Page 1

um jeito inteligente de cuidar do meio ambiente!

Biodigestor:

actalianรงa


Apresentação A Diaconia é uma organização não governamental brasileira, de inspiração cristã, que tem por objetivo a promoção da justiça e do desenvolvimento social.

Missão Trabalhar para efetivação de políticas públicas de promoção e defesa de direitos, priorizando populações de baixa renda, para a transformação da sociedade.

Visão Diaconia e atores sociais protagonistas na promoção e defesa de direitos, incidência em políticas públicas e no desenvolvimento de programas sustentáveis.

Inovações na atuação da instituição: DHESCAs Ÿ Soberania, segurança alimentar e hídrica; Ÿ Geração de trabalho e renda; Ÿ Direitos da infância, adolescência e juventude;

Territorialidade Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ

Relação entre os espaços urbano e rural; As escalas municipal e estadual; A relação entre territorialidade e políticas públicas; O método da abordagem territorial. Fazem parte das novas estratégias da Diaconia ainda:

Ÿ Ÿ Ÿ Ÿ

O O O O

fortalecimento da parceria com as igrejas; investimento na relação com parceiros do Sul-Sul e do Sul-Norte-Sul; fortalecimento da relação urbano-rural; aprimoramento da gestão democrática.


Biodigestor: Um jeito inteligente de cuidar do meio ambiente! Em primeiro lugar, queremos agradecer a todas as pessoas pelos e-mails e contatos solicitando informações a respeito do biodigestor. A Reportagem do Jornal Nacional exibida no dia 06/12/2010 foi realizada em uma das experiências desenvolvidas pela Diocese de Caruaru, no município de Tacaimbó, região Agreste de Pernambuco. Salientamos que os biodigestores implementados pela Diocese de Caruaru tiveram o apoio técnico da Diaconia e que outras experiências vêm sendo desenvolvidas em Pernambuco. Nossa intenção é disseminar cada vez mais esta tecnologia. As experiências recentes com biodigestores em Pernambuco foram uma iniciativa do Projeto Dom Hélder Câmara - PDHC, do Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA, em parceria com a Diaconia. A idéia de construir biodigestores para produzir biogás no campo não é recente. Há alguns anos, experiências com esta tecnologia vêm sendo implantadas com maior ou menor sucesso. Contudo, nenhuma delas se adaptou às condições da agricultura familiar porque o perfil das famílias exige um biodigestor menor e que utilize matéria-prima de um pequeno número de animais. Com uma estrutura muito pesada e materiais de difícil manutenção, os biodigestores quebravam com facilidade e com o tempo eram abandonados. O modelo construído pelo PDHC, com o apoio técnico da Diaconia, possui capacidade para armazenar seis mil litros, é feito à base de fôrmas pré-moldadas circulares de concreto, totalmente adaptável às condições de geração de renda das famílias, podendo ser maior ou menor conforme o tamanho da propriedade. Os custos com a implantação e manutenção deste tipo de biodigestor também são menores que os tradicionais. As famílias que têm a oferta de biogás reduziram drasticamente o desmatamento de árvores da Caatinga para coleta de lenha e produção de carvão vegetal; eliminaram o uso do gás butano e ainda dispõem de insumos para a fertilização do solo. O uso desta tecnologia possibilita o aproveitamento das fezes dos animais, mantendo o curral limpo evitando a emissão do gás metano na atmosfera, minimizando o efeito estufa e contribuindo com a sanidade animal, já que um curral limpo diminui os riscos de contaminação com verminoses e moscas. Desde a implantação das primeiras unidades de biodigestores, no dia 05 de janeiro de 2009, toda alimentação das famílias que já possuem a tecnologia, é preparada com a utilização do biogás, gerando assim uma economia real e imediata. A Diaconia, a Diocese de Caruaru e outras organizações têm como objetivos dar continuidade a experiências como a dos biodigestores e oferecer apoio para que as famílias agricultoras façam manejo agroecológico, gerem renda e alimentação a partir da produção de frutas, legumes, grãos e hortaliças, e adotem formas simples e eficientes de convivência com o semiárido. Felizmente estamos enviando àqueles que contataram a Diaconia, este informe técnico com o passo-a-passo da construção de um biodigestor. Aqui você poderá conferir alguns detalhes da construção, custo, quantidade de materiais necessários e outras informações. Recomendamos os seguintes cuidados no processo de construção: recorrer a um pedreiro capacitado no assunto e contar com o acompanhamento de um técnico que tenha domínio sobre o tema. Atenciosamente, Joseilton Evangelista de Sousa – Coordenador de Mobilização de Recursos e Comunicação


