Page 1

Encontros emcontos O espetáculo “Animal Domesticado”, faz parte do 13º Feverestival

A 13ª edição do Festival Internacional de Teatro de Campinas começa domingo e vai até o dia 24. Espetáculos para adultos e infantis estarão espalhados por vários cantos da cidade . PÁGINA 4

CHUN


entreaspas

REPRODUÇÃO

Já sofreu demais a sociedade capixaba com essa palhaçada ANDRÉ GARCIA, Secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, sobre o protesto de familiares de PMs no Estado Terça, 7

A Casa Grande surta quando a senzala vira médica

Eu amo festa, amo celebrar MARINA RUY BARBOSA, sobre seu casamento que será celebrado no dia 7 de outubro, em Campinas. Quinta, 9

BRUNA SENA, estudante da rede pública que passou em primeiro lugar em medicina na USP de Ribeirão Preto Segunda, 6

É alguém que vinha fazendo uma gestão desastrosa à frente do Ministério de Justiça HUMBERTO COSTA,

JOSÉ AGRIPINO MAIA, presidente do DEM, defendendo a nomeação de Alexandre de Moraes para o lugar de Teori Zavaski que moreu em 19 de janeiro. Segunda, 6

REP ROD

É um dos maiores constitucionalistas do país

UÇÃ O

líder do PT, sobre a indicação de Alexandre de Moraes para o STF Segunda, 6


Transporte testa bilhete

campinas

A

QR Code { POR EUNICE GOMES }

ARQUIVO DESTAK

proposta de eliminação do uso de dinheiro dentro dos ônibus do transporte coletivo de Campinas para pagamentos de passagem entra em sua fase final com o novo projeto piloto, que testa o bilhete de papel com QR Code (Quick Response Code - Código de Resposta Rápida). Os usuários podem testar a nova forma de pagamento da tarifa do transporte público coletivo em 25 veículos de oito linhas, que atendem cerca de 40 mil passageiros nos distritos de Sousas e Joaquim Egídio, até o final de fevereiro. Além de aliviar o motorista, obrigado atualmente a receber a passagem em dinheiro, o projeto visa principalmente aumentar a segurança nos ônibus, que

Usuários poderão testar o novo sistema em 25 veículos de oito linhas da cidade registram cerca de um assalto por dia em toda a frota. A previsão é de que todo o projeto deva ser implantado até o final deste semestre. O QR Code é um código de barras bidimensional, impresso em papel, que guarda dados e caracteres, identificado por validadores com leitora óptica instalados nos ônibus. O bilhete com o QR Code tem o custo de R$ 4,50, va-

lor da tarifa, que aumentou no início deste mês. O Code tem validade de sete dias, não dá direito à integração e pode ser comprado, nesta fase de testes, apenas em três lojas da rede credenciada pela Transurc (Associação das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Campinas). De acordo com Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas), também haverá monitores uniformizados vendendo os bilhetes nos principais pontos de embarque do distrito. Até a implantação final, o Code poderá ser adquirido também por telefone. Frustrados com experiência no passado, os usuários do transporte ficam receosos quanto às mudanças tecnológicas. “Será que vão ter postos suficientes espalhados pela cidade? Será que vão ter filas imensas? Sou a favor do novo sistema por uma questão de segurança e agilidade, mas os usuários não podem sofrer com isso”, afirmou a diarista Marilei da Silva Pilares. De acordo com o Secretário Municipal de Transporte e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, a venda será ampla e de várias formas. “São mais de 300 postos de venda em toda a rede credenciada da Transurc e no sistema de ATMs (Automated Teller Machine), que serão implantados em pontos estratégicos do município, em que será possível adquirir o bilhete utilizando cartões de débito ou crédito. Além da compra por celular”, afirmou o secretário.

