Page 1


Editoria: Pag: Site – Jornal da Ciência Assunto: Projeto de computação sem computadores recebe apoio da FAPEAM

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não

Programa: Programa de Apoio à Popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação

Data: 13/05/2013

Projeto de computação sem computadores recebe apoio da FAPEAM Alunos dos ensinos Fundamental e Médio, da rede pública de ensino, serão os participantes do projeto Ensinar computação sem computadores, mas por meio de atividades lúdicas é a proposta do Projeto Computação Desplugada, um dos 21 beneficiados pelo Edital 018/2012, do Programa de Apoio à Popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação (POP C,T&I), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). Coordenado pelo doutor em Ciência da Computação, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Raimundo da Silva Barreto, o projeto é voltado para alunos dos ensinos Fundamental e Médio, da rede pública de ensino, e utiliza, entre outras ações, a dança e o teatro, para levar a mensagem aos estudantes. "O projeto desmistifica o conceito de que a computação é algo inacessível, além de popularizar a ciência da computação, despertando o interesse nestes jovens", destacou Barreto. Segundo ele, o projeto pode ser aplicado em qualquer lugar, uma vez que não se utiliza de aplicativos ou outros equipamentos tecnológicos, para interagir com o público. Beneficiado com um investimento de R$ 26.907,90, por parte da FAPEAM, o projeto vem sendo posto em prática há um ano, e durante esse período já foi apresentado aos estudantes de várias escolas estaduais de Manaus, como Djalma Batista e Ângelo Ramazzotti, para citar algumas, além da Escola Estadual Vital de Mendonça, em Itacoatiara - município localizado a


176 quilômetros da capital. Com o investimento da FAPEAM, observou Raimundo Barreto, o projeto poderá ser levado para outras escolas de Manaus e também do interior do Amazonas. Um destes municípios, conforme o coordenador do Computação Desplugada, deverá ser Parintins - localizado a 369 quilômetros da capital. Sobre o POP C,T&I O Programa de Apoio à Popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação é uma iniciativa do Governo do Estado, via FAPEAM, que visa apoiar a realização de exposições, feiras, oficinas, minicursos, palestras e outras atividades interativas sobre ciência e tecnologia, em locais públicos, organizados, por temas, campos ou áreas do conhecimento, voltadas para o público em geral, especialmente para estudantes dos ensinos Fundamental e Médio. (Síntia Maciel - Agência Fapeam)

http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=87014


Editoria: Site – Consecti Assunto: FCecon promove a 63ª Semana Amazonense de Enfermagem

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Programa: Parev

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Pag:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

13/maio/2013

FCecon promove a 63ª Semana Amazonense de Enfermagem A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) promove, nos dias 13,14 e 15 de maio, a 63ª Semana Amazonense de Enfermagem. O evento acontece no auditório da instituição, situado no terceiro andar, localizada a Rua Francisco Orellana, 215, Planalto, zona oeste de Manaus. O objetivo é atualizar e capacitar os profissionais da área de saúde, promovendo a troca de experiências e instigando o debate sobre os principais temas relacionados à enfermagem. O evento é alusivo à 74ª Semana Brasileira de Enfermagem, promovida pela Associação Brasileira de Enfermagem (Aben/AM) com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) por meio do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev). Segundo a chefe do departamento de Ensino e Pesquisa da FCecon, enfermeira Júlia Monica Marcelino Benevides, a edição deste ano com o tema ´Expertise em enfermagem oncológica´, visa discutir ações voltadas ao exercício profissional da enfermagem em oncologia e suas competências. “E como se trata de discussões científicas, o evento além de trazer atualizações sobre as ações voltadas para a praxe da enfermagem, também possibilitará discussões que poderão ser motivo de estudos científicos, proporcionando dessa forma a excelência no atendimento ao usuário do SUS”, pontuou. Benevides explica ainda que o evento conta com uma vasta programação voltada para a temática. E o ponto alto das atividades são as palestras com diversos especialistas e doutores em oncologia, vindos de outros estados com o apoio da FAPEAM.


“Entre esses convidados participantes estão, a doutora Lilian Behring do Rio de Janeiro e a doutora Edna Camelo do Ceará. Além dos enfermeiros especialistas Paulo Dionísio e Karina Barros, vindos do Ceará e a enfermeira Tairla Silva, do Pará”, disse. O evento é direcionado aos acadêmicos e profissionais da área da saúde. Os interessados podem efetuar suas inscrições no Departamento de Ensino e Pesquisa, terceiro andar, da Fundação Cecon, localizada a Avenida Francisco Orellana, 215, bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus. Outras informações sobre o encontro podem ser obtidas pelos telefones: 3655-4703 e 3655-4774 ou através do e-mail: epesquisa@fcecon.am.gov.br Para acessar a programação completa, acesse o link: http://www.fcecon.am.gov.br. Sobre o Parev O Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev) apoia, com recursos financeiros, a realização de eventos científicos e tecnológicos no Estado do Amazonas. Outras informações sobre o Parev acesse o edital aqui: http://www.fapeam.am.gov.br/edital.php?cod=199 Fonte: FAPEAM http://www.consecti.org.br/2013/05/13/fcecon-promove-a-63a-semana-amazonense-deenfermagem/


Editoria: Pag: Site – G1 Amazonas Assunto: Semana de enfermagem no Amazonas vai tratar sobre oncologia

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa: Parev

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

- Negativo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Não Data: 13/05/2013

Semana de enfermagem no Amazonas vai tratar sobre oncologia Evento acontece na Fundação Cecon a partir desta segunda-feira (13).Edição está deste ano com tema ´Expertise em enfermagem oncológica'.

A Semana Amazonense de Enfermagem teve início nesta segunda-feira (13) na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), localizada na Zona Oeste de Manaus. Segundo a organização do evento, o objetivo é atualizar e capacitar os profissionais da área de saúde, atualizando os profissionais sobre assuntos do setor e promovendo troca de experiências. A edição deste ano com o tema ´Expertise em enfermagem oncológica´, deve discutir ações voltadas ao exercício profissional da enfermagem em oncologia e suas competências. O evento é direcionado aos acadêmicos e profissionais da área da saúde. O evento é alusivo à 74ª Semana Brasileira de Enfermagem, promovida pela Associação Brasileira de Enfermagem (Aben/AM) com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) por meio do Programa de Apoio à Realização de Eventos Científicos e Tecnológicos no Estado do Amazonas (Parev). As inscrições podem ser feitas no Departamento de Ensino e Pesquisa, na FCecon. http://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2013/05/semana-de-enfermagem-no-amazonas-vai-tratarsobre-oncologia.html


Veículo:

Site – D24.com

Assunto:

Sim Não

Pag:

Doutora em Linguística lança livro sobre análise do discurso

Cita a FAPEAM: ✘

Editoria:

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa: Parev

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Doutora em Linguística lança livro sobre análise do discurso 10 Mai 2013 . 11:44 h . Com informações da assessoria . portal@d24am.com O evento será neste sábado, às 10h, na Livraria Valer Manaus – Na manhã deste sábado (11), acontecerá o lançamento oficial do livro 'O projeto teórico de Michel Pêcheux – De uma teoria geral das ideologias à análise do discurso' (266 páginas, R$ 42), de Claudiana Narzetti. O evento será às 10h, na Livraria Valer (Avenida Ramos Ferreira, 1195, Centro), com acesso gratuito. A publicação aborda uma etapa da história da análise do discurso pouco estudada: o momento de sua formação. Um período em que Pêcheux começa a desenhar o projeto de uma análise do discurso sobre as ideologias e a história das ciências. O livro tece um percurso epistemológico que recobre os textos produzidos por Michel Pêcheux antes da publicação do texto fundador da Análise do Discurso (AD), “Análise automática do discurso”. “A obra adquire importância no atual contexto da análise do discurso por dois motivos. Em primeiro lugar, porque o problema da sua identidade torna-se um objeto de reflexão por parte de seus próprios estudiosos, tendo em vista a proliferação de estudos denominados análise do discurso”, pontua Claudiana. “Em segundo, porque oferece aos leitores uma importante introdução ao pensamento de Pêcheux e à sua análise do discurso”. Sobre a autora Claudiana Narzetti fez mestrado e doutorado no Programa de Pós- Graduação em Linguística e Língua Portuguesa da Unesp/Araraquara, com pesquisas centradas na história da Análise do


discurso francesa, em especial a vertente derivada dos trabalhos de Michel Pêcheux. Foi bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). Atualmente é formadora de professores na Secretaria Municipal de Educação de Manaus. Tem vários artigos publicados, entre eles “As linhas de análise do discurso na França dos anos 60-70”, na Revlet; “Pêcheux e Voloshinov (/Bakhtin): leituras de Saussure”, na revista Estudos Linguísticos; e “Relações entre a análise do discurso e a ciência da história”, na Revista do GEL http://www.d24am.com/plus/literatura/doutora-em-linguistica-lanca-livro-sobre-analise-dodiscurso/86312


Veículo:

Site – Portal amazônia.com

Assunto:

Editoria:

Pag:

Pesquisa avalia refino do óleo do peixe amazônico rico em

Ômega 3 Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa: Parev

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Pesquisa avalia refino do óleo do peixe amazônico rico em Ômega 3 De acordo com o pesquisador, nem todas as espécies de peixe apresentam o mesmo perfil de ácidos graxos, sendo necessário encontrar uma espécie rica em omega 3. Ciência em Pauta MANAUS – A ausência de um setor pesqueiro adequado na Região Norte faz com que toneladas de peixes sejam desperdiçadas diariamente. Um estudo pretende transformar os resíduos de algumas espécies de peixes amazônicos em óleo rico em ômega 3. A pesquisa faz parte da tese de doutorado que será defendida, no início de junho, pelo engenheiro de pesca Hérlon Mota Atayde. O estudo verifica o refino em óleo bruto proveniente dos resíduos de peixes amazônicos enriquecidos com enzimas produzidas por fungos para evitar o desperdício. Outro ganho a ser obtido será a valorização do produto regional, a partir da criação de um selo amazônico para o óleo. A pesquisa ocorre no âmbito do Programa de Pós Graduação em Ciências Pesqueiras nos Trópicos (PPG- CIPET), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) com o título ‘Potencial Biotecnológico de fungos em óleo de peixe’. De acordo com Atayde, nem todas as espécies de peixe apresentam o mesmo perfil de ácidos graxos, sendo necessário encontrar uma espécie rica em omega 3. “Dentro de uma espécie, ao longo do ano, variações podem ocorrer. Algumas espécies apresentam maior conteúdo, outras menor, por exemplo, de ácidos graxos da série ômega 3″, ressaltou. Os resíduos dos peixes são processados e passam por um processo de refino em que o óleo bruto


recebe tratamento para o consumo. “Sem esse tratamento, o óleo, quando já extraído dos peixes, não pode ser consumido,” afirmou o pesquisador Os estudos concentraram por meio do refino os ácidos poli-insaturados, como ômega 3, que tem um papel importante na saúde de manter os níveis saudáveis de colesterol e triglicérides do organismo. Fungo Amazônico Após o refino dos resíduos de peixes, a pesquisa testou mais de 30 espécies de fungos reconhecidas. E identificou um fungo nativo da Floresta Amazônica da Coleção de Culturas de Fungos (Micoteca) do Departamento de Parasitologia da Ufam, com um expressivo potencial lipolítico, que não produzia toxinas nocivas ao homem. A utilização das enzimas produzidas por esse fungo visa melhorar o potencial lipídico do óleo de peixe. Pretende-se com isso verificar o efeito da ação enzimática. A identidade do peixe, assim como a do fungo, ainda não podem ser divulgadas, pois o pesquisador tem pretensões de submeter a um pedido de patente. Benefícios dos ácidos graxos Podemos encontrar os ácidos graxos sendo comercializado por grandes indústrias farmacêuticas, em cápsulas ou comprimidos como anti-lipídicos, anti-inflamatórios e trombolíticos. Já na indústria alimentícia, os ácidos graxos são aplicados como aditivos na fabricação de queijos, pães e bebidas. De acordo com Atayde, dentre os efeitos benéficos atribuídos aos óleos de peixe, “podemos destacar a redução dos triglicerídeos do plasma, inibição da agregação plaquetária, diminuição da viscosidade sanguínea, diminuição da pressão sanguínea e redução da arteriosclerose, artrites, psoríase, asma e tumores”. A pesquisa durou quatro anos e cinco meses, com a orientação do professor Dr. Antônio José Inhamuns e teve a concessão de bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). http://www.portalamazonia.com.br/editoria/meio-ambiente/pesquisa-avalia-refino-do-oleo-dopeixe-amazonico-rico-em-omega-3


Veículo:

Site – Jornal Brasil

Assunto:

Editoria:

Pag:

Estudo identifica agente causador de micose em couro cabeludo

de crianças Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa: PAIC

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

- Negativo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Não Data: 13/05/2013

Estudo identifica agente causador de micose em couro cabeludo de crianças Cabelos quebradiços, coceira ininterrupta no couro cabeludo e irritabilidade são alguns dos sintomas da infecção fúngica grave causada pela Tinea capitis, que acomete crianças. Em busca de um método de combate aos fungos, a estudante de Farmárcia do Centro Universitário do Norte (Uninorte), Ana Paula Garcez da Silva, desenvolveu projeto de pesquisa para avaliar a ocorrência da infecção em crianças atendidas na Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), em Manaus. A pesquisa intitulada ‘Tinea capitis em crianças atendidas na FMT-HDV’ foi realizada de 2011 a 2012, com 21 pacientes da Fundação. De acordo com a estudante, os pais autorizaram o estudo. "Nosso objetivo era identificar o agente etiológico mais frequente e verificar a prevalência desta micose segundo variáveis demográficas", esclareceu Garcez. O estudo contou com aporte financeiro do Governo do Estado via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) por meio do Programa de Apoio à Iniciação Científica (Paic). Garcez explicou que muitos pesquisadores classificam a Tinea capitis como um problema sanitário, uma vez que a doença é contagiosa tanto por contato direto como indireto. No entanto, a falta de conhecimentos das espécies fúngicas dificulta a aplicação de medidas sanitárias para combater a proliferação.


"A identificação dos agentes etiológicos é essencial para o controle da transmissão da Tinea capitis, bem como de medidas terapêuticas de combate à infecção", salientou a pesquisadora. Identificação. A pesquisadora informou que os 21 pacientes que participaram do estudo foram submetidos a exame micológico que consistiu na retirada de escamas epidermicas do couro cabeludo e pelos. Segundo a pesquisadora, o material coletado foi dividido em duas partes. Na primeira parte foram feitos exames de microscopia direta e o restante foi colocado em meios de cultivo para isolamento do agente fúngico e aplicação de técnicas de identificação. "Dos 21 pacientes, sete estavam infectados com três tipos de espécies fúngicas: Microsporum canis, Trichophyton tonsurans e Microsporum gypseum. Os resultados demonstraram uma predominância do Trichophyton tonsurans como principal agente causador da Tinea capitis. Esses resultados nos indicaram que os índices do Estado estão de acordo com os estudos realizados em outras localidades e foi determinante para passarmos a pesquisar sobre o Trichophyton tonsurans para identificar os pontos fracos do agente", explicou a pesquisadora. Clique aqui e conheça a pesquisadora Ana Paula Garcez da Silva. Tinea capitis Também chamada de micose do couro cabeludo, a Tinea capitis é um dermatofitose comum em crianças entre dois e dez anos que atinge o couro cabeludo e os cabelos, provocando descamação. O exame dos fios de cabelo sob microscópio mostra a presença de esporos fora da haste. A realização de cultura para pesquisa do agente etiológico é recomendada tanto para definição do tratamento quanto para acompanhamento e critério de cura. Clique e saiba mais sobre a Tinea capitis. Sobre o Paic O programa apoia, com recursos financeiros e bolsas institucionais, estudantes de graduação interessados no desenvolvimento de pesquisa em instituições públicas e privadas do Amazonas. Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=84912


Veículo:

Site – Jornal Brasil

Assunto:

Editoria:

Pag:

Comunidade indígena de área urbana de Manaus ainda cultiva

músicas e danças tradicionais Cita a FAPEAM: ✘

Sim

Não ✘

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa: Pibic JR

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Comunidade indígena de área urbana de Manaus ainda cultiva músicas e danças tradicionais 11/05/2013 Sábado, Dia 11 de Maio de 2013 as 10 A dança e a música ainda estão presentes no cotidiano das tribos indígenas residentes na capital amazonense. É o que aponta a pesquisa intitulada 'Danças Típicas das Tribos Indígenas que habitam em Manaus', desenvolvida pela estudante do Curso Técnico em Eletrônica do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (Ifam) , Amanda Apolinário. Siga a FAPEAM no Twitter e acompanhe também no Facebook Segundo a estudante, a pesquisa fez levantamento sobre as danças típicas da comunidade Waikirú, da tribo Sateré Mawé. "Sabemos que a dança e a música fazem parte da cultura indígena. Encontrei na pesquisa uma forma de conhecer um pouco mais sobre o tema", disse Apolinário. De acordo com a estudante, a convivência com a tribo contribuiu para entender como os rituais, por meio da música e da dança, marcam a cultura indígena. Um exemplo é a dança da tucandeira, que mantêm viva a identidade dos povos indígenas. "Com a pesquisa conseguimos compreender que a dança indígena representa a história contada em gestos e músicas, além de ser uma forma de demonstrar devoção aos deuses das comunidades", explicou.