Materiais Necessários DISCRIMINAÇÃO

UNIDADE

QUANTIDADE

Cimento

Saco

9

Ferro 6,3 mm

Kg

6

Arame 12 galvanizado

Kg

5

Brita 01

Lata

6

Areia

Lata

81

Caixa de fibra 3.000L (FORTLEVE)

Unidade

1

Zinco 0,40 m

Kg

8

Tijolo de 8 furos

Unidade

70

Cano PVC esgoto 100 mm

Metro

6

Cano PVC rígido 50 mm

Metro

3

Cano de ferro 40 mm

Metro

3

Cano PVC Rígido 60 mm

Metro

1,5

Cano PVC esgoto 75 mm

Metro

1

Cola PVC pequena

Unidade

1

Cano PVC rígido 20 mm

Metro

24

Joelho PVC rígido LR 20 mm

Unidade

6

Cap PVC esgoto 75 mm

Unidade

1

T PVC rígido 20 mm

Unidade

2

Parafusos 29 cm 3/8

Unidade

3

Luva de união 20 mm

Unidade

1

Joelho PVC rígido 20 mm

Unidade

8

Flange 60x60 mm

Unidade

1

Flange 20 mm

Unidade

1

Registro de esfera 20 mm

Unidade

2

Mangueira cristal trançada 20 mm

Metro

5

Luva LR 20 mm PVC

Unidade

5

Adaptador interno para mangueira PVC

Unidade

3

Abraçadeiras rosca sem fim 1/2”

Unidade

6

Vasilhame 20 L acrílico (água mineral)

Unidade

1

Tábua 15 cm x 4 cm

Metro

2

Barrote de madeira

Metro

7

Telha de fibra 1,50 x 0,80

Metro

1

Parafusos 8 cm ¾

Unidade

4

Prego para telha Brasilite

Unidade

4

Tela de nylon 1,50 x 0,80

Metro

1

Mão de obra não especializada

diária p/ hora

4

Escavação do buraco

diária p/ hora

6


Etapa 1 - Escavando o buraco do biodigestor

Escolha um terreno do tipo argiloso e que não tenha pedras; Meça uma distância de 20 m a 30 m em relação à casa; Cave um buraco de 3 m de diâmetro por 1,80 m de profundidade. DICA: Caso seja necessário, a tecnologia poderá ser construída a uma distância maior em relação a casa, porém, será necessário aumentar as medidas dos canos que conduzirão o biogás até a residência; O biodigestor medirá apenas 2,10 m de diâmetro (de dentro a dentro se utilizada a caixa FORTLEVE de 3.000 l), o espaço excedente será usado pelos pedreiros durante a construção da tecnologia; O diâmetro do biodigestor dependerá do diâmetro da caixa de fibra de 3.000 litros que será utilizada na construção. Portanto, antes de cavar o buraco, meça o diâmetro da caixa de fibra. Neste caso, se a caixa tiver um diâmetro maior que o convencional 2 m, aumente o tamanho do buraco do biodigestor em 10 cm para garantir que a caixa de fibra caiba dentro da estrutura de alvenaria (tecnologia); O buraco do biodigestor leva 06 dias para ser cavado com apenas uma pessoa trabalhando. Para adiantar o trabalho, aumente a quantidade da mão-de-obra.


