2003– menos de US$ 3 bilhões. / REUTERS E AP

CUBA

QUESTÃO NUCLEAR

IRAQUE

ÁFRICA

COREIA DO NORTE

Espanha recebe mais cinco presos políticos libertados por Havana

Teerã acusa Rússia de campanha anti-Irã

Grupo radical assume atentado que matou 50

França e Mauritânia atacam Al-Qaeda

Pyongyang ameaça usar ‘dissuasão nuclear’

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad (foto), acusou o governo da Rússia de apoiar os esforços dos EUA para espalhar mentiras sobre o programa nuclear iraniano. Segundo Ahmadinejad, o presidente russo, Dmitri Medvedev, faz parte de uma “propaganda teatral” dirigida por Washington afirmando que o Irã está próximo de desenvolver uma arma nuclear. Teerã nega ter aspirações armamentistas.

A Al-Qaeda no Iraque assumiu ontem a responsabilidade pelo duplo atentado contra a força de segurança conhecida como Sahwa, ou filhos do Iraque, que matou ao menos 50 pessoas no fim de semana. A milícia tem desempenhado um papel central na redução da violência no Iraque desde 2006, quando se juntou às forças americanas e ao governo iraquiano no combate aos aliados da AlQaeda.

A França confirmou que apoiou A Coreia do Norte ameaçou militarmente uma operação rea- usar uma “potente dissuasão lizada na quinta-feira à noite nuclear” em resposta aos por forças da Mauritâexercícios militares connia contra a Al-Qaejuntos entre EUA e da, que mantém seCoreia do Sul que questrados vários serão realizados no SOLDADOS voluntários ocidenfim de semana. A PARTICIPAM tais. Entre eles está tensão com o país DOS EXERCÍCIOS o francês Michel comunista aumenEM SEUL Germaneau, de 78 tou por causa do nauanos, sequestrado no frágio, em março, de Níger em abril. O grupo um navio sul-coreano ameaça executá-lo na próxima que matou 46 marinheiros. Seul semana. Dois voluntários espa- acusa Pyongyang pelo afundanhóis também foram sequestra- mento do navio. Mas o governo dos. norte-coreano nega o ataque.

Mais cinco presos políticos libertados pelo regime de Raúl Castro chegaram ontem a Madri, unindo-se aos 15 dissidentes já soltos por Cuba nas duas últimas semanas. Blas Giraldo Reyes Rodríguez, Jorge Luis González Tanquero, José Ubaldo Izquierdo Hernández, Antonio Ramón Díaz Sánchez e Jesús Mustafa são parte do grupo de 52 presos que o governo de Havana se comprometeu a libertar em virtude de um acordo com a Igreja Católica de Cuba.

Os 20 dissidentes enviados à Espanha são os que inicialmente aceitaram deixar Cuba. Mas o governo espanhol não descartou a possibilidade de receber mais ex-prisioneiros nos próximos dias. Os cubanos, acompanhados por cerca de cem parentes, estão distribuídos em pontos diferentes da Espanha. Várias organizações sociais encarregam-se de providenciar alojamento e alimentação enquanto tramita a emissão de suas permissões de residência e trabalho.

RAHEB HOMAVANDI/REUTERS

8 MIL


%HermesFileInfo:A-15:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Galeria

Internacional A15 estadão.com.br Veja mais fotos

FOTOS: IAN MARTENS/THE CANADIAN PRESS, LETHBRIDGE HERALD

Canadá. Durante voo de teste em jato de combate CF-18, piloto ejeta-se antes da aeronave cair. O modelo do caça é igual ao que a Boeing está oferecendo à Força Aérea Brasileira

Decisão sobre Kosovo é ‘perigosa’, diz Sérvia Após decisão de corte internacional a favor da legalidade da independência da região, Belgrado alerta para intensificação de conflitos separatistas Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA

O governo da Sérvia afirmou ontem que a decisão da Corte Internacional de Justiça a favor da legalidade da independência de Kosovo abre um precedente “perigoso” para o mundo. Segundo o advogado Marcelo Kohen, contratado pelos sérvios para defender Belgrado, a resolução pode intensificar tensões em algumas partes do mundo. “Adecisão dacortetem consequências perigosas para todo o mundo”, afirmou em entrevista

ao Estado o advogado argentino, especializado na questão das IlhasMalvinas. “A Ossétia doSul e grupos separatistas na Espanha e em outras regiões podem pensar: ‘Se eles (kosovares) podem, por que não nós?’” O parecer da corte sobre o assuntocausouumaondaderepercussões entre minorias que lutam por suas independências. Partidos da Catalunha e da Galícia comemoraram a decisão, enquanto o primeiro-ministro espanhol, José Luis Zapatero, reagiu, afirmando que “a Espanha não é a Sérvia”.

Até mesmo os sérvios que vivem na Bósnia comemoraram a decisão, indicando que poderiam seguir o mesmo caminho. Jáogovernoalemãofoimaiscauteloso e deixou claro que a decisão da corte não pode ser aplicada à situação de outros países. “O caso não tem relação com nenhumoutrocasonomundo”,disse o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle. Kohen afirmou que o tribunal “não resolveu nem a questão política nem a jurídica” do caso. “Em sua decisão, o tribunal não

fala de maneira explícita da existênciaounãodo Estadodo Kosovo.” Para ele, “o tribunal sucumbiu à realpolitik”, insinuando que os juízes adotaram a posição defendida pelos EUA e grande partedaEuropa.Washingtonpediu ontem que os governos que ainda não haviam reconhecido Kosovoqueofaçam apósadeclaração do tribunal. Em setembro, Belgrado apresentará à ONU uma proposta de resolução pedindo que a Assembleia-Geral recomende que sérvios e kosovares se sentem para negociar uma solução.

PARA LEMBRAR Declarada de forma unilateral em 17 de fevereiro de 2008 e reconhecida até agora por 69 países, a independência de Kosovo foi considerada legal pela Corte Internacional de Justiça, tribunal ligado à Organização das Nações Unidas (ONU) com sede em Haia. Segundo o parecer do tribunal, a declaração de independência “não violou nem o direito in-

ternacional, nem a resolução 1.244 da ONU”. O texto tinha sido adotado em 1999, após o término dos confrontos entre o Exército sérvio e os separatistas albaneses. Desde então, a Província de Kosovo tornouse um protetorado da ONU e era administrada com autonomia, como forma de controlar a crise humanitária decorrente da guerra.


A16 Internacional %HermesFileInfo:A-16:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

estadão.com.br

VISÃO GLOBAL

Radar Global. Veja no blog os links das notas blogs.estadão.com.br/radar-global

processo de decadência. Não está somentesedesintegrando...Estánocaminho da irrelevância”, escreveu a sueca, encarregada da supervisão financeira da organização. Ela qualificou as falhas de Ban no preenchimento de postoschave, como “deploráveis” e “um grave constrangimento” para ele próprio. Inga mostrou-se preocupada principalmentecomoquecrêserumainterferência em seus departamentos. Mas entrevistascomfuncionáriosdo altoescalãodaONU,políticosediplomatasconfirmaram que o mal-estar é geral na organização. Mesmo as pessoas que em público se mostram leais a Ban, admitem em particular que, apesar de ser um chefe simpático e trabalhador, ele tem lutado para causar um impacto na questões internacionais e a ONU está seriamente enfraquecida. Segundoumfuncionárioaposentadoda ONU,umadasmaiores deficiência de Ban é sua falta de fluência em inglês, o que é uma dificuldade para ele convencer o público dentro e fora dos EUA. “Nós lhe demos lições de dicção e de relacionamento com a mídia”, disse. As lições de dicção ajudaram, mas não foram o suficiente.

A decepção Ban Ki-moon Logo em seu primeiro discurso, em 2007, secretário-geral não entusiasmou, mas agora o mal-estar é geral na ONU ✽ ●

EWEN MACASKILL

uandoBan Ki-moon visitou Washington pela primeira vez como secretário-geraldaONU, em janeirode 2007, para discursar num dos mais prestigiados fóruns de política externa da cidade, centenas de pessoas compareceram ao evento para formar uma opinião sobre o homem que presidia a organização mundial. O tédio e a decepção rapidamente tomaram conta da plateia. Um discurso insosso, os chavões repetidos, levaram as pessoas a checar seus

Q

Websfera

telefones ou cochilar nos assentos. O sul-coreano está no seu quarto ano de mandato, que é de cinco anos, mas a impressão que ele deixou naquela noite não melhorou nosanos seguintes. Um analista de política externa, fazendo um ranking dos secretários-gerais desde a fundação da ONU, em 1945, colocou Ban em último lugar. AapreensãosobreBantornou-sepúblicaestasemana,nummemorandovazado �� imprensa, que lhe foi enviado pela sub-secretária Inga-Britt Ahleniu, antes de deixar o cargo. “Lamento dizer que o secretariado está hoje num

O melhor da internet

BOSTON GLOBE

Crime torna popular a troca de digitais Cresce o número de criminosos que altera as digitais para escapar da lei nos EUA. Somente no Estado de Massachusetts, desde 2002, 72 pessoas foram flagradas pela polícia já não tinham as pontas dos de-

dos originais. A lista de delinquentes que mudam as digitais para burlar a Justiça é longa por uma razão: a estratégia funciona. As autoridades de Massa-

BAPTISTÃO/AE

THE GUARDIAN

Ban está disposto a encarar uma reeleição em 2011 e, com o apoio da China eprovavelmente dosEUA,quasecertamente garantirá um segundo mandato de cinco anos, até 2016. Mas críticas comoas feitasporInganãoajudam ehá indicações de que o governo Barack Obama não estaria tão satisfeito com sua administração. Numa entrevista em Washington, Ban sugeriu que poderia disputar um segundo mandato. Mas admitiu os prejuízoscausadospelascríticasaoseu desempenho, insistindo que são injustas. “Como um servidor público, sei que o desempenho da minha função deve estarsempresobescrutínioeporissoacolho as críticas construtivas. Às vezes, algumas delas têm como base a falta de uma profunda avaliação de que tipo de pessoa sou e o que o meu cargo exige que eu faça.” Quando alguém solicitou queelefizesseumalistadesuasrealizações, Ban respondeu que cabia a outros fazer tal apreciação, mas depois indicou o que considerava três grandes sucessos:aquestãodasmudançasclimáticas, a reforma administrativa da ONU e a luta em favor dos direitos humanos. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

✽ É CHEFE DA SUCURSAL DE WASHINGTON

Rodrigo Cavalheiro

chusetts só conseguiram identificar 17% dos presos que o fizeram. Os investigadores locais já descobriram uma rede que oferece a imigrantes ilegais operar a ponta dos dedos a baixo custo, o que evitaria a deportação. Os criminosos endinheirados recorrem a sofisticadas cirurgias para adotar novas identidades. Os mais pobres raspam a ponta dos dedos.

LA PRENSA GRÁFICA

Filhas de Obama vão trabalhar como babás O presidente Barack Obama garante que suas filhas, Malia e Sasha, de 12 e 9 anos, seguirão a tradição americana de trabalhar como babás. Garantirão proteção extra às crianças, já que têm seguranças em tempo integral.

BBC

PERUANAS

Menos crimes levarão à morte na China

US$ 2 bi

O número de crimes punidos com a pena de morte deve ser reduzido no próximo mês na China. Atualmente, 68 condutas ilícitas são castigadas assim. Em 2007, as sentenças de execução começaram a passar por revisão do Tribunal Supremo.

são enviados anualmente por peruanos no exterior a seu país de origem, o que equivale a 2% do PIB nacional FONTE: AP

Se não ler, não dirija.

As principais notícias, lançamentos e novidades do mercado automotivo. • Test drives e tabela de preços para ajudar você a fazer a melhor escolha. • As melhores ofertas do mercado ainda mais organizadas e fáceis de encontrar. •

(11)

Ligue e anuncie:

3855-2001 ou

Novos Classificados do Estadão. A melhor opção para quem quer comprar ou vender.

0800 55 2001 (interior e outras localidades)


%HermesFileInfo:A-17:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Vida

A17

estadão.com.br Leia. Cratera indica que asteroides podem ser perigosos estadão.com.br/ciencia

/ AMBIENTE / CIÊNCIA / EDUCAÇÃO / SAÚDE / SOCIEDADE

Saúde. Pesquisa feita pelo Ibope para a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia mostra que as cirurgias encabeçam a lista de negativas, com 55%. “Relação com os planos é uma das coisas mais limitantes do exercício da medicina”, diz presidente da entidade

Sete em cada dez ortopedistas tiveram pedido negado por operadora de saúde Clarissa Thomé / RIO

Sete em cada dez ortopedistas do País já tiveram algum tipo de atendimento solicitado para o paciente negado pelo plano de saúde. As cirurgias encabeçam a lista, com 55%. A pesquisa, feita pelo Ibope para a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot), evidencia a interferência das operadoras no trabalho médico e corrobora os dados de associações de defesa do consumidor.

PRÁTICA COMUM l Quantas vezes, em um ano,

os médicos tiveram procedimentos negados:

35%

ATÉ SEIS VEZES

DE 7 A 12 VEZES

DE 13 A 18

24%

8%

DE 19 A 30

16% OUTRAS RESPOSTAS

17% INFOGRÁFICO/AE

Também aparecem na lista de itens recusados pelas operadoras procedimentos ambulatoriais ou exames (37%), material cirúrgico (25%), próteses (12%) e implantes (9%). A pesquisa ouviu 400 profissionais. “Háumapressãovelada.Omédico é instruído a não pedir tantos exames ou pode ser punido comreduçãodopreçoda consulta, por exemplo. O paciente nem fica sabendo que poderia ter acesso a um atendimento mais completo. A relação com as operadoras é uma das coisas mais limitantes do exercício da medicina”, afirmou Claudio Santili, presidente da Sbot. Entreos 275médicos quetiveram recusas no atendimento e informaram quantas vezes isso ocorreu no período de um ano, 35% tiveram até 6 negativas e 24%, entre 7 e 12 vezes. O professor de educação físicaEdgardAlberto deOliveira, de 28 anos, sofreu com sucessivas negativas de seu plano de saúde. Após romper os ligamentos do joelho durante um jogo de futebol, seu médico confirmou o diagnóstico com exames de ressonância magnética e solicitou à operadora autorização para uma cirurgia corretiva – sem ela, Oliveiranãopoderiavoltarao traba-

SERGIO CASTRO/AE–22/1/2008

● Respostas

Qualidade do serviço é afetada, diz advogada

51%

dos médicos classificam sua relação com as operadoras de saúde como regular

● Para a advogada Daniela Tret-

26%

tel, do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), ao negar procedimentos, as operadoras afetam a qualidade do serviço. “Quem tem capacidade de dizer qual a melhor forma de cuidar do paciente é o médico. E por questões não médicas, geralmente econômicas, as operadoras tolhem determinações científicas.” Para o paciente, explica ela, resta procurar a Justiça ou pagar pelo procedimento. / C.T.

avaliam como ruim ou péssima

22%

consideram boa ou ótima

10%

dos médicos que intervieram junto ao plano não conseguiram reverter a solicitação

Realidade. Arlindo de Almeida: cuidado com custos altos lho. Depois de tentar durante dois meses agendar a operação e nãoobteraautorizaçãodaoperadora, Oliveira recorreu à AgênciaNacionaldeSaúdeSuplementar (ANS), que advertiu a empresa. Após dois dias, foi operado. Na pesquisa, as operadoras alegaram principalmente falta de vagas (65%), de cobertura do plano para o atendimento (53%), carência (18%) e alto custo do procedimento (18%).

Reclamação. A maior queixa dos médicos é que a recusa foi feitaporumfuncionárionãomédico em 27% dos casos e o auditor médico não se identificou em 41% das negativas. “O que pleiteamos é que a negativa venha acompanhada de justificativa e do CRM do médico que avaliou o caso. As negativas atrasam os procedimentos e desgastam a relação com o paciente, que fica desconfiado”, afirma Santili.

Os médicos ouvidos afirmam que, quando intervieram pessoalmente junto às operadoras, conseguiram reverter a situação a favor do paciente em 22% dos casos. A maioria (65%) só conseguiu que o plano arcasse com algumasdassolicitações.A negativafoimantidaem 10%dos casos. O presidente da Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge), Arlindo de Almeida, reconhece que os auditores to-

mam “cuidado muito grande” com pedidos que elevam os custos. “Acontece de o médico exigir determinada prótese, por exemplo, porque seria o melhor para a saúde do paciente, mas muitas vezes os interesses não sãobemesses.Oconselhodemedicina quer regular presentes e vantagens oferecidos pelas empresas aos médicos”, disse Almeida. / COLABOROU KARINA TOLEDO


A20 Vida %HermesFileInfo:A-20:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

EVELSON DE FREITAS / AE

Hospital de São Caetano fecha sem dar explicações Dezenove pacientes internados pelo plano de saúde do local foram encaminhados à rede pública; responsáveis não se pronunciam Fabiane Leite Mariana Mandelli

Os corredores estão escuros e as salas, lacradas. A direção do Hospital São Caetano – o mais tradicional hospital privado de São Caetano do Sul (Grande São Paulo), cidade com um dosmelhoresÍndicesdeDesenvolvimento Humano do País – abandonou a unidade sem explicações no dia 10. A prefeitura e o Estado tiveram de receberemhospitaispúblicosdaregião ao menos 19 pacientes que estavam internados pelo plano de saúde do local. “Eu nunca vi isso na minha vida”, afirmou ontem ao Estado Maurício Ceschin, diretor presidente da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). A derrocada de unidades de saúde e de planos, em geral, não chega ao ponto de haver abandono até de pacientes internados. A ANS, órgão regulador das operadoras, já intervinha no plano Di Thiene – que tem 7.648 usuários, a maioria idosos, ligado à mantenedora do hospital, a Sociedade Beneficente São Caetano. Agora, promete providências e pede que usuários oficializem reclamações pelo Disque ANS (0800 701 9656). Porém, questionada, não informou até o fechamento desta edição quais providências podem ser tomadas a curto prazo. A direção fiscal, intervenção adotada, só ocorre quando existem problemas econômicos e financeiros significativos. A reportagem esteve ontem na unidade, que tem 57 anos de existência, e não encontrou nenhumresponsável(maisinformações nesta página). Também ten-

Conselheiro diz que faturamento caiu R$ 500 mil ● O vice-presidente do conselho

deliberativo do Hospital São Caetano, Walter Estevam Júnior, diz que a unidade vivia no sufoco, “mas pagava as contas”. Ele afirma que, quando surgiu o contrato de arrendamento do local, há cerca de um ano, foi contra. “Não havia sequer multa se quisessem

devolver o hospital”, diz. “O faturamento há um ano era de R$ 1,2 milhão e caiu para R$ 700 mil”, acusa o conselheiro, advogado e jornalista, bastante conhecido em São Caetano do Sul – é proprietário do jornal ABC Repórter. Estevam Júnior destacou, porém, que o conselho deliberativo só pode aconselhar e não tem função de gerenciamento. Na próxima terça-feira, uma reunião entre a cúpula da unidade deverá buscar soluções. / F.L.

Fechado. Entrada do Hospital São Caetano: corredores às moscas e salas de espera vazias tou contato com diversos integrantes da cúpula, por telefone, sem sucesso. Há cerca de um ano, o Hospital Brasil, unidade privada de Santo André (Grande São Paulo), participava da administração do Hospital São Caetano. A instituiçãopertence àrede D’Or, que mantém hospitais célebres no Rio, entre eles o Copa D’Or, e é um dos maiores grupos privados hospitalares do País. No entanto, o grupo diz que a relação comercial do Hospital Brasil com o São Caetano não é de sua

responsabilidade por ser anterior à compra do Hospital Brasil. Em nota, o Hospital Brasil apenas afirmou que constatou que “os passivos contingentes acumulados pelo Hospital São Caetano (...) inviabilizam economicamente ” a unidade e “não encontrou solução para as dificuldades.” “(...) Assim, decidiu ordenadamente descontinuar os seus esforços.” Por fim, disse que assumiria os atendimentos de internados, mas a prefeitura informou que teve de cuidar dos acamados.

Segundo o município, a secretaria da Saúde soube do problema no hospital no dia 10, quando o familiar de um paciente internado pediu para transferi-lo paraum hospitalpúblico.“Ao recebermos o segundo pedido, desconfiamos de que algo estava acontecendo.Asecretariadesaúdeprocurou osdiretoresefoientão informada do possível fechamento do hospital.” Ainda de acordo com a prefeitura, foram encontrado dez pacientes internados em enfermaria e nove em UTI. “Aparente-

mente os tratamentos estavam evoluindo de forma usual, sem faltas gritantes, mas a sinalização era de que teriam medicamentos somente para mais três dias”, continua a nota. “As equipes, tanto de UTI quanto de enfermaria, se mantiveram em atendimento (...). Não houve abandono ou negligência por parte da equipe(...). O abandono foi exclusivamente pela equipe diretiva administrativa, que virou as costas e foi embora sem dar qualquer explicação ou apoio aos funcionários que es-

Só três médicos ainda atendem

da instituição por mais de duas horas e encontrou apenas três médicos em atendimento, somente para associados do plano Di Thiene. Pacientes que queriam retirar exames saíam de mãos vazias. Um aviso colado na porta de entrada deixa claro que o hospital não está recebendo pacientes. Segundo a reportagem apurou, apenas consultas previa-

mente marcadas estão ocorrendo. “Tenho dois filhos com deficiência e uma mãe com 93 anos, que tem um marca-passo. Dependo desse hospital. Mas hoje mesmo tive que levá-la a um médicoparticular”, contao aposentado Sergio Brianez. Funcionários afirmaram que o “hospital está enterrado e nem deve mais abrir”. Muitos reclamam que não há uma versão ofi-

cial sobre a situação. Há comentários de que o hospital tem dívidasatéparaaquitandaquefornecia alimentos para a cozinha. Além dos pacientes, o comércio do entorno também está sofrendo com a interrupção do atendimento. Até as 14 horas de ontem, os taxistas não haviam feito nenhuma corrida. No estacionamentoao lado,omovimento caiu 95%. / M.M.

Funcionáriosbatendopapo,corredores às moscas, cadeiras das salas de espera vazias e alas em silêncio. Ontem, por volta das 11 horas, era esse o cenário dentro do Hospital São Caetano. A reportagem percorreu os andares

tão lá até hoje a espera”, conclui o texto oficial. Consumidor. Segundo o diretor do Procon de São Caetano, Alexandro Guirão, o Hospital São Caetano, o Hospital Brasil e oplanonãoresponderamnoprazo legal notificação do órgão para que explicassem sua situação societária e comercial. O diretor foi informado por conselheiros do São Caetano que a unidade foi arrendada para o Hospital Brasil, mas a empresa que alugouo hospital chama-se Anathema e ainda não estão claros os vínculos com o Hospital Brasil. O nome Anathema, cujo significado é “maldição”, depois mudou para BSA. O Ministério Público já acompanha o caso. “As pessoas não devem deixar de pagar o plano”, alertou. Caso o atendimento seja restabelecido ou se for necessário propor uma medida judicial será necessário que o pagamento esteja em dia, diz. Situações de desassistência devem ser levadas à Justiça, afirma.

TASSO MARCELO/AE-1/7/2010

Rio tenta recuperar Praia de Sepetiba, ex-paraíso degradado

● Descaso

LUIZ F. M. PEREIRA PRESIDENTE DO INEA

“No passado não se tinha tanto cuidado com o meio ambiente quanto se tem hoje.”

FABIO MOTTA/AE

Região, famosa pela beleza até os anos 1970, foi dominada por lodo após dragagem para construção de porto Bruno Boghossian / RIO

O governo do Rio tenta reverter um processo de quase 40 anos quetransformouaPraiade Sepetiba, na zona oeste da capital fluminense,emumdospiorescenários de degradação ambiental da cidade.Comumtrabalho queenvolve remanejamento de caranguejos e uso de manta de isolamento, engenheiros e biólogos começaram a recuperar os danos causados por dragagens negligentes e despejo de esgoto. A praia, a 70 quilômetros do centro,guardapoucassemelhanças com o balneário que atraía

Lama. Menino brinca na praia, que já foi usada para locações milhares de veranistas até os anos 70 e foi usado como locação para a novela O Bem Amado (1973). A areia branca foi tomada pela lama, boa parte do comércio fica fechada durante a semana e muitos moradores decidi-

RELIGIÃO

ram vender suas casas. “Isso aqui era uma beleza. A praia competia com Copacabana”, lembra o pescador Nilson Gusmão, que mora no bairro há 55anos.“Osônibuschegavamlotados, mas quando a lama avan-

RELIGIÃO

A Diocese de Roma afirmou ontem que está decidida a reagir “com rigor ante toda conduta indigna da vida sacerdotal”. A declaração foi motivada pela publicação de uma reportagem investigativa sobre a vida sexual de sacerdotes gays no semanário italiano Panorama. “Os que têm vida dupla não entenderam o que é o sacerdócio católico e não deveriam ser padres”, continuou a diocese, em um comunicado divulgado ontem à imprensa. “Nada os obriga a seguirem como sacer-

dotes e a aproveitar apenas as vantagens. Em nome da coerência, teriam de confessar o que fazem. Não queremos feri-los, mas não podemos permitir que sua conduta desonre a todos os demais.” A reportagem do Panorama, intitulada As Noites Selvagens dos Padres Gays, registrou com uma câmera oculta “uma viagem com padres que têm relações sexuais com outros homens nos bares romanos, no bairro gay ou em suas próprias casas”. / AFP

EFE/L'OSSERVATORE ROMANO

Reportagem sobre padres gays em Roma gera reação da Igreja Católica

Papa inicia 3º volume de obra sobre Jesus O papa Bento XVI (foto) aproveita suas férias de verão em Castel Gandolfo, perto de Roma, para começar a escrever o terceiro tomo de Jesus de Nazaré, obra que teve sua primeira parte publicada em 2007 e a segunda, concluída recentemen-

çou, as pessoas deixaram de vir.” Com investimento de R$ 46 milhões, o governo pretende recuperar, até junho de 2011, as características originais da região, que se transformou em manguezal por causa do acúmulo de lodo e outros sedimentos. Entre as décadas 70 e 90, durante a dragagem para a construção e a ampliação do Porto de Itaguaí, toneladas de sedimentos foram depositados na baía. “Omaterialacabouformandolodo, o que facilitou o surgimento do mangue”, diz Luiz Pereira, presidente do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão responsável pela recuperação. O governo espera que a recuperação da areia volte a atrair os banhistas paraa praia,que também passa por obras de saneamento.

Sujeira. Área onde funcionava uma fábrica de alumínio

te. Segundo o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, o segundo volume da obra está sendo traduzido para vários idiomas e deve ser publicado no ano que vem. / AFP

Nocentino, de 44 anos, e Jaime Zapata, de 52, ocorrerá no primeiro dia em que a lei entra em vigência, oito dias após ter sido promulgada pela presidente Cristina Kirchner. / AFP

ARGENTINA

TECNOLOGIA

EFE

Casal gay chileno será o 1º a se casar no país Um casal de chilenos que vive há 22 anos na província de Mendoza (oeste de Buenos Aires) será o primeiro a se casar na Argentina, no próximo sábado, após o Senado do país ter aprovado a lei que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, decisão pioneira na América Latina. O enlace de Giorgio

sou ontem em Yuma, Arizona (EUA), após 14 dias e 21 minutos de voo, batendo seu recorde anterior. O protótipo de fibra de carbono, com 22,5 metros de envergadura e 50 quilos, havia decolado no dia 9. / AFP GENÉTICA

Clone do touro Bandido vai participar de rodeio

Avião a energia solar pousa após 2 semanas Um avião ultraleve e sem pilotos, movido a energia solar, pou-

Uma cópia genética do touro Bandido, famoso por aparecer na novela América, da Rede Globo, participa de um rodeio profissional amanhã, em São José do Rio Preto (noroeste paulista). Bandido morreu no ano passado, mas sete clones foram produzidos em 2006.


%HermesFileInfo:A-21:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

PLANETA Frente fria matou animais na Baixada, diz laudo do Ibama A grande quantidade de animais marinhos mortos – a maior parte pinguins – encontrados nas praias da Baixada Santistanasemanapassadaestádentrodanormalidade para esta época e não ocorreu por causa de um fato específico. A conclusão foi divulgada ontem pela chefe do escritório regional do Ibama, Ingrid Maria Furlan Oberg, após mais de três horas de reunião com veterinários, biólogos e ambientalistas no Centro de Capacitação e Pesquisa em Meio Ambiente (Cepema), li-

}

gado à Universidade de São Paulo (USP), em Cubatão. De acordo com Ingrid, o grupo que monitora o encalhe de animais marinhos não encontrou nenhuma condição além da normal nos exames realizados até agora. “Os exames detalhados, as análises patológicas, só saem daqui a uns 30 dias, mas não há nadaqueindiqueumacausadiferente nessas mortes”, disse. “Acreditamos que isso ocorreu por causa da frente fria, que acabou trazendo todos deuma vez.” Ingrid afirma que o número de animais que apareceram – 535 pinguins, 28 tartarugas, 6 golfinhos e algumas aves oceânicas, como atobás – é normal para o inverno, quando eles migram da Patagônia para águas mais quentes ao norte. No caso das tartarugas foram encontrados plásticos no estômago dos animais.

BP desligou alarme da plataforma Técnico terceirizado diz a investigadores que empresa não queria acordar funcionários Ed Pilkington THE GUARDIAN / NOVA YORK

Sistemas de alertas vitais estavam desligados no momento

da explosão na plataforma de exploração de petróleo Deepwater Horizon, da British Petroleum (BP), no Golfo do México, para evitar que os funcio-

REFRESCO

Vida A21

estadão.com.br

Macaco no Zoo de Erfurt, na Alemanha, experimenta “sorvete” de frutas em cubo de gelo; temperaturas continuam elevadas no continente europeu.

Leia. Países emergentes discutem aquecimento no Rio estadão.com.br/planeta AP

ANDRIJA ILIC/REUTERS

ças e arpões, mas hoje utilizam equipamentos mais modernos.

todos aprovados pela Associação Americana de Medicina Veterinária.

SACRIFÍCIO

Gansos serão mortos para evitar acidentes

DINAMARCA

Mais de 120 baleias morrem em caçada Mais de 120 baleias-piloto mortas ontem podiam ser vistas no Porto de Tórshavn, nas Ilhas

nários fossem acordados por alarmes falsos, informou ontem um técnico que prestava serviços à companhia. Segundo Mike Williams, funcionário da Transocean, empresa terceirizada responsável pelossistemaseletrônicosdaplataforma, os sensores e os alarmes estavam em plenas condições de funcionamento, mas o sistema foi programado para não disparar em caso de leitura adversa. Eledeuasinformaçõesemdepoimento ao um comitê federal que investiga o acidente. A explosão na plataforma, no dia 20 de abril, provocou a morte de 11 funcionários da BP e desencadeou um vazamento de gás e petróleo no golfo que é considerado o pior desastre ambiental da história dos EUA.

Faroë, uma província autônoma da Dinamarca entre a Escócia e a Islândia. Todos os anos, grupos da espécie Globicephala melaena passam pela região e são alvo de caçadores. No passado, os pescadores usavam lan-

Poço em água rasa é mais perigoso, diz gerente do Ibama

Autoridades de Nova York planejam matar 170 mil gansos canadenses para evitar acidentes. Foi esse tipo de ave que provocou uma espetacular aterrissagem de um Airbus A320 no Rio Hudson, no ano passado, com 155 pessoas a bordo. Os gansos se chocaram com a aeronave logo após a decolagem. Um documento elaborado por entidades nacionais, estatais e locais diz que Nova York tem cerca de 250 mil gansos canadenses e o objetivo é não superar os 85 mil exemplares. Até agora, 400 foram presos e asfixiados com gás. O documento afirma que eles serão sacrificados com mé-

pingar na exploração brasileira de maneira diferente da prevista por especialistas. Os maiores riscos ambientais por aqui não estariam no pré-sal ou nas águas profundas, onde fica a maior parte da atividade, mas em águas

rasas, perto da costa e com impacto direto no turismo e na pesca. Segundo o gerente do escritório de licenciamento do Ibama no Rio, Edmilson Maturana, os poços perfurados em águas rasas (até 300 metros) têm a mesma pressão verificada em águas profundas. No caso de vazamento, o óleo se espalharia rapidamente, chegando à costa. No caso das águas profundas, correntes marítimas levariam o óleo para longe. / KELLY LIMA

Williams afirmou que os alarmes estavam desligados havia pelo menos um ano. Quando perguntou os motivos, um de seus chefes da Transocean teria

dito que “eles não querem que as pessoas sejam acordadas às 3 horas da manhã por causa de alarmes falsos”. A revelação deve aumentar a

● O vazamento da BP pode res-

MOBILIZAÇÃO

Embaixadinhas pelo ambiente Os bons e ruins de bola podem fazer embaixadinhas hoje, às 15 horas, em prol da sustentabilidade. A mobilização será no estádio do Ibirapuera e faz parte do SWU Começa com Você. / AFRA BALAZINA, ANDREA VIALLI e REJANE LIMA, com AGÊNCIAS

● Superlotado

2,1 bilhão

de pessoas é a população que o planeta poderia suportar. Já estamos em 6,8 bilhões.

pressão sobre a Transocean e a BP, porque evidenciaria que as companhias deliberadamente desligaramosmecanismosdesegurança. “As investigações continuam a demonstrar que muitas coisas deramerradoequearesponsabilidade está dividida entre diferentes companhias”, afirmou na noite de ontem um porta-voz da British Petroleum. De acordo com uma pesquisa dojornalTheNew YorkTimes,publicada no início da semana, vários funcionários tinham conhecimento de práticas inseguras na plataforma, mas eles não as denunciavam por medo de represálias.


O ESTADO DE S. PAULO %HermesFileInfo:X-3:20100724:

Sテ。ADO, 24 DE JULHO DE 2010

A23


A24 %HermesFileInfo:X-4:20100724:

Sテ。ADO, 24 DE JULHO DE 2010

O ESTADO DE S. PAULO


%HermesFileInfo:X-1:20100724:

Sábado

24 DE JULHO DE 2010 R$ 2,50*

7 8 9 10 11 12

ANO 131. Nº 42648 EDIÇÃO DE

estadão.com.br


A2 %HermesFileInfo:X-2:20100724:

Sテ。ADO, 24 DE JULHO DE 2010

O ESTADO DE S. PAULO


O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Ranking mundial Brasil apresenta o terceiro pior índice de desigualdade social

INDICADORES DÓLAR EURO BOVESPA

Pág.B8

Pág. B10

VAR. (%) 1 0,06 1 0,09 1 0,87

COTAÇÃO R$ 1,7590 R$ 2,2720 66.322,99 pontos

Defesa de direitos na aviação TAM quer participar do processo de expansão dos aeroportos brasileiros, diz Bologna

PAULO LIEBERT/AE–29/6/2010

B1 %HermesFileInfo:B-1:20100724:

Pág.B12

Economia estadão.com.br

& NEGÓCIOS

Grandes bancos europeus passam em teste Teste de estresse reprova apenas 7 das 91 instituições financeiras, mas ainda há dúvidas sobre o rigor das provas feitas pela União Europeia Págs. B3 e B4

Casa no campo Eu quero uma casa no campo Onde eu possa compor muitos rocks rurais E tenha somente a certeza Dos amigos do peito e nada mais FOTO DO LOCAL

Eu quero uma casa no campo Onde eu possa ficar do tamanho da paz E tenha somente a certeza Dos limites do corpo e nada mais FOTO DO LOCAL

Eu quero carneiros e cabras pastando Solenes no meu jardim Eu quero o silêncio das línguas cansadas Eu quero a esperança de óculos E um filho de cuca legal Eu quero plantar e colher com a mão A pimenta e o sal Eu quero uma casa no campo Do tamanho ideal, pau a pique e sapê Onde eu possa plantar meus amigos Meus discos e livros e nada mais Casa no campo | De Zé Rodrix e Tavito FOTO DO LOCAL

FOTO DO LOCAL

Terrenos em piquetes originais, de 1.500 m2 a 4.500 m2, prontos para construir, ou manèges a partir de 20.000 m2. Rodovia dos Bandeirantes, km 114, sentido Monte Mor. Eleita a melhor do Brasil.

(11) 3888-3125/3126

Registro da matrícula 45.511, livro 2 no Registro de Imóveis da Comarca de Capivari – São Paulo – CRECI J-961 SECOVI 1191

7 8 9 10 11 12

www.haraslarissa.com.br


B2 Economia %HermesFileInfo:B-2:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

CELSO MING celso.ming@grupoestado.com.br

Rigor até onde?

T

omaram corpo as dúvidas de que o resultado dos testes de estresse (veja o Entenda) a que se submeteram 91 dos mais importantes bancos da União Europeia e ontem divulgado tenha a mesma aceitação e produza o alívio esperado, como aconteceu com o realizado no ano passado nos Estados Unidos. Sobraram desconfianças sobre se os testes foram suficientemente rigorosos a ponto de afastar o risco de falência de bancos que mantém o mercado em permanente tensão. Apenas sete bancos não passaram na prova de fogo e terão de providenciar uma injeção de capital de € 3,5 bilhões (US$ 4,5 bilhões), o que não é muito. E, de qualquer maneira, são as autoridades europeias que estão passando atestado de boa saúde dos

bancos. Isso não deixa de empurrar para os governos a responsabilidade de resgatar instituições financeiras se alguma coisa der errado. No início do seu governo, Barack Obama conseguiu reverter uma crise de confiança em relação aos bancos sediados nos Estados Unidos. E é esse efeito que as autoridades da União Europeia estão agora procurando. O pressuposto é o de que, uma vez reduzidas as pressões sobre os bancos, ficaria mais fácil atacar os demais problemas da economia europeia. Nas últimas semanas pipocaram na imprensa internacional resmungos de que esses testes não teriam sido aplicados com o devido rigor. Não teriam encarado com seriedade, como ficou dito, a possibilidade de calote nos títulos de dívidas soberanas que lotam hoje a carteira dos bancos.

Além disso, foram levantadas suspeitas de que levaram alguma dose de acerto prévio entre compadres, na medida em que foram negociados com os banqueiros. Esse último tipo de objeção circulara também por ocasião da divul-

O problema principal da União Europeia não são os bancos. É a situação fiscal de um punhado de países gação do teste de estresse realizado nos Estados Unidos e, mesmo assim, para a recuperação da confiança, que foi o efeito desejado, o teste funcionou. No entanto, os bancos americanos não estavam fortemente expostos a dívidas soberanas de países europeus. As autoridades europeias não foram realistas o suficiente para encarar a hi-

pótese de calote (default) de tesouros nacionais aparentemente porque, imaginaram elas, admitir esse risco seria brincar com novo incêndio; seria abalar ainda mais os fundamentos do euro. No entanto, entre as razões que levaram à aplicação dos testes está o aumento das apostas de que alguns países europeus, especialmente a Grécia, não terão outra saída senão recorrer à renegociação da dívida, como fez a Argentina em 2001, e que obrigou os credores a engolir cortes (haircuts) superiores a 60%. Nos Estados Unidos, dúvidas parecidas não prevaleceram. É que os mercados também procuram desesperadamente acreditar em alguma coisa, a ponto de admitir até mesmo certo nível de enganação. Se o caso europeu passou dos limites se verá nas próximas semanas. De todo modo, está claro que a solidez patrimonial dos bancos não é o problema principal. O problema principal é a crítica situação financeira e fiscal de um punhado de países da União Europeia que não conseguem reequilibrar suas contas públicas e que permanecem fortemente dependentes da disposição dos bancos de continuar a rolagem da dívida. A despeito de todos os esforços para reverter esse quadro, ainda não se sabe como os excessivamente endividados sairão dessa.

ENTENDA ●O

que é

Para quem não está acostumado com as ferramentas de administração de risco, testes de estresse são simulações feitas por computador que procuram avaliar até que ponto uma instituição financeira está sólida o suficiente para enfrentar com segurança calotes da clientela, dados certos cenários mais desfavoráveis para a economia. ● Vão

quebrar?

Os bancos que porventura não passam nesses testes não estão necessariamente falidos. Estão apenas precisando de mais capital de modo a poder enfrentar inadimplências ou atrasos no retorno dos financiamentos que foram concedidos. ● Fiscalização

Os testes foram aplicados pela Comissão Europeia de Supervisão dos Bancos (CEBS, na sigla em inglês), em dobradinha com o Banco Central Europeu (BCE). Na área do euro, não é o BCE que fica responsável por fiscalizar os bancos. É o organismo de supervisão existente em cada país sob a coordenação da CEBS.

Transforme custo em investimento. Faça as publicações legais da sua empresa no caderno Economia & Negócios do Estadão.

Editorial econômico

Opinião

O Tesouro muda sua tática para a dívida pública

Carga tributária

O total de emissões da dívida públicafederalemjunho, no valor de R$ 36,8 bilhões, foi inferior aos resgates, que somaram R$ 52,7 bilhões. Embora favorável, esse fato influiu pouco no estoque da dívida pública, que acusou redução de apenas 0,1%. A novidade é que o estoque, na casadeR$ 1,512trilhão,apresentou evoluções diferentes no que se refere à Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) e à externa (DPFe). Enquanto a primeira, que responde por 94% do total da dívida federal, apresentou redução de 0,20%, a segunda, no valor de R$ 95,9 bilhões, cresceu 1,11%. Isso sinaliza uma modificação na políticadoTesouroNacional,queantes dava preferência à dívida interna. Éumamudançaquesepoderiajustificarpordiversasrazões,nummomento em que o Brasil goza de certo prestígio no mercado financeiro internacional. Nota-se, por exemplo, que o prazo médio da dívida externa é de 6,01 anos, ante 3,4 anos para a interna; os vencimentos para os próximos 12mesesrepresentam12,76%doestoque da dívida externa, ante 26,99% para a dívida interna. A grande diferença, porém, está no custo médio: o da dívida interna é de 10,90% ao ano,

✽ ●

ante apenas 2,27% ao ano da dívida externa. No entanto, não se pode ignorar que no caso da dívida externa existe um grande risco cambial, uma vez que no futuro venha a ocorrer uma desvalorização cambial, que criaria um aumento de custo proporcional à desvalorização. Esse risco se tornou maisplausívelporcontadadeterioraçãoobservadanastransaçõescorrentes do balanço de pagamentos. A recente situação do mercado internacional impôs um aumento do custo anual, de 2,05%, em maio, para 2,27%, em junho. Além do mais, não se pode menosprezar o fato de que a dívida externa total, de US$ 218 bilhões em maio, deve ter aumentado bastante em junho, podendo ser considerada muito elevada pelo mercado internacional. É que, apesar de reservas internacionais de US$ 25o bilhões,odéficitdastransaçõescorrentes ameaça torná-las insuficientes em pouco meses – circunstância que, nomínimo,levariaosinvestidoresestrangeiros a exigir maiores juros. Mais uma vez é necessário destacar que, numa dívida pública que deverá crescer nos próximos meses, a redução do estoque de 0,1% poderia ter sido maior, não fosse a apropriação de juros num valor de R$ 13,83 bilhõesnadívida,umvalormuitopróximo do pagamento de R$ 15,8 bilhões, o que mostra a necessidade de um maior superávit primário.

AMIR KHAIR

A

carga tributária (CT) é obtida pela divisão da arrecadação da União, dos Estados e dos municípios pelo Produto Interno Bruto (PIB). Em 1991 era de 23,3%. Em 2005, de 33,3%. Cresceu, por ano, em média nesse período 0,72 ponto porcentual (p.p.) do PIB. A partir de 2006,oritmodecrescimentofoireduzido para 0,22 p.p. Em 2008 foi de 34,4%, caindo para 33,7% em 2009 e, para este ano, poderá voltar aos 34,4% de 2008, casopersista oritmode crescimentoda arrecadação ocorrida até junho. A comparação internacional da CT é sujeita a erro, pois depende do que prevê a Constituição de cada país em relação às obrigações do Estado perante a sociedade. Quanto maior essa obrigação, maior a necessidade de recursos e de CT. Para os países de renda per capitamais elevada, comoos da zona do euro,aCTéde45%,eparapaísesdaAmérica Latina e do Caribe, com renda per capita inferior à nossa, é de 29,2%, segundo o estudo Taxation and Latin American Integration, feito pelos economistas do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) Vito Tanzi, AlbertoBarreixeLuizVillelaparaoanode 2004. Observe-se que a CT na região vem crescendo a cada ano. É importante, no entanto, observar

que o governo não dispõe da arrecadaçãototalparadesempenharsuasatividades, pois dela deve ser subtraído o juro, quenonossocasoéelevadonoconfronto internacional. Em 2009 a CT de 33,7% foi abatida de 5,3% do PIB de juros, sobrando uma CT útil de 28,4% (33,7 menos 5,3). Na zona do euro a CT útil foi de 42,4%, 50% maior do que a nossa. Na América Latina os juros de 1,6% do PIB permitiram uma CT útil de 27,6%, semelhante à nossa. O que chama mais a atenção na comparação internacional é a incidência da CT: no Brasil se tributam em excesso o consumoeamão deobra epoucoarenda e o patrimônio. Com isso, quem ganha até dois salários mínimos (SM) paga 49% dos seus rendimentos em tributos e quem ganha 30 SM, 26%. Existem aspectos interessantes para destacar sobre a carga tributária: ● Crescimento – Em períodos de bomcrescimentoeconômico atendência da CT é crescer, pois o lucro das empresas e a massa salarial crescem acima do PIB e o governo arrecada proporcionalmente a eles. Além disso, os contribuintesestãoemmelhorsituaçãofinanceira, pagando mais em dia os tributos, eatéosatrasados.Quandoocrescimentoébaixo,tudoseinverteeaCTtendea cair, como ocorreu em 2003 e 2009. ● Importação – quanto maior a importação, maior a CT. A arrecadação, que é o numerador da CT, cresce com a cobrança doimposto de importação eo PIB, que é o denominador, diminui. ● Exportação – quanto maior a exportação, menor a CT. A arrecadação

nãosealtera,poisoimpostodeexportação é praticamente nulo no País e o PIB cresce. ● Eficiência –háváriosanosvemaumentando a eficiência da arrecadação daUnião,Estadosemunicípios,porutilizarem maior nível de informatização, cruzamento de cadastros e sistemas integrados de inteligência fiscal. Contribuem para isso a introdução da Nota FiscalEletrônicaeoSistemaPúblicode Escrituração Digital (Sped), ambos em faseavançadadeimplantação,easubstituiçãotributária,quetributanoatacado em vez de no varejo, onde ocorre maior nível de sonegação. Outro fator importante para ampliar a arrecadação é a troca de experiências entreasSecretariasdeFinançasedeFazenda de Estados e municípios em fóruns próprios para isso. Experiências exitosas são rapidamente apropriadas. Assim, sem mudar a legislação tributária, a arrecadação tende a crescer independentementedocrescimentoounão daeconomia.Emoutraspalavras,tende a crescer a CT pela maior eficiência estruturaldearrecadação,mantendoinalterada a legislação tributária. Para reduzir a CT e alcançar maior equidade,énecessárioreduzirasdespesas com juros, ou seja, a Selic, e reduzir/ zerar as alíquotas dos tributos que incidem sobre bens e serviços de consumo popular, sendo o principal deles o ICMS, de competência estadual. ✽ MESTRE EM FINANÇAS PÚBLICAS PELA FGV E CONSULTOR

Panorama Econômico JEAN-CLAUDE TRICHET

PLÍNIO NASTARI

KENNETH FEINBERG

PRESIDENTE DO BANCO CENTRAL EUROPEU

PRESIDENTE DA DATAGRO CONSULTORIA

RESPONSÁVEL PELO TARP DO TESOURO DOS EUA

“Temos de evitar uma assimetria, se for preciso, entre um afrouxamento imprudente e uma contensão hesitante indevida.”

“É provável que no médio prazo, a demanda pelo etanol pelos carros flex ultrapasse o volume produzido no País.”

“Há 17 empresas que fizeram durante esse período (crise financeira) pagamentos imprudentes para seus executivos.”

REINO UNIDO

PIB britânico sobe 1,1% no segundo trimestre A economia britânica cresceu 1,1% no segundo trimestre em relação ao primeiro, a maior expansão desde os três primeiros meses de 2006, informou a Agência Nacional de Estatísticas. Em relação ao segundo trimestre de 2009, o Produto Interno Bruto (PIB) avançou 1,6%, maior leitura desde o começo de 2008.

Analistas consultados pela Reuters previam crescimentos de, respectivamente, 0,6 e 1,1 por cento. PESQUISA

Abrir firma no País custa mais que na Colômbia O custo médio de abertura de empresas no Brasil é quase duas vezes maior do que o custo na Colômbia e seis vezes maior do que no Canadá, segundo mostra pesquisa divulgada pela Fe-

“Os testes de estresse dos bancos europeus aumentam a transparência e são um passo importante para incrementar a confiança dos investidores.” Dominique Strauss-Kahn DIRETOR-GERENTE DO FUNDO MONETÁRIO INTERNACIONAL

deração das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). Segundo o levantamento, o custo médio no Brasil é de R$ 2.038, contra R$ 1.213 na Colômbia, R$ 315 no Canadá e R$ 559 na Rússia.

LARRY DOWNING/REUTERS

Exportações de açúcar do País devem crescer e as de etanol diminuir na safra 2010/2011

15,78%

ESTADOS UNIDOS

Governo Obama reduz estimativa de déficit O governo de Barack Obama reduziu a estimativa do déficit no orçamento federal em 2010 em US$ 85 bilhões e afirmou

● Mão dupla

que a taxa média de desemprego deve ser de 9% no ano que vem, em comparação à projeção anterior de 9,2%, de acordo com um relatório divulgado pelo Escritório de Administração e Orçamento da Casa Branca

é o avanço das exportações de açúcar na safra 2010/2011 em relação à safra anterior

49%

é a redução prevista nas exportações de etanol


%HermesFileInfo:B-3:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Economia B3

JOERG KOCH/AFP

Sete bancos europeus terão de receber capital

● Desconfiança

MARCO ANNUNZIATA ECONOMISTA-CHEFE DO UNICREDIT

“Testes são insuficientes para trazer uma melhora rápida e forte da confiança sobre o sistema bancário da Europa.”

Simulação feita para avaliar capacidade de instituições de resistir a novas crises indicou a necessidade de um capital extra de €4 bilhões

WILBER COLMERAUER SÓCIO DA BRAZIL FUNDING

Andrei Netto CORRESPONDENTE / PARIS

Sete instituições bancárias da Alemanha, Espanha e Grécia foram reprovadas ontem pelo maior teste de estresse do sistema financeiro (simulação de cenários adversos para testar a saúde dos bancos) já realizado pela União Europeia. O resultado fica dentro dos prognósticos esperados pela maiorparte dosanalistas,queestimava em cerca de 10% o número de fracassos, pouco acima dos 7,6% registrados pelas autoridades de Bruxelas. Muitos especialistas levantaram dúvidas, porém, sobre o rigor dos testes. A prova de resistência, aplicada pelo Comitê Europeu dos Controladores Bancários (CEBS), envolveu 91 bancos que representam 65% do mercado do bloco e indica que recapitalizações da ordem de € 4 bilhões podem vir a ser necessárias. Bancos dos 16 países da zona euro, além do Reino Unido, da Polônia, da Hungria, da Suécia e da Dinamarca, participaram da avaliação, que teria seguido os critérios das provas realizadas em 2009 nos Estados Unidos, de acordo com o comitê. O resultado do teste foi conhecido às 18 horas em Bruxelas – 13 horas em Brasília –, logo após o fechamento dos mercados financeiros da Europa. Sem surpresas maiores, a avaliação apontou o banco alemão Hypo Real Estate (HRE), cinco caixas econômicas da Espanha – Cívica, Cajasur, Unnim e Espiga y Diada – e o banco ATEbank, da Grécia, como os mais frágeis do bloco. Essas instituições não foram consideradas aptas a manter uma relação de pelo menos 6% entre o capital e o total de suas ações – o chamado critério Tier 1– em 2011, na eventualidade de crise sistêmica. Na prática, os sete bancos poderão se ver obrigadosarealizarrecapizalizações no mercado ou a recorrer a injeçõesderecursospúblicos para reforçar os fundos próprios. Prognósticospreliminares sobre o estado das finanças das sete empresas indicam que elas precisariam reforçar seus caixas entre € 3,5 bilhões e € 4 bilhões. OHREpassoupornacionalização parcialem 2009,emrazão de seu envolvimentocom ativos tóxicos. A direção do banco alemão já informou que necessita de € 2 bilhões para reforçar suas contas, além dos € 7,85 bilhões em fundos e de € 105,6 bilhões em garantias que já recebeu do governo de Angela Merkel. As instituições espanholas estão em processo de reestruturação e fusões, e precisarão de € 1,83 bilhão, segundo dados do Banco Central da Espanha. Já o ATEbank, de Atenas, estaria programando sua recapitalização, estimada em € 250 milhões. Otimismo. A boa notícia trazi-

da pelo teste é que todos os grandes bancos do continente passaram sem sobressaltos. HSBC, Santander, BNP Paribas, Crédit Agricole, ING, Société Générale e Royal Bank of Scotland não foram ameaçados nem nos cenários mais rigorosos, como o elaborado pelo banco JP Morgan.

PARA ENTENDER Os testes europeus levaram em conta três cenários, O primeiro é conhecido como benchmark e usa previsões de crescimento quase em linha com os da Comissão Europeia para ver o que aconteceria aos bancos sob a atual perspectiva econômica. A partir daí, foi solicitado aos bancos que fizessem dois testes – num cenário adverso e num cenário adverso adicionado de choque soberano – sobre a turbulência no mercado de bônus do governo na zona do euro em maio.

Tambémsem surpresas,as autoridadesdaUniãoEuropeiasaudaram as constatações. “Os resultados dos testes confirmam a resiliência do conjunto do sistema bancário da UE aos choques macroeconômicos e financeiros negativos, e são um passo à frenteimportante para a restauração daconfiançadosmercados”,afirmou a CEBS, em comunicado.

Àespera dosresultados,omercado de câmbio não sofreu oscilações durante a tarde, com o euro avaliado em US$ 1,28. As principais bolsas de valores da Europafecharampróximoda estabilidade. Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em 0,02%, enquanto em Paris e Frankfurt o CAC 40 e o DAX registraram ligeiras altas: 0,18% e 0,39%. No

“Não me sinto mais seguro agora.”

Crise. Em2009, o Hypo passou por nacionalização parcial apanhado da semana, marcado pela expectativa em relação às provas, o balanço foi positivo. Entre a segunda-feira e ontem, a Bolsa de Paris subiu 3,05%. Resta em aberto qual será a avaliação do mercado financeiro

nasegunda-feira,quandoocorrerá o primeiro pregão após os testes. Horas antes da revelação dos dados, parte dos analistas, como Pierre-Antoine Dusoulier, presidentedoSaxoBanqueFrance, se mostrava cética em rela-

ção ao rigor da prova. “As informações que circulam nos bancos levam a pensar que o teste de estresse privilegia o marketing de um resultado satisfatórioem relaçãoauma realesólida verificação técnica.”


B4 Economia %HermesFileInfo:B-4:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

ARND WIEGMANN/REUTERS

Suíços passam por testes mais rigorosos

Cenário: Andrei Netto

A dúvida, agora, é sobre a qualidade dos testes

C

rises de ficção, resultados verídicos? Oobjetivo dos testes deestresse planejados pela União Europeia e realizados pelo Comitê Europeu dosControladoresBancários(CEBS)eraprovar aos investidores que o setor enfrentaria sólido uma crise sistêmica, como a ocorrida entre 2008 e 2009. O recurso às provas de resistência já havia sido usado nos EUA, e, assegura a direção do comitê, com critérios similares. Mas é precisamente essa metodologia que está sub judice por parte de analistas mais rigorosos. Três cenários de crise foram usados pelo CEBS para medir a resiliência dos bancos. O maisbrandodetodospressupunhaaocorrência de uma crise moderada na zona euro. O segundo, mais profundo, previa uma depressãomaisintensa, seguidade recuperaçãolenta, com recuo do PIB de 0,2% em 2010 e de 0,6% em 2011. O terceiro cenário previa um choque sobre os títulos de dívida soberana (dos países) que fazem parte das carteiras dos bancos. Falemos primeiro das críticas: segundo alguns analistas, os cenários não eram duros o suficiente, nem respeitavam as especificidades do setor na Europa. A hipótese de um calote da dívida soberana não foi incluída. Nas hipóteses abordadas pela prova, só uma parte da dívida soberana em poder dos bancos acabou envolvida. E o calcanhar de Aquiles da Europa são as dívidas soberanas. Por outro lado, o resultado obtido pelos bancos em simulações mais rigorosas, como arealizadapor GoldmanSachs epelo JPMorgan ao longo da semana, indicaram resultados semelhantes. No caso do Goldman Sachs, a taxa de aprovação seria de 89%, contra 92,4% verificada pelo CEBS, e 10 das 91 instituições analisadas enfrentariam problemas, e não apenas sete, como na análise do comitê. A julgar por esses parâmetros, frente a crisesde ficção, asolidez diagnosticadapor Bruxelas seria real. Resta saber frente a crises de verdade.

No país onde economia depende da saúde financeira, principais bancos são aprovados Jamil Chade CORRESPONDENTE /GENEBRA

��� Autoconfiança

O governo da Suíça declarou ontem que seus bancos são os mais resistentes da Europa. Depois de passar momentos críticos, os bancos do paraíso fiscal receberam o aval dos reguladores do país. Ontem, as autoridades suíças confirmaram que os dois principais bancos do país – UBS e Credit Suisse – haviam sido aprovados no teste de estresse adotado no país alpino. Segundo os reguladores, o teste na Suíça– feito pelaFinma,autoridadereguladora do sistema financeiro do país – foi bem mais rigoroso do que o realizado na Europa. O motivo do rigor era simples: os dois bancos representam pilares fundamentais não apenas das finanças do país, mas da própria sobrevivência econômica da Suíça. Há pouco mais de um ano, a crise no UBS obrigou o governo a adotar um pacote de resgate que foi considerado como uma medida não apenas para proteger a instituição, mas toda a economia.Juntos, os doisprincipais bancos detêm fortunas equivalentes a US$ 3 trilhões, sete ve-

RENATO FASSBIND DIRETOR FINANCEIRO DO CREDIT SUISSE

“Nossa estimativa é de que os testes dos reguladores suíços sejam duas vezes mais rigorosos que os europeus.” “Se tivéssemos passado pelo teste europeu, seríamos considerados como um dos bancos mais capitalizados do mundo.”

Resgate. Há pouco mais de um ano, o UBS precisou da ajuda do governo zes o Produto Interno Bruto (PIB) do país. Desafio. Com a crise que eclo-

diu em 2008, a preocupação era sobre a capacidade dos bancos suíços de permanecerem como centros de referência e ainda não perderem clientes. Apesar da aprovação de ontem, a história não tem sido um mar de rosas. Há seis meses, o UBS ainda sofria uma hemorragia de bilhões de dólares de clientes que, temendo uma quebra, simplesmente abandonaram o banco. Agora, o teste provou que am-

bos se recapitalizaram, mesmo que os novos fundos sejam de investidores árabes e asiáticos, e não suíços. Para passar pelo teste, os dois bancosforamavaliados em13 cenários diferentes, reunindo recessão da economia, ações em franca queda e congelamento de créditos. Além disso, o cenário mais crítico considerou um “eventodeproporçõesincalculáveis na Europa”. Os bancos teriam sobrevivido ao teste com uma capitalização mínima de 8%. Para os reguladores, o que ajudou é que os bancos

suíços estão pouco expostos às economias mais frágeis da Europa,principalmenteGrécia,Espanha e Portugal. Renato Fassbind, diretor financeirodoCreditSuisse,garantiu que os exames que teve de enfrentar não foi aplicado a nenhum outro banco europeu. “Nossa estimativa é de que os testes dos reguladores suíços sejam duas vezes mais rigorosos que os europeus”, disse. “Se tivéssemos passado pelo teste europeu, seríamos considerados como um dos bancos mais capitalizados do mundo”, garantiu.

● Cautela

As bolsas europeias já tinham fechado quando os testes de estresse foram divulgados. No entanto, o mercado desconfia da rigidez dos critérios aplicados.

✽ É CORRESPONDENTE EM PARIS

Informe Publicitário

Em maio, mercado de imóveis usados repete boa performance De acordo com a pesquisa CRECISP realizada com 509 imobiliárias da Capital paulista, pelo quarto mês consecutivo, as vendas de casas e apartamentos apresentaram crescimento. Na comparação de maio com abril, houve um aumento de 25,58% no número de negócios fechados na cidade de São Paulo. Esse índice acompanha tendência de alta demonstrada desde o início do ano: a quantidade de imóveis vendidos cresceu 39,97%; 14,90% 27,13%, respectivamente em fevereiro, março e abril.

Outro dado importante registrado pelo levantamento do CRECISP diz respeito aos financiamentos. A maioria das vendas de imóveis tem sido feita através de crédito imobiliário e não à vista. Os compradores optaram pelo financiamento em 50,84% dos negócios fechados em maio, 50,15% em abril e 53,03% em março. Para o presidente do CRECISP, José Augusto Viana Neto, esses fatores demonstram o momento promissor que o segmento atravessa, com um bom volume de crédito à disposição e uma confiança

maior das famílias em contrair um empréstimo. “Instituições como a CAIXA e a Abecip já sinalizaram que os bons ventos devem continuar e acreditam que, até 2014, o financiamento imobiliário responda por cerca de 11% do PIB, o que é um número bastante significativo comparado aos 3% atuais. O balanço semestral divulgado recentemente pela CAIXA indica a contratação de R$ 34,1 bilhões, com um crescimento de 95% em relação ao mesmo período de 2010. Com isso, nossas expectativas são muito positivas.”

Propostas para aquisição de nova sede do CRECISP ainda estão em análise nais Norte, Sul, Leste e Oeste – visto que a Delegacia Centro já conta com sede própria – e um novo prédio em substituição ao da R. Pamplona. O edital para aquisição desse edifício já foi publicado e o Conselho ainda está recebendo propostas de corretores, pois as analisadas até então não atenderam às necessidades do CRECISP. “Nosso objetivo é adquirir um imóvel com 6 mil m² a 7 mil m², com amplo estacionamento, um auditório, e que esteja bem localizado”, explicou o presidente do CRECISP, José Augusto Viana Neto. “A entida-

de cresceu muito nos últimos anos, ganhamos novos inscritos e precisamos, também, abrigar nossos colaboradores de forma que possam desempenhar suas funções a contento. Esperamos que o CRECISP receba boas propostas.” As ofertas de imóveis para a sede e para as Delegacias devem ser encaminhadas à R. Pamplona, 1.200, no horário comercial. Os imóveis passarão por uma análise no que se refere à documentação e à estrutura física das instalações, para que se constate se estão aptos ou não à comercialização.

Programação do Evento 27/7 – Terça-feira

28/7 – Quarta-feira

30/7 – Sexta-feira

1 /8 – Domingo

5/8 – Quinta-feira

Gravação do programa Adega Musical com o apresentador Manoel Beato

Degustação de Histórias Tema: Contos budistas

Degustação de Histórias Tema: Contos das Mil e Uma Noites

Caminhada Esportiva (trekking de regularidade) organizada pela Iron Adventure

Noite Mexicana Eldorado Inverno

Das 19h30 às 21h

Das 19h45 às 21h30

Das 19h45 às 21h30

Às 8h

Às 20h

Enoteca Fasano

Livraria da Vila Loja Fradique

Livraria da Vila Loja Shopping Cidade Jardim

Salesópolis

Si Señor

6/8 – Sexta-feira

7/8 – Sábado

7/8 – Sábado

8/8 – Domingo

8/8 – Domingo

Peça Ensina-me a Viver com Glória Menezes

Peça Faz e Conta

Peça Ensina-me a Viver com Glória Menezes

Peça Faz e Conta

Peça Ensina-me a Viver com Glória Menezes

Às 21h30

Às 16h

Às 21h30

Às 16h

Às 19h

Teatro Tuca

Teatro Tuca

Teatro Tuca

Teatro Tuca

Teatro Tuca

12/8 – Terça-feira

17/8 – Domingo

18/8 – Quarta-feira

25/8 – Quarta-feira

26/8 – Quinta-feira

Noite Mexicana Eldorado Inverno

Gravação do programa Letras e Leituras com a apresentadora Mona Dorf

Noite de Salsa Eldorado Inverno

Degustação de Histórias Tema: Amores possíveis e impossíveis

Degustação de Histórias Tema: Indianos

Às 20h

Das 17h30 às 19h30

Às 20h

Das 19h45 às 21h30

Das 19h45 às 21h30

Si Señor

Casa do Saber

Azucar

Livraria da Vila Loja Fradique

Livraria da Vila Loja Shopping Cidade Jardim

28/8 – Sábado

29/8 – Domingo

Peça Jogando no Quintal espetáculos de improviso jogados por palhaçosjogadores

Peça Jogando no Quintal espetáculos de improviso jogados por palhaçosjogadores

Às 21h

Às 19h30

Teatro Tuca

Teatro Tuca

Aberta nova seleção pública no CRECISP De 21 de julho a 20 de agosto estarão abertas as inscrições para a seleção pública do CRECISP, para o preenchimento de vaga no cargo de Profissional de Suporte Administrativo para a Gerência

Funcional. Os interessados devem ter ensino médio completo e idade mínima de 21 anos. As inscrições serão realizadas gratuitamente, mediante protocolo do formulário de inscrição disponível no site do CRECISP,

preenchido e acompanhado de cópia da cédula de identidade e do CPF, em horário comercial. Outras informações através do link: http://creci-sp.gov. br/restrito/arquivos/editais/ edital0132010.pdf

Para facilitar o atendimento aos requerentes de estágio, informamos que o atendimento está sendo feito somente nas 5 Delegacias Seccionais e 21 Regionais. À sede, somente estará destinada a inscrição definitiva.

Realização:

Apoio no Evento:

Patrocínio:

Apoio Cultural:

Inscrições pelo site: www.estacaoferias.com.br

Programação sujeita a alterações.

Há três anos, o CRECISP deu início a um processo para aquisição de imóveis para abrigar suas Delegacias Sub-regionais e Seccionais.Duranteesseperíodo, a entidade adquiriu novas sedes nas cidades deAraçatuba, Bauru, Campinas, Franca, Guarulhos, Itu, Jundiaí, Caraguatatuba, Marília, Piracicaba, Praia Grande, Presidente Prudente, Ribeirão Preto, São Carlos, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Sorocaba, Osasco, Rio Claro e Santo André, faltando apenas o município de Santos. Na Capital, estão pendentes os imóveis para as Seccio-

A Estação Qualidade de Vida


%HermesFileInfo:B-5:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Economia B5 CELSO JUNIOR/AE-21/7/2010

Governo pode desistir da estatal de seguros Diante das críticas das empresas privadas à proposta de criação da EBS, Planalto discute a substituição da estatal por uma agência Adriana Fernandes Fabio Graner BRASÍLIA

O governo pode ceder e optar por uma agência seguradora governamental em substituição à ideia inicial de criar a Empresa Brasil de Seguros (EBS). O objetivo da empresa, segundo o Ministério da Fazenda, é reforçar o sistema de garantia de créditos aos grandes projetos de infraestrutura e de exportação eatuar no ramo de seguro de créditos para micro e pequenas empresas, habitação popular, financiamento estudantil e máquinas agrícolas. A proposta de criação de agência foi apresentada esta semana pelasempresasprivadas deseguro e, agora, a área técnica da Fazendase debruça em estudos para avaliara viabilidadetécnica de criação da Agência em condições que não comprometam a proposta inicial de viabilizar os novos investimentos. A orientação do ministro da Fazenda, Guido Mantega, é buscar um entendimento entre a proposta do governo e a do setor privado. Mantega quer evitar que a criação da EBS se transforme em mais um ruído político em meio ao debate eleitoral. Por isso, ele determinou à sua área técnica que refaça a proposta do governo para o setor de seguros. Nos próximos 15 dias, os técnicosterãoreuniõescomrepresentantes do setor, que criticam a tese de uma estatal.

PARA LEMBRAR

Ideia de criar estatal surgiu há dois meses Em maio, o governo anunciou um pacote de estímulos ao setor exportador e, com ele, a criação da Empresa Brasileira de Seguros (EBS), que seria a peça central na remodelação do sistema público de garantias de crédito. A EBS receberia o recurso de 4 dos 7 fundos garantidores existentes e seria responsável por administrar o fundo garantidor de infraestrutura (criado a partir da fusão de três fundos restantes) e um novo fundo para garantir operações de comércio exterior, com o objetivo de alavancar as exportações. O governo já estava com o texto de uma Medida Provisória (MP) pronto quando, no início do mês, o setor de seguros passou a pressionar politicamente contra a criação da EBS, alegando que o mercado dava conta de oferecer seguros. O Ministério da Fazenda alega que a empresa iria onde o mercado não chega. A proposta de criação da nova estatal virou tema eleitoral. O governo, então, desistiu de enviar uma MP e discute a elaboração de projeto de lei.

Proposta. A Confederação Na-

cional das Empresas de Seguros Gerais,PrevidênciaPrivada, eVida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg) propôs a criação de uma agência de garantia de seguros. A agência funcionaria como uma empresa (não se trata de uma nova reguladora do setor,que já contacom umórgão supervisor), mas em tese teria um perfil mais limitado. O Estado apurou que, para o governo, a criação de uma agência nos moldes propostos pelos seguradoresnãoresolveriaoproblema que a equipe econômica

quer atacar com a EBS: a falta de garantias para operações de crédito com micro e pequenas empresas, no segmento habitacional e no financiamento estudantil,ondeomercadonãoteriainteresse. O motivo principal é que uma agência (nos moldes tradicionais),noentendimentodogoverno, não teria poder de atuar alavancada, como fazem as empresas de seguro, que para cada 1 de capital podem gerar nove em coberturas de seguros. Outra desvantagem que o go-

verno vê emum modelo de agência é que ela teoricamente não poderiaficarsoboolhardaSuperintendência de Seguros Privados (Susep), órgão que supervisiona o mercado de seguros. Dessaforma,oriscodasoperações da agência poderia ficar maior. “Uma agência não seria submetida às mesmas regras de controledeumaseguradora”,explicou uma fonte do governo, argumentando que as empresas do ramo de seguros trabalham soblimitesderiscoesãomonitoradas pela Susep. Mas o governo pode caminhar para uma solução que combine o formato de agência com uma atuação mais próxima de uma empresa de seguros: uma agênciaquepossatrabalharcomalguma alavancagem e supervisão de um órgão regulador. Arestas. Ministro Guido Mantega quer evitar ‘ruído’ com setor privado no debate eleitoral Fundos. A equipe econômica

tem enfatizado que o governo não tem intenção de tomar o lugar do setor privado, apenas suprir uma necessidade que existe porfaltadecoberturadasempresas privadas. Por isso, seja a EBS, seja uma agência, o governo vai juntar quatro fundos garantidores de menor porte, voltados para garantir operações com pequenas empresas, habitação e agricultura nessa nova entidade (EBS ou agência), que vai atuar em segmentos onde supostamente o mercado não chega. Outrostrêsfundosserãounificados para formar um grande fundo garantidor de infraestrutura, que vai garantir obras de vultonessa área. À EBS(ou agência)caberá administraresse fundo,definindoparaondeasgarantias serão alocadas. Aideiaéque oseguro dofinanciamento de infraestrutura seja dado para operações em que não haja interesse do mercado. Apesardeadministrarofundogarantidor, a empresa ou agência não ficará com o risco das garantias oferecidas,poiso fundotempersonalidade jurídica própria. Será criado um fundo garantidor de operações de comércio exterior, quetambémseriagerenciadopela EBS ou pela agência.

GOVERNO VS. MERCADO Agência Empresa Brasileira de Seguros (EBS)

maior de operações.

Mudanças no sistema de garantias

4 – Além de poder trabalhar 1– Operaria como uma seguradora normal, mas em mercados onde o setor privado teria fraca atuação, como no fornecimento de garantias de financiamento de micro e pequenas empresas, financiamento estudantil, habitação e máquinas agrícolas.

2– Vai também administrar o fundo garantidor de infraestrutura, voltado para grandes obras que o mercado segurador não tiver interesse. A empresa vai decidir para onde serão destinadas as garantias do fundo de infraestrutura, mas não assumirá o risco da operação, que ficará com o fundo, que tem personalidade jurídica própria, diferente da EBS.

alavancada, a EBS estaria sob a supervisão da Superintendência de Seguros Privados (Susep).

Agência de Garantias (sem nome ainda) 1 –Teria a mesma função da EBS, como garantir operações de financiamento de micro e pequenas empresas, habitação e máquinas agrícolas (além de administrar o fundo garantidor de infraestrutura), mas, na visão dos técnicos, teria uma limitação para atuar, pois não poderia se alavancar.

2 – Não estaria sujeita a supervisão do órgão regulador (Susep), o que aumenta o risco operacional do negócio.

1 – O governo vai criar a nova empresa (EBS) ou agência com o capital de quatro fundos garantidores de pequeno porte, que hoje atuam no mercado de micro e pequenas empresas, habitação e máquinas agrícolas. 2 – Os outros três fundos garantidores da área de infraestrutura (Fundo Naval, das PPPs – Parcerias Público Privadas – e de Energia), que são de maior porte, seriam unificados em um só, oferecendo garantias para grandes obras. Inicialmente não poderá trabalharalavancado e vai operar onde o mercado não tiver interesse.

3 – Mas o governo vai discutir 3 –Como seguradora, poderia trabalhar com uma alavancagem (multiplicando o capital) grande, garantindo um volume muito

com o setor e é possível que crie uma agência que tenha um perfil de atuação mais próximo da ideia da EBS.

3 – O governo também vai criar um Fundo Garantidor de Comércio Exterior, para estimular as exportações brasileiras.

MARCOS DE PAULA/AE

Área de petróleo terá verba para tecnologia Fabricantes de peças e equipamentos terão financiamento da Finep para estudos e desenvolvimento

● Apoio

Criada em 1967, a Finep tem como missão promover o desenvolvimento econômico e social por meio do fomento público à ciência, tecnologia e inovação em empresas e universidades.

● Incentivo

R$ 130 mi

da Finep serão liberados para financiar pesquisa e desenvolvimento de tecnologia

Lu Aiko Otta / BRASÍLIA

Asempresasbrasileirasprodutoras de peças e equipamentos para exploração de petróleo vão receber R$ 130 milhões da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) para desenvolver novas tecnologiase melhorar seus produtos em conjunto com centros de pesquisa. Diferentedoformatotradicional utilizado pela entidade, no qual cabe à academia apresentar projetos para solicitar os recursos, dessa vez a iniciativa caberá às empresas. Elas é que farão uma primeira manifestação de interessee,sónumasegunda etapa,formalizarãoparceriacomalgum instituto de ciência e tecnologia (ICT). O objetivo da Finep é atacar os gargalos na cadeia produtiva nacional do petróleo que foram identificadosnum amploestudo feitopelo ProgramadeMobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), com apoio da Petrobrás. “Há

R$ 1mi

é o valor mínimo fixado pela financiadora para cada projeto a ser financiado

R$ 30 mi

serão reservados para equipar laboratórios de pesquisa em petróleo

Avanço. Cabine de perfuração de uma das plataformas da Petrobrás: tecnologia terá incentivo da Finep uma barreira grande entre o desenvolvimento de ciência e tecnologia e a demanda tecnológica da indústria”, disse o representante do Prominp Vitor Saldanhaduranteumavideoconferência que reuniu industriais de 14 Estados ontem, na Confederação Nacional da Indústria (CNI). “A universidade não conhece a demanda da indústria”. Dificuldades. Além da distância entre a pesquisa acadêmica e anecessidadedasempresas,oestudodoProminpidentificoudifi-

culdades que vão desde a falta de laboratórios até problemas em produtos de base, passando por problemasde gestão.Foi constatado, por exemplo, que o material forjado utilizado na fabricação de válvulas para a indústria do petróleo é muito poroso. DosR$130milhões,R$100milhõesserãodirecionadospararesolver questões como essas em seis setores: válvulas, conexões e flanges, umbilicais submarinos,calderaria,construção einstrumentação e automação. Além da melhoria dos produ-

tos de base, serão aceitos projetos para inovar equipamentos e para as chamadas pesquisas de fronteira – no caso, tecnologia para perfuração do pré-sal. Os outros R$ 30 milhões serão utilizados para equipar laboratórios. O valor mínimo para cada projeto é de R$ 1 milhão e as empresasdeverão apresentaruma contrapartida,quepodeserfinanceira ou não financeira. No último caso, são despesas que podem ser comprovadas economicamente, como horas trabalhadas de pesquisadores, por exemplo.

