Issuu on Google+


expediente Coordenação Geral Elisabeth Adamoli Simões Dedini Indústrias de Base

Coordenação Indicadores GRI Maryse Storel Dedini Indústrias de Base

Redação - Modelo GRI Eliane Zaidan - MTB 36.302 EZS Comunicação e Arte

Coordenação e Projeto Gráfico Rodrigo Sanches Dedini Indústrias de Base


sumário Carta do Presidente Mensagem do Presidente Perfil Governança Corporativa Direitos Humanos A Força dos Relacionamentos Gestão de Tecnologia e Sustentabilidade Economia e Finanças Desempenho Ambiental Desempenho Social Treinamento e Educação Saúde e Segurança Dedini Social Fundação Mario Dedini Produto e Satisfação do Cliente Parâmetros do Relatório Índice Remissivo

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

02 04 05 13 17 21 25 35 43 55 65 69 75 81 85 87 88

1


Carta

do Presidente do Conselho de Administração

duradouras com empresas internacionais e com o meio acadêmico, formando, por consequência, pessoal altamente qualificado.

Giuliano Dedini Ometto Duarte

Presidente do Conselho de Administração

Com 90 anos de existência, a DEDINI edificou uma história de trabalho árduo e de persistência que gerou comprovada experiência e excelência nos segmentos de mercado em que atua. Mario Dedini, nosso fundador, cunhou na pedra fundamental do que, no início do século passado era uma pequena oficina de consertos, o afinco ao trabalho, a seriedade na condução dos negócios e o comprometimento social. Seu sucessor, Dovilio Ometto, assumiu, em meados da década de 60, uma empresa sólida e agregou aos valores já existentes a diversificação do portfólio, a projeção da Dedini no exterior e a busca quase religiosa pela inovação. Com esse DNA constituinte da Empresa, atuamos hoje num mercado diversificado, tendo condições de fornecer equipamentos, partes e até plantas industriais completas para o segmento sucroalcooleiro, de energia, mineração, siderurgia, alimentos, óleo e gás, entre outros. Para nos mantermos sempre atualizados, investimos em pesquisas, nos últimos nove anos, uma média de 0,31% do faturamento bruto com recursos próprios. Esse percentual é extremamente significativo se comparado aos investimentos governamentais. Com essa estratégia, a DEDINI conseguiu, ao longo dos anos, parcerias tecnológicas importantes e

2

Dedini S/A Indústrias de Base

A seriedade na condução das parcerias, bem como o respeito às normas internacionais e aos critérios de responsabilidade ambiental e social, permitiu-nos atuar com sucesso, não só no Brasil, mas também em países das Américas do Sul, Central e do Norte, na África e na Ásia. Assim, temos a satisfação de contabilizar que 80% do etanol nacional e 25% da produção mundial são gerados com equipamentos DEDINI. Apesar de todas as evidências científicas e de todas as catástrofes climáticas ocorridas nos últimos anos, parece-nos que, infelizmente, o mundo desenvolvido ainda não se deu conta da seriedade e da gravidade do problema do aquecimento global e de suas consequências. Nós, DEDINI, continuamos acreditando na busca de alternativas tecnológicas que contribuam com a preservação socioambiental, comprometendo-nos com o desenvolvimento de equipamentos para a geração de energia limpa. Por isso é inadmissível pensar num crescimento que ameace o planeta pelo uso excessivo de materiais não renováveis, pela poluição dos ares e pela contaminação das águas e do solo. Nosso glorioso passado fornece-nos os valores necessários a nos impulsionar no desenvolvimento de equipamentos e soluções que tornem o planeta realinhado aos conceitos ecológicos contemporâneos, adequados ao bem-estar e à sobrevivência das próximas gerações, respeitando a flora e a fauna e utilizando adequadamente as reservas naturais. Já em 1896, o físico sueco Svante Arrhenius advertia sobre a contínua emissão de dióxido de carbono na atmosfera. E então, que mundo queremos deixar para a nossa continuidade? A DEDINI responde a essa questão com a responsabilidade de fornecer equipamentos


que evitaram, em 2010, a emissão de 48 milhões de toneladas de CO2 na atmosfera.

-tentabilidade, através do trabalho pautado pelo compromisso socioambiental.

Respondemos ao alerta de degradação do planeta com a apresentação da Usina Sustentável Dedini, que foi agraciada com o Prêmio ECO, em 2009, e com o Prêmio von Martius, em 2010.

Nosso sonho é construir um Brasil ainda melhor para as próximas gerações. Um Brasil que cresça, sim, mas que principalmente não se esqueça de diminuir suas diferenças sociais; um país que seja comprometido com a educação de seu povo e com o respeito à natureza, como seus principais patrimônios.

E não paramos por aqui. Continuamos a sedimentar a consciência ecológica disponibilizando outros produtos sustentáveis, tais como a USSD, Usina de Sorgo Sacarino, a Estação de Limpeza de Palha, o Sistema de Cogeração, utilizando a palha de cana como combustível, o uso do biogás /biometano das unidades de tratamento de efluentes em combustível veicular, a Usina de Tratamento de Lixo e Cogeração, entre outros. Apesar de todos esses esforços internos, temos plena consciência das consequências que ainda sofremos em decorrência da crise mundial de 2008, mas estamos otimistas de que o novo governo terá vontade política e acenará com medidas que darão ao empresariado a segurança para voltar a investir nos segmentos que fazem do Brasil um dos países mais sustentáveis do mundo.

Desenvolvendo o Brasil social e ecologicamente, seremos mais uma engrenagem rodando a favor de um mundo mais sustentável e responsável, que respeite o futuro e o direito à sobrevivência.

Nós, ”dedinianos”, estamos prontos a construir um mundo melhor, mais desenvolvido e mais limpo!

Nossa história empresarial garante-nos, de forma dialética, a continuidade e o pioneirismo para a manutenção do cunho de “fábrica de fábricas”, gerando equipamentos de alta sus-

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

3


Mensagem do Presidente Executivo

Sergio Leme dos Santos

Presidente Executivo da Dedini

Administrar a maior empresa brasileira de bens de capital é dar continuidade a uma obra singular, idealizada pelas mãos laboriosas e criativas de Mario Dedini e Dovílio Ometto. É criar uma sinergia positiva com o apoio de equipes de profissionais que fizeram e fazem a nossa história e que representam uma sólida estrutura para construirmos o futuro da Empresa. Assim, as homenagens pelos 90 anos de fundação representam uma grande honra, como também uma enorme responsabilidade, principalmente num momento em que o mercado de bens de capital foi fortemente impactado pela crise, como uma verdadeira ‘tsunami’ de informações e notícias que, de fato, tem-se apresentado profunda, séria e globalizada. Vários setores nos quais atuamos vivem, ainda, esse cenário difícil e de baixos investimentos. Não menos importante é superar os desafios de câmbio, política industrial e competitividade, entre outros, estabelecidos às modernas empresas. E, sobretudo, traçar um projeto de trabalho alentado pela certeza de que os ventos estão favoráveis, devido ao novo cenário delineado para os próximos cinco anos. O mundo, hoje, conscientiza-se cada vez mais da necessidade de uma economia verde e aposta em pesquisas e desenvolvimento de soluções e equipamentos alinhados à sustentabilidade. A demanda internacional por soluções alternativas aos combustíveis fósseis dá ao etanol brasileiro a oportunidade de franco crescimento e de popularização mundial. Nesse

4

Dedini S/A Indústrias de Base

sentido, o direcionamento para os planos de internacionalização objetiva a produção com boas perspectivas para exportações, superando os 15% do seu volume de vendas. Se há espaço externo para o crescimento, a Dedini tem muito a contribuir, podendo tornar-se protagonista nesse novo cenário. Também no plano nacional, a exploração do pré-sal, por exemplo, promete levar a Dedini a aumentar sua atuação no mercado do petróleo e gás. E o reaquecimento da economia cria o incentivo para as vendas brasileiras. Todo esse impulso de desenvolvimento econômico supõe a superação da crise, que já se viabiliza por investimentos competentes e criativos da Dedini, cuja visão de modernidade norteia a Empresa para a vanguarda no setor tecnológico e inovação de projetos. Essa diretriz não segue rumo diferente daquela presente na história da Dedini. Ao contrário, amplia-se com as parcerias firmadas, como com a dinamarquesa Novozymes, para a pesquisa e desenvolvimento de uma rota tecnológica para a produção de etanol celulósico, ou com a Fermentec para a solução que produz etanol com concentração de vinhaça. Ilustram muito bem o comprometimento da Dedini com a sustentabilidade ambiental e social os projetos que vem desenvolvendo, para propiciar mais qualidade de vida. Nesse sentido, torna-se extremamente prazeroso divulgar um dos resultados de nosso empenho e trabalho: a Usina Sustentável Dedini, capaz de reduzir a emissão de gases de efeito estufa e de chegar à autossuficiência de água. Esses resultados alvissareiros reforçam a ideia de que todo grande vencedor parte de um pressuposto: pode ser difícil, mas não impossível superar os grandes desafios. E este relatório confirma exatamente os objetivos traçados pela Dedini S/A Indústrias de Base, de ampliar sua atuação global, liderando tecnologias no campo de energias renováveis e gerando empregos e benefícios às comunidades onde possui plantas industriais.


Perfil

Dedini Indústrias de Base

A Dedini S.A. Indústrias de Base chega aos seus 90 anos com o orgulho de ser uma empresa de grande porte, líder mundial no fornecimento de equipamentos e plantas completas para o setor sucroalcooleiro e a maior empresa brasileira de bens de capital, com estrutura familiar e capital 100% nacional. O espírito empreendedor de seu fundador, Mario Dedini, representa a força que continua a mover as gerações à frente da administração das Empresas. Ao longo desses anos, vem mantendo o foco no setor sucroalcooleiro e, ainda, adaptando e diversificando os seus produtos para se adequar às transformações do mercado. Destaca-se, também, por sua atuação em outros segmentos industriais de infraestrutura, como os de energia e alimentos, tendo como princípio a sustentabilidade, com forte vocação para tornar-se líder no segmento de equipamentos para produção de energias renováveis. Superando um momento de turbulência em função da crise mundial, a Dedini vem se reestruturando e retomando sua produtividade. Somou R$ 2,3 bilhões de faturamento nos anos de 2009 a 2010, mantendo-se como empresa de grande porte e destaque no seu segmento. Mantém sua sede na cidade de Piracicaba, SP, estrategicamente localizada, assim como as outras unidades industriais em Sertãozinho

(SP), Maceió (AL) e Recife (PE), totalizando seis unidades industriais e nove fábricas em área de mais de um milhão de metros quadrados, além de um escritório comercial em São Paulo. Seu parque industrial possui capacidade para atender aos mercados interno e externo, interligado por sistemas informatizados e logística própria para corresponder à expansão da fronteira agrícola brasileira. Com estrutura movida pelo empenho e trabalho de uma equipe direta de 4.640 colaboradores e de 1.090 terceiros, a Dedini disponibiliza produtos e serviços de qualidade para suprir as necessidades dos clientes. Para isso, a Dedini atua comercialmente na América do Norte, América do Sul, América Central, Caribe, Ásia, África e Sudeste Asiático. Mantém representantes comerciais na América do Sul, América Central, América do Norte e Caribe. Já entregou mais de 120 usinas completas e possui capacidade instalada para produzir cerca de 12 unidades/ ano. As usinas projetadas e montadas pela Dedini produzem 80% do álcool nacional e 25% da produção mundial. Para chegar a esse destaque, a Dedini, calcada na inovação e na tecnologia, desde sua origem, tem apostado em soluções e equipamentos em linha com a sustentabilidade, em especial no setor sucroalcooleiro, e vem aumentando sua atuação no setor de petróleo e gás.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

5


Nossas Marcas •

RGD - Reposição Garantida Dedini

CODISTIL

CODISMON Fábrica de Tampos Industriais

CMM – Cimento, Mineração e Metalurgia Dedini

BIOETANOL Dedini

BIOAÇÚCAR Dedini

BIODIESEL Dedini

BIOELETRICIDADE Dedini

BIOÁGUA Dedini

BIOFOM Dedini

USD - Usina Sustentável Dedini

USSD - Usina de Sorgo Sacarino Dedini

Nossos Produtos: • Plantas Completas para Produção de Bioetanol e Açúcar • Plantas Completas para a Produção de Biodiesel • Plantas Completas para a Produção de Bioeletricidade • Plantas Completas para o Tratamento de Efluentes Domésticos e Industriais • Plantas Completas de Cervejarias • Difusor Modular ( Parceria Dedini Bosch) • ECOFERM – Planta de Fermentação de Alto Teor Alcoólico (Parceria Dedini e Fermentec) • ECHOCHILL – Chiler de Absorção Ecológico • BIOFOM – Produção de Biofertilizante Organomineral • DSS – Dual Smart Star • DCV – Sistema Dedini para Concentração de Vinhaça • DRD - Dedini Refinado Direto (Refinaria de Açúcar ) • Completa Linha de Equipamentos para a Produção de Açúcar, Bioetanol e Bioeletricidade • DHR - Dedini Hidrólise Rápida (Planta para Produção de Etanol a partir da Celulose - produto ainda não comercial, com tecnologia em desenvolvimento) • DAP - Dedini Automação de Processos (Parceria Dedini e Proleit) • Destiltech Marca de Destilarias com Tecnologia Dedini • MCD-01 Moenda • Tampos Industriais • Peças Fundidas • USD – Usina Sustentável Dedini

6

Dedini S/A Indústrias de Base


Participação no Mercado por Segmento

50% Bioeletricidade

60%

90%

Cervejaria

Armazenagem de Sucos

60% Biodiesel

80% Tratamento de Efluentes

50% Açúcar e Etanol

Nossos Serviços: A Dedini é qualificada para oferecer estudos de viabilidade técnica e econômica, avaliações iniciais de processo, projetos de engenharia, fabricação de equipamentos, supervisão de montagens, montagem e instalação de indústrias em seu segmento de mercado Possui tecnologia própria ou licensiada para: • Estudos de Viabilidade, Engenharia Básica, Engenharia de Processo, Engenharia de Detalhamento e Fabricação; • Plantas Completas para a Produção de Bioetanol, Bioaçúcar, Bioeletricidade, Biodiesel, Biofom e Bioágua; • Cervejarias; • Plantas para Tratamento de Efluentes; • Equipamentos para os mercados de Açúcar e Etanol, Alimentos, Sucos e Bebidas, Biodiesel, Celulose e Papel, Cervejarias, Cimento, Energia e Cogeração, Fertilizantes, Hidroelétricas, Mineração e Metalurgia, Petróleo, Gás, Petroquímica, Química, Siderurgia e Tratamento de Efluentes. Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

7


NOSSOS VALORES • Tradição • Empreendedorismo

Nossas Políticas

• Responsabilidade

Qualidade

• Qualidade

A Política da Qualidade da Dedini S/A/ Indústrias de Base consiste em atender plenamente as expectativas atuais e futuras dos clientes, através da:

• Comprometimento • Responsabilidade Social

• RESPONSABILIDADE e LEALDADE como valores indiscutíveis na condução dos negócios; • MODERNIZAÇÃO tecnológica e CAPACITAÇÃO dos recursos humanos como diferenciais no mercado; • AGILIDADE no fornecimento de soluções;

NOSSA VISÃO Ser uma empresa de excelência no fornecimento de soluções para o mercado global de bens de capital sob encomenda

• PARCERIA com fornecedores para obter excelência na qualidade dos produtos, e; • COMPROMETIMENTO de todos na busca de melhorias contínuas.

Ambiental A Dedini S/A Indústrias de Base assume uma atuação responsável e permanente nos seus processos e atividades de desenvolvimento e produção de bens de capital sob encomenda, de modo a contribuir para a preservação equilibrada do meio ambiente, promovendo o desenvolvimento sustentável. Os seguintes princípios orientam sua atuação:

NOSSA MISSÃO Desenvolver, comercializar e produzir bens de capital e serviços sob encomenda, com tecnologia, qualidade, preço e prazo competitivos, antecipando-se às necessidades do cliente, com soluções que assegurem e ampliem a participação no mercado, proporcionando retorno aos acionistas e promovendo o desenvolvimento sustentável 8

Dedini S/A Indústrias de Base

• Atender a legislação, normas ambientais e outros requisitos aplicáveis ao seu ramo de atuação; • Implementar e monitorar ações de modo a prevenir, reduzir e ou eliminar os impactos ambientais adversos; • Melhorar continuamente o desempenho ambiental de seus processos.

Responsabilidade Social A DEDINI compromete-se em atender aos requisitos da Norma SA 8000, definidos no Sistema de Gestão de Responsabilidade Social, nos princípios e compromissos assumidos, integrados ao atendimento das legislações nacionais e internacionais aplicáveis ao seu negócio. Assume o compromisso de promover a conscientização e melhoria contínua do Sistema de Gestão de Responsabilidade Social aos seus colaboradores, clientes, fornecedores e sociedade, através da promoção do crescimento econômico, da preservação ambiental e da justiça social nas suas relações de trabalho.


Unidades Industriais RECIFE - PE

MACEIÓ - AL

Na Codistil Nordeste, são fabricados equipamentos em aço inox para clientes regionais e internacionais. Sua logística permite atender a esses clientes com maior versatilidade e menor custo. Capacidade de Produção: 100.000 h/mês. Possui a certificação NBR ISO 9001:2008.

A Unidade fabril de Maceió produz equipamentos de pequeno porte em aço carbono, peças e serviços para reposição em equipamentos. Capacidade de Produção: 40.000 h/mês. Está em fase de certificação da NBR ISO 9001:2008.

Recife Maceió

SP

Sertãozinho PIRACICABA - SP Caldeiraria – a fábrica de equipamentos em aço inoxidável, considerada uma das mais modernas do continente, é também uma das maiores consumidoras de aços inoxidáveis da América Latina. Capacidade de produção: 161.000 h/mês. Possui as certificações NBR ISO 9001:2008 e ASME, selos U, U2 e R para vasos de pressão.

Piracicaba

Mecânica – é uma das mais tradicionais unidades fabris da companhia. Produz peças e equipamentos de grande porte em usinagem de alta precisão. Capacidade de Produção: 70.000 h/mês. Possui a certificação NBR ISO 9001:2008.

SERTÃOZINHO - SP

Fundição – é uma das maiores e mais modernas fundições instaladas no Brasil, com equipamentos de última geração e certificações NBR ISO 14001:2004 e NBR ISO 9001:2008. Produz peças de até 38 toneladas, respeitando uma filosofia de trabalho de não agressão ao meio ambiente. A Fundição possui equipamentos que garantem sua operação dentro de todos os requisitos da legislação ambiental. Capacidade de Produção: 85.000 h/mês.

Fábrica de caldeiras e equipamentos de médio e grande porte, com uma completa infraestrutura de engenharia, fabricação e logística altamente capacitada para atender a grandes projetos de bens de capital do país. A Unidade conta, ainda, com células dedicadas à fabricação de peças de reposição. Capacidade de Produção: 185.000 h/mês. Possui as certificações NBR ISO 9001:2008, ASME U, U2 e R para vasos de pressão e ASME S e R para caldeiras. Também possui uma Unidade de Mecânica com as mesmas condições da Unidade de Piracicaba. Capacidade de Produção: 80.000 h/mês.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

9


90 anos de Dedini Uma história de trabalho e de empreendedorismo

1922

1920

A pequena oficina idealizada por Mario Dedini é, hoje, um grupo de empresas que despontam em crescimento ascendente, com atuação em vários segmentos industriais, mantendo o histórico e tradicional pioneirismo e liderança tecnológica.

Mario e Armando César Dedini adquirem a oficina de ferraria.

Os irmãos Dedini diversificam as atividades, e a empresa começa a atuar como prestadora de serviços na fabricação e reparos de moendas, caldeiras e outros equipamentos.

1929

Na crise do café e com a queda no preço do café brasileiro no mercado internacional, há incremento na indústria da cana-de-açúcar. O açúcar é consumido em larga escala na Europa e Estados Unidos, gerando um aumento na procura dos serviços da “Officina Dedini”, que passa a se chamar Metalúrgica

1939

Passadas duas décadas da fundação, a Metalúrgica Dedini já atende pratica-

1970

1952

É fabricado o primeiro equipamento completo para usinas de cana-de-açúcar:

1943

Dedini.

10

um conjunto de moendas para a Usina Nossa Senhora Aparecida.

mente a todas as usinas de açúcar do país. Pela visão empresarial de Mario Dedini, é fundada a Codistil - Construtora de Destilarias Dedini S/A.

Fundação da Dedini Refratários para a produção de cerâmica vermelha.

Com a morte do fundador Mario Dedini, a direção das empresas passa ao comando de Dovilio Ometto.

Dedini S/A Indústrias de Base


e Sistemas - a maior fábrica mundial de equipamentos para o mercado de açúcar e álcool.

Todo o controle acionário da DZ passa a pertencer ao Grupo Dedini.

A Dedini consolida sua posição como uma das principais empresas no setor de bens de capital.

Inaugurada a nova Fundição Dedini, a maior da América Latina, com capacidade para fabricar peças de até 30 toneladas.

A Dedini completa 85 anos, atenta às tendências de globalização e se fortalece como “fábrica das fábricas 100% brasileira”.

1980 1992

Dedini e Zanini somam suas forças e formam a DZ Engenharia, Equipamentos

1995

acionistas majoritárias.

2000

empresa acionista e controladora e tendo as famílias Dedini e Ometto como

2004

Administração e Participações, a holding do grupo, exercendo as funções de

2005

Para controlar e gerenciar os interesses das empresas, é formada a Dedini S/A

A Dedini S/A Indústrias de Base completa 87 anos, com um balanço financeiro possibilitam o crescimento da agroindústria brasileira, sempre se pautando pela preservação ambiental e pelas exigências do mercado internacional de sustentabilidade. Em 2007, há a morte do presidente Dovilio Ometto e a nomeação do novo Conselho de Administração No início de 2008, também falece a

2007

favorável. De olho no futuro, investe em pesquisas ligadas à agroenergia, que

então presidente do Conselho, Juliana Dedini Ometto, assumindo o Conselho

A Dedini S/A Indústrias de Base completa 90 anos e destaca-se como líder mundial no fornecimento de equipamentos e plantas completas para o setor sucroalcooleiro.

2010

Giuliano Dedini Ometto Duarte.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

11


Prêmios Além das diversas homenagens recebidas por seus 90 anos, a Dedini ganhou, em 2010, o primeiro lugar do importante “Prêmio Von Martius de Sustentabilidade”, outorgado à Usina Sustentável Dedini – USD, dentre 110 projetos analisados, 27 deles na categoria Tecnologia. A USD – Usina Sustentável Dedini produz seis bioprodutos (Bioaçúcar, Bioetanol, Bioeletricidade, Biodiesel, Biofertilizante e Bioágua), emitindo zero resíduos, zero efluentes, zero odores, utilizando zero água de mananciais e possibilitando emissões mínimas de CO2. O Prêmio Von Martius de Sustentabilidade é promovido pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha e contempla trabalhos em três categorias: Humanidade, Natureza e Tecnologia. Esse concurso é o único do país que possui auditoria de procedimentos durante a escolha dos projetos.

Outros Prêmios • Em novembro de 2009, a USD foi vencedora da 27ª Edição do Prêmio Eco, organizado pela “Amcham-American Chamber of Commerce” e pelo jornal “Valor Econômico”, recebendo o prêmio “Produto Sustentável do Ano 2009” (detalhes em Tecnologia Dedini). • Em março de 2010, a Dedini foi convidada a apresentar a USD no “XXVII Congresso Internacional do ISSCT-International Society of Sugar Cane Technologists”, México, Veracruz, e o “paper” foi aprovado para apresentação em plenário. Teve, também, a satisfação de receber o Prêmio “Emile Hugot”, “Award for best “paper”” da “Factory Commission”, para o “paper” “separação etanol-água utilizando a Membrana SIFTEK”. • “DESTAQUE INDUSTRIAL 2010” CATEGORIA – ESPECIAL – GRANDE EMPRESA - 4º LUGAR, pela CIESP, em novembro de 2010. • “DESTAQUE INDUSTRIAL 2009” CATEGORIA – ESPECIAL – GRANDE EMPRESA - 54º LUGAR, pela CIESP, em novembro de 2009.

