Deccs Skateboarding Magazine #21 - Especial Aniversario 1 Ano. - Revista Skate

Page 1


Lucas Cavallero

26 anos, 18 de skate Insta: @cavalleroskt Cidade: Campinas-SP Fotografo: Alex Ferreira Insta:@1997depoisdecristo Manobra: BS Smith

02 - Deccs Magazine


SKATE FINGER // IND & EDIT

GREG FELIX Idade: 32 Anos Tempo de fingerboard: 7 anos Cidade atual onde mora: Maringá insta: @gregfingerboard

Manobra: Blunt Flip

Essa foto foi tirada em um obstaculo natural, no meio de uma via movimentada na cidade Florianópolis, estava passando de carro com meu equipamento fotográfico e claro o fingerboard no bolso, quando vi esse obstaculo natural parei logo o carro, arrumei a câmera no tripé, sai correndo pra pegar o tempo do temporizador e fiz a manobra e captou no momento. Missão cumprida, satisfação no rosto e mais um registro. Valeu Deccs pelo espaço tamo junto, "abraz"

Editorial

//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////// DIRETOR EDITORIAL : ANDRE PAIVA Editor Revista : ANDRE PAIVA REVISÃO : ANDRE PAIVA

E D I Ç Ã O : SETEMBRO DIA 15 ED: N21 R E DA Ç Ã O: ANDRE PAIVA COMERCIAL: A N D E R S O N F E R N A N D E S , L U I S S I LVA A S S I NA N T E S : www. SHOP.DECCSMAGAZINE.COM.BR

A REVISTA DECCS MAGAZINE É UMA PUBLICAÇÃO QUINZENAL DCS

Agradecimento e novidades

ANDRE PAIVA

Salve!! Eu sou Andre Paiva satisfação total, Chegamos na edição N21, gratidão a todos que estão abraçando a Revista Deccs Magazine de uma maneira incrível e acolhedor, Gratidão por todos que estão na edição N21 e aceitaram o desafio de tão pouco tempo. Gratidão também a todos os Fotógrafos e todos os leitores que estão sempre marcando presença nas edições quinzenais.

s h o p . d e c c s m a g a zi n e . c o m . b r

Indice SANDRO DIAS: 10-15 RETRATO - LUCAS CAVALLERO: 02 FLOWAM - GABRIEL KWIATKOWSKI: 04 FLOWAM - VICTOR TELLES: 05 FLOWAM - IGOR CODOGNO: 06 FLOWAM - ROBSON BENTO: 07 FLOWPRO - ALEX LEKINHO: 08 FLOWGIRL - PAMELLA AMARAL: 09 DOWHILL SLIDE - RODRIGO OGUI: DE-OLHO - MERVE NALÇACI: URGH 38 ANOS : CHECK: CLICK - ANDRÉ HENRIQUE: ANUNCIANTE - MCTWIST:

16 17 18-19 20-21 22 23

CAPA: Sandro Dias esta em nossa capa de Setembro N21 com um Stale fish incrível, acompanhe a Entrevista inédita. Corre lá Pag, 10-15.

Deccs Magazine - 03


FLOW-AM

32 Anos,18 anos de skate Santa Cruz do Sul - @gabjr Se apresente aos leitores? Meu nome é Gabriel Kwiatkowski Jr, devido a esse sobrenome um pouco difícil de pronunciar a raça me chama só de Gabriel Jr mesmo. Tenho 32 anos, 18 anos de skate que foram dedicados não somente a manobrar mas viver tudo o que o skate nos proporciona, aprender a me ver nos equipamentos de filmagens, editar vídeos, construir obstáculos, projetos sociais para ensinar o skate pra pevitada. Isso é o que

E música, qual som instiga você nos roles? O velho e bom RAP.

Como se interessou pelo skt? No ensino fundamental. Ficava depois da aula curtindo com os amigos na frente da escola e um deles tinha um skate. Depois de destruir o shape dele, vendi meu Super Nintendo e montei meu primeiro skate.

Como esta sendo sua correria no cenário Amador? Sinceramente não estou mais me preocupando com o cenário e sim o que estou fazendo na minha vida como skatista. Buscando sempre evoluir, continuar lapidando o estilo, aprimorar... Passar uma boa visão e exemplo pra galera que anda junto e acompanha a caminhada.

Sua família te apoiou? Minha mãe sim, meu pai foi uma briga de anos até aceitar, porque dês de pequeno sempre treinei em clubes de futebol com intuito de me profissionalizar, meu velho sempre foi fanático por futebol e almejava o sonho dele sobre minha vida, foi bem complicado conseguir a aceitação dele. Quais são seus patrocínios? No momento sem patrocínio, mas jamais dependendo disso para fazer as coisas acontecerem. Esta filmando para alguma vídeo parte? Qual? Sim, pretendo lançar um vídeo passando para PRO ano que vem.

Para finalizar, deixe uma mensagem para os Leitores? Jamais deixar de viver o skate real, aquele que você sai com os amigos e se diverte. Sempre busque dar o seu melhor para sua realização pessoal não a dos outros, sem se preocupar em quantos seguidores vai ganhar ou o que precisa fazer para conseguir um patrocínio, essas coisas te colocam em uma prisão mental que faz com que seu amor e sonhos se tornem frustração e pesadelos. Seja feliz ANDE DE SKATE, deixa o flip na base!

‘‘SKATE É VIDA

‘‘

GABRIEL KWIATKOWSKI

define ser skatista pra mim, SOMAR NA CENA DO SKATE, FAZER A DIFERENÇA, andar de skate vários andam ser skatista, aí são poucos.

Foto: Cauan kehl Insta: @cau.kehl Manobra: switch Fs blunt

04 - Deccs Magazine


FLOW-AM

VICTOR TELLES 20 Anos, 7 anos de skate Guaratinguetá-SP - @tellesskt

Se apresente aos leitores? Salveeee!! Meu nome é Victor Telles, conhecido como Telles. Sou skatista amador local de GuaratinguetáSP. Tenho 20 anos e estamos aí na atividade. Como se interessou pelo skt? Meu interesse pelo skate começou com 13 anos, quando ganhei uma

Sua família te apoiou? Minha família nunca aceitou. Sempre disseram que é coisa de momento, fase e que isso logo passaria. Queria até mandar um alô pro meu pai e dizer que não foi bem isso não é mesmo kkk. Quais são seus patrocínios? Meus patrocinadores são a Rich. Marca de roupa local de Taubaté. E meu mano fisioterapeuta Jonathan Silva. Jsterapeuta. Esta filmando para alguma vídeo parte? Qual? Estou com um projeto muito bacana. Vai retratar um pouco sobre a minha trajetória mesmo. E música, qual som instiga você nos roles? Ouço muito Sidoka, Djonga, Costa gold. Curto trap, boombap e uns funk.

