Page 1

Publicação do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios de Ribeirão Preto e Região Janeiro de 2013 - Ano 24 - Nº 01

PomboDoido DE VOLTA AO PASSADO

DR/SPI repete erros de administrações anteriores Com quase dois anos, nova gestão da Diretoria Regional não inova, e pior, começa a repetir os erros de administrações anteriores


Expediente

Pombo Doido Pombo Doido é uma publicação do Sindicato dos Trabalhadores na Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares de Ribeirão Preto e Região

Presidente Carlos Decourt Neto

AC Jardinópolis Fábio José de Almeida

Secretária geral, de finanças, administração e patrimônio Fernanda Aparecida Romano

AC Luiz Antônio Amélia Cristina

Secretário de aposentados e assuntos jurídicos João Alves de Melo Secretário de formação sindical e relações intersindicais Edson Alves Bernardino Secretário de assuntos sociais, culturais e de lazer Oséias dos Santos Vieira Secretário anistia e defesa do emprego Jocelen Aparecida Pestana de Carvalho Secretário de estudos sócioeconômicos, tecnologia e saúde do trabalhador João Pires de Castro Filho Secretário de estudos da questão étnica Auri Antônio de Oliveira Secretário de imprensa, divulgação e política sindical Marco Antônio Sertório Secretária da Mulher Carla Aparecida Borges Almeida Suplentes Amarildo Alexandre Lúcio Max Costa Leonardo Barbosa Vianna Mário Augusto Durval Conselho Fiscal Luiz Gustavo Duchini Rodrigues Ricardo Sebastião da Silva Pedro Luís Boncompani Suplente Conselho Fiscal Josimar Batista Elias Inério Vissoto Paulo de Oliveira

AC Monte Azul Paulista César Vinícius Tostes AC Novo Horizonte Emerson Tomio Shiguedomi AC Orlândia Wanderson Calácio AC Pontal Silvio Eduardo da Mata AC Ribeirão Preto Maria Genadir de Lima Caiafa AC São Simão Sebastião César de Souza CDD Barretos Edson Pires de Oliveira Franco CDD Bebedouro Claudinei Rodrigues de Souza CDD Campos Elíseos Paulo Roberto Duarte Silva CDD Catanduva Carlos Alexandre Marcello CDD Estação José Fernando de Oliveira Guglielmo CDD Franca Junior Arnault da Rocha CDD Jaboticabal Erasmo Carlos Marcari Padilha CDD República Luciano Leite de Oliveira CDD Ribeirão Preto Hamanda Priscila do Nascimento CDD Sertãozinho Cláudio Donizete Vieira CDD Treze de Maio José Eduardo Salvador Junior

Delegados Sindicais

CDD Valmir Ramalho Sidnei de Sousa Lima

AC Franca Rita das Graças Maia de A. Melo;

CTCE Ribeirão Preto Mateus de Castro Silva

AC Ituverava Carlos Fernando Siqueira de Melo Tiragem: 2000 exemplares. Distribuição: gratuita aos associados. Sindicato: Rua Américo Brasiliense, 1649 - Ribeirão Preto/SP - CEP 14.015-050 CNPJ: 56.885.908/0001-84 Jornalista responsável: Carlos Decourt Neto - Mtb 32.942

CONTATO Fone: (16) 3625-8860 E-mail: sintect@uol.com.br

EDITORIAL É preciso mudar a postura

C

Por Carlos Decourt Neto*

om quase dois anos, a Diretoria Regional SPI começa a apresentar os mesmos erros das administrações anteriores. Os trabalhadores apostaram na mudança. Pouca coisa foi feita de diferente. Em vez dos novos gestores implantarem ideias novas naqueles chefes que estão encastelados há anos, ocorreu o inverso. Perseguições começam a acontecer contra o movimento sindical e os trabalhadores de forma geral. Isso não pode acontecer.

Eu já disse em matérias anteriores que a DR/SPI precisa inovar, ter coragem de realizar as mudanças necessárias. Quando digo mudanças, não precisa ser a troca de nomes, mas uma mudança de postura, mesmo que com os gestores antigos. Apesar de muitos deles serem verdadeiros lobos em pele de cordeiro. Defendo que o Diretor Regional continue no cargo, mas implante a mudança na postura da DR/SPI, sem medo de errar. O erro está sendo cometido agora, na repetição de fórmulas antigas. Quando digo que o Diretor precisa permanecer é pelo fato que ele conhece também o outro lado, também foi perseguido e sabe o que é sofrer, e por isso acredito que ele ainda pode fazer a diferença. Os trabalhadores têm pressa na transformação da DR/ SPI em uma diretoria mais humana, que respeite a categoria, que ofereça respostas, que busque soluções. O que não dá é ver essa inércia que toma conta da Diretoria Regional. Não quero um diretor que siga os manuais. Quero um diretor que questione a legitimidade dos manuais. Se for para seguir o que alguém escreveu há anos, estaremos condenados a continuar em uma empresa atrasada. As mudanças da sociedade aconteceram depois que algumas pessoas resolveram questionar a Lei. Os abolicionistas não seguiram o que estava escrito na legislação, foram atrás de uma nova ordem. Quero uma Diretoria Regional que faça mudanças, inclusive nos manuais, pois para seguir o está apenas escrito há anos, qualquer pessoa faz.

