Issuu on Google+

O DIA A DIA DO COMPRADOR

ANO X – EDIÇÃO 83 – SETEMBRO/OUTUBRO 2013 – DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Entenda a importância do profissional de compras nas empresas e suas principais funções nos dias de hoje

NOVO EMPREGO! E AGORA? Começar algo novo exige desapego ao que ficou para trás

Compradores celebram mais um ano de conquistas A 15ª edição da Festa do Comprador marcou o início de uma nova era para a APCC. Saiba mais sobre o evento nesta edição

APCC 15 ANOS DE HISTÓRIA | GESTÃO | MERCADO | SOCIEDADE | SEUS DIREITOS | APCC E PARCEIROS


2 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

EDITORIAL

Uma edição mais que especial Caro leitor, É com prazer que trazemos até você a edição n˚ 83 (setembro/outubro). Podemos dizer que setembro é o mês dedicado ao Profissional de Compras, devido a grande mobilização em torno da confraternização do Dia do Comprador (19 de setembro). E esse ano apresentou-se para nós com uma maior expectativa, pois estávamos esperando com máxima ansiedade a festa de aniversário dos 15 anos da nossa querida APCC. Graças a Deus e aos esforços de toda a diretoria, associados e parceiros, conseguimos realizar uma linda festa. Foi um sucesso! Vamos continuar trabalhando com todo entusiasmo para vermos a APCC cada vez mais unida e preparada para enfrentar novos desafios. Em todas as edições deste ano temos dedicado páginas contando a nossa história e isso nos é muito gratificante, pois olhamos para o passado e vemos o quanto foi e é importante caminharmos juntos. Isso nos incentiva a melhorarmos a cada dia. Veja nossas páginas, elas estão repletas de novidades. Até a próxima edição! Um abraço e boa leitura!

PRESIDENTE Vicente de Paulo Torquato VICE-PRESIDENTE José Wagner Arrais Albuquerque DIRETORES 1º Diretor Financeiro: José Maria Cunha 2º Diretor Financeiro: Francinildo Teixeira Victor 1º Secretário: Antonio Edgar Moreira da Silva 2º Secretário: Francisco Gledson da Silva Diretor Social: Arilaudo Ribeiro Melo Relações Públicas: Ednaldo Lima Tabosa Diretor de Patrimônio: Paulo André Marques Diretor Administrativo: Robeval Feitosa Goes CONSELHO FISCAL Misael Barreto da Silva Carlos Eugênio Tavares João Batista do Carmo SUPLENTES José Alves Paulino Antonio Wagner Gois Carlos Alberto Firmino Rodrigues PROJETO GRÁFICO / DIREÇÃO DE ARTE Cristiano Abreu (85) 8899.4475 | ceadesign@hotmail.com JORNALISTA RESPONSÁVEL Karol Andrade (85) 8604.4441 | karolandradejornalista@gmail.com IMPRESSÃO Tecnograf TIRAGEM 1.500 exemplares

ROBEVAL FEITOSA GOES Diretor Administrativo

O Jornal do Comprador é uma publicação da Associação dos Profissionais de Compras do Estado do Ceará – APCC: Av. Gomes de Matos, 648 • Sala 110 • Montese • Shopping Solaris • Fortaleza-CE • Fone/Fax: (85) 3204.1513 (85) 3091.7991 • www.apcc-ce.com.br • apcc@apcc-ce.com.br • apcc-ce@hotmail.com

ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE COMPRAS DO ESTADO DO CEARÁ VISÃO

Representar a classe dos profissionais de compras, atuando no âmbito Municipal, Estadual e Federal.

MISSÃO

Trabalhar para atingirmos nossos objetivos, baseados na ética, valorização humana e profissional, buscando sempre a excelência da profissão.

OBJETIVOS

Congregar e organizar a classe de profissionais de compras do Estado do Ceará, com vistas a defender os seus interesses, assim como representar e reivindicar junto aos poderes constituídos públicos e privados, a execução de medidas que lhes assegurem o apoio efetivo ao desenvolvimento das suas atividades de modo a lhes garantir melhores condições de trabalho e de vida; Regulamentação da classe junto aos órgãos e entidades e instituições competentes.

Acesse o site www.apcc-ce.com.br e conheça mais sobre a Associação


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 3

04 APCC 15 ANOS DE HISTÓRIA

SUMÁRIO

Os principais acontecimentos da exemplar gestão de Robeval Goes

06 APCC ESPORTES

O evento se consolida entre os profissionais de compras

08 EVENTOS

Associação marca presença em eventos e cria promoção para os associados

09 PERFIL

Jhonantan Chaves, comprador da SV Elétrica

10 RECONHECIMENTO

Presidente da APCC prestigia o empresário Carlos Prado

11 COMO VIVER MELHOR

Lembretes que facilitam nossa caminhada

04

10

11 ANIVERSARIANTES DOS MESES Setembro/Outubro

12 APCC E PARCEIROS

As principais visitas nos meses de agosto e setembro

13 DICAS DE ETIQUETA

Postura e compostura

14 O DIA A DIA DO COMPRADOR

A importância do profissional de compras nas empresas

16 NOVO EMPREGO! E AGORA?

14

16

Dicas para auxiliá-lo em seu novo desafio

18 DÉCIMA QUINTA FESTA DO COMPRADOR Mais um ano de conquistas e o início de uma nova era

26 10 LIÇÕES PARA EMPREENDER

Dicas valiosas para você se tornar seu próprio chefe

28 DESEMPENHO OU PERFORMANCE?

Significados diferentes para o mundo corporativo

29 SAÚDE EM DIA

Dicas para a longevidade

30 SEUS DIREITOS

18

Assédio Moral: a intensificação e banalização desse fenômeno

31 DICAS DE FILMES

A Busca | A Negociação

32 GESTÃO

E cadê o lucro?

33 DICAS DE LEITURA

Desafiando o Talento | A Terceira Alternativa

34 MERCADO

Comprador adquire status estrategista

26

28

34 SOCIEDADE

A luz no fim do túnel


01

02

Continuando a história da APCC, chegamos ao ano de 2009 com o presidente Carlos Eugênio Tavares concluindo os seus dois mandatos consecutivos e novamente um momento de renovação chegando. Em mais uma eleição, dessa vez no mês de janeiro, renovava-se o comando. E nessa ocasião foi escolhido para presidente Robeval Feitosa Goes e para vicepresidente Carlos Alberto Firmino Rodrigues, profissionais da área de compras da TBM – Têxtil Bezerra de Menezes S/A. A posse aconteceu em 29 de janeiro de 2009, na sede do CORE-SE/SIDVENDAS, hoje SIRECOM. Caminhamos dois maravilhosos anos de trabalho e em março de 2011, com o apoio total da diretoria e dos associados, a dupla foi reeleita para mais um mandato de dois anos. Robeval,

juntamente com os demais diretores, enfrentaram muitas dificuldades, mas com fé em Deus, perseverança e muita disposição para o trabalho, melhores resultados começaram a ser alcançados. Os anos passaram-se rapidamente e logo chegou 2013, ano de eleição, e as expectativas de mudanças se renovaram. Em 12 de março passado, quando completávamos 15 (quinze) anos da primeira eleição, foram eleitos para continuar os trabalhos na Associação, Vicente de Paulo Torquato, da CEMAG/ITAUEIRA e José Wagner Arrais Albuquerque, da SV ELÉTRICA, quando tomaram posse em 30 de abril de 2013 e mais uma etapa iniciou-se no desenvolvimento político e social da APCC. Seguem os melhores momentos da gestão Robeval e Carlos Firmino, referentes aos dois mandatos.