Como esta sendo sua correria no cenário Amador?

Minha correria tá meio parada por conta de uma torção que tive no tornozelo. Venho me recuperando e focado nas inovações, vídeo parte e nos edits. Para finalizar, deixe uma mensagem para os Leitores? Mano, minha mensagem é a seguinte. Duas palavras define a palavra skatista. Persistência e determinação. Não se importe com o que as pessoas pensam, criticam e falam. Pense em você, se concentre no lugar aonde você quer chegar. Saiba diferenciar skate e, vida. E acredite em você. Um dia vai chegar o dia!!

Nada ‘‘Persistência no mundo pode superar

‘‘

revista de skate e me apaixonei por uma foto de um mano pulando uma escadaria. Foi aí onde tudo começou.

Foto: João Victor Silveira Insta: @jaovictorphoto_ Manobra: 360flip

Deccs Magazine - 05


FLOW-AM

Como se interessou pelo skt? Me interessei vendo dois skatistas locais (Renato Mandioca e Diego Alemão) dando um rolê na porta de casa, num corrimãozinho no solo, logo menos que vi me apaixonei, pedi um skate de

Foto: Lucas da Silva (minhoca) Insta: @lucas_minhoca_Manobra: B/s croocked

06 - Deccs Magazine

Para finalizar, deixe uma mensagem para os Leitores? Ande de skate sem se pressionar, não crie muitas expectativas nas paradas, tudo flui naturalmente se for pra ser.

Quais são seus patrocínios? Meus patrocínios são a Four skateshop que me da aquela força desde o começo e a chillin skateboards. Esta filmando para alguma vídeo parte? Qual? No momento filmando não, mas já tenho umas imagens guardadas para uns projetos futuros. E música, qual som instiga você nos roles? O som que me instiga a fazer aquele rolê chama guerreiros cósmicos do TheGusts Como esta sendo sua correria no cenário Amador? Por causa da pandemia está meio parada, mas procurando andar de skate

Tenha fé pq até no lixão nasce flor

Se apresente aos leitores? Salve família, eu sou o Igor Codogno, tenho 19 anos, sou natural de Guaratinguetá- SP e eu vivo o skate.

Sua família te apoiou? No começo não muito, pois quando começaram a me levar na pista eles viam os caras fora skate fumando e tals, aí como todos os pais deram uma brecada, mas como a rua é nossa casa nunca parei, depois de um tempo, eles viram que eu curtia mesmo o que fazia e me apoiaram 100% em tudo, devo tudo que tenho hoje em dia a eles.

‘‘

19 Anos, 9 Anos de Skate Guaratinguetá - SP - @igor_codogno

sempre, manter o skate no pé e fazer o que eu mais amo.

‘‘

IGOR CODOGNO

aniversário pra minha mãe e desde então to em cima do carrinho.


FLOW-AM

ROBSON BENTO 17 Anos, 5 anos de skate São Bernardo do Campo-SP - @caetanocosta_ Se apresente aos leitores? Prazer meu nome é Robson mais conhecido como Pelémilflips e tenho 17 anos. Como se interessou pelo skt? Me Interessei pelo o skate , através de um vizinho, eu via ele andando todos os dias e eu achava muito incrível as manobras, ele me chamou uma vez e me ensinou a andar e foi amor à primeira flipada ksksk Sua família te apoiou? No começo não tive apoio da minha família , pois meu pai achava que era perca de tempo e minha mãe achava muito perigoso, mas hoje em dia eles me apoiam bastante depois de ver q é uma coisa que eu gosto de verdade. Quais são seus patrocínios? @Disciplineskt,@thetrinitystore Esta filmando para alguma vídeo parte? Qual? Sim, para o pilacagem E música, qual som instiga você nos roles? Si un Jour, ADOC - Real Como esta sendo sua correria no cenário Amador? Devido a pandemia que está tendo para mim está sendo bastante difícil, com a falta de campeonatos fica complicado de conseguir mostra o potencial parar as marcas e o único jeito que está tendo no momento e por meios de vídeos e fica complicado grava sempre por causa do trabalho.

Manobra: Casper flip

‘‘

Nunca desista, só acerta quem não para de tentar

‘‘

Para finalizar, deixe uma mensagem para os Leitores? Nunca esqueça que o skate e mais do que manobras patrocínio e etc, sempre siga na humildade compartilhado um truck um shape usado com o amigo que precisa, comemorar mesmo quando o acerto não for seu, Passa a base da manobra pra quem não sabe incentivar a todos a nunca desistir, que fazendo isso garanto que além de ser um skatista foda você vai ter vários amigos nesse meio

Foto: Henrique delaterra Insta: @Insta.rec

Deccs Magazine - 07


FLOW-AM

ALEX LEKINHO

Fotografo: Risto Laivo Instagram: @ranttelix Manobra: Bs noseslide

33 Anos, 20 anos de skate

OULU - @ALEXLEKINHOO

Como foi seu início no skateboard? Onde tudo começou? Tudo começou no ano 1999 para 2000 em Piracicaba no interior de São Paulo na minha cidade ,quando vi o jogo de vídeo game tony halk e quando zerei o jogo mostrou umas vídeos parte algumas vivencias do skate e pensei isso que quero pra minha vida ,mas ai tinha o problema de comprar um skate e minha família não tinha condições para me da um ,então comprei uma skate bem usado por 15 reais e parcelei em 3 vezes do amigo meu e ajudava os vizinhos para conseguir os 5 reais para pagar o skate, ,e comecei andar com meus amigos André Covolan e Gustavo Gulau ,Guilherme e Rafael Godoy e depois do primeiro flip não teve mais volta foi amor a primeira vista e tamo nesta caminhada ate hoje gracas a Deus.