O estudo foi desenvolvido em 2012 com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Júnior (Pibic JR), sob a orientação da professora Michelle Queiros. "Com o incentivo da FAPEAM foi possível visitarmos as comunidades, o que nos permitiu contato direto com as tribos", destacou. Sobre o Pibic JR O Programa concede bolsas a alunos do 6º ano do Ensino Fundamental II, a 3ª série do Ensino Médio ou de Educação Profissional, regularmente matriculados em escola pública ou privada localizada no Amazonas. O Pibic JR tem o objetivo de promover o desenvolvimento de atividades vinculadas à iniciação científica ou tecnológica, com o intuito de despertar a vocação científica e incentivar talentos.

Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=84913&nome=Comunidade%20ind %EDgena%20de%20%E1rea%20urbana%20de%20Manaus%20ainda%20cultiva%20m%FAsicas %20e%20dan%E7as%20tradicionais


Editoria: Pag: Site – Jornal Brasil Assunto: Pró-Acervo incentiva a conservação de documentos em instituições de

Veículo:

pesquisa Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Programa: Pró-Acervo

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Pró-Acervo incentiva a conservação de documentos em instituições de pesquisa 11/05/2013 Sábado, Dia 11 de Maio de 2013 as 9

A conservação de acervos documentais de instituições de pesquisas recebe apoio financeiro do Governo do Amazonas por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). As propostas podem ser encaminhadas até o próximo dia 20 de maio. Com R$ 1 milhão de investimentos, o Programa de Apoio a Organização, Restauração, Preservação e Divulgação de Acervos Documentais do Estado do Amazonas (Pró-Acervo) tem o objetivo de financiar projetos de instituições sediadas no Estado do Amazonas cujo objeto seja a organização arquivística de seus acervos documentais, bem como a conservação, restauração, digitalização e microfilmagem. Segundo a diretora-presidenta da FAPEAM, Maria Olívia Simão, a iniciativa tem a meta de enriquecer os acervos de instituições de pesquisa por meio de conservação, coleta e intercâmbio. “O programa visa melhorar e ampliar as atividades de rotina dos acervos com incorporação de tecnologias adequadas para a conservação dos documentos, fotografias, pinturas, imagens em geral e demais materiais voltados para a pesquisa no Amazonas”, frisou.


Os recursos podem ser utilizados para despesas de capital, custeio e bolsas, desde que devidamente justificados como essenciais para manutenção, bom funcionamento e acesso como fonte de pesquisa do Acervo Documental. Os projetos contemplados terão o prazo de execução no máximo de dois anos. Os resultados estarão disponíveis no site da FAPEAM com a implementação dos benefícios previsto para o mês de agosto. Acervo documental Entende-se como acervo documental toda documentação existente em arquivos públicos ou privados com declarado interesse público, incluindo documentos manuscritos ou impressos, livros, imagens, jornais, revistas, publicações, materiais audiovisuais, documentos históricos ou de interesse estratégico para a pesquisa e divulgação científica voltada à preservação, conservação e difusão dos documentos das fases corrente, intermediária ou permanente do Estado do Amazonas. Requisitos para o proponente Ter título de mestre ou doutor, ser graduado ou pós-graduado em Arquivologia, Biblioteconomia ou História, ter vínculo formal com instituições de pesquisa e ou ensino superior público ou privada, institutos, centros de memória, órgãos públicos, museus, fundações de pesquisa e desenvolvimento sediados no estado do Amazonas. Requisitos para a instituição Para participar é necessário que a instituição seja de pesquisa ou ensino superior, pública ou privada. Institutos, centros de memória, órgãos públicos, museus e fundações de pesquisa e desenvolvimento, com localização no Estado do Amazonas. Os procedimentos para a submissão de propostas, envio de documentação e outros informações referente ao edital podem ser conferidos no endereço eletrônico: www.fapeam.am.gov.br/edital.php Sobre o Pró-Acervo O Programa consiste em apoiar, com recursos financeiros e bolsas, projetos institucionais de conservação de acervos documentais em seus diferentes suportes (textuais, audiovisuais, iconográficos, fotográficos, entre outros), visando melhorar as condições de acesso ao público e pesquisadores. Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=84906&nome=Pr%F3-Acervo%20incentiva %20a%20conserva%E7%E3o%20de%20documentos%20em%20institui%E7%F5es%20de %20pesquisa


Editoria: Pag: Site – Jornal Brasil Assunto: RDSs recebem apoio na iniciação científica por meio do Programa Ciência na

Veículo:

Escola Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Programa Ciência na Escola (PCE)

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

RDSs recebem apoio na iniciação científica por meio do Programa Ciência na Escola 11/05/2013 Sábado, Dia 11 de Maio de 2013 as 21 O estímulo à iniciação científica em Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Amazonas ganhou um reforço com a aprovação de projetos científicos a serem realizados no âmbito da edição especial do Programa Ciência na Escola (PCE) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM) em parceria com a Fundação Amazonas Sustentável (FAS). Com investimento da ordem de R$ 106,6 mil, foram aprovados dez projetos a serem realizados em escolas públicas das RDSs do Mamirauá, Juma e Rio Negro, localizadas nos municípios de Uarini, Novo Aripuanã e Manaus. Ao todo, cada projeto conta com um coordenador (professor), um apoio técnico e cinco estudantes que receberão bolsas para pesquisa durante seis meses. A Escola Estadual Cinthia Régia Gomes do Livramento, localizada na Reserva de Desenvolvimento de Mamirauá, no município de Uarini, distante de Manaus 600 quilômetros, foi uma dessas escolas, tendo três projetos aprovados. A reserva foi a primeira RDS brasileira, criada pelo Governo do Amazonas, em 1996. A proposta no Mamirauá é reunir em um mesmo local o desenvolvimento de famílias em harmonia com a preservação da região. Localizada no médio Solimões a reserva abrange uma área de 1.124.000 hectares, que passa pelos municípios de Uarini, Fonte Boa e Maraã. “Esta edição do Programa Ciência na Escola é uma ação da FAPEAM e da FAS que objetiva a participação de professores e estudantes de escolas públicas estaduais sediadas no Amazonas


e localizadas nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável do Juma, Rio Negro, Uatumã, Mamirauá e da Área de Proteção Ambiental do Rio Negro em projetos de pesquisa científica e tecnológica a serem desenvolvidos nas referidas escolas”, explicou a diretora-presidenta da FAPEAM, Maria Olívia Simão. Juma No município de Novo Aripuanã (distante de Manaus 225 quilômetros) foram aprovados projetos que serão executados na Escola Estadual Marriot Jr. e tem como pesquisadores Luiz Sérgio Reis de Melo e Nelinho Carvalho de Almeida. E, ainda, foi aprovado um estudo na Escola Municipal Victor Civita que terá como pesquisadora Odilia do Rosário Ribeiro. Na região de ambas as escolas está localizada a Reserva de Desenvolvimento do Juma, criada em uma área de 589.612 hectares de floresta amazônica nas cercanias da Rodovia BR-319. A sua criação e implementação só foi possível com a perspectiva de efetivação de um mecanismo financeiro para geração de créditos de carbono oriundos da Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD). Na RDS Rio Negro, em Manaus, a Escola Estadual Sansung Amazonas será beneficiada por meio de quatro projetos que serão executados pelos pesquisadores Alcilene de Souza Pereira, Erika Silva Brandt, Estevão Lemos Barreto e Glauciane Oliveira Caiado. Sobre o PCE-FAS Consiste em um programa, realizado em parceria com a FAS, que visa apoiar a participação de professores e estudantes do 6º ao 9º ano do ensino fundamental, da 1ª à 3ªsérie do ensino médio e de educação de jovens e adultos em projetos de pesquisa a serem desenvolvidos em escolas públicas estaduais sediadas no Amazonas e localizadas nas Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma, Mamirauá, Rio Negro e Uatumã, e na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro. Além dessas, poderão ser apoiados projetos a serem desenvolvidos nas escolas públicas municipais situadas na Comunidade Abelha, localizada na RDS do Juma, no município de Novo Aripuanã.

Fonte: Agência Fapeam http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=85012&nome=RDSs%20recebem%20apoio %20na%20inicia%E7%E3o%20cient%EDfica%20por%20meio%20do%20Programa%20Ci %EAncia%20na%20Escola


Editoria: Pag: Site – Jornal Brasil Assunto: Ufam realiza Primeiro Congresso de Estudantes de Pedagogia em junho

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Ufam realiza Primeiro Congresso de Estudantes de Pedagogia em junho 11/05/2013 Sábado, Dia 11 de Maio de 2013 as 10 A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) vai promover o 1º Congresso dos Estudantes de Pedagogia da instituição. O encontro está previsto para acontecer de 5 a 7 de junho, na Faculdade de Educação do campus universitário. O Congresso tem o objetivo de contribuir com a formação de acadêmicos de Pedagogia, tanto da Ufam como de outras Instituições de Ensino Superior (IEs) do Estado. De acordo com a organização do evento, serão desenvolvidas atividades que possibilitem troca de experiências e desenvolvimento de pesquisa e extensão relacionadas ao ensino. Além disso, o encontro deve debater sobre o movimento estudantil na atualidade. Segundo o representante do Centro Acadêmico de Pedagogia da Ufam (Cape), Samuel Vinente da Silva Júnior, o congresso vai permitir a socialização dos resultados de pesquisas desenvolvidas por bolsistas de Iniciação Científica (IC) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). Os temas a serem debatidos na pauta do evento são: Políticas Públicas, Avaliação e Gestão da Educação; Cultura, Currículo e Saberes; Comunicação e Tecnologia e Psicopedagogia; Formação de Professores e Profissionalização Docent; Didática, Teorias, Metodologias e Práticas Educativas; Educação Especial, Diversidade e Inclusão; Educação da Infância, História,


Sociologia e Filosofia da Educação; Educação, Saúde e Pedagogia Hospitalar; Educação e Meio Ambiente; Educação Indígena e Educação de Jovens e Adultos. O Congresso conta com o apoio da Pró-Reitoria para Assuntos Comunitários (Procomun), PróReitoria de Ensino de Graduação (Proeg), Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp) e Pró-Reitoria de Inovação Tecnológica (Protec). Os interessados podem inscrever-se preenchendo o formulário de inscrição disponível no site do evento, e enviar para o e-mail do Centro Acadêmico de Pedagogia (Cape): cape.ufam@gmail.com. Outras informações podem ser obtidas pelos telefones (92) 91265516 e 8195-5137. O pagamento poderá ser feito até o dia 31 de maio, na sede Cape Setor, localizado no setor Norte do Campus Universitário(Faced), mediante a apresentação do comprovante de matrícula, carteirinha da Ufam ou de outras instituições. Confira os valores das inscrições: Alunos de pedagogia da UFAM Ouvintes - R$ 5,00 Autores - R$ 10,00 Alunos dos outros cursos da UFAM Ouvintes - R$ 10,00 Autores – R$ 15,00 Alunos do Mestrado/Doutorado da UFAM e outras IES Ouvintes - R$ 20,00 Autores - R$ 25,00 Alunos da Graduação de outras IES Ouvintes - R$ 30,00 Autores - R$ 30,00 Professores da Ed. Básica, Ens. Superior e demais profissionais Ouvintes - R$ 30,00 Autores

-

R$

40,00

Fonte: Agência FAPEAM http://www.jornalbrasil.com.br/?pg=desc-noticias&id=84914&nome=Ufam%20realiza%20Primeiro %20Congresso%20de%20Estudantes%20de%20Pedagogia%20em%20junho


Editoria: Pag: Site – PPGCCOM - Ufam Assunto: Mesa-redonda discute cenário da pós-graduação no Norte do Brasil

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

- Negativo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Não Data: 13/05/2013

Mesa-redonda discute cenário da pós-graduação no Norte do Brasil Criado em Sexta, 10 Maio 2013 15:32 | | O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da UFAM (PPGCCOM) participou, no dia 3 de maio, da mesa-redonda 50 anos da Comunicação e o cenário da Pós-Graduação no Norte. A atividade integrou a programação do INTERCOM NORTE - Congresso Regional de Comunicação. As atividades cotidianas e conquistas do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da UFAM (PPGCCOM) foram apresentadas pela coordenadora do PPGCCOM, professora doutora Mirna Feitoza. Participaram também como debatedoras a diretora-presidente da FAPEAM, professora Maria Olívia Simão, e a coordenadora do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará, professora Maria Ataíde Malcher. A atividade foi mediada pela professora Maria Emília Pereira Abbud, do PPGCCOM/UFAM. Durante o evento, a coordenadora do PPGCCOM destacou que o debate foi uma oportunidade para expor o desafio que é fazer a pós-graduação na Amazônia. “Os 4% dos doutores que aparecem nas estatísticas nacionais somos nós, que fazemos um esforço científico enorme para estar, permanecer e evoluir no sistema. Temos 29 mestres formados aqui no PPGCCOM e 6 mestres na UFPA. No cenário nacional, isso é uma gota no oceano mas, para nós, é muito significativo. Nossos egressos estão aqui organizando o evento, apresentando trabalhos, colocando em prática tudo o que


aprenderam e colaborando para o avanço científico na nossa região”, declarou a coordenadora. A coordenadora do Programa de Pós-Graduação Comunicação, Cultura e Amazônia da Universidade Federal do Pará, professora Maria Ataíde Malcher, apresentou um histórico da criação dos cursos de Comunicação no país e também comentou o desafio de construir e consolidar o processo de qualificação e pesquisa na Região Norte do Brasil. “Ė a primeira vez que os dois Programas de Mestrado em Comunicação da Região Norte se encontram com uma Fundação de Amparo a pesquisa de um dos Estados da Amazônia. Acredito que daqui a dez anos, quem está aqui hoje vai lembrar que este é um momento de muita luta e empenho”, disse. Ela anunciou ainda que a próxima edição do Intercom Norte será realizada no Estado do Pará. "Antecipo o convite para que os participantes desta edição compareçam ao INTERCOM que será realizado pela Universidade Federal do Pará". A diretora-presidente da FAPEAM apresentou os produtos elaborados ao longo de uma década de existência da Fundação e os investimentos para acelerar a formação de doutores na Região Norte.“Foi uma discussão extremante importante. Percebemos que a diferença entre as regiões do país persiste intrarregionalmente. Ao mesmo tempo, observamos a aliança da UFAM e da UFPA para mudar essa realidade. A FAPEAM apóia essas iniciativas em rede para acelerar o processo de formação de doutores na Amazônia”, enfatizou a diretora-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado do Amazonas. http://www.ppgccom.ufam.edu.br/index.php/noticias/410-mesa-redonda-discute-cenario-da-posgraduacao-no-norte-do-brasil


Editoria: Pag: Site – CONFAP Assunto: Oportunidades para bolsas de pós-doutorado em biociências e ciências da

