Issuu on Google+

Ano 8 - Nº 73 / Setembro e Outubro 2009

Coco da Bahia ganhará mais espaço no mercado

O coco híbrido tem dupla finalidade. Seus frutos podem ser utilizados tanto na agroindústria de alimentos e culinária quanto para o consumo de água de coco. Tem mais água e maior quantidade de polpa. Essas características proporcionam maior flexibilidade e estabilidade de preço em sua comercialização. “O híbrido é a melhor opção, pois ele tem alta qualidade e uma excelente produtividade. Sua água é tão doce como a do anão e, também, serve para a indústria do coco seco”, afirma Gustavo Grillo, gerente de Crédito Rural da Desenbahia. O estado se destaca como maior produtor nacional, com aproximadamente 30%

Divulgação

Em um projeto pioneiro, financiado pela Desenbahia, o município de Conde - a 150 km de Salvador passará a produzir mudas e sementes de coco híbrido. Com a iniciativa, o coco da Bahia ganhará mais espaço no mercado brasileiro e internacional. Os híbridos são obtidos através do cruzamento entre a variedade de coco Anão Verde - que produz maior quantidade de água - e coco Gigante que tem maior quantidade de polpa.

A Bahia sai na frente: fazenda Pedra D´Água passará a produzir mudas e sementes de coco híbrido

da produção brasileira, de um total de 565 milhões de frutos por ano. Cerca de 60% da produção baiana está no litoral norte, sendo o município de Conde o maior produtor. Com investimento superior a R$ 300 mil, financiado pela Desenbahia, a fazenda Pedra D´Água será a primeira a produzir sementes e mudas híbridas de coqueiro no estado da Bahia, registrada no Ministério da Agricultura, com

capacidade de produção inicial de 100 mil sementes e mudas. É o que explicou Antônio Barbosa, responsável pelo empreendimento. “Com o financiamento da Desenbahia, iremos investir na construção de galpão, laboratório e contratação de novos empregados. Em dezembro, já estaremos prontos, colhendo as nossas primeiras sementes híbridas”, afirmou. Para mais informações, visite o site: www.tecnococo.com.br.

Desenbahia lança linha de crédito para cooperativas

O objetivo é fortalecer o Programa de Crédito para a Economia Solidária, administrado pela Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), através do Centro Público de Economia Solidária (Cesol).

Jorge de Jesus/Setre

A Desenbahia começou a operar uma nova linha de crédito voltada especificamente para cooperativas e associações comunitárias da Bahia. O limite máximo de contratação chega a R$ 50 mil. Com juros reduzidos, o financiamento pode ser utilizado para investimento fixo, como a compra de máquinas e equipamentos, ou capital de giro. Os juros praticados são de 5% ao ano para os beneficiários situados no semiárido e de 6% para os situados nas outras regiões do Estado.

Bahia: cooperativas ganham força com nova linha de crédito


Jornal Desenbahia Ano 8 - Nº 73 / Setembro e Outubro 2009

CrediBahia garante ampliação do microcrédito

“Os números só não são maiores porque houve mudança de prefeitos em algumas cidades no início do ano, e as movimentações no interior foram prejudicadas”, explicou Marcelo Mesquita, gerente de Microfinanças da Desenbahia. “Tivemos grande avanço no repasse de fundos para associações e cooperativas de crédito. É o CrediBahia 2º piso. Neste ano, três novas instituições passaram a operar o CrediBahia [de um total de seis]: ANDE, Ceape e Banco do Povo de Camaçari. Desta forma, ampliamos

AST-COM / Desenbahia

Em 2009, as liberações de financiamento do Programa de Microcrédito do Estado da Bahia (CrediBahia) devem alcançar a marca histórica de R$ 19 milhões. A expectativa é que o volume de empréstimo seja 11% superior em comparação a 2008.

Posto de atendimento do CrediBahia em Bom Jesus da Lapa também já oferece financiamento de R$ 10 mil

para R$ 2 milhões o repasse para essas associações, contra R$ 1,1 milhão em 2008”, ressaltou Mesquita. Em 2009, já foram inaugurados 15 novos postos de atendimento do CrediBahia e, em setembro, o limite

máximo para financiamento passou a ser de R$ 10 mil. Atualmente, o CrediBahia mantém na carteira ativa 9.656 contratos e já liberou, desde 2002, mais de R$ 70 milhões.