Homenagens • HOMENAGEM DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO pelos 90 ANOS DE FUNDAÇÃO do Grupo Dedini, prestada pelo deputado estadual Roberto Moraes, no Palácio Nove de Julho, em setembro de 2010. • HOMENAGEM - “DIPLOMA DE RECONHECIMENTO DE MÉRITO” ÀS INDÚSTRIAS DEDINI, em comemoração aos seus 90 ANOS DE FUNDAÇÃO, pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, em setembro de 2010. • HOMENAGEM DA CIESP pelos 90 ANOS DE FUNDAÇÃO, em setembro de 2010. • HOMENAGEM Diretoria Regional de Piracicaba, CIESP pelos 90 ANOS DE FUNDAÇÃO, em reconhecimento ao Grupo Dedini S/A Ind. de Base, setembro de 2010. • HOMENAGEM do SIMESPI aos 90 ANOS DE FUNDAÇÃO, setembro DE 2010. • HOMENAGEM do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba pelos 90 ANOS DE FUNDAÇÃO, setembro de 2010. • HOMENAGEM como Pioneira em Consultas, pela SCPC – ACIPI, outubro de 2009. • HOMENAGEM À FUNDAÇÃO MARIO DEDINI – Mérito Esportivo 2009 e 2010, concedido pela SELAM – Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Atividades Motoras de Piracicaba - e Clube de Campo de Piracicaba, referente a apoio aos Jogos Regionais.

12

Dedini S/A Indústrias de Base


Governança

Corporativa

A gestão da Dedini é feita pelo Conselho de Administração, a mais alta instância da governança corporativa da Empresa, formado por seis membros, sendo dois deles independentes, eleitos por Assembleia Geral Ordinaria, com mandato de 2 anos, com direito a reeleição. É composto por um presidente e um vice-presidente escolhidos na primeira reunião, após a posse dos conselheiros. O Conselho se reúne mensalmente e, quando necessário, extraordinariamente, para verificar a sintonia das ações, para avaliar o desempenho e o desenvolvimento estratégico determinado em planejamento. Valores como ética, transparência, integridade e aperfeiçoamento contínuo são essenciais para a condução dos negócios e para o relacionamento com os acionistas, clientes colaboradores, fornecedores, governo, sociedade, comunidades e outras partes interessadas. O Conselho de Administração tem, entre os seus objetivos, manter a Empresa alinhada às melhores práticas de gestão, priorizando-lhe o desenvolvimento e o crescimento da sociedade. Conforme determina o Estatuto Social, para o biênio 2009/2011 foram escolhidos novos membros para o Conselho Administrativo, por meio de eleição. A transição ocorreu de comum acordo entre os conselheiros e teve a aprovação unânime dos acionistas. Sustentadas pelo Estatuto Social, as atri-

buições do Conselho instituem que a Administração seja exercida pelo Conselho de Administração, com funções deliberativas, e pela Diretoria, com funções de gestão e de representação. Ao Conselho de Administração cabe, conforme Artigo 16 do Estatuto Social, acompanhar e fiscalizar a gestão dos diretores e as demonstrações financeiras, dar parecer sobre o relatório da administração, aprovar e criar cargos especiais, com as respectivas atribuições e a responsabilidade corporativa, fixando e orientando os negócios, com foco na integração da responsabilidade econômica, social e ambiental e na sustentabilidade da Empresa. A Diretoria da Empresa é profissionalizada e eleita pelo Conselho de Administração, também com mandato de dois anos, permitida a reeleição. As atribuições do Presidente estão definidas no Estatuto Social, enquanto que os demais Diretores têm suas designações e atribuições determinadas pelo Conselho de Administração. Para maior sinergia, estabelecimento e implementação das estratégias e diretrizes da Empresa, o Presidente da Diretoria integra também o Conselho Administrativo. O Presidente do Conselho de Administração, acionista da Empresa, pertence às famílias Dedini Ometto. O Conselho de Administração tem o suporte de Comitês que atuam focados em assuntos e temas estratégicos específicos e que o asses-

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

13


soram de forma integrada, com orientações e recomendações. Conforme o artigo 16 do Estatuto Social, compete ao Conselho de Administração: • Fixar a orientação geral dos negócios da sociedade; • Eleger e destituir os diretores da sociedade, definir e fixar-lhes as atribuições; • Fiscalizar a gestão dos diretores, examinar a qualquer tempo livros e papéis da sociedade, solicitar informações sobre contratos celebrados ou em vias de celebração ou quaisquer outros atos; • Manifestar-se sobre os relatórios de administração e as contas da Diretoria; • Convocar a Assembleia Geral quando julgar conveniente ou nas hipóteses previstas pelo artigo 132 da Lei nº 6404/76; • Fixar e distribuir, dentro dos limites estabelecidos anualmente pela Assembleia Geral Ordinária, a remuneração dos membros do Conselho e dos Administradores; • Escolher e destituir os auditores independentes; • Indicar os nomes a serem sufragados pela sociedade para os Conselhos, Diretorias ou quaisquer outros órgãos das sociedades controladas; • Aprovar a criação de Comitês para atuações específicas; • Aprovar a criação de cargos especiais, com título de “Superintendente” e “Superintendente Adjunto”, determinando-lhes as respectivas atribuições, segundo orientação do Presidente do Conselho de Administração. Para otimizar as atividades e ações do Conselho Administrativo e maior integração de todos os membros em assuntos prioritários, em 2009, foram incorporadas a esse Conselho as atribuições de auditoria, de capitalização, de

14

Dedini S/A Indústrias de Base

remuneração executiva e de riscos. Para assessoria, permanecem os comitês: • Comitê Executivo do Conselho – deve promover a interação e cooperação entre o Conselho de Administração e a Diretoria, através de um relacionamento aberto e de confiança, auxiliando na definição e elaboração das macrodiretrizes estratégicas da Empresa e no cumprimento das missões básicas do Conselho de Administração. • Comitê Consultivo - é o órgão de consulta, apoio e participação na definição das linhas gerais da sociedade que atua junto ao Conselho de Administração, acompanhando resultados e contribuindo com estratégias. • Comitê de Ética e Conduta - deve avaliar permanentemente a atualidade e pertinência do Código de Ética, determinando as ações necessárias para sua divulgação e disseminação na Empresa, bem como os procedimentos éticos e os princípios que orientam os trabalhos dela. • Comitê de Responsabilidade Social – objetiva atender à área social e ambiental, aliada ao desenvolvimento econômico, atuando na promoção da cidadania por meio da educação e do conhecimento, observadas todas as questões éticas, fundamentais para o desenvolvimento social e humano de seus colaboradores, familiares e da comunidade como um todo. Em conjunto com a Diretoria, o Conselho de Administração estabelece e define as estratégias e metas corporativas e o plano estratégico que, após aprovação, são transmitidos para todo o corpo gestor, em reuniões com as equipes operacionais. Cada área deve executar o desmembramento em ações específicas, definidas em planos de ação. As controvérsias ou conflitos devem ser solucionados, zelando pela fiel observância do Estatuto Social e pela harmonia com a legislação em vigor.


Cabe à Diretoria implementar e executar o plano estratégico e as decisões encaminhadas pelo Conselho de Administração, assegurando-lhe as determinações e disponibilizando, periodicamente, informações sobre o desempenho e sustentabilidade da Empresa. Os membros do Conselho de Administração e da Diretoria são avaliados anualmente, de forma estruturada. Os resultados dessa avaliação são apresentados para os Acionistas e Conselheiros. A remuneração dos membros do mais alto órgão de governança e da Diretoria e o desempenho da organização estão atrelados à avaliação de desempenho e às metas econômico-financeiras, sociais e

ambientais. O desempenho sustentável, as metas estabelecidas e as ações planejadas da Empresa são também avaliados periodicamente para garantirem a sustentabilidade dela. Em 2009, a Delloitte Touche Tohmatsu Auditores Independentes foi a responsável pela verificação e emissão do “Parecer dos Auditores Independentes”. Em 2010, conforme recomenda o Conselho de Administração e a boa prática de Governança Corporativa, foi realizada a substituição pela KPMG Auditores Independentes, para os trabalhos de auditoria e para a emissão do parecer.

Código de Ética O Código de Ética é uma extensão dos valores da Dedini e traça as linhas básicas dos procedimentos éticos, imprescindíveis em todos os relacionamentos com a Empresa. Baseia-se no respeito à vida e à liberdade, pressupondo a responsabilidade, a integridade, a transparência, a lealdade e o respeito de cada indivíduo da organização. Desde sua implantação, em 2006, o Código de Conduta Ética oficializa os valores e a cultura da Empresa, como um suporte para a prática dos bons princípios, tanto da governança corporativa, como dos colaboradores e clientes, fornecedores, prestadores de serviço e sociedade em geral. Nesse sentido, a Dedini é contrária a quaisquer atos antiéticos, de corrupção ativa e passiva, de desrespeito à legislação para obtenção de favorecimentos individuais ou corporativos que lesem os trabalhadores, a

Empresa e a comunidade em geral. O Código de Ética não autoriza a utilização e divulgação de informações confidenciais a que se tem acesso em razão do exercício do cargo para benefício próprio ou de terceiros. Para certificar-se de que o Código de Conduta Ética norteará as ações de todos, 100% dos colaboradores e dos terceiros recebem uma cópia dele, com as orientações sobre a política da Empresa, durante o Programa de Integração, assim que se inicia qualquer relacionamento com a Dedini. A gestão e a revisão semestral do Código de Ética são responsabilidades do Comitê de Ética, canal para recebimento de qualquer dúvida ou denúncia de violação comprovada de seus princípios. Dentre suas funções, cabem as auditorias internas que avaliam as práticas e os controles internos para, inclusive, cercear a possibilidade de fraudes.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

15


estrutura do conselho de administração

Comitê Consultivo

Conselho de Administração

Comitê de Responsabilidade Social

Comitê de Ética e Conduta

ORGANOGRAMA DE ADMINISTRAÇÃO FUNCIONAL PRESIDENTE Sergio Leme dos Santos

CONTRATOS

ADM./ FINANCEIRO

OPERAÇÕES

DESENV./ TECNOL.

ENGª. / COMERCIAL

Renato Herz

Élder Fabio Svícero João Airton Zorzenoni

Eduardo Nosé Tavares

José Luiz Olivério

Sergio Tamassia Barreira

DIVISÃO DE NEGÓCIOS E ÁREAS OPERACIONAIS

RGD

PLANTAS E EQUIPAMENTOS

EQUIPAMENTOS PESADOS

ENERGIA

FÁBRICAS

BBAA

ADMINISTRATIVO

RGD: Reposição Garantida Dedini BBAA: Biodiesel, Bebidas, Alimentos e Meio Ambiente

16

Dedini S/A Indústrias de Base


Direitos Humanos

Todas as ações de responsabilidade social da Dedini estão amparadas no total cumprimento às diretrizes dos direitos humanos. A Empresa repudia qualquer forma de discriminação e desaprova qualquer ato que não se baseie em princípios éticos na realização do trabalho e no bom relacionamento e tratamento das pessoas. Como forma de garantir e de disseminar princípios e valores de responsabilidade social, possui procedimentos internos e código de ética que trazem instruções gerais sobre conduta no trabalho e sobre a prática de direitos humanos, tanto para gestores e colaboradores, como para fornecedores e parceiros. Oferece oportunidades iguais de emprego às pessoas, independente de raça, cor, religião, sexo, idade, cultura, orientação sexual ou qualquer outra característica, sempre respeitando a individualidade e a privacidade de cada pessoa. Como defensora da prática à diversidade, a Empresa tem procurado ampliar o leque de atuação das mulheres em suas Unidades, contratando-as, inclusive, para funções exercidas antes somente pelos homens, tanto na área de produção, como administrativa. Na área operacional, já possui 18 soldadoras e recentemente contratou a primeira mulher nessa função na Unidade Codistil (NE), o que representa mais um passo da Empresa na busca pela igualdade. Desde 2008, a Dedini tem implementado as diretrizes da norma SA 8000, padrão

internacional de certificação de responsabilidade social das empresas, estabelecendo ações e relações legitimadas pelos princípios dessa norma, do Código de Ética e do fiel cumprimento dos direitos humanos. A Dedini pretende, em breve, certificar-se nessa norma, como forma de conduta e, em especial, para reforçar um ambiente de trabalho seguro e para sistematizar sua gestão na total garantia dos direitos humanos em toda sua cadeia de relacionamento. Todos os colaboradores, 100%, das Unidades de Piracicaba e Sertãozinho, foram treinados integralmente sobre os assuntos relativos aos diretos humanos e à SA 8000. O Programa de Integração, do qual todos os novos colaboradores participam, contempla informações sobre esses dois assuntos, além de esclarecimentos sobre benefícios, salário, férias, acordos coletivos, direitos e deveres, procedimentos internos e, ainda, conhecimento sobre o Código de Conduta Ética da Dedini. Frequentemente, debatem-se com os gestores questões sobre práticas disciplinares, trabalho forçado, assédio moral e sexual, direito à privacidade, entre outros temas, como forma de conscientizar sobre o assunto e coibir atitudes discriminatórias e/ou desfavoráveis à dignidade. Outra prioridade da Dedini diz respeito à não contratação de qualquer forma de trabalho infantil. Os contratos firmados para o fornecimento de serviços e de insumos contêm cláusula específica sobre a contratação de

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

17


menores de idade. Se, porventura, observar alguma situação que caracterize tal ocorrência, aplica diretrizes, conforme a “Política de não utilização e reparação de trabalho infantil”, que determina a suspensão imediata da condição. Entre as ações reparadoras adequadas para garantir o direito infantil, estipula, principalmente, a regularização da situação educacional do menor, para que frequente a escola, preferencialmente no período diurno, com acesso a transporte, uniforme, alimentação e material escolar. Garante, ainda, que a renda, antes gerada pelo trabalho, seja preservada através de uma bolsa, direcionada aos responsáveis pela criança, até que complete 16 anos de idade. Como forma de garantir os direitos e condutas previstos por lei, as relações com todos os seus trabalhadores diretos e indiretos e com seus fornecedores são regulamentadas por meio de contratos legais, uma forma de coibir e erradicar em toda a sua cadeia de

produção qualquer tipo de trabalho forçado ou escravo, assim como qualquer tipo de discriminação contra pessoas ou crenças. A Empresa reforça em seu Código de Conduta Ética a preocupação na identificação desse tipo de atitude e na estipulação de medidas preventivas, como também proíbe qualquer forma de punição corporal, mental, coação física, ofensa verbal ou condições degradantes e desrespeitosas, sejam internas ou externas. A política de gestão de pessoas prevê condutas para o bom convívio e reforça, constantemente, os valores e princípios da Empresa e os direitos humanos, salientando o comprometimento de todos com eles. Em vista disso, em 2009 e 2010, em toda a sua cadeia, não houve registros de qualquer trabalho infantil, trabalho forçado, assédio sexual ou caso de discriminação, o que demonstra um comprometimento coletivo no cumprimento dos padrões, valores e princípios.

Colaboradores na Área de Lazer

18

Dedini S/A Indústrias de Base


Tanque para Cervejaria CBBP

Consta das normas internas da Empresa que ao cadastrar seus fornecedores de bens e serviços é aplicado um questionário para obter informações de ordem comercial e de qualificação e capacitação técnica. Após esse procedimento é realizada uma visita para avaliar e qualificar o fornecedor. Na ocorrência de problemas ou contratempos, outra visita é realizada e, dependendo da gravidade da situação, o fornecedor pode ser reavaliado ou desqualificado, não podendo mais prestar serviços para a Dedini. Em 2009, para reforçar seu comprometimento com os direitos humanos, incluiu nesse questionário questões relativas a esse tema. Para a total aplicação e disseminação dos direitos humanos, a Dedini estende o seu apoio às campanhas de conscientização da comunidade, realizadas pela OIT (Organização Internacional do Trabalho) e pelas Delegacias Regionais do Trabalho. COLABORADORES SINDICATOS

Piracicaba

Também a liberdade para associação é totalmente garantida, tanto que em todas as suas Unidades possui colaboradores que fazem parte de diretoria de sindicatos e entidades de classe. A Empresa cumpre todas as diretrizes de relação trabalhista e negociações coletivas, mantendo sempre um diálogo aberto e um ambiente favorável. Ao longo de sua história, a Dedini sempre celebrou acordos coletivos com os colaboradores e/ou entidades de classe, estabelecendo como base a livre negociação. Não há registro de nenhuma autuação ou advertência aplicada pelos órgãos de fiscalização por alguma ocorrência relativa à liberdade de associação e de negociações coletivas, já que se respeitam as exigências legais e as negociações trabalhistas, realizadas com a participação de representantes legítimos dos colaboradores, seja através de sindicatos de classe, seja através de outros tipos de associação.

Sertãozinhio

Maceió

Recife

Nº POSIÇÃO

Nº POSIÇÃO

POSIÇÃO

Nº POSIÇÃO

1

PRESIDENTE

1

PRESIDENTE

1

PRESIDENTE

1

4

DIRETORES

9

DIRETORES

1

DIRETOR

DESENHISTAS

1

PRESIDENTE

CONSTRUÇÃO CIVIL

1

DIRETOR

METALÚRGICOS

REPRESENTANTE

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

19


Usina JBS Biodiesel Bertin

20

Dedini S/A IndĂşstrias de Base


A Força dos

Relacionamentos

A qualidade no relacionamento é para a Dedini um fator imprescindível para a sustentabilidade e o bom desempenho da Empresa. Sua política de relacionamento tem como princípio a ética, a transparência e a confiabilidade, permeada por diálogos abertos, equidade de tratamento e respeito. A Empresa busca, constantemente, estreitar seus vínculos com os seguintes grupos prioritários: acionistas, colaboradores, fornecedores, governo, sindicatos, entidades de classe e comunidade. O engajamento dos stakeholders, o conhecimento de suas expectativas e necessidades são elementos de grande valia para o bom cumprimento do plano estratégico e para o fortalecimento da gestão dos negócios.

Acionistas O processo de relacionamento com os acionistas segue os princípios mais sólidos da governança corporativa. Com uma comunicação direta, precisa e transparente, os acionistas acompanham o desempenho e a sustentabilidade dos negócios, cujo principal objetivo é o de preservar e valorizar o patrimônio e a imagem da Empresa.

Colaboradores Ciente da importância que sua equipe desempenha para os objetivos estratégicos, o relacionamento da Dedini com os colaboradores preza por promover um ambiente de

trabalho sadio e harmonioso, que valorize, incentive e apoie o desenvolvimento tanto pessoal como profissional dos colaboradores. A Empresa empenha-se para que todos exerçam sua responsabilidade individual, observando normas e cuidados para a prevenção de acidentes, zelando pela segurança, pela igualdade de oportunidades e tratamento e pelo comportamento ético. Prima também por estabelecer relações construtivas e duradouras com seus colaboradores e, por esse motivo, investe em sistema de gestão de pessoas, com administração transparente e política de salário e benefícios condizentes com o mercado de trabalho. Visando a cultivar e a estreitar cada vez mais a relação com os colaboradores, em 2010, a Empresa iniciou reuniões entre eles, os diretores e o presidente. Denominados “Café com o Presidente”, esses encontros, realizados nas Unidades de Sertãozinho e Piracicaba, convidam à participação espontânea e democrática, por meio de inscrição para posterior sorteio, na presença de representantes dos colaboradores. Em 2010, foram realizados oito encontros, com objetivo de fortalecer a interação, promover uma comunicação interna transparente e alinhar os esforços em busca de melhores resultados. Entre os assuntos debatidos, destacam-se: comunicação, integração entre as áreas, oportunidades de carreira, reconhecimentos, situação da Empresa na pós-crise mundial. Todos os questionamentos foram esclarecidos pelo

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

21


presidente, que discorreu sobre as medidas e planos já em andamento ou que poderão ser estudados no futuro e, ainda, sobre o porquê da inviabilidade de outros.

Fornecedores A relação da Dedini com os seus fornecedores e prestadores de serviços é pautada nos termos da lei, sempre norteada por princípios do Código de Ética da Empresa, objetivando um relacionamento honesto e justo. Com critérios claros, são priorizados os fornecedores de pequeno, médio e grande porte das cidades/ regiões onde estão instaladas as unidades industriais, como forma de gerar localmente riquezas e ofertas de trabalho. A Dedini procura estabelecer parcerias duradoras, sem monopolizar suas compras. Não é permitida nenhuma forma de obtenção escusa de vantagens. Para a seleção dos fornecedores e prestadores de serviços, a Dedini considera tanto a idoneidade da empresa quanto os compromissos fiscais, adequações à legislação e cumprimento trabalhista e de direitos humanos. Para fortalecer o relacionamento, sempre que possível, a Dedini inclui seus fornecedores e prestadores de serviços em seus programas de responsabilidade social.

Clientes A Dedini busca a excelência no relacionamento com os clientes, investindo em tecnologias que agreguem valores e melhorias no custo-benefício, prezando pelo desenvolvimento contínuo de uma relação saudável e lucrativa para ambas as partes. A área de Qualidade desenvolve vários processos que visam a atender às necessidades do cliente, através de uma comunicação precisa, de esclarecimentos de dúvidas e de assistência técnica. Possui programas de atendimento ao cliente, entre eles, o Sistema RGD (Reposição Garantida Dedini), cuja filosofia é a geração de soluções e a eficiência de serviços. Sistematicamente é aplicada pesquisa de satisfação com o objetivo de diagnosticar ações de melhoria ao atendimento e busca da satisfação dos clientes. Essa pesquisa estabelece uma combinação dos resultados da “satisfação” e da “importância” que o cliente define para cada requisito avaliado. O item “Atende às expectativas” atingiu 91%, o que representa que os clientes têm como “ótimo e bom” os requisitos de “extrema importância”. Da mesma forma, aqueles, cujos resultados ficaram abaixo do esperado, têm suas causas registradas e devidamente tratadas para a melhoria dos produtos e dos serviços. Embora o índice de aprovação seja favorável, a Dedini tem como meta chegar, no próximo biênio, a patamares superiores a 90%, visando à excelência.

Sérgio L. dos Santos, Pedro Mizutani (Raízen) e José Luiz Olivério durante o SIMTEC 2009

22

Dedini S/A Indústrias de Base


Pesquisa de avaliação da satisfação do cliente DEDINI Importância

Padrão de Satisfação 4% 5%

63%

32%

0%

91%

5%

Extrema

Atende as expectativas

Importante

Satisfeito não importantes

Pouca

Insatisfeito não importantes

Nenhuma

Insatisfeito extretamente importantes

Poder Público

Sindicato

Ao longo de sua história, a Dedini mantém um relacionamento de parceria com os poderes públicos, buscando a melhoria da qualidade de vida da população, através do desenvolvimento de programas sociais e de tecnologias que destacam a economia brasileira e geram bem-estar e riquezas para o país.

O relacionamento com os sindicatos que representam os colaboradores é bastante harmonioso e valorizado. A relação leva em conta o entendimento profissional, por meio de diálogo e negociações para estabelecimento de acordos e viabilização para melhoria das condições e competência de trabalho.

O relacionamento entre as diferentes esferas do governo municipal, estadual e federal é pautado pela transparência e ética.

Todos os colaboradores são livres para se associarem aos sindicatos e a outras organizações que os representem e também para se candidatarem à representação de seus pares. Em todas as Unidades, os líderes, representantes dos colaboradores, ocupam posição formal de destaque em seus respectivos sindicatos.

Embora assuma uma posição neutra com partidos e candidatos políticos, a Empresa poderá expressar sua liberdade democrática, por meio de apoio a partidos e políticos, sempre resguardando o fiel cumprimento da lei.

Os colaboradores que ocupam posições estratégicas na gestão de pessoas participam de reuniões regulares de grupos de discussão profissional que agregam diversas outras empresas.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

23


Comunidade

Meio Ambiente

O relacionamento da Dedini com a comunidade remonta à época de seu fundador, Mario Dedini, que iniciou as ações sociais como uma extensão da melhoria de qualidade de vida de seus colaboradores.