03

04

05

07

06

08

09

11

10 01 - Posse da diretoria para o biênio 2009/2010, com a presença do Ministro da Previdência, Deputado Federal José Pimentel – 29 de janeiro de 2009. 02 - Décima primeira confraternização dos Profissionais de Compras, no Clube dos Diários – Setembro de 2009. 03 - Décima segunda Confraternização dos Profissionais de Compras, no Clube dos Diários – Setembro de 2010. 04 - Reeleição de Robeval Feitosa Goes para presidente da APCC – Março de 2011. 05 - Posse da diretoria eleita para o biênio 2011/2012, na sede do CORE-CE/SIRECOM – Abril de 2011. 06 - Visita ao Porto do Pecém – 27 de agosto de 2011. 07 - Palestra no auditório do CORE-CE/SIRECOM, Gerência e Liderança, com Francílio Dourado – 15 de setembro de 2011. 08 - Décima terceira Confraternização dos Profissionais de Compras, no Clube dos Diários – 17 de setembro de 2011. 09 - Participação na Expoconstruir – no Centro de Convenções Edson Queiroz – 21 a 24 de setembro de 2011. 10 - Participação no CIGEC 2012, Congresso Internacional de Gestão Estratégica de Compras - 30 e 31 de maio de 2012. 11 - Décima quarta Confraternização dos Profissionais de Compras – Sítio do Marco Leão - Setembro de 2012.


APCC ESPORTES Nos dias 31 de agosto e 28 de setembro, a APCC promoveu mais um racha para os associados. E para demonstrar o respaldo que esse evento vem ganhando entre os compradores, a cada edição das tardes futebolísticas, o número de participantes só aumenta. Mais do que uma reunião entre amigos, a APCC acredita que proporcionar a prática de esportes é essencial para a vida de seus associados. Participe conosco e venha fazer um gol de placa pela APCC! O evento sempre acontece no último sábado do mês, no campo Gol de Placa, rua Epaminonda da Frota, 196 - Vila União. Contamos com a sua presença no próximo racha, dia 26 de outubro. Até lá!

Apoio:


8 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

EVENTOS

Atualização constante Associação marca presença em eventos e cria promoção para os associados No mês de agosto a APCC se fez presente em vários eventos. Dia 7, participamos do Workshop “Construindo o Sucesso Juntos”, promovido pela Legrand Brasil, no Ponta Mar Hotel, oportunidade importante para conhecermos um pouco do que faz um dos maiores

grupos multinacionais na fabricação de produtos para o seguimento de materiais elétricos. Dia 20, estivemos no Hotel Luzeiros participando de um café debate, promovido pela FIEC/INDI, onde reunimo-nos com profissionais de compras de diversas empresas industriais para troca de ideias

para melhoramento da produção de insumos que atendam com mais eficácia as demandas das indústrias cearenses. Dia 28, na sede da APCC, foi realizada a entrega dos prêmios da promoção do Dia dos Pais, ao Sr. Walmar Eleutério Costa Mariano, colaborador da Construtora Colmeia.

03

01 02

04

01 e 02. Participação no " Workshop Construindo o Sucesso Juntos". 03 e 04. Participação no debate promovido pela FIEC/INDI sobre melhorias na produção de insumos. 05 e 06. Promoção Dia dos Pais, promovida pela APCC.

05

06


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 9

PERFIL

JHONANTAN CHAVES, COMPRADOR DA SV ELÉTRICA Perfil - JONANTAN CHAVES Sou Jhonantan Chaves, aluno do MBA em Administração Financeira, da Universidade de Fortaleza (UNIFOR), tenho 27 anos e nasci em Fortaleza-CE. Comecei minha carreira na área de suprimentos, na empresa Pague Menos, como estagiário no setor de compras. Minhas atividades eram voltadas para o acompanhamento logístico e de marketing da linha de produtos do fornecedor Johnson & Johnson. Logo em seguida iniciei a primeira fase de estágio no setor de compras da Coelce, onde desenvolvia atividades de apoio às compras do setor Coelce Plus, o qual prestava serviço aos grandes clientes. Além das compras, era também responsável por alimentar o sistema para criação de orçamento de materiais. A tarefa consistia em cotar os melhores preços do mercado de Fortaleza dos itens homologados para construção de subestações e linhas de transmissão.

Na segunda fase do meu estágio, o apoio ao setor de compras se estendeu também ao setor de contratos da Coelce. Vale salientar que esse período na Coelce foi formador do meu perfil atual de comprador, que busca constantemente ajudar o próximo de forma sistematizada e atendendo às políticas e diretrizes que a área de suprimentos necessita para que se tenha credibilidade. Em seguida, fui convidado a integrar a empresa Prátil que, assim como a Coelce, pertence ao grupo Endesa. Nessa época, me deparei com um grande desafio por se tratar de uma empresa que estava “nascendo” e as incertezas serem imensas. Porém, lá encontrei o mesmo “clima família” que tínhamos na Coelce e a adaptação foi muito rápida. Na Prátil, minhas atividades eram voltadas para compras de material e criação das minutas de contrato no modelo Turn Key. Após alguns meses, surgiu a oportunidade de ser comprador da empresa Siif Energie, pioneira em geração no setor de Energia Eólica no Estado do Ceará. Além das atividades de compra de materiais, comecei também a acompanhar os contratos de manutenção das linhas de transmissão e Parques Eólicos de Camocim, Icaraí de Amontada, Paracuru e Foz do Rio Choró, em Beberibe. Fui Promovido a Analista de Suprimentos assim que a Siif Energie foi comprada pela CPFL Renováveis, empresa do Grupo Paulista CPFL Energia. Na CPFL Renováveis, além

de Energia Eólica, tínhamos outras fontes de Geração de Energia, como Biomassa e PCH’s (Pequenas Usinas Hidroelétricas). Na oportunidade, participei como Key User na implantação do sistema SAP no módulo MM de Suprimentos. Atualmente, sou comprador da Empresa SV Elétrica, que dispensa comentários, tamanha sua história ao longo de mais de 20 anos de contribuição para o setor energético do Estado do Ceará. Sou responsável pelas compras nas áreas de Iluminação e Automação, o que é para mim um novo e grande desafio, pois, sem sombra de dúvidas, o conhecimento técnico dessas áreas é determinante para o bom desempenho nas compras, bem como as constantes negociações fundamentais para a saúde financeira da empresa. Agradeço à APCC pela oportunidade de mostrar um pouco da minha trajetória profissional e, em especial, ao meu grande professor e amigo em suprimentos, Ubirajara Lemos. Finalizo agradecendo ao Bom Deus que esteve e está comigo em todos os momentos e por ter colocado sempre pessoas maravilhosas em meu caminho, que me ajudaram a ser o profissional que hoje sou. A todos desejo paz e bem!