No caso das microempresas, a contrapartida exigida é de R$ 50 mil. O valor aumenta conforme o porte da empresa, de forma que as grandes empresas devem apresentar valor igual ao aportado pela Finep. Preocupação. No debate de quinta-feira, a maior preocupação apresentada foi o prazo curto.As empresasterãode formalizar seu interesse até o dia 8 de agosto. O economista da CNI, Paulo Mol, ponderou que é um prazo

curto para mobilizar as empresas. Vitor Saldanha disse que o Prominp enviou carta ao MinistériodeCiência e Tecnologiapedindo mais tempo. O fortalecimentodacadeiaprodutivanacional do petróleo é considerado umpassoestratégiconaexploração do petróleo no pré-sal. Além de inovar e melhorar a qualidade dos produtos fabricadosnoPaís,éprecisoqueaindústriaganheescalaparapodercompetir com os fornecedores estrangeiros na exploração do présal.


B6 Economia %HermesFileInfo:B-6:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

apresenta:

Morar bem pode ser relativo. Mas morar no melhor do Brooklin, com uma vista exclusiva, é um privilégio só seu. Simulação da vista do 15º- andar

Charme que se estende por todos os ambientes.

Para receber amigos com muito estilo.

O

hall social privativo e o espaçoso living integrado ao terraço gourmet proporcionam ambientes elegantes para receber os amigos.

Terraço gourmet único, com forno de pizza, churrasqueira, ponto de gás para lareira e ponto para TV.

Suíte máster

Espaço planejado para elevar sua vida.

Suíte máster planejada para o seu conforto, com Living

mais de 30 m2, iluminação natural e um terraço exclusivo.

Terraço gourmet

Rua Ministro José Gallotti, 470 - Brooklin - Tel. 2306-0400 (esquina com a Rua Bartolomeu Feio)

www.grupoagre.com.br/domani

www.lopes.com.br/domani

LPS Brasil - Consultoria de Imóveis S.A.: Rua Estados Unidos, 1971 – Jardim América – São Paulo-SP – CEP 01427-002 – Tel. (11) 3067-0000 – CRECI/SP: J-19585 – www.lopes.com.br – Secovi: 955.• Agre Vendas: Rua Gomes de Carvalho, 1510 – 15º- andar – Vila Olímpia – São Paulo-SP. Central de Atendimento: (11) 3296-0300 – CRECI: J-20.255, em 2/6/2009. R. 02 da Matrícula 203.402, do 15º- Cartório de Registro de Imóveis de SP, em 28/5/2010. As artes apresentadas são meramente ilustrativas, podendo ser alteradas sem aviso prévio conforme exigências legais e de aprovação. Os materiais e os acabamentos integrantes estarão devidamente descritos nos documentos de formalização de compra e venda das unidades. Plantas ilustrativas com sugestão de decoração. Medidas internas e de face a face das paredes.


O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

4 suítes | 258 m

2

Economia B7

privativos

Terreno de esquina com mais de 4.000 m2. Todas as unidades são com vista para uma Zona Estritamente Residencial. Os apartamentos são equipados com a tecnologia iHouse: com infraestrutura para automação residencial e touchdoor que libera a abertura da porta através de leitura da digital ou de senha.

Terraço exclusivo

Banheira dupla

Elevador privativo

Vendas:

Planejamento, Realização e Vendas:


B8 Economia %HermesFileInfo:B-8:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

CELSO JUNIOR/AE–16/7/2009

Análise: Fernando Dantas

Nível é muito ruim, mas progresso tem sido bastante rápido

N

Mesmo cenário. No Maranhão, moradias são palafitas: relatório do PNUD afirma que a região da AL e Caribe é a mais desigual do mundo

Brasil é terceiro pior do mundo em 1. desigualdade

PRESTE ATENÇÃO A região da América Latina e Caribe é a mais desigual do mundo, com uma baixa mobilidade social entre gerações. A desigualdade na América Latina é, segundo o estudo, “persistente”.

ONU afirma que País tem baixa mobilidade socioeconômica e só perde para Bolívia e Haiti em diferença entre ricos e pobres RANKING MUNDIAL

taca que a maior dificuldade na AméricaLatinaéimpedirquedesigualdade social persista no decorrer de novas gerações.

● Onde há desigualdade social

Pobreza. “A desigualdade re-

Leandro Colon / BRASÍLIA

O Brasil tem o terceiro pior índice de desigualdade no mundo e, apesar do aumento dos gastos sociais nos últimos dez anos, apresenta uma baixa mobilidade social e educacional entre gerações. Os dados estão no primeiro relatório do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) sobre América Latina e Caribe. Segundo o estudo, a região é a maisdesigualdomundo.“Adesigualdadederendimentos,educação, saúde e outros indicadores persiste de uma geração à outra, e se apresenta num contexto de baixamobilidadesocioeconômica”, diz o estudo do órgão da ONU concluído neste mês. Entre os 15 países com maior diferençaderendaentre ricosepobres, 10 estão na América Latina e Caribe. Na região, o Brasil empata com Equador e só perde para Bolívia e Haiti em relação à piordistribuiçãoderenda.Quan-

Países

Posição

Bolívia

Madagascar

Camarões

Tailândia

África do Sul

Haiti

Brasil

Equador

Colômbia

Paraguai

FONTE: ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS

dooutroscontinentessãoincluídos, aBolívia ganha a companhia de Madagáscar e Camarões no primeiro lugar, e o Haiti tem ao seu lado, na segunda posição, Tailândia e África do Sul. Para o PNUD, esses países apresentam índices “muito altos”. OrelatóriodoórgãodaONUdes-

produz desigualdade, tanto por razões econômicas como de economia política”, afirma trecho do documento. E os números não são nada bons para o Brasil. Cerca de 58% da população brasileira mantém o mesmo status social de pobreza entre duas gerações, enquanto no Canadá e nos países nórdicos, por exemplo, esse índice é de 19%. “Estudos realizados em países com altos níveis de renda mostramque amobilidadeeducacional e o acesso a educação superiorforamoselementosmaisimportantespara determinar a mobilidade socioeconômica entre gerações”, diz a ONU. Pai e filho. Segundo o estudo da ONU, é baixo também o crescimento do nível de escolarida-

2.

No Brasil, uma geração repete 55% do nível educacional da geração anterior. Nos EUA, por exemplo, esse porcentual é de 21%. Nesse caso, o Brasil perde para países como Honduras, Bolívia e Equador.

3.

Pela pesquisa, 58% de uma geração no Brasil mantém o mesmo nível de desigualdade social de seus antecedentes. Como exemplo, o PNUD cita o Canadá, onde esse índice é de apenas 19%.

4.

A escolaridade varia negativamente entre crianças e jovens, segundo a ONU. Segundo a média da região, 96% das crianças entre 6 e 12 anos estão matriculadas. O porcentual cai para 82% no grupo de 13 a 17 anos, e diminui para 36% entre 18 e 23 anos. deentrepaiefilho.Eesseresultado é influenciado pelo patamar educacional da geração anterior. No Brasil, essa influência chega a ser de 55%, enquanto nos EUA esse porcentual é de 21%. O Brasil,nessequesito,perde parapaísescomoParaguai,Panamá,Uru-

ãoresta dúvidade queadesigualdade de renda no Brasil é muito grande, e que o País figura entre os piores países do mundo nessa questão, junto com outras nações latino-americanas e africanas. No entanto, o ranking do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) está defasado, já que seu dado com certeza não é posterior a 2006 – e, de lá até2008,pelomenos,adesigualdadebrasileira prosseguiu no grande movimento de queda, iniciado a partir do final da década de 90. Tomando-se a renda familiar per capita (o indicador usado pelo Pnud), o Brasil saiu de um índice de Gini de 0,6019, em 1996, para 0,5486, em 2008. A queda em 12 anos, portanto,foide9%,um ritmovelozsegundoosespecialistas, já que esse tipo de indicador evolui muito gradativamente. O índice de Gini varia de zero a um, e quanto maior ele for, pior é a desigualdade. “Afotografiadadistribuiçãoderendabrasileira ainda é muito ruim, mas qualquer comparaçãointernacionalindicaqueanossa quedadadesigualdadefoi muitorápida”,dizMarcelo Neri, do Centro de Políticas Sociais (CPS), da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Especificamente entre 2006 e 2008, a queda do Gini no Brasil foi de 2,4%, de 0,5623 para 0,5486, uma redução muito expressiva para um período de apenas dois anos. Para se saber precisamente qual a posição brasileira num ranking mundial de desigualdade, seria preciso comparar a posição em 2008, a última disponível pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), com a de outros países no mesmo ano. O especialista Ricardo Paes de Barros, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), considera difícil transmitir para as pessoas o seu otimismo em relação à evolução dosindicadores sociais no Brasil.A razão, explica, é que o público olha primordialmente para o nível, e não para as variações do nível. Cientistas como Neri e Paes de Barros sabem, porém, que uma desigualdade monstruosa como a que o Brasil herdou do seu passado não será corrigida em poucos anos. Entre 2001 e 2008, a renda dos 10% mais pobres no Brasil cresceu seis vezes mais rápido do que a dos 10% mais ricos. Para Paes de Barros, é quase impossível se imaginar um ritmo mais veloz de redução de desigualdade. Mesmo assim, permanecem os terríveis contrastes na paisagem social brasileira. É uma realidade com a qual o País ainda terá de conviver por muito tempo, mas que pode ir melhorando paulatinamente, se o governo e a sociedade souberem como manter os progressos dos últimos doze anos.

✽ É JORNALISTA DO ‘ESTADO’

guai e Jamaica. O estudo do PNUD destaca que acesso a bens e serviços públicos podem ajudar a aumentar essa mobilidade educacional. A evolução do gasto público social é destacada pelo órgão da ONU. Gasto social. Segundo o estu-

Aprendizado infantil não avança com Bolsa-Família BRASÍLIA

O relatório do PNUD analisa com extrema cautela os programas de transferência de renda, como o Bolsa-Família, do governo brasileiro, citado no documento. “Enquanto por um lado se registram aumentos modestos nos níveis de escolaridade e saúde alcançados, por outro, se observa que os programas não conseguiram melhorar o nível

de aprendizado das crianças”, diz o estudo da ONU. O PNUD enumera uma série de fatores para que esse tipo de programa social consiga obter sucesso e romper a continuidade da pobreza entre as gerações, entre eles qualidade no serviço de saúde, educação e empregos. “A seleção dos beneficiários deve responder a critérios claros e transparentes,oqueimplicacontar com instrumentos adminis-

trativos sólidos e confiáveis e prevenir a manipulação dos programascomfinspolíticosepartidários”, diz o relatório. O estudo ressalta a dificuldade em combater a queda do nível educacional entre a infância e a fase adulta. Na América Latina, 96% das crianças entre 6 e 12 anos estão matriculadas, mas a quantidade cai para 36% no grupo de 18 a 23 anos. No Brasil, segundo dados de 2008, 97,9% das crianças entre 6 e 12 anos estão matriculadas. A porcentagem cai para 89,8% entre os jovens de 13 a 17 anos, enquanto apenas 34,4% da população entre 18 e 23 anos está inscrita em algum nível de ensino.

O Brasil está melhor do que a maioria dos seus vizinhos quando o assunto é gravidez na adolescência. A média na América Latina é de 80 nascimentos entre mil mulheres de 15 a 19 anos. No Brasil, o número é de 56. NaAméricadoSul,apenaso Chile ganha do País com 49 nascimentos. O campeão no relatório é a Nicarágua com uma relação de 109 bebês entre mil mulheres nessa faixa de idade. “Háestreita relação entre onível educacional das mulheres e a maternidade na adolescência”, destaca a ONU. “O assunto está ligado à forte estratificação por nível socioeconômicos que caracteriza a região”. L.C.

Previdência estuda fim das pensões herdadas Ministro diz que em 2008 3,7 milhões de pessoas recebiam pensões por morte de cônjuge, acumulando benefícios Célia Froufe / BRASÍLIA

Obomdesempenhodaeconomia brasileira e a proximidade deum novo governo formam um cenário propício para reacender assuntos polêmicos ligados à Previdência Social. Pouco a pouco, o ministro Carlos Eduardo

Gabas vem colocando os temas em pauta: aumento da idade mínima para aposentadoria, unificação dos regimes dos servidores públicos com o geral e continuação da contribuição previdenciária dos servidores inativos. Os itens mais recentes são o desconforto em relação ao acúmulo de benefícios, que praticamente só existe no Brasil, e as pens��es herdadas por cônjuges. Gabas encomendou estudos internos na Previdência para ter númerosquepossamdarrespostas sobre qual caminho seguir. No mínimo, a expectativa é de

quesejafeitoumretratodasituação, já que nem todos os dados atuais podem responder a todas as dúvidas. Enquanto levantamento não sai, o ministro colhe avaliações informalmente. Ele mesmo não se compromete com posições, mas deixa passar alguns sinais sobre sua visão ao citar exemplos. De acordo com o anuário da Previdência de 2008, o mais recente disponível, 3,7 milhões de pessoas recebiam naquele ano pensões por morte de cônjuge, companheiro ou ex-cônjuge – a maioria significativa é de mulhe-

res(3,4milhões).Ototaldepagamentosprevidenciáriospormorte – incluindo filhos, pais, irmãos, além do próprio cônjuge – é feita a 6,5 milhões de beneficiados e o número geral de benefícios do INSS é de 23,1 milhões. Ajuste. Avesso à palavra reforma, o ministro quer tratar das discussões como ajustes administrativos,sempassarportransformações constitucionais. O diagnóstico sobre diferentes temas ligados à Previdência será entregue ao presidente Lula em dezembro e visa a garantir a sus-

na diminuição da pobreza em diversos países da região, os valores agregados escondem importantes desigualdade”. Os dados apontam ainda que as mulhereseaspopulaçõesindígenas e afrodescendente são os maisprejudicados peladesigualdade social na América Latina e Caribe. No Brasil, por exemplo, apenas 5,1% dos descendentes de europeus vivem com menos de 1 dólarpor dia.Oporcentualsobepara 10,6% em relação a índios e afros. Mais uma vez, o PNUD lembra que os acessos a infraestrutura, saúde e educação poderiam alterar esse cenário.

do, esse tipo de despesa gira em torno de 5% do Produto Interno Bruto (PIB) na região. Entre 2001 e2007, o gasto por habitante aumentou 30%, de acordo com o relatório, sendo que a maior parte disso concentrouseemsegurançaeassistência social. “É possível afirmar que os países da América Latina e Caribe realizaram um importante esforço para melhorar a incidência do gasto social”, diz a conclusão do estudo. O PNUD ressalta o crescimento econômico de alguns países nos dez últimos anos, entre eles o Brasil, mas faz um alerta: “Ainda que sejam evidentes os avanços no desenvolvimento humano e

Propostas. O estudo da ONU defende que é possível romper o círculo vicioso da desigualdade. Para isso, são necessárias políticas que combatam a pobreza de formaestratégica“A desigualdade é um obstáculo para o avanço no desenvolvimento humano, e sua redução deve incorporar-se explicitamente na agenda pública”, diz o documento.

tentabilidade da Previdência. O documento será passado ao próximo presidente. O ministro tem aberto outras questões. Recentemente, deixou claro que, após as eleições, lutará contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) queaprovao fimda contribuição dos servidores inativos. O texto foiaprovado na semana passada, em Comissão Especial na Câmara dos Deputados e prevê isenção da contribuição a partir dos 65 anos e cria um redutor de 20% por ano a partir dos 61 anos. “Isso é um contra-senso”. O ministro afirma que uma avaliação a respeito da idade mínima é uma questão de justiça previdenciária, pois a população

está envelhecendo. “Minhas filhas vão viver mais de 100 anos e se elas se aposentarem aos 50, vão fazer o que neste período, que ainda é de grande produtividade”, questionou, na semana passada. Além disso, ele também cita outro ponto polêmico: o de tornar, cada vez mais próximo, o regime geral e o dos servidores. Há, no Congresso, uma proposta para criar o fundo de pensão do funcionalismo. “Queremosque isso sejaaprovadologo”,comentou.Elegarante que qualquer mudança a ser realizada não afetará as pessoas que estão próximas do período de aposentadoria. “Quem for se aposentar em cinco ou dez anos não sentirá qualquer mudança”.


%HermesFileInfo:B-9:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Economia B9

Déficit do setor têxtil atinge US$ 1,5 bi Números do 1º semestre indicam que o ano poderá fechar com saldo negativo na balança comercial de US$ 3 bilhões, segundo a Abit REUTERS

Márcia De Chiara

A balança comercial do setor têxtil e de confecções encerrou o primeiro semestre deste ano com um déficit de US$ 1,578 bilhão, apontam dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, compilados pela Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit). O rombo no saldo comercial é 62,4% maior que o registrado em igual período de 2009, quando o déficit atingiu US$ 971,6 milhões. “A perspectiva é de que o déficit comercial chegue a US$ 3 bilhões em 2010”, calcula o presidentedaentidade,AguinaldoDiniz Filho. Se a projeção se confirma, será o maior resultado negativo da balança comercial do setor, que até 2004 apresentava anualmente superávit. De janeiro a junho deste ano, as importações somaram US$ 2,252 bilhões, com crescimento de 46,89% em relação ao primeiro semestre do ano passado. As exportações atingiram no primeiro semestre deste ano US$ 674,7 milhões, com acréscimo de20% na comparação anual. Os dados excluem o comércio exterior de fibras de algodão, cujas exportações são de grande volume e, segundo o presidente da Abit,distorcemabalançacomercial do setor. “Háumaumento dasimportações predatórias”, afirma Diniz Filho,fazendoreferênciaàscompras da China de itens de vestuário. No primeiro semestre de 2009, as compras externas de itensdevestuáriodetodosospaíses cresceram 14,77% em valor e asimportaçõesdessesprodutos, vindos apenas da China, aumentaram18,35%.Sóemjunho,asimportações da China em valor aumentaram 85,17% em relação ao mesmo mês de 2009, enquanto as importações totais cresceram 76,94%. A China foi o grande destaque na primeira metade deste ano. Das importações brasileiras de

Concorrência chinesa. Importação de vestuário da China aumenta 85,17% em junho e é apontada como uma das causas do resultado negativo da balança

51.477 empregos foram criados entre janeiro e junho ● Apesar concorrência dos pro-

dutos asiáticos no mercado brasileiro, 51.477 empregos formais foram criados na indústria têxtil e de vestuário no primeiro semestre deste ano, segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit). Esse número supera o total de empregos gerados entre

vestuário do primeiro semestre, 63% foram provenientes da China e apresentaram preço médio de US$ 12,65 por quilo, segundo a Abit. O preço do produto chi-

2007, 2008 e 2009. Entre vagas abertas e fechadas, o ano passado terminou com saldo de 22 mil postos de trabalho. Para este ano, o presidente da entidade, Aguinaldo Diniz Filho, prevê que o saldo atinja 75 mil postos de trabalho. “Será o melhor resultado dos últimos 15 anos, apesar da China.” A indústria têxtil e de vestuário é a segunda maior geradora de postos formais de trabalho. Só perder para o setor de alimentos. / M.C.

nês é 39% mais baixo do que a média dos preços dos mesmos itens fabricados em outros países. Em contrapartida, as exportações brasileiras de vestuário,

no primeiro semestre de 2010, tiveram uma média de preço de US$ 39,44 quilo. Competição. Eduardo Abdel-

nour, diretor de comércio exterior da Tecelagem São Carlos, que fabrica toalhas de banho, sentiu no caixa da empresa a competição dos produtos asiáticos. As exportações, que respondiam por 60% da produção da companhia até 2006, hoje não passamde20%.“Ospaísesasiáticos dominam o mercado e não temos preço para enfrentar a concorrência predatória.” A saída encontrada pela empresa para continuar no mercadoexterno, apesar doreal valorizado e dos custos imbatíveis de produção dos países asiáticos, foi atuar num segmento de produtosdemaiorvalor unitário,no

qual a China não tem forte presença. Essa estratégia também foi adotada pela empresa para neutralizar os efeitos da concorrência dos produtos asiáticos no mercado doméstico. Segundo Abdelnour, o mercado interno está garantindo o resultado da empresa. No primeiro semestre, a tecelagem ampliou em 17% as vendas doméstica em relação a igual período de 2009, enquanto as exportações recuaram entre 10% e 12%. “Poderíamos gerar mais empregos,senãofossea concorrência desleal dos asiáticos”, diz o diretor. Em razão do recuo nas exportações e da competição dos produtos importados, a empresacortou umturno deprodução. De acordo com o executivo, não há planos de contratações para os próximos meses.

Brasil lidera crescimento de exportação de commodities Segundo a Organização Mundial do Comércio, o Brasil já é o quinto maior fornecedor de produtos primários para a China Jamil Chade CORRESPONDENTE / GENEBRA

OBrasilregistrouo maiorcrescimento, entre as maiores economistas,dasexportaçõesderecursos naturais na década, apesar das promessas de políticas para garantir um aumento no valor agregado das vendas nacionais. O País, segundo a Organização Mundial do Comércio

(OMC), já o quinto maior fornecedor de produtos primários para a China e avançou mais que qualquer outra economia no setor. Diante da alta nos preços, 26% da arrecadação da pauta de exportação nacional é com produtos primários. Mas por conta da importação de petróleo, o Brasil jáé tambémo12ª maiorimportadorderecursosnaturaisnomundo. A OMC constatou que o comércio de recursos naturais volta a dominar um quarto do fluxo internacional de bens, taxa que não era vista desde 1950. No caso do Brasil, o País é o 29ºcolocadoentreosmaioresex-

portadores de recursos naturais do mundo. Mas ampliou suas vendas em 23,7% em média ao ano na década, a maior taxa entre as 30 principais economias. Sóem2008,aumentousuas vendas em 32% e totalizou US$ 51 bilhões em vendas. Hoje, 26% das exportações nacionais são de bens primários, sendo 12% no setor de minérios. Mesmo sem ter petróleo para exportar, a expansão no Brasil na década foi superior à da Venezuela, Arábia Saudita, Irã e Austrália. O Brasil já aparece como quinto maior fornecedor para China, com 6% do suprimento do país. O primeiro fornecedor é a Austrália, com 10%.

Nadécada,aChinajá ultrapassou europeus e se transformou no terceiro maior importador de recursos naturais do mundo, comprando por ano US$ 330 bilhões. Os Estados Unidos são ainda os maiores consumidores, com US$ 585 bilhões. O Brasil também é o décimo maior fornecedor de matérias primas para a Europa e o 12ª para os EUA. O País também já conquistou a quinta posição entre os maiores exportadores de produtosflorestaiseo sétimo deminérios, com US$ 25 bilhões em vendas. Importação. Mas se o País avança como exportador, o Brasil é

AGÊNCIA VALE

OMC diz que balança do País depende do preço de itens básicos Estudo mostra que a alta das cotações dos minérios e de outros recursos sustentaram superávit comercial GENEBRA

O Brasil estaria perigosamente dependente dos preços de commodities para garantir um bom desempenho de sua balança comercial. Dados da Organização MundialdoComércio(OMC)indicam que, durante a recessão, o telhado de vidro da balança comercial brasileira foi evidenciado. As altas dos preços de minérios e outros recursos naturais teriam sido o que sustentaram o

superávit,e não a competitividade internacional do País. Em 2009, a queda nos preços dosprodutosfezas vendasbrasileiras despencarem e sofrer uma das quedas mais acentuadas entre os países emergentes. O Brasil chegou a cair duas posições no ranking dos maiores exportadores elaborado pela OMC. Oque chama aatenção apartir dos números publicados ontem pela OMC é a volatilidade dos preços de commodities. Minérios tiveram seus preços reduzidos em 29% em 2009, contra 17% na agricultura. Entre julho de 2008 e fevereiro de 2009, a quedanovalor dosminérioschegou a 50%. Para o Brasil, que tem 12% de sua pauta de exportação no se-

também é destaque entre os importadores. Hoje, o Brasil é o 12º maior importador de recursos naturais do mundo, se a Europa for contada como uma economia. A média de 19% de crescimento nas importações de produtos primários no País por ano ainda revela a necessidade do País por ● Protecionismo

Diante de um cenário com recursos cada vez mais escassos e alta nos preços, a Organização Mundial do Comércio não esconde o temor de que a concorrência leve a disputas comerciais.

tor de minérios, a queda foi sentida na balança comercial. O resultado foi a perda de posições do Brasil na classificação dos maiores exportadores, passando da 22.ª posição em 2008 para a 24.ª posição no ano passado. Índia e Austrália superaram o Brasil. O primeiro lugar é da China, seguidapor Alemanhae Estados Unidos. A dependência do Brasil nos preços internacionais ainda ex-

plicita o fato de que, nos anos de boom das exportações, a expansão das vendas nacionais não estava baseada em um maior volume de exportações, mas apenas na valorização dos preços de commodities. A constatação de economistas, portanto, é de que o Brasil não se tornou mais competitivo nosúltimosanosnemganhouespaço nos mercados internacionais. / J.C.

l Balança comercial do setor

têxtil e de confecções no 1º semestre (*) EM MILHÕES DE DÓLARES EXPORTAÇÂO

IMPORTAÇÂO SALDO

-1.578,2

2.500 SALDO

2.000

-971,6

1.500 1.000 500

0

2009

2010

(*)Exclui fibras de algodão FONTE: DADOS DO MDIC ELABORADOS PELA ABIT

INFOGRÁFICO/AE

recursos para abastecer o crescimento. Expansão. A expansão brasileira não vem num vácuo. Para a OMC, a constatação é de que, em dez anos, o comércio do setor de minérios, petróleo, pesca eprodutos florestaisse multiplicoupor seis no mundo, diante da corrida de potências e de novas economias emergentes por garantir um abastecimento que assegure que seus mercados possam continuar crescendo. O volume de vendas passou de US$ 613 milhões há dez anos para US$ 3,7 trilhões. Nesse mesmo prazo, o comércio mundial em geral se multiplicou por apenas três. “O mercado de recursos naturais mudou, refletindo a demanda crescente da Ásia”, disse Pascal Lamy, diretor da OMC.

Recuperação do comércio internacional surpreende GENEBRA

Concentração. Minérios respondem por 12% da exportação

DÉFICIT CRESCENTE

Arecuperaçãodocomérciointernacional será mais forte do que previstoem2010.Dadosdivulgados ontem pela Organização Mundial do Comércio (OMC) em seu relatório anual indicam que a expansão das exportações deve atingir no mínimo 10%. Os países emergentes registraram uma alta ainda maior, de 11%. Já os países ricos, ainda patinando, terão um crescimento de seu comércio de apenas 7%. Em 2009, o fluxo de bens pelo mundo despencou em 12,2%, a maior queda em 70 anos e bem maisgravedo queo próprio diretor da OMC, Pascal Lamy, previa no início da crise. Agora, é ele mesmo quem alerta que a retomadaserábemacimadesuasprevisões iniciais de 9%. “Do jeito que as coisas caminham na economiaglobal,essesnúmerosaca-

baramsendopequenos demais”, afirmou Lamy, prometendo uma revisão da previsão já para setembro. Segundo a OMC, a China está consolidadacomoamaiorexportadora do mundo, com 9,6% do mercado mundial e vendas de US$ 1,2 trilhão em 2009, superando Alemanha e Estados Unidos.MasLamyapelaparaque Pequim também incremente suas importações. “Não podemos esperar que, com a crise superada, todos vão voltar a exportar. Na realidade, até podem sim voltar aexportar.Mas,paraisso, umnúmero maior de países terá de importar mais”, disse Lamy ontem em Xangai aos chineses. AChinaéacusadadeestarcontribuindo para o desequilíbrio do mercado internacional ao insistir em exportações e manter seu mercado relativamente fechado. / J.C.


B10 Economia %HermesFileInfo:B-10:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

PRODUZIDA PELA:

Mercados ✽

Cenário: Rosangela Dolis

Bovespa tem 5ª alta seguida e ganho de 6,39% na semana s Bolsas norte-americanas e brasileira sobreviveram com folga aos resultados dos testes de estresse em 91 bancos europeus divulgados pelo Comitê Supervisor de Bancos da União Europeia (UE) no início da tarde de ontem, quando os índices acionários na Europa já estavam fechados. O comitê informou que sete bancos falharam nos testes: o grego ATEBank (estatal); o alemão Hypo Real Estate (estatal); e cinco instituições de poupança

A

AE Broadcast da Agência Estado: Líder em informação financeira em tempo real. Assine: atende.ae@grupoestado.com.br

da Espanha: Unnim, Diada, Espiga, Banca Civica e Cajasur. O comitê estima que essas instituições precisarão captar € 3,5 bilhões para enfrentar dificuldades operacionais e, em um cenário mais adverso, prevê uma queda de três pontos porcentuais no Produto Interno Bruto (PIB) na UE nos próximos 18 meses, implicando modesta dupla recessão. Logo após o anúncio dos resultados dos testes, as Bolsas oscilaram, refletindo dúvidas suscitadas sobre o rigor da avaliação. Depois, os investidores consideraram que o resultado, superficialmente, foi positivo, e se escoraram nos bons balanços corporativos norte-americanos para amparar as bolsas. Em Nova York, o Índice Dow Jones subiu 0,99% ontem; teve avanço de 3,23% na semana; ganha 6,66% no mês; e cai 0,03% no ano. Aqui, a Bovespa teve a 5ª alta consecutiva, ao subir ontem 0,87%, aos 66.322,99 pontos. Na semana ganhou 6,39%; no mês, 8,84%; mas, no ano, apura perdas de 3,30%. No câmbio, o dólar recuou 0,06%, a R$ 1,7590 no balcão; na semana, perdeu 1,29%; no mês, recua 2,49% e, no ano, sobe 0,92%. O juro para janeiro de 2011 avançou a 10,94% e, para janeiro de 2012, a 11,70%.

Ações

23.7.2010

BOLSAS SOBEM NO BRASIL E EM NY l Investidor reage bem a testes de estresse em bancos europeus EM PORCENTAGEM

DOW JONES (NY)

NASDAQ (NY)

IBOVESPA (SP)

2.269 10.424 66.322

1,5

1,0

0,5

0

-0,5

-1,0 22 10H JUL ONTEM

17H

No mundo

Resumo das Operações Realizadas Descriminação

Negócios

Nº de Títulos

Part. (%)

Valor (R$)

Part.(%)

282.746

10.757.781.900

73,60

4.348.254.825,00

92,88

897

3.241.903.900

22,18

35.390.417,44

0,76

1.009

327.973.970

2,24

55.715.322,07

1,19

Opções de Compra

64.426

223.171.620

1,53

205.941.999,20

4,40

Mercado Fracionário

9.953

1.998.216

0,01

7.165.840,49

0,15

361.719

14.616.112.121

100,00

4.681.697.340,49

100,00

Lote Padrão Fundos e Certificados Mercado a Termo

Total Geral

Maiores altas (%)

Ações mais negociadas Valor em R$ mil

Vale Petrobras Ogx Petroleo Itauunibanco Gerdau

PNA PN ON PN PN

N1

564.588 354.992 169.193 152.654 128.174

NM N1 N1

Lojas Americ PN B2W Varejo ON LLX Log ON NM Fibria ON NM JBS ON NM

Maiores baixas (%) 4,6 3,8 3,4 2,8 2,6

BRF Foods ON NM Redecard ON NM TIM Part S/A ON Cielo ON NM Ultrapar PN N1

1,6 1,6 1,2 1,0 0,9

AÇÃO DO DIA

FRASE

Americanas em alta após decisão do Banco Central

ANDRÉ PERFEITO

As ações PN da Lojas Americanas fecharam em alta de 4,65%, a maior entre os papéis que compõem o Ibovespa, por causa da melhora nas perspectivas para o setor após o BC reduzir o ritmo de alta dos juros.

“Resultado dos testes de estresse em bancos europeus não esclareceu todas as dúvidas e parece não ser conclusivo. Haverá discussão e é preciso esperar a reação dos mercados europeus na 2ª feira”

Economista da Gradual Investimentos

Índices da Bolsa NEGÓCIOS REALIZADOS Nº de negócios

Ampla Energ Caf Brasilia Embratel Par Embratel Par Pro Metalurg Sergen Tectoy Tectoy Telebrás Telebrás

ON PN ON PN PNB PN ON PN ON PN

4 1 2 8 15 1 49 24 99 1.453

(COTAÇÕES EM R$ LOTE DE MIL)

Quant. de Título

Abert.

Mín.

5.800.000 100.000 200.000 1.700.000 18.100.000 100.000 1.027.400.000 1.031.400.000 625.200.000 7.773.100.000

1,48 1,20 10,10 10,50 0,26 1,65 0,08 0,08 1,60 1,43

1,48 1,20 10,10 10,40 0,25 1,65 0,07 0,07 1,55 1,42

Máx.

1,53 1,20 10,89 10,79 0,27 1,65 0,08 0,08 1,64 1,50

Méd.

Últim.

1,49 1,20 10,50 10,49 0,25 1,65 0,07 0,07 1,58 1,47

1,53 1,20 10,89 10,79 0,25 1,65 0,07 0,07 1,64 1,50

Var. Fech. Compra Venda

+3,4 -13,0 +0,9 +2,8 -1,8 +4,5 +4,9

1,42 1,21 10,15 10,41 0,25 1,50 0,07 0,07 1,60 1,49

1,53 1,39 10,90 10,79 0,26 1,65 0,08 0,08 1,64 1,50

(COTAÇÕES EM R$ POR AÇÃO)

Abc Brasil Abnote Aco Altona Aços Vill Aes Elpa Aes Tietê Aes Tietê Alfa Financ Alfa Holding Alfa Holding Aliansce All Amer Lat All Amer Lat All Amer Lat Alpargatas Amazônia Ambev Ambev Amil Anhanguera B2w Varejo Banese Banestes Banrisul Battistella Bematech Bhg Bicbanco Bmfbovespa Bombril Br Brokers Br Malls Par Br Propert Bradesco Bradesco Bradespar Bradespar Brasil Brasil Telec Brasil Telec Brasilagro Bráskem Bráskem Brasmotor Brf Foods Brookfield Cambuci Cc Des Imob Ccr Rodovias Celesc Cemar Cemig Cemig Cesp Cesp Cetip Cia Hering Cielo Cobrasma Cobrasma Coelba Coelce Coelce Comgás Comgás Confab Contax Contax Copasa Copel Copel Cosan Cosan Ltd Cosern Coteminas Cpfl Energia Cr2 Cremer Cruzeiro Sul Csu Cardsyst Cyre Com-ccp Cyrela Realt Dasa Daycoval Direcional Dixie Toga Doc Imbituba Drogasil Dtcom-direct Dufry Ag Duratex Ecodiesel Ecorodovias Eletrobrás Eletrobrás Eletropaulo Eletropaulo Emae Embraer Energias Br Energisa Energisa Equatorial Estacio Part Estrela Eternit Eucatex Even Eztec Fab C Renaux Fer Heringer Ferbasa Fibria Fleury Forja Taurus Fosfertil Fras-le Gafisa Generalshopp Gerdau Gerdau Gerdau Met Gerdau Met Gol Gp Invest Gpc Part Grendene Gtd Part Guarani Guararapes Helbor Hercules Hoteis Othon Hypermarcas Ideiasnet Ienergia Ienergia Igb S/A Iguatemi Inds Romi Indusval Inepar Inepar Inepar Tel Inpar S/A Iochp-maxion Ishares Bova Ishares Brax

PN ON PN ON ON ON PN PN ON PNA ON ON PN UNT PN ON ON PN ON UNT ON PN ON PNB PN ON ON PN ON PN ON ON ON ON PN ON PN ON ON PN ON ON PNA PN ON ON PN ON ON PNB ON ON PN ON PNB ON ON ON ON PN ON ON PNA ON PNA PN ON PN ON ON PNB ON DR3 ON PN ON ON ON PN ON ON ON ON PN ON PN PN ON ON DR3 ON ON ON ON PNB PNA PNB PN ON ON ON PN ON ON PN ON PN ON ON PN ON PN ON ON PN PN PN ON ON ON PN ON PN PN DR3 ON ON PN ON ON ON PN PN ON ON ON PNA ON ON ON PN ON PN ON ON ON CI CI

Nº de negócios N2 377 EJ NM 65 33 35 5 232 1.224 3 5 2 NM 173 N2 33 N2 28 N2 2.065 N1 174 140 48 1.498 NM 576 N2 212 NM 2.673 2 12 N1 948 34 NM 46 NM 6 N1 381 NM 6.235 5 NM 232 NM 1.906 NM 119 EB N1 175 EB N1 5.757 N1 10 N1 3.735 NM 4.982 127 1.174 NM 14 N1 2 N1 1.329 14 NM 4.649 NM 3.772 7 NM 39 NM 2.413 N2 5 MB 3 N1 177 N1 4.382 N1 15 N1 2.026 NM 368 NM 339 NM 4.727 7 175 3 6 33 10 21 N1 1.687 ED 2 ED 60 NM 765 N1 2 N1 2.340 NM 1.011 74 2 16 NM 1.649 NM 16 NM 46 N1 4 NM 21 NM 8 NM 8.570 NM 1.245 N1 14 NM 14 8 8 NM 70 3 17 NM 2.139 NM 856 NM 655 N1 1.789 N1 1.834 N2 4 N2 2.045 6 NM 2.311 NM 879 3 2 NM 62 NM 35 2 NM 58 N1 47 NM 240 NM 93 14 NM 148 139 NM 5.515 NM 32 60 565 N1 34 NM 7.537 NM 85 N1 594 N1 8.189 N1 8 N1 1.982 N2 1.952 225 99 NM 85 MB 11 NM 2.148 22 NM 59 3 7 NM 3.176 NM 193 86 137 32 NM 175 NM 442 N1 24 INT 128 831 2.617 NM 620 NM 191 719 25

Quant. de Título 285.700 89.400 4.400 268.000 18.500 128.700 797.700 1.200 1.100 3.600 173.300 22.300 93.700 1.215.600 299.200 916.000 17.700 408.900 311.900 201.000 1.130.700 900 13.800 340.100 118.500 69.900 128.700 256.600 7.036.500 1.500 359.200 630.500 134.000 98.000 2.894.500 19.500 934.200 3.378.400 742.500 721.400 7.800 400 1.046.800 62.000 2.893.100 2.213.900 2.500 90.800 829.800 6.800 300 156.200 1.786.800 6.300 868.100 160.600 78.300 2.481.600 280.000 3.550.000 4.600 1.200 31.600 30.000 26.400 1.552.900 200 16.500 319.700 400 698.000 682.500 16.800 2.400 14.500 621.100 8.800 12.700 400 21.700 24.600 4.158.400 905.800 2.800 6.000 8.100 11.000 84.800 500 39.400 856.100 11.790.700 563.100 869.800 500.600 600 762.100 1.500 1.204.200 177.900 900 3.500 269.400 22.000 1.100 74.100 42.100 650.200 60.400 37.000 186.400 94.500 3.971.300 18.000 22.000 286.200 115.400 4.387.800 173.100 255.600 4.990.200 3.200 628.500 1.121.000 51.500 158.400 52.300 261.500 4.041.500 40.900 21.200 17.000 70.000 2.215.300 387.700 826.000 1.382.000 21.600 61.300 108.800 14.300 142.800 1.308.700 15.480.400 444.200 46.500 502.100 22.600

Abert. 13,61 15,45 28,40 0,74 49,49 18,15 21,20 3,45 5,02 4,97 11,64 4,44 2,84 15,70 7,49 0,62 165,68 187,56 15,20 28,71 30,31 23,45 5,78 15,08 0,83 9,09 16,01 13,80 12,12 8,04 6,70 25,51 12,80 24,40 30,60 34,80 35,89 29,00 15,59 12,30 9,00 10,90 13,23 0,94 24,56 8,85 2,57 5,80 38,39 33,85 8,90 19,28 25,64 18,66 24,65 14,70 54,25 15,68 0,26 0,27 34,20 27,05 27,39 32,80 35,65 5,05 29,29 23,51 25,28 34,50 37,04 23,70 18,80 9,80 4,42 39,92 5,43 17,65 10,69 8,58 11,15 22,66 17,00 8,50 11,69 2,43 1,27 34,80 1,09 144,95 18,22 0,87 10,00 22,35 26,75 36,97 37,51 7,20 10,40 35,28 1,88 1,76 16,62 20,73 0,86 8,65 6,50 7,85 9,32 0,31 7,50 11,55 27,35 20,25 5,10 15,20 3,99 12,80 8,70 18,60 25,63 25,80 30,76 23,10 6,45 0,92 8,00 0,27 4,01 66,69 13,74 0,34 1,16 22,16 2,95 0,53 0,36 7,09 33,30 10,95 7,83 4,72 4,91 0,43 3,09 17,50 65,30 41,19

Mín. 13,61 15,00 27,35 0,73 49,49 18,05 21,19 3,45 5,02 4,96 11,40 4,00 2,77 15,69 7,23 0,61 163,00 187,32 14,82 27,73 30,11 23,45 5,66 14,82 0,83 8,95 16,00 13,50 12,00 8,00 6,51 25,14 12,76 24,40 30,32 34,80 35,18 28,85 15,45 11,90 9,00 10,90 13,02 0,94 23,82 8,73 2,48 5,79 38,20 33,65 8,90 18,82 24,68 18,65 24,49 14,42 52,53 15,35 0,25 0,25 34,20 27,05 27,35 32,80 35,65 5,02 29,29 23,50 25,15 34,49 37,01 23,47 18,45 9,80 4,42 39,80 5,40 17,61 10,42 8,58 11,00 22,66 16,80 8,50 11,69 2,40 1,23 34,12 1,06 142,00 17,83 0,85 9,82 21,60 26,27 36,97 37,21 7,20 10,23 34,59 1,88 1,76 16,43 20,50 0,84 8,65 6,35 7,83 9,26 0,30 7,49 11,55 26,80 20,00 5,05 14,71 3,99 12,60 8,70 18,40 25,12 25,50 30,40 22,86 6,36 0,90 7,85 0,27 4,01 64,50 13,62 0,34 1,14 21,86 2,88 0,53 0,36 7,03 33,06 10,84 7,72 4,71 4,91 0,43 3,06 17,30 64,80 41,18

Máx. 14,04 15,48 29,20 0,75 50,00 18,19 21,34 3,55 5,02 4,97 11,70 4,44 2,90 15,97 7,57 0,64 166,00 190,30 15,20 28,72 31,96 23,45 5,78 15,26 0,85 9,15 16,21 14,00 12,36 8,04 6,72 25,95 13,39 24,69 30,83 36,00 36,40 29,48 15,80 12,65 9,01 10,94 13,37 0,95 24,63 8,95 2,60 5,87 38,79 33,85 8,94 19,28 25,68 19,00 25,16 14,70 54,35 15,80 0,26 0,28 34,29 27,43 27,49 33,00 36,14 5,29 29,30 23,85 25,61 34,50 37,78 24,00 19,00 9,80 4,61 40,25 5,45 17,90 10,69 8,65 11,15 23,17 17,10 8,60 12,41 2,43 1,27 34,82 1,09 145,02 18,30 0,87 10,00 22,60 26,88 37,00 37,96 7,29 10,59 35,50 1,88 1,76 16,62 21,00 0,86 8,86 6,60 7,95 9,49 0,34 7,84 12,20 28,28 20,62 5,19 15,20 4,13 12,93 9,30 18,99 26,00 26,00 31,49 23,68 6,60 0,93 8,00 0,27 4,23 66,69 13,84 0,36 1,16 22,16 3,05 0,59 0,41 7,21 35,00 11,69 7,84 5,08 5,34 0,49 3,12 17,95 65,99 41,47

Méd. 13,81 15,18 28,59 0,74 49,98 18,10 21,25 3,54 5,02 4,97 11,60 4,06 2,85 15,89 7,35 0,62 163,80 188,33 15,03 28,12 31,01 23,45 5,76 14,99 0,84 9,10 16,00 13,83 12,24 8,01 6,66 25,51 12,98 24,58 30,69 35,95 35,74 29,20 15,59 12,31 9,00 10,92 13,26 0,95 24,13 8,85 2,55 5,81 38,51 33,83 8,91 18,89 25,39 18,84 24,80 14,54 53,06 15,50 0,25 0,26 34,28 27,14 27,40 33,00 35,98 5,17 29,30 23,73 25,43 34,50 37,37 23,73 18,86 9,80 4,52 40,09 5,41 17,72 10,61 8,62 11,01 22,88 16,90 8,55 11,81 2,41 1,24 34,50 1,07 144,98 18,10 0,86 9,92 22,38 26,73 36,99 37,66 7,22 10,47 35,20 1,88 1,76 16,51 20,92 0,84 8,83 6,49 7,92 9,39 0,31 7,66 11,94 27,85 20,22 5,11 15,01 4,01 12,77 8,98 18,78 25,69 25,84 31,01 23,40 6,45 0,91 7,95 0,27 4,14 65,66 13,81 0,35 1,15 22,06 2,96 0,57 0,40 7,11 34,30 11,39 7,81 4,94 5,21 0,46 3,09 17,80 65,23 41,36

Últim. 13,62 15,40 29,20 0,75 49,99 18,10 21,20 3,55 5,02 4,96 11,65 4,10 2,85 15,93 7,40 0,62 163,00 187,85 14,82 28,00 31,46 23,45 5,75 14,91 0,85 9,15 16,15 13,70 12,35 8,00 6,72 25,83 13,39 24,69 30,80 35,99 36,40 29,48 15,75 12,24 9,00 10,94 13,27 0,95 24,13 8,78 2,59 5,85 38,50 33,65 8,94 19,11 25,68 18,94 24,79 14,49 53,48 15,50 0,25 0,26 34,29 27,13 27,41 33,00 36,01 5,22 29,30 23,80 25,35 34,49 37,20 23,70 19,00 9,80 4,57 40,25 5,42 17,75 10,66 8,63 11,00 23,10 16,95 8,60 12,41 2,43 1,25 34,20 1,06 145,00 18,23 0,86 9,96 22,53 26,88 37,00 37,60 7,25 10,59 35,20 1,88 1,76 16,55 20,50 0,84 8,77 6,60 7,95 9,46 0,30 7,81 12,05 28,09 20,02 5,11 15,17 4,13 12,90 9,02 18,98 25,99 25,99 31,40 23,68 6,45 0,91 7,88 0,27 4,16 66,40 13,71 0,35 1,14 22,10 3,01 0,59 0,41 7,21 35,00 11,60 7,80 5,05 5,22 0,45 3,07 17,95 65,99 41,37

Var. Fech. Compra Venda +0,2 13,60 13,85 +0,1 15,40 15,42 +2,5 28,10 29,30 0,74 0,75 +1,2 46,10 49,80 -0,4 18,08 18,10 -0,1 21,15 21,20 3,48 3,55 -0,2 4,90 5,60 -1,4 4,97 5,19 +0,4 11,57 11,65 -2,4 3,95 4,44 2,80 2,85 +1,6 15,87 15,93 7,40 7,56 0,61 0,62 -1,5 162,45 164,49 -0,6 187,61 187,85 -0,5 14,82 14,98 -1,8 27,69 28,95 +3,8 31,46 31,59 - 22,00 23,40 -0,2 5,67 5,75 -0,2 14,91 14,94 +2,4 0,84 0,85 +1,8 9,05 9,15 -0,6 14,30 16,15 -1,4 13,70 13,87 +2,1 12,35 12,36 -1,1 7,90 8,00 +0,3 6,70 6,72 +1,3 25,50 25,83 +4,7 13,20 13,39 +1,2 24,60 24,70 +0,8 30,72 30,80 +0,3 35,30 36,00 +2,5 36,29 36,40 +1,4 29,30 29,48 +1,6 15,75 15,80 +0,7 12,21 12,24 9,00 9,15 10,63 10,95 +0,2 13,27 13,32 0,94 0,95 -1,6 24,05 24,13 -1,6 8,75 8,78 +0,8 2,51 2,59 -0,7 5,78 5,85 +0,8 38,50 38,54 -0,5 33,65 33,85 +0,4 8,70 8,95 -0,1 18,96 19,12 +0,3 25,65 25,68 -0,1 18,68 19,09 +0,2 24,71 24,79 -1,4 14,46 14,50 -0,2 52,55 53,48 -1,0 15,48 15,50 -3,8 0,25 0,26 -3,7 0,26 0,27 +0,3 32,50 34,30 +0,1 26,75 27,13 +0,2 27,41 27,44 +0,6 31,36 36,00 +1,2 35,90 36,01 +3,6 5,19 5,22 +2,4 28,50 29,90 23,58 23,80 +0,4 25,25 25,35 +1,4 33,82 34,49 -0,3 37,20 37,39 +0,2 23,70 23,71 +1,1 18,60 19,00 9,80 9,95 +1,6 4,50 4,58 +0,4 40,00 40,25 +0,6 5,37 5,41 +0,6 17,61 17,75 -0,2 10,42 10,70 +0,6 8,50 8,63 -0,1 10,82 11,05 +2,4 23,02 23,10 -0,9 16,84 16,95 8,53 8,60 +5,3 11,52 12,42 2,42 2,43 -0,8 1,23 1,25 -2,0 34,19 34,50 -3,6 1,06 1,09 +0,5 144,50 148,00 -0,2 18,23 18,24 0,85 0,86 +0,1 9,96 9,98 +1,0 22,50 22,53 +0,6 26,72 26,88 +1,3 35,00 37,00 37,41 37,60 +0,6 7,15 7,30 +1,9 10,54 10,59 +0,6 35,12 35,20 +13,9 1,69 1,88 -8,3 1,72 1,87 -0,3 16,55 16,61 -2,4 18,50 21,39 -1,2 0,83 0,85 -0,3 8,77 8,85 +1,9 6,60 6,65 +0,4 7,95 7,98 +1,4 9,40 9,46 -3,2 0,30 0,31 +4,3 7,81 7,82 +2,1 11,88 12,05 +2,8 28,02 28,09 -0,8 20,02 20,44 5,05 5,11 +0,1 15,00 15,18 +3,5 4,04 4,13 +1,2 12,90 12,91 +1,5 8,50 9,02 +2,0 18,97 18,98 +2,1 25,94 25,99 +0,4 26,00 26,29 +2,1 31,36 31,40 +2,5 23,68 23,69 +0,2 6,40 6,45 +1,1 0,90 0,91 -2,7 7,88 7,99 -6,9 0,26 0,27 +4,0 4,16 4,17 +0,7 61,00 66,40 +0,1 13,71 13,85 0,35 0,36 -0,9 1,14 1,17 +0,6 22,05 22,10 +2,0 2,99 3,01 +9,3 0,58 0,59 +5,1 0,40 0,41 +1,5 7,21 7,22 +2,0 34,50 35,00 +6,0 11,50 11,60 -0,3 7,80 7,84 +8,1 5,00 5,03 +6,5 5,21 5,22 +4,7 0,44 0,45 -1,0 3,07 3,08 +0,8 17,64 17,95 +1,1 65,70 65,99 -0,3 38,50 -

ÍNDICES

PONTOS

Ibovespa IBRX 50 IBRX 100 ISE – Sustentabilidade ITEL – Telecom IEE – Energia Elétrica INDX – Setor Industrial IGC – Governança ITAG – Tag Along Ibovespa Fut.Jun. (BM&F)

66.322,99 9.089,81 20.784,44 1.958,26 1.396,61 24.459,06 10.292,05 6.906,14 8.992,93 66.850,00

DIA% MÊS% ANO%

0,87 0,70 0,66 0,61 -0,09 0,72 0,83 0,87 0,94 0,84

8,84 9,60 9,07 5,85 1,27 1,57 8,17 9,90 11,40 8,82

NEGÓCIOS REALIZADOS Nº de negócios Ishares Mobi Ishares Smal Itausa Itausa Itauunibanco Itauunibanco J B Duarte J B Duarte Jbs Jereissati Jhsf Part João Fortes Julio Simoes Karsten Kepler Weber Klabin S/A Kroton Laep Le Lis Blanc Light S/A Lix Da Cunha Lix Da Cunha Llx Log Localiza Log-in Lojas Americ Lojas Americ Lojas Marisa Lojas Renner Lopes Brasil Lupatech M G Poliest M.diasbranco Magnesita Sa Mangels Indl Marambaia Marcopolo Marcopolo Marfrig Merc Brasil Merc Invest Metal Iguacu Metal Leve Metalfrio Mills Minerva Minupar Mmx Miner Mpx Energia Mrv Multiplan Multiplus Mundial Natura Net Odontoprev Ogx Petróleo Ohl Brasil Osx Brasil P.Açúcar-cbd Panamericano Parana Paranapanema Pdg Realt Petrobrás Petrobrás Pettenati Pibb Pine Plascar Part Porto Seguro Portobello Positivo Inf Profarma Providencia Randon Part Rasip Agro Rasip Agro Recrusul Redecard Renar Renova Rodobensimob Rossi Resid Sabesp Santander Br Santander Br Santander Br Santanense Santanense Santos Brp Sao Martinho Saraiva Livr Schulz Seb Sid Nacional Slc Agrícola Sofisa Souza Cruz Springs Sul America Sultepa Suzano Papel Tam S/A Tecnisa Tecnosolo Tecnosolo Tegma Teka Telefonica Telemar Telemar Telemar N L Telesp Telesp Tempo Part Tim Part S/A Tim Part S/A Tivit Totvs Tractebel Tran Paulist Tran Paulist Trisul Triunfo Part Tupy Ultrapar Unipar Unipar Uol Usiminas Usiminas Vale Vale Vivo Vivo Weg Whirlpool Wilson Sons Yara Brasil FONTE: BOVESPA

CI CI ON PN ON PN ON PN ON PN ON ON ON PN ON PN UNT DR3 ON ON ON PN ON ON ON ON PN ON ON ON ON ON ON ON PN ON ON PN ON ON PN PN PN ON ON ON ON ON ON ON ON ON PN ON PN ON ON ON ON PNA PN PN ON ON ON PN PN CI PN ON ON ON ON ON ON PN ON PN PN ON ON UNT ON ON ON ON PN UNT ON PN UNT ON PN PN UNT ON ON PN ON ON UNT PN PNA PN ON ON PN ON PN DR3 ON PN PNA ON PN ON ON PN ON ON ON ON PN ON ON ON PN ON PNB PN ON PNA ON PNA ON PN ON PN DR3 PN

N1 N1 N1 N1 NM NM NM N1 N2 NM NM NM NM NM NM NM NM NM NM NM N1 N2 N2 NM

NM NM NM NM NM NM N2 NM NM N2 NM NM NM NM N1 N1 N1 N1 NM

N1 NM NM NM NM NM N1

NM NM N2 NM NM NM N2 N2 N2 N2 NM N2 N2 NM N2 NM N2 N1 N2 NM NM

NM NM NM NM N1 N1 NM NM EG N1 N1 N1 N2 N1 N1 N1 N1 NM

6 12 16 4.959 146 7.108 7 21 3.868 26 401 8 21 7 271 1.444 234 1.303 6 1.739 2 9 4.543 1.230 26 49 5.882 585 2.912 41 281 115 16 348 44 3 20 350 1.941 6 8 105 3 11 157 84 65 4.844 254 5.700 844 40 50 2.268 2.070 107 6.781 295 135 1.198 407 48 1.155 5.597 2.321 10.879 6 33 8 119 256 6 366 35 11 1.700 5 3 32 5.682 168 14 36 3.568 1.261 8 35 3.149 3 4 12 206 164 5 92 6.274 189 22 1.576 71 240 36 1.933 2.439 127 72 26 154 295 3 424 1.474 324 155 402 446 379 2.010 13 110 796 4 800 75 29 3 1.163 20 516 98 1.276 4.313 3.404 16.026 27 1.607 118 7 305 5

-3,30 -4,95 -4,10 -0,70 -10,49 0,54 2,71 1,87 2,04 10,50

0,87%

IBOVESPA EM PONTOS 66.400 66.000 65.600 65.200 64.800 64.400 64.000 63.600 63.200 62.800 62.400 62.000

O euro avançou ontem em relação ao dólar e ao iene em Nova York, após aguardados resultados de testes aplicados sobre os principais bancos da União Europeia mostrarem que apenas uma pequena parcela dessas instituições poderia passar por

dificuldades se houver uma deterioração das condições econômicas nos próximos anos. A reação inicial do mercado à avaliação, no entanto, pesou sobre a moeda europeia, que chegou a cair diante de dúvidas sobre o rigor dos testes. O euro subiu 0,20% ante o dólar, para US$ 1,2918, e teve alta de 0,83% na comparação com o iene, para ¥ 112,98.

ADRs (US$) MÍN.

MÁX.

ÚLT.

VAR. (%)

Bolsas internacionais

Petrobrás PN Itaú Unib. PN Vale PN Bradesco PN Gerdau PN

32,00 21,93 24,18 17,84 14,92

31,71 21,93 24,12 17,84 14,9

-0,84 1,06 1,01 0,68 1,29

Euro sobe apesar de dúvidas sobre testes

66.322

31,49 21,52 23,58 17,52 14,40

FONTE: AE

Commodities

23

16/7

Alumínio Chumbo Cobre Estanho Níquel Zinco

ONTEM

DIA ANTERIOR

2.023,00 1.960,00 7.020,00 18.700,00 20.500,00 1.925,00

2.057,00 1.940,00 7.010,00 18.240,00 20.250,00 1.948,50

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1

PONTOS

DIA

NY-D Jones 10.424,62 NY-Nasdaq 2.269,47 NY-SP500 1.102,66 ADR B Titan 32.654,32 Londres 5.312,62 Frankfurt 6.166,34 Paris 3.607,05 Milão 20.604,08 Tóquio 9.430,96 Xangai 2.572,03 Madri 10.388,20 Hong Kong 20.815,33

0,99 1,05 0,82 0,58 -0,02 0,39 0,18 -0,44 2,28 0,38 0,83 1,10

VARIAÇÃO (%) MÊS ANO

6,66 7,60 6,98 11,94 8,05 3,37 4,77 6,69 0,51 7,24 12,14 3,41

-0,03 0,01 -1,12 -7,63 -1,85 3,51 -8,37 -11,37 -10,58 -21,52 -13,00 851,67

(COTAÇÕES EM R$ POR AÇÃO)

Quant. de Título 800 4.200 5.800 6.975.100 86.800 3.995.000 390.000 322.000 3.875.400 87.000 1.157.600 8.000 25.900 2.200 6.659.500 1.245.000 138.000 18.527.700 600 1.200.900 300 8.900 4.633.000 702.900 32.700 361.000 4.453.300 83.900 744.400 8.000 183.200 1.836.000 13.400 306.900 35.600 8.100 48.500 217.300 1.749.900 700 33.000 996.700 1.300 6.900 57.800 15.100 709.600 3.475.900 513.700 2.987.000 174.800 38.100 70.000 1.305.200 1.112.400 79.700 9.123.200 166.700 18.600 392.900 307.400 117.600 1.880.100 3.168.900 1.869.100 12.762.200 1.600 9.200 10.200 329.400 324.500 3.600 155.600 93.500 1.500 1.406.400 14.000 5.000 75.000 2.708.400 616.300 3.800 33.300 1.579.300 296.100 316.500 6.818.500 2.972.800 300 1.900 7.300 266.700 32.200 5.100 962.400 3.917.800 123.800 24.800 312.900 62.300 56.700 85.000 1.108.300 780.600 30.600 196.100 71.900 97.900 1.880.000 300 212.700 590.200 84.500 35.300 72.800 1.734.400 240.900 5.698.900 48.200 67.800 295.500 500 115.500 76.000 61.100 1.200 346.700 50.600 5.712.800 86.900 302.700 1.971.600 1.907.800 13.470.300 5.500 673.900 44.300 24.300 38.900 500

Abert. 19,10 60,47 12,00 12,60 29,33 38,19 0,08 0,09 8,20 1,35 2,79 12,02 8,45 4,20 0,36 5,14 14,75 0,92 9,49 20,65 3,59 3,43 7,93 23,85 7,70 10,70 14,09 21,10 52,08 25,69 20,95 0,19 39,81 11,55 8,58 1,00 7,55 10,02 18,00 15,22 0,46 0,38 30,50 9,75 14,94 6,89 0,38 11,69 20,63 14,96 33,00 21,00 1,39 40,10 18,66 16,50 18,44 44,42 518,00 62,85 8,95 8,65 5,23 17,85 31,90 27,99 5,70 89,35 10,65 3,46 20,65 1,65 18,34 16,70 6,05 11,54 0,42 0,38 0,83 26,08 0,85 14,00 13,35 15,11 34,23 0,22 0,20 22,28 2,66 2,67 15,00 14,95 35,69 32,48 28,00 28,95 14,66 4,15 73,81 4,18 45,80 5,00 15,91 28,79 9,60 1,21 0,87 13,70 0,44 36,50 40,02 28,35 49,41 34,32 37,33 3,60 7,06 4,75 18,18 132,99 22,91 47,49 46,47 6,22 5,74 14,10 86,72 0,75 0,60 8,85 54,00 52,50 47,99 41,89 89,10 45,61 17,19 3,53 23,07 25,00

Mín. 19,07 60,38 12,00 12,37 29,26 37,85 0,08 0,08 8,08 1,31 2,76 12,02 8,39 4,20 0,35 5,10 14,50 0,90 9,25 20,55 3,59 3,41 7,92 23,43 7,55 10,70 13,90 21,10 51,51 25,30 20,69 0,17 39,50 11,43 8,47 1,00 7,55 9,90 17,62 15,00 0,45 0,38 30,50 9,75 14,89 6,83 0,37 11,25 20,39 14,75 32,51 20,30 1,35 40,10 18,41 16,25 18,30 44,42 496,01 62,25 8,75 8,52 5,12 17,71 31,51 27,59 5,70 89,35 10,63 3,44 20,15 1,62 18,07 16,60 6,04 11,22 0,40 0,38 0,82 25,16 0,81 14,00 13,35 14,85 34,23 0,22 0,19 22,11 2,52 2,65 15,00 14,95 34,50 32,48 28,00 28,48 14,17 4,05 73,12 4,18 45,32 4,99 15,77 28,30 9,50 1,13 0,86 13,70 0,43 36,50 39,64 28,15 49,29 34,10 37,13 3,55 7,06 4,68 18,18 132,49 22,45 47,49 46,47 6,10 5,67 13,80 85,45 0,74 0,58 8,69 53,00 51,83 47,21 41,35 84,00 45,57 17,11 3,50 22,63 25,00

Máx.

Méd.

Últim.

19,31 61,09 12,34 12,70 29,80 38,50 0,09 0,09 8,38 1,37 2,95 12,03 8,60 4,48 0,37 5,19 15,45 0,93 9,49 21,06 3,59 3,50 8,30 24,00 7,95 11,13 14,63 21,99 52,67 25,98 21,24 0,19 40,00 11,85 8,75 1,04 7,80 10,03 18,00 15,80 0,46 0,39 31,00 9,94 15,40 6,89 0,38 11,89 20,96 15,07 33,90 21,00 1,39 41,58 18,94 16,94 18,75 45,41 540,00 62,89 9,06 8,70 5,50 18,26 31,98 28,05 5,89 90,70 10,78 3,52 20,65 1,67 18,35 17,21 6,10 11,69 0,42 0,38 0,89 26,10 0,87 14,51 13,72 15,26 34,98 0,23 0,21 22,60 2,66 2,67 15,50 15,60 35,69 33,00 29,20 29,55 14,66 4,15 74,60 4,29 45,80 5,20 16,32 29,45 9,70 1,21 0,88 14,14 0,48 37,00 40,39 28,85 50,33 34,66 37,85 3,95 7,21 4,78 18,18 133,99 22,92 47,50 46,98 6,44 5,79 14,10 87,25 0,75 0,61 8,88 55,40 53,84 48,50 42,35 89,96 46,20 17,49 3,54 23,17 25,00

19,20 60,57 12,21 12,54 29,68 38,21 0,08 0,09 8,29 1,35 2,88 12,03 8,47 4,25 0,36 5,15 15,08 0,91 9,37 20,81 3,59 3,43 8,14 23,71 7,81 10,90 14,25 21,83 51,91 25,62 21,07 0,18 39,64 11,73 8,53 1,00 7,66 9,97 17,76 15,38 0,45 0,38 30,96 9,77 15,01 6,85 0,37 11,72 20,82 14,89 33,15 20,48 1,36 40,95 18,58 16,42 18,55 45,03 523,27 62,76 8,87 8,62 5,35 18,02 31,74 27,82 5,75 90,23 10,72 3,48 20,46 1,65 18,19 16,73 6,07 11,49 0,41 0,38 0,86 25,49 0,83 14,42 13,52 15,03 34,68 0,22 0,20 22,42 2,60 2,65 15,04 15,34 34,78 32,99 28,86 29,18 14,35 4,10 73,82 4,24 45,61 5,04 16,13 28,92 9,58 1,16 0,87 13,94 0,46 36,83 39,97 28,43 49,85 34,42 37,33 3,76 7,14 4,71 18,18 133,05 22,71 47,50 46,75 6,20 5,77 13,85 85,97 0,74 0,59 8,75 54,65 53,02 47,94 41,91 87,60 45,96 17,22 3,53 22,90 25,00

19,31 61,00 12,32 12,70 29,80 38,50 0,09 0,08 8,38 1,37 2,93 12,03 8,48 4,39 0,36 5,17 15,15 0,90 9,25 21,06 3,59 3,41 8,25 24,00 7,93 11,13 14,63 21,90 52,00 25,85 21,20 0,17 39,50 11,84 8,60 1,04 7,65 9,97 17,75 15,80 0,46 0,38 31,00 9,94 15,30 6,84 0,38 11,87 20,95 15,00 33,55 20,75 1,35 41,05 18,94 16,45 18,70 45,20 533,90 62,85 8,84 8,64 5,50 18,25 31,78 27,79 5,89 90,25 10,78 3,49 20,47 1,66 18,10 16,70 6,09 11,56 0,42 0,38 0,88 25,49 0,84 14,51 13,55 15,06 34,71 0,23 0,20 22,40 2,61 2,65 15,01 15,34 34,80 33,00 29,20 29,55 14,40 4,11 73,43 4,25 45,65 5,02 16,30 29,30 9,66 1,16 0,87 13,91 0,46 37,00 40,00 28,46 49,85 34,66 37,26 3,88 7,12 4,71 18,18 133,50 22,73 47,50 46,98 6,10 5,79 14,10 86,00 0,75 0,59 8,80 55,20 53,25 48,17 42,21 89,96 46,00 17,18 3,54 23,10 25,00

Var. Fech. Compra Venda +0,9 +0,2 -0,1 +1,3 +0,4 +1,0 +12,5 -11,1 +2,6 +1,5 +4,6 -0,1 +0,4 +4,5 +2,9 +0,6 +3,5 -1,1 +3,0 +2,2 -16,5 -1,7 +3,4 +0,6 +4,3 +3,5 +4,6 +2,8 -0,6 -0,6 +1,1 -2,5 +2,1 +0,1 +6,1 +1,3 -0,4 -1,3 -0,3 +2,2 +1,6 +4,4 +2,5 -0,9 +2,7 +2,0 +1,5 -0,5 +1,1 -1,2 -1,5 +2,1 +1,4 +0,9 +1,6 +3,4 +6,1 +0,6 -1,2 +0,5 +6,0 +2,0 -0,3 -0,7 +3,3 +0,2 +1,2 -0,6 -0,6 -1,4 +0,1 -0,2 +0,2 +2,4 +3,5 -1,6 -3,4 +2,1 +1,9 -0,3 +1,1 +0,7 +0,4 +1,9 -1,2 +2,6 -1,8 +2,2 +1,4 +2,1 +0,3 -1,7 -0,5 +1,2 -0,6 +2,2 +2,8 +2,1 +1,2 -3,3 -3,3 +1,5 +7,0 +1,4 -0,7 -0,5 -0,1 -0,1 -0,8 +8,4 -1,2 -0,8 +0,1 +0,4 -1,8 +0,6 -4,7 +2,7 -0,9 +1,7 +0,9 +2,2 +1,4 +0,8 +0,8 +0,6 -1,3 +1,1 +1,1 -

19,23 61,00 12,23 12,62 29,71 38,35 0,08 0,08 8,35 1,34 2,93 11,91 8,45 4,07 0,36 5,16 15,06 0,90 9,10 21,00 3,22 3,41 8,24 23,80 7,93 11,01 14,60 21,90 52,00 25,60 21,12 0,17 39,02 11,76 8,50 1,00 7,60 9,97 17,75 15,10 0,44 0,37 31,00 9,76 14,85 6,84 0,37 11,86 20,75 14,99 32,75 20,17 1,34 41,00 18,90 16,30 18,62 45,20 533,90 62,81 8,77 8,58 5,50 18,23 31,65 27,79 5,75 90,25 10,65 3,47 20,35 1,63 18,08 16,56 6,07 11,54 0,41 0,37 0,86 25,49 0,83 14,51 13,50 15,06 34,62 0,22 0,19 22,37 2,54 2,61 15,01 15,20 34,62 31,00 29,00 29,55 14,20 4,05 73,43 4,25 45,30 5,02 16,30 29,30 9,55 1,16 0,86 13,91 0,44 36,32 39,88 28,46 49,75 34,50 37,26 3,87 7,12 4,71 18,18 133,00 22,63 42,00 46,80 6,10 5,71 13,70 85,91 0,74 0,58 8,73 55,06 53,25 48,17 42,21 89,11 46,00 17,18 3,50 22,70 24,98

61,24 12,34 12,70 29,80 38,50 0,09 0,09 8,38 1,37 2,94 12,03 8,48 4,39 0,37 5,17 15,15 0,91 9,19 21,06 3,60 3,50 8,25 24,00 7,96 11,13 14,63 21,95 52,10 25,85 21,20 0,18 39,50 11,84 8,65 1,03 7,65 9,99 17,78 15,80 0,46 0,38 31,41 9,95 15,30 6,85 0,38 11,87 20,95 15,00 33,55 20,75 1,35 41,05 18,94 16,60 18,70 45,30 535,00 62,90 8,84 8,64 5,53 18,25 31,78 27,80 5,88 90,80 10,78 3,49 20,47 1,66 18,10 16,70 6,09 11,56 0,42 0,38 0,88 25,50 0,84 14,84 13,55 15,13 34,71 0,23 0,20 22,40 2,61 2,67 15,98 15,34 34,80 33,00 29,20 29,57 14,40 4,11 73,98 4,26 45,65 5,10 16,32 29,39 9,66 1,17 0,87 13,99 0,46 37,60 40,00 28,47 49,85 34,66 37,28 3,88 7,15 4,72 18,23 133,50 22,73 49,00 46,98 6,24 5,79 14,10 86,00 0,75 0,59 8,80 55,20 53,30 48,28 42,22 89,96 46,10 17,20 3,54 23,10 25,49

Mercado Futuro Jan11 Fev11 Mar11 Abr11

DI de 1 Dia

(contrato = R$100.000,00; cotação = Taxa) Contr.

Contr.

Aberto

Negoc.

Mín.

452.518 96.735 467.521 89.130 1.175.74 229.065 143.770 2.205 3.430.56 560.165 151.012 28.800 677.478 106.800 67.616 2.505 1.384.63 383.115

10,630 10,635 10,760 10,810 10,880 11,070 11,270 11,460 11,500

Vencto.

Ago10 Set10 Out10 Nov10 Jan11 Abr11 Jul11 Out11 Jan12

Preço

Preço

Último

Máx.

Preço

Ajuste

10,640 10,640 99.759,66 10,640 10,640 98.883,32 10,780 10,780 98.031,79 10,830 10,830 97.226,16 11,000 10,940 95.490,64 11,160 11,120 92.978,29 11,410 11,370 90.406,82 11,570 11,570 87.741,94 11,730 11,700 85.266,91

Dólar Comercial

(contrato = US$50.000,00; cotação = R$/US$1.000,00) Vencto.

Contr.

Contr.

Preço

Preço

Último

Aberto

Negoc.

Mín.

Máx.

Preço

Ajuste

Ago10 517.888 265.615 1.756,5 1.777,5 1.776,0 1.761,22 Set10 117.335 10.705 1.770,0 1.787,0 1.787,0 1.773,13 Out10 18.295 110 1.788,0 1.800,0 1.800,0 1.785,55 Nov10 4.840 0 0,000 0,000 0,000 1.797,46 Dez10 4.035 0 0,000 0,000 0,000 1.809,73

39.905 25 0 5.440

200 1.827,0 0 0,000 0 0,000 0 0,000

1.827,0 1.827,0 1.823,96 0,000 0,000 1.837,32 0,000 0,000 1.850,12 0,000 0,000 1.863,68

Ibovespa (contrato = cotação a futuro x R$1,00; cotação = pontos do índice) Contr.

Contr.

Preço

Preço

Último

Aberto

Negoc.

Mín.

Máx.

Preço

Ajuste

Ago10 110.594 64.735 65.750 66.850 66.850 Out10 10.055 500 67.005 67.500 67.450 Dez10 10.765 370 68.000 68.500 68.500 Fev11 0 90 69.200 69.200 69.200 Abr11 0 0 0 0 0 Jun11 535 0 0 0 0 Ago11 0 0 0 0 0 Out11 80 0 0 0 0 Dez11 0 0 0 0 0

66.786 67.611 68.580 69.640 70.570 71.690 72.874 73.947 75.122

Vencto.

Ouro (contrato = 250g; cotação = R$/g) Núm.

Contr.

Preço

Preço

Último

Negoc.

Negoc.

Mín.

Máx.

Preço

Ptos.

39 71,000 72,100 72,100

0,70

7

Var.

