Deccs Skateboarding Magazine #115 - Revista Skate

Page 1


MARCIO TORRES

Idade: 27 anos Tempo de skate: 9 anos Instagram: @marciotorressb Cidade: São Paulo

Apoio: Ultra Sport Science, Fisioterapia Esportiva, Arena Radical, WOW Skateboard Patrocínio: Nenhum Local: Ituri Plaza

[02] - DECCS MAGAZINE


FOTOGRAFO: @ARKUNZE

Manobra: Nollie 50-50

Handstand One Arm 360 Wheel Spin to Rock to Fakie

DECCS MAGAZINE - [03]


indice

Editorial

Agradecimento e Novidades

ANDRE PAIVA

[04] - DECCS MAGAZINE

Salve!! Meu nome é Andre Paiva satisfação total, Chegamos na edição N115, gratidão a todos que estão abraçando a Revista Deccs Magazine de uma maneira incrível e acolhedora, Gratidão por todos que estão na edição N115 e aceitaram o desafio de tão pouco tempo. novidade, estamos com um novo layout de Capa Versão 2022, Gratidão também a todos os Fotógrafos e todos os leitores que estão sempre marcando presença nas edições Semanal.

CAPA Skatista: Raul Roger Capa - 25/JUl - N115 Manobra Capa: Melon Acompanhe a entrevista - inédita. Corre lá Pag: 12-21


JOÃO PAULO

Idade: 22 anos Tempo de skate: 15 anos Instagram: @jaaaocordeiro Cidade: Itupeva - (SP) Fotografo Sidpics @sidpicsfotografoskt

indice

EDITORIAL

INDICE

DIRETOR: ANDRE PAIVA REVISÃO: DECCS MAGAZINE EDIÇÃO: JUL DIA 25 ED: N115 REDAÇÃO: DECCSMAGAZINE CORREÇÃO: DECCS MAGAZINE ANUNCIE: DECCSMAGAZINE@GMAIL.COM ASSINE: WWW.SHOP.DECCSMAGAZINE.COM.BR

CAPA - RAUL ROGER: ABERTURA - MARCIO TORRES: IND & EDIT: JOÃO PAULO: FLOW/AM - GUILHERME ROMERO: FLOW/AM - TOM GODOY: FLOW/AM - JOEL SANTANA:

Editorial

A REVISTA DECCS MAGAZINE É UMA PUBLICAÇÃO SEMANAL DCS WWW.SHOP.DECCSMAGAZINE.COM.BR

:12-21 2-3 4-5 6-7 8-9 10-11

MATÉRIA - ALDEIA SKATE:

22-23

FLOW/INICIANTE: - ANDERSON ALVES:

26-27

FLOW/INICIANTE - SAYLON HENRIQUE:

MATÉRIA: BROTHERS LONGBOARD CLASSIC: CONTRA CAPA - RAUL ROGER:

24-25

28-31

32

DECCS MAGAZINE - [05]


ENTREVISTA

Como surgiu o interesse de ser skatista? Primeiro contato que eu tive com o skate foi através do meu primo, ele tinha um skate na casa dele e eu pedi para andar, desde então eu quis ter um. O primeiro skate que eu ganhei foi do meu pai, com 14 anos. Estava viajando com os meus avós e meu pai me ligou, dizendo que tinha comprado um " Tênis de Rodinha" , logo depois ele me mandou a foto, era um Skate. Desde então eu criei um amor incondicional pelo esporte e pelo estilo de vida e nunca mais parei. Como foi se adaptar e ainda conseguir evoluir nessa situação da covid? Na verdade, foi muito difícil pra mim no começo. Skate é uma válvula de escape pra mim, é a forma que eu me expresso, é meu estilo de vida. Devido as restrições, eu praticava só algumas vezes na semana pra não perder o ritmo. Conte sobre seus treinos e preparos físicos? Sempre que posso eu ando de Skate. Aos fins de semana procuro lugares diferentes pra andar. Seja na rua ou em Pista. O importante mesmo é, estar na companhia dos meus amigos e me divertir fazendo o que eu amo.

