Page 1

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS Anna Dalbem, Matheus Santiago, Pedro Del Fabro e Renata Selmo

​Porto Alegre - RS

2018

1


ÍNDICE Apresentação……………………………….………………………………………....3 Identidade, imagem e reputação…………………………………………………....4 Planejamento………………………………………………………………………….6 Estratégia……………...……………………………………………………….……...8 Matriz Swot…………………………………………………………………………...10 Precificação…..………………………………………………………………...…….12 Media Training - Q&A………………………………………………………….…….13 Press Kit………………….……………………………………………………….…...15 Releases………………………….…………………………………………………...17 Sobre Ruas de Água………………………………………………………………….24 Mailing……………….………………………………………………………………....25 Considerações finais………………………………………………………………….29

2


APRESENTAÇÃO Esse é um trabalho realizado por alunos de jornalismo da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). O nosso projeto ​Ruas de Água fala dos alagamentos em Porto Alegre e conta o drama de quem sofre com esse problema histórico na cidade. O nosso foco é expor o cenário crítico do bairro Humaitá e Vila Farrapos, localizados nos arredores da Arena do Grêmio, na Zona Norte de Porto Alegre. O objetivo principal é ​dar voz aos moradores da região, que não são atendidos pela prefeitura​, fazendo com que esse conteúdo chegue aos ​veículos de grande porte e atinja ​públicos segmentados com conteúdos específicos.

Através do jornalismo, o grupo propõe contar as histórias marcantes das pessoas que sofrem com alagamentos. Vamos produzir e disponibilizar uma revista em versão impressa para a comunidade afetada, além de utilizar de diferentes recursos para atrair a atenção do público online, como a criação de um ​News Game​, peça chave para o impulsionamento e visualização do projeto como um todo.

A ideia é que a comunidade da Vila Farrapos se ​identifique com o conteúdo, vejam nos personagens escolhidos as histórias deles mesmos e dessa forma interajam e tenham ​conhecimento detalhado da situação do bairro​. O objetivo é que no final do trabalho a comunidade tenha mais uma voz e saiba do progresso atual de obras prometidas, o que foi prometido exatamente, ​o que deve continuar sendo cobrado e a quem cobrar​.

Dar voz não significa apenas postar o conteúdo em uma rede social. Vamos realizar ​estratégias específicas para atrair públicos segmentados,​ utilizar recursos de plataformas variadas e explorar formatos diversos para chegar ao resultado desejado. Cada conteúdo será direcionado e planejado para ter o melhor desempenho e maior alcance possíveis dentro da audiência proposta.

3


IDENTIDADE, IMAGEM E REPUTAÇÃO O Ruas de Água é ​jovem, moderno, ativo e representativo. A nossa Comunicação com o público tem caráter de reivindicação social, com o intuito de trazê-lo para o lado dos moradores. A ​imagem que queremos transmitir é de luta e insistência, a tradução do que os moradores da Farrapos ​e ​Humaitá ​vivem.

Representamos essa

população. Somos um projeto que preza pelo diálogo e dá voz para os que não tem. É isso o que o nosso logo representa. Os moradores ganham um espaço de fala simbolizado com o ​balão laranja no qual as Ruas de Água são o tópico discutido entre grupo e os moradores, explorado em diferentes plataformas digitais.

A gota traduz o nosso tema, sendo ele a motivação do nosso projeto e a nossa razão de existência: o problema dos alagamentos na região que vem dificultando a vida dos moradores dos dois bairros há mais de 40 anos. A identidade visual conversa com o conteúdo a cada entrevista, depoimento, imagem e história contada pelos moradores.

A divulgação de conteúdo nosso por parte da imprensa prevê a necessidade de reputação já adquirida online. Para isso, parte do nosso conteúdo será direcionado especificamente para jovens entre 18 e 25 anos que moram em Porto Alegre, com o objetivo de conseguir um número significativo de curtidas, comentários e compartilhamentos.