Quais são seus patrocínios? Não tenho, mas Deus nunca deixou faltar nada então esta ok.

08 - Deccs Magazine

Esta filmando para alguma vídeo parte?Qual? Sim estou filmando para 4 vídeo parte ,meu vídeo NOISMESMO, e filmando para vídeo da loja de skate aqui Real Deal,e também para o projeto do meu amigo Sami onde vou ter parte,e para o outro projeto de um amigo que esta filmando e tudo esses projetos em 5 meses pois aqui na Finlândia outros 7 meses são muito frio e só neve nas ruas e esses 4 videos sera finalizado no fim do ano ,então tem que fazer o corre e NUNCA PARADO, SEMPRE EM MOVIMENTO . E música, qual som instiga você nos roles? Eu não sou muito de escultar som quando estou andando pois gosto do barulho do skate e som das ruas,mas gosto de um pouco de tudo ,mas um bom rap nacional gosto de ouvi. Como esta sendo sua correria no cenário Pro?

Nada mudou de eu antes amador para pro,continuo filmando,fotos e evoluindo cada dia no corre.

Para finalizar deixe uma mensagem para o cenário do skate? Não espere nada de ninguém para fazer suas missão ou seus objetivos, faça você mesmo seu corre e nunca desista pois uma pessoa sem sonho e objetivos é uma pessoa morta vagando pelo mundo,e vamos mais fazer do que ficar falando ,respeitar a família e os mais velhos da sena do skate,pois eles fez tudo o corre para esta tudo certo agora para vocês ,então eles merece muito respeito e ajudar os mais novos a seguir um caminho bom e orientando para o caminho certo sem querer ser mais que ninguém , VÁRIOS CAÍRAM,MAS SÓ OS FRACOS PERMANECERAM NO CHÃO.

‘‘

‘‘

Fale um pouco sobre a cultura do skate e a necessidade de mais valorização para o esporte? Acho que a cultura do skate e bem forte e resistente,pois somos uma família ou melhor vivemos em um mundo paralelo do mundo com nossas leis e nossa jeito de ver a arquitetura onde tudo se torna lugar para fazer manobras de muito magico a união um ajuda outro e não depende de idioma,cor,sexo,cultura, religião ou estilo todos nos se entendo e isso nunca vai acabar,mas seria muito bom mais valorização das marcas ,governamento do skate para poder a continuar essa cultura ,pois o skate hoje em dia esta se tornando um esporte com tudo isso mas para mim nunca foi um esporte mas sim um estilo de vida onde todos nos somos livres pelas ruas fazendo nossas manobras e vivendo a vida e princialmente aprendendo um com outro ,skate mudou minha vida para melhor pois ele fez eu ser uma pessoa forte e nunca desistir dos meus objetivos e sonhos.

Fotografo: Risto Laivo Instagram: @ranttelix Manobra: Bs Crooked

AS PEDRAS NO MEU CAMINHO SÓ AUMENTAM MINHA FÉ


FLOW-GIRL

PAMELLA AMARAL 21 Anos, 5 anos de skate Manaus - @pamskate Se apresente aos leitores: Ola, me cham Pamella, tenho 21 anos, sou natural de Manaus e ando de skate a 5 anos. Quando você começou a andar de skate? Como foi esse começo? Eu comecei a andar de skate em 2015, um amigo ganhou um skate de presente e a partir desse dia a gente não parou de andar. a gente dividia um skate para 3 pessoas, ate o dia em que eu consegui o meu primeiro skate. No começo eu sofri muito preconceito por ser a única menina que andava na pista local. Mas isso nunca me desanimou, porque essas atitudes me deixava com mais vontade de aprender e mostra que skate não é isso.

Que tipo de som você curte ouvir para andar? Eu curto o som das rodas do skate, do pop do shape.. Andar de skate escutando musica nunca foi muito meu forte, sempre gostei de escutar o meu skate. Isso me deixa mais concentrada na manobra. Você tem patrocínios ou apoios? Eu tenho patrocínio da ULYCK86, marca local do Ulisses Athayde, umas das pessoas que mais luta pelo skate local e pelo skate feminino. A primeira marca a acreditar no meu skate, faço parte dela desde 2017 . Qual o seu maior sonho? Meu maior sonho é um dia poder andar de skate fora, vejo vários vídeos de algumas pistas fora, que são incríveis. Poder conhecer alguns picos que são famosos, conhecer skatistas que eu

Foto: helton belo Insta: @helton.belo Manobra: Frontside flip

admiro bastante e que me expiram o meu role de skate. O que você tem feito hoje? Tem algo a nos contar sobre os seus treinos e planos futuros? Atualmente faço faculdade, e tento de todos os jeitos fazer com que os meus horários permitam que eu ande de skate. Pois apesar de esta na faculdade, skate continua sendo um sonho pra me, sonho de poder fazer meu nome um dia no skate do Amazonas. Eu vou continuar treinando, andando de skate todo dia, me dedicar a máximo ao meu skate. Maior dificuldade em ser skatista na sua area? Ser uma menina! Algumas pessoas ainda não respeitam muito as minas do skate, muita coisa ainda precisa ser mudada. Uma coisa que eu passo bastante é não respeitar quando estou gravando algo na pista, ou tentando mandar algo. Sem duvidas a dificuldade maior ta no respeito de algumas pessoas. Não é porque eu sou uma mina que eu vou andar menos.

Fale um pouco sobre seu foco para 2020: 2020 foi um ano bem maluco pra todo mundo, meu maior foco nesse momento é minha saúde e da minha família. Porque pra andar de skate e pensar em um futuro temos que pensar primeiro na nossa saúde, mas eu espero que tudo passe logo, e que a gente possa andar muito de skate. Fique à vontade para se expressar a todos que estão lendo sua entrevista? Skate é universal, skate é liberdade, não vamos desrespeita as minas ou quem esta começando. Skate não é isso, skate é amor.

‘‘skate livre!

