Issuu on Google+


Prezado(a) aluno(a): Para que a Secretaria da Educação possa melhorar o ensino, precisamos saber realmente o que você sabe. Por isso, estamos lhe entregando um Caderno de Prova que contém questões de Leitura e de Matemática. A finalidade dessa aplicação é de melhorar o ensino de sua escola. Assim, você deve responder a ela com muito cuidado, não deixando questões em branco, procurando realmente mostrar o que sabe sobre o conteúdo avaliado, considerando esta prova, enfim, como instrumento importante que lhe trará benefícios. Antes de dar suas respostas, leia as instruções abaixo.

INSTRUÇÕES GERAIS 1) As questões da prova estão numeradas e apresentam diferentes alternativas de resposta para você escolher. 2) Antes de responder a cada questão, é importante que você pense sobre as alternativas. 3) Para cada questão, escolha uma única resposta e marque-a no Caderno de Prova. 4) Responda a todas as questões. 5) Após responder a todas as questões, marque suas respostas na Folha de Respostas. 6) Use lápis preto ou caneta preta. 7) Confira se o seu nome está pré-identificado na Folha de Respostas. 8) Para cada questão da Folha de Respostas, preencha o espaço correspondente à letra que indica a resposta que você assinalou no Caderno. 9) Exemplo: Se, na questão 1, você escolheu a letra A, marque sua resposta da seguinte maneira: 01

A

B

C

D

Escreva, na capa do Caderno de Prova, seu nome completo, o nome da sua escola, o nome da sua turma e o seu Número Triângulo (número que aparece em sua Folha de Respostas entre dois triângulos). 10) A Folha de Respostas não poderá ser devolvida em branco, nem deverá ser rabiscada, amassada, alterada ou rasurada. 11) Em caso de dúvida ou engano, solicite ajuda ao(a) professor(a).

Obrigado!


O MACACO E O CROCODILO Fábula africana

O macaco vivia numa mangueira perto da margem do rio. Certo dia, um crocodilo se aproximou. “Humm”, o crocodilo pensou, “Estou com vontade de comer coração de macaco no jantar.” Então, ele disse para o macaco: — Desça da árvore para brincar comigo. — Eu não posso brincar com estranhos — respondeu o macaco. — Mas eu quero lhe mostrar uma mangueira do outro lado do rio, que dá mangas muito melhores do que a sua árvore. — É mesmo? — exclamou o macaco. — Mas eu não sei nadar. — Não tem problema — sorriu o crocodilo. — Pule nas minhas costas que eu o ajudo a atravessar o rio. O macaco pulou nas costas do crocodilo. Logo estavam no meio do rio. De repente, o crocodilo começou a mergulhar, com o macaco ainda em suas costas. — Socorro! Pare! Estou me afogando! — gritou o macaco. — Segure-se — o crocodilo sorriu. — Eu vou afogá-lo, pois quero comer coração de macaco no jantar, e você foi burro o suficiente para confiar em mim. —Ah — lamentou-se o macaco. — Eu gostaria que tivesse me contado a verdade. Aí eu teria trazido meu coração comigo. — Quer dizer que você deixou seu coração na mangueira? — perguntou, descrente, o crocodilo. — Mas é claro — respondeu o macaco. — Nesta selva perigosa os macacos não correm por aí com seus corações. Nós os deixamos em casa. Mas vou lhe dizer o que podemos fazer. Você me leva para a mangueira com frutas maduras, do outro lado do rio, e depois podemos voltar para pegar meu coração. —Nada disso — desdenhou o crocodilo. — Vamos voltar e pegá-lo agora mesmo! Segure-se aí! — Tudo bem — concordou o macaco. Então o crocodilo deu meia volta e rumou para a mangueira do macaco. Assim que eles chegaram à margem, o macaco subiu na árvore e jogou uma manga na cabeça do crocodilo. — Meu coração está aqui em cima, crocodilo estúpido! — disse ele. — Se quiser comê-lo, vai ter de subir aqui e pegar! O macaco e o crocodilo, Fábulas do mundo todo. São Paulo: Editora Melhoramentos, 2004. pp. 35-36 SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

5


01. O macaco pulou nas costas do crocodilo porque (A) (B) (C) (D)

achava o rio muito largo. confiava no amigo. gostava de brincar. não sabia nadar.