GUILHERME ROMERO @rommero_diasskt 21 anos 9 Anos de skate São Paulo – (SP)

FLOW/AM

Fotografo Lucas Pires @mad_skate

Você está trabalhando em alguma vídeo parte? Sim, eu juntamente com o Lucas Vídeo Maker e Fotógrafo, estamos trabalhando na criação da minha Vídeo Part. Conte sobre uma trip que marcou sua caminhada no skate? Toda vivência que o Skate trouxe pra mim serviu de lição e aprendizado. Fez ser quem eu sou hoje em dia. Essa foto em si é muito especial pra mim. Lembro o dia que fiz essa foto, ficamos o tempo inteiro só falando dela. "Imagina se essa foto saí na revista da Deccs Magazine?" Não esperamos que isso ia realmente acontecer. E aconteceu! Como está sua caminhada para se profissionalizar? Torna-se profissional é algo que eu almejo muito. Viver do skate e trabalhar com o que eu amo fazer seria a realização de um sonho. Quero poder evoluir mais, e desfrutar de várias vivências que o skate proporciona, e continuar na correia de realizar o meu sonho de viver do Skate. Como está o trabalho em Competições? No momento não estou frequentando. Quero me dedicar mais em evoluir o meu rolê. Conte um pouco sobre seus patrocinadores que fortalecem seu skate no dia a dia? Atualmente não tenho patrocinadores. Quem sempre me ajudou foi a minha família e meus amigos que eu fiz através do skate. Eles sim! sempre me ajudam e me motivam desde o começo até agora. Influências no skate? Minha influência são meus amigos, eles que sempre me apoiam no rolê , não deixam eu desistir. Sempre dizem " Vai vir o acerto, confia!" , só concentrar e focar que vai vir! Mensagem e Agradecimento... Primeiro quero agradecer a Deus! só ele sabe o quanto eu queria isso. Quero agradecer aos meus pais e a minha minha família que acreditam em mim. E principalmente aos meus amigos! , eles que sempre estiveram aqui comigo me dando o maior incentivo , e nunca deixaram eu desistir. Graças a vocês! eu tô aqui hoje. Agradeço a revista da Deccs Magazine e a equipe pela oportunidade e espaço concedido. Muito obrigado mesmo!!! Uma frase? Seja o primeiro acreditar no seu sonho. Vai dar certo!

[06] - DECCS MAGAZINE


F/S OLLIE 180 FOTOGRAFO: LUCAS PIRES DECCS MAGAZINE - [07]


ENTREVISTA

TOM GODOY @tom_professordeskate 34 anos 22 Anos de skate Valinhos - (SP)

FLOW/AM

Fotografo Joey Daminelli @joey_daminelli

DECCS MAGAZINE - [08]

Como surgiu o interesse de ser skatista? Me interessei pelo Skate no final dos anos 90 vendo os skatistas andando na rua em que eu morava e logo depois comecei a pedir o skate emprestado e daí em diante nunca mais parei.

Conte sobre seus treinos e preparos físicos? Atualmente faço treino funcional em casa e esporadicamente vou pra fisioterapia recuperar algumas lesões crônicas e tentar melhorar o condicionamento, mas ainda sim tenho dificuldade nessa parte jakakak

Como foi se adaptar e ainda conseguir evoluir nessa situação da covid? Foi difícil e ao mesmo tempo triste, muitas pessoas se foram e o clima péssimo pra manobrar, eu particularmente me isolei e passei quase 1 ano manobrando sozinho e em horários específicos o que dificultou bastante a evolução e o condicionamento físico, mas mesmo assim preferi me isolar e não negar o risco que o COVID 19 trouxe pra nós e ainda devemos ter cuidados e pensar no próximo como pensamos em nós mesmos.