Carlos Decourt Neto, carteiro, é presidente do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios de Ribeirão Preto e região


ECT deixa de recolher Contribuição Sindical e dá golpe nos sindicatos

Com uma política antisindical, a direção dos Correios utiliza cálculo errado para recolher o Imposto Sindical no entanto faz a conta de outra maneira na hora de recolher os valores do INSS, Postalis e Fundo de Garantia

A

direção da ECT está dando um verdadeiro golpe no movimento sindical, e consequentemente na categoria. A base de cálculo que a direção utiliza para recolher o Imposto Sindical está irregular e causa um prejuízo para o movimento sindical. Essa é uma estratégia da ECT para enfraquecer os sindicatos financeiramente. Está claro que essa é uma atitude antisindical. A legislação que estabelece o imposto sindical é explicita ao afirmar que o valor corresponde a um dia de trabalho. Isso significa dizer que o cálculo é de acordo com a remuneração. Como remuneração é entendida todas as verbas recebidas pelo trabalhador.

Para recolher as contribuições ao INSS, ao Postalis, ao FGTS e outras, o cálculo é outro, é utilizando a remuneração completa. Quando o assunto é a contribuição que é paga ao sindicato, como o assistencial a ECT utiliza outra fórmula. O Imposto Sindical, que não é pago diretamente ao sindicato, também é realizado um cálculo reduzido. Está claro que a ECT prejudicar o movimento sindical e impedir o trabalho das entidades de classe. Se a ECT entende que a remuneração não é tudo o que o trabalhador recebe, deveria devolver as diferenças do INSS, Postalis, FGTS e também sobre o desconto de dias que a empresa faz quando o trabalhador falta ao serviço. Para

O que diz a lei

descontar o dia do trabalhador vale tudo, por parte da ECT.

Fim do Imposto

A direção do sindicato concorda com a proposta da CUT pelo fim do imposto sindical. Acreditamos que quem deve financiar a luta dos trabalhadores são os próprios trabalhadores, sem a interferência do governo. Enquanto não é extinto o Imposto Sindical, não podemos aceitar que a ECT sonegue a contribuição. Isso é crime, é uma política antisindical. Vamos lutar pelo fim do Imposto, mas enquanto ele existir a ECT tem a obrigação de fazer a parte dela de forma correta.

uma só vez, será recolhida, de l ca di sin o çã ui rib Art. 580. A cont istirá: ua an lmente, e cons um dia à remuneração de te en nd po es rr co a forma da I - Na importância , qualquer que seja os ad eg pr em os de trabalho, para ão referida remuneraç

eração? das O que é remu, n 7 da Consolidação esegundo o Art. 45 pr

rnecidos ao em Já a remuneração o total de bens fo do da somatória é ), LT (C as ist alh Leis Trab ja, o resulta o prestado, ou se s extras, gado pelo trabalh porcentagens, hora s, õe iss m co de o ad . on do salário adici s pelo empregador tas e abonos pago gratificações, gorje

Lei de Acesso à Informação é apenas para Inglês ver dentro dos Correios

ECT paga valor de hotel e carteiro fica em espelunca

A DR/SPI não responde o que é solicitado, as vice-presidências nem verificam os recursos e a presidência também ignora os pedidos. A ECT não atende nem mesmo a CGU

Correios deixa carteiro em quartos sem limpeza e com polícia atrás de traficantes dentro do hotel

E

m meados do ano de 2012 entrou em vigor a Lei de Acesso a Informação (12.527/2012), que permite a qualquer cidadão solicitar informações do governo ou das empresas estatais. O Correio está enquadrado pela legislação e precisa passar informações, mas não é isso que acontece. No dia 27 de julho de 2012 foram realizados alguns pedidos de informações para a ECT e a mesma sempre respondeu de maneira vazia ou mesmo negando a oferecer as informações. O próprio site da CGU (Controladoria Geral da União) permite a realização de recursos, em primeira instância, em segunda instância e para a CGU. Em dois pedidos (99923.000774/201238 3 99923.000779/2012-61) até

o momento não chegou qualquer resposta, mesmo com o prazo limite ser o dia 03 de setembro de 2012. Nos dois casos a CGU entendeu que os pedidos eram pertinentes e que estaria ela mesma estaria fazendo a solicitação para a direção da ECT e que assim que houvesse uma resposta por parte da empresa, a CGU comunicaria em ate 10 dias. Pelo jeito a direção dos Correios e a própria CGU não querem responder. O que existe de segredo na DR/SPI que não querem responder de jeito algum? Foi solicitado o nome dos trabalhadores que prestaram serviço terceirizado para a ECT durante o ano de 2011. O pedido é justificado pelo fato de existir a suspeita de favorecimento

de algumas pessoas. A outra solicitação é com o valor gasto com a hospedagem de trabalhadores que prestam serviço em outras cidades. É um absurdo a DR/SPI informar que não sabe quanto que gasta com a hospedagem. Se a ECT quer esconder tanto assim uma informação, significa que pode existir algo de errado com os nomes contratados pelas empresas terceirizadas ou com os valores pagos com a hospedagem dos trabalhadores prestando seriço fora das unidades de lotação. Será preciso ir para a Justiça buscar esse tipo de informação, um absurdo. Parece que a DR/SPI está voltando para a época da ditadura e da censura.