3


diversão&arte LIGIAJARDIM

Amadores’ traz vivência de palco

Universo teatral

D

ocupaacidade

A partir deste domingo (12), cerca de 50 atrações artísticas tomam conta de auditórios, escolas, ruas e terminais de ônibus na maratona do 13º Festival Internacional de Teatro { POR EUNICE GOMES }

urante treze dias, cerca de 50 atrações artísticas ligadas ao universo teatral vão invadir os quatro cantos da cidade. A 13ª edição do Feverestival (Festival Internacional de Teatro de Campinas), que exibe uma programação com espetáculos adultos, infantis e de rua, além de atividades formativas e intervenção literária, será aberta neste domingo (12) e segue até o dia 24 defevereiro. Além dos grupos dediversas localidades do Brasil, participam também companhias do México e da Argentina. Os eventos são abertos ao público em geral, são gratuitos ou cobram preços acessíveis. Nas doze edições anteriores o festival somou um público de 300 mil pessoas que vivenciaram cerca de 200 produções inéditas. Com a temática “Encontros em Cantos”, a proposta desta edição é dialogar com a cidade, seus diversos locais e públicos. A expectativa da or-

HojetemDjavanem únicaapresentação

OD PR RE

4

ÃO

Referendado por diversos prêmios nacionais e internacionais pela sua inquestionável excelência musical, Djavan faz hoje (10) única apresentação da turnê “Vidas pra Contar”, na Expo Dom Pedro, às 21h, com ingressos a partir de R$ 50. Desde 2016 na estrada com esse novo trabalho, Djavan entra na reta final da turnê, com playlist que inclui além das inéditas, hits como “Oceano”, “Boa Noite” e “Eu te Devoro”. “Existe entre nós, eu e os músicos, um código musical que permite voos para todas

as direções, e isto é uma coisa que me ajuda muito, uma vez que persigo sempre a diversidade. Eu acho que a diversidade me impõe a estar sempre correndo riscos, e eu preciso disso", revela Djavan, que já percorreu 40 cidades com esse novo trabalho e tem previsão de término em julho próximo. Acompanhado por Carlos Bala (bateria), Jessé Sadoc (flügelhorn, trompete e vocal), Marcelo Mariano (baixo e vocal), Marcelo Martins (flauta, saxofone e vocal), Paulo Calasans (teclados e piano) e João Castilho (guitarras, violões e vocal), Djavan assina a direção do espetáculo, que conta com iluminação de Binho Schaefer, figurino de Roberta Stamato e cenário de Suzane Queiroz.

ganização é de reunir cerca de 15 mil pessoas durante todo o festival. Dentre as novidades deste ano, estão o Circuito Barão e o primeiro artista residente do festival, um Viajante. Berço do Feverestival, o distrito de Barão terá praças, sedes de grupos, terminais de ônibus e coretos invadidos por atividades artísticas. O circuitovai abrigar30 eventos com artistas moradores desse canto da cidade. Já Daniel Viana, oprimeiroartista residente, será um Viajante, que vai perambularpelos espaços do festival distribuindo trechos de cartas de um tal Valentim D. Almeida, noticiando fatos ocorridos na cidade de Formigueiros. Fatos que subsidiam a reflexão sobre “a cidade que queremos?” O show de abertura do Feverestival fica por conta de Gustavo Infante eLivia Carolina, noCoretoCastroMendes, em frente ao teatro, a partir das 18h, com entrada gratuita. “Transe” resulta da imersão musical do duo, que aposta na diversidade de ritmos

e influências de Minas Gerais à África, dos morros aos orixás. Às 19h, também no Castro Mendes, o espetáculo “Amadores”, da Cia. Hiato de Sampa, propõe a subversão a fim de refletir sobre nossa relação com a arte e como o nosso desejo por ela revela nossas histórias pessoais. Os ingressos variam entre R$ 7 e R$ 24. O Ponto de Encontro será embalado pelo show"Ieda Canta Elis", com Ieda Cruz e Dj Digão, a partir das 21h, na Casa São Jorge. Confira toda a programação: www.feverestival.com.br

Shows‘Transe’e "IedaCantaElis,ea peça“Amadores” compõema programaçãode aberturado evento

ARTES GRÁFICAS REPRODUÇÃO

HQs:muito maisquegibis Até dia 28 os campinenses irão se deparar com pacotes de Histórias em Quadrinhos (HQs) em áeras públicas da cidade. A distribuição gratuita do material integraa 4ª edição do Dia do

Quadrinho Nacional na Biblioteca Zink. Exposições, conversas, feira e noite de autógrafos compõem a atmosfera preparada para revelar história das artes gráficas. A exposição “Zalla, para sempre!” homenageia Rodolfo Zalla, um dos ícones do quadrinho. www.campinas.sp.gov.br


carreira&formação

Turbineseucurrículo { DA REDAÇÃO }

M

uitovalorizadopelomercado detrabalho,ovoluntariadoenriqueceocurrículoecolocao candidatoum passoa frente dos concorrentes. Para quem nunca fez trabalho voluntário, é preciso levar alguns fatores em conta antes de se decidirdoaraopróximo.