Você está trabalhando em alguma vídeo parte? Sim, estou em busca do reconhecimento como skatista pro e pra isso venho trabalhando em minha vídeo parte e também em projetos que logo vamos apresentar em breve Conte sobre uma trip que marcou sua caminhada no skate? Nunca tive a oportunidade de viajar com o skate ou como skatista, minha caminhada no skate sempre foi bem local, e meu principal objetivo sempre foi transmitir ou ensinar


MANOBRA: OLLIE INDY FOTOGRAFO: JOEY DAMINELLI

o que aprendi com o skate a quem estava ou está ao meu redor, por isso não foquei em viajar mas cada momento vivido com skate nos roles ou nas inúmeras ações sociais que realizei com skate foram importante pra mim. Em especial a mais marcante foi dar aula de skate pra 120 alunos da APAE de Valinhos junto com a ong social Skate em 2018 durante 2 dias, essa com certeza foi uma experiência única é indescritível. Como está sua caminhada para se profissionalizar? No corre. Realmente é bem difícil conseguir esse feito, eu já tenho 34 anos e ainda tenho esse sonho de ser reconhecido como pro e vou fazer esse corre até o fim. Estou buscando melhorar o cartel de manobras a cada dia e também produzir mais conteúdo em especial a vídeo parte. Tenho fé que vou conseguir.

Como está o trabalho em Competições? Não costumo competir frequentemente, ultimamente tenho atuado nos campeonatos como organizador, narrador e até juiz, prefiro os de mini ramp e tenho vontade de participar do mini ramp pro attack Conte um pouco sobre seus patrocinadores que fortalecem seu skate no dia a dia? Atualmente tenho apoio da Royal extreme park e da Urbeskateshop, sem essas 2 empresas seria impossível me manter no skate diariamente por isso eu sou extremamente grato a essas empresas e as pessoas que estão por trás delas em especial minha esposa Bebel que me ajuda muito diariamente, seja filmando as manobras ou dando o suporte de peças. Com o apoio da Royal extreme park tenho uma pista perfeita coberta pra treinar diariamente e

em qq horário e qq tempo o que possibilita muita evolução, só tenho a agradecer especialmente ao Leonardo Xavier obrigado. Influências no skate? Cristiano Vege Nilo César Ramos Ytalo farias Matheus Mello Tom penny Frank Villany. Mensagem e Agradecimento... Em especial DECCS magazine pelo espaço Urbeskateshop pelo suporte Bebel Abramo pela dedicação Royal extreme park pela parceria forte. Uma frase? Skateboard ontem hoje e sempre. DECCS MAGAZINE - [09]


ENTREVISTA

JOEL SANTANA @Jorel_skate 19 anos 7 Anos de skate São Paulo – (SP)

FLOW/AM

Fotografo Ricardo Tossi @ricardotossi.original

Como surgiu o interesse de ser skatista? Eu conheci o skate através de um amigo. morávamos na mesma rua e ele tinha um skate. A partir da ai comecei a gostar muito e cada dia que passava eu me apaixonava mais pelo carrinho e pelo estilo de vida que o skate me proporcionou. Como foi se adaptar e ainda conseguir evoluir nessa situação da covid? Ao começo foi difícil. Eu andava na garagem de casa, e qualquer oportunidade que eu tinha de andar na

[10] - DECCS MAGAZINE

rua eu ia, mais sempre tomando muito cuidado, mais ai foi melhorando e fui conseguindo voltar a rotina que eu tinha antes. Conte sobre seus treinos e preparos físicos? Eu tento andar pelo menos 2 horas por dia. Antes eu n eu n fazia nada pra me cuidar, hoje em dia ja estou me cuidando mais. Você está trabalhando em alguma vídeo parte? No momento não. mais pretendo fazer uma! No momento estou voltado mais para os campeonatos.


FOTOGRAFO: @RICARDOTOSSI.ORIGINAL MANOBRA: B/S FEEBLE

Conte sobre uma trip que marcou sua caminhada no skate? Foi um campe que teve lá em Suzano, a primeira etapa do circuito Paulista, foi muito foda a vibe e estar com os amigos que eu gosto. Como está sua caminhada para se profissionalizar? Esse é um sonho que quero alcançar, sei que o corre para isso acontecer n é fácil mais vou dar o meu melhor para alcançar esse sonho.

Como está o trabalho em Competições? Esse é o meu objetivo principal hoje em dia, estou treinando muito e buscando sempre evoluir para dar o meu melhor em todas as competições. Conte um pouco sobre seus patrocinadores que fortalecem seu skate no dia a dia? Queria agradecer a O.W.L STORE por sempre me ajudar nessa jornada que estou vivendo, agradecer também a SEVENSKATEPARK que além de me ajudar, me deu a oportunidade de trabalhar com o que eu mais gosto.