02. O crocodilo aproximou-se do macaco para (A) (B) (C) (D)

ajudar o vizinho. brincar com ele. satisfazer um desejo. tornar-se seu amigo.

03. No trecho “- Ah – lamentou-se o macaco.”, percebe-se que ele estava (A) (B) (C) (D)

fingindo. assustado. raivoso. sorridente.

04. O crocodilo resolveu voltar porque queria (A) (B) (C) (D)

afogar o macaco no rio. dar ajuda ao macaco. ensinar o macaco a nadar. pegar o coração do macaco.

05. Esta fábula sugere que o (A) (B) (C) (D)

crocodilo é mais esperto que o macaco. crocodilo e o macaco são muito amigos. macaco é mais esperto que o crocodilo macaco e o crocodilo são engraçados.

06. A história trata especialmente da (A) (B) (C) (D)

6

esperteza. maldade. gula. ignorância.

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF


O GIRO DAS ESTAÇÕES

O movimento dos astros no céu sempre ajudou o homem a marcar a passagem do tempo. O intervalo entre dois nasceres do Sol, por exemplo, foi adotado como uma unidade de tempo chamada de “dia”. Atualmente, dividimos o dia em 24 horas, cada hora é dividida em 60 minutos e cada minuto em 60 segundos. A Lua também colaborou com a contagem do tempo. Os nossos meses de hoje têm, em média, 30 dias, provavelmente porque a Lua leva cerca de 29,5306 dias para completar as quatro fases: Nova, Crescente, Cheia e Minguante. O conjunto das quatro fases da Lua é chamado de “lunação.” Da mesma forma, a medida de um ano está relacionada ao movimento dos astros. Um ano é o tempo que a Terra leva para dar uma volta completa em torno do Sol. Sabese hoje que isso demora 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos. Até que se chegasse a números tão precisos, foi necessário ajustar nossos calendários algumas vezes ao longo do tempo. Mesmo antes de o homem ter aprendido sobre o movimento da Terra em torno do Sol, os primeiros povos que se dedicaram à agricultura certamente já tinham percebido que o clima no nosso planeta tinha quatro fases distintas e que elas se repetiam após um certo período de tempo – o ano. As fases do clima são conhecidos como as estações do ano! Foi no período do Império Romano – do século 1 ao século 4 – que as estações foram batizadas como primavera, verão, outono e inverno. VIEIRA, Gilson Gomes. O giro das estações. Ciência Hoje das Crianças, Rio de Janeiro, jun. 2000.

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

7


07. Os primeiros agricultores já percebiam que as quatro estações (A) (B) (C) (D)

apresentavam nomes de pessoas. possuíam duração muito variada. repetiam-se após um certo tempo. representavam cada fase da Lua.

08. No trecho “Sabe-se hoje que isso demora 365 dias...”, a palavra isso está se referindo a (A) (B) (C) (D)

um dia. uma estação de ano. um mês. um ano.

09. De acordo com o texto, as quatro fases da Lua são assim ordenadas (A) (B) (C) (D)

cheia, minguante, nova, crescente. crescente, nova, cheia, minguante. minguante, nova, crescente, cheia. nova, crescente, cheia, minguante.

10. O movimento dos astros é importante porque (A) (B) (C) (D)

às vezes, os planetas se alinham. constantemente ajuda o homem a marcar o tempo. nem sempre os agricultores conhecem as estações. quase sempre cada uma das estações dura dois meses.

11. Este texto (A) (B) (C) (D)

8

apresenta informações só a respeito do Sol. explica cientificamente a passagem do tempo. indica os meses que têm 29, 30 ou 31 dias. informa só a respeito da lua.

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF


CLONADO PRA CACHORRO Cientistas sul-coreanos conseguiram clonar um cão pela primeira vez

Cientistas sul-coreanos conseguiram um feito inédito: clonar um cachorro, o Snuppy, que aparece na foto acima. Ele é uma cópia idêntica de um macho adulto da raça afghan hound. Mas se você já está imaginando clonar seu cãozinho de estimação, vá perdendo as esperanças. Os cientistas anunciaram que o Snuppy foi criado para ajudar na pesquisa de doenças. Os cientistas começaram a experiência em agosto de 2002. O filhote foi criado a partir de células retiradas da pele da orelha de um afghan hound macho. Depois, essas células foram juntadas a de uma fêmea. E aí foram colocadas numa mãe de aluguel, que somente emprestou sua barriga para que o cãozinho clonado se desenvolvesse até nascer. E o mais curioso: a mãe de aluguel não era da raça do Snuppy, mas uma cadela da raça labrador! CLONADO pra cachorro. O Globo, Rio de Janeiro, 06 agosto 2005. Globinho.