Essa força de mobilização nas redes sociais é a própria construção da nossa Imagem e reputação​. Como os jovens são os mais engajados em redes sociais, para esse objetivo iremos focar nesse segmento de público. Vamos produzir um News Game para as interações online com o projeto, com o intuito de expor melhor

4


a realidade das pessoas que convivem com o medo de perderem sua moradia devido aos alagamentos que ocorrem na região.

No momento de fechamento deste trabalho alcançamos 180 curtidas na página do Facebook, nossa rede principal. Um número bom se considerarmos que os posts tiveram apenas alcance orgânico e não foi realizado nenhum tipo de impulsionamento, impossibilitando assim um direcionamento mecânico do conteúdo segmentado para o público desejado.

5


PLANEJAMENTO O nosso projeto envolve produção em ​diversas plataformas e a necessidade prévia de fechamento desses conteúdos para o processo de criação do nosso produto final. Para isso, o nosso planejamento deve ser seguido a risca. Imprevistos virão, mas devem ser contornados com rapidez. Primeiramente produziremos uma ​revista que será disponibilizada para os moradores da Vila Farrapos. Nela, apontaremos os responsáveis pelos problemas do bairro, reivindicações dos moradores, as consequências do descaso com a região e o sofrimento diário de quem vive esse drama. Serão realizadas visitas semanais ao bairro de acordo com a disponibilidade do grupo. Na primeira semana será feita uma conversa com o Líder comunitário Tiago de Freitas Severo, para encaminhamento de fontes, apontamento de problemas e cobranças que precisem ser realizadas pelos moradores referentes a obras prometidas e não cumpridas. Também realizaremos uma reportagem especial em ​vídeo​. Com ela pretendemos posteriormente conseguir uma inserção em algum veículo. Para realizá-la vamos atrás de um ​Case destaque, algum morador com uma história atraente visualmente. Esse personagem deve ser buscado logo na primeira reunião com o Líder comunitário e a autorização para filmagem dentro da casa do entrevistado será solicitada no mesmo encontro.

Aproveitando a indicação de fontes, vamos direcionar um entrevistado para cada jornalista que faz parte do núcleo de ​áudio focar nas histórias específicas de cada personagem. Será produzida uma série com cinco reportagens, cada uma falando de um personagem específico. Para isso, na segunda semana de produção vamos aprofundar o nosso relacionamento com as fontes, mantendo conversas sobre a situação do bairro. Na mesma semana vamos marcar entrevistas para a terceira semana, mirando a captação de áudio.

6


Todo esse planejamento de captação de material e relacionamento com fontes que vai nos gerar conteúdo em diferentes plataformas tem também outra finalidade. O nosso ponto de convergência entre tudo o que foi produzido está no nosso principal produto: o ​News Game​ do Ruas de Água. Essa produção requer busca por referências, roteirização, presenciar a realidade abordada, delimitar possibilidades de diagramação e edição de maneira geral. A busca por referências começa na primeira semana e o processo de criação desse material final se dará após a produção dos demais conteúdos. Isso porque temos o objetivo de proporcionar o máximo de ​imersão e absorção de conhecimento dos jornalistas do grupo sobre a realidade da Vila Farrapos e Humaitá. A produção precisa ser finalizada no máximo uma semana antes do prazo de entrega do projeto, para que o processo de edição seja possível de ser realizado.

7


ESTRATÉGIA O próprio produto principal, o nosso ​News Game nos mostra a direção a ser seguida estrategicamente para o impulsionamento da segmentação desejada. Queremos atingir os ​jovens que já tem como característica o interesse por esse tipo de conteúdo. Nesse sentido, vamos procurar parcerias com influenciadores digitais que dão vida a essa segmentação, a impulsionam e possuem público dentro dela.

Um dos nossos influenciadores, Miguel Bilhar, é campeão brasileiro de FIFA, tendo um número relativamente alto de seguidores e exercendo uma grande influência sobre eles. Um influenciador digital em ascensão. Seu ​perfil no twitter tem 7,3 mil seguidores e o público interage frequentemente a cada tweet.