10 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

RECONHECIMENTO

Presidente da APCC prestigia o empresário Carlos Prado em sessão solene Em sessão solene, no início do mês de setembro deste ano, o presidente da Associação dos Profissionais de Compras do Estado do Ceará (APCC), Vicente Torquato, prestigia o empresário Carlos Prado pelo recebimento do título de “Cidadão Cearense”, outorgado por unanimidade pela Assembleia Legislativa, pelos seus 40 anos de residência e atividades empresariais no Estado do Ceará. Dr. Carlos Prado, que é presidente do grupo Cemag – Itaueira Agropecuária e também vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará – FIEC, foi homenageado no plenário da Assembleia Legislativa, com a presença de autoridades, parlamentares e empresários, além de seus familiares, amigos e colabo-

radores das suas empresas. O homenageado é um homem íntegro, trabalhador, generoso e que durante esses anos vem desempenhando no Ceará muitas atividades no campo empresarial. O empresário é paulista, de 72 anos, há 40 residindo com a família no Ceará, onde produz na área da agricultura e da indústria, dando emprego a cerca de 1.500 (mil e quinhentas) pessoas. Em 1973 fundou a Cemag, que fabrica máquinas agrícolas e seus clientes estão nas várias regiões brasileiras. Hoje, tem firme atuação no setor do agronegócio, onde sua empresa, Itaueira Agropecuária, produz e exporta melão para toda Europa e EUA, mas priorizando o mercado interno brasileiro. O homenageado também preside a Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Fru-

Carlos Prado é homenagado em sessão solene na Assembleia Legislativa do Ceará

ticultura do Ministério da Agricultura e Pecuária e a Comissão Nacional de Fruticultura da CNA - Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil. Desempenha também as funções de Secretário Executivo da FPMF - Frente Parlamentar Mista da Fruticultura, presidida pelo deputado Antônio Balhmann. "Esse homem íntegro e trabalhador faz jus ao título recebido", enfatiza Vicente Torquato. Na foto da esquerda o homenageado recebendo das autoridades o título de Cidadão Cearense. Na imagem da direita Carlos Prado, ao lado de Vicente Torquato, presidente da APCC, participando da 20ª Semana Internacional da Fruticultura, Floricultura e Agroindústria – FRUTAL 2013, onde a ITUEIRA, uma de suas empresas, foi expositora.

Carlos Prado e Vicente Torquato (presidente da APCC) na FRUTAL 2013


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 11

COMO VIVER MELHOR

Lembretes que facilitam nossa caminhada Sabemos que somos causadores de nossos infortúnios; nada mais lógico, portanto, que procurarmos dentro de nós os meios para superá-los. Reclamar de nossos problemas apenas contribui para agravá-los e os distanciar da solução desejada. Antes de pedirmos a Deus para que nos livre de determinado obstáculo, deveríamos solicitar-lhe forças para superá-lo. Em muitos casos, a permanência de certos obstáculos em nosso caminho

é indispensável para nosso progresso espiritual. Por isso, bondosamente, Deus não os retira mas, dependendo de nossa receptividade, nos dará as forças necessárias para vencermos qualquer adversidade. A nossa força interior está sempre disponível. Cabe-nos canalizá-la para finalidades nobres. O uso, de forma correta, das nossas potencialidades determinará o grau de nosso progresso. Somos o que pensamos. Daí a necessidade de vigiarmos nossos

pensamentos para termos uma melhor qualidade de vida, tanto no aspecto material como espiritual.

Luis Gonzaga Cunha é funcionário aposentado da Caixa Econômica Federal.

ANIVERSARIANTES DOS MESES

SETEMBRO 01 – Antônio Helio dos Santos 05 – Vilauba Lucia de Araujo S. Soares 07 – Erandi Silverando Nascimento 12 – Luciano Farias de Sousa

13 – Criscelio Costa 14 – Josias Marcelino da Silva 19 – Alexsandro Barbosa dos Santos 25 – Heleilson Jose Martins de Lima

27 – Rosa Maria Rodrigues Lopes 28 – Marcus Vinicius Zanet de Sousa 30 – Arilaudo Ribeiro de Melo

08 – Paulo César Barbosa da Silva 08 – Thaís Mendes Lira 09 – Lívia Lilian de Arruda Silva 17 – Getúlio Pinheiro 22 – Carlos Alberto Firmino Rodrigues

18 – Maria Rosimeire 29 – Reginaldo Siqueira Castelo 29 – Francisco Reginaldo Viana

OUTUBRO 03 – Francisco Thiago Gomes Barreto 05 – Anderson Franco Carvalho 06 – Alexsandro Ribeiro dos Santos 07 – Ednaldo Lima Tabosa 08 – Raimundo Nonato Pereira da Costa


12 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

APCC E PARCEIROS

Sociedade constante Em agosto e setembro de 2013, a APCC visitou alguns parceiros

01

para renovar os laços comerciais.

02

A Associação esteve na Construtora Mota Machado com o Gerente de Suprimentos, João Batista do Carmo, na Gerardo Bastos com os senhores José Bastos, Gerardo Neto e vendedores, e na empresa Rolimão, distribuidor de rolamentos da marca SKF.

04

03

É a APCC sempre renovando os contatos com os parceiros para um melhor relacionamento. Agende um horário com a Associação e receba a visita dos diretores, que terão o maior prazer em visitar sua empresa.

01. Vicente Torquato (Presidente da APCC), José Bastos, Gerardo Neto e Robeval Goes (Diretor Administrativo da APCC).

03. João Batista do Carmo (Gerente de Suprimentos da Construtora Mota Machado) e Robeval Goes.

02. Vicente Torquato e Robeval Goes com vendedores da Gerardo Bastos.

04. Wagner Albuquerque e Paulo Silveira com vendedores da Rolimão.


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 13

DICAS DE ETIQUETA

Postura e Compostura Todos nós devemos ter o prazer de marcar nossa presença na vida social com postura e compostura. Elas são irmãs gêmeas, se dão bem e andam de mãos dadas. Vamos unir o útil ao agradável, mas fluindo naturalmente. Começando com as definições, postura trata-se de aspectos corporais, tais como: maneiras de andar, sentar, enfim, postar-se nas mais variadas situações. Enquanto que compostura é o conjunto de ações que denotam boa educação. Veja algumas dicas: 1. Saiba que um sorriso é com certeza a moldura de um rosto. Vamos sorrir mais! Os beijos sociais, devem ser simbólicos. Lembre, a mulher é que escolhe o modo do cumprimento. Fuja daqueles benditos beijinhos no ar, estilo em salão de beleza.

2. Seja uma pessoa discreta no elevador, ao entrar cumprimente com uma saudação do horário, não atenda celular e saiba permanecer em silêncio. 3. O horário britânico deve ser referência planetário. Então, devemos como convidado cumprir a pontualidade. Os limites de tolerância são, chegar ao compromisso 15 minutos antes ou 15 minutos depois do horário estipulado no convite.

6. Na hora das refeições, não brinque com os talheres. Saiba conduzi-los sem querer ser maestro. Não é difícil, nem impossível manter a postura e a compostura no meio social. O segredo é treinar no âmbito doméstico, para em público, fazer bonito.

4. As ligações comerciais tem horário restrito, não abuse. Pode até perder negócios em não cumpri-lo. 5. A vaidade feminina pode e deve ser preservada. Mas nada de deixar à mostra as alças do sutiã, muito menos arrumá-las em público. E quanto as calcinhas nem pensar de puxar os elásticos por cima da roupa. Faça isso no toalete.