O comprometimento da Dedini com a preservação do meio ambiente vai além do controle ambiental de seu processo produtivo e do total cumprimento à legislação. Conhecida como “fábrica das fábricas”, a Empresa tem investido fortemente em pesquisas e produtos que apresentem soluções para a sustentabilidade do planeta. Tanto para os seus processos como para o desenvolvimento de seus produtos, possui um sistema de gestão ambiental, com o objetivo de eliminar ou minimizar possíveis efeitos sobre o meio ambiente, com o aproveitamento total dos recursos naturais para diminuir, inclusive, sua extração.

A Empresa vem ampliando e profissionalizando esse compromisso social, em especial com as comunidades dos locais onde possui plantas industriais. Além de contribuir para a geração de impostos e empregos, mantém um diálogo aberto com entidades e órgãos públicos e, junto a eles, procura identificar as reais necessidades dessas comunidades, para alavancar-lhes o desenvolvimento social. Os programas são coordenados pela Fundação Mario Dedini, de forma mais estreita nas comunidades de Piracicaba e Sertãozinho, em virtude da própria origem e história da Empresa. No entanto, ciente de suas responsabilidades perante as comunidades das outras unidades, vem realizando trabalhos e estudando possibilidades para um relacionamento mais próximo e atuante junto a elas.

Com êxito, já possui uma linha de equipamentos de grande diferencial tecnológico, que se destaca pelos benefícios e vantagens na produtividade e no respeito ao meio ambiente. Com isso, vem implantando um novo conceito – a tecnologia limpa -, com o desafio de incentivar a mudança da cultura industrial e, assim, possibilitar o pioneirismo de seus clientes nessa área.

Participação em associações na comunidade 2009/2010 Nº PARTICIPANTES Nº ASSOCIAÇÕES/ PROJETOS CARGOS NA EMPRESA

PIRACICABA

SERTÃOZINHO

MACEIÓ

RECIFE

15

06

02

11

25

06

03

12

Gerencial, Administra-

Gerencial, Administra-

Administrativo e

Administrativo e

tivo e Operacional

tivo e Operacional

Operacional

Operacional

Doação de livros de inglês para E.E. Prof.ª Avelina Palma Losso

24

Dedini S/A Indústrias de Base


Gestão de Tecnologia

e Sustentabilidade

A Dedini tem longa tradição na pesquisa e desenvolvimento de produtos que atendam às necessidades do mercado brasileiro, uma vez que suas atividades principais se direcionam a clientes que buscam soluções tecnológicas adequadas às suas próprias condições e, portanto, não existentes ou dependentes de adaptações significativas para serem comercializadas. Os investimentos para essas pesquisas e desenvolvimentos de produtos, na sua quase totalidade, são efetuados com recursos próprios. É fato que o governo brasileiro, nos últimos 10 anos, elaborou um conjunto de dispositivos legais e fiscais com o intuito de permitir e incentivar que as empresas instaladas no Brasil investissem recursos nas áreas de pesquisas aplicadas, fomentando o desenvolvimento tecnológico do país. Esses incentivos governamentais devem ser calculados sobre o montante do valor fiscal a ser pago sobre o lucro operacional da atividade empresarial, criando uma reserva de recursos que não podem ser utilizados para outro fim, que não aqueles definidos como sendo característicos de atividades inovadoras e que proporcionem o avanço tecnológico. Um montante igual à economia fiscal gerada pelos incentivos deve ser direcionado para uma conta reservada e específica, não podendo ser distribuído como dividendos, ou aplicado em atividades que tenham como finalidade a administração ou a produção da empresa. A Dedini, até o presente momento, não

pôde se beneficiar desses incentivos governamentais, tanto por causa das várias crises econômicas que têm afetado o setor sucroalcooleiro nos últimos 25 anos, como porque, em especial, é uma empresa de bens de capital com produtos que se destinam à infraestrutura nacional e, portanto, de longo tempo de gestação e de amortização. Dessa forma, a Dedini investiu, com recursos próprios, um montante médio de 0,31% do faturamento da Empresa entre 2001 e 2010. Esse valor, apesar de percentualmente pequeno por ser calculado sobre o faturamento, é significativo quando calculado sobre a mesma base daqueles incentivados pelo governo brasileiro. A Dedini aplica recursos em atividades diretas de pesquisa e desenvolvimento de seus produtos, assim como em tecnologias inovadoras de quebra de paradigmas, com base em uma visão sustentável de suas atividades, a longo prazo, criando novas oportunidades de geração de valor e de ampliação de sua liderança nos vários setores de atuação, tanto no mercado nacional como no internacional. Devido à importância dada pela Dedini às atividades de desenvolvimento e de inovação de produtos, foi criada uma Vice-Presidência de Tecnologia e Desenvolvimento para coordenar e definir as estratégias da Empresa, através da busca do envolvimento de suas diversas áreas na elaboração e priorização de cada projeto específico.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

25


A equipe de tecnologia e desenvolvimento tem a missão de: • Realizar investigações, em qualquer país, sobre os produtos / tecnologias / pesquisas que combinem alto desempenho com vantagens econômicas para os clientes; • Efetuar desenvolvimentos visando à inovação de produtos adequados às condições socioeconômicas e ambientais existentes no Brasil, ou no local de implantação dos projetos; • Atuar com responsabilidade, através de análises de risco, de forma a preservar a integridade das pessoas e do meio ambiente. Os desenvolvimentos da Dedini são, ainda, gerados por meio de critérios e metodologias de inteligência competitiva, através do monitoramento das necessidades futuras do mercado e do histórico dos resultados dos produtos em operação, assim como pelo acompanhamento e avaliação das tendências tecnológicas apresentadas como possíveis em pesquisas básicas e de ponta, realizadas no meio acadêmico. De fato, a Dedini tem por política de gestão tecnológica o relacionamento e a instituição de parcerias duradouras e de longo prazo com o meio acadêmico, visando não só ao desenvolvimento tecnológico, mas também à formação de pessoal com alta qualificação. O objetivo dessas parcerias é reunir uma equipe multidisciplinar capacitada em soluções de engenharia aplicada, para que, através da troca de experiências com pesquisadores de ciência básica, se vislumbrem soluções inovadoras para questões problemáticas reais ou mesmo para aquelas antecipatórias de alguma necessidade do mercado. Os projetos aprovados são executados por equipe própria ou em parceria com outras empresas ou centros de pesquisas nacionais e internacionais. A necessidade do mercado e a visão de sustentabilidade socioeconômica e ambiental são, ainda, forças motrizes que induzem a uma contínua e ágil busca de novas tecnologias para os produtos e de modernas e eficientes soluções de engenharia para as plantas concebidas pela Dedini. Dessa forma, objetiva-se a maximização do aproveitamento eficaz e eficiente dos insumos processados. A gestão de tecnologia e de inovação permite, nesse sentido, uma liderança sustentável a longo prazo nos principais mercados de seus produtos, através da combinação dos atuais conceitos de qualidade e responsabilidade (Q&R). Essa “pegada ecológica”

26

Dedini S/A Indústrias de Base

(ecological footprint) dos produtos gerados nas instalações fornecidas, desde a fase de concepção até a de operação e manutenção, está sintonizada à atual consciência da necessidade da sustentabilidade. Os projetos de plantas industriais completas atendem principalmente aos segmentos de açúcar e etanol, energia, alimentos e bebidas, tratamento de efluentes. Executados na observância das boas regras de engenharia, normas e códigos reconhecidos internacionalmente, combinam o atendimento às especificações dos clientes com critérios de responsabilidade ambiental e social, estabelecendo um padrão de eficiência processual e operacional condizente com os requisitos internacionais de sustentabilidade, em seu sentido amplo. As inovações introduzidas podem ser do tipo incremental, através de alterações em produtos existentes, bem como de quebra de paradigmas decorrentes de mudanças conceituais significativas. Lastreados na histórica experiência adquirida, através do fornecimento de plantas com projeto, fabricação, montagem e assistência técnica, os novos produtos vêm sendo associados aos atuais critérios de sustentabilidade e de desenvolvimento socioambiental.

TECNOLOGIA DEDINI Bioaçúcar e Bioetanol A Usina Sustentável Dedini – USD, principal produto desenvolvido de acordo com a atual política de gestão tecnológica implantada, é hoje um produto comercial, com projeto em desenvolvimento continuado, adaptável às condições e necessidades específicas de cada cliente. Objetiva a maximização do aproveitamento industrial da cana-de-açúcar através da geração de produtos comerciais com o mínimo de impacto ambiental e o máximo de ganho social, pela integração de soluções que abrangem a área agrícola, a industrial e a de logística de movimentação de materiais. A concepção da USD atende, assim, aos três pilares da sustentabilidade: as soluções adotadas são baseadas em análises econômicas que visam à obtenção de uma taxa de retorno de investimento de acordo com a realidade brasileira; o impacto ambiental é minimizado através da aplicação do conceito de “zero resíduos, efluentes e emissões”, e de máxima mitigação das emissões de gases de efeito estufa; o ganho social é incrementado pela aplicação de regras ergonômicas e de higiene e segurança do trabalho, de acordo com normas atualizadas.


O reconhecimento das características de sustentabilidade da USD ficou explicitado com o recebimento de dois prêmios: • Prêmio ECO2009: A USD foi vencedora da 27ª edição do Prêmio ECO, na categoria Sustentabilidade em Produtos, em cerimônia realizada em 27 de novembro de 2009, pela Câmara Americana de Comércio – AMCHAM Brasil e Jornal Valor Econômico, com Auditoria da BDO Trevisan • Prêmio Von Martius 2010: A USD obteve a primeira colocação, na categoria Tecnologia, na 11ª edição do “Prêmio Von Martius

de Sustentabilidade 2010”, em cerimônia realizada no dia 25 de novembro de 2010, pela Câmara de Comércio e Indústria Brasil – Alemanha – AHK, com apoio do Ministério do Meio Ambiente do Brasil e do PNUMA Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, com auditoria da BRTÜV. Os diagramas apresentam a evolução, ao longo do tempo, de alguns produtos da DEDINI, no sentido do aprimoramento e busca de produtos para a sustentabilidade do planeta.

Evolução das Usinas Dedini para o Setor Sucroalcooleiro e Sucroenergético quilogramas de gás carbônico evitados/ Potência 1ª Usina completa Usina Açúcar e de Açúcar Álcool fornecida pela Programa Dedini Proálcool

1960

1975

Destilaria Autônoma Proálcool

1979

Usina exportadora Eletricidade

Usina Integrada com Biodiesel

2003

2006

USD Tradicional

USD Plus + Biofom

2008

USD Plus com 50% de Palha

2010

Futuro

Exemplos de Índices da Evolução Tecnológica Dedini Kg CO2 / let

.......

.......

.......

2,02

2,56

2,56

2,6

3,02

let / tc

nulo

66

78

85

85

86

87

87

kW / tc

nula

nula

nula

35

55

75

90

140

lag / tc

.......

6000

4000

2500

1800

1000

Exporta 290

Exporta 290

lv / let

não

15

15

11

11

6

nulo

nulo

KgCO2 / let: Quilogramas de Gás Carbônico evitados por litro de etanol produzido let / tc: Conversão total em etanol, litros de etanol por tonelada de cana processada kW / tc: Potência elétrica disponível para venda em quilowatts por tonelada de cana processada lag / lc: Litros de água captada de mananciais externos por tonelada de cana processada lv / let: Litros de vinhaça gerada por litro de etanol produzido

A Revolução dos 6 BIOS Um dos objetivos da Usina Sustentável Dedini – USD é buscar a integração da lavoura, que produz e fornece cana-de-açúcar, palha e, no futuro próximo, grãos de oleaginosas (em áreas de renovação de cana), com a indústria, onde serão processados e produzidos: •

BIOETANOL

BIOAÇÚCAR

BIOELETRICIDADE

BIODIESEL

BIOÁGUA

BIOFOM

ÓLEO VEGETAL, FARELO E GLICERINA

USD – Usina Sustentável Dedini, uma macromáquina, praticamente autossustentável para transformar a cana-de-açúcar em bioprodutos, com impacto ambiental próximo a zero.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

27


A Importância do Etanol Um aspecto de maior importância, e que valoriza ainda mais o etanol como combustível automotivo, é seu poder de mitigação de emissões de GEE (gases de efeito estufa). Estudos reconhecidos internacionalmente, referentes ao “life-cycle” de produção e uso do etanol, de acordo com a UNICA – União da Indústria de Cana-de-Açúcar, demonstram que o etanol, ao substituir a gasolina nos motores dos veículos, possibilita evitar emissões diretas de 2,02kg CO2 por litro de etanol equivalente.

Na safra canavieira 2010/2011, a produção de etanol destinada ao consumo veicular no Brasil é estimada em cerca de 24 bilhões de litros. Dessa forma, o total de emissões evitadas equivale a 48 milhões de toneladas de CO2. Considerando que perto de 80% do etanol no Brasil são produzidos por destilarias fornecidas pela Dedini (“market share” histórico), conclui-se que a contribuição do etanol gerado com equipamentos Dedini, na mitigação dos GEE, atinge 38 milhões de toneladas de CO2, o que destaca a importância da atuação da Empresa para a redução das emissões que promovem as mudanças climáticas decorrentes do aquecimento global.

Desidratadora de Etanol - JB Ethanol

Biodiesel A Dedini, em 2003, em consonância com sua política de disponibilizar produtos para a área de energia renovável, iniciou o desenvolvimento de uma planta de produção de biodiesel por processo em batelada, a partir de pesquisas desenvolvidas no Brasil pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro, culminando com a entrada em operação da planta da Agropalma, em 2005. Com a aprovação do PNPB – Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel, a Dedini se associou à Desmet – Ballestra para oferecer ao mercado um produto adequado às condições brasileiras, mas, também, voltado ao mercado mundial. Tinha por objetivo disponibilizar tecnologia competitiva para atender aos altos volumes de produção necessários a um programa de dimensões nacionais, bem como aos requisitos internacionais de especificação e a um baixo nível de agressão ao meio ambiente. Esse novo produto apresentou características inéditas de flexibilidade, com capacidade de

28

Dedini S/A Indústrias de Base

processar matérias-primas de fontes diversas e de produzir o biodiesel metílico e o etílico. O biodiesel metílico, produzido mundialmente, utiliza o metanol do petróleo ou gás natural, tornando-o um combustível parcialmente renovável. Já o biodiesel etílico, a partir do Bioetanol derivado da cana-de-açúcar, torna-o um combustível 100% proveniente de fontes renováveis de energia. Esse desenvolvimento foi coroado de êxito com a entrada em operação, em novembro de 2006, da planta de biodiesel integrada à Usina Barralcool, a qual se tornou a primeira planta integrada de Bioaçúcar, Bioetanol, Bioeletricidade e Biodiesel (4 Bios), através de processo contínuo, produzindo biodiesel pelas rotas etílica e metílica a partir de vários tipos de óleos vegetais e de gordura animal (sebo bovino). Ao longo dos últimos anos, a Dedini forneceu 11 plantas de biodiesel, sendo 10 ao mercado brasileiro, o que a posicionou como líder de mercado no fornecimento de plantas de grande capacidade.


O diagrama mostra a redução de emissões de gases de efeito estufa - GEE evitadas pela operação das plantas fornecidas pela Dedini. Os cálculos consideram que um litro de diesel queimado gera 3,37 kg CO2, podendo ser substituído por um litro de biodiesel metílico que, quando queimado, gera 1,45 kg CO2. Esses valores estão de acordo com dados da Agência de Proteção ao Meio Ambiente (EPA) dos Estados Unidos da América (EUA) e pressupõem uma mitigação de 57% nas emis-

sões. A partir desses dados, conclui-se que um litro de biodiesel metílico utilizado evita a emissão de 1,92 kg CO2, quando queimado, substituindo o diesel do petróleo. Caso esse biodiesel fosse produzido pela rota etílica, em conformidade com os cálculos de pesquisadores brasileiros, que indicam uma mitigação igual ou superior a 100% para o biodiesel etílico, os índices do diagrama sofreriam um acréscimo de 75%, multiplicando as emissões evitadas pelo fator de 1,75 vezes.

Plantas de Biodiesel - Potencial de Emissões Evitadas de Gases com Efeito Estufa

Início das pesquisas

2003

Planta em Batelada

Planta Contínua e Integrada

Plantas de Biodiesel operando

Plantas de Biodiesel operando

Plantas de Biodiesel operando

2005

2006

2007

2008

2009

Plantas de Biodiesel operando

2010

Plantas de Biodiesel operando

Futuro

Exemplos da Evolução Obtida Plantas

zero

1

2

5

6

5

7

.......

tb / ano

zero

510

12.526

127.981

336.482

355.654

452.393

> 453.000

t CO2 / ano

nula

1.113

27.336

279.231

734.143

775.972

987.039

> 988.000

Plantas: Quantidade de Plantas em operação tb / ano: Produção Anual Oficial das plantas em operação, em toneladas por ano (conforme ANP) t CO2 / ano: Emissões evitadas em toneladas de CO2 por ano

Bioenergia Cogeração é a geração simultânea, ou em cadeia, de duas ou mais formas de energia a partir de uma única fonte energética. No setor industrial – por exemplo, Químico, Petroquímico, Farmacêutico, de Alimentos e Bebidas, Papel e Celulose, Têxtil -, a fonte primária pode ser os derivados do petróleo ou o cavaco de eucalipto que, através de sua queima em caldeiras geram vapor para uso no próprio processo fabril, e a eletricidade, a partir de um gerador acoplado a uma turbina. Alguns processos industriais produzem gases combustíveis ou residuais que também podem ser utilizados para a geração de vapor e eletricidade, como nas indústrias siderúrgicas e de produção de negro-de-fumo. No segmento sucroenergético, as usinas geram a energia elétrica e o vapor, necessários para o processamento da cana e a produção de açúcar e etanol em plantas de cogeração, utilizando como fonte primária de energia o bagaço de cana-de-açúcar e, também, a

sua palha e pontas. Na cogeração da usina, a caldeira é o equipamento que transforma a fonte primária de energia química – contida no bagaço e na palha – em energia na forma de vapor, a alta temperatura e pressão, a qual moverá as pás de uma turbina, convertendo-a em energia elétrica, a partir de um gerador acoplado no eixo da turbina, e energia térmica, a partir da extração de vapor em estágios intermediários desta. A Dedini especializou-se no projeto de caldeiras e plantas de cogeração que utilizam a biomassa como fonte energética, especialmente o bagaço da cana. Providas de sistemas de limpeza dos gases de combustão de alta performance, elas são projetadas para atender aos atuais critérios de sustentabilidade, apresentando alta eficiência térmica, que resulta em baixo nível de poluição e na maximização da produção de energia elétrica. O alto desempenho do tratamento de gases evita a emissão de particulados e de gases poluentes. Atualmente as cinzas geradas pela queima da biomassa, misturadas aos resíduos

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

29


da limpeza dos gases de combustão, podem ser utilizadas como matérias-primas para a produção de um fertilizante organo-mineral que, reciclado para a área agrícola, reduz o consumo de fertilizante derivado do petróleo. O aprimoramento constante da tecnologia de projeto, fabricação e montagem de caldeiras, adquirido com mais de 1500 fornecimentos, possibilitou que a Dedini disponibilizasse ao mercado esses equipamentos com

alta confiabilidade operacional. A integração das caldeiras com sistemas de geração de energia elétrica adequados e harmonicamente projetados permite atingir uma alta eficiência global do sistema, conseguida a partir da implantação de plantas de cogeração. A máxima eficiência de produção de energia elétrica é obtida pelo aumento da pressão de operação e do grau de superaquecimento do vapor na saída da caldeira.

Evolução das Caldeiras e Plantas de Cogeração de Biomassa 1ª Usina de Açúcar

Usina Início do Proálcool

1960

1976

Usina Tradicional com Cogeração

USD - 2008 Tradicional

USD - 2010 Comercial

USD - 2011 com até 50% Palha

2003

2008

2010

2011

Indicadores de Evolução Obtida Bar

21

21

60

100

120

120

Saturação

SAT

SAT

SP

SP

SP

SP

Eficiência

> 60

66

80

86

87

87

kWv / tc

nula

nula

55

75

90

.......

Pressão da Caldeira expressa em bar Saturação: Grau de superaquecimento: SAT= Vapor Saturado / SPV= Vapor Superaquecido Eficiência: Eficiência térmica das caldeiras, expressa em percentual do poder calorífico inferior kW / tc: Energia elétrica nominal disponibilizada para venda a terceiros por tonelada cana

A contribuição das caldeiras desenvolvidas e fornecidas pela Dedini para queima de biomassa, em especial o bagaço da cana, representa um percentual de 1,2% de toda a capacidade elétrica instalada no Brasil, ou 21% de toda a geração de energia a partir da queima do bagaço, totalizando 1,3 GW, conforme dados da ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica. A energia produzida pelas plantas de cogeração queimando biomassa, disponibilizada para rede nacional de distribuição, evita as emissões que seriam geradas por outras térmicas que, usualmente, queimam combustível fóssil derivado de petróleo. Conforme Relatório de Síntese Técnica do Estudo de Baixo Carbono – 2010,

30

Dedini S/A Indústrias de Base

elaborado para o Banco Mundial, a geração de eletricidade em cogeração (a partir do bagaço de cana) não causa emissões de dióxido de carbono e outras emissões de GEE (gases de efeito estufa). A emissão do sistema brasileiro, em 2008, variou entre 384 a 625 kg CO2e / MWh (MCT, 2009), resultando uma média aritmética de 504 kg CO2 e/ MWh. Dessa forma, deduz-se que o deslocamento da energia elétrica gerada a partir de bagaço possibilita uma mitigação média de 504 kg CO2e / MWh, o que equivale a um potencial de redução de 3,2 milhões de toneladas de CO2 por ano, caso toda essa energia seja disponibilizada nas plantas com caldeiras Dedini, operando durante toda a safra, em sua capacidade nominal.


