Page 1


Nº 18 – JUN JUL AGO 16 (Trimestral) Diretor João Alberto Catalão, 918 799 307 jcatalao@doit.pt Publishers Ana Teresa Penim, 965 657 678 apenim@doit.pt Coordenador Editorial Francisco Toscano, 964 091 260 ftoscano@doit.pt Redação Maria Appleton, 218 963 025 Colaboradores Alessandra Assad, Carlos Correia, Gabriel Carneiro da Costa, João Belo, José António Rousseau, Manon Alves, Maria Duarte Bello, Massimo Forte, Nuno Pinto de Magalhães, Teresa Faria, Wilques Erlacher Projeto Gráfico e Paginação Design e Forma, geral@designeforma.com Fotografia Fernando Piçarra (www.fernandopicarra. com), Ingimage, Vítor Gordo (Syncview) Assistente Comercial e Marketing Eva Baptista, 961 313 639 marketing@doit.pt Assinaturas assinaturas@doit.pt Impressão Eurodois by Impress Direct Rua de St.o António, Nº 30, A-dos-Ralhados 2710-006 Sintra Distribuição VASP, MLP – Media Logistics Park Nº de Registo na ERC: 126225 Nº de Depósito Legal: 343989/12 Tiragem: 15.000 exemplares Periodicidade: Trimestral

Índice 2 Editorial - João Alberto Catalão 4 Open it - Mais & Menos - Flash’s - Dicas - Curiosidades - Frases Inspiradoras - Cartoon - Cara & Coroa - Notícias - Cool 12 Opinião - José António Rousseau 14 Tema de Capa - Imagem Profissional 22 Espaço Ana Teresa Penim 24 Entrevista - Rui Borges

Propriedade e Edição Active Up, Lda Contatos Av. do Atlântico, nº 16, Edifício Panoramic, Piso 14, Esc. 11 PARQUE DAS NAÇÕES 1990-019 LISBOA PORTUGAL Tel. 218 963 025 , redacao@doit.pt, www.doit.pt

Nenhuma parte desta publicação, incluindo textos e fotografias, pode ser reproduzida, por quaisquer meios, sem prévia autorização.

27 Opinião - Gabriel Carneiro da Costa 28 Especial - Massimo Forte 30 Um dia com... - Joana Astolfi 36 Opinião Alessandra Assad

38 Move On - Leituras DOit! - Em Reset - On-line - Tendências - Barómetro - Gadgets & Tech 42 Ferramentas DOit! - Imagem Profissional & Sucesso Negocial 46 Grande Conferência “A Sorte Não acontece Por Acaso” 48 Zoom Vila Galé 50 – Enjoy it - Hotel (CH Porto Ribeira) - Restaurante (O Rei dos Leitões) - Automóvel (Seat Leon X-Perience) - Viagem (Génova) - Relógios - Wines&Spirits - Perfumes e Cosmética 61 Keep in Touch - Crónica (Teresa Faria) - Passatempo DOit! - Parceiros - DOit! Inspirational Board - A próxima DOit!

jun jul ago 16

1


editorial

© Fernando Piçarra

João Alberto Catalão Diretor jcatalao@doit.pt

Ser, Parecer e Concretizar! Já ouvi muitas vezes estas frases “a visibilidade é tão importante como a competência”, “o que não se vê não se vende”, “tudo em nós comunica”. Concordo em absoluto com todas elas. Aliás, basta pensar que, como seres humanos, é interagirmos com os outros através dos sentidos. Há mesmo especialistas que afirmam que nos primeiros segundos de interação se definem as bases que vão caracterizar a qualidade da mesma. A credibilidade e a confiança de um Profissional, são essenciais para toda e qualquer interação orientada para o sucesso. As negociações e as vendas têm um reportório próprio onde, a imagem do profissional e de todos os suportes que tem ao ser dispor têm um papel determinante no resultado a alcançar. Vivemos um mundo paradoxal, um mundo onde há excesso de comunicação e, simultaneamente, um mundo onde todos os detalhes con-

2

jun jul ago 16

tam. Que atitude devo adotar para acrescentar valor à proposta de produto ou serviço que tenho para negociar? Como me devo comportar? Que postura devo ter? Que competências devo possuir? Que habilidades devo demonstrar? Como me devo vestir? Que tipo de acessórios marcam a diferença? Como criar consistência em tudo o que sou e utilizo? Como gerir o Ser, o Parecer e o Aparecer? Estas e outras, são questões que quisemos partilhar neste número da DOit! com os leitores e para as quais convidámos profissionais da negociação e das vendas e especialistas da gestão da imagem profissional. Esta época do ano é por um lado uma época muito intensa para muitos profissionais, mas também para muitos especialmente convidativa para o recarregar de baterias e, para uma reflexão que pode contribuir para um reposicionamento pessoal na forma como aparecemos e agimos no mercado.


open it

Mais & Menos TAP Melhora a olhos vistos a qualidade do serviço da TAP. Melhor atendimento e maior pontualidade, são aspetos positivos a destacar.

Flash’s

l

Turismo Apesar das condições climatéricas não serem as desejadas, Portugal continua a demonstrar uma enorme vitalidade, num sector tão determinante para a Economia portuguesa. Ouve-se falar francês de norte a sul. l

Vendas Auto Os resultados das vendas dos primeiros cinco meses do ano, demonstram resultados fracamente mais positivos face às vendas do ano anterior.

Será que alguém está a promover produtos portugueses nos navios de cruzeiro que passam por Portugal?

A Estação de Santa Apolónia em Lisboa vai ser um Hotel?

Será que a atual luta pelo controlo da empresa, vai comprometer o futuro da Aldi?

l

Tributação Automóvel O sector automóvel continua a ser o mais penalizado em termos de impostos diretos e indiretos. l

Banca Portuguesa Casos Banif, Novo Banco e Caixa Geral de Depósitos, continuam a contribuir para a falta de confiança na Banca portuguesa. l

4

mar abr mai 16

Dicas Emails Comerciais Evite termos como “urgente. Preencha sempre o campo “assunto”. Evite abreviaturas e gíria. Um email é um documento. Seja breve, conciso e objetivo. Evite redundâncias e frases vazias. Estilo: “venho por este meio…”. Recorra a bold ou itálico em pontos estratégicos que pretenda realçar. Sempre que enviar anexos, refira-o no corpo do mail. Nunca envie um mail antes de rever o conteúdo e confirmar os destinatários. Recurso ao power point Sempre que recorrer ao uso de apresentações em power point, tenha em atenção as seguintes dicas: 1.- Comece pelo fim. Apresente em primeiro lugar o resumo daquilo que pretende comunicar. 2.- Recorra a pouco texto. Vale mais uma imagem que muitas palavras. 3.- Utilize a técnica dos 8 (não mais de oito linhas, não mais de oito palavras por linha). 4.- Não utilize mais de dois tipos de letra. Tamanho 28 é o mínimo a utilizar. Evite maiúsculas. 5.- Um assunto por slide. Não misture assuntos. 6.- Dê destaque ao que é importante. 7.- Na apresentação não repita o que está nos slides.


Curiosidades Sabia que… …qual foi a primeira marca a registar-se com o domínio .com? Foi no dia 9 de Fevereiro de 1995, que a Amazon conseguiu o primeiro registo .com. Outra curiosidade: a empresa de Delaware, EUA, detentora da marca Amazon, decidiu escolher a sua marca, tendo como primeiro requisito que a mesma começasse pela letra A, pois nessa altura os motores de busca da internet, recolhiam os resultados por ordem alfabética! …qual foi a fonte de inspiração de Steve Jobs para criar a marca Apple? Steve Jobs escolheu o nome de fruta para designar os seus produtos em homenagem à casa discográfica dos Beatles. Também curioso é o facto de Macintosh ser o nome de uma variedade de maçã da Califórnia. …qual a origem da marca de pneus Bridgestone? O fabricante Japonês de pneus, começou como uma empresa familiar. A família Ishibashi, decidiu atribuir à sua marca de pneus a tradução em inglês do seu próprio nome (ponte de pedra)

Frases Inspiradoras Todas as vendas têm cinco obstáculos: a falta de necessidade; falta de dinheiro; falta de pressa; falta de desejo e falta de confiança.

Zig Ziglar, speaker motivacional americano

Só existem dois dias no ano em que não é possível fazer nada. Ontem e amanhã.

Dalai Lama, líder religioso do Tibete

Se não puder voar, corra. Se não puder correr, ande. Se não puder andar, rasteje, mas continue em frente de qualquer forma.

Martin Luther King, pastor protestante e ativista político americano

O insucesso é apenas uma oportunidade para começar de novo com mais inteligência.

Henry Ford, industrial americano

Cartoon

mar abr mai 16

5


open it

Cara & Coroa

© DR

Imagem, quanto vales?

Maria Duarte Bello, MDB Coaching e Gestão de Imagem; maria.duarte.bello@sapo.pt

Como diz um publicitário “aparentar ter competência é tão importante quanto a própria competência”. Antes de dizermos “olá” a imagem já disse quase tudo de nós. E o interlocutor tratou a informação, dando feedback. Serve isto para chamar a atenção que a imagem é acima de tudo informação e comunicação. Valerá a pena parar algum tempo e pensar no que diz a imagem. Como somos apresentados aos outros? E como é que se referem a nós? Quem se opõe ao processo de criação da imagem, refugiando-se nos argumentos da suposta futilidade da aparência, habitualmente tem medo da sua imagem, camuflando-se com os valores da seriedade e da eficácia. Não é necessário falar ou fazer algo

para comunicar. Porque sabemos que não podemos escolher não comunicar e qualquer interação gera comunicação. A comunicação pela imagem leva-nos a colocar questões de peso. O que é que foi comunicado? E o que foi compreendido? O que é que foi respondido? O que está em jogo? Todos somos, potencialmente, vendedores de alguma coisa. Por isso as empresas têm tudo a ganhar ao interessar-se pela imagem das pessoas. As imagens transmitidas são para as empresas a comunicação não publicitária mais eficaz e gratuita. A nossa imagem pode chegar a ser muito poderosa, se a soubermos colocar ao nosso serviço. Quer saber como trabalhar a sua imagem e torná-la ideal?

6

Protocolos há vários, refletindo a realidade das diversas culturas. Eles definem não só procedimentos e regras a aplicar em cerimónias e eventos, mas também valores e comportamentos orientadores do relacionamento interpessoal. Questões como pontualidade, títulos a utilizar, estipulação dos lugares à mesa, ou expressão das emoções são distintas em culturas diferentes e devem ser tidas em atenção no protocolo. Na atividade de um Diplomata Europeu predominam os protocolos britânico e francês os quais, apesar de terem regras comuns, têm também diferenças substanciais. O francês é mais formal, em parte por França num período da história se ter considerado, e ter tido necessidade de se afirmar, como centro do mundo. O britânico é mais prático. Cada posiciojun jul ago 16

namento decorrente do protocolo traduz o reconhecimento de um estatuto. Nos países católicos o Núncio Apostólico (representante do Papa) é sempre o nº1. Nos outros países é pela ordem de chegada ao país. Em Portugal existe uma Lei das Precedências do Protocolo do Estado que dispõe sobre a hierarquia e o relacionamento protocolar das altas entidades públicas, do seu relacionamento com outras entidades inseridas no esquema de relações do Estado e ainda sobre a declaração do luto nacional. Se não houvesse protocolo não haveria ordenação, ordem, respeito pelos costumes dos outros e eficiência. No fundo, o protocolo é um conjunto de normas de etiqueta e cerimonial, a observar no convívio social formal e institucional.

© DR

O Protocolo é fundamental

António Cardoso Mota – Embaixador da UE Jubilado; acardosomota@gmail.com


Notícias

Vinhos portugueses medalhados 61 vinhos portugueses foram medalhados no certame internacional que decorreu na Bulgária, no passado mês de Abril - Concours Mondial de Bruxelles. Entre os medalhadas, destacam-se a Adega Cooperativa de Cantanhede; a Quinta de Carapeços - Sociedade Vitivinícola; a Quinta e Amares Vinicultura; a Adega Cooperativa de Alcobaça; Maria Helena Sousa Alves; a Ribafreixo Wines; as Caves Solar São Domingos; a Tege; a Resigon Companhia Agrícola E Gestão ; a Adega Cooperativa de Vidigueira, Cuba e Alvito; os Caminhos Cruzados; a Agrovia Sociedade Agro-Pecuária; António Manuel Baião Lança; a Adega Mayor; a Adega da Vermelha; a Quinta da Pacheca, a Soc. Agricola e Turística; a Casa Agricola HMR; a J. Portugal Ramos Vinhos; a Sogevinus - Fine Wines; a Soc. Agríc. da Herdade da Torre do Frade; Maria de Lourdes Mendes Oliva Nunes A. Osório; Maria Sintra Marques Cordeiro; José António Leite Mendes Rodrigues; Pingo Doce Distribuição Alimentar e as Caves Campelo.

Equipa Portuguesa eleita a melhor da rede mundial SEAT A 17ª edição da iniciativa Top SEAT People, que visa distinguir, individual e coletivamente, os melhores especialistas da rede mundial SEAT, ficará especialmente marcada pela conquista do primeiro lugar por parte da Equipa Portuguesa representante da rede SEAT em Portugal.

A Cision concluiu a aquisição da PR Newswire. O negócio foi aprovado em todos os mercados internacionais, exceto no Dubai e na China, onde está pendente a revisão regulatória. Através de uma combinação de serviços, a Cision e a PR Newswire irão oferecer aos seus clientes os melhores serviços do mercado em termos de distribuição de conteúdos, rede de influenciadores, monitorização e análise de media. Esta aquisição vem também expandir o alcance internacional da Cision, permitindo o acesso a 170 países e 40 línguas.

A WINNING Scientific Management acaba de formalizar uma parceria com o Global Innovation Management Institute e lança, em Portugal, o primeiro curso de preparação para Gestores de Inovação - Certified Innovation Manager - com respetivo programa de certificação. Esta formação tem como objetivo a aplicação prática de técnicas avançadas de planeamento e gestão de inovação. jun jul ago 16

7


open it

Notícias Lançamento do Alvarinho “Contradição” na AR Interiores: um evento com Alma e boa disposição Sogrape reeleita A melhor produtora de vinhos do mundo Empresa distinguida pelo 2º ano consecutivo A Sogrape Vinhos voltou a ser considerada a melhor produtora vitivinícola a nível mundial em 2016, repetindo assim a distinção que já lhe fora atribuída em 2015 pela World Association of Writers and Journalists of Wines and Spirits (WAWWJ). A mesma associação distinguiu também o Sandeman Porto Tawny 40 Years Old, posicionando-o como o vinho português mais bem classificado no ranking. Hoje parte de um grupo que se estende até Espanha, Argentina, Chile e Nova Zelândia, a Sogrape Vinhos produz marcas tão fortes como Mateus, Gazela, Sandeman e Casa Ferreirinha, e está presente nas principais regiões vitivinícolas portuguesas, levando os seus vinhos a mais de 120 mercados e concretizando assim a missão de uma empresa familiar que nasceu de Portugal para o mundo em plena segunda Grande Guerra.

8

A AR Interiores, uma marca portuguesa criada em 1996 por Ana Roque, uma reconhecida Designer de interiores que já ganhou inúmeros prémios, apresentou na sua casa em Lisboa o vinho “Contradição - Alvarinho com Alma”, uma edição limitada lançada pelo enólogo Francisco Codesso da PROVAM que contou com maravilhosos toques eno-gastronómico de cinco conhecidos Chefs de Cozinha, que harmonizaram as colheitas da PROVAM com acepipes de assinatura: Chef Vitor de Oliveira, Chef SushiMan Suman Abbikari, Chef Paula Carção, Chef Rogério Gago e Chef José Maria Lino. jun jul ago 16


A UACS – União das Associações de Comércio e Serviços encerra a comemoração dos 145 anos com a realização de uma grande conferência, no próximo dia 25 de Outubro.

Prémios Logística & Transportes Hoje distingue NACEX como Melhor Operador Expresso 2016 A NACEX, a empresa de transporte de correio urgente e documentação do Grupo Logista, foi distinguida com o troféu Melhor Operador Expresso em Portugal, pelo segundo ano consecutivo, nos Prémios Logística & Transportes Hoje, do Grupo IFE. A cerimónia realizou-se no dia 7 de junho, na Alfândega do Porto e é, para João Jales, country manager da NACEX em Portugal, «um orgulho enorme para toda a equipa Nacex, e espelha reconhecimento do setor perante aquela que tem sido a atuação da NACEX nos últimos anos em Portugal, com excelentes resultados».

Sob o mote “Comércio é Transformação – desafios em movimento” um conjunto reputado de empresários de todos os formatos de comércio, especialistas nacionais e internacionais e jovens dinamizadores de novos conceitos de negócio, debaterão: O caminho percorrido. O que Aprendemos? Para onde Vamos? Desafios e Oportunidades para o comércio.