Também estamos encabeçando uma parceria com Daniel “Daniels” Marcon, jogador profissional e streamer pelo time bicampeão brasileiro de League of Legends INTZ e-sports Club. Com 73,1 mil seguidores no seu ​perfil no twitter pode conseguir um número gigantesco de acessos no nosso News Game.

Se gamers conhecidos jogam e recomendam o nosso jogo, nossa imagem para o público ganha relevância e reputação.

Um simples tweet de cada um dos dois falando sobre o nosso News Game pode fazer uma grande diferença. Outro conteúdo pede uma nova segmentação​. A nossa ​revista vai ser voltada para os ​moradores​, criando uma identificação com o conteúdo, a causa do projeto e aumentando a mobilização da comunidade. Esse conteúdo também terá versão digital e postagem na nossa página do Facebook, sendo a principal parte da estratégia de compartilhamento a parceria com a página “​Movimento vfarrapos​”, conhecida pelos moradores do bairro. A intenção é que eles compartilhem a nossa postagem com a revista inserida. Nesse cenário teremos cumprido o objetivo de

8


entregar o conteúdo ao público segmentado. Também vamos utilizar do nosso mailing em busca de uma inserção em algum veículo. Para a nossa ​reportagem especial em vídeo também vamos utilizar o nosso mailing e dessa vez ele faz parte da estratégia principal. A intenção é conseguir uma parceria para a divulgação dela nas mídias sociais de algum veículo de relevância. Vamos postar o vídeo no nosso Facebook e dessa forma um compartilhamento ou um comentário, da ​Geração E​, já seriam o suficiente para aumentar o status do nosso conteúdo. Essa estratégia é a ideal porque dessa forma conseguimos visualizações e o alcance da página aumenta, além da pauta ser extremamente relevante para a cidade. Tudo isso atrai a atenção dos veículos, especialmente em um projeto multimídia como esse, no qual as possibilidades de aproveitamento de conteúdo aumentam as chances da criação de ​parcerias ​e ​patrocínio​. Isso poderá viabilizar novos horizontes para o Ruas de Água. Para a nossa série de ​reportagens especiais em áudio vamos realizar uma divulgação em grupos de bairros específicos da cidade. Vamos utilizar do Medium, onde podemos inserir também fotos para criar uma experiência mais completa para o público. Esse recurso também é muito intuitivo, essencial para o nicho que queremos atingir, que é o ​público mais velho​. A estratégia vai ser uma parceria com administradores de grupos no Facebook, como o “Amigos do Centro Histórico”, que tem grande relevância no município entre pessoas com 45-60 anos, que costumam interagir com frequência. Vamos solicitar permissão para postar episódio por episódio desse trabalho no grupo. Além disso vamos combinar um post de divulgação, com links para todos os episódios, que será realizado por um dos administradores, com a intenção de chamar a atenção do nicho.

9


MATRIZ SWOT

→ Forças - Conscientizacao da populacao local e pressão ao poder público. A situação das bombas de drenagem no entorno da Arena é um tópico de extrema importância para moradores que não foi esclarecido até o momento. O nosso grupo procura encontrar respostas para as perguntas dos moradores: de quem ‘e a responsabilidade do funcionamento e gerenciamento das bombas? Durante a construção do estádio as consequências para os moradores foram pensadas? O que está escrito no contrato? Nesse sentido, o nosso projeto tem o potencial de mobilizar novos movimentos dentro da própria comunidade, porque além de responder perguntas dos moradores nós vamos expor a situação caótica do bairro visando resultados e melhorias para a comunidade como um todo.