Etapa 2 - Confeccionando as formas para a produção das placas

Faça um circulo no chão com o tamanho do diâmetro do biodigestor, 2,10 m e construa as fôrmas das placas de acordo com o ângulo (inclinação) do círculo; Confeccione as fôrmas com uma medida de 50 cm x 50 cm. DICA: As fôrmas para produção das placas do biodigestor se assemelham as fôrmas utilizadas na construção da cisterna de placas de 16 mil litros (cisterna construída por meio do Programa 1 Milhão de Cisternas) porém, com um formato mais curvado. Esta curvatura se deve ao fato de o biodigestor ter um diâmetro menor que o da cisterna de placas.


Etapa 3 - Construindo as placas da caixa de entrada de matéria - prima

Construa as fôrmas da caixa de entrada da matéria prima utilizando o mesmo procedimento adotado na construção das fôrmas do biodigestor. DICA: As placas da caixa de entrada de matéria - prima devem ser ainda mais curvadas, pois, o compartimento tem 80 cm de diâmetro, portanto menor do que o biodigestor; Para conseguir o ângulo (a inclinação) na fôrma da caixa de entrada de matéria-prima Caixa de entrada repita o procedimento utilizado no caso do biodigestor. Desenhe um círculo no chão com o diâmetro da caixa de entrada, 80 cm e construa a fôrma acompanhando o ângulo (a inclinação).


Etapa 4 - Confeccionando as placas do corpo do biodigestor

Escolha um local plano para confeccionar as placas prontas para secar; Coloque areia em quantidade suficiente para comportar a profundidade das placas. Por terem uma curvatura acentuada, elas cedem atingindo certa profundidade; Pressione a fôrma na areia, antes de enchê-la com massa, para que a superfície adquira o formato curvo da fôrma; Prepare a massa usando 9 latas de areia para cada saco de cimento; Construa 54 placas (04 fileiras com 13 placas = 52+02 de reserva) ; Construa duas das placas com um furo de 100mm de diâmetro. Uma dica é colocar um pedaço de cano com a mesma medida do furo no centro da fôrma para marcar o local. Preencha a fôrma com massa, tomando cuidado para que a mistura não caia dentro do pedaço de cano. Quando a fôrma estiver totalmente preenchida, retire o pedaço de cano, em seguida retire a fôrma e deixe a placa secar; A segunda placa com o furo deverá se construída nos mesmos moldes da anterior, porém, coloque o pedaço de cano próximo à borda da fôrma para fazer o furo próximo à extremidade da placa; DICA: Durante a secagem das placas procure envolver a parte de baixo por completo, evitando assim, que algum pedaço não fique em contato com a areia; As placas com o furo servirão para conectar o cano que ligará o biodigestor a caixa de entrada da matéria prima e a caixa de saída do esterco e do biofertilizante. Deixar as placas secando por no mínimo 24 horas e aguá-las 02 vezes ao dia.


Etapa 5 - Confeccionando as placas da caixa de entrada

Construa 04 placas para caixa de entrada da matéria prima utilizando o mesmo procedimento adotado na construção das placas do corpo do biodigestor; Construa uma das placas com um furo de 100 mm rente a borda. Neste caso, coloque um pedaço de cano de 100 mm rente a borda da fôrma e a preencha com massa. Deve – se tomar o mesmo cuidado para não deixar que a massa caia dentro do pedaço de cano; Retire a fôrma e em seguida o pedaço de cano e deixe a placa secar. DICA: Antes de construir as placas lembre-se de pressionar a fôrma contra a areia onde a placa irá secar, para marcar o formato curvado do molde e garantir que a areia envolva toda a superfície inferior da placa; Na confecção das placas da caixa de entrada de matéria - prima utilize uma quantidade maior de areia. Por terem uma curvatura maior do que as placas do corpo do biodigestor pesam mais e com isso, atingem uma profundidade maior na superfície de areia.


Etapa 6 - Fazendo o piso do Biodigestor

Construa uma armação utilizando o ferro 6,3 mm com o diâmetro de 2,20 m (dois ferros eretos e dois circulares); Prepare o concreto e cubra a armação de ferro; Deixe secar.


