Issuu on Google+

 

                                  Candidatura  da  lista  F  aos  órgãos  sociais  da   Associação  de  Engenharia  e  Gestão   Industrial  de  Aveiro  

 


1  


Intenção  de  Candidatura   Novas  Fronteiras:  um  novo  rumo        Esta  intenção  de  candidatura  da  Lista  F  aos  órgãos  sociais  da   Associação  de  Engenharia  e  Gestão  Industrial  de  Aveiro,  AEGIA,  surge  como  um   projeto  de  renovação  e  refundação  ideológica  para  a  Associação.        A  AEGIA  deve  ser  encarada  como  um  espaço  de  desenvolvimento  de   todos  e  para  todos,  deve  ser  capaz  de  se  modernizar  e  evoluir  com  o  tempo.   Após  15  anos,  o  modelo  de  trabalho  que  agora  se  encontra  em  vigor  esgotou-­‐ se  e  deixou  de  corresponder  às  necessidades  sentidas  por  quem  usufrui  dos   seus  serviços,  os  seus  sócios.  Urge,  então,  um  projeto  reformador  e   modernizador  de  toda  a  sua  estrutura.  Um  novo  rumo:  é  o  que  a  AEGIA  precisa   e  merece;  uma  renovação  de  modo  a  que  fique  à  altura  dos  desafios  exigentes   da  realidade  que  enfrentamos. E  batizamos  este  projeto  como  Novas  Fronteiras,  que  significam   abertura  e  participação  viva,  empenhada,  crítica  e  plural.  Mas  uma   participação  que  traduz,  sobretudo,  o  envolvimento  de  todos  os  sócios  na  vida   da  sua  associação,  que  deverá  representar  uma  condição  indispensável  ao  seu   crescimento  e  à  sua  formação  académica,  social  e  individual.        É  isso  que  pretendemos  com  este  projeto  que  desenvolvemos,  um   projeto  que  consideramos  ser  arrojado,  inovador  e  ambicioso;  um  projeto  que   dotará  a  AEGIA  de  energia  para  realizar  todo  o  seu  potencial  e  força  para  se   projetar  no  futuro.  Apresentar-­‐nos-­‐emos  a  estas  eleições  com  vontade,   coragem  e  ambição.  Pretendemos  mostrar,  a  todos  os  sócios  da  AEGIA,  que   temos  ideias  claras  e  de  que  a  nossa  agenda  não  é,  nem  será,  uma  caixa  de   surpresas,  com  ideias  vagas  ou  palavras  vazias.  Defendemos  a  modernização   da  nossa  Associação,  como  um  centro  de  desenvolvimento,  iniciativa,  inovação   e  empreendedorismo.  Não  queremos  uma  AEGIA  desorganizada  internamente,   com  demasiadas  falhas  e  fraquezas  visíveis  aos  olhos  de  todos,  mas  sim  uma   Associação  que  se  norteia  pela  procura  da  excelência  nas  atividades  que   realiza,  promovendo  valores  como  o  mérito,  a  união,  o  rigor,  a  exigência,  a   ética,  a  total  transparência  e  a  universalidade.  Uma  AEGIA  que  defenda  os   direitos  e  os  interesses  dos  seus  associados  junto  das  entidades  que   oficialmente  reconhece. O  nosso  projeto  assentará  em  três  pilares  fundamentais:  na  refundação   ideológica  da  AEGIA,  na  sua  sustentabilidade  financeira  e  na  criação  de   programas  de  apoios  reais  ao  desenvolvimento  de  um  EGI.

 

2  


É  essencial,  então,  neste  processo  reformador,  a  clarificação  estatutária   da  AEGIA.  Esta  deverá  ser  uma  Associação  centrada  nos  seus  sócios,  os   estudantes  e  atuais  profissionais  de  Engenharia  e  Gestão  Industrial  em  Aveiro.   Propomos,  então,  de  acordo  com  esta  visão,  rever  os  estatutos  da  AEGIA  por   forma  a  esclarecer,  sem  espaço  para  dúvidas  ou  omissões,  os  seus  fins.  Só   assim  a  AEGIA  poderá  fortalecer-­‐se  e  ganhar  robustez.  Mas  esta  medida  tem   que  ser  integrada  com  a  garantia  de  um  modelo  de  sustentabilidade  financeira   igualmente  forte.  Neste  momento,  mais  de  metade  do  orçamento  da  AEGIA   provém  de  programas  de  apoio  de  institutos  públicos.  Tal  não  poderá   acontecer  numa  perspectiva  de  crescimento  e  alavancagem,  uma  vez  que  toda   a  sua  atividade  fica  limitada  e  refém  destes  fundos.  Temos,  então,  que   encontrar  modelos  de  autossustentabilidade  que  acompanhem  a   modernização  e  refundação  de  toda  esta  nova  ideologia  inerente  ao  processo   associativo. Estamos  certos  que  a  educação,  a  formação  e  a  cultura  são  o  pilar   basilar  do  sucesso.  Por  isso,  entendemos  que  este  deverá  ser  o  objetivo   máximo  e  condutor  de  toda  a  atividade  da  AEGIA.  O  desenvolvimento  de   formações  baseadas  em  educação  não-­‐formal  servirão  para  potenciar  os   conhecimentos  de  um  EGI  e  servirá  como  o  nosso  melhor  cartão  de  visita   numa  perspetiva  de  exportar  aquilo  que  de  melhor  se  faz  no  curso  de  EGI  na   Universidade  de  Aveiro  e,  assim,  captar  a  atenção  das  empresas,  contribuindo,   desta  forma,  não  só  para  a  elevação  da  excelência  mas  também  para  a   realização  profissional  de  todos  os  estudantes. É  dever  elementar  de  todos  nós  que  nos  concentremos  em  vencer  o   défice  ideológico  que  herdamos,  para  que  daqui  para  a  frente,  no  futuro,  nos   possamos  concentrar  inteiramente  em  problemas  desse  tempo  e  não  nos  do   passado  e  para  que  a  AEGIA  possa  realizar  plenamente  o  seu  potencial,   contribuindo  desta  forma  para  a  valorização  de  um  EGI  do  distrito  de  Aveiro. Esta  é  a  nossa  agenda.  Este  é  o  nosso  projeto  para  a  AEGIA,  uma  visão   que  projeta  esperança  e  um  horizonte  de  confiança  que  nos  deve  inspirar  e   unir.  Enfrentaremos,  com  confiança,  o  julgamento  democrático  dos  nossos   colegas.  O  nosso  empenhamento  cívico,  na  responsabilidade,  no  trabalho  duro,   nas  reformas  necessárias  e  na  mobilização  de  todos  dará  resultado:  a  AEGIA   sairá  fortalecida,  inovadora  e  com  os  dois  pés  assentes  no  caminho  do   progresso.        E  é  para  este  projeto  que  queremos  convocar  todos  os  estudantes  de   EGI.  Queremos  que  a  AEGIA  tenha  um  futuro.  Define  o  teu  rumo.  

 

3  


Intenção de Candidatura Lista F