‘‘

Qual foi o maior incentivo? Meu maior incentivo sem duvidas, foram as pessoas que estavam comigo quando comecei, meus amigos de rolê que me ensinaram muita coisa e nunca me deixaram desistir, apesar de todo o preconceito. Qual manobra foi a mais difícil? * A mais difícil foi 50 50 flip sex change, foram 3 semanas tentando ela, 1 pé torcido, mas valeu a pena.

Deccs Magazine - 09


SANDRO DIAS Insta: @diassandro

10 - Deccs Magazine

Fotografo: Arquivo Red Bull Insta: @redbullbr Manobra: backside air


Deccs Magazine - 11


ENTREVISTA/ Skate PRO

De onde surgiu a paixão pelo skate? Em meados de 1985, eu e um amigo meu brincávamos de skate com o skate do irmão dele, a gente colocava um pneu de carro em cima do skate e um sentava dentro do pneu e o outro empurrava, no natal de 1985 ganhei um skate dos meus pais, na época o skate no Brasil era uma moda passageira e a maioria das crianças nessa época ganharam um skate também, comecei a aprender a andar de skate em pé e a partir dai o interesse em evoluir e começar a seguir tudo o que acontecia de skate, frequentava a pista de São Bernardo do Campo e um half que tinha no fundo de uma loja no centro de Santo Andre, a Força Local. Comecei a participar de competições e não parei mais. Quando percebeu que o skate poderia se tornar uma profissão? Nunca achei que o skate poderia se tornar o meu meio de sobrevivência, ate porque quando comecei a andar de skate, o maior incentivo que tínhamos das pessoas fora de casa e que não conheciam o que estávamos fazendo, era o preconceito. Mas passou-se o tempo e eu já andava de skate ha 15 anos, já era profissional ha 5 anos, e acabava de me formar na faculdade, nessa época também trabalhava ha 8 anos com meu pai na empresa dele, mas chegara o momento de decidir o que fazer da vida e se dedicar 100% em uma atividade, pois ate eu me formar na faculdade, eu tinha que dividir a minha vida de skatista profissional com a faculdade e o trabalho, foi quando decidi fazer a minha vida sozinho e usar meus sonhos e objetivos que era viver do skate, para isso, tive que me mudar para a Califórnia, pois era la que tudo acontecia em relação aos melhores e maiores eventos, marcas, pistas, etc. Depois dessa mudança e começando a me dedicar 100% ao que eu mais gostava de fazer, as coisas começaram a acontecer e precisei sim me

para aproveitar as oportunidades que vinham surgindo para a minha evolução como um todo no mundo do skate, a partir desse momento, eu tinha que me virar para ser alguém na vida, para ganhar dinheiro para sobreviver, etc, foi ai que alem do skate ter sempre sido a minha paixão, acabou se tornando também meu trabalho, porem o trabalho dos meus sonhos, era tudo o que eu mais queria, tentar viver do skate.

disciplinar

E quando viu que teria condições de se tornar um atleta de ponta? Nessa mesma época em que decidir seguir e fazer a minha vida somente através do skate, eu já era profissional há 5 anos, já estava bem ranqueado nos principais circuitos inclusive no circuito mundial que já vinha participando ha 4 anos, quando pude me dedicar 100% e só andar de skate, nos anos seguintes fui melhorando cada vez mais ate chegar ao primeiro titulo mundial. Fale um pouco do seus treinos? Difícil falar em treino, pois treino para mim é se eu fosse na academia fazer um treinamento físico, que periodicamente faço, mas se falando em andar de skate, não treino e sim ando de skate, gosto de andar de skate todos os dias, nem sempre consigo, mas me esforço para sempre estar andando e fazendo o que mais gosto, pois hoje tenho outros compromissos com a minha família e alguns empreendimentos que inicie e tenho que tocar. O cenário de competições brasileiras é suficiente para formar e preparar grandes atletas? Nas categorias de base, vejo que tem muitos eventos para que a criançada e adolescentes adquiram mais experiências e evoluam com os eventos, claro que vale

Fotografo: Eduardo Braz Insta: @eduardobraz74 Manobra: Backside smith grind

12 - Deccs Magazine


Skate PRO / ENTREVISTA

salientar as categorias com mais praticantes no momento que são o street e o park, no profissional de uns 2 anos para cá, depois que o skate foi oficializado para a realização da competição nas olimpíadas, também melhorou bastante para essas modalidades, as outras modalidades vejo que no momento passa por um período de menos eventos em âmbito mundial, não somente no Brasil, mas acredito também que é um ciclo e que logo volte a se fortalecer novamente e a ter mais eventos, pois o skate só cresce e cresce em todas as modalidades.

Lançar o backside air na Ponte Estaiadinha conte a sensação e superação? Sinceramente este projeto da ponte foi muito desafiador para mim, pois depois de da ideia com a Red Bull, fomos visitar a ponte e do ponto que eu conseguia ver o local aonde eu supostamente andaria de skate, era totalmente desfavorável e impossível de andar na estrutura original, a ponte tinha muitas imperfeições, existe uma canaleta de água, enfim, impossível. Decidimos então colocar uma capa de madeira para tornar possível o role porem mesmo assim não sabia como seria. Só soube mesmo na hora em que pisei la em cima e tudo já estava preparado para a sessão, sempre antes da ação foi um grande ponto de interrogação na minha cabeça do que era possível fazer la em cima, quando coloquei o skate la e comecei a andar, percebi que seria muito mais difícil de fazer qualquer coisa do que eu imaginava, pois era tudo desfavorável, começando pela altura mas

Você tem 45 anos. Existe uma idade limite para se competir em alto nível? Acredito que não, depende da sua dedicação como um todo, seja no skate ou na sua mente e físico, claro que a evolução pode ser um pouco mais lenta, mas o que você já aprendeu e a maneira de como anda não mudara se você estiver sempre andando. Quais suas principais conquistas no skate? Minhas principais conquistas foram as amizades, as diferentes culturas que conheci por todos os lugares do mundo que já fui com o skate, a diversão, transformar o skate no meu meio de vida em todos os sentidos, conhecer minha esposa através do skate, etc… se falando em resultados, fui Campeão Brasileiro de street em 1988 categoria iniciante, 3X campeão Europeu de vertical, 6X campeão mundial vertical, algumas medalhas de X Games nos EUA, Asia, Europa, Brasil, sou recordista mundial de aéreo mais alto no Half Pipe com a marca de 4,20m altura, fui 2X campeão brasileiro de vertical. De onde surgiu o apelido Mineirinho, já que você é paulista? Eu nasci em Santo Andre / SP, meu pai é mineiro, quando eu era criança tinha um tio meu já falecido que chamava meu pai de mineiro e eu de mineirinho pela semelhança minha com meu pai, quando fui participar do meu primeiro campeonato, fui fazer a inscrição com minha Mãe e queria preencher todos os campos da ficha, e quando chegou no apelido, eu mesmo não tinha nenhum mas minha Mãe sugeriu eu colocar mineirinho assim como meu tio me chamava, e assim ficou.