Com o nosso News Game vamos procurar o engajamento do público jovem nas redes sociais. Com um produto voltado para esse tipo de público, temos um objetivo claro e um alvo marcado, aumentando consideravelmente as chances de sucesso. Dessa forma, pretendemos atingir outros bairros da cidade e sensibilizar os usuários do Facebook, dando mais força ainda para o compartilhamento do nosso conteúdo, que dessa forma ganha o potencial até mesmo para atingir outros veículos de comunicação e influenciadores digitais. → ​Fraquezas - A complicação para conseguir conteúdo voltado para telejornalismo, devido aos equipamentos necessários, transporte e periculosidade; a possibilidade de falta de colaboração dos moradores com a entrevista; a necessidade de produzir grande parte do conteúdo para vender a ideia aos influenciadores digitais e o tempo que envolve a produção e comunicação com eles; a possibilidade grande de não pronunciamento de fontes oficiais; a falta de chuvas durante o período de produção, a dificuldade para conseguir imagens de arquivo caso isso ocorra.

Ao mesmo

tempo em que o engajamento dos moradores é uma força, a falta dele pode comprometer o andamento do projeto. As demais fraquezas são mais práticas, em relação a producao de conteudo.

10


→ Oportunidades - Além de oportunidades para os idealizadores, como a visibilidade pelo projeto realizado, podemos abrir portas para contatos diferenciados que possam apoiar a iniciativa e colaborar com outras causas - que podem ser pensadas também para projetos futuros. Quando é realizado um trabalho diretamente com a comunidade envolvida, é possível que apareçam outras direções, outros rumos a serem tomados. A mobilização do grupo é relacionada às bombas de drenagem, mas uma parte da comunidade pode apontar problemas relacionados às bocas de lobo, por exemplo. Concluindo, existem oportunidades de novas pautas a serem trabalhadas e oportunidades relacionadas a continuação do trabalho posteriormente, além do possível apoio de outros veículos/influenciadores.

→ Ameaças - Para que tudo dê certo há uma relação de dependência entre os idealizadores do projeto e a comunidade. A falta de chuvas também pode comprometer o andamento do trabalho. Como já dito anteriormente, sem o empenho dos moradores, parceiros e mobilização dos públicos a serem atingidos nas redes, o projeto pode ir água abaixo. De uma maneira geral este é um projeto com diversos riscos e dificuldades pelo caminho, mas com possibilidades, oportunidades, forças e pautas com muito potencial, relevância e coerência.

11


PRECIFICAÇÃO

Custos variam e envolvem transporte e alimentação. Vamos realizar visitas a comunidade que serão planejadas em cada semana separadamente, ajustadas de acordo com o horario disponivel dos integrantes do grupo;

A revista também terá um custo. Ele terá 8 páginas, cada uma com o custo de R$ 0,10. O levantamento de quantos exemplares serão impressos ainda vai ser realizado

Contribuiria muito para o projeto uma verba direcionada para impulsionar o News Game no Facebook, visando conseguir um número maior de jogadores.

A média de custo por post em um cenário ideal é de R$100, com públicos segmentados em idades com espaço máximo de 10 anos. Conteúdos para moradores serão direcionados para a zona norte apenas.

12


MEDIA TRAINING - Q&A

1) O que é um newsgame? É um jogo que pode ser baseado em acontecimentos reais ou pode ser fictício, mas baseado em fontes reais, em experiências reais.

2) O newsgame servirá para que?

Servirá para induzir o indivíduo a realidade aumentada de como seria estar em um alagamento, correndo risco de vida e perda de bens materiais. O newsgame irá trazer uma linguagem jovem, para impulsionar nosso conteúdo digital.

3) Pretendem fechar parceria com quais causas? E por qual razão?

Fechamos parceria com um influenciador digital, Miguel Bilhar, para vender a nossa ideia do projeto para seus seguidores, ajudando assim, na divulgação nas mídias sociais. Além disso, pretendemos fechar com contatos diversificados, para que possam apoiar a nossa iniciativa e colaborar com outras causas.

4) O que irá acontecer com o projeto caso não ocorra alagamentos este semestre? Como pretendem resolver o problema?