O

s trabalhadores que são convocados para prestar serviço em outras cidades estão sofrendo com as condições dos hotéis que a ECT contrata. Ninguém quer luxo, mas é preciso ficar em local limpo e tranquilo, e isso não acontece. Os carteiros estão reclamando que os quartos não são limpos e estão cheios de poeira, com o chão imundo. Teve caso que os carteiros foram acordados com o barulho da polícia dentro do hotel prendendo traficante. Isso mostra o nível da hospedagem que a ECT arruma para os trabalhadores que ficam distantes de suas casas. O diretor regional ou seus assessores próximo ficam em hotéis bons e luxuosos, com toda a tran-

quilidade e higiene necessária. Os trabalhadores só querem um local limpo e seguro. Existe também toda uma discriminação com os carteiros nos hotéis. Enquanto os demais hóspedes podem usufruir de um café da manhã, os ecetistas são impedidos ou, quando muito, com um pão com manteiga e um cafezinho preto. É preciso verificar o valor que está sendo pago pelo contrato e o que está previsto de fornecer. Não adianta o contrato estar no valor do mercado, mas o serviço prestado não é de acordo com o mercado. Alguém está ganhando com isso, e sobra para o carteiro que precisa ficar longe de casa e ainda sofrer com as condições do hotel.


Sem critério técnico, classificação de agências vira ‘ajuda entre amigos’ A diferença entre a classificação III e IV entre as agências vai muito além do valor da função do chefe ou o salário singular; passa pela necessidade de ter ou não mais recursos para a unidade, como a tesouraria

A

área comercial da ECT está toda bagunçada e isto está causando sérios problemas para os trabalhadores. Não existe critério para a criação de novos guichês de atendimentos, de tesourarias e as agências tem uma classificação sem qualquer critério técnico. Em um levantamento realizado pelo sindicado, verificamos que as unidades estão sendo classificadas de acordo com o Q.I. (Quem Indica). Uma vergonha. As unidades com classificação I, II e III o chefe da unidade tem salário singular, enquanto as unidades IV, V e VI os

chefes têm apenas a verba da função. É uma diferença considerável, ainda mais que a grande maioria dos chefes de agências é formada por atendentes ou carteiros. De acordo com a tabela ao lado é possível verificar a discriminação que ocorre na área comercial. Existem 18 agências, com classificação III na base territorial do SINTECT RPO sendo que em 04 agências não tem o encarregado de tesouraria. Enquanto nas 20 agências com classificação IV, apenas 04 têm o encarregado. Qual o critério que as Revens utilizam para classificar as unidades?

Em uma empresa que busca avaliar pelos aspectos técnicos não pode acontecer uma diferença desse jeito. Um Reven que cumpre os manuais da empresa como se eles fossem um livro sagrado, não pode aceitar uma discriminação desse tamanho. Ou os manuais são aplicados apenas na hora que interessa ao Reven? Na opinião do sindicato é incompetência mesmo. É querer fazer graça para alguns e prejudicar outros. É preciso entender que a ECT é uma empresa pública e o que vale para um deve valer para o outro. Trabalho igual, direitos iguais.

Reven corta guichês em algumas agências e favorece outras Sem regras pré-estabelecidas a redução de postos de atendimento nas unidades está trazendo prejuízo aos trabalhadores, deixando sem a gratificação de Quebra de Caixa

N

a mesma situação das diferenças entre agências para obter a função de encarregado de tesouraria está a quantidade de guichês nas unidades. É muita diferença de postos de trabalho em uma agência com a mesma classificação de outras. Enquanto isso continuar, mais trabalhadores vão ser perseguidos e retirados de seus postos de trabalho no atendimento para efetuarem outro servi-

ço. Muitas agências criaram postos de trabalho, devido a necessidade do serviço, e agora aparece um Reven que quer ser mais realista que o rei e decide que pelos critérios técnicos uma unidade só pode ter uma certa quantidade de atendentes e que os demais vão perder o direito da verba referente a Quebra de Caixa. A atitude do Reven e dos chefes que se prontificam a realizar essa tarefa é cruel e desu-

A

Atendente sem Quebra Cx.