Moedas Dólar (em R$) COMERCIAL PARALELO TURISMO DIA Compra Venda Compra Venda Compra Venda 13/7 1,752 1,753 1,830 1,960 1,750 1,863

14/7 15/7 16/7 19/7 20/7 21/7 22/7

1,763 1,770 1,780 1,785 1,772 1,784 1,758

1,765 1,772 1,782 1,787 1,774 1,785 1,760

1,830 1,860 1,850 1,840 1,830 1,860 1,840

1,970 1,970 1,960 1,960 1,960 1,960 1,960

1,797 1,783 1,793 1,850 1,777 1,760 1,740

1,887 1,900 1,910 1,910 1,887 1,873 1,877

23/7

1,757

1,759

1,830

1,960

1,733

1,880

0,06%

DÓLAR EM REAIS 1,790 1,785 1,780 1,775 1,770 1,765 1,760 1,755 1,750

1,759 16/7

23

FONTE: AE

Câmbio (R$)

Conversão US$ 1/NY

Dólar americano 1,000 Dólar australiano 1,1158 Dólar canadense 1,0353 0,7750 Euro Franco suíço 1,0546 87,43 Iene

1 EURO/ 1 LIBRA/ EUROPA LONDRES

R$ 1/ BRASIL

1,2904

1,5422

0,5685

1,4399

1,7208

0,6344

1,3360

1,5966

0,5886

1,000 1,3609 112,82

1,1951 1,6264 134,83

0,4406 0,5995 49,70

Libra esterlina

0,6484 0,8367

1,000

0,3686

Peso argentino

3,9290 5,0700

6,0593

2,2337

Peso chileno

520,15

671,20

802,18

295,71

Rublo

30,335

39,144

46,783

17,246

AS MOEDAS NA VERTICAL: VALOR DE COMPRA SOBRE AS DEMAIS

Dólar americano Dólar australiano Dólar canadense Euro Franco suíço Iene Libra esterlina Peso argentino Peso chileno Rublo Yuan FONTE: BC

FONTE: BC

Falências ● São Paulo

Falências VR Indústria de Embalagens Plásticas Ltda. contra Donna Loura Cosméticos Ltda. - EPP. Av. Bernardino de Campos, 339, Loja I – 2ª V. Falências. Vironda Confecções Ltda. contra Sunna Ind. Com. de Confecções Ltda. R. Dr. Alceu de Campos Rodrigues, 268 – 2ª V. Falências.

O Guia mudou de nome., mas continua garantindo bons programas para a semana toda. Divirta-se.

Toda sexta no Estadão.

COMPRA

VENDA

1,70609 1,5771 1,6986 2,2746 1,6721 0,0201 2,7162 0,4478 0,0034 0,0579 0,2597

1,7617 1,5783 1,6995 2,2759 1,6733 0,0202 2,7180 0,4485 0,0034 0,0580 0,2599


%HermesFileInfo:B-11:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Mercados

Economia B11

O melhor da

informação financeira online e em tempo real

Agronegócios bushel. No mercado de açúcar tipo demerara da Bolsa deNova York, os investidores tomaram fôlego e os preços fecharam praticamente estáveis, após darem um salto de quase 5% na quinta-feira. O contrato outubro fechou com queda de 0,22%, a 18,26 centavos de dólar por libra-peso. Enquanto isso, as cotações do suco de laranja subiram1,1%, para145,65 centavos porlibra-peso,porcausada passagem da tempestadetropical Bonnie pela Flórida, maior produtor da fruta nos Estados Unidos.

Análise: Ana Conceição

Milho cai 5,95% na semana em Chicago

O

s preços do milho caíram na Bolsa de Chicago, ontem, pressionados pelas boas condições das lavouras da nova safra nos Estados Unidos. O contrato setembro - mais negociado - cedeu 1,39%, para fechar emUS$ 3,7125 por bushel.Na semana, o vencimento desvalorizou 5,95%. Durante o pregão, agências meteorológicas indicavam que, depois da estiagem da primeira quinzena do mês, o tempo deveria seguir favorável para os campos de milho americanos até o início da próxima semana. Analistas acreditam que, não fosse o trigo, cujas cotações caíram na sexta-feira, mas acumularam ganho de 1,53% na semana, os preços do milho teriam cedido mais ainda. Isso porque ambos os cereais disputam espaço no mercado de ração e o preço de um tende a influenciar o do outro. Em Chicago, o contrato setembro do trigo recuou 0,04%, para US$ 5,9625 por

Jan11

Contr. Vencto.

Aberto

Set10 Dez10 Mar11 Mai11 Jul11 Set11

16.254 11.639 1.550 0 0 1.140

Contr.

Preço

Preço

Negoc.

Mín.

Máx.

Preço

Ajuste

195,10 192,00 0,00 0,00 0,00 192,00

Último

195,30 191,60 196,00 193,75 192,20 192,00

Milho (contrato = 450 sacas; cotação = R$/60kg) Contr.

Contr.

Preço

Vencto.

Aberto

Negoc.

Mín.

Máx.

Preço

Ajuste

Ago10 Set10 Nov10

0 13.060 4.345

0 0,00 307 19,81 256 20,75

0,00 20,00 20,90

0,00 19,93 20,89

19,40 19,88 20,82

CEAGESP

Último

3,9000

3,8000

3,7125

3,7500 3,7000 16/7

23

Preço Máx.

Último Preço

Ajuste

84,90 86,15 86,25 87,20 87,20 86,77

84,90 86,15 86,25 87,11 87,35 87,10

Soja (contrato = 27 toneladas; cotação = US$/60 Kg)

Atemóia

8/10 Frutos ..........................Cxt 14,46/16,05 12 Frutos ................................Cxt 11,36/12,54 15 Frutos ...................................Cxt 8,78/9,92 Ameixa Estrang.

Americana ..............................Kg 9,01/10,50 Espanhola ..................................Kg 6,21/6,67 Banana

Terra ............................................Kg 1,59/1,69 Maçã ............................................Kg 2,10/2,35 Ouro ..............................................Kg 1,77/1,95 Prata Mg ......................................Kg 1,58/1,68 Prata Sp .......................................Kg 1,48/1,58 Nanica Climat. ..........................Kg 0,95/1,05 Cajú

A .................................................Eng 9,98/9,99 B ................................................Eng 7,98/7,99 Carambola

.....................................................Cxt 6,69/8,09 Cereja Estrang.

..................................................Kg 20,01/25,00 Coco Verde

.............................................Cem 99,78/114,72 Figo

A ..................................................Cxt 6,59/7,49 B .................................................Cxt 4,59/5,49 Fruta Do Conde

9/10 Frutos ...........................Cxt 16,76/18,32 12 Frutos ...............................Cxt 15,89/17,45 15 Frutos ................................Cxt 12,60/14,16 18 Frutos .................................Cxt 9,87/10,87 Goiaba

Vermelha 9 Frutos ................Cxt 5,61/6,54 Vermelha 12 Frutos ..............Cxt 5,61/6,54 Vermelha 15 Frutos ...............Cxt 5,61/6,54 Vermelha 18 Frutos ..............Cxt 3,68/4,54 Branca 9 Frutos ....................Cxt 3,88/4,77 Branca 12 Frutos ...................Cxt 3,88/4,77 Branca 15 Frutos ...................Cxt 3,88/4,77 Branca 18 Frutos ....................Cxt 2,27/2,88 Graviola

R$ 33,84 a R$ 37,48/Cx/Kg

Preço Máx.

Último Preço

Ajuste

0,00 0,00 0,00 0,00 22,18

0,00 0,00 0,00 0,00 22,18

23,93 23,90 22,70 22,25 22,18

.......................................................Kg 0,90/1,00

Havaí A Graúdo ...........Cem 301,85/321,85 Havaí B Médio ..............Cem 251,87/271,87 Havaí C Miúdo ..............Cem 201,87/221,87 Pérola A Graúdo .........Cem 373,93/393,81 Pérola B Médio .............Cem 321,22/341,22 Pérola C Miúdo ...........Cem 272,27/292,15

.................................................Cxt 25,91/30,00 Jabuticaba

......................................................Kg 7,00/8,00

Kiwi Estrang.

Chileno ................................Cxt 30,64/34,41 Nova Zelândia ..................Cxt 45,00/50,00

Ago. Set. Nov. Jan./11

7 4 71 5

MÍN.

0,5795 0,5856 0,6137 0,6093 0,6188 0,6215 0,5804 0,5738 0,5848 0,6128 0,6139 0,6077 0,6399 0,6036

TR/Poupança Índice

MÊS

ANO

12 MESES

TR (1º/7) Poupança (1º/8)

0,1151 0,6157

0,30 3,87

0,35 6,57

INSS Mês de competência: Julho Trabalhador assalariado e doméstica*

8% 9% 11% 12%

AUTÔNOMO (BASE EM R$)

ALÍQUOTA

De 510,00 a 3.416,54

20%

593,50 625,50 653,25 656,50

601,00 629,50 655,50 656,50

Ago. Set. Out. Dez.

15 25 5 39

MÍN.

MÁX.

38,91 39,00 39,22 39,60

39,10 39,31 39,42 39,92

596,25 596,25 627,25 627,25 651,50 651,50 659,00 659,00

-0,04 -0,04 0,23 1,70

Melão

Baia A (7/10 Dz) ...............Cx M 28,64/29,85 Baia B (11/13 Dz) .............Cx M 24,92/26,07 Baia C (14/15 Dz) .............Cx M 20,32/21,37 Lima A (10/13 Dz) ............Cx M 27,34/28,58 Lima B (14/15 Dz) .............Cx M 23,31/24,78 Lima C (18/21 Dz) .............Cx M 19,17/20,50 Pêra A (10/13 Dz) ............Cx M 22,95/24,00 Pêra B (14/15 Dz) ..............Cx M 19,22/20,22 Pêra C (18/21 Dz) ................Cx M 15,18/16,18 Seleta A (8/10 Dz) .........Cx M 30,00/32,00 Seleta B (11/13 Dz) ..........Cx M 25,00/27,00 Seleta C (18/21 Dz) .........Cx M 20,00/22,00

Amarelo 6/7 Frutos ............Cx 16,07/17,26 Amarelo 8/9 Frutos ............Cx 15,61/16,98 Amarelo 10/11 Frutos .........Cx 13,68/14,85 Amarelo 12/14 Frutos ...........Cx 11,53/12,53

Pérsia A (9/10 Dz) ............Cx M 32,10/34,10 Pérsia B (13/15 Dz) ..........Cx M 27,10/29,10 Pérsia C (18/24 Dz) .........Cx M 22,10/24,10 Limão

Taiti A (21/27 Dz) ..............Cx M 38,18/40,18 Taiti B (32/38 Dz) ............Cx M 33,18/35,18 Taiti C (40/45 Dz) ...........Cx M 27,92/29,92 Maçã Estrang.

Red Del 80-163 Frutos ..........Kg 3,14/3,46 Granny Smith 80-162 Frutos ..Kg 2,64/2,91

18,31 18,06 17,26 16,78

VENCTO. NEGOC.

MÍN.

MÁX.

Feijão Corado

Extra ...................................Cx K 39,13/42,66 Especial ............................Cx K 30,50/34,00 Gengibre

................................................Cx K 22,21/26,98 Inhame

Extra A ..............................Cx K 25,30/28,84 Extra ...................................Cx K 18,24/20,50 Especial ..............................Cx K 13,94/15,58 Jiló

Redondo Extra Aa ..........Cx K 29,69/33,03 Redondo Extra A ..............Cx K 22,71/25,79 Redondo Extra .................Cx K 16,38/18,63 Mandioca

Graúda .................................Cx K 13,85/14,85 Média ......................................Cx K 10,19/11,19 Miúda ......................................Cx K 6,72/7,72

5x5 Frutos .........................Cxt 48,00/50,00 5x6 Frutos ..........................Cxt 38,00/40,00 6x6 Frutos ..........................Cxt 28,00/30,00 7x6 Frutos ..........................Cxt 18,00/20,00 (4 Cumbuca ) .......................Cxt 17,10/19,73

Graúda ......................................Cb 2,80/3,00 Média ..........................................Cb 2,39/2,59 Miúda ............................................Cb 1,99/2,19

Pepino

Amarela Extra Aa ..........Cx K 30,82/34,96 Amarela Extra A ............Cx K 22,27/26,25 Amarela Extra ...................Cx K 15,78/17,78 Rosada Extra Aa ................Cx K 23,15/25,11 Rosada Extra A ................Cx K 17,86/19,86 Rosada Extra .....................Cx K 12,58/14,70

Danjou ................................Cx P 53,85/59,78 Pack's Triumph ..............Cx P 52,99/57,99 William's ...........................Cx P 58,01/63,76 Americano ..............................Kg 8,55/10,48 Espanhol ...................................Kg 7,55/9,38

Mamão

Tangerina

Formosa A ....................................Kg 1,17/1,28 Formosa B ................................Kg 0,89/0,99 Havaí 12 Frutos .........................Kg 1,53/1,63 Havaí 15 Frutos .........................Kg 1,56/1,66 Havaí 18 Frutos ..........................Kg 1,56/1,66 Havaí 21 Frutos .........................Kg 1,23/1,32 Havaí 24/28 Frutos ..................Kg 1,01/1,09

Murcot A (8/10 Dz) ........Cx M 37,68/39,68 Murcot B (11/12 Dz) .........Cx M 31,89/34,19 Murcot C (13/15 Dz) ........Cx M 27,68/29,68 Poncam A (8/10 Dz) ......Cx M 37,84/39,84 Poncam B (11/12 Dz) .....Cx M 32,93/34,93 Poncam C (13/15 Dz) ....Cx M 27,88/29,88

Manga

Niagara Extra A .......................Kg 3,70/3,97 Niagara Extra ..........................Kg 3,20/3,40 Niagara Especial ......................Kg 2,73/2,95 Itália Extra A ............................Kg 4,02/4,38 Itália Extra ................................Kg 3,30/3,62 Itália Especial ...........................Kg 2,60/2,93 Centenial Extra A ...................Kg 4,84/5,26 Centenial Extra .......................Kg 3,36/3,86 Brasil Extra A ...........................Kg 3,80/4,01 Brasil Extra ...............................Kg 3,40/3,59 Brasil Especial .........................Kg 3,00/3,18 Rubi Extra A ..............................Kg 3,80/4,10 Rubi Extra .................................Kg 3,25/3,47 Rubi Especial .............................Kg 2,85/3,10 Benitaka ....................................Kg 3,87/4,45 Red Globe .................................Kg 4,50/5,00 Thompson .................................Kg 8,87/9,56

Berinjela

Conserva Extra ...............Cx K 25,00/30,00 Conserva Especial .........Cx K 18,00/20,00 Conserva Primeira .........Cx K 12,00/15,00 Japonesa Extra ..............Cx K 35,00/40,00 Japonesa Especial .......Cx K 25,00/30,00 Japonesa Primeira .......Cx K 18,00/20,00 Extra Aa ..............................Cx K 12,66/13,86 Extra A ..................................Cx K 9,47/10,60 Extra .......................................Cx K 6,66/7,66

Quincam

......................................................Cxt 5,82/7,64 Roma

.................................................Cxt 25,00/30,00

FECH. AJUSTE VAR.%

VENCTO. NEGOC.

MÍN.

MÁX.

80,47 75,54 74,17 74,91

80,32 75,34 74,14 74,91

VENCTO. NEGOC.

Set. Nov. Jan./11 Mar.

330 34 9 9

MÍN.

MÁX.

144,05 145,50 146,75 146,75

145,75 146,80 148,25 148,25

144,90 146,60 147,80 147,80

145,65 146,75 147,95 147,95

-0,09 -0,20 -0,32 -0,59

FECH. AJUSTE VAR.%

166,00 2,26 166,70 2,31 166,55 2,56 166,05 2,44

Mandioquinha

Extra Aaa ..................................Kg 3,22/3,54 Extra Aa ......................................Kg 2,58/2,81 Extra A ........................................Kg 2,01/2,27 .............................................Cx K 40,00/50,00 Caipira Extra Aa ...............Cx K 21,84/23,18 Caipira Extra A ..................Cx K 17,42/18,80 Caipira Extra .....................Cx K 14,05/15,23 Comum Extra Aa ............Cx K 14,27/16,08 Comum Extra A ...............Cx K 10,56/11,80 Comum Extra .......................Cx K 7,78/8,78 Japonês Extra Aa ...........Cx K 32,96/37,48 Japonês Extra A .............Cx K 23,77/27,68 Pimenta

* Vermelha Extra Aa ......Cx K 26,71/30,18 * Vermelha Extra A .......Cx K 20,53/23,35 Cambuci Extra Aa ............Cx K 31,18/35,27 Cambuci Extra A ............Cx K 22,89/26,10 Verde Americ Extra Aa .Cx K 23,21/26,46 Verde Americ Extra A ....Cx K 18,13/20,13 Pimentão

FECH. AJUSTE VAR.%

2.960 2.987 3.024 3.040

2.966 2.993 3.018 3.038

1,51 1,53 1,99 1,84

R$/SACA DE 60KG

MÉDIO

MÍN.

Norte do Paraná

34,75 36,67 35,91 32,17 34,97 33,63

34,70 36,00 35,00 32,00 33,30 31,50

Ponta Grossa (PR) Passo Fundo (RS) Rio Verde (GO) Triângulo Mineiro Rondonópolis (MT)

Cerrado (MG) Sul de Minas Gerais Noroeste do Paraná (PR) Zona da Mata (MG) Garça (SP)

MÍN.

MÁX.

315,00 305,00 290,00 300,00 290,00

Couve Flor

Verduras

Extra .......................................Eng 10,22/11,23 Especial ....................................Eng 8,19/9,02 Primeira ..................................Eng 6,50/7,34

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Acelga

Erva Doce

Extra ..........................................Eng 7,01/7,85 Especial ...................................Eng 5,16/5,95 Primeira ...................................Eng 3,42/4,16 Agrião

Extra ......................................Eng 15,54/16,94 Especial ................................Eng 12,30/13,38 Primeira ................................Eng 9,38/10,45 Alface

Americana Extra ...............Eng 11,82/13,02 Americana Especial ..........Eng 9,94/10,60 Americana Primeira .............Eng 7,39/8,17 Crespa Extra .........................Eng 8,30/9,34 Crespa Especial ....................Eng 6,58/7,23 Crespa Primeira ....................Eng 4,62/5,27 Romana ..................................Eng 8,33/10,07 Lisa Extra ............................Eng 10,57/12,03 Lisa Primeira ..........................Eng 6,58/7,16 Alho Porro

Extra ....................................Dzmc 9,00/10,36 Especial ...............................Dzmc 6,65/7,65 Primeira ..............................Dzmc 4,73/5,65 Almeirão

Extra ...................................Dzmc 11,80/12,88 Especial .............................Dzmc 9,26/10,20 Primeira ...............................Dzmc 6,81/7,75 Pão De Açúcar Extra ....Dzmc 13,26/14,44 Pão De Açúcar Especial .Dzmc 10,26/11,26 Pão De Açúcar Primeira Dzmc 7,72/8,72 Aspargo

.......................................................Mc 6,00/7,00 Beterraba C/Fol

Extra .........................................Eng 11,01/13,10 Especial ...................................Eng 8,29/9,29 Primeira ..................................Eng 6,29/7,29

Extra .................................Dzmc 12,40/14,48 Especial ..............................Dzmc 9,37/10,37 Primeira ...............................Dzmc 7,37/8,26 Escarola

Extra .........................................Eng 8,73/9,52 Especial ....................................Eng 6,89/7,67 Primeira ...................................Eng 5,15/5,83 Espinafre

Extra ..................................Dzmc 12,26/13,68 Especial ..............................Dzmc 9,77/10,77 Primeira ..............................Dzmc 7,68/8,63 Gobo

Extra ..........................................Mc 3,77/4,47 Hortelã

......................................................Mc 2,46/3,00 Louro

......................................................Mc 2,64/3,27 Milho Verde

Extra ...........................................Sc 8,99/9,84 Especial ......................................Sc 6,99/7,84 Primeira .....................................Sc 4,29/5,14 Moiashi

......................................................Pct 2,16/2,44 Mostarda

..............................................Dzmc 10,34/12,51 Nabo

Extra ..........................................Mc 3,99/4,36 Especial ......................................Mc 2,99/3,35 Primeira .....................................Mc 2,09/2,41

Barretos (SP)

84,20

83,00 85,00

Bauru/Marília (SP)

84,27

83,00 85,00

Campo Grande (MS)

76,50

76,00 77,00

Cuiabá (MT)

79,60

79,00 80,00

Dourados (MS)

79,13

78,00 80,00

Goiânia (GO)

83,60

83,00 84,00

Presidente Prudente (SP)

80,33

80,00 81,00

Noroeste do Paraná (PR)

78,67

78,00 80,00

Triângulo Mineiro

78,89

78,00 80,00

As principais notícias e cotações do agronegócio, análises e tendências de mercado no Brasil e no mundo estão na Agência Estado.

Assine AE Agronegócios, sua melhor safra de informações. Grande São Paulo (11) 3856-3500 Outras localidades 0800 011 3000 atende.ae@grupoestado.com.br www.ae.com.br.

(250 Gramas) ...........................Pct 2,65/2,86 Ervilha

Vagem

Torta Extra Aa ..................Cx K 46,32/51,32 Torta Extra A ..................Cx K 35,66/40,66 Torta Extra .....................Cx K 25,00/30,00

Macarrão C Extra Aa ....Cx K 47,79/54,43 Macarrão C Extra A ......Cx K 35,73/40,40 Macarrão Curta Extra ...Cx K 25,40/29,39

Catalonha

..............................................Dzmc 10,33/12,60 Cebolinha

Extra ......................................Eng 16,08/17,72 Especial .................................Eng 11,31/13,60 Primeira ..................................Eng 8,02/9,67 Chicória

..................................................Dzmc 9,15/11,26 Coentro

Extra ..................................Dzmc 21,62/25,46 Especial ............................Dzmc 14,37/17,85

Grande .......................................Kg 7,50/8,00 Médio .........................................Kg 5,50/6,00

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Alho Estrang.

Bagre A.salgada

........................................................Kg 3,30/3,50

Argentino Tipo 7 ..................Kg 12,42/13,00 Argentino Tipo 6 ..................Kg 10,84/11,84 Argentino Tipo 5 .....................Kg 8,84/9,84 Chines ........................................Kg 8,00/9,00 Amendoim

Com Casca ............................Sc 62,19/65,00 S/Casca .................................Sc 96,40/98,62 Batata

Comum Especial ....................Kg 0,90/1,00 Comum 1a./2a. .......................Kg 0,54/0,64 Comum Especialzinha .........Kg 0,53/0,63 Benef.comum Especial .......Kg 0,88/0,98 Benef.comum 1a./2a. .............Kg 0,52/0,61 Benef.comum Especialzinha .Kg 0,53/0,62 Benef.lisa Especial ....................Kg 1,09/1,19 Canjica

........................................................Kg 1,70/1,80 Cebola

Minas Gerais Graúda ..............Kg 1,84/1,94 Minas Gerais Média .................Kg 1,84/1,94 Minas Gerais Miúda .................Kg 1,65/1,74 Roxa Graúda .............................Kg 2,16/2,22 Roxa Média ................................Kg 2,16/2,22 Roxa Miúda ...............................Kg 1,99/2,09

Berbigão

Limpo .....................................Kg 12,00/13,00 Betarra

........................................................Kg 2,30/2,50 Bonito

........................................................Kg 2,30/2,50 Cacão

Congelada Grande ................Kg 4,75/5,00 Camarão

Branco Grande ..................Kg 28,00/30,00 Ferro Primeira ....................Kg 15,00/16,00 Ferro Segunda ......................Kg 11,00/12,00 Ferro Terceira ........................Kg 9,00/10,00 Cambeva

.......................................................Kg 6,00/7,00 Cascote

.........................................................Kg 1,75/2,00 Corvina

Grande .......................................Kg 3,75/4,00 Média ..........................................Kg 2,75/3,00 Pequena .....................................Kg 2,30/2,50 Dourado

Grande ....................................Kg 11,00/12,00 Espada

Cebola Estrang.

Grande .........................................Kg 1,30/1,50

Argentina Graúda ...................Kg 1,88/1,98 Argentina Média ......................Kg 1,88/1,98 Argentina Miúda ......................Kg 1,69/1,78

Galo

Grande .........................................Kg 1,30/1,50 Linguado

Grande ....................................Kg 11,00/12,00 Médio .........................................Kg 6,00/7,00 Pequeno ....................................Kg 4,00/5,00

Palmito

..................................................Sc 37,29/40,00

Merluza

Pupunha .....................................Pc 8,14/9,14

Milho Pipoca

Coco Seco

..................................................Sc 37,66/39,09

......................................................Mc 2,69/3,03

Rabanete

.................................................Sc 42,00/45,00

Extra ..................................Dzmc 15,52/17,20 Especial .............................Dzmc 12,74/13,74 Primeira ............................Dzmc 10,53/11,53

Branco/Verde Extra ......Dzmc 18,06/19,65 Branco/Verde Especial Dzmc 14,06/15,78 Branco/Verde Primeira Dzmc 10,34/11,86

Extra ..................................Dzmc 21,54/23,90 Especial ............................Dzmc 16,98/18,77 Ninja .......................................Eng 10,15/12,82

Atum

Diversos

M.pipoca Estran

Orégano

Cenoura C/Folha

Cogumelo

83,00 83,00

MÁX.

305,00 295,00 280,00 290,00 280,00

Salsa

Extra Aa ............................Cx K 25,58/30,14 Extra A ..................................Cx K 17,31/19,62 Extra .....................................Cx K 12,13/14,26

MÍN. MÁX.

83,00

35,00 37,00 36,50 32,50 37,00 36,00

MÉDIO

Liso Extra Aa ..................Cx K 47,96/52,96 Liso Extra A .....................Cx K 34,54/39,25 Liso Extra ............................Cx K 24,61/29,01

Chuchu

MÉDIO

Araçatuba (SP)

0,59 0,72 0,82 0,82

309,44 300,00 286,50 295,00 287,78

Quiabo

Maduro Extra Aa ........................Kg 1,13/1,23 Maduro Extra A .......................Kg 0,92/1,02 Maduro Extra .............................Kg 0,71/0,81 Salada Extra Aa .......................Kg 1,25/1,39 Salada Extra A ........................Kg 0,87/0,99 Salada Extra ............................Kg 0,64/0,73 Caqui Extra Aa ..........................Kg 1,94/2,14 Cereja Extra Aa .......................Kg 2,62/2,82

Reajuste do aluguel (Julho)

INPC (IBGE) IGP-M (FGV) IGP-DI (FGV) IPA-DI (FGV) IPC-DI (FGV) IPC (FIPE) IPCA (IBGE) INCC - (FGV) CUB (Sinduscon) ICV - Dieese

NO ANO 12 MESES

-0,11 0,85 0,34 0,43 -0,21 0,04 0,00 1,09 0,17 0,02

3,38 5,68 5,48 6,18 3,64 3,10 3,09 5,62 5,22 3,22

4,76 5,17 5,07 4,89 4,93 4,85 4,84 6,48 5,77 5,58

* NOVA SÉRIE EM MARÇO/2007

A PAGAR (R$)

De 102,00 a 693,48

Vencimento 16/8. O percentual de multa a ser aplicado fica limitado a 20%, mais taxa Selic.

IPC-FIPE

1,0517 1,0507 1,0485

IPCA (IBGE)

1,0484

INPC (IBGE) ICV-DIEESE

1,0476 1,0558

Fatores válidos para contratos cujo último reajuste ocorreu há um ano. Multiplique o valor pelo fator.

Índices VALOR

DIA%

MÊS% ANO%

10,64 10,64 13,44 1,480

0,68 0,00 0,00 0,00

3,20 23,15 5,03 23,43 -0,37 10,34 21,31 -2,63

CDB (31/21) CDI Capital de Giro Hot money

Fator da TR

Indicadores UNID.

IGP-M (FGV) IGP-DI (FGV)

Repolho

Liso Extra ...............................Eng 6,28/7,67 Roxo Extra ..........................Eng 13,96/15,96 Rúcula

..............................................Dzmc 14,14/16,57 .......................................................Mc 3,54/4,13 Salsão

Alface

Crespa Hidropônica ..........Eng 10,46/11,65 Lisa Hidropônica ...............Eng 10,46/11,65 Mimosa Hidropônica .........Eng 10,46/11,65 Romana Hidropônica ......Eng 11,00/12,00

Limpo .....................................Kg 15,00/16,00

Branco Extra ........................Cx 46,63/47,63 Branco Grande ....................Cx 44,87/45,87 Branco Grande Embalado ...Bd 3,96/4,38 Branco Médio .....................Cx 42,70/43,70 Branco Pequeno ................Cx 38,63/39,63 Branco Extra Embalado ......Bd 4,68/5,00 Vermelho Extra .................Cx 48,43/49,43 Vermelho A .........................Cx 46,46/47,46 Vermelho B ..........................Cx 43,56/44,56 Codorna ......................................Cx 1,70/1,80

Mistura

Pinhão

..................................................Sc 27,00/28,00

Pescado

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Abrotea

Grande ..................................Kg 25,00/26,00 Pescada

Grande .......................................Kg 7,50/8,00 Média .........................................Kg 5,50/6,00 Pequena .....................................Kg 3,75/4,00 Goete Grande ...........................Kg 3,30/3,50 Goete Média ..............................Kg 2,75/3,00 Goete Pequena ........................Kg 2,30/2,50 Maria Mole Grande ................Kg 3,30/3,50 Maria Mole Média ..................Kg 2,75/3,00 Maria Mole Pequena .............Kg 2,30/2,50 Tortinha ....................................Kg 2,30/2,50 Grande ......................................Kg 4,50/5,00 Robalo

Hidropônico .........................Eng 11,65/12,65

Extra .......................................Dzmc 8,56/9,15 Especial ...............................Dzmc 6,72/7,34 Primeira ..............................Dzmc 4,86/5,50 Bruxelas Extra ........................Pct 2,63/3,13

Escarola

Hidropônica ........................Eng 10,40/11,40

Anchovas

Rúcula

Grande ........................................Kg 6,50/7,00 Média ..........................................Kg 3,50/4,00

Hidropônica .......................Eng 15,84/17,44

........................................................Kg 0,90/1,00 Salmão

Porco

Couve

Agrião

.......................................................Kg 7,50/8,50 Mexilhão

Ovos

Grande ........................................Kg 3,30/3,50 Média ...........................................Kg 2,30/2,50 Pequena .....................................Kg 1,75/2,00

DATA PERÍODO

UFIR Out./00 R$ 1,0641 UFESP 2010 R$ 16,42 UFM-SP 2010 R$ 96,33 UPC Jul. a Set. R$ 21,86 SAL. MÍN. Julho R$ 510,00 FGTS Julho 0,3056% SELIC* Junho 0,79% * Incide sobre valor nominal do débito. Há, ainda, multa de 0,33% ao dia, limitada a 20% sobre o valor nominal. Para pagto. da 4ª cota e da 1ª, 2ª e 3ª em atraso, até 30/7 os juros da Taxa Selic são de 2,54%.

Salário regional paulista O piso salarial tem três faixas , R$ 560, R$ 570 e R$ 580, de acordo com a atividade profissional (a lista das atividades por faixa está na Lei estadual de nº 13.983/10 em 10 de março de 2010, que vale a partir Abril, para pagamento em Maio/10) e não se aplica a trabalhadores que têm piso definido por lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho nem a servidores públicos, aposentados e pensionistas.

20/7 21/7 22/7 23/7

FATOR

DATA

0,01230547 0,01232913 0,01232497 0,01228589

24/7 25/7 26/7 28/7

FATOR

0,01228943 0,01232777 0,01238411 0,01233140

DI - Over DATA

VALOR

DIA%

MÊS%

ANO%

20/7 21/7 22/7 23/7

10,14 10,14 10,64 10,64

0,0383 0,0383 0,0401 0,0401

0,5379 0,5756 0,6168 0,6572

4,8482 4,8884 4,9305 4,9726

Imposto de Renda na fonte BASE DE CÁLCULO (R$)

Até 1.499,15 De 1.499,16 até 2.246,75 De 2.246,76 até 2.995,70 De 2.995,71 até 3.743,19 Acima de 3.743,19

ALÍQUOTA

PARCELA A DEDUZIR

– 7,5 15 22,5 27,5

Isento 112,43 280,94 505,62 692,78

Deduções: R$ 150,69 por dependente; pensão alimentícia integral; contribuição ao INSS. Aposentado com 65 anos ou mais tem direito a uma dedução extra de R$ 1.499,15 no benefício recebido da previdência.

Maiores por Rentabilidade mês(%) Referenciado DI 2,02 Mb Master Ref DI Lp FIF* 1,92 Mb Super Ref DI Lp FIC* 1,16 FI Banestes Vip DI Refer Lp 0,71 Vic Fg 2 Cred PrIV FI Ref 0,7 Safra DI FI Referenciado Renda Fixa 9,74 Caixa FI Master III RF* 9,67 Caixa FIC Selecao RF* 8,9 Mb Matic Renda Fixa Lp FIF* 8,74 Mb Especial RF Lp FIC* 2,69 Bradesco FI RF Capof Nebraska Fundos de Curto Prazo 0,66 Rt Enterprise Curto Prazo FI 0,66 Federal Curto Prazo FI 0,66 Caixa FI Curto Prazo 0,66 Itaú Curto Prazo FI 0,66 BB Top Cp 2 FI Curto Prazo Multim. Multiestratégia 37,29 Infinity Platinum FI Mult* 16,05 FI Multimerc Cred PrIV Mero* 13,32 Sparta Trends FI No Exter. Multim* 13,29 FI Multimerc Conejo Fund* 12,48 Mocastland FI Multim Cred PrIV* Multim. Juros e Moedas 2,63 Ffie FI Mult Cred PrIV* 2,58 Rt Comp 6 FI Multimercado* 1,74 FI Rio Bonito Multimerc Cred. Priv.* 1,5 Btg Pactual High Yield Plus FI Multi* 1,39 FI Multim Barcelona Cred.Privado* Ações Livre 21,13 FI Ações Proprietario 10* 17,45 Rst Create Fundo Invest Açoes* 17,16 Profit 180 FI Ações* 16,63 Jpp FIA* 15,97 Bergamo Fundo Invest Ações*

15,35 15,00 16,00 14,10 9,00 15,50 13,00 16,00

R$/ARROBA, A PRAZO

Soja

Extra A ..................................Cx K 19,22/21,52 Extra .....................................Cx K 13,98/16,12

Tomate

MÁX.

14,00 12,60 15,00 12,80 7,00 15,00 12,28 15,00

Boi Gordo

PREÇOS AO PRODUTOR

Cará

Extra Aa .......................................Kg 1,16/1,33 Extra A ........................................Kg 0,83/0,92 Extra ..........................................Kg 0,65/0,74

MÍN.

14,59 12,82 15,57 13,39 7,67 15,24 12,65 15,00

Fonte: AE Broadcast

Extra ....................................Dzmc 10,72/11,95 Especial .............................Dzmc 9,08/10,03 Primeira ..............................Dzmc 6,63/7,57

Cenoura

1,13 1,11 0,08 0,09

MÉDIO

FECH. AJUSTE VAR.%

Brócolos

Extra Aa ..............................Cx K 19,63/21,62 Extra A ...................................Cx K 15,17/17,18 Extra ....................................Cx K 10,96/12,74

1,06 0,97 0,75 0,61

FECH. AJUSTE VAR.%

Out. 28 79,62 80,47 Dez. 3.764 74,51 75,54 Mar./11 701 73,50 74,55 Mai. 51 74,38 75,22

Verde Extra Aa ....................Cx K 11,17/12,37 Verde Extra A ......................Cx K 8,54/9,60 Verde Extra ...........................Cx K 6,00/7,00 Vermelho Extra Aa ........Cx K 33,22/36,99 Vermelho Extra A ..........Cx K 25,98/29,16 Vermelho Extra ...............Cx K 18,82/22,08 Amarelo Extra Aa ..........Cx K 27,85/32,37

Beterraba

Uva

MÁX.

2.254 2.305 2.297 2.297 2.139 2.183 2.178 2.178 2.121 2.160 2.152 2.152 2.126 2.161 2.154 2.154

R$/SACA DE 60KG

Crinsson ....................................Kg 6,50/7,50 Moscatel ...................................Kg 3,80/4,00 Red Globe .................................Kg 6,55/6,90

Batata Doce

MÍN.

Set. 1.271 Dez. 1.364 Mar./11 603 Mai. 208

Café Arábica

Uva Estrang.

Maxixe

Pêra Estrang.

MÁX.

MÁX.

Alcachofra

Nectarina Estr.

0,05 0,22 -0,06 -0,18

-

MÍN.

2.973 2.999 3.024 3.041

NesPêra

Comum .......................................Kg 5,27/6,27

18,26 18,05 17,28 16,79

FECH. AJUSTE VAR.%

Set. 6.893 160,45 167,60 165,35 Dez. 1.724 161,15 168,05 166,05 Mar./11 228 161,60 167,85 166,30 Mai. 50 161,60 167,40 165,80

Espanhola .................................Kg 4,27/4,67 Americana ...............................Kg 8,76/10,51

Morango

VENCTO. NEGOC.

EM DÓLARES POR TONELADA

MÍN.

Abobrinha

Norte do Paraná Passo Fundo (RS) Sudoeste do Paraná Sorriso (MT) Chapecó (SC) Rio Verde (GO) Triângulo Mineiro

2,46 2,31 2,17 2,00

Açúcar – Londres

Brasileira Extra Aa ..........Cx K 18,82/21,03 Brasileira Extra A .............Cx K 14,35/16,32 Brasileira Extra .................Cx K 10,07/11,78 Italiana Extra Aa ...........Cx K 34,46/39,90 Italiana Extra A ...............Cx K 23,43/27,95 Italiana Extra .....................Cx K 15,53/17,53

Pêssego Estran.

Azedo A ...............................Cx K 14,78/16,36 Azedo B ................................Cx K 11,64/13,00 Azedo C ...................................Cx K 9,51/10,51 Doce 8 Frutos .........................Cxt 7,66/7,99

18,66 18,31 17,48 17,02

2.916 2.949 2.969 2.999

Japonesa .....................................Kg 1,22/1,37 Seca ..............................................Kg 1,28/1,37 Moranga .....................................Kg 0,70/0,81 Paulista ..................................Sc 14,87/16,94

Rio A ......................................Mcx 22,90/24,11 Rio B ......................................Mcx 18,90/19,90 Rio C ......................................Mcx 15,46/16,46

Fuji 80-150 Frutos ....................Kg 2,71/2,91 Fuji 163-175 Frutos ...................Kg 2,28/2,51 Gala 80-150 Frutos ..................Kg 2,03/2,16 Gala 163-175 Frutos .................Kg 1,65/1,82 Golden 80-150 Frutos ..........Kg 2,60/2,80 Golden 163-175 Frutos .........Kg 2,20/2,40

Maracujá

Out. 13.751 18,09 Mar./11 3.653 17,75 Mai. 629 17,02 Jul. 295 16,63

Set. 3.123 Nov. 1.178 Jan./11 338 Mai. 112

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Abóbora

Mexerica

Maçã Nacional

Hadem 9 Frutos ......................Kg 3,37/3,57 Hadem 12 Frutos ....................Kg 3,33/3,53 Hadem 15 Frutos ...................Kg 2,66/2,90 Hadem 18 Frutos ....................Kg 2,27/2,47 Palmer 9 Frutos ......................Kg 2,06/2,26 Palmer 12 Frutos ....................Kg 2,03/2,23 Palmer 15 Frutos ......................Kg 1,69/1,84 Palmer 18 Frutos ......................Kg 1,38/1,54 Tommy Atkins 12 Frutos ........Kg 1,74/1,92 Tommy Atkins 15 Frutos .......Kg 1,39/1,50 Tommy Atkins 18 Frutos ........Kg 1,14/1,24

FECH. AJUSTE VAR.%

VENCTO. NEGOC.

Legumes

1.710 1.710 1.730 1.730 1.744 1.744 1.730 1.730

EM CENTS DE US$ POR LIBRA-PESO

MÁX.

FECH. AJUSTE VAR.%

0,44 0,15 0,15 0,15

1.677 1.736 1.748 1.731

EM CENTS DE US$ POR LIBRA-PESO FECH. AJUSTE VAR.%

MÍN.

39,07 39,14 39,34 39,76

39,07 39,14 39,34 39,76

1.670 1.677 1.695 1.685

Suco de Laranja – NY

EM DÓLARES POR TONELADA

Melância

ALÍQUOTA (%)

Até 1.040,22 De 1.040,23 a 1.733,70 De 1.733,71 a 3.467,40 * Empregador

MÁX.

Café – Londres

Laranja

Lima

0,10 0,05 0,20 0,23

Mogiana (SP)

Algodão – NY

MÍN.

EM CENTS DE US$ POR BUSHEL

.................................................Cxt 18,00/20,00

Jun.

SALÁRIO DE CONTRIBUIÇÃO

24 13 3 1

FECH. AJUSTE VAR.%

EM LIBRAS ESTERLINAS POR TONELADA

383,50 391,75 384,50 384,50 -1,47 397,75 403,75 397,75 397,75 -1,43 - 406,00 406,00 -1,34 412,00 412,00 413,50 413,50 -1,14

Óleo de Soja – Chicago

Redon/Comprida Graúda ......Kg 0,93/1,03 Redon/Comprida Média .......Kg 0,73/0,83 Redon/Comprida Miúda ......Kg 0,54/0,64

Kiwi Nacional

FECH. AJUSTE VAR.%

1.014,001.018,00 1.017,00 1.017,00 988,00 991,50 991,00 991,00 976,00 986,75 981,50 981,50 984,00 994,50 989,75 989,75

Doce 10 Frutos .......................Cxt 7,66/7,99 Doce 12 Frutos .......................Cxt 4,32/4,65 Doce 15 Frutos .........................Cxt 6,01/7,01

Inflação (%) 0,7797 0,7958 0,8339 0,8896 0,8391 0,9018 0,8406 0,7739 0,7950 0,8330 0,8942 0,8780 0,8702 0,8839

Set. Dez. Mar./11 Mai.

MÁX.

..................................................Kg 23,00/25,00 Sardinha

Congelada Grande ................Kg 2,70/2,80 Congelada Média ...................Kg 2,30/2,50 Tilápia

.......................................................Kg 3,50/4,00

Fundos

TR/TBF/poupança (%) 0,0791 0,0852 0,1131 0,1088 0,1182 0,1209 0,800 0,0734 0,0844 0,1122 0,1133 0,1072 0,1392 0,1031

136 17 1

R$/SACA DE 60KG

MÍN.

VENCTO. NEGOC.

Set. 9 Dez. 1.215 Mar./11 633 Mai. 463

Milho

Cacau – Londres FECH. AJUSTE VAR.%

EM CENTS DE US$ POR LIBRA PESO

MÁX.

Suas Contas 9/7 a 9/8 10/7 a 10/8 11/7 a 11/8 12/7 a 12/8 13/7 a 13/8 14/7 a 14/8 15/7 a 15/8 16/7 a 16/8 17/7 a 17/8 18/7 a 18/8 19/7 a 19/8 20/7 a 20/8 21/7 a 21/8 22/7 a 22/8

Dez. Mar./11 Mai. Jul.

Café – NY

EM CENTS DE US$ POR BUSHEL

VENCTO. NEGOC.

Preço Mín.

0 0,00 0 0,00 0 0,00 0 0,00 37 22,00

Jaca

Abacaxi

290,40 -0,03 283,80 0,28 283,30 0,35 282,60 0,36

Out. 2.805 545,50 571,00 559,20 559,20 Dez. 1.236 497,30 523,30 511,10 511,10 Mar./11 615 493,50 513,90 502,20 502,20 mai. 147 479,20 497,90 484,90 484,90

MERCADOS FUTUROS Soja – Chicago VENCTO. NEGOC.

84,95 86,20 86,29 87,25 87,25 86,77

Fresca ...................................Cxt 16,00/18,00

Em Alta: Pepino Joponês

22,00

Preço Mín.

Acerola

R$ 14,32 a R$ 10,87/Cxt

22,00

84,57 85,45 85,65 86,58 87,13 86,59

Fortuna A .........................Cx K 25,00/27,00 Fuck´s A ...........................Cx K 20,00/25,00 Margarida A ....................Cx K 20,00/25,00 Avocado A ............................Cxt 15,60/17,44 Quintal A ..........................Cx K 25,00/27,00

Em baixa: Fruta do conde

22,15

365 295 181 1.868 34 14

Mercado Atacadista Secretaria do Abastecimento e Ceagesp Preços em R$ Abacate

290,40 283,80 283,30 282,60

EM CENTS DE US$ POR BUSHEL VENCTO. NEGOC. MÍN. MÁX.

VENCTO. NEGOC.

*Contratos de setembro/2010

Contr. Negoc.

Frutas

300,00 285,50 284,50 284,50

Milho – Chicago

VENCTO. NEGOC.

3,8500

27 21,90

Contr. Negoc.

289,10 283,20 281,60 284,50

EM CENTS DE US$ POR LIBRA-PESO

Contr. Aberto

15 558 225 0 2.842

17 4 22 1

Açúcar – NY

3,9500

2.606 1.765 1.815 21.723 499 74

Contr. Aberto

1,39%

EM DÓLARES POR BUSHEL

Jul10 Ago10 Set10 Out10 Nov10 Dez10

Set10 Nov10 Mar11 Abr11 Mai11

Set. Out. Dez. jan./11

VENCTO. NEGOC.

COTAÇÕES DO MILHO EM CHICAGO*

Vencto.

Vencto.

E M CENTS DE US$ POR LIBRA-PESO FECH. AJUSTE VAR.%

EM CENTS DE US$ POR BUSHEL

Boi Gordo (contrato = 330@; cotação = R$/@)

2.984 189,20 196,50 1.597 187,00 193,30 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 0 0,00 0,00 18 190,00 192,00

Preço

632

Cacau – NY

EM DÓLARES POR TONELADA VENCTO. NEGOC. MÍN. MÁX.

Trigo – Chicago

BM&FBOVESPA

Café Arábica (contrato = 100 sacas; cotação = US$/saca)

Farelo de Soja – Chicago

SK&C

23/7/2010 dia(%) ano(%) PL(R$ mm) Cota(R$) 0,04 0,03 0,04 0,04 0,04

6,23 5,31 5,26 5,39 5,33

23.292,78 4.399,26 247.863,68 24.881,67 192.987,80

147,88 42,57 8,48 1,09 110,76

0,04 0,03 0,03 0,03 0,18

14,35 13,71 12,93 11,52 8,58

29.975,27 29.965,66 4.631,43 3.458,85 9.690,81

2,42 2,21 32,38 65,13 3,44

0,04 0,04 0,04 0,04 0,04

4,97 4,97 4,97 4,98 4,98

1.451.257,76 2.775.720,97 3.904.707,93 2.905.218,14 8.471.447,99

10,72 42,24 3,12 31,68 1,07

8,84 3,36 1,42 3,22 4,17

22,05 14,05 -19,72 -2,44 9,77

1.870,95 14.521,06 3.619,70 784.548,70 123.815,92

0,98 114,05 0,65 1,15 1,66

0,43 0,97 -0,56 0,21 0,32

8,18 8,66 0,58 2,03 8,75

17.685.787,77 37.122,58 55.365,91 70.735,54 276.549,56

1,24 4,37 1,01 1,02 13,72

4,89 3,71 2,09 2,52 1,86

10,75 3,22 25,34 0,80 -39,87

18.354,62 110,75 15.716,62 21,52 95.621,02 1,25 68.692,34 1315344,08 8.597,02 292,50

Maiores por Patrimônio Referenciado DI BB Top DI FI Refer DI Lp* Santander FI Refer DI Bram FI Refer DI Rubi Itaú Referenciado DI FI HSBC FI Referenciado DI Lp Renda Fixa Caixa FI Master RF L Prazo* Bram FI RF Caixa FIC Personal RF L Prazo* Caixa FI Master PeRF RF Lp* Caixa FIC Executivo RF L P* Fundos de Curto Prazo BB Cp Administ Supremo FICFI BB Top Cp 2 FI Curto Prazo BB Cp Administrativo Dif FICFI BB Cp Administ Absoluto FICFI BB Cp 50 Mil FICFI Multim. Multiestratégia FIC FI Multim Petros Master* Safra Global FI Mult Cred PrIV* FIC FI Multim Petros Moderado* Select 1 FIC FI Multi. Prev.* Fprf2 Albatroz FI Multim Prev* Multim.Juros e Moedas Ffie FI Mult Cred PrIV* Ogx 63 Multim Credito Privado FI* FI Multim Petros Credito Privado* PeRF Fix Ib Multimerc FI* Capital PeRF Fix Ib Mult FIC* Ações Livre GerAção L. Par FIA* Tempo Capital Principal FI Aç* Bird Fdo Invest Aç Invest Exteri* GerAção FIA Programado* CsHG Beta 14 FIC FI Ações*

dia(%) mês(%) ano(%) PL(R$ mm) Cota(R$) 0,04 0,04 0,04 0,04 0,04

0,63 0,68 0,67 0,68 0,65

5,13 20.915.002,02 5,19 18.160.617,55 5,05 15.398.378,91 5,08 14.329.165,99 4,97 8.510.064,36

7,99 66,26 3,81 74,10 12,24

0,04 0,04 0,04 0,04 0,03

0,61 0,69 0,59 0,62 0,55

4,89 20.880.626,23 5,17 11.389.143,36 4,64 10.899.805,12 4,95 8.297.643,26 4,34 8.296.031,06

9,63 10,51 7,23 1,20 8,43

0,02 0,04 0,04 0,04 0,04

0,38 0,66 0,62 0,59 0,59

2,65 4,98 4,67 4,38 4,39

18.123.103,31 8.471.447,99 6.085.719,12 4.782.556,78 4.117.019,96

2,22 1,07 1,89 3,54 2,78

0,04 0,04 0,04 0,25 0,28

0,68 0,63 0,63 1,22 1,25

5,36 10.936.089,43 5,02 8.299.881,12 5,29 4.313.482,93 8,64 3.933.560,31 8,95 3.473.074,86

4845,22 5433,10 3,79 2,97 6,21

0,43 0,04 0,04 0,06 0,05

2,63 0,64 0,76 0,52 0,49

8,18 5,17 5,92 4,99 4,71

17.685.787,77 5.272.591,00 2.799.844,89 2.184.116,66 2.036.782,94

1,24 13,41 3,70 255,06 244,97

1,80 2,12 -1,25 1,55 0,56

9,3 6,68 1,23 8,21 2,32

0,60 -6,70 6,52 -5,08 6,00

2.437.765,47 1.004.105,29 983.725,36 892.182,43 753.248,33

57,74 123,10 1035,44 1,75

19,41


B12 %HermesFileInfo:B-12:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Negócios

estadão.com.br Internet. Buscador chinês quer se impor em celular do Google economia.estadão.com.br

Acionista. Segundo o presidente da TAM S/A, Marco Antonio Bologna, objetivo do grupo é ter participação minoritária, mas com poder de influir nas decisões, como forma de proteger sua operação; para o executivo, não falta dinheiro para os aeroportos no País

TAM quer investir em aeroportos para se defender do risco de alta de tarifas PAULO LIEBERT/AE

Alexandre Calais Melina Costa

O modelo de expansão dos aeroportos brasileiros ainda está longe de uma definição. Mas a TAM já decidiu que não pretende ficar de fora desse processo. “Não queremos ser donos de aeroportos, mas participar da governança, para defender os direitos das companhias e dos usuários, nem que tenhamos de ter, para isso, uma participação no capital”, diz Marco Antonio Bologna, o presidente da TAM S/A, a holding do grupo. O governo anunciou recentemente investimentos de mais de R$ 6 bilhões para acabar com os gargalosnosaeroportosdascidades que vão receber jogos da Copa do Mundo, em 2014. Para Bologna, isso mostra pelo menos queo governoagoraseconscientizou de que há realmente problemas de infraestrutura, e mostra disposição para resolver o problema. Segundo o executivo, não falta dinheiroparaosaeroportos.“Todos os fundos de infraestrutura do Brasil e do mundo querem participar, e também há recursosdoPAC paraisso”,diz.Oproblema, segundo ele, é definir o modelo, se será público, privado,público-privado,seasempresas aéreas poderão participar. “Nós realmente queremos fazer parte”, diz. “Não para ser donos de aeroporto. Mas para ter um assento na governança.” A primeira definição nessa área foi para o aeroporto de Natal, São Gonçalo do Amarante, cuja operação deve ser concedida à iniciativa privada. Nesse aeroporto, as empresas aéreas poderão ter uma fatia de até 10%. “Com isso, já dá para participar da decisão”, diz Bologna. “De-

Empresa se prepara para movimento de consolidação ● A TAM começa a se preparar

para o grande processo de consolidação no setor aéreo que está em andamento no mundo, e que, segundo Marco Antonio Bologna, presidente da TAM S/A, em algum momento chegará, inevitavelmente, ao Brasil. “Um estudo da Iata (Associação Internacional do Transporte Aéreo, na sigla em inglês) diz que, em 2050, haverá de 10 a 12 grupos de aviação no mundo.” Nesse sentido, segundo ele, o fato de agora fazer parte de uma aliança aérea internacional, a Star Alliance – na qual o grupo entrou este ano –, já ajuda nesse sentido, de se preparar para “uma onda que virá”. “O setor aéreo realmente precisa de escala”, diz. “É um setor de fornecimentos oligopolizados, como o de aviões, combustível, serviços. Portanto, é necessário mais escala para se negociar.”

Regras. Para Marco Antonio Bologna, é necessário definir qual será o modelo do investimento na expansão dos aeroportos pendendo do modelo, se deixar só na mão de alguém que quer apenas retorno sobre o investimento, ele pode jogar um nível detarifa muitoalto,o quevaiafetar os nossos clientes e a nossa operação.” O executivo lembra, porém, que quanto mais liberalizante for o modelo escolhido, mais aumenta a necessidade de uma agência reguladora forte – nesse caso,aAnac.“Elaéquevaiprocurar fazer com que as eficiências do aeroporto sejam transferidas ano a ano para a tarifa”, diz. Mas lembra que teve país que adotou

Novas frentes. A participação em aeroportos, no entanto, é só uma das frentes em que Bologna vem trabalhando para expandir o alcance da TAM. O executivo, que foi presidente da TAM Li-

nhas Aéreas de 2004 a 2007, retornou em 2009 como presidente da TAM Aviação Executiva e assumiu agora em abril a presidência da recém-criada holding, temcomumadasprincipaismissões levar adiante um plano que começou a ser desenhado em 2007, de identificar dentro do grupo atividades que pudessem ter um tratamento separado, como um negócio independente. Transformar, enfim, a TAM em uma “corporação”. Num primeiro momento, segundoBologna,foramidentificados alguns setores que pode-

riam ter esse tratamento. O primeiro deles era o cartão fidelidade. “Nesse caso, usamos o ‘sétimomandamento’docomandante Rolim (Amaro, fundador da TAM): a história de que, se não tem capacidade para criar, tem de ter coragem para copiar. E a Air Canada já tinha uma história desucesso comocartãofidelidade.” Esse movimento acabou tendoo desfecho este ano, quando a Multiplus, gerenciadora do programa de fidelidade do grupo, abriu o capital na Bovespa. Outro setor que pode operar comouma empresadistintaden-

empresa em Congonhas, em 2007,quecausouamortedequase 200 passageiros e aumentou as restrições para a operação no aeroporto. Ele teve de lidar com toda a crise de imagem que a companhia atravessou. Deixou o cargo poucos meses após o acidente, substituído por David Barioni – o processo de sucessão já estava em andamento antes do acidente. O executivo ainda manteve-se

como conselheiro da TAM Empreendimentos e Participações, holdingcontroladoradaTAMLinhasAéreasepertencenteàfamília Amaro. Longe das funções executivasnaTAM,assumiuadiretoria geral da construtora W Torre, com o objetivo de abrir o capital da companhia. O projeto, porém, foi adiado e Bologna ficou apenas 10 meses no cargo. Em março de 2009, ele voltou paraagestão da grupoTAM,des-

sa vez como presidente da TAM Aviação Executiva (agora, a função é ocupada pelo executivo Fernando Pinho). Em julho, Bologna estreitou ainda mais a sua relação com a família Amaro ao tornar-se conselheiro da TAM Linhas Aéreas. Uma de suas principais tarefas eraexatamenteajudaratransformar a TAM em uma corporação, com a criação de empresas independentes dentro do grupo.

isso e não deu certo. “No México,foiumdesastre.Porqueagente sabe que agências reguladoras empaísescomcaracterísticascomo as do México, e também do Brasil, é difícil dizer que sejam independentes.Elas sãovinculadas a um ministério, e, no final do dia, estão vinculadas a um interesse político.”

PERFIL

Marco Antonio Bologna, PRESIDENTE DA TAM S/A

Executivo levou a TAM à Bolsa de Valores em 2005 OengenheiroMarcoAntonioBologna foi presidente da TAM Linhas Aéreas durante quase quatro anos e liderou a empresa em

dois momentos decisivos. O primeiro foi a abertura de capital da companhia,em2005.O segundo foi o acidente com um avião da

trodo grupoéoCentro deManutenção de São Carlos. “Estamos no meio de um processo de avaliação para buscarmos um sócio”, diz o executivo. “Mas, nesse caso, o que vale a pena aqui nãoé buscarnomercadode capitais,esimatrairumsócioestratégico,alguémqueaporteduascoisas: know-how e clientes.” ATAMAviaçãoExecutivaéoutracandidataasetornarumaunidade independente, com CNPJ próprio. Mas, nesse caso, segundo Bologna, o primeiro passo foi fazer uma reestruturação das operações, colocando a empresa em todos os segmentos da aviação executiva: da comercialização à manutenção, passando pelo treinamento de pilotos e todos os serviços ligados a um voo executivo. Nesse caso, segundo Bologna, a entrada de um sócio tambémseriabem-vinda,mas issoaindaestáemumprocessoinicial de análise. Ummodelo de expansão já definido dentro da holding é o da TAM Viagens, a operadora de turismodogrupo –que jáéasegunda maior do País, atrás apenas da CVC. Em dois anos, o grupo pretende abrir no Brasil 200 franquias da operadora.

KEVORK DJANSEZIAN/AFP

Ford lucra US$ 2,6 bilhões e tem melhor resultado desde 2004 Montadora apontou melhora nos números da América do Sul, onde o lucro antes de impostos foi de US$ 285 milhões DETROIT

A montadora Ford registrou lucro de US$ 2,6 bilhões no segundo trimestre de 2010, ou US$ 0,61 por ação, com aumento de US$ 338 milhões na comparação com igual período do ano passado. Todas as principais operações ao redor mundo apresentaram melhora de resultados. Excluindo itens especiais, a montadora informou um lucro operacional antes de impostos de US$ 2,9 bilhões, ou US$ 0,68 por ação. O desempenho entre abril e junho caracteriza melhor

desempenhodaForddesdeoprimeiro trimestre de 2004. A receita da montadora totalizou US$ 31,3 bilhões no segundo trimestre deste ano, alta de US$ 4,5 bilhões em relação ao mesmo período de 2009. A montadora encerrou o segundo trimestre com caixa bruto de US$ 21,9 bilhões – queda de US$ 3,4 bilhões sobre o primeiro trimestre, como resultado de ações para reduzir sua dívida. Considerada apenas a divisão norte-americana, o lucro opera● Avaliação

O presidente mundial da Ford, Alan Mulally, disse que a empresa teve “um trimestre muito forte, e o 1º semestre de 2010 fechou à frente das expectativas, apesar de ainda desafiadoras”.

Montadora faz recall do Focus no Brasil

cional antes de impostos foi de US$ 1,9 bilhão no segundo trimestre. América do Sul. A Ford Améri-

ca do Sul registrou lucro operacional antes de impostos de US$ 285 milhões no segundo trimestre de 2010, frente a um lucro de US$86milhões nomesmo período do ano passado e de US$ 203 milhões no primeiro trimestre. Foi o 26.º trimestre consecutivo de lucratividade na região, onde o Brasil responde por cerca de 70% das vendas. Segundo a empresa, o aumento reflete principalmente preços líquidosfavoráveis, câmbiotambém favorável e maior volume, compensado parcialmente pelo aumento das commodities e dos custos estruturais. A receita do segundo trimestre foi de US$ 2,6 bilhões, ante US$ 1.8 bilhão do

Ganho. Vendas da Ford subiram nos principais mercados mesmo trimestre de 2009. “No segundo trimestre, enfrentamos desafios diante do fimda redução do IPI,da desaceleração no ritmo de crescimento de vendas da indústria, bem co-

mo o aumento do preço das commodities”, disse o presidente da Ford Brasil e Mercosul, Marcos de Oliveira. / CLEIDE SILVA E DOW JONES NEWSWIRES

A Ford do Brasil anunciou ontem um recall do novo Ford Focus 1.6, modelo 2010, para veículos fabricados até 18 de fevereiro. Uma falha na vedação do tanquinho, reservatório para partidaa frio,podecausar dificuldade de acionamento do motor em dias frios, se o carro estiver abastecido com álcool. De acordo comaFord,nãoháriscodeincêndio ou acidentes. O recall abrange veículos com séries de chassis entre 270427 e 314861 (seis últimos dígitos). Os proprietários devem levar o automóvel para inspeção em uma concessionária da Ford. A empresa informa que, caso necessário, será feira a substituição do reservatório. Para agendar a vistoria, a empresa colocou à disposição o Centro de Atendimento Ford, pelo telefone 0800- 7033673.


%HermesFileInfo:B-13:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Negócios B13

AP

Índia apresenta seu ‘iPad’ de US$ 35

LG Display admite que pode faltar telas para iPad ● A LG Display pode reduzir sua

produção de telas de cristal líquido (LCD) a partir de agosto devido à queda na demanda dos fabricantes de televisores, mas é incapaz de atender à demanda de telas para o tablet iPad da Apple. A afirmação é do presidente executivo da empresa, Kwon Youngsoo. “Estamos operando a plena capacidade, mas estudando a possibilidade de cortes de produção”, diz. “O nível de redução será inferior à média do setor.” O efeito da crise de dívida na Europa é a única preocupação para a LG, mas Kwon disse que a demanda geral por LCD pode se recuperar a partir de setembro. A LG anunciou que seu lucro no segundo trimestre mais que dobrou para US$ 603,5 milhões. A empresa é fornecedora de componentes para o iPad, que vendeu 3,47 milhões de unidades desde o lançamento, em abril, mas não será capaz de atender à crescente demanda. A Apple planeja começar a vender o iPad em nove novos mercados internacionais, o que aumentara a demanda pelo aparelho.

Para produzir o tablet, governo indiano busca agora parcerias na iniciativa privada Erika Kinetz ASSOCIATED PRESS MUMBAI

Parece um iPad, mas custa 1/14 de um iPad: é o protótipo de um tablet básico dirigido ao público estudantil, que a Índia acaba de apresentar – e espera começar a produzir em 2011. “Esta é a nossa resposta ao computador de US$ 100 do MIT”, disse o ministro de desenvolvimento de recursos humanos Kapil Sibal, ao Economic Times na apresentação do aparelho esta semana. Seogoverno conseguirencontrar um fabricante, o computador com sistema operacional Linux será o mais recente de uma série de inovações “mais baratas do mundo” a chegar ao mercado da Índia, que já tem o carro compacto Nano de 100 mil rupias (US$ 2.127), o purificador de água de 749 rupias (US$ 16) e a cirurgia a coração aberto por US$ 2 mil. O tablet pode ser usado para funções como processador de texto,navegação nainternetevideoconferência. Também tem uma opção a energia solar – importante para o interior da Índia

que tem escassez de energia –, emboraelarepresenteum acréscimo do custo. Em2005, NicholasNegroponte – um dos fundadores do Media Lab do Massachusetts Institute of Technology – apresentou um protótipo de laptop de US$ 100 para crianças dos países em desenvolvimento.AÍndiaorejeitou, alegando que era caro demais, e durante alguns anos se dedicou ao desenvolvimento de uma opção própria mais barata. Expectativa. Ministro Kapil Sibal espera que o custo do novo computador chegue a US$ 10 Disputa de preços. O laptop de

Negroponte acabou custando US$200,mas,emmaio,suaassociação sem fins lucrativos, One LaptopPerChild (Umlaptoppara cada criança), anunciou que pretende lançar um tablet básico de US$ 99. Sibal recorreu aos estudanteseprofessoresdasuniversidades técnicas da Índia para criar o aparelho de US$ 35, depois de receber uma resposta “morna” de empresas privadas. Ele espera conseguir baixar o custo para US$ 10. Mamta Varma, uma porta-voz do ministério, disse que a redução dos custos do hardware e o design inteligente tornam o preço sugerido plausível. O tablet

A Vera Cruz Empreendimentos Imobiliários Ltda. torna público que protocolou na CETESB o Plano de Trabalho referente ao Loteamento Bairro Santa Paula, localizado no município de Campinas, SP. Declara aberto o prazo de 45 dias a partir da publicação desta nota, para manifestação, por escrito, de qualquer interessado. A solicitação deverá ser protocolada ou enviada por carta registrada, postada no prazo acima definido, ao Departamento de Avaliação de Impacto Ambiental, Av. Professor Frederico Hermann Junior, 345, Alto de Pinheiros, CEP 05459-900, São Paulo - SP.

Companhia de Gás de São Paulo - COMGÁS

Companhia Aberta C.N.P.J./M.F. nº 61.856.571/0001-17 - N.I.R.E. 35.300.045.611 Ata da Reunião Ordinária do Conselho de Administração Data, Hora e Local: Ao vigésimo nono dia do mês de junho do ano de dois mil e dez, às 10:00 horas, na sede da Companhia de Gás de São Paulo - COMGÁS (“Companhia”), localizada na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, Rua Olimpíadas, nº 205, 10º andar, Vila Olímpia. Mesa: Nelson Luiz Costa Silva - Presidente, e Daniel Seixas Gomide - Secretário. Conselheiros Presentes: Nelson Luiz Costa Silva, Luis Augusto Domenech, Pedro de Andrade Faria e Sidney Batista da Rocha. Participaram por teleconferência os conselheiros Marcelo Menicucci Esteves, Alexandre Cerqueira da Silva, Roberto Schloesser Junior e Benedict John Thorpe Wright. Ordem do Dia: (I) Apresentações sobre os resultados financeiros da Companhia acumulados no ano, sobre os assuntos relevantes relacionados à Saúde, Segurança e Meio Ambiente (SSM) e do Comitê de Auditoria; (II) Proposta de resgate das ações preferenciais classe B de emissão da Companhia e respectiva alteração do “caput” do artigo 5º do Estatuto Social da Comgás; (III) Pagamento da 1ª parcela de Juros sobre Capital Próprio referente ao exercício de 2010; (IV) Aprovação do 5º Aditivo ao Contrato de Normas Gerais celebrado entre Comgás e Petrobras em 18 de dezembro de 2007; (V) Alteração do artigo 45, §1º, do Estatuto Social; (VI) Aprovação de aditivo aos contratos de financiamento celebrados com o BNDES; e (VII) Indicação de membros para o Comitê de Auditoria da Comgás. Deliberações: O Sr. Secretário, convidou os Srs. Edson Moro, Luiz Roberto Tibério e Ubiratan Zaccaro Conesa para conduzirem as apresentações referidas no item (I) da Ordem do Dia, tendo os membros do Conselho de Administração analisado e debatido os assuntos apresentados, solicitando que o material relativo às referidas apresentações fosse anexado à presente ata. Em seguida, passaram os Srs. Conselheiros a examinar o item (II) da Ordem do Dia, tendo o Conselho de Administração aprovado, por unanimidade de votos, a proposta a ser submetida à Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada em 28 de julho de 2010 para: (i) resgate de 696.935 (seiscentos e noventa e seis mil, novecentas e trinta e cinco) ações preferenciais Classe B de emissão da Companhia, pelo valor total de R$ 24.246.646,26 (vinte e quatro milhões, duzentos e quarenta e seis mil, seiscentos e quarenta e seis reais e vinte e seis centavos), equivalente a 99,5% (noventa e nove inteiros e cinco décimos percentuais) do respectivo preço de emissão, sem correção monetária, nos termos do parágrafo 4º do artigo 5º do Estatuto Social, com o consequente cancelamento dessas ações, sem redução do capital social, já que o pagamento do valor das ações objeto da operação de resgate será efetuado mediante a utilização do saldo constante da Reserva de Capital para Resgate de Ações da Companhia, constituída quando da emissão das ações preferenciais Classe B, conforme deliberação da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária realizada em 29/03/2010; e (ii) alteração do “caput” do artigo 5º do Estatuto Social, decorrente do resgate das ações preferenciais Classe B, passando a redação a vigorar da seguinte forma: “O capital social subscrito e integralizado é de 636.984.619,26 (seiscentos e trinta e seis milhões, novecentos e oitenta e quatro mil, seiscentos e dezenove reais e vinte e seis centavos), representado por 93.910.898 (noventa e três milhões, novecentos e dez mil, oitocentos e noventa e oito) ações ordinárias sem valor nominal e totalmente integralizadas; 25.911.899 (vinte e cinco milhões, novecentos e onze mil, oitocentos e noventa e nove) ações preferenciais de classe A, conforme definição do Parágrafo 3º abaixo, todas nominativas, sem valor nominal e totalmente integralizadas”. Passando para o item (III) da Ordem do Dia, o Sr. Secretário convidou o Sr. Roberto Collares Lage para conduzir uma apresentação sobre a proposta da Diretoria para pagamento da 1ª parcela de Juros sobre Capital Próprio referente ao exercício de 2010, que se dará de acordo com as seguintes condições: (a) valor total de R$ 34.421.255.70 (trinta e quatro milhões, quatrocentos e vinte e um mil, duzentos e cinqüenta e cinco reais e setenta centavos), correspondente ao valor bruto de R$ 0,281187277474089 para cada ação ordinária e valor bruto de R$ 0,309306005221498 para cada ação preferencial; (b) os créditos correspondentes aos juros sobre capital próprio serão lançados nos registros contábeis da Companhia, em nome de cada acionista, na data de 01/07/2010 com base na posição acionária de 30/06/2010; (c) a partir de 01/07/2010, inclusive, as ações da Companhia serão negociadas “ex-juros sobre capital próprio”; (d) o pagamento da primeira parcela dos juros sobre capital próprio será efetuado em 30/07/2010, sem qualquer atualização monetária ou outra remuneração; (e) os juros sobre capital próprio pagos aos acionistas deverão ser imputados aos dividendos mínimos obrigatórios a serem pagos em 2011, relativos ao exercício social de 2010, integrando tais valores ao montante de dividendos a serem distribuídos pela Companhia para todos os efeitos previstos na legislação societária; e (f) o pagamento dos juros sobre capital próprio estará sujeito à incidência de 15% (quinze por cento) de imposto de renda na fonte, exceto para os acionistas que declararem ser imunes ou isentos até 20/07/2010. O pagamento das demais parcelas de juros sobre capital próprio referentes ao exercício de 2010 serão objeto de propostas da Diretoria a serem oportunamente submetidas à deliberação do Conselho de Administração até o final do exercício corrente. Concluída a apresentação da proposta da Diretoria e após esclarecimentos aos membros do Conselho de Administração, a matéria foi submetida à deliberação e aprovada, por maioria de votos, ad referendum da Assembleia Geral Ordinária, conforme previsto no Estatuto Social da Companhia. O conselheiro Pedro de Andrade Faria votou em sentido contrário à proposta aprovada. Com relação ao item (IV) da Ordem do Dia, os Conselheiros aprovaram, por unanimidade, a assinatura do 5º Aditivo ao Contrato de Normas Gerais celebrado entre Comgás e Petrobras em 18 de dezembro de 2007. Em seguida, o Conselho de Administração aprovou, por unanimidade, o item (V) da Ordem do Dia, devendo ser submetida à deliberação da Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada no dia 28 de julho de 2010 a proposta de alteração do parágrafo 1º do artigo 45 do Estatuto Social da Companhia, em conformidade com o disposto na Lei nº 11.638/2007, para que passe a vigorar com a seguinte redação: “No encerramento do exercício levantar-se-á o balanço patrimonial da Companhia e serão elaboradas as demonstrações de lucros e prejuízos acumulados (mutações do patrimônio líquido), resultado do exercício, fluxo de caixa e valor adicionado, observadas as prescrições legais.” Após examinar o item (VI) da Ordem do Dia, o Conselho de Administração aprovou, por unanimidade, a assinatura de aditivos aos contratos de financiamento celebrados com o BNDES para alteração de obrigação da Companhia referente à manutenção de índices financeiros; e (VII) após discussão, os conselheiros aprovaram, por unanimidade, nos termos do parágrafo 3º do artigo 29 do Estatuto Social da Companhia, a recondução dos Srs. Emilio Andres Peña Hasbun, boliviano, casado, economista, portador do Protocolo de Identidade de Estrangeiro DELEMIG/RJ nº 08460.016788/2009-15 e inscrito no C.P.F./M.F. sob o nº 059.901.717-14, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial à Av. das Américas, nº 4200, bloco 6, 1º andar, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ e Benedict William John Thorpe Wright, cidadão britânico, casado, contador, portador da carteira de identidade RNE nº V545145-C, inscrito no C.P.F./M.F. sob o nº 060.705.647-90, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial à Rua Lauro Muller, 116, 17º andar, sala 1702, Botafogo, Rio de Janeiro/RJ para atuarem como membros do Comitê de Auditoria, por mais um mandato de 01 (um) ano. Encerramento, Lavratura e Assinatura: Em seguida, o Sr. Secretário passou a palavra ao Sr. Nelson Luiz Costa Silva, Presidente do Conselho de Administração da Companhia, que, não havendo mais nada a tratar relativamente à ordem do dia deu por encerrada a reunião, ocasião em que determinou a lavratura da presente Ata que, depois de lida e achada conforme, foi assinada por todos os membros presentes da Companhia. São Paulo, 29 de junho de 2010. Certifico que a presente é cópia autêntica da ata lavrada no livro próprio, subscrita pelo Presidente e pelo Secretário Geral do Conselho de Administração, além dos conselheiros Luis Augusto Domenech, Pedro de Andrade Faria e Sidney Batista da Rocha. Os membros que participaram por vídeo e teleconferência não assinam a ata - item 5.8 do Regimento Interno do CA, mas devem formalizar seus votos por meio de pareceres (Manifestação de Voto, nos termos do anexo V do Regimento Interno). Daniel Seixas Gomide - Secretário. JUCESP nº 233.936/10-5 em 06/07/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

não tem disco rígido, mas usa um cartão de memória, semelhante ao de um celular. O seu design reduz o custo do hardware, e o uso de software de fonte aberta também contribui para torná-lo mais econômico. Varma disse que várias indústrias globais, e pelo menos uma deTaiwan,semostraraminteressadas na produção do aparelho de baixo custo, mas ainda não foi concluído nenhum acordo de produção ou distribuição. A porta-voz não quis identificar as companhias. AÍndiaplanejasubsidiarocustodo tabletparaosseusestudantes, para que o preço de compra

possa chegar a cerca de US$ 20. “Dependendo da qualidade do material que está sendo usado, certamente será plausível”, afirmou Sarah Rotman Epps, analista da Forrester Research. “A questão é: será suficientemente bom para os estudantes?” A lucratividadetambéméumproblema para uma máquina de US$ 35. Aceitação. Segundo Sarah, os

subsídios do governo ou a dupla comercialização–em queospreçosmaisaltosnasvendasrealizadas no mundo desenvolvido são usados para subsidiar as vendas a baixo custo em mercados como a Índia – podem convencer

12ª VARA DA FAMÍLIA E SUCESSÕES DO FORO CENTRAL CÍVEL - SP EDITAL PARA CONHECIMENTO DE TERCEIROS, EXPEDIDO NOS AUTOS DE INTERDIÇÃO DE MARIA ELISA GIORGINA BEI CIMIERI MONTEIRO DE SOUZA, REQUERIDO POR MARIA HELENA GIORGINA BEI CIMIERI - PROCESSO Nº 100.09.321297-5, CONTROLE 0846. O Dr. Ricardo Pereira Junior, MM. Juiz de Direito da 12ª Vara da Família e Sucessões do Foro Central Cível, Comarca de São Paulo do Estado de São Paulo, na forma da lei, etc. FAZ SABER aos que o presente edital virem ou dele conhecimento tiverem que, por sentença proferida em 07/06/2010, foi decretada a INTERDIÇÃO de Maria Elisa Giorgina Bei Cimieri Monteiro de Souza (RG. 53.017.6075 e CPF/MF 595.715.007/04), declarando-a absolutamente incapaz de exercer pessoalmente os atos da vida civil e nomeada como CURADORA, em caráter DEFINITIVO, a Sra. Maria Helena Giorgina Bei Cimieri (RG. 1.562.853-X e CPF/MF 516.939.848-49). O presente edital será publicado por três vezes, com intervalo de dez dias, e afixado na forma da lei. Nada mais. Dado e passado na cidade de São Paulo em 12 de julho de 2010.

umfabricanteaaceitaraempreitada e viabilizar o projeto. Esta e outras iniciativas semelhantes – como os tablets Kakai Kno e Entourage Edge – mostram que existe uma demanda global para um aparelho a preço acessível que permita reduzir os custos elevadosdos textos, disse a analista. Se isso funcionar, Sarah prevê que o aparelho poderá finalmenteconscientizarosetordanecessidade de baixar os custos. “Há umapressãosobretodososfabricantes de aparelhos para que mantenham os custos baixos e procurem inovar”, acrescentou. Oprojetofaz partedeumaam-

biciosa iniciativa na área de tecnologia da educação do governo indiano,quetambém querintroduzir a conectividade de banda larga da Índia em 25 mil faculdades e 504 universidades e tornar o material de estudo acessível online. Até o momento, foram conectadascerca de8,5milfaculdades, e cerca de 500 cursos pela internet e por vídeo foram carregados no YouTube e em outros portais, informou o Ministério de Desenvolvimento de Recursos Humanos. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

P R E F E I T U R A M U N I C I PA L D E P I R A S S U N U N G A

EDITAL - Pregão Presencial Edital: 087/10. Processo Administrativo: 2383/2010. Pregão Presencial: 061/10. Objeto: Equipamento de gravação digital. O Edital será fornecido aos interessados na Seção de Licitação, na Rua Galício Del Nero, 51, Centro, a partir do dia 26 de julho até o dia 05 de agosto de 2010, mediante o recolhimento da taxa no valor de R$ 25,00 (vinte e cinco reais), na Seção de Tributação, sendo que aqueles que desejarem apenas consultar o seu conteúdo também poderão dirigir-se à Seção de Licitação. Os envelopes deverão ser protocolados até o dia 09 de agosto de 2010, até às 09 horas, na Seção de Comunicações, no endereço acima. A Sessão será realizada na Sala de reuniões da Comissão Municipal de Licitações. Pirassununga, 23 de julho de 2010. Viviane dos Reis - Chefe da Seção de Licitação.

