Page 1

Cobertura do Carnaval 2012 é nota 10! Foto: Josemar Cruz

Em 2016, no Rio, a Marquês de Sapucaí abrigará a prova má­ xima das Olimpíadas: a Marato­ na. Mas não seria exagero dizer que, já em março de 2011, as obras de ampliação e adequa­ ção do templo do samba passa­ ram a exigir esforço olímpico das equipes de Engenharia da Globo. Craques em transmitir os desfiles do Grupo Especial há 20 carnavais, eles precisaram re­ desenhar toda a logística desta operação, investindo ainda mais em gestão de workflows para evitar surpresas. “Passamos a acompanhar o an­ damento das obras in loco, para rever nosso planejamento dia a dia. A Engenharia elaborou pla­ nos de emergência e criou um pequeno comitê para discutir de­ talhes com a empreiteira. Com a entrega da reforma a apenas uma semana do evento, a própria colocação de cabos ao longo do

Aperfeiçoamento constante

ram motivo de elogio para Mari­ no. É o caso das câmeras portáteis de alta definição acopladas nos instrumentos ou no próprio cor­ po dos ritmistas. Elas captaram ângulos inusitados para o quadro “Foco na Bateria”, editados e exi­ bidos quase em tempo real. A emoção e a beleza dos de­ talhes registrados pela câmera Hiper Slow, por sua vez, deman­ daram criatividade técnica. “Nos dois anos anteriores, vimos que a lente dela roubava muita luz. Desta vez, o Gerente de Engenha­ ria da CGP, Marcos Senna, teve a ideia de trocá­la por uma lente já utilizada pelas câmeras de pro­ dução, e a qualidade da imagem surpreendeu”, pontua Josemar. No ‘Estúdio da Esquina’, o avanço ficou por conta da nova tela com sensores operada pela Apresentadora Ana Paula Araú­ jo. Além de exibir vídeos com qualidade mais alta, a comunica­ ção deste aparelho com as UMJs (para exportação dos replays de melhores momentos) ficou mais ágil – via troca de arquivos e sem intervenção humana. O Diretor de Engenharia da CGP, Raymundo Barros, enume­ ra outras melhorias tecnológi­ cas. Como o uso dos microlinks de compressão H.264 associado às quatro câmeras sem fio posicionadas no início e no meio da passarela. Cerca de 25% meno­ res que outros microlinks digi­ tais, eles deram mais liberdade à movimentação dos cinegrafistas, resultando em belas tomadas. A Emissora também inovou ao aproveitar a riqueza do evento para testar um workflow expe­ rimental de captura e edição de imagens em resolução 4K – tec­ nologia ainda não consolidada no mercado mundial. O resultado? Clipes dos desfiles de encher os olhos, com qualidade e textura de imagem iguais às do cinema.

Recursos usados há algum tem­ po pela Globo, mas ‘turbinados’ para esta cobertura, também fo-

Participaram Josemar Cruz, José Manuel Marino e Raymundo Barros

Sambódromo era uma preocupa­ ção, devido ao trânsito intenso de máquinas”, exemplifica Josemar Cruz, Gerente de Manutenção de Engenharia da DOSRF. “Foi preciso reposicionar os microlinks sobre as novas arqui­ bancadas, montar a grua Akela do lado oposto da passarela e de­ senvolver uma nova base para a câmera­trilho. O desenho desta estrutura não constava do projeto original da obra e só foi definido em novembro. Um desafio para o nosso cronograma”, recorda ele. Para garantir uma visão com­ partilhada das responsabilidades e prazos, as equipes da DEJE, DEPS e DOSRF adotaram uma ferramen­ ta eletrônica de acompanhamento de projetos, batizada de Check List Operacional. “Foi um grande passo que demos neste ano”, des­ taca José Manuel Marino, Diretor de Engenharia de Jornalismo. “No ensaio e nos dois dias de desfile, conseguimos entregar os sistemas ao Jornalismo no horário acertado e sem pendências, permitindo aos jornalistas concentração total no conteúdo”, comemora.

Ano 10 • Março de 2012 • Nº53

Engenharia aproxima Globo Esporte SP e público Dar mobilidade e agilidade às equipes do Jornalismo que trabalham nas ruas, preservando o alto padrão de qualidade da transmissão, é uma das nobres missões da Engenharia da TV Globo. Acostumada a grandes operações externas, ela inovou mais uma vez ao transformar um ônibus de viagem conven­ cional em um estúdio completo sobre rodas. Desenvolvido em conjunto com a oficina do quadro “Lata Velha”, do Caldeirão do Huck, o ônibus do Globo Esporte São Paulo, desde janeiro deste ano, vem servindo como reda­ ção e estúdio itinerantes para a equipe do telejornal. A ideia é que, uma vez por semana, o Apresentador Tiago Leifert ancore a atração de um ponto diferente do estado, recebendo convidados e interagindo com a população.