Fotografo: Pablo Vaz Insta: @pablovaz Manobra: Invert smith

Deccs Magazine - 13


SKATE - PRO da rampa sem flat, era um única transição de 6 metros de altura com 3 compensados de madeira de largura, ou seja, muito estreito pela altura, e as irregularidades da estrutura da ponte que não sumiram com a capa de madeira, muito difícil de andar, pegar velocidade e fazer qualquer coisa nessas condições, fiquei la em cima por 4 horas e quando consegui acertar um backside air naquelas condições, foi uma das melhores sensações que tive nos últimos tempos, umas sensação de realização de um sonho, pois sinceramente não foi fácil e ate de pegar velocidade e dar atidas era em complicado.

Conte um pouco de um feito inesquecível seu? Um feito inesquecível foi quando acertei meu primeiro 900, pois depois 6 meses de tantas tentativas dessa mandar que eu queria muito acertar, deu de calhar de acertar no brasil num grande evento que foi o Latin X Games no Rio de Janeiro em 2004, pois as pessoas já vinham acompanhando as minhas tentativas e todos aguardavam este momento, pois assim como eu, sabiam que poderia acontecer a qualquer momento esse feito. Foi mais especial ainda pois era um dia das mães e minha Mãe estava presente, meu pai também estava acompanhando, enfim, foi uma alegria para todos acredito, para mim sera inesquecível.

Oque o Brasil representa para você? O Brasil é a minha casa, é aonde hoje tudo acontece para mim, é aonde estão as minhas raízes, minha família, a maior parte dos amigos, e aonde gosto de estar sempre, hoje moro fora do Brasil por questões familiares mas não vejo a hora de voltar.

Qual foi o momento mais difícil da carreira? Não me recordo de momentos difíceis com o skate, talvez os momentos de contusões em meio a circuitos, ou aqueles dias que você tem uma sessão marcada ou que eu estava muito afim de andar e por algum motivo não consegui, enfim, sinceramente não me recordo

de 50m do chão, vento, tamanho

momentos difíceis com o skate ate porque aprendi que não existe momentos difíceis, existe momentos de reflexão, de aprendizado. Qual foi sua maior queda manobrando? Tive varias, mas uma que doeu foi num campeonato no canada em 2005 (Slam City Jam) quando estava na minha volta da final e na época eu acertava o 900 sem problemas, e na hora da volta foi fazer o 900 na minha linha e em campeonato eu fico em cima do skate de qualquer jeito para não errar e só caio quando ele me derruba, e dessa vez ele me derrubou por que rodei o 900 e na volta a pista eu dei hang up (enrosquei) o eixo da frente no copping do half e cai todo estranho e quando fui levantar, percebi que havia deslocado o ombro, na hora o medico veio, colocou meu ombro no lugar e ganhei um troféu de pior tombo do evento e sofri por mais uns 6 meses ate não sentir mais dor no ombro. O Maior tempo que você já ficou afastado do skate? Em 2009 tive uma lesão do ligamento

Fotografo: Flávio Gomes Insta: @photoflavio Manobra: Japan air 14 - Deccs Magazine


cruzado do meu joelho e fique 100 dias com a perna imobilizada “reta”para a recuperado do ligamento.

SKATE - PRO Foto: Arquivo pessoal

Qual o seu maior ídolo que conheceu pessoalmente? No skate sempre tive meus ídolos de infância que era o Christian Hosoi e o Steve Caballero, o Hosoi ja conheci logo no começo da minha vida como skatista nos anos 80 pois ele vinha muito para o Brasil fazer apresentações, mas o Caballero demora um pouco mais, foi conhece-lo pessoalmente quando eu já era profissional. O melhor do skate para você? SDO melhor do skate para mim é andar de skate, se divertir, dar risadas com os amigos, aprender, se desafiar, evoluir, etc. Conta um pouco sobre a Família Sandro Dias? Sou casado ha 14 anos, conheci minha esposa num show do Charlie Brown Jr em Salvador pois estávamos andando de skate no palco do evento, nos conhecemos pessoalmente 6 meses depois e nunca mais separamos, temos 2 filhos, o Gabriel de 7 anos e a Maya com 3, somos muito unidos. Fora isso, sou muito presente na vida dos meus pais e irmãs e dessa forma vivemos unidos.

que voce acredita, e pode ter certeza que a cada sonho ou objetivo

pessoa mais feliz.

realizado, voce sera uma

Agradecimento? Obrigado a Deus, a revista Deccs Magazine pela oportunidade de expor um pouco da minha experiencia de vida, a minha familia, aos meus parceiros, amigos, patrocinadores, enfim, a todos que caminham juntos e ajudam a transformar as vidas para melhor. Valeu mesmo!!! Abraços a todos.