Veículo:

saúde Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Oportunidades para bolsas de pós-doutorado em biociências e ciências da saúde Uma parceria do programa Ciência sem Fronteiras com o National Institutes of Health (NIH), dos Estados Unidos, está com oportunidades abertas em chamadas de fluxo contínuo para bolsas na modalidade Pós-Doutorado no Exterior (PDE), especificamente para o desenvolvimento de pesquisas nos institutos norte americanos. O objetivo da iniciativa é fomentar projetos de pósdoutorado nos Institutos e Centros do NIH, dentro das áreas prioritárias (Biociências e Ciências da Saúde). Para esta ação a submissão é feita pelo fluxo regular de bolsas no exterior pelo calendário 2013 para bolsas de pós-graduação e pós doutorado (segue abaixo). A proposta será analisada somente no calendário correspondente ao início da vigência. Os interessados devem encaminhar as propostas ao CNPq, por meio do site da instituição, preenchendo o Formulário de Propostas Online, disponível na Plataforma Carlos Chagas. Devido ao interesse crescente dos NIH em receber estudantes brasileiros, as oportunidades de bolsas neste área passaram a ser incluídas no Calendário regular de bolsas no exterior do CNPq, o qual conta com três cronogramas anuais de submissão de propostas. Para mais informações clique aqui. Fonte: Agência Fapeam via CNPq


http://www.confap.org.br/oportunidades-para-bolsas-de-pos-doutorado-em-biociencias-e-cienciasda-saude/ Editoria: Site – PPGCCOM - Ufam Assunto: Pesquisas em comunicação são apresentadas nos DTs

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Pesquisas em comunicação são apresentadas nos DTs Criado em Sexta, 10 Maio 2013 15:26 | | Espaço para divulgação e discussões sobre pesquisas em Comunicação, os DTs receberam mais de vinte trabalhos de egressos e alunos do PPGCCOM, como o da mestranda Manuella Dantas Corrêa Lima. Com o título A Utilização das Mídias Sociais em Organizações Não Governamentais na Região Norte Brasileira, o artigo teve orientação da professora Maria Emilia de Oliveira Pereira Abbud. As egressas Edilene Mafra Mendes de Oliveira e Cristiane de Lima Barbosa apresentaram Jornalismo científico multimidiático: uma proposta para o portal da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM). O trabalho tinha como objetivo uma nova proposta para o site da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) a fim de oferecer ao público, notícias multimidiáticas para desmistificar a ciência e aproximá-la da sociedade. Dentre os trabalhos apresentados também estavam Um estudo da narrativa Transmidiática aplicada a Web para o filme Prometheus, da mestranda Susy Freitas, e Cabeças digitais: como a digitalização dos sistemas de comunicação atua no homem, do egresso Jimi Aislan Estrázulas.


http://www.ppgccom.ufam.edu.br/index.php/noticias/408-pesquisas-em-comunicacao-saoapresentadas-nos-dts Editoria: Pag: Site – Cape Ufam Assunto: Alunos de Pedagogia representarão a UFAM em eventos científicos

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa: PAPE

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

sábado, 11 de maio de 2013

Alunos de Pedagogia representarão a UFAM em eventos científicos Os discentes do curso de Pedagogia Samuel Vinente, Danilo Batista, Jéssica Querolin, Maiane Rossi, Danielly Couto e Márcya Gabrielle representarão a Instituição em eventos nacionais e internacionais que ocorrerão em maio deste ano. Os alunos foram beneficiados com diárias e passagens aéreas dos Programas PECTEC (UFAM) e PAPE (FAPEAM), e se revezarão entre o IV Congresso Internacional de Dislexia (UNESP), o III Seminário Internacional Inclusão em Educação (UFRJ) e o 5º Seminário Brasileiro de Estudos Culturais e Educação (ULBRA/RS).

Para o representante do Centro Acadêmico de Pedagogia (CAPe) Samuel Vinente, “representar a UFAM em outros estados é importante para socializarmos resultados de pesquisas e projetos de extensão desenvolvidos aqui no curso de Pedagogia, e os alunos daqui tem cumprido seu papel social”.


Para o discente, a UFAM vem oportunizando intercâmbio entre os alunos pesquisadores de outras regiões e estimulando a produção científica.

Os trabalhos serão apresentados nas modalidades de Comunicação Oral e Pôster durante eventos realizados na UFRJ, UNESP e ULBRA (RS). Trata-se de pesquisas desenvolvidas nos diversos Grupos de Pesquisa da Faculdade de Educação e orientadas pelas docentes do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) Dra. Maria Almerinda de Souza Matos, Dra. Arminda Rachel Botelho Mourão e Dra. Nídia Regina Limeira Sá. Mais informações sobre os eventos: IV Congresso Internacional de Dislexia: http://www.fundepe.com/novo/cid2013/index.php III Seminário Internacional Inclusão em Educação: http://www.lapeade.educacao.ufrj.br/ V Seminário Brasileiro de Estudos Culturais e Educação: http://www.sbece.com.br/ http://capeufam.blogspot.com.br/2013/05/alunosde-pedagogia-representarao-ufam.html


Editoria: Site – Folha Web Assunto: Pesquisa avalia refino do óleo do peixe amazônico

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria

✘ - Positivo

- Negativo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Não Data: 13/05/2013

11/05/2013 11h29

Pesquisa avalia refino do óleo do peixe amazônico A ausência de um setor pesqueiro adequado na Região Norte faz com que toneladas de peixes sejam desperdiçadas diariamente. Um estudo pretende transformar os resíduos de algumas espécies de peixes amazônicos em óleo rico em ômega 3. A pesquisa faz parte da tese de doutorado que será defendida, no início de junho, pelo engenheiro de pesca Hérlon Mota Atayde. O estudo verifica o refino em óleo bruto proveniente dos resíduos de peixes amazônicos enriquecidos com enzimas produzidas por fungos para evitar o desperdício. Outro ganho a ser obtido será a valorização do produto regional, a partir da criação de um selo amazônico para o óleo. A pesquisa ocorre no âmbito do Programa de Pós Graduação em Ciências Pesqueiras nos Trópicos (PPG- CIPET), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) com o título ‘Potencial Biotecnológico de fungos em óleo de peixe’. De acordo com Atayde, nem todas as espécies de peixe apresentam o mesmo perfil de ácidos graxos, sendo necessário encontrar uma espécie rica em omega 3. “Dentro de uma espécie, ao longo do ano, variações podem ocorrer. Algumas espécies apresentam maior conteúdo, outras menor, por exemplo, de ácidos graxos da série ômega 3″, ressaltou. Os resíduos dos peixes são processados e passam por um processo de refino em que o óleo bruto recebe tratamento para o consumo. “Sem esse tratamento, o óleo, quando já extraído


dos peixes, não pode ser consumido,” afirmou o pesquisador Os estudos concentraram por meio do refino os ácidos poli-insaturados, como ômega 3, que tem um papel importante na saúde de manter os níveis saudáveis de colesterol e triglicérides do organismo. Fungo Amazônico Após o refino dos resíduos de peixes, a pesquisa testou mais de 30 espécies de fungos reconhecidas. E identificou um fungo nativo da Floresta Amazônica da Coleção de Culturas de Fungos (Micoteca) do Departamento de Parasitologia da Ufam, com um expressivo potencial lipolítico, que não produzia toxinas nocivas ao homem. A utilização das enzimas produzidas por esse fungo visa melhorar o potencial lipídico do óleo de peixe. Pretende-se com isso verificar o efeito da ação enzimática. A identidade do peixe, assim como a do fungo, ainda não podem ser divulgadas, pois o pesquisador tem pretensões de submeter a um pedido de patente. Benefícios dos ácidos graxos Podemos encontrar os ácidos graxos sendo comercializado por grandes indústrias farmacêuticas, em cápsulas ou comprimidos como anti-lipídicos, anti-inflamatórios e trombolíticos. Já na indústria alimentícia, os ácidos graxos são aplicados como aditivos na fabricação de queijos, pães e bebidas. De acordo com Atayde, dentre os efeitos benéficos atribuídos aos óleos de peixe, “podemos destacar a redução dos triglicerídeos do plasma, inibição da agregação plaquetária, diminuição da viscosidade sanguínea, diminuição da pressão sanguínea e redução da arteriosclerose, artrites, psoríase, asma e tumores”. A pesquisa durou quatro anos e cinco meses, com a orientação do professor Dr. Antônio José Inhamuns e teve a concessão de bolsa da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). Fonte: Portal da Amazônia

http://www.folhabv.com.br/noticia.php?id=151734


Site – Planejamento Estratégico do Amazonas 2030 Veículo:

Assunto:

Pag:

Planejamento Estratégico do Amazonas é apresentado a sociedade civil

Cita a FAPEAM: ✘

Editoria:

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não

Programa:

Data: 13/05/2013

Planejamento Estratégico do Amazonas é apresentado a sociedade civil sexta-feira, 10 de maio de 2013

A Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan) apresentou nesta sexta-feira, dia 26, no auditório da Prodam, o projeto Planejamento Estrategico 2030-, um estudo com os principais eixos de desenvolvimento sustentável previsto para o Amazonas até 2030, a convidados de 32 organizações da sociedade civil, que deverão participar de grupos temáticos para propor soluções em diferentes áreas de atuação regional no eixo público e privado. Na apresentação,foi destacado que o Estado retoma no projeto uma visão estratégica de desenvolvimento, procurando definir com a sociedade caminhos na economia, para as questões sociais e ambientais que estarão na agenda de desenvolvimento do Amazonas para os próximos 17 anos. Coordenado pelo professor Luiz Almir Fonseca, o projeto Planejamento Estratégico 2030 concentra sua visão de futuro em cinco eixos temáticos: Meio Ambiente e Identidade Regional, Infraestrutura, ciência, tecnologia e inovaçao, formação de recursos humanos e transformação produtiva que terão fóruns temáticos de discussão, e consolidação de documentos em Manaus e no interior do Estado. O projeto tem apoio da Fundaçao de Amparo de Pesquisa (Fapeam) que destinou bolsas de estudo para doutores, mestres e especialistas acompanharem o trabalho do


PE2030. A Fapeam, segundo o assessor da presidência, Edilson Soares, vem procurando suprir as demandas de recursos humanos especializados na região. Um desafio com bons resultados mas que demandam tempo e mais investimentos que cresceram no atual governo. APOIO As instituições que se fizeram presentes destacaram positivamente a iniciativa do Estado em propor uma discussão ampla sobre o futuro do Amazonas. Para o presidente do Sindfisco, Joaquim Corado, com a iniciativa retoma-se um caminho deixado no passado quando foram extintos orgãos de planejamento e pesquisa, e que no atual ambiente de competitividade e crise internacional tornam-se cada vez mais necessários. Para ele, sem planejamento estratégico o Estado fica refém de um visão do passado. O Sindfisco será uma das instituições que irão participar ativamente dos estudos do PE2030. Para o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado – CREA todos os eixos são fundamentais porque o Amazonas precisa construir caminhos alternativos e complementares a uma série de desafios, segundo o engenheiro Carlos Alonso Queiroz. Entre os problemas estão os da área de saúde, praticamente abandonada nos municípios e comunidades, segundo Antônio Ramalho, do Conselho Regional de Medicina – CRM. A vida dos interioranos e populações orginárias, segundo ele, cria uma imagem muito negativa para o Amazonas. Estas questões ampliadas também estão sendo pensadas pela Fiocruz, segundo Aldemir Lima Maquiné, que entregou a Seplan um relatório das principais preocupações com a saúde regional. No encontro a Grande Loja Maçônica, representada por seu secretário Paulo Couto colocou à disposição as sedes da maçonaria no interior do Estado para reuniões com lideranças dos municípios como uma contribuição para fortalecer o projeto e as iniciativas do governo em propor um desenvolvimento sustentável para o Amazonas em todos os aspectos. Da mesma forma o Sindicato dos Jornalista, segundo seu presidente Wilson Reis, pretende ampliar o alcance das discussões previstas nos próximos encontros, dando oportunidade para que a sociedade possa manifestar seu pensamento sobre um futuro comum, que pertence a todos. Wilson destacou que o jornalista, como cidadão, participa dos mesmos problemas e expectativas e que a sociedade vivencia e o Sindicato vai participar das discussões previstas. Projetos como o Polo Naval, as oportunidades de bioíndustrias, turismo, mineração, indústria da educação, cultura, indústrias criativas, hidrovias, serviços logísticos, entre outras atividades, foram destacadas pelo coordenador do projeto professor Luiz Almir como necessidades imediatas que visam complementar o modelo Zona Franca e criar alternativas de desenvolvimento emergentes. Ele destacou que esses conhecimentos existem em instituições, com pesquisadores e comunidade, sendo o PE2030 a oportunidade de sistematizá-los para apresentar um portfólio de iniciativas reais para o futuro regional. O presidente do Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial do Estado do Amazonas – Sindarma, Dodó Carvalho, enfatizou a necessidade de estabelecer metas e projetos espeficos para os servicos logisticos baseados em hidrovias, no transporte de cargas e


passageiros. PROXIMOS ENCONTROS A Seplan vai organizar os próximos encontros por eixos temáticos. Qualquer pessoa e instituição pode dar sua contribuição para o planejamento estratégico 2030. Uma apresentação do projeto estará disponibilizada na próxima semana, no site da Seplan (www.seplan.am.gov.br) para consulta e a coordenação do projeto receberá contribuições também pelo email:gtpe@seplan.am.gov.br. Organizações interessadas em conhecer o projeto poderão também contactar com o grupo de trabalho pelo fone 92 2126-1247. http://gtpe2030.blogspot.com.br/2013/05/planejamento-estrategico-do-amazonas-e.html


Editoria: Site – FCECON Assunto: FCecon realiza cirurgia de pâncreas inédita no Amazonas

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

FCecon realiza cirurgia de pâncreas inédita no Amazonas A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão do governo do Estado, realizou, na última semana, a primeira pancreatectomia videolaparoscópica para a retirada de tumor maligno no Amazonas. O procedimento cirúrgico foi executado com sucesso em paciente do sexo feminino, com 60 anos de idade, portadora de câncer no pâncreas, um dos tipos da doença mais difícil de tratar. A equipe estava sob a coordenação do doutor em cirurgia hepatobiliar e cirurgião do sistema digestivo, Sidney Chalub. Ele explica que a paciente passa bem e já teve alta, mas terá o tratamento complementado com quimioterapia e passará por acompanhamento de equipe multidisciplinar da FCecon. A cirurgia minimamente invasiva teve três horas de duração, tempo 50% menor do que uma cirurgia convencional com a mesma finalidade. A diferença, explica Chalub, é a forma como o procedimento é executado, utilizando pinças, microcâmera e incisões que vão de meio centímetro a um centímetro de diâmetro, o que reduz o sangramento, o tempo de recuperação e a internação em 80% e também as crises de dor ao paciente, além de eventuais complicações durante o procedimento cirúrgico. O especialista ressalta que o câncer de pâncreas é um dos tumores mais agressivos do trato digestivo, com alta incidência de mortalidade e de tratamento desgastante ao paciente. Ele acomete, geralmente, pessoas com idade a partir de 50 anos e tem co-relação com o diabetes.