Matriz Elétrica Brasileira

71%

26% 1%

Termoelétricas em operação no Brasil 26%

Hidroelétricas

Biomassa

Termonucleares

Outros

69%

Eólicas

2%

79%

Termoelétricas a Bagaço de Cana

Bagaço de cana Equip. fornecidos

Licor Negro

79%

Resíduos de

4%

Fóssil

Termoelétricas

Termoelétricas a Biomassa

1%

5%

16%

pela Dedini

21%

Madeira

Outros

Outros

Tratamento de Efluentes e Biogás Durante a maturidade do Proálcool, e em consonância com a visão já existente na Dedini àquela época, do aproveitamento energético da totalidade da cana, iniciaram-se as pesquisas na Empresa, cujo desenvolvimento culminou com a implantação de uma planta de demonstração do tratamento da vinhaça gerada nas usinas. Reduzia a carga poluente e, ao mesmo tempo, gerava um biogás utilizado como combustível nos veículos da usina, diminuindo o consumo de diesel de origem fóssil. Esse projeto operou durante anos, sendo descontinuado com o término do Proálcool, quando a frota da usina passou a utilizar veículos de grande porte movidos a diesel. Essa planta serviu de motivação para que a Dedini procurasse uma alternativa tecnológica mais avançada para o tratamento de águas residuais contendo altas cargas de produtos orgânicos. O desenvolvimento continuado e conjunto dessa tecnologia pela Paques – Holanda, em parceria com a Dedini, adequando-a às características de vários tipos de efluentes existentes no parque indus-

trial brasileiro, é o principal fator para manter a liderança desse mercado no Brasil, não só pelos resultados das vendas, mas pelo reconhecimento e avaliação positiva dos clientes usuários. A finalidade desses sistemas de tratamento é a conversão da matéria orgânica existente no efluente em gases, predominantemente metano, que permita o aproveitamento do biogás produzido para a geração de energia térmica ou elétrica e o descarte dos gases de combustão de forma controlada e de menor impacto ambiental. A não utilização do sistema de tratamento comercializado pela Dedini implicaria o lançamento do efluente diretamente no meio ambiente, o que geraria a emissão de forma descontrolada de gases, com efeito estufa de 20 até 100 vezes superior. Assim poluiria e consumiria oxigênio de mananciais de água, afetando a vida ali existente. A demanda de oxigênio para a degradação da matéria orgânica existente no efluente é o fator utilizado para análise da performance desses sistemas, usualmente, a Demanda Química de Oxigênio – DQO. O efluente líquido gerado por uma pessoa apresenta uma Demanda Química de Oxigênio – DQO equivalente a 95 gramas de oxigênio

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

31


por dia, enquanto que efluentes gerados pela indústria apresentam valores centenas ou milhares de vezes maiores. Desse modo, podem ser comparados quanto ao aspecto do impacto ao meio ambiente, através do indicador denominado EqP - Equivalente Populacional, isto é, a quantidade de material removido do efluente, expressa na quantidade de habitantes necessários para gerar a mesma demanda que foi removida. No diagrama está indicado o EqP potencial, ou seja, a quantidade equivalente de esgoto

19841987

1987atual

Tratamento de vinhaça com tecnologia própria

Início da associação com a Holandesa Paques BV

19962002

doméstico gerado por aquele equivalente populacional, com todas as plantas operando dentro das suas condições nominais. Nessas condições, em 2010, a totalidade das plantas fornecidas pela Dedini trataria o equivalente ao esgoto produzido por uma megalópole com cerca 19 milhões de habitantes ou quase 10% da população brasileira. O desenvolvimento dessa tecnologia na Dedini e os seus principais indicadores estão mostrados no esquema:

20022008

Lançamento de Reatores de alta taxa (Peator IC)

2008atual

Lançamento do Reator tratamento de esgoto sanitário (UBOX)

atual

Tratamento de efluente de Petroquímica

Tratamento de vinhaça com geração Biogás/GNV

Tratamento de Efluentes e Biogás EqP*

Volume de efluente tratado (milhões de m3/ ano)

Nº de Plantas em operação

vinhaça

0,3

2

230

Efluentes industriais

66

53

7.765

Efluentes Industriais

109

87

11.435

Efluentes Industriais

158

138

16.088

Efluentes Industriais, Esgoto Sanitário, Efluentes de Petroquímica

190

163

18.650

Tipo de Efluente tratado

Milhares de habitantes equivalentes

Estação de Tratamento de Efluentes Industriais

32

Dedini S/A Indústrias de Base


Plantação de Sorgo Sacarino

Novos desenvolvimentos

Estação de Limpeza de Palha

Estão em fase final de desenvolvimento algumas tecnologias que se somarão às existentes, objetivando propiciar um incremento na diversidade de opções e de sustentabilidade dos produtos. A Dedini pode integrar as várias opções das soluções disponibilizadas ao mercado, customizadas para cada caso, visando a atender às especificações do cliente e aos princípios de sustentabilidade, pela maximização do aproveitamento dos insumos e da minimização do uso de recursos naturais.

Este novo processo, a ser integrado em uma usina tradicional, objetiva o aproveitamento de um terço da energia da cana - disponível na palha e hoje não utilizada - para a geração de eletricidade de fonte renovável. A tecnologia para o aproveitamento da palha na área industrial foi desenvolvida e está em fase de testes em planta de demonstração, antes do escalonamento final.

A Usina Sustentável Dedini - USD é o produto de grande destaque nesse aspecto, ao incluir o “conceito zero”: zero resíduos, zero efluentes líquidos, zero odores, zero água de mananciais, mínima emissão de gases de efeito estufa, além de otimizar o aproveitamento da matéria-prima, a cana-de-açúcar, produzindo o máximo de Bioaçúcar, Bioetanol e Bioeletricidade, com desenvolvimento continuado e incorporando as inovações de última geração. Cabe, ainda, mencionar as inovações em desenvolvimento, que se destacaram em 2009 e 2010, além daquelas incrementais introduzidas na Usina Sustentável Dedini – USD

Metano Veicular Com o aproveitamento e a conversão do biogás/biometano, produzido nas unidades de tratamento de efluentes em combustível veicular, possibilita-se uma utilização energética que pode apresentar vantagens econômicas, tanto para veículos a gasolina ou flex, como em motores duais de ciclo diesel, inclusive para veículos ou caminhões de média e alta potência. O uso do Metano Veicular reduzirá as emissões de poluentes do diesel e substituirá até 80% do diesel fóssil por biometano renovável.

Cogeração com Palha

Usina de Sorgo Sacarino – USSD Com este desenvolvimento, a Dedini objetiva disponibilizar uma tecnologia que viabilize a implantação de usina de produção de etanol e eletricidade, utilizando matéria-prima mais adequada do que a cana-de-açúcar para as regiões frias, como no Sul do Brasil, além de permitir a operação durante a entressafra, nas demais usinas, utilizando o sorgo sacarino. Essa solução permitirá a otimização no uso dos recursos de investimento e a redução de emissões de gases de efeito estufa.

Está em fase final de desenvolvimento o Sistema de Cogeração utilizando a palha da cana como combustível. Esse aproveitamento permitirá aumentar a quantidade de energia elétrica disponibilizada para venda ou mesmo liberar o bagaço para produção de etanol de segunda geração ou outros subprodutos, maximizando a utilização energética da cana e a sustentabilidade do negócio como um todo.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

33


Sala de Filtração - Cervejaria Lokal

34

Dedini S/A Indústrias de Base


Economia e Finanças

Devido às características de seus produtos, bens de capital, a Dedini vem sentindo ainda os reflexos da crise econômica de 2008, que resultou no cancelamento e/ou adiamento de grande número de projetos por parte de seus clientes, impactando, assim, no volume de vendas. Além disso, ainda como resultado da crise, ocorreram diversos casos de inadimplência de clientes, muitos ainda não resolvidos devido à recuperação judicial estabelecida para algumas Usinas, das quais a Dedini é credora. Esses acontecimentos repercutiram na carteira de pedidos no período de 2008 a 2010, determinando que a receita líquida e o Ebitda registrassem números inferiores, em 2009 e em 2010, embora já em recuperação.

• Projeto ETH / Brenco - 04 plantas completas para produção de Açúcar e Etanol e 03 unidades para produção de Etanol. • Projeto Bunge - 09 Evaporadores Falling Film • Projeto Braskem - Sistema tação de Álcool (SIDPEM).

de Desidra-

• Projeto Caramuru - Unidade de produção de Biodiesel “TK”. • Cervejaria Schincariol Completa

- 01 Cervejaria

• Grupo Raízen - Consagração da Tecnologia DEDINI “SINGLE DRUM” e Fabricação de 08 Caldeiras. • Projeto Sykué - Posta em marcha da 1ª Planta Termoelétrica de 30 MW, utilizando Biomasssa de Capim Elefante.

A Empresa foi também afetada pela valorização da moeda brasileira perante o dólar americano e o euro e pelas altas taxas de juros, que comprometeram a competitividade dos produtos nacionais em relação aos importados. Nesse sentido, além de estenderem os efeitos da crise, esses fatos desencadearam um processo de desindustrialização no setor de bens de capital.

Desempenho

Mesmo diante de um panorama negativo e de um cenário adverso, a Dedini honrou seus compromissos com os clientes, concluindo com êxito, qualidade e respeito aos prazos acordados nos contratos de fornecimentos, como:

A Dedini S.A. Indústrias de Base continua sendo uma das mais tradicionais empresas de bens de capital, atuando no mercado Sucroenergético, Bebidas, Biodiesel, Alimentos, Tratamento de Efluentes e em Petroquímica, Mineração, Cimento e Siderurgia.

• Petrobrás - Entrega de 350 Vasos e Torres • Projeto RGD - Atendimento a 150 usinas - RGD Moendas e Atendimento de 33 Conjuntos de Rolos de Moendas

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

35


Acreditando na retomada do mercado a partir de 2011 / 2012, a Empresa continua investindo em tecnologia, em parcerias tecnológicas e na expansão de suas instalações, destacando os investimentos na Fundição, para a instalação do sistema VOD/VD, único na América do Sul, com bomba mecânica para produção de peças complexas em aço inoxidável e ligas especiais. A receita operacional líquida consolidada apresentou redução de 29.3%, frente ao desempenho realizado em 2009, atingindo o montante de R$ 804,4 milhões, concentrado basicamente nos mercados Açúcar & Etanol, BBAA e Equipamentos Pesados. O Lucro Bruto no montante de R$ 70,9 milhões apresentou melhoria considerável em relação ao exercício de 2009, declarado

em R$ 18,7 milhões de prejuízo bruto. Essa melhoria de rentabilidade foi decorrente da eliminação de efeitos não recorrentes e de forte atuação da gestão da Empresa em melhoria de produtividade e na otimização da cadeia de suprimentos, apesar da redução na receita operacional líquida em 29,3%. O Ebitda (Lajida), em 2010, resultou no montante de R$ 6,0 milhões, muito acima do apresentado em 2009, revertendo o resultado para as empresas Dedini . Ressalte-se, ainda, que a Dedini não recebe nenhum subsídio ou ajuda financeira do governo. Os projetos de desenvolvimento e tecnologias são implantados com recursos próprios ou através do estabelecimento de parcerias tecnológicas.

DEMONSTRATIVO DO VALOR ADICIONADO (D.V.A) Consolidado (em milhares de reais) 1- Receitas

Análise Vertical

2010 963.013

1.1) Vendas de mercadorias,produtos e serviços 1.2) Outras Receitas

Análise Vertical

2009 1.354.431

978.210

Análise Vertical

2008 2.141.177

2.141.892

1.364.891

1.898

23.307

7.740

1.3) Provisão para créditos de liquidação duvidosa - Reversão / (Constituição)

(17.095)

(33.767)

(8.455)

2- Insumos adquiridos de terceiros (inclui ICMS e IPI)

541.535

2.1) Matérias-primas consumidas

234.305

335.815

681.078

2.2) Custo das mercadorias e serviços vendidos

193.045

379.760

510.303

2.3) Materiais, energia , serviços de terceiros e outros

114.185

388.646

551.880

3 - Valor adicionado bruto

421.478

250.210

397.916

4 - Retenções

42.374

39.546

26.185

4.1) - Depreciação, amortização e exaustão

42.374

39.546

26.185

379.104

210.664

371.731

6 - Valor adicionado recebido em transferência

54.973

91.532

58.273

6.1) Receitas financeiras

54.973

91.532

58.273

7 - Valor adicionado total a distribuir

434.077

302.196

430.004

8 - Distribuição do valor adicionado

434.077

100%

302.196

100%

430.004

100%

8.1) Pessoal e encargos

215.761

50%

233.835

77%

256.063

60%

99.649

23%

59.481

20%

75.305

17%

131.173

30%

145.973

48%

65.429

15%

-

0%

-

0%

-

0%

(12.506)

-3%

(137.093)

-45%

33.207

8%

5 - Valor adicionado líquido produzido pela entidade

8.2) Impostos, taxas e contribuições 8.3 ) Remuneração de Capitais de Terceiros 8.4) Juros sobre capital próprio e dividendos 8.5) Lucros retidos / prejuízo do exercício

36

Dedini S/A Indústrias de Base

1.743.261

1.104.221


Detalhamento da Receita Operacional Líquida Por Unidade Fabril: Os faturamentos da Empresa são gerados pelas 07 unidades fabris distribuídas nos principais centros produtores (Sertãozinho - SP, Piracicaba - SP , Recife - PE e Maceio - Al), de forma estratégica, estreitando a relação com os clientes.

Fábricas - R$ MM

2010

Fundição

Variação

2009

Variação

2008

70

43%

49

-25%

65

Piracicaba

117

-6%

124

-36%

194

Sertãozinho

74

28%

58

-64%

160

Maceió

20

-23%

26

-46%

48

TOTAL

211

1%

208

-48%

402

Caldeiraria Piracicaba

254

-34%

387

-37%

616

Caldeiraria Sertãozinho

218

-52%

456

-29%

643

51

38%

37

-48%

71

Mecânicas

Recife TOTAL GERAL

804

-29% 1.137

-37% 1.797

PRINCIPAIS INDICADORES FINANCEIROS Consolidado (em milhares de reais)

2009

2008

1.026.573

1.387.159

2.195.138

Mercado Interno

950.659

1.257.755

1.995.259

Mercado Externo

75.914

129.404

199.879

804.410

1.137.966

1.796.998

70.980

(18.766)

224.183

9%

-2%

12%

Resultado Operacional Líquido

(78.977)

(169.876)

48.749

Resultado Líquido

(12.506)

(137.093)

33.207

6.059

(147.876)

78.324

1%

-13%

4%

Receita Operacional Bruta

Receita Operacional Líquida Lucro Bruto Margem Bruta

EBITDA

2010

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

37


EBITDA Earning Before Interest, Taxes, Depreciation and Amortization Consolidado (em milhares de reais)

2010

2009

2008

RESULTADO DO EXERCÍCIO

(12.506)

(137.093)

33.728

IRPJ e CSLL

(66.471)

(32.783)

15.021

Depreciação, exaustão e amortização

42.374

39.546

25.510

Resultado Financeiro Líquido

42.662

(17.546)

4.065

6.059

(147.876)

78.324

EBITDA

DEDINI S.A. INDÚSTRIAS DE BASE E CONTROLADAS BALANÇOS PATRIMONIAIS LEVANTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010, 2009 e 2008 (em milhares de reais) ATIVO

2010

2009

2008

CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa

14.015

8.022

80.641

Aplicações financeiras

22.193

3.757

-

Contas a receber de clientes

344.580

372.915

434.553

Estoques

128.552

155.029

348.555

46.693

84.814

106.672

834

1.484

3.234

3.752

2.617

5.380

49.832

-

-

610.451

628.638

979.035

909

8.395

-

14.493

13.711

7.969

205.019

194.576

218.438

Impostos a recuperar

37.342

12.419

11.723

Imposto de renda e contribuição social diferidos

87.771

28.520

-

2.003

1.067

732

582

582

582

627.618

681.924

276.517

16.370

22.372

22.741

992.107

963.566

538.702

1.602.558

1.592.204

1.517.737

Impostos a recuperar Despesas antecipadas Outros ativos Partes relacionadas Total do ativo circulante NÃO CIRCULANTE Realizável a longo prazo: Aplicações financeiras Contas a receber de clientes Partes relacionadas

Outros ativos Investimentos Imobilizado Intangível / Diferido Total do ativo não circulante Total do Ativo

38

Dedini S/A Indústrias de Base


DEDINI S.A. INDÚSTRIAS DE BASE E CONTROLADAS BALANÇOS PATRIMONIAIS LEVANTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010, 2009 e 2008 (em milhares de reais) PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

2010

2009

2008

CIRCULANTE Empréstimos e financiamentos

128.328

65.121

42.950

Fornecedores

139.540

202.871

170.866

Adiantamentos de clientes

368.089

494.695

810.237

Impostos e contribuições a recolher

188.093

61.354

48.886

29.002

24.109

-

Parcelamento de impostos

8.942

6.210

26.480

Outros parcelamentos de impostos

7.199

6.129

6.551

Salários e férias a pagar

31.965

29.196

36.031

Partes relacionadas

15.028

-

-

Derivativos a pagar

-

1.793

69.117

6.269

11.722

6.326

922.455

903.200

1.217.444

66.964

58.627

64.190

165.726

160.393

153.718

19.782

22.174

26.609

180

469

1.496

151.211

158.588

13.032

50.777

48.516

3.000

472

3.851

5.457

455.112

452.618

267.502

117.000

117.000

117.000

4.391

4.548

5.848

258.390

270.562

(69.117)

(156.230)

(156.815)

(21.508)

223.551

235.295

32.223

1.440

1.091

568

224.991

236.386

32.791

Total do passivo

1.377.567

1.355.818

1.484.946

Total do passivo e do patrimônio líquido

1.602.558

1.592.204

1.517.737

Impostos diferidos sobre contratos de construção

Outras contas a pagar Total do passivo circulante NÃO CIRCULANTE Empréstimos e financiamentos Parcelamento de impostos Outros parcelamentos de impostos Partes relacionadas Imposto de renda e contribuição social diferidos Provisão para contingências Outras contas a pagar Total do passivo não circulante PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capital social Reserva de reavaliação Ajuste de avaliação patrimonial Prejuízos acumulados Patrimônio líquido atribuível aos controladores Participação de não controladores Total do patrimônio líquido

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

39


Fornecedores A aquisição de bens e serviços nas localidades onde mantém operações é uma prática regular da Dedini, que visa a fortalecer, estimular e privilegiar os mercados locais. Representando, aproximadamente, 30% de todas as aquisições da Empresa, as compras locais geram riquezas, incentivo ao comércio e significativas oportunidades de trabalho, beneficiando direta e indiretamente um grande contingente de pessoas. Dessa forma, os fornecedores locais de pequeno, médio

e grande porte são priorizados na cadeia produtiva, de modo a movimentar a economia regional. Para que possa integrar o cadastro ativo de fornecedores e participar dos processos de concorrência para o fornecimento de bens e serviços, contudo, é imperativo que, além das normas de qualidade aplicáveis, atendam às normas de segurança, saúde, meio ambiente, bem como cumpram integralmente a legislação vigente.

FORNECEDORES TOTAL 2008 QTDE SERTÃOZINHO

%

VALOR

MÉDIA 2008 %

QTDE

%

%

863

7%

93.122.786

8%

72

7%

7.760.232,17

8%

2.775

24%

104.258.128

8%

231

24%

8.688.177,33

8%

MACEIÓ

18

0%

122.000

0%

2

0%

13.555,56

0%

RECIFE

120

1%

469.908

0%

10

1%

39.159,00

0%

7.939

68%

1.037.194.682

84%

662

68%

86.432.890,17

84%

11.715

100%

1.235.167.504

100%

977

100%

102.934.014,22

100%

PIRACICABA

OUTRAS TOTAL

TOTAL 2009 QTDE SERTÃOZINHO

%

MÉDIA 2009

VALOR

%

QTDE

%

VALOR

%

751

7%

83.039.973

12%

63

7%

6.919.998

12%

2.401

22%

59.002.352

8%

200

22%

4.916.863

8%

MACEIÓ

56

1%

788.430

0%

5

1%

65.703

0%

RECIFE

112

1%

508.166

0%

9

1%

42.347

0%

7.549

69%

556.378.720

80%

629

69%

46.364.893

80%

100% 699.717.641,00

100%

906

100%

58.309.803,42

100%

PIRACICABA

OUTRAS TOTAL

10.869

TOTAL 2010 QTDE SERTÃOZINHO

%

VALOR

MÉDIA 2010 %

QTDE

%

VALOR

%

601

7%

33.757.520

8%

50

7%

2.813.127

8%

2.182

24%

57.655.935

13%

182

24%

4.804.661

13%

MACEIÓ

54

1%

489.027

0%

5

1%

40.752

0%

RECIFE

125

1%

348.054

0%

10

1%

29.005

0%

OUTRAS

5.950

67%

352.527.086

79%

496

67%

29.377.257

79%

TOTAL

8.912

100% 444.777.622,00

100%

743

100%

37.064.801,83

100%

PIRACICABA

40

VALOR

Dedini S/A Indústrias de Base


DEDINI S.A. INDÚSTRIAS DE BASE E CONTROLADAS BALANÇOS PATRIMONIAIS LEVANTADOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010, 2009 e 2008 (em milhares de reais) DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO DOS EXERCÍCIOS Receita

2010

2009

2008

804.410

1.137.966

1.796.998

(733.430)

(1.156.732)

(1.572.815)

70.980

(18.766)

224.183

Despesas de vendas

(45.897)

(99.488)

(103.985)

Despesas administrativas

(55.536)

(60.253)

(64.128)

(5.862)

(8.915)

(3.256)

(36.315)

(187.422)

52.814

54.973

91.532

58.273

Despesas financeiras

(97.635)

(73.986)

(62.338)

RECEITAS (DESPESAS) FINANCEIRAS LÍQUIDAS

(42.662)

17.546

(4.065)

RESULTADO ANTES DOS IMPOSTOS

(78.977)

(169.876)

48.749

(838)

1.006

(16.091)

67.309

31.777

1.070

66.471

32.783

(15.021)

(12.506)

(137.093)

33.728

(12.855)

(137.601)

33.207

Acionistas não controladores

349

508

521

RESULTADO DO EXERCÍCIO

(12.506)

(137.093)

33.728

Custos dos produtos vendidos e dos serviços prestados LUCRO (PREJUÍZO) BRUTO

Outras despesas operacionais, líquidas

RESULTADO ANTES DAS RECEITAS (DESPESAS) FINANCEIRAS LÍQUIDAS E IMPOSTOS

Receitas financeiras

Imposto de renda e contribuição social Correntes Diferidos

RESULTADO DO EXERCÍCIO

RESULTADO ATRIBUÍVEL AOS: Acionistas controladores

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

41


Estação de Tratamento de Esgoto - UBOX - Igaraçú do Tietê-SP

Estação de Tratamento de Efluentes Industriais

42

Dedini S/A Indústrias de Base


Desempenho

Ambiental

A Dedini está fortemente comprometida com o desenvolvimento sustentável. Sua política de meio ambiente contempla o controle total de sua cadeia produtiva. Mais do que isso, orgulha-se de ser uma empresa líder em bens de capital, com produtos inovadores, cujas principais características residem na minimização de impactos ambientais, no respeito à cadeia sustentável e na geração de energia limpa. Seus produtos mais importantes possuem tecnologias alternativas que maximizam e otimizam o reaproveitamento de matérias-primas como forma de proteger o ecossistema. Por isso, a Dedini tem se destacado mundialmente pelo pioneirismo em pesquisas tecnológicas nos setores sucroalcooleiro e de biodiesel. Um de seus produtos de ponta, a Usina Sustentável Dedini - USD, transforma a cana de açúcar em seis bioprodutos, com impacto ambiental próximo de zero (maiores detalhes em “Tecnologia Sustentável”). Todos os processos adotados seguem

rigorosamente as determinações legais e o Sistema de Gestão Ambiental, nas Unidades Mecânica Capim Fino e Fundição de Piracicaba, certificado pela ISO 14001, com rigorosos monitoramentos tanto na área operacional como administrativa para a adoção de medidas preventivas, procurando reduzir impactos e cerceando possíveis ocorrências. Em vista disso, não se registraram não conformidades no período de 2009 a 2010. Os princípios que norteiam a política de gestão ambiental estendem-se para os prestadores de serviços e para toda a sua cadeia produtiva, sendo que os seus contratos determinam que todos devem estar em conformidade com a legislação ambiental. Os insumos e a geração de materiais possuem mapeamento desde o início da produção até o descarte ou recuperação final, de acordo com a legislação ambiental, com ações para minimizar possíveis impactos do processo.

PRINCIPAIS MATÉRIAS-PRIMAS UTILIZADAS NA DEDINI MATÉRIA-PRIMA

TIPO

TOTAL 2008

TOTAL 2009

TOTAL 2010

Chapas em Aço Carbono

Não renovável

44.307 t

23.933 t

19.581 t

Chapas em Aço Inoxidável

Não renovável

14.264 t

7.010 t

4.725 t

Tubos em Aço Carbono

Não renovável

2.095.025 m

1.304.155 m

478.044 m

Tubos em Aço Inoxidável

Não renovável

801.697 m

569.463 m

129.849 m

Areia

Não renovável

54.349 t

38.018 t

50.539 t

t = toneladas / m = metros

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

43


Oficina de cultivo de ervas aromáticas, condimentárias e medicinais

A areia, utilizada na confecção de moldes para a fundição de peças, é um dos principais resíduos gerados na Fundição Dedini. Para a recuperação desse material, a Empresa investiu, nos últimos anos, cerca de três milhões de reais para a implantação de um

sistema que permite a reutilização de 90% de areia em seu processo. Com isso, minimizou significativamente a extração desse recurso natural e possibilitou uma grande redução na geração de resíduos.