Encontro consolida relação com universidades AST-COM / Desenbahia

Com o V Encontro recebeu apoio do Banco de Economia Baiana do Nordeste, do Sebrae (EEB), realizado nos e da Bahiagás. dias 17 e 18 de setembro, em Salvador, a Segundo avaliação do Desenbahia consolipresidente da Desenbadou um antigo projeto: hia, Luiz Alberto Bastos fomentar também a Petitinga, economista e pesquisa acadêmica professor licenciado do na área da economia. Curso de Mestrado em Desta vez, 800 estuEconomia da UFBA, dantes, professores, o V EEB cumpriu pletécnicos de órgãos namente seu objetivo públicos, empresários de refletir e discutir a e pesquisadores de di- Encontro de Economia lotou o auditório do Gran Hotel Stella Maris, em Salvador economia baiana. Os versas universidades 800 ativos participantes federais, estaduais e privadas da Econômicos e Sociais da Bahia (SEI) comprovaram o envolvimento da coBahia e do Brasil, compareceram às – adotou o tema central “Estado e munidade acadêmica e também de palestras e se dividiram entre as oito Desenvolvimento: novo ciclo”. Com setores empresariais no debate soessa idéia perpassando palestras e bre os rumos da economia. “Foi um mesas de debate. oficinas não foi estranho o tom geral de belo presente de aniversário para a O V Encontro de Economia Baiana – crítica ao neoliberalismo, exatamente Desenbahia”, comentou Petitinga, organizado em parceria com o Curso um ano depois (16 de setembro referindo-se aos 8 anos de existência de Mestrado em Economia da UFBA de 2008) da explosão midiática da da Agência de Fomento completados e a Superintendência de Estudos crise financeira mundial. O encontro no dia 17 de setembro. Expediente / Informativo editado pela Assessoria Técnica de Comunicação da Desenbahia (AST-COM) faleconosco@desenbahia.ba.gov.br www.desenbahia.ba.gov.br Telefone: 71 3103-1061 Ouvidoria: 0800 284 0011 Presidente: Luiz Alberto Bastos Petitinga. Diretores: José Ricardo Santos, Marco Aurélio Felix Cohim Silva e Marcelo Sampaio Oliveira. Presidente do Conselho de Administração: Carlos Martins Marques de Santana. Assessor de Comunicação e Jornalista Responsável: Oldack de Miranda. Edição e redação: Luciano Ataíde. Programação Visual: Vanessa Kinoshita (Estagiária). Impressão: JM Gráfica e Editora. Tiragem: 8 mil exemplares. A Desenbahia é filiada à Associação Brasileira de Instituições Financeiras de Desenvolvimento (ABDE).


Jornal Desenbahia Ano 8 - Nº 73 / Setembro e Outubro 2009

Prazo de aprovação para táxis é reduzido AST-COM / Desenbahia

A Desenbahia reduziu de 70 para 25 dias o prazo para aprovação do financiamento de táxis. A agência acatou a sugestão que chegou através do 0800 da Ouvidoria. A Diretoria de Operações da Desenbahia modernizou a metodologia para reduzir o prazo de análise e aprovação. “Muitas vezes o pedido entrava no sistema com pendências e isso atrasava o processo. Além do maior rigor no preenchimento e cadastro dos pedidos, a equipe de atendimento também foi ampliada”, afirmou o diretor de Operações, José Ricardo Santos. Para reduzir o prazo de análise e aprovação, as reuniões interna para avaliação dos pedidos também foram intensificadas. “Antes eram duas reuniões por mês, agora nos reunimos toda semana”, explicou Santos.

Desenbahia reduziu de 70 para 25 dias o prazo para aprovação do financiamento de táxis

Em 2008, o programa superou a própria meta prevista (R$ 25 milhões e 1.270 operações) realizando 1.511 operações com R$ 25,7 milhões. Mais que o dobro de seu primeiro ano em 1994 quando o programa financiou apenas 740 taxistas. Agora, em 2009, a Desenbahia prevê a aplicação de R$ 28,3 milhões até o final do ano.

Os financiamentos são concedidos com taxas de juros de 10% ao ano, prazo total de até 48 meses para pagamento, sem carência. Mais informações sobre o Programa podem ser obtidas através da Central de Relacionamento com Clientes da Desenbahia pelo telefone 0800 285 1626 (ligação gratuita para toda a Bahia).

O mês de outubro registra importantes ações de fomento da Desenbahia à agricultura. O governo da Bahia está disponibilizando R$ 1 milhão para que os agricultores familiares enquadrados no Pronaf A ou B paguem 1% do saldo devedor. Assim, cerca de 50 mil produtores baianos poderão refinanciar suas dívidas e voltar a ter crédito. Os recursos serão disponibilizados pelo Fundo de Desenvolvimento Social e Econômico (Fundese), que é administrado pela Desenbahia. Da mesma forma, pela primeira vez no Brasil, o Governo da Bahia estendeu esse apoio ao agricultor familiar contemplado pelo Pronaf Mais Alimentos, linha de crédito voltada para culturas específicas de alimentos. Para aqueles que estão adimplentes, serão disponibilizados R$ 2 milhões para pagamento dos juros do programa, que é de 2% ao ano. “Essas iniciativas demonstram o reconhecimento da importância da agricultura familiar para o desenvolvi-