Por isso, ele alerta para a necessidade de acompanhamento e controle do diabetes aos doentes crônicos, para que a doenças seja evitada ou, pelo menos, diagnosticada precocemente, o que aumenta as chances de cura significativamente. “O câncer de pâncreas não tem sintomas no início e, o fato de o pâncreas estar localizado atrás do estômago, torna o câncer naquela área de difícil detecção. Por isso, dores fortes nas costas e na barriga podem ser um sinal de alerta”, explicou. A indicação é a realização de exames de sangue periódicos e, se necessário, de tomografias. Outros dados Conforme informações do Instituto Nacional do Câncer (Inca), os tumores de pâncreas mais comuns são do tipo adenocarcinoma (que se origina no tecido glandular), correspondendo a 90% dos casos diagnosticados. A maioria dos casos afeta o lado direito do órgão (a cabeça). As outras partes do pâncreas são corpo (centro) e cauda (lado esquerdo). Pelo fato de ser de difícil detecção, o câncer de pâncreas apresenta alta taxa de mortalidade, por conta do diagnóstico tardio e de seu comportamento agressivo. No Brasil, é responsável por cerca de 2% de todos os tipos de câncer diagnosticados e por 4% do total de mortes por essa doença. Raro antes dos 30 anos, torna-se mais comum a partir dos 60 anos. Segundo a União Internacional Contra o Câncer (UICC), os casos da doença aumentam com o avanço da idade: de 10/100.000 habitantes entre 40 e 50 anos para 116/100.000 habitantes entre 80 e 85 anos. A incidência é mais significativa em homens. De acordo com dados mais recentes do Inca, em 2010, a doença matou 7.440 pessoas no País, sendo 3.671 homens e 3.769 mulheres (2010). Cirurgias Este é o quarto tipo de método cirúrgico minimamente invasivo adotado pela FCecon desde 2012, a partir da aquisição de um aparelho de videolaparoscopia. Os outros três foram executados em pacientes com câncer de próstata, e também ocorreram sem complicações. “As cirurgias minimamente invasivas causam menos traumas ao paciente, por evitarem cortes maiores durante os procedimentos. O acesso às estruturas acontece de uma forma mais objetiva e isso faz com que a recuperação pós-operatória do paciente seja mais rápida e menos traumática. A ideia é estender, nos próximos anos, este tipo de procedimento para outras especialidades aqui na Fundação”, disse o diretor-presidente da FCecon, Edson de Oliveira Andrade. As equipes que realizaram os procedimentos cirúrgicos relacionados à próstata foram coordenadas pelo urologista da FCecon, Cristiano Paiva, autor do projeto que prevê a instalação de uma Sala Inteligente na FCecon, e cujo financiamento da primeira fase já foi aprovado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam). A Sala Inteligente terá equipamentos de ponta e será utilizada especificamente para a realização de cirurgias minimamente invasiva em pacientes em tratamento na Fundação. O projeto é desenvolvido pela Diretoria de Ensino e Pesquisa da FCecon. http://www.fcecon.am.gov.br/noticia.php?xcod=9380


Editoria: Pag: Site – d24.com Assunto: Pesquisa aponta causas dos transtornos mentais provocados pelo ambiente

Veículo:

de trabalho Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Pesquisa aponta causas dos transtornos mentais provocados pelo ambiente de trabalho 11 Mai 2013 . 15:34 h . Agência Brasil . portal@d24am.com São Paulo – Um estudo da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) mostrou de que forma os transtornos mentais podem estar ligados a pressões impostas no ambiente de trabalho. Esta é a terceira razão de afastamento de trabalhadores pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O coordenador da pesquisa, o médico do trabalho João Silvestre da Silva-Júnior, trabalha como perito da Previdência Social há seis anos e, tendo observado a grande ocorrência de afastamentos por causas ligadas ao comportamento, decidiu investigar o que tem provocado distúrbios psicológicos. O cientista notou que a violência no trabalho ocorre pela humilhação, perseguição, além de agressões físicas e verbais e listou quatro razões principais que prejudicam a saúde mental no ambiente corporativo. A primeira delas é a alta demanda de trabalho. “As pessoas têm baixo controle sob o seu ritmo de trabalho; elas são solicitadas a várias e complexas tarefas”, disse o pesquisador. O outro aspecto são os relacionamentos interpessoais ruins, tanto verticais (com os chefes), quanto horizontais (entre os próprios colegas). A terceira razão é o desequilíbrio entre esforço e recompensa. “Você se dedica ao trabalho, mas não


tem uma recompensa adequada à dedicação. A gente não fala só de dinheiro. Às vezes, um reconhecimento, um elogio ao que você está desempenhando”, explicou Silvestre. O último aspecto citado pelo pesquisador é a dedicação excessiva ao trabalho, que também pode afetar a saúde mental. A pesquisa coletou dados na unidade de maior volume de atendimentos do INSS da capital paulista, a Glicério. Foram ouvidas 160 pessoas com algum tipo de transtorno mental. Silvestre informa que, entre as pessoas que pediram o auxílio doença nos últimos quatro anos, uma média de 10% apresentava algum tipo de transtorno. Segundo o Anuário Estatístico da Previdência Social de 2011, mais de 211 mil pessoas foram afastadas em razão de transtornos mentais, gerando um gasto de R$ 213 milhões em pagamentos de benefícios. “Quando você entende o que gera os afastamentos, você pode estabelecer medidas para evitar os gastos”, disse. As doenças mentais só perderam, naquele ano, para afastamentos por sequelas de causas externas, como acidentes, e por doenças ortopédicas. Em São Paulo, a pesquisa constatou a alta presença de trabalhadores do setor de serviços, como operadores de teleatendimento, profissionais da limpeza e da saúde com doenças mentais. “Mas essa variável do tipo de trabalho não se apresentou significativa no nosso estudo. Ela não apareceu como algo que influencia o aparecimento do transtorno mental incapacitante”, relata. A pesquisa apontou que o perfil predominante entre os afastamentos foi o feminino e alta escolaridade (mais de 11 anos de estudo). Mas Silvestre alerta para uma distorção, porque as mulheres têm maior cuidado com a saúde, o que aumenta a presença feminina nas estatísticas. “O sexo feminino apresentar uma maior possibilidade de transtorno mental está relacionado às mulheres terem facilidade em relatar queixas. Reconhece-se que as mulheres procuram os médicos com mais facilidade, elas têm uma maior preocupação com a saúde do que os homens”, contou. De acordo com o cientista, os homens demoram a ir ao médico e, quando vão, encontram-se em situação mais grave. O fator escolaridade, segundo o estudo, pode afetar a percepção da existência das doenças. A maioria dos afastamentos ocorre com indivíduos de alta escolaridade, pois eles são mais esclarecidos. “As pessoas conseguem ter uma maior percepção de que o ambiente de trabalho está sendo opressor. Quando ela percebe que ali é um local ruim de trabalhar, ela vem a adoecer, a ter o distúrbio psicológico e termina se afastando”, disse. Para melhorar o clima no trabalho e prevenir doenças, Silvestre recomenda que os profissionais ligados à saúde e segurança do trabalho das empresas tenham consciência sobre onde estão os fatores de risco. Ele sugere também uma melhora da fiscalização por parte dos ministérios do Trabalho e da Saúde. http://www.d24am.com/noticias/brasil/pesquisa-aponta-causas-dos-transtornos-mentaisprovocados-pelo-ambiente-de-trabalho/86397


Editoria: Pag: Site – d24.com Assunto: Instituições sociais recebem doações de pescado de pequenos criadores

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Instituições sociais recebem doações de pescado de pequenos criadores 10 Mai 2013 . 11:25 h . Com informações da assessoria . portal@d24am.com Cerca de 1900 pessoas serão beneficiadas com a doação. Manaus - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) no Amazonas doou esta semana 1.800 kg de pescado de pequenos criadores de Careiro do Várzea para quatro instituições sociais de Manaus. A doação é oriunda do Programa de Aquisição de Alimento (PAA), operado com recursos do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), que compra produtos diretamente da agricultura familiar e doa a pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional. A Conab pagou R$ 7,2 mil pelos 1.800 kg de pescado da espécie Tambaqui Curumim, criados em tanque da Associação Comunitária do Paraná Careiro da Várzea. O Programa Mesa Brasil (PMB), do Sesc, ficou responsável por receber o pescado e entregar às seguintes instituições: Lar Fabiano de Cristo, Comunidade Evangélica Cristã, IACAS, Comunidade Desafio Jovem e Família em Cristo. Cerca de 1900 pessoas serão beneficiadas com a doação. http://www.d24am.com/amazonia/meio-ambiente/instituices-sociais-recebem-doaces-de-pescadode-pequenos-criadores/86309


Editoria: Site – Diário Digital Assunto: Ciência é essencial para desenvolvimento», diz Nuno Crato

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Ciência é essencial para desenvolvimento», diz Nuno Crato O ministro da Educação defendeu hoje a utilização do conhecimento e do potencial científico e tecnológico é essencial para o desenvolvimento da economia e do país e salientou que as empresas portuguesas empregam pouco doutorados. Nuno Crato salientou, no entanto, o "bom exemplo" do setor da saúde, com mais exportações que a indústria da cortiça ou do vinho. "As nossas empresas empregam poucos doutorados, muitíssimo menos do que acontece nos restantes países europeus e o emprego de doutorados e a utilização do grande potencial científico e tecnológico que temos é fundamental para o desenvolvimento, não só da ciência, mas também do país", disse o governante. O ministro falava aos jornalistas à margem da conferência para apresentação do "Diagnóstico do sistema de investigação e inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020", um relatório elaborado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) para listar os pontos positivos e negativos, e o que ainda falta corrigir para que a investigação científica nacional seja competitiva e possa captar financiamentos europeus e internacionais. O diagnóstico refere que Portugal tem a mais baixa baixa de emprego de doutorados de um conjunto de 10 países europeus, com 2,6% contra, por exemplo, 34% na Holanda ou Bélgica. "Já há bons exemplos. Exportamos mais produtos de alta tecnologia na área da saúde do que exportamos vinho" ou cortiça, apontou Nuno Crato. Este desempenho "significa que temos capacidade para desenvolver mais a nossa economia através de produtos que envolvem a incorporação de ciência avançada", acrescentou.


Portugal está a negociar o acordo de parceria com a União Europeia, que "é decisivo" e um pressuposto para os fundos comunitários a atribuir no programa 2014-2020. Para Nuno Crato, "é fundamental que o apoio à educação e à ciência seja devidamente salvaguardado". "Queremos que o sistema científico e tecnológico evolua de forma cada vez mais competitiva, com cada vez mais apoio à ciência, com salvaguarda da ciência fundamental, mas também com uma maior ligação da ciência às empresas", resumiu o ministro da Educação e Ciência. No seu discurso na abertura da conferência, defendeu a promoção da excelência, o que "não é uma política meramente ocasional". A FCT lançou concursos para programas de doutoramento realizados em parceria por empresas e universidades, ao mesmo tempo que é promovida a aproximação das universidades às empresas. Entre os mecanismos existentes, o ministro referiu os centros de inovação ou incubadoras, que mostram como pode a ciência contribuir para o desenvolvimento das empresas e apontam às universidades quais as necessidades das indústrias. O diagnóstico refere que, "apesar do crescimento bastante significativo observado na produção científica, Portugal continua a posicionar-se a níveis inferiores ao seu potencial". O presidente da FCT, Miguel Seabra, disse que Portugal tem a maior taxa de crescimento do número de publicações científicas, entre os países comparados, mas, na produtividade dos investigadores, ocupa o 8.º lugar e "é necessário melhorar o impacto da qualidade da produção científica". Diário Digital com Lusa http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=632843


Editoria: Site – Jornal do Brasil Assunto: Novas tecnologias vão revolucionar uso do teste de DNA

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Novas tecnologias vão revolucionar uso do teste de DNA

Desde meados da década de 1990, quando o jogador de futebol americano O. J. Simpson foi a julgamento pelo assassinato da ex-mulher Nicole Brown e de seu amigo Ronald Goldman, o exame de DNA tem se revelado uma das principais ferramentas da ciência forense para a identificação de suspeitos. Na época, o tempo entre a coleta da amostra na cena do crime e o término do relatório pelos especialistas não era menor que oito semanas. Hoje, em laboratório, já é possível realizar todo o processo em menos de uma hora. De lá para cá, também se tornou viável a realização do exame com amostras menores de DNA e em pior estado de conservação. Um dos responsáveis pelos avanços nessa tecnologia é o americano John Marshall Butler, pesquisador do National Institute of Standards and Technology (NIST), dos Estados Unidos, que esteve em São Paulo na semana passada para um congresso. Na época em que o caso O.J. Simpson estava em evidência, o cientista ainda cursava o doutorado no laboratório do Federal Bureau of Investigation (FBI), em Washington. Também nesse período estava sendo desenvolvida a tecnologia até hoje mais usada em exames de DNA no mundo inteiro, que consiste na análise de marcadores do tipo STR (Short Tandem Repeat, ou Regiões Repetitivas Polimórficas), únicos em cada indivíduo. Em sua tese, Butler desenvolveu um método para separar os fragmentos de DNA para a análise por meio de eletroforese capilar (técnica de separação de moléculas carregadas por meio de um campo elétrico). Isso permitiu automatizar algumas etapas do teste STR, tornando-o mais simples, preciso e possível de ser feito


em oito horas. Seu mais influente trabalho, no entanto, foi publicado em 2003 – época em que integrava o grupo de cientistas que orientou a identificação das vítimas do atentado terrorista ao World Trade Center, ocorrido em 11 de setembro de 2001. No artigo “The development of reduced size STR amplicons as tools for analysis of degraded DNA ”, publicado no Journal of Forensic Sciences, Butler e colaboradores descreveram um método conhecido como mini-STR, que tornou possível realizar o exame com amostras menores e mais fragmentadas de DNA. “Havia muitos corpos carbonizados ou muito danificados pelo impacto do desabamento das torres. Precisávamos de métodos mais sensíveis”, disse em entrevista à Agência FAPESP concedida durante o 4º Congresso Brasileiro de Genética Forense, do qual foi um dos principais destaques. O evento, realizado com apoio da FAPESP, reuniu no Memorial da América Latina, entre os dias 7 e 10 de maio, os mais renomados nomes da área. Em sua apresentação, Butler – autor de quatro livros sobre o tema – falou sobre “O estado da arte do DNA forense” e revelou o que espera para o futuro: obter de uma amostra de DNA informações como cor de olho, cabelo, pele ou formato da face, para ajudar ainda mais a polícia na identificação de criminosos. Agência Fapesp http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2013/05/13/novas-tecnologias-vao-revolucionaruso-do-teste-de-dna/


Editoria: Site – Portal em Tempo Assunto: Tecnologia local beneficia a produção da borracha

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Tecnologia local beneficia a produção da borracha Publicado em Domingo, 12 Maio 2013 17:17 | Bruno Marzzo A nova tecnologia abre perspectiva positiva para o aumento da produção da borracha no AM – foto: Ricardo Oliveira Ameaça a produção de borracha, o fungo Microcyclus ulei pode se tornar em breve um mal superado no Estado. Uma tecnologia desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea) promete combater a praga, que é um empecilho para a expansão da haveicultura (cultura da seringueira) na região. Segundo o presidente da Faea, Muni Lourenço, a nova tecnologia abre perspectiva positiva para o aumento da produção da borracha no Amazonas. Na avaliação dele, o benefício maior será em relação à geração de renda e de empregos. Outro ponto a destacar, frisa o dirigente, é a garantia de que as indústrias que necessitam deste insumo serão abastecidas pelo mercado local. Além do salto quantitativo na produção de borracha, o presidente da Faea afirma que setor será beneficiado com o cultivo racional, fato que é considerado como um ‘salto’ de qualidade, que pode gerar aumento significativo de emprego e renda para os produtores, assim como dar viabilidade para a indústria. Os pesquisadores da Embrapa desenvolveram um estudo cuja ideia foi originada há 22 anos -, para que o produtor tenha sua renda garantida por meio do aumento do cultivo de seringueiras resistentes ao mal das folhas. Conforme o pesquisador da Embrapa, Everton Rabelo Teixeira, foi criado um clone chamado de cultivar, que é uma planta proveniente do cruzamento de outras duas ou três seringueiras de espécies diferentes, que foi usado para obter o resultado desejado, ou seja, uma planta resistente ao mal das folhas e com maior produtividade.