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SEDUR COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO DO ESTADO DA BAHIA - CONDER AVISO DE LICITAÇÃO A Comissão Permanente de Licitação - COPEL, avisa aos interessados que fará realizar licitação na MODALIDADE TOMADA DE PREÇOS / TÉCNICA E PREÇO, abaixo discriminada: Nº

Abertura

Hora

113/10

27.08.2010

11:00

Saiba todos os segredos e dicas de como beber e comer bem.

OBJETO CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA GIS WEB PARA GESTÃO DE INFORMAÇÕES GEOESPACIAIS, DE TURISMO E DO PATRIMÔNIO NATURAL E CULTURAL DOS MUNICÍPIOS BAIANOS.

O Edital, no valor de R$ 100,00 (cem reais), estará à disposição dos interessados na Sede da CONDER, a partir do dia 27.07.2010, das 14:00 às 18:00 horas. Salvador, 23 de julho de 2010. A COMISSÃO. CONDER

LPS BRASIL - CONSULTORIA DE IMÓVEIS S.A. Companhia Aberta - CNPJ/MF 08.078.847/0001-09 - NIRE 35.300.331.494 FATO RELEVANTE A LPS Brasil - Consultoria de Imóveis S.A. (“Lopes” ou “Companhia”), sociedade anônima aberta, com sede na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Estados Unidos nº 1971, vem a público, na forma e para os fins da Instrução CVM nº 358/2002, divulgar aos acionistas e ao mercado em geral que, em consonância com sua estratégia no mercado secundário, firmou contrato visando à aquisição do controle das operações da Self Imóveis Ltda. (“Self”), empresa com sede na cidade de Niterói, Estado do Rio de Janeiro. A Companhia deterá 51% das quotas representativas do capital social da Self, empresa que desenvolverá as atividades de consultoria e intermediação imobiliária com foco no mercado secundário na cidade de Niterói, Rio de Janeiro. O valor estimado da aquisição é de R$2,6 milhões, dos quais será paga uma parcela fixa inicial de R$900 mil. O saldo de R$1,7 milhão restante será pago em 2 parcelas variáveis de earn out, considerando o cenário base, a partir do terceiro ano da aquisição. Conforme determinado pelo artigo 256, inciso I da Lei das Sociedades Anônimas (Lei 6.404/1976), os acionistas serão convocados para deliberar sobre o assunto em Assembleia Geral Extraordinária, sendo a aprovação em referida Assembleia condição suspensiva para a aquisição. Os acionistas da Lopes que dissentirem da aquisição da Self terão o direito de se retirar da Lopes. Para fins de pagamento do reembolso das ações detidas pelos acionistas da Lopes, eventualmente dissidentes da deliberação aqui tratada, o preço será de R$0,56 por ação de emissão da Companhia, conforme balanço patrimonial datado de 31 de março de 2010. Com relação ao exercício do direito de retirada dos acionistas dissidentes terão direito ao reembolso aqueles que eram acionistas em 23/07/2010, data da publicação deste fato relevante. Os acionistas que adquiriram ações da Companhia após 23/07/2010, não terão direito a retirar-se em razão da aprovação da aquisição da Self. O prazo para o acionista dissidente manifestar-se acerca da sua decisão de retirada da Companhia é de 30 (trinta) dias contados a partir da data de publicação da ata da Assembleia Geral Extraordinária que deliberar sobre esta aquisição, nos jornais O ESTADO DE SÃO PAULO e DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. Os acionistas que decidirem exercer o direito de retirada deverão procurar o departamento de Relações com Investidores da Companhia no telefone: (11) 3067-0015 ou no e-mail: ri@lopes.com.br. São Paulo, 23 de julho de 2010 LPS Brasil - Consultoria de Imóveis S.A. Marcello Leone Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

COMUNICADO BFU DO BRASIL SERVIÇOS AMBIENTAIS LTDA, inscrita no CNPJ sob o nº 05.418.034/ 0001-14 comunica aos fornecedores, clientes e a quem mais possa interessar, que desde o final de março de 2010, o Sr. SANDRO SOUTO DE SOUTO não faz mais parte do seu Quadro Diretivo, portanto, não tendo mais desde aquela data, as prerrogativas de administrador da empresa. Comunica ainda que, igualmente, não integram mais o quadro de funcionários ou de prestadores de serviços, os Srs. Gilberto Souto de Souto Junior, Omar Souto de Souto e Priscila da Silva Galvincio. São Paulo, 14 de julho de 2010 Bárbara Cristina Moreira de Oliveira - Diretora

Toda segunda no Estadão. Bem-vindo ao comportamento digital. Tendências em tecnologia e últimos lançamentos.

Todo sábado no Estadão. Para quem respira literatura e cultura.

Toda quinta no Estadão.


B14 Negócios %HermesFileInfo:B-14:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

J.F.DIORIO/AE-20/7/2006

Banda larga popular ainda é para poucos Net tem cerca de 100 mil clientes em pacote com benefício tributário; Telefônica contabiliza somente 500 assinantes Renato Cruz

O governo de São Paulo lançou em outubro do ano passado o Programa Banda Larga Popular, que reduziu de 25% para zero a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercados e Serviços (ICMS) de planos de banda larga com preço máximo de R$ 29,80 por mês. Mas, passados nove meses do lançamento, ainda são poucos osbeneficiados.A Netéaempresa que mais conseguiu clientes para esse plano, com cerca de 100 mil assinantes. A Telefônica, que optou por atender esses clientes com a tecnologia sem fio WiMesh, está com somente 500assinantes.Nenhumaoperadora celular aderiu ao programa. “Os números da Net demonstram que esse plano tem aceitação, o que é um fato positivo”, disse Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco. “Eu acho queodecreto precisaseraperfeiçoado em alguns pontos.” Tude sugeriu que o governo permita que as celulares possam cobrar o modem do cliente da banda larga popular, o que hoje é proibido pelas regras do programa. Ele também disse que poderia ser encontrada uma solução para que a Telefônica possa usar sua rede de telefonia fixa para

● Mercado

11,8 milhões

eram os assinantes do serviço de banda larga no Brasil no fim do primeiro trimestre, de acordo com a consultoria Teleco

25,3%

era a participação de mercado da Net, com 3 milhões de assinantes de internet rápida

23,8%

era a fatia de mercado da Telefônica, com 2,8 milhões de clientes de internet rápida

prestar o serviço. Barreira. Houve um desentendimentoentreogovernoeaTelefônica logo após o anúncio do programa. A operadora planejavaoferecerainternet popularsomente para quem fosse assinante do telefone fixo, mas o governo não aceitou. A Telefônica apontouquestõestécnicas,argumentando que conseguiria garantir a entrega do serviço somente para quem já tivesse a infraestrutura instalada.

O pacote de banda larga popular da Net oferece velocidade de 512 quilobits por segundo (kbps). Quem assina um combo, com os canais abertos de TV e o telefone, paga R$ 39,90 e tem o dobro de velocidade, com 1 megabit por segundo (Mbps). “A banda larga popular já existe em São Paulo”, disse Rodrigo Marques, diretor executivo de Estratégia e Gestão Operacional daNet. OPlanoNacionaldeBanda Larga (PNBL), proposto pelo governo federal, prevê pacotes compreçodeR$ 29aR$35 evelocidades entre 512 kbps e 784 kbps. Em São Paulo, a única medida foi o corte de impostos, não houverecriaçãodeempresaestatal, como está fazendo a União. O microempresário Adelson Araújo da Silva, de 47 anos, assinou a banda larga popular da Net, com TV e telefone. Ele tem um computador portátil, e antes deassinar o pacote, se conectava com o sinal de Wi-Fi de um vizinho,ouusava ainternet no escritório. “Eu e minha esposa usamos maisparapesquisa”,explicouSilva,quetemdoisfilhos.“As crianças usam para pesquisa e Orkut, que não tem jeito. Eles também usam para jogos.” O microempresário instala e dá manutençãoem equipamentosdear-con-

Impacto. Carvalho, da Net, admite que houve temor de canibalização da base de clientes dicionado. Potencial. Quando o programa estadual foi anunciado, havia uma estimativa de que, em São Paulo, poderiam ser beneficiadas cerca de 2,5 milhões de residências, que têm computador sem internet ou com conexão discada. “Para a gente, o tema da banda larga popular não se resume ao programa do governo”, disse Fábio Bruggioni, diretor executivo deClientesResidenciaisda Tele-

fônica. “No primeiro semestre, 86% de nossas vendas de banda larga foram para as classes C e D.” Para oferecer o pacote com isenção de impostos, a Telefônica iluminou com tecnologia sem fio WiMesh 3,5 mil domicílios em Cidade Tiradentes, na Zona Leste de São Paulo. “Temos cerca de 500 clientes conectados. Até o fim do ano, a rede sem fio cobrirá 40 mil residências, com foco em baixa renda.” Segundo Márcio Carvalho, di-

dos serviços de ADSL.

Internet rápida chega a 73% das escolas públicas Segundo a Anatel, mais de 4,2 mil instituições de ensino passaram a ter acesso à banda larga no primeiro semestre Karla Mendes / BRASÍLIA

OPrograma Banda Larga nas Escolas já alcança quase 73% das instituições públicas de ensino do País. Segundo um balanço da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), mais de 4,2 mil escolas passaram a ter aces-

so à internet em alta velocidade no primeiro semestre deste ano. No total, estudantes de 47.204 escolas públicas urbanas de todo o Brasil já têm acesso à internet banda larga. O número de instituições beneficiadas representa 72,75% dos estabelecimentos municipais, estaduais e federais localizados em zona urbana no País. A meta do programa é conectar todas as 64.879 escolas urbanas até o fim deste ano. No primeiro semestre, os Estados com maior número de instituições que passaram a ter co-

nexão à internet em banda larga foram São Paulo (826), Minas Gerais (746) e Maranhão (408). Já as unidades da federação com menor número de escolas beneficiadas estão na Região Norte: Roraima (10), Amapá (16) e Acre (17). A relação completadasescolasbeneficiadas estará disponível no site da Anatel. Deacordo com a agência reguladora,o menor númerode instituições contempladas no Norte deve-se à dificuldade de acesso. As empresas atenderam primeiramenteas escolas quese encontram em suas áreas de cobertura

Fernando Scheller

Porta a porta

Nº 1 EM VENDA SÓ RECEBE À VISTA Andréa Reis, distribuidora da Tupperware em Belém, é líder mundial de vendas da empresa IVAN PARAJARA

Expansão. Andréa Reis atua no Norte do País há oito anos

o fim dos anos 90, umestúdiodecinema planejava filmar Avon Ladies of the Amazon, sobre três mulheres – as comediantes Goldie Hawn, Diane Keaton e Bette Midler – que tinham a missão de abrir mercado para a gigante dos cosméticos no meio da Floresta Amazônica. O projeto não saiu do papel, mas ganhou um paralelo na vida real: a paulista Andréa Reis se tornou campeãmundialdevendasdeoutro “símbolo” da cultura americana – a Tupperware – ao apostar, há oito anos, na abertura do mercado da Região Norte. A Tupperware está presente no País há 34 anos, e Andréa faz partedessa história há25.Começou trabalhando no escritório,

N

retor de Produtos e Serviços da Net, houve um temor, no início, de canibalização da base atual de clientes. Mas, com a demanda crescente por velocidade, isso não aconteceu. “A necessidade de banda tem aumentado muito”, disse Carvalho. “O assinante consome hoje sete vezes mais capacidade do que consumia em 2005.” A empresa lançou recentemente pacotes com 50 Mbps de velocidade. “O limite técnico atual é de 300 Mbps”, disse o executivo.

Rede. Houve dificuldade de acesso na Região Norte, diz Anatel

Parceria. O Programa Banda Larga nas Escolas éuma parceria dos ministérios das Comunicaçõeseda Educação,Anateleoperadoras de telefonia. O projeto é resultado de uma mudança no Plano Geral de Metas para a Universalização (PGMU) do Serviço Telefônico Fixo Comutado (STFC), que passou a estabelecer obrigações às concessionárias de telefonia fixa. Um decreto presidencial de 2008trocouaobrigaçãodeinstalar Postos de Serviços de Telecomunicações (PSTs) em áreas urbanas pelo compromisso de levar aos municípios o chamado backhaul, infraestrutura de rede para conexão em banda larga.

passouarevendedoraeviroudistribuidora da marca em Guarulhos. Há oito anos, em busca de umdesafio,aceitou o convitepara desenvolver o mercado do Norte,queprecisavadeumainjeção de ânimo. Baseada em Belém, a atuação de Andréa se estendia por toda a floresta. Desde o início, viajou de avião de carreira, de barco e por estradas esburacadas para mostrar o rosto. “Tudo é muito longe, mas é preciso fazer um corpo a corpo para demonstrar o produto”, conta a distribuidora, lembrando que a Tupperware oferece dezanosdegarantia.“Foiumtrabalho de formiguinha.” Cansada dos prejuízos ao vender a crédito na época de Guarulhos, Andréa Reis desenvolveu um sistema comercial próprio emBelém:todasasvendaspassaram a ser à vista. Só recebe o pro-

das reuniões, em que podem ser feitas vendas múltiplas”, diz. “Não queremos vender apenas pelo catálogo.” Segundo adiretora-geral da Tupperware no Brasil, Paola Kiwi, a empresa deve crescer 40% neste ano no País. O Brasil está no grupo de países onde o faturamento da companhia foi superior a US$ 50 milhões em 2009. Considerado oavançode40%,ofaturamento mínimo da empresa será de US$ 70 milhões em 2010. A maior parte dos produtos distribuídos no País é fabricada internamente. Após adquirir outras empresas nos EstadosUnidos,aTupperwarehoje também distribui à sua forçadevendasnacionalumcatálogo de cosméticos. “É um ganhoadicionalparaasrevendedoras”, explica Paola.

PABLO VALADARES/AE-27/2/2009

duto quem paga adiantado. “Se mantivesse o sistema de crédito, poderia vender o dobro. Mas acrediteinessa propostae nunca me abalei.” Andréa Reis diminuiu sua área de atuação, que agora se limita a parte do Pará e ao Amapá. Para as demais áreas, nomeou distribuidores “de confiança”. E diz que, mesmo hoje, é possível convenceraconsumidora aescolher umprodutoTupperware, quedificilmente custa menos de R$ 20, em detrimento aos similares de R$ 2 ou R$ 3: “(A consumidora) poderá comprar um pote por ano, em vez de um por mês, mas com mais qualidade.” Para quem acha que reunião de Tupperware é coisa do passado,acampeãmundial emvendas diz que o diferencial da empresa está na promoção destes encontros. “Incentivamos a realização


O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Caso Bruno

Boulevard

Ambiente

Sangue encontrado no sítio do goleiro não é de Eliza Samúdio

Dá tempo de personalizar um presente para o Dia dos Pais

Cinco animais silvestres são apreendidos por dia na capital paulista

Pág. C4

Pág. C8

Pág. C5 ERNESTO RODRIGUES/AE

C1 %HermesFileInfo:C-1:20100724:

Metrópole estadão.com.br

Juizados em aeroportos começam com baixa procura e prazo de validade No primeiro dia dos novos juizados especiais nos principais aeroportos brasileiros, sobraram dúvidas. Os postos, montados para facilitar a vida dos passageiros, não tinham horário de funcionamento definido, acabaram instalados às pressas, tiveram pouca divulgação e chegaram a ficar sem rede. Além disso, o prazo inicial de funcionamento sugerido é de seis meses – tempo que pode ser prorrogado ou reduzido conforme a procura. “Nós não temos um tempo estipulado para manter o serviço, vamos até não ter demanda”, explicou o presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Luiz Zveiter. “JáéumtesteparaCopadoMundo e Olimpíada.” Os juizados foram criados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na terça-feira, para tornar mais ágil a resolução de desentendimentosentre passageiros e empresas nos casos de atraso de voos, perda de conexões, extravio de bagagens e overbooking. “Com a nova resolução da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), que amplia os direitos dos passageiros, consideramos ser necessária novamente a presença da Justiça nos aeroportos”, disse o corregedor nacional de Justiça, ministro Gilson Dipp. O serviço já havia sido adotado na crise aérea – de outubro de 2007 a março de 2008. Na época, o de Cumbica, por exemplo, registrou2.293queixas, com524acordos obtidos (índice de 22,85%). A inovação agora é que o juiz não participará presencialmente dos encontros de conciliação entre passageiros e funcionários das empresas aéreas. Caso haja acordo, o termo elaborado é enviado via rede ao juiz, que homologa o documento digitalmente. “Mas devemos pôr advogados paraajudar aspessoas nesses tribunais”, disse o presidente da OAB, Luiz Flávio Borges D’Urso. Problemas. No entanto, a falta de organização entre as diversas instâncias fez o serviço ser poucoprocuradoontem. EmCongonhas,houveapenasumaconciliação em um caso de atraso de voo. Em Cumbica, o atendimento começou com atraso de seis horas e só houve um acordo. Em parte,

Atraso de 4 horas dificulta viagem para os EUA ● A situação de mais difícil solu-

ção envolveu o técnico em eletrotécnica Marco Antonio Borges, que vive em Nova York. Ele estava em Belo Horizonte e tinha horários marcados na Embaixada dos Estados Unidos e na Polícia Federal para tratar de assuntos relacionados a documentação pessoal. No entanto, ele disse que perdeu esses compromissos porque o voo que o traria da capital mineira para Brasília atrasou quatro horas. “Perdi os dois compromissos”, disse. Borges tem passagem para viajar para Nova York no domingo. “Tenho de voltar a trabalhar na segunda-feira”, contou. Mas, sem os documentos, não poderá viajar. /M.G.

a baixa procura ocorreu por falta de divulgação. Em Congonhas, não havia placas ou folhetos. E o problema não é de fácil solução: a divulgação, segundo o CNJ, caberia à Infraero. Mas a autarquia informou que apenas cederia o espaço e a obrigação de informar seria dos juizados. Também houve desencontros noshorários,quenãoforamfixados na terça pelo CNJ. Segundo Dipp, o JK terá o serviço 24 horas – e o mesmo vale para Cumbica e Tom Jobim, por causa dos voos internacionais. Mas Márcia Luiza Negretti, diretora do Juizado Itinerante de São Paulo, afirma que “não houve tempo para treinar funcionários” e, por enquanto, o serviço só funcionará das 9h às 23h (em dias úteis). Já em Congonhas, os funcionários do TJ não souberam informar o horário previsto para os dias da semana. Quanto aos limites de atuação, mais problemas. No Rio, o securitário Paulo Castelo Branco cobrou de Sveitzer que aceitasse queixas de lojas e serviços de táxis. “O senhor tem razão, vou ampliar o atendimento”, prometeu. / M A R I Â N G E L A GALLUCCI, ANA BIZZOTTO, RODRIGO BURGARELLI e MARCELO AULER

Terreno de 16.575 m 2 com 11.000 m 2 de puro lazer 18 itens de lazer para toda a família AO LADO DO PARQUE VILLA-LOBOS

Living ampliado decorado por Fernanda Marques

Perspectiva ilustrada do cinema

Condições de pagamento imperdíveis e seu imóvel entregue em 1 ano.* Ato**

30/60/90/120 dias do contrato**

32 mensais/1ªem 20/11/2010**

Parcela intermediária em 20/7/2011**

Parcela financiamento em 20/9/2011**

Preço de venda**

R$ 11.053,60

R$ 11.060,00

R$ 885,00

R$ 54.747,00

R$ 414.639,40

R$ 553.000,00

4 e 3 dorms. • 121 m2

Entregue equipado e decorado.***

Piscina coberta • Piscina adulto com bar • Churrasqueira e for no de pizza • Family space • Sala de ginástica • Salão de festas adulto com espaço gour met

TASSO MARCELO/AE

V isite o novo modelo decorado por Fer nanda Marques.

Av. Mofarrej, 275 - V ila Leopoldina Tel. (11) 3834-3599 • www.jardimleopoldina.com.br

Santos Dumont, no Rio. Faltou divulgação para o serviço

Vendas:

Realização e Construção:

Realização e Vendas:

SOLUÇÃO DE PROBLEMAS ● Quando devo procurar o Juizado Especial?

● Quais tipos de queixas podem ser feitas?

Quando o viajante se sentir prejudicado por problemas de serviço causados pela empresa (Justiça estadual), Anac ou Infraero (federal). Ambas instâncias estarão nos juizados.

Extravio de bagagem, perda de um compromisso ou conexão por atraso, cancelamento ou overbooking ou falta de assistência devida aos passageiros nesses casos são as mais comuns.

7 8 9 10 11 12

Rossi Consultoria de Imóveis Ltda. – Rua James Joule, 65 – Torre Sul – 4º- andar – Brooklin Novo – São Paulo-SP – 04576-080 – Tel. (11) 5501-7900 – Creci J-20.006-5. Abyara Brokers Intermediação Imobiliária – Av. República do Líbano, 1110 – Ibirapuera – 04502-001 – São Paulo-SP – Tel. (11) 3888-9200 – Creci/SP 20.363-J – www.abyarabr.com.br. Delforte Empreendimentos Imobiliários S.A. – Creci J19971; Acer Consultores em Imóveis S.A. – Creci 19368J; Frema Consultoria Imobiliária S.A. – Creci 497J – Av. Indianópolis, 618 – CEP: 04062-001 – São Paulo-SP; Tel. (11) 5586-5600 – www.delfortefrema.com.br. A Incorporação imobiliária do empreendimento JARDIM LEOPOLDINA foi registrada sob nº- 32, na Matrícula 62.323, do 10º- Oficial de Registro de Imóveis de São Paulo-SP, em 21/9/2007. Mais informações bem como a minuta de instrumento particular de compra e venda estão à disposição dos interessados no estande de vendas. Sujeito a alteração sem prévio aviso. *Entrega prevista para julho de 2011. **Os valores apresentados acima são válidos para os 6º- e 7º- andares, da Torre Bem-Te-Vi, para apartamentos de finais 3 e 4. ***As áreas comuns serão entregues equipadas e decoradas.


C2 Cidades/Metrópole %HermesFileInfo:C-2:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

ALÔ, SÃOPAULO

crescente 18/7 (7h11)

PREVISÃO PARA HOJE EM SÃO PAULO Temperatura diminui e chove um pouco

23° 14°

2mm

minguante 3/8 (2h)

Probabilidade de chuva

80%

MANHÃ

28°/32°

Aracaju Belo Horizonte Brasília Boa Vista Belém Campo Grande Cuiabá Curitiba Florianópolis Fortaleza Goiânia João Pessoa Macapá

24°/27°

Abaixo de 19°

Votuporanga

Franca

18°/27°

25° 11°

0mm

SEG 26/7

24° 11°

0mm

TER 27/7

22° 10°

2mm

14°/25°

0%

Ribeirão Preto

S. J. do Rio Preto

15°/30°

18°/29°

0%

Araraquara 16°/28°

80%

Presidente Prudente 16°/28°

Bauru

Piracicaba

15°/26°

Sol/chuva Sol Sol Sol/chuva Sol/chuva Sol Sol Sol/chuva Sol/chuva Sol Sol Sol/chuva Sol/chuva

Domingo Segunda

24° 16° 27° 15° 28° 16°

NO

Sorocaba

São Paulo 14°/23°

15°/25°

Serra

21°/28° 24°/32° 22°/28° 21°/33° 8°/18° 22°/34° 21°/28° 21°/32° 15°/29° 21°/28° 23°/32° 20°/34° 20°/29°

NE

15nós

O

Ubatuba

L

17°/22° SO

Guarujá

Itapeva

Santos

12°/20°

19°/24°

19°/24°

Iguape 19°/21°

17°/19°

Litoral

Receba por sms a previsão de onde você está

Céu claro

www.estadao.com.br/sms

Nublado

Parcialmente nublado

SE

1m

S

Cananeia Interior

Sol/chuva Sol/chuva Sol/chuva Sol Sol/chuva Sol Sol/chuva Sol Sol/chuva Sol/chuva Sol/chuva Sol Sol

N

15°/25°

20° 9° 21° 7° 21° 8°

Maceió Manaus Natal Palmas Porto Alegre Porto Velho Recife Rio Branco Rio de Janeiro Salvador São Luís Teresina Vitória

22°/28° 13°/25° 12°/25° 25°/30° 23°/32° 15°/25° 17°/30° 12°/22° 14°/20° 21°/32° 15°/29° 21°/28° 25°/30°

Mín./Máx.

TÁBUA DE MARÉS: Porto de Santos

13°/23°

Ourinhos

30° 12° 28° 13° 29° 13°

Hoje

Tempo

9°/19°

15°/26°

S. J. dos Campos

PRÓXIMOS DIAS

Mín./Máx.

C. do Jordão

Campinas

15°/25°

nova 10/8 (0h08)

Poente 17h41

NOITE

NO MUNDO

Tempo

19°/23°

DOM 25/7

TARDE

NAS CAPITAIS

Acima de 32°

PRÓXIMOS DIAS EM SP A frente fria vai embora e as nuvens diminuem. Outra frente fria chega na terça-feira. Na capital

cheia 25/7 (22h37)

Nascente 6h45

Volume de chuva

Pancadas de chuva

24 Sábado

25 Domingo

26 Segunda

27 Terça

2h19 7h47 14h30 20h39

2h36 8h26 14h53 21h02

2h53 9h08 15h17 21h26

3h09 9h51 15h45 21h54

Chuva

1,2 0,0 1,3 0,5

1,3 0,0 1,4 0,5

Chuva com trovoadas

Twittadas da semana

1,4 -0,1 1,4 0,4

1,4 0,0 1,4 0,4

Fuso Mín./Máx.

0 Assunção +6 Atenas +5 Barcelona +5 Berlim +5 Bruxelas Buenos Aires 0 -1,5 Caracas -2 Chicago +5 Estocolmo +5 Genebra Johannesburgo +5 Lima -2 Lisboa +4 Londres +4 Los Angeles -4 Madri +5 México -2 Miami -1 Montevidéu 0 Moscou +7 Nova York -1 Paris +5 Roma +5 Santiago -1 Sydney +13 Tel-Aviv +6 Tóquio +12 Toronto -1 Washington -1

12°/24° 24°/40° 14°/26° 15°/17° 12°/20° 6°/11° 20°/25° 24°/32° 13°/16° 8°/18° 7°/18° 15°/23° 18°/32° 12°/22° 15°/30° 21°/37° 13°/15° 27°/31° 7°/12° 25°/28° 24°/36° 12°/24° 24°/29° 5°/9° 10°/16° 23°/31° 25°/29° 22°/25° 28°/38°

Volume de chuva (mm) Probabilidade de chuva (%)

Cena da Cidade

“Eu vou de pobre a milionário com uma velocidade que nem eu acredito ” BRUNO DE LUCA / ATOR SÁBADO

CIO DE PORTO ALEGRE. NA QUINTA

“Meu próximo livro: Fotos com o celular: modo de fazer” WILLIAM BONNER / APRESENTADOR DO JORNAL NACIONAL. NA QUARTA-FEIRA, APÓS POSTAR UMA SÉRIE DE FOTOGRAFIAS TIRADAS COM O TELEFONE

“Os pais não podem mais dar tapas nos filhos. A lei inclui cintadas? Chineladas? Golpes de cano ou de bigorna?” RAFINHA BASTOS / HUMORISTA DO CQC. NA QUARTA-FEIRA

“Jovens de todas as idades: não se mede a juventude pelos anos de vida, mas pela disposição diante do novo” GABRIEL CHALITA / VEREADOR

“Segunda monstro e eu continuo podre. Segunda podre e eu continuo monstro”

PAULISTANO. NA QUARTA-FEIRA, EM

JOÃO GORDO / MÚSICO E APRESENTA-

UM DE SEUS COSTUMEIROS ARROUBOS

DOR DE TV. NA SEGUNDA-FEIRA

FILOSÓFICOS

“Comoeugostaria queum cantinho das ruas fosse cercado e reservado aos ciclistas!”

“Seguindo no lema: A cada enxadada, uma minhoca” ELTON TEIXEIRA / VEREADOR DO MUNI-

SOB O SOL DO INVERNO

CÍPIO DE QUEIMADOS (RIO DE JANEI-

VALTER NAGELSTEIN / SECRETÁRIO

RO). MÚSICO E APRESENTADOR DE TV.

DA PRODUÇÃO, INDÚSTRIA E COMÉR-

NA SEGUNDA-FEIRA

Ciclistas aproveitam o dia de sol no Parque do Ibirapuera, na zona sul da capital paulista ● ERNESTO RODRIGUES/AE

São Paulo Reclama CAMPOS DE JORDÃO

Minha casa, na Vila Inglesa, em Campos do Jordão, foi arrombada pela quinta vez no dia 17/6. Quando o apoio móvel do serviço de alarme monitorado chegou, constataram a invasão por um pequeno vão aberto na vidraça. Esse bairro está abandonado: não há luz nos postes nem calçamento ou rede de esgoto e há buracos do tamanho de crateras. Porém, o IPTU é caríssimo. Já pedimos a presença da Polícia Militar (PM) no local. Um levantamento feito pelos caseiros e proprietários demonstra que os crimes ocorrem aos finais de semana, mais precisamente, nos finais da tarde de domingo e aos sábados, quando os proprietários vão embora para outras cidades e os caseiros vão à igreja ou saem para jantar. C.E.S. / Campos do Jordão A Polícia Militar esclarece que no local citado é realizado o policiamento preventivo e ostensivo diuturnamente, sendo feitas, também, operações de saturação no local e nas proximidades, além de abordagens a indivíduos em atitude suspeita e a realização de bloqueios policiais com a participação da Força Tática. Diz que, durante a Operação Inverno, o policiamento preventivo e ostensivo nos bairros residenciais mais afastados foi intensificado com o patrulhamento de viaturas designadas para esses bairros. Diz que o 5º Batalhão de Polícia Militar do interior-Taubaté é a unidade responsável pelo policiamento de Campos do Jordão e já está considerando as informações fornecidas pelo leitor em seu planejamento operacional.

O leitor explica: A PM realmente se faz presente em julho. Mas não há policiamento constante fora esse período. A PM sempre atendeu aos nossos chamados, mas falta prevenção.

Loterias 1˚ Prêmio 2˚ Prêmio 3˚ Prêmio 4˚ Prêmio 5˚ Prêmio

28.583 16.747 43.086 36.874 49.853

calçada. Reclamar na Ouvidoria é inútil. O bairro onde resido foi abandonado: as ruas estão todas esburacadas e as praças não têm manutenção.

CASA EM RISCO Descaso no Jaraguá

Roubos em fins de semana

FEDERAL Nº 04468

Informe-se

As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6˚ andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas

Moro na Alameda dos Salgueiros, no Jaraguá. Solicitei por várias vezes o reparo da sarjeta que fica nos fundos do meu terreno, que é de duas frentes, pois a água invade a minha casa e o terreno vizinho. Por mais de 3 vezes houve pequenos deslizamentos em decorrência da não manutenção dessa sarjeta e da falta de uma boca de lobo no local. Já refiz três vezes a sarjeta, mas ela é destruída pelo caminhão de lixo. Quando chove, um grande volume de água invade o terreno e já perdi por duas vezes os meus móveis. Esse problema ocorre há 3 anos e já solicitei providências ao SAC, à Ouvidoria da Prefeitura e ao setor de obras de Pirituba. Em 2/1, uma pedra grande rolou juntamente com terra sobre a minha casa, abrindo a parede da garagem, inundando-a. Uma semana antes, eu havia solicitado uma vistoria à Prefeitura e mencionei o risco iminente. Além de eles terem deixado a pedra no mesmo local, jogaram as que estavam na rua em cima da

LINCOLN MONTEIRO DA SILVA / SÃO PAULO A Subprefeitura Pirituba-Jaraguá informa que a manutenção das guias e sarjetas na Alameda dos Salgueiros, na altura do número 49, foi incluída na programação da equipe de obras e serviços da subprefeitura. Acrescenta que ela deve ocorrer nos próximos dias. Esclarece que a remoção da pedra deve ser providenciada pelo proprietário do imóvel de onde ela rolou, pois se trata de uma ação interpessoal, que não envolve a administração municipal.

O leitor comenta: Minha casa continua interditada e com os mesmos problemas – todos causados pelo descaso da subprefeitura. No site da Prefeitura foi mencionada a construção da sarjeta e remoção da pedra que estava na parede da residência, mas ela continua no mesmo local. Além disso, um funcionário da Prefeitura me chamou de trouxa.

MODOS E MANEIRAS Serviço público

A conhecida falência da Prefeitura de São Paulo e o conluio com a CET permitem que situações não toleradas para os cidadãos sejam aceitas para os “mais iguais”. No dia 20/7, foi podada uma árvore na Rua Álvaro Luiz Roberto de Assumpção, altura do número 50. Como não foi possível a remoção de todos os troncos, afinal, os funcionários precisavam dormir, os galhos foram amontoados na calçada, fazendo com que os transeuntes só pudessem circular pela rua. Não satisfeitos, espalharam vários troncos pela via carroçável, a fim de guardar lugar para que o caminhão, no dia seguinte, pudesse estacionar. Mas como são protegidos pela lei, optaram por parar em fila dupla. Mais uma vez os pedestres e os motoristas que se virassem. MAURO RIBEIRO GAMERO / SÃO PAULO

O leitor informou que os restos da poda foram retirados no dia 21, mas continua questionando a ação da Prefeitura.

ATENÇÃO: O quadro abaixo não deve ser usado para a conferência oficial das loterias. Dependendo do horário dos sorteios e do fechamento de edição, alguns resultados podem estar defasados. Confira os resultados oficiais no site www.caixa.gov.br

21/7/10 R$ 250.000,00 R$ 22.000,00 R$ 12.000,00 R$ 11.000,00 R$ 10.320,00

MILIONÁRIA Nº 04461 1˚ Prêmio 2˚ Prêmio 3˚ Prêmio 4˚ Prêmio 5˚ Prêmio

83.488 42.773 34.723 57.431 76.637

26/6/10 R$ 1.000.000.00 R$ 32.000.00 R$ 27.000.00 R$ 14.300.00 R$ 12.720,00

QUINA Nº2353

23/7/10

Quina (Acumulou) Quadra (121)

R$ 429.247,55 R$ 2.660,63

Terno (6.705) 02

13

39

56

LOTOFÁCIL Nº550 22/7/10 Ninguém acertou as 15 dezenas e o prêmio acumulou em R$ 1.807.877,40 01 05 06 07 09

R$ 68,59

10

11

13

14

16

72

17

18

20

21

22

MEGA SENA Nº1198

21/7/10

Sena (Acumulou)

R$ 6.850.881,31

Quina (52)

R$ 26.438,48

Quadra (3.708) 22

29

R$ 529,66 36

41

48

58

CORPO DE BOMBEIROS: 193 OU WWW.CCB.POLICIAMILITAR.SP.GOV.BR POLÍCIA MILITAR: 190 OU WWW.POLICIAMILITAR.SP.GOV.BR POLÍCIA CIVIL: 197 OU WWW.POLICIA-CIV.SP.GOV.BR DISQUE-DENÚNCIA: 181 (SP) OU (011) 3272-7373 SPTRANS: 0800-771-0118 (BILHETE ÚNICO E CARTÃO FIDELIDADE) ITINERÁRIOS DE ÔNIBUS: 156 DEFESA CIVIL: 199 PROCON: 151 SABESP: 195 AES ELETROPAULO: 0800-727-2196 COMGÁS: 0800-011-0197

Há um Século 24 de julho de

1910 (Allemanha) O marechal Hermes da Fonseca declarou a um representante do “Berliner Tagelatts” que o Brasil deseja a immigração alleman. Disse que o Brasil paulatinamente acabará com a moeda fiduciária, passando á circulação metallica. Em prol das classses menos favorecidas, disse s.exa, planeja-se introduzir no Brasil reformas sociaes, tendo por modelo a Allemanha.

estadão.com.br Blogs. Leia mais notas no blogs.estadao.com.br/cem-anosatras/

SERVIÇO: O Estado publica diariamente as loterias. Fique atento ao número e à data de realização dos sorteios.

DUPLA SENA Nº883

23/7/10

Sena (Acumulou)

01

06

R$ 6.829.825,84

12

32

Sena 2.˚ sorteio (1) Quina (66) Quadra (3.918)

08

09

11

38

50

R$ 264.229,62 R$ 3.002,61 R$ 48,17

15

18

38

LOTOMANIA Nº1055 20 acertos (Acumulou) 03 05 07

21/7/10 R$ 650.717,33 13 14

16

23

28

36

38

58

63

70

72

85

86

87

96

97

98


%HermesFileInfo:C-3:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Cidades/Metrópole C3 MAURICIO DE SOUZA/AE–13/1/2007

Fiscalização sobre jet ski é problema no Guarujá Acidente matou jovem anteontem; nem ela nem o outro envolvido tinham habilitação Improviso. Marinha diz que não pode fiscalizar se locadoras dos equipamentos instaladas na praia exigem habilitação Rejane Lima Zuleide Barros

mento de fiança de R$ 700. Responderá processo em liberdade.

ESPECIAL PARA O ESTADO SANTOS

Investigação. A Capitania dos

Após o acidente de jet ski que provocou a morte de Daniela Magela de Oliveira, de 17 anos, na tarde de quinta-feira, na Praia da Enseada, Guarujá, surgiu um impasse entre os órgãos públicos da Baixada Santista. Como tanto ela quanto o outro envolvido na colisão, o militar Ricardo Augusto dos Santos, de 28 anos, não tinham habilitação, Marinha e prefeitura afirmam não ter responsabilidade sobre a fiscalização dos jet skis. O acidente aconteceu por volta das 17 horas, no Canto do Tortuga. Houve uma colisão entre o jet ski de Daniela e o que era pilotadoporSantos.Paulistanos,ambos passavam férias no litoral. De acordo com o boletim de ocorrênciaregistradonaDelegacia Sede do Guarujá, a vítima teve ferimentos na cabeça no momento da colisão e acabou jogada ao mar. Daniela estava pilotando um jet ski alugado por meia hora, pelo valor de R$ 120. O militar foi indiciado por homicídio culposo – sem intenção dematar–eliberadoapósopaga-

Portosinstaurouinquéritoadministrativo para apurar, entre outros fatos, a causa mortis da vítima – afogamento ou lesão na cabeça. Os dois jet skis foram recolhidos para perícia. O trabalho, que será concluído em 90 dias, deve apontar ainda, em caso de mortepor afogamento, porqueo colete salva-vidas que Daniela usava não funcionou. A polícia ainda investiga outras pessoas no caso, incluindo o comerciante Paulo Sérgio Coelho Vigna, que teria alugado o jet ski para Daniela. “Eu ainda não sei se ele alugou para a menor ou paraoutrapessoa.Estamosesperando passar o enterro da meninaparaouviraspartes.Tudoprecisaser muitobemavaliado”,declarouo delegadotitulardo Guarujá, Claudio Rossi. “Ele alugou aquele jet ski para uma moça chamada Sofia de Oliveira Costa, que é maior deidade eassinouumtermode responsabilidade,ondeafirmaquetemhabilitação para pilotar o equipamento”, argumentou o advogadodeVigna,LuizClaudioVenâncio, que não acredita em indiciamento. Já o advogado do militar,

MORTES NO MAR E NAS REPRESAS

GILMAR ALVES/DIÁRIO DO LITORAL

Em nota, a prefeitura do Guarujá divulgou que a fiscalização sobreatrafegabilidadedeembarcaçõesnaspraias édecompetência da Capitania dos Portos do Estado de São Paulo. Afirma, porém, que o município editou um decreto regularizando a atividade de locação e, em caso de descumprimento da legislação, o locador terá a licença cassada. Dia seguinte. Ontem, nenhum

locador do equipamento apareceu na Praia da Enseada. Com chuva, os banhistas se limitavam a ouvir música e badalar nos restaurantes da orla. Um vigilante que trabalha no Canto do Tortuga, local próximo do acidente, contou já ter presenciado vários acidentes com jovens que alugam jet skis, mas nunca tãograve quanto o de quinta-feira. “Eles abusam demais, passam na linha d’água bem próximo da areia e os banhistas têm de rebolar para não serem atropelados”, relatou, pedindo anonimato. Segundo ele, os locadores dos equipamentos não demonstram “amínimapreocupação”emaveriguar se as pessoas estão habilitadas a pilotar os jet skis e “só pensam em ganhar dinheiro”. Ele diz que nunca viu a atividade ser fiscalizada.

Perigo. Estudante morreu em colisão na Praia da Enseada Gilberto Venâncio Alves, afirma que, embora seu cliente não tenha ainda a habilitação necessária, já teria realizado a prova para conseguir o documento de arrais amador. “Ele estava praticamente parado no momento da colisão e ajudou muito no socorro da vítima”, defendeu. Fiscalização. O capitão dos portos do Estado de São Paulo, Antônio Sérgio Caiado de Alencar, afirma que a Marinhasópodefiscalizar se as

pessoas possuem a habilitação necessária à navegação (carteira de motonauta ou arrais) quando estão na água. Segundo ele, não cabeàautoridademarítimaaveriguar se as empresas locadoras desses equipamentos exigem a documentação necessária. “As lojinhasque aparecemnas praias não são da minha jurisdição. Esseéoproblema.Agoraeupergunto: por que quem aluga carro cumpre direitinho o que é preciso e exige a habilitação e essas pessoas que querem alugar jet ski não querem cumprir isso?”

exigência para pilotar um jet ski – alugado ou não – é a Carteira de Habilitação de Amador (CHA) de arrais ou motonauta, oferecida pela Marinha do Brasil por meio das Capitanias dos Portos. Para tirar a CHA é preciso ter mais de 18 anos, fazer prova teórica (a taxa de inscrição custa R$ 40) e apresentar atestado médico.

2.

Equipamento. Os jet skis se enquadram na categoria embarcação miúda e, portanto, são dispensados de ter alguns equipamentos de segurança. É obrigatório, no entanto, ter coletes salva-vidas, luzes de navegação e seguro.

3.

Navegação. Só pode ser feita em águas consideradas abrigadas: “hidrovias interiores, lagos, lagoas, baías, angras, rios, canais” e áreas marítimas que normalmente não tenham ondas significativas.

Setembro de 2003

Fevereiro de 2008

Dezembro de 2009

Agosto de 2009

Setembro de 2009

Rapaz de 18 anos morre em Votorantim (SP)

Mecânico bate jet ski em São Vicente (SP)

Garota de 13 anos é morta em lagoa em Paulínia

Modelo de 22 anos bate jet ski em Fortaleza

Rapaz de 24 anos é atropelado no Guarujá

Saiba mais sobre este símbolo em www.cec.com.br/qrcode

50x50

de R$14, 20

8,90 m

1.

Habilitação. A primeira

EPITACIO PESSOA/AE

R$

PRESTE ATENÇÃO...

R$

2

9,90 m

por

R$

2

Piso Unigrés

Revestimento Incefra

37x37 - Cx.2,37m2 Barcelona - Cód. 386391

25x35 - Cx.2,08 m2 Ref.17900 - Cód. 491055

11,90 m

de R$62, 50

de R$20, 00

por

R$

2

14,90 m

R$ 23,40 m2

2

Piso Lanzi

Piso Incefra

43x43 - Cx.2,03m2 Savoy Creme - Cód. 265802

Cx.1,50m2 - - Ref. 50450 Cód. 252093

Porcelanato Eliane

45x45 - Cx.1,22m2 Rosini Snow - Cód. 260371

por

R$

49,90 m

Revestimento Portinari 33x66 - Cx.1,70 m2 - White Plain Mat. Rt. - Cód. 348309

Texturizado Rústico Coral

Parcela mínima de R$ 30,00.

Interna - 20kg Cód. 688134

Caixa d’água Tigre C/ Tampa - 500 litros Cód. 573221

Acrílico Fosco Suvinil 18 litros - Br Cód. 90565

Base P - 14 litros Cód. 589292

Ganhe 5% de desconto na 1ª compra**

Argamassa Casanova

R$ 139,90

R$ 189,70 R$ 82,90

R$ 6,30

2

R$ 269,90

R$ 98,50

1.000 litros - Cód. 217166

Jet Control Lorenzetti 127/220 V - Br./Cr. M.6800/5500 W Códs. 805637/670 C&C. Uma empresa 100% brasileira.

40

lojas SP e RJ

Compre pelo telefone:

4001.0100

E também pelo site:

www.cec.com.br

Preços finais já com o desconto. Venda direta para empresas:

5592.5233

S.A.C. Ligação local:

4004.1444

Confira o endereço das 38 lojas e 2 showrooms no endereço www.cec.com.br e não deixe de aproveitar essas superofertas C&C. Planos de pagamento e ofertas válidos somente para as lojas do Estado de São Paulo. Ofertas válidas de 24 a 29/7/2010 ou enquanto durarem os estoques. *0+10x sem juros no cartão C&C, para compras com parcela mínima de R$ 30,00, com a primeira parcela vencendo em até 40 dias. Sujeito à análise de crédito. **5% de desconto, somente na primeira compra com o cartão C&C, para compras acima de R$1.000,00 (exceto produtos em promoção). Até 8x s/juros nos cartões Visa, Hipercard, Diners, Amex e Aura, parcela mínima R$ 100,00 ou até 6x s/juros nos cartões MasterCard e Redecard, parcela mínima R$ 100,00. Até 8x s/juros e sem entrada, pela Financeira, parcela mínima R$ 100,00, 1ª p/ 30 dias. – Consulte outros planos de pagamento nas lojas - Planos pela Financeira, sujeitos a aprovação de crédito – Vendas em grande quantidade, sob consulta – Garantimos o estoque inicial de 10 unidades/100m2 por loja,- Estoque central (Exceto encomendas) - Frete não incluso. Cobrimos qualquer oferta anunciada pela concorrência: Telhanorte, Leroy Merlin e DiCico. Promoção válida para produtos anunciados exclusivo em jornais (anúncio/encarte) de grande circulação, tablóides e TV, com marcas e especificações iguais, que tenham sido anunciados pela C&C e pela concorrência durante o período de 7 dias respeitando a validade dos anúncios enquanto durarem nossos estoques, devendo ser considerados para comparação somente o preço à vista. Quantidade limitada por cliente. Fotos ilustrativas. Promoção não cumulativa e não válida para saldos. Produtos disponíveis somente em algumas lojas. Consulte nosso televendas. Reservamo-nos o direito de futuras correções de erros gráficos ou de impressão.


C4 Cidades/Metrópole %HermesFileInfo:C-4:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Sangue em sítio de Bruno não é de Eliza Para delegado do caso, prova pode ter sido plantada; defesa do goleiro diz que jovem está viva e foi vista na região metropolitana do Rio ALEX DE JESUS/O TEMPO

Eliane Souza ESPECIAL PARA O ESTADO BELO HORIZONTE

A Polícia Civil de Minas informou ontem que o sangue encontrado em um colchão no sítio do goleiro Bruno Fernandes em Esmeraldas (MG) é de uma mulher, mas não de Eliza Samudio, ex-amante do jogador desaparecida desde o início de junho. Ontem, Ércio Quaresma, advogado do atleta e de mais seis acusados no caso, disse ter informações de que Eliza teria sido vista em um shopping em Duque de Caxias, no Rio. O sangue foi encontrado em perícia realizada em 13 de junho. O delegado-chefe do Departamento de Investigações de Belo Horizonte, Edson Moreira, afirmou que a prova pode ter sido “plantada”. “Na primeira vistoria não tinha sangue, na segunda foi encontrada grande parte de sangue, o que pode ser para tumultuar as investigações.” Segundo o delegado, o sítio não poderia ter sido interditado porque a legislação brasileira

Goleiro deve ser indiciado como mandante do crime ● O goleiro Bruno Fernandes de-

ve ser indiciado como mandante do sequestro e assassinato de Eliza Samudio. “É o mandante, o motivador do crime”, disse o delegado Edson Moreira. Segundo ele, já existem elementos suficientes para provar a denúncia. Para o delegado, o caso “tem provas, tem autorias”, apesar de o corpo não ter sido encontrado. Edson Moreira disse que Fernanda Gomes de Castro, amante de Bruno, também deve ser indiciada. / E.S.

Minas. Mulher de Bola, Maria Denizlei, chega a delegacia, para prestar depoimento não permite. Moreira disse ainda que a possibilidade de o corpo carbonizadoencontradonointerior de São Paulo ser de Eliza é “praticamente zero”. Os restos mortais foram achados no dia 26 de junho em Cachoeira Paulista e estão em análise.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes de São Paulo, o advogado Quaresma disse que a informação de que Eliza estaria viva foi apenas uma denúncia. Não há imagens. “Quem falar que ela está viva está com alucinação, deve ter tomado alucinógeno. Ela es-

tá morta e o corpo, bem escondido”, reagiu o delegado. Um dos advogados da equipe de Quaresma,quepediuparanãoseridentificado, disse que supostas fotos de Eliza teriam sido feitas por amigos de Bruno, que estão tentando achar a modelo.

JB NETO/AE

Após chacina, ônibus é atacado no Jaçanã e serviço, paralisado Para polícia, incêndio foi causado por traficantes. Motoristas e cobradores cruzaram os braços, atingindo 69 mil pessoas Cristiane Bomfim

Um micro-ônibus foi incendiado anteontem à noite no Jaçanã, zona norte de São Paulo, em uma ação que, segundo a polícia, foi planejada por traficantes de drogas. O ataque fez com que motoristasecobradoresdascooperativas Transcooper e Fênix, que operam 38 linhas de ônibus, paralisassem o serviço durante a manhã de ontem, prejudicando 69 mil passageiros. A polícia apura se a ação teria relação com a chacina ocorrida 20 horas antes no mesmo bairro, em uma disputa por pontos de drogas, em que quatro pessoas morreram e três ficaram feridas. O delegado José Carvalho Pinto, do 73.º DP (Jaçanã), descartou a possibilidade de o ataque ter sido um protesto de moradores por causa dos homicídios. “Com certeza foi bagunça dotráficodedrogas. Osmorado-

Ação. Às 23h de quinta-feira,

um dos 20 passageiros de um lotação que fazia a linha 1722/10 Jardim Marina-Tucuruvi ordenou que as portas se abrissem e todos saíssem. Ele abriu um saco plástico e despejou combustível no interior do coletivo. Ateou fogo com um isqueiro, segundo a polícia, e fugiu. Logo depois, as linhas das duas cooperativas foram paralisadas. “Recebemos ameaças pelo telefone 0800 da empresa antes de o ônibus ficar em chamas. Preferimos não arriscar a vida dos passageiros. Não foi um protesto”, afirmou um diretor da Transcooper, que pediu para não ser identificado. O serviço foi retomado às 12h, apósaPMgarantirreforçonopoliciamento da região. “O objetivo é devolver a tranquilidade”, diz o major Armando da Silva Moreira, coordenador operacional do 43.º Batalhão da PM. Ele afirma que recebeu reforço das unidades de choque, como a Rondas Ostensivas Tobias Aguiar (Rota).

Heliete Rosa da Paixão – Aos 45 anos, era solteira. O enterro foi no Cemitério e Crematório Metropolitano Primaveras. Anna e Silva Prado – Aos 78 anos, era casada com Guaracy Rosa Prado. Deixa filha. O enterro foi no Cemitério de Congonhas. Joaquim de Souza – Aos 96 anos, era casado com Tereza Ribeiro de Souza. Deixa oito filhos. O enterro foi no Cemitério Jardim Parque dos Ipês. Valton Ramos de Oliveira – Aos 73 anos, era viúvo de Petronilia Guil-

Clarissa Thomé Gabriela Moreira RIO

Cinzas. Antes do fogo, homem mandou ocupantes saírem O delegado Carvalho Pinto classifica a região do Jaçanã como “tranquila”. “Apesar de ser na periferia, não temos grandes problemas”, afirma. Mesmo assim, informa que entre abril e junho foram registrados nove homicídios na delegacia, uma média de três por mês. No dia 11 de maio, seis pessoas – cinco delas moradores

de rua – morreram e uma mulher ficou gravemente ferida sob um viaduto no km 86 da Rodovia Fernão Dias, na primeira chacina do ano ocorrida no Jaçanã. A área era um ponto de usuários de crack. A polícia tinha duas linhas de investigação: ligação com o tráfico de drogas ou um crime de intolerância.

Cães. Os dez cachorros recolhidos para exames na casa do expolicial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, acusado de matar Eliza, serão devolvidos. Os cães foram levados para o Centro de Zoonose de Belo Horizonte, onde passaram por análise para detectar a presença de eventual sangue da vítima na pelagem. A mulher de Bola, Maria Denizlei, e uma das filhas não falaram durantedepoimento emBeloHorizonte. / COLABORARAM EDUARDO KATTAH e SOLANGE SPIGLIATTI

Pai dejovematropelador dizque pagoupropina à PM Bussamra afirma que pediram R$ 10 mil para liberar veículo envolvido em morte; comando manda prender policiais

res daqui são trabalhadores e usam ônibus”, disse.

Falecimentos General Harry Alberto Shnarndorf – Filhos e netos lamentam o falecimento do General Harry Alberto Shnarndorf, aos 86 anos.

Internação. O Ministério Públicode MinasGeraisinformou ontem que o promotor Leonardo Barreto Moreira Alves solicitou aojuiz titular da Vara da Infância e Juventude de Contagem, Elias Charbil Abdou Obeid, a aplicação de medida de internação pa-

ra J., de 17 anos, pelos atos de homicídio e sequestro no caso Eliza. O menor é considerado uma das principais testemunhas do inquérito. O pedido do promotor foi baseado no dolo eventual. O jovem alegou que a intenção era dar um “grande susto” em Eliza. “Mesmo que o menor não queira diretamenteo resultado morte da vítima (dolo direto), contribuiu paraaocorrênciadesseevento”,escreveu Alves. A medida de internação deve ser aplicada pelo prazo mínimo de seis meses, até três anos.

O pai e o irmão de Rafael Bussamra – acusado de atropelar e matar Rafael Mascarenhas, de 18 anos, na terça-feira – foram chamadosà delegacia ontem.A polícia do Rio queria saber se a família tentou ocultar as avarias no Siena de Bussamra, segundo indicou o funileiro Paulo Sérgio Gentile Muglia. Nodepoimento, Roberto Bussamra disseque os policiais militares que abordaram seu filho na saída do túnel onde aconteceu o atropelamento que matou o filho da atriz Cissa Guimarães exigiram R$ 10 mil para que ele não fosse conduzido à delegacia. Como o jovem não tinha aquele dinheiro na hora, combinaram que o pagamento seria feito na manhã daquele dia, no centro do Rio. Roberto havia decidido entregar apenas R$ 1 mil mas, segundo contou à delegada Bárbara

Lomba, naquele momento recebeu a ligação da mulher, dizendo que a vítima era filho da atriz. E estava morto. Afastados. Roberto contou ain-

da que passou mal com a notícia, mas que os PMs arrancaram de suasmãosodinheiroeforamembora. As informações do depoimento, realizado no 19.º DP, na Gávea, foram divulgadas pelo Jornal Nacional, da TV Globo. Os dois PMs envolvidos na extorsão, o sargento Marcelo Leal deSouzaMartinseocaboMarcelo Bigon, já foram afastados pelo comando da corporação e respondemaInquéritoPolicialMilitar (IPM). Imagens gravadas na saída do túnel mostram os policiais liberando o atropelador, logo após o acidente. À noite, o comandante da PM, coronel Mário Sérgio Duarte, mandou prender os dois policiais. Prisão. Já o funileiro contou à políciaque,aochegar paratrabalhar, encontrou o carro na porta da oficina, na frente da casa da família Bussamra, em Quintino, na zona norte do Rio. Mais tarde, Roberto Bussamra teria ligado, pedindoqueapressasseoconserto, pois precisava do carro para trabalhar.

Para publicar anúncio fúnebre: Balcão Iguatemi – Shopping Iguatemi 1a - 04, tel. 3815-3523 / fax 3814-0120 – Atendimento de 2ª a sábado, das 10 às 22 horas, e aos domingos, das 14 às 20 horas. Balcão Limão – Av. Prof. Celestino Bourroul, 100, tel. 3856-2139 / 3857-4611 / fax 3856-2852 – Atendimento de 2ª a 6ª das 9 às 19 horas. Só serão publicadas notícias de falecimento/missa encaminhadas pelo e-mail falecimentos@grupoestado.com.br, com nome do remetente, endereço, RG e telefone

ger de Oliveira. Deixa filhos. O enterro foi no Cemitério Parque dos Girassóis. Sérgio da Costa Lima – Sérgio da Costa Lima – Dia 22, aos 68 anos, era casado com Maria Elena. Deixa os filhos Cristina e Sérgio Júnior, a nora Márcia, o genro Sílvio e os netos Olívia e Felipe. Geraldo Dannemann (Brude) – Aos 60 anos, em Viena, Áustria. Filho de Geraldo Dannemann e Leticia Dannemann, era casado com Sandra Leite Dannemann. Deixa os filhos Lucianna e Geraldo. MISSAS Maria Alice Bueno Fachini Marques – Amanhã, às 10 horas, na Capela da PUC, na Rua Monte Alegre, 948, Perdizes (4º aniversário)

Malvina Apparecida Martinelli Scrivano – Amanhã, às 17 horas, na Igreja Imaculada Conceição, na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 2.071, Bela Vista (7º dia). Dr. Tapajós Sepé Diniz – Hoje, às 18 horas, no Mosteiro de São Bento de São Paulo, no Largo de São Bento, Centro (7º dia). Jorge Francisco de Gouveia – Amanhã, às 11 horas, na Basílica N. Sa. do Carmo, na Rua Martiniano de Carvalho, 114, Bela Vista. Roberto Guedes – Amanhã, às 11h30, na Capela da PUC, na Rua Monte Alegre, 948, Perdizes (7º aniversário).

No Nordeste, ajudava um povoado carente Após se dedicar por anos à mulher doente, Norman Venites Komel resolveu ir para o Nordeste, ajudar alguma comunidade carente. Acreditava que a vida tinha dado muito a ele e

CEMITÉRIO ISRAELITA DO BUTANTÃ

10h30 - Q 229 - Sep. 14 - S M (Shloshim).

Helena Efraim – Amanhã, às

Fanny Ilse Strauss – Amanhã, às 11h30 - Q 244 - Sep. 14 - S M

A esposa, os filhos e amigos do

DR. LUIZ ROBERTO BARRADAS BARATA agradecem as manifestações de carinho e convidam para a missa de sétimo dia, que acontecerá na capela do Hospital e Maternidade Santa Catarina (Avenida Paulista, 200), sábado (24/07), às 16h.

A esposa Nilsa, os filhos Flávio e Fernando, as noras Ana e Graça, os netos Guilherme, Felipe e Mariana e a sobrinha Delhy comunicam o falecimento do querido

MAURO BORGES FORTES A missa de sétimo dia será realizada em 28/07/10, às 18:30 h, na Paróquia do Santíssimo Sacramento, R. Tutóia, 1125, Vila Mariana.

que era preciso retribuir. Primeiro,foi para Aracaju, em Sergipe. Depois de levar as filhas de um amigo para visitar a avó, em Lagoa Primeira, povoado de Gararu, no interior do Estado, se apaixonou pela região e ficou por lá. Dedicou-se inteiramente ao local, às margens do Rio São Francisco – sempre disposto a defendê-lo. Em cinco anos, entre outros projetos, criou um centro de computação para inclusão social e conseguiu que a prefeitura entregasse leite para as crianças. Morreu no dia 14, aos 71 anos.

Lea Gandelman – Amanhã, às 12 horas - Q 379 - Sep. 115 - S R (Matzeiva). Frejda Blinder Schenkman – Amanhã, às 14 horas - Q 342 - Sep. 154 - S O (Matzeiva). CEMITÉRIO ISRAELITA DO EMBU Benjamin Cohen – Amanhã, às 10h30 - Q 20 - Sep. 25 - S B (Shloshim). Moise Isaac Dalva – Amanhã, às 11 horas - Q 13 - Sep. 29 - S B (Shloshim).

(Shloshim).

Abrão Wolf Ajzenberg – Amanhã, às 11 horas - Q 07 - Sep. 27 - S B (Shloshim).

Adolfo Maximo Sharovsky – Amanhã, às 11h30 - Q 143 - Sep. 13 - S E (Matzeiva).

Patrícia Grossman – Amanhã, às 11h30 - Q 12 - Sep. 57 - S B (Matzeiva).


%HermesFileInfo:C-5:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Cidades/Metrópole C5 FOTOS: ERNESTO RODRIGUES/AE

SP apreende 5 animais silvestres a cada dia Prefeitura criou setor na Secretaria do Verde para cuidar desses bichos nativos

o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, no Parque Anhanguera,emPerus,zonanorte. Lá há 25 recintos de vários tamanhos. Três deles, com 250 m3,

pedestresecarros.Sempredadores e resistente às mudanças no ambiente, os animais não saem do Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca, zona oeste. Os roedores chegaram antes dos edifícios e dos moradores de classe média alta,masnãoforamafastadospe-

ACRE

RIO

NO RIO, ATRAÇÃO SÃO AS CAPIVARAS Roedores vivem em canal na Barra da Tijuca, ao lado de condomínios de classe média alta Bruno Boghossian / RIO

A

poucos metros de condomínios de um dos bairros cariocas que mais crescem, uma família de oito capivaras pasta sem se incomodar com

A PF descobriu ontem 30 animais silvestres e exóticos em uma casa em Catanduva, no interior de São Paulo. Entre os bichos havia cobras, aranhas, lagartos e tartarugas.

JABOATÃO DOS GUARARAPES

Estudante é morto em escola; polícia diz que foi ‘acerto de contas’ com tráfico drogas e, segundo a família, tinha dívidas relativas ao consumo de entorpecentes. O crime ocorreu por volta das 19h30 de quinta-feira, quando o adolescente chegava para assistir aula. Um primo de Ricardo que se identificou apenas como Galego disse que é comum a entrada de pessoas armadas na escola. A delegada Patrícia Domingues confirmou que, em depoimento, alunos, professores e funcionários reclamaram da insegurança no local.

DIVULGAÇÃO/WORDLE

O atropelamento do filho de Cissa Guimarães no Rio, a proposta para regularizar a atuação dos flanelinhas em SP e os desdobramentos do caso Bruno foram os assuntos do caderno mais repercutidos na web.

FABIO MOTTA/AE

acionar os bombeiros (telefone 193) ou a Polícia Militar Ambiental (190). A pessoa também pode levar o bicho até a divisão (Portal 7A do Parque do Ibirapuera,

Risco. Bicho é hospedeiro de carrapato da febre maculosa do. Na capital, eles se concentram na zona oeste. Na Via Dutra,ascapivarasatravessamapistaecolocamemriscoosmotoristas no sul do Estado. Entre janeiro e julho, sete animais morre-

ACIDENTE

Micro-ônibus tomba e fere 9 pessoas em SP

Um avião da companhia aérea boliviana AeroSur fez pouso de emergência no Aeroporto Internacional de Rio Branco ontem. Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, a aeronave apresentou problema técnico e, por isso, o piloto solicitou permissão para pousar por volta das 5h. Ninguém ficou ferido. O voo saiu de Miami para Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 122 passageiros. À tarde, eles ainda aguardavam o embarque em outro avião. A empresa não comentou o caso.

Pelo menos nove pessoas ficaram feridas no fim da tarde de ontem em um acidente envolvendo um micro-ônibus na Rua Bragança Paulista, Chácara Santo Antônio, zona sul de São Paulo. Sete equipes dos bombeiros foram acionadas. A corporação não informou para quais hospitais os feridos foram encaminhados. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o trânsito foi interditado na faixa da direita, sentido centro, altura da Rua Marciléa, onde o veículo tombou.

Três cidades do Sul decretam emergência As cidades de Nonoai e Ibiaçá, no Rio Grande do Sul, decretaramontemsituaçãodeemergência, dois dias depois do vendaval que destruiu bairros e localidades rurais. Anteontem, Canela já havia tomado a mesma medida. Imigrante e Gramado devem fazer o mesmo. Os ventos, que superaram 120

Manifestantes lembram a chacina da Candelária Cerca de 1.200 manifestantes se reuniram ontem na Igreja da Candelária, no centro do Rio, para lembrar os 17 anos da Chacina da Candelária. A manifestação foi seguida pela Caminhada em Defesa da Vida.

km/h e duraram menos de um minuto na quarta-feira, foram isolados e ocorreram em regiões diferentes. Em Canela, a ventania destruiu 81 casas, danificou outras 444, deixando 200 pessoas desalojadas e 11 desabrigadas. Em Gramado, um bairro tambémfoiafetado.EmImigrante, o vento destruiu 20 residências e destelhou outras cem. Nonoai teve 25 casas danificadas e Ibiaçá, 78 destelhadas. Há previsão de chuva forte na região no fim de semana. / ELDER OGLIARI

telefone 3885-6669). No caso dos animais domésticos, o Centro de Controle de Zoonoses deve ser chamado pelo telefone 156. FABIO MOTTA/AE–16/7/2010

Avião boliviano faz pouso de emergência

PORTO ALEGRE

Os temas da semana

proporcionam voos grandes para treinar impulso e caça de aves como corujas e gaviões.Segundo a divisão, quem se deparar com um animal silvestre ferido deve la urbanização. “Acho que elas já se habituaram à convivência com os moradores”, conta a advogada Lúcia Chermont, que vive há 14 anos em um dos condomínios à beira do canal. “Os organismos vão existir onde houver condições ambientais para isso. Eles estão pouco ligando se existe gente ali”, diz o professor Rui Cerqueira, do Departamento de Ecologia da UFRJ. Especialistas alertam, no entanto, que o roedor é hospedeiro do carrapato da febre maculosa, que leva à morte em cerca de 25% dos casos. Nos seis primeiros meses do ano, os bombeiros receberam 1.964 pedidos de captura de animais silvestres em todo o Esta-

Vizinhança

● Cobras

Um dia após o assassinato do estudante Ricardo Daniel Cabral, de 17 anos, no pátio externo da escola Bernardo Vieira de Melo, em Jaboatão dos Guararapes, região metropolitana do Recife, a Secretaria de Estado de Educação declarou ontem que o crime “não se caracteriza como violência escolar” e responsabilizou a “violência urbana” pelo ocorrido. A polícia acredita que o homicídio foi um acerto de contas com traficantes. O estudante era usuário de

Porta de entrada. Veterinário Luiz Laranjeiras cuida de mamíferos e aves: maioria chega à divisão quando está perdida

ram atropelados. Paraosagricultores,ascapivaras também representam prejuízos.Muitosroedoresinvadem plantações e comem boa parte da produção.

CORREÇÃO

Ao contrário do que foi informado pela assessoria da marca Louboutin, alguns sapatos publicados na coluna Programa de Mulherzinha, no Divirta-se n.º 19, estão com os preços errados. São eles: Jessy Boot, R$ 2.050, Loubout Flannel, R$ 3.400, e Dorepi Pony, R$ 3.100. O Circuito Estadinho de hoje não vai acontecer na Livraria Cultura do Bourbon, mas no Market Place, às 17h (Av. Dr. Chucri Zaidan, 902).

LIQUIDAÇÃO DE MÓVEIS DO SHOW ROOM DA FÁBRICA

PARA ENTREGA DO PRÉDIO

ATÉ 15/08 ÚLTIMAS SEMANAS

BARRICATTI

Lá dentro. Segundo os registros, 62% dos animais foram encontradosmachucadosouperdidos na área urbana. Em alguns casos, o bicho passa por cirurgia; em outros, é apenas medicado ou recebe curativos. Enquanto estiver doente, fica em um compartimento individual e recebe acompanhamento diário. Depois, vai para outra ala, onde pode ficar em grupo com outros de sua espécie. “Muitos chegam tão gravemente feridos que não se restabelecem e acabam morrendo”, afirma Maria Eugênia. Então aguarda uma data de “soltura” em uma área verde. Alguns animais precisam reaprender a caçar. Eles são levados para

Socorro. Coruja com asa quebrada deve ficar 4 meses sob cuidados médicos: tempo de internação varia conforme o caso

O FF

O sabiá foi examinado cuidadosamente pelo veterinário Luiz Laranjeiras. Teve o coração auscultado,bicoanalisado easasobservadas. “Aparentemente, está saudável. Mas vamos fazer também exame de fezes.” Era tarde dequarta-feira,eoEstadoacompanhava os trabalhos da Divisão de Fauna Silvestre, órgão da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente, no Parque do Ibirapuera. Desde que foi criado, em 1992, passaram por lá 34.924 bichos, mais de 150 por mês. Como em 38% dos casos, o sabiá veio de uma apreensão policial. Havia sido trazido na noite de terça pela Polícia Ambiental. “Quando o animal não chega com nenhum ferimento aparente, esperamos até o dia seguinte para fazer osprimeiros exames”, explica o veterinário Laranjeiras,umdos39 técnicos–entre os quais também há biólogos – da instituição. “Porque o bichinho chega muito estressado.” A Prefeitura de São Paulo foi a primeira do País a criar um setor para dar assistência veterinária aos animais silvestres nativos no município. A divisão também é responsável pelos bichos que vivem nos parques. Em gaiolas, viveiros e jaulas, 448animaisestavamlánaquartafeira. O tempo de permanência de cada um é incerto. “Varia de acordo com o animal e o eventual ferimento”, diz a veterinária MariaEugêniaSumma.“Umacorujacom asaquebrada pode ficar uns quatro meses. Já um sabiá compequenoarranhãodeumgato sai em uma semana.” Desde 1992, foram atendidos

2.115 corujas, 1.326 sabiás-laranjeira e 1.109 periquitos-rico. “Algumas espécies comuns na cidade raramente envolvem-se em acidentes ou são encontradas machucadas, como o joão-debarro, que tem apenas 25 atendimentosregistrados”,relataobiólogoRicardoCrede.Entreosmamíferos, o recordista é o gambáde-orelha-preta (3.731 atendimentos). O órgão registra ainda atendimentos a 224 bugios, 159 preguiças e 155 veados.

70 %

Edison Veiga

MAIS DE 1.000 PEÇAS: 20 MODELOS DE ESTOFADOS, 30 DE SALAS DE JANTAR, 30 DE CADEIRAS, CAMAS, APARADORES, BANCOS, MESINHAS E MUITO MAIS! ®

R. Roma, 70 (alt. Guaicurus, 1.085 - à esq. R. Espartaco e 1ª- direita) Lapa • SP - Tel. (11) 3672-2533 • www.novorumo.com

SEGUNDA A DOMINGO DAS 10 ÀS 18 HORAS.


C6 Cidades/Metrópole %HermesFileInfo:C-6:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Venha assistir, aprender e experimentar o melhor da cozinha brasileira no Grand Hyatt São Paulo, dias 30 e 31/7 e 1º/8.

PROGRAMAÇÃO SEXTA, DIA 30 Aulas

SÁBADO, DIA 31 Aulas

DOMINGO, DIA 1º Aulas

11h - DO CATETO À PACA – AS CAÇAS BRASILEIRAS Edinho Engel e Paulinho Martins

11h - COZINHA SEM VERGONHA: GALINHA DE CABO A RABO Mara Salles, Neide Rigo e Ana Soares

11h - O QUE SERÁ DO DOCE SEM O TACHO? Fabrice le Nud e Dona Gasparina de Resende

11h30 - PIMENTAS E OUTRAS CONEXÕES BRASIL-MÉXICO Lourdes Hernández e Cyro Abumussi

11h30 - NA ROTA CAIÇARA SULISTA Carla Pernambuco

11h30 - QUANDO O CAMPO VAI À MESA José Barattino e Dercílio Pupin

15h - NA ONDA DO RIO TEM PEIXE Ana Luiza Trajano e Rodrigo Oliveira

15h - OLEODIVERSIDADE BRASILEIRA – DO BURITI AO PATAUÁ Roberto Smeraldi, Roberta Sudbrack e José Barattino

15h - SORBETS DO CERRADO Rita Medeiros

15h30 - O ENCONTRO DO SURUBIM COM O DEFUMADOR Simon Lau

15h30 - O CRU E O CRU Helena Rizzo

15h30 - VERTICAL DE PORCO Jefferson e Janaina Rueda

16h30 - A MATA ATLÂNTICA CABE NUM VIDRO (de compota) Flavio Federico e Douglas Bello

16h30 - BRASPACHO, MOQUECA DE CARNE-SECA E OUTRAS INVENÇÕES Maurizio Remmert

16h30 - COMO NASCE UM CHOCOLATE FINO BAIANO Diego Badaró e Frederick Schilling

17h - ESTUDOS MONOGRÁFICOS: A BANANA DA VEZ Roberta Sudbrack

17h - O TRATAMENTO DO PEIXE Mara Salles

17h - MOCOTÓ 2.0 Rodrigo Oliveira

17h30 - CONEXÃO TÓQUIO-BELÉM: INGREDIENTE BRASILEIRO, TÉCNICA JAPONESA Mauricio Ganzarolli

17h30 - MINAS, DA TRADIÇÃO À TÉCNICA Elza Nunes e Felipe Rameh de Paula

17h30 - BANHO DE CHEIRO – AS ERVAS E AS SEMENTES AROMÁTICAS DA AMAZÔNIA Thiago Castanho

18h30 - MINAS D.O.C. Eduardo Maia

18h30 - TAPEAR À BRASILEIRA Sergio Torres

18h30 - O PEQUENO PRODUTOR POR TRÁS DO INGREDIENTE Alex Atala

Palestra

Palestras

Palestras

16h - TINHA UMA HORTA AQUI – DO JACATUPÉ AO JIQUIRI Neide Rigo

15h - A CONSTRUÇÃO DA BRASILIDADE Carlos Alberto Dória

15h - CERTIFICAÇÃO AGROPECUÁRIA Roberto Smeraldi

17h - O SERVIÇO À BRASILEIRA David Hertz

17h - QUEIJO CANASTRA DOCUMENTADO Helvécio Ratton e Rusty Marcellini

Degustações

Degustações

Degustações

14h30 - CAFÉ: café com queijo, harmonização à mineira Ensei Neto e Eduardo Maya

11h - CAFÉ: faça seu próprio blend (a lógica para compor uma “bebida pessoal”) Ensei Neto

14h30 - CERVEJA: cervejas extremas (mais amargas, mais alcoólicas, mais ácidas) Roberto Fonseca

14h30 - VINHO: degustação às cegas de vinhos da Serra Gaúcha, da Campanha, de Santa Catarina e de Pernambuco Manoel Beato (Fasano)

16h30 - CACHAÇA: Aguardentes – Um comparativo entre as de cana e as de frutas Pereira (Sub-Astor) e Márcio Silva

16h30 - CERVEJA: cerveja em barril Roberto Fonseca

18h30 - VINHO: vinhos de Santa Catarina João Lombardo

16h30 - VINHO: degustação de espumantes de Moscatel José Luiz Pagliari 18h30 - CACHAÇAS: cachaças envelhecidas em madeiras nativas Leandro Batista (Mocotó)

18h30 - VINHO: vertical de Pizzatto Merlot José Luiz Pagliari

Para aulas, palestras e degustações acesse

www.paladardobrasil.com.br Para reservas de almoços e jantares, ligue (11) 2838-3222. Vagas limitadas.