Influências no skate? Minhas influências são meus parceiros que estão comigo nessa caminhada. além deles queria agradecer principalmente ao Ricardo tossi que é o cara que sempre me ajudou a evoluir não só com manobras mais como pessoa. Mensagem e Agradecimento... Queria agradecer a deccs por essa oportunidade de realizar um sonho, e ao fotógrafo que tirou essa foto irada e aos meu amigo que estão no role diariamente comigo. Uma frase? Sonhos determinam o que você quer. Ação determina o que vc conquista. DECCS MAGAZINE - [11]


FLOW PRO Como foi o seu primeiro contato com o skate? Meu primeiro contato com o skate foi quando tinha 7 anos de idade, meu pai já andava de skate e sempre ia pra pista, daí um belo dia de tanto que eu pedia pra ele me levar na pista, ele resolveu me levar, na pista do Grajaú - SP chamada BNH! Foi meu primeiro contato real com o skate e logo na primeira rampa que eu desci, quebrei o braço. Porém uns 2 meses depois que o meu braço melhorou eu continuei indo na pista e assim começou minha vida como skatista! Qual a sensação de ser a capa da edição N115 da Deccs Magazine? Estou muito feliz por ser capa da revista Deccs, grato pelo espaço e pela oportunidade! Fiquei mais de 5 anos sumido da cena do skate devido a uma lesão no joelho. Daí nesse mesmo tempo resolvi começar a estudar e fazer outras coisas da minha vida em paralelo com o skate e também passei uma temporada em Natal RN! Agora que voltei estou muito feliz por todos os parceiros que estão acreditando em mim e nas minhas colaborações como pessoa e skatista! E o espaço aqui na revista vai me ajudar muito na exposição dessa minha volta e das pessoas que acreditam em mim! Como está a cena do skate em sua região? Em SP a cena do skate sempre foi muito forte e tem melhorado cada dia mais devido a exposição do skate nas olimpíadas e frequentemente na mídia televisionada, vejo pelas ruas, pistas e casas por onde passo, skate como um tema de conversas e motivo de ir na pista socializar, se divertir e dar o rolê! Isso tem crescido cada vez mais em SP e pelo Brasil! E é muito bom ver o esporte que comecei a praticar em 2003 que era visto como esporte de marginal, hoje em dia ganhar espaço e mostrar que assim como qualquer outro esporte, skate é vida é saúde, alegria e companheirismo! Conte como estão os projetos de sua vídeo parte? Eu não tenho gravado para nenhuma vídeo parte, porém sempre que possível gravo pro meu canal "The Skateout" vídeos de vivências e tutoriais ensinando manobras pra galerinha que tá aprendendo e pra quem tá afim de ver um pouco de como é a vivência skateboard! Fale um pouco dos patrocinadores que fortalecem seu skate no dia a dia? Atualmente estou com novas parcerias e algumas que já me fortalecem desde a época que eu era amador, como a Moska Wheels e a X-treme. Porém nesse ano estou com novas parcerias incríveis! Uma delas, o Studio Brasuka, que é uma empresa de tecnologia que me "resgatou" e me colocou de volta nos trilhos da cena do skate, fazendo todo um trabalho de brainstorm e preparo físico! Em paralelo a isso fui me alinhando com novas oportunidades como a Do is Fit, rede de academia que recentemente fechou contrato comigo acreditando em mim e nos meus treinos para representar eles nas competições e vivências! E também fechei contrato com a VIHE, marca de roupa que tem como base no

RAUL ROGER @RaulRoger

[12] - DECCS MAGAZINE


FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO MANOBRA: B/S NOSESLIDE DECCS MAGAZINE - [13]