ANO % geração de resíduos areia

2008

2009

2010

47,7

15,5

13,7

Vale salientar que esse processo é único no Brasil e permite que a areia seja reciclada e reutilizada por diversas vezes, já que ele evita a quebra de grãos. É necessária apenas uma utilização mínima de 10% de areia nova para se manterem as características químicas que

44

garantam a excelente qualidade do produto. Esse índice pode variar, no entanto, em função do volume de produção e, consequentemente, do volume de areia a ser reciclada e da eficiência de todo o sistema de recuperação.

ANO

AREIA UTILIZADA

AREIA RECICLADA

AREIA NOVA

2008

54.349 t

28.416 t

25.933 t

2009

38.018 t

32.110 t

5.908 t

2010

50.539 t

43.606 t

6.933 t

Dedini S/A Indústrias de Base


REUTILIZAÇÃO DE SUCATAS NO PROCESSO DE PRODUÇÃO As sucatas recicladas são utilizadas para a geração de novas peças fundidas, componentes de diversos equipamentos, para a elaboração dos metais líquidos a serem vazados nos moldes, como ferro fundido UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS COMO MATÉRIA-PRIMA Produção de peças fundidas

Utilização de resíduos (sucatas metálicas) como matéria-prima na produção de peças fundidas Quantidade de resíduo (sucatas metálicas) utilizado no processo de fundição gerado pelas Unidades Dedini Quantidade de resíduo (sucatas metálicas) utilizado no processo de fundição produzido por outras empresas

cinzento, nodular, aço carbono e aço inoxidável. Esse processo permite também a reutilização de 100% da sucata metálica gerada nas Unidades fabris da Dedini.

2009 (toneladas)

2010 (toneladas)

Total (toneladas)

16.242

21.108

37.350

15.300 (94%)

19.600 (93%)

34.900 (93%)

10.504 (69%)

10.863 (55%)

21.367 (61%)

4.796 (31%)

8.737 (45%)

13.533 (39%)

Reutilização de sucatas no processo de fundição

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

45


2008 MATERIAIS / toneladas

Caldeiraria

Mecânica

Sertãozinho

Maceió

TOTAL

Retalho de Chapas AC

866,2

59,14

5.728,93

0

6.654,27

Bronze / Casquilho

2,12

146,88

31,84

4,17

184,91

Ferro fundido, Aço Forjado / Cavaco

31,54

5.274,74

2.844,77

0

8.151,05

Sucatas Aço Carbono

29,29

0

0

0

29,29

0

1.913,26

1.652,72

1151,96

4717,94

Inox e Outros

1.593,98

0

33,78

0,19

1627,95

Total de Sucatas Transferidas para a Fundição

2.523,13

7.394,02

10.292,04

156,22

21.365,41

Camisas

2009 MATERIAIS / toneladas

Caldeiraria

Mecânica

Sertãozinho

Maceió

TOTAL

0

0

0

0

0

1,8

26,6

56,12

0,55

85,07

Ferro fundido, Aço Forjado / Cavaco

15,88

1.822

819,46

0

2.658

Sucatas Aço Carbono

647

21,32

4.355

0

5.023

0

0

1014

742,5

1.756

Inox e Outros

626,7

0,78

354

0,22

981,4

Total de Sucatas Transferidas para a Fundição

1.291

1.871

6.598

743

10.504

Retalho de Chapas AC Bronze / Casquilho

Camisas

2010 MATERIAIS / toneladas

Caldeiraria

Mecânica

Sertãozinho

Maceió

TOTAL

0

0

0

0

0

0,38

69,26

30,09

0

99,73

Ferro fundido, Aço Forjado / Cavaco

0

1192

1108

0

2.300

Sucatas Aço Carbono

767,4

17,62

2.032

97,78

2.915

0

2161

2.205

604,2

4.971

Inox e Outros

526,8

46,48

3,8

0

577,2

Total de Sucatas Transferidas para a Fundição

1.295

3.486

5.380

702

10.863

Retalho de Chapas AC Bronze / Casquilho

Camisas

46

Dedini S/A Indústrias de Base


Os fornos fusores possuem um avançado sistema de filtragem dos gases provenientes do processo de produção do metal líquido utilizado nos moldes das peças fundidas. Durante a filtragem, são captados óxidos metálicos em suspensão, que geram um resíduo de fina granulação, caracterizado como tipo classe I, de acordo com a ABNT NBR – 10004:2004.

UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS COMO MATÉRIA-PRIMA

A Dedini armazena em “bags” impermeáveis esses resíduos que, após tratamento com redução química, em empresa especializada, são transformados em metais sinterizados na forma de briquetes, retornando ao mercado como matéria-prima para fundições e siderúrgicas, inclusive para a Dedini como matéria-prima para os mesmos fornos.

2009 (toneladas)

2010 (toneladas)

Total (toneladas)

Resíduo pó de despoeiramentos dos fornos enviado para transformação em matéria-prima (briquetes)

191,8

291,2

483

Briquetes (comprados/utilizados)

95,0

634,0

729

Em 2010, a Empresa adquiriu o dobro de briquetes, aproveitando, assim, resíduos gerados por outras empresas.

Emissões Atmosféricas O sistema de aspiração e filtragem de gases formados no processo de fusão (Fornos Fusores) devolvem ao meio ambiente o ar tratado, através de chaminés, examinadas anualmente por empresa especializada, qualificada pela CETESB, com acompanhamento in loco dos técnicos desse órgão fiscalizador. A Dedini investiu em equipamentos que possibilitam o monitoramento eletrônico da eficiência do sistema de filtros. Controlado pela área de Manutenção, esse sistema permite a imediata correção diante de algum problema com os filtros. Desde a instalação desses equipamentos, os relatórios técnicos têm apresentado bons resultados. O valor máximo obtido nas medições em 2010 foi de 9 mg/Nm3 de gás devolvido pelas chaminés, sendo que o valor máximo permitido é de 50 mg/Nm3. Para 2011, está prevista a instalação de um sistema de alarmes sonoro e visual, complementando o de monitoramento e auxiliando na diminuição das emissões. Esse sistema será referência no Brasil.

Energia A Dedini trabalha com o conceito de redução na utilização de energia e de autossuficiência, em vista disso, investe em ações para reduzir o consumo em seus processos, tanto em iniciativas mais complexas, como em planos simples, por meio de projetos de

pesquisa que otimizem o uso da energia em seus processos industriais e também em seus produtos (veja “Gestão de Tecnologia e Sustentabilidade”). Para isso, enfatiza o programa de orientação aos colaboradores sobre o uso racional de energia e destaca a necessidade do controle e da manutenção rigorosa em relação ao consumo de energia em todas as Unidades, com uso racional em horários de ponta. Orientadas pela consciência de que não se pode desperdiçar energia, já foram construídas as Unidades Mecânica Capim Fino e Fundição de Piracicaba. Com base no conceito de eficiência energética, os investimentos em equipamentos e máquinas privilegiam tecnologias com menos consumo de energia e com alto rendimento. A manutenção preventiva e constante, os reparos em tubulações e engates de ar comprimido, o controle rigoroso para eliminar possíveis vazamentos e desperdícios de ar comprimido são também medidas de contenção. A Unidade de Maceió está realizando um mapeamento geral da demanda dos equipamentos, com cálculo de consumo, com o objetivo de identificar ações que possam reduzir o consumo de energia e responder por maior eficiência de seu uso. Na Unidade de Sertãozinho, a substituição dos compressores refrigerados a água, com gerenciamento automático, tem gerado em média uma economia de 120kw/mês.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

47


Na Unidade de Fundição de Piracicaba estão os maiores fornos, que são a arco voltaico, motivo pelo qual o consumo de

energia é mais intenso. Nas demais Unidades, os processos produtivos não se caracterizam por consumo intenso de eletricidade.

CONSUMO DE ENERGIA – COMPARATIVO 2008 A 2010 2008 Consumo de kWh

Nº de Colaboradores – Produção (MOD) *

Consumo de kWh/colaborador Produção (MOD)

Piracicaba

48.232.640

1.670

28.882

Sertãozinho

11.658.123

1.236

9.432

Recife

1.307.023

369

3.542

Maceió

1.013.984

159

6.377

TOTAL

62.211.770

3.434

18.116

UNIDADE

2009 Consumo de kWh

Nº de Colaboradores – Produção (MOD) *

Consumo de kWh/colaborador Produção (MOD)

Piracicaba

32.453.811

1.246

26.046

Sertãozinho

11.319.262

1.180

9.593

Recife

1.127.398

306

3.684

Maceió

913.015

143

6.385

TOTAL

45.813.486

2.875

15.935

Consumo de kWh

Nº de Colaboradores – Produção (MOD) *

Consumo de kWh/colaborador Produção (MOD)

Piracicaba

41.130.536

1.235

33.304

Sertãozinho

10.499.516

1.074

9.776

Recife

1.454.299

292

4.980

Maceió

837.953

139

6.028

TOTAL

53.922.305

2.740

19.680

UNIDADE

2010 UNIDADE

(1) MOD = Mão-de-obra direta. Durante o ano de 2009, a atividade industrial foi menor, o que interferiu no índice de consumo de kWh/colaborador. Em 2010, a Empresa já retomou parte de sua produção.

Vale também salientar que, no segundo semestre de 2010, houve um aumento na fabricação de peças de grande porte em aço inoxidável para as hidroelétricas do Rio Madeira, o que exigiu uma temperatura mais alta dos fornos fusores elétricos. Esse tipo de atividade é caracterizado por um alto consumo de energia elétrica. Ainda para atender às particularidades de algumas encomendas, foi reforçada a equipe de solda na Unidade de Sertãozinho, com a contratação de terceiros, por um

48

Dedini S/A Indústrias de Base

período determinado, fato pelo qual esses colaboradores não foram contabilizados. Houve também necessidade de aumentar os bicos de jato utilizados na operação de pintura, os quais trabalharam com quatro compressores em período integral, sendo que a Empresa opera com três em período de atividade normal. Outra característica desse produto foi o tratamento térmico realizado por sistema indutivo, que também consome boa quantidade de energia elétrica.


Água Reduzir a captação e aumentar os índices de reutilização da água são diretrizes integradas à gestão de meio ambiente da Empresa. Nesse sentido, a Dedini possui Estação de Tratamento de Água (ETA) na Unidade de Piracicaba, com análises contínuas de sua qualidade para manter e garantir os padrões determinados pelos órgãos fiscalizadores, como a Vigilância Sanitária e o CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente). A Empresa desenvolve, ainda, um projeto socioambiental, o Projeto Água, que visa à reestruturação da sustentabilidade na microbacia do ribeirão Guamium, em Piracicaba. O ribeirão abastece duas Unidades: a Caldeiraria e a Fundição, com captação total de cerca de 7.838 m³/mês. Diversas ações vêm sendo desenvolvidas desde 2001, como a recuperação da barragem, o reflorestamento com mais de 8 mil mudas de 50 espécies nativas, o plantio de árvores na lagoa de captação, a recomposição florestal, o controle de qualidade da água, com análises constantes de amostras coletadas mensalmente em cinco pontos de sua nascente até o ponto de captação. É também monitorada a qualidade da água tratada na ETA, sendo realizadas cinco análises bacteriológicas por semana. A Estação de Tratamento de Efluentes (ETE) da Dedini S/A Indústrias de Base mantém uma eficiência de 93,2%, acima dos 80% determinados no Decreto Estadual nº 8468/1976.

Projeto de captação de água da chuva na Codistil Nordeste O Projeto Água de Chuva, implantado na Unidade Recife, em 2009, atingiu a meta de 10 m3 de consumo, em 2010, o que equivale à taxa de consumo mínimo da Companhia de Água de Pernambuco - COMPESA.

O consumo de água da rede pública tem variado de 10 a 150 m3 por mês, tanto pelo volume das chuvas nas épocas de menor incidência de água como pelas necessidades do processo produtivo. Também foram perfurados dois poços rasos para captação de água do lençol freático para uso industrial, visando ao abastecimento no período sem chuvas. Comparado ao consumo médio de 1500 m3 antes da implantação do Projeto, isso significa uma economia aproximada de 1420 m³ ao mês ou 17.040 m³ de água/ano. O projeto tem sido alvo de interesse da comunidade e de diversas visitas que a Unidade tem recebido, dentre elas representantes da Prefeitura Municipal de Recife e de outras empresas da região. Com o resultado da economia gerada por esse projeto foi possível realizar melhorias de layout do processo e a construção de mais duas cabines de jateamento e pintura, ampliando a capacidade de produção de tanques de armazenamento e processo em 12.000 t/ano, além da capacidade produtiva normal dos outros equipamentos da linha de produção. Essa área foi projetada para ampliar a capacidade de captação e armazenamento da água de chuva, já visando a uma futura ampliação da produção. Outras medidas e planos de ação já foram colocados em prática e implementados nesses últimos dois anos com vista a diminuir a captação e a reaproveitar a água, como a criação de cisternas com capacidade de armazenamento de 10.000 m³ para irrigação de jardins e sanitários da Empresa; a substituição de sistema de ar condicionado, que gera a economia de 8.000 l/dia de água; um serviço de “Comunique Vazamento”; a realização de constantes campanhas para o uso racional da água, entre outras ações previstas para breve (veja “Metas e Projetos Futuros”).

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

49


CONSUMO DE ÁGUA UNIDADE

CONSUMO (em litros)

FONTE

2008

2009

2010

Caldeiraria

48.040.650

29.076.000

27.416.000

Ribeirão Guamium

Fundição

48.231.000

42.131.000

34.080.000

Ribeirão Guamium

Mecânica

7.032.000

4.758.000

4.717.000

Semae

13.072.000

8.308.000

1.516.000

Compesa Cia Pernambucana de Saneamento

510.000

588.000

686.000

69.120.000

77.726.000

63.585.000

195.325.650

171.131.000

135.866.000

Recife Maceió Sertãozinho Total

Poço Artesiano Casal Cia de Saneamento Alagoana Poço Artesiano

• Redução de 12% entre o ano de 2008 e 2009 (meta 8%) • Redução de 20% entre o ano de 2009 e 2010 (meta 8%)

Programa Corta Essa O Programa “Corta Essa” é um dos mecanismos da Empresa para reforçar atitudes e hábitos ecologicamente corretos e para minimizar desperdícios. É um canal de conscientização e de participação dos colaboradores que se sentem estimulados para enviar sugestões e contribuir para a melhoria do meio ambiente. Com esse programa, são desenvolvidas campanhas de conscientização, além das diversas ações já concretizadas, entre elas, a redução de uso de papéis na área administrativa (com impressão frente e verso, que resultou numa economia de 28% no volume total de papéis) e a redução do número de impressoras, com sistema de jato

50

Dedini S/A Indústrias de Base

de tinta, estrategicamente localizadas para atender à demanda de consumo. Houve 35% de economia de cartuchos e tintas. O uso racional do ar condicionado, que é também outro foco do programa, gerou uma economia tanto de energia como de água. Alterações no serviço de telefonia foi outra sugestão acatada pela Empresa que reduziu os custos em aproximadamente 36%. Novas melhorias, como menor consumo de copos descartáveis e reaproveitamento de materiais em geral também foram implantadas. São pequenas ações que, no montante, trazem avanços para a gestão ambiental


MATERIAIS DOADOS PARA O RECICLADOR SOLIDÁRIO Materiais

Matriz 2009

Fundição 2010

2009

2010

Total

Metais

1.736,26 kg

794,02 kg

943,87 kg

803,24 kg

4.277,39 kg

Papéis

21.161,34 kg

9.677,36 kg

10.404,44 kg

8.854,32 kg

50.097,46 kg

Papelão

11.113,73 kg

5.082,46 kg

6.532,40 kg

5.559,18 kg

28.287,77 kg

Plástico Misto

6.927,60 kg

3.148,07 kg

3.112,55 kg

2.648,82 kg

15.837,04 kg

Vidro

2.576,07 kg

1.178,09 kg

957,04 kg

814,44 kg

5.525,64 kg

Total geral

Tecnologia Dedini para o Desenvolvimento Sustentável

104.025,30 kg

mento de frutas e hortaliças, doces e confeitos).

A Dedini desenvolve tecnologia limpa para vários segmentos do mercado (veja em “Gestão de Tecnologia e Sustentabilidade”). Em 1984, iniciou seus projetos na área de tratamento de efluentes e, desde então, continuou a inovar, com soluções sustentáveis para o lançamento deles. Atendendo aos mais rigorosos padrões estabelecidos pelos órgãos ambientais, tem gerado soluções tecnológicas que possibilitam, ainda, o aproveitamento energético dos efluentes. Com 80% de Market Share, a Dedini é líder no Brasil no tratamento anaeróbio de efluentes de fábrica de cervejas e refrigerantes e indústrias alimentícias (amido, glucose, gelatinas, leveduras, ácido cítrico, sorbitol, processa-

De 1984 a 2010, foram comercializadas 163 unidades para tratamento de efluentes diversos, responsáveis por ano pelos mais de 190 milhões de m3 de água devolvida aos rios para preservação do meio ambiente. Os efluentes tratados nas Estações de Tratamento de Efluentes fabricadas pela Dedini equivalem a 20% do esgoto sanitário gerado pela população brasileira. A partir de 2011, serão tratados 375m³/h de efluentes provenientes de três unidades industriais integradas para produção de ácido tereftálico (PTA), polímeros e filamentos de poliéster (antiga Citepe) e resina para embalagem PET, além do esgoto sanitário gerado nessas unidades fabris. Esse projeto contempla o fornecimento da tecnologia Dedini para a maior Estação de Tratamento Biológico de Efluentes da América Latina.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

51


INVESTIMENTO EM PROTEÇÃO AMBIENTAL

ANO 2009 / 2010 (R$)

Investimentos

2.143.010,00

Desembolso

1.710.894,04

TOTAL

3.853.904,04

Iniciativa para mitigação de impactos ambientais • Em todas as Unidades é realizado um rigoroso controle para se evitar o derramamento de substâncias perigosas e contaminantes do solo; • Na Fundição, é efetuado o controle de emissões veiculares, sendo fiscalizada a frota interna e externa através do método recomendado pela CETESB (Escala de Ringelmann); • Mudas nativas da nossa região foram distribuídas para os colaboradores em datas oportunas, conscientizando sobre a importância das florestas; • Mensalmente são efetuadas análises para monitorar a qualidade da água em quase toda a extensão da bacia do Ribeirão Guamium; • Medidas para evitar emissões de materiais particulados são constantes no dia-a-dia das Unidades.

Projeto Tijolo Social Uma parceria entre a Ambiental Paulista – Projetos Ambientais Ltda. e a Fundação Mario Dedini possibilitou que a MUCAPP (Associação Pró-Mutirão da Casa Popular de Piracicaba) intensificasse a sua atuação na construção de moradias populares, com a garantia de atendimento a todas as exigências dos órgãos controladores do meio ambiente. Os resíduos de madeira descartados das embalagens de materiais e de matérias-primas, recebidos nas fábricas de Piracicaba, são aproveitados para a troca por tijolos com as olarias da região que utilizam a madeira na geração de energia para o seu processo produtivo. Essa iniciativa, além de diminuir o volume de descarte nos aterros, contribui para agilizar o trabalho da MUCAPP, que organiza a construção de casas por meio de mutirões, a autoconstrução ou as empreitadas para atendimento às famílias moradoras em assentamentos precários ou favelas.

PROJETO TIJOLO SOCIAL ANO

RESÍDUO DE

QUANTIDADE DE

CASAS / MUROS

MADEIRA (KG)

TIJOLOS

CONSTRUÍDOS

2009

96.000

12.000

3 casas e 5 muros

2010

28.000

3.500

1 casa e 1 cômodo

RESUMO – DEMONSTRATIVO 2009/2010 ANO TOTAL DE MADEIRA COLETADA - UNIDADES PIRACICABA

52

273.060 Kg

TOTAL DE MADEIRA CONVERTIDA EM TIJOLOS

27.306 un.

TOTAL DOADO À FUNDAÇÃO MARIO DEDINI

11.806 un.

SALDO PARA DOAÇÃO

21.994 un.

Dedini S/A Indústrias de Base


Plano integrado de combate à Dengue O Plano Integrado de Combate à Dengue permite combater o Aedes aegypti por meio de monitoramento ambiental. Para isso, a Dedini e o Centro de Zoonose de Piracicaba têm trabalhado em parceria, numa pesquisa que envolve observação e vistoria de larvas em diversos pontos da Empresa para controle da proliferação. São feitos estudos de adequa-

ções de equipamentos e de instalações fixas para impedir acúmulos de água. Outro recurso utilizado são as armadilhas, que possibilitam um diagnóstico mais apurado da quantidade de larvas. Diversas atividades educativas, palestras, exposições, reuniões, entre outras, estão sendo realizadas com os colaboradores visando à formação de multiplicadores para a conscientização da importância de todos se mobilizarem para a solução de um problema de saúde pública.

Projetos Futuros

Programa de Educação Escolar Para a Dedini, a educação ambiental assume um papel transformador, visto que seu grande desafio é a mudança de valores. É fazer com que as pessoas sejam capazes de distinguir as ações humanas no ambiente como favoráveis ou desfavoráveis, posicionando-se em consonância com os valores adquiridos e incorporados. Para envolver diversos setores da sociedade na revitalização dos recursos naturais da bacia do Guamium (Piracicaba-SP), o Programa Educação Escolar pretende mobilizar as escolas públicas dos bairros Vila Industrial, Vila Fátima, Algodoal, Tanquinho e Cruz Caiada, num estudo sobre a microbacia do Guamium, seus problemas e o seu desenvolvimento sustentável, de forma a conscien-

tizar os estudantes, sensibilizando-os sobre a importância da preservação do meio ambiente. Esse trabalho será realizado em parceria com a Fundação Mario Dedini. Uma outra etapa desse projeto prevê o estudo de possíveis áreas de reflorestamento, em especial no início do Guamium. Será realizado um diagnóstico das potencialidades e/ou problemas ambientais e de perdas de biodiversidade da região, bem como a identificação do uso comum dos recursos da bacia, despejo de resíduos, como esgoto doméstico, industriais e agrícolas. Essas questões serão trabalhadas posteriormente com os estudantes. Também um cadastramento de empresas, escolas e comunidades está sendo efetivado para maior envolvimento da comunidade do entorno e para envio de materiais sobre educação ambiental, visando à participação de todos no projeto.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

53


Viveiro de Mudas para distribuição de plantas nativas

Viveiro de Mudas A Empresa programa, ainda, a instalação de um viveiro de mudas nas dependências da Unidade Fundição, irrigado com água captada do telhado do galpão e armazenada em cisterna já existente. O viveiro deverá ser construído com o reaproveitamento de materiais inativos no pátio e terá capacidade de produção de 6 mil mudas, em tubetes acondicionados em bandejas plásticas. As sementes serão doadas pela Fundação Mario Dedini, adquiridas de empresas devidamente licenciadas nos órgãos ambientais. Será também feito um sistema de compostagem de matéria proveniente de podas de árvores, jardinagem e outros resíduos orgânicos da Empresa para utilização no viveiro. Pretende-se que o espaço, por ser quase que praticamente construído e mantido com reciclagem, seja um modelo para visitação, em especial

54

Dedini S/A Indústrias de Base

para os estudantes, que terão oportunidade de ampliar conhecimentos sobre a produção de plantas nativas. Também funcionará como um centro de distribuição de mudas nativas para os visitantes e para as propriedades no entorno da microbacia.

Cartilha Ambiental sobre o Guamium A cartilha será desenvolvida com temas pertinentes a questões pontuais e de importância da microbacia do Guamium. Será ilustrada com o mascote “Zé Mudinha” e abordará os temas poluição, desmatamento e agressão à flora e à fauna. Sua distribuição tem como objetivo sensibilizar a sociedade e incentivá-la a promover mudanças necessárias à recuperação do meio ambiente.