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

9


12. Até nascer, as células do animal clonado foram colocadas na (A) (B) (C) (D)

barriga de uma fêmea. barriga de um afghan hound. pele da orelha de um macho. sala do laboratório sul-coreano.

13. No trecho “...que somente emprestou sua barriga”, a palavra sua diz respeito (A) (B) (C) (D)

à mãe de aluguel. às células da fêmea. ao cãozinho clonado. ao cãozinho de estimação.

14. Não se pode clonar cãozinho de estimação porque (A) (B) (C) (D)

a experiência durou pouco tempo e já terminou. a mãe de aluguel é muito difícil de ser encontrada. os cientistas sul-coreanos não vão clonar outros cães. o Snuppy foi criado para ajudar na pesquisa de doenças.

15. Os cientistas criaram o filhote a partir (A) (B) (C) (D)

10

da pele da barriga de uma linda cadelinha da raça labrador. da cópia idêntica obtida de um cão de estimação em 2002. das células retiradas de diversos animais sul-coreanos, machos e fêmeas. das células retiradas da pele da orelha de um macho.

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF


O MENINO MALUQUINHO

ZIRALDO. O Menino Maluquinho. O Globo, Rio de janeiro, 27 nov. 2004.Globinho.

16. Maluquinho pede o jornal ao avô para (A) (B) (C) (D)

aprender futebol. ler sobre esporte. saber das novidades. ter notícias do time.

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

11


17. CHEC! CHEC! e CHOC! CHOC! representam (A) (B) (C) (D)

a fala de outros personagens. a primeira parte desta história. o barulho do papel amassando. o final da resposta do avô.

18. Este texto é uma história em quadrinhos porque (A) (B) (C) (D)

combina imagens e palavras para contar uma história. emprega palavras pouco usadas e difíceis de entender. faz uma descrição bem detalhada de um jogo de futebol. repete muitas vezes as informações já conhecidas.

19. Pela leitura desta história, percebe-se que o menino (A) (B) (C) (D)

gosta muito de ler jornal. gosta muito de futebol. gosta muito do avô. quer ler tudo o que vê.

20. O texto trata especialmente da necessidade de (A) (B) (C) (D)

12

praticar futebol. ler sobre futebol. organizar um time. consultar um jornal.

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF


Matemática

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

13


01. Rogério utilizou as cartas abaixo em um jogo. 789

698

897

589

Assinale a alternativa que contém as cartas utilizadas por Rogério colocadas em ordem crescente. (A)

(B)

(C)

(D)

897

698

789

589

589

789

698

897

589

698

789

897

897

698

589

789

02. O número 9 806 pode ser escrito da seguinte forma: (A) (B) (C) (D)

nove mil e oitenta e seis nove mil oitocentos e sessenta nove mil oitocentos e seis nove mil oitenta sessenta

03. Carolina achou o mapa de um tesouro com a seguinte indicação: coloque-se de costas para a pedra grande e ande 157 passos para frente. Nesse local você encontrará uma árvore. Siga com 126 passos à direita da árvore e você encontrará um baú com o tesouro. A operação que permite calcular quantos passos Carolina deve andar para encontrar o tesouro é: (A) (B) (C) (D)

157 - 126 157 × 126 157 + 126 157 ÷ 126

04. Renata recebeu uma encomenda de 250 ovos de chocolate. Já fabricou 114. Para determinar quantos ovos ela precisa fabricar para completar essa encomenda devese fazer a operação: (A) (B) (C) (D)

250 - 114 250 + 114 250 × 114 250 ÷ 114

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

15


05. Joaquim tinha duas gatinhas, uma marrom e outra malhada e três gatinhos, um branco, um preto e o outro cor de mel. A operação que permite calcular quantos casais diferentes ele pode formar combinando cada gatinha com um dos gatinhos é: (A) (B) (C) (D)

2+3 2×3 3–2 3÷2

06. Cláudia costura para uma loja e cortou 900 metros de fita em pedaços de 25 metros. Para determinar quantos pedaços de fita Cláudia obteve, precisamos efetuar a operação: (A) (B) (C) (D)