FLOW PRO seu conceito a questão de criar produtos autorais e duradouros, tendo respeito com o meio ambiente usando materia prima sustentável em suas criações! Fora essas novidades, tem também a loja que sou parceiro Monkey rat e a marca de tênis Landfeet que fortalecem muito quando preciso, quando se trata de peças de skate e tênis! E o meu próprio canal The Skateout, que mesmo nesse tempo que dei uma sumida, nunca me deixou ficar totalmente apagado, pela exposição do canal no YouTube muita gente que não me conhecia passou a me conhecer, não só pelo Raul atleta, mas pelo Raul do canal! Alguns projetos em desenvolvimento para soltar em 2022? Para 2022 estou com a idéia de gravar um mini documentário para o canal e voltar a aparecer em todas as competições possíveis de vertical! Fazer collabs entre meus parceiros e afins, falando de maneira geral, ser visto e ser lembrado! Conte sobre uma trip que marcou sua caminhada no skate? Todas as trips que tive no skate me marcaram, todas as vivências e todas as pessoas que o skate me proporcionou conhecer, desde a ponta sul a ponta norte do nosso Brasil! Sempre absorvi muito isso e agora que estou com mais consciência no quanto isso é a coisa mais importante que existe, o contato, conhecer novas culturas e pessoas, abrem muitas possibilidades! Mas acho que a trip que mais me marcou, mas não foi bem uma trip, foi quando morei em Natal! Me redescobri como pessoa e foi um tempo muito bom pra observar e ver como a vida é simples e bem mais leve quando você aprende a puxar pessoas que estão do seu lado pra cima, naturalmente elas te puxam também e tudo fica mais leve! Como foi se profissionalizar no skate? Eu sou Pro desde os 16 anos de idade, passei para profissional em 2013, época que teve muitas competições de vertical! Porém agora que voltei, minhas metas para esse ano é me manter no top 10 e ir buscando evoluir e treinar pra melhorar cada vez mais minhas posições nos eventos! E o Raul como profissional é buscar ter relações e parceiros cada vez mais maduros e saudáveis que respeitem o nosso ecossistema e valorizem a cena do skate como um todo! Conte um pouco sobre suas correrias em competições? Minha correria para as competições tem sido grande, mas agora que estou com novas parcerias como citei acima, me deu um respiro para poder treinar e me focar mais no skate, porque antes disso eu estava no corre de trampar pra levantar grana pra ir andar de skate! Acho que a maioria das pessoas que andam de skate fazem esse corre e sabem como o negócio é louco! Mas que mesmo assim, fazemos pelo amor que temos pelo skate! Quais suas influências no skate? No skate eu tenho muitas influências, poderia citar algumas pessoas que vivem de skate aqui? Poderia! Mas além disso, minhas influências no skate são as pessoas que fazem por amor, um amigo que ajuda um outro com uma peça, um pai que compra um skate pra deixar o filho feliz, um amigo que acredita em você mesmo na hora que você desiste! São pessoas assim, muitas vezes anônimas que também fazem o skate acontecer, e acreditem, está cheio de pessoas assim pela cena do skate e sou muito grato por todas essas pessoas, que ajudam sem receber nada em troca! Por todas as pessoas que conheço e por todas essas pessoas que vivem o skate dessa forma, vocês são minhas influências e inspirações! Oque o skate proporciona para sua vida? O skate me proporcionou tudo o que sou e tudo que vivo, meus amigos de verdade, minha família, minha

[14] - DECCS MAGAZINE

FOTOGRAFO: THE SKATEOUT


esposa, minhas viagens, me mostrou o caminho que eu queria seguir como pessoa! E meu objetivo é ajudar novas pessoas a descobrirem que o skate além de um esporte é um mundo inteiro de oportunidades e amizades incríveis! Oque você está buscando hoje para sua Realização no skate? Estou buscando retribuir tudo que o skate me proporcionou e me proporciona de maneira natural, quero ajudar as pessoas que estão comigo e novos skatistas a descobrirem o caminho que elas podem seguir como pessoa através do skate!

Fale um pouco mais sobre pontos importantes em sua História? Meu ponto mais importante no skate foi o início, com 7 anos quando comecei e nunca mais parei, teve altos e baixos mas sigo firme, com toda essa mentalidade e nova visão que tenho, sou grato pela vida por ter me proporcionado tudo isso, um garoto que saiu do Grajaú, zona sul de SP! Pra conhecer um mundo que jamais seria capaz de conhecer se não fosse pelo skate! Um momento que me fez ter noção de tudo isso, foi quando fiz uma apresentação com o Tony Hawk no Brasil, naquele momento veio um lapse na minha cabeça "Caraca, estou andando de skate com o cara

que eu jogava no vídeo game, onde eu cheguei!" Foi um dos momentos que fizeram refletir muito sobre a questão de "onde estávamos e para onde fomos" E todo dia tento mostrar pras pessoas que de pouco em pouco, nós evoluímos muito, só temos que saber dar mais valor pelo dia de hoje! Deixa sua Mensagem e Agradecimentos? Primeiramente gostaria de agradecer a Deccs pela oportunidade de poder falar um pouco sobre mim e minhas experiências! Gostaria de agradecer também, a minha família, meus amigos, meus parceiros e a todos que fazem o skate acontecer de verdade! Seja numa mídia ou no anonimato, todos vocês são fodas!

FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO

DECCS MAGAZINE - [15]


FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO MANOBRA: BONELESS

[16] - DECCS MAGAZINE


FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO MANOBRA: B/S FEEBLE

DECCS MAGAZINE - [17]


FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO

[18] - DECCS MAGAZINE


FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO MANOBRA: B/S SMITH

DECCS MAGAZINE - [19]


FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO MANOBRA: F/S NOSE BONE TRANSFER

[20] - DECCS MAGAZINE


FOTOGRAFO: WANDERLEY BOLÃO MANOBRA: F/S OLLIE TRANSFER

DECCS MAGAZINE - [21]


MATÉRIA

ALDEIA SKATE 10 ANOS DE PROJETO @Aldeia_Skate Marilândia do Sul – (PR)

Fotografo Igor Zanin @igorzanin_

SKATISTA: JOÃO SENE MANOBRA: BS ROCKSLIDE

O

projeto Aldeia skate começou em 2012 na cidade de Marilândia do Sul - PR e na época andavam de Skate na cidade apenas duas pessoas por pura diversão. Num dia totalmente aleatório, uma garota chamada Mariana Plath pediu pra ensinar ela a andar de skate, e a partir daquele dia, outras crianças começaram a chegar, e o número de pessoas foi aumentando.

Como não tinha nenhum skatista profissional na cidade, fomos ensinando as bases como equilíbrio, remar, posição dos pés, ollie e daí por diante evoluindo pra flip e outras manobras de base conforme a galera ia evoluindo. O projeto estava crescendo, fazíamos lista de chamada, cobrávamos notas na escola, passávamos vídeo part pra galera assistir na assistência social que sempre nos ajudou em tudo que precisamos e tínhamos os dias certos para os meninos treinarem. Mas ainda enfrentávamos dois problemas: A falta de skate para os que não podiam comprar e a falta de espaço pra andar, mas isso não deixava o skate parar. Andávamos nos colégios, nas ruas e quadras vazias, pegávamos os skates que tinham, fazíamos filas e a galera ia revezando pra andar 15 minutos de cada kkkk era foda.** Como o skate ensina a passarmos pelos obstáculos da vida, fomos pra cima, criamos uma ação de venda de pizza e com o lucro compramos as primeiras peças e acessórios pra galera andar. Os skates foram aumentado, e um dia com a ajuda de uma loja chamada Worship conseguimos montar 15 skates usados e a partir dali a chave virou dentro do projeto. O crass cedeu o pátio deles pra gente fazer os treinamentos e o nome Aldeia surgiu devido ao tamanho da cidade e a proporção que o skate trazia dentro dela. Criamos o Aldeia skate tour, onde com a ajuda do crass e da prefeitura levávamos os meninos pra andar em pistas de outras cidades e se relacionar com outras pessoas que praticavam o esporte, fizemos de 4 a 6 turnês entre 2012 e 2013 e o rolê da moleca foi evoluindo a cada dia. Até que um dia resolvemos criar nosso próprio evento chamado dia D. Seria um dia em que traríamos skatistas profissionais e amadores para se apresentar na nossa cidade, pros meninos verem manobras bem executadas por quem sabia de verdade,e não deu outra, o evento foi um sucesso, fizemos uma trip pelo castelo da cidade, fizemos uma confraternização no asilo e de quebra o skate comeu solto. Os profissionais Rogério Febem Lucas Bonilha e o amador Fernando Bill foram um dos nossos alicerces podemos assim dizer e seremos gratos até a eternidade pela força que eles nos deram. Pouco tempo depois com a ajuda da prefeitura, ganhamos um espaço próprio para a prática, espaço esse que tem como referência a pista do zerão de Londrina. Muita gente não sabe mas o Dr Augusto era de Londrina e a prefeitura não conseguia executar o projeto de pista que entregamos devido ao custo, então a prefeitura se ofereceu para fazer uma pista pique a do zerão e nós podíamos modificar alguns obstáculos. O projeto que foi escrito para 6 anos, tinha como objetivo principal, ensinar os meninos a enfrentarem a vida, enfrentar obstáculos e a não desistir quando realmente quisessem algo, porque no fim das contas é isso que o skate acaba ensinando, seja como esporte, estilo de vida ou profissão. Uma pista de skate também era um sonho que pra nós parecia muito distante, mas com persistência e um trabalho legal na cidade a prefeitura nos ajudou e a pista saiu. Hoje em dia o projeto segue firme, um dos meninos que começou na Aldeia e inclusive já saiu na revista Decks, evoluiu muito no skate e como pessoa, é empreendedor, tem uma skateshop e devagarinho vai fortalecendo os outros meninos que continuam firmes no game. Os próximos 10 anos já estão sendo escritos e podemos dizer que serão promissores, teremos instrutores certificados para o ensino, seremos um instituto com todas as documentações necessárias, projetamos ter nosso QG, aumentar nosso espaço para a evolução e a prática do skate e inserir outras modalidades como a arte e a música ao projeto. [22] - DECCS MAGAZINE