O Skate Brasileiro irá ter um Mineirinho Junior? Não sei, isso vai depender da vontade dos meus filhos, são crianças ainda e apoio tudo o que eles gostam de fazer ate eles acharem o que gostam, ainda vivem fases das coisas e brinquedos e não forço nada a eles, claro que o skate é muito vivo em minha casa, meu filho já andou algumas vezes e perco que ele leva jeito, mas não forço, ele que tem que saber e encontrar o que ele gosta de forma natural, só assim ele sera feliz. Gostaria que você deixasse um recado para os skatistas? Recado que eu deixo é para nunca desistirem dos seus sonhos e objetivos, cada um tem os seus e cada um acredita nos seus, não deixem de busca-los ou alcance-los se por acaso alguém desacreditar do que você acredita, siga o seu coração e faca acontecer, pois aquilo que você acredita é seu e não do outro, pode ter certeza que tentarão de derrubar, colocar obstáculos ou tentar desvia-lo, mas não desista, siga a sua intuição o

Foto: Arquivo pessoal Deccs Magazine - 15


Se apresente aos leitores? * Anderson Rodrigo Ogui Como se interessou pelo skt Donwhill ? Vê meus amigos andando de skate e vi eles andando de downhill achei legal diferente e acabei me apaixonando pela modalidade pela adrenalina velocidade e os slides além de ser a raiz do skate e por necessidade pois residir num bairro que tem muitas ladeiras E pelas condições financeira por não ter um skate bom pegava um shape velho rolamento com bilha e coloca ladeira baixo. Sua família te apoiou? No começo só minha mãe e o pai da minha irmã Miguel sempre me apoiaram pois a meu pai odiava Skate ele falava assim “ lá vai ele em cima da madeira com rodinha vagabundar “ e minha família também tinha um preconceito tive que mostrar e me dedicar Para que todos perceber que amava o estava fazendo aí que eu ganhei o apoio e o respeito de todos hoje tenho apoio respeito e sou referência quando o assunto é skate Até me emocionei agora lembrando da luta. Quais são seus patrocínios? Roots Family adjust complex primo Sbart time de futebol madrugas Cachoeirinha F.s Esta filmando para alguma vídeo parte? Qual? Não E música, qual som instiga você nos roles? Rap new metal Funk

ANDERSON OGUI 34 Anos, 19 anos de skate

São Paulo - @andersonr.m2

Como esta sendo sua correria no cenário Donwhill Slide? Ativo quando possível não posso deixar morrer dhs em mim estou entre os dez do ranking brasileiro de downhill slide.

Para finalizar, deixe uma mensagem para os Leitores? Nunca desista dos seus caminhos e objetivos pois dedicação perseverança humilde aprendizado você tem conquistas para vida inteira lute dedica-se conquiste. Agradecimento? Primeiramente quero agradecer a Deus por me abençoar com a vida e por permitir que eu conhecesse o skate, minha mãe que sempre me apoiou devo muito a ela falava pra nunca parar e desistir pois não Tenho ela mais pessoalmente mas ela vai está viva sempre no meu andar e no meu coração Pois a três anos ela perdeu um luta contra o câncer!!! Minha família ( pai,esposa,filho,enteadas,neto Miguel ,irmãs,sobrinhos ,sobrinhas,tias,tios,primos,primas todos) Aos manos do declive que sempre acreditaram e acredita em mim pois são irmãos que a vida e o skate me deu A todos que fizeram parte da função da Patis amigos para vida toda também A todos amigos e todos que torce por mim ao Marcelinho do Roots Family acredita em mim até hoje muito obrigado Time madrugas Cachoerinha F.s por apoiar o meu sKate Um esporte diferente ao rodrigo da primo ao Sandro da adjust Ao desvio da igreja Batista da cachoerinha A todos que andaram e andam no Pastão Muito obrigado a família decs pelo espaço por contar um pouco da minha história no skate Dedico esse trabalho para minha mãe minha rainha te amo

‘‘ Deus família amizade

‘‘

DOWNHILL SLIDE

Foto: André Henrique da silva Insta: @andreskt2014 Manobra: Nose de back one foot

16 - Deccs Magazine


DE-OLHO

SAFA MERVE 26 Anos, 20 anos de skate Istambul, Turquia- @mervenalcacii Se apresente aos leitores: Meu nome é Safa Merve Nalçaci (se pronuncia “Safa Merve Naldjadje”), sou de Istambul – Turquia, ando de skate desde os 6 anos. Eu costumava fazer só solo. Com 13 anos eu comecei a andar em rampas. Agora ando direto e tento melhorar cada vez mais. Quais são seus patrocínios? Tenho o suporte da Ala Skateboards e a Federação de Skate da Turquia às vezes me fornece alguns materiais. Quantas meninas andam de skate na Turquia? Quantas são Profissionais e quantas são Amadoras? Não há muitas meninas andando na Turquia; as famílias não costumam apoiar. Eu tenho sorte porque meus pais sempre me apoiaram e gostam muito de skate. Depois que foi criada a equipe nacional de skate, as skatistas começaram a se interessar mais e ganhar visibilidade, tipo "eu posso fazer e ficar bem contente". Na Turquia é mais comum ter skatistas amadores; não há muitos profissionais; uns 10 eu acho... Aqui as pessoas usam o skate como hobby, mas eu não. Porque skate é algo muito diferente pra mim: é paixão, amor, desejo e muito mais :) As marcas de skate apoiam o skate feminino na Turquia? Conte-nos. Infelizmente não há muito suporte para as meninas aqui. A Federação de Skate da Turquia está tentando dar um apoio, não um patrocínio porque as meninas aqui são um tanto frágeis. As garotas na Turquia não são muito aficionadas em seus hobbies, algumas não querem andar ou não podem devido restrições familiares. Quais são as suas impressões sobre o mercado e a cultura do skate na Turquia? O mercado do skate na Turquia é um pouco caro por conta do dólar. Skatistas então são prejudicados e aqueles que querem começar a andar não conseguem porque é caro, e temos uma falta de patrocínio às vezes. A cultura do skate na Turquia é moderada. Quando estive no Brasil vi que a atmosfera e as pessoas refletem a cultura do skate e há skatista em todo lugar. Era normal aí ver pessoas que não são skatistas irem às compras com skate. Na Turquia soa um pouco estranho uma menina andando de skate. Sabemos que você é jogadora de futebol. Você é profissional? Você joga para a seleção da Turquia? Sim, sou jogadora de futebol e isso é uma parte que não mudou na minha vida, assim como o skateboard. Minha vida é futebol e skate! Sou jogadora profissional de futebol mas não sou skatista profissional, porém estou tentando me tornar uma. Eu amo muito futebol, amo a escola, os treinos, os games e ando de skate. Exaustivo mas eu consigo lidar com isso tudo. Eu ganho grana com futebol