Tesouraria

02 03 02 01 02 02 02 03 01 02 01 02 02 03 01 01 02 03 01 01

01 00 00 00 00 02 01 01 01 01 00 00 01 00 01 01 01 01 01 00

NÃO SIM NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO SIM NÃO NÃO NÃO SIM NÃO NÃO NÃO SIM NÃO NÃO

AGÊNCIAS CATEGORIA IV

Sem conhecer a realidade de um guichê de atendimento, com a atual precariedade do sistema do Banco Postal, Reven determina metas absurdas de trabalho profissional como deveria. Depois que a ECT mudou o Banco Postal, passando a operar com o Banco do Brasil a situação piorou, e bastante. Os responsáveis da empresa, as Revens deveriam visitar os locais de trabalho e resolver o problema em vez de ficar viajando apenas para receber diárias e cobrar mais metas. São condições como esta que afugenta os clientes, não é a greve. A gerência de negócios, as

AC Altinópolis AC Américo Brasiliense AC Barrinha AC Bonfim Paulista AC Borborema AC Colina AC Guara AC Ibaté AC Luis Antônio AC Morro Agudo AC Patrocínio Paulista AC Pindorama AC Pitangueiras AC Pontal AC Pradópolis AC Sales Oliveira AC São Simão AC Serrana AC Tabatinga AC Terra Roxa

Atendente com Quebra Cx.

mana. Hoje as agências estão precisando de mais trabalhadores no atendimento e quem está fazendo o inverso está jogando contra a própria empresa. Não vai ser economizando nos valores do Quebra Fonte: www.correios.com.br - setembro/2012 de Caixa que a ECT vai ter lucro. É preciso fechar outros ralos, por onde o dinheiro público está senUnidade Atendente com do escoado.

Área comercial estabele metas sem oferecer condições de trabalho área comercial da ECT está de brincadeira impondo metas absurdas sem oferecer condições de trabalho. A reclamação é geral em todas as agências. Todos os dias os atendentes são vítimas de agressões verbais por causa da demora no atendimento e das longas filas. O que faz a ECT? Nada! Se não oferece uma ferramenta de trabalho confiável o atendente não vai realizar sua atividade

AGÊNCIAS CATEGORIA IV Unidade

Revens e os demais membros da área jogam a culpa no movimento sindical por estarem perdendo clientes. Acontece que a incompetência da área comercial que causa todo esse transtorno. O objetivo é apenas o lucro, não se importando com as condições de trabalho e a própria segurança dos atendentes. Passou da hora de ficar cobrando metas de vendas, criem metas de condições de trabalho ou metas sociais, de melhor relacionamento.

AC Batatais AC Brodowski AC Cajuru AC Guaira AC Guariba AC Igarapava AC Itajobi AC Jardinópolis AC Monte Alto AC Monte Azul Paulista AC Novo Horizonte AC Novo Shopping AC Santa Adélia AC Santa Rosa de Vitérbo AC São Joaquim da Barra AC Tambau AC Urupes AC Vila Monte Alegre

Atendente sem Quebra Cx.

Tesouraria

Quebra Cx.

05 03 03 03 03 04 02 03 03 02 05 05 02 02 05 02 03 02

02 00 00 00 02 00 00 00 01 00 00 01 00 01 01 01 00 01

SIM NÃO SIM SIM SIM SIM NÃO SIM SIM SIM SIM SIM NÃO SIM SIM SIM NÃO SIM


DR/SPI não climatiza agências e CDD’s e trabalhador sofre com calor Pensando apenas em aluguéis mais em conta, a Diretoria Regional não faz uma avaliação da temperatura ambiente das unidades e nem mesmo em um sistema de iluminação que não aqueça de força agressiva

O

calor na região está demais e a direção da ECT não está preocupada com os trabalhadores. A climatização das unidades anda a passos de tartaruga. Enquanto os responsáveis continuarem em suas salas com ar condicionado, não vão se preocupar com os carteiros ou mesmo os atendentes. No CDD Bebedouro os trabalhadores não estavam mais suportando ficar no local, por causa do calor dentro da unidade. Na visita setorial os dirigentes escutaram os trabalhadores e decidiram dar

um prazo para a ECT resolver, ou pelo menos, amenizar a situação, caso contrário eles estavam dispostos a uma paralização. O chefe da unidade, que também sofre com o calor, procurou evitar uma greve localizada e comprou, por conta própria, alguns ventiladores para o CDD. O fato é que a DR/SPI não autorizou o chefe a utilizar parte do recurso financeiro que a unidade dispõe para a compra. Sobrou para ele gastar do próprio bolso. Uma vergonha. No CEE Ribeirão Preto a reclamação é geral, mas novamente

nada é feito. A DR/SPI procurou alugar um prédio e não se preocupou em verificar a iluminação, para saber se o tipo de lâmpada aquece o ambiente ou não. Na verdade até houve essa preocupação, conforme orientação da área de segurança do trabalho, mas a engenharia ficou preocupada apenas com os custos da iluminação e não se importaram com os trabalhadores que executam a atividade naquele local. A engenharia e os demais setores responsáveis não ficaram atentos a ventilação do local e nem mesmo com as condições do