Priscila Cavalcanti e Malu Cavalcanti são cerimonialistas e promotoras de eventos. www.priscilaeventos.com.br priscilaeventos@priscilaeventos.com.br (85) 3401.5216 | 9981.1786


14 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

O dia a dia do Comprador Por Bárbara Comin

O

mercado atual exige que as empresas tenham um capital intelectual bastante forte, e isso inclui todos os cargos da organização, sem exceções. No início a empresa era mais focada na produção, depois em vendas e marketing, hoje é fundamental ter uma visão sistêmica e atentar-se a cada parte. Daí a importância de colaboradores capacitados. Bons vendedores que atendam bem ao cliente, bons operários que vistam a camisa da empresa na produção de peças ou serviços, um setor financeiro em que se possa ter total confiança, psicólogos, contadores, secretária... e o comprador? A função do comprador na empresa é resumidamente assegurar o abastecimento dos materiais necessários na produção e no restante da empresa, buscando o menor preço, dentro dos padrões estabelecidos de prazo e qualidade dos produtos e serviços. Os compradores talvez sejam as pessoas mais hiperativas da empresa. Nunca se viu um setor de compras tranqüilo, no sentido de fazer as coisas com calma. O telefone não pára de tocar e diversos vendedores tentam apresentar seus produtos e

suas marcas, mas torna-se difícil dar atenção a todos. Muitos orçamentos feitos, dezenas de compras efetuadas, milhões de reais gastos, reais estes que não pertencem ao comprador, mas a empresa da qual ele faz parte. E isso acaba gerando uma responsabilidade gostosa de administrar. É uma função que exige que tudo esteja claro, como o porque de ter escolhido um fornecedor e de não ter comprado do outro. Qualquer escolha no futuro poderá gerar desconfiança, e isso já é um preconceito que se tem de que o comprador também é comprado, mas principalmente quando se fala de consciência tranqüila, não se pode generalizar. É importante destacar também que nas empresas boa parte dos problemas pode ser resolvida no setor de compras. Se faltou, compra. Se vai faltar, já está na hora de comprar. Se estragou, compra outro. Se vai mandar arrumar, fala com o setor de compras que eles chamam a manutenção. Investimentos, materiais de consumo, ferramentas, desde a principal matéria-prima da empresa até o sabonete usado nos banheiros, tudo passa pelo setor de suprimentos. E o bom disso é ver as coisas realmente


2013

acontecendo. Ver o caminhão que chega para descarregar aquele material que te fez perder a noite de sono. Falando nisso, acompanhar entrega de material e ficar torcendo para que chegue dentro do prazo também faz parte dessa profissão cheia de surpresas, que é a de comprador. Afinal, se não chegar vai atrasar a entrega para o cliente, este por sua vez vai ligar para os vendedores e fazer suas reclamações, os vendedores vão cobrar da produção o motivo dos produtos não estarem prontos, e a produção vai dizer que faltou material. E a responsabilidade vai ser do setor de compras, gerador de todo o problema. Mas vale lembrar que o comprador depende de um terceiro, o fornecedor, que é peça essencial para o bom resultado de um processo de compra. E há fornecedores, e fornecedores. Existe aquele com quem o comprador nem se incomoda. É feito o orçamento, emitido um pedido de compra, o material chega com a nota fiscal na data acordada sem nenhuma divergência, o material é usado, não dá problema algum, e pronto. Todo comprador sonha em encontrar apenas fornecedores assim. Mas não é o que acontece. Tem aqueles que de tão prestativos que buscam ser, se tornam inconvenientes. Ligam toda hora, visitam toda semana, o comprador já não tem mais o que inventar porque realmente não há interesse de compra. Tem aquele com quem se faz o orçamento e uma hora depois ele já liga para ver como ficaram suas condições. Tem aquele a quem hoje o comprador diz que não, e ele diz que volta a ligar amanhã. Tem aquele bravo que desconta no cliente todos os problemas dele. Tem aquele com quem há de verdade muito interesse em comprar, já que ele tem qualidade e é um vendedor responsável e prestativo, mas o preço dele foge do que o comprador pode aceitar, então ele perde a venda e não admite a situação. Tem aquele bem-humorado com quem é agradável conversar e negociar. Tem aquele com quem se forma realmente

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 15

uma parceria, e comprador e vendedor sempre conseguem um jeito para que o fechamento da negociação fique bom para ambas as partes. Tem aquele que fica magoado porque o comprador fechou o pedido com outro, aquele que não quer mais nem orçar porque foi trocado. Mas o difícil mesmo é quando aparecem fornecedores que tentam comprar o comprador. Aí ouve-se propostas das mais variadas, em dinheiro, em presente, em cantadas. Parece que tudo está valendo. E o comprador não precisa se preocupar com a passagem do tempo, ele vai saber que está chegando final do ano quando começar a receber os brindes. Canetas, calendários, agendas para o próximo ano, cartões, lembranças e e-mails agradecendo a parceria durante o ano que se finda, e desejando sucesso a todos durante o ano que se aproxima. Todos os dias são assim, agitados, as vezes um tanto estressante, mas ao final do dia o sentimento é de importância na empresa, e a realização fala mais alto. A curiosidade em entender os processos, em ir à produção, ao almoxarifado, ver o que é, como funciona, porque tem aquele nome e aquela referência com tantos dígitos, porque precisa comprar, onde é usado, quem vai usar, por que não pode ser de outra marca, enfim, tudo isso traz um aprendizado e uma experiência incríveis, e é isso que faz a função de comprador ser tão dinâmica e prazerosa.

Bárbara Comin é Técnica em Secretariado pela Escola Técnica SATC e Graduada em Administração de Empresas pela Faculdade de Ciências Econômicas da Região Carbonífera - FACIERC, em Criciúma/SC. Fonte: www.administradores.com.br


16 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

Novo emprego! E agora? Por Yara Leal de Carvalho

D

epois de uma maratona de entrevistas, do estresse de procurar um novo desafio, você está prestes a iniciar em um novo emprego? Prepare-se para encarar uma fase que envolve adaptação às novas demandas técnicas e profissionais e a integração social com a nova equipe. Dizem que é raro termos uma segunda chance de causar uma boa impressão, e geralmente é verdade, o que acaba causando boa parte da tensão do início em um novo trabalho. Começar algo novo exige desapego ao que ficou para trás, então direcione o seu olhar para frente e foque todos os seus esforços em iniciar bem essa nova etapa de sua carreira profissional. Uma das definições para o verbo iniciar é: sujeitar-se à iniciação: Iniciou-se na ordem rosa-cruz. Eu considero que, assim como começar em uma nova seita espiritual, iniciar em um novo trabalho exige submeter-se a todo um ritual de iniciação. Nas empresas esse ritual não é totalmente explicito, portanto, vai exigir de você um cuidado especial.

Trabalhando como Consultora dentro de empresas e atendendo profissionais em processo de Coaching, observo que muitos dos erros cometidos pelos novos funcionários/colaboradores são simples de serem evitados. Tudo que vamos realizar na vida é bom que seja precedido de uma reflexão, pois esse cuidado vai garantir menos “tropeços" e consequentemente mais sucessos. Vou enumerar algumas dicas que podem servir de base para uma reflexão antes de começar em um novo emprego e ajudar a ter uma iniciação mais tranquila e suave. Algumas das informações estão no livro “60 Verdades para Administrar sua Carreira”, de Karen Otazo: • No primeiro dia, apresente-se para cada um dos colegas. Um aperto de mão e um "muito prazer" já é suficiente; • Em hipótese alguma, faça qualquer comentário pessoal sobre colegas de trabalho. Você ainda não sabe quem é amigo de quem. E por enquanto, você só sabe que ninguém ainda é seu amigo.