porque é meu trabalho favorito e também é bom ganhar um dindim né. Sou jogadora da seleção feminina da Turquia. Como o skate surgiu na sua vida? Eu conheci o skate quanto tinha 6 anos e morava na Alemanha. Meu pai me comprou um skate pequeno baratinho. Skate agora é o centro da minha vida; skate e futebol estão em cada canto da minha vida. Adorei a sensação quando comecei a descer rampas e agradeço muito quem me ajudou. Já cai bastante, quebrei meu dente, meu dedo, mas continuo porque skate é um mundo completamente diferente...meu mundo. Ando na rua, em rampas e são os momentos mais divertidos da minha vida...Me recompenso toda hora que eu ando. Quando a Federação de Skate da Turquia organizou campeonatos, minha equipe começou a competir e eu evolui mais. Com esperança eu posso fazer isso nas olimpíadas. Skate e futebol. Como é isso? Skate e futebol me dá emoções que não tem preço porque são esportes completamente diferentes um do outro. Eu ponho meus fones quando ando de skate, deixo o rock rolar, ando, caio e me divirto. Acho que todo mundo devia experimentar essas sensações de dar aéreos ou andar em trilhos. Esses dois esportes são experiências e sensações inexplicáveis. Quantas garotas andam para a equipe de skate da Turquia? O que você sente sendo uma delas? Para a competição de bowl na China foram selecionadas 3 garotas para andar, e felizmente todas nós estamos nos esforçando. Eu era a única menina do time a competir no SLS (Street League of Skateboarding) do Rio de Janeiro; a única garota nesse processo desafiador... Por causa dessa experiência internacional, as skatistas na Turquia começaram a se multiplicar e eu fico muito feliz com isso. A sensação de representar a Turquia é indescritível; muito orgulhosa de representar meu país, minha bandeira! Quais são seus skatistas Turcos favoritos? São Adem Ustaoglu, Cenk Kuli e Tuncay Koçal. Conte-nos um pouco dessa vivência? Viemos com a Federação de Skate da Turquia para participar do SLS. Andamos em muitas skateparks com bowl, street... Todo dia o Túlio de Oliveira nos mostrava as skateparks e nos contava sobre a cultura. Foi ótimo e acredite:

eu fiquei muito feliz por estar em outro país, em outra cultura. Foi uma sensação maravilhosa, especialmente por carregar a bandeira do meu país mundo a fora orgulhosamente. Você fez uma sessão com alguma skatista brasileira? Quais são suas impressões sobre o skate feminino brasileiro? Eu encontrei algumas skatistas brasileiras nas pistas que o Túlio nos levava; a mais style foi a Raíssa Leal. Andei junto e vi que realmente ela é muito boa para a sua idade. Skatistas brasileiras são muito acolhedoras e otimistas; fazem amizade imediatamente e isso me deixou muito feliz. Eu curti andar ao lado delas. Você e os demais skatistas turcos curtiram alguma balada quando visitaram o Brasil? Nós não fomos em balada porque não queríamos arrumar confusão; afinal éramos a equipe de skate da Turquia. Mas a noite nós celebramos o Natal em São Paulo. Foi minha primeira vez e foi perfeito. Deixe por favor uma mensagem para as meninas que estão começando no skate? Garotas que andam de skate ficam frequentemente com medo de cair, mas quando aprendem a cair elas descobrem que não é tão horrível quanto parece. Andem de skate com o coração então entenderão essa paixão. Agradecimentos? Primeiro, gostaria de agradecer ao Sedat, Túlio de Oliveira, à Federação de Skate da Turquia e ao meu país por terem me dado a oportunidade de competir no exterior. Quero agradecer também ao Marcelo Toscano (Skate Expo). Pra finalizar: Skate ou Futebol? Minha prioridade são os dois; um lado de mim é futebol o outro é skate porque ambos são minha vida. Se eu tirar o futebol da minha vida isso se tornará um grande vazio. Eu pratico os dois com paixão do fundo do coração. Entrevista por: Skate Expo Foto por: Turkish Skateboarding Federation Apoio Cultural: Associação Feminina de Skate

''Acredite, essa paixão é inexplicável.''

Deccs Magazine - 17


Foto: Allison de Carvalho Insta: @allisondecarvalho Jorge: Front side air

Foto: Allison de Carvalho Insta: @allisondecarvalho Akio: frontside feeble grind

URGH!

38 ANOS era 1982: o Brasil O ano caminhava para a

redemocratização, quando o povo clamava por mais liberdade de expressão. Estávamos no fim do comando militar, e foi nesse cenário que o skatista Jorge Kuge teve a ideia de criar a URGH! – Como o próprio nome diz, Urgh é uma expressão de revolta, de grito de liberdade, e foi com esse ímpeto que começou uma pequena confecção com a ajuda de sua mãe. A falta de equipamentos e roupas adequadas para prática do skate obrigaram a família Kuge (Jorge, seus pais e irmãos) a criarem uma das primeiras marcas de skate do país. A URGH! Cresceu e, o que era antes somente uma fábrica de bermudas, passou a produzir tudo que era relacionado ao mundo do skate. Teve lojas e abriu mercado por todo o país. Foi pioneira na elaboração dos famosos shapes de marfim e epóxi, 18 - Deccs Magazine

que eram muito mais resistentes e duráveis. Até hoje essa combinação é usada por várias marcas do país. A URGH! Investiu pesado em seus maquinários e equipamentos, chegando a ter a melhor tecnologia da América Latina. As matérias primas utilizadas sempre foram as melhores encontradas, o que fez com que os produtos passassem confiança e credibilidade. Fato que acontece até hoje! Nesses anos todos, a URGH organizou e participou dos maiores eventos de skate e cultura urbana do Brasil. Entre eles destaco a MegaRampa, o GAS Festival e o URGH Lendas do Skate, sendo esse último um marco para os skatistas “old school” - que, na época, sentiam falta de campeonatos para essa modalidade. O intuito sempre foi juntar skatistas e envolver pessoas. Apoiada por uma equipe de profissionais comprometidos, deu nova vida a frase Família Skateboard. Também foi responsável por revelar e patrocinar nomes conhecidos mundialmente. Álvaro Porquê, Bob Burnquist, Sérgio Negão, Fabio Castilho, Léo Kakinho, Claudio Secco e Cristiano Mateus são alguns dos muitos skatistas que passaram pela marca.