Realização:

Patrocínio:


%HermesFileInfo:C-7:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Cidades/Metrópole C7 JB NETO/AE

Barracas viram casa de moradores de rua Uns dizem ter comprado equipamento, que custa entre R$ 50 e R$ 100; outros, que ganharam; Guarda Civil afirma que montagem é proibida Bruno Lupion

Para tentar driblar o inverno paulistano e o corte de vagas nos albergues municipais, alguns moradores de rua estão usando barracas de camping para dormir nas ruas de São Paulo. A reportagem flagrou as “instalações” em três bairros da capital paulista na madrugada de ontem. Questionados,eles disseram que compraram ou ganharam as barracas de amigos. Uma barraca do tipo iglu pequena, para duas pessoas, custa entre R$ 50 e R$ 100, dependendo da marca e da qualidade do material. A instalação de barracas ou qualquer outro abrigo nas ruas é proibida e fiscalizada pela Guarda Civil Municipal (GCM). Segundo um dos moradores de rua, faltam vagas nos abrigos e, mesmo quando estão disponíveis, as condições são tão precárias que é preferível viver na rua. Ele também disse que a GCM permitia a montagem da barraca após as 22 horas. Já a corporação informouque “aafirmaçãodareportagem não condiz com as orientações da pasta quanto à liberação de barracas”. E que a de-

TRÊS PERGUNTAS PARA...

Wesley da Silva LAVADOR DE PRATOS E MORADOR DE RUA

1.

Como você arrumou a barraca?

Ganhei de um amigo. Moro na rua há 5 anos. É melhor do que dormir no chão. Corta o vento e me sinto mais seguro, (a barraca) protege da maldade das pessoas.

2.

A que horas você monta a barraca?

Às 22h, e saio por volta das 6 horas. Antes

terminação é para que a GCM atue sempre na proteção e não na repressão. Desde 2008,a Prefeitura desativou dois albergues no centro: o Jacareí (antigo Cirineu), com quase400 vagas,eoGlicério(conhecido como São Francisco), com 300 leitos. Segundo Isa Magalhães, do Instituto Lygia Jardim, que tem um albergue no centro, a demanda já era maior

Maioria das praças adotadas fica no centro e na região oeste A área formada pelo centro e pela zona oeste é a que tem mais praças adotadas na cidade de São Paulo, seguida da zona sul,

segundolevantamentodaPrefeitura. Em média, a cada quatro áreas verdes desses locais, uma é terceirizada por meio do progra-

podia montar às 19h30, ninguém reclamava, mas agora os guardas só deixam após as 22h. Deveria haver terrenos no centro autorizados para a gente acampar. Seria melhor para todo mundo, mais seguro.

3.

Por que não vai para um albergue?

Morei em um em 2004, mas não gostei. O esquema é muito ruim. Tem de chegar às 17h e às 21h tudo fecha. Não encaminham para trabalho, não fazem profissionalização de verdade. Proteção. Lavador de pratos Wesley Francisco da Silva se instala perto do Pátio do Colégio doqueacapacidadeantes docorte. “Temos cem vagas e a casa está sempre lotada. A procura no portão é bastante alta.” Noentanto,aSecretariaMunicipal de Assistência Social afirmou que os centros de acolhida JacareíeGlicérioforamdesativadosporquefuncionavamsobviadutos, o que não é permitido por lei, e não ofereciam condições de segurança aos usuários e fun-

cionários. Segundo a pasta, todos foram encaminhados para outros centros. O órgão afirmou que nos últimos três meses foram inaugurados novos centros, com 410 leitos, e que serão abertos mais dois: o Espaço de Convivência Bela Vista e o Centro de AcolhidaEspecial paraMulheresBrigadeiro. Até o fim do ano, haverá outros cinco, somando 780 va-

ma municipal Adote uma Praça. Longe do foco das empresas, estão as zonas norte e leste, com taxas de adoção de 19,3% e 13,3%, respectivamente. As áreas com mais praças adotadassãoaquelasqueabrigamsedes de empresas e recebem um grande fluxo de pessoas durante

o dia. Das 5 mil praças da cidade de São Paulo, 700 são adotadas. Outros 400 processos de adoção são analisados. O presidente do Sindicato das Empresas de Publicidade e Mídia Exterior de São Paulo, Luiz Rodovalho, avalia que a iniciativa de adotar praças é boa para o

gas. A secretaria informou que, no inverno, amplia as vagas em 20% e destaca 400 profissionais para abordar a população de rua. Alternativa. O padre Júlio Lan-

cellotti, da Pastoral do Povo da Rua, afirma que já houve tentativas de criar opções de moradia demontagemedesmontagemrápidas, mas não deram certo. “O que acontece é que a GCM vai

empresário. Segundo ele, a empresa avalia o local de acordo com o cliente que pretende atingir. “Apesar da renda per capita ser maior nas regiões sul e oeste, cada marca tem um público diferente e isso varia muito”, avalia. Rodovalho considera ainda que o custo-benefício para a empre-

tirar a barraca deles”, afirma. “Se eles não podem usar nem um papelão para dormir, que dirá uma barraca de camping?” Nos últimos dez anos, o total de pessoas que vivem em situação de rua em São Paulo cresceu 57%. Entre essa população, 51,8% (7.079 pessoas) dormem em albergues municipais, enquanto 48,2% (6.587) vivem ao relento.

saépequenoemrelaçãoàcontrapartida: colocar uma placa na área pela qual é responsável. O tamanho dela varia de acordo com as dimensões da praça. “A placa poderia ser maior, melhor trabalhada ou com algum diferencial.” / MÔNICA PESTANA e LUIZ GUILHERME GERBELLI


C8 Cidades/Metrópole %HermesFileInfo:C-8:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

presidente do Paraguai.

TUTTY HUMOR ✽ ●

● Brasileiro gentil

tutty.vasques@estadão.com.br

MARCOS MÜLLER/AE

Febeapá: do bafo ao caô!

A

gíria caiu em desuso. Ninguém mais fala “bafo”, no sentidodementira,conversafiada, cascata...Mas, nem tanto tempo assim faz, pegava superbem empregar o termo para resumir o descontentamento geral com tudo isso que aí está. O Aurélio define bem que época é essa na citação de Stanislaw Ponte Preta, em Febeapá 2: “Quando eles fizeram aí essa revolução e falaram tudo aquilo, que iam salvar o País, que iam prender tudo que é safado, que isso, que aquilo, eu cheguei a ter uma esperançazinha. Palavra de honra! Mas logo depois eu vi que era tudo bafo.” Sérgio Porto não viveu para ver

mas, quando acabou a ditadura, falaram tudo aquilo de novo, que iam salvar o País, queiam prender tudo que ésafado, que isso, que aquilo... Continuam até hoje insistindo no mesmo bafo! Na tecla SAP das novas gerações, “tudo caô!” Nãohá outraexplicação para aqueda no númerodeeleitoresbrasileiroscommenos de 18 anos. Neste pleito, em particular, o bafo dos políticos atinge níveis alarmantes. Como ninguém tem mais a menor responsabilidade sobre o que diz e multar, simplesmente, não está surtindo efeito, talvezsejahorade submeteroscandidatos em campanha ao teste do bafômetro. Bafômetro a garotada sabe o que é, né?

BOULEVARD

}

Mal comparando

Sylvester Stallone aproveitou o lançamento internacional de seu filme rodado no Brasil para dizer que, por aqui, qualquer um pode chegar, explodir tudo e ainda ouvir dos nativos “obrigado, e leve um macaco”. De quebra, deu cano num monte de gente que a produção contratou no País. Anotou aí?

É impressionante como, depois do Dunga, o Muricy Ramalho nem parece um cara assim tão mal-humorado para dirigir a seleção, né não?

Segunda chance A repentina ruptura diplomática entre Venezuela e Colômbia põe de novo à prova o poder de deixa disso de Lula. O presidente não pode errar de novo.

Tá na cara! Das duas, uma: ou a Argentina arruma logo uma ocupação para o Maradona no país ou ele vai acabar fazendo bobagens continente afora. Depois não digam que não avisei!

● Pandemia

Calor humano

Que diabos está acontecendo com os goleiros no Brasil? O Felipe, do Corinthians, deu agora pra dizer que está sendo “perseguido por alguém muito poderoso”. Será que está tudo bem com o Rogério Ceni?

O fim de semana repleto de turistas em Campos do Jordão promete sensação térmica 3º C acima da temperatura ambiente na cidade. Capaz de ficar mais fresco em São Paulo! estadão.com.br

Lugomania E a “suposta” filha de 55 anos que a Justiça decidiu obrigar José Alencar a reconhecer, hein?! Vão pensar no serviço de inteligência dos EUA que ele é vice-

Tutty Vasques escreve todos os dias no portal, de terça a sábado neste caderno e aos domingos no Aliás

SABOR O Tchocolath foi feito para mergulhar no leite quente. Tem de gianduia, capuccino e ao leite.

DESIGN Esse batalhão de bonequinhas coloridas servem de base para uma pinça

ONDE: RUA ANTÔNIO AFONSO, 19, VILA NOVA CONCEIÇÃO. PREÇO: A PARTIR DE R$ 8

ONDE: OLHAQUELINDA, RUA JOSÉ PAULINO, 116, BOM RETIRO. PREÇO: R$ 12

Sem presente para o Dia dos Pais? Invista nos fotolivros

Moda

Dá para fazer em casa, baixando o software da web; o de 30 páginas sai em média por R$ 100

ONDE: WWW.CANTAO.COM.BR. PREÇO: R$286 (VESTIDO) e R$ 194 (TÊNIS)

DIVULGAÇÃO

Liquidação

DIVULGAÇÃO

DIVULGAÇÃO

Caneca. É de cerâmica. Chega em dez dias. R$ 24

Mouse pad. Entrega em dois dias. R$ 11,90

Faltam duas semanas para o Dia dos Pais. Isso quer dizer que ainda dá tempo para providenciar um presente especial e personalizado. Que tal um fotolivro? Dá para fazer em casa, pela internet, com qualquer tema e formato variado. Impresso em páginas de papel couché, o mesmo tipo usado pelas revistas, o livrotemacabamentocaprichado, muito próximo ao de um livro profissional. Sitesnacionaiseinternacionais oferecem gratuitamente um software que permite sua

Baixou Com o fim das férias, malas de viagem entram em promoção Com o fim das férias, algumas lojas reduziram os preços das malas de viagem. É o caso da Benetton, que tem na coleção um jogo tradicional de resina, que virou marca registrada da grife, nas cores vermelha, preta e azul

Panorâmico. Modelo básico de álbum, na promoção, chega em dez dias. R$ 69,90 ediçãocaseira. Bastabaixar aferramenta, escolher as fotos e distribuí-las ao longo das páginas. Até aí, o internauta não paga nada. O custo vem depois, quando o material é enviado pela internet para impressão. Um fotolivro com 30 páginas, de 20 cm x 20 cm, sai em média por R$ 100. No sites internacionais, paga-se ainda o correio. AmericanaseSaraiva sãoalgumas das lojas que oferecem o fotolivropela internet.Asduas terceirizam o serviço, usando o software da Digipix. O preço varia um pouco, mas o produto final é o mesmo. O consultor de empresas

João Carlos Remedi Bidart, de 60 anos, tem em sua estante particular 14 fotolivros. A maioria de viagens que fez com os filhos e com a mulher. “Agora estou recolhendo material para fazer um em homenagem ao meu pai, que vai completar 90 anos”, conta. “Acho ótimo porque, com a digitalização da imagem, os registros acabam ficando no computador e ninguém vê. Minha mãe reclamava muito.” Há seis meses, a Fotolab desenvolveu um software especial para a realização de um livro, batizado de Álbum Panorâmico. Nesse caso, as páginas são de papel fotográfico trata-

das com um verniz. Para o Dia dosPais,aempresatemumapromoção. Um álbum de 15 cm x 40 cm, de 40 páginas, pela metade do preço: R$ 69,90. Outros produtos. Quem não se dá bem com o computador pode pedir auxílio deum diagramador da Fotolab – o mesmo vale para Digipix, que no site dá uma lista de especialistas que colaboram com o site. A diversidade de produtos da Fotolab é maior. A empresa personaliza objetos, como caneca, mouse pad e almofada. Outro serviço muito procurado são os ensaios fotográficos. A

marinho, nos tamaDe couro flexível. Ela é de nhos pequeno (12 mão e suporta 10 kg kg), médio (23 kg) e grande (32kg). O preGrande e ço da maior caiu de rígida. O R$ 1.200 para R$ modelo 479. maior de Outra loja que tem 32 kg preços atraentes é a Inovathi. A mala gran- WERTHER SANTANA/AE de rígida, de poliéster, da Sahora, custava R$ 1.109,90 e sai por R$ 599,96. Ela tem giro de por R$ 419. estoque se renova rapidamen360 graus. Com quatro rodas, Mesmo fora da promoção, a te toda semana. ao ser puxada fica ao lado da Bauarte tem malas de todos os pessoa, e não atrás. tipos com preços mais em con- ONDE: BAUART, RUA RIBEIRO DE LIMA, 591, BOM RETIRO, TEL.: (11) 3331-2652. BENETTON: Para viagens mais curtas, a ta. O modelo grande, estampa- AL. LORENA, 1683, JARDINS, TEL.: 3088-5422. mala de couro, de mão, da The do de fibra, por exemplo, sai INOVATHI: 2179-2050 (SAC). THE CRAFT SHOES SHOPPING VILA OLÍMPIA, RUA Craft Shoes Factory, que custa- por R$ 192,99. Como a casa FACTORY: OLIMPÍADAS, 360, 3º ANDAR, LJ 401, va R$ 669,90, agora é vendida também vende por atacado, o TEL.: (11) 3045-2361. DIVULGAÇÃO

Valéria França

A apresentadora de TV Fernanda Lima lança, na quarta-feira, uma coleção pela grife carioca Cantão. São modelos casuais, como o vestido de jeans que ela usa ao lado, porém mais coloridos. As peças chegarão às lojas em agosto

EPITACIO PESSOA/AE

Fotolivros. João Carlos tem 14 deles na estante

Fotolab tem quatro estúdios. Um deles, o infantil, é higienizado e decorado para fotos temáticas. Tem fantasias de bichinhos ecenários,como umagrande bota para a criançada entrar. ONDE: FOTOLAB, WWW.LIVROFOTOGRAFICO. COM.BR, RUA CIPRIANO TAVARES 55, OSASCO, TEL.: (11) 3685-3285. DIGIPIX, WWW.FOTOLIVRO. COM.BR. INTERNACIONAL: WWW.BLURB.COM

O biquíni ao lado, da Blue Man, é um dos modelos que entraram em promoção. Custava R$ 159 e agora está por R$ 89. Os descontos da loja chegam até a 70% do valor da etiqueta. No Emporionaka a liquidação vai de 50% a 70%. O preço do sapato abaixo caiu de R$ 219, 90 para R$ 65,97. A 284, grife jovem da Daslu, também remarcou as roupas e os acessórios. Uma sandália preta estilo gladiador, ícone da marca, era vendida por R$ 359 e agora está por R$ 107. A Adidas Originals também tem produtos atraentes em promoção. Um deles é uma jaqueta ultracolorida, verde, azul e vermelha, que passou de R$ 329,90 para R$ 189,90. ONDE: ADIDAS: SHOPPING MORUMBI, AV. ROQUE PETRONI JR., 1.089. (11) 5181-4673. BLUE MAN: AL. LORENA, 1.621, JARDINS. (11) 3085-0476. EMPORIONAKA: R. JOÃO CACHOEIRA, 1.155, ITAIMBIBI. (11) 3842-6048. 284: VILLA DASLU, AV. CHEDID JAFET, 131. (11) 3841-4000

Lá em casa Aos poucos, os postes cheio de fios estão desaparecendo das ruas. Este ao lado foi especialmente desenvolvido para iluminar e decorar com humor o interior de casas e apartamentos. O designer Chico Abrão criou 20 unidades com as mesmas características do convencional, É de cimento armado, ferragens e madeira, sobre uma chapa de ferro. O

que muda é o tamanho, menor que o original. Tem 2 metros de altura. O ‘postão’ é apenas uma das novidades que chegaram ao Coletivo Amor de Madre, um espaço de design utilitário com 23 artistas e marcas. Entre os destaques, uma espécie de benjamim para cabo USB com cinco entradas. ONDE: RUA ESTADOS UNIDOS, 2.186, JARDINS. TEL.: (11) 3061-9044. PREÇO: R$ 8 MIL


D1 %HermesFileInfo:D-1:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010 ANO XXIV – Nº 8071

Chegade patrulha

Requebra aí, chinês

A voz é a mesma...

NãoadiantaqueSandy nãovai rangerosdentes.‘Nãosourebelde’

O diário de um grupo de sambarock que foi tocar na China

Mas os cabelos... Peter Frampton fala de sua vinda a SP. E de sua guitarra mais pesada

Págs. D9 e D11

Pág. D5

Pág. D8

C2+música estadão.com.br

ELISEO FERNANDEZ/REUTERS WILTON JUNIOR/AE

ATÉ QUE O

ECAD

OS SEPARE Ivete quer, Roberto não quer. A reforma da lei dos direitos autorais provoca mais do que um racha entre artistas. E o ato de escutar música vai parar no meio de um grande debate. Pág. D3

APROVEITE AS FÉRIAS E TRAGA SEUS FILHOS PARA MOMENTOS DE MUITA DIVERSÃO.

VI

DA

AD , V RD ERDE E LIBE

E

DIAS 24/25 DE JULHO FEIRA DE ADOÇÃO DE ANIMAIS ADOTE UM ANIMAL DE ESTIMAÇÃO E COLABORE COM O PROJETO CEL, ONG QUE PRESTA CUIDADOS A ANIMAIS ABANDONADOS.* • Apenas no dia 25/07: dicas com o adestrador ANDRÉ POLONI e show com os cães Mylow e Spyke.

E MAIS:

• PULA-PULA • PISCINA DE BOLINHAS • BRINQUEDOTECA • BRIGADEIROS • CACHORRO QUENTE • PIPOCA

Foto do local

CASAS em condomínio fechado em Jundiaí. 3 e 4 dormitórios • 120 e 173 m2 privativos. VISITE CASAS DECORADAS A 25 minutos de São Paulo - Rod. Dom Gabriel Paulino Bueno Couto, Km 67,5. Acesso pela esquina da Rua Antônio Lucato com a Av. Luiz José Sereno - JUNDIAÍ. R

www.nature2.com.br

od

ia

3066-1000

nh

an

gu

Coordenação de Vendas:

era .9 Av

de

Mapa de acesso sem escala.

ov

Informações:

A

Ju

lh

o

Incorporação e Construção:

Para morar. Para viver.

*Informações para adoção: ter 18 anos ou mais, levar CPF, RG, comprovante de residência e contribuir com uma taxa de R$ 50,00. Incorporadora Responsável: Queiroz Galvão Nature Etapa 2 Desenvolvimento Imobiliário Ltda: Av. Juscelino Kubitschek, 360 – 13º andar – CEP: 04543-000 – São Paulo/SP. Central de Atendimento: Fernandez Mera Negócios Imobiliários - Av. Brigadeiro Luís Antonio, 4.910 – CEP: 01402-002 - São Paulo – SP. Creci 5.425-J. www.fmera.com.br. Memorial de Incorporação Registrado sob nº R.9 da matrícula nº 110.927 do 2º Oficial de Registro de Imóveis da comarca de Jundiaí, em 18/09/2009.

7 8 9 10 11 12


D2 C2+música %HermesFileInfo:D-2:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

DIRETO DA FONTE SONIA RACY

Colaboração Débora Bergamasco debora.bergamasco@grupoestado. com. br Gilberto de Almeida gilberto.almeida@grupoestado.com.br Marilia Neustein marilia.neustein@grupoestado. com. br Paula Bonelli paula.bonelli@grupoestado. com. br

estadão.com.br/diretodafonte

Só felicidade MaisummêsbomparaaSecretaria da Fazenda paulista. Números recém-tabulados mostram que em junho entraram para os cofres do Estado quase R$8,5bilhões.Descontadaainflação,essaarrecadaçãosignifica crescimento de 16,1%. A União, por sua vez, na sua arrecadação recorde de junho registroualtacorrigidapelainflação de 8,54% em relação ao mesmo mês de 2009.

Felicidade 2 A diferença é grande, mas no semestre o crescimento das duas receitas se equivalem. São Paulo registrou média de 13,4% de aumento e a União avançou 12,4%. Aguarda-se os números de julho que devem sinalizar qual o tamanho da desaceleração da economia.

Funk estadual Criado na periferia da capital, oprojetoFunkdasubprefeitura de Cidade Tiradentes será estendidoparao Estado.A decisão de Andrea Matarazzo inclui convite ao subprefeito Renato Barreiros, da sub onde nasceu a ação para integrar a pasta da Cultura. Em seu lugar – escolhido por Kassab–entraocoronel Paulo Régis Salgado.

Casa de ferreiro Victor Ribeiro, presidente do Google no Brasil, desembarcounoRio,anteontem,para um almoço nas proximidades do Santos Dumont. Consultouseuportaleseguiudireto para a primeira opção. Resultado: foi parar na filial de Ipanema do restaurante.

Boca de siri Se a operação de capitalização da Petrobrás não sair em setembro, periga Sérgio Gabrielli ter que ficar mudo até o fim do ano. Respeitando exigência da CVM, o presidente da estatalestá emperíodode silêncio desde o dia 23 de junho, em consequência da operação financeira inicialmente marcada para julho.

Semanada Sérgio Guerra, coordenador da campanha de Serra, desistiu. Passa agora segunda e terça em São Paulo para evitar muito vai e vem de Brasília.

Foco de luz

POLAROID •••

PAULO GIANDALIA/AE

Jorge Drexler, que cantou sua milonga pop ontem em SP, deixou fãs arfantes e dezenas de CDs vendidos.

Hector Babenco tem nova profissão: a dos palcos. Já deu o start nos ensaios da peça Hell, uma adaptaçãosuadolivrodaescritora francesa Lolita Pille, que estreia dia 4 de outubro.

Na frente ● Benjamin Moser, biógrafo de Clarice Lispector, tem encontro com Beth Goulart, que interpreta a escritora na peça Simplesmente Eu. Na Bienal do Livro, dia 14. ● Sucesso de Zeca Pagodinho, Água da Minha Sede, ganhou versão mais lenta na voz de Roberta Sá. A cantora lança semana que vem novo projeto com o Trio Madeira Brasil.

No elenco, sua amada Bárbara Paz e Ricardo Tozzi.

Na botija RicardoTeixeira,comodehábito, marcou conversa ontem com Muricy Ramalho no Itanhangá Golf Club, assim como fez com Felipão e Dunga. Deu de cara com toda imprensa cobrindo a Gillette Golf Cup.

● Monica Filgueiras e Fernando Ribeiro pilotam hoje a mostra Pop Show. ● A Brothers of Brazil, de João Suplicy e Supla, faz show hoje no Ao Vivo Music.

Osdoistentaramsairdesapercebidos pelo vestiário. Sem sucesso.

● Decidido: a exposição que celebra os 120 anos de Anita Malfatti, em Brasília, vai também para o CCBB do Rio.

Bye, Bye, Brasil Sarah Nicole Lowry – turista americana que teve 80% do corpo queimado na explosão de um bueiro da Light no Rio – mandou devolver as chaves do apartamento que alugou na Praça da República em São Paulo.

● Acontece, quinta, o evento Paladar – cozinha do Brasil. No Grand Hyatt. ●

Celso Lafer fala, terça, sobre Miguel Reale na Academia Brasileira de Letras.

Pretende, com o marido David JamesMcLaughlin,deixaraClínica São Vicente direto para Ohio assim que tiver alta.

● Momento auto-centrado de Amy Winehouse. A cantora aderiu ao movimento “Free Lindsay Lohan” pensando: “Poderia ter sido comigo”.

Poderosa Chefona

● Alexandre Kalache, da Academia de Medicina de NY e Yukio Moriguchi, geriatra do Papa João Paulo II, fazem palestras no Fórum da Longevidade, realizado pela Bradesco Seguros. Dia 3, no Unique.

Karina Janini está em missão nada simples. Se divide entre a tradução de dois livros sobre a máfia italiana. A Beleza e o Inferno, de Roberto Saviano e Máfia Export de Francesco Forgione. Ambos a serem lançados em 2011 pela Bertrand.

1

● A indústria do cigarro já tem candidato nestas eleições. E não é Marina nem Serra.

1. Maurren Maggi, medalha de ouro olímpica em salto em distância, se jogou na pista do Bar Secreto. Convidada por 2. Alicinha Cavalcanti, 3. Hortência também dançou até altas horas. Na noite de anteontem.

2

FOTOS PAULO GIANDALIA/AE

JUAN GUERRA/AE

JUAN GUERRA/AE

3

Aula radical OInstitutoRioBrancoquer,literalmente, que seus profissionaisconheçamoPaísquevãorepresentar. Levou 100 diplomatas para desbravar a Amazônia na semana passada. Com direitoaprovadecomidadeguerreiro na selva, incluindo larva.

Chitãozinho e Xororó (no alto) comemoraram 40 anos de carreira no Via Funchal. Lucas e Sandy Lima. Quinta.


%HermesFileInfo:D-3:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

C2+música D3

C2+m/Capa

NOTA POR NOTA

Jotabê Medeiros

Sabe aquela música que toca na sua academia de ginástica? O dono da academia tem de pagar direitos autorais para você suar a camisa naquela esteira. Sabe aquela danceteria da Vila Olímpia que você frequenta? A boate tambémpagaparatocarenquanto você ferve. Sabe o filme que você vê no canal a cabo? A trilha sonora que ouve na novela das oito? A música que toca na feira agropecuária? Todo o dinheiro recolhido vai para o cofre dos direitos autorais. E é absolutamente justo que o compositor, o autor, o intérprete, que todos recebam os direitos que têm por tornar nossa vida menos braba. Agora, será que o que vai para o bolso dos artistas é o correto? Esse é o ponto nevrálgico do debate que uma proposta do governo federal levantou, há um mês. O governo propôs uma grande discussão sobre uma nova legislação para regular a cobrança, a distribuição e a fiscalização de direitos autorais no País.Entreosartistasquejáman-

BAPTISTÃO/AE

Quanto vale a música que você ouve por aí? E quem recebe por ela? Apenas duas das muitas questões que incendeiam o meio artístico

daramrepresentantesparadebater com o MinC (ou enviaram representantes para conhecer o texto), estão Ivete Sangalo, Daniela Mercury, Caetano, Marisa Monte, Chico Buarque, Zeca Pagodinho, Roberto Frejat, Jorge Vercilo,VanessadaMattaeLenine. O C2+música foi a campo para ouvir e medir o tamanho da divisão no universo da MPB. A Rainha do Axé, Ivete Sangalo, desceu das tamancas do alto deseuTrioElétricoreluzentepara a batalha. Ela está a favor da mudança. Quem fala por ela é seu irmão e empresário, Jesus Sangalo: “Não faz sentido existir um órgão para recolher direitos autorais que não tem eleição, nãotemfiscalização,nãotem nada”, diz Sangalo. Ele se refere à maior instituição do gênero no País, o Escritório Central de Arrecadação de Direitos (Ecad), com sede no Rio de Janeiro. Iveteconsidera“ridículo”ovalor que ela, talvez a maior estrela da música popular dos últimos 10 anos, tem recebido de direitos autorais. “Não faz o menor sentido, num País de 180 milhões de habitantes, pagar isso

queelavemrecebendo”,indignase Jesus, que não teme enfrentar o sistema atual de arrecadação. “Ah, um sujeito que se chama Jesus, que já tem 2 mil anos, vai ter medo de lutar?”, afirma. Sangalo também é favorável a um dos pontos cruciais do anteprojetoemdebate,acriminalização do “jabá” (leia ao lado). “Acho que o jabá tem de ser crime inafiançável, porque destrói a arte, destrói a capacidade de a arte se desenvolver”. Roberto Carlos, soberano inconteste da MPB, está contra. Quemfalapor eleé seuempresário, Dody Sirena, que disse que teme que a proposta do governo repasse ao Estado uma incumbência que é essencialmente privada (ou seja: só diz respeito aos donos dos direitos, os autores). “Se o Roberto Carlos recebe mais, tem de receber mais. Mas o artista que toca pouco também tem que receber pelo pouco que tocou”, diz o compositor Tim Rescala. Com ele, concorda o compositor Luiz Ayrão, curiosamente o autor de um megassucesso de Roberto Carlos, Nossa Canção. Ayrão compôs hits de

‘JABÁ’ VAI VIRAR CRIME cal, o chamado ‘jabá’ (oferecimento de propina para que se toquem músicas em rádios ou TV) terá um artigo específico na nova lei do Direito Autoral. Trata-se do artigo número 110-B: “O oferecimento, por parte de titular de direitos autorais ou pessoa a seu serviço, de ganho, vantagem, proveito ou benefício material direto

ou indireto, para os proprietários, diretores, funcionários ou terceiros a serviço de empresas de radiodifusão ou serviços de televisão por assinatura, com o intuito de aumentar ou diminuir artificiosamente a frequência de execução ou exibição pública de obras ou fonogramas específicos, caracteriza infração da ordem econômica, na forma da Lei nº 8.884, de 1994.” A principal pena na legislação, que é a Lei Antitruste, é a seguinte: no caso de empresa, multa de 1% a 30% do valor do faturamento bruto no seu último exercício, excluídos os impostos.

três gerações, e sua canção Os Amantes, de 1979, vendeu cerca de 2 milhões de cópias. “É justo que os famosos recebam, mas o compositor anônimo também tem de receber”, disse Ayrão. Milton Nascimento e seus grandes parceiros de Clube da Esquina, Ronaldo Bastos e Fernando Brant, também saíram a campo,masparacombateraproposta.RonaldoBastosestá furio-

so. “Querem inventar a roda, como se a gente tivesse de ser tutelado”, disse o músico. Ele defende a manutenção da antiga redação da lei, porque considera que ela foi uma conquista da classe artística. “Foi um consenso de 15 anos de debates. Um dos absurdos é dizer que a atual lei foi feita naépocadaditaduraetentarderrubá-lacomesseargumento. Teríamos então de derrubar a pon-

● Prática antiga no meio musi-

ENTREVISTA

Juca Ferreira

Ronaldo Bastos e o Fernando Brant, mas é notadamente uma prática do fascismo contra as democracias. Por que não escrevem um artigo questionando os pontos da lei, ponto por ponto? Tentam inviabilizar o debate por meio da mistificação. Se o Ecad quiser debater, eu topo.

MINISTRO DA CULTURA

‘PARA QUE MEDO SE NÃO HÁ NADA DE ERRADO?’

● O sr. acha que as mudanças que propõe podem aumentar a arrecadação e trazer mais dinheiro ao bolso dos artistas?

Tenho certeza. Vai aumentar a arrecadação cobrando preços razoáveis. Hoje, o Ecad cobra de poucos, às vezes beirando a extorsão. E há mais de 10 mil processos na Justiça em relação ao direito autoral, o que mostra que estamos falando de um sistema econômico enfermo. ● Muitos artistas estão contra.

Como vê isso?

E há muitos a favor, especialmente quem está lendo o texto. Mesmo quem mais vende no Brasil tem uma desconfiança de que não recebe o equivalente ao que é justo. Ouvi de um compositor do grupo É o Tchan, que vendeu mais de 2 milhões de discos, que tinha recebido R$ 100 de direitos autorais. Não estamos propondo uma estatização do sistema, apenas supervisão e acompanhamento. Se não há nada errado, transparência não faz mal a ninguém. ● Quem nunca recebeu nada vai passar a receber?

Todos receberão. Haverá uma ampliação de direitos. Houve um momento em suas carrei-

Do rock ao pop. Do eletrônico ao jazz. C2+música: todos os gêneros em um só caderno.

● O que o sr. define como mistificação do debate? DIDA SAMPAIO/AE

Em entrevista ao Estado, na segunda-feira passada, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, analisou a atual situação do debate sobre a nova lei.

ras, mesmo esses mais famosos, em que eles assinaram contratos desvantajosos, foram desfavorecidos. A nova lei cria defesas para esse autor. Ninguém será enganado. Nós vamos criar um sistema em que não haverá tanta inadimplência como há hoje, em que não haja tanto conflito e os autores arrecadem mais. Atualmente, os radiodifusores questionam a arrecada-

Todo sábado no Estadão.

ção do Ecad, e os artistas questionam a distribuição. ● Milton Nascimento e Ronaldo Bastos se manifestaram contra. Bastos chegou a dizer que a proposta do governo é sorrateira e mafiosa e o sr. é um “baiano triste de biografia obscura”.

Essa virulência verbal deve refletir algo que ultrapassa minha compreensão. Me desculpem o

Diziam que a gente queria usar o dinheiro do autor para fazer justiça social. É uma mentira. Estamos numa fase de consulta pública, todos podem dar suas sugestões. Mas as pessoas já perceberam isso, passou essa primeira fase de tentarem desqualificar o debate. O presidente Lula nos ensinou que é preciso passar de uma economia de poucos para uma de muitos. É preciso ampliar, não circunscrever. Todos são atores do processo social. O que propomos é o direito à transparência, à contabilidade, e à supervisão do poder público.

te Rio-Niterói, as centrais sindicais,demolirtodososprédiosfeitos naquele período?” Bastos afirmou que é “risível” o aspecto da nova Lei deDireitos Autorais que criminaliza o jabá (a execução de músicas mediante pagamento). “Não há lei que possa acabar com o jabá”. Ivan Linstambémsemanifestouarespeitodoassunto.Elepedeprincipalmente, de todos os envolvidos no debate, “uma postura consciente, lúcida e democrática”eumdebatepacífico.Areportagemtambém entrouemcontato com a assessoria de Victor Chaves, da dupla Victor & Leo. Ele tem sido o maior recebedor de direitos do País nos últimos meses. Mas Chaves não respondeu ao pedido de entrevista até o fechamento dessa edição. Segundo o MinC, o Brasil é um dos raros países do mundo que não fiscaliza a arrecadação de direitos. O anteprojeto está atualmente em discussão pública, no site do MinC, e deve receber sugestões até o final de agosto. Depois, essas contribuições serão consolidadas no texto e ele será enviado ao Congresso Nacional.


D4 C2+música %HermesFileInfo:D-4:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

C2+m/Hits da Semana TOPCDs

Deixem os emos em paz

TOPDVDs

TOP5TUBE

1. Robyn - ‘Dancing On My Own (Late Night)’

1.

1.

Revanche Fresno

Julio Maria

2.

A banda gaúcha Fresno deu seus primeiros sinais há 10 anos. Passou quase uma década com o selo ‘emo’ colado às costas, enfrentou deboches, e seguiu firme. Lucas Silveira (foto) assumiu vocais, guitarras foram ajustadas e os shows vieram. E aí é aquela história do ‘tanto bate até que fura’. Revanche, produzido por Rick Bonadio, chegou às lojas para não ficar muito tempo nas prateleiras. Sua pegada indica que a banda já sabe bem o que faz. A música Revanche tem um riff sólido, pesado. Já as cordas da seguinte, Deixa o Tempo, chegam cristalinas, ensolaradas. É um equilíbrio saudável que segue por todo o CD. Se isso é emo, viva o emo.E deixem os emos em paz.

2.

My Words Justin Bieber

3.

Eclipse - Trilha Sonora Vários

4. Taking Changes (CD + DVD)

3. 4.

Celine Dion (foto)

5.

The Fame Monster Lady Gaga

6. 7. 8. 9.

Luan Santana Luan Santana

5. 6. 7.

Restart Restart Maria Gadú Maria Gadú

Emoções Sertanejas Roberto Carlos (Vários)

8. 9.

Beyond The Lighted Stage Rush

Can’t Be Tamed Miley Cyrus Stones in Exile Rolling Stones

3. Lady Gaga - ‘@ the Today Show’ O fenômeno Gaga interpreta a bela Someone to Watch Over Me, de George Gershwin.

Where the Light Is John Mayer This is It Michael Jackson

4. Neon Indian - ‘Sleep Paralysist (video)’

Elas Cantam Roberto Carlos Vários Get Your Buzz On Chickenfoot (foto)

Vídeo do single de Alan Palomo, cujo disco de estreia foi um dos mais elogiados de 2009.

Live in Canada Paul McCartney

5. Foster the People - ‘Pumped up Kicks’ É difícil tirar da cabeça a melodia deste hit de indie pop. Direto do verão de Nova York.

Roberta Sá

Lady Gaga FONTE: LIVRARIAS CULTURA, FNAC, DA VILA E SARAIVA

2. Katy Perry - ‘California Girls (video)’ A nova canção promete ser um hit de pista. O vídeo é um dos mais acessados no Youtube.

360˚ Live at Rose Bowl U2

10. Pra se ter Alegria

10. The Remix

A apresentação da cantora sueca Robyn no programa de David Letterman mostra o seu eletro pop refinadíssimo em ação.

FONTE: LIVRARIAS CULTURA, FNAC, DA VILA E SARAIVA

LUCY NICHOLSON/REUTERS

LAUREN DUKOFF / DIVULGAÇÃO

A ONDA QUE SE REERGUEU NO MAR A boa surf music está vivinha da silva. E muito graças a esse jovem aqui Nirvana e GreenDay. O nomedo enfant terrible é Nathan WilliaGuitarrasemfúria,odesaoniilis- ms, bicho grilo californiano de mo, neblina de ‘ganja’. Não é carteirinha, daqueles que zombem o que os bons garotos do bam de saradões e estão mais inBeach Boys imaginavam para o teressados em fumar um basealegado do rock sorridente e boa do do que pegar ondas e sorrir praça que produziram no início para as gatinhas. dos anos 60, mas é um fiel retraA leseira em nada comprometo de King of the Beach, o incensa- te a vitalidade de seu talento. Em do segundo álbum do Wavves, 2009 gravou sozinho, no quarto quetem feitoacados fundos da cabeça de modernisa de seus pais, nhos no verão em San Diego, o HARMONIAS E americano deste homônimo WaLEVADAS QUE VÃO ano, com uma revves, feito apenas ciclagem eletricom um software DO FRENÉTICO AO zante do som de para músicos PREGUIÇOSO Brian Wilson e amadores. A procompanhia. dução escrachaKingof theBeachérock praiano da do disco lembrou os tempos com harmonias vocais e levadas pré-digitais do grunge e chamou quevãodofrenéticoaopreguiço- a atenção da mídia independenso, tocadas através de um ampli- te. Quando virou hit, destoou da ficador danificado que cospe a estética arrumada de bandas efervescência adolescente de que fazem sucesso no circuito Roberto Nascimento

Passagem de Som REVIVAL

E O MUNDO REDESCOBRE ‘CREEP’ Uma das principais músicas da história do rock indie, a famosa Creep, a canção que revelou a banda britânica Radiohead ao mundo, continua se fazendo importante mesmo quase 20 anos depois de composta. Feita por Thom Yorke em 1992, enquanto o rock americano tomava a cultura pop de assalto, Creep logo ficou mundialmente conhecida pela letra lamuriosa do sujeito que se

Leseira. Em vez de pegar as gatinhas da praia, Nathan Williams quer mais é fazer boas canções cult e tornou-se parte de um questionamento sobre a integridade de uma vertente do rock (Franz Ferdinand, Arcade Fire, Spoon) que foi, por muito tempo,periférica, mashojelota está-

leve e, sabiamente, não esfregou o cascão sonoro que dá personalidade ao Wavves. Também deixou que aflorasse a influência de Phil Spector, o famoso produtor querevolucionouaindústriamusicalnos anos60 com batidas características e sobreposição de instrumentos. Asreferênciasnostálgicaspresentes em Wavves há tempos figuram no pop independente, mas, no último ano, tomaram forma de um revival por influenciarem uma proliferação de bandas com nomes praianos (Beach House, Beach Fossils) com uma sonoridade lânguida, grudenta como maresia (Real Estate). Uma das mais elogiadas é Best Coast, liderada pela cantora Bethany Cosentino, que faz um contraponto interessante a Williams(noTwitter,osdoistrocam gentilezas e alfinetadas, como adolescentes.) Artisticamente,Cosentinoparece não ter tempo para as molecagens praticadas por Williams. Seu som traz um toque confessionalcuja propostaé semelhante ao de girl groups como as Shirelles e as Shangri-las, ambos da época dos Beach Boys (o single Boyfriend lembra a intimidade de diários adolescentes presente em hits como Will You Love Me Tomorrow e Leader of the Pack). Seu álbum de estreia, Crazy for You, sai nos EUA essa semana. As faixas que já estão na internet (www.myspace.com/bestycoasty)trazem boas melodias e um pulsar molenga como o torpor de um dia ao sol.

dios e faz trilhas sonoras de comerciais de computadores e carros importados. Para King of the Beach, que pode ser ouvido no site www.myspace.com/wavves, Williams deu

um trato em seu som. Chamou a banda do falecido roqueiro Jay Reatard e entregou a produção a Dennis Herring, que já trabalhou com Elvis Costello e Counting Crows. Herring tem a mão

Creep ressurge ainda no disco solo da cantora Amanda Palmer, mais conhecida por ser a metade da dupla americana Dresden Dolls. Palmer acaba de lançar um disco só de covers do Radiohead. Todo tocado com seu ukelele, uma espécie de cavaquinho. Palmer e seu ukelele interpretam Creep em shows desde 2008 pelo menos. O Youtube é cheio de vídeos dela fazendo Radiohead, seja em shows, em programas de rádio, ou em lugares como um táxi (!).

BEAVIS & CREEP

EROL ALKAN

MOMENTO HISTÓRICO

VALE A REVERÊNCIA

É histórica uma passagem de Creep no programa dos anos 90 Beavis & Butt-Head. Retrato da ‘geração loser’, o desenho mostrava os dois adolescentes vivendo situações decrépitas e em outro momento analisando a música pop na TV. Quando chegou a vez de Creep, eles até que não a destruíram. Concluíram que a parte calminha da canção era chata, mas que melhorava muito quando as guitarras distorcidas apareciam no refrão barulhento. “Por que eles não tocam só a parte bacana da música nela toda?”, perguntou o Beavis.

Entre os nomes que o ecofestival de Itu, o SWU, já anunciou reluz o do DJ e produtor inglês Erol Alkan, também conhecido como o cara que salvou o... indie rock. Não é isso, mas é mais ou menos isso. No começo dos anos 00, Alkan captou a vibração roqueira em Londres e a trouxe aos poucos para a festinha ‘esquisita’ Trash, que comandava às segundas em pleno reino da eletrônica britânica: o clube The End. Alkan primeiro importou o electroclash novaiorquino, fez dos bootlegs uma febre e transformou o indie em algo cool novamente.

estadão.com.br Ouça. Trecho da música PostAcid no Portal do Estadão estadão.com.br/e/d4

Lúcio Ribeiro

dizia um lixo humano e pelo famoso dois tempos da música, intercalando lirismo e barulho. Pois em pleno 2010 Creep reaparece de duas formas diferentes. Uma como trilha sonora do trailer do aguardado filme The Social Network, de David Fincher (Clube da Luta), que conta a história do Facebook e estréia nos EUA em outubro. No vídeo-‘aquecimento’ para o filme, Creep é cantada por um coro de crianças, o que deixa algo bizarro o refrão I'm a Creep, I'm a Weirdo, nada pueril. REPRODUÇÃO


%HermesFileInfo:D-5:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

C2+música D5

C2+m/Na estrada O SAMBA-ROCK DO CHINÊS DOIDO

E não é que o samba-rock foi parar na China. O gênero nascido e criado nas periferias de São Paulo foi apresentado aos chineses há um mês, durante um evento em que os asiáticos queriam conhecer as proezas paulistanas da lei Cidade Limpa. De quebra, a Secretaria Municipal de Cultura levou também os músicos do Zimbo Trio, do Barbatuques e do Clube do Balanço para shows rápidos. A pedido do C2+música, Marco Mattoli, líder do clube, descreveu como foram os dias deChinacomsuafrenéticabanda.

O grupo Clube do Balanço foi mostrar sua música aos chineses. E a plateia urrou

PRIMEIRO DIA

Saímosdonossopontodeencontro tradicional, no Memorial da América Latina. Só que desta vez, em vez de irmos tocar em um baile no interior de São Paulo, o Clube do Balanço ia encarar dois dias de viagem para um show na China. Alguém lembrou que a poltrona da classe econômica do avião era um pouco pior do que a poltrona da van e assim encaramos as 22 horas de ‘van a jato’ e 5 horinhas de rodoviária aérea na conexão em Dubai. Chegamos a Xangai, e de cara o Regis 16 (trompetista) levou uma geral da simpática polícia aeroportuária chinesa. Enquanto esperávamos nosso amigo sair da imigração, começamos a conversar em ‘inglês frango xadrez’ com umas moças que faziam promoção de celular num quiosquedoaeroporto.Encantadas com aquela turma de músicos exóticos, elas perguntaram se éramos uma banda de rock. Disse que éramos brasileiros, e que tocávamos samba. Vendo o ponto de interrogação na cara da moça eu apelei para o ícone maior da nossa música, e disse

MARCO MATOLLI/DIVULGAÇÃO

SEGUNDO DIA

Reis. Marco Mattoli e o baixista Gringo “bossa nova, Brasil, garota de Ipanema sabe?” O ponto de interrogação não sumiu, e ela me perguntou “Ba-xi fica na América não é?” Comecei a perceber que a China era mais longe do que eu pensava. A caminho do hotel ficamos impressionados com o tamanho da cidade, com as avenidas enormes e limpas,

com a quantidade de bicicletas e motos elétricas, e os arranhacéus modernos.Cadêo taldo comunismo?Escolhemosorestaurantemenosesquisitodasredondezas do hotel e comemos alguma coisa muito apimentada. TERCEIRO DIA

Ainda zonzos por conta do fuso

Território. Eldorado

NAMESMAPRAÇA.COMLENINE Cantor faz show amanhã, de graça, no Shopping Anália Franco Cinthia Gomes Regis Salvarani

A tradição do projeto Grandes Encontros, realizado pela Rádio Eldorado, é reunir no palco do Shopping Anália Franco artistas de bossas diferentes para uma apresentação única. Mas, nesse domingo, a partir das 12h30, a prática vai ser interrompida por Lenine. “Meu encontro vai ser com o público. Estamos nos preparandopara quebrartudo”, avisa.E esclarece: “Evidentemente, isso é uma metáfora.” O cantor e compositor pernambucano mostra as canções do mais recente CD, Labiata (2008). O título, inspirado em temas da natureza, refere-se ao nome de uma espécie de orquídea, a Cattleya Labiata. “As orquídeas são uma paixão mais recente, porém mais arrebatadora do que todas”, diz. Além das canções novas, Lenine garante seus sucessos no repertório. Como compositor, Lenine foi gravado por artistas que vão de Maria Bethânia a O Rappa. Comoprodutor, fezdiscos paraMaria Rita, Pedro Luis e a Parede e Chico César. Na direção musical, assinou a série de TV Caramuru – A Invenção do Brasil e a peça Cambaio. Mas foi compondo a trilha para o espetáculo de dança Breu, do Grupo Corpo, que teve uma das experiências mais impactantes. “A primeira vez que vi minha música ser interpretada com os corpos, vi umatrimensionalidade,umamaterialização do som que jamais imaginei que pudesse existir.” Só em 2010, Lenine já apareceu cantando com Teresa Cristina, é convidado no novo DVD de Elba Ramalho e se tornará ‘parceiro’ de Mário Lago (1911-2002), musicando um de seus poemas para o disco que celebra os 100 anos do autor de Ai, que Saudades daAmélia.Lenine étambémfigura constante nas trilhas de nove-

las. Sob encomenda, compôs e gravouotemadeaberturadePassione.AEldoradoFM(92,9)transmite amanhã, a partir das 12h30, o show do projeto Grandes Encontros,diretodaPraça deEven-

tos do Shopping Anália Franco (Av. Regente Feijó, 1.739. Tatuapé). A entrada é franca, mas todos são convidados a levar um ou mais quilos de alimento não perecível.

horário, aproveitamos nosso dia livre, e numa enorme comitiva fomos explorar o bairro antigo de Xangai. Chamamos muita atenção, apenas a nossa aparência não chinesa seria o suficiente, mas além disso a nossa digamos ‘exuberância natural’ marcoupresença.A AnaPaula, nossa dançarina,negraelinda,erapara-

da pelos chineses a cada 10 passos, e obrigada a tirar fotos. Muitas compras e negócios da China. Mais desespero com a comida no jantar. Reparamos que o taxista chinês buzina uma média de 45 vezes a cada dez minutos. QUARTO DIA

Dia de trabalho. Conversando

com nosso intérprete, me pareceque aChinacomeçouaconhecer mais da música popular ocidentalhá pouco tempoe quenão passaram como nós pela evolução natural da música popular mundial deste século. Começo a entenderporqueamoçadoaeroporto nunca ouviu falar de bossa nova. De que maneira essas pessoas vão receber uma música regional como a nossa? Após o número de abertura do Balé da Cidade, o Barbatuques se apresenta. A música experimental e inusitada, feita com percussão corporal, encanta e surpreende os chineses. Não acredito que eles conheçamoxaxado,ococo,oxote, o baião e os sambas de onde os Barbatuques se inspiraram pra fazer o seu batuque, mas a música nos dá esse mole de passar por cima do idioma e da convenção. O Zimbo Trio é um caso à parte. Todos os músicos presentes bateram cabeça pro mestre Amilton Godoy, pois não é todo dia que se divide o palco com alguém que você ouviu e que te influenciou a vida inteira. Dá- lhe bossa nova à prova de bala. Se o pessoal na plateia não sabiao queerabossa, teve um resumo do que há de mais fino. Nossa vez. Sempre que tocamos no exterior, temos o cuidado de colocar uma ou duas músicas das quaisalguémmaisinformadosobre música brasileira já ouviu falar. Por exemplo, o Mas Que Nada, do Jorge Ben. Mas, pelo que havíamos sentido nas conversas, tudo era absoluta novidade ali. Então, novidade por novidade, fizemos um show autoral, e eu acho que funcionou. Segundo a turma que organizou o evento, elesnunca tinham ouvidoos chineses gritarem em nenhum show que chegara ali. No nosso, eles urraram.


D6 C2+música %HermesFileInfo:D-6:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

C2+m/Críticas INSTRUMENTAL

INDIE ROCK DIVULGAÇÃO

TRILHA SONORA

POP-ROCK

GILSON PERANZZETTA E MAURO SENISE

VÁRIOS

MUTANTES

PASSIONE – ITALIANO

TECNICOLOR

LINHA DE PASSE

Som Livre

Polydor

Biscoito Fino

Preço: RS 29,90

Preço: US$ 12,99

● RUIM

●●●● ÓTIMO

Preço: R$ 34,90 ●●●● ÓTIMO

National. Tom masculino com uma pegada mais sensível

THE NATIONAL HIGH VIOLET 4AD Records. Preço: R$ 60 ●●●● ÓTIMO

Rock intimista à beira do sucesso Roberto Nascimento

O grupo nova-iorquino The National transita no terreno baldio entre o indie de autor e o rock de FM. Uma sequência de bons discos (Alligator, Boxer) durante a última década fez com que a banda despontasse como uma das candidatas a trocar os inferninhos do Brooklyn pela amplitude das grandes casas. Com o quinto álbum, High Violet, lançado em maio desse ano, a promessa parece estar se realizando. Ingressos para um recenteshowno RoyalAlbert Hallse esgotaram em quatro minutos e o disco chegou ao primeiro lugar da Billboard poucos dias após ser lançado. As melodias de High Violet são feitas paraemplacar mas não comprometem a integridade lúgubre da banda, que conquistou seu público com uma proposta mais intimista. O disco envolve o ouvin-

te em ondas de sutil melancolia que se intensificam como um drama pessoal em direção à catarse. Lembra R.E.M e Nick Cave and the Bad Seeds. As faixas são curtas, talhadas com refrões acessíveis que almejam colocar o National em rádios internacionais. “Nós nunca nos esforçamos muito (para compor um hit). Sempre torcemos o nariz para coisas simples e contagiantes. Mas dessa vez, eu estava convicto de que escreveria músicas mais acessíveis”, disse o vocalista do grupo, Matt Berninger ao jornal The Guardian, em abril. O barítono é a âncora da banda. Em sua voz, frases reveladoras como “a tristeza me fez tomar medicamentos... porque eu não quero te esquecer” tremem com a sinceridade de um homem que está prestes a confessar suas fraquezas mais íntimas. Em suas letras, Berninger procura juntar os cacos do fim de um relacionamento, descobrir os motivos desuasolidãorecorrenteebuscarconsolo em relações sexuais. A mágoa predomina mas a pegada é firme: The National faz rock de macho com sensibilidade. Berninger confessa mas a música não perde o cheiro de jaquetas de couro e loção pós-barba, um deleite para as donzelas que se derretem ao ouvi-lo se revelar sem perder a postura masculina. Formada em Ohio, The National é uma banda-família. Os gêmeos Bryce e AaronDresnertocamguitarra.ObateristaBryanDevendorfeseuirmão,obaixista Scott, formam a outra metade do grupo. Bryce é formado em violão clássico e colabora com artistas de vanguarda do calibre de Steve Reich e Philip Glass. Muito antes da fama, o grupo alugava vans e saía em turnê pelos EUA,tocando em qualquer buraco que encontrasse, no estilo dos clássicos do rock. OUÇA TAMBÉM ● THE SHIP SONG Artistas: Nick Cave and the Bad Seeds. Álbum: Good Son. Gravadora: EMI. Preço: R$ 50

A fuga do lugar comum pela modernidade

Italianado de novela tem gosto de molho azedo

As cores gringas dos Mutantes, agora em vinil

ão poderia haver palavras mais coerentes do que as de Rildo Hora no encarte de Linha de Passe, de Gilson Peranzzetta e Mauro Senise. No texto, o gaitista, compositor, arranjador e produtor (nestas duas funções como um dos maiores do País) assina que a dupla conseguiu gravar um álbum de standards fazendo parecê-los temas inéditos. Com arranjos extremamente originais e um entrosamento hipnótico, o piano suingado de Peranzzetta e os saxofones (tenor e soprano), a flauta e o piccolo de Senise vestiram a tradição de composições brasileiras com muita modernidade. Os dois, que tinham lançado o emotivo Melodia Sentimental (com participação da harpista Silvia Braga), dão novamente uma aula de interpretação com dinâmicas e improvisos pra lá de originais. A dupla gravou um repertório impecável, com destaque para Linha de Passe e Bala com Bala (João Bosco e Aldir Blanc), Casa Forte (Edu Lobo), Lamentos do Morro (Garoto), Doce de Côco (Jacob do Bandolim), Cheguei (Pixinguinha e Benedito Lacerda) e Brasileirinho (Waldir Azevedo). / LUCAS NOBILE

N

ão basta ter parte do elenco falando aquele italianado ridículo pela milionésima vez numa novela situada em São Paulo. O clichê se estende à trilha sonora de Passione. Uma coisa é ouvir Zizi Possi mandando, outra é esse segundo CD da novela, que reúne três brasileiros com pouca familiaridade com a coisa. Wilson Simonal pelo menos leva tudo no escracho vestindo Ecco il Tipo Che Io Cercavo de pilantragem. Agora, o sotaque de João Gilberto em Estate (desculpem os xiitas) é tão risível quanto o dos personagens da novela. Pior mesmo só Ana Carolina, um ‘pavore’ (sic) em qualquer língua, se esgoelando com a parceira Chiara Civello em Resta. That’s Amore, com Dean Martin, está muito aquém do grande cantor. O que sobra de bom? Questa Vita Loca, uma gravação mais recente da lendária Mina, o original Jimmy Fontana (Il Mondo) e pouca novidade. Io Che Non Vivo (1965), de Pino Donaggio, tem péssima remasterização. É pastaciutta com gosto de molho azedo. / LAURO LISBOA GARCIA

N

D

OUÇA TAMBÉM ● SOPAPO Artista: João Donato e Paulo Moura. Álbum: Dois Panos pra Manga. Gravadora: Biscoito Fino. Preço: R$ 33,90

OUÇA TAMBÉM ● UN GATTO NEL BLU Artista: Roberto Carlos. Álbum: San Remo 1968. Gravadora: Sony Music. Preço: R$ 12,90

OUÇA TAMBÉM ● PEGA A VOGA, CABELUDO Artistas: Gilberto Gil e Mutantes. Álbum: Gilberto Gil (1968). Gravadora: Universal. Preço: indefinido

RAP

JAZZ

FOLK

emorou quase três décadas para Tecnicolor, o álbum perdido que os Mutantes gravaram para o mercado gringo em Paris, em 1970, sair em CD. Agora, 40 anos depois, subvertendo a ordem anterior do mercado, o disco chega finalmente ao LP. É claro que não no Brasil. A versão americana, em vinil de 180 gramas, pode ser comprada pelo site www.dustygroove.com, que tem uma infinidade de outros títulos imprescindíveis. Com canções em inglês, francês, portunhol e português, Tecnicolor flagra Rita Lee (foto), Sérgio Dias e Arnaldo Baptista no auge da criatividade e da irreverência, ao lado de Liminha e Dinho. A mistura multilíngue não agradou aos executivos da gravadora, por isso o disco caiu injustamente no limbo. As 13 faixas reúnem regravações de clássicos como Ando Meio Desligado, Desculpe, Babe, Baby e Batmacumba, com arranjos novos tão bons quanto os originais, quatro inéditas e a impagável versão de A Minha Menina (She’s My Shoo Shoo). Sensacional. / L.L.G.

EMINEM

CLARK BOLAND SEXTET

CAROLE KING E JAMES TAYLOR

RECOVERY

MUSIC FOR THE SMALL

LIVE AT THE

Universal

HOURS. Biscoito Fino.

TROUBADOUR. Universal

Preço: R$ 30

Preço: R$ 34,90

Preço: R$ 39

● RUIM

●●●● ÓTIMO

●● REGULAR

O (novo) retorno do rapper pródigo

Bonfá e Bacharach Clássicos do em impecável easy listening sessão jazzística perdem o brilho

ada cativa o povo americano como uma boa história de superação. De Muhammad Ali e Frank Sinatra a Martha Stewart, um retorno do fundo do poço sempre foi garantia de sucesso nos EUA. Eis que o disco Recovery, de Eminem, chega às lojas após o rapper se desfazer de uma conturbada dependência química (sobre a qual já havia capitalizado em Relapse, de 2009) que o afastou dos palcos por meia década. De cara, vendeu 750 mil cópias. Para presenciar a pieguice, basta assistir ao vídeo de I’m Not Afraid, em que o rapper quase chora de arrependimento e diz ter voltado (novamente) das trevas. / R.N.

N

ravado em 1967, Music for the Small Hours, mais um ótimo fruto da parceria do baterista americano Kenny Clarke com o pianista belga Francy Boland, reúne outros músicos impecáveis como o baixista Jimmy Woode, que também faz (belo) vocal em algumas faixas. A sessão começa com uma curiosa versão de Ebony Samba (Luiz Bonfá), com acento latino, que volta a reverberar em Tin Tin Deo (Dizzy Gillespie). Há também a inusitada presença de um Burt Bacharach (Wives and Lovers) entre um Billy Strayhorn (Lush Life) e a delicada Ensadinado (Woode). / L.L.G.

G

arole King é uma fábrica de hits. Obras-primas como It’s Too Late (Baby), I Feel the Earth Move e You’ve Got a Friend (mais conhecida na voz de James Taylor), formam a base da programação de qualquer rádio de easy listening como Antena 1, que parece tocá-las em “repeat”. Os supermercados, nem se fala. Portanto, é difícil achar motivos para ouvir King e Taylor, ao vivo, em regravações inferiores de músicas que já fazem a trilha do nosso cotidiano. Os arranjos em nada inovam e Carole, embora se esforce, desafina – ao contrário de sua performance em elevadores e consultórios odontológicos. / R.N.

OUÇA TAMBÉM ● RESOLUTION - PART 2 Artista: John Coltrane. Álbum: A Love Supreme. Gravadora: Universal. Preço: R$ 37

OUÇA TAMBÉM ● A LITTLE TEAR Artista: Milt Jackson. Álbum: Brazilian Horizons 2. Gravadora: Prestige. Preço: a partir de US$ 2,64 (www.amazon.com)

OUÇA TAMBÉM ● LAUGHTER IN THE RAIN Artista: Neil Sedaka. Álbum: Best of Neil Sedaka. Gravadora: Sony. Preço: R$ 15

C

Minha Trilha NIELS ANDREAS /AE

1. PSYCHOTIC REACTION – The Count Five. “Essa tocava na Sex, loja de Malcolm McLaren e Vivienne Westwood. Uma das primeiras bandas psicodélicas de garagem.” 2. SO LITTLE TIME – Diana Dors. “A Marilyn Monroe britânica gravou muito pouco. Ouvir isso em vinil é incrível. No carro também é demais.”

Felipe Hirsch Uma playlist para o trânsito de SP, pelo diretor de teatro.

3. FIRST CUT IS THE DEEPEST – PP Arnold. “Música de Cat Stevens. Essa é a versão definitiva.”

4. THE BOTTLE – Gil Scott-Heron & Brian Jackson. “Clássico de 1974 sobre álcool, do disco Winter in America.” 5. SEVEN DAYS TOO LONG – Dexys Midnight Runners. “Kevin Rowland é um gênio.” 6. BLACK WINDS – Little John & The Monks. “Single raríssimo. Soul music do norte do Reino Unido.” 7. THE KISS –Judee Sill. “Jeff Tweedy, do Wilco, diz que

essa é a gravação mais bonita que existe. Heart Food. Prepare-se para minutos melancólicos.” 8. GHOST TOWN – The Specials. “Dub pesado para cruzar por ruas escuras.” 9. I GET IDEAS – Tony Martin. “Versão do tango Adios, Muchachos. Você está no carro, mas bem que podia estar colocando uma moeda numa Jukebox Wurlitzer 1015 Bubbler.” 10. I’M GONNA LOVE THAT MARCOS HONMA/AE–13/4/2000

GUY LIKE HE’S NEVER BEEN LOVED BEFORE – Marion Hutton. “Para a menina assobiar ao se maquiar no espelho.” 11. SPINACH SONG – Julia Lee & Her Boyfriends. “Essa é para ouvir dando umas tragadas no cigarro.” 12. FEELING GOOD – Nina Simone. “A mais cinematográfica da nossa coletânea. Música do brilhante Anthony Newley que foi diversas vezes regravada. Mas nunca como aqui.”


%HermesFileInfo:D-7:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

NAS PRÓXIMAS EDIÇÕES

C2+m/Ouvido Absoluto & ERUDITO

DIA 14/8 ROBERTO MUGGIATI JAZZ

morável jantar. Nãopossoesquecer, agora em outros países, uma noite no Festival de P a tras, na Grécia. O concerto era ao ar livre, atrás de uma muralha baixa de um velho

Memórias afetivas. E musicais às Variações Goldberg, de Bach, eàs Variações SobreUm Tema de Diabelli, de Beethoven.

Jantar .

Outra noite, quem está lánoAlmeida,jantando com a gente ? Aquele considerado o maior crítico europeu de música contemporânea, Philippe Albèra, acompanhando o Ensemble Contrechamps, que ele fundou. A lista no Almeida ia ser muito longa, e passamos a relembrar outros lugares. O histórico Duo Kontarski – porta-voz de Boulez e Stockhausen – jantando com a gente no Conservatório Lavignac de Santos, após seu concerto. Um excepcional jantar feito por damas da sociedade santista que cantavam em nosso Madrigal Ars Viva. Os dois pianistas lambiam os beiços, extasiados. Anos depois encontreios num festival europeu e eles, em conversa, relembraram esse realmente me-

O Guia mudou de nome., mas continua garantindo bons programas para a semana toda. Divirta-se.

Toda sexta no Estadão.

Recorte, cole, descubra, desenhe! Em formato gibi, o Estadinho é diversão garantida.

castelo em ruínas, e de repente começa a chover pedras em cima da gente, jogadas pelos moradores em torno da muralha. A música erudita de nosso tempo recebida a pedradas, já pensaram? Outro dia, depois de impressionante briga com os músicos que ensaiavam minha música, o regente virou-se para mim abrindo fraternal sorriso e me beijou no rosto. Os gregos são assim! Em Graz, Áustria, no Festival da Sociedade Internacional de Música Contemporânea, tocaram meu trabalho com o maior descaso. O organizador do

MARCOS MÜLLER/AE

F

DIA 07/8 CLAUDIA ASSEF ELETRÔNICA

DIA 22/8 GILBERTO MENDES ERUDITO

Havia intimidade entre alunos e professores, reunidos no prédio onde dormiam e tinham as aulas

GILBERTO MENDES

érias, festivais de inverno. Semana passada encontrei o maestro Roberto Martins no restaurante Almeida, aqui em Santos, degustando tranquilamente espetos de meca, deliciosa especialidade dacasa.Robertoéum velhocompanheiro de lutas artísticas, um dos melhores regentes corais que conheço. Sentei-me a seu lado, para beliscar algumas sobras, e a conversa de repente se encaminhou para a recordação dos músicos notáveis que ali sentaram com agente,depoisdeseusconcertosnoMúsica Nova. Pena que os proprietários do restaurante nunca tiveram a ideia de fotografá-los. As fotos poderiam decorar as paredes. Lembro-me de Caruso, Gigli, na pizzaria Castelões, no Braz, Orson Welles em ‘Los Caracoles’, no Barrio Gótico de Barcelona, o nosso grande Pelé em Nova York, num restaurante em baixo do City Corps. Veio logo à minha lembrança, no Almeida, Frederic Rzewski com a cabeça no meu ombro, aquela figura mitológica da música de nosso tempo juntinho da gente, na maiorintimidade. Tenho uma foto, mas está em meu álbum de recordações, não nas paredes do Almeida. Rzewski compôs famosas variações em torno de O Povo Unido Jamais Será Vencido, canção de luta do chileno Sergio Ortega, mundialmente cantada pelas massas revolucionárias. Variações já comparadas, por alguns musicólogos,

DIA 31/7 NEI LOPES SAMBA

C2+música D7

Todo sábado no Estadão.

evento deu violentíssima bronca nos intérpretes e ainda me criticou por não lhes ter dado uns bofetões. Que é isso, companheiro! Mas tem os momentos inesquecíveis.PierreBoulezindoaonosso quarto para conversar com a gente, eu, Willy e Rogério Duprat, meros participantes, em 1962, dos ferienkurse de Darmstadt. Não merecíamos ainda aquela deferência. Dias depois Boulez regeria, na mesma noite, Le Marteau sans Maître, de sua autoria, Pierrot Lunaire, de Schoenberg, e as Dansas Sagradas e Profanas de Debussy. Deslumbrante. Havia uma grande intimidade entre alunos e professores, reunidos num mesmo prédio onde todo mundo dormia, comia e tinha as aulas. Cruzávamos pelos corredores, refeitórios, até nos toaletes com figuras como Pousseur, Ligeti, Maderna. Acompanhamos de perto, dia a dia, um tórrido love affair de Stockhausen com uma verdadeira Walkiria, principalmente o drama quando sua mulher chegou. Ah, as estudantes fatais! Lembro-me do compositor americano Gunther Schüller – mestre da fusion jazz-neue Musik – no Festival de Campos do Jordão, numa mesa ao lado da minha, na sala de jantar do hotel onde estávamos hospedados. Apresentei-me como compositor brasileiro e pedi um autógrafo em seu excelente livro O Velho Jazz. Ele me deu, mas quase sem me olhar, embevecido que estava por três belas estudantes em sua companhia. Absolutamente desinteressado em minha pessoa. Está certo, querido Gunther, eu compreendo, te perdoo... ✽ GILBERTO MENDES É COMPOSITOR, CRIADOR DO FESTIVAL MÚSICA NOVA E AUTOR, DENTRE OUTRAS OBRAS, DE UMA ODISSEIA MUSICAL


D8 C2+música %HermesFileInfo:D-8:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

C2+m/Entrevista

PESO E TERNURA Jotabê Medeiros

Peter Frampton entrou para a história com uma balada. Agora, vem a SP bem mais bélico

todos os tipos de música. Concordo que este é um álbum ainda mais diverso, mas acho que ele tem, no geral, uma pegada maior de rock. Depois que lancei o maior sucesso da minha carreira, o disco Peter Frampton Alive, vi que o caminho que estava trilhando me fez virar um popstar. As pessoas esperavam de mim a atuação de um pop star, coisas que virassem sucesso imediato. Quando lancei Fingerprints, me veio uma grande satisfação, porque me dei conta de que estava ganhando o prêmio pelo trabalho como músico, pelas composições em si, que não eram grandiosas nem tinham grandes apelos de público. Depois daquilo, me senti mais livre para buscar os caminhos que achava

mais adequados. Compus mais de 50 canções entre um álbum e outro, e o mais duro foi escolher quais entrariam nesse disco. Acabamos ficando com essas 11 canções. ● Uma das faixas do seu novo disco tem

seu filho, Julian, cantando. Sempre foi sua ideia fazer parcerias com ele?

Na verdade, Julian toca guitarra. Uma vez, ele me pediu para tocar algo que tinha composto e eu fiquei boquiaberto. Tinha muita energia, pegada. Ele gravou a música uma única vez no estúdio, e quando eu mostrei para o produtor ele perguntou quem era. Quando eu disse quem era, ele falou: “Essa música tem de estar no álbum!” Tem ainda o grupo Funk Brothers e Matt Cameron na bateria.

● O disco tem rock pesado e também uma homenagem à Motown, que é a fábrica de música negra americana.

Acredito que parte do meu DNA musical é originário desse tipo de música da Motown, assim como quase todo mundo. Aqueles artistas criaram um novo universo musical, e ele se tornou fundamental para todo mundo. Quando pensei em gravar algo em homenagem a eles, cheguei a essa composição, Invisible Man, que celebra meu prazer como ouvinte daquele tipo de música. E que conta com os Funk Bros na gravação, uma honra. ● E quanto ao Brasil, quais suas memórias de tocar por aqui?

Uh, baby, amo o teu jeito! Raros são os que nunca ouviram esse refrão em inglês (Uh, baby, I love your way). O autor, o cantor e guitarrista inglês Peter Frampton, ganhador do Grammy, desembarca em setembro no Brasil com sua banda para uma série de cinco shows. As apresentações acontecerão em Brasília (dia 9), Rio de Janeiro (11), Porto Alegre (14), Curitiba (16), São Paulo (17) e Belo Horizonte (18). O músico, que já tocou no País em 1978 e 1996, apresenta seu novo álbum, Thank You Mr. Churchill. Peter Frampton imprimiu a marca de sua guitarra na história do rock desde o primeiro grupo, Humble Pie, quando tinha apenas 18 anos. O roqueiro britânico marcou os anos 70 com sucessos como Baby I Love Your Way e Show Me The Way (de seu quinto álbum-solo, Frampton Comes Alive, que é um dos discos ao vivo mais vendidos de todos os tempos). Aos 60 anos, o ex-coleguinha de escola de David Bowie contou com reforços consideráveis no novo trabalho, como o baterista do Pearl Jam e Soundgarden, Matt Cameron, e o produtor Don Gunn, do Death Cab for Cutie. O álbum foi gravado no estúdio privado do artista, em Cincinnati, Ohio. Por telefone, Peter Frampton falou ao Estado sobre a nova turnê e a atual fase de sua carreira. ● O título do seu novo disco, Thank

You, Mr. Churchill, leva a crer em alguma abordagem patriótica. De onde vem?

Eu sempre vou agradecer, minha vida toda, à atuação de (Winston) Churchill (primeiro-ministro inglês) durante a Segunda Guerra Mundial. Foi devido a ele, muito provavelmente, e à ação dos Aliados, que meu pai voltou da guerra. Senão, eu

Tenho belas lembranças. Curioso que nós sempre tivemos grandes plateias no Brasil, mesmo após muito tempo sem tocar aí. Da última vez, fizemos shows incríveis, como se sempre estivéssemos na área. Vai ser outra grande temporada.

não teria nascido. Ele era capitão da artilharia inglesa. Eu sou fruto daquela geração de baby boomers pós-guerra. Essa é a razão do título.

PETER FRAMPTON THANK YOU MR. CHURCHILL

● Como

New Door Records

encara, nos dias de hoje, a atuação militar britânica em lugares como o Iraque?

Preço: US$ 10 ●●● BOM

TÍTULO RUIM, MAS TEM GEMA NA PEDREIRA

Sou britânico, mas vivo há muitos anos na América. Creio que posso falar melhor do ponto de vista da América. Sou contra a coisa toda, acho que nós já devíamos ter saído de lá há muito tempo. Tenho o sentimento de que devemos combater Osama Bin Laden e aquilo que ele representa, mas não podemos sair pelo mundo impondo nossas crenças e a nossa cultura. É errado.

Não se engane pelas ideias musicais às vezes meio esquizofrênicas de Peter Frampton: na guitarra, ele tem o toque da excelência. Thank You Mr. Churchill, álbum de título ruim, é um disco no qual os timbres e as sacadas harmônicas de Frampton se revelam desigualmente – a faixa mais esclarecedora a respeito é Suite Liberté, de quase 8 minutos de duração, uma canção que Ry Cooder assinaria sem hesitação. Rebuscado, cheio de excessos, mas ainda assim capaz de surpreender em alguns momentos, Thank You Mr. Churchill mostra que Frampton é gente como a gente. Humanista de almanaque, ele se mostra tocado por histórias de sequestros de crianças japonesas durante a guerra (Asleep at the Wheel, com uma vibe meio Clapton) e pela bagunça financeira em Wall Street (o indignado blues Restraint). Tem gema nessa pedreira. / J.M.