Reflitasobreo tempoquepode dedicareescolha umaatividade

O que tenho a oferecer e a quem Comquetipodecausavocêgostariadecontribuir? Idosos, crianças, animais, meio ambiente, pacientes com câncer ou Aids, pessoasemsituaçãoderua?Pensenashabilidadesquepossuiequepoderiamsercompartilhadas.Queroferecerseuspréstimosprofissionais,suacompanhia,ajudamaterialoutalentos artísticos? Porexemplo,sevocêéumadvogado,pode atenderocasodeumamulheremlitígiocom

UÇÃO REPROD

Trabalho voluntárioé valorizadopelo mercado

omarido,umodontologistapodefazeruma oficina sobre higiene bucal em uma creche, um cabeleireiro pode organizar uma tarde para idosos se embelezarem. A ajuda tambémpodenãoternadaavercomsuaprofissão: contarhistórias para crianças, distribuir comidaouprodutosdehigieneamoradores deruaquevivememalgumapraçapróxima

asuacasa,organizarfeirasdeadoçãodeanimais noseu bairro. O trabalhovoluntáriodeveservistocomo umcompromisso.Porisso,reflitasobrequanto tempo você tem disponível e decida qual o tipo e período da atividade. Suas habilidadesdesenvolvidaseseucomprometimento serãoconsiderados pelos empregadores.

Você pode encontrar um trabalho voluntário pela internet: CENTRO INFANTIL BOLDRINI www.boldrini.org.br

LAR DOS VELHINHOS www.lvc.org.br

TRANSFORMA CAMPINAS www.transformacampinas.com.br

APACC www.casaronaldcampinas.org.br 5


figura DIVULGAÇÃO/JENS KOCH

JEAN-MICHEL JARRE

Umdosmeus sonhosé tocarnoBrasil { POR BRUNA SANTAMARINA }

D

e uma “criança maluca” fazendo sons diferentes a um dos grandes nomes da música, precursor do som eletrônico, muito mudou na vida do francês Jean Michel Jarre, 68, desde o início da trilogia “Oxygene”, em 1977. Agora, ele lança “Oxygene3”, última etapa do projeto. O que continua intacta, no entanto, é sua vontade de tocar no Brasil. Quais são suas influências e como está seu novo álbum? Quando comecei, minhas influências estavam nos filmes, mais do que na música, porque fazíamos uma música diferente do que já existia. Esse álbum é o me-lhor na ideia de juntar pessoas. Por que você nunca tocou no Brasil? Essa é uma ótima pergunta. E eu peço desculpas aos meus fãs brasileiros. Um dos meus sonhos é tocar no Brasil. Muitas vezes, estive prestes a ir e alguma coisa aconteceu, ou com os produtores, ou com as dificuldades na agenda. Já houve até a possibilidade de fazer um grande show na praia de Copacabana, mas acabou não acontecendo. Mas realmente espero que, nos próximos meses, possa comparti-lhar meu novo produto com os brasileiros. Esse novo projeto é a mistura de novos sons com conceitos contemporâneos e uma cenografia única, com muito design. É realmente uma experiência para se ter ao vivo. Ver pelo YouTube não faz jus ao que estou fazendo. Tem que ser ao vivo. Mais do que nunca, quero compartilhar o projeto com os brasileiros.