Fanini, Arthur Douglas, Equipe da montagem: Henrique rt Sanchez. Hebe e ro Flavio Tonin, Flavio Ribei

Tiago, que é também EditorChefe do GE em São Paulo, afirma que sempre ouviu muitos pedidos de telespectadores inte­ ressados em acompanhar o pro­ grama do estúdio. “Então tive­

mos a ideia de levá­lo para perto do público”, conta. “Queremos usá­lo ao longo do Campeonato Paulista, ir a treinos, saída de es­ colas e lugares com boa circula­ ção de pessoas”, completa. Continua na página 2

CONFIRA TAMBÉM NESTA EDIÇÃO

3

Premiação para reconhecer os talentos da DGEN de 2011

3

Equipes de destaque no ON10 comemoram metas alcançadas

4

Nova logística para transmissão dos desfiles das Escolas de Samba do Rio


Engenharia aproxima Globo Esporte SP e público duas internas, que se deslocam para acompanhar o apresentador quando ele sai do veículo”, explica. “Em algumas gravações, o estúdio móvel também será usado como base para o Tiago jogar videogame com convidados. Neste caso, a cobertura será feita com uma equipe de pré-gravado, e não de uma UMJ”, acrescenta. Além da pintura verde e laran­ ja, que remete a esporte, a plata­ forma instalada para permitir que o apresentador interaja com o pú­ blico de dentro do ônibus deu um toque especial ao novo ambiente de trabalho da equipe do GE.

Em time que está ganhando, a gente mexe Seguindo a tradição das de­ mais edições, a 11ª premiação da DGEN, que homenageou os des­ taques de 2011, foi um grande sucesso. O evento reconheceu o comprometimento e a dedicação da equipe, que influi diretamente para os resultados. “A fim de se preparar para ofe­

recer uma programação de quali­ dade, é preciso ‘Mexer em Time que está Ganhando’. E este foi o tema de 2011”, relembra Eliane Ribeiro, Gerente Regional de RH. “A Engenharia sempre foi pionei­ ra em inovação tecnológica. Ao longo da história da TV Globo, a área é ativa na contribuição para

os principais resultados de produ­ ção de conteúdo”, avalia Eliane. Conheça os vencedores de cada uma das quatro categorias (Entre­ tenimento, Jornalismo/Esporte, Va­ lores e Afiliadas) no Portal da En­ genharia, na Via Global.

Premiação dos destaques de 2011

Fernando Bittencourt

Octávio Florisbal

Participou Eliane Ribeiro

Trabalho rápido e inédito

De fora do ônibus, o público pode ver quase tudo que acontece no interior do estúdio móvel. Isto porque, além de ter janelas com visual mais clean, ele está equi­ pado com três telas de plasma (uma voltada para o apresentador e duas para o público) e sonori­ zação marítima na parte externa, resistente às chuvas, para que to­ dos acompanhem o programa em qualquer dia do ano. “O ônibus tem 10 metros de comprimento e os mesmos recur­ sos básicos de um estúdio: siste­ ma de iluminação de LED, isola­ mento acústico, monitoramento de áudio e vídeo interno e exter­ no, set para entrevistas com sofá e poltrona e, no fundo, infraestru­ tura de camarim e minirredação

para os jornalistas”, enumera Hé­ lio Fernandes, Gerente de Opera­ ções da TV Globo SP. “Ele não tem apenas recursos de câmera e transmissão, que são providos por uma Unidade Móvel de Jornalismo (UMJ). São três câmeras ao todo, uma externa e

Do ponto de vista editorial, a iniciativa permitirá o fortaleci­ mento do conteúdo jornalístico local, além de envolver os apai­ xonados torcedores do futebol paulista. Mas, para tornar tudo isto possível, os craques da téc­ nica tiveram que entrar em cam­ po com disposição: foram apenas três meses entre o desenho do projeto, a compra e a instalação dos equipamentos. “Além do prazo justo para im­ plantação, tivemos que lidar com o limitado espaço interno do veí­ culo, que foi um desafio para a adequação da acústica e ilumi­ nação do ambiente. Também era preciso instalar um gerador elétri­ co silenciado de 8 kW (kilowatts)­ que alimentasse toda a estrutura e ainda coubesse no espaço do ba­ gageiro”, destaca Hélio.

A união faz uma programação sem falhas Com a proposta de manter a qualidade e a confiabilidade da exibição, foi encerrado o 4º Ope­ ração Nota 10. Nesta edição, o Radar SP apresentou apenas

Na Central Globo de Produ­ ção, onde o ON10 está em sua segunda edição, as equipes do Domingão do Faustão, no Rio de Janeiro e em São Paulo, e do Mais Você, novamente, alcança­ ram as metas. Confira os demais destaques dos grupos participantes:

Destaques Bom Dia Brasil, RJTV 1, Globo

Participaram Tiago Leifert e Hélio Fernandes

Esporte, Globo Notícia 2 e RJTV 2 Globo Notícia, Jornal da Globo, Jornal Hoje, Radar, SPTV 1, SPTV 2 e

EXPEDIENTE CONSELHO EDITORIAL Carlos de Brito Nogueira (DPCC) Celso Araújo (DEEN) Cezar Rossi (DIEN-SP) Eduardo Ferreira (DEPC) Josemar Cruz (DEPC) Lucas Ribeiro (DEJE)

uma falha. Os desempenhos dos times do RJTV e do DFTV tam­ bém foram um sucesso. O índice de falhas destes telejornais ficou quase 60% abaixo da meta.

Maurício Félix (DEPS) Paulo Henrique Castro (DEEN) Rodrigo Nascimento (DPCC) Adriana Rohrs (CGPRH) Eliane Ribeiro (CGPRH) Bruna Porto (CGPRH)

Globo Esporte

CONTEÚDO E DIAGRAMAÇÃO www.palavrachave.net

Radar BSB, DFTV 1, Globo Esporte

E-MAIL INTERNO

e DFTV 2

Enews

Rede e Canal 4

E-MAIL EXTERNO e-news@tvglobo.com.br

Canal 5 e Canal HD Evento para equipes do TJ RJ

E-news Edição 53  

Publicação E-News Edição 53 - Março/2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you