Nesse caso, precisaremos utilizar imagens de arquivo. Para isso, o trabalho da assessoria será voltado para conseguir autorização do uso dessas imagens. Também precisamos manter contato direto com as fontes visando possíveis alagamentos no decorrer do projeto. Dessa forma, podemos conseguir imagens em primeira mão fornecidas por eles.

5) Como será feito o engajamento dos moradores e parceiros sobre o projeto?

Usando mídias digitais, pretendemos engajar o público jovem a consumir o nosso conteúdo. Desde a criação dos smartphones e sua popularização, a 13


população mais jovem encontra uma grande dificuldade em se concentrar em matérias com longa duração ou com muitas informações. Com isso, a nossa rede social teria matérias com maior interação do que simples área para expor seu comentário.

6) Caso não conseguirem imagens ao vivo de um alagamento, como pretendem consegui-las?

Pretendemos manter sempre o contato com moradores, para que os mesmos nos encaminhem vídeos, fotos e relatos sobre o alagamento.

7) Como irão retratar a situação dos moradores?

Nosso grupo procura encontrar resposta para as perguntas dos moradores: de quem é a responsabilidade do funcionamento e gerenciamento das bombas? quais são as consequências para os moradores que agora sofrem com a falta do escoamento de água? para a construção do estádio as consequências para os moradores foram pensadas? o que está devidamente descrito no contrato?

8) Como foi decidido o nome e logo do projeto?

O nome foi pensado para dar mais voz para os moradores, deixando uma linguagem e aspecto mais popular.

14


PRESS KIT Os nossos envios para a imprensa e influenciadores terão dois momentos:

1) Online:

Será enviado um ​vídeo curto e explicativo​ sobre o nosso news game, uma forma de teaser do produto principal do nosso projeto. Junto com isso, vamos enviar um release específico para cada objetivo.

- Mais despojado, descontraído e curto para influenciadores;

- Texto mais completo, com muitos dados para jornal;

- Sugestões de imagens, contatos e cases de personagens para Televisão;

- Conciso e direto, com indicação de contatos para rádio.

15


2) ​Físico:

Será entregue uma pasta com a nossa revista impressa e com um News Game físico. A ideia é entregar em um papel menor do que o da revista, no formato do nosso logo, um balão de ​fala ​laranja​, totalmente reciclável. A parte de trás do papel terá o link de acesso para o nosso ​News Game​ e um pedido. Vamos convidar os que receberam o press kit a postarem uma foto no Instagram com o balão preenchido com a palavra que mais descreve a sensação de jogar o News Game. Eles também vão usar a #RuasdeÁgua e convidar o público para jogar. Essa é uma forma de estratégia para atingir o público alvo, já que Instagram é uma rede dominada por jovens.

16


→ ​RELEASES:

(Direcionado para jornal) Conteúdo produzido para Produção em Jornal: https://issuu.com/ruasdeaguaa/docs/postar-issuu-0u0ac 40 anos de um problema sem solução Casas de bombas de Porto Alegre não são o suficiente para suportar as chuvas Com ​8 mil pontos de alagamento, entre ruas e avenidas suscetíveis a cheias, Porto Alegre se torna uma cidade com ruas de água. Com uma quantidade razoável de chuva, alguns moradores já são surpreendidos com suas casas alagadas, pertences molhados (e com perda total), colocando em risco à própria vida, seja por questões de segurança ou saúde.

Os casos mais graves desse problema são nas regiões da Vila Farrapos e Bairro Humaitá. Outros pontos que sofrem com alagamentos são as avenidas João Pessoa, Sertório, Nilo Peçanha, Neusa Goulart Brizola e a avenida da Legalidade e da Democracia, as ruas Voluntários da Pátria, da Conceição, Dona Sebastiana e Professor Cristiano Fischer.

Localizadas nas proximidades da Arena do Grêmio, ​as casas de bombas da região dos bairros Farrapos e Humaitá,

​que seriam ​responsáveis pelo

escoamento de água da chuva​, ​não são o suficiente durante uma chuva intensa. ​A drenagem feita por elas está operando com apenas 50% ​do que é necessário para evitar alagamentos quando chove em excesso.