Para implementação da pesquisa, alguns pontos positivos foram destacados como a disponibilidade de tecnologia da Embrapa, clima favorável, demanda aquecida e a questão ambiental que prima pela floresta em pé. Categoria: Economia http://www.emtempo.com.br/editorias/economia/4743-tecnologia-local-beneficia-a-produ %C3%A7%C3%A3o-da-borracha.html


Editoria: Pag: Site – Jornal do Brasil Assunto: Variação de vírus que causa pneumonia pode ser transmitida entre humanos

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Variação de vírus que causa pneumonia pode ser transmitida entre humanos É provável que uma nova variação do coronavírus (NCoV), causador da pneumonia, seja transmitida pelo contato próximo entre humanos, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS). O anúncio ocorre depois de o Ministério da Saúde da França ter confirmado um segundo caso de contaminação pelo vírus – provavelmente transmitido de um indivíduo a outro. Autoridades da Arábia Saudita afirmam que mais duas pessoas morreram por conta do mesmo vírus, que pode levar também à falência renal. A OMS expressou preocupação com alguns focos de casos do novo coronavírus e com seu potencial de proliferação. Desde 2012, houve 33 casos confirmados na Europa e no Oriente Médio, com 18 mortes, segundo uma atualização recente da organização. Foram detectadas contaminações na Arábia Saudita e na Jordânia, que se espalharam para Alemanha, França e Reino Unido. "A maior preocupação é com o fato de diferentes focos em diferentes países confirmarem a hipótese de transmissão de pessoa para pessoa em caso de contato próximo", informou a OMS. “Esse padrão de transmissão entre indivíduos está limitada a alguns pequenos focos e, por enquanto, não há indícios de que o vírus tenha a capacidade de sustentar uma transmissão generalizada entre comunidades", completou a entidade. O segundo caso da doença na França é o de um homem de 50 anos, que dividiu um quarto de hospital com um homem de 65 anos que adoeceu do vírus após voltar de Dubai. "Os dois pacientes testaram positivo para o vírus", disse o Ministério da Saúde. Ambos estão sendo tratados em uma área isolada de um hospital em Valenciennes, Norte da França. A Arábia Saudita diz que, dos 24 casos do coronavírus diagnosticados no último ano no país, 15


resultaram em morte. Na Grã-Bretanha, um paciente morreu em fevereiro depois que três membros de sua família foram infectados. Acredita-se que a família tenha sido contaminada durante uma viagem ao Oriente Médio e ao Paquistão. O novo coronavírus é da mesma família de vírus que causou uma epidemia de síndrome respiratória aguda grave a partir da Ásia em 2003. Ainda assim, são vírus diferentes, ressalta a OMS. O coronavírus causa infecções respiratórias em humanos e animais, mas ainda não se sabe se a nova versão é uma mutação ou se a infecção foi transmitida de animais para humanos. http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2013/05/13/variacao-de-virus-que-causapneumonia-pode-ser-transmitida-entre-humanos/


Editoria: Pag: Site – Jornal do Brasil Assunto: Doutoranda da USP é selecionada para programa mundial de bolsas da IBM

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Doutoranda da USP é selecionada para programa mundial de bolsas da IBM A brasileira Graziela Simone Tonin, aluna de doutorado no Instituto de Matemática e Estatística (IME) da Universidade de São Paulo (USP) com Bolsa da FAPESP, foi selecionada para a edição 2012-2013 do IBM Ph.D. Fellowship Awards Program. Promovido em todo o mundo pela empresa americana de tecnologia da informação, o programa visa apoiar estudantes de doutorado que tenham interesse em resolver problemas considerados importantes pela empresa. Entre essas áreas, estão Ciência da Computação, Engenharia Elétrica e Mecânica, Química e Física. Os candidatos ao programa são indicados por seus orientadores – com o aval do chefe do departamento onde o estudante faz o doutorado –, que precisam submeter à empresa um resumo do projeto de pesquisa em inglês e destacar resultados já obtidos, como publicações e prêmios. Os estudantes selecionados ganham um bolsa anual no valor de US$ 12 mil, que pode ser renovada por até três anos, com base na avaliação do progresso da pesquisa e da interação do bolsista com os pesquisadores da IBM. Eles também são estimulados a realizar ao menos um estágio na IBM ao completar sua pesquisa. Tonin e Bernardo Nunes Gonçalves, doutorando em modelagem computacional no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), de Petrópolis, no Rio de Janeiro, foram os dois únicos brasileiros selecionados para a edição 2012-2013 do programa. “Pretendo usar a bolsa principalmente para fazer cursos, participar de congressos importantes na área e adquirir equipamentos para desenvolver minha pesquisa”, disse Tonin à Agência FAPESP. O projeto de estudo da pesquisadora é sobre a “dívida técnica” no desenvolvimento de softwares.


Cunhado pelo programador de computação americano Howard Cunningham em meados dos anos 2000, o termo é usado para definir o custo assumido ao se fazer algo malfeito no desenvolvimento de um software, como não realizar testes automatizados ou optar por um design ou código fáceis de implementar no curto prazo, mas com impactos negativos e possíveis ônus financeiros no longo prazo. “À medida em que se tornam mais complexos, muitos softwares acabam tendo um alto custo de manutenção por ter se optado por fazer algo malfeito durante o seu desenvolvimento, e eles podem até mesmo ser descontinuados”, disse Tonin. Durante seu projeto, a pesquisadora pretende criar modelos que auxiliem na identificação e monitoramento de dívida técnica para auxiliar na tomada de decisão de gerenciamento de projetos. Para isso, Tonin realizou um estudo-piloto no provedor de acesso à internet UOL e atualmente faz uma pesquisa similar na empresa Maps, que desenvolve software para o mercado financeiro. “Não é possível fazer esse tipo de pesquisa só dentro universidade, porque ela trata de desenvolvimento de softwares reais. Por isso, é preciso, de alguma forma, observar esse problema da dívida técnica também em ambientes reais, como em alguma empresas”, explica Alfredo Goldman, professor do IME e orientador da pesquisa de doutorado de Tonin. Na avaliação do professor, para as empresas, a vantagem de apoiarem pesquisas como essas é que elas podem contar com especialistas na área que poderão identificar problemas, como o da dívida técnica, em suas operações e auxiliar suas equipes de desenvolvimento de software a gerenciar o problema no dia-a-dia. Já para os pesquisadores, a vantagem é poder coletar dados reais para que suas pesquisas tenham maior credibilidade. “Desenvolver software é algo difícil e, se for possível melhorar o processo de alguma forma, esse ganho pode ser compartilhado pelas empresas e por nós, pesquisadores”, disse Goldman. Foco no usuário O pesquisador tem trabalhado nos últimos anos em métodos ágeis de desenvolvimento de software que privilegiam o usuário em vez dos processos e ferramentas. “Quem sabe como o software tem que ser é o usuário, não o desenvolvedor. Por isso, um programa computacional tem de estar adaptado a quem vai utilizá-lo”, afirmou Goldman. Durante o projeto desenvolvido por Tonin, os pesquisadores pretendem analisar a "dívida técnica" no contexto dos métodos ágeis de desenvolvimento de software. Recentemente, Tonin iniciou um contato com Carolyn Seaman, professora da Universidade de Maryland, dos Estados Unidos, e uma das maiores especialistas mundiais sobre dívida técnica. A ideia é que a brasileira faça parte de sua pesquisa de doutorado no grupo da pesquisadora americana em Baltimore. “Ela se dispôs a acompanhar o andamento da minha pesquisa e ser uma espécie de co-orientadora”, contou Tonin. Agência Fapesp http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2013/05/13/doutoranda-da-usp-e-selecionadapara-programa-mundial-de-bolsas-da-ibm/


Editoria: Pag: Site – Jornal do Brasil Assunto: País terá centros de referência para tratar hepatite C com nova terapia

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

País terá centros de referência para tratar hepatite C com nova terapia Rio de Janeiro - Até o fim do primeiro semestre estarão funcionando em todo o país centros de referência para tratar a hepatite C com três medicamentos, conforme determinação do Ministério da Saúde. Segundo a médica Cristiane Vilella, responsável pelo atendimento a pacientes com a doença no Hospital da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na Ilha do Fundão, na zona norte, inicialmente esses centros serão responsáveis pelo tratamento de pacientes com fibrose avançada, ou seja, aqueles que têm a doença em estágio mais grave. "Antes, tínhamos o tratamento com terapia dupla, que ainda continua. Muitos pacientes não precisam do tratamento novo". A médica explicou que os pacientes que têm os tipos 2 e 3 do vírus C não pode usar, já que os novos remédios se destinam exclusivamente aos portadores do vírus tipo 1. "Os outros continuam a ser tratados com a terapia dupla". Os novos centros funcionarão em hospitais universitários e em unidades do SUS. Segundo a médica, é possível que a curto e médio prazos outros centros sejam incluídos nesta lista, porque há muitos pacientes aguardando tratamento. "Inicialmente, como sabemos que o tratamento está associado a muitos efeitos colaterais e é novo, pacientes como, por exemplo, os [que têm] cirrose hepática que possam descompensar, precisam ser atendidos em hospitais de referência que tenham médicos capacitados", disse. Os dez centros no estado do Rio de Janeiro vão funcionar em hospitais universitários, na capital e em Niterói, e nos hospitais dos Servidores, da Lagoa, de Bonsucesso e na Santa Casa de Misericórdia. Segundo a médica, estes locais são grandes centros que já tratam os pacientes com


hepatite C há mais de dez, 20 anos. Os pacientes de São Paulo poderão tratar a doença em 24 centros de referência. Para o infectologista Paulo Abrão, responsável pelo Ambulatório de Hepatites Virais e Infectologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o Brasil tem uma rede de tratamento de hepatite C que precisa ser melhorada nos moldes do que aconteceu com o tratamento da aids, que no início era complicado e depois teve a rede estruturada progressivamente. "Acho que o que está acontecendo agora é uma ampliação e uma estruturação melhor desta rede e isso tem que continuar, por que o número de pacientes é muito grande e precisamos de mais centros do que esses que vão começar. Esta é uma oportunidade de ampliar e organizar melhor a rede com a nova medicação, para acolher os pacientes que precisam, da mesma forma como foi feito com o [tratamento do] HIV nos últimos 20 anos". Os centros terão uma equipe multidisciplinar com médicos, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas e psicólogos, seguindo orientação do Ministério da Saúde. Como serão instalados em locais com pacientes em tratamento há até 20 anos, cada hospital já tem um número de pessoas sendo atendidas e que estão sendo selecionadas. "Em princípio, esses pacientes serão aqueles que iniciarão o tratamento", disse Cristiane Vilella. Ela explicou que à medida que os médicos identifiquem outros pacientes que necessitem do tratamento, podem entrar em contato com um dos centros para dar referência desse paciente. Segundo a médica, a cura da hepatite C sempre foi possível. Ela explicou que algumas pessoas até conseguiram se curar sem qualquer tratamento porque a doença não progrediu, mas é um número reduzido. "Isso é a minoria. Em cem pessoas que adquiriram a hepatite C, 20 ficam curadas sem qualquer tratamento. As outras, nem todas precisam tratar, porque a doença não progride. Na verdade quem precisa tratar são pessoas com a doença mais avançada. A cura nesse grupo de pacientes ainda não é total". A médica disse que as novas drogas permitirão um aumento significativo da possibilidade de cura. Ela esclareceu que, o grande benefício dessas novas drogas ainda não é encurtar o tratamento. "O grande benefício é aumentar a chance de cura". Segundo Cristiane, alguns medicamentos que começaram a ser usados no exterior e ainda não chegaram ao Brasil começam a ser autorizados para tratamentos que permitem uma redução importante no tempo de tratamento. http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2013/05/12/pais-tera-centros-de-referencia-paratratar-hepatite-c-com-nova-terapia/


Editoria: Pag: Site – Jornal do Brasil Assunto: Pesquisa mostra transtornos mentais provocados pelo ambiente de trabalho

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Pesquisa mostra transtornos mentais provocados pelo ambiente de trabalho Fernanda Cruz

São Paulo – Um estudo da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) mostrou de que forma os transtornos mentais podem estar ligados a pressões impostas no ambiente de trabalho. Esta é a terceira razão de afastamento de trabalhadores pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O coordenador da pesquisa, o médico do trabalho João Silvestre da Silva-Júnior, trabalha como perito da Previdência Social há seis anos e, tendo observado a grande ocorrência de afastamentos por causas ligadas ao comportamento, decidiu investigar o que tem provocado distúrbios psicológicos. O cientista notou que a violência no trabalho ocorre pela humilhação, perseguição, além de agressões físicas e verbais e listou quatro razões principais que prejudicam a saúde mental no ambiente corporativo. A primeira delas é a alta demanda de trabalho. “As pessoas têm baixo controle sob o seu ritmo de trabalho; elas são solicitadas a várias e complexas tarefas”, disse o pesquisador. O outro aspecto são os relacionamentos interpessoais ruins, tanto verticais (com os chefes), quanto horizontais (entre os próprios colegas).


A terceira razão é o desequilíbrio entre esforço e recompensa. “Você se dedica ao trabalho, mas não tem uma recompensa adequada à dedicação. A gente não fala só de dinheiro. Às vezes, um reconhecimento, um elogio ao que você está desempenhando”, explica Silvestre. O último aspecto citado pelo pesquisador é a dedicação excessiva ao trabalho, que também pode afetar a saúde mental. A pesquisa coletou dados na unidade de maior volume de atendimentos do INSS da capital paulista, a Glicério. Foram ouvidas 160 pessoas com algum tipo de transtorno mental. Silvestre informa que, entre as pessoas que pediram o auxílio doença nos últimos quatro anos, uma média de 10% apresentava algum tipo de transtorno. Segundo o Anuário Estatístico da Previdência Social de 2011, mais de 211 mil pessoas foram afastadas em razão de transtornos mentais, gerando um gasto de R$ 213 milhões em pagamentos de benefícios. “Quando você entende o que gera os afastamentos, você pode estabelecer medidas para evitar os gastos”, disse. As doenças mentais só perderam, naquele ano, para afastamentos por sequelas de causas externas, como acidentes, e por doenças ortopédicas. Em São Paulo, a pesquisa constatou a alta presença de trabalhadores do setor de serviços, como operadores de teleatendimento, profissionais da limpeza e da saúde com doenças mentais. “Mas essa variável do tipo de trabalho não se apresentou significativa no nosso estudo. Ela não apareceu como algo que influencia o aparecimento do transtorno mental incapacitante”, relata. A pesquisa apontou que o perfil predominante entre os afastamentos foi o feminino e alta escolaridade (mais de 11 anos de estudo). Mas Silvestre alerta para uma distorção, porque as mulheres têm maior cuidado com a saúde, o que aumenta a presença feminina nas estatísticas. “O sexo feminino apresentar uma maior possibilidade de transtorno mental está relacionado às mulheres terem facilidade em relatar queixas. Reconhece-se que as mulheres procuram os médicos com mais facilidade, elas têm uma maior preocupação com a saúde do que os homens”, contou. De acordo com o cientista, os homens demoram a ir ao médico e, quando vão, encontram-se em situação mais grave. O fator escolaridade, segundo o estudo, pode afetar a percepção da existência das doenças. A maioria dos afastamentos ocorre com indivíduos de alta escolaridade, pois eles são mais esclarecidos. “As pessoas conseguem ter uma maior percepção de que o ambiente de trabalho está sendo opressor. Quando ela percebe que ali é um local ruim de trabalhar, ela vem a adoecer, a ter o distúrbio psicológico e termina se afastando”, disse. Para melhorar o clima no trabalho e prevenir doenças, Silvestre recomenda que os profissionais ligados à saúde e segurança do trabalho das empresas tenham consciência sobre onde estão os fatores de risco. Ele sugere também uma melhora da fiscalização por parte dos Ministérios do Trabalho e da Saúde. http://www.jb.com.br/ciencia-e-tecnologia/noticias/2013/05/11/pesquisa-mostra-transtornosmentais-provocados-pelo-ambiente-de-trabalho/


Editoria: Pag: Site – Correio Braziliense Assunto: Insetos podem ajudar a combater a fome, diz Organização das Nações

Veículo:

Unidas Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Insetos podem ajudar a combater a fome, diz Organização das Nações Unidas Segundo estudo, pelo menos 2 bilhões de pessoas no planeta já complementam as dietas com insetos France Presse Publicação: 13/05/2013 14:51 Atualização: Um relatório das Nações Unidas divulgado nesta segunda-feira (13/5) destacou a importância do papel dos insetos comestíveis na luta contra a fome no mundo. O estudo, conduzido pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), estimou que 2 bilhões de pessoas no planeta já complementam suas dietas com insetos, tais como besouros, gafanhotos e formigas. A FAO acrescenta que a criação de insetos em escala industrial poderia contribuir para a segurança alimentar mundial. Esses animais são altamente nutritivos e fáceis de reproduzir, além de poderem ser usados como alimentos para peixes e gado. O relatório, no entanto, destaca que a repugnância de muitos consumidores, especialmente de países ocidentais, constitui uma barreira para a inclusão deste tipo de alimento na dieta global. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-esaude/2013/05/13/interna_ciencia_saude,365718/insetos-podem-ajudar-a-combater-a-fome-dizorganizacao-das-nacoes-unidas.shtml


Editoria: Pag: Site – Correio Braziliense Assunto: Pesquisa tenta endender a razão pela qual gêmeos podem ser tão diferentes