Etapa 7 - Assentando as placas

Assente as placas em fileira, deixando um espaço de aproximadamente 2 cm entre elas para fazer a emenda; teste as distâncias antes de assentar definitivamente as placas; Assente as placas da segunda fileira em cima das emendas da fileira anterior; Na primeira fileira, assente a placa com furo na borda posicionado para baixo, em direção ao local onde será construída a caixa de entrada da matéria - prima. O furo da placa assentada deverá medir uma distância de 20 a 30 cm em relação ao fundo do biodigestor; A placa que tem o furo no centro deverá ser assentada na segunda fileira. Esta placa deverá ficar em direção ao local onde será construída a caixa de saída do esterco usado e do biofertilizante. O furo desta placa deverá medir uma distância de 50 cm a 60 cm em relação ao fundo do biodigestor; Aproximadamente 2h após as placas terem sido assentadas, amarre o biodigestor com arame tipo 12 galvanizado, como o exemplo da foto em detalhe.


Etapa 8 - Colocando o cano eixo

Pegue um cano de ferro 40 mm e solde o parafuso de 29 cm 3/8 em uma das extremidades; Coloque o cano de ferro dentro de um cano de PVC de 50 mm; Construa uma coluna utilizando 02 tijolos de oito furos deitados um sobre o outro e reboque com cimento. Esta coluna deve ser construĂ­da exatamente no centro do biodigestor; Fixe o cano eixo no centro da coluna e chumbe.


Etapa 9 - Escavando a vala para a passagem dos canos de entrada e saída

Escave duas valas com largura de 110 mm, em lados opostos das paredes do buraco do biodigestor. As valas devem estar direcionadas para os locais onde serão construídas a caixa de entrada de matéria-prima e a caixa de saída do esterco e do biofertilizante respectivamente; Coloque um cano de 100 mm na vala direcionada para a caixa de entrada de matéria-prima; Encaixe uma das extremidades deste cano ao furo que está a 20 cm acima do fundo do biodigestor; Coloque um cano de 100 mm na vala direcionada para a caixa de saída do esterco e do biofertilizante; Encaixe uma das extremidades deste cano no furo que está localizado a 50 cm do fundo do biodigestor. DICA: Serre as extremidades do cano que estão no interior do biodigestor de modo que fiquem rentes com as paredes da tecnologia.


Etapa 10 - Construindo as colunas para apoiar a caixa

Construa 03 colunas no interior do biodigestor com distância proporcional entre elas, formando um triângulo no interior do biodigestor; Utilize 03 tijolos de 08 empilhados um, sobre o outro;

furos

Reboque com cimento. DICA:

Visualização Superior

Estas colunas devem ficar acima do furo da caixa de saída do esterco e do biofertilizante. Caso os 03 tijolos empilhados não ultrapassem o furo por onde sairá o esterco e o biofertilizante, aumente a coluna até que esta alcance a medida recomendada;


Etapa 11 - Rebocando o Biodigestor

A massa usada no reboco do biodigestor deve ser feita com a mesma medida de areia usada para a confecção das placas (09 latas de areia para cada saco de cimento); Faça o reboco seguindo a técnica adotada normalmente pelos pedreiros; Use uma desempoladeira de tamanho menor que a convencional para facilitar o trabalho; Quando o reboco secar aterre a diferença entre o buraco e o biodigestor. DICA: Para aterrar a diferença entre o buraco e o biodigestor utilize a terra retirada na escavação do buraco.