● O seu disco anterior, Fingerprints, ganhou um Grammy e era um álbum instrumental. Esse novo disco tem rock, tem baladas, tem instrumental quase erudito. Você queria mesmo fazer uma espécie de patchwork?

Sim. Se você ouve minha voz ao longo da carreira, sabe que essa alternância sempre esteve presente. Amo ELISEO FERNANDEZ/REUTERS

CLAUDIA GUIMARÃES/DIVULGAÇÃO

O ESPANTOSO POP QUE FUGIU DA PASSARELA Stop Play Moon lança novo e azeitado álbum no Twitter Criar climões para as passarelas foi só o começo. Agora, o Stop Play Moon, a banda paulistana que nasceu no rastro dos desfiles de Alexandre Herchcovitch e Marcelo Sommer, já engendra climões para a cidade toda, para a indierada toda. E a prova está em disco, se é que isso ainda faz algum sentido: Stop Play Moon (Entourage Records), coleção de 12 cadenciadas canções produzidas por Plínio Profeta que cabem com perfeição numa pista de dança, mas também no fio da navalha de um palco do Baixo Augusta. Banda faustofawcettianamente futurista. À frente, uma loira geométrica curitibana de 38 anos, Geanine Marques, que curtiu os últimos discos de Charlotte Gainsbourg e do LCD Soundsystem e não tem essa fixação toda por Lady Gaga (“É style, mas musicalmente não me interessa muito”). “Aqui ninguém mais é criança”, diz Geanine. Ela se refere a si e aos colegas, Paulo Bega (te-

clados, baixo, sintetizadores, mexicana chamada Motel, e decomposição, bases) e Ricardo sistiram. Geanine, que sempre Athayde (guitarra), o núcleo trabalhou com Herchcovitch, já central da banda, “três pessoas não se incomoda mais em ser que nem tinham muita intimi- apresentada primordialmente dade quando começaram a fa- como “musa” do estilista. “Eu zer músicas juntas”. Paulo, ex- vou ser enterrada e vai estar lá na modelo como Geanine, acaba lápide:divadoHerchcovitch.Tude ter filhas gêmeas. Ricardo do bem. Se fosse um cara meia vem das artes gráficas. A eles se boca, mas eu sou fanzaça dele.” somam, no palco, Gadelha e H. No final de 2009, o grupo toO Stop Play cou na abertura Moon tem três do show do grupo anos de existênbelga Vive la Fête, “ÉRAMOS TRÊS cia. “A gente se na The Week. Em PESSOAS QUE NEM trombou por acamarço, na temposo, eu e o Paulo. rada de desfiles TINHAM TANTA Ele disse: ‘Vada SP Fashion INTIMIDADE” mos fazer algo Week, a banda tojuntos? Algo de cou para o desfile música?’ Aí encontramos o Ri- da Rosa Chá. Com um pé aqui e cardo. Fomos para a casa dele, outro ali, foi levando seu projeto e no mesmo dia já fizemos adiante. Agora, já tem até um esumas tracks. Paulo produz bas- túdio próprio, ali na Rua João tante, passa o dia inteiro com- Moura, e começa aabrir a grande pondo, tem grandes ideias.” angularparao mundo–o primeiNoinício, tudofoibatizadoco- ro gostinho foi no ano passado, mo Motel. Mas aí eles estavam quando fizeram uma microturassistindo ao Grammy Latino e nêetocaram emLondres eParis. viram que já havia uma banda “Bancamos do próprio bolso,

Geanine Marques, centro. “Aqui ninguém mais é criança” ainda não era uma turnê profissional. Mas valeu muito a pena, deu um gostinho de como pode ser essa vida na estrada.” Em Londres,um colegabem-sucedido foi encontrar e conferir o som dos amigos – Adriano, baterista do Cansei de Ser Sexy. “Claro quequeremoscairnomundo.Seria demais. E o fato de a gente cantar em inglês, de ter essa sonoridadeurbana,tudo issofacilita um pouco”, ela diz. Geanine não parece glamourizar nada com facilidade. É tranquila nas avaliações. Difícil usar superlativos para falar, mas ela

usou quando falou do show do LCD Soundsystem no Via Funchal. “Foi um dos melhores que já vi.” O novo álbum mostra que a banda já é um fato do novíssimopop brasileiro, como o Copacabana Club. Já vinha evoluindo (tocou no Motomix, em 2008, e no Eletronika, de Belo Horizonte, no ano passado), mas o disco é azeitado, redondinho. Está cheio de guitarrinhas à The Edge, climões de eletropop, vocalizaçõesbem trabalhadas(não tão deslumbradas com a bagaceira discopunk),maismelódico etrabalhado. “A gente não pensa: ah,

nãovamos fazerumaguitarraassim para não parecer eletro, ou outraguitarra assimpara nãoparecer aquilo. A gente vai fazendo oquegosta.Àsvezes,agenteparte apenas de um beat, uma linha de baixo, e aí vai chegando à nossa música”, diz Geanine. O coquetel pop do Stop Play Moonpode ressuscitarlembrançasdecoisascomoBlondie(Dance Floor), U2 (Take It All e Faking Faces), Iggy Pop (Lucy). Plínio Profeta é um produtor, DJ, compositor, músico que já colocou as mãos em trabalhos de Lenine, Pedro Luís e A Parede, Xis e Fernanda Abreu e tem parcerias como Lucas Santtana, Davi Moraes e De Leve. Também ganhou o Grammy Latino pelo trabalho no álbum Falange Canibal, de Lenine. Deu um trato admirável no grupo. O álbum Stop Play Moon será lançado na primeira semana de agosto no Twitter – quem segue a banda vai poder fazer o download gratuito das faixas. A primeira data da turnê do novo disco será no festival Tribaltech, em 21 de agosto, que rola na Arena Maeda, em Itu, São Paulo. A banda também acaba de gravar o clipe de Mysterious Way, dirigido por Dácio Pinheiro. / J.M. estadão.com.br Áudio. Ouça trechos da faixa The End estadão.com.br/e/d8


%HermesFileInfo:D-9:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

C2+música

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

C2+música D9

2 ARQUIVO AE

SANDYPARA

MAIORES Aos 27 anos, a cantora rompe com o show biz. “Não preciso mais disso.” E por ‘isso’ entenda fãs, imprensa e grandes shows. “Estou livre para fazer o que quiser.” Pág. D11


D10 C2+música %HermesFileInfo:D-10:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Astral

GÊMEOS 21-5 a 20-6

VIRGEM 23-8 a 22-9

A honestidade precisa deixar de ser uma teoria e converter-se em prática cotidiana. Praticar a honestidade não significa revelar tudo que você pensar e sentir a outrem, mas esforçar-se para não distorcer nada.

Tome a iniciativa de enfrentar os assuntos mais cabeludos, porque é por trás desses que reside a oportunidade de você recuperar os relacionamentos mais valiosos que foram se perdendo ao longo do tempo e dos desatinos.

AQUÁRIO 21-1 a 19-2

Sem boa vontade tudo será infinitamente mais difícil, até as pequenas coisas do dia a dia. Porém, com boa vontade os maiores problemas, os mais cabeludos, serão superados com facilidade surpreendente.

Há um poder oculto mexendo com todo mundo, algo que está além da compreensão humana, por enquanto. Você pode conhecer melhor o que está em andamento indo além dos raciocínios habituais e as conversas fúteis.

SAGITÁRIO 22-11 a 21-12

PEIXES 20-2 a 20-3

A preguiça é a sua verdadeira inimiga, porque sorrateiramente essa surge no meio das tarefas mais importantes, aquelas que se desatendidas colocariam em risco todo o caminho. Combata a preguiça.

As tentações serão cada vez maiores e mais difíceis de resistir, mas será perante essas que você terá a oportunidade de demonstrar integridade. Isso não significa santidade, mas presença de espírito.

Passatempos Sudoku Nível Fácil

5 6 2 8 6 2 7 4

7 9 9 6

Solução

1 8

9 4 8 5 2 3 7 1 6

7 9 6 4 2 5

6002452

8 6 4 1 3 7

Para jogar: Preencha com números de 1 a 9 os quadrados pequenos, as linhas verticais e horizontais. Não repita. 7 6 2 1 8 4 9 3 5

Marcello Quintanilha

ESCORPIÃO 23-10 a 21-11

Os assuntos cabeludos que se colocam em andamento não ocorrem para infundir raiva ou moléstia, mas para que você coloque o coração em evidência e compreenda tudo com o maior amor possível. Esse é um grande desafio.

1 5 3 7 9 6 4 8 2

Quadrinhos

LEÃO 22-7 a 22-8

3 9 6 2 7 5 1 4 8

Nossa humanidade conhece os meios para que a civilização produza bem-estar geral. Nossa humanidade deseja aplicar estes meios para que a civilização produza bem-estar geral. Nossa humanidade executa atos para que a civilização produza bem-estar geral. Porém, ainda nossahumanidadenãoconseguesincronizaroconhecimento,odesejo e a execução das tarefas para que a produção de bem-estar geral atinja seu momentum e, assim, todos possamos passar a outro nível de tarefas mais complexas do que meramente nos dedicar a sobrevivernomeiodetempestadeseproblemasproduzidospornossapreguiça. A perfeição das obras está disponível, conhecemos os meios, desejamos o objetivo e podemos executar as tarefas. Só falta sincronia.

Tome a iniciativa de comunicar-se, mas faça isso com o coração na mão, a única maneira de resolver as diferenças e aproximarse verdadeiramente das pessoas queridas. O resto será só justificativa ou evasiva.

Você não terá de esperar muito para ver o resultado das sementes que plantou. Os erros e acertos darão frutos com muita rapidez, o que será importante, porque oferecerá a oportunidade de acertar os ponteiros.

5 2 1 8 4 9 6 7 3

Júpiter e Plutão em quadratura;Lua se aproxima da fase Cheia transitando por Capricórnio.

TOURO 21-4 a 20-5

CAPRICÓRNIO 22-12 a 20-1

4 8 7 3 6 1 2 5 9

Só falta sincronia

Além das aparências formais está a verdade dos relacionamentos. Isso não significa que haja podridão oculta, mas, pelo contrário, talvez haja muito amor e carinho escondido por trás de uma montanha de problemas.

2 7 4 6 5 8 3 9 1

astro@0-quiroga.com

LIBRA 23-9 a 22-10

Quando suas sugestões são rejeitadas não assuma isso como uma rejeição de sua pessoa, mas como um convite para repensar suas opiniões. Tomar a rejeição de um jeito pessoal é evitar a oportunidade de repensar tudo.

6 3 5 9 1 7 8 2 4

✽ ●

O Sol brilha para todos, mas parece brilhar melhor para algumas pessoas do que para outras. Isso não é verdade, acontece apenas que a alma humana não sabe medir o esforço alheio, acha que a grama do vizinho verdeja mais.

8 1 9 4 3 2 5 6 7

QUIROGA

CÂNCER 21-6 a 21-7

ÁRIES 21-3 a 20-4

8 3 1 8 5 6

Palavras Cruzadas Diretas

Minduim Charles M. Schulz

O melhor de Calvin Bill Watterson

© Revistas COQUETEL — www.coquetel.com.br

Frank & Ernest Bob Thaves A "Princesinha do Mar" (MPB)

"(?) the rocks": tipo de drinque

Porco selvagem Certo roedor

de deposição de Apontar Variedade Área trazidos das Alexander de videira grãos Fleming, serras (Geol.) cientista

Unidade de capacidade elétrica (Eletr.) Motivo pelo qual o judeu cobre a cabeça ao rezar

O usuário da internet (Inform.) Preparar profissionais Distinguir; assinalar Catástrofe; grande desgraça (?) Angelico, pintor quatrocentista

Bruxa; (?) feiticeira Calheiros, (?) Sharif, político ator

Ácido desoxirribonucleico (sigla)

Chefe de um grupo de missionários Régua usada em desenho técnico

Goleiro do Brasil em 2006 Aba

Vermelhoclaro Roentgen (símbolo)

Para cima, em inglês

Ninharia Pomposos; aparatosos

Cada capítulo de um poema épico

Veste das indianas Multidão (pop.)

(?) Air, cidade da Califórnia (EUA)

BANCO

Z

Nome da letra da vitória

Centro de Terapia Intensiva (sigla)

Emirado mais pobre do Oriente Filho de Aarão (Bíblia) Única consoante com sinal gráfico

A

2/on — up. 3/bel. 4/omar. 5/aires — canto — farad — perón. 6/bem-bom. 15/bacia sedimentar.

Recruta Zero Mort Walker

Recíproco

Comodidade (bras.) Neto de Matusalém (Bíblia)

"Memorial de (?)", de Machado de Assis Proteção de cozinheiros Função facilitada pela traqueostomia (Med.)

S

Na parte mais íntima de um ser A 3a nota musical

Juan (?), político argentino Lista

Combustível do reator nuclear

SOLUÇÃO C A R A C T E R I Z A R

J C O P A C N A V E C A P A L A I F A R P D R E N N S A P R O N O L A R E S N V E N E S P

A F A B A N A G A D O R A C I T A R M I D A D E A R S O S A U P M E S T R E A D A A I CA N TO R I M I I B E M B O M N O E U C T L O T T A L M U I R A Ç Ã O

Turma da Mônica Mauricio de Sousa

● Bem pensado

“Quando um verdadeiro gênio se mostra ao mundo reconhece-se logo da seguinte maneira: todos os idiotas se juntam e conspiram contra ele.” Jonathan Swift


%HermesFileInfo:D-11:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

C2+música D11

C2+m/Entrevista

‘NÃOSOUALADYGAGA’ SERGIO NEVES/AE

Julio Maria

Farta da patrulha que a cerca desde os 15 anos, Sandy diz que não precisa mais do sucesso. E aos que ainda querem alguém mais provocante, um pedido implícito: vão ver se Sandy está lá na esquina

tranquila, eu tinha liberdade. E se por um lado eu era criticada por ser comportada demais, por outro fui exemplo para famílias. As mães vinham dizendo: “Nossa, você é um exemplo para minha filha.”

● Mas isso não tem glamour.

Pois é, não tem glamour para as pessoas, isso é brega. ● Aliás você tem pais que não se separam, você não briga com seu irmão, tudo que parece muito desinteressante para a mídia, não é?

Para a mídia e para o público, já que a mídia publica aquilo que o público procura. Não é interessante mesmo, pois é, minha vida é chata. Não tenho vida de artista, tenho vida de gente normal. ● Existe um pouco de rock no seu disco novo, não é?

Sandy está sentada em um sofá branco entre três senhoras distintas, que são aplaudidas pela plateia a cada vírgula das frases que dizem. Elas falam de violência, que mulher não deve apanhar de homem jamais. E dá-lhe salva de palmas. Sandy não diz muito, o assunto é pesado. Uma mulher é advogada, a outra é delegada, e a outra é Hebe Camargo. “Homem que estupra tem que ser castrado”, diz Hebe. Mais palmas. Sandy não se sente exatamente em casa. Afundada ali naquela poltrona durante a gravação do programa de Hebe Camargo, que iria ao ar na segunda-feira passada, no SBT, a cantora parece ter menos do que seus 27 anos oficiais. Sua voz é doce, seus olhos nunca têm raiva. Seria falta de atitude? Eis a palavra que persegue Sandy desde seus 15 anos, quando cantava com o irmão Junior: atitude. Atitude para cantar, atitude para falar, atitude para ser alguém famoso, que geralmente namora, briga, fala o que pensa. Ao Estado, Sandy, em fase de lançamento de seu primeiro disco-solo, Manuscrito, fala das cobranças que a perseguem, diz que não precisa mais do sucesso que fez com o irmão Junior e analisa as duas Sandys que lhe rondam como fantasmas: a Sandy que nunca existiu e a Sandy que nunca existirá. “Não adianta, eu não sou rebelde, nunca precisei dessa rebeldia.”

Sim, rock britânico. ● Não é preciso rebeldia para fazer rock and roll?

Uma vez eu cantei a música Minha Alma, do Rappa, e no dia eu estava muito nervosa, não gostei da minha apresentação. Quando assisti depois, olhei aquilo e falei: “Puxa vida, pegada. Falta pegada.” Realmente, acho que rock and roll precisa de pegada. Mas eu não tenho a menor vontade de fazer um disco inteiro de rock and roll. Eu não sou essa pessoa e eu não tenho essa pegada inteira que precisa ter. ● É como se você fosse sempre uma menina. As pessoas vão te ver um dia com 27 anos?

As pessoas esquecem de perceber que eu cresci. Quando elas abrem os olhos e escutam de verdade, sem preconceitos, percebem que o som é outro, que a voz não é mais de menininha. As pessoas que não estão tão atentas não percebem, não me deixam crescer. ● O que as pessoas não precisam mais esperar de você?

● Sandy, quem é você?

Sou uma pessoa muito reflexiva, penso muito sobre tudo, gosto de discutir, de fazer indagações, perguntas que às vezes não têm respostas. Gosto muito desse lado mais abstrato da vida. ● As pessoas esperam sempre uma Sandy diferente disso, não?

Antes de gravar este disco, tentei dar o mínimo de atenção para as expectativas, as influências externas. Eu precisava me ouvir, e é difícil quando você tem um monte de gente dando opinião. Gosto de ouvir o outro, mas gosto de ter o controle das coisas, controle sobre mim. Antes eu tinha esse compromisso com o sucesso, compromisso com o público, compromisso em vender. Agora não. Agora eu estou livre de tudo. ● Público, gravadora, fãs, imprensa.

Não se preocupa mais com isso?

Não, e isso é muito libertador. Eu tenho 20 anos de carreira, já vendi muitos discos, fiz shows para grandes públicos, provei o que tinha de provar. Eu não preciso

mais provar nada, dei conta de manter aquilo, trabalhar como uma doida, estudar. Aquilo para mim está realizado, está cumprido. ● Desculpe, mas o sucesso não é algo importante?

Não. E eu já não faço mais o mesmo sucesso que eu fazia com o meu irmão. Continuo sendo uma celebridade, todo mundo quer saber de mim, mas já faço menos sucesso hoje do que fazia. ● E você fala isso com esse sorriso?

Claro, estou superfeliz. Agora estou aqui para me divertir.

● Você diz estar na estrada desde os 7 anos de vida. Não perdeu muita coisa com isso?

Na infância eu estudei, tive amigos e brinquei, mas não podia sair na rua, ir ao shopping com os amigos. Na adolescência também não, perdi privacidade. Não foi muito fácil. Quando tinha 15 anos, todos já queriam saber quem eu namorava. Mas eu quase não me lembro de quando não era famosa. Antes de eu virar a Sandy, já era filha do Xororó ou, como dizem alguns, a filha do Chitãozinho e Xororó (risos). Minha mãe me deu todas as oportunidades do mundo para eu

voltar atrás. A cada renovação de contrato ela me chamava e dizia: “Tem certeza de que quer continuar fazendo isso?” E eu: “Mãe, pelo amor de Deus, tenho certeza, porque você está perguntando?” ● Aí vem a adolescência e outro peso

recai sobre você: atitude. As pessoas querem que você tenha mais atitude.

Eu não fui rebelde mesmo, assumo, eu não fui uma adolescente rebelde. Daqui a três anos eu terei 30 e não fiquei rebelde ainda. Eu tinha a vida que... Não precisava reivindicar nada, minha convivência com meus pais era fácil,

Não dá mais para esperar uma Sandy Lady Gaga, uma Sandy Beyoncé, dançando com bailarinos e microssaia top e um telefone na cabeça ou qualquer coisa assim. Essa não sou eu. O que você pode esperar é uma Sandy atrás do piano, cantando suas composições. Quem sabe até um projeto de jazz, de MPB. Não dá mais para esperar uma diva superstar americana. E só mais uma coisa: eu pensei de novo naquilo que você falou da rebeldia, talvez ser necessária para fazer rock... Essa coisa que eu falei da pegada... Você não imagina por exemplo a Gal Costa cantando um rock, não combina com ela o timbre, o jeito. Mas a gente também não imaginava o Caetano fazendo rock e ele gravou um disco de rock. Não, não é necessário ser rebelde para se fazer uma música desse tipo. Eu conheço um metaleiro que tem uma família incrível, que nunca foi rebelde, e no palco é o mais puro “sangue nos zóio”. ● Mas não é isso que você é, não é? Se tiver de interpretar uma música como Minha Alma, não tem onde buscar a raiva de que ela precisa.

Talvez eu tenha, mas não é isso que eu quero por para fora. Eu gosto de sentimentos mais melancólicos, mais sutis, mais delicados, mais ternos. Sempre que canto uma música mais romântica me arrepio, me soltava. É isso que me pega.


D12 C2+música %HermesFileInfo:D-12:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Guia. Cinema ESTREIAS O Bem Amado ★★ Brasil/2010, 110 min. Comédia. Dir. Guel Arraes. Com Marco Nanini, José Wilker, Drica Moraes, Matheus Nachtergaele e Andréa Beltrão. Na cidadezinha de Sucupira, o prefeito corrupto Odorico Paraguaçu faz de tudo para que alguém morra e inaugure o cemitério local, grande obra de seu mandato. 12 anos. Anália Franco, Boavista, Bourbon, Bristol, Central Plaza, Cidade Jardim, Cine Bombril, Cine Sabesp, Cine TAM, Eldorado, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Iguatemi, Interlagos, Interlar Aricanduva, Jardim Sul, Kinoplex Itaim, Kinoplex Vila Olímpia, Market Place, Metrô Itaquera, Metrô Santa Cruz, Metrô Tatuapé, Pátio Higienópolis, Pátio Paulista Cinemark, Penha, Santana Plaza, Shopping D, SP Market, Villa-Lobos.

O Grão ★★★ Brasil/2007, 88 min. Drama. Dir. Petrus Cariry. Com Nanego Lira, Leuda Bandeira e Luís Felipe Ferreira. Perpétua sente que a morte se aproxima e decide preparar seu neto, Zeca, para a separação. Paralelamente, Damião e Josefa se esforçam para preparar o casamento da filha e sustentar a família. 10 anos. Belas Artes, Frei Caneca Unibanco Arteplex.

Predadores ★★ Predators, EUA/2010, 107 min. Ficção Científica. Dir. Nimród Antal. Com Adrien Brody, Alice Braga e Laurence Fishburne. Royce é um militar que está um planeta estranho e precisa liderar grupo de pessoas pelas florestas perigosas, enquanto são caçados por predadores alienígenas. 16 anos. Campo Limpo, Central Plaza, Interlagos, Interlar Aricanduva, Metrô Itaquera, Metrô Tatuapé. LEGENDADO: Anália Franco, Boulevard Tatuapé, Bourbon, Bristol, Center Norte, Cidade Jardim, Eldorado, Iguatemi, Jardim Sul, Kinoplex Vila Olímpia, Marabá, Market Place, Metrô Santa Cruz, Pátio Higienópolis, Pátio Paulista Cinemark, Plaza Sul, Santana Plaza, Shopping D, SP Market, Villa-Lobos.

Vincere ★★★★ Itália-França/2009, 128 min. Drama. Dir. Marco Bellocchio. Com Giovanna Mezzogiorno, Filippo Timi e Fausto Russo Alesi. Ida Dalser é deixada por seu marido, o líder italiano Benito Mussolini, que desaparece durante a I Guerra Mundial. Quando Ida o reencontra, descobre que ele está casado com outra – e renega a existência do filho de Ida. Mas ela irá lutar para que a criança seja reconhecida. 16 anos. Cinesesc.

EM CARTAZ 15 Anos e Meio 15 Ans et Demi, França/2008, 97 min. Comédia. Dir. François Desagnat e Thomas Sorriaux. Com Daniel Auteuil, Juliette Lamboley e François Damiens. O cientista Philippe Le Tallec tem de retornar à França para cuidar da sua filha adolescente, a quem não via há muitos anos. Ele descobre que precisará se esforçar para construir uma relação com a menina, que está mais interessada em festas e namoros. 14 anos. Espaço Unibanco.

Abraço Corporativo ★★★ Brasil/2009, 75 min. Documentário. Dir. Ricardo Kauffman. O consultor de RH Ary Itnem busca a divulgar a Teoria do Abraço na mídia. Segundo ele, ela foi criada para combater uma doença chamada ‘inércia do afastamento’, causada pelo uso em excesso de novas tecnologias. Livre. Belas Artes.

Almas à Venda★★ Cold Souls, EUA-França/2009, 101 min. Drama.

★ ruim

DIVULGAÇÃO

Dir. Sophie Barth. Com Paul Giamatti, David Strathairn e Dana Korzun. O ator Paul está entediado e sem inspiração, enquanto tenta se preparar para uma peça russa. Ele tem esperança de melhorar quando seu agente lhe mostra um escritório misterioso, que pode ajudá-lo a aperfeiçoar sua atuação. 10 anos. Bourbon, Cine Bombril, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Reserva Cultural.

Disengagement, Alemanha-Itália-Israel-França/2007, 115 min. Drama. Dir. Amos Gitai. Com Juliette Binoche, Liron Levo, Jeanne Moreau. Após a morte de seu pai, Ana decide tentar encontrar a filha, que abandonou quando era adolescente. A busca a leva a Israel, no momento em que as tropas do país se retiram da Faixa de Gaza. 12 anos. Belas Artes.

Medos Privados em Lugares Públicos ★★★★

Cartas para Julieta ★★

Dzi Croquettes ★★★ Brasil/2009, 110 min. Documentário. Dir. Tatiana Issa e Raphael Alvarez. Com depoimentos de Liza Minnelli, Gilberto Gil, Ney Matogrosso, Miguel Falabella e Marília Pera. No período da Ditadura Militar no Brasil, o grupo de dança Dzi Croquettes, formado por homens que usavam vestidos e sapatos de salto alto, confrontou a repressão do governo. 10 anos. Belas Artes, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Reserva Cultural.

Em Teu Nome ★★ Brasil/2009, 100 min. Drama. Dir. Paulo Nascimento. Com Leonardo Machado, Fernanda Moro e Marcos Paulo. O filme retrata a Ditadura Militar brasileira através da história do estudante Boni, que decide se juntar à luta armada para protestar contra o regime opressor. 14 anos. Espaço Unibanco.

Encontro Explosivo ★★★ Knight and Day, EUA/2010, 110 min. Ação. Dir. James Mangold. Com Tom Cruise, Cameron Diaz, Maggie Grace e Peter Sarsgaard. A solitária June se interessa por Ray, um homem que conheceu em um avião. Mas ela descobre que ele é um agente secreto e é forçada a segui-lo em uma viagem pelo mundo – e tentar sobreviver às suas missões. 14 anos. DUBLADO: Boavista, Campo Limpo, Central

O Profeta ★★★★

Mary and Max, Austrália/2009, 93 min. Animação. Dir. Adam Elliot. A amizade entre Mary, uma menina solitária de oito anos, e Max, um homem de quarenta anos que vive sozinho em Nova York. Livre. Belas Artes.

Bright Star, Austrália-França-Reino Unido/2009, 119 min. Drama. Dir. Jane Campion. Com Abbie Cornish, Ben Whishaw e Paul Schneider. Baseado em uma história real, o filme se passa em 1819 e narra a história de Fanny, uma garota que se apaixona pelo poeta John Keats. 12 anos. Bristol, Cine UOL Lumière, Gemini, Reserva Cultural.

Let The Right One In, Suécia/2008, 114 min. Terror. Dir. Tomas Alfredson. Com Kåre Hedebrant, Lina Leandersson, Per Ragnar. Frágil e solitário, garoto é maltratado frequentemente pelos colegas de escola. Sua vida melhora quando ele conhece a nova moradora do seu prédio. O problema é que a menina é uma vampira. 16 anos. Bourbon.

Mademoiselle Chambon ★★★

Mary e Max – Uma Amizade Diferente ★★★

Brilho de uma Paixão ★★★★

Deixa Ela Entrar ★★★

116 min. Aventura. Dir. Mike Newell. Com Jake Gyllenhaal, Gemma Arterton, Ben Kingsley e Alfred Molina. Injustamente afastado do trono, o Príncipe Dastan precisa recuperar o poder e proteger uma antiga adaga mágica, capaz de fazer o tempo retroceder. 12 anos. DUBLADO: Bourbon.

França/2009, 101 min. Drama. Dir. Stéphane Brizé. Com Vincent Lindon e Sandrine Kiberlain. Jean é um pai de família que tem uma vida tranquila. Mas isso muda quando ele se vê atraído pela professora de seus filhos, Mademoiselle Chambon. 12 anos. Reserva Cultural.

Aproximação ★★★★

Letters To Juliet, EUA/2010, 105 min. Romance. Dir. Gary Winick. Com Amanda Seyfried, Gael García Bernal e Vanessa Redgrave. Em viagem à Itália, Sophie descobre que mulheres com problemas amorosos deixam cartas endereçadas a Julieta em um muro, pedindo conselhos. Sophie encontra uma mensagem escrita há cinquenta anos e decide ajudar sua autora a encontrar seu amor do passado. 10 anos. Gemini, Kinoplex Itaim.

Blunt, Rupert Friend, Paul Bettany. Vitória assume o trono da Inglaterra logo que atinge a maioridade. Como rainha, precisa enfrentar uma crise constitucional e lidar com seus sentimentos, divididos entre o príncipe Albert e o lorde Melbourne. 10 anos. Belas Artes, Kinoplex Itaim, Reserva Cultural.

À Prova de Morte. Kurt Russel no (quase) novo de Tarantino Plaza, Continental, Interlagos, Interlar Aricanduva, Metrô Itaquera, Metrô Santa Cruz, Metrô Tatuapé, Shopping D, SP Market. LEGENDADO: Anália Franco, Boulevard Tatuapé, Bourbon, Bristol, Center Norte, Central Plaza, Cidade Jardim, Cine Tam, Eldorado, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Iguatemi, Interlagos, Interlar Aricanduva, Jardim Sul, Kinoplex Itaim, Kinoplex Vila Olímpia, Marabá, Market Place, Metrô Santa Cruz, Metrô Tatuapé, Pátio Higienópolis, Pátio Paulista Cinemark, Plaza Sul, Santana Plaza, Shopping D, SP Market, Villa-Lobos.

O Escritor Fantasma ★★★★ The Ghost Writer, Alemanha-EUA/2010, 128 min. Drama. Dir. Roman Polanski. Com Ewan McGregor, Pierce Brosnan e Tom Wilkinson. Um escritor é contratado para redigir um livro sobre as memórias de Adam Lang, primeiro-ministro da Inglaterra. Durante a pesquisa biográfica, contudo, ele descobre segredos do passado do político que podem colocar sua vida em risco. 12 anos. Belas Artes, Espaço Unibanco, Gemini.

A Fita Branca ★★★★ Das Weisse Band – Eine Deutsche Kindergeschichte, Alemanha-Áustria-França-Itália/2009, 144 min. Drama. Dir. Michael Haneke. Com Christian Friedel, Ernst Jacobi, Leonie Benesch. No ano de 1913, uma pequena cidade da Alemanha começa a presenciar estranhos eventos: um celeiro é incendiado, um médico cai em uma armadilha e duas crianças são sequestradas e torturadas. Cabe ao professor do coro infantil tentar entender esses mistérios. 16 anos. Belas Artes.

Flor do Deserto ★★★ Desert Flower, Alemanha-Áustria-Reino Unido/2009, 120 min. Drama. Dir. Sherry Horman. Com Liya Kebede, Sally Hawkins e Craig Parkinson. Baseado no best-seller ‘Desert Flower’, conta a trajetória da modelo Waris Dirie, desde sua infância sofrida na Somália até a carreira de sucesso nos Estados Unidos. 14 anos. Belas Artes, Reserva Cultural.

O Golpista do Ano ★★ I Love You Phillip Morris, EUA/2008, 102 min.

Comédia. Dir. Glenn Ficarra e John Requa. Com Jim Carrey, Ewan McGregor e Rodrigo Santoro. Steven Russel resolveu assumir sua homossexualidade. Ele começa a exigir uma vida de mordomias e, para consegui-la, passa a agir como um golpista. Quando é preso, conhece Philip Morris, por quem se apaixona. Steven descobre, então, que é capaz de fazer loucuras por amor. 16 anos. Bourbon, Frei Caneca Unibanco Arteplex.

Hanami – Cerejeiras em Flor

★★★★ Kirschblüten – Hanami, Alemanha–França/2008, 127 min. Drama. Dir. Doris Dörrie. Com Elmar Wepper e Hannelore Elsner. Trudi fica sabendo que seu marido Rudi tem pouco tempo de vida. Mas, sem contar nada, ela decide fazer com que Rudi aproveite com alegria o tempo que lhe resta. Um incidente muda o curso da história. 14 anos. Frei Caneca Unibanco Arteplex.

Os Homens que Não Amavam as Mulheres ★★★ Män Som Hatar Kvinnor, Suécia/2009, 152 min. Suspense. Dir. Niels Arden Oplev. Com Michael Nyqvist, Noomi Rapace, Lena Endre. Baseado no best-seller de Stieg Larsson, o filme narra a história de um jornalista e uma detetive particular que precisam investigar o caso de uma garota que desapareceu há 36 anos. 16 anos. Belas Artes.

Ilha do Medo ★★★★ Shutter Island, EUA/2009, 148 min. Drama. Dir. Martin Scorsese. Com Leonardo DiCaprio e Mark Ruffalo. O detetive Teddy Daniels viaja até um hospital psiquiátrico – localizado em uma ilha – de onde uma perigosa assassina fugiu. Ao longo de sua investigação, porém, ele percebe que os médicos podem ser os verdadeiros vilões – e que ele pode ser uma vítima. E tem de tentar escapar (ou descobrir a verdade). 16 anos. Belas Artes.

A Jovem Rainha Vitória ★★★ The Young Victoria, EUA-Reino Unido/2009, 100 min. Drama. Dir. Jean-Marc Vallée. Com Emily

Coeurs, França-Itália/2006, 120 min. Drama. Dir. Alain Resnais. Com Sabine Azéma e Lambert Wilson. As carências e fantasias secretas de um grupo de personagens, entre eles um corretor de imóveis apaixonado por sua colega de trabalho, um ex-militar desempregado e em crise afetiva e uma jovem solitária adepta de encontros marcados por anúncios de jornal. 16 anos. Belas Artes.

Un Prophète, França/2009, 155 min. Drama. Dir. Jacques Audiard. Com Tahar Rahim, Niels Arestrup e Adel Bencherif. Malik El Djebena é condenado a seis anos de prisão. Na cadeia, recebe ordens e missões do líder de uma gangue. Mas Malik não quer apenas obedecer e começa a bolar seus próprios planos. 18 anos. Reserva Cultural.

À Prova de Morte ★★★ Death Proof, EUA/2007, 114 min. Ação. Dir. Quentin Tarantino. Com Kurt Russell, Sydney Tamiia Poitier, Zoe Bell e Rosario Dawson. Dividido em dois momentos, o filme conta a história de um dublê psicopata que usa um carro indestrutível para perseguir e assassinar oito mulheres. 14 anos. Anália Franco, Belas Artes, Bourbon, Bristol, Cidade Jardim, Cine Bombril, Cine Uol Lumière, Espaço Unibanco, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Jardim Sul, Kinoplex Itaim, Kinoplex Vila Olímpia, Marabá, Pátio Higienópolis, Pátio Paulista Playarte, Reserva Cultural, Santana Plaza.

A Saga Crepúsculo: Eclipse ★★

Le Petit Nicolas, França/2009, 91 min. Infantil. Dir. Laurent Tirard. Com Máxime Godart, Valérie Lemercier e Kad Merad. Baseado na história de René Goscinny (criador de ‘Asterix’) e Jean-Jacques Sempé, conta a história de Nicolau, um menino que tem medo de ser ignorado pelos pais quando suspeita que eles esperam um outro bebê. Livre. DUBLADO: Belas Artes, Bourbon, Espaço Unibanco, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Reserva Cultural. LEGENDADO: Bourbon, Espaço Unibanco, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Reserva Cultural.

The Twilight Saga: Eclipse, EUA/2010, 135 min. Romance. Dir. David Slade. Com Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner e Dakota Fanning. Bella precisa fazer escolher entre ficar com seu verdadeiro amor, o vampiro Edward, ou conservar a amizade com o lobisomem Jacob. As duas raças, porém, tem de esquecer suas diferenças para enfrentar a vampira Victoria e um exército de sanguessugas assassinos. 12 anos. DUBLADO: Anália Franco, Boavista, Bourbon, Butantã, Campo Limpo, Center Norte, Central Plaza, Continental, Eldorado, Interlagos, Interlar Aricanduva, Itaim Paulista, Jardim Sul, Kinoplex Vila Olímpia, Lapa, Marabá, Market Place, Metrô Itaquera, Metrô Santa Cruz, Metrô Tatuapé, Penha, Plaza Sul, Santana Plaza, Shopping D, SP Market, Villa-Lobos, West Plaza. LEGENDADO: Anália Franco, Boulevard Tatuapé, Bourbon, Bristol, Center Norte, Central Plaza, Cidade Jardim, Cine Tam, Eldorado, Frei Caneca Unibanco Arteplex, Gemini, Iguatemi, Interlagos, Interlar Aricanduva, Jardim Sul, Kinoplex Itaim, Kinoplex Vila Olímpia, Market Place, Metrô Santa Cruz, Metrô Tatuapé, Pátio Higienópolis, Pátio Paulista Cinemark, Pátio Paulista Playarte, Penha, Plaza Sul, Santana Plaza, Shopping D, SP Market, Villa-Lobos.

Plano B ★★

O Segredo dos seus Olhos ★★★

As Melhores Coisas do Mundo

★★★★ Brasil/2009, 107 min. Drama. Dir. Laís Bodanzky. Com Francisco Miguez, Caio Blat, Paulo Vilhena e Denise Fraga. A história de Mano, um garoto que passa por experiências e confusões típicas da adolescência. Inspirado na série de livros de Gilberto Dimenstein e Heloisa Pietro. 14 anos. Frei Caneca Unibanco Arteplex.

O Pequeno Nicolau ★★★★

The Back-Up Plan, EUA/2010, 106 min. Comédia Romântica. Dir. Alan Poul. Com Jennifer Lopez, Alex O'Loughlin e Michaela Watkins. Zoe cansou de esperar pelo homem perfeito e resolve fazer inseminação artificial. Mas, no mesmo dia que vai ao laboratório, ela conhece Stan e percebe que ele pode ser o homem por quem esperava. 12 anos. Bourbon, Cidade Jardim, Kinoplex Itaim.

El Secreto de sus Ojos, Argentina-Espanha/2009, 127 min. Drama. Dir. Juan José Campanella. Com Ricardo Darín e Soledad Villamil. Uma mulher é assassinada em Buenos Aires. Mas seu assassino é logo solto, por um erro da justiça. Vinte e cinco anos mais tarde, o policial Benjamín Espósito resolve retomar a investigação. 14 anos. Belas Artes, Gemini.

O Preço da Traição ★★★

Sempre Bela ★★★★

Chloe, Canadá-EUA-França/2009, 99 min. Drama. Dir. Atom Egoyan. Com Julianne Moore, Liam Neeson e Amanda Seyfried. O relacionamento de Catherine e David vai bem, até que ela passa a suspeitar de que o marido a trai. Catherine decide, então, contratar uma garota de programa para seduzir David e testar sua fidelidade. 16 anos. Gemini.

Belle Toujours, França-Portugal, 70 min. Drama. Dir. Manoel de Oliveira. Com Michel Piccoli e Bulle Ogier. Inspirado no livro de Joseph Kessel, o filme retoma os personagens Henri Husson e Séverine Serizy do longametragem ‘A Bela da Tarde’, de Luís Buñuel. Eles têm um encontro tenso anos depois de se conhecerem, devido a um segredo guardado por Henri. 14 anos. Frei Caneca Unibanco Arteplex.

Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo ★★★

Shrek para Sempre ★★

Prince of Persia: The Sands of Time, EUA/2010,

Shrek Forever After, EUA/2010, 93 min. Anima-

Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 11h00 / 13h10 / 15h30 / 17h50. Legendado 20h00 / 22h00 / 0h10. ● 2 (129 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h30 / 15h00 / 17h40. Eclipse - 14a. - 20h10 / 23h10. ● 3 (131 lug.). O Bem Amado - 12a. - 12h40 / 15h20 / 18h00 / 20h30 / 23h00. ● 4 (140 lug.). Predadores - 14a. - 11h20 / 13h50 / 16h20 / 18h50 / 21h20 / 23h50. ● 5 (140 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 12h00 / 14h20 / 16h40. Encontro Explosivo - 14a. - 19h00 / 21h30 / 0h00. ● 6 (172 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h30 / 14h00 / 16h30 / 19h00 / 21h30 / 0h00.

(125 lug.). Ponyo - dub. - L. - 15h00. Shrek Para Sempre - dub. - L. - 17h20 / 19h30 / 21h40 / 23h50. ● 3 (144 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 13h10 / 15h40. Legendado 18h20 / 21h00 / 23h45. ● 4* (176 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 14h40 / 17h00 / 19h10. Legendado 21h20 / 23h30. ● 5 (189 lug.). Predadores - 14a. - 14h10 / 16h30 / 19h00 / 21h30 / 23h55. ● 6* (98 lug.). O Bem Amado - 12a. - 14h00 / 16h20 / 18h50 / 21h10 / 23h30. ● 7* (98 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 14h20 / 16h40 / 19h10 / 21h40 / 23h59.

Cine. Salas. Horários Esta programação é de responsabilidade exclusiva dos exibidores e pode ser alterada à última hora. Confira pelo telefone antes de sair de casa + = também e menos = não haverá sessão

★ Espaço Unibanco R. Augusta, 1.470, Cerq. César. 3287-5590. De R$ 12 a R$ 18. 4 (107 lug.). Tudo Pode Dar Certo - 12a. - 14h00 / 18h00 / 22h00. O Escritor Fantasma - 14a. - 15h40 / 19h40. ● 5 (51 lug.). 15 Anos e Meio - 14a. - 14h00 / 16h00 / 18h00 / 20h00 / 22h00.

CINECLUBES E SALAS ESPECIAIS ★ Centro Cultural Banco do Brasil (70 lug.). R. Álvares Penteado,112, Centro. 3113-3651. Grátis e R$ 4. Emoção e Poesia: O Cinema de Yasujiro Ozu. Até dom. Filmes e horários variados.

★ Gemini Av. Paulista, 807. 3289-3566. De R$ 14 a R$ 16. ● 1 (379 lug.). Tudo Pode Dar Certo - 14a. - 14h10 / 19h50. O Preço da Traição - 16a. - 16h00. Cartas Para Julieta 17h50 / 21h40.● 2 (379 lug. ). Eclipse - 14a. - 14h10. O Segredo dos Seus Olhos 16h40. Brilho de Uma Paixão 19h00. O Escritor Fantasma 21h20.

★Cinusp Paulo Emílio (100 lug.). Rua do Anfiteatro, 181,Colmeia, Favo 4, Cidade Universitária. 3091-3540.Mostra: Comédias Brasileiras. A partir de 2ª Filmes e horários variados. ★ Cine Segall - Museu Lasar Segall (100 lug.). R. Berta, 111, V. Mariana. 5574-7322. De R$ 5 a R$ 10.Chico Xavier - L. - 17h00. O Preço da Traição - 14a. 15h00 / 19h20. ★ Cinemateca Brasileira - Sala Petrobrás (110 lug.), Sala BNDES (210 lug.). Lgo. Senador Raul Cardoso, 207, V. Clementino. 3512-6111. Grátis e R$ 8.Fábrica de Sonhos: 100 Anos de Cinema e Psicanálise (IPA). Filmes e horários variados. IV Mostra de Bollywood e Cinema Italiano. Filmes e horários variados. Dogma 95 - 15 Anos Depois. Filmes e horários variados. AUGUSTA, PAULISTA E JARDINS ★ Belas Artes R. da Consolação, 2.423, Cerq. César. 3258-4092. De R$ 8 a R$ 16. ● 1 (293 lug.). Aproximação - 12a. 15h40. Os Homens Que Não Amavam as Mulheres - 16a. 18h10. A Ilha do Medo - 16a. - 21h10. ● 2 (245 lug.). O Pequeno Nicolau - L. 14h00 / 18h30. O Segredo dos Seus Olhos - 12a. - 16h00 / 20h30 / 22h50.● 3 (163 lug.). À Prova de Morte - 16a. - 14h00 / 18h00 / 22h00. O Grão 16h20 / 20h20. ● 4 (154 lug.). Mary e Max - 12a. 14h00. O Escritor Fantasma - 14a. - 16h10. Flor do Deserto - 14a. 18h30. Jovem Rainha Vitória - 10a. 21h00. ● 5 (97 lug.). A Fita Branca - 12a. 14h00. Tudo Pode Dar Certo - 12a. - 16h50. Cineclube: A Fonte da Donzela 19h00. Medos Privados em Lugares Públicos 21h00.● 6 (88 lug.). Abraço Corporativo - L. 14h00. Dzi Croquettes - 10a. 16h00 / 18h10 / 20h20 / 22h30. ★ Bristol - Playarte Av. Paulista, 2.064. 3289-0509. De R$ 15 a R$ 27. ● 1 (444 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 12h00 / 14h00 / 16h00 / 18h00. Legendado 20h00 / 22h00 / 23h59. ● 2 (144 lug.).Encontro Explosivo - 14a. - 12h45 / 15h00 / 17h15 / 19h30 / 21h45 / 23h59. ● 3 (144 lug.). À Prova de Morte - 16a. - 14h00 / 16h20 / 18h40 / 21h00 / 23h20. ● 4 (177 lug.). O Bem Amado - 12a. - 12h30 / 14h45 / 17h00 / 19h15 / 21h30 / 23h45. ● 5 (133 lug.). Brilho de Uma Paixão - 12a. - 16h05 / 18h35 / 21h05 / 23h35. Ponyo - L. - 13h55. ● 6 (242 lug.). Predadores 14a. - 13h10 / 15h20 / 17h30 / 19h40 / 21h50 / 23h59. ● 7 (115 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h10 / 14h25. Shrek Para Sempre - L. - 16h40. Eclipse - 14a. - 18h40 / 21h20 / 23h59. ★ Cine Bombril Av. Paulista, 2.073. 3285-3696. De R$ 16 a R$ 18. 4ª R$ 12. Sessão Folha: De R$ 5 a R$ 10. Poltronas numeradas. ● 1 (300 lug.). O Bem Amado - 12a. - 14h40 / 17h00 / 19h20 / 21h40. ● 2 (100 lug.). À Prova de Morte - 16a. 14h00 / 21h50. Almas à Venda - 10a. 16h10 / 19h50. Projeto Folha: Vittorio de Sica - Minha Vida, Meus Amores - 12a. 18h10. ★ Cinesesc (326 lug.). R. Augusta, 2.075, Jd. Paulista. 3087-0500. De R$ 8 a R$ 12.Vincere - 16a. - 14h30 / 16h50 / 19h10 / 21h30. ★ Espaço Unibanco R. Augusta, 1.475, Cerq. César. 3288-6780. De R$ 12 a R$ 18. 5ª R$ 8. ● 1 (268 lug.). À Prova de Morte - 16a. 14h40 / 17h00 / 19h20 / 21h40. ● 2 (240 lug.). O Profeta - 18a. - 14h00 / 18h20 / 21h10. Solo - L. 16h50.● 3 (189 lug.). O Pequeno Nicolau - dub. - L.- 14h00. Legendado 16h00 / 18h00. Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo - 14a. 20h00. Em Teu Nome - 14a. 22h00. Sessão Cinéfila: Mostra Cena África - 12h00.

★ Reserva Cultural Av. Paulista, 900. 3287-3529. De R$ 13 a R$ 20. ● 1 (190 lug.). O Pequeno Nicolau - dub. - L. - 15h30. Legendado 13h40 / 19h35 / 21h20. Brilho de Uma Paixão - 14a. 17h20 / 23h10.● 2 (161 lug.). Ponyo - dub. - L. - 13h30. Mademoiselle Chambon - L. - 15h20. Almas à Venda 10a. 17h20. À Prova de Morte - 16a. 19h20 / 21h30. ● 3 (120 lug.). Dzi Croquettes - 10a. 14h40 / 16h50 / 19h00 / 21h10 / 23h15. ● 4 (110 lug.). A Flor do Deserto - 14a. 14h20 / 18h40. A Jovem Rainha Vitória - 10a. 16h40. O Profeta - 18a. - 21h00. CENTRO ★ Marabá Av. Ipiranga, 757, Centro. 5053-6881. De R$ 9 a R$ 16. ● 1 (430lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 12h40 / 14h40 / 16h40 / 18h40 / 20h40. ● 2 (122 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h00 / 14h15. À Prova de Morte 16a. - 16h30 / 19h00 / 21h20. ● 3 (133 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 13h20 / 15h40 / 18h00 / 20h20. ● 4 (161 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 12h00 / 14h40 / 17h20 / 20h00. ● 5 (176 lug.). Predadores - 14a. - 14h15 / 16h30 / 18h45 / 21h00. BAIRROS ★ Cine Sabesp (271 lug.). R. Fradique Coutinho, 361, Pinheiros. 5096-0585. De R$ 16 a R$ 18. 4ª R$ 12.O Bem Amado - 12a. - 14h40 / 17h00 / 19h20 / 21h40. ★ Itaim Paulista Av. Marechal Tito, 7.579. Itaim Paulista. 2571-7649. De R$ 4 a R$ 8.● 1 (187 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 14h00. Eclipse - dub. - 14a. - 16h10 / 18h40 / 21h00. ● 2 (161 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 13h00 / 15h00 / 17h00 / 19h00 / 21h00. ★ Kinoplex Itaim R. Joaquim Floriano, 466, Itaim Bibi. 3131-2006. De R$ 18 a R$ 23. 3D De R$ 26 a R$ 29. Poltronas numeradas. ● 1 (187lug.). Plano B - 12a. - 13h40 / 18h40. Eclipse - 14a. - 16h00 / 21h00 / 23h40. ● 2 (161 lug.). O Bem Amado - 12a. - 14h20 / 16h40 / 19h10 / 21h20 / 23h40. ● 3 (184 lug.). Cartas para Julieta - 10a. - 13h50 / 16h10 / 18h30 / 20h50 / 23h20. ● 4 (158 lug.). A Jovem Rainha Vitória - 10a. - 14h10 / 16h20 / 18h50. À Prova de Morte - 16a. - 21h10 / 23h30. ● 5 (321 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 13h10 / 15h20 / 17h30. Legendado 19h40 / 21h50 / 23h59.● 6 (319 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 14h00 / 16h30 / 19h00 / 21h30 / 23h50. ★ Cine UOL Lumière - Playarte R. Joaquim Floriano, 339, Itaim Bibi. 3071-4418. De R$ 15 a R$ 19.● 1 (195 lug.). Brilho de Uma Paixão - 16a. 14h00 / 16h30 / 19h00 / 21h30. ● 2 (170 lug.). À Prova de Morte - 16a. - 18h00 / 20h20. Ponyo - dub. - L. 13h30 / 15h40. SHOPPINGS ★ Anália Franco - UCI R. Regente Feijó, 1.739, Tatuapé. 2164-7790. De R$ 11 a R$ 17. (*) 3D De R$ 19 a R$ 23 . ● 1 (382 lug.). O Bem Amado - 12a. - 13h30 / 15h50 / 18h05 / 20h30 / 22h50. ● 2 (308 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 13h10 / 15h30 / 17h50 / 20h10 / 22h30. ● 3 (242 lug.). Shrek para Sempre - dub. - L. - 12h40 / 14h45 / 16h50 / 18h55 / 21h00 / 23h10. ● 4 (120 lug.). Shrek para Sempre - dub. - L. 13h20 / 15h25 / 17h30. À Prova de Morte - 16a. - 19h45 / 22h10. ● 5 (132 lug.). Ponyo - Uma Amizade que Veio do Mar - L. - 16h20. Eclipse - 14a. - 18h30 / 21h10 / 23h50. ● 6 (239 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h10 / 14h35 / 17h00 / 19h25 / 21h50. ● 7* (418 lug.). Shrek para Sempre 3D - dub. - L. - 12h00 / 14h05 / 16h10 / 18h15

/ 20h20. The Big Four - 18a. - 22h30. ● 8 (295 lug.). Predadores - 14a. - 12h00 / 14h20 / 16h40 / 19h00 / 21h20 / 23h40. ● 9 (203 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 12h20 / 15h00 / 17h40 / 20h20 / 23h00. ★ Boavista R. Borba Gato, 59, Santo Amaro. 5547-6060. De R$ 8 a R$ 14. ● 1 (183 lug.). O Bem Amado - 12a. - 14h50 / 17h00 / 19h10 / 21h20. ● 2 (330 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 13h45 / 15h45 / 17h45 / 19h45 / 21h45. ● 3 (118 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 17h15. Encontro Explosivo - dub. - 14a. - 15h00 / 19h30 / 21h50. ● 4 (95 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 14h45 / 16h45 / 18h45 / 20h45. ● 5 (95 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. 14h15. Eclipse - dub. - 14a. - 16h30 / 19h00 / 21h30. ★ Bourbon - Espaço Unibanco R. Turiaçu, 2.100, Pompeia. 3673-3949. De R$ 16 a R$ 20. 4ª R$ 12. 3D R$ 22 a R$ 24. (*)Vip.● 1 (213 lug.). Toy Story 3 - 3D dub. - L. 13h40 / 16h10 / 18h40. Legendado 21h10 / 0h00. ● 2 (202 lug.). Predadores - 14a. - 13h10 / 15h20 / 17h30 / 19h40 / 21h50 / 0h00.● 3 (202 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 14h00 / 16h00 / 18h00 / 20h00 / 22h00 / 0h00. ● 4 (213 lug.). O Bem Amado 12a. - 14h20 / 16h40 / 19h00 / 21h20 / 23h30. ● 5 (202 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 14h10 / 16h40 / 19h10 / 21h40 / 0h00. ● 6 (202 lug.). Eclipse - dub. - 14a. 13h00 / 15h30 / 18h00 / 20h30 / 23h00. ● 7 (122 lug.). À Prova de Morte - 16a. 13h00 / 15h10 / 17h20 / 19h40 / 22h00 / 0h00. ● 8 (121 lug.). Eclipse - 14a. - 13h30 / 16h10 / 18h50 / 21h30 / 0h00. ● 9 (122 lug.). Plano B 12a. - 13h00 / 17h30. Príncipe da Pérsia - 12a. - 15h10 / 19h40 / 0h00. Almas à Venda - 10a. 22h00.● 10* ( 62 lug.). Ponyo - dub. - L. - 14h00. O Pequeno Nicolau dub. - L. 16h00. Legendado 18h00. O Golpista do Ano 16a. - 20h00 / 22h00. Sessão Especial: Deixa Ela Entrar - 16a. - 0h00. ★ Bourbon - Espaço Unibanco Imax (327 lug.) R. Turiaçu, 2.100, Pompeia. 3673-3949. De R$ 22 a R$ 34. Um Mar de Aventuras 3D - L. - 11h00. Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. 13h20 / 15h30 / 17h40 / 19h50. Legendado 22h00 / 0h00. ★ Butantã - Playarte Av. Prof. Francisco Morato, 2.718, Butantã. 5053-6938. De R$ 10 a R$ 14.● 1 (220 lug.). Shrek Para Sempre dub. - L. - 12h00 / 14h00 / 16h00 / 18h00 / 20h00 / 22h00. ● 2 (211 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 13h00 / 15h40 / 18h20 / 21h00. ● 3 (140 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h20 / 14h40 / 17h00 / 19h20 / 21h40. ★ Campo Limpo Estr. de Campo Limpo, 459 , 2º Piso. 5512-7596. De R$ 7 a R$ 14. (*) 3D De R$ 9 a R$ 18. ● 1 (238 lug.). Encontro Explosivo - dub. - 14a. - 15h00 / 17h15 / 19h30 / 21h45. ● 2 (298 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 14h00 / 16h30 / 19h00 / 21h30. ● 3* ( 354lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 13h30 / 15h30 / 17h30 / 19h30 / 21h30.● 4 (356 lug.).Predadores - dub. - 14a. - 14h30 / 16h45 / 19h00 / 21h30. ● 5 (328 lug.).Shrek Para Sempre - dub. - L. - 14h00 / 15h50 / 17h40 / 19h30 / 21h20. ★ Center Norte - Cinemark Trav. Casalbuono, 127, V. Guilherme. 2252-2395. De R$ 14 a R$ 25. ● 1 (325 lug.).Shrek Para Sempre - 3D dub. L. - 11h00 / 13h10 / 15h20 / 17h40 / 20h00. The Big Four - 18a. - 23h00. ● 2 (256 lug.). Predadores - 14a. - 11h10 / 13h30 / 16h05 / 18h40 / 21h20 / 23h50. ● 3 (260 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h20 / 15h00 / 17h50. Eclipse 14a. - 20h20 / 23h10. ● 4 (224 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 11h40 / 14h00. Eclipse - dub. - 14a. - 16h10 / 18h50 / 21h30. ● 5 (316 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h20 / 13h55 / 16h25 / 19h00 / 21h50. ★ Centerplex Lapa R. Catão, 72, Lapa. 4005-9080. De R$ 8 a R$ 14. ● 1 (291 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 13h00 / 15h10 / 17h10 / 19h00 / 21h00. ● 2 (151 lug.). Eclipse - dub. 14a. - 13h15 / 15h50 / 18h30 / 21h15. ● 3 (151 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 13h30 / 16h00 / 18h20. The Big Four - 18a. - 21h00. ★ Central Plaza - Cinemark Av. Dr. Francisco Mesquita, 1.000, Ipiranga. 2914-7859. De R$ 11 a R$ 23. ● 1 (320 lug.). Eclipse - dub. - 14a. 11h05 / 13h45 / 16h25 / 19h10. Legendado 22h00 / 0h35. ● 2 (361 lug.). Predadores - dub. - 14a. - 11h15 /

13h40 / 16h15 / 18h40 / 21h10 / 23h50. ● 3 (152 lug.). O Bem Amado - 12a. - 11h25 / 14h00 / 16h30 / 19h05 / 21h30 / 0h00.● 4 (118 lug.). Shrek Para Sempre - dub. L. - 12h30 / 14h50 / 17h10 / 19h30. Eclipse - dub. - 14a. 21h35 / 0h10. ● 5 (151 lug.). Shrek Para Sempre - dub. L. - 12h00 / 14h20 / 16h40 / 19h00. Eclipse - 14a. - 21h05 / 23h45. ● 6 (98 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. 11h30 / 13h50 / 16h10 / 18h30. Legendado 20h50 / 23h10. ● 7 (270 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h45 / 14h05 / 16h35 / 19h05 / 21h30 / 0h15. ● 8(266 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h25 / 15h00 / 17h25 / 19h55 / 22h25. ● 9 (278 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 11h00 / 13h20 / 15h40 / 18h15 / 20h20. The Big Four 18a. - 23h00. ● 10 (486 lug.). Encontro Explosivo - dub. - 14a. - 13h00 / 15h30 / 18h00 / 20h30 / 23h15. ★ Cidade Jardim - Cinemark - Salas Bradesco Prime Av. Magalhães de Castro, 12.000. 3552-1800. De R$ 37 a R$ 49. ● 1 (127 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h30 / 14h00 / 16h30 / 19h00 / 21h30 / 0h10. ● 2 (97 lug.). Predadores - 14a. - 11h00 / 13h30 / 16h00 / 18h30 / 21h00 / 23h30. ●3 (72 lug.). O Bem Amado - 12a. 12h30 / 15h10 / 17h40 / 20h10 / 23h00. ●4 (82 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 12h00 / 14h10 / 16h40. À Prova de Morte - 16a. - 18h50 / 21h40 / 0h15. ★ Cidade Jardim - Cinemark Av. Magalhães de Castro, 12.000. 3552-1800 De R$ 18 a R$ 29.(*) 3D De R$ 25 a R$ 28. ● 5(181 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h20 / 15h00. Eclipse - 14a. - 17h30 / 20h20. Plano B - 12a. - 23h10. ●6 (219 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h20 / 13h50 / 16h20 / 18h45 / 21h20 / 23h50.●7*(274 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. L. - 11h05 / 13h15 / 15h25 / 17h35. Legendado 19h45 / 22h00 / 0h05. ★ Continental Av. Leão Machado, 100, Pq. Continental. 3765-3774. De R$ 8 a R$ 14. Sessão Pipoca: R$ 6. ● 1 (360 lug.).Shrek Para Sempre - dub. - L. - 13h30 / 15h30 / 17h30 / 19h30 / 21h30. ● 2 (380 lug.). Eclipse - dub. 14a. - 14h00 / 19h00. Encontro Explosivo - dub. - 14a. 16h30 / 21h15. ★ Eldorado - Cinemark Av. Rebouças, 3.970, Pinheiros. 2197-7470. De R$ 15 a R$ 27. ● 1 (372 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h10 / 13h30 / 16h00 / 18h30 / 21h00 / 23h40. ● 2 (265 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 11h05. Predadores - 14a. - 13h40 / 16h10 / 18h50 / 21h30 / 0h00. ● 3 ( 265 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 12h10 / 14h40 / 17h10 / 19h40 / 22h10. ● 4 (265 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 12h00 / 14h10 / 16h20 / 18h40 / 20h50 / 23h10. ● 5 (265 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 11h30 / 13h35 / 15h50 / 18h00. Eclipse - 14a. - 20h30 / 23h30. ● 6 (265 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h20 / 15h00 / 17h25. Eclipse 14a. - 19h55 / 22h30. ● 7 (187 lug.). O Bem Amado - 12a. - 13h00 / 15h40 / 18h10 / 20h40 / 23h20. ● 8 ( 297 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 11h00 / 13h10 / 15h20 / 17h30 / 19h50. Legendado 22h00 / 0h10. ● 9 (297 lug.). Toy Story 3 - 3D dub. - L. - 11h15 / 13h50 / 16h25 / 19h00. The Big Four - 18a. - 23h00. ★ Frei Caneca Shopping - Unibanco Arteplex R. Frei Caneca, 569, Cerqueira Cesar. 3472-2365. De R$ 16 a R$ 20. 4ª R$ 12. 3D R$ 22 a R$ 24. ● 1 (268 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. 14h00 / 16h00 / 18h00. Legendado 20h00 / 22h00. ● 2 (234 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 14h00 / 16h30 / 19h00 / 21h30. ● 3 (181 lug.). O Bem Amado - 12a. - 14h30 / 16h50 / 19h10 / 21h30. ● 4 (103 lug.). O Pequeno Nicolau - dub. - L. - 14h00 / 16h00. Legendado 18h00. O Golpista do Ano - 16a. - 20h00 / 22h00. ● 5 (103 lug.). Sempre Bela - 12a. 14h00. Dzi Corquettes - 10a. 15h30 / 17h40 / 19h50 / 22h00. ● 6 (125 lug.). À Prova de Morte - 16a. 14h40 / 17h00 / 19h20 / 21h40. ● 7 (103 lug.). As Melhores Coisas do Mundo - 14a. - 14h00. O Grão - 10a. 16h00 / 19h30 / 21h10. Viajo Porque Preciso, Volto Porque Te Amo - 14a. 17h50. ● 8 (103 lug.). Hanami - Cerejeiras em Flor - L. 14h00. Almas à Venda - 10a. - 16h10 / 18h00 / 20h00 / 22h00. ● 9 (125 lug.). Eclipse - 14a. 14h00 / 16h30 / 19h00 / 21h30. ★ Iguatemi - Cinemark Av. Brig. Faria Lima, 2.232, Jd. Paulistano. 3815-8713. De R$ 18 a R$ 29. Poltronas numeradas. ● 1 (266 lug.).

★ Interlagos - Cinemark Av. Interlagos, 2.255, V. Inglesa. 5565-2570. De R$ 10 a R$ 15. (*) 3D De R$ 18 a R$ 21. ● 1 (201 lug.). O Bem Amado - 12a. - 11h15 / 13h45 / 16h25 / 18h50 / 21h20 / 23h50. ● 2* (294 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. 11h00 / 13h10 / 15h25 / 17h50 / 20h05. The Big Four 18a. - 23h00. ● 3 (207 lug.). Shrek Para Sempre - dub. L. - 12h30 / 14h40 / 16h50 / 19h00 / 21h15 / 23h30. ● 4 (208 lug.). Predadores - dub. - 14a. - 11h25 / 14h00 / 16h30 / 19h05 / 21h30 / 23h55. ● 5 (161 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 10h55 / 13h15 / 15h40 / 18h20 / 21h00 / 23h35. ● 6 (201 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h20 / 15h00 / 17h25 / 19h55 / 22h25. ●7 (212 lug.). Encontro Explosivo - dub. - 14a. - 11h55 / 14h15 / 16h40 / 19h20 / 22h00 / 0h30. ● 8 (197 lug.).Shrek Para Sempre - dub. - L. - 12h00 / 14h10 / 16h20 / 18h40. Eclipse - dub. - 14a. - 21h10 / 0h00. ● 9 (125 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 11h30 / 13h40 / 15h50. Eclipse - dub. - 14a. - 18h00 / 20h40 / 23h20. ● 10 (119 lug.). Eclipse - dub. - 14a. 13h20 / 16h00 / 18h55. Legendado 21h40 / 0h20. ★ Interlar Aricanduva - Cinemark Av. Aricanduva, 5.555, Aricanduva. 3444-2564. De R$ 10 a R$ 22. ●1 (176 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. 11h00 / 13h05 / 15h10 / 17h10. Eclipse - dub. - 14a. 19h15 / 21h50 / 0h25. ● 2 (177 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 11h30 / 13h35 / 15h40 / 17h45 / 19h50 / 22h10 / 0h15. ● 3 (192 lug.). Shrek Para Sempre - dub. L. - 12h00 / 14h05 / 16h10 / 18h15 / 20h20 / 22h35. ● 4 (133 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h35 / 15h00. Eclipse - dub. - 14a. - 17h40 / 20h25 / 23h10. ● 5 (134 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 13h15 / 15h50 / 18h25 / 21h00 / 23h45. ● 6 (206 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h15 / 13h45 / 16h15 / 18h40 / 21h05 / 23h30. ● 7 (117 lug.).Shrek Para Sempre - dub. - L. - 12h30 / 14h35 / 16h45 / 18h50 / 20h55 / 23h05. ● 9 (178 lug.). O Bem Amado - 12a. 12h15 / 14h45 / 17h15 / 19h40 / 22h05 / 0h30. ● 10* (520 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 11h25 / 13h40 / 16h00 / 18h20 / 20h50. The Big Four - 18a. 23h00. ● 11 (239 lug.). Encontro Explosivo - dub. - 14a. 12h50 / 15h15 / 17h50 / 20h15 / 22h50. ● 12 (237 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 12h05 / 14h40 / 17h20 / 19h55. Legendado 22h30. ● 13 (189 lug.). Predadores - dub. - 14a. - 11h50 / 14h10 / 16h40 / 19h00 / 21h20 / 23h40. ● 14 (268 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 11h35 / 14h20 / 17h05 / 19h35 / 22h00. ★ Jardim Sul - UCI Av. Giovanni Gronchi, 5.830, Morumbi. 2164-7711. De R$ 15 a R$ 20. (*)3D De R$ 21a R$ 24 . Poltronas numeradas.1* (249 lug.). Shrek para Sempre 3D - dub. - L. 12h00 / 14h05 / 16h10 / 18h15 / 20h20. The Big Four 18a. - 22h30. ● 2 (165 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 12h00 / 14h40 / 17h20. Legendado 20h00 / 22h35. ● 3 (191 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 13h20 / 16h00 / 18h40. Legendado 21h20 / 0h00. ● 4 (239 lug.). O Bem Amado 12a. - 13h30 / 15h50 / 18h10 / 20h30 / 22h50. ● 5 (228 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 13h50 / 16h10 / 18h30 / 20h50 / 23h20. ● 6 (228 lug.). Shrek para Sempre dub. - L. - 13h10 / 15h15 / 17h20 / 19h25 / 21h30 / 23h45. ● 7 (177 lug.). Shrek para Sempre - dub. - L. - 12h40 / 14h45 / 16h50 / 18h55. Legendado 21h00 / 23h10. ● 8 (165 lug.). Ponyo - L. - 12h10 / 14h15 / 16h20 / 18h20. À Prova de Morte - 16a. - 20h30 / 23h00. ● 9 (413 lug.). Predadores - 14a. - 12h20 / 14h40 / 17h00 / 19h20 / 21h40 / 0h00. ● 10 (191 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. 12h30 / 15h00 / 17h30 / 19h50 / 22h15. ● 11 (235 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 13h00 / 15h20 / 17h40 / 20h05 / 22h25. ★ Kinoplex Vila Olímpia R. Olimpíadas, 360, V. Olímpia, 3131-2006. De R$ 18 a R$ 23. (*)3D De R$ 26 a R$ 29. (*) VIP De R$ 37 a R$ 49. ● 1 (125 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 13h40 / 16h00 / 18h30. À Prova de Morte - 16a. - 20h50 / 23h20. ● 2

★ Market Place - Cinemark R. Dr. Chucri Zaidan, 920, V. Cordeiro. 3048-7405. De R$ 15 a R$ 28. Poltronas numeradas. ● 1 (201 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 12h05 / 14h30 / 17h10 / 19h40 / 22h10 / 0h30. ● 2 (369lug.). Encontro Explosivo - 14a. 11h10 / 13h30 / 16h00 / 18h30 / 21h10 / 23h40. ● 3 (261 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h30 / 15h00. Eclipse 14a. - 17h30 / 20h10 / 23h10. ● 4 (180 lug.). Predadores - 14a. - 11h55 / 14h20 / 16h45 / 19h10 / 21h30 / 23h55. ● 5 (180 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 11h05 / 13h35. Legendado 16h05 / 18h45 / 21h40 / 0h20. ● 6 (217 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 11h00 / 13h00 / 15h05 / 17h05 / 19h00. Legendado 21h00. The Big Four - 18a. - 23h00. ● 7 (134 lug.). O Bem Amado - 12a. 11h20 / 13h50 / 16h10 / 18h25 / 20h50 / 23h25. ● 8 (219 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 11h35 / 13h40 / 15h45 / 17h50 / 19h55. Legendado 22h00 / 0h10. ★ Metrô Santa Cruz - Cinemark R. Domingos de Morais, 2.564, V. Mariana. 3471-8070. De R$ 13 a R$ 25. ● 1 (210 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. 12h00 / 14h35 / 17h10 / 19h45 / 22h20. ● 2 (202 lug.). Eclipse - dub. - 14a. - 12h20 / 15h00 / 17h50. Legendado 20h30 / 23h20. ● 3 (268 lug.). Eclipse - 14a. - 11h05 / 13h40 / 16h20 / 19h00 / 21h40 / 0h25. ● 4 (206 lug.).Encontro Explosivo - 14a. - 10h55 / 13h20 / 16h10 / 18h50 / 21h20 / 23h55. ● 5 (203 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. 11h10 / 13h35. Encontro Explosivo - 14a. - 16h10 / 18h50 / 21h20 / 23h55. ● 6 (206 lug.). Shrek Para Sempre dub. - L. - 11h30 / 13h30 / 15h40 / 18h00 / 20h20. Legendado 22h30 / 0h30. ● 7 (260 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. - 11h00 / 13h00 / 15h10 / 17h30 / 19h50. The Big Four - 18a. - 23h00. ● 8 (230 lug.). Encontro Explosivo - dub. - 14a. - 12h40 / 15h05 / 17h40 / 20h10 / 22h50. ● 9 (173 lug.). O Bem Amado - 12a. - 10h50 / 13h10 / 15h50 / 18h30 / 21h10 / 23h40. ● 10 (345 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 12h30 / 14h40 / 17h05 / 19h15 / 21h30 / 23h50. ● 11 (206 lug.). Predadores - 14a. - 11h40 / 14h10 / 16h40 / 19h30 / 21h55 / 0h20. ★ Metrô Boulevard Tatuapé - Cinemark Rua Gonçalves Crespo s/n, Tatuapé. 2295-4006. De R$ 10 a R$ 16. ● 1 (251 lug.). Shrek Para Sempre - dub. L. - 11h50 / 14h00 / 16h10 / 18h20 / 20h30 / 22h40. ● 2 (240 lug.). Predadores - 14a. - 12h10 / 14h35 / 17h05 / 19h35 / 22h05 / 0h25. ● 3 (373 lug.). Encontro Explosivo - 14a. - 11h15 / 13h50 / 16h30 / 19h10 / 21h40 / 0h10. ● 4 (240 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 12h30 / 15h00 / 17h40 / 20h20 / 22h50. ● 5 (193 lug.). Eclipse - 14a. 15h30 / 18h10 / 21h00 / 23h40. Shrek Para Sempre dub. - L. - 11h00 / 13h20. ★ Metrô Itaquera - Cine Box Av. José Pinheiro Borges, s/nº, Itaquera. 4005-9050.De R$ 9 a R$ 19. 3D R$ 21.● 1 (427 lug.). Shrek para Sempre - dub. - L. - 11h15 / 14h00 / 16h10 / 18h20 / 20h30. ● 2 (395 lug.). Eclipse - dub. - 14a. 13h20 / 15h10 / 18h00 / 20h50.● 3 (322 lug.). Shrek para Sempre 3D - dub. - L. - 12h15 / 14h30 / 16h40 / 18h50 / 21h00. ● 4 (294 lug.). Ponyo - dub. - L. - 11h20. Encontro Explosivo - dub. - 14a. - 13h45 / 16h15 / 18h45 / 21h15. ● 5 (315 lug.). Predadores - dub. - 14a. - 12h00 / 14h20 / 16h50 / 19h15 / 21h40. ● 6 (164 lug.). Toy Story 3 - dub. - L. - 11h40 / 14h10 / 19h10. Eclipse - dub. - 14a. 16h30 / 21h45. ● 7 (208 lug.). O Bem Amado - 12a. 11h50 / 14h15 / 16h45 / 19h00 / 21h20. ● 8 (254 lug.). Shrek para Sempre - dub. - L. - 12h50 / 15h00 / 17h10 / 19h20 / 21h30. ★ Metrô Tatuapé - Cinemark Av. Radial Leste, s/nº, Tatuapé. 2092-9237. De R$ 10 a R$ 23. ● 1 (273 lug.). Shrek Para Sempre - 3D dub. - L. 11h50 / 14h00 / 16h10 / 18h20 / 20h30. The Big Four 18a. - 23h00. ● 2 (149 lug.). Shrek Para Sempre - dub. L. - 12h25 / 14h50 / 17h05 / 19h20 / 21h40 / 23h55. ● 3 (116 lug.). Shrek Para Sempre - dub. - L. - 11h00 / 13h10 /


E1 %HermesFileInfo:E-1:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

O Rei e os Meninos

Contra polêmicas

Sem medo de cair

Pelé faz preleção aos atletas do Santos antes do clássico

Felipão proíbe palmeirenses de falar na saída do gramado

R. Gomes poupa titulares em clássico e só pensa em jogo da Libertadores

Pág. E6

Pág. E6

Pág. E6

ANDRE LESSA/AE

Esportes estadão.com.br

Copa 2014

MEIAHORADECONVERSA. Após tentar contratar Muricy Ramalho, que não foi liberado pelo Fluminense e preferiu ficar no clube, Ricardo Teixeira telefonou para o técnico corintiano e definiu o acerto

E MANO É O NOVO TÉCNICO DA SELEÇÃO

Eduardo Maluf Sílvio Barsetti RIO

Mano Menezes é o novo técnico da seleção brasileira. O acerto ocorreu depois de um dia tumultuado para a CBF, em que o primeiro convidado, Muricy Ramalho, disse “não”, alegando que seu clube, o Fluminense, recusou-se a liberá-lo – seu contrato vai até o fim de 2012. Conforme o Estado antecipou na edição de ontem, além dos dois, o outro nome na lista final de Ricardo Teixeira era o de Vanderlei Luxemburgo. O treinador do Atlético-MG acabou preterido. A opção por Muricy deveu-se, sobretudo, a seus títulos brasileiros pelo São Paulo, em 2006, 2007 e 2008. O presidente da CBF foi surpreendido com o veto do Fluminense e não esperava a “passividade” do treinador (leia mais na página 2). Sua ideia era definir ainda ontem o nome do novo comandante da seleção, já que na segundafeira haverá convocação para o amistoso com os Estados Unidos, em 10 de agosto, em New Jersey. Por isso, depois que Muricy ligou para Teixeira, no início da noite, confirmando que não deixaria o Flu, o dirigente pegou o telefone e contatou Mano Menezes, segundo apurou o Estado com fontes ligadas ao clube. O corintiano, que havia dado treino pouco antes no Parque São Jorge, não hesitou e disse “sim” imediatamente. Poucos detalhes foram discutidos na conversa de cerca de meia hora.