A Pullmantur Cruzeiros escolhe Lisboa

ATREVIA conquista Gold nos SABRE Awards EMEA 2016

O maior navio da Pullmantur Cruzeiros - Monarch - elegeu a cidade de Lisboa para estrear a sua primeira visita à Europa, finalizando a sua temporada no Caribe. Com chegada ao porto de Lisboa no dia 9 de junho, 2.000 pessoas de várias nacionalidades desembarcaram no novo terminal de cruzeiros de Lisboa e outras 2.000 iniciaram, nesse mesmo dia, uma viagem com destino a várias cidades europeias. O Governo de Portugal visa atingir os 750 mil passageiros por ano em Lisboa, oriundos de cruzeiros. A chegada dos cruzeiros a Lisboa tem um impacto económico importante, desde logo no comércio e na restauração. Estima-se um gasto médio de 62 euros por passageiro em cada escala que realiza, valor que aumenta para 81 euros nos portos de embarque, como é o caso da capital Lisboeta. A este gasto dos passageiros, soma-se o da tripulação do barco. Jorge Vilches, Presidente & CEO do Grupo Pullmantur acolheu a possibilidade de contemplar o fado nos espetáculos dos seus cruzeiros. O investimento realizado nas infraestruturas do terminal de cruzeiros – mais de 25,5 milhões de euros, aumentando a área útil para cerca de 13 mil metros quadrados – vão permitir que o destino Lisboa tenha um crescimento notável nos próximos anos e que permita à capital portuguesa afirmar-se, cada vez mais, como um polo turístico de referência neste segmento.

Foi graças ao projeto desenvolvido para a Deloitte Portugal que a consultora de comunicação ATREVIA venceu o Gold SABRE Award, para a melhor campanha Ibérica.

jun jul ago 16

9


open it

Cool Novidades Delta Q A Delta apresentou recentemente dois novos aromas da gama Delta Q, o Qharisma e o EpiQ, que constituem agora os aromas mais intensos produzidos pela Delta, e que dão origem a cafés encorpados e aromáticos. A Família Nabeiro, proprietária das marcas Delta, apresentou igualmente a Mayor Q, uma máquina de café da gama Business desenhada e produzida nas suas instalações de Campo Maior, e que se destina ao segmento de empresas e ao canal Horeca.

Licor Beirão lança concurso de criatividade Integrada na celebração do centenário do seu fundador José Carranca Redondo, a Licor Beirão lança um concurso de criatividade em homenagem à originalidade e irreverência deste pioneiro da publicidade em Portugal. O Prémio Carranca Redondo visa honrar a criatividade de pessoas entre os 18 e os 100 anos e que, tal como o seu inspirador, se destaquem nas categorias de criatividade Comercial (marketing e vendas), na criatividade Publicitária (publicidade) e na criatividade Relacional (relações públicas e marketing relacional). Mais informações e candidaturas online em: www.premiocarrancaredondo.com

10

jun jul ago 16


Loja das Meias na Av. da Liberdade A Loja das Meias inaugurou recentemente uma loja nova requintada e inovadora, procurando complementar a oferta da Av. da Liberdade. Integrando um conceito shop-in-shop, este bonito espaço apresenta dois balcões das conhecidas marcas Dior e Céline no piso principal, reservando o piso inferior para exposição da habitual oferta multimarca que caracteriza a Loja das Meias. A exposição valoriza a exposição das marcas e dos produtos expostos, tendo a decoração de interiores sido assinada por Cristina Santos Silva e Ana Menezes Cardoso, que integraram o painel A Mulher de Querubim Lapa, datado de 1960 e outrora instalado na anterior Loja das Meias do Rossio.

Concurso Rising Store - Workshop de Aceleração de Ideias Na sequência da seleção dos cinco projetos vencedores, entre os mais de cem concorrentes à primeira edição do concurso Rising Store, teve lugar um Workshop de Aceleração de Ideias, com o objetivo de contribuir com as competências dos membros do Júri para a robustez de cada projeto. Os cinco empreendedores selecionados para esta iniciativa da Sonae Sierra - que conta com a parceria do INV, da ANJE, do Young & Rubicam Group e do Shark Tank Portugal –beneficiaram nesta 2ª fase do programa de um workshop exclusivo para cada projeto, com as seguintes áreas de coaching: Business Model, Finance & General Business, Strategic Marketing & Product, Sales Force & Benchmark. O Rising Store é um concurso de ideias para o retalho, organizado pela Sonae Sierra, que tem como objetivo principal apoiar pessoas com carácter empreendedor e inovador, com o intuito de as ajudar a desenvolver a sua própria empresa, transformando ideias inovadoras em projetos de empreendedorismo únicos. Este concurso surge no âmbito da estratégia de Sustentabilidade da Sonae Sierra, cujo objetivo consiste

em colaborar com lojistas atuais e/ ou potenciais para tornar os seus negócios mais resilientes, permitindo que empreendedores individuais, empresas pequenas, locais e sustentáveis, se desenvolvam em circunstâncias exclusivas. Nas fotos, os membros do Júri do concurso Rising Store: José Fontes (ANJE), Paulo Sousa Marques (Shark Tank), João Maria (Y&R), Manuela Calhau (Sonae Sierra) e Francisco Toscano (INV) durante o Workshop de Aceleração de Ideias. jun jul ago 16

11


opinião

Pela primeira vez na história da humanidade, a maioria dos consumidores encontra-se numa idade, mais de 45/50 anos, em que as necessidades de autorrealização, começam a influenciar de forma significativa o seu comportamento e atitudes, na medida em que a partir daquela idade as pessoas adquirem uma percepção da realidade menos influenciada pela idealização, aceitam-se melhor a si próprios e aos outros, focando-se mais no nós do que no eu, valorizam mais as emoções e os valores, tornando-se menos materialistas e mais espirituais. A maturidade psicológica destas pessoas permite-lhes assim transcender o seu eu social que domina a primeira metade das suas vidas, abrindo a porta a uma visão do mundo focada mais no ser e menos no ter. Contudo, as empresas ainda não estão preparadas para esta nova tipologia de consumidores, uma vez que no plano corporativo, a clássica visão de Milton Friedman, de que a única responsabilidade das empresas é gerar lucro, tem-se mantido firme como pilar estruturante da atividade empresarial e obstaculizado, a necessária e natural humanização das empresas, ou seja, o processo de introdução no léxico e ação das empresas de conceitos que antes não tinham lugar no mundo dos negócios, tais como, amor, alegria, emoção, empatia ou compaixão. Pensando bem, embora contracorrente, a missão das empresas não deveria ser enriquecer os investidores, enganar os consumidores, destruir o meio ambiente, explorar os colaboradores, desagregar as famílias ou criar dificuldades insuperáveis aos fornecedores numa espiral de obsessão pelo seu share of wallet, mas sim ajudar os homens e as mulheres a viverem melhor as suas vidas, com mais satisfação, alegria e bem-estar, a realizar o seu potencial natural focando-se em tudo aquilo que é verdadeiramente importante, ou seja, procurando ganhar o seu share of hart. Daí que a sustentabilidade e a responsabilidade social (e a consciência da sua importância) já não sejam apenas atividades complementares das empresas mas tenham de estar cada vez mais alinhadas com a sua atividade principal. A forma como produzimos, como gerimos e como consumimos terá de ser cada vez mais consciente e responsável e deverá ter um propósito que não seja apenas o lucro ou a mera satisfação dos egos corporativos. O sucessor de Welch na GE, Jeff Immelt, tem também reforçado a ideia que nos dias de hoje, para se ser uma grande empresa tem que se ser uma boa empresa, uma empresa virtuosa, porque tal é cada vez mais um imperativo do negócio. Uma coisa é certa e a realidade a demonstra: nos últimos anos, as empresas humanizadas ou virtuosas, no médio e longo prazo, têm superado significativamente o seu desempenho de mercado quando comparadas com todas as outras, porque os seus líderes possuem uma visão holística do mundo e não olham apenas para os seus umbigos, como os casos de Jeff Bezos (Amazon), Jim Sinegal (Costco), Larry Page (Google), John Mackey (Wholefoods) e Kim Tindel (The Container Store), tão bem evidenciam. Embora não seja o caso das empresas atrás referidas, mas pensemos agora em como seria o mundo melhor e como tal contribuiria para a resolução de muitos problemas, se por exemplo, cada empresa doasse meio por cento das suas vendas ou concedesse meio por cento do tempo dos seus colaboradores às comunidades onde atuam e desenvolvem as suas atividades. What wonderful world would be!

12

jun jul ago 16

© DR

Empresas Virtuosas

José António Rousseau Consultor e Docente Universitário rousseau.jose@gmail.com


tema de capa

Imagem

Profissional

14

jun jul ago 16


No atual e diversificado mundo do trabalho as ações e motivações dos profissionais são constantemente alvo de observação e escrutínio. É hora de gerir a sua própria imagem, antes que alguém o faça por si. Por Redação DO it! jun jul ago 16

15


tema de capa

“As pessoas estão constantemente a observar o comportamento dos outros, daí tirando conclusões sobre a sua competência, o seu carácter e o seu comprometimento, as quais são rapidamente disseminadas no contexto profissional”, comenta Laura Morgan Roberts, professora da Harvard Business School. “É inteligente você ter uma palavra a dizer na formação da opinião dos outros sobre quem você é e aquilo que consegue alcançar”. Assim como os produtos são avaliados pelo mercado, também a nossa imagem profissional é o conjunto de qualidades e características que correspondem às perceções de competência e carácter que quem nos rodeia tem sobre nós. É importante distinguir entre a imagem que queremos que os outros tenham de nós e a imagem que pensamos que os outros têm de nós. Laura M. Roberts afirma que “A maioria das pessoas quer que os outros a descrevam como uma pessoa com um carácter forte e íntegro, comprometida com o trabalho, a equipa e a empresa. No entanto, a investigação mostra que os traços mais apreciados nos profissionais são confiabilidade, ser uma pessoa cuidadosa com os outros, humilde e competente”. Por outro lado, todos temos estereótipos formados que condicionam a forma como apreciamos quem nos rodeia. A gestão das perceções e estereótipos dos outros consegue-se através da gestão do nosso comportamento não-verbal (aparência, postura, expressões e gestos), da forma como falamos (conteúdo, gramática, dicção, tom e ritmo de voz), e de como nos comportamos (performance profissional, cidadania). Para lhe fornecer recomendações profissionais e inspiradoras sobre o tema, a DOit! obteve a contribuição de reputados profissionais de várias áreas: executive search, consultores de imagem profissional, responsáveis de comunicação empresarial, especialistas na área comercial e empresários.

A imagem profissional não diz só respeito à forma como cada um “embala” o seu produto, mas também como se “divulga” e se “gere” a si próprio no mercado.

16

jun jul ago 16

Comportamento e Perfil Profissional

As características comportamentais de cada um de nós interagem com a imagem profissional e social que temos e que emanamos, e são vistas e analisadas pelos outros, por quem nos observa e avalia. É o conjunto destas imagens que determina o nosso perfil. O perfil é como uma fotografia impressa a partir de variadíssimas partículas que marcam a tela. É uma importante fatia da nossa personalidade. Aliás, faz parte dela. E o nosso papel social é fortemente marcado pela nossa pegada profissional. Daí a importância do perfil profissional para as pessoas socialmente ativas, notórias e notáveis. Há ambientes profissionais muito informais, com tratamento muito casual. Apesar de se caminhar para a informalidade na quase totalidade das organizações, há alguns círculos profissionais com informalidade vertical quase absoluta. Para alguns, este traço é fundamental ao seu bem‑estar e condiciona o seu estilo de vida. Com mais ou menos correlação, aparece a forma de vestir e a etiqueta do traje. Para alguns, a formalidade do fato e gravata, por exemplo, torna-se uma condicionante opressiva, podendo influenciar o bem‑estar pessoal e, assim, prejudicar o ambiente adequado à partilha, ao pensamento disruptivo e à inovação e mudança. A imagem profissional fica também muito vincada no primeiro contacto que temos com os outros no nosso meio profissional, por exemplo em entrevistas presenciais e outras formas de avaliação. Assim, deve-se sempre sincero e autêntico, nunca se tentar passar por outra pessoa, assumindo comportamentos estereotipados que com toda a certeza vão soar a falso. Deve-se assumir que quem entrevista e avalia está provavelmente bem treinado para detetar incongruências e inverdades. Devem-se sublinhar os feitos e o que de melhor fez, mas não evitar abordar os temas difíceis e prejudiciais se eles forem objeto de análise. Na forma de comunicar, deve-se ser claro e direto. Responder sucintamente e de forma autêntica, com


uma linguagem adaptada ao seu interlocutor e nunca se esquecer de que uma entrevista pressupõe um diálogo, e não um monólogo. O mesmo se aplica à linguagem gestual: não se deve gesticular em excesso, mas também não se pode comportar de forma hirta e rígida. Concluindo, deve-se ser autêntico. Mostrar o que se tem de melhor, mas não entrar em negação perante as lacunas ou outros aspetos negativos que seja necessário abordar.

*A Amrop é uma empresa de Executive Search global. Maria da Glória Ribeiro – Managing Partner da Amrop* Portugal. Autora do Livro “Eu sou o meu Maior Projecto”

© DR

Não há uma segunda oportunidade para causar uma primeira boa impressão

Há quem vá para um blind-date de tênis e t-shirt. Outros aparecem numa entrevista de emprego com a barba por fazer ou apresentam-se a um novo conselho de administração com a voz trémula e a cara transpirada. Nos tempos que correm, em que a imagem é mais rápida do que o pensamento e determina a formação de uma opinião, há cada vez menos hipóteses de termos uma segunda oportunidade para causar uma primeira boa impressão. Isto significa que a forma como nos apresentamos pode definir se somos escolhidos para aquele lugar numa empresa a que nos candidatos, reconduzidos

num cargo de administração ou eleitos para líderes de um partido. Com o aumento generalizado da informalidade, inclusive no trabalho, as regras em termos de imagem já não se levam tão à letra. Há, no entanto, mínimos. Com os meus clientes começo por um básico de sempre: barba e cabelo. Também aqui as regras são elásticas e uma barba aparada e um cabelo médio bem cortado são aceitáveis. O mesmo não se aplica, porém, a outros pêlos, que são completamente proibidos: os do nariz e os dos ouvidos. Passemos à segunda fase. Identificar o tipo de público e a circunstância perante os quais é suposto aparecer. Aqui muitas vezes não é preciso ter grandes rasgos, nem querer inventar a roda. Na Naughty Boys já salvámos um CEO de uma situação em que tinha de, com um intervalo de poucas horas, apresentar as contas anuais à administração e, nesse mesmo dia noutro encontro, aos colaboradores. Não havia tempo, nem espaço de manobra para escolher dois outfits diferentes... Com o mesmo fato, apresentou-se na primeira situação de mangas arregaçadas e gravata e na segunda foi de blazer com gravata. A ideia foi mostrar-se à administração como alguém que desce do seu pedestal e põe a “mão na massa”. Perante os colaboradores deu-se a conhecer como um líder que inspira seriedade, “o homem que conduz a empresa para os bons números”. Nas aparições mediáticas também há necessidade de ter em conta o contexto. Se estivermos a falar numa revista social, a imagem é fundamental porque é esse tipo de conteúdo que o público procura. Num jornal marcadamente político é mais relevante aquilo que é dito, porque os leitores estão mais atentos ao discurso e às mensagens passadas. Nos meios de comunicação também se aplica a máxima de não haver uma segunda oportunidade para criar uma primeira boa impressão. Com a explosão das redes sociais, por onde passa toda a vida pública e privada, uma entrevista ou uma fotografia tornam-se virais num piscar de olhos e, uma vez publicadas no espaço cibernético, ficam para a eternidade. O velho raciocínio “estiveste mal mas na próxima semana ninguém se lembra” já não é assim tão verdadeiro. Para quem não é um ás nas redes sociais, nem no domínio da palavra ou da estética da moda, a boa notícia é que a educação, e a verdade, podem ser uma ótima arma. Podemos não ter a maior pinta, nem saber coordenar uma camisa com uma gravata, mas a elegância na forma de estar e de nos relacionarmos com os outros é fator de diferenciação entre sermos uns autênticos desastres ou uns seres encantadores. O cuidado que pomos na interação com o nosso interlocutor - as palavras que escolhemos e o sorriso que esboçamos – é um precioso conteúdo que pode anular jun jul ago 16

17


tema de capa

as inabilidades de forma. Acima de tudo, ter uma boa imagem significa apresentarmo-nos com coerência e verdade perante o público a quem nos dirigimos, e sentirmo-nos confortáveis e à vontade com aquilo que somos e projetamos para o exterior. De preferência, todos os dias.

*A Naughty Boys é a primeira agência de Publicists em Portugal, gerindo o media management de figuras públicas e assessorando os clientes na imprensa tradicional e digital, gerindo imagem, produzindo conteúdos e criando estratégias de comunicação integrada.

À semelhança de alguns bons produtos que não vingam no mercado por falta de uma correta imagem ou divulgação, também muitas pessoas não alcançam o que querem por se esquecerem que: “Há que Ser, Parecer e Aparecer”.

A importância da “imagem” profissional no mundo das TIC. E não só!