Etapa 12 - Construindo a caixa de entrada de esterco

Faça um piso de cimento de 90 cm de diâmetro; O fundo da caixa de entrada de matéria - prima deve ser 15 cm mais alto do que as bordas do corpo do biodigestor; Assente as placas da caixa de entrada utilizando a mesma técnica adotada para assentar as placas do biodigestor, deixando um espaço de, aproximadamente, 2 cm entre uma placa e outra para fazer as emendas; A placa perfurada deve ser posicionada em direção ao cano que sai do biodigestor. Por esta tubulação será colocado o esterco e a água utilizados na produção do gás; Amarre a caixa de entrada com arame 12 galvanizado;


Etapa 13 - Construindo a caixa de saída Construa a caixa de saída em tijolos medindo 2 m de comprimento por 80 cm de largura; Construa esta caixa com uma declividade de 15 cm entre a sua borda e a borda do biodigestor; Faça um furo de 100 mm na borda de um dos tijolos e o posicione defronte para o cano que sai do biodigestor; Encaixe o cano de 100 mm que sai do biodigestor ao furo da caixa de entrada. Por esta tubulação passará o esterco e o biofertilizante produzidos pelo biodigestor; Divida a caixa em dois compartimentos. Um deve medir 1,5 m e o outro, a sobra do espaço; Faça a divisória com cimento e tijolos da mesma altura da caixa de saída; Na parte de cimento distribua três pedaços de cano de 20 mm atravessando a espessura da divisória, que deve ter a mesma espessura de um tijolo de 08 furos; Complete a divisória utilizando tijolos; Quando o cimento enxugar coloque uma telha de fibra dentro do compartimento maior da caixa de saída; Cubra a telha com uma camada de pedra ou brita; Finalize com outra camada de pedra.

DICA: Após a produção de gás o biodigestor irá expelir o esterco e a água para a camada maior da caixa de saída. Quando esta encher, é necessário retirar o esterco e utilizá-lo como na plantação; A água em forma de biofertilizante passará pelos canos instalados na divisória para o compartimento menor da caixa de saída. O biofertilizante pode ser usado como adubo foliar.


Etapa 14.1 - Preparando a caixa do Biodigestor

1

2

3

Encontre o centro da caixa de fibra e marque; Faça uma perfuração no local com um diâmetro de 60 mm; Encaixe um flange 60 mm na perfuração; Perfure um segundo buraco de 20 mm ao lado do furo maior, distante 25 cm da dobra do fundo da caixa; Coloque um flange de 20 mm no furo menor. Na página seguinte confira o próximo passo para a preparação da caixa do Biodigestor.

4


Etapa 14.2 - Preparando a caixa do Biodigestor

Pegue uma tábua de 2,00 m de comprimento por 15 cm de largura e 4 cm de espessura; Ajuste o comprimento da tábua de acordo com a medida entre as bordas da caixa do biodigestor a uma profundidade de 3 cm. A tábua deverá ficar em um tamanho capaz de atravessar a caixa ficando apoiada no lado interno de suas paredes 3 cm abaixo da borda; Marque o centro da tábua com uma régua; Perfure o local marcado até a metade da espessura da tábua com o auxílio de um serra copo de 60 mm; Vire o lado da tábua e faça uma nova perfuração, no mesmo local, também ate a metade da espessura. Desta vez, use um serra copo de 50 mm; A tábua deverá ter um furo de 60 mm de um lado e do outro lado, um furo de 50 mm, ambos no mesmo local. Encaixe uma das extremidades do cano rígido de PVC 60 mm no flange posicionado no fundo da caixa; Coloque a tábua na caixa, de modo que o furo de 50 mm encaixe na outra extremidade do cano colocado no centro da caixa; Fixe a tábua à caixa de fibra utilizando quatro pregos grandes.


Etapa 15 - Preparando o zinco

Meça o diâmetro do fundo da caixa a 20 cm de profundidade; Corte um pedaço de zinco de acordo com a medida adquirida; Faça bordas nas duas pontas do zinco para que possam ser emendadas; Emende as extremidades do zinco formando um cilindro; Coloque o cilindro no fundo da caixa; DICA: Lembre-se o cilindro deve ficar 20 cm abaixo do fundo da caixa.


