Issuu on Google+

Saulo Kainuma

Ano 9 - Nº 82 / Dezembro de 2010

Corpo funcional da Desenbahia: no último quadriênio, o trabalho e o empenho de todos resultaram num crescimento médio de 28% ao ano em aprovações de crédito

Agência injeta R$ 631 mi na economia baiana Relatório Desenbahia 2007-2010: quatro anos financiando micro, pequenas e médias empresas

Nestes quatro anos de governo o que fez a Agência de Fomento do Estado da Bahia – Desenbahia? O Relatório de Atividades do quadriênio se propõe à prestação de contas. O presidente da Desenbahia, economista Luiz Alberto Petitinga, destaca que foram injetados na economia baiana R$ 631 milhões, sendo R$ 410 milhões no segmento Comércio e Serviços, R$ 100 milhões na área rural, R$ 90 milhões na indústria e R$ 31 milhões no setor público. A oferta de crédito é um forte incentivo para a elevação da produtividade das empresas. A Agência de Fomento tem apoiado a implantação, expansão, modernização de empreendimentos em todo estado. Nestes últimos quatro anos, as operações de crédito alavancaram investimentos em torno de R$ 821 milhões, com a manutenção ou geração de mais de 113 mil postos de trabalho. “A Desenbahia manteve o foco no apoio às políticas de inclusão social e geração de emprego e

renda, priorizando as micro, pequenas e médias empresas. A estratégia de atuação da Desenbahia também se traduziu no apoio a projetos de grande porte, levando em conta a importância deles na complementação e diversificação da matriz produtiva do Estado”, ressalta Luiz Petitinga. Destaque especial para a atuação inovadora, como a participação em projetos de Parceria Público Privada (PPP), tais como o Hospital do Subúrbio e a construção da Arena Fonte Nova. E ainda a oferta de produtos específicos nas áreas de cultura, mercado publicitário, apoio a segmentos da saúde e transporte escolar. Em busca da sustentabilidade econômicofinanceira, a Desenbahia dedicou-se sistematicamente a recuperar créditos de operações do extinto Desenbanco. Segundo o diretor de Administração e Finanças, Marco Aurélio Cohim, R$ 100 milhões foram recuperados e reinjetados na economia. A política de sustentabilidade financeira levou as carteiras consolidadas Desenbahia

e Fundo de Desenvolvimento Social e Econômico (FUNDESE) a saltarem de R$ 496,9 milhões em 2007 para R$ 574,5 milhões em setembro de 2010. Interior O Relatório de Atividades do Quadriênio revela com números que a Desenbahia cumpriu sua meta estratégica de interiorizar o crédito. No período de janeiro de 2007 a setembro de 2010, cerca de 60% das aprovações foram direcionadas para empresas situadas fora da Região Metropolitana de Salvador (RMS). Luiz Petitinga considera que o êxito da política de interiorização do crédito se deve à atuação dos gerentes de negócios e também à estratégia de promoção de eventos institucionais denominados “Linhas de crédito e o fortalecimento empresarial no interior da Bahia”, realizados em diversas cidades. O objetivo é congregar empresários e promover convênios de cooperação técnica entre a Desenbahia e Câmaras de Dirigentes Lojistas, Associações Comerciais e sindicatos do comércio.

Para ler o Relatório de Atividades 2007-2010 da Desenbahia, acesse agora: www.desenbahia.ba.gov.br/relatorio


Jornal Desenbahia Ano 9 - Nº 82 / Dezembro de 2010

CrediBahia atinge marca de R$ 100 mi em aprovações AST-COM

Programa é referência para implantação de linha de microcrédito no Rio de Janeiro

Nelson dos Santos, comerciante do município de Catu: financiamento do CrediBahia garante estoque de produtos e fortalecimento de pequenos negócios no estado