Desempenho Social

A crise financeira global que, no final de 2008, causou um impacto em todos os segmentos do mercado, teve como consequência a retração de pedidos e projetos. Assim, a Dedini precisou reestruturar seus programas e projetos para enfrentar as turbulências causadas pela crise. Para isso, adotou inevitáveis medidas, esforçando-se, no entanto, para preservar e valorizar ao máximo o seu capital humano, que representa um grande diferencial no contexto global da Empresa. Apesar desse comprometimento, com o protelamento de pedidos e projetos, foi obrigada a reduzir seu

quadro funcional, embora mantenha expectativa de que esse pessoal, já alinhado, qualificado e integrado às políticas da Empresa, poderá desempenhar um papel fundamental com a retomada do crescimento da produção. De acordo com o plano estratégico, as demissões ocorreram de forma diferenciada, tendo sido ligeiramente mais acentuadas nas Unidades de Piracicaba (SP), cidade onde se concentra o maior número de fábricas, e em Recife, pelas características de seus produtos.

COLABORADORES EFETIVOS POR UNIDADE Unidade

2008

2009

2010

Piracicaba

3.250

2.475

2.480

Sertãozinho

1.849

1.664

1.554

Maceió

230

194

194

Recife

531

389

412

TOTAL

5.860

4.722

4.640

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

55


EMPREGOS DIRETOS 2008

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Homens

3.040

1.801

225

521

5.587

Mulheres

210

48

5

10

273

Próprios

3.250

1.849

230

531

5.860

Terceiros

774

604

13

34

1.425

Estagiários

45

6

4

9

64

2009

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Homens

2.322

1.616

189

381

4.508

Mulheres

153

48

5

8

214

Próprios

2.475

1.664

194

389

4.722

Terceiros

598

462

10

26

1.096

Estagiários

16

3

2

4

25

2010

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Homens

2.326

1.501

189

399

4.415

Mulheres

154

53

5

13

225

Próprios

2.480

1.554

194

412

4.640

Terceiros

517

445

13

115

1.090

Estagiários

12

2

2

4

20

Considerando os colaboradores como grandes parceiros para a excelência dos resultados obtidos, a Dedini mantém sua gestão de Recursos Humanos centrada no bom relacionamento interno, no cumprimento das leis, dos acordos trabalhistas e da Declaração de Direitos Humanos. Suas ações asseguram melhores condições de trabalho para garantirem a saúde, a segurança e possibilitarem o desenvolvimento pessoal e profissional de sua equipe. Como proposta de valorização do trabalho, transparência de relacionamento e fortalecimento da estrutura interna, a Empresa pretende implantar em 2011 um programa de avaliação de desempenho anual, já em fase de elaboração, para todos os níveis. As remunerações estabelecidas pela Dedini têm como referência a pesquisa de

56

Dedini S/A Indústrias de Base

mercado regional praticada no segmento, posicionado-se na mediana de mercado. Os reajustes salariais seguem o que é definido nos acordos e convenções coletivas, estabelecidos nas regiões onde atua, condizentes com a tendência regional, com particularidades econômicas diferenciadas. Todos os colaboradores (100%) foram abrangidos pelos acordos de negociação coletiva. Em 2009, o Grupo Dedini direcionou 4 milhões para o Programa de Melhoria e Participação nos Resultados. Em 2010, esse valor pode superar os 5 milhões de reais. O valor do PLR é determinado através do cumprimento de metas, seguindo a legislação pertinente e o registro em acordo coletivo. Algumas Unidades têm indicadores e metas específicos, além de critérios comuns, como o índice de absenteísmo e de qualidade, entre outros.


RELAÇÃO ENTRE A MAIOR E A MENOR REMUNERAÇÃO ANO

Base

Meta

2008

53,7

58,47

2009

50,79

53,7

2010

47,52

50,79

A Empresa tem como diretriz reduzir, a cada ano, a diferença entre a menor e a maior remuneração

A Dedini tem se empenhado para igualar a média salarial entre os sexos, aplicando em suas Políticas de Remuneração e de Recrutamento Interno para os mesmos cargos, salários iguais independente de gênero ou quaisquer outras características sociais e econômicas. Assim, houve um avanço na proporção de salário-base entre homens e mulheres para cargos técnicos, administrativos, operacionais, apontados respectivamente pelos índices de 2009, de 0,93%%, 0,90% e 0,92% para os de 2010, de 0,96%, 0,94% e 0,94%, aproximando-se dos índices de 2008, de 0,95, 0,98 e 0,98, que sofreram influência do período mais crítico da crise mundial. Apesar da retração na categoria liderança (de 0,99, em 2008, 0,97 em

2009 para 0,90, em 2010), o grande contingente de colaboradoras se beneficiou com as políticas de igualdade de gênero, no entanto, longe ainda do desejado pela Empresa. Por haver poucas mulheres em cargos operacionais e de chefia, as contratações e promoções recentes nesses cargos tiveram impacto nesse item, mantendo-se os índices inferiores a 2009, porém ainda com resultado superior, comparativamente a 2008. A variação da proporção do menor salário comparado ao salário mínimo local é de 1,83 em 2008, 1,80 em 2009 e de 1,74 em 2010.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

57


PROPORÇÃO DE HOMENS E MULHERES POR REGIÃO 2008

Piracicaba

Sertãozinho

Recife

TOTAL

Homens

3.040

1.801

225

521

5.587

% Homens

93,5

97,4

97,8

97,8

95,3

Mulheres

210

48

5

10

273

% Mulheres

6,5

2,6

2,2

1,9

4,7

2009

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Homens

2.322

1.616

189

381

4.508

% Homens

93,8

97,1

97,4

97,9

95,5

Mulheres

153

48

5

8

214

% Mulheres

6,2

2,9

2,6

2,1

4,5

2010

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Homens

2.326

1.501

189

399

4.415

% Homens

93,8

96,6

97,4

96,8

95,2

Mulheres

154

53

5

13

225

% Mulheres

6,2

3,4

2,6

3,2

4,8

Entrega de Cesta de Natal na Gincana do Leite

58

Maceió

Dedini S/A Indústrias de Base


GรŠNERO (POR CATEGORIA FUNCIONAL) 2008

Operacional

Administrativo

Lideranรงas

TOTAL

Masculino

4.035

1.243

309

5.587

Feminino

19

238

16

273

4.054

1.481

325

5.860

2009

Operacional

Administrativo

Lideranรงas

TOTAL

Masculino

3.358

896

254

4.508

TOTAL

Feminino

19

177

18

214

3.377

1.073

272

4.722

2010

Operacional

Administrativo

Lideranรงas

TOTAL

Masculino

3.371

818

226

4.415

TOTAL

Feminino TOTAL

31

176

18

225

3.402

994

244

4.640

Relatรณrio de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

59


FAIXA ETÁRIA (POR REGIÃO)

2008

Faixa etária

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Menos de 20 anos

100

44

2

3

149

De 20 a 25 anos

607

472

43

89

1.211

De 26 a 30 anos

623

333

42

120

1.118

De 31 a 35 anos

391

232

27

112

762

De 36 a 40 anos

299

159

36

58

552

De 41 a 45 anos

332

171

28

52

583

De 46 a 50 anos

336

163

21

42

562

De 51 a 55 anos

337

159

23

35

554

Acima de 55 anos

225

116

8

20

369

3.250

1.849

230

531

5.860

TOTAL

2009 Faixa etária

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Menos de 20 anos

55

45

3

2

105

De 20 a 25 anos

428

393

38

64

923

De 26 a 30 anos

487

306

34

84

911

De 31 a 35 anos

307

216

20

84

627

De 36 a 40 anos

241

157

24

39

461

De 41 a 45 anos

278

154

26

40

498

De 46 a 50 anos

266

146

18

32

462

De 51 a 55 anos

208

115

17

23

363

Acima de 55 anos TOTAL

205

132

14

21

372

2.475

1.664

194

389

4.722

2010 Faixa etária

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

Menos de 20 anos

79

49

2

6

136

De 20 a 25 anos

392

325

32

74

823

De 26 a 30 anos

441

280

36

79

836

De 31 a 35 anos

344

192

20

78

634

De 36 a 40 anos

244

159

20

52

475

De 41 a 45 anos

249

139

30

40

458

De 46 a 50 anos

278

145

20

35

478

De 51 a 55 anos

213

112

16

20

361

Acima de 55 anos

240

153

18

28

439

2.480

1.554

194

412

4.640

TOTAL

60

Dedini S/A Indústrias de Base


FAIXA ETÁRIA (POR CATEGORIA FUNCIONAL)

2008

Faixa etária

Operacional

Administrativo

Liderança

TOTAL

Menos de 20 anos

131

20

0

151

De 20 a 25 anos

915

292

2

1.209

De 26 a 30 anos

750

356

14

1.120

De 31 a 35 anos

545

201

14

760

De 36 a 40 anos

411

115

26

552

De 41 a 45 anos

402

132

49

583

De 46 a 50 anos

359

122

81

562

De 51 a 55 anos

328

156

71

555

Acima de 55 anos

213

87

68

368

4.054

1.481

325

5.860

TOTAL

2009 Faixa etária

Operacional

Administrativo

Liderança

TOTAL

Menos de 20 anos

90

15

0

105

De 20 a 25 anos

718

204

1

923

De 26 a 30 anos

644

256

11

911

De 31 a 35 anos

464

151

12

627

De 36 a 40 anos

353

86

22

461

De 41 a 45 anos

350

96

52

498

De 46 a 50 anos

304

95

63

462

De 51 a 55 anos

229

90

44

363

Acima de 55 anos TOTAL

225

80

67

372

3.377

1.073

272

4.722

2010 Faixa etária

Operacional

Administrativo

Liderança

TOTAL

Menos de 20 anos

124

12

0

136

De 20 a 25 anos

657

166

0

823

De 26 a 30 anos

616

215

5

836

De 31 a 35 anos

470

152

12

634

De 36 a 40 anos

368

90

17

475

De 41 a 45 anos

341

73

44

458

De 46 a 50 anos

323

104

51

478

De 51 a 55 anos

225

94

42

361

Acima de 55 anos TOTAL

278

88

73

439

3.402

994

244

4.640

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

61


TEMPO DE PERMANÊNCIA (POR REGIÃO) 2008

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

0 a 5 anos

2.266

1.312

207

470

4.255

6 a 10 anos

325

309

23

36

693

10 a 15 anos

177

42

0

10

229

15 a 20 anos

91

47

0

74

142

Acima de 20 anos

391

139

0

11

541

3.250

1.849

230

531

5.860

2009

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

TOTAL

0 a 5 anos

1.650

1.181

171

343

3.345

6 a 10 anos

290

279

16

25

610

10 a 15 anos

103

25

7

9

144

15 a 20 anos

106

28

0

4

138

Acima de 20 anos

326

151

0

8

485

2.475

1.664

194

389

4.722

2010

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

0 a 5 anos

1.591

1.058

166

357

3.172

TOTAL

6 a 10 anos

328

230

20

35

613

10 a 15 anos

113

95

8

7

223

15 a 20 anos

135

16

0

5

156

Acima de 20 anos

313

155

0

8

476

2.480

1.554

194

412

4.640

TOTAL

62

Dedini S/A Indústrias de Base


NÚMERO TOTAL E TAXA DE ROTATIVIDADE DE COLABORADORES POR REGIÃO 2008

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

HOMENS

24,70%

23,00%

18,00%

19,80%

21,37%

MULHERES

24,32%

23,60%

12,60%

3,84%

23%

Até 24 anos

8%

7,00%

9,00%

5,00%

7,25%

De 25 a 34 anos

9%

10,00%

4,00%

9,00%

8,00%

De 34 a 45 anos

4%

4,00%

4,00%

4,00%

4,00%

Acima de 45 anos

5%

3,00%

2,00%

2,00%

3,00%

2009

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

HOMENS

39,16%

29,09%

28,50%

41,69%

35,54%

MULHERES

38,57%

29,17%

20,00%

55,56%

36,96%

Até 24 anos

7,58%

7,63%

3,77%

6,09%

7,31%

De 25 a 34 anos

13,38%

10,99%

11,32%

18,48%

12,95%

De 34 a 45 anos

6,67%

4,67%

8,96%

11,09%

6,48%

Acima de 45 anos

11,49%

5,81%

4,25%

6,30%

8,86%

2010

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

HOMENS

23,11%

34,26%

14,81%

27,44%

27,03%

MULHERES

20,85%

13,86%

0,00%

19,05%

18,68%

Até 24 anos

6,22%

9,32%

2,58%

5,99%

7,11%

De 25 a 34 anos

9,77%

14,54%

5,67%

13,23%

11,54%

De 34 a 45 anos

3,75%

5,97%

4,12%

5,74%

4,70%

Acima de 45 anos

3,23%

3,79%

2,06%

2,25%

3,29%

Na apuração do percentual entre homens e mulheres, os índices foram calculados sobre o efetivo total de cada gênero e não sobre o total de todos os colaboradores, A taxa de rotatividade, em função das mudanças internas ocorridas, aumentou em 2009, alcançando índices mais elevados na área operacional. Já em 2010, aproximou-se da taxa registrada em 2008.

Comunicação Interna Uma comunicação contínua, transparente e confiável com os seus colaboradores é um dos fatores fundamentais na gestão da Empresa. O Departamento de Comunicação é responsável pelos principais canais de diálogo, mantendo uma atuação em conjunto com a Diretoria da Empresa e todas as demais áreas das Unidades. Utiliza diversos recursos de mídia, como intranet, jornal interno, quadro de avisos, com o objetivo de facilitar a integração com os colaboradores, de forma a contribuir para um bom clima organizacional. Busca, ainda, alternativas para um diálogo aberto, que estreita e aprimora o relacionamento entre as lideranças

e os colaboradores. N esse sentido, a Diretoria estimula o desenvolvimento de programas que facilitem a comunicação dos líderes com suas equipes, para um diálogo contínuo e acessível para a transmissão da proposta de valores da Empresa, tendo sempre como base os princípios do respeito e dos direitos humanos. Mudanças na rotina ou quaisquer acontecimentos que afetam o dia a dia de trabalho são informados para os colaboradores por meio dos canais internos de comunicação e, em cadeia, pelas lideranças. Tomadas de decisões do corpo diretivo, informações e mudanças relevantes são, sempre que possível, antecipadas, sem prazo definido, visando a evitar impactos internos.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

63


Unidade de Injeção Química - Flutrol

64

Dedini S/A Indústrias de Base


Treinamento e Educação

A educação e a qualificação dos colaboradores estão incorporadas à estratégia da Empresa. Para a Dedini, educar, mais do que qualificar, é articular as competências individuais e organizacionais para um crescimento mútuo. Diante disso, os programas de treinamento e desenvolvimento profissional, vinculados ao planejamento estratégico, são realizados constantemente para garantir o diferencial da Dedini. Essas práticas de educação estão relacionadas ao processo de inovação tecnológica da Empresa e ao aumento de competitividade no mercado. Mesmo diante do impacto da crise econômica e consequente redução de produção, a Empresa manteve investimentos em desenvolvimento pessoal, por acreditar que a educação é um dos processos mais importantes para a transformação social. Os programas de educação continuada, desde a básica até os programas de mestrados, doutorados, especialização e MBA, prosseguiram, em parte subsidiados pela Dedini, com a dispensa do colaborador de horas normais de trabalho. Otimiza-se, assim, o aproveitamento e incentiva-se o colaborador a desenvolver sua educação e seus talentos. Em 2008, com o objetivo de viabilizar e intensificar as ações de qualificação e desenvolvimento de competências de seus colaboradores, criou o Centro de Treinamento Operacional, na Caldeiraria de Piracicaba. Entre 2009 e 2010 foram realizadas 16.505 horas de treinamento nesse local.

Em Sertãozinho, a Empresa manteve uma unidade móvel do SENAI para a capacitação de colaboradores da área operacional. Treinamentos para operadores de equipamento de força motriz própria estão sendo realizados por equipes internas, como forma de reduzir custos, valorizar o conhecimento da equipe e ampliar o número de colaboradores qualificados. Em 2009 e 2010, como multiplicadores, os colaboradores promoveram cursos para outros 210 membros da equipe da Caldeiraria, Fundição e Mecânica da Unidade de Piracicaba, totalizando 3.364 horas de treinamento. Face aos resultados positivos dessa prática, pretende-se que se estenda para as outras Unidades da Dedini. Também foi implementado em Recife, em Maceió e na Caldeiraria de Piracicaba, treinamento de segurança na integração de novos colaboradores, com aumento de carga horária. Essa mudança tem o caráter preventivo e objetivo de agregar conhecimentos sobre a estrutura e normas de segurança, o controle de risco e as obrigações tanto da Empresa como do novo colaborador com a sua segurança. O Programa Capacitar, em 2009 e 2010, envolveu 116 colaboradores, num total de 1.160 horas de treinamento. O programa tem como princípio o aprendizado no processo do ambiente de trabalho, com o objetivo de nivelar o conhecimento técnico, administrativo e comercial. Também nesse período, foram incorporados

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

65


41 estagiários através do Programa de Estágio, que visa a formar profissionais especializados e futuros líderes. Esse programa, integrado ao planejamento estratégico da Empresa, envolve os participantes em atividades de desenvolvimento nas áreas de engenharia, negócio e administração, possibilitando a continuidade dessa qualificação em suas áreas de trabalho e a convergência entre o desempenho acadêmico e a prática profissional. A permanência desses estudantes segue rigorosamente os critérios estabelecidos pela legislação. Como incentivo para a formação continuada dos colaboradores e de seus dependentes, a Dedini firmou, em 2010, convênio com instituições de ensino para propiciar bolsas de estudos, com descontos especiais nas mensalidades, para cursos técnicos, de graduação e pós-graduação. Essa parceria foi implantada

TREINAMENTO

A Dedini contribui também para a manutenção de uma importante ação social: o Programa de Aprendizagem do SENAI, que qualifica mão-de-obra e facilita o acesso de jovens ao mercado de trabalho. Através dele, foram mantidos 228 jovens na Empresa em cursos básicos e de qualificação profissional nas áreas de caldeiraria, soldagem, modelagem e mecânica. Ao final do curso, a Dedini incorporou à sua equipe 33 desses jovens por meio de contrato de trabalho.

HORAS 2008

2009

2010

261,418

185,180

108,682

Per capita - horas/homem treinamento

44,9

39,4

25,04

Total de investimento em treinamento

2.242.000,00

2.404.800,00

1.673.361,00

Total de horas realizadas

EVENTO

PARTICIPANTES 2008

2009

2010

Programas de especialização Pós-Graduação e MBA

72

41

4

Programa de Mestrado e Doutorado

16

10

11

Aprendiz SENAI

162

75

153

ESTAGIÁRIO REMUNERADO

66

como plano piloto em Piracicaba. O programa superou as expectativas, por, em seu primeiro ano, já beneficiar 160 pessoas, entre colaboradores e dependentes. O mesmo convênio será estendido às demais Unidades, por meio de futura negociação com instituições de ensino local.

PARTICIPANTES 2008

2009

2010

Participantes de programas nível técnico

9

0

1

Participantes de programas nível superior

56

25

15

Dedini S/A Indústrias de Base


2008 MÉDIA DE HORAS DE TREINAMENTO POR CATEGORIA FUNCIONAL

CARGA HORÁRIA TOTAL

COLABORADORES (*)

MÉDIA DE HORAS DE TREINAMENTO POR COLABORADOR

Liderança (encarregados, coordenadores, supervisores, gerência, diretoria

3.648

325

11,22

Técnico/administrativo (mensalistas)

23.469

1.469

15,98

Operacional (horistas)

68.157

3.850

17,7

2009 MÉDIA DE HORAS DE TREINAMENTO POR CATEGORIA FUNCIONAL

CARGA HORÁRIA TOTAL

COLABORADORES (*)

MÉDIA DE HORAS DE TREINAMENTO POR COLABORADOR

330

272

1,21

Técnico/administrativo (mensalistas)

15.700

1.522

10,32

Operacional (horistas)

107.320

3.850

27,88

Liderança (encarregados, coordenadores, supervisores, gerência, diretoria

2010 MÉDIA DE HORAS DE TREINAMENTO POR CATEGORIA FUNCIONAL

CARGA HORÁRIA TOTAL

COLABORADORES (*)

MÉDIA DE HORAS DE TREINAMENTO POR COLABORADOR

398

244

1,63

Técnico/administrativo (mensalistas)

5.543

982

5,64

Operacional (horistas)

57.320

3.226

17,77

Liderança (encarregados, coordenadores, supervisores, gerência, diretoria

ESCOLARIDADE (POR REGIÃO) ESCOLARIDADE

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

TOTAL

912

845

86

230

2.073

1.031

552

98

164

1.845

Educação superior

492

146

7

12

657

Pós-graduação

45

11

3

6

65

2.480

1.554

194

412

4.640

Ensino fundamental Ensino médio

TOTAL

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

67


Usina de Evaporação de Alumina - Alunorte

68

Dedini S/A Indústrias de Base


Saúde

e Segurança A política de Segurança e Saúde determina um esforço contínuo de todos para a preservação da saúde integral do colaborador. A Empresa tem intensificado suas ações para que os seus colaboradores operacionais, administrativos e chefias desenvolvam uma cultura de segurança sólida para a manutenção de um ambiente e de comportamentos 100% seguros.

essa meta, em especial nas Unidades de Sertãozinho e Recife, locais que estão sob a atenção e estudos do Departamento de Segurança. Outro fator, objeto de estudo das áreas de Segurança do Trabalho e Recursos Humanos, é a dificuldade de contratação de mão de obra qualificada, fazendo com que no ínterim até a qualificação, pequenas ocorrências venham a acontecer.

No final de 2008, implantou o programa STOP, com duas linhas de trabalho: uma voltada às chefias e supervisores, outra, aos colaboradores. O objetivo é capacitá-los para que assumam a responsabilidade de eliminar as possibilidades de ocorrência de incidentes e lesões. Observando os colaboradores minuciosamente enquanto trabalham, há oportunidade de educá-los, positivamente, na indicação de atos seguros e de incentivá-los, orientando e demonstrando práticas e atitudes de trabalho que previnam acidentes.

Já em 2010, em vista das imediatas providências adotadas pela Dedini, com reuniões com as lideranças, comitês, membros da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e colaboradores, auditorias internas, houve uma queda significativa nos acidentes, ficando os índices próximos aos patamares atingidos em 2008. Longe de estar satisfeita com esse resultado, a Dedini intensificou as reuniões com todos os níveis para estudar medidas de priorização das metas de segurança, objetivando imediata melhoria nas condições de saúde e trabalho para os seus colaboradores com foco no “Acidente Zero”. Diante disso, o programa STOP foi intensificado, assim como os cipeiros estão sendo preparados para que possam ter uma ação mais efetiva. A SIPAT, que havia sido remodelada nas Unidades de Piracicaba, está iniciando o mesmo ciclo nas outras unidades. Os novos colaboradores são treinados sobre as normas de segurança internas, participam de reuniões e estudos realizados pela equipe de Saúde e Segurança Ocupacional para que as melhores práticas possam ser aplicadas, sempre considerando o rigoroso cumprimento dos requisitos legais e as normas nacionais e internacionais de segurança.

Já os colaboradores devem interagir entre si com relação à segurança, de forma a incorporar técnicas que garantam que suas atividades cotidianas e sua organização de trabalho levem a uma melhoria no desempenho de sua segurança, de seus colegas e do ambiente de trabalho. Apesar da prioridade e da atenção que a Empresa tem com a prevenção e com a segurança, em 2009, o número de acidentes com afastamento não atingiu a meta proposta de redução em 25%, embora tenha apresentado uma queda significativa de 22%, quando comparado com 2008. Em 2010, não atingiu

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

69


% ACIDENTES DE TRABALHO ANO

% Acidentes com afastam

% Acidentes sem afastam

% Acidentes

2008

5,20

2,51

7,71

5.748

12.081.335,16

2009

4,06

4,47

8,53

4.832

9.447.614,61

2010

4,56

2,63

7,20

4.294

8.827.607,56

A área de Segurança e Saúde Ocupacional conta com uma equipe qualificada, composta por 3 Engenheiros de Segurança do Trabalho, 18 técnicos de Segurança do Trabalho, 3 Médicos do Trabalho, 1 coordenador de Ambulatório Médico, 8 auxiliares de Enfermagem do Trabalho e 04 auxiliares de enfermagem Em Saúde Ocupacional, a Empresa tem registrado ótimos resultados, sendo considerada referência em programas de prevenção de riscos e de saúde do trabalhador. Os colaboradores contam com ambulatórios médicos localizados nas dependências das empresas que além de realizarem atendimentos internos, desenvolvem programas de detecção, controle e orientação de tratamento de doenças tendo como foco a medicina ocupacional aliada à prevenção.