Etapa 16.1 - Construindo o sistema de filtragem do biogás

Pegue um botijão de água mineral de 20 litros feito de fibra de vidro; Perfure dois buracos com auxílio de um serra copo no fundo do botijão para o encaixe de dois flanges de 20 mm; Encaixe os flanges; Pegue um cano de 20 cm de comprimento por 20 mm de diâmetro e encaixe a um dos flanges pelo lado interior do botijão. Este cano será o tubo do sistema de filtragem; Tampe a boca do botijão utilizando um lacre com cola; Pode ser usado o próprio lacre que vem de fábrica no botijão; Encaixe o tubo que sai do interior do botijão ao restante das conexões: joelho PVC rígido 20 mm, luva de união 20 mm e joelho PVC rígido LR 20 mm; Instale um registro de esfera 20 mm abaixo da luva. Este registro terá a função de liberar e prender o gás de acordo com a necessidade;


Etapa 16.2 - Construindo o sistema de filtragem do biogás

Encaixe um adaptador de cano para mangueira ao flange do fundo do botijão; Encaixe o tubo do sistema de filtragem ao flange de 20 mm fixado no fundo da caixa; O flange instalado ao adaptador de cano para mangueira serve para liberar o gás até o fogão. DICA: Para a colocação dos flanges no fundo do botijão, use um cano como auxílio. Após o flange ser rosqueado retire o cano; O tubo que passa por dentro do botijão recebe o gás produzido pelo biodigestor; O registro instalado no cano tem a função de liberar e reter o gás durante a utilização da tecnologia.


Etapa 17.1 - Colocando a caixa de fibra no Biodigestor

Acople a mangueira plástica 25 mm a saída do sistema de filtragem; Coloque um barrote atravessando o buraco onde será colocada a caixa para servir de apoio aos pés; Retire o barrote após a colocação da caixa dentro do biodigestor;

Utilize uma corda amarrada a ganchos de ferro para descer a caixa até o fundo do biodigestor. A caixa de fibra ficará apoiada nas colunas construídas no interior do biodigestor;

Na página seguinte acompanhe o passo final desta etapa.


Etapa 17.2 - Colocando a caixa de fibra no Biodigestor

Erga duas colunas de madeira em cada lado do biodigestor na altura do cano eixo; Coloque uma coluna de madeira sobre as colunas laterais, formando uma trave; Prenda as colunas com parafusos 8 cm 3/4. Essa estrutura serve para dar suporte ao biodigestor.


Etapa 18 - Escavando a vala para passagem do biogás

Escolha um local próximo a casa e que fique em linha reta com o biodigestor; Escave uma vala de 10 a 20 cm de profundidade e com o tamanho da tubulação que ligará a casa ao biodigestor. DICA: Esta vala após a colocação do cano de saída de gás deverá ser coberta com terra evitando que o mesmo seja quebrado ou desencaixado.


Etapa 19.1 - Preparando o sistema de drenagem

Procure um local com nível mais baixo entre a casa e o biodigestor para instalação do sistema de drenagem; Cave um buraco de 70 cm de profundidade e 85 mm de diâmetro no local identificado acima; Este buraco deve estar direcionado para a vala feita na etapa anterior; Pegue um cano de 75 mm de diâmetro por 70 cm de comprimento e tampe uma das extremidades com um CAP; Faça um corte de 10 cm de comprimento por 20 mm de largura em cada lado da borda do cano paralelamente; Introduza o cano no buraco localizado ao lado do biodigestor; Pegue uma conexão “T” e encaixe a parte de baixo a um cano de 50 cm de comprimento por 20 mm de diâmetro; Coloque o cano encaixado ao “T” dentro do cano azul e segure - o evitando que caia dentro do buraco;

Encaixe um cano de 20 mm a uma das extremidades laterais do “T” e introduza no corte lateral do cano azul. Este cano deverá ter a mesma medida entre o biodigestor e a casa. Ele será acomodado na vala escavada na etapa anterior;