2013

COLETE INFORMAÇÕES PRÁTICAS • Saber claramente a localização da sua sala e mesa de trabalho, e como chegar a ela a partir das entradas e dos demais locais relevantes; • Saber onde estão as saídas e os locais relevantes à sua atividade; • Saber onde ficam os banheiros, a copa, o almoxarifado e a copiadora; • Saber o seu telefone e ramal, bem como os dos seus principais contatos; • Saber seu login e senha; • Saber quais manuais ou guias a organização espera que você leia; • Saber o nome e cargo do seu chefe e dos demais colegas próximos – anotá-los discretamente. COMEÇAR COM A CORDA TODA PODE LHE CAUSAR PROBLEMAS • Essa atitude pode gerar agitação entre os colegas, desequilíbrio na empresa e desvantagens a longo prazo; • Você precisa causar uma boa impressão sem pisar no calo de ninguém; • Vale a pena investir um tempo prévio em analisar a situação, conversar com as pessoas, ler relatórios etc. FECHE A BOCA E NÃO CONFIE EM NINGUÉM: QUANTO MENOS VOCÊ FALAR, MAIS APRENDERÁ • Nos primeiros dias você deve apenas observar e ouvir, enquanto se expõe o mínimo possível; • Reunir informações de maneira inteligente ajudará você, a saber em quem pode confiar e a encontrar estratégias para lidar com aqueles com os quais não tem tanta certeza. DEPOIS DE SE MUDAR, CRESÇA ONDE VOCÊ ESTÁ • Você precisa esquecer seu antigo local de trabalho, o modo como as coisas eram feitas lá, e criar raízes na nova empresa, mostrando lealdade e gratidão. Caso esteja voltando para uma empresa onde já trabalhou, vale a mesma regra, esqueça os velhos tempos e estabeleça vínculos com o novo momento da empresa; • Os recém-chegados precisam conquistar o direito à critica, mostrando que conhecem a empresa primeiro.

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 17

APROPRIE-SE DE SEU EMPREGO SEM PISAR EM NINGUÉM • Há dois tipos de pessoas com as quais você deve ser especialmente cuidadoso: aquelas que, de algum modo, consideram seu trabalho parte do território delas (ex.: alguém que já ocupou o seu cargo) e as diretamente abaixo de você na hierarquia, que podem sentir que sabem mais do que você ou até mesmo terem almejado seu cargo; • Faça-lhes perguntas abertas, resistindo à tentação de dar sua opinião, a menos que peçam. Respeite-as e tenha consideração por seus pontos de vista – o que não significa que você seja obrigado a segui-los. Como recém-chegado, você sempre deve começar a partir do que já se encontra disponível. Antes de fazer qualquer modificação, ouça os outros e seja simpático. DESCUBRA QUEM SABE O QUÊ: CONSTRUA SEU CÍRCULO DE INFORMAÇÕES • É importante ter fontes de informações dentro e fora da empresa. Essas devem ser pessoas em quem você pode confiar plenamente. SAIBA EM QUEM CONFIAR PARA NÃO SE QUEIMAR • A confiança é algo que se desenvolve gradualmente por meio de experiências compartilhadas; • É útil considerar cuidadosamente que tipo de confiança você deve depositar em cada pessoa. RESPEITE SEU CHEFE: VALE A PENA FAZER AS COISAS DO JEITO DELE • Um bom relacionamento com seu chefe faz toda a diferença em seu crescimento profissional. Seu chefe pode construir sua reputação ou pode destruí-la completamente; • Não importa o que você pense sobre seu chefe, aja sempre com respeito. Você pode aprender muito com um chefe ruim. É seu papel se adaptar aos métodos de trabalho de seu chefe, e não o contrário. LEMBRE-SE: PARA SER DIFERENTE PRIMEIRO VOCÊ TEM QUE PROVAR QUE SABE SER IGUAL! Yara Leal de Carvalho é Psicóloga com MBA Executivo em Negócios, Formação Internacional em Coaching pela Sociedade Latino Americana de Coaching, Practitioner em PNL e Analista de Assessment DISC. Fonte: www.questaodecoaching.com.br


APCC celebra a décima qui

U

Com muito entusiamo, a comemoração reuniu autoridades locais, compradores, além de a

ma tarde de sol, com direito a feijoada, bebida e muita alegria, marcou a comemoração do Dia do Comprador, 19 de setembro, que este ano foi celebrado no sábado, 21, no Clube dos Oficiais do Exército (Cresse). Ao som da banda Joãozinho de Irauçuba, os membros da Associação dos Profissionais de Compras do Estado do Ceará (APCC), se confraternizaram, juntamente com a diretoria da Associação, patrocinadores, além de amigos e familiares, pelas inúmeras conquistas de mais um ano de trabalho vitorioso para a categoria. Entre as autoridades presentes estavam o vereador Benigno Júnior (PSC) e o presidente do Conselho Regional dos Representantes Co-

merciais (CORE-CE), Francisco Filgueiras. Já é tradição da APCC promover uma grande confraternização entre seus associados para comemorar a data. O evento, sempre bastante esperado, também é prestigiado por autoridades e convidados formadores de opinião, como uma forma de divulgar e evidenciar a importância da classe para a sociedade. A festa do Dia do Comprador acontece desde a fundação da Associação, em 1998, e representa para os profissionais da área uma excelente oportunidade para o congraçamento e a união. Esse animado encontro, que aproxima colegas de profissão, conta com a importante colaboração de parceiros, que


quinta Festa do Comprador

uniu a diretoria da Associação, patrocinadores, de amigos e familiares do público presente contribuem para a sua realização e, a cada ano, alcança um maior número de participantes, sendo motivo de comentário dentro e fora do Estado. No evento foram realizados sorteios de alguns brindes. Também estavam presentes no evento alguns expositores que contribuíram para a realização do grande encontro. De acordo com o presidente da APCC, Vicente Torquato, o momento foi marcado por muita descontração e reencontros de amigos. “Nossa festa já está no calendário anual dos compradores, eles já deixam a data reservada na sua agenda para prestigiar o nosso evento e reencontrar amigos. Nossa Associação aproveita esse alegre momento para

valorizar e brindar uma profissão que participa ativamente do dia a dia econômico e financeiro do país e, dessa forma, presta uma justa homenagem aos profissionais de compras”, enfatiza o presidente. Com 15 anos de fundação, a Associação conta atualmente com cerca de 450 profissionais credenciados no Ceará. A fundação da APCC teve o propósito de congregar a classe e motivá-la à participação a fim de ter a profissão regulamentada. O segmento busca o crescimento contínuo do profissional de compras como peça-chave para todo e qualquer segmento. Confira nas páginas a seguir alguns flashs do evento. APCC, 15 anos com você.


20 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 21


22 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 23


24 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013


A APCC agradece a participação de todos vocês, patrocinadores e colaboradores, na XV Festa de Confraternização dos Profissionais de Compras 2013. Estamos muito gratificados pela excelente organização. Sem vocês não teríamos alcançado o brilhante sucesso. Obrigado! PATROCÍNIO:

APOIO:

Tecnograf – Mineração Minerabem – Metal Comércio – Pedreira Itatiba – Vedacit – Maxlog – Só Vedações Fama Automação – W3M Representações – Baratão da Irrigação – Gerardo Bastos – Casa da Construção Laje Pisos – R Chagas e Cia Ltda – Siemens – Coreaú Calcário – Hidrausul Comércio de Mat. Elétricos SRC Equip. de Proteção Ltda - Comercial Maia – Grupo Dimensão – Hucotex Aced Ind Texteis Ltda Serbrasa – RN Bombas – Acesso Representações – Ogayoshi Com. Peças Ltda – Naturalle Ice Up Valter Bastos Representações – Espaço Herbalife – Almeida e Filhos Representações – SNS Metarlúrgica Priscila Eventos – Sentep

APCC, 15 ANOS COM VOCÊ.