refeitório. Foi preciso realizar uma denúncia na Vigilância Sanitária para que a ECT fosse notificada e fizesse a alteração necessária para evitar que Pombos sujassem o refeitório com as fezes. A AC Barretos é uma agência de categoria II, ou seja, é uma unidade com um porte grande, mas mesmo assim não existe preocupação com o clima dentro da agência. Na visita setorial que os dirigentes sindicais realizaram, em pouco mais de 10 minutos estavam com as camisetas molhadas de suor, devido a alta temperatura. Os

próprios atendentes repararam e comentaram que eles precisam ficar naquelas condições por várias horas. Relataram que os próprios clientes não aguentam permanecer dentro da agência. Passou da hora da unidade ser climatizada. Será que a DR/SPI vai esperar a reforma da agência no final de 2014? Do que adianta a ECT ser reconhecida mundialmente, como desejam os gestores, mas não oferecem condições de trabalho adequado? É preciso respeito aos trabalhadores.

AC Barretos recebe uma reforma ‘meia boca’ após denúncia do sindicato

Prédio do CDD Araraquara continua sem reforma

Ignorando as questões de segurança, a DR/SPI fez uma reforma as pressas, que serviu apenas como maquiagem, e recusa fornecer cópia de documentos para averiguação

Passado um ano da audiência no Ministério Público do Trabalho a DR/SPI não reformou ou mudou de prédio

a última edição do Pombo Doido relatamos a situação da AC Barretos, que precisava de reforma. Em nova visita a unidade o chefe apresentou o Alvará da Prefeitura e informou que o mesmo sempre existiu. A direção do SINTECT/RPO não tem problema algum em fazer essa correção, mas também deixa claro que uma empresa pública não pode omitir informações. Hoje já existe a Lei de Acesso a Informação, e os Correios estão enquadrados pela legislação. Logo após a visita em que foram verificadas as condições do prédio, a direção do sindicato solicitou cópia do Alvará

hegamos em 2013 e até o momento o CDD Araraquara não sofreu nenhuma reforma e nem tem previsão de mudança do prédio. É vergonhosa a situação, o desrespeito que a DR/ SPI tem com os trabalhadores de Araraquara. Somente no final de 2012 é que começou a reforma no prédio que irá abrigar o CEE Araraquara, quase um ano após a audiência no Ministério Público do Trabalho. Neste caso a mudança ainda está dentro do prazo estabelecido. Como não houve um acordo na

N

de Funcionamento fornecido pela Prefeitura, o Laudo do Corpo de Bombeiros, um Laudo da área de segurança do trabalho da ECT e um Laudo do setor de Engenharia da empresa. Só foi fornecido o laudo do engenheiro. Os demais laudos e o alvará não foram fornecidos, seja pela falta deles ou pela omissão. A reforma realizada na AC Barretos no mês de novembro foi apenas para Inglês ver. Nas rachaduras de mais de 3 cm foi colada uma placa de ferro, sem qualquer amarração e depois um gesso e tinta por cima. Fizeram uma maquiagem para enrolar até a refor-

ma prevista para o segundo semestre do no de 2014, ou seja, depois da Copa do Mundo. A direção do sindicato já solicitou uma cópia do contrato de serviço feito entre a ECT e a construtora, mas até o momento a DR/SPI recusa a apresentar tal documento. É importante saber o que foi realmente contratado e o que foi feito na unidade. Se o diretor regional continuar omitindo essas informações, vai parecer que existe algo de errado na obra, além de estar desrespeitando a Lei de Acesso a Informação, do governo federal.

C

Placas de aço coladas para esconder a rachadura na estrutura, na AC Barretos

Fixação das placas foi realizada com cola e parafuso, na AC Barretos

audiência sobre o CDD Araraquara, a DR/SPI está ignorando os trabalhadores e não toma nenhuma atitude. Não reforma o prédio e nem muda de local. A única forma de fazer a Diretoria Regional ouvir os trabalhadores será com a paralização das atividades. O que os gestores que estão na DR/SPI deveriam fazer é parar de ficar passeando pelo interior do Estado apenas para receber diária. É preciso visitar as unidades e resolver os problemas que existem. Que não são poucos.


Trabalhador que fez reclamação pelo ‘fale com diretor’ sofre perseguição No dia seguinte ao conhecimento da denúncia, CAE da região de Bebedouro vai até a unidade e tenta intimidar o dirigente sindical que fez a denúncia e o delegado sindical da unidade, como na época da ditadura

U

ma ferramenta que a empresa criou para que a Diretoria Regional possa conhecer os problemas das unidades ou até mesmo saber o que pensa o trabalhador ecetista virou uma ferramenta para perseguição política. O link “Fale com o Diretor” deveria ser chamado de “Elogie o Diretor”, considerando que se for realizada criticas, o trabalhador será perseguido.