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Pesquisa tenta endender a razão pela qual gêmeos podem ser tão diferentes Eles são idênticos, crescem na mesma casa, recebem educação igual, mas, ainda assim, têm personalidade própria. Gêmeos univitelinos — frutos de um mesmo óvulo fertilizado que se dividiu — intrigam os cientistas, que tentam entender como dois seres com genoma praticamente igual são, na verdade, diferentes. A resposta pode estar na formação de novos neurônios ao longo de toda a vida, processo que depende da forma como cada indivíduo interage com o ambiente. Pela primeira vez, uma equipe de pesquisadores conseguiu acompanhar, em tempo real e durante três meses, o desenvolvimento cerebral de roedores gêmeos, desde a quarta semana de vida. Eles constataram que o tipo de interação dos ratinhos com estímulos externos, como brinquedos e acessórios, definiu o aparecimento, mesmo na idade adulta, de células no hipocampo, região do cérebro relacionada à memória e ao comportamento. Embora o estudo, publicado na revista Science, tenha sido feito com animais, os autores acreditam que algo bastante parecido ocorra com humanos. Leia matéria completa na edição deste domingo do Correio Braziliense ENTREVISTA O professor do Centro de Terapias Regenerativas da Universidade de Tecnologia de Dresden Gerd Kempermann fala sobre diferenças entre gêmeos O senhor acha que esse estudo definitivamente mostra que o ambiente molda mais o


comportamento humano do que os genes? Não. Antes de tudo, nós temos estudado ratos. Isso nos permite desenvolver hipóteses sobre a situação humana, porque estamos lidando com mecanismos que foram presumidamente conservados na evolução, mas fazer extrapolações diretas é muito problemático. Haverá diferenças, mas estamos convencidos de que o princípio se manterá. Em segundo lugar, tanto os genes quanto o ambiente moldam a personalidade. Isso é bem conhecido. Mas a parte ambiental tem um componente que atualmente é bastante misterioso. O mesmo ambiente pode ser experimentado de forma muito diferente por diferentes indivíduos e levar a comportamentos bastante diversos no futuro. Então, embora o ambiente seja o mesmo, a resposta pode ainda ser diferente e, como resultado, também serão diversas as consequências que um ambiente igual exerce a longo prazo. No nosso experimento, tanto os genes quanto o ambiente foram mantidos iguais. Ainda assim, a individualidade, tanto em relação à plasticidade cerebral quanto ao comportamento, emergiu. Muitos pesquisadores têm estudado gêmeos. Quais as principais diferenças do trabalho atual em relação aos já publicados? É que estudamos ratos, nos quais pudemos medir diretamente a plasticidade cerebral. Nós pudemos fazer um link direto entre a geração de novos neurônios e padrões particulares de comportamento que fomos capazes de monitorar com alta precisão e acompanhar isso a longo prazo. Isso não seria possível como humanos. Além do mais, em estudos com gêmeos, você tem apenas dois indivíduos geneticamente idênticos. Nós tivemos 40 ratos na gaiola. Então, tínhamos muito mais indivíduos para comparar. Se os ratos compartilham o mesmo DNA e foram criados juntos, com os mesmos estímulos, o que influenciou suas escolhas iniciais? Por que, antes do surgimento dos novos neurônios, um já preferia se envolver com muitas atividades, enquanto outro era mais passivo? Não poderia ser genético, porque seus genes eram idênticos. Mas diferenças epigenéticas muito pequenas, que são diferenças no estado do DNA que determinam qual gene pode ser lido e qual não, podem ter induzido as pequenas mudanças iniciais. Mas, o mais importante, ao longo do tempo os ratos tornaram-se cada vez mais diferentes. Então, isso não pode ser apenas devido às diferenças iniciais. A experiência e o comportamento individul deve ter desempenhado um papel. Quais as principais aplicações do artigo? Provavelmente, os outros é que devem julgar. Nós achamos memorável demonstrar uma ligação direta entre comportamento e plasticidade cerebral no nível do indivíduo.l É como dizemos no fim do artigo: "O presente paradigma serve como um modelo animal para entender como a forma que vivemos nossas vidas nos faz sermos quem são". http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-esaude/2013/05/12/interna_ciencia_saude,365495/pesquisa-tenta-endender-a-razao-pela-qualgemeos-podem-ser-tao-diferentes.shtml


Editoria: Pag: Site – Correio Braziliense Assunto: Tecnologia promete ajudar no desenvolvimento de vacinas contra a Aids

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Tecnologia promete ajudar no desenvolvimento de vacinas contra a Aids Cientistas americanos e sul-africanos anunciaram um algoritmo capaz de prever o comportamento do sistema imunológico no combate ao HIV. O recurso tecnológico — uma espécie de fórmula a ser empregada em programas de computador — permite que os especialistas compreendam áreas em que os vírus sofrem mutações e simulem um incontável número de relações entre os patógenos e os anticorpos. Assim, torna-se possível identificar quais respostas imunológicas são mais eficazes para neutralizar o micro-organismo causador da Aids. Por isso, os pesquisadores apostam que a nova tecnologia, apresentada na capa da revista Science, vai ser uma importante ferramenta para o desenvolvimento de uma vacina eficiente contra a doença e outras infecções com alta taxa de mutação. Leia mais notícias em Ciência e Saúde “O novo algoritmo pode ajudar cientistas a aprender mais sobre como os anticorpos combatem o HIV. Essa nova abordagem permite entender melhor como é a resposta natural do corpo a esse vírus”, explica John R. Mascola, médico diretor do Vaccine Research Center of the National Institute of Allergy and Infectious Diseases, dos Estados Unidos. Mascola afirma que esse conhecimento é útil para cientistas que lutam pela criação de uma vacina “que estimule o sistema imunológico de pessoas não infectadas a produzir os bNAbs (anticorpos eficazes contra o HIV)”. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-esaude/2013/05/10/interna_ciencia_saude,365251/tecnologia-promete-ajudar-no-desenvolvimentode-vacinas-contra-a-aids.shtml


Editoria: Pag: Site – Correio Braziliense Assunto: Série de reportagens mostra desafios de se fazer ciência no Brasil

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Série de reportagens mostra desafios de se fazer ciência no Brasil Belo Horizonte — Se a vida de pesquisador não é fácil, a da família de pesquisador, também não. A dedicação à ciência quase sempre se transforma em um projeto de vida, e toda a atenção dedicada parece pouco. O dinheiro também. A partir de hoje, uma série de matérias busca se enveredar pelo mundo acadêmico para mostrar como é o dia a dia dos cientistas no país, as dificuldades enfrentadas, o desafio de morar no exterior e voltar. As reportagens também vão lembrar aqueles que, um dia, quando a tecnologia mal existia, deram sua contribuição de forma tão singular que são referência até hoje. O professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Bernardo Riedel, 72 anos, se aposentou como ótico do Observatório Astronômico Frei Rosário, na Serra da Piedade, em Caeté (MG), a 50km de Belo Horizonte. Mas a paixão pela astronomia sempre foi tão marcante que ele investiu, do próprio bolso, mais de R$ 1 milhão no sonho de produzir telescópios amadores em escala. “Sou professor e queria que as crianças, os jovens e as escolas pudessem gostar das estrelas como eu.” Para tristeza de Riedel, nenhum dos filhos seguiu sua profissão. Mas sentiram sua ausência. Ele reconhece que a prole foi praticamente criada pela mulher, a professora aposentada Elza Riedel, 70, que lembra dos olhares atentos dos filhos durante as cerimônias de formatura, às quais o pai chegava já no fim. “Ele ficava o dia inteiro, e as noites também, fazendo seus telescópios. Quando nos casamos, ele tinha um laboratório de análises clínicas (Riedel é originalmente do Departamento de Farmácia da UFMG). Vendeu e colocou todo o dinheiro na pesquisa. Assim como vendeu lotes, casas e aparelhos caros. Tudo o que ele ganhava ia para os equipamentos”, lembra a mulher. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-esaude/2013/05/13/interna_ciencia_saude,365604/serie-de-reportagens-mostra-desafios-de-se-fazerciencia-no-brasil.shtml


Editoria: Site – Correio Braziliense Assunto: Menino autista de 14 anos faz mestrado em física quântica

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Menino autista de 14 anos faz mestrado em física quântica DA BBC BRASIL Aos dois anos de idade, o jovem americano Jacob Barnett recebeu diagnóstico de autismo, e o prognóstico era ruim: especialistas diziam a sua mãe que ele provavelmente não conseguiria aprender a ler nem sequer a amarrar seus sapatos. Mas Jacob acabou indo muito além. Aos 14 anos, o adolescente estuda para obter seu mestrado em física quântica, e seus trabalhos em astrofísica foram vistos por um acadêmico da Universidade de Princeton como potenciais ganhadores de futuros prêmios Nobel. O caminho trilhado, no entanto, nem sempre foi fácil. Kristine Barnett, mãe de Jacob, diz à BBC que, quando criança, ele quase não falava e ela tinha muitas dúvidas sobre a melhor forma de educá-lo. "(Após o diagnóstico), Jacob foi colocado em um programa especial (de aprendizagem). Com quase quatro anos de idade, ele fazia horas de terapia para tentar desenvolver suas habilidades e voltar a falar", relembra. "Mas percebi que, fora da terapia, ele fazia coisas extraordinárias. Criava mapas no chão da sala, com cotonetes, de lugares em que havíamos estado. Recitava o alfabeto de trás para frente e falava quatro línguas." Jacob diz ter poucas memórias dessa época, mas acha que o que estava representando com tudo isso eram padrões matemáticos. "Para mim, eram pequenos padrões interessantes." ESTRELAS Certa vez, Kristine levou Jacob para um passeio no campo, e os dois deitaram no capô do carro para observar as estrelas. Foi um momento impactante para ele.


Meses depois, em uma visita a um planetário local, um professor perguntou à plateia coisas relacionadas a tamanhos de planetas e às luas que gravitavam ao redor. Para a surpresa de Kristine, o pequeno Jacob, com quatro anos incompletos, levantou a mão para responder. Foi quando teve certeza de que seu filho tinha uma inteligência fora do comum. Alguns especialistas dizem, hoje, que o QI do jovem é superior ao de Albert Einstein. Jacob começou a desenvolver teorias sobre astrofísica aos nove anos. No livro "The Spark" (A Faísca, em tradução livre), que narra a história de Jacob, ela conta que buscou aconselhamento de um famoso astrofísico do Instituto de Estudos Avançados de Princeton, que disse a ela que as teorias do filho eram não apenas originais como também poderiam colocá-lo na fila por um prêmio Nobel. Dois anos depois, quando Jacob estava com 11 anos, ele entrou na universidade, onde faz pesquisas avançadas em física quântica. Questionada pela BBC que conselhos daria a pais de crianças autistas --considerando que nem todas serão especialistas em física quântica--, Kristine diz acreditar que "toda criança tem algum dom especial, a despeito de suas diferenças". "No caso de Jacob, precisamos encontrar isso e nos sintonizar nisso. (O que sugiro) é cercar as crianças de coisas que elas gostem, seja isso artes ou música, por exemplo." http://www1.folha.uol.com.br/bbc/2013/05/1277664-menino-autista-de-14-anos-faz-mestrado-emfisica-quantica.shtml


Editoria: Pag: Site – Confap Assunto: Pesquisas nas áreas de energia e materiais serão incentivada através de

Veículo:

novo programa da Capes Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não

Programa:

Data: 13/05/2013

Pesquisas nas áreas de energia e materiais serão incentivada através de novo programa da Capes A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lança nesta sexta-feira (10) o novo Programa Capes/CNPEM que irá induzir pesquisas nas áreas de energia e materiais. A iniciativa é fruto da parceria com o Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM). As inscrições vão até o dia 25 de junho. O novo programa tem como objetivo estimular e apoiar o desenvolvimento da pesquisa científica e tecnológica em biotecnologia, bioenergia, biomassa bioetanol, química verde, nanotecnologia e luz síncrotron, por meio da concessão de bolsas da Capes, estimulando a exploração de novas oportunidades de pesquisa, além de possibilitar a ampliação das oportunidades de cooperação entre grupos de pesquisas. Serão financiadas até dez bolsas para modalidade Pesquisador Visitante Sênior (PVS), no valor de R$ 8.905,42, e até 15 bolsas para modalidade Pós-Doutorado, no valor de R$ 4,1 mil. Além de toda a infraestrutura para a execução do projeto, o CNPEM financiará, valores correspondentes à taxa de bancada, alimentação, seguro saúde e passagens. Mais informações pelos e-mails cnpem@capes.gov.br e editalcapes@cnpem.br. Acesse o edital. Fonte: assessoria de comunicação da Capes http://www.confap.org.br/pesquisas-nas-areas-de-energia-e-materiais-serao-incentivada-atraves-denovo-programa-da-capes/


Editoria: Pag: Site – Confap Assunto: Fundação Amazônia Paraense tem edital aberto para bolsas de mestrado e

Veículo:

doutorado Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Fundação Amazônia Paraense tem edital aberto para bolsas de mestrado e doutorado Fortalecer o compromisso à consolidação dos cursos e programas de pós-graduação stricto sensu no estado do Pará. Esse é o principal objetivo do governo que, por intermédio da Fundação Amazônia Paraense, lançou no último dia 10 de maio edital para concessão de quotas de bolsas de mestrado acadêmico e doutorado para as Instituições de Ensino Superior (IES), sediadas no estado. A subvenção de cotas de bolsas para mestrado e doutorado às Instituições de Ensino Superior (IES) é uma metodologia que a Fundação elegeu para dar mais autonomia às IES na distribuição de bolsas nas diversas áreas do conhecimento, avaliadas por estas, como mais estratégicas. “Essa modalidade tem por objetivo fortalecer a formação de recursos humanos no estado de forma mais democrática, bem como consolidar os cursos e programas de pós-graduação paraenses, em constante avaliação pela Capes”, ressaltou o diretor científico da Fundação, Moacir Macambira, sobre o modelo aplicado. As propostas aprovadas receberão recursos oriundos do Programa Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento Sustentável da Fundação, inserido no Plano Plurianual do governo do Pará. O valor global estimado para esse edital é maior que R$ 4,6 milhões. A previsão é de R$ 2,5 milhões, distribuídos para 70 bolsas de mestrado acadêmico, com duração de até 24 meses e, de R$ 2,1 milhões para 20 bolsas de doutorado, com duração de até 48 meses. Só poderão candidatar-se ao certame as Instituições de Ensino Superior, públicas ou privadas sem fins lucrativos, sediadas no Pará, que desenvolvam programas de pós-graduação stricto sensu, reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


O Presidente da Fundação, Mário Ramos Ribeiro, disse que o lançamento desse edital, além de fortalecer o ensino de pós-graduação no Pará, na sua quantidade, diversidade, “tem por finalidade, sobretudo, o atendimento à formação de recursos humanos qualificados, bem como a consolidação dessa qualificação na interiorização das atividades de pesquisa no Pará”, ressaltou Ribeiro. Maiores detalhes de informações sobre o edital poderão ser obtidas na Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa, localizada na Travessa Nove de Janeiro nº 1686, entre Av. Gentil Bittencourt e Av. Conselheiro Furtado (esquina com Gentil), Bairro São Bráz CEP: 66.060-575, fone: 3323-2564, pelo e-mai ldicet@fapespa.pa.gov.br, e no site da Fundação clicando aqui. Fonte: assessoria de comunicação da Fapespa

http://www.confap.org.br/fundacao-amazonia-paraense-tem-edital-aberto-para-bolsas-de-mestradoe-doutorado/


Editoria: Pag: Site – Confap Assunto: Porto Alegre sedia o 6º Encontro Preparatório para o Fórum Mundial de

Veículo:

Ciência Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Porto Alegre sedia o 6º Encontro Preparatório para o Fórum Mundial de Ciência A Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Sul está promovendo, em conjunto com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, a Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) o 6º Encontro Preparatório para o Fórum Mundial de Ciência 2013. O encontro vai abordar o tema “Clima, Saúde e Alimentos – Desafios da Ciência na América do Sul” e ocorre nos dias 13 e 14 de maio, na UFRGS, e contará com a presença do secretário executivo do MCTI, Luiz Antonio Elias. O representante da Unesco, Ernesto Fernández Polcuch é um dos palestrantes. O Fórum Mundial de Ciência vai ocorrer nos dias 25 e 26 de novembro no Rio de Janeiro e está sendo precedido de debates regionais, em diferentes capitais do país, para discutir questões relacionadas aos principais desafios da ciência no século XXI. É a primeira vez que o Brasil está sediando o evento. No encontro preparatório de Porto Alegre – o penúltimo antes da realização do Fórum – o debate será sobre o papel da ciência, tecnologia e inovação nas questões relacionadas ao clima e ao manejo sustentável dos biomas, as contribuições científicas e tecnológicas sobre o tema e sua relação com a perspectiva do desenvolvimento sustentável, além de outros temas. Para isso, foram convidados palestrantes de universidades, instituições de pesquisa e órgãos governamentais que atuam na área de ciência, inovação e tecnologia, clima, produção agrícola, saúde, educação, entre outros. Entre os palestrantes estão representantes da Embrapa, UFRGS, INPE, PUC, Fapergs, Fapesc, ABC e SBPC. Na aula magna, que ocorre às 17h30 do dia 13, participam o secretário executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antonio Elias e o secretário estadual da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, Cleber Prodanov. http://www.confap.org.br/porto-alegre-sedia-o-6o-encontro-preparatorio-para-o-forum-mundial-deciencia/