6

Você tem vontade de fazer um show desse porte, aberto, na praia de Copacabana? Seria maravilhoso. Não é algo que eu possa decidir individualmente. Depende de um monte de gente. E é também

uma decisão da cidade do show. Depende mais do convite que eu receber. Mas, com certeza, é um dos meus sonhos tocar em Copacabana. Mas pode ser em outro lugar, com um projeto diferente, contanto que eu possa mostrar meu novo trabalho no Brasil. Você tinha recorde de maior público, mas foi passado pelo Rod Stewart no Rio. Como se sente? Dizem que números foram alterados... Primeiro, não estou chateado, realmente não ligo. Os números de público para esse show podem ter sido alterados tanto quanto outros shows que fiz. Essas coisas acontecem, não é tão importante. Não vou comentar essa questão. O que posso dizer é que é sempre ótimo fazer shows em frente a muitas pessoas. O que importa é isso, e não quebrar recordes. Como você enxerga a música eletrônica hoje em dia? A música eletrônica cresceu como tendência. Era underground, não reconhecida. Éramos crianças malucas. Agora, é mais popular. Imaginei que isso aconteceria no século 21, porque não é baseado em notas, mas sons. É universal e tem uma abordagem diferente. Como a internet influenciou esse processo? Mudou algumas coisas. Ela democratizou a música. Alguém no topo de uma montanha, no Brasil, na China ou num café em Paris pode criar um som, uma faixa, e distribuir sozinho. A internet mudou também o valor da música. Não é possível mais viver de música. Temos que criar um novo negócio. Isso não pode acabar com o sonho de quem deseja fazer música. Temos que achar um equilíbrio. A parte “smart” [inteligente] de um “smartphone” somos nós. Colaborou José Norberto Flesch

Músicofrancêsdisponibiliza odisco‘Oxygene3’,conclusão datrilogiaeletrônicaque teveinícioem1977


estilo

Liquidação

deverão As promoções já chegaram e é preciso pensar antes de comprar; peças básicas, que não seguem tendências, são as melhores opções { CÁSSIA CABALLERO }

Bolsas As bolsas grandes serão sempre úteis e dificilmente não serão usadas nas próximas estações. Dê preferências às cores neutras e clássicas como preta, nude ou azul marinho.

Sapatos Sapatilhas e scarpins são as melhores apostas. Ainda assim, evite as cores metalizadas como prateado e dourado que estão bombando neste verão. Nada garante que ainda estarão em alta na próxima coleção.

Vestidos Os vestidos longos lisos, com estampas florais ou geométricas nunca saem de moda. Se o preço estiver valendo a pena, invista sem medo. Sem contar que o vestido longo, com uma jaqueta jeans compõe um look bem versátil para os dias de temperaturas mais amenas do outono, que é a próxima estação.

Camisetas Se tem uma peça que todo mundo usa e nunca é demais, são as camisetas. Com jeans, embaixo de uma jaqueta ou até aquelas de dois números acima para usar como camisola sempre valem a pena se o preço estiver bom.

Jeans Escolha peças básicas como bolsas grandes e sapatilhas; sempre em tons neutros para usar a qualquer hora

FOTOS: REPRODUÇÃO

A

s liquidações de final de estação são sempre uma ótima oportunidade de adquirir boas peças por um preço bem mais em conta. Apesar de ainda faltarem quase 40 dias para o fim do verão, elas já estão bombando. Pois é justamente nessa hora que você não pode se deixar levar pelo impulso e adquirir roupas ou acessórios que não precisa ou que não encontrará oportunidade para usá-los. As peças básicas, atemporais, são as melhores compras. E atenção, pesquise sempre antes de comprar para ter certeza de que o desconto está valendo à pena. Outra dica importante é perguntar ao lojista se há possibilidade de troca, já que a legislação só garante a devolução para os casos em que a peça apresente algum defeito. E, geralmente, peças de promoção não serão trocadas.

Se você não resiste a um jeans, prefira os de modelagem mais básica. Calças flare, jeans destroyed ou com aplicações de patch são mais fáceis de sair de moda. Os básicos sempre podem ser usados com acessórios que valorizam a peça ou até serem customizados.

Branco o ano todo Peças brancas são verdadeiros coringas e podem ser usadas o ano todo. Uma camiseta, uma saia ou um vestido branco, quando acompanhados de um jeans ou acessórios coloridos são atemporais.

Vestidoslongos podemser usadosna próxima estaçãocom umajaqueta 7


passatempo

PALAVRAS CRUZADAS

HORÓSCOPO

SUDOKU

Por Zander Catta Preta

ÁRIES 21/3 - 20/4 Há tensão entre as necessidades do trabalho e as do lar. A gangorra, em algum momento, pende para um lado.