No dia 28 de novembro um dirigente sindical utilizou o “Fale com o Diretor” e apresentou alguns argumentos contra o CAE da região de Bebedouro Ademir Cardoso. No dia 06 de dezembro a DR/SPI encaminhou ao CTCE/ RPO para apurar os fatos. Foi solicitada informações para o sr. Ademir. Em vez dele se defender, preferiu sair atacando outras pessoas. Para perseguir o dirigente sindical,

foi até o CDD de lotação dos dirigentes, já no dia seguinte, 07 de dezembro. Começou a vasculhar cada passo do dirigente e do delegado sindical, desde o mês de agosto/2012, quando eles estavam prestando serviço em Piracicaba/ SP. O CAE buscou informações desde o horário de viagem deles, a poltrona utilizada, os horários de anotações nos cartões de ponto e cada detalhe da vida deles. Fez

acusações de realização de horas extras de forma irregular, mas não teve a capacidade de verificar junto ao chefe da unidade em que os trabalhadores estavam prestando serviço, se houve algum problema que justificasse a realização das horas. Parece que o sr. Ademir não conhece o trabalho de um carteiro e resolve falar bastante besteira. A Diretoria Regional precisa mudar a postura. Não é possível

admitir que um trabalhador seja perseguido logo no dia seguinte que o CAE tomou conhecimento do relato ao “Fale com o Diretor”. Se continuar nessa linha logo a DR/SPI vai instalar nos CDD’s instrumentos de tortura, como pau-de-arara e a cadeirão do dragão (cadeira que dá choque). Porque só está faltando a tortura para parecer ditadura.

Sem acordo com a FENTECT, pagamento da PLR virá dúvida para trabalhadores

Ecetistas não têm muito a comemorar nos 350 anos

Ninguém sabe como, nem quando será feita a distribuição dos lucros do ano passado, e a ECT pode voltar a pagar valor muito diferente entre o mínimo e o máximo

O serviço de Correios completam 350 anos neste mês, mas os trabalhadores estão cansados de desrespeito

A

té o momento a ECT não se pronunciou sobre o pagamento da PLR. Como não houve acordo entre a empresa e a FENTECT, ninguém sabe como será o pagamento, quem está apto, quando será, os critérios, a diferença entre o piso e teto e coisas do tipo. As regras do jogo precisam ser estabelecidas com antecedência. Depois que a direção dos Correios fecha o ano, que tem todas as informações nas mãos, desde o valor total do lucro, até a quantidade de trabalhadores que podem receber a parcela dos lucros, fica fácil para a ECT criar regras que

eliminem boa parte dos trabalhadores dos créditos da PLR. Sem qualquer acordo entre as partes, a direção da ECT pode voltar com a farra da distribuição da PLR para uma minoria. Há pouco tempo a direção dos Correios chegou a pagar ao presidente da empresa e outros diretores, valores de quase R$ 50 mil, para cada um, enquanto a maioria dos carteiros, atendentes e OTT’s receberam R$ 400. É muita diferença. Nos últimos anos houve acordo e a categoria recebeu de maneira mais equilibrada, apesar de não ser a proposta ideal.

Outra situação muito cobrada neste ano foi com relação ao pagamento da antecipação da PLR, como foi realizado no ano anterior. Como não houve acordo entre a ECT e a FENTECT, o pagamento também não estava previsto. Se por um lado é bom não ter o adiantamento e receber o valor integral em Maio ou Junho, por outro lado é ruim, pois no mês de janeiro aumentam as despesas com impostos (IPVA, IPTU etc). Agora é aguardar o fechamento do balanço da ECT e a divulgação do lucro.

Contribuição mensal da ARCO SPI explora os mais baixos salários da categoria Enquanto a base da categoria chega a pagar até 2% do salário, os gestores com altos salários da empresa pagam menos da metade desse valor, se comparado o percentual

A

ARCO SPI deveria ser mais justa com os trabalhadores com salários menores. A contribuição que é feita hoje é igual para todos os trabalhadores enquadrados entre as NM-01 até NM-50. O valor cobrado corresponde a 0,75% da referência NM50, hoje no valor de R$ 20,07. Para quem ganha R$ 2.675,44, o valor corresponde mesmo a 0,75%, mas para um trabalhador que está na NM-01, e ganha R$ 1.004,03, o va-

lor corresponde a 2%. É muita diferença beneficiando aqueles que ganham mais e prejudicando aqueles com menores salários. A ARCO não pode ser financiada de forma diferenciada, cada um tem que pagar de acordo com o salário. O debate aqui não é se o valor é alto ou baixo, mas a diferença de tratamento entre aqueles que ganham menos e aqueles que ganham mais. A Arco poderia adequar a contribuição para que

todos paguem uma mesma porcentagem do salário. Quem ganha mais, paga mais. Já existe uma discriminação no Estatuto da Arco que impede trabalhadores, sócios, que pagam em dia a associação e que não podem participar da eleição da Associação apenas por não residirem na cidade de Bauru. A localidade da residência não pode ser obstáculo para a candidatura.