Teixeira enfatizoua necessidade de renovação do elenco da seleção e o treinador se prontificou a liderar esse trabalho. Teixeira tratou de elogiar o corintiano e explicou que Muricy e ele eram seus preferidos. E que o convite feitoaotécnicodoFlunão significava nenhum demérito ao gaúcho de 48 anos. Em entrevista coletiva, no Parque São Jorge, antes de tersidoprocuradopelaCBF,Mano havia demonstrado decepção com a preferência por Muricy. “Seriaruimparaosoutrosprofissionais (o convite depois de Teixeira ter procurado Muricy)”, declarou. Para muitos, ele deu a impressão de que poderia não aceitar uma eventual convocação. Não foi, porém, o que ocorreu. Hoje dará entrevista coletiva no Parque São Jorge para anunciar a saída do Corinthians e o acerto para dirigir a seleção.

MANO ANTES DO CONVITE

“Não penso em seleção. Não durmo e não acordo pensando. Só quero fazer meu trabalho”

ricy já se desentendeu com repórteres nos tempos de São Paulo e Palmeiras. Onovotécnicodaseleção foi zagueiro e tornouse técnico nos anos 90. Seu primeiro clube foi o Guaranide VenâncioAiresRS, mas o primeiro grande momento mesmo ocorreu no XV de Campo Bom em 2004, quando foi semifinalistadaCopa doBrasil.Teve passagempelo Caxias e,em seguida, transferiu-se para o Grêmio, no qual começou a brilhar nacionalmente e foi vice-campeão da Libertadores e bicampeão gaúcho, além de ter levado o time de volta à Série A do Brasileiro. O auge da carreira foi atingido noParqueSãoJorge,comostítulos da Copa do Brasil e do Campeonato Paulista.

Trato com a imprensa. Embora tenha sido o plano B, Mano leva vantagem em relação a Muricy num aspecto considerado importantenaavaliaçãodacúpula da CBF: o tratamento com a imprensa. Em todos estes anos em que trabalhou no Grêmio e no Corinthians, nunca teve problema com jornalistas. Ao contrário. Mesmo nos momentos mais difíceis, saiu-se bem. Mu-

“ Vim para cá (treino) com o Muricy como técnico da seleção”

O primeiro time dirigido por Mano Menezes foi o Guarani de Venâncio Aires-RS. Ele assumiu as categorias de base em 1992 até chegar ao profissional em 97. Passou pelo Esportivo Brasil em 2002, voltou ao Guarani em 2003 e ainda dirigiu, naquele ano, Iraty e XV de Campo Bom, no qual surpreendeu com boa campanha na Copa do Brasil de 2004 (chegou à semifinal). O bom trabalho o levou ao Caxias e, em 2005, ao Grêmio, onde chegou com a missão de recolocar a equipe na Série A. Conseguiu. Foram três anos de sucesso até assumir o Corinthians em 2007.

DANIEL AUGUSTO JR/FOTO ARENA

ZECA RESENDES/GILLETTE GOLF CUP

A CARREIRA

Plano A. Teixeira convidou Muricy pela manhã, mas ignorou o Flu

Expectativa, frustração, tristeza. E, enfim, festa Fábio Hecico

Mano Menezes acordou na expectativa de ser anunciado como técnico da seleção brasileira. Apesar de ainda não ter recebido convite da CBF, não escondia que vinha lendo, ouvindo e ven7 8 9 10 11 12

do tudo a respeito de sua possível contratação para a vaga de Dunga. Há dois anos, ele iniciou um curso de inglês para não ser surpreendido quando uma “grande chance na carreira surgisse”. Previa ir para a Europa. Viu, decasa,Muricy Ramalhoser

o preferido da CBF. À tarde, num treino mudado de horário já estrategicamente para a possível convocação, não conseguia esconder seu abatimentopor não ter sido o escolhido. O técnico corintiano até se esforçou, mas não conseguiu esconder a tristeza. Nos 58 minutos em que esteve no campo do Parque São Jorge, por muitas vezes apareceu sozinho, com braços para trás, semblante sério. Umaperto de mãos e outro abraço tímido de Ronaldo tentaram

● Dia atípico

Acostumado a comandar treinos movimentados e com muito agito, Mano sofreu para trabalhar ontem à tarde. Sem esconder o abatimento, passou grande parte do dia calado, isolado.

consolá-lo. Acostumado a gritar egesticular bastantecom o time, Mano preferiu o isolamento. Apesar de ainda ter a esperança de ser chamado por causa da re-

cusa do Fluminense em liberar Muricy, ele preferiu mudar o foco: “Só penso no Corinthians.” “Não penso em seleção. Não durmo e não acordo pensando nisso. Penso no clube, em fazer bem o meu trabalho aqui. Agora, tenho de armar bem a equipe para encarar o Guarani”, chegou a afirmar, visivelmente abalado. Mano só soube no fim do treino que o Flu não liberaria Muricy. Mas não sabia o que fazer. Por 10 minutos, conversou com a assessoria de imprensa do clu-

“Tenho de armar bem o Corinthians para encarar o Guarani (amanhã)” MANO MENEZES Ex-técnico do Corinthians

be para definir se encararia, ou não,ograndenúmeroderepórteres à sua espera. Problema na voz, após gritos em Goiânia, seriaasaídapara nãoterde comentar o assunto. Resolveu encarar. Acostumado a rir e a dar respostas descontraídas, o treinador foi mais contido ontem. Espantou-seapenas como número de pessoas no Parque. Falou, mesmo contrariado sobre a seleção. Foram 20 minutos de respostas e um doloroso tchau que viraria festa no início da noite.


E2 Esportes %HermesFileInfo:E-2:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Copa 2014

FLU PEITA CBF E BARRA ACORDO COM MURICY Treinador se reúne com Ricardo Teixeira, é convidado, mas clube não aceita liberá-lo e cria situação delicada para CBF Bruno Lousada Silvio Barsetti RIO

nho a certeza de que ele pode fazer esse trabalho”, declarou o presidente da CBF, que, no entanto, fez uma ressalva. “Espero que ele possa confirmar a aceitação.” No início da tarde, em entrevista ao site Terra, Muricy foi incisivo. Disse que, se o Fluminensenãooliberasse,elenãoassumiria a seleção. “Se o Flu não me liberar, o papo vai ser encerrado. Eu tenho que dar exemplo para os meus filhos. O Fluminense me buscou em São Paulo e eu não posso deixá-lo na mão”, afirmou. Pouco antes, o presidentedoTricolor,Roberto Horcades, atendeu aotelefonema do Estado bastante exaltado. Aos gritos, nem esperou a primeira pergunta. “Se for para falar de Muricy, ele tem contrato em vigor. Manda a

CBF chamar o Mano Menezes.” Desligou em seguida. Resposta Tricolor. A diretoria do Fluminense se surpreendeu, ontem de manhã, ao saber que o técnico Muricy Ramalho estava reunido com o presidente da CBF. Cerca de duas horas depois queoencontroterminou,acúpula tricolor entrou em contato com o representante do treina-

dor, Márcio Rivelino, e ouviu o que tanto queria: Muricy Ramalho permaneceria no clube, pois já havia acertado verbalmente a renovaçãodecontratoatédezembro de 2012 antes de receber o convite da CBF. “O Muricy vai continuar conosco, vai cumprir seu compromisso. Pessoas do nível dele são necessárias no esporte mundial”, disse o presidente e médicoRobertoHorcades,emcoletiva ontem à tarde, no salão nobre das Laranjeiras. Após ser convidado, Muricyseguiusuarotina. Foi para o clube, passou apressado pelo estacionamento, entrou no vestiário, trocou de roupa e comandouotreinamento. Nas arquibancadas, vários torcedores pediam para ele ficar.

QUESTÃO DE ÉTICA

“O Muricy é um treinador que cumpre os seus contratos. O caráter dele não é surpresa nenhuma para a gente. Mostrou que documento não importa. Se deu a palavra, ele cumpre.” ALCIDES ANTUNES Vice do Fluminense

Quase. Muricy chegou a ser anunciado pelo presidente da CBF, mas faltava o Flu liberar, o que não ocorreu

MARCOS DE PAULA/AE

Muricy Ramalho e a seleção brasileira chegaram a um acordo queduroupoucashoras.Otécnico comandariaa equipe até 2014. Não havia nada de oficial, pois faltava a conversa com dirigentes do Fluminense para formalizarsuasaída.NinguémdaConfederação Brasileira de Futebol (CBF) admitia que o clube criasse alguma dificuldade. Mas foi o que ocorreu. O Fluminense não oliberoueMuricy,convidadopelamanhã para ser o substituto de Dunga, terminou o período da tarde com o uniforme de treino do Tricolor nas Laranjeiras. A estratégia para contratar Muricy começou a ser articulada naquinta-feira. Logo apósavitória do Fluminense sobre o Cruzeiro por 1 a 0, resultado que levou o clube carioca à liderança do Campeonato Brasileiro, Muricy foi abordado na garagem do Maracanãpor umfuncionário da CBF, Victor Rios. De uma rápida conversa, surgiu o convite para que o treinador estivesse no dia seguinte,às10horas,noItanhangá Golf Club, na zona oeste da cidade, para um encontro reservado com o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e o diretor de comunicação Rodrigo Paiva. Muricy nem hesitou. Acordou cedo e chegou ao local antes mesmo do horário marcado. RicardoTeixeirafazdoclubedegolfe umaextensão de seu gabinete da sede da CBF. Lá, já fechou vários contratos para a Confederação e rece-

beu visitas ilustres. Teixeira e Paiva queriam sigilo e pediram discrição a Muricy. Tanto que o treinador chegou ao Itanhangá num carro dirigido por Victor Rios. A entidade pretendia anunciar o nome do novo treinador no fim da tarde, por meio de mensagem em seu site oficial. O objetivo da CBF era dar tempo para que Muricy comunicasseadecisão àdiretoriado Fluminense. Isso evitaria constrangimentos. Mas houveum contratempo. O clube, localizado numa das áreas mais nobres do Rio, abriga uma etapa do Campeonato Brasileiro de Golfe, competiçãoqueontematraiuumaequipe de reportagem da ESPN Brasil. Não havia como impedir a entrada da imprensa e logo a informação começou a ser veiculada. Os dirigentes e Muricy ficaram reunidos por uma hora e meia. O técnico deixou o Itanhangá pouco antes do meio-dia e disse apenas que estava muito feliz e que gostaria de comandar a seleção. “Quero (ser o técnico da seleção), lógico.”Dali,seguiupara reunião com o presidente do Fluminense, Roberto Horcades. Tentaria a liberação de forma amigável. Minutos depois, Teixeira, em entrevista à TV Globo, disse que Muricy teria todas a condições para tocar o projeto de renovação da seleção. “A gente acredita que essa renovação será paulatina, para que não haja nenhum tipo de precipitação. Mas o objetivo é 2014. Te-

✽ Análise: Antero Greco

CBF mostra que não tem programa para a seleção de 2014

A

CBF escancarou ontem que não tem programapara aseleção brasileira.A entidade foi protagonista de episódios constrangedores,primeirocomoconvite a Muricy Ramalho, logo recusado. Em seguida, comaescolha,a toquede caixa eaindanão oficial, de Mano Menezes. O que deveria ser processo natural de preenchimento do cargo vago com a demissão de Dunga se transformou em nova demonstração de amadorismo e improvisação do

país que vai organizar o Mundial de 2014. A sequência de atitudes equivocadas começou pela manhã, com a reunião entre Ricardo Teixeira e Muricy. O dirigente acertou na intenção de tê-lo como técnico da seleção, mas errou na maneira como conduziu a negociação. Por cortesia, sensatez e política de boa vizinhança, deveria ter avisado o Fluminense de que pretendia tirar-lhe um colaborador com funções relevantes. Se ouvisse um não, refaria os planos nos bastidores e ficariaresguardado do desgaste público. Teixeira, porém, pecou por presunção, ao supor que a um simples estalar de dedos teria o resolvidoaquestão.Tambémconsiderouirrelevante saber de antemão a opinião tricolor. Opresidente daCBFteve tempo desobra para consultas sem compromisso antes de encontro oficial. Bem costurada ação diplomática prévia ajudariaaconduziroprocessoaarrematefeliz.A conversa com o ungido a cargo tão estratégico deveria ser formalidade. Aperto de mãos e fotos

de praxe selariam o pontapé inicial para os próximos quatro anos de atividades da equipe nacional. Oroteirosaiuerradoporqueoatorprincipaldesdenhou do ensaio e levou pito do Fluminense. A disposição de pagar multa para o rompimento do contrato mostrou-se inábil. Ao agira assim, a CBFdavaaentender quedinheiro nãoeraobstáculo para comprar a alforria do treinador. Até prova em contrário, o Fluminense se apegou ao princípio da palavra empenhada com Muricy e não a cifras. Embora não haja nenhuma garantia de que venhaamantê-lonoposto,maisadiante,seenfrentar período de turbulência e maus resultados. Dessa forma, Teixeira frustrou profissional de bons princípios como Muricy – também vacilou ao não alertar o Flu –, criou saia-justa e teve de achar saída que lhe pareceu honrosa, ao apelar para Mano, que topou a empreitada. Mas quem lhe garante que não servirá como quebra-galhos até aparecer solução mais adequada daqui a algum tempo? Os 21 anos de comando fizeram com que Teixei-

ra se habituasse a ver seus desejos atendidos. Mas fatosrecentessinalizamque àsvezes algumascoisas mudam e contrariam as determinações surgidas de sua enorme influência. Meses atrás, sofreu derrotana eleição para a presidência do Clube dos 13, pois apoiava Kleber Leite e teve de engolir outro mandato de Fabio Koff, o preferido dos times. A definição de estádio para São Paulo no Mundial também lhe causa aborrecimentos. O veto ao Morumbi foi demonstração de força e teve respaldo da Fifa. Teixeira só não contava com postura firme do governador e do prefeito. Ambos bateram pé e disseram não ao uso de dinheiro público para a construção de novo campo, em Pirituba ou em qualquer outro lugar. Nem se abalaram com a ameaça de a cidade ficar sem o jogo de abertura, pois sabem que a Copa é que perde sem São Paulo. Nesse meio tempo, ouviu do presidente Lula a sugestãodequehouvesserodízionacúpuladaCBF... A vida é implacável e todo poder, temporário. ✽ Colunista do Estado

Jogo Rápido VÔLEI DE PRAIA

MAURICIO KAYE/CBV

Talita e Maria Elisa se classificam para semi Talita e Maria Elisa ganharam ontem das atuais campeãs mundiais, as norte-americanas Jennifer Kessy e April Ross, por 2 sets a 0 (21/17 e 21/19). e se classificaram para as semifinais da etapa de Marselha do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Já as outras brasileiras, Maria Clara/ Carol e Ângela/ Val, perderam na repescagem.

TÊNIS

NÚMEROS

Italiano adia o sonho de Bellucci ser top 20 Thomaz Bellucci (foto) foi eliminado nas quartas de final do Torneio de Hamburgo. O brasileiro (22.º no ranking) perdeu para o italiano Andreas Seppi (70.º), por 2 a 1 (7/6 (7/0), 5/7 e 7/5), e teve de adiar a meta de entrar no top 20.

VOLTA DA FRANÇA

4

MOTOGP LAURENT REBOURS/AP

Rossi fica em 6º lugar no treino do GP dos EUA Valentino Rossi chegou a liderar o primeiro treino livre para o GP dos Estados Unidos, mas acabou em 6.º. Essa será a segunda corrida que o italiano participa após o acidente, em junho, no qual fraturou a tíbia.

anos é o tempo de contrato do atacante Riera com o Olympiacos. O espanhol atuava pelo Liverpool desde 2008.O acerto foi anunciado depois de o clube grego garantir uma vaga na Liga Europa.

POLÍTICA AMISTOSO

Fifa punirá Bolívia se Evo intervir em eleições

Espanha e Argentina se enfrentam em setembro A Espanha, atual campeã do mundo, irá fazer um amistoso contra a Argentina no dia 7 de setembro, em Buenos Aires. Antes, a equipe argentina enfrentará a Irlanda, dia 11 de agosto. FABIAN BIMMER /EFE

Presença ilustre O espanhol Alberto Contador disparou na classificação da Volta da França e ganhou a camisa amarela de líder dos atores Cameron Diaz e Tom Cruise. O britânico Mark Cavendish venceu a 18ª etapa.

A Fifa avisou ontem a Federação Boliviana de Futebol (FBF) sobre as possíveis punições que a instituição pode adotar, caso o governo de Evo Morales resolva interferir nas eleições dos dirigentes da FBF.


%HermesFileInfo:E-3:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Boleiros

SEGUNDA-FEIRA PAULO CALÇADE

MARCOS CAETANO

Técnico de caráter

D

epois da aposta errada em Dunga – uma aposta, digase, que até o primeiro gol da Holanda em Port Elizabethvinhadandofrutos–,aCBFacertou em cheio ao decidir convidar o sério e competente Muricy Ramalho para comandar a seleção brasileira. O trabalho de Muricy ganhou projeção definitiva após o tricampeonato brasileiro com o São Paulo, entre 2006 e 2008. Mas, desde 2005, quando dirigia o Internacional, o técnico vinha conquistando merecido reconhecimento.Aoencontrar-secomRi-

cardo Teixeira na manhã de sexta, o pacato paulistano de 54 anos ainda comemorava a ascensão do seu Fluminense ao topo da classificação do Campeonato Brasileiro. Esse dado só servia para aumentar sua mística de técnico vencedor. E, de fato, nos últimos anos ninguém foi mais vencedor no nosso futebol do que ele. Currículo, caráter, competência e carisma: esses são os quatro Csqueumcomandantedaseleçãoprecisa ter. Dunga derrapou em alguns deles. Muricy tem todos. Nem os mais críticos poderão alegar que os três primeiros Cs não fazem par-

TERÇA-FEIRA LUIZ ZANIN

QUARTA-FEIRA DANIEL PIZA

te do patrimônio de Muricy, mas talvez se animem a dizer que lhe falta carisma. E estarão errados. Ao seu jeito, o treinador sabe como conquistar os jogadores e dar o espaço adequado à imprensa. Ele não faz a linha “amiguinho dos jornalistas”,éverdade – enemédisso queprecisamos –, mas conversa com todos e passa as informações necessárias. Às vezes, se expressa de forma ríspida, mas jamais pensaria em isolar seu trabalho do mundo, como fez Dunga. O jeito turrão do paulista, para quem o conhece melhor, acaba sendo até divertido. Ele não age assim por se considerar melhor do que os outros, mas porque leva seu trabalho a sério e, como todos, sofre com a pressãopor resultados. Pressão,vale dizer, que começa nele mesmo, um obstinado pelas vitórias. A CBF escolheu o nome certo, mas não adotou a estratégia correta para atrair o nome que queria. Contando com uma velha tradição, que reza que a entidade máxima do nosso futebol convidaeoescolhidosimplesmenteagradece e aceita sem fazer exigências, Ricardo Teixeira falou com Muricy e deixou de lado o Fluminense. É comum que as

SÁBADO MARCOS CAETANO

Esportes E3

DOMINGO UGO GIORGETTI

coisas funcionem assim. Mas Muricy, definitivamente, não é um sujeito comum. Lembram do C de caráter? Pois é. Comosempre fezao longoda carreira, o técnico tricolor decidiu honrar o compromisso assumido e, diante da recusa do clube em liberá-lo, aceitou a posição doempregadorefoifazeroque lhecumpre: comandar um treino nas Laranjeiras. Muricy teve caráter suficiente para

que Mano ou Felipão, por exemplo, aceitemserasegundaopção.Aí,crescem as chances de escolhas menos óbvias, como Renê Simões, Leonardo,talvezAbel.Faltouaoscomandantes da CBF fazer algo a que não estão habituados: consultar o clube que tem sob contrato um treinador pretendido pela entidade. Política. Brigado com o Fluminen-

Como sempre fez na carreira, o técnico tricolor decidiu honrar seu compromisso abrir mão do sonho maior de um técnico, que é liderar a seleção brasileira na Copado Mundo doBrasil. Assim, pouco depois da derrota dentro de campo na África, a CBF sofreu outra derrota, agora fora de campo. Salvo alguma reviravolta que force o Flu a liberar Muricy, o mundo inteiro já sabe que o próximo treinador convidado será a segunda opção da entidade – o que enfraquecerá bastante o escolhido e fará com que alguns possam até mesmo recusar o convite. Não acho simples

se, que não votou pela reeleição de Fábio Koff no Clube dos 13, Ricardo Teixeira ouviu o que não esperava e não está acostumado a ouvir: um não.QueMuricyeoFluminense estejam preparados. O sonhado título do Campeonato Brasileiro de 2010 terá de ser conquistado contra quase tudo e quase todos. Mas, se o clube precisava de um gesto para apagar o lamentável episódio de um presidente estourando um champanhe para celebrar uma triste virada de mesa, esse gesto foi realizado nesta sexta. Que o técnico a ser anunciado pela CBF tenha o mesmo caráter de Muricy Ramalho - isso é tudo o que eu posso desejar.

Campeonato Brasileiro

CORINTHIANS VAI ATRÁS DE

PARREIRA

Fabio Hecico

Ele de novo. Passagem rápida e vitoriosa pelo clube em 2002 é credencial

Carlos Alberto Parreira é a primeira opção da diretoria do Corinthians para a vaga de Mano Menezes, que anuncia hoje seu acerto para comandar a seleção brasileira. A negociação do clube com o técnico que comandou a equipe da África do Sul na última Copa do Mundo começou no meio da semana, quando a saída de Mano era iminente. Adilson Batista, cuja negociação esfriou após os contatos com Parreira, é mantido como uma espécie de carta na manga para o caso de as conversas não evoluírem. Nemmesmo o fato deParreira ser pretendido também pela ConfederaçãoBrasileiradeFutebol (CBF), que gostaria de contratá-lo como coordenador do departamento de seleções, parecepreocuparosdirigentescorintianos. No Parque São Jorge a aposta é de que a ótima identificação do treinador com o clube será suficiente para convencê-lo a aceitar o desafio. Essa identificação à qual os dirigentes se referem trata-se da passagem de Parreira pelo clube na temporada 2002. Naquela oportunidade, o Corinthians ficou muito próximo de conquistar a tríplice coroa, pois foi cam-

peão do Torneio Rio-São Paulo, da Copa do Brasil e vice-campeão brasileiro, quando acabou derrotado pelo Santos na final. Custo-benefício. Durante o

processo de escolha dos nomes quepoderiamsucederManoMenezes, a direção corintiana chegou à conclusão de que Parreira tem o melhor custo-benefício. A favor dele, além da boa campanha em 2002, está o temperamento afável e a humildade. “Sim, humildade, pois nosso ti-

HISTÓRIANOCORINTHIANS

66

jogos

36

vitórias

15

empates

15

derrotas

meestámontadoenãoqueremos alguém que chegue aquiparamudartudo”,observouaoEstadoumdosdirigentesqueacompanhamanegociação.“OCorinthians precisanesse momento de alguém que apenas toque o barco, que não se preocupe em mexer em tudo.” Entre os aspectos considerados negativos, destacou-se a dúvida quanto à disposição de Parreira em ficar à beira do gramado. Isso porque, ao final da Copa daÁfricadoSul,eledissequegostaria de se dedicar mais à família e curtir as netas. Motivação. Nas primeiras son-

dagens, porém, os defensores da contratação de Parreira argumentaramqueotreinadorrepensaria sobre a situação quando recebesse o convite para voltar ao Parque São Jorge. E a diretoria conta com esse isso. Outro detalhe que também chamou a atenção no clube durante a semana foi a quantidade de defensores que Vanderlei Luxemburgo ainda mantém por lá. Embora deixasse claro que sua primeira opção é Parreira, o presidente Andrés Sanchez sofreu forte pressão para que tentasse contratar Luxemburgo, hoje no Atlético-MG.

EDUARDO NICOLAU/AE –18/6/2010

Com a saída de Mano Menezes para a seleção, técnico passa a ser o plano A do clube Wagner Vilaron

Mudanças na equipe, pela reabilitação Apenasquatropontosconquistadosnosúltimosnovedisputados, o fim da invencibilidade e a perda da liderança para o Fluminense fizeram o técnico Mano Menezes severobrigadoamexernaequipe titular. Antes de aceitar o convite para dirigir a seleção brasileira, Mano,ontem,trocoualgumaspeças e também mexeu no esquema.O tradicional4-4-2 darálugar a um mais seguro 4-3-1-2, com apenas um meia e três volantes. O auxiliar técnico Sidnei Lobo devedirigirotimecontraoGuarani, amanhã, às 18h30, no Pacaembu,e seguir aorientação do ex-chefe. DaniloeRalfforambarrados. Na frente, com dores notornozelo,IarleydálugaraJorgeHenrique.Jucilei e Paulinho são os novos titulares do meio-campocorintiano, segundo Mano Menezes, para dar mais consistência na marcação pelo lado direito e melhor saída de bola. “Estávamos sofrendocomdoiscanhotos, o time ficou torto na saída de bola”, justificou o treinador. O goleiro paraguaio Bobadilla participou do treino, mas ainda não estreia. O atacante Gilmar chega na próxima semanaeRonaldoseguesemprevisão de volta. Uma coisa é certa: não enfrenta o Palmeiras, dia 1.º, no Pacaembu. “Vamos escondêloparanão acharemqueenfrenta o Palmeiras”, brincou Mano.

Série B 13h30 / ESPN BRASIL

Náutico e Coritiba lutam para assumir a liderança

lam Guaratinguetá e Portuguesa, no estádio Dario Rodrigues Leite, em Guaratinguetá.O São Caetanoentraemcampoembusca da reabilitação. Com 15 pontos, e na zona intermediária (9º), o time, que perdeu na última rodada, recebe o ASA. Zona de rebaixamento. Fe-

Equipe pernambucana faz clássico do Nordeste contra o Bahia, enquanto paranaenses jogam com o desencontrado Sport Pela10.ªrodadadaSérieB,Náutico e Coritiba disputam para ver quem fica na liderança da tabela. O Náutico pode assumir hoje a ponta se vencer o clássico nor-

destinocontraoBahia(5ºcolocado com 16), às 16h10, no estádio dos Aflitos, em Recife. O time pernambucano está em 2.º na classificação, com 20 pontos. Já o time baiano vem embalado após vitória por 3 a 0 sobre o São Caetano e, caso vença, fica entre os primeiros colocados. JáoCoritiba–3.º ecom 18pontos – joga na Arena Joinville, às 16h10, contra o Sport, que soma apenas 11 pontos e está na 13.ª colocação. Se os paranaenses vencerem o jogo podem assumir o topo da classificação. Disputando também as primeiras posições na tabela, due-

chando a rodada, o Vila NovaGO faz o duelo dos desesperados contra o Duque de Caxias, no Engenhão, na única partida às 21 horas. Os donos da casa estão na zona de rebaixamento, apenas com dois pontos a mais que os lanternas goianos. Jogos de ontem. Na abertura

da rodada, ontem, o AméricaMG bateu o Icasa por 2 a 0 e chegou à 3.ª colocação, com 18 pontos. Já a Ponte Preta apenas empatou com o Ipatinga por 1 a 1, em Campinas, e segue perto da zona de risco. Em Natal, América-RN e Bragantino empataram por 0 a 0.

CLASSIFICAÇÃO V

E

D

SG

1º Figueirense 20 10 6

PG

2

2

11

2º Náutico

20

J

AMISTOSO INTERNACIONAL Benfica x Monaco

16h10 / ESPN BRASIL

AUTOMOBILISMO

2

1

3

5

3

2

9

FÓRMULA 1 Treino do GP da Alemanha

9 6

3º América-MG 18 10

Melhor na tv

4º Coritiba

18

9

5

3

1

4

5º Portuguesa

16

9

5

1

3

6

● FUTEBOL

9h / GLOBO

4

CAMPEONATO BRASILEIRO SÉRIE B Guaratinguetá x Portuguesa

GP2 1ª corrida - GP da Alemanha

16h10 / REDETV!

10h40 / SPORTV2

Náutico x Bahia, Coritiba x Sport e São Caetano x ASA

● TÊNIS

6º Bahia

16

9

5

1

7º Paraná

16 10

5

1 4

8º Guaratinguetá 16

9 4 4

9º São Caetano 15

9 4

3 1

4 4

3

2

5

5

2

0

1 4

3

16h10 / PAY-PER-VIEW

ATP - 500 Semifinais - Hamburgo

13 10 4

1

5

1

Duque de Caxias x Vila Nova-GO

9h30 / SPORTV2 / BANDSPORTS

11

2 4

1

21h / PAY-PER-VIEW

10º Brasiliense

14 10

11º ASA

13

12º Icasa 13º Sport Recife

3

9 4 9

3

14º Santo André 11 10

3

2

5

-2

15º Ponte Preta

11 10

2

5

3

0

CAMPEONATO BRASILEIRO Avaí x Atlético-MG

16º Bragantino

10 10

1

7

2

-3

18h30 / SPORTV (exceto SC)

● VÔLEI LIGA MUNDIAL Semifinal

17º América-RN

7 10

1 4

5 -11

6

2 0

7 -13

Vasco x Atlético-GO e Prudente x Vitória

17h30 / SPORTV2

18º D. de Caxias 19º Ipatinga

5 10

1

2

7 -11

18h30 / PAY-PER-VIEW

21h / SPORTV

1

1

7 -151˚

SHOWBOL SUL-AMERICANO Brasil x México

20º Vila Nova-GO 4

9 9

■ Vaga na Libertadores ■ Sul-Americana ■ Rebaixamento Hoje: 16h10 - Guaratinguetá x Portuguesa, Náutico x Bahia, Coritiba x Sport e São Caetano x ASA. 21h - Duque de Caxias x Vila Nova-GO.

12h30 / SPORTV CAMPEONATO RUSSO Rostov x Zenit

Semifinal

CICLISMO

VOLTA DA FRANÇA 19ª volta

10h30 / ESPN


E4 Esportes %HermesFileInfo:E-4:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Liga Mundial de Vôlei LEO LA VALLE/EFE

Brasil faz clássico com Cuba por vaga na final Bernardinho diz que time tem de melhorar e errar menos, mas observa que ‘recuperou a alegria de jogar’

rar, porque senão, não vamos passar”, avaliou. Alguns problemas já estão claros para o treinador e a equipe. Para Bernardinho, o Brasil não tem conseguido repetir nos jogos o desempenho dos treinos. “A diferença está nítida”, disse.

Guilherme Conte

O Brasil entra em quadra hoje, às 17h30 (deBrasília), em Córdoba, paradisputarasemifinal embusca da nona taça da Liga Mundial de Vôlei. A seleção enfrenta Cuba, segunda colocada do grupoF,quevenceu aItáliasem dificuldades por 3 a 0 ontem. Deve ser mais um jogo difícil no caminho brasileiro na defesa do título. Depois de vencer os dois últimos jogos – contra Argentina e Sérvia – no tie break, a equipecomandadaporBernardinho entra motivada para a partida contra os rivais históricos. Um alerta foi aceso no último jogo. O excesso de erros contra a Sérvia, sobretudo a falta de entrosamentoentre o levantamento e o ataque, dificultaram a vida da seleção. O time chegou a estar duas vezes atrás em sets, mas buscou o empate e a virada no quinto e decisivo set. “Se queremos ganhar essa Liga, temos de melhorar”, afirmou o técnico. A opinião é compartilhadapelos atletas.O levantador Marlon, que teve papel de destaque no duelo contra os sérvios, faz coro. “A gente tem de melho-

Sem confiança. Outra dificuldade é a falta de confiança do levantador Bruninho. O atleta não vinhabemnapartidaefoi substituído por Marlon. Claramente abatido, recebeu apoio dos colegas. Mesmo aborrecido, Bruninhoparece terassimiladoo recado dos companheiros. “O Giba pega muito no meu pé por eu me cobrar demais, tenho de saber lidar com isso”, afirmou. “Aqui sempre tem alguém para dar uma força.” Apesar das dificuldades, o técnico Bernardinho enxerga uma clara – e positiva – mudança na postura da equipe. “Recuperamos a alegria de jogar”, disse. Os atletas são unânimes em apontaroquartoset contraaSérvia, em que o Brasil buscou o empatepelasegundavez,comofundamental para a dose extra de motivação para virar o jogo. Essa é a tônica geral das declaraçõesda equipepara ojogo contraCuba.“Alegriadejogar”e“superação” são as expressões mais repetidas.Edificuldade,pelo jeito, não faltará nesse duelo que levará o vencedor à finalíssima de amanhã.

Hora da virada. Jogadores brasileiros dizem que reação no quarto set contra a Sérvia foi fundamental para time ganhar confiança NATACHA PISARENKO/AP

DESAFIO Leandro Vissotto Oposto da seleção brasileira

“Os cubanos têm muita força física. É um time novo. O retrospecto é favorável ao Brasil, mas não vai ser nada fácil” “O importante é dar confiança ao Bernardo e entrar bem em quadra”

Cubanos atropelam Itália e vão à semi: 3 a 0 Até Cuba e Itália entrarem em quadra ontem, na briga pela segunda colocação do grupo F e a vaga nas semifinais para enfrentar o Brasil, todas as partidas da fase final da Liga tinham sido decididas no tie break. Quem esperava mais um duelo suado, cheio de reviravoltas e com cinco sets, ficou decepcionado. Cuba não encontrou grandes problemas e venceu por 3 sets a 0 (25-17, 35-33, 25-22). O primeiro set foi vencido sem grandes percalços. Os cubanos não tomaram conhecimen-

to dos italianos, abriram vantagem e fecharam rapidamente. Nosegundoset,asequipesvoltaram à quadra mais aguerridas e ligadas. O resultado se refletiu emdisputadosralis e defesaseficientes. Ligeira vantagem para Cuba, que errou menos e fechou em 35 a 33. A Itália pareceu ter sentido o golpe,evoltouconfusaparaoterceiroset.Cubachegouaabrircinco pontos de vantagem e a reação italiana ficou mais na promessa do que na prática. Com a derrota, a Itália não po-

Força ofensiva. Cuba mostra uma nova geração demaischegaràinéditaconquista da nona taça da Liga. O Brasil, outra equipe também com oito títulos, segue na briga pela hegemonia na modalidade.

Fórmula 1 GUILLAUME BAPTISTE/AFP

Na frente. Fernando Alonso é o mais veloz no treino e se anima com evolução da Ferrari

Ferrari mostra que está pronta para surpreender Equipe confirma evolução, Alonso faz melhor tempo e Massa o terceiro. Mas Red Bull segue como favorita Livio Oricchio ENVIADO ESPECIAL HOCKENHEIM

No GP da Grã-Bretanha, dia 11, em Silverstone, a Red Bull só não venceriaa corrida se enfrentasse algumadificuldadetécnica,ospilotos errassem ou se envolvessem em incidente. Mas, na prova

de Hockenheim, onde hoje será definido o grid do GP da Alemanha, a Ferrari deu mostras de quepodeficarnafrentedeSebastian Vettel e Mark Webber, da Red Bull. “Vamos ter competição esse fim de semana”, afirmou Webber, vencedor em Silverstone. Fernando Alonso, da Ferrari, foi o mais veloz ontem, na sessão livre da tarde, com pista úmida. De manhã choveu. Felipe Massa, também da Ferrari, fez o terceiro tempo. A Red Bull, o segundo, com Vettel, a 29 milésimosdoespanhol, eo quarto, com Webber, a 147 milésimos de Massa. “Eles estão muito for-

tes aqui na Alemanha”, comentou Vettel, da Red Bull. Massaconfirmou:“DesdeaetapadeValência,demosumgrande salto e aqui também temos novidades.” Alonso vai além: “Basta quenadadeanormalaconteçapara somarmos bons pontos. Com esse carro dá para pensar em subir no pódio com regularidade, queéo queprecisamos para lutar pelo título.” Apesar do 7.º e 15.º tempo ontem, com Lewis Hamilton e Jenson Button, líderes do Mundial, a McLaren costuma surpreender nacorrida.EatéaMercedes,com importantes avanços, parece ter

CONFIANÇA FERNANDO ALONSO Piloto da Ferrari

“Com esse carro dá para pensar em mais pódios, que é o que precisamos para lutar pelo título”

crescido. Ontem, Nico Rosberg obteve o quinto tempo e Michael Schumacher, o sexto. “Não é impossível pensar em pódio aqui em Hockenheim, o que seria maravilhoso”, disse o alemão. O desafio de pilotos e equipes, hoje, no treino classificatório, é definiraestratégiapara as67voltas no circuito de 4.574 metros. Os dez primeiros no grid têm de largar com o mesmo jogo de pneusdesuamelhorvoltanaclassificação. “Para esta corrida temos os pneus supermacios e os mais duros possíveis. Entre eles há os macios e os médios, que seriam os melhores para esta pista,

mas ficaram na fábrica”, explica Alonso.ABridgestonedisponibilizou os dois tipos extremos. “Como está prevista chuva amanhã (hoje) também, deveremosconheceroverdadeiro comportamento do carro com os pneus para asfalto seco apenas na corrida, quando a previsão é de tempo quente", disse Rubinho, da Williams, nono ontem. “A diferença de desempenho entre um pneu e outro é de um segundo, é muito grande”, contou. Lucas Di Grassi, da Virgin, foi o 21.º. e Bruno Senna, da Hispania, o 23.º. A Globo transmite a classificação, hoje, às 9 horas.


%HermesFileInfo:E-5:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

Sテ。ADO, 24 DE JULHO DE 2010

Esportes E5


E6 Esportes %HermesFileInfo:E-6:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Campeonato Brasileiro

‘NÃO PENSO EM SALVAR O

SOB PRESSÃO

“O momento é decisivo. Não vou mudar os planos agora”

EMPREGO’ WERTHER SANTANA/AE

Ricardo Gomes mostra coragem e diz que vai manter projeto de poupar atletas no clássico com o Santos, amanhã, na Vila Giuliander Carpes

Ricardo Gomes resistiu às pressões internas e manteve-se como técnico do São Paulo, apesar do interesse da direção por Dunga. E garante não ter medo de perderocargo.Tantoquemanterá seus planos e, mesmo vindo de três tropeços seguidos no Campeonato Brasileiro, poupará quase todo o time titular no clássico com o Santos amanhã. Apenas Rogério Ceni e mais um jogador – provavelmente Xandão – que atuaram quartafeira no empate diante do Grêmio Prudente (1 a 1), representarão o time titular na Vila Belmiro. Além deles, jovens como o lateral-esquerdoDiogo eo volante Casemiro, que estreiam no time profissional, e Samuel, recémcontratado do Joinville, estarão em campo. “O momento é decisivo. Temos um clássico importante pela frente. Mas não vou mudar o planejamento para salvar meu emprego”,disseotreinador.“EstamosfalandodafinaldaLibertadores, o sonho de todo torcedor. Preciso manter o grupo equilibrado para nossa prioridade, que é o jogo com o Inter, quarta feira. Desta semifinal sairá o grande candidato ao título da Libertadores.” Rumores não abalam. O técni-

co não perdeu a tranquilidade com os rumores de que seria demitido. Ontem, comandou mais um treino com naturalidade e fez questão de encontrar os jornalistas na saída, como costuma fazer todas as sexta-feiras. Tambémnãomanifestouqualquerinconformidade com os dirigentes são-paulinos, que teriam pensado em demiti-lo e trazer Dunga. “Falei com o João Paulo (Jesus

Ricardo Oliveira, reforço para a Libertadores ● O Internacional trouxe três

nomes de peso – Renan, Tinga e Rafael Sóbis –para reforçar a equipe na semifinal da Taça Libertadores. Depois de ser pego de surpresa com a antecipação da janela de transferências do exterior, o São Paulo contra-ataca. O reforço do time é Ricardo Oliveira, de 30 anos. O atacante do Al Jazira, dos Emirados Árabes, faz etapa final de recuperação de cirurgia no joelho no clube e já acertou para ficar um ano no Morumbi. Os árabes aceitaram liberá-lo ontem à tarde. Mas o atleta ainda não estará pronto para o jogo de quartafeira. Ficará disponível apenas para a partida de volta, dia 5. /G.C.

Sanches Filho SANTOS

Pelé recebeu convite do técnico Dorival Júnior e ontem à tarde apareceu no CT que tem o seu

“O que importa agora é mudar os resultados” RICARDO GOMES Técnico do São Paulo

Prestigiado. Técnico tem contrato até 18 de agosto, data da decisão da Libertadores

Lopes, diretor de futebol) no dia seguinte ao empate e ele me disse que o trabalho seguiria. Contestar críticas não leva a nada. O que importa são os resultados. Confio na avaliação da diretoria”, explicou o técnico, que ontem já ensaiou o time que atuará contra o Santos. “Meu foco é o SãoPaulo.Osresultadospós-Copa não foram bons. Há um certo exagero da imprensa, é verdade. Mas e daí? Os resultados é que podem mudar.”

diretoria ou a imprensa a respeitodaminhacontinuidade”,desabafou Ricardo Gomes, que disse estar acostumado à pressão. “Não é algo que me incomode. Surgi para o futebol num grande time do Rio (o Fluminense) e estou acostumado com isso. É algo que faz parte da minha vida.” Volta por cima. O técnico reconheceu que os rumores de sua saída deixaram os jogadores em dúvida. Mas utiliza discurso de que a volta por cima está próxima: basta passar pelo Inter para otimeembalareascríticascessarem. “No futebol, as coisas mudammuitorapidamente.Estávamosembaladosantesdestaparada para a Copa do Mundo, já nos colocavam como favoritos contra o Inter”, lembrou o técnico. “Agora, os gaúchos são os favoritos. Mas, se nos classificarmos para a final, invertemos a situação outra vez. O grande resultado joga a favor, assim como o contrário também é verdade.”

Renovação só após final. O técnicoaparentou pouca preocupação com a renovação de seu contrato – termina em 18 de agosto, diadadecisãodaTaçaLibertadores–,queficou seriamenteameaçada e fatalmente não ocorrerá caso o time seja eliminado pelo Internacional. “Dáparatocaro trabalhoindependentemente da situação. Se nãohouvessemaisconfiança, teria sido demitido já. Não dá para parar e pensar no que pensa a

Santos chama Pelé para motivar a equipe Rei faz preleção aos Meninos da Vila, que vêm de 3 derrotas. ‘A Espanha perdeu a primeira partida e foi campeã da Copa’

nomecomamissão delevantar o moral do pior time do Campeonato Brasileiro pós-Copa do Mundo. Nos três jogos, o Santos sofreu três derrotas, marcou um gol e sofreu cinco. “Disse ao grupo que perder e ganhar é do jogo, mas quando o time perde é preciso ter dignidade.” Ele lembrou que visitou o CT quando Cuca e Mancini eram técnicos e estava em dívida com Dorival. Mas, justificou, dizendo que como o time estava

muito bem no primeiro semestre, tudo era festa e não precisava de apoio. Apesar de sua preocupação com resultado do time contra o São Paulo no clássico de amanhã às 16 horas, na Vila Belmiro, Pelé fezumaavaliaçãopositivadosúltimos três jogos. “O Santos jogou bem e até poderia ganhar. Inclusive na conversa com os jogadores usei a Copa do Mundo como exemplo. A Espanha perdeu umjogo e foicampeã eo Brasil, que também só perdeu uma partida, voltou para casa. Só que a Espanha perdeu quando podia e o Brasil, embora merecesse vencer, perdeu por um detalhe, na falha do goleiro.” Pelé promete estar na Vila, amanhã.

Agora, entrevista no Palmeiras só após o banho, de cabeça fria Felipão proíbe conversa com repórteres dentro de campo, para evitar novas saias justas com declarações mais fortes Bruno Deiro

LuizFelipeScolariaindanãoajeitou o time do Palmeiras como gostaria, mas já impôs seu estilo paraevitarpolêmicas extra-campo.Ontem, confirmou que haverá lei do silêncio durante os jogos. O atleta que der entrevistas será multado em até R$ 10 mil. O treinador havia acenado

“Contestar as críticas não vai me levar a lugar nenhum”

comapossibilidadeapósoempate com o Botafogo (2 a 2), no Pacaembu,quandoquestionadosobreumacríticadeKléberaosistema defensivo. Ontem, reuniu o elenco para comunicar a nova regra. “Houve a determinação de não conversarmos com a imprensa no trajeto até o vestiário. Claro que após o jogo, de banho tomado, vamos falar com

vocês (jornalistas)”, disse Ewerthon. “Foi algo imposto por Felipão e acatado pelo grupo.” O novo técnico quer evitar a repetição de constrangimentos recentes. Em outras sequências de maus resultados, líderes como Marcos, Diego Souza e Danilo lavaram a roupa sujapublicamentee deixaram o clima ainda mais instável dentro do elenco. Ontem, Felipão chamou Ewerthon para uma conversa rápida antes que o atacante se dirigisse à sala de imprensa para conceder entrevista. SERGIO NEVES/AE

GUILHERME DIONíZIO

Arouca é do Santos

O clube comprou 90% dos direitos econômicos de Arouca por € 3,5 milhões (R$ 8 milhões). Os outros 10% ficaram com o jogador e a empresa MDF, que administraasuacarreira.Ambosreceberam R$ 6 milhões e o São Paulo, que detinha parte dos direitos, recebeu R$ 2 milhões. Arouca assinou contrato até 31 de agosto de 2014 e a multa rescisória é de € 15 milhões. O jogador está fora do clássico, por estar suspenso, e Robinhoserápoupado.Dorivaladiantou que Paulo Henrique Ganso e Durval, que cumpriram suspensão, já estão confirmados. “Vou escalar todos os titulares que estiverem em condições.”

O jogador, porém, desconversou sobre o assunto. “Ele pediu para eu voltar bastante para ajudar na marcação”, disse Ewerthon, abrindo um sorriso. “Dentro do elenco está tudo tranquilo, não houve desavença. Nem li o que o Kléber falou.” Apóso jogodoPacaembu, Kléber foi pouco incisivo nas críticas, mas o episódio causou a irritação de Felipão. “Os gols estão saindo, mas precisamos segurar lá atrás”, havia dito o Gladiador. Jovens em campo. Felipão te-

rá sérios problemas para montar a defesa que pega o Ceará amanhã, em Fortaleza. Sem Pierre, Edinho, Marcos Assunção e Danilo, suspensos, o técnico usou o treino de ontem para observar jogadores da base. Entre os testados estava Gualberto, que ganhou chance com Muricy Ramalho entre os profissionais.

Rei na Vila. Pelé tentou levantar o moral do elenco santista

11ª RODADA

CLASSIFICAÇÃO

Hoje

PG

18h30

Avaí x Atlético-MG

18h30

Vasco x Atlético-GO

18h30

Prudente x Vitória

J

V

E

D

1º Fluminense 22 10

7

1

2

8

2º Corinthians

21 10 6

3

1

6

3º Ceará

19 10

5 4

1

5

Amanhã

4º Internacional 16 10

16h00

5º Flamengo

16 10 4 4

2

3

6º Avaí

15 10 4

3

3

2

7º Cruzeiro

15 10 4

3

3

2

8º Guarani

14 10

3

5

2

-2

9º Vitória

0

16h00 16h00

Santos x São Paulo Cruzeiro x Grêmio Internacional x Flamengo

16h00

Goiás x Atlético-PR

18h30

Ceará x Palmeiras

18h30 18h30

Corinthians x Guarani Botafogo x Fluminense

● Três jogos abrem rodada

Hoje, a 11ª rodada do Brasileiro tem início com três duelos às 18h30. Em São Januário, o Vasco pega o lanterna Atlético- GO, enquanto o Avaí recebe o AtléticoMG e o Grêmio Prudente, o Vitória.

5

1 4

SG

3

13 10

3 4

3

10º Palmeiras

13 10

3 4

3

0

11º Grêmio

13 10

3 4

3

-1 1

12º Santos

12 10

3

3 4

13º São Paulo

12 10

3

3 4

1

14º Goiás

12 10

3

3 4

-2

15º Botafogo

11 10

2

5

3

1

16º Atlético-PR

10 10

3

1 6

-7

17º G. Prudente

10 10

2 4 4

-3

18º Vasco

10 10

2 4 4

-5

19º Atlético-MG

9 10

3 0

7

-7

20º Atlético-GO

7 10

2

7

-5

1

■ Vaga na Libertadores ■ Sul-Americana ■ Rebaixamento


o c i t á Sab S1

%HermesFileInfo:S-1:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010 ANO I – Nº 20

UM TEMPO PARA A LEITURA

estadão.com.br

REPRODUÇÃO

HOLANDA TROPICAL

Filosofia Retrato do pensador Edgar Morin revê seu percurso intelectual em Meu Caminho

Pág. S6 Em entrevista exclusiva, o historiador Evaldo Cabral de Mello percorre o Brasil governado por Maurício de Nassau, no século 17, e analisa a modernidade no pensamento do abolicionista Joaquim Nabuco. São temas de duas obras que organizou e agora chegam às livrarias. Págs. S4 e S5

Missão. Obra de Albert Eckhout, que fez parte da comitiva de artistas e cientistas holandeses instalada em Pernambuco

7 8 9 10 11 12

Quadrinhos Na ponta do lápis Para Gilbert Shelton, que virá à Flip, HQ é a arte do detalhe

Pág. S8


%HermesFileInfo:S-3:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

sabático S3

Ensaio Reedição de obras fundamentais, como é o caso de Desenvolvimento e Subdesenvolvimento, e publicação de textos de arquivo atestam vigor do pensamento de Celso Furtado, que faria 90 anos na segunda-feira

DESENVOLVIMENTO E SUBDESENVOLVIMENTO Autor: Celso Furtado Editora: Contraponto/ Centro Internacional Celso Furtado (236 págs., R$ 40)

PROCESSO DE SINGULARIDADES ARQUIVO AE – 15/9/1961

FRANCISCO DE OLIVEIRA

m boa hora, a Contraponto reeditou Desenvolvimento e Subdesenvolvimento, de Celso Furtado, aqui destacado entre os títulos do economistaqueaeditora vem publicando desde2008(vejatextoabaixo).Trata-sedeumasistematização, empreendida pelo autor de suas reflexõese contribuiçõespara o conceito de subdesenvolvimento, suas diferenças em relação a outras abordagens, sobretudo as clássicas e as genericamente chamadas neoclássicas, dominantes no pensamento da ciência econômica por longo tempo. Não é original e não é seu “clássico”, que, comosabemos,éFormaçãoEconômicadoBrasil. Tem o valor das sistematizações, o que aclara talvez questões expressadas em outros textos no meio do turbilhão de idéias de Furtado.Duasideias-forçaconstituemocerne do livro e das argumentações de Furtado, euma é o espelho da outra. A primeira é que o desenvolvimento – capitalista, convém remarcar, posto que Furtado não o faz – não é um fenômeno universal, que tenha ocorrido ou ocorra urbi et orbi; a segunda, que é seu espelho, é que o subdesenvolvimento é uma singularidade histórica, não sendo uma “etapa” em direção ao desenvolvimento e é mais comumqueseuirmãogêmeo.Nãoé,tampouco, atávico aos países e ou nações “atrasadas”: é um fenômeno e um processo históricos, que somente podem ser entendidos na tensão entre teoria e história. Não há linearidade na história, e os processos econômicos nemporseremcumulativos deixamderegistrarretrocessosouinversõesdasrelaçõesentre as nações e mesmo internamente, entre asclasses.OscasosclássicosnaAméricaLatina são Argentina e Brasil, a primeira o celeiro mundial de carnes e grãos até a grande Depressão de 1930 e o segundo o produtor da principal mercadoria do comércio internacional até os anos 1940, o café. Nem por isso

E

Argentina e Brasil deixaram de perder o bonde da história, e passaram a posições secundárias na divisão internacional do trabalho que se seguiu à Grande Depressão. Furtado passa em revista as abordagens sobre o desenvolvimento no amplo campo da ciência econômica relevante, vale dizer, desde os clássicos até Marx, e em seguida àquelas comumente englobadas sob o rótulo deneoclássicas,sistematizadasnoamplotrabalho do grande economista inglês Alfred Marshall,PrincípiosdeEconomia.Édessarevisão que vai surgir a impropriedade ou inade-

quação do conjunto das teorias dominantes paraexplicarasituaçãodospaísesquedaípor diante– o famosorelatório daCepal éde1949 – serão chamados de “subdesenvolvidos”.A críticaé,emgeral,pertinente,masnãodemolidora, até porque nenhuma teoria econômica poderia ser construída desprezando-se ou fazendo-se tábula rasa dos clássicos e dos neoclássicos; muito do neoclassicismo permanecenasteorizaçõesdaCepal,deRaúlPrebisch e do próprio Furtado. Keynes é poupado da crítica até porque a influência do lorde inglês sobre a teorização da Cepal , de Prebis-

ch e de Furtado é enorme e insubstituível. Há uma certa má-vontade para com Marx, de quem tanto a Cepal, Prebisch e Furtado herdaram uma concepção da economia como uma ciência social tensionada pelo duplo teoria e história. Vale dizer, o subdesenvolvimento como a teoria de uma singularidade do desenvolvimento capitalista em suas periferias – pelo menos na periferia latino-americana – não é a-histórico, e muito pelo contrário, o subdesenvolvimento só é inteligível nessa tensão. A reedição do livro não é apenas a reapresentação de um clássico da literatura econômico-social brasileira e latino-americana. Seu valor heurístico segue na primeira fila dos ensaios que passaram à prova da história, no sentido de que inspiraram políticas concretas e foram armas no debate ideológico e no conflito de classes, e continua sendo um excelente ponto de partida para as reflexões sobrenossas especificidades, sem negar o caráteruniversaldesuasperspectivaseproposições. Só não deve ser lido como uma bíblia, umlivrosanto,queseriaavesso atéaocaráter anticordial de Celso Furtado – no sentido buarquiano – porque os novos processos do capitalismo contemporâneo, sobretudo seu caráter ineludivelmente mundial ( François Chesnais), nos obrigam a repensar uma teoria do capitalismo contemporâneo que inclua, já não mais como singularidade, as nações cujas economias e sociedades foram um diaapérola descobertapelaCepal,Prebische Furtado.Essa pérola está firmemente engastada nos novos processos globais e é nossa obrigação teórica e política colocarmos agora quais novas formas nos são próprias, mas não exclusivas, se quisermos vencer o velho inimigo da desolação periférica que um dia Celso Furtado enfrentou. Há que juntar FurtadocomJuanRulfo,ograndenovelistamexicanodePedroPáramo,paraqueasvidasbrasileiras e latino-americanas não sigam dando voltas desesperadas em busca de suas almas perdidas, isto é, a pobreza capitalista.

Revisão. Furtado (à esq.), em reunião na Sudene, com Gilberto Freyre, em setembro de 1961: teorias clássicas e neoclássicas passadas a limpo

✽ FRANCISCO DE OLIVEIRA É PROFESSOR EMÉRITO DA FFLCH-USP, AUTOR DE CRÍTICA À RAZÃO DUALISTA: O ORNITORRINCO (BOITEMPO)

PROJETO PREVÊ UM TOTAL DE 12 VOLUMES Celso Furtado deixou manuscritos, anotações de cursos, estudos preliminares, relatórios, correspondências, entrevistas e artigos. E é sobre esse material que sua viúva, RosaFreired’Aguiartrabalhaparaaorganização da série Arquivos Celso Furtado, que o Centro Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento e a editora Contraponto começaram a publicar em 2008. Ao todo, o material será editado ao longo de 12 volumes, organizados pela temática dos textos. Até agora, foram lançados três títulos:

● Arquivos Celso Furtado nº 1: Ensaios Sobre a Venezuela – Subdesenvolvimento com Abundância de Divisas

Furtado viajou para a Venezuela pela primeira vez em 1957, em missão da Comissão Econômica para a América Latina (Cepal). Em dois estudos e numa entrevista (concedidanadécadade1970)aquireunidos,elediscute,emmeioaoutrostemas,aincompatibilidade entre o excedente estrutural nas contas externasdaquele paíse adiversificação da base produtiva local. (188 págs., R$ 32)

● Arquivos Celso Furtado nº 2: Economia do Desenvolvimento

● Arquivos Celso Furtado nº 3: O Nordeste e a Saga da Sudene – 1958-1964

O volume reúne as anotações de Furtado para um curso ministrado em 1975 na PUC de São Paulo. A importância, além da temática – astransformaçõesdosistemafinanceiramundial–,éhistórica:estafoisuaprimeiraatividade acadêmica realizada no Brasil desde a cassação de seus direitos políticos em 1964. O episódioérelembradonaintroduçãoeovolume tem ainda entrevista concedida em 1975 ao Jornal da Tarde. (256 págs., R$ 40)

Aqui são recuperados documentos e cinco ensaios que jogam luz sobre os bastidores da criação da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste). O volume traz ainda uma longa entrevista de Furtado sobre o tema; notas do economista alemão Albert Hirschman, um depoimento do professor Francisco de Oliveira e um artigo de Marcos Costa Lima, da Universidade Federal de Pernambuco. (284 págs., R$ 40)

nomia Brasileira" (Rio, 1954) é retomada e desenvolvida no tempo (...). A importancia do livro decorre, porém, não apenas do seu temamasprincipalmentedo metodoempregado. A ciência economica moderna tem dedicado o melhor dos seus esforços no sentido de desenvolver metodos de analise capazes de captar a dinamica do processo economico. O instrumental assim forjado tem sido geralmente utilizado para o estudo da conjuntura economica momentanea ou sua evolução a curto prazo. Embora o metodo pretenda ter aplicação universal (...), a sua utilização na tarefa de explicar o desenvolvimentohistoriconãotemsidomuitofrequente.Em relação à historia do Brasil, a tentativa do sr. Celso Furtado nos parece ser a primeira de vulto e como tal merece uma atenção toda especial. Não só porque está em jogo a destreza com que o A. aplica uma tecnica relativamente nova a um material já algo trabalhando,mastambémporqueapropriavalidade historica do metodo – a sua pretensão à universalidade – é de certa forma testada, na medida em que os resultados da analise cobrem, em maior ou menor grau os fatos. O presente trabalho abrange praticamente toda a historia do País: analisa os diversos “ciclos” atravessados pela economia nacional (açucar, gado, ouro, café), o problema da mão-de-obra(escravatura,imigração,migra-

ção interna), a industrialização que teve lugar nas ultimas decadas e o significado do processo economico presente, a cujas particularidades mais salientes – inflação, penuria cambial – dedica cuidadoso exame. No estudo de todas estas diferentes conjunturas pelas quais passou a economia brasileira, oA. sempreprocuraverificarofuncionamento de uma serie de leis deduzidas de premissas teoricas (implicitas) em que ele se baseia. Assim, por exemplo, no estudo do “ciclo” do açucar uma enfase toda especial é dada ao fator “procura”, sendo o papel da comercialização do produto, feita pelos holandeses, considerado decisivo, tanto para a grandiosa ascensão da produção brasileira, no seculo XVI, como para a sua decadencia no seculo XVII. Traçado este esquema teorico,torna-seno entanto,dificilenquadrar nele a realidade historica, pois se a simbiose economica luso-holandesa se rompe em 1580, data da união das coroas, “os pontos mais altos” da exportação de açucar foram “atingidos por volta de 1650” (...) P.S.

Do Suplemento Literário 12.9.1959

A IMPORTÂNCIA DO TEMA E DO MÉTODO Lançamento de Formação Econômica do Brasil foi destacado em crítica de Paul Singer, que ressaltou seu pioneirismo ECONOMIA Celso Furtado, FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL, Editora Fundo de Cultura S. A., Rio de Janeiro, 1959, 291 págs. De inegavel importancia este novo livro de Celso Furtado, autor que já em trabalhos anteriores havia demonstrado considerável domínio tanto sobre o seu material quanto sobre a tecnica de analise empregada. Neste novoestudoaanaliseexpostaem sua"A Eco-

✽ O SUPLEMENTO LITERÁRIO CIRCULOU NO ESTADO ENTRE 1956 E 1974. FOI MANTIDA AQUI A ORTOGRAFIA ORIGINAL DO ARTIGO.

estadão.com.br Leia a íntegra deste texto estadão.com.br/e/s3

PARAÍBA, ÁUSTRIA Celso Monteiro Furtado nasceu em 26 de julho de 1920 na cidade de Pombal (PB) e morreu no Rio, a 20 de novembro de 2004. Criou a Sudene; foi ministro do Planejamento no governo Goulart e da Cultura na gestão Sarney; e ocupou a cadeira 11 da ABL. Nascido na Áustria em 1932 e naturalizado brasileiro, Paul Singer era um jovem talento da USP quando escreveu a histórica resenha aqui republicada.


S4 sabático %HermesFileInfo:S-4:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Capa Em duas obras sobre períodos distintos da formação do País, o historiador Evaldo Cabral de Mello examina o domínio holandês no Nordeste e a luta de um conservador que virou líder do abolicionismo

O BRASIL HOLANDÊS Organizador: Evaldo Cabral de Mello Editora: Penguin/ Companhia das Letras (512 págs., R$ 28)

JOAQUIM NABUCO ESSENCIAL Organizador: Evaldo Cabral de Mello Editora: Penguin/ Companhia das Letras (632 págs., R$ 32)

EM BUSCA DO BRASIL PROFUNDO FÁBIO MOTTA/AE

ANTONIO GONÇALVES FILHO

historiador Evaldo Cabral de Mello publicou há 35 anos seu primeiro livro, Olinda Restaurada, em que abordava de forma original os anos da ocupação holandesa no Brasil, analisando as particularidades do conflito entre holandeses e a população luso-brasileira de Pernambuco. Aos 74 anos, o ex-diplomata retoma o tema com fôlego ainda maior em O Brasil Holandês, que a Companhia das Letras lança junto a um outro livro, dedicado ao político e escritor abolicionista Joaquim Nabuco (1849-1910), ambos inaugurando o selo Penguin/Companhia das Letras. Joaquim Nabuco Essencial é uma compilação de textos do autor de O Abolicionismo (1883), que está sendo relançado em edição de bolso pela Bestbolso (Editora Best Seller). Nabuco é estudado por Cabral de Mello há muitos anos, assim como o holandês Maurício de Nassau, personagem central de O Brasil Holandês, que havia sido biografado pelo historiador em Nassau: Governador do Brasil Holandês (2006). Sobre os documentos inéditos pesquisados por ele para seu novo livro, Evaldo Cabral de Mello falou ao Sabático, enfatizando que o padre Antonio Vieira foi um entreguista e que nunca interessou aos portugueses ou holandeses revelar quem foi o real Calabar, que se bandeou para o lado dos últimos.

O

● O senhor diz, no prefácio de O Brasil Holandês, que organizar uma coletânea de textos do período holandês pode causar certo embaraço, motivado pela escolha entre documentos oficiais e relatos anônimos. Como fez para conseguir a equilibrada junção de depoimentos no episódio Calabar?

Há relativamente pouca coisa sobre Calabar. Nesse caso me concentrei nos testemunhos da época, como o de Manuel Calado, que o conheceu, e desse mercenário inglês, Pudsey, que foi companheiro de armas quando Calabar passou para o lado holandês. Espiei a correspondência oficial holandesa, mas essa apenas o menciona, e ainda assim não frequentemente. É preciso consultar as memórias do quarto donatário de Pernambuco, que atribui especialmente a Calabar a iniciativa de uma série de operações militares, sobretudo navais, que foram fundamentais para o êxito holandês. No fundo, o que se tem é um desequilíbrio: temos poucas informações do lado holandês e muitas do lado português, ambos suspeitos, evidentemente. As fontes holandeses que se carteavam com a metrópole não tinham oficiais interessados em sublinhar a atuação de um mestiço brasileiro (Calabar era mameluco). Eles considerariam isso ofensivo à capacidade profissional deles. Já o lado luso-brasileiro estava à procura de um bode expiatório, de modo que tinha interesse em exagerar o papel de Calabar. ● Os sete anos de governo de Maurício de Nassau, segundo o livro, constituíram um período de relativa paz, uma espécie de Idade de Ouro do Brasil. Como o senhor imagina o Brasil se ele não tivesse voltado à Holanda? O calvinismo teria transformado o País numa outra nação?

Não creio. Eles dependiam da comunidade luso-brasileira para botar o Brasil para funcionar. A Holanda era um dos países mais prósperos da Europa. Não houve praticamente imigração maciça de holandeses para o Brasil. Muitos dos soldados da Companhia das Índias eram mercenários ingleses, franceses, alemães e poloneses. Nunca se estabeleceu uma corrente migratória holandesa estável e constante para o Brasil que permitisse a longo prazo “holandizar” o Nordeste. Eles ficaram sempre dependendo da contribuição econômica da comunidade luso-brasileira, que controlava a maior parte dos engenhos. ● Num balanço desses sete anos de governo,

qual a conclusão a que o senhor chegou em relação a Nassau?

Em relação a Nassau não há dúvida de que se tratava de um homem de Estado de grandes qualidades. Ele foi sobretudo um administrador e um homem de bom gosto, mas não um grande militar no sentido heroico da palavra. Era um profissional competente, mas não muito mais do que isso. ● O equilíbrio estratégico no Brasil foi ameaçado com o golpe de Estado que, em 1640, colocou um ponto final nos 60 anos de domí-

nio espanhol em Portugal, transformando-o em aliado dos Países Baixos na guerra contra a Espanha. Isso diminuiu o antagonismo entre os moradores portugueses de Olinda, a Igreja Reformada e os holandeses?

intermediários incontornáveis nos negócios. Então, muitos viraram corretores, fazendo a ponte entre o produtor rural e o comerciante da cidade.

Não, pelo contrário. Há uma carta, de setembro 1642, em que Nassau diz expressamente que a restauração da independência portuguesa constituía uma ameaça ao futuro do Brasil holandês, porque ela daria o exemplo para que o mesmo acontecesse no País, incitando a comunidade luso-brasileira a também querer a restauração da coroa portuguesa. Ele teve uma visão bastante clara do que viria acontecer no futuro – e isso três anos antes de arrebentar a revolução. Foi de uma lucidez extraordinária.

● Já as relações entre os holandeses e os índios parecem ter maiores registros. Na breve descrição dos tapuias por Gerbrantsz Hulck, em 1653, revela-se um deslumbramento com o antípoda que poderia ter resultado numa tentativa de miscigenação, a exemplo dos portugueses. Por que os holandeses eram mais resistentes a esse trânsito cultural?

● Muitos historiadores estrangeiros, entre eles Robert Smith, creditam ao governo nassoviano o mérito de ter construído a primeira cidade digna deste nome na América portuguesa. As obras de Nassau não poderiam ter sido produzidas pelos habitantes luso-brasileiros de Olinda?

Não, porque a cultura urbana portuguesa era completamente diferente da holandesa, muito mais avançada. A Holanda era basicamente um país de cultura urbana. Mais da metade da população holandesa vivia no meio urbano. Era o país mais urbanizado da Europa Ocidental, muito mais que a França e a Inglaterra. ● Sabe-se pouco sobre a comunidade judaica do Brasil holandês, composta majoritariamente de judeus portugueses emigrados para Amsterdã. Qual a marca deixada pela comunidade além das práticas comerciais?

Ela deixou marcas importantes. A primeira sinagoga das Américas é a do Recife. Há, inclusive, um grande poeta sefardita holandês que escreveu um poema sobre o sítio do Recife pelos portugueses. O problema todo é que a comunidade judaica tinha de enfrentar a hostilidade em duas frentes: a dos portugueses e dos holandeses, que não gostavam da concorrência econômica dos judeus que, por saber português, eram os

Porque eram calvinistas. Como toda religião que se sente insegura, o calvinismo primava pelo radicalismo. Nassau, no entanto, nunca se deixou levar pelos ministros calvinistas. Eles pediam coisas, faziam pressão e o Nassau respondia que ia providenciar, mas não fazia nada. Uma coisa ele recomenda numa carta à junta que o sucedeu: não mexer em assunto religioso, pois era a coisa que mais sensibilizava os portugueses. Ele recomendava não convertê-los, respeitar o status quo, a licença tácita de culto católico que tinham os portugueses no interior do Brasil holandês, mas não no Recife. Esses se consideravam injustiçados porque acabariam ficando sem o clero se o governo holandês não permitisse mais a entrada de padres. ● Os franceses, especialmente Pierre Moreau, deixaram registrada sua indignação ao modo bárbaro como os escravos eram tratados no Brasil. Houve algum progresso com a intervenção dos ministros calvinistas?

As providências tomadas pelo governo de Nassau contra os quilombos tinham algo a ver com a imitação que as comunidades negras dos Palmares faziam da religião e do modo de governar dos portugueses. Não me recordo de nenhum registro, de nenhuma intervenção do governo holandês no aspecto privado das relações senhor e escravo nos engenhos. O que houve foi que Nassau teve uma atitude benigna em relação aos soldados negros que haviam fugido e militado no exército holandês, inclusive al-

forriando alguns deles. Mas os holandeses não queriam interferir na administração dos engenhos, pois sabiam que isso iria acarretar prejuízos ao comércio. Eles eram completamente pragmáticos. Estavam ali para colocar a coisa para funcionar. Não queriam mexer muito na situação. Eles mandaram, sim, uma expedição para reprimir os quilombos de Palmares, isso no fim do governo de Nassau, mas esse tipo de expedição foi inútil, porque era uma guerra de guerrilhas. Chegavam os holandeses, destruíam os mucambos, as populações dos quilombos se dispersavam e depois voltavam e se concentravam de novo. Como elas estavam na extremidade sudoeste do Brasil holandês, era difícil. Só os portugueses, e ainda assim no fim do século 17, é que conseguiram, colocando guarnições permanentes de soldados paulistas e índios naquela região dos Palmares. ● A carestia do Brasil holandês aliada à falên-

cia da Companhia das Índias foram decisivas para o ocaso do governo de Nassau. Ele gastava demais e governava de menos ou a restauração da independência portuguesa teve um papel decisivo na sua queda?

O papel decisivo foi o da direção da Companhia das Índias, que nunca engoliu a indicação dele, imposta pelo primo, o príncipe de Orange. Ao mesmo tempo em que houve a paz entre Portugal e Holanda, em 1641, eles tinham um belo pretexto para tirar Nassau, embora este alertasse que a situação iria ficar perigosa. Quanto à crise econômica, era realmente incontrolável. Houve uma queda forte do preço do açúcar e um endividamento adoidado por parte da comunidade luso-brasileira, de modo que não havia como pagar. Quando a Companhia da Índias assumiu as dívidas, ela só encampou a de 25 senhores de engenho, no total de 160. E eles tinham apenas três anos para pagar. Era uma situação sem saída. ● Com a partida de Nassau, os conspirado-

res queriam massacrar as autoridades neerlandesas, reprisando a noite de São Bartolo-

Questão. Apesar de sua familiaridade com o tema, o historiador assume a dificuldade para tratar aspectos da presença de Maurício de Nassau em Pernambuco, diante dos relatórios oficiais e particulares


O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

sabático S5

Artigo O ADVOGADO DOS ESCRAVOS Autor: Nelson Câmara Editora: Lettera.doc (316 págs., R$ 39,90)

No fim da vida, o padre Vieira, conselheiro de d. João IV, disse que aquilo não era opinião dele, mas sim do rei. É verdade, mas foi ele quem soprou em seu ouvido aquelas ideias de que Portugal perderia a guerra. Foi o historiador Afonso Pena Jr., o filho do ex-presidente, quem revelou que o padre Vieira, desde 1640, antes da independência portuguesa, portanto, já defendia num sermão a entrega do Brasil aos holandeses. Foi um entreguista crônico. ● Sobre Joaquim Nabuco, um dos textos dele selecionados pelo senhor para Nabuco Essencial mostra que ele acusava Portugal de ter mandado para cá a escória social do país. Nabuco, um abolicionista, teria uma certa crença eugênica?

TRIBUTOS AO BARDO DA CAUSA NEGRA Novos títulos jogam luz sobre a trajetória do literato Luiz Gama

LOREDANO

meu parisiense. A insurreição de 1645 levou o governo português a uma posição cautelosa e um dos articuladores da paz, Antonio Vieira, dizia que Portugal perderia a guerra contra a Holanda. Como o senhor definiria o papel de Vieira nessa história?

LUIZ GAMA Autores: Luiz Carlos Santos e Vera L. Benedito Editora: Selo Negro (120 págs., R$ 21)

Sei que há essa teoria por aí. Numa conversa com Raymond Aron sobre as relações de d. Pedro II com Gobineau, ele lembrou que, no século 19, todo mundo era racista. Devo dizer a favor de Nabuco que, quando você lê O Abolicionismo com cuidado, vê que ele não põe a culpa na raça negra africana como tal, mas na instituição da escravidão. Se Nabuco foi racista, ele escondeu bem. Não acredito que tenha sido. A perspectiva dele não era racial. Uma das razões da modernidade de Nabuco hoje é o relativo arcaísmo do conhecimento sociológico dele. Quando você lê seu diário, vê que não tinha grande leituras sociológicas, de modo que ele escapou a tudo o que era mania sociológica na Europa e que marcaria a obra de Euclides da Cunha. O Abolicionismo é um livro de propaganda em que faz uma análise dos efeitos da escravidão e ele poderia ter sido escrito por qualquer pessoa culta que conhecesse o Brasil e não fosse necessariamente um sociólogo. ● Por que o senhor privilegiou no livro os textos do Nabuco abolicionista e escritor político, e praticamente ignorou o historiador e homem religioso?

Eu não ignorei o historiador. O que ignorei foi o poeta da juventude, o religioso, o diplomata e o literato, porque reputo que são facetas menos importantes que essas duas. Como a obra completa dele tem 18 volumes, tinha um dilema: ou colocava um bocadinho de cada livro e o leitor perderia a complexidade das análises dele ou então escolhia um ou dois temas, ele como político e como reformador social, que foram as facetas mais importantes. ● Nabuco fala do imperador sempre com relutância, dizendo-se um escritor cristão ingrato se derrubasse a monarquia um ano depois da lei de 13 de maio. O senhor diria que ele foi um homem dividido, abjurando de certo modo as palavras fortes de O Abolicionismo para tentar uma espécie de conciliação?