18

A importância da imagem na vida profissional pode parecer trivial, até fútil, ou reservada às revistas cor-de-rosa. Contudo, a imagem nas sociedades ocidentais, e em Portugal em particular, ainda faz muito a diferença, podendo levar a situações discriminatórias. Mais ainda quando enquadrada num contexto de recrutamento. Para os mais céticos, basta pesquisar no Google para aferir a quantidade de artigos, posts e blogs sobre este tema, o que ilustra bem o quanto este tema é importante:“tratar a sua indumentária”,“atenção ao pormenor que pode ditar a exclusão de um processo”, “adaptar a sua indumentária ao interlocutor ou à empresa”. Os profissionais de recrutamento são, por regra, muito atentos à primeira impressão dada pela imagem passada pelo candidato. É verdade que “o hábito ainda faz o monge!”. Quando me perguntam “quando uma empresa precisa de contratar um entre dois candidatos com competências e qualificações semelhantes, quais são os critérios na escolha?”, a minha experiência a recrutar diz-me que a decisão é fundamentalmente tomada em função da imagem, da maneira de vestir, da apresentação ou da comunicação dos candidatos. A aparência é um argumento, é um facto. E, como qualjun jul ago 16

© DR

João Belo – Fundador e Publicists Director da Naughty Boys*

quer ferramenta, ela pode ser trabalhada e preparada. Para alguns, prestar esse serviço tornou-se mesmo numa profissão! O aparecimento dos profissionais do coaching da imagem profissional, a democratização das cirurgias estéticas, o desenvolvimento dos tratamentos e do investimento na moda masculina, todo o negócio envolvente à imagem e à aparência não é de todo insignificante, provando bem a importância deste tema para os profissionais portugueses em geral. Na minha opinião, a imagem deve estar, em primeiro lugar, alinhada com os valores e a cultura da Organização que o profissional representa. Se, por exemplo, trabalho numa empresa de tecnologias de informação, como a AFFINITY, que valoriza as relações de “afinidade” entre stakeholders, que promove um ambiente cool entre os seus colaboradores, o uso de fato e gravata pode não ser a escolha mais adequada. Isto no que se refere à imagem que quero passar para dentro da empresa, para os meus colegas e para os vários níveis hierárquicos. Quando estou no cliente, devo equilibrar a minha imagem com as regras, valores e cultura do cliente e da empresa que visito. Estudos de psicologia evidenciam que associamos normalmente a boa imagem e apresentação a uma pessoa inteligente e competente. Por outro lado, uma imagem negligenciada ou inadaptada passa exatamente a mensagem contrária, podendo minar a relação profissional entre duas pessoas. Considero que de nada adianta ter uma imagem cuidada e adequada aos valores e cultura da organização que represento, do cliente com quem trabalho ou pretendo vir trabalhar se, por outro lado, deixar o meu interlocutor sistematicamente à espera; se privilegiar o EU em detrimento do OUTRO; se tiver uma atitu-


de agressiva e pouco empática; ou se mostrar falta de transparência nas relações do dia-a-dia. A imagem, tal como a personalidade, pode e deve ser trabalhada, treinada e preparada. Percebo que a sociedade tem vindo a alterar-se muito devido às recentes e sucessivas crises mundiais (petróleo, imobiliário, especulação financeira, movimentos radicais, Panamá papers, etc.). Simultaneamente, ainda estamos a passar de uma sociedade “analógica”, para uma sociedade “digital” (internet 4.0, IoT), na qual a informação flui a uma velocidade vertiginosa. Face a estas alterações, considero que é importante trabalhar a imagem do profissional, tal como a imagem de uma empresa, de acordo com os valores e cultura, sem nunca esquecer o essencial seja para o profissional, seja para a empresa ou para os clientes: o CARÁCTER. Esse sim, é o ponto fulcral e que faz toda a diferença. Cuidar da imagem é importante. Contudo, essa imagem deve estar alicerçada num conjunto de valores humanos. Só assim nos tornaremos profissionais exemplares.

* A AFFINITY desenvolve soluções de negócio baseadas em tecnologias e sistemas de informação para diferentes empresas líderes de mercado. Carlos Correia - CEO AFFINITY*

Adote uma atitude positiva como parte da sua imagem profissional. A atitude negativa é um repelente social. Quem procura emprego ou pretende zelar pela sua manutenção e prosperidade profissional, será melhor sucedido se contagiar positivamente quem o rodeia! A atitude que se adopta não é um “destino” a que estamos votados, ela resulta da nossa escolha individual!

estamos a falar de vendas e sobre como a forma de vestir faz toda a diferença, lembro uma frase de Coco Chanel “Se uma pessoa se veste mal, você nota as suas roupas; mas se ela está vestida impecavelmente, você nota a pessoa!”. Para analisarmos este efeito, devemos ter presentes dois aspetos essenciais: A importância da forma de vestir Já reparou que, quando estamos bem vestidos, a nossa confiança aumenta e a postura é mais firme? Se a forma de nos apresentarmos pode mudar a nossa atitude relativamente aos outros, imagine como ela pode influenciar a opinião dos clientes e, assim, decidir a atitude deles em relação a nós. Adequar a apresentação à situação Uma forma de vestir que transmite uma impressão positiva numa determinada situação, pode ter o efeito contrário num contexto diferente. É preciso decidir primeiro que imagem é importante transmitir. Lembro-me que na fase de decisão quanto à escolha do fornecedor de computadores para uma grande empresa em Portugal, sobraram 3 concorrentes. Dois apareceram vestidos nos seus melhores fatos, camisas, gravatas e sapatos bem polidos; o terceiro, que apresentava a proposta mais vantajosa em termos financeiros e que representava a empresa mais experiente no mercado, convencido de ser o favorito, apresentou-se com um blazer, calças de linho e sapatos de vela sem meias, uma postura quase a esbarrar a prepotência e desprezo pela importância da reunião. O cliente dirigiu todas as suas questões em primeiro lugar aos fornecedores mais bem vestidos e, só depois ao terceiro. A decisão foi a favor de um dos dois primeiros. O cliente não quis confiar uma missão importante para o bom funcionamento da sua empresa a

Recentemente, ao ler o livro “Como convencer alguém em 90 segundos” de Nicholas Boothman, escrito em 1960, encontrei um parágrafo que me pareceu importante: “Vista-se para o trabalho que você quer, não para o trabalho que você tem. Deixe o seu chefe imaginá-lo fazendo apresentações importantes e não perdendo tempo em vendas por telefone. Use o seu guarda-roupa como uma forma de apresentar a sua personalidade com estilo!”. É certo que há profissões em que o estilo de roupa que se usa tem que seguir determinados padrões, especialmente em empresas que usam uniformes. Mas como

© DR

Dress to Impress*

jun jul ago 16

19


tema de capa

uma pessoa que não demonstrava respeitar esta importância. Por outro lado, que impressão causaria nos clientes, numa loja de moda jovem ou de artigos desportivos, um vendedor de fato e gravata? O cliente, muito antes de saber pormenores a respeito do que nós ou a nossa empresa somos capazes de fornecer, vai olhar e ser impressionado pela nossa forma de nos apresentarmos. A forma como nos vestimos é o nosso cartão de visita. Dependendo do negócio, é importante procurar saber qual é o dressing code que mais se adapta ao nosso ramo de negócio. Se o cumprirmos, não correremos o risco de impressionar mal o cliente e ele preocupar-se-á, apenas, em avaliar a nossa proposta.”

(*) Vista-se para impressionar Wilques Erlacher – Especialista na área comercial. Autor do blog “Venda Melhor”.

Quando muitos permanecem na sombra e na mediania, outros conseguem sobressair. Na sociedade da mediatização quem tem baixa visibilidade, simplesmente não é visto! Outros dão-se a ver como Super Homens, mas o mercado vê-os como uns verdadeiros patetas!

Manobrar a imagem profissional com mestria

20

Parecia um dia normal no centro de Madrid, em pleno inverno. Um homem, com aspeto de ser um sem-abrigo, chegou com o seu cãozinho a uma praça e colocou as suas coisas no chão. Começou a mostrar os seus dons manobrando a bola com o pé. Mostrava técnicas incríveis no controlo da bola. Algo que só alguns no mundo inteiro conseguem fazer. Ninguém lhe prestava muita atenção e as horas passavam, com ele a tentar impressionar o público num diálogo de magia entre a bola e as suas pernas. Até que um miúdo começou a jogar com ele e os dois divertiam-se claramente. Depois, o Cristiano Ronaldo revelou a sua identidade…. Claro que isto foi uma brincadeira, mas mostrou um ponto importante: na vida “real”, frequentemente, as outras pessoas tiram conclusões sobre aquilo que vêm de si. Sem ter dito uma palavra, já está a comunicar através das suas roupas, das cores que usa, dos cuidados que tem com os pormenores no seu visual e com a sua linguagem corporal. Talvez não pense de forma consciente sobre alguns destes aspetos. Contujun jul ago 16

do, ao entender como eles podem influenciar os outros, ganhará mais uma ferramenta de comunicação através da qual pode reforçar a empatia que cria com os outros, mostrar as suas qualidades de liderança ou acentuar o seu lado criativo. Aquilo que vestimos, tanto ao nível das peças como das cores, tem um forte impacto na forma como nos sentimos e na confiança que transmitimos ao mercado. Ao dominar alguns pontos importantes, conseguirá ter maior influência sobre aquilo que os outros pensam sobre si. Isso ajudá-lo-á a atingir o seu objetivo, qualquer que ele seja, ganhar uma negociação importante ou conquistar o amor da sua vida! Deixo-lhe algumas dicas essenciais para uma imagem pessoal impactante: 1. O vestuário é parte da sua marca pessoal e transmite mensagens sobre a sua personalidade e sobre aquilo que é importante para si. Ter um estilo próprio distingue-o das outras pessoas. Uma consulta de imagem ajuda-o a definir o seu estilo pessoal através de perguntas e questionários específicos para esse efeito. Em alternativa, pode consultar revistas de moda para identificar o que gosta e o que não tem nada a ver consigo. 2. O modo correto de vestir está diretamente relacionado com o setor onde trabalha. Um escritório de advogados terá um estilo bastante mais formal do que uma empresa de publicidade.Tenha isto também presente quando vai a entrevistas ou reuniões. Respeitar o dress code da empresa onde vai ter uma reunião ajudá-lo-á a criar empatia com o seu interlocutor. 3. Se prefere um estilo confortável, mas o seu trabalho exige um estilo mais formal, aposte na qualidade dos tecidos.Tecidos de boa qualidade (regra geral mais caros), são mais ma-cios, deixam respirar melhor a pele e amachucam-se menos. Se tiver que usar sapatos com algum salto, aposte numa das muitas marcas de sapatos que hoje em dia vendem sapatos confortáveis e, simultaneamente, sofisticados. 4. As cores têm um grande poder na imagem que


transmitimos e, ao mesmo tempo, no nosso estado de espírito. Há cores que ajudam a criar uma imagem de autoconfiança e de au-toridade como por exemplo o vermelho e o azul elétrico. Outras, como o bege e verde, ajudá-lo-ão a aproximar-se mais facilmente das pessoas. Para as outras pessoas confiarem mais facilmente em si, é aconselhável o uso de azul escuro. 5. Cuide dos pormenores como o seu cabelo e as suas unhas, evidenciando ter também atenção para os pormenores no trabalho. 6. A imagem profissional também é formada através daquilo que comunica nas redes sociais.Tenha sempre cuidado com comentários e opiniões pessoais no âmbito profissional, para não prejudicar a sua reputação. 7.“Last but not least”, tenha cuidado com a sua forma de falar e a sua linguagem corporal, principalmente quando vai ter com alguém pela primeira vez. Um aperto de mão firme, o contato visual, uma postura descontraída mas direita e um sorriso são ingredientes-chave para estabelecer empatia e transmitir qualidades de liderança. * A Color me Beautiful é uma empresa líder mundial na área de consultoria de imagem pessoal e empresarial, com 30 anos de experiência neste setor de atividade. Manon Rosenboom Alves - Formadora e Consultora de Personal Branding & Imagem Profissional. Colour me Beautiful Portugal*

A importância da Imagem Pessoal O mundo de hoje é um mundo de perceções cada vez mais fugazes e superficiais onde a apreensão visual imediata é aquela que muitas vezes convence e determina o julgamento! De facto, a primeira imagem/contacto que temos de, e com alguém, ou com alguma coisa, é quase sempre determinante para o relacionamento futuro que teremos com aquela pessoa ou coisa... É a primeira impressão que fica! É a marca que se deixa! É a forma como a recordaremos na sua ausência ou na falta dela! E se é mais verdade, mas não verdade absoluta relativamente às coisas, nomeadamente em objetos de arte, onde sensorialmente esgotamos a relação, o mesmo não se pode dizer com a mesma veemência das pessoas! E apesar de não se poder negar que não há uma segunda oportunidade de causar uma primeira boa impressão, a experiência de vida tem-me trazido boas e más surpresas, no sentido em que ao aprofundar a

relação com os outros, fui constatando que se nuns casos se afirmam, noutros se invertem essas primeiras perceções das pessoas que fui e vou conhecendo...o que me leva hoje a dizer, com a sabedoria acumulada ao longo dum caminho já bastante percorrido, que vale sempre a pena conhecer melhor cada pessoa que connosco se cruza, quer a nível profissional quer pessoal, dando sempre uma segunda e terceira oportunidade e relevando para segundo plano as primeiras perceções, sobretudo quando estas são menos positivas. No mundo das aparências que se vive nos dias de hoje, em que a maioria dos seres humanos gerem as suas emoções, e relações, através de meras interações nas redes sociais, em que quase tudo é maquilhado e etéreo, onde se inventam ao mais ínfimo detalhe personalidades e imagens que se “postam” como sendo reais mas que não passam de pura ficção, perde-se o conteúdo e falta a autenticidade da relação humana, na qual os olhares, a linguagem corporal, as empatias, os comportamentos, o caráter e os valores têm um papel determinante (os quais naquela second life deixam de existir, o que é dramático). É como um produto do qual apenas compramos a embalagem, sem chegarmos a conhecer ou avaliar o seu conteúdo! Como um filme de desenhos animados, de onde as pessoas teimam em não sair, um sonho do qual não querem acordar... Na vida real não basta Parecer, é também, e sobretudo, preciso SER! No fundo nós somos apenas aquilo que conseguimos ser através dos relacionamentos que temos, e não aquilo que achamos que somos. Só vendo-nos a nós próprios em ação, pode-mos ter a consciência correta do que realmente somos! Nuno Pinto de Magalhães - Diretor de Comunicação e Relações Institucionais da Sociedade Central de Cervejas

jun jul ago 16

21


espaço Ana Teresa Penim

Coaching & Mentoring In-Store 10 dicas para desenvolver equipas no ponto de venda Atualmente, a generalidade das lojas tem o número de vendedores exclusivamente indispensável para cobrirem os turnos necessários ao cumprimento do horário. É cada vez mais difícil tirar pessoas das lojas para formação em sala. Por outro lado, os sistemas de e-learning, sendo formativos, não estão ainda suficientemente disseminados e não têm as características adequadas para promover o desenvolvimento de todos os domínios, sobretudo os comportamentais, indispensável à obtenção dos níveis de performance comercial hoje exigidos pelo mercado. Assim, a solução passa por projetos que integrem uma componente cada vez maior de Coaching & Mentoring In-Store. Confirmo que esta metodologia exige: expertise pedagógica; know-how técnico sobre vendas & serviço ao cliente, consumer behaviour, merchandising, trade marketing e gestão de ponto de venda; a par de sólidas competências de coaching profissional. Só assim se chegará além do “mero” treino de competências comerciais, alcançando a verdadeira mudança. Ser um profissional competente no retalho tem ainda muito mais a ver com “Eu Quero Fazer” do que com “Eu Sei Fazer”. Sendo o Coaching In-Store o processo de desenvolvimento que mais me apaixona, sobre o qual tenho mais investigado e no qual tenho o privilégio de passar grande parte da minha atividade, partilho aqui alguns dicas para apoio ao desenvolvimento individual dos profissionais do ponto de venda:

© DR

1. Assegure-se de que estabelece uma relação de confiança, à vontade e comunicação aberta com o profissional, garantindo que ele perceciona o seu acompanhamento no ponto de venda como um privilégio e uma mais-valia para si próprio. Não uma avaliação! 2. Evidencie que o objetivo é acompanhá-lo nas interações normais com os clientes, após cada uma quais realizarão uma reflexão conjunta sobre o que correu bem e como pode correr ainda melhor. 3. Interesse-se por conhecer o percurso profissional e enquadramento pessoal do seu coachee. A vida pessoal tem alto impacto na performance profissional!