SKATISTA: TEC SAN MANOBRA: BS NOSESLIDE

DECCS MAGAZINE - [23]


ENTREVISTA

SAYLON HENRIQUE @saylxskt 15 anos 4 Anos de skate Jau - (Sp)

FLOW/INICIANTE

Fotografo Lincoln Gabriel @video___arte

Se apresente aos leitores? Me chamo Saylon Henrique Martins, tenho 15 anos e disputo na categoria INICIANTE. Como se interessou pelo skt? Me interessei pelo skate quando tinha 12 anos, um amigo meu me convidou para andar na rua, eu não sabia nada, mas vivia tentando as tricks, a gente foi evoluindo com o tempo e infelizmente ele teve que parar por conta de trabalho, mas eu sigo firme na caminhada, o corre não para! Sua família te apoiou? No comecinho não, mas depois que eles viram que

[24] - DECCS MAGAZINE

eu realmente estava me dedicando, eles começaram a me incentivar, eles que me fortalecem a fazer isso, meu primo queria que eu jogasse bola, mas nunca deixou de me apoiar no skate, ele é minha inspiração! Quais são seus patrocínios? Garbin for man/Ckp Sports. Como está sendo sua correria no cenário do skate? Então rapaziada, eu sigo ajudando o skate da minha cidade, estou ajudando a construir os obstáculos e sempre incentivando a rapaziada a andar de skate,


FOTOGRAFO: LUCAS MARTINS MANOBRA: FS SMITH sigo no corre atrás dos campeonatos da região, sempre dando o melhor de mim. Está filmando para alguma vídeo parte? Qual? Não estou gravando para nenhum vídeo parte recentemente. Como anda o movimento do skate em sua cidade? Antigamente não tínhamos muitos campeonatos na minha cidade, agora que começou a andar novamente, por conta de um projeto da ajsb (Assoc. Jauense de Skateboard) que reúne vários skatistas da cidade, para contribuir na cena do skate jauense.

Conta um pouco sobre sua última Trip ? Minha última trip foi em Bauru, no campeonato que teve, mas só fui para presenciar pois tinha me machucado, queria muito disputar, mas acontece né, foi muito da hora o campeonato, vivências!

certo, por conta de algumas dificuldades financeiras, mas o meu foco para esse ano é tentar fechar com alguma marca "grande" de skate!

Dificuldades das Ruas em manobrar? Antigamente eu andava muito nos picos de ruas, mas agora eu estou andar mais nas pistas da região, não tenho muita dificuldade em manobras nas ruas.

Para finalizar, deixe sua mensagem e agradecimentos? "Um sonho sonhado sozinho é um sonho. Um sonho sonhado junto é realidade." Gratidão a todos que me apoiam a fazer o que amo!