10 lições para empreender Por Marcos Hashimoto Você quer ser um empreendedor? Veja algumas dicas que coletei com empreendedores experientes ao longo dos anos: 1. INOVAR NÃO É O MESMO QUE EMPREENDER Uma boa ideia por si só não se transforma em resultado sem um estudo de viabilidade, um planejamento de implementação, investimentos, ajustes e acompanhamento. O sucesso está diretamente relacionado com a eficácia das ações. Se você tem uma boa ideia, mas não a implementa, então você não tem nada. 2. NÃO TENHA MEDO SE NÃO DER CERTO Seja sucesso ou fracasso, não importa qual o resultado do seu projeto, saiba que tudo é passageiro. Ter sucesso pode ser apenas um status provisório que não se sustenta no longo prazo. Ter fracasso, igualmente pode ser apenas uma etapa necessária no caminho rumo ao sucesso. Seja perseverante e siga o mantra ‘não desisto nunca’.

3. ATÉ DAS PEDRAS NO CAMINHO PRECISAMOS Os melhores casos de empreendedorismo que conheço começaram em um momento de crise, de grande dificuldade. Muitas vezes um problema grave serve como estopim para a revisão de paradigmas e pressupostos que levam a um processo de ruptura e busca de novos conceitos para aumentar a competitividade e a eficácia. Mais uma vez, o valor do esforço pela necessidade de sobreviver. 4. NÃO EXISTE EMPREENDEDORISMO SOLITÁRIO A não ser que você se julgue o profissional completo que bate, cabeceia e defende, precisará buscar o apoio de pessoas que tenham competências complementares à sua para formar uma equipe integrada e tocar o projeto escolhido. O mundo está tão complexo que ninguém hoje pode dominar todos os elementos sozinho. Qualquer empreendimento de sucesso possui sempre uma equipe por trás dele e não apenas o empreendedor.


2013

5. ESTRUTURE SUA IDEIA Para transformar uma ideia em algo factível é preciso, no mínimo, recursos. Pessoas, tempo, espaço, dinheiro, equipamentos etc são todos elementos que precisam ser organizados e planejados. Muitas boas ideias soçobraram por não terem sido adequadamente planejadas e estruturadas. Nem todos possuem habilidades administrativas, portanto, traga para a equipe quem pode ajudá-lo nisto. 6. ALINHAMENTO COM A VISÃO De nada adianta ter uma grande ideia se ela não está alinhada com a visão que o empreendedor escolheu para si. Busque este alinhamento através do processo de autoconhecimento e dos seus sonhos de vida. É importante que o empreendedor saiba como ele se vê no futuro, o que estará fazendo, que estilo de vida pretende adotar, para saber se o empreendimento sendo criado lhe proporcionará isso. 7. NÃO ESPERE PARA PODER AGIR Muitas coisas só são possíveis com a ajuda e cooperação de outras pessoas. Infelizmente, nem todos têm o mesmo grau de comprometimento com a sua ideia do que você. É preciso conquistar o apoio daqueles de quem você depende. Em alguns casos, é importante até mesmo ter a coragem de quebrar algumas regras e linhas hierárquicas para fazer as coisas acontecerem. 8. SAIBA VENDER SUA IDEIA De todos os apoios que você precisa, nenhum é mais necessário do que aquele que dará luz verde para você iniciar o projeto. Geralmente um investidor ou parceiro deve aprovar seu projeto para liberar os recursos que você precisará. Não basta le-

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 27

var uma boa ideia, vontade e determinação. É preciso provar que a ideia é viável. É preciso provar os benefícios do projeto. Em muitos casos, é preciso fazer um bom plano de negócios. Para se tornar mais efetiva sua venda, conquiste apoios entre aqueles que tomarão a decisão, antecipe suas preocupações e eventuais resistências à ideia. 9. TENHA UM MENTOR Se você está muito distante de pessoas que podem ajudá-lo, ajuda muito ter pelo menos uma pessoa com livre trânsito entre os tomadores de decisão ao seu lado. Ele será o seu mentor e o ajudará a vender a ideia e obter os recursos e apoios necessários para implantá-la. Quanto mais relevante a posição e influência dele, melhor. 10. PEQUENAS AÇÕES EMPREENDEDORAS Nem todas as ações empreendedoras dizem respeito a projetos de negócio ou com alto grau de complexidade. O espírito empreendedor está em todas as coisas, uma mobilização para juntar dinheiro para ajudar um amigo doente, a resolução de um pequeno problema do cliente que não tinha nada a ver com você, a preocupação em levar um pacote de salgadinhos para oferecer numa reunião. Qualquer coisa que envolve criatividade, iniciativa e realização é uma importante prática da atitude empreendedora. Marcos Hashimoto é consultor e palestrante em empreendedorismo, planos de negócios e intraempreendedorismo, Coordenador e Professor do Centro de Criatividade e Empreendedorismo da Faap. Fonte: www.administradores.com.br www. marcoshashimoto.com


Desempenho ou Performance? Por Eduardo Varela

E

mbora sinônimas no dicionário, as palavras “desempenho e performance” têm sentidos muito diferentes no mundo corporativo, principalmente para os profissionais de Gestão de Pessoas. No dicionário Michaelis a definição para desempenho é: ação ou efeito de desempenhar; resgate do que estava empenhado; cumprimento de obrigação ou promessa. Por sua vez, a definição de performance significa: realização, feito, façanha; atuação, desempenho. Desempenho é a comparação entre o resultado desejado e o realizado, em relação a um acontecimento passado e imutável. O mesmo conceito de resultado é aplicado à performance, mas ele é dinâmico e faz referência ao futuro. A palavra desempenho tem a ver com avaliação, é o que se faz para dar feedback, isto é, avalia-se o desempenho já ocorrido até aquele momento. Quando termina o feedback do desempenho, começa a análise da performance. Fazer a avaliação do desempenho é dar a chance para o profissional mudar. Quando

se analisa a performance, é o momento de o funcionário/colaborador mostrar seus conhecimentos para buscar e ajustar o seu desempenho (passado) e aprimorar o resultado futuro (performance). O profissional deve saber onde se encontra, o que quer e como vai conseguir. COMO MELHORAR? Para melhorar a análise de seu desempenho, o profissional deve aceitar críticas. Quem transforma a observação em crítica é quem recebeu o feedback. Sobre a performance, ele deve saber que será medido, inclusive numericamente, por meio de tabelas e algarismos, isto é, acompanhamento de seus indicadores futuros. MEDIÇÕES Um dos meios de medição do desempenho ou da performance é analisar o resultado que se entrega efetivamente e


2013

não o que se faz para ele. O foco não está na atividade ou esforço despedido, mas no resultado das ações. Esforço não reflete obrigatoriamente em resultado. Para buscar o sucesso e ter um desempenho ideal, a solução é simples: executar bem é por, literalmente, a mão na massa! Os líderes mais experientes tornavam-se os mentores, consultores especializados em "apenas planejar", isto é, adaptar as metodologias acadêmicas e relacioná-las principalmente com os seus fracassos anteriores. A execução é parte visível

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 29

da ação, seja do desempenho ou da performance, e não deve ser delegada. Boas performances a todos!