TOURO 21/4 - 20/5 Se a vida “na rua” anda ativa, o seu mundo interior anda explodindo de atos. Não tente entender tudo agora.

GÊMEOS 21/5 - 20/6 Às vezes a repetição é a melhor forma de ensinar algo. Principalmente para quem não sai do próprio umbigo.

CÂNCER 21/6 - 21/7 Se você souber fazer uma autocrítica sincera, poderá enxergar o que falta para chegar no seu sucesso sonhado.

SOLUÇÕES

LEÃO 22/7 - 22/8 Sua alma pode almejar cenários mais belos, só que antes precisamos cavar as condições necessárias para isto.

VIRGEM 23/8 - 22/9 Dar a profundidade devida aos atos é meio caminho andado. Reflita sobre tudo antes de agir.

LIBRA 23/9 - 22/10 Enquanto as energias racionais concentram-se na casa de expressão do ser, sua alma preocupa-se com o outro.

ESCORPIÃO 23/10 - 21/11 Entre o concreto e onírico há uma ponte que é construída tanto com suor quanto com descansos.

SAGITÁRIO 22/11 - 21/12 Mais do que pensar em si, você deve viver a vida interior. Mais que sonhar os movimentos sociais, você deve agir.

EXPEDIENTE Destak Brasil Editora S.A. Diretor de Redação: Paulo Galdieri Editora: Cássia Caballero Reportagens Campinas: Eunice Gomes Editor de Arte e projeto gráfico: Andre Marcondes Diagramação: Bianca Maciel Gráfica: Folha Gráfica (11 3324-7712) Endereço: Av. Brig. Faria Lima, 2.954, 3º andar – CEP 01451-000 São Paulo-SP campinasdestaksemanal@gmail.com

Para anunciar ligue: (19) 99177-4645

CAPRICÓRNIO 22/12 - 20/1 Poucos de nós conseguem equalizar as necessidades do trabalho e do lar ao mesmo tempo sem ajudas.

AQUÁRIO 21/1 - 19/2 A maior beleza do conhecimento é a possibilidade de nos encantarmos com o que existe de verdade.

PEIXES 20/2 - 20/3 Duas instâncias aparentemente opostas podem ser complementares, se entendidas harmoniosamente.


pet

Petsnaareia: porquenão?

REPRODUÇÃO

A

Infelizmente, cães são proibidos de frequentar praias em razão de riscos à saúde das pessoas e deles mesmos

{ DA REDAÇÃO }

10

imagem é tentadora: ver o seu cachorro brincando na praia, correndo pela areia e pulando as ondas do mar. Infelizmente, essa cena não deve se tornar realidade. Levar os cães à praia é contra a lei na maior parte dos balneários do mundo. É verdade que por aqui existem projetos de leis pedindo a liberação de alguns espaços para os cães, mas são casos isolados. Às vezes funciona. Em agosto passado, por exemplo, a praia portuguesa de Peniche, distrito de Leiria, passou a permitir a permanência de animais. Por isso, antes de mais nada, é bom verificar se a praia que frequenta permite que você leve seu amigo de quatro patas. ‘Ah, mas eu sempre vejo um cachorro na praia tal’, ou ‘De manhãzinha todo mundo leva os bichos na praia X’. É verdade, tem muita gente que faz isso e muitas vezes o poder público faz vista grossa em algumas situações. Mas aíé contar com a sorte de ninguém re-

clamar e de não aparecer um agente público para te multar. MAS POR QUÊ? Afinal, essa proibição é pura frescura? Não, não é. O problema maior são as fezes dos cachorros, que podem transmitir doenças para as pessoas, como micoses na pele, parasitas no intestino e o bicho geográfico.