SIPAT A SIPAT objetiva assegurar à Empresa e aos colaboradores um maior conhecimento sobre os trabalhos desenvolvidos internamente, bem como sobre temas atuais que permeiam a questão de segurança no trabalho.

70

Média Horas Homens Colaboradores/Ano Trabalhadas

Os temas da SIPAT têm uma sequência lógica, de acordo com o planejamento elaborado pela área de engenharia de segurança e medicina do trabalho, sendo que a primeira fase abordou a ‘Percepção de Riscos’, em 2008. No ano seguinte, ‘Mudança de Atitudes e Valorização da Prevenção’; em 2010, “Segurança pelo Exemplo”. Para maior envolvimento e proximidade com o dia a dia de trabalho, as palestras são ministradas pelos supervisores e encarregados da área que direcionam seus discursos para os problemas e necessidades diretas do setor. A mudança tem trazido bons resultados, pois aponta as responsabilidades e melhorias que podem efetivamente otimizar a rotina de trabalho e tornar o ambiente mais seguro. Leva também o próprio colaborador a observar os possíveis riscos em seu ambiente de trabalho e a sugerir medidas adequadas de prevenção. Essa mudança elevou para 90% a participação dos colaboradores, estimulando a implantação do mesmo modelo,em 2010, em Recife e Sertãozinho.

TL= Nº Lesões/ Horas trabalhadas x 200000

Com Afastamento

Sem Afastamento

TOTAL = Com + Sem Afastamento

2008

TLC =299 / 12081335,16 x 200000 = 4,94

TLS= 144 / 12081335,16 x 200000 = 2,38

TL= 443 / 12081335,16 x 200000 = 7,33

2009

TLC = 196/9447614,61 x 200000 = 4,15

TLS=216/9447614,61 x 200000 = 4,57

TL=412/9447614,61 x 200000 = 8,72

2010

TLC =196 / 8827607,56 x 200000 = 4,44

Dedini S/A Indústrias de Base

TLS =113 / TL= 309 / 8827607,56 8827607,56 x 200000 x 200000 = 7,00 = 2,56


TAXAS DE DIAS PERDIDOS (TDP)

2008

DIB (Total)

Caldeiraria

DIAS PERDIDOS

4.893

1.534

179

1.648

1.097

267

168

TDP

81

74,72

33,67

267,58

58,83

58,65

83,63

Mecânica Fundição Sertãozinho Recife Maceió

* TDP=Nº DIAS PERDIDOS/ HORAS TRABALHADAS X 200000

2009

DIB (Total)

Caldeiraria

DIAS PERDIDOS

3.446

579

246

1.008

1.300

217

96

TDP

72,95

35,31

61,83

218,83

79,05

57,01

47,91

Mecânica Fundição Sertãozinho Recife Maceió

* TDP=Nº DIAS PERDIDOS/ HORAS TRABALHADAS X 200000

2010

DIB (Total)

Caldeiraria

DIAS PERDIDOS

4.163

945

312

1.181

1.447

263

14

TDP

94,32

69,44

66,88

226,5

96,21

66,32

8,51

Mecânica Fundição Sertãozinho Recife Maceió

* TDP=Nº DIAS PERDIDOS/ HORAS TRABALHADAS X 200000

0 (ZERO)

NÚMERO DE ÓBITOS EM 2009 E 2010

TAXA DE ABSENTEÍSMO POR REGIÃO ANO

Piracicaba

Sertãozinho

Maceió

Recife

2008

1,49

2,60

1,61

3,00

2009

1,37

2,53

1,41

3,48

2010

1,68

3,46

2,06

4,05

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

71


HORAS DE TREINAMENTO EM PROGRAMAS DE SEGURANÇA DO TRABALHO 2008

Piracicaba

Sertãozinho

Recife

Maceió

Diálogo de Segurança

23.243

18.440

1.655

1.400

Integração de Segurança

2.215

1.296

566

96

Prevenção Acidentes CIPA

1.780

340

SIPAT

2.247

734

285

249

Operadores Equipamentos Movimentação

4.635

300

-

992

Ergonomia

297

-

-

-

STOP para todos DUPONT

5.256

-

-

-

Semana da Saúde

1.323

509

-

-

Outras Atividades de Treinamento em Segurança

12.189

2.886

263

458

TOTAL

53.185

24.505

2.769

3.443

2009

Piracicaba

Sertãozinho

Recife

Maceió

17.373

22.402

2.451

744

918

1.008

63

320

Diálogo de Segurança Integração de Segurança Prevenção Acidentes CIPA

160

500

288

SIPAT

2.224

744

4.988

Operadores Equipamentos Movimentação

1.664

-

205

-

463

-

306

-

STOP para todos DUPONT

1.356

-

-

-

Outras Atividades de Treinamento em Segurança

3.424

180

106

137

TOTAL

27.582

24.834

8.407

1.201

2010

Piracicaba

Sertãozinho

Recife

Maceió

17.373

22.402

2.451

744

Integração de Segurança

918

1.008

63

-

Prevenção Acidentes CIPA

160

500

288

320

SIPAT

2.224

744

4.988

-

Operadores Equipamentos Movimentação

1.664

-

205

-

463

-

306

-

STOP para todos DUPONT

1.356

-

-

-

Outras Atividades de Treinamento em Segurança

3.424

180

106

137

27.582

24.834

8.407

1.201

Ergonomia

Diálogo de Segurança

Ergonomia

TOTAL

72

248

Dedini S/A Indústrias de Base


COLABORADORES REPRESENTADOS EM COMITÊS E COMISSÕES 2008

Piracicaba

Sertãozinho

Recife

Maceió

CIPA

72

30

18

16

Ergonomia

41

17

*

*

Brigada Emergência

158

70

25

16

Diálogos de Segurança

1890

900

400

150

*Em 2008, os Comitês das Unidades de Recife e Maceió estavam em formação

2009

Piracicaba

Sertãozinho

Recife

Maceió

CIPA

72

30

18

16

Ergonomia

42

17

5

5

Brigada Emergência

124

58

20

14

Diálogos de Segurança

1640

900

500

100

Piracicaba

Sertãozinho

Recife

Maceió

CIPA

72

30

18

16

Ergonomia

45

17

5

5

Brigada Emergência

164

70

25

19

Diálogos de Segurança

1450

800

450

100

2010

TOTAL

2008

2009

2010

CIPA

136

136

136

Ergonomia

58

69

68

Brigada Emergência

563

216

278

Diálogos de Segurança

3350

3140

2800

* Cumprimento de 100% da legislação

Campanha de Vacinação H1N1

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

73


PRINCIPAIS AÇÕES E PROGRAMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA Ações e Programas

74

2008

2009

2010

PROGRAMA DE PRIMEIROS SOCORROS

PROGRAMA DE HIGIENE AMBIENTAL E PESSOAL

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS EM ALTURA

PROGRAMA DE PREVENÇÃO EM ESPAÇOS CONFINADOS

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO PARA OPERADORES DE MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS

PROGRAMA DE ERGONOMIA, LER/DORT

PPRA - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS

PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL

PCA - PROGRAMA DE CONSERVAÇÃO AUDITIVA

PPR - PROGRAMA DE PROTEÇÃO RESPIRATÓRIA

CIPA - COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES

SIPAT - SEMANA INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES DO TRABALHO

PROGRAMAS DE TREINAMENTO PARA QUALIFICAÇÃO E CONSCIENTIZAÇÃO (SAÚDE E SEGURANÇA)

FORMAÇÃO DE BRIGADA DE INCÊNCIO E EMERGÊNCIA

CONTROLE E INSPEÇÃO DE EPI'S

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS

REGISTRO, ANÁLISE E AVALIAÇÃO DE INCIDENTES E/OU QUASE ACIDENTES

CAMPANHAS INTERNAS DE SAÚDE E SEGURANÇA OCUPACIONAL

DIÁLOGO DE SEGURANÇA

COMITÊ DE ERGONOMIA

PROGRAMA STOP (PROGRAMA DE TREINAMENTO DE SEGURANÇA POR OBSERVAÇÃO)

Dedini S/A Indústrias de Base


Dedini Social

A gestão dos negócios da Dedini sempre esteve integrada às questões sociais, por acreditar que o bom relacionamento e o desenvolvimento de seus principais parceiros, os colaboradores, impactam fortemente nos resultados da Empresa. Em vista disso, já em 1954, para assegurar práticas de responsabilidade social e do bem-estar de seus colaboradores e dependentes, criou um Caixa Beneficente dos Funcionários da Empresa, hoje a Dedini Social, com a finalidade exclusiva de administrar, de forma sustentável, benefícios de qualidade a todos. Tem como missão promover a melhoria de vida do seu corpo social para a consolidação de uma relação duradora pautada no respeito e no crescimento mútuo.

Na área da saúde, todos os colaboradores e dependentes possuem cobertura para serviços médicos, hospitalares, exames laboratoriais, assistência odontológica, por meio de planos conveniados de saúde e de odontologia. Os serviços recebem o acompanhamento da equipe de assistentes sociais da Empresa, como uma das formas de garantir um atendimento qualificado.

A Dedini Social dá apoio direto aos 11.369 colaboradores e dependentes em questões que envolvam a área da saúde e, ainda, é responsável pela gestão dos benefícios, programas sociais, culturais e educacionais e de apoio à família. Conta com uma Diretoria Executiva e um Conselho Deliberativo responsáveis pela administração dos recursos financeiros de R$ 10.708163,46, em 2010, dos quais 70% advêm das Empresas Dedini e o restante da contribuição dos colaboradores associados. Até 2007, a Dedini Social incorporava também às suas atividades o relacionamento com a comunidade. Atualmente, destaca-se como braço direito da Fundação Mario Dedini, nos programas voltados para esse público (veja “Fundação Mario Dedini”).

Ainda na área da saúde, conta com um programa de prevenção coordenado pela área de Medicina do Trabalho.

Os colaboradores têm, ainda, à disposição, uma rede de farmácias conveniadas, com descontos especiais e débito em folha de pagamento, uma forma de amenizar as despesas do colaborador em casos de imprevistos causados por doenças ou tratamentos de familiares.

Campanhas e palestras para a promoção da saúde são realizadas no decorrer do ano, em todas as Unidades, para incentivar e conscientizar sobre práticas e hábitos para uma vida saudável. Também se programam eventos pontuais, entre eles contra a dengue, vacinação contra gripe, oferecidos todos os anos para os colaboradores. Entre 2009 e 2010, foram aplicadas 3.000 vacinas, durante campanha de adesão voluntária. Em 2009, em função do surto da gripe tipo H1N1, campanhas específicas de conscientização e medidas preventivas recomendadas pela OMS foram adotadas na Empresa.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

75


Em 2009 e 2010, deu-se continuidade ao VII e VIII Curso de Gestante, tanto para colaboradoras, como esposas de colaboradores e de terceiros que participaram de encontros com especialistas, nutricionista, psicólogo, médicos, dentista, para a orientação e esclarecimentos sobre a gestação e sobre o desenvolvimento do bebê.

Na área educacional, a Dedini Social distribuiu o Kit Escolar, programa realizado no início de todo ano. O kit, composto de material escolar básico para cada série, tem como principal objetivo motivar a educação dos filhos dos colaboradores entre 6 a 14 anos e minimizar gastos com despesas escolares.

Encerramento do VIII Curso de Orientação à Gestante

76

No período de férias escolares, os filhos dos colaboradores são convidados a participar de oficinas com atividades recreativas e educativas peculiares a cada idade, como desenho, reciclagem de materiais, segurança doméstica, entre outras. No final do ano, a Empresa convida as crianças para assistirem a um espetáculo teatral, como incentivo à cultura, adquirindo todos os ingressos de um dia de espetáculo

A Empresa promove, ainda, torneios esportivos internos como estímulo à prática de esportes. Incentiva e patrocina a participação dos colaboradores no JOIS (Jogos Industriais do SESI), competição na qual a Dedini é pentacampeã.

Oficinas de arte, culinária, finanças pessoais, entre outras, são também programadas pela Dedini Social para os colaboradores e seus dependentes, não só como forma

Em 2010, para fortalecer a interação e comunicação entre a alta administração e os colaboradores, a Dedini promoveu o “Café com o Presidente” (veja em Relacionamentos).

Dedini S/A Indústrias de Base

de lazer, descontração, mas também como ferramenta para melhorar o orçamento familiar e, ainda, como orientação e conscientização da utilização de materiais.


EXTENSIVO A: COLABORADORES DIRETOS

COLABORADORES PRAZO DETERMINADO

Auxílio creche

X

X

Cobertura para incapacidade / invalidez

X

X

Convênio farmacêutico

X

X

Convênio com escolas particulares: idiomas, ensino infantil, fundamental, médio e superior

X

X

Curso de orientação a gestantes

X

X

Licenças maternidade e paternidade

X

X

Material escolar para filhos de colaboradores

X

X

Plano de participação nos resultados

X

X

Plano de saúde

X

X

Plano odontológico

X

X

Programa de bolsa pós-graduação

X

Refeições subsidiadas

X

X

X

Seguro de vida em grupo

X

X

X

Tickect alimentação

X

X

X

Transporte coletivo ônibus fretado

X

X

X

Vacinas

X

X

X

AÇÕES

ESTAGIÁRIOS

TERCEIROS

X

X

X

Entrega de Presentes Natal

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

77


COMEMORAÇÃO DOS 90 ANOS DA DEDINI Entrega de Kits e almoço especial aos colaboradores

78

Dedini S/A Indústrias de Base


Relat贸rio de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

79


Entrega de leite para entidades

O Programa de Ação Voluntária estimula os colaboradores a se envolverem em ações sociais, tanto por meio de um trabalho voluntário estruturado como de atuações pontuais. Desde 2006, a “Turma do Bem”, como são conhecidos os voluntários da Dedini, sabe que pequenas ações alavancam soluções. Assim, além de exercer a cidadania, desenvolver a sensibilidade solidária, contribui para a diminuição das desigualdades sociais. E, mais, encoraja outros colaboradores a se engajarem no programa e, num espírito de equipe e de aprendizado de vida, mobiliza para promover o bem-estar coletivo. No total, a “Turma do Bem” soma uma centena de colaboradores das Unidades de Piracicaba, Sertãozinho e Recife. A equipe da Dedini Social coordena as atividades do Programa de Ação Voluntária, orientando e facilitando as ações e a inserção dos voluntários em entidades sociais. Para isso, faz uma pesquisa das reais necessidades das instituições locais ou daquela escolhida pelo colaborador. O Programa tem superado as expectativas da Empresa, pois a cada ano o número de interessados está crescendo, com o respectivo empenho, sensibilidade e comprometimento dos colaboradores. Para o estímulo à realização desse trabalho social, a Dedini Social promove gincanas de solidariedade entre os departamentos para arrecadação de alimentos, leite, agasalhos, brinquedos, que são encaminhados para entidades filantrópicas e Fundo Social Municipal. As gincanas, além de contribuírem com ajuda às comunidades carentes, têm como objetivo despertar o colaborador para esse trabalho solidário. Em resposta à dedicação dos voluntários, o Comitê de Responsabilidade Social da Empresa complementa as doações

80

Dedini S/A Indústrias de Base

e asssim também colabora com o programa. A campanha do leite surpreendeu com a marca de 19.105 litros, suprindo a necessidade de meses de algumas das 49 entidades beneficiadas.

GINCANA DO LEITE VOLUME ARRECADADO 2008

2009

2010

27.958 litros

28.989 litros

19.360 litros

Tradicionalmente a Dedini promove campanhas com seus colaboradores. Durante as enchentes do Katrina (EUA), Santa Catarina, Rio de Janeiro e mesmo em Piracicaba, alimentos, vestuário e fogões foram doados para as famílias atingidas pelas enchentes. Em Piracicaba e Sertãozinho, o trabalho dos voluntários, em 2010, caracterizou-se por campanhas de arrecadação de roupas, sapatos e brinquedos, entre novos ou em bom estado de conservação, distribuídos para 49 entidades sociais que atendem crianças nas duas cidades. Como acontece há alguns anos durante o mês de dezembro, sensibilizados pelo espírito natalino, os voluntários de Piracicaba e Sertãozinho visitaram seis instituições de atendimento a menores, levando presentes e alegria a essas crianças. O Lar Betel, voltado à assistência de idosos de Piracicaba, a exemplo de anos anteriores, teve uma manhã especial, quando recebeu um grupo de voluntários e de acionistas da Dedini para promoverem um saboroso café da manhã e entregarem presentes para os 85 moradores da instituição.


Fundação

Mario Dedini

Como afirma Giuliano Dedini Ometto Duarte, membro do Conselho Deliberativo da Fundação e presidente do Conselho de Administração da Dedini, o espírito de solidariedade e de responsabilidade social está no DNA da família, pois as primeiras sementes foram lançadas pelo fundador da empresa Mario Dedini, seu bisavô, que sempre se preocupou com o bem-estar da comunidade e iniciou a realização de projetos sociais em Piracicaba e região. Ao longo desses anos, o comprometimento da Dedini com as questões sociais foi crescente, em especial nas cidades onde já possui planta industrial, profissionalizando-se, até que, em 2007, criou a Fundação Mario Dedini para centralizar as ações das empresas nesse sentido. A Fundação atua como gestora de recursos advindos da Empresa e faz parcerias com instituições públicas e privadas para a viabilização de projetos e para o fortalecimento da consciência de cidadania Ela se fundamenta nos “8 objetivos de desenvolvimento do Milênio”, determinados pela ONU – Organização das Nações Unidas – para a verdadeira transformação social e melhoria de qualidade de vida dos cidadãos, a saber: 1. Acabar com a fome e a miséria; 2. Educação Básica de Qualidade para todos; 3. Igualdade entre sexos e valorização da mulher;

4. Reduzir a mortalidade Infantil 5. Melhorar a saúde das gestantes 6. Combater a AIDS, a malária e outras doenças 7. Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente 8. Todo mundo trabalhando pelo desenvolvimento A Fundação Mario Dedini conta com um Conselho Deliberativo, formado por acionistas e membros da diretoria da Dedini, e uma Diretoria Executiva, para implementar ações definidas e aprovadas pelo Conselho. A Diretoria tem a função de conhecer as necessidades das entidades assistidas, acompanhar o desempenho delas e aferir os resultados dos investimentos realizados. Analisa, ainda, os projetos recebidos, de acordo com aplicabilidade, público beneficiado, sustentabilidade e alinhamento à política social da Empresa. A Diretoria norteia-se pelos princípios básicos de dotação orçamentária, critérios de avaliação das instituições, operacionalização e responsabilidades. No início de 2009, a Fundação recebeu o status de OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), conforme Lei Federal nº 9790/99. Ter essa qualificação, após apenas dois anos de atuação, foi de extrema importância, pois amplia as possibilidades de desenvolvimento de projetos. Evidencia, dessa

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

81


forma, a credibilidade da Fundação e a maior transparência em suas ações. Já no seu primeiro ano, a Fundação Mario Dedini, fez parceria com a Prefeitura Municipal de Piracicaba para a construção de uma escola no Bairro Santa Fé, inaugurada no final de 2008. O prédio de 2 mil m2, concebido para atender 300 crianças do berçário à pré-escola, recebeu o nome de Escola Municipal Juliana Dedini Ometto, uma homenagem in-memoriam à sua idealizadora. Na parceria, a Fundação comprometeu-se com a construção da escola, que se tornou a maior da rede pública municipal, enquanto que o mobiliário, equipamentos e gestão foram responsabilidades da Prefeitura. Todos os anos, a Dedini também mobiliza os colaboradores para direcionar parte do imposto de renda (de pessoa física ou jurídica) para os programas sociais cadastrados no FUMDECA (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), conforme determina a Lei n 8069/90 que criou o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Em parceria com a ONG CASVI (Centro de Apoio e Solidariedade à Vida), a Fundação patrocinou, em 2008, um documentário sobre os 18 anos do Estatuto das Crianças e Adolescentes (ECA) com o objetivo de disseminar a importância e os benefícios da proteção integral às crianças e adolescentes, como também para chamar a sociedade como cogestora dos assuntos relacionados a esse público. Esse documentário foi distribuído, em

82

2009, para diversos órgãos públicos e instituições e, conforme correspondência da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social de Piracicaba, tem sido de grande valia para atividades e projetos com crianças e adolescentes. Desde 2005, a Fundação é parceira da Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba no Programa Pacto pela Vida, que tem o importante objetivo de reduzir a taxa de mortalidade infantil no município. A Dedini doa mensalmente 200 latas de leite especial para lactentes até 6 meses de idade, classificados de alto risco pela impossibilidade de aleitamento materno ou por outra contraindicação, como alimentação inadequada ou desnutrição. O programa envolve famílias com renda inferior a dois salários mínimos, de bairros periféricos e é responsável por realizar um acompanhamento das gestantes e do bebê, após o parto. A Fundação acompanha, mês a mês, os resultados do Programa que é coordenado pelo Serviço de Atenção Básica do Município. Pelos resultados obtidos de 2005 até 2010, apresentando uma queda no índice de óbitos, o Programa foi premiado, em 2009, pelo Ministério da Saúde, ano em que obteve o melhor resultado, com reconhecimento internacional. Em 2008, já havia ficado em 1º lugar na comemoração dos 20 anos do SUS, na categoria “O SUS que dá certo”. Nos últimos seis anos, segundo o Secretário de Saúde de Piracicaba, Fernando Cárdenas, houve a redução do índice, o que significa que 134 bebês foram salvos.

Ano de Ocorrência

Óbitos

Nascidos vivos

Coeficiente mortalidade infantil

Coeficiente mortalidade perinatal

2004

77

5.160

14,9

20,8

2005

57

5.038

11,3

15,3

2006

48

5.045

9,5

13,2

2007

50

4.803

10,4

11,8

2008

54

5.049

10,7

11,0

2009

45

4.773

9,4

14,3

2010

49

4.731

10,2

13,2

Dedini S/A Indústrias de Base


Formando crianças e jovens através do Ballet clássico

Para incentivar a educação e a prática de atividades esportivas, a Fundação fez parceria com o Clube de Campo de Piracicaba, na cidade de Piracicaba, para o Projeto Criando Craques, que beneficia crianças e adolescentes na faixa etária de 6 a 14 anos, filhos dos colaboradores e crianças da comunidade. O projeto contou com 30 participantes em 2008 e com 32, em 2009 e 2010. As atividades esportivas têm como foco os exercícios de coordenação motora, fundamentos do futebol e, ainda, debates sobre os temas cidadania, disciplina, cooperação e trabalho em equipe. A Fundação oferece bolsa integral, uniformes, transporte e alimentação aos participantes e a permanência deles no programa está vinculada ao desempenho escolar, comprovado através da apresentação do boletim escolar. A Fundação acredita também que a arte é um dos caminhos para o desenvolvimento da cidadania. Entre os seus benefícios, destaca-se o desenvolvimento da criatividade, da capacidade de se expressar, de observar, de analisar e o conhecimento cultural, entre outros. Diante disso, a Fundação, em parceria com o Studio 415, investe no projeto ‘Formando Crianças e Jovens Através do Ballet Clássico’, que mantém 18 meninas, entre filhas de colaboradores e da comunidade, em aulas de balé clássico, em escola especializada, com

profissionais de alto gabarito. As participantes recebem também uniforme completo, transporte, alimentação e já estão se apresentandando com a escola em eventos da cidade. Em Sertãozinho, a Fundação apoia há seis anos o Programa 12 Atos, coordenado pela Casa Dia, que tem o objetivo de prevenir o uso de drogas, entre adolescentes de 12 a 17 anos de escolas públicas, através da aplicação de 12 atos, método desenvolvido por Eyn Melo Ribeiro, com base no programa dos Alcoólicos Anônimos. O programa desenvolve também atividades como concursos, palestras , dentre outras ações, para incentivar a boa convivência social. Mais de dois mil jovens já participaram do programa. Em Piracicaba, a Fundação Mario Dedini cede um imóvel para que a Associação dos Aposentados do Grupo Dedini possa estruturar e organizar suas atividades. A gestão da associação é autônoma e independente. O Projeto Tijolo Social, uma parceria entre a Empresa Ambiental Paulista e a Fundação, tem intensificado a atuação da MUCAPP (Associação Pró-Mutirão da Casa Popular de Piracicaba) na construção de moradias populares, garantindo o atendimento às exigências dos órgãos controladores do meio ambiente (leia detalhes em “Meio Ambiente”).