N

este mês de janeiro a ECT está completando 350 anos. É uma data histórica, são poucas as empresas no mundo que conseguem atingir essa marca. A diferença está na forma como são administradas. O tempo muda, as relações de trabalho mudam e a empresa deveria mudar. Acontece que estamos em pleno século XXI com uma administração atrasada em várias décadas. Muitos gestores foram forjados na época da ditadura, alguns continuam aí até

hoje e outros aprenderam com os ditadores e seguem a cartilha até os dias atuais. Se a direção do Correio quer fazer a empresa ser grande, de classe mundial e reconhecida por todos, deve começar a repensar sua área de recursos humanos, principalmente com relação aos gestores da área operacional. Continuando com esta postura, a ECT, corre um sério risco de fechar as portas e encerrar suas atividades.

Boca no Tr

1

ombone

- O setor de Recurso s nha e não respeita o Humanos da DR/SP I está uma trabalhado wski ficou vergor. Um car sem rec 2012 e até o dia 07 de eber o salário no dia teiro da AC Brodoo problem janeiro de 21 de deze a. 2 banco deu Não é culpa do trab 013 a ECT não tinh mbro de a re alh a o pagamen lgum problema. A em ador se a transferên solvido to do salári presa tem c condições ia para o O que não o de realizar pode é a á , nem que seja por re ord Banco solu cionar o ca a de recursos human em de pagamento. os fi dastro junto do salário. a ECT para car aguardando o fazer o pag amento - Os assalt os no CEE Ribeirão P uma frequ re ên nada para cia maior e a DR/S to estão começando PI até in a ter ib ir o isso os tra balhadores u impedir a ação do o momento não fez s bandidos. tratou seg é que sofr ura em E va. Por aqu nças para acompan . Na DR/SPM a em nquanto harem os v presa coni nem tenta eículos. É u m fazer na ma tentatida.

2


Resultado das eleições do Postalis mostra força da Atuação Sindical

Na DR/SPI, apenas o SINTECT/RPO faz parte do Bloco Atuação Sindical, enquanto os outros 5 sindicatos que têm base no interior do Estado fizeram campanha contra os nossos candidatos, a vitória demonstra de que lado está a categoria

E

ntre os dias 12 de novembro e 03 de dezembro foi realizada a eleição para o Conselho Deliberativo e o Conselho Fiscal do Postalis. Pela primeira vez a eleição ocorreu exclusivamente pela internet. Mais de 20 mil trabalhadores votaram em eleger dois membros para o Conselho Deliberativo e um para o Conselho Fiscal, sendo eleitos José Rivaldo, Manoel

Santana e Reginaldo Alcântara, respectivamente. A direção do SINTECT/RPO apoiou as candidaturas vencedoras por entender que eles têm muito para colaborar e ajudar a categoria no fundo de pensão. São companheiros comprometidos com os trabalhadores e que demonstraram isso ao longo do trabalho sindical que eles realizaram. Na DR/

Os 10 mais votados na DR/SPI Conselho Deliberativo Rivaldo Manoel Santana Rogerio Ubine Marcos Silveira Valverde André Sambag Guandalini Ângelo Donga Suelma Pestana Nulo Branco

1033 961 573 535 500 371 353 252 195 180 235 208

Candidatos agradecem pelo voto de confiança

SPI apenas o sindicato de Ribeirão Preto fez a campanha desses três candidatos enquanto os demais sindicatos resolveram apoiar outro candidato. O resultado na SPI mostra que a categoria confia no trabalho da entidade e acredita s companheiros Rivaldo nos candidatos indicados. Obrigae Santana, eleitos para o do aos trabalhadores que votaram Conselho Deliberativo do no José Rivaldo, Manoel Santana e Postalis, juntamente com o comReginaldo Alcântara. panheiro Reginaldo, eleito para o Conselho Fiscal e os candidatos que foram eleitos para a disputa no segundo turno para a vaga no Conselho de Administração da ECT, Luizinho e Rocha, titular e suplente respectivamente, querem agradecer ao ecetistas que depositaram esse voto de confiança no trabalho desenvolvido pelo Bloco Atuação Sindical. Os milhares de votos que os Paulin 1372 candidatos receberam em suas respectivas eleições demonstraReginaldo 933 ram que o trabalho dos companheiros do Bloco Atuação Sindical Vinicius 349 está no caminho certo e que a caRegis 94 tegoria reconhece esse esforço. A melhor forma de retribuir à cateVeridiano 85 goria esse apoio é desenvolvendo um trabalho sério, transparente e Jorge Rib. 82 que traga resultados positivos aos Ademir 76 mais de 120 mil ecetistas e seus dependentes. Amélia 69 Hoje o bloco Atuação Sindical César 49 é composto com membros da direção de 14 sindicatos e, mais, as Alexandre 34 oposições organizadas nas demais entidades. O resultado das eleiNulo 83 ções para os conselhos do Postalis Branco 50 e para o Conselho de Administração da ECT dá uma demonstração