22

jun jul ago 16

Ana Teresa Penim é retail lover, especialista em vendas e master coach; fundou o INV, Instituto de Negociação e Vendas e a YouUp – The Coaching Company; apenim@inv.pt


4. Mostre interesse genuíno por conhecer a perceção do coachee sobre a função que ele exerce e o seu dia-a-dia profissional. 5. Defina com ele os objetivos de cada sessão de Coaching In-Store (ex. comunicação comercial; novas ferramentas de vendas; cross-selling; etc.), definindo ao máximo o que cada uma dessas questões significa na prática e, sempre que possível, fazendo a ponte com anteriores etapas formativas, referenciais de performance existentes, etc.; 6. Vista-se e comporte-se, de forma a não criar ruído na interação dele com os clientes. Se o cliente perguntar quem você é, deixe que o seu coachee o apresente da forma com a qual ele se sentir mais confortável (ex. “um colega do escritório ou do marketing”; “o meu coach”; etc.). 7. Acompanhe as interações comerciais, com naturalidade, livre de quaisquer objetos que possam interferir na observação/comunicação (ex. bloco de notas ou caneta). 8. Após a interação, pergunte ao coachee o que ele acha que correu melhor e elogie-o em tudo o que puder, justificando-o com o impacto que isso surtiu na reação do cliente (ex. “teve uma atitude e expressão facial fantástica quando abordou o cliente. Isso determinou a disponibilidade do cliente para se abrir consigo…”; etc.). 9. Em seguida, desafie-o a identificar aspetos em que ele poderá ir mais longe. Se for necessário dê pistas para facilitar a tomada de consciência (ex. “e o que terá levado o cliente a dizer…”). A autoanálise tem a vantagem de não “soar” a crítica e contribui também para auto responsabilização. 10. Assim que garantir que ele tomou consciência e que se auto responsabilizou por fazer diferente, garanta que ele o vai aplicar na prática. Acompanhe-o de forma sistemática em novas interações para favorecer novos patamares de performance. Lembre-se que o desempenho é uma variável dinâmica! O sucesso depende, essencialmente, de um acompanhamento consistente e sistemático no tempo. Por isso, esteja atento e focado em aproveitar todas as situações in-store que possam reforçar novos ciclos de desenvolvimento, promovendo: Consciência – Responsabilização – Ação. Garantir o desenvolvimento contínuo de cada elemento da equipa para a excelência da venda e do serviço ao cliente é uma das tarefas mais nobres dos Responsáveis de Loja. Se é essa a sua função dedique-lhe o tempo que ela merece. Não se deixe monopolizar pela componente administrativa e pela resolução de problemas!

jun jul ago 16

23


entrevista

A Multiópticas nasceu da iniciativa de um conjunto de ópticos nos anos 70, em Espanha, tendo Portugal aderido em 1988, quando começamos a desenvolver uma cadeia de lojas franchisadas a que agregámos, posteriormente, algumas lojas próprias. Em 28 anos de operação em Portugal repetimos o exemplo espanhol, tendo-nos tornado rapidamente líderes de mercado. 24

jun jul ago 16


Rui Borges, CEO da GrandVision Portugal

Acredito no nosso país. Vamos conseguir! Por Francisco Toscano, Foto Fernando Piçarra

M

ultiópticas factores diferenciadores Uma marca forte, marcas exclusivas, uma rede uniforme e a transparência e ética comercial que fazem parte do nosso ADN estão sempre presentes no nosso atendimento. Mas quem faz a diferença são os nossos colaboradores e os nossos franchisados. Somos uma marca de confiança repetidamente eleita pelos consumidores portugueses como referência no mercado. A liderança do mercado e o reconhecimento dos Clientes dão-nos uma responsabilidade e motivação acrescidas, fazem-nos tentar ser cada vez melhores. a propósito de um refrescamento da imagem… Em qualquer marca é preciso refrescar a imagem, criar elementos dinamizadores do maior envolvimento nas organizações. Há também razões corporativas. Fazemos parte do maior grupo mundial de óptica, a GrandVision, que está presente em 44 países com 6200 lojas, e o facto de sermos líderes ou principais challengers em quase todos os mercados, fez-nos sentir a necessidade de termos uma mesma identidade corporativa transversal a todo este universo. A marca GrandVision é a marca umbrella

de todas as marcas espalhadas por estes 44 países. Aproveitando o enquadramento internacional mudámos e refrescamos o nosso logo Multiópticas, mantendo as cores-base que nos constituem, o amarelo e o azul, e associamos o símbolo da GrandVision, porque é um símbolo que estabelece a união e o alinhamento entre todas as cadeias do Grupo. mantendo o portfolio de marcas e o seu posicionamento… A mudança de imagem afecta sobretudo a nossa marca mid-of-the-market, com uma presença muito notória no mercado. Temos também outras marcas que trabalham em nichos importantes: a GrandOptical é uma marca premium, no segmento médio-alto, e a Solaris é especialista em óculos de sol, e que tem lojas stand-alone e corners store-in-store em lojas Multiópticas e GrandOptical. Essas duas marcas operam nos seus respectivos nichos. A marca Multiópticas é a nossa flagship e é essa que vê agora o seu logo e imagem refrescadas. óculos para todos Os óculos graduados são o produto principal, mas os óculos de sol, por moda e proteção, e as lentes de contacto são duas gamas com potencial de crescimento. As insígnias Solaris e

Grandoptical têm potencial de crescimento autónomo, nomeadamente em centros urbanos com maior tráfego de visitantes ocasionais e de turistas. Nas lojas Grandoptical podemos oferecer um serviço premium de fornecer lentes graduadas em 1 hora, e lentes progressivas em 3 horas. vemos mal Vemos mal, e com tendência a piorar. Nascemos naturalmente míopes, e os nossos hábitos actuais, com a utilização crescente da televisão, dos computadores em casa e no trabalho, dos tablets e dos smartphones, acentuam essa miopia. Isto exige mais necessidade de correcção, cada vez mais cedo. graduados ou pré-graduados São os óculos pré-graduados um produto exclusivo das farmácias e afins? Não! Não são um produto de segunda linha, podem e devem constituir igualmente um novo nicho, mais acessível, a ser mais explorado pelas ópticas. É um mercado que a óptica tem que reconquistar. a imagem pessoal Os óculos de sol estão associados à moda, mas assim como o sol pode fazer mal à pele, também os raios UV podem fazer mal aos olhos. As pessoas estão mais conscientes deste factor, daí que todos os anos o negócio dos ócujun jul ago 16

25


entrevista

26

los de sol aumente… Um factor que penalizava o uso de óculos era o peso, as lentes eram de vidro e os óculos eram esteticamente feios. Hoje as armações são mais leves e modernas, as lentes são mais leves, a utilização dos óculos tornou-se mais fácil e esteticamente agradável. É também cada vez maior a opção pelas lentes de contacto, com benefício para os utilizadores devido à evolução tecnológica das lentes. como vender óculos O preço é um factor importante, mas este é um bem que tem que ver com saúde e bem-estar. Há produtos com diferentes graus de qualidade e de preço, todos eles cumprindo a sua função. com emoção… O consumidor funcional compra apenas um produto para ver, mas há cada vez mais Clientes com uma forte componente estética. O consumidor português é tendencialmente conservador, mas está atento à moda e vai arriscando em modelos mais modernos, desportivos e arrojados. Uma opinião feminina ajuda sempre… serviços fidelizam Os rastreios e os exames optométricos são um serviço social prestado à comunidade por mais de 220 licenciados em optometria que, quando detectam uma potencial patologia, encaminham para um oftalmologista. Quando detectamos necessidades de correcção visual aconselhamos a visita a uma das nossas lojas. Ver melhor é um ganho na qualidade de vida, detectar uma insuficiência visual numa criança pode combater o insucesso escolar. cirurgia correctiva é ameaça? A cirurgia refractiva é um potencial concorrente, mas não será necessariamente uma ameaça. Continuam a ser Clientes de jun jul ago 16

óculos de sol, podem precisar de óculos com protecção anti-reflexo para trabalhar ao computador ou conduzir à noite, e a cirurgia não está acessível a toda a gente. evolução do mercado A evolução tecnológica vai continuar a desenvolver lentes, armações e lentes de contacto. O mercado vai continuar a crescer pelos factores já identificados. Tendo a Grandoptical a única fábrica de assemblagem e montagem de óculos em Portugal, uma das mais modernas da Europa, com capacidade para 2,5 milhões de unidades por ano, vai proporcionar à rede Multiópticas uma forte vantagem competitiva. Vamos ter sempre uma boa oferta de produtos, com bom preço e muita qualidade associada. o comércio electrónico Vai ser complementar. Acredito mais no omnicanal. No futuro posso a encomenda em casa, ou no emprego, escolher a armação que pretendo e marco a consulta

de optometria, no dia marcado vou à consulta, confirmo a encomenda e peço para me enviarem os óculos para casa. Acredito que o futuro passa por aqui. No nosso sector como em muitos outros. Nos óculos de sol e nas lentes descartáveis já hoje é uma realidade.

Eye care, We care more

eye care o logo tem o formato de um olho we care more tem inserido, dentro do símbolo, uma entidade humana que representa a humanização da marca.

Quem é Rui Borges? Trabalhei na indústria dos pneus e na indústria do entretenimento, e fui convidado para dirigir este negócio em 2007. Não foi planeado, mas tem sido um desafio muito estimulante. um dia na vida de um empresário líder de mercado Um dia muito preenchido. Quando não estou a viajar chego ao escritório às 09H00, vejo os emails que não vi no smartphone, vejo o correio e a agenda das reuniões, e tento ir visitar as lojas e os nossos franchisados. A relação interpessoal é o centro do negócio. O meu dia acaba tarde, e às vezes o fim-de-semana também é ocupado. características de um empreendedor Um empreendedor tem que ter uma elevada capacidade de resiliência, o ambiente que nos envolve é adverso. Não está no ADN do nosso país incentivar a iniciativa própria. Direi a um jovem que o mundo idílico que às vezes lhe passam não existe. Nós competimos com todo o mundo, sem fronteiras, temos que ser muito bons. Não vergar, ser forte para ultrapassar as dificuldades. Acredito no nosso país. Vamos conseguir! daqui a 10 anos Não sei onde estarei, mas manterei seguramente a ligação afectiva a este sector. Foram muitos momentos de emoção, muitos momentos felizes e alguns difíceis. Estão todos gravados. Tive, e tenho, o prazer de trabalhar com pessoas e com uma equipa actual de elevada qualidade. Marcaram o meu percurso.


opinião

Estive em Portugal no ano de 2009 como estudante de MBA e foi aqui, na cidade de Lisboa que tomei a decisão que voltaria para o meu país, Brasil, decidido a mudar a minha trajetória profissional. Vendi a minha empresa, na área de marketing, para trabalhar exclusivamente em comportamento humano (no qual já era estudioso, mas não exercia como actividade comercial), nas áreas de psicologia positiva, coaching e educação emocional. De lá para cá foram sete anos atendendo clientes, realizando workshops empresariais, três livros publicados e mais de trezentas e cinquenta palestras realizadas. Foi em Portugal que tomei esta decisão. E valeu a pena! Na época, prometi que voltaria para Portugal, não como estudante, nem como turista e sim como profissional. No mês de maio voltei para realizar a minha primeira palestra, na Universidade Católica do Porto. Voltei também para assinar o contrato de publicação dos meus livros em Portugal (previsto para o primeiro trimestre de 2017). Foi uma viagem de dez dias, ao lado da minha esposa, conhecendo a vida portuguesa em mais de quinze cidades. Posso afirmar, foi fantastico! Encontrei um país que parece que já deu a volta na crise. Um país onde ser correto é o óbvio. Um país rico em cultura. Um país com qualidade de vida. Um país que deixa uma imensa vontade de voltar o mais breve possível. Esta viagem é a certeza para mim de que todos nós podemos ir atrás dos nossos sonhos. E nesta jornada, que costuma ser longa, percebe-se algumas etapas necessárias: 1) Acreditar: nenhum sonho se realiza se não acreditarmos profundamente. Acreditar nos sonhos move-nos. 2) Peça ajuda: o mundo é feito de conexões e as pessoas ao seu redor podem ajudar. Se você não pedir, jamais irá ganhar. O mundo precisa saber quais são os seus planos. As pessoas à sua volta precisam saber como poder ajudá-lo. 3) Faça a sua parte: Pensamentos são a base da mudança, mas ela somente acontece quando decidimos agir. O que é possível fazer agora? Faça pouco, mas faça. O movimento garante a caminhada. 4) Comemore: não podemos perder a capacidade de comemorarmos as nossas pequenas vitórias. Não devemos deixar toda a comemoração para o fim da linha, mas sim fazer que as mesmas façam parte de toda jornada. 5) Agradeça: a gratidão é nobre. A cada conquista é importante agradecer às pessoas que colaboraram para que você desse mais um passo.

© DR

O sonho de Portugal

Gabriel Carneiro da Costa Coach, autor – Brasil coach@gabrielcarneirocosta.com.br

Estas etapas foram todas evidenciadas neste meu retorno a este país maravilhoso, chamado Portugal. Despeço-me neste artigo com um simples, até breve. Muito obrigado, Portugal.

jun jul ago 16

27


Especial

Propósito, Sistematização, Paciência e muita Persistência Por Massimo Forte

S

© DR

ala cheia para assistir à Workshop sobre “Como Angariar para ter uma USP imbatível (proposta única de valor). Steve Rider, Norte-Americano, Agente Imobiliário, Broker, Empresário, mas acima de tudo alguém com um propósito bem definido e alinhado, trabalha no mercado da Mediação Imobiliária desde 1977. Steve Rider faturou no último ano mais de 3,7 milhões de dólares, tal como no cerne da sua atividade, sente necessidade e vontade partilha, explicando como chegou até aqui. Fá-lo apoiado pela Keller Williams, empresa onde opera atualmente, procura acima de tudo inspirar outros com a sua história, experiência e método.

28

jun jul ago 16

Depois de encontrar um propósito, através do qual tudo se projeta, é necessário saber que: não há vendas; não há angariações e não há proposta de valor sem contactos, por isso, Steve começa o seu discurso a falar de leads, ou seja, de como prospetar. Mas atenção, não é apenas um jogo de fazer, ou seja, ir para a rua ou utilizar o canal on-line e encontrar possíveis interessados, há que passar pelos seguintes passos: 1. Especializa-te. Qual o tipo de cliente que queres ajudar? No caso de Steve, já há alguns anos que se especializou em promotores e construtores, neste momento, 80% do seu negócio advém desse mercado; 2. Tens que ter uma estratégia. Para onde vais? Que meios vais utilizar? Steve aconselha-o vivamente a ter um bom plano de prospeção, e não ligar tanto à vertente de Marketing. A grande diferença é que a prospeção é grátis (só custa tempo) e depende unicamente e exclusivamente de nós, o Marketing, também leva tempo, mas custa muito dinheiro, e os resultados, não dependem só de nós; 3. Preparar. Cuida da tua imagem. Muita atenção à fisiologia (linguagem corporal que queres transmitir ao outro) e à tua forma de te apresentares. Forma-te, define-te e treina; 4. Implementar. Faz! Muita ação, de forma repetida e especialmente, com muita consistência. Para ter resultados será necessário criar o hábito da paciência e da persistência; 5. Medir. Quando se mede, analisa, e projeta, consegue-se controlar, mas acima de tudo, consegue-se compreender e aprender a ler os verdadeiros resultados das nossas ações para que assim se possa tomar uma decisão consciente; 6. Refinar. Após a análise, há que redefinir como fazer, ajustando ações com o objetivo de melho-


rar a estratégia de forma prática; Geralmente, os resultados na prospeção nunca acontecem após a primeira ação, quando acontecem, é porque possivelmente se deu um acaso, teve sorte, e como se sabe, a sorte é impossível de replicar, simplesmente, acontece, e o problema é que acontece sem aviso, por isso, a melhor estratégia é mesmo acreditar que replicando de forma sistemática e consistente, teremos resultados. Para isso, necessita-se de recorrer ao apoio de sistemas de gestão de informação, como sistemas de CRM e bases de dados para registar e continuar a seguir os prospetos que se vai encontrando em ações de prospeção. É por isso imprescindível uma boa preparação. Aqui estão os pontos-chave para o ajudar a preparar: 1. Conheça o seu mercado, torne-se um especialista; 2. Estratégia de marketing sim, mas acima de tudo, trabalhe o seu Branding, a sua marca pessoal que deve ser bem definida, coerente e consistente; 3. Preparar, ensaiar, desenvolver e ensaiar novamente diálogos para se tornar exímio na comunicação com o seu potencial cliente; 4. Saiba comunicar a vários níveis, mas saiba também que o mais importante é saber como comunicar de forma direta (frente-a-frente). Treine, observe-se, peça que o observem e corrijam; 5. Faça equipa. É difícil fazer tudo sozinho, a alavancagem de qualquer negócio faz-se com outras pessoas; 6. Foque-se no resultado. Acima de tudo somos empresários, e a fórmula financeira básica que define o seu sucesso deverá ser sempre: Proveito-Custo = Resultado. Quando estamos presencialmente com alguém, as hipóteses de obtermos algo sobem em 50%, em relação ao contacto telefónico ou contacto via internet. Na sua exposição, Steve Rider dá imensa importância ao contacto pessoal dizendo mesmo que, as pessoas hoje procuram relações e experiências, logo, a porta para a confiança é sem dúvida o rapport que começamos a criar para chegarmos à empatia, por isso, a internet ou mesmo o telefone, são apenas meios para chegar às pessoas, e não formas de ganhar a sua confiança. Mas num mundo que está cada vez mais individualizado, qual é a técnica hoje para conseguir chegar às pessoas? Pela experiência de Steve, passa por dar informação, por se tornar num conselheiro sobre temas que as pessoas valorizam e precisam e sobre os quais não conseguem obter

uma informação concreta e de confiança. Tenha um propósito, dê sempre primeiro e dê sempre primeiro o que seja relevante para o outro, em relação aquilo que lhe vai oferecer. Pense nisto, prepare-se e ponha em prática, se o fizer de forma paciente e consistente, os resultados aparecem. Sou novo, ninguém me conhece, não sei se vou conseguir. Esta frase foi dirigida aos Rookies ou novatos no mercado e na zona, a mensagem de Steve foi clara. És novo? Não te preocupes, é só fazer, investe todo o teu tempo em fazer. Fazer prospeção não custa, é grátis! E lembra-te, os Séniores têm o cérebro atrapalhado com as suas convicções e vícios. A importância de trabalhar a esfera de influência também foi referida. Steve referiu que trabalha um sistema em que faz 33 contactos por dia, mantendo as pessoas envolvidas e importando-se com elas. Partilho os 10 passos para preparar a sua USP (proposta única de valor) face à angariação, proposta esta que deve sempre ter sempre como base o seu propósito, e todo o trabalho de prospeção feito previamente: 1. Análise e definição clara das necessidades do seu mercado; 2. Estratégia de preço de angariação suportada e bem definida; 3. Sistema de preparação para apresentação de imóveis angariados, estruturado e listado; 4. Plano de Marketing, adaptado e específico para cada imóvel; 5. Especificação das condições de recebimento de honorários; 6. Negociar para vender. A preparação de técnicas de negociação é essencial, estude bem a angariação e argumentação; 7. Vender. Venda com um objetivo sempre na sua mira, o fecho; 8. Tratar de objeções. Esteja preparado, seja implacável e seguro, saber preparar-se para um pré-fecho é crucial para ficar mais perto do seu objetivo; 9. Fecho; 10. Depois do fecho, acarinhe o seu cliente, muna-se de um sistema de acompanhamento/seguimento adequado e funcional. Para concluir efetivamente, queria deixar uma frase que me marcou, e que me deu que pensar: “Todas as pessoas que vendem a sua própria casa sozinhas (FSBO’S ou AVPP) são na realidade iguais às pessoas com contratos de mediação imobiliária em aberto”. Thank you Steve! jun jul ago 16

29


um dia com...