O Programa de Microcrédito do Estado da Bahia (CrediBahia) alcançou, em dezembro, a marca histórica de R$ 100 milhões de aprovações, em oito anos de existência, dos quais R$ 25,6 milhões no primeiro quadriênio e R$ 74,6 milhões nestes últimos quatro anos. No total, já foram realizados 70.267 contratos com microempresários e trabalhadores autônomos. Somente em 2010, o programa estadual financiou R$ 26 milhões, com média por empréstimo de R$ 1.500,00. A meta em 2011 é aplicar mais R$ 28 milhões, garantindo a expansão de pequenos negócios no

interior da Bahia. O gerente de Microfinanças da Desenbahia, Marcelo Mequita, informou que a metodologia e os sistemas operacionais utilizados pelo CrediBahia servirão de referência para implantação de linha de crédito semelhante no Rio de Janeiro. A Agência de Fomento Investe Rio irá inaugurar, em 2011, postos de microcrédito nas favelas ocupadas pela operação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPP). “Um convênio de cooperação com a Desenbahia prevê a transferência de tecnologia, com a cessão de ferramentas e sistemas de controle de operações, além

das documentações e todo o treinamento necessário”, explicou. Os agentes do CrediBahia, presentes em 180 municípios baianos, orientam e acompanham diretamente as atividades produtivas e estimulam o empreendedorismo no estado. Os trabalhadores que mais demandam crédito são vendedores autônomos, feirantes e costureiras, com o objetivo de garantir, principalmente, estoque de produtos. O programa financia também investimentos fixos para aquisição de equipamentos e máquinas ou reforma e ampliação de instalações físicas.

Desenbahia aprova R$ 323,6 mi para a Fonte Nova Financiamento garante construção do estádio para a Copa do Mundo 2014

Novo estádio terá capacidade para 50.273 espectadores

A Desenbahia aprovou financiamento no valor de até R$ 323,6 milhões para a Fonte Nova Negócios e Participações S.A. (FNP), uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) cujos acionistas são as construtoras OAS e Odebrecht. O financiamento é adicional aos recursos que serão financiados pelo BNB e aos aportes dos acionistas, e completa a equação financeira que viabiliza a construção da Arena Fonte Nova. O presidente da Desenbahia, Luiz Alberto Petitinga, informou que esses recursos são originários de financiamento entre o Estado e o BNDES, no âmbito do Programa BNDES ProCopa Arenas, serão aportados no Fundo de Desenvolvimento Social e Econômico do Estado da Bahia (FUNDESE),

administrado pela Agência de Fomento, que concederá crédito à FNP, nas mesmas condições do Programa BNDES ProCopa Arenas. Segundo Petitinga, desde que a FIFA confirmou Salvador como uma das 12 cidades-sede da Copa 2014, o Estado passou a efetuar estudos sobre a melhor forma de implantação do projeto da Fonte Nova. Esses estudos concluíram que a alternativa mais vantajosa para a Administração Pública seria uma Parceria Público-Privada - PPP, na modalidade concessão administrativa, com prazo de 35 anos. Nesse modelo, o parceiro privado é responsável pela construção e operação do estádio e a Administração Pública pagará a ele uma contraprestação pecuniária.

Expediente / Informativo editado pela Assessoria Técnica de Comunicação da Desenbahia (AST-COM) faleconosco@desenbahia.ba.gov.br www.desenbahia.ba.gov.br Telefone: 71 3103-1061 Ouvidoria: 0800 284 0011 Presidente: Luiz Alberto Bastos Petitinga. Diretores: José Ricardo Santos, Marco Aurélio Felix Cohim Silva e Marcelo Sampaio Oliveira. Presidente do Conselho de Administração: Carlos Martins Marques de Santana. Assessor de Comunicação e Jornalista Responsável: Oldack de Miranda. Redação: Malany Tavares. Edição: Luciano Ataíde. Programação Visual: Nayane Falcão. Impressão: JM Gráfica e Editora. Tiragem: 8 mil exemplares. A Desenbahia é filiada à Associação Brasileira de Instituições Financeiras de Desenvolvimento (ABDE).