Eduardo Varela é fundador da Factor9, uma organização voltada para o BPO de processos de RH, especializada no segmento de atendimento ao cliente. Fonte: www.factor9.com.br

SAÚDE EM DIA

Dicas para a longevidade 1. PREFIRA AS COMÉDIAS O riso espontâneo promove a dilatação dos vasos e melhora o fluxo sanguíneo. Também reduz os níveis de adrenalina e cortisol no sangue e aumenta a liberação de endorfinas, hormônios ligados às sensações de bem-estar e prazer. Quer mais? Ainda emagrece. Estudos da Universidade Vanderbilt, nos Estados Unidos, concluíram que dar boas risadas por um período de dez a quinze minutos faz uma pessoa queimar, em média, 50 calorias. 2. USE O FIO DENTAL De acordo com pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, a inflamação bacteriana da gengiva, causada

pelo acúmulo de resíduos alimentares entre os dentes, aumenta em 72% o risco de doença cardiovascular. 3. IMITE OS BRITÂNICOS Ser pontual é bom, mas beber chá é ainda melhor. De acordo com o jornal Phytotherapy Research, o hábito cultivado pelos ingleses pode ajudar no combate à doença de Alzheimer. Estudos indicam também que o consumo de chá reduz os riscos de câncer. O chá verde é o que promete maiores benefícios.

Fonte: www.residencecare.com.br


30 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

SEUS DIREITOS

Assédio Moral Por Ana Karla Fonteles Cavalcanti O assédio moral não é um acontecimento novo, apenas vem se desmistificando com o decorrer dos anos, mas a novidade está na intensificação e banalização desse fenômeno, uma vez que é causa de muitos pedidos de demissões por parte das vítimas. De acordo com a nova concepção jurídica dos últimos anos, as empresas passaram a ser mais responsáveis com os possíveis princípios de assédios morais, danos esses que ocorrem nas suas empresas, para que não sejam responsabilizados em futuras indenizações de cunho moral. O assédio moral no trabalho é uma prática comum e desumana que degrada as relações interpessoais e organizacionais. É caracterizado por reiteradas formas de exposições do trabalhador a situações humilhantes e constrangedoras, com certo grau de violência, que muitas vezes é realizada além dos limítrofes da empresa, passando a ter conotação mais agressiva e com aspecto de perseguição. Tal fato pode ser percebido com constantes e prolongadas inobservâncias da boa conduta no trabalho, sendo mais comum nas relações hierárquicas, forçando a vítima a pedir demissão do emprego e/ou pode ocorrer somente por mero prazer, no intuito de demonstrar autoridade e poder. Outro fator não menos importante é o papel dos outros empregados da mesma empresa, que ao se depararem com a cena de humilhação e constrangimento, muitas vezes não tomam partido, optando por não fazerem parte da “confusão” e, dessa forma, só aumentam o desconforto da vítima junto aos colegas e ao ambiente de trabalho. Com medo de perder o emprego e a vergonha de serem também humilhados pelo superior hierárquico, os colegas rompem os laços afetivos com a vítima

e, mesmo que indiretamente, reproduzem e estimulam tais práticas dentro do ambiente de trabalho. Apesar das práticas descritas acima, muitas empresas possuem equipe especializada em diagnosticar pessoas, bem como ambientes de trabalhos, que possuem certos tipos de assédios morais. Dessa forma, tais empresas lucram com a prevenção ao assédio, grande causador de inúmeras indenizações por danos morais. Ao contrário dessas empresas informadas anteriormente, existem algumas que optam por não fazerem nada frente ao desconforto de serem coadjuvantes em cenas de assédios morais, quando são informadas de indícios de assédios morais, ou seja, fingem não ver nada, mais lá na frente, se deparam com ações indenizatórias e, consequentemente, perdem dinheiro e credibilidade no mercado de trabalho, pois os juízes, bem como a sociedade como um todo, não toleram tais práticas abusivas e humilhantes. Se você conhece alguém que esteja sendo vítima dessa deterioração proposital das condições de trabalho, bem como atentados contra a dignidade, não se omita, dê apoio, pois em alguns casos, o agressor se intimida frente aos apoios oferecidos à vítima. Aproveito o momento para relatar uma experiência profissional que tive há alguns meses sobre o assunto em análise. Recentemente, advoguei para um cliente que trabalhava em uma empresa de grande porte que atua no ramo de telefonia em todo o Brasil. Empresa séria, consolidada no mercado nacional, mas que por outro lado é uma das empresas que mais possuem processos por assédio moral. E, após vivenciar de perto a prática adotada por esta referida empresa, pude perceber que os próprios agressores muitas vezes são “treinados” a agirem desta forma no intuito de gerar lucro para a empresa, intimidando o funcionado que é aparentemente mais fraco. Entretanto, fica a dúvida: será que o

lucro que esta empresa ganha com as intimidações e agressões verbais aos funcionários são tão vantajosas a tal ponto de não se importarem com as condenações indenizatórias frente ao judiciário? A resposta ainda não tenho, mas espero que em pouco tempo as empresas mudem suas posturas e passem a valorizar o profissional em todos os aspectos e não tolerem assédios de nenhuma natureza. Espero ter ajudado com minhas informações e esclarecimentos e, desde já, me coloco à disposição para melhor esclarecer dúvidas que venham a surgir nos leitores do Jornal do Comprador.

O ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO É UMA PRÁTICA COMUM E DESUMANA QUE DEGRADA AS RELAÇÕES

Ana Karla Fonteles é advogada, especialista em direito processual do trabalho e em direito processual civil. fontelesk@hotmail.com | 8774.1183


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 31

DICAS DE FILMES

A BUSCA

A NEGOCIAÇÃO

Diretor | LUCIANO MOURA Duração | 96 MIN. Ano | 2012 País | BRASIL Gênero | DRAMA Classificação | 12 ANOS

Diretor | NICHOLAS JARECKI Duração | 107 MIN. Ano | 2012 País | EUA, POLÔNIA Gênero | DRAMA, SUSPENSE Classificação | 14 ANOS

No fim de semana que completaria 15 anos, Pedro (brás Antunes) viaja, mas não volta. Seu pai – o médico Theo (Wagner Moura) - cai na estrada seguindo pistas desconcertantes em um momento de sua vida que descobre que sua esposa Branca (Mariana Lima) quer se separar e seu mentor está a beira da morte. Na viagem de resgate ao filho, Theo acaba se transformando

Às vésperas de vender sua empresa milionária, Robert Miller (Richard Gere), um magnata da bolsa de valores, envolve-se em um acidente automobilístico causando a morte de uma pessoa. Para preservar sua imagem, ele esconde sua responsabilidade no caso. Mas um investigador (Tim Roth) está disposto a descobrir o verdadeiro culpado, sabotando todos os planos de Robert.


32 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

GESTÃO

E cadê o lucro? Por Cláudio Araújo No mundo das consultorias é muito comum escutar do empresário as seguintes questões: minha empresa é lucrativa? Quanto ela lucra mensalmente? Após responder as duas primeiras perguntas de forma afirmativa, por meio de análise de relatório e informações financeiras da empresa, o empresário finaliza dizendo: e cadê o lucro? Os instrumentos e ferramentas de gestão e os relatórios e informações gerenciais são fundamentais para que haja um bom gerenciamento da empresa, afinal eles contribuem, e muito, para que isso, de fato, aconteça. Entretanto, o fechamento das informações deve acontecer de forma simples e objetiva, possibilitando ao empresário a visibilidade dos resultados pelo foco econômico e financeiro. Vamos entender melhor o que estou falando: a análise de resultado financeiro revela duas vertentes, sendo a primeira no campo econômico, que possibilita a demonstração do resultado da empresa, ou seja, se ela obteve lucro ou prejuízo no período estudado; e a segunda no campo financeiro, que objetiva expor se a empresa tem capacidade de honrar os seus compromissos, ou seja, se a empresa tem dinheiro disponível para pagar suas contas em dia. Como saber se a empresa obteve lucro? Para responder a esse questionamento, o empresário necessita dispor de um relatório chamado DRE – Demonstração do Resultado do Exercício, em que são expostos e equacionados o faturamento, os impostos, o custo da mercadoria vendida, as despesas de vendas e o custo operacional, chegando ao resultado que poderá ser positivo (lucro) ou negativo (prejuízo).