30

jun jul ago 16


Joana Astolfi, Criativa “Na execução de uma montra o importante é saber bem o que não se pode fazer, pois o contrário é quase ilimitado”. Por Maria Appleton / Fotos: Fernando Piçarra

No Studio Astolfi, numa manhã normal de trabalho, somos recebidos pela equipa que acolhe quem entra no estúdio, com o sorriso próprio de quem faz o que gosta. A atmosfera é envolvente e os objetos colecionados, dispostos nas prateleiras, conduzem o espetador ao deslumbramento. Com 39 anos, uma filha chamada Duna de 2 anos de idade, Joana Astolfi, arquiteta, designer e artista plástica desfruta do prazer de trabalhar, encarando os desafios como uma aprendizagem constante. Com um percurso académico e profissional de mérito, por esse mundo fora, alimenta essa riqueza todos os dias, afirmando que a sorte não existe. “Tudo o que se conquista é devido à persistência e trabalho árduos. A sorte dá trabalho!”, afirma Joana.

A equipa da Joana autointitula-se de “Storytellers” considerando-se contadores de estórias de locais, espaços, pessoas e marcas. Joana desenvolveu uma paixão por espaços pequenos com história e com memórias que interagem diretamente com as pessoas. Este interesse cresceu gradualmente nos 6 anos em que estudava arquitetura no Reino Unido, ao aperceber-se da “arquitetura mais íntima”, que descreve com o olhar penetrante, de quem está acostumado a olhar o detalhe. Lojas, restaurantes e casas, ao invés de grandes superfícies, hotéis ou centros comerciais, são os carburantes das ideias e imaginários que desenvolve.

Background artístico e rampa de lançamento “A arte foi sempre o meu ponto de partida. Quando era pequena passava a vida a desenhar. Estive muito indecisa entre artes plásticas e arquitetura e foi então que o meu pai, me aconselhou a optar por arquitetura “porque a arte vai acompanhar-te sempre durante toda a tua vida. Garante uma profissão e o resto virá a seu tempo.”- revela remexendo em memórias. Foi o que aconteceu. Com uma carreira de fusão entre áreas entusiasmantes, cada uma das quais, a seu tempo, lhe definiu um percurso que se revelou numa vocação. Começou a trabalhar em Itália, na Fábrica (Centro Criativo de Pesquisa da Benetton), de que

Entre os clientes contam-se várias marcas e tipos de trabalho, entre os quais a conceção das cenográficas e impactantes montras da loja Hermès, no Chiado, no coração de Lisboa - “desde que fiz a primeira montra da Hermès, tenho sido muito abordada para fazer novos trabalhos em lojas. Acho que não sou Vitrinista, vejo-o como cenografia. É um trabalho teatral que nos transporta para um universo de fantasia. É o tipo de trabalho que nos faz viajar. Parar, contemplar e viajar”. jun jul ago 16

31


um dia com...

Componentes de um boa montra: • Saber o que não se pode fazer • Contar uma estória • Transmitir uma imagem impactante para o cliente • Assegurar qualidade nos detalhes • Gerir o cromatismo, as formas, o volume e o espaço

fala entusiasmada, onde os colaboradores são escolhidos a dedo. Dedicava-se à produção de ideias e novas maneiras de pensar. Era um full time job de ginástica mental constante. “Mudei muito a minha visão sobre as coisas e maneira de pensar os objetos e os espaços” - partilha. Lisboa foi o destino que escolheu há alguns anos atrás para assentar, depois de 12 anos em países vários. Reconhece em Lisboa a atmosfera artística de que todos falam, mas também que Lisboa tem mão para agarrar novos conceitos e para se “deixar explorar”, o que é para si o mais importante. Cidadã do mundo e com muitas histórias para contar, se escolhesse agora uma cidade para expandir o seu trabalho escolheria Nova Iorque. Para viver instalar-se-ia no sul de Itália, país de que é fã assumida e apaixonada. Reuniões com clientes Joana reúne com clientes quase todos os dias, muitas vezes na empresa dos próprios, mas principalmente nos espaços que estes querem transformar

32

com a sua ajuda. Ir ao espaço é um grande passo para a decisão de aceitar ou não um projeto. 40ª loja da Padaria Portuguesa – Loja de Autor Este ano recebeu o pedido da Padaria Portuguesa para criação da 40ª loja em Lisboa. “Deram-me carta livre para criar uma atmosfera à minha escolha” afirma Joana “a primeira pergunta que lhes fiz foi: vocês tem a certeza que eu sou a pessoa indicada para trabalhar este projeto?… É que eu não tenho nada a ver com o que vocês fizeram até hoje, ou seja, com o conceito de repetição e de estandardização das lojas. Isso é completamente fora daquilo que eu estou habituada a fazer. Ao que eles me responderam: És tu quem queremos e tens carta livre para criares o conceito que quiseres dentro do mundo do pão.” Começou então a pensar o conceito “o que é isto do pão?… para onde me leva o pão? leva-me para o conforto, para o calor, para o aconchego. E todo o meu imaginário foi para a terra cota e aquele tipo de luz quente; depois para o mármore que oferece bons contrastes cromáticos; a cal nas paredes… tudo isso…. o verde; o pátio lá fora, que eventualmente ficará género selva. Tudo isto, nos leva até ao sul de Itália, pelo qual sou apaixonada desde há muito tempo”. A parte conceptual é muito importante e toma tanto tempo e energia como a execução do projeto. Na nova loja da Padaria Portuguesa, inaugurada no passado dia 12 de Maio, o conceito girou à volta do ambiente de uma típica padaria do sul de Itália, em que o pão sai quen-

jun jul ago 16


te dos fornos e em que tudo transpira bem-estar. A partir de um espaço que pertencia a um banco, “despido de detalhe ou história”, os criativos do Studio Astolfi remodelaram o espaço, exigindo criar algo único e particular, que conduzisse os clientes a uma outra dimensão e experiência comercial. Joana assume que a particularidade que mais deslumbra o cliente ao entrar na verdadeira “casa do pão” da Padaria Portuguesa é uma combinação de texturas de materiais. O pão ali também é um material. Na criação da casinha do pão fomos ao ponto de escolher as madeiras que vão ser utilizadas e de as pôr à chuva e ao sol durante um mês, para só depois as utilizar. O que eu gostava era de colocar fotografias emolduradas que mostrassem como era o espaço antes de nós termos lá posto os pés!” risos. “A beleza, é que o cliente pensa que a loja já assim estava; que o chão era em terra cota e as paredes em cal, mas essas são apenas adições que fizemos. São muitos pormenores. Um novo conceito passa por muita coisa” afirma. Horários definidos. Rotinas a cumprir? Joana chega ao Studio logo pela manhã, sabendo que o dia será longo e diversificado: discutir soluções com a equipa; pôr mãos ao trabalho na sua oficina, literalmente; reunir com clientes; fazer entrevistas; ir buscar novos materiais e objetos a fornecedores. A sua vida profissional não tem rotina, e os seus dias são marcados pela frase: “Tempo é dinhei…” corrigindo, “Não gosto da expressão o tempo é dinheiro, por isso digo: o tempo é sagrado!”

Desafios na execução Na execução dos projetos Joana conta com muitos “pequenos génios” em várias técnicas. “Muitas vezes, no caso das montras Hermès, recorremos a profissionais em moldagem de arame, craques do crochê, marceneiros, carpinteiros, peritos em metais e ferro. Cada um contribui com as suas “skills” para algo maior. No caso da

Padaria Portuguesa, foram Padeiros que fabricaram os bonitos pães para as instalações de pão colocadas dentro da loja” – afirma. No fim de um dia… A azáfama de um dia da Joana Astolfi é muita, mas suas ambições estão sempre em progresso, afirmando “Nada é definitivo, tudo é uma evolução”.

Conceção e Execução de uma Montra Hermès: • Análise do conceito enviado pela Hermès • Brainstorming entre a equipa Astolfi • Discussão sobre o que faz sentido fazer (os clientes vão perceber a ideia?) • Conceção e planeamento (vários meses) • Coerência entre as várias montras da loja • Atribuição de tarefas às várias especialidades técnicas e artesãos • Produção pelos artesãos • Montagem (aprox. um mês) jun jul ago 16

33


© DR

Evento

Um caso

QSP Summit’16 The New Global Age Por Redação DO it!

I

34

novação, Conexão, Experiência, Rede, Tecnologia, foram algumas das palavras-chave do QSP Summit’16 que mais uma vez reuniu no Porto líderes, investigadores e profissionais das mais variadas áreas, apostados em explorar e debater estratégias, mindsets e comportamentos que favorecem o sucesso na nova era em que vivemos. O sentido de conceitos até aqui relativamente claros como os de Cliente, Concorrência, Empresa ou Propriedade têm que ser hoje questionados e reinventados defendeu Kenichi Ohmae, Presidente & CEO da Business Breakthrougt, Inc., exemplificando-o com vários casos de novas formas de fazer e de estar nos negócios. Já o autor do livro “The New Emerging Market Multinationals”, A. Chattopadyhay defende que a chave do sucesso para se entrar nos mercados emergentes reside na capacidade de aprender com os consumidores no terreno, através da experiência. Para competir com as companhias das economias emergentes que irão liderar o mercado, é necessário aprender a lidar com aquilo que as caracteriza: mindset vencedor; pouco produto e pouca inovação nos processos; execução rápida; foco muito preciso para utilizar recursos limitados; começar com um target de consumidores; estratégia focada e integrada. Os consumidores, por seu lado, estão a deixar de consumir conteúdos de outros para criarem, eles próprios, os conteúdos. Também por isso, o marketing deve ser capaz de monitorizar o comportamento do mercado com recurso a uma recolha jun jul ago 16

cada vez mais sistemática, de dados contextualizados e dinâmicos. É preciso reenquadrar as realidades culturais, trabalhar com as pessoas certas, explorar ecossistemas, lidar com o empowerment do consumidor, a dupla inseparável do digital com o físico e a prospeção constante. Jeanniey Mullen explorou o conceito de marketing de convergência a partir da interseção do marketing da empresa com os comentários online dos consumidores, apresentando 4 caminhos para a alcançar: proporcionando experiências excitantes; criando ideias que “viciam”; ajudando a resolver problemas de forma simples; investindo em conteúdos dinamizáveis na realidade digital. E, como é lógico, a experiência cria relacionamento que gera envolvimento. E foi este o tema explorado por Scott More, que nos deixou 3 eixos para a criação de relacionamento com o consumidor: Valores, Comunicação, Ação. Uma sugestão às empresas: considerem o marketing digital apenas como mais uma estratégia e não “a” estratégia. Explorem a forma como as métricas do envolvimento se podem encaixar nos KPI’s centrais do negócio. A encerrar, o Business Trends Forum moderado por António Lobo Xavier, e em que intervieram Paulo Azevedo, António Amorim, Filipe de Botton e Fernando da Cunha Guedes, despertou a maior curiosidade e interesse na plateia pela animação do debate, cheio de humor, onde os intervenientes, líderes de empresas de setores de atividade tão distintos, revelaram de forma descomplexada as suas ações, dúvidas e perceção sobre as tendências de evolução do mercado. A importância do investimento no desenvolvimento dos recursos humanos das empresas, como forma crítica para a afirmação e diferenciação dos negócios, nomeadamente no que se prende com a negociação e as vendas, foi um dos aspetos que mais ressaltou, tendo sido um foco privilegiado de Paulo Azevedo, CEO da Sonae.


OV – Associação de Profissionais de Vendas dinamiza encontro profissional

A

OV reuniu no auditório do ISCAC em Coimbra várias dezenas de profissionais das vendas para partilha de vários temas relevantes para a sua competitividade comercial, num encontro subordinado ao tema: Operação Voar + Alto. Após uma “aterragem” em palco verdadeiramente inesperada do conjunto dos intervenientes vestidos de paraquedistas e perante a animada moderação de João Alberto Catalão, a plateia teve a oportunidade de conhecer várias dicas e estórias inspiradoras para o sucesso comercial. Nuno Gomes da Remax Prestige, já premiado como melhor vendedor da Europa desta insígnia do ramo da mediação imobiliária, partilhou as várias dimensões às quais atribui o seu sucesso e da sua equipa; Samuel Soares, responsável da Samsys, reputada empresa de tecnologias, explicou que o sucesso se constrói numa caminhada de estreita partilha com os clientes, dando como exemplo “O dia do Cliente” organizado anualmente pela Samsys. Por fim, Tim Vieira, reconhecido empresário interveniente no programa de TV Shark Tank, relatou o seu percurso profissional, realçando a importância de se acreditar em si próprio, sobretudo nos momentos em que os negócios correm mal e é preciso ter a energia para recomeçar de novo.

Paulo Silva, mentor e Presidente da OV quis ainda aproveitar o encontro para assinalar de forma solene a assinatura de Protocolos de Colaboração que irão reforçar ainda mais sua atuação, nomeadamente com a revista DOit!, a Coimbra Business School e o INV – Instituto de Negociação e Vendas, entre outros. E porque o convívio é determinante em qualquer iniciativa associativa, o encontro da OV foi encerrado com um magnífico churrasco ao ar livre.

jun jul ago 16

35


opinião

Quem disse que competir é ruim?

Reavaliando alguns conceitos, eu penso que embora o crescimento do mercado não acompanhasse o número de profissionais disponíveis, ele continua sendo um elo diretamente proporcional. Basta observarmos a estagnação que existia no mercado da educação há alguns anos, quando tínhamos poucas opções de escolha de trabalho. Quem quisesse trabalhar numa grande empresa, estudar numa grande universidade, precisava arrumar as malas e despedir-se da família em prol de um sonho, de busca do mercado grande e profissional, que girava apenas em torno das grandes capitais brasileiras. Em pouco tempo as coisas mudaram, e muito. Embora alguns novos profissionais tenham adquirido a doença da estagnação, foi justamente este o “mal”, que atingiu principalmente aqueles que já estavam no mercado, abrindo um “vácuo”, possibilitando que bons profissionais tomassem, justamente, o lugar daqueles que deixavam a desejar em matéria de profissionalismo. Ainda hoje o fenômeno acontece, embora em proporções menores, em razão do “toque de acordar”, conseqüência felizmente já percebida em todas as áreas. É claro que ninguém gosta de perder, mas quando a parada é dura, a vitória tem muito mais sabor. E é isso o que vem acontecendo. O mercado está aí. Acesso ao diploma, muito em breve, todos terão, o que vai contribuir para a melhora da educação no País. Mas o que cada profissional vai fazer da sua vida, só vai depender da vontade individual. Quanto maior a concorrência, maior o esforço de cada um de nós em sermos bons e respondermos que há espaço sim para cada um de nós mostrarmos potencialidades. A oferta é grande, mas a procura pela competência é maior. Há lugar para todos, desde que sejam bons. Só esses sobreviverão. E a resposta? Você não vai encontrá-la na faculdade, nem na escola, nem com seus colegas. Procure no mercado, só ele a terá. E não esqueça do velho ditado: ”quem procura, acha”.

36

jun jul ago 16

© DR

No mercado corporativo a disputa está se acirrando na velocidade da luz. Ela aumenta a cada semana, a cada minuto. Com tanta pressão que envolve o sistema, diariamente me deparo com pessoas que me perguntam: valerá a pena? Haverá absorção desse mercado para todos?

