Issuu on Google+

Os efeitos devastadores do pecado Romanos 3.9-18 Exórdio: Em agosto de 1945, os norte-americanos lançaram duas bombas atômicas sobre as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Esse tipo de bomba era a arma mais poderosa que a humanidade conhecia. Hoje elas seriam fraquinhas perto das armas nucleares que os Estados Unidos, Rússia e outros países têm. As duas cidades japonesas foram totalmente destruídas e cerca de 140 mil pessoas (80 mil em Hiroshima e 60 mil em Nagasaki) morreram na hora. Com o passar do tempo, os efeitos da radiação emitida pela explosão das bombas mataram outras 120 mil pessoas. Até hoje, os efeitos não desapareceram totalmente. Esses dois ataques mudaram os rumos da história da humanidade e a forma como os homens passaram a construir suas armas de guerra, cada vez com mais poder de destruição. Narração: Provavelmente Paulo estava em Corinto quando escreveu à carta aos Romanos. Isto por volta do ano 57 ou 58 A.D., no final da Terceira Viagem Missionária. O assunto central da carta é a Justificação pela fé focada em 1.1617, que foi o texto chave para o despertamento espiritual de Lutero, no séc. XVI. Mui provavelmente Paulo escreveu esta carta com o intuito de se defender das acusações dos judeus que o acusavam dele ser apóstata e de estar seguindo um homem maldito, que era escândalo para os judeus. Vivemos atualmente em um contexto em que não tem tido muita preocupação das pessoas com relação ao pecado, o pecado tem deixado de ser visto como algo serio na vida das pessoas, o confronto ao pecado não em sido mais a pratica de muitos pregadores isso porque nos nossos dias as pessoas tem desconhecido, ou menosprezado as consequências desastrosas que o pecado é capaz de trazer a vida daqueles que o pratica sem se importar com suas consequências. O apóstolo Paulo esta exatamente chamando a atenção dos romanos quanto as corrupções causadas pelo pecado. 01 – O pecado corrompe a personalidade – vv. 10-12  Paulo faz aqui seis afirmações para provar que o pecado perverte totalmente a personalidade do ser humano:  Elas são universalmente más: “Não há justo, nenhum sequer”;  Elas são espiritualmente ignorantes: “Não há quem entenda”;  Elas são rebeldes: “Não há quem busque a Deus”;


 Elas são desobedientes: “Todos se extraviaram”;  Elas são espiritualmente inúteis: “A uma se fizeram inúteis”;  Elas são moralmente corruptas: “Não há quem faça o bem”;  Paulo cita aqui o Salmo 14.1 e faz um comentário pessoal para não permitir que ninguém escape à regra, ele afirma: “Não há nenhum sequer”;  Paulo não está dizendo que alguns pecadores sejam propensos a pensarem de si mesmos como piores do que os outros. O contrário poderia ser verdadeiro;  Paulo não está afirmando que não existam coisas boas nos homens como: generosidade, compaixão, decência, etc, mas, que até essas características se tornam imperfeitas e manchadas pelo pecado e pela fraqueza humana;  Ele afirma que jamais o homem poderá por si só alcançar o padrão da verdadeira justiça de Deus que é absolutamente perfeito: “Sede vós perfeitos” afirmou Jesus Cristo;  Logo, só podemos chegar a Deus pela justiça de Cristo a nós imputada, conforme Romanos 5.1: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo”; O homem é assim por causa da sua própria maldade – Ef 4.18-19. obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração, 19 os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza.

02 – O pecado corrompe a conversação – vv. 13-14  Aqui Paulo está citando os Salmos 140.3; 5.9 e 10.7;  Todos sabemos que a verdadeira característica de uma pessoa vem à tona na conversação, conforme afirma a Bíblia:  “Porque a boca fala do que está cheio o coração” – Mt 12.34;  “Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem” – Mt 15.18;  “A boca do justo produz sabedoria, mas a língua da perversidade será desarraigada. Os lábios do justo sabem o que agrada, mas a boca dos perversos, somente o mau” – Pv 10.31-32;  “Os vossos lábios falam mentiras, e a vossa língua profere maldade” – Is 59-3.  Por causa das más conversações as pessoas se envolvem com coisas erradas, se prostituem, etc. O diabo usa a língua das pessoas para fazê-las agir como animas irracionais. Que a sua boca seja instrumento de vida, não a use para falar mal dos outros. Afaste-se das pessoas que corrompem os bons costumes, que destroem. As más conversações corrompem os bons


costumes. Use sua boca para abençoar! Tenha controle sobre ela. Não se deixe contaminar pelo poder maléfico das palavras.  33 Não vos enganeis: as más conversações corrompem os bons costumes. (1Co 15:33 ARA) 03 – O pecado corrompe a conduta – vv. 15-17 Aqui Paulo está citando Isaías 59.7-8; Os seus pés correm para o mal, são velozes para derramar o sangue inocente; os seus pensamentos são pensamentos de iniqüidade; nos seus caminhos há desolação e abatimento. 8 Desconhecem o caminho da paz, nem há justiça nos seus passos; fizeram para si veredas tortuosas; quem anda por elas não conhece a paz.

 O interessante é que isto é uma denúncia contra os religiosos do tempo de Paulo e não apenas contra os ímpios;  O homem tem uma tendência pecaminosa para o homicídio: “Seus pés são velozes para derramar o sangue inocente”; Jesus afirma que o ódio é o equivalente moral do homicídio – Mt 5.2122;ouvistes que foi dito aos antigos: Não matarás; e: Quem matar estará sujeito a julgamento. 22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que sem motivo se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo.

 Basta olharmos as estatísticas sobre violência para percebermos essa verdade;  Paulo afirma que “há destruição e miséria”. O que falar da nossa sociedade cheia de estupros, abusos sexuais, espancamentos, assassinatos, tudo às vezes feito por mero divertimento;  Nos EUA existe um grupo musical chamado: “Gangsta rap” que toca um tipo de música que cultua o homicídio, o estupro e o uso de drogas. É um dos álbuns mais vendidos naquele país;  O que dizer de outros grupos? Parece que quanto pior mais vendável se torna.  Conclusão: John MacArthur afirma: “O pecado, uma vez iniciado, consumirá como uma gangrena à alma humana. Ele desonra o pecador, o expõe, ofende sua moral e por fim destrói sua vida. O vosso pecado vos há de achar” (Nm 32.23). Tudo isso é resultado, segundo Paulo, da falta de temor de Deus, ele afirma: “Não há temor de Deus diante de seus olhos”. Em Provérbios aprendemos que o temor do Senhor é o fundamento essencial para uma vida bem sucedida. Porém, a ausência do temor de Deus provoca isso tudo que o texto nos mostra. Provoca esses efeitos devastadores do pecado.


Os efeitos destruidores do pecado