Editoria: Site – Agência Gestão CT&I Assunto: Aparecida de Goiânia é destaque em inovação tecnológica

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Aparecida de Goiânia é destaque em inovação tecnológica Últimas Notícias - Notícias As micro e pequenas empresas da cidade de Aparecida de Goiânia, município a 21 km da capital goiana participação de forma significativa nos financiamentos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg). Por meio do Programa de Subvenção à Pesquisa em Microempresas e Empresas de Pequeno Porte do Norte, Nordeste e Centro-Oeste (Pappe Integração) da Finep, a fundação apoia sete empresas do município, um total de 16% de todos os recursos da iniciativa. Os projetos contemplados chamam a atenção pela diversidade de temas, que vão desde a utilização da biodiversidade para desenvolver uma bandeja modular biodegradável em fibra de coco, até o estudo e definição de processo de teste de software. De acordo com a presidente da Fapeg, Maria Zaira Turchi, o estado possui elevada demanda para a inovação. E breve, comentou, a fundação fará novos investimentos para o setor com a aprovação do plano de ação da Fapeg para a implementação do Tecnova - Goiás, programa de subvenção econômica à inovação tecnológica nas empresas do estado. (Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Fapeg) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3866:aparecidade-goiania-e-destaque-em-inovacao-tecnologica&catid=144:noticias


Editoria: Site – Agência Gestão CT&I Assunto: MCTI empossa secretário de C&T para Inclusão Social

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

MCTI empossa secretário de C&T para Inclusão Social C&T e Políticas Públicas - BR Sex, 10 de Maio de 2013 15:35 O MCTI empossou, na quarta-feira (8), o novo titular da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Sectis). O engenheiro químico Oswaldo Duarte Filho assume o cargo com o objetivo de intensificar a relação entre as instituições que desenvolvem conhecimento para ampliar o alcance dos programas de inclusão social. Em seu discurso, o secretário ressaltou a oportunidade de participar do esforço do governo brasileiro nas políticas públicas de escala social, a exemplo dos programas Brasil sem Miséria e Viver sem Limite. “A ciência e a tecnologia são instrumentos importantes para qualquer país e devem ajudar a produzir a melhoria das condições de vida da população”. Durante a cerimônia de posse, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, falou sobre a importância que a área de ciência, tecnologia e inovação passou a ter como eixo estruturante da política de desenvolvimento do país. “Isso nos atribui uma grande responsabilidade”, disse, ao destacar a relevância da aproximação com a sociedade nas ações e programadas ligados à CT&I. “Não podemos mais operar as políticas de ciência e tecnologia pensando só na ação direta e imediata dentro da nossa comunidade [científica], temos que mostrar, com ações concretas, a importância e o benefício disso para a sociedade”. (Agência Gestão CT&I de Notícias com informações do MCTI) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3863:mctiempossa-secretario-de-cat-para-inclusao-social&catid=144:noticias


Editoria: Pag: Site – Agência Gestão CT&I Assunto: Comissão que analisa projeto do Código da Ciência volta na próxima semana

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

- Negativo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Não Data: 13/05/2013

Comissão que analisa projeto do Código da Ciência volta na próxima semana Últimas Notícias - Notícias Sex, 10 de Maio de 2013 17:11 Escrito por Felipe Linhares O Projeto de Lei (PL) n° 2.177/2011 voltará a ser discutido pelos deputados na próxima semana. Na quinta-feira (16), o grupo de trabalho que analisa a proposta decidirá questões importantes para a continuidade da tramitação do texto que propõe a criação de Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. De acordo com o relator do PL, deputado Sibá Machado (PT-AC), é preciso definir se os parlamentares vão abandonar a ideia de criar um Código Nacional ou se serão feita apenas sugestões de alterações nas leis vigentes. “Podemos correr o risco de chegarmos ao fim fazendo algo menor, porém objetivo ou podemos correr o risco de fazer um esforço grande com um texto mais amplo que pode demorar a ser aprovado nesta Casa”, explicou o deputado. Durante audiência pública realizada na Câmara dos Deputados, na última terça-feira (7), Sibá brincou com as polêmicas que cercam as atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D) no Brasil. “Eu tinha uma admiração enorme pela ciência brasileira e por seus pesquisadores, mas agora eu deixo de ter admiração e começo é ter piedade. Talvez precisamos caminhar num ambiente para darmos uma segurança um pouco mais ousada”, disse. Cronograma


O grupo de trabalho irá realizar pelo menos mais quatro audiências públicas e um seminário sobre o PL n°2.177/2011. A próxima acontece na terça-feira (14), às 14h30, no plenário 9 da Câmara dos Deputados. Participarão representantes de quatro entidades representativas, entre elas a ABIPTI. Serão realizadas audiências ainda com os ministros da CT&I, Marco Antonio Raupp, da Educação, Aloizio Mercadante, e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel. Uma das rodadas de discussão mais aguardadas será a com representantes do Tribunal de Contas da União e da Controladoria Geral da União. As formas de prestação de contas e o regime de compras de produtos, insumos e serviços para pesquisa são as principais reclamações da comunidade científica às legislações atuais. O PL 2.177 ficou todo o ano passado sem tramitar no Congresso Nacional. Somente em maio deste ano, a presidência da Câmara dos Deputados decidiu instituir a Comissão Especial que analisa o projeto de lei. http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3865:comissaoque-analisa-projeto-do-codigo-da-ciencia-volta-na-proxima-semana&catid=144:noticias


Editoria: Pag: Site – Agência Gestão CT&I Assunto: Secretário do MCTI diz que Lei do Bem atende anseios da indústria

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

- Negativo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Não Data: 13/05/2013

Secretário do MCTI diz que Lei do Bem atende anseios da indústria C&T & Sistemas Estaduais - Norte Sex, 10 de Maio de 2013 15:36 De acordo com o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTI, Alvaro Prata, os anseios da indústria são atendidos pela Lei n° 11.196/2005. Para Prata, a Lei do Bem, como é conhecida a legislação, é importante para desenvolvimento do País. “É cada vez mais é claro o sentimento de que o desenvolvimento social e econômico do Brasil só será atingido em sua plenitude por meio do desenvolvimento tecnológico. O governo federal quer ser parceiro dessas iniciativas, para que o Brasil possa se tornar cada vez mais competitivo”. A norma criada em 2005 visa estimular o investimento privado em atividades de pesquisa tecnológica e de inovação. Quem investe na concepção de novos produtos e/ou processos recebe em contrapartida abatimento em impostos. Prata ministrou uma palestra promovida pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) em parceria com o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), na última quarta-feira (8), no Paraná. Cerca de 180 consultores da área de inovação, empresários e representantes de instituições de ensino e pesquisa participaram do evento, que teve como objetivo disseminar e compartilhar informações sobre a Lei do Bem e a Lei de Inovação do Paraná. Para o diretor regional do Senai, Marco Secco, a indústria paranaense já está inserida no caminho do desenvolvimento tecnológico. “Acabamos de aprovar nossa Lei de Inovação. Somos mais de 46 mil indústrias no estado. Conseguimos construir uma lei que dá uma resposta muito efetiva às necessidades dessas indústrias, percebendo as potencialidades em relação à disponibilidade”,


afirmou. Outra medida recente, segundo Secco, também vai promover a inovação no estado. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um aporte para o Instituto Senai de Inovação. A unidade, que será instalada em Curitiba (PR), integra a rede de Institutos de Tecnologia e Institutos de Inovação com foco em desenvolvimento. (Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Fiep) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3864:secretariodo-mcti-diz-que-lei-do-bem-atende-anseios-da-industria&catid=144:noticias


Editoria: Pag: Site – Agência Gestão CT&I Assunto: Portal de oportunidades para bolsistas do CsF tem cerca de 10 mil adesões

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Programa:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Portal de oportunidades para bolsistas do CsF tem cerca de 10 mil adesões Últimas Notícias - Notícias Seg, 13 de Maio de 2013 11:51 Desde o lançamento do Portal Estágios & Empregos, 10 mil empresas já se cadastraram. A informação é do coordenador-geral do programa Ciência sem Fronteiras (CsF) no CNPq, Marcio Ramos Oliveira. O site vai divulgar as oportunidades de empregos para bolsistas do programa CsF. De acordo com Oliveira, mais de 4 mil bolsistas e ex-bolsistas do programa federal já se cadastraram e os acessos chegaram à marca de 52 mil. Atualmente, há 54 vagas publicadas de 25 empresas. A partir de junho, o portal aceitará vagas no exterior. Os números foram anunciados durante a 5ª força-tarefa de Ciência Sem Fronteiras, realizada este mês, na sede da Câmara Americana de Comércio Brasil-Estados Unidos (Amcham), em São Paulo. O encontro teve por objetivo fomentar o diálogo entre os setores público e privado e aumentar o engajamento de empresas na disponibilidade de estágios no exterior e na adesão ao portal. (Agência Gestão CT&I de Notícias com informações do CNPq)

http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3868:portal-deoportunidades-para-bolsistas-do-csf-tem-cerca-de-10-mil-adesoes&catid=144:noticias


Editoria: Site – Agência Gestão CT&I Assunto: Audiência pública no Senado debate situação da Petrobras

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Audiência pública no Senado debate situação da Petrobras Últimas Notícias - Notícias Seg, 13 de Maio de 2013 11:52 As comissões permanentes de Assuntos Econômicos (CAE) e de Serviços de Infraestrutura (CI) do Senado Federal discutem, nesta terça-feira (14), a atual situação da Petrobras. A presidente da empresa, Graça Foster, irá falar sobre a venda de ativos da companhia no exterior e o aumento do preço da gasolina, assuntos que estão na pauta. A audiência pública terá início às 11h, na sala 19 da Ala Alexandre Costa. Os senadores também querem ouvir da presidente da Petrobras quais as perspectivas da estatal para 2013 no que se refere a produção e refino e as estratégias para reduzir as importações de petróleo e derivados. Além das políticas de preços e de investimentos da estatal, informações consideradas fundamentais para a população e, principalmente, para os acionistas minoritários da empresa. Pauta Outra questão a ser debatida na audiência serão os lucros da companhia. Em 2012, a Petrobras ganhou aproximadamente R$ 21,1 bilhões, batendo a meta de produção estabelecida para 2012 de 1,9 milhão de barris de petróleo. Também a produção do pré-sal atingiu recorde, com 214 mil barris diários. Apesar disso, o lucro líquido em 2012 foi, em média, 36% inferior ao valor apurado em 2011. (Agência Gestão CT&I de Notícias com informações da Agência Senado) http://www.agenciacti.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3869:audienciapublica-no-senado-debate-situacao-da-petrobras&catid=144:noticias


Editoria: Pag: Site – MCTI Assunto:Governo federal e CNI iniciam processo de fundação da Embrapii

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Governo federal e CNI iniciam processo de fundação da Embrapii 10/05/2013 - 19:48 O governo federal e a Confederação Nacional da Indústria (CNI) iniciaram nesta sexta-feira (10) o processo de fundação da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), em cerimônia com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, o ministro da Educação Aloizio Mercadante, e o presidente da CNI, Robson de Andrade. “A Embrapii nasce para promover a articulação entre os polos de pesquisa e as indústrias. Queremos acompanhar o resultado [dos projetos], fazer parte desta mudança que será um marco no desenvolvimento de tecnologia e inovação do país”, afirmou o titular do MCTI. Durante o evento, ocorrido no escritório da CNI, em São Paulo, Raupp detalhou a constituição da Embrapii, que terá no conselho administrativo um diretor-presidente, um diretoria financeira, uma diretoria de prospecção e articulação e uma diretoria de acompanhamento e avaliação. O conselho fiscal e a assembleia de associados completam a estrutura da organização social, anunciada em 14 de março, em cerimônia com a presidenta Dilma Rousseff. A associação contará com 16 entidades fundadoras. O diretor de educação e tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi, ocupará o cargo de diretor-presidente temporário e dará continuação às articulações da Embrapii. “A expectativa é que a Embrapii esteja funcionando em até um mês. Após a nomeação da diretoria e da assinatura da ata de fundação, a presidente Dilma assinará um decreto que dará inicio às


atividades”, afirmou Raupp. Investimentos O aporte do governo federal para a Embrapii será de R$ 1 bilhão até 2014, montante a ser destinado a projetos que tenham como base a inovação. “Teremos rigor na seleção de projetos e definições de metas e objetivos das unidades credenciadas”, disse Raupp. Segundo o ministro da Educação, a demanda empresarial “é o ponto de partida”. “Temos de ter sempre em foco a disputa no mercado internacional, e só conseguiremos isto com inovação", acrescentou Mercadante. Texto: Fernanda Leão – Ascom do MCTI http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/346920/Governo_federal_e_CNI_iniciam_processo _de_fundacao_da_Embrapii.html


Editoria: Site – MCTI Assunto:Confira a agenda científica de 13 a 19 de maio

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

Programa:

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Confira a agenda científica de 13 a 19 de maio 10/05/2013 - 19:09 Porto Alegre sediará, na segunda (13) e na terça-feira (14), o 6º Encontro Preparatório para o Fórum Mundial de Ciência. O evento acontece na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Com o tema "Clima, saúde e alimentos: desafios da ciência na América do Sul", os debates terão como foco o papel da ciência, tecnologia e inovação nas questões relacionadas ao clima e ao manejo sustentável dos biomas, às contribuições científicas e tecnológicas sobre a questão e sua relação com a perspectiva do desenvolvimento sustentável. A programação contempla palestras com representantes de universidades, instituições de pesquisa e órgãos governamentais que atuam na área de ciência, inovação e tecnologia, clima, produção agrícola, saúde, educação, dentre outras. O encontro é promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), em conjunto com a Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico (SCIT) do Rio Grande do Sul, a Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O fórum mundial será realizado em novembro. Saiba mais. TI Maior A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI) prorrogou até segunda-feira (13) o prazo de


entrega de propostas do edital TI Maior. A seleção pública envolve R$ 60 milhões e visa conceder recursos de subvenção econômica para que empresas desenvolvam produtos e processos inovadores que envolvam significativo risco tecnológico, associados à clara oportunidade de mercado, na área de tecnologias da informação e comunicação (TICs). Serão apoiados projetos nos seguintes temas: Computação em Nuvem; Petróleo, Gás e Mineração; Defesa Cibernética; Componentes, Dispositivos Semicondutores e Eletrônicos; e Aeroespacial. O edital é parte do Plano Inova Empresa, lançado em março. Saiba mais. Museus Dentro da programação da Semana de Museus, em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio), o Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast/MCTI) realiza, de terça (14) a domingo (19), uma série de ações voltadas ao público em geral. Estão previstas visitações guiadas, oficinas e atividades educacionais e culturais, como teatro, Planeta Inflável Digital, Observação do Sol e atividades pedagógicas. Confira a programação do Mast, que fica no Rio de Janeiro. Exposições Ainda dentro da Semana de Museus, o Museu Paraense Emilio Goeldi (MPEG/MCTI) abre na quinta-feira (16), às 19h, em Belém, a exposição Visões: A Arte Rupestre em Monte Alegre. A mostra resulta do trabalho de pesquisa desenvolvido por uma equipe de arqueólogos do museu. Com obras em aquarelas, em meio audiovisual e em livros, a exposição estabelece pontes entre ciência e arte, promovendo maior diálogo entre ciência e sociedade. Durante o período de atividades, ações educativas sob a coordenação do museu, como o Programa Natureza, oficinas e visitas orientadas, estarão disponíveis às escolas. Ainda como parte da programação acontece no sábado (18), às 17 horas, no auditório do Museu da Imagem e do Som, o Ciclo de Debates: Arte Rupestre de Monte Alegre – Difusão e Memória do Patrimônio Arqueológico. Uniespaço Começa na segunda (13) o período para apresentações de propostas ao Programa Uniespaço da Agência Espacial Brasileira (AEB). Ao todo, serão disponibilizados R$ 6 milhões para projetos submetidos por universidades e instituições congêneres com temas pré-estabelecidos no documento. A iniciativa tem por objetivo formar, tornar operacional e aperfeiçoar uma base de núcleos capazes de realizar estudos, pesquisas e desenvolvimento de interesse do Programa Espacial Brasileiro. As propostas podem ser submetidas até 5 de julho. Outras informações na página do programa. Curso Encerra-se na quarta (15) o período de inscrições para a 11ª edição do Curso de Segurança de


Acervos Culturais, promovido pelo Mast. O objetivo é conscientizar profissionais para a gestão de segurança de acervos culturais com vistas à preservação do patrimônio, instruir sobre questões da conservação preventiva voltadas à segurança de bens culturais e incentivar estudos na área de preservação, conservação e segurança de bens culturais. O curso vai de 20 a 24 de maio. Podem se inscrever conservadores, restauradores, engenheiros, arquitetos, museólogos, bibliotecários, arquivistas, dirigentes de instituições culturais e demais profissionais que estejam diretamente envolvidos com a preservação de acervos culturais. Prêmio Encerram-se na quinta as inscrições para a 33ª Edição do Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica. Em 2013, a categoria contemplada é Divulgação Científica e Tecnológica, que premiará o pesquisador ou escritor como divulgador da ciência, tecnologia e inovação para o grande público. O agraciado vai proferir uma conferência durante a reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O prêmio é concedido anualmente pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI). Para saber mais, acesse o site do prêmio. Semiárido Termina no mesmo dia o prazo para se inscrever no curso de especialização lato sensu em Processos Históricos e Inovações Tecnológicas no Semiárido Brasileiro. O curso, lançado pelo Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), será ofertado em parceria com o Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI). O objetivo é capacitar técnicos e lideranças de comunidades e assentamentos rurais, para preparálos para o uso de tecnologias sociais sustentáveis no Semiárido brasileiro. Podem concorrer a uma vaga bolsistas do CNPq (ATP – A), assentados e/ou agregados do Plano Nacional da Reforma Agrária (PNRA), beneficiários do Programa Nacional do Crédito Fundiário (PNCF) e do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera) e técnicos que prestam serviços a assentamentos vinculados ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Saiba mais.