Alessandra Assad é diretora de redação da revista VendaMais. Formada em Jornalismo, pós-graduada em Comunicação Audiovisual e MBA em Direção Estratégica, é palestrante, professora universitária, colunista de marketing e propaganda, e autora do livro Atreva-se a Mudar! – Como praticar a melhor gestão de pessoas e processos. E-mail: alessandra@alessandraassad. com.br Site: www.alessandraassad.com.br


I’m DOit!


move on

Leituras DO it! Atração, Seleção e Integração de Talentos No contexto organizacional globalizado, competitivo e sujeito a mudanças rápidas e imprevisíveis da atualidade, as pessoas representam um valor estratégico na diferenciação, valorização e, até, sobrevivência das empresas. Para poderem corresponder a este desafio, as pessoas têm que acrescentar valor demonstrando potencial de aprendizagem e capacidade de engagement. Este livro, através de numerosos exemplos práticos, propõe-se refletir sobre toda a envolvente da Atração, Seleção e Integração de Talentos, ajudando na identificação das exigências que as empresas dinâmicas necessitam. (LIDEL)

38

A tua marca pessoal Saber posicionar-se na mente de outros profissionais ou empresas a fim de ser preferido entre outros. Ser referência, ser recomendado, ser escolhido, ser tido em conta, ser indicado, é o resultado da estratégia que passa por desenvolver a marca pessoal identificando e comunicando atributos (A Esfera dos Livros).

Fale menos comunique mais Uma boa comunicação evita conflitos, discussões e problemas na vida pessoal, familiar e profissional. Dez estratégias, exercícios, conselhos para fazer apresentações inspiradoras e dicas para uma comunicação eficaz, este manual é essencial para se tornar um grande comunicador (MANUSCRITO).

O Paradoxo do Poder O autor define - em vinte originais “princípios do poder” - como conservar o poder, porque é o poder algo de positivo e quais as consequências terríveis de nos mantermos indiferentes ou cegos às dificuldades de que não tem poder e às causas dessa condição (Temas e Debates).

Comércio(s)! A que propósito? Poderão textos escritos há 90 anos, manter toda a atualidade e serem tão incisivos como no momento em que foram publicados? João Barreta recupera artigos para realizar um autêntico diálogo que cruza décadas e também para pintar um fresco do Comércio em Portugal e da sua evolução (Observatório do Comércio).

Adn da distribuição Comentado por diversos especialistas. O ADN da Distribuição apresenta uma interessante perspetiva sobre um conjunto de temas críticos relacionados com a atividade dos distribuidores que contribuem decisivamente para o sucesso ou o insucesso da atividade que eles desenvolvem. (Principia)

Cálculo e processamento salarial Nova Edição. Dar a conhecer os requisitos e critérios de fundamentação das principais práticas na área da compensação e os benefícios em vigor. Critérios da extinção de posto de trabalho, nas regras e critérios das pensões em resultado da entrada em vigor do OE 2016. (LIDEL)

jun jul ago 16


Em reset Natália Santos, é a nova Marketing Manager na Konica Minolta Antes: Minitel, Ensitel, Cortec, ESRI Portugal, Microsoft e WSI Portugal n

Cláudia Rodrigues - Gestora de Comunicação na Samsung Anteriormente colaborava com a LG Electronics Portugal n

Inês Condeço – Directora de Marketing e Comunicação da FNAC Ex PT e SAPO n

Laura Alves - Brand Marketing da IBIS Colaborou anteriormente com a Samsung, Amorim, CEPSA, EDP, Vodafone e Phone House n

On-line TripAdvisor n www.tripadvisor.com: Site com aplicação para telemóveis, que permite em qualquer cidade, com base nas avaliações dos clientes que usam a aplicação, saber qual o melhor hotel, o melhor restaurante, a melhor pousada, o melhor café, etc. Permite pesquisas pormenorizadas como por exemplo escolher um restaurante dentro de uma gama de preços, ou que contenha um tipo específico de comida; hotéis que contenham piscina, etc. Não é um site de reservas, é um site de feedback, o mais usado no mundo. Útil também para os empresários de hotelaria, conhecerem as opiniões dos clientes. Gratuito. Uma aplicação n Doodle: Um site que permite agendar reuniões, consultas, etc. Quem procura receber um cliente, só tem que escolher os dias e horas disponiveis. Aos clientes cabe apenas marcar dentro das opções definidas, qual o horário preferido. Tudo isto com alertas e integração para os calendários pessoais como o da Google.

GRA – The Global Retail Academy® nasce em Portugal determinada a reinventar a qualificação no retalho No dia 23 de Junho de 2016, às 17:30h, o INV – Instituto de Negociação e Vendas e a FBB - Fundação Bissaya Barreto lançam, em Coimbra, nas instalações da FBB em Bencanta, a inovadora GRA – The Global Retail Academy. Uma entidade com características únicas, criada com o objetivo de CONCEBER e DINAMIZAR RESPOSTAS INOVADORAS DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL visando a EXCELÊNCIA DA PERFORMANCE COMERCIAL & DO SERVIÇO AO CLIENTE, dos profissionais, equipas e insígnias do retalho. Apetrechar os profissionais dos vários formatos, canais e ramos de negócio do retalho com o Mindset, as Competências Profissionais, as Ferramentas e Estratégias que lhes permitirão ENFRENTAR COM SUCESSO A EVOLUÇÃO CONTÍNUA DO MERCADO À ESCALA GLOBAL, É A RAZÃO DE SER da GRA – The Global Retail Academy! Com um mindset e uma abrangência international a GRA – The Global Retail Academy intervirá aos seguintes níveis: Retail Skills Improvement, Customer Behaviour, In-Store Interactions, Touch Points Activation, Marketing at Retail, Visual Merchandising, Retail Management, Retail Technologies, Retail Concept Strategies, Retail Lab, Retail Talks, Retail Editions, Retail Awards, Retail Accreditation & Certification. jun jul ago 16

39


move on

Tendências 1. Vem aí a época da tequila. Depois da febre da vodka, da moda do gin, será que vem aí a época da tequila? O mercado da tequila está em franco crescimento, com cada vez mais marcas e espaços a apostarem nesta bebida típica da América Central. Também entre os consumidores portugueses o consumo é crescente. 2. Cidadão Jornalista. Mais de um terço dos inquiridos defende que a denúncia online de uma empresa corrupta tem um maior impacto do que uma denúncia feita na polícia. 3. Mais online nos pedidos de crédito Aumenta o número de empresas que promovem os seus serviços através do canal digital e para dialogar com os clientes potenciais, esclarecer dúvidas e apresentar soluções de financiamento das suas aquisições. Um dos efeitos da crise económica foi a retração do consumo, com a consequente diminuição do volume de crédito ao consumo. Também a banca tradicional ajustou o seu modelo de negócio, tendo reduzido a sua disponibilidade para o crédito ao consumo, tendo sido criada uma janela de oportunidade para os bancos especializados no crédito ao consumo. Daí que o reconhecimento pelo consumidor final vai permitir transferir para o Cliente a opção de financiamento da sua aquisição, em vez de estar condicionado à proposta do vendedor do equipamento. E isto numa altura em que mais de 40% dos pedidos de propostas de crédito são apresentadas online, num valor três vezes superior ao dos pedidos apresentados por telefone. 4. Geração streaming. Os jovens estão cada vez mais fãs de conteúdos em vídeo provenientes do YouTube. 46% dos jovens com idades compreendidas entre os 16 e os 19 anos investem, em média duas horas por dia no YouTube.

40

Barómetro Em alta Smart Connectivity em Grandes Domésticos O conceito de SmartHome é claramente uma tendência, mesmo nos grandes domésticos essa tendência já é uma realidade, atualmente 2.5% do total dos equipamentos vendidos tem esta funcionalidade (vs 0.5% no ano passado). O principal destaque vai para as máquina de lavar roupa, onde esta funcionalidade já está presente em 7.5% dos equipamentos vendidos (vs 0.9% no ano passado). Fritadeiras sem óleo O segmento das fritadeiras com pouco ou sem óleo representa quase ¼ do total de fritadeiras vendidas e mais de metade em valor. As Fritadeiras sem óleo, representam já 5% do total de produto no ano de 2016 e para tal contribuirá, em muito, a atual tendência dos consumidores em seguir uma alimentação cada vez mais saudável. Drones: Eles andam ai! Apesar de ainda ser um nicho de mercado, é cada vez mais um produto com expressão, impulsionado pela variedade de produtos e consequentemente utilizações possíveis. A camara incorporada, característica cada vez mais comum, e a própria qualidade da camara, que tem vindo a aumentar, faz com que estes gadgets/brinquedos sejam apreciados por crianças mas cada vez mais também pelos adultos.

Em baixa Pens e Hotspots de acesso à internet Estes equipamentos de acesso à internet continuam a perder importância. Este facto pretende-se com um aumento de número de locais com acesso gratuito à internet sem fios (Wifi), bem como o aumento da oferta por parte dos operadores dos pacotes de dados.

Fonte GFK

jun jul ago 16


Gadgets & Tech

A HP apresenta o Portátil Mais Fino do Mundo A HP continua a inovar, agora com o novo HP Spectre, combinando engenharia de topo com performance e beleza excecionais. A HP elevou a fasquia na New York Times International Luxury Conference, apresentando um novo conceito de PC para o segmento premium, com o lançamento do novo HP Spectre, o portátil mais fino do mundo. É um equipamento com chassis de alumínio e uma espessura de 10,4 milímetros, tão fina como uma pilha AAA. Inclui processadores Intel® CoreTM i5 e i7 potentes, que proporcionam uma performance superior face aos processadores normalmente utilizados neste tipo de equipamentos. Proporciona uma experiência de entretenimento fantástica com um ecrã Full HD de13.3 polegadas na diaginal (33.8cm) e com sistema de som Bang & Olufsen.

Experiencie a beleza das cores naturais Samsung Smart TV UHD 4K HDR 55KU6400 A mais recente tecnologia 4K. Agora que as operadoras nacionais disponibilizam o serviço 4K à televisão, permitindo desfrutar da Ultra Definição. A função Cor Ativa modifica o LED com uma fonte de luz adicional para o LED azul. Esta funcionalidade garante uma luz mais pura, o que assegura uma maior gama de cores, aumentando também a naturalidade. Além disso, reduz o consumo de energia. Ecrã luminoso Com a HDR Pro, podemos desfrutar de detalhes nunca antes vistos, escondidos nas partes mais brilhantes do ecrã. A verdadeira experiência HDR, idêntica à do cinema, está finalmente disponível. A função Ultra Clean View analisa o conteúdo com um algoritmo avançado para filtrar e reduzir o ruído. Mesmo se a fonte de vídeo for inferior a Full HD, podemos desfrutar de imagens que rivalizam com o padrão UHD.

Mais autonomia Apple MacBook 12’’ M5 2016. O mais recente Macbook agora num tamanho de 12 polegadas. Mais autonomia, melhor processador, e a qualidade única que os Macbook oferecem.

Reinventa-se a fotografia no smartphone A Huawei e a Leica juntaram-se para criar uma impressionante câmara dupla para Smartphone. Mais luminosidade e melhor claridade, para fotos e vídeos incríveis! Duas objetivas inovadoras, uma combinação histórica. Cada imagem captura uma cor brilhante, um preto e branco surpreendente e ostenta o traço emocional e intemporal das imagens Leica. A arquitetura da câmara dupla contém dois discretos sensores de imagem, um RGB e um monocromático. Vai conseguir fotos incríveis através do algoritmo incorporado, que combina inteligentemente as cores do sensor RBG com o detalhe do sensor monocromático. Premium. Elegante. Distinto. O Huawei P9 é criado pelos melhores designers industriais do mundo para obter um design visualmente impressionante, com arestas cortadas a diamante, resultando em linhas exteriores mais suaves. O Huawei P9 é esculpido num monobloco de alumínio, de classe aeroespacial, e inclui um vidro 2.5D de qualidade superior.

jun jul ago 16

41


ferramentas DO it!

Imagem Profissional & Sucesso Negocial Uma imagem vale mais do que mil palavras! Cuide da sua imagem profissional a 360°. Por Francisco Toscano

As ciências do comportamento dizem-nos que 55% da linguagem percebida pelos outros é visual, pelo que a imagem é (quase) tudo, mas não só! Cuidar de todos os detalhes, a 360°, para que os intervenientes em qualquer cenário negocial se sintam confortáveis com o que vêm, sentem e ouvem desde o primeiro momento, e concentrem a sua atenção apenas no negócio, é a chave da questão. Algumas ferramentas para o conseguir:

# Acolhimento exemplar

O 1º contacto, seja telefónico ou presencial, tem que ser exemplar! Não deixe o telefone tocar mais do que três vezes. Basta um sorriso de receção para o seu interlocutor perceber que foi visto e se sentir acolhido. Cumprimente, olhando o seu interlocutor nos olhos, com um sorriso sincero, e utilizando o modo de cumprimento adequado ao tipo de relacionamento que tem com ele. O aperto de mãos deve ser convicto e firme, sem excesso. Se transpira, seque a mão ao forro do bolso antes do cumprimento. Uma mão mole e transpirada transmite uma má imagem, mas um aperto de mão muito forte pode ser agressivo. Se é homem não tome a iniciativa de cumprimentar com um beijo uma interlocutora desconhecida. Deixe essa decisão para ela. Ao cumprimentar pronuncie o seu nome com clareza. Repetir o nome do seu interlocutor pode ser uma forma de o memorizar mais facilmente.

42

jun jul ago 16

# Cartões de visita à mão

Tenha sempre de cartões-de-visita consigo, e dê-os sempre. O cartão-de-visita é um instrumento de comunicação de duração ilimitada, e geralmente as pessoas guardam-nos. Receba o cartão-de-visita do seu interlocutor com cortesia, leia-o e coloque-o à sua frente. No final do encontro, guarde-o no bolso.

# Pontualidade

Fazer esperar o seu interlocutor é, cada vez mais, sinal de falta de profissionalismo. Um atraso de 5 minutos é um atraso! Se não o conseguir evitar, ligue antes da hora marcada a precaver algum ligeiro atraso. Se receber o interlocutor na sua empresa, assegure-se de que está disponível para ele à hora combinada. Dar “chás de cadeira” aos fornecedores já passou de moda e não abona a favor da negociação.


# Espaço impecável

O espaço da empresa tem que estar limpo e arranjado. Qualquer potencial cliente fica mal impressionado se entrar numa sala de negociação descuidada, vir pó nas prateleiras da loja ou entrar num armazém confuso e desarrumado. A limpeza das casas de banho é um ponto crítico. O cliente interrogar-se-á se aquele será o parceiro certo para promover os seus produtos e serviços, ou se estes não ficarão também contaminados com o “pó do desleixo”…

# Resposta pronta a pedidos de informação

Seja o mais célere possível a responder a um pedido de informação, enviar um catálogo, uma brochura ou uma proposta de fornecimento. O mercado está cheio de alternativas no mercado, e a diferenciação faz-se claramente pelo serviço, pela atitude! Três dias pode ser tarde demais!

# A imagem não tem férias # Viaturas comerciais limpas e cuidadas

“Mostra-me o teu carro, dir-te-ei quem és”. Algumas viaturas de comerciais andam, não poucas vezes, menos bem apresentadas. Acontece que a viatura da empresa é um cartão-de-visita móvel… pode até ser antiga, mas deve apresentar-se limpa de sujidade e das mazelas do tempo. O material promocional que acompanha o vendedor deve estar arrumado em recipientes próprios, transmitindo não só organização e eficiência, como evitando degradar-se e dispersar-se com o andamento da viatura.

À beira mar, o João passeia com a mulher, desfrutando dos primeiros dias de descanso. Cruzam-se com outro casal. Os homens cumprimentam-se cordialmente. A mulher do João pergunta-lhe: “Quem é?” O João responde: “É o meu fornecedor da Porcas e Parafusos, que me vende anilhas.” Qualquer profissional que representa uma empresa tem a sua identidade associada a essa empresa, por vezes mais até do que o seu próprio nome. Há pessoas cujo nome próprio é recordado, mas o apelido é substituído pela marca da empresa que representa. Os representantes da empresa têm a responsabilidade acrescida de, com a sua presença e atitude, manterem intacta a imagem da empresa que representam. Até na praia!

# Condução e estacionamento respeitosos

O comportamento no trânsito e no estacionamento, ainda que para carga ou descarga de mercadorias, pode reforçar ou prejudicar a imagem do comercial e da sua empresa. Os restantes condutores também têm trabalho e compromissos, e os peões merecem que os locais que lhes são destinados (passadeiras, passeios) sejam respeitados. Qualquer desrespeito à urbanidade com que se conduz um carro de empresa arrasta para a empresa uma imagem fortemente negativa, cujos danos são difíceis de reparar. E não adianta colocar um letreiro na parte posterior do carro a pedir a colaboração dos clientes para denunciarem as incorrecções verificadas na condução de uma viatura da empresa, se essa colaboração não for atendida, ou for limitada a chamadas de valor acrescentado. Não se espera que alguém tenha que perder a paciência em esperas intermináveis, ou que tenha pagar para colaborar connosco. A reclamação de um cliente já é um valor acrescentado em si, porque dá à empresa uma oportunidade para melhorar a sua atitude. jun jul ago 16

43


ferramentas DO it!

# Higiene pessoal irrepreensível

Ninguém está confortável a negociar com um comercial que apresente menores cuidados de higiene pessoal (atenção ao odor, às mãos e às unhas!), ou cujo vestuário apresente efeitos do almoço. A barba deve apresentar-se cuidada, bem como o cabelo. O vestuário deve ser discreto e nunca fazer prender a atenção do interlocutor. A meteorologia é uniforme para todos, pelo que é de bom tom seguir o exemplo dos interlocutores. Se eles têm o casaco vestido, nós também usamos casaco. Se nos propuserem colocarmos os casacos nas costas da cadeira, aí aderimos alegremente.