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

83


SALA DE LEITURA

APOIOS E PATROCÍNIOS

Mariana Dedini, filha de acionistas, cedeu para a Fundação Mario Dedini livros de vários gêneros, acervo de sua propriedade, além de parte do mobiliário para a abertura de uma SALA DE LEITURA na Unidade de Piracicaba, um importante estímulo para o aprimoramento cultural dos colaboradores. A Fundação efetuou, ainda, a assinatura dos principais jornais e revistas para disponibilizar aos colaboradores que visitam o local durante intervalos das refeições e descanso. Na inauguração, os acionistas, reconhecendo a importância da sala de leitura, planejaram a montagem de outras semelhantes nas demais Unidades.

Relevantes iniciativas da sociedade civil recebem o apoio da Fundação, dentre elas:

Mariana também doou cerca de 1100 dicionários de português-inglês, distribuídos para filhos de colaboradores, bem como de quase uma centena encaminhada para alunos do Ensino Fundamental e Médio da Escola Estadual Profª Avelina Palma Losso, no entorno da Empresa. Em agradecimento, a direção da escola, juntamente com alguns estudantes, participou de uma visita à Fundação .

• Festa das Nações – Secretaria de Desenvolvimento Social de Piracicaba;

Ainda como parte desse acervo recebido, foram selecionados títulos para a UNIMEP (Universidade Metodista de Piracicaba), relacionados à área de Física, Química, Matemática, Administração, bem como para a Biblioteca da FOP-UNICAMP (ortopedia funcional dos maxilares, periodontia, entre outros), além de exemplares para a Biblioteca Municipal Ricardo Ferraz de Arruda Pinto e a da Paróquia da Imaculada Conceição.

Sala de Leitura da Unidade de Piracciaba

84

Dedini S/A Indústrias de Base

• Banco de Alimentos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social; • Mc Dia feliz, promovido pela rede Mc Donald’s em prol do Centro Boldrini, especializado em tratamento do câncer infantil; • Secretaria de Cultura de Piracicaba - Espetáculo teatral Paixão de Cristo; • Corporação Musical União Operária de Piracicaba; • Núcleo Universitário de Cultura/UNIMEP – Universidade Metodista de Piracicaba;

• Fundo Social Piracicaba;

de

Solidariedade

de

• Pastoral da Criança; • VACCIP – Voluntários em Ação contra o Câncer Infantil de Piracicaba; • AAGD – Associação dos Aposentados do Grupo Dedini; • SEMDS – Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social – Piracicaba e Sertãozinho; • Fundo Social de Solidariedade – Piracicaba e Sertãzinho; • Grupo Musical “Falando da Vida” com renda do espetáculo revertida para entidades beneficentes da cidade de Piracicaba.


Produto

e Satisfação do Cliente Os processos e produtos desenvolvidos pela Dedini visam a integrar a excelência e o pioneirismo de tecnologias, alinhados com os modelos de gestão da qualidade e do meio ambiente reconhecidos internacionalmente, conforme as normas NBR ISO 9001:2008 e NBR ISO 14001:2004.

para melhorar as características energético-ambientais de seus produtos.

O compromisso com a qualidade Dedini é priorizado desde a concepção do produto, de seus resultados para a Empresa, parceiros, aplicabilidade para obtenção da satisfação do cliente e resultados finais para a sociedade. Em vista disso, a Dedini tem, inclusive, recebido prêmios de reconhecimento tecnológico e ambiental, como o “von Martius de Sustentabilidade”, o Prêmio Eco de “Produto Sustentável do ano 2009”.

A Empresa investe em tecnologias que agreguem valor e melhorias no custo-benefício de seus produtos e serviços. Além de programas de atendimento ao cliente, possui o Sistema RGD que atende a outras necessidades do cliente, tendo como filosofia a “geração de soluções”.

Entre as principais ferramentas de otimização de processos e gestão ambiental está a ACV (Avaliação do Ciclo de Vida), que permite a identificação e avaliação das fases críticas do processo industrial ou do produto ou serviço, em todo o seu ciclo. Com a ACV é possível obter a estimativa dos impactos potenciais cumulativos resultantes de todos os estágios do processo produtivo, incluindo, com frequência, aqueles desconsiderados nos tradicionais processos de análise. Propicia uma percepção mais abrangente e um panorama mais apurado das efetivas trocas ambientais na seleção e aprimoramento dos produtos. A Dedini utiliza a Avaliação do Ciclo de Vida

Satisfação do Cliente Em especial, a Dedini mantém um controle de qualidade e de satisfação de seus clientes.

Completa o atendimento o Programa OAP (Operação de Atendimento Pleno) que engloba todas as etapas do fornecimento, entre elas, identificação de melhorias, análise e viabilidade do projeto, fornecimento de bens e serviços necessários, através do gerenciamento de pós-venda, assistência técnica com manuais de orientação, manutenção de equipamentos novos, reformados ou repotenciados, bem como a melhoria de desempenho e a garantia de segurança das operações. Além dos canais de comunicação direta com o cliente durante todo o processo, realiza pesquisa, de forma sistêmica, para verificar o grau de satisfação em relação ao bem e aos serviços fornecidos, com o objetivo de desenvolver e estabelecer padrões de desempenho para os requisitos de atendimento às necessidades do cliente.

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

85


Vista interna da fábrica - Sertãozinho/SP

A pesquisa contempla três requisitos de atendimento: Requisitos básicos: são aqueles que o cliente verdadeiramente espera que sejam cumpridos. Não há crédito extra no atendimento desses requisitos, porém se não atendidos certamente provocarão insatisfação; Requisitos latentes: são os que vão além daquilo que o cliente espera, excedendo suas expectativas; Requisitos variáveis: são os de atendimento em que a avaliação pelo cliente ocorre somente nos processos em que ele solicita serviços não previstos nas etapas normais de fornecimento, como exemplo, informações, assistência técnica, sugestões e reclamações no pós-venda. A pesquisa de satisfação do cliente é realizada anualmente em todas as Divisões de Negócios, por meio de formulário eletrônico. As perguntas abrangem todas as etapas do processo, desde o primeiro contato até

86

Dedini S/A Indústrias de Base

a entrega e garantia do produto / serviço, podendo identificar a percepção do cliente em fases específicas do atendimento. A resposta do cliente também ocorre por meio eletrônico (e-mail) e a validação da pesquisa se dá pelo retorno mínimo de 15% do total das respostas do cliente a cada Divisão de Negócios. O resultado da pesquisa de cada Divisão de Negócio é analisado e consolidado nas reuniões com a Direção, quando são estabelecidas ações incluídas nas estratégias da Empresa em relação ao atendimento e à satisfação do cliente. A Dedini teve, em 2009-2010, o resultado médio de 87,5% de satisfação do cliente no atendimento (veja “Relacionamento”), superando a meta estabelecida de 85% para os requisitos básico, latente e variável nesse período. Seus investimentos e estratégias de relacionamento preveem alcançar para o próximo biênio patamares de satisfação superiores a 90%.


Parâmetros

do Relatório

O relatório de Sustentabilidade da Dedini tem como um dos principais objetivos demonstrar para os stakeholders as ações e atividades da Empresa, seguindo o padrão internacional e as diretrizes determinadas pelo Global Reporting Initiative – GRI, versão G3. Representa, ainda, um papel importante para a melhoria de seu desempenho em todos os aspectos, em especial, dos socioambientais. Este é o terceiro relatório apresentado pela Empresa, segundo o modelo do GRI, em continuidade ao primeiro, em 2007 e ao segundo, em 2008, a partir do qual passou a ser publicado bienalmente. Nesse sentido, o relatório descrito corresponde ao período de 01 de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2010 e contempla o desempenho e resultados de todas as unidades do Grupo. Não há reformulações de conteúdos em relação aos publicados anteriormente. Eventuais mudanças ou alterações em bases de cálculos foram informadas ao longo do próprio relatório. Para auditar os resultados econômicos e financeiros, foi contratada a empresa de consultoria KPMG Auditores Independentes. Desde 2007, a Dedini vem aperfeiçoando gradualmente as informações, visando à evolução no processo de elaboração do seu Relatório. Para isso, solicitou avaliação do último à BDS Consulting, que o considerou bem estruturado, mas apresentando oportunidades para melhoria, para contextualizar

melhor a Empresa e situar melhor o leitor, além de focar menos nas respostas dos indicadores e mais na demonstração dos processos operacionais significativos para a sustentabilidade dos processos de gestão, metas de sustentabilidade e monitoramentos de riscos, entre outros. Assim, neste Relatório, já houve a modificação da ordem de apresentação do conteúdo, para propiciar uma mais rápida leitura sobre o perfil da Empresa, informando sobre as operações no Brasil, bem como no exterior. Foram enfocadas as atividades em nosso país, em especial na cidade de Piracicaba, onde a Empresa há 90 anos se instalou. A Dedini teve, ainda, como a ‘fábrica das fábricas’, um destaque e participação fundamentais no que tange ao comprometimento com a busca de soluções para os impactos internos e externos, bem como para o desenvolvimento sustentável da Empresa e da sociedade em geral. Apesar da crise que atingiu o setor e gerou alguns fatos negativos, como relatados, a Dedini, graças à sua tradicional credibilidade, manteve o diálogo com os stakeholders, o que vem facilitando a recuperação de índices contrários aos estabelecidos. Através de questionários aleatoriamente enviados a clientes de grande envolvimento com a Empresa, obteve-se uma avaliação de desempenho favorável. A Empresa tem, ainda, procurado aperfeiçoar o engajamento dos stakeholders para elaboração do relatório. Para definição dos

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

87


conteúdos e indicadores houve o envolvimento de um público maior. Além de representantes de todas as áreas estratégicas, administrativas e operacionais de todas as unidades da Empresa, participaram também alguns representantes dos principais prestadores de serviços (terceirizados). Os temas abordados foram conduzidos levando em conta a relevância do conteúdo apresentado no relatório anterior, como também a avaliação de novos temas que abarcaram os impactos e as oportunidades em relação ao segmento de atuação, aos compromissos estratégicos e à gestão da Empresa. Um estudo dos relatórios anteriores e a avaliação da BDS foram utilizados como base para a materialidade do presente relatório. As informações contidas nele têm como fonte os resultados anuais apresentados em cada departamento/unidade da Empresa que, para este relatório, envolveu um número maior de pessoas , objetivando apurar informações mais consistentes e de maior qualidade para disponibilizar um conjunto de dados e conteúdo mais amplo e transparente aos stakeholders. Após elaboração, o relatório foi submetido à avaliação da Diretoria para consolidação da materialidade.

Além da distribuição impressa, a Dedini disponibiliza as informações também no site da Empresa, para torná-las mais acessíveis a todos. Dúvidas, perguntas e informações complementares podem ser obtidas pelo e-mail elisabeth.simões@dedini.com.br (com Elisabeth Flora Adamoli Simões).

NÍVEL DE APLICAÇÃO GRI Embasada na divulgação de seus indicadores, a Dedini autodeclara o seu Relatório de Sustentabilidade 2009 – 2010 como GRI- G3, nível B, abrangendo diversas áreas da Empresa no que tange à coleta de informações e procurando assegurar a continuidade do processo de evolução e consolidação desses indicadores em todas as operações e instâncias.

ÍNDICE GRI-G3 Item

88

Teor Nível B

Nível de aderência

Página

1.

ESTRATÉGIA E ANÁLISE

1.1

Declaração do presidente.

TR

2a4

1.2

Declaração dos principais impactos, riscos e oportunidades.

TR

25 a 33

2.

PERFIL ORGANIZACIONAL

2.1

Nome da organização.

TR

5

2.2

Produtos e serviços, incluindo marcas.

TR

6-7

2.3

Estrutura operacional.

TR

5a9

2.4

Localização da sede da organização.

TR

5

2.5

Países e região onde a organização atua.

TR

5

2.6

Tipo e natureza jurídica da propriedade.

TR

5

2.7

Mercados atendidos.

TR

5

2.8

Porte da organização.

TR

5

2.9

Mudanças durante o período coberto pelo relatório.

TR

87

2.10

Prêmios recebidos no período coberto pelo relatório.

TR

12

3.

PARÂMETROS PARA O RELATÓRIO

3.1

Período coberto pelo relatório.

TR

87

3.2

Data do relatório anterior.

TR

87

3.3

Ciclo de emissão dos relatórios.

TR

87

3.4

Dados para contato em caso de perguntas relativas ao relatório e seu conteúdo.

TR

88

3.5

Definição do conteúdo do relatório (temas, prioridades, stakeholders).

TR

87 - 88

3.6

Limite do relatório.

TR

87 - 88

Dedini S/A Indústrias de Base


ÍNDICE GRI-G3 Item

Teor Nível B

Nível de aderência

Página

3.7

Limitações específicas quanto ao escopo ou ao limite do relatório.

TR

87- 88

3.8

Base para relatório no que se refere a outras instalações que possam afetar significativamente a comparabilidade entre períodos e/ou entre organizações.

TR

87- 88

3.9

Técnicas de medição de dados e as bases de cálculos.

TR

87- 88

3.10

Reformulações de informações fornecidas em relatórios anteriores.

TR

87- 88

3.11

Mudanças significativas em comparação com anos anteriores (escopo e/ou medições).

TR

87- 88

3.12

Tabela que identifica a localização das informações no relatório.

TR

88 a 91

3.13

Política e prática atual relativa à busca de verificação externa para o relatório.

TR

87- 88

4.

GOVERNANÇA, COMPROMISSO E ENGAJAMENTO

4.1

Estrutura de governança da organização.

TR

16

4.2

Presidência do grupo de governança.

TR

13 a 16

4.3

Porcentagem dos conselheiros que são independentes, não-executivos.

TR

13 a 16

4.4

Mecanismos para acionistas fazerem recomendações ao Conselho de Administração.

TR

13 a 16

4.5

Relação entre remuneração e o desempenho da organização.

ND

-

4.6

Processos em vigor no mais alto órgão de governança.

TR

13 a 16

4.7

Qualificações dos membros do mais alto órgão de governança.

TR

13 a 16

4.8

Declarações de missão e valores, códigos de conduta e princípios internos.

TR

8 – 13 a19

4.9

Responsabilidades pela implementação das políticas econômicas, ambientais e sociais.

TR

13 a 24

4.10

Processos para a autoavaliação do desempenho (econômico, ambiental e social).

TR

13 a 24

4.11

Explicação se e como a organização aplica o princípio da precaução.

TR

13 a 24

4.12

Princípios e/ou outras iniciativas desenvolvidas externamente.

ND

-

4.13

Participação em associações.

TR

24

ENGAJAMENTO DOS STAKEHOLDERS 4.14

Relação dos grupos de stakeholders engajados pela organização.

TR

21 a 24

4.15

Base para a identificação e seleção de stakeholders com os quais engajar.

TR

21 a 24

4.16

Abordagens para o engajamento dos stakeholders.

TR

21 a 24

4.17

Preocupações levantadas por meio do engajamento dos stakeholders.

TR

21 a 24

5.

FORMA DE GESTÃO E INDICADORES DE DESEMPENHO Indicadores de Desempenho Econômico

EC1

Valor econômico direto gerado e distribuído.

TR

36 a 39 - 41

EC2

Implicações financeiras e outros riscos e oportunidades devido a mudanças climáticas.

NA

-

EC3

Cobertura das obrigações do plano de pensão de benefício.

ND

-

EC4

Ajuda financeira significativa recebida do governo.

TR

36

EC5

Variação da proporção do salário mais baixo comparado ao salário mínimo local.

TR

57

EC6

Políticas, práticas e proporção de gastos com fornecedores locais.

TR

40

EC7

Contratação local.

ND

-

EC8

Impacto de investimentos em infraestrutura oferecidos para benefício público.

TR

81 a 84

EC9

Descrição de impactos econômicos indiretos significativos.

ND

-

Materiais usados por peso ou volume.

TR

43

Indicadores de Desempenho Ambiental EN1 EN2

Percentual dos materiais usados provenientes de reciclagem.

PR

44 a 47

EN3

Consumo de energia direta discriminado por fonte de energia primária.

TR

48

EN4

Consumo de energia indireta discriminado por fonte primária.

TR

47 - 48

EN5

Energia economizada devido a melhorias em conservação e eficiência.

TR

47 - 48 - 50

EN6

Iniciativas para fornecer produtos e serviços com baixo consumo de energia.

TR

25 a 33

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

89


ÍNDICE GRI-G3 Item EN7

Teor Nível B Iniciativas para reduzir o consumo de energia indireta e as reduções obtidas.

Nível de aderência

Página

TR

47 a 49

EN8

Total de água retirada por fonte.

TR

49 a 51

EN9

Fontes hídricas significativamente afetadas por retirada de água.

TR

50 49

EN10

Percentual e volume total de água reciclada e reutilizada.

TR

EN11

Localização e tamanho da área possuída.

NA

-

EN12

Impactos significativos na biodiversidade de atividades, produtos, e serviços.

TR

43 a 54

EN13

Habitats protegidos ou restaurados.

ND

-

EN14

Estratégias para gestão de impactos na biodiversidade.

ND

-

EN15

Numero de espécies na Lista Vermelha da IUCN e outras listas de conservação.

ND

-

EN16

Total de emissões diretas e indiretas de gases de efeito estufa.

ND

-

EN17

Outras emissões indiretas relevantes de gases de efeitos estufa.

ND

-

EN18

Iniciativas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e as reduções obtidas.

TR

47

EN19

Emissões de substâncias destruidoras da camada de ozzônio.

ND

-

EN20

NOx, SOx e outras emissões atmosféricas significativas.

TR

47

EN21

Descarte total de água, por qualidade e destinação.

TR

49 - 50

EN22

Peso total de resíduos, por tipo e métodos de disposição.

PR

43 a 47

EN23

Número e volume total de derramamentos significativos.

ND

-

EN24

Peso de resíduos transportados, considerados perigosos.

ND

-

EN25

Descrição de proteção e índice de biodiversidade de corpos d’água e habitats.

ND

-

EN26

Iniciativas para mitigar os impactos ambientais.

TR

25 a 33 e 52

EN27

Percentual de produtos e embalagens recuperados, por categoria de produto.

NA

-

EN28

Valor de multas e número total de sanções resultantes da não-conformidade com leis.

ND

-

EN29

Impactos ambientais referentes a transporte de produtos e de trabalhadores.

ND

-

EN30

Total de investimentos e gastos em proteção ambiental.

TR

52

Indicadores de Desempenho Social Práticas trabalhistas LA1

Total de trabalhadores, por tipo de emprego, contrato de trabalho e região.

TR

55 - 56

LA2

Número total e taxa de rotatividade de empregos, por faixa etária, gênero e região.

TR

63

LA3

Comparação entre benefícios a empregados de tempo integral e temporários.

TR

77

LA4

Percentual de empregados abrangidos por acordo de negociação coletiva.

TR

56

LA5

Descrição de notificações (prazos e procedimentos).

TR

63

LA6

Percentual dos empregados representados em comitês formais de segurança e saúde.

TR

73

LA7

Taxa de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos.

TR

70 - 71

LA8

Programas de educação, prevenção e controle de risco.

TR

69 a 74

LA9

Temas relativos a segurança e saúde cobertos por acordos formais com sindicatos.

TR

69 - 70

LA10

Média de horas por treinamento por ano.

TR

66 - 67

LA11

Programas para gestão de competências e aprendizagem contínua.

TR

65 a 67

LA12

Percentual de empregados que recebem análises de desempenho.

TR

56

LA13

Composição da alta direção e dos conselhos e proporção por grupos e gêneros.

PR

16 - 56 a 63

LA14

Proporção de salário base entre homens e mulheres, por categoria funcional.

TR

57

Direitos Humanos

90

HR1

Descrição de políticas, diretrizes para manejar todos os aspectos de direitos humanos.

TR

15 a 19

HR2

Empresas contratadas submetidas a avaliações referentes a direitos humanos.

TR

17 a 19 - 22

HR3

Políticas para a avaliação e tratamento do desempenho nos direitos humanos.

TR

17 a 19

Dedini S/A Indústrias de Base


ÍNDICE GRI-G3 Nível de aderência

Página

Número total de casos de discriminação e as medidas tomadas.

TR

18

HR5

Política de liberdade de associação e o grau da sua aplicação.

TR

19 - 23

HR6

Medidas tomadas para contribuir para a abolição do trabalho infantil.

TR

17 a 19

HR7

Medidas tomadas para contribuir para a erradicação do trabalho forçado.

TR

17 a 19

HR8

Políticas de treinamentos relativos a aspectos de direitos humanos para seguranças.

ND

-

HR9

Número total de casos de violação de direitos dos povos indígenas e medidas tomadas.

NA

-

SO1

Programas e práticas para avaliar e gerir os impactos das operações nas comunidades.

TR

81 a 83

SO2

Unidades submetidas a avaliações de riscos relacionados à corrupção.

TR

15 a 19

SO3

Percentual de empregados treinados nas políticas e procedimentos anticorrupção.

TR

15 a 19

SO4

Medidas tomadas em resposta a casos de corrupção.

TR

15

SO5

Posições quanto a políticas públicas.

TR

15 - 19

SO6

Políticas de contribuições financeiras para partidos políticos, políticos ou instituições.

ND

-

SO7

Número de ações judiciais por concorrência desleal.

ND

-

SO8

Descrição de multas significativas e número total de sanções não-monetárias.

ND

-

Item HR4

Teor Nível B

Sociedade

Responsabilidades sobre o Produto PR1

Política para preservar a saúde e segurança do consumidor durante o uso do produto.

TR

85 - 86

PR2

Não-conformidades relacionadas aos impactos causados por produtos e serviços.

TR

86 - 86

PR3

Tipo de informação sobre produtos e serviços exigida por procedimentos de rotulagem.

ND

-

PR4

Não-conformidades relacionadas à rotulagem de produtos e serviços.

ND

-

PR5

Práticas relacionadas à satisfação do cliente, incluindo resultados de pesquisas.

TR

22 - 23 e 85 - 86

PR6

Programas de adesão às leis, normas e códigos voluntários.

ND

-

PR7

Casos de não-conformidade relacionados à comunicação de produtos e serviços.

ND

-

PR8

Reclamações comprovadas relativas à violação de privacidade de clientes.

ND

-

PR9

Multas por não-conformidade relacionadas ao fornecimento e uso de produtos e serviço.

TR

85 - 86

TOTAL DE INDICADORES DE DESEMPENHO SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO

53 INDICADORES

TR = Totalmente relatado PR = Parcialmente relatado ND = Não Disponível NA = Não se aplica DEDINI S/A INDÚSTRIAS DE BASE Rodovia Rio Claro/Piracicaba, Km 26,3 – Bairro Cruz Caiada – Piracicaba/SP – CEP 13412-900

Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 - DEDINI

91


92

Dedini S/A IndĂşstrias de Base


Agradecimento O GRI-G3 é um conjunto de diretrizes, reconhecido internacionalmente como uma ferramenta de diálogo, transparência e prestação de contas. Visa à apresentação do desempenho econômico, social e ambiental e colabora com as empresas a compreenderem os desafios, riscos e oportunidades da sustentabilidade. O GRI-G3 possibilita, assim, apresentarmos nossa base de valores e governança corporativa, nossos negócios (produtos e mercados), além do nosso compromisso e desempenho econômico, social e ambiental. Por isso a Dedini agradece a todos os colaboradores que participaram do levantamento de informações e que se empenharam para a elaboração deste relatório.



Relatório de Sustentabilidade 2009 / 2010 Dedini