Como saber onde encontra-se o lucro? Nesse caso a ferramenta é outra, chamada de Balanço Gerencial, em que separamos de um lado, em valores monetários, todos os direitos da empresa (saldos: caixa, banco, contas a receber, estoque, imobilizado), e de outro lado do relatório colocamos todas as suas obrigações (saldos: fornecedores, contas a pagar, empréstimos e financiamentos). O lado dos direitos chamamos de “ativo”, e o lado das obrigações chamamos de “passivo”. Na diferença entre ativo – passivo encontramos o Patrimônio Líquido que, na verdade, é o capital da empresa. Quando uma empresa obtém lucro em suas operações, necessariamente o Patrimônio Líquido deve subir e, desse modo, o empresário pode identificar onde encontra-se seu lucro. É possível uma empresa obter lucro e não dispor de caixa para realizar seus pagamentos? Sim, claro. Inclusive isso é um fato muito comum no comércio varejista. Nesse momento cabe a vertente da análise financeira. A ferramenta, nesse caso, é o Fluxo de Caixa, em que fica alinhado por datas todo o “contas a receber” da empresa e, também, o seu “contas a pagar”. Como resultado, o empresário pode visualizar em quais dias a quantidade de pagamento é superior aos seus saldos de caixa e de banco, bem como a quantidade do “contas a receber”. Observo que muitos empresários confundem lucro com dinheiro. Na verdade, lucro é a riqueza da empresa, ou seja, é o Patrimônio Líquido que expomos na formação do balanço patrimonial. Dinheiro é uma das partes que compõe os direitos da empresa. Saber lidar com este conceito favorece a formulação das estratégias da empresa e permite um domínio de seu gestor diante

dos desafios do mercado. O uso de ferramentas e informações gerenciais é útil a qualquer organização, independente de porte ou setor, principalmente tratando-se de controle de gestão. Desse modo, podemos entender porque empresas com poucos instrumentos de gestão e poucas informações gerenciais sofrem e não conseguem tomar uma decisão assertiva, preferindo atribuir o ônus do seu fracasso aos governos, à elevada carga tributária existente no País, à concorrência por suas ações agressivas, ou, até mesmo, aos clientes pelo nível de exigência. Se a sua empresa ainda não possui estas ferramentas, é hora de fazer uma reflexão e agir, buscar conhecimento e fazer a profissionalização do seu negócio. A escolha é livre e de sua única responsabilidade, pois, afinal de contas, é assim que funciona o mundo capitalista.

Cláudio Araújo é Consultor da Êxito Consultoria e Coordenador da ULS. claudioaraujo@secrel.com.br


2013

SETEMBRO/OUTUBRO JORNAL DO COMPRADOR 33

DICAS DE LEITURA

DESAFIANDO O TALENTO

A TERCEIRA ALTERNATIVA

Autor | GEOFF COLVIN Editora | GLOBO Edição | 1 Ano | 2009 Especificações | BROCHURA, 288 PÁG. ISBN | 8525046477

Autor | STEPHEN R. COVEY Editora | FRANKLIN COVEY Edição | 1 Especificações | BROCHURA, 456 PÁG. ISBN | 9898115610

Em "Desafiando o Talento", o autor pretende ensinar o que fazem algumas pessoas para serem mais bem sucedidas que as outras; tenta traçar perfis de pessoas aparentemente comuns que saíram vitoriosas de suas áreas ao adotar posturas ou planejar metas. Na prática, são ações que podem servir de inspiração para que outras pessoas sintam-se confiantes para agir de forma em que se sobressaiam no emprego e se mantenham nele.

O autor revela uma maneira mais desafiadora de enfrentar problemas, sobretudo em relação aos relacionamentos. “Além de o autor ser renomado e especialista em liderança e gestão de pessoas, este livro nos apresenta uma terceira alternativa para lidar com os problemas que surgem não apenas dentro de um contexto profissional, mas em outras esferas de nossa vida”, diz Fernando Montero Capella, diretor da Capella RH.


34 JORNAL DO COMPRADOR SETEMBRO/OUTUBRO

2013

MERCADO

Comprador adquire status estrategista Para que uma empresa possa produzir, vender e crescer mais, é fundamental que ela disponha de materiais e produtos de qualidade. Responsável por buscar estas soluções no mercado, o profissional de compras exerce atualmente uma função estratégica em empresas e instituições.

De acordo com o presidente da Associação dos Profissionais de Compras do Estado do Ceará (APCC), Vicente Torquato, os especialistas da área de compras são peça-chave para o desenvolvimento contínuo das atividades da empresa. "Buscamos negociar e conseguir preços baixos com fornecedores o que contribui para re-

duzir custos e garantir o melhor produto final para uma empresa", avalia. No Ceará, a APCC conta atualmente com cerca de 450 profissionais de compra associados.

Fonte: Diário do Nordeste

SOCIEDADE

A luz no fim do túnel Por Ozanir Martins Silva Segundo Karl Mannheim (18931947) o elemento histórico decisivo na abertura das possibilidades dadas à sociedade atual é político, ou seja, o advento da democracia moderna. Só a democracia poderia fazer surgir a luz no fim do túnel. Até parece que brincamos de fazer democracia. Torna-se um “faz de conta”. Nem é bom pensar muito sobre isto, ou deixar pensar. Os gemidos das multidões, os gritos de indignação são silenciados. É verdade que alguns corajosos sonhadores, sempre falaram. Mas uma andorinha só não faz verão. No entanto, o alicerce da democracia é o governo do povo, o poder do povo. A força do povo está na relação interpessoal, na comunhão entre as pessoas. Então, o grito será ouvido, a indignação se torna manchete. A gota d´água no bico do beija-flor é pouca, mas juntando gotas teremos a chuva para apagar incêndios. O grito aterrador do cancão, amea-

çando o ninho (ovos) da rolinha, só foi afastado com um grito e o bater palmas de alguém. O povo necessita juntar gotas e gritar. Ele tem força e voz. A distância entre a corte e o povo se estreita. A corte não pode mais esconder-se da rua. O povo sabe das coisas da corte e deve ter coragem de denunciá-las, exigir os seus direitos. Antropologicamente somos iguais. Mas social e economicamente somos desiguais. A essa desigualdade fazemos de conta que não existe. Os extremismos são gritos desesperados que devem ser tomados como indicativos. Imaginemos que todos gritassem e agissem desesperadamente. O extremismo, portanto, deve ser visto como um alerta, para que providências sejam tomadas com urgência, pois algo pior poderá acontecer. A democracia deve ser levada mais a sério. Ela é a saída. Infelizmente é vista pela corte como a entrada sem saída, sem luz no fim do túnel. As manifestações estão acenando que existe uma luz no

fim do túnel. É sintomático o que as crianças fizeram e falaram nas praças (como pudemos ver nas reportagens). “A guerra fere, e ferir faz doer”, “Seria bom chamarmos os super-heróis para resolver nossos problemas”. A meu ver, uma nova semente da democracia começa a ser lançada, a politização das crianças. Somos políticos fora de tempo. Os sonhos vêm atrás de nós e não andam à frente. Esperemos que as crianças venham a construir uma democracia melhor do que a nossa.

Ozanir Martins Silva é professor universitário.



Jornal do Comprador - Edicão setembro / outubro 2013