# Telemóvel off

Tenha o cuidado de retirar o som ao telemóvel antes de iniciar qualquer contacto. O “desculpe, esqueci-me de desligar” quando surge uma chamada inoportuna pode revelar falta de atenção ao detalhe ou de foco no interlocutor. É melhor retirar o telemóvel do seu ângulo de visão, para evitar olhar para ele, ainda que distraidamente, evidenciando falta de atenção no seu interlocutor.

# Comunicar: um ato emocional

Temos dois olhos, dois ouvidos e uma boca. Devemos utilizá-los na proporção. Ou seja, deixe o seu interlocutor falar, coloque perguntas poderosas e abertas, e evite interrompê-lo. Quando for a sua vez, fale com clareza e boas maneiras. Evite o calão, mesmo que o seu interlocutor o utilize. Se quiser falar de algo sem deixar que o seu interlocutor se sinta ignorante, pode dizer: “Como sabe…”. Se quiser surpreender prepare novidades para apresentar, que lhe permitam começar por “Sabia que...?”. Falar dos benefícios dose sues produtos/serviços, através de casos práticos de sucesso, reforçará também a sua credibilidade. Evite a meta comunicação (ex.“Vou-lhe ser completamente sincero…”), o que pode evidenciar exatamente o contrário daquilo que pretende transmitir). Evite falar de si. Mantenha a conversa num tom respeitoso sem se exaltar ou descer de nível, mesmo que a outra parte o faça. Conheça-se e tenha em atenção a gestão das suas emoções.

# Almoços de negócios

Se estiver à mesa, não abuse do tema “negócios”. Se foi convidado para uma refeição de negócios, o seu interlocutor quer socializar consigo, mas não estão em família! Aprecie o espaço e a refeição, e doseie os temas gerais com os negócios. Evite temas polémicos! Tenha atenção à etiqueta à mesa, não escolha pratos “difíceis” (um pernil ou uma sapateira podem ser tão complicados quanto saborosos…) e nunca, mas nunca, atenda o telefone! Beba com moderação. Evite fumar. Orlando Cardoso; AXA - Gestor de Negócio / Rede Private; orlando.p.cardoso@axa.pt

44

jun jul ago 16

# Gravata: ou põe como deve ser, ou tira!

Usar gravata no verão pode ser um sacrifício. É preferível deixar a gravata no carro e apresentar-se de casaco e camisa aberta (cada vez mais em voga…) do que trazer o botão do colarinho aberto com o nó da gravata alargado, a tentar disfarçar o truque. Isso sim, causará má impressão…


# Atenção às diferenças culturais

A globalização da economia e o incremento das exportações têm proporcionado crescentes contactos com outros povos e culturas. Há hábitos culturais aparentemente inofensivos que podem prejudicar seriamente uma negociação. O aperto de mãos, o beijo e o abraço, gestos tão frequentes de saudação entre alguns povos, são constrangedores e inibidores com outros povos. O simples gesto de cruzar as pernas pode ser entendido como altamente ofensivo, o consumo de álcool, de carne de vaca ou de porco, são absolutamente proibidos em certas latitudes. Antes de iniciar contactos com outros países, para os quais geralmente se indica “um tipo desenrascado, que arranha umas coisas de inglês” consulte um especialista em Cross Cultural Business Relations, que o ajudará a caracterizar os costumes do mercado que pretende contactar, evitando erros básicos e conferindo mais credibilidade e potencial de sucesso à sua abordagem e negociação.

Decifre os principais Dress Codes Por Maria Appleton

Já recebeu um convite indicando um Dress Code que o deixou confuso, ou seja, uma maneira de vestir indecifrável? Para acabar com as dúvidas, a DOit! esclarece… Casual: O nome diz tudo: look de “fim-de-semana” em que pode usar as suas novas jeans com uma camisa/blusa descontraída. Roupas que caiam bem, mas que não induzam formalidade. Casual chic: Permite aliar o conforto à elegância. Para o conseguir basta juntar peças clássicas a peças mais básicas e casuais. Business casual: É o típico “office-wear”. Camisa, calças/saia e casaco de tweed são ótimas soluções para as senhoras. No caso dos homens podem vestir as calças de um fato combinadas com o blazer de outro. Business formal: Este é o momento perfeito para ser comedido.

# Performance exige formação contínua

Antes de qualquer contacto negocial temos que saber o que vendemos, como vendemos, quais são os nossos pontos fortes, as nossas ameaças e como nos posicionamos face aos nossos concorrentes. Importa estar-se suficientemente à vontade com os produtos e/ou serviços para se poder estar igualmente à vontade com o interlocutor, exprimindo-se com facilidade e, sobretudo, com convicção. Quem se acanha perante o nosso interlocutor, não fala convictamente sobre os produtos e/ ou serviços ou hesita na evidenciação das vantagens e benefícios, tem o negócio comprometido.

Não deve incorporar o brilho ou o toque festivo, mas sim a elegância em forma de “mulher/ homem de negócios”. Fato completo para os homens. Cocktail: A ocasião pede um toque de originalidade, não excessiva. Chegou a hora das senhoras capricharem nos acessórios e apostarem em vestidos curtos. Para eles, fato completo com gravata, ou laço para eventos mais sérios. Os mais descontraídos podem apostar numa camisa elegante acompanhada de um bom jersey. Fato escuro/black tie: As mulheres podem usar vestidos mais elaborados do que no dress code anterior, se o evento for de manhã ou à tarde. Para os homens fato escuro liso com camisa lisa, gravata lisa ou laço e botões de punho. Depois das 20h o “show-up” é: smoking para eles e vestido comprido para elas. Gala/white tie: As mulheres devem usar sempre vestido comprido e exuberante. Os homens aba de grilo, camisa branca, laço e lenço branco no bolso do casaco. O casaco nunca deve ser tirado. jun jul ago 16

45


evento

Grande Conferência

“A Sorte Não Acontece Por Acaso”

© DR

Por Nuno Fontes

46

jun jul ago 16

© DR

C

om uma organização original e de excelência, num espaço de excelência e conduzida por um profissional e autor de excelência, realizou-se no passado dia 16 de Junho, a Grande Conferência assente no livro recentemente lançado por Nuno Fontes “A Sorte Não Acontece Por Acaso”, editado pela Topbooks. Ao longo de toda a tarde e durante o jantar, no salão da Alfândega do Porto, mais de três centenas de pessoas assistiram com interesse a uma série de intervenções e entrevistas em torno de estórias de vida pessoais e profissionais, a partir das 12 mensagens essenciais deste livro: “A minha atitude determina o meu sucesso”; “O meu sucesso é a minha felicidade”; “Eu luto por ser um dos melhores”; “Eu estou totalmente comprometido com os meus objetivos”; “Eu transformo os meus pensamentos em ações”; Eu vivo em paz com o meu passado e com os outros”; “Eu estou preparado para os altos e para os baixos”; “Eu quero melhorar diariamente a minha atitude”; “Eu luto por aprender com os melhores”;

“Eu procuro a excelência em tudo o que faço”; “Eu estou grato a quem me ajuda a vencer e a crescer”; “Eu nunca paro”. Nesta Conferência os participantes encontraram inspiração e energia para ganhar coragem, sair da zona de conforto e lutar pelo sucesso que desejam, aumentando de forma muito importante as probabilidades de terem sorte na sua trajetória pessoal e profissional.


zoom

© Vila Galé

Vila Galé - Sentir Cliente

48

mar abr mai 16


Gonçalo Rebelo de Almeida, Administrador/Board Member Vila Galé Hotéis

No Vila Galé, cujo lema e missão é “Estar sempre perto de si”, e tratando-se de um grupo hoteleiro, a qualidade dos recursos humanos é um dos pontos-chave para o sucesso. Por Francisco Toscano

N

a indústria da hospitalidade, o saber receber depende em grande medida das equipas que fazem cada hotel funcionar. Numa rede com 27 unidades – 20 em Portugal e sete no Brasil –, em destinos de praia, campo e cidade, o profissionalismo e a forte orientação para o cliente são elementos de diferenciação. É também por isso que o perfil e a apresentação dos colaboradores são fatores cruciais. “Na Vila Galé, temos paixão por aquilo que fazemos e damos o melhor de nós por todos e, em particular, pelos nossos clientes. Recebemo-los de braços abertos, querendo que eles se sintam em sua casa”, considera o grupo. Espírito de humildade, vontade, determinação, dedicação à formação são algumas das características que a Vila Galé privilegia na seleção de recursos humanos. Ao mesmo tempo, dá especial atenção ao sentido de inovação – para procurar constantemente serviços e produtos que marquem a diferença -, à lealdade, ambição e à eficácia e prontidão na resposta às solicitações dos hóspedes. Trata-se acima de tudo de encantar e de “Sentir cliente”. E, dessa forma, alcançar a diferenciação pelo serviço. A Vila Galé

incentiva cada colaborador a sorrir genuinamente, a olhar olhos nos olhos, a ser positivo, a cumprimentar com entusiasmo, dedicando total e exclusiva atenção ao cliente, que deve ser tratado pelo nome, mas também a escutar ativamente os seus pedidos para haver total sintonia, a saber dizer sim, a ter sempre a solução. A ser afetivo, assíduo e pontual. A gostar do que faz... Ao mesmo tempo, deve saber manter o bom ambiente de trabalho, evitar tensões e conflitos, ter uma atitude de respeito e de cooperação com os colegas, criar um clima de confiança. Assegurando a diversidade nas suas equipas e respeitando a individualidade de cada um, mas tendo em conta a especificidade da operação hoteleira, a Vila Galé define padrões de qualidade de forma a garantir a melhor experiência aos hóspedes. Nesse sentido, os colaboradores que trabalham nos hotéis devem ter uma aparência cuidada: cabelos penteados, barba feita, maquilhagem leve, unhas aparadas. Os adereços, a existirem, terão de ser discretos e sem referências a marcas, clubes desportivos, opções religiosas ou políticas. A farda usada deve estar completa, limpa e em bom estado de conversação. E não pode faltar o pin “Sentir

cliente” em formato de coração, no crachá de identificação. Boa postura corporal e odor neutro são outras das orientações transmitidas às equipas. Bem como o respeito pelo meio ambiente e as boas práticas de sustentabilidade, preservação dos recursos, reutilização e reciclagem. Atualmente com 2.500 colaboradores em Portugal e no Brasil, e sendo o segundo maior grupo hoteleiro português, a Vila Galé incentiva fortemente a formação e a progressão na carreira. Por exemplo, dispõe da Academia Vila Galé, um programa interno para desenvolvimento pessoal e aprendizagem ou aperfeiçoamento dos conhecimentos técnicos e profissionais. É nesta academia que existe o eixo “Sentir Cliente”, com ações de formação que orientam os colaboradores para uma forma comum de estar com os clientes. Atento ao projeto de vida dos seus quadros, permite mobilidade interna e treino de outras funções. E porque as ideias de cada um são realmente importantes, concretiza o programa Inovar e Motivar, convidando todos os colaboradores a partilharem sugestões, estratégias e novos pontos de vista com a organização. mar abr mai 16

49


enjoy it

Hotel

HOTEL CH PORTO RIBEIRA

Um espaço de encantos escondidos Hotel com charme natural, inerente à sua componente histórica, sem nunca esquecer a cidade em que está localizado. Por Redação DO it! Fotos: DR

50

Localizado bem no centro de Porto, ao virar da esquina de alguns dos mais badalados ex-líbris locais, incluindo Igreja de São Francisco e Igreja de São Nicolau. Este hotel de 4 estrelas fica ainda nas imediações de outros pontos de interesse, entre os quais Palácio da Bolsa e Monumento ao Infante D. Henrique. Hotel de charme repleto de história, foi desenvolvido de forma a utilizar todos os potenciais que o espaço dispõe e ainda assim poder criar uma conexão com os seus hóspedes através da sua história. A essência da cidade é vivida e transmitida por todos os meios de comunicação hoje em dia e tendo o hotel várias valências históricas que o torna tão especial é uma mais valia para o seu sucesso. O objetivo principal é poder explicar o porquê de o hotel ter as facilijun jul ago 16

dades que tem e ainda assim manter o seu charme natural inerente à sua componente histórica, sem nunca esquecer a cidade em que está localizado. Acreditamos que ao fazer estas visitas estaremos a potenciar um sentimento de pertença e entendimento dos nossos hóspedes e ainda assim ajudar a mantê-los informados e satisfeitos através um serviço criado a pensar neles. Esperando sempre alcançar a fidelização dos hóspedes e potenciar a vinda de novos clientes ao hotel. Após a abordagem das três eras históricas presentes nos edifícios que constituem o hotel, podemos proceder à criação de não de uma, mas de 4 opções de roteiros, que permitam aos hóspedes ver e comprovar as informações fornecidas durante a visita. Estes foram pensados para


serem práticos, quer para os visitantes, quer para o pleno funcionamento do hotel, mas acima de tudo mostrar o que de tão especial o hotel pode tem. Dentro desta linha de pensamento foi determinado fazer duas visitas diárias (uma durante a manhã e outra da parte da tarde) de forma a poder incluir todas as pessoas interessadas, hóspedes e visitantes do hotel. Estas visitas irão ser feitas por um elemento do hotel e as inscrições serão feitas na recepção, sendo que esta informação será fornecida ao check in. Tendo em conta o funcionamento do hotel e as questões climatéricas é pretendido ter quatros opções de locais a visitar, sempre tendo em mente o melhor aproveitamento dos espaços comuns do hotel.

CH - Porto Ribeira • Hotel histórico de 4 estrelas • 90 quartos • SPA • A 5m a pé da Estação de São Bento • A 400m da Ponte D. Luís • Valores de alojamento entre os 136 e 208€

Contactos

Tel.: 220 965 786; e-Mail : portoribeira@carrishoteles.com ; Site : ht t p://www.c a r r i sh o tel es .co m/p t/h o tei s /h o tel -p o r to -r i b ei r a -p o r to

jun jul ago 16

51


enjoy it

Restaurante

Rei dos Leitões

O restaurante em que Leitão e Cliente são reis! No longínquo ano de 1947, dois irmãos decidiram assar um leitão e vendê-lo a retalho na sua pequena tasca onde já se comiam outros belos petiscos autóctones, aí remontando o hoje reconhecido Rei dos Leitões. Por Restaurante Rei dos Leitões Fotos: DR

52

jun jul ago 16


Rei dos Leitões • 162 lugares sentados, em três salas • Parque de estacionamento privativo e coberto • Reservas: 231202093 ou 968123034 , reidosleitoes@sapo.pt. • Avenida da Restauração 17, Mealhada. • (40º23’24.22”N e 8º27’03.10”O)

Desde 1947 que a tradição dos fornos aquecidos a madeira e casca de eucalipto, e de atender bem, mas não só, são responsáveis pela diferenciação do Rei dos Leitões. A segunda casa mais antiga do país na venda desta iguaria orgulha-se de ter já recebido diversos reconhecimentos nacionais e internacionais, nomeadamente no concurso “As 7 Maravilhas da Gastronomia” mas, acima de tudo, do prémio de reconhecimento e fidelidade de várias gerações de clientes e amigos.

costeletas de novilho das Astúrias; o polvo à lagareiro ou cozido com camarão; os rojões típicos da zona; o peixe fresco selvagem adquirido no mercado da Costa Nova; as isquinhas de leitão com cebolada ou a cabidela de leitão.