Omaiorproblema sãoasfezesdos animaisnaareia, quepodemcausar doençasdepelee deintestino Todo mundo corre risco, como a pessoa que caminha descalça ou senta na areia, mas as crianças, que brincam com ela (e podem até colocá-la na boca) são as maiores vítimas. Infelizmente, como vemos pelas calçadas das cidades brasileiras, não dá para

confiar que as pessoas vão recolher a sujeira. Há risco para os próprios cães, que podem entrar em contato com fezes de animais não vermifugados. Outro problema é que os bichos podem ser atacados por outros cães, já que geralmente os donos tiram as guias na praia. SAÚDE DO PELUDO Caso queira mesmo se aventurar, cuide da saúde do animal. Não o deixe nunca ingerir água salgada, que pode provocar desidratação severa – ofereça muita água potável–; cuidado com o sol forte, que pode provocar queimaduras especialmente no focinho e nas orelhas; e fique de olho em restos de peixes e crustáceos estragados. Cães que brincam muito na água do mar podem ter otites (inflamação do ouvido) e irritação nos olhos, pela água salgada e areia. Mantenha-o vacinado, vermifugado e protegido de pulgas, carrapatos e mosquitos (um deles é responsável pela perigosa doença do verme do coração). E, claro, respeite o outro, mantendo a praia limpa e o cão sob controle.


bemestar

Trilhasno campoe nacidade

Trilhas realizadas em espaços abertos podem ser mais traiçoeiras em dias chuvosos

{

DA REDAÇÃO

RE PR OD

ÃO

Ciclistas de fim de semana, com menos preparo, e atletas veteranos têm diversas opções de circuitos em Campinas; conheça alguns deles }

C

iclofaixas, ciclovias, trilhas rurais que cortam APAs (Áreas de Proteção Ambiental) passando por lugares históricos, fazendas, picos e observatório astronômico, sem deixar de lado as pistas de mountain bike. Essas opções compõem os circuitos de quem quer pedalar, seja como transporte, lazer ou esporte, em Campinas. São roteiros que vão do grau de dificuldade leve ao mais alto, do chão de terra e lama às vias pavimentadas, dentro da mata fechada ou no centro da metrópole.

Acidadeoferece opçõesatépara quemnãoquer sairdoregião urbana Entre as trilhas rurais, o destaque vai para o circuito Pico das Cabras/Observatório de Capricórnio. Um teste de fôlego, porque são cerca de 40 km partindo de Sousas e passando por Joaquim Egídio, sendo que 15 deles de subida puxada até o topo mais alto da cidade, localizado a 1.050m de altitude. Solos de terra e pavimentados com irregularidades colocam o grau de dificuldade como médio/alto. O roteiro Estradas da Usina Salto Grande/Bocaina, é outra boa opção.

Apresenta percurso variado com trechos de estradão, mountain bike e até alagados pelo mangue. São 16km de pedal entre Joaquim Egídio e a usina. A entrada é pela estrada das Cabras (SP-81). Após 300 metros, no posto BR, há uma placa indicando Salto Grande. Grau de dificuldade médio/alto. Evite dias chuvosos. Para quem não abre mão da adrenalina, mas quer ficar no perímetro urbano, a dica são as duas pistas de mountain bike do Parque Ecológico Monsenhor Emílio José Salim. Uma para iniciantes, com 4,2 km de extensão, e outra para esportistas avançados, com 6,2 km. O percurso é de terra e parte dele é feito no meio da mata. O parque fica aberto diariamente das 6h às 19h. Já o circuito Lagoa do Taquaral/Norte Sul é o caminho dos que buscam lazer e saúde sem sair da cidade. São 9,1 km pavimentados e sinalizados que vão da Lagoa do Taquaral ao viaduto Laurão, incluindo Kartódromo, praça Arautos da Paz e avenida Norte-Sul. Considerado um dos principais trajetos urbanos, o circuito é muito procurado por famílias nos fins de semana e feriado. Indicado para iniciantes. A ciclovia da avenida Baden Powell, no Jardim Nova Europa, não fica de fora do roteiro do pedal. Localizada no canteiro central, a via é bidirecional e tem 1,6 km de extensão. O local tem iluminação fotovoltaica, que favorece a prática à noite. A cidade conta atualmente com 21km de ciclovias, além de faixas de lazer.