Etapa 19.2 - Preparando o sistema de drenagem

Encaixe a outra extremidade do “T” a um cano de 20 mm de diâmetro. Este cano deverá ter o tamanho da trave de madeira que apóia o biodigestor; Encaixe esta conexão dentro do buraco feito na borda do cano de 75 mm; Na extremidade superior deste cano coloque o adaptador de cano para mangueira e encaixe-o a mangueira que sai do botijão de água mineral - sistema de drenagem; Prenda este cano a trave lateral do biodigestor utilizando duas braçadeiras ou arame; Encha o cano de 75 mm que está embaixo da terra com água até a borda. Isto evitará que o biogás escape. DICA: No momento em que for localizar o sistema de drenagem, imagine que você irá instalar uma tubulação por onde passará água, o local que tiver maior declividade é o ideal para instalação do sistema de drenagem; O sistema de drenagem tem a função de receber a água vinda do biodigestor e escoá-la para o tubo que está dentro da terra; Este sistema deve ser protegido para evitar que caia terra dentro do cano. Use uma garrafa PET cortada ao meio e coloque-a sobre as bordas do cano do sistema de drenagem.


Etapa 20.1 - Concluindo o projeto

Instale um registro esfera de 20 mm na extremidade da encanação de gás que ficará próximo ao fogão. Este registro terá por função liberar o gás na hora do cozimento dos alimentos; Instale um adaptador para receber a mangueira do fogão na extremidade deste cano; Abra o fogão, retire os *giclês; Aumente o diâmetro do furo nos giclês utilizando uma broca de 1,5 mm; Coloque o giclê de volta ao fogão; Tampe o furo da caixa de entrada da matéria prima; Colete o esterco fresco; Dilua o esterco em água na caixa de entrada na proporção de um balde de esterco para um balde de água; Destampe o cano da caixa de entrada assim que a mistura de esterco e água estiver totalmente diluída; Para usar o gás, todos os registros precisam estar aberto. Após a utilização do gás é recomendável fechá-lo; Espere o biodigestor ficar cheio. Isso acontece quando a caixa de fibra sobe até a borda;

*Giclê (peça localizada dentro das bocas do fogão, caracterizada por um furo bem pequeno com a função de controlar a intensidade das chamas. Este furo, quando entupido, impede total ou parcialmente a formação da chama).


Etapa 20.2 - Concluindo o projeto

Teste se há presença de gás em quantidade suficiente para produzir chama; Acenda um isqueiro na extremidade do adaptador de cano para mangueira. Se houver presença de chama, o gás foi produzido com sucesso; Acople a mangueira do fogão ao biodigestor;

Pronto! A tecnologia já pode ser usada.

DICA: Uma das causas da não ocorrência de chamas pode ser o excesso de água na caixa de entrada. CASO NÃO CONSIGA PRODUZIR CHAMA Deixe o registro aberto para a liberação do oxigênio que tem dentro da caixa; Feche o registro após o esvaziamento da caixa; Observe o aspecto da mistura de esterco e água que deverá ser sempre cremosa. Caso o esterco seja ralo demais diminua a quantidade de água. A mistura de esterco contendo muita água impede a produção do biogás; Retome o abastecimento do biodigestor colocando esterco e água; -

Faça um novo teste para verificar a produção de chama quando a caixa do biodigestor subir novamente.

Conheça outras tecnologias difundidas pela Diaconia

INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES O custo com a construção de um biodigestor é de aproximadamente R$ 2.200,00, incluindo todos os componentes que vai desde a mão de obra até o acompanhamento técnico.

Barragem

Subterrân

ea

Realização | Diaconia Texto | Adriana Amâncio Revisão de texto

Alyne Mesquita Joseílton Evangelista Jucier Jorge

Mário Farias Projeto Gráfico | Caique Rago

Ciste Redondo o ir e h n a B

Fotos | Jucier Jorge e Rafaella Sabino

rna C alçad ã

o

www.diaconia.org.br


actalianรงa Rua Marques do Amorim, 599 Ilha do Leite | 50070-330 Recife/PE Telefone +55 81 3221.0508 www.diaconia.org.br

Biodigestor: Um jeito inteligente de cuidar do meio ambiente!  

Neste informe técnico trazemos o passo-a-passo da construção de um biodigestor. As famílias que possuem esta tecnologia reduziram drasticame...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you