Outra causa dos devidos alagamentos é a ​posição geográfica de Porto Alegre, tornando-se mais um motivo para o problema. A cidade ocupa ​471.160 hectares​, cuja topografia é extremamente complexa. Porto Alegre é formada por morros e áreas planas e baixas, com 27 arroios e seus braços, cercada pelo Rio Gravataí, Lago Guaíba e, ao sul, pela Lagoa dos Patos. Esse desenvolvimento

17


desordenado da capital causou ​desmatamento intensivo e inevitáveis problemas de drenagem​, deixando o solo mais exposto ao efeito das chuvas.

O projeto ​Ruas de Água irá englobar a situação de risco dos alagamentos em Porto Alegre. O objetivo principal é expor o cenário crítico dos ​bairros Humaitá e Farrapos​, humanizando as histórias dos moradores. Além disso, serão abordados assuntos como as obras que foram feitas e prejudicaram o ambiente, as principais causas de alagamentos das regiões e visões realistas da situação das comunidades afetadas.

18


(Direcionado para rádio) Conteúdo produzido para a cadeira de Radiojornalismo ​https://medium.com/vozes-farrapos

40 anos de um problema sem solução Casas de bombas de Porto Alegre não são o suficiente para suportar as chuvas

Com ​8 mil pontos de alagamento, Porto Alegre se torna uma cidade com ruas de água. Com uma quantidade razoável de chuva, alguns moradores já são surpreendidos com suas casas alagadas e pertences molhados, colocando em risco à própria vida.

Localizadas nas proximidades da Arena do Grêmio, ​as casas de bombas da região dos bairros Farrapos e Humaitá ​não são o suficiente durante uma chuva intensa. ​A drenagem feita por elas está operando com apenas 50% ​do que é necessário para evitar alagamentos quando chove em excesso. ​Outros pontos que sofrem com alagamentos são as avenidas Sertório e Nilo Peçanha.

O projeto ​Ruas de Água irá englobar a situação de risco dos alagamentos em Porto Alegre. O objetivo principal é expor o cenário crítico dos ​bairros Humaitá e Farrapos​, humanizando as histórias dos moradores. Além disso, serão abordados assuntos como as obras que foram feitas e prejudicaram o ambiente, as principais causas de alagamentos das regiões e visões realistas da situação das comunidades afetadas.

Sugestão de contatos:

19


-Tiago de Freitas Severo (Contato): 91285040 -Sibila Abreu de Mello, mora na rua Luiz Carlos Pinheiro Cabral, 217, quadra 17, casa 14. (Contato): 981053552

20


(Direcionado para influenciadores) Produto final (MVP: Mínimo produto viável): https://goo.gl/forms/tVHZUTNNVbt44fQi1

40 anos de um problema sem solução Casas de bombas de Porto Alegre não são o suficiente para suportar as chuvas

O projeto Ruas de água tem como objetivo mostrar a realidade de Porto Alegre quando a cidade sofre com fortes chuvas, como a enxurrada de junho de 2017. Nosso principal produto é um News game, que coloca o jogador no meio de um alagamento com o objetivo de tentar sobreviver e salvar a própria casa. Esse tipo de formato é de um jogo rápido e com muito potencial compartilhável em qualquer uma das principais redes.

No ano passado, tanto o bairro Farrapos como o Humaitá ficaram alagados por dias. Os moradores perderam moradia, móveis, roupas e ficaram expostos a doenças por causa da água suja. Protestos foram feitos reivindicando melhorias para o local, e a prefeitura respondeu reformando uma das duas casas de bombas do bairro. Mesmo assim, segundo os moradores, não é o suficiente. Há a necessidade de uma reforma maior, tanto das casas de bombas como as galerias subterrâneas.