Jornal Desenbahia Ano 9 - Nº 82 / Dezembro de 2010

Desenbahia tem crédito para trasporte escolar Linha de financiamento exclusiva, com juros reduzidos, pretende renovar frota em Salvador

De acordo com o cadastro da Gerência de Táxis e Transportes Especiais (Getax) da prefeitura de Salvador, a idade média da frota de veículos escolares na capital é superior a oito anos, de um total de 884 licenciados. Apenas 181 veículos têm quatro anos ou menos de uso, o que representa 20,5% do total da frota. Oliveira afirmou que, além da renovação da frota, o financiamento da Desenbahia irá

AGECOM

A Desenbahia já tem uma nova linha de financiamento, com juros acessíveis, para aquisição de veículos do tipo van, furgão ou micro-ônibus. Segundo o diretor de Desenvolvimento de Negócios da Desenbahia, Marcelo Oliveira, “através do crédito concedido, daremos melhores condições para a compra de novos veículos, em comparação ao mercado. Com isso, os usuários do transporte escolar terão mais segurança e conforto”. A exemplo da linha Protaxi, responsável pela completa renovação da frota de Salvador, a nova linha pretende também renovar totalmente a frota escolar. Idade média da frota é superior a oito anos. Crédito estimulará a entrada de novos trabalhadores

estimular a entrada de novos trabalhadores, tirando da clandestinidade muitos prestadores de serviço. O limite por operação e por beneficiário chega a R$ 85 mil, com prazo de até 60 meses, com até três meses de carência e taxa de juros de 10% ao ano. “Por enquanto, vamos trabalhar apenas com a capital, já que é o único município com regulamentação

para o setor e com forte fiscalização. A depender da demanda exigida pelas cidades do interior, poderemos ampliar a abrangência da linha”, informou o diretor. Os interessados devem procurar o Sindicato dos Transportadores Escolares e Turísticos do Estado da Bahia (Sintest/ BA) ou a Cooperativa de Transporte Escolar, Turismo e Locação de Veículos da Bahia (Cooptelba) - (71) 3239-5043.

Bahia produzirá substância para diagnóstico de câncer A população baiana ganhará, em 2011, um importante e moderno aliado no diagnóstico de doenças como câncer e neoplasia. Trata-se de uma unidade produtiva de radiofármacos que o Grupo Delfin implantará no município de Lauro de Freitas, num investimento de R$ 31 milhões. Aproximadamente R$ 25 milhões serão recursos financiados pela Desenbahia. Radiofármacos são substâncias emissoras de radiação utilizadas na medicina para acompanhamento de tratamentos oncológicos e exames de diagnóstico de câncer por imagem. A empresa já iniciou a construção e investirá também em equipamentos, programas de computador e treinamento de pessoal. A nova unidade produzirá o FDG, um radiofármaco utilizado em tomografias de emissão de pósitrons (PET), técnica com a qual é possível identificar tumores em estágio inicial. A partir do investimento

Divulgação

Desenbahia financia unidade produtiva de radiofármacos em Lauro de Freitas

A nova unidade poderá atender centros médicos no interior da Bahia e também de outros estados

previsto, a Delfin Fármacos será o primeiro empreendimento privado no Nordeste a produzir a substância. A unidade poderá atender centros médicos no interior da Bahia e também de outros estados, beneficiando milhares de pacientes. “O empreendimento tornou-se possível devido ao financiamento de longo prazo oferecido pela Desenbahia, que acreditou no proje-

to. Com uma instituição financeira baiana, uma decisão local, o processo fluiu com rapidez e garantiu recursos técnicos e financeiros para um investimento deste porte”, explica o responsável pelo empreendimento, Armindo Gonzáles. “Vamos envolver também o meio acadêmico para realizar pesquisas científicas no estado que promovam inovações tecnológicas”.