Dividido ele devia ser, sem dúvida, pois era monarquista convicto. Ao mesmo tempo, a urgência da reforma abolicionista era tal que, evidentemente, não é possível que Nabuco não tenha encarado, dois ou três anos antes da Abolição, a possibilidade desta levar de vencida o trono. É um problema de prioridade: o que era mais importante para ele, dar a liberdade aos escravos, que era uma reforma social em toda a extensão da palavra, ou fazer uma reforma meramente política como a que propôs – sem êxito – a federalização da monarquia, que não interessou nem aos republicanos, porque queriam a República Federalista, nem aos monárquicos, que ainda estavam apegados ao regime unitário? É preciso não esquecer: Nabuco foi o grande reformador social do Brasil, onde nunca houve uma reforma social da extensão e do impacto da Abolição, tudo isso feito de forma legal, por meios estritamente parlamentares, a mais importante da história brasileira. ● Qual seria o traço moderno de Nabuco?

É difícil para a gente apreciá-lo, pois vivemos numa era em que predomina o gosto pelo radicalismo. Ele foi uma pessoa extremamente equilibrada, mesmo quando fazia a campanha abolicionista, com a possível exceção de alguns discursos no Recife no início da mesma. Mas, depois da queda da monarquia, ele se tornou o conservador que havia sido postergado por causa da reforma abolicionista. Ele criticou a República por não ter completado a obra da Abolição – incompleta até hoje. Nabuco era o tipo de homem que só se definia em função dela. Depois de 1900, você nota pelo diário que ele se desinteressou pelos aspectos sociais legados pela escravidão. Não me lembro de ter lido nenhuma crítica sua às condições de vida material da população de exescravos. Nabuco, lembre-se, foi criado como uma pessoa conservadora. Era, enfim, um liberal conservador. Mexia-se na escravidão, mas não na propriedade.

tria, nem por isso a experiência pessoal tem que se submeter a uma operação de ocultamento. E esse é o caso de Luiz Gama, que, ainda nos tempos do Segundo Reinado, se transformaria em voz forte ao descaracterizar as mazelas políticas que proo início do metiam o final do tráfico. Enquanto Lima século 20 o Barreto combateu a República, Luiz Gama escritor Li- criticou o Império, e transformou-se em ma Barreto grande abolicionista. Em comum, é possídeixaria em vel dizer que ambos foram marcados pelas seus Diários agruras que a condição social, histórica e a passagens etnia imprimiram em seus destinos. Lima fortes acerca da nossa sociedade e do racis- Barreto queria “ser doutor”, mas morreu mo aqui praticado: “É duro não ser branco pobre, ébrio, depois de internado várias veno Brasil A capacidade mental dos negros é zes em clínicas para “alienados”. Luiz Gadiscutida a priori, e a dos brancos, a poste- ma, filho de Luiza Mahin – ativista negra riori.” Espécie de termômetro de um tem- atuante na Sabinada (1837) e na revolta po que acenava com mudanças – dentre dos Malês, que ocorreu na cidade de Salvaelas a Abolição da Escravidão e a Proclama- dor em 1835 –, foi vendido ainda menino coção da República –, o escritor negro era mo escravo, por seu pai; um fidalgo endivitambém testemunha de como certas coisas dado. Em comum, ainda, os dois autores mudam e outras teimam em permanecer; a transformaram um destino trágico numa discriminação racial, por exemplo. Lima de- espécie de agência, já que reinventaram a nunciava a existência de um preconceito re- própria condição, transformando-se em nitente – que dividia a humanidade por co- bardos da causa negra, que nem sequer parecia existir. Denunciares e etnias –, a despeiram o preconceito, into dos tantos prognósjustiças sociais e favoreticos que prometiam a ** cimentos de toda sorte. civilização. Além do Ex-escravo, não Escritores como esmais, numa terra em omitiu nem esqueceu ses em geral não deique se insiste em não as suas origens; ao xam lastros. Lima Barser negro, em que o enreto coletou cuidadoriquecimento “emcontrário, escancarou samente sua memória. branquece”, e em que faces da discriminação Já Luiz Gama legou o sucesso muda a cor uma espécie de carta dos envolvidos, o es** testamento, escrita pacritor teimou em se cara o amigo Lúcio de Mendonça dois anos racterizar e fazer literatura negra. Poucos literatos definiram-se como tal antes de morrer. Até hoje considerada doe, nessa galeria limitada, encontra-se cumento fundamental, a missiva foi objeLuiz Gama, também conhecido como Or- to de todo tipo de uso: inspirou romanfeu da Carapinha, apelido que ironica- ces, artigos e teses. Mas documentos, mente adotou. Advogado, poeta, jornalis- mesmo, são poucos. É, pois, motivo de grande alegria a publita, Gama ria das negociações que por aqui se estabelecem em torno da cor. Cer- cação de dois livros dedicados a Luiz Gata vez, quando indagado sobre sua cor, as- ma. O Advogado dos Escravos, escrito por sim reagiu: “Que cor o Antonio Carlos re- Nelson Câmara, traz novidades sobretudo gistrou? Branca? Pois se aquilo é branco quando recupera e anexa processos em ponha branco para mim também.” Em que Gama se envolveu, e que levaram à lium de seus mais famosos poemas, ao fi- bertação de mais de 1.000 escravos. Tendo nal declama: “Teu avô que era de cor la- por base a própria legislação vigente, o atitente, teve um neto mulato mui pedante! vista fez cumprir a medida que ratificava a Irrita-se o fidalgo qual demente. E não po- proibição do tráfico e apoiou-se no direito do habeas corpus. Na verdade, Gama não de negar ser meu parente!” De forma irreverente, Gama brincou completou o curso na Faculdade de Direicom essa mania nacional de se fazer pas- to no Largo de São Francisco e atuou como sar por mais claro. Sobre a origem do pai advogado provisionado. Ou seja, foi seu co(supostamente português), dizia não ju- nhecimento do ofício que fez dele um “rárar que era realmente branco “porque bula”; termo que designa o profissional tais afirmativas neste país constituem que advoga sem diploma. O outro livro – Luiz Gama – faz parte da grave perigo perante a verdade, no que concerne à melindrosa presunção das co- Coleção Retratos do Brasil Negro e é de autoria de Luiz Carlos Santos. Apesar de seu tares humanas”. Se a literatura é universal e não tem pá- manho menor, o texto recupera a vida de LILIA MORITZ SCHWARCZ

N

Gama, assim como acentua o perfil ativista de seu biografado. A partir de uma frase da carta – “até os 10 anos fui criança, dos 10 aos 18 fui soldado” – mostra como o garoto transformou-se em “guerreiro”, assim como retoma de maneira mais abrangente o contexto e os limites de época. Interessante destacar como, além de negro, Gama contava com a “infelicidade” de ser baiano, numa época em que essa procedência era sinônimo de rebelião. Os dois biógrafos se baseiam na mesma fonte: uma espécie de autobiografia autorizada. No entanto, enquanto Luiz Carlos relativiza o registro, Nelson Câmara o toma mais literalmente. Ambos, porém, mostram-se (até por motivos justos) totalmente mobilizados pelo autor que elegem. Não que o “Orfeu da Carapinha” não mereça, mas é sempre prudente economizar nos adjetivos e insistir nos substantivos. Há muito que pesquisar na vida desse personagem e não parece bom modelo isolá-lo em seu momento, ou encontrar nele um militante nos termos de hoje. O perigo do anacronismo sempre ameaça a nós historiadores pois, por mais que desejemos, os documentos insistem em não comprovar o que queremos, ainda mais nesse caso em que carecemos de fontes confiáveis. O fato é que essa vida merece uma e muitas biografias. Analfabeto até os 17 anos, maçom numa época em que pertencer a esses grupos era sinal de contestação, advogado sem diploma mas por merecimento, jornalista crítico e poeta satírico, Luiz Gama deixou obra pequena mas de impacto. Em seu único livro, Primeiras Trovas Burlescas de Getulino, lançado em 1859, está presente toda a verve do ex-escravo que não esquece ou omite sua origem; ou melhor, a evidencia. Em Quem Sou Eu?, revela a ambivalência da sua condição: “Amo o pobre, deixo rico, vivo como o tico-tico.” Na obra, escancara a discriminação existente no País, que se esconde por trás de uma pletora de nomes, todos desabonadores: mulato, preto, bode, cabra. Mas o melhor é deixar Gama destilar seu estilo: “Se negro sou, ou sou bode, pouco importa. O que isto pode? Bodes há de toda a casta, pois que a espécie é muito vasta (...) Bodes negros, bodes brancos, e sejamos todos francos, bodes ricos, bodes pobres.” Diante dessa “bodarrada”, desses termos que ora disfarçam, ora descaracterizam, Luiz Gama se dizia apenas negro: “Minha cor não nega.” ✽ LILIA MORITZ SCHWARCZ É PROFESSORA TITULAR DO DEPARTAMENTO DE ANTROPOLOGIA DA USP E AUTORA, ENTRE OUTROS, DE O SOL DO BRASIL: NICOLAS-ANTOINE TAUNAY E AS DESVENTURAS DOS ARTISTAS FRANCESES NA CORTE DE D. JOÃO (COMPANHIA DAS LETRAS)


S6 sabático %HermesFileInfo:S-6:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Resenhas MEU CAMINHO Autores: Edgar Morin/ Djénane Kareh Tager Tradução: Edgard de A. Carvalho e Mariza P. Bosco Editora: Bertrand (378 págs., R$ 45)

O COMPLEXO PERCURSO DE EDGAR MORIN Em Meu Caminho, que traz entrevistas concedidas a Djénane Kareh Tager, o pensador aborda intimidades e reflexões ERNESTO RODRIGUES/AE – 17/7/2009

ANDREI NETTO CORRESPONDENTE / PARIS

m 22 de maio, Edgar Morin, era o convidado de honra do Espaço Ricard, galeria de Paris na qual todos os meses seu amigo Michel Maffesoli realiza o evento Convite ao Imaginário. A discussão se dava em torno do livro de Ali Aik Abdelmalek, Edgar Morin, Sociologue de la Complexité (2010). Morin não resistiu e ironizou: “Estou contente de estar aqui, nessa homenagem póstuma”. Aos 89 anos, aquele que por certo é o pensador vivo mais importante da França desfruta de uma onda de seminários, colóquios e lançamentos de livros a seu respeito. Nos que comparece, se permite entrever que o corpo já não tem a mesma força, deixa claro que a mente está indefectível. E, ao gozar de toda sua capacidade de reflexão, Morin oferece a seus leitores e ouvintes o privilégio de fruir de sua crítica complexa e, ao mesmo tempo, de uma reconstituição autobiográfica minuciosa. Essesdoiselementospodemserencontrados em Meu Caminho, obra fundamental para quem pretende conhecer a origem criativa do pensador da complexidade. Lançado em 2008 na França, o livro é fruto de uma série de entrevistas concedidas à jornalista Djénane Kareh Tager, especialista em arrancar depoimentos instigantes. Meu Caminho tem, sobretudo, um grande mérito: revela a gênese da obra de Morin, um conjunto de mais de 50 livros, dos quais uma dezena por certo serão lembrados pela História. Explorar os meandros da vida pessoal do sociólogo não chega a ser um tema inédito. Ele próprio o havia feito em Vidal et les Siens (1989), no qual se refere à trágica perda da mãe, Luna, aos nove anos, e à relação contraditória que estabelece com o pai, Vidal, a partir de então. Também seu percurso intelec-

E

CULTURA EM VASTO MOSAICO Coletânea ilumina diversos aspectos da história dos judeus da diáspora europeia

LUIS S. KRAUSZ

tual já havia sido explorado em obras como Journal de Californie (1970) e Mes Démons (1994).EmMeu Caminho,entretanto, oleitor podecruzar,emumsólivro,segredosdoindivíduo com os conceitos de um intelectual que vai se tornar um mito. Não bastasse seu valor documental, Meu Caminho é delicioso. Morin se mostra à vontade, desarmado, pronto a revisar seu percurso com um olhar crítico aguçado sobre si mesmo, mas com imensa ternura. O capítulo sobre Luna, que abre a narrativa, revela que o adulto que recusou os maniqueísmose as metanarrativasseforjoua partir de um menino inconformado pela perda precoce e vitimado pela amargura dos sonhos com a mãe. “Desde então, até hoje e até o dia de minha morte, a cada lua cheia no céu, murmuro o canto sagrado Casta Diva, a ela (a lua) dedicado na ópera Norma”, conta, compartilhando a dor não superada. A desenvoltura de Morin nos permite des-

ram de se combater e combinar em mim; eles são simultaneamente antagônicos e complementares”, explica. Por outro lado, tão fascinante como a vida pessoal é descobrir, uma a uma, a origem de seus livros, desde O Ano Zero da Alemanha (1946), seu primeiro trabalho. Sem falar de seus encontros e desencontros, que vão dos puramente imateriais, que tivera com filósofos como Hegel e Marx, aos físicos, que vivera com Heidegger ou Bourdieu. Em Meu Caminho, Morin lança luzes sobre sua estrada e reitera a seus leitores a força da ética, da autocrítica, da razão sensível, da coerência, da convicção pessoal na formação de um pensador irrepreensível. Diz ele, elucidando sua humildade: “Quando os filósofos descem de sua torre de marfim ou os cientistas transpõem os limites de seu campo de ação especializado para defender ideias de valor cívico, social ou político, convertem-se em intelectuais”

MIL ANOS DE CULTURA ASQUENAZE Organizadores: Jean Baumgarten, Rachel Ertel, Itzhok Niborski e Annette Wieviorka Editora: Editora do Bispo (664 págs., R$ 110)

ALFRED E EMILY Autora: Doris Lessing Tradução: B. Vieira e Heloisa Jahn Editora: Companhia das Letras (272 págs., R$ 49)

hebraico, matriz das multifacetadas culturas judaicas que se desenvolveram na Europa, absorvendo e reagindo aos impactos das transformações políticas e espirituais que se processaram no continente com o passar dos séculos, e travando com as culturas europeias longo diálogo, desenhado por um movimento pendular entre integração e exclusão. Em vez de pretender esgotar um assunto tão vasto, esta obra ilumina uma longa série de aspectos particulares de seu tema central e está organizada em torno de seis núcleos. É antes um grande mosaico do que um tratado exaustivo e é também um panorama dos estudos judaicos hoje. Esta abordagem parece apropriada ante as dimensões do assunto, e ante o caráter fragmentário da própria história e cultura dos judeus da diáspora europeia, dispersos entre as nações, divididos entre especificidades regionais e uma identidade coletiva desterritorializada. Se há algo de aleatório na seleção e organização dos ensaios, assinados, sobretudo, por professores universitários franceses, mas também dos EUA, Alemanha e Israel, isto é inevitável diante da crescente especialização do mundo acadêmico. Os textos são precisos e academicamente impecáveis, e dirigem-se a um público amplo. O livro, assim, funciona tanto como obra de leitura e divulgação quanto como ponto de partida para pesquisas mais aprofundadas. A lucidez dos organizadores e dos autores, porém, esbarra numa tradução para o português que, nos primeiros dois terços do livro, está coalhada de erros e carece de revisão, o que lamentavelmente exige do leitor paciência, condescendência, além de espírito investigativo.

da. Os arcos de seus livros são claros: nasce a ideia; nasce um novo humano pela paixão por essa ideia; o mundo revela o idealismo dessa pessoa; o mundo destrói e dilacera essa pessoa. Sendo Doris Lessing tão Doris Lessing, Alfred e Emily possui todo fel característico da autora. A estrutura narrativa é engenhosa: as vidas de Alfred e Emily, os pais de Lessing, merecem dois tratamentos. Na primeira metade, ela reinventa a vida de seus pais dando-lhes um passado feliz e satisfatório – joga com os talentos que tinham e especula como seriam prósperos se não tivessem sido esmagados pela 1ª Guerra. Vida burguesa, amores furtivos, conforto e senso de satisfação recebem um tratamento generoso e, até certo ponto, paródico e farsesco que esconde um tremendo senso de ironia. A segunda parte do livro é o ensejo venenoso da guerra: o passado verdadeiro, a sina, a doença: a vida colonial em Rodésia do Sul, a frustração com a fazenda, o profundo desamor do casal, o cotidiano mitigado e, principalmente, o envenenamento do afeto da filha que cresce odiando os pais. Em tempos de tedioso bom-mocismo, Lessing se mantém como um saudável anacronismo. Esse jogo de contrarrelato possui um efeito narcotizante porque, no fundo, esse belo quadro que Lessing constrói na primeira metade do livro, apesar de ser diretamente endereçado à sua dor pessoal, à sua relação com seus pais, acaba por englobar todo um sentido exemplar: de toda uma geração que foi arrancada de seus destinos naturais para a fatalidade da guerra e do colonialismo. Aí que nasce o engenho tosco de Lessing: se ela apenas escrevesse o que realmente aconteceu, sem estabelecer um contraponto, a estória infeliz de seus pais jamais tomaria a força trágica que adquire após o final da leitura do romance.

il Anos de Cultura Asquenaze é u m a obra coletiva que descreve u m a multiplicidade de aspectos históricos, religiosos, sociais e culturais do universo judaico que floresceu na Europa Central e do Leste, a partir da Idade Média, e que desapareceu ou dispersou-se pelo mundo em decorrência da 2.ª Guerra. O termo hebraico Ashkenaz originalmente designava a Alemanha, região que, durante a Idade Média, abrigou uma comunidade judaica numerosa e culturalmente expressiva, que posteriormente se deslocou em direção ao Leste da Europa, levando consigo seu idioma, o iídi- ✽ che – basicamente o alemão medieval im- LUIS S. KRAUSZ É PROFESSOR DE LITERATURA pregnado de vocábulos hebraicos, ao qual, HEBRAICA E JUDAICA DA UNIVERSIDADE DE com o passar dos séculos, foram incorpora- SÃO PAULO E AUTOR DE AS MUSAS: POESIA E dos termos eslavos. Este idioma foi, com o DIVINDADE NA GRÉCIA ARCAICA (EDUSP)

M

cobrirseupartoinextremis,quandoseaproximou da morte ao ser estrangulado pelo cordão umbilical. “Desse nascimento, conservo um sentimento de sufocação que por vezes tomacontademim”,diz.Opassardaspáginas permite associar os fatos de sua infância e juventude às suas obsessões de homem maduro. Assim, como se o testemunho fosse uma referência permanente à interdisciplinaridade preconizada pela série O Método (1977-2004), o leitor é levado a estabelecer os vínculos entre o parto de alto risco e seu mergulho na resistência francesa, quando arriscara a vida para libertar a Europa, ou na elaboraçãodeOHomemea Morte(1957),queconsidera sua obra “mais significativa”. É saboroso descobrir que livros acessíveis a todos nós, como Ressurreição, de Tolstoi, e Crime e Castigo, de Dostoievski, foram textos cruciais em sua vida, capazes de formar o ethos de um intelectual respeitado em todo o mundo. “Ceticismo e fé não cessa-

RELATO DE UMA DISTOPIA Alfred e Emily, de Doris Lessing, fala dos pais e do surgimento de sua vocação

VINICIUS JATOBÁ

oucos autores são tão obcecados quanto à inglesa – nascida na Pérsia – Doris Lessing. Ganhadora do Prêmio Nobel de Literatura de 2007, ela escreve, por mais de meio século, o mesmo livro – e Alfred e Emily é mais um exercício de investigação sobre a origem da vocação. Os livros de Doris Lessing são rudes narrativas que dramatizam esse momento básico da vida humana: como brota uma ideia? Seja o nascer da relação do corpo com a política em O Carnê Dourado, ou a vida deformada de ideologia de O Sonho Mais Doce, a magia de Eros em Amor, De Novo ou as agruras da vocação literária em suas memórias, Lessing está sempre pesquisando esse sentimento de origem que o ser humano funda em total autoengano quando se propõe a construir sua vi-

P

✽ VINICIUS JATOBÁ É CRÍTICO LITERÁRIO

Ponto alto. “Quando os intelectuais descem da torre de marfim e defendem ideias de valor social convertem-se em intelectuais”, acredita Morin


%HermesFileInfo:S-7:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

sabático S7

COLEÇÃO DE AREIA Autor: Italo Calvino Editora: Companhia das Letras Tradutor: Maurício Santana Dias (232 págs., R$ 39)

REPRODUÇÃO

UM OLHAR PRECISO SOBRE O ESSENCIAL Mostras, livros e viagens são assuntos de Coleção de Areia, que reúne textos breves de Italo Calvino “Nós e amarrações”; “ Escritores que desenham” –, bem como os títulos da segunda e terceira partes, “O raio do olhar” e “Relantes de ad- tos do fantástico”, agora sobre livros escoquirir fa- lhidos por Calvino, para darem uma idéia ma interna- da “necessidade de transformar o escorrer cional co- da própria existência numa série de objem o u m tos salvos da dispersão”. E, ainda, para dos maio- que “talvez fixando a areia como areia, as res escrito- palavras como palavras, possamos chegar res do sé- perto de entender como e em que medida culo 20, o mundo triturado e erodido ainda possa Italo Calvi- encontrar nelas fundamento e modelo”. A quarta e última parte do livro, chamano (1923-1985) já havia sido, durante muitos anos, leitor da editora Einaudi e colabo- da “A forma do tempo”, que é também sua rador assíduo dos principais jornais italia- culminação, consiste em impressões das nos, atingindo assim – tanto nos seus arti- viagens que Calvino empreendeu no Jagos como na sua prática de descobridor de pão, México e Irã entre 1975 e 1976. Obviatalentos – uma precisão surpreendente pa- mente, não se trata de impressões quaisra detectar as essencialidades das obras, quer. É uma verdadeira descoberta dos traque seu faro o levava a escolher, muitas ve- ços que constituem, para ele, a essência de cada país, tais como se configuraram duzes escondidas em perante os séculos/milêquenos detalhes de nios de seu passado e conteúdo ou de estilo. tais como se veem É isso o que ele faz nesExperiente,**ele se deixa ameaçados pelo futute livro, saído, na Itáenvolver pela ambiência ro próximo. Um escrilia, um ano antes de dos lugares que visita, tor consumado como sua morte e que – junCalvino sabe se deixar tamente com Assunto estabelecendo relações envolver pela ambiênEncerrado (Una Pietra com o que ocorre por lá cia dos lugares que viSopra, 1980), ambos sita, estabelecendo republicados no Brasil ** lações com as coisas pela Companhia das Letras – ele considerava a parte de crítica que ocorrem sob seus olhos. Em Tóquio, é “de literatura e sociedade” mais represen- uma velha senhora de quimono violeta, tativa de seu percurso intelectual. Os dez tratada com devoção por uma jovem cheia primeiros escritos de Coleção de Areia, divi- de graça e civilidade no mesmo trem em dido em quatro partes, são, na verdade, que homens de negócios folheiam sofregacrônicas de visitas a curiosas exposições mente sobre os joelhos dossiês de balannos museus ou galerias parisienses que, de ços financeiros. Já em Kyoto, as velhas noalguma forma, o impressionaram. Bastam dosas se assemelham às árvores anãs, sealguns temas – “A América vista pela Euro- gundo a tradição do bonsai, num jardim pa”; “Cartas e figuras da terra”; “O nasci- que permanece sempre o mesmo onde, semento da escrita”; “A imprensa marrom”; cundando a paixão japonesa pelo pequeno

AURORA FORNONI BERNARDINI

A

JACK KEROUAC AND ALLEN GINSBERG: THE LETTERS Organizadores: Bill Morgan e David Stanford Editora: Penguin (Importado, 512 págs., US$ 23,10)

CARTAS BEATS NA ESTRADA Correspondência entre Jack Kerouac e Allen Ginsberg revela universo dos poetas

JANET MASLIN THE NEW YORK TIMES

uitas das cartas trocadas entre os escritores Jack K e rouac e Allen Ginsberg foram parar nos arquivos de diferentes universidades. As do primeiro, na Columbia; as do segundo, na Universidade do Texas. E lá permaneceram durante décadas, não sem uma boa razão. São cartas prolixas, desconexas, visionárias e impenetráveis; mas também agudas, lúcidas, engraçadas, ternas, íntimas, tagarelas, exultantes e honestas. A energia indomada de sua comunicação inicial vai se ossificando lentamente no discurso dessas eminências demasiado atarefadas com sua fama para serem amigas. Como Kerouac previu ao amigo de ambos e mentor, Lawrence Ferlinghetti: “Algum dia ‘As Cartas de Allen Ginsberg a Jack

M

THE TYPEWRITER IS HOLY Autor: Bill Morgan Editora: Free Press (Importado, 352 págs., US$ 23)

Kerouac’ farão a América chorar.” Na atraente coleção que intitularam Jack Kerouac e Allen Ginsberg: The Letters, os organizadores Bill Morgan e David Stanford definem um território literário bem distinto. Eles fazem isso apesar do fato de Kerouac e Ginsberg serem exuberantes autores de uma vasta correspondência, de cada um se corresponder com inúmeras pessoas e de uma grande quantidade de outras cartas que apareceram em outros lugares. Mas a ênfase desse livro está na intensidade e na paixão das extensas conversações entre dois escritores. É incrível como eles escreviam cartas expansivas, com penetrantes análises mesmo quando estavam fisicamente muito próximos, sem falar nos longos períodos vividos na estrada. Nelas o elo da amizade está plenamente preservado, desde os excessos arrogantes da faculdade até a correspondência mais fria, arruinada por causa da fama nos últimos anos. Cada um deles era um importante crítico da obra do outro. Em parte porque Morgan já havia explorado este filão para outros livros – como a biografia de Ginsberg, I Celebrated Myself, e os guias do turismo literário dos beats em Nova York e São Francisco – e escrito uma pesquisa condensada, mas ampla, sobre a história dos beats, intitulada The Typewriter Is Holy, este é um livro que tenta destacar a importância dos consideráveis tentáculos e do vasto legado cultural dos beats. Morgan diz que descobriu dois tipos diferentes de pessoas interessadas nos beats: os que não sabem nada a seu respeito e os que sabem tudo. The Typewriter Is Holy agrada deliberadamente a ambos. E, com a edição das cartas, estabelece um diálogo sobre o vigor do movimento beat: se um livro mostra o que o gerou, o outro explica por que não desapareceu. / TRADUÇÃO ANNA CAPOVILLA

Expressão. O autor considerava esta uma de suas obras mais representativas

que dá a ilusão do grande, nenhum elemento jamais prepondera sobre o outro e o templo de madeira nos pode ensinar que “para entrar na dimensão do tempo contínuo, único e infinito, o único caminho é

passar pelo seu contrário, a perpetuidade do vegetal, o tempo fragmentado e múltiplo do que se alterna, se dissemina, brota, resseca ou apodrece”. No México é uma árvore (uma superárvore) que, por meio de um caótico desperdício de forma e matéria, o leva a duvidar – a ele que sempre visou a concentração para um fim – se a transmissão do sentido não se asseguraria, ao contrário, na redundância, na imoderação do manifestar-se. Mas aquilo que parece se aproximar é o corte de todos os ramos, um a um ou todos juntos, a iminência de catástrofes nas quais já não há mais destruição e renascimento num ciclo sem fim, onde hoje “outros Deuses falam por meio de nós, conscientes de que tudo o que termina não regressa”. Da mesma forma, no Irã, o que ilumina sua visitação é uma moldura em relevo, arrematada por uma arquitrave com um friso perfurado como uma renda, com inúmeros efeitos de emaranhamento e saturação (competentemente rendidos em português pela tradução atenta), sobre um fundo em arco encavado e minuciosamente esculpido: o mihrab, o nicho que, nas mesquitas, indica a direção da Meca. E o que se vê dentro desse arco no interior de todos os arcos? Nada: a parede nua. Pois bem, aquele algo que se revela inexistente no fundo do mihrab leva o autor a compreender a importância dos espaços vazios. E mais: que “a ideia de perfeição que a arte persegue, a sabedoria acumulada na escritura, o sonho de contentamento de todo desejo que se exprime no esplendor dos ornatos, tudo remete a um só significado, celebra um só princípio e fundamento, implica um objeto único e último. Um objeto que não existe”. Donde a verdadeira substância do mundo ser dada pela forma cava. Mas, o que chega hoje do Irã são imagens bem diferentes, imagens “sem espaços vazios, apinhadas de multidões, de gritos, de gestos ritmados, escurecidas pelo preto dos mantos que se estendem em cada canto, carregadas de uma tensão fanática sem trégua nem respiro”. Nada disso havia visto Calvino, ao perscrutar o mihrab. ✽ AURORA FORNONI BERNARDINI É PROFESSORA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM TEORIA LITERÁRIA E LITERATURA COMPARADA DA USP

Estante

SALOMÉ Autor: Oscar Wilde Tradução e apresentação: Ivo Barroso Editora: Berlendis e Vertecchia (96 págs., R$ 32) A edição traz a versão direta da peça escrita em francês pelo inglês Oscar Wilde, publicada originalmente em 1893. Inclui iconografia com obras sobre a histórica personagem.

OS MELHORES ANOS DE NOSSAS VIDAS Autor: Domingos Oliveira, Joaquim Assis e Lenita Plonczinski Editora: Civilização Brasileira (196 págs., R$ 27,90) Escrita para a TV e adaptada a partir de duas peças de Oliveira, mostra o cotidiano de adolescentes da classe média carioca nos anos 50.

MELHORES POEMAS Autor: Armando Freitas Filho Organização e apresentação: Heloisa Buarque de Hollanda Editora: Global (192 págs., R$ 37) Primeira antologia brasileira do poeta carioca que, desde 1963, influenciado pela poesia de Drummond e Bandeira, tem livros publicados no País.

A PLEBEIA Autora: John Burnham Schwartz Tradução: Débora da Silva G. Isidoro Editora: Ediouro (288 págs., R$ 39,90) Uma jovem que virou princesa no Japão pós-2ª Guerra teve, com isso, a liberdade sufocada por tradições reais. Agora, se vê na posição de ter de convencer outra plebeia a casar com seu filho.

O DIA DOS BÁRBAROS Autor: Alessandro Barbero Tradução: Maria Cecilia Casini Editora: Estação Liberdade (232 págs., R$ 43) Aborda a batalha de Adrianópolis, em 9 de agosto de 378, quando bárbaros vislumbraram a possibilidade de derrotar os romanos.

A REVOLTA DA VACINA Autor: Nicolau Sevcenko Editora: Cosac Naify (144 págs., R$ 37) O estudo de 1984 mostra a especulação imobiliária e a exclusão social por trás da reforma urbana promovida no Rio pelo prefeito Pereira Passos, durante a campanha de vacinação contra a varíola.

THE PASSAGE Autor: Justin Cronin Editora: Orion (Importado, 688 págs., R$ 52,40) Uma brecha no sistema de segurança norteamericano permite a liberação de um monstruoso produto de um experimento militar e, com isso, poucos sobreviventes terão de encontrar a saída para um destino melhor.

BLOCKADE BILLY Autor: Stephen King Editora: Simon & Schuster (Importado, 144 págs., R$ 36,43) William “Blockade Billy” Blakely é um ídolo totalmente esquecido do beisebol – sua existência foi removida de qualquer registro sobre o esporte devido a um grave segredo que ele escondia.

OS LANÇAMENTOS IMPORTADOS PODEM SER ENCONTRADOS OU ENCOMENDADOS NA LIVRARIA CULTURA DO CJ. NACIONAL: AV. PAULISTA, 2.073, TEL. (0--11) 3170-4033

BOLSO Um General na Biblioteca, coletânea de 32 narrativas de Ítalo Calvino, está voltando às livrarias em versão pocket (Companhia de Bolso, 240 págs., R$ 24,50, tradução de Rosa Freire d’Aguiar). Os textos foram escritos ao longo da vida do autor e reunidos por sua viúva, Esther, após sua morte, em 1985.


S8 sabático %HermesFileInfo:S-8:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

Quadrinhos Convidado da Flip, o americano Gilbert Shelton, um dos precursores dos cartuns underground da década de 60, afirma que desenhar não é seu forte e que em HQ ilustração importa menos que roteiro

O VERDADEIRO FREAK BROTHER

REPRODUÇÕES

Parcerias. Desde 1974, ele prefere dividir a prancheta com outros artistas, “para que a produção flua melhor”

CRUMB EM SÃO PAULO Quem perder a mesa de Robert Crumb e Gilbert Shelton na Flip terá uma chance de vê-los em São Paulo, mas é bom se preparar para algum tumulto. Os cartunistas estarão no dia 10 à noite na Livraria da Vila da Fradique, em evento organizado pela Conrad.

RAQUEL COZER

uasemeio séculocomo cartunista rendeu a Gilbert Shelton um lugar entre os pioneiros das mente Lora”, diz, sobre a mulher, que abriu HQs underground e por lá uma agência literária e hoje tem entre tambémcaixasecai- seus clientes a família Crumb – a filha do xasdematerialinédi- casal de cartunistas, Sophie Crumb, tamto. Elas o acompa- bém enveredou para os quadrinhos e terá nham desde Nova um livro publicado em novembro. York, onde, em 1962, publicou os primeiros desenhos como Ironia. Shelton e Crumb se conheceram em profissional, e ganharam volume em Paris, 1969, em Nova York, quando ambos já ticidade em que se instalou há 25 anos com a nham criado alguns de seus personagens mulher, a agente literária Lora Fountain. mais famosos. O primeiro de Shelton, WonNos últimos tempos, Shelton andou reven- der Wart-Hog, paródia do Super-Homem, dooconteúdo.Imaginatermaterialsuficien- apareceu numa publicação juvenil em 1962, te para um livro autobiográfico, que interca- mas só seis anos depois os Freak Brothers o lehistóriascuriosaseilustrações –umaespé- colocariam entre os grandes do gênero. Nacie de caderno de recortes, como define –, quelemesmoano, em1968,Crumb,jáconhemas ainda não falou sobre a ideia com os cido por Friz the Cat, reuniria artistas da coneditores. “Acho que pode ser interessante”, tracultura no primeiro número da revista avalia, antes de uma breve pausa. “Mas não Zap Comix. Por ter alcançado a fama depois do amigo, apesar de ser três anos mais velho, sei. Talvez as pessoas achem entediante.” Difícil acreditar na segunda hipótese. Tra- otexanodizsesentirum“protégé”deRobert ta-se, afinal, do pai de Fat Freddy, Phineas e Crumb. “Ainda me impressiono com o estilo Freewheelin’ Franklin, trio de maconheiros dele. É difícil dizer. Nós dois temos as mesque resumiu, nas histórias de Fabulous Furry mas influências, mas ele é diferente porque... Freak Brothers, a psicodelia e o desbunde rei- Ele desenha tanto. É muito melhor que eu. É nantes entre a juventude mais avançadinha como estudar um idioma ou uma música. dos anos 60 e 70. Acontece que Shelton sem- Quanto mais você pratica, melhor você é.” E Shelton não gosta muito de praticar. Em pre fez questão de negar a crença pública de queseuspersonagensmaisconhecidosrefle- 1974, já com bom status como criador de titissem seu estilo de vida. Nada que o cartu- ras e livros de quadrinhos, resolveu que precisava de ajuda e convinistatenha contraamadou o artista e escritor conha, mas ele costu** Dave Sheridan para trama argumentar que, se “Não sou nada prolífico, balhar com ele nos lia consumisse na mesTenho mais interesse em vros que saíam por sua ma quantidade dos percontar boas histórias”, própria editora de funsonagens, não estaria do de garagem, a Rip em condições de condiz o cartunista, que vive Off Press. Desde então, tar a história. E, bem, e trabalha em Paris contou com parceiros elechegouemmaioúlticomo Paul Mavrides e mo aos 70 anos e conti** Gerhard Seyfried, com nua na ativa, ainda que quem passou a intercanum ritmo de trabalho lar criação de roteiros e ilustrações. bem menor que nos áureos tempos. Por quê? Porque ilustrar, explica o pai dos No próximo dia 3, o artista desembarca no Brasil com a mulher e o casal Aline e Robert Freak Brothers, não é algo que goste tanto de Crumb para um temporada de seis dias em fazer. “Não sou prolífico, em especial na Paraty. Ao lado do amigo e criador dos céle- comparação com o Crumb, que é um desebres Fritz the Cat e Mr. Natural, participará nhista compulsivo. Eu trabalho em projedaquela que é uma das mesas mais concorri- tos específicos. Tenho mais interesse em das da oitava edição da Flip, no dia 6. “Vi na contar boas histórias, piadas. Desenhar televisãoumdocumentário sobreParaty,en- não é meu ponto forte.” Com as parcerias, tãoagoraseicomoéacidade,uma coisacolo- sentiu o trabalho fluir mais rápido, o que nial”, diz Shelton em conversa por telefone lhe deu liberdade para focar mais nos roteicom o Sabático, a fala tão pausada que por ros. A avaliação dele é a de que a história vezesdáaimpressãodeterconcluídooracio- importa mais que a ilustração numa tira. cínio quando, na verdade, está apenas pen- “Se você tiver uma boa história e um desesando na melhor palavra a usar em seguida. nho ruim, a tira será boa. Mas, se a história “A arquitetura antiga me lembrou muito as não for boa, não haverá arte que a segure.” Seja como for, Shelton sabe dizer muito construções espanholas do México.” Ao contrário deCrumb, que vive entocado com pouco. Enquanto os quadrinhos undercom a mulher numa vila no sul da França, ground eram combatidos pelos defensores Shelton gosta de viajar. Nasceu no Texas, daordemedos bonscostumes,oartistaresupassou a juventude em Nova York, morou miu em um cartum todo o preconceito com por em Barcelona de 1980 a 1981 e voltou o qual seu trabalho era visto. Numa imagem para a Califórnia antes de se mudar de vez de página inteira, os três Freak Brothers apapara Paris. Não porque rejeitasse a violên- reciam numa cama com uma mulher nua, cia dos Estados Unidos e o conservadoris- cercados de drogas, bebidas, armas e pôstemo da sociedade americana, como Crumb, res com dizeres na linha “Fuja do alistamenmas por questões profissionais. “Achei que to” e “Trepe pela paz”. Deitada, a mulher viajaria mais, mas começamos a nos envol- dizia: “Uau! Isso foi muito louco! Vamos ler ver em muitos projetos em Paris. Especial- mais umas revistas e começar de novo!!” –

Q

uma ironia escrachada contra a ideia de que HQs desvirtuavam os jovens. “Qualquer assunto pode ser bom, o difícil é tirar uma boa históriadele. O temacentral é menos importante que os detalhes de uma história. Em geral, a grande sacada está escondida sob a superfície da trama. Em HQ, é preciso fazer mais ou menos o que faz um dramaturgo numa peça, colocar os leitores ou o público dentro da história, suspender a descrença deles no que está sendo mostrado e fazê-los entrar no espírito da coisa.” A autobiografia que boa parte de seus contemporâneos explorou nos quadrinhos ele diz ver nas suas histórias só naquele ponto em que “toda ficção inclui algo de autobiográfico”. No caso dos Freak Brothers, afirma: “Se houver alguma semelhança comigo, está muitobemescondida.”Nofundo,eleseidentifica mais é com o quarto personagem da história, o gato de Fat Freddy. O bichano, que apareceu numa tira do trio em 1969, ganhou pouco tempo depois vida e tiras próprias, o Fat Freddy’s Cat. “Talvez eu seja um pouco como os três, mas, vá lá, pareço mais com o gato, que é o mais inteligente deles.” Rock’n’roll. Embora ainda faça de tempos em tempos histórias dos Freak Brothers e do Fat Freddy’s Cat, o cartunista tem se dedicado mais, nos últimos anos, às aventuras do Not Quite Dead, sobre a banda de rock de menos sucesso no mundo. A série foi criada em 1992 e o livro mais recente de um total de quatro, Last Gig in Shnagrlig, saiu na França em2009. Aindanão há nenhuma previsão de que sejaeditada no Brasil. “Preciso falar com meu editor brasileiro”, diz Shelton, ao ser informadodofato.“Vou avisaràminhaagente, que é minha mulher. Ela ficou muito ocupada com o Gênesis do Crumb e me esqueceu”, graceja. A Conrad, que entre 2004 e 2005publicoudoisvolumes doFabulousFurry Freak Brothers, com tradução de Alexandre Matias, afirma que as edições atuais ainda não se esgotaram e que espera vender os exemplaresaindaemestoque durante aFlip. Outro projeto no qual ele se vê envolvido desde 2003 empacou. Naquele ano, a produtora inglesa Bolexbrothersentrou emcontato para transformar uma das histórias dos Freak Brothers numa animação em stop-motion, com bonecos de massinha. O filme leva o nome de uma das aventuras criadas por Shelton para os personagens, Grass Roots, e foi roteirizado por Paul Davis. Na trama, Fat Freddy, Phineas e Freewheelin’ se veem envolvidos com colheitas de maconha geneticamente modificadas, plantadas pelo governo. Um piloto do longa pode ser visto no site www.grassrootsthemovie.com, mas é tudo o que existe de material filmado. “Eles não conseguem dinheiro”, explica o cartunista, queparticipou apenas comoconsultor. Uma das estratégias para reunir os US$ 10 milhões que viabilizariam a obra é o que a produtora chama de “fundo de frame”. O site explica: “Se você quer que seu nome apareça no filme, compre um frame. Doze frames farão seu nome aparecer por meio segundo, o que deve ser visível a olho nu.”

Célebres. Nas duas primeiras imagens, no alto, os personagens da HQ mais famosa; ao centro, o quadrinista por ele mesmo; e, acima, banda da série mais recente, em livro de 2009


%HermesFileInfo:Ca-1:20100724:

CLASSIFICADOS

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

1.8 27

Ofe r nes tas de te c Au ade tos rno

Índice AUTOMÓVEIS Alfa Romeo .................................PÁG. – Audi ..............................................PÁG. 2 BMW ..............................................PÁG. 2 Chevrolet ....................................PÁG. 4 Chrysler .....................................PÁG. 4 Citroën .......................................PÁG. 4 Dodge ..........................................PÁG. 4 Fiat ...............................................PÁG. 4 Ford .............................................PÁG. 4 Honda ...........................................PÁG. 4 Hyundai ......................................PÁG.10

autos

7 8 9 10 11 12

na internet: zap.com.br a e i o u

Jaguar ..........................................PÁG. – Jeep .............................................PÁG.10 Kia .................................................PÁG.10 Land Rover ..................................PÁG.11 Mercedes-Benz ...........................PÁG.11 Mitsubishi ...................................PÁG.12 Nissan...........................................PÁG.13 Peugeot .......................................PÁG.13 Renault .......................................PÁG.13 Subaru ..........................................PÁG. – Suzuki ..........................................PÁG.13 Toyota ..........................................PÁG.13 Troller ..........................................PÁG.14

Volkswagen ...............................PÁG.14 Volvo ............................................PÁG.15 Outras marcas ..........................PÁG.15 Raridades ....................................PÁG.15 Blindados ...................................PÁG.15 Seguros, negócios e consórcios ...............................PÁG.16 Aluguel e veículos especiais ....................................PÁG.16 Caminhões e ônibus ...............PÁG.15 Motos............................................PÁG.16 SERVIÇOS .................................PÁG. –

Paraanunciar

(11)3855-2001


2

%HermesFileInfo:Ca-2:20100724:

a e i o u

Autos

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

OFERTAS EM DESTAQUE A3 SPB 2.0T

R$119.000

09/09 FSI, top de linha, Km 17. 000. ☎ (11) 2141-5833

120I

AUDI

10/11 Cabrio prata p/entrega ___ R$ 176.000,00 Autostar BMW ___ 11 5645-3000 11 3058-8888 / 3372-8888

A3 R$32.500 06/06 prata, impec. Ver em Pinheiros. ☎(11)3815-8022

A3 1.6 R$26.000 01/02 Compl, preto, revis., 9595-6873/4272-0228

A3 1.8 T 02/03 20V, automático, blindado, prata Guardian, bx km, único dono, R$29.000,00. ☎4433-2666 7873-3836

120IA 10/11 , Pronta entrega ________ R$ 130.000,00 Autostar BMW ___ 11 5645-3000 11 3058-8888 / 3372-8888

A3 SPORTBACK R$105.000 09/09 Preto 200CV, Couro Completo 18.59MKm F:3896-2222/3062-8018

130IA 10/10, preta p/entrega _______ R$ 210.900,00 11 3058-8888 / 3372-8888 11 5645-3000

A3 SPORTBACK R$153.000 08/09 Branco S-Tronic, 200CV, Rds 17, Teto Duplo BLINDADO F:3896-2222

320 08/09 TOP prata, modelo novo, 156cv, rodas 17 originais _____ 4.900Km Autostar BMW ____ 5645-3000 / 3044-3344 R$119.000,00

A3 SPORTBACK

320

R$89.900 07/08 Preto S-Line 2. 0T 32.000Km, Completo F: 38962222/3062-8018

06/07 grafite, ú.dono, 33mkm, ☎9941-1879/ 2674-1184 Luis

320I 10/11 pronta entrega ________ R$ 112.500,00 11 3058-8888 / 3372-8888 11 5645-3000

A4 1.8 T 03/03 R$22mil +24x R$ 1.250, preta, (mult-tronic), top de linha, estado de 0Km. Aceito troca! Tr.: ☎ (11)8509-7888/(11)2606-2044

320I JOY

A4 1.8 T

10/11 0k, 5unid. 11 7883-0478

R$37.800 02/02 Preta, compl., partic. Ac.troca (19)3886-4975/ (11)9930-4049 ID 82*47057

325

A4 2.0 T

R$145.000 08/09 Prata Completo 13.500Km Telefone: 38962222/ 3062-8018

R$128.000 09/10 FSI, 183HP, prata ☎ (11) 2141-5833

325I R$125.000 07/08 Preta, 15mkm ☎(11)7809-8181/5093-4543 jordanblindados.com.br

A4 2.0 T R$142.000 08/09 FSI, 214HP, preto, rd 19” do A5, km 15.000 ☎ (11) 2141-5833

325IA 10/11 , Pronta entrega ________ R$ 196.500,00 Autostar BMW ___ 11 5645-3000 11 3372-8888/ 3058-8888

A4 2.8 R$20.800 96/97 V6, preto, aut, super novo, pneus ok. Inacreditável. (11)3872-3167/8259-7388

325IA

A4 3.0

R$24.000 94/94 Ún. dono, estado de novo! (11)3603-0080 hc.

05/05, prata, completo, v6 _____ oportunidade Autostar BMW 3044-3344 / 5645-3000 _____ R$ 70.000,00

A4 AVANT R$159.000 09/09 2.0, T FSI, 214CV, preta, km 6.900 ☎ (11) 2141-5833

325IT 07/08, preto, touring, 218cv ____ único dono, revisada Autostar BMW 5645-3000 3044-3344 ____ R$135.000,00

330I

02/03 Prata, Top, R$62.000 ☎ (11)2914-3122 / 9982-6187

528I TOURING R$36.000 97/98 Verde, ú.dono, 73mkm., completa. Particular!! ☎ (11)7833-5605/(11)2204-9360

A6 3.0

535 GT

09/10 TFSI, Sport, prata top de linha, Km 2.000. ☎ (11) 21415833.

10/11 LANÇAMENTO _______ R$342.400,00 11 3058-8888 / 3372-8888 11 5645-3000

A6 3.0

540IA

R$215.000 09/09 Cinza Turbo Int. Preto 290 Cv Sport Plus Kit S-Line F: 3896-2222/3062-8018

R$67.000 02/03 Azul,novíssima, maravilhosa. Estudo possível troca (11)3872-3167/(11)8259-7388

550 10/11 Lançamento p/ entrega R$397.000,00 Autostar BMW ___ 11-3372-8888 11 3058-8888 / 5645-3000

Q5 R$205.000 09/10 2.0, TFSI, quattro, prata, km. 8.000 ☎ (11) 2141-5833

550I R$220.000 08/09 Prata V8 367cv Interior Preto Painel Black Piano IDrive F: 3682-2222/3062-8018

Q5 R$203.000 08/09 Prata Teto Tração Câmbio Borboleta Completo F: 3896-2222/3062-8018

550IA 09/10, sport edition, preto ____ blindado Autostar 2.500km ____ Autostar BMW 5645-3000 _____ 3044-3344 R$279.000,00

Q7 SPORT UTILITY 08/08 V6 - Ú.dono, 14mkm. Preta. C/ teto/rd 20’. R$ 205mil. Part.

☎(11)9820-7021

750I 09/10 preta 3.600km R$ 480 mil. Stern. Telefone: (11) 3085-5005

AVISO AOS ANUNCIANTES De acordo com a Lei Estadual Nº 13.817, artigo 1º, ficam os anúncios de veículos automotores publicados nos jornais, revistas, periódicos e outros meios de divulgação, obrigados a trazer em seu "corpo" os valores, individualizados, correspondentes aos bens colocados à venda.

ESTADÃO

O ESTADO DE S. PAULO

CLASSIFICADOS


CLASSIFICADOS %HermesFileInfo:Ca-3:20100724:

O ESTADO DE S. PAULO

Sテ。ADO, 24 DE JULHO DE 2010

Autos

a e i o u

3


4

%HermesFileInfo:Ca-4:20100724:

a e i o u

Autos

O ESTADO DE S. PAULO

SÁBADO, 24 DE JULHO DE 2010

OFERTAS EM DESTAQUE PAJERO DAKAR

R$129.870

09/09 Prata Turbo Diesel *Top de Linha* Apenas 12mKm **Na Garantia de Fábrica** Impecável ☎(11)3062-8100

Para anunciar nesta seção ligue (11) 3855-2001 PAJERO DAKAR

R$140.990

09/10 3.2 165CV Turbo Diesel Prata Automática Top de Linha *Apenas 6.500Km = 0KM* . Pronta Entrega *Consulte Temos Opções de Seminovos Mitsubishi ☎(11)5696-9444

760LI

ASTRA SEDAN GLS

CORSA MAXX 1.8

09/10 , única do brasil _______ R$ 630.000,00 Autostar BMW 11-3372-8888 11 3058-8888/ 5645-3000

99/99 2.0, CXV6376, ar, dh, ve, te, kit visib, R$17.990, Sinal São Bernardo. ☎ 4336-8000

05/05 flex, DQH-4516, completo, R$24.900,00. Mix Góias ☎ 4225-5555

MONTANA CONQ R$26.500 08/08 Ú.dono, compl. preta, flex, estado de 0km Ver: R. Estados Unidos, 1700(Trav. R. Augusta)Até às 17h.(11)7486-8322 08/08 1.4, Flex, prata, EBB3340, completo, 55.178km, R$30.900. Hville ☎ 4196-4444

X1 09/10 28 azul, bx km, 6cc 258cv I-drive, est 0km Autostar BMW 5645-3000 / 3044-3344 R$185.000,00

X3 R$110.000 07/07 Preto Sport 218cv rodas 18 Steptronic Completo F: 3896-2222/ 3062-8018

R$39.000 08/08, preta,dir, ar, ú. d, bx km,ótimo estado. ☎(11)3892-9166/9984-1429

R$84.990 10/10 Ecotec, 2.4, preto, bcs de couro. F: (11) 30490500

X5 4.8 SPORT

OMEGA 3.8

03/04, 1.0, DMJ1875, tt, aq, R$18.490,00, Sinal Santo Amaro. ☎5683-9400

R$40.600 04/04 prata, SFI, CD, V6, gasolina, aut., 94mkm. ☎2641-5211 hc/ 9471-3116

08/09 - V6 - preto, 4x2, mais completa único dono, revisada, Autostar BMW 5645-3000 _____ 3755-1011 R$ 82.000,00 09/10 2.4, FWD, at, prata, EDP7519, completo, 7.865km, R$84. 900. Hville ☎ 4196-4444

05/06 20.000km R$ 170mil prata Stern. Fone:(11) 3085-5005

05/06 Alcool, DGU-9810, Te/Tt, R$19.500,00. Mix Góias ☎ 4225-5555

PRISMA MAXX 06/07 1.4, flex, prata, DTQ-5498, dh+tt+aq, 61.313km, R$25.900. Hville ☎ 4196-4444

09/10 50 preto, 11.000km, 407cv, tv bi turbo, est 0km, oport., _____ Autostar BMW 5645-3000 _____ 3044-3344 R$355.000,00

Z4 09/10, preto, modelo novo, _____ estado 0km, oportunidade ! 5645-3000 / 3044-3344 R$199.000,00

CAPTIVA SPORT R$80.000 08/09 Azul Ejc-8783 6.900km / Único Dono /Fwd Morumbi

CORSA SED CLAS-1.6

R$38.000 08/08 4x2 Turbo diesel, CS, prata, ú.d, ótimo estado. ☎(11)3892-9166/9984-1429

CORSA SED LIFE

S10

08/09, 1.0, EAM6731, tt, R$24. 990,00, Mix Leste ☎ 2090-4711

R$35.000 07/07, branca 4x2 Turbo diesel, CS, ú.d, ótimo est. ☎(11)3892-9166/9984-1429

☎(11)2122-0600

S10 R$45.000 07/07,CB branca 4x4 Turbo diesel,ú.d, ótimo est. ☎(11)3892-9166/9984-1429

CELTA 0 4 / 0 4 Azul,DH,AR,VE,TE,Lt,DT,Placa 2054,Consulte:5538-5000

CORSA WIND R$12.700 99/99 4pts, ú.dono, ☎(11)2912-8932/ 9988-3891 R$10.500 96/96 ún. dono, 62mkm, pl final 5, vermelho, ☎(11)2274-7410 / 9276-5454

CELTA LIFE 1.0

MERIVA 1.8

10/11 Preto. R$7.800 + divida. (Deixo pagar em meu nome). ☎(11)3715-0419/7534-1104

08/09 expression - easytronic, flex, cinza, EEV-9584, completo, 21. 698km, R$40.900. Hville ☎ 4196-4444

CELTA LIFE 1.0 R$15.800 06/07 2p, branco, Flex. rev. úd. 2258-5000/8948-7000

CELTA SPIRIT R$16.000 05/05 2P, gasol., 48mkm, vermelho. ☎ (11) 22948367/ 8070-3218 c/ JJ

CELTA SPIRIT 1.0

R$16.500 05/06 prata, 4pts. ☎ (11)5541-7552/(11)7349-1690

CELTA SPIRIT 1.4

AGILE

06/06 1.6, flex, preto, completo, 28.000km, nova Inter Japan. ☎ 3648-4900

VECTRA GLS 2.0 97/97, prata, R$8.490, oportunidade empresa vende c/ doctos ok. 11 3867-3843

R$26.500 07/07 Branca, flex + GNV, compl, úd,super conservada. (11) 9801-3165/2291-3767/

MERIVA 1.8 02/03, cza, compl. +rds/CD. $23. 900. F:3806-0761/ 9945-9945.

R$46.000 08/09 Preto, automático, 2.900km. Igual OKM! Partic. ☎(11)9950-1173/3256-5996

04/05 Prata,VV,Térmico Traseiro,Placa 5095,Fone: 5538-5000.

10/10 LTZ completo + piloto aut., banco de couro, MP3, freios ABS R$37.900. ☎ 3484-7599 Júnior

S10 EXECUTIVE R$57.800 09/09 único dono, 26mkm ☎(11) 9686-9886

TIGRA

VECTRA CHALLENGE 01/02 2.2, EEN-6886, ar digital/ completo, R$22.900,00. Mix Góias ☎ 4225-5555

☎(11)2100-0800 ASTRA ELEGANCE 05/06, Único dono, direção hidráulica, trio elétrico, ar digital. R$30 mil. ☎ 7720-4679 Marcos

CORSA CLASSIC 1.6 05/05 automático, ú.dona, 40mkm orig., dh., muito novo, cinza, 1º que ver compra. Part. Urgte ☎(11)2748-5622/ 9261-0710

CORSA CLASSIC LIFE 1.0 R$21.900 06/07 Sedan, flex, completo, cinza, troca e financia TOYOTA CALTABIANO POMPÉIA AV. FRANCISCO MATARAZZO, 2000 F: (11) 3670-4500

☎(11)2100-0800 MERIVA PREMIUM R$45.800 09/10 Flex preto , completo, autom., 9.600km, estado de novo, Ipva/ licen pgs ☎(11) 5521-5966 hc Sr Edimo / Sergio

MERIVA PREMIUM 09/10 easytronic, 1.8, flex, preta, EIU-0698, completo, 15.598km, R$44.900. Hville ☎ 4196-4444

VECTRA ELEGANCE R$40.500 07/08, preto, mec, ac. troca e fin. Tr. ☎ (11) 2903-4545

R$29.000 04/05 azul, 4 p., compl. ú.dona. todas rev. conc., 50mkm. ☎ (11) 5565-2682/ 9761-6622

ASTRA ELITE

VECTRA ELITE R$60.000 06/06 Roda 17, compl, blindado. ☎(11)3729-4495/

☎(11)7747-0400

VECTRA EXPRESSION R$51.990 10/11 Pint. Metálica, cód. R8E, air bag duplo, ar digital, conjunto elétrico. Chassi B145044. Conc. GM ☎ 4689-4400

VECTRA EXPRESSION

CORSA HATCH 1.8

R$32.000 04/05 Automático, Flex prata, baixa km ☎ (11)99926880/5561-7674 c/ Paulo

R$21.500 03/03 Cinza,4pts, ar, dh, ve, te, couro, ú.dona, 50mkm orig. Impecável.☎2061-3421 part

ASTRA HATCH 2.0

CORSA HATCH MAXX 1.0

R$23.200 04/04 Aut. Ac. troca! (11)7864-8691/(11)5851-4527

R$23.800 06/07 Vermelho, údª, part., 4p, dh. ☎(11)3904-5885

ASTRA SED ELEGANCE

CORSA HATCH MAXX 1.0

R$29.900 05/06 Flex, ar dig., 2º dono, prata ☎(11)4177-2353 1 ZAP id. CTN7A08O

R$26.800 06/07 Prata Completo Flex Revisado c/Garantia Troco/ Financio F: 3675-0655

VECTRA EXPRESSION MERIVA PREMIUM 08/08 Cinza Easy Tronic completa top de linha ún dono F:34874650 / 7194-3847

09/10 2.0, flex, prata, completo, couro, 2 anos garantia R$48.900, novo. Financiamos. Troca c/ troco.

MERIVA PREMIUM R$33.800 06/06 Compl. + air bag duplo + ABS, prata, único dono. ☎ (11) 9984-1517/ 4229-5140

MONTANA CONQ R$29.000 09/09 Preta, compl (11)9735-1481/(13)3427-5441

ASTRA SEDAN CD

MONTANA CONQ

03/03 prata, compl, semi novo, 49.050Km, pns novos, carro de garagem R$15.000 + dívida. Ac troca ☎5560-2795/8225-5791

R$27.500 09/09 1.4 26mkm, cinza, dh, ve, te, al, prot. caç. , cap. som, manual. ☎ 4330-5238/ 6449-0329 (SBC)

☎(11)2100-0800 VECTRA EXPRESSION R$48.000 09/09 2.0 Flex, autom., rodas, cinza prata, 17mkm, garantia. Part. ☎ 3131-9500 h.c.

VECTRA GLS R$12.000 96/96 Compl, azul. ☎9131-6402/ 3805-6402

MAREA 2.0

STILO

00/01 couro, prata, compl. (11) 6734-3334 /9524-6740/50493693 Av. Roque Petroni Jr, 180

STILO 1.8

ECOSPORT XLS 1.6

08/09 flex, Dualogic, ELP-1977, ar, dh,ve,te,vv,vtt, lvt, R$43.990, Sinal São Bernardo. ☎ 4336-8000

05/05 preta, DPR-7707, completo, 68.309 Km. R$28.900, Hville ☎ 4196-4444

STILO 1.8

ECOSPORT XLT

05/06, 8V, DRS9294, completo, vet, re.el., b.couro, R$30.990,00, Sinal Santo Amaro. ☎5683-9400

07/08 1.6 Flex. Preta. Apenas 20.000Km. Estado de 0Km. Impecável! ☎(11) 4435-9933.

STILO DUALOGIC

ECOSPORT XLT 1.6

MAREA ELX 2.0 00/00, 20v, cinza, R$6.500, oportunidade empresa vende c/ doctos ok. 11 3867-3843

R$37.500 08/08 Cinza Completo HPOINT Itaim F:3077-1500

RAM CD 09/09 okm, pronta entrega, preta. Última unidade 11 7895-8643

08/09 2.0, flex, preto, compl. rodas, 2 anos garantia $51.900, novo. Financiamos. Troca c/troco

R$109.000 08/08 Diesel, 35mkm, preta,diversos acess.Aut. (11)9990-4121/4712-7054

MILLE FIRE 05/06 1.0, 4p, DRP8165, ltt, R$18.990,00, Mix Leste ☎ 2090-4711

C4 ☎(11)2100-0800 ZAFIRA CD

09/10 GLX 1.6 FLEX Preto Mec Compl Ú.Dono *6.900Km = 0KM* R$48.990, Na Garantia Fábrica RAKKI SUZUKI ☎(11)2526-6000

C4 PALLAS R$44.700 07/08 Prata Dzb9848 Completo / Aut /Exclusive 20.000km Morumbi

04/04 comp. $28.7. 8304-8714

ZAFIRA COMFORT

07/08 R$41mil. ☎9995-8825

08/08 flex, preto, compl., autom, couro, 2 anos garantia R$48.900, novo. Financiamos. Troca c/ troco

☎(11)2122-0600 C4 PALLAS EXCLUSIVE 08/08, 2.0, Prata, Completo, Autom. Rodas, 2 anos garantia R$ 48.900, novo. Finan.Troca c/troco.

MILLE FIRE

DOBLO ADVENTURE 1.8 06/07 O Hulk é um carro muito especial, que já viveu grandes aventuras comigo e minha família. Espero que a sua também o faça junto com ele! 8V Flex, verde, 50000km, ar condicionado, ar quente, computador de bordo, vidros elétricos, alarme, direção hidráulica,rádio e CD/MP3 player, Ipva pago, vistoriado 2010 ☎(11)3375-7088 - Ana Beatriz R$40.990 1 ZAP id. CTM7A0DD

☎(11)2100-0800 ZAFIRA EXPRESSION R$59.990 10/11 Automática, pint. sólida, cód. R8X, ch. C126698. Air bag duplo, ar digital, conj. elétrico. Conc. GM ☎ 4689-4400

ZAFIRA EXPRESSION R$40.500 07/08 aut, kit gás, branca. 2459-1334/9649-0224

☎(11)2100-0800

GRAND CARAVAN LIMITED R$63.500 04/05 Preta Dpg4963 Km44.000km Completo Morumbi

PT CRUISER R$43.900 07/08 preto, classic 2.4, couro, u. dono ITAMOTORS ☎(11)4166-9999 R$47.900 08/08 Prata, compl. Ac. troca. ☎9986-2547/2818-6002

PT CRUISER CLASSIC R$38.500 06/07 prata, automático,completo, único dono ☎(11)4226-2373/9983-1014

STRATUS LE R$15.000 00/00 Preto,ót.estado ☎ (11)7737-2221 / 3783-5347

09/09 1.4,Flex,3.000km,Preto,DH,AR,Trio Elétrico,Airbag,Couro,Milha,Placa 4652,Consulte:5538-5000.

R$13.000 99/99 4p, cinza ☎2674-6122/8422-6260

08/09 Sporting, flex 1.8 preta, completa, 33.000km ☎ 78966504/ 5523-7336

R$56.000 10/11 0km, licenc., prata, couro, completíssima Part. ☎(11)9933-9659/5681-7352

STRADA

ECOSPORT XLT 1.6

R$26.900 05/06 Vermelho CE 1.4 Completo Revisado c/Garantia Troco/Financio F:5591-0140

04/05 prata, DKG-7657, completo, 50.780km, R$29.900,00. Hville ☎ 4196-4444

STRADA ADV CE

ECOSPORT XLT 1.6

R$23.000 04/04 1.8 compl, údono 56mkm, ar, ve, dh, te, al(11) 4781-6313/(38)9915-2826

R$28.500 04/04 completa. Preta.pneus novos, bem conservada ☎ (11)3177-2963/8765-4719

STRADA ADV LOCKER

F250 XLT

PALIO ELX 1.4

DUCATO MAXI

PALIO FIRE 1.0

R$71.900 07/08 ambulância, compl, 5mkm. (11) 2959-9030

R$21.900 07/07 Prata Flex 4pts Completo Revisado c/Garantia Troco/Financio F:5536-9966

R$17.800 04/05 a qualquer prova. Negocio. ☎ (11)5663-1005hc

R$42.900 09/09 prata, cpl, teto, bluet. 2959-9030/7818-6102

C4 PALLAS GLX

FIORINO FURGÃO

STRADA ADV LOCKER

R$50.000 08/09 aut., Flex, preto, bx. Km. 8269-7726/3493-5846

R$21.900 07/07 Flex. Ac. troca! (11)7864-8691/(11)5851-4527

C4 PALLAS GLX

IDEA ADVENTURE

08/09 Cab. Estendida, prata, EGU-7133, completo, 14.006km, R$41.500. Hville ☎ 4196-4444

R$42.000 07/08 36mkm, preto, aut. (11)9969-0699/3624-7873

R$44.900 08/09 locker, verde, completa, 22.000km. Impecável 2779-6936/ 7121-0122

GRAND C4 PICASSO 08/09 Exclusive. Prata. Apenas 23.000 Km. Estado de 0 Km. ☎ (11) 4435-9933.

PALIO FIRE 1.0

IDEA ELX 09/10 1.4, flex, cinza, completo. 2 anos de garantia R$39.900, novo. Financiamos. Troca c/troco

R$22.000 06/07 completo, flex, ar, dir.,4pts, ve, te, al.,som, preto. ☎(11)7174-6633/5531-8263 R$27.500 09/10 Prata, compl (11)9735-1481/(13)3427-5441

PUNTO ELX

XSARA R$10.500 98/98 SX, verde, única dona, 74.200 km, bancos couro, teto solar, disq, licenciamento pago, inspeção veíc. feita. Osvaldo ☎(11)9986-4399 / 3287-0148. 00/00, prata, R$8.490, oportunidade empresa vende c/ doctos ok. 11 3867-3843

☎(11)2100-0800 IDEA ELX R$31.990 07/07 Completo Flex HPOINT Pinheiros F: 3030-1500

IDEA ELX 05/06 1.4, flex, DQZ-8274, dh,ve,te,vv,vtt, lvt, R$28.990, Sinal São Bernardo. ☎ 4336-8000

XSARA PICASSO EXCLUSIVE R$32.000 06/06 Preta 2.0,automática, completa+couro. ☎ (11)8223-9754/(11)5533-1741

XSARA PICASSO EXCLUSIVE R$25.000 04/05 2.0 úd, autom, cinza, 90mKm, Luis 2095-3119

XSARA PICASSO GLX R$50.900 09/10 2.0, aut., preto, compl., 14mkm, Guilher me ☎(11)8331-4268/5565-5175

IDEA ELX 05/06 1.4, flex, DQZ-8274, dh,ve,te,vv,vtt, lvt, R$28.990, Sinal São Bernardo. ☎ 4336-8000

R$63.500 08/08 Prata, carroc. +ar (11)2436-1311/(11)9972-2887

FIESTA 1.0

STRADA ADVENTURE 09/09, 1.8, flex, cabine estendida, completo, teto, 29.000km. Inter Japan ☎ 3648-4900

UNO MILLE FIRE 03/03 1.0, part. 4 pts., impecável (novíssimo), rds liga, pneus nvs., vinho metál. (+) v.t.e., l.d.t. e seguro. À vista R$14.000 ou Entr. R$4.500 (+) transf. 35x R$410. ☎4122-3509/ 9182-6422

R$31.900 07/08 Preto 1.4 novo HPOINT Morumbi F:3740-1500

PUNTO ELX

F350

FIESTA CLASS 09/09, mod. novo, completo, bx. Km. R. Augusta, 1314 Collection

☎(11)3283-1000

FIESTA HATCH 1.6 R$28.900 08/08 vermelho, Flex, compl, ú dona, 9.500km. Marcia ☎(11) 9929-4142/ 5058-8284

FIESTA PERSONNALITÉ

R$31.900 07/08 1.4 flex, metálico, ar, dh. 35mkm. ú.dono. ☎ (11)3872-3167/(11)8259-7388

COURIER L 1.6

PUNTO HLX

ECOSPORT

07/08 1.8, flex, DWN-3805, ar, dh,ve,te,vv,vtt, lvt, R$38.590, Sinal São Bernardo. ☎ 4336-8000

07/07 Aut gas prata-completa 44000 km R$43.900,00 Autostar Kia 11-5643-3800

05/06 4P, DNE-8153, ve/te/kit visibilidade, R$20.900,00. Mix Góias ☎ 4225-5555

R$18.500 06/06 preto, dh. ☎ 3825-5815

ECOSPORT FREESTYLE R$46.500 09/09 XLT 1.6 Flex, completa, vermelha, úd, 23mKm, part.(11)7421-4988/2950-7514

FIESTA SEDAN 1.6 04/05, DNE7881, ar, dh, ve, te, R$23.990,00, Mix Leste ☎ 2090-4711

ECOSPORT FREESTYLE

XSARA PICASSO GLX 08/08 1.6, flex, prata, completo, couro, 2 anos garantia R$38.900, novo. Financiamos. Troca c/troco.

PUNTO ELX

03/03 prata, ú.d, 60mKm ☎(11)9132-0053/3232-2425

99/99 4P, CSW-9530, dh/ve/kit visibilidade, R$12.500,00. Mix Góias ☎ 4225-5555

PALIO FIRE ECONOMY

R$35.490 08/09 Preto 1.4 Completo Super Novo Sem Detalhes Confira F: 5685-7100

XSARA BREAK GLX

☎(11)2122-0600

PALIO ELX

07/08 ú.dono, compl. R$27.800 ☎(11)9500-0335/ 5599-3332

CARAVAN R$11.900 94/94 Vinho.Ac.troca! (11)7864-8691/(11)5851-4527

04/04, 1.0, 2p, DOR0544, vv, R$15.490,00, Sinal Santo Amaro. ☎5683-9400

08/09 R$40500(15)8118-9856

DOBLO HLX

FIORINO

C3 EXCLUSIVE

R$55.190 10/11 Autom., pint. met., cód. R8F, Ch.B151824, piloto autom., air bag duplo, ar digital, cj. elétrico. Conc. GM 4689-4400

ASTRA ELEGANCE

R$98.500 06/07 preto, cab. dupla, cap. mar., prot. caç., estribo ITATIAIA ☎(11) 4166-9999

RAM CD

ASTRA ADVANTAGE 08/09 Sedan, 2.0, flex, prata, completo, 2 anos garantia R$33. 900, novo. Finan. Troca c/ troco.

RAM

VECTRA GTX

PT CRUISER CLASSIC

R$60.990 10/11 Automático, pint. metálica, cód. PDX, ch. B157284. Air bag duplo, ABS, comp. bordo. Conc. GM ☎4689-4400 08/08 1.8, flex, cinza, completo. 2 anos de garantia R$36.900, novo. Financiamos. Troca c/troco

R$29.500 07/08 Cinza 1.4 flex ac/dh/trio/abd/alarme Troco/Financio até 60x F: 3682-2151

C3 GLX

08/08 2.0 Cinza Mec Top Linha Teto R$46.990, *Impecável!* RAKKI SUZUKI ☎(11)2526-6000

VECTRA ELEGANCE

MERIVA MAXX

C3 EXCLUSIVE

R$34.500 99/99 Vinho. Turbodiesel, completa. Excelente estado. ☎(11)4514-7655/7547-7419

R$35.700 08/08 Prata 1.8 Flex Completo Ac Troca/Financio até 60x. F: 3682-2151

R$8.000 86/87 ☎9995-8825

R$34.900 07/07 Preto Flex 1.6 Completo Revisado com Garantia Troco/Financio F: 5591-0140

08/09, 2.0, flex, 4p, EBY1464, completo, rdl, vet, re.el, fn, ab2, R$42.990,00, Sinal Santo Amaro. ☎5683-9400

S10 2.5 CD

MERIVA MAXX

CHEVY

CORSA CLASSIC

R$50.000 07/08 completa, 9mkm, original, único dono ☎(11) 3825-4550/ 9974-1997

ECOSPORT XLS 1.6

VECTRA GT

TRACKER MERIVA 1.8

R$17.900 04/05 Prata, 4pt., ar. ☎(11)5044-0224/9416-8088 R$37.500 10/10 LTZ, compl. + bco couro, MP3, ABS, piloto aut. ☎(11)2772-1733 c/ Fernando.

S10 2.4 CD

R$18.500 98/98 verm., compl, carro de mulher. km orig. Monica ☎(11)9615-5383/ 3021-2554

CELTA LIFE 1.0 R$17.500 06/06 Flex, Prata, 2portas, alarme, única dona. ☎8503-1979/2645-8489 Part.

S10

R$18.500 06/06 rev, ú.d, branco ☎(11)2258-5000/8948-7000

CORSA WIND 1.0

AGILE

ECOSPORT FREESTYLE

08/09, Blackmotion 2.4, 20v, HJU6776, compl., teto, rdl, b.couro, hsd, R$61.990,00, Sinal Santo Amaro. ☎5683-9400

ZAFIRA ELITE 2.0

X6 X DRIVE 50I R$370.000 09/10 8CC, prata, 9 0 0 0 k m . Tr a t a r c / Pa u l o . (19)3541-4000/(19)8177-2600

STILO

08/09 1.9, 16V, flex, Dualogic, EFY-5599, ar, dh,ve,te,rodas, R$53.990,00. Sinal São Bernardo. ☎ 4336-8000

R$54.900 08/09 Preta Completa AT HPOINT Itaim F: 3077-1500

10/11 0k, 2 unid 11 7883-0478

X6

LINEA

02/02, 2.0, 16V, DFM7955, completo, rdl, re.el, vet, ab2, R$19. 990,00, Sinal Santo Amaro. ☎5683-9400

ZAFIRA ELITE

X6

09/10 V6 FLEX Prata Autom *Top de Linha* + DVD, Camera de Ré *Temos outra Cinza Diesel 2010 com 10mKm* (11)3062-8100

XSARA PICASSO GLX

02/02 aut. teto, blind., 79.000 km F: 9986-8999

CORSA SED CLAS-1.0

R$91.870

R$31.490 08/08 Preto 1.4 Flex Completo Impecável 17.000Km F: 5685-7100

ZAFIRA

CAPTIVA SPORT

PAJERO SPORT HPE 3.5

C3 EXCLUSIVE

PRISMA JOY 08/09, 1.4, EBY5377, dh, R$28. 490,00, Mix Leste ☎ 2090-4711

R$133990

09/09 3.2 TB Diesel Autom Preta Top de Linha *3.800Km=0Km* . Na Garantia Fábrica *Consulte Outras Opções em Seminovos Mitsubishi* ☎ (11) 2526-9000

07/08 1.4, flex, prata, DWE9476, completo, 38.073 Km. R$30.900, Hville ☎ 4196-4444

00/01, DBI2756, tt, aq, R$14. 990,00, Sinal Santo Amaro. ☎5683-9400

PAJERO DAKAR

R$13.500 96/96 Compl. 4p, gasol., úd, bege.(11)2577-1940 part

CORSA SED 1.0

CORSA SED CLAS CAPTIVA

08/09, endrurance, preto, 7lug, tv e dvd, 355cv. Autostar BMW 3044-3344 / 5645-3000 R$249.000,00

08/08 1.4, Flex, prata, EBK-0501, completo, 40.122km, R$30.900. Hville ☎ 4196-4444

09/09 V6 prata, completa _____ 7.000km R$89.000 autostar 23444444 56453000 38255929

R$97.990

VECTRA GLS

VECTRA GT MONTANA CONQ

CAPTIVA

07/08 prata revisada 28.000km, R$208.000 autostar 23444444 56453000 38255929

X5 4.8 SPORT

R$27.500 07/08 Prata Completo Troco/Financio até 60x F:36822151

BLAZER EXECUTIVE

CAPTIVA X5 4.8