Crescendo num harmonioso equilíbrio entre tradição e resposta aos tempos modernos, na ementa e no espaço, o Rei dos Leitões é um dos mais apetecíveis restaurantes de leitão da Mealhada. Apesar da primazia do leitão, motivos não faltam para tal: a chanfana assada como antigamente; o bacalhau no forno; as

Ainda que incidindo especialmente nos vinhos e espumantes autóctones, a carta de vinhos é vasta e premiada. Desde os espumantes da região do Távora Varosa, aos vinhos quentes e frutados do Douro, passando pelo Dão e Bairrada, descendo à Estremadura, Vale do Tejo e Península de Setúbal, até ao Alentejo, o Rei dos Lei-

Mas a cozinha do Rei, que também utiliza produtos biológicos cultivados na Horta do Rei, responde ainda com outras iguarias à constante mutação do gosto e hábitos dos clientes, com o apoio do Chef Carlos Fernandes.

tões oferece de tudo um pouco. Para experiência contribuem a qualidade, comodidade, ambiente caseiro e decoração familiar do espaço, onde a observação de uma infindável coleção de porcos, em todas as posições, tamanhos e feitios, se torna um dos acompanhamentos extra à refeição. Outro detalhe digno de realce são as várias mesas redondas que convidam ao convívio entre família, amigos ou profissionais, repletas de apetitosas, originais e diversificadas entradas, onde o pão tipo de Mafra, simples ou recheado com passas e nozes, e outras especialidades gourmet surpreendem. Mas nada disto teria valor se não fosse a incansável prontidão, amabilidade e destreza de quem acolhe e serve, fazendo com que cada cliente se sinta verdadeiramente um rei.

jun jul ago 16

53


enjoy it

Automóvel

Seat Leon X-Perience

Descubra Novos Caminhos Viaje por novos caminhos com o SEAT Leon X-PERIENCE, um crossover para aqueles que não gostam de seguir as multidões. Este automóvel combina design, tecnologia de última geração e uma enorme versatilidade. Uma condução divertida na selva urbana e uma performance impressionante quando decide explorar outros caminhos. Por Redação DO it! Fotos: Seat

54

jun jul ago 16

O primeiro Leon allroad, combina um design exclusivo com características únicas, tornando-o num excelente veículo para explorar novos destinos e viver novas experiências. Com este novo allroad, conseguimos usufruir cada segundo da nossa viagem. O SEAT Leon X-PERIENCE mantém o design elegante que identifica a família Leon, mas diferencia-o com detalhes próprios de um estilo allroad. Características específicas como as proteções nos guarda-lamas, e as saias laterais, combinam robustez com proteção e estilo, enquanto a suspensão mais elevada garante uma condução mais confortável e eficaz


mesmo nos maus caminhos. No interior, a atenção meticulosa ao detalhe realça o estilo do X-PERIENCE e melhora a experiência de condução. Materiais de alta qualidade revestem o habitáculo, com detalhes como os pespontos em linha laranja na pele do volante, acrescentando um toque de sofisticação para além de um melhor tato. Tão atraente como versátil, o espaço na bagageira pode ser ajustado até aos 1.470 litros, o que nos dá todo generoso espaço para transportarmos aquilo que precisamos. SEAT Leon X-PERIENCE dá liberdade para descobrir novos lugares, porque os seus recursos garantem que

teremos segurança e eficiência para ir mais longe do que nunca. Este modelo permite viajar em total conforto e segurança em qualquer estrada, graças à tecnologia de ponta. O sistema 4Drive adapta-se automaticamente à estrada distribuindo a potência entre as quatro rodas, garantindo agilidade e controlo em todas as situações. Os motores TDI com um elevado binário de até 380Nm/1750-3250 rpm, juntamente com o sistema Start/ Stop garantem elevado desempenho e baixos consumos, permitindo usufruir de mais potência com o mínimo esforço, condição ideal num automóvel adequado à exploração de novos caminhos. Os perfis de condução SEAT Drive Profile, que permitem selecionar entre os modos Eco, Normal, Sport e Individual, ajustam o comportamento dinâmico aos diversos estilos de condução do momento. O Sistema de Navegação em 3D encontra e orienta o condutor para o

seu destino com a maior das facilidades. DETALHES X-PERIENCE Os pormenores subtis e elegantes que vai encontrar no X-PERIENCE são únicos. As luzes LED interiores dão ao SEAT Leon X-PERIENCE um ambiente ainda mais dinâmico. Realçam os contornos do automóvel, criando uma atmosfera que o ajuda a tirar o máximo partido do prazer de condução dinâmica do Leon X-PERIENCE. O teto de abrir panorâmico elétrico deixa entrar a luz e o ar fresco com um simples toque de um botão. Excelente para as viagens de verão, quando toda a família poderá passar tempo de qualidade na estrada. Alguns detalhes exclusivos no volante, como o logotipo XP e os pespontos em laranja, as saias laterais, também personalizadas, e a manete de mudanças, redesenhada para apelar ao espírito de aventura deste Crossover.

jun jul ago 16

55


enjoy it

Fotos: DR

Viagem

56

jun jul ago 16


Génova - Itália

Génova – cidade de Cristóvão Colombo Berço de Cristóvão Colombo, da Piaggio e do igualmente famoso molho Pesto, esta cidade italiana, que se aconchega entre a montanha e o mar é uma mistura de história e de modernidade. Por Ana Teresa Penim

Dizem que foi aqui que Cristóvão Colombo o navegador e explorador do Novo Mundo terá nascido, passando a sua infância numa pequena casa, coberta de hera, junto à Porta Soprana, aí descobrindo a sua paixão pelo mar. A Piaggio, famosa pela produção das icónicas Vespas nasceu também em Génova em 1884. E porque falar de Itália é falar de gastronomia, foi também aqui que nasceu o famoso molho Pesto composto, tradicionalmente, por folhas de manjericão moídas com pinhões, alho e sal, queijo parmesão ou pecorino ralados, misturados com

jun jul ago 16

57


enjoy it

estreitas que partem do porto para dentro da cidade entre: recantos inusitados, palacetes imprevistos, casas de pescadores, janelas e portas entreabertas com as cortinas a esvoaçar, portões de ferro de acesso a condomínios de luxo, vistas indecifráveis, trattorias típicas com forno de lenha e mercearias de outros tempos. Na zona nobre da cidade a Via Garibaldi é famosa pelos seus palácios barrocos. A Piazza de Ferrari, a praça principal, abriga o Teatro Carlo Felice e o bonito Palácio Ducale, um dos principais edifícios históricos e antiga residência dos doges da República de Génova, atualmente um dos principais pólos museológicos da capital da Ligúria. A nível cultural visite também a Porta Soprana ao lado da Casa de Cristóvão Colombo, a Catedral de San Lorenzo Campanile, a Villa del Principe, o Palácio Imperiale, o Palacio Bianco, o Museu Sant’Agostino e o Castelo Belvedere. Roteiro Comercial

58

azeite extra virgem e temperado com pimenta preta. Graças à comemoração dos 500 anos da viagem de Cristóvão Colombo à América, o porto comercial de Génova, situado na baía natural em torno da qual se desenvolve a cidade, sofreu uma intervenção urbanística que reconciliou os laços perdidos entre a zona histórica e o Porto Antico. A intervenção, da autoria do famoso arquiteto Renzo Piano, também ele natural de Génova, tornou esta zona da cidade um lugar que concilia tradição e modernidade, com todos os contrastes apelativos a quem visita: espaços de cultura e lazer, restaurantes e gelatarias com esplanadas de onde pode observar o movimento da baía e a montanha que a circunda. Os mais curiosos poderão erguer-se a mais de 40m de altitude, no Bigo, o extravagante elevador panorâmico giratório, inspirado nos mastros dos navios, jun jul ago 16

do alto do qual se pode ver a Lanterna (farol construído na Idade Média). Ainda no Porto Antico, visitar o Millo, antigo armazém hoje convertido em espaço multifacetado de lazer, é obrigatório. Aí encontrará o Eataly, um conceito enogastronómico que reúne tudo o que Itália tem de melhor, onde pode escolher entre cinco restaurantes temáticos, mercado de fruta e de verdura, espaço pedagógico de cozinha italiana e supermercado com tudo o que de típico e gourmet Itália tem para lhe oferecer. Enquanto passeia pela baía, contemple os enormes cruzeiros que aí atracam e visite outros projetos famosos de Renzo Piano: o Aquário; o antigo Armazém de Algodão; a enorme esfera de vidro e aço, batizada de Biosfera, uma mistura de jardim botânico com jardim zoológico. Em seguida prepare-se para uma imersão apaixonante pelas ruas antigas e

Via XX Setembro: longa e larga avenida, mesmo no centro da cidade onde encontrará insígnias de alta qualidade e design stores. Via Vernazza: onde encontrará o Rinascente. O mais reconhecido Department Store italiano. Mercato Orientale: o mercado municipal por excelência, coberto, repleto de cor, aromas e entusiasmantes diálogos italianos. Frequentado tanto por locais como por turistas. Via Roma: também especialmente interessante ao nível do design de moda. Galeria Mazzini: fantástica galeria do séc.19, com cobertura de vidro, que alberga boutiques e cafés. Madalena: bairro situado no centro histórico, repleta de pequenas lojas tradicionais, boutiques, lojas de artesanato e de acessórios, jóias, sapatarias, com preços acessíveis. Via San Luca: repleta de high-street italian fashion. Via Caffa: pechinchas e designer’s outlet.


Relógios / Wines&Spirits

RADIOMIR 1940 Os novos calibres automáticos, inteiramente desenvolvidos e fabricados pela Manufatura da Panerai em Neuchâtel, trazem novas funcionalidades ao Radiomir 1940 3 Days GMT Automatic (PAM00627) com o movimento P.4001 Como em todos os relógios Panerai, o mostrador do novo Radiomir 1940 é notável pela sua legibilidade extrema, tanto em condições de luminosidade normal como no escuro. As linhas verticais que marcam as horas e as figuras estão cobertas de ecru Super-LumiNova® e todos os outros elementos – o indicador de data, o pequeno ponteiro dos segundos e o indicador de reserva de marcha – sobressaem com muita clareza no mostrador preto que se encontra disponível com duas variações para cada modelo: uma versão que tem acabamento em clou de Paris e ou-

tra que tem riscas verticais em relevo. Cada mostrador é complementado por diferentes correias: na primeira caixa, o relógio tem uma correia de couro preta, já na segunda vem com uma correia em pele natural. O design da caixa do Radiomir 1940 é

fielmente inspirado pelos exemplares históricos criados pela Panerai para os comandos da Marinha Italiana nos anos 1940. É feita em aço inoxidável AISI 316L com acabamento polido e tem uma hermeticidade até 10 bares (cerca de 100 metros).

Conde D’Ervideira – Vinho de Água

A ausência de luz, a temperatura constante e, principalmente a pressão de 3 bar – esta é a combinação de factores que se encontra no fundo do Alqueva, e que produz os seus efeitos ao Vinho da Água, lote especial do vinho Conde d’Ervideira tinto reserva 2014. Idealizado por Duarte Leal da Costa e pelo seu enólogo Nelson Rolo, o armazenamento subaquático – ou será estágio? – de 32 mil garrafas durante alguns meses no grande lago

do Alqueva criou um vinho “mais integrado e harmonizado, com maior potencial de envelhecimento” em relação ao mesmo vinho que não foi submerso, segundo o produtor. Inovador? Sim, porque combina elementos habituais no ambiente da adega com a pressão subaquática, o elemento diferenciador que foram buscar ao fundo da água. Este Vinho da Água Conde d’Ervideira tinto 2014 já está em distribuição nas principais garrafeiras. jun jul ago 16

59


enjoy it

ClarinsMen AntiRides Fermeté

Perfumes e Cosmética

Azzaro Wanted Um tributo a uma nova forma de masculinidade livre e resplandecente. Uma eau de toilette amadeirada, cítrica e condimentada com um rasto cativante e elegante. Azzaro WANTED é uma fragrância solar, harmoniosa e desejável, uma criação amadeirada-cítrica-condimentada. Os acordes amadeirados do vetiver aliam-se às especiarias frescas (cardamomo) e solarengas das notas cítricas (duo de limão). As matérias-primas são nobres, sendo três das principais provenientes do desenvolvimento sustentável (cardamomo da Guatemala, vetiver do Haiti e fava tonka do Brasil).

O seu novo objetivo: alisar as rugas e as rídulas, conferindo leveza à zona inferior do rosto. Muito fino, o creme antirrugas ClarinsMen com extratos energizantes de erva de bisonte e galanga da China proporciona um efeito lifting e firma onde é necessário. Ainda contribui para neutralizar os agentes poluentes nocivos para a pele. Textura não oleosa, acabamento mate e fresco.

Double Serum Angel – Thierry Mugler

Concentrado Completo Antienvelhecimento Intensivo A juventude não tem idade! (Tem Double Serum!)

Angel, criação mítica de Thierry Mugler, continua a brilhar no firmamento dos grandes perfumes. Um rasto suave, guloso e envolvente, com uma sobredose de patchouli, guardado no seu frasco estrela e recarregável na Fonte ou com o Frasco Eco-Source.

Não se preocupe com o passar do tempo, Double Serum cuida da sua juventude. Inspirada na natureza, a sua dupla fórmula única e universal concentra 20 extratos de plantas rigorosamente selecionados devido à sua capacidade para estimular as 5 funções vitais da pele e despertar a sua juventude. Desde a primeira semana, a sua pele fica mais luminosa, mais firme e com um aspeto mais jovem*. Clarins, nº1 na Europa em produtos de cosmética de luxo**. * Teste de satisfação, 74 mulheres. ** Fonte: NPD Beauty Trends®, produtos vendidos em perfumarias, marcas de prestígio, vendas em valores 2014 de 4 países: França, Itália, Espanha (península) e Reino Unido.

60

jun jul ago 16


keep in touch

Crónica

SPERARE aconselhado pelo médico: “Enquanto espera a cor verde no semáforo, olhe para a arquitectura dos edifícios ou alguma árvore.” Arte e verde. Inteligência e fruição. Espera-se pela saída de uma nota, pelo atendimento do médico numa urgência, pela chegada do avião, pelo resultado de um concurso, pela vez no casting, pelo início das obras na casa, … que o peixe esteja assado, que as férias cheguem, que a mãe dê à luz. Vemos Nossa Senhora, dedos a tremer, batas brancas, paredes, andaimes, … um bebé.

© DR

Penso que devemos prever a “Espera”. Construir e povoar este “Tempo” de aguardar. Penso que devemos nestes tempos, onde domina o transitório e o efémero, onde prevalece o trabalho intermitente, onde os semáforos gostam da luz amarela, … criar a possibilidade de muitas “esperas”, aprender a vivê-las e agir.

A espera tem imagem? A espera é tempo, ritmo, pensamento, emoção, talvez uma sensação. Um dia Margarida esperava a boleia da irmã, para seguirem direitas à cerimónia de entrega de uma medalha a seu Pai pelo Presidente da Republica. O carro passou longe e não parou. Margarida ficou apeada junto ao portão da quinta, sem transporte. Não havia telemóveis. Ficou só. Uma imagem da cerimónia e a sensação de perda.

Hoje, passado um mês de espera por um trabalho que não aconteceu, eu espero: que o Grupo de Teatro que saiu do Curso que orientei “Vidas em Cena” avance, que a minha Rainha Gertrudes, mãe do Hamlet, apareça à luz, que uma peça em “marcha” se realize e o tal filme, que o recital de poesia se repita, que um novo curso aconteça, que o Conto de Natal volte a brilhar, que… uma estrela irradie para as “pedrinhas” do meu caminho. Persistência, teimosia. Entre branco e caleidoscópio. É preciso aprender a esperar. Ter fé na esperança. Partir muros, ou só … ouvir o silêncio.

Sperare, é “dar tempo ao tempo”. António Silva, actor português referia muitas vezes, enquanto esperava a palavra “acção”: “Só queria ser pago pelas horas de espera.” Impaciência e um cifrão. Raul Solnado, depois do primeiro ataque ao seu coração, foi

Teresa Faria

(Mestre em Artes Cénicas pela UNL, Actriz, formadora / professora, dramaturgista, encenadora e investigadora do CET da FLUL)

jun jul ago 16

61


keep in touch

Passatempo DO it!

Apelo à originalidade

dos leitores da DOit!

Vencedora do décimo sexto “Passatempo DO it!” A vencedora do passatempo do número 17 da DO it!, que irá receber uma fantástica máquina automática DROP da Nescafé Dolce Gusto, é Fernanda Koeche de Almada

62

jun jul ago 16


Curiosidades Parceiros DO it! A DO it! continua a estabelecer parcerias com diversas entidades que assumem o papel de patrocinadores. Trata-se de patrocínios exclusivos em cada área de negócio e que englobam várias edições da revista. O objetivo das parcerias é fazer com que as entidades patrocinadoras tenham a máxima visibilidade e o máximo retorno com o apoio que dão ao projeto.

DO it! Inspirational Board Alexandre Brodheim – Sales Retail Manager, Grupo Brodheim Anabela Fernandes – Commercial Excellence Director para a Península Ibérica, Takeda Farmacêuticos António Paraíso – Consultor de Internacionalização António Sacavém – Criador da Marca Microexpressões Faciais Clara Luxo Correia – Gestora e Especialista em Retalho Carlos Correia – Chief Executive Officer (CEO) da AFFINITY Francisco Coelho – Hot Stuff Advisor, IPAM Hélio Soares – Managing Director, UP Partner Joana Perry Vidal – Responsável da Área de Hotelaria, Serlima Madeira João Andrade – National Account Manager, Sovena João Pimenta de Castro Guimarães – Diretor Executivo, GS1 Portugal/ Codipor José Carlos Metelo – Chefe de Equipa, Portugal Telecom José António Rousseau – Presidente do Fórum do Consumo Portugal

Luís Ferreira Pinto – Infant Nutrition Country Business Manager, Nestlé Portugal Manuela Tavares de Sousa – Administradora/ Chief Executive Ofiicer (CEO), Imperial – Produtos Alimentares Martin de Botton – Empresário, Santini Nuno Venceslau – Master Regional, RE/MAX (Minas Gerais, Brasil) Nuno Fontes – Diretor de Logística e Membro do Comité Executivo da Parfois Nuno Gomes – Empresário, Remax Prestige Nuno Soares – Diretor de Negociação da CINDIA Paulo Manuel – Diretor Executivo, TZ Viagens (Brasil) Paulo Silva – Oncology Account Manager, Takeda Farmacêuticos Portugal Pedro Caramez, Social Media Manager, MBU Intelligence Susana Dias – National Sales Manager/ Cardio Thrombrosies Divison, Sanofi-Aventis Wilques Erlacher – International Market Consultant, Saphety jun jul ago 16

63


keep in touch

A Próxima DO it!

Alinhar a equipa, partilhar objetivos, estratégias e definir formas de as operacionalizar são dimensões críticas da vida das equipas comerciais e das empresas em geral. No próximo número poderá inspirar-se a partir de casos de excelência, obter dicas sobre questões práticas, dinâmicas inovadoras e sugestões de locais diferenciadores, a considerar para tornar as suas reuniões & convenções comerciais cada vez mais impactantes!

© iStock

O poder das reuniões & convenções comerciais


Do it! nº 18  

Revista dos Profissionais de Negociação e Vendas http://www.doit.pt

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you