Conselho Fiscal

O

que o movimento sindical unido é forte e tem condições de conquistar muito mais para os trabalhadores. No começo de janeiro de 2013 tem o segundo turno para a vaga no Conselho de Administração, e a disputa será acirrada. Chegou a hora de o movimento sindical deixar as divergências de lado e mostrar sua força para eleger o companheiro Luizinho. Desta forma convidamos à todos os trabalhadores, militantes e as demais forças políticas do movimento sindical para entrarem com vontade e determinação na campanha de companheiro Luizinho. Qualquer outro posicionamento que não seja de apoiar o único candidato, no segundo turno, do movimento sindical, pode significar um retrocesso político e um enfraquecimento dos trabalhadores. Participe dessa campanha, vamos fazer valer a força dos trabalhadores unidos e vamos eleger a chapa com o companheiro Luizinho e Rocha para o Conselho de Administração. E mais uma vez, obrigado aos ecetistas de todo o Brasil que confiaram em nossas candidaturas. A eleição não foi cancelada pela Justiças, mas está momentaneamente suspensa. Assim que for liberada, participe.


Direção do sindicato faz visitas setoriais e a DR/SPI fica incomodada

Os trabalhadores participam das reuniões, debatem os mais diversos assuntos e no final participam das fotos coletivas para serem postadas no Facebook, mas o Reven de Ribeirão Preto não quer o Sintect interagindo com a categoria

A

direção do SINTECT/RPO está realizando visitas setoriais nas unidades da região, conversando com os trabalhadores e resolvendo as demandas existentes. A recepção está sendo muito boa e a categoria está aprovando o trabalho realizado pela entidade. No final das reuniões os trabalhadores se reúnem e sempre é feita uma foto para ser postada no Facebook, e cada trabalhador acaba compartilhando essa foto com os demais amigos. Apesar do Reven de Ribeirão

Preto, não ter gostado de ver as fotos no Facebook e está fazendo um esforço para tentar impedir a publicação das fotos, a direção do sindicato informa que vai continuar colocando as fotos com os trabalhadores, como todas as demais entidades fazem e os próprios trabalhadores sempre colocam também em suas páginas pessoais. O Reven deve estar preocupado que as fotos mostrem a realidade precária das agências, que ele é responsável ou ainda está com a cabeça na época da ditadura, quan-

SINTECT sorteou uma cesta de natal pelo facebook

do os trabalhadores não tinham liberdade alguma. Novas visitas estão agendadas e em breve todas as unidades serão atendidas com a presença dos dirigentes sindicais. Independente da reunião setorial, os trabalhado- Os trabalhadores sindicalizados que curtirem a página do res podem e devem ligar para a SINTECT RPO podem ganhar mais prêmios entidade e apresentar suas ideias e reclamações. Se também tiver foto, página do SINTECT/RPO gina no Facebook. O ganhador da efetuando o trabalho, seja sozinho no Facebook está cada vez Cesta foi o companheiro Nicanor, ou com os colegas de trabalho, com mais acessos e a di- do CDD Valmir Ramalho, na cidade compartilhe na página do SIN- reção do sindicato está fazendo de Ribeirão Preto. Parabéns ao NiTECT/RPO. algumas promoções para atrair canor e aos demais trabalhadores ainda mais os trabalhadores para que participaram da promoção. conhecerem e acessarem a página. Se você ainda não curtiu a Sempre tem informação nova e a página do SINTECT/RPO no Facategoria fica sabendo o que está cebook, faça hoje mesmo e fique acontecendo tanto na ECT quanto sabendo das atividades do sindicato, as novidades e as promoções. É no mundo do trabalho, em geral. No mês de dezembro foi re- preciso curtir a página e não apealizada uma promoção de sortear nas as postagens. Para fazer isso ção, no botão “quero participar”. uma Cesta de Natal para os tra- é só clicar no botão “curtir” logo O sorteio é realizado por um apli- balhadores da base territorial do abaixo da foto de capa da página, cativo do facebook, sem a partici- SINTECT/RPO, que fosse filiado no lado direito. Participe. pação da diretoria da entidade. a entidade e tivesse curtido a pá-

A

Mais prêmios serão sorteados aos filiados no Dia dos Carteiros

D

epois do sucesso do sorteio da Cesta de Natal, no mês de dezembro, a direção do SINTECT RPO está rea-

lizando mais uma promoção aos trabalhadores sindicalizados que curtirem a página do sindicato e clicar também no link da promo-

Dirigentes sindicais entregando Cesta de Natal ao Nicanor do CDD Valmir Ramalho

SUPERSEG SEGUROS

(16) 3624-6878

Av: 13 de Maio, 1109 - Sala 2 - Cep 14090-270 - Ribeirão Preto - SP superseg@netsite.com.br

Pombo Doido Janeiro 2013  

Jornal Pombo Doido, do Sindicato dos Trabalhadores nos Correios de Ribeirão Preto e região. Edição de Janeiro de 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you