AST-COM / Desenbahia

Desenbahia incentiva agricultura familiar

Na Bahia, cerca de 50 mil agricultores familiares voltarão a ter crédito

mento local, com geração de emprego e renda, inclusão social e segurança alimentar”, ressaltou Luiz Alberto Petitinga, presidente da Desenbahia. Na Bahia, 34% da população vivem em áreas rurais, onde predominam formas de produção tipicamente familiares. PAC do Cacau Em outubro, a Desenbahia também assinou termo de compromisso para renegociação das dívidas dos cacauicultores, junto com o Banco do Nordeste e o Banco do Brasil. Somente da

Desenbahia, poderão ser renegociadas 4.186 operações no valor total de R$ 90 milhões. Agora, o débito poderá ser pago em 20 anos, sendo que a primeira parcela só será cobrada em oito anos. O objetivo é a revitalização da lavoura do cacau, com o investimento em novas alternativas de produção. A renegociação das dívidas é considerada um passo fundamental na implantação do Plano de Desenvolvimento do Agronegócio na Região Cacaueira da Bahia, o PAC do Cacau.


Jornal Desenbahia Ano 8 - Nº 73 / setembro e outubro 2009 E VENTO

Feira do Empreendedor Como patrocinadora do evento, a Desenbahia participou da Feira do Empreendedor 2009, em Salvador, para divulgação das linhas de financiamento para pequenas e médias empresas. A grande procura dos empresários baianos foi pelo CrediFácil Fixo. Com limite de R$ 500 mil e juros de 8% ao ano, a linha pode ser utilizada para reforma e construção ou compra de máquinas e equipamentos.

EDIÇÃO

12

Revista Desenbahia

I N I C I ATIVA

Código de Conduta A Desenbahia prepara a implementação de seu ‘Código de Conduta’. O Código estabelece os padrões de comportamento ético exigidos a todos os colaboradores e aos agentes que atuam em seu nome. As normas serão aplicáveis às atividades e serão incorporadas no dia a dia da Desenbahia. O lançamento está previsto para dezembro deste ano.

O prazo para submissão de artigos a serem publicados na Revista Desenbahia nº 12 está aberto e vai até o dia 30 de novembro de 2009. A edição será lançada em março de 2010. Podem ser enviados artigos inéditos que tenham como eixo central os temas “Economia Baiana”, “Desenvolvimento Regional” ou “Financiamento do Desenvolvimento”. Os trabalhos devem ser enviados para o e-mail revista@desenbahia.ba.gov.br.

IMPRENSA

Tia Sônia “A redenção da tapioca. Uma dona de casa baiana e seu filho transformaram uma receita caseira em sucesso de vendas”. Esse é o título da reportagem de duas páginas na Carta Capital, edição do dia 23 de setembro. A marca Tia Sônia se destaca no mercado de granolas e guloseimas à base de cereais integrais. De Vitória da Conquista, seus produtos ganharam as prateleiras dos supermercados nordestinos e agora conquistaram fama no Rio de Janeiro e São Paulo. Tia Sônia solicitou financiamento à Desenbahia em 2007, renovado em 2009, exatamente para a aquisição de equipamento para produção de barras de cereais.

IPEA

PRESENÇA

Macroeconomia e Desenvolvimento

Fispal 2009 e InfoIlhéus A Bahia sediou a maior feira de produtos alimentícios do mundo: a Feira Internacional de Serviços e Produtos Alimentícios (Fispal). Com patrocínio da Desenbahia o evento ocorreu entre os dias 27 a 30 de outubro, em Salvador. Além disso, a Agência esteve presente na InfoIlhéus, maior feira de tecnologia da Bahia. Em ambos eventos, foram feitos cadastros de empresários interessados nas linhas de financiamento. S E C U LT

O IPEA divulgou, em evento na Desenbahia, o resultado do Sensor Econômico – indicativo do grau de confiança e expectativas elaborado pelo órgão – relativo a setembro: a confiança do setor produtivo aumentou. Em setembro, o indicador atingiu 26 pontos contra 23,2 pontos de agosto. Esta foi a sétima alta seguida do Sensor Econômico. 3º

TRIMESTRE

Microcrédito Cultural

Desempenho Operacional Desenbahia

A Secretaria de Cultura planeja estender o CrediBahia Cultural para 12 cidades do estado. Em parceria com a Desenbahia, o programa de microcrédito tem como objetivo viabilizar pequenos negócios e impulsionar atividades artísticas.

Até setembro deste ano, as aprovações de crédito chegaram a R$ 120,5 milhões. Este número é 14% superior se comparado ao mesmo período de 2008. Foram 10.032 operações em 2009. A expectativa é que a Agência aprove entre R$ 145 milhões e R$ 150 milhões até o final do ano, ultrapassando a meta prevista de R$ 136,4 milhões.


73ª Ed. Jornal Desenbahia