Jornal Desenbahia Ano 9 - Nº 82 / Dezembro de 2010 a poio

Comércio e serviço

De janeiro de 2007 a setembro de 2010, a Desenbahia privilegiou o setor de Comércio e Serviços – maior gerador de emprego e importante segmento na formação do PIB baiano. Segundo o Diretor de Operações, José Ricardo Santos, foram 46 mil operações de crédito, o que representa um montante de R$ 409,8 milhões, o equivalente a 65% do volume total das aprovações. Somente no acumulado de janeiro a setembro de 2010, os créditos aprovados atingiram R$ 161,9 milhões, um incremento de 58% em relação ao ano anterior.

fu n d os

De onde vieram os recursos? Neste quatro anos, 62% dos recursos vieram do Fundo de Desenvolvimento Social e Econômico (FUNDESE), administrado pela Desenbahia. Em seguida destacam os repasses do BNDES, que atingiram R$ 124 milhões (inclusive do BNDES-FINAME), totalizando 32 mil operações (20% do total). De recursos próprios da Desenbahia, saíram R$ 70 milhões (11%). E do FNE chegaram R$ 42 milhões, representando 7% das aprovações.

a pro va çõ es

Crédito para taxistas Entre os anos de 2007 e 2010, os financiamentos aprovados para o Protáxi superaram os R$ 100 milhões, através de, aproximadamente, 6 mil contratos. Essa linha de financiamento é destinada especificamente a apoiar iniciativas dos profissionais autônomos de táxi visando renovação da frota em circulação. Além disso, contribui para melhorar os serviços prestados aos usuários de táxi em Salvador e nas principais cidades baianas.

in stitu cio n a l

Comunicação corporativa O relatório de Atividades 2007-2010 da Desenbahia registra os avanços da comunicação empresarial da Desenbahia: criação do Portal Corporativo (Intranet), do site com sistema de solicitação de financiamento on line e apoio a 88 eventos, entre congressos, feiras e exposições. Além disso, a Agência lançou o novo vídeo institucional e realizou sete campanhas publicitárias comerciais.

crescimento

Crédito para o interior Como resultado da política de interiorização do crédito, cerca de 60% das operações da Desenbahia, no último quadriênio, destinaram-se a empresas localizadas fora da Região Metropolitana de Salvador. As operações aprovadas envolveram recursos de R$ 384,7 milhões, o que significou apoio a mais de 46 mil negócios em municípios distantes da capital e que, em alguns casos, apresentavam histórico de baixo dinamismo econômico. Somente entre 2007 e 2009, a taxa de crescimento dessas operações atingiu 31% ao ano. c u lt u r a

Arte, academia e reciclagem

Nos últimos quatro anos, a Desenbahia patrocinou a exposição “Revisitando o Acervo de Arte Baiana”, apresentando ao público 80 obras de arte de grandes artistas plásticos da Bahia, no MAB. Destinou R$ 162 mil para o Projeto Neojibá – Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia; organizou em parceria com o curso de Mestrado em Economia da UFBA e SEI, quatro encontros anuais de Economia Baiana, e manteve a publicação semestral da Revista Desenbahia, destinada a divulgar trabalhos científicos. Neste ano, a Agência foi agraciada com o “Prêmio Destaque do Ano” do governo estadual por seu programa “Recicla Desenbahia”, que redireciona para a cooperativa de reciclagem – Cooperbrava todo o seu material residual sólido, gerando renda para trabalhadores baianos.

financiamento

Três projetos estruturantes

Ao longo dos últimos quatro anos, a Desenbahia teve papel fundamental na execução de três importantes projetos: a construção da Arena Fonte Nova, via Parceria Público Privada (PPP), com R$ 50 milhões; o Hospital do Subúrbio, também no regime de PPP, com financiamento de R$ 31 milhões; e o complexo rodoviário Sistema BA 093, por meio de concessão de financiamento no valor de R$ 45 milhões para o Consórcio Bahia Norte. “Embora vocacionada para apoiar micro, pequenas e médias empresas, a Desenbahia também participa de grandes projetos”, afirmou o diretor de Desenvolvimento de Negócios, Marcelo Oliveira.

eco n o mia

Identidade Regional Em sua atuação nos últimos quatro anos, a Desenbahia priorizou o fomento às matrizes econômicas locais, trabalhando no sentido de potencializar as dinâmicas produtivas já existentes e, assim, fortalecer a identidade regional e contribuir para o desenvolvimento sustentável.


81ª Ed. Jornal Desenbahia