900 ÷ 25 900 – 25 900 + 25 900 × 25

07. O vendedor de uma loja de fogões precisava calcular o preço das prestações de um fogão que estava em promoção.

O preço da prestação desse fogão é

(A) R$ 450,00

16

(B) R$ 330,00

(C) R$ 130,00

(D) R$ 110,00

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF


08. Calcule o resultado de 425 + 1342. (A) (B) (C) (D)

5 592 4 592 2 767 1 767

09. Calcule o resultado de 578 – 46. (A) (B) (C) (D)

624 532 522 118

10. O produto de 268 por 9 é: (A) (B) (C) (D)

1812 1842 2342 2412

11. O resultado da divisão de 721 por 7 é: (A) 10 (B) 13 (C) 100 (D) 103

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

17


12. Marquinhos foi passear no sítio de sua avó. Ele saiu da casa, foi até o galinheiro e depois ao pomar.

Assinale a alternativa que indica o trajeto realizado por Marquinhos, sabendo que o lado do quadrinho da malha quadriculada corresponde a um passo. (A) 5 passos

3 passos

4 passos

6 passos

4 passos

3 passos

5 passos

6 passos

5 passos

3 passos

4 passos

6 passos

4 passos

3 passos

5 passos

6 passos

(B)

(C)

(D)

18

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF


13. Luis recortou uma caixa de presente e obteve as seguintes placas.

A caixa que Luis recortou tinha a forma de

14. Alice percebeu que, juntando triângulos lado a lado, poderia obter vários polígonos. Veja a experiência que ela fez.

Os polígonos 1, 2, 3 obtidos por Alice são na ordem: (A) (B) (C) (D)

quadrado, triângulo e retângulo triângulo, retângulo e quadrado triângulo, retângulo e círculo trapézio, triângulo e quadrado

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

19


15. Marta alugou duas fitas de vídeo de 90 minutos cada. Quanto tempo Marta vai levar para assistir às duas fitas seguidas? (A) (B) (C) (D)

1 hora e meia 2 horas 3 horas 4 horas e meia

16. Assinale a alternativa que contém o relógio que indica um horário entre meio-dia e meia-noite.

(A)

(B)

(C)

(D)

17. Regina mediu o comprimento do lápis abaixo, usando um clipe.

Ela encontrou como medida, aproximadamente: (A) (B) (C) (D)

20

2 clipes 4 clipes 6 clipes 7 clipes

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF


18. Alguns produtos demoram muito tempo para serem absorvidos pela natureza causando prejuízos para o meio ambiente. Veja só lata de alumínio garrafa de plástico tampa de garrafa de plástico vidro

100 anos 120 anos 150 anos 10 000 anos

De acordo com a informação, no ano de 2100 será possível encontrar vestígios de uma tampa de garrafa de plástico jogada no mar no ano de: (A) 1850 (B) 1900 (C) 1920 (D) 1970

19. Um jornal de grande circulação publicou um gráfico com resultados de uma pesquisa realizada a cada cinco anos sobre a quantidade de navios que derramaram óleo em cada um desses anos.

O repórter do jornal deu a seguinte notícia: De acordo com esse gráfico, a quantidade total de navios que derramou óleo, provocando desastre ecológico foi de (A) 140 (B) 110 (C) 85 (D) 40

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF

21


20. Alice e Vera fizeram uma distribuição do tempo entre as diversas tarefas que realizam por dia. Veja só: Alice: 8 horas para trabalhar fora de casa, 8 horas para dormir, 3 horas para lazer, 5 horas para estudar Vera: 7 horas para trabalhar fora de casa, 9 horas para dormir, 2 horas para lazer, 6 horas para estudar Assinale a alternativa que corresponde às atividades das duas amigas.

22

(A)

trabalho fora de casa 8 Alice 7 Vera

horas para dormir 8 9

horas para lazer 5 6

horas para estudar 3 2

(B)

trabalho fora de casa 8 Alice 7 Vera

horas para dormir 8 9

horas para lazer 3 2

horas para estudar 5 6

(C)

trabalho fora de casa 7 Alice 8 Vera

horas para dormir 8 9

horas para lazer 5 6

horas para estudar 3 2

(D)

trabalho fora de casa 8 Alice 7 Vera

horas para dormir 9 8

horas para lazer 6 5

horas para estudar 3 2

SARESP 2005 – tarde – 3a série EF



3°série EF tarde