Texto: Denise Coelho – Ascom do MCTI http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/346919/Confira_a_agenda_cientifica_de_13_a_19_ de_maio.html


Editoria: Pag: Site – MCTI Assunto: Pesquisas desenvolvidas pelo Inpa no Alto Rio Negro resultam em livro

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

Pesquisas desenvolvidas pelo Inpa no Alto Rio Negro resultam em livro 10/05/2013 - 16:25 O Projeto Fronteira, desenvolvido por equipes multidisciplinares do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) entre 2007 e 2011, com o financiamento da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI), teve como principal objetivo estudar a biodiversidade do Alto Rio Negro. As pesquisas realizadas nos municípios de São Gabriel da Cachoeira e Santa Isabel do Rio Negro resultaram em livro. A publicação Desvendando as Fronteiras do Conhecimento na Região Amazônica do Alto Rio Negro reúne informações sobre a diversidade da região, inclusive novas descobertas. Foi organizada por dois pesquisadores do Inpa, Luiz Augusto Gomes de Souza e Eloy Castellón, e teve a colaboração de mais de 30 pesquisadores. “As atividades de pesquisas naquela área de difícil acesso da Amazônia foram inicialmente motivadas por interesse militar. A ideia era de levar conhecimento científico para aquela região fronteiriça, onde o Brasil faz limites com a Colômbia e Venezuela”, explica Souza. As descobertas relatadas incluem o primeiro registro de águas vermelhas e o emprego de técnicas de biologia molecular para identificar novas espécies de peixes elétricos. O livro se divide em seis partes: o meio ambiente físico; recursos vegetais e agrobiodiversidade; diversidade da fauna; diversidade da classe Insecta; endemias e doenças tropicais; e educação ambiental e biblioteca digital. Dentre os capítulos, é possível encontrar pesquisas diversificadas, como: estudos com cubiu, incluindo receitas diversas para consumo; estratégias para a conservação das tartarugas; pesquisas


pioneiras sobre a diversidade de insetos aquáticos na região; e registro de espécies de abelhas que polinizam orquídeas. Acesse o livro. Capacitação Embora a região de São Gabriel da Cachoeira, município a 852 quilômetros de Manaus, apresente um ecossistema rico e de grande potencial para estudos e turismo, há também carência em recursos naturais que pode dificultar a qualidade de vida da população local. Visando à junção de pesquisas com os benefícios sociais e econômicos, durante o desenvolvimento do projeto foram oferecidos treinamentos como criação de peixes em tanques ou em canais de igarapés, técnicas de marchetaria para confecção de pequenos objetos de madeira e a implantação de unidades piloto de meliponicultura (criação de abelhas). “Um componente importante do projeto foi o treinamento. Havia uma preocupação em formar recursos humanos, por isso as instituições locais deram apoio fundamental para o sucesso do projeto, especialmente o Instituto Federal do Amazonas [Ifam]. Lá há uma diversidade cultural muito variada, constituída por várias etnias, e muito interesse em aprender e melhorar sua própria região”, diz Souza. Em memória O pesquisador ressalta a importância da participação da pesquisadora Lúcia Yuyama, que faleceu no dia 24 de abril, na coordenação da iniciativa. “A Lúcia Yuyama, que desenvolveu em sua carreira tecnologia de ponta sobre o valor nutricional das espécies frutíferas da Amazônia, foi uma das coordenadoras do projeto. Na fase de conclusão do Projeto Fronteira, dentre outros livros e cartilhas que foram preparadas, ela criou a Aninha, personagem que ensina as crianças a se alimentar melhor, descrevendo o valor das fruteiras locais”, recorda. “É preciso muito desprendimento para voltar parte de seu trabalho ao desenvolvimento de cartilhas educacionais. Esses resultados trazem grande contribuição para popularização do conhecimento cientifico, reforçando o papel estratégico que o Inpa desempenha no desenvolvimento regional”, complementa. O trabalho de Lúcia, Aventuras de Aninha... Descobrindo os Alimentos da Floresta, foi preparado para uma série de quadrinhos educativos. No total foram publicados 19 produtos resultantes do Fronteira, entre livros, cartilhas, baralho e fichário.

Texto: Raiza Lucena – Ascom do Inpa http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/346913/Pesquisas_desenvolvidas_pelo_Inpa_no_Al to_Rio_Negro_resultam_em_livro.html


Veículo:

Site – MCTI

Editoria:

Pag:

Assunto: RNP e UnB inauguram a expansão da Rede Metropolitana de Brasília Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Release da assessoria

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

RNP e UnB inauguram a expansão da Rede Metropolitana de Brasília 13/05/2013 - 13:38 Será inaugurada nesta segunda-feira (13), às 17h30, a expansão da Rede Metropolitana de Brasília (rede GigaCandanga), na Universidade de Brasília (UnB). Desenvolvida em tecnologia óptica, a rede transmite dados em alta velocidade e está voltada para o desenvolvimento das áreas de pesquisa e educação. Coordenada pela UnB e projetada em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), a Gigacandanga é parte da iniciativa Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa. Segundo o diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi, com base em um plano piloto de 2007, a expansão acontece em duas fases e terá a conexão a mais 380 quilômetros de cabos ópticos no total. “Nesta primeira fase, serão entregues 180 quilômetros, que beneficiarão as cidades de Planaltina, Gama e Ceilândia”. Com possiblidade de conexão a uma capacidade de rede de 10 Gb/s, essas regiões passarão a ter acesso ao desenvolvimento de pesquisas científicas e serão integradas a universidades e unidades de pesquisa, como a própria UnB e o Instituto Federal de Brasília. “A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária [Embrapa] também será beneficiada na troca de informações”, explica o presidente do Comitê Gestor da Rede GigaCandanga, Leonardo Lazarte. A infraestrutura metropolitana avançada no Distrito Federal está baseada em um modelo de gestão autossustentável que assegura a manutenção e a operação da rede.


Sobre a Redecomep A Rede Comunitária de Educação e Pesquisa é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI), coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), que tem como objetivo implementar redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país servidas pelos Pontos de Presença da RNP. O modelo adotado baseia-se na implantação de uma infraestrutura própria de fibras ópticas, voltada para as instituições de pesquisa e educação superior e na formação de consórcios entre as instituições participantes de forma a assegurar sua autossustentação. A iniciativa de implantação da Redecomep está associada às atuais demandas em capacidade de comunicação de dados dessas instituições e os substanciais gastos em custeio para realizar a interconexão em área urbana. A principal motivação desse projeto é a interligação das instituições acadêmicas e de pesquisa em uma rede de alta velocidade, permitindo o desenvolvimento de projetos específicos que necessitem dessa infraestrutura, tais como: ensino a distância, telemedicina, laboratórios virtuais, bioinformática, computação distribuída e grids computacionais (Grid Computing), armazenamento distribuído, colaboração remota (teleconferência, videoconferência), vídeo digital (vídeo sob demanda, TV interativa), telefonia IP, visualização remota (jogos, simulação e ambientes de realidade virtual), serviços de diretórios, segurança ativa, etc. Sobre a RNP A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) é uma organização social (OS), associada ao MCTI, responsável pelo Programa Interministerial RNP, que conta com a participação do Ministério da Educação (MEC), da Saúde (MS) e da Cultura (MinC). Pioneira no acesso à internet no Brasil, a RNP planeja e mantém a rede Ipê, a rede óptica nacional acadêmica de alto desempenho. Com Pontos de Presença em 27 unidades da federação, a rede tem mais de 800 instituições conectadas. São aproximadamente 3,5 milhões de usuários usufruindo de uma infraestrutura de redes avançadas para comunicação, computação e experimentação, que contribui para a integração entre o sistema de Ciência e Tecnologia, Educação Superior, Saúde e Cultura.

Texto: Ascom da RNP

http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/346935/RNP_e_UnB_inauguram_a_expansao_da_ Rede_Metropolitana_de_Brasilia.html


Editoria: Site – MCTI Assunto: Mast divulga programação da Semana de Museus

Pag:

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Conteúdo:

Release da assessoria

Matéria articulada pela assessoria

Release de outra instituição

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

✘ - Positivo

- Negativo

Não

Programa:

Data: 13/05/2013

Mast divulga programação da Semana de Museus 13/05/2013 - 12:47 O Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast/MCTI) realiza de 14 a 19 de maio em suas instalações, no Rio de Janeiro, uma série de atividades que integram a 11ª Semana de Museus, em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio). Na terça-feira (14), o museu abre a visitação ao Planetário Inflável Digital, no qual, até sexta-feira (17), das 9h às 12h e das 14h às 16h, será possível conferir imagens do céu noturno projetadas em uma cúpula inflável com movimentos dos planetas e das estrelas. Nestes quatro dias, das 10h às 16h, os visitantes também podem observar o Sol através de um telescópio especial que permite a visualização de estruturas como manchas solares, filamentos e protuberâncias. Na oficina “a história do papel”, nos dias 14 e 15, das 13h às 17h, além de participar de uma aula prática de fabricação de papel artesanal, o público será incentivado a formular questões sobre os objetos em museus a partir da observação e interpretação. Já a oficina “em busca da informação – conhecendo o arquivo de história da ciência do Mast”, serão apresentados a organização e o funcionamento do museu, no dia 16, das 13h30 às 17h. A programação inclui visitas orientadas e atividades culturais e educativas. No dia 18, é a vez da peça teatral “O inimigo invisível”, às 17h, e da oficina “ASTROnomia”, das 17h30 às 20h, que pretende estimular o público a explorar o universo de forma fácil e divertida, montando modelos tridimensionais e experimentos com materiais do dia a dia, ao explicar alguns dos principais fenômenos astronômicos. Outra opção para a família é a oficina “brincando de matemático”, dia 19, às 16h, na qual as


temáticas relacionadas à matemática serão transformadas em desafios e discutidas de forma interativa. Adultos e crianças buscarão juntos a resolução de quebra-cabeças numéricos, jogos e desafios logísticos. Clique aqui e confira a programação. O Mast fica na Rua General Bruce, 586, bairro Imperial de São Cristóvão, Rio de Janeiro. Informações pelo telefone (21) 3514 5200. Semana de Museus A 11ª Semana de Museus tem por objetivo de mobilizar os museus brasileiros com programações em torno de um mesmo tema. Este ano, a edição aborda a temática Memória + Criatividade = Mudança Social. Segundo o Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), as ações durante o período, de 13 a 19 de maio, deverão envolver 1.252 instituições participantes com 3.911 atividades em 535 municípios de todo o país. A edição 2013 bateu recorde de instituições inscritas. A 1ª Semana de Museus (2003) teve a participação de 57 instituições, que realizaram 270 eventos. Desde então, o número de participantes só aumentou, o que demonstra o interesse da área em realizar uma programação comum em todo o país. Saiba mais sobre a programação em todo o país: http://www.museus.gov.br/destaque/13148/

Texto: Denise Coelho – Ascom do MCTI http://www.mcti.gov.br/index.php/content/view/346912/Mast_divulga_programacao_da_Semana_d e_Museus.html


Editoria: Pag: Site – CNPq Assunto: Bolsista do CsF conquista primeiro lugar em competição de robôs nos EUA

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

13 Mai 2013 14:13:00 -0300

Bolsista do CsF conquista primeiro lugar em competição de robôs nos EUA A estudante de graduação da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Anne Karollyne Petry, conquistou o primeiro lugar em uma competição de robôs realizada na Universidade Federal de Kentucky, onde participa de um intercâmbio por meio do Programa Ciência sem Fronteiras (CsF). Neste mês, a bolsista fará um estágio na área de criação da empresa General Motors. Junto com mais três colegas, a bolsista disputou o prêmio com outras 19 universidades norteamericanas. A tragédia ocorrida em Fukushima em 2011 foi o tema de seu trabalho. "Planejamos e construímos um robô movido por controle remoto, com propósito de determinar o nível de radiação em localizações específicas e inspecionar danificações no ambiente", relatou a estudante. Segundo Anne Petry, a ideia era construir um veículo capaz de proteger o ser humano das altas doses de contaminação radioativa. "Utilizamos um tipo de portão que abria e fechava para largar os sensores e levantava em quase 45º. Colocamos duas câmeras, com o objetivo de guiar o motorista e identificar os obstáculos", explicou. Leia mais sobre o projeto (em inglês)aqui. Ciência sem Fronteiras - É um programa que busca promover a consolidação, expansão e internacionalização da ciência e tecnologia, da inovação e da competitividade brasileira por meio do intercâmbio e da mobilidade internacional. Além disso, busca atrair pesquisadores do exterior que queiram se fixar no Brasil ou estabelecer parcerias com os pesquisadores brasileiros nas áreas contempladas, bem como criar oportunidade para que pesquisadores de empresas recebam treinamento especializado no exterior. A iniciativa é fruto de esforço conjunto do Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e


do Ministério da Educação (MEC), por meio de suas instituições de fomento, CNPq e Capes. Coordenação de Comunicação Social http://www.cnpq.br/web/guest/noticiasviews/-/journal_content/56_INSTANCE_a6MO/10157/1027 270


JORNAL – A Crítica Assunto: Internacionalizar, sim!

Editoria:Dinheiro

Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM

Programa:

Pag:D5

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


JORNAL – MASKATE Assunto: Incubadores no interio - Inovação Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria:

Pag:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


JORNAL – MASKATE Assunto: Fapeam reforca aporte para inovação Veículo:

Cita a FAPEAM: ✘

Sim Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria:

Pag:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


Editoria: Sociedades JORNAL – Diário do Amazonas Assunto: Educação ambiental pode salvar o sauim-de-coleira

Pag: 16 e 17

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


Editoria: Mundo JORNAL – A Crítica Assunto: Exame Grátis - Médico cria site que pode salvar doentes

Pag: A19

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


JORNAL – A Crítica Assunto: A Floresta amazônica

Editoria: Opinião

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Pag: A4

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


JORNAL – A Crítica Assunto: Videogame pode retardar declínio mental Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria: Mundo

Pag: A17

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


JORNAL – A Crítica Assunto: Rio Negro tem águas vermelhas diz pesquisa Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Editoria: Cidades

Pag: C3

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


Editoria: Economia JORNAL – Em Tempo Assunto: Tecnologia local beneficia a produção da borracha

Pag: B2

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013


Editoria: Dia a dia JORNAL – Em Tempo Assunto: Álcool e fumo aceleram câncer de boca no Estado

Pag: C7

Veículo:

Cita a FAPEAM:

Sim ✘

Não

Release da assessoria Release de outra instituição

Pesquisa financiada pela FAPEAM Programa:

Conteúdo:

Matéria articulada pela assessoria ✘

✘ - Positivo

Iniciativa do próprio veículo de comunicação

Publicado no site da FAPEAM:

Sim

- Negativo

Não Data: 13/05/2013

CLIPPING FAPEAM - 13.05.2013  

Clipping de notícias selecionadas com assuntos sobre CT&I no Estado do Amazonas.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you