21


(Direcionado para televisão) Conteúdo será exibido dia 4 de julho em apresentação Link estará disponível na nossa página do Facebook dia 5 de julho https://www.facebook.com/RuasdeAgua

40 ANOS DE UM PROBLEMA SEM SOLUÇÃO Casas de bombas de Porto Alegre não são o suficiente para suportar as chuvas

Com ​8 mil pontos de alagamento, entre ruas e avenidas suscetíveis a cheias, Porto Alegre se torna uma cidade com ruas de água. Com uma quantidade razoável de chuva, alguns moradores já são surpreendidos com suas casas alagadas, pertences molhados (e com perda total), colocando em risco à própria vida, seja por questões de segurança ou saúde.

Localizadas nas proximidades da Arena do Grêmio, ​as casas de bombas da região dos bairros Farrapos e Humaitá ​não são o suficiente durante uma chuva intensa. ​A drenagem feita por elas está operando com apenas 50% ​do que é necessário para evitar alagamentos quando chove em excesso. ​Outros pontos que sofrem com alagamentos são as avenidas Sertório e Nilo Peçanha.

Os mais afetados pelo problema são os moradores da Vila Farrapos, que acabam sofrendo com as consequências da geografia da região e dos dias de jogo na arena, com o lixo que fica acumulado nas bocas de lobo. A vila é o Lar de Tiago de Freitas Severo, líder do Movimento vFarrapos, que mobiliza os moradores a lutarem por melhoras na região. Taz é muito aberto para conversa e conhece muitos moradores que sofreram com a situação.

Sugestão de imagens e contatos:

22


Tiago de Freitas Severo (Contato): 91285040

Sibila Abreu de Mello, mora na rua Luiz Carlos Pinheiro Cabral, 217, quadra 17, casa 14. (Contato): 981053552

23


Sobre Ruas de Água:

A iniciativa dos alunos de jornalismo, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), o projeto Ruas de Água irá englobar a situação de risco dos alagamentos em Porto Alegre. O objetivo principal será expor o cenário crítico do ​bairro Humaitá e Vila Farrapos​, contando a história dos moradores. Manter o contato com os moradores e abordar casos de pessoas que tenham perdido seus pertences, moradia ou até familiares em alagamentos, o projeto Ruas de Água busca também debater sobre as casas de bombas. Com a criação de um Newsgame, o projeto proporcionará uma visão realista da situação que as comunidades afetadas enfrentam com alagamentos, na qual também ajudará as famílias atingidas com arrecadação de doações. O jogo terá tanto uma visão informativa, quanto interativa para o público em geral. Como uma forma de engajamento, o Newsgame procura focar no público jovem que utiliza diversas mídias sociais. Ruas de Água visa aproximar realidades e situações tão distintas que acontecem na mesma cidade.

24


MAILING

JORNAIS ZERO HORA -

Eduardo Rosa | Editor digital de Porto Alegre

E-mail: ​eduardo.rosa@zerohora.com.br -

Cláudia Lawisch | Editora digital de saúde, educação, comportamento e tecnologia

E-mail: ​claudia.lawisch@zerohora.com.br -

Greyce Vargas | Editora digital de Política, Economia e Geral

E-mail: ​greyce.vargas@zerohora.com.br -

Kathlyn Moreira | Produtora

E-mail: ​kathlyn.moreira@rdgaucha.com.br -

Camila Nunes | Repórter

E-mail: ​camila.nunes@zerohora.com.br

CORREIO DO POVO -

Mauren Xavier | Coordenadora de Pauta

E-mail: ​mxavier@correiodopovo.com.br correio@correiodopovo.com.br Telefone: 51 3215-6111