Movida pela cultura das ruas, três pilares sempre foram fundamentais em sua existência: Skate, Música e Arte Visual. Além do carrinho, seus eventos sempre tiveram espaço para bandas, djs, locutores e grafiteiros, muitos deles apoiados pela própria marca. Uma explosão cultural em todos os sentidos, sempre tendo o skate como centro. Entre skatistas, fotógrafos, músicos e equipe técnica, vários foram os nomes que ajudaram a formar a marca. Seria muito arriscado de minha parte, tentar citar todos. Mas quem é URGH! Sabe que é URGH! E como nem todo drop é perfeito, a marca também enfrentou tempos difíceis devido a oscilação econômica do país. Os Kuges precisaram se reinventar algumas vezes para manter a chama acesa. Assim como o skatista que nunca desiste de uma manobra, e que cai e se levanta várias vezes, ela também precisou se esforçar para que hoje, aos 38 anos de marca, continuasse com a mesma pegada: Tudo pelo skate! Depois de longos anos de trabalho e com muitos caminhos abertos no mercado, Jorge passou o bastão para

a terceira geração da família Kuge.


Akira e Akio, filhos do Jorge e da Jô, agora têm a missão de continuar o legado deixado pelos pais. Os desafios continuam, as dificuldades também... E o cenário do skate como um todo agora é outro. Mas uma coisa não mudou: Skate Sempre Vence! Nessas quase quatro décadas, muitos parceiros ficaram pelo caminho, mas a URGH segue firme e cada vez mais forte, mostrando que quando se faz por amor, não há barreiras que impeçam o sucesso! Hoje o time conta com a seguinte formação: Os skatistas Ernesto Júnior, Flávio Von Zuben, Caleb Rodrigues, Lucas Alves, Henrique Ryuji e a revelação de 8 anos, Eiki Martello. A locução fica por conta de Cléo Costa e o comando do som pela Banda Black Donalds e pelo DJ Lobil. Tudo isso eternizado pelas lentes do fotógrafo Allison de Carvalho. Urgh! Uma marca genuinamente brasileira. 38 anos fazendo pelo skate! Texto & Fotos: Allison de Carvalho

Foto: Allison de Carvalho Insta: @allisondecarvalho Akira: Front side smith grind

Deccs Magazine - 19


Fotógrafo: Fernando Menezes Jr. Insta: @fmajuniorphoto Manobra: Fakie Nosegrind

Fotógrafo: Fernando Menezes Jr. Insta: @fmajuniorphoto Manobra: Wallie

SKATER: BERNARDO RODRIGUES - INSTA : @BERNSKATEARTE

SKATER: DANIEL BATISTA - INSTA : @1DANIELBATISTA

Fotógrafo: Fernando Menezes Jr. Insta: @fmajuniorphoto Manobra: 360 Kickflip

SKATER: RENAN SILVA - INSTA : @RENANSILVA_SKT


CHECK

Fotógrafo: Fernando Menezes Jr. Insta: @fmajuniorphoto Manobra: Beanplant

CHECK

SKATER: MARCOS VAN BASTEN - INSTA : @MVBANQ

Fotógrafo: Fernando Menezes Jr. Insta: @fmajuniorphoto Manobra: Ollie

SKATER: MARCELO MARBAL - INSTA : @MARCELOMARBAL

Fotógrafo: Stephan Dias Insta: @stephandias Manobra: Rock n roll

SKATER: FELIPE MARCONDES - INSTA : @FELIPEMARCONDES


CLICK

produzir trabalhos fotográficos junto ao skateboards. Qual foi o evento em que você mais gostou de trabalhar? Ou mesmo uma trip para algum lugar… Fiz STU no rio de Janeiro ano passado na Barra da Tijuca, fiquei 6 dias por lá com a galera do skate, foi muito style. Mas o evento que eu fiquei muito feliz em ser um fotografo credenciado, sabendo de todo o corre que eu fiz para conseguir o credenciamento. Foi o SLS etapa de São Paulo ano passado, pra mim foi muito importante poder fazer o SLS, melhor ainda foi poder ver minhas fotos em algumas mídias de skate, ficou marcado para sempre na minha memoria, ate o Nyjah Huston repostou uma sequencia dele que eu fiz.

ANDRÉ HENRIQUE Insta: @andreskt2014

Quando você começou a fotografar e de onde surgiu a ideia? Tudo começou em 2015 A ideia de fotografar surgiu da vontade de esta mais próximo do skate. O que te levou a fazer fotos de esportes radicais? O fato de eu ser skatista me levou a ser um fotografo de esportes radicais. Por que o skate? Por que eu sou skatista graças a Deus. Você viaja muito a trabalho? Isso é uma vantagem da profissão? Nesses 5 anos que faço fotos de skate, eu não viajei muito, por que sou de São Paulo Capital e sempre temos bastante eventos por aqui. Eu tenho muita vontade de viajar pelo mundo para conhecer outros picos do skate. E muito importante pode fazer trabalhos em lugares históricos. Espero poder ter a oportunidade de poder

Mac Twist @tonyhawk 22 - Deccs Magazine

No skate, qual é o atleta que você acredita ter um grande potencial e pode se destacar nos próximos anos? Filipe Mota

Bs Lip @fgustavoo

Quais são os teus objetivos para o futuro? Trabalhar em uma mídia de skate, poder deixar registrado os meus clicks de skateboards, e poder contribuir para sempre fortalecer o skate, e os skatista esse e o meu sonho. Para finalizar, você é tão bom no skate quanto na fotografia? Ando desde 98, posso dizer que eu curto muito o meu role de skate. Skate my life. Agradecimentos? Quero aqui agradecer pela oportunidade de poder responder essas perguntas. Poder expressar oque eu sinto penso sobre o skate e a fotografia, eu tenho certeza que sera muito gratificante poder seguir essa minha trajetória, e o quanto sera importante poder contar que eu um dia fiz parte dos projetos da Deccs magazine. May god bless always you.

Fs Tail Grind @rafaelamurbach.JPG

Bs Nose Blunt Slide @paulogalera

Ollie no Gap @wendelskt


o h n i t Denide dsaster fronts

whatsapp 79 - 99984-524

funhousedistribuidora@hotmail.com