Fale um pouco sobre seu foco para 2022? Eu tinha alguns projetos, mas acabou não dando

Uma frase? Foco e crença sempre… vai dar certo. DECCS MAGAZINE - [25]


ENTREVISTA

ANDERSON ALVES @andersonalvesskate 28 anos 13 Anos de skate São Paulo – (SP)

FLOW/INICIANTE

Fotografo Rafael Alves @raffalvesoficial

[26] - DECCS MAGAZINE

Se apresente aos leitores? Sou Anderson Alves ando de skate mas de 13 anos sou de São Paulo zona norte. Como se interessou pelo skt? Jogando vídeo game tony hawk pro skate. Sua família te apoiou? Sim meu primeiro campeonato fui com meu pai e meu tio cido me ajudou ele ia todos campeonatos e

me ajudou com computador dele para eu editar meus vídeos e fotos e meu irmão nos tinha uma equipe de skate g.d.s skate nos fez muita coisa juntos ele me ajuda até hoje. Quais são seus patrocínios? Não tenho. Como está sendo sua correria no cenário do skate? No momento estou tirando muitas fotos e gravando


FOTOGRAFO: @RAFFALVESOFICIAL MANOBRA: ROCK N ROLL REVERSE

vídeo estou focado na música e outros projetos meus. Está filmando para alguma vídeo parte? Qual? No momento estou filme mando para vídeo da minha equipe g.d.s skate skate. Como anda o movimento do skate em sua cidade? Anda bem tem muitas promessas e a galera aqui é bem unida.

Conta um pouco sobre sua última Trip ? Fui na pista particular do Pedro quintas foi bem da hora teve várias festas e pudim ver meus ídolos do skate.

umas músicas e evoluir, mas no skate.

Dificuldades das Ruas em manobrar? Aqui é bom tem muitos picos só o chão de alguns lugares que não é bom.

Para finalizar, deixe sua mensagem e agradecimentos? No começo não é fácil, mas todos consegue basta ter fé e foco Eu agradeço muito pela oportunidade muito sucesso para revista Skate até morrer (kkk)

Fale um pouco sobre seu foco para 2022? Estou focado no novo vídeo da g.d.s skate vou lançar

Uma frase? Skate por amor. DECCS MAGAZINE - [27]


MATÉRIA

MATÉRIA

JUNDIAI BROTHERS LONGBOARD CLASSIC

Fotografo Sidpics @sidpicsfotografoskt Texto Sidpics

N

este domingo(24/07) Jundiai acordou ao melhor som de Surf Rock que podemos imaginar, logo cedo a ladeira já estava tomado por skates com suas medidas absurdas e seus trucks gigantescos, os famosos Classics, modalidade essa que tem tomado as ladeiras Brasil a fora, este era o Jundiai Brothers Longboard Classic.

O evento contou com a presença dos melhores e mais nervosos skatistas do Classic, e claro que com a vibe como a ladeira nunca deixou de nos proporcionar. O evento teve o apoio da Prefeitura de Jundiai e contou com uma infraestrutura acima da média, com food trucks e espaço para quem foi com a família ou só queria curtir com os amigos. É difícil de descrever o clima de união e parceria que estava rolando lá, fica a dica aqui, quem nunca foi a um evento de downhill, não sabe o que está perdendo, mas é obrigatório você ir a um evento de Classic Skate se quer afirmar que viveu a vida ao máximo! Tanto a organização quanto os participantes estão de parabéns, pois é fácil afirmar que este com certeza foi o melhor evento de Classic dos últimos tempos e quem não foi perdeu, pois dificilmente teremos outro assim tão cedo.

[28] - DECCS MAGAZINE


`

SKATISTA: RAFAEL MOACA MANOBRA: F/S FULL INDY GRAB

SKATISTA: LAURA CAVALCANTE MANOBRA: BS GRAB

SKATISTA: DIEGO SILVA MANOBRA: CARVE ON FOOT

SKATISTA: JULIANO OLIVEIRA MANOBRA: STALE FISH

SKATISTA: PAULO C SANTOS MANOBRA: SLIDE DECCS MAGAZINE - [29]


[30] - DECCS MAGAZINE


Fotografo : Sidpics @sidpicsfotografoskt DECCS MAGAZINE - [31]