DIÁRIO GAÚCHO -

Eduarda Endler | Estagiária

E-mail: ​eduarda.endler@diariogaucho.com.br -

Leandro Rodrigues | Repórter 25


E-mail: ​leandro.rodrigues@diariogaucho.com.br -

Lis Aline Silveira

E-mail: ​lis.aline@diariogaucho.com.br -

Diego Araujo - Editor Chefe

E-mail: ​diego.araujo@diariogaucho.com.br RÁDIOS GAÚCHA -

Bruno Pancot | Produtor

bruno.pancot@rdgaucha.com.br

-

André Silva | Repórter

andrezinho.silva@rdgaucha.com.br

-

Renata Medeiros | Produtora e repórter

renata.medeiros@rdgaucha.com.br

-

Lucas Katsurayama | Estagiário

lucas.katsurayama@rdgaucha.com.br

-

Daniel Scola | Gerente-executivo e apresentador da Rádio Gaúcha

daniel.scola@rdgaucha.com.br -

Raphael Gomes | Repórter

raphael.gomes@rdgaucha.com.br

RÁDIO GUAÍBA -

Guilherme Kepler

gkepler@radioguaiba.com.br

-

Rene Almeida 26


ralmeida@radioguaiba.com.br

-

Fernanda Bagatini

febagatini@radioguaiba.com.br

RÁDIO BANDEIRANTES

-

Fernanda Bierhals | produtora 90 minutos Telefone: ​994818282

-

Vicente Medeiros | produtor Telefone: 998281068

-

Laura Becker | Chefe de Reportagem Telefone: 999359704

TV RBS - Cristiane Gallisa Telefone: 9914-9890 - Guacira Merlin Telefone: 9691-4505 - Leonardo Saballa Telefone: 8031-8181

ULBRA -

Sugestão de Pauta

E-mail: ​jornalismo@ulbratv.com.br -

Coordenação de Produção

Telefone: 51 3477-9273

27


-

Maressah Oliveira Sampaio

E-mail: ​coordproducao@ulbratv.com.br -

Guilherme Rockett

E-mail: ​guilhermerockett@ulbratv.com.br JORNAL DO COMÉRCIO -

Fernando Albrecht

E-mail: ​fernando.albrecht@jornaldocomercio.com.br -

Patrícia Knebel

E-mail: ​patricia.knebel@jornaldocomercio.com.br -

Thiago Copetti

E-mail: ​thiago.copetti@jornaldocomercio.com.br -

Geração E

Telefone: ​3213.1300   -

Roberta Fofonka

E-mail: ​fofonka@jornaldocomercio.com.br INFLUENCIADORES DIGITAIS -

Daniel Marcon

Twitter - ​@Danielsdesu -

Miguel Bilhar

Twitter - ​@NSE_SpiderKong

28


CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ruas de Água foi um projeto desafiador, que fez o grupo enfrentar dificuldades de produção e buscar soluções para diversos imprevistos. A matriz swot nos ajudou a prever alguns deles e o planejamento foi essencial para que as tarefas fossem entregues dentro do prazo.

O principal objetivo foi alcançado pelo grupo: os moradores se engajaram e demonstraram total interesse em participar. Mais do que isso, eles foram a nossa motivação para continuar diante das dificuldades do semestre. a #JuntosSomosMaisFortes, marca da parceria com o movimento da comunidade, resume toda a experiência que nos levou até o resultado final.

Pretendemos seguir com o projeto e formar parcerias com ONG’s, para conseguir arrecadar dinheiro para uma conta da comunidade, que poderia ser usada em situações críticas.

Conseguimos produzir tudo o que foi proposto pelo grupo, modificamos algumas coisas, mas o que mais nos deixou felizes foi ver que o nosso trabalho, de alguma forma, mobilizou pessoas e conversou com as necessidades delas. Foi atrás de respostas quando ninguém as tinha. Carregou um assunto importante e colocou em pauta. Isso é Jornalismo, isso é Ruas de Água.

29

Ruas de Água  

Trabalho produzido na disciplina de Assessoria de Imprensa e orientado pelos professores Almir Penha de Freitas e Raquel Boechat. Alunos:...

Ruas de Água  

Trabalho produzido na disciplina de Assessoria de Imprensa e orientado pelos professores Almir Penha de Freitas e Raquel Boechat. Alunos:...

Advertisement