11


esportes

JOSEMAR GONÇALVES.TRIPE FOTOGRAFIA. ESTADAO CONTEUDO

Ponte Preta derrotou o Campinense por 2 X 0 CORRIDA DE RUA

Malhação regada

à cerveja

E

Ponte estreia comopé direito Time de Campinas garante vaga na próxima fase da Copa do Brasil e enfrenta o São Paulo neste domingo (12) pelo Paulista, embalado pela vitória em cima do Ferroviário { POR EUNICE GOMES } 12

mbalada por duas vitórias consecutivas em estreias - a primeira delas pelo Paulistão contra o Ferroviário e a segunda pela Copa do Brasil contra o Campinense -, a Ponte Preta enfrenta o São Paulo neste domingo (12), às 17h, no Estádio do Morumbi, pelo Paulista. Com a classificação para a próxima fase na Copa do Brasil garantida, a torcida segue motivada e de olho nas novas contratações do time para fechar o elenco deste ano. Nesta semana, o meia Matheus Cassini realizou exames médicos e deve ser o novo integrante do time alvinegro de Campinas no Campeonato Paulista de 2017, mas com a possibilidade de renovação por mais uma temporada, segundo o clube. Já William Pottker,que negociava com o Corinthians, deve permanecer no clube campineiro.

WilliamPottker abriuoplacar contrao Campinense,na últimaquarta Matheus Cassini, que completa 21 anos no próximo dia 15, foi revelado nas categorias de base do Corinthians e seu último clube foi o Siracusa, da Itália, ten-

do defendido também as camisas do Inter Zapresic (Croácia) e Palermo (ITA). Cassini tem contrato até 2020 com o Palermo, que o comprou do Corinthians em 2015 por R$ 3,5 milhões. COPA DO BRASIL O jogo de estreia da Copa do Brasil, na última quarta-feira (8), marcou o reencontro de dois atletas do elenco da Ponte Preta em terras paraibanas. O zagueiro Fábio Ferreira nasceu na cidade do duelo, Campina Grande, e o lateral-direito Nino Paraíba é de Rio Tinto, município que fica a cerca de 4o km da capital João Pessoa. “Joguei no Atlético de Cajazeiras, Sousa e Guarabira, que foi onde comecei. É muito bom voltar a jogar aqui contra o Campinense. Enfrentei eles em 2007, 2008 e 2009 e é muito bom estar na Paraíba de novo, defendendo agora a Ponte Preta”, afirmou Nino Paraíba. Mas no campo, quem roubou a cena mesmo foram Pottker e Lins, autores do 1º e 2º gols respectivamente. Um pênalti provocado pelo goleiro Gledson foi convertido em gol por Pottker aos 25 minutos do 2ª tempo. Depois de um contra-ataque puxado por Lucca, aos 27 minutos, a bola sobrou para o Lins, que fechou o placar da partida. Pottker deve continuar na Ponte Preta, já que jogou na estreia da Copa do Brasil pelo time de Campinas, o que pelo regulamento o impede de defender outra equipe nessa competição.

A inusitada 10k Beer Campinas, que mistura atividade física e descontração com cerveja, chegou à 6ª edição que acontece no próximo dia 18, com largada às 16h, no Bar da Vinci. O circuito percorre as ruas do Cambuí, que ligam sete bares que integram o evento neste ano. Idealizada por três corredores de rua, a primeira edição da corrida ocorreu em 2012 e reuniu apenas 30 atletas, que eram amigos dos amigos dos organizadores. “Ao tomar conhecimento que existia uma corrida de bares em Ribeirão Preto, pensei comigo: vai dar certo. Se acordamos às 6h para treinar e saírmos dos bares às 2h da manhã, só pode ser por prazer. Então, vamos misturar para ver o que vai dar”, revela Jorge de Oliveira, no site da corrida. E ele estava certo. Desde o ano passado, conta outro organizador, Marcos Simioni, o número de participantes teve de ser limitado a 350 pessoas devido à grande procura. “Nós três (incluindo na lista outro organizador, Ronaldo Ferreira) sempre corremos, disputamos provas e levamos a sério a corrida de rua. Para descontrair um pouco, decidimos aliar esporte, confraternização e cerveja. E ainda uma banda pré-carnavalesca que encerra a corrida em clima de folia”, explica Simioni. Segundo o regulamento, cada participante tem direito a uma camiseta, uma caneca, dez copos de chope ou cerveja e suporte do carro de apoio durante o percurso da prova. A inscrição custa R$ 130 e só os corredores/bebedores com mais de 18 anos podem participar. Informações e inscrições: 10kbeer.com.br/site/ DIVULGAÇÃO

Campinas - 1194  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you